Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03314


This item is only available as the following downloads:


Full Text
#
NANO DE 18.35. TERCA FIRA
11 DE MAX). N. 78.
DIARIO DE PEKNAMBUCO.
Pebkambuco, HA Tvr. DE Pisiiiro e Paria. 1835-
DI.AS DA SEMANA.
i
11 Segunda S. Anastaeio M. aud. dos Js. do C. de m. e de t. se, da
T. P. c (h. de t
12 Terca S. Joan ni P. Re- de m. c aud. do J. de O. dct. La
ch. aos 58 m- da t.
13 Quarta N. d 8 Mrtires sessao da Thcz. Pul).
14 Quinta S. Gil Re. de m. aud. do J. do C. de m. e
de t.
15 Sexta S. Isidro L- Sea. da T. P. de m e aud. do J. de O. de t-
16 Sabluido 8. Joao Nepomoccno Re. de ni. aud. do V- G. de t.
eni liuda.
17 Domingo- S. Pascoal.
Tudo agora deperde de nos mesmos, da nossa prudencia, mode
racao, e energa: continuemos como principiamos, e seremos a-
pontados cun admirado entre as Nacoes niais cultas.
Proclamado da Aitemblea Geral do Braxil.
Subscrcvese a 1000 rs. mensaes pagos ailiantados nesta Tipogra-
fa, e na Praca da Indi pendencia N. S7 e 38 ; onde se recebem
correspondencias legalisadas, c annuncios ; inserindo-se estes gra-
tis sendo dos propros assignantcs, e viudo assignados.
PARTIDAS DOSCORREIOS.
t Olinda Todos os das ao meio dia.
Goiana, Alhandra, Paraiba, Villa do Conde, Mamanguapc. Pi-
lar, Real de S. Joan, Brejo d'Areia, Rainlia, Pombal, Nova do
Souza, (idade do Natal, Villas de Goiajiuinha, e Nova da Prince-
za; Cidade da Fortaleza, Villas do Aquirs, jjlonte mor novo,
Aracaty, Casca vel, Canind, Granja, Imperatriz, S- Bernardo,
S. Jlo do Principe, Sobrar. Novad"ElRey, lo, S. Matheus, Ri-
acho do sanguc, Santo Antonio do Jardim, Qncxcramobim, e Pai-
naiba Segundas e Sextas feiras ao meio dia.
Santo AntaoTodas as quartas feiras ao mei o dia.
Garanhuns, e Bonitonos das 9 e 23 do mez ao uicio'di.i.
Floresno dia 13 de cada mez ao meio di.
Serinhaem, Rio Formozo, e LimeirasSegundas, Quartas, e
Sextas feiras ao meio dia.
I
PER N A M BUCO.
Assemblea, Provincial.
Aita da 18.a Cesso ordinaria da Assemblea Legisla-
tiva Provincial aos 30 de Abril de 1835.
JJjStando presentes 29 Srs. Deputados, faltando sem
dar partecipaco o Snr. Depulado Joze Ramos, o Srlr.
Presidente abrioasesso independente da leilura d'ac-
ta por nao ter anda chegado o Snr|2. Secretarir,
porem chegando immediatamente foi approvada a acti.
O Snr. 1. Secretario leo as seguidles pecas: hutn of-
ficio do Snr. Deputado Gervazio Pires desped indo-e
da Assemblca por seu estado morbozo e por nao cor-
responder os seu-; trabalhos aos seus desejos; hum
officio do Secretario do Governo incluso bum officio
do Commandante do Corpo de Municipaes requisitan-
do hum Capello para o mesmo Corpo, foi a commis-
sao da fixaco das forcas, nutro ofFicio do mesmo Se-
cretario incluso o requerimento de Vifente Ferrcira
dosGuimares Peixotocom a informacSo da Cmara
Municipal exigida pela Assemblea, o qual foi enm-
misso dos negocios das Cmaras huma ordem da Re-
gencia relativa a petico de Vicente Ferreira dosGui-
mares Peixoto em que se qucixa de ter sido esbulha-
dodo lugar decirurgio do partido da Cmara Muni-
cipal, para ser ludo presente a Assemb'ea Provincial,
foi remullido a mesma commisso dos negocios das C-
maras : hum requerimento dos Snrs. Deputados Fran-
cisco Ca metro, e Anttii Carneiro queixando-se da
deciso d'Assemblea em nao os admittir ao sru seio
quande se acliava na mesma Assemb'ea o Snr. Depu-
lado Manoel Ztfirino, tobem pronunciado, fu remet-
tido commisso dejuslica criminal: huma qucixa do
Bacharel Joze Joaquim Gemitiiano contra o arbitrio do
Presidente em nomear hum Juiz de Direito do Civil
quando o quei voso estava despachado legamente pira
aquelle lugar, foi remettida a commisso de pelic5?s.
O Snr. Deputffdo Padre Joze Corr a appresentou irez
lUgjcclos, o primeiro sobre a ereceo de S. Juze dos
Biserros em Villa, o segundo auclorisando as Cama-
ras Municipaes do centro nos lugares agrcolas crear
inspectores p* alistarem os joinaleiros, o terceiro sobre
a liberdade do povo escolher os seos Parochos todos
tivero a primeira leitura. O Snr. Depulado Doutor
Peixoto requereo que fosse remettido a commisso de
t statislica hum requerimento dos habitantes de Becer-
ros, Carneiros, eCraual, que se achava em suas mi-
es para a mesma commisso avista-delle melhor s ins-
troir, foi approvado o requerimento. O Snr. De-
pulado Barata appresentou hum projecto sobre eslabe-
lecimentos de fabricas, que leve a primeira leitura, e
hum requerimento pedindo que a Assemblea houvesse
mandar remover a Presiganga o qual foi approvado.
O Snr. Deputado Padre Gama requereo burm com-
misso para dar o seu parecer sobre o officio do Snr.
Deputado Cervario, visto que do seu contexto pare-
ca nsirr-se que o mesmo Snr. Deputado se retira-
va por nao ter sido apppovado o art. 6 do seu projec-
to sobre o meio circulante, nio foi porem approvado
o rejquerimento. O Snr. 1. Secretario leo hum offi.-
cio do Snr. Deputado Doutor Bulo remetiendo o seu
diploma para sobre elle a commisso de poderes dar
o seu parecer, participando hir no dia seguinte tomar
assento, do que ficou a Assemblea inteirada. Tive a
primeira Uilura hum projeclu cfferctidp pelo Snr. De-
putado Doutor Teles de Menezes sobre a correco dos
vadios, e outro offerecido pelo mesmo Snr. Deputado
fazendo extensivo a esta Provincia o Decreto de 10 de
Dezembro de 1830. O Snr. I. Secretario leo o pa-
recer da commisso de Polica sobre a prelenco do
ero pregado Rufino Joze Correa de Almeida, o qual pa-
recer foi que o requerente devi ser confirmado no
seu emprego ; porem ficou adiado pela opposico do
Snr. Deputado Manoel Cavalcanti; leo mais hum re-
querimento do Redactor do Diario d'Administraco
pedindo que a Assemblea Ihe pigasse a impresso da-
quelles projerlos que tivessem mais de huma pagina,
porem como anda a commisso de Polica nao tivesse
appresentado os ajustes que tinha de fazer a Assem-
blea com o mesmo requerente foi remettido o seu re-
querimento a mesma commisso para que esta desse o
seu parecer a respe i lo. O Snr. 1. Secretario re-
quereo que a Assemblea resolvesse se approvjva o art.
do projecto do regiment para os trabilhos da ca-
za em que determina que a Meza seja elleila todos os
meze?, a fim de que quando a resoluco fosse pela afir-
mativa, proceder-se a dita elleico, nao foi approvado.
A commisso de instrueco publica appresentou o seu
parecer sobre a prelenco de Carlos Van Ns, o qual
parecer foi que o requerente fosse admittido a con-
curso da cadeira da lingoa Ingleza ; porem ficou adi-
ado. O Snr. 1. Secretario leo dois oftVios hum da
Cmara da Villa de Serinhaem, remetiendo assuas pos-
turas para seren approvadas o qual foi a romnmso
dos negocios das Cmaras', o segundo officio fui de fe-
iicitaces, o qual foi rebebido com. agrado. Entrou
em discusso o parecer adiado da commis o de ins-
truco publica sobre i prelenco do professor de pri-
meiras letras da Boa ?i*U, pedindo jubilaco o qual pa-
recer foi que nao tinha lugar a jubilaco por nao ser
determinada por lei, foi approvado. Entrou em pri-
meira discusso o projecto 12 sobre o modo de cobrar
as rendas Provinciaes, o qual linha sido dado para or-
dem do dia. O Snr. Deputado Manoel Zifirno re-
quereo, que nfo obstante votar pela ulilidade do proje-
cto, que se adiantassem as discussoes do projecto 10,
visto que este he que versa va sobre a creaco da Me-
za de diversas rendas, e que por conseguidle deva
ser approvado em primeiro lugar, porem o Sur. De-
putado Firmino Ancora requequercoqueentrasse pri-
meir > em ducussao o projecto 10 visto queja tendo aido
a moilo tempe dado p* ordem do dia, e nao tendo en-
trado era discusso por ter a Assemblea trabalhado
sobre o projecto relativo ao meio circulante .foi ap-
provado, o requerimento e entrando logoem discusso
o projecto 10, passou a 2.' discusso. O mesmo Sr.
Deputado Ancora requereo que pela mesma ras'o de-
via logo entrar em discusso o projecto 11 sobrea cre-
aco do Collegio de Orfs no recohimento de N. S.
da Gloria, visto que tamben ja liuha sido dado para
ordem do dia, foi approvado o requerimento, e en-
trando em discusso o dito projecto, passou a 2-* dis-
cusso. O Snr. Presidente dando para ordem do dia
a segunda discusso sobre os projectos 3, 4, e 5 le-
vantou a sesso pelas duas horas da tarde.
Tliomaz Antonio 3/aciol Monteiro, Prez.
Laurenlino Antonio doroira de Carvalho, 1 Se-
cretario.
Dr. Francisco de Paula Baptista, 2. Secretario.
Addiado por opposic&o aos 8 de Maio.
Parecer de Commisso sobre a Denuncia dada por
Manoel Antonio de Almeida contra os Desembar-
gadores da Rclaco.
J\ Commisso de Justica Civil e Criminal, a quem
foiremetlida adenuncii de Manoel Antonio de Al-
meida contra os Desembargadores da Rclaco desta
Provinca, a saberDezcmbargador Velozo, Rawos,
Ponce, e Silva Tvares por estes Ihehaverem dene
gado a ordem de ILbeas Corpus, attendendo aos fun-
damentos jurdicos, em que se bazeia dita denuncia,
a Commisso prescindindo delles julgou de primeira
necessidade examinar a qnesto preliminar de compe-
tencia d'esta Assemblea.
Esta questo ao primeiro intuito de fauil resoluco
avista da generalidade do termoMagistradouza-
do no 7 do art. II da Reforma Constitucional, que
no voto geral dos J. C. ho extensiva todas as clajses
de Juizes, pareceo todava mais difficil a Commisso,
quando houve de examinar todas as disposices rela-
tivas em combnaco com o disposto no 7 do art. 11
citado : ponderosos sao com effeto os argumentos que
occorrem para provar a competencia d'esta Assemblc-
a, elles resullo sem duvda da generalidade do termo
Magistradose mais da intenco do Legislador, se-
gundo consta a Commisso informada por Pessoas de
conceito, e que assistiro a discusso daquella Lei na
Cmara dos Deputados Geracs : todava a Commisso
prelendendo firmar oseujuizo em bases mais solidas,
rehVtio, que a suspenso dos Magistrados he da altri-
buico do Poder Moderador pelo art. 101 7daCons*
tituico, que a sua -demisso, quanto aos Dezembar-
gadores, s pode ser o resultado de huma sentencia,
que esta s pode emanar do Supremo Tribunal de
Juslca art. 164 2; disposii\-s.estas, que sendo cons-
tilucionaes por serem biseadas na independencia dos
Poderes Polticos, e dzendo repeito aos limittes e at-
tribukes dos mesmos Poderes, nao podio ser refor-
madas, e nem porconsequencia devolvida a outra Au-
toridade a attribuico d suspender, e dimiilir taes
Magistrados, sem que preerdessem as solemnes forma-
lidades marcadas nos arts. 174175e 176. A Co-
misso considerando mais, que os Arts. 16l- 7-154
-l64- 2 nao forio declarados reformaveis pela Legis-
latura antecedente na Lei de 12 d Outubro de 1832,
que os Eleitores nao conferiro aos Deputados da prc-
zente Legislatura faculdades para reformar aquelles
arts. da Constituico, enlende que o 7 do art. 11 ('a
Lei das Reformas nao pode ser appcavel aos Minis-
tros df Relaco, que sendo de mais Empregados Ge-
raes pelo art. 10 7 da Reforma ficaro excluidos da
competencia desta Assemblea. Por todas estas razues
he a Commisso de parecer que nao pode esta Assem-
blea proceder contra os denunciados na forma e boa
intelligencia do 7 art. 11 da Reforma, como pede o
denunciante queixozo.
Entr. tanto sendo a presente questo opinativa; e
duvidoza, a Commisso requer a esta Assemblea, que
se consulte Assemblea Geral, que se consulte As-
semblea Geral sobre a verdadera, e genuina inteli-
gencia" do $ 7 art. 11 da Reforma Constitucional, fi-
cando entretanto em vigor o parecer da Commisso, e
livrea Parte, o quem se far devolver o requeriman-
to de denuncia, a recorrer a tempetenle Autorida-

TIATA INCORRETA


p*-


"f' '1
2
DIARIO DE JE^ftNAMBUC^L
Paco d* Asseroblea Provincial aos 7 de iVlaio de
1835.Os DeputadosJoaquim Manoel Viiira de
MelloPessoa de MelloDoulr Chagas.
Coritinuaco do Expediente do da 5.
J\_' Cmara Municipal d'esta Cidade ,
dizendo lile ; que para se despensareiu do
servico da ti. A." os im pregados da Ittes-
nva Cmara como a nupn.a dita je-
quesita prccizo he que soja enviada ao
Governo urna relacjio nominal e circuns-
tanciada dos d.ilos-s. N. em q' se declare
os Postos o (orpo, e Comj.anhia a que
pcrlencem.
Portara Ao Commandante do Pa-
quete Nacional Leopoldina a fin de no
te do Imperio recebir a sen bordo a fim
de n'aquella Corte entregar desposieo
do Exm. Ministro da Guerra os Soldados
Joan das Neves, Francisco LopesCordei-
ro Joo da Silva Guardado e Felicia
aun jTOEeFerreira viudos da Provincia
do Cear e que lile sera o reiliettidos pelo
Commandante das Foreas Mari tunas.
Ao Commandante das Forjas Ma-
fitima para receber do Ajudanle d'ordens
do Governo 00presos de que trata a Porta
ria antecedente e cumplir o mais (pie da
mesma Portara se colige.
* Ao Ajudante d'ordens para renietler
-ao Commondanle das Forjas Martimas
os prczos de que trafm as precedentes
Portaras.
Conformando-me e adoptando o
parecer incluso por copia do Procura-
dor Fiscal Interino Jos Narciso Camello ;
a queni ouvi sobre os trez quisitos t\o Co-
ronel Commandante em Chefe : Se
podem os Oficiaes d*Corpo dos Munici-
paes Permanentes servir de Vogaes e Au-
dictores nos Conselhos de Guerra : 2.
se os Oficiaes de Commssan tendo o sol-
do dos Postos de que tetr Commissao tern
tlireilo ao augmento que aos Officiaes do
quadro do Exercito concecte a Lei do I.
de Outubro de 1834 : 3. se essa gratifi-
cacao adflicional s de ve estender'aos Offi-
eiaes nao confirmados e que por neces-
sidade tem sido entregados e se acho
n exercicio dos Postos a que forao ele-
vados coi\forni..ndome digo, cotn esse
parecer eu o rnnetto a V. lx. que o
mandar ao referido Commandante em
Chefe cujas duvidas a respeilo ficao deste
modo sol vidas ; e respondido o sen officio
de 2 do passado Abril que V. Ex. ap-
prcsentou a este Governo em 8 do mesmo
mez. Dos Guarde a V. Ex. Palacio do
Governo de Pernambuco 5 de Maio de
J8.35. Vicente Thomaz Pires de Fi
.guoredo Camargo. Illm. e Ex.rn. 8r.
. Joze Joaqun Coelho Tenente Coronel
e Commandante tas Armas desta Provin-
cia.
Parecer
J_Llm. e Exm. Sr. Exigido me >i
norohxin. Presidente dYstn Provincia,
que infonnas.se cu upm o meu parecer so-
bre os quisitos., que no officio incluso fas
o Commandante em Chefe Joaquim Joze
LuisdeSouza, e que por intermedio do
Exm. Commandante das Armas foro pre-
sentes ao nietfino Fxm*. Presidente o que
posso a satiafazer.
lie o prirueiro quisito : a duvida em
que est o Cowni'.amhmte em Chefe, d
podcrem servir os Officiaes de Permanen-
tes de Vogaes nos Consellroide Guerra dos
reos mili tarea, e mesmo rfe Audit u< a por
faltar no Acampamento Auditor Letrado :
e tendo na devida coneideracao que o
Conselho de Gxierra cetistiine hum Juiso
instituido por Lei-para exercer a jurisdie-
cao de jufgar certa classe de 'Cidadaosjem
determinados casos lie para mim inefubi
"taVelt que J'podfe constituir ess Juiso ,
ccyn legalidad* aquella OH aquellas pes-
Jjpas, a_ quein a Lei habiliten porque
someute ucssas pessoas, he que se d. a
necessaiia pirisdiceo. Or o Cap 10
do HegUlamento de Infantera com
Cap. 11 do Regulamento de Cavallaria ,
e a Lei de 4 de Set-mbro de 1765 habili-
tarlo somente para Presidente, e vogaes
dos Conselhos de Guerra os Oflciaes mi-
litares propriamenle ditp e nenhuma dee-
sas Len (i alada revogada : l<*f> nao po-
den ser empregados como Presidentes ou
vogaes d'esse Juiso nem os Officiaes de
Permanentes nem os de comm^so isto
lie os Momeados de simples Paisanos pa
ra exercerem algum commando ou Pos
to no Acampamento. E smelhantemen-
te para exercer as funcoes de Auditor nos
conselhos de Guerra pora falta de Au
ditor'Letrado no Acampamento parece-
me que nao podem ser nomeados sejo os
Qrpcjaeg docorpo de Permanentes ou os
de commissao que me servem de objecto;
por Relator nos ditos consemos somente pode
ser suplida por o capitir- de 1. Linha ,
que o commandante em cliefe julgar mais
hbil Como determina o Alvar de 18 de
Fevereiro de 1764. A, quanlo venho de
ex por cumpre-me acrescentar que baven-
do tamben no Acampamento alguns Of-
ficiaes 3 que ou crao reformados ou nito
tinho Patentes dos Postos com que ali
estao eiupregados a esses Officiaes me
parece que o commandante em Chefe
pode nomear para os conselhos mas pa-
ra oceuparem os Logares abi que este-
jao em nela^ao corn os Postos de qie ti
verem Patentes ou Decreto seja de refor-
ma ou de effectividade ,- pols que a no-
meacao que de taes Olicines fes o Ex.
Governo Provincial para o servico do A-
campament nao pode Ibes dar jurisdic-
eo legal para c-ncorrerem como Juizesi
em Tribunal ou Juiso de julgamento.
Quanto ao 2. quiito; se o Oflici
aes de commissao tendo os sidos'dos Pos
tos, de que tem commissao tem direilo ao.
aumento, que aos Oficiaes do quadro do
Exercilo concede a Lei do I. de (Xiln
bro de 1831. He quanto a mifh" da mai-
or evidencia por a citada L-i do 1. de
Outubro de 18.31 que o Toler Legiola-
.tivo qmrendo raelhorar a sorte dus cida
daos miliiares e ao me^uo tf:mpo reco-
uhecendo que a decretacao do aumento
dos sold )s era n'sla conjunctura suaima.
mente lioneros R.ceita Nacional a-
cumulada de minios,. e hourro.-issim >s en-
cargos que o Crdito Publico imperiosa-
mente exige que se s-iti nou a DjcreUtda gratificacao addicional,
que be particularissima para os militares
dojfcerclo emprcgaclos no servido que
a mesma Lei indicou Ora os Oficiaes de
commissao oueritoj Oficiaes do Exer-
cilo com Patente e.somnt' por commis
fco pasara a oceupar Postos sitperiores
s suas Patentes ou erao Paisanos e por
commissao oceupuo Postos de Officiaes :
no primeiro caso parece-ie que tem d.
reito a gratificacao addidonal respectiva
aos Postos de que tem Patente mas nao
aos de commissao ; no segundo caso pa-
rece-tne que nao devein vencer a gratifi-
cado por que nao sao militares e j
percebem v*hragews por tsse servieo que
prestan* que tais su) os "*()Tlo^, etapes ,
e forragens.
Finalmente he anda huma terceira
duvida do conuwaiulante em chele : o que
a respeilo da gratifica clin addicional se de-
ve (utender sobre o* Officiaes nao confir-
mados c que por a necessidade que
d'elles ha continan a exercer os Brutos
a (ue foro elevados em quanto d'elles
houuer mister. Parece me a respeito de
taes Oficiaes que na presenta do Aviso
de 17 de Noven;bro do anuo -prximo fin.
to nao podem tiles vencer a dita gratifi-
cacao ,- per isso que como grat ficaco
percebem j os sidos e vantagens cor-
resp-, ndentes a esses Postos que oceu-
po e dos qiraes wio tem Patente.
Dos Guarde a V. Ex. Recite 4 de Mai-
ode J835: lllm. e-Fxm. Sr. Vicente
Tliomaz Pires de Figueredo Camargo ,
Vice-Presidente d'esta Provincia.
O Procurador Fiscal interino
Jos Narciso Camello.
O
Da6;
Ffico Ao Exm. Commandante das
Armas dizendo Ihe (|ue estando as re-
quesicoens do Commandante em Chele das
Tropas em operaeoens constantes das pe-
9as officiaes (pie foram prezentes ao Gover-
no de conforiwidade com o plano de S.
Ex. tem o mesmo Governo determina-
do Thezouraria oseguiute Que remet-
a mei.salmente o dito Commandante em
Chefe na forma de sens orsamentos nao
s a quanlia de 13;937#841 reiste o mais
que for necessario para amortisa(o da di-
vida atrasada como to bem 1,120 al-
queives de farinlKa os artigo* de botica ,
e a carne secca que for prdidn para suprir
a falta da verde, nao se pagando pela
mesma Thezouraria do fim do correte
mez em diante outrasdespezas mais do que
o suprimento que pretendan! alguns mili-
Unes deixar s suas familias ,#ljmitando-se
e*tes gratificado addicional coino^-j'
dica o dito Commandante om Chefe : (pie
d'ora em diante se nao con.pre mais gado
' fora do Acampamento excepto com a
condieao de ser ali aprezentado por cunta
do vendedor ao Commissario de vveres
respectivo o a contento d'este : e que fi-
nalmente o gado deve ser pago pelo mes-
rtlo Coniuiissatio mas (pie se o vende-
dor (piiser podem \ ir n'esta Cidade rece-
ber o duheiro a vi.ta de letras sacadas so-
bro a Thezouraria.
< Ao Dontor Juiz de Direito ("hete de
Pol'cia communicando Ibe (pie o Cn-
sul dos Estados Unidos da Aiiierica parti-
cipou ao Governo o ter onjennado aos
Commandantes das embarca^oens de sua
Na^o o franquearem ao mesmo Juia de
Oiieito a entrada .n'ellas para procuraros
prezos que fugiram da Presigauga.
*- Ao Insjiector da Thezouraria, di-
zendolb, que pranlo o Inspector do


nmum
D
IARO DE PERNAATBUCO.
9
m
nf&WE^^&B

VJHlHHMIUlWW I 'II
ArseWTde'tonnnlih por ordcm 'do foV'T-'
no a tomar cenia da Escuna Angelina ,
comprada pila dita Theznuraiia acliou
fallar nos rJrthces da Escuna os < bjcclos
constantes da "rt -laeao que com este se
envin e que conlieccti ser velha a Lan-
cha (jue o vendedor ineulcnu por nova e
que por tanto enmure que o vendedor %-
ja coligado essas. fdtas com dini iro bu
com bu tros objectos.
Ao m smo para' informar s foram
j tomadas as coutas do ultimo Thczou-
reiro de Auzenles o finado Vitaba a fim
tie se Sftt j*fazcr a exigencia que a respi jto
fas a Assemblca Legislativa.
Ao mesmo dizendo llie; que tendo
o Governo aprovado o parecer que Ilie toi
prezente a respeilo das requesicoeus do
Commandante em Chefe islo mesmo
commtmieot ao Exm. Commandante das
Armas em o ofljcio da dafa d'este.
Ao Juiz de Direito Interino da Com-
.narca de S. Anlao, dizendo-lh"; que cons-
ta ao Governo que no lugar de sua juris
ficao denominado Cacimbas existem asi-
lados alguns criminosos } e entre elles um
Pedro Gundella, assas notavel por sua per-
versidade sem que o mesmo Juiz de D-
leito e o respectivo de Paz facam pren-
"der estes nial fe i lores que por Vezts tem a-
tacado os habitantes d'aquelles contornos ,
e que por tanto o mesmo Governo, estra
i liando a ommisso, nrdenina' que o .dito
Juiz de Direito Interino empregue todos
os meios legaes para que sejam punidos e
prezos os dictos criminosos.
-- Ao Administrador do Hecolhiinento
da Gloria para remetter Secretaria do
Governo nina copia authentica do institu-
to do mesmo Uecolhimento para ser envi
ada a Assemblea Provincial.
(Continuarse ha.)
JE
DIVERJAS REPARTICO'ES.
Polica.
AXto. Sr. Levo ao coniecimenl.
de V. Ex. o oficio em original incluzo,
do Juiz de Paz do 1. Destricto do Pil-
lar 5 do qual se deprehende que as Em-
barcar/es Inglezas do derredor da Prezi-
ganga em (jue se supunlio refugiados
os prezoa de justica fgidos nao forao
franqniadas como me communicou V.
Ex. e requizitou em os officios que me
maydou entregar acs Cnsules das Na-
dos Exirngeiras a que por ventura
pertencesseu ditas Embarcaces,- a im de
. q' V. Ex. de as precizas providencias, nao
mais para o precente cazo dos prezos ,
que certamen te ja se tero evadidos mas
para (pie se nao inutilizem as deligneias
da Justina que para o futuro se bajo da
azer e nao *e torne iluzoria a Aulhori
dade'do Governo do Drazil para com a
quelles que pizando nossas plagas e viu-
do rezdr entre n*s esto restriclainnfe
obrigados'a comprir nossas -liis. Dos
Guarde a V. Ex. Ilecife 8 de Maio de
1835, -Ilin. Exn. Sr. Vicente Tro'-
mas Pires de Figuemlo (-amargo ;'Vice
l'iezjdente. Joaquim Nunes Maxadc,
Chele de Polica.

Parte da semana p: pe
- 1. Destricto do Pillar Nao hou-
ve novidade.
M_bg,,o. lX^ik-|,)do Rom Jezus "Nao
veio parle.
i 3. z Dcslii'.lo Nao houve novidade.
). l>-slricto do CoMegio- I>ii
27 fij prez o (iomingos -Joze do Carino ,
prelo tono por furto, da SO l'oi prezo o
pardo Manoel Jco Kibeiro por ser aclia-
(1o con liutii'n facca depontu e^l Be' proce.
deudo a Sumario.
2. Deshielo do Sacramento
Nao ve i o paite.
3.z' Destricto do ('armo Foi pro-
zo Reruardiiio de Senna por Dcz-itor de
Maiiulia rora nuis prezos.Joao Fidclis
e Ba rectos Fraicisco Crionlos Sollciros ,
para rec rutas de Marinha.
4. c Destricto da Ripeira Forao
prezos dous pretos cojos nomes nao vie-
ro na parte lium por ter entrado em hu-
ma caza para roubar, e o outro por sedu-
zir huma escrava para rugir da caza de
seu Sr.
5. c Destricto das 6 Puntas Hou-
veraoalgunias prizoens de correc,ao.
1. c Destricto da Boa vista Nao
veio paite.
2. Destricto da Santa Cruz
Nao houve novidade,
3. oshcto da Estancia Foi
pieza Calharina preta escrava de Jozfina
Rezerra para correcao.
4. Destricto da Muribeca Nao
houve novidade.
Nao vierao participa^es dos mais Des-
trictos do Termo do Reeife 6 de Maio de
11.^5. Conforme Nicolao Tclentino
Pereira da Silva.
JE),
Promotor ia
va o Minanliao luje (\2) as II horas dl
manliaa.
D
MARIO DE PERNAMRCO.
'ENuncia. Perante V. S. Sr. Ju-
iz de Paz do primeiro Destricto do Pil-
lar Denuncia o Promotor Publico Doulor
Elias Coelho Cintra do Commandante da
Escuna Victoria Cela no Al ves de Sou-
za, e o motivo de sqa Denuncia he o se-
guate.
Tendo dezertado este auno da mesma
escuna o 2. Marinhciro Francisco da
Silva em 7 de Marco., e o Grumete Joze
Jwquim em II de Fevereir e Rezende
Joze Goncalves em 17 de Janeiro e sendo
e-les anda dezertores o Commandante re-
cebeo o sold e racoens dos niesmos llie o
fitn de Abril dcste mesmo anuo o que se
prova com as testemunhas abai.vo decla-
radas e por isso se ache incurco o de-
nunciado no arligo 170 do Cod. Crini., e
autuada esla e prestado o Juramento V.
S. proseguir nes termos du Lc:i. Reci-
e 7 de IVlaio de 18.^5.
Dr. Elias Coelho Cintra ,
Promotor Publico.
Testemunhas O 2. Tencnte da
mesma Escuna Manoel Jpze Vieira o Mes-
tre da mesma. Antonio Vicente o Fur-
riel da mesma Antonio Francisco de Soli-
da o EserivVda mesma Antonio da Sil-
va Gujrraraens.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta he a mesnyt do N." 70.
. 9 Correio.
\J Rrigue Auroro, recebe a malla pa-<
Evcndo principiar boje 11 do correh-
f Maio, a cohranca hertsal desta 'olha,
laz se sciente aos Slirs. Assignanles vesi-
dentis mis Rainos do Recile, e Ra-vista,
que ica authorisado de hoje em diante de
receher o hirp re da nova acsignatura nos
kTi ridos Bairros, o Snf. Joaquim Jo2e
Moreira. O una I laobeni recbela as as-
signaturas atriz.uias, apresentartio o com-
petente recibo. Nem hum Snr. Assignart-
te devei pagar sem exigir o recibo do
mez, nem Ihe ser levada em cunta a sua
paga, se nao a vista delle. Os Snrs. As-
signaute rcidentes no grande Rairro de 8.
Antonio devero pagar as suas assignaluras
tanto anliga, como mc cisco Antonio dos Santos, authorisado para
cobrar nos dous Destrictor deste Bairro.
com as mesmas precauc,es expendidas. A
nova asigna tura dacta do corrente Mdio
em (liante* Ir de I00 rcis pagos no prin-
cipio do mez.
Os Redactores
O
AVIZOS PARTICULARES.
Abaixo assignado previna ao pblico e juntamrt-
le com-quem lem conlaS que de hoje m dianle fc as-
.igna Francisco Pereira da 5Uva Santo* por liaver oft-
tro do mesmo nome ; e juntampnte^a todos que tiverem
coritas com o mesmo abaixo assignado as venho saldar
do praio de orto dias. ,
Francisco Joaquim Ferreirs.
ry D se a premio 200$ ou 300^ reis em prata
e sedulas, sobre penhores deouro, e prata : na ra do
Roz&rio na venda da S, se dir quero os d.
|r^F* Precisa-se fallar ro sehhor Manoel Florenti-
no para negocio de seu nteresse, e enlregar-se urna
carta : queira annunciar a sua morada para ser pro-
curado.
&y Precisa-se de 600$ reis a jures de dois por
ceiito ao mez, dahdb-se de penhor 100 oit*vas deou-
ro, e duas sscravas mui boas : quem os quizer dar an-
nunrie.
tf^F A pessoa que no Reeife conservar em sui-oas
urna ama de nome Joanna, molita bem aira, cabellos
sollos, j arsimilhando-se a bronca, com urna filha, an-
nuncie inmediatamente a sua. morada, e nome para se
ihe prestar os motivos,"porque nao deve conserVa-la ;
por cujas razes, dadas a principio, nao deve estar,
vistb ignorar oque passado, e ser ella suspeita. A
pessoa, quem se dirige este annuncio, nao dever.
dar parte disto a dita ama, porque por todos os prin-
cipios Ihe servir' de encommodo inesperado.
$3"?" Desoja saber-se d3S moradias dos senhores
Joze Feancisco de Paula, que leve urna renda na Boa-
vista ; e de Joao Cancio da Costa, para se receler do
primeiro o importe degenero*, que comprou no ar-
ma zem de Goncalo Joze da Costa e S em Novombro
de 1833, e do segundo o importe de um rolo de fu-
mo que eomprou no armazem de Joze Lua GoncaUes.
&& Lembranca que faz o Encadernador da praca
da Independencia lado da ra dos Quarteis D. 36, ao
respeitavet publico, de azer-se todo e qualquer arran-
jo pertencente a Arle de Livreiro (encadernador) com
toda a brpvidide que exigir seus donos Seo.
^y Troca-se por sedulas, ou | tita, 300$ reis
de dinliero de duas cruzescom algum rebate quem
o peftender dirija-se a loja de ferragem de Joo Fer-
reir dos Santos na ra do Queimado D. 7, que a ah
se dir quem o tem.
$3f Dase 100$ em prata a juros de dohpor cen-
toaoroei com penhores'deouro, prata, ou boas fir-
mas ; as 5 ponas loja de fazendas D. 10.
y Quem annuncipu no Diario n. 77 ter para
vender bois mancos para carro ; se tem alguns para
carroca, dirija-se a ra das Trincheiras D. 12, as 6
oras da mani, e a noite as 7, que achara com quem
tratar, ou no eco das Inrreiras na olaria do seuhur
Joze Rodrigues dos Passos, a fallar com Joxe Elesbo
Ferreira, que est authorisado para este negocio; bem
como quera an'nunciou ter ps de coqueiros e laran-
geiras para plantar pode tambera dirigir-se ao dito lu-
gar indicado.
\y O abaixo asiignado Administrador do Trapi-
J


'/*
- /
DIARIO DE PERNAMBUCO
xe da Alfandega velha faz scientea todos os Snrs. pto-
prularios c donos das caixasde assucar e mais volu-
men que se achu recolhidos no armazem do mesmo
Trapixe do lempo do seu antecessor o Snr. Bernardo
Antonio de Miranda, hajo de mandar tirar as mes-
mas raixas e voluntes, al 0 dia 15 deste corrente roez
de Maio, ficando entendidos que nao o lazendo, fico
obligados a pagarem novo Armazem desse dia em di-
ante, e para nao luvcrem duvidas faz o prezenle an-
nuncio.
Luiz Antonio Barbosa de Brito.
|Ly< Quera for senhor de urna negra dogentiode
Angola que representa ter 30annos pouco mais ou me-
nos e que anda pouco seenlende por noroe Domingas
que diz ser das partes de Goiana e que seu senborse
chama Joo, a procure na Boa-vista no principio da
ra do Arago D. 44, e o annunciaTHe desde j de-
clara nao se responsabilizar por risco alguna quea dita
vscrava lenha.
Joo Manoel Rodrigues Valonea.
^y Tendo o 8baixo assignado comprado a Joze
'Almeida Lima, morador no alterro dos A Togados,
um escravo por nome Benedito, cri'o, acontece, que
um dos filbos do dito Lima em rujo poder se acha dito
escravo o nao quer entrrgr ; por isso se faz esle an-
nuncio para'que pessoa alguma entre em negocio a
respeitodo mencionado escravo.
Joze Claudino Leite.
&&* Precisa-se de um menino Portugucz que le-
nha de 12 a 14 annos de idade, para cajxeiro ; na ra
do Livramento D. 7, se dir quem o jiertende.
93F* Quero tiver um ou dois escravos que sejo
bons serradores, e quiser alugar por alguns mezes, di-
rija-se a ra Direita defronte do sacrestia do Terco pi-
daria D. 63.
&3P* Troca-se urna negra crila que tem 14 annos
de idade, a qual sabe fazer renda e tratar de meni-
nos, por urna de menor idade, sem exercicio de ra, e
estra em estado de aprender a coser : na ra Nova so
brado onde mora o Adour, primeiro andar n. 10. .
COMPRAS.
C.
IM casco de tipoia : na ra da Agua verde casa
terrea D. 36.
^y- Compra-se ainda por mais de seu va'.or, R"
chard traclado de Botnica, ou outro qualq/ Escriplor
que trale dessa sciencia : annuncie, ou dirija-se ao
paleo da santa cruz sobrado de duis andares que fica
defronte do oiloda Igreja.
1PF* Um escravo de Angola, sendo bonita 6gora,
esperto, e de 16 a 24 annos : na ra Nova ao p da
ponte da Boa-vista armazem D. 29, que tem louca.
LEILAO.
,T^Nionio Joze da Costa Araujo faz leilo quarta fei-
ra 14 do corrente, porta do armazem de Antonio
Joaquim Pereira, de caixas com figos, ditas coco amei-
xas, ditas com massas, ditas com vellas de sebo, e sa-
cos com nozes e amendoas, ludo por conta de Justino
Joze.de Souza & Comp. da Parahiba.
VENDAS.
U.
iMa porco de trras na Boa-vista, com 300 a 600*
palmos de fundo, proprios para se construir casas;
na ra do Arago a fallar cona Joo Francisco de Albu-
querque.
&gr> Urna preta para fora da trra bonita figura,
coze, engoma muito hem, cosinha, e ensaboa sofrivel:
ta ra do Crespo D. 5.
tgy Farinha de trigo muito boi, americana a
diaheiro de cobre legal pelo preco de 12$ reis a bar-
rica, ea moeda corrente menos 10 por cento : no ar-
mazem de Goncalo Joze da Corta e S. *
t^ Um bom quarto, que tem boro carrego, e
castanho : em Olinda, ra da Boa-ora defronte da
venda do Gaspar, se dir quem vende.
%^ Arroz branco em sacas, e de casca aos alquei-
res, por toda a moeda que lenha o pezo nao sendp fun-
dida netn taquada: na'ra do Colegio D. 9, da parte
o nascente.
%^ Urna canoa, em bom uzo, de carreiro ; quem
a quizer dirija-se a esta Typografia que se dir onde
eit para ver-se.
%cy Um preto mosso de boniu figura, propno
para todo servico da praca ou de mato : na praca do
Corpo Santo por sima do Botequim de Antonio Lo-
pes no segundo andar.
tff Urna escrava, engoma, cosinha, e de todo o
servico xle urna casa, de 35 anuos, sem vicios esadia ;
Uicero:
neccio :
no Mondego defronte de'Luiz Gomes Ferreira casa
pegada a casa nova.
*53r Urnas cadeias de ouro obra de bom gosto para
relogio, uns atacadores de punhos, e sinto de scnbora
encastoado em ouro, um lampio grande do vidro
com torrentes douradas, urna pistola de alcance, uns
corazes azues completos com requififes e encastoados em
ouro, urna bride com picadeira de boa prula, e obra
moderno, seis colheres de soupa e dilas de^ch com lira-
dar de assucar de prata, um* par de esporas de bom
gosto e de boa prala : no pateo de S. Joze D. 8, lado
do nascente.
ypp* Urna venda com os fundos de 500$ a 600$
sem alcaide algum, a dinheiro ou a prazo com boas
firmas : na ra da Agoas verdes equina que volta pa-
ra a de Ortas.
*#3** Una negrinha cri'a de i 2 annos, pouco ma-
is ou menos: na praca da Boa-vista no principio da
ra do Arago O. 44.
&* Um terreno no atierro doe Afogados parte da
mar grande com 90 palmos de frente e grande fundo
tendo j alicerces para outra, um gaande muro, dois
caes de muito boa pedra que cfferece fazer-sc um vi-
veiro, muilo metrial e madeira e portas, cuja cahio
preco commodo : na ra Direila D. 34, lado do po-
ente.
Urna obra de Quintiliano, e urna Oraco de
na ra do Collegio Botica D. 5.
Urna obra de Vollaire, e urna Etlica de Hei-
no alterro da Boa-vista n. 29.
Por moeda de cobre que a le marca : caixas
de queijos a 480 reis cada um, caixes de vellas de se-
bo de meia arroba do Porto a 240 ris a lib., fio de
vella muito boro a 600 reis a lib. dito de pcete 400
reis, sacas coro arroz a 8$ reis, barricas com milho a
2$240 reis a barrica, toucinho do Porto a 8$, e cus-
lellas de porco a 2(0 reis : no armazem de assucar da
ra da Cacimba n. 5. ,
Ir^r* Corazes grandes, e pequeos, cera preta de
dar lustro em corrame, rezistos, pautas, e trellados :
esquina do beco do Padre, larga do Livramento.
*S3" Urna crinha do 15 annos, engoma alguma
couza liso, e tem bons principios de costura, muito
geitosa para todo servico de urna casa, e sem vicio al-
gum : no Quartel das 5 Pontas a fallar com o Com-
mandante Manoel Ignacio de Carvalho Mendonca.
*j^ Filangieri sciencia de la Legislation 6 vol.,
Paslorel, Lois Paneles 2 vol., Beonazi, Elementa Ju
resCriroinalis, Beccaria, Delils & Peines, Benjamn
Constanl cours de Politique 4 vol., Vattel, Droit des
Gens 2 vol., Comte Legislation 4 vol., Frilot scien-
ce du Publiciste 11 vol. : ni ra da Cadeia do Recife
n. 47.
"33* O Hiate S. Goncalo Boa-sorte, novo de cons-
trueco Brazileira o qual se acha fundiado defronte do
Trapixe da Companhia : quem o quizer comprar o
poder ir ver, e ajustar com J. B. Branco, no seu Es-
criplorio no largo da praca do commercio, e o mesmo
vende uro mu-lo de pouca idade seu officio.
*jr3^" A possee bem ft tontas de um terreno no se-
guimento da ra da Aurora, com frentes para a mes
ma ra e para a ra do Hospicio tendo de frente por a
ra do Hospicio 160 palmos e por a ra da Aurora
152, ambas as frentes j atterrados at os alinhamentos
das mesmas ras, com casa* de madeira coberta de te-
llia ni frente da ra da Aurora com um grande vivei-
ro no centro bem sonido de peixes, (endo de cumpri-
do 500 palmos e de largo 140, urna grande parle do
mesmo terreno j planudo com diferentes arvoredos e
urna porco de lijlos de alvenaria : pessoa que o
pertender dirija-se ao Veiga que dir qual o terreno e
porque se vende.
^r^r* Saccas de arroz branco editas de farinha, e
tarobem se vende a relalho : na ra das Cruzes D. 12,
ao entrar ao p da venda grande.
|t*^r* Pannos finos, e ordinarios, chapos de cas-
tor, de maca, lencos de seda, ditos de cordiozinhos
pintados, sitas finas e ordinarias, madapoloes, e pa-
nos de toda qualidade, paUtilbas, e bertanha de rollo,
reguilbo fino de linho, ealgodo, tanto por atacado
como a retalho por preco commodo ; recebe-se toda a
moeda de cobre tendo o pezo legal : na ra do Cabu-
ga leja do Mello.
fcfJT Vende-se, ou arrenda se um sitio perlo, por
ser pouco adiante da Igreja do> Aflictos, com chao
proprio, frente murada, e todo o mais cercado de li-
mo, decente casa de vivenda, com solio, e suffi< en-
tes commodos para familia, toda envidracada, boa san-
zala de pretos, cocheira, casa para feitor, e ca valar ica
para trez cavallos, tudo de pedra e cal, muitos arvore-
dos de fruto em alinbamento, assim como vend-se
coro o mesmo, ou separado um carrinho com todos apa-
relhos anda novos, seu competente cavallo, muito man-
co, e manteudo : na ra do muro da penha sobrado de
dois andares D. 18 das 3 oras da tarde em diante.
}$f 6 rolos de angico : ni ra da Florentina ulti-
ma casa ao p do rio.
fcV Urna negra do gento de Angola, sabe engo-
mar liso, e lavar tanto de varrella corgo de sabio ; na
ra do Hospicio ao p de Joze de Pinho Borges, ou na
Aferico junio da Matis da Boa vista.
* L da armac,o de loja de miudcz's :
na ra Direita defrenta da Sacrestia de N.
S. do Terco.
(f- Dois faquiro ue prata cliegodus
ltimamente do Porto obra de muito bom
gosto por ser de um feitio muito moderno,
ricos brincos de filagra de muito bom
gosto e alguns diamantes : na ra da Ca-
deia do Recite loja n. 16.
A,
ALUGUEIR.
.Lugao-se dois sobrados um que faz'
frente para a ra da jafHt, e outro para %
a ra de Joze da Costa, com as duas tojas
que fazem um grande armazem de ra a
ra, proprios para prensa de algodao: na
ra da Madre de Dos loja n. 12.
3* Allugase urna ca 01 aberta, que
conduz seguramente quatro centos tijolos
de alvenaria grossa : quem a pertender di-
rjanse a Boa-vista, ra de S, Gonzalo casa
n. 10.
A,
ARRENDAMENTO.
.Rrenda-se um sitio com casa de vi-
venda, e P090 d'agoa na estrado (ue vai
para a casa Forte logo depois da Propri-
dade de S. Auna defronte do sitio do De-
putado Manoel Zeerinodos Santos : fal-
lar com Francisco Manoel de Almeida Ca-
tanho no sobrado de dois andares junto a
Conceic.o dos Milataree, que dir quem
arrenda.
$ Arrenda-se um sitio com muito bo-
as commodidade para familia, no lugar da
Caza forte ao ir para a Igreja doHado es*
querdo, por precio cammodo: quem o per-
tender dirija-se ao pateo Ao Carino a en-
tenderse com Antonio de Padua.
ESCRAVOS FGIDOS.
ifE Macei, Provincia das Alagoas, fugio a 30 de
Marco corrente, por mar em urna canoa que sao do
porto do Pajucara ummoleque crilo por nome Bazi-
lio, de idade de 16 a 17 annos fulo da cor olhos vivos,
cara secca, boca grande, com falta de um ou dois den-
tes na frente, seco do corpo eos ps cambados, e apa-
Ihetados: os aprehendedores levem-no a casa de J.
B. Branco, no largo de S. Goncalo no Bairo da Boa-
vista, ou ao seu Escriptorio na praca do Commercio,
que sero bem recompencados. f
3* Fugio a 9 do corrente urna e*rc -
vo crila por nome Valentina, estatura or-
dinaria cara redonda e um tanto carrancu-
da, e o maior signal c ter os dedos grandes
dos ps alguma couza comprido : costuma
passar por forra quando oge : os aprehen-
dedores, ou outra qualqner pessoa que a
encontrar, levem sua senhora na rna do
Araga, casa terrea D. 1 que serao pagos
generosamente.
NOTICIAS MARTIMAS.
Taboas das mares cheias no Porto de Pcrnambuco.
0
-a
15Segunda
16T:-----
17-Q:
18^-Q:-----
19S:-----
20S:-----
21D:-----
4 h. 30 m.
5-42
6-30
- 7 18
Tarde.
-o
a
8 6
854
_ 9 --42
Pern. na Ty>. do Diario 1835.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPKFUE4J8_52DE0B INGEST_TIME 2013-03-29T17:14:48Z PACKAGE AA00011611_03314
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES