Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03382


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'./:"
AwoXXTllJ
Qunita feira 9

DIARIO
nzqo ni -njaoriipiilo
Pioimruto Adudtido.
Jdi trimestre............
Por semestre ..........
Pot ano t *
PiSODIHTKO DOriUSESTSf.
Poi quartel.............
VOTICI A. DO 1MPEBIO.
far... 3 de Agosto Mina... HdeAgosto
Maraobao. 10 de Jilo s.i'aulo. i de dito
Cear.....4 de dito B.deJ.. :0 de dilo
Parahlba 23 e dho labia... 4 de -cilir.
4/000
8/0011
4/SO0
DU-Dl IM1M, ATJIB)f01A.
u Seg. S. Llbsnla | Jssisod Orphi*
7 Tere. S. Regina v.,e 5. 10 hora i.
* Quart. +* Natlvl-I I. tara ioeivtl.
dadedafs. Virgcm'3. e 6. ao rneio-dia.
0 Quine. S Doroibeo' Faxtna.
10 Sest. S. Meollo. 3.e6. alo bor.ii.
ilSab. S. Theodora1 2. tara do civil.
penitente. '4, etabadoaao melod,
l2Dom !.'> O SS. No-I *rroo-
me de alaria. .tercas e sbados.
N. 202.
PEMA UBICO.
( rescate i 2o, a 1 hora e I minuto da larde.]
[Chela a 28, ai 4 horas o minuto, da m,
Mingo.nte i 6, .thora. 16 minutos da tarde.
[Hoya 13, as horas c 21 minutos da larde.
IU1B D BOJ
Primeira 0 SO minutos da larda.
Segunda 0 e 5t minutos da manila..
ttariili BOf cobr-io
jola.na e Parahlba, aieeunda sexta.-
] f el ras.
lo-Grande-do-RorU s Victoria as quista
Itelras
>nlto,Caruam,e Oaranbuas no l'e IS decada
mea.
lores,Ourlcurj.Exu e Boa-Vilta i 13 e28
linda, todosoa das.
[idos os Correios parlemaomelo-dla.
OTici*a iiinmotiBii.
Portugal 11 de Agosto-Austria .
Ileapanha 8 de dito Sulssa..
Pranca.. 8 de dilo
Blgica.. de dito
Italia..:. dedlto
Alemanba. 3de dito
Prnssia ...3 dedlto
3 de Agosto
3 de dito.
Suecia... 3o de Julbo
Inglaterra 0 de Agosto
K.-Unido 24 de Julbo
'Mxico.. 3 de dito
California Ib de Jnlho
Dinamarca 3i de Jnlbo Chlll. :l de Mal0'
Russia... de dito Ruenoa-A. de Julho
Turqua. 29 de dilo iMontevIde.i 5de dito
Oamos nr 7 disetembro
Sobre Londres, a 27 '/, por i/Oou d.
Paria, 345
> Lisboa,lOOpor canto.
IT1II,
Ouro. Oncas hespanholas......
aloedas de 6/400 Telhas....
. ,! li-lnn nuv.l.....
de 4/000...........
Prata.PataeSesbraallelros......
Pesoscoluranarioa........
Dltoa meaicanoa..........
2/000
16/100
16/000
BOU
1/920
1/J90
1/800
PARTE OFFICIAL.
MINISTERIO DA JUSTINA.
Por decreto de JO de agosto corrente fol acei-
ta a dealslencia que le Miguel Francisco de
Avilar do odelo de escnv.o da provedori., ca-
pcllas e residuos da villa de liihainbupe, na
provincia da Uabla.
Por decreto de 21 do mesino mci foram no-
, meados: .
Majores-ajudanies de ordena do commando
superior da guarda oacional dos municipios de
Camela, llaio, Melgaco, Prtele Oeiras, da
provincia do Para, Marccllino Antonio da rosla
e Jos Lopes de Mcndonca.
Gapilio secrelario goral do mesmo coinman-
do superior, Joaquim Marques llibeiro.
Capltao auartel-ineslre dilo, J0S0 Ilcnrlquea
Barrean Vligollno.
Capitao ciriirglo-mrdito, Dr. Timottaeode
Lima Valverde.
Tenenle-coronel commaiidanlc do quarto ba-
tallio de inlantarla do coinmaudo superior di-
to, Joao Jos da Gru.
Por decreto da incsina dala foram reforiiia-
* dos nos incsinos postos :
O coronel daealinla segunda legiao da guar-
da nacloual da cldade de Caaias, 110 Maraiiho,
Jos Firmino Lopes de Carvalho.
Os lencnles-coroncis dos eiisllnctos corpas
da guarda uacional da referida cidade, Faustiuo
Feroandcs de Lima c Franco Lopes de Car-
valho.
MINISTERIO DOS NEGOCIOS KSTIUN-
CEIROS.
' Copia do 7 doofficio n. 12d 3 de uthode 18S!,
Nao concluir! esteolliclo sem ur opraz.r de
informar a V. Esc. que a emigracao Hernia
para o brasil parece dever lomar breveinenie
mu incremenlo olraordinailo. O que a linpece
ainda he o cusi das passagens. be os nossos la-
aendeiros uuitrrem adianlar cssas passagens,
nao rallaras bracos para as suas lavouras bus-
te i nesla cidade una auciedade de jovens
obreiros quequerem emigrar para o llraail, mas
a quem faliam lucios para Uso. Couta ella para
cima de ICO raples robustos c trabajadores, e
temuma caia para a qual devein contribuir
lodos coin umaquuta mens.il ate prefazercm a
soturna necessaria para a einigracao de lodos
para o Brasil.
Secratarla de estado dos negocios eslrangel-
rns, 7 de agosto de 1852 Conforme, Jom/ii m
Mara Mrcenles de Azambuja.
emque deixou o lugar de juiz de fr de
Taubal, at 5 de abril de 1812, em que ri
novamento despachado para a primeira co-
marca da provincia de S. Paulo, o que rcu-
ninilo ao que llie fol contado, vem a f>zer
mais de 23 annos d> anilguid.de, cnt-nden
do dever sor collocado 110 primeiro lugar da
relacfln doajui7.es dedireito: allega que a
Taita de exercicio desse tempo nSo Ihe deva
sor imputada, porquo fol um abandono tor-
eado, por taso que tendo havido u'aquelle
auno de 1833 urna nova divisflo de comurc na provincia de S. Paulo, on le o reclaman-
te servia, para neuhuma dellas f.11 coniem-
pUdn, apesar do o ter por muitas vezes re-
qufrido, como rnostra dos doeumeotos que
apresenta. O que visto e examina lo, alteo-
ilando-ie "' < m'ros nrn idnticas circums-
tancias nao se peroiittio iRual conlagein, e
que o jii'Miin reclamante confessa que o Asi*
culo de sen effeclivo exercicio esl reito
com oxctido, nOo pode lar lug.r o que
pclooreclamant', n poitanto ulgam 111-
piucedenti a SUI reclatnacSo. I110 de Jann-
ro, 3 de agosto de 1852.Estivam assigna-
dos os menibros do tribunal. Approvada.
O secrelario interino, Joo l'e Ircira do Cou-
to Kerraz.
Fechnu se a sessSo drpois de urna liora
da tarde. ^___
GOVEKLNO D\ PROYIHOU.
EXPEDIENTE DO DA 4 DE SETEMBRO DE
1852.
OlDciO.AO Jui/- relator da junta dejus-
lipa Iransi.illtndo, para sor relata lo em
soss3o da m<-sma junl, o processo verbal
reito ao soldado do 9. l'iilaln8od.'infanta-
ria Manuel Francisco de Oliveira.--Comniu-
nicnu se ao commandanio das armss.
Dilo.ao inspector do arsenal de man-
tilla diz-ndo que he ncces.aiio. que Smc
declare, se ro autorisado pelo'governo im-
perial, 011 pela prosidenci, para mandar
vir de Inglaterra os objeclos mencionados
em seu oflicio de hontem, enviando a feclu-
ra del les cum declaracao dos preQos qu 1
ciisiam a fnzenda nacional livres de di-
reitos.
Dilo.Ao mesmo declarando haver o
lim. presidente da Parahlba participado,
que expediu ordetn paia ser indemnusda a
thMouraria de razendi desls provincia da
qiiautia de 61/210 rs., em que imporUram
os doze remos que se aprumplatam naquel
le arsenal com destinn a m ncionada pro-
vincia.
Dilo.Ao director das obras publieas in-
teirindo-o de baver inJeferido o requeri-
tnento do arreuiatanle do T'l.ncods es-
trada do Sul, c recommondando, quo d as
iiros '.N.bufo, Pinto, l'ocs-! neceas nas providencias para torein con-
obriis que restam 1 fszer no dito
O mezes tmalos squi pira termo de jque nem por sst he menos canctins
comparjeflo foram rambam muito nolateis .tico.
pelo movimenti que reinou nop-uto d* S. Um chefe indio chamado Bapt'lta, queera
Francisco. A 0x^01 tacflo de ouro sub en- de alguma celebridade, embrigou-se om
tilo a 9 53J 350 pesos, o quasi que tolo ell'orna festa. N'um momento de allucinaco
passou pelo Panam. O ouro que saino pa- levatita-sc, tira o sabr e engolfa-o no teiO
ra a China' impoitava em 155,350 pesos i
paraNicsngua em 108,071, e para o Chili,
Per, Hanolulu, Calcuta e Mxico, em 10 a
20,000 dolltrs. As embircssOes de todo o
genero, vapores e navios de vela, chegadas
a S. Francisco durante esse lempo, forma-
de sur mulher, que morre inmediatamente.
No da seguinte o assassino mindou fazer
urna grande fogueira, pz nella sua mulner
com lulo que l'ic portonrU, inclusive um
squinho contando ouro em p, e dapois
acou-llie logo. Esta ceremonia se fez com
vam um total de 76,608 toneladas, das qusesjjtoda a grviJado e recilhimento que s3o
40,336 da marinha eslrangeira, Esses na-lproprios de um indio em taes circomstan-
vis levram ao Eldorado 20.923 aaglgradoa, fciss
dos quaes 18,990 eram homens, 1,398 mu-1 Os indios de Merced mostraram sempre
Hieres, e 535 menores. IllisiiosicOes muito lioslis, e o Republicano
Pareca haver prosperidade no interior dtala Ssn-Joaqulm parece crema probabilidaile
paiz ; porem a seguranca individual longe de urna nova guerra nsqu-lla regirlo. O.
tlsfactoria. Por muito ex- Indios do King's lllver e os Kaweeaks eslao
os que tudo querom sabor ro- atinar coi a I reio, visto que com isso tanto se Incommoda
explicacSo da conlradiccBo desla declara-1 (' Kttaftla queme zurzo na aurora, por
000 com tu lo quanto tem dito o contina al principiar sempre minhas carias com histo-
dizera opposiQno contra essi presidente, el-'rias do correio. Ja ndo faco pouco tratando
la insiste em amotinar os curiosos repetindo no lim desta a materia com que costumava
que estima a volta do l)r. Nabuc. lexordiar as outras.
Os amigos ntimos desle prndente, li" Andaram os negociantes em cuidos a per-
SPBEMO TRIBUNAL DE JUSTICA.
Saiio em 3 de ngoidufe 182.
Presidencia d-> Exm Sr. conselhciro.
Pereira Dusrte.
As 9 horas t 1/2 rtrloja a swflo co.n m
Exits. Srs. cense
nha Per llgso Mslheios, Alm-ida, S.quwr, | cluid^s as ODrai que res lam a i.zer
.' '. n,n. Veii rranc. I'once do lineo do e-trada, egun lo Smc. comniuni-
:fi'r.a "oVMMcr tunao com co., e .. ollicos ie 30 de agosto e so da U;
cau os Fxrns. Srs. eonielheiros Campos, |ho .leste auno, A que ve.o o oresmenlu
' Ul m II .- n 1 1 .... I .... I 1 >. 1
Vpmeek' Rarreto i-c Iriso, Mallos, e Car- que davolve.
yerneck, tiarreio re Dito.-Ao aesmo approvsndo a ramoeBo,
cta da antece-iquo Sino, fez, do l'elis llamos Lleulbter,
neiro.
Fol lida
dente.
e approvada
EXPEDIENTE.
a'clunl administrador da pomo de Tapacur
para o logar' de apuntador dosostudos fc-ra-
plni-iis, quo ora
si fazcm naa ustradas
0 juiz de dircito da oom.rcj, *, Ata ala. ZEZTmaSioa se Iheaouraria da fazend
1 provincia das Alagiiis, Anin.....e Arau- .
na provm
jo FrJita7l}nMq;s',' *P^m0Mru\ "gjjjj, cnmm,d,nle do brigue es-o
na Logalidade ra-nellando os ofTlcios, que
S) dirigeto ao coinmaudatilo do presidio de
Fernando, lim de quesig amanliila para
o dito presidio, o recommendm 10 qu-\ lo-
go que telilla loilo entrega do dinlieiro e
objeclos que leva, volte iminediaiaiuento
paia ole porto.Cominunicou-se ao com-
man lante do dito presidio
de nomeaedo do lugar supra-mencionado
para ser registrada.
Msndou-se registrar igualmente a carta
inipe mi que nomeou o baclnrel Francisco
Mendes da Costa t'.o-ics juiz de diroilo da
comarca de S Francisco, da provincia da
Bahia.
Do primeiro juiz do direilo recbeti-se tino
sa cerlidilo de ter lomarlo pnsse e prestado
juramento aos doze lias do mez dejunho
do cnrreiile anno, como n de exercicio do
mesmo lugar, ja dilo no ultimo dia do mes-1 K
mo mez.
O desembargador Fmrciseo Joaquim Go-
mes llibeiro rcquo'eu por eeilidilo a Renten-
5a desle tribunal nos seus autos de reclama
<;So de anliguidade como juiz de direilo
Mandou-se passar, e liem assim nutras ccr-
tidOes sobre proeessos criles c civeis.
Leu-se um ollicio do secretario do tribu-
nal, participando que por cncommodaJo
ni.1 podia comparecer. Fieou o tribun mteirado.
lieclamacdcs ilr ;ui:e.f de direilo.
Oa presidentes das provine as de Sergipe,
Cear c Para, o primeiro em ofllcio de 3, o
segundo de 2, e o lerceiro de 12 do mez
prximo psssfdo, >ccusram a rrccpciio de
porlatias que, pnr sen intermedio, foram
dirigid s aos juizes de direilo respectivos
sobre diveis Sobre a reclamado de Manoel LibiniO Pe-
reira de Caslio respondern! Pedro de Sou-
za Marques, Cselano Vicente do Almeida
Jnior e Joo Valentino Dantas Pinag.
SoLre a de Antonio Conrjslves Martins
rospoderam Jo- Vieira llodiigues de Car-
vslho e Siva, Claudio Manoel de Castro e
l.ourenco Jos da Silva Santiago.
Sobre a de Joaqui a Fumino l'ercir.t Jorge,
respondern! Joo Valentino D.nias Pinag,
Jos Vieua Rodrigues de Carvilhn e Silva
e Alfonso Arlliur de Almeida Albnqucrqu".
Este ullimo bicliarcl, juiz de direilo da pri-
meira varn crine da capital do Para, apre-
,'cntijii urna reelamacflo que 11% fot alten-
dida por vlr fra de lempo.
sTBp0f7c6e*-
Exposlos os processos ns. 1403, 1408,
4691, 4760 e 1419, passou-so aos
Julgamenloi.
N. 1405. Relator o Exm. Sr. conselhci-
ro Pecanba reconcilio Tilo escravo de
Celan' Pinto de'Carvalhi', c recorrida a
juslica : Toi negada a revista a laco do art. 80
da lei de 3dedczembro de 1811.
H. 4584.Relator o Exm. Sr. cinselhei-
ro Pecsnha, recorrent. s Johnston Comher
& C, e recor-i lo o vicecnsul Joaquim Fer-
nandos Coelho, agente da compsnliia bra-
sileira de paquetes- de vapor: fui concedi-
da a revista, e designada a reanlo de Per-
nambuco para revisiio e novo jnlgamenlo.
ti. 22. Reelamaco do antigui lado, rela-
tor o Exm Sr. conselheiro Francs, recla-
mante o juiz da direilo Antonio liilitSo de
Souza Aymbei: fol julgada improcedente
' Sentenca tooie a reelamaco do juit de direilo
Afilio Militad de'Souza Aymbeii.
N. 22.Pede o redmante, o hachare!
Antonio Militao de Souza Ayuber, que a-
lm do temuo que Ihe fui contado so Ihe
conten mais nove anuos, dous inezes e do-
ze das de anliguidade, lato he, o tempo
que decoire-desde 2t de Janeiro de 1833,
eslava de ser sa
t'lisa nflo rcfeii.uos aqu i ch'onica de to-
dos os condados; limitar nos-hemos a al-
guns. Na cidade do Sacriinonlo houvo um
alvorolo no dia 16 de junlio, por csusa de
una rixa sanguinolenta de que fra Iheatro
sala dn t'ibuoal de juslica. Ouando o Sr.
Wiisnn, um dos juizes, descia do Iribunal,
fui alacio por dous individuos, Caullield e
Me. Kune, que nuliiram conlra elle antiga
inimizade. Cliamastos-me mentnoso, dis-
se Ihe o ultimo indo a seu encontr ; lle-
vis de retractar vossas palavras. a NSo
me retractsrei de nenhuna do minhas pala-
igsdos com os selvag'iis das montanhas,
entre os quaes os Yeosemotys s3o muito no-
tsveis por seu ardor bollicoso Os Yeose-
motys tem constantemente recusido tratar
com os commisssrios dos Estados Unidos
e nunca perdom occasiflo do atacar tanto
aos americanos cotno *s tribus que Ihes
estam submetttdas. Reunetn o ardil i au-
dacia.
Estas hostilidades sempre ameacadoras, a
falta de segoranga nos c.nipos, e sobretudo
as desordeos e os crimes, nSo seriio por ven-
tura um preco muito elevado pelas riquezss
(Courricr des Etalit Unit.)
{Jornal do Commercio )
vras, respon leu o Sr. Wi'son A osla res-que a California nos vende ? Tal he a por-
posta Me. Kune de,i uoia bordoa.la no juiz jgunta. que nUo po lemos deixir de fazor a
comumi bengala chumbada, e este replicou jnsmesaios sempre que percorretnoa as e-
com umi bengala de esloqoe. O deputado phemendes do Eldo'ado.
tlicrifl. Me. Don-.ld, que eslava prisente,
met-u-sede permeio para separar os dous
adversarlos. EnlSo CaiiKiel I, armado com
urna pistola,apresenta-se e faz ponUria pira
o Sr. Wilson. O Sr. Mc.Djnald colloca-se
dianlo deste gritando a Caullield que nao
Uro ; mi Csuield nao o lien le, faz [o?o
na bula ferioSr. Me. Do ial.1 no lado es-
querdo. Travou-se enlSo entro todos um
verdadeiro conflicto de estocadssede tiros
desnecessirio dizer que exlasiam-so de lo
g ia os refractarios, porm, isto he, aquel
les saqosremas iuo se arrufaran) por occa-
siflo da eleicflo de senadores, revellam no seu
aspecto carrancudo que a v illa deste presi-
denta non Ihes faz bom cabello, o parece que
te nem se complete a sua anniquilacflo como
i .fluencias polticas.
Emquanlo a mi 11, venha ou nflo venha o
Sr. INsbuco, o giverno ha de vencer as elci-
guntar quintas barcas estavam no porto de
Santos para escolherem para sua viagem
aquella com que mus sympatlusssom, vis-
to quo havia dtias, como constava de dous
editaos pregados na porta do correio annun-
ciando a partida da Machaenf e da Flumi-
nense para o dia 13, um assignado pelo ad-
ministrador e outro por um empregado '.sa-
bidas as cuntas no ha sendo um vapor a sa-
bir nesse dia, o Fluminense ; o outro foi um
cues se pn/.er nisso seu empenho. Ja urnatsonho do administrador, pois que seu elital
rez Ihe disse, o agora rppTtoVqUBCoTn O go-lhequeo nnunciava-. F.mm esta despexjo-roe
veriiu ninguem pode lutar vantajosamcul-'Bde V. ate outra voz.
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO.
Rio 19 de agosto de im.1
Recebemos hontem tullas de Valparaizo al
10 do passado. Ilelnava a inaior Iranquillidade
lo Distla. OS'. MC Kon. ja gravemente cmlodaa repblica, e a induslna lomara de
f^ido retirle.' Inl-rvem'entao mullas giSSSSUT """*" "^* ""
A estrada de ferro de Santiago a Valparaso
pproxiui. v.i -se a sua realisacao. No da Io de
pessoas que o levam para una casa vizinha,
on te suss r.-ridas silo curadas, e rodeiam de
desvelos ao Sr. Me. Donald, cujas feridassflo outubro protiino ruturo devlam comecar os
mais graves. A polica p euoe Caufleld por irabalboa. O capital Ja coiupanhia he de sele
ler sido o motor do cmbale o o pnm'iroa mllliOes de pesos, divido em accoes de mil pc-
aljrar sos, das quaes lomou o governo 2,000.
Est acea lie em tudo digna de muitiS D? Bl''f aonunciain que o gener.il cliu,
t.siast. "'"-"" ,,,.:,*,... n. tendo concluido a missao de inspecclonir as
queserepresenumno O.ci ieni.ee quo por provincia, regretaivaa capital. Tini.a-.epo,
vezas lemos referido. Para Oada OOlIlttr- certo que o general Santa Crui voltaria bre'e-
mos, diremos mais quo os Oabilantes do Sa-
cramento selinham reunido em assembla
para pe.lirem juslica conlra Caufleld, e qu 1
muito >o icceiava a tomassem eiles em suas
mflos.
Poneos (lias anlcs linha havido m mes-na
cidade um encontr ente um jugador de no-
mv Me. Ailisl.-r e u n individuo chamado
Tno as Moore. S indo este.atacado por M 1.
mente da Europa, e acreditavain alguns que a
sua presenca produilria dentro de pouco lem-
po urna muJinr. un governo da repblica.
Do Per nu ha a menor noticia de Inle-
resse.
No Equador parece destinada a Iriuoiphar a
revolufio que lein por lim elevar ao poder o
general Flores. O lntirireti dtl Pueblo de 27 de
Junho aniiuncia que a cidade de Guayaquil se
pronunciara a favor daquellc geucial, e que
Allister, ret.icou-llie com quatro uros do parle das Torcas do gencial I rblna seguiram o
Siu l/t>r, que deram todos em ch-10. exeinplo de Guayaquil.
Trinl-i e cinco minutos depois Me Allister __---------_____
expiravu : us reeonhecen lo-se que Seu
adversario bada mais linha felo do que usar mo DE JANEIRO-
lo direilo de defesa, soltaram-o. Era sabi- Resumo ta exlraeriio tos premios da 10J lole-
lo lamtiem quo livrura sssim a cidade do
um malvado temido de lodos, queja linha
cj nmeltido duas inorles.
0 coronel Craig, que fazia parto da com-
111,-s. 1 1 das fronteiras, indo de San-Diego
para as margens do Cila, foi assassinado
por dous desertores que ello procurava fa-
zer entrar nos seus deveres. Estes malva lo.
foram presos.
A lei de l.inc/i foi applicada do novo em di-
versos pontos, e Ic-sea este rospeito, om
ria concedida para intltinnisac^o to thesou-
ro publico ta presl-tea mensal com que au-
xilia a Joa Caetano tos Sanios, empresario
do theatro de S. Francisco desla corle, ex-
Irakida em 18 de tttjoslo de 1852.
1 N. 5562...........20:000*000
I a lb'50...........10:000/000
1 |0S........... 4000/000
514........... 2:000/1)00
'meleirjes por maior que sejam a forca nu-
mrica c moral do partido que as disputa.
A auloridade he omnipotente, iloje nflo
ha crime oin tu lo quanto a auloridade pra-
(ica para vencer urna eleicflo, o os tneios que
olla pode empregar estilo do lal modo auto-
risados pelo exeinplo que nada 1I11 lie veda-
do. Em ontros lempos a inlervoncflo da su
Polillo nflo deixava d" existir, porm ora
I unida om seu desenvolvimento e dillie I
pela complicacao o disperaSo dos que empre-
gavam.
Moje porm nada ha qu-' so 1.1 ;n con mais
desembaraco o ousalta, e nem podem ser
mais simples os meios de aceflo da autori.l 1-
de para vencer eleifOes : toda quesiSo cifra-
se na apreciacilo da forca da opposicflo, na
localldade em relac^o aos meios de deslrui-
eflo que llie pode oppr a auloridade local
Tente do punido gove'nisla.
A aiiiorida ie local ton soa diapoeicdO
toda a fo'Qa militar que pode tirar da guar-
da n 01,11. al o policial; a auloridade p le
prender, pode processar, p le rerrutar, i,-
(Carta particular.)
'.Jornal de Commercio.)
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PEB-
N A BUCO.
Rio de Jamiro 20 de agoslo de 18i2.
He uinfado meu o nao querer, meu bom Li-
berte, deixar sihlr nal vapor acm escrever-te.
in.da que nada lenha de inlerrsse communl-
car-te ; e se te nao escrevi pelo rti'1,0. sahldo a
14 deste, be porque o maldito porte dobrado he
de alguma gravidude para uin pobre donato, e
esses rcnegmlos ingleses nao querein saber se
um dnalo franciscano he pobre ou rico Meu
amigo, tu lieui sabes, que ns de capuz fasem
roto de pobreta, para mis desgoelados o guar-
darinos.
Nestes tres dia lein havido alguma ventana,
e forada barra algons desastres lein havido, se-
gundo informa o Jornal do Commercio. Mas, se
no mar honre naufragio, em trra houve ven
lura, porque corre que, ha Ires das, se inalra
um bol na matadouro de Santa Luzia, que, de-
pois de esrolado e esquarlejado, pesara Irlnla e
..res arrobase olio libra, facto sem precedente
ile espancar, p le deportar, a prelexlo <>*, anDc, de^lc matadouro! Que bello petlsco
eonduceflo de ollicios, do presos e oulras di ,,,., ,, ,,.. padre provincial! Se o relo he
llgencias, c deslacanienlos pirs longe a to-lverdadri.o, ouesicbol erado lempo de Adao
dos OS volanl.S que a nflo s-guem Se lano qua.ido ludo era grande, segundo dltlan padre
nflo basta, pode ainda lomar impoSSivel a mestre Monte Alve.ne. ou em logar de bol o
11 ,u ., ..., 1 lucho era alcum zamba, ou clephanle como Ihe
votaeflo para a nppnsicfl >, pondo em sil o '^^''^^^'a^oI,"
p.rochiapara 1 nfed r que entrem osi votan- "l* nIla c,ln,ra J01 deputado. o de-
tes do campo, o em ultimo caso pode Irn- crelo que ,pprova o contrato, para a con.truc-
car a porta da matriz para aquelleS quo mo-Lj,, Je ullll Cslrada de ferro nessa_provincia,
ram na povoneflo, ou que furli va mente nella J va correndo ,1 galope e scui objeccao: Dos o
iiitrolnzi'am. Para tudo isto he preciso "permita, porque hegeral opiniao, que estas es-
mandante .10 0110 pro.io. correspondencia de Jakson feon lado do
DHO...A lhVour,'^.\f;"Pd';0V| Calaveras; datad." de 12 de junho, o se-
Si.l ppiovaiidu a arremango, que, |J ,,,, wai.0 15 dias que
,udo o seu fe MIontem,fax oa loa-.; ^ il|sUncia da ,,_ dUS
qutm d. Chigas.da obra dn lt/ l" rranceto, quedormlam na (ta bamc, lo-
estrad. d. ViCloii com aba c ,1e 2 por < lres mcsicanos um Jet-
conto do valor ,1o es,ecl.o orca nto morto, 0 oulr fleoU gravemente fen-
Dito.-Ao arrematante da illummicJo fulic publica remetiendo COp .feife^MM qM ^^ ^"li, J menos de'quinze forid.s,
leve a reprosentaeflo dos moradores da ra .sssssinos nflo cnega-
da Aurora no lugar de SantoAmaroi Um *o 'i ">> victimas; fu-
dc que proceda, de conformidade com a "
10
20
60 a
I3.5--2U77--3085--3753-45.', ooou0|)
liS7- 1341430-I642U52I
39811-451)7-53835 37758801
20ti- 276- 352 lili- 455,
806 916-10541178M20.
15982 J53-290-2411-2706 i
3261 3I36-.406042iii -546
83- 13i I67-- 190 356\
375- 409 429- 5l3 567 1
708- 728- 874-- 0.0 87
1139-123 l-.30l~l388-.l490/
1733-1831 19:6-iol6---2l6'jf
2l76-2:i76"242ii"2499-25l >[
26-2T6)-- 2771 2790--2926
sua infor nseflo.
Despacho a que se rejere o officio a cima.
Mostrando os su(ylicautes, que estiio pos-
tos nos respectivos logares dez lampies.
iguais ao da aciual iiluminacao, Vr* o
ofue apresentarflo atiesta 10 do arremata 11 le,
expedir-se-ha ordom llusouraria pa'a ser
entregue ao procurador dos supplicanle
a quauli do 2011/dOO rs om que so estima
a melade da importancia do-sa despeza, e
lera lugar a illuminaoflo da rui de sua ha-
bitacio, como requerem, e Falta lambnm
pelos supplicanle a despoza da Iraiislereu-
cia do mais quatro limpios, conlorme a
InformacfiO do arremalante d, 3 Jo pas-
sado.
i'.irinn 1.--M1 commsndant'. do brigoe
escuna Leg.lidado para transportar a sen
bordo para o 1 resioio de Fernando a Luiz
Aurelio dcGodoy e Vasconcelos.
1I0.--A0 agente da comoaiiliia das bar
400/000
200/000
lOO/UOO
ci nuiizanada nflo he sufliriente ou nflo' nifliculdade alguma, o que acbam de escellen-
Insplr. b.StaOte terror, n governo be sein-lie agouro os que peusam que primeiro ser Ic-
presolicilo em acudir com um bom coiiliu-'vadaa ell'cito essa, do que esta. Quem uosdera
gente de tropa do linha ou le permanentes. | vida para yermo, esse prodigio dos melhora-
Taes silo as oleices do llraail, e tudo islo e "-enlos modernos desenyolver-se nes.a urovin-
mais .ir, la alguma novida I. ..avernos de er-^ >Z^Z^U como teda. __
pr.ticado no correnle anno sem que algiiem:rMI1(,||e _,,,.!,_ crtio (|ue em ,odu
ja se ii'iecele ou incommude. mundo, lein sido urna fonte de riqueza para al-
iste tu lo que Ihe digo que lia .le aconte- 'guns, c de pobreza para o estado. Um sugelti-
cer no oriento .uno he lambeiii o quo pra-, uho contratou c.m o marquet de Casias, no
ticaram os ac-iiars, o o que hflo di! praticar i llio-Grande, a feitura de Irea mil barraca, de
OS futuros opl'OSicionistas quaudo subirem oito pracas: ao entregar as bairacas, nao quis
O poder, ja porquo o costume taz Iti a sena- lo general paga-las, por ter rccebido ordem do
1 pw^*. w uunisiro nara se nao fazer all compra alguma
,3o que tUlO IM multo HCIU, japorque ^"Vcro, e r.ne.teu o contraanle par. .
vingancaapodera-se tanto dos partidos como ;ci)r. 0 qile e,|e i-ei pretenda era
dos individuos, e esta paixflo nunca se satis- |naiJ Dai)Io; porm o ministro querenda cam-
faz com a pena de talllflo, sempre excede os parde esperto, mandou consultar o arsenal da
fados que a dosperlain. O lim pois a quo corte, o qual lixou o preco de qusrcnla e olio
particularmente viso com estas considera- mil res, e assim mandou o ministro que seipa-
ces nflo he a im,.roper.cSo da acluahdade, gasse: chegando,porm, o Interessado ao Rio-
mas nm eondemnaeso de aystema do nos- or.nde, ~PugnuU\"^zv^' ^.ba'r'r.c.a
. urdem, porque no Rio-ranuc essa. uarracas
sas1 eleicoes. 'cusiavam doic mil e duzentos rls. Este nego-
Jl queestou com a mflo na massa, eco- co lcm dallo pailn0 paramanga.ua cmara
mom-t-ria correlata, conto-lhe que a op- (|o, deputado.: o ministro se tem visto em
posieflo acaba de passar por um alisa; otila- opuru,, no que elle teulia parle na asaadura,
metilo doloroso coro as ullimss decises da ,as porque o caso he grave, e elle lera depro-
1 11(1 ....__ 1'___. I.- .,.! ha aisalia 11 <
tolavia a
giram logo mas sabase o nomo do dous
dellles.
Reuniram-se alguns ci Jadflos para formar
urna c imiutssflo de vigilancia, e ollerecerSo
3U0 p sos de recompensa a quem prenle-sa
os criminosos. Um delles foi preso, e ia ser
julgalo pelo tribunal do distncto. S'Jo _
coiiviuha lato porm aos habitantes, que ar- 2(|00 prclnio,.
ronibram a cad.-a 00 eoforc.ram nessa o p.gimcnlo dos premios desta lotcria prin-
mesma tordo em um carvalno da ra gran- cipia na sema-feira 20 do correle, em casa do
d", onde ja oulras victimas do coligo de tbe.anrelro, Joao Pedro da Veiga, ra Quitan
Lynch linham expiado sem crime.
Dias depois foi preso o ouiro assassino
4849- 4855-4s57~5070-->279
5442-5497-5644-5799--5979
100 de.
1800 de.
40/0UC
20^000
raneas; porem nflo sel como repenlinainen- "q \|f||0 1. raneo na drscussao leve asimplicl-
to mudou o vento na relaflo, de sorte quo jaje de ollerecer-se para membro da coinmis-
' salliram do pancada 10 nu 12 decises todas ,.,_ qUC o ministro nomeasse para o eiame do
f contrarias a opposilo, e favoraveis aos go- arsenal, dizcudo que havia de de.cobrlr laes c
' vei instas ; nflo sel como islo se operou, mas laes cousas: lalvez fosse isso mera liara de
tenho motivo pafa pensar que mullas das rheto.ica; porm J''"" 3^/^'J
1 ree.amaces da op A ul.nnamente d- paUv.-; J mg~ZS
cid,das eram ll.aisjuslas o flinda l. que a Zat!Tm!rZ.!que ficavil olhando, e desde In-
gumas das que a principio luram favuravel- lMu,c pai|auieiilar se cousiderou o uii-
mente julgadas ; o cerlo he que estas ulti- ol,uro lapy.lnthode Creta. Nessa uo ea-
mas decises importam perda das elcices |,irla eU; nao ie havia de ineiler nessa sorte de
para a oppusicflo om cerca do quinzo muni-
iria nij i.n "- ..- ----------------------- ---
ombaie sem ter preparado urna retirada hon-
da n. 144.
Rio de Janeiro, 18 de agosto de 18520 escri-
vao, Francisco de Xstis Tavares.
(Joma/ do Commercio,)
conduzdo acil.de, apoderou-se delle o
povo. Depois de couressado por um padre
c.tholico. pedio o reo a nomeaeflo de um
jury de doze mombros, ao qual quena fa-
zer publicamente a declaracao de seu cri-
me. Aiinuiram ao seu peJido. Declirou
entflo quo, comquanto elle se tivesse reuni- jjbda 98 por cenia de premio,
doa Ch.'veriuo e a oulros para comollor o iiainbiirgo. 655a9nd|v.
DEM.
CVMBIOS NO DA 25 DE AUOSTO.
Londres 27|8a27lj2
Pars. 3<8a353d|v
geuie >;<-"" -- crirnei nSo tjver, pane neuhuma no homici- i
cas do vapor para mandar dar paaaagem P-ia^n,e,An_-lt,.,e &n da barrsCa qu.ndo os
ra o JUrsnliflo, por conta do governo no u
primeiro vapor que passar para o Norte, ao
pratico Pedio Francisco Pereira -Cuminu-
uicuu-so ao inspector do arsunal de Ma-
rinha. _______
i, niaigsjsa' sawsii aj.*T~*I'I>*1I.",,.!1'J,
EXTERIOR.
CALIEORMV.
New York 17 de julho de 1852.
As noticias irazidas pelo Illinois alcancam
ate 18 dejunho e olTerecem alguns Iracos
graesquecaracierisaina liislorta contem-
pornea desle paiz maravllluso, isto be,
abundancia de tnesouros e do crimes, vio-
lencias individuaos, actos de juslica popu-
lar, etc. Estas narraces, comquanto nflo
sejam senSu a rrpelico dos mesinus Tactos,
tem sempre cerlo int. resse,
A produceflo das minas continuava a ser
abundante, e na exportarlo dos seus pro
duelos lemos disso urna prova multo palpa-
vl. Oour. em p trazido pelo vapor quo
saino do.S. Francisco no l. de. junho iiii-
portava em 1,937,U6 pesos ; o California.
que saino daquelle po'lo em 18 do mesmo
mez, conduzio aquauliade 1,9116.308 p. sos,
itosorte que a expoliaban da primeira quin
zena do mez de junho subi a 3,813,754, pe-
sos, rJu 766,921 pesos oais .loque o termo
no-lo. da expoilacflo nos lres inezes de
marco, abril n malo. Algaliamos como es-
tes dispensan! tola rellexflo.
oulros entraratn, comman lados por Chev.r-
riuo, che'e da expedicio. O jury, depois de
ter ouvido a conlissflo, ontendou dever en-
tregar o culpa lo a juslica ordinaria : mas a
maioria do povo proiiunciou-se por sua exe-
cueflo immodiata ; e arrancan lo-'o as mflos
dos seus guardas, nflo obslaute a opposifSo
de parlo dos assistentes, levou-o para de-
baixo da arvore lalal. Alguna mstsnlesde-
pois linha deixado de existir.
A proposito da execueflo de Cheverino ha
detalliPS dados poi um jornal que augmen- paria."
lam o horror da sceua. >flo Ihe ataram bem Hamburgo .
as mflos, o pode ell-i s gurar-se na corda o Lisboa. a
llcar suspotiso assim por alguns minutos.
Dsceram-o, amarraiam-o bem, e a execu-
eflo realisou-se !
No condado de Sutter exerceu o povo
lambem sua juslica sumtnaria contra o as-
sassino de urna mulher Julin Jackson lece-
Ii.tj hospitaliJade por utna nolte em casa
do Sr. II i i.t. De ni uiii.i.i, approveiando-
so da ausencia de Seu hospede, assassinou
Jackson a Sra. bauer e aliruu seu curpo em
urna lagos otile linha por costume lavar
roupa. O crime foi logo descob-rto ; nSo
era possivel haver duvi.iasob eo crimino-
so ; porta 1.1 i laucaran! os h.bilaules miin uo
Jack o i, passarain-lhe um/n(0 ao pescoco,
o pen IU'arin-no na arvoro mais pro-
xini
MEfAES E PU.VDOS PUIILICOS.
Melos. Oncas hespanholas i ., d.i patria 2S/500
Pecas de 6/400, vclhas. 1G/00
Modas de 4/000
Peso, hespanhes
m n da patria. .
a Patacocs .
Apolicc. de 6 por ecuto.
proviuciaes
9/000
1/910
i/UOO
l/BJO
io3i|2 0|0
100 a 101 0|G
a 1/930
a 1
(Jornal do Commercio ]
BAHA.
ISO DIA i DE SBrEMBHO.
..... 27 I|2
A estes inci lentes, derivados doscostu-
mt-s dos novusliabiUnles d California, a- .,
juntemos uiu que perlence aos indigeois, e do que outro, e por mais que se eslorcem
CAMBIOS
Londres. .
34i> o Ir.
610 o marco.
90 a 100 por c.
MKKS. obroes hespanhes. 30/DOO
ineaicauos .... 3i000
Peca de 6/400.....i/000
Modas de 4/000.....9/000
l'.ui. ...- brasllciros. 1/920
Acede, do bauco.....Sporcenlon.
(Correio Mercaltl.)
S EXO llvm. vai fazer doaijSn causa-uioi lis
ao seniinaiio para seu patrimonio : e infor-:
mam-momais que a livraria d ate instituto
scientilico sera pieslada pelo digno prelado,
queja mandou vir oque hade melhor na
seiencias ecc.esiaslicas de Franca, Italia e
Porlugal.
O seminario sera servido por meslres, to-
dos sacer lotes, que S Exc. Itevm. m.ndara
virua Europa ; letilio pailicular s.lialacflo
em acciosceular que paiece destituida de
fundamonlo a nulicii quo anlos sa propol-
ra de quo este seminalio seria exclusiva-
mente servido por jesutas; lenho particular
quiqxla com os Iraes desta ordeui ; serSo
inulto sabios, mullo honestos, e luuu quan-
to quizerein, porm euiquanlo me recordar
o p,,. ldesuasf.ua. lias uusulliiiiossecutes em Por-
13 de agosto de 1852. tuga', "espantas, Italia, Franca, Allemanha,
As ulllm.afeU.Vue *M tomo, pelo va- e ate na Amone. ; ^^nflo desirui-
por iVteminen.se alcanc. na 8 do correte, rer, as r.se em que se fundou o'"rqnei
f:oul,,,u.m as cartas particulares. fer^d^oiibaU
,rod?l-|fe.occ..ion.r.j^..^
acudo encarregado _.
sera a favor no governo. ,uliissiiiio iinmuuda, arrastou para all o rio
Conlirmo minhas intormacos sobre as Alliaxonail luetie-o deutro da cavallarice c a
diligencias do hispo para a fuu l.co do um deixnullmpa. O Krancodiraqueelle naobeHer-
semmsrio ecclesiastico, accrescentando que cu|e,, nem tem aqu a mi o Am-onas ou
acaba elle de realissr a compra do vaslo pre- mesmo que quaudo entrar no ."">. J "'
dio em que eslava estabelecid. una fannea V^/^^tSa^SSSfSSA
de lu,.dq,cflo e galvanismo prximo.o seu ^ffittSX&ISGri
palacio, pela quanlia de 8 000 000 rs apali tejera WUUI a aw e tj^ ,ffe.ecido cu.
cando para i ssu lim a c.insigiiac.te de igual uullc0i go recuaria, e por isso me nao mello
quanlia volada na ultima lei lo or(.menio, ,ln ca l(a jc onle vara., porm esses padres
e desuando os 4:000,000 rs. coiisign.dos 111(slrcs i do allu liun-se muilo em .i, c dao
n la assembla provincial p.ra as .eparaces I silabadas de lodo lamanho. fcu eslou persua-
era queperlenceu ao barflo de Anlonioa, el fl| |ro Taque, de chefe de polica. Dos
posleno monte o tinado propnitario Auto- ,he ha mlude.
nio Manuel Teixeira, da qual consia-me que| Kiualmenie passou em tercelra discussao *
inq cerl. vulta do prefjenle N'abuco : esla
nolici., como he fcil (te prever, produz im-
pressoes diversas conforme .s dispos.ces ha W"^ Jut iulrojUcSao
e vistas dos dillereules grupos polticos. A nflo podcre ver semsusio
.no i",
-......------------ --------- uada cuslou ao. corre, publico., c ne.la oc-
opposico co.it.nu.. declarar que.^i!!AelueBeinPquzer. nflofallar-lbe m.is do cor- ca.o recebeo o arii.ta lteuiteeiiie um. corOa
auturisacoparase pagara eno.iue earbitrarla
despea com o theatro lyrico, o que saoquatro-
ceulo. e olleula conloa, alm oe qualurze no
primeiro anno mcn.almente, e doze nos dous
segurles lambem mensae. 1 E o peior he
a cmara reieilou a emenda, que inandava dar
o ibealro por empreza, de maneira que ie quer
que o governo, que mal goveroa o paii, si
quando fallar o Sr. Jo. Clemente Pereira.
-26 -Bem te dala eu honlem que o Mello
Franco Scou com o qualao a banda, quando o
mlui.iro declarou que aceiuva o olTereciintu-
ro lile llrou-.e ao embarajo eiigmdo como
condicao o ser investido de podere. eilraordl-
uarios, para faier ir sua presenja quem quer
uue seja, lomar juramento, ubrlgar, etc., ele.:
cnlim um inquerlto como na Inglaterra: eu
recelo que ainda aa.im alie nada fara all. O iodo
de cnbiliir laes abusos be a Inllexlvel severida-
de, quando laes terracedr se descobrirem, e
niio continuar no n.leiua de euipenbos e afl-
lliadageiu, que he a causa do. niales do paiz.
20 Abriu-.c ante-hontem o theatro quei-
de S. Pedro de Alcntara: esli bonito.


V **
mmmmm
a.
de ouro coin brllhanlc, importante, dltm,
cm doze ou qualorze conloa de res. Ouln esta
preparada para SColli: ditera que de menos va-
lor, porem mala delicada e de melhor golo.
Voces teem por l o aeu re e ralnha de Congo,
no c teremos noaio re e ralnha de thealro.
Se pediiie a ene enhnre una corda para
Nossa Senhora, nao creas tu que se Urina un
loxao. La Isso para alguina vellia beata, ou para alguin gln-
ja tcrcelro do Carino o de S. Francisco, que
a geute de boin goto so cuida de bailes e lliea-
Iros. C Jornal geme ha metes sob o peso de
arligos reclamando medidas contra os escn-
dalas das lujas abenas nos domingos e dias san-
toa de guarda. O Eiln. Sr. blpo conde, pu-
blicou pasloraes, e a commissu ecclesiasiica
da cmara do deputados, sobre uin reqori-
nienio doi caiselros contra esse abuso, conleu-
tou-sc cun dlier, que os bispos picgassem, e
a cmara rnuolcipal nea.c postura 11 i u
lempon, more .' 1 Clamou o oosno padre pro-
vincial oo coro, e a communldadc rcspondeu=-
Ammo que causou, nao sel porque, milita
risada c embalso no corpo da iereja: dariam
algiima ylahada l por ciui- ? Porm estes li-
bertinos, mtu bom Llborlo. meltein a buiha
ludo quaoto cheira religiao. guando ceno
senador requera que se nomeasse urna coin-
mlssao ad hoque ninguem rise.
A ancla de contar-te o que se segu lez-me
einuecer algumas outras cousas; porm cita
vale por todas. He una sylabada, meu queri-
do Llborlo, como nunca ouvi dar alguin parc
provincial, pesar das muitas que tenho uuvl-
do, e tem ella dado multo que rlr, e que Hi-
lar nestes ltimos das.
O padre piovlnclal do Alto Amstona, recla-
mando do governo algumas medidas em be-
neficio d'aquella comiiiuildadr, dn assnn :-
Predio he mandar iiurn oaui alaun Miae di
Mineiros < o-Grnndriu! para mcihorar a r dosquadrupedes, c memo do andoOa ja viste
cousa assim? Nem os donatos do llcinardos
eram capaies de um. bernaidlce deste calibre:
e bcni ic dlila tu que as veies be melhor ser
dnalo do que le voto em capitulo. O Mello
Franco teve a felir. lembranca de protestar em
nome dos Mh.eiros contra tal remessa, c de
convidar o depulado Fernandes (Jhavy para
em nomc dos Aln-Crandenscs, ajuua lo uesse
protesto. Sao inulto egoislas estes Senhorcs
Mlneiro! Nem querem dar recruta par o
ciedlo, nem ir melhorar as rajas do vaceum
r cavaPar no Alto Amazonas.
Se por um lado vaneara a passo de gigante
Industria e inelhorainenlos malcriaes, por
outro redobram-se os perigo para o liomeui.
Mr agora naufragava-se em una costa,em um
balso, em um rochedo; agora tleii-sc em au
(rasar no costado das baleas. O Jorwil de ho-
ie 30, tras a noticia de urna uuburcacao que
navegando de Cuba para a Europa, com grau-
de carregamcnlo. balera tul una balea e fura
pique!! Aisliu uo haver vigilancia, nem
habilidade de piloto alguin que possa evitar
esta perigo
cominlsiao que tem de proceder a esame no
niesino arsenal, os aeohore: Joio Paulo dos
Santos Brrelo, presidente! Dr. Lula Antonio
Barbosa de Almclda, Dr. Candido Mendes de
\lmrlda, Dr. Antonio Jos Henriquei, e o re-
ferido Sr. deputado Dr, Manoel de Mello Fran-
co. A commlsso leve a sua primelra reunlao
nodia 25 do psssado.
Le-e no Diario do Rio de Uncir :
Na madrugada de hontem (15 do correte)
delez-ac tuna tSo forte trovoada e chura por
cima de nossa cidade, que ha multo lempo nao
(emoa idei de um aemelhanle furacao. A bran-
dura de noaso clima talvez nos surprebenda na
presenca de um temporal mals forte, eremos
comtudo que aqueile causau sualos aos habi-
tantes. Nao consta que dentro da cidade cahla-
ae algum raio, dlicm porm que no largo do
Valdetaro, ni caaa da Enna. marqueta de lo-
hambupe um raio fuera pequeos estragos em
urna janella e no telhado.
A trovoada comecou pelas (res horas, das 4
a 4 l|i esleve em estremo forte, c s cinco ja
se onvia bein longe o estampido della.
a M II horas do dia comecou a soprar oveu-
to com violencia, e a chuva foi extremamente
abundante.
Na ruados Lazaros em San Chrlslovao, des-
moronou-se o muro da casa do Sr. Carvalb, e
deixou iinli n o a um pobre escravo, que d'alli
lol arrancado, em misero estado, pelo br. Pedro
Gralba e scuirmo.
Na rus do Pao Ferro, tambem cm San
Chrislovao, e a dos quartel, achain-se de tal
inauelra inundadas, que nao do transito ; pe-
dimos em nome dos moradores desse lugarpro-
videnciaa urgentes.
No iln 15 do corrente, por occaiiao do
forle temporal que soprou entre as II hora
meio do dia, dcsabou parle da casa que em Au-
daraby eslava conatruindo o Sr. J. do Coulo
Marques. Morreu por essa occasio uin Ald-
eano einpregado na illuminacao, e llcou outro
gravemente ferido.
Nesse mesmo dia j o Eim. Sr. chefe de po-
lica mili i cipedido cidem de prliio contra o
meslre da obra.
Mas urna victima da febre amarella, fal-
leceu boje o violloncelista Troncn', e cabio fe-
rido do mesmo mal o fraulista llt'va, ambos
professorea da orchesla do thealro Proriiorio, e
de nacao italiana.
Consta-nos que a escuna inglfta Ratina
eateve por espaco de tres dias cun a liaudelra
amarella icada, e que mandou um docnte de
febre amarella, no ullimo periodo, para o la-
zareto e que (cm inais doentes a bordo. Disein
que alguma econoinia que sequiz fazer deu lu-
gar a este laclo.
A Itevisla Martima fratileira noticia
guile:
- O srgunJo (encole da armada Jos Ricardo
da Cosa Agular, qic c achava einliarcado o
vapor Caln da m.irinha de guerra franceza,
I ,li,-i i ii a bordo do mesmo vapor, em viagem
ile I unes para Argel, no dia 17 dejunhodo
orrente anuo, c duus dias depois foi sepultado
Foi orneado prosidentc da Babia o dcpula-'em um dos cemilerio. de.la ultima cidade.
do Wanderley. que era o chefe de polica, e
lalvea seja o Taques o cliefe de policia.
O governo acaba de faicr unta gramlc con-
quiata oblere da sania s aquillo que os nos-
nos bispos podiam fazer, e j leeiii feto, islo
he, adiipensa de mullos das aaolusque eraui
de guarda, e islo porque se havia concedido a
Portugal! Se se tra(ac de lupprcsso, bem ;
porm mera dispensa '. Talvea seja completa
suppresao, ma o Jornal, que den hoje esla
nodcla, falla em dispensa.
Reclificaco.-N!o imporlou em doze, nem
cm qunorse con(o a coroa do Joo Cae(ano,
mas em qualro coo(os; aasiin mesmo a da
Sl01"- A 1.
O reverendlaaimo padre provincial ao Alio
Amazonas nao dice que erara precisos os Minei-
ros e Blo-Grandenses para melhur-r as raca
dos quadrupedes, e mesmo do gado ; porem
as raras al do gado. E coinquanlo ludo ve-
nha a'dar no mesmo, com ludo ncatas cousas
nao gosta de pdr nada de sua cata.
O Irinao, Andr.
MAMO OB PKBNAMBlillO.
ItECIFE 7 DE SETEMllUO DE 185'
Pelo femambucana, entrado hoje do sul, re-
cebemos jornaes do de Janeiro, que alcancam
a 26 do passado, da Babia a i do correule e de
Macelo a 7. .... .
Reina a mal perfeila tranquillidadc cm lodo
aqueile lado do Imperio.
tiPassou delinilivamenic na cmara dos depu-
tados a resoluco que approva o conlra(o cele-
brado pelo governo com os scnlioresde Mor-
nay para a consiruefo da estrada de ferro ao
sul desla provincia, e j no senado havia prin-
cipiado a discus-o sobre ella.
hiMjuii.un--r na cmara temporaria varios
crditos concedldoj ao governo, e entreelles
um da quanlla de b:000/. que deve ser despen-
dida com esames tnsalos tendentes a melho-
rar a cultura da cana e o fabrico do aaauear.
Na cmara vitalicia tratava-se da aegunda
dlscuao do orcainenlo da iceelia (eral do im-
perio para o anuo financeiro.de i853 a iK>4(ru-
do oSr. senador MoiUezuma inaudadoa mesa, no
dia 15, como emenda substituuva do J II, um
pre-lecto seu. abollndo os dircilos dt eipor-
taco.
0. M. o Imperador dignou-ac acceilaa o (Ku-
lodcpro(e(or do hosplial de caridade, que se
esl edificando na cidade de Macelo.
O inesmo augualo seobor dcvla dar um baile
no da 31 do passado, para o qual linliam sido
convidadas mullas pessoas de disuneco.
O Sr. Dr. Joao Mauricio Wanderley, chefe de
polica da provincia da Uahia, acha-sc noinea-
do presdeme da mesina.
O Sr. iti.ijnr do corpo de engenheiros Ernesto
Antonio Ijissance Cunha foi agraciado como
oQjcUlalo da ordem da rjsa. em remuneracao
dos leus servicos uiilllares no Rio Grande do
Ml< ...
Por decreto de 12 do passado foi noinr.nl mi
muulclpal e de orphosdos termos reunidos de
Mar de Hespaoha e Poinba, da provincia de Mi-
nas Geract, o bacharel Lgldio llenrique da
Silva.
Por decreloi de 18 do dito mes Toram no-
meados : .. .
Majoresajudan(ea d'ordens docommando su-
perior da guarda nacional do municipio deala
cidade, os majores, Francisco de Miranda Leal
Seve e Jos Ignacio Soares de Maccdo; capilao se-
crelarlo do mesmo commando, o capilao rirmi-
no JosdeOlivelrs; capilao quarlel-mcalre do
dilo, o altere Domingos Alves Madieua; cirur-
giao-mr, o Dr. Ignacio Firmo Xavier.
A respelto da dlipeusa dos dias santos, de
que falla o nosso correspondente em sua caria,
transcripta em nutra parle, diz o/onwl do Cesa-
mercio o srguinlc:
. No principio do corrente anuo solicilou o
sorerno imperial da Santa S um breve seine-
Ihanle aaque em U ue Junho de I8lt concedeu
o anlissiuio padre Giegorio XVI ao reino de
Portugal, dispensando alguna dias sanios que;
ainda erara de guarda no imperio porque o
erara no lempo em que raziamos parle da ano
narcliia porlugueza.
A sanu S concedeu este breve que che-
gou no uliimo paquete Inglez, e em conforinl-
dade enm o que elle determina, deveui ser
guardados sineotc, alm dos domingos os dias
seguinles:
Nascimrnlo de Nosso Seulior Jeius-Chrislo.
Circuinclsao, no priinclro de jaueiro.
Reia, era de Janeiro.
a\scenco do Seuhor.
Corpo de Deo.
Coneeio de Nossa Senhora.
ISativldade de Nossa Senhora.
Annunclaciode Nosu Senhora.
Purificacao de Nossa Senhora.
Assuinpcao de Nossa Senhora.
Nasclmento de San Joo Baplisla.
San Pedro a San Paulo.
Quinta-feira sania do melo-dia em dlante.
Seiia-feira da Palso, at ao mel.
I'odos os Sanios.
No blspado do Rio de Janeiro, alm desles,
devem ser guardado o da de San Sebasllao, e
no arcebispado da Babia o da vlzliac.au de Nos-
aa Senhora.
A fesla de San Jos, esposo de Nosaa Senho-
ra lera lugar na terceira domlnga depois da
pascliua da Retsurreieao, e a dos oragos da dio-
cese, paroebia, cidade e villa, na domlnga
inmediata ao dia em que al agora e cele-
brava a sua fesla. ._ .
Em consequencla da grave accuiacoe, fel.
la pelo Sr. depulado Mello Franco repirii-
cao da guerra, e eapecialincute contra o arse-
nal da carie, foram nomeado membros da
luniiii as honra fnebres pertuucentes
ao leu posto os ofliciacs e inarinhciros da esqua
dra do vicc-almir.inle de La Susse.
n Do j ivens olllciaes da nossa uiarinha que
lem ni, .1,1)11,1 ii uislrucco Europa he oquar-
lo que a inorte arrebata patria no meio de
auas tarefas e l,ingc della.
Ao segundo lenle Agular, quera o dise-
ra, eslava destinado um tmulo cm frica!
luescrulaveismysterios da vida buinaua .'
Unimos nossns voloa aos da familia e ami-
gos do nosso collega para que sua alma desean-
ce em paz.
Ossenhorcs II. ll.Knaaike C, negociantes de
caf na praca do Rio de Janeiro tiohain suspen-
dido os sena pagaineutos.
No dia 24 do passado, eiisliam fundeadas' no
porto daquella capital 119 embarcaces eslran-
i ras, sendo 29 inglezas, VJ americanas, 14 porlu-
guezas, O francezas, 7 dinainarquezas, 5 ham-
burguesas, 5 sardas, 5suecas, 4 hespanholas, 4
belgas, 3 macanas, 3 auslriacaa, 3 noruegueu-
sea, prusalanas, 2 orientaes, 2 hollandezas, I
lubequense, i russiana e 1 bremenae.
Aalfandega linda rendido aleo da '.'.'. do pas-
sado 1,090:133^217.
Ba Baha nada ha de interesse. A' sahida do
vapor j se acliavam all subscriptas JiO apoli-
ces da companliia de vapores luzilania, haveudo
mili iliiinl ule de que o numero das assignatu-
ras escedesae ou pelo menos igualassc ao que
se reuni ntsla cidade.
O rcndimenlo lli|uldo da alfandega bahlauna
elevou-se em tojo o mez de agosto |,assdo a
34t;aO/iS.
De Macei lambcm nao ba novidade. A re-
pecliva cmara municipal, linha contralado,
segundo refere o Teinpo, com lAulonlo Panla-
ieo lieierra Monte-Negro o fornecimento de
carues verdes em loda a cidade eseus subur-
bios '.,'-"' a arroba. -
DEM 8.
Ilontem foi solcmnisado o anniversario da
un., i ciiiaiieipacao poliiiea com a parada e cor-
tejo do cslylo : enibaiideiraram se e saivaram
as fortalezas e vasos de guerra surtos no porto
nnlle houve represcntaco dramtica uothea-
lro de Santa Isabel, e varias bandas de msica
militar percorreram as ras da cidade, oque
lambcm leve lugar na vcsperat
Orgaiilsarai-i-sc lambcm honlem a mezas
parocbiaea, r deu-se comeco arleico de verea-
dores e juiacs de paz, ludo no mals completo
socego.
Publicago'es a pedido.
Guiuiaros 17 do msio de 1852.
E-li dir-in.n niho. Receibi a tua caita,
o estiinri rauho por l*rcs nade, o que nes-
ta osa lem i soit1: com que nos tratemos porem vamos'
indo, eu j i\5o invpjoa vid poisquen nflo'
tem que comer nada fsz neste miiDilo. Aqu
r i'.;,!! vin,l,i il.iln o Piren, apoaas reeebij
l't'll .i hn f irl.-i, iiii sei como a Sra. se |
esqueceo de rnini, nSo pjenlo eu esque-
cer-mi d'ella. I
Nests mesma nccaziSo Ihe escrovo, n3o
seja caso que lu fagas com que a carta no
vi a 'ii.in d'ella, a ......dizem-mn que a Sra.
osla de posso de ti lo que be d'ella, sendo
asim bem me poJi dar alguma esmol,
pojs assim opr.orr.etteii no Porto, at verse
l'.omingoi se doe de sua honra e consciencia.
Eu lenho batido bem com cartas hoje mes-
mo Ihe laco urna nurracfio para conhecer o
estado de miuba vida aqu, no basta o mal,
passaro que nunca passei em tempoalgum,
i.e ii.ii>, he (oJos os dias choros e mais cho-
ros, ssm se apruveitar nada, eu se n3o te-
nliu algum snecorro, dou um tiro em mim
ou fujo pelo mundo alm que ser melhor
paro minha salvar;5o. Domingos quiz tirar-
mo do purgatorio para ocn, mas por lim
botoa-m l no inferno dos vivos S3o estas
as fortunas que tenho tirado de 4 lilhos quo
tenho no Urazil,que n3ose atrevum a dar
um bocado de p3o a seu un, que tanto fez
pel9 suas feliciiia les, e sem puder, anda
por cima mandar dar a minha casa a ou-
Irem para morror a fomn, isto bem pensado
pareco que lio querer tirar-me forga os
dias de vid, ou parece assim.
Tu mana alm de nos todos pidecc mui-'
to emdemazia, poisdizquetemeonhecidoa
nossa desgraca, as paizOes a tem levado a '
estado bem miseravel, Dos perdoe a quem
lem a culpa do'tudo isto. Aqui o dia 15 e
(6, tudo foram alegras, s as nossas foram
choros, em virtuJe do que nessa occaziSu
tive do Sr. Couto, bem desagradsvel manda
dizei-me quem sera ahi amigo du Domingos
para ver se arranja empenuos para ver ne
elle se compadece de nos, eu por lio;o que-
ro ter mSo no crdito at ver so terei al-
gum socorro, senSo intrego tudo a quem
me tem emprestado dinheiro para passir,
que he a minha honra, quer chegue, quer
uSoopassarei pelo acto mais vergonnoso
possivel, ja que assim o causaran. A dos
(libo, lieos te d mais gostos do que nos ter-
mos. Sou teu pai amigoBeato Antonio.
Gomes GuimarSes.
Extrae! de urna corla vitiia da Baha.
Tem havido alguma Infidencia para a em-
proza ds vapores luziUni, honlem flearam
assignidas 500 acgOes, sendo o maior accio-
nista do 30 hoje se espera Oque completo o
n. de 600. A pessoa a quem nesta se dirigi
o Sr Manoel Duarte Rodrigues, rene i sua
posicotoda a problbade, porm se te tive-
se iirigido aos negociantes Josquim Psrel-
ra Marinho, joaquim Pereira l'f-tsna, ou
Manoel Pinto Leite (qualquerdest-s aptimo
para agentes da mesma companHh) no es-
paco de 3 ou 3 dias estarla vendidas 1,000
c;0es.
a
VARIEDziE.
CAUTA DE UM CABRALISTA A UM SEU
PRIMO.
Charo primo, que desgraca !
Nao ganhamos a rleico!
'Slou em tal deseap'racn,
Que mals me valera a inorte,
Que to|denegrida aorta :
Eu devra trabalhel
E lambem fia irabalbar :
Ousei t acreditar,
Sue nem um s eleilor
De nosio.oppoiilor.
Tendo nos noiaa lala
Hornera fino, hornera polenle,
Uiulrado e mui valenle,
Era d'eperare crer
Que huiivi-ssein de vencer.
E' voga que nos mandaram
Para aqu cite campeo,
Por er um esperlalhao ;
Mas quiz mostrar tal finesa,
Que Ihe gabo a esperteza !
Elle fes, he bem verdade,
Quanlo pode e quantoquls ,
Porm quebrou o nariz i
Puis que o povo desla ilhas
Uiz que ronheee as vasilhts !
Eu quantfo vi no palacio
A luzida reunlo,
E ouvi fallar o deao
(Qual Cicero ) nona gente.
Del pulinho de contente :
Quando lia as circulare
Iteineilidasaos vigarlos,
Eu, e os noaaoa ecrclarlos,
Todos i urna diziamo,
Que esla elelco nao perdiamos ;
Quando a mao me chegava
0 rlieiroso Eaperlador,
Eobservavao valor
Com que nelle se crearla,
dem, meu.prlmo, eu cria :
Quando va, a toda a hora,
U clero, azafamado,
De braco arregacado,
A trab'alhar uesla etnprea,
Idea, cora a inesma certeza.
Com ludo ful Iludido,
E coinigo inulta gente,
?ue obrou l p.mco decente,
mu tramla e trapacas,
Tendo cm mira certa gratas.
Elle l em resultado
Da reunio de menino,
1 ie un na conla de fino,
Ao lempo que n, Cales,
Panamos por toleiroes!
Mas seja para caatigo
De quem me fez renegar,
Nos labios, que o de Tbomar
Nobrecondc.com respcilo,
Tenho gravado no pello.
P'ra que foi como a martello
Mi iii,i,, na nossa lisia
O Rio, impuro carlilt",
Assim como o Luz tambera,
llomens que nos nao convin ?!
Talares fosse um como capa
Para o nosso depulado,
E o outro foase enseriado
Al por adulaco,
Na cedencia do deo :
Mas nao devera assim ser,
Quando outro era o nosso senso ,
Olhe, aegundo o que perno,
T apoalo a cabellcira
Como lizemos aaneira '
E do deo esaa cedencia
8iir quereria diser ?
ao poaao comprebender!
S rae lembro U'uina cousa :
^Sla verdes, disss a raposa.
De que servio o empale
Que ae pos eleico ?
Que o diga a reprovacSo,
Que o poder tnanifeatou,
Quando Conclu-la mandou.
Que lucramos na viagem
Que fez o uoso Mar los T
A cousa linha seu fin ;
Ma ( blst'iria 1; nao pegarara
As bichas que se deilaram !
Tito mal cabida misiSo
{ Si verum nao pdde haver ,
Porque dcvlam saber,
Que nao erara pescadores
Os das Iba elellores!
De que valeu (causa rilo ')
Nesla lula cleiloral
Tambera qulnhoaro rival,
Qucdeiiou de viajar
P'ra o resultado esperar ?
Valeu l aos demagogos,
Para talvez envlarera
A nova de triumpharem '.
Veja e quem destas chucha
Nao 'alar d'orelha murcha !
Fallando com todo o slzo,
Aqu lmenle entre nos,
K lia ile ser em nieia vos )
Tanta miseria e torpeza
l.rvou-nos a mor balieza :
Anda na ultima hora
Se arranjou um papellnho,
Por signal que bem freiqulnbo,
A lim de ver se volava
Quem p'ra ra se raandava ;
Porquanto um nico voto
Nao ac podia perder :
Mas que! livemo de ver
Foaae um Irahalho baldado,
E em que alguem ficou mangado 1
E' que mesmo o dttx nosler
Nao lem prestiino p'ra nada,
Senao p'ra a fanfarronada !
Para isao Me acho gello :
E' uin Ztzinho perfeilo.
Ninguem abe oque elle quer,
O a Se Maria, se Miguel,
Se caria ou conallluicSo,
Se el-rei Dom Sebasiiio.
E p'ra que ao faci de ludo
O mu caro primo fique,
Foi quem nos mallau a pique
Este louro, ete edouvado,
Miseravel, detgracado.
O doulore ( vi eriancinkas )
V que vo ao parlamento !
Nao sel como nao rebenlo,
Nao sel como nao eatalo
nicamente em penaa-lo I
Ficamoi noii degradado!.
Flcaino de cara a bnq!
E' bem ieilo Quem no manda
olas couaas no ineltrr,
Sem forca para a vencer ?
Se no polelro pllbasie
O raeu nobre de Thomar,
Eu me havia de vingar '....
Quer-se na urna bayonetas,
Quanlo ao inai ludo sao pelas <
Ma julgo, meu primo, que
Se foi toda a nosaa gloria !
Nem triumpbo. nem victoria
Mal alonca o malfadido
Bando deile teu criado I
O Am.m.nsi..
( Do Uta: Tisana. I
qo,) eapresentsdo a approvarjfio.do Exm. Sr.
presidente da provincia, ludo 'na importan-
cia de 22:663,594 r.
a.' O arremataote comecar as obras no
praso de um mez, e concluir no de um an-
uo contsdo da data da sssignalura do con-
tracto.
8.' A importancia dests srromatafSo sera
paga em quatro prestarles iguaes, da ma-
nen a seguinte : a primeira, quando o ar-
rematante ti ver fe i lo a torca parte d obra
do seu contracto; asegunda, quando liver
feito dous terfus das obras; a terceira quan-
do liir recebid provisoriamente,e a quarta,
3uando for definitivamente recebida, nSo
evendo eu*ecluar-se pagamento algum, an-
tes de lindar-seo primeiro semestredoezer-
cicio do 1852 a 1853.
Deca rjoes
Banco de Pernambuoo.
0 descontos de 6 a 11 do corrente setera-
bro, sao de 6 por cento at o Qm de outu-
bro, e do 8 por cento at 6 mezes. 0 con-
selho declara que comprs e vende letras so-
bre o Rio de Janeiro, de quiltuerqusntia e
a prasos rasoaveis. Banco de Pernambnco
4 de setembro de 1853. 0 secretario M.
I. de Oliveira.
Tribunal do commcrcio.
De ordem do tribunal do commercioda
provincia de Pernambuco se faz pohlico.qne
o brigue nacional Empresa, de 283 tonela-
das, proprie ladn de Guilherrne Pinto ds Sil-
cidadSe brasileiro, domiciliado na pro-
Navio entrado no dia 7.
Rio de Janeiro e portos intermedios -- II
diss e2l horas, e do uliimo porto,17 ho-
ras, vapor brasileiro Pernambucana, de
240 toneladas, capillo JoSo Henrique ni-
ten, equipagem 30. Traz a seu bordo, pa-
ra esta provincia, o Dr. Francisco Domin-
gues da Silva e I criado. Francisco da As-
sis Pereirs, Antonio Silverio deSouza,
Dr. Alezandre Bernardino doa Reis e Sil-
va, Firmino dos Santos Vieira, Jos Anto-
nio da Silva Mello, Alesandrino Christia-
no de Oliveira, Justino da Cunha Couti-
n hn, Jos Antonio Ave, Jos Calasanico de
Souza, Francisco Antonio Jos Firmino de
Novaes e 1 escravo, Dr. JoSo de Souza
Santos Jnior, llenrique Bonigdestre ,
Joaquim de Azevedo Villarouco, Manoel
Joaquim buarte GuimarScs, Francisco
Luiz da Grava, JoSo Conrado Hulmn, 3
sargentos, 3 desertores e 4 pracas com
baixa: para as provincias do Norte, Dr
Andr Bsstosde Oliveira el escravo, Jos
Joaqun Fiuza de Lima, major Jos Do
mingues Couto e sus familia, Dr. Jo3o
Florindo Riheiro de BultiOes e sua fami-
lia, t,'ii 'ule Joaquim Francisco Xavier e 1
soldado. Angelo Rodrigues Samico, o ex-
cdete Manoel Thomaz Crrela, 1 desertor
do terceiro batalliSo de adunara, efi ez-
prafasde Marinha.
Navios tahidos no mesmo dia.
Parahiba-- hiate brasileiro Santa Cruz, mes-
lre Vicente Ferreira Lopes, carga varios
gneros.
Babia por Maceio palacbo brasileiro Ca-
mOes, mestro Jos Antonio da Maia, carga
a mesrra que trouxe do Ass. I'assageiio,
Joaquim Facundo de Castro.
Rio de Janeiro brigue brasileiro Cama-
ciiiim, i'apiin Joaquim Monteiro de Mei-
relles, carga tarvBO de petlra.__________
THEATKO
kDITAM.
0 doutor Custolio Manoel da Silva Guima-
r3es, juiz do commercio da primeira vara
nesta cidade do Recife de Pernambuco,
por S. M. I. etc.
Fago saber aoscrodores incertos de Fran-
cisco Custodio de Sampaio, que por esto jui-
zo Ihe move execur;3o Francisco Jos Barbo-
sa, em virtude da qual se procedeu a peuho-
ra na quantia de lis 618,480 que se acha
depositada no deposito publico, pelo que
hei por citados aos mesmos credores incer-
tos do executado para que no termo do dez
dias contados da publlOaotO do presente,
Icomparefam neste juizo opaorem a pre-
ferencia que tiverem h sobredita quantia,sob
1 pena de se passar mandado de levaatamenlo
a favor do exequente.
E para que chegue a noticia de todos,
niamiei passar o presente edital e dous do
mesmo tour, que serSo publicados pela im-
prensa e afilados na prac do commcrcio o
casa das audiencias. Cidade do Recife do
Pernambnco, de setembro de 1853. Pe-
dro Tertuliano da Cunha, escrivSo o subs-
crevi
Custodio Manoel da Silva GuimarSes.
O illm. Sr. inspector da tnesouraria do
fazenda manda fazer publico que em con-
fom i da du da ordem do Exm. Sr. presiden-
te da provincia tem de ir praca perante a,""esentado aapprovacao do bzm. Sr. pre-
mesma tliesouraria para ser arrematada a 'dente da provincia, na importancia de rs.
quem por menos fizer nos dias 31 de agos-,950,000. ..... ..
to, 8 el* de setembro prximo futuro a | 3.' As obras principiarflo no prazo de 15
obra docaesdo Apollo que lem de ser fei- das, eserSo conclu ls no prazo do dous
la por conta do governo segundo o orea- mezes, contados, como determina o art. 31
ment que ser franco nesta secretaria, s da le provincial n. 386.
pessoas que o quizerem esa minar, econdi- 3." A importancia desla obra sera paga
cOes abaixo transcriptas; pelo que as pes- em duas prestaces d maneira seguinte :
soas que pretenderem licitar comparecam a primeira do valor de tres quartos da im-
DOI referidos dias as 11 horas da tnanha porlancia da arrematarlo, quando se livor
coro seus fiadores devidamente habilitados, concluida a obra ; e a segunda de um quar-
Secrelaria da fazenda de Pernambuco 39 to, quando se effcluar o recebimento deli-
de julhodel8S3.-Ooflcil maior inlerioo nitivo, que lera lugar um anno depois do
Emilio XavierSobreira de Meilo. irecebment provisorio.
Clausulas esperiaes para a arrematado do1 pr ludo o mais que nSo esliver de-
cinco leos do caes do Apollo na ex- terminado as presentes clausulas, e em
tenso total de 175 palm.s >u orr,amonto. seguir-se-ha o que dispoe
PrttDelr*. Estes lantos serio execulados a le provincial n. 386 de 17 de maio de
de conformidale com o ornamento nesta '851.
data apresentado approvacSo do Exm.| Conforme.O secretario, Antonio Ferrei-
nresi ii'iiin da provincia na importancia de," d'Annunciai;3o.
35-4478180 rs O doulor Jos Kaymundo da Costa Menezos,
Segunda. No praso de trinta dias serSo juiz municipal su.iplente da segunda vara
principiados estes lanos e concluidos nos e do commercio desta cidade do Recife,
>* *" blUll'llID UIBOIIVH| >.,,,, i .,,,., na ji| ti-
*. Para ludo O mais quo naoestiver de- v,,<-,.-, ,ls Alagoas, lo que lie mestro <> mes-
terminado as prosenles clausulas, seguir- ]mo proprietano, foi matriculado neste tri-
se-bao que dispoe a lei provincial n. 386 de hjnala 3 do corrente por despacho do tri-
17 de mio de 1851. Confurme. -- Osecre- bunalue30do mez passado, om consequen-
tario, Antonio F. da Annunciacao. Icia do que se passou carta de registro e tna-
- Olllm.Sr. contador da Ihesourarla pro- trjcu,a ,0 melC|naj0 brigue. Secretaria
vincl.l. servindo de Inspector di mimi Ihe- rf ,r|b(|B,| do commercio da provincia de
sourari, cin cuiiiprnnento da ordem do ren, .___* j-A ?*
Sr. presdeme da provincia de 20 do crreme, Pernambuco, 6 de setembro de 1853. JoSo
manda faser publico que no da |4, 15 e 16 de Silveira de Souza, ciflicial-maior.
setembro proslmo vlndouro, Ir a praca para O arsenal de marinha compra no dia 11
ser arrematado perante a junta da lazeuda da do corrente, duzentos e cincoeuta gales de
inesma thesouraria, a quem por menos fizer a jazeile doce do Mediterrneo, trezentas bar-
obra dos reparos liadaemi:76O.?000. lidado, e doze arrobas de zarcSo: as pea-
Ae vT&z&ssrrss fnrss rso,,,ropozer,,m vend8r "5
de I8M, e sbas clausulas especiaea abalso co-i J^tos, devem comparecer na secretaria
piadas. da inspecr;ao no indicido da,pelo meio da,
As pessoa que ae propozerem a ota arrema- e Com as suis pro, nstas em cartas fechada.
t.ic.io comparecam na aala das seasde da mea- ,
ma junta, no dlai cima indicadoi, pelo meio
dia, competentemente babililadoa.
E para constar le mandou linar o presente
e'publicar pele Diario.
Secretaria da themuraria da fazenda provin-
cial de Pernambuco, 24 de agoalo de 1852.
O secretarlo,
.1 nf iiiii Ferreira iCannunciacao'',
Clausulas especiaes da arremalacao'.
1.a As obras dos concert desla ponte scrao
feltas de couforiuiddde cora o orcamcnlo neala
data(i3 de agoalo) aprcaenlado approvaco
do Exm. Sr. presidente da provincia na impor-
tancia de i:76n/"C0.
2. Eaias obras deverao ser principiadas no
prazo de um mas, e concluidas no de cinco me-
zo, contados como determina o arligo 3l da lei
provincial n. 2".
3. A iaiporlancia desla arrematarlo aera pa-
ga i ii. duas preslaces iguaes, da raaocira se-
guinte : a prlmelia quando o arrematante tl-
ver I iin raeladc das obras, c a segunda quan-
do esllvcrcm todas concluidas.
a. Durante a exccnriio daa obras o arrema-
tante dar fcil passagera para o transito pu-
blico.
6. Tara tudo mals que nao cstlver determi-
nado as prsenles clausulas, e nem no orca-
inento, egui-*sc-ba o que ilispoe a le provin-
cial n. 386 de 17 de malo de 1851.
Conforme. O secretario, Sntonio Ferreira
d~ knnunciacao1.
O ni :i. Sr. contador da thesouraria
provincial, servindo de inspector da mesma
thesouraria, em cumprimento daoidomdo
Exm. Sr. presidente d provincia, de 20 do
corrente, manda fazer publico que nos diss
14, 15el6 de setembro prximo vindouro
ira a praca para ser arrematado perante a
junta da fazenda da mt'Smn thesouraria, a
quem por menos lizer, a obra de um enro-
cnamento em frente a ponte da ra da Au-
rora, avahada em 950/000 rs.
A utreuialacao sera fela na forma dos
arts. 24 e 37 da lei provincial n. 286 de maio
de 1851, e sob as clausulas especiaes abai-
xo copiadas.
As pessoas que so propozorem a osla arre-
matado comparecam na sala das sessdes
da mesma junta, nos das cima indicados
pelo meio da competentemente habili-
tados
E para constar se mandou afllxar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial do
Pernambuco 35 de agosto do 1852. O secre-
tario, Antonio Ferreira u'AnnunciacSo.
Clausulas es/iecues da arremataba.
i.' Sor feila esla obra do conformidad
com o onanonto nesta dala (13 de agosto >
SabbaJo n de setembro de i85s.
SEXTA RECITA DA ASSIGNATURA.
Depois da ouveitura subir a scena o
drama,
O 1101S RELEGADOS.
Os papis de Samuel, Lopo da Silva, eSo-
in ;i'i, ser3o deseinuenliados poloj artislss
Francisco de Sales i;unanles e Cunha, I.
Antonio da Cosa, e B. Senna.
Terminar o espectculo com acomeda
em uro. acto,
DH QUE APUROS
ou
O noivo em mangas de camisa.
Principiar as 8 lloras.
aatTi-J_______!-_-_-_- .jzrrzss^
Avisos martimos.
divisis mezes.
Terceira. A importancia deta arremata-
rlo ser paga na forma do artigo 39 da lei
provincial n. 386.
por S M. I. e C. ele.
faro saber aos que o prosente edital vi-
re a>, que no da 37 do corrente mez so ha de
arrematar por venda a quem mais der, de
Quera. 0 arrematante ser obrigado a pois da audiencia deste juizo, e na casa das
fazer aquelles leos do caes da mesma audiencias, urna morada de cas terrea n.
ra do Apollo perlencentes aos particulares 86, sita na ra Imperial.avaliada em 900 000
rs., penhorada a francisco Itibeiro Pavao e
sua m-ilher, por execucSo que Ihes move
que por portara do governo Iho forern de-
terminados, simi lo-liio paga a sua impor-
tancia pela thesouraria da fazenda, servindo
de base o mesmo ornamento com o abate
feito rente.
Quinta. Para tudo o mais que nSo estiver
determinado as presentes clausulas se-
guir-se-ha o que dispOe a respeito a lei pro-
vincial n. 386 Sala das st-ssO?s da direc-
tora em conselho, 14 de julho de 1853. -O
director Jos Mamede Alves Ferreira, o en-
genhero l Raphael de Mello Reg, Joao
Luiz Vctor l.ieatier.
Approvo. Palacio' do governo 36 de ju-
lho de 1853.Itibeiro. Conforme. O ollicial
mior Joaquim Pires Machado Portella.
O lllm. Sr. ollicial maior, servindo do
inspector da thesouraria da fazenda provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm.
Sr. presi ilmiI da provincia, de 13 do ror-
rete, manda fazer publico, que nos dias 14,
15 e 16 deselembro prximo vindouro, ir
a pi ca para ser arrematado perante o tribu-
nal administrativo da mesma thesouraria, a
quem por menos flzer a obrado 30. lanco
da estrada da Victoria avahada em res
33:663,594.
A arremalafSo ser feila na forma dos ar-
tigo.* 34 e 37 da lei provincial n. 386 do 17
de maio de 1851, e sob as clausulas especiaes
abaixo copiadas
As pessoas que so propozerem a esla ai-
romatacio comparecam na sala das sessdes
do mesmo tribunal, nos diis cima indica-
dos, pelo meio dia, competentemente lu-
bililadas.
E para constar se mandou ailixar o pre-
sente o publicar pelo Diario.
Sor, etaria;d thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco 17 de agosto de 1853.
O secretario Antonio Ferreira da An-
nunciacao. .
Clausulas especiaos da arrematado.
1.a As obras do 30. lauco da estrada da
Victoria, serfio feitss de conformidade com
oorcamento e plantis approvadas pela di- oescrevi.
rectora em conselho, nest data (15de mr-l Custodio Hanool d
Leandro Ferreira da Cunta.
E para que chegue a noticia de lodos,min-
dei passar editaes que serao publicados pe-
I is minies eafixados na praca do commer-
cio ecasa das audiencias.
Dado e passado nesta ciJndn do Recife.aos
4 de setembro de 1853. Eu Manoel Jos da
Molta, cscrivao o subscrevi.
Jos Raymundo i!a Costa Meoezes.
O Dr. Custolio Manoel da Silva Guima-
rSes, juiz de direilo da primeira varado
do commercio, nesta cidado do Recife de
Pernambuco por S. M. I. e C. o Sr. I). Pe-
dro II. que Dos o guarde etc.
Faco saber aos quo o presento edital vi-
rom, que por este juizo su ha de arrematar
por venda em praca publica quo tora lugar
nodia 17 de setembro prximo seguinte,
pela urna hora da tarde na casa das audien-
cias, um sili > de torras na rus do Mondogo,
dividindo pela direitu com o sitio dos her-
deiros de Joao Vieira, e pela esquorda com
o dos berdeiros do finado Cirilo com urna
casa terrea na frente da ra com duss Sil-
las e um gabineie o cinco quarlos, cosinha
fora, quintal peqneno murado, no sitio 3
pocos, um coberto de lelhas, e tanque, o
sitio todo murado, o um sobrado de um
andar fazendo frente Pra a camba no
fundo, tendo 3 sallas, 3 quartos, cosinha
dentro, a loja em armazem, avalladas as
casas e sitio em 6:0OP,0O0 de rs., penhora-
do a Leopoldo Clio de Mello Cuararema co-
mo administrador de sua mullier por exe-
cugao de Victorino Francisco dos Sanios
E para quo chegue a noticia de todos
mando passar o presente edital o dous do
mesmo theor quo serSo afiliados na praca
do commercio ecasa das audiencias, eim-
presso no jornal.
Dado e passado nesta cidade do Recife de
Pornsmbucc aos 36 de agosto de 1853. --Eu
Manoel Joaquim Raptisla escrivSo interino
Para o Rio de Janeiro, segu por estes
diss,a bem conhecida e veleira sumaca San-
to Antonio Vencedor; para carga e escravos
a frete, trata-sai com os consignatarios Ma-
chado e Pinheiro, na ra do Vigario n. 19,
segundo -.n lar, ou comncapitSo da mes-
ma, Jos de Campos MagalhSes, na praca.
Para a Balii.
O hiale Novo Onda deve chegar estes
dias do norte, e partir para a Bahia com
to la a hrcvidade, poi ter o seu carregarjaen-
toquasi completo : para o restante Irata-se
com o seu consignatario J. J. Tasso Jnior.
PalMgeiro smente.
Seguir ;>ara o Rio Grande do Sul aleo dia
II de setembro, o patacho nacional Dous de
Marco, que uflerece excellen es coinmodos
para passageiros : trata-se com Bailar & 0-
liveira, na ra da Cadeia do Itecife, arma-
zem n. 13.
Para o Arscaty sahe com muita brevi-
dade o hiate Flor do Cururipe ; para carga
e passageiros trata-se na tua da Cadeia do
Itecife n. 49, primeiro andar.
Para a Baha sahe com a maior lirovi-
la le possivel, o hiate Caprichoso ; para car-
ga e passageiros trata-se na ra da Cruz u.
34, ou com o mestre a bordo, em frente do
caes do Ramos.
A barca ingleza Jane Ramorino, segu
viagem para Montevideo no da 11 do Cor-
rente; quem quizer carregar algum carga
ou ir de viagem, para o que lem oxcellentes
e un ni i l'is, queiram se dirigir ao consulado
brilannico com antecedencia. ^^^
Leilo.
______________ ia
Miguel Carneiro,fr lellSo no dia sex-
ta-feir, iodo corren'e, as II horas do dia,
no seu iirma/om, na iu do Trapiche n. 38,
por inlervencfo do agente Roberts, de tudo
quanlo existe sem lemites, assim cumo
urna porcao do saccas com farinha de man-
dioca, milito em conla, propria para escra-
vos, e tambem caixas com vellas de car-
nauba.
NSo tendo podido concluir-se o leiUo
da ni ,bilia do seuhor doulor Sabino Olega-
rio Lulgero Pinho, ser o mesmo continua-
do no dia quinla-feira, 9 do corrente, as 10
horas da manliaa, na mesma casa que foi da
sua morada, o consultorio homosopalhico,
ra do Trapiche Novo n. 15; eadverte-se
que os arligos a vender por qualquor precos
consisten) em guarda-livros, consolos de
mogno com tampas do pe. ira, um excellente
relogio de quadro com msica, para sala,
mosis rodondas. consolos, mesas diversas,
sofas, cadeiras de balanco, ditas usuaes de
differentes madeiras, commodas, loucado-
res, lavatorios, leito, marquetas, mesa de
antar, ditas le cosinha e para engommado,
urna secretaria, um excellente piano e mui-
t<>s outro< ohjpctos.
AiVisoa Dosappareceu a 10 de maio deste anno,
a negra Joaquina,de nacilo (Inflinge, que re-
prsenla ter de 35 a 40 annos, cheia do cor-
po, altura regular, cor fula, olhos pequeos,
e com carne sobro elles; tem urna costura
de um talho na cara do lado esquerdo, po-
rm anliga que mal se percebe ; nariz chato,
falla-lile alguns dentes da frente sendo de
um e nutro lado, e he feia ; tem urna ompin-
ge em tudo o rosto que parece ser oexigas ;
pedos muito pequeuos e murclios; teml-
guinas crcatrises de relho ns costas ; tem
as nadegas levantadas para traz que mais
mustra quan lo anda;qundo fugio linha um
p mais grosso ; levou diversa roupa que se
nao sabe de quo usara ; he bem faianlo que
parece ser creoula ; ltimamente esleve oc-
cu, ada mi servir,o de cosinha.o tem por cos-
tume andar suja ; quandu foge costuma an-
dar pelos arrebaldes dosta patea qujtindan-
do, lavando, offerecendo-se para ama.e in-
titulando-so forra jqualquer pessoa que es-
teja servindo se com ella na boa f.queira
denunciar-se, e do contrario se usar dos
meios que Ihe faculta a lei : roga-se as au-
toridades policies, capitaes decampo, ou
qualquer pessoa, que a prendam on fteam
prender, e levar ao seu senhor Domingos da
Silva Campos, na ra das Cruzes n. 40, ,que
a Silva Gdimaraes. ser genorosamonte recompensdo.

i|>

i

.*!
Ti





r
^
r i >
.
A O PUBLICO.
Em mu crescido numero contavavam os
mdicos at agora molestias incuravois ,
contra as quaes s era pnrmitlido ao pacin-
te resign;3o para solrer um mal deque
ji nSo havia esperances de poder libcrti-lo,
e ao medico philantropico a dr de ver mui-
tos de seus semelhanles victimas de enfer-
Rlidades, contra as quaes se declarava im-
potente, podendo apenas lamentar a fra
quera da inlelligenci. humana. Mas, grabas
aos nrogressos da medicina, gr.scas au zelo
de homons incansaveis, que, nu desespe-
rando da perfectibilidad!! da sciencia, se
teem dedicado inveslig.c3o de remedios
que possam alliviar bumanidado de alguna
malos que a afllgem, o numero das moles-
tias reputadas incuraveis vai de da em da
diminuindo. Assim, achar'depois de lon-
gos trabalhos, de profunda me litacan e
reiteradaa experiencias, medicamentos que
nos rostituam o uso dos dous mais impor-
tantes sent Jos do que be dotado o homem,
i;ii.-iii fo estes ja se achavam no supposto es-
lado de iucurabiliiladc e inteiramenle per-
didos, be por curto um dos maiores serv-
tos que se podia prestar a hiimanid.de; eis
oqueestava reservado a um homem piulan-
tropo da cidado de Draga, ca Portugal,
cuja scioncis, cujo amor de seus semelhan-
les se teem feilo geralment conheccr. Us
remedios que ora ofierecemos ao publico,
ii.lii en!rani na classe d'aquelles que o aviJo
o ousaJo charlatanismo incu'ca com ron-
cos e desrompassados brados, o que o cr-
dulo vulgo por ignorancia recebe na boa fu
eiem discnrnimento, achsndii-se depois il-
ludido; ii' i porm, do oceupar mu dis-
tincto lugar entre os mc-tlcamentos que
maiores beneficios prestam no homem:
consiam ellos da dissoluQo aquosa do ex-
tractos de plantas medicinaos, ile virtudes
mui rcconhecidss e verilicadas. O longo
uso, as continuadas e severas experiencias
a que por toda a parte teem I s sido sub-
uietlidns, sem que urna s vez hajam falha-
doemseus bous elidios, o d-smenlido as
esperancas que sobre elles havia fundado
o seu inventor, Iho teem gr.ngc.do cons-
tantes e repetidos elogios Jos mais sabios
a respeileveis mdicos, assim na Europa,
como na America, que unsonos abonam o
proclamam su. aceftosempro corla e benig-
na. Um destes licores he destinado a com-
baler as molestias de olbos, e tem por prin-
cipal virtude restiluir aos orgos da valo
suas funccOcs; reanimar e fazer reappare-
cer om sua natural perfeic3o a vista, quan-
do esta esliver fraca ou quasi extiueti ;
comanlo, porm, que nlo hall Cegueiri
absoluta cum dcsorganis.c.nn das parles;
- Precisa-se de urna ama para pequen t O outelista Salusliano de!
familia,que saibi fazor todo eervigo de pr-l *__:_ fc'rroiro avisa un i-Mnei-
tas dentro, e que nflo tenha quem a tul- [ quino r erreira avisa ao respe ,
te: quem estiver nestas circumstanci.s, di-(ave! publico, que paga em contt-
r.j.-searuadasCruzesn 85, pnmeiroan- nente os premo8 (la decima lole-
dar, quo tem venezianas. I r
--Antonio JoSo Lisboa de Oliveira eFrm-jria, a tiene licio do thesonro puuli-
dscoJoBo da Silva, fazom ciento a quem co na pr0a ja |nJependenca n.
convier; que tem contralado com o senhor I > r. i j j
JoSo Pereira de MagalhSes Bastos a compra 10 e Ib, loja de cucado do A ran-
da taberna, sita na ra doLivramento n 38,1 (es e na rua ja Carteia d1) Recife
e nSo se responsabilis.m por qualquer divi-1 ,. i_.
da quo o mesmo senhor B.atos e.tej. de- n. 4.6 loja de miudezas de Jos
ver, para o que fazem o presente annuncio,. Fortunato dos Santos Porto, a sa-
tenJoos.nnunci.nteadogyrardcbaixoda ^ em quartos, 55^> 2, ao:000.<
3
=!
firma Lisboa Ai Silva.
Precisa-s alugir urna ama, quo saibs
engommar o fazer mais algum servico : na
rua do Vigario n. 22, primoiro andar
de rs. ; i65o, io;ooo,ooo de rs. ;
4^17, 1:000,000 de rs. ; a.169 ,
rs. ;
Offereco-se um rapaz de boa conducta 100,000 rs.; 2176, 100,000
para caixeiro de armazemdeassucar, oude g aoo 000
outro qualquer eslabelecimonlo, dando fia-i + > / '
dor a sua conducta : quem de seu prestalo [ rs.; JIOI 300,000 rs. ; 09OJ ,
100,000 rs ; 4855, 100,000 rs.: em
so quizar ulilisar, dirijn-se a rua do Vigario
n. SO, segundo andar.
-- Precisa-se de um caixeiro, de idado de
12 a 1l anuos, para um armazem de molha-
dos, estrangeiro: na loja de barbeiro narua
da Cruz n. 53.
--OlTerecc so urna ama, muito capaz, pa-
ra casa do homem solteiro, ou de pouca fa-
milia: quem a pretender, dirija-se a rua das
Larangeiras n. 13.
AlugMn-se duas moradas de casas, con
mullo bons commoJos, para se passar a (es-
ta, no sitio do Cajueiro : quem as preten-
der, dirija-so ao mesmo sitio.
Um rapaz com algum esludo, seoflVre-
co para cnsinar primeiras letras, em um en-
genho, ou em alguma outfa parto fra des-
ta praca : que D de seu prestuno so.quizer
utilisar annuncie a sua morada jpara se
tratar.
.Na rua das Agoas Verdes, sobrado do
um andar n. 14, d-se bolos de ven l.gcm
80 n. a pataca, e arma-se bandejas com
Bailo goslo o perf'icSo, por menos proco
lo i| ir em oulra qualquer parto : na mos-
ma casa vendem-se lr( barris do botar
azeite de carrapalo
-- Desappareccu em 8dcju|lio do corren-
le anno, um cabocolo de nemo Jos, escra-
vo de Pacheco Filbo & M011 ios,da cidade do
A.-acaly, o qual leu os signaos seguintes:
o Iliaco esquerdo quebrado na munhoca, ca-
bellos prelOI, as pernts um tanto arquiadas
para fura, he de boa eslalura, o clieio do
CorpOj dem fallante, porm iiuando falla
aperla a lingoa entre 08 denles, tem por ros-
turne quamlo so Iho pergunla algum. cousa
responder senhor sim, uu senhor nfio; le-
vou um cobertor 00 lila ordinario anda no-
oitavos,
iiSq,
ioo,ooors.
3131
100,000 rs. ; 3436, aoo,000 rs.
cm vigsimos, 37g5, 100,000 rs
AOS Ol MES.
J.A.S.Janc dentista,noticia ao publico qoe
Contina a por denles enillciaes de porce-
lana Incorrupiivfll; oannunciintffencherta
de um ou todos se fr. preciso, assoveranJo
todas as possoasque se quizerem ulilisar do
sen prestimo, que nSo exige paga alguma
DAVID WII.LIAM HDWMAN engenhei-. Hcn.io os denles tdo bom colloca los
ro machinista e fundidor de ferro mui que nHo so possa diflerencar dos propnos
respoitoamente annuncia aos aenhores, naluraes.podendo-ae mastigar qualquer co-
proprielanosdoengenhos, fazendeiros, e m'1' sem sentir a menor dor ne-n recelo
ao respeitavel publico, que o seu estbale-'dB quebr-r, t.mbem calsa os denles na-
cimonto de ferro movido por machina de """'s fujados da cana com ou'oouprata
vapor, na rua do Brum, passando o chafa- prevcmdo assim a continuacSo da cari1
rlf, continua em elTeclivo oxcrcicio, e se I,lores mesmo evitando por essa forma de
acl.a completamente montado com appa- PBf8" dos demos turados pira os
relhos da primeir. qualid.de para a per- outro. o como bem.ahmpa N*^***
felta confoccSo das maiores pecas de ma- f"*' Ur.mU> s ou Pedr"s Ou'. a"
chinismo "" *** os damniOca c coopera para o mao alno da
bocea nSo sendo lirado; ha dez anuos quo
nao menos til enrgico he para desfazor : T0, chapeo de palha d.i Italia j us.do.com
as cataratas, destruirs nevoas, e de promp-'ma prela, calca do algodSosinlio azul ou
todebeUar qualquer inflammacSn ou ver-lrom lislras, camisa da niesina fa7enda, ou
me.'hidilo dos oltios. KSo causa dor, nem
estimulo na parlo
Outro liquido rostituo a faculdade do ou-
vir os sons aoouvido tocado ilosur.lez, an-
da que inveterada, urna voz que o nul n.lo
soja de nascenfa, sem causar em lempo al-
gum o menor incommodo ao doente, o sem
priva-lo de cuidar em seus negocios.
INSTRUCgO'ES IMRA O USO DOS
REMEDIOS.
O dos olhos emprega-se do modo seguinle:
O doente pela manhSa, em Jelum, um-
hora pouco mais ou meims depois que era
guer-se uo leito, tomar sobre a palma da
111 id pequea porco d'aquella agua; e com
ella motilar bem os olhos, fazendo que al-
gumas gotlaa caiam sobic o globo oceular:
sem os 11:1. mi os conservar molhados al
que niluralmenle enxuguem : ao deitar-se
noile praticai o mosmn : duranlo o lem-
po que usar do romedio evitara o calor, a
acedo do fumafa o o vento ; Lira abstinen-
cia de comidas salgadas, acedas, e aduba-
d.s com especiaras.
O rtmtdio dos ouvidos ser ap/itcado o modo
que se segu:
O doente pela manlia, urna hora pouco
mais ou monos, depois de erguer-so, anida
em jejum, far derramar dentro dos ouvi-
dos qualro ou cinco gotas do liguido, ti-
pando-os oepois com algodSo oni lama ; i
noile o deitar-so repetir a mrsma opera-
CSo. Durante o uso ilo remedio evitar
oxpor-se, os ouvidos principalmente, a ac-
53o do calor e do vento, alim de evitar
grande tianspiraclo, havandn cuidado cm
no moldar os ps em agua fria ; fioalmon-
te deve abster-se de comidas salgadas, azo-
das o adub.das.
Estes remedios estilo venda na botica de
Uarlholomru Francisco de Souza, na rua
larga do Hozarlo n 36, nico deposito em
Pernambuco, polo preco de 2,2*0 rls cida
vidro.
11 11.- Esto esciavo tem vin lo do s-rlflo
por Ierra a esta praca, o muilo gosta do lu-
gar de Pe Iras de Eogo, aun I p le ser que
estoja acoitado, e fui escravo na villa do
Pombal: quem o pegar levo o a rua da Cruz
do Kecife n. 33, casa do Luiz Jos de Sa A-
raujo, aonde se achara o mesmo escravo
para ser vendido, o se recompensara.
Ao publico.
Va rua do Collegio, botica n. ^continua-
se a vender as verdaderas e bem conceitua-
d.s pilulas para bobas, cravos seceos e do-
res venreas por mais antigs quo aejam,
cujus boiiseffeitosconfessam todos que dol-
as tem feiio uso, e que al o present* aiu-
~ Troca-se urna linda imagem da Se-
nhora do llozario, do dois o mejo pilmos de
altura, por seu dono se retirar para fra do
Imperio : na rua Nova n. 26.
Precisa-se alugar uina preta quitin-
deira, paga-se 10,000 rs. mensaes por mez,
com a responsabilidad, de seu senhor : na
rua do Sauto Amaro n. 28.
Precisa-se de urna ama de leite, forra,
011 esciava no anligo beceo doSar.patel,
boje Iravessa do Carmo, sobrado n. 16, do
dois andares, crir de chumbo. No mesmo
toin para se arrendar, pelo lempo da festa ,
urna casa no Poco da Panell.
No dia 5 do corrunle, dosappareccu
um cavallo, nalico do um quarto, rucoe ca-
p.(|o : quem o pegar, leve o a casa do Ma-
linas da Cunta Carneiro, quo ser recom-
pensado.
A pessoa quo annunciou precisar de
urna mulher do meia idado, para tomar sen-
tido a uma casa, em quanio o dono esliver
ausente: dirija-so ao paleo da Santa Cruz
n. 8, junto a botica.
I'recisa-so do uma ama forra para cas.
de pouca familia : em Fra le Portas n. 40
Precisa-so alugar uma ama, quo tenha
bom o bastante leite: a tratar na rua Velha
n. 26.
-- Lava-se e engomma-se, com muita por-
feicRo e assoto : uo pateo da Itibeira de S.
Jos n 15.
Francisco Custodio do Sampaio, vendo
no diario do hojo, 6 do sileibro, um edil.I
do senhor Juit do commercio da primeir.
vara, pelo qual sao citados os seus credores
incertos, paia opporem a priforoncia quo
iivcrcii a quantia iie6IS,l80 rs.,que. soacna
110 deposito publico, onde fra pandorada
por execufilo do senhor Francisco Jos Bar-
bosa ; o apreciando muilo a sua reputaco,
sondo que talvez para cum as pessoas, que
Q no coiiliocom, I lio resulte desso edital al-
gum desar; apressa-sc em commuuicar ao
rospeiUvel publico, que tendo aceitado um.
lelra mercantil ao sniihor Nuno Maria do
Seixas, quando esto nognciava tiesta praca,o
liavendo-lho silo exigido a sua impor'ancia
110 dia do vencimento pelosenhor Uaibosa,
a quem fra indossada, e a quem n3o |odo-
11 pn^ar em consequencia uo curador liscal
la casi fallida do senhor Nuno a lerombar-
llabilitado para emprehender quaes-
quer obras da sua arte, David William
Bowman, dosoja mais particularmente
chamar a attenclo publica para as se-
guintes por ler dellas grande sorti-
mento j promptas, om deposito na mesma
fun lic.lo, as quaes construidas eiu sua fa-
brica pdem competir com s fabricadas
em paiz estrangeiro tanto em preco
como om qualidade de materias primas e
mllod'obra, a saber :
Machinas de vapor da melhor cons-
truccSo.
Moendas de canna para engenhos de
tojos os tamanhos movidas a vapor por
agoa, ou animaes.
Rodas d'agoa moinhos de vento e
serra
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
AguilhOes, bronzes e cbiiniaceiras.
CavilhOos opar.fusos de todos os ta-
maitos.
Toix.s, paros, crivos o boceas do for-
nallia.
Moindos de mandioca, movidos a mSo
ou por inmunes, c prensas para a dita.
Cliapas de fogflo o tornos de farinha.
Canos de ferro torneiras de forro e
de hronze.
Bombas para cacimba e de repucho,
movidas a m"o, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchos e macacos.
Prensas liydraulicas e de par.fuso.
Ferragens para navios, carros e obras
pudlicas.
Columnas, varandas, grados e portes
Prensas de copiar carias e sellar-
Camas, carros de mlo carados de fer-
ros, ele etc.
a icio da superioridade das suas obras, j
geralmcnle reconhecida David Williatn
Bowman garante a mais exacta conformi-
oannuncianlo exerce su. prollssSo nesla
ridade, eos mullos exemidos quo tem dado
nesse longo tempo ser quanlo basta para
garantir sua residencia na roa Nova n. 19,
primoiro andar.
V O hacharel Vicente Ferreira Comes ,
# miidoo seuescriptorio do advogacia, s)
fr' para o largo do Collegio, casan. 6, i#
t(> primeiro andur. ?
****i** >*.***** *****
lil\ A!, DO 1)11. JAI1I1.
TRAUZIDO EM POIITOCUEZ.
16,000 rs. de assignatura.
Sabio aluzo primeiro volume desla obra,
a melhor de lodas em seu genero : o nico
verd.deiro livro, por onde se pode esludar e
pratcar a homeopathia. Est nilidam-nte
impressoem excellenlo papel, com tolos os
signaes que conlm o original para denotar
a iiifferenca Jo valor dos symplom.s.
Conlinin a assignatura no cnnsullu'io ho-
meopathico do llr Moscoso, onde os senho-
res assignanles pdem mandar receher os
seos exomplares
No mesmo consultorio ha todns osmndica-
moutos ho nropaldicos VEIlDADtlROS ; as-
sim como ricas carleir.s, c ref.irmam-se
quaesquer boticas, cojos medicamentos se-
jaui falsos, ou deteriorados
Pede-se ao autor to annun-
Ueos DispSe.
Acaba de chegar do Rio de Janeiro, tr.du-
zido em portuguez, o excellente romance de
Alexandre Humas,que tem por titulo, Daos
DispOe, vende-se na livraria da praca da In-
dependencia n. 6 e8, a 8,000 rs. constando
de 6 voluntes.
Alug.m-sc e vendem-se bixasoa #
praca da Independencia n. 10, coa- ef>
9 fronte a rua das Cruzes. 0
#******
-- Tendo-se justo e contratados cumpra
do sitio da ConcnicSo dos Mdicos, na praia
do Jang, freguezi. do Maranguape, que an-
tigameule pertenceu ao finado vigario de
Coianna Jolo Carlos do Mello e Araujo, e
pouco tempo ao senhor J L. Innocencio
Pogges; rog.-se quo so alguem so julg.r
com direito ao dito sitio por qualquer titu-
lo, daj do publicar por esta folha, no pra-
so do 10 das, e do comparecer na rua do A-
pollo n. 15.
ou' m precisar comprar, um cassl de
escravos, ja de idaJe, muito proprios para
trabalh.r em sitio fia da cidado : dirija-so
a rua da CaJeia Velha n. 33.
Para se-pausar a Testa.
Aluga-se um bom sitio no lugar do Cor -
deiro, margem do Cipibaribe, com boa
casa, estrihana para tres cavallos,casas para
lucios o feitur, pomare jardim, assim como
b.ixas com capiin, e muila ortali^a : na rua
do U.ieunado n. 30, segundo andar, ou na
rua da Madre de Dos, armazem de Barroca
& Castro.
Vida de Franklin.
Sabio a luz a vida do doulor Bonjamim
Franklin, escripia por elle mesmo, o conti-
nua la e concluida por seu amigo o doulor
Studar,traduziJa do inglez pur um ponam-
bucauo : Vende-se a 1,000 rs. na livraria n.
6 u8 da |w.ii;i da Indopeudoncia.
co nesle Diario, contra as iniciaes
J. F. M. x\., qui Inja dede-larar
por esta mesma follia, se ellas se
jcnteniiem com Joa Francisco Ma-
' inede de A Imeida.
I Gasa de commisso de escravos.
>a rua Direila, sobrado de 3 andares, do-
Li->Jti|rui.
da nSo faltiaram ; lie preparaco do fallec- J g,doem["sua mo,"por"mandado do juiz do
i-V-rn!,-CfUt'C" s1e,l,s".ao ,SI'.1,B 'v,'ll" ccmmorcio da segunda vira, requeiera para
ecolder uode,iosilo publico relend. quan-
No consultorio homaspatliico da 9
ruado Trapiche Novo n. 15, dirigido ja>
$t pelo Dr. Pires Ramos Jnior so en-
contrar ca tejas com modicamen- (*
fll loe hoiiiceopalhicos, tubos avulcos,
tinturas de qualquer dinamisaco, e (g>
l.mbem so refazem aquellos que es- 1*
9 humicopa tincas do Sr. Dr. Sabino polo r
(US preco de 1/000 rs. cada exemplar.
M.cedo, e s se vm de nicamente no gar; aon o lamlieni exislcm duas odres de
AlmeiJa para vendor, sendo um tratado de
inllaiiimaces, a medicina operatoria.
Deaappareceu no dia 7 do correlo um
mnlequiiho de nome Quinliuo, creoulo, cor
natural, reprsenla ter 9 annos, he bem fal-
lante, cabello grande, lem uma costura na
testa, e lodos os denles dn frente, nariz cha-
to, e mais feicO 'S regulares," seceu do cor-
po, levou calca de casemira arul usada,
camisa de algodSosinhn ; roga-so as a 111<>
rilados policmos, cipilfles le cimpo, ou
qualquer pesso-, o prendam ou facan pren-
der, o lerar a sanhara na roa das Cruzes n.
37, ou ao seu senhor o capito Neto, com-
mandanledo destacamento no Bonito, que
soram generosamente recompensados
O dono do bonito cadrinlet usado, j
annunciado por esta folha, tem adiado por
ello 220,600 rs. ; e esta rcolvido a da-lo pe-
los 250,000 rs. : a quem convier para passar
as featas, falle na loja de chapos deso, no
Ierro da Boa-Vista 11. 22,que se Ido dir ou-
de. existo. A-lverte-se que lem lodos os seus
appaieios iiii -1 novos; na dita loja ha um
pequeo glodo moderno, traste excedente
para alumiar urna sala de visita.
-- l'revine-se os vendedores do buhles
da dcima lotera par. indemnisafo do
thesouro publico ilo llio de J. neiro.quo cor-
reu no dia 18 de agosto do 1852,quo nSo pa-
guem os dousquaitus n. 1850 e2lt, por
isso que foram perdidos: pele se a pessoa
que os achou, qucrenJo restituir, dinja-se
a ven la da rua da Santa Cruz n. do hairro
la Boa-Vista, junto a ribeira, quo ser gra-
tificado, sondo os seus legtimos donos os
lia de 618,480 rs. ui|ioilaucia da letra,oquo
fez no mea no da do vencimento com cita-
V9o, tanto do Curador, cumo do senlior bar-
bosa, pata ser levantada por quem direito
livesse, Meando as-im o aiinuucianto deso-
bligado na forma da le. O senlior II,ir o-a
f z pendora na dita quanlia e trata de. le-
vantar, sendo que o annuncianle nada tem
com isso, visto como levo 'ugar o deposito
cm pagamento como permiti o ;, 4 du arti-
go 399 du rigulamento n. 737 de 25 de no-
vembro Je 1850.
Precisa-se do urna ama para cosinh.r
o diario de uma casa : na Iravessa do Corpo
SjiiIo n. 29,
-- Aluga-se a casa c silio, na rua Impe-
rial, junto a fuoincio do Sr. Leal, casa no-
va, muito fresco, com commoJos peragran-
do familia e por preco conimndo : > tratar
na rua do Crispo, lujan. 16,
Preci-a-se alugar uma ama de leto: na
dade com os moldes o dezenhos remettidos, rr0ie do becco deS. Pedro n. 3, receben
pelos senbores que se dignarcm de fazer-; SR ,.SCravosd ambos os soxos, para se ven-
ido encommendas aproveilando a occa-| jerom de commiss.lo, no so levando pur
si3o para agradecer aos seus numero-; esS8 trahalho mais do quo 2 porcento, o sem
sos amigos e freguezos a preferencia com se levar cousa algunja do comedorias, oire-
que tem sido por elles honrado, e assu- recendo-so para uto tola a soguranca pre-
gura-ldts que no poupar esfurcosedi- cisa para os ditos escravos.
Iigcnci.s para continuar a merecer a sua 1 o Sr. Joaquim dos Santos Aznvedn v
con lia iica. Ii pagar 17,000 is. que dove na olaria dos Coe-
ftfftfVfVW; ,yV'; Ihos, que eir. quanlo pilo o lizer ver som-
trarm.mzzjm.
^jpreseu nomf nest. folha.
<5 -- Oahaixo assignado, Chegado ha pou-
< 111111 -i i ao respeitavel publico, e a s^us Bn-
^itigos froguezes, que Irouxe ricos desenlies
<* de obras de marcincri, assim como algu-
mas machinas par. molbor desempenhn do
su. ait\ 0 .1111111101.1110 julga desnecess.-
^, ivsie esianoieeiiminio possue toaos Si rio fallar do liovamente sobre as suas hatn-
jj. os medicamentos ate agora experi- ^, |da Jos, porquauto ellas ja silo assas ro-
g, mentados, lano na Europa como no ^ ndecidas nesta provincia, e hojo mais que
_> Brasil, o preparados pelas machinas g nunca, no prelemlendo offende' a nenhum
y da invencao do Dr. .Muro. & Carairas Jo 12 tubos le 160, por <{ 'estes sobre ji uiodornismo, valo que o an-
** HOMEOPATHICA.
2 28 RUA DAS CRUZES SB,
J Dirigida por um pharmactutico
^ approvatlo.
4> pregos variaveia, conformo quali- *|
* ladodas clisos, a qiiantidade dos re- *3
molios a suasJynainis.rOes. ''
* Tubos avulsos (cada um) 1/000 ^ Tinturas do tolos os modicamen- ^*
Z, los nni frascos do l|2onca 2/000 \i
.> AVIAM-Sli CIIATIJITAMENTK ^
9- para os pobres,lodas as receitas que ^
_> paraali man lar qualquer professor. <;,
--L*--t*-JfL-Z-.--iJ>.-.
HOMEOPATHICA.
28 RUA DAS CRUZES 28.
rua da Cadea, confronte ao thcatro do S. NOVO MA.NIIAI. de medicina domccopalliica
Estes medieamenlns silo pieparados ti |senbores Antonio Joaquim Ferreira Ftiris,
@ com toJoo cuid,iilo,i' ja experimenta- o t.aluno Joaqui i Comes.
dos pelo Sr. Dr. sabino na1 sua long. 91 j,, cidade de Goianna, rua
clnica, sendo os resultados os jriais m\ ,
9 lelizes,todasascarteirsquesahiiem t)'Jo Amparo 11 Q, Iibrica de cha-
9 desle consultorio levarao a lirma do neos de Antonio (le Soilzi Slari-
A Sr. Dr. Sabino. As consultas silo das 4
m 8 horas do oa .t as tres da t.r,ie;de- 4! >> vcn.lem-se chapeos envern
v pois destas tioras t
Francisco n. 8, junlu ao cartorio.
-- Olfcrece-so para ama de casa de homem
solteiro, uma mulher, que sabe engommar
e coser: quem precisar, dirija-se a rua Au-
gusta n. 29.
hilen .-lino to Englisli Ladies.
Ilouigard, iu the rua da Cadeia Velh. n.
I5,has received from England Superb Work
boxes Wb all requsiies for embroPlering.
Desapp-receu no dia 4 do corrente da
porta da venda do senlior Lima, na rua No-
va, um burro otxitOj a pessoa que u liver
adiado, quiira ir entreg>r no engenho S.
Salvador, ou na rua do Huitas n. 114, que
sera bem recompensado.
-Alugam-SB os segundo o terceiro andares
do sobrado da rua na Cruz n 18, com com-
moJos para fami lia : a tractar no armazem
do mesmo.
-- Precisa-so lugar um segundo ou ter-
ceiro andar, que tenha solSu, ein qualquer
rua do bairro de Santo Antonio ; e agradan-
o poderlo pro- (> Sillos, para pagens ; ditos trance-| do nilo se duvida dar algumas luvas : quem
rurarna rua da Cruz do Itecife n. 50, ff ,_. j. mp|i.0l. nnalirlarlp f^hrira. 'Iui'er ceder ou liver para alugar, queir.
m segundo andar. ,' \ les> a* melliOi qualldae, ldDrica- |allnunclr, sua mor,d pra scr procurado.
*)ji'^f}j>,e'$j>>^5a>fljy1 (Jos no pan, por lodo preco ; de -- lolllo Tacetmlelr o na remita, rell
n... ., palha do Chily e <,nericanos, do ram-se p,r. a Europa.
Prccisa-se alugar um escravo: nesl. .' ,, ... Acha-se just. o contratid
lypographia. mcllior gosto ; ditos de castor ras-
--Precisa-se do umaoiassador, para urna: nado, para homens e meninos,
padana nos Apipucos : trat.r na rua Di- V 1. L
reit. n. 69. com enleites, de copa alta e baixa;
- I'recisa-sodeun aama debite, que nSo'bonet9 pura sen hora homens e .
com boa conduela: quem esliver nestas cir-
cuosla ncias, (linji-sc a rua do Brum, sobra-
rente, na feir. da Escads, um. carteira con-1 -lo sortimento da melhor qualiila- do de 4 amiares no segundo, que adiara cum
tendo vnica Untos muris e uma letra del i_ l, -,. nrflr, n.|0 1 quem trat.r.
umconlo de tis sacada por Anescelo Men- ,1, ", -- Precisa-se do um prolo, ou preta, quo
des Pereira, e aceita por Joao Pereia da Sil- menos preco cpie nclla se vende. I.saiha cosinh.r bem, da-se boa paga : qu
va Lima, vencida em 14 do dezembro proxi-1 Lotera te iNos-a Senhora (lo 'ostivor n. stas circumsiancias, dirija-se al
mo passado; o 1 ara que ninguem contrate I
negociu algum com dita letra, so faz o pre-
sente aiiiiunno ; ea pessoa que a liver dia-
do, rog.-se de a enliegar na rua das Cinco
Pontasn. 71, ou ao dito Anescelo Mondes
Pereir., no engenho Rccreio, freguezia da
Escada.
-Os.biixo.ssign.dos.fazemsclenle.o roga a0'1 amantes leste licito jo-
pelo Dr. JAIIR, 4 voluntes, com a palliii-
genesia de 210 medicnenlos 14,000
Doulrina o Iratsmento das niolestias chroui-
cas, por IIAIINF..MANN, 3 voluntes 20.010
Retrato de llAll.NEMAN.N 5,000
Manual do medicina veterinaria liomoeopa-
thiea, por Gunlher 6,000
llomceopathia domestica 5,000
Memorial do medico liomojopallia 4,000
O medico homccopallia dasciiancas 1,000
Tr.timento donioeupathicu das molestias de
pello 4,000
Diccionario do medicina, cirurgia, etc. 8,000
un
nuneiante tUMoso au-enlado d'aqui a mais
de um mino, eir pregou ludo esso lempo
cm fazor im ostudo particular sobro os no-
vos gosto.i de obras de inarciueria .presen-
tados na nxpoaiclo universal de Londres,
onde eslot(i, aliu de oulr.s capit.rs la Ca-
rola, Paris, Lisboa, <5.c. &c. O aniiiin-
cianlc se a3lia acajiacilado para igualmen-
la empreeoder quao^quiir couslruccOcs de
edillcios, faz oseadas Circular, oval o nutras
quo servein para subir-se por um lado e
iiesoer-se p< r outro. Avista, pois, do ex-
pendido, o abaixo assignado es. era mere-
cer do respeitavel publico a sua protocco
qui rendo assim o liunrirciu do alguma 011-
coinuiouda; na rua da Concurdia, junto da
leliuarilo. Jola Fredorico Scdrooder.
Compra-ie, no pateo do Carmo, vanda
n. I, um or uda 4 palmos de altura na entrada.
-- Compr.-so urna cachurra, porm que
seja atr.vessad : na rua d. Roda 11. 52, se
Jira quem compra.
Compra-se uma harcaca quo seja bem
constru la, pegue do vinlo a viole quatro
c-ixas; narua do Vigario 11. 20, segundo
andar.
Compra-so rezina de angico, o casca do
mesmo pao : na rua do Vigario n. II, pri-
meiro andar.
Compra-se urna escrava, de 18 a 25 n-
nos de ida lo, que saiha cosor, engommar o
COSnhar, sendo figura quo .grade, ptg.-so
bem : na rua ilo Vigirio n. 19 segundo
andar.
Comnra-se, no pateo do Carmo, vonda
11. I, um missal usado, porm em bom es-
tado.
-- Comprim-sn escravos de amhosos se-
xos, do bonitas figuras, de 10 a 251 annos,
lauto para a provincia como para fra, pa-
gam-se bem : na rua da Cacimba n. 11, on
de morn o finado vigario do Kecife.
Compram-se garrafas va-
sias : na traversa da Madre de
Dos n. !\ e 6, e na Fraia de San-
ta Hita, restilacao de Frauca ck
'oinpanhia.
Compra-so um canloiro, quo love de*
a 5 pipaa, quo esteja om bom esladu: na rua
da Cruz n. 02.
Compra-se uma preta, que saibi on-
Komm.r o cosinhar bem, e uma iingruih. do
12 14 .linos, qoe tenha bonita figura : na
rua do Aino'im o 25.
Vendas.
v Jos Anadeto, deulisti o sangrador J
! avisa ao respeitavel publico, que mu- #
i} dou a sua residencia paru a ruu larga a)
V do llozaiio, bairro deSinlo Antonio, (#
V primeirpaiKliir n-35,por cima Ja loja 4
ty de uiiudezas do senhor lo ly, anude 0
m se arda promiloa exeicer as func- *!
^ cos da su. rio; das 9 huras da ma- <9
> nliil. as 6 da tarde, como costum. -3
0#3 4* a> y # 0 **>'" > V t>
(labaixo assignado, tendo a vender na
rua, em um t Sabino de Oliveira J'inior, o qual lem 20 .
Elementos de homccopalhia, por Gossel Bi-
mont 8,000
1 i.i'.iiu hu homccopiithico das molestias
veuere.s, por Cusset Bimont 1,000
lia a casa ter-
rea, sita no pateo de S. Jos n. 2, se alguem
se julgar com direito a ella, annuncie por
esto jornal no praso de 3 di.s.
Procis.-sede um am. engommideira,
para cosa de familia, sendo desempediJa,
ion
rua
I Ja Cadeia do Rocifo 11. 54.
I Oifcrice-se um mulher, para ama de
cas. da homem solteiro : quem a preten ler,
uirija-se a rua Augusla, casa terrea sem nu-
mero, junto a ven I. n. 31.
pudn o que asociodadede Braga & Compa-
iilii', no armazem de mcame, da rua do
Vigario n. I, esta separada, por ler compra-
do o socio Braga, a parte do socio Azevedo,
ficando a cargo do socio Braga as dividas ac-
tiva* e passivas; por isso qno desde j nc-
11 h u ni a responsabilidade lem o socio Aze-
vedo JoSo Leite de Azevedo e Manoel Ig-
nacio de Oliveira Braga.
Dentista americano,
D. W. Bjynon, cirurgio dentista, conti-
na a oxercer a sua profissSo, fazendo to-
das i. oporacosque foreui precisas de qual-
quer mt'jreza, tanto por fra como na siuW
resida, enconde pode ser procurado a qual*
quer hora, na rua da Cruz no Itecife 11. 7,
suguodoandar.
--Ensina-se a fallar o traduzir o inglez
correctamente por um nicthodo facilimo de
comprehendor : na rua da Gloria n. 83.
Rosario.
O- bilhetcs dest < lotera, atham-
se a vend nos lugares j annun-
ciados, O respectivo thesourciro ,j Oahaixo saignado, tem justo e con-
tratado a compra u. osa, sita lia la d.
pr.ia de Santa Hita 11 56, om D Marcelina
da Conceiclo Auiorim : quem se julg.r com
direito mesma cisa,lirja-so a rua do llan-
gel n. 44, no praso de qualro di.s.
Jos LeonarJo.
Manual pralicodo magnetismo animal 5,000 jj.nnosde i lade.meia estatura, magrojal-
Curso de phrnulogja, por II oussais 8,000 ,'|, doscancada, natural do .MaranhSo, o a fj-
milia existe na capital do Ceara, eale ausen-
tou-sc no dia 28 do mez prximo passado,
deixando o l.huleiro vasio cm poder do ne-
gro que o eanegava, e ha noticia Jo havnr
seguido pcl 1 estrada do iiacanga, motilado
em um cavallo tlaaflo : pele-s as autorida-
des policiaes que terem noticia delle, o fa-
5am prender para vcii_'oa...io, pois calcula-
se em um coulodo ris as fazendas quo (>
mesmo con lucia no tabuleiro.
Firmo Candido da t-'ilv ira Jnior.
-- Prcrisi-se do um menino para caixeiro
do venda : na rua do Cordonif, travessa da
rua do Amori n n. 10. l'refere-so desles Che-
ga los prximo de Portugal, ou outro qual-
quer : quem esliver neatas Oircuoitanoias,
. i'.n ce 1 com urgencia uu dita vuuda, para
l mesmo tratar.
Con.landO-me quo a minh* escrava de
nomo Certrudes, nacSo ancol.1, do idado 26
annos, cor muito prela, odos grandes, ps,
e 111.n s pequ'iios, estatura daixa, didenla-
da na fronto do la lo de cima, e peito de
(J. Si 111- & Companlua,
Respeilosamcnle annunci.m que no seu ex-
tenso eslahelecimenlo em Sintn Amaro,
continua a fadricar, com a n aior perTeicfio
e prompli 1.1o, toda qualidade de machinis-
mo para o uso da agricultura, nvegac3o o
manufactura, e quo par. niaior commo lo
deaoui numerosos freguezes o do publico | ~^- omcamjllara quas dus me.
go, que concorram a comprar os
bilhetes, para que as rodas undem
no da 3o do corrente.
- Antonio Luz da Silva participa ao pu-
blico, que muJou seu nomo, para Antonio
Luiz da Silva Santos, por havor outro do
igual nome, e para constar fez o presento.
lie/1 Jrrio Ani01110 do Miranda, nao po-
dendo despedii-so de seus amigus, pelos
muilo af.zerc; o faz por meiodeslo, offero-
cendo o eu diminuto pieslimo na capital
do Ceara.
JNa rua da Senzalla Velha n. 126.
Apromptam-SH juntares e almocos, por
preco cdiinno io, com asseio e promplido.
O annuncio inser lo no Diario de 6 e 7
do coi rente, nSo se eiileiide com o Sr. JoSo
Francisco dos Santos, caixeiro no Forte do
Mallo.
Lotera da matriz da Boa-Vista.
Jos Tcixeira ilaslo actual the-
soureiro desla lotera, avisa ao res-
peitavel publico, que a mesma cor-
re impreterivelmente no da 2C de
outuhro do corrente anno, no con-
sistorio da dita matriz, c se con-
tinuar a influencia dos comprado-
res correr no dia (i do mesmo
mez. Us bilhetes acluin-.se a ven-
da nos lugares j annunciados.
aii ./. do arsenal de mariuha, um
Deposito de machinas,
construidas no dlo seu eslahelecimenlo.
All acharSo os compradores um comple-
to sortimento de moendas do canna, com
todos os inelboramentos (alguns dolles no-
vos e originaesjde quo a experiencia de
muilos anuo lem mostrado nocessiJado.
Machinas do vapor do baixa e alta pres-
83o, taclias de todo tamanho, tanto batidas,
como fundidas, carros de m3o, e ditos para
couduzr formas de assucar, machinas para
moer mandioca, prensas par. dito, fornos
de ferro butilo para farinha, arados de fer-
10 llamis approvada Conslrucco, fundos
para alambiques, crivos e porlas para fo -
iialbas, o uma iulinidado do obras do ferro,
que ser mi'a lontio enumerar.
No mesmo depositoxisle uma pessoa in-
tclligente o habilitada para recober todas as
encommendas, etc. etc., -que os annuncian-
tes, contando com a'capacidade de suas of-
lin.s c oacdinismo, e pericia de seus olti-
ci.es, se compromeltein a fazer execular,
com a m.ior presteza, perfeidlo, e ex.cla
coufoimidade com os 1110 lelos, ou dese-
ndus, e instrueces quo Ibe torci Torne-
cidas.
l escrava Cerlrudes dizia ter uma comadre
( prela ) poco ao Sr. do dito engenho que
por r.vor, no caso d'ella Idc aparecer no seu
engolillo ; que ma man lo pear o rcmetter-
mo, a casa da minh residencia na rua da
lilheles do tio de Janeiro.
aos 20;000,000 de rs.
Na lojademindezasda praca da
Independencia n. 4 vendem-sc
bilhetcs inteiros, meios quartos,
oilavos e vigsimos, a beneficio das
obras da groja matriz da villa de
Itabira, que correu no dia 38 de
agosto; vem a lista no primeiro
vapor que chegar do Rio.
Vende-se una carroca com o seu com
potente bol, tu 10 em muito bom estado, o
uma canua quo 1 ,m mil a trozontos lijlos,
sendo da meio usu^ n rua da Concordia,
Casa da esquina n. 17.
Veiile-se por 800,000 rs e para fra da
provincia, uma escrava, creoula, cor fula,
com 22 anuos do i lade, perita engommadoi-
ra, cosinhn sonhorilment", faz p3o-de-l,
podios, ctudooquediz re coo chO., etc ; nlianca-se pelas habilida-
des cima, mas nSo so entrega p.r se expe-
rimentar fra d. sua casa ; .0 comprador so
Jira o motivo por quo so vendo, e o nego-
ciante a quem pertenceu, do qual, a mesma
escrava tuina a seu cargo para todo o servi-
co, alcm dos senhoros, cinco caxoircs: na
passagem da Magdalena antos d. ponte
grande, peniilti.ua casi do lado direito.
Lotera de N. S. do Rosario.
Casa da fortuna, rua Diteita n. 7.
O pro,irieta'o da cas. cima, annuncia
que ins suas cautolas sahiram os premios
siguiles: D. 22, 400,000 rs., 1350,200.000
rs.,1373, 10O 000 rs 1366, 40,000 rs., 1288,
40,000 rs 453, 40.000 rs 272, 20.000 rs. ;
na mesma casa se venden o meio bilholede
11 171 em quo saino os 5 000,000 rs.; con-
lini'n estar a venda na mesma casa arima c
na praca da Iu lependencia, loj do senhur
Fortunato, um completo sort diento do cau-
telas da quarta o ultima parte da lercoira lo-
loria a favor das obrs da igieja acim, cu-
jas rodas espoia o thesouroiru fazer correr
por toJo o lim do moz.
Bil dotes 8,000
Meios 4,000
Quartos 8,200
Decimos 1,000
Vigsimos 500
Vende-so um. casa no lugar do.Giqui,
acibaJa ha puuco, bem construid, a moder-
11 ',c un commo ios para gran le familia,com
cinco portas de frento, e sotSo multo grande
Aurora 11. 52, pagaudo cu. os necessarias Cl)m du j,ne||as e varan la de ferro na
despeas, d cujo favor Inn fioare nhriga lo. frento do mesmo sotSo, e toda envidraca Ja,
Adverte-se que a dita prela ro escrava do eosjnha fra, e calcada toda em voll. da ca-
lillado Joaquim da l.ingoel., e comprada em s, COt,ar da parlo de delraz, cacimba e
leillo publico qu 1 mand.ram fazer os her-1quintal grande, a frente murado e portSo de
deirus do mesmo Joaquim da l.ingoeta pelo forro : un rua do P.sseio, loj. n. 21.
correlor, oSr. Oliveira, e dizem que se tem
visto tamboin a referida oscrava, na cidade
doOlinila, e no mesmo lu-'-r ims Arrninlia-
dos em certa casa que ser logo corrida e
o ladrSo sofrer as penas da le.Francis-
co Jl SC liaron/ 1
-- Anna Ferreira da Silva, autorisad. por
provislo do Exm. Sr. presidente, doulor
Francisco Antonio Itibciro, de29dejulho
do corront9 anno, tem aborto na casa de sua
residencit, na rua das Trincheiras n. 50,
um. aula de instruccSo primaria do primei-
o grao, para o soxo feminino : os pas de
Vende-se uma carroca, em muito bom
estado: n. rua du Cano, cocheira do Sr.
Minoel Joaquim do Mego Barros
Vende-se uma porcao de se-
ment de carrapato : a tratar na
rua do Gabug 11.1 C, loj 1 de 6 ti i -
maraes.
Em casa de J. Keller &
Companhia na rua da Gru n.
, 55, ha pira vender dous excel-
familias quo della quizoieni conhar suis li- c ___ .
In.l.p.,i"r3odi,igir-scamencon.dac.s,, lentes pi.nos fortes, e de uma das
a qualquer hora do dia, certo de quo a an- mclhores fabricas, chegados ultt-
nuncianle empregar todos os seus d">
em nSo desmerecer do seu coaceito.
nunci.nle empregar todos os seus desvelos mam(,nte da Europ(,t
ILEGVEL 1


'. t

4
Moinhos de vento
com bombas Je repuxo para regnr hortis
ebiixasdecaplm na fundicodeD. W. Bow-
mm:na ra do Drumns.6,8 e 10.
Fazenda da moda.
Vendem-so superiores cortes de cimbris
da salpicos brancos de cor, pelo diminuto
preco de 3,500 rs.: na ra do Crespo, loja
n. 6.
Cal virgem.
Vende-so cal de Lisboa a mais nova do
mercado: na ra do Vigario n. 19, primei-
andar, eacriptorio de T. de Aquino Fonaeca
& Filho, ouna ra do Trapiche, amazem de
Antonio Augusto da Fonseca.
Deposito de cal e potassa
No armazem da ra da Cadeia
do Recife n. la, ha muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedra, as-
8im como potassa chegada ltima-
mente, a precos muito rasoaveis.
L'otassa americana
No antigo deposito da cadea velha, n.
19 existe urna pequea porcSo de potassa
americana, chegada recentemente que por
superior rlvalisa com adaltussia: vene
se por preco razoavel.
Agencia de Edwin Maw.
Narua de Apollo n. 6, armazem de Mc.Cal-
montsi f.ompanbla, acha-se constantemente
l)on sortimenlos de taixa de ferro coado e
batido, tanto rasa como fuudas, moendas In-
elras todas de ferro para anima, agoa, te ,
ditas para armar em madeira de todos os; ta-
manbos e madellos o mais moderno, machina
liorlsonUl para vapor, com forja de 4 caril-
los, coucos, passadeiras de ferro estanhado
para casa de pulgar, por menos preco que os
.tr cobre, escovens para navios, ferro ingle
tantoem barrascomo em ircosfolhas,eludo
or barato preco.
AGENCIA
da fundico Low-Moor.
RA DA SENZALLA NOVA .N. 42
Neste estabeleeimento conti-
na a liavcr nm completo sorti-
meuto de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor* e taixas de ferro batido e
coado, tie todos os tamaitos, pa-
ra dtto.
Vendetn-se os verdadeiros selins in-
glezes, patente, de Diolla e sem ella : pa
ra da Sonzalla Nova n.42.
Vendcm-se relogios de ou-
ro eprta, patente inglez: na ra
da Senzalla Nova n. \*.
Arados de ferro.
Na tundi{So da Aurora, em S. Amaro,
endem-searadosdeferrodedivorsos mo-
delos.
Deposito de panno do algodao da
febricaTodo8 os Santos da Ba-
nhia.
Vende-se por preco commodo
o Lem conhecido panno de algo-
dao desta fabrica ; em pessa, a
vontade do comprador: no escrip-
torio de Novaesck Companhia, na
ra do Trapichen. 34-
Vendem-se asseguintes sementes :
nabos.ralianos.rahenele.s encarnados ebran-
C08, sebnln, coiivo Irinxuda olfacn ala-
moa, repulliuda,chicoria, senoulas, feijao
Garrapato de tres qualidades, crvilha torta e
direila, fava, coentro de loureira, salsa, to-
mates grandes, repolho, couve lombarda,
ssboia, e muslarda : na ra da Cruz n. *6,
defronte do Sr. doutor Cosme.
Taixas para engenhos
Na fundicSo de ferro de D.
VV. Bowman na rita do Brum
passando o chafariz, contina a
haver uiu completo sortimento
de taixas de ferro fundido e ba-
tido, de 3 a 8 palmos de bocea,
as quaes acham-sc a venda por
preco commodo e com prompti-
dao, embarcam-se, ou carregam-
se em carros, sem despezas ao com-
prador.
Vendem-seamarrasdcfcrro: na "ia da
Senzalla INova n.42.
fffraffMVf f f Vf yvw ft
S> farinha de mandioca
Vende-se, por preco rasoavel, la- ^
ff rioba de S. Matheus a mais nova K-
5? que existe neste mercado : na ra ^
J da Cruz n. 3*. delronlo da l.ingoeta. ^
Algodao para roupa de escravos.
Vende-se algodSo muito encorpado, pro-
nrio para roupa de escravos, com pequeo
toque de a.aria, a 1*0 rs. a jarda; dito
limpoa 180 rs.: na ra do Crespo n.5.
Moemia- superiores.
Na fundicSo de C. Slirrot Companhia,
oui S.-Amiro,acham-seavenda moendas
de canna, tollas deferro, e um modeloe
construcQio muitosuoenot.
___Vendem-se acedes da extinc-
la companhia de i'ernambuco e
Parahyba no eacriptorio de Au-
gusto C de Abreu : na ra da Ca-
deia n. 4^
__ Vende-se urna morada de
casts, feita a moderna, com lijlo e
cal, sita na ra do Motocolomb,
por preco muito em conta : a tra-
tar na ra Imperial n. 3i.
A 5,ooo rs.
Superiores chapeos do sol de seda ingle-
zea cbegidos pelos ltimos ntvios, pelo di-
minuto preco de 5,000 rs. cada urna : na
ra doCullegion. 4.
__ V ende-se a excedente typo-
graphia do Diario Novo estando
bem montada, tanto de bons pre-
los, como de typos : quem a pre-
tender, dirija-se a ra da Praia
n. 55, a tratar com a ViuvaRo m a
Deposito du fabrica de Todos ou
Santos na lialiin.
Vende-se,em casa deN. O.BieberA C,
na ra daCruz n. i.elgodfiotransado a-
quelUfabrica,muilopropno para saccosde
ssucar eroupadeescravos.porpresocom-
oiouo.
Farinha de mandioca a i,6oo rs. a
sacca.
No armazem de I. I. Tasso Jnior : na ra
o dAmorim n. 35.
Vela de carnauba
de superior qualidade, cuja luz rivalisa
com o esperncete ; vende-se na ru da
Cruz n. 3.
Vendem-se saccas com fa-
rdos : na ra da Madre de Dos ,
armazem n. ao.
Ancoras para navios.
Vendem-se em casa de Ricardo Royle, na
ra da Cadeia Velha n. 37, ancoras de supe-
rior qualidade, e por commodo prejo.
- Vendem-se lonas, brinzao, brins, e
meisg lonas da Russla ; no armazem de N.
O. Bleber & Companhia, na ra da cruz
Panno preto, fin, francez, a 3,ooo
rs. o covado.
Vende-se panno preto fino ,
rancez, a 3,ooo rs. o covado : na
loja de Flores & S, na ra ds Ca-
deia do Recife n. 47- Na mesma
loja vende-se uin rodap novo de
labyrintho, por preco muito com-
modo. '
A CIDADE DEPARIS.
Fabrica de chapeos de sol, na ron
do C'ollegio n. 4-
Alm do sortimento j annunciado, rece-
beu-se pelo navio Havre, ultimo viudo de
Franca, um novo sortimento de chapeos de
sol de seda e de panninho, para liomens e
senhoras, dos ltimos gostos; P"";"
chapeos di sol de seda com cabos de cana,e
outros dos melhores que tem vindo a esta
praca, que se continan) a vender por me-
nos preco queem outra qualquer parle.
Vende-se urna negra creouls do malo,
moca, e propria para qualquer semeo l: ni
ra da Cadeia Velha n. 24, primeiro andar.
Feijao novo a 6,ooo rs.
No armazem de Couveia & DiM, confron-
to a escadinha da Alfandega.
Frutas novas.
Na ra estrella do Rosario n. lt:vendem-
se as seguintes frutas: damascos, pecogos,
amuras, morangos, puras e serojas.
Queijos do sertao.
Vendem-se muito bons o frescaes queijos
do serlSo; na ra doQueimado n.14.
Aleila freguezes
Que so chegados,
Cobertores de algodSo
Muito encorpados.
Na na do Crespo.loja da osquina quo vol-
ta para a Cadeia, o 1.600 r*. cada um.
Soitmenlo de panno.
Na ra da Cadeia do Rccifc, loja n. 50,
vendem-se superiores paunos pretns a 4,000,
4,500, 5 000, 5,500, 6,000 e 7,000 rs. OM-
vado ; dito azul e verdo 4,500 c 5,000 rs. ;
assim como pannos mesclados, dcsmelho-,
res gostos que lanoslo genero, por 3 500
rs. o covado. .
Na ra do Crespo, loja u. 0.
Vendem-se superiores cortes decamliraia
desalpicos, com 6 l|2 e 7 varas, a 3,500 e
1,000 rs.; cortes de cassa chita, de novos
gostos, a 2,210 e 2,500 rs.; cassa franceza a
440 rs. a vara ; corles de h'im trancado es-
culos e mesclados, a 2,000 rs. ; panno lino
prcto, a 3,000 e 4,000 rs.; lencas de Cmbrala
de linho, a 480 rs.; ditos de cassa grandes,
a 160 rs.; riscado <.||nh0 a 180 rs. o covado
e muilas outras fazendas em conta.
M
a
S C -o 2
ce c
S B O
s o,
er-a
,co;
I."
o_2 2
?Slg-| 8
2 '5>'s m B
= cu
J) o o
i O) Ai
n
-[ts
a ti pH

V
5
3 O.
-=..'_-
a O
Bcflfl)Cfc-NlBO
pq
z = aS
B.
Pechincba.
i i ff <
Z|m|s
&fii '
= D -
lSil
3 o 9 = 2
, 3 (O
Na loja da ra do Crespo n. 10, vendem-
oxcollent^s pililos de brin:, a 2,800,3,000,
,500 e 4,000 rs.
Deposito deca e potassa.
Vcnde-se superior cal e potassa,
por preco commodo : no arma-
em do caes da AlfinJega n. 7.
I^S 3 5-S -2 o 3 o TB "
o a
a 3-8
o.
o
Cfa
C2
, O
?sB
3
. o 3 o
g38.--s2e-o.
s;
B.BP -("
" s o 3, <" -o ~
X;3
0
~
o 3 i <%
3=3
3~ 3
llfr.llIlllS
nf*_Bit3 (i r)002v,
o=- ^oo> 5 3 K o
^on. ^ 2 t w >
T -
o
3^-=S
J.
Bl C
1 c
! n 9
533|^-=
B o s o ;. c-w. a a>
1

1
Palitos parisiense.
Vendem-se palitos, ultima moda do Ta-
ris, de bonitos pannos mesclados e prcto ;
na ra da Cadeia do Recita, loja n. 50, por
menos preco do que em outras partes.
l!om e barato.
Na Inja da ra do Crespo n 10, vendem-
se muilo lindos chales grandes de seda a
4,000 o 6,000 rs.
(Jal virgem de Lisboa.
Vendem-sc barricas com cal virgem de
Lisboa, da mais nova que I11 no merca lo, e
por preco muito commodo: ni ra do Apol-
lo, armazem de assucar n. 10.
Cera de carnauba esebo refinado.
Vende-se cera de carnaulia de primoira
sorte, e sebo refinado o mais supciur que
ha no mercado : no armazem de I). II. aii-
drade & Companhia, na ra da Cruz, con-
fronte ao clialariz n. 19.
Vende-se Ierro inglez cm
barra, cm poredes grandes, 011 pe-
queas, e a escolher a vontade do
comprador, a 4>5oors. o quintal,
e de ao qiiintaes para cima a 4,800
rs., o quintal em poredes mais
pequeas: na ra do Trapicbe nu-
mero 3.
Novo sortimento de pannos e casemiras
de todas as qualidades.
Na ra do Crespo.loja da esquina que v.il-
la para a Cadeia, vendem-se panno lino pre-
to a 2,800, 3,200, 3.500, 4,000, e 5,000 rs. o
covado; e francez muito superior a 6,00o rs.
o covado; dito azul a 2,800, 3,500 e 4,000
rs.; cortes de casemira preta entestada a
4,800 e 6,000 rs.; dita franceza elstica a
8,000, 9,000 e 10,000 rs. o corte; e oulras
umitas fazendas por preco cummodo. >
Calcados a 400,^700, 800, e 1,600.
rs. o par, no aterro ra Roa-Vis-
ta, defronte da honeca n. 14.
Trocsm-se os mais fiiperiores sapatoa de
cou'o do lustro frarrcezes e de Lisboa para
senhora, a 1,600 rs. ; ditos de cordavao, a
800 rs ; ditos para meninos, a 400 r.; sa-
patOes do Aracaty para homem e meninos, a
700 r8> .jo II
-- Na enliga padaria da ra da Sonzalla
Nova n. 30, continua-se a vender* verda-
deira bolaxinha doce de I ito.
Ninguem ignora
Que o barateiro.
Vende fazenda
Por pouco dinheiro.
Na ruado Crespo.loja da esquina quevol-
ta para a Cadeia, vendem-se brim trancado,
pardo, de puro linho, a 320 rs o covado;
cambraia decr, do lindos padiOas, a 320 rs.
o covado ; chita para coberte, de cor fixa, a
200 rs. o covado; cassa de quadros a 280 rs.
a vara ; brim decr, de puro linho, .com
quadros e listras, n 1,280 e 2,000 rs. o corle;
dito liso, amarello, a 2,000 rs.; riscadinho
de linho com lislra, a 720 rs. o corte; lenos
de cambraia de linho. linos, a 480 e 560 rs.
cada um ; e outras muilas fazendas por pre-
qo commodo. ...
-. Vende-so urna propriedjde de legos e
meiade fundo, para o norte, com novecen-
tas brasas de testada, e demarca.las, cober-
tas de malos grossos.cootendo grande parle
de matas virgens, com algumas casas de tai-
na, no municipio da villa do Pillar, provin-
cia da l'arshyba do Norte, no lugar denomi-
nado Escarlata,Ierras o.li mas para qualquer
agricultura do paiz: quem as pretender di-
rija-sea esta pn?a do Rccifo, a fallar com
Josllerculanode Carvalbo, seu legitimo
proprielario, na ra do Rangel, sbralo
n. 47.
Vende-sc massa du tomates
para tempero, e tinta pura de mar-
car ropa : na ra da Cadeia n. i5,
loja de Rourgard.
-- Vende-se um pardo acabocolado, ex-
cellonte cosinheiro e de bou conducta; as-
sim como urna escrava, creoula, do 14 an-
nos, pouco mais ou menos : na ra do Quei-
mado n. 39.
Potassa a 2^0 rs. a libra.
Na ra do Apollo, armniem de
asucur n. a R, de Leal Reis, tem
superior potissa do Rio de Janei-
ro, chegada lia potteos dias.
fl@l JI5S; a 55 fl" (? s> *? 9) ti 9 C
Na loja Pemambucana ra
do Crespo 11 11.
Vendcni-se ricos vestuarios para
enancas de .lilT.irentes tamandoa, e
>< por precos commodos.
Do Chilla a 10,000 rs.
Superiores chapeos do Chille pequeos, a
10,000 rs. : na pra^a da Indeiendencis ns.
24, 26, e 28.
A 60,000 rs.
Chapeos do Chille linissimns, a mclhor
fazenda que tem apparecido tiesta cidade, a
60,000 rs. : na pra?a da Independencia, fa-
brica de chapeos, de Joaquim de Oliveira
llaia.
A 3,ooo rs.
Chapeos do Chillo pequeos, a 3,000 rs.:
na praca Ja Independencia ns. 24, 26 e 28.
__Y.-ndcin-M" queijos de Minas, inulto fres-
caes e preco commodo, vindo no ultimo vapor,
c dilo, Inglexeij na venda da ruada Ciui 11. 4 defronte do Sr. Dr. Cosme de Si Pereira.
De castor a 6,000 rs.
ajea Superiores chapeos de castor in-
I gle, brancos e pretos, a 6,000 rs. :
.^sV,,ia praca da Independencia ns, t,
26, C 28.
SEBO REFINADO.
Vende-se na ra Direila n. 5 sebo refinado
por preco multo commodo.
.. Vende-se uin terreno na conllnuacao da
ra da Aurora com liO palmos de frente c 3,000
de fundo, o qual llca para a ra do Hospicio
junto do Sr. Marlius Haslos, lendo j a inaior
parle aterrada, e um vivelro principiado: os
prelendenles dirijam-se s ra da Cruz n. 8, ter-
ceiro andar.
Potassa da Russia, e cal virgem
No armazem da ra do Trapicho n. 17, de
Jos Fercira Basto, ha para'vender superior
pdassa da Itussis, chegada ha poucosdias.n
cal virgem da mais nova que ha no mercado.
No armazem d Francisco A. da Cu-
nha & Companhia, na ra do Vigario n. II,
ha uina porfo de lina fa'inha do mandio-
ca ; talioas de forro de pmho ; um ancorele
novo de 8 arrobas e 20 libras; arcos para
barricas; urna soleira; dois maiueis; 5 ver-
gas de pe Ira do Porto lavrada, e maisoh-
jectos, que ludo se vende por presos muito
rasoaveis.
Vende-se urna linda negrinba de 14 an-
uos; um molrquinho da 12 annos, ptimo
para aprender algmn ollicio ; um molecSo
de 22 annos, lio 1. para servir em alguma ca-
sa eslrangena, por ser muilo esperto; um
negro de 26 annos, bom cosinheiro ; um
dito de 26 annos, liom para o campo, ou ar-
mazem do a-sucar ; um dilo bomcaireiro
c mais oulros escravos que se rendarlo por
pceo muilo em coma : na nu Jas. i.ai.ni-
geiras n. 14, segundo andar.
-- Vende-se una loja de fazendas, proprin
para uin principiante, por ler poucos fun-
dos e ser em um bom loca! da ra da Cadeia
do Recife, e tambem se vende so a armafiio:
a tratar na mesma ra o-13.
Vende-se por mdico preso o livros se-
guintes ero bom uso: -- compedio du gram-
malica ponugueza, por Salvador; historia
Sagrada, Selecta, Tito Livio, Horacio Flac-
co, Cicero, Eihica Job, e dous compendios
de lgica, por Cenuense : a tratar na ra Ve-
Iba n. 26
vende-se urna armsr;3o do venda, no
paleo do Ter;o, cujo local he o melhor pos-
sivel, e tem commodos para familia : traa-
se na ra do Queimado 11. 67.
-- Vende-se una esciava creoula, de 25
anuos, cosinha, eogumma, lava lupa de sa-
11.1.1, cose e ludo f*z bem feito: na ra do
Collegio n. 21, primeiro andar, se dir quem
vende.
Vendem-se frascos com man-
teiga fresca, da melhor que tem
viudo a este mercado na ra do
Trapiche n. 11.
-- Vendem-se esleirs de palha do car-
nauba regulares,o grsudns de duas varas dr
culi: nu eul 1; peles de caba a 20,000 rs. o
ceuto ; sapalos e botas; ludo chegado ngora
do Aracaty: na ra da Cadeia do Reciten.
49, primeiro andar.
COrtes de dula a 2,000 ri*.
Continuam se a ven ler corles de vestido
de chita franceza, padrOes modernos e co-
re* fixas, pelo barato preQO de 2 000 rs. ca-
da corte; na ra do ueiinado, loja do so-
Orado amanillo, n. 29.
Palitos feitos
Continuam a venu%-se palitos de panno
fino, preto e de cores, muito bem feitos e ul
limo gosto, por prego muito em conli; na
loja do sobrado amarello, nos quatio can-
tos da ra do Uueiuiado, n. 29.
-- Vende-so mallo boa cal nova de Lis-
Cal em pedra.
Vende-se cal virgem em pedra,
a iitis nova do mercado : na ra
da Cruz do Recife, armazem de as-
Miciii da Viuva Pereira da Cunta.
AOS 10 OOOJf E 5:0009 DE BS.
() cautelista Salusliano de A-
quino Ferreira avisa ao respeita-
vel publico, que a loteria da ma-
triz da Roa Vista corre imprete-
rivelmente no dia a6 r!e ontubro
do correte anno, e estao expostas
a venda os seus afortunados bilhe-
tes e cautelas da mesma loteria ,
na praca da Independencia n 4 9
loja de miudezas de Fortunato Pe-
reira da fonseca Rastos ; n. i3 e
15, loja decalcado do Arantes;
a. 37 e 3i), loja decalcado de Por-
to & Companhia, e na ra da Ca-
deia do Recife n. 46, loja de miu-
dezas de Jos fortnalo dosSantos
Porlo.
flilhetes 10,600
Meios 5,3oo
Quartos a,fioo
Quintos 3,100
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Vendem-se cinco livros muito bons a
grandes, encaderna^lo ingleza, para escrip-
luracni ; sndo vendas, cana, entradas,
razio e diario, com os tres competentes
ndices; na ra da Cadeia do Rocifu n. 49,
primeiro andar.
-- Vendem-se pos do sapolis, de larangci-
ras de umbigo, de limeiras de un higo, de
fruclapSo do massa, e outras plantas mais,
acondicionadas em vasilhas proprias para
se transporlarem para qualquer parte: no
principio da estrada dos Afilelos, lado es-
querdo, casa deManoel Marque*.
Vendem-se muit'i bons sapalos de du
raque preto para senhora, a 900 icis upar ;
assim como cstoiras muilo gran les a 1,28o
res e ais urna; na ra do Livramento loja
n. II.
A
Mol dos uta nos mos
' II i
SALSA 1MRRILIIA
DE
Esta modinha he de tresquadras, letrado
revendissimo senhor padre uiestro Miguel do
S. I. Cama, muzica de urna senhora per-
nambucana. O folheto cnnlem a modinha e
a Liod Narrhalla, a qual muito tem brilha-
do no theatro do Santa Iiabel, que principia
assim.
me-monome; leudo grande caso de pedra
ecal, oilOn dobrados, con todos 01 COtn-
iii" I .s necessarios, grande poco tambem
de pedra e cal, curral para vaccis o bezer-
iro, viveiro circulado de coqueiros, grande
Qnem qutzer aprovettir a boa pin- |jrdinii para 0 qua| deita-se agua cm gran-
ea, bom e burato he agora [destinas com canos dezinco que veom do
Vinhoa 1,200 rs. a caada, o a 160 rs. a! poco, com um completo pomar, dando jj
As numerosas experiencias feita como
USO da salsa parrilha em tnilasas enfermi-
dados,originadas pels impureza doaangne,
e o bom xito obtido na corto pelo lllm.
Sr. Dr. Sigaud, presidento da acaJemia im-
perial de medicina, pelo lllustrado Sr. Dr.
Antonio Jos Peixoto em sua clnica, eem
sua afamada casa de saude na Camboa, pe-
lo lllm. Sr. Dr. Saturnino de Oliveiri, me-
dico do exercito e porvanos outros med
eos,permillein lioje de proclamara!lamento
9 virtudes cllicazes da
SALSA PARRILHA
DE
**--- r^-
Nota. Cada garrafa contem duas libras
de liquido, e a salsa parrilha do Bristol ho
garantida, puramente vegetal sem mercu-
rio, iodo, potaasium.
Em consequencia de se ler fachado a bn -
tica do Sr. Jos Maris, mudou-se o depo-
sito da sais 1 parrilha de Brislol para a bo-
tici inftleza ra da Madre Dos n. t, vende-
so a 5/000 rs. o vidro.
Na ra Nova n. 8, loja de Jis
Joaquim Moreira & Compa-
nhia.
Vende-se chapeos de sol de soda prolos
para homem pelo baratissimo preco de 4,000
a 5,000 rs., a tiles antes quo se acabem ;
jarros dourados de porcelana para flores a
4,000 e 5,000 rs. o par, chapeos 'rancezea do
boa qualidado a 6,500 rs., luvas de pelica
punto initlez para senhora a 1,500 rs luvas
Ide seda pespontsdas pira senhora com seu
i loque de mofo a 1,000 rs, o par, dilas de lio
Ja escicia para homem a 320 rs brancis
la 400 rs..chapeos de casfor bramos sem pe-
lloa Vista n.70, junio a '". diminuto prec.o de 4,500 rs oou-
- Ve'.de-seumsobr.dode2.ndMmuji(s Utm% 8e ,en,ler'ao por
aterro da lloa Vista n. 82 : a Ir.lar na mes- blr,t,8s||nos cgm d|nnejr0 9l,
1118 PflSl
VENDK-SE OU PERMUTA-SE POR l'Ric- Vinho de champagne.
dios nesta praga, o melhor dos sitios edili- Vende-se o verdadeiro vinho de cham-
cadosna Torre, margem do no Capiha- |ptgn0i B eicellente qualidade, ao prejo
ribe, o ulimo ao lado dreilo, quem 'J Jfl 5,000 rs.; assim como de qualidade in-
.Magdalena vi para sabir 110 engenho no rerior, muilu em conta: no armazem de
Ra do Crespo, loja amarella n.
4, de Antonio francisco Pe-
reira,
Palitos do alpaca preta, muito bem feito
chegados agora, Ja ultima moda de Pars,
a 9,000 rs. cada um, assim como de panno
preto e de cores, de superior quanlidade, a
18,000 rs., chapeos do Cbile, muito finos,
de bonita forma, a 12,000 rs. cada um.
~ Vende-so uina canoa de carreira, nova,
bem construida ;'nu armazem de madeira,
defronte do porlo das canoas da ra Nova ,
por pre(o conmodo.
- Vende-se serveja preta, multo superior,
em duzia a 3,200 rs., ou garrafas a 400 rs o
t alendo o casco a 320 rs. 1 no aterro da
Bruno l'racger & Companhia,
Cruz n. 10.
na rus da
Escravos fgidos.
320 rs.; cafdecarotoa HOrs.; farinha do
reino e do tapioca a 80 rs.; vinho muscalel
a 500 rs. a garrafa ; vinagre a 80 rs. a (aira-
fa, e a 500 rs. a canada, e outros muitis g-
neros do bom e melhor: no pateo do Car-
ino, venda da esquina do bercu da Romha,
por baixo do sobrado de um andar n. 13.
-- Vendem-se urna preta boa cosinheira
eengommadeira.uma dita de 18 annos m li-
to linda, com um filho de novo meze?, um
casal do escravos voltios, bons para sitio, e
bous trabalhadores do onxada, um moleco-
le de 20 annos, tres pretos mocos, bons para
todo o servico: na ra larga do Rosario n.
24, segn lo indar, ou na ra da Cacimba
n. 11.
A 5,000 rs o barril*
Vendc-se cal virgem em pedra,
da mais nova que tem viudo a es-
te mercado, pelo brigue Novo Ven-
cedor, a prego de 5,000 rs o bar-
ril : no armazem do Tcixeira, no
Caes da Alfandega, ou no arma-
zem de Joaquim Pi ihciro Jacome,
na travessa du Aladre de Dos nu
mero 9.
--Vendem-se silhOes ioglozei, para mon-
tara de senhora : na ra da Sonzalla Nova
n 42.
Noticia interessantc para as se-
nhoras.
Acabam do chegar loja do Rourgard, na
ra Ja Cadeia n. 15, os mais bem arranjadas
eaixinhlS para boidar que aqu so lem vis-
to, e vendem-se por diminuto prego.
Veude-se o engenho 11 Jane.', que me
d'agna, ou o engenho Perieiro.que me com
animaes, ambos tem safras criadas, na fre-
guezia da Encada, senlo partea diuheiioo
parle a praso com letra da praca, ou por pre-
dios uesta prafa, cojos engenhos se ven lo
para pagamento do senhor Manuel Luii Con-
Calves : a tratar com seu proprielario, no
mencionado engenho.
Vendem-se nove escravos, sendo um
moleque deiJaJe de 13 a 14 annos, muito
lindo, .urna escrava de bonita figura, que
engomma, e cosinha o diario de una casa,
cinco escravos de lodo o servico, t- duas es-
cravss quitandeiras na ra Direila n. 3.
Na ra dss Crures n. 22, segundo an- ..
dar, vende-so urna linfa mulata do 20 annos | salsa parrilha de San la, que silo verdadei
de idadc.com habilidades, urna linda Oreou- ramcnle falsificados, 3 preparados no Rio de
la do 20 annos de iJade, queongomna bem, : Janeiro.pelo que si devem acaulelar os con-
cozecbiia.cosinhd elava, urna dita do 16 an-;'sumidores de Uo precioso Talismn, deca-
nos, recolhiJa, quecozechila, e tem piinci-lbir ueste engao, toman lo as funestas con-
pio deengommar, uina dita di Costa, de 24 sequencias que sempre covtumam trazer os
In,..(i 11 rs. de gr.itilic'icSo.
Do abaixo assignado, morador na ra do
Crespo n. 10, fugio no dia 16 do corrente,
ni seu escravo por nome Roque, creoulo, o
.nal representa tnr 45 annos do idade, pou-
,ca barba, fui vest lo com caiga de casemira
do o sitio cercado de muito boa cerca de preia e cafDisa de algodSo azul, e tem os
limSo, deixondo-se do narrar oulr. s mu- i8ign,es seguintes: alto, um tanto seccodo
tas cousas para nao tornar esto annuncio
mais extenso. Vendc-se mais quatro vac-
cas muito boas leilciras. sendo Iresfllhas
do pasto e urna de Lisboa, as quaes estilo
UlDaS pronhas e outras a inojarein-se : quem
0 pretender, dilija-se ao mesmo sitio [ara
ver, o na ra da Santa Cruz n. 70, sobrado
1I0 um andar, para ajuste.
tfWWyityy-ipii ?i f fSfyf f*?
? Deposito de lecidos da l'abri-^
s> ca de Todos os Santos, -S
; 11:1 l.ilii 1. *$
i>. Vende-se em casa de Domingos AI--8
j- ves Matheus, na ra da Cruz do Re-<5
*> cifen. 52, primeiro andar, algodao*
**" transado daquclla fabrloi, muilnpro-^
* prio para saceos e roupa de escra-^
^* vos, assim como li" proprio para rc-^-,
0. des de pescar e pavios para veilas,^
3 por preco muilu comino lo. -*
id M \ 1 KftAAAAAikAA
Prensas para farinha.
Ka iundicSo da Aurora em San-
to Amaro, e no depozto di mesma
na enlrada d-i ra do Rritm a-
cham-se vend machinas paro
imprensar farinha de mandioca, e
corpo, cor ful", descarnado do rosto, olhos
pequeos, e lem urna cicat iz em um dos
dedos da ni.i" por ler s du maxucado pu-
lando urna Irave, feo do cara, e costuma a
embreagsr-se, rujo escravo foi do senhor
I0S0 o." rm Macn-l Muntoiro, ho do presu-
mir que ande por aqu mesmo,visto ler mu-
Iher e filbos, ou na ilha de Itimaraca donde
he lilho : o mesmo abaixo assignado p'Otes-
la haver seu direito contra aquello que o oc-
cuitar: roga-sa portanto as autoridades po-
liciaes o capitSes de campo a captura do
mesmo.Jos Connives Malveira.
Fugio do engenho Caioelrlnha o prelo
Apolioario, de Idade de 38 annos, com os aic-
iiii's seguintes : cego de um nlho, mrio fulo,
rosto redondo, puucabirb.i, estatura regular,
chelo do corpo, bem fllame, olh.r por bilxo,
o qual fugio justamente com outro do engenho
Caxoefra Tapada de nome hernardo, de nacao,
de idac de 30 annos, com ossignacs seguintes:
bem prelo, corpo regular, barbadolao smen-
tc do quelxo e bigode, tima fstula no quexo
esquerdo, as bnxechas chupadas, os pe e os de-
dos vuludo*, os ditos escravos forain eucontra-
dos em Santo Amaro de Jaboato, em i!.....,"
para o Recife: roga-sc a quem os pegar d' le-
va-los ao largo do Livrsmenlo a un .' com
Joaquim t'orreia de Resende llego, ou nos en-
genhos cima que ser recompensado.
-- No da 20do maiode 1852, desappnre-
eeu urna negra, de nai;l'i Angola, de nome
Itbersn, levando nm vestido de algodSo
_________..,s An n\n Ab azul, com iioi talho em um dos bracos, e as
outras para espressao de.oleo de or9,j;MrtdMi tBmd6 costme qu.ndofo-
mamona, de urna invencao intei-
ramente nova. Os annnnciantcs
nao hesitam cm publicar, que es-
las mnchinas de sua invencao sao
superiores a tulo, quanlo ale aqu
ge, fazer-se maluca, e iliiendn que he forra :
quem a levar na ra do Collegio.veoda n. 5,
ser generosamente recompensado.
Nii dia 25 do agosto prximo passado,
pelas 7 horas da man lia, desapparecoo urna
preta creoula de mine Archauja, com 31
annos de idade, pouco mais ou manos, cor
tem appiirecido neste genero, re- fuli, alta, cheia do corpo, rosto chatoeas
,'', r. j ,,,r mat.les altas, denles limados, olhos apapu-
iinindo agrauJe iorc He pitssao tca,|0s, beiSos grossos, pollos grande e ca-
a inaior .siinplicidade de conslruc-hielos, ps um tanto apalhelaios, falla II-
r ;l..l,.ln ......s. r.!na; consta, por ella dizer, que ia oiau-
cao, e facilldade na opeacao, O na. no engenho Abrou da Motta. cohr.rum
que faz com que diflicilmcnte se dinheiro que Ihe devia o preto Victorino,
possam desarranjar.
Salsa parrilha de Sands.
Vicente Jos do Rritn, nico agent em
Pernambuco de II. J. Sands chlmico
ameriemo faz publico que tem chegado a
esta piaca urna grande porran do frascos do
annos, que engumna, cosinha, e lava de sa
bao, e urna dila da Costa, boa lavadeira e
quilandelra.
Vende-se, no pateo do Cirmo, venda n.
1, dous negros, de 26 a 28 anuos de idade,
de |bonitas figuras, pro.rios para todo o
servico.
<} Vendem-se %
a) Boticas homcoopalhicas de 30 c 60
) medicamentos, com seus competen- ^
) les livrosa quarla eJiccflo da prati- i>
4 ca elementar, mu las do Rio do Janei- a>
4 i", do gratulo consultorio central na t-
< ra de S. Jos n. 59. S.lo ests as bo- {
4 ticas da verdaleira homa'opathii; na C
<) ra do Crespo, loja amarella, lado >
V do nuil", n. 4. te
Na ra do Crespo, loja amarella
h. 4, de Antonio Francisco Pe-
veudem-se
reir.i,
finissimas chitos francezas decr fita, ile
gostos, que lingo as das camhraias. a 300 rs
o covado, riscadinhos, tambem francezes,
com qualro palmos do largura, a 260 rs. o
covado, chita para colxa, ne desenhos mo-
dernos, com quilro palmos dn largura, a
200 rs. o covado, corles do cassa piuladas a
2,000 e 2,210 rs cite do brim branco de
linhu, do cores, a 1.600 rs pecas do breta
nha Je linho, de seis varas, a 2,400 rs, o
outras muitas fazendas.
Chapeos blancos.
Vendem-se chpeos do castor hranco, boa
fazenda e bonitas formas, a 7,000 rs. : na
loja do sobrado amarello, na
mado n.29.
Casimir is modernas.
medicamentos falsificados c elaborados p
mi" daquelles que antepoem seus ulerea-
ses eos males o estragos da humani lado.
Portanto pedo para que o i>ul)lico se possa li-
vrar desta fraude o distingos a verdadeira
salsa pairilha deSamls da falsificada crecon-
temente aqui chogad;o annunrianle faz ver
que a verdadeira so vonde nicamente en
sua botica na ra da r.oiiceif3o do Recife
o. 61; e, alm do recaituirlo que acompa-
iiIki cadn Irasco lem embaixo da primeira
pagina seu nome impresso, o se achara sus
firma em maiiusciiplo sobro o amillono
impresso do mesmo Irasco.
Vende-sc na loj i de Jos Joaquim
Morei.ia & Companhia, na ra
.'v va n. 8.
Lindas serpentinas do hrons doorida
do 4 luzes, lanternasde vidrocom pes lapi-
dados de lo los os tamanhos e do varios pre-
Cos, ditas com ps lironscadas a 8,000 rs o
par, lindas capellas brancas para noiva ,
meias de seda brancas e prclasdc peso pira
senhora, sapalos do selim broiicis recehidas
pelo ultimo navio de franca, luvas de in-
das as qualidades o de lodos os presos, di-
las pretas e'de pelica para meninas ue qual-
quer idea, chapeosinlius do seda para bau-
tisados a 5,000 rs. bons de palha da Italia
para homem a 2.000 rs., bicos do blonde
pretos e brancos, fitas nquissimas lavradas
e lisas, ludo por pregos que iiSu desagrada-
rlo aos compraJores.
Instrumentos de muzica.
Vi-n ic-se tuja a qiialidale de instrumen-
tos de muzica, para muzica militar, por bl-
OueitSralo preto e para liquidar conlas : om casa
'le Bruiiii Praeger & Compaiilna, na'rua do
Cruz n. 10.
Vendem-se cortes de casimira, pa Iroes 7.E,n Cafa de J" K-e,lr O-
inteiramente nuvos e de superior qualida- panilla, acha-se a venda vinagre
boa, recent .'mente chegada, na ra da Mo-1 de, a 6,000 rs. o corle : na lujado sobrado ; .raneo suniMiiir Ae Nintcs pin
da n. 15, por menos preto do queem outra imarello, nos Quatro Cantos da ra do Quei-, '. %' ,., "u"tca> cl"
qualquer parle.
(mido n. 29.
barris de 3 medidas.
escravo do Sr. Luiz Francisco de Mallo Ca-
vii I -:i 11 cujo prelo esteve com ella ni ilha
do Fernando : roga-se ao dito Sr. Ca alean-
te e s autoridades policiaes e capitSes de
campo, nu qualquer pessoa, paras prende-
ren! c mandar levar na ra Direila n. 69,
que serio bem recompensados.
-- Roga-se as antondades policiaes o ca-
pitle* de campo, que prendam o negro de
nome Flix, cor fula, baixo e grosso do cor-
po, nacao Cabinda, Cibica um tanto branca,
com una pinha de cabellos da mesma edr,
casado com a negra de nome Theresa, tam-
bem velha, baixa, de nacSo Coigo, ao.bos
fugi los ao amanhecer do dia 4 do corrente
meze levaram tola a roupa que tinham. I.-
da escravos foram comprados ao senhor
Fonseca, quo lhe dera para vender pur com-
inissSo o senhor Francisco Antonio Pereira
Draga,havendo este senhor era-pagamento de
Agostinho de Freitas Nunes, morador na
Clona de Coila ; a p issoa que oa prender.le-
ve-os a rus da Soledade n. 46, ou no quar-
tel do polici", que sera gratificado.
esappareceu do Cichanga, no dia 26
de agosto, um moleqae di nume Manuel,
creoulo, de 12 annos de idade, couduzindo
um inulatinho do 7 annos, de nome Jos;
os signaos do moleque sflu: bem prelo.olhcs
abugalhadus, dentes bem alvos e largos,lem
cabellos na r.i heea ja brincos ; levou cami-
sa de algodSo trancado de lislra azul, co-
m. 11 de algodSosinho e chapeo de palha da
Italia ja velho ; e o mulaiinho tem urna
marca preta sobre o ponte de urna fonda que
leve, e lovou camisa de algodSosiobo e cha-
pee de palba velho: pede-seas autoridades
policiaes e pessoas do povo, que o pegue e
conduza-o ao Cachang a seu seohur Egidio
Ciroeiro Campello, ou a ra do Hurtas n.
114, que ser bem recomaensido.
Contina a estar fgido desde 12 do
marco de 1851, lendo-se ausentado do de-
posito geral ion le se achava, o escravo,par-
Jo, de nome Jos, de idade 25 a......s, altura
regular, reforjado do corpo, con a unha Jo
dedo polegar dopdireilo arrancada, ps
Chalos, com pouca barba, olhus pardos o
bom rasgados, o beico superior arrelntado,
queixo fiuti, co.-u bom de alfaiate, e gosla de
andar assiado, n.-iii he decr escura iietn
clara, ho de cor alatuada : ro^a-se a polica
ou a qualquer das pessoas que se encarre-
im de pegar escravos lugidns, dg appr. lien -
ir o du que se trata, e leva-lo no sitio do
Fundflo em Ueberibe de baixo, l Anloiuu
Norherlo de Souxi LealJades, a quenrper-
tence, o qual remunoriri genormamenle.
[pbrn. : Tvp. Dg M. F. de Faria. -1852.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEJME7DF8_D4PWPO INGEST_TIME 2013-03-29T18:18:36Z PACKAGE AA00011611_03382
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES