Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03351


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'^
V
Anno XXVIII
Sabbado 2
DIARIO
de.Outubro de 1852.
IN. 222.
PEKMIBMO
a-acgo ii scBoairglo.
PllII Aduhtido.
p. trimestre ...,.........
Por semestre ....... .
Por nao ........ i.....
PiaODMTlO DUtliaUTlI.
Por quartel.............
iroTicias do arinio.
P*ri.;.-. Jt de Ago.to Minas... il deAgotto
ularanbao. 8 deSelbr. S.Paulo. 7 dedico
Cear.... 1! de dllo R.deJ.. Mde.setbr.
Parahlba 20 de dllo Rabia... lfl de dito
4/000
8/000
19/030
4/500
di da imiri auniiBOIl.
!27Seg. S. Fidenclo. | Jasea! OraMe
28Terc. S. Venceilo I, e5.as m horas.
Duque. I. vira itarel.
SO Quart. vi< s. Miguel 3. e 6. ao melo-dia.
A relia nji). Inunda .
.1' i.iiiini .-. Jcronymoj. eB. i* 1* floras.
I MSI. Remigio. 2. rara do eivtl.
2Sab. S. Leodegarlo. 4, esabadosao melod
Dora. 18.O SS. Ro-| MelfSo.
lario. Tercas e s*bdos.
raaiilrn
Cresceate 20. a i hora e I minuto di tarde
Chela a 28, ai 4 horas o miau toa da ni,
Mingo ante 6, as thoraa 16 ral nulos da larde
Nova l>, ai t horas e 21 minutos di tarde
'auiuti ion
Prlmelra a. 1 horas r 42 minutos da maah.ia.
Segunda s 8 hnr.11 e 8 mlnuloi da tarde.
raaniai Oi ooianoi.
Qolaana e farahlbt, aiegunda e seitas-
elraa.
HJo-Crande-do-Horte a Vlctoiiaai qulats"
Itlraa
Bonito,Caruarn,e Garaibuna do l'e 15 decad"
mar.
f lores, Ourlcurj.Exu e oa-VIsta 13 < 2B
Ollnda, todos os das.
Todos oa Correiospsrlemaomeio-dia.
botioias iiTBaiioriBii.
Portugal
Hespanha
Franca ..
Blgica.:.
Italia..:'.
Aleraanba
Prnssia ..
Dinamare
llusila. .
Turqua.
M de Agosto Austria 3 de Agosto
8dedto ISuIssa.... adedlto.
Suecla... 3o de Julbo
Inglaterra 9 de Agosto
r..-Unidos 24 deJulbo
Mxico... 3 de dllo
. California ">de Jnlbo
a >l de Jiilho Chill. 9 de Maio.
10 de dilo Buenoi-A. dr Julbo
29 de dllo Montevideo 5de dilo
8 de dito
de dito
de dito
3de dito
.3 de dito
CAMBIO* B 1 BB OUTCBRO
Sobre Londres, a 27'/, por 1/000 d.
Pars, 359
Lisboa,I 00 por canto.
1T1II.
Ouro.Oneasbespanholas......::::. 21/000
Noedas de 6/400 Temas........I6/1OO
. de6'400noTa.........Ib/OOO
de 4/000............... (TOO
Prata.Pataeoeabraallelros.......... 1/9/0
Pesoscolumnarloa............ 1/950
Ditosmericanos............. 1/HoO
PAUTE OFFICIAL.
GOVEltNO D\ PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 20 DO CORRENTE.
OITIcio. Ao Exm.presidente do Rio Gran-
de do Norte declaran lo, que. para ler o con-
Teniente destino, fez rerolher a ihesourana
de fazenda, como se v do conhecimento que
remelle, s qusntia de 87,889 rs importan-
cia do espolio do infeliz Antonio Francisco,
arrecadsdo naquella provincia, a qual S. Ex.
remellen para esta por intermedio do 111 jn
J080 Valenlim Vilells, ulim de ser inlregue
aos herdeiros do dilo finado. Ofilnion-sc
ao juiz municipal do Nazarcth pira fazT
constar aos ditos herdeiros.
Dito. Ao entuman lo das armas envian-
do, por copia, o aviso da reparticao da guer
. Dit.-Ao mesm ) recommendeiiiio a expe- conforme te determina ein aviso d.,repa.t.cao
TdicSo desuas orden, aflm deque o con- M^J.S^^>*gffl
mandante do vapor Imper.tnz conduza com ",""aJe r,l? p,r, elpsdlr o titulo de
seguranc. s sen bordo para l'araniba o teianc.0 do ordenado, que Ihe competir,
reo Antonio Jos Francisco de Oliveira, que : Dito A mes mi coinninuicando, que oe-
llle sera mandado apresentar pelo cliefo de guodo conslou de aviso da reparticao do Impe-
policia desta provincia C.ommunicou-se a
este.
DEM DO DA 21.
(lili--ti Ao Exm. preeldente do supremo
rio de II do correle ; expedlo-se umoutroao
miniaterio da fatenda, para que pelo thesouro
nacional te pague, como tjuda de cutto de
volla ao deputado por esla provincia, o conse-
tribunal de justica, Iraus.i.ill.ndo a. respostas Ihelro Antonte Peregrl.o Macicl Monteiro, a
dadas pelos juiaes de direlto das comarcas de quanlla de 1:200/000 ._,,.,
Pao d-Albo eJGoi.nna, s portarlas daquelle trl- Dilo -- A "e""J"8,0* Vso'a d? oe
......, e mais pepcis da divida de izz.eau ra, ae que
uuuai. ._ _..___.___i 1___......t, Sil. r...irn .n.
comprehendidn ; seodo certo que uin outro of-
ficial de marmita enlrou livremente no theatro
nessa tnesma occasio, a que ae refere a citada
represeotaeo, deadequese fez reconhecer co-
mo lal ; e porque o chefe de policia sentase o
Inconveniente da generalidade da ordem, que
bavia dado ; mesino pela franquesa, e boa too-
tade com que a ella ae sugeitaram cidados bem I major't office; hum forte destacamento do vige-
conbeclilos nesta cidade por sua exetnplar con-1 afino regiment, que ahi ae achata estaciona-
duela e prob'dade, ao passo que as excepcdea| do, bem como tudos os clrigos do dep.rta-
coin rasao oAendlrain outros, que por naoj ment contribuirn! com .eus grande, exfor-
dra e madeira tudo parecesse tolla de igual I dimetro, que se clao agora dealrlbulndo pe
fraqueaa As chainas contlnuaram por uiulaciiladeobjectoeatedeneccttlddr, que nos
quarto de inilha, e rpidamente se propaga- I assegurain que tem sido eiecutado com a tnalor
rain por toda a iinba dos edielos da ra. prestesa possivel. Apreaemainos o f acto por
No tremo do sul detla havia outra ettreita (ambas as faces, sem aventurannos a opiniao.
te rssa dilncieocla d'agoa que tem duvlda con-
tribnio para aggravar-te a noasa calamidade,
ein direceo de oeste, que ia ler ao campo de
Marte, onde estao o geuernVi office, e o forttn
Dito Ao l.iin. presidente do Maranbao, dl-
zendo que, com o aeu oQicio de 9 do correte,
recebeu dous exemplarcs do relatoiio, por S.
l-.v apretentado assscmbla legislaliva da-
quella provincia na sua prlmelra sesso da ac-
tual legislatura.
Dito Ao Eam. presidente do Piauhy, dlien-
ra de 27 de sgoslo ultimo, do qual cunsia I d0 ficar inteirado de haver o corno legislativo
quese conce.tcu ptssagem para o primeiru!provincial utorlsado, pela le n. to de JO de
batalhflo de infantana ao primeiro catletcl julhn do crrenle anno, a transferencia da ca-
dn segundo ila mesma arma, Jos Joaquim pilal daquella provincia para a cidade de Thc-
Pamplona Corle Real. Igual conia remet- a1; u"dc cacha S, Kxc rcsnlindo, porha-
teu-se a Ihesouraiia deTazenda,
Dito. Ao mi'smo tranmrtiindn, por co-
pia, o aviso do ministerio da guerra de 2 do
correte, communjeando, que se conceJnu
licenca para ir COrte, ali n decliitlaro
curso de sua respectiva arma na escola mi-
litar, a lloractn de Cusm.lo Coelho, printeiro
cadete da companhia lisa le estallarla desta
provincia, ora ad lido ao corpo tle guarni-
"., ,' ,. ,._____.,... ... .... cunti comtou de aviso da reparticao da guerra
(So fijada Il.hie.-l.ommunict)u-so a the- ,.. do corrcillr, Cocedcu-se tres nieles de
sourana de fazenda. Illcenea co .. toldo c elape para tratar de sua
Dito. Ao rnesmo para mandar, qui se ja,|e ao aireres do segundo atalhao deinfan-
dc baixa ao rec uta Hermencgillo Uturicio,' taria, Jui Joaquim lludiiguet Uraganca, que se
por ser incapaz do servico do exercito. acha na curte.
Communicou se jchete de policit. | Dito Ao mrtino, enviando, por copia, o
Dito. A6 mesmo remeltendo copia do aviso do ministerio dagueira de i7 de agosto
aviso da rep.rllc.no da guerra, de 2 do cor- u.',imo-d',e.rl^B"ln\quAse..t.n'."d0in';
. *. u -_ 1 vico ao narucular ifgund* trgf nto do dodo
rente mandan lo dar baua por incapaz de talalo"eTtootarlii, Eduardo de 3ou v-
conlinuarnosorvico, no soldado do segundo ,,, ,IUc fra iulg.doincapaa dccontlnuar a
bitalhode infantnria, Th'O onio Pereira de servirpor suas niolcstias.
Albuquerque, que flcou na Corte aldiJoao Dito--Ao mettno, commtinicando que, se-
primeiro ta mesma ar metleu-se a tliesouraria de fazenda. ein olltcio de H do coirente, veio em dillgeo-
Dito. Ao mesmo dizendo, qu^, para po- cia t51a provincia o soldado do ineio batalhao
dersatisfazer o aviso do ministerio da guer- daquella, Jo.c francisco de Luna, cuja guia fol
r. de 9 do corrente, mandcecirahir dures- en-lrceuc "coronel Lolx Antonio F.vlll
ver dado rxecuc-io a IIl* le.
Dltu Ao commando das armas, rcincueada
copia do aviso da repartalo da guerra de 4
de n^'islo ni i mu', do j'i ii consta haver-sc cou-
cedtdo mu mea: de licenca co< odo c. etape ao
capilo da companhia xa tle cavallaria desta
pr u vi tu 11. Francisco de SiquciraQueiroz, m
Je ir n S. Paulo buscar sua familia. -- Igual co-
pia remelteusc a theSKiiraria de faietida.
Dito -- Ao mesmo, comiiiunkando que, se-
pede pagamento Joaquim da Silva Castro, co-
mo procurador de Manoel Pereira dos Santos
Rocha, a lim de que mande satisfazer cata
quana, nos termos do seu olfclo de to do
corrente.
Dito A mesma Iraosmittindo o avUo de
uina letra ni importancia de 3*0/120 rs. saca-
oa pela thesuuraria de aienda da provincia do
Kio Grande do Norte sobre a desta, e a inuj
de Manoel Ferrcira Nobre Peluca -- paiticl-
pou-sc ao exm. presidente da quella provfucia.
Dilo-A mesma remeltendo a relaco dos
individuos que foram nomeados para varios
emptegos da quella thesouraria, cutuprindo
que o mesmus solicitem na secretaria da pre-
sidencia os respectivos titulo, que foram en-
viados com aviso da reparticao da fatenda de
13 do corrente.
ttclaco a qttt *e refere o officioa cima.
Segundo escripturario.
i'rrnardino de Sena da Silva Guimaraes.
Terceiros iioi.
Joo \rsenio llarboaa.
Go>ine das Trevss Tclieira.
Quartoi ditos.
Joaquim Pereira Bastos.
Januario Constancio Aontelro de Audrade.
Simphronio Jos da Slva.
Mau>el Mainede da ilra Costa.
Joo Gregorio dos Santos.
Joaqnim Icidoro 5imdes. ,
Jos Candido Viegas.
JuaoSebastlao Pere.
Pratieanes .
Antonio Martins de Seabra Lemos.
riaoctsco Edeltrudes Xavier de Mednros.
Florencio da Costa e Oliveira.
Francisco de Sales de Aodrade Luna,
lleliodoro Fernandcs da Cruz.
Manoel Antonio Lardoso.
Miguel ItenaviJes Seabra de Mello.
Antonio Joaquim de Oliveira Baducm Ju-
aerem conhecidos na occaslao, nein por isso dei-
cbarao de ter seus brios.coino tinbam os repre-
sentantes, de seu moto proprio inandou fran-
quear a entrada do thcalro na segulnte noute. e
conou na honra de todos e no predominio
da educaco e da !ei sobre os espectadores, sos
quaes tcnlusera patente, que a autorldadc tlcht
em vistadefende-loa,e nao otlendc-los, porque
o cldadao lie defendalo quaudo se previne, que
as paixdes desvaira mento tragaiu sobre elle os males inherentes
violacio das l observancia das leis el a liberdade, c a efl'ecti-
vidade dos foros do cidado.
Ulo:--A aduiiuislraco do patrimonio dos or-
pliaos disendo ticar inteirado de haver aquella
;i ros de Joo Pedro Elias Xavier para abrirem
nio das propnedades, de que esto de posse
lecommendando, que empreguc todas as caute
las para se evitar,que a causa seja outra ves jul-
gada nulla, pois be iudis|>ensavul 'iu se jilgue
definitivamente.
EXTERIOR.
Dito Ao mesmo, Iransinitlindo, por copia,
pectivo livro, e remetler .-. socrrlana da pre- 0 avll0 do mlnltierlo da guerra de jo de agot-
sidtncia, (lm sor Iransmiluid ao comman- 10 ultimo, no uual se declara que, logo que li-, nl"r,,.
dante das armas do Rio Ciando do Sul, urna nauseo contrato relio com o facultativo, que aldino Joao Jacinto da l.uoha.
certidSo dos aswnlamontoa de pracas do actualmente ae acha no presidio de Fernando,' *"<"" francisco de Souia Magalhant Ju-
soldado JoSo Dnmingues, que leve passagem a presidencia faca noine.r para servir alli uin
da ( Vide Uiarifte Pcmamlmeo n. all de 23 do cor- "aclu
v___,. daos i
cumarc, do Unji. bacharel Manuel Josc .< 111yr-1.Hra--1-.--1........." daos incncionatlos na relaco.que remelle,.
Silv.Ne.va.-F.zeram-se.respeitoas De- "JJ.) ,ranni,ti,,do, por copia.' rccoen,.and., nue orden aBJtalaA
oav.so.irc..... d.;p.rtl. da guerra de ,0 >*- l". STSrJSSZ SSS.
sos para salvar a ra, que nao obstante tal pe-
rlgo correuquefoi preciso removerem-se os
papis. Para o lado do norte ludo fol Incen-
diado, eicepc.o de algumas cazas destacadas
pelo campo, deram talvez tres horas depois
de meio (lia quando as ma&sas de madeira des-
ta parte da ra pegaram iV< F. com quanto
fssn ella muito larga apenas se haviam as
chamas apouado destas cazas, c j a iraves-
savam para a proprlcdade eclesistica que
Ibes hcava prxima O escriplor esteve u.i
ra de S I ..-. i-ikc quando occorreu esta catas
Irophe, e ul'iaudo para o claro fcilo pela con-
(lagafo leve de coii.teinplar uin cspetaculn de
bornvel grandeza. De repente una immeusa
columna de fumaca abubadada, seinelhando
mu / iiilim iu, levautnU'Se aos ares e ahi este-
ve por minios minutos conservando bem des
tinctas as suas linh.Ki. U Asilo t\\\e \\e uui rc-
colbiuieutu para vt-lhoa est sit,.ado sobre a
prnlong'co da ra decanta Catbailna, para
as parles do Csle dos suburbios de S. L Este felizmente cacapou ; porcm uina grende
caza de pedra que havia bem del'ronte, perten-
nle a Mr. GjIHo, o protonotari, Toi inteira-
inente destruida. As chamas ueste ponto fo-
raiu atalhadas, c leliimenle, porque se tives-
sem continuado ao longo da ra de Santa fja>
tharina, apenas urna cata poderla licar em p
na cidade a ste da ra de S. Denis. F.m quan-
to prosegua o incendio por esta ra as talacas
tinham sido levadas pelo vento a urna distau-
cia de meta milita e tinham iucendlado o depo-
sito de madelras, c engenhos de serral-asde
alessrs Sims e Colemau esles collocados so-
bre o rio i.'.ni-<>it i el ain damno, mu aquellas
foram completamente destruidas.
As cinco horas, pouco mu- ou menos, ludo
parecia acabado, o povo sflluia aos lugares
da devaslacAo como o bairro de S Luis, os edi-
ficios eclesisticos e os de Sims Caleman,
mas anda com rccejs da nolte. Flsles eram
mais que fundados.
Pelas selshoras, ou talvez um p ueo mais tar-
de drscubrio-sc que os edilicios de madeira
que tu-.iv.im por delraz da eitreinidade sle da .
tor.a tal de seu curso, que po.sa habilitar o le- r,1> de Da,ne caUvam cai,," e lo~ c""' C reSuUad?.* y^-^MW^tJgg J
torque tlver algum conhedmenlo dageogr.. B nmed.aiamente, que o May louss se ia-,4a urna devem ter f^_J^JSXiS
d'anu-lla nossa cidade nu- ehamaVZna cendiava. .iqui be mister urna ezphcscao lo- dez mil. tle provavel, todava, inesuio jui^au
" cal mais cilensa. O !// House Hotel era ....... I do pelo calculo cima, que pelo menos quince
massa mmensa de edificios de pedra, de qua- j mil |>assara.u a nolte ao retento. Vio podemos
tro andares, com uin ihcUro'da parte le trac, 'dentar de dar testeinuubo da reaignaao com
e .--ir,un i- por uma travessa estrella cbaiha- que o pobre povo sui.eu c.ta desgraca
da ruado Campo de Marte.
Em a ra de NolreD.ms iormava elle o canlo
A CONFLAGHAgA KM MONTREOL.
Vamos fazer a narrac^o, loclrcuinstanciada
qnanto o podemns obter, do maior drsastre
que jamis soccedeu a esta, e provavel.nente a
qualquer oulra cidade do continente Esc.eve-
nosem seita-fefra de inanha, mais de vinte e
quatro horas depois de comecada a conflagra-
cao, e o logo arde anda com a mesma fuiia
Jue hooietn, e nao prmnette cessar senao quaa-
o de todo se houver coninmido o combusti-
vel que val encontrando na passagem. V> de-
curso'do dia e nolte passados percorreu elle
um espaco de uma mllha de extensiio, e pro-
rarelmente deum oitavo a ineia mllha de lar-
gura para dlfieientes direcedes.
Deiiar-nos>hemos de estatisticas mal aecu-
radas deate tilste slnistro, e, continuando, pro-
curaremos apresentar, por uina vez, urna his-
foi ou nao uina simples coincidencia do Infor-
tunio com a falta de inelos de nos protegermos
contra elle. Mencionaremos pelos tervif"S que
prestaran, no General Hospital, particularmen-
te slr. S. Gerrard, o ihustre eorge Moffat,
Mr. Aodreson, Dr. Southerlaud, e Mr. Leeming.
Sem duvida em outros pontos tlveraui parte
activa outros que nao chegaram nossa noti-
cia.
Merecem todo o elogio os^re-men ( pessoas
incumbidas de apagar os iuceudios ) ; lidando
elles debalio de um sol tao ioleuso que o iher-
inomeiro pendurado sombra em nosso ei-
eriptorioem urna ra fresca, marcara V8 graos,
he fcil calcular-se o cancaco com que os op-
in imii i im trabalhos que duraram desde as no-
ve liaras de uma manba at as mesmas dase-
guinte. A fadiga de tal servifo -i.. anda aug-
iM. ni ..11 pela certeca da Insuulciencia delle
paraarrostar mu tao moriiicaute encadeaiiieu-
10 de trabalhos.
Quanio s victimas, sao dignas de toda a
compaiiao. A maior parte pertence s classen
irabdlhadoras, e algumas l.aviam coukeguind
durante anuos dr uabalho e eccooomia ajun-
tar o uecessarlo para comprar uma modesta
residencia nos subuiblos, e outros algumas pe-
cas de mubilia e airaujos de casa.
Em ambas as circuinstaiicias foram elles com
pedidos a salvar seus poucos teres domestico"
por uma Tuga precipitada para os lugares aber-
tos mais proiimos, de onde inultas veces foram
forfadus a dealojar-se. Os soU'rimentos de al-
guns, sobre nido das crlancas deven ter sido
lerriveis. Afllictos, cuidadosos de suas propie-
dades, acoinpauharam resolutamente os seu
bens, embora sem o menor abrigo, expostos ao
sol balteudo-lhea de chapa, em luuitut caso^
sem ter quasi que comer, e at nos maiores
apuros para encontraren, agoa. Felizmente a
noite fui bastante generosa para Ibes fornecer.
por viga o claro da la, poupando-lhes malo
res fadigas,
Temos ouvido tallar do dirersol casos de
cuu// de oteil causados pelos trabalhos pesados
feitosao calor, mas de uenbuin que toase laul.
Houveram tambem alguos partos nos campo
nesta terrivel occasio. Wao ficemos ainda uma
conta esacta, mas calculando por alto, sup-
pouios que se lucendlaram mil e quaUoceoUs
cessaria* communjcacncs
Dito. Ad inspector do arsunnl tif mari-
de aguslu uluuio, no f pin I se exige areiucssa do
doria de rendas desta provincia
. .. r------ t ------ ----- je adusto UliiuiO, no iiuai se exigir .-irtriiiuB9.i uu -" ----.---- .----- i. ;,, ,\,.-\
nharemettenJo, uorco..Mf i.aras-'iiconhe- n0Bde notas diwias dos miliures, que teem scll emolumenloa! para obtencao ttt
phfa d'aquetla nossa cidade, q
defiincta, a tracar os progressos desuadevas-
tsyo.
A grande ra de S. Lawrrnce pode-se dizer
que divide a cidade, em toda a sua extensao, em
duas partesqusi iguaes. Su.i dfrec^ao he qua
si nordeste, para quem vai para fb.a da cidade,
as por mais clareza, fallaremos dclla co*i>o se
correase directamente em dirrecao nortr, ac-
eommodandoa uirama iticxaclHo topograi>h-
Oo s fuas que a airavcssam. Ac'ia-sr, pnis, do
lado ren! parallelas, a sabrr : a de S. Doininiquc, le
.S. onita.it, da S. (r, im,11., de S. Klisabcih, de
Sanguinet c de S. Denis. Ksla.i, luclui lo o lado
de este da ra de S. Lawreoce, forman, o bali ro
de S. Luis. O limite do sul deste bairro he a
pJe prestar.psra n.lo llc-*r p
indispenaveis de .subsistencia. i nacional do municipio do Itecifa, remitiendo,
Dilo. Ao riie-iiM declaran.lo, qua BCPllo,Pur copla, nfio sa patlclpaco fcita p
Dilo == Ao mesmo dicendo, que a licenca
rei pedida por Francisco Augusto da t.osta Cui-
1 maraes, no requerimeuto que devolve, para
a-
ta ; e recommendand
con-.menda elguma sen.
que nl.0 faca C-! do^ia" d^ av^ Z^^'^^'^V^c^. uocad-cn. que ._ ach.,
.uUriM,!.: nem do corente, declarando que nao se pOdej-or ^^Ikf^+jgg*
alguma,
ci Ipto, lera perto de dous mil setecentos e cin-
coenta psfo'i ineia mi Un J de comprlmento
noite-sul desde a ra de l.agaucheiire alaos
campos, e talves mil durentus e clncoenta ( ou
uin quarto de milba ) desde a ra de S. Law-
rence at a de >. Denis. A prlmelra irrupcao
do fogo leve lugar, ou em uina casa do lado de
ste da ra de 9, Lavrrence, ou ento muito per-
to. aparte detrs da mesma ein un ponto in-
Uir nnin ijimiuv |<.y, w.|...v.>. -.....--------- uaud IdUU US IU UiiiIO iiwnv > --
parle de Ueste. Depois das casas do noria I jt mtlinit e convers.udo com mulla d'a-
dc.ta pracanada mal h.via do que alguma ( d prMncl0U qun parecesso
%ZZ^ttXS%S !->- desB.per.sao Menciou.retno..
oceupada por duas laiuiwin a protnplid-io com t|UB a compa-
. dr S Paulo, que ae nina S. Joni'Firc velo pelo caininho de 1er-
U escriplor passeuu algumas mimas por
ntreos munloes de trastes collocados do
de uma grande praca, a que teivl. de limite da | cada l.do t ra de nieit noite tS horas
pa
de
til
par
dido enlre ellas e a piaca i
ras, a de INolre Dame e _
cncontrim justaineiuc a slc dtlla. ro e pelo vapor, at'Cildlii com suas bombas
Km sua juncctlo cnineca a tle S. Mary, quo aos n.issos coxci lal.10<, lacndi) li mi! mu o
correa oeste ate lornar-sc a estrada de Quesee, b ,ui sjrvijo de alliviar os habitantes de
Aqui Dio lia ras parallellas entre ella e o rio, jiJ(|tr0,| t, Ps|, ,U!)i0S Jn cancacu ; o igual-
poremao norle acl>..n-,e as .^auch.-i.. re > g Hyacinlhe Fin
c de Cu liarme, que como ella percorreui (o- ,_..,, .. ,
da a eiieusSo da ci'l .de at Cegar ao, campos.; <-ompan,J, de seu IreiB especial.
Vimos que o incendio parott ua ra de S.Calha- Hepulamo-IIOS fellZOS anirmando que se-
rie, algumas jardat a este da deS Denis, c que, n3u pouparam eiforcos parasuCCorror nos-
da parle de Oeste tiesta ra ein lodo o seu cun-! sos conculadlus pobres, prvalos de snas
pimiento ha uot esp.co vatio. A c*un>o m-1 casas, com azilus temporario.*, eos neces-
lal deste espaco he pro.avelinenle de qua. i mil, 3Hr|US su pri mullios de p3o, hiscoilo, canoa,
ps, desde a ra de S. Deiii, al as de Lacrois (. u|nB ,Jo v>sU f0,cfl0 de nossa cidade
e Campean, e a pnjje Doll^U en ape- d jdd cj(1/as oKll0r |,n ,,ei mi| de86Ut,
l.t.lo de ste. V-,e. pola, que a ste da praca
deDalhousic havia uina grande porcao de ca-
sas limitada ao norte pela ra de Lagaucheiie-
s-ido be dizer quo algumas dilUcoldade:,
houvo em prov lus d'agoa, mesmo teuipo
ratiameiile ; todava tivemos a fortuna do
re e ao Sul pelo rio. As 10 horas da noute ejiareni actualmente desoecupados os pe-
ful destruida pracr c as chamas alt.carai
drstricio conheci lo por suburbio de Quebcc.
Por toda a ra de S. Mary havia uina grande
Iii mi -l.nl.- de casas de pedra, inclusive uina
in.ssa de seis ou olio pertencentes ao magistra
ptMiii- telueiros ih Pona da S. Charles, o-,
quaes foram com tola a presloza postos a
sua iiisposico peiu iiiustre Jonn Young,
cummissario das obras publicas, que reu-
menlo, que, em virtude do aviso de 19 de f.Ti"declarado que
agosto ultimo
JUStlCl 1 un *.s..saV(------- --#-----
do .TooVpMs?do^deCvecou,ride- I DHo',--A thesouraria, da fatenda provincial | Diversos valheiros^ empregarain >odo OH-
nencionado inlelrando-a de haver, vista de sua informa- | forso e xelo para cobrlr as partes^ liillainareis
naquelle arsenal com destino a l'arahiba,
o recommeodando qoe se faca cmbaicsr no
vsior que acaba de chegar do sul, para o
que fleam ja expendidas as convenientes ur
den.Expediram-se as necessanas ordetis
Dito ao fiscal do contrato das carnes
verdes Iransmillindo para providencia, co-
mo Ihe rumpre, uti.a copia dA oflleiii da
cmara municipal desla ridaile, versando
sobre a falla, a quo se refere a sua infor-
n.aclo, do abaslucimetito de carne verde na
freguezia do Poco.Communicou-se c-
mara municipal do llecile.
HiloA cmara municipal de IS'azarclh
diiendo, que com a circulare tabella de 18
do crreme, lie solvida a duvida contida
em aeu odlcio de 10 deslo mer., a cerca do
numero de cleitores que devum dar as pa-
rochias daquelle municipio
...... ..-b-..~(-----------........-------------- -- i-.i^iiij,- ,11 til,., o ^v.............-- ----------- -
bem um mercado ein um grande largo da ra, I 0|e(jun|10 ja Cj|auii lade, podeaios dizer
pregarain par* neutralisa-la.
I Do MuMrcal Uerald de 10 tic lulhii l
(Po Times)
rmm
A distancia longitudinal entrea ra de Lagau- -- -a qu t0,)uj oj meios se em
challen e o rio he de peno de mil e quinlien- L
tos pez sobre a pra^a de Dalhousie, poique esla
.mu to.la a sua direceo cadeia, que huilla pot
mu dos lados, appru\iuia-te gradualmente ao
rio.
Hay Motile tendapegado fogo, o coininuiil-
cou cata iiniiiedlaTaiucnte frjntcira na ra
tle Notre Dame, porui ahi fot elle atalhado.
Coininuiucou-o tambem ao lar^o, qce compii-
uha-se dat casas de ped a bem edilicadat, ha-
"bilnlat pelo illuitre eorge MtiHil, c S. Ilt-iija-
n tsq. dat do nacho do vigsimo e da ar-
tilharia c da secretaria militar. Knlao fui um-
PERNAMBUCO.
tjuitn Lucio Monteiro da Franca; bem cu-henal.
iikio do capim de planta por i .(ioj.ii.iuo
rs., aondo arromat.nte Francisco Jos Alves
Coerra e fiadores Antonio Luiz Caldas e Pe-
dro Jos Cameiro Monteiro, e declarando,
que approvs casas arremataces.
Hurlarla--*o agento da companhia dos
paquetes de vapor, para mandar dar Irnns-
poile pira acorte, por conla 4o governo,
no vapor S. Salvador, soescrivflo do vapor
de gueira Cnapiass, HenlO de'iavora Noio-
nh.i e s.ldaiiha Freir de Andrale eao de-
sertor do corpo de impeiiaes mariuheiros,
Jos Francisco dos Santos.Cominunicuu-
se ao coininsiidaute do brigue-escunt l.egi-
lidade.
DEM DO DA 21.
oilit io -- Ao exm. concelhelro prcatdcnlc
da rclacaotransiniltindo. p copia, o decreto
.... segundos lenles amonio aa aiiveira i^a- jard. .
valcaule de Albuquerque, e Cullherine Jos delra, excepto na esquina da ra de sania :ja-
Pereira dos Santos, queixaudo-te de nao te- thaiioa onde exista a Igrejl do hispo, ou de
rem sido iseulot da ordem geral, que a pohcl. Jamet, o collegio de S. James, a
Dllo A mesiiia tiaosiniltindo por copia o aerem oilcusivos ta u-i. pooem enimar a. lam- rBu,u, ..j., ...... .-..-.^ ..-..
dec eto de 9 do coirente pelo ,u.! fol ap.en- lias, sua generalh. .de l,e lira o odiu.o da. ex- Mawm^^elr^ha,.ndo urna grande
i.do Jos de hillo Ingles no lu.r de lo.pecior cepedes, porque ningueiu se considera no caso massa deles dast.lalttasamaUrls bem d. iro.i-
da pagadura militar, cu.npr.udo, que elle, de'.er tutpelw ou nao merecedor de nellst ter I le da residencia episcopal. Lom qu.uto pe-
Oieln por lodo este espaco, c ainda Dio eram
nove ou dez horas da inaiibal quaudo parou na
fuidlcu de S. Maiy. Logo que esla acabou ae-
guio-sc-lhc a distillacao de Messrs Mul.on.
As catas da amiga Onlenance office situadas
entre este poni e a praca d Dillnousie, que
ainda existciu ein pe, sao as da viuva do ma-
gistrado Mr. Ileid, e de Mr. Molion. Umat e
outras sao grandes casas de pedra com Jardius,
c ntllM destacadas dos mais ediliclus. fculre as
uiuitas cousas incendiadas Immuj' uina grande
quanlidadc de pilhas de Icuha no mercado de
madeira enlre a ra de S. Maiy e o rio.
Durante algumas horas de quinla-fcira hou-
vcraui graodes recelos de que a coollagrafo
roltasse para oeste, caso ein que a destrolco ti-
nhade ser terrivel. Felizmente o venlo con-
liuuou pouco mais ou menos lixo em sua di-
receo originaria.
Em lodo o dia o general Ruwan, leus oifi-
cies e soldad.is de sen commando foram ac-
livitsimos, e naluralinente os primeiros a pre-
tervar a proprieudeque Ihe fol conliada, de-
pois cuidaudu igualmente da dos cldadaos. O
inesino diremos dos Miembros do Caminan Con-
neil, mas nccrcaccnlaremos tambriii que he
ceno que a esta corporacao se fazein mullas
InipuiacOcs, pela eacacci de seus supritnento,
d'agoa. lito porm fui devidua que o grande
deposito de Col ti tarron linha tido ctvatlado
para coliocarem-sc os novos canos de maior
lleparticSo da policia.
iha-js iit; si;i-i;miiii.
iilin. o Exm. Sr.-Das parles boje receb
das nesla repartlco, consta teremsido pre-
so* ; a orde n do delegado do primeiro dis-
tricto deslo torpiii, Felicia, oscrava de D
Maria do Alhuquerquo Maranhllo, para avo-
riguagoes pol.ciaes ; ordem do subdelega-
do ta fregue/.la de S. Fiei Pedro (ionr;alvcs,
Manoel Pereira de Mendonca, por uso de ar-
mas ordem do subdelegado da fregue/.ia
de S. Jos, Manoel Jos de Almeida, sem de
claracuo do motivo.
D-i,s guanle a V. Eic. Secretaria da poli
cia do l'ernsmbuco 28 de setembro de 185U.
Illm. c i;\m. Sr. Dr. Francisco Antoniu Ri-
boiro, presidente desta provincia.Jos Ni-
colao Rigueira Costa, chefe de polica inte-
rino.
DEM DO ni \ 29.
lilm. o Exm. Sr.-Das partea hoje receb .
das nesla repartic.10, consta torem siuo re--------1
culhid-is a cadeia; a ordem do juiz munici-
pal da primeira vara deste termo, os senten-
ciados Manoel Comes dos Sanios, Joaquim
Barboza, Felippe Josc Ferreira, Frederico '
Carlos de Araujo, e Jos Manoel da Concei-
cto ao calsboiic.1 do quarlel do corpo de
pulicii; ordem do subdelegado da freguu-
/i.i da lina Vista, Jus Jn.n dos Santos Al -
mniil.i, sem declaraso do molivo.
lios guarde a V. Exc. Secretaria da poli-
cia do l'ernambuco 29 de setembro de 1852.
-. Illm. e Exm. Sr. Dr. Francisco Antooio Iti-
beiro, presidente desla provincia.Jos Ni-
colao Rigueira Costa, chefe de policia Inte-
rino.
ELEICA0 DB VF.READORES 0 TERMO
DE VILLA-BELLA.
0j Srs.
Reverendo Antonio Conctlves Lima.


%*'
Mji>r Nictorino Pereira dt Silva.
manlia orue*i de entranhu que I m es-
Te nnte-coronel Aolooio Jos de Campos queoer o* Torquemadas da loquisicao I A
B.rboza. injuria va lldnclico om qua barafuslsm
Tenente-coronel Manoel Nones de Magilhes.como pelouro aibileute Os opprobrios ctio-
2
Tenente-corone
Capillo B'i Nunea do Magalliaes.
Tf nenie Marcos Ferreira Cmara.
JoSo Come Nunes.
JDIZES DE PAZ A VILLA-BELLA.
Os Srs.
ll-jor Victorino Pereira da Silva.
Tenente Simifio Coria Cavalcante Mtcam-
bia.
lenlo FranciscoConcelves Lima.
Braz Fenelra de Msgallides.
BAIXA-VERDE.
Tenente-coronel Antonio Josc de Campos
Brbo/a.
Alferos Arnaud Nunes de Magilhaes.
Alexindre Jo- de Campos.
Antonio Pereira da Cunta.
FLORES.
Os Srs. .
MajorCbristovim Jos de Campos Barbota,
los Francisco de Mrdeiros.
Iii ioro Jos da Silyi Mascarenhss.
Antonio Fran'isco Xaxior. ___
APUHACA CERAI. DA ELEICAO DE VE-
READOKES DA CMARA MUNICIPAL DO
LIMOEIRO.
Os Srs.
l)r. Jos Francisco da Costa Gomos
CapilSo I liinn Jos de Mello
Antonio Hodrigues Ravoredo
Tenenti Jos Antonio leslam
CapilSo Francisco Antonio da C. Cabral 979
Tenente M. Ramos da Silva M. Jnior 8i"
Manoel Cavalcante da R. Wanderloy 815
Tenente-coronel Antonio MatneusR. 613
JoSo Francisco Xavier da Fonaeca
Tenente-coronel J. A. Carreira CiiSo
Major. Jos Caelano Pereira de (Jueiroz
Tenente Joaquim Travasao Sanulio
Frliri.mii Joaquim de Aguiar
aaaaaa
voto*.
1,035
1,00
997
996
610
617
10
408
Cmii mullicado.
Eallo concluidas aseleices em todos os
municipios da provincia. A consciencia
publica. devidemenle esclarecida pelos sin-
glos amigos da Terdade, revelou-se com
aquella calma e placidez que se ajusta e
uondiz com a moral d -.le {le um povo que,
Iibertando-se pouco e pouco dos prfidos
ombusles, djs preoccupai;Oes grusseiris de
que lem sido presa, in.ir.ln com prove 10
o vant'gem n senda do progr-sso, do ac-
cordo da moderaclo e da pru leucia, verda-
deiios symptomas do principio civilisalor
que, como a oulros rovos, deve la m Pe ni
caber-nos nos na grande partilba dos be-
nelicius providenciaes.
Peruambuco testetnunhou inais urna vez
a uianci'a pacifica e regular por que se e|a-
borou esse prucesso de tanta magnitude,
-i'in que se houvesso repetlido nenhoma
dessas scenas de escndalo, t3o ordinarias
om conjuncturassemelbantes; a menos que
se no leve cm cunta um ou oulro smist'o,
una ou uulra occorrenria, que sinente se
faz sensivel no grande lavor do quadro pelo
inulto que contrasta com a regulandade,
ji- i,-iii e harmona que quiai geralmente
presidio I essas manifrstsces da suberania
popular Admiraclo que tanto mais cresce
'i so eleva em nosso espirito, se considera-
mos no melindre da situarlo, na soscepti-
Oihdada das circunstancias e na fermenta-
do su'd e teDax, que os anarclnslas do
da procuraran! excitar no animo da popu-
ladlo, no intento de in lispol i contra o go-
verno e osseus iiume'Osos aleados.
Anda bum I O brioso povo pemambuca-
uo provou exuberantemente que nao he es-
i in --.i 11' ruj.! i, que imaginavan os fer-
montadores pblicos; provou coifiui que
abe cuuliecer os seus direilus e exercn-los
dentro da rslera legal, trabado pela supre-
ma le do estado.
Us comlitainles, querendo inculcar su
longe pupularidade c importancia na pro-
vincia, platicaran) a farrja niais risivel do
mundo .' Das antes da eleicSo convocaran!
i celebre cinceliio dos del, que sola certa
retaceo records o enligo gyrilo da fbula,
0 ei-los a derramar iusliucioes por esta Ier-
ra de Cbrislo, ordenando eo povo, a qunn.
chamam eu, n.in sabemos com que direilo,
que o3o comp8rece^se na eleic.lo; que su
no aproiimaase das malrizes (bravos da
imple lade I )vslo quonesledia loria o go-
verno o os seus aliados dn crucific r un.
Kiptivar a oulos e ilepnrlar o resto para a
ilna de Cuba para onde em oulra poca o
mu distinc'.o barSo da Ba-Vista mandara
mili' s tantos!
Quo gelvijeril de gCDto !
Mas o povo puni.i ossa 11 r. t. 11 v. asnatica
com o liso do mais sublimo sarcasmo! No
din solemne ludo concorreu as urnas, a !'-
zer parte das assemblas parocbses, dispu-
tando o seu dueito no campo da poltica,
cm cujo nubre exoicicio bouve tanta lber -
dade o garanta em favor das consciencias,
quo a prupiia op.iOsie.3o podo vencer em
loas no tros Ireguezias ; resultado que nu
colheria se porvctura tivesse havido esse
luxo de violencias, de coacefioj e de horro-
res imputados aos agentes .lo nosso partido
nos dilTernles municipios!
i. quanto nio ho isso digno da moralila-
de do goveruo, a cujo complexo de provi-
dencias e de bem combinadas medidas he
devidoiao liaongeiro resultado? !
Que J1-. so partido da ordem, por ha ver colliilo um
111 u mpiio nflo mane lado de irregularidades
monstruosas?!
Eutrelauto, con'uuilidos o aterrados com
13o vivas demonstracO^s de escarneo da
parle da populacho, os Dlhos da turbulrncia
o du sollsma. rala loa de profundo despeito,
o rolando pela tena, qual a serpa, cuj< ca-
bera polilla decepaa, slevantain g'itaria
horren la contra os seus oruprios distinos !
Aioda mais: no desac>0rdo do delirio e d
desOsperacSo no cessam de lanzar vmitos
negros contra o benemrito administrador
da provincia, e por mo Jo to inslito, que
as ezes qcer parecer-nos, que os homons
eslSo fendos de hydrophobia Qual o acto
de S Ex. que com justa rsaOo possa ter de-
safiado, e aceendido as iras de saus mal-
volos calumniadores ?!
A maiur e mais exuberante pro va ,!,. ,|,,,.
o Eim. Sr. Ribeiro se nSo ha iiislisado um
so pice da senda da rasio e da Justina, de-
duz-se desse despedir furioso de injurias,
dossa violencia Uescommuual, que acom-
panham quaaj sempre os ataques brutaes,
Ti" l't '.a'>dtt!si ios por.eses milhsfres
de torra Jas, em cujS vozoar deshonesto
cuofuzo ha blasfemia, e n.io raz.lo; ha in-
solencia, e n3o citica desapaixonada I Mas
elles sabem qae os seus patquim leem ae
v.i.ir mais ao longe, e que be necessario al-
tear os b-amidos de fras, para que retum-
be m atravrs da provincia : dah a necessi-
dade que lambom n lerrivel eCfeilo dessas descripr;Oes embustel-
ras, alessa diatribes violentas, dessas ar-
riences asquerosas, em que se eoovertem
os escriptos peiiodicoa da propaganda ; es-
criptos, que se nSo so o producio ua in-
telligencia pervert ida, alo a obra nefanda
da ignorancia bruta I
E na verdade nSo ha tradi(3o da ter exis-
tido no Brasil urna seita mais devastadora,
do que este grupo, que incapaz de aspira-
V -s gran liosas, por ah remoinha no po do
vilipendio, laucando noJoas no carcter
cavalleiroso do povo l'ernambucaoo!
Em sua hoguagem habitual, elles osten-
veni, como graniso, de seus labios trmu-
los pela colera I A calumnia, essa vilesa das
almas negras, he o son nico recurso! As af-
frqntas ..lo o verbo mal licto com que elles
saudam os seus adversarios ao raiar do dia!
A maledicancia invade lorosiienle o lar
domestico, o arraalra para as pncas publi-
cas as virgeus recatadas, as esposis Seis ; a
ha neste genero de agg'essSo, que ceos
escriptoresda propaganda revelSo s mais
grandiosa fereza, a mais profunda degene-
rarlo do sentimento religioso !
Que ha de coinmum entre os mysterios
da familia, e os ioteresses da poltica !
Barbaros!
Que moral he a vossa ?
Como vos Dio repuxa a consciencis ao
vibrar opprobrios contra pessoas inno-
centes ?
Tigres da lli-cania!....
E ser isto Vii.imnr;."io .'. sonho .'... OU
visagens nossas?...
Mo ubi circulam os pan/uini ds propa-
ganda ; leia-se, sobre ludo, esse infamo
correio da provincia que se publica no
peridico I.ih'.ral ; Icia-se essa prolucco
do averno, e connecer-se-ha, so houveaio-
da nada 15o insolente, as queroso, e detes-
lavel! Qual tnm sido a reputado que n9o
fosse ;n flagellada nesse novo patbulo .'
E para que urna tal immorslidadn se n.lo
rep oduza no meio de um povo, que sabe
acataras virtu los e o dec o das familias,
exigimos em norno dessas mesmas virtudes
em nome desse mesmo decoro, que os di-
rectores do citado peridico imponham si-
lencio essa tromheta de opprobrios, i esse
pregao deaflVontas, que lano aulla o jor-
n Mi-inii, e mancha o nosso criterio aos
olhns uas nutras provincias.'
Xec pttisw'tra N"'.'i inaisum passo .'
O Canco do Capitolio.
ESTRATAGEMA DE UM ADVOGADO.
podi, fazer era eleger par. c.ndld.tc. o, ... EmEusd*,'^^-. P.^a bab^, ,, ,8..
lebre Heunquo Clay. N.o entra no qoa-' meo(n,, ,. bella quaoto rica, ptimos
dro desla noticia referir os pormenores da- .picados para aer por mullos apetecida.
quella campanha presidencial, na qual(p fcnlrc ui'preleDil^utea tlnha "ella tcolblda
Mr. James K Polk, homem desconlieciJo, um advogado, rapai de boa figura eaacellenle
sem cloqurncia e de om talento mediocre comporiainenlo; que por isao era reputado
vence O mal! illuslre orador e a mais listn- pelos prenles da inenlna un. bom partido,
todiplom.l. dosEst.dosVnido,;dizemos so- j.ve^.ffl.1.1 i.i.. ub.m emm n.
menje que esta derrota foi sensivel ao cora- | agranda '^^;^^^^ "$.
CSode HenriqueClay, o qual, comludo, a-j j0 deiiaram de faier Impreaaao no animo
pesar desle primeiro revez, consenliu anda da',oyeu Alada que ja tlvessc dado pane de
em ver, em 1818, aou nome levado i con-1 ,eu cora(aoaoino(o advogado, o bellos attrac-
venQ.lo, do Baltimore, oode foi ootra vez voj do militar a liohamaedutldo quasi a pon-
posto de parlo pelo nome do general Zica- todea faier faltar aua palavra.
VARIEDADES.
IIENRIQUe CLAT.
Agrande repblica dos Eita-Uaidoi aca-
ba de perder um homem que contava no nu
mero dos mais vallenin campeoes d seus
principios democrticos, um diplmala que
linlia sabido conciliar a eslima e ofTeiQao de
lodos os partidos qu-i se 1 .mi n supre-
maca no gnvernu aquell" vasto pac, em
urna palavra um do maiores ridadilus de
oue se honra a pat'ia oe Washington, de
Seffe sor, do Madison e de Munroe
ll-nriqu Clay nascu em 1777, a I-' do
abril em S/os/.es no cumiado de llamovre,si-
tuado a lesie da Virginia. Seu pai descen-
denlo de urna familia di baronetes que ti-
nham emigrado da Inglalr-ira, ora ministro
da religi3o reformada,o morreu iannos de-
pois da morir, dcste lilho. A i ii-ii;ao respei-
tavel de sua familia, sua o lu '.e;io lulo in-
dicava que llenrique Clay viria a ser um ho-
mem notavel, e ello respondeu as esmeran-
fas que sua joven intelligencia havla inspi-
rado, i'.m-ijiiii lo marido de sua m3i onten-
deu que devia aproveitar os (tenlos preco-
cede seu lilno adoptivo, lateado delle um
comiiien unte ; mas di' provou logo que
nada entenda do negocio, e querendo obter
um lu :! no foro, foi a Richomonl na ida-
de de II auno, eslu lar as les de seu paiz.
O chancellar WtlitO, govarnalor do Estado.
Roberto llovoke e oulros loglas distinctos
uotaram ascapacidades do joven cstudan-
te, qoe nolim de dez mezes pausados nos
bancos d> escol i fez um exama t3o bnlhin-
mente que obleve logo sen diplomada ad-
vogado.
No mez de novembro de 1797, llenrique
Clay d.riglo-M n Lexingion no Kentuckey.
e lint de ah exercer a sua prolissao, ella li-
nda r.a.i'i Jl aiiims |Sau renomo doiramou-
se logo por ludos os paizes visinhos, 10 mi-
nos smente loe foi preciso para se por a
frente do loro du uesle dos Estados-Unidos.
Nesle intervallo llenrique Clay tinlia es-
pnsado una lindis-ma americana, Mi-s Lu-
crecia Harte, prenla oe una das maisan-
ligas familias du Kentuckey, a qual ihc deu
11 lliios, 5 raptzes e 5 meninas, dos quaes
apenas existem hoje dous.
Fui em 1803 na presidencia de Jallo
Adams, que llenrique Clay, de dade i7 an-
nos, acetuu por asl n o querrrem seus ci-
da i3os o man.lato de nicmbro da Is.i-la-
tura, u recommendavel por iodos os respei-
los, em sua entrada na assemblca, elle se
collocou na primoira ordem entre os mais
eloquenles e os mais habis Trcz aun is
dei-uis elle substitua no senado ao honra-
do John Adalr, e no flm da MSSSo cj en-
Iruu anda no seio do eorpu legislativo, do
qual era iiomoido presidente. Em istia,
niamlarani-no inda outia Vez representar
u keutuackey no sena lo, apezar do dassjo
que elle linba de ter leeleilo membro da
cmara dos le^rrsentantes, na quil como
ella ilizialhe seria mais fcil servir a seu
paiz ; mas nSo o conseguid snflo em 1811.
.Vsta poca os Estados-Unidos estavam en
'lilliciildadiis com a Inglaterra, e era urgen-
te que o goveruo l'usse dirigido com urna
grande habilidade. Foi sobra llenrique Clay
que rccabio a honra de presid! a cmara.
Investido desto poder, ella tornava-se o
campeao o mais zeloso dos direitos do seo
paiz e furcaudo seus collegas a declarara
guerra a Gr3a-Uretanha, elle soube dictar
leis a mai patria e ohrigar a Europa a ligar-
se com os Estados-Umdos para bater o or-
guliio do governo brilalfico. He tambem
aos seus cuidados que se deve o tratado de
Cand, assiguado em -'l da maio de 1814, pa
ia gue ella se havia dirigido a aquella cida
de alim de redigir as principaes clausulas
da paz que o velho mundo pedia ao novo.
llenrique Clay visitn enl3oa Franca,e a I
quiriu numerosos amigos cujos nomes elle
guslava de repetir ecomi|uamconservoupor
toda a sua vi la intimas r|c.oes enlreti.las
por urna frequenli correspondencia de Vol-
ts para os Estados Unidos, o diplmala to-
mou oulra vez o seu poslo no congressi e
elle permanecen al I8il. QuanJo Adams
subi a cid ira presidencial, o qu.l o fez
eieger por sua influencia e de seus amigos,
alio fui obriga lo pelo nevo dignatario a ac
cenar o Cargo de ministro de Estado que el-
la tin'ia recusado acallar as presidencias
de Jleihei e de Munroe. I'orcm o novo di -
fe da repblica americana havia appeliado
para o seu patriolisuio e nSo se poda locar
em llenrique Clay nesta corda,a qual \ ron-
va nelle una harmouis inexprimivel, sem
triuuinhar de seus inaiores escrupuloso de
suas uns vilenlas anlipalhias.
No espseo de quarenta snnos, llenrique
Cl>y prehencheu esta alta faaoajlo e se fez
estimar de todos aquellos que tralavam com
elle; mas no lempo da eleic,So do general
Jarkson, a qual elle se tuina forlemeulu op-
poslo, foi-lbo preciso abandonar Washing-
ton e relirou-se para a sua trra d'Asnlanl
onde elle permanecen at 1831. Os conci-
dad3os deale grande homem nfio podiam
passar por muito lem posem os seusservicos
e no mezdesetembro daquelln mesmo an-
uo, elle foi enviado ao senado para repre-
sentar nelle o Kentuckey. No periodo de
lezoifo aonos elle licou lol no aeu posto
al qua eo 18*2, sua aaude o abrigou a de-
miltir-se oe suss faoc(0es.
Entretanto llans ni linna sido eleitn pre-
sidente, e um anno depeis morreu, deixin-
do sea lugar a Mr. John Tyler. Este esta-
do de cousas durou at em 18W, e quando
ebegou o momento da eleicSo, o partido
ras Taylor, o vencedor de Buena-Vistt,
quem escolheram para succeler s Mr.
Polk.Posto que esta derrots fosse mitiga-
da pela escolha immediata de Clay, como
delegado ao senado pelo Kauluckey.ella nSo
deixou de alindar menos o seu coracSo, ul-
cerado por um duplo contratempo, e de
1849 a 29 de junho de iSii, dia da sia min-
ie, a sauio de Hcnrique Clay foi mais ou
menos vacillante at qua linalmeots a vida
se extingiu nelle sem esforco, co ao urna a
lampada biilhante exlincli por um sopro do
vento.
Tal he o resumo o mais pequeo que po-
demos offerecer aos^oossos leitores da car-
reira poltica de um grande homem pelo
qual os Estados-Unidos tomam luto.
A nolif a de sua morte foi recabida pelo
paiz com urna manifestacio de dor geral. O
congresso inlerrouipeu suas sessoes, as re-
partieres publicas foram fachadas, us navios
arrojaran suas banderasa meio pao, osci-
nh0"3 de todss as fortalezas deram urna sal-
va em memoria do amigo do povo, e por to-
d a parte por oo le o seo f-retro pssSOU no
esminhoque couduz do Washington a As-
hland, Kentuckey, encontrou urna mull ISo
silenciosa e prustrada da qual a voz mult-
plice caolava repelidas vezes os elogios do
illuslre mono que elle encerrava.
He a llenrique Clay que os Estados-Uni-
dos devem em grande parte o respeilo que
ellos inspiram geralmente, por que elle aou-
he provar aos sausconcidadSos que era ur-
gente para elles prologara in ludria nacio-
nal, empregar os excedentes das reas do
paiz em promover trabalnos da utiliJade
publica, obrigar as na;Oes do velho e novo
mundo ii reconhecer a-j liberdades nacionaes
c inservando-se ello e seu paiz nos limites
da uto ntervenejio Cneio ii. genio, de
generosiJade a de grandesi de alma, llenri-
que Clay he O homem qun ful mais po.>ular
na America depuis de Washington, e sua a
loquencia exceda de muito a do illuslre ge-
neral.
Urna estatura elevada figura caracters-
tica e 00b>. ao mesmo lempo olhos vivos
penolrantes e chelos do expreSsOo Voz so-
oors, piofumla 11 viv t e in'aligavel laes e-
rmii as qualidados ptiisicas de llenrique
Clay : quanto as suas qualidades moraes, as
demonstracijesda sentimento quo Ine diri
geaindatoJa a America s3o a melhor pio-
va da sympathia qua ello linha alquirido
no meio de um povo que n.lo a prodigalisa
jamis.
B. II Hitoil.
( llluitration. )
OCHAHIVARI.
Os dois riis ptrfilados
Antes de regressar uusila o Imperador Ni-
colao fe aprontriar de si o imperador da Aus-
tria c reda Prusiia, para Ihe passar revista.
Bettllslo I liiines! lirado armas! O dedo na
costura da cali;, olhos frentes a vinle e cluco
passus do corpo, silencio na forma 1
Nicolao com as inos cruzadas alraz das coa-
tas, passou vagarosamente pela frente da bata-
Iba, 'e mosirou-se satiifeito da npparciicia
dos dous soberanos notou sinente BSS polai
tas do imperador da Austria mu bola" que nio
era do uniforme, negligencia que mereca 21
horas de prisao, felizmente o czar eslava na-
quella occasiao iuclloado clemencia. Nao
achando que censurar no equiprenlo do re
da Prussla, beliscou-Ihe levemente a punta da
orelha.
Um rufo de tambor annunciou que o czar la
fallar.
Pilnclpes :
Estou contente cotuvosco.
Haveis cuipregado todos oa esforco! para me
fazer as honras que me sao devidas; se neio
sempre com boin resultado, pelo menos uoiu
(cllenle Inteuco.
Tem-se abusado um pouco no que respeita a
illuininaccies e fogos de arilflcm.
He muito boin aem duvida, eusinar os povos
a illuminar aa suas casas, qu.iodo passa um po-
teotado da minhacspliera ; mas nao he mister
levar as cousas a pouto de cegar a gente com
lusas.
Se hoje me acbo so e salvo, devo-o forca
da niiiilia orgaoisaco.
nio iiiiiii o ineu t|uarto de cama, cm pleno
dia, he de mais. Esconder bombas e tochas ro-
nuil, mesa uas aopelras, he um exesso.
A illunilnacao nos dominios do Imperador
da Austria, parcce-iue uin cestro, e aconse-
liiu-lhe que d'ora em dianle, tcnba mais cuida-
do com este objecto.
O rei da Prussla tein-ine Importunado algu-
(iii cousa, por sua parte, cutn o seu castello de
l'olsdaiu e suas recordaces do grande .'rede-
rico.
i" ba nada mais ridiculo do que a ruania
que tcui iiiinl i geute nc mostrar o, aeus ferros
velhos a todo o recein-chegado ; nada ba mais
incoimuodo para os visitantes, que sempre
tema teutacao em tal caso, de tratar do dooo
da casa como cicerone, datiilo Ihc ao sabir al-
gum dioheiro pelo seu trabadlo. Vlnte veaea
iciibn eu levado a inao ao bol(o, em quanto
rei da Prussla me mostrava: ,
A cabelelra do grande Fre,derlco.
A bengala do grande Frederlco.
A frauta do grande Frederlco,
E de uiais, nao vejo motivo para esse culto
fantico memoria de um rei, que llnba a bal-
da de aer philosopbo, e que ae corresponda
com velhacos como Voltalre e Diderot.
Mas ainda que o grande Frederlco fosse irre-
prebeosivel, que razao ha para fallar delle? Aa
sas tradicedes inonarchicas exigen! que o re
reioaute seja sempre considerado como o mala
illuslre da >ua raca ; e por Isso nao ha nada tao
asoaiico como repetir continuamente : o gran-
de Frederlco para aqui, o grande Frederlco pa-
ra acola, etc. Sede vos mesmo o grande Frede-
rlco e nao filiis nunca do oulro F Vede ae eu
fallo as inliihas harengas de meu av o czar
Pedro, seno quando llie chega a vez. Espero
que esta licao vos aproveile.
No momento de regressar i ltimi,, felicit-
me pela ideia que tive de vos vizilar. A vizi-
nhaoca da Franca tem-vos gaugrenido um pou-
co. .pesar de iodos os vo diedea luonarcbicas eofraqueceraui algunia
cousa oos vossos calados, e eia lempo que eu
viesse fazer-vos retomar o i ponbo-iiie renovar esta inspeccao lodos os au-
nos, o que deve producir os melbores resul-
tados.
Nao esqurcais que sois aa iniobas sentinellas
avaucadas do lado da Franca; eu beque bel
de dar-vos o santo ea senha. Estis bem ves-
tidoa, beui aquartelladoa, bem foraecidos c ein
estado de entrar ein cainpanba ae as circuns-
tancias o cxigirem. Prove o vosso rancho, vos-
so equipameoto est bem conaervado, e cou-
Tonue a ordeoaoca, excepcao de um botao
das polainas do imperador ds Austria que be
unsier suisu ni i r.
A iuiuIu carruagein esl prompta, eu parlo.
Daixo-voi a ambos perlilados, na atiiude que
courin % aeaiinellaaavaocadas.
Conserval-vos asaiui ate nainha prxima
ioapeccao, lito be, al ao anuo que vem. A
caiulnlio.
O czar subi para a carruagein.
0 Imperador da Austria e o rei da Prussla
acbaiu multo iucoinuioda a poaico em que sao
obrlg'dosa conaervar-se por eapaco de uui an-
no, sob pena de serena mandados para o cala-
bouco.
CLtUESTH CaiUOOSL.
Apenai o advogado dcscobrio que o officlal-
slnho se noli i tornado seuilral. fez ludo quan-
to pode para desviar a sua ainada de uin objec-
to que para elle era topengoso; mas o ort-
ela! era firme, e nao pensando seno ein Irium-
pbar do aeu eoinpetldor, Iratou de procurar
um pretexto com que podesse huinllhar o ad-
rogado. Uin dia fnglo-se olfendido por certas
palavraa que Ibe dirigi o adrogado, e desa-
Hou-o. O advogado aceltou o desali, e entre
ambos coinbinirain de ir baler-se n'um aillo
Lu a da capital.
U officlal eaperava que este fosie o golpe de-
cisivo; e mili Mi'ln no proprio valor. e na dea-
treza com que manejara as armas, repulava-se
ji seohor da victoria.
o da e hora Indicada, acbaram-ie os dous
contendores no lugar apraxado. Maa vendo o
militar que o advogado nao levava cipada, poz-
se a rlr e a escarnece-lo. O legista, com um
aspecto grave, Ibe dlsse; Amigo, euconslde-
objeclos de clupeleiro ; a Manoel Pereira
Lamego.
fbirril vinho ; a Manoel Ferreira da Sil-
va Tarroso
13 canistras ceblas; a Joaquim Pereira
Arantes.
lOcaixas cevadi; a Jos Francisco Car-
neiro.
7 barrs vinho ; a Ponte & IrmSo.
1 caixSo livros; a Ricardo de Freitas R-
beiro
I cusa diversis mercadorias; a Domingos
Ferreira da Silva Cuimaiaes.
I ImIiii ropa, I volme ron lecas; a Anto-
nio Csrlos Francisco di Silva.
I sacco dinheiro; s uilherme Augusto de
Souza Macha lo.
I barril vinho ; a Manoel Pereira Rosas.
t canfn plantas; a Mathias de Aievedo
Villarouco. 858
Accrescimo ao manifest. o a g
4 fardos e 150 li Rodrigues "de AnlraJe. J g 5J
l'ublicaco lilteiaria.
Saino a lu.
88 RA DAS CI1UZES 98
A coiitinuaQSo da materia medica horneo-
patbica augmentada da theora das dozes pe-
lo llr. Muie,Ucuna iniportantissitna deixada
por Habnemann ao cuida lo dos seus disc-
pulos. Este volume contm a palhogenezia
de mais 12 moliramenlos Europeos, e dos
12 principaes medicsmcnlos BRASILEIROS,
experimentados pelosalumnosda escola ho-
iii npii mea do Rio de Janeiro.
'Para as pessoas que j compra-
os rram os elementos de liunieo-
>P"thia o assignaram esta
o g l Para as nutras que s quizerem
< ]a dita obra.
i
2/000
3/dOO
1 ciixa, I c.nx3.i e I barrica ; a Manoel
Antonio Torres.
1 ciiis; a Jos Joiquim Lopes de Al-
meja.
1 ssece ; a Antonio Jos renlos.
I dito; a Francisco M. Piolo Barbosa.
600 resleas ceblas; a Manoel Antonio de
Oveirj.
I sicco diobeiro, I caixo plantas, I cu-
, obele obras do prala, 21 esnastras aiscfics,
ei que o duello a espada entre mlm e vos he 3 oiulas passaros, 1 sacco miudezas ; a or-
ininio desigual: coslumar a folbear cdigos e a (,(, |(
zzzttgxsz:^i9s i wp art vin,de it No-
inem de honra e valor como vos, pensil em VI, consignado a Johnslo 1 Pater & Cotnpa-
subsiituir espada por urna arma mais exped- I nhia, manjfestou o sogiiinte :
la e decisiva. Eis-aqul pola duas pistolas igual- 2,250 barricas hacalho ; aos consigna-
mente carregadas, eacolhei a que quizerdea. 1 tartos.
Lomo um de nos dous deve ir para j outro CONSULADO GERAL.
mundo, e como dejejo sempre fazer-vos co- R8ndiment0 do 1.".....666,166
nhecer a inlnha hnrale,., trouxe uina aege Di VERSAS PROVINCIAS
com dous excedentes cavallos, para que aquel- p-ndimonln dn i 0 fi nin
le de n. que ficar vivo, fuja e possa escapar-; Rendlnle"to d" 6'910
ae *a mos da justica buleeiro esl ao faci H.X|ionni!io.
de ludo, e coudunri a mim uu a vos, confor- Philadolpnis, barca americana John, de
me decidir a aorle. 302 lonoladas, conduziu o saguioli :
Couveucldo o ofUcial por tao raioavel pro-
poila, aceitou partido, eacolbeu a pistola.
850 saceos e 1,307 barrica com 14,251 ar-
robas e 28 libras deassncir, 3,32) couros
depoisdeae lereai abracado, collocou-se cada ,leudos com 109,538 libras.
um no seu poslo. O advogado deu a preleren- BgCBBEDORIA DE RENDAS I INTERNAS f.E-
cla ao ofbcial, o quat com clleito disparou, eo 1 Dice no nvuv unnen
legista immediaumcnlec.hi. por trra. O of- .. RAES. i- o a
ficial,sem pensar em m.is nada, julgando ha- Rondimento do dial. .. 635,681
ver nuil 10 o seu adversario, uietteu-se nasege, CONSULADO PROVINCIAL
fez esporear os cavallos e parti para forado lie mi miento do dia I.". 1:181,983
remo. Knlretauto o advogado, que prudente- M^aaosoaar- aw ,icii,11......
mente tlnba carragado a> pluolas s com pol- M^viiTiontri An nnrfn
aora, ergucu-sc lugo que o ofHcial deaappare- ] WO VimeillO (JO |)1 l.
ceu, e tegreisou a Pars. Tratou iinmediala- 1
nieiiie com 0111 loreinpeniio de concluir o na- Navios entrados ni r/ii 1.0
triiiiouio, o que Ihe Tol lacil por se achar Ion- Terrt jj1s .. 36 ,|jas briguo inglez Ralclil-
geoobjectoque empeca o seu amor. Iba de 341 toneladas, capilHo CeorgO
btlectuado o casamento, levou a esposa para ,1*' ,, ..,. o con i,,.,,,,,,
casa, e passou alguns mezes alegreinenle, dei- ""-t, quloageni 13, c.rga 2,600 barriUS
xeudo o aeu rival anda no engao. Por lim I com bacalhao a James Crablree (.om-
divulguu se ocaso, e sabenJo-se onde eslava o ; panhia Fez-sea vella uspguio para Baha,
militar, cscreveram-lbe para queregressasse Paraliiba -- 2 das, Imle brasleiro Paquete,
fVant os assignantes e mais
pessoas que j compra-
1 mu os elementos de ho-
I meo mi I Ina 12,000
\Para as (Mitras pessoas que
I- quizerem a dita obra e
carleira. 14,000

Roga-se aos s mi llores assignantes, o favor
de mandar receber seus exemplares na bo-
tica homeopalhica ds ros das Cruzas n. 28.
\a ni"S(n.i botica ha um grande aortimento
do livros em poituguez e f ancez para as
Eessoas quo se querem dedicar ao esludo ds
omeooathia.
Avisos martimos.
patita. OoficUI, latisl'eiio com esta uolicia, c
com a cerlesa de que o advogado oao Uoha
morrillo s auas iiius, nao leve remedio seuao
cunfesiar por experiencia, aer wats do que ver-
dadciro o aogo proverbio latino eedunt arma
IffM
(Revista Popular.)
(lira* :: COMMERCIO
de 32 toneladas, mostr ioo Pereira da
Silva, equipagem 5, ca gi loros da ra o
gue; a Justino da Silva Boavista.
Navios sah'dos M mesmo dia
Lisboa barca portugueza Santa Cruz.ca-
plo Manoel Francisco Noguoira, carga
assucar o mais gneros.
Phila leiphia luiici americana John Far-
num, capitaoJ. \V. Coutts, carga assucar
e couros.
EDITAES.
ALFANI1ECA.
Rendimento do .*.....7:211,814 1________
Dcscarregam hoje 2 di oulubro. | .. y lllm. Sr. inspector da thesourana
Brigue portugus. S. Ulanoet 1. mer- 1 provincial, em cuniprinieiito da ordem do
cadorias. |Exm. Sr. presidente da nrovincia de 27 do
llrigue inglez Ointe bacalhao. correte, manda lazer publico, que nos das
llrigue brasileiro Vaiente gneros do Iio( -oe -i\ deoutubro prximo vlndouro,
paiz.
Hiale brasileiro -- Duvidoso dem.
I ::!xirlicn :>.
O brigue Dorluguez S Manoel I vindo do
Porto, coosignalo a UiOOel Joaquim Ramos
e Silva, manifestou oseguinte :
16 barrs vintio, 4 ditos enxadas, 18 ditos
pregos, 1:1 cutas diversas mercadorias, I
lita pinno de linho, 9 ditas fccliaduras, 1 abaiXOCOpildal.
ir a praca para ser arremata lo perante a
junta da fazenda da mesma thesouraria, a
quem por menos tlzer a obra do vigessi 110
primen o Inuco da estrada da Viclona, ava-
hada em 12:218,606 rs.
A arrematarlo sera feita na forma dos ar-
llgos 24 e 27 da le provincial n. 286 de l"r de
maio de 1851, e sob as clausulas especiaes
dita linlms, 2 'lito escoras, 12 ditas palitos,
fio e objectos le c tapoleiro, 13 ditas poma-
da, ferros de engom nar, 2 ditas verrumas, 1
dita pentes, I dita e I cunhele ferragens, I
pacotn fio poiret", 1 dito bnetilha, 2 fardos
peneiras, 3 cunholes freios ; a llanoca k
Castro.
As pessoas que se propozerem a esta ar-
rcuiatar^ao com.are^an na sala das sessfles
da junta, nos das cima declarados, pelo
meio dia, competentemente habilitadas.
C para constar se maulen alixar o presen-
te e publicar pelo diario. Secretaria da the-
souraria provincial do Pernamhuco, 29 de
1 meia pipa vinho ; a Luiz Comes Fer- lielembro do 1852 o secretario,
reir.
27 caixOis velas de cora, 10 caixis eva-
da, ao birns peixe salgado, 2 caixas bato-
ques e lorneiras, ICO hacas vime; a Joaquim
Ferreira Mendes Cuimailns.
Antonio Ferreira da Annuncaco.
Clausulas especiaes da arroinataco.
1.' As obras do vigessimo primeiro Lingo
da estrada da Victoria sorflo feilos de con-
10 caix-s pomada, 2 barrs presuntos ; ao formidade com o ornamento e plaas ap-
eonsig alario. provadas pela directora ein conselho nesta
3 cair.as haetlha e palitos : a Antonio Jo- data, e apiesenlodo a approvacAo do Kxm.
l Leal leis. Sr. presi Ii tile da provincia, tudo na impor-
10 caixas fechadura8 a Jos AffonsoMo- tancia de 12:218,606 is.
rers. 2. (I arriniataiito comerjar ss obras no
7 pipas, 3 meias ditas o 4 bail vinho; 1 prisa de um mez, e concluir no de um an-
Miptuel Antonio da Costa e Silva. ;no, contados da data da assignstura do con-
- ""-- "- iralo
3 A importancia desta arreinatacllo ser*
1 cjao pralos ; a Silva di IrmSo.
5 barrs presuntos ; a Anio'im Irmos.
28 caixOes vasos e fizuras, 5 pipas o 4 paga em quatro prestacoes iguaesda manei-
ra -i'.'tiniie : a primoira quando o arreroa-
t-nle U>er felo a lorca parte da obra do
seu contrato j a segunda quando tiver felo
dous tercos uas ob-as ; a terceira quando
lin recella provism iamenle; ea quaita
quandu fur dilinlivamento recebida, nSo
lvenla effecliisr-se pagamento algum an-
tes de lindar-seo primeiro simeslre do exer-
ciciode!852 a 1853.
4." Para ludo o mais que n3o esliver de-
terminado as presentes clausulas seguir-
se-ha o que dispoe a lei provincial n. 286
de 17 da maio de 1851.ConformeO se-
(Corrtiod* Europa
la 111 lano cynisiiio, tanta ferocidado, e ta-lwbig oulendeu que a melhor escolia que,
meias ditas vinho ; a Novaes & Companhia.
1 caxinha, camisas, sapalos, salpicos e
frutas ; a Antonio Luiz Machado BrandSo.
2 barricas pregos ; a Domingos Jos Pe-
reira da Costa.
3 caixas cochius de linho, 1 dita e 4 cai-
xOes ervas medicinaes ; a Jusc Monleiro de
Siqueira.
100 rodas arcos de pao; a llellino dosAn-
jos Teixeira
10 barrs presuntos ; a Jos Francisco da
Silva.
1 caixote obras de prata, 1 barril vinho,
I dito azeite, I dito vinagre ; a Guilherme
Augusto de Souza Cirvalho.
100 rodas arcos de pao, 5 barrs pregos; a
Joaquim Jos deAmorim.
12 barrs ditos, 1 caixBo retroz ; a Jos
Antonio da Costa & IrmSo.
I bar. il vinho; a Antonio Mara de Miran-
da Olivera.
4 barrs e 2 pipas vinho, 4 barris pregos,
1 caixa I.'dimitirs; a JoSo da Cunha Noves
9 harria azeite do peixe ; a Joaquim An-
tonio Pereira.
4 caixas liguras de barro ; a Machado &
Pnheiro.
20 ancoretas 1 zeilonBS, 14 pipas e 21 bar-
ris vinho, I caixote sarditihas; a Manuel
Duarie Rodrigues.
1 barril vinho, 50 ditos chumbo; ordem.
1 caitSosinho doce; a Jos Teixeira Basto.
1 caixote, I pnlii-no de prata o livros ; a
Joaquim Bernardo da Cunha.
3,800 resleas ceblas ; socapjtSn.
I caixo obras de ouro e de prala ; a Mo-
rena & UilM I '.
1 caita objectos de sirgueiro; a Manoel
Antonio Moreira dos Santos.
24 feixes caixOos abatidos ; a Jos Joa-
quim da Cosa Maia.
I caixa retroz, 2 ditas objectos de sirguei-
ro; a F ancisco Cue les do Araujo.
I caixao urna imageio; a Joaquim Domin-
gos Cunta.
4 ditoa cochina de linho ; a JoSo C.ardoso
Ayrea.
1 caixa fechadurss; a Tliomaz Fernn Jes
da Cumia
I fardo coberlores;a Manoel Jos Machado.
I caixa liulias, 100 canaslras batatas, 600
resleas ceblas ; a Antonio Joaquim de
Soo/.a Hibeiro.
10 caixas palitos, coturnos, etc., I cunhe-
le obras de prata ; a Francisco Xavier Mar-
ti ns Baalos.
1 caixotinbo um pilileiro de prata; a Luiz
Antonio de Siqueira.
too meias rodas de arcos de pi, 2 caixas
crelano,
Antonio Ferreira da Annunciacao.
Declaratjoes
-- O lllm. Sr. inspector da thesouraria
provincial, manda fazer publico que du dia
t docorente por diante pagam se os orde-
nados o mais despetas provmciaes, venc las
al o lim de semmbio iroximo rindo. Se-
cretaria da Ibeiotiraria provincial de Per-
nambuco, l. do uutubro de 1852.O secre-
tario, Antonio Feneira da Annuiiciscao.
Pela secretaria da lliesouiaria de fazen-
da desta provincia so faz publico, que a ar-
rematadlo da obra do ces do Apollo ainda
licou transferida para o dia 5 de outubro
prximo futuro pela volla de meio dia. As
pessoas que pretenderen! licitar, deverSu
coiiipaiecar na referida Ihesourana no dia e
hura marcados, competentemente habilita-
das. Secretaria da thesouraria de fazenda do
Peruambuco, 28 de aelembru de 1852. O
oflicial maior inlerino, Emilio Xavier So-
Drcira de Mello.
Cmara municipils
No dia 5 do correte estarSo em pra^a,pe-
rante a cmara inuniripil, o imposto das
aliiicOes, por 12:151,000rs sendo o respec-
tivo regiment o mesmo animo; oim.oslo
das medidas de farinha, pur 700 rs ,e o mais
que tein silo auuuuciado.
Banco de Peruambuco.
Os (lcenlos da semana, que decorre de
27 de aelembro a 2 te oulubro, silo os de
6 por cento al.31 dse mez, e de 8 por
cenlo al 6 mezes. O conse|hu declara que
compra o vende letras sobre o Rio de Ja-
neiro, de qualquer quantia e a prasos ra-
sos veis. Banco de Peruambuco 95 de setem-
bro de 1852 O secretario M. I. de Oli-
veira.
lio de Janeiro.
O liem conhecido patacho Va-
iente, ssgue com muita brevida-
de, por ter j algum 1 carga promp-
ta : para o resto, escravos a fre-
te e passageiros, para o que lem
lions commoiios, trata-se com os
consignatarios Novaes 6c Compa-
nhia, na ra do Trapiche n. 34,
ou com o capitao na praca.
-- Vende-ao a barcaca Caprichosa, nova o
de n 1 .-1 lenas retes, lie a primeira viagem,
carrega 30 caixas, muito boa de volla, e pela
boa eoostruecto n3o dexar de ser de muita
utilids le para ossenhores de engenho,acha-
se fuudiada ao p do trapiche do algodSo,
aoide os pretendemos achaiSo com quem
tratar.
Segu imprelerivclmenle pira o Rio
1,r;,n lo uo Sul no da 8 de outubro o brigue
nacional LeSO ; para passageiros e escravos
afrete, trata-se com o capillo a bordo, ou
com o consignatario Manoel Alves Cuerra
Jnior, na ra do Trapiche Novo a 14, pri-
meiro andar.
Para o Aracaty.
Segu com presteza, o novo e
mu veleiro lu..te nacional Santa
(Jruz.meslre Vicente Ferreira Lo-
pes : as pessoas que quizerem cur-
regar para o dito porto, ou para o
do Asmi', ao qual tambem vai; po-
dan dirigir-se a ra da Gadcia
Yeilia n. -i'.i ou a do Trapiche
Novo n. iG, segundo andar.
Para allhadc S. Miguel, Terceira e Fai-
al, a escuna ponugueza Thetis capillo
Manoel Mara da Silva, sahe com a niaior
brevidade possivel : quem quizer carregar
ou ir do passagem, para o que lem Hed-
ientes eommolos, dirijam-se 101 consigna-
tarios Olivcir.i IrmSo & Coinpanlia, na ra
do Apollo n. 14, ou ao capitSo, na praca do
commcrcio.
- Para o Cesr segu com brevidade por
tor parte da carga a bordo, o patacho Santa
Cruz: para o resto da carga e passageiros,
trata-se ao lado do t.'orpo Saiito,loja de mas-
saines n. 25.
-- Para o Rio do Janeiro sahe com toda a
hrevida lo o brigue nacional Auimn, por ler
a maior parto da carga prompta : para o res-
to, passageiros o escravos, Irata-se com o
capitilo do mesmo Domingos Antonio de A-
zevedo, ou na itia da Cruz do Recife n. 33,
en casa do I tu/. Jo-c de i Araujo.
Le.Ies.
Kothe & llidoulac, fazem leilao porin-
Icrveiic.ln do agente Roiinrt, no da terca-
feira 5 docoirente, as 10 horas da mantilla,
no su ." 11 1 -i 1, 111 10a do Trapiche n. 12,
de una porcHo de phosphoros ele. etc.; as-
si m como havendo numero auftlclente de
lancidores, ir a leilflo bacas do lalBo, fa-
cas de charquor, pregos, agulhas, boWes
do diversas qualidades, aljofares, oliados,
grampas, e oulros diversos arligos.
-- yualquer preco off'recido se bateri o
martello, por diversos objeclos para frehar
contaS, noarmazem de Miguel ('.ameim, na
iua do Trapiche n. 38, por intervencSo do
agente lUihert, no da segunda-feira 4 do
Correte, as 11 horas r!a mantilla em ponto.
O corrector Miguel Carneiro, far* lei-
lflo por inlerrencSo do agento Roberts no
dia sabbado 2 do corrente mez ao meio
da em ponto de um excedente terre-
no na rua da Aurora cojos fundos dei-
1.1111 pin a a 1 un Ja l'n. i, roiiten'lo 50 pal-
mos de largura, e 280 do roinprimento.com
caesem to la a exlcn<;!io da fronto, entre as
casas dos Srs. F. A. de Oliveira, e C. J. do
llego : no seu srmazem, na roa do Trapiche
n. 38.
A requerimento do administrador da
massa do fallido Leopoldo Jos da Costa A-
raujo, se fnri Irilto por odem do IHm. Sr.
Dr. juiz da segunda vara do civel e do ceui-
mercio, e por intervenfflo do agente Antu-
nes, de vanas juias de prata, ouro e prdras
preciosa^, consisliodo nos seguintes objec-
tos :1 irincelim do ouro com caixa para
relrto, com dez brilhantes em sua compe-
tente c ix'i, 1 gargantillia de dito, 1 corren-
te de dito, 9.1'acelins de dito, sendo um
com urna ciu?, 1 c ucilixo de dilo, unsco-
ra zes enca-tuadns em dilo, 1 correnlinha
com rhive pura relogio, 5 p-res de brincos,
e 1 alli ci do dito paia o peilo, 1 ho!3o de
brilhante, 3 llores da prata.para cabeca, 4
salvas de lita de dilTerentes tamanhos, 1 pa-
liteirode dila, I copo de dila, 4 pares de
caslicies do 1. n, 1 eaplvltadei'i com lesou-
ra de dte, I faqueiio de dita com 24 lalhe-
res e m>is peitences, 1 relogio de cima de
mesa com sua redoma, e I dito de quadro
com msica ; segunda-feira 4 de outubro as
10 horas !a nanhila om ponto, no armazem
n. 4, da rua da Cadei> do Recife.
Avisos diversos.
(J abaixo assignado, nico
recebedor dos charutos marca es-
trella, da fabrica do senlior Ma-
noel Durffea Lopes Vianna na
nrovincia" da Baha, fsz publico
para evitar a fraude, que s 110 ar-
mazem pertencente aosenhor Jos
Vicente de Lima se vendan des-
tes charutos.
Domingos Alves Vlatheus.


? ~-J
X
v
\' *
>
I
-- Eu ibaixo assignido, tenho justo e
contratado a compra da casa da ra do Am-
paro, da cidade da Oliod, n. 34: quomse
achar com direito a ella, comparece no pra-
80 de 6 das, ou annuncie pelas folhis.
Jeronymo do Nasci nenio.
- Ossenhores Joaquim Morcira Bastos e
liento de Carvallio Bastos, tem cartas na
ra da Cruz do Hecife n. 62.
__Precisa-se .lugar urna ama bo.costu-
reira, e para mais algum sarvigo de uma ca-
sa estringeira de pouca familia : na ra da
Aurora n. 8, segn lo andar.
Precisa-se de um bom fornciro que sai-
ba oceuparo seu lugar: ua padaria do pa
teo da Santa Cruz n. 106.
Precisa-se saber em que parte de Por-
nambuco mora a familia do Jos Gamillo
Freir, ou o scu Olho Dr. ios Gamillo Frei-
r, para negocie de seu interesar.
I ni cosinlieiro.
Precisa-sed* um sofTrivel cosiohelro para
ajudar oo actual do Hotel da llarra, quer se-
ja escravo ou'livre: trats-se no mesmo Ho-
tel, na ra do Trapiche Nevo, cisa n. 2, a
qualquer hora.
Precisa-sede un caiieiro para venda,
e que tenha pratica da uiesma, aiuda sendo
dos chegados de novo: em Fura de Portas
0.40.
-- Desappareceu no dia 24 de aetembro
pasaado, uma negra de nome Francisca, co-
nhecida por Xica.de iiae.3o Cagangc, di' ida-
de 40 anuos, pouco mais ou menos, bsixa,
chela do corpo, com alkjuma ruga na cara,
falla mu lio descansada e humilde, levou
um par de argolasde ouro francez ejum
pouco pretas, dous vestidos, um de riso lo
cor de rosa ja velho, e outro novo de assento
oncarnado, e llores do mesmo, duas camisas
de algodSosinho trancado novas, panno da
costa azul em meio uso, al n de mais duas
salas romas ja velhas ; esta negra foi escra-
va de uma senhora da rua do Cano, e era
carregadeira do agua, levando na occasiSo a
caneca verde com que andava : roga-sea
todas as autoridades policiaes e capuSasde
campo, hajam oo coptura-la e traza-la a ra
larga do Rosario, loja do miudezas n. 26,
que se recompensara com geuerosidado ;
assim como se protesta com as penas da Ici,
contra quem a tiver occ illa.
- Oferece-se uma ama para casa de pou-
ca familia, a qual coxinha, lava e engoinna;
na Cimboa do Garmo n. 4U.
Pede-se ao Sr. Mauoel do Nascimoulo
Silva Bastos, naja ele apparecer no segundo
andar do sobrado n. 18, atraz da matriz do
Santo Antonio, a i.egoci) que no ignora.
Francisco Alves Cardos), parlici.ia ao
respeitavol publico que ven leu a sua tnber-
Lava-se e engomma-se, com muita per-
fejco e asseio : oo piteo da Ribeira de S.
Josn 15.
A abaixo assignada proprictarU do
engeoho Dous Bracos de Seriuh cm, faz pu-
blico que nioguem negocie-com a viuva &
filhos Ido finado Joa l'Vrnan des Eiras, 16
latas, 6 vencidas, e 10 a vencer-se, da quan-
lia de 200,000 rs. cada uma, passadas com o
praso de 6 mezes de dilTeronca de uma a ou-
Ira, por seu finado marido Ignacio paulino
da Gunha, a favor do Sr. Albino Jos Ferrei-
ra da Coi.Im, de quem o referido Eiras as
houve cm traosaccSo,visto como ja se acham
ellas pagas; por quinto ten lo los Fernan-
das Eiras autorisado a seu lilno o caixei-
ro Antonio de Paulo Fernandes Eiras"
para convencionar com a abiiixo assigno la,
obro o pagamentu das mencionadas letras,
obngando-.v a reslilui-las logo que lhe fo-
se a|iresenlado ncsla cid-de o recibo do qui-
tacBo passado pelo referido seu filbo; e ha-
vendo este senhor em virtude de semelhante
aulonsagSo recebido no dia 21 de junho
prximo passado 33 vaccas do valor de 50/
rs. cada uma, em pagamento das 16 Istras e
juros vencidos, como se vedo recibo abai-
xo, o finado Jos Fernandes tiras nSo as en-
Iregou a abaixo assignada q>.e agma tem de
aa Im ver amigavel ou judicialmente. Enge-
nbo Dous Bracos em Sermhaem, 27 de se-
tembro de 1852 Izabel Maria da Cunna.
Recibo. Autorisado por meo pai o Sr. Jo-
* Fernandes Eiras a i izi -i- negocio com o
debito de que era devedora a casa do finado
Ignacio Paulino da Cunha de 3:200,000 rs ,
reeeln por este debito 33 vaccas paridas,
sendo as letras vencidas e a vencer-so, cu-
jas vaccas recebi do Sr. Antonio da Gunha
Soulo Main- e Vicente da Cunha Souto Mainr
por or lein da senhora sua mSi; e pelo pre-
sente pode a dita seohora mandar receber as
ditas lotras. Fazenda Tanques de Viuva na
Arenca, 21 do junho de 1852. Impnrtam as
vaccas em i:650,000 rs. Por meu pai Jos
Fernandes Eiras, Antonio de Paulo Fernan-
des Eirns.
Precisa-se de uma boa cusinheira :
quem quizer iodo dirigir-so a ra da Ca-
dea do Itecife n. 52.
. l'iecisa-so alugar uma ama para o ser-
vico central do uma casa de I imilla, ainda
mesmo escrova : na ra da Cruz do Recife
u. 62.
-- Precisa-so de uma ama que tenha bom
lelte c sem lilho, para criar nma manga j
na ra di Gadeia do Rerile, loja de erra-
gensn. 56.
-- Na ra daCadoian. 60, primeiro an-
dar, se dia quem precisa de um bom cosi-
nheiro e eslnbeiio, ambos forros*.
Jo3o da Costa Lopes, mofador em Pao
daa frente do lado da cima, e peito de
pomlm ; se emeaminhara ba quasi dous me
zes para o engenbo de Fragoso, aonde a di-
ta escr.va Gerlrudes dizia ter uoia uoinad
( prela ) pego ao Sr. do dito engenbo que
por favor, no caso d'ella lhe aparecer no seu
engenbo ; que ma mande pegar e remellar-
me, a casa de minlia residencia na ra da
Aurora n. 52, pagando eu, aa oecessarias
despezas, de cujo favor lhe ficarei obrigado.
Adverle-so que a dita preta foi eicrava do
finado Joaquim da Lingoeta, o comprada em
leilSo publico quo mndiram fazer os her-
deiros do mesmo Joaquim da Lingoeta p lo
correlor, o Sr. 0:iveira, e dlzem que se tem
visto tambem a referida escrava, na cidade
de linda, e no mesmo lug>r nos Arrumba
dos em certa casa quesera logo corrida e
o ladillo sofrer as penas da le.Francis-
co Ji s Barboza.
l'aia se passar a fasta
Aluga-so um bom sitio no lugar do Cor-
delro, a margem do C.pibaribe, com boa ca-
sa, estribara para 3 cavallos, casas para pre-
tos e foitor pomar e jardiru ; assim como
bailas com capim e mu i i ortalice: na roa
doyui i minio n. 30, segundo andar, ou na
ra da Madre de Dos, armazem de Barroca
& Castro.
~ Aluga-sepor 15,000 rs., por mez, um
preto excelleule cosinhriro, nSo tem vicios,
he miiitu zeloso, obidieute osadin : a tratar
na ra do Queimado n, 46, segundo andar ,
de maiihUa at as 9hora, e de tarde das
4 aa 6.
Lotera da matriz du Boa-Vista.
Jos Teixeira Basto actual the-
soureiro des!a lotera, avisa ao res-
peitavel publico, que a rhesma cor-
re imprelerivelmentc no da a6 de
outttbi o do corrente anno, no con-
sistorio da dita matriz, e se con-
tinuar a influencia dos cornpr%do-
3
Para passar a festa, um bonito cabrio- geralmente reconhecida David Williarr.
let usado, multo seguro e moderno, por Bowinan garante a mais exacta conformi-
250,000 rs,, com todos os seus parelhos dado com os moldes edezenhos remettido-
quasi novo ; a tallar no alieno da liOa-Vis- pelos senhores que se dignarem de fazer-
ta n. 92, loja de cateos deso. Na dita lhe encommendas aproveitando a occa-
loja ha tambem um pequeo globo moler- si So para agradecer aos seus numero
no, para alumiar uma sal elegite. sos amigos o freguezes a preferencia com
-- A mesa regedora da irmandade da San- que tem sido por riles honrada, e asse-
ta casa da misericordia de OIinds,novamen- gura-lhes que nSo poupara esforgoaedi-
le convida a tolos os davedorosda mnsma ligninas para continuar a merecer a sua
Santa cusa, a vlrem solver rs seus dbitos coulianca.
dtnlro de 30 das desta data passados os
quaes sem nenhum resultado, como aconte-
ceu com o primeiro annuncio este anno re-'
prtnlas veies publicado, serio ainla pela
lorcei a vez, e por este mesmo canal, cha-
mados ditos dovedores pelos seus nomes,
com declarado das quanlias dovj las e do
lempo, que he desde um at crin anuos ; o
em seguida (a falhar anda esto ulumo re-
curso) se proceder pelos moios judiciaes. A
mesi aclualesta na firmo resolucdo deem-
pregar todos osesforcos ao seu alcance, para
evitar, que, dopuis de s^ ter inhabilitado tSo
pi s iti livini.-nl i para salisfazer aos fins
de sua insliliilcao.desabe o propriu e lificio,
que ameaga ruina; o i os no riini.inm.i.lo
DAURORA
N' fundilo da Aurora, acha-se constan-
tomento um completo sortimenlo de ma-
chinas d vapor, tanto dp alta, como de bai-
xa pressSo de mo lelloa os mais anprova-
de mus sagrados deveres espera em Dos, do*- Tamborn so apromptam do encommen-
quo nSo Incorreri cm criminosas condes- da de qualquer forma que se possarnidW
candencias. Para os
hels oiliciaas
santa casa.
pnsaa apparecer durante a primei'a safra
Muilas machinas de vapor construidas neste
- Na ra das Agoas Verdes, sobrado de """" <"">'""* '!'"_ conairu.a.s pea o
umandarn. 14, da-se bolosde vondagem a "tabelecimento tem estado em consta oto
80 rs. a pataca, e arma-se bandejas com !," 1 P.r0,,0!;^,' i',!.VJf""
muito gostoe perTaieBO, por menos preoo nos> Penas tm exig,lo m.n.nsig^fic.n-
" r K PITAniirn Al niimiu a imninni a t.o u.
loque em outra qualquer parte : na mes-
tes reparos, c algum-s al nenhuns abaolu-
mtuju un uuiia uuaiuuL'i iiaito ; iu nirs .
ma casa v0ud.-n.-7e tr.s barr.s de botar !SS/ SffSlTft qU8 co ,SUT do
icombusti'el be mu mconsideravnl. Os se-
azeiie de carrapalo.
Alugam-se e vendem-se"bixss na *''3,uer.^es80i,s' -.
prac. d. Independencia n 10, con- -|mo' sa'' '">"'"*"'
res correr no dia j do mesmo
mi'/.. I ).s biluetes acham-se a ven-
da nos lugares j annunciados.
I'iecisa-se de quatro serra-
dores, e pag-i-se com maisvanta-
gem do (|ue em outra qualquer
parte ; na trvessa d Madre de
Dos, armazem n. ai.
- Alfredo do Jloroay, empresario da es-
Irada de ferro que so tem le construir na
provincia del'ernainbucn, convida as pes-

nhores de engenho, pois, eoutras quaes-
que precisarem de macninis-
losamcnt1* convidados a visi-
, tur o estahelacimento em Santo Amaro.
AOS UliiV l ES.
fronte a ra das Cruzas.
fe **?? ?!*!S!%J*
Dentista americano, J.A.S.Janodenlista,noticia aoiublicoque
D W. Baynon, cirurgiSo dentista, ronti-fcnl'"a a por doote* ar.illrines do i>nrc*.
mi i a exercer a sua prolissSo. fazendo to- llana mcorrupiivis ; o annunciauteencherta o tambem no deposito na ra do Brum logo
- Vendem-se saccas com fa-
ello de 3 a 4 arrobas : no ar-
mazem de Antonio Aunes, no caes
la Alfandega.
-- Vende-se a armac^o da loja n. 35 da
iraca da Independencia, toda etmdracada :
a tratar no aterro da Boa-Vista n. 14.
IGantois l'aillietk Gompanhiaft
* Continua-se a vender no deposito^
>' geral da ra da Cruz n. 52, o excel-
i I-meo he conceituado rap areiap
4 prela da fabrica deGantois Pailhct &w
'i Companllie da Bahia, em grandes olf
4 pequetasporfOes pelo precoestabe-H
i lecido.
Vende-se na loja de Jos Joaquim
Morei.ia & (ompanbia, na ra
Ni.va n. 8.
Lindas serpentinas de bronse douradas
de 4 luzes, lanternaa de vidro com ps lapi-
dados de lo los os lamanhos e de varios pro-
cos, ditas com ps hronseadas a 8,000 rs. o
par, lilas capellas brancas para noiva ,
no i.i s de seda brancas e pretas de peso para
senliora, sa patos do selim brancas recebidas
pelo ultimo navio de franca, luvas de to-
das as i|mili la es e de lodos os pregos, di-
tas pretas e de pelica para meninas de qual-
quer idea, chapeosinhos de seda psra bao-
Usados a 5,000 rs.. iiones de palha da Italia
para horneo) a 2.000 rs., bicos do blonde
pelos e brancos, fitas riquissimas lavradas
e lisas, ludo por presos que nSo desagrada-
rlo aos compradores.
Vinho de champagne.
Vende-se o verdadeiro vmbo de cham-
pagne, de excellento qualidade, ao prego
de 25,000 rs.; assim como do qualidade in-
ferior, muilo em cuota : no armazem de
Kruon Praeger & Couipaohia, ua ra da
Cruz n. 10.
Tachas de ferro.
Na fuidiySo da Aurora em Santo Amaro,
das soperacOesqueforem precisas de qual- de um ou todos se fr preciso, asseerando
quer n resida, enconde pode ser p ocurado a qual-'seu prcslimo, quo nio esijie paga alKuma
quer hora, na ra da Cruz no Itecife n. 7,, nSo licando os denles tSo he n collora los
segundo andar. ,'que n.1o se possa diuerenesr ros propiios
0Qfm9B9Q&*99%p999QQWi naturaes,podendo-semasligarqiial.|u-rco-
J t) consultorio homoepathico da ra s ni'da sem sentir menor dor nem receio
) dn Trapiche Novo numoro 15, dirigido de os quebrar, I inbeo calsa os denles na-
10 pelo Dr.Pires liarnos Jnior, foi trans- */. lurars furados da caria com ou-o ou pala,
f leridopara a ra da Qideia do Re.-ife > prevenindo assim a continuacSo da caria e
n. 41, no segundo andar, por cima da ag dores e mesmo evitando por essa forma do
passar n caria dos denles furados
na entrada, e defronte do arsenal de mu
Iba lia sempro um grande sortimento de
tachas tanto le fabrica nacional como eS-
Iraogeir, balidas, fundidas, grandes, pe-
quenas, ra/as o fundas ; e em ambos 08 lu-
ga res esislein guindastes, para carregar ca-
noas ou carros, I ivres de despoza : osprefOB
ii o-, mais Cumullos.
Instrumentos de msica.
Tanto pira orchestr.r, como pa-
f*^+ffiuX&*S7Z l'>etc.scomo.cnc,o.,.v.othesoure,ro,dei-;;c-; d, ,,, ,le ptrnambuco va
ei"o- ivou camisa rr/srai,lo azulde de correr as rodas no da 30, absten lo-;iernljar ^ vi|, d-Agoa PreU confor.
ieiro,ievou camisa ue natauiino azume thesoureiro de marcar o da para om- _. -,. ailmilatiiUi d.i rnnlraln pplehr.itn
meiii nao rara de. sana ie lila, rhaiiro ore- *..^-u- r i me as esuiiuiacoes riu coiuiaio lu iiihhi
NffSKitVSJS. tT^m^^'^M^^XlrUe v0",impr:"e V.flppro-
que com qualquer venal, sera marcaoo o a,)0 pei poder legislativo dinjo-ine a
da impretenvcl; os bilheles scham-so a v ara 0 |-lm Je ol)ter ( ) accOes de
venda nos lugares j annunciados. I valor de vinlo libras esterlinas cada uma
peo de palha novo': quem o pegar leve-o aol "!^^"^ d.^rVdVde'^Jn (ti,,,, hhr"? c"n.bio clu'' de 27 l
atorro da Bna.Vista n 59 une ser reconi- que con^crD zado n. 59, que sera recom de HeinamDUC0> mUiia pessoas team per-! \, se slrva tf,smttir a pesen-
P Precisa-sede uma ame de leite. ,!S!^J?f?feJS!f "2SB TlJflM Ura,5o direclori. d comp.nhia
seja desompendida: no aterro da Roa-Vista
nos cantos, r bellos da calieca um tanto
graudes, baixo, magro, cara descarnada ,
olhos abocalhados, e levou tambem um rha-
n. 45.
Na ra da Cadoia do Recife n. 16, loja
do alfaiato inglez, encontraran grande sor-
timenlo de casacas e sobre-casac3s,palitsde
[.unios finos, casemiras, casinetas, alnakas,
irinseic; calcas, colotes, e oulras multas |eTdTi ro'^or'meVi'desTe^qui? > pVimer
obras de bom goslo, e OS pedrOas os mal (,res,a <, se paga al quo acompanhi
cisi pagar a primeira prestaclo, e qual a que >e leni',|0 incorporar para realisar a ro-
proporcHo do valor total das accOes, se ser fB,ija ,ri cumpre-nie signilicir-lhe ,
esta prestaco; c tambem a preslacao e nii0 obst.nite o que lici exposlo a iiilenclo
lempo do pagamenlo das outras preat-cOes. em u fSl0u (le ,cellar 0 umero de ac-
ej experimentados pelo Sr. Iir Sabi- ^ oo na sua longa clnica, sendo os re- j;
*> sultadosos maisfelizes; todas as car- >
teir>s que sahirem desle consultorio %
i0 consultas sflo das 8 horas do dia at c>
m as 3 da tarde; depois deslss horas so 9S
3 o poderSo procurar na ra da Cruz 4
a) do llecife n. 50, segundo andar 4-)
O abaixo assignado, chegado lia pou-
cos das ra iMiropa, tem a satisfcelo de mi
DUnciar ao respeitavol publico, e a seus an-
tigos freKueires, quo Irouxe ricos desenlies
de obras do marcineria, assim como algu-
Liompras.
se-
|
. ves .Mulieos, ua ra d
Vende-se em casa de Domingos Al-ag
Cruz do Re--t9
Compra-se um negro idoso, quo saiba \m cifen.52, primeiro andar, algodo4
tratar de cavallos : na ra da Calla do He- transado daquella fabrica, muitopro-'J
S prio para saceos e roopa de esora-^
Pare n informaoBo do todas as pessoas que oenqmpor vent ra houver ilu caber-me mas machinas para mellior desempenhn do
no sabem a marcha de companhias que so ,;,., qill! ,enor.Seja do que a mxima ari- 'sua arta. U aniiunciaiito julga desnecessa-
formam para executar grandes eniorezas, |roi flMu0. por esta uccasiito tonbo oolro' rio fallar de novamente sobro as suas habi-
r i o ..uto ellas ja silo assas co-
ista provincia, o hoje mais que
prelendeodo oirenler a n-nli i o
cgas; esta mais habilitado que:(iUantid.ade tiue appnreca: ni ra-
o modernismo, vialo queoan- i > i\
endo-se au-endo d'aqui a mais vcssa d,t Ir de COS n. ai.
sin de decUrar-lhe quo me uLrigo a pagir lida.ies, porquaiito ellas ja silo assas co-
laes" se vendem cor .' .Cao nSo se paga ale quo a companhia | SpCctivas preslacOes no lenipo e pelo nhecid-s nesta provincia, o hoje mais que
lr es'Cj.organisada, (no ruso actual, prova- | m(ldo nue direclori houver da deleruii- nunca, no prelendeodo ollender a nenhum
velmonte d'iiqui a 4 prra 6 mozos J o<|uo.(11(r e ao o fazendo dentro de periodo de de s-us coll*
cifo n. 56.
Cumpram-se
-i'j.im bastantes man
nieZ.UO maiS.O qUO dee'u (^bii unta uo loiio, z nir ni'i'en
ao menos: a tratar na praca da Independen- 4^^*^**^4*44**11*
Gesso.
Vende-se gesso embarrices, chogado ul-
2 vaccas creoulas, quo ** V0!( assim como lio proprio para re-,
laucas, paridas de um des depescar e pavios para vellas,.
deem 4 gerrais deleite, S por greco muito commodo.
cia, loja deounves do Sr. Aprigio; aonde
tambem compra-so um jogo de consolos de
pao d'olo, em bom uso
Compri.iin-.se caixas. que ib- timamonte-.emeasa de J.Kel.ert Compa-
. L -i,, quia, na roa da Cruz n. 55.
rain deaibao, prefenndo se da i i- Na rua Nova n# 8> |oja de j()S
irica da provincia: na trovessa da
Madre de Dos, urmozem ti., si.
Compra-se nudeira da P.i-
rahiba, em praaxSes qualquer
cundo outra igual jamis houve nem ha em 0e passou (jUi,lle,ru a sua Cocheira
todo o mundo.=0 grego de eras remotas. dc riirro^ ,,e ptwe|u qoe i,,tia na rua dasFlo-
-- Precisa-se de uma ama secca para casa
de pouca familia; na
36, loja de cera.
res,para d.baixo da casa da cmara munici-
i OUtr'ora esteveWr:
un pode gurdar carros, cabriolis e
5n- ptUbnde OUtr'ora esteveWolecbare; portante yyy^yyywyyf^lpyyil/jfyw l
iNome pt
Dala. .
Moradia.
Proflsso.
Joaquim Moreira & Gompa-
nhia.
Vende-so chapeos de sol d seda prelos
para nomem pelo haratissimo preco de 4,000
a 5,000 rs., a elles antes que so arabem ;
jarros delirados do porcelana para flores a
4,000 o 5,000 rs. o oar, chapeos 'raocezesde
boa qoalidado a 6,500 rs., luvas do pelica
punto inglez para senliora a 1,500 rs luvas
.g* de seda pespuntadas para senhora com seu
, |- toque de mofo a 1,000 rs, o par, ditas de fio
onde"e's'tew"Vleii de outras capilaes da E,- gar salitroso, lera a ireeroncia, por ser de e>c cia pare homem a 320 rs., brancae
ropa. Pa. s Lisboa dtc. &c 0 nuon- m.is reodo.o aporaeflo da .goardente, f 4U0 rs.,co.peos de casfoj brancos sem pe-
Zte'so .=!.. acapa'cilado p.r. M --.lompram-so esrravas o .venden, so. re- O ^ 'ntO e5o de 500 s eou-
p'eei^erqu.eVquer con.lruccfles de'cebemse da co-nmlaso, ionio ara a pro- 'ras molas r/endas que se venderlo por
ucos, faz escalas ci.cnl-r, oval eoutras viiioi,, cono par. fra della: na ruados bar.Ussi.nos precos com d.nho.ro a vista.
- Aluge-se uma casa terrea, em Fora C0II,n,.icneS c.vallos. mediante um. rasos- l'atllo aigliOUX. dentista.
de Portas lado esquerJu n. 36, pelo proco vej gH Msm cm romPito quo a cada f? l'tlc ser |nociirmto a iiml-
de 7,000 rs.; a tratar ama da Cadea do nora !,c-m-ltie promptos mais uns carros % quer lioril cm slin casa na
Reclina. St.JOJt de cambio, desses modernos, para os amantes do hom aa, rila Inl'R do tio/aii lia .iii,
j> soiiikIo andar. ^ qu rendo ssint o hoiirurom de alguma oo-j Coi
ejA^ftiftiftlfcAAASAifilskAAaaA* commeiida; na rua da Concordia, junto da P' lentes
Os ./baixo assignados, passageiros do
brigue portuguez S. Manuel I, chegado a
goslo passeisrem.
Melhores
ares no ha
niodeOliveir., procuram a imprensa como pm< ,i Vudieecia do Sr. Dr. juiz municipal Tt",
omeinmais publico de laz-r patete a gre- da segunda vara, nasila de mesma auoien- m*
:
tidSu de que se ach.m pussui los para com Cla s ,, ,, arrt.',n>lar por ser a ultima nra-
inooree. A capaeldade m.n- c>) a c,8a ,erieili sila a ru, do Sebo n. 15; >
->
^i eilifici
.a qu-' servem para suhir-se por um lado e l>u.neis n. 24. segundo andar.
8 descer-se pT outro. Avista, pois, do ex- Compra-se urna taberna
t-1 rendido. O abaixo assignado espera mcre-jbom locil, o qiioo-trja lu-ni aireguezada :
"6 irdo respeilavei publico a sua OroteccSo quem liver, aunuueie por esta runa.
Gompra-se um llvro que tenha as com-
receitas <;audii Balbibi da PaixSo Rocha, pro- ^Qieflo. Joo Fwderico Scbr'oder. quem tiver anm.ncie
fessora jparcular apprnvada telo governo.
contina a receber meninas a quem ensi-
llara as materias proprias da educacSupri-
meira das senlioras, e resido na ru. do Vi-
,..iosobrado n 14, 91 gundo nn lar.
lima e cinlidado dos referidos ollici.es, foi um, dila na IU, da Ooiiceico n. 9, o 011-
msisuata vez posta em prov. o dad. a co- lta ()iu pm lm>Mm, boceo do Tamb.
nhecer aos abaixo assignados no espado de ,. ,0,,s n, na VlJt8 por osecucSo do
Sdias, ja pela aclivid.de e vigilancia com Ln ,;oines Ferrlra, contra os herdei os do
que sempre se bouveram nos seus devores |>racbedes da Fonseca Coulinho esciivao
a bordo,ja pelas maueiras auaveis e candlas Santos
com que sempre tr.laram, nfio s aos .baixo precisa-se deumfeit,or, que enlen la
be n 1 1 quem
Verdes n.
8'"BBw
- .) advocado Slanool Jos Pereira de Mal-
ditos Srs. ornases, Ibes votan sincera ann- |, passou seu oscnplorio para o sobrado n.
zade, bem como a todas as mais pracas do 36, da ru das Trinen rs.
navio, quem tambem agr.decem o bom e, .. j0o S.lorno Toscano de Almeida, mo-
expontaneo acolhimenlo. lloare I. de ou- r,dor lia cor[e dl) |il0 ,|0 Janeiro, mi rua da
lubro de 1852.-Cuilberme Augusto llodn- (;,rinca n. 93 cncarregase do qualquer
guea Selle, o padre Jos de Sania Rosa Ai- commiss3o ou preleneflo, quo no S por
lunso, Ricardo de freilas Rlbeiro, DomiH- esta cidade, como por lodo outro lugar, ou
gos Ferretr das Nevos it.uim.rSes, l.uiz Id- provjnc,asdo imperio.se pretenda obt-r pe-
beiro d. Costa, Antonio Joso de Barros )aj repariic0es publicas desta mesma corle;
"T'B*- 1 olTcrecendo-se elle para requerer e lirar no-
Quem precisar de um criado p.ra casa. | meacOes deompregos, quer do joizes de di-
dirija-ao a ru. do Ctlovello n. 49 ; na moa- reilo, quer do i! na inii lein lena um cosinliciro forro. I dores ole.; assim como lieengas, litolos.ha-
Precisa-se .logar um preto pira ser-ihitos, cominenJss, cartas de bruzos d'.r-
vic<) do um. osa, p,i -o.iiiln ,-e mensa I monto mas, qu.esquer cnndocoracOes e breves pa-
o que se .justar ; ti.ia-so na rua da Seuzal-'ra dispensa de casamento. Pr> tandu-se
la Vellni n 16, padaria. I com puntual oclmdade na acqiiisifJu de
No dia 25 de S'-temhro prximo passa- qualquer objecto, como procurador : o an-
do ausentou-so d. casa do abaixo .asignado nuncianlc pede a quem so queira utilisar de
o seu escr.vo, pardo.de nome Francisco, seu trahalho, baja de so lhe dirigir por Carla
estatura regular, bem fallaole, natural d. fechada, ou directamente, ou por via ros
Cotinguiba ullicial de sspateiro : levou correios; sobmiiiislraudo-lhe meios peco-
111 arios o competentes auloiiss{es par. dito
HOMEOPATHICA.
v>8 RUa DAS CRUZES 2N,
Dirigida por umphiirmaceutico "S
approvadot
Esteestabelocimonto possue todos *
os medicamentos al agora experi- ^
mentados, lano 11. lio-o. a como no ^.'
DAVID WII.I.IAM IIOWMAN engenhei-
_ ro machinisla e fundidor de ferro mui
J respeilosamente annuncia aos senhores
proprietanos doengenhos, fazendeiros, e
ao respeitavol publico, quo o scu cstabcle-
cimenlo de ferro movido por machina de
vapor, na rua do Brum, pass.ndo o chafa-
ri/, contina em effcclivo exercicio, ese
>
I ^
aa.
5, Brasil, e preparados pelas machinas g aCha completamente montado com appa-
,. nn iiin-i roo 'o Dr. Mure. afl} relhos da primeira qualidade jiara a per-
it. Carteiras de 12 tubos al 160, por 4f fe| conferco das maiores pegas de rai-
.-> prefos vanaveis, conforme a quali- chinismo.
* dado das Caixas, a quantidade dos re- J Habilitado para emprehender quaes-
S* medios e suasdyiiamia.cOos. "S quer obras da sua arte, David William
Tubos avulsos (cada um) 1/000 "K Bowman, desoja mais particularmente
Tinturas do lo los os melicaaien- chamar a attencilo publica para as se-
tos em frascos do l|v onca 2^000^ guintcs por ler dellas grande sorti-
AVIA.M-SE GHATIUTaMENTE ^ ment j proinptas, cm deposito na mesma
p.ra ospohrs,todas asreceitasque .aj fun.^.io, as quaes construidas em sua fa-
piu 111I1 mn 11 lar qualquer professor. aaj |)rjca pdem competir com as fabricadas
?AAAAAA^r-i''AA V^ftAsK) om paiz estrangeiro tanto em prego
como em qualidade de materias primase
comsigo a roupadeseu uso ouvulla em urna
trouxa, e um cli.po de pello de se la usado;
and. calcado, pelo que p le pass->r po- for-
ro; consta andar nesta cidade, o pernoitar
na rua da Aurora, em casa de celo senhor,
que dizem,quere-lu para Seu escravo. abai-
xo assignado pruteBta contra o seductor e
deteulor dodito seu escravo pelos das de
fevicos, e pelo furl'de algumas pecas do
prata o ouro quo levou de sua casa, como
rumplices ; usando para islo da lei, que
protege a propriodade do CidadSo : quemo
denunciar ou o pegar, leve-o a casa da resi-
dencia do abano asignado, no .Ierro da
Boa-Nnia, ou nu seu arm.zum de assucar,
11. ru. du Brum, que sera generosamente
recompensado. Joaquim Juvencio da
Silva.
-- Roga-sea (essos, que livor uma caria,
vinda do tul no vapor s. Silva Jor, para Si-
man Noi.l : uirija-sr ao hotel Francisco,
na rua do Trapiche n. 9.
Um. Desojando igualmente, bem servir
quem n oceupe lea de.gr.jecer-llio a pre-
ferencia.
Na rua llov n. 60, precisa-so de ofil-
ciaesde alfaiale,que sejam peritos em oh-as
grandes.
-Anda se precisa alugar uma preta e um
preto, i-scravos, que a I.* saiba tratar de
cnance e dos seus arranjos.e o i." para com-
prar e fazer o sernco interno de uma casa
de pouca familia; quem os livor annuncie
par. ser procurado, ou dirija-se a rua do S.
Francisco, sobrado de um andar n. 8.
Nu escriplorio de Novaes & Cumpanbia,
ua ru. do Trapiche n. 34, cumprcm-se es-
craros de ambos os sexos, sendo pardos, do
12 a SOinnos de idade.
Constando-me que a ininha escrava de
nome Gerlrudes, nacfloangnl., de id.de 24
anuos, cr muilo prela, olbos grandes, pt,
e mos pequeos, estatura baixa, disdeota-
.iM'AL l IIK. .1.1111.
thauuzido em roirrUcuia.
16,0110 rs. de OMsignutura.
Milu 1 a luz o primeiro volunte desta obra,
a mellior de todas em seu genero : o nico
verdadeiro livro, por 011 le se podo eslud.r o
pralirar a honieopathia. Esta ntidamente
impresso em excellento papel, com lo ios os
signnes quec iniui oonginal para douol.r
a iiill'-ieiii,!! do valor dos !>ymplouias.
Contina a assignatur. no consullo io ho-
meopalhico do Ur. Moscoso, onde os senho-
res assiguantes po 1. m mandar receber os
seus excmplmes
No ins.no consultorio ha todos os medica-
mentos ho neopalhieus VEl'.DADtlIiuS ; ns-
sim cumo ricas carleiras, e reformam-se
quaesquei boticas, cujos medicamentos se-
ram falsos, oU deteriorados.
Auna Feneira da Silva, autoris.d. por
i.mvisio do Exm. Sr. presidente, doulor
Francisco Antonio Ribeiro, de 29 de jal lio
do coi rente nuno, lein aberlo n. cas. de su.
residencia, na ru. das Tnncheiras n. 50,
uma aula de instruccSo primaria do primei-
o grao, par. o sexo feminino : os .sis de
familias que della quizerem confiar suas li-
Ihas, poderlo dirigir-se a mencionada ra. a,
a qualquer bora do dia, ceno de que a an
nunciaute empregar lodos os seus desvelos
em nlodesmerecer do seu conceilo.
da mollior cois-
013o d'obra, a saber :
Machinas de vapor
trucgAo.
Moondiis dc calina para engenhos de
lodos os lamanhos, movidas a vapor por
ng 1 ou animaes.
Rodas d'agoa moinhos de vento e
serras
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilbocs, bronzes e chumaceiras.
CavilhOcs eparafusos de lodosos la-
manhos.
Taixas, pares, crivos e boceas de for-
nalha.
Moinhos de mandioca, movidos a m3o
ou por animaes, c prensas para a dita.
Chapas de fogSo o frnos de f-u i 11 lia.
Canos de ferro torueiras do forro e
de bronzo.
Bombas para cacimba c do repudio,
movidas a mSo, por animaes 011 venlo.
Guindastes, guinchos e macacos.
Pronsas hydraulicas e de parafuso.
Ferrageos para navios, carros e obras
publicas.
Columnas, varandas, grades e portos.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros de mo e arados de fer-
ros, ele etc.
Alm da superioridade das suas obras, j
Venda.
Uilltetcs do Mi de Janeiro-
de rsa
sen lo em barateiro do l'asseio Publico,
loja n. 11.
I Vendem-se superiores pannos Unos de
todas as coros.de 3,500,3,800,4, 5 e 6,000 rs.
o covsdo. rasomiras pretas superiores, e
2,500 o 2,800 rs.,setim preto macau, a 3,600
rs., e de cores, a 2.800 o ro t, sarja pt -la
hespanbola, a 2,100 rs., cortes de vestidos
Ide .argelinas de so la, a 15,000'6., ditos de
sedas lutados, a 12,1)00 rs., cortes de uln-
: tas castas, 9,000 e 2,500 rs., gorgores de
Sed. par. coielea, .1 I,0u0 ra afeita dn cu-
AOS .-..;:.; 1.1. 00
Na loja de rniudezas Ja prnca da jres, a480 rs.,setimcur ue ros, a 6to rs.,
In .iMuMiilciiriii n 4. Vflndem-Se 'rassaspieras, a 400 is, casinetas da 13. pu-
lnlepenucncia n. vtuuciu se ^n cal)..,Sta 700 rs f casamirasde .Igo-
biliietcs intciios, meios quartos, I i0, 320 rs chitas fr.ncezs Urgas, a 210
oitavos c viaesimos, a beneficio das rlseado ^neesw, e IM e 24o rs.. cha-
u o 100 1 lesde 13a e seda, a 4 e 5,000 rs., ditos de 13a
lab leas de vid ros (le &, Hoque,e da jemitando soda, a2,0i0rs., ditos de qua.
de liar e teccr alt-oilao por saldo dros, a 1,440, lencos de seda, a i,600 e
, 1 1 t I 2,000 rs ditos do chita finos, a 320 rs., leu-
da quinta luidla da lubrica tic vi- cu. jSCJinia, bordados para m3o dose-
dros, e da quarla c nllima de fiar
e tecer aigodao, que i.orreu no dia
u do pafsado e vem alista no
primeiro vapor que chegar do itio
de Janeiro.
Vtnde-sc maesa de lmales,
para tempero; tinta de marrar to-
pa e carrancas para carite: na mi
dalladeia n i5, loja de Bourgnrd.
Direito civel.
Ven lom-so ns excellontes instrueeOel de
direito civel, porCuelno da Rocna, pelo rii-
minulo preco de 6,UU0 is. : ni prega da In-
de,eu lenea n. 6e 8.
-. Vende-se um bonito mulatinho, d 1 ida-
do 14 a 15 anuos, sem vino nem cnaqua,
proprio para pagem : na la da Cruz n. 54,
segundo andar.
Vendem-se catecismos romanos, con-
forme o decreto do concilio tridenlino ,
mandado publicar pelo S. S. Padro S. Po V,
e vertido em lingua vulg r, pelo reverendo
Domingos Lopes da Costa e Cruz : nu loja da
rua do Crespo n. 23 do Joaquim Ferreira
llamos, o na rua do Encaulameiilo.armazem
11 II; adverle-se qoo o prego dos eucader-
nados lio de 2,500 rs. e dos de brochuia ,
2,000 rs
Vende-so uma negra, creoula, de idade
lo auno-, pouco maisou menos, do multo
linda figura, sem vicio nem achaque algum,
ro-t ir im, e com principios de eugoajuiar,
lavar o cosinbar.e propri. de todoservico de
uma casa: na ruada Cadeia do bairpo de
Santo Antonio n. 25. segundo andar.
iiomeoio especial para boubas e cravos
seceos contina a vender-se na rua do Ran-
gel, botica que foi do finado Sebisliao Jos
de Olive ira Macedo.
__Verui/ do gomma copal continua a
vender-se na bolica da rua do Rangel, a
1,280 rs. agarrafa.
nlloia, a 200 rs., cambraias lisas transpa-
rentes, a 1,600 rs. 10 varas, e a vara, a 160
rs., b un para calcas, de cures, dn 1,000 rs.
a 1,300. 1,400 e 1,500 rs., unida pul de 3/,
3,200, 3,500, 3,800, 4:400, 5,000 rs., o supe-
rior, 5,500, algodSosinho, chitas, e muras
inuitaa fazendas, manteletas e capotinhos,
Chales de la pretos, hrelanhas de puro ll-
niio e muilo lina, chapeo de massa francez
a 6.000 rs e mais fazendas que so vouderSo
baratas vista da moeda.
Moendas patente.
Acabam de chegar moen leso meia 111 ion
das de vanos lamanhos ra patente do A e
1 ir M o im y em c>sa de Roihe e Bidoulac,
rua do Trapiche n. 12, aonde l.nibem se
achara araos oe forro do modelo mais ap-
iiiovii 10 p.ra a pl.nlacSo da carina. Estes
a ados s3o construido, na fabrica mais ac-
creditada em Inglaterra e conten vantagens
sobraos outros ar.dos.tanlono seu arranjo
como na su. duracSo.
Pianos.
Brtinn Praeger Se Companhia ,
receberam os mais modernos p.a-
nos, de excellentes vozes, que s-
tao a venda, em sua casa, na rua
da Cruz n. 10.
Charutos de Havana.
Os melhores que teem vindo a este mer-
cado : vendem-se continuadamente, om ca-
a. de Bruna Praeger & Comp.obi, na rua
da Cruz n. 10.
Vendem-se espelhos com mol-
duras douradas, os inais ricos que
teem apparecido no mercado : na
ruada Cruz do Recite n. 49 ar-
mazem de L. Schnler Se Com-
panhia.


r
r
Salsa de Sands.
Ra larga do Rosa-
rio n. 36.
Este remedio acha-se a venda
Cal virgem.
Vende-se'ral de Lisboa mais nova do
.mercado: ni ro do Vigario n. 19, primei-
'andar, BrintoriodeT. doAquino Fooseca
'& Filbo, ouna ru do Trapiche, amizem de
I Antonio Augusto da Fonseca.
;steremed,o acna-se a venaa! Vede-se urna morada de
a botica de B.r.holome Fran- a.,, Mta a moderna'."mt.joloe
cisco de Souza, no lugar cima in- cal, sita na ra flk^.-b,
dicedo : o mesmo garante a quem por preco mu.to em conta a tra-
duvidar ser a verdadeira Salsa de 'ar narua Imperial n. di.
V ___ Vende-seaexcellentetypo-
"rtoendns superiores. 'graphia do Diario Novo estando
Na fundilo de C. starr& Companbla, ern montada, tanto de bonspre-
emS. Amaro, acbam-sevenda moendas { pre.
de canna, todas de ferro, o um modelo e ios, comu ue /|u coustruccSomuitosuDerior. tender, dinja-se a ra da rraia
Aradoa.de ferro. In_ 55^ tratar coma Viuva Roma.
Na fundicSo da Aurora, em S. Amaro, __Vendem-se os verdadeiros selins in-
veudom-se arados de forro de diversos g|ezeBi patente, de mollie sem ella : na
mo lelos. ra diSrnzalla Nova n.4.
L'otassa americana. Na ru* do Crespo, loja n-6.
No antigo deposito da cadeia velha, n. Vendem-se superiores cortes ilecimbrili
19 existe urna pequea porgSo depolissa ues,inC08i eom61|S e 7 varas, a 3,500 e
americana,chegada recentemente que por i00Q rj cortes de cassa chile, de novos
superior rivalisacom adaRussi: vende- BOglos# a a.at e 2,500 rs.; cassi frinceza 1
se por preco razoavel. 440 rs. a vara cortes de brim trancado es-
TavaS tiara, I'II(ll IIllOS. euros e mesclados, 12,000 rs. 5 panno tino
M.UWU /* enyoavnw preto, a 3,000 e 4,000 rs.;lengos de cambraia
Na fundicao de Ierro de i. de \,^u> aso r.; ditos de cassa grandes,
W. Bowman na ra do Bruna, 1 liOr.;ruteado1 < linbo a iso rs. o covao
"* owu"*"> ... 0 0 muitasoutrasfazendasern conta.
pssando o cnalanz continua a _. umaencommenda dejcoberiores,
haver um completo sortimento Que por serem poucos
de fua.de ferro fundido eba- TUfSJmS&mm.
tido, de 3 a 8 palmos de bocea, R 1,600 rs. cadaum: na ra do Crespo, lo-
as quaes acham-se a venda, por J j- 5eDdem.setin,rr,sdeferro: n. -. da
pre90 commodo e com prompti- senzaiia Novan. 42.
dao, embarcam-se, ou carregam- Sortimento de panno,
se em carros, sem despezas ao Na ra da Cadeia doRecife, loja n. 50,
se eu cunuo, r yendem-se superiores pannos prr-los a 4,000,
comprador. 4,500, 5,000, 5,500, 6,000 e 7,000 rs. o co-
cer de carnauba, vado ; dilo azul e verde a 4,500o 5,000 rs. ;
No armazem da ra da Momia 0. 5, junto assim como pannos mesclados, dos melho-
do trapicho doCunha, vende-se cera decir- res gostos que ha neste genero, por 3,500
nauba, por menos preco do que em outra r5. 0 rovado.
qualquer parto. Deposito de cal e potassa.
Deposito de Cal e potassa. Vende-se superior cal e potassa,
No armazem da ra da Cadeia e nor pceo commodo : no arma-
do Hecife n. 1 a,ha muito supe- zem do ca.s da .\lfandega n. 7.
or cal de Lisboa, em pedra Gomma de engommar.
asiim como potassa chegada ul- Vendem-se saccis com gomma, muito al-
. ,_ _MM _i. ra va.propria para engommar e fazer bolmbos,
Umamente a precos muilo ra- po'r nS*IMvsece, ,0 fogo: n, rua do Quei-
soaveis. mado n. 14.
Agencia de Edwin Mftw. Vende-se ferro inglez em
Baruade Apollo n.e.armaiem de Mc.ca- barra, em porcSes grandes, ou pe-
Z^SS^T^MSSffl quenas, e a escolhenvonu.de do
batido,tanto risa conio fundas.moendasin- comprador, a 4,500N. Qtlintal,
eiras todas de ferro para animaei, agoa,etc.,, t ._________;_. /
de todo o ta- e de ao quintaes pora cima a 4,800

._
Sands
Uilhetes do Rio de Janeiro.
A os ao:ooo, 10.000/, fcoooi,
a:ooo, 1:000/.
Arha-so a venda,na loja de cambio da rua
da Cidela do Recife n. 24, um restante de
bilhetes e cautellasda quinta lotera da fa-
brica de vidros, e quarta da liaglo, cuja lis-
ta devechegir no prin ciro vapor.
Bilhetes
da Boa
A os
E
da matriz
ditas para armar em uiaeira
mullios f iii.'iUlios o niaia moderno .machina
horifODUl para vapor.com forja de 4 caval-
lus.coucos.pasaadeiras de ferro estanhado
para casa de pulgar,por menos precoqtieo
de cobre, cscovensparanavioi.ferro ingle
tantoembarrascomo em rcosfolbas.etudo
por barato nreco.
Vendem-se a 1,200
Cigos com batatas muito novas, das ulti-
mas chegadas das libas, preco do 1,200 rs.
a arroba, os gigos sSo de diflerrnles lma-
nnos ". uo ces da alfandega, irmazem da
esquina, e na trivessa da Madre do Ueos.ar-
mazcm n. 16.
Carnauba de primeira sorte.
VenJe-se em porg3o e a relalho, no depo-
sito de D. It Aiidrade i Companhia, na rua
da Cruz, confionle o chafariz n. 19.
Vendem-se relogios de ou-
ro eprfvta, patente inglez: na rua
da Senzalla Novan. 4^.
AGEWCIA
da fundicSo Low-Moor.
RUA OASK.NZALLA NOVAN. 42.
Neste estabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias mo-
endaa para engenho machinas
de vapor, e taixas de ferro bati-
do ecoado de todos os lma-
nnos, para dito.
A 5>ooo rs.
Superiores chapeos de sol de seda ingle-
zes cbegaiios pelos ltimos ntvios, pelo di-
minuto prego de 5,000 rs. cada urna : na
rua do Cullogion. 4.
Feijo novo a 6,000 rs.
No armazom de Couveia & Uias, confron-
te a esoadinoa da Alfandega.
Ofeijos do sertSo.
Vondem-se muito bons e frescaesquoijoi
dosertao; narua do Queimado n 14.
Alerta freguezus
Que silo cnegidos,
Cobertores de algodSo
Muilo encorpadus.
Na rua do Crespo.loja da esquina que vol-
ta para a Cadeia, o 1.600 rs. cada um.
No armazem de Francisco A. da Cu-
nha & Companhii, na rua do Vigario n. 11,
ba uma porc,8o de lina familia de mandio-
ca ; taboas de forro do pinho ; um ancorele
novo de s,arrobas e 20 libras ; arcos pan
barricas; uma soleira; dois maineis; 5 ver-
gas de pedra do Porto lavrada, e mais ob-
jeclos, quetudo se vende por precos muito
rasoaveis.
Moinhos de vento
com bombas de repuxo para regrar borlas
ebaixasdecaplm nafundicSode. W. How-
mtn: na rua do Brumns.6,8 e 10.
Cal virgem de Lisboa
Chegada ullimamcnte, vende-se na rua
da Cadeia Velha n. 48.
A illlAUE DE PARS.
Fabrica de chapeos de sol, na rua
do Collegio n. 4
Alm do sortimeotu j annunciido, reco-
beu-se pelo navio Havre, ultimo vindo de
i-raii, um novo sortimento de chapeos de
sol de seda e de panoinho, pira hornees e
seoboras, dos ltimos gostos; superiores
chapeos da sol de seda com cabos de cam(|e
outros dos melhores que tem vindo a esta
praca, que se contiouam a vonder por me-
nos preco que em outra qualquer parte,
l'azcnda da moda.
Vendem-se superiores cortes de cambraia
desalpicos brancos de cor, pelo diminuto
preco de 3,500 rs.: na rua do Crespo, loja
n. *.
l'echincha.
Vende-se por todo o prego uma porcSo de
vergas, maslareos, carangueija etc., que se
actum junto ao tnpicbe novo: a tratir na
rua da Cruz, armazem n. 13.
Vende-se um burro manco : na rua do
Queimado n. 14.
Vende-se um escravo mulato, proprio
para pagem, por ser de boa figura, e o p-
dem embarcar por ler os documentos le-
gaes : na rua do Queimido n. 8, urceiro
aodir.
o quintal em porcoes mais
pequeas: na rua do Trapiche nu-
mero 3.
Falitos a parisiense.
Vcndem-se pililos, ultima mo.l dn Pa-
rs, de bonitos pannos mesclados eprrto;
na rua da Cadeia do Recite, loja n. 50, por
menos fiefy) do que em outras parles.
A 5,000 rs o barril.
Vende-se cal virgem em pedra,
da muis nova que tem viudo o es-
te mercado, pelo brigue Novo Ven-
cedor, a preco de 5,ooo rs o bar-
ril : no armazem do Teixeira, no
Caes da Alfandega, ou no arma-
zem de Joaquitn Finheiro Jacome,
na travessa da Madre de Dos nu
mero 9.
-- Vendc-so muito boa cal nova de Lis-
boa, rece-mente chegada, na rua da Mo-
da 11. 15, por menos preco do que em outra
qualquer parle.
Em casa de J. Keller &
Companhia na rua da Cruz n.
55j ha para vender dous excel-
entes pianos fortes, c de urna das
melhores fabricas, chegados lti-
mamente da Europa.
Vende-se umi negra rreoula dn mato,
mofa, e propria para qualquer servifo : na
rua da Cadeia Velha n. 24, primeiro andar.
Vinho de Lisboa
Da melhor qualidido quo appnrece, ven-
de-so em bairis de cinco em pipa: narua
da Cadeia Velha n. 46, escriplorio de Augus-
to C. de Abreu.
Fumo em folha.
Vendem-se fardos com muilo bom fumo
em folha, por prego mais commodo do que
em outra qualquer parte; ni rua do Amo-
rlm, armazem n. 41.
De oiado a 1,180 rs.
Vendem-se bonets de oliado inglezes, de
muilo boa qualidade e moierno's, a 1,280,
superiores chapeos de castor preio, a 5,000
rs., ditos de castor hranco, a 6.000 rs., cha-
peos do seda inglezes, os mais leves e da
melhor qualidade que tem a iipareci >o ; na
praga da Independencia ns 24, 26, e 28.
Fitas e trancas.
Vendem-se litas pretas de diff^rentas lar-
guras o padres, pin guarnecer palitos, por
barita prego, e trangas pretis muilo boni-
tas : na praga da lndeeudencia ns. 21, 26
e 28.
Cal virgem de Lisboa.
Vende-se superior cal virgem,
chegada ltimamente de Lisboa, e
por prego muito em conta: no 01-
mazem do Caes da Alfandega n.
ou a tratar no escriptorio de
ovaes & Companln 1, na rua do
Trapiche n. 34-
Lotera da Matriz da Boa Vista.
Aos 10:000,000 e 5:ooo,ooo Hers.
Na loja de miudezas da praga da Indepen-
dencia n. 4, vendem-so bilheles inleiros e
meios, a beoedeio da Matriz da Roa Visla ,
que corre impreterivelmente no dia 26 de
oulubro.
Bilhetesinteiros 10,000
Meios bilhetes 5,000
Cal de l.i:lioa.
Vende-se superior cal de Lisboa : na rua
do Vigario n. 7,' armazem de Reg & Cum-
panhia.
Algodo para roupa de escravos.
Vende-se algo d9o muito encorpado, pro-
prio para roupa de escravos, com pequeo
toque de arara, a 140 rs. a jarda; dito
limpoa 180 rs.: narua do Crespo n.5.
innocuo da mi ren, rte Todos os
Simio 1111 iSahiu,
Vende-se,em casa deN. O.Uieber&C,
na rua daCruz n. 4,ilgodSotransado a-
qoellarabrica,muiloproprioparasaccosde
ssucar eroupa deoscravos.porpregocom-
'110 lo '
Achim-se 1 ven la na rua da Cadeia do Re-
cife n. 24, bilheles e moios bilheles, cujas
rodis devem andar impreterivel no dia 26
de oulubro.
aos 10 ooos'e 5:ooo.s iiKns.
0 cauteli.sta Salusliano de A-
quino Ferreira avisa ao respeita-
vel publico, que a lotera da ma-
triz da Boa Vista corre imprete-
rivelmente no dia ai de outubro
do corrente anno, e estao expostas
a venda os seus afortunados bilhe-
les e cautelas da mesma lotera ,
na praca da Independencia n. 4 <
leja de miudezas de Fortunato Fe-
reira da fonscca Bastos ; n. i3 e
15, loja de cujeado do Arantes;
n. 37 e 3g, loja de calcado de Por-
to & Companhia, e na rua da Ca-
deia do Becife n. 46, loja de miu-
dezas de Jos Fortunato dos Santos
Porto.
Bilhetes 10,600
31eios 5,3oo
Quartos a,fioo
Quintos 3,100
Decimos 1,100
Vigsimos 600
AOS 20:000,000 S 10^000,000 DEBS
O cauteiista Antonio Jos Ro-
jdriguesde Souza Jnior avisa ao
' respcitavel publico, que em sua lo-
1 ja de ferrogena na rua do Quei-
mado, junto ao becco da Congre-
'gsco n. 37 A, e na mesma rua lo-
ja n. 1 a, de JoJio Baptista Rodri-
gues de Souza, c. no aterro da Boa-
' Vista n. 48, loj de miudezas de
i Antonio da Silva Cuimaracs, es-
tao expostos a venda aos mais ba-
ratos precos que ha no mercado,
OS seus afortunados bilhetes, meios
bilhetes, quartos, oitavos e vigsi-
mos, da lotem do lode Jaueiro,
;a benelicio da fabrica de vidrosei-
a5ao de algodao, da qual a lista de-
jvechegar at o dia 3o do cor-
rente mez : o mesmo declara que
! todos os premios que sahirem em
seus ditos bilhetes e cautelas, sao
pagos immediatamente sem ganan-
tciaalgumi as mesmas lojas, ou
! em sua casa, na rua do Collegio n
I ai, segundo andar.
Bilhetes inteiros 31,000
Meios bilhetes 11,000
', Quartos 5,5oo
itaVOS 3,800
Vigsimos 1,3oo
Vendem-se assoguintes sementes:
j unl'os.i.1 iiano-,1 lia :<- encarnadosebran-
cos, sebola, couve trlnxuda alface ala-
linos, repulhuda, chicoria, senoulas, feijSo
carrapato dn ires qualidades, ervilhi torta e
1 dirpila, fava, coenlro do touceira, salga, lo-
' mates grandes, rcpolho, couve lombarda,
saboia, e moslarda : na rus da Cruz n. 46,
defronio do 8r, doulor Cosme.
I Deposito-de panno de algodo da
' fabrica de Todos os Santos da
Babia.
Vende-se o bem conhecido pan-
no de algodo da Baha, proprio
para saceos e roupa de escravos,
a voutade do comprador no es-
criptorio de Novaes ti Compa-
nhia, narua do Trapiche n. 34-
Vendem-se saccas com fa-
rdos : na rua da Madre de Dos ,
armazem n. 30.
Vondem-se lonas, brinzSo, bilns, e
meiis lonas da Russia ; no armazem de N.
. 1 1 r & Companhia, na rus da Cruz
n.4.
Potassa da Russia, e cal virgem.
No armazem da rua do Trapiche n. 17, de
Jos Ferreira Basto, ha para vender superior
potassa da Russia, chogida ha poucos ilias.e
cal virgem da mais iiovi que ha 110 morcado.
Farinhu de mandioca a 1,600 rs. a
sacca.
No armazem de J. J. Tasso Jnior : na rua
o dAraorim n. 35.
Vende-se uma escrava creoula, boa en-
gommadeira, cosinheira e costureira na
rua bella n. 16.
Vende-se um sobrado de um andar,
silo na rui do Livramenlo : a tratar no ater-
ro da Boa-Vista n. 10, sobrado ; lambem se
vende uma negra boa quitandeira
Vende-se uma bilanga quo servio em
armazem de assucar com os competentes
ptsos, e por prego rasoavel: na rua da Cruz,
rmazem n. 13.
- Vende se um rscr..vo de naci, encl-
lenle cosinheiro : na rua Velha n. 55.
SALSA PARRIXHA.
Vicente Jos de Brito, nico a-
genteem Pernnmbuco de B. J. D.
Sands, chimico americano, faz pu-
blico, que tem chegado a esta pra-
ca uma grande porSo de frascos
de salsa parrilha de Sands, que sao
verdaderamente falsificados e
preparados no Rio de Janeiro, pe-
lo que se devem acautelar 09 con-
sumidores de to precioo Talis-
mn, de cahr neste engino, lo-
mando as funestas consequencias
que sempre costumam trazer os
medicamentos falsificados, e ela-
borados pela mao daquellcs que
antepdem .-cus interesses aos ma-
lesda humanidade. Portanto, pe-
de psra que o publico se possa li-
vrar desta fraude e distingua a
verdadeira salsa parrilha de Sands
da falsificada, e recentemente a-
qui chegada ; o annunciante faz
ver, que a verdadeira se vende
nicamente em sua botica, na rua
da Con ririo do Becife n 61 ; e,
alm do recetuario que acompa-
nha cada frasco, tem embaizo da
primeira pagina seti nome impres-
so, se achara sua firma em mu-
nuscripto sobre o involtoro im-
presso do mesmo frasco.
Botica homeopathica.
W 38 rua das Cruies 98 5
0 II1 para so vender algumas caixas 4)
a> ricas com medicamenlus om tiuiora. >
m Cada uma sera acompanhala de um (|
^ frasco com glbulos inerles, e o *
0 meio de os preparar
AO PUBLICO. ,
Em mui-croscido numero contavavim os|
mdicos it agora molestias incuravois ,
contra a. qm era Ofrmfttido ao parien-
te resigntgo para solTrer um mal de que
ji nfo havla e e ao medico philantropico d6r de ver mul-
los de seus smelhantes victimas de enfer,
midades, contra as quaes sedeclarava im-
potente, podendo apenas limentar a fra-
queza da inlellisencia humana. Mas, gragis
aos progressns da medicina, grascas.ao zelo
de honiens incinsaveis, que, no desespe-
rando da perfeclibilidade da sciencla, se
teem dedicarlo i investigacSo de remedios
que possim alliviar humanidade de ilguns
males que a ifllgem, o numero das moles-
tias reputadas incuraveis vai de dia em dia
diminuindo. Assim, achar depois de lon-
gos trabalhos, dn profunda meditago e
reitera lis eiperiencias, medicamentos que
nosrostituam o uso dos dous mais impor-
tantes sentidos de que he dotado o homes,-
quando estos j se achavam no supposto ma
ladodo incurabilidade e nteiramente per-
didos, he por certo um dosmaior.^s servi-
Cos que se poda prestar a humanidade; eis
o que eslava reservado um homom philan-
tropo da ciJade de Urag, Ol Portugal,
cuja scioncia, cujo amor de seus semolhan-
tes se teem feito geralmente conhecer. Os
remedios que ora orTerecemos 10 publico,
no unir 1 in na classe d'aquelles quo o avi<)0
c ousa io chailatinismo inculca com rou-
cos e desrompassados hrados, e quo o cr-
dulo vulgo por ignorancia recebe na bi fe
e sem discernimento, achando-se depois il-
ludido; teip, porem, de oceupar mu dis-
tinclo lugar entre os me-licimentos quo
maiores beneficios preslam ao hometn :
constam elles da dissolugo aquosa deex-
trsetos de plantas medicinaes, de virtudes
mui rcconhecilas e verillcadas. O longo
uso, as continuadla e severas experiencia-
a que por toda a psrt teem elles sido sub-
meltidos, sem que uma s vez hajam fallas
do em seus bous elfeilos, e desmentido as
csperangis que sobre elles havia fundado
o seu inventor, Ihe teem gnngcado cons-
tantes e repelidos elogios dos mus sabios
e respeileveis mdicos, assim ni Europa,
como na America, que unsonos abonam e
proclaman! sua acciosem;>ro eorli o benig-
na, lim destes licores be destinado a com-
bater is molestiis de olhos, e tem por prin-
cipilvirtude restituir aos orgSos da visao
suas funcgOcs; reanimar e fazer reappare-
cerem sua natural perfeigo 1 vista, qum-
ou quasi ; exmela
9m&m+rm<++*b*- 'I" esta esliver frica
- Vende-se um alambique, Continuo de.comanlo, -porem, que nao hija ceguc.ra
.sne, proprio para destilar espirito de 0 "poluta Corp desorganisaclo das parles
:"'.L'1u,,i,.h..,.i.,.,.,, i.uln nao menos til o enrgico be para desfazer
graos,'ombomb. de cobre e repuxo, tudo 3o menos ut.l fWWjfieoJtW
novo na ru. do Rangol n. 54. fabrica de II-1 f^ "t./". ",ru,r as TSS^S^Si
cores de Victorino Francisco dos Santos, lo debell.r qualquer UUMIltbNW
que lambem vende a fabrica com poucos n
Nao causa dr, nem
UU<> tilia UV "II r \jt* m .m"-- -" ^ 1*- i
fundos, a dinheiroou boas firmas, eohriga-l'mu' ,na Part0 ,., ,,,,.,.
seaensin.r .0 comprador a fabricar lodos .utro liquido roslitue a faculdade de ou-
Z .i.....n -nrr, n.,riean "r os sons ao ouvido toca lo de surdez, ain-
' da que inveterada, uma vez que o mal nao
j seja de DlSCTOCa, sem causar em lempo al-
os liquidos com perfeigSo.
A o bom e barato.
Na rua da Cideia Velha n. 33,ha pira v- n- I u'm 0 menor uicommodo ao doente, o sem
der, pecas de muito bom llgoalo da trra, I prVa-lo de cuidar coi seus negocios.
INSTRUCCO'ES PARA 0 USO DOS
REMEDIOS.
O dos nlhot tmprtga-se do moda stguinte:
O doente pela mantilla, em jejum, um-
hora pouco mais ou mellos depois quo era
guer-se do leilo, lomar sobre a palma di
mo pequea porc'o d'aqunlla agua; ecom
ella mulhar bem os olhos, fazeudo que al-
gumas guitas caiam sobre o globo oceular :
sem ns limpar, os conservar molhados ale
que luturalm'ente enxuguem : ao deitar-se
noile praticar o mesmo : durante o lem-
evitar o Calor, 1
com 50 varis, pelo diminuto prego de dez
mil rs.
a 110 rs. o covadn ou 4,5oo rs.
a peca.
Na rua do Gueima lo, loja n. 3, vendem-
se chitas escures muito boas, e do lindos
malizes, prlo baratissimo preco de 120 rs. o
covado. 011 4 500 is. a pega ; bem como ou-
tras fazendas baratas.
rUTASSA.
Na ru* de Apollo armazem n.
L1U I 111 l I I l I n I I 1 (I I I II 1> '. II I I* .rw..-r.----
B. i i 1. i 1 i'O aue u^*ar do rume lio
, de Leal Keis vende-se por icsq0 de rum.5. o o ven
preco rasoavel, muito nova c su-
perior potassa, recelada recente-
mente do tio de Janeiro.
- Narua das Cruzes n. 22, vendem-se
uma escrava, creoula, de 30 annos de idade,
que engomma, cosinha, o lava de sabSo,
nlo ; far abstinen-
cia" de comidas' salgadas, azedas, e adoba-
das com especiaras.
O n me dio ios ouvidos ser appllcido do modo
que se segu :
O doente pela mantilla, uma bora pouco
mais ou monos, depois de erguer-se, anda
em jejum, f ir derramar dentro dos ouvi-
dos quatro ou cinco gotas do liguido, ti-
cornumfilhomolejuede4aniios, umadita |ou5Mut,u UH -- -o-----.
com as mesmas habilidades, uma creoula de pando-os oepois com algodao om lama
16 annos com principio de engommado e none ao di.lar-so repetir a mesma opera-
costura, n he rccolhida, uma liula mtilali- So. Durante o uso do remedio evitara
nha de 12 annos, e uma prela para lodo ser-
vigo de campo.
Vestidos a a,000 rs.
Vendem-se cortes de vnsti lo de riscado
francez, de bonitos padres e cores lisas,
pelo baralissimo prego do 2,000 r.. cada
corte: na loja do sobrado amarello, na rua
do Queimado n. 29.
Lotera do tito de Janeiro.
aos 20:000,000 de rs.
Ma Casa Feliz,
dos Quatro Canto', da rua do Queimado n.
20, veudem-se os muito felizes bilhetes ,
meios, quartos, oiiavos c vigsimos da quin-
ta lotera da fatinca de Vidros, equarla de,
liar ilgod.lo, cujas lillas su cspe'a al odia
30, pelo vapor flonso; a elles que eslSo no
resto.
Vendem-se dous lcngos de mire, mui
lindos, por prego commodo: na praga da
Independencia, loja n. 34.
Ven le-sw unta porgan de cera de car-
nauba, e 3 4 mil couros miudos, ludo de
expor-se, os ouvidos principalmente, ac-
g3o do calor e do venlo, alim de evitar
grande transpiragilo, havendn cuidado cm
nao molliar os pus om agua fra; finalmen-
te devn ahsler-se de comidas salgadas, aze-
das e adubadas.
Estes remedios estao venda na botica do
Bartholornru Francisco do Souza, na rua
larga do Ruzario n. 36, nico deposito em
Pvrnambuco, pelo prego de 2,240 ris cada
vdro.
Batatas novas
Francezas, em gigos de 4o li -
bras, chegadas no brigue Cesar ,
por precos muito commoJos : no
armazem da travessa da Madre
Dos n. ai.
illilhu novo em saccas.
Na loja do Passaio Publico 11 15, ven lem
se saccas com milho novo, por prgo com-
modo.
A a.ooo rs. o corte.
boa qualidade, e por barato prego : a Ira- .
larnaruadoQueimado n. 27, armnem de lola da esquina, quo volla para a rua
fazen:as de Couveia & Leile. 0..a ,!<'. Ii, f 'casimiras a 2,000 rs., < bonitos corles de
Hila (la Lmilcia n. ->2. camhraias francraas de coros, a 3,200 rs. o
Em Casa de Deane oule Companhia 'corto,
vende-se o seguate : -- cadeiras america- se|,0 refinado,
as, assento de junco imitando Jacaranda ; Nl ril, nireita 11. 59, vende-so sobo refina-
ditas ditas de pao verdes o amirellas ; ditas !,, a ret,|ho> a 6,000 rs. a arroba, e em por-
dilas sen: bracos para meninos; .litis ditas ,gol 5^00 rs. a arroba,
de |unco pira meninos. .. Vendem-se duis negrinhis muito bo-
Obrasdeouroe brlhantes, [ nitis.de II annos, dous molaques, um de 12
as maishonitis que so p le ver do ultimo annos e outro de 8, um molec3o d* 20 an-
gosto de Paris : no hotel 1'rancisco, na rua 'nos, um Hilo ptimo para armazem de assu-
do Trapiche n.9 car, um dilo bom carreiro, duas pretas e
-- Conlinua-sfl a vender manteiga inglo- mais alguns escravos por preco commodo;
za, nova, a 560 rs. a Mbra; no paleo do' lol|os ru, d,s Lanngeiras n. 1, segun-
dn andar.
- Ven lein-so 2 molccntes, de dado de 13
a 16 annos ; 2 escravas inoc's de honilis fi-
guras, quo engommam, cosinliam e co-.
im 5 escravos do seivigo decampo; I '
Carmo, vend nova n. 2.
Ilom negocio.
Vende-se uma canoa de milheiro do lijo-
jo, em bom eslado, pela mettde do seu va-
lor : na rua das Trincheiras n. 29.
Sedas.
Ven lem-se muito superiores sedas, de co-
res e preas, para vestidos de senhora e me-
ninas, manteletes, ou capolinhus, por pre-
go muito commodo, alim de se apurar di-
nheiro: no aleiro di Boa Vista, loja do c I-
cido n. 14.
Calcados a 4oo, 700, 800, 1,600,
3,ooo e 4,000 rs o par, no ater-
ro da Hoa Vista, defronte da lio-
nera n. i4'
Trocam-se o mais superiores sapatos do
couro de lustro, fru cezes e de Lisboa, pra
senhora, a 1,600 rs.; ditos de cordado, a
800 rs.; ditos para meninos, 400 rs.; sa
pstnes, os melhores que leom vindu do Ara-
cily, Unto pan hometn, con o pin meni-
no, a 700 rs., e botina pai 1 liomem, a 4.000
rs ; sipatesde bizerro 11 mee/, a l,S00N.|
dil' s do couro de lustro, a 4,800 rs.; broze-
guins de duraque, com punta de lustro, a
3,000 rs.; ditos do cores pira snntiura, a
2,000 ra. ; ditos prclos, a 3,500 rs., e outros
iiiuilos r.ligados, tudo por prego milito com-
modo, alim de se apurar dinlieiro.
Vendem-se 6 escravos, proprios para
engenbo,ou sitio, sendo um delles purga-
dor e casado : na rua larga du Ruzario n.
30, primeiro andar.
I
SALSA PARRILHA
DE
As numerosis experienciasfeitas como
uso da si Isa parrilha om todas as enformi
dades,originadas pela impureza dosangne,
e o bom xito obtido na corte pelo IIIm.
Sr. Dr. Sigaud, presidente da academia im-
perial de medicina, pelo lllustrado Sr. Dr.
Antonio Jos Peixoto em sua clnica, eem
sua afamada casadesiude na Gamboa, pe-
lo lllm. Sr. Dr. Saturnino de Oliveira, me-
dico do exercito e por varios outros mdi-
cos, por mi 1 tem hoje de proclamar al tamento
as virtudes clllcazes da
SALSA PARRILHA
DE
Nota. Cada garrafa contem duas libras
de liquido, e a salsa parrilha do Brislol he
garantida, puramente vegetal sem merca-
rio, iodo, potassium.
Em consequencia de se ler fechado 1 bo-
tica do Sr. Jos Marii, mudou-se o depo-
sito da silsi parrilha de Bristol para a bo-
tica ingleza rua da Madre Dos n. 1, vende-
se a 5/000 rs. o vidro.
< Hel de furo 9
9 Vendem-so 36 barris com mel d.i fl*
4 boa qualidade : na rua da Cruz n. 31. ti
9*)990C99$9 V&V90
Obras de ouro.
As mais (indas que teem vin lo a
esta praca, e ds todas as qualida-
des: vendem-se em casa de Brunn
Praeger & Companhia, na rua da
Cruzn. 10.
Vendc-se vinho de champa-
nhe legitimo e de superior quali-
dade : em casa de J. Kcller &
Companb'* na rua da Cruz n.
55.
Escravos fgidos.____
- Desapparecau no dia 2 do passado as 6
horas da tarde um preto perlencente a Vi-
cente Ferreira da Cosa, morador na rua do
Hospicio com armazem o escri. toriu na rua
da Madre de Doos no Rncife, edr prela, bai-
xo, grosso, com falta de um denle ni fren-
te, alguma censa cambado das peroas, ps
chatos e bicudos, pirece ser creoulo, e re-
presonti ter 21 annos de Hade, tem alguns
signaes as rosts de nagilo, falla bem e des
cangado ; levou caiga e camisa de riscado
azul o chipen de palha ; este pretofoi com-
prado na Parahyba 1 roga-sn a todas as auto- ,
ridades policiaos, capit.tos de campo, ou
qualquer outra pessoa, a ciptura deste pre-
to, pelo que ser gratificado.
- Ha um mez, pouco mais 011 menos, de-
sappareceu um nrelo por nomeManoel,cre-
oulo, o ollicial de alfaiite, bastante conha-
cidonosti praga,por j haver trabalhadoem
militas lojas, o qual pertonce ao abaiX'i as-
signado, o lem os signaos seguintis :bal-
n, quebrado das virilhas, um pouco gi'ossj
do corpo, cor p ela, olhos grandes, tem tres
Oieitritei no hrago e m;l 1 diroita de uma
operagSo que lia vi a sofTrido ha pouco no
hospital ; b de presumir quo ando por esta
cidale, visto ser dola natural, e ler alguna
prenles : roga-.so as autoridades policiaes a
a toda e qualquer pessoa, a captura do mes-
mo, e o favor de o mandar entregar neSla
cidade em casa do senhor subdelegado da
lloa-Vista Rufino Jos Correia de Almeido ;
e na cidade do Itio-Formoso a Francisca
Christina l.ins, quesei generosamente re-
compensado : o mesmo abiixo assignado
protesta rom todo o rigor da lei, contra a-
quella pesso, quem quor que seja.que o li-
vor occullado Francisco Caldas l.ins.
Desappareceu no da 15 do passado, as
7 horas da noile, do Hotel Recife, o pardo
Exequitl quo foi do senhor l.uiz Uodrigues
Selle, e como pelas circunstancias que pre-
cederam a cssa fuga presuma-se que ello
procure a todo cusi eradir-so, roga-se as
autoridades policiaes que o recommendem a
seus inspectores pessoas de confianga.ifim
de ser descoberlo e capturado : o pardo he
baixo, de idade 25 anuos, meio corpo, sem-
blante carrcgido, tendo uma pequea cica-
triz na fice, anda calcado e fuma : levou
chapeo de seda preto, e inda com uma ben-
gala lina ou junco, einculca-se por forro;
anda (requmenteme 110 uairro da Boa-Vis-
ta aonde sempro he encontndo: quem o
pegar leve-o a rua do Trapiche n. 5, que ser
recompensado.
100,000 rs de gratifiC8cao.
Desapparrceram de bordo do patacho na-
cional Paquete Vonturi, fundiado junto a
potito do Recife, dous escravos, pretos, por
nomes Benlo e Samuel; o primeiro em 16,
ne natural do Ceara, e tem os signaes se-
guintes:alto e bonita figura, fulo, pouca
barba, o cusluma trazer rapada, fallim-ihe
os denles da frento, e tem ama cicatriz no
rosto, representi ler 21 annos de idade; o
segundo em 21 limbem do corrente, pirece
ter 20 anuos, falla intelligivol e descaoga-
di, sem batba, rosto redondo, beigos groa-
sos, ii aja va caiga branca, camisa azul e ci-
rapuga de panno : quem os pegar, queira
couduzi-los a rua da Cadeia do Recife n. 13,
armazem de llallhar& Oliveira, que recebe-
r a gratificagao cima.
-- Desappareceu de bordo do brigue na-
cional Paufeiro, fundiado junto a ponte do
Hecife, um pelo por nome Joaquim, do na-
c." llenguella, de idade 38 annos, altura 58
polegadas, rosto rodondo, pouca barba,falla
iotelhgivel, corpo delgado, e unios alcatroa-
das : levou caiga de ganga amarella, camisa
de riscado e bonet de panno quem o pegar
queira leva-loa bordo do dilo navio, ou a
rua da Cadeia do lenle, armazem n. 12, de
Ballliar Oliveira, que ser bem gratifi-
cado.
- Desappareceu a 10 de maio deste auno.
parda moga de Iodo sorvigo; I pardo de bo-
nita figura, e I escrava quitandeira : na rua
Direita n. 3.
-- Vende-so um sobrado do um andir, na
rua da Slangueira da Boa Visla n. 6 : a tra-
tar no mesmo.
Vende-se uma porgo de tainas vidra-
das, dol'o to, ptimas pata qualquer liqui-
do, e para deposito de doco de calda : ua
rua da Cadeia do liento n. 50.
Vende-se um casa nova e muito bem
construida, na rua Imperial ; a Iralar na
mesma rua n. 171.
Vendem-so os porlcnces de umi fabri-
ca de charutos, situada no lim da rua das
Trincheiras ao p do largo do Carmo, con
os seguinlea ailigos:16 arrobas de fumo
surtido, 200 e lanas caixinlias para charu-
tos, urna prensa completa de tudo, novo,
um lileiro, balc.lo, vidracas de caixilhos pa
ra sima do halco, louiboretes, o una por-
g5o deciixOcs 1 ertencenles a fatirien, e ou-
tros oblectos, o que ludo se da muitu bara-
to ; e limbeni se aluga a casa onde esio es-
tes obJeOlOf, com commodos sullicientcs,
grande quintal, cacimba, parreiral dn uvas,
e se di a quem licar com os .pcrlencrs da
fabrica pur 8,000 rs. mensaes : quem pre-
tender este negucio, dinja-se io largo da
Trempe, sobrado n. 1, que tem venda por
baixo, que achara com quem trata
a negra Joaquina,de naglo Cagange, que re-
presenta ler de 35 a 40 annos, cheii do cor-
po, n 11 um regular,cor lula, olhos pequeos,
e com carne sobre elles; tem uma costura
de um talho na cara do lado esquerdo, po-
mo antiga que mal se percebe ; nariz chato,
fulta-lhe alguns denles da Trente sendo de
um o outro lado, e he feia ; tem uma empin-
ge em todo o rosto que parece ser oexigas ;
peitos muitu pequeos e murchus ; tem al-
gumas cicatrices de relho as costas ; lem
as nadegas levantadas para traz quo mus
musir quan lo anda;qumdo fugio t i nha um
p mais grosso ; levou diversa roupa quo se
n.oi sabe de que usar; he bem falanto que
parece ser creoula; ltimamente esleveoc-
cupada no sorvigo de cosinha,e tem por cos-
i um andar suja ; quando foge costuma an-
dar pelos irrebaldes desla praca quitandin-
d >, lavando, oll'erecendo-se para ama, e in-
titulando-sc forra ; qualquer pessoa que es-
teja servindu-se com olla na boi f.queira
deuunciar-se, e do coniraiio se usara dos
moios que Ine farulta a lei : roga-se as au-
toridades policiaes, i'jpil.'ies do o. nipo, ou
qualquer pessoa, que a prendam ou fg un
pi en 11 r, e lovar ao seu senhor Domingos da
Silva Campos, na rua das Cruzes 11. 40, que
ser generosamente recompensado.
t
{
Pkn : Tve. DE M F. 01 Paria. 1852.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENEK3878J_ZBI8OP INGEST_TIME 2013-03-29T14:56:58Z PACKAGE AA00011611_03351
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES