Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03367


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AnnoXXVlII
Quinta feira 21
i
V
t '
r
DIARIO
mioo a njBonri'c/io.
fnUHto AoliXTano.
p ir trimestre tt*i '
Por semestre ai a >
Por anno .......,.....
PaeoBaniao DoraimiTii.
Por quartel ... .1........
otici do mrmio
BIAsda BMMAMA. ADBIKBJCl As.
deOutubro de 1852.
JN. 238.
PELMA NBIGO.
4/00Oli8 Seg. S. Luc! Ev. I Jnifii Orfh*
8/000|lgTerc. S.Pedro .1.- J, e 5. 10 horas.
15/0001 Alcntara. 1. tur incivil.
I (.iii.in S. jn.io i ,3. e S. o melo-dia.
4/MK>|-'i QuInt.S. rsula. Wmtenia.
I>> Itll. S. I.adulan. |. r B. a 10 lmr.ii.
Pira.... SdeOutbr. Minas... 8 de Stbr.fjJSB- S. Joo Capis- j taro do cinl.
Maralo. 8 de dilo 'S.Paulo. 9 dedllo I trano. 4. eiabadoiao melod.
Cear...." 8 de dlio R.drJ.. :? de dilo I I Dom. i\. S. Rafael 'dai-Aa.
Parahlba is fi dilo Baha... 7 de Oulbr | Archanjo. [Terfase sabidos.
Creicentei So, as Inorase2a minuto dsm.
Chela a 28, aa i horas 21 minutos da m.
Mlngoante fi, as 8 horaa 18 minutos da m.
Nora I >, ai 4 horaa e 46 minutoa da in.
niUMIll atOJ
Prlmelraili i" boraa r 54 ulnutoida manbta.
Segunda i li horas e 18 minutos da tarde.
Colanas Parahlba, sseguidas t lextaa-
felrat.
Slo-Orande-do-Rorte a Vlttoria aa qulatai
lelras
onlto,Caruarn,e Qaraahuaa no l'e 15 decada
me/..
flores,Ourlcury.Exu e Boa-Vista 1 3 c2l
Ollnda, todos oa dial.
Todos os Correios partera ao meio-dia.
TOTIOiaa iTiMPiiaai.
Portugal 14 de Setbr. Austria a de Selbr.
Hespanha lode dito ISulssa.::. 3 de dito.
Franca.. 8 de dilo linela.'. 28deAgosto
Blgica.7. & de dito Inglaterra 8 de Selbr.
Italia..:; 4 de dito E.-Unidos'o d'Agosto
Alemanba- 3de dito Mxico... de dito
Prussia..;3dedlto California l6dedito
Dlnamsrca 31 de Agt. IChlll. 9 de dito
Rusala... JOdedllo Buenos-A. 58dedilo
Turqua. 25 de dito Montevideo IdeSelbr.
OUBIOa DB 211 DI OTDBBO
Sobre Londres, a 28 por 1/000 d.
i Paria, 350
Lisboa, 95por canto.
TAia.
Ouro.Oncashespanholaa......Wiv. 23/000
Moedas de 6/400 reinas.."...... 16/000
. de 6/400 novas.'....... 16/000
de 4/000............... 1/000
Prata.PataeOesbrasileiroa.......... 1/920
Peaoscolumnarios........... 1/130
Dima mexicanos.............. 1/800
PARTE OFFICIAL.
SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTigA.
SessJo em 10 de setembro di 18W.
Presidencia do Exm. Sr. conselheiro
Pereira Duarte.
Ai 9 horas e i/1 abrio-se a sessSo com os
Exms. Srs. conselheiros Nabuco, Campos,
Piolo, Pecanhs, 1'erdigSo Malheiros, Brre-
lo Pedros, Almeida, Siqueira, Serqueira
Lima Mullos, Veiga Csrneiro Franca ,
Ponce de LeSo e Castro Mascarenhas, ral-
lando com causa o Exm. Sr. conselheiro
Veroeck.
Foi liJa e approvada a acta da antece-
dente.
EXPEDIENTE.
O presidente da provincia do Espirito -
Santo, om ofDcio de 20 de agosto no cor-
rente annn, e o vice-presidente da do Rio
Liando do Sol, em oflicio de 26 do mesmo
niez e anno participaran! ter recebido di-
versas portaras para juixes de direito, e a
sua rooicssa immediata pra os mesmoa.
Exposiedo.
Exposto o proresso n. 4780, passou-se
sos
Julgamenloi.
N. 4759.Relator o Exm. Sr. conselheiro
Almeida : recorrente Francisco lio Irigues
deSouza, e recorrido JnSo Joaquim Comes
da Silva Telles.Foi concedida a revista, e
designada a relac.lo da Rahia para a sua
revisSo e novo julgamento.
M 1409.Relator o Exm. Sr. conselheiro
Serqueira Lima : recorrente D. Florencia de
Andrade Uezerra e Castro, e recorri-lo o
capitiio Joaquim Ferreira de Souza Jaciran-
dt.Foi negada a revista.
N. 1S99.Relator o Exm. Sr. conselheiro
Carneiro : recorrente Vctor Pessoa Cabral,
recorrida a justifa.Negou-se a revista.
Fecbou-se a sessSo depois do orna hora.
ii secretario interino, Joio Peirtira do
Couto Ferrui.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 13 DE OUTUBRO
Ollicio.ao Exm. presidente da Babia
aecusando recebidas as mas collecOes,
que se refero o seu ollicio de 29 de seteoihro
ultimo, dos actos legislativos promulgados
pela assembla daquella provincia em sua
sessSo onlioaria deste anno.
Dito. Ao coronando das armas commu-
nicando, que, segundo consta do aviso da
repartirlo da guerra de 15 d setembro ul-
timo, seconcedeu passsgcm, para o primei-
ro regiment de artilhana a cavado, a JoSo
(.encalves Ponen de LeSo, cajete do quarto
batalhSo da artilharia a p, Intcirou-se a
thesouraria de fazenda.
Dito. Ao mesmo communicando, que,
de aviso do ministerio da guerra de 20 de
setembro ultimo consta, que, por decreto
de 17 do mesmo tnez so concedeu passsgcm
para a fileira ao altares secretario do 9. ba-
talho de infantaria, Antonio Mattoso de
Andrade Cmara. Igual communicacuo se
fez a thesouraria de fszenda.
Dito. Ao mesmo dizendo, que, para po-
der darcumprimenlo ao aviso do ministerio
da guerra dn 24 de setembro prximo lin-
do, faz-sa mister, que aquello commando
informe sobre o requeritnento que remelle,
de Mana Jos de Jess, pedindo baia para
seu marido, o cabo de esquadra do segundo
balalhSode inlantaria, Jos Francisco Gui-
Inerme.
Dito. A' thesooraria de fazenda rcmet-
oarligo20 do regulamento das capitanas
dos portos de 19 de maio de 1846, quanto a
provincia do Maraoso, lim de que de Smc.
a necessaria publicilsde ao 2.* dos citados
avisos.
Dilo. Ao inspector do arsenal de mar-
uli.i dizendo,em resposta ao oflicio, com que
Smc. romelteua factura do fnrnecimentode
128 toneladas de carvio de pedra ao vapor
Afftmso na importancia de 1:920,000 ris.que
a thesouraria de fazenda pagara essa despe-
an na forma do estilo.
Dito. A' thesouraria da fazenda provin-
cial para que avista do pedido que remelle,
mandeadianlar ao thesoureiro pagador da
repartirlo das obras publicas 4:250,000 rcis
para aa obras que ae acham em andamento
por administrado, ficaodo dependente de
nova resolucSo da presidencia o abono da
quantia de 400,000 ruis, requisitada para
roiuinuac,So dosesludosgraphicos. Com-
.niinicou-se ao director da mencinala n'-
particjlo.
Dito. A' mesma declarando, que mande
do novo annunciar a arrematarlo do enro-
chamento da ponte da ra da Aurora, e dos
reparos da de Tracunliaom, Da coofonnida-
de da informacSo, que remeti por copia, do
director das obras publicas.
Dilo. Ao commandante do presidio de
Fernando remetiendo, por copia, a relar;3o
d'S madeiras, que pela thesouraria de fazen-
da vSo ser enviadas para aquello presi lio no
patacho l'irapamu.
Dito. Ao juiz municipal o de orphSos
do termo de Caruar inlei'ando-o de haver
concedido ao escrivSo d'orphos daquelle
termo, Gregorio Francisco de Torres o Vas-
cnneellos, 30 das de licen;a,a contardo da
20 do correte para tratar de sua ssude fura
do mesmo termo. Cummutiicou-se so juiz
de direito da comsrea do Bonito.
Dito. Ao commandante do patacho Pi-
rnpama preveniodo-o de que os sontencii-
dus qus loii de seguir no patacho seu man-
i para o presidio de Fernando serio em-
barcados hoje mesmo, conforme asordens
que acaba de expedir ao juiz municipal da
pi uncir vara, e remetiendo a corresponden-
cia, destinada ao commandinledo dilo pre-
sidio, lim de que laca de vela o mesmo pa-
'acbo, logo que lenha mar, e ja estejao
seu bordo os ditos sentenciados, bem como
DitoAo Exm. conselheiro director geral
da inslruccSo publica para que, Avistado
ollicio que remede, o qual sera devolvido,
informe, se o substituto Joio Antonio da
Costa Medeiros cstH no exercicio do slguma
das esdeiras de (primeiras letras da cidade
de nimia, de sorte que nSo poasa reger a
do collegio dos orpblos, como he do seo
dever.
DitoA' thesouraria de fazenda transmit-
an lo por copia, o aviso da reparlicSo da
guerra de 17 de setembro ultimo, commu
nicando haver-so determinado, que as 52
nucas de ouro, existentes no cofre do I." Iia-
talhao de infantaria, sejam recebidas por
aquella thesouraria, vondidas, e levado seu
importe i conta do referido ministerio oa
verbaxercitobem como que so entre-
gue ao commandante do referido batalhSo
1:560/000, importancia porque foram ellas
dadas no Rio Grande do Sul.
DitoAo juiz relator da junta de justica
remetiendo, para ser relatado em sessSo da
mesma junta o processo verbal feito ao sol
dado do 10. batalhSo dn infantaria, Irn
cisco Thomaz.Communicou-se ao maro-
clial commandante das armas.
DitoAo chefe de policia dizendo, que
pelo aviso que remette por copia, expedido
pela repartirlo do imperio em 18 de setem-
bro ultimo, ficar Smc. certo de que podem
ser enviados para o hospital da Sania Casa
de Misericordia da corle, de 2 de desembro
prximo v i ii 11, ii ro em diante, os alienados
desta provincia, Unto os que existem ac-
tualmente, como os que apparecerem no fu-
turo, urna volqueas pessoas, quoosqulze-
rem remetter para all s.ni-fac, un o disposto
no citado aviso.Igual copia se remetteu i
administracSo dos estabelecimentos deca-
ridade.
Dito-Ao inspector interino da alfandega
dizendo licsr inleirado de se achar vago o
lugar de smanuense daquolla reparlifSo,
por ter fallecido no dia 12 do corrente,
Francisco Feliciano Rodrigues Selle que o
exercia, e declaraodo, que, ao Exm. presi-
dente do tribunal do thesouro nacional, de-
ve Su', indicar por intermedio da thesou-
raria da fazenda o empregado, que est as
ciacumstancias de oceupar o referi4o lugar.
DitoA' thesouraria da fazenda inleiran-
do-a de haver, vista de sua informacSo
aspracasdeprimeiralinha, que ocumman- pprovadoo plano que remette por copia
dante das armas houver de man lar para ali. presentado pelo thesoureiro das loteras
Expediram-se nesle sentido as convenien-i conceeides em favor das obras ds igreja ma-
tes ordens. I11'1 de S. Pedro Msrtyr de Olinda, para a
Portara. Prorogando por mais dous|oxtr"cao "" mesmas.-Fizeram-se a res-
mezes com metale do ordenado a liecnca Pe'to neccsssrias communica?es.
que se coocedeu, por portariadelO dejulhoj Dilo-Ao lente Antonio Egidio da Silva
desle anno, a professora de instrocgSo ele-!uileniioi 1ue remetteu ao iaspector da the-
mentar da povoagSo dos Afogados, Maria|s"u^^', Je fazenda, para os ns convonien-
Coelho da Silva com a cndilo que outi oralles oseu ollicio de 12 do corrente, o bem
llie foi imposta, do .li ixar.cn: s-u lugar pes-
soa haliilitads, e an|irovada pelo respectivo
inspector do circulo lilleraiio.=>Fzeram-se
respoilo as necissarias communica^Oes,
Dita. Dispensando o piimciro escritu-
rario da thesouraria de lazends, Jos llen-
nque Machado da comcnissilo de exame de
cuntas da extincla thesouraria provincial.
Commumcou-se ao inspector da thesou-
raria da fazenda provincial.
Dita. Momeando, de conformidade com
assiin o termo de mediarlo, que o acompa-
iili.in. do terreno algalo n. 216, situ na
Ra da rraia de Santa Rita.
DitoA' cmara municipal do Recite afi-
cusaudo recebido o ofBcio.'em que aquella
cmara commuuica ter sido arrematado o
imposto das affenc,Oes deste municipio, bem
como o do molida.- de lar i lilis dos mercados
pblicos; e declarando em resposta, que
remella a secretaria da presidencia as con-
diccs dessas arrematacOes, e informe, por
a proposta do director geial da instruccSoi(Iue quantia se lizeram as anteriores, se as
publica, o promotor publico da comarca do houve
Bonito Manuel de Albuquerque Machado pa-, Dito-A'cmara municipal de serinhaem
ra o lugar vago de inspector do circulo lit-1 aecusado recebido o seu oflicio de 2 do cor
lerario n. 2i. Inleirou-se ao mencionado rente, acom, anhado da copia da acta do re-
director.
DEM DO DIA HDEOUTUIinO.
OflicioAo commanJanle das armas.com-
sultado da elei^So de vereadores e juizes de
paz daquelle municipio.
Dito -a' mesma remetiendo, por copia, o
municando, que, segundo cunslou de aviso ""? do ministerio do imperio de 17 de se-
do ministerio da guerra do 23 de setembro lembro ultimo recommendando a mais ex-
ultimo, se concedeu passsgem, para o 1 ,cl" observancia das leis as prximas fq-
b.talhSo de infantaria, ao 2. cadete do 2 o l"s eleicOes, para evilnr-se toda a especie
--- per-
cida-
muhica93o se fez a thesouraria de lazends. d!,- ou fslsear a expressi.o genuina do seu
Dilo-Ao mesmo remetiendo, por copia, vto--Ncste sent lo ofUciou-se a todas as
o aviso da reparlicSo da guerra e 23 de se- cmaras e a lodos os juizes de paz dos pr-
tembronndo, declarando ter sido approvada meiros deslnctos das freguenas da pro-
a ordem da presidencia, para ser indemtii- vinria.
sada a csixa do 9." batalhSo de infantaria DiloA'cmara municipal de (aranhuns
da quantia de 116/780 rs, importancia de remetiendo por copia, os 5.' o 6 do
diversos gneros, lomados pelos amotina- art. I.'do decreto o. 671 de 13 de setembro
dos no povos^So de S. Lourenco, na occa- ultimo, transforindo e creando alguns col-
si.'io em que eram remettidos dests capital legios eleitoraes nesta provincia, a fim de
para a villa do Pao d'Alho.- Communicou- que Ihes d inteiro cumprimento na parte
se thesouraria de fszeima. que Ine loca, fazendo com que os elestores
DitoAo mesmo iuleirando-o de haver das freguezias daquelle municipio votem
expodido ordem ao agente da companhia nos lugares no mesmo decreto determina-
das barcas de vapor, a lim de dar passagem dos preenchendo-se em ludo as formalida-
para a corte, no vapor que se espera do or- des prescriptas pela Ici de 19 de agosto de
te, ao lente do estado malor de 2.a classe 1816 c instriii'cfle.s respcclivas-Ollicioii-se
Candido Francisco de Carpes, o sua fami- respeito s cmaras municipaeo de Caru-
lia, bem como ofliciado thesouraria de fa- r, Cimbres, Villa Bella, Boa Vista, Ouricu-
zenda para mandar passar guia a esse olli- ry e Tacaral.
cialFcz-se o expediente a respeito. | PortarlaProrogando por mais triol
luto- Ao mesmo remetiendo o requer- dias, com ordenado, a licenca que so con-
mento, em que o alteros ajudante do direc- cedeu em data de 31 de agosto ultimo ao
lor^o arsenal de guerra, Ai,Ionio Bernardi- juiz municipal do terreno do Brejo, Jos
nojffloV; i, peda licenca parrTtrJrfr d*tTra Rodrignordo Passry.-Tizeram-se a respailo
salido, bem cobjV) as informacOejSministrtf. necesseriascommunicaQOes.
das. a cerca dossa p re lene. So,'Tiara que, de- DitaProrogando por mais quatro mozes
por de procedida a inspeccSo de que trata o prazoque fura orneado a Pedro Cavalcin-
o seu oflicio de honlem, voltem os referidos te Wanderley, arrematante do 3." lauco da
tendo, por copia, o aviso da reparlicSo da da mesma arma,iddid so 1. regiment de ('e violencia, ou de fraude, que possa
justici de 21 deselembro ultimo, declaran- cavallaria, liento Jos da Silva.Igual com- lJu,rb,r ""lispensavel libcrdade o^
doser infundada a duvila apresentada por
aquella thesouraria sobre doverem, ou nSo,
comparecers revistas de mostra os corne-
tas e clarins da guarda nacional, visto como
neo existe acto algum legislativo, ou du go-
verno imperial, desde a crearSo da guarda
nacional, que sujeite essas pravas a seme-
Ihanle revista. Igual copia se remetteu
ao commandante superior da guara nacio-
nal do Reare.
Dilo. A mesma communicando, que,
segundo se evidencia do aviso que remelle
por copia da repartirlo da marinha de 9 de
setembro ultimo, fui nomeado Abilio Fer-
nandes Trigo de Loureiro, para o lugar de
porleiro da conladoria de marinha desta pro-
vincia.Igual communicacSo se fez da men-
cionada contadura.
Dito. A" mesma declarando, que, se-
gundo foi participado em aviso do miniale-
ricrtko imperio de 22 de setembro ultimo, so-
licitou-se da reparlicSo da fazenda a expe-
dirlo de suaa ordens, para^sujenaquella the-
souraria se pague como ajllol Hs-custo de
volta ao deputado por esta provincia, Dr.
Francisco de Paula Raptiata, a quantia de
1:200,000 riS.
Dito.Ao ca[lilao do porto interino trans-
mittindo, por copia, deconformidadecom o
aviso,qoe tamhem remelle por copia, do mi-
nisterio da marinha do 22 de setembro ulti-
mo, o de 26 de agosto dosle anuo, alterando
TRIBUNAL A HELACAO .
SESSAO'DE 19 DE OUTUBRO DE 1852.
frtsldencla do Exm. Sr. conselheiro A se vedo.
As 10 horas da manhSs, estando presente
s Srs. desembargadores Villares, LeSo,
Basto-, Souza, Rehollo, Telles, Figueira de
Mello, Pereira Monteiro, Valle, e Santiago,
faltando com causa os Srs. desembargado-
res Luna Freir, e Gomes Bibeiro, o Sr. pre-
sidente declara aberta a sessSo.
JULGAMBNTOS.
Aggravsnte, o procurador liscal da fazenda ;
aggravado, o juizo privativo dos afri-
canos. Denegaran! provimento ao ag-
gravo.
Appellaiito, Francisca Thomasia da Concei-
cSo Cunha; appelladn, llenry Gibson.
Reformaram a sentenca.
Appellante, Francisca Thomasia da Concei-
{3o Cunha ; appellados, FOX & Brolbrs.
Reformaram a sentenga.
D1LICESCIAS.
Mandaram com vista ao Sr. desembirgs-
dor procurador da coros, o conflicto de
jurisdiccSo entre partes o juiz de direito
Miguel Joaquim Ayres do Nsscimonto, e o
chefe de polica interino do Cear Domin-
gos Jos Noguoira Jaguaribe.
Appellante, Manoel Zeferino dos Santos;
appellados, Thomaz de Aquino Carvalho
e outros.Mandaram com vista ao cura-
dor geral.
DaWDaaoffU.
Appellante, l.ourenr;a Mara da ConceigSo;
appellado, Luiz Antonio de yueiroz.
aivisOes.
Passaram do Sr. desembargador Villares
ao Sr. desembargador Bastos as seguintes
a i [o II .enes em que sSo :
Appellante, Joaquim Flix de Souza; appcl.
lado, o juizo.
Appellantes, a Viuva e Filho de Gsudino A-
gostinho de Barros ; appellado, Jos Can-
dido de Carvalho Medeiros.
passaram do Sr. desembargador Basto,
ao Sr. desembargador LeSo as seguintes ap-
pellacoos em que sSo :
Appellante, Jos Vieira da Cunha; appel-
lado, Theotonio da Silva Vieira.
Appellante, Francisca Thomasia da Concei-
cSo Cunha; appellados, Jones Patn o
Companhia.
Appellante, Francisco Antonio da Silva Ca-
valcanli ; appellado, Antonio da Silva
Ferreira.
Pjssou do Sr. desembargador Souza ao
Sr. desembargador Rebello a seguinte ap-
pellai;So em que silo :
Appellantes, Francisco Miguel Archanjo e
sua mulher ; appellados, Antonio Manoel
de Medeiros e sua mulher.
Passou do Sr. desembargador Telles ao
Sr. desembargador Figueira de Mello a se-
guinte aopellafSo em que sao:
Appellante, o juizo; appellados, Kalkman
IrmSos & Companhia e outros.
Ao Sr. desembargador Pereira Monteiro
a seguinte appollacao em quesSo :
Appellante, Francisco Cavalcanti do Vascon-
celos e Mello ; appellado, Manuel Guedes
Gondim.
Passou do Si. desembargador Valle ao Sr.
desembargador Santiago a seguinte appella-
cao em que sSo :
Appellante, o juizo; appellados, os indios
de Baurit.
NSo foram julgados os do mais feitoscom
dia assigoado por hsver faltado a sesso os
Srs. desembargadores cima mencionados.
Levaolou-se a sessSo depois ao meiodia.
SB9BMi^B>>is^eiMnaBaBB9VsMa>JHSni
tado, mais ainda como particulares. Dse-sexactidSo qual a qualidade, natureza e ex-
jam que eu I lie preste bom conselho na om-
preza que Vmc. toma agora sobre si, o que
farei na corteza de poupar-lhe muitos en-
com modos, c ni bar a eos sem lim, al mesmo
Eerdas pecuniarias, e os mais serios dissa-
ores a quo.nSo obstante as melhores inten-
c/ies, a mais nohre abnegarlo, as mais ra
soaveis esperanzas e clculos mais hones
tos e engenhosos de lucrse recompensa de
seus extorcas, estSo sugeitos todos aquel-
los que emprehendem planos de colonisa-
cSo, ou prematuros, e sem bazes sufllcien-
tes, ou sem tomar em conaideracSo as ex-
periencias que os ltimos :io aiiniK, e mor-
mente os ltimos 10 ou 15 tem fornecido
no Brazit, nos Estados-Unidos, no Canad
e sobie ludo na Nova Australia e Nova (Ze-
landia.
NSo posso soppor que Vmc. tenha tomado
a si urna tsrefa ISo posada como a que om-
preheode, sem estar a par ao menos de urna
grande parte dessas experiencias. A nSoser
isso, agora sena talvez j tarde para adqui-
rir esses conhecimentos, pois que a colnni-
sa(So tom-so tornado urna sciencia, cujos
principios fundamentaes assentados sobre
verdades mathematiess, sSo invariaveis e
em toda a parte apprpsentam os mesmos cf-
feitos ; urna sciencia que exige silencio e
deven;.lo fiel e longa, de Iguns annos pelo
menos, e cujas partes componentes nSo pn
dem de modo algum estar a mcrc dos ca-
prichos do interesse pessnal.
Talvez se ache Vmc. sufllcientemonte ins
truido sobre os negocios geraos da coloni-
S15S0, esobre o nosso antigosystema|de di-
visSo de Ierras etn particular ; oas nSo po-
de ter-so compenetrado barr. do seus def-
feitos radicics ( existe a le de 1850, mas
nSo se executa ainda) quanto formafSu
e elementos de prosperidade de qualquer
colonia propriamenle tal, se nSo tiror a
companhado com seria atienfSo as discus-
sOeshavidas as cmaras e lolhas do Bra-
zil desde o anno de 1840, e especialmente
nos anuos de I847--1850, ese nSo liver,
por assitn dizer, estudadoas fallas brilhan-
tes e solidas, sobre este assumplo, dos Srs.
sonadores visconde de Abrsntes, e Rodri-
gues Torres, e dos Srs. deputados Souza
Franco etc.
Devo presumir que Vmc o tem feito, se
nao so houver de ha annos dedicado a con-
siderarlo das condices da colomsafSo, re-
ceio muito queja nSo sej lempo para fa-
ze-io ; todava nSo deixarei de aronselhac-
ine que mande virquanio antes do Ingla-
terra todas as |iiihi'c-i;o-s que tratam da
emigrac.lo, colonisagSo etc., da Australia
do sul, Nova Zelandia, Canad ele, os rota-
torios ofliciaes dos cooimissarios das trras
coloniaesede emigrarlo ele ; da I-'nuici
lodos os escriptos que iratam das omprezas
embora pnuca pralicas, da colonisacSo do
governn frsucez na Argelia, e e 11 muras
colonias, eatmesmoosquetratam da 6r de Icaria, de Guatemala, de S. Thomaz etc.
que pelo menosservem para por as claras
asconsequencias da falta de reflcccSo, de
preparo, de principios, de honestidade, que
nestas emprezas mais quo em qualquer ou-
tra sSo necessarios.
De qualquer das gazetss do emigrarlo
pouca Milu macan poder colher. Quasi lo-
dos os relatnos, que neltas apparecem do-
vem sua existencia a influencias particulares
e pouca conlianga metecem. Nellas sedes-
crevem as-iiuaces de individuos, nSo se
explicam systemas.
Muitas das mais recanes obras sobro os
Estados-Unidos, em grande parte dedicadas
exposicSo dos methodos agrcolas, d3o
explicaces muito solidas sobre os systemas
de divisSo o venda de Ierras, que mellior
Onossoencarre.gsdo de negocios na Prus- Jan, R,nllr os co|onos j,,r,,alei-os. e
s.a, o Sr. J. D. Slruz, sempre solicito e m- capi,ahstflS e sobro 08 ,lo vias de lranspor.
caosavel em mostrarse til a sua patria too commnnicaSo, opor conseguinte do
i>.L.i.iiu< 111 ni q 11.111 mulo 11 n I. nrnna n r*m _.
sabida dus productos ele, pois que n>is Es-
EXTERIOR.
papis, acompanhados oo parecer da junta leatra'da do norte, pala conclosSo das obras
medico-ciiurgica, a lim de ser o ditofeque
FOLHETIM.
0 PALACIO PIHODAN. (*)
por -/tir. fogerio lscautooir.
PARTE PRIMEIRA.
y
u
A taverna de Pommt-de-Pin.
( Continuaro. }
Marietta trocou com o Italiano um olhar du-
vidoso. Nesse un.......momento un dos masca-
rados se levaotou, e poz-se a fallar em voi bai-
xa com o capio da ronda.
Repito, ella nos disse que se chamava a
condessa Alvin/i..... reapondeu au mascarado o
capllo no inesibo 1.....
Alvin/i.....inurmurou coinsiyo o Italiano,
he este luesmo o uuine que me disse o barquei-
ro.....oh! slra.....esta mulber.....
() Vide Ditrio n, J37.
riment deferido, como fot dn |ustic,a. ,
Vuantoa rale 1110(0, vonlinisvik o canat:
dirigindo-sc a Fellppe Gruya, e designando
com o dedo oque acabava de entrar, nao care-
en de duer-lhe quein be. Acluiuo-lo bem per-
la il a, 1111 c ni i-i-, dcbaiio da varanda da dita da-
ma, eaperand lalvez a volta da sua carruagem ;
ora de noitc um nainorado parece-se com 0111
ladro, por laso o perseguimos. Bastar que
elle recorra ao scnbor.....a seu pat..... Nao re-
conhece neste trage de geuliluoinein a Car loa
limjii, seu nlbo? perguntou o capllo rindo...
I'.< ni o reoonheco,.... capitao... respon-
deu o t.Ycrneero susplraudo. Um imi;i, que ss).
serve de dar-asa) cuidados/ um vagabuud,-ua
ladro de nuie :. .. y
Nao te enveimsfnas :' accrescentou mes-
tre r'clippe iBoatCando o puuho seu lillio.
-- -Meo i'isl. .iSJsse o rapan. Contando malj>
seudespellcsj m *..
une laija/o a estas horol /.,responde.
RapazgBe faci, fet mal, dieJbRlpaille
o (nal devisndo au taverneiro f 'jitda.caMlrocj
dados nos sjlndarmes veriucIhoa^Mas.rqple're
recreio, julgava rnudcMe cor-ie'da parte da
lie si, i- l-.lljq.c.
oenhor capitao, respfljfeu Cario Gruyo,
penao que imd Ihc falle! a*la... .
Lila plu.nr lo Ona ,1,111 mu lom 1:1o claro,"
tan proluntlanseutc chelo de allivc que La Ri-
pailte licuii iiiierdlciu. nao ousou continuar,
i.inin un uil'uudun o ar a o seuiblaule de
Cailus Giujii ainda aos mais uial intencio-
nados.
Elle era um 111090 de bella presenta, como se
du. com ni 11 ni ni mu-, linba os dentei alvos, eo
JV''
51 Mr?
do seu contrato. Fizeram-se a respeito ss
cessarias communica;es.
iso Uno, boa estatura, Iroule elevada, e
elhes vivos; smenle notava-se nelle um gran-
de fundo de melancola..... Tinlia \ 111 le e um
annos. Contra o coslume das pessoas de sua
classe, o Albo do taverneiro trajava con* caci-
to esta noite um casacao cor de flor de centeio:
ujai mangas, cortadas a hespaohola, delaa-
vam fcilmente ver inenibros robustos, e os
fregueses de inestre Fellppe Gruyn nao .aa re-
cordavam sem u 10 ceno prater das justas sus-
innladas por elle no anuo precedente no Sena
yioan ponte de Nossa-^ienbora perante os sc-
UBjHa TCreadores da cidade. hu todo quartei-
rjo da liba ello era citado, tanto pelo aea bom
Soraco, como pela sua forca ; todava a severi-
arle de ruaaire Fellppe laocava-lhe em rosta
algn pceadlahos ; elle frequentava mullo os
comed4jBlllt%]BTcompanhia de i'urlupln, loga-
va a "pella oo os paigena do cardeal, a nao
pasaava aPSue->uva sem parar diantedo tbea-
lio.de Scasaimduche.
uvia certeza de que de lempos cin tem-
^llerose Maua-Bvease feito representar.
crvlf aos fregueaes de Pomme,-de-
Pin, dlveiiia-sj ajnaii Ua vezes em tocar cl-
ihara, o que desagrada va muito a inestre Fellp-
pe, seu pal; i>ri;m, em compensadlo, isso en-
cantava iiifinitaueiiie a -Uarleua.
I ni da elle logou a lioisrobert que Ihe cn-
siuaaSe a faxer um soneto, o al.bade leve a |>a-
1 ii-in 1.1 de corrigir-ihc todas as limas. Nos do-
iniugos nunca iU-ix.ua de ir ouvir oorgao dos
Celestinos, o que nao o impeda uo' resto da
resto da nemaua de ler romances de cavallaria.
O pebre rapaz scutia-se ciniiui profundaiueu-
adopliva, tomando a pcito na Europa a pro-
mocSo dos grandes inleresses que ltima-
mente tem altrahido a a'tencSo e os cuida-
dos denossosconcidadSos e de nosso gover-
110, tem -nos mimoseado com alguns escrip-
tos e correspondencias surs, relativas aos
trabalhos da colonisacSu brazileira na Alle-
manha e outros assumplos de igual impor-
tancia, que para conherimento do publico
iremos transcrevenlo em nossa fulba, 1.1-
zendo-lhes apenas na redaccSo o no estylo
as convenientes modidca^Oes, sem comtudo
alterar-lhes o genoino sentido. Acceite es-
se nosso compatriota os nossos agradeci-
mentos pelo bello prezente que acaba defa-
zer-nos e continu em seus honrosos esfor-
eos por mostrar-se cada vez mais digno das
simpathiss o considerar;So do paiz que re-
prezenta.
COLONISACA), E.NCAJAME.NTOS, E DOA-
gOES DE TRRAS PHOVINCIAS.
ton.< 11 (di i geral do Imperio na Prutlia 28 de
mam de '.852.
Carla.
AO SS. PEDRO KLEUUUES EM lUMDUSCO.
Erlaogen 6 de maio de 1832.
Pela sua honrada carta du 27 do mez pas-
sado lemetteu-me Vmc. duas outras de re-
couunen lac s de duuo vardes que alta-
in en te respeito, nSo scoino hoinena de es-
tados Unidos, e em lo la a parle onde
comprenende a C0l00ili(20| ludo islo for-
ma una cadeia, da qual quebrado um s
tensSo dos poderes e obrigaedes que lhe con-
fere o goveroo provincial do Rio Grande do
sul nos tres documentos ou papis que Vmc.
me remetteu por copia (todos de 15 de de-
zembro de 1851, e assignados pelo Exm. Sr.
Oliveira Rello.vice-presidente daquella pro-
vincia ), sendo um o contrato para que Vmc.
dentro de 2 annos envi 2000 colonos; ou-
tro, as nsIruccOes que lhe foram dadas pelo
mesmo senhor sobre a posi(So e direilos doa
colonos na dita provincia e no Rrasil, e que
respeitam algumas obrigafOeg suas como a
gente da colonisapSo provincial, e o ultimo
um diploma seu que o conslitue neale ca-
rcter. Creioque isso me ser possivel avis-
ta do decreto provincial n. 229 de 4 de ou-
lubro do 1851, frequentemente citado nos
ditos papis, mas do que nem ideiatenbo;
pe;o-lhe que quanto antes me remella copia
delle legalizada pelo cnsul geral em Ham-
biir.'o, juntamente com as copias tambem
legalisadas dos tres papis cima, e de ludo
o mais que pretenda emiregsr como basa
de sua empreza ; pe^o-lheat queme re-
met) copia oxacla, o por Vrr>c. assignada,
de tradceles allemSes de todos estes docu-
mentos, taos como Vmc as adoptar, e eoten-
dor que exprimem exactamente suas iolen-
i,-> e vistas, pois que tes tradceles as-
sim concertadas por Vmc. importan) muito
e devom ser registradas lili- ramente, ou
com as niniliiicai/ies quo Vmc. approvar de-
pois que eu o houver convencido de sua ne-
cessidade, o que farei inmediatamente, quo
as veja. Seria mesmo indispensavel que os-
sas tradceles quejamais podem SJr occul-
tadas, fossem feilss por traductores jurados.
NSo posso tomar parte activa na promo-
ean de seus planos sem primeiro possuir to-
dos os papis e leis quelhedizem res'jeito,
e as tradceles e interpretac/9es lextuaes
que Vmc. Ihes der, e que devo primoira-
mente depositar no meu carlorio, porquo
nSo s o nosso paiz e o goveroo imperial pe-
lo acto de um presidente de provincia, co-
mo delegado seu, mas ainda eu proprio oa
qualidade d>) seu representante na questSo
da colonisa(So brasileira im Allemanha, se-
remos, avista do rigor com que agora se tra-
ta do assumplo da emigrafSo, responsaveis
pelos resultados ; e por isso toda a duvida
sobre a interpretarlo de dispusieres tto im-
portantes, assim como de qualquer i le a.
no acto de sua traduccSo, deve ser desde ja
removida.
Demais nSo he de suppor que Vmc. fc,a
progrossos satisfactorios em sua emprez.
que encontr por exemplo gente boa, e at,
com alguma propriedade, quesedisponha a
ir, mesmo dandu-se-lhe gratuitamente a Ier-
ra, e passagem livre, senSo publicar urna
exposir;8o clara de seu plano o do loJas as
bsese principios sol que pretendo obrar,
a Bjappai mui exactos uSu soda provincia
tods, nm ponto pequeo, como tambem do
territorio do Rio Pardo, etc., dos sesmarias,
a Ierras demarcadas em mappas especiaos, o
em grande escala.
Ja que me pelo qu o aconselhe eaceuda*
devo insistir com Vmc. : ara que ao menos a
ni i ni communique detalliadataente todo o
seu plano de operarles, tees qoaes tem con-
cebido ja na Allomanha, j no Brasil. Sem o
ler iii.uiie de mim nada posso fazer. Ao mes-
mo lempo (enSome leve isto a mal he
mister quo me d alguma informacSo a res-
peito de sua propria pessoa, sendo para mim
da maior impurtancia conhecer alguma cou-
sa sobre ascircumstancias, precedentes, ex-
periencias, o at a Male daquelle a que esta
incumbida urna medida ja de si ISo nteres*
sanie, mas boje sobre ludo de urna incalcu-
lavel impurtancia para o Brasil por suas con-
soqucncias mmedialas. Por isso desojo sa-
ber, sua idade, se he casado, se tem Ulhos o
ou le, se ja residi no Brasil e quanto tem
po, S6 he cidadSo Brasileiro naturalisado, so
tem ahi bens de raz equses '. pois que to-
das estas cousas seriam garantas por Vmc.
ollcrecidas ao Brasil, e aos horaens, que em
vista dos poderes provinciacsa Vmc. confe-
m una i .i /. ... ii ^u.ii iiuiiuioji, uui 3. ,. .. _
nel, asierras (lisiantes dos centios da po- rldS. -ealde confiar-lhe seu desuno ea
pulacSo pouco valem ; e ser-se obngado a pouca ou maior fortuna que possuem.
occupa-las ainda mesmo sendo ellas boas, rnho "" ? ampenho em receber de Vmc.
seria em mullos casos om castigo, umdes- rosposla explcita sobre estes pontos, o se
trro talvez de toda a vida, som esperanga "so ja tem dado garantas especiaes ao go-
Ce humilhado de viver no meio dos loneis, seu
amor inquieto lhe liuha j altrabido algumas
disputas, elle tinba mesmo espancado a certo
Gasco que ousou pegar na barba de Marietta,
mas a essas prlineiras euervcscenclas de du-
dante succedia ba quasi um mez mu. estraoha
oppresso. Marietta acbou seu livro alieno na
mesma psgina, pensainentos novos e inquietos
O ilninoi i v.iin.
Elle teria querido andar a par desses fidal-
gos, dos quaes a linal nao era mais do que cria-
do, elle li i lio de uui liuiiii-in j conbecido pela
aua fortuna.
Essc balco afumacado, essas toalhas sujas de
rinbo, csse choque importuno dos copos, essas
aucesde lasquenetes ebrios, esses aooelos de
poetas famlicos o uioleslavam ; mafs de urna
vez elle manifestara a inestre Fellppe Gruyn,
aeu pal, a firme vontade de sentar praca, con-
quistar pelo menos um posto mais nobre com
a sua espada, mas a ternura do taverneiro, do
qual elle era o lilho mas moco, e mala querido,
luilia desviado desta resoluco.
; Km vez de unir-se com os estudantes, tinha-
Ibes tomado odio ; ni falla de um mundo real,
linli i creado para si um inundo ficticio, um
iriuudo de romance e de ouropel.
Os comediantes lhe coiniaui o dinbeiro, eo
mal caequillo de todo) cites, iEcllerose, se cn-
cariegou.de luicia-ln na arle do bem viver com
lodus.
Era todos os lempos I'aris tem sempre encer-
rado n seu seio dessas ualuresas, consu-ni-
das de taes desejos c loidas de taes cbagas.
de niel ilumnenlo material, o c-im a certe-
za da perla de todos os hbitos de educa-
rlo, e renuncia forcada de todos os bene-
ficios e gozos d sociedade civilisada. NSo
quero entrar com Vmc. no desenvolvimen-
io de um Iratado do culonisafSo, nem teulio
lempo para.isso. Apenas de passagem lhe
acconselho a compra da obra do cavaleiro
vunder traten-Vonlhos ; sobre os Estados-
Unidos admiro-me que nSo escrevesse elle
um tratado addicional a cerca do syutama
agrario do Brazil leudo estado ah como
ministro da Blgica. Com os conhecimen-
tos que possue sobre esta materia, corra-
Ibe a oiiriu'acao moral de escrever alguma
cousa a respeito.
Sinto nSo poder vo-lo, esta primavora, em
Berlim, so acaso como pretende, l liver de
ir, pois somente la irei ter em flus do verso;
mas s -ni duvida os sonhores da legarlo hSo
de promover as suas islas no que llies fr
possivel. '
Suito iualmonle nSo poder colber com
aBaaBBaBaBs)BaaaBBSBaBasl ~
velludos, os pregoj e as banquetas de ni ca-
ire l'oquelin ; porcm llolierlao sabir do colle-
Ko de Clermout achava jem seu camiuho 11-
bres aiiu/aili-s : os Louli, osllernler, oslleoout
eos Gbapelle tinham ouvldo com elle as lices
de Gassendi. O isolaineuto do nosso rapaz era
completo, fra da sua elthara c de Mailetla a
quem podia elle amar rasoavelmciite na gran-
de cidade ? O pai de urna rapariga do eses de
Gesvrcs proposera a inestre Kelippe Gruyo unir
sua lilha com Carlos Gruyu, mas este recusara
altamente um casamento, que dizia seropposlo
s suas ideias.
Urna vez laucado nesse soubo, que chainam
o ilicatro, Carlos se julgava um hroe, um dia
llellerose lhe fes apenar a ino de llolrou, e
desse dia cin dianle o lilho do taverneiro de
l'omme-dt-Pin perdeu seu lempo e seu dinbei-
ro em desfarces ruinosos.
Que la ,pois, elle fazer em bailo da varanda
dessa bella dama i perguutava a si inesuia a
pensativa Marietta ; ella se tinha aproximado de
Carlos com passos furtivos, e uo llrava delle
seno vagos monosyllabos.
Entretanto o capilio da ronda, depois de ter
formado seushomens na taverua, parcela es-
perar que o i i\aII. un possuidor da bolsa da
dama l'allassc. seu toiu de auloridade fez Ma-
rietta caliir em si, a 11105a disse algumas pala-
vras ao ouvido do Italiano, ellas se podiam re-
sumir nesta supplica ......
Nao me traa, eu Ibe dire ludo 1
O dcsconbecido lltou seu olhar claro cm Ma-
rietta, lembrou-se, tanto oboinem he Inclina-
l'clo mesmo lempo ilolierl maldlila taubem \ do a suspeitar mo grado seu, do myjlerioso
veriiu provincial, como lio de suppor ; por-
que eu considero este como Dador de quaes-
quer actos seus, cm vnole dos poderes quo
ine cunhuu. Urna circumstancia talvez nSu
considerada a lempo no Rio Grande, mas
que julgo de meu dover ollicial ponderar,
porque infelizmente a conheso pelas fro-
qnenies observarlas que tive occasiSo de fa-
zer, he que entre nos, no Brasil geralinon-
te, eespecialmente as provincias.a'nda com
dilllculdade se faz a devida distingo entro
os estrangeiros prestantes e de mrito, e os
hmeos superliclaes, importunos, e mesmo
alrevidos. Meu pedido pois a este respeito
DtO deve ser cousiderado senSo como feito
por seu proprio interesse, e do de sua em-
preza ; porquantu sem sor satisfeito nesle
ponto, eu que irabalbei quasi 15 annos sem
cessar na questSo da divisSo das Ierras e co-
lonisacSo do Brasil, o que tanto l como
aqui oceupo urna certa posigSo nesla ques-
to e na de emigracSo era geral, nSo posso
prusler-lhfl assistencia alalina seiio [ or
eavalleiro que Saint Amant e elle liubam vi>to
ciilrar por urna poru secreta da laverna antes
de i- 1 e ni posto o p nella.
Pobre menina disse elle comsigo, talvez
seja um amante a quem protege Porque,
pois, n5o se aprsenla elle ? Nao ba tio grande
mal cm receber urna bolsa de urna dama por
ter lomado sua defesa I Se todas as que tenho
recebido ab em mlnha vida.....
E o Italiano curolou o cordo da bolsa nos
dedos, um sorrlso amargo ae revelou em seu
Ela I rnurmurou elle, a sorte est lauca-
da, de um lado salvo a Uarieila. e do oulro s-
berei quem lie esta condesil Alvlntl.....
E nondo a bolsa sobre a mesa diaote do ca-
plto da ronda, eaclainou com um toin reso-
'"Siin, senhor, foi a mlin queacondesiaAl-
vinzi deu este ouro I .
Fallando asalm elle despejou a bolsa sobre a
mesa..... ,
Saint Amant encarou-o pasmado: no meio
das nuvens confusas da ebridade elle creu as-
sinir a alguma scena representada por um co-
mediante descouhecldo. No momento einque
o capilo da ronda observava os dous braies
de armas gravadas na bolsa, o mascarado que
se aproximara delle enainloou-o lainbem cun
alinelo por cima de seu hombro ; depois co-
mo quer que elle lirasse urna bcngalinba de
bano e de mailim, o capllo empalie!,-, en e
incliuou-se. O oulro mascarado tioba-se reu-
nido ao seu corapanhelro.
Esta bolsa nosperlencc, disserain 09 dous
ILEGIVEL 1
- .**.


meros conselhos, mas estes sinceros.
(desenhos ? ) dcada un dos lotes, como a
respeilo dos preprateos do recepco, a
mesmo quinto a seguranca dos Tiveres etc.
( u m mez deltas nSo bista) ; o sobre ludo
em quanto nSo for solvida i du?ida so es-
tas doaclles de trras proviociaei sfio Iegees
( do que eu mesmo muito duvido ) em vista
da nova legislacflo geral, e sa serio sanccio-
nadas pela assembla geral, o governo im-
perial. Espero sua resposti sobre 01 pon-
tos indicados etn. etc.
PERNAMBUCO.
tecom muila reDexSo neste negocio, e a
Voss posi(fio para com o publico AllemSo nSo apparecer em publico em quanto nfio
tornar-ae-ba tambem de grandes respons- se aohe ludo plano, caro, e muito seguro,
bilidades pelo lado peccu'iiario. Quer tenha tanto a respeilo das medirles, descripcOos
de vender as torras, quer se comprometa a
fazer doacjlo gratuita dallas, quer prometa
passsgem livre, ou com condiccOes com-
modas, tudo isso involve obrigagOes e res-
ponsabilidades.
A gente que quizer ir, pode e lia de sem
duvida conflar-lhe os seus puquunos ou
maiores baveres ; mis em todo o caso liga a
sua sorte a seu carcter, capacidade e honra
com que se houverna emproza. Por isso ja
Vmc. Mov i tratar do designar corresponden-
tes satisfactorios na Allemanhi, taes como
ha direito i esperar-so e exigir-se de todo o
individuo que lida com transaccOcs mercan-
tis ; tanto miis indispensavel ser isto,
quanto seu primero appirecimento na Al-
lamanha, segundo os das fallas que nelle
tocaram, deve ter produzido urna m im-
S resallo, accrescendo as objeccOes oppostas
validada da legislacflo provincial sobra
trras, ?isla da lei geral de 1850, objeccOes
a que se tero dado vulto, e quanto a mim
com fundamento; o que tudo ha de dar oc-
casio a rouitns obstculos, e originar* d'ora
em diantn grande opposico nflo so da parte
das influencias maiores que querem dirigir
a emigrarlo para os Estados-Unidos exclu-
sivamente, comod'aquella que agora mes-
mo se val erguendo a favor da emigrarlo
para os Estados do Uruguay a do Rio da Pin-
ta. Peco-lhe tambem quo me diga quem he
o Sr. Klenze, com o qual,como dizem, Vmc
he associado nesta tarofa.e se tambem elle
estovo no lira/il e como que ;'
Existe em llamburgo urna casa de com-
mercio de sou nome Pedro Kleudgen &
Companhia Esta Vm. interessado nella co-
mo socio .' e faz ella negocios para o Rio
Gjaude ?
Somente no dia 15 do dezembro, pelo
contracto entflo i 'il > com Vm be que se
resolveu quo as trras destinadas para essa
colonia do Rio Pardo, sejam medidas, de-
marcadas o desonhadas ? (isto he, tllvez,
laucadas dislinclamentc nos mappss ou
discriptas por seus sitios e suas qualida-
des ? ) Tudo isto naturalmente n5> sepole
terainda ctl'oluado, e sem lar informacflu
segura deque ja o esteja com etroito, o sem
ter os mappas, e a discrip;3odetalhadn de
cada pedaco, ou loto de 100,000 brecas qua-
dradas (160 geiras ou morgen AllemSes
pouco mais ou menos), e a numerar;So
exacta do cada um uestes, assim descriplos
( 9i mallo, pa9to, pe iregulho, aquoso ele
nunca Vm. devera lembrar-se de appre-
sentar-se peranto o publico, se os liver de
vender, ou mesmo dar por concessSo gratui-
ta- Has ter-se-ha com effoito entre no* me-
dido e demarcado ja com tanta expedicio, e
com exactdSo essas torras. ?
Conbece Vm. os senhores engenneiros en-
cirregidos dosses tiabalhos? Fir-me-hi
muito favor indicando-me os seus nomes.
Poder-lhes< Ina mandar alguns papis e She-
matas, e dar-lhes algumas infomaefles que
Ihes seriam de grande utilidade SerSo
tambem situados no Rio Par lo os terrenos
quo se lem de dar aos soldados allomaos
depois de saa baixa ? Estar-se-h5o agora
medindo estes ? Teria Vmc encontrado
mu i.i no Rio Grande um tal Dieltnch, Prus-
Mano, mandado para este lini da parle do
ministerio da guerra ? Teve Vmc. occasiflo
de fallar com ello ? Sabe Vmc. se entre as
trras destinadas sua colonia e as d sima-
das aos soldarlos allem.lcs, e entro cada urna
destas divisOes so estilo reservando lotes pa-
ra brazileiros nalos, o em que proporcilo ?
e se j est determinado por alguma lei o
tempo que estos podein lio ir incultos, e
desaproveilados sem reverterem proprie-
d.ide ( ou ai menos preferencia J dos co-
linos sdjaconles quo tenham cultivado os
sous, pois que o eslado bruto de taes lotes
tira o v il'ii as torras visinhas. I'
Ja lem estado vmc. pessoalmonte as tor-
ras nm questSo, do lli" Par.lo ? e por quem
foram feitas, so ja o Imam, as descripeos
dellas.ca quem primeiro foram outreguos ?
No seu contraclo se diz que vmc. encane-
gar-se-ha do transpoite da gente desdo o
porto aleo Rio Pardo; o que as cusas
(quanto por cabera ?) depois de efl'cctuado
elle, ou ao menos depois de epresenlados os
colonos em Porto Alegre, Ihe scrSo reem-
bolsadas. Mas nas inslruc^Ses doSr pre-
sidente da ni 'su: : data, so dizque agen-
te seria transportada ateo Rio Pardo pelo
mosmo governo.
Pelu sou contraclo vmc. lem a obrigacao
de construir smenle um barraclo .Mis
como ser isso se centonas de colonos tetn-
Be de reunir so mesmo tempo, o entre olios
muiheres o raparigis ? .as instrucOes diz-
se quo essa gente hade acharja feitas as
suas casas! Segundo parece j para o Rio
Pardo foram levados colonos custa do
governo ; em quanto an larflo mis ostas
[{eparticSo da polica.
DIA 13 DEO1UBRO.
Illm. e Exm. Sr.Das partes hoja recebi-
das mista repartirlo, consta terem sido pre-
sos ; A ordem do subdelegado di freguezii
de S. Jos, Antonio Manoel Joaquim ; e do
subdelegado da freguezia da Boa Vista, llor-
n i no Pon-ira, Leopoldo Francisco da Silva
e Antonio Geraldo Harboza, todos para ave-
riguarles policiaca.
Daos guarde a V. Exc. Secretaria da poli-
ca de Pernambuco t 3de outubro de 1852
Illm. eExm. Sr. Dr. Francisco Antonio Ri-
beiro, presidente desta provincia.Jos Ni-
colao Rigueira Costa, chefe de polica inte-
rino.
DEM DO DIA i.
Illm. o Exm. Sr.Daa parles hoje recebi-
las nesta repartirlo, consta terem sido pre-
sos ; i ordem do subdelegado di freituezii
do Saoto Antonio, o portuguoz Manoel Viei-
ra Francisco, por infracc,9o de posturas mu-
nicipaos, Raymundo RoJrigues dos Santos,
Valentn) de Almeida Pit. por desorde m;
ordem do subdelegado da freguezia da S.
Jos, Ju.o Alberto de Souza Povas, pelo
mesmo motivo; o a ordem do subdelegado
in freguezia do Poto da Panolla, Marcelino,
escravo, sem declararlo do motivo.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria da poli-
ca de Pernambuco 14 de outubro de 1852.
--Illm. o Exm. Sr. Dr. Francisco Antonio lli
beiro, presidente desta provincia.Jos Ni-
colao Rigueira Costa, chefe de polica inte-
rino.
m -i: ._ .r m.~jli^~orrej3fite
Correspondencia.
E o earaefo transportado
Moatra-ae grande, elevado,
Por ver, sentir retratado.
Taes seniacdes produtlr!
E embora neguem talento
Abortos d'especie humana,
Eu dlrel, que ea um portento
Ca na plaga americana,
E o povo, que m'eacuta,
Desprexa por gloria a lucta,
E como eu le di i -. Eiulta,
E's do palco a soberana.
2
COMMERCIO
por cala um ? quesera dot ventura o go
verno que fquom em p bs impressfles de
cnt3o? Quinto lempo levou o transporte
nessa occasiSo Que pre^o ou fret Toi
p oraetlidoentao por ca la colono ? Segun-
do o 6, iin'. recebe uma.gratiIlcaQao pela
entrega de cada colono idneo ; em quan-
to imperta ella P
Finalmenteser-me-hia inspensavpl pira
poder formar o meu juizo a cerca de todos
os s-'in arranjos. conhecer lilteralmentao
re^ulamento, segunlo o qualf vmc. i m de
obrar como director da colonia ; alem diaso
o S., diz que existe um mappa da provin-
cia ; desejo muito possui- lo ; diz mais que
as tems destinadas aos colonos ser3o com
antecedencia medidas, demarcadas e ava-
liadas com antecedencia a que ? lito pre-
teude-ae fazer sem duvida antes da r*--
messa da gente : seria prudente e rasoa-
v l, o a inin ser assim receto conse-
quenciis desastrosas e tristes para os
emigrados, erealmente taes que duveriam
levar ao desespiro qualquer emprez-tno sin-
cero e boaesto, como devo suppor a vmc, e
feririaoi a conlip-ji no Brasil em materias
de emigracAo.Rom um golpe morll, ou pelo
menos incur*vo| por um periodo de dous
ou tres annoa. no qual se correrem bem as
cousas, tudo pode entre nos melhorar gran-
dementn sobro esto assumpto. Por todas
e^tas raspes conjugo-o a caminharde vagar
inascarados au capfio da ruuiaT~c~e5ic~hoii.cin
deve afgnir-noi!
r.u i cu! senhores, balbuclou o estran-
geiro.
Oscnhnr mesmo, repeli surdamenlc ao
.mu ouviilo o mascando, a quem o outro pare
ca obedecer.
alas o aenbor que me eit hitando, aabe
acaso quem aou ?
Sr, e pono dizer-lhe, ae quizer.
a. Como me chamo ?
. Oienbor, repllcou o malcarado ioelinan-
do-ie, he o cavalleiro Pompeo.
Ouvlndoeite nome, o deiconhecldo aentlo
unta ligeira perlurba(5o, mai traaquilliiou->e
logo, e pondo altivamente a mi ua Mharga,
diiie:
E quem s3o os senhores que labetu ambos
o meu nome?
Smnor, reapoadeu o primeiro mascarado,
be intil que Ibe digamos quem lomos. Oque
he certo beque deve obedecer-noi.
Pompeo iaterrogou com avlita aoi que se
achavam em torno delle.
Ocpilo da ronda linha a espada balia em
aignal de respeto. La Ripaille ngfa dormir,
meiire Fellppe Gruyo linha tirado o seu bon-
lirl de sarja, e Saint Auiaut permauecla ater-
rado.
Qaaotoa IfarlelUf dava-sc em sen interior
um desaes combates quedespedacam, ella sen-
ta amargamente ter soccorrldo este gentilbo-
incn ; mil vozes bc clcvavam ein aeu corafo
Snrs. Redatore Tendo o anr. padre Joaquim
Pinto de Campos inserido em vono jornal de
i i do presente una correspondencia em que
reala fictos que dii succederam outr'ora na
commarca do Krejo da Madre de Dos, e entre
elles o roubo quesorfreuo portugus Munii,
coinmetteu um erro o snr. padre Campos
quaado refere-se ao meu nobre lio e amigo o
sor. dr. Flix Ceixoto de Brito e Mello, dlzen-
do que este quando juii de direlto daquella
comarca procurou retir^r-se quanto antes del-
la, para nao ter occasio de proceder contra
os autores daquelle roubo ou latrocinio, como
qualifica o snr. padre Campos. He isto inexa-
cto, e o mostraremos.
Tendo a lei marcado aos dlferentes juiei a
rbita das suas atribuicei, e sendo so daju-
risdicao dos juies do livcl proceder no julio
contenciozo e no criminal, o que ninguem
ignora ; oceupaudo naquella co na rea o meu
nohrc lio, o snr dr Peixoto de Brito, o lugar de
juitde direito doclvel, comoprova o documen-
to abaixo transcriptu, nao era da aua aleada
proceder uo juuo crimiual, para coobecer doi
rrlmei epiocessar os criminozos ; oquecom-
petia as autoridades criini'iaes; eera juiz de
direito daquella comarcana fallada epocba o
dr. Joo Jos Ferrcira da Costa, que cumpria
com os seus deveres. Alem disto, foi ein 1836
que teve lugar o roubo deque falla o snr. pa>
dre Campo*, e ein malo d 1838 foi meu to o
snr. dr. Pciaoto de Prilo icinovido daquella
comarca para esta capital.
Pelo que temos dito, e confirma a certido
junta, ve-se queao snr. dr. i'ciiotodc Brito
nao competa proceder contra os delinqurn-
(es, neni retirou-sc quanto antes da comarca
do Itrejo, sendo portanto, edumnia dizer-se
jno, procuru retirar-sc quanto antes da co-
marca para nao ter occasio de processar os
criminozos.
Se coubesse na espherade suas attribufcdes
processar o facto de que falla o snr. padre Cam-
pos, certo que meu nobre lio, xclozo como sem-
pre foi no cumprimeutodeieusdcvereolBciaes
teria a prcoixi corageui para anda essa vez
salvar a sua reputaco, a qual o proprlo furor
e injuslica de seus inimigos polticos nunca
se attrevcram a acoinmetler. Elle faria desagra*
var a lei como costumava fazer. Seu proce-
der illibado do ni ni :i >- de magistratura dexa-
ram-lhe tradic^es gloriosas, edificaram-lbeuin
crdito solido c permanente, urna rcputaco
que nao pode ser destruida ncm pela verdade,
nem pelaealuinnia. Todas as prolisdes temo
seu campo de gloria, o dojuU be este.
Devo ao parenteeoo, a minha consciencia
c ao publico esta rectiticaco de um erro ou de
urna intencrtj do sr. padre Joaquim Pinto de
Campos, que lem ttcilidade em escrever ; peco
pas aos snrs. redatore que publiquein. com o
que obrigarSo.
Florencio ta Sifvcira Cava/canU He Albu(uerque.
Becife 19 de outnbro de |8a.
Certidio.
i ni cumprlmento do despacho retro, certi-
fico, que o bacharel FclU Pelxnio de Brito e
Mello, fuinomeadojuic de direlto doclvel da
comarca do Brejo da Madre de Dos, ein seis de
nnio de maio de iS'i8# velo removido para o lugar de
julc de direito da prmielra vara crlme dcsla
mi i i<-, I i- i que consta dos livros deste ar-
chivo. Secretrna da provincia de Pernatubuco
n de outubro .leis:.j. O 0111 ca 1 archivista.
Jo&O V'ilfiltm Viclli.
TRACA DO RECIFE 20 DE OUTUBRO, AS
3 HORAS DA TARDE.
coTicfiEiorriciiES.
Cambio sobre Londres : a 28 d. i diobeiro.
ALPANDEGA.
RendimeDto do I a I. .178:980,808
dem do dia 20.......13:871,819
198:85,27
Dtscarregam hoje 21 de outubro.
Brigue americano William Price -- firi-
iilia do trigo.
Brigue portugus --Flor do Mar mer
cadoriis.
Rngue brasileiro flor do Rio -- dem.
CONSULADO GERAL.
Hend ment do 1 a l'J .18:157,085
Idom do dia 20 .......2:873,20*
21:030,289
DIVERSAS PROVINCIAS.
Rendimentodo 1 a 19
Idemdo dii20.
909,395
, 110,29
l:OI9,6s9
l'.\|i(Hirai).
Rio de Janeiro, brigue nacional Animo.de
197 toneladas, conduzlo o aeguinte : 2 cai-
tas papel para copiar, 40 caixotes aiulejo,
* fardse I caiza fazendas, 1,300 alqaeires
sal, 15 pipas vinagre,5 fardos carnr-ira bran-
ca, 1 cusa bocetas de cartio para miudezas,
1 pianno, 1 caixa retroz, II ditas diversas
farendas, 4 bahs fazemtas, acaixas formas
do barro, 17 barricas e 12 sacos carvSo ani-
mal, 6 caixas e 2 saceos carnsuba, 1 caixSo
espanadores, 28 pedras de nui, 36 costados
do amarello, 1 pipa e 13 barris espirito.
RECEBEDOIUA DE RENDAS INTKRNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rondimentododii20.....2:280,685
CONSULADO PROVINCIAL.
Roodimento do dia 20. 282,001
Vio vimento do porto.
Ifaviot entrados no dia 20.
Rio de Janeiro 16 das patacho inglez
l.ouisa, de 302 toneladas, capitSo Helier
i: ilas, equipagem 10, em lastro; aOlivei-
ra & Irmos,
llamburgo 60 das, escuna biuiburgaeza
Charlotte, de 1-20 toneladas, capitSo II.
Peterscn, equipagem 8, carga fazendaa ,
genebra e mais gneros ; G. J. Astley &
Coropanhia. Passageiro, Froderick \V'i-
llielm Quist.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rolerdan pela l'arahiba -- escuna hollan-
deza Albert, capilo ). R. Ilok, carga as-
sucar.
Rio de Janeiro--brigue brasileiro Animo,
capitSo Domingos Antonio de Azevedo ,
carga varios gneros Passageiros, Dr. Mi-
guel Archanjo Monteiro de Andrade J-
nior, Antonia Mara do Carmo, Izidro Jos
Caparica e 2 irmSos menores Piola Ca-
como e 37 i-scravos.
Jlo del'inho Borges.
Jo9o l'orreira Cavalcante.
Manoel Comea Viegai.
Antonio de Aquino Fonsoca.
Vicente Ferrcira.
Louronr,o Jos de Morios Carvallio.
Simplicio Rodrigues Campello.
Firmino da Silva Amorim.
Os quaea h.lo de servir durante a referida
sesao, para o que sSo pelo presente convi-
dados, devendo comparecer, assim como
oa inleressados, no indicado dia s dez ho-
ras da ininhSi, sob as penas di lei E pira
que chegue i noticia de todos, mandei pas-
ear o presente, que ser publicado pela im-
prensa e alisado nos lugares mais publieos
deste termo.
Dido e pissil'o nesta cidade do Recife ios
19 de outubro do 1852. Eu Joaquim Fran-
cisco de Paula Esteves Clemente, escrivSo
privativo do jury, o escrevi.Jos Raymun-
do da Costa Menezea.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria
provincial, em cumprimento da ordem do
Exm. Sr. presidente di provincia de 27 do
corrente, manda fazer publico, que nos das
19, 20 e 21 de outubro prximo vlndooro,
ir a prac,a para ser arrematado perante a
junta da fazenda da mesmi thesouriris, i
quem por menos flzer i obra do vigessimo
rimoiro lauco di estrada di Victoria, ava-
lada em 12:218,606 rs.
A arremataran sera feita ni [orina dos r-
ticos 24 e 27 di lei proviociil n. 286 de l"| le
maio do 1851, e sob as clausulas especiaes
iba no copiadas.
As pessois que se propozerem a esti'ir-
remataco comparefam na sala das sessOes
da junta, nos das cima declarados, pelo
meloda, competentemente habilitadas
E para constar se mandou afixar o presen-
te e publicar pelo diario. Secretaria da the-
souraria provinciil do Pernambuco, 29.de
seto ubro do 1852.O secretario,
Antonio Forrara da AnnunciifSo
Clausulas especiies di irremilafo.
1.a As obras do vigessimo primeiro laen
da estrada da Victoria serio feitos de con-
formidade com o orcamenlo e planta ap-
provadas pela directora em conselho nesta
data, e apresentado a approvac,3o do Exm.
Sr. presidente da provincia, tudo na impor-
tancia de 12:218,606 rs.
2.a O arrematante comeara as obras no
piii.vi de um me/, e concluir no de um au-
no, contados da data da assignatura do coa-
trato
3 A importancia desta arrematarlo ser
paga em quatro prestados iguaes da manc-
pelo meio da, competentemente habilita-
das.
E para constar le mandou i fizar o presen-
te e publicar pelo Diarlo.
Secretaria da thesouraria provincial da
Porn mbuco 18 de outubro de 2852. O se-
cretario, Antonio Ferreiri di AnnunciacSo.
Clausulas especiaes da arremataeflo.
1.a Aa obras dos colicortos desta ponte se-
rSo feitas de conformidade com o ornamen-
to aprerentido appiovac.lo do Exm. Sr.
presidente da provincia na importancia de
1:936,000 rs.
2.a Eatn obras deverSo ser principiadas
no preso de um mez, e concluidas no de cin-
co inezes, conlalos como determina o arti-
go 37 da lei provincial n. 286.
3.a A importancia desta arremataeflo ser
paga em duas preatar,0es iguaes, da mam-i-
ra seguinte : a primeira quando o arre-
matante liver feito metade dis obras, a a
segundi quando estiverem todas conclui-
das.
4.* Durante a exccuc,Io das obres o arre-
matante dir fcil passsgem pin o trisito
publico.
5.a Pira tudo mais que nSo estiver de-
terminado as presentes clausulas, e nem
no ornamento, aeguir-ae-ha o que dispde a
lei provincial n. 286 de 17 de miio de 1851.
Conforme. O aecretario, Antonio Fer-
reira da Aonuncia;flo.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial em cumprimento da ordem do Exm.
Sr. presidente da piovincia de 13 do corren-
te, manda fazer publico que nos diaa26, 27
e 28 do mesmo, ir a praga para ser arienla-
tado perante a junta da fazenda da mesme
thesouraria, a quem por menos flzer a obra
do enrochimento em trente a ponte da ra
da Aurnra,avahada novamenteem 1:188,000
ris.
A arromal acln sen feita ni frm dos
irligos24e27 da lei provincial n. 286 de 17
de maio de 1851, e sob is clausulas espe-
ciaes alia i xo copiadas
As pessoas quo se propozerem a esta irre-
matacSo, comparecen! ni sala das sessOes
da mesma junta, nos das cima declsndos,
pelo meio dia, competentemente habilita-
das,
E para constar se mindou iflxar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de
Pernambuco 18 de outubro de 1852. O se-
cretario, Antonio Ferrara da AnounciacSo
Clausulas especiaes da arrematarlo.
Primeira. Ser feita esta obra de confor-
midade com o ornamento apresentado a ap-
pr.ivacao do Fxm. Sr presidente da pro
rasoguiote: a primeiri quando oirrem-, vinciani importancia de 1:188,000 rs,
tante titer feito a lerga parte da obra do Segunda. As obras principiarSo no praso
qeu contrato; a segunda quando tiver feito de 15 dias, e serSo concluidas no priso de
dous tercos das obras ; a lerceira quando 2 mezes contados, como determini o irtigo
lor recebid provisoriamente; ea quarta 31 da lei provincial n. 286.
quando for diflnilivimente recebid, nflo Terceira. A importancia desta obla aera
devendo efTactuar-se pagamento algum en- p,g, em duas preslaces da maneira seguin-
tes de findar-seo primeiro siniestrado exer-, te: a primeira do valor de tres quartos
cicio de 1852 a 1853. j da importancia da arremata;3o, quando se
4." Pare tudo o mais que nJo estiver de- tiver concluida a obra, e a segunda de um
terminado as presentes clausulas seguir- quarlo, quando se effectuar o recebimento
Malhurini 1 senhora D. Amalle Monteiro,
Marianna iseoliora D. Rita.
Nicoline -1 eenbore D. Jezuini.
Denominig3o dos setos.
Primeiro acto A RevelacSo.
Segundo > 0 Roubo.
Torceiro A Fuga.
Quarlo A Volla.
Quinto A Innocencia recompensada
Camponezea e camponezai, soldados e
povo.
A beneficiada julga ter falto urna bella es-
colha com este especteculo, e espere mere-
cer einde esta vez e mesme protecflo que
ele hoje llie tem sido outorgsda.
Terminar o espectculo com muito sp-
pliudid e sempre desejsdi,
To mili lli a despatillla do poeta e
o msico,
cantada pela beneficiada o os senhores l.uiz
A. Monteiro, e Raymundo.
Os bilbetes icham-se em cese de benefi-
ciada, ni rui di Cideia de Sintn Antonio
n. I, e no dii do espectculo, noescriptorio
do tbeitro. _^_^
Publicacs litteraria.
Sahio a luz.
28 RA DAS CRUZES 28
A continuado di miterii medici homeo-
patilica augmentedide theorie disdotes pe-
lo Dr. Muru.lacuna importintissim deixide
por Hehnemann ao cuida lo dos seus disc-
pulos. Este volume contm 1 pilbogenezii
de mais 12 medicamentos Europeos, e dos
19 principaea medicamentos BRASILEIROS,
experi mentidos pelos slumnos di eacoli lio-
meopathica do Rio de Janeiro.
".Para is pessoisqueja compn-
2 Iram os elementos de homeo-
>pathia e assignsram esta J/000
o I IParaasuutrasque s quizerem
< ]i diti obra. 3/000
Para os asslgoantes e mais
pessois que j compn-
nm os elementos de ho-
meopithii 12,000
Para asoutras pessoas que
''' quizerem a dita obra e
1 carteira.
gSstl
3s-
14,000
KDJTAES.
Publicago a pedido.
POliIA
oJJ'erecida a Ex/na. Srn. D, Uanoela Caelana
J.ucci, por um dot ttu admiradores.
Exulta, artista elevada
N'azas de um anjo a voar,
Exulta, contente, extaxiada,
Km dosjo palco a brithar:
Que ja nos rea proclama,
Alta ir nilii-1 < da faina,
Que so presente te chama
Anjo divino a reinar!
Quando na scena mostrando,
Joven talento a huir,
Ve-se m fronte brilhando,
Genio! pr'dnndo sentir !
gana-la. Ora tal era a naturexa do segredo de
Marletta que um caalello Intelro de cuidados,
de paciencia e de astucia femenina tena cahl-
do s pela aua consso. Assim Marletta calou-
ae pioteslando comsigo saber o que seria feito
destehomem, pelo qual sua honra Ihe Impu-
oha dahi em diante o dever de laleressar-se.
o Iia:i un. eslava em p, e prompto para ae-*
guir seua guias, o silencio se havia tornado
profundo na aala, a chuva tinlia cessado ns f-
leiras ilos bebedores ae tinh.io rarefeito. Re-
pentlnameote, a quando Pompeo preparava-
ac para pissar o hniiar laucando um olhar
para pleitear aua causa. Deiaa-lo-hU ella' a I chelo de tristeu sobre a bella rapariga, Saint
O Dr. Jos Raymundo da Costa Menezea,
juiz municipal supplente do segunda vara
em exercicio ueste termo do Recife, por
S. M. I. que II ns guarde.
Faco saber que pelo Dr. Alexandre Ber-
nardino dos Reis o Silva, juiz de direito da
segunda vara crimin>l da comarca do Reci-
fe, me foi participlo ter convocado para
o dia 12 de novembro prximo vindouro
a quinta sessilo ordinaria deste termo, cujo
sorleamonto teve lugar, e para o qual san -
ram sorteados osquarenta e oito juizes de
facto que se seguetn :
Andr de S Albuquerquc.
Coronel Jos de Brito Inglez.
Jas Baptista Ribniro de Faria.
Francisco de Paula Quoitoz Fonseca.
Salustiano de Aquino Ferreire.
Marcelino Jos Lopes.
Jos Ignacio Ferreira Dias.
Antonio Lopes GuimarSes.
Tiburclo Valeriano Baptista.
Ignacio Francisco Mirlins.
Antonio Jos de Oliveira.
Jos Pacheco Queiroga.
Dr. Pedro Dornellas Pessoa.
Caetino de Sooza Pereira de Brito.
Miguel Mendes da Silva.
Luiz Gonealvea Agr.
Julo Gregorio dos Santos.
Jos Joaquim Pereira.
Amaro Fernandos Dallro.
Joaquim Juvencio da Silva.
Manoel Mendes Carneiro Le3o.
Tomazde Carvalho Soares BrsndSo.
Luiz Comes Ferreira.
Itulino Jos Fernandos de Figueiredo.
Antonio de Muraos Comes Ferreira.
Luiz Marques da Silva.
Joaquim Baptista de Almeida.
Ignacio Lanoel Viegas,
Luiz Francisco Vieira de Lima.
Dr. Francisco Pereira Freir.
Francisco Ignacio de Torres Bandoirs.
Luiz Jos Nunes de Cestro.
Jos Bernardino Pereira do Brito.
Ignacio Francisco da Cunba.
J0S0 Atiianazio Botelho.
Manoel dos Santos Azevedo.
Julo dos Saotos Bastos.
Francino Xavier de Muraos.
Caetano da Costa Moreira.
Jos Cardoso daQueirot Fonseca.
*w .-:
neicfl desses esbirros occultos ? el'o poda ac- Amant corren a por-se diante da porta, e com
so comI-ss.ii a verdade l Rasgava-lhe o coracao toda a forra de aeus pulmes exclamen .-
arj opensamenlodequ: acabava talve de cau- Accudam meus llluitres cavalleirus da
aar por um movimento generoso a perda de garrafa e do copo ? Venbain a mlm 01 dnus
um Innocente. | mala fortes de lodos, Chaisangrlinont, e Pout-
Tudo ceda enlao i inquialcio tortuosa de menard I
Richelleu, tudo era sombra e laco. Por mala Nasos amigos de Saint Amant tinliam sabi-
uegllgenle que fosse, a moja bem sabia dlstt, do, penas reatavan dous que roncavain como
a nobre abnegacao do Italiano tornava-se para porcoa em um canto. La lllpalllee Bellerose
ella um remorso, um instante ella quix fallar,' tinbam tido ja quesldcs com justlca, e nao
qultrllier ludo, com risco de trahlr seu pro- estavam para brlgar por um estrangeiro, alm
prlo segredo, mas encontrando nesse mesmo de que os Italianos, deveinos dlce-lo, nao erain
instante o olhar coiniuovldo de Carlos GruynJ bem vistos dos Parisiensea, que se 'embrava de
aua forca a abandonou..... loncinni Salnl Amant ae havia casualmente
Marletta amava o lho de meslre Felippe, e armado de urna iardeadeira ; elle nao vio ao
este amor era desde mullo lempo combalido | aeu lado seno urna espada nua... a de Carlos
por lo grande esquecimento que a rapariga > Carlos! cxclamou elle; eal bem I aca-
ttnha empregado todos os meios proprios para bamoa com eata canalha.
desarmar soa IndlSerenca. Ella nao admlilla
que Carlos podesie fugir-lhe, anda menos en-
se-ba o que dispde e lei provincial n. 286
de 17 de maio de 1851.Conforme-Oae-
creterio,
Antonio Ferreira da AununciiQilo.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria
provincial, em cumprimento di ordem do
Fxm. Sr. presidente di provincis, de 29 de
setembro prximo psssado, manda fazer
publico que nos dias 26, 27 e28 do corren- rei^ida
te ir prarja para ser arrematado perante *^^^
a] junta da fazenda da mesma thesouraria,
a quem por menos flzer, a obra do 22. lan-
o da estrada da Victoria, avaliada em ris
13:902*310.
A arremataran ser feita na forma dos sr-
ligos 21 e 27 da lei provincial n. 286 de 17
de maio, e sob as clausulas especiaes abai-
xo copiadas.
infinitivo, que ter lugar nesse anuo, dopois
do recebimento provisorio.
Quarta. Para tudo o mais que nSo exis-
tem determinado as presentes clausulas, e
nem no ornamento, seguir-se-ha o quedis-
pea lei provincial n. 286 de 17 de maio de
1851.
Conforme. -- O secrotario, Antonio F*r-
Annuncia;9o.________________
Declarajes
.jai>
REAL COMPANHIA l)F. PAQUETES INCLEZES
A VAPOR.
NO dia 21 deste mez espe-
ra-so do Sul o bem conde-
cido vapor Severo, comtnan-
dante Canpman, o qual de-
As pessoas que se propozerem a esta ar- pois da numera do costume seguir para os
rematagilo comparer, im na sala das sessOes por los da Europa: para passageiros, trata-so
da mesma junta, nos dias cima declarados em casa da agoncia, na ra do Trapiche No-
pelo meio dia, competentemente babili-.vo n. 42.
laios- I Banco de Pernambuco.
E para constar se mandou afilar o pre- ,, ., ,. r
sent e publicar pelo Diario. Os descontos s5o de 6 por canto ale o fim
Secretaria da thesouraria provincial de .c.0"e.ne'. de 8 p'c
at 6 mezes. Com-
Pernambuco 2 do outubro de 1852.-Ose-
cretario, Antonio Ferreira da nnuncia;9o.
Clausulas especiaes da arrematacSa
1 As obras do i." lauco da estrada da
Victoria serSo feitas de conformidade com
n ore, miento e plantas approvadas pela di-
rectora em conselho nesta dala, e presen-
t,la aprovecho do I ah. Sr. presidente
da provincia, tudo na importancia de ris
13:902#310
2. O arrematante comecar as obras do
prazo de um moz, e concluir no de um
auno, contados da data di assignatura do
contrito.
3. A importancia desta irremalac,a"o sor
paga em quatro prestarles iguaes il* manei-
ra seguinte:a primeira, quando o arre-
matante tiver feito a loro,.: parte da obra do
seu contrato; asegunda, quando tiver fei-
to dous tercos das obns; a terceira, quan
do fr recebla provisoriamente ; e a quar-
ta quando lor definitiva monto rcelo la, nSo
devello elTecluar-se pagamento algum an-
tes de lindar-so o primeiro semestre do
exercicio de 1852 a 1853.
*. Para tudo mais que nSo estiver deter-
minado as presentes clausulas seguir-se-ha
o que dispda a lei provincial n. 286 do 17
de maio de 1851.
Conforme. U secretario, Antonio Fer-
reira da Aiinuiiciaoln.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial ein cumprimento da ordem do Exm.
Sr. presidente da provincia de 13 do corren-
te, manda fazer publico, que nos dias 3, 4 e
5 de novembro prximo vindouro ir a pra-
Qa para ser arrematido pente a junta da
fazenda da mesma thesouraria, a quem por
menos flzer a obra dos concerlos da ponte
de Tracunbaem, avaliada novamento em
1:936,000 rs.
A arrematarlo ser feita na forma dosar-
tigos 24 e 27 da lei provincial n. 286 de 17 de
maio de 1851, e sobas clausulas especiaes
abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a esta ir-
remataco co npaiocam 01 sala das sessOes
da mesma junta, nos dias cima declarados,
""saaMPae-"
pra e vende letras sobre o Rio de Janeiro,
do qualquer quantia o a prasos rasoaveis.
Banco de Pernambuco 16 de outubro de 1852
O secretario II. I. de Oliveira.
riiivn.o
8-si
Roga-se aos senhores assignantes, o favor
de iiiaud ir reeober seus ejemplares ai bo-
tica homeopathica di rui das Cruzas n. 28.
Ni mesma botica ha um grande sortimento
de livros em portuguez e francez parr as
Eessoas que se querem dedicar 10 estndo da
omeopatliia.
Saino luz 1 lerceira ediocSo do resumo
de arythmelica, pelo antigo professor de
primeiras letras Cardim, que tanta estima
tem merecido do publico; vende-se a 640
rs.: na liviana n. 6 e 8 da praca da Indepen-
dencia.
Avisos martimos.
:
Consultando s a sua coragem Carlos Gruyn
esperava arrancar Pompeo das mos dos dous
esbirros. O cabo da ronda se tinha apaitado,
mas a umassovio dado por um dos mascarados
a tavema f'ol logo cercada.
Carlos Gruyn, disse o mascarado, o se
nborbem mereca ser levado para a Kastilba .
Podem levar-me para l, respondeu Car-
los resolutamente.
Se persiste...
Por piedade senhores, deicnlpcin-nO, he
um louco [ exclamou o lavernciro, uo veem
que lomou o trage, e oa modos ilesses gentis-
hoinens ? Senhores, disponbam de mim, per-
teuco de coracao aos senhores c ao senbor car-
deal. Juro pelo ineu viobo que meu lilao nao
conhece este estrangeiro. Senhores, repito,
delxein-me o cuidado de castigar speramente
este revoltoso. Desgranado contlnuou o ta-
verneiro vollando-se para o Albo, tena cotao
resolvido fazer-me morrer ? Como ticas bello
com casa espada de terca-felra de entrujo e
com essas calcas que alugaste nos Piltiers des
Uattes'. Senhorea I proinelto-lhes que da tna-
obaa em diantc elle tornar a lomar o aveolal
e servi-los-ba aqu na laverna.
E vmc. Mr. Saint Amant, accreacentou mes-
ue Felippe, vmc. que s he rico ein rimas...
atreve-se a excita-lo aqui ?...
Metro Felippe t diste Saint Amant ar-
dendo em colera, ineatre Felippe, cale-ie I Ah !
Seu tillio he ineu protegido, e eu aou pretegi-
do do senhor duque de Ret! San Pedro cor-
tn a orelba de ftlalco em um momento um
pouco vivo. A uiocidadc he a mocidade Se-
nhores archeiros, accrcscentou o poeta, res-
pondo por este rapai I
Depois voltande-ae para o Italiano a quera
1 mi levando, Saint Amant Ihe disse ao ouvido:
A l, ineu charo, que nao be por minha
culpa ; o senhor tiuba raxo, inelhor teria rel-
io em se afogar !
Pombeo no oppox resistencia alguma, elle
segulo os seus dous guias como bomein resig-
nado. I ni 1 hora da madrugada dava euto ua
igrtja de San-Gervasio, e o fri era vivo. Uin
dos mascarados ia adlante do Italiano, o outro
o segua com um lampio que projectava ca-1
Quinta (eir 21 de outubro de
i85a.
BENEFICIO DA ARTISTA
31anoela Caet^na Lucci.
Logo que a orchestra exocular urna bri-
Ihanteouvertura, subir scona, pela pri-
meira vez neste theatro, o muito interessan-
te e riquissimo drama em 5 actos, por Mr.
M. Aniceto Bourgeois e Albert.
Magdalena.
Distribuido.
Personagens e actores.
Lamberto, cura da aldeia de.... -- O Sr. J. A.
Costa.
Vctor de Franchevilla- O Sr.L C. Amodo.
Ceo-ge Landier O Sr. J. J. Rt-zerra.
Andr -OSr Luiz A. Monteiro.
Baptista Roussel OSr. Pinto.
Pedro ~ OSr. Joaquim Pereira.
Thomaz--0 Sr. Santa Rosa.
Ambrosio -- O Sr. Raymundo.
Antonio, ao servico de Vctor O Sr. Un-
iendo.
Um porteiro do tribunal de Tolosa N. N.
Madama Franchevilla 1 senhora D.Carme-
la Lucci.
Magdalena -- a beneficiada.'____________
iara-
uiii.i
o Ilotel-de-Ville, oa dous mascarados
rain elles liesitivam em seguir a longa
dos caes ou em atravessar pelas ras que iain
dar 110 quarteiao de San-llonorato.
Para onde me conduzein os senhores?
perguotou-lhes Pompeo.
Para o palacio Cardeal, onde nos espera
sua eminencia.
Que/ sua eminencia se digna de oceu-
par-se com semelhanles bagatelas? objectou
Pompeo com um riso constrangido.
Sua eminencia lem reservado para si o
direito de soberana jusilca oeste bello relnu,
he a ella s que o senhor responder, diise
a Pompeo o primeiro mascarado moslrando-lhe
lux do lampio a bolsa que examinava.
Palavr.-i de honra disse Pompeo, nao
peniava que se podesse lser tanta bulba por
una bolsa '
Kiiieudc de krazao ? sabe que armas sao
estas '
_ Nao, com todos os dlabos I dou pouco
preco s distincedes, pouco me impurtam os
bordados de um aacco de escudos, o fundo he
que me interessa. Permitan! smente que
Ihes diga, senhores, que rerompensain mal na
minha pessoa o mrito e a coragem. Com ef-
i'i'iiii de que se trata .' de urna dama que sal--
vei, e que me deu o que anda agora me foi
tomado.
O dinueiro de um aecusadu, meu bonra-
I ara o Cear saho con muiu brevida-
do o hiato Angelica,que j tem parte da car-
ga, e para o resto trata-se na rul da Cadeia
do Recife n. 49, primeiro andar, ou 00 tra-
piche do algodSocom O meslre.
Para o Rio da Pnla segu impreteri-
veimenle at o flu do correte mez, o pata-
cho orientel Leopoldina de bol marcha :
quem no mesmo quizer ir de passsgem, di-
rija-sea Amorim & IrmSos, ou na praca ao
capillo.
Para o Ancaty segu it o flm di pre-
sente semana, o hiate Ligciro, por ja ter 1
maior parte da carga ; para o resto e passa-
geiros trata-se na ra do Vigaho n. 5.
liii de Jiineiro.
O hem conhecido patacho Va-
lente, segu com muito brevidade,
por ter j aiguma carga prompta :
para o resto, escravos a (rete e
passageiros, para o que lem boni
commodos, trata-sc com os con-
signatarios Novaes & Companhia ,
na ruado Trapiche n. 34> ou com
o c ijiitao na praca.
Para a Baha.
Segu com brevidade a veleira
e j hem condecida escuna nacio-
nal Adelaidc, que acaba de che-
gar da 1 ihia : quem nella quizer
carregar, pdedirigir-se a ra di
Cadeia Velha n. a3, oua do Tra-
piche Novo n. 16, segundo andar.
Fteta-se para qualquer parte a veleira
polaca brasileira Ult'ice, forrada e pregada
do cobre, prompta de tudo 1 quem preten-
der pJe entender se com os consignatarios
Amorim o. irinnos, na ra da Crux n. 3.
ai_____ -. U____JaaaTaMBMMWBWM
Leilfto.
Miguel Carneiro, far leil.lo por inter-
vcncSo do agente Itoberls no dia sexta-
feira 22 do correntnis 11 horas da mandila
no seu armazem na ra do Trapiche n. 38,
de mobili-is lano para sala como pan
quirtus, ssli de jantar, cusinhs etc. etc. as-
sim como vidros de diversas qualidides,
candieiros para sala, aparelhos de metal se-
mentante a prata, a nutres mullos ohjectos
que nSo deixarSo de sorem arrematados.
Avisos diversos.
-- Deseja-se fallar com a senhora Maria
Feliciana de Jess, ou com algum de seus
lilhos : na ra doRangel 11 64.
Aluga-se u-via casa em Olinda, na la-
deira da Misericordia n. 12 : a tratar em O-
linda na na de Mathias Ferreira n. 28.
Precisa-se do urna morada de casa, a-
inda mesmo com poucos commodos, com
tanto que tenha quintal murado, cacimba e
I nrt.lo, sendo na iloa Vista, ou em S. Anto-
nio : quem tiver, annuncie._________ ____
UUH:
ridade desigual sobre a calcada. CnegandoAdosenhor, perlencc sempre i jusllfa.
Sim, como a bolsa do passageiro perten-
ce ao ladran, disse Pompeo com ironia.
__ Senbor Pompeo, replicou o mascarado,
conhecia essa dama ?
Pela primeira vez- esta nolte ouvl pro-
uunciar o seu nome.
Os dous malcarados c Pompeo tloham loma-
do o caminho das mas como o mais curio, c
iam ento passando pela igreja doa padres do
Oratorio na ra de fan-Honoiato. Ambos se
aproximaran! laallnctivaitienle delsando Pom-
peo ir adiante.
Ter-ae-bia o senhor engaado, disse ao
01,1 o r o que levava o lampio.
De nrnhum modo, calamos na pul de
urna descoberla Importante. Smeola leinos
de tratar com um homem lino e sagas, elle
negar at i morte que eata bolsa pertence a
duqueza de Fornaro.
Or enlao que sio estas as armas da du-
quesa ? .
Seguramente sao aa do duque de J-oma-
ro, seu'marido, unidas s della, bem as re-
conbeco. .
Nesie caso, o senbor seria levado a erer
que este Italiano he um dos faniliares da du-
queza ?
Pouco importa Isso, o que convem eacla-
recer be que a duqueza eal oceulta em Parla
com o nome de condessa Aiviozi...
( Ci>nl,mnr-i(.*i. )
*



55
lotera
MATRIZ 11.1 BOA-VISTA.
As rodas desta lotera andam no
dia 16 do corrente, infalivelmente,
no consistorio da mesma matriz ,
seja qual for o numero de bilhetes
que fique por vender. Jos Tei-
' xeira Basto, thesoureiro.
A pessoa que annunciou querer von-
der, um escrvospaleiro e bolieiro diri-
jase i ra do Crespo, n> loja do Jos alen-
des de Fre tas, ou as ra da Sonzala Nova n.
49, que adiara com quem tratar, ou annun-
cie a sua morada.
Precisa-se de urna cosinheirs livre, pa-
ra casa de homem solteiro na ra .Nova
n. 49.
Aluga-se para so passar a feta, ou por
anno, um sitio na estrada de Jo3o de Bor-
ros com casa duas cacimbas, camboi,
agoa e bastantes arvoredos de fructo : a
tratar na ra da Cadeia do Recita n. 30.
-- Urna pessoa cuja conducta he bem co-
nhecid. nesta pra(a, e lendo bastante pta-
tica do agricultura, se olTerece para admi-
nistrar qualquer ongonho,que no seja mui
distante desta cidade, para o que possue to-
dos os conhecimentos neceasnios, o que
unido ao maior zelo e actividade, espora
complolameote satisfazer aquello que do
sou preslimo se quizer utillsar : a quom
conrier, dinji-se a ra Velha da Roa Vis
la, casa n. 83, mu achara com quem tratar.
Aluga-se urna rasa noCarhnng, cotn
bastantes COO)DO los, para se pasiar a fesla:
a tratar na ra do Cano n. 42.
~ Precisa-so de 4 ofilciaes de charuteiro,
que ic,im 500 charutos, paga -" 20 rs. por
cento : na ra do Noguoira n 19, segundo
andar.
O crelorosdo fallido Leopoldo Jos da
ff Costa Araujo, residentes nesta cidade, Viei-
ra Amorim i Filho, Oliveira Irm.los & Com-
panhia, Antonio Ignacio de Medeiros, Jo3o
lavares Cordeiro, Amorim & Irmos, JoBo
Leite Pita Ortigueira, Manuel Ooncalvos da
Silva, Russell Mellors & Companhia,Jos Ro-
drigues Pereira, Deane Youhi Companhia,
Antonio Francisco da Silva Carrico. Anto-
nio Joaquim de Souza Riheirn, Novaes Companhia, Manoel Joaquim Ramos e Sil-
va, Manoel Jos Riheiro, los Cypriano de
Moraes Lima, Jacinlho ElesbSo, Cietano da
Costa Moreira, Jos Antonio da Cunda & Ir-
mSo, e Antonio Gomes ; Marcelino de Sou-
za Pereira de Brito.em Lisboa; Antonio Fer-
reira da Silva Santos, no MaranhSo Novaes
& Passos, no Rio de Janeiro ; Araujo & Car-
valho, na Babia; Manoel Ferreira dos San-
tos Magano, em Santa Catherina ; Antonio
Ferreira da Silva, em Sanio*; Manoel de
Souza Comes, Manoel Jos Rodrigues Valla-
dares, e Francisco Jos da Costa Araujo, no
Rio Grande do Sul; cotnparecam por si ou
por seus procuradores bastantes, na casa da
residencia do l)r. Jos Raymundo da Costa
Menezes, juii municipal suplente da se-
, gun la vara o do commercio, ra da Madre
de Ueos n. 1, do hairro do Ricife, no dia 33
* do corrento mez pelas 2 horas da larde, aflm
de deliherarem sobre o rccolhlmcnln do
producto dos bens arrematados, ao banco
desta cidade, e Iratar-so de ludo mail que
fr conveniente a massa fallida 0 escrivo
interino, Manoel Joaquim Bapiista.
Desappareceu no dia t9 do crrente, as
5 borasda larde, um moleque, creoulo, de
nome Mximo, que represla ter 18 a 20
aunos de idade, com os signaos seguintes
baixo, com falla fina, tem pequeos signaes
pelo rosto que parecen ser espinhss, rosto
pequeo, e caboca redonda: levou camisa
, o calca de algodao trncalo de listra, e bo-
net de panno ja velho : roga-so as autori-
dades policiacs, capitfles de campo, e aos
senhores embregados do registro do porto,
t ou qualquer pessoa do povo,o apprehendam
e levem-o a ra larga do Rosario,botequim
n 27, que so recompensara com generosi-
dade.
-- O bacharel Antonio do Brito de Souza
Garyoso.seguo para o MaranhSo no vapor se-
* guinte, levando em sua companhia seu es-
era m iudugerio.
Gratiflca-se generosamente a quom ap-
prehendero escravo de nome Benedicto, de
naci Costa, com os signaes seguintes :
estatura alta, sarco do corpo, cor bem pre-
ta, com principios de barba ; levou camisa
dealgodfioj velha e bastante sujs, calca do
mesmo, e chapeo do palha j ussdo; foi es-
cravo de Sr. Teixeira no Manguinhn, e nes-
se lempo vendia pScs no lugar da Capunga e
Ponte de Ucna quem o apprehender diri-
ja-ie ao aterro da Boa-Vista n. 66, que re-
ceber boa graiilieacHo.
Vai a praca do IIIm. Sr. !)r. juiz de or-
pbSos, na residencia do mesmo senhor, na
w ra de llortas, quinta-feira 21 do corrente
mez, as 4 horas da tarde, pelos alugueis por
lempo de um anno, um sitio com casa nn-
hre, junto a Sanl'Anna.o antes da estrada da
Casa Forte, toda envidracada e decente,con
inultas accommodaces pertencente aos
lierdeirns do failecidu Francisco de Borja
dos Santos Pinheiro, sendo a ultima praca
no da28do corrente: os prctendentes po-
deraodirigir-se nos referidos das ao indi-
cado lugar, estando o escriplo na mSo do
porteiro dojuizo.
Jacinlho Ferreira Ramos, retira-se para
Poitugal, para tratar de sua saude, no pri-
.'. meiro vapor, e quem tiver comas com elle
rlirija-se a ra das Agoas Verdes n 62, pri-
meiro andar.
.. D-ee 350,000 rs. a premio sobre po-
nhnres: qoem precisar dirija-se a ra larga
do Rosario n. 40, que se dir quem d.
t, Resgosta ao justicoirodo Diario n. 236.
A respeitavel M........ L......... recusa |ser
almiitida no theatro de Santa-lzahel, por-
que o tolo Cyrillo nao pode acompanha-la, e
ao mesmo lempo a sua modestia tem pavor
de alguna applauso de inranleria, no que
faz muilo hero, e continu a venders suas
cocadas, e evite o palco sceoico porque os
seus oiembros j quebrados de Torcas, po-
riem perder o equilinrio.e ir aterrar a cma-
ra ptica.O N... ministro do interior.
Quem annunciou precisar de 700,000 rs.
com hypolheca em urna casa,dirija-ae a loja
n. 2 da travessa do Padre Floriano, que se
dir quem d.
as pesoas quo tem penhores na mSo
de JoSo Albe'lo Souzi Povoas, hajam de li-
rarem no praso do oito dias, senSu serSo
vendidos para seu pagamento; eo Sr. S. I.
B. C. haja de tirar tambem o seu relogio
que tem empenhado na mSo do mesmo se-
MAL DO DR. JARE,
TRADUZIDO EM l'OKl' Mi:/..
16,ooo rs. de assignatura.
.Saino a luz o primeiro volume desta obra,
a melhorde todas em seu genero : o nico
verdadeiro livro, por onde se pdeestudare
-- Precisa-so de urna preta, para vender
na ra toda qualidade de venda : quem a ti-
ver, dirija-so a Fra de Portas na ra do
Pilar n. 126, ou annuncie sua morada para
ser procurado.
Precisa-se de um caixeiro para venda,
que saiba ler e escrever, de 14 a 16 annos :
na ra do Fogo, venda n. -90.
-- Para que naoaeprJssa allegar ignoran- pratlcar a bomeonathia. Esta ntidamente
ca, avisa-se que nioguem faca contracto al- impresso em excedente papel, com todos os
gura sobre o sitio da estrada de Joflo de signaes que contm o original para denotar
Barros, snnunciado por um terceiro no a diflerenca do talor dossymptonias.
Diario de hontem (20) para aluga-lo; o qual Continuas asignatura no consultorio ho-
sitio foi arrematado poroutra pessoa no dia meopathico do CnvMoscoso, onde os sonho-
16, em praca publica dojuizo da segunda res assignanles podem mandar receber os
vara, escrivSo Cunha. so"s exemplares ..,.. ..
Quem annunciou precisar do 750,000 No mesmo consultorio ha todos os medica-
ra, a premio de um por cento ao mez, por mentos homeopathteos VERDADEIROS : as-
espacode2annos, pagando os juros men- sim como ricas carteiras, e reformam-se
salmontc, sob hypolheca em una casa ler- quaesquer boticas, cujos medicamentos se-
res nesta cidade : dirija-se a ra da Cadeia ram falsos, ou deteriorados.
do Recife n. 24, onde se dir quem faz o ne- Ueos ilispcm.
gocio pretendido, agr lando a casa. Acaba de chegar do Rio de Janeiro, tri-
Roga-se aos senhores Antonio Soares duzidoem porluguez o excedente romance
leCarvilho, Albino Antero de Souza Res, de Alcxandre Dumas, que tem Ululo Dos
e Folix Antonio da Silva Carvalho, teoham DispOem, vendem-se na livraria da praca
a bondade de apparecerem na ra estrella t independencia n. 6 e 8, a 8,000 rs., cons-
do Rosario, loja de miudezas n. 2 A, a ne- lanao de 6 volumes.
gocio que Dio ignoram. _. constando-me que a minha escrava de
-- Aluga-se a pequea loja do sobrado da nomoGertrudes, naco angola, de idade 26
ra de S. Francisco n. 8, nao tendo commu- anD09i cor muilo prela, olhos grandes, ps,
nicacSo alguma para o quintal: quem a qui- e m30g pequeos, estatura baix, disdenta-
zer alugar, dirija-se ao mesmo sobrado, que a na frente do lado de cima, e peito de
dando fiador da sua conducta e bom com- p0D1t)o; se emeaminhara ba quasl dous me-
portamento, asim como do aluguel, lhe se- zes p,rl 0 engeuho de Fragoso, aonde a di-
rao dadas as chaves. \g escrava Gertrudes dizia ter urna comadre
Precisa-se de urna ama de leite, para ( pre(a) ug ao Sr. do dito engenho que
acabar de criar um menino : na ra de S. por favor, no caso d'ella lhe aparecer no seu
Rita n. 97. engenho; quo ma mande pegar e remetter-
Oabaixo assignado faz sciente, que o n,0j a casB de minha residencia ni ruada
Sr. Antonio Rodrigues Pinheiro, deixou de aurora n. 52, pagando eu, as necessarias
ser seu caixeiro, desde o dia 6deoutubro despezas, de cuju favor Iho flcarei obrigaio.
corrente. Manoel Cancio Pereira dos Adverle-se que a dita preta foi escrava do
Santos. finado Joaquim da Liogoela, e comprada ora
Aluga-se urna grande casa na Passa- |e|5o puD|ico quo rmndaram fazer os her-
gem da Magdalena, travessa do Remedio, Jelros do mesmo Joaquim da Lingoeta pelo
c tem com modos para grande familia: quom corretor, oSr. Oliveira, e dizem quo se tem
a pretender, dirija-so a travessa da Madre vjs(0 tambem a referida escrava, na cidade
de Dos, armazem de couros salgados, a delinda, e no mesmo lugar nos Arromba-
fallar com Francisco de Paula Queiroz Fon- dos em certa casa quesera logo corrida e
seca. o ladrSo sofrer as penas da lei.Francis-
A pessoa, quo na matriz da Boa Vista, co J( s6 Barboza.
na noute de natal de 1851, perJcu urna obra prt.cisa-se de dous a tros meninos, pa-
de ouro, so Iho ontregar a mosma : na ra ra se ensj|,ar 0 officio de ourives, que le-
da ClO'ia da Boa Vista n. 62, dando signaes,nnam boa capacidade : a fallar na loja de
convenientes. oTirives, da ra da Cadeia do Recife, ou na
Pcrdeu-so desde a praca doCommer- ra docabugn. 12.
ci, at ao aterro da Roa Vista, umembru- .- Alugam-so negiBS para vender na ra,
Iho com duas sedulas do 200,000 rs., urna do paganJo-so conformo se ajustar : na ra da
100,000 rs., una de 50,000 rs., duas do 5,000 (jaleada, venda n. 2, se dir quom quer.
rs., e tres do 1,000 rs.: quem as achar.quo- .. prCcisa-se do urna ama, quecosinhee
rendo fazer a esmola de entregar, pode licar engomme : na rui da Cruz do Recife n. 43.
com m(ade, annuncian ioJ ou dirigindo-se .. prl.cisa-so de um proto, para andar com
um taboleiro de fazendas : em Fra de Por-
tas, venda n. 145.
*> *** ****?. *'f!^**
Alugam-se e vendem-se bixasna A
praca da Independencia n. 10, con- fl)
Na ra da Cadeia do Recife n. 49 pri-
meiro andar arrenda-se annualmonle um
sitio, exige-se que este seja ou na ponte de
Ucboa, ou em outro qualquer lugar em ro-
hcSo aquello, exige-se mais que haja ba-
nho, e baixa decapim : quem o tiver diri-
ja-se ao lugar cima mencionado que acha-
ra com quem Iratar.

;>
>.
<
a Jos Antonio do MagalhSes Basto.
AO PUBLICO.
Nos abaixo essignados, assignatarios do
convenio e nomeadores da commissflo
oleita para chegar a um accordo com a as-
sociacSo de logistas, avista do final do com- S fro"nYe a raidas Cruzes.
municado, publicado no Diario de boje,
a Com esta publi-

da Boa
Aos
conforme o adianlamento da empreza em f I{|lete-.'
pequeas preslacOes durante o espato de
alguns annos. Alfredo de Uornay.
Deseja-se saber o lugar onde se acha re.
sid.ndo o Sr. Manoel de Frailas GuimarSes,
filbo do Anna Joaquina de Freitis Guima-
rfies, ambos uaturaes de Portugal, para ne-
gocio de interesse.e tendente ao mesmo Sr.:
qaem delle tiver noticia ou souber, tera
bondade de se dirigir Travessa de S. Pe-
dro, casa n. 2, i fallar com Francisco Joa-
quim Gaspar.
Lava-se oengomma-se, com muita per-
feic.lo e asseio : no pateo da Ribeira des.'
Jos n 15.
da matriz
O consultorio homcepathico da ra
9 do Trapiche Nova numoro 15, dirigido
pelo Dr.Pires Ramos Jnior, foi trans-
9 'orillo para a ra da Cadeia do Recife
9 n. 41, no segundo andar, por cima da
'? loja dolllm.Sr. JoSoCardozo Ayres, V
9 onde j foi o consultorio do Sr. Dr. *
com medicamentos homoaepathicos, V
tubos iivuieos, tinturas de qualquer t)
HONEOPATHIGA.
28 RA DAS CRUZES 98,
9 Dirigida por umphnrmaceulico ^
approvado. 41
Esto ostaboleci ment possue todos ^
os medicamentos at agora experi- 4
mentados, tanto na Europa como no 2
& Brasil, e preparados pelas machinas s
!) da invencSo do Dr. Mure. 10. Carteiras de 12 tubos at 160, por ^
> procos vanaveis, conforme a quali- ^
a> dad das caixas, a quantidade dos re- %
a> medios e sussdynamisacOes. -4
* Tubos avulsos (cada um; 1/000 #
* Tinturas de todos os medicamen- 2
i tos em frascos de 1 jS onca 21000 2
%. AVIAM-SE GRATUITAMENTE 2
a> para os pobres,todas asreceitssque 2
9- paraali mandar qualquer professor. ^
AakAA*AAa1lAAA:AlllAAl!fc4llAftAA4j# ejexperimentados pelo Sr. Dr.Sabi-
Na ra do Livramento n. lOsobrado, se ]# no na sua longa clnica, sendo os re-
dir quem d dinlioiro a juro, e quem com- 9 sultadosos maisfelizes; ludas as car-
pra duas casas terreas e um sobrado.
Precisa-se de um bom cosinheiro, for-
ro ou escravo, na ra da Aurora n. 8, se-
gundo andar.
-- Na ra da Cadeia do Recife n. 60, pre-
cisa-ss de dous criados, seo lo nm copeiro
e oulro estriheiro, ambos forros.
Precisa-se de urna ama de loite, forra
ou captivr, para criar urna menina do 3
mezes : na ruado Livramento n. 14.
Precisa-se de urna ama de leite, pari-
da do pouco tempo, esem filho : na praca
da Indeocndencia, livraria n. 6 e 8.
Roga-se ao Sr. empresario do theatro,
que tenha a bondade de fazer com quero-
presente, a mui distincta artista brasileira
asenhora D. Mara Loopoldina, com o que
far honra ao mrito, o abrilhantar sua '
emproza. O Justiceiro.
' I 000 5
" ,'??.*"f 4?. Recife n. 24, loja de
cambio do Vieira da Silva, acham-se a "ven-
<*#<*|r4Vfc'la os muilo afortunados bilhetes, moios ,
aai \ n -. la___:_ ^._______Ih! n -i 4 na ^ak I mliplnn .mnil". I r>n! ... b._ ______I______-a _
dinamiss(9o, e tambem se refazom
aquellos queestiverem deteriorados.
Propagandas homoDopalhicas do lllm.
Sr. Dr. Sabino, pelo proco de 1,000 rs.
cada cxemplar. Estes medicamentos
sSo preparados (com todo o cuidado,
teiras que sahirem deste consultorio
levarBo a firma do Sr, Dr. Sabino. As
consultas sSo das 8 horas do dia at
as S da tarde; depois destas horas so
o podero procurar na ra da Cruz
9 do Recife n. 50, segundo andar.
Compras.
Comp'am-se accOes da companhia de
Beberibe, no armazem da illuminaca >, no
beco do Carioca : a fallar com o major An-
tonio da Silva Gus-no, as 9 horas da ma-
ntilla de todos os dias utels.
Cnmpram-se 500 garrafas vasias, e pa-
ga-se a 5,000 rs. o cento: no pateo do Car-
~ Na ra do Crespo n. 10, deseja-se fallar 1 mo, vonda nova n 2
com o Sr. Martinho da Silva Costa, ou com
alguem que faca suas vezes, a nogocio quo
lhe diz rospeito
O cautelista Salustiauo de
Compra-so urna morada de casa terrea:
quem a livor dirija-se a casa junto ao tabo-
li;iii Cuelho, na ra do S. Francisco.
Com;>ram-so dous ornamenlos sellas-
te para dize missas, pe'ra, calix, e mis-
sal, lulo ni bom uso : na casa do sachris-
nos seguintes tormos
cac3o julga a associaQo commercial dos lo
gistas ter demonstrado o desojo quo nutro
de por termo ao conflicto quo existo enlre
ella e os senhores importadores, e que a
continuac.lo delle he s devida renitencia
da commissSo e dos senhores signatarios do
convenio. D'claramos a quem intoressar
le a continuaclo do conflicto nSo he devi-
da renitencia da dita commissao, pois que
ella nilo so achava revestida de poleros
para propor nutra cousa que n3o fosse cou-
ti la nos arligos ns. 1 a 6, publicados no
mesmo Diario, e que da acceitacHo destes
pela commissao do logistas dependa o ac-
cordo do que se tratava Recifi 20 de ou-
tubro do 1852 -Jones PltOO & C, Geo:
Kenwortiy & C, ppro : James Ry ler G ,
Ceorge P. Collier, C. J. Astley & C ppro :
Adamson llowio & C. John Calis, llistron
Itooker C Johnston Pater < C Richard
Royle, piro: Deane Youle & C, \V, Grain-
ger. Ilenri Gibson, Me. Calmonl & C Fox
lirolhers, Augusto C. de Abreu, Aureliano
de Aloo i la Rodrigues Isaac.
Aluga-se o segundo andar da casada
ra Nova n. 21, quem a pretender pode pro-
curar na rua do Quoima lo loja n. 10.
Precisa-se aluijar urna ama que lenha
bstanlo leite c sem lilho : na ra do Crespo
n. 10
O Sr. Joaquim Pereira da Silva, co-
nhccido do Sr. Antonio Jos Teixeira de
Castro, com botica na ra do Queimado n.
36, queira mand*r pagar o Diario, visto que
o mesmo Sr. Castro,quo recebe a folha,
diz quo nao sabo quem ello seja.
Recebem-o escravos por commissao
de 2 por cento nicamente, sem mais ou-
Ira qualquer despeza, olTerecem-se as ga-
rantas precias ; assim como tiram-se pas-
sapories para dentro e fra do imperio, e
ttulos de residencia ; na ra estreita do
Rozario n. 28, segundo andar. .
- Os Senhores Manoel Freir I). M, Mello,
TristSo Goncalves d'Aloncar Nepomuceno, e
Dr. Antonio Joaquim Ayres do Nascimcnto,
auzenle Miguel Archanjo Posthumo do
Nsscimento teem orlas vindasdn Aracaty
na ra da Cadeia do Recife n. 49, primeiro
andar.
^ COASUTORIO HtIMEOPATIIICO. 9
ig Ra do Trapicho n. 9. t-
) O Dr. Casanova, estn lo de volta da (
% Franca, tem aberto o seu consultorio
9 na ra do Trapiche n. 9,no Hotel Fran- v
% cisco, aondo da consultas gratis aos
4 pobres todos os dias. 4
O bacharel Pedro Gau nano de Ralis e
Silva, mudou sua residencia e escriptorio de
advogacia para a ra de S. Francisco, sobra-
do n. 68, onde o podcr3o procurar as horas
do costume.os que se quizerem lervlr de seu
preslimo.
Aluga-se por preco commodo, urna ca-
sa em Sanl'Anna, com commodos para una
grande familia, baixa de capim, estribara
para qualro cavallos, e cocheira: a Iratar
com l.uiz Gomes Ferreira, noMondego.
- Precisi-se de urna negra cosinheira,
piefere-sc captiva pagan lo-se mensal-
mente ; no aterro da Boa-Vista, loja n. I.
V y V V W 'V V v V V V v' v V V y f V
> l'aulo Gaignotix, dentista. *
9 l'niU- ser procurado u qual- ^j
gi <|licr hura Clll -na cnsa na ^
j. i na lana I ICn/.aii ) 11. :tl>. |^
s> soguiulo auilai'. 9-
AAA^AAAAAAAAAAAAAAAAAA
-- Precisa-se do uma ama para o servico
de casa o decompras,sondoboa paga-sebem;
na ra do Padre Floriino 11. 5, sobrado da
quina.
Itoga-se aos senhores Joaquim Leal,
morador no Arraial, o Manoel Marinho Ca-
valcanli, Domingos Jos oares e Jo3o Ca-
Icanll de Allmquerque,morador em Abreu
de Una, de irem a ra do Crispo n. 13, a ne-
gocio de inleresse.
Arrenda so o silio Zongu em Apipu-
cos COID excdiente casa do vivenda (sobra-
do; inargem do lio Capibanbe, estribara,
grande plantacBo do capim, terreno pro-
prio para otaria, o porto de embarque: a
tratar com a proprietaria na ra du AragSo
n. 12 primeiro andar.
precisa-se de 750/000 rs. a premio de
nbor.
- Pede se aos senhores iscaes, que se
dignem lancar suas vistas de piedade sobre
o asucir refinado, que muitas vezes tem o
cheiro de caes o ortos, oque prova os maos I por cento ao mez, por espaco de 2 annos,
mixtos que se emprega em sua refinacBo. pagando se os ju.os mensalmenle ; sobre
Aluga-se urna csa teirea, propria pa- hypolheca em urna propr.edado de casa tr-
ra qualquer est.belecimento, na ra larga re. fela a moderna en. uma das melhnres
do Rosario n. 3 : a tratar na prar,a da Boa-1 ras desta cidade : quem qu.zer dar annun-
fJgtan.tJj, ; ce para ser procurado.
Jsrdim das Dumas.
Peridico do inslrucr;ao e recrcio para o
bello sexo.
Sabio a luz o numero 10 deste peridico
dividido em duas partes, uma instructiva,
outra recreativa, com 8 paginas de texto
cada uma, formato grande. Acompanha-o
uma ostampa grande, contondo lindos ris-
cos do bordados e labyrinlos. As assignalu-
ras recebem-se na ra eslmta do Rosario n.
28, primeiro andar, a raz3o de 2,000 rs. (pa-
gos ,1 leuda luj por serie de 6 nmeros.
- No Bazar n. 4, ra do Vigaio, so acha
presentemente umsortimento grande do fa-
zendas francezas e mgleas.as quaes se ven-
dom a rclalho ou em porcOes ao gosto dos
compradores, polo pre(0 de atacado ; lam-
bein sa acliam mantas de liulio multo lin-
das para montara, palitos feilos, uma ma-
china galvnica, minio lindos quadros, uns
pintados a oleo o outros do estampas, dous
cabriolis inglezes, um dos quaes se vende
con cavallo ou sem elle, e mutos mais ob-
jectos que por falta de espaco n3o se pode
particularisar.
I'recisa-se de uma mulher do meta ida-
de, para ama secca de ama casa de pouca
familia, que cosinhe o engomme : quem es-
11 ver nestas circunstancias, diiija-se a ra
da Praa, sobrado n. 49, primeiro andar.
--Lava-se c engomma-se com tolaper-
I 'ic;.'.n, mais barato que nm outra qualquer
parto e com toda presteza, por mais pre-
ciso que seja: na ra da Guia o. 29, primei-
ro andar.
-- OfiVrece-se uma ama branca, do boa
conducta, para serrir em casa de homem
solteiro, ou de pouca familia i na ra do
Cabug n. 16, segundo andar.
A abaixo assignada, rclilica o annuncio
que fez em 1816, que a quem ella dever fo-
ros de casase de sitio, que vam receber na
sua casa na ra .lo Livramento n. 6, segun-
do a 11 lar, no dia que se vencer o anno.
Joaquina Mara Pereira Vianns.
~ Arrenda-se uma propriedade, sita na
ra da Florentina,contigua a do Sr. lloran-
ger, com uptimas proporedes para neNa se
fundar qualquer estabelecimento em ponto
grande, portar bstanle extensSo, a porto
de embarque pelos fundos: quom a preten-
der, polo ir ve-la,ontendendo-se com o mo-
rador da esa n. 16 da dita propriedade. o
qual dir com quom se dove Iratar de qual-
quer ajuste.
11 sr. 1; il lino Joaguim de Barros, tem
uma carta na ra da Cadeia n. 40, em casa
de Manoel da Silva Sanios.
-- Precisa-so de uma ama, forra ou es-
crava, boa costureira, e para tratar de me-
ninos, para uma casa estrangeira de pouca
familia; na ra da Aurora n. 8, segundo
andar.
lie-tannuil Trancis.
Se Sieur llebrard Jaloux de ne rion lais-
ser a dcsirer aux amateurs de la bonne cul-
sine, a l'houneur de rs prevenir, qu'il vient
de prendre des arrangemenls avec Monsieur
Albert avanlagcusomont connu, comme bon
e nsinirr et patessier. La position du local,
los roaaralions faites a l'etablissement, la
direclion de la cuisine confie aux soins du
sieur Albert sont un garant cortain d'attirer
>s amateurs. Comme par le pass ou trou-
vera lous les jours de quoi se reslauror el
on sera servir a la minute. Les p rsonnes
qui desireront que le sieur Albert se trans-
porte a leur domicile soit an ville ou a la
campagne, sont pries de s'adresser au res-
tauranl francais.
Partidas do mnibus.
No dia 20do corrente principia-
ran as partidas do mnibus im-
prelcrivelmrnto : do Apipuco, as
oito horas da manhSa, e da ra da
Cadeia de Sanio Antonio as cinco da tarde:
Aquino Ferreira, avisa ao respei-
tavel publico, que as rodas da lo- i:
teria da matriz da Boa Vista, an-
dam impreterivelmentc no dia 26
do corrente mez fiquem ou n3o
bilhetes por vender ; no dia 27 do
corrente mez, principia a pagar os
seus bilhetes e cautelas, premiados
da dita loteria, as lojas do cos-
tume.
Gasa feliz, na praca da Indepen-
dencia n. 3l>. i
Compra-se uma burra de fer-
ro : na ru do Trapiche, arma-
zem n. 1 '|.
Compram-se escravas oevendem-se, re-
cebem-se de commissao, tanto para a pro-
vincia, como para fra della: ua ruados
Quarteis o. 24, segundo andar.
Compra-so um violio em bom uso na
ra do Livramento n. 10 sobrado.
Compram-se escravos de ambos os se-
xos, para dentro e fra da provincia, agra-
dando pagSo-se bem : na ra das Larangoi-
ras n. 14, segundo andar.
Comprase papel do Diarios, para cm-
brulho : na traves-a das Cruzes n. 14.
Conijram-se escravos do ambos osse
Tendo do correr a loteria da Matriz da
lloa Vista, no dia 26 do corrente; fique, ou
nao bilhetes como annunciou o seu respec- Xi(J COn'naMiddes7ou sem ellas ; pagam-
tivothesoure.ro. O cautelista da casa aet- se bem g(jndo bonil8S na rua c3.
ma adverte aos amantes deste jogo, que ((osario n. 28, segundo andar,
quetram prestar toda altenc3o ao preco dos );ompra.se UQla arH111Qno envidraos Ja
bilhetes desta lotera, combinando-os com
os preros dos bilhetes da loteria do Hio, e
vorSo a diffnienca que ha a favor d'aqucl-
les : sondo as sortes iguaes.
Matriz Rio de Janoiro
Bilheto 10,000 Moio bilhete 11,000
Meio 5,000 Quarto 5,500
Quarto 2,600 Oitavo 2,800
Dcimo 1,100 Vigsimo 1,300 .
Espera portante o c.utellis,., que todos ^.^.Vloja n. 6oJ8.
Compra-so uma escrava. crcoul, ou
que seja moderna e sirva para loja na pada-
11. da ma Nova so dir quem.
Compra-so um milheiro de lolhas j ser-
vidas: quem as tiver, annuncie.
--Compra-se um braco do batanea em se-
gunda m3o quetenhi cinco palmos : quem
tiver dirija-se Una Augusta n. 3t.
Compra-se urna tipoia em bom oslado :
a praoi da Indepon-
quantoslgoslam deste jogo, deema prefereu
ca em primeiro lugar aos bilhetes da lote-
parda que saiba lavar, engomar o cozer com
nada provincia, por ser para beneficio, o ^rf.w3n .... .i Muela n. 25
melhoramenlo de um de seus molhores tem- Pnrl<-icg0 "a ruaaaiweia
Vendas.
pos, para os quaes devemos todos concor-
rer com influencia, o rigoroso dever. Na
roa Nova loja de chapeos 11 4, ha can tollas ^---------------------------------
da loteria da Matriz para so venderem ; a el- (J cautelista Antonio Jos
lal\ Alfredo dS Monay, empresario da es-! Rodrigues de Souzh .Jnior avisa
Irada de Ierro que se lem de construir na ao respeitavel publico, que a lo-
provincia del'ernambuco, convida as pes-, ., ,,,_:- .u T!na Vist rnr-
soas que por ventura desejarem obter ac- ter,.d d>mlr'Z a Uoa V isl-i cor-
gOes da respectiva companhia, a se dirigi-. re infalivelmente no da 20 do
rem ao referido emp.esario al o dia 18 di. prescnte mez, e aue OS seus bilhe-
mez de outubro prximo futuro, em casa ""'''' > 1
dos senhores Rotho Bidoulac, na ra do tes e cautelas, que se estao ven-
Trapicben. 12, no Recife, em carta na forma deudo Pelos precos abaixo, em sua
abaixo especificada. f\M
Sr.AlfrododeMornay. (loja de ferragens, na na do yuei-
Tendo-se de construir um caminho d- minio n. 3T A, junto ao becco da
forro aue nartindo da cidade do Recife /. -___________ 1.
.piodo pelos districtos mais .suca^: Congregacao ; na mesma rua Io-
reiros da provincia de Pernambuco v ja de ferragens n. 12 de JoSo
terminar na villa d'Agoa Preta confor- uor.|[s(l |tnrlrio-iiP4 Ae Sinm nn
mo as estipulacoes do contrato celebrado aptistl Rodrigues e aouza no
entre o governo imperial e V. e appro-'aterro il 1 lion Vista, loja de miu-
vado pelo poder legislativo, dirijo-me a dez9s n. A8 de Antonio da Silva
V. para o lim de obter ( ) iccfles de ti *
valor devinte libras esterlinas cada umal.usmao, e na rtn da < adela do
vinte libras no cambio actual de 27 1|4; jlecife, loia .le cambio n. 24 de
d. he igual rs. 176,150 ) ; e esperan-, ... ', JL,i 1 '
do que V. se sirva t?ansmittir a presen-, Vieira da llvd, sao pagos logo os
te declaracao directora da companhia premios, que nelles sahirem as
que se tem de encorporar para realisar a re-
lerida obra cumpre-me sigoilicar-lhe ult?l,s Mjw
n3o obstante o que lica exposto a uiloncao
em que estou de aceitar o numero de ac- ;
(Oes que por ventura houver do caber-me'
anda que menor seja do que a mxima aci- .
ma lixado. Por esla occasiao tenbo oulro
Bilhetes inteiros IO,6oo
Meios bilhetes 5,3oo
Quartos 2,din
Quintos 3,100
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Dinheiro a vista.
No aterro da Boa Visla, venda nova n. 49,
as pessoas que pretenderem asaignar via-
gens men^aes, dirijam-se a mesma rua da
Cadeia, cocheira n. 13, que acharan com
quem tratar ; sendo o preco das assignatu-
ras pagas adianladas.
Por um mez 24,000.
Por tres mezes 60,000.
Porcada viagem avulsa 1,000.
uoarta fcira 20 do corrente, he a ulti-
ma pi ac, 1 da casa terrea, sita as Cinco Pon-
tas n. 81, pela quinta parlo por quaoto foi
avahada, a requenmento do testamenleiro
inventariante, da finada Thereza de Jess
Ramos.
A Epochajornal de industria.scieucas, eslej
sim dedeclarar-lhe que me obrigo a pagar;
as respectivas preslaccs no lempo e pelo';
modo que a directora houver da determi-.
nar ; e niSo o fazendo dentro de periodo de ,
30 dias depois do notificado, lica desde j ,'
entendido que cessar lo lo o 111011 direilo
n8o s as aecos como tambem as presla- pintada de azul, vende-se oseguinte :
cOes quo tiverem sido pagas, cuja importan- Manleiga inglesa, libra 720
ca reverter em proveilo da companhia. Cha do melhor 2,240
Nome pur inloiro.............Dito 2.000
Dala..................... Dito do prcto 1,920
Moradia..................Espermaceto 720
Profiss3o................... Velas de carnauba 280
Anna Ferreira da Silva, autorisada por Toucinlio 3*0
provis3o do Exm. Sr. presidente, doutor Farnlia do araruta 160
Francisco Antonio Ribeiro, de 29 de julho Dita do MaranhSo 140
do corrente anno, tem aberlo na casa de sua Chocolate 320
residencia, na rua das Trincheiras n. 50, Painso, cuia 560
uma aula de instruccao primaria do primei- Milho alpista 800
o grao, para o sexo feminino: os p.ais de Azeite doce, garrafa 610
familias que della quizerem confiar suas O-1 Vinagre de Lisboa 120
Ibas, podcr3o dirigir-.se a mencionada casa, assim como assocar refinado o melhor pos-
a qualquer hora do dia, corlo de que a an
nunciante empregar todos os seus desvelos
em nao desmerecer do seu conceito.
--Aflm de saberem o numero de acefles
que convm comprar, da estrada de ferro
del'ernambuco, muitas pessoas teem per-
guntado quando, mais ou menos, ser pre-
ciso pagar a primeira prestarlo, e qual a
proporc8o do valor lolal das acees, se ser
esla prestado; e tambem a prestado
tempo do pagamento das outras prostaces.
Para a informacSo do todas as pessoas que
mo sallen, a marcha de companhias que se
formam para executar grandes emprezas,
lhe advino por meio desle, que a primeira
, prcsiacSo nao se paga at que a companhia
'" urganisada, no caso actual, prova-
lilleraliira ebellasartas,--vende-sea colk-c-j velrnente d'aqui a 4 prra 6 mezes) e que
cao, pelo preco de4000 : na rua da Cadeia [nSo excede de 10 a 20 por cento do valor
do Recife, loja de ferragem. 1 total de cada aejao ; e que o reslo se paga
sivel, tanto em libra, como em porcBo, a 100
e 80 rs., o outros mais gneros que se far
o prego a vista do comprador : na mesma
venda precisa-so alugar um tnoleque, que
seja fiel.
Vende-se a 1,600 rs. a sacca, com fari-
nha do Aracaty, para se fechar contas : na
rua do Amorim n. 36.
Vende-se, em Goianna, na loja de Ma-
noel Alves da Silva Cavaleante, no becco do
PavSo, folbinhas de padre, de algibeira, e
porta, para o prximo vindouro auno de 53,
as quaos esiao este anuo muilo inters-
sanies.
Vende-se um oreto creoulo, com 20 an-
nos de idade, e com principio de pedroiro :
na praca da Independencia n. 19.
Vendo se um preto do naco Angola,
para fia da Ierra : na rua do Queimado n.
67, loja de fazendas.
quartos, quintos, decimos o vigsimos, da
lotera da matriz da Boa Vista, cujas rodas
andam impreterivel no dia 26 do corrente
moz, llquem, ou nao bilhetes por vender :
sdvertindo, que ellas sao do cautelista Sou-
za Jnior.
"X Vendem-se pentes do tartaruga da mo-
da, de marra fas, faz-se qualquer obra deste
genero, tanto nova, como de concert : na
loja de tartaruguejro do pateo do Carino n.
2, sobrado da esquina que volta para a rua
das Trincheiras.
Continua-se a vender mantoiga ingle-
za nova, a 480 e 560 rs. :'no pateo do Carmo,
renda nova n. 20
AttencSo.
A nova taberna da rua da praa de Santa
Rita n. 43, achando so prvida do bons g-
neros, e tendo resolvido dar a clles estra-
gan com um mdico lucro, declara que na
mesma se vende o seguinte : louca pinta-
da como seja tigelas, pralos. servidores, ba-
cas brancas o piuladas, cafo em gr3o, a 140
S rs. a libro, vinagre, a 80 rs. a garrafa, azeite
r doce, a 560 rs. dita, di 10 de rarrapato, a 24o
rs., loij.i 1 novo, a 400 rs. a cuia, arros pila-
do e de casca, milho,licores da terra.e finos,
e outros muitos gneros: quem pois se qui-
zer convencer da verdado da barateza dsses
genoros, dirija-so a dita taberna.
Vale apena ler.
Na fabrica do chapeos n. 2, junto ao a'co
de Santo Antonio, sn acha um grande sorli-
mento do chapeos o bonets de diversas qua-
lidad's o de bonitos goslos, chegudos de
Franca, o timben chpeos de Braga,do Por-
to c de Lisboa de dnl remes gostoscquali-
dades.como sejabadajoosatalaveira.janotas,
e muitas uutras quahdades, chapeos de Ita-
lia o bonets do mesmo; o muitas outras qua-
lidades de chapeos e bonels fabricados no
paiz.
Madamo Lacazo, com lojade rclojoeiro
no aterro da Boa-Vista, participa ios seus
freguezes que acaba de receber um sorti-
mento de lindosrelogios de ouro,piala,pra-
ta dourada, prata fulbada de ouro, que se
veodem por preco que h3o de agradaren! aos
compradores. Aproveila-se da mesma oc-
caajSo para lembrar ao publico que concer-
ta com tu la a perteicSo qualquer relogio
quer de mes, quer de parede, ou de algi-
boira.
Cheguem rapasiada.
Na loja pernimbucana da rua largado Ro-
sario n. 44, ha grande sortimento de luvas
de pelica para meninos e meninas, a 1,000
rs., para senhoras e hooiens, a 1,000 rs,, di-
las multo lina- com enfeites, a 2,500, ditas
detorcii para senhoras e meninas, dilas do
lorcal, a 2,000 rs ricos pentes de tartaruga
abertos para atar c.bello, a 4,800, ricos bo-
tos do madreperola de tamaito da cabeca
deum allinete, pouen mais ou monos, a 80
rs. a duzia, riosis agulhas francezas em cai-
xinhas, a 280 rs., agulhoiros do vidros.a 160
rs filas do veludo abortas o fechadas, a
1,000 e eiO rs., ricas fitas do se la lavrada, a
800,610, 400, e 200 rs., rendas do hubo, o
outras mais miudez S, por preco commodo.
QJ-- Na loja peinambucana da rua largado
Rosario n. 44, vendcni so Imli s de marca
azul e encarnada muilo linas, .a 320acaixi-
nha, lita de soda estrotti, a 300 rs. a peQi,
botos de louca, a 200 rs. a prosa, pennas
de ac nimio linas, a 400 rs, a caixinha, sa-
bonetes, a 480 a duzta, nutras mais miu-
dezas, por psei;o muilo enramodo.
vende-so efectivamento cal preta 11
branca muilo lina, por commodo preto: na
taberna da rua do Arag3o n. 8.
Na pra?a da Independencia n. 13, ven-
dem-se os seguintos livros :llergier, em 6
volumes, um diccionario Magnum Lexicn
em bom estado, por preco commodo.
;;i- Compra-se uma ou duas pretas da meia
idade, e que n3o tonhnm victos nem acha-
ques, e que sejam boas quitandeiras, e le-
nha 111 algumas habilidades: na rua da Roda
n. 52
Vende-se, no Aterro da Boa Vista n.
8, segundo andar, uma mulata sadia e sem
vicios, sahendo com perfeir;3o, lavar, en-
gommar c tratar de urna sala ; ao compra-
dor so dir o motivo.
lie baratissimo e nao clicga
c lodos.
Vendem-se bahus de madeira
envernisados, de 12 at 20 pole-
gadas, com (echaduras, os quaes
servem para guardar costuras e
roupa de crianca, pelos baratos
precos de 800, 1,200 e i,4
no Aterro da loa Vista
sapatos n. 58.
O cautelista Salustiano de
Aquino Ferreira faz sciente ao res-
peitavel publico, que paga os pre-
mios da loteria do novo hospital da
Sania Casa da Misericordia da ci-
dade do Ouro l'reto, as lojjs do
costume, logo que se receberem as
listas.
Km quartos 3i3i, 10:000,000 rs.
>i 2087, 1:000,000 rs.
23i8, 1:000,000 rs.
11 328, 1:000,000 rs.
l'J'2'\i
'96\
.\lgo rs. :
loja de
200,000 rs.
200,000 rs.
Gantois Pailhetrk CompanliialT
S Continui-se a vender no deposito!
i geral di rua da Cruz n. 59, o excel-1
S Pintee bem conceituado rap areiaf
preta da fabrici deGantoia Pailhet l
I Companhia da Babia., em grandes efj
Spequelas porcOes pelo preco esta be-g
lecido. tt
Pianos.
Brunn Praeger & Companhia ,
receberam os mais modernos pia-
nos, de excellentes vozes, que es-
tao a venda, em sua casa, na rua
da Cruz n. 10.
Vinbo de champagne.
Vende-se o verdadeiro vinho de cham-
pagne, de excedente qualidade, 10 preco
de 25,000 rs.; assim como de qualidade in-
ferior, muito em conti: no armazem do
Brunn Praeger & Companhia, na rua da
Cruz n. 10.


r

Sands
SALSA PARRILHA.
Vicente Jos de Brito, nico a-
genleem Pernambuco deB. J. D.
Sands, chimico americano, faz pu-
blico, que tem chegado a esta pra-
9a urna grande porcSo de frascos
de salsa parrilha de Sands, que s5o
verdadeiramvntc falsificados, e
(reparados no Rio de Janeiro, pe-
0 que se deven acautelar os con-
sumidores de t3o precioso Talis-
mn, de cahir neste engao, to-
mando as funestas consequencias ,
que sempre costumam trazer os
medicamentos falsificados, e ela-
borados pela mao daquelles que
antepcm eus interesses aos ma-
lesda bumanidade. Portanto, pc^_
de para que o publico se possa li-i minuto prego de 5,000 rs. cada urna :
yrar desU fraude e distingua .'"
veidadeira salsa parrilha de Sands
da falsificada, e recentementc a-
qui ebegada ; o annunciante faz
ver, que a verdadeira se vende
nicamente em sua botica, na ra
Taixas para enqenfios.
Na fundicSo de ferro de D.
W. Bowman na ra do Brum.
passando o chafariz contina a
haver um completo sortimento
de taixas de ferro fundido e ba-
tido, de 3 a 8 palmos de bocea,
as quaes acham-se a venda, por
preco commodo e com prompti-
do, embarcam-se, ou carregam-
ae em carros, sem despezas ao
comprador.
Vende-se a excellente typo-
graphia do Diario Novo estando
bem montada, tanto de bons pre-
los, como de typos : quem a pre-
tender, dirija-se a ra da l'raia
"n. 55, a tratar com a Viuva Roma.
A 5,ooo rs.
Superiores chapeos do sol de sed ingle-
zcs chegados pelos ltimos navios, pelo di-
4
&
da Coiueicao do Recife n. 61 ; e
alm do receiluario que acompa-
nha cada frasco, tem embaixo da
primeira pagina seu nome impres-
so, e se achara sua firma em ma-
nuscripto sobre o involtorio im-
presso do mesmo frasco.
Moinhos de vento
com bombas do repuxo para rograr borlas
ebaixasdccapim oafundigSodo I). \V. Bow-
mn:na ra do Urumns.6,8el0.
lie|ti>-i 1 o mi 11 lo- DR Babia. ; I60rs.;riscado iHiuhoalSO rs. ocovado
Vondo-so.omcasa de N. O.Hiebcre C.,\ e muilas outras fazendas em conta.
na ra daCruz D. 4,algudfiotransado
ra dolColleg
Feijao novo a 6,000 rs.
No armazem de Gouveia & Das, confron-
te a oscadinba da Airandega.
Queijos do sertSo.
Vcndem-se maito bons e frcscaesqueijoi
do sertSn ; na ra do Queimado n. 14.
Vendem-se suecas coto fa-
rdos : na ra da Madre de Dos,
Em casa de J. Keller
Companbia na na da Gru n.
55, ha para vender dous eifcel-
lentes pi mos fortes, e de urna das
melhores fabricas, chegados lti-
mamente da Europa.
a Batatas novas
Francezas, em gigos de 4o li-
bras, chegadas no brigue Cesar
por pre9oa muito commodo : no
armazem da travessa da Madre
Dos n. ai.
A a,000 rs. o corte.
Na loja da esquina, quevolta para a roa
do Collegio n. 5, vendem-so cortes de meias
casimiras a 2,000 rs., e bonitos cortes de
cambraias francezas de corea, a 3,200 rs. o
corle.
Vende-se caixas com cera
em velas, de 3 at 16 em libra ,
fabricadas em Lisboa, e no Rio de
Janeiro, por preco mais commodo
do que em outra qualquer parte :
trata-se com Machado & Finhei-
ro, na ra do Vigario n. 19, se-
gundo andar.
Veode-se ch* hysson muito noto, e de
superior qualidade, por prego commodo; o
em lotes a vontado dos compradores ; no
escriptorio deMatheus Austimt Companhia
na ra do Trapiche n. 36.
Vende-se um escravo perfeito s.paloi-
ro o bolieiro, por 700,000 rs nSo tem vi-
cios. nem defeilos, nem molestias, o moti-
'vo da venda se dir ao comprador : quem
jquizer, annuncie.
FOTASSA..
Na ra de Apollo, armazem n
.........* 1
Vende-se urna cama de Ja-
caranda para casados, por com-
modo preco : na ra do Crespo
n. 16, segunda loja.
Veode-ae asi do Ass, em pe Ira, a bor-
do do Imte S. Joto : a tratar com o mostr
do mesmo, ou na c*a da Madre de Dos, lo-
ja n. 34.
Vende-ae um negro moco, de bonita
figura, e um moleque, muito sadioa : na ra
da Paz, cocheira do Antonio Itaymundo de
Miranda.
Caixas para rap.
Na ra da Cndeia do Recife n. 14, vendem-
so aa ezcelleutes caixas de chifre do Araca-
to : no Recife, venda do becco Largo, que ly, imitando as do tartaruga, e por muito
vira para a Senzalla Nova. mais commodo prego.
--Na ra do Livramento n.10, sobrado, sel VM I V 1 l> 11)1)11 III
dirt quem vendo duas correles para relo- oilLtjil ifllltllLIl*
gio, dous relogios, um adereco, duaa vol- i\v
tas, um ponteiro, brincos, altineites, ine-
lOes, cordOes, trancelins, urna coros, colhe-
res de prata para cha, sopa, salvas e outras
obras dcouro e prata.
Vendem-se marmelada muito nova,
Ricos leques.
Vendem-se riquiaaimos leques de madre-
perol com as mais delicadas pinturaa que
tem aparecido, e igualmente de outras qua-
lidadea mais commodas em prego : na ra
doa Quarteis n. 34 loja Je miudezas de Cruz
& Bastos.
Para voltaretei
Vendem se auperiorna cartas francezaa
para vollareln, com multo delicadas pintu-
ras : na ra dos Quarteis o. 24, loja de miu-
dezas de Cruz & Bastos.
Ubreias a ao rs. a caixa.
Vendem-se obreias em caixinhas a 20 rs.
cada urna.
Vendem-se boas saccas, com milho no-
F
iiuellafabrica.muitopropnoparasaccosde]
assuear eroupa deoscravos.porprcgocom-
modo.
a lao rs. ocovado ou 4,5oo rs. I
a peca.
Na rus do Queimado, loja n. 3, vendem-.
se chitas escuras muilo boas, e do lindos
matizes, pelo baratissimo prego de 120 rs. o,
covado. ou 4.500 rs. a pega ; bem como ou-
tras azendas baratas.
Cal virgem de Lisboa.
Vende-se superior cal virgem,'
Vendem-se saccas com fa-
rello de 3 a 4 arrobas : no ar-
mazem de Antonio Annes, no caes
da Alfandcga.
..***+******+** a*****'
Botica bomeopathica.
38 ra das Cruxes a8 5
lia para so vender algumas caixas 4.
ricas com medicamentos em tintura, a}
Cala urna ser acompanhada de un> <.
frasco com glbulos inertes e o
moio de os proparar.
do Caes da Alfandega n.
armazem n. ao.
Vende-se urna escrava crcoula, boa en-
gommadeira, cosinheira e coslurcira : na
ra Bella n. 16.
Na ra do Crespo, loja n. 6.
Vendem-se superiores cortes de cambraia
dosalpicos, come lii e 7varas, a 3,500e a B, de Leal Res, vende-se por
4,000 rs.; cortes de cassa chita, do novos preco j/a-navel, milito nova e SU-
CSrtflUSSURSSV P* potassa, chegada ha pouco
euros e mcsclados, a 2,000 rs, ; panno lino do Rio de Janeiro.
| preto, a 3,000 e 4,000 rs.; longos de cambraia Ladrilhos de marmore.
Vendem se na travessa da Madre do Dos
n. 4 o 6, o I les antes que se arabem.
Vende-se um bonito mulato, do 25 an-
nos de idade, proprio para toJo servigo : a
tralar na roa da Madre de Dos n 10, ar-
I mazem de couros, das 8 horas as 4 da tarde.
~ Vende-se um mulato de bonita figura,
;de25annosde idade, pouco mais ou me-
1 nos, comas habilidades siguiles : bom
Icosinheiro, lava e engomma ptimamente, e
u in Me ni entende de servigo decampo : no
largo da Assembla, em casa de Joaquim
Francisco de Alcm.
Vendem-se duas lindas negrinhis, de 7
|a 8 annos, proprias para presente de um pai
a urna lilha : na ra Velha n. 55.
~ Os IJI ros- Srs. estudantes do quinto en-
no das sciencias jurdicas da academia do
em lomar o grao de barba
dos a comprar as Tilas para
loja da ra Nova n. 2, atraz
As numorosas experienciasfeitaa como
chegada ltimamente de Lisboa |no brigue "so. d> ?? P"ilha em tasasenfermi-
Flor do Mar, em latas grandes e peqnenis: ^T^5jaSfMf^J"*,2S*1SSB55
na ra da Cruz n. 46, defronte do V Dr. L#rtJ5*2^?-?2SJatIlaffi
,..._ Sr. Dr. Sigaud, presidente da academia im-
- Vende-so um excellente cabriole! in- ?':dne.mef jf'P' Pel lllusln8- Sr;m-
glez, em estado perfeito, com c.vallo, ou Z5SEPJ?Sl "J""?''^ a
um lie no hivar n i d. rn> do Vicario su8 af,mda casa de aaude na Gamboa, pe-
"-"i V nde-se pr.t. creou a de S" 25 >} "' N .' Saturnino de O.iveir. me-
timos de idade, sem vicios, nem aciaques, d'c.ndo0 e"Tca? e. P"r"<> oulr?,s. '
sabendo engomm.r. lavar, cosinhar e co- ~,Jp,"m,Ue5 hoJe de proclamaraltamente
ser alguma cousa: na Soledade, no sitio dos v,rlude m""!d .
quatro leOes, a qualquer hora se achari &AL10A IrAlxIxlLjtiA
cam quem tratar. 1 DE
Vende-se um moleque de 24 annos, do ggmSi'X'OI^a
nagSo Angola.sem vicios nem achaquea.bem fjota.--Cada garrara contem duas libras
possante, de bonita figura, ptimo cosinhei- de ,jqutdo e isisa parrilha do Brislol he
ro, tanto nacional como eslrangeiro, en ui- garantida, puramente vegetal aem mercu-
to fiel; pois quem comprar dito moleque
pii le indagar das pessoas onde elle tem es-
tado alugado, para saber da conducta delle;
o motivo da venda se dir ao comprador :
na ra do Rangel 11. 44.
-- 4tF* Vendem-so palitos preto mais ba-
rato do que em outra qualquer parle : na
ra Nova n. 26 ; a elles, com dinheiro
Na loja das seis pintas, defronte do
Livramento,
Contina a vender-se chitas a seis viutens,
seto e meia pataca, cassa preta para luto, a
rio, iodo, potassium.
Em consequencia de se ter fechado a bo-
tica do Sr. Jos Mara, mudou-se o depo-
sito da salsa parrilha de Bristol para a bo-
ti ca ingleza ra da Madre Dos n. 1, vende-
se a 5/000 rs. o vidro.
Instrumentos de msica.
Tanto para orchestiv, como pa-
ra msica militar, vcndem-se mui-
to em conta : em casa de Brunn
chegada ltimamente de Lisboa, e i>s<*#a>S!**^***' 'Un que ov
or Dreco milito Cin conta: no ai- -- Vendem-se asaegumlea somenies:- s1o convida
poi prev i"" >--" *- nal)os,rabanos,rabanetesencarn8dosebran-;suascarUs na ,,
eos, sebola, couve trinxuda alface ala- da malrjz_
mazem
1. ou a tratar no escriptorio de moa, repulhuda,chicoria, senoulas, fejSo
i, vu a 1 1 carrapato de tres qualidades.ervilha torta e
iNovacs N Loilipanlna, na ra 0i dircita, fava, coentro de touccira, sah;a,to-
Trapiche n. 34. I matea grandes, repolbo, couve lombarda,
.' a J, ,,! saboia, c uiustarda : na ra da Cruz n. 46,
l Vendem-se superiores corles de cambraia; Vendc-sc superior mate do
de salpicos lirancos de cor, pelo diminuto '""
prego de 3,500 rs.: na ra do Crespo, loja t, 10 1,1,nicle, multo novo : na ra
u- 6. ; das Cruz do Recife armazem
l'otissa americana. i g
i&SFS'^^t^* VeWM o sobrado de do, andares da
mor ic.ina, chegada rcco_
superior rivolisa rom
A i,a8o ris !
se por prego razuavcl.
Deposito de cal e potassa
No armazem da ra da Cadcia^sinha, lava. ^^^^ MTmltI^
doltecife n. ia,ha muito supe-, rt0 Kosai0 n. 35, i0ja.
ror :al de Lisboa, em pedra Farinha de mandioca a i,0oo rs. a
assim como potassa chegada ul-;
ItoMuiente a precos muilo ra-j
doaveis
Vendem-se cortes do I3as para caiga,
1,280 rs.; na ra do Crospo, loja o. 5.
Vende-se massa de tomates
para tempero; tinta de marca ro-
pa, e potes mui lindos para con-
servar rap, e de amanhaa por di-
ante baver sorvete ao mcio dia c
de noute, na loja de Hourgard."
Pellos de cabra.
pelles de cabra, mu-
diminulo prego de
,18,000 e 20,000 rs. o cenlo; assim como
-"-'"ve'ndem-se duas escravas. urna coze, .olla e sebo retinado; no armazem del) R.
e hequilMideira ; e outra la- Andr.de & (.., na ra da Cruz, confronte o
chafariz n. 19.
Carnauba
Vende-se a mais superior cera de carnau-
ba u,ua ha no mercado, ver menos prego
do que ora pi.-i 1 ]tu-r parte, em consequen-
cia de so querer acabar ; na ra da Cruz,
confronte o chafariz n. 19.
l'otassa da Bussin, c cal virgem.
5. ... notaaa vende-se o soprano <"0 00.i. nuares >
seis vintens o covado, alpaka do quadrospa- i>raeger & Companhia, na ra da
ra palitos, a cruzado, camisinhas para se- o '
nhora, a dez lustoes, lengns para mSo de Cruz n. fO.
sonhora com flores as ponas, a dous tus- ^-g. [\C09 loques de madrcpcrola
tOes, lengos para meninos, a quatro vintens, *
corles de cassa, a doua mil ris, e outras com penas.
muilas fazendas que quer acabar, e por isso Vendem-se na ra do Queimado, nova loja
vende por pouco dinhoiro. de miudezas n. 47 de Antonio Jos de Aze-
Acha-se venda a boa pitada de rap vedo, os melbores leques de malreperola
princeza de Lisboa, em libras e meias, a que aqu tem vindo, tanto pelas rica, figu-
vuntadodo comprador, chegado ullimaiiien ras que Irazem, como por serem muito for-
te pelo vapor Severne; na rja da Cadeia do nidos;a elles antes que se acaben).
Recife, loja de fazendas, de Juo da Cunha ,-^a- Cicas carteiras com charu-
Magalhaes, n. 51. lPra
-Ven lem-se 2 travs de 37 palmon de c jm- leiras.
primeuto, o demaisde Iditode lrgo;3 paos Vendem-se aa mais ricas carleiris com
de 32 palmo.de qulidde,20alqueires deca cbaruteira que tem vindo a esta provincia,
deciiar, por junto ou or jlqueire, 1 molho com bolso para charutos, e juntamente urna
deripas.algunscaibros, 2'rotulas uzadss, al- rica estampa praliada, representando arvo-
gumas corda, de amarrar andaimes.algumas redos com figuras de baixo, as quaes
tinas do servigo de pedreiro, 2 caixilhos de amantes de bom gosto podem procura I
amarello, com 10 palmos de altura; tudo ba- na ra do Queimado, na nova loja de miu
na ra do Rangel n. 21.
rato
I.uvas de pelica, a 800 rs- o par.
Vendem-so multo boas luvas do pelica a
800 rs. o par, igualmente de outras diversas
qualidades,tanto hzas.comocom ricos enfei-
tes : na ra dos Quarteis n. 24, Ihja de miu-
dezas de Cruz & Bastos.
Vende-se 1 carroga nova para cavalln
por preco barato : no caes da Alfandega ar-
mazem n. 7.
Bicas charuteiras.
dezas n. 47, de Antonio Jos de Azevedo-
639T Bico sortimento de luvas de
pelica seda e torca! de todas
as qualidades.
Vende-se na ra do Queimado, na nova
loja de miudezas n. 47, de Antonio Jos de
Azevedo.
Fstojos com novalhas finas, a
1,600 rs. cada um.
Vendem-se na val lias muito linas com cabo
sacca.
No armazem de J. J. Tasso Jnior: na ra
o dAmorim n. 35.
Vendom-se lonas, brinzSo, brns, e
No armazem da ra do Trapiche n. 17, de
Agencia de Edwin Maw. meias lonas da Russia; no irmarem de n.
tlarua de Apollo n.ti, arma/.cm de Mc.Cal- O. Ilieber & Companhia, na ra da Cruz jose forreira Basto, ha para vender superior
montS Companhia, acha-se conslanlemeale n. 4. potassa da Russi, chegada ha poucos dias.e
bona sortimenios de uixa de ferro coado e V'eudeni-se seis arrcios para cannolet, ca| virgem da mais nova que ha no mercado,
hatillo,tanto rasa como tundas,moeudasin- todos chegados prximamente do^''""anga Chapeos do (^llilv.
todos chegados prximamente de I1'ranga
eiraa todas de Ierro para aiiiinaes, agoa.cic, a fallar copi Manuel Cardoso d Fonseca, na
ditas para armar cm mndeira de lodos os la- pTa^t j0 Corpo Santo,
mauhose madellos o mais moderno .machina lO:OOOS E 5:OO0S PE BS.
uonaonlal para vapor.com torya de 4 caval- va iv.vwf ,
los, coucos.passadciras de ferro esiant.ado ; Ocautelista SalllStianO e
A-
|UC0S:jquino L-erreira avisa ao respeita-
Vendm-se chspens do Chily de todas as
qualidades, por prego muilo barato : na-rua
do Crespo n. 23.
Vende-se muito em conta urna casa si-
tuada na Casa Forle, tendo do frente duas
janellas c una porta, bom quintal com arvo-
dccobre, eacovenspara navios,ferro ingle j_--------_..._ K...,___.,_____-----------
taatoem barrascomo em jrcosfolhas.etudo i yg| publico, que a lotera da ma- res de fruclo, e excellente cacimba : as pes-
por barato i.reco. i u.xf|la rnrrp iinnrete- soas a quem semelhante negocio :onvier
Arados de ferro. |lr,z ,da Woa V,S.,a CrrC, ,,nlirele auolr8[n diriglr-Sea ra Imperial n.79.
rivelmente no da 20 de outuliro
Na fuudigSo da Aurora, em S. Amaro,! riveimeme no uia au ucvuuiihwi No armazem de Jos Joa-
readem-se arados do ferro de diversos J0 corrente anno, e estao expostas m perera rJe Mello, defronte
a venda os seus afortunados bilhe- do guinjaste ua Alfandega, ven
tes e cautelas da mesma lotera ;dem.se 8Uperores batatas, as me-
na prata da Independencia n. 4 !|i10rC8 que na n0 mercado, vindas
loja de miudezas de fortnalo Fe-|de Llsl)oa pc|0 ,jrgue p|or 0
reir da t'onseca Bastos ; n.ie Mar> |)|(ra,0 CQ de 8oo IS
15, loja decapado do Arantes ; |a arro|,a#
n. 37 e 39, lo]a de calcado de Por- lj0leria' ja Matriz da Boa vatfl.
to&Compinhia, enarua daCa-|Aos ,0.000)000 e 5:o0o,ooo -ers.
dea do Bccife n. 40, loja de miu- 1 Na ,0- de raiudezas da praca da
dezas de Jos l'ortunato dos dantos I ,ndependencia n ^ vendem-se
"orto. bilhetes inteiros, meius, quartos,
10,000
5,3oo
mtelos.
Gomma de engommar
Vendem-se saccas com gomma, muito al-
va, propria para engommar c fazer bolinbos,
por ii."m ser secca ao fogo: na ra do Quei-
mado n. 14.
Vendem-se os verdadeiros selins in
glezes, patento, do mollae sem ella: na
ra daSuuzalla Nova u. 42.
Vendeui-se relogios de ou-
ro eprata, patente inglcz: na ra
ui benzfcllii Novan. \2.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor.
RA DASliNZALLA NOVA N. 42
iMeste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias mo-
emlaspara cngeulto machinas
de vapor, e taixas de ferro bati-
do c>-oido de todos os ama
alio:), para dito.
Mocudns superiores
Na (undigSo de C. Marn Companbia,
em S. Amaro, acham-se avenda moendas
de canua, todas de ferro, e um modelo e
construcgSomuitosuperior.
Vende-se um sobrado de um andar,
silo na ra do Livramento : a tratar no ater-
jo da Boa-Vista o. 10,sobrado; tanibem se
vende urna negra boa quilandeira.
Cal virgem.
Vende-se esl de Lisboa a mais nova do
mercado: na ra do Vigario n. 19, primei-
andar, escriptorio de T. de Aquino Fonseca
dr. Filho, ouna ra do Trapiche, amazom de
Antonio Augusto da Fonseca.
Umaencommenda de cobertores,
Quo por serem poucos
N3o podem chegar
A todos os compradores,
a 1,600 rs. cada um : na ra do Crespo, lu-
ja 11. 6.
Alerta freguezes
Que s3o cuegados,
Cobertores de algodo
Muito encorpados.
Na ra do Crespo,loja da esquina quo vol-
ts para a Cadeia, a 1,600 rs. cada um.
3,600
2,100
1,100
(00
Bilbetes
Meios
Quartos
Quintos
Decimos
Vigsimos
HIDABE HE PARS.
Fabrica de chapeos de sol, na ra
do Collegio n. 4-
Alcm do sortimento j annunciado, rece-
heu-se pelo navio Havre, ultimo vindo de
Franga, um novo sortimenlo de chapeos de
sol de seda e de panninho, para homens e
senboras, dos ltimos gostos; superiores
chapeos de sol de seda com cabos de cana, e
outros dos melbores que tem vindo a esta
praga, que se continuam ven ler por me-
nos prego queem outra qualquer parte.
Deposito de panno de algodao da
fabrica de Todos os Han tos da
Baha.
Vende-se o bem conhecido pan-
no de algcdao da Bahia, proprio
para saceos e roupa de esclavos,
a vontade do comprador assim
como fio de algodao da mes ; a fa-
brica no escriptorio de Novacs
k Companhia, na ra do Trapi-
che n. 34-
puntos, decimos e vigsimo?, que
corre iraprcterivclmentc no dia 26
do corrente.
Bilbetes inteiros 10,000
Meios bilbetes 5,000
(Jimios a,600
Quintos 3,100
Decimos 1,100
Vi/iesimos Goo
Alerta freguezes.
Na ra do Cabuga n. 6, vendem-se luvas
do pelica muilo superior s, para hornero, so-
nhora menina, a 720 rs. o par ; espclhos
grandes muito superioros, com molduras
douradas, os mais ricos que tem vindo, de
dilTcrenles lmannos.
Casamento.
Vendem-se ricos vestidos blancos dese-
tim e chamalole bordado ; na loja do sobra-
do amarello, na ra do Queimado n, 29.
Loteria de \ossa Senhora do
Rosario
Casa da Fortuna, ra Direita n. 7.
Na casa cima o noslugarcs doostuine ,
est a venda um completo sorlimenlo de
cautelas, bilbetes e meios, da Inicua cima,
cujas rodas breve ser marcado o dia impro-
tcnvel do seu andamonlo.
itilhetes 8,400
Meios 4,000
Ouartos 2,200
1,000
Vendem-se muito delicadas charuteiras, e de unicorne, a 1,600 rs. cada um : na ra do
carteiras o melhor que lera aparecido neste Queimado, na nova loja de miudezas 11. 47,
mercado. de Antonio Jos de Azevedo.
Adamscaado monstro com 8 pal- Lindas carteiras para senhora
mos de largura Vendem-se na ru. do Queimado, na nova
- Vende-se na ru. do Crespo n. 5, na lo- '7j'dprtnmU'JMaS "' *7' d6 Ant0D J9de
ja quo faz esquina para a ra do Collegio o ABV-"-
novo adamascado branco para loalhascum 8 renas de 8CO multo linas.
palmos de largura pelo barato prego de Vendem-se na ra do Queimado, na nova
1,600 rs. a vara, na mesma loja ha um rico loja de miudezas n. 47.
sorlimenlo de manguitos de cambraia para
vestido de senhora o mais moderno que tem
apparecido pelo prego da 1,000 rs. cada
um.
- Vendo-se urna prenga de amarello com
dous parafusos para quadrar charutos :
quem a pretender dirija-se a travessa da ra
das Cruzes 11. 10.
Vende-se mel do muito boa qualidade,
e por prego commodo : na ra da Concordia
relinago n. 8.
fDe psito de tecidos da fabri-^1
ca de Todos os Santos,
na Babia.
; na Bahia. %
'* Vende-se em casa de Domingos Al-*
* ves Mallieus, na ra da Cruz do De-*
J cifen. 52, primeiro andar, algndSo*
-* tr.ns.do daquella fabrica, muitopro-^
2 pfio para saceos e roupa de cscra-2
- Vendem-se diccionarios da lingos por-l fa vos, assim como lio proprio para re-^
tugueza por Constancio, do ptima enea-! ^..des de pescar e pavios para vellas,<:
dernago, e por prego commodo : na ru do por prego muito commodo. *
Decimos
Vigsimos
500
Sol, casa n. I, de Elias aptista da Silva.
No armazem da ra ra do Apollo n.
8, vendem-so 20e tantas travs noves: ns
ra do Sol, casa n. 1, de Elias Baptista da
Silva.
A. Colombioz, com loja na ra Nova
n. 2, atraz di matriz, receben um sortimen-
to de fazendas a sabor : bonitas casemiras,
bons pannos linos preto e de cores, ricos
corles do colctes do casemira preta, com
bordado de rctroz, quo servem para os s-
nliores estu lentes do 5. anno fazerem os
seus actos, bonitas alpakas de cores para
palitos, casemira prela muito fina, cortes
de coletos de fusi.io, ditas de seda borda los,
ditos de velludo, ditos e gorgurSo com
barras de seiiin de cores, longos do setim
de cores para grvalas, ditas de seda branca
para algibsira de casacas, ricos lengos de
seda para senhora os melhores que tem vin-
do, chapeos finos para homem, ditos de se-
da para sol, dilos de seda para senhora, lu-
vas, bengalas, um grande soitimonto do
roupa l'eita,.' do calgados fraucezes,
Vendenf-se 3 molecotesde idade de 14
1 22annos, ptimos para lo los os servigo.
Je campo ; 4 cscravos proprios para servigo
de campo; 2 dilos de sorvico de cimpo;
2 mulatos, sen lo um bom cosinheiro; 2
escravas de idade de 17 a 22 annos com
principio de varias habilides : na llua Di-
reita 11. 3.
-- Na ra do Sol n. 7 vendem-se relogios
de ouro, patente inglez, ditos de prata, di-
to dito, dilos de ouro, plente suisso, di-
tos dito orisontal, ditos do prata dito, lia-
vendo um que tem corda para 48 horas,
assim como varias obras do ouro, como se-
jam : l amvliin, brincos, corddes e alfine-
tes de peito para senhora, tudo est em bom
estado, e se vende por prego muito com-
modo.
-- Vendom-ST 2 escravos para todo o ser
vigo ; 2 lindas negrinahas, creoulas, do 8
annos ; 2 pretas creoulas, urna engomma e
cosinha, e a outra lava muito bem e he boa
quilandeira ; I escrava de boa figura, en-
gomma, cose e cosinha, mas so se vende
para Tora da cidade, ou fra da provincia;
na ra estrella do Itozano 11. 28, segunno
andar.
Vinlio do 'orto superior feitoria.
Vende-ae a 42,000 rs., cada barril 110 ar-
mazem de llanoca Castro, na ra da ala-
dre de Dos n.26.
-- Na ra do Crespo n. 9, vende-se cassas
francezas de cores, as miis linas e moder-
nas quechegarem. pelo diminulo prego de
360 rs. o cova lo, riscadinhos frincezes, II-
I nos e cores fixas a 18U rs. o covado.
M
Capachos compridos, a 5oo rs.
cada um.
Vendem-so na ra do Queimado, na nova
loja de miudezas o. 47, de Antonio Jos de
Azevedo.
Cartas para voltaretc muito
finas.
Vendem-se na ra do Queimado, na nova
loja de miudezas n. 47.
Vende-sn farello muito novoe de su-
perior qualidade, no armazem de Couveia
& Dias, no caes d'alfandega.
Sorvete as 11 horas.
Na ra do Rosario estreila n. 43, conti-
nua ter todos os dias das 11 horas do dia .0
4 da tarde, e dos 6)as 9 da noute : prego 16s
rs
Vende-se milho em ssccas muito novo:
no caes da alfandega, defronte do quindaste
de ferro.
A 300 rs. a vara,
Na ra da Cadeia Velha, loja n. 33, ven-
de se muito li mi algodo da trra a 200 rs.
a vara, em pega de 50 varas.
Obras de ouro.
As mais lindas que teem vindo a
esta praca, e de todas as qualida-
des: vendem-se em casa de Brunn
Praeger ck Companhia, na ra da
Cruz n. 10.
Vende-se vinho de cbampa-
nhe legitimo e de superior quali-
dade : em casa de J. Keller &
CompantVi na ra da Cruz n
55.
Charutos de llavana.
Os melhores que leem vindo a este mer-
cado : vendem-se continuadamente, em ca-
sa de Brunn Praeger & Companhia, na ra
da Cruz 11. 10.
Vendem-se espclhos com mol-
duras douradas, os mais ricos que
leem apparecido no mercado : na
ruadi Cruz do Uccile 11. 49, ar-
mazem de L. Schuler & Com-
panhia.
Verniz de gomma copal contina 1
vonder-se na botica da ra do Rangel, a
11,280 rs a garrafa.
Gesso.
Vende-.a ge.so embarrice., ebegado l-
timamente : em casa de J. Keller & Compa-
qnia, na ra da Cruz n. 55.
Oleo especifico para curar a caspa,con-
tina a vender-sena ra do Rangel, a 640
ra. cada fraseo.
- Remedio eapecial para boubas e cravao
seceos contina a vander-se na roa do Ran-
gel, botica que fui do linado SebaatiSo Jos
de liveira Macedo.
Tachas de ferro.
Na fundigSo da Aurora em Santo Amaro,
e tambem no deposito na rna do Brum logo
na entrada, e defronte do araenal de mari-
nha ha sempre um grande sortimento da
tacha, tanto de fabrica nacional comoes-
trangeira, batida., fundidas, grandea, pe-
quenas, razas e fundas ; e em ambos os lu-
gsresexistem guindastes,para carregarra-
noasoucarros,livresdedespeza : oapragoa
sSo os mais commodos. _______
Escravos futidos.
100,000 rs. de gratificaran,
Esta dea.pparecido deade 14 de fevereiro
da 1844 o preto JoBo.de nagSo cauange.de I-
dade de 38 a 40 annos de estatura regular,
com falta deum ou doua denles da frente
na parte superior, tem os tornozellos e um
p foveiros, em outro tempotinba na canal-
la de urna daa pernas urna chaga ; talvez ja
esteja boa ou cicatrizada : quemo aprehen-
der leve na ra do Queimado n. 16, que ah
sedirlquem lie o sou senhor a est dar
quaotia promettida.
100,000 rs. de gratificacSo.
Desspparecen no dia 7 de malo proiirno
paasado, o pardo Leonardo, de idade 18 an-
nos pouco mais ou menos, e tem oa aignaes
seguinles: baixo, o pello um Unto metti-
do para dentro, cabelloCarapInhadoeatAao
mel da testa, e falla descangado. Esto es-
cravo vinba todos os diaa vender leite no Re-
cife, de um sitio na lloa-viagem, perlencen-
11' 11 Jnnuna Mara dos l'assos, de quem foi
escravo: quem o apprehender e trouxerna
ra da Senzalla Velha n. 60, segundo andar,
receber. a gratificigo cima.
-- Desappareceu no dia 6 do corrente um
moleque por nome Benedicto, de idade de
II annos; lvou caiga de casemira escura
com lislras azues, e camisa de madapolo;
cor entre-fula, pos e mos pequeos, horca
grande,os denles todos perfeitos; levou tam-
bem urna muxila com quatro patacas em co-
bre; consta que anda pela Pas.agem da
Magdalena dizendo que he forro, j anda
com chapeo de palha novo, a roupa muito
soja e resgada, he muito peralta o mentiro-
so, costums mudar o nome quando foge, e
negar os senhores: quem o pegar leve-o Da
ra da Praia o. 55, na typographia.
~ Ha um mez, pouco mais ou menos, de-
sappareceu um preto por nome Manuel,cre-
ouln, e official de alfaiate, bastante conhe-
cido nesta praga,por ja haver trabalhado em
muilas lujas, o qual pertence ao abaizn as-
signado, e lem os signaos seguinles hal-
lo, quebrado das virilhas, um pouco grosso
do corpo, cor preta, olhos grandes, tem tres
cicalrizes no hrago e mflo direita de urna
operagSo que lia vi j soffrido ha pouco no
hospital ; he de presumir que ande por esta
cidade, visto ser della natural, e ter alguos
prenles : roga-seas autoridades policiaese
a toda e qualquer pessoa, a captura do mes-
mo, e o favor de o mandar entregar nesta
cidade em casa do senhor subdelegado da
Boa-Vista Rufino Jos Crrela de Almeido;
e na cidade do Rio-Formoso a Francisca
Christina Lins, quesera generosamente re-
compensado : o mesmo abaixo assignado
protesta rom todo o rigor da le, contra a-
quella pessoa, quem querque saja,que o ti*
ver oecullado.Francisco Caldia Lins.
Desappareceu no dia 15 do passado, as
7 bor.s ds noite, do Hotel Recife, o pardo
Exequiel que foi do senhor l.uiz Rodrigues
Sette, e como pela, circum.tanoiaa que pre-
cedern! a esss Tug. presum.-.e que elle
procure a todo cuato evadir-ae, roga-se as
autoridades policas, que o recommendem a
seus inspectorese pessoas de ronlianga, de ser descoberlo e capturado : o pardo he
baixo, de idade 25 anuos, meio corpo, sem-
blante carregado, tendo urna pequea cica-
triz na face, anda calcado e fuma : levou
chapeo de seds preto, e anda com urna ben-
gala tina ou junco, e inculca-se por forro ;
anda frequentemente no bairro da Boa-Vis-
ta aonde sempre he encontrado: quem o
pogar leve-o a ra do Trapiche n. 5, que ser
recompensado.
Desde quarta-feira que esti fgido o
muleque Antonio,que vende tapioca ; levou
caiga, e carniza azul, com cularinbo encar-
nado, e manga curta, levou um laboleiro
grande envernizado de encarnado com pez;
consta que anda sem laboleiro ; elle tem na
cabega urna falta de cabello que parece croa,
e no p direito tem o dedo junto do dedo
mnimo tilo pequeo que faz urna grande
differenga dos outros,de ..orle que faz muito
visivel. i'ede-se as autoridades e capitSes
de campo que o prendam e o levem a Soli-
dado n. 42.
No dia 16 do corrente mez de outubro,
desappareceu um preto creoulo de 25 annos
de i lade, estatura baila, grosso do corpo,
nariz chato ps grandes e largos, mfios
grandes, com urna costura no beigo interior
levando vestido camisa e caiga de algodao
e urna sobrecasaca de brim pardo. Quem o
pegar leve-o na ra da Santa Cruz sobrado
do um andar, n. 71.
Desappareceu no dia II do corrente ,
um preto creoulo, de nome Uarcellino, re-
presenta ter de 35 a 40 annos de idade, al-
tura regular, cheio do corpo, barbado, le-
vou calsa e camisa de algodflo trangado ,
chapeo de palhinba amarello j velho, mui-
to regrista, he conhecido por MaraabSo, por
ter sido escravo do Sr. Jos Pires de Albu-
querque MsranhSo, a quem foi comprado,
por intervengan do Sr. Manoel de Souza Pe-
reira, consta ter andado por Apipucos e S.
Lourengo, aonde lem mi e pareles: ro-
ga-se as autoridades policiaos e capitSes de
campo, a captura do mesmo escravo, e con-
duzi-lu a seu senhor Antonio Maia Corles ,
na ra das Larangeiras n. 28. O mesmo
prulesta contra quelqucr pessoa que o te-
nha oceulto.
Desappareceu no meiado do mez pr-
ximo passado um moleque de nome Ma-
noel, com os signaes seguinles :-- baixo ,
magro, testa larga, olbos grandes e muito
vivos, levou calsa de casimira j usada, e
camisa do riicadinhoencanardo, cooata que
tem sido encontrado nesta cidade, e no l'ogo
di Panella : quem o aprehender, leve-oa
ra larga do Rosario, no segundo andar do
sobrado n. 23.
--Acha-se fgido desde o dia segunda-fui-
ra, 11 do corrente, o preto Honorato, de na-
gau Angola, de idade 50 annos pouco mais
ou menos, com os signaes seguinles: ca-
talura baixa, corpo recular, pernas curias,
pos torios eapalhetados, e urna cicatria de
talho sobre o nariz i levau camisa e caiga de
algodao groso americano ; o dito escravo
foi do Sr. JoSo Jacintho da Oliveira que o
houve por compra do Sr. l.uiz Jusliniano do
Souza turba ; bu da suppr quo tenba se-
gu lo para as bandas do Seriuuaem ou lpo-
jnc i, pur ter sido desses luitares : por isso
roga-sa a quem o pegar, de leva-lo atraz da
matriz da Boa-Vista, sobrado n 18, ou na
ra do Trapicha no Recife n. 36, primeiro
andar, que se gratificar o seu Irabalho.

l'K.tl. : TP. us M P. de F*au. isia".


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJO582O31_3SIF0R INGEST_TIME 2013-03-29T15:58:39Z PACKAGE AA00011611_03367
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES