Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03309


This item is only available as the following downloads:


Full Text

" '
^r
ANNO t>E 1835. QUAKTA FFJI?A
6DK1MA O. N. 7.1.
nM
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Pbbuamiiuco, ihTvp. oeI'immiio c Fari\. I8r5.
das da semana.
4 Segunda S. Monica aud. dos' Js. do C. de m. e de t. scs. da
T. 1'. e lh. de t._
5 Terca Convenio d S. Apo'tinrio. '-e'- de m. e aud. do J. de
O. de t Quario croe, as: H h. c 89 m da t,
0 Quurta S- Joao Daniacno Al. te^iio da Thca. Pub.
7 Quinta S. Estanislao B. Re. de m. aud. do J. do C. de m. e
det.
8 Sexta Apparicao de S. Miguel Arcanjo ?cp. da T. P. dme
aud. do J. de 0. de t-
9 Sabbado S- Gregorio Naziaz. Re. de m. aud. do V. G. de t. era
Olinda.
10 Domingo- S. Antonio ArceSi-po.
Tildo agora depende de nos mcsmos, da novsa prudencia, mode.
ra<:io, c energia: c mtinuemos como |)riini|i aiiui^. e terentM a-
pontawM con adaiiracao entre as Xacoes nla calas.
Proclamaro da Aiitmblta Oernl Brntil.
Subscrove-c a 1000 r. mpnsaes pagos adiantadrw npsta Typogra-
(ia, e nn Praca da In lepen.lela S. 37 e HS ; onde le recelieni
rorre-pondtnca legalisad.n, e aun unios; iiiserindo-e e-les gra-
tis sendo do proprHM; ss liantes c % indo assigriados.
B
PARTIDAS DOSCORREIOS.
Ohnda Todos os dias ao meio dia.
Goiana, Alhandra, Paraiba, Villa do Conde, Mamafiguapc, Pi-
lar, Real de S. Joio, Hrejo d'Areia. Rainlia, Pnmlial, Nova do
Songn, ( rdade do Natal, Vil'a"s de Goiamitnha, e Nota da Prince
za; Cidade da fortaleza. Vi las do Aquir-, Monte mor novo,
Araraty Ca-civel, Canind, Granja, Imperatriz, S- Bernardo,
S. Jlo do Principe, Sobrar, Novad Rllley, Ico, S. Matlieis, Hi-
Mti" do fangue, Santo Antonio do J.irdtm, Qnexeramobim, e Par-
naibaScgunilas e Sextas feiras ao meio dia.
Santo Antao Todas as quartas feiras ao meio dia.
Garanhun-, e Bonitonos dias 9 e 83 do mez ao mel da.
Flores no dia 13 de cada mez ao meio di
Serinliaem, Rio Formozo, e LimeirasSegunda-', Quartas,
Sextas feiras ao meio dia.
ka
saawncKUBc
NEGOCIOS DO IMPERIO.
Ministei io da Faxenda.
Ml Orlara ao Administrador da Recebedora do Mu-
nicipio, respondendo, que, em quanto se nao exigem
da Assemblea Geral L'gilaliva medidas efficazes, e
proveilosas 1 respailo da arrecadaco da laxa de he-
ranca e legados, de que trata a sua representarlo de
28 do mez fitido, dever continuar a observar a Porta
ria de 4 de Agosto de 1825, requerendo offirialmenle
dos Juizes encarregados das Provedorias a remessa
dos Livros dos Registos dos testamentos da maneira
mais conveniente; e fazendo proseguir o trabalho,
queja ti ver comecado na conformitlade da mesraa Por-
tara : e partecipando que nesta data te officia ao Vi-
gario Capitular deste ispado, ao Juiz de Direito da
l.'Vara doCivel, e ao Juiz de Orphos, para envia-
reis essa Repartido as Cerlid5i*s exigidas pelo De-
creto de 27 de Ab il de 1812, e Regularaento de 14
de Janeiro de 1832 Art. 27, as quaesdeveroser au-
thenticas, e nao em resumo, mas sim com o tlieor de
todas as verbas, que contverem artigo?, e disposu's
a favor de herdeiros, e legatarios, que nao spio ascen-
dentes, ou descendentes dos falleri Jos ; sendo-lbes re-
gatadas, quando nio vi nhao na forma indicada.
Aviso ao Juiz de Direito dn 1 Vara doCivel,
por Ihe competir a execuco dos Testamentos, como
parte dos encargos da Provedorii dos Residuos, m-
dando para boa arrecadaco desia renda, que envi
Recebedora do Municipio da Corte as Cettidoes ja
ordenadas, e exigidas pelo Decreto de 27 de Novem-
brode 1812, e Regulamento de 14 de Janeiro de 1832,
Art. 27; Sdvertindo que laes CerlJfs devem ser
authanlicas, enaoemresu.no, mas sim com o theor
de todas as verbas, em que se contverem arligoj, c dis-
posites a favor de herdeiros e legatarios, que nao
sejo ascendentes, ou descendentes dos fillesci-
dos.
0(Bci<#Bo Inspector da Thesouraria da Provincia
a baha, respondendo que oThesoureiro da Alfan-
dega, eoutros em iguaes circuristan as, que apre-
sento na dita Thesouraria documentos das despensa
seu cargo, nao soobrigados a pagar a taia do sello das
folhas, recibos, ferias e outroa papis, que por sua
natureza nSo stiosngeilos referida laxa; de vendo
nicamente exigir-se o sello daquelles documentos,
que as Parles o de Vio pagar, como Procurac5es-&e.
- PERNAMBCO.
Assemblea Provincial. .
Acta da 14.' Cesso ordinaria da Assemb'ea Legisla-
tiva Provincial aos 24 de Abril de 1835.
Presidencia do Snr. Dezembargtdor Mane! Monteiro.
Jat Rezenles 20 Senhores Depulados, faltando sem
.causa participada osSnrs. Julo Rodrigues, Manoel Ze-
firino, Doutor Daptista, Manoel Cavalcanti, e Jozc
Ramos e com ella o Snr. Tiburtino, o Snr. Prn-
dente abri a sesso. Nio se leo a Acta da scsso an-
tecedente, por nao aparecer, nem mar.dar a Acta o
Snr. 2.* Secntario. Entrndole no expedientp, o
Snr. 1 Secretario deo parte do seguinte. Um reque-
rimento de Francisco Xavier Carur o Lins, antigo
ofBcial da Secretttria do Conselho do Provincia, pe-
"indo ser dmetiido so mi Ic'ar. O'i'ro de Rofio
Joze Correia, jv-dindo ser admltilo em um lugar da
Secrctuia desta Assemblea, para que fura uemeado
pelo Governo: ambos os rcquerinintos foiio lemtt-
tidos commisso de Poli ia. Otitra Requeiment
do Commandante d'Artheria Manoel Ignacio, pe-
dindo esta Assemblea que conGrmasse a Irmandade
de S. Joo Raptsta, Protector daquelle Corpo, na
admnistraco da Igreja da Penha, que ja Ihe tinha
sido entregue ; fui remetido commisso de Negoci-
os Eclesisticos. Outro requerimento de Jacintho
Dornelles Rbeiro Pessoa, Cirurgo Ajudante da
saude do mar, pedindo ser nomcado 2. Cirurgio
com ordenado; remettdo eommisso deaaude. O
Snr. Deputado Pires Ferreira mandou Meza um
Requerimento, psra se pedir ao Governo urna rela-
co nominal das possois, que receberlo armamento no
Arrenal do Exercito, e sua quantdade, das armas que
ja foro entregues, e das que falto por entregar, as-
sim como que informe o estado da deligencia, que ti ver
feito a com-oiso para este fim nomeada: foi aprovada.
O Sor. Deputado Meira mandou outro Requerimen-
to, pedindo que senumerassem todo os Projeclos, an-
tes de impressos, foi aprovado. O Snr. Deputado
Ancora aprezentou um Projecto de Lei sobre estradas,
o qual teve a primeira tritura. O Deputado S. mandou Meza um Requerimento, para se pergunlar
aoGoverno o ordenado que tinha em sua cria i, e
tem present- mente cada hum dos Empregados da Re-
laco desta Provincia, e logo o relirou por dizer oSr.
Presidente que poda dar o esclarecimiento pedido.
Entrando-se na ordem do dia, conlinoou a discusslo
addiada do Projecto em sepirarfodo Snr. Pires Fer-
reira, e do Projecto dos outros 2 Membros da commis-
so, ambos sobre omeio circulante; e como o Snr.
Lipes Gama entrasse a analisar alpuns artigos, o Snr.
1." Secretario notou queoSnr. Deputado eslava fora
da mdein, porque a primeira discus o versava sobre
a utlidade em geral, e suscitando-se um grande deba-
te, o Snr. Presidente, como encarregido do conser-
var a ordem, dicidio que o Snr. Deputado della nao
tinha saido: continuou urna disousso calorosa sobre
os Projeclos, e o Snr. Deputado Vieira apresenlou um
outro Projecto sobre moeda, o qual fi\:ou para entrar
ha 2.* discusslo como emenda : proseguio a discusslo
apresentando-se fortes ra5es pro, e contra ; e pondo-
se finalmente votaco foi aprovado o Projecto em
separado do Snr. Pires Ferreira, e reprovado o da
commisso. Dada a hora o Snr. Presidente levantou
a Sesso, depois demarcar para ordem do Dia a dis-
cussao dos Projectos 9, 10, ell: pareceres adiados,
e outros que aparecessem. Eu Urbano Sabino Pessoa
de Mello esta escrevi.
Thomaz Antonio Maciel Monteiro, Pre*.
Laurenlino Antonio Morda da Carvalho, 1." Se-
cretario.
Urbano Sabino Pessoa de Mello.
.rio ultimo Diario di Administrado (n. 93 do 3.
Tomo) publicrnosos Pro;octo*. e Resolutdes que a
Assemblea Legislativa Provincial julgo,u objecto dede-
liberaco al o Projeclo n. 33, agor vamos continuar,
segundo a ordem numrica ; mas como alguns dot
I'rojectos sao mui grandes, daremos estes en breve
resumo, e os outros cm exlenco, a fim de que nos che-
"tie o Disrio rsr2 outras comss to -sis mus iiitsres^
sanies. ,
Gm.
PROJECTOS.
N. 39.
*^..
.N.tlltiudo, e dando orgauisacaO a Urna Acadetfik
em a nossa Capital, contendo um Curso de Marinha,
nutro Militar, outro de commercio, outro de Fi.lso-
fi i, ou sciencias naluraes, e outro de Cirurgia Medica
O Curso de Marinha he dividido em dus partes : a
1.' q' comprehender 4 a.' he destinada osofficiaes da
Marinha Nacional, e a 2.* < prehendendo o m.mo lem-
po aos Pilotos. O Curso Militar he dividido em 3clas-
se.'j a saber I." cuten do 6 a.* officiaes de Engenbeiro?<
i.' contendo cinco d'Artilhena, 3.* contendo dona-
de Infinitara e cavallaria. O curso de commercio com*
prehende quatro annos, estudando-se no ultimo prin-
cipios de Economa Poltica. O Curso Filosofi o,
comprehende 4 anns, e finalmente o Cirurgico Medi-
co sinco. Divide as matera-, que se deVem dar em
cada anno : estabelece um observatorio, a qa> sera
obligados osque csludarem para Marinha, Pilotos,
ou Engenhtiros ; urna Aula de dezenho Militar, e de
construco, a que sero obrigados os Discpulos que
se deslinarem ao servic.o Militar, de Ierra, ou mar ; e
urna Aula de Francrz. Estabelece finalmente um Am-
phiteatro, com os instrumentos necessarios, para as
disseces analhomicas, dezigna oa Compendios &c.
&c.
Assignado pelo Snr. Dt-putado Gervazio Prea Fer-
reira.
N. 40.
Sendo certo, qu^ da obediencia as leis he, que re-
sulta a seguranca e tranquilidade de hum Filado,
que para esta obediem i i ser completa he mster se re-
primir os excessos, e abusos das auctoridades asquaesi
por isso mesmo que estio munidas de poder tem m.-
is meius de infringir as leis, e nio Se podend repri-
mir estn excessos sem queajuslica tenha defensor, que
recebendo da Sociedade hum ordenado, fique com a
sua independencia garantida, esepossa conservar so-
branceiro a todas as intrigas e dificuldades daexecu-
co do seu emprego a Assimblca Provincial decreta o
seguinte :
Aft. 1. Em todos os Municipios haver hum Pro- *
moto publico com as altribuices marcadas no Cdigo
do Processo,Criminal.
Art. 2.* Este emprego ser conferido p-lo Presi-
dente d| Provincia por espae de 3 annos aos Bu ha-
ris formados em Direito, e na falta desse aos advog-
dos mais instruidos as leis.
A vi. 3. 3 O I'n motores das Villas e
lermo- percebcTa > innttalintnle o ordena-
dt>de 800^ rs. o da capital9p LOOOj rs.
Ait. 4. z O FromotoTs nao |;ode.a<
oxercer ou'to ertijirrgo ne.n se appca a
outro genero de vida, devei.d) snnicnti
A'


2
DIARIO -DE..#i$NAMBUCO.
J IWffJUiU'IJ) .1,
limitarse cin vellar nos abusos d'adminis-
tracao.
Art. 5.9. Depois de ultimado os .3 an-
uos coi que o Promotor lew de mw 4f
este ti ver exercido bem as (nneoens do scu
cargo, a Assemblea Provincial podei de-
cretar a'coiitinuacao do 'mesmo Proufctor
no sen empreo.
Art. 6. c j-^iialquer pessoa do povo po-
der queixar se a Asseiujjlea Provincial do
Promotor que por negligencia ou outro
motivo particular nao denunciar da aucto-
ridade ou funcionario publico que tiver co-
metlido crime de responsabilklade ^ cojo
facto tenlia tido publicidade pela folha.
Art. 7. A Assemblea Provincial pde-
la decretar a peda do -Emprego ao Pro-
motor quando preccdendo quera con ver-
cer-se que com effeito o facto que devia
o Promotor denunciar leve publicidade.
Art. 8. Fico revogauas todas as dis-
posicoens em contrario.
Paco da Cmara dos Deputados na Ci
dade do Recife nos 28 de Abril de 1835.
Dr. fta^cjsco:de Paula Baplista.
Illm. Sr.
Assemblea
Le^ijlaii
va Provincial resolveo que se exigisse da
Cor^misso, en car regada de reeolher o
armamento, entregue no Arsenal de Guer-
ra diversos individuos urna relacao no-
minal das pessoas, que recebero dito ar
ro,aneTil6 e sjoa quantidade das armas ,
que se aclio entregues e das, que faltao
por entregar r assim como urna informa.
c3o do^estado em que se acha es?a dili-
gencia 0 que V. S. legar ao conhqci-
menlo de V. Ex. o Senbor Vice Presiden.
te, para mandar satisfazer esta diligencia.
Dos Guarde a V. S. Secretaria da
Asserafrlea Legislativa Provincial 25 de
Abril de 1835. Laurentino Antonio Mo-
reira de Carvalbo. Senlior Manoel Pau-
lo Quntela.
IIJ). -3nr. Inclusos reverlem os 2 of-
ficios do Commandante das Armas, ncom-
panhados de outros do Connnandante eni
Chefe das forcas en operaces, sobre o es-
tado da guerra dos Cbaar, visto assim o
exigir o Kxm. Snr. Vice-Presidente.
. Dos Guarde a V. S. Secretaria da As-
semblea Legislativa Provincial 27 de Abril
de 1835.Laurentino Antonio Moreira de
CarvlhoSenlior M a noel Paula Quinte-
la.
Illm. Snr. A Asamblea Legislativa
l^rqvindial repolveo, que se exigisse ni da
Cmara Municipal da-Villa do Bonito in-
formaces sobre os lugares, confrontado-
e?, extenso, e prestimos das porcoes de
trras devolntas, que exislem ein seu Muni-
cipio, fin de se poder deliberar sobre o
officio da referida Cmara do 1. de Abril,
pedindo patrimonio, e nutras cousas. O
que V. S. comnuinicai S. Exc. o Snr.
^Vice-Presidente, para expedir a conveni-
ente orden).
ft*>sG. a V. S. Secretaria da Assem-
blea Legislativa Provincial 27 de Afc-il de
1S5.- Laurentino Antonio Moreira de
CarvlhoSnr. Manoel Paulo Quiptela-
jllm. Sur. A Assemblea Legislativa
Provincial, tendo approvado o requerimen-
to, por cJfJi* incluso, acerca de Sebastin
Joze Campo, e Joze Faustino do Porto,
queiflegalmenle estao servin^o de Praticos;
riprVeo, que fosse levada S. Exc. o Sur.
Presidenie, a fm de ordelar ao Inspector
do Arsenal {le iVlarinlm, que compra a Lt-i
relativamente aos sobreditos individuos. O
que compre eoinmmuniear a V. S.
Dos (naide a V. S.4Secret;iria da As
semblea Leg. Prov. 27 de Abril de 1835^
Laurenliio Antonio Moreira de Carva-
lbo Snr. Manoel Poulo Quntela.
Constando pela inormacao do l.c
Tenente Patrao-Mor da barra dVsta Ca-
pital a que esta Assemblea mandn pro-
ceder a requerimento meu que por or-
den) do Exm. Prezidente da Provincia es-
tn servindo de Pa lieos Sebastian Joze
Campos e Joze Faustino do Porto sem
eslarein a esse fnn habilitarlos nos termos
das ordens do Infante Almirante General ,
em conformidade com todos os Cdigos ,
conhecidos da Europa que pelo Alvav
de 16 de Agosto de 1769 serven! de lei
patria e devendo-se acaulelar quanlo an-
tes os danos, que devem resultar ao Co-
mercio pela entrada e sabida dos navios
pora barra d'esta Capital sem Praticos ha-
bilitados por lei ; e as duviclas dos segura-
dores no cazo de sinisliQs ,. : as perdas sofridas pelos segurados : por es-
te niotivo rpnueiro. mi ?p officio uo ICxm.
Vjcc-Prezidente d'esta Provincia por enter-
rueoMo do Secretario do Governo de que
liaja de ordenar ao 1. ? Tenente Patrao
Mor do Porto que oumpra a lei relativa-
mente aos sobreditos indevijluos cjejiaixo
4a mais restricta respousabeljdaa'e.
Paco da Cmara dos Reputados da
Provincia de Pernambuco 12 d Abril de
1835.
Deputado Gervazio Pires Ferreira.
M,
anoel de Carvalbo Paes d'Andrade,
Prezidente da Provincia de Pernambuco.
A Regencia em Nome de Imperador o Se-
nlior Dor Pedro Segundo nos Envia mui-
to saudar. Tendo sido nomeado Fran-
cisco de Paula Cavalcanle d'Albuquerque
para substnir vos na Prezidencia d'essa
Provincia de cujo Cargo se-vos-ba por
desonerado : V-s llies (aris entrega da ad-
minislniqao da mesma Provincia depois
(pie tenha prestado juramento nos termos
da Carta de Lei de tres de Outubro do an-
no passado ; e llie subminislrareis as in-
fonnajoens (pie foiein necessarias a boa
direceo e andamento doi negocios pu- .
blicos. O que assii)) vos Participa para
VQ39a inlelligencia c execucao. Escripia
no Palacio do Rio de Janeiro em o pri'
ineiro de Abril de mil oito centos e trinta
e si neo Dcimo quarto da Independen-
cia e do Imperio.
Francisco de Lima e Silva.
Joqo Braulio Mumz.
Joaquun Vicira da Silva e Suuza
O
GPVEBNO DA PROVINCIA.
Contiauaco do expediente do dia 80.
Ffico ao Cornmandaute das Armas,
remetiendo cinco processos jul{; dos pela
Junta de Justica pertencetites aos Reos Ca-
pitaes Antonio Fernauxlea Padilha e Vi-
cente de Moraes Mello Sargentos J. T.
Santos e A. B. Cavalcante e Soldados
Bento Joze e Manoel Barroso.
Ao dito, que vaj. levar ao conbeei-
mento da Regencia o seu orrgl^ein que
trata dos segundos Tenente? do 4. c "Cor-
po de Artilharia J. B. do Amaral, S. T.
Castello-Bianco, l.cTt-nenteJ. \. Pe$.
boa de L'icerda e oulros Officiaes que es-
tao regendo Cadeiras notase as Provin-
cias visinhas.
Ao In-pecior da Thesouraria remet-
iendo o Atizo da S. da Guerra acerca
das flaneas, quedeyem prestar os Almo-
xarifes e Pagadores das diveivas Eslaces
pertenceiites Iteparti^o da Guerra.
Ao Administrador do Crrelo que
teni expedido ordem para ser dispensado do
eervico ordinario o G. N. A. de O. Ga*
valcautede Andrade., cuca negado da en-
trega (lascarlas d'agenci.a de S. Antao ,
o que far constar ao respectivo Agente.
Ao Chefe da Legiao de S. Antao ,
que mande dispensar o G. N. de que
trata o officio su pra.
Ao Provedor da Salida ; que liaven-
do determinado a Regencia que seja em-
pregado como Agente da Admini.traciao do
Correio um dos Em pregados da Pro vedo-
ra da Saude que s/;ja fixo as respecti-
vas visitas a fim de ser encarregado da
dilrpncia de receber bordo dos Navios
as majlas c cartas avulsas arbitrando-sef
Ibe m este tfabaHio urna jiequena grati-
ficaco^ cumpre que S. S. quem seia es-
te Empregado e sua capacidade.
A'Cmara d'esta Ci/dade., tfve pa-
ra satistazer ordem da Regencia -onmpr
que ella mande urna relacao nominal das
pessoas empregadas na Iqspecco de Sau-
de com seus viencjmentos e JErt>prego
datas de seus provimentos e por onde ex-
pedidos e declarando todas as mais des-
pegas que se fazerp com a dUa 1 n^peccao.
Ao Jniz de Dirtito interino,da Com-
marca de Goianna em resposta ao seu offi
ci de 27 de Abril ; dizendo-llie que de-
vera por ora tazer a Polica de seu cle^tri-
cto com as Guardas Nacianaes do mestno,
que llie sao subjeilos em virtude da Lei ,
em quanto a Assemblea Legislativa Pro-
vincial a Qual o Govemo ja envin as
precizas inforinacoens nao resolver st>bre
a forsa Policial.
Portara ao Commandante da For^a
Maritima para entregar (li>pozic,o do
Commandante das Armas o Tenente Anto-
nio Benedicto de Araujo.
A Joo Marinbo Falcao Administra-
dor da Capella de iN. Sra. da Conceico
da Boa vista para remetter com ^urgencia
Secretaria urna copia authentica dos Ti-
tolos por oue llie pertencem os terrenos de
Marinlia d'ehta C;i|)ital para ser prezente
a Asseaiblea Legislativa Provincial que
assim o resol ven.
Officio ao Commandante das Armas;
que lonjeiras e agrada veis sao as noticias
que o Commandante em Chefe d no offi-
cio de 24 do corrente que S. Ex. reniet-
teo de que a desastrosa guerra de Panel-
las se aproximaba seu termo pela continu-
ada apresentacao de cabanos e dos mes-
mos Indios de Jacuipe cnio nuuiero de
apresentados monta ja a 135 e havendo
beiu fundadas esperanzas da que os que
anda se conservo as matas coin as ar-
mas na mao, as deponho e se venbao
tampem apresen^r ; gracas ao zelo Apoa*~ *
tolioo e caridade Chrisl eom que S. x.
o Sr. Bispo d'esta Dioeese oom tao nerto-
os se tem conservado no Acampa-oie,nvto ,
e visitado os differentes Postos pregando a


DIARIO DE PERNAMBUCO;
3
cea
>az 6 a concordia c fazendo ver csscs
sgracados Brazileiros o erro em que tem
[jazido e ga.tihado a sua afteico por as
csmolas e conolnces que llies tem libera-
lizado e de que tao proveitosos resul-
tados temos tirado. Que como os cuba-
nos se alerasen) com a vista do pequeo
busto de 8. M. I. o Sr. D. Pedro 2.
quem deio vivas e o Commandante em
Chcfe peca mn retrato maior do Mesmo
Augusto ^enlior para llies ser mostrado,
tem ordenado que Elle llie soja rcmelti-
do assim como a Baudeia Imperial, que
tambein requisita. Que louve S. Ex. da
parle do Governo ao benemrito Com-
mandante em Chefe os seus )>ons servaos,
o empenho e zelo que emprega para ul-
timar a guerra poupando sangue e dinbei-
ro.
Ao dito que pode dizer ao Com-
mandante em Chefe que o Governo ap-
prova que se gratifique coni 4$ rs. o Caba-
no que se a prest-ntar com a sua granade-
ra com 2o# rs. o que trnucer um escra-
vo 10$ rs. si for escravo menor.. Que
o Governo Supremo o da Provincia to-
dos os seus habitantes suspiro pela conclu-
sao desta lucta e contentes serao que
cpm dinheiio sepoupe o sawgue de Patri-
cios nossoe. Que com ates meios as des-
pezas serao menores ou deverao cessar ,
pois que cessar a guerra.
Ao dito ; que tem reaietlido ao Ins
pector da Theso*irarift para a mandar sa-
tisfacer a relacao dos gneros e roupas pre-
cizas para o Hospital Rgimen tal do 7*
Batalhao de Cacadores de prijuieira Linlia.
Ao Inspector da Thesouraria re-
metiendo o referido no officio supra,
. Ao Commandante Superior das G.
N. ; que tem n'esta officiado Cmara
M. d'esta Cidade para activar os Juizes
de Paz a quem competir a stricta obser-
vancia do ar.L 16 da Lei de 18 de Agosto
de 831 como S. S. reclama. Que quan-
to criacao do Esquadro de Ca valla ra
na segunda Legio c de urna Companliia
na primeira no que convein c tnister
que para se expedirem as precizas ulterio-
res ordens S. S. proponha o melhor meio
de assim praticar se. E finalmente quan-
to. numera cao submettendo a appro-
vacao do Governo.
A' Cmara Municipal ordenan-
do oexpresso no 1. pe iodo do officio
supra. +
. ** Ao Teneote Coronel J. F. de Clia-
by aceitando a sua demissao de Presiden-
te da Cpmmisso dos Hospitaes, e louvan-
do-o pelo bom deseropenho d'este Cargo.
A Joo Pires Ferreira nomeando-
o para substituir ao dito T. Coronel Cha-
by.
DIVERJAS REPARTlf O'ES.
M
Poliei.'
.ANDE-me V* S. partecipar o resulta-
do $q proceseo oejustifoacao do Capito
da Barca Portugueza que fui pique ,
sobre os 10 Africanos passados para a Ga-
Tpscano Ligeira e aqui poutados,
que V..S. ficou de formar no da terca
feira e isto com urgencia para levar ao
conhecimento do Governo. Dos (ruar
de a V, & Recite % de Maio de 1835.
Joaqtm Nuncs Machado, Che fe de Poli-
ca. Illm. Sr. Juiz de Paz do 1. c Des
tricto do Pilar Luiz AI ves Morcira.
Fui me prezente o cfficio de V. S.
de 2 do crrente em que me consulta se
o Juis de Pas pode xa mar para ns rondas
nocturnas de polica os Cidados de seo
Deshielo, e mesmo os Guardas Nacionaes
e no cazo de nao comparecimento, qual o
procedimento do Juis de Paz com os que
faltan. l''m resposta, son a dizer-lhe ,
quanlo a primeira questo que o Juis de
Paz pode mandar xamar os Cidados de
seo Destricto, mesmo Empregados pbli-
cos pelo principio de que quem est
obligado aos fins tem direito aos mcios -
ora se o Juis de Paz he obrigado a manter
a ordem e tranquilida.de em seo Destri-
cto ; providenciar e a cautelar que se
cometao crimes, he fora de duvida que
tem o direito de xa mar os seos Destrta-
nos, como meio para conseguir um tal
fi.n; e o Cidadao assim xamado pelo seo
Juis de Pas he restrictamente obrigado
aprestar se, por ontro principio ; e nem
a ser que quem quer os cmodos, deve
sofrer os incmodos se o Cidadao quer
gozar de socego seguranca indevidual ,
e de propriedade, elle deve prestarse e
ajudax a aulhoridade encarregada de velar
na guarda de tao charos objectos ; e se el-
le se recusa se-he egosta e se nao obe-
dece a authoridade, eHe tem cometido um
crfme pelo qual deve ser punido nos ter-
mos da Lei art. J29 do Cod. penal.
.Quanto a segunda questao digo,
que sendo afim da criacao das G. N. a
manutencao da ordem e tranquilidade
publica ,* e estando ellas subordinadas aos
Juizes criminaes do art. 6 da Lei de 18
de Agosto 1831 o Juis de Paz pode xa-
malas para o servido das rendas nocturnas
de polica ; tanto assim que se ellas se
recuzao, cahem no comisso do art. 5 da
citada Lei, mas ueste cazo o Juiz de Paz
deve proceder a requizico; oiciando ao
respectivo comandante. Eu devo notar a
V. S. que com quanto os afazeres na
reparticao a meo cargo formei guerra de
todos os lados ; o servico publico nunca
me ncabrunha ; assim pode V. S. todas
as vezes que se axar em duvida consul-
tar me que com responder-lhe nao fasso
se nao cumprir um dever ; e serei feliz ,
e muito recompensado se com os meos
pequeos exforcos conduzir-me e aos
Srs* Juizes de Paz ao acert de minhas ,
e suas obriga^es. Cordialmente agrade-
co a V. S. as sinceras expresses de sua
amizade. Dos Guarde a V. S. Re-
cife 4 de Maio de 1835. Joaquim Nu-
nes Maxado Chefe de Polica. illm.
Sr. Francisco Cavalcante de Mello Juiz
de Pas do 3. Destricto da Madre de
Dos.
ED1TAL.
A Cmara Municipal da Cidade do Re
cife e seu termo em vu tude da Lei.
F
Az saber aos habitantes do Municipio,
que ella tem por as iuformacoens que ad-
quiri taxado o preco de quatro centos reis
por caada de agoa-ardente para o con-
sumo do Paiz ,--para sobre este pre^o po-
der w dediiTJr o importo de viite por. cen-
to determinado por Lei. E para que che-
gue a noticia daquelles a quem o conhe-
cimento deste pertencer mandn que por
o upresso se publicasse o prezente edital
por ella asssignado. Recite em 4 de Maio
de 1835. Joze Ta vares Gomes da Fonce-
ca Secretario o ercrevy.
Francisco Antnio de Olivara.
Gazpar^de Menezes de Vasconcellos Dru-
mond.
Joze Benlo da Costa.
Antonio Joo da Reisurreico Silva.
Jacinto Morara Severiano da Cunha.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta he a mesma do N." 70.
s.
ANNUNCIO.
'Ahiu a luz a Voz do Bebiribi contendo
Reflexoes sobre o parecer da Comisso,
e voto do Snr. Deputado Lopes Gama a-
cerca dos meips de extinguir a guerra dos
Cubanos; sobre a retirada do Snr. Gerva-
zio da Assemblea ; e sobre o requerimento
dos Srirs. Carneros acerca de Snr. Mano-
el ZeferinoCurso JurdicoResposta ao
Aristarcho Noticias Quiglha dos rus-
guentos Lei be 3 de Oulubro de J834
Educa cao do homein. ,
gifflil' mu -
O
AVIZOS DO COIiKEIO.
Brigue Portuguez Esperto, de que
Ciipiao Joo Antonio Viefra sai para
Lisboa no dra 13 do crvenle.
f3* A Sumaca J^'eliz Destino repebe a
malla, para a Baha no da 6 do correnle
ao meio dia.
O
LEI LO.
Lello que se liavia aununciado pa-
ra 4 do correte de urna porcao de bolaxa
em caixas de ditas arrobas, ficou transferi-
do para boje 6 s 11 horas da manila na
porta do armazem de Antonio Joaquim
Pereira no caes d'Alfandega.
NAVIOS A CARGA.
Para a Biha.
Egue viagem no dia 10 do corren te a Sanaca Es-
perance : quem na mesma quizer carregar, ou ir de
passagem dirija-se a casa de Balli Se Chauni Frres,
Forte do Mallos, ou ao Cap. a seu bordo.
S
AVIZOS PARTICULARES.
g;
Ermano Antonio Aires faz publico que no 1." de
Maio correnle Ihe desapareceo um cabano de nome
Joze Esteves, dado pelo Governo ao annunciante, e
para sua resialva faz o presente annuncio, e se algum
senhor o tiverem sua casa declare para ser entregue
ao Sur. Juiz de Direito.
W Joze da Silva Maia Ferreira, e Gabriel Anto-
nio declarioter dissolvido amigavelmente a sociedade
que entre si tinho, ficando Maia Ferreira saldado de
todas as contas, e desonerado de toda a responsabili-
dade de qnalquer negociacio que possa estar penden-
te, e Gabriel obrigado a liquida-las per sua propria
conta, bem como responder a qualquer exigencia dos
outros socios de Pernamboco, Joo BaptLu Cesar e
Angelo Francisco CarnJiro, conforme a escritura
que firmarlo em data defhoje, por cuja escriptura m
i


A
DIARIO DE PKRNAMUCO
B 7 ?i*?>^.".' El
v que os Biigues Ijoanda o. Jpiter oulr'ora p i ti r-
cenlos exliucta sociedade, fico pertencendo a elle
Maia, e que por ole Indo se invalida c annulu toda a
accio que se le.In intentado, uu no futuro se apre-
hender intentar respi ito aos ditos vasos. Rio dj .1i-
nviro, 10 de Marco de 1835 J'oie da Silva Maia tvi-
rcira--Gabrit I Antonio.
*53^" O abixa assignado roga aos senhores que To-
rio Asignantes do Diaiio da AdininUtrcio tifas me-
zes de Marco Dczcmbrn do pieximo findo auno de
1S34, e que nao pagario as respectivas assignulura^
hajo de as nao satisfazerem, se nao pcssca que pelo
abaixo assignado for ao toria.la por escripia, fisto
constar-Mis que u'guns individuos, que cntio nao
Distribuidores do mencionado ihriose lemapresenla-
do a a alguns dos senbores Assignanlcs como incum
bidos de arrecadartm o importe deltas. Reciic 4 da
Maiode 1835.
J. X. F. Ramo.
*$y Preciza-se de uro hornera que entunda de
plantaces, %t que soja bom trabalrrador para tomar
conta de um sitio ; na ra do Ara gao D. 30.
"E^* Prcciza se fallar com o seuhor Joaquim Theo-
doro Alves para npgocio de seu inleresse : na ma No-
va venda di fronte, da Conceico D- '20.
1F^ Quera precisar de um menino nV 14 annos,
para caixeiro de luja de fazenda, ou de miudezas, da-
do o mesmo fiador a sua conducta ; dirija sea ruada
Cadeia Botica D. 4.
13^ Aloga-seuma preta que sirva pan todooser-
vico de urna esa ; quem a liv.-r diiija-se a ra das A -
goas verdes D. 38, ou annunrie.
^^* Preeisa-se sab?r a quemort-nre duas raixas
de enxofre n. le 2, que se acho n'AIftndeg de U
praca, a quem penencerannuncie sua morada para se
tratar deuegonio.
$C^ Tendo siJo furtado urna bmea de amarello,
coberta de parino verde rom duai gav: la, do arma-
ren! defronte do Trapixe Novo, na qual existia dife-
rentes papis, bem como re ibos cadernos, contas, e
amostras, v>er secobrarem pertentente ao mesmo Tra-
RJX, flesde 26 de Noverobro de 1832 t ho]<\ O a-
baixo assignado faz sciente a todas as pessoas que de-
verem ao dito T.apixeque de hoje era diaute nao pa-
guem contas a pessoa alguma que Ihes for a presenta-
da, sem que seja pelo ab>ixo assignado. Assim ma
is a pessoa que souber aonde existe os ditos papa? e
quizer restituir, ao abaixo assignado recompnsala ge-
nerosamente.
Jaaquim Joze de Miranda Jnior.
*fiC^ Quem annunciou por este Diario querer
comprar um piano forte uzado que nao exceda a 200$
re?, pode dirigir-se a e. trada de Belera no sitio filei-
ro ao do Padre Joaquim Monteiro..ft
?fc^- Antonia Joaquina Borges Franca, tendo an-
nunciado pelo Diario de Pernambuco N. 40 e 44 que-
rer vender a posse de um terreno com seos alicorees
por detraz dos portes das 5 ponas, dando o prazo
de oi'to dias para quem se julgasse com dinilo ao dito
terreno comparecer com eos lilulos; nunca apareceo
pelo dito Diario pessoa alguma, e como annuncianle
livesse contratado a venda do terreno e seos alicercc
com 0 Moraes morador na ra Direita, este depoisde
ler l'eixadoo negocio dirigi sea casa da vendedora di-
zndo que Manoel dos Santos Lins Bindeira fora a sua
casa avhalo que nao fizesse til compra, que perdia o
seo dinbeiro e que contrataste coro elle Santos que era
enhor, e possuidor daquelle terreno; por tanto a an-
nunciante declara solenimenle ao Sur. Santos que tila
nao conliece outro qualquer possuidor ao dito terreno,
r que por este Diario declare os seos ttulos no prazo
deoilodias, alias passar a vender o dito terreno.
$3* O Inspector las Obras Publica?, faz
publico, que vencerw 400 rea diarios t>*
das as rfcwohs que quiserem tfa&altialliar
de serventes as diftemites obras a curgp
daquella Repartido, as quaes pessoas po-
deni comparecer na Sallado expediente da
reerida KepaiticLO todos os dias titcis de/
de as 9 horas da nmnh alhe as 2 da tarde,
y>u a presentar se a qualquer hum dos M#s
Mres da sobredita Hepai tico.
3" Quem ahnnciou querer comprar um
jogo de Diccionarios querendo um da Fia-
c, k pata Portuguez e de PortiigiK'z para
Francez dilijase ao pateo do Terco 1). 4
caza terrea junio a botica.
500$ ni em piala, por pec*s de 6$400 :
na pad. ria da ra do l'eixoto das 5 ponas.
VENDAS.
(\jS seguidles livros r-hegados ltimamente de Lis
boa: Lolao, Notas a P-scoal ; rcn ira.e Souza Di'cio-
n. Dootrina das iGes; Goovea Pinto, Testamentos;
Carva'hn, Proresso orf^nologico ; Borges Carneirr,
Diicito civil ; Reportorio das ordenaies do Reino 5
Cardoro. Cdigo civil.5 Fereir Borgps, rontrarlo de
socied-dr ; dito Av.iias; tlo, can bio Marilimo j
ditoSyntPloeia ; Correa Tclles, Manual deTabelio ;
Silva .i boa, Din ilo Mercantil Martini, Direito na-
tural, Manual de A ppellato e Agraves; Gouvca Pin-
to, Kxame critico sobre os Expostes; dito, Rezumo
chronologico ; Pereira e Souia, Apndice as Primei-
ras Linlias sobre o processo civil; Pcniz, prtic3 ;
Correa Telles, Jnterr.relacao das l( is, Carvalbo, Tom
bus i Jusliniano Inslilutas, e outris muil.-is tbr. s : na
praca da Independencia leja de livros n. 37 e 38..
^^ Um prelo de riaco angola, oficial de oleiro e
canoeiro pelo preco de""330$ reis : na ra da Ale-
gria ppgadj ao sobrado da esquina pirede e meia de
um alfaiate.
^3T" Dois pianos noves e de superior vozes: na
rus do Queimado D. t\.
^y Urna camafrancezr cm muito bom uzo, e u-
ma maiquera prquena com armario, propria para
menino de 7 annos : na ra dos Tanoeiros n. 10.
p^ Um negro de 40 annos, e 3 moleques de 12
-------------u :.
hmiius uam UJIAU)
3 r.cgri::!:a de 0 sr:;:
COMPRAS.
LPUzeiilos pi de coquelros para planlar-se : na
pr.cir.ru do Livramento na loj| do Tu-gos Poncede
Len.
I
maii ou menos : na ra do Rczario ven Ja D. 15 se di-
r qufm vende.
^j^ Trancelins d'ouro de gosto moderno pan lio
mena e senhora, aunis de brilhantes, com rubins e
apal, anneles esmaltados de muito bom gosto, alfuu-i
tes d'ouro e esmalte para senhora, pulceiras d'ouro e
esmalte, ricos, e delicados alfineites de filagr de di-
versos gostos, adereqos para sen de filagr com brin
eos, bolps para homem d'aventmina, rclogios para
senhora, lencos de seda prela para homem, ditos d
dita decores, espartilhos para senhora com molla, e
sem ellas, boi&es de ouro para rami?a. de hornero,
mangas de vidro lizas, lanternas alrombetadas, e la-
vradas, com ramos decores, e leus respectivoscasti-
caes, um rico pianoforte de novo gosto, um parelho
de meza de pustilana de muito bom gosto, luvas cur-
tas de peca, e castor fino para senhora, meias de li-
ndo muito finas lizas para senbora, e ditas curtas para
hornero. O seguiute, que s se vende por atacado
ricos vestidos brancos de fio de linho, ditos pretos
dito dito, meias de seda brancas para homem, Imc s
decaibraia de linho para senhora, ditos de 3 ponas
de fi' de Unho, excellentes veludos pretos, sedas prc-
las Uvradas, ditas de diversas cores de muito bom
gosto, susppnsorios elsticos de linho, e de seda, ex-
cellentes brides a imitaco dis fcitas aqui, por molde
que daqui se mandou, por isso que desta qitalidade
nunca viero, um bom sortimento de frascos d'olio ma-
esfiaf, e outrasqualidades, frascos de verdadeira agoa
de colonia, sacos de farinha para lavar as mios, col-
xeles, egrampis, golas de fi!( de linho, de diversos
timanhos, bicos e rendas de fil de linho de muito
b-.m gosto : no atierro da Roa-vista casa de Joo Fran-
cisco Santos de Siqueira, de manb al as 9 horas, e
de tardo das 3 em vanle, amaneando que nao dezarS
. de fazer negocio, nao 10 porque a qnalidade das fa-
, zendas a isso convida, como por ser o preco commodo.
%^ Um boi muito gordo, urna vacca, e urna no-
vilha : na ra da Cadeti vc'ha n. 56.
!srp" Urna casa terrea cita na Caza-Forte di fronte
da Igreja n. 10, rom trez portas na fit.ile, de pedra e
cal, e quintd com alguns pes de larangeiras ; vende-se
a prata, ou sedulas : as 5 pontas venda D. 7.
^y* Um negro canoeiro e com principios de sa-
paleiro, de 20 a 22 annos, com canoa, ou Sem ella;
na Cidade de Olinda, ra dos 4 cantos D. 22, venda
que foi da garapi.
\py* Fazendas finas, e grocas por dinheiro de ro-
bre legal, e por preco commodo : na loja do Mello,
ra do Cabug.
tpy Um c.ivallo alazo bom carregador e esquipa-
dor : na praca da Boa-vista D. 16.
tyy Caixas de traques : na ra da Cruz ao p do
Corpo Santo n. 31.
Vpy Um escravo cabra, pira fora da Provincia,
proprio para todo oservico de campo: no atierro dos
Afogades casa terrea junto ao sobrado de M. Arcanjo
Monteiro.
^y Um cavaiinho Tabaiano da segunda muda,
pouco roas do que um burro, come, e bebe bem a
arlar-se ; anda muito a passo, e furla-passo, e muito
manso, proprio para menino: na ra atrs da Matriz
, da Boa-vista sobrado novo n. 17-
Chi hisson de suprr'or qu-ilidadf, dito usin,
>t'a/em grao, e muido, chocolate, manleiga, esperma-
cele, queijos flamengos, toucinho, vjnho moscatel en-
garrafado,' licor, serveja, vinho do porto engai rafado, "
dito em pipa#, com A anuos de trra, dito de Lisboa
v n n muito bom, e ludo n:ais por preco muito com-
-modo ; assim como um pintacilvo, dois curios, e um
bicudo; e diariamente rapim de planta em bous fei-
xi-s a 130, e ficando para outro dio a 80 reis : na ven-
da grande ao p da ponte da Boa-vistaI). 36.
tt3f^ Miudezas, ci.uros, sola, buerros, e msrro-
qoins por preco commodo, e por loi'o o dinheiro que
lenlia o pe/o, e nao seja fundido : na loja de couros e
miu lizas da ra do Livramento D. 13.
yy Por todo dinheiro que tenha o peio nfo sendo
fundido o seguinte: espirito de vinho de 37 graos a
5$ rs. a can., goardente do eino a 3$5O0, botija
de g'-nebra a 560, vinho bramo de Lisboa bom a 3J
a rail., dito tinto dito a 2^)560, dito a 1$920, e
lgi)600, cha imperial cm caixas de 2 lib 1% dito
perola i^a lib., e bison a 2^560, sarvej superi-
or, gigo de urna du/ii por 6<5); e gar. 560, paios no-
vosa 800 um, linguicas a 960 a lib., caf do Rio a
400, assucar branco a 5^)120 a ar., t mascavado a
3^5, bom toucinho a 640 a lib qurijoj a 1^)280, e
todos os mais gneros : na ra do Livfomento venda
de Cardial ao p do beco do Padre D. 1.
^fy Potassa Amiricana liega la agora: na ruada
Cruz n. 63.
PtiRDAS.
l\|Odii 2 de Maiocorrente perdeo-se urna carteira
com urna sedula de 20^000 res, e orna nrHm ira-
da pelo senhor do Eng- uho da Ti pera Joo Carlos B-
zerra Cavaleante, sobre osuihor Joze Pereira d* Cu-
nlia, cujo ) linha o pigasse ao portador,, e essignado
Kste\o Paz Brrelo, ele cuja ordem ja est scienle de
a nao pagr o dito senhor Cunha se nao annunciante,
morador na ra da cadeia do Recife, que dar urna
gralificacoao portador que a troucer.
Sevciino Antonio Ribciro Viinna.

ESCRAVOS FGIDOS.
!V<
O fim do mez de Julho de 1834 fngio da casa do
seo senhor, Felippe Carneiro de Misqoita, morador
em Pirana do Termo da Villa do Pillar na Provincia
da Parahiba, um escravo moU.'o por nome Vicente,
de 20 annos de idade pouco roais ou menos, b.ixo, e
cheio do corpo, cara cornpi ida, e bixigosa, e tem um
(albo em cima de urna das sobrunoelhas, officid de sa-
pateiro, e levou em sua companhia urna cabra forra
de nome Mariana da mesma idade, baixa e prela, cara
redonda, e cabello cortado, e bem caxiado : os apre-
hendedores dirijo-se ao Palacio de Olinda que serio
bem recompensado.
^r3r Domingos, naci Angola, 20 a 22 annos,
denles acangulddos, seco do corpo ; fgido no dia.
23 do correle, com calca branca, carniza de riscadi-
nho a/ul, e clnpeo de palha : os aprthendedores le-
vem-o a ra de Sania Rita nova D. 6, que serio re-
compencados.
NOTICIAS MARTIMAS.
Taboas das mares chatas no Porto de Pernambuo. o
a
s
a
O)
o
CA
te
a
8Segunda 9T:- i 10 h. 54 m.(M ,. ,, ., )\Ianha = 11 42 (
10-Q:---- | 0 30 \
11-Q: - l ]g I
12S:---- 2 6 [ Tarde
13S:---- e 2 54 \
14-D:--- 3 42 ;
Navio sahido no da 5.
lIVERPOO; Piq.Ing. Pczion, Com. Luce.
M
ERRATAS.
O Diario de hontem pag. 3.'. col. 1.', lindas 4 -
privaleia-seprova. Na mesma col. lia. 70--o fur-
to diplomalicoleia-se-o posto diplomtica: na mes-
ma pag. na ultima lin. da 2.a col.--ao seo Ministro na ,-, 1
Costa de Elorenca--leia se--ao seo Ministro na Cor t"'
de Floren^a.
Pern. na Typ. de Diario 18-35,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIJFNC26K_DZUOW6 INGEST_TIME 2013-03-29T18:12:24Z PACKAGE AA00011611_03309
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES