Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03317


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*.'

--r-
NANO DE 1835. SEXTA FEIRA
15 DE MA;o. N. 81.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
PnnNAMBuco, ka Tvp. i>r.Pi:n ni no c Farm. 1835.
das da semana.
11 Secunda S. A nnstacio M. aud. dos Js. do C. de m. e de t os da
T. I', e fh. de t
VI Terca S. Joanna P. Re. de m. e oiid. do J. de O. de t. La
ch. aos 53 ni- da t.
13 Quarta N. d s Mrtires se?sao da Thez. Pub.
14 Quinta S. Gil Re. de m. aud. do J. do C. de m. e
de t.
15 fiesta S. Izidro L. Ses. da T. P. de m e aud. do J. de O. de t-
16 Satinado S. Joao Neporaoccno Re. de m. aud. io V. G. dct.
mi Olinda.
17 Domingo. ?. Pa-coal.
reragag ss::^iie^^isnBB^T^^s^^t.^^avj^K*9istBt^sisi^ii' m&**!m sf^e^msarriEaapmssssBSfi
Turto agora (teperete de nos mesmos. Ha noss>a prudencia, mode-
raciio, e energa: continuemos como principiamos, e seremos a-
puntados com admrenlo entre as Nac.oes mais cultas.
Proclamado da Asiemhlta Geral do Bratil.
Subcrove-pc a 1000 r?. (neniaos pagos adiantados nesta Typog-ra-
'fia, c na Praca da Independencia N. 37 e 38 onde se re cebe m
con c pomlencias Irgalrsuda, e annuncios; inserindo-se estes gra-
tis sendo dos proprios asignantes, c vindo assignados.
PARTIDAS POS CORREIO?.
OIinda^-Todos os dia ao meio dia.
Goiana, Alhandra, Pi.raiba, Villa do Conde, Maman^u; pe, Pi
lar, UeaKrie S. Joo. Brejo TAreia, Painha, dl'omlial, Nova
Souza, ( i.lade do Nalal, Vil'as de Go:anninlia, o Novada Princ
za: Cidad da Fortaleza, Villas do Aquirs, Atoante mor ni r
Aracaty | ascavel, Canind, Granja, Imperatriz, 8< Remano
S. Joao do Prncipe, Sobrar, Nova d'Rtltey. Ico, S. Matheus, R
aehjdo sangue, Santo Antonio do J.irdim, Qncxeramobim, e Par
naiba Segundas e Sextas feirav ao m-.'io dia.
Santo Antao Todas as quartas friraS ao nielo dia.
Garaqhuns, e Bonito nos das 9 c 23 do mez ao meio da.
Floresno dia 13 de cada mez ao meio di--.
Serinliaem, Rio Formozo, e> Limeiras Segunda, Quartat, e
Sextas fe i ras'ao meio dia.
feBKMfajjP*asEgra
PERNAMBUCO.
Assemblea Provincial.
V>
Afta da 20. Sesso ordinaria da Assemb'ea Legisla-
tiva Provincial aos 4 de Maio de 1835.
JCiStando presentes 29 Srs. Deputados, faltando sem
dar piilecipaco o Snr. Dr. Gomes, o Sur. Presiden-
te ebrio a sesslo depon de pprovada a acta d'antece-
dente. O Snr. 1. Secretario leo as seguintes pepas :
o parecer da < ommisso de poderes, que achou confor-
me a acia geral o diploma do Snr. Deputado Doutor
Brilo, o qual immediatamenle prestou o juramento e
tomn assento : hum officio do Secretario do Governo,
incluso bum mapp-t da organisaco dls Guardas Naoi-
onars. o qual fui remellido ccmnjiswo dos negocios
das Guardas Nacionaes : bum requrimento de Fran-
cisco Pedro Bandeira de Mello, pedindo o despacho
de seu requrimento, ero que pede quea'commisso de
poderes baja de combinar todas as actas parciaes dos dif-
ireme collcgios. Entrou em discusso se o Secretario
be quem devia dar destino aos requerimentos, ou se a
commisso de petites, etendo-se resolvido, que o Sr.
Io Secretario desse destino s peliioes, foi logo pelo
mesmo Snr. 1." Secretario remettida a dita petico de
Francisco Pedro Bandiira commisso de poderes :
leo mais o Snr. 1. Secretario hum requrimento do
Juiz de Paz do desluci da colonia de Paja de Flore?,
o qual foi a commisso dos negocios Eocle'sia.sticos : ou-
tro rtqu -rimento do porteiro da cseola do Ensino mu-
tuo pedindo vencimenlo de ordenado nos das S-mlos
e feriados, o qual foi a commisso de instruco publi-
ca : oulro requrimento da Ismandade do Sacramento
do Bairro de Santo Antonio, .pedindo diviso da Pa-
roquia, o qual foi commisso de cstalislica : huma
representaco dos habitantes da Frecen, de Puique,
queixando-se do seu Paroehojser inimigo do systema
Constitucional, o qual foi a commisso dos negocios
Erelesiaslicos bum requrimento de Manoel Antonio
d'Ass#mpco Cardin, Professor do Curato da S de
"OTTnda, pedindo huma'gratificacSo ao seu ordenado, o
qual loi a commisso de instruco publica. O Snr.
Deputado Padre Gama requereo, que se officiasse ao
Exm. Presidente da Provincia para mandar abrir o
varadoiro para expedido das goas do Rio Bibiribe,
como ja havia resolvido a Assemblea Geral por propos-
ta doConselho de Provincia, porem o Snr. Deputado
Dr. Urbano requereo adiamento para se vera resolu-
to d'Assemblea Geral a respeilo, e fui approvado o
adiamento. Tivero a segunda leitur, eforo consi-
derados objecto de deliberaco os seguintes projeclos :
pnmeiro que auclorija ajubilaro dos Prefessores, que
tendo servido por 20 annos, tiverem depois alguma
impossibilidade : o segundo, queautorisa o Presiden-
te da Provincia para crear huma commisso, para mar
car as qualidades do assucar. Entrou em discusso o
Ipi-Pcer da commisso dos nego.ios das Cmaras a res-
peilo de huma proposta da Cmara de Cimbres, o
qual parecer foi, que se devia remetter commiso de
legislarlo, foi approvado. Entrou era discusso ou-
tro parece/ da mesma commisso a respeilo de huma
proposta da mesma Cmara de Cimbres, em que que:
queaquelle Termo tenha o seu Conselho de Jurado
-dependente da sua reunio cora as Villas do Brej",
cGaranhuns, o qual parecer foi, que se devia remet-
ter a commisso de eslitistica, e foi
\Ei
approvado.
EnS
trou em discusso o parecer da commisso de Policia a
respeilo dos ajustes com o Redactor do Diario d'admi-
nistraco. Snr. Deputado Ancora na 3." condko
fez a emenda spguinteexcppto as actas que se copia
rao n'Assemblea, porem o Snr. Deputado- Francisco
Cavalcanti (pz a seguinte emenda, que foi approvada-
que se'lhe franqueie exclusivamente no Archivo os
autgrafos para serem copiados. O 5nr. Deputado
Doutor Urbano requereo que por intermedio do Pre-
sidente se pedisse ao Exm. Bispo, ou seu Substituto o
original, ou copia da instituico do recolhiioento de
Nossa Snr.* da Gloria, e foi approvado. Entrou em
discusso o projecto sobre a creaco do istimo, quo
tinha si Jo dado pira ordem do dia. O Snr. Depu-
tado Ancora offereceo huma emenda substitutiva des-
de o primeiro art. at o 6." inclusive, auclorisando
nesta emenda o Governo para mandar proceder as pia-
las, planos, e orea mritos das obras necessarias a o.
Ihoramento do Porto ; e entrando em discusso f
os artigos offerecidos pelo mesmo Senhor Dep
Ancora foro approvados. Entrou depois em disco"
sao o art. 8. do projecto, o Snr. Deputado Padre Ga-
ma requereo adiamento para a Assemblea ver qual
era o plano, de que faz menco o mesmo art. : porem
nao fui approvado o adiamento e entrando em discus-
soo dito art. o Snr. Deputado Francisco Cavalcanti,
em seu lugar foz o seguinte requrimento que foi ap-
provado.Em lug*r do art. 8. diga-se que o Exm.
Presidente ordene a Cmara de Olinda, que ponha
em execuco o art. 5, 15, e 16 da Lei de 29 de Agos-
to de 1828 a resppito do alagado do rio Bibiribe, en-
trou depois em discusso o art. 9 do mesmo projecto,
nao foi approvado, passando 3." discusso a emenda
do Snr. Deput-ido Ancora. Entrou em 2.* discusso
o projecto 5.', porem o Snr. Deputado Francisco Ca-
valcanti requereo o adiamento at que se visse na The-
souraria ou Secretaria do Governo o Alva', quees-
thbeleceo o privilegio, foi approvado. Entrou em
2.* discusso o projecto G. sobre a extinco dos em-
pregos de Depositario Geral, e Thesoureiro de Or-
laos, e ausentes, o qual ficou adiado por ter dado a
hora. O Snr. PresiJenle, dando para ordem do dia
a continuaco da discusso do mesmo projecto e a 1.*
discusso do projecto 9, ea 2.'dos projecto 10, ell.
e levantou a sesso pelas duas horas da tarde.
Tliomaz Antonio A/acial Alunteiro, Prez.
Lawentino Antonio Moreira da Carvalho, ." Se-
cretario.
Dr. Francisco de Paula Baptista, 2 o Secretario.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Continuaco do expediente do dia 11.
Mr OrtariaAo Director do Arsenal de Guerra, para
fazer apromptar cera brevidade seis bancos que possa
cada um recebpr 7 a 8 pessoas, entregando-os depois
de feitos ao Lente do Botnica Joaquina Jernimo Ser-
pa.
Officio- Ao Lente de Botnica, communicando-
Ihe o contheudo da precedente Portara.
PortaritAo Commandanle das F. Martimas,
para completir a guarnico do Paquete Feliz.
__OmcoAo Commandanle do Paquete Felj^, r-
municando Ihs o contheudo da precedente Portara, JJ
1 LFGVEL
?ortaraAo Director do Arsend de Guerra pi-
ra fazer embarcar abordo da Sumaca Bom fia as 5 oai-
x6's com 21 ps da planta fruta Pao, que recebeu do
Jirdim Botnico, pira serem reroetlido- Illia de Fer-
nando.
Ao Meslre da Sumaca sobredita, para receber
oscaixoes dequetracta a antecedente Portara, e en-
tregal-os ao Commandanle da Ilha de Fernando.
Dia 12.
Pode V. S. remetter para ter Praca na marinha
esse Indio de nome Manoel Francisco d'Oliveira^ue*
diz em seu officio de 9 do corrente ser moco, gordo?
bem desposto, solteiro, e muito gil, e sem nenhutoa
ulil oceupaco. Devo advertir a V. S., que pela Le
de 26 deOulubro de 1831 o uzo de pistollas, baca-
martes &c. he punido, nao com prizao simples ; mas
com priso com trabalhos *, e nao era da sua competen-
c^sentenciar como fez a esse mesmo Indio em 60 di-
arfk prizlo que ja cumpriu pelo crime de trazer ba-
aroarte, faca de ponta, furto de cavado de estribara
sellado e arreado de prata, e mais outros trastes.
Curopre ser demasiadamente escrupuloso no exerccio
das funco.'s de Juiz, perguntar, consultar, e aconse-
Ihar-se antes de obrar, e principalmente qd houver
de impor pena. Dos Guarde a V. S. P. do G. de
P. 12 de Maio de 1835.Vicente Thomai Pires de
Figueredo CamargoSnr. Bernardo Joze Fernandes
de S, Juiz de Paz do 1.* Destricto de Goian-
na.
Para deferir a representaco que a este Coverno
dirigi o Juiz de Paz suspenso de Paratibe Manoel
Ignacio Bezerra de Mello, requerendo ser reentrega-
do no exercicio das funcoes de Juiz de Paz de que lo-
ra suspenso pelo meo Antecessor, como conivente
rom os sediciosos de Marco prximo passado, aos qua-
esconstou o mesmo G. que elle prestara ajuda, socor-
ro, c favor, cumpre que V. S. informe qual foi o re-
sultado do Processo que contra o Juiz de Paz mencio-
nado Ihc foi ordenado de mandar fazer por Portara
de 28 d'aquelle mesmo mez, e officio de 9 de Abril p.
p. Dos Guarde a V. S. Palacio do Governo de Per-
nambuco 12 de Maio de 1835. Vicente Thomaz Pires
de Figueredo CamargoSnr. Joaquim Nuues Macha-
do, Juiz de Direito Chefe de Policia.
Se V. S., como pondera em seu officio, que arabo
de receber entende nao estarem comprehendidos na
disposico do Artigo 5 do Decreto de 12 de Abril de
1832 os 16 Africanos aqui entrados na Galera Tosca-
a ; e assim entende na presenca do 1.a do Art. 1.
da Carta de Lei de 7 do Novembro de 1831, proce-
da como de Direito Ihe parecer, nao competindo ao
Governo, e sim a Assemblea Geral Legislativa a inter-
prelacao das Leis. Dos Guarde a V. S. Palacio do
Governo de Pernambuco la de Maio de 1835Vi-
cente Thomaz Pires de Figueredo CamargoSnr. Jo-
aquim Nunes Machado, Juiz de Direito Chefe de
Policia.
Officio-Ao Exm. Commandanle das
Armas dizendo-lhe ; que o Governo nao
perdoou-, per que nao podia perdoar a
dfserco dos Soldados de Fernando Fran-
cisco Joze dos Santos, e Joaqnirn de 8-
Auna Franco de que faz mer^o o offi-
cio de S Ex., queacompanlia o do Coin-
m unanlo em Chefe em que pede cschi'


w- -
jrT
s
DIARIO DB^TMTVAiMBCO.
a
*
recimenlos sobre as notas que nos res-
pectivos assentos tem que fuzer a crea
""estes Soldados ; mas que ignorando que
riles eram desertores mandn os a S.
u.' ....un miilllini im uwc os ii*>

se castigar pela taita de pequea auzencia
que diceram haviam feito do Acampamen
to, e de que se arrependiam,: que agora que
- o Governo sabe que eiles sao desertores s
Ihe cumpre ordeinnar que srjart punidos
segundo a Le que jamis quer e nun-
ca quis infringir e nein consentir que a
infrinjan ; acressenlando que bem tez o
Commandante em Chefc'eni reprezentar ,
su'spcndendo a execucao da primeira or-
dem e que S. Ex. responda ao mesrno
Commandante em Chele no sentido do pre-
sente officio louvando Ihe o respeito que
tem a Lei e zelo pela sua execucao,
Ao mesmo ; communicando Ihe que
na dala (rstese expediu ordem ao Alferes
Joaquim Guedes de Quiuhones para
recolher-se a esta Cidade ; vista a suspen-
do do Ratalho das G. N. da Villa de
Guia una rara o qual esta va nomeado
instructor.
.Portara r- A o Alteres Qiiinhones de
que tracla o officio antecedente, para se
recolher a esta Cidade e aprzentar-se ao
Exm. Commandante das Armas.
Ao Inspector da Thezouraria com-
nuinicand(-He4q''0 Alferes Quinhones nao
* ctiegon a ler o exercicio de Instructor do
" Ratalho de G. N. da Villa de Goianna.
Portara ao Con i na nd. das For-
jas Mari Irmas, para em pregar em alguma
(bs en>barcacoens de Guerra o 2. Te-
nente da Armada Mantel Coelho Cin.tra ,
visto que o Governo aceilou a remufei
que estava.
Ao Inspector do Arsenal de Guerra,
para informar com urgencia si no mes-
mo Arsenal existem baHas inuteis ou
antros quaes quer ferros Vemos que pos-
sam servir para lastro.
__ Ao Oficial de Semana as ordena do
(Joverno, para fazer embarcar na Sumaca
une est a partir para Fernando o Suida-
do de primeira Linha Joaquim Joze do
Nasci ment.
Da 13
Portara Ao Commandante do Pa-
quete Feliz, afim de transportar para a
Provincia da Parahiba, e ali entregar a
ordem do Exm. Prezidente respectivo os
prezos de Justina Gonsalo de Barros Ma
rinho, Joo da Rocha Muniz, Antonio da
Cunceico, e Pedro, preto escravo de Jo-
ao Genne, que Ihe sero remeltrdos pelo
Oficial empregado as ordens do Governo.
Officio Ao Exm. Prezidente da
Parahiba, communicando Me a remessa
dos prezos, que menciona a precedente
Portara.
i Portara Ao Director do Arsenal de
Guerri, para entregar ao Commandante
do Paquete Feliz a feixadura de broca com
seis dobradices, que se mandaram apromp
tar para a Provincia iht Rio Grande do
Norte.
Ao Commandante do Paquete Feliz,
para roceber a eixadura, e dobradices
mencionadas na precedente Portara.
Officio- Ao Exm. Prezidente do Rio
Grande do Norte, communicando-lhe, qne,
segundo o disposto na Lei de 3 de Outu-
brode 1834, acha-se governando esta Pro-
vincia de P&ttiXttttmrf O Exm. Sur. Vice-
Prezidente Ttceft Th<##tat Pites de Fi-
gueredo Cnmrjpr, tyie o#fVrt*C* toda a sua
coadjuvacai no e parlecipafi&aTfra!gg da feixadura
e dobradices de pe tratam as pecas pre-
cedentes.
Ao Exm. Commandante das Armas
emiando Ihe as reacoens, que requizitou
o Camandante em Chefe em officio de 7
do corrente.
Continuar-se d. '
Upexoes d cerca da Villa de Gotana.
e\
E sobremaneira la menta vel o estado,
em que actualmente se ncha a Villa de
Goianna. A intriga que infelizmente
ali se desenvolveo h pouco tempo tem
ido por diante de hum modo horroroso e
o infernal espirito de partido va i produ-
zindo todos os tristes effitos da vinganea.
A Justiea n'aquella Villa bem longe de
preheneher a sua instituido salntar ora
so serve de dar largas a paixoes e inte-
resses particulares*
Sao j muitas as familias que d'ali
querem dezertar como sejo as dos Loy-
olas, e Amidas e nos asseverro pea-
soas afeudas que o mesmo Parodio deze-
ja anciosamente mudar se para esta Capi-
tal a fim de se subtrahir ao recontro de
tantas intrigas finalmente j passao mui-
to de cem as pessoas fogidas de Goiana ,
como se fra huma povoaco empestada.
Os processos ali muitiprico-se espantosa-
mente e com tao escandalosa parcialida-
que para ser procurado cuidadosamen-
e prezo basta ser conhecido morador
os predios e ate conductor de effeitos de
taes e taes individuos. Em que penuria
est aquella pobre Villa Em Home da
Lei sob a cor de zelo pela ordem publi-
ca promove Be o abandono de huma
Villa outr'ora lo florecente derrama se
o desgosto as familias, e plantase larga
mo a sement da discordia.
Goiana h mister quem saiba aquietar
os nimos grandememente inflamados e
chamar todos ordem : pelo que mui con-
veniente nos parree que o Exm. Sr. Vi-
ce-Prezidente nomee para ali hum Juiz
de Direito interino homem pacifico e
prudente qne seja capaz de congracar
todos os partidos, e fazer cessar e^ses a-
busos na administra cao da Jnnstica co-
mo tao geitosa e acertadamente tem sa-
bido praticar no Limoeiro o Sr. Firmino
Pereira Monteiro: do contrario teremos
de ver com horror soltaren*-se ali. os
diques guerra civil baratearem se os
homicidios como j se estrerao na pes-
soa doSr. Viana ; por que o homem na-
turalmente vingativo muito mais se tor-
na sendo perseguido.
Nos cusamos lembrar a S. Ex. que
tal vez seja capaz de preheneher essa tarefa
o Sr. Bacharel Gemihiano de Moraes
Navarro que se acha desempregado in-
justamente que nos parece homem si-
zudo e prudente.
E
DIVERf AS REPARTICO'ES.
Pulicia.
Xm- Sr. Combinando o Decreto
de l de Abril 1S"42 com a; lei de 7 de
Novemhrode 1831 axei dever fazer a
V. Ex. algumas reflexoes., sobre cum-
plimento do officio de V.'Ex. de 8 do
corrente em resposta ao meo de 6 ; e sao
rilas que alein de parecer-me que os
16 Africanos, aprehendidos abordo da
Galera Toscana nao esto com preen-
cdsna* dispozco ao art. 5 do Decreto ,
que diz pr*ts qe esliverem as
circanstancias da Lei a qual excepta
desuas dispozicoes osescravos matriculados
no servico de Enbarca;oe8 pertencentes
a Paiz aonde a e^cravido he permelida ,
em cujo cazo eatao os de que se tracta ;
pelo que he inxequivel a dispo/Jeao
do 2. membro do artigo 5 do Decreto ,
ao (pie acresce ser alguma coiza dura ,
poma linha dos em portadores, aquelle
que forcado por um cr extraordinario ,
e sobre as suas torcas qul o naufragio ,
veio aportar s nossas praias, Eu assen-
to pois^ue com o termo de responsabelidar-
de assignado-pelo Vice^Cousul Porluguez,
que se compromete a reexportar ditos A-
fi canos, tem satisfeiW a.Lei, cumprin-
do se da parte da Polica o disposto no
1. periodo 2. do art. 1. da Lei
de 7 de Novembro. Com a resposta de
V. Ex. porei em execusso o que a res-
peito me incumbe a Lei. Dos Guarde a
V. Ex. Recite II de Maio de 1835.
Illm., e Exm. Sr. Vicente Tlioma* Pires
deFigueredo Camargo Vice Preziden-
te. Joaquim Nunes Maxado.
Exm. Sr. Satisfazendo ao con-
teudo no officio de V. Ex. de hontem ,
relativo ao Jiiz de Paz suspenso de Para-
tibe Mapoel Ignacio Bizerra de Mello,
tenho a dizer que nao tive partecipaco al-
guma do resultado do processo que man-
dei formar e suponho que talvez se nao
tenfia formado ainda por quanto por du-
as veze3 me vierao recambiados os oficios
que a semelhante respeito derig ao Juiz
de Paz Supplente ; mas se o processo L.
formado he prezumivel que tivesse o mes-
mo resu'tado que osoutros que sej>roce-
dero pelo mesmo motivo. Dos Guarde
a V. Ex. Recife 13 de Maio de 1835.
Illm. Exm. Sr. Yieente Tilomas Pires de
Figueredo Camargo, Vice Prezidente.
Joaquim Nunes Maxado, Chefe de Polcia.
-* Exm. Sr. Levo ao conhecimen -
to de V. Ex. o hclnzo requerimento de
Francisco de Santa Clara #Soldado de
primeira Linha para V. Ex. resolte^;!
bre elle o que entender de justiea ; pois que
o seo pedido nada me diz respeito ; e nein
o facto acnzado ofendeo a minha Authori-
dade por isso que dito Soldado hontem
he que foi posto a minha despozieao. D-
os Guarde a V, Ex. Recife 13 de Maio
de 1835. Illm. e Exm. Sr. Joze Joa-
quim Coelho Commandante das Armas.
Joaquim Nunes Maxado
A,
Correio.
Leo-
XT..
_S mallas dos Paquetes Feliz e
pbldina ol.c paraos Porlos do
e o 2. para os do Sul sao entregues
boje (15) as 3 horas da tarde.
CORRESPONDENCIA.
- ~-*\
Srs. Redactores.
A^Cabo de ler no Aristarco n. 6 ,



DIARtO DE PERNAMBCO.
I ft MI II II
3
_.______
furnia cxpozico critica da minha despedi-
da da Assemblea Provincial rexiada ,
como a cubeca do 9eu autor de contra-
ditorios inepcias e fasidades ; e com
quanlo Me devesse agradecer a considera-
cao que me d tal vee setn o querer,
quando olha como importante a minha
retirada e esta como liuai precedente
funesto para os progresos da nascenle Ins-
tiluwjao hayendo alias mais de 400 De-
putados Suplentes que m'lhor do que
en podiao oceupar o assento que eu
larga va : todava nao me honrando a
consideraba* que o Aristarco me quis
dar e nem desunrandome as suas inve-
ctivas e menos os epithetos insultnozos ,
com Qte as teceu por-isso que ein huma
trra, lia pequea como cita nao po-
demos deixar de ser bem condecidos do
Publico entrego huma e outra coiza
ao devido desprezo.
Como porm possa lia ver alguem ,
que iludkio por hum semelhante palavri-
ado e ignorante dos verdadeiros motivos,
que meobrigaro a largar to honrozo lu
liar, baja de atribuir a minha retirada
carotas diferentes e minha jiouca re-
fle^'o e esteja eu obrigado como hum
dos L*eputadus nomeados para Assemblea
d'esta provincia a dar conta ao Publi-
co da minha conducta parlamentar,' for-
sozo he que leve consideracao do mes-
mo Publico I. c o officio por copia ,
junto, que-derigiao Illm. 'Secretario Ida
inesma Assemblea para melhor confie*
cer se o motivo que teve a minha retira-
da e que este em lugar de xeirar a or*
gulho como me emputa o Aristarco ,
prova pelo contrario o conbecimento que
tenho da minha propria fraqueza : 2. ,
que com quanlo eu tenha algum amor
proprio isto he que preze a minha di-
gnidade de hornera todava este meu a-
mor proprio ja mais se rezolveu ou se
rezolver em orgulho isto he eni amor
de mina proprio com desprezo de meu se-
melhante como acontece com alguns dos
nossos fidalgos d'antes d'ontem que nao
dao assento, e nem conhecern os pren-
les que sao de diferente cor se nao
quando dViles preciso para grangearem
votos para qualquer emprego popular, por
nao lerem o merecimenlo pessoal necessa-
rio para o consegurem : 3. que a-
lem das razoes espendidas no meo officio ,
o meu pa^iotismo de per s so* me ebriga-
ra 3 largar o lugar que oceupava na As-
semblea ; por isso que tendo se desen*
volvido na menora dissedente hum espe-
rito de pueril ', desprezivel revalidade a,
meu respeito, a ponto de seus Membros
seduzirem alguns da maioria para vo-
taren) contra todos os meus projectos a-
inda que de interesse geral e particular-
mente os que tocavo nos seus interesses
particulares ou dos-seus prenles e apa-
niguados como o do tabaco do Depo-
zitario geral do rmazem alfandegado ,
do cobre e melhorauento de porto & ,
era de esperar que amortecida essa riva-
lidade com a minha ausencia, passasse ao
menos algum projecto de enteresse geral,
para apadrinhar o projecto de lei sobre a
ftfstevidade do da I. de Abril quando
sobissem a sancao : 4. que he verdade ,
que muito me enjuou a discuco sobre o
projecto do cobre, em primeiro lugar,
pelo desconcert de alguns Senhores Depu-
tados quando impugnando o meu proje-
cto pela sua ilegcflklade o que alias eu
nunca duvidei e so sustentei a sua neces-
sidade > cuino prova o esboco da represen-
tacao a Assemblea Geral que eu lia va
minutado, e unido ao mesmo projecto ,
snslentarao ao mismo Lempo/ que esta As-
semblea podia em teze decretar sobre
a mueda de cobre, e a presenta rao diver-
sos projectos de lei a respeito da mesura
moeda de cobre quando eu tao smente
o propuuha ltenla a urgencia das cir-
cunstancias e assiin mesmo o sugeilava
a provacuo da Assemblea Geral ; e em
segundo que muito me enjuou igualmen-
te a segunda discuco d'este projecto pe-
lo contradilorio de alguns Senhores Dispu-
tados quando, volando que se dvia
principiar pela descucao do art. 6. ,
como a baze de todo projecto para se
poupar o'traballio da discuco dos ait. 1 a
5 como regutamentares se o art. 6 nao
passasse no que concordei forao os mes-
mos que depois de cair oarl. 6 e dizer
eu mesmo que os outros eslavao preju-
dicados forao os mesmos digo que sus-
tenta rao e volarao que nao estavao.
Todava nao obstante estes, e outros dis-
concerlos nada saio da minha boca que
fosse indigno de inim ou do lugar, que
oceupava como melhor deve conslar de
suas Actas. Estes tactos bastao para con-
vencer o respeitavel Publico da leviar.da-
de e falsidade com que falla o Aristar-
co para me fazer odiozo e exaltar o
seu novo idolo quando me imputa ter eu
insultado a Assemblea e exprobrado '
caprixo ,*e prevencoes ; salvo se o
tarco em sua confucao mental e
por insulto ter eu dito, moralizando
meus filhos sobre a natureza dos corpos
collectivos, que suposto elles sejo neces
sarios para fazerem frente com a sua
forsa moral s aberraces do Executivo,
e legislar em com mais madureza sobre
os interesses Nacionaes ; com tudo em
quanlo os Povos as suas elleicoes, se
deixare/fi seduzir por empenhos e nao
escolherera para seus Representantes ho-
mens que em lugar de tratarem dos in-
teresses geraes da Naco procurao o lu-
gar de Deputado como hum emprego lu-
crativo e para curarem de seus interes-
ses particulares, nada devem esperar d'es-
sas Assembleas alem da grandioza des-
peza que com ellas fasem como a espe-
riencia tem mostrado, e vai mostrando
com a nossa Assemblea Provincial a pe-
zar de contar entre seus Membros mu i tos
Cdacaos verdaderamente Patriotas e A-
migos da: boa ordem publica. Se o Aris-
tarco porem para me enjuriar confunde tao
diferentes ideas nao Iludir por certo o
Publico refWctido e nem ja mais poder
manxar o conceito que tenho merecido
dos meus Concidados.
Entretanto transcrevendo esta e a
copia do meu officio muito obrigar a este
seu
Venerador e Criado.
S C. 11 de Maio
de 1835.
Gervazio Ptres Ferreira.
c,
Opia. Illm. Sr. Participo V.
S. para o fazer prezente Cmara dos Se-
nhores Deputados Provinciaes q ue com
quanlo o meu patri*'lisino e a una da
clleico quede mm se fez para Deputa-
do iludindo mecom a lizongeira esperan-
za de poder concorrer para o melhoramen-
to de alguns arliges da Administraco Pu-
blica desta Provincia me obrigasse t a-
pezar da minia idade e do nicu estado
vletudenario a acceitar to importante
commissao ; todava reconhecendo pov
experiencia propria que a fraqueza do
meu espirito fruto ordinario das maiores
idades inutiliza va lodos os meus bons de-
srjos forcozo me he largar o assento ,
que deve ser prelienxido por quem melhor
possa curar dos interesses dcsta Provincia.
Dos Guarde a V. S. muitos anuos. Boa
Vista 29 de Abril de 1835. Sr. Lat*
rentino Antonio Moreira de Carvalho 1.
Secrelaro. Gervazio Pires Ferreirai
Si
Publicaqao pedido.
PROJECTO.
Endo cerlo, que na Coll^ao de duas
Leis loma se Hulla a mais iraca, do mesmo
modo que na ordem physea apparecendo
a mior forca cessa a menor; sendo igual-
mente indubitavel, que a lelra da Lei al-
gumas vezes mata, em quanlo o seu espi-
rito he sempre vivifican te; e final senJo
evidente e gravi&sima a necessidade de ar-
redar de nos o terrivel flagello da moeda
de cobre, que tem reduzdo ao maior afo-
ro a paciencia dos Habitantes desta Pro?
vincia, cuja Salvaco he I^ei Suprema,
nao se podendo jamis duvidar da Approva-
seniblea Geral semelhante respei-
jara dos Deputados Provinciaes
. Dentro do prajso de dous me-
Thiprorogaveis 9er recolhida toda a
moeda de cobre actualmente em circula-
<;o, e segundo o seu valor intrnseco,
Tbezouraria da Provincia.
Art. 2.aA moeda de cobre recolhida
ser substituida por Conhecimentos Provin-
ciaes na forma, dos q' ataqui tem sido euii-
tidos^no excedeudo todava cada hum o
valor de dez mil res, nem sendo menor de
quinhentos mil reis*
Art. 3. Para as mflis pequeas trans-
a9oes das Esta^oes Publicas e do Mercado
ficar servindo a moeda velha carimbada
nicamente, sendo emitlida, a que houver
no'Thezotro, e podendo ser conservada, a
que Liverem os particulares.
Art. 4. A moeda de cobret que appa-
recer depois desta I>e, excepto a do arti-
go antecedente, ser tomada por perdida,
e processados os seus possuidores.
Art. 5. A totalidade da moeda reco-
lhida ser enviada quanto antes ao Minis-
tro da Fazenda para voltar no valor, que
approvej Assemblea Geral Legislativa.
Art. 6. Fico revogadas todas as dis-
posH;oes em contrario.
Paco d'Assemblea de Pernambuco enr
3 de Abril de 1835.
O Deputado Joo Rodrigues d'Araujo.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta he a mesma do N." 70.
AVIZOS PARTICULARES.
/a Sumaca Paqaela do Rio verificar a sua sahida
p.tra o Rio de Janeiro no dio 15 do presente mei; os
J


r' "' "* ,' 'y- 'w
DIARIO DE PER XA VI BUCO
senhores passageiros, c earrrgadorrs da mesma pode-
r diiigir-seaGuadino Agoslinho de Barros.
I I3* A pessoa que aiuiuuciou querer comprar um
[Diccionario porttil Francez e He.-panhol, dirija-se a
esta Tipografa que se Ihe dir quem vende.
tJ^" Luiz Joze da Fonceca, lendo se retirado des-
saCidade, para a de Lisboa por motivos de molestia, e
nao podendo pessoalroenre dc*pedir-se da maior parte
de seus amigos pelo cstaJo dv sur. r.aude, c a eslrele-
za do tempo Ihe nao dac-lugar ; o faz por meio dYsle
ugradeeendocordi Imente a todos os senhores Brazi-
eiros- que durante sua estada nesla", o trarhro com
acolhinnntoeamiz.de. Oulro sim manifesta ao res-
pcitavel Pub'ico, que a sua Loja da ra da Cadeia ve-
lha n. 51, continua no mesmo estabelecimento debai-
xo da firma de Fonceca & Comp.
tF3 A pessoa que precisar de um esiravo padeiro
por aluguer.dirijascaoAff. gido a fallar com o Es-
crivo de paz.
tpy Os Collectorcs da Decima dos Predios Urba-
nos do Bairro de Santo Antonio, Recife, e Bo<-vi>ia,
e enrarregados da cobranca do novo Imposto, avizio
pilo p ezente aosCollectados de Impostes, que no dia
15'docorrente em diante ter principio arrecadaco
dos mesnos perteneenteno anno financeiro de 1834,
a 1835 ; asiim como que findo o prazo da Le executa-
rao a iodos que dcixarem de pagar.
^^ Ptrgunta se se o Collector da Decima do Bair-
roda Boa-vista, .pode igualmente exercer o empre-
go de Fiel do Armaren da Alf^ndega das Fazeridas,
quando a Lei prohibe mui expressnmenle, que qual-
quer individuo possa acomular dois emprpgos.
O Perguntador.
Aoba-se em poder de Jacinta Ignacia da Fon-
cera um crucifixo deouro, com doze palmos de cor-
dio, empenliado por doze mil reis rom juros de duas
-patacasmenos um vintem lodosos mezes, cujo penhor,
pertcr.ee a preta forra da Costa, de nome Joaquina que
toroou a dilaquantia a mesma senhora, e fez tracto de
pagar o mencionado juro todos os mezes; e Tomo slo
passados, trez annos, e cinco mezes, eno tem com-
pafcido, com principal nem juros; f,z publico por
csta folha, para no prazo de liiuta rli;s nao aparecen-
do, ou alguem por ella, ser pezado o ouro, e vendi
do para eer embolsada do principal e juros menciona-
dos.
%C^ Rogase ao senhor Redactor do
nambucQ da Quotidiana de 12 do cor.
bem da cnuza Public*, digne-se enumera
iha os Officiaes de 1.' Linda do Exercito
torecommendados por elle para servirem
Municipal Permanente a fim de que o Exm. Sor.
mandante das Armas pussa d'elles lancar mo para pre
hencheros Corpos de Artilharia, e 7. deCassadores,
que bastante se acho desfalcados de officiaes em de-
trimento da servico, porque este ultimo Corpo apenas
tem 8 ou 9 devendo ser o seo completo d 20 ou 22,
pois he fora de duvida que para estes* Corpos devem
preferir Officiaes austeros, e amestrados n'arte da
guerra deixando para servir no Corpo de Permanentes
aquelles menos destros, porem que sejo honrados, sai-
bao prender la di oes, e assassines, e dar de vez em
quando seo tiro em quem uzar perturbar o socego Pu-
blico, sem todava saber era as 19 Manobras, que npm
mesmo para este ultimo servico ellas sao precizas. Fa-
vor que muito Ihe agradecer
BurilTrunchal.
%ry O Jui/. de Paz do 5o Destricto das 5 Ponas faz
publico que elle recolhera a cadeia dcsti Cidade urna
preta fgida que diz chamar-se Victoria, e ser escrava
de Joaquim da Silva quem quer que for seu legitimo
senhor pode, com a leglidade precisa. requerer a en-
trega da dita escrava.
}f3f Dezeja-se fall.r a senhora Catharina Tbeodo-
ria dos Santos a negocio de seu intersse, queira ter
a bondade de annmcar por este Diario a sua morada,
para se lhes fallar.
t3r> Quem precisar de um portugaez para admi-
nistrarlo de algum sitio perto da j-raca, ou outra qual
quer oceupaco, menos receber moeda : annuncie.
|cy- Qnem annuncteu querer comprar urna casa
na Cidade de Olinda, dirija-se a Gamboa do Carmo
sobrado D. 12. -
Kf Quem por engao achar-se de posse de um
caixote com lelrtiro ao Bispo do Para, remetido pelo
Arcebupoda B*, e vindo da m"" Provincia no Paque-
te Januaria, que ltimamente regressou, para os por.
tos do Su!, queira ter a bondade de o fazer entregar,
na ra de S. Francisco, D. O, no terceifo andar, on-
de achara pessoa aulhorisada par o receber.
|r^" Quem precisar dar n'esta Tpraca 50$ reis pa-
ra receber emS. Anuo a quanlia 68$ reis; annuncie
a sua morada pira ser procurado.
1f&* Qupm precisar dp um rapaz Braziero pFi
oaixeiro dt ra ouoja de miudezas, do que tem bas-
ante pralica ; dirija se a ra do Mundo novo defion-
te do fundo da casa do Nicolao D. 24.
Prcrisa-se para ama venda um rapaz pequeo
para pslar em companhia d'outro caixeiro : quem qui-
zer dirija-se a ra Direita venda da esquiua do beeo
do serigado.
&&* A pessaa Cjup se achar nos circunstancias de
querer incumbir-sede andar rom urna preta para en-
signar a ella vender f,zendas; dando fiador e que-
rendo apareco na ra Direita esquina do beco do se-
rigado 110 l. andar, para tratar de sjuste.
Vy Olerece-se um moco Brazeiro para rxer-
cer o servico de csixeiro, ou cm loja de fazenda, ou
ferragpm, ou mesmo de porta fora para qualques se-
nhor Negociante : elle tem prati-a de receber e entre-
gar diuheiros de grande expediente c quantilatiro,
como comprovir, e tabem d fiadora sua condurt.
Nesta Tipografa se dir sua morada: o motivo do
offereciment beque lendo deixido osestudos porin-
clinar-se ao comercio, de2oja eflectua-lo.
\f^ Preciza se de um feitor para um, sit io^dirija-
se ao atierro da Boa-vista D. 19.
i
COMPRAS.
Ma morada de rasa terrea, em qualquer das ras
desteBairro : na ra das 5 pontas loje D. 34.
fcy' Escrayos mocos, robustos, sem vicios, e for-
tes para o servico do campo : no sobrado grande de-
fronte de S. Pedro n. 1.
CJ Na mesma casa compra-se urna preta moca,
quesejabwnconduzidaaciada, estiba bem engomar
liso^ecapaz de ser ama de um moco solteiro.
,*y Na mesma outra que seja boa engomadeira, e
saiba atar o cabello de unu senhora, prega-la, e ves-
t la ; sendo bem conduzida, mota, e sem molestia.
^3 Um Diccionario Inglez e porluguez em bom
uzo : annuncie por este Diario para ser procurado.
^y Urna escrava at a idade de i, que saiba en-
gomar, ou que seja hbil para aprender este oficio :
quem a tiver onnumie, ou dirija-se a esta Typ.
LEI LA O.
bado 16do correle pelas 10 horas da manh
leilo de trastes na ra do Vigirio n. 32, pr
andar.
VENDAS.
M: Azrnda por dinheiroque tenha o pezo : na loja de-
fronle do oilo do Livramento em principio da ra di-
reita D. 4.
fcy Verdadeiras pillas da familia em pequeas e
grandes, rap da Babia muito novo, poz de Italia para
limpar denles, por preco commodo : na ria do Ro-
zarlo estreita Botica de J0S0 Pcrcira da Silreira.
^jry Urna mulatinha clara de9 10 annos de idade,
com principios de costura : no sobrado de Joze Higi-
nio de Miranda, ra da praia.
^y Modellos de todos os termos de ju'gayo, con-
ciliacfo, e de todos os mnis termos que os Juizes de paz
e seos Escrives tem occasio de pronunciar ou decla-
rar noexerncio dos seos cargos : preco 1$000 reis;
Regulador dos Juizes de Paz, supplentes, Inspectores
de quarteir c-s, fiscaes, e escrives, contendo as Lei?,
Decretse Portaras necessarias aoscidados investidos
destes empregns ou em circunstancias de os exercer,
com inslruccoes para os inspectores de quarteiioes, e
o dcreto de 13 de Outubro 1832 sobre os emolumen-
tos que devem perceber todos os officiaes de Justica, de
paz: preco 1 $000 reis, Guias dos Jurados conten-
do 1." urna exposico explcita de todos os arligos do
Cdigo do Processo relativos ao Jury, 2.* a opiniio
dos mhores Jurisconsultos sobre differentes processos
especiaes da competencia do Jury, 3."*Instrucc6js ge-
raes applicaveis a todas as circunstancias em que um
jurado se pode achar, obra indispensavel todos os
Cidad&os chamados para as obrigoies da Ley do Ju-
ry : preco 1$500; Airar de 10 de Outubro 1754
conforme o decreto de 13 de Outubro 1832, os Reg-
mentos das assignaturas e Emolumento que devem le
var os Ouvidores, Juizes, Escrives &c. &c, ex-
tensivo a todas as provincias do Imperio do Brasil por
240 reis; Arte pra jogo das espadas por 100 rs. ;
Folfiinhas para o anno de 1835, com a Constituicio
e asleis das reformas por 320 reis; Folhinha para o
anno de 1835 cornos dois Cdigos do Processo e Cri-
minal por 320 ; Cdigo Commercial Portuguez pelo
Doutor Joze Ferrera Borges, approvado e mandado
Exccutar por decreto de 18 de Setembro 1833, obra
udispen iavel todos os Nogociantes par 2$000 reis ;
syatema GeraJ de Instruccdes para os Corpos de Cafa- '
dores, dedicado aos srnhores Officiaes Militare, e Ci-
dados Guardas Narionaes desta armal, por Domin-
gos Mondim Pestaa AI fe res Ajudante do Exlincto Ba-
talho 94 de Capadores por 1$500 reis : ero easa do
Ponchet Frres & Comp., ra Mova n. 5, e 6.
^ Gneros pela moeda segundo a Lei: as 5
pontas venda D. 11.
^y Urna uuzia deedueirasde palhinha, trez me-
zas pequeas de eondui urna marquesa, e urna cama
com seos preparos : no porto das canoas armazem de
vender cal, se dir quem vende.
JO*" Um bote de 16 ps de comprido, construido
de carvalho : a bordo do Briguc Americano Thorn,
ou na ra da senzala velha D. 1.
V3P Tecinho, caf, fumo, genebra em frasque-
ras, e arroz pillado em saccas, tudo da melhor qua-
lidadp, e preco commodo : no armazem de Goncalo
Joze da Cosa c S defronte da escadiuha da A'.andc-
6a*
^y Pao, bolaxa, bdlaxinha, e biscoito, a Iroco de
toda a moeda de cobre legal ; ou a vales de peseoas
conhecidas paraserem recebidos nos finsdos mpzpscm
sedulascom o abate de 5 por cento ; na padaria da
senzala velha, que lem a frente pintada de ver.de, jun-
to ao beco largo.
jy Um carrinho para dois cavallos, com quatro
assentos, muito forte, e com os arreios novos: no for-
te do Mallos na esquina da ra de Joze da Costa.
(f* Vinlio de Lisboa branca e linio,
n^oardenle do reino, espirito de vinho de
26 graos, cafe moido e cm grao, caixas de
charuto*: sacos com arroz, genebra de
Olanda, seryeja preta, e branca., touctn.bo,
e paias e prezuntos, ciiouricas, e inais g-
neros de vr'iida por dinlieiro de pezo que
manda a Lei : na ra Nova venda D. 20
deronte da Cuilce)C,ao dos Militares.
ARRENDAMENTO.
\ Rrenda-se por preco commodo o sitio de Joaquim
Avelino Tavares na passagem da Madalcna, com boa
casa de vivenda, grande planlaco de capim, e vivei-
ro de peixe ; ospretendentes dirijo-se pracinha do
Corpo Santo D. 67.
ESCHAVOS FGIDOS.
LjEmdra, crila, cor fula, com marcas de bixigas,
beicos grandes, cara comprida, ps apalhetados, pita
como quem tem bizos ; fgida no dia 8 para 9 do cor-
rele, levando smente vestido dex'ta de r i sea do r-
xo, sem camisa, e pao da costa ; cuja escrava de
boa estatura, encorpada, lendo sido cativa do mato, o
a pouco vendida aqui na praca : os prebenddores \c-
vem-a a ra Direita sobrado da esquina do beco do se-
rigado.
NOTICIAS MARTIMAS.
Taboas das mares cheias no Porto dePernambuco.
ea
S
O
M,
15Segunda 4 h-30 m.
16T:----- g. 5-42
17Q:----- i 6 -3Q y,
18 Q: 7 18 }Tarde.
19__S;----- __ 8 -- 6 '
20S:----- 8 54
21 D:----- 9 42
Navio sabido no dia 11.
ALAGA ; 44 dias ; Polaca Hesp. Cap. Caime
Gual : diversos gneros ; N. M. de Seixas. Esta
Polaca cstevede quarentena.
Dia 13.
MARANHA'O; B. Aurora, Cap. Antonio da Sil-
va Pereira : vario gneros. PassagpirosJoo de
Pomoceno Paes de Mendonca, com sua familia, e For-
tunato Faustino Bricio.
FALMOUTH; B. Ing. Amazona, Cap. Roberto:
assucar.
LIVERPOOL; B. Barca I. Johnston, C. James Pu-
krt : diversos gneros. PasMPpirn; 4.
MACElO'; Lanxa Conceico da Praia, M. Francis-
co Rodrigues de Paira : varios gneros.
Vert, na Typ. do Dicuio 1835
- II FiOlV/n
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7JHWV257_JDY4X2 INGEST_TIME 2013-03-29T16:49:40Z PACKAGE AA00011611_03317
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES