Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03534


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno rf 1840. Quinta Feira
Tucto agora depende de no:; imv.u'o; da' n'ossa prudencia, irwlera-
e'o, aeiieiei-i: continuemos como principiamos e seremos apernados
C>>rn admirado entra as INaroei mascullas. >
Proclamaco da Assemblca Geral .io Hraiil
Suhscrcve-ss para esta follia a 3#uoo por tpnr'el pagos atliantailos
uisia Typografia, ra das Crnzes U. 3, narTacajoa Independencia
ds. 07 e a8, onde se reeebcm correspondenciasl< ^alisadas, eannuurios,
insiiindo-se estes gratis,' sendo dos proprios asai-nadies, e vindos assig-
gnailo
Partidas dos Correips Terrestres-
Cidadc da Parahiba e Villas de sua pretenco .
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem .
Dita da Fortaleza e Villas dem.........
Villa de Goianna.................
Ciilade de Olinda................
Villa de S. Anto..................
Uita de Oaraniuns e Povoaco 25 DE JNHO. NUMERO 13 <
> Seg. e Sextas feiras.
-
i
. Todos os da,;
Villa ue.-. aiiihu ............|......... Quintas feiras.
Dita deliaraiiiuns e Povoaco Dias do Cali, Serinhaem, Rio Formozo, e Porto Calvo. 1, n, e ai dito dito
Cidade das Alajjoas, e Villa de Vlacei.........i dem dem
Villa de Paja de Flores...........,...... .!. dem
Todos os Oorreiot partem aa meto dia.
PHAS.iS DA LA
Quart. cresc. a ( as 10 h. e 56 m. d tarde
La Cheia a M a 11 li. e 38 iii. de tarde
Quart. raing. a 2.'. aj 9 h. e 10 m. da tarde
La Nova ag -Mil b. e 38m. da man.
Alare chcia p ra > dia a5 de Junho.
As 3 horas 1 ". influios da-manhi
As 3 horas i un unos da tarde.
CAMBIOS. Ji*Hoa3.
Londi. ...... 30 72 dpo Ifooo ced.
mi *}-, 001 .,<> premio, por metal c-flertcido
Franca ...... a< jesporfrajico.
hki << laneiro ao par.
(.1 !10 "- di:i de 6/M00 ;., Vell.-ns ufSoy a 1&001.
' ,5 Wovaa 14*600 a iigSco
' Di >i d ffo/w rs., #"* a 8#3ou
rV-ns Colutrfl&faH-------------- i*tr7o a t#hiiQ
I -.is Meiicamjs-----------------:#65o a f-blo s,
M! da.....-- ----- "J4 M0
Descont de Iii hete d'Afandega 1 1,0" pm loo ao ra.
dem de Letras i|4 por hoas firmas offereido. >
Jnoeda de eoiir* 1 a 3 oor 100. de diac '?i tt
bias da Semana.
,3 Seuun.1. S. Pau P. Audieucia do Ju deDireitofr ** j
s3 Terca jejum S. J jo Sacerdote. -- Relacao e Audiencia do Jm* de U. da^
xk Quart. AN^.enl 1 deS. J0S0 BaptiSta.
a5 Quinta jejum S. iuillierme Duque. Audiencia dj Juis de JJireite.
vara. ,
a6 Sexta *OSS. iorco de Jexus. ,,.,.,,
ai Sahbado S. Lail.-lc Re. Relacao e Audiencia.,do Juijda D.da.3. v;
ao Domingo A Purc a d 1 N. S. _
RENIAO' DE AMPASAS CMARAS.
Sesso em 9 de Mato de i8,fo.
Presidencia doSr. roarquez de Paranagna'
As de? horas e meia da manh fa/.-se a cha-
mada e reunidos em numero legal, os Snrs.
senadores e deputados, abre-se a sesso, le-
se e approva-se a acia da antecedente.
Continua a discusso das emendas do se-
nado.
Entra em discusso seguinte :
No artigo i4 arrescente-se : a provincia
do Cear afooooooo reis.
O artigo a que se refere a emenda o se-
guinte :
Artigo i4 Os suppriroentos destinados
para colin'r o dficit das rendas provinciaes
fico fijados para se verificaren) no anuo fi-
iiBiireiro dcsla lei na quantia de 66q;oooUoop
repartidos pelas provincias abaixo declara-
das, na forma seguinte :
A provincia da Baha ifiojoooL1
DePernamhuco...... i5o:oooU
De Mina Geraes......Po^oooL1
/0.000L'
3o:nooL)
a5.oool.
a5;oooC
aojoooLI
ao,oooLI
ao;oooLl
l5;oooL
Do Para .....
Das Alagoas ....
De Ma'toGrosso. .
De Goiyaz ....
De Espito Santo. .
DoPiauhy ....
De Sergipe ....
Do Rio Grande do Norte
De Santa Catliarina.....iojoooL1
Do Maranho......6t:oooU
A emenda do senado he approvada sem
debate.
Entra em diseussao a que se segu :
No artigo o, de pois de <'>ulorisado di-
ga-se desde ja e em lugar de 4;ooolJooo
reis, diga-se 6;ooolJooo reis.
O artigo a que se reere a emenda o se-
guinte.
Artigo ao. Fica o govemo autorisado
para despender al a qupntia de 4'J0Dooo
reis com as exploraces necessarias, a fim dse
verificar se ou nao verdadeiio carvo de
pedra o da mina existente na provincia das
Alagcas e qual a capacidade e extenso dd
mesma mina.
A emenda he igualmente approvada sem
debate.
Passa-sy a discutir a seguinte emenda.
O artigo ai substlua-se pelo seguinte -
As aposentadorias dos empregados das secre-
tarias de estado anteriores autorisaco da-
da ao govemo pela lei de 20 deoutuhro d<
i838 nao prodtizirao o seu efeilo sem aap-
provaip da assemblea geral legislativa.
O artigo subotiluido por esta emenda o
que se segu.
Artigo 2i. O govemo nao podeiex-
ecutar, sem previa approvacio da aasemblea
geral legislativa, a relrma que foi autori-
s'ado a lser as secretarias de estado pelo
artigo 3a da lei de 2o de outubro de 1838
INtni as aposentadorias dos empregados da*
mesmas secretarias anteriores autorisaco
dada ao governo pela referida lei, produzi-
ro o seu efleito sem a mesma approvaco.
O Snr. Mpura Mngalhes opoe-se s e-
tetrmliro nem o que se lhe seguo ni'iti
mesmo o actual, uzou dessa autnrisaca o
que porem o gabinete actual lem feito foia"
certas nomaces certos arranjos para servir
a afiMiados f ctc. Observa o orador, que se a-
casoseder ao gjverno o direito de reforn,;r
as secretarias de estado com a amplitude <'m
qne est concebido o artigo ver-se-ha o ar-
bitrio praticado pelo governo as subslitui-
ces e aposentadorias dos empregados. Tr
portanlo que nao deve pnssar semelbante au-
torisaco ; que nao deve o corpo legislativo
delegar lodo o governo (Apoiados). Nota
que o corpo legislativo j; fizera urna couza que
nao devia lser e fra dar ao governo o di-
reito de impor tributos (Apoiados). Niosa-
be pois como o corpo legislativo delegou u-
ma misso qu nao pode nem deve delegar
(Apoiados). Faz outras muitas observacrs,
e ulga em vista do que se tem ponderado,
que a emenda do senado nao pode passar .
Vota contra a emenda, porque antolha gra-
ves premisos se por ventura ella passar.
Julga-se discutida a emenda do senado, e
posta a votos lie recitada.
Entra em discusso a seguinte.
AitigV) additivo depois do antecedente.
Os emolumentos da secretaria do tesouro
sero d' ora em diante regulados pelas tabel-
las das secretarias da justica e imperio.
O Sur. Moura Magalhes pronuncia-so
contra este artigo additivo do senado decla-
rando que os emolumentos que se pretende
seio pagos aos ofliciaes da secretaria do le-
souro nao sao outra cotiza mais do que tri-
butos, e que isso pertence a cmara dos ,-c-
nhores deputados. Mostra que se acaso pas-
sar este artigo, se vc approvar essas tal.ellas,
os quaes preciso de um exame mui circuns-
pecto da cmara pois que ellas sao arbitra-
rias e ha muitas queixas contra as mesmas.
O Snr. Alves Braneo (ministro da fazerd^
emende que nao he imposto a materia deque
trata o artigo additivo do seuado cuja dou
trina acha mui justa. Nota que o artigo nao
faz mais do que estender secretaria do te-
souro aquillo que est em pratica r.as outra*
secretarias. Mostra que secretan* do te-
luro nenhuma dilerenca fazia das outras
Secretarias a considerar-se este negocio por
(espirito de justica ; e que por consequencia
!lhe devio ser extensivas as mesmas van-
ugens.
O Snr. Ferreira da Costa falla sobre as ta-
bellas que regulo os emolumentos das secre-
tarias de estado ; mostra que ellas j bvifb
ido remetlidas para a cmara ; e que nao se
iraticavo abusos no recebimeato desses emo-
l men tos.
Fallo mais sobre a materia os Snrs. Mou-
jra Magalhes e Andrada Machado sendo
este ultimo orador de opinio que os emo-
lumentos imposto.
Julga-se discutido, o objecto, e o artigo do
senado approvado por 48 vo'os conlra 4i.
Sao igualmente approvadas as emendas aos
arligos 1 3. e 6. que verso sobre
soturnas, no sentido do vencido, as quaes e-
jmendas tinho ficado addiadas para o fim da
discusso.
Le-se, e approva-se a acta da sesso de
hoje dando-se por concluidos os trabalhos
que fazio o objecto de reunio a assemblea*
mendas do senado demonstrando que sim na gral.
ti dd orcamento de 858 se autorisou o go-1 O Sn r. presidente levanta a sesso peai 1
yerno para fazer reformas as secretarias dt Ghoras e tres quartosda manh.
stado, mas que nem o gabinete de 19 de^ *
SENADO.
Sesso em 11 de maio de i84o.
Presidencia do Snr. Mrquez de Paranug; 1
Approvada a acia e lido o Expediente,
procede-se leitura do parecer da mesa n-
geilando por extempornea, a proposta opte-
sentada por J. Villeneuve e Comp. a fim de
incumbir-se da publicaco dos trabalhos da
casa.
Nao bavendo quem peca a palavra o
Snr. presidente declara que o parecer s< r
tomado em considerco quando se diset lir
o parerer sobre a proposta do Despertador.
Procede-se nomeaco da com misso c: tie
I deve levar sanco o projeclo de interpre-
itaco.do neto addicional, e sahem eleitos
sorte os Snrs. Rodrigues de Andrade, Car-
neiro de Campos e F' rreira de Mello
He approvado sem debate em primeira df<-
cussso o projecto de resposta a falla do
throno.
Entra em discusso o artir.o 9 do projei to
de medidas de segnranca publica junlamen-
' te com o requerimento addiado por ficar em-
patado na votaco.
Nao he approvado o requerimento.
O Snr. Antonio Augusto prope huma c-
menda supprimindoa segunda parte do pe-
riodo.
O Snr. Costa Ferreira combate a doutrina
do artigo porenefieat, arbitraria, esuscep-
tlvel dos maioret abusos. Rerorrendo a ex-
emplos da historia mostra que nohepre-
triindo os diclames da justica que se salvons
imperios sendo pelo contrerio o arbitrio dos
Igoveniosa cauza primordial da ruina doses-
estados. Enfeude que o projecto alero <'e
perigoso em suas censequencins. be defeiluo-
so nasuaorigero por inconstitucional. On<-
bre orador ententle que sendo os militares es-
,1 ,,il el ediei.es, nao se deve confiar a se-
guranca e vida dos cidados a juises milita-
1 es. Julga- que nenhuma vantagem prodti'
o projeto considerado eomo estabelecendo me-
didas que sejao d prompto executadas par i
isupplantar as rebelies ; por quanto om ca-
sos Lies, o dever da autoridade he velar por
i todos os meios a seu alcance na manutenco
da seguranca publica.
O Snr. Vasconcellos nao he dos que n*
vem na conslituicio a facnldade da creac'
dejuizes pratTOt mas tem seu juizo sus-
penso sobre a doutrina da emenda porqui
a ella passar transtorna-se o systema do pro-
jecto subslituindo a legislaco vigente a res-
peito.
O Snr. Antonio Augusto concorda em que
(na sua emenda existe esse inconveniente poi
[quanto desejando-se que no caso de rebelir
os processos sejo expedidos com promplido,
supprimindo-se o periodo, subsiste o mesmo
estado da cousas. O nobre orador declara que
com o offerecimento da emenda tivera mai
ero vista a parte que se refere ao recurso n-
ter posto ao poder moderador.
O Snr. Vasconcellos est persuadido da ne-
ressidade de huma lei no sentido da que se
discute, mas entende que o projecto era hns
artigos he muito casustico, e em outros al-
tera a legislaco sem necessidade. Suppe
que com huma emenda se podia adoptar o ar-
tigo mas que em o supprimindo inverte-se
tddo o systema do projecto, deixando subsistir
em parte a morosidade do processo ordinario
da nossa legislaco porque sugeita i decis
dos desembargados lactos de que nao podem
elles ler cabal conbecimento. Vota contra a
emenda, e entende que a ser ella approvada
deve^er regeilado o projecto. ,j
O Snr. Mello, Mttos vendo que o roaior
obstculo que se tem apresentado approva-
co do artigo he a excepeo quanto aos oflicia-
es generaes, e concordando cora as ideas ma-<
nifestadas na casa por jaquelles oradores qu
iropugno a doutrina doartigo, manda a me-
sa huma emenda para que se substitu *s-
sa excepeo a seguinte Salvo nos casos e
que o general, assistido de conseibo de of-
ficiaes-.de mais patente, julgar que se deve
sobrestar na execuco da sentenea.
O Snr. Almeida e Albuquerque fr alga-i-
mas observaces contra a doutrina. doartipo
votando coutra a emenda snppressiv%, 1 1
O Snr, Antonio [Augusto pede retirar a sua*
emenda. He retirada. |. h
Continua a discusao da materia do artigo
com a emenda do Ser. Mello Mallos.
Falli contra, os Snrs. Costa Ferreira '
C'arneiro de Campos Mello e Sou?a. O
no bres oradores pbservao que o artigo nao
extremando militresde paisanos.nem os rebel-
des dos cidados pacficos dabi resulta perrVo'
causa publica,tralando-se do mesmo modo s
que defendem a lei e os que a ataco. Noto
que o projecto he copiado da lei marcial das
outras naces e que no imperio tambero ha
leis militares as quaes estabelecem penas
Intuito severas. O argumento da incoustitu-
icionalidade do artigo he de novo apresentado,'
mas debaixo de outro ponto de vista obser-
jvando-se que a constituidlo s legtima no
caso de rebellio ou invaso de inimigos a sus-
penso de algumas garantas, e nao de todas;
qe se em outros pases tem-se estabelecido
leisto severas comoaffirrao os sustentadores-
, do projecto he porque as constituices dos
demais povos nao existe artigo to explicito
,comoo 3. do artigo 179 da constituidlo do
.imperio. Considere-se a in justica do projec-
to porisso que pune paisanos qte descorihe-
teem as leis militares e que tem aeu juisrj'
broprio que goso da garanta de screm
julgados pelos seus pares ; e bem assm no-
te-se a ineficacia da emenda porqmmto faz'
depender a vida dos cidados da vontade de rom*
commandante militar podendo elle, caso nao
queira ouvir o conseliio dos officias mandar1
jexecutar sem inlerposico de recurso ,' '
entenca de morte.
O Snr Lopes Gama jelga que da redaeco
do artigo entende-se que nao s deve ser pu-
nido segundo a maneira estabelecida no pro-
jecto o crime de rebelio como tambera o
je contravenco s ordens do commandante;.
e poirsso entende que na terceira discusso se
devrr nrmonisar a doutrina do 9. Q com a-
do 8 afini'desalvar-ee esse absurdo.
O Snr. .Menear manda hum requerimento
mesa para que sejo remettidos commissao
.os artigos 8 eg, afim de ella os harmonisar
com a conslituicio.
Fallo a favor do requerimento os Srs Sou-
ia e Mello, Hollanda Cavalcanli e Ferreira"
de Mello-; e contra os Snrs. Costa Ferreira,*
Almeida Albuquerque e Mello e Vlattos.
He approvado. *
Procede-se a noraeaco por escrutinio 'do9
lous membros que falto commissao que re-
Approvando-se a emenda tera lugar o recur- digio o projecto e sahem eleitos os Srs. Car-
so de revista e a concesso desse recurso nos neiro de Campos e Almeida Albuquerque.
crimes militares be hum dos roaiores defeitos Levanta-se a sesso.


8
DIARIO I> F P F. R N A M B V C O'



PERNAMB CO.
Mi
'GOVERNO D\ PHUVINUA.
Expediente do dia i5 do corren te.
Officio Ao Commandante das Armas .
communicando-lhe que o Navio destinado pa-
ra a Ilhi de Fernando dever sair no dia i
do corrrnt- impreterivelmente devendo n
?apera receber tudo quanto tiver de levar pa-
ra a dita liba.
Igual eommunicaco foi derigida ao ins-
pector da Tbezouraria da Fazenda Inspec-
tor do Arrenal de Marinha e Director do
Arcenal de Guerra.
Dito Ao Prefeito da Comarca para fazer
embarcar na vespera do dia da saida do Na-
vio destinado para a Ilha de Fernando, os
preses de Justica que para ali tero de seeuir
nesta occasio.
Dito Ao Inspector do Arcenal de Mari-
nha ordenando-lhe, que mande fornecer
das precisas,rommedorias de embarque a cin-
co recratas remetlidos para a Corte pelo Exm
Presidente do Rio Grande do Norte no Vapor
- Baiana. -
Dito Ao mesmo para mandar receber do
Commandante do Vapor Paraense o De-
zertor Domingos Diai pericltente a urna das
Embarradles de Guerra surtas ueste Porto.
Portaria Ao Commandante da Barca de
Vapor Paraense para entregar a ordem do
Inspector do Arcenal de Marinha o Dizer-
tor de que trata o precedente officio. w
Officio Ao Doutor Juiz de Dreilo da
3. Vara do Civel nomeando-o para presi-
dir o acto 'Jo andamento das rodas da a. par-
te da 4* Lotera do Livramento o que lera
lugar no dia aa do coi rente segundo a par-
ticipadlo do respectivo Escrivo.
Dito- Ao Escrivo da Lotera do Livra-
mento communicando-lbe a nomeaco supra.
dem do dia 16.
Officio Ao Commandante das Armas ,
significando-lheque tendo participado o Exm.
Prezidente de Santa Calharina que pela
Tbezouraria d'aqueila Provincia se tem dis-
contado da gratificaco addcional do Cirurgi-
ao Ajudante do i. Batalham de Lacadores ali
destar..do Jacinto Doradlas Ribeiro Pessa a
quantiade jos rs. mensaes a contar do i. de
Marco p. p. em diante para ser aqui paga
a su familia ou a seo Procurador por as-
sim o haver requerido o mesmo Cirurgio ;
compre que fac,a realisar o pagamento da so-
bredita consignando pela forma que se ada
estabellecida a respeito de outros Olliciaes en
idnticas circunstancias.
?> Dito Ao Inspector da Thezouraria da Fa-
zenda communicando-lbe o eonteudo no pre-
cedente officio.
Dito--^o mesmo transmillindo-lhe a re-
laco que oi enviada pelo Inspector Geral da
Caixa da Amortisacao contendo as INolasda
2. w Estampa assinadas do de Fevereiio u
3o de Abiil do corrente auno para a subali-
tuico das JNotas do Banco e o crdito con-
cedido pela Resolucao de 1 de Outubro di
l839; e bem assim aiima original do assi-
nalario Joo Fernandes da Costa que dei-
xou de vir com a relaco que acoropanbuu o
officio de 3.5 de Abril p. p.
Dito- Aos Agentes da Compnnbia eos Pa-
quetes de Vapor para que a bordo do Pa-
quete Paraense seja recebido e transpor-
tado para a Provincia das Alagoas, o Cabo
Antonio Joaquim da Silva,
Dito Ao Commandante das Ai mas ,
communicando-lhe a expedico da oidtm
upra.
Dito Ao Inspector da Tbezouraria da
Fazenda para lazer pagar aos Agentes da
Companlna dos Paquetes de Vapor a quanlia
de?5sooo, importancia da passa;eai do l a-
l.o Antonio Joaquim da Silva ijue no Vapor
Paraense vai ser transportado para a Pro-
vincia das Alagoas.
Dito Ao mesmo communicando-lbe ,
que oi expedida a conveniente orden) para o
Commandante do Vapor Paraense ir receber
na Tbezouraria os dous Caixoles com Notas
de dez mil res, Thezouro Publico Nacional.
Dito ,Aos Agentes da Companbia do*
Paquetes de Vapor, para ordenaran ao Com-
mandante do Vapor Paraense que se
dirija na manb do dia 17 do corrente a The
touiaria da Fazenda receber os dous caixoles
de que trata o precedente officio.
dem do dia 17.
Officio Ao Diitctor Interino do Arsenal
de Guerra auctciisando-o para destribuir ,
como exlraordinaiio a cada un dos Ldu-
sandos do mesmo Arienal duas ramizas,
i.iis jaies de caigas de brim e dous pares di
f Commandante da Escuna de Guerra Fide- Batalham d A riel hera aecusando recebido o'de Libras iW do saque de N. (_). Biabar a-
liuade-trece rorreames completos, en u- seo oficio de boje, no q nal o ni mu nica va a com- .bonado por Joo .Mara Seve sobre Cairn o
gardeontros tantos que entregou ua Provin- pra da escrava lavadeira para o Hospital Re- Tele, constantes das terceiras vias inclusas ao
ciado Ceara por ordem do respectivo Exm gimen la I o aulhorieando-o a comprar dos
dnheiroa do me-ni" o laxo grande eo banco d.>
Presidente
flicio Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rmba respondendo-lhe que o Commandnn-
le da Escuna de Guerra Fidetida.de pede
ir receber no Arsenal de Guerra os tieze cor-
reames completos de que lala a precedente
Portaria.
Dito Ao mesmo approvando a delibe-
raio que lomou de municiaras 4 Pracas que
seguem para a Ilha de Fernando no Brigue
- Passos e ^ ictoria como lbe requisitou o
Commandante das Armas.
CMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia la do corrente
Officio Ao Exm. Presidente enviando-
lbe a guia do soldado do Deposito F. P. de
S., para que lbe desse convenie.ite direceo.
Dito Ao mesmo Sr. communicando-lbe ,
que tudo quanto pela Repartico seo cargo
se tinha de mandar para a Ilbajde Fernando se
adiara prompto, e q' por tanto podia marcar o
dia da partida do Brigue Passos e Victoria, in-
dicando-o para com antecedencia faser embar-
car o Destacamento.
lito- Ao mesmo Exm. Snr. informando o
requerimento de Josefa Candida da Conre-
rain que pretenda sepur para a Ilha de
Fernando.
Dito-Ao Exm. Director interinodo Ar-
cenal de Guerra para que txiandasse assi li-
tar piaca voluntario na ( ompanbia d'Arli-
ces ao Paisano Antonio Mauricio Bizeria ,
quem o Exm. Presidente bavia concedido
qualro dias de licenca.
Dito Ao Tenente Coronel Commaote do
Deposito remettendo-lhe os papis de con-
tabelidade do Destacamento de Nazaielh,
perlencenles ao mez d Abril e ordenand >-
lbe que ao Sargento Joaquim Pereira de S
Anua enlregasse os vencimentos do mesmo
Destacamento do mez de Maio p. p. '
Dito Ao Inspector da Tbesouraria com-
municando-lbe que na Conmarca de Gai a-
nbuns exista d'ordem da Presidencia um
Destacamento da Guarda Nacional coro-
uia ndeira que icquesilava.
Dito- Ao mesmo procurando sabcqtial
a conducta do Sargento do mesmo Batalnm
Abraham Joaquim liorges e soldado Jos
Pedro, que ontem eslivero de Guarda
Cadeia.
\ Dito Ao mesmo dando-lhe varias dis-
posices acerca do destacamento de Fernan-
do *que devia embarcar na tarde dia i( no
Rrigue Passos'e Victoria, e que na manba do
mesmo dia devia estar presente na Secretaria
Militar com a importancia dos vencimen-
tos das Pracas destacadas na Ilha e papis
de contabelidade relactivos.
THEZOURABIA DA FAZENDA.
Expediente do dia i5 do corrente.
patos, romo propoe en seo tfficio desta dala, sobre a Barca Austraca Joucika,
ai citara-- Ao aun o para oviteui o Dito-..o Conm andarle interino do 3. c
posto de 1 i. Sargento, 1 a. dito, 1
Furriel a Cabos e a5 soldados ao qual
ficava compelindo de a3 de Maio em diante
os vencimentos designados para o destaca-
mentos das outras Comarcas cobrados pela
mesma maneira por o Tenente Coronel Corn-
mandante do Deposito.
Dito-Ao Major nomeaJo Commandai.le
do t residi de Fernando de N< jonha end-
ando-lhe por copia a Ordem do Dia de boje ,
que Ira clava do regresso i!o Alfereij Reformado
iiaymundo Jos de Souza Lobo, eremoco
do Alferes Galvo do Colimando da Forla-
U se c.o Morro para o da dos Remedios.
Dito-Ao Prefeito du Comarca de Gara-
nbiins ccnmunicando-lbe que o destaca-
mento da nesma Comarca cobrava os seus
vencimentos pela Repartico a seo cargo e
remettenilo-llie os modelos de Pret, relaj-
es e recibos. t
Djto Ao Prefeito da Conmarca de Na/a-
relli lemetlc-ndo-lhe a importancia dos *en-
dmenlos do Deslacamcnto no mez de Maio e
os papis de contabelidade d'Abril para os
refirmar no sentido que se lbe indicava.
dem do dia 1 5.
Officio Ao F.uii, Presidente pedinde-
Ibea expedjco de suas ordens, para que o
Cabo Antonio Joaquim da Silva fosse recebi-
do abordo do Vapor e coudusido Provin-
cia das Alagoas.
Dito-Ao mesmo Exm. Snr remeltendo-
Ibe competentemente informando o requer-
mrito do Tenente de Cavallaria Reformado
Joo de Siqueira Campelllo que ao Gover-
no Imperial supplicava a invalidaco da Re-
forma e promoco ao Posto immediato pa
ra o Esquadro de Cavallaria n. 4 onde
provisoriamente servia.
Dito Ao Tenente Coronel Comandante do
Deposito enviando-lbe os papis de conta-
belidade do Destacamento da Comarca do lire-
io pertencentes aos meses de Marco e A-
bril afim de que depois de examinados ,
Ibes desse conveniente direceo.
Dito Ao Major nomeado Comandante do
Presidiode Femando de Noronha coumu-
nicando-llie que o lirigue Passos e Victo-
ria parta no dia 17 do corrente, e que na
manba d" dia 16 desse a Secretara Militar
receber a correspondencia ? e as ultimas
ordens.
Dito-Ao Comandante interino da For
talesa do Bi uro, pedindo exactas e rircunstau-
eiadas informaces aceica dos dous tiros dados
Officio AoExm. Prezidente da Provin-
cia informando sobre a representaco do Vce
Cnsul de S. M. Catholica a respeito do Rri-
gue Hespanbol Jos Francisco arribado ao
porto desta Cidade.
Dito Ao Contador da mesma Thescu-
rara remetterido-lhe por copia asrdeos ln
Tribunal do Thesouro Publico Nacional ri.
i$ Si e 46 do corrente anuo a primeira
partecpando <|ue o "ezembargador da Pe-
laco desta Provincia Francisco de Paula ( i-
queirn Leile be pago nelo Thesouro Publico
dos seus vencimentos desde que tomou posse
al a ahertura da Sessffo Extraordinaria d'As-
semblea Ceral Legislativa : asegunda orde-
nando a remessa para Londres da quantia de
a3:445U(i84 rs. importancia de 1 porcento
de Armazenagem addicional arrecado na Al-
fandega da Corte no mez d Abril pp. qa de
Paranagu em Hezemhro, e Janeiro ltimos .
e na da Cidade de Santos em Marco deste -Mi-
no : e a terceira declarando que foi approva-
da a resolucao do Exm. Prsideote desta Pro-
vincia de mandar remetter para o Maranbo
a quantia deciucoenta contos de res e para
o Cear a de vinte contos de reis para des-
pezas militares.
Dito A Cmara Municipal desla Cidade
significando-lhe em resposta ao seu officio de
18 de Maio pp., requisitando para logradou-
ro Publico o terreno de Marinha que fica jun-
to Ponte de Motocolomb na Povoaco dos
Affogados que esta requisico dee ser feta
ao Exm. Presidente da Provincia na confor-
midade do 14, art. 5i da Carta de Lei de
i5 de Novembroiie i83.
Dito Ao Inspector das Obras Publicas
com o requerimento de Ltiiz Jos da Costa. A -
morim e Bernardo Jos Mendes para infor-
mar sobre a pretenco dos mesmos do afora-
ment de biim terreno de Marinha por delraz
'a Casa D. N, 2 da ra do Vigario.
mesmo officio.
Dito ao mesmo Exm Presidente parte-
cpando ter a Tbezouraria ficado na iutelligen-
pela ordem de ai de Maio p. findo
de nao descontar Bilhet es da Alfandega seni
que seja expressamenle aulorisada por ordem
do Tribunal do Thesouro ; e ponderando
que tal medida poem presentemente a Phe-
/mrarii em grandes emharacos ; porque nao
sendo a Renda Geral, que se arrecadi em
moda corrente sufficiente para se ultimar
asubstituico das Notas de 10U000 reis, eao
mesmo tempo aserem-se as despesas da Pro-
vincia necessariamente dere ser obrigada
a demorar a mesma substitu^o ou a sacar
sobre o Thezouro com premios talvez maiores
do que o dos descont dos mesms Bilhetea.
Dita ao mesmo Fxm. Presidente parte-
cipando que tendo o Fxm. Presidente da
Provincia determinado pela ordem por co-
pia junta ao mesmo officio que se enviasse a
Tbezouraria da Provincia da Parahiba a-
quantia de aooooooo reis, que Ibes havia
requisiudo o Exm. Presidente da mesma Pro-
vincia para ser empregad* na substituico das
Notas d 10U is. por a mesma Tbesouraria
nao ter meios suficientes para esta substitui-
dlo era poder eecluar os saques sobre o
Thezouro para os quacs se achava aulorisa-
da sem grande piejuizo da Fazenda Publi-
ca foi a referida ordem cumplida, fasendo-
se em 5 do torrente mez a mencionada re-
messa em Notas de '00U rs. e 5ooU rs* por
nao haverem outras lie menores valores.
Dito -- Ao Exm. Presidente da Provincia
pedindo-lhe para Iratisrhitlir ao Tribunal do
Thesouro os precedentes oficios*
EDlTAL
() Inspector da Thezouraria das Rendas
Provinciaes faz publico que em conformi-
dade das ordonsdo Exm. Snr. Presidente da
Provincia no dia iodesle mez pelas 4 ho-
ras da tardr perante a mesma Thezouraria ,
se ha de proceder impreterivelmeiite a venda
por arremataco em basta publica dos oito Ca-
ballos que resto di Companbia de Ca-
vallaria do Corpo Policial.
As pessoas que pretenderem laucar compa-
reci na Sala das Sesses da Thezouraria no
dia e hora indicada com Piadores idneos.
E para constar se mandou affixar o presen-
te e publica-lo pelo Prelo.
Tbezouraria das Rendas Provinciaes de
Pernambuco a3 de Junho de 1840.
Joo Baplisla Pereira Lopo.
dem do dia it do corrente.
Officio -- ao Fxm Presidente do 'Tribuna!
do Thezouro Publico Nacional enviando-lbe
como Bataneo da Rtceita e Despesa Gei.il
desta Provincia d > mez de Abril do corrente
anuo financeiro as con tas da Receila, e Des-
pesa dos Rendimenloa appiicados ao resgate
do papel e ao pagamento da Divida Externa,
do mez de Maio prximo findo.
Dito--ao mesmo Fxm. Presidente env-
ando-lbe com huma Letra de 5o 000U000 rs ,
do saiiue da Tbesouraria a oito dias precisos,
sobre a caixa d1 Amortisacao, a favor do The-
souro Publico Nacional importante de cin-
co mil Notas de 10U000 reis substituidas com
a Renda Geral desta Provincia por
oulras de diversos valores a relaco e co-
uhecimenlo das mesmas Notas remettidas
golpeadas e marcadas com o carimbo de
Inutilisada dentro de hum caixole sellado
com a9 Armas do Imperio ao mesmo The-
souro pela Barca de Vapor Paraense Com-
manle Viclor Santiago Subra.
Ditoap mesmo Exm. Presidente par-
tecpando o cumplimento da ordem do Tri-
bunal do Thesouro de .1 de Maio prximo
findo mandando remelter para Londres a
quantia de 3 .)4iL6Hi reis importancia de 1
por cenlo de Armasenagem addicional arre-
cadado n'Alfandega da Corie no mez d'Abril
antecedente na de Paranagu em Desembao.
e Janeiro ltimos e na C idad de Santos em
airo, dcste auno ; cnviando-sc na mesma
dala ao Encarregado de Negocios do Brazil
uaquella Cidade ao cambio de 3o ip diniei-
ros sleiJinos a'leleiida importancia em duas
Letras a lio djv de Libras sterlinas 1.^79 ,, 11
,. a do saque de Adulfo Schramm abonado
Gaspar de Meueses Vasconcellos de Dru-
Divorsis
ae
'S, rrit;o-'t;S
ALFANDEGA DAS FAZENDAS
Edital
\ cenle 'Tbomas Pires de Figueredo Ca-
m3rgo Inspector da Alfandega faz saber que
no dia quinta, feira a5 do corrente se hade
arrematar em hasta publica e na porta da
mesma 10 indo dia rj8 e meia duzias de len-
cos de seda e qualro chales, no valorde
l.-ooos rs. impugnado pelo Feilor Conferen-
te Joze Machado Freir Pereira da Silva no
Despacho por Factura de J O. Elster ; e 10
espadas, no valor de j'ooo rs. cada huma,
impugnadas 'pelo Guarda Manoel Silvestre
lerreira no Despacho pr Factura, de N.
O. Bieber (i C. sendo o Arrematante su-
jeitoao pagamento dos Direitos. Alfandega
^3 de Junho 1840.
V. T. P. de Figueredo Camargo.
A Tarca Portuguesa Bella Pernambucaua ,
vinda do Porto entrada em 2a do corrente
Capito Manoel Francisco Ramalho consig-
nada a Thomaz de Aquino Fonceca
Manifestou o seguinte.
5 Harris cora carnes 1 a caixae com fasen-
fazeudas 1 Foles de ferreiro 1 afra de
ferro, 24 Quartolas com vinho ia5 Fei-
xes d'arcos de pao ab cmodas ,917 cadei-
ras 14 Camaps 4 Secretarias 6a mesas,
1 Estante 1 sautuario i marquesas, 1
Lavatorio 1 Parole com fazenda & lerragem,
4 caixas com Vinho ti ditas com chapeos ,
1 dita com Castanhas 1 dita com galho fal-
co 4 ditas com Imagens 1 Roda u cai-
xas com ferragens 3 ditas com linbas 1
dita com roscas 5o harris com vinho ij
pipas com dito a Feixes de lolhasde louro
i Fardinho com fasendas 55 harris cora
ferragem 8 caixas com vdros, 10 ditax com
pomada, a ditas com fio pnete dita com
moi.-J sobre Coteworlh Poweii & Prejor c volantes, 4 ditas com miudezas iii ferragem ,


10
p r n n a
u c o
litros 5 t dita rom
fenagem a? barricas vasas, a Peixes de
arco?, 3oaixaa com Imagens 3 ditas coto
allios i viveiro com canarios i gaiola rom
toxichoa i dita com canarios, Ho Tonela-
da de pedra para lastro i Emhrulho rom
meia : dito com reros, i dito com im-
pressos i paridla com peirinlios i c;.ixa
ignora-f 2 ditas com (llantas, Jd resleas
desebollas i cundeca com calcado 48 Ar-
cos de pao
MEZA do consulado.
A Pauta lie a mesma do num. i3i
.ARSENAL DE GUERRA.
0 O Arcenal de Guerra compra botina para
Tropa quem perlender lornecer este genero
eompareca nesta Reparlirao as n horas do
'-------- ".....- viisjni queiendo ludo anressar nao vem meen- superior era numero forte, e compacta ; qu cantando-se o Hymno perante o Retrato de S.
tregaS uto Imperador dbannos como pji-ote sem dar salisfaces, opprima com se u VI. I. Ter o" Camarotes armados com a
meira victima aos adulces palacianos, te en- peso a seus adversarios ora re de o. conven- possivel decencia ; e para obsequiar os Illus-
tronisao urna ochlotraeia o sequiosa de man- ce* aso entendemos e at desculparaos. Mis *
do, quao destituida de ilustrara). Sem res- ,,ma maioria que qualquer pequeo fnn-
nonsabilidadealguma, por entre as |i neb >- j denle exounba a ser minora fugir da bal -
sas expiras da intriga acodertando-se oom a Iha e querer o triunfo, parece-nos que m -
inviolai.ilidade d'aquelle cujo nome pnatitui. :! ira mu pouca utiHdade. To inceifa era c ,-
nao Tinao a dominar nfrenes corteza >s, aa maioria que bastara que nio houvei.se l'-
enmpromettendo mui prora velmenle o segn- lado oSr. Pananagu, para que fosse denu-
do Imperador, como j comprometieras o t. tada; pois estamos informados que alguna
iorao os rortezos, eos ministros inepta 'nobres senadores que a compuzera foi .3
que cercando o Sr. D.Pedro \\ torna-a ichegando quando esse Sr. fallava.
i'S-
neceasaria a grande lico lo depressa
os af-rii de ioji ; esses me>; os
I I I w >
de
j- c j *wf~V """ 'o segu rao lioje com um Imperador, que. te-
da a5 do currle Arcenal de Guerra j nho embora nilhue, de deUjos de tornar f, |
tlA nnhn ii* iHni '.
cortezos esses mesmos ministros ou oul os
aindamis ineptos, rodeiaria o Imper.-i.lor
maior aoa i.j annos ; e se pudero elles illu ir
ao pae apesar de toda asua penetracio de
todas aa suas boas ntenrdes o que nao con-
aeguiro boje com um Imperador, que, ti
da J ti ribo de iH.jo.
O Director Coelho.
ARSENAL DE MARINHA.
Qelato doa gneros comprados para o Almo-
xarilado do Arsenal da Alannha s pessoas
i abaixo declaradas desde odia tfa/ui do
corren te. A saber:
A diversos vendedores 4'9 caadas de
agoa-ardenteda nova medida a (jo.
A Crabtree licywoilhs &C \- pessaa de
brim ingles a s 1U000 rs
AU Raimundo & C., o bons de lina
48o res.
A \ cente Jos da Costa a embornaes de
sola a oo reis ; a almoadas de marroquio"
por JoUooo reis
A Fonceca e Silva- i barril de bren por
75oo i 10 pessas de lona ingiera a >?U rs.
A IW. Calmont & C, la tonelladas de car-
vo de pedra a ibU rs.
A Francisco YJamede de Almeida 1 mas-
tro de pinho por 470U ra. ; 5oo taixas de bom-
ba de cobre por 1U200.
A Antonio Vas de Oliveira 3a arrobas e
'O libras de bacalho a 3a5o rs. a arroba ; a 1
arrobas e 37 libras de arroz a aUooo rs. a ar-
roba ; a4 ditas de dito a 1 U900 rs. dita ; duas
resmas de papel almaco segunda sorte a 4U000
rs. ; a ditas de dito dito 1. dita a 4U400 5
11 arrobas e 00 libras de tal moido a 980 rs
a Lra ; 16 libras de lunio por Ucoo reis e
1 arroba e a3 libras de loucinbo de Lisboa ,
a fcUooo leis a ai roba.
Arsenal de Marinha 21 de Junbo de 84o.
Luiz de branca e Mello
e mageslosa a sua patria, lenha a descomrr, im
inlelligencia e nao vulgar talento que 1 he
attrihuem seus mestres e seu tutor nao co-
ndece todava nem os bomens com que lena
delidar, nem a naco sobre a qual deve
reinar ?
Antes (|ue seja maior o Imperador mui'.as
P(lul:ic onmMBA m.n mUS ______l__
No teria procedido a maioii 1 do sena !o
rom ranito maior patriotismo indagando se is
males que dilacera o paiz provem do proviso-
rio do poder regencia! da fraqueza de s :a
organisaco ou de qualquer entra cau*a q te
com a declaraco da maioridadn desappare 1 ;
ou se de motivos diversos para que pouco u
nada contribuom a fraqueza o provisorio la
autoridade da regensia ? Nao teria ella s; lo
mais patritica levando a luz da discuss ,
quintada Boa-Vista si que na quinta da
Boa-Vista seacbava os motivos que a faz: .5
repellir a maioridade i' Ser. que o princip 1
e nico motivo de sen voto foi a idade do im-
perante? Masquantos reis tem governado 1-
inda com menor idade ? Quantos annos tin'ia
tres Acadmicos os convida a que .. reuni-
dos era circuios de la 10 e 8 Collegs se
sirvao gratuitamente doa Camarotes para
com elles brindarem aa r^speilaveis familias
de seu ronbecimento. .".emitar o Espectcu-
lo um Pantomimo com urna Oaaca seria. A.
destribuieio dos Camarotes ser pela maneira
seguinte. Qs quatro circuios de 11 bilhetes de
platea cada circulo ter os Camarotes de
frente. Os seia circuios do dez Sen boros te-
r os 6 Camarotes junto ao Proscenio ; os de*
crculos de oito Senliores ler>oa dez Cama-
rotes do Corpo do Tbeatro. No dia 1 e a se
acharg venda os bilhetes para os sobredi-
tos Circuios e se lhes entregar gratuita-
mente os Camarotes no mesmo Tbeatro e na
botica do Sr. Gonzaga.
V v hoti Di verS08.
, j ------- ---------,.._. yiHina ... ^mii ii.tii.., iuauc f Yiiaiiim auno mi ia
medidas compre que seja tomadas ; convvn Luiz XIV quando assumio as redeas do {' -.-
que por algum lempo deixe elle de respirar na veroo da Franca ?
athmosphera de sua quinta da Boa-Vista, rue | Erao essas questSea importantissimas : o
s vetes os est, senado fngo de as discutir: Deus queira que
PR EjFEITURA.
Paite do dia a5.
Illin. e Exm. Sur. Foro bontem presos
pelo Suh-Preleilo do Recife o poiluguez \I.i-
noel 3o.' de licitas e pelo da Boa vista o
prtio Francisco escravo de Jo; Ramos d O-
liveia este por espancar a urna prela c
aquele a requesii o do resi eclivo Cnsul : o
e o 2.
ao
I. mandeio lecolber a adeia
Callabouco do Corpo Policial
Parlicipou-me o Comandante da Fortale-
za do Brum ler sido assassinado o creoulo pre-
so sentenciado Maximiano Coneia de Lima .
d urnas punhaladas que Ibe dera a traieao o
outro stntenciado Graciano Jos de Freilas
os quaes se acbavao em una d&s piisoens da
aquella Fortaleza : procedeo-se a competen-
te vtsloria.
os pblicos de sua capital que percorra as
provincias do imperio que familiaiisado c:.m
a historia contempornea conheca eestudeos
homenaqueo tem de ajudar na grande obra
da prosperidade da patria saia emfim do li-
mitado circulo que o frequenta e ponh 1-
se em contacto com a populavo que tem de
governar. I epois de assim habilitado qual-
quer que sea sua idaae i5. ib, 17 ou 18
annos entregue-se-lhe o leme do estado e
r patria e a monarchia eslo salvas em quan-
to porm s conhecer a seu tutor seu mor
domo seus mestres seus camaristas suas
aias, mal ra a monarchia mal o Brasil se
o declarassem maior. Se tal nosso modo dr
pensar, a respeilo da grande queslo da raaio-
ridade se temos por certo quedeclaral-a a-
gora seria arrisrar o imperio na mais avelba-
cada roleta e todava nao podemos deixar de
profundamente lastimar o modo poique no
senado foi Halada a proposta d'essu medida.
Nem ao menos Ibe fizerao ns honras da discus-
sao ; sufldeara-a com o inmenso pezo de a
voto .Mereca porem ella esse acolhimenl 1 'i
Contra, a favor nao bavia lautas considera. (g
que apresentar ? E o senado cmara de mu-
dos, e urna questn que vae abalar o piiz
todo, como abalou a Capital, una queslo I
que anda nao foi ventilada nem na tribuna,
nem pela imprensa deveria ser assim sufoca-
da ? Ser isso poltico ? as consequencias no-
Temes para nos que era preciso
mostrar ao paiz os inconvenientes da peosla,
lazel -os valer em cinco ou seis discursos, co-
mo o do Sr. Carneiro Leo, na cmara dos
depulados ; assim ficariaeila derrotada: pri-
vada de toda a vildidade e nao seria gras-
saodo pela populacio. Irocedendo porem ,
como procedeo o senado deu-lhe forras; a-
gora bradaro os niaioristas apresentamos
is vantagens de nossa proposta nada nos ol>-
jeclara sim que nada bavia que nos ob-
jectassem e se a rejeilara nao lendo con-
tra ella um argumento plausivel loi por que
E o que consta das partes boje recebidas. se ollendia seus interesses individuaos ven-
cera mas ninguem conveiicera. E quein
nao tenlia dearrepender se !
No entanto a maioridade legal nos bal-
porla: os tres annos que faltaS pissar c n
rapidez; e nada uestes tres annos far-s-'ia
que habilite o Imperador para presidir 1 >s
destinos do Brasil ? Ser eom o Iatim con. o
francs, com o ingles, o italiano, oal:<-
01:10 a muzica a danca o desenbo a ca! -
tlgrapbia que lheensina que ter de salvar a
patria, e a monarqua ? Ser com o estu lo
(tosimos, que ha de conhecer asociedale
brasileira sua ndole seus elementos su s
necessidades ? Estar, quando tiver 18 an-
nos habilitado para governar se nao sabir
de sua quinta se nao conhecer os born ns
poli lieos do Brasil, nao prescrular suas in-
tencocs nao ouvir e meditar sua lingoagem ?
Nao se inleirar da practica dos negocios' p-
blicos ? O proyecto da maioridade dava occ-i -
sio a tratar-se de ludo isso : o senado reci-
ou dianle de lo patritico trabaibo !
No entanto anda tempo : legisladores do
Brasil dol'um Aa mnnar/tma J~ -
do imperante de destino da patria que se
trata; abr os olbos, babiliiae o Imperad ir
para er um bom monareba.
O piel co monarquisfa.
( o dariu do Rio)
s^- Achou-se, edesencalhou-se do man-
gue urna canoa de carreira a qual tem em
si signaes mui salientes ; quem Ibe faltar al-
guma diriia-se a ra do Collegio (oa de relo-
joero ; quedando os signaes lhe ser indica-
do o logar onde existo, precedendo al(Tma
gratifieae.Io pelo trabaibo: no entanto nao se
responsabilisa o annimriante por qualquer
fracasso da canoa.
p- O abaixo assignsdo declara que o
moleque annunciado por o Sr. Basilio Alves
de Miranda Vareja-o na casa sita na rua da Et-
lanciancia e por o dito ser prodriedade do
aununmante, e o ter recebido faz o presente.
Tilomas de Carvalho Par de Andrade.
ly Aluga-se um solao na rua do Jardim
com quatroquarlos e tem eommudidades pa-
ra pequea familia : quem o pretender dirja-
se a casa nova D n na mesma rua junto ao
Collegio.
*- Pela quantia de trezentos mil reis hr-
potheca-se urna al duas escravas ( para mais
seguranca) quem os quizer dar aonuncie.
ssr AsCauellai da 1." parte da lerceira
Lotera do Theatro divididas na ao. parle
doa Bilhetes da mesma Loteria j annuncia-
dos seos Ns. por esta tolda e assignadas por
- Nunes Correa achao-se venda em caza
dos Srs ; venda do fiiho de Joaquim Jos Ra-
dello na Lingoeta ; Loja de louca do Sjr.
Souto airas do Corpo Santo ; Lojas de Bou-
23rd e Bairlo Rua da Cadea; Loja A~
LOTERA DA M. DA !5A-VISTA.
O Tbesoureiro da Loteria a beneficio d is
Obras da Matriz da Boa-Vista declara q
as bilhetes eslo venda nes lugares do costi- -
me; e que as rodas anda impreterivelmei.'e
no dia ultimo do prximo Julbo.
Administraco dos Eslabelecimentos de Ca-
ridade.
Peanle a Administraco dos Estabeleci-
nieutos de Ca idade se hade arrematar a quem
ior menos fizer os lornecimenlos de pao bu-
axas e carne para os mesmos Estabeleci-
nienlos : as pessoas que se propuzerem a ar-
rematal-os podtrao comparecer no G II. des-
la Cidade no dia io do crlenle niez as 4 ho-
ras d tarde, alia das Sess5es d'Adminis-
tiaco dos Estabelecimenlos da Caridade 22
de Junbo f.840.
j. M. da Ciuz.
Escrtpturario.
mZzxmm
Colino imitado
ios assegura que muitos
semelbantes clamores ?
nao daro ouvidos a
a maioridade no cenado.
Talvez que ka explicaco do silencio do se-
nado deva acbar-se no desejo de imitar o si-
lencio, com que os deputados francezes rejei-
lara os projeelos palacianos dos ministros de
Luiz ielippe. Mas nao valer esse exemplo
aos mudos do senado. A opposico em Fran-
ca bavia acceitado a discusso, e preparado o
paiz para esse seu procedimento ; precedente-
mente a queslo idntica dos apanagios bavia
sido discutida na tribuna a imprensa com
seus milhes de bocas bavia bradado conlra
a avareza e a cobica da corte e o herdeirc
de P. L. Courier o insigne Carmenin bavia
publicado seus irresponsaveis escriptos. No
brasil bouveoulro lauto ?
Se nao foi prudente o mudismo do senado .
rambem nao foi de hbil lctica. Nao no;
lenibrnios(|Hcui disse fallando de certo acte
poltico C est plus qu un crate ; c'est um
LOTERA do theatro.
As rodas da piimeira parte da terceita Lo-
teria do Tbeatro auda imprelerivelmente no
dia 13 de Julbo prximo futuro eos respec-
tivos Bilhetes acba-se venda nu bairro u
Recife em as lojas dos Srs. Manoel Goncalves
da Silva e Vieira Cambista na rua da Ca-
deia velba ; e no de Sanio A'.tono as d< s
Srs. Manoel Alves Guerra rua Nova
Basto & Cosa na Pracinha do Livramento.
!pw....w ^> .^ |""i|u uu li ujit crsi uui
sottise nao somos to desrespcilosos que
appliquemos semelbantes palavras ao senado
..ni IUio '-.lia 1ac_ Iir:iftlpirn In/'mia nin cqp' h .l....t'. n..M .
THEATRO DO RECIFE,
Amanha at do corrente a Beneficio do
Actor Modesto Francisco das Cbagas subir ;i
Scena a sublime Peca intitulada A Ini-
miga do seu Sexo ou o Cgo de Chorar
cnmposicodo insigne Antonio Xavier, cuj
enredo moral desenvolve as mais tocantes ace-
as de sensibilidade nrmenle para abell*
Sexo feminil ; aquem aprsenla com elegante-
cores os mais excellentes e interessantes ex-
emplos de Virtude Heroismo e (enerosi-
dade ; que muito concordao com o sublime
carcter das Seuboras Pernambucanas. Os
intervallos dos Actos aero preenebidos de ex-
cellentes verturas. No firo da beca a Joven
Julia dancar- A Caxuxa Rematandoo Ex-
pectaculo coma jocosissim^ larca A Parleira
Anatmica. O teaebciado nao se poupar A
desbezas e fadigas para deixnr satisfeitos
aos seos Protectores a amantes da Sirena
narquia constitucional que d 4a nslitulcnesf apptiquemos semelbantes palavras aoseuadol THEATRO DE 01 INDA.
braseirasa esibilidade que lhes alta des- brasdeiro ; todava nao ser evidenle que u- O Director querendo festejar cora toda a
1 .^.i. **^
Braga junto ao arco de Santo Antonio ; Lo-
las 1) 8, a3 ea4, Praca da Independen-
cia Lojas de Mello e Claudio Relojoeiro ,
rua do Cabug ; Lojas 1). ,j e 5 Rua Nova :
Loja de miudezas D. 16 Atterro da Boa-Vis-
ta ; e nos Quatro Cautos venda da esquina e
ReSnaclod'e assucar ; cujo preco de 5oo reis
cada Cautella convida aos amantes deste jo-
go a habilitarem-se para os jooUooo reis que
h o maior premio.
S35" A pessoa que acbar ou lhe for ofe-'
recido um habito (le Cbristo de ou>o esmalta-
do anda novo e de pequeo tamaito que
foi deseiicaminhado em urna bocetinha de pa-
pelao do lamanho de duas polegadas pouco
mais ou menos, embrulbada em papel azul,
queira reslituil-o na rua do Vigaro casa N.
S que ser recompensado ou tambem lo-
mal-o da mo de quem o tiver.
$3/* Roga-se encarecidamente a pessoa que
tirou doCorreio urna carta n. 419b para An-
tonio Auguslo 'eieira rinda da Cidade do
Porto pela barca Pernambucana o favor da
a entregar ua rua do Crespo loja D. ia, e
alem de se lhe (car obligado se lhe pagar
o porte.
ssr* A Commisso Administrativa da So-
ciedade Pastoril, convida aos Socios da mes-
ma a reunirem-se no dia a (i do corrente peas
4 doras da tarde para Sesso extraordinaria.
S5S~ O abaixo assgnado parlecipa ao res-
peitavel Publico que o seo caixeiro Antonio
Lopes Pereira de Mello deixou de ser taixeiro
de sua caza desde ai do correle raez.
Joo Carlos Pereira de Burgos.
S3T Compra-se 5oo telbas j servidas e
aluga-se um prelo para trabalbar em um si-
lio ; a Iralar na rua do Rosario na casa de
Francisco Antonio de Carvalho Siqueira
8^ O abaixo assgnado nao podendo pes-
soalmenle agradecer a todos os seus amigos o
interesse, que por elle tomarao durante as
viole e quatro horas de sua arbitraria prizo ,
queporordem do Preieito da l omarca leve
logar em o dia i do corrente ; o faz pelo pre-
sente, aununcio,
Jos Maria de Amotina Ju*w


-
I
DIARIO D F
PERNAMRUCO
I
"*
tar Pasta peiloral de IVIou de Veau doIcondices do arJoramento tem prehencl.id para edificar. Adverte-se que as referidas massos de cartas portugue/as e francezas, fa-
Sr. Degenetais Boticario. As afeices do que achando-se por isso nllo e sem efifeito] propiedades sero vendidas a prazos paga- cas de cabos de marhm i
peito offereceoj todas um symptoma geral e ios mesmos afibramenlos como se acha prrs-1 res por meio de Letras na forma que sera so fenles de marfim de tirar molhos., e pa-
constante. A tos, esta doenca to cqmmum crilo nos contratos que com ella celebrarlo-, declarada. Vcnder-se-ha igualmente a di- ra alisar massos de faahM de .brcianha de
quauto descuidada to grave as suas con- i passa a deslinar da ditas torras como bem I be nheiro vista a mobilia da casa de dito I todos os nmeros e i s p
quencias quauto parece ligeira em seu prin- aprouver
cipio to matadora por si so como todas as
outras doencas, que consomem a especie hu-
mana nao tinha para combate-la e des-
tfui-la um medicamento especial e nico, lo
Qfls as pastas e xaropes qus tem aparecido alij
tedia, tem. quedado impotentes por nao
Sferem compostos seno de substancias admi-
nistradas sem sucesso baixo formas differentes
Ko a contesse isto com a pasta de Mou d'.
Vau de Sr. Degenetais. O principio que
forma a sua base principal oerece propne-
dades i ncon testa veis e reconhecidas depois de
muilo temno e ninguem ignora os felices
resultados da sua apUcaco em todas as p.hle-
gmasias agudas ou .ebronicas do pulmo ( af-
tejcao dp peito phtisis, defluxos, toces &c j
As propiedades peitoraes de Mou de. Vean
ao consignadas de urna maneira brante no
diccionarodemcdccinao de ciiuna- ;ratica
no artigo #^.,0 codex o prescreve sob a
forma de*xaiope pon m era pois preciso
acbar um meio que, sem fazer perder nada
ao Mou de Veau da sua elhracia pruneira ,
lhe conservasse todas as suas quahdades. Is-
to be ao qut o Sur IVgenetais boticario c
cbimico. setemaplicedo. Depms de iimu-
veraveis investigacoes elle tem conseguid ,
por meio de urna feliz combinaeo de ramios
extractos de Crudos peitoraes de substancias
antiespasmodicasou calmantes, formar una,
pasta petoraluito agrada vel ao oslo que,
reunindo todas as propiedades do Mou de
Veau calma muito promplamente a irrita-
do do peito, facilita a respiraco calma to-
ces violentas detem e cura o garrotilho ( co-
queluche ) esta peni?el, e multas vezes lu-
nesta, doencadas enancas,
" Esta pasta pode pois, ser.considerada sob
este ponto de vista eomo uro verdadeiro pro-
gresso. .1 j i
Os maravillosos effeilos que tem produsido
esta pasta e que a tem.feilo acolber geralmen-
te4 iropoe aeu-authoro deverde, justificar ,
com bovss perfeices .favor publico com
que elle tem sido honrado, i Seus eslorcos e os
dos sens sucessotes tero sido seropre dn iido a,
este fim.., ea 4 de Mareo de i38 ,. um al-
vara de perfeiea confirmado por urna caria
regia tem reconhecido que a pasta peiloral
do Snr. Degenetais izenla de toda substan-
cia opicea deve ia ser considerada como
um verdadeiro doce peiloral.
Ornis bello elogio que poroutra parle,
se possa dar a eslu pasta, he <> de. fazer conhe-
cer a opinio dos celebres mdicos que, pe';.s
suas leslemuiihas honrosas, apartarlo desle
assumptotoda especie de cbarlatanismo : de
misterio
Certido do Sr. Roux, prolessor na acul-
dade de medicina de Faris, cirurgio do hos-
pital, membro do instituto, &c. Certifico
ter visto militas pessoas que segu.ndo os
meos conselhos e os d'outros mdicos se tem
achado muito bem com o uzo da pasta peilo-
ral de Mou de Veau do Snr. Degenetais em
todos os casos de defluxos ebronicos ou rebel-
des que tinho resistido a muilos outros nteos
therapeuticos. -Assignado. Roux.
As mesmas certidoes bro dadas pelos Sis
Doutores baro de Richerand prolessor na
universidade de pariz, Jobert de Lamballe
ciiurgiodo hospital de S. Luiz bouillon
Laf.ra'nge nembroda academia de medeema
de pariz Marchand medico do pass das tul-
lerias, Ccdcmbat medito iundadoi e diretloi
do instituto orthophonico de pariz para o
tfatamenlo das doenca* do peito &c.. bubois
de'LorJ medito do hospital de S* Lasaro em
pars, fcorlin ciiuigic n or da 10. legfloai"
G. N. dedito Stllior direitor em roedecn.a
em"dilo. O-incd deposito acba-se na leja do
Sr. Meroz rtojoeiro na praca da Indepen-
dfntia.
'fcr O'dVpstai io das tozetidi* pertencen-
tes a Manoel'Antonio Martins Pereir e pi-
ilKradas pelo o irriposio da loja u da ra
S3?" I'recisa-se saber da residencia do Sr,
Jos Maria da Silva Lima natural da Cida-
' de do Poilo, para negocio de seu nteresse .
Jo abaixo a'ssighado roga aalgurft sr que tal
eonbecimento tinha annunciesua morada ,ou
dirija-se a ra da moeda D. l4> Firmino Jo-
s Felis da Rosa.
i^> Traspassa o arrendamento de um si-
tio j que tem a vencer p mezes com bous
pastos para vaccas de leite bastantes arvo-
redos de frudo e perto da praca ; trata-se
no pateo da casa forte casa de pedia e cal de
duas anclas ; assim como vende-se duas vac-
1 cas ciotilas.
tgj- Responde-s ao Illm Snr. que pelo
'diario n. 136Yl; a entender que Icm bilheles
jde cobre a cobrar do abaixo assignado que
Ifaca o obsequio declarar seu nome e
Iquantia*) por isso que o mesmo tem miiito
Surascr em ser1 b portador do mencionado pa-
iTimento para agradecer a generosidade do
mesmo Illm. Sr., em nao ter procurado *eu
pagamento, a quem roga nao demore, a
mencionada dcjaracao as^imeomo demorou a
resposta. Joao Rufino Rumos.
SZF Aluga se urna casa no lugar do Mtn-
teiro junto a ponte da levada, com um pe iio sitio ao |j ; a casa tem do ladodireito u na
armaco de venda que lambem se aluga,c ;in
:seus ulencilios todos he ptimo o lugar p ra
'nepecio' por ser na beira da estrada e jior
jler ahi seropre venda e estar bem alre-
f uesada ; a tratar na mesma casa ou na
senaria do Sr. Queirogv a fallar com Manuel
da Costa Pereira.
tsy Precisa-sede um feilor para um sitio j
no beco da bomba D, 3.
vares consistindo em leitos canaps cadei- escrever ; na praca da Independencia nu-
ras, bancas, marquezas mezas,
um expel-
iente relogio de parede inglez um piauno
forte inglez vidros doces loucas capa-
xos novos garrafas e garrafes vazios obras
de prala muilo delicadas, cavallos para canos,
ealguns escravos de ambos os sexos.
C o ni p r a s
^MT Um par de esferas geogrficas novas,
ou em bom uzo e um Atlas de la geogra-
pbie ancione et moderne par Flix 5 quem
liver annuncie-
ssy Um violo jauzado para principian-
te ; quem liver anuuncie.
^ tsr Os nmeros jo 'O* 104 do Pano-
rama ; na ra do Cabug loja defronte da
Matriz,
Veii das
Avisos Mi luimos.
PARA O PORTO segu viagem com mili-
ta brevidade o i'eigantim Portuguez Flor .le
Beiris por ter ja prompto parte de seu car-
regamento, quem quiser carregar ou ir de
passagr dirija-se ao C'.apito Jos Thosiaz
de Lima ou ao seu consignatario Manoel
francisco Pon tes na ra da senzala velba.
PARA O CEARA'sahe impreterivelmta-
e al o fim do corren te a Escuna Flor da la-
rangeira por ter toda carga miuda prompla
fe pode rtceber a frete jo a a5 pipas ; quem
iquiser carregar ou ir de passagem pode di-
1 igir-se a ra da cadeia do Recite loja n. 17 .
iou ao Mestre a bordo bernardo de Souza
Soulo
PARA GENOVA ou Levoucia a Galira
Americana Auiora saiirat o fim do mez de
Junho j quem quiser ir de passagem pura
o que tem encllenles commodos dirija-se a
los seus consignatarios Uenry Forsler& Com-
Ipanhia, ra do trapiche n. I7.
JL e I a o
do Cabug ,' adverte a quem conpelir que a
demorada execuco est sendo piejuditial,
em consequencia das az.ndas irem-se cada
vez maisanuinando-se alem do que ja es-
tavao'{ porem se forero ja arremaladas c he-
go nao s para pagar os anuos porque loii
pinlmr; das ditas fnzendas como o de do, t
4o que tambem compete ao mesmo Martins
Pereira pagar e como o depositario s res-
ponde pe os annos de 40 em diante por isse
iaz o presente anr unci.
jar D. Eraiicisca Joaquina Rita de Souza
e Castro fa sciente a todos os Sis. que ll.e-
Corarlo trras em a frente do seu seu sitio d
U^liuba al o presante
CoMSULAOO DE F-AMCA EM ERNAMBUCO
SST A venda publica de fazendas &c. en; 0
larmazem de lenoir Pugel & Coropanhia ,
annutuiado para (Quinta feira 2.i fica trans-
eiido pana tuca kira ;o do corrente em con-
tequencia de nao ter havido tempo de se des-
Iaihait-m ; mas n'aquelledia a5 se procede-
r a venda publica de vinhos vinagres e
pe fumarias &c. tambem parte do carrega-
mejilu Jo na\io liancez Provence naufragado
em Lutena. Pernambuco -6 de Junho de
[b4o. liarrere Cnsul de Franca
tsr Os procuradores bastantes de Francisco
Manoel da Silva 'lavares Carao a venda publi
Ca por intervenco do Cndor Oliveira .
tabbado -27 do corrente 10 s horas da manh.
na ra Nova, casa da ultima residencia do
{mesmo Tavaies., dos seguintes predios e
pbjeclos s a saber ; urna magnifica caza, e
eo extellcnle sitio na estrada dos Afflictos ,
ludo bero conhecido |ielos habitantes desta Ci-
dade 5 aquella pela sua grandeza e linda cons-
ttrueco moderna e esle por offerecer em si
iquanlas vaiitagtns se requeren nao s para
leeiei, icmo paiuvse colher avultadoinleres-
ke porque conten na sua grande eitenso um
Jindo jardim terreno para plantaees bai-
xa para capia) numerosas arvores de todas as
troclas bem eonbecidas pela sua excellencia-,
jbous tanques e cacimbas para regar plantas
Le. etc. Outra grande caza e seu sitio na
toatrada do Beco do EspinherVo situado nos
undos do sitio cima mencionado o qual tem
bastante terreno para planlaco, e pasto de
gado, muilo arvoredo fructfero le.; e un.
terreno no Caldeireiro defronle do sitio que
nenhum dasjfoi do Pmbeiro, j com os aceices prontos
Duas pretas mocas, boas para o ser-
vico de urna casa urna dita creoula de idade
de 15 anuos cozinha engomma, cose, boa
para mubanda de urna casa por ser recoliii-
da dous pretos mocos bous para lodo o
servico um moleque de o annos oplima pa-
ra todo o servico de urna casa urna casa na
ra do caldereiro e urna meia agoa na tra-
vesea do Pocinho ; na ra de agoas verdes
casa terrea D. i-j.
X2T Urna padaria as 5 ponas I). 4^ i a
tratar na mesma.
C7" Urnas vidrassas mostradores e &c .
proprios para loja de ourives ^ na ra nova
loja de ferragens D. ai.
S2T A venda das 5 ponas D. 8 com 3 por-
tas solo cozinha lora quintal e cacimba,
a dinheiro a vista ou metadea dinheiro, e
melade a praso com dessbriga ; a tratar na
mesma ou defronte do passeio publico 3
loja de ferragens.
S2T Cem milheiros de lijlos de alvenaria
la 20,000 na olaria e posto na obra a j^ooo ,
em dous pagamentos o pnmeijo quando re-
ceber 5o milheiros e o segundo no ultimo
recebimento adverando que posto na borla,
pagai o frele de cada milheiro que for rece-
bendo, de muito bom barro do Monteiro.
mero 3o,
-, tsf Rons sapatos ingle/es para hornero a
9880 o par; iu ra da cadeia loja n. 10 de
Antonio de Siqueira Jnior.
tw~ Seis cabras bicho paridas de dias fi-
lhas do pasto e que do constante leite s ou-
tras em lins e algumas cabritas de boa rassa
paraerhr ,e mili taludas; em o primeiro
sitio ao entrar para a estrada do Cordeiro.
^, ssy Penles finos e ordinarios para cor,
dilos de tartaruga fitas de garc de todo o
preco bicos de todas as larguras sapatos
de duraque e marroquim de Lisboe e ditos
iancezes lisoras finase ordinarias e outras
militas miudezas por preco commodo e sa-
patos inglezes proprios para invern ; na ra
dos Quarteis f). 7.
3T Urna casa em Olinda na ra do aljube,
com bous commodos, e bom quintal; na pra*
ca da l'oa vista I). io. *
ve" Pecas de ouro do ciinl.o velbo de t jdo^
nesla Typogralia.
5^" Tres corles de coleles de veludo obra
verdadeira do bom lom recenfeme'nte che-
gados e proprios para quem tem bom gosto;
para bailes ; na ra nova loja de alfaiate De-
cima a3.
SST Urna escrava de angola bocelcira e
clin outras habilidades ; na ra do Ara gao
Dcima 37.
bom cozimentoe grossura e pode-se mandar
um milheiro para amostra ; quem quiser an-
nuncie.
S2^ No armazem de Jos Rodrigues Perei-
ra & Companuia no beco do capim caixas
com macando e lalbaruQ e bom estado .
pelo medito preco de aooo a caixa e barricas
de bolaxiiiha de Do libras a 4000
UF* Garrafas de essencia de aniz, cada
urna con libra e meia, por 10,000; na ra
Ida moeda D. i4i.
jty Urna arraaco de loja construida de
amarello, nova, toda envid atada, de mui-
to bom gosto para qualquer estabelecimento ,
e traspassa-se a [,osse do arrendamento da
mesma loja e sobiado, por tempo de 8 annos
que ainda fallad para correr : a fallar na mes-
roa junio ao arco da Conceico I). 3i.
Kjy- Urna escrava de nacao de idade de
a8 annos lava de sabio, e he quilandeira ,
por J6o,ooo por se ter grande preciso, e
da-se a conteni ; na ra direila D. ao co
fscravos t^Hiridos
SST Fugiro do engenho Marlapaglpe'ha'
Villa do Cabo no dia 14 de Maio de 184o 4
escravos de Deniz Antonio de Moraes Silva ,
com os signaes seguintes; Joo Humhum de
idade de Jo annos alto de bom corpo ; fei-
coens grosseiras denles abertos voz aiguma
couza grossa ou meia rouca com of(icio de
mestre .de assucar serrador, e carreiro,
Francisco fulla de idade de at annos de
estatura baixa grosso em proporco, mcies
lado doLivramenlo.
tT Sal de Lisboa muilo alvo, a i4o o
alqueire pela medida velha ; no alterro dos
atlogados defronle do viveiro do Muniz D-
cima 9.
tsr Uro selim ainda novo, por preco com-
modo ; na ra nova armazem de traste l'eci-
nia 34>
ES" Um escravo de bonila figura moco
ofcial de pedreiro e outro canoeiro ;e ma-
rinheiro ainda moco ; na ra do Crespo L.
tSB~ Lma escrava muilo Loa cozinheira e
engonimadeira ; no atierro da boa vista lado
do sul sobrado que fica por cima da tefida de
sapaleiro junto ao lampio.
SS^ Trez molequesde idade de i3 a i4 an-
nos denatoede bonitas figuras, urna roo-
leca de nacao baca de idade de i annos,
um lindo escravo de idade de 20 annos una
escrava moca com babelidudes e umadila de
meia idade boa quilandeira por Jc.ooo ; na
liua de agoas verdes D. 38.
ES Urna grammatira filosfica e licoens
elementares de elquencia Nacional ; nesla
'ypog rafia.
'sar Un silb*m de senhora com pouco
uzo e por preco commodo ; no atierro da boa
vista loja tic seleiro do lado do norte.
jsy- Libra de rap areia preta da bahia ,
dilo de Peruambuco potes de tinta ingleza ,
do rosto altas queixo secco olhos grandjs,
denles podres com fticio de carreiro. Ignu-
cio creoulo de idade de a annos, esta-
tura ordinaria grosso em proporco do cor-
po nariz pequeo eme parece ter algu-
mas marcas de bechigns no nariz i bons den-
les e quando anda cai com o corpo para di-
ante. Joaquim Bandeira de idade de a3
annos, estatura ordinaria secco do corpo,
boas feicoes dentes bous e abertos com of-
licio de distilador. -loo liumbum l'"ran-
cisco Fulla e Joqurm Bandirasao de an-
gola quecompiei mudando os dentes Ig-
nacio creoulo 6 Joaquim bandeira fugi-
ro de Ierro ao pescoeo e he muito natural
que lenho tirados os ferros por seren muito
ladinos, os negios nao tem barba, e podem
mudar de nomes. Lou de gralificaco ^oo;ooo
a quem os prender ou der noticias delles, -
Diniz Antonio de woraeseSilv.
tST No dia jo de Maio fugio urna escrava
de nome Joaquina creoula, de idade de Jo
annos temosdedos grandes des ps um tan-
to abertos os calcanhares tem varias lasca-
duras de calor de figado tem o vicio de fu-
mar Icm; u saia de listado panno da costa ,
e mais um panno fino prelo ; quem a pegar
\e\e. a Joaquim Soares Correia quesera re-*'
compensado.
cy- Fugio na noute do dia 17 do corrente ,
urna inolala de nome Urobelina de idade de
i annos, baixa, olhos grandes, tem no
cotovello direito urna sicatriz de urna gomma,
supe-se andar por essa Cidade ; quero a
pegar leve a ra de 1 lorias em rasa de L), Jo-
anna Thereza de Jess no sobrado i), t no
segundo andar;
tsr So dia 3o do p. p. fugio urna preta 'de
naco benguella de nome benedicta falla
bem portuguez representa 35 annos de ida-
de testa pequea olhos grandes e vivos ,
nariz bem kilo, com urna pequea sicatriz
abaixo do sobi'olho peilos pequeos, esla-
tura regular secta ps pequeos e bern
feilos, foi vestida com urna carniza de algodo-
zinlio nova vestido de chita levando nu-
tro de sobresseienle gargantilha de coral
argolas d ouro no pescoeo ; esta pida
pertenceo a Femando Belenote e foi rendi-
ja a poucos ditis pelo Sr. Joao Frederico de
Abreu Reg ha aiguma razo para supor-
se que esla escrava est amisiada em Tigipi;
quem a pegar leve a ra da roda L. 10 li
segundo andar que ser recompensado,
o lado do norte.
lU.CUliNA 'l'YP.DEM. F. liE F.i84


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EU3RYOPJV_P99F65 INGEST_TIME 2013-03-29T15:47:33Z PACKAGE AA00011611_03534
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES