Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03363


This item is only available as the following downloads:


Full Text

V
Anuo XXV11I

MAMO
deOulubro de 1852.
N. 234.
PERJMAIIBUCO
fSVO SCBORIFpiO.
f AomiKTo Adiantado.
I' Ji Irtinrsitc ...........
Por semestre .. ..........
Por toao......, ,.....
Piaonanrao miriKimi.
Pal quirtel .............
MOTioiAaDoiMrsnio.
Para.... 2deOulbr. Minas...
Mar.nbio. 5 de dito S.Piulo.
Bu.oi mama AroiavoiAs.
4/00(j||iSeg. S. Aleado, i Jnifit Orpkt
H/oimi11, Teres,, Prl.clanoe I,e5.. 10 horas.
lo/OOOl Domnina, 1. tarancitHt.
Ii3Quart.S. Daniel. ;t. e 6, ao meio-dla.
4/500/14 Quii. 3 Calliito. I t asenta.
Ii.ui-ii s.ilii'i.u clrj.. Ai 10 horas.
H de Setbr.J.J"U'- 1. r i-l.
ti de dito flnaab. S. Ilcrchario. ,_ esabado.ao meiod.
Ceui>..: o de dito R. deJ.. I? de dilo li'Dom. 20. Kduvlges' HiloeSe.
/'arahlba II e dito Babia... 7 de Outbr | nlodcS. Jos |Terfai e tsjbadoi.
amnaiaMi.
Creiceate 50, as Shoras e 25 mlautc dan
Chela a 18, ai a horas 21 miamos da m.
Miogointe H, as 8 beraa 18 minutos da ni.
No y a i 13, as 4 horas e 8 miau tos da m.
raiAHAaai aon
Primelra ii 6 boras e M uilnutnida maabJa.
Segunda s 7 hnrliel" minutos di tirle.
ARTiBA\a aoa ooianoi.
a a farahlba, ineguadu I lexta.
rand-do-Bor|e e Victoria ai quistas
, Carurn,e Olr.ahuas na l'e li decada
s.Ourlcuij.Elu e Boa-Vista l 3 c 2
a, (fados oa das.
os Correioa-fmrtem ao meio-dla.
aroTioiaa caTnaaraxiBaa.
Portugal 14 de Selbr. Austria 3 de Sclbr.
liespanha I de dito |Suliia..;. idedlto.
Franca.. 8 de dito
Blgica... & de dito
Italia..:-. \ de dito
Alemanha. 3de dito
Prussia ...:t de dito
Dinamarca >l deAgt.
Bussia... 19 de dito
iTurquIa. 5 de dito
Suecla... 28 de Agosto
Inglaterra 8 de Selbr.
E.-Unldos 20 d'Agosto
Mxico.. de dito
Callforala '6 de dito
Chill. 9 ^e di'0
Pueno-A. '8 de dito
Montevideo IdeSetbr.
OAMBIOI Di 1S Bl ODTUBR.O
Sobre Londres.a 2s por 1/000 d.
a Parla, 310
Lisboa, '' por cinto.
ITAII,
Ouro. Oncas hespanholas........... 23/000
Moedas de 6/400 relhaa........16/VOQ
. de6|400aova......... 18/000
* de4/000............... 1*00
Prata.I'ataeSesbrasilelro........... 1/0
Pesnscoliimnarios............ .'a**'"
Dlioa mericanoa.............. 1/80O

PARTE OFFICIAL.
SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTigA
SisiUq em 3 re lelembro de 18j2.
Presideucii do Exm. Sr. conselhoiro.
Pereirt Duaitc.
As 9 horas o 1/2 abrio-se a scss.lo coifl os
Exros. Srs. cnnselheiros Piolo, Pee, nim ,
PerdlgSo Malheiros Almeida Siqueira ,
Sorqueira Lima Vaig, Carneiro, Franca,
Ponco de LeSo, e Castro Mascarenhas, ral-
lando oom causa os Eitns. Srs. conselhei-
ros Nabuco, Campoa, Verneck, Brrelo Pe-
droso, e Mallos.
Fui ida e approvaJa a acta da antece-
dente.
EXPEDIENTE.
0 bichare! Jote Vaz Alvos de Castro apte-
senlou sua caria de no me t,lo pira o lugar
de juiz municioal do termo de Algrete, na
provincia do Riu Grande do Sul, afim de
ser registrada.
EzposfrOe.
Exposto os processos ns. 4783, c 4774
passuu-se aos
Julgamcntos.
N 4713. -Relator'o Exm. Sr. consellieiro
Pecanh. : recurrente Jos Antonio da Costa,
e recorrido Jos Antonio de Medeiro* lli-
tancourt.Foi negada a revista, uo vo-
lando o Exm Sr. conselheiro Carneiro por
nilu haver assistido a leilura dos autos.
01 1110.Relator oExm.Sr. consclhi'iro
Veiga : rerorrentes Vicente Ferreira Dias,
Marcelino Antonio Alcohia e recorrida a
justic.. Foi negada a revista.
Fechou-se a sesso depois de meia ho-
ra da Urde.
Dito. Ao delegado aupplenle do termo I lto.-Ao director do arsenal de guerra,
doOuricurydizendo car inteirado de ge' dendo a auiorls.can, que pedio P ";
''" lo,000 ts. coiii a compra ut
rovlmen-
ter .hi .logadodu.s ca.. par. uell.ss.rem ^1^ .. V,rYV P"
rerolhilos os presos, que se mandaran, vir do ,e uodo r,,ltm d'.quelle ar
ila cadeado Crato, para sefem Jtilgados po- Goimnunlcou-ie avJheiouraiia de faienda.
lo tribunal do jury desse termo ; e exigindo Uito.Ao dlrecur das obras publicas, para
que informe, se, nSotcBlo hevldo ah ses- Informar quaulo se tein recebldo, e despend-
sSo do jury, continuara*) os ditos presos a do, nesie eiercio, para estudos grapblcos, que
ficirnessi villa, iiuvollarartl para o Grato, uabalhos ha felos nessa parte do lerviro oe
Dito. A1 Ihesoursria ds faienda provin- '" rep.r.leio. e em que Miad J MIM "
cial par. mandar pagar ao fornecedor dos ane peiuin ao. acude, decretad., pela le
preaos pobre d. cadeia de Goi.nna, Victo- 0|)",0"!Atbe.ourarla da faienda provincial,
rio Moreira de Souza, estando nos t"rmos dlaendoem re.pojt. ao leuofflcio, relativo ai
lgaos a conla que ronrctle, a quantia de amanuense cartorariodaquella the.ouraria Ma
197,920 res, correspondente ao furnecimen- noel lienriquea Cardlin, que na. lela e regla-
lo feilo nos mexes de julho o agosto desle nienlo. tein So, o. meloi necesianos, para
anno. Communicou-se ao chefe de poli- f os einprcgados de .na reparilcio cuinprir
gj- i regularmente os .eu. deveres.
Dito. A' JoSo i,mihiM un' dn Azevlo,
i Dito.A' ineama, para que, de conlorinldade
e no Azevt.10, C(jmo ref.uereoo marechal command.nie
juiz de piz do (.ruaiu, duendo, que man- d arn; made pagar ao commandaule do
dououvir a cmara municipal d.quella vil- Corpo policial a quantia de 29f4s0 que, segundo
la, a respeilo dos ollicios, em que SoiC ex- rela(io que remelle, se despendeo, durante o
pOii o proC ditiictilo que leve a mesma ca- trimestre ultimo, como alimento dos senten-
mara, por occasiflo de se proceder ah as e- ciados, Antonio Mauricio da Fon.eca, e Ella
1-iicOcs de juizes de paz e vnreadores, e bem Pcreira Dutra, recolhido. ao labouco daquel-
assim.queogovernolemmeos a sua dis- >' corpo.-Comiuuoleou.se ao inesmo .na-
poslcao.parafazer eftVliv. a rMpon.abili.,"^;..A, lne4lua, p,r.qua.vUU do ce.tu
dnde dequem houtorde por emb.r.cos a (ictdo do pel 0(recrr Ua. obra, publi-
execu^aodas leis. ci>i ,uandc pagar ao arrematante da obra do
Dilo Acamara municipal para infor-( leree|ro |,nto da estrada da FscaJa, Manoel do
mar.porquo preco se tem comprado cada llego liaros, a importancia da primelra pres-
barrica dccioienlo, par. as obras da mesma taco do seu contracto, visto ler elle feiio a
cmara, ucclarando as dalas, em que Iscs terecira parte da dita obra.t-'o
G OYE UNO DA PROVINCIA.
EXI'EDIENVEDODIA 5 DE UUTUBRO.
Oflicio. Ao comm.ndo das armas int"i-
r.ndo-o de haver, no s approvado o con-
trato, que, segundo os requermentos que
devolre, prelcndem fazer o sollado da com-
psnhia x. de cavallaria, Antoni i Bernardo
da Silva, o o psis.no Joo B.plista C.rduzo,
esle p.ra servir no exercilo ior lempo de 8
annos, e aquelle para continuar no servido
compras se h.jam feilo, ea quantidado de
barricas.
Portarla.* ao cu nraandanle do pal.cho
Virapama pira couduzir a sen bordo, para o
presidio de Fernando, as 9 pravas do quarlo
hatalhSo de arlilbana a.pe, mencionadas na
re.(9o qu.i rcraclli'.as quacs llie sero rrjan-
dad.s apresentar pelo marechal comman-
danto das armas.
Hiliicao' a que se refere a portara cima.
Soldado Manoel Francisco Adrio.
Jos Franciscido Nascimeoto.
a JoSo VicentodeOiiveira.
Manoel Jos Barboza.
Antonio Poieira i Caetnnu Jos Pinto.
Pedro Gomes Concalves.
Jos Francisco do Carmo.
Miguel Alvos. Communicoo-so ao
refer 'o marechal,
em que se aclis por mais qu.iro annos, mas
lambem exped lo ordem a Ihesouran. de1
fazen la, para abonar, na furmii das or leus
da presidencia, ao dito soldado a graliHca-
i.'.ln 140,000 ris, e ao mencionado paisano e
de 160,000 res ; e declarando, que rilo po-1
deui ter lugar novos conlralos, em qne ve- j
nlia aulorisacSo do governo imperial,
DEM 1)0 DA 6.
Oflicio --Ao cumulando das armas, paia io-
I >im ii, cm virtudc deque ordens se recolhe-
ram armados sua morada os indios de Clin-
bies, sob a direc^ao de Joo Leile Torres Ga-
lind ; qiuntos loram, e que anuas levaram
oam.lgo.
Dito.Ao Eim. conselheiro Antonio Pere-
grino Macirl Moiileiro, duendo licar inteirado
ros do Prxedes da Fonseea Coulinho
For.m Julg.dos prorados os arligos de
babilit.cflo.da fazenda publica.
pasiesA(oB.
Appellante, Maioel Alvos da Silva Caldas 4
appell.do, jUyoiundo Carlos Leile,
Appcllantes, Fr.nc. & Irmos sppellado,
Amaro Bonedicto de Souza.
Appellante, Juizo; appellados, os herdei-
roa de Manoel Jos Viana.
Appellantes,Jos Firmino 8oarosdeMendon-
ta o mili ni; appellados, los Joaquim Go-
mes eoutros.
mvi.soes.
l'assou do Sr. desembargador Villares ao
3r. desembargador Bastos a scguintiappel-
ls(flo em que so :
Appoll.nte, Lnurenca Maria da Conceir;So ;
appell.do, Luiz Antonio de Quoiroz.
i'assit'aiii do Sr. desembargador Basto,
ao .Sr. desembargador l.o.'io as seguinles ap-
pela;es cm queso:
Appellante, Jos Francisco da Trindade ;
appell.do, Paulino Manoel Thom C.boa-
tlO.
Appell.nte, I). Francisca Thom.sia do Con-
ceico Cunlia ; appollado, lleniy Cilison.
Appellanle,4) Francisca Thomasia da Con-
celcSit Cubh i ; Appellado. Fox Brulhis.
Appellante,' Francisco Miguel Aichinjo ;
appellado, Antonio Manoel do MoJeims.
Appellantna, e appellados, JoSo Alhanasio
Dias, e Manuel Anterode Souza Bcis
Passou do Sr. desombargador LeSo ao Sr.
desembargador Souza a seguiule aprellacSo
en que sito
Appoilante,Manoel Camillo Pires; sppel-
lado, Joaqoim Marques da Costa Su.res.
Passou do Sr. desembargador Souta ao
nri.rdreXr/brn^TMin^^ieVo": S- desembargado; Rebel.S a seguinto ap-
rarl. provloci.l o. cidadao BirlqM. M.- pell.gflo anqua sSo:
chad
' '"."""'"Becorrenli, Joa|uim Heir Marinho &
recorrido, JoSo Francisco
ti ao curador gar.l e aoSr desembarga- pital, e n'aquelias que como rircumvisioh.s
dr morurador da coro.. coocorrem para fazer os camarisUs.
Appellante, l.nurenco Pereira de Azcvedo; O Dr. Paes de SoOla era esperado com
appellados, Joaquim Manoel da Costa Fi- aneieJa le, nos o desejavamos c lambem :
guriredo n oulms. Mandar.ni com vista >porque os nimos estav>m so exaltando, e
ao curador gcral. esta cxalla;So i. crescendo dediaonidia.
Appellante, o juizo ; appellados, os hordei-llloje parece que lu lo soronou, hoje ludo su
refero ao vol cordato do Dr. Paos do Sou-
ao referido director.
Dito.Ao director do colleglo dos orphaos,
declarando, em vlsla do eu omelo de 4 do cor-
rente, que o meoor Sergio deve ser nninedlala-'
mente entregue a aeu lio, Jos Lamellodo Reg
llano., ou remetlldo para o arsenal de guerra.
Portarla.Ao afete da coinpauhla d.< bar-
ca, de vapor, para fazei iran.poitar p.ra a cor-
te, por conta do governo a Antonio da i.uulia
e Oliveira.e Evari.to Antonio, que obllveram
baia do servl(o militar.
Dita O presdeme da provincia en ,eiccu-
cao do art. II da le provincial n. 223 de 17 de
agosto de 1848 e U da lei n. 300 de 7 de malo
do corrente anno, re.olve nomear para a com-
oT escriturario da the.ouraria de fa-[Appellante, Jeronymo Joaquim Fiuza de
a; Francisco de Barro. Falcan Cavalcantl; Oliveira appellado, Joaquim Ferreira.
de Alb'uquerque, 2"escripturario da Ihesoura-I Recorrentea, Joi
ria provincial; Joaquim Pedro l'arrelo de Mello Companhia ;
Regu, 2o escriturarlo ds mesma c Joaquim' (JoelllO Flores.
Marinho Cavalc.nte de Albuquerque Passou do Sr. c
\ coinmi.sao prosegoira nos irabalhos nce- d.,.nihareador
lados nela que Ihe precedeu, ci ullimo re- sr- aesernp.rgauor
a.orVo'u ?e.PeitoPaos l.vroa l documentos' p-el.c(l0 em, que
Passou do Sr. desembargador Rebollo ao
Luna Freir a seguiule
so :
oeMicrcTode,'io4j"i"iM3,'VendoAppollaiila, JoSo Baplist. Pcreira Lobo e
m vlsla o regulamenlo do I* de junho de 1850; outros ; appelladas, a fazenda nacional e
e concillando o dever de um minucioso, e erlo! a viuva Colilla.
came coma neccstidade, que he evideute,' Psssou Jo Sr. desembargador Tollos ao
de chegar-se a um resultado final do balan-;Sr. deserlfBargador Flgueira do Mello a sc-
9o da e.liiicta ihe.ouraria. {''* gllnte appellacSo em que sao:
apresenlacao coma maior brevidade possi-, Jnn.,,,n.- ...-------..,-.
, vel : c por ullimo eupnra com clarea e pre- "S"",
eslar quisi esgol.do n credilo aborto cm o no escrcicio do lugar de director gcral da lo.- i,Jio a, taitas que importarem um alcance Monte,
crreme exercicio, para S d Spezis de re- truccao pubHca, para que fra uouieado, por rra| do e.the.ourelro da ilu. rep.rtlcSo. ou i
xa, que possue o dom do agr lar a In.lns,
o de tudo querer sem discordia, sem des-
harmonia.
J so diz que elle sacriflrou sua candida-
tura ao bem estar de s-us amigos, e ao so-
cego de sua provincia; se peusa bem ou
mal a elle pe-tenca dize-lo ; mas seu nome
era o primeiro em lo los Os corseos.
As eleicOes de 7 de setembro, alm de
derramar alguiii suslo, ain'a IV' bem a
um campeSo di opposicSo, e|e, tolossa-
bem, he o Souza Franco, cujo nomo foi
muito pronunciado durante a crise, smen-
te para dar pasto vinganfa que prelen-
diam lomar do nosso chefe de polica Ma-
g.lhes. Esta moco de lempos a esta par-
le t*m desenvolvido um genio algum. coli-
sa deupolicn, mas sua ibUuencia consiste
ca na vara de chefe de polica, e Irisle
leile se alguem o nilo cobrir com a sua
egide. I.-1 i nova priso do nogocianto e
proprietnrio Jos Mues Longra lem dado
que fallar, dizem que he o resu'l.do da
pulilii' ii.-.ui das cartas do moedeiro falso Gil,
em que revolava exigencias do chefe do po*
icio, o d'umas reipuataa d>d-s a tars car-
tas pelo ir nido do clief-, e por S. S. em sou
bem conceiluado Konarchista Seja o que
fr I ongra jaz preso segunda vez, o incom-
municavi'l
0 govomo podia obslar prudentemente
a estas couS'S. confindo ao Dr. cnefe de
polica oulra vara.
O cnmmercio vai lnguido, solfrcmos al-
gum., ou ant s, grande falla do meio cir-
culante, e grande calor que ha de Irazer
por fOre alvum mal.
OSr. Cunha vai na sua administrac3o pro-
gredindo com pnidoncia e lino, se hem que
pouco lempo tenh. ello do estada ainds en-
tre nos : c un ludo em lempo de eicifdes
sempre ha rasili intrinca e minia menlira. pas.o que a si prop
se immenso jubilo, que parta de tanto, cora-
edes : a dr que naquella occa.iao .offrla no
escuro ahysmo de .ua con.clencia, .eria talve,
o niator castigo que e.se hoinem_.lnlstro teria
dcsiipportar: a sua humiliacao achara ae in-
n.iv.uli na grande ovacao, que um povo intei-
ro .ii.-i i.iv.i au hoinem de suas affeifoea.
O escaler em que ia a ave agourelra, era go-
vernado pelo celebre pillo, o Urub e...., ou-
lra ave nao menos agourelra. Joao, alma i
Judas, era o nnfeo que acompanhava eu amo.
yuc trindade Importante nao era ade.aa. tres
pernal" da Eilrilla, que pareciam leva-la para
o Cocylo o infernal barca de Cbaron : a alle-
gorla da triste aorte do. btnltcii, au podia icr
inai. completa.'
U Jiizeiinho para Inculcar-se como a tdeia vi-
va do tal convenio de que j Ibe falle! era urna
das mullas ultimas, julitou ni.ii acertado en-
c.i>olar-se na galeota, .em que para lato fo.-
se convidado. DespreAou, como vi, o obzequlo
do cunbado, para comincller mai. urna baju-
laco.
o, Exc. apenas por. o pd em Ierra, romperam
de tudos o. ladu. cordlaes demon.lracdc. do
ni .i- vivo conlentamento : era a populacao in-
Iflra, que v mil i apertar a mo ao seu digno ad-
ministrador I A guarda de honra, que ahi se
achava, tendo sua frente urna banda de mull-
es, Icz-lhe a.cuntiucncias du cstylo. Um. im-
inensa linha de girndulas, que comecava des-
de a rampa al o largo do J. do Valle, alordoa-
ram osares com um estampido de mllharea de
bombas. Devidainentc calcula-ie em mala de
duus mil o numero das pe.soas que compare-
rain no desembarque de S Exc. Nos annaes
desta o..-- i ierra, n.o temos exemplo de una
rcccpcao lao pompusa. S, Ese. acompanhado
por todos aqucllcs que o foram esperar, dlri-
gio-se casa do tenente-curouel Jos Joaquim
Triicira Vieira llellort, aonde se hospedou. A
noite, o povu.com urna banda de msica, o foi
cuinpriiiirntar, percorrendo ao depol. a cidade,
e dando cnlhusiasuiados vivas pela felis, che
i;ada de S Ex. Um grito, que indica.se ser
aquillo urna demonstracao poltica nao appa-
receu : era smente o rcgozijo pela ebegada do
Dr. O. Machado, e nada inais.
S. Eic. tomou couiado governo nodia 70 ; r
nao tem cessadode ser visitado por lodos aquel-
les que Ihe sabein fa.er Justina. Escusado ser
dizer-lhe, que ncm sequer um do. bojudo. es-
Irtllailoi. al a dala de hoje, >e Ihe apre.entou i
no que faiem muito bem, por i.so que poupa
au Dr. O. Machado visas lio asquerosa., ao
ros llvraii'
am-sc de bumllla-
quem nesU dala se ollicia respeilo, visto de haver S. Esc. no da do correle entrado I ;p'^'no7u.tmTe,pnr c01,. clarea e pre-' Appellanle, o juizo ; appellado, Antonio do
B___________-"_____.8 -A. ~>__I! i I____a_____ un nr.i.iU iflia I I lis un.. >n_ .. ... I 1 ... _" I.._____iaa_ > mm I r,m .,.,
(vJ
crutamentoeengajsmetilo Deitl provincia, l'orlana'de 2U de abril'u.....iu--Fir.m-se
CommUnicou-seK. hesour.rii de f,ze... | ^^l^l'^^ru^^ m.n-
Dito. AO mesmo rcineilendo, em con- dar salisfaier ao tenente Candido Francisco de
sequencia do que requi-ilou o EM1. presi- Carpes a qu.u,iia de injKjno, que, segundo cons-
denlo do MaranhSo, em ollicio de 23 de se- ta dos recibos que remelle em duplcala, fora
t'mbru ultimo, um attesladu d'< molestia do despendida sota o foroeelmenta delate, para
segundo tenonte do quarlo bsUIhaudoarli- nquailel du dcslacamcuto de Pao d'Alho, e
Ih.ria a p, Jos Nuiles Marques, qu^ se acln co"' e.avalgad.ira que d all condujlo para
naquella provincia em Co.oata, onda nSo ?" c,|"!al !f!8eK,'.,*,ue"e a"c.lalT
" t. ,, i ....... i. Guiiiinuuicou-sc ao marechal cunimandanti das
ha ficullalivo algum, e por islo vsi o dito ,,,
atteslao passado pelo res lectivo subile- Uito'.A'mc.rna, devolvendo os dou. reci-
gado, e declarando, que a licenca do refer- bos, que acompaiiharam o aeu ollicio de iwn-
do lenle, segundo consta daquollu nlcio, lem, passados pclu Dr. Francisco Rodrigues
C.ba-se om 13 do corrente, mas llfio pode Selle, audiior de guerra interino, afim de que
elle, pelo Si-u m.o estado de saulo, apresen- maude pagar ao memo duulur a graticaco
tar-80 00 batalho, que pe lenco no men- corrc.pouileule aos mete, de aguato e sciem-
ciooadodia. de,",''"' Pr
Dito. Ao inspector di lhnsnti-aria de
f.xenda.Davolvon requnrimeoto de A-
gostiuho Jos da Silva, Jo.1o Tliaodoro da tic.io da-tarioh de ili deaeieinbro ultimo,
Cruz Alves de Olivcir, e Jos Ailonso Sin- m.udando rugnjar ucsta provlucia, o maior ou
glOSte Eugenio, herd iros de JoSC GdiiciIvos mero de individuos, que se poder oblcr, para
de Parias, e bem ISsim os de Jos Vonssimo ootunleut as guamice. dos navios da anna-
dn Arev lo. e I). Vieencia Ferrena de albo- dl> hem cuino o corpos de iii.pcri.es mari-
querque Nascimeulo.pe.lindo alorameulo do he.ro. c l.u.uiros naves; c recommendando
i _____,' ua,. i '. cinc se observe cm scmclhante cnirajamcnto o
lerrenos de marinll. na libado Pin., ou ,,, llola_ ()Ue tamhem remetie por co-
contiguos a eta e declaro a \ S. para as- pi., c a que se refere o citado aviso.
smi deferir I ca la um dis requorimenlos, Diiu.-tucoininandaute do presidio de per-
qu no lendo os ditos herdeiros titulo In- nando, remeneado, para oa Rui coov.nlenle.,
gilimo de posse, e procedendu a de seu fi- a guia doseuicnciadu llcllarmiuo Ferreira I.i-
n.do sogro, Jos Gonfilve. de Paria, de ma, que Ihe ser cutrenuc pelo commindaute
urna usurpaco, nenhum dircito Ibes assiste. do pa'acho Pirapoma.Co.....iunicou-ic aojuli
paraobleroafor.meiito.e DfiO Convindo ao 'uuicipal da primera vara c eapedlo-se or-
*,- j.....i.. tni a cinniandaole do rclenUo pataclio para
governo por ora d.spor, desees terrenos.por- C0Il,,Uiir 0 mencionado preso. P
que podem ser precisos par. o servieo pu- uilo.-Ao uit de dircito da comarca de San-
blico, apenas se Ibes concede arren lamenlo loAoliu, para inlurmar, com preciso, sobre
do que se verificar eslar comprehen li lo na o estado, em que se acha o prucessu do pre.o
deten^io dos sopidi'. il1 s,'iii'ilni'In-.s o de- Francisco Jos da Silva, que leudo.viudo da-
mre*l}do-se, carbilrando-se urna renda an- quella com.rea para a cadeia desti cidade. em
por
Hito.Ao capilao do porto dcsla cidade, re-
metiendo, pur copia, o aviso circular da repar-
f.io
bCO. deucia a guia do dito preso, de confurmidade
Pela dlla razio de desconveniencia no se cum o disposto no art. Ii2 do regulamcnto o.
polo conceder aos oulro* supplicanles a por- 120 dedl de janciro de 1812.Igual olliciu se
c5o que pedem, ficendo na intelligencia de le. aojult de Flores, sendo o preso Jos [.ata-
que no Ihes aproveit.i qu.lquor posse nn Iratao, c leudo este vmdu pela ultima vea
cl.usdesl.n. que haj.m de tomar, como n3o ^"-"''jit'dc dircito da c,.rc. do Bo-
sproveilaaospriaieirossuppicanlcs.a que ,; e s. mc. vlsl constar de om-
lomou seu sugro, ou ules delencflii, porque co do cuinmandantc do presidio A remando,
d-so contra lodos m fe ou dolo.qde a nin- qUC ciisiem til leu guias os presos Itidoro Jos
guom l ole conferir direil". Das dos sanios, Jos Martin, da Silva, Jos
Dilo. Ao gu.rdiio do convenio un San- Francisco l'elxelra e Manoel Sabino da Silva,
lo Antonio desla ci lado. Tendo ete go- que vicram daquclla comarca sem ellas, e-
verno ex.mina lo o titulo, que V. Bvm." Ihe Bu"do se collige dus asscmamenius consiantea
envioucomoseuolficiode23deagoslo,ro. ,u uuque remelle po, cupi., nao so de as
i, i ,.i e ", convenlculcs providencias, para uue seaiu en-
l.livamentoao terreno rronleiroao seu con- vl,,da, guias com brvldade, seaoo ella,
vento, onde estilo lov.nladas as proprieda- orgauisa.las no termos do an. 4(2 do regula-
des de Ignacio Luiz de Brillo Tahorda, o Joa-' memo de l de Janeiro de 1842, ma. lamban)
quim da Silva Mai., no achnu neile provas informe cum prccisao subre o estadu, em i|ue
de pe teucor o terreno ao convenio, ,1o qual se achau, os processos de cada um dos ditos
est separado por lima ra, alm de ser de'presos, remetiendo ao mesmo lempo ascerti-
marinh., quenuues sesupiiOedaloa a l-dde, que lie forcm ministradas a respeilo
giiem, esun depende do Ululo exprosso do pelasauorhUdes da mesma comarca.
_-.....-. iA_ a r l)|IO.--Al> Jlll lllll II llllljl C C Orpllil
governo a sua posse ; alemi de qu-, se fosse lem'l0,d0 cbu. decl.riudo, em res,,o.
do convento, nao poderla ler lugar seu alo- olncl0, eill quc b. mo. ParUcIpa haver fallecido
ramento stm licena do governo, na confor- 0 cscrlvAo de orphaos daquellc termo. Josd dos
midade da I-i do 9 de dezembro de 1830. Deis Guies, que ua forma do art. I" ;. l do rc-
Como, porm, o convenio se faz digno da gulaiueiiloii.8l7dc30deagusiodels.il, deve
prolecco dos poderes do estado, e nu lem s. me. prover lemporariamenlc esse lugar, e
meios de occorrer as suas despez.s, cumpre, 1uc apparecendo pes.oa idnea, que o
nue solicite do puder legislativo permissao "Ia"'*' deveri aervlr o .ub.lituto marcado
para cooserva-lo, cotno um patrimonio, e p,r "' ""' u,c >"""la- co'"h'"-
" ,. ,' peio na setunda parte do uicsiuo nrauii.Uo ;
continuara percebrr os foros dos ditos p-o- Jumprindof s|.nc. dC|, ..Jm'pro-
prielanos, OU de quemjhes houver de .suc- ,ll)u 0 dllu ,ugari ,,roceda as diligencias deler-
ceder no dominio as propriolides nello o- minadas no mesauo regulaiucoiu, e di partea
dific.das, o as de m.is v.nlagens pertincen- presidencia de baver*uiandadu albiar os edi-
les ao senhorio direclo : o que communico laes, de que uu oarl. Il,lim de seren re-
a V Bvm." para sus Inteiligencii. pruduiidus nesta capital.
Dilo. Ao delegado do termo de Cimbres Dllo."Ao juit uiualclpal da primelra vara
dizendo, que pode f.xer a despe .-,,,.,, ^gfrg ^1 *&
na. p.ra a descoberla das armas, de que prtl ,,alKf, u \iM cir Irat o seu ollicio de 27 ado coz passado, e de ol tne senicuciado, v.sto au constar dos
renitller a coula p.ra ser Sstlsfeila, empre-l asseulueulos,que remelle por copia, mliils-
g.ndo toda a deligenri.,para descubrir eap-j tradus pilo carcereifo da ineama cadeia, ,e*|ior
prehc.ider as ditas rm.s. I !>. me enviado a presidencia.
erro de ollicio, donde proviene prejuito Mello rfo Sr. desembargador Pereira Monlei-
a faienda pruviucial que deva ser reparado ; e ro a seguiule appellacSo cm que so :
.-un a respeilo daquellas, que tlverem sido Appellante, o juizo; appellado, Judo liomin-
piallcadas pelo chefe da repartlcio, c por ou- | gUP3 ,|B silva.
tros emprrgadcs, c que esteji.n, no inesmo pa>sou do Sr. desembargador Vallo ao Sr.
!K pefaJq^u/pVecS.0d",.o',te0queUo; .dea.mbug.dor Santi.go segulnle appella-
ducumcnios eaamiuadoi liquein emmassadoi pao em que sao :
para poderem prcsiar-.ea urna lacll e pro.npla Appellante, O JUIZO .ppellaJa, llosilma do
ciinfrontacu com os irabalhos por ella apre- Espirito Sanio,
sentados. P.ss.ram do Sr. desembargador Sanliago
Fica arbitrada a gratillcacao inensal Ae 50/ a0 sr. desembargador Gomes llibeiroas se-
para cada um dos me.nbi os da com.nlsso. ouintes ippellacdesem que silo:
ncmctleu-seporcopiaa Ihesourarla da fa- Appe||anle, o juizo ^ ai'pUlailns, alanuil An-
ippe
Ionio de Jess e oulro.
Appellantcs, os berdeiros habilitados de
Elias ('.orino Cintra j appeliada. Amia Hi-
ta da Inc.rnacSo.
DurTaiaol{On.
Ao Sr. desembargador Figucira de Mello o
seguiule recurso eos que silo : -
Itecorrente, o juizo; recorrido, Jos G incal-
ves deMiraoda.
Ao Sr. desembargador Pereira Monlciro
o seguiule recurso em cm que s5o :
Kecorrento, Francisco Amonio Alvcs de Mi-
randa; recorr lo o juizo:
Ao Sr. desemhargadur Vallo o seguiule
recurso em que so:
llecorrenle, o juizo ; recorrido, Flori.no
Caclano Demetrio.
!...l.u.M., q.ele.,I.Jolr,,- tMH*Ut*m* !> S,nlo,;
TOtSSS ZZSIZ, SSfe' s,"'"t<' '"""
cvssflns Bisas* tpsivet o,,,*,
ciaes devem sor pagos sogundu a n.turezs
tenda provincial.
Comniando das armas.
Quartel yentral no cidnde do feclfe 15 de ou-
lubro d* 1899.
onoasi o uu s. H3.
Manda o Sr. maicclial de campo Antonio
Corlea Sara, commandanle Jas armas, fa-
zer publico para conhecimento da guarni-
ciio, o aviso do ministerio da guina do O
de setembro prximo lindo, que por copia
Iho fui einlerccjado pela presidencia desla
provinci. no d.la do 13 do correle.
< Un, de Janeiro Ministerio dos negocios
da guerra em 10 de snleaibro de 1852.
Illm. o Exm. Sr.Par. evitar a cunlinua-
Nll nomcicaes dos olllc ars da guarda na-1 tfle81* avilianies.
cional houvram seis descuidos, e dous1 No da ? do corrente toda aoniclaliJade do.
cominandinles ha que prelendeiu levar t". balalhfles da guarda nacional da capital
suas queixa, .0 gove,no cnntr.l elle, lee, t^S^ZSZJS^i^X^
multa railO, segundo pens.m os enlcn lo- ; ral|1 0, dou, ,eetes-coroneis por occ.slo da
doies. partida de S. Exc. a lomar assento na cmara
Da provincia dos Amazonas livemos bou- temporaria baile fui dado na mesma casa
tem noticia de que em o da 30 dn agosto,! mi que aquelle se deu ; nclle hourerain para
tendo desr c desl.canicnto da capital, desles ao sabir i'loe ha de inois Importante na no..a ocledade.
do c.labouco. um apoderou-s, d'uma ar-', "a-farain-ie.dote quad,tl,*: I ,(. e i Mto-
m. e deu u,i, tiro no couimanda,,,,.' tente ^^SA^m^SS SSfi&tt
Jo.quim llsymuido de Souz. qui oferto Uu.a lauta ccia. durante a qual houveram va-
emumjoelbo. rerimcnlo de que so julga riusb.indes os principaes, diripidos ao objec-
morrer o ullleal. Seis'presos fugiram, no tu daquella solemne feslividadc. Urna banda de
assassino lambem ; de soitc qun por ter- musi militar na porta do edificio, e nina ou
ceira ou quarla vez islo fC-inlcC', o lalv.'Z Ira de orcheslr, debiito da. rdeos do nos.o
aindi impune passo oslo m.lvado. O Vi- Insigue Culli, eonstaiitemcntc abarrol.vam os
C0-pre-id.'iite pedio soccorro a esta provin- """os dos dilcitanlcs com c.collildo. pedacos
CU, mas esl.mos com tr.nta .....ras ,1o li- P.'; P" eqiiadrilhas. O lojUjoa ra-
lili apenas, e parte mu |equei.a do curpo exccllente walsa desuacomposlcao, que folge-
polICIBl. r i linate applaudldacarnoumaverdadeira che-
U pre>idenle Aranha 101 ao R.O de Jant?i-. fe-d'obre. O nssn madainismo aprciealou-se
ro, o com elle desappiirecuiain u.s vaporis; cuino scmpic : poinjioso cm sen (rajar, e se-
etc. : licou a p ovincia outrt'gU ao Dr.: luclor oni seus olharcs; cada urn dos quaes.
Mi anda, son. lrca, lem dlnlieiro, o Vi-cramdccf,,u iiwiaprefiaveltloqucos inou-
cautesede, onquaiilo S ICxc Aranha i- S"00brUhjoieiqyeellii tratU. O baile
.... -i? ^ i u: ~. i U'iido cuiuccado u$ '' huras da noiLc, conciuio-
''" i',ra mi,' Am.zonas para esta c.pilal do llelem: o br. < dasrespeiiabilissimas matronas, cuino ouiras
llr. Miranda foi cuipussid ) qu.ndo bem | tamas pndulas, cm sua branda oscillajo, an-
qtlil o cnrrcio encorreado da entrena do i nunciavam que o rclo(io da vid. reclamara e-
olllcio do Sr. Aranha a elle. Ja segu-Isa corda do descanto, que se chama o souiuo.
ram as dlllKi'liciss sobro os criminosos, Compre diicr-lhc. que todas as pessoas per-
mas pouea gonlo se podo ao m .ineiilu re.i-
nir p>ra isso.
D zam-nos quo o dopulado do Amazonas
tencentes aos varios cicdos polticos que divi-
de! a familia maranhensc foram convidadas
esse grande baile, nao escapando os proprios
trillados, que no quicram comparecer, ex-
dascommissoes, Islo be aclivae de residen
toares.
Appellanle, Raymundo de Vasconcellos; ap-
pellada.a juslica
KrSuF5- ^.15;^^:^=:
Dos guarde* V. Ea.c--M.nocl Kelizardo
de souz. c Mello.--Sr. presidento d. provin-
cia de l'ernambuco.
Candido Leal l'errtira,
A ldante de urdais encarrrtrado do dctalbc.
os do
ta
cellos e sua mulher.
Ao Sr. desemb.rgsdor ,'Gomes llibeiro a
seguinle appellac9u em <)ue s3o :
Appellante, Joaquim Flix de Souza ; appel-
lado, o juizo.
AO Sr. desembargador Bastos a seguio-
le appellacSo em que s3o :
........,_.. ,.,,.,,. Appoilante, D. Joaona Maria do Sacramento
TIUBUNAL DA liLLACiAU. I Albuquerque appollado, M.uoel Jo.qulm
SESSAO'DE U DE OUTUIIRO 1852. { d. Silva.
I'reiirfencia do Exm Sr. conselheiro Azei-tdo. j ao Sr. desemba'g.dor LeSo por ser tupe-
As 10 hor.s'da manliS, estando presente dido o Sr. desembargador Santiago a se-
os Srs. desembargadores Villares, Lefio, gutnle appellacoem qoe s3o :
Bastos, Souza, Rebollo, Luna Freir, Telles,1 Appellanle, o juizo ; appollado, Jos Joa-
Figuoira de Mello, Pereira Monleiro, Valle,! quim Beiorra Cavalcaoli.
Santiago, e Gomes llibeiro, o Sr. presidente, Ao Sr. desembargador Souza a seguinte
declara aborta a sessSo.
JULGAMCNTOS.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Viei-
ra de Lira.Mandaran! a novojuiy.
Appullanles, Antonio FabiSo de Meudonca e;
sua mulner ; appelladns, Estcvffo Jos tarde.
I'aes Brrelo e su. mulher. Julgarsm csjaajas.
mil1.1 Di procosso.
Appellante, a mesa dissolvida da irmandade'
.i" .\n.-si seiiiiiiia da CouceicSo de llebe-
ribe; appellada, a mesa actual. Refor-
ma ram a sentenca.
Appcllanto, Silvana Mari. d. Concei;So |
appell.do, Bernardo Antonio de Miranda.
espres.ram as embargos.
DIUENCiAS.
Appellanle, o juizo ; appellado, Jos Fran-
cisco Hibeiro Guimarflas Mandaram
com vista ao curador geral e ao Sr. de-
sembargador procurador da coma.
Appellanle, o juizo ; appellado, Antonio
Elias l'essoi.Mandaram com vista aoSr.
desembargador procuradur da coro..
Appellante, o juizo ; appellada. Anua Leo-
nor dos sanios Muniz. Mandaran) cum
vista an curador geral e ao Sr. des-uihar-
gador prucuradorda coroa.
Appi'Man' s, Joaquim llibeiro Poniese ou-
iro ; aapelladu, Antonia de Assu npciio
Gsbr.l, curador d. harinea de Joaquim
Joso da Gosla l.eitao. Mandsram coto vis-
app-ll.ic.i1ii om quo so :
Appellautes, a viuva e herdeiros de JoSo
Coelho de Araujo ; appellados, a viuva e
herdeiros de Jos Leal de Lomos.
Lcvautouse a sessSo dopois de 1 hora da
INTERIOR.
CORRESPO.il)ENt;U3 fii OM.HIO l>E PKIt-
NAMBUCO.
Pir. 2 de oulubro de 1852.
Cbegou aesleiporto o vapor Imperalriz,
tr.zeodo es dous depulados Souza Fran-
co e Pies deSuuzi, alm da m nova das
demissoes de quairo ou cinco ompregados
da nossa allandega.
NSo cspenvainos por menos do que pre-
senciamos oa noite do desembirque do Dr.
Paes, um graude concurso do amigos su di-
rigirn! ao vapor, c sobre a ponle da alfau-
dega, talen a reuni.lo que mal se polla
dar ao nosso comprovinciano lugar pira
passar. Hicimos que nada menos ospera-
vaiiins purquo presenciamos as elelcuea
de camarislas e juizes du paz, aaol eiilrar
na lula vtmiH que, ipesar da priseguicSn,
de au..:a.;as, imprudencias de tres leoborea
3ue iiSn iioiieio, mas que linhim auturi-
ade, foram as eleicdes vencidas pelus ami
gos do Dr. Paes oas tres fregueziis da ca-
sero o conselheiro Souza Franco, c sou sup-i CC|110 ul cc'lebrc inc'cto nooralodo.'que he mu.
penlo o Dr. Paes dn Souza. | amigo da barrig i|uc daiconvicfCes, atolou-sc
As dnmisses dos rmpregadns da noiai j ""ilnveliiienic ao chamnanhe.
Ifandega causaiain (raudo dcscoiilenla-l A caria de convite que o obsequiadores do
ment, lioaram psis de familia privados 00 D'1ilc liaeram, mlopouia .er mais frl.ante eu
pSn que .in COnsCiencia o islado ja lluvia a
sens lilhos. Eatei Ompregados do mala da
quince anuos de servidos bous, ealglAiaile
mais, de vi lite e tantos anuos, t--m du olio-
rir cum seus lilhos o lempo mal cnpregi-
du em servir bonradamaot a seu paz Te-
(lia direito de o dizer conliec indo-01 de
muilos anuos, epodondo julgar mellinr do
quciqucll.s que (So longe dellcs os nilu
podem coiiliccer. A alfandcga do Para,
inspeccionada duis vezes, nioreceu enco-
mios, depois de ludo islo silo seos meilio-
res empregados demit'iJos.....
Piov.velujcnle ningoem lia que se nSo
admiro: mas o que nos resta lio dizernios
que, ou as in.peccOos eram liis ou nSo :
se ri mu deis os empiegadns eram hons, e
doveriam ser conservados : se eram Ditos
havli conivencia entre os nossos ompre-
gados e os commissalios lisctlisadores, e
estes devon.m ler purlilbado na soito dos
empregados. Os nossos deputidos nlTian-
(im-nos que ludo .pura ellos foi segredo
na corle, o que llics no foi podida Infor-
ma cto alguma. Gremos sinceramente no
que nos dizem os depulados, e foram al
uislo trahidos 1
Maranho, 5 de oulubro de IS52.
Comccarei cite tueu trabalho, dando-lhc
agradavel noticia de que na dia a7 dn prximo
pastado inri, chegou a esla provlucia, no va-
por Imperalrii, S. Kc. o Sr. Dr. O. Machado,
que vai, turnar conta da respectiva presidencia.
U governo geral comprehendendo as nossas
ciictiinstancias, rcillluin-nos esse hbil adml-
nislrador, que soube de um mudo adunravel
grangear as alleifdes de urna populacSo Intcl-
! A sua recep(o fui a mais estrondosa de
que lemus uolicla : mal o forte de $an-)ttircoi
aouunciou a iln-, .ida do desrjado vapor, urna
mu ud ia de iudividuos de toda. a. classe. cor-
rern! i rampa, e um g'lto unl.ono de alegria,
parti de lodos, logo que o vapor sahindo, co-
mo que de deniru dus arvuredos da costa, que
se prolonga entre a Fonla-d'dreiac aquelle for-
te, apresentou no masl.ro grande a bandeira
imperial 1 Apenas o Imperatnz deu fundo, va-
rlus escaleres atracaran,, carregados de enlhu-
siasinsdos amigos de S. Eac., que correram a
ciimpriiiieni ,-lu e le una -lu |i ir essa lo ambi-
cionada vnlia, que, como diremos em compa-
rarlo vulgar, ife. estalar a castanha na bocea
dos estrellad. A galeota, aonde viuha S. K.c.
era seguida, entre outros barcos, por urna fa-
la conteudo grande numero de pessoas do po-
vo, que, sem cessar, avam vivas aoseu admi-
nistrador, e ti'i un soltar aos ares imineniai pa-
rndolas de roguetea. O Mariani, que liaba ido
bordo n ../.er o seu predilecto Jozeiiko, na-
quellc momenlo, e.scaledendo-.e em un pe-
queo cic.ler, apre.cntava lotere.iante con-
iraslc com a alegra geral que o circumdava.
a iranscrcvu tcxlualinenlc, ei-la :
.. Tendo a ofliclalidade da guarda nacional
desla capital resolvido ott'erecer um baile ao
Exm. Sr. presidente da provincia o Sr. Eduar-
do Olympio Machado, em publico teitemu-
uho de legosijo que sentirn! pela .ua volta
esla provincia, cncarregarain os aballo atsig-
nados de convidar a V. S. para que se digne
honrar aquelle baile, que ser dado no dia 5 de
oulubro pruaimn futuro, as casas do aenador
Angelo Carlos Munlz, ra Grande. ( Seguein-
se as assignaturas dacummisio.)
5. Ec. guiado nicamente pela sua consci-
enoll, anda por ora nada lem feilo que deno-
te qual a polillca reaccionaria que deve necei-
sariacnenlc cmpregai contra easa calila de lu-
gratos que o haviam apedrejado depois de Ihe
i'uiii. i-ii'. os ps, como actualmente oquerrui
de novo faser.
As elelcea eslao .i porta, c populifao toda
uciosa pur laber qual aera a marcha do gover-
no. Em todo o cuo, estou que S. Ele. sabera
compenetrar-sednque deve a si c aos seus ver-
daderos amigos, csses laquaremas puros, que
sempre souberain, agarrados a arvore de suas
convlccoes, conlcr esse bando de furiosos lu~
Jim, que naactualidade apavoneiam-.c de alia-
ilos do governo.
A le du orcanicnlo passou hoje em ultima
.li-eii.,.1.1 no a ...iiilil-, provincial. Consii-me
que iol i ii ni i i ni. ai te alterada a capricho do go-
verno. Que opproblio !
II,Hilen, essa gente lanciva insultos .o Dr. O.
Machado, hoje curvain-se a seus pe, como hu-
milde, cscravos.
No pioiimo vapor, be pos.lvel, que lobre a
|..mu i multo tenha a diier-lhc, por iiio que
ai cousai nao podem marchar por muito lem-
po da iii.ui.it, que vo.
No dia 3o do pastado embafeuu p.ra a cida-
de de Alcntara o Em. *r. blipo dioceaoo,
acompanhado do Rvm. Sr. meitre-escola Luii
Raymundo da Cosa Leile, e mais outros eccle-
slastlcos. Flcou entregue do espediente do pis-
pado o vigario geral JoSo Joi doiSintoi.
Sahio lu no dia I. do corrente O bcelcuai-
lieo, jornal que lmente trata de negocio!, qoe
usen mime lodlca. He redigldo pelo conego
Ravinundo Alves doi Sintoi e o beneflclido
Francisco Joi doi Relt, e aclu-ic debati dai
vista, de S. Ele. Rvm." '',-.',
Neste vapor parte para o Rio de Janeiro o Dr.
Eduardo Manoel Francisco da Silva, redactor
em chefe que foi do fallecido Araot Maranhen-
sc. No dia a5 do mez prximo pa.t.do, para
substituir aqueile Jorn.l da propaganda con.-
tltuiule, sabio luz O Novo Phaiol.
No dia 26 do panado repitio-ie no nono thea-
tro a leiifill, nin, na qual pareceu-me que o
Germano leve alguma couia inelhor que da
i limera vez A platea conservou-se baolame
fra, e all c:onttoii-me, que terla liavido tua
pitea.i. le acato o Dr. Tavares, um dos mem-
hroi da directora, largando o cubiculu di
mesma, nao fu.se pira a platea grangear, e al
elle proprlo dar applauoi.
Conila-me que ecn Pailos-lioiu fra preso o
celebre Francisco DI..'


y
*
JU-l.
QEtaniatU n. VO de l do passado, qnf ron-
do defeuder 01 aeu sectario* Coque, SiWeira
c outroi |ue ter malvado., de lulo quanto ao-
brecllea flelinante lea teuho cuniinunicd icce, icio querer, utn fnebre elogio aos seua
mimoios, apreientaudo cin seguida a bloera-
pbla do l.i.io iuli ut'i. Na v.-'l i.l-, que o ajun<
temen to n5o poda ser mal* bein Irtnb.-ado !
Se ler o tal Jornal, v n que atttibuc a factura
destas Uobas suas altxs perbona^eas..... EtM
honra nuuca rspcm que incus escrito ilvei-
se, podendoscr attrlbuldo n capacidades lu
elevadas, ugmo sao as duas indignadas pelo
'lnniar/e !.... Kagraca beque o autor do (al
arlluo a que me rcllro, he bcui entendido eni
matci 1 de cslylo, porque aprsenla varios au-
tores a estas Unhai, sem delerminar iieui
quer urna uiodificaco no e^lylo, que he para
us escrlpio o raetiuo que o talhc he para a Ict-
tra Sao contente n Rodin que he o autor do
tal artigo de fundo da gateta estrellad* de dar
dous pais criauc, apresent* un outro Indi
viduo como o remetiente dclla Arre que a
tal boma j he de mais! Hcpit'-lhe, nunca
pense! que esle meu Irabalho. ftlgUlllM veaes
alinliavadoa ultima hura da saluda do^ vapor
tvesse de auppurtar tanianha supposicao. jul
gando-se al nccessaiio Irea operarlos a que a
que ave aeoureira, scu.pic lalmlga dos risos.
chamaclub-pagodc. fcuou em mena prln-
ciplos : padre quem quer que Ifja, que, im-
pvido, marchare! sempre cm minha carreira
V. Me. legredo, que os humen aiuda i o acer-
taran! quem aeja este aeu criado, que cada ves
inals se alegra c-u seu desculnavcl egosmo, de
ver outros lollrerein por elle Hi milita gente
que leva ccele por ouirein ; e assim uo se de-
ve admirar que alguein chupe dcscoiriposturas
por minha causa.
Aluda nao ha mullos das que n Dexiga em
lugar dearraneir-mc mu dente Airado, que
battaulc meinc Hiunodava, sacou-me dosqucl-
xo o melhor que cu possuia .. Fui un 0Dg*"
uo como quaesijuer ouiros inultos, que faxcm
padecer o lunoceule pelo culpado, e nada niai*.
Por este vap-.r vlcidin noticias de que no Rio
Negro houve uiua iremenda iiiiuburdnacu na
tropa que la se aclm, motivada por atraaos de
odo, fleando gravemente fciido o offlcl il que
acominandav.1 Cuiista-mc que o vice-presi-
ilci.ii- ti iv 1,1 fug'do la capital, i < i como ou-
Iras multas autoridades, que nao poderain sui-
terofreioda insubuniuacao, que prestes con-
tiuuou a pottC* tropa que exista na cidade e
grande parle da canalha : bavendo seu reccio
de mu saque geral.
I'arahilia il de ouluino de 1852.
Pela prlmetra vesfaltel a minha patarra! ISa-
sel que demonio me tentn, que SCill sillero
como, lui-me auto-h.niii ni preparando, OOIII a
minha oaiaoa eterna, deicl para o Vaiadouro,
dobrei m quina do Arauba, entrel por um bec-
co pouco largOi passe p*-l uhra de Mafra da
igreja de Sin Frei Pedro (i>utilves. que j es-
caria pronipta se cada un d^quelle bairro car-
regase por da urna pedra, latvel mu grande
buraco, que ha au norte da Igrefa futura. Hito
para tirar b-irro, 6 que bein pude servir de se-
pultura a liguen que de mil pelo leme; r
acliei-mc cui freule a remocada casi, iju teui
boje de servir de h^bilacau do cnsul de S. M.
f!i iliniiu; i, aufin como uuti'ora servio cola de latir ucea* o pmuaria, e tai ve/, de labora*
lorio ao gnummilico do Kvm. padre Silvi'n.i,
que cntau lecionava a travesa rapastlda. AH
era o lug ir do baile. Que bello poni de villa
para o Mangue! Aqualle bairro, se lil minie
merece um puteo desigual, iu centro do qual
ac acba a greja, c que lem pelo sul mna Un ha
de poucui limpos ifuinlae, oom tas cercas e
muros prosaico e oriea reBpcila ms do co-
pim, mas DO do lempo, pelooesle urna lir/.ei-
ra de um sobrado de nao m aparencia, e mna
I nli n i calcada, e pelo norte urna liaba de ca-
sas desiguaes, cui cujo centro se acha a du bai-
le, he urna leceo esquecid da Varidouio,
un arrebalde icm poeila j mas que poderla s?r
lembrado c romntico se houvease gosio em
uoisa cidade, goslo que tilvez a constancia do
uovo cnsul BOOllga plantar, porque lenho ou-
vido dlaer que os seuliuies Inglee;> sao leatea
c lelmoaoa.
O tal arrebilde be plantado em urna pequea
i 'iiiiieucij, que lici a c.ivalleu n ao pono; mas
dominado pela cidade Hita, que llie lita mimo
superior; e a casa remocada Gci ao \i do de-
clive da eminencia-, deorte que sua paite pos-
terior (L-a qu>si cm cima d'jquellc dt'S|ieuba-
fallara verdade de goslo um pouco ir Jan del.
All reolveu o uovo cnsul fuer sua lucti-
braces deploiualieaii de Borle que entre nos a
Inglaterra esla cm sua propria poifo, prosl-
ina ao mar e retirad i.
Como ie remocasiea casa, que tambem de-
vera cresetr naaltura, entcudeiam ilgun ne-
gociantes ilai nella um bule. ijimilu prompte.
e de ccrlou (erum, porque em verdade nada
be impussivcl a quem Itm duihciro; mas em
aliono da verdade u lugar fui um pouco locoin-
modo, e mus prop lo de um pa>sa-le(a.
A estrada que sempre lo i nmuuuda, eslava
eoin carcter liabiaiites da greja, c buje unlCOt, depoll que
.'ian Pedro Uoncalves, deixandu os ingrato pa-
tricios, se hospitlou na inatrij, eslavam bein
i>urpresos de seren encommodados em seu vol-
lejai nocturno pelos icllexos de um* lllumlna-
efio de baile, ah onde o inesuio phophurico
santelmo jamai apparecero. Tudo eslava coin
ar festeiro, i" a pequea c mitiga cna do ta
uoeiru decano tlnba, por aquelle da, deinado o
emblema de urna quartoli deslund^da, qni
(e uma scmsaborla, porque nada mal fcil do
3ue audar para diaule c para ira/, e faier mela
uila de venias
Nu meu lempo snn.era diflleila seleneia dan-
oaole, porque usava-se o minuete eacossez, o
sorongo, a galvoia, a walia, que eilglain ar de
corpo, deslrcia de ps e movlbllidaole.
llasU de baile, pols ja tenho dito muUu.para
quem uo quera descreve-Io.
IIjiiIciii a noite, no Varadouro, um porlu-
guet s.ipateiro eutendeu de furar a barriga de
a ii pobre, c l se acha uui no hospital e outro
na cadeia.
Nada mala me cornil conlra a lranqurlli lade
publica e seguranza Individual.
(iN.i i sii o que d 11, havido bootem cm Natu-
ba com as eleicOes inasaeila-felra Ihe direl o
que and ir na bocea di fama. Crelo que nada
deve ler havido, porque o juit de paz teve lem-
po paraconhecer, que o eleltores de eapoelra
nao tko os proprios para comporein mesa
mas como mita lulo tem sua teimn, talvci que
ellc/i:eiJe cabtva de ir contra a resoluco da as-
-tii! : i. o que uo ser novo nos jol/es de paz
do mato.
Continua o armisticio tbeatral, porque nao
ha msicos, que queiram prcslar-sc a locar pe-
rantS o respeitavel, e porque tornando-sc o
a pollo liisuporlavcl, aluda seoao puje prepirar
o Unio.
(Jrelu que hontem a eompanhia deu a prlmei
i'i mu iin Maiuaiiguapc t^spero que de l
me digam alguina cousa para commuolcar-
Ib'o.
Tenho cm consccncia de tornar atrai em ini-
nhas noticias, un dous metes pouco mals ou
menos, para referir-lbe duas mortes havidas
em liabaiana, la ou lo legoa distante desia
cidade, e da quacs nao ti ve noticia, c por isso
Ih'as nao refer. Divagan por esta, e essa pro-
vincia nni bando de vadlos, ladrcs c trapa-
ceiro .unhu.iu ws, cbainados ciganos ; os quaes
laiem sua vida de trocas de cavallos, compra e
veudaa, as qui lodos quanto ioiu etles con-
iiiinn aahcm illudidos, porque ou o objecin
sao frutados, ou de peistma qualldade, Esic
velhacos de quinta esaencia, que deviam er co-
(adus pelas autoridades, e obrigados a um ira-
balho licito, teem toda a proleccao, e bHo res-
pellados sem costumes iminorae, cnnsentlndo*
se al que audeiii por toda a parte armados at
o denles, bavendo bando que at Inculem res-
pello por sua Corea numrica. Fugiiido dai
eapltaes elle perc'orrcm o centro e cliegam a
adijuiir bailante fortuna, admitlludo em seu
sell quanto criminosu c velhado, perseguido
da justica, os quer acompanhai.
Ghegou un uestes bandos a liabaiana, c all
um que quera casar-c eolll a mulbei de nutro,
BSSassioou-O, c na mesma noite do homicidio,
desposou a viuva.
O morlo e o ssasalno tinham prenles c sec*
i.i'i'i- no bin lo, e piincipiuu entre rile a ri-
cliAj porque as aulori lade nao deiam signal
le vida.
Uuuveram algn tiros r faoadas de puuco
resuliados, o mu tnspeolor prenden um dos da
luta, o p.irdoasisduu, que entre os outro go-
sara a fama de bastante ric6 ; mas pouco pal-
ios adan le mu dos pirildistai do morto apro-
ximou-se ao preo, e Ihe i'liparou urna pistola
na nuca, que o fe/ seguir dcstl pora uielbur.
Knio resppareeeu a luciaa que pouco durou,
porqiu contera rail) a roubai-se reciprocamen
le, no que foram ajudados por inuilus que uo
erara ciganqi.
Todo i ue espalltafalo licou em silencio, por-
que o sganos lugiram debandados e nao Imu-
VC Ulll lprbCesio, c ncm slgnal de vida da
autoridades que, quinto a miui, eulendem que
os lae Ira lentes esto fura da aeco di lei.
Nadamsll me consta que uiereea mencao
Saude e felicidades Ihe desejo.
quanlidade de sgoa haseoiprc uma isame
s quinlidad de oiiro Saxlg'feits paassd
2
".'.''J ,'!___
men-
quinlidadaiie ouro snip-rem pigfida,
dou ripaia, tlraram cinco onas, c um
menino, enm um |>raio da aitnho t*t M
xelllni por dii na goa, a oalros lem ar-
rancadooomauia lacas pequeos pdalo.
dosplainoi qoa separ m os dous Oikeys.
Em Dirtliole e em SioclieyarJ uppfle-se
que ha parto do 1,500 pessoas ; mas 01 re-
suliaJo.sihi ol) parec^m pouco notaveis.
Em Mundy, Golden, Erskine o Pnlterscm-
Poinles, um numero coosideravel 'le ln livl-
duoi obtem ricos productos. As noticias du
Abarcomby s&o tambera salisfacloritg ; ni
gumas pessoisda California obtlferim 80
ungas em doie dias em Tuena Craek; duas
pessoas reuniram S* onijas em quinze dias
um um luga' novamente dnscoberti distan-
te millia e maia, pouco nxis ou menos, da
habitado deestiod. Mr.Smilu, de uma col-
ima nua que bous juizes olhavam como ri-
quissimi.
Carca da 150 licemjas tem sido uMi las
para ii novn terreno de ouro da I.Mli'-Hiv t,
perto de Braidwosd e as noticias s3o sempre
muito favuraTeis Nos anligos lugares da
oitrufSu, o liabalho contloua com o suc-
cesso habitual.
II,mis ou tres peritos da California, teudo
tnili i Um Ti somanta durante cinco horas na
risinhanca de llainzing Itock, obtiveram so-
te o'.r,as ilo ouro puro. Ellos.mostraran) s-u
producto a Mr. Ilargraves a quem all en-
coalraram pur acaso e mostraram muito
perto o lugar onde o tinham adiado.
A escolta trouxe esta semana de Sofala
1,782 oncas ; d'Ophir til, do Itathurst 40,
os correos de Sfala ',107oncs ; de Brani-
wool, 33-2; do Bathurst 197 de Mudgel3{
ao todo 3,88 oncas no valor quasi do 18,668
libras esterlinas. Alem disto, os partcula-
ros recoberam granJes quantidales de
ouro.
Nossos amigos di Victoria estAo conlen-
ii'-. a sua escolta clii'gadaa somana passada
trouxe 21 78i oncas. Shamrock rh (ou
aqu de Uelbouina com cerca de 37,000
untas.
A casa do a'.n.is;1o do governo esl om ac-
tividado na Australia m-Tidional e des-
de o pnmoi'Oilia tem entra do m'lla '2,910
oncas.
I.e-so no Sydney -MorningHerali de
10 de inaio. A quanli ijada Jo ouro que lie an-
nunciada ollicialiaente ter sido envala pa-
ra Sydney no din 5 do crranle, d'Araluon,
e lraidvvjrd o do Bidi's-Croek, e quo se es-
pera liojo co'ii a escolla, secompo do mo o
segninle :
ii'ai l'ii'n, 1,315 oncis.
I)i llrasdwooii, 78i onvas.
De llell's-C.rael, 520onfas.
11,> i ni racebido pelo crrelo allegado hon-
tem de Sofala era de 173 ougas.
Eis-aqui o lado bello do quadro ; mas ha
masis ue pessoas que Bo os lossos sem
achir ouro. A procura desto metal parece
ra nSo he limitada senSo pelo numeradas
pessoas e posibilidades do paiz.
as como todos sJo obrigados a traba-
Ihar para ter p3o,ouro, 13a.ou outra qualquer
aousa til, nSo ha empregu para aquellos
que nSo poden) trabilhar muito. Rapazes
instruidos, mu cheio de esporaoc,,* chime-
neas (e o numero dalles he grande ) se acha-
ro muitodesapontidos ift Aa'strafla. lio-
mens que vaem claramente o que empre-
hendem, que sSo fortes e sSos de cooslitui
cSo, que sabem soOrer e trabalhar bao da
ser l'i'in succadidos na Australia como o sSo
por tola a parlo. NSo se muda de carcter
em uma viagem Australia a aquellas que,
por preguica, ou por maos hbitos, nfio tem
osparancas de ser felizes na .Europa, n3 >
melhoraram os seus negocios pro 'mando u ti
outro homisphorio. Ha lourura sua ir para
elle ho uma crueldade manda-Ios para
lili
( Monileur.)
PublicacTio a pedido.
lllrn. Sr. -Acabando da(ecebor om odicio
datado de II do crrente, em o qoal V. 8-
me communica de ordem da direcf 3o da as-
sociacSo commercial para comparecer no
dia It pelas 4 horas da tarde, am de res-
ponder por infraccBo commettida ao escop-
lo obrigatorio que se formulou em virlude
da doliberacSo da assembla geral j ruin-
prc-merespundora V. S.,que havendoeuame
despedido dessa associa;So, desda o mez
passado por odelo que ja fui presente a di-
rec;3o, acho-me desligado das obriga(0es
de socio, e corno tal desconhe^a a obrigaedo
da obedecer a ordem que por dito olHcio me
foi intimada.
Ha quanto se me ofTerece a responder
V. S. que se dignar levar ao conhecimeuto
da mesma direccSo a resposta cima.
Daos guarde a V. S Recife !3deoutubro
do i.sv.!. -iilni. Sr. M .n ii I Florencio Alvos
da Moraes, primeiro secretario.
Manoel Pereira de Carvalho.
COMMERCIO
ALFANDEGA.
li. mlimentn .ln la 11. .122:848,837
dem do dillo.......13:351,257
EDITAES.
136:200,09
-----V.'-.v ir'
"" tHj 3K ntnBRIa)
uiAiii o mmmi
ItEClFE 15 DE OUKJBIIO DE 1852.
Entrou hoje dos portes do oorte o vapor
lmp$ralrl;, iriran levnos datas do l'ari al
o do eorrenlo, do Maranhiu al 6, do
C.-ara al 9 a da Farahiha al II.
Nos jornaes que recelemos nata encon-
Lramosd interessei o pnrsso ri-f Timo-nos
Intoirami'nte, quanto as duas provincias pri-
neiro m^uciiMiadas, as carias ilos nossos
correspondenlos, ezara las em nutras parle.
A alfan lega maranbanse rindeu do l. a
30 do passado 69 615,259 rs.
Ha Coara roappareceu, no dia 8 do corren
t', o peridico Ccarcnst.
Prosegua em seus tralialhos a assembla
egislaliva provincial, o u Sr. I)r. JaguariOo
r. tiran lo-sa para a roma ir i do Inhamuns
passsra a policia ao l)r. Higuel reanles
Ve na.
A alfandega da ci lade da Fortaleza ren-
leu em to lo o mal prxima passado res
-'9:777,143.
Polo quo r.speila n Parahiba remaltcmos
igualmento o leilores para a nossa Corres-
ponJjhCn inserta emoutro lugar.
Descarregam hoje 16 de oulubro.
Barca ingloza- Saord t'iik mercadorias.
Briguu portuguet -- l'lor do Mar dem.
Patacho Iiraslloiro -- Buterpt i lem.
Iliate brasileiro -- Anglica gneros do
paiz.
iiiporiiirii.
Patacho nacional Eutarpe, vindo do Rio
ja ter descidoao nivel de todo outro traba-: Grande do Sul, consignado a Candi lo Af-
ino, o em proporcSo do numero lolal del ,, MoreP,| ,Hanirestou o saguinte :
pessoas empregalas, lalvezseja maia iraca., 7_7iJ ,rrobas de carne, 53 dita o 98 libras
Algumas vez.s, de. Mr. Spalhng em um; snho ern rama J0 couroj |M00I j aos con-
curso as sociedades das artes, succe la que, sgnala i ios.
on quanto em um s lugar sa acha am cor-1 3 pipas el meia diti peixo salgado ; ao
tos das muitas centenas do libras no 1 so c y~ ,
nlra nada no lugar visinho. Com ef-j suma'ea nacional Flor do Angelim, vinda
humilo, que se tom couliecid as minas,
ha unto minos, n trabalhu dos mos ter
ronos lorim nstorvados; e em alguns fui
ab te mezas intairos Mis esla circunstancia
Lito gran la numero de pessoas trabaltiamj 0 AssUi e,,nsignado a Manoel Jos de S
sem resultado O invernopass^do fni o maisj aMi1j0| milIiifjstou o seguinlo :
512 alqueires de sal ao consignatario.
Polaca nacional Ultrice, vinda da Hahia,
consignada a Amorim & IrmSo, manifeslou
o seguinte:
2 volumes tecidos de algodSo a A L. Uli-
(lo desfavoravel aos procura lores da Nova yer, Azevedo.
Galles do Sul, produzo 0 etfeito contrario! vo|ums tecidos de ligedlo, ditos di-
para aqualles que fabalham no monla Ale-, (, ,|e |mh0 A. |. H. Gaensly.
xandro, no qual ha falla da goa nin tem, os 2 volumes lecidos da 13a, 8 d'itos dito de
mos. Tem havido- nu nnrosas esporangasi liniio, 2U ditus dit > de algndlo 11 directSo
frustradas, uiesmo no uioiile Al^xanaro;' cunimercia! dos logistis.
mas alo na dados para so est.heleccr um; 50 barris mantoigade porco ; a Joaquim
meio lermo. As lioancas cini'iiiiai ii.m |i.n!l lrilJ,.....ri
podem servir do basa, por quanto smente[ 8io barricas vazias ; a Amorim lrm3o.
mna porclo dos traballiadores as tornaran) ||iB oacional Angalica, viudo do Araca-
11a m.sriia epod, e he Tora doduvida quai ty, consignado a Theolilo Seve ct C mani-
em muitos valles retirados, mullos trabilha- festn o soguiute :
dores t'in escavado a ruclia, economiMiiioj 333 e meioalqueires de Sil, 156 molhos
sua lienta. Sabemos pelos proprios pro-I de couro de cabra, 5 caixoes e 1 barrica cal-
curadores, que os qualrocentos pnmeiros,1 C1,|0 aos consignatarios.
deOpliirgauharam quasi 10 xa-llins por da;! 18 saccas gonima, 1 barrica calcado, 12
purein houve milita desigualdada iio resul-j saccas cera de cirnaba ; a Manoel Jos de
lados. Mr. Forba pauta quo sobrecena um Sa Araujo.
s ganh 1 de 20 a 30 libras. Cinc0,-nta dez 3 harneas sal de espuma, 270 molhos pa-
x.-lmspordia, equarintac nove apeo.ssau'|ha de carnauba ; a A. Jos Joiquim Alves
alimento. Unacorrespondencia recente ava-l da Silva.
lia nganhu medio de cada um em 2 libras CONSULADO GERAL.
esterlinas por semana, e naiihum tem mas Rendimento do 1 a 14
VARJEDADE.
O OL'IU) DA VUSrilALIA.
Ol'Ecnnimislc conlm a esto respeito,um
artigo cuja i1 lucio enlindemos que deva-
nsirvava na purla, como aratlurllaj mna oiT-uecer aos no KCinprc co
vigilante, ou como leiiilirauca da barbaridade
1 um que inili un passnilo o liquido d'aqucllcs
iuteatiooa para uulrs sem aducll.as
Oa paus diS cercas dos quiitaes linbain per-
dido a negra cor do lempo, < pareeiam rever-
decidos, e baverciu lomado un niiuhaineuto
nai regular, do (|uc Ihes deram us eslupidus
negro, que as iiunni. Finalmeiile o inesmo
galdida clara-boia du l.iiuapareca ler lomado
uova 111.i 1 de alcalino. Como eu fosse um pou
co maia cedo live de vei o afn dos segundos e
tereciros encairegados dos aicaojos que me Ib
rdm de omito buin agonro.
Finalmente acteiideu-se a illuininacao, que
esleve boa. e prlaeipiarain a cliegar as srnhn-
rat, das quaes conlel Irinia c poucas. ak-tade
destaa erain do aervico activo danraute, e ,1 ou
Ira reformadas. D'aqui j v, que o bello sexo
esleve com o cambio a sen favor, e que por-
lanlo leve a libeidadc de e.colha e de passar
suasfurquilhai.
Ames do baile houve urna confortable refei-
co de garlo n'uma barraca de panno, onde es-
lavam tres mesas bem servidas. O champag-
ne estourava de lodos os lados, e a bella rapa-
/<- ni i, porque aa senhoras s gosiain de coto--
1.I1 a. palchuli, easencia de rosas, ele, ele, sau-
alou -un enthusiasmo a noble companhia.
Finda a refeicao com a Importante questao
par* que lado hca o norte, na (|ual tantas foram
as caberas a|uantas as seuteucas, entrn o bai-
le 11 tu- durou al quasi cirtco da uiauliaa.
Devo lser joslica, diendo que fui limpo, e
lauicniando(|ue nao concurresseni todasan noa-
sas bellas, principalmente a uniilia apaUooada,
jni- lem estado oestes ltimos tciujius muito
avara di- 1 os bellos ulhinhos.
Notci a|ue fio sendo adniitldas urnas grava-
las com tal voluine, que se ocrescimcntu for
aashn cm progreso, breve nao ha pescoco, onde
caibaum d'aquelles Icococs.rebaixados a lenco.
Oa pobres que a traiem licam com a cabeca
immovrl, e empapados como pers, li que co-
l.i iiili..-- nao sao necessaiioi?! Duas vellas de
jangada/I
Tambem tomel ola de uinaa caudas de ves-
tido que l vi, que me pireclam cometas, He
este um dos mrlhores usos que lenho visto, c
se liveaie pachorra dava-lhe a raio, mas i'u: 1
para logo.
Vi-me cm aperlo.s para entrar sem corlalas,
porque bou u 111 desasado; mas como losse ce-
do cnlrcl sem ser observado, e deann cantlnho
tudo observei sem me I w r notado. Achei l
smenlc um muchacho, (|ue euibicasse cotnigo;
mas eu dlssc-lhc que era das ilhas c llcamos
amigos. Tambem emblcaram comigo os ma-
ruj/ir, especie de mosqulloa de ferro agudo,
que aqu temos, e creio que nao foram convi-
dados. Poeiaui-me a cara n'uma plinenCa.
, ,;. pobre vi eu l,que liaba j as orelhas lo
volmnosas, de cuchadas pelos ferrSes dos mal.
dilos, queaolonge me pareceu unijumrnto,
enlreiauto que era um pobre cailrira de venda,
at ae acha na direceo de urna aociedade.
K.tlveram no ralle ai pessoas mals giada;
mas ouvi muito lamentar o pequeo numero
das daucantes.
Ili algutnai seaboras que nao querein dancar
O naviosOhagaIOS ultiinenenta trouxe-
rain para a Inglaterra ouro la Australia, o
contlm quo si ten adiado en Fingal, na
lira da Van Diemin ; pelo qua dizem, he
una regi.lo aurfera pelos |signaes geolo-
gkos: mas nflo Se a;>oula anda nenhuma
ilesooborta ell'ecliva ale ouro. Tambem til
/em qua em lo las as c irdtlhoiras ala Aus-
tralia, as quaes ae onten letn no luu_ro das
costas a uma distancia media ile uieuos de
cem mullas distante dalla, sa tem adia-
do nu so achara nurn ; mas parece qua he
a ballia da Murray que se pode olear corno o
campo de ouro da Australia. O carcter
geolgico dest-paiz lio O m^smo quo o da
sierra i\<*vada da California o das oonta-
iilins duris na Russia.
A p 1 dinvjn queja se eleva a 819,953 li-
bras esterlinas, para Sydney, e outro tanto
qunsi para Victoria, prometa ser ineagota-
val. Ella ja exeo le a procura em Sydney,
assim como os tiieios da compra, eo praco
desceu a 6 xellins e 4 ijinhoiros, e 63 xel.
e 2 d. .1 (juando se considera, diz o Sydney
llenild, que este he o producto de una ex-
pioraeao Inhbil, de om trabalhu condado
aos i'sfo cus iu iividuaes, sem o conheci-
meuto da SCieilCis, sem 0 apnin do Capital ;
qu- em iiussa colonia, pelo menos o 1111011-
rodos procuradores lem sido sempio em
una pro oca 1 i:i- enilic tita com a exton-
lo e riqueza das n inas,e que todos o dias
Icscoliro novas regules le deposilo de ou-
ro, no unto o nu sul, nu leste, e no oeste,
is nonos amigos podem appreciar o que a
Australia devera fazer para o futuro. No
Ijij d'ex yjld circular da fi de margo, aticoti-
Iramos s seguintes particol trida fes.
Neale lugar (Do Turn/, quasi todos ob-
tem ho'ts resultados. Un inlividuos ob-
tevo a somana paseada 20 011? is antros de
jantar, a em alguns casos, os resultados lem
sido excedidos
lima peiioa lem contienda pelo sobro-
nomo da l.ong To n reeollmu ltimamente
uma ciia do ouro, tirando froi|uoutametite
le Si 11 terr-'no, pelo qu" nos alllrmam, da
20 a 30 ontfaS por dia Elle eoiprega os seus
trabalhado'cs em ajunnr agora le.-ra auri
fora para na rhegada do invernosa oceupar
da lavageui della; um carro cletodestaIerra
he estimado om 150 libras esterlinas para
o proprietario. Os maos terrenos de Sbeepa
Station-Point toruam-se muito ricos. O
llr. Culting tortioua lavraro seu, e tira del-
la algumas vazes dms oncis por dia, eos
trabaluadorus cm geral obl:.n hus resul-
tados O pequeo Oakay entregou de novo
seos thesourosaoi aioairoi industriosos;
dem do dia 15
da tres libras. O termo medio no Turn niu
ho calculado por ningiim cima de urna li-
bra por semana. Em l.ouisa-Creelc, o cor-
respondente da l'Empire lixa em 10 xellins
por dia e para cada hoinom, em llraidwoad,
nos I np .s melhorcs de 15 a 30 xellins.
No motile Al'-xandro algumas pessoas crem idein do d 1 a 1:,
qua elle tem chegado al 3 libras esterlinas
por di 1 e para cada homam, mas na mesma
poca, os conimiss.irios ananss o elevaran)
de 15a 30 xelins.
Comparando lodos estes relatorios, pare-
9:723,865
1:699,636
11:423,501
DIVERSAS PROV1MC1AS.
Rondi menlo do 1 a 14
252,325
93,664
315,989
i-:\|eir!n'iu> .
Gibraltar polaca austraca Maicheslava, de
ce provavel que, quando o malla e a escolta 393 teneladascon luzio o seguidla : 4,200
de cada semana trasiamde 5 a 6,000 OOCJ9, saccas com 21,00* ; rinbis do .ism.i- ir.
o numero das pessoas embregadas nasope-j RECEUEDOII1A DE RENDAS INTERNAS GE-
races das minas sa aproximava da 25,000 RAES DE PERNAMBUCO.
pelo menos; mas ha um gran lo numiro des- Rendimento do dia 15 .... 491,977
las pessois que se acharatn completamente CONSULADO PROVINCIAL,
incapazes du irabalho que tatiliain empre- Rnndimento do dia 15 1:192,814
hendido san fallar da outras causis aiula
de ,11a 1 succasso. Em geral, craio qua nin-
guem poderla insistir sobre as qualidadesne-
cessarias spessoas quaquerem emigrar. Na
Australia e na Nova Zelandia,encontrei mollas navios entrados no da 15.
pessoas qua n3o dewriam jamis lar deixa- Para o portos intermedios 12 dias o 8 ho-
__
Movimento do porto.
O Dr. Custodio Manoel da Silva Guimarfles
juiz de direito da I.' yara civel, s do com-
meroio nesia cidade du Itecile do Paro
na 111 buco por 8. U. I oC. o Sr. D. Pedro
segundo, a quem Dos guarde ele
Faco saber aos que o prsenlo edilal vi-
rom que Avrial Irmaos e Companhia, ne-
gociantes deala cidade, requereram por es-
le juizo, aborta a lallencia do bacharol Joa-
quitn Antonio de Faria Abieu e Lima, como
si v da sentencia do llieor seguinte. A vis-
ta do que so acha expendido na petic,9o lis.
2, dos docuoienlos do lis. 4 a lis. II, edos
depoimentos defls.20 lis. 24, polos qoaes
concludeittomenle se prova que o lincha H
Joaquim Antonio de Faria Abreu e Lima he
cotnmerciantc, e tem cessailo os seus paga-
mentos; o luido em viati a terminante
disposicSo dos Arts. 797 o 806 do Co J. Co i),
declaro fallido o referido commercianle,
bacharol Joaquim Antonio do Faria Abreu e
Lima, e abila sua fallnucia desde o da 21
desetembro proxim passado. Ordeno que
se pouham sellos cm todos os livros e
papis do fallido, e numeio para curador
iiscal ao credor Miguel Jos Alves, que pres-
tara juramento na forma da lei, expedindo-
se desde j ao juiz de paz rospectivo partici-
padlo acompanhada do copia desla senlena
(,-a, para se proceder a posi^So dos sello,
e cusas Publique-se em mo doescrivSo.
li rila 14 de uulubro 1852 Custodio
Manoel da Silva Guimares. En cuni-
primonto todos os credores presentes do
referido fallido comparecerSo na cass de
nu 11 im residencia na ra da Concordia do
bairro de Santo Antn o, sobrado de um
andar, no dia 20 do corrento as 10 horaa da
manira, alim de proced rom a nomeac3o
de depositario ou depositarios que h9o de
recebar e administrar provisoriamente a ca
sa fallida. E para q 10 chegue i noticia de
todos mandei passar o prsenle quo sera
publtcadu pela iniprensa, e allixado nos lu-
gsre designados 110 arl. 1 ."i do Reg. n. 738
de 26 de nuvembro do 1850. Dada e passada
nesta cidade do Itecife de Pernambuco aos
15 do oulubro de 1852. Pedro Tertuliano
da Cnnlia, escrivlo itilerino.-Custodio Ma-
noel da Silva Guimaracs.
-- o Dlm. Sr. inspector da Ihesouraria
provincial, em curnprinionlo di ordem do
Exm. Sr. presidente da nroviucia Je 27 do
corrente, manda facer publico, que nos dias
19, 20 e 2! de oulubro prximo vlndouro,
ir a prega para > ......anian perantoa
junla da aznnda da mesma Ihesouraria, a
quem por menos lizer a obra do vigessioo
primeiro lamo da estrada da Victoria, ava-
hada em 12:218,606 rs.
A rreuiatac'i ser fcita na forma dos ar
Ugos24 e 27 da lei provincial n. 286 de f de
mai'.i do isl, e sub as clausulas especiaos
abaixo copiadas.
As pessoas que se propozerem a esta ar-
rematado compare^am na sala das sessOes
da junta, nos dias cima declarados, pelo
meloda, competentemente habilitadas.
E para constar s manlou alixar o presen-
te e publicar pelo diario. Secretaria da Ihe-
souraria provincial do Pernambuco, 29 do
ietembrn do 1852. O secretario,
Antonio Ferreia da AnnunciagSo
Clausulas espiciaes da arrematado.
1.' As obras do vigessimo primeiro lauco
da estrada da Victoria sorflo feitos de con-
formidade com o orgameuln o plantas ap-
provadas pela directora om consclho nesta
data, e apresenlado a approvatjrlo do Exm.
Sr. presidenta da provincia, tudo na impor-
tancia de 12:218,606 rs.
2.' O arrematante comegar as obras no
praso de um mez, e concluir no de um an-
no, contados da data da assignatura do con-
trato.
3.* A importancia desta arromatacfto ser
paga em qualro prestscOes iguaes da inanei-
ra seguinte: a primeira quando oarrema-
tanlo liver feito a lores paita da ubra do
qou contrato; a segunda quando tiver feilo
dous tercos Oas obras; a tercera quando
lor recebids provisoriamente; o a quaita
quando for dilinitivamenlo recebida, nSo
devendo clfactuar-se pagamento algiim an-
tes do lindar-sao piimairo simeslre du exer-
ciciodcl852 a 1853.
4.' Para lulo o mais que Dio esliver de-
3uoDO com vidrac.1 por 19,000 rs.; 1 relogio
a cima de mesa com caixa de pi por 4/
rs. ; I banco largo do louro por 3,000 rs. ; I
mesa pequea com I gaveta, de amarello
por 2,000 rs.; 1 caixa com maquinas para
ventosas artillciaes por|5,000 rs, ; I espelho
de Jacaranda com o vidro quebrado por 4/
rs. ;51 ferros oovos de arrancar denles, por
1,500cail um, 76,500 ; 1 rebolo com caixa
por 3,000 rs. ; 11 garrafes a/asios em na I ha-
dos a 610 rs. 7,040; e2 ca xas de estojos
para navalhas por 2,000 rs. ; pinhorados a
Jos Anacalo da Silva por execuco de Ma-
ntel Fonseca de Medeiros. B para que
chegue a noticia de tolos mande! passar o
presente edital quese- publicado pal, |m-
prensa, o dous do ursino t'ieor que sorSo
alixados na poita da salla das audiencias, e
na praga do commercio.
Dado o passado ncsti ci lado do Recife de
Pernambuco aos 4 de oulubro de 1852. Eu
Manoel Joaquim Daptista, escrivSo interino
o escrivi.
Jos RaymunJo'ils Costa Usoezes.
O major Manoel francisco de Souza Le3o ,
juiz de paz presidente da mesi parochial
dafreguezia de Maranguape, em virtude
da lei, ele.
Faco saber, que tetido de proceder-se no
dia 7 de novombro prximo vmJuoro, a e-
leisSo dos elnitores, que devem, no s ele-
ger os de miados gomes, na legislatura de
1853 a 1856, mas tambem os provinciaes as
de 1854 a 1855, e do 1856 a 1857, de confor-
midad!) com osarligos 39 e 40 da lei de 19
de agosto de 1846, e em virlude das ordens
da presidoncia de 26 dojulho, o 18 dese-
tembro, que me foram expedidas pela c-
mara municipal dosto lomo, convoco aos
elcitores e suppleotas abaixo declarados,
para que no referido dia 7, pelaa 9 horas da
manhSa, comparecen) na greja de S. Anto-
nio de Paratibe, onde tem de se proceder a
dita elec,So, alim de se formar a mesa paro-
chial, liean lo sugeitos as multas impostas
no art. 120 5 n. 2 da mencionada lei a-
que le que deixar da comparecer soca escu-
sa legal.
F.leitores.
Com man lanta superior Joaquim Cavalcanle
de Albuqieique.
CapitSo mor Joaquim Manoel Carnoiro da
Cunta,
Tenenle Jos Lucio Toixeira Cavalcanle.
Dr. M 1 no : Joaquim Carnoiro da Cunha.
Jo3o d< Cruz FernandesSouza.
Joaquim Pedro Brrelo- de Mello Reg.
Major Raymundo Jos Pereira Bello.
Jos Vello/ de C-ti vara.
Supplontes.
Capillo Antonio Rufino de Araujo Caval-
canle
Padre Manoel Jos do Nascimento.
los Xavier Cavalcanle da llocos Wanderley.
Antonio SehasliSo du Mello Rogo.
Profassor Alaxand'ino Alvos da PalxSo.
Francisco Rufino do Araujo Cavalcanle.
I i;in llczerra de Mello.
Manoel Joaquim de Vasconcelos.
Outro si01 convido a todos os cidados
qualilicados volantes, para qua no predito
dia compare^am a dar sous votos, om sedu-
las quecontenham 20 nomes, numero esle
dos eleitures que d a freguezia, observan-
do-ge qu nSo so admillem lulas riscadas
a alteradas.
E para constar mandei passar o presente,
que ser allixado nos lugsres mais publico,
la freguezia, e publicado pela imprensa. --
Freguezia do Maranguape 7 dooutubrode
1859 --Eu JoSo Paulo de Paiva Pinto, es-
crivAo a escrevi.
Manoel Francisco de Souza LeSo.
Deca ra$oes
O vapor Imperatriz recele as malas pi-
ra o Sul, hoje a 1 hora da tarde: as corres-
pondencias qua vieren) depois dessa hora
pagarlo o porte duplo; os jornaes deverSo
ser entregues 3 horas antes.
O c ipitn interino do porto desta pro-
vincia, em virtudo do aviso imperial de 16
le selembrofinlo, communicado |or ofli-
cio da presidencia do 6 do corrente. convi-
da a qua cumparecam na secretaria da ca, i-
Ciiiia as pessoas qua so quizerom engajar de
conformidade com o disposto na nota abai-
terintnado as proscnles clausulas seguir- xo trascripta.
se-ha o que dispOo a lei provincial n. 286
do 17 da maio de 1851.Conforme O se-
cretario,
Antonio Ferreira ila Annunciac.lo.
O lllrn. Sr. inspector da Ihesournna
provincial, em cuinprir/.eiitu da ordem do
Exm. Sr. presidente da provincia, de 29 do
Setembro prximo passado, manda fazer
publico que nos dias 26, 27 o 28 te ira praija para ser arrematado peranlo
a junta da fazenda da misma tnesouraria,
a quem por menos fizer, a obra do 22. lin-
eo da estrada da Victoria, avahada em ris
I3:902|SI0
A arremalacSo ser faite na forma dos ar-
llgos 21 e 27 da le provincial 11. 286 de 17
de maio, e sol as clausulas especiaos abai-
xo copiadas.
As pessuas que se propozerem a esta ai -
remalscjo coinparc;atn na sala dassessOes
da mesma junla, nos dias cima declarados
pelo meio da, com eternamente habili-
tados.
Capitana do porto da provincia de Per-
n mi neii 11 de oulubro de 1852. JoSu
II i; lela d'i iliveiin GuimarSes, capitgo l-
ente e cabitSo do porto interino.
Nota a qu se refero o aviso circular desla
data, por onde se deve regular o engeja-
moulo ile indivi luos para a armada, a
corpos iie imperiaes marinheiros e fuzi-
leiros navaes.
1 Para a armada.
DeverSol ser acosiumados vida domar,
robnstosAsadios sem lezo alguma, que os
inhaliiliteipara o se neo aqunse destmnii,
ter 16 a lolannos do dade e engajar-se pa-
ra servireni nos navios da armada,pelo tem-
po nunca menor de Sannos, recebendo co-
mo premio do engajamento, os pnmeiros
marinheircis 30,000 rs os segundos 20, e os
grumetes' 16,000 rs.
Para o corpo de imperiaes marinheiros.
11 ave 1,01 1 er de 18 a 40 anuos de dade, es-
tejam, nu t 3o acostumados a vida do mar,
com tanto < uesejam robustos, sadios, bran-
do seu paiz.
Depois disto, a quintilla Je de ouro que.
sa obtem sem um Irabalho penivel e conli-;
iiuo, aquella qua se acha por accaso, etc.,
ha comparativamente oequen >, c o valor de
todo o ouro ser em dillniliva determinado,
polo Irabalho neessano paraoble-lo. Elle
pode ser t3o abundante, como o das Cord.-'
liore, mas n.i o poleria ser obtido san um
trabaiho oxcassivo. O dosajo da ach.do
podar concorrer para povoar as ilhas do
mr pieilico, mas pode-so perguntar, se os
1,11,11111 eavailo-, os 1.600,000 animaos corni-,
gei is B OS oilo niilhCes do carnuiros que
possue a Nova Galles duSul o que d3o uma
renta amnual de 600,000 libras, n3o sarao
um 1 mina, mais rica cun lodos os motos de
desenvolvimento quo cxislam.do que as mi-
nas do ouro ?
Km iiianto entre ris s-i d pressi cm man-
dar para a Australia pessoas de todas as
eon lices, os jornaes de Sydney se esfoicam
em aconsel'iar a algumasclassesqua n3o de-
vem partir cia, diz o Sydncy-lleruld para multares doe-
migrados, com lauto quesejam homans que
possam realmente dar o irabalho do um da
pelo salario de um dia. N3o temos ntees-
sidide de ho no is inertes, nara i3o pou-
co deslea eu sanie do rapazes qaes sabem
e.tar sentados e menaitr uma pen, destes
temos sempre mais do que precisamos
Mas possoas scoslumadasa um Irabalho ar-
duo, industrial 0.1 agrcola, o pessoas qu
tenbam dinheiro para empreg-r, quer seja
muito uu puuco, achar3o na Nova Gallas do
Sul um mais bello consummo do que em
qualquer outra parle.
Os habitantes da Australia pedem traba-
Ihadores, nSo he possivel viier sam Ira-
bolho na Australia mais do qua na Eu-
ropa. Em um paiz povoadi de aovo,
as orno as ogoes diinnuam rapidimenleltodos devem trabalnar. Para o Irabalho
,r espara-seum prximo esgolamento. A opi-em garal, aquelle qua enrqueeae prov das
i,or mal que aej.in rogadas; isso he certamen-1 niao geral baque com urna sulTicientel necessidades dosque a ellase USo, a procu-
ras, e do ultimo 10 horas, vapor Impera-
triz, commandante o primeiro lente
Joaquim Salom Ramos da Azevedo Pas-
sagoiros, para esta piovincia Joaquim
Gomes da Silva, Thomaz (lomes da Silva,
Antonio Joaquim de Vascooccllos, Alva-
ro Augusto de Al i.ei 11, Antonio Nunes
Teixoira de Mallo, Joaquim.Jos Barboza,
Francisco Fidelios Barroso el filho me-
nor, Filippe da Silva Porto, Alix Four-
nier, Custodio Doningos dos Santoi ,
Francisco Jos Lene, cabo de esquadra
Manoel Marques da Silva : para o Sol, Dr.
i: hu .ln Manoel Francisco da Silva, Fran-
cisco Xavier de Palva, llerculano Eugenio
de Sam.paio, com su sonhora e 3 falla js ,
I ex-meslre a 1 ex-praca dgurmala, 3
pracas de pret e varios escravos a en-
tregar.
Parahyba 24 horas, hiato brasileiro Para-
hybano, de 37 toneladas, mostr llenri-
que de Souza Maffra, e^uipagam 5, carga
loros de Mangue; ao mostr Passageiros,
Placido Ferreira da Silva, sua senhora e 1
escravo, Rozendo Francisco de Oliveira.
Babia 8 dias, polaca brasileiro l'liric,
de 291 toneladas, capillo Ballhasar Af-
fonso Alves Bacellar, equipagem 15, car-
ga fazendas ; a Amorim 61 IrmSos. Pas-
sageiro, Jos Caetano Vielra da Silva.
Assu' -- 15 dias, briguo brasileiro Cnncei
e.ei, do 164 toneladas, capil3o Jos Alves
da Silva Floras, equipagem 14, carga sal;
a Amorim & IrmSos. Veio largar o prati-
. co eseguio para a Bihia e Rio Grande do
Sul.
flavio sahido nt mesma da.
Aracily hiat, brasileiro Santa Cruz, mes-
Ire Vicente Ferreira Lopes, carga varios
gneros. Passageiros, Manoel Barbosa de
Sjus e 1 criado.
Oiiruafo.
Suspendeu do lameirSu o brigus inglaz
Ctrallanger.capiluoCilletley para Falmoulb,
carga assucar. I
E para constar se mamlou alixar o pre- j C0Sj ou do tC,r excepi negros, e nSo lo-
iiImiii Io30 alguma, quo os inlialuj_ta-jr7fj
o servirjo, i que se destinam. OaXJua forem
da vida do mar trSo logo ppiii de mari-
onciros nol corpo, para servi*em por 6 an-
nos, confi rme o respeclfvo regulamenlo,
recebando como premio de engajamento,
os prioiciri s marinheiros 60,000 rs., e os
segundos 4 ). Os que nSo o forem terSo pra-
ca de gruti latas, par, passarom a marinhei-
meiecerem, e.servlrflo por 2
sonto e publicar pelo Diario
Secretaria da ihesouraria provincial de
Pernambuco 2 de oulubro do 1852. -Oso-
crelario, Antonio Ferreira da AnnunciacSo.
Clausulas especiad da arremataba*
1 As obras do 22." lanco da estrada da
Victoria ser3o falles de conformidade com
o ornamento e plantas approvadas pela di-
rectora em consclho nesta dala, e apresen
tada a aprovacSo do Exm. Sr. Presidonle| U|inu(
di provincia, tudo na importancia de rets .nnus re. Denuo como prBmi0 de 0ng.ja-
13:902,310 I manto 600OO rs
2. O arrematante comecara as obras no Cara/o corpo do fuzileiro navaos.
prazo do um moj, e concluir no de um neverio tor as mesmss condicOes dosque
anuo, contalos da dala da assignatjra do's8 ,|eslil.arom para o cor.o de imperiaes
niarinhfeiros, o servir por 6 anuos, na for-
conlrato.
3. A importancia desta arromalacSo ser
paga em qualru prestacOes tguael da manei-
ra seguinte:-a piimeia, qtianlo o arre-
inntante tiver feilo a ler^a parta da obra do
seu contrato; a segn ia, quando livor fei-
to dous tercos das nhras ;-a lerceira, quan-
lo for recebida provisoriamente ; e a quer-
a quando fr definitivamente recebida, n3
devendo olfecluar-sa pagamento algum aji-
les do iiiidai-.e o primeiro semestre du
ezercieio do 1852 a 1853.
4. Para ludo mais que n3o esliver deter-
minado as presentes clausulas seguir-se-ha
o quo dispOa a lei provincial n. 286 do 17
de maio de 1851,
Conformo. O secrolario, Antonio Fer-
reira da AnnunciacSo.
0 I).-. Jos Haymiindo da Costa Menezes.juiz
municipal supplentc da segunda vara e
do commercio nesta ci lade -la7 Recifa de
Pernambucu por S. M. I. e C. o Sr. D. Pe-
dro II. que Dos a guarde etc.
Faco saber que no da 16 do corrente mez,
pela una hora da larde Ta casa das au lien-
cias, s hade arrematar em praca publica
ilesle juizo, por vauda I armario a sobre elle
1 gaveta da guardar instrumentos por 18/
rs ; 2 bauquiuhas de 4 ps cun gavetas, de
comiur por 14,000 rs. ; I dita da mesma
madeira com 2 gavetas, por 3,000 rs ; 4 ca-
dei'ss da 1 mesma maJeira rom assenlos de
paulina por 12,000 rs. ; Iras ditas em m:>
estado por 3,000 rs. ; I par de mangas de
vidro lavralo por 4,000 rs.; I armario pe-
ina da/lei, receben lo como prfmlo de en-
gajau/onto igual quiulia a que fora marca-
da paira os pnmeiros marinheiros do dito
co/po.
odos os premios a cima referidos sern
agos aos engajados em 4 prestacOes iguais;
a primeira no lugar do ongsjamento antes
de omharcarem, a segunda quando chegs-
11' 11 ao quirtel nesta corte, a lerceira da hi
a 6 mez -s, e a ultima no lini do primeiro
auno de servifo.
Sec-otaria do estado dos negocios da ma-
ritiha em 16 do setembro de 1852. Francis-
co Xavier Itomtempo.Conforme.--O ofll-
Cial maior, Joaquim Pires Machado Partidla.
- Conforma.--O secretatio, Thom Fernn
des Madeira de Castro.
PelaCapitania do Porto desla provincia,
em virlude do aviso imperial de22deselem-
b-o,prximo passado,cuiumunica lo porolll-
co da presidencia da 13 do corrente ,nuv,
se laz publico o abaixo transcripto.
Secretaria da Capitinia do Poito da pro-
vincia da Pernambuco 14 de oulubro de
1852. Osecretario, Thom Fernandes Ma-
deira de Castro.
Marinha.Aviso do26 de agosto de 1852.
Altura o art. 20 do regulamenlo das Capi-
tn i as dos Portos de desedove de maio de
1816, quanto a provincia doMaranhlo.
lllrn. o Exm. Sr. Tendo a experincia
mmirado a uecessidade de alterar-se o art.
20 do regulamenlo das Capitanas dos Por-
tos de 19 de msiu de 1816, quanto s essa
-
1
! MUTILADO


V
-

I
provincia por ser ah a hora do preamtr na
la cheia e la nova antes da nascer o aol, e
convir que aa embarcares que lem de mon-
tar o balxos, salam antes desta hora para
que possam com a loar de vasante flcir fo-
ra dos mesmos durante o dia. Sua Naget-
tideolmperador.contormando-secom oque
propoza commissioencarregida do en rae di
armamento da repartico da marinlio.ooi of-
licio n. 3 de7dejaoeiro ultimo. Ili por bem
Eermillir que a aahida das mencionadas em-
arear,o 's naquellesdias.e nos dous anterio-
ros Imih lugara hora propris.eantesdonas-
oer o sol i o que communico a V. Exc. para
seu conhecimento e expedirlo das conve-
nientes ordeos a tal respeilo. DOos guardo a
V. Ec..=>l'alacio do Rio de Janeiro ora 26
de agosto do 1852.Zacaras de Goes e Vas-
concellos.Sr. presidente da provincia do
Maranho. Conforme. O ofllcitl maior
Joiquim Pires Mchalo l'ortella.Confor-
me.O secretario, Thom Fernn les Madei-
ra de Castro.
O patacho Santa Cruz, recebo a malla
para o Cear hoje, a 1 bora da tarde.
REAL COM'AMI1A DE PAQUETES INGLEZES
A VAPOK.
csar""!-!. No dia 21 deste mez, espo-
^ ^imam\. ra-sedo Sul o bem coube-
cido vapor Severo, cumman-
''aaBa' dante Cinpman o qual de-
poilda demora do coatume seguir para os
pollos da Europa: para passsgeiros, tratt-so
em casa da agencia, na ra do Trapiche No-
vo n. 42.
Pela subdologacia da Creguozia da Boa-
Viata da criado do Recife, fui recolhida ca-
dela a prela de nac3o, de nome Miquilina,
qaediz ser escrava de urna I) Annlnhe, Qlha
de t. Maraarida j fallecida, e ter sido fur-
tsda ha imiilos annos : quem direito livor
a dita escrava, apresenlando os seus docu-
mentos legalisados.lhe aera entregue.
Banco de Pernambuco.
Os descontos sBo do 6 por centu at o lim
corrente, e de 8 por cento at 6 oiezes.Com-
pra e vende letras sobre o Rio de Janeiro,
de qualquer quantia c a prasos rasoaveis.
Bauco de Pernambuco 9 de outubro do 1853.
(I societario M. I. de Olivoira.
Tribunal do commercio.
De tn-.lt-ni do tribunal do commercio da
provincia do Pornamhuco, su faz publico pe-
la secretarla do mesmo, qui em dala de
hontem foi inscripto no livro da matricula
doscommerciantei matriculados neste tri-
bunal ni Sis. Jos Ferreira da Silva Sanios,
e Luiz Fcrreira da Silva Santos, ci.lad3os
brazlleiros, domiciliados na cidade de S.
Luiz do Maranhflo, cnmmerciantcs matricu-
lados na extincta junta do commercio do lliu
de Janeiro.
Secretaria do tribunal do commercio da
provincia do l'crnambuco 15 de outubro de
1852.
JoSo Ignacio de Mcdciros llego.
No impedimento do secri tario.
por ler j aiguma carga protnpta :
para o resto, cscravos a frete e
passageiros, para o que tem bons
commodos, trata-se com os con-
signatarios Novaes & Coinpanlii i ,
na ra do Trapiche n. 34, oucom
o cipilao na pra?*.
Para a Bahia.
Segu com brevidade a veleira
e j bem^onhecida escuna nacio-
nal Adelaide, que acaba de che-
gar da Bahia : quem nella quizer
carregar, pode dirigir-se a rua da
Cadeia Vclha n. a3, oua do Tra-
piche Novo n. 16, segundo andar.
Para o Aracaty
Sogue om poucos das o hiate l.igeiro, for-
rado.e pregado de cobre, por ja ler parle de
sua carga ; para o resto e pissageiros t'ala-
se na ruado Vigario n. 5.
O brigue Animo salle para o Rio de
Janeiro em 19 do corrent, para encravos
e passageiros trata-so com o consignatario,
-- A mrsa regodora da irmandade da Se-
nhura do Boro Paito, erecta na igreja de S.
Jos de'Riba Mar, convida a todos os irmaos
da me ma, para o dia 17 dg corrente, a> 9
horas da rnaohSi, se acharcm no consistorio
da mesma irmandade, aura de se discutir o
novo cumpromisso.
-- Aluga-so unvbom preto, para o soni-
do de casa, he muito deligenle e fiel: a
tratar na rua do Cqllegio n. 15 segundo
andar.
He chamado o Sr. Francisco Augusto
da Costa GuimarSes Juaior ao armazom de
assucr n. SG da rua doll-um, para que v
<3
IMIUL DO DR. JAUL
TltAlU'ZIDO EM PORTUGUS.
16,000 rs. de as-signatura.
Sahio a luz o primeiro volume desta obra,
a melhordn todas em seu genoro : o nico
verdadeiro livro, por onde so pode ostudar e
frailear a horoeopathia. Esta ntidamente
mpresso em excellente papel, com todos os
signa.es queconlm o original para denotar
a dlfferenca do valor dos symptomas.
Contina a assignatura no consultorio ho-
meopathico do Ur. Hoscoso, onde os senbo-
pagar a sua-letlra, vencida em o primeiro res assignanles polem mandar receber os
do maio passado; visto que nao se sabe ojseus exemplares
lugar .lo s m morada, e tambera porque no-
nhum cuidado tem tido de salisfazer o stu
THHV.lt O
3E
13.' RECITA DA ASSIGNATURA.
Sabbado 16 de outubro de 182.
Eslra da aclriz Leonor Orsat Mondes.
Ilepoisda execucSo de urna pscolhida ou-
vertura, subir a serna a interessante come-
dia em 3 actos, mili do coros de mosica,
A vendedora de penis.
Persouagens c actores.
O roi o Sr. L. C. Amo lo.
Conde de Neuburg-- o Sr. Josquim Jos
Bezerra.
BarSo de Kemgsborg o Sr. R. Sonna.
II illel -- o Sr. A. Jo je.
Juiz de paz da alucia -- o Sr. I.. A. Mon-
teiro.
Werner capilJo das guardas -- o Sr. Ro-
zando
llermann lenh'dor oSr. J A. Costa.
II 1 nli.i a senhora Carmela Lucci.
Baroneza do Pelernich a senhora M. A.
Montniro.
Gotha, vendedora de pers a senhora L.
Orsat Mondes.
Dorothea fiiha do juiz de paz -- N, N.
Ura criado N. N.
Terminar o espectculo com a muito ap-
plaudida 1 >n;a,
U recrutamento na Aldcia,
na qual os seohores tlODleiro Amalia, e
Jesuina, dtncirfio o engranado terceto
U lunduin de monroy.
Principiar as8 horas.
Os billietes acham-sedosde j a venda no
lugar do costume.
na rua da Cruz h. 33.
Aviso* wversos.
-- llonlom II do corrente) pelas 8 e meia
da noite fui ruubada di sala do sobrado n
4, terceiro andar urna eacrivania de prata
de mais de palmo cora urna oampainha etc.
etc., tendo aa seguintes iniciaos junto ao
arieiro L. t. I'. : roga-sea quem dola tiver
noticia o Itie lor olferecida por venda quei-
ra leva-la no referido sobrado que ser re-
compensado.
- >o dia 1* do corrente desappareceu da
casa do abaixo assignado o seu escravo por
nome Joaquim, narjfJo anguila, representa
ler 35 a *0 anuos, foi escravo do lllm. Sr.
bario do Itamaract, aonde tinhn o alconho
deJoaquim alaniao Invou carniza acalcas
de algudSozinho, chapeo de palha, ho inuilo
ladinoelio quebrado, rocommenda-se asi
autori lados 1 olicia's e mesmo capilSes do.
campo, o apreondam e o conduzam a rua do
Collegio sobrado 11. 15, segundoan lar que I
scr3o hem recompensado.Manool Ferrei-
ra da Silva Ramos.
O hachare! .Miguel ArchanjoMonleirode
Andrade, val ao Rio do Janeiro, e nilo podon-
lu p.la presteza da viagem, despedir-se
pessoalmcnte do lodos seus amigo?, fa-lo
pelo presente.
Ilesija-so fallar ao Sr. Joaquim Jos
Je Fiquerodo, a negocio de seu iuleresse na
rua da Pra i a n. 16.
O abaixo assignado previne ao resoei-
tavel corpudo commercio, que nilo rCTic-
tuou o negocio do ven la do seu estabeleci-
menlo da taberna do Manguind, com o Sr.
M-noel Saborillo, Meando a u.osraa no mes-
mo giro commorcial do abaixo assignado. u(,|10 da S||va_
debito.
Perdcu-se do caminho de
Santa A nna, para o do Magdale-
na, urna llanta de bano de sete
chaves de prata, conttda em om
saquinho verde : quem a tiver a
chado queira entrega-la ao seu
dono, no Corpo Santo H. II, que
ser recompensado com genero-
sidade.
O abaixo assignado, rendeiro doenge-
nho Jatte na comarca de Goianna, faz publi-
car por este jornal que l"ndo arrendado o
dito engoniin ao majnr Amaro Comea de Oli
veira polo lempo de seis annos, houve de
paasar letras, ubrigando-se o dito senhordo
engenno por papel de rnanuscrlpto a dar a
obra prorapta por to lo o mez de outubro do
anno passado, e como n8o cumprisse exac-
tamente, (altando casa de purgar assucar,
por isso faz scienlificar ao publico para que
nenlium senhor negocie taes Ict^as.visto que
tem contas a encontrar com o dito msjor.
Joto Ignacio de Mello.
O hachare! Pedro Gauliano do Ralis e
Silva, mudou sua resiJencia o escriptorio de
advogacia para a rua do S. Francisco, sobra-
do n. 68, onde o podorSo procurar as horas
do costume.os que se quizerem servir de seu
preslimo.
Aluga-se por preco commo 'o, urna ca-
sa emSanl'Anna, com commodos para una
grande familia, baila de oapim, estribarla
para quatro oaVallot, e cochoira : a tratar
com Luiz Gomes Ferreira, noMoudego.
(tuga-se ao Sr Luiz Goocalves Bastos,
o obsequio la ir pagar o que osla dovondo
na taberna da rua da Guia 11 9, ojuntamen
te mudar-se dosotfio em que mora, pois os
seus trastes alravancilo.
OfTerece-se um rapaz ortuguoz de ida-
do 18 anuo*, o qual lem bastante pratica de
loja de hiendas, e d Cianea a sua conduc-
ta : quem precisar annuiicio por osle Diario
para ser procurado.
~ Lxporla-se pra o Rio dojaoeiro o mu
lalioho de nome ledro, do idade 9 annos,
mais ou menos, escravo de Luiz
No.mosmo consultorio ha todos os medica-
mentos homeopalhicos VERDADEIROS ; as-
si i como ricas carteiras, e reformam-se
quaesquer boticas, cujos modicamonlos se-
rara falsos, ou deteriorados
?se*
S
M
Publicacts litteraria.
Sahio luz a terceira ediccSo do resumo
de aryimi-lioi, pelo antigo professor de
--JlfilBfiiras letras Cardim, quo lana eslimn
lem merecido do publico ; vende-se a 6*0
rs.: na livraViy 6 c 8da pra;a da ludcpen-
denci*. >
5alnb\aluz.
28 RUA DAS ClTZt8--28- "Xj
A continuaedo da materia meca liomoo-
palbica augmentada da Iheoria das dozes pe-
lo Dr. Muie.lacuna imporlanlissima deixada
por Hahnemann ao cuida lo dos sous disc-
pulos. Eslo volme conlm a pathogenezi
de mais 12 moJieamenlos Europeos, e dos
12 principaes medicamentos BRASILEIROS,
experimentados pelos alumnos da escola ho-
mcopalhica do Rio do Janeiro.
Para as pessoasqueja compra-
ran os elementos do humen-
p;>tlii 1 e asslgnaram esta
Para asoutrasquo s quizorcm
dita obra.
Para os assignantcs c mais
pessoas que j compra-
ram os elementos de ho-
meopathia
Para as outras pessoas que
so quizerem a dita obra e
a callera
5 o a o
3 1 S I
^ 3-5
hv
2/000
3/000
12,000
14,000
Roga-se aossenhores assignanles, o favor
de mandar receber seus exemplaros na bo-
tica homeopalruca da rua das i'.-u/.'s n. 28.
Ka m"sma botica ha um grande sortimnnto
de livros em portuguez o Cancez para as
essoas que se querem dedicar ao cstudo d
omeopathia.
Aviso* martimos.
Para o Rio Grande do Sul segu com
Ituita brevidade o brigue nacional Leflo.pre-
gado e forrado de cobre; para o resto da car-
ea, esrrivos a frete e passageiros, trata-se
no esoriptorto de Jos Candi lo de Barros,
na rua da Cruz n. 6.
lio de Janeiro.
(, bem conhecido patacho V-)$* (3t&,""
lnt, segne com muito brevidade, :aniar.
los Francisco Collares.
Na noite do 25 para 26 de|sctembro pr-
ximo passado, desappireceu i'oengenho Ilu-
di ueSSo Lourrnco da Malla, 2 cscravos
creoulos, um de nomo Luiz, cor piola, gro-
r;o, haixo, pescor;o curto, olhar carrancudo
naiiz uiau le e chato, em domaiia, pareco
ligo ler mais do 25 annos ; o segundo do no-
me Manoel,cor prela, baixo e seco, ninda
moleque, tem um p eochado, com urna ci-
catriz de golpe ja velho cm cima do peito do
mesno o com o dedo grande tirado, cu-
ta oicalriz he nova que anda lem a pele
hrance : quem o pegar levo ao dito engonho
ou na Gamboa do Carmo n. 33, quo ser
bem recompensado.
Procisa-se de urna ama para o servido
intrno de una csss de pouca familia no
atierro da Boa-V isla n. 38.
-- ao entrar da mata de Xico Pinto, no dia
rjajaita feir, 13 do correte, ns 8 horas da
noite, desapparteu do comhoy do engenlio
Malapiruma um cavallo gordo, alsso claro
amnrello, dinas e cauda brancas, lem no
~ Precisa-so do una ama para o servico
de una casi do pouca fan.ilia : a tratar na
Gamboa do Carmo 11 38, primeiro andar.
Aluga-se o seguado andar dn casa n. 21
da rua vuva.coiicerta lo e piulado de novo 1
quera o pretender procuro na rua do Ouei-
mado, loja n 10.
- liosoja-so saoer so existe aqu Jos Bur-
gos da lloclla que esteva algum lempo om
casa de Cactano Gonfalves Pereira da Cu-
nta : o mesmo Rucha ou quem souber del-
le, tenhu a bondade de dirigir-se a rua do
Rangel n. 15.
Os Srs. Jos Arthur Pinto de Abreu, o
Francisco Moreira do Garmo, tem cartas na
rua do Rangel n 45, ose Ihe deseja Callar.
Precisa-se de urna ama quo leuba bon
leite, preferid lo se a que n3o livor lillio,pa-
ra ciiar: na rua largado Rosario 11. 39,prj-
melro an lar ; paga so bem.
-- O Sr. Joiquim Hemeterio do Almoida
Gavaloanti, lem carias na rua do Vigario 11.
10, segundo andar.
-- precisa-se do urna negra cosinheira,
ro de carga : roga-se, portaoto.a que 11 son
berou vir dito cavall", de aproo le-lo, mm-
dando-olevar ao diuiengenho Mitapirim ,
ou 11O llecile na rua da l'raia.armazem n. 46,
que ser gem rosamente recompensado.
Francisco Jos Alberto, subdito portu-
guez, vai pa-a Cora desta provincia
Prccisa-se do um menino para caixei-
ro, dan lo Mador a sua conducta : na rua os-
neita ilo Rosario n. 43.
Na rua do Crespo n. 10, desoja-so Callar
com o Sr. Martinho da Silva Cosa, ou com
alguom que far;a suas vozes, a negocio que
Ihe diz rcspeito
Sorvete.
No botequim do tlieatro haver sorvete lo-
dos os dias do espectculo.
Jos do Molanla Cavalcanti de Albu-
querque, leudo so as-im chamado at o pre-
Na rua do l.ivramcnto n. 10 sobra lo, se sonto', cliamar-sc-ha de buje em dianle Jos
dir quem d dinlioiro a juro, o quem com- do Hollante Cavalcanti Marinhu Falcao.para
pra duas casas terreas c 11111 sobrado. privar oquivocos ona sous negocios.
--Furlaram no dia 14 do correle do pri (Juem se fulgir cum direito a casa n
meiro andar vessa dos Expostos.um par decalcas de ho- Riboiro l'avo dinja-se no preso de tres
mem, do casimira parda clara, quasi cor das, na rua Dircita, no primeiro andar da
do cinza. e com lisias nos lados das pernal casa n. 32, que adiar com quem tratar,
mais claras, com estropos, e arralas Cura- Sorvete.
das, e guarnecidos os furos de lliOS, toda 1 N(J Dol8r|um ja ru, Nova haver sorvelo
debfuada pelo coi e arralas de panninlio to(|osos daSj 0 sempre das melhores C.uc-
cr de rosa ; suppe-se furtadas por pretos
que conduzam nieniiios da escola do se-
gundo andar do mesmo sobrado: roga-se
a quem ellas Corem olCerecidas o favor de
toma-las e Cazlas entregar a siu dono no
mesmo sobrado, que recompensar, se Iho
ur exigido.
A BpoCbaJornal doinduslria.scioncias,
litloralura e bellas artes,vende-se a collec-
cSo, pelo prcr;o de 4000: na rua da Cadea
do Rocife, loja do Ccriagem.
Deseja-se saber o lugar onde so sclu re.
sidmdo u Sr. Manoel de Frcilas GuimarSes,
liio de Amia Joaquina do Frcilas Guima-
tas.
AO PUBLICO DE NAZARETI1.
O bacharel Cormado Joaquim llygino da
Molla Sil eir, morador na rua do Commer-
cio da cidade de Nazareth desla provincia,
acaba de ser nomeado para rsle local, mem-
bro o delegado da companhia de agencia de
negocios entro o Brasil e Portugal, e polo
presente declara a lodos os inlerersados que
tivorem negocios a seguir, ou agenciar em
Portugal, para arrccaua5ln de bens de au-
sentes, ou berengas abandonadas, ou nflo,
hajam de entendor-se com o annunciante,
iilnii do serem encaiiiinliadus por seu inter-
res, ambusnaluraes de Portugal, para ne- | m'8'jj0"e inedianlo o coniralo,' que fr con-
gocio de interesse.e ledenlo ao mesmo Sr : 1 vi|lhsve| r, Cerida companhia, de conCor-
qnem dolle tiv.r noticia ou soubor, lera a nlillaje com 0 rogimeulo e ordeos res-
bondade co so dirigir.a Travessa de S l'e- lu
,iro, rasa n. 2, Callar com Francisco Joa- L,,^ ^-^ ^ "; V V v VV''t'WI'
qU!mCh.Yle'oW.l cidadao fr.ncez vai par. g Paulo Gaignoux. dentista |
Kr.nci. %. IN'mIc ser procurado n inal- .a
'Yanta.
Prccisa-so lugar um preto para o
servico de sorveles, paga-so 15,(00 rs. meo-
MM c d-su o sustenlo na rua estreita do
llozario n. 43.
Aluga-se o segundo andar o slito da
casa da rua do Vigario n 95 ; a tratar no ar-
mazem da mosaia.
.- Perdeu-se um caixSosinho com um
cmbrullio encapado com estopa, viudo da
Babia no vapor Paraense, com o lelreiro a
Guilhormc da Silva Cuimaraes quem o ti-
ver adiado, dirija-se a loja do mesmo, na
rua do Crespo n. 3, ao lado do arco de San-
to Antonio.
Aviso rapista la.
O dono da casa da rua estreita do Roza-
rio 11. 43, avisa rapasiala que domingo,
17 do corrente, das 5 horas da tarde em
diantc, haver os bellos sorveles, conti-
nuando todos os dias aliin do quo a rapasia-
da, tomando este regalo, possa passeiar
mais lepida ; o proco he 160 rs.
Precisa se de um capcllao para um en-
gonho, distante 8 leguas desta prac.a, e
que o mesmo ensinu primeiras let-a* e
grammalica latina ; a enlender-se naprar;a
da Independencia n 37 e 38.
Aluga-se o primeiro anear, da casa di
rua da Guia 11. 42, com duas salas e cinco
o commndo 1
se ao segundo
^ i|ini- hora em sua casa na ^
> rua Inven do Uuznin 11. 36, ^
j> segundo andar. ;>
HkC. iiMA.**
' --Anula s precisa alugar una prela o um
preto, tscravos, que al." saiba trtlarde
crianza e dos seus arranjos.e o 2. para com-
prar e Cazer o servigo interno de una casa
de pouca familia : quem os tiver annuncio
para ser procurado, ou dirija-se a rua de S.
Francisco, sobrado de um andar n. 8.
-- Precisa-so do urna ama para o servico
de casa e de compras.scndo boa paga-sc|bem;
na rna do Padre Floriino n. 5, sobrado da
quina.
No sitio da Trempe, sobrado n. 1, que
tem venda por baixo, precisa-se alugar dous
escravos, machos uu (orneas, quo eslejam
habilitado- vender na rua, para o mesmo
' !! un; paga-se-lhc 10,000 rs por moz e da-
se de comer: a quem convier este neicocio,
dirija-so ao mesmo sitio, que adiar com
quem tratar.
-- No Corredor do Rispo, taberna n. 12,
precisa-se de um csixeiro portuguez com
aiguma pratica de baldo : a Callar na mes-
ma a qualquer hora.
Precisa-se de 4:000,000 de rs. a premio
por lempo do 3 annos, dando-su garanta
em urna prosnedade de maior valor, e pa-
gando-so 1 por cento mensilmente: a quem
convier, anuuncie.
ty a 10 mezes de proso.
*: a direccio da associacSo 4
*" commercial dos legistas des- 9
.. ta praca, annuncia aos so- J
r cios^ que tem a venda tim
\ completo sortimento de la-
>' zendas inglezas, no seu ar- >
^ mizem, na rua da Cadeia de 5
{. Santo Antonio, o qual se a- 1
* cha aberto das 10 horas da 9
* manlifi 1 as 3 d 1 tarde. 4
*.*.*..*>**> 99*
Precisa-se de l:2no,noo rs., com o pra-
so de 24 mozes, pagando so mensalmenteo
premio de 1 por cento ao mez, com hypothe-
ct om ura predio nesla cilade no valor de
3:000,000 rs., ou em outra de maior valor
a quem convier, annuncio para ser pro-
curado.
Candida Balbina da Paixo Rocha, pro-
fessora particular approvada pelo govorno,
contina a receber meninas a quera ensi-
uara as materias proprias da educacilo prt-
meira das senhoras, e reside na rua do Vi-
gario sobrado n. 14, segundo andar.
*
('i)ii-nlOi io horneo
patliico.
Rua do Collegio n. 25, pv-
meiro andar.
O Dr. P. A. Lobo Mosco-
so d consultas gratis aos
pobres, todos os dias das 8
as ia horas da manhaa. Pra-
tica qualquer operacao de ci-
rurgia, ou de partos. Rece-
be cscravos doentes para tra-
a> tar de suas enCerinidadcs, ou >
* l'azer qualquer operaao, por
9 preco commodo. a/
Ueos dispem.
Acabado cliegar do Rio de Janeiro, tra-
duzido em portuguez o excelleuto romance
de Alcxandre Dumas, que lem titulo Dos
lu.-, e 11, vendem-se na livraria da praca
da Independencia n. 6 c 8, a 8,000 rs., cons-
tando de C volumes.
Kngujam-se serventes forros ou capti-
vos, para trabalharem no armazom de assu-
car n. 26 du rua do Brum.
-- Roga-s; aos senhores Joaquim Leal,
mo ador no Arraial, e Manoel Mannhn Ca-
valcanti, Domingos Jos .Soares o Jofio Ca-
valcanti de Albnquerque,morador em Abreu
de Una, de ir u a rua do Crespo n. 13. a uo-
giciu de inleresse.
Lava-se o ongomma-se, com milita por-
fcicfio o asscio : no patoo da llibeira do S.
Jos n 15.
Para se passar a Cesta
Aluga-sc um boin silio no lugar do Cor-
deiro a margem do Capibaribe, com boa
casa, estrihana para tres cavallos, casas pa-
ra proles fiilor, pomar o jardim ; assim
como baixas com capim, e milita ortalic":
na rua do (Jueimado 11. 30, segundo andar,
ou na rua da Madre de lieos, armazem de
Barroca A Castro.
l'assaportes.
Tiram-so passaportes para dentro e Cora
do impeno, despachani-sc cscravos.corieni-
so Tullas, o liram-se ttulos do residencia :
para esto lim procura-so na rua do yueima-
don.25, loja de miuduzas do Sr. Joaquim
Monleiro 0a Cruz.
Gonstando-mo quo a minha escrava de
nome Gortrudos, nac,3o angola, do idade 26
annos, cor muito preta, olhos granitos, pes,
o miles pequeos, estatura haixa, disdenla-
da na Trente do lado de cima, e pcito do
pombo ; se emeaminhara ha quasi duus mo-
zes para o engenho do Fragoso, aonde a di-
la escrava Gerlrudes dizia ter urna crtmadre
(prola) 1 ; 1 .. Sr. do dito engenho que
por Tavor, no caso d'olla Ihe aparecer no seu
engenho ; que raa manda pegar e remetter-
me, a casa de minha residencia na rua da
Aurora n. 52, pagando eu, as necessarias
despozrs, do cujo Tavor Iho ficarei obrigado.
Adverle-se que a dila preta Coi escrava do
Hilado Joaquim da Liogoela, e comprada em
Inilao publico quo m deirusdo mesmo Joaquim da Lingoola pelo
correlor, oSr. Ollveira, o dizem quo se tem
visto tambora a reCerida escrava, na cidade
de Olinda, e no mesmo lugar nos Arrumba-
dos em certa casa quo ser logo corrida e
o ladrao soCrer as penas da loi.Francis-
co Ji s Barboza.
Na rua da Cadeia do Recito n. 49 pri-
mero andar arren la-so annualinonto um
sitio, exige-se que eslo seja ou oa ponte de
L'cha, ou cm outro qualquer lugar em re-
laeJJo aquello, exige-se mais q ue baja ba-
nbo, e baixa decapim : quem o livor diri-
ja-se ao logar cima mencionado que acha-
ra com quem tralar.
Manoel de Almeida Lopes da Silva om-
birca para o lliu de IsneiroOS seus esca-
vos, Manuel, cabra, o Mana, crcoula.
A mesa regedora il 1 irman-
dade do Divino Espirito Santo ,
erecta na igreja de Nossa Senhora
da Conceico dos Militares faz
publico, que, o boato espalhado
por alguem [ talvez de proposito ]
de que a relerida irmandade pre-
tende mudar-se para a igreja de
Nossa Senhora do Kosario, he in-
Arrenda se o sillo Zongu em Apipu-
eos c>m excediente casa deviveoda (sbra-
lo; margem du rio.Capibaribe, estribara,
granloplantiao d capim. terreno pro-
prio para olaria, e porto do eabarquo: a
tratar com a propietaria 01 rua doAragSr
n. 12 primeiro andar.
O nbaixo assignado participa a todas as
pessois que tem penuores em sua mo ha
mais do tres mezes, hajam de os Ir tirar nu
praso de oito dias ou pagarem os juros, so-
nfio os vender para seu pagamento, nSo li
cando responsavel ao feitio.o publicar nes-
la Tolha os seus nomos por estenso por n,lo
sabor de suas moradas. Jeronymo de A-
breu.
-- Pelo juizo municipal da segunda vara,
vai a 1.11;, para ser arrematada pelos alu-
u os, a casa Rerroa sita na "rua das Cinco
Puntas 11. 81, avallada em 96,000 rs. an-
nuaes.
-- Precisa-sa alugar um moleque do 14 a
15 anuos pouco mais ou menos, para servi-
co quo n3o he pesado : a tratar no aterro da
Boa-Visla, venda n. 49.
Comida com perleicSo.
Na rua dooitao da mntiiz da Boa-Vista n.
30, cosinha-so cum perTeicSo qualquer qua-
hilado de comida, lano para almococomo
para jaotar, e mesrqo ceia, por pror;o com-
ino lo, 111 n-al : a tratar na mesma casa.
- O doutor em medicina J. B. Casaoo- t
V va, estando do volta daFranr;a, tem a)
t< aberto o seu cunsultorio homoopalhi- 4
i cu, na rua da Cadeia do Recito n. 42, 4
O pnmairo andar, aonde pJoserpro- >
^ curado a qualquer hora do dia. ,a)
##<#> ir Kbif a # <* <##*# **
Anua Ferreira da Silva, autorisada por
provisSo do Exm. Sr. presidente, doutor
Francisco Antonio Ribeiro, de 29 de julho
do corrente auno, tem aberto na casa dess
residencia, na rua das Trmcheiras n. 50,
urna aula de instruccao primaria do primei-
o grao, para o sexo Teminino : os pais de
familias que dola quizorcm conliar suas fl-
iha, poder.no dirigir-so a mencionada 0.1. a,
a qualquer hora do dia, corto ilo quo a an
iii.ii i ni i u ompregar lodos os seus desvelos
em nSo desmerecer do seu coacoito.
3()A,
da rua estreita do Biliario, travessa para o
Qiieiiundo, avisa ao respoilavel publico que
recobeo porc3o dosles biscuits do la cou-
roniiec oulros recommendados para o
Champagne pelo autor, ele, etc., chega-
dos no ultimo brigue viudo do Havre.
-- Augusto Ferr.ira Pinto, subdito portu-
guez, retira-so pan Cora do Imperio.
Lotera da matriz da Boa-Vista.
as rodas desta loterh an lam im-
preterivelmcnle no dia 26 do cor-
rente no consistorio da mesma
matriz. O resto dos billietes con-
tina a vender-se nos lugares j
nnunciaJos, c'mais no aterro da
Boa Vista n 6a, casa do senhor
Vicente Antonio do Espirito Santo.
>
a>
.-
>
al
O
HOIVIEOPATHICA. S
> 28 RUa DAS CHUZBS 28, ^
V Dirigida por um pliurmaceutico ^
approvado. i I
J Esteestabelecimento possuetodos * os medicamentos ate agora experi- ^
2 mentados, tanto na Euioi-s como no "*
^ Brasil, e preparados pelas machinas ^
p. da iovenfto do Dr. Muro. .^
;;-. Carteiras do 12 tubos at 160, por ^
g. precos vanaveis, cundirme a quali- t- dado das caixas, a quanlidade dos re- -<
>- medios e suasdynamisaces. 2
* Tubos aulsos (cada um) 1/000 Jj
Tinturas do lo los os me licamon- J
tos em Irascos de l|2onca 2f000 ;?
g, AVIAM-SE GRATUITAUENTB ^
y> para os pobes, todas as rece i tas que ^
y para al i manila 1 qualquer pruCessor. ^
AAftii'Si^a&^AAA^b***^
-- Hoga-se ao senhor Manoel Pereira Ma-
galhaes, o ohsrquiu de ir a rua da Cadeia do
Itecilo, casa n. 59, ajus'ar suas cuntas com o
abaixo sasignsdo -Jos n. da Silva.
-- Aluga-se^uma casa lerroa, no silio do
Coi.ieiro, a margem do rio Capibaribe, com
commodos para grande familia, com eslii-
baiia para seis cavallos; una dita mala
pequeo no Con 10 do mes rao sitio, tambera
com comino lus para Cainilia: a tratar com
Giabiiol Antonio, no paleo doCurmo n. 17.
Aiguma pessoa ou pequea Tamilia do
boa conducto que queira morar na rua da
Cadeia do Reein n. 4, ter casa bstanlo,
gratuitamente, rom lanto quo tome couta
de I0J0 o andar na ausencia do morador: a
traltf na mosma.
-- Alfredo do Mornay, emprcsariqda es-
trada de Ierro que so lem de construir na
provincia do Pernambuco, convida as pes-
soas que por ventura desejarem obter ac-
cOos da respectiva companhia, a se dirigi-
rem ao referido empresario al o dia 18 do
mez de outubro prximo futuro, em casa
dos senhurrs Itothe A Bidoulae, na rua do
Trapiche n. 12, no tlecife, em carta na forma
abaixo esiecilioada.
Na lojadis seis portas, defronte do
Livramrnto,
Conlina vender-se cuitas a seis vintoiis,
salo e meia pataca, oasss preta para luto, a
sais vintens o covado, al,nka do quadros pa-
ra palito', a cruzado, camisinhas para se-
llo a, a dez tusles, lencos para mSo de
senhora com flores as ponas, a dous tus-
lOes, lencos para meninos, a quatro vintens,
conos i!u cassa, dous mil ris, e outras
multas fazendas que quer acabar, e por isso
vende por pouco dinheiro.
Hoje saino luz o Vigilante n. I, peri-
dico tbeatral o pdico; est a venda na rua
lo Cresno n. II, e as m.1os do distribuidor
a 80 rs o i'\i"o I :r
J-Vende-se urna armacflo nova de taberna,
na rua do Jardim n. 69, ao p da fortaleza
das Cinco Ponas : a tratar na rua do Ran-
gel n. 81, venda do Jos Ignacio de Arruda ;
o mesmo aluga a dita casa da armacBo.
Ocautelista Salustuno de Aqulno Fer-
reira, avisa ao respeitavel publico queex-
p< venda bilbotes, meios e quartus da
oitava lotera a beneficio da nova cisa de
asylo da V. O. terceira de S. Francisco da ei-
lade da Bahia, na praca da Independencia
ns. 13 e 15, loja do calcados do Arantes, ns.
37 e 39, loja de calcados de Porto & Compa-
nhia, e na rua da Cadeia do Recife n. 46, lo-
ja de miudezas de Jos Fortunato dos San-
tos Porto. A mesma loteria corre hoje (16)
dn corrente, o espera-se a lisia da mesma no
lia 20 pelo vapor brusileiro, ou pelo inglez
110 da 21. Todosos billietes vio lirmados
com o nome de Ferreira em brevo, e a8o
immedialamcnlo pagos todos os premios
que nelles sahirem as tojas cima mencio-
nadas. Avisa mais ao respeitavel publico,
que os tres premios grandes nBo esto su-
jeilos ao imposto de oilo por conlo.
Bilhetes 4,400
Meios 2,200
Quartos 1,200
l'lano das loteras cm beneficio da
casa de asylo da ordem terceira
da penitencia de S. Francisco.
4.000,000
2.000 000
1.000,000
500,000
200,000
200,000
100 000
100,000
100,000
5:281,000
13:480,000
600,000
1 premio
1 dito
1 dito
1 dilo
1 dilo
2 ditos
2 ditos
5 dilus
10 ditos
4320 ditos
100,000
50,000
20,000
10,000
4,000
Sello ta/enda publica
12 por conlo a benclicio da
orden, sujeitos coro-
miSS0o de venda, e mais
despezas
1:920,000
16:000,000
Compras.
-Compram-so rscravas cevondemse, re-
cebem-so do en nmi .'m, lauto .'ara a pro-
vincia, como para fura della: na rua dos
ijii irteis n. 24, segundo andar.
Compra-so urna negra, quo saiba ven-
der na la, preferindo-so a que fiir d- na-
(,1o da Costa de Mina : na rua Augusta 11.
32,8o dir quem compra.
-.Compram-se escravos do ambos os se-
xos, para dentro o Cora da provincia, agra-
dando pagao-se-bcn : na rua das Lataugoi-
ras 11. 14, segundo andar.
-- Gompram-so escravos,creoulos ou par-
dos, d 8 a 20 anuos do i lado.o r.i :a -- bem:
na rua estreita do Rosario 11. 28, seguudo
andar.
Compra-so um violan em bom uso na
rua do Livramento n. 10 sobrado.
Venda.
ilbetes do lio de Janeiro.
aos ao:ooo,noo de rs.
Na lojaderoiudezasda pra?a da
Independencia 11. 4 vendem-se
bilhetcs inteiros, meios quartos,
oitavos c vigsimos, abeuefcioda
teiramente dastituido de funda- edflcacao do novo hospital da
monto, pois que a mesma irman- Santa jBSi d Misericordia da ci-
dde se acha em armona coma
respeitavel corporacao dos mi-
litares.
tjumta--ira, 21 do corrente, pelas 4
horas da tardo, na porta da casa de residen-
cia do lllm. Sr. Dr. juiz de orpnaos, vai
dade do Duro Preto; vem a lista no
primeiro vapor que cliegar do Rio
de Janeiro.
y Hicas botuaduras para colete.
Vende-se na rua do Queimado loja de
uraca a casa terrea n. 37, sita na rua do Mo- miudezas n. 47 .
suena, avallada em 1.300,000rs. por exe-, Vendem-se mermelada muito nova. ------ rn'chelra do Sr
cuc3o de Antonio Candido de Miranda.comocheg.da ltimamente de Lisboa no brigue ousem elle; para ver_na c
tutor do menor Manoel do Nasciment, con-? Flor do Mar, em latas grandes
tra D. Josopha Maria da l'aixao ; adverte-se j na rua da Cruz n.
que ser a ultima prsca. i Cosme.
2,652 liilhotcs braiieo-,
4,000 bi I botes 4,000
Est conforme. Ignacio Carlos Freir de
i.arva un, primeiro secretario da assem-
hla. Pernambuco ti de outubro de 1832.
Salusliano de Aquino Ferreira.
Dinlii 110 vista*
Vendem-se corles de vestidos
dos, com pequeo toque de mo-
fo, a 10,000 rs. e nos covados a
Goo rs. : na rua do stare^po n. 5 ,
ao pe do Sr. t>uilhcrme da'Silva
Guimarcs; |quem nao ter um
vestido de seda ? a elles que sao
poucos.
Vendem-se duas escrava de
muito boas figuras, c com as habi-
lidades precias para todo servi-
co de una casa, sendo urna mula-
ta, e urna negra rreoula, esta com
idade de i5 anuos, enquella com
10 annos, pouco mais ou menos:
na rua da Cadeia do bairro deS.
Antonio.n. i5. segundo andar.
Veiidein-se boas saccas, com inilho no-
vo : no RoriCo, venda do becco Largo, qua
vira pan a Senzalla Nova.
Vende-se um pardo de excellente fi-
gura, x de 20annos de idado : na rua doCa-
hug, botica n. 11.
--.Na rua do Livramento 11 10, sobrado, se
dir querr vendo duas correnles para relo-
gio, dous relogios, um aderezo, duas vol-
tas, um .poutoiru, brincos, allineites, ene-,
lijes, conloes, irancoiins, urna coroa, colhe-
res do piola paradla, sopa, salvas e outras
obras de ouio e pra la.
Uicas filas de veludo para pescoco.
Vendem-se fitas de veludo, com suas
competentes vellas doiradas e de madre-
perola; muito bonitas pedias lizas lavradas :
na rua do Queimado nova loja demiudeza
n.47.
v^-rdbreias a 4o rs. a caixa e 3ao
rs. a duzia.
Vende-se ni rua do Queimado na loja no-
va de miudeza n. 47.
Bengalas de balda-
Vende-se na rua do Queimado nova loja
de miudeza n. 47, a 1,500 cada urna.
Toucadores de espclhos para me-
za a e 56o rs cada um. '
He na verdade o mais barato que lem
apparecido pela sua delicadeza : vende-se
na rua do Queimado, loja oova de miudezas
n. 47 de A. Jos de Azevedo.
i3TGrande sortimento de lnvas
de pelicas e seda de todas as qua-
lidadcs.
Vendem-se na rua do Queimado, nova
luja de 111111 leas n. 47, luvas, ditas de pon-
tos iuglezes muito linas enTeiladss para se-
nhora, ditas de seda trancada, branca e cor
decaiina, dilas do torcal muito finas; pen-
les inglezes muilo finos, tudo mais barato
que em outra parte,
Linha de jardas muito fina.
Vende-se na rua do Queimado loja nova
de miudeza n. 47.
yliicas fitas de seda para cin-
teiro.
Vendem-se muito ricas filas de seda para
ciuteiro as mais bonitas queaqui tem viu-
do o preco que Cor admirar ao comprador:
assim como um grande sortimento de bicos
a rendas largas e estreitas, os queas os fre-
ffuezes podem vir ou mandar buscar as
amostras que se acnam patentes.
..Vendem-se bengalas a 320 rs. cada
urna : na rua do Queimado loja de miude-
za a. w
Archotes muito superiores Vi por com-
modo preco i na roa do Brum n. 28.
Casamento.
Vendem-se ricos "vestidos brancos dese-
ti ni e chamalote bordado; na loja do sobra-
do amarello, na rua do Queimado n 29.
-- Vende-w um cabriolel, com caval -
. Antonio Ferreira da S Iva. ao p da cadeia,
66, dcTronle do Sr. Dr. e para tratar na rua do Quoimado, loja do
1 sobrado amarello n. 29.
I
MUTILADO


"~
-J
Sands
SALSA PARRILHA.
Vicente Jos de Brito, nico a-
genteem l'ernambuco deB. J. D.
Sands, chimico americano, faz pu-
blico, que tem chegado a esta pra-
5a urna grande porcao de frascos
de salsa parriilia de Sands, que sao
verdaderamente falsificados e
preparados no Hio de Janeiro, pe-
lo que se devem acautelar os con-
sumidores de tao precioso Talis-
mn, de cahir neste engao, to-
mando as lunestas consequencias
que sempre costumam trazer os
medicamentos falsificados, e ela-
borados pela mao daquelles que
autepdem seus inleresscs aos ma-
leada liumanidade. l'ortanto, pe-
de para que o publico se possa li-
vrar ilcsl-i fraude e distingua a
verdadeira salsa parrilba de Sands
da falsificada, e recenteniente a-
qui cliegada ; o annunciante faz
ver, que a verdadeira se vende
nicamente em sua botica, na ra
da Conceieo do Becife n. 61 ; e,
alm do receituario que acompa-
nha cada frasco, tem embaixo da
priuieira pagina sen nome inipres-
so, e se adiar sua firma em ma-
Salsa de Sands.
Ra larga do Rosa-
rio n. 36.
Este remedio acha-se a venda
na botica de Birtholomeu Fren-
cisco de Souza, no lugar cima in-
dicado : o mesmo garante a quem
duvidar ser a verdadeira Salsa de
Sands.
Vendem-se 1 elogios de ou-
ro e pr&ta, patente ingcz: na ra
iia Scnzalla Novan. Va-
AGENCIA
da fundicao Lnw-Moor.
HL'A DASENZAI.LA NOVA N. 42
Reste cstabcleeinicnto conti-
na a haver um cmplelo sorti-
menlo de moendas o meias mo-
endas para engenho machinas
de vapor, e taixas de ferro bati-
do ecoado de todos os laina-
nhos, pata dito.
Moriid:-. superiores.
Na fuinlKjiiii de C. Starrr. Companhii,
em S. Amaro, acham-se a venda moendas
ile canna, todas de Trro, e um modelo a
coustruccSo mu i lo su per ioi.
(iomma de engommar.
Vcndcm-se saccas com gomma, niuilu al-
va, oropria para engommar c Tazcr bolinbos.
AIIHIIB DE PARS.
Fabriea de chpeos re so!, na ra
do Collegio n. 4-
4
O caotelista Salustiano de
Aquino Ferreira avisa ao reapeita-
vei publico, que os seus bilbetes e
cautelas, da lotera a beneficio do
por nio ser secca ao fogo: na ra do Quci-
mado n. 1*.
Vende-so um sobrado de um andar,
silo ni ra do Livramento : a tratar no aler-
jo da lioa-Vista n. 10, sobiado ; lambem se
llUSCriplO sobre O llivoltorio ni- vende una negra boa quilandeiia.
presso do mesmo frasco
AOS 10 O0O E 5OOO' DEB8,
O cautelista Salustiano de A-
quino Ferreira avisa ao respeita-
vel publico, que a loteria da ma-
ai ados de ferro.
Na (undico da Aurora, 001 S. Amaro,
rondein-so arados de Trro de diversos
mo lelos.
Taixas para engenho
Na l'un iiiini de ferro de I).
na
triz da Boa Vista corre imprete-: yy# jjowman j ,,a rua do Brum
rivelmente no dia aG de outubroj||iiS8a|1(i0 0 c|ia|arz ( contina a
do correnlc anno, e estao expostas Ulver n|n completo sortimenlo
a venda os seus afortunados bilbe-, e taisas e (c ,. funjd0 e ba-
tes e cautela da mesma lotera ,' tilo, de 3 a 8 palmos de bocea,
na praca da Independencia 11. 4 > as quaes acham-sc a venda, |>or
loja de miudezas de Fortunato P- pre^0 cmnmodo e com prompti-
reir da Fonseca Bastos ; 11. i3 e (,5j einbarcain-se, ou carregam-
i5, loja decalcado do Arantes ;'se em carrog 8em despezas ao
n. 37 c 39, loja de calcado de Por-|con,prador>
to &c Companbia, e na rua da (Ja-: vendem-so os verdadeiros selinsin-
deia do Becilc n. 46, loja de miu- 'glozns, patente, de molla o sem ella na
dezas de Jos Fortunato dos Santo.] ~ 7e"K. tlleol. lyPo -
Alm do sortimont j annunciadn, roce- hosnital da Sania ('.u ra
beu-se pelo nato llavie, ultimo vindo defno noap "* ?an,a y asa d
Krinc, um novo sortimenlo de chpeos de
sol de seda e de.panninho, para homens e
senboras, dos ltimos gustos; superiores
chapeos d sol do seda com cabos de cana,e
outros dos melhorcs que tem viodo resta
praca, que se continuam a vonder por me-
nos precn queem outra qualquer parte.
Vendom-se amarras deferro: na 'na da
Scnzalla (Nova n.42
-- Vendem-se lonas, brinzao, brins, e
meias lonas da Russia ; no armazem de N.
0. Rleber & Companhia, na rua da Cruz
n.4.
l'otassa da Russia, c coL virgem.
No armazem da rua do Traoiche n. 17, de
Jos Ferreira Basto, ha para vender superior
potassa da Hussia, rhegada ha punces dias,o
cal virgem da mais nova que ha no mercado.
Misericordia da cid.tde do Ouro
l'reto, esto expostos a venda, na
praca da Independencia n. i3 e
Chapeos do Cliily.
Vendem-se chapeos do Chily da todas ai
qualidades, por preco muito barato : ni rua
do Crispo n. 98.
Vende-se por precisan ama liada ea-
crava recolhida, com hahilidadea, para mu-
camba, de idade 17 anuos : na roa da l'raia
n. 43, primeirn andar.
No largo da assembla,armazem aonde
csicyc prenca do S\ Jos Caelan de Me-
deiros, vende-se cal virgem do Lisboa, por
i5, loja de calcado do Arantes, e.3'500 .ob,rril-
a a j u a t< Vende-se urna escrava do 16 a 40 an-
n. i-] e 09 ae rorto OC Lompa-nos de IJaile, propria para quat|ur servico
nbia, loja de calcado, na rua da mesmo para oampo, por lersidoo aervico,
'.j-;. J, 11 ..'.___ic 1 delta, s o que nSo tem he habilidades : a
Cadea do Becde n. 46 loj delrilir ;, ru", ireilll 10i vend, pint,ul
miudezas de Jos Fortunato dos de azul.
Sanln f'nrtn a Hila Inlorin irJ VenJe-ae urna negrinha, creoula, bem
aantoa i orto a dita lotera wr-'p,^ de Idadeiaannoa,U prendada,
reu no di I 2 de Olltubro do rorren- coze. engomma, boa vendeleira, cosinha,
le anno, e espera-se a lista da mes- """"J" bem. c'bell de u'"' RDl">".csl*
,. muito propria para se prendar alguma rao-
m 110 da 30 desto mez, pelo va- caque se case: procure na rua Nova no pri
por da companhia brasileira, ou me,r0 andar doaobradon. 26, qua so dir o
Faria de mandioca a t,6oors. a no dia pelo vapor ingle, e.^ffl""?,,,^
secca. vern: sao pagos em continente Haebegado casa da rua Novan 2, um
No armazem de J.J.Taaso Jnior: na roa t0(]cs e quaes premios que sabi- e'lo sortimenlo de apparelhos para fazer
o dAmorim n. 35. '__, i7:iui ..il j, j,. cha e caT em menos de cinco minutos;
Deposito de panno de algod3o dalreni nos bUhetea e cautelas da dita obr, prjmi e goslo moderniasimo. muito
fabrica de Todos os Santos da,atera, naa lojas cima mencio- P^[0^^'\a^PVJ.,d!.!"li!L?^.l'iL"
Bahia.
Vende-se o bem conhecido pan-
DO de algcido da Bahia, proprioj
para saceos c rotipa de escravos,;
a vontade do comprador assim
como fio dealgodo da mesnsa fa-l
brice no escriptorio de Novaeaj
& Companhia, na rua do Trapi-l Bodngues de Souza Jnior avisa r,rle8do um sobr.d de um andar esotso,
nad
Bilhetes inteiros
Meios
(Juartos
Oitavos
Vigsimos
cautelista
21,000
11,000
5,5oo
2,800
i,3oo
Antonio Jos
cialmente aos aenhores estudantes; ven-
dem-te pelo mais mdico prego que he pos-
sivel,
Vende-se muito em contauma casa si-
tuada na Casa Forte, tendo de Trente duas
janellas e urna porta, bom quintal com arvo-
res de Tructo, e excellenle cacimba : as pea-
soas a quem aemelhante.negocio nnvier,
queiram dirigir-se a rua Imperial n. 71.
Vendem-se duas partes de um sitio e
che n > :.
ao respeitavel publico, que ven- sito na rua do Caldeireire desla cidade, ou
.arta Treguezes deu da quinta loteria da fabrica de TJrTioZXT' '"^ ""
cShwtoiM'dtj'Kode vidros e quarta da fiacao, na sua yv?*V'VV***V*f f f f ff Vf
aiuito encorpadus. loja de ferrngens, na rua do Quei- ^De psito de tecidos da fabri-*
Na ruado Crcspo.loja da esquina que vol-mado, junto ao becco da Congre- cade Todos os Santos,
la para aCadea, a 1,600 rs. cada um. _.s a* A n om, ... U 8* u u-
de J. Kellcr &
a ...a da Cruz n.!a de Cageos d._I3_, de Jo3o
Em casa
Companbia ,
55, ha para
lentes pi .nos fortes, e de um
na 11 37 A : na mesma rua lo-

na Bahia. ^
Venderse em casa de Domingos Al-^
^J^ap^tu-Bodgues de^.Vo | aSSM^fJK^
j I aterro da Boa Vista, lojn de miu- J transadodaquellafabrica,muitopro-J
Porto.
Bilhetes to,f)oo
Meios 5,3oo
Quurtos 2,600
Quintos 2,100
Decimos 1, too
Vigsimos 600
Cal virgem de Lisboa.
Vcnde-mse barri* com cal virgen) de Lis-
boa, da mala nova que lia no marcado: na
rua du Apollo arinazcm 11. 10.
jUoiutios de vento
un ll.iii 1 s fabricas, c
mmente da Europa.
Batatas novas
Francezas, em gigos de 4o l-
>ras, chegadas no brigue Cesar ,
por precos muito commodos : no
armazem da travessa da Madre
Dos n. ai.
A 2,000 rs. o corte.
Na loja da esquina, quo volla para a rua
do
1 Lii deiHS 48 de Antonio da Silva > prlopira saceos e roopa ae e
liecaifos ulll-', _' os,assim como lio proprio par
l.uimaraes, os premios abaixo de- ^ deadepescar e pavios para t
de escra-''
re-
graphia i^o Diario Novo eatando.coito.
ajj
clarados, c pelo presente convida por pro? muito commoiU..^
aos posMiioores a virem receuer vende-se Trelo em saccas, tindo de
ras mencionadas lojas, pois paga Lisboa no ultimo navio, de superior quali-
em continente sem ganancia al- ?'' "o armazem do Sr. n,as Ferreir. de
o Tronte da escadiuba.
gumi- No armazem de Jos J01-
Em vigsimos o n. 78, con 20:000,? ,jUm pereira de Mello, defronte
^e rs- do guin laste da Alfmdega, ven
Em quarlos n. 5654, com 4oos rs dem-se superiores batatas, asme
.coiiegion. 5 vendem-se cortos de mei.s Em oitavos n. 28^9, com loos rs. |horeg quc |,a o mercado, viadas
t&tS^JttJSl* E-vigesiuiosn.a.o^comaonfrs. de LlsJ03 brigue Vlor do
bem montada, lantc de bons prc-
los, couio de typos : quem a pre-
tender, dirija-se a nii da l'raia
u 55, a tratar com a Viuva liorna
Em quartos n. 4gt3, com 100. rs. j^ar, pelo barato preco de 800 is
A 5,ooo rs.
Superiores chapeus do sol do seda inglo-
zcs chcgaiios pelos ltimos navios, pelo di-
minuto prec,o ilo 5,000 rs. cada una : nn
rua do Collegio 11. 4.
1 I virgem.
Vcndc-sc cal de IJ.-boa a mais nova do
rimei-
onseca
A KiUio, oua rua do Trapiche, amazcm de
Deposito da^atorUa de"Toloi os Antonio Auguato da Fooieca.
8antoa un Btala. I'eijao novo a (),ooo rs.
No arD.azum de (ouvcia & l)is, confron-
com bombadnropuxo para rearar hortas n.ercado: na rus do Vignrit) n. 19, p
ebiisaaducapim naTundis8odet) W. llov- %^,f^J?dA';.?ifl;,,,0-
man:na rua do Urunius.6,8c 10.
Vondu-se.eni casa de.^. ti.Uiebor&C,
na rua da Cruz n. 4, al^odflu transado a-
i|iiellarabric,i(iiiuilopropriop.irasHCCosde
..ssucar eroupa dooscravos.vrorprecooom-
moau.
a 120 rs. o cova Id ou 4,5oo is.
a peca.
Na rua do Quoiraa lo. loja n. 3, vendem-
.so chitas escuras muito bas, e de lindo
nuil/, s, pulo baratissimo preco .1" 120 rs. o
invado, ou-4 500 rs. a peca ; bem como nu-
tras 11/C111I11- baratas.
Cal virgem de Lisboa.
Vcnde-se sutieiior cal virgem,
chegad-i ultimainenlc de Lisboa, e
por preco muito cin conta: 110 ai-
te a cscailinlia da AITandrgn.
Queijo: do sertao.
Venileni-s muito bous c frescaesqueijos
do sorldn; na rua 110 yucimado n. 14.
- Vendem-se saccas co D fa-
rdos : na rua da Madre de Dos,
armazem n. ao.
Vcndn-se urna nscrava crcoula, boa en-
goaiinadcira, cosinheira e coalureira na
rua Helia 11, 16.
Ma rua do Crespo, loja n 6.
Vendem-Si! supuriorea corles de cambraia
desalpicos, 001116 l|2 o 7varas, a 3,500 e
4,000 rs ; cortes de cassa chita, de non
BOItOS, a 2,2*0 e 2,500 rs.; cas:i frsnCGZ* a
440 rs. a vara ; Corte de brim trancado es-
iii.izcn do Caes da Allandega n. euros e mesclado, a9,000rs, panno lino
7, ou a tratar UO escriptorio de P'elo a 3,000 c 4,000rs; lencos de CMnhniia
, de linho, 480 rs.; ditos de cassa grandes,
a I6O1; riscado .1 linl.o a ISO r. o covado
o mullas mitras Pizeudas em conla.
Vendem-se saccas com fa-
rello de 3 a 4 arrobas : no ar-
mazem de Antonio Annes, no caes
da Alfundcgn.
lima enconimeuda de cobertores,
Que por serem pouros
Niio podem chegar
A todos os compradores,
a 1,600 rs. rada um : na rua do Crespo, lo-
ja n. 6.
Botica homeopathica.
28 rua das Cruzes 28
Vende-se caixas com cera m ditos n. 3i58 com ioos rs. a
envelas, de 3 at 16 em libra ,'En ditos n- "0? comioosrs.
fabricadas cin Lisboa, c no Hio de Em oitavos n. 1C3, com loos1 rs.
Janeiro, por preco mais co nmodo Em ditos n. 2392, com io:' rs.
do quccni outra qualquer p.rte : Em vigsimos n. 2022.com lOOf rs.
trala-se com Machado 81 l'inhei- Em ditos n. 2i3g, com loos'rs.
ro, na rua do Vgario n 19, se- Lm ditos
glindo andar. Em ditos
Fuhria d'chapeos'le sol no Em ditos
e muitos outros
aos rs.
mesmo convida ao respeita-
te ossBua froguezes, que receben ve| |)u|,|c a v,. sortir.sc dos
de sortimenlo d'chapeos de seda e de ..
lir.lio para homcni, ricos chapeos de se- seus bforlunados bilhetes ,
Aterro di lioa-Vista 11 22.
0 dono deslc 'stibelccimenlo cima men
cionado 11'ni a honra de participaran respei
lavel publico de IVrnamburo, .- psrlioular-
nenti
grai
pnnn
II.
n.
n.
com I00S rs. .. Vendom-se duas escravas. urna coze,
cosinha,'lava, ho quitan leira n oulra la
va, cosinha, e he vendedeira ; na rua larga
do Rosario n. 35, loja
Vonde-sri um moleque com p-incipio
de cosinbeiro, bonita figura, c proprin par
qualquer servico ; ii.1i tflm vicios nem acha-
, com IOOS* rs. que, e he muito lid : na ru< do Crespo,loja
5543, com too'srs. <>J6, esquina que volla para a ruadas Cru-
4978>
com loos rs.
premio de 4$' e
Vende-so um violSo em bom estado,
por preQocommodo : no aterro da Boa-Vis-
ta, loja n. 46.
Calcado
meios

ovaes (k Companhi 1, na tua do
Trapiche n. 34-
U 39 A ,
da rua ostrrita do Itozario, travessa para o
Queimado, nlm dasmuilas qualidadcs de
biscoutose bolachinlia quesempre costuma
vonder, vende mflilo lino chocolate de l.is-
bOa eoulrode couiposicSo decanella, mui-
to recommendado para quem soltro do ner-
voso o estomago.
Kazenda da moda.
JVomlctn-ao superiores cortes de cambraia
desalpicos brancos do cor, polo diminuto
prego do 3,500 rs. : na rua do Crespo, loja
n. 6.
fotassu americjaa.
No antigodopositoda cadea volha, n.
13 existe una pequea porr3o depotassa
ainoricana.chegadarocaotiinieiitc quo por'
superiorrivalisacom adaTussia: vende-'
se por preco razoavel.
Deposito de cal e potausu.
'No armazem da rua da Ca^eia
do Uccife n. 12, ha muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedra ,
asiim como potassa cliegada ul-:di
tiuiduicnte a presos muito ra-
soaveis.
Agencia de Edwin Maw.
[Sarna de Apollo n., armazem de Hc.Cal-
inuiils Couipanhia, acha-ae coaaianlemeoie
bons sorliruenlos de talaa de ferro coado e
batido,tanto raaa como fuudaa,moeudaaln-
ciraa lodaa de ferro tara auimaei, agoa,atc.,
lillas para armar em madelra de todos oa ta-
manhoae madclloa o mais moderno.uiachina
horiaontal para vapor,cun lorca de 4 caval-
lua, coucoa, passadeiraa de ferro laudado
1
na rua do Trapiche n. 36.
liua do Crespo n. 9
Vendem-se palitos de panno lino msela- precos ahaixo
lo a (4,000 rs., Cada un, C cortes de case-
mira a 3,500, 4,000 5,000 e 6,000 rs., corles
le ciniiinia de Salpico a 3,000 rs e Ion-
tos de sed a 500 rs.
-- Vende-se umescravo perfoito sapalei-
roobulieiro, por 7u0,000 rs nflo tem vi-
cios, lien ile.'eiin-, noui moleslias, o moti-
vo Ja-venda se dir no comprador : quem
quizor, aununcic.
l'UTASSA.
Na rua de Apollo,
Vendem-se sapatos de lustro
para senhora tanto de Lisboa ,
como francezes, a 1,000 rs : ni
nhora um grande o cscolludo sortimenlo bilhetes, quartos, oitavos e vigesi- __.. ,i. l11Ile-.ndencia lui do
de sedase paiinnihos para cubrir armacOes .' ., prace aa lil'iep.nuent.ia iwja uo
servidas. Tazem-se lodos os concert necea- mos> Viudos pelo vapor I araensc, ^rantes.
sanes em chapeos velhos, todos estes objec- u favor do novo hospital di Wise- .. Vende-ae um viado muito maoso : na
,rdonq" ricordia la ci inde do Juro Preto, travessa da Madre de eos, vendan, i; na
no uu qutim oinia paru, cacoiiieiiiouos mosma casa precisa-se alugar um molcqui-
fregueze. cujas rodas deveter andado a a nbodeo.rtaonoa.
^^MaVKSU^a 3 ',0 corre"t,!' e 8S l188, *5-, Alerta fregu.*..
oin lotes n vontade dos compradores ; no gam no (lia 19 ou lo, Cilios bllhe- Na rua doCabuga n. 6, vendem-se luvas
escriptorio Jo Slathcus ,\ustim& Companhia ,p, P ranlpla^ vpnilnin.p rtnaln. de pelica rnuilo superior para lioniom, se-
les e csuicias, vcnicin-sc as 10 nhorjl a menill,f 720 rs. o par ; espelhos
jas IllC.iClOnadas aos COinmodos granJes muito supurioro*. Cim molduras
,: donra las, os mais ricos quo tem vindo, de
.Bilhetes inteiros
Meios bilhetes
Quartos
Oitavos
Vigsimos
Pellos do cabra.
Vende-so superiores i eii .-, da cabra, mui-
to bem curtidas, pelo diminuto proco de
18,000 e 20,000 rs. o cnto; assim como'do corrente
'sola e sebo retinado ; no armazem de U. R '
2 l, de Leal Kei>, vende-se por ; AnJraila & C., na rua da Cruz, conTronie o
prc9o ra.-oavcl, muito nova e su-.chaTariz n 19.
iierior potassa, cliegada ha iiotico ,, Carnauba.
', .,. i i Vende-se a mais superior cora de carnau-
UO 1>10 (Je Janeiro. Iba que lia no mercado, por menos preco
-- Joflo do Arrula Caural lom do relirar- do que em jualquer parte, em consequen-
so para Tdra da pr^ca, a tralar de sua sade, cia de se querer acabar ; na rua da C uz,
por isso Taz todo negocio com a sua venda I conTronte o chaTariz n. 19.
na rua Nova ao peda pontn. 71: a traltr Vendetn-se, no CSCriplorio
na uiesrna. ^ iw u f. i -
--cautelisia AntonioJosJiodrigucsdoi'16^''" & Companhia, na na
21,000
I 1,000
5,5ou
2,800
i,3oo
dilTerenles tamanhos
Loteria da Matriz, da Boa Vista
Aos 10:000,000 e 5ooo,ooo .lers
Na loja de miudezas da praca da
Independencia n. 4 ? vendem-se
bilhetes inteiros, meios, quartos,
quinte, decimos e vigsimos, que
corre i.npietcrivelmentc no dia 26
Ni fundido da Aurora, acba-se constan-
temente um cmprelo sortimenlo desna-
chiuas de vapor, tanto de alta, como de bai-
la prsalo, de modellos os mais approva-
do. Tambem se apromplam de encommen-
la de qualque* Trms.que ae possam deso-
jar com a manir prestexa: habis ofciae
serSo mandados para as iraasentar, eo Ta-
bricantes, como leem de costume adlan-
C*m o perToilo trabalhodellas, ese raspn-
sabilisam por qualquer Jefeito, qus nellaa
possa apparecer durante a primeira safra.
Muitas machinas de vapor construidas neste
estabelecimento tem estado em constanto
servico nesla provincil, 10, 12 e at 16 an-
uos, e apenas tem exigido mu insignTioan-
tea reparos, e ilgumas at nenhuns absolu-
tamente accrescendo que o consumo do
combustivel be mui inconsideraral. Os ae-
nhores de engenho, poi, o outras qnaes-
quer pessoas, que precisaren! de machinis-
mo, aSo respeitosamente convidados a visi-
tar o estabelocimento em Santo Amaro.
Charutos de Havana.
Os molbore que teem vindo a esta mer-
cado : vendem-se continuadamente, em ca-
sa deBrunn Praeger & Companbia, na rua
da Cruz n. 10.
Tachas de ferro.
Na TundifBo da Aurora em Santo Amaro,
e tambem no deposito na rua do Brum logo
na entrada, de Trono do arsenal de mari-
no ha sempre um grande sortimenlo da
tachas tanto de fabrica nacional comoes-
trangeira, batidas, fundidas, grande, pe-
quenas, razas efundas; e em amboo lu-
garesexistem guindastes,para carregar ca-
noa ou carros,livres dedespeza : os precos
silo os mus' comino Ins.
loendas patente.
Acabara de chegir moendas e meia moen-
das de varios tamanhos da patente de A o
i'ddo M01 na y em casa de ltotbe e Ridoulac,
rua do Trapiche n. 12, aonde lamben ga
achar arados de ferro do moJelo mais ap-
arovalo para a plantado da canna. Estes
arados s3o construidos oa Tabrica mala ac-
crediladaero Inglaterra e contem vanlageni
sobre os outros arados,tanto no seu arranjo
como na sua dnracSo.
Instrumentos de msica.
Tanto para orchestr*, como pa-
ra msica militar, vendem-se mui-
to em conta : em casa de firunn
Praeger & Companhia, na rua da
Cruz n. 10.
-- llrmedio especial para boubas e craVos
seccoa contina a render-se na rua do Han-
gel, botica que fui do tinado SobastiSo Jos
le 01; v. ira Macodo.
-- Verniz de gomma copal contina a
vendnr-si na botica da rua do llangel, I
1,280 rs agarraTa.
Oleo especifico para corar a ca tina a venrler-se na rua do Rangel, a 640
rs. cada Traaco.
Gesso.
Vende-se gesso embarrices, chegado l-
timamente :ern casa de I. Keller & Compa-
quia, na rua da Cruz n. 55.
Vendgm-se dous lencos bordado de
marca, por preco cummodo: a pessoaque
p>etender dirija-se a praca da Indepenien-
cia, loja n. 31.
Mi
V"
SPW
armazem n.
10,000
5,ooo
2,600
2,100
1,100
600
nn,e^_ !d,'ZdS *8 'le Antonio lenaruadaCadeia ""'
* 11 r. 11 11 1
eliev*>*etaieMeoeirort^ da, rendas, escovas, penles, pa
eos, -b.,.,(ouvet,i,,xud,,a,face.la-|'bh^
SiWtftSSB-^^ SQ 6""d >q"-.. tas de ,0.
111 a
sa
deTront
. Vende-se superior mate do
hio Grande, muito novo : na ma
das Cruz do Uecilc armazem
n. Ca. I
Veodcm-se II escravos.sendo dous mo-
lecotesde idade 14 a 16 anuos, ptimos para '
todo soivico; 6 oscravos mocos do bonitas' Vendem-so corles de 13a para calca, a
liguras; 2 mulatos de se'vico de campojuma'i,280 rs.; na rua do Crospo, loja n. 5
escrava moca, boa engommadeira, oosinhfi-j .. V. ndc-Sf una jumenlinha verdadeira e
ra, edoceira: na rua Direita n 3. i muito nova: no sitio do aeupor Carneiro
Tires,
Bilheles inteiros
Meios bilhetes
Quartos
Quintos
Decimos
i Vicsimos
Ven lc-so una casa no jogo da bola,
Mii (i;iii.la, por co.nmodo preco : a tratar
, na rua de Hurtas n. 102, com l.uiz de Castro
Fortes.
Obras de ouro.
As mais lindas que teem viudo a
esta praca, e de todas as qualida-
des: vendem-se em casa de Brunn
_'Praeger & Companhia, na rua da
Cruz n. io.
Pianos.
Brunn Praeger Se Compaihii ,
receberam os mais modernos pa
nos, de excellentes vozes, que es-
llilhetcs
Meios
(Juartiis
Uuinlus
Decirnos
Vigessimos
A 1,280
10,600
5,400
2,600
2,100
I 100
600
para'caBa de pulgar,por menos preco que os
de Obre, escoren paranavlos.ferro iugle "1 uoceira
tautoeinbarraaconioeunrcoifoluaa.etudo: Vende-seo sobrado de do is andares da Leal, na ruados
por barato r>reco. i praca da Boa-Vista n. 8 : a tralar na rua do M. 34.
Veule-se na livraria n. II, da rua do1 Crespo, luja do Sr. Joaquim da Silva Castro.i llap de Lisboa.
Crespo, urna carta de bacharel, do Rio de' -- Vendem-se frascos e lJtas de ameixas.l y0 pseriptono de Francisco Soverino Re-
Janeiro, por 6,000 t*. ; relogio de sol a conservas de differeDt'S qualidades, talas' bello a Filho,vende-so sutierior rap do Lis-
1,000 rs. ; ligas de seda para senboras, a com dilTerentes qualidades do duce, ditas boa, chcgaJo agora no vaporioglez Severo
3 rs., e de algodao 160 rs. bolach.nha de soda, ditas ingleza, d.las ara- Aos seu|l0,.ea estU(l.ntC8 do quinto
Vendem-se 4 negros mocse robustos, rula, linguas inglezas, irascos com mantel-1 ^ i ",l"
proprios pira trabalho de campo, urna ne--ga fresca, queijos londrinos, vmbos linos anuo.
grdemela ilade, muito robusta a sadia, engarrotados de dilTerentes qualidades: na A cala-se de reoebiir pelo navio Paulina,
por 3uo,000 rs urna oegrinba de 12 anuos,. rua da Cadea do Kecife n. S fitas para as caitas de bacilareia, por preco
muito.linda, um moiecole de 18 anno-, o Vende-se um lindo oiulatinlio, de idade mais razoavel que em qualquar parte : na
-- Vende-se urna canoa om bom estado : a
tretar na rua da Concordia, venda de Jos
llomingues.
- Vende-se urna armacSo de amarello ,
toda em i Ir.icaila, muito propria para qual-
quer loja: a tralar no aterro da Boa Vista
n. 14.
Vende-se massa de tomates
para tempero; tinta de marca ro-
pa, e potes mui lindos para con-
uu na rua da Cruz! servar rape, e de auiatiha por di-
aute haver sorvete ao meio dia e
res
I
dous ditos de 2d annos : na rua larga do Ro-' 14 a 15 anuos,proprio para pagem 0.1 boliei- loja de modas do Bucssard Mlllochau, no I na' ma estrella do Rosario n. 28, segundo
ga/lo 11. M, segundo (Odir. ', ro : na rua da Cru 11 54, segundo andar. t Ierro da Boa-Vista n, 1. laudar.
de noute, na loja de Hourgard.
Vende-se urna esciava, creoula, moca,
que ensabOa, engomma perTeiamente, e co-
sinha : na run da Cruz do Recita n. 62.
- Ven lem-se duas negrinh'f de 7 a San-
nos de i lade, inulto lin la, e proprias paia
se educar, o mais duas negras mee Com
Habilidades, assim como um esciavo, creou-
lo, anda moco, o do excellenle. conducta :
to a venda, em sua. casa, na rua
da Cruz n. t-o.
Vendem-se espelhos com mol-
duras douradas, os mais ricos que
teemapparecido no mercado : na
rua di Cruz do Hecile n. 4o> ar-
mazem de L. Schiiler ci Com-
panhia.
Vinho de champagne.
Vende-se o verdadeiro viudo de cham-
pagne, do excellenle qoalidade, ao preco
de 25,000 rs.; assim como de quali.lade in-
ferior, muito em conta : 00 armazem de
Brunn Praeger & Companhia, na rua da
Cruz n. 1).
Escravos fgidos.
100,000 rs. de gralificacSo.
D'sappareceu no dia 7 de malo prximo
pasa >do, o pardo Leonardo, do idade 18 an-
uos pouro mais 011 menos, e tem os signaes
seguidles: -baixo, o pello um tanto in-tti--
do para dentro, cabrllucaraplnhido ealao
meio da testa, e falla descancado. Esto es-
cravo vinha lodos os das ven 1er leite no Re-
cife, de um sitio na Boa-viagem, pertencen-
loaJoanna Maria dos fosos, de quem foi
escravo: quem o apprehender e truuxer na
rua da Senzalla Velha n. 60, segundo andar,
receber a gralificacSo cima.
-- Fugio no dia 28 de setembro um escra-
vo de nacSo Congo, de nome Paulino, de
idade do 28 annos, ollicial de sapaletro;
evou camisa do risead'nh" _'! asada, cal-
ca pul 1, coapo de palha com urna tranca
por cima de palhintia fin, suissa por baixo
do queixo, faltan lo ca helios nos cantos,
os cabellos da cabeca um tinto cresci los,
odos um pouco grandes, anda alguma coli-
sa apressado, he baixo e magro, cara des-
carnada : quem o pegar leve-o ao atierro
da Boa-Vista n 59
No dia 14 do corrente desappsreceu do
pateo do Carino, venda 11. I, um escravo de
nome Luiz, creoulo, bastante reTorcado, de
idade 26 a 27 annos, e de boa estatura, com
os signaes seguintes : camisa de riscadinbo
encarna lo alguma cousa desbotada,calCa de
algodao de list'a j velha e ruida no calc.<^_
11I1 r, chapeo de palha novo, cosl'jrf a Tu-
mar cachimbo, tem os denle^tmados, e os
queixaes do lado direito urJdrus : quem o
pegar leve-o a venda aciminencionada, ou
a Santo Ant.to no ciigeirhii Guanduns do Sr.
osJj^Dscio de JlcJUof que sera recompen-
Ha um rrez, pouco mais ou menos, de-
sappareceu um preto por nome Manoel,cre-
oulo, o ollicial de alTaiate, bastante conhe-
cido nosta praca,por ji haver trabalhado em
mullas lojas, o qual p^rtonce ao abalo as-
signado, e tem os signaes seguintes :bai-
xo, quebrado das virilhas, um pouco grosso
do corpo, cor pota, odos grandes, tem tres
cicatrizes no braco e mSo direita de urna
o pera c-To que havii -ollVi lo ha pouco no
hospital ; he de presumir que ande por esta
cidade, visto ser della natural, e ter alguna
prenles : roga-sc as autoridades policiaes e
a loda c qualquer pesaos, a captura do mes-
mo, o o Tavnrdeo mandar entregar nesta
cidade em casa do aennor subdelegado da
Boa-Vista Rufino Jos Corris de Almeido;
e na cidado do Rio-Formoso a Francisca
christiria Lin, quesera generosamente re-
compensado o mesmo abaixo aasignado
protesta rom todo o ligor da lei, contra a-
quella pesaos, quem quer queleja,que o ti-
ver occullado.Francisco Caldas Luis.
-- Ueaappareceu no da 15 do passado, as
7 boras da noite, do Hotel Recife, o pardo
Exequi.t que Toi do senhor Lniz Rodrigues
Setle, e como pelas circumstanciasque pre-
cedern] a cssi Tuga presuma-se qne elle
procure a todo custo ovadu-se, rogase aa
autoridades policiaca quo o recommendem 1
seus inspectores e pessoas de conflaoce,aflm
de ser descoberto e capturado : o pardo he
baixo, de idade. 25 anuos, o eio corpo, sem-
blante car regido, tendo urna pequea rica-
t'iz ni face, anda calcado e fuma : levou
' chapeo de seda pelo, e anda com urna ben -
Vcudd-SC villho de cliumnu- Sala lina ou jnneo, e iuculca-se por forro ;
, ... '.. anda frcquentiiuieute no banro da Boa-Vis-
uhe legitimo e de superior quali- t, ,onoe sempre he encontrado: quom o
dade : em casa de J. Keller & pogar lave-o a rda do Trapichen. 5, quesera
CompanlV na rua da Cruz n,jrecomponadlo.
55.
MUTILADO
\
TvP. DB M F. nK Faru. 1852,
V-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERJYVI0I3_A7PBO2 INGEST_TIME 2013-03-29T17:28:27Z PACKAGE AA00011611_03363
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES