Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03535


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo de 1840. Sabbado
Turto agora depende de no meamos; da nossa prudencia, modera-
do, u e!ier:;i ? moa como principiamos i seremos iporitados
oro admiracc or* .v
Prtoeiamac&o da ssembh i Hei xt do (traiit
.....----aMo-a^raBi------------------
Subscreve-separa est.- folhs ifoeo por -,'="tc( pegos adiautadni
iiesta Typocjrafia, ra das Crozes IJ. 3, e na i rica da Independen, a
as. yj e 8, onde se recebem correspondencias Ir alisadas, eanhuucios,
insirindo-se estes gratis, sendo dosproprios a ...nautes, evindosaasig-
gnados.
Partidas dosCorreios Terrestres
Cidadeda Parahiha e Villas de sua pretencio.......\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem.......J.. c ..
Dita da Fortaleza e Villas dem..............\be$- e "l h,nt-
Villa de ioianna......................;
Cidade de linda..................... Todo os da..
Villa deis. Anto.....................Quintas reirs.
Dita deGaranluins ePovoacSo do Honito.........lo, e a4 de cada mer
Ditas do Galio, Serinhaem, Rio Formozo, e Porto Calvo, i, u, e ai dito dito
Cidade das Alagoas, e Villa de Macei............dem Iderr.
Tilla de Paja de Floras..................... Mear 15, lile di
Todot os Correioi partem ao meio din.
PHAS.JS DA LA.
Ouart. cresc. a f as 10 h. e 56 m. da la/de
La Clieia a i, as 11 li. e -jS ni. da Ume
Quart. ming. a *? as 9 h. e 10 ni. da tarde
La Nova a 30 as 11 h. e 38 m. da man.
Mare chciu /:m o da 28 de Junho.
As 4 horas
As 5 horas e
minutos i> rnanh.
ninutos da tarde.
27 de Junho. Numero 138.
VMKTOS. Jonh 21.
Loudre ...... 5> i/t ''.. por Ifooo ced.
. -. ... prem por mclal ./lerecido
V .mea....... i ..<. : p ir franco.
Ii e Janeiro ao par.
OUKO Vr.*dat de 6 e Vcma nfToo a Mona
,, ,, Novas i (fooo h ij7co
o rs., 00 -i 80aoo
cees I". i.iros--------------infici a i$f68o
rV/-HColumiwrios ------------ i^rioo i^'i8o
Ditos Mexicanos--------------:j?65o a i*fi7o
M da--...........i#44o a i#46o
Denconlo de I':.Iirtcs d'Afandega J i/8 por oo o me*.
Llera <. por boas firmas olTercido.
Vloeda de col' 3 por too. de disr.
ias da Semana.
i Segunda S. Pauli 'i P. Audieucia do Juii de Direito da i vara.
3 Terca jejuie S. J >o Sacerdote. Relaco e Audiencia do Jniz de D. da
i. vara. '
ai Quarla >5< MueiinMlto deS. JoSo BaptisU.
a5 (Quinta jejum S. iuillienne Duque. Audiencia d> Juis de Dirait.n
vara.
76 Sexta >jc O SS. < lorseo de Jezus.
27 Sal>l>ado S. l.a> ii .leo \\e\. llt-lico e Audiencia do Juizjdc D.da I. v.
16 Domingo A Pur adeN. S.
; I
i
a
s3
RO DE .JANEIRO.
SENADO.
Sesso r-m 12 de Maio de 18^0.
Presidencia do Sr, marquez de Paranagu.'
Approrada a acia e lido o Expediento,
entra, em secunda discusso o parecer da me-
sa approvando a |iroposta apresentada pelo
Despertador a fim de incumbir-seda publi-
eaco dos trabalhos do senado pela quantia
mensal de a;(5ooU reis.
OSr. Vasconcpllos esta persuadido da im-
portancia da publicaco das sesses do senado,
e conhece que ella nao pode ser fcita sem dis-
pendio dos cofres pblicos ; porisso enter.de
que se deve contractar para esse fim com a
empresa que desempenhar essa tarefa melbor
e por mais baixo preco Sendo inquestionavel
que a proposta do Jornal do Commercio exige
menos despesa, conviria saber se elle desem-
penbaria melbor as condicGes do contracto ,
publicando com mais exatido as sessoes do
senado. O nobre senador diz que o que po- I emenda.
de asseverara este respeito he que seus dis-
cursos lem sido por vesas falsificados pelo Des-
pertador ; lembra que em o atino passado ,
estando muito luecumbido rtn razao de seus
nmeros adversarios nao se animen a fazer
reclamaces sobre a alsificacao dos sens dis-
cursos se nao depois qu ouvio o nobre mi-
nistro da asenda reclamar contra os gritos
e inexaelides com que oro publicados al-
guna dos seus discursos, tundo ate entao ,
elle orador conservado-se calado, por sup-
por que em certas posices o silencio lio bum
dever. ISota que em lnin.a das tesses da as-
semblea geral relerindo-se hum nobre orador
a huma asserco de S. Kx. que lera no Des-
pertador lora respondido pelo nobre minis-
tro que essa blha nao era uiz competente e
que bem assim o Snr. Hollanda Cavalca.nli
confessara que o seo discurso prolrido na as-
semble& geral fora publicado com mais exa-
ctido no Jornal do Commercio do que no
Despertador. O nobre orador observa que .
a centinuarem as cou/.as neste estado, meihor
fra nao se publicarem os trabalhos do sena-
do do que de hum modo que o desacredita;
ao menos assim pensa pelo que diz respeito a
seus discursos querendo antes passar por
mudo que por inepto. Nota que se a meza j
tivesse (ilo o contracto, calar-se-ia pois
seria essa huma das occasioes em que o silen-
cio he hum dever mas que sugeitando ella
o seu parecer approvaco do senado, julgara-
se com direito de apresentar sua opimao ; e
por isso manda a mesa huma emenda para
que em iguldade de preco, e muleta na fal-
ta de cumprimeuto das condieces estipula-
da*, a mesa prefira quem meihor Ihe pa-
recer.
He apoiada.
O Snr. Alencar julga da seu dever mos-
trar as razes em que se funda o parecer. O
nobre orador declara que a mesa convi-
dou concorrencia os redactores das folhas
mais aci editadas desta cidade, que o redac-
tor do Diario recusou terminantemente apre-
sentar proposta sobre a materia em quanto
que o J01 nal do Commercio nao dando res
posta definitiva nao apresentou proposta ,
do o senado declarado que queria a pnbli'i-
ciTo des trabalhos da casa e apparecendo hu-
ma nica proposta orca foi approva-la e
que se a mesa odereceu o seu parecer com-
sideracao do senado foi porque o err.pre/i-
zario pedia o augmento de 1 000s reis p >r
mez e por melindre e delicadeza visto que
se considerara autorisada para fazer o con-
tracto. Quanto ;s inexaelides nota que
apparecem na cmara dos deputados as mer-
mas queixas o que prova que entre nos irlo
he possivel desempenhar-se essa tarefa com
todo o escrpulo e exartido que tem lugar
nos paizes mais adiantados as formas repre-
sentativas.
O Snr. Vasroncellos entenda ouej|flere-
cendo a mesa o seu parecer discusso-ea ca-
a lie porque suppunha depender a approva-
co do contracto de huma deeiso do senado ,
mas que se ella est autorisaada para faze-l<,
era desnecessario esse melindre. Depois do
que ouvira o nobre orador entende que ncm
se devra sujeitar deliberacao da casa o pa-
recer da mesa e por isso pede o retirar a sua
No entretanto quer saber se quan-
do se dirigir mesa queixando -se das ine-
xaelides e falsific.ices dos seus discursos se
a mesa Ihe ha de responder que nao est cm
suas ms remediar esM inconveniente. O
nobre orador declara que pretende dizer al-
guma cousa na respnsta falla do throiio .
nassar em rezenba os actos da administrar* ,
e que se em materia de tanta transcedetu a
tem de ver seus discursos falcificados em hum
jornal que Ihe be infenso nesse caso nao di-
r huma palavra. Sea mesa nao cohibir es-
tes abusos recea que o paic nao approve as
despezas leitascoma publicaro dos trabalhos
do senado. Declara que foi ministro depu-
do e deputado da extrema na opiniao ii'
algumas pessoa, se que nunca teve d? se quei-
xar do lorual do Commercio. O nobre ora-
dor pede que se imponha huma multa quan-
do forem falsificados os delates do senado .
publicando-se discursos inexactos ainda
(piando se nao publi(|uem seus discursos
quando nao forem entendidos.
O Snr. I residente declara que o senado es-
t autorisado a invalidar o contracto quando
nao sejo preenebidas as suas condieces
He retirada a emenda do Snr. Vasconcel-
os e approvado o parecer em 2 e ultima
discusso.
Entra em discusso a resoluco i836 an-
nullando a lei provincial de Sergipe que di-
miti o bacharel .Manuel Joaquim de Souza
lrito do lugar de juiz de direito da comarca
da Estancia.
He approvada em primeira e segunda dis-
cusso.
He approvada na primeira e entra na se-
gunda disciuso a resoluco (leste anno que
proroga por mais dous meses o artigo n H
da lei numero 106, de 11 deoulubro de *83^.
Fallo contra resoluco os Snrs. Oliveira
Almeida e Albuquerque Mello e \lattos e
Vasconcellos ; e a favor os Snrs. Saturnino e
Alves ISranco.
De hum lado mostra-se que a resoluco he
perigosa em suas consequencias por facilitar
a acilficaco das notas do auligo banco, mui-
to facis de falsificar, por tornar terna a
liquidaco do anligo banco ; e eneficaz por
havia concedido a outrosem iguaescircunSt';-
ias. observa-se que adotando-se a med:la
proposta na resoluco nao se vai faser mais
que pagar huma divida e que nao he possi-
vel su ppor m as pesoas que comen io
notas do extincto banco, porque findo o pr. so
marcado perdem todo o seu \alor.
S o approvndos os dous artgOS da resolu-
co mas nao se approva que elle passe a trr-
ceira discusso.
OSr. Rodrigues de Andrade parteeipa qna
entregara ao recente o projectn de lei da inte -
pretaeo do acto addicional usando das e\-
presies consagradas na lei da regencia, e
que Ihe fora respondido na conformidade da
mesma lei.
O Snr. Presidente declara que o senado Ti-
ca inteirado.
Sao approvadas ero primeira e segunda dis-
cusso sem debates, asresolucSes approvau-
do as penses concedidas a menor Elisa Van
Pinto Carapeba D. Maria Benedicta Doria
Soares.
Entra em segunda discusso o seguinte ar-
tigo do projecto sobre o casamento de S. A.
I. a Senhora D. Januaria.
O Snr. Holanda Cavalcante propoe o atli
amento da materia por nao estar presente o
autor do projertot
lie approvado
Esgotada a or dem do dia o Sr. presiden-
marea a ordem do dia de amanh, e levanta
a sesso.
apezar deter sido convidado muitas vezes por nao poder aproveilar a todos os habitantes do
csciipto e verbalntente, seno depois de ter-se imperio, por ser muito limitado o praso es-
s| 1 rovado ero piimeira discusso o parecer da tabelecido. Do outro lado nota-se a injusti-
njtsa. O nobre orador nota qun len- j 9a que se vai faser nefando a huns o qne j se f caria de naturalisaco de cidado hrasiteiro ao
CMARA DSSRS. DEPUTADOS.
Sesso em 1 1 de maio.
Presiden* ia do Snr. Marcelino de Mrito.
As d'7 horas da manh far.-se a chamad 1,
e acbaiulo-se reunidos os Snrs deputado-.,
em numero legal, abre-se a sesso, le-se, e
apprnva-se a acia de 7 do correte.
O Snr. primeiro Secretario d conta do
ex; edicnte lendo os soguintes ofHeios.
Do ministro interino do imperio remet-
iendo o olicio do presidente da provincia do
Cear em dala de 4 de Janeiro ultimo in-
cluindo as observarles eitas pelo mesmo pre-
sidente a respeito dos tres authographos legis-
lativos da assemblea da referida provincia ,
a fim de serem tomados em consideraco por
esta cmara. A' commisso das assemblea*
provinciaes.
Do mesmo ministro, partecipando que o
Regente em nome dolmpeador firara intei-
rado pelo cilicio desta cmara da eleico d >
mesa para o presente mez de maio. Fica 11
amara inteirada.
Pemette-se a terceira commisso de fasendx
o requerimento do rapilo-mor Jos Ferrera
Guimares, morador na comarca de Jacubina.
provincia da Babia cobrindoa sentenca qu<
obteve, passada em julgado conlra a a-
senda publica emra.ode dever ser o seu
pagamento autorisado por moluco legis-
lativa.
Remelle-sea mesma commisso a represen-
taeo de Jacques Gouff de naio franceza
proprietario do estabelelimento de huma fa-
brica de oleados e tapetes em S. Chriato-
vo pedindo a concesso de 4 loterias.
Julga-se objeclo de deliberacao e vae a
imprimir o seguinte projecto da commisst
de constituigo.
A assemblea geral legislativa resolve.
O governo fica autorisado a mandar passai
padre Miguel Lasso da Veig* datural de
Despalilla
Fieo revogadas quaesquer dispoces em
contrario.
Sala das commisses (i de maio de i84o,__
(ioncalves Marlins -- J. Clemente Pereira
A. P. Liropo de A breo, vencido.
Sao lidos e approvados sem debate os se-
gu ntes requerimentos ;
Requeiro se exija do governo o numero dos
offieiaes amanuenses ou addidos noroeados
para as diversas secretarias de estado desde o
i. de setembro do anno passado, seus no-
mes e vencimentos e qnal a lei que auto-
risa taes nomeaces. Paco da cmara dos de-
Dutados 11 de maio de 18^0. Moura Ma-
ga 1 bes.
Requeiro se peca ao governo copia de
quaesquer alleraces feitas nos estatutos do
collegio de Pedro II. de 31 de Janeiro de
1838. Paco da cmara dos deputados 11 de
maio de 1R40. Moura Magalhes.
Requeiro que se peca ao governo com ur-
gencia urna lista dos presos do Rio
Grande do Sul, que tem ido amnistiados,
com declaraeo do dia em que foro presos, do
em que oro soltos, e as inculpaces, que se
Ibes l'asia e o mesmo dos que existem ain-
ta presos 11 unes viacnaoo.
Requeiro se pega ao governo a correspon-
encia offi.'ial do presidente de Sergipe que
diz respeito ao confuto de jurisdicio suscita-
do entre autoridades da provincia da Rabia
e Sergipe nos limites de ambas as provincias,
eque providencias tem dado a respeito. Pa-
co da cmara dos deputados 11 de maio de
1 4o- Boto.
O Snr. Floriano de Toledo tem a palavra
pela ordem e moslra as violencias que na
sua provincia (de S. Paulo) se praliearo com
o recrtitarnenlo e manda mesa o seguinte
requerimento.
Requeiro qne se peca ao governo copia das
ordens expedidas ao ex-presidente deS. Pau-
lo, Venancio Jos Lisboa e ao actual so-
bre o recrulamento : qual a base em que o
governo se fundou para a distribuico do
me ti o recrutamento ; que numero de pra-
c&s se tero ali recrulado e quantas marcha-
ro para a provincia do Rio Grande do Sul
etc.
He apoiadoe entra em discusso. E' igual-
mente apoiado o seguinte additamenlo do Sr.
Herrrique de Resende.
Peca-se tambem copia authentica da ordem
do dia, ou proclamaco pela qual o general
Labatut classifica crime de espionagem e im
pe pena de rflorte aquelles que por qualquer
maneira tiverem relacescom os rebeldes, ou
como territorio por elles oceupado, etc.
Tanto o requerimento como o addiamento
sao approvados.
Primeira parte da ordem do dia.
Leitura de projectos e indicaces.
Como nao ha nenhum projecto ou indica-
ran que se aprsente, entra em discusso a in-
dicaeo do Snr. Henriques de Rezende para
que se suprima a commisso do banco.
Nao ha quem peca a palavra, da-se a ma-
teria por discutida, e a indicaco posta
votos e aprovada.
Entra em primeira discusso o projecto nu-
mero 36 de i838, do Snr. Aureliano sobre
hypotecas.
O Snr. Silva Pontes mostrt que este pro-
;ecto entrara em discusso o anno passado, e /'
lora addiado para ser remettido commisso


r*
OVARIO !> R PERNAMBUCO
Bi^M mmtmm

de justica civil, a fim de organisar um pro- com ronsiitinento da caara.
jecto vista dos que j existio na casa sobre
natena ; porem que a commisso
nao se dando a esse trabalho dera nm pare-
cer para que entrasse em discussao o projecto
de que se trata ; e como o regiment da casa
determina qne quando houver mais de um
projecto sobre o mesmo objecto haja urna
discussao preliminar sobre quul dos projeclos
deve ser preferido porisso propoe o tddii-
roento d'este neg* io por oito das, para que
osSnrs. deputados tenhotempo de tonar co-
nbecimento de*te projecto e de outros que
extem sobre o mesmo objecto.
O addiament apoiado.
E' tambem apoiado o seguinte requerimen-
to de addiamento :
*' Que volte commisso para que consul-
, nao su os projeclos uue na casa exis-
ten mas al a legisaco de algumas pro-
vincias a respeito proponba as medidas que
julgar mais a proposito. Rezende. "
Depois de algum debate posto a votos o
primeiro addiamento proposto pelo Sur, Sil-
va Pontes e nao se approva.
E' approvado o addiamento requerido pelo
..-Y"WY\. '.V.VfiWJKi.-. .'
15. ? Ratalhff.da nesna LegiSo ten a Pre-
() Snr. And rada Machado bffereceo huma dencia nomeado ao Capillo Henrique Mano-
artigo 3
a ini.
al
artigo
tiiu
i,.
Ilw.rinii.
"1"

D*n*.J *-/" -.I--....,
"--iue MIC pdlai
existem. O resto do requerimento re-
geitado.
Approva-se em primeira discussao para
passar a segunda o projecto de decreto do
Snr. Jos Clemente Pereira n 176 de
l#3ft sobre justica de paz.
Approva-se em primeira discussao p.;ra
passar a segunda o projecto de decreto do Snr
Joo Candido de Dos e Silva n. : 1 de
18'9, sobre a creaco urna nova provincia
na comarca do Alto Amazonas que se deno-
minar provincia do Rio Negro.
Entra era discussao a seguinte resoluco
A assemblea geral legislativa resol ve.
Art. 1. Fico approvadas as conlas da
cmara municipal da cidade do Rio de Janei-
ro relativas aos annos de 18 55 a 1837.
Art. 3. O ordenado do secretario fica re-
duzido a um cont e seiscentos mil res, e su-
primido o de trinla mil ris roensaes para um
engenheiro medidor
Art. 3. A cmara municipal apresentar
todos os annos no principio da sesso da as-
semblea geral o orcamento de sua receita e
despeza para o anno futuro com o balanco
das contas do anno c relacao dos proprios
nunicipaes e estabelecimeotos quaesquer ,
que Ihe paguem iroposices
Cmara dos deputados 5 de selemlno de
i858. Jos Ferreira Soulo. Venancio
Uenrique de Resende.
O 1. artigo da resoluco aprovado sem
debate.
Passa-se a discutir o artigo a.
O Snr Vianna pronuncia-se contra elle ,
mostrando que o ordenado de a:4ooi' rs que
percebe o secretario da cmara municipal .
sobre o qual fizera contracto com a dita cam i-
ra cedendo de todos os scus emolumend s .
que deitavo a muito mais ainda e a dimi-
nuto em proporco do seo trabalbo j e porisso
tem que offerecer 'urna emenda a este ai ligo.
O Snr. Clemente Pereira pronuncia-se
igualmente contra o artigo.
E' apoiada a seguinte emenda :
Suprima-se o artigo u. na parte em que
pro pee que sea reduzido a 1.:( 00,000 de res
o ordenado que percebe o secretario da cma-
ra municipal do Rio de Janeiro de a:400,000
reis.Vianna.
E' apoiada a seguinte :
" Suprima-se o artigo 1. na parte em que
diz seja reduzido o ordenado do secretario.--
Gomes de < ampos. "
O Snr Gomes de Campos discorre larga-
mente sobre a materia e sustenta a sua e-
menda.
Discutido o artigo 2. poe-se a votos a pri-
meira parte relativa redueco do ordenada
do secretario e nao se approva.
A segunda parte do artigo sobre a supres-
so do ordenado de 3oU reis mensaes para
para um engenheiro medidor, approvada.
A emenda do Snr Vianna fica compre-
hendida na suppresso da primeira parte do
artigo,
Passando-se a discutir o artigo 3. offere-
cida a seguinte emenda para o substituir.
A cmara municipal da corte, com o relato-
rio compelteulemente remetiera o orcamento
anual de sua receita e despesa ao governo o
qual approvando-o com as alleraces q'lbe pa-
recerem convenientes, ou sem ellas,o mandara
axecutar por um decreto. As conlas da sobre-
dita cmara sero remettidas asemidea ge-
ral depois de approvadas pelo governo pc-
rantequem sero annualmente prestadas.
Rodrigues Torres.
Depois de algum debate sobre este artigo, o
Snr. Rodrigues Torres retira a sua emenda i
emenda de supprcssao rio
apoiada.
Julga-se discutida a materia e o
sendo posto a votos nao approvado.
A resoluco adoptada, e re.neltida ; com-
misso de redaeco.
Entro em discussao as emendas feitas e
approvadas pelo senado ; proposico vinda da
curara dos deputados concedendo ;i Gustavo
Adolfo Revo a laculdade para formar lumia
comnanhia de mineraco.
Em lugar de -artigo nico- diga-se -
artigo 1.
Em logar das palavras -nos artigos f\ e 7-
diga-se- no artigo 7.
F.m logar de-tambemdever direitosetc
diga-sepagar os direitos nacionaes, do me-
tal que extrabir de qualquer terreno limita-
da assim a eondico f\.
Art. 1. Nao poder porem a companhia ,
em virtude da eondico 6 comecar trabalbos
no Rio das Mortes sem preceder autorisaco
especial do governo coro designaco dos lo-
gares onde podem verificar-se e salvo do di-
reitode3. devendo cessar a mesma aulari-
saco se dentro de um anno nao comecarem
os trabalhos 011 forem abandonados por hum
anno.
Art. 3. A companhia prestar urna flanea de
seiscontos de reis na a plices de fundos puh'i-
cos ao pagamento de urna multa correspon-
dente a um cont de rs por cada sesmaria n'
noesliver povoada no praso de cinco annos
depois da concesso com vintecasaes de co-
lonos nao africanos.
Paco do senado em 3i de julho de '83t>. -
Antonio Fe presidente JmTo
Antonio Rodrigues de Carvalbo primeiro
secretario Francisco de Souza Paraso s -
gurido secretario.
Sendo discutidas por ordem todas sao re-
geitadas.
E Jiscutido approvado e adoptado o se-
guinte projecto com a emenda do Snr. So'iza
Franca, ao artigo a que diz, depois da
palavra lavrada diga-se effectivamenio.
A Assemblea geral legislativa resolve :
Artigo 1. O governo autorisado a con-
ceder cartas de naturalisaco a todos os mi-
tres officiaes* e aprendises estrangeiros, que
se ernpre;arem por tres annos conseculnos
no servico da companhia de nacionaes e < s-
eslrangeiros, quefor organisada por Joo I)i-
ogo Stuarz para estahelecer na provincia >la
Babia urna officina metlialurnica em vir-
el Malbeiros de Mello.
I ilo Ao Inspector Geral das obras Pu-
blicas respondendq ao seo officio de I a de
Maio ultimo em que sol licita saber se com o
fallecimento do arrematante do lance
la estraa do Pao do Alho Manoel Antones
Correr Jnior tem caducad,) a flanea ou se
esta de*e permanecer em vigor recaindo si-
bre o fiador a responsabelidade que cabr a
affiancado ; que, como o contracto da arre-
matacao de (pie se trata ainda nao leve um
Diogo
lude do privilegio concedido por legishuo
provincial.
Art. 2. E igualmente aulborisado o go-
verno para conceder mesma companhia o
uzo (rucio das minas de carvo cobre, (en o,
euxofre ou chumbo, que forem por ella des-
cobertas elavradas em terrenos da referida
provincia que se acharem devolutas, ou que
ella houver de comprar.
Art. 3 Esta concesso ser; l'eita por tr i uta
e cinco annos, se tanto durar o privilegio ,
e findo este praso dever a companhiu resti-
tuir a uaco as minas, no eslado em que se
acharem, sem direilo a indemnisato por
quaesquer bemfeilorias exceptuando-se com
ludo as maquinas.
Artigo 4- I cao revegadas asdispnsicOes en
contrario.
Pa o do caara dos deputados 1. de julho
de 83c). 11. Ferreira Pena. Francisco Go-
mes de Campos. J. Antonio de hemos.
Le-se hum ollicio do S: ministro da guer-
ra pedindo dia e hora para apresentar o
relalorio da repartico a seo cargo. OSnr
presidendodesigna o dia la aomeiodia.
O Sr. presidente d para ordem do dia a;
as 11 horas os projeclos ns. 9 79 e lao de
83o, ; 1 1 de i8Jt>, resoluco n. 1^7 de
187 resoluco de 185 n. 44 resoluco
11. io5e 108 de 18 J8 ; e depois das 11 horas
a discussao da resposla falla do trono e le-
vanta a sesso pelas duas horas da tarde.
inteiro implemento pois que reslo obrigi-
'es a cumprir obrigacSM que nao fica rio
exlinctas peh morte do arrematante mas que
tem de passar pam os seos herdeiros nao po-
de entrar em duvida que ainda subsiste a-
hanca assinada por Joquim de Almeida Ca-
tanho tanto mais quinto em face da Le de
ai de Dezembro de I761. Tit. a.- Si.
os fiadores que enter*em nos contractos fls-
caes se presumem socios ecomo taes solida-
riamente obrigados ao cumprimento do esti-
pulado.
Dito -- Ao mesmo ordenando-lbe a v;ta
do que informa em seo officio de i6doc.r-
rente a cerca dos inconvenientes que resulto
das edficac5es e cordeaces que se tem feito
na estrada do Rozarinho mormente eoMe
os sitios de D Marcelina Anglica de Cas-
tro Aguiar e de Joaquim dos Santos Aieve-
do ; que faga quanto antes guardar na dita
estrada o mesmo alinhamento e cordeaco
que Ihe foi dada no tempe do General Luiz
do Reg Brrelo como ja foi decidido pela
Presidencia, eparticipado Cmara Man*
Cipald* Olinda em offici s de 6 de Setemhro
de 1837 17 de Agosto e a7 de Setemhro
de i83g ; devendo deitar abaixo os port'es
cercas ou muros que se tiverem feito (ora
do mencionado alinhamento.
Portara Mandando p*ssar Patente de
Tenente Coronel Com mandante do Corpo de
Cayalleria da (. N. do Ex ao Major do re-
ferido Corpo Joz Severo Granja.
Oficio Ao Coronel Chefe da Legio da
G. N. da Boa-vista communicando-lbe a
nomeaco supra.
DitoAo Prefeito da Comarca da Roa-
vista fazendo Ihe igual participando.
Portaria Nomeando o Cidado Joz An-
tonio da Silva Grilo para encarregado do
exame e reconbecimento da Estrada que corre
desde a Ponte do socorro al a Povoa>,o da
Escada a fim de formar os planos perfil! ,
e ore-amentos das obras que nella se fizercm
precizas servido sobre a direceo e iuspeicio
do I'ngenheiro encarregado da estrada de S.
Aii.m) Angusio Kersling.
Officio Ao Engenheiro A. Kersling ,
communicando-lhe a nomeaco supra.
Igual' communicaco foi derijida ao Ins-
pector Geral eao Administrador Fiscal das
Obras Publicas,
Portara -- Suspendenlft em quanto nao
responderem p*la sua conducta peante a Au-
toridade competente os Vezeadores da Cmara
Municipal de Olinda Joz ioaquim de Al-
meida Guedes, Joz Eustaquio .Maciel Mon-
leiro, Silvestre Antonio de Laa/je Ju
que fic;ra aleijado de um braco em urna
dada na Provincia das Alagoas, quand
Novemhro ultimo reassumio as redeas do
verno o respectivo F,xm. Presidente,
Dio Ao Exm. Director interino do
cenal de Guerra, communicando-llie em
posla ao seo officio de honfem que ao C
mandante interino do '. c Ratalho d
lelheria se tinha expedido ordem
fornerer-lie as lages precisas para cobi
cano do esglo das agoas do mesmo Arce
Dito Ao Inspector do Arcenal de Mi
nba para que houvesse de boje alarde
transporte para bo'do do Rrigue Pa
e Victoria, ao destacamento que tinha de
guir para o Presidio de Fernando.
Dio Ao Coronel Graduado Fran
Joz Martins remmettendo-lhe a mporl
cia de Rs. 3 oa3Uiao dos vencimenlos
Destacamento, desde Uesembro do ann
p. at Maio do corrente como constara
papis de conlabeldade que Ihe serio
viados pelo Commandanle interino do 3
Balalhod'Ariillieria.
Dito Ao Capilo Commandante do F
te de Gaib remeltendo-lbe a quantia
Rs 153000, importancia da caulella
vencimenlos do Destacamenlo no prese
mez e communicando-lhe que a tabella
emliandeiramento das Fortficaces que i
quisilava ero seo officio de 4 do corrent
Ihe seria em breve remelliila.
Dito Ao Commandante dd Forte Pa
imarello devolvendo-lhe a requisijo e
ulensis que acompanhou o seo officio de
do corrente para que de'la ilhminasse
bandeiras de sgnaes que nao eslo marc
das na Tabella que ltimamente se Ihe e
viou.
Hito Ao Commandante interino do 3.
Ratalho d'Artilheria oidenando-lhe q
com o destacamento da liba de Fernand
fisesse embarcar os presos sentenciados Al
xandre Vieira, e Jos Macario Froes, os qua
conlinuario a vencer nicamente elape ,
t que clieguera os esclarecimenlos pedidos
Provincia do Cear.
Dito Ao mesmo ordenando-lhe qi
fornecesse ao Director interino do Arcenal
Guerra as lages de que tivsse priciso pa
cohrir o cano d'esgoto das agoas do mesi
Arcenal, visto nao haverseme!liante genero
venda.
Dilo Ao mesmo mandando rebaix
para soldado o Sargento Abraham Joaqui
'Jorges que estando de guarda na Cadeia i
dia 1 j do corrente tinha a mesma em reh
xacao e que o soldado Jos l'edro lao bem <
guarda com elle fosse castigado por falta 1
cumprimento de seos deveres como sentinell
das armas.
mor
THEZORARIA DA FAZENDA.
Edital
Peante a Thesouraria de Fazenda desl
Provincia se ha de arrematar a renda trien
nal das duas Casas de mei-agua sitas n
lugar da Cabanga ; e nao a metade da dit
renda como se tem annunciado.
As Pessoas que pretenderem licitar po
d-m dirigir -se Salladas Sesses da mesm
l.ourenco Antonio de Alhuquei(|ue e Mello Thesouraria no dia 3o do corrente mez
Joo aulo Ferreira e Francisco Antonio 1 Secretaria da Thesouraria de Fazenda di
de 1 liveira Rozellis que serv rao desde Pernambuco aa de Junho de 1840,
Joaquim Francisco Bastos.
Official Maior.
THEZORARIA PROVINCIAL.
EDITAL.
O Inspector da Thezouraria das Renda
1837 at agora por nao terem dado cumpli-
mento as ordens da Presidencia que Ihe foro
derigidas em ti de Setemhro de 1837 37 de
Agosto e a7 de Setemhro de l^Jp a fim de
lazer guardar na estrada do Rozarinho o ali-
nhamento e cordeaco que Ihe foi dada no
lempo do General L. do R. larreto, como Provinciaes faz publico que em conformi-
era de seo rigorozo dever em face do art. 41 \ ^de das ordens do Exm. Snr. Presidente da
da Ledo i. de Outubro de 1828.
Officio Ao Juiz do Cnme da 1. Vara,
ordenando-lbe que proceda na conformidade
da Lei contra os Vezeadores da Cmara Mu-
nicipal de Olinda de que trata a precedente
l'oitaria pelos motivos declarados na mes-
ma e conslo dos ducumentos aue se Ihe re-
mellen..
F.ERJNlAMtf UCO.
HiOVERjNO DA FhUVUNclA.
Expediente do dia 19 do corrente.
Officio Ao Inspector da Thezouraria das
Rendas Piovinciaes ordenando-lhe que
mande pagar a Joo Capislrano Torres Ga-
lindo o (|ue se Ihe esliver devendo pelo alu-
guel de urna caza na raso de lUucoreis men-
saes, na qual foi estacionado desde 10 de Maio
(io auno p. p. at o presente o Destacamento
da Povoaejo de Grvala'
Dito Ao Preleilo da Comarca de Santo
into communicando-lhe o conleudo no
precedente officio.
DitoAo Chefe da Legio da G. N- do
Cabo, communicando-lhe que para .Major do todos os ^encimen tos que percebia j porisso
COM MANDO DaS ARMAS.
Expediente do dia 16 do corrente
Officio--Exm. Presidente, representan-
do-lhe sobre a necessidide d'dbouar-se ao
preso P. J d'A. compromettido as com-
muces polticas do Rio Grande e existente
na Forlaiesa do Brm a diaria que a ou-
tros presos de semelhante naluresa te furnece
Provincia no dia iodeste mez pelas 4 ho-
ras da larde, peranle a mesma Thezouraria ,
se ha de proceder impreterivelmente a vend
por arremataco em hasta publica dos oito Ca-
vallos, que reslo, di Companhia de Ca-
vallaria do Corpo Policial.
As pessoas que pretenderem lancar compa-
reci na Sala das Sesses da Thezouraria nc
dia e hora indicada com Fiadores idneos.
E para constar se mandou affixar o presen-
te e publica-lo pelo Prelo.
Thezouraria das Rendas Provinciaes de
Pernambuco a3 de Junho de 1840.
Joo Baptista Pereira Lobo.
A Thezouraria Provincial paganodia viole
para o quotidiano alimento visto que Ihe la- I esete do correle 00a Empregados que nao
lecem todos os recursos para a sua manuten- percebem emolumentao mez de Abril sen-
K^o. do um terco em prala e dois em notas e no
Dito Ao mesmo Exm. Snr. informan-I dia trinla do mesmo mez aos Empregados que
do o requerimento do ex soldado benedicto' percebem emolumentos. Thezouraria Pro-
?ereira deMaltos, que suplica ao Governo, vaicial de Pernambuco a: de Junho de itiAo.
mperial a grata d'o conciderar invalido cpm j Evaristo. Mendes da Cunha e Azevedo.
Fiel do l'hezoureiro.


o
MARIO DE
PERNAMBCO
5
-22i lt ^t^^s^n^: qr s,-- p vi''v^r^^^^ que se Iia(ntado
ALFANDEGA DASTAZEIDAS.
Edital.
por menos fizer os fornecimenlos d pffu bo-
laxas, e carne para os meamos Estabeleci-
roenlos : as pessoas que se propurerem a ar-
rematados podero comparecer no G l des-
/ tl i,j i n- i ^ "iini-u ponerao comparecer no (i li des-
Vicente Phomas ,res de F.gneredo Ca-, a Cid.de no ,lia io do corre,,., me,, as i *o-
margo Inspector da Alfendeg. fe Saber ras da larde Salla das Sesees d'Adn i-
que no da saliado 27 do corrale, se hade
arrematar em hasta publica e na porta da
mesma so meio dia huma caiga com o
dunas de Bengalas, e urna armario para cha-
peo de Sol no valor de s'ooo rs. impu ;-
nada pelo Feitor Conerente Joze Machado
Freir Pereira da Silva no Despacho por
Factura de N'anoel Alves Guerra send i0
Arrematante su;eilo ao pagamento dos Direi-
tos. Alfandega 2 5 de Junho i84o.
V, T. P. de F Camargo.
iro,.. 1 l- 1 1 .......... xjuiisi.i.,1 iin.is uiumiis noticias (iti argel ,
ira,ao dos Estabelecmenlos de Candade .a que fim do Tenles de Emir Abdel-Kade
UC Jllll 111 l.i.ri. _. .
J. M. da Crua.
Escripturario.
S' .. ., deameacasdosln.'.lez.s, que protesla apo-
l .nha lalleeido em Pan. de urna apoplua derar se de Goa ou de Vlaeao se Ibes nao p_
MT.Mrl,0 Laffitte irmfo de Vlr. Jacques garem loqueelles qui/erem dentro de certo
Lal.tte, e membio da junta do commerno e prazo. (Do Nacional de Lisboa.)
ntlustria __ '
Consta va pelas ultimas noticias de argel ,, SOCIEDWJE NATALENSE.
Sesso Extraordinaria.
O primeiro Secretario Interino convida a
'orporaco da mesma a reunir-se Domingo
(8) as 4 horas da tarde, na casa D. i da
ra Dircita.
Noticias Bstraugeira
MEZA DO CONSULADO.
A l'auta he a mesma do mira. ,3,
CORREIO.
O Brigue Fama recebe a mala para o Rio
de Janeiro boje (17) as qualro horas da tarde.
O Patacho Primavera, recebe amala pira
o Porto, amanha (a8) pelas 10 horas do dia.
O Illm. Sr. Inspector do Arsenal de Mari-
nha manda fazer publico que est transferi-
da para o dia o do correte as 11 horas da
manha a arrematatao dos fornecimenlos de
carne fresca pao bolaxa e medicamentos,
annunciada para o dia de boje, em eonse-
quencia de terem aparecido mui poucos con-
currentes ; assim como que est marcado cs-
se dia e a mesma hora para arrematarlo to
bem dos fornecimenlos deassucar caf mol-
do e agurdenle por todo lempo do aipio
6nance!ro prximo. As pessoas a quem ca.la
um dos fornecimenlos possa convir, sao con
vidadas pelo mesmo Illm S. Inspector a a-
prezentarem as suas respectivas propostas em
carta feixadata hora indicada declarando
n'ellaso menor preco porque podem fa/.er o
fornecimenlo e bem assim os nomes dos seos
fiadores Inspeccao do Arsenal de .Marinba
d Pernambuco a5 de Junho de 18^0.
Alexandre Rodrigues dos Anjos ,
Secrearioi
LISBOA 4 DE MAIO.
RETnoSPECTO POLTICO.
Occupava-se a attenco do parlamento i,i-
glez com diversos assumptos taes com.. os
projeclos de lei concementes aos Caadas o
dos cereaes e outros. A queslo do Oriente
easdesintelhgencias com a corte de Napohs
sobre o assumplo do enxofre tinham tamb >m
chamado a attenco das cmaras e occupav*m
publica, visto que nao tendo o rei de a-
ples aceitado o ul'imatnm do gabinete ingles.
as hostilidades devia comecar tendo j'
emhaixador inglez junto corle das D.ias
icilias enviado orados do seu governo ao al-
mirante Slopford que se acba em Malta ,
para vir sobre as costas da Sicilia com a sua
esquadra obrar hostilmente apresando os
navios que navegaren] com a bandeira Napo-
litana Os cnsules inglez e francez em a-
ples Iinha dirigido aos commerciantes
suas respectivas accoes, urna circular pre-
enindo-os desta delerrafoaco a fim de mo
soIYerem prejuiso na captura daquelles na-
nos, os quaes com suas cargas serriro de re-
presalia para a indemnisacao exigida Oiei
de aples mostra-se tenaz na sua resol uc .
posto que os seus dominios da Sicilia noeslo
contentes nem inleiramente pacficos ; au r-
mentando-se com o motivo deslas discordia, a
ellervescencia que continuamente alli reina
e que anhela um momento pan se manifestar
abertamente.
Nao obstante aquelle monarcha desenvolve
bastante actiridade nos seus preparativos de
defensa ja mandando apromptar a sua es-
g.vm o ~" T- ". quadra j ovdenando a marcha de artilheria,
llm. e Exm Snr. Forao bonlem presos e de tropas para as costas as quaes uns .ve-
lo Sub-Prefe.to da Freguezia do Recfe o lia em 2o,ooo homens, e outros em ?5 000
U principe de Caslelcicala enviado de aples
a Londres devia chegar bievemente a esta
cidade; porm segundo dizem ao propostas
do que os manifestadas pelo rei. Comtud >
queslo tem lomado un; aspecto assaz serio
noisque se segura que a Austria ea Russia
estao envolvidas no negocio e seno conse-
guirem um arranjo amigavel, lero de op-
por-se pela (brea aos procedimentos da Ingla-
III
PR EFEITUR A.
Parte do dia ai.
atacara os intriucheiramentos francezes ro
consequencia dj que tivera urna accao com as
tropas do General Galbois, as quaes repel.i-
rafi os beduinos causando-Ibes muita perd
A campanha contra o proprio Emir d< ve
comeqar com toda a brevidade e espera-se
della importantes resultados. O general S-
chramm foi nomeadochefe do estado maior lo
exercito de frica.
Parece, que o governo francez tencit ia
enviar algumas forcas navaes contra a rege 1-
cia de Tunes onde se tramam secretas ni: i.
gas contra as possessoes francezas de Algci: 1.
Rebentaram algumas desordens em Lonsi -
Saulnier tendo por pretexto a caresta de
eros Os alborotadores depois.de se tei n
violentamente apoderado dos genero* nQe |, _
via no mercado entrara pelas cazas ,' esi-
quear.5 ludo que podero ; mas as authori-
dades secaudadas pela loica armada, sffoci-
ra os disturbios e prendern os princin ss
alborotadores a quem se est formando o
processo.
A crise ministerial da Blgica ainda nao :';-
nha terminado e a nova administraco s e
formara definitivamente depoii do dia -ia .lo
passado visto que as sessoes das cmaras < :-
i tava suspensas at esse dia.
Nada tinha ayancado para a sua termina: lo
1 ((ueslo turco-egypria Dizem ter-se forj.it
lo recentemente urna intriga no serralho p':.a
derribar o actual ministerio, eindu/.ira Por-
ta a tradar directamente com Mehemet-A!i.
Suppoem-se que isto seja obra da Sultana \ :-
id que se tem manifestado apaixonada la
Franca, e do Bacb trabalhando rauit) a
favor dos interesses desle e fechando os ol; is
"os excessos voluptuosos a que se entrega ^.11
<:,i._ _..i.-_
Avisos Diversos.
pe
Alemo George Secker e o preto Christo-
\o da Rocha este por estar sedusindo a um
escravo de Jos Gonsalves 'Jorres, para se
deixar por elle furiar e havel-o condusido
al o lugar do Forte do Malos e aquelle p*r
ter ferido gravemente ao preto Pedro escra-
vo de Vlanoel Custodio l'eixoto Soares ; oro
conduzidos Cadeia dispozico do Juizo
Criminal: e por um Commissorio d'esla Fre-
guezia em virtude d'um Mandado desla
l'refeitura Joz IVJaria d'Amorim Jnior ,
por denuncia do Fiscal da mesma Freguezia ,
desUr elle fabricando fogo artificial em sua
casa ou taberna ; e lhe ser apprthendida
urna barrica conlendo bastantes logeles: loi
igualmente recolbido Cadeia : e aua mais
consta das Partes boje recebidas.
dem do dia a5.
Illm. Exm. Snr. Foio liontem piesope-
lo Sub-Prefeito da Freguezia do Uecie o
Manijo Joio Bloen natural dos Estados U-
nidos do Norte por ler lrido na caneca a
parda Maria Joaquina ; loi recolbido Cadeia
a dispo/ico do 'uiz Criminal ; e pela Senti-
nella da Ponle da Boa-vista, Joaquim Jo.-
dos Santos Vital, blanco por ler apagado
as luzes de urna taberna e a tacado o Caixei-
ro d'ella fazeiido depois o mesmo com una
tena ; principalmente a Austria que consi-
dera aples tomo urna provincia sol
sobre a sua
em
lulella : por isso dizem ter expedido ord, ,.
rara oalmirantado de \'ene/.i a fimdeapromp-
lar urna esquadra para se apresenlar no gol-
fo do aples fo(o que se verifique a chega-
cia da esquadra ingleza. Mas parece que Mr.
deMetiernicn.e o embaix.dor da Russia irabt-
Iha com assiduidade para lerminarem o ne-
gocio amigavelmentc ; para o que tem-se ve-
rificado continuas conferencias entre o archi-
duque Carlos, pai da rainha de aples.
que exercegrande influxo no animo do rei e
o embaucador desta potencia AjuntaS que o
embaixador inglez em Vienna desapprovara a
conducta do seu collega em aples mani-
leslando que lord Palmerston obrara muito
mal seconservasse por mais lempo naquelle
nrala / .. i. -------r. ,,c" >Blu'n>w pormais lempo naquelh
preta : fo. detento no Calabouco para n.elhor lugar um hornera que por u.,.a personalidad!
arenguacao do laclo
I'.' o que consta das Partes boje recebidas.
EDITAL.
O Doutor Francisco Joo Cainciro da Cunhn
Juiz de Diieilo Interino da Primeira Vara
do Crime da Comarca do Recife ele.
Faco saber que em consequencia de au
ter comparecido boje segundo dia maicado pa-
ra a abertura do Tribunal do Jury numero
legal de Juizes Jurados para os trabalbos do
mesmo Tribunal transiere a presente Sesso
para odia prinieiio do reez vindouio o que
assim manda publicar pila impiensa para che-
gar ao couhecimento d'aquelles a quem posea
interessar. Eu Felippe Benicio Ca'valcante
de Albuquerqiie l'scrivoo escreri.
1' rancisco Joo Cameiro da Cunha.
Administraco dos Estabelecimenlos de Ca-
ridade.
Perante a Administraco dos Eslabeleci-
ilho o sullo na sua continua permanci-
ca no harem cujos prazeres enfraquecen lo
cada vez mais a sua j deteriorada saude o
onduzirao em breve sepultura podei. lo
ento sua mi obrar livremenle naexecu.io
dos seus planos.
A Porta faz alguns preparativos deguena .
mandando proceder fundico de pecas le
artilheria, das quaes j se acha 4o promp
ptas para marcharen ; assim como So carros ,
a 1 a,000 borne ns para se reunirem aos exen i-
'os de Konian e de Malatia os quaes lodjs
juntos lormaro um acampamento em Di.sb -
kir. O Grao-Visir Kosrew Pacha, acha-se
quasi restabelecido eem breve se encane;; -
r dos negocios pblicos. Dizem que a fazeu-
da publica tem tomado um aspecto lisongeiio
manifest do Brigadeiro Linage mpre.i-
9u em Agnaviva sob os auspicios do duque Victoria aprsenla diversas argui.es contra o
Governo e o partido retrogrado dignas de
seria attenco e amanea afirme dele! mi -
cao em que se acha o exercito de defende: a
Consliluico de r-: a lberdde de impre. -
sa e a instituico dos jurados alvos do rain r
do partido Jovellanista que jurou mover guer-
ra de exterminio a todo pro^resso democrati
co
Na Cmara dos Deputados conlinuava o
debate sobre o projecto de reforma das muni-
cipalidades oppondo-se com energa os cam-
peSssda opposico s alteraces odiosas que < s
paladinos ao Governo tentav.5 em vo justi-
ficar em lon;;os e diffuzos discursos.
Depois da tomada de Aliaga pelo Gener. I
Odonell o Duque de Victoria se prepara va pa -
ra altaca Morella em quanlo o outro chefe p&e
em silfo Cantarieja, as ultimas pragas dos
carlistas no Reino de Ara gao
O celebre Conde de Cleonard tinha sido no-
meado Ministro da Guerra para o que larga o
lugar de Capilo General dos Reinos de Gra-
nada e Jan Parece que ser substituido pelo
General Villalobos nesse commando e que o
General Buerens ser mandado para a Caslella
Nova.
Em fim a columna de Zurbano tinha entra-
do em Beceite depois de ter batido na altura
do Calvario as forjas facciosas que alli se acha-
va em numero de .ioo homens que fugira
em debandada. Besta ver o resultado das ma-
nobras do General Concha contra os devasta-
dores do forte de Beteta e os insurgentes de
Guadalajax.ra.
Correra durante a semana boatos da de-
HT No da ,5 do. correte desappareceo
da Cabanga pelas 3 ou .( horas da tarde um
cabocol.,,1,0 de idadede 8 para nove annos
carabex.gosa; levou vestida urna carniza d
amburgo ja velha e chapeo de palha tarabea
vell.o: quem o encontrar, qUera por obze-
qu.o leval-o a mesma Cabanga caza de seo
pa, Ignacio Francisco que ficar-lhe- agra-
decido.
w- Duplanil Frar.c de Naco rei-
ra-se desta Provincia.
w Na roa do Cotovello D. a, ha pa_
ra alugar diariamente e por preco coramodo,
um carr.nbo de quatro rodas muito bem ar-
reado e seguro por ter boas parelhas de ca-
vallos e tambera se aluga cavalfos sellados
os pertendentesd,nja6-se mencionada caza
que scharo com quem tratar. '
*T 1C[).mP,ra5-se A* escravas cora afu-
mas habilidades sendo para enrenho na
ra D.rei.a D. ,0 lado do! Livramento
13- Quem quiser comprar excellente pa-
lha de carnauba a ifto reis cada rnolho diri
|a-seruadoF.BudesD. ,7 em caza d
\tanoel Jos llibeiro.
tw No dia ^ ,fo crreme fugira do sitio
do arraial dous pretos novos de oaco Ben-
guella o primeiro de idade pouco mais ou
menos aa a a| anuos, altura regular, bera
preto olhos alumacados beicos rossos e
j vae barbando ; tem no queixo direito un
signalzinho de cabellos ; e o segundo mole-
que de 18 a ao annos olhos afumacados ura
pouco fula rosto descarnado porem curto
pernas finas e alguma cousa menor que o
outro ; tem o cabello solt para negro; fugi-
ra com carniza e ceroula de algudo tranca-
do e coberta de panno da Costa : quem os
pegar poder leval-os ao mesmo sitio cima ,
ou a ra do Vigario armazem n. ,0 que se-
ro bem recompensados
-----Eu abaixo assignndo fago saber as pes-
soas que tem pinhorea na rainha mnnue den-
tro de 8 dias qneirao virtiral-os; do contrario
sero vendidos para remir as suas quantias
porque eslo no alterro das 5 non tas venda
13 J- Manoel Jos Pereira.
tST Precisa-se de um forneiro e um ca-
xeuo, na paderia da ra da Senzalla Velha
N. 37.
SS" QualquerSr que precisar d'um hbil
Professor para aprender, ou mandar ensinar
Rhetorica Philosophia Lalim e Francez :
dirija-se a ruada Guia N.5qonde achara com
quem tratar. Adverle que suas lices po-
dem ser presenciadas por qualquer curioso e
quepromette em pouco tempo mostrar o seu
desvelo
W A pessoa que tem annunciado no Dia-
rio um sitio muito perto da prac com as pro-
llnha comprometlido gravemente o governo
inglez no momento em que a (ueslo do Ori-
ente eas irresoluces de Franca lhe impu
nh. o deverde evitar lodo o conflicto. Se u>
noticias que o gabinete austraco esperava de
Londies e aples nao fossem mais pacificas,
deyia partir immediatamente para Londres o
principe Esterhazy.
Tratava-se as Cmaras Francezas dadis-
cusso do projecto da converso dos fundos de
5 por centc cujo projecto authorisa o Gover-
no a eflecluar o r eem boleo dos sol.rditos fon-
dos a razio de ,00 francos por cada 5 de ren-
da assim como d direito aos possuidores de
nscripces daquelle juro a reclamar a sua
converso em novas inscripcSes de 4 e 5 ,/a
porcento.
r v^ui reaa uuramc a semana uoalos da de-
iaau-se grandes preparativos para feste- msso do Ministerio que se nao rcaiisara .
j-roall,vcrsar.udohe, cm .IcMaio. Luis sendo apenas ce< lo que a opposico Carlista
tilippe propunha-se nesse da passar revista cada Tea se envipera mais contri o seu Govtr-
aoscoiposdelntlia e a Guarda Nacional. A no Tem heudo varias leuuies de senado- .sao vi.
m!^^t^^ S;""!C!rd f re96 DepUted09 ,* as quaes aue foi mui- crreme nobeco do Peixe-frilo venda D"-
sedou celebrar o mraento do Duque de lo numerosa leve logar na Sexta le.ra na Se- i cima 4.
porces seguintes casa de rivenda duas ex-
cellentes haixas para planlaco de capira com
bastantes arvoredos de frutos, duas excellei-
tes cacimbas, sendo urna de agoa de beber,
outra de lavar roupa e que tem no fundo
porto para embarque; dirija-se a ra do Ca-
bo-a foja de n.iudezas D 4 junto ao Snr.
Bandeira das nove horas da manb at o raeio
dia ; que tem sido procurado na ra larga do
Rozario D. 1 a vollar para a ra do Cfoei-
mado e nc se tem adiado
W Quem quiter acabar de criar com leite
em sua caza um molatinho captivo de dezeseis
mezes muito manso, .pagando-se-lhe doze
patacas por mez e roupa lavada, dirija-se a
ra do Livramento sobrado de dois andares,
que tea anauazes na varanda que ahi achara
com quem tratar.
SS~ Aviza-se a quem convier que o v-
nbo de cap do autor V. F. G. tem os se-
guintes signaes : -claro como o chmpanba ,
(o que se nota mesmo as garrafas levadas con-
tra a claridade) ; estas tem o seguinte le-
treiro impresso teneroso vinhode caj per-
nambucano : e d'hoje em diaate lero a fir-
ma Ferreira Gomes ; advprte-se qu e este
nao tem mais nem urna garrafa ; e aquellas ,
que nao tiverem os mencionados signaes de
vera ser reputadas de outro autor bem como
as do vioho annunciado pelo Diario de 2o do




DIARIO
D F
PRINAMBCO

*
I
tST Na ra do Ran{;el no primeiro andar
do sobrado que fica defronte du sobrado calii -
do junto a casa que Ibi os diversos recebimen-
tos se engomma toda a qualidade de rou-
pa com niuito asseio e promplido ; assim
como se fazem vestidos e tuda a mais costura ,
e juntamente de alfaiate ludo por preco mais
em conta de que em outra i|ualquer parte.
ty Jos Jai odo Tasso Subdito Sardo re-
tira-se desta provincia a fira de tratar de sua
saude o tenciona ir ao Aracaly no Patacho
Mara Luiza e logo queseacbe restabele< i-
do voltar afim de tratar com os seus beni
guos credores para serem embolsados.
?^ lrevne-se a os Snrs. assignantes do
Univeiso Filoresco que anda nao recbenlo
nem pagaro os 16 nmeros publicados que
quanto antes os vo receber na certeza de
que se entregarao s primeiras pessoas que se
apresentarem visto a grande extraccao que
tem tido peloreconbecido augmento deste jor-
nal ; na ra da Crur. n aa.
Cg- A pessoa que quer comprar um vo-
lo ja uzado para um princiniaute aprender,
drija-se atraz da Matriz de S. Antonio no 1
andar de ultimo sobrado antes de ciiegar o
Quartelde Polica.
SST Aluga-se una escuda coro urna libo-
lela grande com rodas de por h tirar e guar-
da-se dentro da loja ; a tratar na ra do
Quemado li,
OT- Na loja de Joaquim Gonsalves Cuscio
ba urna carta para o Sr. \)r Antonio Jos de
Souza.
*y A parda de meia idade v de boa c n-
ducla que se offerece no diario de 23 do Ci r-
rente para coznhar engommar e cos< r .
um homem tolteiro querendo ir paia Oinda
somente paia cozinliar em urna casa de pontea
familia dirijase a mesma Cidade ra de
Mauas Ferreira sobrado n. 11.
tST Responde-se ao Illm. Sur. Joa Ru-
fino Ramos que o author do annunco n-
certo no Diario n. i3t he Crislovo Dieslel
com casa de cambio na ra da cadeia do Reci-
fe o qual tem em seu poder uin bilbete de
cobre de cem mil rs passado pelo Illm Sur.
Joo Rufino & Irmo em 4 de Maio de i83 .
ISP" Aluga-se urna cabra captiva para una
secca prefere-se casa de pouca familia a
qual fat todo o servico de urna casa e compra
na ra ; quem a pretender dirija-se ao beco
da viraco .0. -a .
ey Na botica de Barlholonieo & Ramos ,
ra do Rozario D. 7 tem para vender a mes-
illa pasta de mou de veau annunciada no dia-
rio de quinta feira n. 07 pelo Sr. Meroa, por
preco muito mais commodo.
ty Desapareceo da prai do collegio ao col lelo de qtiadros e uma burra de ferro
amanhecer do dia a5 do corrente una cano: batida nrtiilo grande.
decarreira com os srgnaes seguintes ; toda
encarnada com banco de vella um dito de
neos'o com corrente de Ierro na poup lo
da pintada em roda de diversas cores, ten
ferragem de leme teta de comprimento ar> a
dita canoa souber partecipe na venda nova da
ruado lan;el I) 4! no beco que volt para o
trem a fallar com Luiz Jos Marques*
& Offerece-st um offieial de canteo tanto
para arrebenlar pedreiras a fogo como as
tortas a ferro e mesmo lavrar pedras para
qualquer obra com toda a pereico ; quem o
precisar dirija-se ao beco do tambia na praca
fia Roa vista I). 3.
iHf Cjuem for dono de un escravo de no-
me Fui/, anda mui'o pouco ladino, vestido
de baeta encarnada denles limados e de
estatura regular, dirija-se a esla Typogralia
ejue se dir onda existe.
Avisos Mu vil luios.
OT Que lazem llussall Mcllors BtCompa-
nlia por-intervenan do Corretor Oltveira ,
de un esplendido sortimento de ferrhgens in-
gle/, is Quarta feira 1. de Julho as dez horas
la manh no seu armazem da ra da ca-
leia
C o tu p r ;t s
W Um par de esferas geogrficas novas,
ou em bom "izo e um Atlas de la geogra-
phie ancione et moderne nar Flix ; quem
tiver annunce
tsy Escravos de ambos os sexos de idade
de !2 8 Sj anuos com ofticio 011 sem elle, na
ra do fogo a ) p do Rozario D. 25.
Vendas
a
J,s
a-se no engenbo Paratibeum pu-
do
to que al foi apprebendido no dia 19
crreme, com uma trooxa de roupa que
diz ser escravo do Sr. Miguel Carneiio. quem
for seu verdeiro senbor mande o buscar o di-
to engenbo, pois nao se responsabtlisa pela
permanencia do mesmo escravo.
tSSr Joo Ferreira da Silva Doutor em
medecina pela faculdade de Par.z recem-ebe-
gado da mesma partecipa ao publico |ue el-
le da consulta; Oes todos os dias em sui casa
ra Direita 1 1 das 7 as 9 boras da na-
nh e nao recebe paga daquetlas pessoas.
que nao tem sufhcientes i-osses ; assim com
se encarrega de praticar teda e qualquer ope-
raco cirurgica.
tST Constando ao al aixo assignado que a
Ser.bora D. />nna Rita do Sacramento pre-
tende vender a casada ra nova ). ,7 tem
o mesmo a declaiar que esta Sen! ora est p-
ga ciosalugueis du referida casa al a de No-
vembro de ib,\i. Jcs Luiz ereira
E5^ Roga-se a pessoa que achuu um fo-
lbinba de algil eir (ue loi [ ei(jid.'i denlso
da Igreja da Congregaco na noite do dia da
lesta ; queira lazer oola\or de a entregar
na venda d fionte de palacio
ts?" Ainda se continuo a vender a obrado
bem condecido Advogado e De/embargadoi
vido Saraiva de Carvaliio e Silva; na loja
da (juina da ra do Cabug conlronle da \.'a-
triz e na ra do < respo 1J. 8.
tJ" ^a lojs da ra de Crespo I), o de Jo^
dos Santos ^e^es existe uma carta viuda do
Ass para o Sr. Joaquim Jos dos Santo.
Roza o dito Sr ou quem snas vezes fizer po-
de procura-la.!
tsr* Responde-se ao Illm. Sin. que pelo
Diario n. i3b d a entender que tem Bilbete
de Cobre a obrar do abaixo aisigiiado que fas-
sa o obsequio declarar seu iion.ee a quan-
tia por isso que o mesmo tem muito pra-
zer em ser o portador do mencionado paga-
menio para agradecer a generns.dade do mes-
jbo illm Sr. *m nao ttr procurado ^eu pa-
gamento a quem roga nao demore a men-
cionada resporla assim como demorou a cor
branca dos ditos iiilhetes Joo Rufino Ra-
mo.
I'A!;,\ MARANHAO" segu viagem rom
toda brevidade por ler parle de sua carga
prompta o BrigueEscuna Hrasileiro S Jos ,
forrado e pregado de cobre ; quem quiser
carregar ou ir de passagem dirija-se a l)el!i-
no (lonsalves I'ereira Lima, ou a Franci-co
Marques Rodrigues & Irmo na ra dos 11-
nueiros n. 1%,
. PARA O RIO DE JANEIRO a sabir c n
a inaior btevidade por ter o carregameilo
quasi concluido o firigue Escuna Amisade t
ainda recebe alguma carga e passageiros os
pretendentes dirijo se a praca do Corpo S|
loja de cabos I). o ou com o Capito.
PARA A BAHA a Sumaca Concei. .11)
Viajante at 10 de Julho ainda recebe c. r-
ga os pretendentes dirijo se a Mauoel Joa-
quim Pedro da Costa*
PARA (VIA< EIO' o vellciro Patacho Do-
us Amigos impreterivelmente at 5 de J 1-
lho; quem quiser carregar dirija-se a Mi-
noel Joaquim Pedro da Costa
SSS'- O Patacho Portuguez Paquete da 3.
lendo carregado com brevidade deve seguir
para Lisboa no 1. de Julho podendo rece-
ber alguns passageiros para o que tem bens
com modos.
tST Caulellasda Sociedade Fortuna Ty-
pografia da Lotera do Tbealro ganhando
a vigsima parle dos premios cabendo na
surte de 6 000 000 reis tresenlos mil res, a
prayu de /po ; nesta Tipogrfica na pr.ica
da Independencia n to e na ra larga do
Rozario loja de miude/as l). 7, e na ra do
Collegio loja de relojoeiro.
t&' Um escravo de bonita figura moco
oRcial de pedreiro e oulro canoeiro e n a-
rinheiro ainda moco ; na ra do Crespo 1).
5, lado do norte.
t&" Uma preta recolhida de idade de ia
a 1 .{anuos ou troca se ; nesta Typogra'ia
se dir.
tS" Uma escrava de naro congo de ida-
de de 14 anoOd, cozinha o diario de uma ca-
sa ensaboa e tem principios de engom-
mado e vende na ra uma dita da mesma
naci de idade de 11 anuos ; na ra do
L e i 1 a o
Coksulaoo de Franca em Pernambuco
C?" A venda publica de fazendas &c. em o
armazem de Lenoir Puget Se Com pan h i ,
annunciado para Quinta feira a fica trans-
ferido para terca feira o do corrente em con-
sequencia de nao ler bavido lempo de se dc-
pacharem 5 mas n'aquelleda '5 se procede-
r a venda publica de vnoos vinagres e
perfumaras &c. tambem parte do carrega-
mento do navio fraucez Provenee naufragado
em Lucena. Pernambuco a3 de Junbo de
i84o. Barrer Cnsul de Franca.
J? Os pioeuradores bstanles de Francisco
Manuel da Slv.i Tavaies faro a venda publi-
ca por inlervenco do Corretor liveir 1 ,
sabbato ir do corrente ;i> 10 boras da mana.
na ra Nova, casa da ultima residencia do
mesmo 'Lavares dos seguintes predios e-
objcclos : a saber uma magnifica caza e
seu exctllente sitio na estrada dos Afilelos ,
ludo bem condecido pelos habitantes desta Ci-
dade : aquella pela sua grandeza e linda cons-
Ifuccio moderna e esle por oflrecer em si
(llantas vanlagens se requeren! nao sopara
recreio como pai a se colber avultado interes-
se porque conten na sua grande exlenso um
lindo jardim teireno para plantacoes bai-
xa para capim numerosas arvores de todas as
fructas bem conhecidas pela sua excellencia ,
bous tanques e cacimbas para regar plantas
etc ele. Outra grande caza e seu sitio na
estrada do Beco do Espinbeiro situado nos
fundos do sitio cima mencionado o qual tem
bastante terreno para planlaco e pasto de
gado, muito arvoredo fiuctifero etc. 5 e um
terreno no Caldeireiro defronle do sitio que
foi do Pinbeiro, j com os aliceices pronto.
para edificar. Adverle-se que as referidas
propriedades seio vendidas a prazos paga-
veis por mato de Letras na forma que ser
declarada. Vender-se-ba igualmente a di-
niiiiio.ivi.~la, a mobilia da casa do dito Ta-
varea consistindo em leitos canaps, cadei-
ra, bancas, marquezas mezas, umexcel-
lenle relogio ci parede ingle/.. um pianno
lorie ingles vidros doces loucas capa-
X03 DOVOS oarraf? garraffiefl vazios, obras
de prala muito delicadas, cavados para canos
ealguns escravos de ambos os sexos, um lin-
do oratorio e seus 01 menlos para celebra
luissa relogio de algibeira de repilico uma|
caldereiro l). 3o.
^ O Fazendeiro do Brasil, obra til-
sima a lodos os paes de familias ; em casa do
Snr. B indeira na ra do Cabng e Cardnso
Aires na ra da Cadeia do Recife.
ikS" Muito bom azeite de carrapato a laSo
cariada, e 1S0 agarrafa ; na ra da praia
armazem D. 10
(K> Uma mulata que sabe engomar bem ,
e cozinhar: na ra da cadeia do Recife loja de
fazenias 23
tsr Uma casa de pedra e cal sita na ra de
S. Miguel nos ailogados : nesta Typografia se
dir.
t^" Duas pretas mocas boas para o ser-
vico de uma casa uma dita creoula de idade
de J5 anuos cozinha engomma, cose, loa
para uiubanda de uma casa por ser recolhi-
da dous prelos mocos bous para lodo o
servico um muleque de 10 anuos ptima pa-
ra lodo o servico de urna casa uma casa na
ra do caldereiro e urna meia agoa na tra-
vesea do Pocinho ; nu ra de agoas verdes
casa terrea D. ij.
6A>> faboado americano e da Suecia Je
sii| erior qualidade de meia a i polegadas
de grossura e arcos do porto para barricas,
por preco commodo no forte do mallos ar-
mazem do V ianna.
SST Uma cama de angico nova e moderna,
na ra do Caldereiro l>. ,.
xsf Rape princesa'superior chegado lti-
mamente ue Lisboa a a880 a libra e as oit.i-
vas a 3o rs. un. bom ^sorlimenlo de fazen-
das por preco muito commodo, a vista ds
boas qualidades das fazcudas e pre.os os con-
pradores nao deixarad de tomar fresuesia; no
principio do atierro da Boa vista loja nova ou
Silva, por baixodo sobrado do Snr. Maior
Jos Carlos.
tsy lape de Lisboa de superior qualida-
de em libras, meias
de boa figura e muito gil para todo o ser-
vico as 5 ponas ). ai.
^\jy Breanhas de rolo com lo varas a -.ooo,
chitas de bpns padres a 1' o o covado pn-
no de linbo |ior'ugut'z enfcjlado em pecas de
i\ a ao varas a 700 a vara cambraias finas e
lisas a looo a pessa esguines com i4 jardas a
7200 a pesia brins esc uros Han dos a 4^0 a
vara algodiozinlio de ao jardas de muito
superior qualidade a S^o a peca alem des-
tas fazendas oulras muitas por preco barato;
na ra do Crespo terceira loja viudo da ra
do Queimado de Francisco Jos Teixeira
Bastos Se Cnmpanhia.
tsg- Rap de Lisboa muilo frescal a 2J10 ,
dito princesa da Babia a 160; na quina da
ra do Raugel loja de miude/as do Burdos.
tST A Sumaca Conceico viajante cons-
truida de madeiras do Brasil em iH38, vellei-
ra bem aparelhada e prompta a seguir
viagem para a Babia onde he o seu deslino,
aonde o comprador tem de a receber ; a tra-
tar com Mauol Joaquim Pedro da Costa.
iSf Um quarlo russo sujo muito forte ,
e proprio pira carga e uma du/.ia de qua-
dros cu u pinturas hms ; na ra do (Queima-
do >
&r Sujjeriores charuto d > Cachoeira : na
praca da Independencia n .. u aa.
S.^" i slopa de linho transado muito forte
para roupa de negro ^ na ra do CJueimadu
D. i3 e pracinha do Livramento l). a5.
SS?" Bairis grandes com vinho tinto do
Porto, emalvasia, e barricas com pregos
caixaes algumas com pouca arara, e dous
arados de Ierro patente muilo leves eduas
rodas lories para carro ; na ra da cadeia ve-
lUa I) 18
OS* Uma escrava moca, lara engomma,
e cozinha o diario de umi casa 5 na ra do
Queimado loja de ferragens i). 5.
.TJuviiiieiito do Porto
ra do
Passo.
ditas e oilavas ; na
Collegio loja da quina junto ao
Lina canoa bem segura, de boas ma-
deiras com crtente e feixadura de ferro, car-
rega 900 lijlos de alvenaria grossa uma
quarila de niel de furo ; na serrara do Car-
dial.
tsy Una bonita preta sem achaquealguin,
cozinha o diario de uma casa e engomma ;
na ra dos Martirios lado da igreja li. 7.
. C^~ Um ielim em bom uzo ; na ra do
encantamento armazem da assucar n. 14.
%ST Um paido moco de bonita figuia be
serrador e urna pela de lodo o servico la-
va de sabo engomma e cozinha o diario
de uma c'asa j'a lallar com Jos Higino de
\ iianda.
iST' A loja de livros na Iravessa do Roza-
rio que foi do fallecido Joao JNepoinuceno de
Mello e u; irolao de idade de i) anuos ,
para fora da provincia ou para o serto; a
tratar com Jo doz Santos Jeves na ra do
Crespo D. y.
NAVIO ENTRADO NO LIA 20.
BOSTON j escuna americana Raciuze ; capi-
to Alemem Bans j carga farinha.
SAHIDOS NQ MESVJ DIA
FALMOU I'H ; paquete ingles Pegeon ; com-
mandante o i" Tenente Thomaz James.
PARAHIBA; biigue nacional Constante ;
capito ^lanoel Marciano Ferreira ; em las-
tro.
GOIANNA : hiate nacional Conceico do Pi-
lar ; meslie Antonio de Souza Louro ;
carga varios gneros.
hiNTRALONO DIA2i.
ARACATY 5 16 dias ; sumaca nacianal Del-
mira de 74 i/J tonelladas ; mestre Jos Jo-
aquim Alves ; carga couros e sola ; a An-
tonio Joaqu'm de Souza Ribeiro ; passa-
geiros brasileiros opillo d A. N. Francis-
co da Costa Duarte Vidal com 1 creado,
Manoel Dias Martina Alexandrino Cliris-
tiano d Oliveira Francisco de Paula Rosa
com sua familia, Ignacio Gomes Apolina-
rio Manuel Antonio Macbado Vcenca
Candida Constanca com 1 filho e 1 escravo j
portuguezi Augusto Carlos VJartins e
Francisco Alves Pinto e o bretanico An-
dr iMiller com 1 escravo.
SAHli OS NO MESMO DIA.
PORTO RICO E BARCELONA ; polaca go-
leta hespanhola Las Dolores ; capito Ban-
tui Alanhas; caiga algodo.
BAHA ; barca Iranceza Camelia ; capito
Guelberl ; em lastro.
ENTRADO NO DI A aa.
PORTO ; 39 dias barca porlugueza B.dla
Pernambucana de 434 tonelladas ; capito
Manoel Francisco Ramalho j equip. ai ;
carga varios gneros : Thomaz. de Aqui-
uo Fonceca ; pessageiros 40 porluguezes.
NAVIO ENT..AUO lNO DA a5
IliO DF JANEIRO j itdias Sumaca Nac.
S. Domingos de lo tonel. Al. Jos Pedro
dos Santos equip. ia carga carne ; a
Gaudino Agosliuho de Barros,Jpassageiros 2
brasileiros e a meninos um portuguez e
dous lilbos.
SAiUUO NO MESMO DIA.
RIO DE JANEIRO ; Patacho Nac. Novo Es-
peculador M. Joo Luiz Alarlins carga
varios gneros ; passageiro um portuguez.
Nos das ai e a4 nao enlraro nem sahiro
embarcacoea.
OBSERVACOENS
No dia 20 deu fundo no Lameir a polaca
arda Rustigo de to tonelladas viuda de
Genova em 65 dias capito Joo Baplista ,
carga vanos generes ; e sigue para a Babia.
Nos das ai e 1 nao entrara nem sabirad
embarcacoes.
kst 1
aia
torada provincia um moierjut R'CIFE.Ni IVP. Ji^u b UE F. 1840


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC17YA1K0_JG54XG INGEST_TIME 2013-03-29T14:57:26Z PACKAGE AA00011611_03535
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES