Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03482


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXVIII
Quinta feira 19

DIARIO
UI(?0 HA ao-oairoAo.
Paoahinto Adi.htado.
a-o, trimestre .
tor semestre .#..*.
Por anno i.....
PiaODENTIO DurBl-KSHI.
Poi quartel.............
SfOTICIAS DO lMfSBIO.
Pari.... l de Julho Minas... M deJuIho
Maranbao. 2! de Jim S.Paulo. 17 de Jnlho
DJ*- DA HMAWA. ADDIMNCl As.
4/000 16 Seg. S. Hoque. I J-isods Orpaaa
8/000'
15/000
4/500
i7Terc. Si Mamcdcj, e5. s 10hora
ni, 1. tara do civil-
iSQuartS. Clara. 3. e 6. ao meio-dia.
19 Quii. S Lui. Fattnia.
30 Sen. 8. Bernardo j. e 6. a 10 horaf.
ab.doutorda lgrcjai 2. vara do eivtl.
' ISab. S. Joanua r.i, eaabadosao melod.
Cear___ aqdedlto R. d7.. J; de Julho 22 Doin-l2S. Joaquinn Kelatfo.
I'arahiba II 1 le Agosto Hahla... de Agosto l'al da S. V. M. de D.|Tercas e sab.dos.
inaiilDii.
de Agosto de 1852.
N. 185.
PERlUMBlfGO
__t?
Cresceate i 22, ai i horas e 48 minutos da m
Chela a 29, aos 43 minutos da larde.
Mlngoante i8, aos 'H minutos dan,
ota 16, os 21 minulo da tarde.
lAUMlIBl lOJ
Priinelra as 1 horas e t2 minutos da manha.
Segunda as s horas c (i minutos da tarde.
VASAXIVAS OC OAAIIOI,
laana e Parahlba, ineguadas t sextas-
felras.
lio-Grande-do-norte e Victoria qulataa
fe Iras
o ni lo, Caro., ni, c Gara nh un a no le IS decad"
mst.
Plores,Ouricurr.Eiu e Boa-Vista 13 e 28
lumia, lodosos diat.
Todos os Correios partemao meio-dia.
NOTICIA I IITlNOtlBll.
3 de Julbo
Suissa.... 3 de dito.
Suecia... a de Junbo
Inglaterra 8 de Julho
E.-Unidos Sude Junho
Mxico... 3 de dito
California > de dito
Dinamarca 36 de JiinhoChiil. 9 de Malo.
Russia... 2o de dito lluenos-A. IdeJullio
Turqua. 20 de dito Montevideo 5de dito
Portugal Mde Julbo Austria ..
Hespanha i de dito
Franca .. 8 de dito
Blgica... 3 de dito
Italia..:. dedito
Alemanba. de dito
Prussia ...' dedito
CAMBIO BE 18 DE AGOSTO
Sobre Londres, a 27 '/, a 27 '|, por d. 1/000
Pars, 345
Lisboa,lOOpor canto,
ITAII.
Ouro.Oncas hespanbolas............2B/000
Hoedas de 6/400 reina.......... lb/Uin
de 6*400 novas.........16/000
, de4/000................ 9/WMI
Prata.-Patacoesbrasilelros........... J/WO
Pesos columnarios............./'-"
Ditos mexicanos.............. 1/810
PARTE OFFICIAL.
SUPREMO TRIBUNAL l)E JUSTigA.
A'ei/ao em 16 de julho de 1852.
Presideucia do Eira. Sr. conselheiro
Pereira Duartc.
A'a 9 horas e 1/2 bro -so a sessSo coraos
Eiras. Sr. cooselheiros Nabuco, Pinto, Pa-
canha, Perdigao Malheiros, Siqueire,Ser-
queira Lima, Veiga, Franca, Ponce de l.eflo,
e Castro Mascaretihas, filiando com causa
os Exms. Srs. conselheiros Csmpos, Almei-
da, Brrelo Pedroso, Mallos, Verneck e Car-
neiro. ,
r-*.lida eaprovad a acia da antecedente
EXPEDIENTE.
O couselheiro Bernardo do Souza franco
respondeu as reclamacOos dos junes de di-
roito Julio Fernandos de Barros e Lourenco
Jos da Silva Santiago, e Jo3o Caldas Van-
os de Antonio Goncalvcs Msrtms.
Mandou-sc registrar a carta do desembar-
gailor Jos Ferreira Soulo.
A'arposifOf.
Espostos os processos ns. 4710, 4730 e
4741, passou-se aos
Julijamtnloi.
N. 4717.Relator o Eira. Sr. consalliei-
ro S'rqueira Lima, recurrento Domingos I "JJI'
Francisco Cavalcanti. e recorrido. D. Ignez, >f '"
Mana das Nevos e outros: Coi nogada a re-
vista.
W. 4721.Relator olim. Sr. conselhei-
quanlia co relacao a uina despea certa c de-
monstrada, c se ordena depois um accresclmo
da mesma despcia pelo accresclmo dos arlj-
gos, que haviam dado lugar a consignacao
Indicada, he fora de duvida, que est auloii-
sada sua realisacao c aasiui deve enteuder-se
d'ora eui dianle, aein que todavia delxe a
Ihesouraria de representar, como a cima fica
dito. ,
Dito Ao cominandante superior da guar-
da nacional do municipio do Rccife Iransmit-
lindo, por copla, o aviso do ministerio da
Justica de 21 de julbo ultimo, determinando
que scjo dispensados do servico da guarda
nacional os capataies da capitania do porto
desla provincia Igual copia fol lemctlida ao
capitu do porto.
Dito Ao chefe de polica Inteirando-o de
baver, de conformidade com a sua Informar
cao, deferido o requerimento em que o !
amanuense d'aquella repailicio, Amonio Josc
de Falas, pedia 3 meies de licenca com scus
vciiciiiicnlos Communicou-sc a Ihesoura-
ria de lancnda,
Dito Ao coiumandante do vapor Cumuai-
t para que declare quaudo poder sahlr
para a corte, visto dever Smc. seguir para al-
li, logo que esteja prompto o vapor sob scu
cumulando.
m Ao presidente do conselho gcral de
saluliridadc dizeudo, que, para poder cum-
prir o aviso do ministerio do imperio de 26 de
julho ultimo, remella Smc. todos os escrip-
' se Icnbo publicado sobre a
e bem assiui quasquer cscla-
iir possa ministrar respeito.
Di lo A thesouraiia da fatenda provincial
conbeclmento do governo imperial, de quein
va I'erelra, pretendende verificar o aforament"
depende o augmento de crdito, se o actual ''o que Ibe pertencla, e que se Ihe desse seu ti
nao be sufTicieute, e que passem para a com- lulo, requera que se mandasse o engenheiro
pani.ia de artllela os aprendlzcs menores, que medidor de mariuhas faier a separaciio, c as-
cstiverem no caso do artigo 10 do regulamento slin tambem se pralicasse a respeito do foro,
de 3 de Janeiro de 184j = Ncste sentido olllcl- observada a regra de proporcao, para se llic dar
ciou-seao director do mencionado arsenal. titula de conformidade, pagos os furos venci-
Dito Ai j ni/, relator da junta da justica los ejaudemio. O terreno era o de n. 165. Sua
transmittiodo, parasercui relatados cm sessaoAietlcao concebida nesses termos to precisos e
da inesma junta, os processos verliaes feilos retaros foi informada pelo cogenheiro medidor
soldados do 4a baialho de arlllbaria a p, jf m i .'> de maio, e por ofllcio deslc governo d
M.i.-ini i Gomes dos Sautos, Miguel Alvci dos
Santos, Felippe Jos Ferreira, e Joaqulm Bar-
bla. Communicou-sc ao commando das
armas.
Dito Ao ebefe de polica transmituudo o
extracto deym omelo, que o ministro rejttw
i'iii Impeiio em Uamburgo dirigi reparli-
cSo dos negocios eslrangeiros, e recommen-
daudo, que informe com as noticias que teui
tido sobre a familia de Miguel Jos Autuoes,
e comas providencias que lem dado, para que
elle soja receido e tratado da sua inlcr:i.idadc,
logo que chegar da Europa.
Dito Ao director do arsenal de guerra,
para rcmelter ihesouraria de faienda urna
relacao nominal dos africanos que teiu sido en-
viados para aquelle arsenal, declarando o des-
tino que se Ibes tcm dado, c as ordeus cm ver-
lude das quaes entraram para o mesiiio arse-
nal, e dille aahiro para outros cstabclecimen-
los.
Dito A thesouraiia da fazciida provincial.
para que, em viita do certificado pajsado pe-
lo director das obras publicas, maude pagar
ao arrcuialanle di conclusa do atierro e'cr-
uo da casa de dctcncJo, Antonio Jacinto Hor-
ges, a importancia da -i' prcslacao, a que elle
para mandar pagar as diarias dos presos no- ... -
brea da cadcia de Olinda ao procurador da ca- i leui dircilo, por ter feuo mais da mclade das
ro Ponce de LeSo. recorrentn D. Candi Ja mata da mesma cidade, Jos de Mello Cciar obras do seu contrato. = Communicou-sc ao
Aeoslinh de Barros, e recorrido Jos Can-'de Andradc, c nao a Jo.c Cciar de Mello, relerido director. ..., ^,,j
. .1_______ ik ..,!....,,.., nilielo ,ip'!t de iulho I Dito Ao administrador do coneio duendo,
em vista de sua informacio, que pode Smc.
levar aoconhcoiiiicuto do governo Imperial, a
mu de ser oppottunamente approvada a pro-
posta, que fes a cmara de Ouiicury, do pro-
fcssurdaquella villa, Manocl Francisco de Sou-
za l'cixe, para ali ejercer i lugar de ltente d'a-
quella adiuinislraco.
Dito Ao dircelur das obras publicas, para
forneccr por enipreslimo au major de enge-
nbeiros, eucarregado das obras milisarcs, um
agulbao, c aeis bandcirolas, para as operacoes
geodsicas, de que se acba iucumbido. Coin-
inuoicou-sc ao referido cngcuheiro.
Dito A admiuisuacao do patrimonio dos
orpbaos aecusando recebido o otlicio, com que
aquella admiuislracao lemeltcu uina copiado
termo, pelo qual a mesma aduiiuistraco con-
traloupor seis anuos o arreudamenlo da casa
n. 3 da ra do Crespo com Doiniogos Antonio
Gomes Guinarcs pela quaiiliaannual de 90q/
reis, e d clarando que approva esse contrato.
Dito A uiesma approvando o contrato que,
segundo o termo que amesiiia adiuiuislra(o
i e'uieiti ii por copia, celebrou ella com Manuel
Antonio dos Santos para factura dos concerns
c obras, de que necessila o collegio dos or-
pbaos.
Dito__A mesma inteirando-a, de haver lan-
zado subre o rcqiierlmeuto de Mauocl de Al-
meida Lopes, morador da casa u. n da ra do
Encaiilainculo, o despacho scguinlc. A pe-
ar da procedencia da iiil'ormaco da almiuis-
tracao para se dever sustentar a arrcuiatacao
doalugucl da casa felta por Barros I.eilc, deve
ser alteiidido por equidade o supplicante, re-
novando-se-ilie o arrcodamenlo uelo preco of-
ferecido por liarros Leite, visto estar inorando
na casa e ter despendido com sua pintura e ca-
lafeto.
Portara Rccoinmcndando, que nao se po-
nba o menor embaraco ao corte de quarcuta
duiias de prancbes de amarello, que, por
aviso de de julho ultimo, se concedeu licen-
ca a Manocl Xavier I'aes Parrelo, para cortar
as mans do seu engeubo Mamucalia nesla
provincia, teudo-sc porm o malOC cuidado,
alini de que, por esta occasio, nao se dcciii
abusos. Cummunicou-se ao inspector do ar-
senal de mariuba,
DEM DO DA II.
dido d-C.nr.ltao Medoiros: foi negada .\~mm *tf*~SS?&
revislt. _____ deleitado ler-sc equivocado no noinc do refe-
Fechou-se a sessSo depois do meio da. ridobprocurau(,r ul requUleSo do pagamento
^^^ _____ Coinmuiiicou-se ao inesino delegado
Dito Ao doutor Jos Juaquiui de Moracs
rAVPKNri IIV PROVlN(ll_. Sarment- Havendo se creado na corle uina
-UV-ULMJ U.\ rnUIHlUM. commissao especial, composta de cinco mc-
PEDIENTE DU DA 9 DE AGOSTO. | dicos para ministrar ao governo lodas as in-
OfHcio Ao commando das armas rciiict- |orlnacoes e esclarccinicnlos precisos para a
tendo, por copia, o aviso da rfparticao da aj0.,cj0 jc medidas tendentes a eslioccao da
guerra de 26 de junbo ultimo, no qual se de- |cj,rc aiarc|la, e havendo a referida coinniis-
clara, que os olliciaes do corpo de saiide, sao pr0pUSW a crcaco nesla provincia de uina
quando servirem cumulativamente em corpos, hospitacs, ou enfermaras militares, le'' qual se corresponda sobre os Importantesob-
direito, alm das vantageus estabclecidas jccluSj jc (iuc fol eucarregada. Houvc S. M.
nos arligos 21 e 2 do regulamento de 22 de 0 imperador por bem, couformando-sc com a
fevereiro de 1851, as que anteriormente se lneocOBada proposu, mandar noinear a Vine,
abonavam por este servico. Igual copia re- a0J d0U(0res Aleandrc de Sousa Pereira do
miien-M .i tlicsouraria de fasenda. Carino, c Cosme dcS Pereira, para coinpo-
Dilo Ao inesino, para que cm cumpn- M_ SODrcdila commissao.
me n i i .ni aviso, que remelle por copia do j'ransniiltiiido pois a Vincas inclusas copi-
n,inmuno da guerra do de julho ultimo, as dUJ avUo de 26 de julho prosimo fiodo e
enve aquella secreatia de estado as fes oe c ,\ c junbo relativos estes objectos, e
oflicio, e iuformaces semestres dos omeaes coniajoque Vmc, eos outros membros da
que pertencendo ao quadro do eierciio colnin|ao se presten de bom grado a faier
se acharem empreados no corpo policial, ou ma, cllc beneficio ao paiz ei bumanidade,
asrdeos de qualqucr autorldadc nesta pro- oonvi,i0.0 a comparecer uo palacio do gover-
vincia. uo a dia 16 do corrente as 10 lloras da ma-
Dilo Ao uicsmo, remellendo copia do avi- anaa a mil de ae dar pnoolpio aos trabalhos da
so do miuislerio da guerra de al de julbo ul- Cmniissao, cerlo de que para o oesempcnbo
limo, determinando, que se d balxa do ser- ,jcflla importante indi encontrar a coinmis-
vico ao soldado do batalho de artilhana a sao ,ia parte da presidencia a mclnor disposi-
p Pedro Joaquim, lho da viuva Joaquina a0 ,, coadjuvar com todas as informa-
Maria da Luz.
Dito Ao mesmo ,
de
coinuiunicando_ que,
sepundo conslou de aviso da reparticio da
guerra de 15 de julho ultimo recolbeu-se
ao hospital miliiar da guaruicao da corle
i,,,,,, i,, He ser tratado, conforme pedio o
furriel do corpo policial desta provincia Jo- remella uina relacao das pracas do corpo de
des, c piovideucias a scu alcance Iguaes
ollicios Ibraiu dirigidos aos dous doutores a
cima uicncijiiados.
DEM DO DIA 10.
Ultimo Ao coiiiiuanJo das armas para que
lurriei uo cuiiio i,u,i,i.i ..^v. ,.._.----- ------------------ ^
s Juliaodo raacimenlo, que all lora a ne- polica que esliverem prezas ( com exelusao
gocio de seu inleressc. das que ji forao sentenciadas a prisao ou a
Dito Ao mesmo transmiuindo por copia, respeito das que ja exista processo ) declaran-
o aviso da renarlicao da guerra de 10 de do-sc odia mez c annoc.n que comecou a pri-
iulho ultimo, cominunicando haver-se con- zo e o motivo, c no caso de ter sido por de-
CAdldo licenca ao f lenle do batalho scrcSo deelarc-se a sua naturcia.
. a. v..... liio Ao mesmo remetiendo com aviso da
de a ilhaiia a pe, Jos Antonio da Fonccca
Lcssa para continuar a estudar na escola mi- repartido da guerra, o requenincnlo do bo-
litar lim de coucluir o cuiso gcral da ticario Joaquim Ignacio Ribeiro, pedindoser
mesma escola contratado para lornecer o medicamentos nc-
Dilo A ihesouraria de faienda remellen- cessarios ao hospital regimenlal desla pro-
do por copia, o aviso do ministerio da ma- viuda, a lim de que informe com o scu parc-
rinhadc2.de julho ultimo, conimunican- ccr sobreessa prctentao.
do ciuc o Exui. Sr. ministro da fasenda de- Dito Ao mesmo enviando, por copia, o
clarara cm oulro aviso de i7 desse mez baver aviso da reparlicao da guerra de 3 de julho
ordenado luco forneciiuculo e equipaincnto ullimo, communicaudo haver-sc concedido
da escuna LinaW empregada no servico da trez mezes de licenca com sold simples para
aliaudega desla cidade, seja feilo pela mesma ir a corte ao capilao do ""talhao d arlilha-
raria explicando o engao que houvc de sua
parle no que cm do correnlc dirigi pre-
sidencia, cerca do preco, por que contratou
a inesma Ihesouraria com Ignacio Fraucisco
abral Canlanil a obra dos concertos de que
necessila o qiiarlcl da companhia de arliUces,
declara ao mesmo lempo, que a referida obra
fol arrematada pela quantia de 365/000 rs, c
previnindo-a de approvar semclhanlc arrema-
taco.
Dito A mesma devolvendo os papis re-
lativos as requisices de medicamentos c ou-
Iros objectos para a colunia de Pimenteiras,
ii o de que mande proceder ao orcamcnlo
desses pedidos, c o envi secretaria da pre-
sidencia com os nuil, nuil I i-, papis.
Dito A inesma dizendo ficar Intciradn
de baver Iguacio Francisco (.abral Canlanil
arrematado a obra da abertura de una ca-
cimba no quintal do quartel do Hospicio pela
quantia de oito ceios c setenta mil rcis, c dc-
>l ii.mili, que approva essa arrcmaiacao --
Commuuicou-sc ao cumulando das armas.
Dito Ao dlrccior gcral dos indios remel-
lendo por copia a informacao que deu o di-
rcelur da aldeia de Harrciros sobre o requeri-
mcnlodo Major Francisco Santiago 11.unos, c
Icclarando, qilc o aforameoto, de (|ue fas
meucaoo dito director paicial, concedido ao
referido Ramos, he nullo, se bem que mos-
tr, que elle nao se julgava douo desse terreno
Rcspondcu-sc ao director da mencionada
aldeia.
Dito Ao guardiao do convento de S. An-
tonio desta cidade remetiendo dous requeri-
mcnlos de Ignacio Lulz de lrico Taborda, e
Josc Joaquim da Silva Maia, a lim de que Sua
Rcverenditsima diga o que Ibe eonvier res-
peito dos terrenos de marinha, de que tratu os
iiicsiuos requerimentos declarando o titulo,
por que possuio os ditos terrenos c os al'orou,
c desde quando.
Do Ao inspector do arsenal de iiiarinlia
a ilorisando-o, i vista da informacao do inspe-
ctor da Ihesouraria de fasenda, mandar abo-
nar i cada mu dos africanos livres emprega-
dos no servico daquelle arsenal urna gratili-
caco diaria de oitenta rcis Coiiiniunicoii-se
a inesma Ihesouraria.
Dito Ao dirccior do arsenal de gurrra
para mandar foruecer ao caicerciroda cadeia
nacional de 17 de julho ulli o, pela qual se jdcsta cidade urna (echadura grande e segura
maudou fatcrpela alfandcga desla cidade o for- para a poita principal da mesma cadeia, visto
neciuicnlo e equipaiueiilo da escuna LindoM' haver-sc imiulilizado, que nella exista--
empregada no servico da mesma alfandega. j Communicou-sc ao chefe de policia.
Respondeu-sc a referida Ihesouraria. Dito Ao jui de direito da comarca do llrc-
Duo. ~ A comiiiissao uomeada para a orgaui-'jo diieudo licar inteirado do conleudo doofli-
acao do regulamenlo dosservifos fnebres, rc-j co, cm que Smc. communica, que por
metiendo os papis relativos ao regulamento; aehar-se anda em uso de remedios, uo ibe
dos mesmos servicos para que extreme o que Ihe possivel regressar para a sua comarca, e
perlcuce ao servico dos carros fnebres do que declarando, que nao pode Smc continuar a
perteoce ao servio dos fuueracs, tendo em.vis-, vencer ordenado, salvo se o governo imperial
ta as alteracflcs que propc a cmara muiiici- Ihe' o conceder com a licenca que requereo ao
pal uos oflicios que lainbein reinette. iiirsmo gove.no.
Porua. Concedendn a licenca que pedio Dito Aojuiz municipal da i" vara Intci-
Miguel Augusto de Ollveira, seohor do enge rando-a de havc-lo nonieado para presidir o
nho Camassarj-, para fazer conduzr das malas | aodamenlo dis rodas da lotcila de N. S. do
de Araguab em Una para aquello engenhoj Rozado da Boa Vista, que lem de correr no
urna porco de piio d'arco c amarello, que fez dia i6 do crrente.
cortar para una roda d'agoa, caixa desla, c cu- j Dito = A tbesouraria da fazenda provincial,
dos respectivos, fazendo-sc o embarque da mes- couimunicaiido baver approvado a despeza de
ni im ule; i.i no porto de l'arreiros, C recom-1 a j560 res, felta peio director das obras publi-
mcndaiido as autoridades locacs que nao Ibe, cas com oacceio da ponte da Boa Vista ; c bem
ponham o menor embaraco, tendo porm o assim a de Sjooo rcis com alguns reparos do
uiaior cuidado, para que por occasio desta li-
cenca, uo se pratiquem abusos, ficando revo-
gada qualquer outra licen{a para o mesmo lim
oblida pelo referido Ollveira.
DEM DO DIA 12,
(Juicio. A ihesouraria de faienda, dizeudo
de 9
e junho, conformando-sc com o pedido ein-
rmaco, mandou-se passar titulo com decla-
Iftaco >: se proceder as precisas notas no assen-
faaiento relativo ao primitivo foreiro Silva Pe-
Ira. Has o engenheiro em v_s. de clngir-se
i 'lulo c'concedidopor este governo passou a
medir dous terrenos de marinha, a que deu o n.
IC& A, 165 li, o prlmciro com seis bracas e seis
palmos de frente e i. de fundo, o segundo com
igual frente c78 bracas de fuudo.referindo se ao
ofuciodcste governu de 9 de juntiojcilado.que
dcllesnao IraUva, c assim fcita a meilifao com
assislencia do procurador fiscal, queni com-
pete dirigir a diligencia c fiscalisar sua exacti-
do, pelo que respeita so pedido e conccsso,
desse titulo Gabriel Antonio de mariuhas que
o governo uo Ibe concedeu, o qual por consc-
gulnte he oullii, c nao picser objeclo de trans-
ferencia que solicita, pelo que o remello V.
S. para arcbiva-lo, pondo-lbe a nota de sem
efleilo -entregando ao mencionado Gabriel
Antonio a pelico que o acompanbou, c man-
dando realisar a coucesso, que se Ibe fez pelo
ofBcio deste governo de de junho, relativa-
mente ao terreno oceupado pelas suas casas, e
devendo o procurador li.cal obriga-lo a tirar
titulo de qualquer outro terreno, que oceupe e
esteja cm iguaes circumstancias, porque o fac-
i de estarein j levntalas propriedades sobre
as marinbas, ou sobre qualquer outro terreno
da fazenda nao exime os posseiros de reconhe-
cer o seu dominio directo, ncui Ihcs aproveila
prcscrlpco alguma por estaiem consliluidos
em m fe desse que edilicaram no tenciioque
sabiaui ser da fazenda e do qual uo tiuham ti-
tulo legalmenle conferido.
Dito. Ao iuspeclor do arsenal de iiiarinba,
coiuiuunicaudo baver o iuspeclor da Ihesoura-
ria de fazenda participado que passava a dar
execuco a ordem o. 7.1 do tribunal do lliesouro
caes do passeiu mblico. luteirou-sc au ie-
ferido director.
Dito Au ciiuiii. ind.inli superior da guar-
da nacional do municipio de Saoto Anlu di-
zendo, que vista da informac i, que reniet-
le por copia, nao pode ser satisleila a reqisi*
cao, qucSinc. fez de viute c una espadas com
avista de sua iiiformacao, sobre o requcnmeu-!lalinii a a ,uzica do i bataluau de uuar
lo de D. Umbclina Alaria dos l'razercs ^lguel- ua, aclliacs daqUelle municipio.
redo, que a cunccsso que se Ibe lez, de o hra- j Ullo = Au viBatlo da freguezia .le S. Pcdr
, .gario ua ireg
cas de mariubasesta sem elleilo, pois nao iii.hi Jiarivr de Ulinda approvando a proposta
, .... i.. ., ... i..-....,- ,1., ......I,, -i, n<< il,.|.,.ii. mfr .. .....**.
que
de Noasa Scnliora do Carino. ta do eogeuheiro civil Ueorique Augusto Mile
Dito.-A Ihesouraria de fazenda. Dcvol- sobre a concliisao da estrada da Victoria, aluu
'-.__ __s_*__i____- -js.aps! ttXtt&ttzsxzz. Wfl?s SSSS^Tl
pensado do coileio da mencionada escuna.--------Igual copia rcinelteu-sc Lhes
Igual copia remeueu-sc ao in.pccier do refe- faiei.da.
mulo, e os termas de medicao nao devem ser
entregues < partes, c siin reinctiidos tbcsou-
raria para se juntaren, aos respectivos rerjue-
rimenlos, eiuquesc pede aloraincnto.
Dito. Ao director das obras publicas, di
zcodo que pJe S. me. maullar veuder como
in-Mca cm scu olTicio de V do corrate, os di-
versos utensis pcrteurcnlcs varias obrasda-
OITicio, Ao commando daa armas, para quella reparlicao, que estando a executar-sc
mandar prestar, no caso de ser possivel, urna por administracao, passaram a ser concluidas
guarda de homa para acompanhar a procltsao por arrematacao, dando S. me. Cunta do resui-
de Nossa Senhora da Uoa Morte, que lem de sa- tado presidencia. (4Uua a. __,..,, ,,.__ ...M.......--------------------
hir no da fi do correnlc a tarde, uu cuuvcnlu Uiio. Ao inesmo^reractteno ""a_Pri*P0*' j Uver com a f.i_ciida publica, duraule o lempo
em que o .jachare! Antonio de Va.roncellos Me
nees de -Jrumouil oceupar uileriuameule o
rcl'eridu lugar. -- Nesle seutidu tieram necessarias commutiicaocs.__________
Smc. ie, de ioae berrena Kistos para o lugar
de Luesoureiro das luteiias concedidas a favor
das obras da igreja mairi- daquella Ireguetia
visto ter pedido demlMio da lu.tiauuo de Aquiuu terreira, devendo porcm
o uomeado prestar lianca idnea, ua lorma do
estylo, antes de entrar em excrcieio. Com
uiuuicou-se a ihesouraria de foseada.
I'urtaiia Noiucaudo o bacharel l.uiz Felip-
pe de Suu/1 Leo para -civir o lugar de pro-
curador liseai da ihesouraria de lueoda em
todas as caucas, que Mauocl francisco Duade
edicn dos terrenos de mari-
Oilo. Ao coiumandante do presidio dcFer-
informar se eateve ou ainda est
aosolqectos a que se destiuo as diflercnies ment da dcspcia annual do mesmo arsenal,
consicnaccs, quer em relacao ao pessoal, mande aquella ihesouraria satisfazer a des-
conven, que logo a ihesouraria represente pera inensal do seu pessoal actualmente cxis-
.obre a occessidade do augmento do crdito tente, o qual uo podera ser augmentado,
respectivo- sendo para nolar, que cm lal sem que seja competentemente autorlsado o
coso a lalia de ordem expressa, autorizando accresclmo de despeza; convindo, que se
csse augmento de crdito para realsr-sc a aprsente um dcmonslrativo elassiheado das
despeza deve enteuder-sc supprida pela que despeas do mesmo arsenal, compreliendcn-
a autur'iaou, pois desde que se coobignai uina do tudas as suas preeiaoes i^l^fjjy^aj^0
FOLHETIfl.
0 CONDE OE CARMAGVOLA. O
(POB Miii.i-. i.i:\ i ii.iniM'ii..
I'RIMF.IUA PARTE.
J_Qvjt__.___6!5
X.
~J apirrif^
Carmagnola achou em casa do Visconti iim
Ibe a mo com uina fainlllaridade cbcia de be-
nevolencia; mas, longc de se deiiar engaar,
elle vio nisso uina nova prova de que sua per-
da eslava resolvida no espirito de visconli, e 11-
cou inai.- determinado a levar a eB'eiio o pro-
jeclo que havia formado, projcclo atrevido que
devia aceelerar sua queda, ou assegurar para
sempre o seu futuro.
Charo Carmagnola, lhedlssc Visconti, vos
drseiastes que o condeGrimaldi eosenlior-de
Carrara assislisscm a conferencia que vamos
ter, ei-los aqu; vos me prcvenisles de que o
favor que tlnbeis que pedir-me era dos mala es-
trondosos, e eu creio dever len.brar-vos diante
das duas teslemunbas que escolhestss, que es-
sa favor, por maior que seja, nao me desobriga-
r jamis para com vosco de tudo o que haveis
feito pelo poder c pela glarla de incu notnc. ral-
la!, pois, afouiamcntc, pedi a recompensa que
(* ) Vide Mono n. 183.
vos aprouver, e pur mais elevada que seja, iicai
certo deque sera scuiprc inferior ao mcu rc-
cunhecimeuto.
Principe, respondeu Carmagnola, vos ai-
tais demasiadamente os servicos que preten-
dis dever-me. e nos quass a Providencia po-
derosamente me ,.j...lim ; todavia as palavras
animadoras que leuhoj recebido de vos, e,
alm disso.mil esculpios que lenho diante dos
e sua coofroutacao com os despa
coso antes de se passarcm os titulos. radouro.
Consta dos documentos que Gabriel Anionio Portara. Ao agente da coinpauliia das bar
comprara aos herdeiros de Antonio Itabello da cas de vapor, para mandar dar pastagem para
Silva Pereira duas casas no aterro dos Alagados' a Habla por coula do goveruo. Pclisberlo Ore-
ou ru Imperial, em chaos foreiros fazenda' gorio, que leve baila do servico do cacrcilo.
por cerera de marinha, e estando j feila a mc-
dicu do terreno oceupado pelas ditas duas ca-
sas, epur oulra que tambem lora d'aqu.-lle Sjl-
ziiido cm mioha familia um bomem lal como
vos.
Carmagnola inclinou-sc, sempre grave e nn-
passivel
llll-.M l>
Clin ni A Ihesouraria de fazenda aecusan-
do recebido o ofticio em que aquella ihcsou-
de um modo vcrdadeirameiile espantoso, tilas
dlzein que essa subslitu.co fora operada pelo
signur Ericcio aqui prsenle.
... Por iiiim.' csclamou Ercelo pcrlurban-
Com un
de ter
Agora, disse com sigo Ericcio, eslou tran- do-se visu desla aecusaco directa,
uillo ojauella se abrir, e csse pobre Cabri-1 Por vos mesmo. signor.
_o nao lera perdido scu dia. i E sem duvida. respondeu Encelo
Priucipe, replicou Carmagnola depois de acocoto de voz irnico, accusaiu-mc
a.mdis,o....e.emp.oue nno uiante oo. um ins.an.e _j[^ ? ^^U\"ffi%o%$&\u.
0",0, tXXSSXS^SX'JZ So" ."niV-."eqi..rnd palliap."-"-""., He emverdade unta fclicdadc. disseEric-
""" ,!iro hnr inrmitamcaU T MI lo lo bu.to eslranho, que todavia he mui ac.cdiudo, ci con, o mesmo tom.
a qUC "f.. '. .-,\.mS i,, 'a"""r c .ue teubo agora o maior iuleressc em cscla- Nao. replicou Carmagnola : di.cm somen-
ni-ii mrito, he ser vosio genro.
A esladeelaracao inteiraincntc imprevista pa-
ra elles.Grimaldi c o senhor de Carrara olha-
i.iiii estupefactos um para o oulro, c Ericcio
voltou-se sobresaltado para Carmagnola. Quan.
to a Visconli, vio-se repentinamente a sorpre-
que tenno ag
recer, como ides coinprebeuder,
Falla!, conde, e se eu puder dar-vos esse
csciareciinento.....
Vos o podrs melhor do que ninguem.
Enln dizci qual be, cstou' s vossas
ordeos.
Dlzein cm Mllao, senhor, que o duque Vis-
ir. Icaria nlutarem-sc-lhe sobie o rosto co-
mo s essa piopost rcalisa.se o mais bello de conli uve duas filha, uina da duqueza Beatrix,
i outra da cantora Azzolctla.
scus soobos.
le que levasics a menina para as muiilaubas do
Piemonle, para a casa de mu pastor que a cria
com seu lilbo, sem suspeilar o uiyslerio de scu
na-, lliu-lliu.
A estas palavras pronunciadas com forca c
acompauhadas de um olhar csmag.dor, Ericcio
nao tenlou iicm mesmo conservar mais seu
saoguc fri appareule ; cllc pcrlurbou-se in-
teiramente, c levautou os olhos para Viscouti
Osenhur de Carrara eCriinaldi ficaram pe- como para Implorar seu apolo mas o duque,
i. __ l.___ ...Il.iai.iiii ila liii nulo j t
"- E^o!Tiocipr're.pondcu Carmagnola urna .cena que ameacava lornar-sc trgica preciso fazer um e.forco para por lim ..la
inadeaiegri. ndales8 lr. | j Um sor.l.o sn.is.ro se deslisou pelel labio. ( sc^na. ^^ de0,rmMIloU|||lMe clle, rcpil0
1 vol que sao invencocs luseusatas, c espero que
u". me fareis a alliunia de duvidar de iniuiia
quein casa m~w ~..". -------,. r ,1,. i .,-, -,,
der de sua gravidaJe, digoal vos aceitar ni- M ettfeWfc
nii i iiii un'.i ..i
nba alllaucar ..,., _. ii.i.i
Ah 1 como hcsllar cm faze-lo ? disse o du- yue
que. Que mais digno esposo posso dar a mioha A
filba do que o bomem que lem vencido os maio- calu
res capiles de scu lempo, e cuja gloria he tem
slava vermelho de colera,
ezclamou elle, ousam dizer.....
- uuei caciaiuou ene, ousam uizer..... i -' 'altl' .-..--------- r ,:n
o depois passando sbitamente do furor palavra. Vos me pedistes a inao de iniuba lill.a,
uaanuisperfeita, disse a Carmagnola : cu vo-la del..... It.anca sera vossa esposa, que
- Comunial, conde. O que he que dizemi vos importa o mais? Nao sao prceuchidos vos-
.7 (sos votos por essa iiuiaor
nisso fac. ao mesino tempo um acto O^I^Sf!.- 2ffgfittZ&SEi[mrtti legitima appar.ee um dia, c con.e-
ederasao, pois ninguem merece melhor l^,^^?'^^"0^iJ^0ttifc. >lie.pi<*MW- as provas de seu ua.ciuieulo,
_?_?w7S_5r_^d.'^_Tl_^
EXTERIOR.
NAVIO CALRICO.
Boston 5 do maio do 1859,
A idea do substituir ao vapor um imlor
novo o de maior forr;a, parecer a inultas
pessdss extraordinaria, senao cliimerica
Kslatnos 13o lialiilusdtis a considerar o va-
por como nee ptut ultra no sulimct limcnlo
das for{ss modilirailns da naturei. ao sor-
vito do homum, que a ilescoberla que pro-
mellesubstituir esto agentn tera de liilar con
tra 09 mais tem i ves pieconceilos c contra ih-
Inrossesosmaisguigantes'ios. Entre tanto po-
de desde ja vaticinar so com couli n ..-a que
eitamoa em vespoias.dooutra granderavolu*
cao prodiiziila pela applica^.l.i de um agen-
nha? Ella ni" me pcrlcncer mais. Euio o
conde di- Carmagnola uo ser mais que oes-
poso da lillia de Azzolella, a cantora ; elle se ve-
r leduzido a deizar Mil.in ca Loiubar.liacouio
um avenlurciro, e a ir acabar us das ua mise-
ria e na ubscuridade com sua inulhcr c scus
lilbos.
Signor conde, exclamou Viscouti, cujo
rosto bedioudo se toruava verinclbo de colera,
dos esforcos i|uc fazia para permanecer senhor
de si; sois bem dlfucll de coiivenccr, lenho di-
rcilo de me admirar de que ininha palavra uo
vos pai cea uina prova sulliciculc; mas he bas-
lanle, he j de mais solire este objeclo que nao
leria devido necupar-uos lauto lempo. Cunde
de Carmagnola, acabemos, cu vos rogo, um col
loquio que me oU'endc, c conlculai-vos dees-
lar ccrlo de miuhas dispoaiccs favuraveis a
vosso respeito. IVepilo-vos que folgo milito de
eunceder-vos o vosso pedido, e que podis des-
de j considerar-vos como esposo de inhiba fi-
lha Biauca.
Carmagnola ia replicar ainda, quando um
longo clamor, clamor de sorpresa e de terror,
rctumbuu de repente na galera.....Logo de-
pois reinoii um silencio profundo e solemne.
Quchcisso? pergnlou Viscouti
Sem duvida he alguina rixa cutre os lnl.il-
gos, respondeu Ericcio.
Uina illa em mcu palacio, quasi minba
vista ? exclamou o duque ; espero que ninguem
leria essa uusadia ; mas vede, senbor de Carra-
ra, olhai para csse lado, e dizci o que ah se
passa.
O senhor de torrara Icvantou-se c fol abrir
porta quedava para a galera.
Elle vio eutao um espectculo eslranho, inex-
plicavel: una muiber, cujas feicots pela distan-
cia uo podia distinguir, atravessava com passo
lento c grave a uiulildo dos cortesos que a
viain passar, iininovcis c paludos como es-
tatuas.
Ao ver esses rostos lvidos c espantados, esses
olhos lixos de terror, cssas boceas mudas que
parecam couter ate o fulego, e essa muiber que j
maicbavauo indo desses homens gelados de
horror, lao calma, c lo grave que se leria dito .
te mais pconomicoe incalculavolmento mais
seguro do quo o vapor.
Ilaqui a alguns anuos ouviremos fallar as
maramlhas do Calrico, como liojo se falla
i'.as maravilhas do vapor.
A' pergunta Como atrsvessastes o Oca-
no fesponder-se-hia : Por meio do ca-
lrico, nern podia ser por outro.
Sabbado passailo visitamos a manufactu-
ra o vimos ir.ih-.lh .i' a machina calrica du
Eriesson da Turca de 60 cavados. Compoa-
se de dous pares de cylitidros, cujos pisldes
tem 72 pollegadosde dimetro.
Cunaiste sua grande peculiaridade t',..
quosous immensos cylindros e pistes func-
cionam com urna pressSo nnuln baixa e sem
esl luirs ou esquenladures.pois quo os ni-
cos fogos que tcm sSo os das grades, alias
pequeas, por baixo do fundo doscyliu-
dros.
Ha oito mezes que trabaiha esta machina
e ainda se no MtlOU un vintem em repa-
ros, lio um nbjecto dn rara belleza, quo da
uina idea muito mais exacta do que he a
forca e symelria do que a msiur macbma
de vapor que temos visto.
O grande principio da na. luna calrica
he o de prodtizir urna forc.a motriz por meio
do omprego da forca expansiva do ar al-
mn-.ih m i- i, em voz do vapor; he produzi-
da essa furca por meio da compresso do ai
ero urna paite da machina, e por sua dilita-
(ilo, por meio da applicafao do Calor, em
nutra parte.
Esta dilitaco no lie cllecluada porni
pela applicac.o continua de combustiveis,
esim por meio de um procosso peculiar de
transferencia, em virtudodo quul o calri-
co obra uina e multa, vezos, a sabor : o ca-
lor do ar, que sabe do cylindro a cada un. -
violento da machina, hu transferido para o
ar fro o comprimido,e nulia so introiluz do
sor!.' quo a applicacSo continua do cumbus-
tivol na" ho necessaria soii3u para compen-
sar as perdas do calor occisionadas pela in-
scnsivel ra lu;.." das partos uquucidas da
machina.
As vantagens obvias doslc grande uicllio-
rameoto s3o a grande economa de combus-
livel e de trabalno na direcc3o da machina
e sua perfeita seguranza, navio que pu-
der levar lano carviiu como levain buje os
vapores atlnticos para urna s viagom, fura
duas viageus redondas setn recebar c.rvSo ;
e a viagem para China e California poder
ser feila fcil.nciiLo por um navio calrico,
sem ler de escalar em um s poilo paru met-
ter combustivcl.
Como o carvSo anlhracilo he o melhor
combuslivel para esta nova machina,n3o to-
relos do cumprar em Inglaterra carvtlo bi-
lunnnoso para torna viagem. Polo contra-
rio, vira a irijlslcrra conprar-nos o IldSSO
carvo anlliracilo. O quo se requer he um
fugo brando e r.di.nte. e n. nlinin combus-
livel o produz mellior do qtu o nosiu an-
lhracilo. Como nilu deiti l'iiiuo, nSo lia uo-
ceasiJada senao do um pequeo tubo quo
daahida ao gaz carbnico, oxydo o uutros
produrtos de conibuslao.
CoinluJo, a raudo vilitlgeal deste im-
portante melliuramenle, o nquollu que, a
no darom-so oulras vantagens, seria suf-
licienle para assegurar sua adopo.no, lio a
completaaeguranca da macliiua, pola u,uo
a explos3o se loma ioiposaivel. .as uiacbi-
nas devapor, sea agua venia diminuir, so
lia excesso du prosao, ou o menor deleito
us nialeiiaesde que he composta a.caldoi-
ra ; so as chapas das lampas licam oquoci-
das de mais por meio da mcruslacjlo forma-
da icios saesem oaldeiraa de marinha, a
explosu li) itievitavel. Na machina cal-
rica o nico nial quo podo result*r do delc -
xo lie deixar de fuoccionar a machina.
A machina que boje serve de experiencia
mustia quo ho preciso de>sar de alimenta
la tres horas consecutivas, para quo. iliroi-
na seu andamento assioi na.ii Ife a r-
celaf de um engenheiro dorminlioco uu to
um capilSo ambicioso, eo misino tompo
que uilu se requer iieni a quarta parlo da vi-
gilancia e du irahalho que so faz niislor para
conservar em uiovi nclito urna machinado
vapor.
Quando altondcnnos sodima do mulila-
^Oos humanas, doautTrimentoa e perdas que
se ovilar3o logo quo esta invenc.lo estiver
em uso geral, lodos fatoinos votos rdanles
aoCo para que esto novo motor vcnha'li-
vrar-uos quanlo untes desses males.
Um navio calunco do 9,900 toneladss.quo
so denominar Eriesson, esta ja em cons-
IruocSo, e vai ellatSo adiaiilsda 0.U* licari
o navio encave nado no lim desta .-enana.
He um risco modelo que causa aJmiragSo a
lodos os conslrucioros.
O maclunismo est em mais de meio. Vi-
mos tres dos seus quatro cylinJros, as ro-
das, lodas as vlvulas e niuilas das pocas
_-n_
que escorrcgavasoirc o solo como um vapor
unpalpavcl, compichcudia-se que se passava
ah i;..mu i couia de inaudito c de sobrena-
tural.
O senhor de Carrara continuavaa olhar, pro-
curando coinprchciider o sentido dessa sceua
estravaganle, quando de repente se poz a tre-
mer c empalledecer com os outros; como clles
licou iininovel c gelado de terror, olhando com
ar terrilicado para essa muiber que inarchava
paia cllc, e seulin.lo as pernas dol.rarem-sc-
llic a medida que ella se aproxiinava.
BntSo, exclamou Visconli, o que he que
se passa na galera .' K que leudes vos senhor
de Carrara?
Incapaz de responder, o lidalgo levanlou os
bracos, c iudicoucomo dedo o objeclo que cau-
sava scu eslupor.
Que significa isso? disse o duque, 'feria
eulouquecido o senbor de Carrara?
A mull.', mysteriosa enlrou uesse momen-
to', ella eslava vestida de prcto, c scu nico or-
nato era uina cmi de coral que trazia ao pcito ;
scu rosto paludo de urna pureza de liuhas ma-
ravillosas, tinli.i ao mesmo lempo o cuuno de
uina dor piolunda c de uina dclcriniuaco he-
roica.
Ao scu aspecto, Ercelo deu um grito de ter-
ror, e Visconli que se linha levantado de scu
asseuto, lornou a cal.ir nelle como se livesse si-
do fciido pelo raio.
A duquea.' exclamou o secretario.
Beatrix I munuurou o duque com uina
vos sull'ocada. lmmovcl iioliiniar da sala, a jo-
ven senhora lixava um olhar severo c sombiio
sobre Viicouti, o qual nao podia apartar della
scus grandes olhos aberlos.
Ento Caruiaguola correu a ella, c pegando-
Ihc da inao, exclamou:
Michaclla/ Michaclla I que liseslc? poi-
que vieste agora:'
(Co/i'i7uor-ic-/ifi.)
I
MUTILADO


---...... *=

principies, rundidla todascom mnor per
ft'ico, Os cylindros lem 168 pullegadas de
dimetro, islo lio, 72 mais do que- os vapo-
res da linlia do Collin,
O Eriesson estar promplo para empro-
lieuder sua primeira viagem ra oulubro, e
seus proprietarios tencionam conduzir os
passageiros par pregos menores do quo os
vapores,por serem tamhom monores as dos-
pozas, l'crtcnce ao Sr. John B, Kilcliing o
outros negociantes ricos. Sor* commanda-
do pelo capitSo Louber.
[Bottan Evening Transcripto )
{Jornal do Commenio)
PERNAMBUCO
CMARA MUNICIPAL.
SESSAO" EXTRAORDINARIA DE 20 DE
JUI.IIO DE 1852.
Presidencia do Sr. Barros.
Presentes os Srs. Mitnede, Franca, Pires
Ferreira e Figueiredo, faltando por doonte
o Sr. presidente. Abrio-se a sessao, foi li-
da e approvada a acta da antecdante.
Foi lido oseguinte
EXPEDIENTE.
Um onicio do Esc. Sr. presidente da pro-
vincia, communicando que, por nao ter
allegado a complotar-sea lista dos supplen-
tes do juiz municipal da primeira ara por
haverem pedido escusa os cidaJao que U-
nham sido nomeados para ., 5. e 6." sup-
penles, resolver nomear pata *. o haclia-
ol Francisco do Fanas Lemos, pan 5. o
bacbarel l.uiz Filippo do Souza L3o, o para
para 6.* o bacbarel Antonio Mara doFaras
Nevos.Inleirada.
Outro do mesmo, concedendo a aulonsa-
(3o que acamara Ihe pedir em ofllcio do
8 do passado, o dotorminando que do ludo
dsso conta espocilicada 6 assembla legis-
lativa provincial, e quusmento so despeo-
dosse o que fosse absolutamente) necessario
Inleirada, e que se communmasse con-
tadoria.
Outro do mesmo, diiendo, em resposla
ao do presidente desta cmara, do 19 do
torrente, que estando nomeados os sup-
plenles que deviam entrar cm exercicio da
piimcira vara municipal, doixava de ter lu-
gar o cbamaiiienlo do vereadores para esse
exercicio ; o quanto segunda parle do di-
to ollicio, lica deforida com a rosposta que
cm 14 do correnle expender a esta cma-
ra.Inleirada.
Outro do mesmo, remetiendo as informa-
jos ministradas pola thesouraria da fazen-
da acerca do objecto do ollicio desla cma-
ra, do 14 de junlio ultimo, em quo pede ti-
tulo de posse do terreno quo forma a prac,a
do c,i mi, desunido para serventa publi-
ca, afiui de quo dissesse respeito.A coni-
misso de edificarlo.
Outro do mosuio, mandando que a cma-
ra inlormasse se os liscar-s nSo viram o es-
tado do ruina da casa contigua ao acougue
das Cinco-Pontas para requerem sua demo
licao, visto quo pelos dous artigos que por
copia remulla, do ollicio do delegado do
primeiro districto desta cidade, Iho constou
que no da 14 do corrente desabra um ni -
13o da mesma, causando a morte d'um os-
cravo de Joauna Parizia de Miranda Castro,
e os ferimentos de mais cinco pessoas, duas
dasquaes se acham em perigo de vida.
Que osse reuicltido ao fiscal ueS. Jos para
informar.
Oulrodocbefo de polica interino da pro-
vincia, remeltendo copia do que Iho dirigir
u delegado supplente cm exercicio do ter-
mo de Pao d'Allio, acerca do liiiiles doste
com aquello municipio, alim de que a c-
mara Ibo eselarecesse a respeito. rcmi'tt'.'sse por copia ao chefo de polica a
informadlo que a cmara dora ao governo
da provincia, cm 16 desetembro do auno
passado, sobro materia idntica.
Outro da cmara municipal do Garanhuns,
acensando a recepto do desta, em que llie
communicou a posse do actual Exm. presi-
dento da provincia.Inleirada.
Outro do advogado da casa, cmiltinlo a
sua opiniao a respeito da pretenclo do lis-
cal supplenl'i em exercicio, Manoel Joaquim
da Silva lliboiro, quo recorreu da dccisSo
desta cmara para o Exm. presidente da
provincia, pe.lmdo roformasso S. Exc. sn-
inelhauto decisao, mandando quo Ihe fosso
pago o ordenado, por inteiro, do fiscal, E
conformando-so a cmara com o parecer, o
mandou remetler, por copia, S. Exc. o
Sr. prcsidonlo da provincia, para deferir ao
peticionario como cntondesso em sua sabe-
doria.
Outro do administrador da recebedoria
das rendas internas geraes, dizendo que,
em vii lud! do aviso n. 43 do 30 do Janeiro
de 1831, devia acamara pagar a sua da casa
da esquina da ra Nova, outr'ora perten-
ceute a Thomiz d'Aquino Konseci, que com
prou e foi demolida por utilidadc publica.
Oue fusse ouvido o advogado.
Outro do director das obras publicas, par-
ticipando tor eticarregado a um desenliista
d'aquella reparticao de receber desta cma-
ra as plantas dos novos arruamontos da po-
voacao dos Afogados, por ter ordem do go-
verno da provincia para islo.-Mandou quo
so Ihe respondesse, communicando qual foi
a resposla que a cmara dora a S. Exc. a
respeilo.
Outro do subdelegado da freguezia de S.
Frei Pedro Conexivos, remeltendo a quan-
tia do 3/000 ris quo se n3o pagara pel se-
pultura no cemiterio, no da 23 de junhu
ultimo, do cadver de Francisca de tal, por
haver clIedaJo attestado de pobreza, reco-
nhecondo dopois que bavia a fallecida del-
udo com que se pagasse esta despeza o a
pirocho. -Mandou-so remoller ao procura-
dor dita importancia.
Outro do procurador, paiticipando o que
so passou com o procurador da casa das ses-
sOos desta cmara a respeito di enlrega que
se Ihe mandou fazer da chavo da loj da
mesma casa, dizendo nao querer elle sujei-
tar-se a transac^ilo alguma no sentido em
que a cmara doliberou, nem Consentir que
se dimula a obra feita dentro da mesma
loja.Addiado.
Ouiro do nvsmo, communicando quo
appareccra quem queira alugar a casa do
patrimonio da municipalidado chamada da
plvora, sita as Cinco-Pontas, offerecen-
do para fiador a Joaquim Demetrio do Al-
meida Cavalcante, mas que essa casa eslava
consignada na planta di cidide para ser de-
molida. Mandou-se determinar ao cordea-
dorque oxaminasse a casa e informasso so-
bre o sou estado.
Outro do contador, procurando saber a
quo verba dovia ser levada a despeza do ris
130/000 foila com os roparos do atterro jun-
to a poni da la d'Aurori. Mandou-so res-
ponder que de eveutuaos.
Outro do fiscal de S. Jos, remeltendo o
mappa do gado morto para consumo na se-
mana de 12 a 18 do corrente ( 523 rezes, in-
clusive 15 pelos marchantes avulsos ).Que
so arebivasso.
Outro do mesmo, participando achar-se
bastante arruinado um dos pilaros que sus-
tentim o tolheiro do miiadouro necesi-
tando de| prompto concert. Mmdou-se
expedir orden) ao procurador para o man-
dar concertar com brevidade.
Outro do fiscal do Rocife, participando
que entogara contadoria.Inteiradi.
He Iida o culra um discussSo urna pelicao
vinda da presidencia desta provincia para aj
cmara informar, assigoada por Miguel Es-
toves Altai o outros, intitulados armadores
de carros funobres, eoj que s queixam do
emprezario de ditos cirros, por parlo da
municipalidide, por quorerchamar a
c
denados vencidos cm dilo mea....
Aoi ditos do hospital dos laiaroi.
A Thcoillo Jos Ferreln de Sam-
alo, por 263 liii.is fornecldn lo
ospllal rcgiineatil...............
Ao regente do hospital dos Usa-
ros, importe disdcspcus de abril a
junho ...........................
A Manoel Antonio de Jess, por
MMM i
II V
CONSULADOGERAL.
U9/I00Iftendimenlo de 1 i 17.
dem do da 18 .
tes de flndar-se o primeiro semestre do exer-
BALANCO DA RECEITA E DESPEZA DA CA-
MAIIA MUNICIPAL DO HECIFE NO MEZ
DE JUNIIO DE 1852.
flcita.
Saldo em 3l de malo p. p.
Imposto de cordeaces e licencas ns.
til a 128
Multas pelo fiscal do llccifc, ns 33
.137
dem pelo dito de Santo Antonio, ns.
75 a 5
Mcm dem de San Jos, ns. S2 a 60
dem dem do Hoco, ns. 9 a 12
dem dem dos Afogados, ns. 5 e
dem pela subdelegada de Santo
Amonio, n. i
dem pelo cdigo, n. 2
Idcio pelo regulamcnto n. 120, ns.
18c 19
Imposto de 500 rs. por cabe(a de ga-
do T1CCUU1, D. 3
Dicjmo de capim de planta, n. 3
Imposto sobre fogo artificial, ns. ti
a 74
Imposto sobre rstabelcciinentos
Mein sobre carrocas, n. 38
Multas sobre os iiicsmos cslabelcci-
incnios, U9. 5 a 62
1:532,809
86,240
34,000
01,000
117,000
24,000
12,000
10,000
l.aoO
20,000
1:920,000
150,200
26.000
48,000
0,000
Porio/doin ctlxaA sabir:
Em lettras............ 1:071/9.5
Emmoeda............ 3:S7a#756
. A Barlboloioeo Francisco
semelliantemeio dosua industria; sobre o|M> |nporU de medicamentos que
que resolvoo a cmara so informisse a S. forneceu a botica do grande taospi-
Exc. nada ter ella quodizera respeito, vis- tal.............................
10 que semelhante queslBo j fon resolvida A Ainorim & Irmos, Importe de
por S. Exc. OO sentido favoravel aos peticio- 50 alqueires de farinba que rornc-
I ur. ceu os estabelcclmentos de cari-
narlos. Hitp ... ........
Entra em discussSo o parecer da corarais- "^iVcVaosVordcspezasleltascom
sSodepolicu, eslabeloeendo a quintil < a ol)r, uo hospital Pedro II........
lianc que dovia prestar o procurador di 1
municipilidide(8:000|000 risl, e lica ad-
diado pin a sess3o seguinte.
O Sr. Franca manda mesi o seguinle re-
querimento quo he appiovido :flequeiro
que esti cimiri, por meio d'uma represen-
tacSo endorecada assembli geni, faca
sentir a necessidido que lem o paiz de re-
formar o systema actual do pesos e medi-
das. Paco da cmara 20 de junho de I8S2.
O veroidor, Franca.
Foi arrematada por Manoel da Paixao Paz,
sob lianca ae Antonio Francisco Conoi Car-
dse, a obra a exoculsr-so no acougue da
Boa-Vista, por IsSOOfOOO ris.
Despacmrira-se as potices de Antonio
Goncalves de Moraes, da administracSo da
coiupanhia de Bebiribe, de Custodio Mou-
linho da Silva & IrmSo, do Citharini de Se-
na Sirne, de Frederico Chives, de Jos Pe-
rain da Cunta, do Jo3o Francisco do Reg
Maia, do Jos Concalves Ferreira e Silva, de
JoSo Dornely, de Luzia Mara dos Santos,
do Manoel Antonio Rodrigues Samico ; o
lovantou-so a sess3o.Eu Mmoel Ferreln
Accioli, a cscrevi no impedimento do secre-
tario.
Declaro em tompo que, a requenmento
do Manoel Antonio Rodrigues Samico, arre-
matante da loja u. 31 da praca da Indepen-
dencia, a cmara resolvnu desonerar de fia-
dor do mesmo arrematante a Jos Lopes
Rosa, acceitando em seu lugar Joaqun An-
tonio Carneiro.Accioli, o declarei.Bar-
ros, pro-presidento. Mamede.Franca.
Ferreira.Figueiredo.
. 15:470,475 cicio do 1852 11853.
. 1:099,252 4.'Para tudo o mais que nSo estivar de-
-------------terminado ms presentes clausulas, seguir-
17:469,727 se-hao que diapoe a lei provincial n. 286 de
..... t~ ne maio do 1851. Conforme. Osecre-
DIVERSA8 PROVINCIAS. tario, Antonio F. di AnnuncicSo.
'tendmentode \ 17.....1:709,850 Pela inspectora di ilfindcgi contrac-
demdo da 18..........309,589 ta-ge com quem por menos flzer o forneci-
.----------ment da escum Lndoya : is pessois que
2:019,439 se quizerem encirregar do dito forneci-
-------------mente apresentsrSo as suis propostis em
iECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE- carta fechada at o dia 20 do correte, de-
RAES DE PERNAMBUCO. clarando oa presos por que sa obrigam a
3'iOSfiiO Reodimento dodialS.....1:144,8(9 fornecer diariimsnte por lempo do 3 mezes
CONSULADO PROVINCIAL. os gneros abaixo declarados. Ragfles dia-
fltondimeuto do dia 18.....1:229,489 rias para 30 pracis. P.los 30, assucar 2 5|8
-----~~^ libra, caf moldo I 1|4 libra, familia 5 1|2
l'illlttl salimins, cirne verde, 22 Ii4 libras., feijHo
I quarta, toucinho 1 l|2 libra, bscalho 4
106/005
'.IjIjii.'i
336}774
135/000
898/630
12:986#U6
4:347/701
17:331/1*5
7Z?lnZn.ulJ?.'W'e dt'Pach'"nna 1 4 de quartilho. agoardeote 5 1,4 quarti-
.tT.r i h ? 1 n a o, eite pan luses, velas do carnauba, di-
issucar em e. branco 1. qual. Arroba 2,050 ^ ^ esfl^mtMlei 'c,rno g8CCi( booha.
* ir-iml... ila Darnam hm', 4A ,1 Btmaln ll A
mase.
har. sac. branco .
mase .
refinado......
AlgoddO cm pluiDi de
Adininlstracao gcral daa estabelcclmentos de
caridade, 3i de julho de 1851. O thesourelrc D,0
Juii Pim Femra, O escrlvo, Jntonio Joi Dil0- ,.'.',.....j.
Cornil oCorreio. | Dito em carolo...'.i......
JBAIKPi, lo movlmentojlo.esta.^l^./.J-- ;
bcleclmentoM le cari Dude caom......
iliKlc lio un/, le jtllllO DiU restilada.......
Canad
-ale 185 2.
Grande hospital.
DOENTES.
Existiam
Eutraram
Sahiram.
Morrcram I r
Existcm.
Curados......
Melhorados. .
N3o curados.. .
as 24 h. d'ontrada
Depois dessa poca
Hospital dos lazaros.
..
Cauada
. Botija
. Lanada
. Garrafa
um Alqucire
cnbr
Dita.........
Licor..........
Dito.........
Arroz pilado2 ajrobaa
Dito cm casca,.....
Azeitc de mamona....
Dito de mendobim *..,.
Dia de pciie.......
Cacau..............Arroba
Araras *.,..... ..... Urna
Cauada
DOENTES.
Existiam
Entraram
Sahiram.
Morrcram.
Existem.
Curados. .
Melhorados .
NSo curados.
Casa dos expostos.
*;* Pai.ag>los ..."........Um
3 Bolacha...........* Arroba
1 biscoitos -...........
0 Cafe bom...........
6 Ditorastolbo.........
1,1 Dito com casca.........
=~- itomido............
, Carne secca........
Cocos com casca ....
. Charutosbons ... *
7 Ditos ordinarios ,
o Dito retalia e piimor .
t" Cera de Carnauba ,
Dita cm velas......
37 Cobre novo iuod'ohra. .
0 Couros de Hoi salgados
Cento
Arroba
. *
. Libra
Libra
EXPOSTOS.
Existiam ...........
Entraram...........
Sahiram............
as 24 horas d'entrada
(Depoisdessa poca
Existom............
Sexos.
o O
c i

3 s d i
C3 i m
2
138
5
0
0
3
138
170
6
9
0
a
i~-2
306
11
2
0
5
310
K
U
Libra

Arroba
M
Um
Dmjmm.
Alugucl d^ Pa^o, n. 2
Folba do pagamento dosempregadoa
relativa ao inczdc maio p. p., n. 10
Tribunal do jury c eleices, n. 20
Luzes para a caricia desta cidade, n. 'J
I.iinpeza de ras, ns. 105 a 127
Calcaiuento das ditas, ns. 6 a 18
bxtraordiuaria (scliuio c penltimo
pagamento a thesouraria provin-
cil, u. 5
Matadouro publico, ns, o a 103
expediente, n. 7
780
5:339,339
20,000
804,058
11,000
18,100
372,040
364,800
1000,000
435,180
37.160
l: dan,o a favor da receita cm<<0 de
junho p. p.
3:400,188
1:933,151
5:330,339
Conferido. Franca c Figueireilo.
Cmara muuicipal do Kecifc primeiro de ju
Iho de 1852.
O procurador,
Jora Victor I-a reir Lopis.
O Contador,
Joni/uirn Tacares Rodovalhu.
BALANCO DA RECEITA E DESPEZA DOS F.S-
TABEI.ECIMENTOS DK CARIDADE, VERI-
FICADO NO MEZ DE JTJLHO DE 18i2.
Hcccitn.
Por laido em o di panado A saben
Em lettras............ 1:574/945
Emmoeda............ :ii!390
------------ 5:78t|33
Rccebidn de Francisco Alves da
Cuuha, pelo tratamento do marujo
Manoel da Silva Hozas............ 81/378
De JosJoa pelotiatamcntodo seu escravoTito. 9J268
Do fiscal interino da freguezia da
loa-Vista, importancia de corridas
de porcos........................ 71 $8"o
Da Exm. Sra. D. Uarbara Xavier Souza Hibciro, importancia do of-
ferta que fez aos expostos, por oc-
casiao da visita geral a que assistio.
Ua thesouraria da fazenda, im-
portancia por saldo daa quotas vo-
tadas pela le n. ?83..............
Da tbesom arla de fazenda, impor-
tancia dos medicamentos fornecldos
ao hospital regimental de oulubro
de 1851 a marco de 1851...........
De Carlos Frederico da Silva Pin-
to, importancia da esmola que dei-
xou ao hospital dos lazaros o fina-
do padre Manoel Pcrcira Dutra.....
Do solicitador da admioistraco
por conta dos leudiuicntos dos pre-
dios .............................
Do procurador da administracao,
idem.............................
:l25jo0o
;8CJJ0S|
135/000
112/400
l:O50/oo0
77:331/165
Despena
Pago asarais di casa dos expostos,
importancia de su.s mcnsali.dades
at mareo ultimo................ l:44s44i
A Luiz Antonio de Siqueira, por
fazendas para a casa dos expostos.. 818/316
A Antonio Hrandao da
Rocha, lainl.ciu por fa-
zendas.................. a8a/UG0
Abatimento que fez.... i i/WM
------------ 571/000
As ex pos las Thcolila c iosepbadc
SaoU Roza, no acto de leus casa
minios, importancia que Ibes cou-
lii- da ollera feita pela Etna. Sra.
D- Mara Rosa Tcixcira deOIivrira- OOJOOO
Aos empregados dos estabcleci-
mentos de caridade, aeua ordenados
de abril a junho.................. i:l.'i2.'.u0
Ao regente da casa dos expostos.
nao poder comparecer scssSo de boje, por fiV^?* **.*'.?.".*."?.."" .d.C 5o5/760
ter sidosortoado jurado e oslar scrvindo.- AJ0 regnle do granae hol|lUa,,
Inleirada. ... pelo importe da "despeza de ju-
Outro do fiscal do Poc,o, participando sor nho.............................
a importancia das mullas do mez dujuuln Aos enfermeiros c serventes dos
ultimo do 421000 ris, conlorme os termos grande hospital, importe de aeuior-
621J260
Administra(o geral dos estabelecimentos de
caridade, 3l de julho de 185]. O escrlvo,
Antonio Jos Gomu doCorreio.
Correspondencias.
Srs, Itedactores.Vivendo retirado e pi-
cificimente no meu engenho, eu nSo deixo
com tudo de nutrir profundas o muisinceras
convienes a respeito do partido liberal,
cujas fileiras pertenco ; ellas pois me fazera
desojar, como vivamente desejo o bem estar
dos mous correligionarios, e levado por es-
te sentimento ; dou os pirabens aquelles,
que se acbando presos, e ausentes dos ob-
jectos mais charos ao confio humano,
kii.iiii annisliidos pelo poder modelador,
assim como as suas ftmiliis, i quem dedico
a mais respeitosa considerado. Possamel-
les restituidos s suas casis gozar das do-
curas da paz, de quo por tanto lempo forana
privados, e praza aos Ceos, quo outros, que
anda sofTrem, se vojam em breve teupo no
recinto do lar domestico, rodeados das alTei-
i/ji's de suas familias e dos seus amigos.
Fazeodo estes votos pela prosperidade e so-
cego daquelles, cuja oppiniSo poltica eu
parUltao ounpro com qh dev^r sagrado, o
nSo pretendo offender a pessoa alguma ; pe
lo que concluindo esta, pedirei aos SS. RR
que iim hesitem em publicar as presentes
liobas, que I lies remelle o
Seu venerador.
JoSoCordeiro FalcSo.
Engenho Macixeln 15 de agosto de
1852. ^^^^^^^
Senhores Redictores. Li a correspon-
dencii do Sr. /'<>' Stnco, hootem publicada
no seu jornal, e com quanto nada possa d-
zer em desabono de t8o respaila veis Sra. que
o dito correspondente aprsenla como can-
didatos a venadores da cmara municipal
desta cidade,todavia mo parece, que outros
muitos existem em idnticas circumslan-
cias, aos que foram recommendados : ais
os meus candidatos, e comigo um grande
numero de amigos.
Os Srs. Jos Marques da Costa Soares.
Jos Pires Ferreira. *
Gustavo Jos do Reg.
Manoel C. S. Carneiro Monteiro.
Justino l'ereira de Faria.
Luiz Antonio Vieira.
Artista Joaquim dos Sanios.
Jos Candido de Barros.
Jos Mana F'reire Carneiro. *
Seuconstanlo leitor.
Vm do povo.
0 Ditoexplxados.........Um
q Dilo de ouca.........
a 'Dilodc de cabra cortidos' .
Doces de calda.......
,_ Dito de Guiaba '.......
'Ditosecco.........
Jeleia.............
Estopa nacional.......
Dita estrangeira mo de obra .
Espanadores grandes......
Dilos |. |ni-..i........
Faribade mandioca.....Alqueire
Dita de mllho.........Arroba
Dita de araiuta........
Fcijao........:.. Alqueire
Fumo Iim...........Arroba
Dito ordinario.......- -
Dito em folha bom......
Dito ordinario, ,.......
Dito lastolbo.....
Ipecacnnlia...........
I,omina ,..........Alqucire
Gemglbre...........Arroba
Leuda de acbas .... ... Cento
Hilas de toroi ,.....
Punchas de amar, ilc 2 aislada UlD
itis de louro.........
Cusiado de antaiello de 16 a 40
p. dec. 2 '/i* de I.....
Dito dito usuaes. .......
t.'o.si nimbo de dito ...,..,
Soalhodedito.........
Forro de dito ....
Costado de louro....... ,.
Costadinho de dilo...... ,,
Soalbo de dito.....,
Forro de dito....... c
Ditos de cedro.........
Toros de tatajuba
Vaiai de parran.....,
Ditas de a,ni.hadas .
Ditas de qulria.......,
Iludas uaiicMptra para canoa
Eixosde ditas para ditos .
Melara............
pelo meio da, competentemente habilita-,
das.
E para constarse mandou afllxar o pre-
senten publicar pelo diario. Secretaria da
thesouraria da fazenda provincial de Per-1
nambuco, 9 de agosto de 1852.O secrolario
Antonio Ferreira di Annuncia(3o.
Clausulas especiaes da arrematarlo.
1.a A pintura da punte- do Caxauga sor '
foila deconformidadecom o orcametilo nrs
la data apresontado a approvac..o do Exm. I Sabbado 21 de acost (le l85l.
senhor presidente d9 '
proviuiia, na impor-
tancia de 385,000 r..
2.' Oirromatante doveri dar principio a
estas pintoras no praso de 30 das, e con-
cluir no praso do 2 mezes, contados estes
prasos como determina o artigo 31 da lei
provincial n. 286.
3.* A importancia desta arrematado ser
piga em urna s prestarlo quando esliver
cuncluida toda a pintura.
4." Pira tudo miisquo naoestivor detor-
COMMERCIO.
PIIACA DO RECIFE 18 DE ACOST, AS
3 HORAS DA TARDE.
eoTAC/>i:snrn<:ui.s.
Assucar mascavido escollado 1/550 por ar-
roba.
Dito dito regular l|370por arroba.
Cambio sobro Londres: a27l|4 por I/.
Deaconto de lotras de 4 metes 7 o 8 p. c. ao
anno.
ALFANDEGA.
Reodimento de 1 17. .107:778,272
dem do dia 18.......17:145,21
124:923,191
je 19 di agosto. '
Descarregam hoj
Galera ingleza Billa mercaduras.
Birca americana Edorado fsrinba de
trigo.
Brigue americano ~ Brandy Wine idem o
bolaxinhas.
Hiato Aguia Brasileira gneros do piiz.
iiiliiiriin'iift.
Patacho bollaodez Marii Anua, vindo da
Baha, consignado a Miooel Alves Guerra
minifestou o seguinle:
Milho
Pedra de amolar
Ditas de iiltrar .
Dilas de rebolo .
Ponas de boi .
Piassaba .....
Sola ou vuqutta. .
Seno em rama .
Pelles de carneiro ,
Sarea parnlha .
Tapioca .
Unli.is de boi .
i 400 Alfandega de Pernambuco 18 de agosto de
.' .' \ 2)400 ,852, ~ iiapector interino, Benlo Jos
... i)sso Fernandos Barros.
... 2,500 O lllm. senhor ofTlcial-maior, servindo
quil. 5,5oo de jnssector di thesourari di fizenda pro-
* '".''-"" vincial,em cumprimento da ordem do Exm.
!J2? senhor presidente da provincia, de 6 do cor-
'.',,) rente, mandt fizer publico qua nos diis 17,
-j,,, 18 e 19 do mesmo ira a praca para ser irre-
.lu 1111 tnlo peante n tribunal administrativo
:|ini da mesma thesouraria, a quem por menos
400 flzer a obra da pintura de alcatrSo oleo na
iso ponte do Caxang, avaliada em 385,000 rs.
''""; A arremiticao serfeiti na forma dosar-
4 o m ligos 24 e 27 da lei provincial n. 286 de 17
J '.,')) de maio de 185l,e sob is clausulas especiaos
'rj abaixo copiadas.
1 300 As pessossquese propozerem a estaarre-
ijaSojmatacSo comparegim na sala das sessfles do
.,.....11 iiii'siiio tribunal, nos dias cima indicados,
10,000
3,000
3,100
6,400
4,500
2,6(0
3,800
0,400
1,880
3,000
1,400
600
2,500
6,500
3,000
160
101
110
15,000
|80
24o
24o
400
480
1,000
1,000
3,000
1,000
1,000
2,000
2,660
0,400
5,000
3,000
7,000
4,000
3,000
35,000
i,oao
2,000
1,8*0
9, 000
11,000
7,000
2o,o0o
10,000
7,000
6,000
3,400
6,000
5,100
3,100
2,000
2,000
1,100
1,180
1,000
060
40,000
18 000
. Canad ,l
, Alqucire 1,100
. Um oto
6,000
.< 800
. Cento a.ioo
Mlbo 320
. Meio 1,800
Arroba 4,000
, Urna 180
. Arroba 17,000
1 S,5"0
. Cento 100
corrento, para a caixi do llanco, tica trans-
ferida pira occasiBo opportuna, qua sor
davidamenle annunclida por este mesmo
Diario. Banco de Pernambnco 14 de agos-
to de iH.vj secretario do mesmo con-
aelho, .Manuel Ignacio de Ol vena.
O lllm. Sr. inspector do arsenal de
mirinha mindi fazer publico que admilte
no mesmo arsenal, para as obras do me-
Ihorimenlo do porto, serventes livros com
o jornal de 640 rs., assim como canteiros
ou cinteos pan is ditas obras : Os indivi-
duos que estiverem nosta circumstancias
comparecen) nesta secretaria para tntaram
com o mosmo lllm. Sr. inspector.
Secretaria da inspeccSo do arsenal da
mannha de Pernambuco, 13 de agosto do
de 1852. no impedimento do socretario.--
Mauuol Ambrosio da Cunceifo Padilha.
De ordem do lllm. Sr. director geral
da instrurQjo publica, fico saber a quem
convier, que S. Exc. o senhor presidente da
provincia, houve por bem designar o dia 4
de oulubro vindouro pira concurso a ci-
deiras de instruccSo primaria da Sern-Ta-
Iliada e da Fazenda Grande.
REAL COMPAMIllA DE PAQUETES IM.l.K/.I.S
A VAPOR.
No dia 20 deslo me/, espera-
se doSul, o bem condecido
vapor Teviot, commandiote
Onslow, o qual depois da de-
mora do coslumoseguir para aEuropa: pa-
ra passageiros trata-so em casa da agen-
cia, na ra do Trapicho Novo n. 42.
m
THMTItO
Primeira recita da nova empresa e
da assignatura.
ESTREA DO ACTOR JOAO ANTONIO DA
COSTA.
Depois de urna brihante ouvertura do
composicSo do director da orchestra, o Sr.
Pedro Nolasco Baptisla, subir scena o
drama do Mr.Felix l'yat, em 5 actos, 12 qua-
dros e 1 prologo.
O trapeiro de l'aris.
PROLOGO.
Personagens e actores.
Joo trapeiro O Sr. Jo3o Antonio da
Costa.
minado as prsenlos clausulas, e no orea- PeiJro Garousse, idem -- Joaquim Jos Bi-
Ollinlll
Duaia
Par
meoto,segur-se-ha oque determina a res-
peito a lei provincial n. 286 -> 17 do maio
de 1851.Conforme.O secrolario,
Antonio Ferreira da AnnunciafSo.
m
Deca raijoes
Pcrantc a cmara municipal desta cidade
estar de novo em pr.11.1 nos dias 25 e 31 do
correte a obra do acougue da lloa-Vista, que
tendo sido arrematada por Manoel da Paixo
Paz, delxra esle de assignar com o seu liador o
termo que ae lavrou da arremalaco.
Paco da cmara municipal do lecife em ses-
saode 17 de agosto de 1851. Francisco Anto-
nio de Olivcia, presidente. Manuel Ferreira
Accioli, secretario interino.
Peranlc a cmara municipal desta cidade
estarn em praca nos dias 25 c 3l do corrente e
14 de seteinbro prximo vindouro, para serem
arrematados por quem mais der, por lempo de
mu .'nuil, os impostos seguintes: daaferico,
de mscales c boecteiras, de medidas de (arl-
aba, de 500 rs. sobre cabera de gado vaceum,
do ditimo de capim de planta, e os alugueis das
casinhas da Solcdade eda da Cinco Ponas. Os
prelendentes podem comparecer nos mencio-
nados dias no paco da mesma cmara munidos
de dadores idneos, para podercm lascar, nao
pudendo ser arrematado qualquer dos impostos
mencionados, sein que o arrematante apresen-
te duus fiadores.
Paco da cmara municipal do Itecife cm ses-
s.-iodc 17 de agosto de i8s2. Francisco Anto-
nio de Oliveira, presidente. Manoel Ferreira Agentes de polica, guardas
zorra.
Jaques Didier, caixeiro do cobranzas -- Joa-
quim Jse l'ereira.
Um cabo de esquadra e una escolla de
linba.
DRAMA.
i'iui, (rapeiro O Sr. JoSo Antonio da
Costa.
Pedro Garousse, sob o nomo do harSo Holl-
inan OSr. Joaquim Jos Bizcrra.
Henrique Bervillo O Sr. Luiz Carlos A-
modo.
Conde de Frindair -- O Sr. Resende.
Loisau O Sr. Haymuudo Jos do Araujo.
Lourdois -- O Sr. Manoel Jos Pinto.
Gripart --OSr. Pedro Baptisti do Sania Rosa.
I.surentiao, e Luiz, criados do bar3o Os
senhores Luiz Antonio Monteiro, e Anto-
nio Jorge.
Um magistrado--OSr. Manoel Jos Pinto.
Caixeiro da casa dourada x N.
Mana Didier A senhora D. Manoclla Cao-
tana Lucci.
Clara Hoflman- A senhora D.Carmplla l.ucci.
Madame Polart, paiteira A souhora I). Ma-
na Amalia Monteiro.
Rosina, criada gravo de Clara N. N.
Mazagran, o Paulina, costureins A senho-
ra D. Jesuina Josephina Campos.
viga de S. Lasaro N. N.
Urna criada de madame Potird -- N. N,
municipios ,
Movimento do porto.
/Vatios snhidos no dia 18.
Rio de Janeiro brigue escuna brasileiro
Olindi, capitao Manoel Marciano Ferreira,
carga virios gneros. Passageiros, 8. Er-
nesto Mamede de Almeida, Francisca Ro-
za, e11 escravos.
OburvaeS.
0 brigue escuna de guerra brasileiro Le-
galidade, commandante o capitao-tenente
Amazonas, recolheu-se da commisso.
JKD1TAES.
- O lllm. Sr. ollici! miior, servindo de
inspector da tbesounria di fizonda provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia, de 12 do cor-
rente, manda fazer publico, que nos dias 14,
15 e 16 desetembro prximo vindouro, ir
a prsQi pira ser arrematado poraoleo tribu-
nal administrativo da mesma tbesounria, 1
quem por menos flzer a obrtdo 20." lauco
da estrada da Victoria avaliada em ris
22:663,594.
A arromitacSo ser feita ni forma dos ar-
tigos 24 o 27 da le provincial 11. 286 de 17
de miio de 1851,0 sob as clausulas especiaos
abaixo copiadas.
As pessoas que so propozerem a esta ar-
romalaQilo compirecam ai sili dis sessOes
do mesmo tribunal, nos dias acuna Indica-
dos, pelo meio dia, competentemente ha-
bilitadas.
E para constar so mandou aflixar o pre-
sente o publicar polo Diario.
Secretaria da thesouraria di fizenda pro-
vincial do Pernambuco 17 de agosto de 1852.
--11 secretario Antonio Ferreira da An-
iiunciacSo.
Clausulas espedios da arromatacJo.
I "As obras do 20." lineo da estrada da
Victoria, serSo fetts de conformidade com
oorcamento o plantas approvadas pola di-
rectora em conselho, nesta data (15 de mar-
coi1 e presentado 1 approvic,3o do Exm. Sr.
presidente ds provincia, tudo na importan-
cia de 22:663,594 rs.
2.a O arrematante comecara as obras no
praso de um mez, e concluir no de um an-
no contado da dati da assignatura do con-
tracto.
3 A importancia desta irrematarjao sera
paga em quatro prestares iguaes, da raa-
neiri seguinlo : -- primeira, quando o ar-
rematante tiver feito a torga parte da obra
do seu contracto ; a segunda, quando tiver
feilo dous tercos das obras; a torcein quan-
Accioli, secretarlo interino. 'criados, etc.
Tribunal do cotnmercio. a scena passa-so em Pars.
De ordem do tribunal do commercio da Por causa da grande extenso do drama
provincia de Pernambuco, se faz publico, principiara o espectculo as 7 1|2 horas em
pela secretaria do mesmo, que na data de ponto. ^ ________
hoje foi matriculado o senhor Frederico Ro
bllliard, corretor geral desta pnc,a. Secre-
taria, 16 de agosto de 1852. JoSo Silvcira
deSouza, oflicial-maior.
O vapor brasileiro ratuensu, comman-
dante o capitode fragali Manoel Francisco
Tendo de comecar a 21 do correlo as ro-
presentacoes dadas pel nova empresa, ella
iaz publico que alem de quasi todos os bons
artistas aqu existentes, temaconlratado a
Sr. JoSo Antonio da bosta, e quo espera do
Rio de Janeiro e de Lisboa os artistas Leo-
da Costa Perein, devo chegar dos porlos do nur0rsat Manoe, JoS6 Mondes, e Josephina
nortate 20 do corrento mez do^agosto.e So,|er ^ ompresa procurara|eVar scena
Jnior,
5 c'aixtThKsf Wdo',1 rfrumorernt^ K7odecebid, provisoriamente, e a quarta,
^5000 acha, de lnh. a Forn.ndo Julio de| ou.n_do_ toMjnUnwUJf^u**
Souza Passos.
I devendo effectuarso pagamento algum, an-
seguir pin Maceio, Babia e Rio de Janeiro,
no dia seguiuto ao da sua entrada.
arsenal de mannha compra 120 travs
de 40 palmos de comprido, tendo por urna
faca oito polegadas e por oulra nove, aendo
a madein de omberiba, sipucaia e maca'
ramduba ou concSo de negro ; cem encha-
meis de vinte dous palmos de comprido,
tendo em quadro por cida urna face seis po-
legadas para mais, do primeira quaWdade; e
cincoenta ditosdotrintaoseis ditos de com-
prido, com seis ditas om quadro, sendo a
madeira de omberiba : todas estas madeiras
devem ser de primeira qualidado e som de-
leito algum : as pessoas que so propozerem
vender lies midoiras deverSo dirigir-se a
secretsrii da inspcc^So com as suas nro-
postas em cartas fechadas, no dia 20 do
corrente mez ao moio dii.
Consulado de Portugal em
Pernambuco.
dramas de grande merecimento litlerario
e interessantes vaudvilles, bem como fa-
zer todos os melhoramentos que a concor-
rencia do publico permitlir.
O preco dos bilbetes ser o mosmo da
empresa anterior. As assignaturas sarSo por
50, 25 e 12 recitas, tondo os que issigni-
1 em por 50 recitas, o abatimonlo do 20 0)0,
por 25, o abatimonlo do 12 0|0, o por 12, o
pescootode 8 0|0.
Do7 de dezombro ao lim de fevereiro nao
se darSo recitas de assignatura.
As pessoas quo desejarem assignar podem
desde ja comparecer no oscriptono thoatro
das 10 at as 2 horas.
Avisos martimos.
Af'sa-se a todas as pessoas que por qual-
queT titulo se julguem credoras do finado
subf'tu pnrtugucz Antonio Jos de M 1 tos,
que morava na casa n. 4 da ra do Codorniz,
a conparecerem neste consulado, na ra do
Tratiche, casa n. 6, para a respectiva veri-
iicai/'o e pagamento de seus crditos.
.. Pela subdelegada da freguezia dos Afo-
gades se faz publico que se acha recolhido
a ca'eia desta cidade, um preto de nacilo,
que liz ser escravo do pessoa pertencenle ao
senlsir JoSo Hermenegildo, o qual fui preso
por ter encontrado fra de horas com urna
violt, suppondo-se estar fuxido; assim co-
mo pram mais aprehendidos 7 cavallos de
divesas cores, que conduziam diversos la-
IrOo, dos quaos foram presos tres, sendo
um creViHa U un/lato joaquim.esia w
tor Beltrao, que alcm do furto confessou ter
feito urna morte 00 lugar do Tot, fiegue-
tla da Vanea, sendo o morto fllho de Luiz
Je Franca; portanto quem se julgar com di-
reito tanto ao escravo como aos cavallos,
comparecam neste juizo, alimdelegalmen-
le provarem.
anco de Pernambuco.
O conselho de direccSo declan que os
descontos da semana que decorre de 16 a 26
do corrente agosto, continuam a sor os de 1
por cento 10 anuo para as letras a vencer a-
l o fim de outubro, e de 8 por cento at 6
mezes, sendo o oxpedienlc para os mosmos
descontos lodos os dias ulois, som ex-
cepcao de algum, desde as 11 hons da raa-
nli.1'1 as duas da tarde. O mesmo conselho
resolvoo, c faz certo aos senhores accionis-
tas, que a ultima prestacSo de 25 por cento
com quo do conformidade com os respecti-
vos estatutos deveriam entrar de 15 a 31 doj
Para o Ass.
O patn- 1 o Atnisade sabe ne.stcs
16 dV'S, e recebe carga para aquel
I,, porto : quem nelle quizer car-
regdr, dirija-se a ra do Vigario
1, primeiro andar, ou como
tao Joao Unmaceno de Araujo.
Para o Aracaty sahe com brcvidao o
bnsiloiro Angelici; para carga e pes-
ies trata so na ra da Cadeia n. 49, pri-
0 andar.
ara o Aracaly ou Parabyba
e-so a sabir com toda a brevidado_ o
ro o bem conhecido hiato narional 'i-
bano, forrado de cobra e de primeira
ha; quem no mesmo quizer carrogar,
cap
liiali
sage
meir|
1
Prop'
velel
rahy
*'io na'ra da Cadeia do Recife n. 23," ou
com o mestre Henrique de Souza Maffra.
Para Lisboa o brigue porluguez Vi a
jante, cipito Manoel dos Santos, pretende
soguir viagem no dia 30 do corrente : quem
110 mesmo quizer carregar ou ir de passa-
gom, diriji-se aos consignatarios T. d'A-
quino Fonceca & Filho. na ra do Vigario
n' 19,1. andar ou ao capitao na praa.
-- Para Lisboa o brigue portugus Novo
Vencedor pretende soguir viogem por todo
o corrente mez : quem nelle quizer carro-
gar ou ir de passagem entonda-se com os
seusoonsignatirios T. d'Aquino Fonceci &
Filho, ni ra do Vigario, n. 19,1. indar, ou
comocipitaoBorgesPestinu na pnc.a.
___ Para o Kio de Janeiro sabe
at o dia a5 do corrente, o brigue
nacional Recife, o qual j lem a
inaior parte da carga prompta, e
para o resto, passagtiros ou escra-


MUTILADO
I


-

i
vos a l'rete, para o que tem muito
bom commodo, trata-se na ra do
Collegio n. 17, segundo andar, ou
com o capitao Manoel Jos R-
beiro.
-- Para o Itio Grande do Sul seguir bre-
ve o briguo Social por ter parle Jo seu car-
regamento prompto, o qual pode receber
alguma carga fete, o quero pretender
pode irattr com Amo: m IrmSos 1 na ra
ila Crui n. 3.
Para a Baha.
A. escuna Adclaide segu al
o lim da presente semana : para o
resto da carga, trata-se na ra da
Cadeia do I', ce i Ib numero a3, ou
na do Trapiche Novo n. 16, no se-
gundo andar.
Para o Coar segu com brovidade o
patacho Sania Cruz recebe carga de frele e
passageiros : a tratar ao lado do Corpo San-
to loja de massames n. 25.
Avisos diversos.
O lente Candido Leal Fer-
reir, ajudante d'ordens do com-
mando das armas desta provincia,
esl residindo na ra do Sebo, ca-
sa n. 33.
- Manoel Jos Fernandas Eiras, vai Por-
tugal.
- Procisa-se de duas amas forras, sendo
urna para cosinhar o a outra para engom-
mnr : na ra do Trapicho Novo n. 14.
-- A pessoa que tiver una carteira dees-
oriptorio, em bom estado, sendo iic urna fu-
co : dirija-se a ra do Trapiche Novo n. 14.
-- Prccisasa de urna ama, que saiba co-
sinhar, e que lenha boa conducta, para ca-
sa do familia : no aterro da Boa Vista n. 58.
- Quem procisar de urna ama, para casa
de homem solteiro, ou do pouc familia :
dirija-se a Gamboa do Carmo, no primeiro
hecco, vindo da ra Nova do lado osquerdo.
- Quem precisar da um criado estrangei-
ro, cum as necesarias qualidades! dirija-se:
a Fura do Portas, coxeira do Sr.Pedro Alem. j para um homem solloiro : quem livor para
A administro da compa- *** V% Ueixou na secretaria da
inspecgdo do arsenal de marinha, ja lia das,
um chapeo de sol, diiija-so a mesma, que
dando ossignaes cortos, Iho sor entregue.
Aos senhores do engenhos.
A pessoa quo annuuciou para administrar
engenhos, levando 10 a 12 escravos, avis
Manual An <1nntnr nrH 1 ruin?ido Constando ao abaixo asiignado, que
manual do uoutor jarn, traauzao ten0 g0 ven,l0 0 estabeiecimento, sito
em portuguez.
16,000 rs. de assignntura.
Sahio a luz o primeiro volume desta obra,
a melhorde todas em seu genero : o unieo
verdadeiro livro, por onde se pode estudar e
praticar a homeopathia. Est ntidamente
impressoem ezcellente papel, com todos os
signaos quo contm o original para denotar
a difleronca do valor dos symptomas.
Contina a assignatura no consulloiio ho-
meopatbico do l)r. Mostoso, onde os sonho-
res assignantos pJem mandar receber os
seus exemplares
No mesmo consultorio ha todos os medica-
mentos homeopathicos VERDADEIROS; as-
sim como ricas carteiras, e reformam-se
quaesquer boticas, cujos medicamentos se-
jam falsos, ou deteriorados.
l'recisa-se de um caixoiro, quo emen-
da de pharmacia : na botica da ra do Ran-
ga1 n- .... I
Luiz Correia da ConccigSo, estabelcci-
docomloja de alfaiate, na ra do Visarlo
n. 21, faz sciente ao publico, que do hoje
em dianle, se assignar Luiz Corroa Duar-
le, por haveroutro de igual nome.
Precisa-se de urna ama, para cosinhar
o diario de uina casa : na travossa do Corpo
Santo. .
Quem precisar de um mostr para bar-
caja : dirija-se a ra do yueimado n. 24,
e l se dar (langa a sua conducta.
Tendo-se perdido urna letra da quantia
do trezentos mil rs., aceita por Rcruardino
Domingos Porto, a favor de D. Joanna Feli-
cia Ribeiro, e vencida em 29 de dezembro de
1851, a qual flea de oenhuui effeilo por se
lor feito nova a transacgflo.
-- Lava-se o engomma-se, com muita per-
feigSo c asseio : uo pateo da Itiboira de S.
Jos n 15.
Aluga-se o primeiro andar, da casada
ra da Senzalla Vclha n 22 : a tratar ni ra
do Apollo, annazom de assurar de Jos Ma-
ra Thoinaz da Silva.
-- Precisa-se de um feitor, que entonda
do borla o de trato do animaes : na ra da
Cruz u. 20.
Precisa-se alugar um andar de casas,
no aterio da Boa-vista, ra da Aurora, ou
om Santo Antonio, sendo boa ra : quem ti'
ver dirija-se a ra do Quoimaoo, loja n. 10.
- lloseja-se alugar urna sala e um quarto
c3
nla de Bebiribe, translerio para
o dia 20 do corrente, sexta leira,
a conclusao do contracto di arre-
cadscSu da laxa de 20 rs. por bal-
de d'agoa : as pessoas que quize- qS"n"ao"s6 administra como tambem'arren
rcm contractar, diriiam-.se ao es- da um quo niio diste mais doto legoas:quem
.... 1 _!.- / 1, I pretender qualquer do referidos negocios,
Cnptori0 ras da tarde do referido dia. procure na ra Augusta ao p do viveiro.
-- Desippareceu no dia 15 docorronteo' Chegou ra do (lueimado n. 31, novo
escravo Francisco, de naeSo Mozambique,; sorlimenlo do vidros rom agoa para fazor
... t_____ ..I.. t\ foltullnc i> GnikK.c nrolifi n flll'.s :|I|I|'<
ceg de um olho; levou raiga e ca-
misa do aigodSo da torra ; o dito preto he
baixo e reorgado: qualquer capitSo do
campo o podor prgar e levar a seu seohor,
na ra da Cruz n. 12, quo he Jo3o Leito Pi-
ta Ortigueira.
os cabellos c suissas prelas a viles antes
que so acabern.
Um rapaz brasilciro de boa conducta,
se oTerrce para raixeiro de urna casa cs-
trangoira ou do outra qualquor, a cxcepgo
de luja ovenda: quom do seu presiono so
Ha dous para tres mezes appareceu no quizer ulilisar aimuiicie a sua morada para
ongciiho Cacboeira-Nova, termo de Scri- ser procurado
nliaem, propriedade do abaixo firmado, um
preto de nome AlexanJro, creoulo, de ida-
- Iiosappareccu no dia 3 do correute mez
do sitio de Francisco Carneiro Machado Bius
de pouco mais ou menos de 24 annos, di- nos Afogados, um seu escravo por nomo An-
zendo ser escravo de um Sr. Maximiano de lonio-Cassatuba-preto, de idade 38 an-
tal, agricultor da provincia das Alagoas; e' nos, o qual tendo sido accommettiJo de apo-
comopolo correio ja so dirigissem tros car-, plexia fulminante, no da 28 de abril, licou
tas a csse senhor, das quaes u5o so rocebeu dopois disto leso; levou camisa do mada-
resposta. o abaixo firmado por moio do pre- pol3o fino o caigas de nscado : quem livor
sent o avisa paia que venha ou mande bus- noticias do mencionado prolo participe ao
car diio escravo, certo de quo nao se res- annuucianle no dito sitio, ou a seu mano
ponsabilisa por morte, fuga ou qualquer Antonio Carneiro Machado Ros, na Boa-Vis-
eventualidade que possa occorrer.Caelano ta, que ser recompensado.
Francisco de Barros Wanderley. I -O abaixo assignado tem contratado a
-- 0 annuucianle do cem espanadoros, compra da casa cita na travessa de S. ledro
doclare a sua morada para ser procurado. n. 1, quo foi da funda 1). Brgida Mana de
- Dinheiro a premio, com seguranga, Castro, quem so julgar com direito a mesma
em pequeas quantias: na ra esfeita do por qualquer titulo, peonorado, ou liypo-
Rozario n. 8, no primeiro an lar por cima lliecaqueira declarar no praso de 8 dias.-
da Na de cera, so dir quem da. Manoel lluarque do M. Lima.
-- Precisa-so do um pequeno, de idade i'recisam-sode dous creados para urna
do 10 a 12 annos, que tenlia alguma pratica casi ingleza, sendo um para cosinhar, e
de venda : no Forte do Mallos, ra do Co- servir em casa, e uutro para servir meza, e
dorio/, n i ^ bolear : a trotar no armazom n 62, da ra
-- Precisindo fallar-so oo dono do sitio di Cadeia do Itecife.
denominado Catle, da freguezia deTaqu- -No domingo 8 do corrente rugi um
ra, provincia da Pirahybi, que l'oi doltvd. preto de nomo Agostuibo com os signaos
padre Francisco Carneiro, a negocio relali- seguintes : cor rula, rosto redondo, sobran-
vo ao mesmo sitio, e ignorando-so quem ceibas pretas o techadas, levou caiga do al-
seja, pede-se a doclaragao de seu nomo e godao branco da listas; sabio da Estancia
moradia, om casa da Joaquim Flix Macha- pira ir receber 16,000 a mandado de seu se-
do, para ser procundo. "hor e rocobendo-os nao voltou mais i ro-
- Precisa-se de urna ama, que saiba co- ga-se a quem o apprehender o leve a ma
zinhar: na ra da Cruz n. 58, segundo an- do Collegio n. 3, ou ao Mondejo a Felis-
uar< bino de Carvalho Uaposo que recompen-
Tinturaria nacional. sa.r0 bgchlirel
no attrorro i'a Roa-Visli n. 68, previne 10
compiador di mesmo que est obrigado i
pagar ao jiesmo abaixo assignado, a quan-
tia de 73,980, proveniente de gneros para
o mesmo, ou do contrario nSo faga nego-
cio alputn. K'rile 13 de agosto do 1852.--
Candido Alberto S. da Motta.
HOTEL DA BARRA
ItUA DO TRAPICHE N. 3.
Com a entrada pela ra dos
Tanoeiros.
avondo este estabeiecimento difliniliva-
mente passado a novo proprietario no dia
primeiro do corrente, assogura-so Dioso
aos senhores antigos assignantes que se dig-
nara m continuar, como aquelles que de no-
vo o honnrem d'ora em dianle, que ser3o
empregados os possiveis esforgos afim de
que ibi so encontrn) asseio, pnrteigSo, e
sufliciencia; continuando os pregos j osta-
belecidas para provimentos tanto no hotel
como pan tora; bem como assistencia em
sallas ouquartos, etc.
O Sr. Joaquim dos Sanios Azevedo v
pagar 17,000 rs. que deve na olarii dos Coc-
Ibos, que em quinto n3o o lizer ver sem-
pre seu nomo ncsli rollia.
Precisa-so do um feiior para uro sitio
perlo da praga, preferindo-se portuguez.ou
ilho ; a filiar no armazem de M. Carueiro,
na ra do Trapicho n. 38.
Na ra do Livramento n. 21, segundo
andar, compra-so toda o qualquer porg3o
de ponnas do Erna, paga-se bom conrormeaj
sua qualidade etc.
-- Terga-feiri, desipparecou di Cisa-For-
to urna porca com 13 bacorinhos, a porca he
venncllia, e quasi tolos os bacormbo< da
mesma cor, fui encontrada na poito do Man-
guinho, tomando a direcgSo da SoloJade :
quem dellasouberou pega-la, leve-a ao si-
tio do Chacn, junto ao do senrur Nuno Ma-
ris de Soixas, que son generosamente re-
compensado.
Aluga-se una casa de dous
andares, ou de um anddr e sotao ,
com commodos suflicientes para
grande familia, nos bairros de S.
\ntonio, ou Boa Vista: a tratar
na joledade, sitio dos l.eoes, a
qualquer hora do dia.
Alugam-se o vendom-so bixasna <>
praga da Independencia n 10, con-
A fronte a ra das Cruzes. ?
--Frederico Robilliard tendo obiulo .lo lltll completo .sortunelo de ropa
meritisiimo tribunal do commercio o com- r ,
leita.
ptenle titulo de corretor geral desta prxga,
em virludo do que, faz sciente ao respeila-
vol publico, que est eslabelecido nesla qui-
lidade para exercer todis is funcgOes, que
marcam o cdigo commercial no titulo 3.',
cipitulo 2.' dos correctores no art. 45, quo
diz 4 seguinte : O corretor pode Intervir
em lid as as convengOes, trsnsagOos e ope-
rago* mercantil: eassimosseus principaes
negocios ; serio de comprar e vender ge-
nero! do paiz, o fazen las de importagSo de
toda) as qualidades, navios, acgOes do banco
eoutros ttulos, metaes, negociar leltns de
cambio, descontar lettras da torra etc. etc.
Aproveitando esta occasiSo para publicara
tabella das commissOes dos corretoros desta
praga, marcidi pelo governo.e mandado ob-
servar pelo rospectivo tribunal do contmer-
cio, ya ron lornii la.lo do decreto n. 808 de
28 do (olboda 1851, que he da forma seguin-
te : -- cobrarBo os corretores da priga do
commercio da provincia de Pernambuco do
commissSo, o seguinte:
Objtcloi.
I
H
Oburmciit.
Ni ra do Padre Floriano n. 46, tingo-se
todas as qualidades de roupas, e fazoudis
de todas as cores, por prego commodo; o
quem tiver obras ji tinclas, na mesma casa,
no prizo de oto das as v3o buscar, quando
n5o sorSo vendidas para pagamento do tri-
balho.
-- Precisa-sede um homem de meii ida-
de, pira mestre de meninos, para o matto
que saiba ler, escrever, e contar : quem es-
tiver nestas circunstancias dirija-se a ra da
Cruz n. 43.
- No dia 6 do correle ausentou-so de ca-
su do abaixo assignado, o seu escravo Sn-
verino, Angola, estatura baixa, mal feito de
pos, idade 28 annos pouco mais ou menos,
pouca barba levou caiga de riscado ,
camisa de aigodSo branco, e bonet de panno
azul, velho. Este escravo foi comprado tu
pouco mais de dous mezes, io senhor len-
te Jo3oMirinho Civilcinti de Albuqucrque,
morador na povoagSo do Montoiro,e por ler
dcsappareciiio sem motivo plausivel suppo-
so ter siJo seduzido por alguem ; pelo que
o abaixo assignado protesta proceder contra
quem acoular o seu reterido escravo, c pro-
meti pagar generosamente a quem delle
der noticia, ou approhende-lo.
Jos Ignacio de Loyolla.
Um mogo solteiro, que tem bastante
pratica, se offerece pira criado, ou mesmo
para ortelSo de qualquer sitio; podendo ser
procurado no aterro di Boa-Vista venda
n. 49.
^ AUencjo.
-- Pesso encarecidamente aa senhor V. J.
C, que he morador no Remedio, qufJVJA*
pagar na ra Nova a fazenda que levoi pa...
amostra desde o anno passado; e nSo fazen-
do este pedido ver nesti fothi o seu nome,
a a/ernla, e o modo com que levou.
O Responsavel.
O ablixo issigoado acha-se em activa
cobranga de avultidis quintias de diversos
dos seus devedores, que sao bem conheci-
dos em Permmbuco, ni qoilidade de gran-
des proprletirios ni freguezii do Cibo, e
deixou ni sua loja di rui Nova no Recita ao
senhor Caelano Silverio di Silva, encarrega-
do de compnr e vender, pagar aos crodores
da dita loja, e receber dos devedores, com
plenos podqraj para fazer qualquer trinsac-
g3o em favora dita casa de commercio; e
pan que ebegue ao couhecimeuto de todos,
Faz se o prsenle innuncio.
Antonio Gomes Villar.
Quem precisar de um homem para fei-
ior de um sitio,ou para servigo de urna casa,
dirija-se ao pateo do Paraso, casa por cima
da sichrislia.
formado Jo3o Vicente da
Silva Costi transfeno a sua residencia do
atierro da Boa Vista n. 24,para a casa n. 49,
da mesma ra.
Sr. Dr. Augusto Lcmeulia Lina tem
cirli vinda do Mallo : na ra do Sol n. 7.
Quem tiver e quizer vender por prego
commudo,os volumes 5.' e 7." do Panorama,
embora j usados, annuncie para ser pro-
curado.
Precisa-se saberse existe nesla provin-
cia Remigio SerrSo, natural da ilha da Ma-
deiri.vindo pira esti cidido 16 annos pou-
co mais ou menos; em ciso allirmativo,
queiradirigir-so ou mandar a ra do Trapi-
che, casa n. 6, a negocio do seu particular
inleresse.
Mudanga de eslabelecimeuto. Jos Luiz Cuaiaco tem a honra de fa- >
k '"l.nln.n r - Precisa- se de umi ami de leite quo n3o
seja captiva ; quem cstiver nestas circums-
tancias, dirija-so a esta typogiaphia quo se
I lie ilira quem precisa.
f^* llecebem-se escravos de commiss3o,
conipram-se e ven lem-se, lanto para dentro
da provincia, como para lora : na ra das
Larangeins n. 14, segundo andar.
-- Precisa-se de una ama forra, boa li-
vadeira, engommadeira para servigo de
urna casa ingleza: na ra da Aurora casa
doSr. Elias Baplisla da Silva.
Paulo tiaTfrnoux iicuilxt,
de volt a esta cldadc, pode
ser iii-ocurndo a qualquer *
'f hora om Ma casa : na ra +
lai-ta do Kosario n. 36, se- t>
0 finido umiar.
*#*
Dos Llispoe.
Acaba dechegardo Rio de Janeiro, tradu-
zido em portuguez, o cxcellente romance de
Alexandre Dumas.que tora por titulo, Dos
Uispe, vende-se na livnria da praga da In-
dependencia n. 6 e8, a 8,000 rs. constando
de 6 volumes.
O abaixo assignado nico agente em
Pernambuco de J. R. I). Sands, chimico
americano faz publico que o deposito cons-
tituido por seu autor, ho em sua botica na
ra da Cadeia Veltia, n. 61, e para evitar
ApOlicei da
divida publica.
AcfSea de
cotupanhlas.
M> iii.. pre-
ciuioa.
I.cin.11 de
cambio.
Ditas da pra
(a al 1 auno.
Por mais de
l anuo.
Gneros na-
cioaaca l"'i i i i '.
Ditus estran-
gclros de iio-
porOf.io e de
reeiporia(ao.
Venda de na
vios.
Frelamciito
de dilos.
y.p.c.
/,p.c.
7P-c
VaP.c.
de
Agencia
seguros.
Ti i lll.o, "Ir
manifcstos.
Cerlidocs.
Ditas.
/m
J^OOO
7,po.
7.p-c-
Vil P-c.
*AiP-c
'/, p.c.
/,p.C
Sobre o valor
ccelivo.
Dito.
Sobre um im-
portiucia em ma-
da correle.
dem.
dem.
Conforme a con-
venfao mutua.
Sobre sua im-
pertancia.
Dito.
Dito.
Pago pelo pro-
prietario, ou con*
sig'otario sobre o
valor do fretc.
Pago pelo se-
gurado.
Pagos pelo pro.
prietario, ou con-
signatario porca-
da ulna das tres
paginas, e rs.
pareada urna das
seguintes, nunca
excedendo a im-
portancia total a
mais de 40/ rs.
Cada non nao
i-xmlrml.il mu
io< / a cotifao.
K mez.
Lotcrio de Nossa Scnhora do
Rosario.
O respectivo thesoureiro desta
lotera, annuncia que as rodas an-
dam no dia a6 do corrente, imprc-
terivel, c s lia a venda um pe-
queo resto de meios bilhetes, que
acham-se no.- lugares j annun-
ciados.
O ablixo assinado pede as pessosquei
Un- s9o devedoras do contas antigs, devi-
rem no seu armazem, ni rui da Cruz n. 5,
sitisfazerem seus dbitos at o dia 31 do
corrente; do contrario ver-so-ha obrigido a
promover a cobranga judicialmente.
William Raueh.
- I
Compras.
Promottendo oannunciantc omaiorzelo
e ictividade no cumprimento de todos os
negocios confiados ao seu cuidado, e con-
vida a todas as pessoas, que com ello quize-
rem tratar, para so dirigirem aoseu arma-
zem, na ra da Cadoia do Recife n. 4,aon-
do tambem rocebe qualquer lazenda para
vender ou em deposito.
Offerece-so um monino de idade 12 an-
nos, pin caiieiro de qualquer estabeieci-
mento, o quil he Bino de Porto de Podras, e
nunca dalli sahio : quem precisir dirija-se
a rui do Livramento, sobrado n. 0, segundo
andar.
Desappareccu no dia 15 do corrente,
Compra-se a obra quo tem por titulo
A mocidade engaada e desengaada
convertida e instruida ; quem tiver annun-
cie.
Compra-se
urna colxa do damasco oncarnado ; nesta
typographia, ou annuncie.
- Compram-se oscravos de ambos os se-
xos, de bonitas figuras, de 10 a 95 annos,
tanto pan a provincia como para fra, pa-
dem-se bem : ni ra da Cacimba u. 11, on
ga morou o finado vigario do Itecife.
Compra-se um escravo, preto, de meia
idade, quo seja muito fiel, e n.lo seja ln lu-
do : no aterro da Boa-Vista n. 80.
Compram-se cartas-physico-mathoma-
ticas de Theodozio a Eugeni i, para servir de
supplemcnto a recriagSo philosophica por
T. A. C. O.: quem as tiver dinja-sc a ra do
locantamento, no Itecife, loja de bahus.
-- Compia-scm urna prota quo lenha algu-
ma liabilidade, eum preto que seja forte,
ambos de bonitas figuras, e que nSo tcuhain
vicios nem achiques: na ra do Amoriui
n. 25.
Compram-se dous mulatos do 12 a 16
annos de idade. e quo sirvam para pageos:
a tratar com Luiz Gomes Ferreira, no Mon-
dego.
Compra-se urna ou duas rotlas pan
casa terrea de 5 a 5 1|2 palmos de largura e
II n 12 de altura, o 2 ou 3 portas com a mes-
ma altura o.la'gura, em bom estado na ra
da Cruz n. 62.
Vendas.
Lotera de Nossa Senhora do
Rosario,
Casa da Fortuna, ra Direita n. 7.
As rodas desta lotera andam no da 26 do
corrente, infalivel, na casa cima, o na pra-
ga da Independencia, loja do Sr. Fortunato,
esl a venda um comploto sorlimento de
cautelas e moios bilhetes.
Meios bilhetes
Quarto*
Decimos
Vigsimos
Lotera do itio de Janeiro.
aos ao;000,000 de rs.
Na loja de miudezasda praca da
Independencia n. 4 vendem-se
bllietcs inteiros, meios quartos,
otavos e vigsimos da dcima
ijii ii'l.i lotera do hospitil da San-
ta Gasa da Misericordia 1 vem a
lista no primeiro vapor que chc-
4,000
2,200
1,000
500
polas 2 horas da tarde, da ra Augusta, so-; i,_ '
lirado de um andar.ao p de um de varandi gar (lo RlO de Janeiro.
- VeiidcM-s dous sobrados do um andar
cada 11 ni, sitos na ra dos Cupiarosn. 1 o 3;
os pretendeutes cntendam-sc com Jos Das
encsrmda, da casa do Manoel Thoniaz dos
Santos, um seu escravo mulato, de nonio
Jorge, cujos signaes sSo os seguintes: bai-
xo, secco do corpo, tem urna queimadura na
qualquer engao, so achara a assigualuraj parte esquerdi do rosto, nariz afilado, pou-
do abaixo assignado om manuscripto, so- ca barba, olhos pretos, cabellos pretos o
bre o involtorio impreHO do mesmo frasco, crespos, he rendido das vcrilhas, os pos po-
Vicente Jos do Brito. I quenos, o os dedos rombuJos, pernas linas;
OlTerece-se lim mOCO brasi- levou camisa azul, caiga de riscidinho eum
. bonet; quem o pegar leve-o a supradila
leiro, para lazer a esenturacao em ,gi| qu jora recompensado,
qualquer estabeiecimento nesta, Muga-so o segundo andar do sobrado
,1 da ra da Cruz 11. 18, proprio para homem
ou em outra praca ; tambem para o|tnjro ou raraJUa 'quecoma do hotel; as
caxeiro de cobrancas, administrar tratar o armazem do mesmo.
, 1 .. i>rne.isa-se de um copeii'o o um estnnei-
engenhos, ou casas de negocio no rOi,mrD0CsfOrroSe queentendam bemdosou
iniit.i nrom^ttenilo tudo desem-serviooi narua da Aorora, nasa do MDttor
penir'da melhor forma, por isso Elias Baptista, junto da casa dos^oxpostos.
que tem bastante pratica dando
liador a sua conducta : na ra do
Uangel n. 36, segundo andar.
as 11 bacharel Vicente Ferreira Comes t
S mudou seu esrriptorio de advogicia, 4
<> para o largo do Collegio, casan. 6, 4
a. primeiro Bndar. '$
?.********** I
Tendo de fazer urna viagem a pioviucla
das Alagoas, onde me demorare! por espajo de 1
qiialro ou seis meiea deluo fazendo as minhas
vezesem tninha auiencia o Sr. Dr. Pedro de
Moscoso, distinclo medico lio- :
>mc
meopaiha desta oapll.1. O Sr. Dr. Pire, Ra-'* pregos vanave.s, conformo a qu
nos Jnior (ica incumbido de distribuir dcS daddas ciixas, aquantldade dos
grata aos pobres os remedios de que precisa-,^; medios e SUBS dynamisugOos.
HOMEOPATHIGA.
28 RA DAS CHUZKS 28, <
Dirigida por um pharmaceutico *
approvado. *
Esto estabeiecimento possue todos *
os medicamentos at agora oxperi- ^
mentados, lanto na Fui opa como no Brasil, e preparados pelas michinis 41
O da invengSo do Dr. Mure. #
f Carteiras de 12 tubos ile 160, por -^
conformo a quali- *
re- "
<-;
pode ser tambem consultado com
vantagem em todos os casos de molestia. Tres

Tubos avulsos (cada um) 1/000
',.: uras do tolos Os ine.liraiiii'ii-
annos de pratica em minha numerosa clnica, lar tos 0, frascos je 1|2 onga 9/000
acompanbada dos indispensaveis e.uuloa para *f AVIAM-SE GKATU1TAME.NTE
oe.e.cicioda hoincopaibia o tem habilitado para Qs pobr ..Siluda8 B8 receitas que
i'tibicacoes llomeopathicas.
A 25 Dli AGOSTO snhir & lux a continua-
gSo'di pathogeuesia homeopaibica.compos-
ta do 12 medicamentos europeos, triduzda
do manual do Hit. JAHR, o a do 12 medica-
mentos brasilbiros oxtrahida da obra inli-
tulada-Doulrna da Escota liomcopatliica do
RlO DE JANEIRO, pelo DR. MURE. Esto vo-
lume ser* augmentado da Theoria da appli-
cagSo das dozes pelo Dr. Muro, lacuna im-
portantissima deixada por llahnemam ao
cuidado dos seus discpulos. Recebam-se
assignaturas a 3,000 rs. pagos na occasiSo
da entrega, no consultorio do prof. borneo-
palha Gosset Bimoui, ra das Cruzes n. 28.
Napolen Gabriel Bez relira-se para o
Rio de Janeiro, levando omsua companliia
o seu escravo pardo, de nome Luiz.
E. Trucbon, cidado francez, retira-se
pan 1 Europi.
Frincisco Uorcira do Carmo, subdito
portuguez, reliri-se para fra da provincia.
para dcecupcnliar a misso deque o dcixo eo-
carregado. Tambciii lica o mesmo Sr. Dr. Pi-
res Ramos Jnior de posse de iiiioba ptima
colleccao de mcdicnmeoios houicopathicos pre-
parados em grande parle dcbaixo de uiinlias
vistas, c dos quaes leoho aempre lirado os mais
i. ti/, s resultados 110 irataiucnto das molestias,
quer agudas, quer chronicas. Muilas das subs-
lauclas vegetacs (So colhidas nesla provincia,
devendo eu urna boa parle deste trabalbo ao
uieu bom amigo o Sr. coronel Joaquim Canuto
Francisco, a quem uesla occasiao nao devo
dcixar de tributar um publico teslcinuulio de
graUdio. Aprovciloo eusejo para oilerecer a
todos os Pcrnambucaucs em geral, c mullo em
particular ao, meus amigos, uieus fracus ser-
vaos naquella provincia para onde parlirei no
primeiro vapor, que vler do Norle. Rogo a
todas a pessoas, que comigo tem contas, que
sedignem de laplisfaie-las ale o dia 20 do cor-
rente. Crclo que nada devo a pessoa alguma .
mas se alguem se julgar meu credor, tcnba a
bondade de mandar sua conla coin a maior
brevidade. ... _. .
Dr. Sabino Olegario Ludgcro Piobo.
l)-se de grulificacao ao,ooo
rs, a quem trouxer um gato mal-
tez, grande, com a cauda e orelbas
cortadas : na ruado Trapiche nu-
mero 34.
olerece-se um rapaz portuguez, de
idade 16 a 18anuos, para caixeiro ue venda,
que da mesma lem pralica ; quem o preten-
der dirija-so a ra da Senzalla Velba n. 98.
No dia 21 do corrente mez de agosto,se.
ha de arrematar em praga publica urna casa
torrea, sita na Casa Forte, com quintal mu-
rado, avalisda em 450,000 rs.; o vai a praga
a requerimonlo do testameuleiro da finada
D. Francisca Jovila de Paula, para pagamen-
to de legados.
;/ paraali mandar qualquer professor. 43
gtosy*Bjaaa&aOi
NOVO MANUAL de meJicina homoeopalhica
pelo Dr. JAHR, 4 volumes, c.im a patho-
genosii de 240 medicimentos 14,000
Doulrina o tratamento das molestias chroni-
cas, por IIAItNEMANN, 3 volumes 20.000
Retrato jdellAHNEMAN.N 5,000
Manual de modicina veterinaria homcoopi-
thica, por Gunlber 6,000
llomceopathia domestica 5,000
Memorial do medico homccopatlia 4,000
0 medico homccopBlha das criangas 1,000
Tratimcnlo liomccopalhico das molestias de
pello 4,000
Dicciona'rio do medicina, cirurgia,etc. 8,010
Manual aratico do magnetismo animal 5,000
Curso di phrcuologia, por Rioussais 8,000
Elementas de homccopathiu, por Gossol Bi-
nio.it I 8,000
Tratamento homccopithico das molestias
vonereas, por Gosset Bimont 1,000
Aviso para quem quizer.
A.Colombiez avisa aos seus IVc-
guezes, da sua loja de alfaiate, c mu
roupa feita, que transferio-a para
a esquina atrs da matriz, loja n.
a, em que est o Sr. Nabuco, sen-
do seinprc o mestre da ollicina o
brasileiro Manoel Jos Ferreira :
na mesma loja cima, tem sempre
da Silva, na rui da Cadeia do Recife n. 59;
o qual se a.Ta autorisalo pela commissao
de seus credoros. para 'azora dila vonda.
Vrndcm-C tres porta las do rotlas com
pouco uso, muito bem feitas, de madeira de
amarollo, por barato prego; na ra da Sen-
zalla Velhan.98.
O muito conhecido r'errcira da ra do
Crespo, entre umitas obras do direito, lem
Felice, direito natnal, o das gentes, 4 vo-
lumes, por 6,000 rs.; Virgilios, 3 volumes,
3,000 rs. ; diccionarios fraucez e portuguez,
2 volumes, 6,000 rs.
A 1,600 rs.
Lengos de onda u ludia, para hombros de
senhora e algibeira de homem, o mais lino
e moderno, que tem vlndo a esto mercado :
na rui do Crespo, loja amarclla n. 4, de An-
tonio Francisco Pereira.
A 5,ooo c 6,000 rs., pecas de chita.
Chitas de cores fixas, com 38 covados:
pelo diminuto prego de 5,000 o 6,000 rs. ,
na ra do Crespo, loja amarella 11. 4.
Feijao novo a 6,000 rs.
No armazem de Gouveia os Das, confron-
to a escadinha da Alfaudega.
Vende-se sal do Ass, a bor-
do da escuna Mara Firmina, fun lala de-
fronte dn trapiche do algod3o : a tratar na
ra da Cruz do Kcrifen. 33.
Chapeo do Chile.
Vendem-se cnapeos do Chile do lo las as
qualidados, por prego coininojo; na ra do
Crespo n. 23.
Pao de Provenga.
Veude-sn o muito bom pflo de Provenga;
na ra da Senzalla Vellia, padario n. 98.
Vende-so um molequeallaialo ; na ra
do Cabug, loja n 3
Aviso aos lllms. Srg. acadmicos do
5.' auno.
Filas encarnadas proprias para carias de
hachareis : na loja n. 2, da ra Nova alraz
da matriz.
Voudem-se lantornas pequeas com pos
do bronzo quo servem para pianos : na ra
Nova loj-i n 2, atraz da matriz.
Ven lo sa vinagre aromtico proprio pa-
ra tirr pannos do rosto, sarnis, amacara
pclleal.000 rs o frasea : na ra Nova luja
o. 2. .
Vende-se agua de colonia, muito supe
rior: em frascos grandes : ua loja 11. 2, da
ra Nova.
a Colooibiuz com loja n. 2, na ra Nova
atraz da matriz, tem para vender a dinheiro
a vista, ricos oucerados de bonitas cores, do
6 a 12 palmos de largura, que servem pira
cobcrlas de pianos, e do mezas de jadiar.
Os lllms. Sr*. estudsntes do 5." anno.
S3o convidados pira comprar com dinhei-
ro avista, fitas encarnadas que servem para
as suas cartas de hachareis, em sciencus ju-
rdicas, falemcom o Sr. Nabuco .- ni loj de
A. Colombiez n. 2, di ra Nora atraz da
matriz.
Umaencommenda de coborlores,
Quo por serem poucos
NSo podem chegar
A todos os compradores,
a 1,600 rs. cada um : na ra do Crespo, lo-
ja n. 6.
-- Na ra Nova, loja n. 2, atraz da matriz,
tero um grande sorlimento de casacas de pa-
nos de cores que sSo muito om conla, um
grande dito de coletes de vanas qualidades
de fazendas, um bello sorlimento de caigas
de varias fazendas, um bello sorlimento de
pililos de bonitos pannos.chapeos da ullima
moda de Pars, grvalas, collarinhos,
peitos de morculina para camisa, lengos du
silln preto, luvas,sapitos do lustro forma
inglezi, ditos ruciana, um bom sortimen-
to de caseiniras, e de pannos linos ; vou-
de-se barato a dinboiroa vista.
Vendem-se pcolosde tartaruga da mo-
da, abarlos, e lisos de marrafas, faz-se qual-
quer obra deste genero, tambem faz concer-
t na loja de tarlagueiro, no pateo do Gir-
ino, esquini que volla para a ra das Tnu-
cheires,
lina do (Jueimado n. 19.
Loja completamente sortida de fazendas
de todas as qualidades a vontade eescolha
dos freguezes. Vende-se pao de linho da
feira muito bom por 6,000 rs., pegas de 15
varas por 12,000 rs., ditas de 30 varas, e a
retalho a 440 rs. a vara, esleirs da India
com 8 palmos de cumprimento o 7 de largu-
ra, a 2,800 rs. cada urna, panno fino preto
a 3,200, 5,500, e 6,500 rs. o covado, e azul
muito proprio para fardas e libres, a 3,200,
4,000, e 4,500 rs. o covado, sendo todos no-
vos e de superior qualldide, em relagSo com
o prego: chales de aigodSo, pa Iroes escuros,
e muito boa fazenda a 2,000 rs,, muito pro-
pros para andar em casa, principalmente
as estagoes chuvosas, cortes de cambraia
branca com salpicas a 3,800 rs., cada um
com mais de 5 varas e mu ila larga, lengos de
seda para meninos a 500 rs cada um, ditos
de seda para homem, a 1920, e 2,240; muito
boa fazenda o padiOes novas, ditos de cam-
bra ni de linho a 560 rs. cada um,sendo gran-
des e nimio boa qualidule, ditos de garga
para senhora 1,000 e 640 rs ditos do cis-
> 1 com palma os ponas a 240 rs., ditos com
barra aberta brancosa 200 rs., alpaka mes-
rlidi a 800 rs. o covado, ganga parda c a-
marrlla a 200 rs. o covalo para acabar,
meios lengos de se.la para grvala pidiOos
novos e sem mofo a 1,500 rs., ditos de cas-
sa a 400 rs., e finalmente, rap princesa do
Rio do Janeiro feito pelo prego da fab-ica do
Lisboa a 1,000 rs. a libra, e om mcias libras
a 5t0 rs. cada urna, este rap torna-so ro-
commpndavel por que sendo a sua compo-
sigo superior do rap Meuron, arcia pre-
ta, o imitante o mais possivel a do rap do
Lisboa, he mais baralo do quo qualquer ou-
tro e prel'erivelem tudo, mas vende-se por
este prego, para acreditar 1 sua qualidado,
anda pouco cunhrcida w ste mercado.
A Colombiez com loja n. 2, ua ra No-
va atraz da matriz, tem seinpro um grande
sorlimento de roupa feilu, quo vendo barato
com dinheiro a vista.
Cazacas de panno lino preto a 20,000
Ditas de panno fino do cores a 14,000
Hilas 12,000
Palitos d .. 20,000
Ditos de Casemira mesclada a 20,000
Dilas 12,000
Coletes deselim preto a 8,000
Dilos do seda decores a 2,000
Ditos de fustlo de cores a 2,000
Ditos de dito brancos a 2,000
Caigas do casemira decoros a 7,000
Ditasdobrima 3,000
Palitos do brim Baratos
Ditos de riscado lJera
Jaqueta do riscado dem
Cazacas do brim branco dem
-- Aviso aos houiensquo quizirem andar
vestidos com promptidlo da cabega aos ps ;
vendom so chapeos finos francozos, camisas
brancas linas grvalas de seda, casacas do
panno fino, pililos de caseniira de cores, cal-
cas de cazemiras,ditas da brim, coletes do
setim,dilosde fuslflesbrancos e do cores,leu-
gos para algibeira.luvasde pelica,colariuhos
rnka carnizas, ninas de aigodSo, sapatos do
lustro ponto ingloz, bengalas finas, peitos
do morcollina para camisas, com o dinheiro
na inflo acliam tudo com promptidflu na
ra Viva loja n. 2, atraz da matriz.
Na loja 11. 2, da la Nova, ven lom-so
sapatOes de lustro para homem fraucezea di-
tosde Inzerro, sapatos de luslro para sctiho-
ra, ditos do marroquim decores, ditos do
marroquim preto, ditos de duraque, dilos de
setiin branco,botiusdeduraquopretogaspia-
dos para senhora ditos de ginga pona do lus-
tro a 1,600 is., ditos de meninas, 2 a 180 rs.,
ditos a1# rs.clnnclasdo Ua parasenhora.di-
las pira linmcm, chapeos do renda com filas
para senhora a 10,000 rs., ditos linos para
homem a 7,000 rs., ditos de merino pretos,
5,000 rs. ditos de palha amanilla a 2,000 rs.
dilas para menina a 1,000 rs., ditos de palha
lina para senhora a 4,000 rs ditos do pello
de seda para menino a 1,00o rs,, dilos para
homom a 8,000 rs.
Attencao senhores fogueteiros.
Vende-se baratinho superior
plvora ingleza cm massa : a tra-
tar na travessa da Madre de Dos
11. e 6.
lima cncommond 1 de cobortores,
Quo por serom poucos,
Nao pdom chpgar
A todos os compradores.
A i.Coo rs. cada um,
na ra do Crespo, loja da esquina que volts
para u Cadeia.
-- Continua-so a vender farinha do reino
e tapioca, a 60 rs. a libra; vinho de 160 a 320
rs. a garrafa ; vinagre a 60 rs. a garrafa, e
500 rs. a cmada ; caf de carogo a 110 rs. a
libra; graxa cm latas a 100 rs.; viuho mus-
Cltel a 500 rs. a garrafa, tu lo do bom e mu-
Ihor, o bom pesado, o oulros muilos gene-
ros, que so nSo mencionam : na esquina do
becco da Bomba, ven la por baixo do sobra-
do do um andar 11.13.
A 1,600 rs. o par.
Vendem-se sapalos francezos d couro do
lustre, para senhora, do superior qualida-
de, a 1,600 rs. o par ; assim como borzo-
guins gaspoados a 3,500 rs. : no atorro da
Boa Vista, loja de calgaJo n. 58, jnnto ao
seleiro.
Vende-se urna preta, um molccoto o
um mulato, proprios para servigo de cam-
po : narua das Cruzes n. 40.
Vondem-se duas escravas creoulas :
urna he lecolhida, sabo ongommar liso, cn-
salidi bem, cuzo e faz bem laborynllio, o
motivo da venda so dir ao comprador; ea
oulra sabo cozinbar o diario de urna casa,
eengommar, e he do servigo externo; pre-
fere-so vende-las para fra da Ierra : ua ra
Diroita n. 78.
Attencao.
Bom e barato.
Noarmazom doCancio, travossa da Ma-
dre do Dos n 5, vende-se farinha de man-
dioca a 1,600 rs. a sacca ; latas com bolachi-
nbas do 'aramia, crva-dooe, etc., a 1,400
rs. a lata. .
Vende-so urna CBiioa de carroira, nem
construida, para uso de navegar para sitio,
assim como alugsse um cinOi aberta, do
mil lijlos: no armazem de madeira, de-
fronte do porto das canoas da ra Nova.
Refrescos e xaropes a 5oo rs. a
garrala,
Vendom-so na travessa da Madro de Dos
o. 4 o 6 ; sendo do grozelhas, capil, (irida-
la, tamarindos, laranja, limSo, cidra, gom-
ma, e muilos oulros do dilTerenlos qualida-
des.
Na ra da Cadeia, por cima da casa da
guarda, vendom-so dous jogos decaxilhos
de alcova.
MUTILADO



Moinhos de vento
com bombas de repuxo par rograr borlas
ebaixasdecaplm nafundigSodeD. W. Bow-
man: na .ruado Brumos.6,8 e 10.
Fazenda da moda.
Vomlem-se superiores corles de cambraia
do salpicos braneos de cor, pelo diminu"
prego de 3,500 rs. : na ra do Crespo, loja
u. 6.
Cal virgem.
Vendo-se cal de Lisboa a mais nova do
mercado: na ra do Vigario n. 19, primei-
andar, escriptorio de T. de Aquino Fonseca
& Filho, ouna ra do Trapiche, amazem de
Antonio Augusto da Fonseca.
Deposito de eai e potassa.
No armazem da ra da Cadeia
dollecife n. ia, ha muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedia, as-
sim como potasaa chegada ultima-
mente, a presos muito rasoaveis.
A iao rs. o covado.
Na ra doQueimado, defronte
do becco do Peixe Frito, loja n. 3,
veude-se riscadinho azul, com a
largura de tres palmos, pelo bara-
tissimo preco de seis vintens o co-
vado; esta fazenda he muito recom-
mendavel aos senhores cheles de
lamilia; d-se as amostras coro
penhor.
l'otassa americana.
__No antigo deposito da cadoia vcllia.n.
12 existe uina pequea porcSo de potassa
amoricana, cliegada reccntcnicnte que por
superior rivalisa com a daltussia: vnde-
se por pr ogo razoavcl.
Agencia de Edwin Maw.
Karua ele Apollo n. 6, armazem deMc.Cal-
ni.iii -- Companhia, acha-sc conaianlemenle
liona sorlimenioa de taixa de ferro coadoe
balido, lauto rasa como Tundas, uiocndas in-
eiras todas de ferro para animaos, agoa, etc ,
ditas para armar cm madeira de todos o ta-
nianhos c modellos o mais moderno, machina
horisoDlal para vapor, com forca de 4 caval-
los, coucos, pastadeiraa de ferro estanliado
para casa de pulgar, por menos preco que o
de cobre, eacovens para navios, ferro ioglez
tantoein barrascomo em arcosfolhas,eludo
por barato preco.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor.
BA DA .SEN7.AI.LA NOVA .N. 42.
Neste estabelecimcnlo conti-
na a ha ver um completo sorti-
meuto de moentlas o mcias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, pa-
ra dito.
Vendem-so os verdadeiros salina in-
glozos, patente, de molla e sem ella : na
ra da Si'n/alla Nova n. 42.
Veudcm-se relogios de ou-
ro eprta, patenteinglez: na ra
da Scnzalla Nova n. \-i.
Arados de ferro.
Na fuudigSo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se aradosdeferrode diversos mo-
delos.
Deposito de panno de algodao da
'ebrica Todos os Santos da Ca-
nina.
Vcnde-sc por preco commodo
o bem conhecido panno de algo-
do desla fabrica ; em pessa, a
vontade do comprador no escrip-
torio de Novaos & Companhia, na
ra do Trapiche n. 34
Vendem-se asseguintes sememes:
nabos, rabauos.rabanetes encarnados e bran-
00, sebola, couvo trinxuda alfaco ala-
ma, repulhuda, chicoria, senoulas, foijao
rarrapato de tres qualidades,ervilba torta e
d i re tu, fava, coontro de touceira, salta, to-
mates grandes, repolho, couve lombarda,
saboia, o mustarda l na ra da Cruz n. 46,
tlul'ronio do Sr. doutor Cosme.
Taixas para ciujen/ios
Na fundicao de Ierro de D.
VV. Bowman na ra do brum,
passando o chafariz, contina a
haver um completo sortimento
de taixas de ferro fundido e ba-
tido, de 3 a 8 palmos de bocea ,
as quaes acham-se a venda por
preco commodo e com prompti-
do, embarcam-se, ou carregam-
se em carros, sem despezas ao com-
prador.
Veodem-sc amarras doferro: na "la da
Sonzalla Nova n.42.
i*- 1'aruilia de mandioca
A 5,ooo rs.
Superiores chapeos de sol de seda ingle-
zes chegados pelos ltimos navios, pelo di-
minuto preco de 5,000 rs. cada urna : na
ra do Collegio n. 4.
Aviso aos pais de familias.
Na ra do Collegio n. 7, acha-so um sorti-
mento de louca do Porto de diversas quali-
dadrs branca e de cores, a qual se vende por
preco muilo barato e serve para quem tem
poucodinheiro; a ella antes que se acabe
porque he pecbincha, o depois nao val nada
ose eu souberavamos, vamos fregu-
zes. Na mesma loja se vender treze caixas
vazias em que veio a louga.
S3T Falitos Feitos. .firn
Na ra Nova n. 26, tem para vender-se pa-
litos de panno verde e prcto,muilo bem fel-
tos.e mais barato do que em outra qualquer
parte; a elle antes queseacabem.
Vende-seaexcellente typo-
graphia do Diario Novo estando
bem montada, tanto de bons pre-
los, como de typos : quem a pre-
tender, dirija-se a ra da Praia
n. 55, a tratar com a Viuva Boma.
Farinha de mandioca a i,6oo rs. a
sacea.
No armazem de J. J. Taso Jnior : na ra
do Amorta 35- ,.
Vendem-se novas cassas chitas de lin-
dos gostos a 2,240 rs. o corto, cassa de qua-
dros fina a 280 rs. a vara: na ra do Crespo,
loja da esquina que volla para a Cadeia.
Deposito clu fabrica le Todos <>-
Santos na Jtahia.
Vendo-se,omcasa deN. .Uiebor&C,
na ru da Cruz n. 4, algodSo transado a-
quellarabrica.oiuitopropnoparasaccosde
assucar croupa deescravos.porpregocom-
modo.
Brim trancado de puro linho a J20
rs. o covado.
Na ra do Crespo loja da esquina que vol-
la para cadea vendo-se brin transado par-
do de linho puro a 320 rs. o covado.
Vendem-se saccas com fa-
rdos : na ra da Madre de Dos,
armazem n. ao.
Cortes de cambraia de salpico
brancos e de cores, a 3,5oo rs., o|
corte.
Narun do Crespo, loja da esquina, que
volta para a Cadeia, vendem-se cortes de
vestidos de cambraia de salpico brancos e
de cores, pelo diminuto prego do 3,500 rs.,
o corle ; meias muito finas, para homcm ,
com pequeo dcfoito.a 2,400 rs. a dalla.
Ancoras para navios.
Vendem-se em casa do Iticardo Koyle, na
ra da Cadeia Velha n. 37, ancoras de supe-
rior qualidade, o por commodo prego.
Chita para coberta, cor fixe a
2oo reis covado.
Na ra do Crespo,loja da esquina que vol-
la para a Cadeia, vende-se chita para cober-
ta de novos padres e cor lisu a 200 rs., o
covado.
Vendem-se chapeos do Chily, bons, por
prego commodo : ua ra do Trapiche n. 8.
Vendem-se accoes da extinc-
ta companhia de l'ernambuco e
Parabyba no escriptorio de Au-
gusto C de Abreu : na ra da Ca-
deia n. ,'|8.
A 16o rs. cada um.
Defronte do becco do Peixe Fri-
to, loja n. 3, vendem-sc lencinhos
de cambraia pintados para mao
ii'ff4?**f?tfiii
2 5-P.fioCa?3So

2 iaSa"gS
ltilflillE:
XI
m
*;
V)
5.1 ~ <* *t~ p
S?2.g 5.5 =
Se o.c So.9 o
-* s o-o 2 < -2 o-
o .c o. o o T p 5 o>
S00-0""0""'

. a o- 5* o
a s ",
,3 g.;- o
a
s S a _
ifclillffltfliill
=lKilIlfI||||||flll
su
2"r:=2- =
9.BS
B
-RC.5 Jflo2 p.-o- e>?I 2>S- |vj o o a n v c
a p 9 a
a a si < a S
I a a 1 7 2 ." = 5 ? "5 5!- =
-BOX 3 o BS._- 1. 3
*ll
"iSulfr
- 5 m
5.5 S
1
a O;
3 =
a-a o
B
s

"i
-i
s>o
c
cq B
o"
s o
wtt
m%
8S
- a
r ^
- B
r
|a
n n
B _
w
Eis!rli!%


*"< S
RB!imri(?Hiesai
o35". s~.^9iDr
SI si
. P5 P
' 2. o o
5
oOl5
s.grl
Br-S- Com,.a33 mmm
3 r> .'_
~ ~
B B
"lrs.leisB-s-2.,gB;
itii'iiH.T1
9"iS"5Sg!
s-ss s I-1
ooBir-gs
3

o
E
i 2

C.5 .ce
72.C-
i*fiivl
a
-3.a- & 'a as
a -o 1
9 t r-a P
i:
tn OS
- i O .
BB W 0
(13
,g"ii&si!:
2-23o g-ieo.o
i.?*Sn8 5rfSstS*"BlB
5n
- q w en re
V B 2 =
o c o
fSS-gggs.fSS'
" -o_ _B.n?..a
,ir?2.o S
ero
o a
BT
.-:-'-
-a i3
3 C O*
O re o <
3 (/> o* re
_ 3 *
sil I
fsfl'h
k!ii!l?
i o
< "
2 3
2 3
rt
5 5"
o c
c o>
^ a.
a> o
" P
S.S
-.
3
15 S re 8- S S *>
i*.SwSB*II 5-." 2.=>- S
S-Sfl'l-IISsf.s&ll?
HOSf^O,, Q. W O aat
I o: i <*l iWO
O
O
<
l'recos que parecem impossiveis
160, aoo, 24o.
MadapolOesdelistras ou riscados proprios
para camisas ou vestidos pelo diminuto
preco de 160 rs. o covado, as muito acredi-
tadas chitas cahoclas muilo lisas a 200 rs.
o covado ; as mais finas chitas com no-
vos desenhos fazenda do ultimo goslo e
cores muilo fixas pelo baratissimo preco
de meninas e senhoras, de muitol do 240 n. o eowloj o''"dJ,?|!'*
. .' I adamascado de puro linho com oilo paliros
bonitos ilese 11 los, pelo baratissi-l ,,,, |,rgUra n 1600 rs. a van ; linissimas al-
paca. de cores a 610 rs. o covado ; ditas
com lios do seda a 800 rs. ; ditas prelas a-
chamalolailas muito linas a 880 rs.; meri-
nos pretos de superiores qualidudes a 1,800,
2,500, 2,800, 3,200 rs.;ocovaao; pecas de
bertanha de puro linho com cinco varas
fazen la muito lina a 2,800 peca ; ditas de
algodSo com doz varas a 1,800, idem com
cinco varas f/.enda muito encorpada a
960 ; camliraias francezas muilo finas e pa-
mo preco de meia pataca cada um;
dar-se-ha amostra com o compe-
tente penhor.
Panno preto, lino, francez, a 3,000
rs. o covado.
Ycnde-se panno preto fino ,
Irancez, a 3,000 rs. o covado : na
loja de Flores & 5, na ra di Ca-! dre's inteiramcnle modernos 1.6*0II vara ;
,J. e i brins do linho mesclado proprios para pa-
lela do ftecile n. 47- W< mesma illos t 32o o covado, cobertores de algodlo
loia vende-se un rodapc novo dei brancos e decores proprios para escravos a
i .. *!.__. I 1000 cada um 1 n.isim como u
labyrintho, por preco muito com-
modo.
.Na ra do Collegio n. 7, acaba de abrir-
so um pequeo, mas mimowmenlo sorlido,
armazem de lou;a do l'orlo, de diflerenlcs
cores e delicados gostos: o vendo-se por me-
1000 cada um ; assim como^ um grande
prUrneulu i nuita outia razeaUB que
se vendern por monos proco do que em
outra qualquer prrte : na loja da ra do
Crespo, n. 14 de Jos francisco Dias.
Chegaram em lim as muito
cores c ctelicaflos goslos: evenuo-se por me-; 1 ..i- .. l..5nj
nos do que em outra qualquer parte; a elle! deaejadas machinas de pressao pa-
poisque be pechincha.
5,000 rs.
ra crisleis : na ra Nova n. 38
defrontc d* Conceicao, aonde se
??, Vcndo-se, por pre;o rasoavel, la-
>> rinba do S. Mulheus a mais nova
S quo existe ueste mercado : na ra
j. da Cruz u. 34, dotronte da l.ingoeta.
__Vondem-so lonas, brinzio, biins, o
mcias lonas da liussia ; no aroiazem do N-
U. Bicber i Companhia, na ra da Cruz
u.4.
AlgodSo para roupa de escravos.
Vende-se algodSo muito encorpado, pro-
prio para roupa de escravos, com pequeo
toque do avaria, a 140 rs. a jarda; dito
limpo a 180 rs.: na ra do Crespo n >.
Sortimcntos de panos finos e case-
miras de todas as qualidades.
Na ra do Crespo luja da esquina que vol-
la para a cadeia,veade-se panos finos prolos
a 2,800, 3,200, 3,500, 4,000, 5,000 rs., o fran-
cez muiio superior a 6,000 rs., o cavado, di-
to vorde a 2,800 rs. dito azul aj#80. 3,500,
4,000 o covado, corles do cabj* de casemira
prola enfostado a 5,000 e Gjno rs.,dita fran-
cez elstica a 8,000, ,0fl#l0,000 o corte,
o outras muias fizcudas por proco com-
modo.
Mociidns superiores.
Na fundiclo de C. Starr& Companhia,
em S.-Amaro,acham-seavenda moondas
de canna, todas deferro, e um modeloe
cunslrucqSo nniilusuuerio 1.
Cortes de brim de puro linho.
Na ra do Crespo loja da esquina que vol-
ta para a cadeia, vende-se cortes de cal;a de
brim do quadros, e ligtras de puro linho a
1,280 e 2,000 rs., ditoinleiro pardo a 1.280 e
2,000 rs. o corle, nscado de Hubo do liatca
1 720]rs. o corte.
Taixas de ferro coado.
Ycndcm-se taixas doferro coado, de su-
perior qualidade e por prego commodo : na
na da Cadeia Velba n. 37, casa de Iticardo
lloyle,
Ilicos capolinhos de cambraia transparen- mltinl nrern de
te bordados com muito gofio, quem nao ti- vendem pelo diminuto preco de
verde seda aproveilc a occasiAo, e prego de, 4,000 rs. cada urna ; assim como
5,ooo,queniiopagaotmbalho;saoeconomi- completo sortimento de trem
eos porque se lav3o,o graves por que to de- wihiv>
centes: no ra do Crespo loja de 4 portas! de cosinha, torno para assar pe-
1 runsegalinlias; candieiros de la-
lao de dous bicos, para lojas, ou
vendas; ditos de estuilantcs, muito
baratos; pratos, cieras e p. :, tu-
do muito bom e barato.
Havre.
Vendem-so chapeos fra11ce7.es des mais
A CIDADE DE PARS.
Fabrica de chdpeosdc sol, na ru
do Collegio n. !\.
Ali'in do sortimento j annunciado, recc-
beu-se pelo navio Havre, ultimo viudo de
Franca, um novo sortimenlo de chapeos de
sol de seda e de panninho, para bomens e| modern7, chegados pela barca Havre; luvas
senhoras, dos ltimos gostos; superiores, deseda para homem, muito linas; grvalas
chapeos do sol de seda com cabos de cana, a de setim e pretis ; calcado pra hwmem o
outros dos melhores que tem vindo a osla I senn0ra no aterro da Boa-Vista, loja n 58,
praca, que se continuam a vonler por me-
nos prec.0 que om outra qualquer parle.
Vendcm-se queijos frescaes de Minas,
vindos pelo ultimo vapor, e caixas com 10
libras de figos de comadre, superiores: na
ra da Cruz, veuda o. 48 dcfronle do Sr.
Dr. S iv.miG.
Vende-se urna morada de
casas, feita a moderna, com lijlo e
cal, sita na ra do Motocolomb,
por preco muito cm corita: a tra-
tar na ra Imperial n. 3i.
Vonde-se um cavullo de estribara i na
ra Velha 11. 55.
Vndese um bom sobrado de um an-
dar, sito na ra de Dorias 11. 104! a tratar
na ra de Santa Tberesa com Miguol Jos
de Almeida Peroambuco, que esta autorisa-
do para o vender.
Para militares
Vendem-so luvas do retroz prelo, bo- %
Ules lisos dourados, dilos do Pedro II, 4
galSo do euro larco o estrello, o es- 4
m padas praliadas de boa qualidade; tu- J
do por commodo prego: na praca da 9
_ Independencia n. 17. 4
aM#9* *
A 18,000 rs.
Palitos do panno fino preto e de cores, fa-
zenda a mais fina, que se tem apresentado
em palitos : narua do Crespo, loja amarel-
la n. 4, de Antejajjjo Francisco l'ereira.
junto ao seleiro.
As prchinchas acabam-se.
Vondcm-se chitas finas a 120, 140, 160,
180, o 200 rs. o covado, pegas de ditas a
5,000, 5,500, 6,500 0 7,000 rs., chitas para
coberta de cor xa a 200 rs superiores cor-
tes de casemira de ISa pura a 5,500, e ditos
de mcia casemira tambera de I3a i;j,oou rs ,
corles de caiga de gambroSn a 1,800 rs., di-
tos de brim a 1,000 rs. o 1,200, chitas lian-
cezas largas a 280 rs. a vara, madapules li-
nos a 120, 160, 180,200,220, 0 2l0lS., e
muito lino a 280 rs. a vara ; pegas do mada-
poiao a 2,200, 2,800, 3,000, 3,400, 3,600 e
4,000 rs e uiuilo fino a 5.200 rs., pegas de
algodo trangado. proprio para eacravos o
toalhas a 3,600 rs pegas de cassa paia ba-
badosa 2,400 rs.,e outras muita .izendas,
por pregos extraorJinriamente bajitos : na
loja da estrella da ra do QurjnVdo n. 7,
confronte ao becco do Peixe Frito.
Vende-sc oleo de linhaca ,
muito superior, chegado da Bol-
landa, cm botijes de 20 libras ,
por 5,ooo rs., cada botijao; na ra
larga do Rosario, botica 11. 3G, de
Bartholomeu Francisco de Souza.
Cortes delaa, com i. covados.
Fazenda do muilo gusto, cores escuras o
lixas, a 3,500 rs., para acabar: na ra do
Crespo, loja amarella n. 4, de Antonio Fran-
cisco Pereira.
Lotera do Kio de Janeiro.
AOS 30:000,000 I1KBS.
Na casa feliz,
dos quatro cantos da ra do Quoimado n. 20,
vendem-se os muito felizes bilhetos, moios,
quartos, oitavos e vigsimos, da decima
quinta lotoria da Caridade e da decima
quirta lotera da Misericordia, cujas listas
chegam ate odia 20 ; a ellos que esl3o no
resto.
1 --aS3.'.
c ja
o
a
CS
a
(9
m m q.
c
o a
u
to **
O
u
c
ce
3 .
^^ *Q JT 3

O co s
M M. I
a o
?o
a 3 -
S'I>'b 2
Cuja o.e
o o^ ~ ._
. Va ^
- 5 -
""=5
. 66" =
SO) O 1
= "^-o-o.i:
Sil 5
a.
^ -_
9 e 2= 3
"O o a 5
S"BtJ;J
5.8 B"
s a = 3
2 -< v '
Zl 1
=3 ?^c-2
3 o.
11:
ai
B
'b
2=
^'^Z '* "^ 3-
"cuoeo.-Ncoa
5.5 8 9 S &
eVO I
-S|B
i o
B
IA
2 -3- S
= 3
-sil
B
b-SS 5-3 s> 3
0 o m fi OS 9 ^ a '
-3 "*
G
O
.--_- c
eu "H 8 u
*S 3
3 JT3 T3 B
'Mjopuduioa
Ol saiuo)d oss onb sepuazij si|niu s j|iio
ouioo uijssa 'oSaid oiJq oiuiui jod 'sooiped
-oiiin'ii oiiniii opo sauy oimu siiiip opua*
,is 1111111J nj|ss opeaoo o 'siozap oJaad
oiBiaq 0|ad 'soijoj oitnu soiiuml mcu *ezoj
,ip jiu sepiupaoi ssi!i|3 as-niopi.'OA s.inlu.i
-uan Tg ngjaarafl p 'oiaiiop op ioj e uta
niiinbsa zej anb 'g -u efo[ b^J
g O o -, ""
a: J
" B <
B o
Fii
B .
o-SS!
1 2 .. a =: :
O cautelista Salustiano de A 1,300 rs. a vara.
Aquino Ferreira avisa ao resneita- Brm trangado, branco do puro linho : na
1 .! ,r ra do Crespo, loja amarella n. 4.
vel publico, que es suas mu afor- .. vendem-se supriores vellas da car-
tunadas cautelas c bilbeles da de- nauba em caixlnhas de trinta o tantas libras,
rima nninla Inlena (tan ran rli ,, do 0,o'lello ae de eapermacete, assim
cima quinta locera aas casas ae como queij0, do s8rtSo muit0 bem feitos,
Caridade, e da decima quarta lote- obra muito agradavel; no Boceo Largo do
ria do hospital da Santa Casa de HecifSJi"AJ?a-BUJild0 -,dar"-. a n,
! i "ondem-se dous depsitos de folha.pro-
ivlisericordia, estao a venda na pos para aroite de carrapato, que lovam
praca da Independencia n. i3 e "m-oitenta caadas, eoutro, trinta o cinco;
1 r 1 1 111 em DOm slalo: na travessa do paleo do
i5, loja de cacado do arantes, e praizon. 20.
na ra da Cadeia do Recite, loia de Vendem-se dous caixOas de armagaode
1 _- j- 1 c" > i J__venda, o urna mesa grande com treze pal-
miudezas de Jos Fortunato dos mos j,comprimentoecinco ditos da largu-
Santos Porto. A decima quinta lo- '> propria para qualquer estabelccimenlu,
teria das casas de Caridade corren f* P'ra ca8'de P,lona ru di R-
no dia 28 de julho do corrente an- l. m ____1
no, e as rodas da decima quarta lo-1 Escra VOS fgidos.
teria do hospital da Santa ("asa da ; \ ,
,. r i- --Doabaixo assignado, morador na ra
Misericordia andaram no da 7 de do crespn. 10, fugio no da 16 do corren-
agosto ; esperam-se 8S listas de 'o, umseuescravo por nomo Hoque, creou-
.,_u..__1 j: ._ 1__. lo, o aual representa ter4i onos do idatln.
ambas aslotenas no da 19 deate fo; lldo on, c,ic, do panno pretooca-
mez, pelo vapor da compnla bra- mis* doaigodSo azul, e tem ossignaes se-
silcira eno 1I1.1 in neln vannr ;n,'gulntes: alto, um tamo secoo docorpo, cor
omira, eno uia 20 pelo vapor 'n-,|U|,jdescarn,U0 do rosto, olhos pequeos,
glez ieviot ; sao pagos cm C0ntl-|e tem urna cicatriz emum dos dedos da mo
nente sem descont aleum, todos e' Pr te'.,s9im si0 ""d-o puchando urna
B ,.'. travo, felo de cara, cosluma a seembreagjr,
quaesquer premios vendidos as e he de presumir que ande pelo bairroda
lojas cima mencionadas.
Meios bilhetes
Quartos
Oitavos 2,800
Vicsimos i,3oo
Na ra do Crespo, loja u. 6.
Vendem-se superiores cortes de cambraia
desalpicos, com 6 l|2 o 7 varas, a 3,500 e
4,000 rs.; cortes de cassa cliila, de novos
gostos, a 2,240 e 2,500 rs.; cassu f .miv/.a a
440 rs. a vara ; corles dn brim trangado os-
curos o medados, a 2,000 rs. ; panno lino
prelo, a 3,000 o 4,000 rs ; longos do cambraia
de linho, a 480 rs.; dilos de cassa grandes,
160 rs.; risrado de linho a 180 rs. o covado
e muas nulras fazendas i'in cunta.
AOS IO ooos e 5:ooo.s DE rs.
O cautelista Salustiano de A-
quino Ferreira avisa ao re.cpeita-
vcl publico, que as suas mu afor-
tunadas cautelas da lotcria da ma-
triz da Boa Vista, estao expostas
11,000
5,5oo
presumir que ande pelo
lina Visia por all lera roullior com quem he
casado, o tem filhos: recommenda se as au-
toridades policiaes e capitSes dejampo, a
captura do mesmo, que sera gnnrosamento
recompensado.Jos Congalvi-s Halveira.
-- Desappareceu em 8 de julho do corrnn-
le auno, um caboclu de nome Jos, oseravo
de Pacheco Filho t Mendes, da cilade do A-
racaty, o qual lom os signaes seguintes : o
brago esquerdo quebrado na munheca, ca-
bellos pretos, as pernas um tanto arquiadas
para Tora,he do boa eslatura,e cheio do cor-
po, bem fallante, porcm quando falla aperla
a lingoa entre os denles, tem porcoslumo
quando se I lio pergunta alguma cousa res-
ponder senhur sim ou senhor n8o, lovou um
cobertor de ISa ordinario ainda novo, cha-
peo de palha da Italia j usado,com fila prc-
t", caiga da algodosioho azul ou com lis-
tras, camisa da mesma fazenda ou branca.
Ksti escravo lem vindo do surtan por trra
a esta praga, e muilo gosta do lugar de Po-
dras de Fogo, aonJe pode ser quo esleja
acollado, e foi escravo na villa doPombal;
quem o pegar leve>o a ra da Cruz do Ke-
cife n. 33, casa deLuiz Jos de S Araujo,
aonde se acliava o mesmo escravo para ser
i,IOO
600
o 2
S 2 = O 3 g -rO-o 8 o o -
a rf S
-o II s
lili'
?llf
m =r
V A O.
a "
H B o
1 O
iltrtftkf'F?
IfMillvii1^ 8
o 2 -.
1 % S \&.-9
o o. ^ n o
" Si O K r.
t* -1 G-
a venda na praga da Independen- ^b^SSRS^m ano,
1 i.1 11 4) loja de miudezasde For- aneara Joaquina, de nagSo Cagange, quo re-
,,, Porniratti Konspra RaatfM* i presenta ter de 35 a 40 annos, Chela do cor-
tunato 1 ereira di tonseca Bastos,, po> jllura ,egulir>cor fu,,( 0,noj pequeil0S>
n. l3 C 15, loja de calcado do A-; e com carne sobro elles; tem urna coslura
rantes ; n. 3 ' L r\ 1 remanliga que mal se percebo ; nariz chato,
do de Forto & Companlua e na -
ra da Cadeia do Kccife n. 46
loja de miudezas de Jos Fortuna-
to dos Santos Porto.
Quartos 2,600
Quintos a, 100
Dcimo 1
Vigsimos
Bom c barato, l'asseio Publico loja
11. 9,
vendem-so ricos chales de ISa e seda a 3,000
rs.,ditosde ISa pailiOes lindos a 1,280 rs.,
ditos brancos a IfOOO rs., chapeos de sol
a 1/000 rs., lengos de vapor padrSes ri-
cos a 200 rs. ditos radiados de bicos a
320 rs. ditos encarnados proprios pa-
ra tabaco a 160 rs., meias cruas para ho-
meos a 2 200 ra. a dusia, cambraia da India
bordado a 320 rs. a vara, grvalas do setim
a 1,280 rs., ditas de soda a 1,000 rs., ditas
de cassa, a 100 rs., chitas para cubera a
160, 200, e 240 rs. o covado, ditos para ves-
tido a 160,200, 0 210 rs. o covado, cortes
decatsa-chita, a2|rs : o outras muilas fa-
zendas per pregos comoiodos.
Vende-se
no l'asseio Publico loja n. II, ricos maute-
leies e capolinhos de sclim do cores, a 10,
12, e 14,000 rs, fazen la de goslo, riscadi-
nhos francezesa 160 rs. o covado, cortes de
13a eseda a 6,000 rs., chales de ISa de maia
a 1,200 rs longos da mesma qualidade
a 360 rs., e oulras muilas fazendas por pre-
go commodo.
- Vende-se um sobrado de 2 andares, om
boa ra ; a tratar na rng do Ccegic n. !3 ,
segn lo andar.
-- Vende-se na cocheira da travessa da
ra Helia, umquarto com bons andares o
muito manleudo, proprio para quem quizer
fazer viagem para o mallo, por muilo bara-
to prego.
Vende-se urna escrava creoula, de 25
annos de idado : as Cinco Ponas n. 82.
Vende-so a nova loja de calgadu da ra
Direita o. 50 a tralar na mesma loja, ou na
mesma ra n, 4, segundo andar vende-se
por motivo do dooo retirar-se para fra.
Calgado baralo.
Sapatos de couro de lustro para senhora a
1,280 rs., dilos de marroiuim pretos e de
coros a 500 rs., sapatinhos de colxetes a
400 rs., sapatos do Aracati para menino a
500 rs;, sapatdes para homem a 3,000 rs., na
praga da Independencia loja de calgado do
Arantes.
-- Vendom-se oito escravos, sendo um bo-
nito carreiro, e quatro dilos de lodo sevigo;
tres escravas quilandeiras, e urna dells co-
sinha o diario de urna casa; e urna mulata
5 3?
iISfIsiiSS.5-1
1 a o n o c
3333 = S.3.
"."iroJ.'aS,
-

O
o g b __
tV T3 C 3-T!
Troca-se calcado por 700 rs. o par
por se querer liquidar.
No aterro da boa-Vista, defroalc da bonc-
ca 11. 14, acha-se um grande deposito dos
melhores sapales que toni vindo do Araca-
ly, para lodosos itmanhos, tanto para ho-
mens como para meninos; assim como um
novo e completo sorlimonlo do calgados
fraucezesde todas as quali lados, lano para
homem, como para senhora, nieninuse me-
ninas, ludo por prego muito commodo, alim
de se apurar dinheiro.
Calcados a 4? 700> s$ur> e 1,60o
rs. o par, no aterro da Boa-Vis-
ta, dcfronle da boneca 11. i/|.
Trocam-se os mais superiores sapatos de
couro do lustro francezes e do Lisboa para
senhora a 1,600 rs., ditos de cordavSo a 800
rs., ditos para meninos a 4i 0 rs., sapatOe*
do Aracaty para bomens o meninos a 700 rs.
-- Vende-so 1 cborSo o 1 banda de seda ,
para ollicial do cavallaria da guarda naci-
nal: ua ra Nova n. 16.
jurel os iin-iis ilias lindar,
So nella he quo existe amor,
S Lilia me sabe amar.
Por ti o Lilia
Quero vivor;
Vida sem li
Antes mnrrer.
A modinha cima, tem mais duas quadras
-- Polka extrahida da la Bouquctire, e urna
linda valsa dos noivos, ludo em um folheto
por 1,000 rs,; a valsa dos bom casados, pe-
lo compositor de muzica italiano o Sr. Fa-
chinett, por 640 ra.,e oulras muilas muzi-
cas modernissimas j annunciadas : na im-
prensa do muzica deM. J. R. Vieira, na ra
Bella n. 28.
-- Vondcm-se remedios para quebrado,que
1110
roa
-Veude-se urna negra creoula do mato, vuiiue...-sB reu.eu.os p queurauo.que
oga.eprupria para qualquer sorvigo : n fa D0' fundas, forradas da camurgs : na
a da Cadeia Velha n 24, primoiro andar.loJ 2- d raa Nova.
Veno-so um bom cavallo, muito novo,, A 1,100 rs. a peca,
comandares e ensinado para carro, ouca-j Pegas de bretanha de linho, com 4 palmos
briolel: na cocheira do Sr. Vollicuar no Um de largura, de 6 varas cada pega : na ra do
da ra da Guia. Crespo, loja amarella n. 4.
falta-lhc alguns denles da Trente sendo de
um e nutro lado, e he feia ; tem urna empin-
go em todo o rosto quo parece ser uexigas;
pellos muito pequeos c murchos; tem al-
gumas cicatriies do relho as costas ; tem
as nadegas levantadas para traz que mais
musir quando andajquando fugio tinha um
p mais grosso ; levou diversa roupa quo su
nSo sabe de que usar; he bem falanie que
parece ser creoula ; ltimamente esteveoc-
cupada|no servigo do cosinha,o tem porcos-
lumo andar suja ; quando fogo cosluma an-
dar pelos arrebaldes desla praga quitandan-
do, lavando, oQerecendo-se para ama, e in-
litulando-se forra ; qualquer pessoa que es-
teja servindo-se com ella na boa f,queira
denunciar-se, e do contrario se usar dos
meios que Ihe faculta a lei : roga-se as au-
toridades policiaes, capitSes do campo, ou
qualquer pessoa, que a prendam ou fagain
prender, e levar ao seu senhor Domingos da
Silva Campos, na ra das Cruzes n. 40, quo
ser generosamente recumpensado.
100,000 rs. il gratiicaco.
Desapparecou no dia 7 de mam prximo
passado, o pardo Leonardo, de idaJo 18 an-
uos, pouco mais ou monos, e tnm os signaos
seguintes :baixo.o pcito um lano mullido
para dentro, cabello carapinhado o al o
meio da testa, o falla de vagar. Esto escravo
vinli.i tolos os dias vender leite no ftecifo,
de um sitio da Boaviagem, pertenecole a
Joanna Mari dos Passos, de quem foi osera-
vo : quem o apprehender o levar a ra da
Senzella Velha, defronte o n. 144, segundo
andar, recebera a gratilicagSo cima.
-- Ainda se acha fgida a pieta Verdiana,
com 24 annos do idade, cor fula, cabellos
grandes o repartido, corpn socen, paitos
grandes, estatura baila, olhos pretos o vi-
vos, phisionomia carrancuda ; a qual foi es-
crava do Sr, Francisco de Carvalho, e do Sr.
ueguciante Vianna : quem a encontrar levo
ao seu senhor Jo3o Valenlim Villela, mora-
dor na ni 1 larga do Kozario segundu andar
da casa 11. 28, que ser gonerosamoule re-
compensado.
~ Desappareceu no dia 31 do mez passa-
do, da osa de seu senhor o aballo assigna-
do, a escrava Thereza, do 60 annos, estatu-
ra regular, cabellos brancos, nadegas gran,
des e um pouco empaladas,lom o dedo gran-
de de um dos ps trepado por cima do outio,
eumcalombo sobreseoslas at quasi o
pescogo, isto do lado esquerdo; lom mais
em ambas as mSos os dous dedos menores
encolhidos : levou sia cor de cal o vestido
de baiela vorde (novo) ; sua occupagSo lio
lavar roupa ; suapOe-so andar por Beberibo
ou outro lugar on le hajamlavadciras: quem
a pegar leve-a a ra Imperial n 64, cas ido
major Antonio da Silva Gusmilo quo sora
generosamente recompensado.
lioa gratiicaco.
Cralifica-se com 50,000 rs. a quom appre-
hender o molcque Luiz, que fugio em 2 de
julho ili corrente anno, de i lado 10 a 12 an-
uos, natural da villa deCaranhuns, compra-
ndo a Manuel Jos Meodes Bastos, morador
|na mesma villa; levou caiga do listras, o
camisa do riscado, de cor fula, olhos vivos,
ps pequeos, a lem um talho no rosto do
urna queda; julga-se que esleja inlroduzi-
doem alguma casa, inlilulandu-se livre, o
al com nomo trocado para o que lom mul-
la astucia, pois ja commclleu igual crime;
porlanlo roga-so a todas as autoridades po-
liciaes o en pitaes de campo, que u peguen 6
I<;v -11 > ua ra Direita, venda n. 76, que rece-
hei.o gralilicagSo cima.
No dia 2 de julho de 1852, fugio um es-
cravo de nome Gcraldo levando camisas o
caigas de algodSo da fabrica da Babia, de
idade 20 nios,pouco mais ou monos.oreou-
lo, estatura media puxando para mais alio,
corpo delgado e bemfeito, com marcas de
bcxigas cm lodo o corpo, bem salientes
no rosto cm quautidade, nSo muilo velhas,
era empregado em servigo de tlvarengas o
canoas. Igualmente anda fgido desde o
domingo de pascoa um escravo do nomo
Antonio, creoulo, o qual falla muilo bom o
muilo ladino, sem barba, representa le 25
a 30 anuo, de idade. Ksts foi escravo do dou-
tor Jos Narciso Camello: roga-se a (odas as
autoridades policiaes, o capitSes de campo,
hajam de os mandar agarrar em qualquer
lugar quo elles appare(am, e os fagam con-
ducir a casa de seu dono, morador dentro
do Itecife, na ra do Apollo, Norberto Jni-
quim Jos Cuedes, quo gratificar seu tra-
balbo.
Pern. : Tvp. de M. K. dk Farm. 1852.
"1
MUTILADO *



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESRVZZA68_DS5YKR INGEST_TIME 2013-03-29T15:45:26Z PACKAGE AA00011611_03482
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES