Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03326


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Sf-'^f ti
ANNO DE 8.35, TERgA FEIRA
*%
*
SdDKMAIO. N. 9Q;
DIARIO DE PRNAMBUCO.
das da semana.
I ,
S5 -Seronda (nestes 3 dias uao se cora?, carne) S. Gregorio 7 P.
uH. don Js. do C. dom. e de t, sea. d;i T. P. e Cb. de t.
SO Teroa S. Felipe Nri. Re- dem. e aud. do J. de O. de t. '
57 Quarta jej. S. Joao P M. lessao da TfieiP. La Nora as 11
h. c 12 m- da ni'
28 Quinta >g< Atcencao do Senhor-
59 Sesta. S. Maximiano B. sessao da T. P, de m. aud. do J- de O
del.
30 Sabbado 8. Fernando H, Re. da ra. aud- do V. G. de t. era 0-
linda.
31 Domingo S. Petfonilla.
PtRAMBtco, n Tvt. dePinuiro f Fahia. IfS^
Tudo agora depende de nos meamos, da nossa prudencia, mode-
racno, energa: continuemos corop principiamos, e seremos a-
pontadoicora adihiraco entre a Na'cov oais cultas.
Proclamar da JtttmbU* Qiral de Brazil.
SutJscrere*e a 1000 rs. minsae pago* adiantadoi netta Trpopra-
fia, e na Praca da Indipendenciu 37 i-SS ; oirdc se recelifin
corre pendencian Icgalisadas, c anuunciof; iiierindo-e estes j-ra-'
ti* sendo dos proprio asignantes, c viudo assiguados.
PER NA.VI BUCO.
Assemblea Provincial,

Acta da 28.* Sessao ordinaria da^Assemb'ea Legisla-
tiva Provincial, aos 13 de Maio de.1835.
E*
Stando presentes 28 Snrs. Deputados faltando lem
causa partecipada os Suri. Diputados Jore Ramos, e
Francisco de Carvalho, o Snr. Presidente abri a
sessao depois de. approvada a acta antecedente. O Sr.
1.a Secretario leu as seguinte pecas : hom officio do
Governo parieeipando, que litaba transraettido an Ins-
pector o pirecer da commissfo de Fazend approvado sobre a cobranea dos direilos pblicos no
interior, do que ficou a Assemblea inteirada. Outro
oficio remetiendo os traslados dos titulas, porque
perlenccra Capella de N. S da Conceicfip da Boa-
vista, os terrenos de Marn ha desta Capital. Outro
da Cmara Municipal de Itamarac felicitando a insta-
larlo desta Assemblea. Hum requerimiento da Irm-
dade do Sacramento da Mitra de Serinhaem pedindo
coi.firwaco do.< seos estatuto*. O Snr. Diputado
Padre Rafael requereo, que a Assemblea em arregasse
a commiaso do legislacio que por huma l,-i Regula-
metitar odiqua os casos, o formas, porq-:e o Presi
dente poder noaiear, suspender, e at dimitir os ero-
pregadus Provinciaes, e f., >pprovado. O parecer
d*coromi8so dejuslica criminal sobre a.queixa do
Chantre entrou em discusso, e nao foi ppn.vado. O
Snr. Depurado Pddre Gama requereo, que risto o Sr.
Manoel Z Brino nao continuar no ejercicio da Depu-
tacio se ellcgrssc hum membro adjonclo para asrom-
missoes de que o mea ni o Sur. Z:firino eslava cnrsr-
regado e qu.e se procedesse a nomeaco do Vice Presi-
dente, e lo'approvado, e procodendo se logo a ellei-
cao para o .Vu Preaidente da Cmara sabio elleito no
segundo e cralmio o Sr. Depulado Doutor Pedro Ca-
vaica.il/ com 15 votos. Para a commissao de poderes,
deque era membro o Snr. Zafirino, o Snr. Prnden-
te uomeou aoSnr..Deputado Tib.rtino, e para a t-
rasssao de orcaraenlo, econtas das Cmaras iiomeou o
' reputado Dr.Brito. O Snr. Deputado Dootor
Pedro Lavajcanti requereo que se chamasse hura sbp-
plerite, y.slo o Snr. Zafirino nao continuar, o que foi
approvado. O Snr. Deputado Joo Rodrigues appre-
Miiton (Jois projectos, que tivero a primeira leitura :
o 1.a para a crea cao de hum Bedel no Curso Jurdico,
a y auctoruando o Governo a abrir huma cara de cu-
nhu-raoeda deouro, e prata. A commissao de re-
daceo appresentou ja redigido o projectodo Snr. De-
putado Ancora em que auclorisa o Governo a contrae-
lar com hum Engenheiro para este tirar as plantas do
melho. amento do Porto, cuja .redictfo foi approva-
da. Entrou em diicmsJo o parecer da commissao de
luslic- criminal sobre o requerimento de Joze Ribeiro
do Amaral, e do actual Sollicitador o qual parecer
que o actual Solhcuador eslava exerrpado.,o mpr**
contra a Le. e que o Cidado Amaral devip serrein-
tregado no diloemprego, e f0 approvado. O Snr.
Depulado Padro Azevedo requereo! que fossem osre-
quenmenlos remettidos ao Presidente da Provincia, e
lo, reprovado. O Snr. Depulado Padre ama reque-
reo que a Assemblea encarrega.se a commissao de le-
gislado para dar o*eu parecer sobre o modo porque
Assemblea deve ecutar o 3 do art. 11 da Lei da
- Reforma, fo, reprovado. R,10|w a Assemblea que
o expediente e pa.ecores adiadas durafsjem at o muio
dh, devendo as dus horas di urde ser dadas para a
disctisio dos projeitos^ por assim ter requerido o Snr.
Deputado Doutor Pedro Cavalcanti, Entrou em 3.'
discussio esprojecto numero 2. Snr. Depulado Dr.
Me ira appresentou a seguinte emenda, foi appro-
vada, depois das palavra livro parlicularaccrescenle-
se as palavrasrubricados os termos de abertura e
encerramento. Appresentou o mesmo Snr. Deputado
Meira aoart. l.'.a seguinte emenda, que tarnbem foi
approvadadepois das palavras quiserem faser aecres-
eente-se os termos dus protestos admitlidos em Direito
^Cambial. Aoart. a.* o Snr. Deputado fur, a emenda
seguinte, que foi rpprovadaOs portadores das letras
appresentarSo estas a qualquer Tateliio para este a-
pontar no reverso da Letra, por escripto o dia, me*,
anno, e hora, em que foi ppresentada, legalisando
esta nota com oseu nome. Ao art. 3.' o mesmo Snr.
Deputado Mein fez a emenda seguinte, que foi ap-
provadatirem-se as palavra* na forma da Carta de
Lei a respeito, e em lugr da pilavra copiado, dga-
se lavrado- O Snr. Deputado Doutor Peixoto fez a
rnenla seguinte, que fui approvadaO tabelio, que
nao cumprir o disposto no antecedente art. ncorrer na
pena de perda do em prego. O Snr. t Deputado Dr.
Chigts requereo a suppresslo da sa emenda, que ti-
nh sido approvada na 2.* discu-so, o que fci appro-
vado, sendo igualmente approvado o projecto com as
emendas recebidas. Entrou em 2.' discusso o projec-
to n. 7, e leve a seguinte emenda, em lugar da pala-
vra decreta, digi-se delibera. O Snr. Depuindo Dr.
Urbano requereo o adiamanto de todos o^ projectos
que fossem da competencia da Assemblea Provincial,
e foi reprovado. O Snr. Deputado M-moel Cavakm-
ti requereo quo ficasse adiado o projerto em discusso,
e foi reprovado, e por ter dado a hora o Snr. Presi-
dente levantou a sessao dando pira ordem do dia a
t .* discusso do projerto sobre o meio circulante a con
linuaco da 2. discusso do projerto n. 7, 3." discus-
so do projecto n. 10, 2.* discusso dos projectos n-
meros 11, e22. ,
Thomaz Antonio Macitl Monleiiv, Prez.
Lmuentino Antonia Moreira da Carvalho, I.* Se-
cretario.
Dr. Francisco de Paula Bapttsta, 2 Sjcrelario.
A.
GOVERNO da PROVINCIA
Ccnttnuac&o do expediente do dia ai.
L0 Juiz de Direito c Chefe de Polica laurino,
c.omn.unicandc-Ihe quese expediu ord-nn para o
Arsenal de Guerra, a fim. de se ferropear o reo con-
demnado Jote Joaquim de S. Auna Gavia5.
Portara Ao Inspector do Arsenal de Guer-
ra, para mandar p6r os ferros no reo de que Iracta o
antecedente oficio.
Officio-- Ao Coinmandante Gcral'do Corpo
M. Permanente, para demettir o Soldado Manoel
Lopes Lima, e remetel-o ao Juiz de Direito, para
proceder contra o mesmo SoldaJo como for de di-
reito.
Ao Juiz de Direilo Cficfe de Poliria, enviando-
lhe todos os papis, pelos qnaes consta a culpa do
Soldado de que tracta o officirt precedente.
PAnfiOAs nos ron reos.
Ohnda^TodosoSjdiasao meio dia.
Goiana, Alhandra, Paraiba, Villa do CoikIr anguape, P-
lar, Iteal de S. JotTo, Brclo d'Areia. Rainha, ombal, Noa d
bouaa, ( dad* do Natal, Villas de Goianninha, i Noa deaPrinci-
aaj Cidade da Fortalcsta, Villas do A gira. Monte mor oovit
Aracntj-. rafea vcl, rar.ir.d. Granja, Imperatria, S- Remar di
S. Joo do Piincipe, Sobrar, Novad'ElRer, Ico, S. Matbeui, Ri
aclio do anpue, Santo Antonio do Jardim. Qnexcraiuobiui, c Par
naiba Se^ordas e Sextas ft-ira ao mcio'dia.
?anto Anio Todas ns quartas feiraa ao meio dfa.
Garanhuns, e Bonito nos dias 9 e 23 do mea ao maio dia.
Flore? no dia 3 de cada me* ao inciodia*
Serinbacm, ltio iFormozo, e Limeinu Sejundag, Quartas, *
Sfxtai Cairas]ao maio di.
Ao Coirimandante Geral do Corpo'M. Perma.
nenie; dizendo-lhe que por bem do publico serrino
sntisfar;..-! todas as requisiebe'ns que lh# forem fe/'fl
pelo Jiu'e de Direito Chefe de Polica, q"uer de Solfa.
menle sejamapienentudasao referido Jui'/. de J/ref-
lo duas ordemnanciis/ visto que s se Ihe aprezenja-j
do urna. J
-- Ao Inspector las Oliras Publicas, em rcsposla
aoofficio relativo \ falla de Officiaes de Caruiiteiro
e Pech-ciro em consequencia do baijro jornal que se
Ihesd; disendo-lhe que pode#mandar abonar 0 mes-
mo jornal queso abona a taesartistas nos Arajenaesde
Guerra e Marinha.
-- Portara Nomeando Antonio de Pinho Bor-
ges Membro Fornecedor da Adminstracio do Patri-
monio dos Ornas, por ter falescido quem exercia
este emprego, por que o Goverflo est certilicado
desua honrtl!*e probidad?. ^^
Nomeando Juze Antonio Pessoa e Mklfo Maio-
da Lcgia da G.'N. d-^ Municipio de Seriuhaem
Illni. Sr. S. Es. o S-. Vice Prezidenjo
manda remetter a V. S., a fim de serprezente a As-
semblea Legislativa Provincial o incluso officio da
Cmara Municipal da Villa de Garanhuns, contendo
as n.formac'oens exegidas pela mesuia Assemblea cm
officio de V. S. de i5 do mez findo, sobro as Escollas
deprimeiras Letras. DeosGurdeaV. S. Se-
cretaria do Governo de Pernambuco. a3 de Maio
dei855. Mariocl Paulo Quintella, SecreUrio n-
trino Si-. LaurentinaAntonio Moreira de Car-
valho.
Officio ao Inspector das Obras Publicas, orde-
nando que Cica despedir os homens contratados pa-
ra o servirt) do levantamento da planta da estrada do
Gigua, poiaq'naS deve a raenda Publica estar pagan-
do a qoem nao Irabalba, como dir. em seu offlci
quesuccede em conseqoencia da condiccao do con-
tracto com tiles ilo.

DVERf AS REPARTlfO'ES.
CMARA MUNICIPAL.
Sessao do da i % de Fevereirode 1S35.
Presidencia do Snr. Oliveira.
J.
VOmparf.cera6os Srs. Doutor Mavi^uier, Ca-
mello, Silva, Costa, Gusmioe Soma, fallando com
cauza oSr. Cava lean te.
Abei ta a sessao e lida a neta da antecedente foi
sancionada por estar conforme. O Secretario dan-
do ron la do expedienle mencionou os seguintes offi-
cios; hum de Bernardo Damiad Franco, Ju'z de
Pas do 5. DeslriclodeBemfica, drendo que em
dilo Dcstrcto s ha dois Juizrs, e que por tanto se
chamasse outros dous pira serem Juramentados: que
se chamasse.
Oulro de Miguel correia de Miranda, dizmdo que
sendo Alferes de Guardas Nacinaes da Freguezia da
Varzea, preftria servir como tal, tomar psse do
cargo dr Juiz de Paz do 5. Destelo de Henifica,
para que loi ilan.a.do: dtmitii!o,ft qte [>e chn a e
a qutiu eonipeii se.
Avista -do parecer da OminisaS afamara apio-
a
Jlwa.

J


*%
1
DIARIO DE
Ifift

ftAMBUCO.
*
I


*
pri-
e a
Ribeira, es'Antonio Flix para Inspector 71o
ineioquarleraG em lugar de Luiz da Guia,
Joze Faustino Porto, para Inspector do 2. quar-
tejraodo Desliido do Pillar, em lugar de Manoel
Peros Quinleim.
Piocedeo se o-ellet$l6 derPromotor para o Mu-
nicipio e oblvo ao votos para o dilo cargo, era i.
logar Felippe Lopes Neilo Junior, eir
rol Custodio Manoel da SIvt Guinian
em v Pucha-i
raris, e em 3.
o IWharel Joze Bandeii a de Mello. E por ser da-
a a hora a levan'on-se a ses*5. V.u Joze TaVa-
rea Gomes da Fonceca, Secretario a escrevi Oli-
ven-a, Pr.zideule, Dr. Yluvignier, Camello, Silva,
('osla, Cusma, e Souza.
Sess&o de 13 de Feverebo de 1&S5.
Presidencia do Snr. O iveira.
G
UOmparecero osSnrs. Costa, Dr. Mavignier, S'l-
vj, Gusmo, Souza, eCavatcanli, faltando com cauza
o Snr. Camelo.
Aberta a sesso e lida a acta da antecedente fui san-
cionada por estar conforme. O Secretario dando ro-
ta do expediente menronnu hum cilicio dt> Fiscal Bara-
ta dizendo que Antonio Luiz Ribeiro de Brito nenhu-
ma otra est fazendo no terreno em queslo com o
Padre Francesco do Reg rWros no Alterro dos Afo-
godos : nleirada. E por ser dada a hora alevantou-
se a sesso. Fu Joze Tavares Gmesela Fonceca, Se-
cretario a escreviOliveira l\ CostaDoutor Ma-
vignierSilvaGusmio-SouzaCavalranli.
no
-------- fr
de Pern*w*t*e 4&tf$fttio-4e-t'ftS5. -- Vicenl
Thomaz Pftr&$igtro'QtMrgn. -- Illm. Sr.
Joa Goncslves da Silva Inspector da Thcsoura-
ria-----Cutnpia-se, e affixein-se -Editaes. The-
souraria de Permtmbuco vate chico de Maio de
i835. -- LadgiftV..
Secretaria da .TlttJMMMna da Fasenda de Per-
nambuco 25 d Maioe^SS.
* JoStfitim ^Francisco Bastos ,
Officiul Maior.
os
Sesso do dia i4 de Fevereiro de 1835.
Presidencia do Sur. O iveira.
lOmparecero osSnrs. Cavalcanti, Camelo, Dou-
for Mavignierr Silva, Souza, e Gusmo, faltando
rom cauza o Snr. Cosa.
Aberta a sesso e lida a acia da antecedente foi san-
cionada por eslA0onf&rme. O Secretario dando cun-
ta do expediente menciouoa os seguintes oficios : hum
do Jlo A nastacio Camello Pessoa dando os motivos
porque nao pode tomar conta da vara de Juiz de Paz
do 5 Destricto de Bemfica : di metido e que se cha-
marse o inmediato.
Outro do Procurador Prxedes da Fonceca Couti-
nho em rsposla ao que se Ihe tinjia dirigido com dc-
1a de ontem : inteirada.
Recebeo-se- a informacio dada por o Engenheiro
Firmiuo HrcuUno deMoraes Ancora sobre a preten-
do do PadreFrancisco do Reg Barros, avista do
qual se indiferio a mesma prelenco. O Snr. Gus
m5o com hum officio appresentou os termos de revis-
tas, das embarcaces entradas nesle Porto, nos mezes
de Jirlho, Agosto, Setembro, Oulubro, Novembro,
e Dezembro do anno passado : que se arquiva.-sem. E
por ser dada a hora alevanlou-se a sesso. Eu Joze
Tavares Gomes da Fonceca Secretario a escrevi.OH
Veira P. Cavalcanti Camelo Doutor Mavignier '
SilvaSouza-Gusmo.
Quarlel d< Commando Superior das Guardas Naeie-
naes do Municipio do Recife, ia de Maio de i835.
ORDEM do DIA.
X Endo.o Ulm. Sr. Commandanle Superior obser-
vado a nem lima regularidadeque, naS s os Offici-
aes Inferiores, e Guardas Naciouaes, como mesmo
muilos dos Srs. Oficiaes, aprezentiemsens unifor-
mes, o que alem de ser nocivo a boa disciplina dos
corpos, loma-* s informes; e tendo o Govemo em
virlude da Lei da cieatv.o das Guardas Naciona s de-
signado por tim figulino qual seja o faldamento, c
distintivo, que compete a cada Piara conforme a
%ana sraduacaS: determina, que os Srs. Cbefes de Le-.
giao lenhao este objeclo em muita consideraca, fa-
zendo que os BalalliSes, que as compoem aprezen-
lem aquella uniformidad* necessarin, e indispensa-
vel, responsabilizandoaosseus- respectivas Comman-
dantespelas nfrago'S que se coroeterrm, pois que
tem rigoroza ohrigac. 5 de vellar na execucao das:
ordensSuperiores, e no arranjo, desciplina, e e-
conomia d9 BalalbS's a seu mando.
A mr^pi ohscrvagaS tem S. S. feilo quanto fai-
fa de respeilo, que mullos individuos das Guardas Na..
cionaes lera a seus Snpcrioie*, quer das mesmas
Guardas, quer da Tropa de linha. Melcias, &, nao
thes fazendo quando os encontrad aquellas contineji-
cias devidas ssnas graduales, que i subordinacao,
e disciplina mnnila. e a polilica exige; acont^cen^o
outro fanlo, ou ainda pcior quando pas.-ao pelos
corpos de guarda/; por isso ordena, que os mesmos
Srs. Chefes d LegihS a^teiid.6 essas,graves faltas,
e'dem spas ordens a respeilo.
Jo2e Clandina Leite ,
Major Ajudante d'ordens.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta he amesma doN.*&7.
O
Crrelo.
Brigue Africano recebe a malla para Lisboa
no dia 27 do crtente ao mefo dia.
Em 1829 bou vento os seguintes. Por entre
navics de longas viagens ify naufragios, 48 da-
dos costa { dos quaes aa4-s salvarao e o resttf pe-
recen ) aa Indos apique, 35 abandonados no mar ,
1a condemnados por nao poderem seguir viage/n 8
virados, c 27 perdidos. Navios de cabo I age ecar-
voeiros, a saber: 100 naufragados, 297 encamados
nos baixos ou hidos costa ( dos quaes tai .se sa-
varao ) 67 hidos apique, i3 abandonados dos qua-
es 5 fum aa depois conducidos ao porto, 3 virados,
e i'6 perdido. Birca de vapor -4 naufragados ,
4dados costa e a Iridos apique. Esta perda es-
pantosa na5 ^niinuio nos annos seguintes ; bem
longe disso. Emi833, mais de 800 Navios mer-
cantes ( quero-d'Zer a 3.1 parle do total dos Navit s )"
fora6 ou perdidos ou lancados costa.
A que cauza devenios nos atribuir eles dezas-
Ires ? A militas sem duvida, mas principalmen-
te maior seguranca produzida por hum lado pelos
couhecimentos maritimos mais vulgarizados*, e da
outra pelos seguros martimos. O espirito do homem
invistigador adormessefacilmenle logo que elle lem
conseguido o fim a que no principio se *propos ea
sua descoberta que devia garautilo das desgranas ,
que elle lemia se torna umitas vezes a cauza das
snas mesmas desgracas. He deste modo que alam-
pada de Davy tornou os accidentes das minas de
carvao mais fh-quenles, porque os obreiros munidos
desle talismn se tornarao descuidados e despre-
zarao os symtomas que el les anles consullava e
mesmo muilas vaaes se e queciao.de fechar a lampa-
da.
As compartidas Inglez:is de seguros martimos ,
sao mu facis em suas acluaes a plices. El les segu-
nioriavios vellios* que eni outro iernpo ninguem
ouzaria fare-los sahir ao mar, e expl& ao furor
dos elementos e sobre os quaes se expoem se,m ftjUi-
to escrpulo a vida d'essa brava-gente qne nao os-
la habituada a calcular as desgracas e s quaes seus
couhecimentos mSs vasto* dao huma Seguranca nim-
ia vezes funesta. Huma A plice do seguro parece
hum prezertativo para lodos os riscof. He verda-
rezo para o armador para elle j 1K18 ha tempes-
lade.i, queo assuslem : mas a bu-roari-idade ten di-
reitos tanto 011 maiores do i|ue- as merca.-Jorias, eis-
aqui no que se deVvria lmtfr -cuidado.
{Le-Tcmps.)

/
>! I
EDITA L.
\j Illm. Sr. Inspeclor.interino da Thesouraria da
Plajeada desta Provincia manda lazer publico o offi-
ioahaixo transcripto do Exm. Sr. Vice Preziden-
tedaraesma Provincia.
Sou informado j>or officio do Exm. Preziden-
leda Provincia dasAlagoasde que infames malver-
sadores leln fabricado assignalura falsa do mesmo
Presidente do Inspector, e do Thesoureiro da
Thesouraria daquella Provincia e furtado com esta
falsidadc mais de triuta conlos de res em Letras so-
bria Thesourara da Baha, e lalvez sobre a desta
Provincia para onde consta haver partido dous agen-
tes da cabilda de taes ladruens. E por que conve-
nba acaulellar c evitar o prejuiso da Fasenda Pu-
blica e mesmo de parlicu'ares de boa fi' cumpre
que V. S. na5 aceite nem mesmo pague ( no caso
deja ler aceitado ) Letra alguma sacada por aquella
Thesouiaria em quanto da mcsma nao for remet-
li:la urna 1 elacio das Letras que tiver sacado des-
de Janeiro em dianle como promette remelter o
Pre/.ideute respectivo. E faca V. S. publicar esla
deliheiacH par conliecimenlo do Com mere o de.sr.i
la Prsfa. Dos Guarde a V S. Pula cid do Gover-
EXTERIOR.
Naufragios de Navios Inglezes. g
J\ Mariuba mercante da Gram Rielan lia compre-
hendenilo na mesma a das suas Colonias, consisle'ho-
jceivi a4:50O Navios ponco mais naj menos, guarne-
nos por iGO'OOO Marinheiros. A lonnelage destes
Navios monla a:650:OOO tonelladas. Avahando o
capital empregado em 'i50 francos por tonellada,
vesse que a importancia dos Navios mercantes In
glezes, em material somenle, monta em 665 milhS-
es es de cruzados.
Se refletirmos as numerosas, e novas descular-
las f.'itas as sciencias astronmicas, e mathemati-
cas, as excellentes opplicaces da mecnica, na
construrc dos instrumentos di preciZaS, nos, cui-
dados que todas estas couzas tem feilo dar confec-
ca5 de novas carias, na experiencia dos mananos,
e no e>tabelecmento de f nes 8c. 6c., parece que
osperigos, e risco de naufragio deveriu ler dimi-
nuido conoderavelmente. E-iintanlo nao he as.-im
que acontece e as com monicaco.a (jue nos temos
diante dos olh >s, dos naufragios, e das perdas da
mariuba mercante Inglez.i nos provao ao menos
pelo que respeilo Gram Brelahha qne os cazos de
naufragio tem augmentado na razad directa do mai-
or conliecimenlo dos rneios de os evitar.
Nos nao temos commonicaces exactas dos nau-
fragios da marinlia. Frauceza; por sso nao nos he
possivel reconhecer seos ricos lem entre nos augmen-
tado ou dimiuuido. Em quanto Gram-13rctanlia,
eis-aqui os resultados que encontramos- Em 1793,
os cazos de naufragio se clcvam a 557 Navios, anuo
medio

. COMMUNICADO.
i. EnDO nos Hdo no N. n da Voz do Beberibi ai-
gumas nflexssdoseo Redactor acerca ta projeclodo
Sni-. Di-. Bapliala sobre a prelrencia, que para Em-
pregos pblicos se deve conceder s pessoas, que (t-
presenlarem cerlido de approvneioein Francs, L-
lm, Lgica, Rhetorica, eGeometra, conservando,
que o dilo Redactor Ha parte, que toCa a refirma dos
mencionados estudos, inuito e.-casso, anda queso-
as i-euVxdes sb pela ma'iorparte acertadas, e judici-
osa, ju'gamos do nosso dever, nao obstante a ira-
quese de nossas ideas, c-oope ar com algumas observa-
co -s para o melhoraraeiilqdaedooaco da nossa moci-
dad". Nodeveiiifs exigir, que^e eslahetesco oras
iiisliluioes, mas que se relbrmem as que se achioes-
labelecida, noque dar a AsNemhlea PiOvincialum
passo nao pouco difficl pelos grandes obstculos, que
tem de remover.
Oprimeiro esltido, quedeve fazer a nos a moci-
dade, 4 a prender aler esetever, contar, a^ouirina
Ghrsl, ea Grommatica philosophica da lingua ma-
terna por uin methodo mais Facilj e melhores com-
pendios do que os que presentemente temos, para a-
promptar osqrtses'a'Assenibls Provincial derer en-
ea rregar umliabil Pcofessor, ou outra pessoa idnea.
Preesci'uiinlo doler, e esofever, eremos, que seria
conveniente ensinuarem-.e todas as operacScs de Are-
Ihmelica, pois que ainda nos negocios mais triviars
da vida, diariamente se nos depara occasio de empi'e-
ga-las. A Grammatica philosophica indispensavel,'
edever insinar-sepralicamenle, dando-se aos Alum-
nos Ihemasapropriados, em que se 11S0 observemos
regras della, para elles os corrigirem. Thm'bem Se
Ibes ensnar a analyse gramatical cora toda a perfei-
gua, quefoiwe occaiTendo nosl'rvros esco'hidos pa-
ra este fim, coja linguagem dure ser castiga; para o
que aemprese preferirs os Clasicos, e 'entre estes os
de melhor nota. E como porinfelicidade nossa te-
em-se inlrodasido na nossa lingua muitas palavras, e
idiotismos d*FronCeza para este contagio nao propa7
gar-se, e ir lavrando de mais, em mais, e poderem-
se alalhar lempo suas funeslasconequencias, seria
muito proveitoao, que os Professores analysassem al-
gumas obras moilernas, em que baja maior numero
das dtis palavras, ou locugoes, para as faseiem nolar


J
V
mmmm
e
era
nbo
i .'ees discpulos, hidicando-llies juntamente "naque
llies corresponden! em Pui tugue* eslreme. O 'r.an-
cizdeve lambem er ensillado pralicamente, dndo-
se aos Alumnos ltenlas tm Porluguez para verte-ls
naquclla lingua, e obrigmido-os, depois de lempo i a-
soavel, a fallar as Aulas- f Francez, sendo os Pro-
fessores, ou outros mais adiantados incumbidos de
llies corrigir os-rrosflre.
OLalim nao urna lingua to intil nem tlodlf-
ficil, como parece inculcar odilo Redactor, Nao
lioinulit; porque con1ril)ue omito nSo s para m-
Ihor conhecmonto da nossa, cujo vocabulario em-
grande parte dirivado daquella; comolambemp.ua
ucquis'co de muitas deas, queseachio derramadas
cni grande numero de obras modernas ate meado do
teculo passado, e por todas asanliga.% que produsi-
iu a beIIirosa Roma, ea sabia Alhenas: alemdoque
assi-iencias, mrmente asNturaeK, fasem riiprego
de muilos termos technicos derivados daqneHa lingua.
Nao queremos col isto'disr, qrfe &e aprenda o La-
t m para esa evei->e, porque seria desvario; mas sim,
que se aprenda tanto, quanto for nerssarlo para .-e
enlenderem seos excellerttes Bscriptores. Nem to
dificil; porque com anno, e meio deestudo, e tai-
vez menos, pode-se Tfqtrlr sufficienle lindura, nio
jH'lo melbodo, que usualmente se pratica, nem tam-
bem com o mo habito, a qoe nos temos avesado de
mandar cursar as Aulas de Litim pessoas, que gno-
lo tolalmente os lementos da gramtica Portuguesa.
Em anno, e meio se aprende Lalim plo melbodo- de
Du-Mai sais modificado, de que n dararaos algnma
noticia, se os limites desta obrinha nospermitissm ;
mas lalvez anda se offereca occasio de votvermos
esle objecto.
Quanto a Rhetorica nio desconhecemos ama es-
colha lano de Compendios, com de melbodo. O
Compendio, deque nosservimos Quintiliano, Au-
tor de pouco prestimo para nossas Aulas, assim por
seiescripto em Lalim, e Latm assas dilficulto^o, qne
nao esl ao alcance das pessoas que se applicfo a ste
esludo, como por s poder formar opritos j adran-
ladoana carreira sobre estar todo reclieado de forma-
lidades peculiares ao Foro Romano. Por todas efclas
ia>esTis quiririamos, que elle fosSe substituido por
um Compendio Portugus mettiodico, e c'ro fetto
ptnvum abalisado Piole sor constando mais 'deexem-
pK>s, que de pieceitos, etodos applicaveis ao nosso
Foro, Assembleas &c. Quereriamos tambera, que
nosrio liimtassemos a anahsar os Afilores- Latinos,
e admralos < e*gas; mas que se aitalysassem os nos-
sosClaasfcos, e se eotejassem entre si, e com aqnefles
paraecconlieceverh as vantagens de uns sobre os ou-
lros. Urna obra, ou discurso, que se anatysa, co-
mo um corpo, qire secsseca, para discubrir os-segre-
w da vida. Pela mdlyse f evdo-s Os meios, alie o
Autor em pregn paYa'Atcitr ero nos a cotnpal*, o
terror, o riso Ve. Urnibem t|tiaes as combinaos
que mais coneorrrSo para este fim. Qoanlo aos pn-
saroenlos, esbulhando-os de lodos os Ornatos O ato-
nos, em queestavo envoltos, e'redusindo-os mai-
or sirapbcidade, moslra-nos sua solidez, belle a, ou
iiovtdade, guando as teem, fas- ndo perder estas qua-
DIARIOT JE PEKNAlvftftJCO.
Pubicac&o Literal ia.
k^Ahio lu um compendio de Rhetorien em lingoa
vulgar exlrahido de Quintiliano, e Jernimo Soares
Barbosa : acha
Sarbosa : acha-se a venda pelo preco de duas patacas
nTprata, haPrnca da ludr^oJefi ... 57, 6 38, e
ra Olinda Botica do Sur. Pinheiro, ra do Amparo.
t.
sobrad ; na ra Nova l>. >ii; na ra da CVuz
obrado de 3 andares, que faz esquina dobero que vni
para o Hospital do Parado; na roa da Praia sobrado
que foi do falccido Luiz de Mello; e no Aterro i
Boa-vista N. %9.
c'a
rAVZOS PARTICULARES.
Onstando a este Juizo d'Auzentes axar-se o Efige-
(loianna grande, no soburbio dVsta ^Hl*, seta
i..isravSo, ir que mt-smo o actual Erdeiro nao sa-
tisfaz a annos a devida renda, por nao aaber qu ;'
e aendoeu inforinndo que dito Kngenlio tem gravado
em si honerozos dbitos, cujos Aeredores residem em
Portugal: cum^re-me, depob de scienlinrado por
meiod'este annuncio, mandar proceder sequestro, e
seguir os mais termos de Piassa por arrendamento trie-
nal, naconformidadeda Lei. Goianna 5 de Maio de
1835.
Jote Joaquim Roclia Faria.
Juiz d'Oifos e Auzentes da Commarca.
%ry Da-se 3o>$ rs, em prrta a premio, sendo o
palacio a razo de 1^700, sobre boa lirtna, ou pe-
nboresdeouro,eprala: na loja de Livros na Praca
dajnio N. 37, e38 se dir quem os tem.
fcy^No podendo deixar de mostrar o quanto me
atho agradecido pela muito boa companhia que me fi
zero na Cidade de S. F. de Bengulla, o pequeo
lempo qtuj naquella Cidadeoccopei o logar de Cirur-
giio Mor ; e pela mesm. forma os obsequios que den-
tro do dito lempo recebi dos mui D. Illms. Snrs.
Capillo Jusliniarto Jote dos Res, Man6el Joaquim
Caxprpe, Felippe da Lunha Valle, Manoel Rodrigues
da Silva, Manoel Antonio Velaseo, e rom parliculari-
dade olllm. Snr. Justiniaio Jfze dos Reii, mjes ob-
sequios deixei de receber, no momento que me foi
preciso forcozamenle desamparar a sua Barca Ligeira
Veiu pcrcisur ue 70u) reis a premio de duis
portento dirija-re. ra Nova D. 26 segundo andar :
dvertirdo-se que dilaquantia s se dar cora penho-
resdeouroe prata, ou em hipoteca em algum predio.
yf& Quem annunciou querer vender urna preU
coma corruicao de nem ser para lora da tena, e nem
para ra pelo Diario de 25 docoraeute : annuncie a
sua morada para ser procurada.
fc*~ Qaem liver de ir a Bahia, ou que l tnha
procuradores, e que sequeirao encarregar de urna c-
branca, contra o cazal do finado Joze Liborio de Sou-
t>, tendo parte na dita cobrnca, annuncie a sua ino-
rada, afira de se tratar, ou dirija-se a Cidade de Olin
da, ladeira do Varadouro, a subida lado esquerdo n.
37. *
(assim como os mais, em cuja companbia eti vinha) que no da 23 do corrente apareceu em sua caa t ve, a
figura queh na contextura do 'discurso, como prati-
ciooenossos Professores. Dever-se-hio indagar os
pensamentos, ideas, ou senlimeutos, mostrando sua
conformidade com a naturesa, sua peifeico, e dis
tincio, sua variedade, sua ulilidade, e outras pro-
priedadts incidente laes, como a sublimidade, belle-
sa, novi-i-de &c.; depois o melbodo, afraojo, e dis-
irmOTcio debes, deque t pode nascer o lucidus
ordo de Horacio.; e por ultimo examinar seh a
expreslo, ouhjcucSo considerando-* quanto a pure-
sa, claiesa, pveciso, melodia, elegancia, vivacidade,
lor?a, simplkidade, dignidade &c.: em fim uma-
alyse completa de todas as tres partes da Rbetoiica,
Invenclo, Dispo.'ico, EIocuqo, sendo obligado o
Piofessor anolar os defeilus, que houvei-em as o-
bras, que anab'sar, assim como a indicar suas belle-
sas. Cumpretambm, queosProfessores dem men-
salmenie seusdiscipulos Programenas sobre materi-
as interessantes para os desenvolvrein Oratoriamen-
te, devendo marcar llies osdefeilos, emque cabirem,
apuntando-Ibes as regias a que faltarem, e igualmente
ascircunslnciasinteressanles, queomittirem, an-
da Tm*mo e a malen'a o! hada por ou Ira facesubme-
inslraria maioreS vanlagens, lendo por ultimo o cui-
dado de Uies castigara dicjSo. A vista do que julga-
11101 conveniente, qtieos Alumnos aprendi pbiloso-
pbia racional, e moral antis de apienderem a Rhelo-
iica pois devemospensar anlcs de escreve'.
Sciibendi recle sapere esl, et orincipium, etfons
Ifor:
Continuar-se-ha.
do que desde ja Ihe dou os sinceros sentimentos : nao
aconteciendo as^im com a pessoa de EIRei Mldas, Joa-
quim Cmillo Perreira detalles, que pelo seu irregu-
lar procedimento e feroz genio, poz a Benguella reTol-
tosaeu me dei mui bem pela viagem, recebendo ma-
r vilboso tratamento pelo 1." Piloto da mesma Barca,
o Snr. Henrque :Jote Pestaa, enrarregado da boa
o dem da mesma Barca. Falta-me as expressoes para
Ihes pitenlear a corrpaix'o e o amor com que nos rece-
beo o Capilio da Galera Franeeta, no dia 20 de A-
bril do presente anno, continuando sempre com o
bom tratamento t o dia do nosso desembarque, o qual
leve lugar no dia 25 do mesmo mez. A Providencia
Divina, quiz que houvessem milhares d'borrores, e ,
de prejuizos para que eu viesse minb* Mi Patria, a
fim de continuar a gozar dotares que me dero o ser,
ficando de nenhum eTeito o continuamento da minha
derrota para Lisboa. Faco esta pelo prezente Diario,
por nao saber o destino, ou a certeza de suas estadas
em Benguella, em consequencia do estado das couzas
nella. .__
Rufino Luiz Henriques.a
Licom surpreza os rpiitos da Senbara D.
Macarrpneta de RabiolosSalchixa aos Snrs. encarre
cagados da subscripeo Portugueza, e nao goste <
tal senhorila por pedir humas coritas to miudas !
e isto cem toda a impef ialidade, mas os Snrs. da subs-
cripeo nio a devio desacreditar t,irito, por ser pro-
prio destas Sen horas l da estranja o querer saber de
ludo e enr-tudo fallar ; e para Vmcs. desfeilar essa
Senhorita (noque eu tenbo sumo prazar para nao se
metter naquillo que ni< Ihe deve importar porqu s-
soenooh que pixinxa .'!) deem ao publico, hdraa
lista da quaulia apurada, do saque que fizero, o dia
emque, da casa por onde, finalmente quanto existe
emcaixa ; feilo isto oh'Ceos que surra na tal Senho-
rita ente cortda de vergonha- se hir embrenbar ;
e Domine.
O Compadre Tranquilino.
Percisa-se alugar um preto, ou preta que soja
fiel para casa de hornero solteiro, /jue saihi cosinhar ;
quem o tver dirija-se a ra por detraz da ra Nova
casa que faz frente para a rna do Callabouco novo.
Antonio Rebello'da Silva. Pereira faz mib\kn
I!, a* J________^._ .;____:- u_ i v
Quera quizer urna ama de leile dirija-se
a rua do Fogo caza D. 2 que l se dir aonde el-
la r< zide.
yfJF Preciza-sede dinheiro a juros, dasse por
garante urna escrava parda que sabe ludo quanto
necessario "para arranjo de huma raza, ficando o
seo servico pelo dito juros; quem convier diija-se
o Pateo de S. Joze, D. 8, lado do nasecnte.
^r* Quem annunciou no Diario de Sabbado 23
do corrente ter urna escrava crila de 15 annos, de
bonita figura, e que a quer vender para a trra, dirija-
se ao atter/o da Boa-vista casa de Joio Francisco Stu-
tos de Siquira.
%ry Percisa-se de urna negra ou negro qne saibe
cosinhar toda esmida que for preciso : quem 'a tiver e
quizer alagtr dirija-se atrs da Matriz de Santo Anto-
nio D. 3.
fcy Quem percisar de urna ama para urna casa,
dirija-se ao pateo de S. Pedro loja do Oepozitario ge-
ral.
fcy Quem annciou no Diario d'henlem querer
vender mereteraya crila de i5 annos; dirija-se a
Pracinba do Livramento N. i4, 5. andar.
fc^r* Preciza-se alugar um sobrado de a andares,
com cmodos para grande familia, as principaes r-
as do Barro de S. Antonio; quem o tiver anuncie.
Quem anunciou no Diario d'hontem ter pa-

K
i
ra vender urna e->crava crila de i5 annos ; dirija-se
ao Aterro da Boa-visla sobrado D. 16; na rua do Co-
legio em ca de Feliciano Joaquim dos S intos; na rua
do J.ii'dini D. 9 ; na rna da Aurora no 1. andar do
negra, proeurando-o para a comprar, a.qnal 'diz'ser
escrava de Joze de Souza morador em Pa siria do1, e
como Ihe dice a dita negra que sta va fora de casa a
18 dias, eque se o anurnciante a nao quizesse comprar
que ella hia para outra parte por isso deixou-a ficar em
Sua casa, para se nio evadir pifa mais long^nia se
responsabilizando porefn por qualquer fuga.
%3* Trocio-se patacoes por cobre marcado por cin-
co patacas e quatro vintens, e tambora se troca sedu-
I las pelo mesmo cobre : na rua do Amparo sobrado n.
41, o qual tem padaria por baixo.
fcjr" A ab.ixo assignada, sendo sen hora e possui-
dora, por bom e justo titulo d'uma morada d" cazas
de sobrado d'um s an-^r na rua das Tnitfei-
ras D. 22 em que se acha morando a muito mais de
vinte annos com seus filbos os'quaes sao por raorte da
annunciante, substituidos herdeiros legatarios da dita
casa, foi esta penhorada em execuco de Sen tenca, que
contra Mara Thereza Joaquina Veloza eneamioba Ma-
noePRibeiro da Cunba OU reir ; e apezar de opor-
se a annunciante com seus embargos de 3. e pro.yar a
sua antiguidade e posse, fundada em bom e justd^itu-
lo, f i tella espoleada, por acordo difinilivo da He-
lacio doqual enterpuzera a annunciante recurro"de
revista. E porque a execuente, far progredir a sua
execuco ; eser arrematada a casa ; e para seguran-
ca de qualquer pessoa que houver de arrematara caza,
faz o prezente annuncio para saber acautelar-se, sobre
a restituico do dinheiro dado pela arrematadlo a ca-
za, na certeza de que a annunciante se for restituida
a posse de sua casa nada satisfar de bem feitorias ou
de alguma outra despeza e requerer o rembolco dos
alugueis como por direito Fie determinado.
Izabel Gncalves Paredes.
!C^ Quem percizar de um Brazileiro para caixeiro
de loja, eque sabe escrever e contarde bonscoslumes,'
o qual entende de padaria, annuncie.
V3P* Joze Joaquim Ribeiro, e Jacinto Jle Pavo,
com loja de Barbeiro na Praca da Independencia, fa-
z*n publico que na manh do dia 24 do corrente a-
charao a dita loja roubada. Constando o roubo d'hu*
ma pequea caxa de pinho, teudo dentro 24^000 rs.
era cobre, urna peca de madapollo, urna calca de pao
azul, e mais algumas couzas de pouca importancia,
perto de 40 vavalhas, a maior parte d ellas em estajos,
e a maior parte d'estes alheios : outras muitas couzas
miudas &c. Em razo d'este acontecimento, o pri-
meiro chamou pessoas conhecidas; para serem teste-
mnnbas sendo preciso, nicamente em razio do albeio,
(que Ibes foi roubado) para com seos donos.
^y Miguel Joze Ribeiro, faz sciente ao respeita-
vel publico,.que elle tem cedido administracio, e do-
minio, que lenha na sua Botica da rua do Queimado
D. 8 ao seu filho Miguel Joze Ribeiro Jnior o qual
i.
<
*
j MUTILADO


r
DE PMfNAMiTOCO

COMPRAS.
VENDAS.
IjM torno de medidas dep novas, e do noTo pa-
drfo : no beco da Gloria D. 1, do lado direito.
yy Caizn de meia arroba de vellas de sebo do
Mrto de 6 em lib., coslilbares de perco do porto, eAi-
( xas de queijos por preco muito commedo : no arma-
zem da ra da Cacimba n. 5, armaiera de Antonio
Joaqun) Pereira iodo para a Alfandega.
p Huma preta moca vistoza sabe cozer., faz
lavarinto, etngoma e cozinha bem : na mesma ca-
xa cima.
>jy Muzicadedepiano forte, com ou sem a-
compa n heroen to de flauta, clarineta baasf o re-
beca, militar &., por procos mu cmodos : ruado
Calabouco velho D. iO i. andar.
Urna poroto de pontae de boi, e cepim d-
|Jt|S Ordenacoes do Reino de Portugal anda sendo
mito velbas, cono tanto que do falte folhas ; a celle-
, todas Leis Portuguezas, ainda mesmo truncada, e
relhas e Agoa das Caldas do Jarez : quem tiver as
ibi editas cousas annuncie.
ary O 1. e 2.* Tomo da colleco das Leis Mi lita -
: na Tipografa da ra das Cruzes.
yy Urna gramroatica da lingua a le ma, e um dic-
cionario da mesma lingua para portuguez j quem os-
tiver annuncie, om dirjase a rual da ponte velha,
en cata d Herschel, defronte do Sur. Cato.
Rea obrgado a toda|pqnalqucr tranzaco que a misma
taza tenln. .,,
xJP" Percisa-te fallar com o snhor Ajudanle Mo-
noel Cor reta da Silva, o mesmo sen har, declare a sua
morada u faca favor aparecer no armazem da ra da
Cacimba n. 5 para negocio deseu inleresse.
t9* Perciza-se de urna ama que tenha bom teite ;
na fu da Independencia n. 4.
f/3p Dezeja-so saber quem c o dono de ama Cal-
dera que existe defronte da Alfandega entre- dois cai-
xoes de ferro com a marca M. D., e por baixo desta
marca--60--p^.ra se contratar negocio com a mesma ;
quem for seo dono dirija-so 'a casa de Joze Joaquim
deOliveira ra da Cruz ao.p do arco Bom Jezus
lado direito.
WP* Percisa-se de um menino de 10 12 annos de
i da de para companbia de um Estudante; achando-se
fpnigucm neslas lircumlan. i s annuncie por esta foiha.
($* Quem Ihe convier dar trezentos mil res por
tempo de seis mezes, bipolecando-se urna escrava me-
sa, parida pouco tempo com bomltite e comera, an-
nuncie pira ser procurado.
%C3r* Percisa-se de um menino de 12 a 14 annos
Eira caixeiro de urna padaria ; exlgo se que conheca
em dinheiro, e que d fiador sua conducta : na
padaria da, ra da Laraogeira l). 13.
10P Na mesma caza cima preiisi-se de um ho-
rneen livre ou captivo para trabalhar na maceira, ao
qual se o fie-rece bom ordenado.
jG>^ O abdixo assignado fz scienle ao respeilavel
publico, que pesso a!giroa pode contrariar negecio
com )cu Corris da Costa Scara, visto que nada pos
sue, e est de estado de demencia : e para que se nao
cha me m a ignorancia faz o presente aneuncio.
J. M. L.
NAVIOS A CARGA.
Para Lisboa.
JjEgue viagemeom a maiqr brevidade possivel o
Brigue Brazileiro Amparo por ter a maior parte de
sua carga prompta: quem no no mesmo quizer carr-
gar ou ir de passagem dirija-se ao armazem de ma-
cantes n. 6.
Para Liverpool.
yy Segu viagem o Brigue Ioglea Calharina Mae
Donald, quinta feira 28 do torrente.
Para Trieste.
y A Galera Inglesa Lady Stormont perfende se-
guir viagem al 10 de Junho : quem n'ella quizer car-
regar de 150a200 sacras de algodio ; dirija-se a casa |
de Jwhniton Patr &Comp., ruada Madre*de Dos.
viaircul :~iia ra Nova venda eo peda Ponte, D. 36.
tjy Aacile de can palo ftn ranada, ol a reta I lio
a i$6io rs. .* na ciliada, de Joo. de Barros, sitio de-
frnie do beco do e;piiiluUo, de J..ze C rra da Sha
Leurato. .
\&r* Urna caza leriia, pequea, sla alraz do Ca-
labouce velbo: na. roa do Arngfn N. ao5.
%^P" Urna qs/gra dei5, a i(5 annos, lavaje cr-
zinha o diario oe una caz.1: na ra do Colegio, >.. 5
andar do sobrado chi que mora o Tennlc Coronel
Manotrl Cavalcanle d' Albuquerque.
%y Urna pela cri'a de ao anuos, com um cria,
leni muito bom leitc, e faz lodo o servico de urna
na ra de Ji io de Barros L). 54, segundo au-
BU has boas: na Praca da Independencia N,
AMAS DE LEJTE.
^FUM preciVarde umn ama rom muilo, e bpm
cite ;^ii'ija-se aobeco lapido do P.i'.io da Matriz ca-
za D-4-
caza
dar.
ALUGUEIS.
, I .
/tLLi.UGA-3B nina caza tenia na Cdade d'Olinda
com bastantes cmodos-, quera'a p^rteiider anuncie.
-
uo,
j^V ib Pi|)as de excelaute a^oardeuic, a 8al*,
oiiardtiliwt e preco cmodo: un na do Fagundes U.
8, i. .andar.
jry Um eseravo com principio de capa I eiro: no
Palio d.> Carmo l'je de tai tartigueiro.
^W Urna ven 'a lelroulo da rilieira da Boa-visla,
com 5oo a 6oo^) r?. de f.iudo, e c< m^dns para pe-
quena familia*, amelado a dinheiro, e o resto sobre
Letras de boas firmas: na mesma.
jy Urna barcassa nova, acabada deponen, bem
ronslruida, a qual ach-se no E-laleiro da praia da
Riheira, iunjo ao armazem de sal: no mesmo e*la-
leir<<, a fallar rom Jofio Thomaz.
YW Um moleqne de 17 annos, capateiro: na ra
d'Orias D. 47.
jEp- Urna negra de 27 anno, que cozinha, ensa-
hoa, eTendena ra: na mesma.
%jry O Hiale S. Gonea'o Boa Sorlefc novo de
mustiuccio Brazil. ira, o quul se aeha fundiado de
fionle doTiapichedaComp. : f.llar com J. B.
Branco no seo Escrptorio no largo da Praga doConi-
mercio, ou emsua caza naxua de S. Goncalo na Boa-
visl. .
ajjp m mulato de poweaida-lo sem ouicio, enra
pretomoco, deservico de enchada : fallar com o
mesmo Branco. '
^y O mesmo J. B. Branco lem para vender fu-
lussa AmericanH nova de piimeira soile, barra gran-
de8. ,. .
? y* Xalis, lencos de setim de bom gosto, ditos de
loquim, de fii de in'Jio, e de cambraia bordados, e
lizos, cassas brancas, e de cores de varias qual.dades,
xitasdo padi oes modernos, panos fino, e ordinarios,
bicosde loda a qtuflidade, e mais fazendas, por prego
cmodo, e reoebe-sc cobre legal: na rus do Cabuga
loja do Mello.
/y Um par de esporas, de boa-piala, e bomlo
modelo, un/goldrs e arreios encastuados cm ouro
de le, urna chav com eorrenle de ouro para relogio,
um globo grande de t^o com correnles douradas,
nina pistola de alcance, ocolheres desoupa, Miras
difas de cha, e ronxa para assucar, Indo sem u/.o, e
boa prata; um par de dragonas para oflicial sobalier-
no de primeira Linha, com ponco uzo, e urna banda
de seda com borlas, e mais obras de bom 011ro: no
Pateo de S. Joze D. 8.
/y Carne s'-cca nova superior, cm partidas, o as
arrobos, por lodaja qualidade de dinheiro, sendo co-
bre legal, ouro, prata, ou sedulas: abordo do Bri-
gue Dido, ancorado junio as escadiuhas do Caes d Al-
fandega ; ou a caza do,Consignatario, L. A. Dubo-
urd], ra da Cadeia vellia N. 65.
^py Sebocm rama, em barricas de 7 a 8 arro-
bas : no armazem do Goncalo, no Caes d' Alf.mde-
yy UmPalanquim moderno: no Palio do Hos-
pital D. 91.
PERDAS.
E-deu-se urna ataca com pedra da pingos d'agoa,
redonda ouada no meo, com 12 fios de cootas do
Rio de Janeiro, Terdadeiras, desde a Solidado al a
Santa Cruz : quero a achare quizer restituir dirija-se
a ra do Rozario da Boa-vista lado direito D. 22, que
,abi se mostrar a irm, e se recompencar bem a quem
a ti ver ar hado.
yy. No da 19 do eorrente dasapareceuV um me-
nino pardo de idade de 6 annos, bonita figura, muito
esperto olhos grandes, por nome Rufino, e levou s-
mentecamisa: quem delle tiver noticia dirija-se a ra
da Crac loja que vende sola n. 8, que se dar as suas
alvcaras.
-------
ACHADOS.
9Pulquer pessooa quem faltar um cavallo com urna
cga!lia. Me a Miguel Bernardo Quinten o morador
m ra Nova D. 32, que ando os dsignaes e pagando
a desueza que ouver de ter' feto com o seu sustento
Ihe ser entregue, assim como se nao obrga a qualqurr
inconveniente que possa haver como de raorte ou fur-
to.
FURTO.
F.
Urtou-se nodia 9 para iodo eorrente doarialdo
Forte do Brum um cavallo mellado claro, cauda e di-
nas prelas, e estas bem aparadas, a cauda esloquiada
dop para a pona, figura pequea, idade de 8 anhos,
sem andares t qnero delle souber dirija-se a venda de.
3 portas junto a Igreja do Pillar, sonde receber 10^J>
res de premio.
ESCR A VOS FGIDOS.
S
-_,mo, reprezenta 24 annos, magro, estatura ordi-
naria, crilo, rosto pequen*, eacav^rada, pouca bar
ba, olhos fumacentos^ fgido no dia 22 do eorrente :
os aprehendedores levem-o a sua senbora na ra larga
do Rozario D. 2, que sero bem recoropeocados.
Hpjp Joze, est-tura ordinaria-, olhos grandes, rosto
comprido, as roadles do rosto altas, sem baib, t fu-
la, hombros largos, barrigudo, pernas finas, pez gran-
de, no p direito tero era vos, e as costas do lado es-
querdo lem um talho com urna risca ; fgido a 2 do
coireute : os aprehendedores levem-o a casa de Joze
Ribeiro do Aniaral ra do Cabug, que sero bem re-
oempencados.
$3* Bernardo, cabra, idade pouco mais ou menos
de 60 anuos, alio, cara comprtda, falto de de denles,
cambado, tem um olho varado, e nooutro um velide,
um lubinho grande em um hombro procurado o ca-
bello louro : de costume fugir para mato, e leva
anuos por ser bem falanlo e ineulcar-se forro : oaa-
prehendedores levem o a ra deHortasD. 30.
NOTICIAS MARTIMAS.
Taboas das mares cheias no P01X0 de Pernambuco.
29Segunda S 4 h. 6 m.
30 T:- 5-54
J 1_Q:----- l 5-- 18
-3 2-Q:----- 6 -- 6
3S:----- 5 6 -- 54
S 48: 7 -- 42
5-D: 8-30 a
Manb
Navio entrado no didft.\.
IjIVERPOOL; 46das-, B. Ing. Btlfoiiej, Cap.
Wm. Re : dile enles gneros.
Saludo no mesmo dia.
JHlIO FOR MOZO ; S. S. Joze Viajante, M. Henri-
que Carueiro deAlmeida : lastro.
Dia 25.
FALMOUTH; B. Ing. Anielope, Cap. J. Dal-
rymple.
ARACATIj S. Delmira, M. Joze Joaquim : di-
versos gneros. Passageiros i/f.'
PH1LADELPHIA; B. Amer. Ander, Cap. Amoj
rem D. Eraens: divercos genej-os.
7*ern. na Typ. do Diario 1835.
v
MELHOR EXEMF


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHMVW22FL_A33AOK INGEST_TIME 2013-03-29T17:31:29Z PACKAGE AA00011611_03326
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES