Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03344


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DE 1837.' TERA FEIRA
i i
Hi' ili
M
19 K DfeZEMBRO
. n. ~ih
MAM
*EaN. TYP. o M. P. or PARIA. 1837.
U1A8 DA SEMANA.
18 Vrnnila N. Scnhora Ho O'. A lidien, do jnil do
Cr. de de t. es. da T. Publica.
19 Terca Santa Fanta. lleacao de manhaa
e aud. do J< dos O. de t.
20 (anana (Tmporas jejum) .. Domingos de Jilos,
sesslo da Thesodraria Publica.
.91 Umnu f *. Th m p.
32 S-xia (temp. jejum) s. Honorio m* sessao da Th.
Pub-etc-
23 Salia.io (terap. jejum) s. sertulo. Relac. de m. e
aud. do Vip. G de t*rde ra tilinda.
24 Domingo 4* do advento S. Gregorio.
Mare'cheia para o dra 19 de Desmbro
as lo boras e 54 m. da m. 11 h. 18 m. datarde
Tudo agora depende de nos memos da nossa
prudencia, moderacao, e energa continuemos
como principiamos, e seremos apontados conwaiiu-
racao entre as N acoes mais cu tas.
Proclamado d'Assemblea Geral do Braail.
-abscreve-se a 1,000 reis mencaes pagos adiantados
nesta Tipografi. ra das Cruses d. 3, e na Praca
da independencia Ij. 3T e 38. onde se recebein cor-
respondencias legal'sadws, e annuncios insenndo.se
estes gratis sendo dos proprios alsignantes, e rindo
assignados.
CAMBIOS.
Desmbro 18.
LiOndre 30 Ds. St. poi l.OOOccd.
I.islma fi5 por o|0 premio, por metal, Non-
Franca 315 a 3i0 II por franco
Ulo de Jan. 6 p. c- de desc
Vloedas de 6.400 I3,8(H) as velliiu, novas 13,400
4.000 7.4H) a7.600
Peaoa Colimares 1.57"
ditto Mexicanos 1,555 1,570 %
Patacoes Brasileiros 1,56o
Premio ,i. lettras, por mes I I [i por 0|0
Cobra a par das sedulas
PARTIDA DOS CORRRIOI. .
Ulmda_Todi>a os dlasao oi'eio dia.
Guau, Alliandra, Paraiba, Villa do Conda, Ma-
naiguape, Pilar, lies! de S. Joao, Brejo d'Area
llainlia, Pomlial. No de Spuia, Cidade do Natal,
v il'as de Goiamiiiiba, e Nora da Princesa, Cidad"
la Frtalesa, Vi'laa do Aqurs, Monte mor novo
\racatv Caocavel, Caniid, Granja. Imperan**
J. Bernardo, S. Joao do Principe, "obral, Novada
Klliev, Ico, S. Matbeun. Heacfio doianrne, S
t atelo do Jardim, Queierainolm. a ParnaMb*
- Segundas e Seitaa feira an ineio .dia jior via da
Paraiba. Santo AiitSo- Toda aa quintas felfas ao
neio dia. Garanbuna, e Bonito nos dia 10 e 14
le rada mea aomeio dia. Flores-no dia 17 da
:ada mea ao meio dia- Cabo.Serinl.aem. Rio For-
inoao, e Porto Calvo- nos dias I, II, e l de cada
mes- _______ ,
PARTE 0FFIC1AL.
RIO DE JANEIRO.
CMARA. DOS SENADORES.
Sesso do da a de Outubro de iSij.
Presidencia do Sr. MaTquet de Biepeody.
As des boras abre-se a sessio :
la-so e approva se a Acta da anteceden-
te
Sor 1. SearuUrio di conta do ex-
pedieole.
rdero do dia.
Approva se em primeira diacusifo, pa-
ra paisar a segunda o projacto de l 56, dando providencias sobro melhoia-
mauto do meio circulante ; el emenda
aubslitnitiva, apprvada pela cmara doa
Seuliores deputados a proposta do gover-
do pe lindo aulhoiisacao para coa Ira*
fair hum era presumo at a,400 contosde
rais,
He apprvada e adoptada para sabir a
smelo, a rtsolucio que aUtoriea o go-
?ei uo a indemnisar, procedaado liquida-
fio judicial, ou convenci arbitral, a
quanlia proreniaole de pardas o damnos
ooi aaionidos a Guilberme Young e filbo
pela falta de cumplimento do contra lo
le to com os mesmos e em que por
senleoca foi a faseuda nacional cuudem-
nads.
Fica adiada por motivo de ebegar o
Snr. Ministro da faseada, a tvsoIuco
qne manda cobrar na cidade do Rio Gran*
'de do Sol e villa de S. Jos do Norte ,
para o hospital da caridade hura coa
tiibuicio igual a que se cobra na coi te
para a misericordia t e juntamente a ae-
'guinte emenda.
Artiga i. addtlivo. Etta mesma dia-
posicfu be t xi ans va ao hospital da c^i ida-
de da cidade de Porto Alegre. -- Visoou-
de S. Leopoldo.
Continua a discufsio das emendas ap-
iro vadas oa cmara dosenliores deputa -
'dos, a proposta o goverrio sobre o or-
ea ment.
Depois da retirar-se o Seabor Miniatro,
broeede-se a votetjio.
O arligo i5 he approvado.
Ose forme emendas do Ssohor Alvos Braa-
co.
Oaarligosi8, i9, e aO approvdos.
O artigo ai supiimido por emenda do
Jar. Mello e Souza.
Approva-se o seguinte artigo additi-
vo para sa collocar onde melhor convi-
ar.
* O ministro di fasenda podera' emi-
tir desde ja bithetes do ibesoaro para oo-
correr. de-p sa, quando a rereila for de-
ficiente, eom tanto qne o i valor da emis
sao n|<> exceda em cada mez melad.-
da despesa orea'a ; que o pr so do venci-
mento jeja de i a< tres me^ei; e que nio
ruja, reforma. Estes bilheles serao or-
lados de hora livro, aond-s fiearl os
respectivos talges numerados todos se-
guidamente, assignados pelo Ihesoureiio
geral, e rubricados pe'o inspector do tbe-
Souro. M. de Baibacena.
Ficio adiados pala hora os seguintes ar
tigos.
Addilivo para se collocar aonde con-
vier. O Goveroo fica auiorifalo a p-*'
*o cofi'e do depoit publico para a cai-
x< da amortisacio al a somma da mais
dujseotn con tos daris, que serio al em-
Dragados ais termos d > art;go tei-Ceiro ria
le io de juaho de i833, a. fia -- Bran-
co.
Additivo para se collocar onda coo-
vi.r. Artigo. casa da moed somen
la persebera' desde ja i por caoto pelo
feilio da moeda de ouro, a 5 por caoto da
da prata, qualqoer que seja o estado em
que estas metaes ntreos para a mesma
rpsa; salvo, porem o caso dse ach-
rom tiles combinados com outros, que
ni devio entrar na componicio da moe-
da, HO r^ual caso percebera' 4 PnT cento
pelo ouro, eoito por cento pela prata.
-- Bronco.
O Strihor Presidente d para ordam do
dia seguinte as materias ja dadas; e para
o dia 4 do crranle a dscussio das rs-s,
que t ve o Regente para iu pender a san-
cefo a resolucao qaa manda entiesar ao-
era pregados da junta do Coromercio os
e'iiolamenioi de arqueado de embarca-
fes, e da matricula de equipages*.
Levanta sa a aessafi as daas boras e
e tresquartoa da tarde.
cmara dos deptados:

Contiuacio da Ses-o de 3o de Satem-
bio.
Presidencia do Snr. Arsojo Vitnna.

Ordam do dia.
O Sr. Ferreira Franca em longo dia
corso, motiva aseguiats emenda, qua
manda me,a :
i Artigo. A forca necessaria para o ser-
vico publico, de que trata a prestnte pro-
pona a sei a formada doa cidadlos braii-
leiros deidade it at aa anuos, sortea-
dos, sendo da mais; a na5. bastando, dos
da a2 at4 a5 anoos : e do masmo modo
por diante.
Arligo. i destacamento! di guarda,
nacional o t-'io log*r a< a formaqa de-
terminada ao arligo antecedente, apela
forma quo as leis actuaos dispoem. Far
reir Franca.
ju'gida a materia discutida, aio eppro-
vadis aa emnendas.
la por 36 contra 5 votos, para que
todo* osofl'iaes os eorpos destacados
da guarda naciooajftejio oomeads pelo
overeo.
2. por 33 conta 32, pra que o govar-
ao noraeie a todos os oliciaas da
ituarda aa< ional do municipio da corte,
aio la mesmo fora do servi? doi eorpos
destacados.
3. por 35. para qua 09 ofnciaas inferi-
les sejio Horneados palos COiumandaO-
tes do- coi pos, etc. t ,
Sendo pioposta a volaco a emenda do
Snr, Lia po continua a aubttituir a
di.vposicio do arligo I26 da ItidiS
de agosto le }8ji, ele., al as palasras
quando fio designados para o dest , ha empate de 3a contra igual numero
da votos.
Com a outra parta da emenda esta' de
pendend da decislo da primeira parte, o
Sor. presidente declsra ti car adiada.
As mais emendas 'o i.g. i'adas.
O Snr. Caineiro Lsio pede urgencia
paia entrar mm> diitainen'e em discus-
so a emenda adiada, cuja primeira p te raosda ser de-necestaria, pois qua l> m
ii'T fin* confirmar huma disposifio da le
da guarda nacional autoisando as subsli
I*j 1 c,5 s que nio tica revogtda pala re-
aolutio em discossaS.
O Snr. Limpo nio dunda votar contra
a u geni a Mostra que nio he desneces*
sari a sua emenda pois que se nio pas-
sar podei entender se que fica revo-
garla a di-poaicio da lti s respeito das
sub liiuices.
O Sor. Carneiro Lsio sustenta asuao-
piniio.
Sendo spprovada a urgencia he em
seguida regeitida a emenda sem discos
sio.
Julga-se concluida a discassio o do-
lase a propostt com as e'cendas,
Segne a diseussio da proposta sobre
a suspeussio de garantas no Para
8 Rio
Grande do Sul a coucessaS de amoitia
geral 0U parci-I.
O Snr. Reboucas prope que era lu-
gar de darr. la diga-se esoire.
Hespoiada a emenda.
Pronunciase contra ella as Sor*. Al
ves Iviacbado a Frreira Franca. Sustn-
telo a emenda o seu autor, e o Snr. Vis-
conde de Goiauna. ,
He approvada ; e entra em diseussio a
piopo-ta.
O Snr. Rebonaas ofiereca a segu[nte -
meo Ja qua anteado ser miis conforme
a constiiuicio do que a lei que pssssou no
aonotiansatto :
a Ficio di-i eosadss por seis meses, nis
provinrias do Rio Grande do Sul, e do
Pa-a*, as formalidades quegaraniem a li-
b 1 el da individual vm termoB das leis
exigentes p^ia que : ..
a I. Pi)ss8er piesos, stm se dar
c<>nd via culpa foiroada o individuos indica
dos tmerime de te istencia ou da cootpi-
racio srdkio rebebi e homicidio ;
ba>tndo lio sement que a or^era de
prisio declare o o o rae do individuo in-
dicado e s.jaassignada pelo presidente
da provincia ou qoalquer auctoridade
ciiminal.
kII. Aformacio da culpa seja por qual-
quer autoridade judicial : botando para;
a pronuncia (-jue determine ou oufirme
s dte icao do- individuos indicados e pre-
sos) lio somente hum suto ou termo de
denuncia ou quaix*, e do testemunho af-
(irmrtiva de sua ve:acidade, assign^d
pelo denunciante ou quexo-O, e uais de
hum testernunha.
III. Se possio dar buscas as casa., e
fa-tr appie,tientao em qme quer out os
lugares su

ca os do ai ligo 189 paragiafos i 2, 4, a
5 do t 'ig< do proceso crimiri.ll, Sera ser
necesaria utra a'g'ma form*.lidade mais
do que a indicacio da casa ou lugr em
huma ordem, assignada pelo presidente
da provincia, ou por qualqner autorida-
de judicial: seudo, tan.beta, ha-Unto
que a extendi da ordem coaste de hairm
Bota, queaor delN, se faia', assigna-
da p.loexecutor e mais de huma teste-
munha. \. ,
IV. Possa o presidenta da provincia
(mediante so ( pronuocia que se exige
00 pargrafo a) raaodar por ordem u.i ,
sabir para fora do territorio da mesma
proviacia, ou nella ttetei mmar o lugar ,
em que devio licar circ umtc 1 iptos q laes-
quer individuos es-ion indicados.
Ogoverno ero suas instrbecesdar
orarlhor decenvolvimento, que for coa-
sentaneo a salut. te resolucio. Rebouss.
He apoiada, asiim como seguinte do
Snr. Resenda.
A lei de 11 de outubro de 1836 con-
tinuara' em vigor as provincias do Pa-
ra' a Rio Grande, em quanto aellas durar
o esiado que motivou a dita lei.
O Snr. Miuislro em apoio da proposta
exclaitss.' a cmara o estado das duis pro-
vincia,
P'arr, e RioGraade.
E fica a rastsria sdiadi.
O Senhor piesideate da' para ordem ,1
dia o reito da da boje, a pareceres ada
dos.


smji '-"^ *-' -, riv -- *yj"iniiTinam

Levantase a sesso as duas horas e
acia da tarde.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expedientado di i5 de Desamoro.
Oficio Ao Commandante daa Ar
nas, communicandt-Uie que fui expe-
did a precita ordemao Director du Arse*
nal da Guerra para receber os utensia ,
que por aquella Repartica fora foi ueci-
dusao Destacamento de G. N. que tem de
ser nest data de*aquartellado.
Dito Ao mema utelligenciando-
o deque foi enviad o Inspector da Toe
zouraria, a rtqas c do medicamentos,
e utenc los da ambulancia qua dee a-
companbar o BatalhaS 7. de Cagadoies, a
fim de a mandar satisfaxer como pedio
imnu offciodesta data.
Dito Aouoesmo, re-pondendo-Ihe
que fora expedidas as convenientes or-
dena para su ihe presentaren! os Ollicius
Cadetes deque i"lio>ei oficio desta
data, e qua se achiva emprtgadot em
differentes CoramissSes.
Dito Ao Inspector da Tbesouraria ,
cnviando-lhe a relacaS doi medicamentos,
e otenciloa precisos pra o Hospital Reg-
mental ambulante do Batalhao 7. da Ca-
tadores que tem de marchar para o Rio
Grande do Sul, a fim de que os faca
prontificar cora a maior brtvidade.
Dito Ao Commandaote Superior
das G.. N. da Olinda e Iguarasm para
ordenar que o Major Trsjano Ceztr Bur-
lamack Iasti actor Gaml das referidas
G. o Tenenle^Francisco Antonio da Sil-
Tcira e o Cadete Francisco de A-sis Meo-
des Guimaiit'S Instructores parciaea, este
d > 3. B.itilhu e aqaelle d<> 1. seapre-
sentem immediatamente ao Cotnmaodaote
d.is Arma visto bave-los a Presidencia
despernado dess.s Commiss5a9.
Dito Ao Commandaote Superior das
G.N. do Recife communicando Ihe que
tendo sido dispensado do exercicio de Ins-
tructor parcial do 4. Bataihao deste Muni-
cipio o Cadete Francisco Alejandrino da
Mello Ihe ordenai quo se apiesente im-
mediatamente ao Commandaote das Ar-
mas.
Dito Ao Tenente Coronel Comman-
daote do B..t..lj -5 da G. N. de Cimbrea
para orden>r ao Allrres Telesforo M*t-
qars d Silva Instructor do mesmo Bata-
lhaS que marche mme listamente para
esta Cidade e se aprsente ao Comman-
daote das Armas visto ter sido dispensa-
do da Commi'so em que se achava.
Dito Ao Inspector Geral dis Obras
Publicas, para ordenar ao Alf res Anto-
nio Eduardo da Cota que te apresante
ao Commandaote das Armas visto ter a
Presidencia dispeusado-o di Commissio
em que se achava as mesmas Obi as.
Dito Ao Inspector do Arsenal d
Muiub.*, aspondendo-lhe, que poda
nomear o Piloto que se torna ne eisario
ao Patacho Conceic,a3 para ajudar o r>a-
I pectivo Commandante a lser a escritura-
cao de Escriva alem do seo Em prego ,
como representou em < Si io desta data.
Dito Ao CommandaHle Geral Inte
no do Coipo da Polica commonicsn-
-Iba que hayaodoa Presidencia dismn-
ida doexercicio do 1. C .mmandante
di 1 Companhia do Corpa de sen com-
isando ao Alteres Fraoci-co Manoel Ac( i-
ole, Ihe ord<.n -r que se aprsente ao
Commandaute das Armas.
Dito Ao mesmo dispensando-o d
maudar para a Secretaria do Commando
das Armas o a. Sargento Manoel Aro-
bro>io da Comeico Padlha, ou o Fur-
riel Jote Ignacio da S Iva romo Ihe foi
determinado em Portara de 4 do corren-
te mea, atientas as rtses presentadas em
san ofliuio d'aijuille da.
Dito Ao Administrador do Correio,"
respondendo Ihe, que pode Continuara
remellar a malla das correspondencias pa-
ra a Cidade da Baha era quanto o con-
trario Ihe ru for determinado visto ru
constar a Preaidentia oficialmente q e a-
quelle Portoesteja bloqueado.
' Era iespo-ta ao seo offi io de i5 de
JNorembro pinado, sobre cojo coateudo
foi ouvi o o Inspector Geral das Obras
Publicas snu a diter-lhe : quanto ao i."
objecto que V-n. dever mandar lser, o
concert d qua precisa o arco cruzeiro
de-sa Matriz no caso do Arremvtantu da
Obra nao qoprar faze-lo por a^joo rs. ,
quantia bollicente para o referido concer-
t : quanto a elimioacaS da despeza do
Nicho do Altar mor que n*5 tam lugar
visto ea.11 feixado o tracto coro o Arrem-
tame B-lvo se elle quiser voluntaria-
mente receber por coota do que sa Ihe
deve pagar de ua empreada o Nicho
offeret-ido por Vm. com o preco que Ihe
custoa ou com aqaelle era que for ava-
llado: quaato finalmente aos maleriaes de
Pedreiro, madsiras- velhas que se tira -
rarem da obra a-sim como aos que so-,
biarem da mesnia obra ; que serio conce-
didos a Vm. pac- auxilio do concert de
que precisa a Sacrista e Coro da Matriz.
Dos Goarde a Vm. Palacio do Goverao
de Pernambuco 15 d-- Novembro de 1837.
Fianeisco do Reg Bairo-. Sr. Vigaiio
da Freguezia de Tijucupapo Antonio Ja-
liao Rngerio.
Portara Ao Alfares Antonio Edu-
ardo da Costa dispensando o da Commis-
sa8 em que se acha na. R-marlica das O-
bras Publicas e ordenando Ibe que se a-
presente ao Commandante das Armas.
Dita Ao Alteres Francisco Manoel
Acciole despen-ando o doexercicio de 1.
Commandante da primeira Companhia do
Corpo de Polica e ordentndo-lhe que se
apre ente ao Command Dita Ao Major Trajano Cesar Bur-
lmark, dispeo.'ando-o do exerricio de
IcStioctor Geral da G. N. de Olinda, e
ordenando-Ihe que se aprsente ao Com-
mandaote das Armas.
Dita AoTenente Francisco Antonio
da Silveira di-p-nsando-o da In-trnccaS
parcial do 1. Batalha5 de Oliuda e or-
denando Ihe que se aprsente ao Com-
mandante das Armas.
- Ignaes Portaras fora expedidas r.o
Alferes Talasf.ro Marques da S Iva In-
trodor parcial do BatalhaS de G. N. de
Cimbre-., e aos Cadetes Francisco Ale-
xandrno de Mello e Francisco d'As-is
Meude- Guimaiies Instroctoies parciaes,
este do 3. B taih5 da Olinda, e aqatlle
do 4. BatalhaS do Recife.
Offioio Ao Inspert'T da Tbesoura-
ria nUlligenciando-o das dispensas de
que t> ato as precedentes P01 tariaa,
Port. Ao Director do A'senal de
GaerA para receber do Gommandanta
do Destacamento das G. N. que se achava
aquartellado, 09 utencsq' ptlo mesmo Ar-
senal Ihe f no fornecidob.
Dita Nomeando o 1. Tenote Joa-
quim Jo o'Aguiar, para Commandaute
do Patacho Cooceic que tem de ir a Ci-
dade da Parahiba em CjmmUsio.
Oficio Do Societario da Provincia ,
a Joad B ' municando-lhe de ordem da Presidencia ,
que o Regente Interino- em Nome Im-
perador p-.r Portaris de 18 de Oatubro do
coi rente armo o noroeou Continuo do C-l
Itgio das Artes da Cid ordenado annual de 3oc^ >s., e que p r
tanto de'-e sol c.tac o sen Titulo p la Se .
cretaria d'Edado dos Negocios do Impe-
rio.
COMMANDO DAS ARMAS.
Fxpedicnle do dia i3 de Oezembro.
Offi co Ao Exm. Presidente re-
metteodo-lhea conta legsli-tada das dispe-
is faifas em o mex p. p. com Os presos
pobres de Justica na Fortalesa de Taroan-
dare' remlhidoi e orna requisic<>5 da
quantia de-tinada para occorier as mes
mis despesas no pre entemaz, a fim de q'
I tud<> dessr conveniente destino.
Dito Ao mesmo Esm. Sor. pedio-
do-lhe houvesse da dar saas ordeus ao
Cornmaodante do Brgue Falia Destino, q'.
eslava a seguir para Fernando para q*
recbense a >eo bordo a transportase a
II ha o Cabj d'Artilh-.ria Jo Fcrreira '
Gomes.
Dito Ao Tennte Coronal Jos Joa-
qun) Coelho, chamaodo-o para objecto
de aervicr;
No meauo teotido 10 CotnoJindaotein
terino do 4- Corpo d'Artilheria.
Dito Ao Tenante Coronel Comman-
daote do 7. BatrtibaS de Cassadores ,
commumcando-lhe qun fisesse recolhar
ao Arsenal de Guerra todo o armamen-
to do adarme i3, e corrame respectivo
recebendo do mesmo Arsenal 35o espin-
gardas do adarme i7 e corrame com-
(jetonle.
Dito Ao Commandan'e interino do
4. do Coi po a'Artilheria mandando
por em liberdade os soldado) Manoel Pe-
dro e Joaquim Josa de S. Anna.
Dito Ao mesmo mandando desta-
car para a Ilha de Fernando o CaboJoa5
Ferjeira Gomes que devia ser apre en-
fado ao Cominaodarite do Brgue Flix
Destino.
Dito Ao Director do Arsenal de G.
para que recebaste, todo o armamento do
adarme i3, e corrame que Ihe fo-aea-
presentado pelo Qua. tul Met a do 7" B.
de Casiadores ep Batalba 35o espingardas do adarme l7 ,
e o competente corrame a aacratapos.
Dito Ao mesmo, authorisaodo o a
compiar o pao azul necesario para q\5J
cap .'es que mandara faser com to4a a
u'gencia,a fim de serem fornecidos as
pracas que marchad para o Sul.
Dito Ao Tente Coronel Comman-
dante da Ilha de. Fer-nando comrauni-
caqdo-lhe a hida do Cabo Jo6 Ferraira
Gomes que dvia vojtar na primeira
emlxr. aca que para esta Capital se en-
caminba-se d> pois d > que ora segua.
Dito Ao Commandaute Supeiior in-
tuirlo di G. Nacional da Municipio,
H-endo-ibe que segundo as 01 dea-, do
Exm. Sor. Presidente tioha de faser a
Guarnica-da Piaea os B e 3. da G. N. remetteodo-lhe omap-
pa dp detalhe das guardas, forga de cada
urna, e prvinindo o da qie agnarnc6
devia principiar a ter feita pala G. Naci-
onal do dia i5 em diarite.
Dito Ao Commandan'e da Fortales
de Tamandare' respondendo aos seos
cfficios de 4 e 9 deste mex disendo-
Iba ter dado destino ao piimeiro rubri-
cado, e entregue ao portador as pecas de
contabilidade que aa bagando acompaoha-
ra.
Circular Aos Commaodintes de For-
talesas e Ar.-enal de Guerra communi-
cando haver tomado pesse do Comman
do das Armas.
Port. AoTenente C tonel Comman-
dante do BatalhaS 7. a de Cassadores ,
mmdando dimiltir ao soldado Flix Ro-
dr gucs d'Oliveira qua cmo degreda-
do foi lemettido para a Ilha de Fernan-
do.
Dita Ao mesmo mondando rxcluir
e remetter ao Commandaote inteiino do
4. Corpo, a serem ali addidas as a5 pra-
cas cojos nomes constavaS da lelacaqud
se Ihe envava assignada palo Secretario
Militar visto que n*S podia pr dot-
les e utios motivos acompaohar o B.
para o Sul.
Dita Ao C,apita Commandanre in-
terino do 4. Corpo, authorisando o a
roceber as pracas mencionadas na ante
cedtnte Portara.
Dita Ao mesmo mandando excluir
do Corpo segando ns ordens do Exm.
S'ir. Presidente, den de-te mte osln-
f riores, e Cadetes que marcbaraS pas
o Sul com o Maj >r Arroda.
Uta Ao mesmo mandando ficar sem
efleito a Poitaria da 12 na paite lelativa
ao l.. Sargento Houorato Jos Barges ,
a contemplal o no contigeute' que mar-
chava para o Sul visto se C< r offereci-
do.
Dita Ao Commandante da Fortalesa
do B'um, m*nd*ndo excluir do Deposi-
to a 6 pracas e pasalas para n guarni-
<;a da Foi tlesa e excluir desta ep-s-
sar para o Deposito as outras 6 que vo-
luntaiiamenta queiia servir dj Sul.
Expediente do dia H.
Officio Ao Exm. Presidente, pedin-
do-lhe a expedicaS de su lOOrarla para rju^ ao Tenante Coronel
Cornmaodante do B sadores entregase n importancia de 779
co vados de pao verde queao Comman-
daote Geni interino do Curpo de Polica
fora comprados para o faldamento do re-
ferido Bat.lbaS segundo suas anttrioiea
delerminacoens.
Dito Ao mesmo Exm. Sr. fasendo
Ihe ver a necessidada de ser curn tola a
hrevibade manufacturado ofardl0. do B.
7. da Cansadores, e a impossibilidade de
se isto conseguir pela falta de Alfaiates
na fiabrii- respectiva. Lembrando a u-
lili da de de serem para ali mandados os
alfaiates da fabrica do Corpo de Polica;
pedia que ueste saolido se d'gnasso dar
suas ordens.
DitoAo mesmo Exm. Snr., devol-
vendo-Ibe a representacaS do Director do
Aiaena! de Guerra e disendo -Ihe qua
sendo o azeite dacaTrapaio superior ad
de Ptixe e de mas d i fie 1 consumipa ,
nao Ihe pare'cii rasoavtl que fos>e abolida
a pratica ate agora estabslecida de se lor-
necer tal azeito aos Coi pos Fortalesas ,
e Gnxrdas devtndo o Arsenal e/rf lempo
proprio para previnr faltas prover-sa de
grande porca della mandando-o ale'
masmovir de fura. as occasis poram
que apesar destas providencias vas-e a
faltar oaieite, para que a Fasenda nao
lofre-so prejuiso coma compra deile por
preco exorbitante e nem os Corpus ,
Fortalesas, e Guardas deix'serii de ser
fornecdas de tal genero teria entaS lu-
gar dar se ar.ete de Peixe ou outro
qualquer pregando S. Ex. ao Drtctor
do Arsenal oeste sentido a competente au*
IhorisacaS.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. dn?ri-
do-lbe que u.'S poda er eXecuga a or-
dem de de'mic'5 para o recruta Luiz Jo-
za por nao Ihe ser anda este individuo
rem- tii.'o para assentar piuca.
Dito A mesmo Exm. Sur. envi-
ando-lheuma representacaS do Comman-
daute da Foitale>a do Bium, mostrando
a neces-idade de augmentar com mais al-
gumas pracas a guarnicaS para q ie S.
Esc. em v sta das rasoens que expenda
esolvesse sobe um objecto meramente de
hu competencia.
Dito Ao mesmo Exm. Snr., rt met-
iendo Ihe urna representacaS do Tnen-
te Coronel Commandante do BatalhaS 7.*
d Cassadores acerca de algum deserto-
res, pira que houvessode dar-lho as pre-
cisas illusli acoens.
Dito Ao Tenente Coronel Camman-
danled0B-lalhi07.de Cassadores, rea-
poudendo ao seo officio de hntem edi-
zendo Ihe que do Exm. Sur. Presidente ti-
uha solicitado ordem para o pagamento
dos 779 covados de pao verde quo ha-
va comprado para fardam. nto do Ctrpo
de Polica.
Dito Ao mesmo commtmicindo-
Ihe ter o Exm. Snr.- Presidente ordena-
do a remes-a dos alfaiates da fabrica do C
de Polica paia a do BatalhaS do *ua
Commando e que quando estes naS bas-
lassem B.-ava ruthorisado a conlractar
com os alfaiates das Teodas pai titulares -
a lim de que o fad>mento fosse com toda
a urgencia promptificado.
Dito A CapilaS Commandaute in-
terina do 4. Co. po d'Aitilheri, remet-
lendo-lhe para serem archivados os Po-
-essos des Soldados JoaS Pereira Nepo
muceno Antonio Rodrigues de Miranda
e Antonio Jo-e de S.-nta Anna cujas >en-
lencas haviaS sido publicadas t-m ordem
do dia 13.
Dito A<> mc-mo remellen io-Ihe os
Prore.-sos dos soldados Manoel J<>se de S.
Anea Pedro Gomes da Silva Maia o
Jos Mauricio de Moma rujas sentencas
tinbaS se publicado no da 1a. '
Dito Ao CommanJante v>up>rior da
G. Nacional do-Municipio fasendo Ihe ver
que no mappa ( remetlirlo pelo seo tutes-
or ) da Foica das gua'rdas da GuaruigaO"
deixoo da ser contemplado o Offical Su-
perior de Dia que devia ter diaiiamente
fomecido pela G. Nacional, atienta a'
falta que lnvia oa 1. linha.
Poilaria AoT< nenie Coronel Com-
mandante do-BatalhaS 7. de Cassadores,
mandando excluir a dus invlidos e 11
desertores dts Alagoas e iemetttl-os a
serem addidos ao 4. Corpo d/arlilheria.
Dita Ao CapitaS Commandante do'
4. Corpo d'artilbeiia authorisaiido-o
para recelter as pr?9as designadas na ante-
cedente P01 taris.
Dita. Ao ine.-Bo mandando cobrar
MUTILADO


D I A I O B! I B ft IV A M B OC O

es vencimentos do loldado JtiaS Francis-
co de Silva em vista do oflicio do Inspe-
ctor do Tliuouro e requermento qus sa
I he enviava.
Dita A< mesmo mandando demittir
ao soldado J016 Jos Marques que lando
sido contemplado para baixa na iospeepad
da Junta de Saude de i4 de Julbo de-te
uno, deixara de ter lcito a demicad
por estar cumprindn sentenca de- dous
mases de prisad que se tiuha finaliza-
do.
Dita Ao Capitad Commandante da
rortalesa du Bruuri mandando remetiera
o Commanda'nte do Bataihad 7, de Oas-
saJores lodos os reorutar existentes no
Deposito enviando dellea ui relacada be-
crean Militar.
Dita Ao TViiente Coronel Comman-
dante do Bataihad 7. da Cassadores ,
aulhoris*ndo-o a recaber os recrutas de
que tracta a anteceJeule Poitaru.
DIVERSAS- REPARTlCOKNS.
ALFaNDEGA DAS FAZENDAS.
O Eciivad d'Alfandeg* desta Cidad
faz srieute ao publico qua fiea sem effeito
o sao anauncio do Diario n. a73 de oq.
tem 18 do corrate por terem apparecido
os billetes, que por esrarem bem guar-
dados no Cofie, e confundidos com sedu-
ls, se supunha deseocaminhados ; peln'
reverte.o aos Sari, assignaniesus q'ac-
ceitara cura clusulas.
O Inspector Interino.
JacoaieGerardo Mara Luuiu-lii de Mello.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta lie a raemiia de N. a67.
ARSENAL DE GUERRA.
Alug^-se om pretu p^ra o servico da
Casa 001 Educandos cujo preto deve es-
tar em dito lunar dan 6 hora* da manhia
Me as 7 a meia dy noite : a f.-llar cum o
Derector do Arsenal d* Guerra.
O Arsenal de Guerra compra follia da
Fluidres tin purcad 1 carvad de pedra
dito de madeua sendo desecupira.
O Aisenal de Guerra precisa d'Oifcia-
s de Latoeiro-* e paga boro jornal.
Arsenal de Guerra 14 de Desitnbro de
1837.
Josa Ca los TYixeira.
Director.
ARSENAL DE MARINHA.
Faz se sciente aos Operarios do Arsenal
de Marinha que amanhaa se p 'gu'' a
fera venrida a 1 5 do coi rente mez.
Arsenal de Marinha 18 da Deseuibro de
1837.
- Francisco d'Assis Cabrr de Teive.
Inspector.
OBRAS PUBLICAS.
Pella AdministraaaS Fiscal das Obras
Publicas se avisa a todas as pe>so.s que
tuerca vendido quaesjuer objecMs pa-
ra a dita Reparlicao'j e que lit.iem tira-
do conhecimeotos ou cutios documen-
tos de suas dividas : que os nao' transiten!
para outras pessoas ; (como abusivamen-
te alguna tem faite) porque na foima do
Regola ment nao' sa pode pg*r a pes-
soa alguma, sa mu' o propno credor e
na pre-enca do respectivo Ecriptut*rio,
para este poder certificar.
Amaro Francisco da Moura.
Administrador Fiscal.
PREEITURA,
Paitado dia i5 de Descmbro.
lllm, 0 Exm. Stir. Consta das pai-
tes hoja recabidas n'esta Secretaria te-
rem tiiio hontem presos a minha ordem
os individuos seguintes, os quaes tiverad
destino: Joauna Francisca Carneira, par-
da pelo Sub-Prefeito de S. Antonio por
se Ibe ter sido apprehendida orna egoa ala-
sf que se dice ser furtada ; Vicenta Ro-
drigues Cesar Francisco Pereira do Es-
pirito Santo crioolos e Antonio Igna-
cio, pardo, pelo raaiino Sub-Prefeito ,
para recrutas -, Francisco Pereira e Jase
Fefnandes Torres brancos, pela 1. Pa-
tialba do Carino por contraveneno' das
Posturas da Cmara Municipal ; a Delfina
Maria das Virgens, parda pela 1. pa-
trulha do districto da Ribeira por ebria
e profferindo palavras obscenas'
E' o que consta das partes boje recela-
das ti'e.ta Secretaria.
Dos Guaide a V. Exc. Prefeilura da
Comarcado Re rile i5de Desembro da
i837. Illm. a Exm. Snr. Francisco do
Reg Bu rea Presidente da Provincia.
Francisco Antonio de S Brrelo, Pie-
feito da Comarca.
Parte do dia i7'
Illm. e Exm. Snr. Fon 5 presos a
miiilia ordem e tiyerao' deslino : Fran-
cisco Antonio Hespaohol pelo Sub-
Prefeito do Rerife, por fu.to ; Mtnoel
Jos dos Praseres, Joao' Evangelista, Mu.
eos Rodrigues da Silva e Antonio de Li-
ma pardosf pelo Sub-Preleito de Santo
Antonio, para nerolis; Manoel Rodri
guas da Rocha lamb m pardo, pela 1. "
patrulha das 5 Ponlat por ebrio, e por
a ter insultado ; Joao' Paulo, pelo mes-
mu Sub-Prefoito por lhe ter sido appre-
heudida urna navalha c m aqual le ira
a urna mnlher estando ella em sua pro
pria casa 5 Clemente Francisco Pereira,
Hundi, Guilherma da Silva Torres,
Victorino dos Santos, e Manoel Soares ,
tambem pardos, pelo Sub-Prefeito da Boa
vista, pira recrutas; e Joao' Bubosa,
igualmente pardo, pela 1. patiulha do
mesmo Bairro por eslar ebrio.
Ha o que consta das parles boje recela-
das.
Daos Guarde a V. Ex. Prefeilura da
Comarca do Recife de \7 Detb." de 1837-
lllm. e Exm. Senbor Francisco do
Reg Barros Presidente da Provincia.
Francisco Antonio de S' Brrelo, Prelei-
lo da Comarca.
Admiuistracad do Patrimonio dos Orlaos.
A Admim-lracid do Patrimonio dos
Orfa'os manda palo presente lisvr scienle
a lodos os heos f reros para que no praso
de 3o das contados da data desta venino
pig.ar na caa de suassessoans os foros que
se scharem a dever sob pena de se proce-
der na forma da Le contra os que o con-
trario praticarern.'
Saln das Sessoens d'Adroinistracad do
Patrimonio dos Orlaos en o 1. de De-
zembro de 1837.
J. M. da Cruz.
Escriptorario.
Pede-se-nosa publicado do seguinte ar-
tigo da Ordem do dia do Corpo Policial de
16 de Oecembro de i857-
O Coiomandarile Geral Interino fax
publico que o Exm. Sr. Presidente da
Piovinria, houve por bem despernar do
exercicio de primeiro Commandante da
primeira Companhia dVsta Corpo o
Sr. Alfaiesda primeira Linfas Francisco
Manoel Acciole, o que por Oflicio do mes-
irio Exm. Sr. em data de hontem, fui com-
murii >:ado : em con-equencia determiaia
Commandante G. interino, que o referido
Senhor primeiro Commandante passe
lioje mesmo a f>er entrega do Comoian-
ilo da espectiva Companhi ao Sr. 2.*
Co/nnnindarite da n^mi Jas Rehall Pa-
dilha precedeodo as precisas formalida-
des a coma asisleucia dos Srs. prirnei-
rns Command-intes Manoel Beserra do
Valle, e Mmoel Florencio Alves iss e que rea4issda eta o mesmo S'r.
1.* Comuiandtnte Acciole, em compri-
iDtnto as ordens da Presidencia ae apre-
zente. ao Ex o. Sr. Commiudaate da Ar-
mas da quam receber o conveniente das-
tino.
O Commandante Geral interino, agra-
daceao Sr. 1.* Commandante Francisco
xanoel Acciole, nao s oarraojo, discipli-
na a boa direccio, que den a fes tem
pre observar a companhia de ee copa-
mando, como os relevantes servicos que
no corpo prestan em todo o tempo que
a elle preteocen pelo que e pelas des-
tnelas e xeellentss qualidades que
a pericia e bravura militar reuue o mes-
mo Sr. 1.* Commandante aproveita o
Commandante Geral interino esta occa-
8io para lhe segnificar o alto apreco, em
que o tem e o vivo pesar de o ver des-
ligado do Corpo Policial para o bro do
qual tanto concoma o Snr. 1.* Comman-
dante Acciole. Pedro Alexandrino d-
Barros Cavalcanti Commandante Geral
iuleiino.
VARIEDADES.
Sobre a educici litteraria.
Os litros e as doutrinas governa o
mundo: daqui nasce que em cada especia
de Governo se procura dar huma educacaS
litteraria segundo o carcter que predo-
mina em sua Coostituca5. Debaixo do
poder absoluto oque primeiro se lar he I
circundar de trevas a intalligaacia huma-
na a substituir ignorancia em que to-
dos nascemos o erro que ainda mais que
a ignorancia nos separa da sabedoria.
A Philosophia en-ini-se em subtilaxas in-
telligiveis, a Poesa em logogripbos, e a
Eloqueociaem sophi-mas harmoniosOsesy-
metrieos. As Soiencias Mathsmaticase Phy-
feicasoecopaS hura lugar muito subaltsruo
nos planos do despotismo: basta q' dellas se
saiba o oecessario para que baja bons Ar-
tilbeiros, Engeuheiros a Martimos. Em
quanto legitlacaS os vassajlos devem-se
contentar cum saber qual he o direito po
sitivo a que devem obedecerf na5 tenlia
porem a ousadia de penetrar do espirito
das Leis, e muito meos a temeridade de
discutir a legitimida Ja ou illegitimidade
da sua origem.
Tal ha o sy.-tema litterario do Governo
desptico : se o gosto se introduz pouco
a pooco, se a Pnilosopbia racional e phy-
sica lsem rpidos progressos se ha ruaos
mi fim sufficiantemente atrevidas, que
levantem o veo que encubra aos povos
verdades, que aquelle Governo tem tido
o cuidado" de occultar attribua-se ex-
cessiva cunosdade do entendimento hu-
mane que nao pode ficar inerte logo qua
t-nlroii huma ver nacaneira da s.b-doria
e do erro: mas nao seattribua ao poder
absoluto, pois elle fes quanto pode para ts-
craviiar o entendimentu obi iga lo a na5
saber mais do que qaena q' souhasse ea
conservaros erros e as preoecupaces u-
leis ao de-potiuno, creando p.ra isso as
inquisices. as censuras previas, a as leis
de excepcad repres>iva da liberdade de Im-
prensa. O pensamento no teu rpido vo
salvoii todos esses obstacolos e como es-
cravo fugitivo torna, auxiliado na opi-
no publica Ilustrada por alie, a darru-
bar os j jndefesos altares da tyrannia.
E qual ha pois o tydema de eduenca
que convem a bum Go7erno liberal ? A-
quelle em que a raxad obtenha lodos os di-
reitos que naturalmente Ibe rompetem ;
squelie em que na6 conceda nada nem as
nreoccup^ees, nem s suhtiletas ; aquel
le em que o peusamento nao e4t ja ligado
pela autoridade dosmasties, nem pela
atoiidade dos livros : aquelle, finalmen-
te em que o entendimento do homem go-
za 'i'tiuma esp M*s assita como a verdadeira liberdade
do Cidado lie obediencia Lsi, tambem
a vordadeira liberdade do espiila, ho a
doeilidade ra-a5.
As Scienciae Malhematicas-, Pbysicas ,
e I leologicas devem occopar neste ayit-ma
o lugar piimeiio porque ellas formad ,
para aasim diser^ o cdigo das Leis que
dsvesubmetter se a iotelligencia humana,
se quer ser livre e nad licenciosa.
porem a imaginacafi do homem reclama
tambum os seus direitos : a vardade he a
primeira que dev procarar-se, mas he
la natural ao homem o amor do bello ,
que saria con detonar a monte > cerla iolo-
lieidade, se se ni5 parmiltissam iro ag
nac' saus recreiqs e dasafogos: alm de
que, sa as sciencias tam contribuido para
a perfeic5 da razaS humana as bellas
arles tem preparado teu triumpho, ins-
pirando suaves aentimeotos, a fasendo go-
xarohomem de huma serie de prazeraa
devidos sua inteligencia os quaes re-
creaodo-o ssm faalio e amenisando saos
trabalhos, o tam cooduzido gradualmente
ao estado de civilisaca em que agora sa
acba. Para que Thalas calculaase es ecly-
pses e Alsteteles cresise as sciencias ,
Id i necessario qua aa ly ras de Orpheu e
de Ampbion houvessem arrancado os Grc-;
gos do seio da baiharidade.
Com todo os prazeres da imagioacaS de-
vem ser regulados pela raza. O hora,
gosto, que he o habito da mesma razadv
applicao s bellas letras he o que liga o
eatudo das humanidades com o das scien-
cias abstractas. A mesma razad quejul-
ga eanalysa as bellezas de huma Ole de
Horacio ou de huma Tragedia de Reci-
e, he a que resol ve os problemas mais
complicados da Geometra ou calcula a
torca que tem o Planeta na soa 01 bita.
Portento na repblica litteraria devea-
cootecer o mesmo, que na civil; os pre-
seras do Cidado devem ser regulados pela
Lei.
O que at aqu tenho enumerado bo
proprio para cultivar o entendimento
embellecer a imtgiaacad ; mas a elucscsS
litteraria seria incompleta sa a mocidado
ss n*6 in-tiuiss n'aquellas sciencias, que
desenvolvando as ideas dejuslica, diri-
gem a vontade. Taes sao, amoral, a
historia, a legislacad e por appendir n
economa poltica a qual (e na5 seui rasad)
tem sido collocada pelo maior idtologist*
dos notsos dias, entre os ramos da philo-
sophia racional. E.lis sciencias furinaS
o vestbulo do grande templo da jurispru-
dencia. Os piiucipios de direilo natural,'
derivados das nocesstdades e faculdades do
homem ; 01 elementos necessarios da socie-
dhde ; os limitas a que deve circunscre-
var-se n'alla o impeli das paixSes huma-
nas de cujas bases todas emana o direito
constitucionrl, ha isto, ptopriamenle
fallando, o observatorio da moral: aa
mximas pbilosophicas as sciencias eco-
nmicas terminad o plano desta ensiuo.
Tenho distinguido pois lies especias de
estudos que todos tem por objecto a ver-
dade, poissem ella nao ha estudo que
na*) conduza ao erro. Verdades que nos
dad a conhecer o mundo physico, verda-
des que nos manifestad as bellezas do mun-
do ideial, e verdades que nos ensilladas
cembioaedes do mundo moral. As pri-
meiras pertencem quasi exclusivamente ao
entendimenlo, as segundas sa dirigcm
com preferencia phantasia as tsreeiras
vontade. Esta he a classilicacad tal-
vez meuo inexacta porque sa u*d deve
esparar o podar distinguir iuteiramente
huns dos outros coobecimeatos. Nad ha
gneros nem especies as verdades as-
sim como os nad ha na natureza. As clas-
sificaedes nad sad mais do que malboos
de que se tem valido o homem para estu-
dar mus fcilmente ; a entre estes metho-
dos deVe-se escolber aquelle em qua os ra-
mos do saber sa distinguen! da huma rna-
ueira mais coohaeida. Paraca nos que a
distinecad das Sciencias derivada das fa-
culdadrshumsnas que Ilustrad oudiii-
gem ha a mais clara a precisa que sa po-
de lser, e por isso se podei distinguir o
eosino em Sciencias Malhematicas e Pby-
sicas esludos de Humanidades e Bailas
Artas, a Sciencias Moraes e Polticas.
O joven qua ampregar os annos felizes
da adolescencia na acquisicad dos conbe. i -
mritos, qua temos enumerado, poder
servir a patria cum utilidade e gloria em
qualquer das ca reiras qde abre o Systema
Representativo honrada ambifad dos Ci-
dadlos.
Nad seria diffi il construir sobra estes
principios hutn eystema de educaoad 111te-
rajia, que se nao iotte ornis peifeito,
poderia offerecer todava hum grande nu-
mero de vanlagens.
Se todava as prximas Corlea llgnnt
Representantes da Sacad sa lembrar de at-
tenlar poc aosso triste estado deeduce-
cad econhecendo bem o nada que va-
lem 01 tnelhores Cdigos, as roelhores
in.-tiluicdes, alba faltaram homsnj,


m *^ "rrrr^TT'rirc

*
SSS
l
SSaaSBl
4
1
I
L
que o homens se ni5 (aiem sena pela e-
ducsca, quizer metter hombros a esta
maia difficil, porem mais importante daa
empresas legislativas, na5 se peje elle de
lacear os olhos a estas linhas e de dar
hum momento de med tacad a estes prin-
cipios simples, que aqu va5 pouco desen-
volvidos sim mas flfficieatemeota claros
esUbelecidos.
(Do Portugus,.)
(Correio OJfioul.}
AGRICULTURA.
Enxirtias.
Para segursr os enxertos he esellente a
eabstsncia recommendada por Miller bem
esteadida sobre tiras de papel ou paono
do linho. Comp6e-se dos seguales in-
gredientes : ama libra de poz, e outra de
resina duasdebanha de porco e 4 li-
libras de terebenthina ludo bem derreti-
do e mUtarado. Conserva se e mistara
liquida pondo-a em ama panella em cima
d'agoafec vendo.
Procssso par* tornar a madeira ira-
combastival.
ODr. Fucho, membro da Academia
das 8cieocias de Munich desorobi io urna
compuicio que torna a madeira impe-
netravelao fogo e agoa. Consiste em
dissolver trra areenta bem lavada para
separar todas as substancias heterogneas,
em urna solucio de lcali caustico : appl-
cada sobre a madeira forma ama caps vi-
trea, o casto he insignificante e nio
passa de dois francose 3 cntimos porcada
loo pes qaadrados. O Theatro Regio de
Munich ao qual se applicou o referido
processo, nio exigi mais de 4 a 5oo fran-
cos de deipeza. Parece enurivel que
contniue a reinar lauta negligencia em
adoptar meios ollicazesde stalhar os en-
cen nos em ierra e no mar 5 sendo a
tanto, lempo conhecda a tfficacia daa o-
lucas alcalinas, e alutnioosas contra esta
horrivel calamidade. E>ta mesma pre-
paracio em estado liquido SOr igualmente
til para apagar os incendios. Urna com-
posicio barata e o alcance de todos para
tornar os (elhados do colmo ou de ma-
deira incombuttiveis, he a segninte. Bar-
ro 7/io; aici,cal, excremento de ca-
ballo de cada um 1/lo tudo bem mista*
rado al coo-istenci de argamassa. Ap-
piica-se em carnada de 1 centmetro, e io-
troduz se em todas as fendas. Ocblorureto
de cal dissol vi Jo em agoa meio eficacsi-
mo de ap'gir o fogo o mais oleoso ; por
qaanto forma ama capa vitrea sobre os
ticea, que impeda acombastio.
( Extrabido de Are. dos Conliacimento-*
utei3 de F. S. Constancio por J. D. R. P. )
A VIZOS DIVERSOS.
Antonio Jos Gomas, leudo no
Diario n. 245 de 13 de Novembro p. p. ,
artigo Jurados sentenca condemnatoria
Antonio Jos Gomes acusado por uzo de
faca de ponta e condemnado a 35 das de
pristo, julgo domen restricto deyer fa-
zer ver ao respeitavel publico, piiucipal-
tnente aquellas pessoasque me nao coahe-
cem que tal sentenca sanio enlende com
o annanciante t porque aJem do detestar
o uzo de ssmelbante arma, al o piesente
inda nio foi preso e pira f erdadeiro es-
clarec ment declara que a ana oceupa-
fo, e estabelecimento he urna psdara
na ra da sanzalla velba n. 3i, e como
nio pode mudar o nome por motivos fas
o presente annancio.
|t^ Na ra d'agoas verdes, cssa ter-
rea, que tem lampiio ta" porta, e que
fica delronte do sobrado I). 16; precisa ae
de urna mulber que saiba facer o serv-
eointerno de urna cass de pouca^farailia.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva
paja todo o servito, de ama casa do pon-
es) familia: naa 5 pontas loja D. 34.
JQP* O Sr. Sacerdote que se di.pe di-
ser as Musas do Natal eonfarmo ae tem
auDunciado, dirija se a rae de- S. Fran-
ejaeo 00 terceiro andar do lebr^do g. o.
LEILAO.
*/^Q' faz Emygdio Jos Per." Guerra
de excelentes mercaduras Francesas, por
coota de quem pertencer, s 10 horas do
dia 2o do corrente no arroazera de Ma-
noel Jos Martina da Costa na ra da
Cadeia Velha.
NAVIOS A CARGA.
. Para o Porto
Sega* visgem com toda a brevi-
dade o Bergantn) Importador Capilie
Joaquim Marques da Silva ; quem no
mesmo quiaer carregar ou hir de pasta-
gem dirija-seao mesmo Capitio, ou ao
teu Consignatario Manoel Joaquim Ra-
mos e Silva.
Par* o Rio de Janeiro
Vir* Sigue vfcgam o 4*1x0 ,KQonl
Wst" Precisa-se de a'lugsr urna negra,
que saiba engommar e cozinhar ; quem
a tiver dirija-se a rus nova D. 17.
fJTJkr" Apeas o a que of fe rece seu p res-
timo pelo Diario n. a68 para enoinar toda
e qualquer Escriturario, sendo comerci-
al dirija-so a ra dos Qusrteis D. 4*
t#9* Preciza-se de urna ama para urna
-casa de pequea familia dirija-se a loja
do Encadernador do lado da ra dos Qu-
arteis D. 96.
jry Anna Mara Muniz, viava do fal-
lecido Jo io Jos Raposa, faz sciente a os
Srs. que so seus inqaelinos para que por
nenhum principio faci obras aas casas da
annuociante e nem tio pouco arrenda-
meutots ou traspasses de loja ou sobra-
do aem sea consentimento por escripto J
de boje em diante, pena de perderem to-
das as bemfeitorias, e aullo todo e qual-
quer contrato acerca do que fica exposto.
fjry Precisa-se de ioo$ooo rs. a pre-
mio daodo-se boa firma quem o quiser
dar annuncie.
t/S*" Aluga-se 4 negras diariamente
para vender cajs, viudos da Boa-viagem:
na roa do Jardim D. 7.
9P9> Precisa-ae de 100,000 rs. a pre-
mio portempo de dois meses, dsndo-se
pinbores de prata, e ouro : a faltar na
ra do Fogo D. 11.
JP* Antonio de Noboa, avisa a pessoa
quedister urna encommenda vinda do
Rio de Janeiro queannuncie com certe-
za a sua casa pois ja se procurou e nio se
achou, ou (dirjale ao sitio da Capaila
dos Afilelos.
*y Precisa-se de urna mulher que
queira servir a urna casa de psqoena lami-
lla, q' engomme com perfeicio: na ra das
Cruzes D, 2 no prmeiro andar das 9
horas da manhai as 5 da tarde.
sjQp A pessoa que precisa trocar prsta
velha e pesos Columnarios por sedla,
a 1600 difija-ae a ra do Rangel De-
cima a.
WP Pede se po D. Abbaale do Con-
vento de S. Beoto da Cidade de Olinda ,
baja de mular sotes do Natal o Adminis-
trador da Igreja de N. S. dos Prazeres Fr.
Antonio d. Rainha dos Aojos por que-
rer prohibir este anoo o festeijo da mesma
Sen hora no dia de Keis.com' he cosame,
negaudo para este fio escasas sos Ftei-
ros.
Um Devoto;
/y Roga-se eos Snrs Piefeitos, e sub-
prefeitos, Commissarios, e mais aulboii-
dades poiciaes, e pessoas particoleres, o
obsequio de prebeuderem hum cabra
eacravo de nome Joie o qual se supoeas
ter mudado o nome, disendo ser liberte
e he dos Mgnaes seguinles ; estatura or-
dinaria corpo porpocionado com a4
anuos de idade, o rosto cheio de espiohas
ou marcas dellas, patios ate pelo pe^coco,
denles abertos, nio temquase barba elgu-
mi, cabca compiida, tiuma dasorelhas
Turadas por ter usado de branco, costu-
ras a embreagir-se fuma raximbo, e-t
fgido desde fias de Desercbro de i835,
falla bem trabilha de( carreiro, e tara-
bem de encbada ou fouce. Sendo apre-
hendido dirijio se para o Recife ra di
Madre de Dos n. i95.
Novo Accordo impreterivelmente no dia
a2 do presente mez: quem no mesmo
quiser csrreger ou ir de passsgem diri-
ja-se aoseu Capitio Joaquim Jos Baptis-
ta, a bordo, ou a G. ,A. de Barros, de
trac do Corpo Santo D. 7.
1
COMPRAS.
/y* Urna rotula para porta de attura
da 10 a l palmos e outra para jatiela de
7 a 8 palmos inda que tenhio algum
uzo : na ra do Colegio armasem de De-
posito de chapeos, a na ra da Cacimba
armasem da casa n. 5. *
VENDAS.
ttip1 Rsp Princeza de Lisboa ebegade
pela Activa em caisas a a4o a libra e
em libra a a56o : na ra da Crus em cata
de Antonio ot de Amorim adveile-se
que se vende a dioheiro a vista.
e> Folhinbas de poita-, dittasdeslgi-
beira, e dita sde Padre: na pi ac da Inde-
pendencia loja de livros n. 37 e 38; na rus
do Cabug loja do Senbor Bandeira, e
dentro do Recife de fronte da Igreja da Ma-
dre de Dos venda da quina do beso do
Azeite de Peixe,
sj^s> Apossede5o palmos de terreno
i'ittos nosatterro do Affogado da parte do
mar antes de confrontar a Cabanga : na
ra do Livramento armasem D. 4.
ffW^ Urna escrava de necio angola,
boa cozinheira engommadeira, ptima
rilifiadeia de assuear cose e lava rou-
p.i :' na rus Direita D. ao.
JQ9" Ums cadeirinhs ja usada : na ra
de Hortss sobrado D. a5.
*W Urna morada de casa terrea sillas
oa roa do Padre Fioriaoo D. ao com bas-
tantes com modos psra familia um gran-
de quintal com arvoredo de fruto, e boa
Ierra para ortalices, t<-ndo seu poni
para a ra do nicho do Noia : na ra do
Livramento armazem D. 4-
r= Brrelos brsnoos de meia dobrados,
e siugelos e um par de casticaes de pra-
ta com pratinho e ttsoura de espivitar ,
obra mu bem feha : na ra da Cadeia do
Recife o. 16.
^ 4quartaus novse csrregadores,
e dois de sella : as 5 pontas D. 36.
tr^r* Um molccote de 18 anuos de ida-
de e urna negrioha de nove tinos de
idade t na ra de S. Theresa D. a7.
/JT" Jarros de lou^a branca para plan-
tar ci aveiros : no atierro da Boa vista so-
brado D. 16.
f> Ums venda sita straz da Igreja de
S. Jos: as 5 ponas D. 51.
WW Um oavallo ru?o pombo, bom
carregador passeiro e esquipador : no
atierro da Boa-vista n. 3g.
/y U,n civallo carregador bsizo at
meio : na ra nova D. i4.
e9 5oo barricas vszias que 6ervirio
defaiinba : na ra dos Quarleis D. 4.
tqv Urna casa terrea, com meias agua
no fuodo da mesma ra strsz de S. Jos ,
os perlendentes dirijio-se o principio da
1 ua do Rangel sobradinho (de 2 andares,
ou ns ra da Cacimba armasem da easa nu-
mero 5.
UJp Urna cama de condai com seas
pertences o msa duzia deCaoeiris tu-
do de muito bom gosto: no beco do Abreu
no Recife ao p da praca t n fallar ua ca-
sa do Porto.
WW Um csvallo IszEooastanho novo
e]o qual carrega baixo : na loja do Eoca-
dernador na 1 ua dos Quarleis D. a6.
fCP" Um negro de idade de 33 annos
pouco mais ou menos enlende de pede-
ra e de agricultura : no paleo do Carmo
casa p. 6.
VF* Um ca vallo alazao bastante gor-
do bonita figura bom* pssseiro carrega-
dor e esqaipador : na 1 ua do Livramen-
to botica D' 15.
jrjP" Ou troca-se por urna pequea oar.-
teira de urna a face um realeijo de cor-
das que toca como pianito e que a dita
carleira tenhe o seu competente isoior
queme-te negocio quiser fater annuncie.
99. Uuma boa cama moderna de Jaca-
randa, que anda m tere uzo por pro-
co cmodo;' u'esta Typ. se dita quem
rende.
Vendesse por melado em fasendsy
e metadeem dioheiro urna escrava par-
da, com >5 annos de idade, propria pa-
ra todo o servco: na ra larga do Roza-
rio venda de Manoel Moreira Costa.
JOP* ColleceSas completas do Cara-
puoeiro (t. vol) oom muilo boa encader-
nacaS e lambem em broehura asim co-
mo algumas que esteja incompletas: na
Typ. Fidedigna.
j^> Potassa de primeira qualidade
chegada ltimamente d'america em casa
dos Senbores Joa5 Matheos & Comp. ra
daCrus n. 56.
jr' Taboado de Pinlio de todas a lar-
guras e grocuras e comprimentos a preco
muilo commodo : a fallar ao caxeiro dos
Sin s. Joa5 Matheos & Comp.
Um esciavo pardo im.ito bom ser-
rador e compiincipio de carpira, lem
de idade a3 anuos pouco mais mi menos
muito robusto eaem vicio algum na ru
do Rosario estreita D. 29, lerceiio an-
dar.
ESCRAVOS FGIDOS.
3^ Dasspsrecea d'esta Cidade em o
dia a8 de Novembro urasnegia de no-
me deviiiaua, de naci cassange, que
representa ter 19 s ao annus de idade, com
os sigoae* saguiotes : altura pequea ,
tem no rosto do lado direito um 1 isco p. fi-
lo a immilaciode um talho coipo tino,
as pernas um pouco t-jnzenlas levando
com cigo vestido azul ja usado, e um pan-
no da Costa j velho fui encontrada do
pois de alguna das junto a S. Louronco
em um couihoio de matulos que esco-
tan p< biio p.-ra cima: a pessoa que a
app'rehender oudelle tiver noticia, di-
rija-se ao paleo do Carino no primeiro
andar por cima do ioleiro ou a casa da
plvora em Santa Anua que rccebei de
recompensa aotooo.
W 103$o00 rs. de gratificacio qae
da Francisco Antonio de Oiiveira, mora-
dor no atierro da Boa-vista junto a ponte,
a quemlhea p.ementar um .-eu eacravo
fgido em 29 ae Agosto passsdo : chama-
do Jo-, he bom olficial deallayate, ida-
de de 36 anaos pouco mais ou menos ,
bsstaote ladino que inculca ser .fono, al-
tura regular bastante prtto meio calvo,
e quebrado ; levou vestido Clsa e jaqoeta
de lila pela este e-cravo veio a pouco
mais deom anno do Rio de Janeiro re-
metido pelo Sur. Jos da Roza Salgado,
em casa de quem esteve alguna anuos.
WP" Joio crioulo preloje magro, es-
tatura regular beicos grocos, olhos ver-
melbos, bem bai ba, 18 a ao anos de ida-
de pi grocos e grande, um f rro.e
grilbiona peiua esquerda que taires iba
tenbio ja tirado ; camisa de rscadinhor
azul e calsss de estopa gro^a costum
mudar o nome, e dizer que he forro :
quandoochamio.de repente acode pelo
seu nome proprio e de pois desfarca; fu-
gio -aliliado 16 do cnente : quem o pe-
gar pode entregar o seo Seohor Manoel
Joaquim Kantista, no peleo do Terco so-
brado de a andares D. 1 escada no beco do'
Loubato qae ser bem recompensado.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio entrado no dia .16.
ILHA DO PRINCIPE; a5 dias, Pala-'
cha En trepido com i2a T. capit'
Francisco Jos de asevedo em lastro r
a Joaquim Leocadio de Oiiveira.
Sahido no dia 17 '
SANTOS; Sumaca Brasileira Aurora;
M. Ignacio da Fonceca Marques, car-
RIOG. DO SUL; Brigua Escuna Oiiveira
M. Antauio Jos de Oiiveira carga
vanos gneros.
LONDRES; Brigue Iogles Peok ; cap.
Foenlz carga assuear.
PaRAHIBA ; Patacho Conceicfo Com-
mari Jante o i. Teoente Joaquim Jos de
iguiar: em Commissio:

~s


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFSWTLNE1_I7W9I6 INGEST_TIME 2013-03-29T18:26:40Z PACKAGE AA00011611_03344
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES