Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03524


This item is only available as the following downloads:


Full Text
1 r1
; !
Anno dr 1840. Quarta Feira
_ Tudo !*or depende de nos mesmos; da nossa prudencia, moders-
cw>, a-energa: continuemos como principiamos e seremos aponlados
om adnrafo entre as IN'aces mascullas.
Proc/amaco da Assemblca Geral do Brasil.
--*?*
Suhscreve-sa r-ra esta folha a 3?ooo por quartel pagos adiantadns
nula lypografia, rUa das Grases D. 3, enaPracad Independencia
m. o;c 08, onde se receben, correspondencialegalisaria, eannuucios,
im.rmdo-ge estes gratis, sendo dos proprios aw.gtmntes, e yindos assig-
Partidas dos Crrelos Terrestres*
Cidadcda Parahiha e Villas de sua pretenro.......\
Dita Dita da Fortaleza c Villas dem..............(beS- c S"1*' feir*-
Villa ds Goianna................ )
OJ* *..................'.'-'- .' Todos ,s dia;
Villa de. Aniao......................Quinta feira.
Dita deGaranl.uns e Hovcaco do Bonito.........lo, o -^ de cada met
l)iiasdo(>a!.o, berintiaem, Rio t-or mozo, e Porto Calvo, i, n, e ai dito d to
Odia* das Magnas, e Villade Maceio............Mem dem
Villa de Pajau de Flores.....................ldem 15, dito dito.
1 odos os Corrgioi partem ao meio dia.
PHASES DA LIU.
Quart cresca 6 as io horas e 56 m. da tard.
Cheia ai4asn li. c 28 ra. da tard.
Quurt. mitiga ti asi) h. e 10 m. da tarde.
Nova a 39 as 11 h. e 38m. da manh.
Alare cheia para o dia 1 o de Junho.
As 1 horas e 18 minutos da manfla.'
As 1 oras e 4 minutos na tarde.
10 de Junho. Numero 127.
CAMBIOS. Jonho6.
Londres...... 3o i/a d. por Ifeoo ccd.
Liihoa.....,. -o ,1 7) por o/o premio, por metaloflerecido.
Franeo.......agiris por franco.
rtio ne Janeiro ao jar.
ORO Moedas'de 64oo rs., Velha 14*700 a i4Jqc<
Dita ova i4#6oo a tfico
P,l8S de 4#ooo rs., jooo a 8jfaoo
PRATAPataces Bratileircs ------1167o a 1^690
Peto Columnarios-----------------i^fiTo a tftiqo
Ditos Mexicmo----------------- #630 a l#(V7o
Muida -...........,nio a 1#46o
Descont de riillietes d Afandega I 1/8 po loo ao mez.
dem de Letras ,^ por boas (inna* olercido.
Mocda de cobre a 4 uor 100. de disc.
Das da Semana.
10 Segunda >jt 1. Oitava S. Saluslianio B. --
11 Terca >ji 1. Oitava S. Primo e Feliciana Mni.--
1 Quarta Temp. j.jura S. Marguida Kainlia.--Aud. do Juiz de Direto da
0. vara.
i3 Quinta S. I 14 Sexta Temp jejum S. J.Su de S. Facundo Audiencia dj Juiz de Direito
1. vara
15 Sabbado >fc Temp. jejum S. Antonio F. Padrastro da Provincia
16 Domingo da SS. Trindade.
RIO DE JANEIRO.
SECADO.
Sessao eni 4 de Valo.
Presidencia do Snr. conde de Valenca.
Procede-se a nomeacao da mesa e sahem
pleitos : presidente o Snr. marquez de Para-
nagu, vice-presidenle o Snr. conde de Va-
lenca primeiro secretario o Snr. Lni Jos
de Oliveira secundo o Snr. Vallasques ,
lerceiro o Snr. Alencar quarlo o Snr. Ca-
ra lean te de Albtiquerque e supplentes os
Snrs. Antonio Augusto Monteiro de Barros
e Saturnino.
Saliem eleilos para a commissao de respos-
ta a falla do llirono os Srs Pedra Branca, Car-
neiro de Campos e Mello Mattos
Para a de conslituico os Snrs Vasconcel-
los, Pedra Branca Carneiro de Campos.
Para a de fasenda os Snrs. Araujo Vianna,
Hollanda Cavalcante e Vasconcellos :
Para a de legislacio os Snrs. Paula Al-
huquerqu* Almeida e Silva e Monteito
de Barros.
Marinha e Guerra os'Srs Hollanda CavaU
canti, Saturnino e Lima e Silva.
Procede-se tambem ;i noraearao das com-
missoes de eommercio e artes, instrueco pu-
blica e redaco de leis.
O Snr. presidente d para ordem do di n -
continuaco da mesma mateiia, e trabalbos de
commissp.
Sessao om 5 de- Maio de 1H0.
Presidencia do Snr. conde de Valenca.
Approvnda a acta da-se conta do expedi-
ente no qual l-se liuma proposla de J, Vil
leneuve e C. ollereccndo-se a publicar os
trabalhos do Senado no Jornal do ( onimercio
com as tnesmas condiccics do Despertador,
com a difierenca porem de recebar someule
2;oooUooo reis mensaes.
O Snr. visconde da Pedra Branca pede
a palavra e aprsenla O seguale projecto de
resposta a fallado llirono.
" Senbor A cmara dos senadores ren-
de as devidas gracas ao Todo Poderoso pelo
feliz restabele imenlo de V. M I. e conti-
nuaco da saude das augustas princesas.
" U senado continuar a tomar na justa
considerato o consorcio de S. A. 1, e se oc-
cupar opportunamenle do de S, A. a Snra.
princesa 1). Francisca.
44 Sabe o senado apreciar as relacesaro-
j'aveis etn que aeacha o imperio com as de-
ntis potencias, e particularmente, se apraz
com a desoecupac do Amapa
" Regosijase o senado com a fausta com-
municuco do aspecto animador que aernal-
ii' ule o'erece o paiz em geral. distiucto
l'eilo d'armas em Laguna e o aadamenlo
progresivo para o desejado termo de
tamos males as provincias do Maraiibo e
Rio Grande de S. Pedro do Sul, sao precur-
sores da ordem e sustenido a esperunca de
que sabias providencias do joverno de V.
M. I. cbameuiem breve nteos Iludidos r-
maos ; cominunliao eru que elismeute se a-
cbo os das outras .provincias do imperio.
w Convencido o senado da importancia de
ixar a intelligencia dos artigos da reforma
conslilucional reviso das lots penaes e do
processo procegui nos trabalbos que so-
bre taes objeclos lem encelado, sem perder
jamis de vista o melilotamente das liuan-
cas e meio de alrair colonos uleis ao paiz ,,
Entrando na ordem do dia procede-se
eleico das commissoes de calbequese e tivi-
li/.aco dos ludios ; e das aseutbleas provin-
ciaes. Esgotada a primeira parteda ordem d
dia o Snr. presidente convida o senado a
occu par-se dos trabalbos de commissoes, ed
para ordem do dia segninte a mesma dada
pelo seu antecessor na ultima sessao do senado.
CMARA DOS SRS. DEPTADOS.
Sessao em 5 de maio.
Presidencia do Snr. Ilenrique de Resende.
Asdez boras da manb fa/.-se a chamada ,
e acbando-se reunidos o!i Snrs. deputados
em numero legal, abre-se a sessao le-
se e approva-se a acta da antecedente.
O Snr. primeiro Secretario d; conta do
expediente leudo ossoguinies officios.
Do ministro do imperio remetiendo a co-
pia do do decreto de 10 de desembro do anno
prximo passado pelo qual se concedeo ao
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama,
professor de rhetorica do colegio das artes da
academia jurdica da cidadade de Olinda ,
a sua jubilacio com o ordenado animal de seis
ceios mil reis, que actualmente vence. A'
I commissao de penses e ordenados.
Do mesmo ministro enviando os esclare-
cimenlos que Ibe foro exigidos por ordem
d esta cmara jcerca das minas dp carvao de
pedia tanto na provincia de Santa Catbari-
I na, como na das Alagoas. A' quem fez a re-
qnesico
Do ministro da f.isenda remetiendo bum
dos atilbografos sanecionados da resoluco da
asscmblea >;eral legislativa, declarando o ven-
] cimento que deve pereeber Jos Antonio de
Miranda Hamallio aposentado no omcio de juiz
da batanea dalandegada corte. Para o archivo.
Remelle se ;i commissao de cmaras muni-
cipjesduas representaces da cmara muni-
cipal da villa do Presidio, a primeira pedin-
dii i]uese adopte o projecto de lei que foi a-
presentado |ieloSr. marquez de Barbucena e
approvado na augusta do senado cmara acerca
do trafico da escravalura ; e a segunda sobre os
meios de melhorar a commuuioicao ild pro-
vincia deMinascom a do'Rio de Janeiro
Remelte-se commissao de conslituico
um omcio do presidente d. provincia do Pa-
i, queacompaulia o re'|ueriiueuto Q Padre
Antonio de S. lioavenlura relligioso da
exlincta ordem de S. Pedro de Alcntara 110
reino de Portugal em que pedti ser nalura-
lisado cidadao Brasileiro.
L' recelada com especial agrado a offerta
que faz o enearregado dos negocias da Blgi-
ca de dois ejemplares do quadro geral do
eommercio da Blgica nos anuos de 1SS0 e
1887.
Lt-em-se, e approvao-se sem debate as se-
guintes reriaccoes :
1. Da resoluco que approva a tenca de
l^oUooo reis concedida ao coronel reforma-
do Joaquim da Silva Dini/..
a. A que approva a tenca de -2orjooo rs.
concedida ao capito de mar e guerra Gui-
llierme Cjpriauo Hibeiro
. Approvaudoa tenca de 920U000 rs. con-
cedida ao Brigadeiio reformado Bernaido
Jos Piulo Gavio Heixoto.
Francisco Manuel da Silva na cadeiiu de
graminalica latina na villa de Nossa senbo-
ra do Bom Sucesso de Minas Geraes.
5. A que approva a aposentadoria conce-
dida a Daniel Rodrigues de Sousa no lugar,
de esc ivao da mesa Uu diversas rendas da pro-
vincia da Babia.
6. Approvando a penso de 240U rs. con-
cedida a cada uiuu das iilhas do leiiculc gene-
ral Vanoel Jorge Rodrigues.
7. Approvando a lenca de 80U000 res con-
cedida a o lenle coronel reformado Francis-
co Dio go de Vellez
8. A que approva a tenca de aiol/ooo
reis concedida ao coronel Visconde da Praia
Grande.
9. Approvando a tenca de R0000 reis ,
concedida ao lente coronel reformado Vi-
cente Ferreira Sobre.
to. A que approva a tenca de noUooo reis
concedida ao coronel refrmalo Ilenrique de
D.tcia Torres da Maca (iuerra.
Ordem do dia.
Continua a eleico das commissoes.
Terceira commissao do orcamento para exa-
minar as despesas fixadas pelo ministerio
da guerra e marinba.
Para esta commissao sahem eleilos os
Snrs. Lima e Silva com 74 votos, Coelho
b5, e Rodrigues Torres 43.
Primeira commissao de conlas
Os Snrs Joaqun Francisco Vianna com
61 votos, Pacheco 3cj, e Eustaquio ^7.
Segunda commissao de contas.
Os Snrs. I'essoa de Mello com i votos,
Das de Toledo i8 e Clemente Pereira 35.
O Snr. primeiro secretario l um olficio do
ministro e secretario de estado dos negocios da
marinha, pedindo dia e hora para apresen-
tar a proposla do governo que fixa as forjas
de mar para o fucluro anno fiuanceiro de
1841 a i842 O Spr. presidente designa o
dia 6 pelo meio dia.
Annuncia-se a chegada do Snr. ministro
e secretario de estado dos negocios da guerra,
o qual sendo inlroduzido com as formalidades
do estilo senlando-se direita do Snr, pre-
sidente le a seguinle proposta.
Augustos edignissimos Snrs. representan-
tes d nacao
Em observancia da lei, tenho a honra de
apresenlar-vos de ordem do Regente, em
nome do Imperador a seguinte proposta :
Artigo 1. As forjas de Ierra para o anno
financtirode fciii a 1*4 ? conslaro :
I. Do officiaes generaos, dos do estado
matordo exercilo, pracas e arseuaes corpo de
nbeiros,e officiaes dos corpos(
2. Otreze mil pravas de pret delinha ,
em circunstancias ordinarias e desasseis mil
extraordinarias.
i. De duas mil pracas de pret fora da
linha.
4. De oito companhias de arlifices.
Arligo 2. As (oreascima fixadas serao dis-
tribuidas pela maneira 3eguinle ;
Dose Batalboes de cacadores.
Tres regimentos e quatro esquadies de
cavallaria iigeira.
Cinco ha la I lides de ar ti Iberia a p.
Um corpo de artilheria a cavallo
Arligo 3. As loicas tora da linha cima
designadas, sero repartidas pela forma se-
guinte.
Um corpo de artilheria.
Um esi|uadro de cavallaria.
Um ballho de artilheria.
Um eouipanhia de cavallaria.
K oilo companhias de cacadores de nion-
tanlia.
Arligo 4 O governo fica autorisado para
conceder urna graticaco correspondente
terca parte do Sold aiem dos u.;iis venc
iiient osmios militares que servirem activamen-
te em qualquer ponto do imperio onde a
ordem publica tor alterada ou que foreiu
*ncui legados dtt coiumissv inipoi'lanle.
Artigo 5. O mesmo governo podera' man-
car abonar s pracas dos corpos dnexercito*
que poden do obter baixa por terem completa-
do oseo lempo de servico, quiserem conti-
nuar a servir, urna gratifieaco igual ao sol-
do de- primeira praca em quanto forem pra-
cas de pret
Arligo 6. Para se completarem as forcas
fixadas no arligo t. continuaro em vigor as
disposicoes da carta do lei de uq de agosto de
,8J7- .._,
Palacio do Rio de Janeiro 5 do maio] de
184o. Conde deLages.
Concluida a'leituraoSr ministro da guerra
retira-se comas mesmas formalidades com
que entrn.
A proposta remeltida commissao de ma-
rinha e guerra.
Continua a eleico dat commissoes,
Terceira commissao de contas.
Os Snrs. Carvalho de Mendonca com 6c
votos Oltoni 7, e Veiga Pessoa 36.
Commissao de pensoes e ordenados.
Os Snrs. Cavalcanti de Lacerda com nj
Hentiques de Resende 46, e Fernandes Tor-
res 4i.
Terceira commissao de fa/enda.
Os Snrs. Paulino com g votos Moura
Magalhes 38, e Pacheco 37.
Commissao de juslica civil.
Os Snrs. Pessoa de Mello com 6a votos ,
Cavalcanti de Lacerda 45, e Jos Gonsalves
Mat til.s 45.
Commissao de justica criminal,
Os Snrs. N unes Machado cora 56 votos,
Costa Pinto 3i. e Casado ag.
Commissao de diplomacia.
Os Snrs Maciel Monteiro com 47 votos,
Aurelianno 46 e Mara do AiMi-al 34
O Snr presidente d para ordem do dia
a mesma materia dada para boje e levanta
a sessao depois das duas horas da larde.
PERNAMBUCO.
Itir./AJUtvnlA u. 1'AZ-tLiNuA.
Expediente do da 1. do correnle.
Officio Ao Exm. Encarrejado dos Ne-
gocios do Brasil em Londres enviaudo-lhe por
conta do rend ment de 1 por cento de ar-
masetiagem addicional arrecadado por es-
ta provincia al o ultimo de Marco prximo
findo huma letra de 834 Libras sterlinas
bum chelini, e oito diuheiros, do saque de
Me. Lalmont & Companhia abonado cjior Lu-
iz Antonio Vura sobro Me. Calmont Brox
& Lumpanhia.
Dilo A os Administradores do Patrimo-
nio dos Estabelecimenlos de Candada com o
requerinieuto de Joaquim Jos Alves
Albuquerque, para se dignaren de in-
formar a respeito da preteucao do mesmo ,
para ser pago do 01 denado quedeixou de re-
ceber em qualidade de enearregado do cu-
rativo dos doenles da enfermara da Marinhaa
al o dia, cui que foi despensado do mesmo
servico.
Portara Ao Thesoureiro da Fasenda
para pagar a Me. Calmont & Companhia pela
aixu do Ueudimento de 1 por cento de Ar-
masenagemaddicioual applicado a amorlisa-
co da divida exlerna, aquantiade. .
p(iiU.78 correspoideule a 034 Libras
Slerliuas hura cheltm e oilo diuheiros a
jo ta diuheiros por mil reis valor de huma
luir que sacaro sobre .Me. Calmont Brox
de Londres a favor do enearregado dos Nego^
los do Brasil na mesma Cidade.


DIARIO DF,
FRRNAMBDCO
'il^lTJBBM
Dita-Mandando abonar ao mesmo Thczou- fardos com papelSo 5 caixas com piannos .Ipr em Tfematftcoos fornecimenlos de pao ,


I

reiro a quantia de 34'.ooos' de rs. recebida na
mesma data por o Capo de Fragata Ricardo
Itayden Cutitmandante da fiarca de Vapor
Pernambucana em i.oo Notas de lof rs ,
cortadas e carimbada com o calimbo de
Inulilisadadenltode lium eaixote para ser
entregue no Rio de Janeiro ao Thezouro Pu-
blico National.
dem do dia a.
Omcio-Ao Comroandatite das Armas parte-
cinando-lhe ficaretn expedirlas as ordens ne-
cesarias para ser paga a cautella que envin
cotn o se officiodo 1. do corrente dos ven-
eimentos do Destacamento do Forte do P.io
Amarello econtinuar-se o pagamento m n-
salmente da mesma (orm praticada com as
Fortalezas de Itamarac; e Gaih.
Diio-Ao Iuipecloi d'Alfaiidega acompa-
nbando hum offirio do Cnsul Francez com
despacho do Exm. Presidente da Provincia ,
para informar com brevidadesobre ocon'eu-
do do mesmo oflicio*
THEZOURARIA PROVINCIAL.
Edital.
O Inspector da Thezouraria dai Rendas
Provinciaes : faz] publico que em virtude da
Le Provincial n. 87 de 6 de Maio peranle
o Tribunal da mesma Thezouraria dos dias
19 11 e 23 de lunho prximo futuro os
eute horas da wanh 1 se ha de arrematar em
hasta publica a quera mais der por lempo de
lium anno contado do 1. de Julbo do corren-
te as Pendas segu ules.
1. Furo das caixase lechos d'assuear
a. Taxa das passagens dos Rios dos Muni-
cipios do PecPe e Olinda.
As pessoas que se propozerom a esta arre-
mataran compaiero na .Salla das Sesses da
predi la Thezouraria nos dias cima indicados
manidas de Fiadores idneos. E para cons-
tar se mandn athxar o prezenle e publiral-n
pelo Prelo. Thezouraria das Pendas Pro-
vinciaes de Pernambuco 3o de Mato de 184o
Joo Paptista Pereira Lobo Jnior.
Ahmukcio.
A Thezouraria Provincial paga o mez de
Maio aos Empregados Pblicos Provinciaes q4
nao perctbem emmolumentos em moeda de
prala nos dia 6 e 10 desie corrente mez.
J'hezouraria Provincial de Pernambuco 5 de
Tnnlio 1840. Joo Manoel Mendesda Cunha
Azevedo Thczourtiro.
Diversas Repartcoens
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
O Pataxo Portuguez Primavera viudo do
Porto entrado em 4 do corrente Capito Jo-
ze Carlos Ferreira Soares, consignado a Men-
des 61 Oliveira manifeslou o seguinle.
2 Caixas com obras de lato, 32 barris com
carnes 6 caixas com baloques e rolhas 1
dita eom palitos 2 fardos com fio pnete, 37
raixas com ferragem i i barris com ditas,
5 raixas com calcado 389 aurrelas com a-
teitotanas reo eludirles abatidos 2icai.v.as
com tama neos r 2 ditas com peras sercas 8
dtlascom fio porrete 1 barrica com biscoito,
1 fardo coro pene i ras 4 caixas eom pomada .
q ditas com albos toditas com fasendas 3
ditas com chapeos, 5 cunhetes com lerragem,
170 feixes danos. 1 eaixote com divmcas mi-
ude/.as y 2 eiiibi nilio-. com cestas, 8 caixus com
ardiles 3 ditas rom miude/as 2 alta com
guitarras 1 dita com sementes p pipas com
v.nho 2 nudas ditas comdilo b barra com
dito 1 caixa com refre 1 cuidiete com il
lulas 1 gualda louca 3>3 caixas com vinho,
4q canasiras con sebollas a caixas com o-
bras de prala, i(38 codeiras i5 nie/as 6
Larris rom vinho 5 fardos coro fasendas 3
caixas com ditas 8 barris com carnes, 1 sac-
io rom miudezus 12 caixas com ulhos 3
saceos com ditos, 6 raixas (ignora-se) 5o bar-
ricas abatidas -4 eixes de arcos 3 caixas
rom ferragem 2 ditas com fio de vella a
fardos com dita 1 caixa com castanhas 11
barris com erragem 8 latas com peixe 1
caixa com plantas a presuntos.
O Pataxo liamb'.irgucz Fortuna viudo de
Hamburgo entrado tm 5 do coi rente Ca-
pito P. Peltersefi consignado a N. O. Bie-
ber & Comp. manifeslou o seguinle.
29 Caixas rom cartas de jogar ai ditas
com tspelhos, yb ditas coro fenagem 10 pi-
pas rom vinagre, bi caixas tom toiudezas ,
1 L:hu rom ditas 4 barris com carnes 14
laiiiras rom alvaiau bS raixas con) fasen-
das j ditas rom vinho 1 da com car-
niiias 1 dita com calimbo || ditas rom
ivrteuceS para chapeos a barricas com ditos,
2 fardos u>oi (aseadas > barricas com travos,
1 caixa rom < benitos 10 luidos com drogas ,
bolaca medicamentos e carne verde pa-
ra as Fmbarcaces d'Armada durante todo o
anno financeiro Futuro. O mesmo Illtn Sr
Inspector convida as pessoasa quem taes for-
0 dilas com pelucia 8 dius com couros 3
ditas eom bico, lo dit^s com relies, 4 ditas eom
presuntos. 3p4 barris com polaca, a ditos com
espirito,.4 caixas com goma lacea, 3 caixas com
pennas d'eserever io barris com secadinha, 3 necimentos posso eonvir a comparecerem com
caixas com conservas, G Iwrris cono oleo de li ~i
nli ai a 1 caixa com oleados 9 caixas com
mobilia 9 dilas com vidfos 7 Fardos com
papel, f>4 latas rom bolaxinh, 1 barrica
com z i neo em barras, 1 a barris com pregos ,
laoo pedrasde ladrilho 4 nts com bixas ,
l caixa com livros 1 barril com agoa-raz ,
t. caixas com bengalas 1 caixa com pianno ,
a ditas com salame a barris com conservas,
3 pessas de carne de fumo 4 caixinhas [ig-
nora-se] 5 paroles [dito].
M EZ A DO CNSUL A DO.
A Pauta he a mesma do num. ia3
O Arsenal de Guerra compra dezoito du-
zias de taboas de assoalho a saber fi duzias
de pinito oulras tantas de amarello e o
reslo de louro ; assim como dez travs de 3a
palmos de romprido e huin palmo de grossu-
ra dez enchameis de 3li palmos de compi'do
e hum e coito de largo e grossura e quatro
mios travessas de 3o palmos : quein pe ten-
der fornecerestes gneros compareca nesta Re-
pnrtiro no dia 10 do corrente. Arsenal de
Guerra 6 de Jur.ho de l84< O Director,
Coelho.
Ha I arcete da Receita e Despez fe''a por este
Arsenal em o mez de Maio d'- I'^o. 11."
A. F.
Receita.
A importancia do saldo que
passou do mez antecedente
The/ouraria frovincial.
dem recebida pelo Armoxa-
rife por dil^renles datas
por contadoconsi jnadope
la Leide 2o de Outubro
pe i83H. e mandado abo-
nar a esta Provincia por
Avi/o de 8 de Fevereiro
de |H3p pava applicaco
das despezas a fazerem-se
com as P"mbarca:es da
Armada, e Paquetes por
canta da Intendencia da
Corle
dem idem idem para as des-
pesas de cjp.
dem idem por corita da In-
tendencia da Corte
Despezas.
Pela importancia do que foi
pn{jo pelo Almoxarife aos
dierenlesarligos na for-
ma seguinle.
Em o prsenle anno financeiro
Corpuda Armada i3i.ooi
Artilheriade Marinha 37,24
Forra Naval 6 o$o.36J
Transportes i5o,ooo
Hefoiruadose Avulsos 33,3oo
Arrecadacp e contabelidade
inclusive ?.3 *,oo rs des-
pendidos com os Kinprega-
dos una dos quacs criado
por Aviso de 17 de De-
zerobro de if3t e oulro
porordem da Prendeneia
d'esta Provincia de -5 de
Waio de i83y e aos mais
Empregados "da exlincla
Intendencia em serviru
n'csla lleparlico por di-
fiel en les oideusdamesma
as suas pro^iostas em carta feixada al o da 25
do corrente qiunto ao fornecimento da pao,
bolaxas r carne verde; e al o dia 47, quan-
to a medicamentos e nasquaes se decarem
os fiadores afim de que se possa effecluar a
arrematarlo com as que por menor preco os
mesmo Forneciinenlos fiserem ; previnindo-
seque a condicaoessencial he dos gene^s se-
rem tempre da methor qualidade na f .Ita do
que serio recuaibiados e comprados mitros a
cusa dos mesmos Fornecedores. Inspeccao
do Arsenal de Marinha de Pernambuco em 5
de Jimho de 1840. Alexandre Rodrigues
dos Anjos, Secretario,
PREFEITURA.
F.DITAL.
Francisco Antonio de S liarreto, Prefeito di
Comarca do Recife por S M. o Impera-
dor & Quem Dos Guarde etc.
Faz saber que na Cadeia d'esta Cidade se
acha preso ha dias o prelo de noiue Viano-
el de naco Camondon;o o qual foi cap-
turado pelo Sub-Prefeilo da Freguezia da
IJua-vista por estar fgido e disse ser escla-
vo d Antonio Flix Vlaica morador no silio
do Queimado e muilo conhecido do Reve-
rendo Vigariu Joo da Silva ; afim de que o
Sur. do dilo pelo o venha reclamar em 3o
dias contados da dala d'esle compenlemen-
le habilitado. Recite 5 de Juuho de'i84<>
S liarreto.
REVISTA MERCANTIL.
Cambio-- Pero havido transacoens avulladas
a 3o 11a d. e a penas huma a 3i d poim
so se pode considerar como quotaco correnle
a pi imeira.
AssurarFrouxo a 800 rs. sobre o ferro ,
os compradores ollerecem Too rs. : porra nao
tem havido vendas por menos de 800 rs.
AlgodoNo decurso da semana tem ba-
vidogrands vendas a 7400 rs ; poim actu-
almente he mais iouxo principalmente por
falta de navios.
CourosTem havido vendas a i4ors.
l'arinha de TrigoChegaro 800 barricas
7:100,000 do Havre das quaes 3oo venderao-se a *t
e o resto com destino para a Pabia,
1:900,000 ManleigaNao ha em pi imeira mao e as
i pequeas partidas recem-chegadas vendero-
3:800,00o se promptamente aos precos quotados.
------------- liacalhoNao ha em se.
i3:75;3at Nao ha navios p^ra fretar : offereceo-se 1
i|8d. por Algodo na Parahiba, q' foi rejei-
tado.
C AMPIOS.
Rio de Janeiro, 5 de Maio.
Londres ...... 3o
Paris.......3ao
Hamburgo 5go
g!6 3aG
Prezidencia 5 Arsenal e compra de materi-
as primas 1:381,3 80
Farol e Barras de soccorros 72;y7
blngajaiuento de \larinhei- i
ros i44 000
liileudeDcit da Corte 3:610,460
l3 ai,4l
Anno financeiro findo.
['(na naval 1 a 4,000
deformados c Avulsos 3o,oo
13:376,946
Saldo 37),3bo
Dobies liespanhoes
da patria .
Pesos hespanhoes ; .
> da patria
Peras de 6,4oo velhas .
novas .
Moedas de 4ooo. .
Piala.
Apolices de 6 porcento juro 77 a 77 ,
(Jornal do Commerciode a6 de Maio.)
27900 a :8s' nom.
37800 a 57900
17J5 a 1740 a
1715 a 1730
1485o
143oo
7900 a 8000
79 ila a 80
na
a i4;rn
a 14400
3:^56,3a6
Arsenal de Marinha de Peiuarobuto 1.
de Junhode 1840. Luiz de 1 ranea e Mello ,
tsciivo.
AlCKtlSCH).
O lllm. Snr. Inspector do Arsenal de Ma-
19 caixis rom tlitat tj han iras rom ditas, la'iinha, manda fazer publico que se tem de
NOTICIAS PR0V1NCIAFS.
Depois das noli ras dadas em o nosso n. 1 a 5
de 5 do torrente iemoa o Jornal do Com-
merrio al o n. a6 do passado que alcan-
ca mais quatro dias alein do que demos e
em o numero i4ododilo Jornal adiamos o
seguinle : O ministerio est organisado pe-
la roaneira seguinle devendo os decretos (se
somos bem inlormados ) ser assignados boje
a3 do correnle (Maio) ; Imperio e interino
da marinha o Snr. Joaquim Jo/.e Rodrigues
Torres-Juslica o Snr. Paulino Jo;e Soares
de Souza-Eslrangeiros o Sur. Caelano Mara
Lopes Garoa-Fazenda o Snr. Joze Antonio
da Silva Maia-Gtierra o Snr. Salvador Joze
.Viaeiel.
No dia a5 tinha tido logarla Capeila im-
perial a sagraco do Exm. Pispo do Rio de
Janeiro.
S. MI. e suas augustas irmaas assisliro
da tribuna imperial a este acto solemne. Os
Exms. Regente do imperio ; Tutor de S. M.
e AA. II e Mordomo-mor, tambem estavo
na tribuNa Imperial.
Todas as tribunas da igreja estavo oceu-
padas por senhoias senadores, deputados
e pessoas gradas. O corpo da igreja nao ti-
nha a necessaria capacidade para conter todo
o puvo, que coucoireo a esta cerimnia.
S. Et. o Snr Bispo de Cuyab com dous
monsenhores da capeila presidio sagra-
cao. O Snr. conego Januarioda Cunha Par-
boza foi o Orador.
No Jornal doCommercio do 1. de Maio,
-se o seguinle:
Chegou honlem de Pernambuco o Rvm.
Sr. Miguel do Sacramento Lopes Gama, que
vera lomar assento como de ntado daquclla
provincia a'ssemblea cera I legislativa Nin-
guem ha que nao lenha I ido os escriptos deste
insigne Prasieiro ; ninguem que nao tenba
admirado a hahilidade da penna eom que o
Carpneeiro tem fiagellado o egosmo a roa
criaco a rreligiosblade ; ninguem que nao
de ao illuslre escrititor hum dos m.iis tubidea
lugares entre os litteratos que tem honrado
iioasa patria. Riperamas que na camarade
que vai ser digno ornameulo adquira elle no-
ros louros preste no vos servicos patria.
Noticias Estrangeiras.
PORTUGAL.
Recebemos folhas de Portugal al i\ de
Abril.
Na capital, e mesmo em alguas provincias,
por occasio das Eleices, a que se procedeo ,
foi a Iranquillidade publica alga cous:i alte-
rada do modo que se v nos arligos que
transcrevemos
O dia 4 d'Abril anniversario da Rainha ti-
nha sido geralmente festejado como tambem
se ver dos arligos que no prximo numero
daremos
Lisboa. 6 nr. A mu..
Passou-se o dia de boje na Capital em per-
feilosocego, a pesar dassinistras predie Oes ,
e talvi'z de malvolos desejos. Proceden-se
na Cmara Municipal ao acto do apiiraaiento
com toda a regularidade depois de hacer si-
do pracclamacnapprorada a Mesa proposta
pelo Sr. Presidente. Algumas questoes fora
suscitadas porcertos portadores conhecidos pe-
lo seu talento de disputar ou antes de enre-
dar 5 porem acabara depressa porque 011-
tros membros da Assemblea mais amantes da
boa ordem impozera silencio aos argumen-
tistas. Tinha acabado a Sesso da Cmara ;
e tanto os membros da Assemblea como os es-
pectadores se retirava quandojunto porta
do Paco da mesma Cmara tun indiriduo pa-
rece que provocara outros com palavras of-
Fensivas. em consequencia do que um destes
o ferio na cabeca com urna bengala.
Juntou-se gente e. em pouco se for-
mou um grande ajuntamenlo Appareeeu
immediatamenle o Snr. D. Carlos Mascare-
nhas offirial superior de dia com algn
soldados,da guarda principal. S. Ex o Sr.
Ministro do Peino que se achava na Secre-
taria onde passra quasi lodo o dia dirL-
giu-se logo ao mesmo lugar. Foi preso o au-
thor do lrimento ; em prega rao-se os meios
de insinuaeo para tranquillisar o nimos e
dissolver o ajunlameiito e derao-e as provi-
dencias para que a Iranquillidade nao fosse 110-
vamente perturbada A noticia to aconteci-
menlocorreu desfigurada; e desde logoco-
mecou a aHluir bastante gente ao Terreiro do
Pico. A s sete horas eslava esta grande Pra-
ca cheia de povo ; mas iienhuma voz de per-
lurbaco se ou\iu.
A Aulhoridade Administrativa e o Com-
mandante Geral da Guarda Municipal toma-
la opportunas e prudentes medidas ; de mo-
do que sem acto algum de violencia ;s 7 ho-
ras e meia j; pouca gente eslava reunida as
8 horas eslava o terreiro do paco com una ou
oulra pes:oa apenas passeandu. Alguns des-
ses individuos que conem sempre aonde
querque ha tumulto, agitadores de profisso
em todas as pochas e em diilercntes parti-
dos foia vistos correr apressados roaio quero
toinava o aconlecimeulo como sigo al o pre-
lexlp de desnrdem ; mas nenbuiu fruclo ma-
ni, la sua fadiga
Felizmente os mos desejos se os houve ,
fora Iludidos, e esperamos que sempre o
seja do mesmo modo. (. do G.)
dem.
A seguinle he a mesa do apuramento uo
dislriclo eleitoral de Lisboa.
Presiden le.
O Exm. Sr. Conde desello.
Escrutiadores.
Mrquez de Fronteira.
Joaquim Jos Pereira de Mello.
Joaquim Jos da Costa Sima.-.
Augusto Xavier da ilva.
Secretarios.
Antonio Pereira dos Reis.
Jos PernardinoFra.o.
Joao Jos Alves Fieineda.


DIARIO DE
PERNAMBUCO

Jos Dionisio Correa.
Revesadores.
Mainel Firmino da Trindade.
Lourenco Justiniannc Lima.
Jos Antonio Tavaies.
P. S. A mesa do a pura ment era toda
comporta de ;enle moderada ; dous tercos dos
portadores das actas perlenriao ao partido da
ordem ; e os trabaliios linliuo comecado e
continuavao*com socego ; pareca que o dia a-
cabaria sen* desordeut ; nas ao descerem os
portadores das actas as escadas, depois de fe-
chados os trabalhos de um dos grupos que se
achava na arcada da casa da cmara, junto
porta parlira algumas palavras insultuosas
contra os mcsnios portadores ; c conhecendo-
se que um dos provocadores era miguelista ,
ilera-lhe algumas bengalndas.
Reunira-se varios grupos ; acud rao lan-
ceiros ; prenderao-se dous individuos ; via-
se claramente que havia inlenco dedarco-
meco desordena; mas a presen re, da tropa
e grande numero de gente da ordem que an-
dava pelas ras, e que as nao dcsamparou .
conleve os agitadores que depois de avema-
rias ainda se conservavao pela maior parle em
frente da guarda do Terrtiro do Paco. Esta
e chava em armas, e tinia deilado patru-
Ihas dobradas. As providencias Cstavao toma-
das para sre,u auniquillados os inimigos do
tocego publico, caso inlenlassem perturbara
ordem.
Km quanto a casa.da cmara tinba ficado a-
bandouada durante o tumulto um dos im*m-
bros da mesma cmara que faz parte da mesa
entregou-se ao cuidado de fazer arrecadar o
cofre das actas lechar a casa da cmara ; e
deu senlinella as instrucces necessarias.
O Director.
dem p de Abril.
Por noticias fidedignas recebidas hontem de
Santarem coufirmando oulras que na vespe-
ra viera por expresso ao Governo se sabe
que aquella villa estivera na Segunda feira
desta semana quasi em estado de revoluco ,
em co.isequenca dos diversos atlenlados pra-
ticados por um alinente de artilheria Jaime,
que pelo sobre nome nao perca con herido no
exereto por haver respondido j a nada menos
que a tres con se Ib os de disciplina por insu-
bordinado, sendo ento saigcnto.
Principiou o lente por insultar um ne-
gociante da villa que casualmente sabia pa-
ra a casa da municipalidade aonde se apu-
raran os votos para representantes da naco ;
e se nao deu cabo del le afogando-o como
pertendia foi isso devido aguarda de segu-
ra nca que acudiu ; e ainda assim com a baio-
neta de um soldado fez um le miento.
Sendo preso em fligianle e enviado para
o qiiartel soltou-se ou o sollra e ; frente
de alguns soldados perlemleu commetler ou-
Iro maior attenlado o de roubar as actas
queja a esse lempo estava arrecadadas nao o
conseguindogracas coragem do commandan-
te da guarda de scgu ranea e dos poucos sol-
dados de que por ora se cnmpe e ao hom es-
pirito dos habitantes da villa. Ainda os at-
tentados lo rao mais por dianle mas sein
ructo : | un m sabemos que o Governo (leu
logo providencias que nao lardaran a ser p-
blicas.
Salemos igualmente que se nao fr boje ,
uianl. ba de apparecer no JNatioual urna
'correspondencia desfigurando inteiramenle o
fado, e pondo ainda o lencnle Jaime por um
snelo, justo,e virtuoso as provas poiem he
que bao de decidir >i qneslo (Corr. deLisb )
A PROCLAMA! AO.
Appresenlan os boje a no.-sos Leitores a se-
guinle Pioclamacao que o Partido de Se-
Unibro lez giiar as respe, as das Elekes.
I'UOCI.AMAl lo.
Povos do Circulo Eleilural. O Despotismo
que a Revoloteo de Setembro devera er para
sempre anni(|uilado ousou de novo levantar
cabera Lm punhado de ambiciosos co-
nhecidos pelo nome de Cirlistas aullando a
Dignidade Nacional por nao ler abrigo no
Ji. no loi procurar a piolecco Estrangeira ,
com o fim ae cmpolgar o Poder e fazer que
reviva alame Caita, origem de todos os
nossos males, a causa da diriso da Familia
poilugueza f'orluguezes nao vosdeixeis
llludir de suas novas promessas de liberdade e
dem, Nossas le idas ainda veilemsangue !
Rece, rd a i que os ussasinalos cometlidos pelos
Carlistas anda eslo impunes heeordai
que loio elles queroubaiao as Coiporaces
religiosas Recordai que ioro eles que a-
villro a Religio e OS seus Ministros Re-
cordai em lim que foio elles que Iranslorna-
ro toda a orden da nossa anliga e prspera
__Suejedae Pensai o que ides fazer l o-
lbai que da actual escolha de Depuludos de- |
pende a paz m a vossa perseguidlo bem co-
mo depende sermos livres Portoguezes ou
esrravcs estrangeiros : escolhei: nada com os
Chamorros.
Ora aqui teem os nossos eitores urna das
armas de que os nossos Movimentistas lanc-
ro mo para levar Urna a gente da sita
cor A Naco porm cerrou os ouvidos s
hypocrilas pregaces de to eximios oradores ;
a Naco quasi unnime os repelliu da urna ,
e assim responden pastoral A Naco fez
nseudever. Ella conliou os seus destinos a
guerra com o sea povo qne parece ter maisi redo Camaigo Socio do metmo Gabinete oi-
conbecimentoda sua dignidade do que nos, j fereceoa sua Bililiotheca os liaros ehaixo re-
que tiememosdianto de um Decreto como no laeionados. Fita he asegunda offertft qua
Brazil um preto treme diante do seu Senhor
Nem nosdigad que faltamos ao respeito de-
vido Augusta pessoa de S. VI. m ninguem
mais do que nos reconhew as suas brilhantes
qualidades, e ninguem mais do que ni llio
consagra um amor mais filial : mas estamos
certosque a Fillia Augusta do Grande Pedro ,
s coacta, como foi, poda ser perjura. Fila
contiena os seus deveres como Kainha Cunsli-
este Sr. la/. .80 Guhineto-, o que prora assa/. o
verdeiro interesse que toma pelo progresio do
eslabclecimpiito.
homens (ue nao partilho as ideas exaggeradas tucioual e tanto os cnrihecia a Augusta vieli-
d'utopias imaginarias e asss desacreditadas ; ma da perfidia e da fraqueza que S M em
cumpre pois que os homens que ella escolhcii Belem proteslou a sua innocencia de que ni-
os homens que ella pieferiu correspondo s guem duvidava. Firmes pois em nossos priu-
esperancas da Patria, e nao desmereco o con- ripios e com a dignidade propria do homem
cei'.o q'dellesa Naco fez Sobre elles pesa im-
livre nao temos duvida abnima de eserevci
mensa responsabiiidade elles ja nao teem (llle 0i "ossos represeutanies da naco devmn
desiupa; ja nao SO dcsculpara que os Se. espiro ihrono portujJUei dessas nsltuicdM
embristas atrapalhue deiuoro todas as (lites-' republicanas de qae o ceicon irn homem que
oes ; elles cs'.o >s livres de seus Irillipos ^'n"le do nariz nao ve seno o Lafarelie.
Os Snrs. Deputados da naco cnnhecem
que sahiro Deputados nao pelo* seu lindos
loes
polticos ; conhecem as necessidades do Povo
o seu dever remedalas. Se o nao fizerem
se a amhico os desunir se lonsumirem o ",os mas poripie a naco se persuadu que
lempo em quesloes pessoaes a patria pros-' e"es representavo urna cousa qneeni Setem-
crever seus nomes o lancar-se-ha nos bra- i uro 'm assassinada pelo punhaj da desnrdem ,
eos do Absoluiamo seu U'tico refugio. eque hoe se percudc sepultar no Cemiteriu
F'elizmenle o liarbeiro dos Pobres nao tem l'a rdera. DifRcilmenleapparecor um povo
parentesco algnm com os novos Deputados da I *lue <|"eira ser escr;ivo mas tambera diffiril-
Naco e se antigos lacos de amsade o pen- mente apparecer um que queira ser doudo.
dem a alguns neir. por isso elle sacrificar o I ^ naco tem dado as mais ntanilestas provas
iiiteresse de sua Patria a alleices particulares. ('e flue qui'r ooiitiouar a viver soh o redimen
Relaco dis (Jhias.
J. J. de Rous e.Hi Obra* oipietei
TaUeyraml 'Vlemoriat para aervirem
a list'M-ia da Franca ....
Diccionario ToiKigrephicodo Imperio
do Brasil pelo Sr. Jo> Saturnino
da Costa lVrir* ......
18 Vol.
i "
i
3
Red le deJiinhode i8fo,
Luis (I i Costa Poi'toeirreiro,
i. Secretario.
TI1KA.TRO.
O (i.tiato de Lisboa encllente .Peca do ar-
chivo Titea t ral, to pedida, e desojada petas
pretritas Sociedades engajadas oeste Twea-
tro e que nao p le ir a Siena por fallar nt
Compaobia um actor cuja figura >o aprox-
masse ado cara*t tor O Sr. Lu/. Jos Bai ird) vai agora em
Sccna no di.i 11 do crrante a beneficio do
Actor Joaquim os da (rima. fuido a
parle do liaiato < Sr. Modesto rrancisco da
Chavas, nico, em quoin coucorrem a> quali-
re. : i i-................. "" .,,-...^...
Primciro a Patria depois os homens. Nao' 'e un,a Monarchm Representativa : consoli-l*^ P;";a desem|nho tpapel e qug assaz
conten por tanto os
vilismo dos nossos tyi
de combaier os nossos
, cieuois os nomens. |>ao. "- u'"a ""'"" iirpiescnidiivii ; ninsuii- \. ,' '
i Sis Deputados com o ser- d"1 pur tanto os Snrs Deputados esta Mo- e lia dadoeo graude trabitbo de M aproximar
typos ; se tiremos coraaem I Representativa na Augusta pessoa d:t Udodo rel, ido Aulltor. O Beneficiado
>ssos inimisos politieosfJ melhordas Soberanas, dem a seu ibrono to- "r;" *.' I,0,0S ,"u,t', "rai noemprego de
.. "i _'.____i .. ,l.w, v;,mr (,r,.a ,,, ,!. iur .inM. Eiiaaiador, coHU por nao conbecer .
Iirilhantismu do seu poder, nos comba i ere-i do vigor eloroa que deve ter conslitucio-
mos com a mesma lirmeza os nossos amigos se nalmente e mostrem a nossos inimigos que l,essoa' al5u.'".a "e
elles fizerem das Cadeiras de S. Bento cadeiras i na"o qiierem o Absolutismo : mas sim a lber- ; neSe ,ae"cl u
iisaiadort como por nao coniiecet? quasi
pessoa Iguala uesta Cidade den utterosse
neste beneficio ao Sr. Joio Jos Lopes pa -
de Conegos polticos. O Deputado de 180 dade'temperada por Iris sabias e conformes a ': %** fiwp a ^"buico dos Camarote, e
..s___:-.,'......e......___.-_ I........... d ^.........;-----...- r.~ -.._! Bilhetcs ; porom espera que os seos verda-
o vai ser s(3 usufructuario nao vai cousu- nossos usos Para conseguirem este fim pre
miro lempo e o dinheiro da Naco, nao vai: riso que eslabelecao urna Cmara de parw deiros amigos, e protectores, aque
tractar dos seus inleresses pessoaes : vo sal- vitalicios e de nomeaco Regia : que reor- j *?* !"*.'_*i!l>,.?g?
va
con
tuguoza. 1 al < a sua nohre misso. S|V<> e q
Pela Proclamaco que deixamos transcripta, de Justica que nao seja um cahos como este
deiros amiroi, e protectores, aquel les que
a honra
rpfor- *Uil esl,n,a dignem coucorior ao leea-
r opa, segurar o Throno da Rainha gaiiem um Conselt.o de Estad. ; que refor. ae sua esuma *e u.goem concor.o .o x o,a-
soldar a liberdade. e unir a Familia por- n>em o Cdigo Administrativo, que sobrar- ,tro "a f*,ta "l e ,l seu tie^Kl? ^ >n"
SUeta. Tal a sua nohre misso. vo e que dem Naci um novo methodo ta'' raa ? o[t'lu" "* ? hV J*
(eludo dos benemritos habitantes desta Ctda-
' ll" """ti......" iju. u(.iiiiiino Ll'lli^.lljll.l, w.w..Y ,|-----..-----------j------------------,* -.--------- ww'| i
vero os novos Eleitores do Poro que os seus.\ A naco reclama ero altos gritos um novo _
inimigos dizem que se pretende de novo er- syslema de Fazenda que seja mais regular,
guer o Despotismo! esta palavra Despotismo : mu's burato Nao.ha dinheiro que chegue,
urna palavra tola : depois que o Sullo deu porque o dinheiro publico anda revelia ,
urna ( uta aos Musulmanos nao ha despolis- pique elle serve desus'entar nm luxo nsiati-|
mo na Europa ; ba governos mais ou menos' Quando os Empregados pblicos ando'
liv
desengaiu
Avisos Diversos.
t53" O Escrivo dos Protestos desta Cidade
F.m Portugal nao ba o que verdadeiramente hoje sofier as novas
se chama urna onsliluico deflioiliva pode Manler este luxoz
dizer-se que ha apenas urna porco de Consti- blica metter
inicio que o chamado Congresso Constiluinte A naco por tanto espera
Quem pode
Abbaaias de Lobrigos ? i Aunes, precisare de um Ama para crear
luxo zombar da paciencia pu- I um menino de ao das de .tasado a ((..al Us-
ier OS dedos pelos olhos gente nha pando a pouco lempo dUndo-se prele-
,. tanto espera dos seus represen- juncia a que o. captiva-, nao se: olbando;.
a. Nem di- Untes um novo syslema defin.ncas, que a preco ;e sendo que teuba alguas habilidad,.
la existencia de orna Cmara de Pares Here- A naco finalmente precisa e reclama urna i
dlarios; mas a necessidade da naco exige Lei de responsabiiidade de Empregados; pre- quem tratar. Adverle, que suas "ge*P>-
quea Cmara alta seja vitalicia, e de sim- risa c redama a antiga organisaco do exer- em ser presenciadas po, qualque. tunoso, a
pies immeacao Beal. Se temos pugnado pela rilo: precisa e reclama a unio de toda a fa- jue promelte em pouco lempo motrai o seu
Caiia, alem de ostros motivos porque el- milia portuguesa, e esta unio nao pedo, *veo. ,. ., MM _____.
la, maismonaicbcaemais accou.mJ.lada realisar-se en, ..uanto houverem Por.uguezes, I WT Precisan de 16o rs. a juros p pou-
queda eslal;eleceu um pni.cip
anarthico, e destruidor do socego pblico ella, e espera ella dos novos representantes ;
principio assuslador eque nenhuru homem pois que ella est caucada d agricultura no
amantada liberdade deve sanecionar : falla- papel, d<: commercio no papel e d'artes no
mosdodireiloque meia duzia d'homens g'ri- papel Se os novos Eleilos do Poro lbe<|ue-
tadores carinados se ai rogao de mudar, quan- rem dar estes, bens depressa chega o aS de
doqueiraO, as lc;s do seu paiz De mais a IVlaio. se porem elles coutinuarein a tractar
queda da Carta trouxe cumsigo um exemplo de si, em vez de Iraclarein do Povo \ a ven-
lunesto u Liberdade, que nenbum Cidado derem por urna conuinnda ou por unta carta
livre podera elogiar e menos lavorecer. de Lonselho u Ciusa dos seus Couslituiutes ,
! altamos do decreto pelo qttal a Soberanna ao fundo v o vapor que o* conduzir e alui-
por um simples acto da sua Sobcrannia deno- daseja a estrada que por Ierra oscondu.ao
ga a Le luiidaiiient.il do l'aiz e manda pro- Capitolio,
clamar outra Esle acto que nao tem des- i ( Peridico dos Pobres no Porto. )
culpa seno na constante ccaceo da Soberao-,-----------------
na, filhodo Absolutismo; e como a Sobe-j LOTERA IX) L1VRAMENTO
raima ha va jurado a Lei fundamental, e esta I No dia fti do curente correm ini|>relervel-
Ihenodavao poder de a derrogar em qual- 'mente as rodas da Lotera a favor das Obras
quer dos seus ailigos sem o eoneurso das duas da lgreja de N. S do Livrainenlo e as ca-
Laniurus otare est que u acto em si loi an-! sas onde eslo venda bilhetes, troca-se os das
ti couslicucional e uuaichicamente abusivo e oulras Loteras,
allculaloiio as liberdades da nacao e ubiiu a
porta a Intuas tentativas. Esta nossa dou-
liina doulriua .-.u justa c aliamenle consli-
luciontl a doulriua que seguem os povos
livies, pelo despteso da qual Carlos to per-
de u o Ihitio, e o Re de llaiuiover est cm o lllin, Si. \ cenle TbomM Piresdu Figuei-
GAIIN ETE LIT PER ARIO.
Oabaixo assignado faz publico, em cum-
primcnlo a disposico do arl. ii dos Estatutos
do Gabinete Luterano de Peruambuco, que
co de urna casa, ftcando os seus ser vicos pelo
jurada nuantia (que be mu i lo proporeonal
ao seu valor) ou mesmo vender-se-lia ele. ,
prefer;iido-st o primciro negocio : quem per-
tender ou um, ou nutro negocio', duija-sea
esta Typ. que se dir a pessoa com quem
se ha de tractar.
Ij/- Os Sis. Credoies de D. Anua Joaqui-
na Concalves sen hora do eogenho Varze Grande podem i. receber o ultimo rateio no
Escriptrio de Manuel Goncalves da Silva ,
na ra da Caileia velba.
Iy D. Maria Joaquina de Miranda Heu-
riques previne ao respcilavel publico que
lendo desapparecido do seo poder huiu.. letra
da quaulia de 1:478^000 rs saccada na Villa
do lo em i8 de Fnvereiro de .Bit) a 1 -.
mezes precisos por Joab Manoel Das aceita
pelo Dr. Francisco Isabolom de Alenla Pi-
res e garantida por Joacjuim Pinto INoguei-
ra a. qual loi pelo sacador cedida em pagamen-
to a seo finado marido Pedro Manuel Duarte
oudini estando ella a pontada e proteitada e.
vista do que espera a anuuuoiaote que pessoa
alguwa laca negocio com a releriila letra .1-
j.ichcQdeno na mo de quem ella tur adiad\.


f
DIARIO DE
PERNAMBITCO
iauu
tor
mo
isy Joaquim de Arjoran Fonseca, Dou-jse, ou com seu procurador, ou pessoa en-
em Medecina pela facnldade de Pariz e envegada dos negocios de sua casa e sendo
>rador na roa nova J) 7, oflerece o sen que seja fallecido com seus herdeiros a pes-
presmo nao so romo Medico mais lam- r soa que der noticias quer de umaou omra for-
bem como operador e. parteiro, ;i lodas as ma na rua-da Cruz casa D. 18 a Rodrigo da
pessoas que d elle se qu i ser era servir, o i Costa Carvalbo ser recompensado.
nquelles cujis raeios nem sempre permit-
lem adiar un Medico promette que n'el'c
encontraras sempre toda a benignidade o dis-
vellos possiveis,
tTF" O accionista das caulelTas de todas ns
loteria s, avisa aos apaisanados deste jogo que
se acdo a venda camellas da lotera do I,_
ment no atierro da Boa vista loja do $nr
oso, nn roa do Crespo loja de miudezas
D.5. na ra da cadeia loja de miudezas 1).
\ e ras ponlM venda I), q.
A pessoa que quer tallar com o pro-
curador do preso Antonio des Santos, dirja-
se no beco de Joo Francisco casa que lem
vidrassas ou annuncie.
t* Frederico Sannders reira-se para Li-
veipool.
S3- A pessoa que precisa de urna ama
fuiocasa dirija-se ao beco le Jcio Fran-
cisco I). 7.
tST A pesua n 11c quer tingar tres *>rra-
ves dirija-se ao beco das bar iras na pri-
meira otaria.
SS5>- CHialqurr pessoa que nucir 600000
a premio de a e meio por cento ao mez sobre
boas firmas desta piara, peder procurar na
ra do Aniorim delronte de uin ferreiro 110
lercciro andar que poe os fundos para a ra
da Moeda.
^- Perdeo-se um meio bilbelecom o n
?45i a favor do '1 betro, o qual esta nssigna-
dc. no verso por Felicia Anlunes de Fre'tas ,
Brandina Felicia Pessoa de Mello, Antonio
da Silva Pessoa de Mello e Mara Antonia
das Mercal, a pessoa que o achon lera H ra
de lcitas D. 24 no J. andar e rogarse ;o
Sr Tbesoureiro da mesma loteria nao narue
u refeiido bilbele sendo esteja premiad' a
pessoa alguna que nao seja um dos assign
t" Arrenda-se um sitio rom nina "
lente casa de campo e que se pode i .
modar urna grande familia, no prin
estrada dos afilelos 5 quen o preted
a-se a ru das Israogeras casa da 1
Cimrgio PciioJo.
S3TA pessoa que qQer dar.urna escra 1
e ensinar a enKOmftiS* e &Cw, iirija-se
do C^ueimndo I.) 1 1.
tey- A pessoa que precisa lugar um q,. r
to no bairrode d. Antonio, di nja-se a ru;
do Coliegio ctica l). i,
T&r Uesaparecee do da 3 para 4 do cr-
reme ik> porto de Jcaquim Jos de Oleir
una canoa aberla com 9 p.ius embonados por
to.aa saber 4 travs de i palmos, cinco
ancliams de 3o ; quera das mencionadas
rousas tottber ou ii.e forera efiVrecidaa .,ar_
tecipeaoseu dono no atierro da |}0a lisia
Joaquiui Josa de Oliteira que serai recom-
pensado,
tar O IMesIre alfaiate Gregorio, mudotI
a sua residencia da ra da cadeia do Recife ,
para o caes do coliegio (oda
tST O Snr. que no da 1. do corrente foi
buscar urnas vellas de spermacete dizeiidoque
era para oSr. Francisco Antonio de Miranda,
queipa r pagar, do contrario ser publicado
seu nome.
r*y Aluga-se um mo'eque bom cozinbei-
rn e prompto para qualquer servico de urna
casa ; quem o pretender dirija-se a ra da
Cruz D, 4 segundo andar.
S^* A Coinpanbia dn gello avisa a os seus
fregueses e ao publico em geral que do
dia 10 do corrente em diante o preco ser de
8o rs. por libra.
523'" Precisa-se de um liomem para fetor
de um sitio, que enlenda de plautacoes de
o'talire e encherlar larangeiras ; na ra
larga do Rozario D. 7 no segundo andar
t?~ D. Lauriana Carlota Joaquina Tores
fora da provincia na ra da cacimba arma-
zem deassucar n. 5.
tST Urna venda sendo em boa na do bair-
ro de S. Antonio tendode fundos 600,000 a
700,000 pouco mais cu menos ; quem liver
annuncie.
- 1 11 iiiiiiniaa
ra de portas na ra de S. Amaro bem cons-
truidas e B moderna e um sobrado na mes-
ma ra a tratar na ra de agoas verdes De-
cima 38.
CE?" Me ios Bilbetes da Loteria do Livra-
mento a 3ooo; na pateo do Terco venda D. o,
V e 11 (I a s
tsy Um bahul de tartaruga todo marebe-
tado de pmta, obra riquissima e d'um gos-
to particular ; no pateo de S. Pedro n. 10 on-
de principia o beco da viracao
SS'" Um sobrado de dous andares e solio,
sito no paleoda MarrisdeS Antonio D. p ,
um pianno com pouco uzo e de milito boas
votes urna preti de angola sem vicios nem
aebaques ; a tratar no mesmn sobrado das 6
boras da manha as lo c das duas as 5 da
larde.
t^ Urna escrava de nacao com milito
linda figura, perita engommadeira cozinha
bem o diario de urna casa cose cha. refina
assucar e faz. varias Dualidades de dores, da-
Escravos Fug'idas
sobrinba do fallecido Joao Antonio de Miran- se a contento para se ver as babelidadcs na
ruadireita D. 70 lado do Livramento.
ss?" Qual ro travs de Xq palmos de com-
prido 10 a 11 polegadas por face e 8 a q
da mora nos a cantos da Boa vista casa ter-
rea da quina que volta oir a ras do Cuto-
ve
21,4.
pre e venda na ra pagando-se
lio II.
W frecisa-se alugar urna preta que com- por outra de masgaranduba e sapuraa de
pilao-, ditas de 36 palmos por fee, palmo e
torno por ou tro, de camassari, e pitia, 10
ditas palmo e torno em quadro 4'* palmos
decomprido, de pao de olio postas no Re-
cile ; a tratar no sitio de agoa fra de lebri-
0,000 men-
quem liver
rend
saes e dando-se o sustento
annuncie.
S^ Da-se 400.000 a premio de 2 por cen-
to o mez. sobre pinhores de ouro p-ala ou
hyppllieca em uina escrava ; na praca da Ib- be de Joao Lins Caldas,
depeudtncia u iq.
tSf Jos Leopoldo da Silva mora na ra
velba sobrado de um andar D 3$.
%ST Fugirodo engenho Martapagipe na
Villa do Cabo no dia 1', de Maio de 18o 4
escravos de Denia Antonio de Moracs Silva ,
com os siguaes seguintes; J0o Bumbura de
idadede o anuos alto de bom corno ; fe-
coens grosscir.as denles abertps vos a'iguma
couza grossa ou mea ronca com ofticio de
meslre de asscar serrador e carreiro,
Francisco fulla de idade de ati anuos de
estatura baiv.i grossoem proporefo roaces
do rosto altas queixo serco olbos grandes
denles podres com ol'Hcio de carreiro. IjrnaI
ci ereoulo de idade de i anuos esta-
tura ordinaria grosso em proporio do cor-
po nariz, pequeuo e me parece ter algu-
inas marcas de becliigas uo nariz bons den-
tes e quMiido anda cai com o coipo para di-
ante. Joaqun Bandeira de idade de a3
anuos estatura ordinaria secco do corpo ,
boas l'eices denles bous e abortos com ol-
ficio de disliLdor. J..ao liumbin Fran-
cisco Fulla ; e Jo.K|uini IvinJeira san du an-
gola que comprei mudando os denles Ip-
naci ereoulo e Juaquim Bandeira, f,,.'_
rao de ferro ao pescoyo e be muito 'natural
que lenbo lirados os.ferros por seren milito
ladinos os negros nao lem barba e podem
mudar de uonies. ou de graliicaco 0,000
a quem os prender ou der noticias delles. -
Diniz Antonio de *)Oraes eSilv.
l_^r No dia 7 do corrente fugiro da casa
doabaixo assignado morador na ra da cadeia
velna casa em que se laz sorvetes dous mo-
lecjues que represeuta ter cada um 18 anuos
o
r:i
Urna corneta viuda prximamente de
Franca (pie tem a virtnde de fazer ouvr a
quem be suido quando se aplica ao ouvido ;
%Zf Piecisa-se de umi ama para o*servi-|na ra nova no primeiro andar do sobrado ao
co de urna rasa deponca familia ; na ra no- j P <'il ponte lado do norte.
va padaria de Beuto Antonio Domingues. I *sy 3oo barrieas va/.iasque foro de fari-
SSF" A pessoa que quer romprar urna car- nba ; na ra da Cruz n. 4 *
roca, e um boi paras mesma dirija-se ao ts?" Um prcto moco muito possante e,
engenbodo brum casa de Vicente F'erreii a <^oni pralica de padaria : na ra Uireita lado \ co,n os siguaes segrales j um de nome Ma-
s da <>osta Miranda. : do poent O, 2o. noel, estatura regular cor bastante preta
3r Quem precisar de urna ama para to-j *^~ Urna preta moea de bonita figura gordo e bonito de rosto e oulro de nome,
do o servico de portas para dentro dirija-se a cozinba o diario de urna casa e engomiua ; Marcelino, da mesraa estatura nariz chalo,
cua de /lorias l). n. ni ra dos Martirios lado da Igreja I) 7. beicos grossos e cora alguns pannos pelo
52^" (Juem precisar de uro rapaz portuguez *^* A loj de sapatos da ra do Livra- ro3to ; quem os pegar ser bem recompensa-
para caixeirode loja de fazendas do que tem ment Q. 6 sortii(a com os lundos de .{00,000 do, Francisco Antonio Coelbo.
bastante j>ratica dirija-seao porto das ca- pouco mais ou menos ; a tralar na mesma &2y* a-se oo.ooode gratiricaco a quem
noasera casa de Joaquim Baplista Moreira UST Muito bom doce de goiaba em caixes pegar levar a seu Snr. um escravo de nome
que dil. graadas vellas de carnauba de 6 e.7 em li- Francisco de nacao rabiada bastante encor-
?35~ Hypolito Dga relira-ge para Macei bra ecbissou de superior qunlidade ; na pado altura regular, com um lalho em
a tratar de seus negocios. ra laiga do Rosario B. 1. um dos bracos por cima da monbeca e urna
SST Um preto de angola, bom trabalba- bairugauas costas logo abano o qual fui
dordeencbada e ptimo para o servico de do Sr. Ignacio de .Mello Pessoa, e noe be
I ra ; na ra de agoas verdes D. 38 110 segn- de Jos Gor.salves Fe reir Costa fu-io da
PARA O RIODFJ. segu viagem com bre- do andar. bordo do Briue Boaveolura em a5 de L)e-
bem rniihecido .. e veleiro l'ripiie CiT Urna nrela de idade de 1 annns rn- embro do anuo passado.
Avisos Maritiiiios.
......'''"' ,u,,"*as pessoas que! pi prnmota ; iiuem quiser carrejar 011 ir <
ue sh, presumo se quuerem uU,isar dirijao-1 passagem drj.,-se a rus da cadeia do Reci
se ao uiesmo lugar.
sztr L ni m(.co brasileiro
[ropue-se a srr
caue.ro iraimlhando algnm lempo p.ralis .
v da fiador a sua conducta ,|Uem u ,,,s:ir
annuncie. '
ar Ltaem annuneiou querer comprar rana
carroc* em bom u*o tum boi para a mes-
ma dirija-seao sitio da prima^ra o., ,s
netm do Lapitio Joaqun Elias de Vou-
ra, delronte da capella do Ro/arinho
szr AopateodeS Pedro O. 5 do lado da
viracao, alugao-secaisSespara deluuios, e
paraanjos, evestem-seosmesmos de qual-
q 1er vestuarios, por p,e (, mas romillmlfl
que e outra qualquer parle, com todo
' <' promjuido, etambem se armao
' |aa paro lestus icios fnebres.
fc-r O Refrendo Francisco Jos* Pereira
uroii macarla viuda do rorlo no seu
prio numea dina declaiado
MI1QO o
nacional Fama Capito Manoel Antonio de simia o diario de urna casa cose cha muito
Souza pi tem parte de sua carga; quem sadia e esperta e propria para mubanda :
quiser carregar dirija-se a ra da cadeia casa na ra larga do Rosario I). 7.
J->- "i ty Uns casaos de pombos muito bous,
PARA0CFAI5A' e Acarac a Escuna pr preco com modo ; na ra do Rosario l)u-
Flor da larangeira forrada e encavilbada de cima 5.
robre e de muito boa eonslruccao pretende S?* i4oopcdras de marmore de Suessia
sabir at o l,m do corrente por ter meia oargA vindas agora ; em casa de N O Uieber &
ir de Companliia ra da Cruz n (i ;.
geni tirija-se a ra da cadeia fio Recife! O^SS Mcios bilbeles da Lotera do Livra-
oja n 17. ou .i fallar rom o .Yeslre a bordo, ment a Jooo e inleiros a 58oo ; no atter-
iHoviiiinto do K^orto
Bernardo de Souza Souto,
Leil.
Co*su.ado de Frasca em Perkams
eco.
ro da Boa vista I). 16.
S2T Uina legoa de trra em nuadro no
termo de Macaje denominado ollio de agoa
propria para engenho e algodao ou outra j
qualquer planlacao : no pateo do Carino casa
BUrQuinta-feira 1 1 do corrente s o boras
da manila sefar a venda publica, no ar-
mazem de Lenoir Puflet & C. Ra da Cruz, i ua ra dn Cruz n. *- em casa de Manuel l-
I 1 \ c
por inlerevnco do t.'orrelor Oliveira, das
NAVIOS E:STIAD0S NO DIA 5
HAVRE j i8dias, Barca Francesa Camelia
de jogtonel,-, Lap. Ciuilber eqoip i5 ,
carga de l ver SOS gneros ; a Uubourcq
RIUEJaNEIRu, 18 das; Escuna An-
dorinliade ioj tonel. Capito Ancelmo
Marques Vieira ; equip. 10 carga carne
secca.
NESILAND ; 70 das. Galera Americana
J. Eduvardde 3i8 tonel Capito (ieles
Bayauy equip, ,8, carga azutle ) ao dito
Capito, veio relrescar e seguu para Ame-
rica do Norte.
S.AH1UOS NO MF.SUO DIA
ondemorou o Padre Cordeiro.
tar Um pardo proprio para lodo oservi o; k? JAEIRO ; ngue Barca Descu-
nrior Cap Joao iraucisco Fernandes,
pro-
quem ella
eui
pretencor dinja-se a tua la Cruz U. uA
casa de Jos A Uncida da 1 osla,
sy U Snr. L'omingucs lves Barbosa,
dirijysc ra nova u- ^ a fim de se Halar
negocio de s*u inleresse.
l^Mi O Sr. i cuente reformado Francisco
Gomal ves Anuda, dirija-se a ra da Sen-
zalla velba padaria de Antonio Jos Comes ,
para se Halar negocio de seu inleresse ou
tlfium ie sua morada.
tT leudo embarcado para esta Cidade ,
AJauoel Antonio de Campos Pereira Souza,
natural da Villa nova de Fsscoa Reino de
Foriogal, a iiais de 5o anuos c como a
Uiuilo seuu ieulia (ido noticias delle, eigno-
fazendas abaixo declaradas ca regadas em
Bordeaux para o mercado do Rio de Janeiro ,
a bordo do navio Pnovence, naufragado em
Lurena a saber ; e;pelbos, gravuras per-
fumaras relogios de cima de mesa loras
para senhora e homem, de varias qualidades,
sapalos para sen hora pancis com relogios,
coleles fiaia homem, cassai de muito bom I cunlronU o beco de S Pedro
caiga diversos gneros
ChAiiA* j Sumaca Brasileira Emilia M.
beiro da Silva.
It^s Aaeite de carrapato a 1200 a caada ,,
em porco de % inte ditas 1 na travessa do Ro- ,eronWB Antonio de Souza carga varios
zario IJ. 1 a. gneros.
r Umam-ra de naco cozinba. en- tAAA. .PortOS^inleamedios ; Barca de Va-
gonima
nacao cozinha en-
, e lava ; na ra da Guia n. 7,
i_J" Una preta com uina cria ptima pa-
ra vender na ra ; na ra de Dorias D. 10
lando-seal > fie ivo raso
seja muito
epieci>a fai'ar-lbe sobre negocio de interes-
gusto chitas finas lazendas de la penles de
tartaruga bem sortidos, setius gros de a-
ules Ka Un faz.euda linda e inteiramente
nova para vestido de senbora sedas |iara co-
leles cb.'illes e lencos de seda guarnecidos de
renda instrumento de msica relogios de
ouro a piala brincos e aueisde ouro, com
esmeraldas minos e brilhantcs alfine-
tcs de ouro para senbora de lindos gosios
com camafeos e mosaicos bezerros e nu-
merosos oulros objeclos de gosto muito moder-
no, Pernambuco.4 de Juubo de 180,0. -
Barrer, Cnsul de Franca.
Compras
\ar Carueiros, todos os dias j no assougue
francet derunte da cadeia.
t-J- Escravos mocos com liabelidades, para
porS debastiio, Cap. George Miiiebu ,
Curud va 1 os gneros,
ExNTllADO NO DIA 6.
RIO DE JANEIRO 5 9 dias t otaca Goleta
Las Uolcresde so tonel. lauhar eqnip. 10., carga lastro,
DIA 7
TERRA NOVA 5 3o das, Barca
Mouchele de 161 tonel.
i^r A padaria da ra direita D. ,\i ; a
tratar na mesma.
tsr Um pelo ereoulo de idade de ao an-
uos bem coziubeiro e de bonita figura, a
tratar un ruada praia serrana do Cardial,
tS~ Brelanliasde 10 varas a looo peca ;
na ra do (ueimado D. 10 loja de. Sanios
Braga Coinpanbia.
t3T Paia o mallo ou fora da provincia urna
preta moca de bonita figura, cozinba, en-
gomina e lava roupa da-se a contento 5 na
ra do Queimado D. 7.
tsr Urna prelada nacao, muito'moqa e
de bonita figura ; na ra da Conceico da
lioa vista nr a4.
CS" Una venda no bairra da Boa vista ,
sita em bom lugar; a tratar no atierro da
lioa vista com o ar, Abreu.
tsr Duas moradas de casas terreas em fo- [ RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. _- 1 |t
Ingleza
Capito Tiiouiaz.
Bulla equip 11 tarja acalhu i a A.
C, J.
NOVA HOLANDA ; 75 dias, Calera Ame-
ricana Esiounaricen de o toijel. Cap.
Joo liis equip. an carga azeile : ao
dito Capito veio relrescar e segu par4
A un 1 ka.
OBSERVAgOENS
No dia 8 se fizero de vella do bameiro a (i /o
ier^Ameraua John e Eduard e a Ba|
ca Ingleza Alfrid.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8NUPREED_VDNXHF INGEST_TIME 2013-03-29T17:35:29Z PACKAGE AA00011611_03524
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES