Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03537


This item is only available as the following downloads:


Full Text
!' ...........?
|rHnifjm ,|p,,m,le de nos me.,- da no5S8 prudencia, modere-
79 a i p-',: ron,,n"fn,0i "BofrriikSpLmoi escaos *mUdoj
. \f <., s.dii.Si;,0 entre as [Wcs mas cultas. *'
l
Prociamaco da Assemblea Geral do Bra%il,
O
V
1
I
>*-0-~^ai
Subscrcve-sepan, es. foll.a 8 3ooo por qi.artel pagos adiai
't ypr"7 r"a dCnei t).\ enaf'raca d* Indepenc
07 c D, onde se .cccbetn correspondencias legal isadis, eani.-i
fiantarfos
L'pendenria
rindc-ie estes gratis, sendo 'dppri."i.S|Mim^% ridT'9''
idos.
IhSSIg-
Partidas dos Corr ios Terrestres
'Cidade da Parahiha e Villas de sua pretcncSo.......\
Dita do (lio Grande do Norte, e Villas dem.......I,.
LDita da Fortaleza e Villas dem..............bcfe'- e Sextas lei.M.
Villa de Goianna......................1
Y '"* dT Vlin-'1a.....'......" .."."//. Todos os dh.
f ''a ?> A,,,t,U> I* V ............"i-Uas Tciras.
1. a de (.aranhuns e Povoacao do Bonito.........lo, e 2| de e; da *c-
a do Cano, Serint.aein, Kio Formozo, e Porto Calvo. 1,' 11, ,ade das Alaeoas, e Villa de Maceio............Ide.n Iderr.
la de Paja de Flores........... ..........lem 13 J;., ^
1 odos os Crreoi partem ao meto da.
i
PKASF.S DA LA.
(I lart. errsc. a 6" as 10 h. e 5fi m. d:i tarde
La Cbea a i4 -as 11 li. e iS m. <' tar e
Quart initig. a ti as 9 h. e 10 m. ila larde
La Nova a 'iy as it li. e .H m da mau.
Mrire clut para o da 1. de Julho,
As 'i horas e 6 minutos d manh.
As G auras e i)o muimos da tarde.
i.
a
i. de Jri.'io. Numero I i
CAMRIOS. -- Jiimio 3o,
Londres...... 3l> d. por I foco '-'I
I isIior....... 70 a 7:1 por ojo premio, por nn' ,;;
Fianrn....... 3g5res por Iraneo.
hio efe laneiro ;i:> jvir.
OlJI'iO bordas .le G#4oo rc., Ve.as !4/r,-.n a ii.V
DitM ,, ?.0\as l4/6oO a |/f1 I
f>!.:S dC (ffoOO M. 8|lO0 a 89"")
Pl'.A'i.'i l'atacoe* lli.uieiios--------------l f& a i,i .
Peco* Column.inoi *---------- 1^660 1 r'
,, Ditos Mexicanos-------------- :/^'5.> a fcJoTo
,, Mitida ---------------------- 1 '': ii ;. ij'ix)
Descont le Bilhetes d'Afandega I i/f 1 loo ao mez.
dem de Letras t i|i por boas firmas offercido,
Mocda de cobre 3 par ioodeduo(
Das cia Semana.
egonda X< S. Pedro < S. Paulo Ap
Terra S. Austricliano Sacerdote. -- Relaco c Audiencia do Joiz de !). >'..
>
1. vara.
de Julho (uarta S. Tlieodorii > Al Audiencia do luiz de Direitoda
.1. ara. ?
Quinta Viztacie A- N. Senliora. Audiencia do !;i: de Dreito de
>. -.ara.
Sexta S. J,i i ni lio M. Audiencia do Juiz de Direito da 1. vara,
Sabbado & laabei Ratnba. RelaoSo e Audiencia du .lu- de D.
vari.
DomiiH'u S. nasicio V..
^Mk
PERNAMBITCO.
I 1 NUMERO 87 I)i: 6 DE MA10 DE
/ i4o.
IJ rancistt) (o Reg Barros, Presidente da l'ro-
,1
vinciade Pernahbuco. Faco saber a lodos
os seos Habitantes que a Assemblea Le-
gislativa Provincial Ducrelou, e eu Saoe-
tionei a Lei se^uinic :
TITULO I.
Desposa Provincial.
Artigo 1. O Presidente da provincia lie
\i itorisado a despender no auno nnanceiro .
i| le ha de correr to primeiro de Jullio de mil
di o cea tos quarenla ao tillimo de Juibo de
u.il oo Milu e qutenla e uin com os olijeclos
#pe*6cados nos arli;os sej;uiules a quan-
iiTaeselcenlos equatotv.e cotilos trzenlos
.juarenla e seis mil qatnkeutos e oilen-
la res.
CAPITULO 1.
Jtssemblea Provincial, Secretaria do Oo- i
veino,
Artijjo 2. Com o Subsidio, e ajutia de cus-
dos Membros da Assemblea Provincial, fi-
ndo em vigor para a viudoura Legislatura
CAPITULO 3.
Instrucco Publica.
Artigo q. Com o Lyceo daCtdadedoRe-
Cfe inclusive a qttinlia de mais cero mil re^
para o Porteo que serve lambem de Con-
tinuo e Brando elevado o ordenado do Subs-
tituto das Cideiras de primeiras Letras desta
Cidade aqainbentos mil reis ; ouze cont
quinhentoi e quarenbt mil reis.
Artigo 10. Com os Prolessores do Semina-
rio Episcodal deOIinda ; dotis contos qualro-
eeutose cincoeuta mil reis.
Artigo 11. Cora os Profssores de Lilim
de toda a Provincia incluidos os tres Proles-
sores tas tres Comarcas que se erigirlo i seis
contos e quinhe'ito.s mil reis.
Artigo 1 a. Cornos Hrofessores de primei-
ras Lellrns de toda esta Provincia, accrescen-
do a gratificaco de dttsentos mil ris aosdes-
ta.Capital e de cincoeuta mil reis a>s de lo-
ra para ahlKueb de casas ; tnnta e oilo con-
tos seis centos e sessenta e seis mil seiscen-
tcs e e -r; [ft mil reis.
Artigo \i. Com o Jardim Botnico cm
quanlo se nao realisa a gua venda para o que
fica o goVemo autorisado assim como para
promover na vsinlianca desla Cidade a ac-
quisico lej algum terreno adeqado fun-
darlo CAPITl.no 6.
Culto I tiblico.
Artigo 4 Com a Calbedral de 01n la in-
cluida as Cadeiras, que se ao de prover. revo-
cado nesta parle o artigo desoito da Lp de
quatorze de Junliode mil oitoceutosc trinta e
um elevada a qualrocentos mil reis a congrua
doVgano Geral, nzo contos nove ceios
e trinta mil reis
Artigo %5 Comas Congruas dos Paro-
cbos, e Coadjutores de toda a Provincia aS
quaes llicserao pagas independenCemente da
apresentaco de mapas estatisticos na Secretaria
ilo Governo ncando perteneendo as Congruas
daqnelles Parocbos que nao resi li'em em
suas Ereguesias nos que suas veses rucrem ,
o que tambera lera it;; irqtiand 1 dellasse, au-
sentariMn sein ticeoca |>or mais de UD1 miv., ott
rom ella 4>or mais de tres \ viute e qualro
contos e quinhentos mil reis.
Artigo arj Com os ^uisamontos e fabricas
ilas tMatri/es ; um cont quatroc los e no -
venta e cinco mil novecenlos e viole reis.
A'"t'f. a7' ^m cenaros das ('. ipell ts-Mo-
res inclusive a quantia de dous contos de
reis que se dar a Matriz tic Gojanna c > 11 '
mil oilorentose quarenla e dous a mil e oi- ma| ,ie Agricultura dous contos de reis.
reios e quarenla e tres a Lei Provincial de
inta de :V!aio le mil oiloeentos e trinta e
neo ; viole ionios ce 11 lo e dous mil e qua-
xentos reis
Artigo i Coma Secretaria da di la Asscm-
ea, e seo expediente ; quatru contose em-
enta mil reis,
lArligo 4. Com a Secretaria da Presiden-
1, continuandoeui vigor o artigo quattoda
ei do Otcamciilo de nove d Junho de mil
tcenlos e trila e site, com a declaracSo de
10 serao creados qualro Amanuenses, sendo
>us para subslituitem o lugar dooBcial, que
rinieiratuente vagar e dous para a segunda
iga de nutro oficial, e mais om Continuo ,
ndo o ordenado, de cada Um desloa 1' ropre-
dos, de qualro ceios mil reis annuaes e
serem os emolumentos dos obeiaesda Se-
naria da Presidencia distribuidos por to-
; igualmente inclusive o Secretario, sendo
,em excluidos de todos os emolumentos os
tuaiiueiists Continuos, e Porteiio ; onze
mos nove ceios e Irinta e dous mil reis.
CAPITULO 3.
rrecadaco e Eiacaiisaco das Rendas Pro-
vinciaer.
Arr.o Com a Ttiesouraria das Ren-
Arligo 4 ComacreacSo de urna iblio-
tbeca publi.a. uniudo-se-llm a Livraria ex-
istente no Lyceo, e licando atiloiisado o Pre-
sidenlo da Provincia a abr? por tima vez so-
mente eem toda esta Provincia Urna Subs-
etipeo voluntaria e a obter da Torre do
Tumbo de Lisboa copias dos documentos
quemis interessanles 'forera Historia des-
ta mesma Provincia para fiearemdeposidadp
na relerida Biblioteca*; qualro cotilos de reis
CAPITULO 4.
Administradlo da .lustica.
Artigo 15. Com os Juises de Direito doCi-
vel vinle e qualro contos de reis
Artigo ib. Cora os Juizes de
Ciime, vinle e cinco contos e sei
reis.
Artigo 17 Com os Promotores Pblicos;
dez cotilos e oiloeentos mil reis.
Artigo 18. Lom o Escrivo e Porleiro da
Chancellara quinientos mil reis.
CAPTULO 5,
Polica e Eorca Publica.
Artigo i(. Com os Preleilos das Comer-
cas ficando em inleiro vigor a disposico do
artigo desoito da l.ei dooicamento de trinta
de Abril de rail oilo centos e Irinta e nove ;
de Direito do
seiscentos mil
bril de mil oiloeentos e trinta e note ; vinle h
seis contus seis ceios e noventa e nove mil
quinhentos reis.
CAPICULO 9.
Des pesas evenluaes.
Artigo 3!>. Comas despesas evenluaes in-
clusive os consertos das Casas das Reparli-
gues, e sendo qualro contos de. reis oclusiva-
mente para seren applicadS ;i orgaoisa
da Estalislica da Provincia ; dose contOS do
reis.
I ConUnuar--se-lia),
GOVERNO V,\ PROVIN' 1 \.
Expediente do dia o.i do passado.
Olli -ioAo Juiz de Direito interino
i,* Vara do Civel significando-lite quo
leudo a Presidencia par denuncia do Pro 00
tor Publico mandada proceder contrajera
nimo da Costa Anuda e Mello Servenluario
do olliei > de Escrivo das Capailas e Residuos
1 por
i--
do termo desta Cidade par crime a preve-
riea- .::.:.:'.. .:... procede < re|JCll(J (i1
mesla denuncia io na forma da Od. L. I.
Til. 100, e mais Leisem vigor.
Dito Ao Promotor Publico da Comarca
do llecife devolvendo-lhe ' ndemnisaco asConserlos, quo a cargo dos acompanbaro a sua denuncia contra Jeront-
pnrticulares ubi Befizero,e assim mais dous| moda Costa Amida < Mello, a lira deqne
contos de reis para a Matriz de JNazarclh;
ouze tontos de reis
CAPITULO 7.
Saude Publica, esocorros de Benificenci<
Artigo '' Com a propagado da V'accina
tendo raaiscem mil reis aunuaesosCirurgiSes
approvades que as Cabecas das Comar-
cas de I ira forera encarregados di vccna,
ficando obrigado a curar os presos da Cadeia,
eos pobres dosdeslricto irescontos e qui-
nhsuios rail reis.
Artigo 9 Com o Hospital dos Lazaros
sendo parte do quaolilativu applicado aos re-
paros da respectiva Capella tres contos de
reis
All "'O 3o. Com a Ordinaria ao recolbi-
encaminlie a mesma denuncia i Authuridido
competeute, e significando-he que ao lu/
Interino da l. Vara do Civel foi derigido o
ollicio Spra para suspender o denunciado na
forma da Od L. 1. Til ico, e noinear
interinamente quem o subslitua nos lermoH
do Alt. 8. da Le de 11 de Otilubuj do
it;.
Uiio Ao Chele do Batalham da G. V.
de Cimbres, signiein 1 >-lli qne a Prcsi
dencia tero approvado a Prop isla paraos Pos
tos vagos do mesmo Batalham, a iiuilfari
publicar determinando aos Offl :iaes pr 1 n 1
vidos que sollicilem as suai Patentes peli !
ciclan 1 da Provincia.
Diio__Ao Director ilo LictJ, commuoi-
1 as Piovinciaes sendo igualado o ordenado yinte e nove ionios esetecentos mil reis.
todos o l'mpregados ao ordenado dos Em- I Artigo 20. C ora a Eorca Policial de toda a
.. ados da Tliesouraria Ceral, iuclushe a Provincia ; cento e cincoenla e seis tontos
janlia de oito centos mil reis para o Secreta- de reis.
,, que fica creado, esete temos mil reis pa-
0 expediente ; quatorze contos e qualrocen-
11111 reis.
Arligo '1 Com os Carcereirosdas Cadcias :
um conlo e oiloeentos mil reis.
Artigo a2. Com a Guarda Racional, fi-
Artift0& cbm a Meza" das Rendas Pro- cando reducidos os Cornetas dos Mnicipi-
nciaes, inclusive duzentos mil reis de gra- os de fora a saber, do Rio Formozo Seri-
iiaco para quebiasaoTbesoureiro, e om nbaem, Cabo, Santo Anto, Pao do Albo.
deiuais Collettorias da Provincia ; dez cou- Nazarelb Limoeiio, Iguarassu' e Goianna.
s e duzentos mil reis. a lies, e dos ouiros Municipios a um sendo
\ 11 i "O ". Com o Solicitador d Fasenda tamben um Trombeta para cada Esquatro
isenlos mil res. feobseivando-se em quanto ao mais a dspo-
Aili'o8. Com a inspcccSo do Assucor e sito do artigo viole fdoOs da Lei do or;a-
Uodo observando em toda a sua exlenvo ment Provincial de dous de Maio de mil oilo-
.disposcesdoailigo olavo da Lei do 01- centos e trinta c oito ; vinle contos de reis.
intento Provincial de trinta de Abril de Artigo a.Coui as oirs do g.iartel de Po-
I oilo ceios eliiaia e nove: oito contos lia dcsta Cidade, e do das Comarcas 5 um
k I
. res.
)iw ciju
iiiiKucva i >ia.
ment daConceicao : cento eoitenta mil reis. cando-1he que tendo a Presidencia concedi-
Arligo ii Cora a dos Epostos -y \res cou- da aposmtadofa ao Professor de prim
los de reis. Letras de Nazarelh Padre Luis Carlos de Ao-
Artigo 3a. Cora o sustento, cnducco dos. drade Lima cmpre que pooka a concurso
presos pobres; do*e contos de reis. referida Cadeia .
Artig 33. Com um professor pira reger Dilo A Cmara Municipal de Goianna.
nina Cadeira de Arte obstreticia tbeorica e remettendo-lhe urnaeopia aulhentica da I.
pratica, comprcbcnde.ido a anatliomia e'Provincial N 6 pela qual foi aquella Vil-
physiologia respectiva e molestias proveni- la elevada a Catbegoria de Cidade,
entes departo, e.que ser frequenlad por Dito A Cmara Municipal do Rerife
mulheres 5 um cont de reis, significando -Ihe que a pesar de nao ter ella o
CAPITULO 8. orcameotodas despetas que se deve fazer c ira
Pontea, Calcadas e estradas. o nivdllameto desla Cidade, ihoi mdbora-
Arligrt 34 Com todas as obras publicas, in- ment e aceto de suas ruis, deve a Cunara
iusive oengajamento de engenheiros send 1 proceder ao concert de que necessiu a do Li-
,.ara as Cadcias da Cidade, e das Cabecas vramento ; nao servindo de obstculo a ei a
das Comarcas quarenla contos doris, dos Lei Provincial n. Ji marcado a quot do
quaes se tirar a quantia de doze contos qus- |5oU000 reis para limpeza de ras e ponte* ,
tiocenio c cincoeuta mil duzentos e Iridia e visto que evidentemente nao pode ella cotn-
nove reis que licarao a desposieio dPre- prehender despezas exlraordinirias < ui-
sidencia da Provincia para redisar a iudem- gentes, como a de qtie.se trata e pelos ai-
nisaco a que lera di rei lo a.Vinva do arre- tigos aS e i5 auciAisa as .Cmaras a fazeraa
manante da obra da Cideia do Limoeiro; du- que nao sao por ellas fixadas sob sua respon-
i n'os contos de res. sbelidade ou com aut irisa; io da Presiden-
ArligoJ5. Cora aillumioacSo da Cidade cia, que agora a concede a Cmara e e*|)e-
do lenle a qual se acicscenlaio quarenla raque proceda immedialamenle ai indicado
lampiea, e da Cidade de Olin.la e assim concert, ficando desla resnoodido o seo olh-
mais da Povoaco de Affogados onde se ci de i7 do coi rente, e destruidas todas ai"
collocarao dea lampies, sendo dous as es- duvidas que se tem suscitado.
iradas da ponle d.i mesma Povoaca e lican- dem do da ii.
Officio Ao Inspector da Thezouraru da
r
[ta
-
o quanto aomaisem inteiro vigor a dispo-
sico do artigo trinta e ircz ilo Capitulo oita -
vo da precitada Lei do orcameuiu du 3u de A-
1 azenda, para indemnisar os Col re Provin-
ciac Ua quinlia de ipLj-Jj despeudida com
1ELH0R EXEMPLAR ENCONTRADO



2
DIARIO DE PERNAMBUCO
ada un dos 6o llcmes da Companhia
de Operarios que hVo encajados para o Ser-
vico do Esercilo em coufoimidade das or-
densdo Governo Imperial.
Dito Ao Inspector da Thezouraria das
Randas Provinciaes comroonicando-lhe o
co nteodo no officio precedente.
Dilo Ao mesmo significando-lhe que
rao lendo sido derogadas as disposices dos
Artigo i. *. i i. do Capitulo 5. da
Lei Provincial n. 43 de io de Junho de 1837
oIitou em regra mandando continuar aarreca-
daco da matricula das Aulas da Provincia
designadas no citado Artigo 1. da Lei.
Dito Ao mesmo partecipaudo-llie que
tendo a Presidencia approvado a nomeaco
que tez o Presidente da amara Municipal de
rsazarcth, do Cidado Francisco de l'aula
Fereira de Andrade para reger intirin*men-
te a Cadeira de primeiras Letras d'aquetla
Villa, que se acha vaga cumpre que laca
abonar ao nomeado os vencimentos que por
lei Ihecompelirem em quanto nao for a re-
ferida Cadeira devida mente provida.
Dito Ao Presidente da Cunara Munici-
pal de Nazarelh communicando-lbe o con-
teudo no precedente oflicio.
Dilo Ao Comandante Superior da G N.
do Recife significando-lhe que convin-
doque o servico da Guarn' .. nao venha so-
mente a recair sobre os Guardas Niicionaes
que nao sao Empregados Pblicos lhe orde-
na que faca cassar as despencas concedidas pe-
la Presidencia aos dilfercnles Empregados P-
blicos e bem assiiu aos CommUsarios de Po-
lica a6m de coadjuvane.n o mesmo Servi-
co nos Domingos Das Santos e feriados.
Dito Ao Prefeilo da Comarca communi-
cando-lhe que a I residencia tem mandado
cassar as despensas do Servido da G. N. con-
cedidadas aos Commissarios de Polica aclu-
acs os quaes devero em quanto nao forera
substituidos por dulros lirados da lista de re-
sea coadjuvar o Servico da Guarnco nos
* Domingos Das Santos e leriados.
Dito Ao Insptcor Cera l das Obras Pu-
blicas respondendo-lhe que pode satislazer
a requesico que lhe fez o Inspector do Arse-
nal de Marinha dos esteos que se poderem
dispensar (irados das diferentes Pontes ,
pagando-as pelo valer que justamente meie-
cerem.
Dilo Ao Director do Liceo approvan-
do a nomeaco do Cidado Prtico da Cunba
Moreira Alves paia substituir intirinamente
na Cadeira de Gramtica Latina do bairro da
loa-vista o respectivo Professor que se acba
doente.
Dito A o Inspector da Tbesouraria das
Rendas Provinciaes commuuicando-lhe o
conteudo no precedente officio.
Portara Nomeando o Coronel Bernardo
Toieniino vanso da Costa Res para Instruc-
tor Geral da Guarda Racional do Municipio
do Cabo.
Cilicio Ao Inspector da Thezouraria da
Fazenda communicando-lbe a nomeaco de
que trata a Portara anterior.
COMMANDO DAS ARMAS.
Perante o l onselho exlraoidinario de que
tracta o Art. a do Regulamenlo de 17 de fre-
vereiro de i83a se proceder a nova arre-
matadlo dts medicamentos precisos ao Hos-
pital Regimental ; por isso que o actual Ar-
rematante pela m quulidade dos remedios
forneiidos, tem rivalidado o contracto cele-
brado a 4 le l'evereiio docorrente anuo. O
Gommnndanle das Armas convida pois ao Sis.
Pbermaceuticos residentes nesla Capital, a
compareceiem na secretaria Militar as 10
horas da manh do dia 6 do mez vindouro ,
onde se celebrar novo contracto como ex-
presso no referido Art.
On arte i do Comisando das Armas de Per-
nambuco?7 de Junho de ib4o.
Antonio Pedro de S Brrelo.
THEZOURARIA DA FAZENDA.
Expediente do dia 16 do passado.
Officio Ao Fxm. Encarregado dos Ne-
gocies do Brasil em Londres enviando-lhe,
em cumprimenlo da ordein do Tribunal do
Thezouro Publico Racional de 11 d Maio
p. lindo a quantia dfc 'j.^^S^ rs. em-
portaucia de um por ct-nlo de Armasenagem
uddicional arrecadado na Allandega da Cor-
te no mez d'Abril antecedente na de Para-I
ligu em Dczembio, e Janeiio ltimos, e
na Cidade de Santos em Ylaieo deste anno ,
em duas Letras a oodjv de Libras Slerlinas
1479,1 i,,'i do saque de Adolfo Scbramm ,
abonado |K>r Gaspar de .Ykinses Vasconcellos
de Drunsond, sobre Coclwoilh i'owell Pre-
tor, de* Libras Slulinas i5ou--,,do saque (
de N O. Bieber abonado por Joo Maria
Seve sobre Cairo & Tls.
Dito Ao Exm. Presidente da Provincia
pedindo-lbe para expedir as suus ordens ao
Comandante do Vapor Paraense para vir re-
ceber da Thezouraria e levar ao Thesouro
Publico Nacional dous caxoles com Notas d
loUooors.
Portara Ao Thesoureiro da Fasenda pa-
ra entregar a N. O Bieber & C. a quanlia de
1 i:8o3Ua58 rs correspondente a mil e qui-
nientas libras Slerlinas ao cambio de trifila e
meio duheiros Slerliuos por mil reis valor de
huma Letra 60 d|v sacada com abonaco de
Joo Maria Seve sobre Cairo & Tels a fa-
vor do Encarregado dos Negocios do Brasil em
Londres.
Dita Ao mesmo para entregar tambera a
Adolfo Schramm a quautia de |l ::b4aU4a6
rs. correspondente a 1.479 Libras Sterlinas
onse chellins e dous dinieros importancia
de oulra Letra que ao mesmo cambio e ao
mesmos das vista sacou com a abonaran de
Gaspar de Meneses Vasconcellos de Drumond
sobre Coeworth I'owell & Prejora favor tam-
bem do Encarregado dos Negocios do Brasil
em Londres
i Ji versas lieparcoetis
TRIBUNAL DA RELACA.
Sesso do dia 3o de Junho de l8.fo.
Na Appellacam Civel do Juizo de Direto
da Comarca do Sobral AppeIDdo Mu noel
Moreira da Silva e Appellanle Ignacio Go-
mes Prenle Escrivam Chaves foi julga-
do pela reforma da Sentensa appellada;
margo Inspector da Alfandega faz saber
que no dia quinta feira a do mez vindouro ,
se hade arremar em hasta publica e na por-
ta da mesma ao meio dia duas caixas com
vinte qualro mezas piqueras no valor de
boUoooreis, impugnadas pelo Guarda Ma-
noel da Silva Mendonca 116 Despacho por
Factura de Hermano Machters sendo o
Arrematante sujeito ao pagamento dos Direi-
tos. Alfandega 3o de Junho 1 4o.
Vicente Tbomaz Pires de Eigueredo Ca-
margor
MEZA DO CONSULADO.
~ A Pauta he a mesma do num. i3i
PREFEITURA.
Parle do dia a8.
Illm. e Exm. Sur. Das Parles hoje rece-
bidas consta smenta que fora bonlem preso
pelo Sub-Prefeito d'Oinda o preto Dionisio
Kemdicto > por ser de m couduela e ler
prendido a oulro injustamente ; foi sollo,
dem do dia tg.
Illm. e Exm Snr. Foro hontem presos
pelo Sub-Preleito do Recife o Cabo d'Arti-
Iheria de Marinha Joo Antonio INepomoceno,
por lbe ser appiehendido um punhal ; re-
mllalo ao Commandante respectivo para o
conservar preso : pelo Sub-Prefeilo d esta
Freguesia o portuguez Jos Pereira d'Azeve-
do, e o pardo Francisco Fernandes por bri-
gr ; foro sollos ; pela Sentinella da Ponte da
Boa-vista o preto Miguel, eteravo de Mano-
el Botelho por estar armado de um ccele ,
para oTender a mesma Sentinella-, foi reroet-
lido ao Snr. : e pelo bub-Prefeito da Boa-
vista o hespanhol Domingos Garca por lhe
serem apprehendidos uns ferros pertencen-
foi sollo
tes um Corrieiro ; foi sollo ; e o portuguez
IS Appellacam Civel do Juico de Direilo JoaqUim Alves de Carvalho por ter dado
da Comarca de Goanua Appellanle Estevo
Cavalcanti d Albuquerque e Appellado Se-
verino Jote Carneiro ; Escrivo Ferreira ,
foi julgado pela conGrmaco da Sentenca re-
corrida
Na Appellacam Civel do Juiso de Direito
desta Cidade, Appellanle Luis Amable Du-
bourq Appellado Antonio Gomes Villar
Escrivam Ferreira se julgou pela confirma-
coda Sentenca appellada.
Os Embargos de Antonio Florencio Fer-
reira Magalbes contra Maria Marques da
Costa na Appellacam Civel do Juiso de Direi-
to a comarca de Sobral Escrivam Posthomo ;
foro recebidos e relormados os Accordos em-
bargados.
Na Appellacam do Juizo de Direito desta
Cidade Escrivam Chaves Appellanle Joo
Severinodo Reg Barrse Appellados D. Ig-
nez Brites de Mello e Joo Francisco do Re-
g Maia : foi julgado nullo o processo de II.
38 em diante.
Na Api*!lacera Civel da Coflferca de N-
zareth ppellante Joaquim d Albuquerque
Mello e Appellado Francisco Gomes da Cu-
nha Escrivam posthomo se julgou pela Con-
firroacio da Sentenca appellada.
Na Appellacam Civel do Juizo de Direito
desta Cidade; Appellanle, Joo Francisco dos
Sanios Siqueira : Appellado Joaquim da
Fonceca Soares de Figueredo ; Escrivo pos-
ibomo : se julgou pela relorma da Sentenca.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
Rendmento da Alfandega de Pernambuco no
corrente mee de Junho.
Direitosde i5 por too 85:a89U45o
Ditos de 5o por 100 de bebi-
das espirituosas 6497U301
Ditos de o por 100 da pl-
vora 9:ooSUia5
Dilo de 3o por cem do cha % 1 tUooo
Reexportadlo 2 por 100 i5U5
Expediente de 1 112 por 100 8:879^81
Armasenagem de i|4 por 100 igt>Ui75
Dita anddicioual de 3 ip por
100
Premio de i|aporiooao
mez
Multas calculadas nos despa-
chos
urna bofetada e teos em um menor ; foi re-
medido para a Cadeia.
Nada mas consta das Partes recebidas.
dem do dia 3o.
Illm. e Exm. ^nr. Foro hontem presos
pela 1. w patrulha do districto da Rioeira
d'esla Freguesia o preto Antonio escravo de
Antonio Joaquim pereira de Mendon a por
bri^a } ficou detento no Callabouco : e peja
i.* patrulha do-districto dos Allogados ou-
tro preto de nome Jos escravo de Jos Xa-
vier d'Oliveira por estar fgido; remellido
ao Senhor.
Nada mas consta das partes recebidas.
sua allenco concentrada em S. Amaro (!!)
altn do Taquary, a onde talvez fique inojm-
modada todo o invern no entanto que os re-
beldes se nao toJos ao menos a maior par-
te acbo se j nos suburbios d"esta desgra-
cada cidade Quaes as suas vistas ignora-se
( anda que militas cousas se dizem ) Dos
queira que ludo sto nao passe do coslumado
manhoso sitio !.....
___t_.
ao:546Ua36
IJ795666
558U953
Emolumentos de Certidues
Multas avulsas
i-5 tjg'ill J14
4:88o
160U000
ia6:i5b 94
Alfandega das Fasendis 3o de Junbo de
1840.'
O Escrivo da Alfandega.
Jacome Gcraldo Maria Lumachi de Mello,

Editai.
Vicenie Thnmaz Pires de Figueredo Ca- Ida a crca ogsl
NOTICIAS DO RIO-GRANDE
EXTBACTOS OE CARTAS PARTICULARES.
Cidade do Rio Grande 29 de maio de 18 jo.
Com a chegada do palhabote qne sabio d*>
poi to alegre 00 dia a5 e aqu fundeou a aT
do correte, soubemos que os rebeldes n
podendo ganhar a eampanha por Iho imped-
rem nossas lonas que guarnecio o Taquary,
e mesmo por estar este rio muito ebeio em
consequencia das copiozas ebuvas regress-
ro ao seu anligo posto islo he s immedi-
acoes de I orlo Alegre. Acha-se poi tanto a
capital em sitio ; antes isso do que assenhore-
arem-se os rebeldes da eampanha oque fa-
ria mas duradoura a actual lula. Eis em
resumo as ultimas noticias de Porto Alegre.
( Corresp. do Despertador. )
Porto Alegre ao de maio.
Tendo-nos encontrado na Alaga com o
vapor as noticias que este nos deo foro 1-
songeiras ; com o que todos ficaro muito sa-
lisletlos menos em que, segundo o meo cos-
tume as prognostique pela Jado opposto ,
e quasi que me nao enganei. Sim he in-
negavel que cousa de mil legalistas achan-
do-se em pessma posico, soubero com bra-
vura defenderle e afastar de si duplicada
forca rebelde ; nao ha duvida que foi isto hu-
ma vanlagem da maior importancia porque,
destrocada esta forca tudo eslava bem dis-
pusto para, por detalhe, jamis soflrer a
mesma sorte ; porm dizer-se que com islo
as loicas legaes tem triumphado dos rebeldes ,
nao he exacto. Talves que, se tivesse havido
huma (orinal e bem disposta accao em occasi-
o opportuna o general Jorge tivesse desba-
ratado os rebeldes com menos prejuiso dos
defensores da legalidade. Segundo as iufor-
maces que tenbo a perda foi quas a mesma
de ambos os lados O inimigo vendo a re-
sistencia heroica dos legaes abandouou co-
bardemente o campo ; porm a pessima posi-
co em que se aebavo collocados os legalistas
os obrigou a repassaiein logo o Taquary ; pe-
lo receio de que o inimigo voltasse coro novas
lorcas que se achavo perlo pois queja ti-
uho n'essa occazio feito as junces que per-
lendio A nossa columna ou quasi to- j
tem toda a}
Porto-Alegre aa de maio.
Tem continuado a m direceo de nossa
operaces, e por sso nada tem havido por ora
de vantajoso causa da legalidade. A nossa
columna acha-se anda estacionada alm do
rio Taquary sera nada ha ver emprehendido.
Os rebeldes depois de verem talve que lhe
nao era possvel passar para a eampanha sem
algum risco em consequencia de ter endudo
o rio voltario para S Leopoldo e por aiii<
se acho continuando a fazero sitio da cidade.
Dizem huns que elles pertendem talvez 'subir
a seria, outros que he para ver se a nossa co-
lumna se move do lugar onde est para fa-
zerera a mesma manobra do Cihy e prem-
se ao fresco para o campo. Eu, porm, o que
julgo he que elles se couservar | or aqui to-
do o invern visto que os nao inc( mmodo ,
entretanto que mando fazer reunir todas as
pessoas da campanil 1 sem excepeo para
verem se no principio do vero opero com
vantagem. Se a legalidade tivesse bom piloto,
nada disto elles poderio fazer porm om o
nosso descanco nao s faro o que digo mas
al muito mas. O resultado de tudo islo he
eslarmos continuamente na trinclieira ron-
das caixo iSic. Tem havido estes dias bas-
tantes receios de ataque s trinebeiras o que
muito nos tem iucommodado. A ordem do
dia da ac e pouco imparcial ( segundo dizem ) Joo
Nepomoceno com o seu batalho cobrio-se de
gloria. Porlro-se tambera com muita bra-
vura o lenenl coronel Jos Joaquim de An-
drade S'eves o brigadeiro Felippe Nery o
major Padilha ( este foi gravemente fe ido ,
mas vai escapo da morte ) e o major allemo
do 1. batalho ic. -t&c
O plano de operaces que se adoptou foi'
magnifico ; elle tera produzido os melhores
resultados se houvesse sido pontualmente exe-
cutado. Nunca a legalidade esteve em lio Loa
posico para triunfar da anarchia ; mas, in-
felizmente nunca ella teve tanla falta de
quem bem a dirigiste. A barca como deve
saber foi ao Rio a requisitar piloto mas h-
bil "e Dos queira que o governo nos mande
desta vez o homem de prestigio queja por ve-
zes tem dado provas de que tem habildade
para estas empresas. A dos meu amigo, nao
posso dizer-lbe mais, porque estasahiro
palhabote.
EXTRACTOS DE PERIDICOS.
us aa e ierra
Rio-Grande i3 de maio.
Remeti a Vm. a copia inclusa das instru-
ces que tenho expedido nesta data a fim de
evitar o commercio clandestino dssa cida-
dade com os rebeldes para que Vm. lhe d
execusso por sua parte. Dos guarde a Vm.
Palacio do Governo em Porto Alegre 24 de
abril de 1840. saturnino de Souza e Oli-
veira. Sr. juiz de direito chele de policia
do Rio Grande.
Providencia para por termo ao commercio
clandestino que os traficantes alimento para
os lugares oceupados pelos rebelde?, illudin-
doas autoridades com figurados deslinos.
I Nao ser permellido sabir desta cidade
nenhuma embarcaco de boca, aberta, sem
previa licenca do cliefe de policia da mesma
em que se declare o seo destino, qual a carga,
o mestre e o dono.
11. Para esta licenca se apresentar hun
requer ment em o qual se mencione o nu_
mero da canoa ou embarcaco a carga qu
conduz, para onde para que fim e a quem
pretences tanto esta como aquella.
III O dono dos gneros ou aqnelift-que"^ "I
os despachar, prstala juramento no juizo de
paz da cidade do Rio Grande, sobre a ver-
dade do expendido em seo requerimento e
e desta forma ser a licenca cumprida, ican-
do archivado no mesmo juiso o requerimento
e forma de juramento.
IV. Esta licenca ser rubricada pelo ins-
pector da alfandega, quando for para saluda
de embarcaco, o qual mandar confciir o
despaxo na mesma embarcaco, antes de lar-
gar ao seu destino.
V. Os gneros que sahirem por trra sero
licenciados da mesma forma, porem ser apre-
seutada ao commandante da guarnido que
a rubricar, mandando faier a conferencia ua
trine her
1

MELHOR EXEf


niARIO D B. PERNA-MBCO
i

Z!' iA 5e"Cr0S,desPachados devero ser a- cora i4o pracas da primeira brigada do com-
jiresentados ao chegarem no seu destino L
lautoridade que a licenca indicar, o que se fa-
lta certo ueste juizo no prazo que a mesma li-
fcenca marcar.
Vil. Uepois da publica cao destas provi-
dencias todas as embarcaces miadas que
lorem encontradas sera a indicada licenca, re-
putar-se-bao empreadas em contrabando e
comotaes sero apprebendidas e remettidas
1 alfandega e os patres ou donos processa-
dos como desobedientes.
VIII. Aquelles que tendo sabido com des-
pachos nao se apresenlarem no termo marca-
do, segundo o arligo to, sero punidos como
desobedientes ; e aquelles que sa verificar te-
rem tomado difTereute destino do manifestado
e jurado sero processados como perjuro ,
bem como nos outros casos em que perjura-
rem.
IX. Os inspectores dquarteiro os offi-
ciaes de juslica e as patrulhas vigiar sobre
o cumprimenlo destas providencias e qual-
quer outra pesso-i denunciar por escripto ou
em segredo o que interessar a este respeito e
a autoridade examinar e dar immediatas
providencias. E para que lodos esteja em
dia com este objecto o juiz de paz far .pu-
blicar sematialmcnte as licencas que tiverem
sido concedidas e cumpridas pan onde e o
termo que Ibes marcou.
X. Para melbur se saber as embarcaces
miudas qua tem sabido setn despacho o juiz
de paz as far numerar e matricular em livro
proprio eser permittido a quulquer ir exa-
minar se esta ou aquella embarcaeo obteve
licenca para sabir do porto.
XI. Fica isentas da obrigaco imposta nos
arlinos 6 e 8 as pessoas que obtiverem liceu-
cas para remetterem pequenas miudezas para
familias Regiese sem suspeita, que por neces-
sidade resida em lugares oceupados pelos re-
beldes limitando-se estas miudezas a poucos
rticos de comesliveis e vestuario para a raais
urgente necessidade seguindo-se comludo na
concesso dellas ludo o mais eslabelecido ues-
tas instrueces.
Nao se entende esta disposico com as em-
barcaces do servico dos hules e outros bar-
cos de maior porte. Palacio do governo em
Porto Alegre ai de ftbrtl de i8j,o. Satur-
nino de Souza e liveira. (O Mercantil.)
mando de V. S., para bater huma forca re-
belde que existia sobre as immediacos da villa
do Piratiny ao mando do intitulada,lente
coronel Gamillo dos Santos Campelto; tendo
de levar ao conhecimenlo de V. S. em resul-
tado de minha commissao que, passando o
dito rio S. Goncalo no dia 4 do correnle fu
as marchas de noite oceultando-me de dia o
((iianto me era possivel afim de nao ser des-
coberto nao s dos moradores da campanha ,
como dos inimigos que em pequeos grupos
vagra pelo campo. Na noite de t pondo-
me em marcha, em direceo ao passo do acam-
pamento no Piratiny, pela esem ido da noite,
escabrosidad*- do terreno e continuadas chuvas
que houve durante toda a marcha perdeo-
se-me hum soldado que flanqueava a forca ,
teudo este o infortunio de ser no dia seguinte
prisioneiro pelo inimigo Gcando rom este a-
contecimento todo o inimigo sabedor da exis-
tencia de nossa forca naquelle logar, e por
consequenciaseacautelou. Segu, comludo,
a procurar o inimigo at estancia do Espirito
Santo e oblendo alli noticias que elle se ti-
nlia retirado para alm da serra das Asprezas,
e nao me sendo possivel seguii-o mais em
razo da grande distancia em que se achava
e do mo estado da cavulhada resolv retirar-
me e mandar ocapito David Pereira Ala-
chado com jo pracas seguir na direceo do
llinco do Pendiz passando o arroio Pirati-
ny Chico para ir pela parte opposta do mes-
mo em direitura ao passo dos Canudos, a
perseguir alguns rebeldes que por ali hovesse
tudose perderla que s Iherestava hum uni- j Os estatutos doste estabetecimento sao fran-
co meio e esse de pouo.i esperanca. Beuto eos ao pblico a qualqucr hora.
Vanoel nessa oecasio disse r Nao quizera 1
fazer o queeu dizia e fu rao se meter no car- !
ral -- Entregou ah o commando de hum
corpo de oitenta homens de linha a
Avisos Diversos.
tSF" O JuizdoCivcl da primeira Varados-
est
Demetrio a quem Quedes nao quiz obedecer,
e se retir.)'i cada hum para seu lado depois ta Comarca Martiuiauo da Rocha liados
de Hento Manoel mandar os visinhos para suas no efectivo exercicio f i sobredi ta Vara,
casas, cavalhadas, ele, liento Manoel tinha tJ" f) Secretario da Sociedade A poliuria
mandado fazer huma tropa, e segua para aviza aos Srs. Socios, que hoje i de Jtillio
Montevideo ; dizendo que quem livesse me- ha ver reunido da Sociedade pira se tratar di -
do izesse o que elle fazia. Unitivamente- da Caza pira a mes ni i : por
Esta noticia combina exactamente comas tanto rog aos Illm Srs. queiraS compare' -
que o Sr. chele (reufell havia mandado a S. cer pelas t horas da tarde para deliberaren!
Ex. o Sr. presidente, recebidas do Rio Pardo sobre hum assumpln to importante,
eS. Amaro; edemais a p parece confirmada! K> A revizo dos pezos e medidas do Mu-
pelos factos visto que at hoje liento Manoel nicipiodo Reeife principia boje a se fazer
nao tem appareeido, nem consta que esteja no lugar das Cinco-ponles na mosnu caza
com forcas reunidas em algn: ponto da cam- pude se faz a alTericfo.
panha apezar das bravatas com que os che- i CT" Precisa-se de arrendar um sitio que
fes rebelde inculcavH que elle vinlia na re- seja perto di praca com bastantes fructas :
taguarda da nossa ceWmna da cavallaria com quem o ver dirija-ae a ra Oireita por eimi
.ooo, mostrando suppostos olfieioi, e asse I* paderia do Sr. Alachado, no segundo au-
gurando ora que eslava | na Caxoeira o- dar > das "ove horas al as tres da larde que
ra em Rio Pardo Varias pessoas chegadas acl,ar com quem tratar.
hontem e boje da capaila aoude j se acha c^' A |,essoj que auuunciou ter um osera -
as nossas forcas da serra e que estava entre vo P*r* ve'"b os rebeldes informa que em hum oouse- lora e Ine ahanc* a conducta pode dirigir-
11) que lizera no di 13 de abril resol vra sc a Gamboa do t.anno O. 9.
difinilivamenle atacar a nossa linha do Caby *-*" Aluga-se urna casa no bairro da Boa-
pela frente e pela retaguarda no dia 3o do 1 ^ '*ta 1ue lt'bi comino lo [tara familia,
mesino mez anniversario da derreta do Rio J quintal grande e que ten ha porto d embar
Pardo e que para a execu rao desse plano se- (l,le sendo as ras da Gloria S Gjngalo
gira o Neto para lora passando de noite na
A causa da legalidade vai de dia a dia obten-
do rpidos melhoramenlos na campanha ; em
qualquer lugar onde se apresenta suas forcas
v-se o inimigo constrangido a fugir veryo-
nhosamente, e a ceder as palmas da victoria
aos briosos defensores da naco brasileira. O
general Labalut assegura estar as imraedi-
aces de Porto Alegre cora huma forca de
2.000 homens, deixando a provincia de .
Paulo e S Calharina livre das depredadles
dos rebeldes e nao tardar que elle reu-
nindo-ses forcas da provincia faca ver aos
rebeldes que o brasil j nao pude solFrer por
rnaistempo hum punhado de velhacos que
pretendem enriquecer cusa das desgracas
publicas. No Estado Oriental temos j nao
pequea reunio : diterenles partidos legaes
cruza a campanha por ordem de seus cheles ,
para dispersar as reuniesdos rebeldes e bater
suas partidas, o que temos conseguido, sem
peripar huma s pessoa. Por onde andar
a esta hora Cauavarro liento Goncalves ,
Crescencio e outros ? Talvez correndo para
nao serem balidos porLoureno, em quanto
o matreiro do Bento Manoel esi a duas amar-
ras colhendo em santo ocio o fruclo dos seus
trabalhos. ----------- (dem.)
ao de Maio.
Illm. e Exm. Sr. Sabendo que o coronel
dos rebeldes Pedro Vieira encarregou ao l-
ente coronel dos meamos rebeldes Gamillo
dos Santos Campello do commando das reu-
nies que havia mandado fazer nos districlos ao
sul deCamaquan, e queja tinha nos biiburbios
da estancia do Vicente Lucas huma forca reu-
nida que se regulava para mais de 100 pracas-,
niandei o teuente-coronel Francisco Antonio
de Mener.es com 140 pracas escolbides la-
zendo marchas oceultas para ver se a batia e
nao pode conseguir pelos motivos que aponta
na parte que me deo e da qual junto remello a
V. Ex. a copia i porem, sempre lez o que llie
foi possivel em prova dos bons deejos que
tem de ajudar o triumphar a causa da egali-
He quanto tenho de levar ao conheci-
ribaldi para lomar o commando da forca de
Crescendo Joio Antonio e Joaquim Pedro
queestava em Moule Alegro : a passagem da
nossa columu determinada para o da 16 de
abril, o desjuarnecimento antecipado do pon-
to do Maral a marcha da companhia de
inteutava abrir com essoalafjue: felizmente
porem BUa audacia nos proporcionou o melbo-
ramento de nossa posico ; nao quizera reti-
rar-SC em quanto podera aiacara a nossa
iufanteria somonte margena esquerda do Ta
quary fora repellidos com grande |>crila ,
perdera forca moral e o nosso exercilo livre
nba. A Divina Provi lencia que nos pro-
porcionou este consideravel melboramento ve-
le sobre nos. (Despertador de ) de Junho)
Tomando eu a vereda do passo do Piratiny | lupuam em huma canoa condu/ido por Gir-
Grande, e sendo-me ali informado quena
caa do Joaquim Gomes, junto serra imme-
diata capella do Serillo ex istia huma par-
tida de viole rebeldes commandada pelo te-
nenie Manoel Coi rea e carregando-os oblive
icarem morios o intitulado lenle Correa e
oulro escapando-seos mais que fora per-
juros e nao se podera agarrar pola proximi-
dade da serra em que se enlrauhra resa-
lando-se ueste mesino acto o soldado que na
noite de b, se havia perdido, tomaudo-se-
llies cem cavallos (destes sote arreados) qua-
tro espadas 5 pistolas e a ortuxeiras. Sen-
do-me mais informado que no passo da Mara
Gomes se achava outra partida rebelde com-
mandada pelo intitulado capito Manoel Tei-
xeirad'Avila Polvadeira, fui em seguida a
ver se consegua batl-a fazendo adianlar o
capito Antonio Anlunes da Porciumcula a
fim de observar com uo pravas indo eu logo
ao seu alcance ; e ebegando o mencionado
capito Antunes perlo da casa do rebelde Her-
menegildo i'Vrreira A unes observou quedli
havia inimigo e earregaudo logo sobre elle
foi sentido pelos mesmos rebeldes que correra
a p a anliar o mallo que cerca o arroio Pira-
tiny sendo nesta carga mortalinenle feridos
de bala e espada o intitulado lenle Herme-
negildo e oulro que por este motivo nao sao
conduzidos presenea do V. S e assim mais
i q', mesmo baleados, se escapra. aliraudo-
se a nado,e igualmente os mais se escapra no
mesmo arroio deixando em nosso poder Jo
cavallos (destes hum irreado) e 4 espadas.
Nada mais podendo fazer recolhi-me a este a-
companculo no dia 1
deix
presla
de dirigir nesia iligressao os q
dignos dos melhores elogios pelo muito zelo e
actividade com que lodos se desenvolvern no
desempenhode suas obrigacoes fazendo con-
servar a precisa ordem na marcha e man-
iendo a suLordinaco aos seus subordinados ,
que tambem nao devem ficar no es(]uecimenlo
pelo bem que se portara em toda a marcha e
nas occasies de encontr com o inimigo.
Dos guarde a V. S. Acampamento 110 rin-
di dos''ouros, 1a de maio de itfi,0- Hl Sr. Joo da Silva Tavares cominandanle su-
perior da G. N. Francisco Antonio de \le-
nezes. (dem )
e Cotovello : quem uver o quizar alugar diri
ja-searu;ido l'"ogo i) i2,
ir Perdeu-so uma sedla deduzentos mil
reis desde a ra do Vigario alo a ra da t:a-
dei 1 indo do Corpo Santo pira a loja de cam-
bio leudo-so entrad > de caminbo na caza dos
Negociantes Cilmont & C. : quem a adiar a
quuer lor a bou.I ido de a restituir ter
Allemes para o Parecy aonde a enc.intrra |Urta parlo pelo adiado tendo em vist ion
e dest roca rao translornou o plano do ataque j r-'eahe o projuizo sobre um caixeiro priuci-
nodia So e anteoipou-lhes a passagem que, l,ia15 ; dinja-se a ra do Vigario ia
----Nodia i() do mez de cVIaio pp fugio
um escravo creoulo de nome Clemente, com
osseguintes sigues biaestatura cor fu-
la com os denles da fren le limados, olhoi
grandes, barbado, com cabellos pelos peitos;
levou calca e cainita de brim brancj cha-
peo de couroj vellio. Este escravo foi re-
lionieao unta ui^iai \i w iiussu i;.\tn.n,u 11 > 11- 1 .1 -------- ----.. ** iv^t ilrf
de breas retaguarda de novo Ibes toma os! > ao Sr. Antonio Lu/. Ribeiro de lirilo
pasaos do Tiuary e embaraca s suas for- u" 3erl5 de l>ci lui',ra e foi vendido ao Sr,
cas reunidas o gaubarem fcilmente a campa- Belarmino de Arruda Cmara : quem del lo
LOTERA DV M. DA BOA-VISTA.
O Thesoureiro da Lotera a beneficio das
Obras da Matriz da Boa-Vista declara que
os bilbeles eslo venda nos lugares do costu-
me; e que as rodas anda impreierivelmente
no dia ultimo do prximo Jullio.
goas ver-
noticias der, ou o levar a rus de A
des D. 3i raceber 5oU rs.
h.-J- Cjuem quiser carregir para a Villa de
Goianna dirija-se a Fura do portas cata do
Antonio Joaquim dos Santos laclo do 111 ir.
3^- Aluga-sa umi caza terroi com duas
sallas, tresquarlos, quintal, ecacimbaem
uma das boas ras desla Cidade ; a filiar 111
ra da Cadeia do Kecie, D. 14 andar
^ Despacba-se navios lira se iias-
sapoi tes e guias de escravos tudo com pres-
teza
, e por proco commodo ; na rui d ) Vi;; 1-
As ro^baT da primda parte da'terceia Lo- llu *** A>.s .
teria do Theatro anda impreierivelmente no | tomprao-9e du
dia 13
ti vos
uasescravas que saiba
5 de Julho prximo futuro, e os respec- pcrleilamente engomar e que nao sojao vi-
Uill.etesacba-se venda no bairro do (lsas. |'au'a"do-ieate(.oos rs. por cada u,..,,
Baslo & Costa na Pracinha do Livramenlo.
TIIEATHO DEOLINDA.
tSa^Nodia abdo pp desapparecoo um mo-
lalinbo de idade de 1 1 anuos (representando
muito menos idade) de nome redro cornos
DousdeJulho, anniversario dalndepen- ^.ntos s.gnaes mais nolave.s-orell.as
dencia da Babia se representar um novo grandes, com urna sicalnz no beico inferior
Drama relacionado em pocas das mais memo- ^ P 9ue de" e bM rndo CO-
raveis desde 1817 al a resuurago daquella ^ fclo ; eslava vestido com mu ruda-
Cid-ule. oQerecido aos lllustres Academi.os queaaul, e calca de riscad.uho : roga-se a
Olindenses de <,uem o Director espera bajad qoalquer pesa, que o encontrar ou
do recitar algunas obias para tornar mais
pomposo o festeje dwte dia. Representar-se-
na a Comedia do grande Xavier-napr e Pa-
Porto Alegre 9 de maio.
Illm. e Exm. Sr. Apresso-me a ter a
honra de levar presenca de V. Ex. a inclusa
noticia dada pelo negociante Antonio Rafael ,
a qual he trazida ihi Estado Oriental por seu
cimbado Ribas. Dos Guarde a V. Exc. Ins-
pecio des arseuaes de marinlia no Rio Glan-
de -ti de abril de 181,0 Jllm. e Exm sr.
Dr Saturnino de Souza e Oliveira presi-
AnIonio Pedro de Car-
ment de V. Ex- que Dos guarde. Acampa- dente da provincia. Antonio Pedro
ment no Rindo dos Touros ia de Maio de valo, cap.lo dofragala ^inspector.
Illm. e Exm. Sr. Manoel Jorge Rodrigues,
reneral, commandante em chele do exercito.
-- Joio da Silva Torres.comandanle superior
da p.uarda nacional.
-- Illm. Sr. Tendo-me V. S. ordenado
auc pab3o35c ao oulro IftuC
do rio S. Gg/icallo
Bento Manoel raandou a Guedes que rcu-
nisse gente e marchassu a hum ponto que
marcou onde depois se encontrn com a gen-
io : nessa occasio recebeo hum oilicio de ben-
to Goncalves em que llie pedia que rounisse
nido e o fosie soccorrer pois do conliario
triotismo ou Independencia da America -
por ser em ludo anloga. Rematando o Ex-
po.laculo com o pantomimo do Amante Es-
tatua e 110 fim a Caxuxa -.
O Theatro estara vistosamente armado c
os Camarotes sero gratuitos para os Srs. A-
cademicos na forma j indicada : sendo os
ber onde elle exista o pegue e leve-o a
botica dor-aula, na ra Dircita que ala
ser recompensado.
53T- Arrenda-se animalmente urna morada
de caza terrea abarracada sita na ra que
vai da estrada da Soledade pira o Manguind,
repartida segundo o gosto moderno, tendo
seu corredor lavado salla de vizita loriada
com i-t palmos em quadro tres janellas de
peitoril envidracadas ; orlo quartos, boa sal-
meamos e venda dos blbetes,
C0LLEG10 PERNAMUUCANO.
ATTF.KKO UA. U0V-V19TA, H* t.
O Collegio l'ernambucaiio encerra em seu
seio todos os preparatorios que a le exige para
as Academias de Direilo e de Medicina do Im-
perio; e para aquellos alumnos que e desti-
nan) ao C'ommercio.
Us professores das diversai aulas sao de um
ment rcconhtcido
fugo ingles conlendo seis fornslbas e sju
ros[ieclivo torno quintal murado com ca-
cimba de a;oa de beber senzaila pa-
ra seis escravos, estribara para dous cavallos ,
com seo porlo para a frente da ra inde-
pendenle da porta principal e tudo mudo
lioni piulado e sullicientemenle asseado : oj
pretendentos entend-se com o Escrtvo Al-
meida que lem poderes para fazer ditoar-
rendamento, ou com Francisco Oas t'errei-
ra em teo arauela defironte do caes.d'.\l-'
dega.
:mplar encontrado
-x
MI
das i, e 1 destinados para a destribuico dos iadejanlar, cozmba lora com assonlo de
lt
io
kr


DIARIO DE P fc R N A M B U

^rv- Precisa-sede .ura menino de 10 a 12
anuos de idade pava andar com cavallos ;
no palco dt) Carmo eco casa de Jos Caetano
Barbosa.
tT- George Brierlv, subdito Britnico re-
tira-se par Inglaterra.
lis" Na ra das trinchetas entrando pelo
paleo do Carmo no sesto sobrado do lado es-r-
qucrdo vendem-se e fa/em-se vestidos de
tcilio por preco commodo.
S2T Precsa-se alugar urna preta que com-
pre' e vrnda na ra, paga-se ; 0,000 por me/.;
quera liver annuncie.
%&- Quem precisar de um bomem pardo
par feitor ou tratar de animaes artnun-
cie sua morada,
d- Roga-se ao Sr. Joo Raplista Navarro
que quandavier a piara dirija-se a loja D.
5 da ra to Crespo lado do 1101 ie para se ira-
lur negocio de interesse.
r*y Thomaz Hughes iclra-se desla Ci-
dade para Liverpool
tST Traspassa-se o arrendamcnto de um
sobrado de dous andares e soto silo na ra
nova onde leve loja o francs IVJorira pti-
mo para estabelecer qualquer negocio ; a tra-
tar na roa de agoas verdes casa terrea ij
MT Precsa-se de too,ooo a juros de um e
meio por cenlo dando-se pinhoies de ouro ,
por pouco tempo ; quera quiser dar annun-
t.it suamiorado.
S3- (ucm prensar de urna ama para casa
dt: pouca ramilla dirija-se a ra da praia em
casa de lo2o Thomaz Pereira.
ssy Deseja-se saber se existe oesta praca o
Sr; Bernardmo Jos! Marques pora|ieiuo Pa-
rias, flho de Lisboa e natural de Massieira
da Maia ; na ra do Queiinado D. t'S,
py Perdeo-se no ma jq dop. p. um bo-
todeouto, da ra do logo al a Igreja de
t3" Urna preta ou parda que tenba leite
para criar ; na ra de agoas verdes D. 5-j.
V e 11 (i a s
Esy Camellas da Sociedade Fortuna Ty-
pografia da Lotera do Theatro ganliando
a vigsima parte dos premios caben do na
sorte de t 000 oo reis tresentos mil res a
preco de 45o ; nesta Tipogrfica na praca
da Independencia n. 20 e na ra larga do
Rosario loja de midezas D. 7, e na ra do
Collegio loja de relojoeiro.
Ef Duas escTavas de idade de 16 a 20 an-
uos coziiiIkio
engommao
cosem e urna
S. Pedro lera esta lirma LVl. M. S 15. ; quem
o acliou querendo restituir leve a ra do Li-
vramento venda D, 9 que recebe, 5ooo de
gratn aco
C5- TorM outra vez a andar em prafc ,
para ser arrematada pela primeira vara ,do
Civel, o sitio chumado dos caxoins na es-
trada novado Lui/. do Reg ; aquelle terreno
nao-he livre, he foreiro e se actta sjeito
ao pagamento de 3 anuos de loros vencidos ;
as cusas e execuio de urna sentenca de re-
visla ; ciijos documentos se acho em poder
do abaixo assignado o que se Faz publico pa-
ra que o arrematante seno chame depois a
ignorancia Mar.oel Luiz da Yeigu.
Sy A luga-se urna escrava liel serh vi-
rios que oozinba o diario de uoi casa e
taz lodos os mais arranjos precisos de urna
familia ; quem a pretender dirija-se a esta
Typog rafia que se dir.
gsy DiadeS. Antonio furlarlo as pecas
de ouro seguintes ; um crucilLo grande de
xa urna porco de cordo cinco quarlas
de trancelim pouco mais ou menos, una cru-
/.eita com as peinas de igual compnmento no
centro una pedra e de outro um diamante
pequeo ; quem aprehender esle roubo pode
entregar a Joaquim Jos Ferreira morador no
pnteo do Livramento que recbela 60,000 de
gratilicaco.
vidos Martimos.
PARA O RIO DF. JANEIRO a sabir com
a mak>r hrevdude potf ler o earrtgamenlo
quasi concluido o Briguc Escuna Amisade ,
anda recebe alguna carga 6 passageiros, os
pretendentes dirjjlo-se a praca do Corpo S
loja de cabos L). o ou cora o Capito
PARA A BAMA a Sumaca Conceico
Viajante al io*dc Julbo anda recebe car-
ga os pretendentes dfrijao se a Maiio.il Joa-
quitn tedro da Cosa.
PARA (VJACEIO' o vcllcirj Patacho Do-
us Amigos imprclerivelmenle al o de Ju-
lhu ; quem quiser anegar dirija-se a AJa-
noel Joaquim Pedro da Costa,
JL i 1 o
sjy Que fazera Russell MeilorS & Compa-
ubia por inleivemodo Corretor Oveira ,
de um explcudido soilimento de fa/cudas in-
glesas (Ruarla feira 1. de Julbo as dez bora>
da maui'.a no seu armazem da ra da ca-
deia.
dellas he recolhida dous prelos mozos mu
robustos dous moleques de 1% a 4 annOs,
urna negrinha de 1a anuos, urna cas terrea
na ra do Caidereiro e urna meia agoa na
travessado pocinlio j na ra de agoas verdes
casa terrea l). 37.
t2F Dous pardos sendo um sapateiro de
idade de. 20 anuos, e outro alfaiale de idade
de a5 anuos, na ra do Vigario n 7.
tSST Um relogio de ouro de repuiicao e 2
de prala com ponteiros de segundos da-se
acontento, e por preco commodo, 100 e tan-
tas oitavas de prala em resplandores e obras
proprias para se desmanchar as 5 ponas
Dcima 5,
ssy Duas libras de prata velba urna bar-
relina pera Guarda Nacional, urna cabra bi-
cho com urna cria para criar menino por ser
multo manca ; no manguinho venda do gara-
pa Tallar com Mauoel Caetano deSouza.
tSf" Dous prelos aind bucaes : na l>oa vis-
la. ra Torraosa casas immeJialas as da
quina.
EF- Urna preta de angola de bonita figura,
de idade de ib anuos, ptima para lodo o
servico de urna cas-a ; na ra de Mauoel Co-
co venda da quina D. 9.
ssy Um terreno com 58 palmos de frente
e 1 o de fundo no quintal da ordem Ter-
ceira do Carmo; a tratar na ruada Gloria
com Jos Apolinariode Farias ti,
tsy R^p de Lisboa chegado ltimamente
em libras a atoo, e as oilas a 3o ris ; na
quina da ra do Cabug loja de serigueiro.
t^ Taboado americano e da suecia de
superior qualidade de meia a 3 plegadas
de grossura e arcos do Porto para barricas ,
por preco commodo uo lorie do malos arma-
zem do Vianna.
tsy Seis milbeiros de lijlos de alvenrria
renda cozirtba o diario de urna casa, e tam-
bem vende deboceleira ; na soledade con I ron-
le o Palacio do Sr. Bispo onde tem duas ca-
sas de calsadaalta 4ia primeira de rotulas.
tSS" Rap de Lisboa de superior qualida-
de em libras, nieias ditas e oitavas ; na
' ra do Collegio, loja da quina junto ao
Passo.
k SS" Uma canoa bem segura, de boas ma-
deiras com correte e feixadra de ferro, car-
rega 900 tijolos de alvenaria grossa uma
quartola de rael de furo ; na serrara do Car-
dial
ssr Um selim em bom uzO ; na rda do
encantamento armazem da assucar n. i4
SST Ura pardo moco de boniu figura h
serrador e uma preta de lodo o servico la-
va de sabo engomma e cozinha o diario
de uma casa ; a fallar com Jos llijiuo de
Miranda.
ssy Barris grandes com vinho tinto do
Porto e malvasia e barricas com pregos
caixaes algumas com pouca avaria, e dous
arados de Ierro patente muito leves e duas
rodas fortes para carro ; na ra da cadeia ve-
loa U. 18
HiT 80 pipas ineixadas proprias para se
levantaren! e serven para agoa-ardente e
pipas desmanchadas proprias para os taim-
en os fazerein ancoras; no beco do Monleiro
armazem de assucar junto a casa do Sr. Luiz
Gomes Ferreira
i_j" Uma duzia de cadeias de assento de
palhinha americanas uma cmoda com car-
ie ira uma cmoda dn Jacaranda com S ga-
vetas pequeas e 4 grandes uma estante de
cedro com portas de vidros, para guardar
louca ou papis duas can tetras duas bau
eas de Jacaranda urna mesa de jantar urai
marquza grande de condur com armaco pa-
ra cortinados uma jarra vidrada uma ca-
deira de bracos de Jacaranda; no atierro da
Roa vista i5.
tF" A loja de livros na travesea do Roza-
rio que foi do fallecido Joo Nepomucen de
Mello um mulato de idade de 2d annos, pa-
ra lora da provincia ou para o serlo uma
morada de casa terrea ia defronte do
Quarlel de Polica que rende mensalmente
41000 ; a tratar com Jo3 dos Santos Neves ,
na ra do Crespo D. q,
CJ" Ura par de lustros de cristal para cima
de banca coiUa muito elegante e muito pro-
pna para ornar um salo de uma sjeiedade ,
e casticaes de casiiuinho com mangas por
Luiz de nacao
congo
baixo grosso ,
ps pequeos e grossos comas unbasmeas
levantadas dos sabugos pernas curtas um
dos dedos polega'r das maos sem unba, e quan-
do falla he rindo-se levou vestido camisa
de baeta encarnada de mangis curtas ja uza-
da e seroulas de estopa ; quem os pegar le-
vem-osaodito sitios ou no atierro a Boa
vista sobrado D. i4 segundo andar, que
ser recompeniado. .
t^ Desapareceo no dia 8 de Janeiro do
corrente anno, um escravo de nome Thomaz,
de naco angola bem fallante que parece
creoulo de idade de 4o annos tem Um ca-
lombo na testa muito tullo rosto comprid
com bastantes marcas de bechigas bucheixas
metas puchadas para dentro e as pernas ar-
quiadas ; roga-se a todas as anthoridades po-
liciaes e cpiles de campo de fazerem todas
as deligencas para o capturarem ; o abaixo
assignado tem por informadles que o dito es-
cravo #e acha a coitadoem ma casa fora da
pra$a, motivo porque ded qui-, nada
exige da pessoa que o lera, un -mente o pre-
co de Joo,ooo o quanto deo por elle e seado
paga esta quantia nao proceder contra essa
pessoa 5 quem a pegar leve a ra do trapiche
0. 14. Jos Verissimo da Rocha.
tSS" abaixo assignado faz sciente ao pu-
blico que comprou no da u8 de Maio uma
escrava de nome Theodora do gento de an-
gola ja bastante ldina a L\xu Jos da Ro-
cha e' este a ouve pOr compra a Francisco de
tal Camboira e fui o primeird Sr. Ruiino d e
tal morador ei Olinda e uo dia 19 do pas-
sadoJunho, indo dita escrava as duas horas
da tarde levar a escola na ra estreila do Ko -
zario duas meninas tubas do abaixo assigna-
do desapareceo levando com sigo aooo em
sedulas para trocar, tem Os Biguaes seguiutes;
baixa secca do corpo um lauto corcovada ,
que no andar se percebe; nos dedos grandes
dos ps em um tem um lalho a si o p da
juula, e no outro esl com uma ferida aiuda
aberta ao p da unba do inesmo dedo grande;
levou vestido de chita preta novo panno da
costa azul com listras brancas ja tuaUu coa-
las prelas uo pescoco e argolas Iss as ore-
Ihas roberas de prelo levou mais outra ves-
no collecoens de operas de Russine e tteline,
overluras de duas e 4 mos de ditos, quadri-
lii.is novas nao s para pianitos como para pe
quenas orquestas, valsas modernas overtu-
ra do Piala lnlesias de mercadaule Fre2
e Adain, e nutras msicas modernas ebeadas
de franca pelo navio Proveaos que hio pa-
ra o Rio de Janeiro t,udo por preco com-
modo ; na ra larga do llozario luja de mi-
dezas D. 7.
CT" Uma cama de angico nova e de mui-
to bom goslo ; na rna do caidereiro D. 3.
C o 111 p r a s
lionaparle ; 11- ra da Peiiha loja D. u5.
t^" Urna pela de idade de 'ti anuos, de
naco cubinda boa quitandeira e de boa
figura, a vista do comprador se dir o moti-
vo; na ruado Cabug loja de midezas juu- jacompaubamerilo dito para apiender pan-
to a botica.
ir:/* Algodo da Ierra em porco por preco
commodo ; na ra do (^ueimado U. 2.
t?j" A armato de umi veuda com seus
pertences na povoaco de N. S do O de
lpojuca pouco distante da praca em um
dos melbores lugares 5 a tratar uo largo do
Terco venda D \.
tSf Uns arreius de seliin em bom uzo ; na
praca da InUependencia 11. i3.
(i^ Superior arroz branco e vtrmelbo, era
alqneiresea retalho pela medida velba; na
ra do Rangel D i4*
ts?~ Um terreno alagado no seguimento da
ra da Aurora com i5o palmos de frente ,
e 100 de fundo pagando 3o rs u palmo de
loro todo ou a relalno ; e un escravo ainda
moco bo/n canoeiro ; na ra de S. 1 .onsa-
lo D. 11.
C3" Botins de Lisboa meis ditos, focos,
sapatosa botinados ditos de entrada baixa ,
ditos iuglezes para iverno ditos americanos e
lraucezos de unta e duas solas ditos de lus-
tros para lumiem e senhora ditos de selim ,
duraque e marruquim cbinellas razas para
lime sapatos de marroquim para bomem
superior rap de Lisboa muito fresco pernal
de secretaria e mais iuierioies alfine.es de
ierro e ditos de brouze de lodos os tama-
unos tudo por preco commodo ; na ra da
cadeia loja de midezas D. 4*
iw- Uma csciava crenla muito moca,
tido de cassa en carnada ja ve. ti 1 com patos iius
mangas e bicos nos- puiibos; quem a pegar
leve a ra do fogo 3 que ser recom-
pensado. Jlo Paulo Xivier do Salles.
%ST No dia Jo do p. p. fugio um* preta de
naco benguella, de nome iieuedicia falla
bem portuguez, representa S3 anuos de ida-
de testa pequea olhos grandes e vivos ,
nariz bem leilo con uma pequea sicatris
abaixo do sobr'olbo pedos pequeius, esta-
tura regular secca ps pequeos e be a
feitos, loi vestida com uma carniza de algodo-
zinbo nova vestido de chita levando ou-
tro de sobresseleute, gargautilha de coral a
argolas de ouro no pescoco ; esla pela
perteneco a Femando lie enole e lo i vendi-
pa a poucoS dias pelo Sr Joo Frederico de
Abreu Reg ba alguma razo para supor-
se que esta escrava est amisiada em Tigipi;
quem a pegar leve a ra da roda L). iu no
segundo andar que ser recompensado
g- JNodia jo de Maio fugio uma escrava
de nome Joaquina creoula, de idade de jo
annos tem os dedos grandes des ps um un-
to aberlos os calcaiihares tem varias lasca-
duras de calor de ligado tem o vicio de fu-
mar levou saia de riscudo paunoda costa ,
e mais um panno lino prelo ; quem a pegar
lefe a Joaquim Soares Correu que sera re-
compensado.
tp Auzentou-se no dia 6 de Janeiro, um
prele de nome Antonio conbecido por For-
tuna de naco cacange de idade de 6 an-
uos altura proporcional bem falLute, pa-
rece creoulo e por is^o be de presumir que
S- Roga-s a os Srs Sub-Prteitose au- se intitule forro tem pannos pelos rosise
llior'dades policiaes e pessoas particulares a pescoco e as nadigas uns calombos proee-
grosso t ou ditos de tapameulo de muito um pre$d muito commodo ; na ra nova L. t
boa qualidade; na rui do CJueimado loja loja de Joo Cds.
Decima li. S2T Um forte pianno com msica e me-
C5" Dous relogios um inglez de boa treuome dous violes em suas caixas com
qualidade, fabrica coberla bom regulador melhodas e dapasson ; na loja frauceza de
e trabalha sobre dous diamantes, com mole San-.Uartin.
de parar e outro de sabonele ; a historia da I i^r Uma casa sejrea de 3 portas com 4
creaco do mundo sistema Britnico da edu-!quarlos livre e desembarazada sita no
cacao arte ingleza por Sirel historia de atierro dos allomados do lado do norte e uma
escrava ladina de bonita figura vendedei-
ra de iniudezas ; as o ponas D. t.i.
""*"E3r Diversas msicas para pianno cora
nelhodo para canloria por'Roctolpbe com
Kscravos F ti idos
aoreheiico de um escravo dos siguaes se-
guintes ; fugio no dia 29 do p. p. de nome
Joo de naco angola estatura regular ,
bstanle preto cheio do corpo de idade de
aB aunos, sobrniicelba's bastantes feixadas ,
olhos regulares beicos doblados denles al-
vos e limados mos e ps pequeos sendo
o principal signal em se brigando com elle fi-
car bstanle bicudo e tranzir as sobrance-
Ihas levou vestido camisa de madapolo e
calcas de brim branco lian ado ; quem o pe-
gar leve a ra da cadeia loja de chapeos n. 4 i ,
quesei recompensado.
tsy Em 19 do p. p pelas 7 horas da noute
jugiro de fiebiribe do sitio do Major Felip-
Para fora da Provincia escravos, sen-
do moleques de i2 a i5 annos d.tos coai
otficios escravos com babeiidades e tambera I com algumas babelidfdes ; na ra da Aurora f pe Duafle Pereira tlous negros com o si-
de cor ; na ra da cadeia l). 2i casa de Joo francisco Santos de Siqueira, de I gnaes seguintes 5 Miguel, de naci congo,
manb al as 9 horas e das da tarde em j nastante alto |>e*s grandes pernas comuri-
KW Lu laxo grande ; na cambia do Car-
mo !' o*
I inbeiro velbo carimbado e chachan
eda qualididc: ms f poulaj V. .
uiaute.
l^- Uma escrava creoula de idade de 20
das, os denles da frente aberlos, levou ves-
tido camisa de huela encarnada com mancas
didos de aasoules por Cuuza da mes.ua gra-
ca que tem de fugir quando falla gagueja
aiguma eouM expecialme.ile tendo raiva e
foi visto a 1 > dias em linda ; roga-se ao
Sub-Prefeilo c Cpiles de campo da mes-
ma Didade bajo de o prender e mandar le-
var na Magdalena sitio de .Miguel Correia
de Miranda, que satisfar toda a despesa com
generos*idude
ssy A 3 semanas desapareceo urn escravo
molaliuho de nome Izequiel, baixo cabecs
grande t algum tanto reforcado cor alva-
cenla com algumas manchas de bechigas na
cara, levou calcase camisa branca, e chapeo
prelo de seda ; quem o adiar ou o lenlia em
sua casa pois elle talvez se tenba intitulado
lorio queira levar ou mandar a casa de Luiz
Rodrigues Sette na ponte velba da boa vista.
aunos, ptima engommadeira cose faz curtas, ja uzada seroulas de algodo ja 10-1RECIFE NA TYP# DE M ISF.-18{o


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC3VZ2ZMD_TZ2DS3 INGEST_TIME 2013-03-29T16:05:15Z PACKAGE AA00011611_03537
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES