Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03279


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Jf '
ANNO DE 1837. QUAKTA FEIIW
5 OE OUTUBRO. N. 231.
PEllN. n\ TYP. di M. F. or PARIA. 1837.
1
DAS DA SEMANA-
23 Sepnnita P. Joo Capristano. Aud. do juiz do
Cr. de de t. sos. da T. Publica.
3-tTerfa S. Rafael Arcanjo. llel* Je m. e aud.
do J.dos O. de t.
25 Unan Ns. Crispina e Cnspiano, Ses. da T. P.
28 Quima S. Evangelista P. M. Ilcl. di manliaa
etc.
27 Sfjrta (j''Juni) Elesbao Iinp. Ses. da Tlies. Pub.
aud. do JdeOdet.
28 Saba-to *f S. Sim '> <* s. Judas Thadco.
29 Domingo S. Fclicianno M.
Mare' chcia para o dia 25 de Outnbro.
as 2 horas e 6 ni. da m 2 h- 30 m. da tarde.
Ttdo agoradependa de nbamasmosd nosta pru-
dencia, moderacfto, e enera;ia!coiitinoeinos coina
principiamos, remo apontadoi com admira.
;ao otra ai N'a'qoai maiscultas.
Praslansiifta da Jmmbla ral d 'iii
9abscreve*iea.l000ra.menaaei pagosadi antado
neata Trpografla, ra das Cruzes I). 3, e na Pra-
ga da Independencia N. 37 e 38 ; onde te rrcelrWn
correspondencia! legalisadas, a annunciosj inserto-
do iieiiti gratis sendo dos proprios assignantes,
rindo aasignados.
CAMBIOS-
Outubro 24.
JLiOndres 29 Ds. Si. por 1,000 cid.
Lisboa65 por <>|o premio, por metal, Wom.
Franca 316 a 320 lis. por franco
Rio de Jan. ti p. C- de prcin.
Moedas de 6,400 13,800 as rellias, oras 13,400
4,iM(0 7.4)0 a 7.OJO
Pezos Colimares I 58 i
ditto Mexicanos 1,550 1,565
I'atacoes Brasileiros 1,570
Premio das lettra*. por mes I 1|1 por o|o
Cobre apar das sdalas
PARTIDA DOS CORK ROS.
Olind_Td) os distan neto dia.
Ojian, Al.'iandra, Paraiba, Villa do Conde, Ma-
mauguaue, Pilar, Real de S. Joo, Brejo d'Area.
Rainba, Pombal, Nora de Sonza, Cidftde do Natal, j
Vil'as de floiaiiniiilia. e Nora da Prineeza, Cidadt
da Fnrtalexa, Villas do Aquirs, Monte mor noro
Aracatr Cacarel, Canind, (Iranja, Inmeratri
S- Bernardo, S. Joao do Principe, Sobral, Nora os
Ellier.lc, 8. Matbeuf, Reacho dosangue, S.
Antonio ,| Jardiin, Quexeramoliim. e Parcahiba
- Secundas e Sextas fei:as ao meio dia por va da
Paraiba. Santo Antao- Todas as quintas feras ao
meiodia. Garanbuns, e Bonito- nos d.as 10 *?
de rada met ao meio dia. Flores- no da 13 >
cada mes ao meio dia- Cabo.Seri.ibaem, lio re-
mozo, e Porto Cairo- nos dias I, 11, e SI de cada
mei- ____________.
i
PARTE OFFIG I AL-
RIO DE JANEIRO.
CMARA DOS SENADORES.
Se.-sio era 14 de Agosto
Presidencia do Sor. M. da Bacpendy.
A'a horas do cosame, abre-se essio:
Je-se e npprova se a acta da antecedi-
O Sar 1. Secretario d conta do expe-
diente.
Ordem do da.
Continuare a segunda discuti li-
diada da lesoluco sobre o requerimento
dos escrivies e tibelies do judicial do
municipio .da corte, com as' emendaa of
Ion las na sessio anterior, palo Sis. O i -
vatii a e Cassiatio.
O Sr. Oliveira requer retirar a toa e-
nien la por ja nao ser necessaiia. He-
llie concedido.
Julga e discutida a matara po-ta
a votos, heapp>ovada a raolurio com
a meada do Sdiilior Casiano e assira
p.is-a tere ira discuti.
Segue-se a tercena discuso do projecto
da proposta de recrulamenld pra com
pletar o exercito, com as emendas da ou-
tra cunara.
O Sen hor ministro do G ierra pede ret -
r tiv.*a seguales:
Emend rtigo i. subslilua-se para comple-
tar ai turcas de trra decretadas para o
anno de 1833 a i83g, no aitig segundo
da respectiva lei, ogoveroo fica auctori-
eadoj desde j, a engsjar entro ou lora
da imperio, naiion proprios para o sei vico milit.tr : bfin co-
mo a reciu'ar d'enta 09 id.id s Bia*-
l iros de 18 a 35 innos de i la,.e, ot que
fo'.em idneos para o servido ainda q'
sejo qualica los g iards. nacionaes,
excepeo dos que forera cacado., viuvos
i ti lilhos, ou i 1 ho* nicos fie viuvas;
co ii tanto que huns e outros TvIa no seta
to mi is l'imilias ; ficaudo pa>a este II u
Mi-ijiensa, pelo tempt conveniente, a dia -
po. fio d<> a ligo ft,5 da lei de 18 de a-
gostu d-- I83i.
Artig > a. a litivo Todos os recru
lado* em vittude dt presente lei, que es-
tiveem compreliendidos nis xoepces
designadas n.-s in>truci,5es de 10 de Juluo
d i822.setviri6 someota at a p^c.fi mco
daproviocia do Rio Grande da S. Pedro
doSul, concluida a qual, tario immadi-
ament ascuas lnixis.
Ait. 3. He 0J.e do projecto, e
com emenda depois da patarra idneos
nSo r< crutayeis.
Artigo 3. do projectosuprimido.
Art. 4 dJiitivo aos que se apre^
entaram voluntariamente p*raos-rvi-
co alionar-se ha' huma gr.liQcac > da
6>5 a 9iv& r>s' ? em prestaijes de 3 em 3 meses, dando-
se-llies a primeira no acto da venaaco
da praca.
Artigo 5. dttiivo eitas volunta-
rios mit*itn comete o tempo marcado
na lei de 6 de outubro de 1835; fid
o qual, qu'renlu contiauar a servir, se
llias abonara' a gralilioaco eslobelecida
no artigo 4- ds lei de a6 de agosto da
i835.
Art. 6. additivo quaodo tivr lugar
a gratlcic da corpas destacados dat
guardas n-iciooa-s para o servico d.s Gua
nices sera' esta feita palo Govtrno na
coite e pelo p>e>idules riai provincias,
precederilo infjrmcdes dos commandan-
tas respictiOH, segunda as qmlicaT5es
dosartigos al em, e dic5es dos
arligos ia6. Ia7 a Ia8 da lei da 18 de
agosto de i83i : revogados todos o* mus
artigos do respectivo titulo da mesma
\e:
Artigo 7. Ha o quarto do Projecto
Sturniuo.
O S nhor Paula e Souis requer que se
mande imprimir oom urgemia esias e-
mendas tferecidas pelo Senbor miuis
tro.
Sen lo apoiado o requerimentc, jnlga-
se d siutido e heapiovado.
S gue se a di-cus^io da res iluro com
as emendas a oud a cmara, oob.e a G-
xc<> das foren da trra.
O SenhT Piula Soma requer que a
discussio teja artigo por artigo ; sendo
apoiado, e po:.to a votos, assm se deci-
de.
Julga-sa discut lo o primeiro arlig > do
projei ta e lie .pprovado : e saoue-se o
segundo.
v O Seohor Ministro da Guerra pede re-
lira/ -a sua emenda quehavu oiT.-reJo,
para anbstitfli-la pela .-e^umies :
Emen las a lei da xac> das forjas.
Artigo a. A i <| ie se segu as pahvr^s
-- maiodei83i sub.-titua-se : Q.nnlo
ao numero de coi pos; ticando o g >ver-
no authoiisado a alterar orno convier
o pessoal, assim no total de cada coi po ,
como no das companhiss, sendo o iinxima
da faifa do exercilo, dasle ja, 15 mil
pracas, e no caso de guerra estrangeira
20|Oov
Artigo 3. Sapprimido;
Artigo 4* P*'*-* n ser terceiro depois
da palavra individous accresceote-se
uacionaes, ou estrangeiros.
Ai t. 5. ti o 6 das emsud.is.
Art. 6. He 7. das emendas. Sttur-
nin.
Sao apoiadas.
OSanhor Lncio offareca a emenda se.
guinle :
Qiie se adi a disous^io di rtigs
segando com as emendas, nt que o Sr.
ministro da guerra possa informar so-
b-a o empregj dastas forcas. He apoia-
da.
D pois de alguna debate, o masmo Sr.
Lucio pade roiirar o seu adiiammemo
por ja estar satisfeito, pelos esilsrecimen-
tos que leve oa discusso.
H-llie concendido, e continua sa na
disoussio da materia Tomio parte nel
la os Snrs : Lucio, Oliveira Conde de
Lages, Paul e S juta, ministro da guer-
ra e lanicio Borges.
Dada a hora, tica adiada.
O Sur. Piesi lente marca para ordem
do dia qu discuti adiada, le do recrutamsnto com
a- e ueiidas olerecidas pelo Sanhor mi-
mistro, e, sobrando lempo, amateiiija
da.
Lavajtou-se a Sasso dep )is das a horas
da larda.
CMARA DOS DEPTADOS4
Sesso do dia i4 de agosto de 1837.
Pre>idsucia do Senhor Aiaujo Lima.
A'a 10 horas feita a chamada arhando-
se numero suficiente de Surs. Deputados,
o Seuhor Presidenta declara aberta a Ses-
s0.
LiJa a acta da antecedente foi appro-
vada.
O Senhor primeiro Secretario fe* o ex-
pediente.
* Ordem do dia.
Continua a diacussio do orcamento dos
eslra geiros, e emeudas apoiadas.
O aeutior V.isCoticallos lemetlea mesa
eheappjiala a segiinte emenda :
Com o corpas consular e diplomtico,
ajulas de rusto e despesas emprevbtas
O Seulior Vasconcellos era apoio des-
ta sua emenda, f.z lium longo di.cur-
SJ.
Falaro mis sobre a materia os Snrs.
Maciel Vlonteiro, Ministro, e Francisco
do Reg.
A liscus o fica adiada pela hora.
OSanhor prejideut d para ordem do
dia a mesma de hoja principiando por
sesso secrtta.
Levanta a sesso as duas horas e meia
da tarto.
PERNAMBUCO.
OOVEIINO DA PROVINCIA.
Expedienta do dia a3 de Outubro.'
Officio Ao Commandante das Ar-
mas, cotimun cmdo, que foi concedida
damissio do lugar de I ist u t-r Geral daa
Guardts N .cionies di municipo d > Cabo
ao ftlajor Caetano Ab.ito Te.teira Ca-
valciuta, a qurm foi igualmente conce-
dida a licenca de seis manes na I rma da
L, a iim de iractar de sua aud*, sendo
noamdoo*Major Manuel Alves Mon'eiiO
para 0 substituir no empreo de iustrtio.
otorgeral: E bem as-im partecipando,
que l'..i removiu para Jaboatao o Iastrtt*
cior parcial de Na^arelb Fiaocisco Joa*
quina Machado F ene.
Dito Ao (befe da L?giao das Guar-
das Nacionaes do Cabo, > ai i.u < Ibe o conteudo no precedente cilicio.
Dito Ao Commaodiote das Armas,'
para dar a presi leticia esclarecimentos so-
bra o objecto de quetracta ooiricio que se
Iha enviado Em. Presidente da Provin*
cia das AUgoas.
Dito Ao Chvfe da Legio das Guar-
das Nacionaes do Cabo, para ordenar q'
sejo dispensados do servico das Guardas
Nacionaes os Guardas do Batdba d'a-
queHa VH, Bernardo Ferrtira da Cru*,
J.io de Barros Correia, Maooel Joaquina
Biptista e Jos Peireira dos Suatos,
que furto nomeadoi Commissarios de Po-
lica da Freguesia de Moribeca;
Portaiia Ao Commandante Geral
do Corpo Policial para demittir do ser-
vico o Soldado Josa Thomaz de Moraes,
remetiendo o depois ao Commandante
das Arm^s.
Dita Auctorisando a Vicente Ferreir
dos Gi-uaraes Ptix.to p*ra por paite do
Goveroo contradar amigavelmeute com
o Propiitlaiio o sitio da C>pe'la par on-
de tem depassnr a valla tiecs-aria p3ra
escoaina'nto das agoas, e indemnisafio do
10 palmos de terreno ni largura, 68j
e meio de extend.
Dita Nomcando o M*jor Mmoel Al-
ves Monleiro para lost. uctor Geial da
Legiio das Guardas Nacionaes do Cabo.
CoHMANDO DaS ARMAS.
Expediente do dia ai de Outubro.
OflLio Ao Exm. P., a presentando*
Ihe o lequariman'o do Major Caetano -
Aberto Teiteira C.valcanle, que pedia
damicao do Empiego de In.tructor Geral
da G. N, do Municipio de Cobo, e lievn).
'
,.'


,
-n-
DUIIO II PREA M BUCO
ca di forma da Lei por 6 meaes par* traclar
de ua gande, c informando favoravel-
tnente em visla da rafermacaS do raepecli-
vo Commandante da Ciaste.
D>(o Ao mesmo Exm. Snr., fa-.end.i-
Ihe ver em re-posta ao seo officio do 18
deste mez que nao ha vendo absoluta -
menta lugar ras Cinco Ponas *para a
quartelar a Coropanhia de A> tuces, por
iia esterera acabadas aa obrasli empre-
bendidas, baria ordenado qua a Cumpa-
iihia de Guardas Nacionaes to ser vico da
guarnic*5 occopasse 1 dos lados do quartel
dos.Artfices e estes o outro lado cura-
prindoprover era lempo outro a quartel j-
menlo para a Guarda Nacional, a vista do
estado de aperto em que esta va6.
Dito Ao Inspector doThesouro f>-
sendo-lhe ver que estando o Major F-an
cisco d'An u la Cmara nomeado Commao-
danta da Forca Expieionaria ao Rio Gran-
de do Sul e no axercicio de suas funccs
desda o dia 5 deste mea pedia loe tivesse
a bondade de < xpedir suas ordans, para
que esa mesma Porga fosse paga de todos
os seos vencimtntos em quanto aqu esti-
vcsse em vista das cautellasque ios em a-
presentadas pelo respectivo Commandante
(como se p' tica va nos da mais Corpos)
ndcpe:>den
. adiamalos q .e devia lavar em raixa.
Dito A Cepiti J. J. daS. Santi-
ago para ver se tnli e os seos papis fica-
rio invohidas as guias de J. J. de Santa
Anna e Manoel Ignacio, que om outras
lie* Iba fora6 enviadas com Poitaiia de
l3.
Dilo Ao Major Commandonte do B.
y. tiene.5 as ra-oens txpendidas em seu of-
ficio da honlem tinha ordenado qua o 1.
Sargento do B Joaquim da Silva parreira que servia de
Amanuense na Secretara Militar 6B rero-
Jue-se aoCoipo alque as circunstancias
do s-i vico milhorassem.
Dito Ao Commaodanta interino do
4. Corpo d'Artilberia expediodo Iheas
precisas ordans paia que a Compauhia
de G. N. destinadas ao a fosse proviso miente a qnartelada con-
juntamente com a d'Arlilices.
Portara Ao .CapitaS Commandante
do 4. Coipo d'Aitiiharia, mandando
dar demicaS ao soldado addido Firmino da
Silva por ter completado o tampodoseo
engajainento, e na6 querer continuar no
aervic.0.
rao comparecer hoja a5, e a 27, e 3o do
crrante inaz de Oulubro. para tratar do
ajuste a vista das amostras que devema-
presenhr, e se sugeitaiaS a condicad do
quande nao fi.ser o fornecirnento ser
comprado aquella quaotidade-que deixar de
foruecer a rusta do arrematante ; pelo
preso que se axar para o que prestar
liador idneo ; cuja habilitabas sera' apre-
s meleno acto da arrematacaS ; sem o
qua nosera' admitlido a laooar.
Amaro Francisco de Moura.
Administrador Fiscal.
DIVERSAS REPARTigOKNS.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
Os gneros annunciadoa para a arte-
mataea conlii.ua boje a5 do crrante ua
porta da mesma palas 11 horas.
PREFEITURA.
Parte do da a3 de Oulubro.
IIIm. Exm. Snr. Das paites, qua
boje ma lbr.-5 dirigidas, consta terem sido
presos minha ordem os individuos se-
guintes os qoaes tivera diffarentcs des'i-
no8 .* Luiz Jjse Goncalve. branco pelo
Sab Prefeito do Recite por ser va/lio, e
joador ; Pedro, pardo esuro e-cravo
de Firrnino Jos Rodrigue, Francisco
Antonio da Silva bi anco, Francisco pre-
to, Ocravode Antonio Joiquim Mano-
el Josa do Naseimenio pardo e Dingo
Jos Soarts Soldado do 4 Cor,od'Ar-
tilheria todos pelo Suh-Prefe lo de S ri-
to Antonio, o 1. a requiica{L do au
Senhor; o 2. por Ihe ter silo appre-
h. ndida urna faca de punta ; o 3. por
ser encontrado no atierro dos Aff-gados ,
a bajar suspeih estar fgido; o 4- p >' ,,r
un dos salteadores, que teni spp.recido
por vaias a cavado no dito Atierro, com-
mattendo roubos e assassmios ; o o 5.
pelo mesmo rrime do a. ; Jos esciavo
do Doutor Mendos e Antonio, de Manoel
Cardoso da Fonceca ambos pretos, pela
1. patrulha do Carroo, por briga ; Fran-
cisco Josa Das, crioulo, pala 1 patru-
lha da Gloria por n<6 querer entregar
11 m ccete com oqual eslava armado;
Domingos Jos das Neves, eJoa Bapts-
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS;
A paula he a megma do IN. aa7.
CORREIO.
A Sumaca Espaidarte da qual be Capi-
llo Jos Suva Santos sai. para o Rio do
Janeiro no da 1. de Novembro.
OBRAS PUBLICAS.
Pda InspeccaS das Obras Publicas se
convida as pessoas que so quixe-
rem empregar como trabalhadores no
atteiro tos Afogados a comparecerem na
masma Repartiere.
Inspecva das Obras Publicas 2o de Ou-
tubro de 1837.
Vorats Ancora.
Pela Admoistra^aS Fiscal das Obraa
Publicas SO convida aos ^rop etarios de
0f*i e q'J.-hjusroutias pes-oas q'qoi-
serem lome, er a dit- Kepailc5 denjo-
Jo .'.Mvr-na ia t-Jba I-d ib, e tapm n-
|0 |orMB|iu de B>ui imiDo bng n Jo-
ge apjjor tu Jo rio lugar das obs, tarto
esta i'i-a! como do Mioguinhcj quej-
ta broncos, e Jo-e Faustino Duarte,
Luiz de Franca Antonio L Mximo Fe reir paidos, pelo Sub-Pra-
feito dos Affogados por terem si lo encon
Irados em alta tioite o os julgar aptos
para a 1. Liuha Autonio da Silva ludio,
pelo mesmo Sub-Piefeito por ser de
pessima conducta; Flix Gomes de O i -
veira branco Fehx Jos Alves, pardo
e Abxmdre Joa5, preto, pelo Sob* Preci-
to da S de Olinda em o lugar do Frago-
so por Ibes taiem sido apprehendidas
varias armas defesas, algoms ferros da li-
mar e apparelhos de montara com o
quo se pieparavaS para furtar cvalos ,
segundo conf ssou um d'elles no que s&o
profjf-ssi'in .e< e pr-iticos t.iiJo o pii-
meiro sido preso ja difieren tes vezes por
este, e ootros crime-.
Con.-ta mais que a patrulha do 5.
Districo das 5 Puntas appreheudera pelas
6 horas, e raeia da laida um panacm
com diversas meudests, por suppor serem
alias provenientes de contrabcirido ; e que
a patrulha qua rondn o Di-.t'icto da
Matriz da Boa-vista encontrara a poita
da um sobrado urna cri.mca recero-nasci-
da e umbilbtle, em que declara va cha-
marse ella Lsuino a qual foi pela uics-
ma patrulha oondusida immsdutameule
a casa dos Expostns.
Nao consta que das partes recbidas
bouvesse mais noridade.
Daos Guarde a V. Ex. Prefeitura da
Comarca do Rerife 23 de Ou'ub. de 1837-
lllm. e Exm. Sanhor Vicente l'lio-
maz Pires de Figueiredo Camaigo- Pre-
sdanla da Provincia Francisco Antonio
de S' Barreto, Prefeito da Comarca.
Parte do dia 24.
Illm.e Ex. Snr. Partacipoa V. E*.
que foia presos a minlia ord-m e ti ve-
ra dfstino ; Jos Tiburci da T.inaade
pardo ,- Jos Joaquim de L e Jr-a Antonio Leit^ drt S. P^io l.rmco,
pelSuli-Pi>f t < de S.Antonio, o 1. *
e ultimo por seiem de m condu ti, e
esUrero rus cicu n-tancias de ser lecruta-
dos, 1 o a. por ler sido encontrado pelas
le horas da noite com urna beogala de
e. toque,
Ka5 consta queoccorrossa mais novi-
dades. ""
Daos Guarde a V. Ex. Prefeitura da
Comarca do Recita a4 de Outnbrode 1837.
- lllm. e Eim. Senhor Vicente Tho-
mas Pirea de Figueredo Camargo, Pre-
sidente da Provincia Francisco Anto-
nio de S lrreto, Prefeito da Comar-
ca.
COMMULNICADO.
Continuado do Numero antecedente.
No dia 28 de Agosto pp. palas 4 oras
da tarde ebegando a Palacio os Teoenles
Lima, e Cabra I vindo ambos a cavado
para acompanberem S. Exc. no passeio ,
chamou aquello primero < ffioial pelo
Cin.mandante da Guarda exigindo que
Ihe mandassa um Soldado para pegar nos
Cavallos, o romo na5 acudisse logo, ex
improviso por riso ter ouvdo o chama-
do em razaS de estar dislribuindo o Santo
pata as mais guardas da guarnicaS dentro
do Corpo daquella Guarda o dito Ten-
te Lima qiMndo o Cabo Commandante
desta f..i aviado e spparaceo-lhe, parti
com elle em alias vozea, declamatoria, e
estrepitosamente difundo-1 he que elle
era insubordinado: e sendo levado o farto
ao alto conhecimenlo de S. Fxc., e>te ex-
pedio logo ordem o Commandante Geral,
o Major Manoel Mendes da Fonceca (Au-
loridade criada nicamente pela vontade
de S Exc.) para mandar render o Cabo
'da Cuaida e castiga-lo ; () e vindo um
.Cabo rende-lo por ordem v. rbal, respon-
deoelIeCommandanle da Gnarda como
ora de ver seo, que nao poda entregara
mesma Guarda sem ordem do Major do
dia, que era o C*pta5 Qaei-s; pois
qne do contrario commattei ia um crime :
tiita8 orden.-u iste Major M*ndes por or-
dem de S. Etc. que o Cabo, nomeado
para render > outro (que oa era do Des-
tacnenlo) fo>se ao Qartrl, e trazi-ndo
(ualio Soldados agarrarse o Cabo EstcvaS,
Commandante da G. pel^sorellias, e o
calcasse ano Calabouco I Esta noticia se
esp.Whoo e nao p>oduzio muito conlen-
tamento nos Sida ios que eslavaO de
Guarda, de soite que, avendo algum
sussurrro entre os Soldados felizmente
nessa occasia appa.receo o Teneale An u -
da Commandante do Destacamento, que
vendo o bolico da tropa perguotou ao Ca-
bo o que avia ; o qual o informou ; e logo
esteOfficial pacficou o- toldados, dizen-
do apenas, que apparecendo o Major do
dia, ou ordem por escripia elle Cabo
eatregasseo Santo da Guarda, e que at
aii tinha cumprido com os seos deveres.
Todava o Cabo qua veio com os Sol-
dados render o outro, nao se atreveo
rommttter o attentado, que Ihe foi orde-
nado, saja porque visse entaS aquelle Te-
ncnle Arruda seje poique tinha 11a oc-
cisiaS muita gente p-esenciar; mas o
Cabo Commandante da Guarda prompta-
inerite a entregou logo que appareceo o
Mejor do dia, o recolheo-se prisa ,
como Iba fui ordenado por S. Exc, que
ouira cousa na6 vio sina o Cabo cumprir
ex idamente com a sua obrigapa ; a ico
umdiatamente roandou dar-lbe baila do
pisto, (sera ter precedido a poltica de
paitecipar ao Presidente da Provincia,
que partencia o Destacamento pea en-
la5 este fasar dar a baixa por meio do Co-
mandante doCoipo, quam smeute
pe mitli Ii cs.a garanlia ) e mandou qne e
oonservasse piezo al sua sigunda ordem ,
alem desmanda I > carregar de armas por
algunsVias ameacanio o com 5o pran-
cludas. Ne-sa occasia de render-so o Ca-
bo ou logo depois, mandou alta e pre-
potentemente prender o Teen te Arruda,
tO'-ando-sa por toda aCidade chamal* de
Offieiaes, corn oque pos tola Capital
em alarme ; .- porqu se persuadi que o
Tenente tinha instruido, ou iusi.HtJo o
() E te Cobo cbairi'-se Elevad Ma-
lutio dos Santos ; o fui o me-mo por
quem S. Ex. poneos das tinb.i manda*
do < arr jir capim n< praia pdraos-oCa
vallo; o que fez o Ca>>o por nieio de um
negeo edioe que n scMumawa f.ser tal
servico a>n Pe< iMinbuco onde s Presi-
dentes e ruaii Autoridades tinha criados,
que oa serria cx Ues cazos.
y
mesmo Cabo tirn-Ihe o Commando do
Destacamento e o suge tou a doos Coose-
lhos; mandando-o ltimamente prezopa-
ra Pernambuco ; (onde o mesmo Oflicial
deve mostrar a sua couducta o a conduc-
ta do Governo) apartando de si o referido
Tenente, pare n-6 ser te-temunha ocu-
lar de suas arbitrariedades; principalmen-
te naterviudu para o bajular e. fater-
ina roda.
Volta pois assim recompensado uro Of-
ficial, mandado pedir e desinquietado de
sua Proviueia para vir prestar sei vicos
esta.'!
Eisa remuneracaS, que leva o Tt-nenie
Arruda do actual Presidente /! Eis pa-
ra que se mandn incomodar a nossa vizi-
nha e 1 man Pernambuco !
To longa, e desmensuravel Cada de
arbitrariedades nao pode deixar de mos-
trar ama domestre, que em lodoso
lugares infeccionedos cora a sua presenc-a
tem deixado aps si desordem a anar-
qua a gueira civil! Aqui temoi a can-
sada prisaS do Militar, que quer cum-
plir suasobrigace, como Cidada, e
na5 como captivo Aqui est a iaza5
porque esse oroern da RcVoIugaS do Ro
Grande agrada, e chama a si certos Mili-
tares, que na5 tera onra 1 Elle quer ter
quem exercite sua vontade, e uaiislaya
suas paixes particulares; e finge entaS
impatizar com a cla-se Militar a G111 de
os ter como a cies que o delendaS em-
hora elle possa escapar, deixando as vic-
timas de sua maldade, e velbacaria ais
mios da desgraca e muitas veses da mur-
ta
Pernambuco conheca como foi e
tratado o Destacamento, que de l veio
pretexto de manter a ordem e agradepa
ao Sr. Pon tes Rodrigo ta5 bons servicos!
as mais Provincias vija nesteE^palho % si
lhcsagia-'a a firca....
(Do Provinciano.)
Sabemos com cert63a que rsgrtsss para
Perruuibu. o o Destacamento q>a de l veio
estacionar aqui, e faltaramos a cumpli-
mento de ura dever se guardassemos seilan-
ci a respeito do digno Commandante d'eh
le, d'eise onrado Pemambucano, cuja
conducta tanto ua qualidade de Emprega-
do Publico, como na de simples Cidad>r
credora de encomios : o Sr. AI ler es
Joa Francisco do Reg Bai reto a pessua
de quem fallamos. Este d gno militar des
que ?qui ebegou tem tido urna conducta
exemplar: probidade, onra, s/.udez ,
prudencia e Ibancsa o caractei isi5\ ella
lera merecidoe com justica a estima, res-
pailo, econsi ItracaS dos Alagenos; elle
pode ter o praser de na5 deixar desafec-
tos, antes os Alagoanos sa mostraS saudo-
sos pela sua retiada. Quanlo bom ser
vii tuoso !
Na5 a lisonja quera dirige a nossa pen-
na quem nos cuiiduz a fsr esta uerra-
ca succinta do louvaVel procciimenio 60
Sr. Alleres Barreto, pelo qual elle adque-
rio tanta estima dos Alagoanos ; sim o
amor da verd.de, e de ver exaltado o ma-
nto onde quer que elle exista.
DESPEDIDA..
O abaixoossignado, Alferes Comman-
dante do Destacamento vindo da Provincia
d Pernambuco para esta, deixana de
cumprir com os saos deveraate nod paten-
tis e por 111 io da jmprensa es votos de es-
tima, r esputo e consideracaSque tribu-
ta aos bons Algranos pelo bom acolbi-
menlo e urbanidade coro que o tralara,
e se offeiece a pi estar Ibes quanlo foc com-
pativel rom as sues luicas naquell* Provin-
cia de Pernambuco para onde regressa
com o mesmo Destacamento deseo com-
mando.
Cono talvez nao jeja possivel ao sba:xO
rssignado despedu -se pessoalmenle de to-
das as P^ssoa- que tanto o obstquuraS elle
aproveita e-ra occ.isia para dei-pedi -se ,
e logar desculpa da nao f.se-lo pessoal-
mente. Alagoas n de Oulubro de I837,
Jca Francisco do R< go Barreto.
(Do Echo Alagoauo.)

i
i


DIARIO Dfi PERNAMBUCO.
/ Coasideracoens sobra o eusino Publioo.
Qjtndo k unos no jornal d&, titulo es-
trangeiro n pigrapbe que adoptamos
para o presente Higo esperavamos ver
desenvolvido em seguimeuto della hum
bem calculado sy>tema de esta ios para
a mucid.de brasiieira; poiema uossa es-
peranza f inteirainenle v, eficamoa no
mesma e,t5do mu que sempre nos acbamos
no tui da laitara das e-tiradas criticas, e
censuras fetas ao Gmrno. O autor do
artigo larigou ao governo hum puntudo
ile expressoens menos decorosas, tr* Ion
com soqerano despreso o estado da iosttu-
9/16 publica no Brasil depois de ter dito
qustro cousas mu sabidas, mu sdicas,
callou-se com o ar viciorioso do quem boa-
veo desempenhado ama importante ruis
sa5. Paramos breves riflsxoeua Sobra es-
te escripto rogando, antes disso, aos Srs.
da oppos'iQiS parlamentar, que se dignam
da turnar a si a cansura feita ao Governo,
visto que nad he a este poiema asam-
blea geral, qae compete crear cadenas de
nstiucco, e designar nao so'as materias
que sa devem eusiuar mas tambam os li-
vros para o ensmo.
** Lmenla o autor doaitigo que ni capi-
tal do imperio ru h*j huma so' radeira
n de ec momia p .htica, de direito publico
I) conilituicionol, de historia nacional ou es-
trangaira, de eb queucu e de philosopbia
a renos que se nad queirad considerar co-
mo philosopbia os principios de Genuense
que anda se ensiua as nossas escolas.
De certc nos nao temos no Rio de J mt-ito
cadenas de economa poltica, de direito
9 publico e de hist.; mas nos possiiimos todas
ellas nos cursos juiidicos, a alem di-so e-
xiste tambem a pi imaira na cidide da Ba-
bia. E pira que servitiad estas eadeiras?
As pessoas que aspirad a reputacad de
homensdel tras, sempiesa dedipmao es-
tudo dessas sciencias, as quaes na5 sa5 de
urna comprehencad ta5 diiliril para quem
possue os conbecimentos preliminaies, q'
torne indi pnnsavel a frequencia das au-
las e a expcacad dos pi ofe-sores. O
propiio autor do artigo nos offerece nma
prova desta rerdadade. Ella nao nos a-
preseolar documentos que comprovem
mu appcacad iquillas sciencias; mas he
indubitavtl que e'le as possue puisque de
oulra manen a nao fallara to magistral-
mente 1111 Carlos Magno nem poderia
dar a devida importancia ao objecto de q'
trata.
M Re-ponderemos que todo o mundo sabe q
110 l o de Janeiro existem, e sao fren-
quentadas aulas pnblicis destas duas artes
ou sciencias, alem das muitis quese cori-
ta em collagios peliculares. Naquellas
enaifU-sc a rhetot ioa por Qaintiliaun, e a
potica por Horacio; e se estes autores,
que tem merecido a aceitacad de todos os
literatos desde os bons lampos de Roma at
os iio-os dias ; qua, ha punco, merece-
rn ser tradugido* em vulgar e commen-
tados por Jernimo Soares, hum dos ho-
mens mais eminentes em bellas letras que
Poitugal tem produsido; se e*tes autores
(repilimos) nao prestad be necessirio
conlessar qua tantas geracoens piscadas e
grande- paite da presente, carecer de
bora senso. Reconhecomos que outros
escriptores ha de distincto merecimento ,
entre 05 quaes colloearemos oProeessor de
Thetorica m univer id ule de Edimhourg;
Hogues Blair ; mas este mesrno n<5 gue-
a ao grande mestre de eloquencia da
antiga Roma. Quanto a philosopbia ra-
cional, cfessimos que Genueove fica i/m
pouco distante em cousequencia dos pro-
gresos, qtie tem feito a sciencia ideelogi-
ca : roas foi com ess mesmo Genuense que
se formou a rasad de muitos Portugueses e
Biasileiros que se fisarao Ilustres as le-
tras e de muitos u*.ros a quem ape-
gar de tarem aprendido por esseautor, nd
se fecharan as academias eslrangeiras, que
alies IrequentaS'
Clama o autor do artigo contra a filia de
hum liceo onde os prolessoies das cadei-
ras primarias se pieparera, paca ensina-
lem a stus disriplosa geographia a eri-
lnnetia, a rbetenca, a elementos da histo-
ria (mais historia ) Mae nad se ensina
m uossas aulas primarias a arilhmetica
at aquelle ponto, que he necessaiio para
ts usos da vida ? E>Umes persuadidos dis-
to. Se ao ensino que a lea tem prescrj
pto para as escolas primarias, alguma
coasa se deve aorescentar he, em uossa
bumildeopinia o desenho linear : pbrq'
prtsi indindoda perfeicad que alie dara
a toda qualidade de artfices, nao ha taires
um so' liomtin, a quem a] falta desta arte
nad tenlu sido mais ou menos sansivel, e
tal vez prejudicial.
A capital do imperio do Brasil no e-
xiste em estado de lamanho atrasamento,
corno o autor do artigo asappo.-m ou co-
mo Ibe comvem figura-la. Podamos dar-
Iheum cathalago da todas a aulas publi-
cas, qua riel la ha mis seiia fastidioso,
para nos e para os leitores esse, Irabalho.
Assim reraetteroos o autor do dito artigo
ao orcamento da iccoita e despesas do im-
perio publicado no uno pa>sado. Te
nba ellaotrabilhode o examinar com cui-
dado i t conrencer-se-ba da exaclided do
queasseveramos. Forahuma raadi la de
prudencia que antasde escrever e-du-
dase o qua existia no eu paiz, meditas-
se bem no qae alem disso comvics-e a-
doptar, edepois se declarasse, mas sam
de alguma mancira injuriara narrad a que
peitence, nem o governo para que se
lhe nad appliqueo mesmo que dos ""por-
tugueses disia hum jadicioso poeta :
Por contiluic?5 do clima,
E-ta naaad portuguesa ,
O rnuitodos seu-> despreza ,'
O nada estrangeiro eslima;
(Do PaiIamenUr n. 9.)
EXTERIOR.
HESPANHA.
Madrid i9 de Agosto.
DECRETO.
Hei por bem admittir a renuncia que
me apresentou D. Jos Mara Colatrara ,
secretario do despacho de estado e pre-
sidente do consalho de ministros, decla-
rando que me acho summamente satisfeita
do zalo, patriotismo, e haldada, com
que em circunstancias diffices desemp-
nhou aquelles cargos ; e por conseqnencia
nomeio como rainha regente governa-
dora do reino em nome da minha excel-
sa filha para secretario do despacho d es-
tado a I). Easebio Bardaji e Azara conse*
Iheiro honorario d'estado. Assim o taris
entendido etc. Palacio 18 de Agosto de
1837. Com a rubrica de S. M. etc.
Partes recibidas na secretaria da guerra.
O general em chefe dos exercitos reuni-
dos conde da Luchan escrove de Tur-
relodones, em data de 18 do correnle,
que acjbava de .abar que a facca tinba a-
bandonado Segovia, encravando a arli-
Iheria e dt-ixando nicamente alli algnns
feidos a dnentes. O general Mndez Vi-
go persegua us rebeldes cuj \ marcha ,
segundo huns, era sobre Aranda ; e se-
gundo outros, na dlraccad de Atienta.
O general em clefe pernoitava con as su-
as tropas em Colmenar Viejo, mandando
retroceder a artlheria.
----- O general em chefe do exercito do
centro participa de Celia, a i5 do corren-
te, que o pretenlente com quasi todas as
facedes de Valencia Aragio e a expedi-
cionaria eitavn em Camarillas; e qua ha-
vendo dado inslrurcdas ao general Bue-
rensj marcharia no dia immediato em
busca doioimigo, decidido a atacado,
se, como presuma elle o esperasse fiado
na vant.'gam que lhe offeracem as po-ices
que oceupa.
Eis aqni o acontecimento que tanto aba-
lo tem feito e tanto tem chamado de-de
honlem a atlencad das cortes e do publico ;
tal*como foi referido na sB.-sa de hoja pe-
lo sr. deputado Infantes.
Em Pozuelo de Aravaca hum numero
considaravel de ofliciaes da bridada da
guarda real, tendo recebido ordem do
general para marchare! se apifsentaiio
no seu quariel, e declararlo que nad mir-
charia at eslaiem certo do se barer
mudado o ministerio. O general da briga-
da com a maior resolucad lhe fez ver o
flo pVsso iin que se mediad, e Ibes lan-
cou era rosto a mis insubordinacad : disse*
Ibes que em hum govamo representaliro
os militares nad devino introinetter se ro-
mo tas em negocias poltico-: em fim
fez quanto p le para osteduzir oliedi-
ern.11 ; mis ru poda consegu r.
O geueial em chele, que se achara em
Ai,,v.ca, emprag'-u tmb m todos os meios
pira os redotir, mas sern efFeito : por
fio aquelles officiaes acabalad por pedirs
tuas iicencas. Felismente os generaes ina-
nilestara toda a energ<,< como dalles ara
detspenr> para a repiessad de tal atten-
tado. Hum pequeo numeio de olicwes
da mesma bi igada e todos os sargentos e
soldados aern txcepcad derad provas do
bom espirito que os anima conservndo-
se fiis e obedientes sordens, e disci-
plina.
Participad de Toledo em data de 17 do
coi rente, que o benemrito cmrnancran-
tegeral Albuin ebegou a Navae^lena on-
de se achavad teunidas as faccSes dejara.
Tercero e Flippe coni[< sta$ de 4oo ca-
vallos, e a'gun infantas. O nosso bravo
commandante atacou ro- -.sunforcas os
farco-os, eore-ultido foi tomar-lhe 49
cavallse eguas Cira seus compatentes ar-
reioc, armas, e grande numero de outros
effeitos, caussndo-lhes 35 morios e a
leridos, que ocommaudaule geral raan-
dou loco fuzilar. Da nossa paite t hou-
re a sentir a perda da % soldados.
Iiem ao.
O capitad gneia| de Castella a Velha es-
ere va de Aranda doDoiro, em data de
bontem que pen^giiindo sera descangoo
inimigo desde Turgano al Frenilho ,
sem poder ab ancanca-lo apesarde huma
marcha nad interrompida da 34 horas por
hum paiz devastado conseguir emfim
arroja los para o outro lado do Doiro por
Valde condes: sendo o resultado de suas
operaedrs uestes dias baver libertado a ci-
dade Avila do ataque que contra ella in-
tentavad os facciosos; expulsar a estes
precipitadamente da provincia de Segovia ;
salvar Aranda e sua guarnicaS; e deixar
lodo o paiz esqaerda do Doiro na mesma
tranquillidada am quase acbava antes da
invi-5 dos rebeldes. Desles haviaS-sea-
presentado 20 em o dia 18.
Palermo 25 de Julho.
Hum vento fresco a hum ceo puro con-
tinuad a daralguns atentos a esta povoa-
cad. Na5 obstante, anda antes de lion-
lern se contava 4oo casos por dia : mas
p Je-sa asegifrar que rio diminuin lo. A
epidemia penetrou em Feonini e Cafala ;
os ventos de noroeste que ora reinad, pro-
vavelmente a levar por toda a costa da
Sicilia at Messina donde percorrei a
co>ta meiiiional. E-pei amos que este ter-
livel fl gello depois de luver penetrado
desde P lermo a Gnirgenti palo interior ,
s.liir em fin \ Europa por esta ultims
porta.
Em aples tem a mortande diminuido
inuilo.
(Do Peridico dos Pobres.)
Urna Sociedad* da Litteratos Pernambu-
Caw| p ope se a escrever a Historia des-
ta Heroica I 'ro vi ocia des do seu descobri*
meiito at os nossos dias. A mesma So-
cieJade roga a os seas Concidudios, que
tiverem al^un- documentos memoriaes,
&o. relativamaote a este objecto se di-
gnemdc os emprestar entregando os na
loj.-i de livros n. 37 e 38 da praca da Inde-
pendencia onde se Ibes dar' um recibo
do que se dignarem imprestar para Ihes
ser entregue ; finando certo qualquer que
tal favor lizer, que lera'gratis um exem-
plar da mesma Historia.
LOTERA DO L1VRW1ENT0.
Adundse vendidos grande parte des
Bilbeles convtd-se ao? amdores desta
iugo licito a concorrem a coropfar o res-
tante dos bilbeles, paia qua ella pos.-a
correr em dias do mes de ovenbro.
afSsasOal
THfcATRO.
Luiz Valli e sua Senhora tendo de par*-
tirem no fim do crrante para a Capi-
tal do Imperio se despedem de todos oa
S us protectores e se offerecem naquelln
Corte para tudooque Lrem |>i e-ta veis a
qualquer dos Srs. que Unto o obezequia-
rao e para finJarem seus expectaculoa
rio no dia quana feira a5 do cori-iito dar
O ultimo Espectculo final. A Compa-
nbia JNcioi,.! represntala a pi?a O Con-
vidado de V< dra ou D. Joad Tberioiio.
Mr.-Valli pra sptisfaztro respeitarel
pu Tic Vdi j.ela primera, o ultima xet
dar'o bfllissiino Espcctoculo A lula dos
doiagladiadoras, em qi.e um amador d.>s
b'IUs arte* bab:Uute nesuCidarie se pro-
pde a latar com Mr. Valli; se^un-se-ba
a cnotin iae,io dos Exercieioa Gimnasicoa
em quesuster admiraTelin ule 6 humeo*.
em corpo Oriaontal. Exercieioa de torees,
exercii ios de agilidades, Remataodu com
o exercicio o li .me o estatua. No qual
xecutai algunus nova> pozices ce per-
sonagens conhecid na rVlnuologu.
Os Srs. que a n la pietender. m Cama-
roles diiijio *e |U'ii'o anies .-o Tbedtro
visto qus muitos os pieteudem por seras
ta a ultima fui:cao da despedida.
A V IZ OS DIVERSOS.
Roga-se incarecidamenta ao S-ir^
Thesoureiro da Lolaria da Matriz da Boa-
rista que receba o meiobilheite n. a839
e nad pague se lhe sabir alguma sorta le
o seo dono justificar-se em como foi pu-
blicamente roubado ; cujo nieio bi hete
est assigoado no reverso com o nome de
Claudio* Joaquina Barbosa e Companhia.
Urna mulber do meia idade ofie-
reca se para ser ama de casa de homein
solleiro, ou casado de pequea familia:
quem do seo prestimo se quuer utilisar :
annuucie a sua motada para ser procura*
do.
t9' AlIugi'Se a andaras de casas e i
ptimoarmasem p>ra encachamento do
assacsr : ao propiittario na ruada u >-
da 011 na roa da Cadeia velha no armasem
do Sr. Joaq-iim Gonfalvas Ferreira.
t^> Quem precisar de hum Brasileiro
de idade Je 4o annos que se propuem a
tusiiiar meninos ser calcico deEogeuho e
outro qualquer servico fora dast Cidada:
dirija-se.a tua da Santa Theresa D. 17.
que ah achara com quem tratar.
a/ry* Na ruada Penba as b jas do so-
brado D. 8sepropoem urna rauibera ser
ama de urna casa cosinba eng ma, e
todo o mais servico da casa ,e dai fiador.
%tW Arrenda-se e tambam se vende
una Otaria na beira do rio Capbariba
com ba^ro pe lo da mesma e bom poito
para embarque : qn pertender dirija-se a
ra do Palacete l). 23.
Pfecisa-se de 4$ re's dando-se por
hypoteca urna mirada de casa no Aftoga-
do na tua de Motocolombo defronle* da
Matriz com os juros competente : dirja-
se ao dono no mesmo dettriclo na ra de
S. Nigual casa D. 12.
jep Q iem precisar de um rapas Bra-
kiltro para Caixeiro de loja ou venda o
qual d fiador a sua conducta : annun-
cie.
Arrenda-se as lojas do sobrado si-
to na ra Diieita 5J com frente, para
a mesma 1 ua Direita e Agoas vf!es ,
lando rommodcs para negocio., e familia:
quem a pe tender c-ntenda-e com seu pro-
pietario do i,9 andar do mesmo sobra-
do, para \er le lhe grada ea cuudicouns.
iJfV Arrenda-se um sitio por a DDO ou
pelo tempo da Fe.ila Da e-trada dos Afli-
tos coro boa casa estribaiia alvoredo de
Iructos e bastante rapim plantado: na
ra da C. r.ceici da Boa-vista D. 3o.
ifW Q"cm quizer dar 2 con'.os de 1 s.
a i por cento ao mez por tiez anuos re-
cebendo no fim do dito anno os juros ,
bypotbecando se 1 grande sitio uo Vlor
de 6ce 11 tos de rs. e urna por<,io de tena
no valor de dous coutos sem embaraco
algum pois seo Proprietaiio nada deve ,
annuucie.
f3> Precisa-te allegar nma preta dar
Tender na roa a qual lenha pralica dis-
to e ttr-se-ha todo 9 ajuste ; ua ra das
Agos verdes p. 3. *


DIARIO DE P B & y A M B U C O
Mogi-sa h'jm aillo na ponte de
' Uxoa defronte do Ce, com exretente oa
sapara grande familia, coxeira striba -
ra para quatro cavallos, cassimba cora
muito bia g)a ; q.iam o pertender di-
iija-se a ra nova D. 2a, terceiro an-
dir.
ffW Precisa-se por allnguel, um pre-
nde 18 a 2o tonos de idade e que seja
hbil paraoservico da umt casa de hu-
me ua solteiro e casa agrade, tarobem se
compra : quain o tivcr auuncie, para ser
procurado.
^> Alluga se pelo lempo da Festa um
obrado na Cidade de Olinda na de S.
Denlo, com bellsimos comunodos, e bas-
taute fresco: ma dHpollo seguido an-
dtr dosobmdo de Domingos J..s Martina
Veira que achti cun quetu tratar.
93P Quem anuuneiou ler para vender
hun prelo sem htbilidade, tend sem
icio netn doenca aparece nj ma da Ci-
Ofia velha n. 18.
e^S> N.i noite do da 2a da correte
pe deu-ss i.m botio de ouro Uvrado com
um diamaote piquera, des le a ra do
Rosario nl a piaca da Independencia; q."
o adiar, acerando restituir, dirjase a
ra do Livrmento sobadode um an-
'-r I), i-i j iiti a urna botica que se
liic daiao seu a bad >.
4^* Aluga-ae mensal nenie um prelo
caooeiro, para andar em urna canoa de
700 ljalos; queiootiver aununcie.
T3P'* A pes'oa que liver acbado du
tneloes com 5 oilavas em meia de pazo
cravado de 9 diamantea, n o outro com
5ot*vas, com lugar de firma oitavada ,
cuja fi m consla desdas 3 Utras S. M. C.,
perdidos aa noite do da a2 do 1 oriente ,
da Igreja de S. Thereza ateo portio da
roesma ; a p~s-oa que os liver achado di-
rija-se aa 5 ponas venda do Sr. Amo-
i im, que receir o seu adiado.
6^ O abaixo a-signado roga sos
Srs. Redactores, que Ibe decUrem te foi
elle que m.mdou enserie [o annumio da
se alugir un sobrado g bem prepara 10 na ra Oiieita tmente a
poitnguez, roga roais o abaixa asignado
Je decl.wem os Srs. Redactores se por ven-
tutu solic.o quem mandn tal annancio,
obi'ztquiocora que muito descamaia ie-
pulayio de seu assiguanle.
Joaquina Lopa Machado.
Daclaramoi nio ser oSr*. J. L. M. quem
faz o annunvioa qua te refere i nao ser
este em viado por pessoa de sua pretmq.;
e que sabemos muito ceilo quem foi o
entiiguisla ; declaramos man qua (aes ra-
paz adasse nao podem p pois da reclamaces bo que se pode vir
ao conhecimeiito da diveisidade de letra ,
e dunas circunstancias.
Os Rajadoras.
9" Qu'.m anaunciou um preto aem
liabel Jaes, dinji-se a praca da Boa-vis-
ta D. 9.
Y9" P' ecisa se de 1 em mil n. a pre-
nsi", d iudo-ae pinhoi e> ce ouro ; quem
Osqu Si dar aununcie.
H-tV* Q iem quizar irocar o moradia de
u-iia tasa de 7 mil r. par outra que seu
preco seja 8 ou 9ule 10 mil r. aununcie
a sua tu n dia.
W Qa- m piecisar d<- 3 10,000 a juros
dando jmi.ioiesde piola e Ojio, di i i ja se
a forasde portas vcuda defionte Oo'be.o
largo n. 22.
a/J^|Prici aso de um caixeiro quo d
liad.11 a Ma c.mdii! ta : na ma da Concei-
^ao da Boa-visia D. 3o.
(^ Aciioo- e urna carleia com urra
scdula ; quem for .-cu dono a pane- na
prai inha do lviamaulo D. ao, qu dan-
to a quana da sedula a os si^uaes da
ca tena Ibe sei entiegue.
^ajr Aluga-se um sitio na estrada dos
lili lo com boa casa estiibua ca-
pul de p ante, e b 'alan es arvoi- 'de fi u-
ct'S: ri.rua da Loilh,o da boa vista
Iiume.o 3i.
JT* Kiecija-se de filiar ao Sr. Fran
cisc^ Qaeiruz 00 Francisco M.rrira de
Qki o 01 seos p< ocuiad iras, para ne-
; co de seu intere-sa dirijao se a 1 m do
Are de de pcixe loja de iVlaicineiro nu
zneru 9.
JB" Quam precisar de urna ama de
leile di. ija te a ra da Agoaj-vtrdss lo
ji dosjbrado D-g.
Continua-se a tricar cobre por
sedulas a 5 por cento de rbate e prata o
palacio a 16jo ; no Coellio sitio onde aia
dtstilacio ou no atierro da Boa-ri>ta ca
sade Francisco Rodrigues, delruute do
Coronrl Braderodes.
WT Preci>a-se de um fetor, que
enteuda da borla, para um sit< perto da
piafa : na roa da Cadeia do Raciie nu-
mero 18.
Vjy Presomindo sobre as minbas an-
te, ioroi e bem sucedidas exerc5es, em
dar saptsfj5 aquellas pessoas que me
tem honrado com o seu patronato vou
solicitar urna poico de seu favores no
reeu e.tabelecimeuto de alfai. e oais
l.'zeudas pertencanles ao meu trafico, re-
taiiudo-rue a cegmnte listada proco, a
qual se refere nicamente a alguus artigos
Isitos do melhov material, e da inelhor
maneira potsivel ; em quanto a rticos
infariores urna lista da precos nao po-
de ter guia, pois quea baiateza ou a ca-
rtsta, nao depende nicamente dos pre-
cos; mas para ai tigoisuperior ella po-
de servir como verdadeira guia, pois que
a sua qualidadehe bem connivida, a em
coesequeucia podem ser es'.irnidis .-.era
examinadlo e sua qualidade torno
a repetir j boa. que se firma a seguinte
lala: C.'Zscas superior de dilerentoi co-
rea 5o,ooo, sobrec.is-cas ditas 3 i,000, ca-
ucas nzuis e pretas 52,ooo, sobrecasacas
ditas 3G,uoo o .Isas ditas i4,ooo, coletei
do seda prtta C,G >a, ditos de outras- eres
G.ooo, ditos da cazemira 7,000, diios de
vuio preto 10,000 ditos de dito pintado
i2,ooo, alem de fdzeudas pertencentes- ao
esubslacimtnto de alfaiate, tenbo um
o tmenlo de roupa fila de tolas aa qu-
lidides, pois que igual sortiu'euto se nio
podei surpossar oem igualar em Fernam-
buco, e achando-me lio benignamente
coadjuvado estou d teimmado a seguir
roinbaautig mxima que vem a ser de
vender toden o* artgoa pelos precos os
uns demiuuloj e ramuneradoa. Tenho
igualmente grande saptisf. ciar que o meu sortimento de fazendas ade-
quadas a estacio -0 :< lia agora comple-
to a que ja maii teobo tido igual isro'ba
ou soi lmenlo que com mus conli.mca
pode-se oferecer ao publico, contendo
p.nnoa luglcxes e de Yoikahue, de todas
as con se qual dades cazemiras meii-
iioiz, cantona, brins trancados de cotes
e de todas as qualidade*, que nio dei-
xai de agradar as pessoas de bom gusto,
casen;ira valencias chales fazendas
para ctb.riu.-as lizas a pintadas cortina-
dos de seda chapeos de cartor pietos e
biancos e de superior qualidade; assim
como se recebe ptra se fazar vestimentas
para bomem cooforme se ncommenda-
tem, tutos em 2 4 hora : u > ra da cadeia
do Kecife loja de alfaiate luglez
Os Srs. Antonio Jos Teixeira LU
mi, Vlanoel Fernandes Guedes Jos
da.Coulo Guedes Ma noel Francisco da
Costa, Marn el do, .S. moa dn .O n eia e
Joio Alves da Silva queiiio dirgir-sea
ra do Cabug loja de Sanios Neves e C
paubia 1 ai a i\ceberem urnas cartas vio
d.ij ltimamente de portvgal.
NAVIOS A CARGA.
Para o Rio de Janeiro
fl^ 5 gue Viagem coma po-sive! bra>
vidale a S-irnaca Espadarte, forrada de
cebra e de prirueira marcha recibe cr
ga a freto e psa-ag ;rm para o que Uro
bous commodos ; a ijuem convier diri-
ja-se ao Gap. Jo ti da Silva S>ntjs, ou a
Mano'-l Ignacio d. liteira ru praca do
Couimonio n. 28.
Para o M.irnbao
tQP* Salitr Com maior b evidade pos
siv. I o Biigue Jupter por ter dois ter
90 de seu oariegimento prompto; tem
excellentos commoJos pata pasaageiioi ;
quem neie quicr canegtr ou hir do pas-
s.'gem dirija-se a tua da Alfandega ve-
lha 11. 5 ou ao Capiud Jote Xavier Vi-
aniH.
Para o Assu'.
Segu fin puucos das Sumaca
Boa F e recebe carga e passigeiros ,
para us qu.-.es tem t-xcellenies commodos;
trata-ta com Santos Braga, na ra da
Moed*.
VENDAS.
O Numero 55 do CRapuceiio j na
praca da Independencia loja de livios n-
meros 37 38.
flfcT* Um pieto com officio de sapateiro
da idade de 18 a 19 annos, bonita figura,
no principio do Atierro dos Aflogados,
lado diieito na quinta casa das 6 horas
as 8 da m.uli.i e das 6 da tarde m lian-
te.
^QT Duas escravag mocas, roiinh5 ,
engommo cosem a lavio
loupa
na
ra do Fogo D. 11.
9* Un sobrado de um andar sito na
ruada praia : na ra de S. Rila nova De-
cima L. 1.
ShST* Saccas de fu inha, do Rio de Ja-
neiro muito lina e saccas gran es, qoeijos
do Sei tio e bixas do Porte por pi eco com-
modo na praca da Boa-vista venda D. 9.'
*cy* Um cabra bom carreiro e traba-
Ibadorde enehada por preco comraodo na
ra doQueimado leja de Fazenda D. 2.
*3?* Duas cscravas de naci, sal.ende
uroa dellas cozinhar e rngommar todas
de bunita figuras : na ra ealreila do Ro-
zaiio D. i.
(pjf Urna escrava idade 20 anuos cozi-
nha ensaboadeira e veudedeita : ra
da Sanzalia nova lado esquerdo 11. i5 no
segundo andar.
99a Un sitio de (erras de criar gados
o luej a'aplautar na li'oeira do altinho
chamado S. Fiancisco: na ra da Smalla
nova lado esquerdo n. 15 no segundo an-
dar que a lii achara com quomtratar.
tV Urna fazenda de gado com Ierras
a cavallos de fabrica e beslas pegado a fa-
zenda da seria da Manuel do Nascimento ,
em cariri na ra da Sauzalla nova lado
esqnirdo n. i5 no segundo andar que abi
achata com quem t atar.
119" Urna p.eta da nacSo angola idade
25 anuos pouco mais ou menos, boa com-
pradera e quitandeira e cozinha o diario
de urna rasa no Palaceto penltima casa da
fronte d<> lampiio.
ITJB Xapa< com anglica e girasol, doua
radas de muito bom gosto para Gnarda
Nacional, Botins e sap.ttoa de Lislioa,
Franca, e da ierra ludo de bom gosto e
bjco cabedal assim como sapatos de Se-
uboras e de mininos, bizerros vaquetas
a coi o de lustro ludo muito enconta : Da
iua da Cruz loja n. 8.
WJ Um ptimo escravo para fora da
Pi ovincia este he babil para todo o sei vico
com perferencia a docampo por ter disso
muita pratica, na ra dos Quarteis D. 4
na me ma uva porfo de mdheiros da te-
Iba p,.r preeo cammodo assim como 5oo
barricas va/.iaaum pouco menores das bar-
ikas legu'aies.
VW L'ni e.-cravo de idade propio pira
quaiquer sitio por disso ter bastante pra-
tica ; e urna erbra bix* parida a pouco ,
no tim da ruado Atagto voltando para
banla Cruz u. 2.
|C|P Um bom ravallo ca regador de
biixo tesq lipir de muito b nita figu-
ra e basta 1.te gordo : na praca do Livra-
ment l). ao.
WT Ujja E)crava de nacaS com 16
a i7 anuos de idade p opria para lodo o
servico la l i.eisa 2o.
%CtT* U.n M..loque cioulo de idade
ta anuos: ao bolequim no Albuqueique ,
na rui do'Boznio i.u na ven Ja da ra do
Rangel, diiioute da casa dai D versas
Rendas.
e/y Una farda pira G. N., correiame,
e ban, lulo ja nzado: ua ra do Colle-
gio 5.
^ Farinha do Rio de Janeiro em Sa-
cas, dita superior de Maj : na Paca do
Gommerciu armaaem de'Manoel Ignacio
dchvaira, ou no caes da AlfanJega Ar-
mastm de Antonio Joaquim Pereira.
JE9 Urna esciava moca, nafi a anguila
e por preco cmodo no armasem de Jo-
io Lopes de Lima Rui do Peixoto as
e neo puntas.
jrjr Vendem-ce e aluga sj bixas xe-
g%das ullimamenle do P01 lo, por preco
commodo : aa ra do colhgiu L( a.
ESCRAVOS FGIDO^.
t^* No di 1 2 t do crrente mez e ann >
fugio um escravo do gento de angola, de
nomejoio idade que representa 24 aurios
boa estatura corpo regular cabeca piquen,
e puchada para traz ecum falta deCahellos
no mi-io decarregtr pe/o cara compi ida
e suiyado de cabellos estirado, falla lera
que pnesse ciioulo levou vistido camisa
de algudiozinho e calsa de e-topa: roga-s;
a tolas as pessoas em car.ea los da Poli-
ca ou oulra qualquar o prth ulao quq se-
r com pi estaza saptisf. ta toda as di-pe-
zas por seu jS.i na ra das Cru;es I). 9. 1
fc^ Paulo naci cougo lugi lo em
16 de Abril do corrente anne com ossig-
na.sseguintes ja velho e reprezenta ter
para mai-.de 5o anuos, baixo groco do
corpo com OJ ps torios e os dedoa meti-
dos para dentro; as pessoas que oppieheu*
derem levem-no na prafa do GOmer io ca-
sa de CSmercio que sei gaueruzarneu-
te rtcompansado.
VP" No da 8 do correte pelas 6 horas
da tarde fugio do lugar da casa forte ,
urna negra de angola de nome Joaua ,
baixa coi po tanto ebeio cor fula, na-
ris xato, olhos em popocad.-s cara re-
donda, reprsenla ter 20 a 3o annos do
idade ; tem no p esquerdo um cravo sec*
co na sola u ca canhar quea cu-pe-
de andar os cabellos da cabec-a muito ral-
los e crlalos a poneos di>s foi com
um ve-lulo bramo faitosaia ecabecu
de algudiozinho sujo foi captiva do fale-
cido Mauoel Liento Machado e de Maia
do Monte moradora na Boa-vista na
ra do Coluvello a de Francisco Jo-e ,
mordor em Bebiribe quam o pegar diri-
ja se ao Arrai.il a fallar com Lino Ca-
vbante de Albuquerqua Mello quasei
recomperisa'ia.
W9" No dia 10 do corrento mea de Ou-
tubio fugio um preto de nome Domingos
de naci cassnhge, r> busto, cor preta ,
reprezenta ter3o a 35 annos de idade,
tem um sigrial de queimadtira na testa o
qua,Ihaja pouco vizival, levou camisa e
calsa de e-lopa com a marca C. P. G. no
00a, ectiapeu de palhacom a copa a ca-
lillad ha noticia de que seguio a estrada
do Manguiubo os appnherJedore le-
vem-no na ra da Cruz n. ai que lera es-
cada para o btco da Ltngueta onde serio
generosamente recompensados.
W No dia i9 do corrente fugio um
negrocrioulo comprado na pedra tapada
paia cima do Limueiro levou camisa de
algudiozinho, siloura do memo chapeu
de couro baixa de corpo com um dente
podre ua frente o dedos das mas secos,
desconfia-ae estar furtado, a quem for o fe
lecido, nio fasia negocio algum, pois seu
Senhor protesta coutia quem o tiver a cou
tado em sua casa a quem o pegar o dito es-
cravo pode levar ua ma do Livi amento D.
l que lera de graiifica5o 4o$jOo r.
a^ No dia i9 do corrale fugio urna
negiinhacrioula de nome Guitarra, com
os signaes sguintes baixa peitos a taca-
dos tem 3 riscos na fonte com tambetu-
nas costas da ventozas nma vilida pique-
na em um dos olhos na p esquerja urna
marca de urna queimadura, macies do 1 os-
lo altas, dentes grandes, e chatos, pe
compridos levou vertid ide chila escuro
cabeceo de madapolio, roga-se a qualquar
pesaoaquo a prehendioe levem a ra do
Sebo na Boa-vista n, i5 a onde seiio re-
compensados.
%W No dia a > do corrente mez e an-
no fogio um negro de nome Joio nac
angola boa estatura, reprsenla tai 21
anuos de idade bem filante, cara com-
prada cabessa puxada para Irai cuui fal-
la de cbelo uo meio da cabeca por car-
regar peso suifado cotii c*bal|-s finos,
levou vestido camisa de algodozinho,
e calca de estopa, ro^a sea quilquer pes-
soa on campanha o pegue e levem-no
a sen teuhor na ra das Cruzes D. 9; que
tera' recompensado.
&J^ No meiado do mex de selembro
p. p. fugio um pelo d-- nome Joaquim,
de naci, estatura allu, cheio do corpo,
f da o Portuguez bem claro e he rendi-
do ; a pessoa que o encurtir/ a couJu-
sir a ra da Cadeia, cisa de Manuel Cer-
doso da Foriceca, D. 4 *'' recompensa-
do generosamente.
PKH, HA T|P. DB I, F. DB FlRIA. lSSj
i
\
1
r.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESJ161VAS_D1DQL6 INGEST_TIME 2013-03-29T17:58:56Z PACKAGE AA00011611_03279
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES