Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03111


This item is only available as the following downloads:


Full Text


AnnoSLXVllI
DIARIO
W9<> A lOBIfqlo.
PaOSMSUTO ADIlKT 111,.
P It trlmeitre .........
Por leraeitre
Por nao ........^.....
PiaoaiRTKO ltimimi.
Por quirtel.............
VOTIOIAtBOlMFBRIO.
I'ar.-.. 3 de vovbr. Mlnai. M deOulbr
Maraohao. 6 de dito S.Piolo 29 dedlto.
Cear...- II de dito It.dcJ.. MdeNovbr.
pirahiba i'l dedlio Habla... It de dllo
4/000
8/000
ib/oao
4/500
ii-Di iMiici inmcui.
22Seg. S. Clcilla.
23 Tere. S. Cleincnle.
24 Quart. 8, Joo da
Cruz.
23 Quii S 1. iilm in.i
de Novembro de 1852.
IN. 26JJ.
PERUMBIC0.
Juiloit Orfhi
?, eft. a lOhorat.
I. Har d" fig(.
3. e 6. ao melo-dla.
Paunda.
tti Seit. S. Pedro Ale-,, e 8. l 10 horai.
andrino. 2. vara do civil.
27Sab. S. Margarida. 4. eiabadoaao melod
28 Dora l.di> Adven- Aflata.
lo S.Jacob. iTerciie libado!.
Ningoante i .', a 1 bora e 18 minuto, da m.
lu m.iii borai e it m imito da larde.
Creieeaiea 18. aoa9 mlaulo di tarde.
Chela a 26, ai horas 21 nilautot da larde.
'"< mO'M
'rlmelra's 5 horas r I minuto! di maahaa.
Segunda s 1 hnrat e 12 mlnutoi da larde.
Am*l*a oa ooamoi.
tasie rirahiba, neguada 1 leitat-
elraa.
(Uo-rand do-Norte Vitloria a quista
Tlelrae
Dito, Caru.rn, e Oaraahua M l't II decad
mex.
r*| >res,Ouricui j.Ein e Boa-Vlita 3 18
alinda, todos o dial.
Todos 01 Correiol partero ao melo-dla.
Portugal
Heipanba
Franca..
Blgica.:,
Italia....
Alemanlia
Pronta ..
Hin.llil.ri'
Rutila.
Turqua
3 deOulbr.
9 de dito
8 de dito
4 de dito
3 de dito
'de dito
. '' .le i! t.
a lo de Se-lb'
ib- dito
2b' de dito
Auitrla :. 3 deOulbr.
Suiaia.... 'de dito.
Suena... 28deSelbr.
Inglaterra 8 de 1 mil"
E.-Unidoi -'.> (1, si-il.r.
Mxico... 18 de dito
aurrala 6 de dito
'ChlU. 10de dito
l'urnol-A Outbr.
|Monleldec2Hdedito
' CAMBIO! nr I (i O NOTBMBBO
Sobre Londres,a 2 '/, por 1/O00 d.
1 Pars, ...MI
Lisboa, 95por canto.
ITAEI. "
[Ouro.Oncu heipanholaa..."' SMM
Hoeda de 6/400 telhai........ 16/uilo
. de6*400sovi.........16/000
. de 4/000...........-. JgW
Prata___Piiieoeibratilejroi.......... JW
, Peaoicoluronarioi............ JEu
Diteimeiicanoi.............'' l/iwu
Estamos authorlsados arteel^;^
,-r q.e O perlOdieO Unlao, ,,... 36 j^ l.eb.t.r comp.x o .eu dripach. para Joio d. Barro. W.ndeWy
publica nesta Cldade nao he or- de >r ,lle9t,aoj 0, ,,anich)S t
Rao ofllciul.
PARTE OFFICWL.
MINISTERIO DA FAZENDA.
Expediente do din 95 de outubro.
Odlcio. Ao presidente do Piri, que ten-
do occorrido duvitla na mesa do consulado
sobre o modo l realisir-se a exportaran do
cado. da ilha de Maraj pira a colonia fran-
cesa de Cayena directamente, avista na nts-
posicSo do capitulo 18 do regulamento de
22 de junho de 1836, que nao consulto na-
vegaciloeslrangeira nos portos do imperio,
onde no existe alfandega, e cnnvindu fo-
mentar semelhante industria, p-oporcio-
nando se-lhe meios de desenvolver-se, ali-
viada de desp zas do transportes inulejs
tiscalisaQo, que rnsultiro da obrigaclo de
ser condozi 10 o gado a capital para dahi ser
exportado, he lulorisadoo presi Ipnte a per-
millir a entrada das embarcarles do guerra
eslrangeins, ou mercintes exclusivamente
frealas para receborem gado por eonta dos
seus governos, no porto ila villa de Chavos,
sendo-lhe requisitadn pelos agentes dos mes-
mos governos, devendo sempre communicar
a permiss,1o thesouraria para que aca ob-
servar a ordetn que nesta dali se Ihe eipede
sobre esseassumplo.
Dito. A' thesouraria da llalli, respon-
de-se io oflicio de 11 do correle, em que
consultl se a fazenda provincial est sujeita
a dizim da chaneell ni, declaran lo-sequo
a natureza dessa ilizim, que fura dinles
urna pena ao que fazia mi demanda, viriou
pissmlo a ser actualmente um verdadeiro
imposto de 2 por cento do valor dequaes-
quer i'iiu-is demanda las em juizo, em vir-
tudn do artigo 9, S segundo da lei de 31 de
outubro de 1835, cuja expressSo A dizi-
ma da Chancelliria tica substituida di
bem a entender que a intensan do corpo le-
gislativo fura iiiiidar-lhn a natitrp/a pois
que se assim n5o fra, e s tivesse em vista
allerar a taxa, se teria explicado como a
respeilo do imposto da siza, no artigo 9, J
22 de 28 de oulubro de 184S -Sizs dos ben*
de raiz, que lica redolida. Sendo assim a
dizima da chancellarla, depois da I-i .le 31
do outubro de 1835, 11 m verdadeiro imposto
e como tal incluido entre os geraes ; e por
outrolado, sendo urna contradices que a
Tazenda provinchl he su|eit aos imposlos
gorat's, de que no be aliviada por alguma
exi'fessa dlspotifo le lei, como as do arit-
os bispos
das sual
dioceses, mas tmenle facilitar aos que mo
rassi'in longe a cobran;,! das suas congruas,
flcando assim enteodida a ordem de 3 de
miiodel850
Dito A do I'ar. em solticSo s duvi-
das propostis em ofcio de 21 de agosto e 3
desetembro, se declara que a impositjlo da
ancongen eslabelecida polo art. 51 eli-
mo da le de 15 de novembro de I837,segun-
do dellt se oeduz, e das disposicOes poste-
riores, que tem alterado a quotadn imposto
0 o mo.io da sua arrecadacJo, s compre-
nenaa as emurcacoea mareamos, que nave-
gam para portos fra do imperio, sendo por*
tanto inquesliunavel que o vipor francoz de
guerra Slix, sobre que vorsain nsdilos olll-
cios, o que, com pe missio da presidencia, e
1 solicitando do governador de Cayema, fura
receher tuna portjilo de guio na villa de Cha-
ves para fornecimenlo di guarnir;iodaqoel-
la colonia, mo devia pagar o imposto refe-
rido, comoji foi declarado na ordem de 18
de j ineiro de 18*4 Pelo que diz respeilo a
entrada do dito vapor no poilo da vil'a de
Chaves aulorisado pela presidencia com dis-
pensa das disoosiciles do capitulo 18, do re-
guhmento d 22 do junho de 1836 e artigo
primeiro das iostroc^oes de 11 da OUlUbru
de I85, co-nmuiiica-se-Ihe a ordem nesta
dala expedida ao prestdonte.e reconimenda-
se-lho tuda a necessaria fiscalisicSo para que
se facam os despachos e pagamentos uoa
competentes direitus na mesa do consulado
di capital,
Mr. 1 i.in,, prdlndo o dlrelio de acerato a ilha l Herculano Francellno Cavalcaole de S 11,11-
333
332
311
Deinali uin deitei despacboi que defl'endem a' querqne 311
preleocao fui levado perante o leado, e o ou- ac,dido Gon^alves da Rocha 273
Iro que abandona Mr. Jevreit a leu proprio pe- Mariano da Mocha Wanderley 2M
rigo nao loi publicado. A ordem ao coinmodo* Vlgarin Fraocisco Urbano Monte Negro 33?
re Americano para desamparar aua sorle el- Joao Mauricio Wanderley 2i4
le deiencaminhadoiaventureiroi he datada de Joan Rlbelro Peaioa de Mello 21
25 de agosto, qualro dlai depola. Manoel Joiii Soarea Barroio 2in
Com umaanalye uiaiamloucioiaachirlamos
em outras inuitai partei desla correipondencla
ai meimai incrlvel incoherencias e contradi- ,
cflei. Assim na caria de Mr. WebateraMr.
Jewell datada de i de juoho, dil-ae ; 1
Cuiui|uanlo estas ilnaa ( fallando dai ilba ... ._. n. ..,.,-.. mnoaamtt nnu na
de Chincha mJm.^ m*m*d. Jjt^^^^ciwSl^r^
m.Ws>l> do movliiientodoscsta-
Im li ii iiiiiitii- de iiui-
iioiir. no mea ir m-
1 iilirn de I S5'.
Grande hostiitai.
pane do conlinenle vlalnh da freque
para o riin de eatrablr o guano, podc-sc dfzer
que i 'in couslituldo a reapello dellai urna oc-
cupaco que d aos soberano! do continente
um direito ao leu dominio 10b a le das na-
fdes.
PICtDO HOME7. DE OUTUBRO DR lS2.
Kevelta.
Por toldo rm m (mimbro A nbtr:
Em letras.............
r.m inoeda............
1:074j94.s
1:488/8*3
EXTERIOR.
LONDRES (i HE OUTORO DE 1852.
O lucio Peruviano onxolou a agtiia metlCA*
na do campo da conlrovcrsa acerca do guano,
r noitos leilores v-ran com praser, pela cor-
respondencia que publicamos em oulra parle
de uoisas culiiiiina, queao passo que o govfr-
no dn'l'er eslava determinado a inanter seus
justos direilos, ueohuma ordem fui eipedida
de Washnigtou par o fim de lavorecer-scaten-
laliva pranca de Air. Jewell. De fado, parece
que a nica ordem recebUa por esle offlcltl foi
ititiiiiando-lheque se ablivesne de ajudar ou
(avorecer a qualquer ciiladjio dos Kitados-
(Imdus.quc i esntis.e s leis Peruvianas Portan
lo, srgue-ie que nenhuma colliio nc de re*
ceiar entre as esquadras do Per e dos Estados
Unidos no Parifico, e he claro que se a exped-
cao de Mr. Jewett tentar tirar guauo as ilhas
dos r.ubo), receber o bem merecido castigo
das mCfcll dos senhores legaes do sol
U jornacs Aiuentanos anda niio puhhcaram
Rceebido da thesouraria provio-
Pan o hospital de cari-
dade..................
Mem dos lauro*......
dem dosexpottoi....
>:t00|000
7S0J0O
875aoo
Ilecebido de Itartholomeo Fran-
Somina.....
as carias do Secretarlo de citado, c do departa-
p-1. 43 da de 21 de oulubro d 1H43, do artigo j ment navil de I e !A de agosto, em que esla
50 da *le 18 de seUmbro du 1615, e do a'tigo [autoridades dos Ksiados-Unid 36 la de -S de oulubro d f 8lMt he loquea- *** !SSi\:J^\ mutSfSJR
tionatcl que a r.i.ud PfOi > < & lXSjS^SSl n"c o o1 Ame'
la ao pagamento da rere I la l;l7J^"1'_,l_7_'' \ licanii leve ratei para adoptar sobre esle ne-
comonenhuiradisposic^o de lei existe que
a isrnlc do innamento ,ie dos os easos, em que o davem pagar quaes-
quer oulrai palles nSo coin.irehenilidas en-
tre is encepluad-s no ariigoiodo regila-
menlo de 9 do abril d > 18*2 e 10 d- junho
de I85 ; sondo por isso som runda i nenio
valioso os argumentos a presentados em con-
trario poli lliesouraria provincial, por quin-
ta l., 'i8o procede a allegada pus-fl em que
diz aclur-se de no pagar a dizlmidesle
que se poz em ortica o regulsmento de 9 de
abril de 1812. no .- pelo principio genrico
de que a posse, posto quo seja Imaiemorlal,
nSo prevalece eonlra os diroilos da fazenda
nacional, senSo porseressa posse sem mu-
lo alteudivel, nao pudendo snrvir-lhe romo
tal a inleiligencia menos acertada, em que
ge Tunda tinto da lei aero da natureza do
i .nposlo, quanlo do regulamento a respeilo
ni isencSo, que, decrtala a favor da fazen-
da nacional, pretende fazer exten-iva I fa-
zendi provincial, sem ipoio do aclo aUurn
legislativo : cgundo nenhuma ne, ossidado
se dava de urna exprossi ileclararjo no ro-
gulamenlo de 9 de abril de 18W, pera que a
fazenda provincial fusse nhrigada a di/ima,
como houve no de 10 do julho do 1850 a res-
peilo do sello, por ser indubitivel, que dada
una lei regulameniar, que estabelecendo
um imposto sobre possoasou cousas, assig-
na exce Jlu a f .vor de alguma", na regra se
comprcliendcm em geral tolas as pessos e
cousss, que neMa vilo designadas, e as ei-
i'r. i.-m-s aquellas smeule quo s3o no ninal-
menleesp-ciricad!.
lui.i. \" mesmi, quo sendo presente, com
o ollicio de 21 de n un, a copia do | a
thesouraria dirigi o K.m. Metropolitano a
respeito do direito que Ihe issistn de passar
attestados de frequeocia aos piro^h is da
Melropole para a percepcl') ds respectivas
congruas; se declaro quias disposir;oes dos
arligos 101 da lei de de oulunro da 1831,
e II di de 17 desetembro do innu passado
no se oppOe ao exercicio plena daquelle di-
reito, Ifl judiciosameole sustentado por S.
Exc. reverrndissima o por tanto dsve-ae
a Imiltir os altala los do frequencia por elle
passidos aos parochns, amia qtlinuo cun
residencia em mu licipio diverso da mu, o
na falla dalles osd is vigarios de vara, c.in.i-
ras municipaes e delegados >ln polica : por
quanlo, he oj-a do diivida. que Plil polla
-sm ii
yocio una marcha di inirli lmenle oppaala i
ne a'.in esta aeglliada ; e no.....sino lempo,
com g(.inde Incvberencla^neliamiae da leverl*
dade dai oblervaces da Imprem ing'ea sobre
ease a)sieuia que agora Mr. Webslty c o pres-
deme jbtrlainente aDaiiiloii.raiii. Ksasubser-
vac.des furim bascadas ciii tic! tactos e argu-
mentos, que se o caso iodo nao c.'irgnu lugo
noticia de Mr. Webster, como elle qnrr faaer
acicdilai', devenios suppor ipie so a rapasiciio
enrgica que deu do iiieslno a iuipri-nsa lu-
glesa be que couiegulo mostrar a i governo
Ainericauu, e a ludo o globo, onde eslilla a
verdade. e que loruoii esla verdulc ta palpa-
re que nao poda ser violada ueni pelo manir
Infante.
A diacuilBo franca dessa qucslno neslc pait,
e u prniupio rcconlicciiiieiito 'de um diieito que
lora de noiSO lutcressc dispular, coiitrlbuiram
provav.linenle tanto como a nigeiiiitdade das
reclamacoei dos diplmala* Peruvianos, para
ohngar a alia honesta decisao Lungc de ter
direiio algum para queixar-se dos argumentos
que Ibe frain dirigidos, Mr. Webster |i;i;iiii-
liles toda a hnmeiiageiu po.sivel cedendo e re-
tralandu-se da opiiio cuntiria (|iie havia lo
Mas nesse despacho a Mr. Osina de 21 de
agoilo, du elle, fallando das ilhas dos Lobos :
* -Se atlenderuioa que estas libas ao inhabi-
tadas e inhabllaveii, e portaolo incapaies de
ser legalinentc posiuidas ou occupada por na-
co alguma, coiihecereiuos que ellas, bem co-
mo o que nellaa se conten, se deve considerar
como proprledade coinmum de todas.
Estamos curiosos de saber onde Mr. Webster cial A lber :
foi buscar este principio de lei, que urna Ilha
mil iint iv, 1 nao pude ser legalmente possuida
por nacas alguma, quando deste ultimo eiem-
plo das illi.i dos Lobos he obvio, que o valor
de um tal ilha pode bem conustlr em aer ella
um aprisco dai phocas c aves marinhas, e
quando elle meimo declarara doui meiei an-
tes, pouco mu ou menos, que a pratica de
concorrer a tal ilha para tirar guano podia-se ciico de Sonsa, themureiro do pa-
diier que constitua oceupacao e dominio. trlmoolo doi orplios, Importancia
Porm na carta dirigida a Mr. Yewell em 21 da renda do segundo andir da casa
de agosto, em que Mr. Webitcr condemnaa ex- doi esposto, vencida em la de le-
pedico, alhrina elle que o goveruo ful Ilud tembro..................,.....
do por certoi factos cootldoa em uina priuiein De Gullherme da Costa Crrela
caria de Mr, Jewett de 2 de junho. O secreta- Lelte, pelo Iratamcnto da sua escra-
rio de estado americano lillicilmente poderla va Roa......................
recorrer a urna deaculpa mais fraca e menos Do procurador da administrado,
digna do que eisa. Era de ku Inlereise e d- importancia do reodlmento dol pre-
ver nao s uo se ter deijado llludir pelas In- dios, arrecadada neite inez........
rnrinacoei de um avenlureiro sein escrpulos,
que se propoz a atacar os dominios de nina po-
tencia estrangeira, mas tainbeiu rectilicar o er-
ro, e (er rigorosamente embarazados approva-
cao do governo a tal procediiueuto. Mr. Web- I >r- pr/;i.
ter nao poda, inesmo nesse lempo, Ignorar o
estado real do caso. Estamos certns de que a
legacao peruviana cin Washington nao loi ocio- i'ago aos cmpiegados da adminis-
sa, e sabemos que em Londres foram publica- tracao, ieus ordenados de julho a
das logu desde ahnl e malo as mais circuios- aelembro.......................
lanciadas infuiinacoes. Appareceu na (ltela dt A 75 amas, que enmparreeram no
I oitdirt um protesto do governo peruviauo, c acto do pagamento, importancia de
todos os jornaei ingleies de 2i de abril, e os suas mensalidades, at junho tlltl-
napeis olliciaes, a que eapressamente alludeMr. ino............................
Webster l'urain logo depois .presentados ao Aoa enfermeiros e leiventes do
parlamento brllanmco. MO pode porlanto Mr. grande hospital, aeus jornacs ven-
IVebster allesar una ignorancia total do ai- cidos em setembro prximo passa-
suinpio na necasiao um que escreveu lu nota do..............................
de 5 de Junho em que di/aa a Mr. Jewett, que Aoi ditos do hospital dos laiaros,
elle coniiderava como um dever deate gover- jornaea vencidos de julho a setem-
snnial-w .uSc dos balados Unidos bro...........................
que vi,.'.,ai-,'u, aa llhaa do I ..i... ....
estrahir guano e accresceutava que uin na-
vio de guerra seria mandado para isto. Eoi em
cousequcnciadestI intiuiacao lorinal, que cer-
ca de seis semanas depois, ou aos 20 de julho,
n ni dU menos, uus vmle navios amciicaiios
l>rcpiraiain-se para as lillas d >s Lobos, adna- Fontes, imporlancii de genero! que
dos *c preinunidos para qualquer resistencia, lorneceu para a casa dos eipostoi,.
Nciiiuiiia tenlatv- se fez para oppor-se aoseu A Slanoel Ksteves do INa.cimento
esqnipaueulo, nem se le ver a seus donos as Qulntefro, importancia de uincaisn
opinies j mudadas do governo. Klles lisetam- para ennduco doi expoitos para o
se de vela nao so sein ailinnestaco ou npposl- cemiterio....................
cao da parle das autoridades (bis Estados Uoi- ^ A Lourenco Justlniano da Ilocha,
dos, mas com a tianca directa c ofticial de que importancia de v?7 bichas, que l'or-
eram protegido em sua empreza, posto que neceuao hospital de caridade......
agora ae pretenda que neuhoina tnslruccao a A Francisco .loaquim da osla Fia-
este reapeito foi mandada ao commodore ame- Iho.por coocertoi de caraplna.feiloi
ricauo. ulio mex passou-se depois de sua rao hospital de caridade .. .....
partida, e peno de tres depui da data da prl- A WlgbtBravoiS Companhia, im-
ra c.uniuunicacao de Mr. Webiter, j os portancia de remedios..........i.
navios bastante adianladoi em sua viagem pelo Ao inesmo ide^m, dem........
cabo il'llorn, els que urna mili i de poltica in-l A Verlato de FreitasTavares, por
tetramente oppoiu he adaptada, e Mr. Web-'drogai.......................
ter queiia-sc patoelicainenie que o governo A Antonio Ferrcira Lima, impor-
dos Estados Unidos fui illudido por um aitili- tancia de genero.............
cioso inestre de navio em 2 de junho. No en- A Angelo Custodio dos Sanloi,
tretanlu os Peruviano lancarain nio de navios, iinpoitaocia de 80 libras de cera rc-
alislaiam uiarluhciros e prepararam-se para to- tinada, que forneceu botica do
das as'contingencias. U ciiiuiudore dol Esta- grande hospital...............
dos Unidos nao tendo rceebido ordem alguma A diversos, importancia de des-
6:.'iilj83s
fclSijM
*-i trenle J- fi-n,le lioinlial
nnp ni nma da despeza lelta em se-
tembro.....................
Ao dito da casa dos expolio....
Ao dito do hospital dos lazaros..
A Manoel Antonio dos Santos
137/5"o
ao/vio
onojooo
tt:7ai788
I : jio>al)0
8l2)7j
Hj'iOO
1 tljlilll
551/178
417/300
.Ri/jiui
lfiOJOUO
[I0KNTES.
Existiam...........
Ijitniaiii...........
Curados......
Melhoradns. .
Ntlo curados.. .
,,_________( Mas 24 h. d'onlrada
Mor,eranM Depois dessa poca
Cxislem............
Hospital dos lazaros.
MIENTES.
Existiam
Entraram
Sahir.iiii.
Morrorain
Existcm .
Curados. .
Melhorados .
No curados.
liasa dos exposios.
EXPOSTOS.
a0|i)0O
I07/8j5
i i,)" Jii
J/siill
240/8U0
8SJ67I I
Sexos.
o O
c c

3 VJ c B fi
!Q V
J-
Existiam...........
Entraram...........
Sahiram............
(as 2* horas d'ontrada
M i,'i _^ ,
(Depoll tlessa poca
Existcm............
109
3
801
10
0
1
I.-.n 314
Adminislraco geral dos estabelccimenlos de
caridade, II de outubro de IS5-J. U escrivo,
Antonio Jos* Home* do ilorrrio.
Comuiiinicado.
Me para restabelerer I verda te dos fados
que nos damos boje u tribalho de subinet-
terao juizodo pail ilgumas CinsideracOes
sobre as ci c imsiancias quo determiuatam
as demissoes de loSo L-ile Torres Gslindo
dos lugares do dClegado do lernio de lum-
bres, o de director parcial dos Indios de 1,'t'ii-
ha, a lim de quo >o possa nvalur com 8gu-
rain; i a i'i-hv.i r n quen governo da pro-
vincia proeadra a ete respeilo.
Bul ilusa piis illlel.ra, i|-,o p-,r ubi cor
rem i npresssa no Liberal P$numblieano,mS-
signadas ,le cruz pelo Sr. Tories Gllllldo, ve-
se de quanlo he capar, a PSIUoldez a inipu-
siber, di respectiva cimira e do juiz muni-
cipal supplente, e do mesmo Torres ('.alin-
do, n quil em quinto que os seos adversa-
rios o acrusavim de falls effertivis, de ir-
regularidades c d'ahusnsdo drisdiCQo. nao
fazia mais do que reprnduzir acrusai;oes bi-
naos, mil vezes deslruidas, contra a genio
de Pesquetri, no exhibindo em todis essas
occasiiesum s ficto criminoso de recento
data, a menos que nSo fosse alguma dessas
occurrencin qun outr'ora, e sob diversas
ctrcunistanciis, se deram niquelle termo
nos lempos em quo Torres Galindo en sec-
tario liumilissimo daquella fimilii!
Ora, o EX'ii. Sr. Hiheiro, como cima li-
ci dito, compreliendeu a mi situacSo do
Cimbres; conheceu mesmo que i cuiser-
vaco de Torros Glindo nos empregos, de
que o hiviam reveslido, era um desali
constante a opinifo publica ; mis, queren-
do provar a csse homem ingrato quo nao
conservava cont'a elle o espirito da ma von-
tide, procurou, no dimitli-lo, porcm Jim
chims-lo a melhnr iccordo com os seus dis-
trictinns, dnigindo-lhe constantes idmoes-
tacoi-s no sentido de manter-se elle na r-
bita de vi s altribuicajes j e como a mxima (
parte dos disturbios oascis dos contltelos
uavidos entre os foreiros da camira e os
Indius do Urub, instigados pelo seu pro-
prio director, brdenon S Exc. s este que
sobr'estivesse ni reivindiccIo das Ierras
da aldeia, al que fossem ellas regularmen-
te me lila, Ms que elTeito prinlurinin
essas recommendatjesi1 Produzram a du-
phcaerio dos desatinos dos Indios, qu", le-
vados de suggestOes do seu cacique, faziini
repetidas invasoes no patrimonio di cimari
espincindo os seus foreirns arrancando
suas plantado, i e lavouras, a par de mil ou-
tros desmandos emelhantes! Todos esses
fados viitham ao conhecimentn di presi-
dencia, pnr neio de represonta<;0es darefii.
rid cmara, e de qtieixisde seus forelros;
e posto quo essas representaciVs equeixas
qnasi semp'e Tossem acompanhadas do pro-
vas irrerragaveis da existencia dos factos
denunciados com tu lo, o Snr. Hibeiro,
no queremlo f.ltar a uro. s preceilo, nSo
detxou nunca de mandar nuvir a Torres Ga-
lindo sobre as accusaQes que Ihe eram fei-
tas; mas o quo resultavaP Resullav que
essas quelxas ou nSo voltsvam mais, ou se
voltavam era depois de dous e Ires mezes,
conlendo, nSo informaeOns anlogas aooh-
jecto dellas, eorni sim diitrihes, eslumnias
B injurias eonlra a gonto de l'esquein, quo
alias nunca (igurou ostensivamente nessis
denuncias, represenlai;es e queixas Contra
Torres (alindo !
O lionsonle do Cimbres lornava-jo cada
di* inis carregadn, visti da ubstimcSo
do delegado e director; o governo estudou
prud-nuuneiile o mellnir meio de por ter-
,ni) ao progresso do mal, sem recorrer a
modulas decisivas e peremulorjas. De feilo
ordeiinii ao direclor geral dos Indios, quo
para nl parlisso quanlo antes a aeommodar
as parles divergentes por mi io de COUOeS-
ses mtiluamenlo sitisfacloriaa : o director
Icncia, para niio il.ziTinos, a menlira em lo-
do n seu desl-cameiilo, o o despeilo em sua K',r! seguio eir-clivam-nle para Cimbres, fi
maior he.liiiri ie/! |rheganuo la, o seu piimeiro cuidido loi
Em cada periodo desses rronumentos do examinar os litulos d'uma e d'oulra parle,
felizmente adoptado, t sejain quaes f"em os
ineloa pelos quaes, em ooiao enteoder, se to- plr, sustentar aens considados em sua em- pezaifcitai poroccasio doahniver-
iiisuli'iii-ia e de iueurialida lo reina a aleivo
sia mais ahominavel, tal c lamatih, que por
cerlo admiramos que esso homnin, que se
inculca um priilotypo do hotiestidide c de
('lilil'/., son.ni recu-asse desellar com o sen
nomo, roileiado de fnid'ir.tVi ijtoriosas, como
elle diz, documeiilus tSo asquensos, um
|no na menor circumstaiici i se nota utn in-
sulto a verdade, alem da falta de decoro pa-
ra com a primeira auloridide da provin-
cia !
Asdc.TiisseS dn Torres (alindo lornarim-
se medidas de urgento necssiiladu publica;
a98|ooo er" u,n prohloma de sdmlDlllrc8o que cura-
pria ao governo resolver, era face da Serie
! de arbitrnriedades, de desatinos e desman-
dos, que soh o carcter ollicial, elle pralica-
IU7J0-J0 ra no termo do Cimbres, coj,,s liahilantcs
quasi que locaram a meta do desespero e da
nliaeffecluado a aa conversie, seja-uos licito 'preza pirtica, fcaram estes como se nica-
sauda-la com prazer. I mente liveiiemido a urna cacada de patos bia-
O secretario de Estado Americano perceben- vos, c Mr. Vebsler deve ser incvitavelmenle
do que eslava em nina posijao insustentavel, j considerado o responsavel pela perda do capi-
que a sua caria de 6 de junho eslava produzm- i^i einpregado na eipedlcao. Em todo caso,
FOLIIETIli.
0 PALACIO PIMODAN. (*)
pon fixx- iBogerto l5eautootr.
PARTE &EGUINDA.
XIV
A txplieaco.
Orne horai da noKe oavan. na grpja dos Ce-
kslinos, quando Pompeo se apreieniuu no pa-
lacio da ilha, Cciara.o pagem, perguiitou-lhe
em lingo Italiana o <|ue quera.
Pallar j a aeu amu, responden Pompeo,
.piero ler com elle urna conversac.io brevr, |i<.-
riu i ..portante.
AcoiidcufJ de San-Ptelro pila com rile-,
objecin o pagem, pennitia-mc ncellenii.1,
que tome primeiro al ordrns de ine.u amo. O
M-nlior he da Italia he verdade, porm veui um
poUCO I .tilf.
(J.Vidc Mario n. 20'.
do, e j linlia inesmo produzido seria couse
qucucjs, resulveu alijar, -r. Jewett e sua ex-
pedicii ; mas quando mesmo este acto (ardi
de arrependimeiuo, ptirt|ue mo podemos cha-
ma-io tte rfparacdoi eateja completo. ** datas
das d tTereiitei partes dista ronespondeucia
sAo laes que augmentam nosso palmo ijuanto
ao mo-Jo pn|ueesta trausa>;o foi leita. Esta-
mos Icmbrados que a 'i de agosto o presdeme
dos BtUdos-Uoidoa f prseme ao senado a
correspondencia reliliva s ilhas dos Lobua.
tita coriespundencia eontiniia una irabaluada
nota dirigid-i por Mr. Web^ler ao ministro Pe-
ruviano, na qual o governo Americano presis-
(i.i ini UelIVnder assuts pretenyes aeklracco
do guano dessas ilhas, e em que repeta loaa
aa lallavids e incultas que temos rrequeuteiueu*
te cxpnsio. Kta nota er.i datada de i de agos-
to, e era como a resposla a ditlerentes reclama-
cues do eucarregado de negocios Peruviano,
datadus de .' > dejunho, ,1 de Jultio, e 'J to. aSegue-ac agora a parle mais extraordinaria
do caso. A caria a Air. Jewett, em que lr.
Webster repudia a expedico, e Ihe avisa que
a esistcucia as autoridades Peruvianas as
ilhas dol L da, quejmail poda receher proletxo alguma
. i1 i
pois, nao nos podemos recordar de outro eiem-
plo, como este, de ter sido uin ministro inaia
severa e justamente punido coui a perda da re-
putafao, por tentar aubtiahir-se as estrictas
prescrtpcdt's da le publica, ba nota a Mr. Os-
un, quaudo appareceu, fui considerada uina
iiiM.nvi e fraca tentativa de defeuder uro po-
miiki ioausleolavel; e agora quer elle later
crer que no mesmo da ciii que a escreveu adOp*
tou a inteutiio contraria, e retlrou a proteceo
das forcas navaes americanas a todas aquella
pessoas que se eoiregavam a esle coinmercio
illiclto sol) a f de sus aniuiacdes. Nio sabe-
mos le esta tortuosa e Incoherente conduca
foi resultado de uin mrbido desejo de ganbir
os sull'ragios papulares para a presidencia da
I' ni.ni. e se o loi, nunca houve um systeaa
mais fatal repuiacu e iuleressen de seu autor.
{Ou Tir/uft )
PERNAMBUC0.
>.,.i, de rclleies, repllcou Pompeo, le-
ras tu a lingoa to cumprida, como a inlnha
ELEITOKrS Da FREOJEZIA DE UNA.
Paulo de Aiuorim Salgado jot
Francisco Marinho \Vanderle> 3j
Lile senlou-se trauq .illaniente n'um banco ;
Cazar nao ousou reitstir-lhe, tan o aeu aipec-
espada Kia, despacha-te, nao gosto Je es- I lo gelava no coraco o s.ngue do pagem.
perar. I Pompea com elteito lian i tirado o chapeo, 01
Cezara aproximou a lanterna do caralleiro c grandes cachos de cabellos cincentos adorna-
nao licou multo tranquillo vista de leu trage. I vam-lhe o rollo como a guedelha de um leao,
l'ompco lintia lancailo a prciaa o capole nos la formldavel espada acabava de dar uin gol-
hombios, una grvala j rola Ihe cooria o pe- pe secco, e o afo de suai eiporai luzia na iom-
coco, suai oola, mauchadas de lama faziam-no tira. Um quarlu de hora le tlnha apenaa pal-
parecer crrelo. Cezara pensou mui judiclosa- lado quaudo Cezara luinou a apparecer, e
mente que podia ser um, e nao besitou em in- dille :
troduti-lo no vestbulo. | O conde, ineu amo, contente em recebe-
_ i\ quem annunciarel ao meu nobre amo.' lo em sua galera, he a illa dos retratos, quel-
pereuntou elle. la segulr-me.
-" archllecto de seu palacio, respondeu I Pompeo aeguio a Celara, hita sala oblonga
Pompeo. I eolio conta urgente que ajusfar com era aquella em que Marietta tinhi, como nos-
o ronde porque amanba me retiro..... ,' sos leilore laheiu, soi prendido a Pompeo com
Cezara' foi-se, mas vultando logo declarou os olhos titos no retrato de urna mulber, o de
com ar insolente a Pompeo que escrevcaie o 'i'eresiua Pilti.
que oociia, pois mi Ihe era impossivel acor- Pompeo nao levanlou leu veo sem tremer, a
dir iru amo. iniagein querida eitava em leu lugar. Uin ralo
izrndo isto elle moslrou a Pompeo o caini- da la pasou pelos l.bios pallidoa de I'eresiua,
nbo de una escada lecreti, que abreviava o e deo ao retrato uina ciarldade melanclica,
trajelo do pateo. O Italiano uouhrcia nulhor Cezaia acendeu dous candelabroi, e relirou-se.
que qualquer outro essa sabida anda nova. (Juando t.ailos Gruyo appareceu o It liauoolha-
Miigiiem Una, iiiurinui.m elle, que es- i va tristeinenie atraves das largas j.nellaa para
ti liar, i esla porta desanida1 Marietta me es-. > Seua ipie corra ; elle lutava contra uin es-
pera, prometo Ihe obrar. Deo eossanius me hos de peniainenios.....U ruido dos pas.os do
iiiicain, mas nao ha outro meio temi esle! conde Ic-lo voltar-se elle sauduu-o tendu cui-
Itasgando euiao uina faina de aua carlt-ira, d.do de poi-se junto de una bugia.
obre ella escreveu tres palanas a presta, e' Carloillruyn icprnnio um grito, e apotou-tc
dase : "" houibieira da chamiu.
- .evc isto no conde de San-Pietro, eu tico Ilecouliecc-me, senhor conde pergun-
eiperaudo! jtou-lhc Pompeo.
tarto no inesmo hospital.
A diversos, por fazendas compra-
dal para o enchoval das cspostii
Josepha c Theodora........ .....
Kotreguc a Marcelllno dot Santos
Pereira e Silvettre Joaquim da bil-
velra, como administradores de tun
mulhere ai eipostat Theodora do
Palrocioio e Jotepha Maria, impor-
tancia da offerta feita pela lam.
Sra. D. Baibara Cbavier de Suuia
Ribeiro.........................
A divertoa, importancia das des-
pegas lona', nette mea com a obra
do hospital Pedro II..............
fornUo tnt catj-a A taber:
Em leltras............ l:U74/!>it>
Em recibot...........:li:: III
Emmoeda............a:i4t/740i
ionio
oxaccrbaclo contra tes irrellextJes e loucti-
4:893/0a9
Somma..... 11:7211788
Adminittracaogeral doi rstabelecinlentos de
caridade, 30 de outubro de 185?. O escrivo
Jntonio Jos Oomti do Crrelo. O Ibes miren,,,
Joli fim A'errvro.
ras I Apos estas consideracOcs que por si
as hasUrlam pira acunselhar a exnnora-
lti7|UjO ao de lo la e qualqu'-r auluri la le, quecb-
ni'i Torres Galludo, procedesse de modo to
inaudita ibusivo, avulta urna uulra cir
cumstancia que nos parece dn granlc pesu,
que he o odio rancoroso que Torres Galiudo
vota a familia de Pesquoira, a qual uume-
rosissima como he, constiloe, digamos as-
sim, o ncleo das existencias suciaes da-
quelle solo ; e se nos, que jamis aprovana-
ri 111- .(-,. essa familia concenlrasse em si to-
do o poder publico do termo, anida mesmo
que quando depositarla delle nflo houvesse
exercido vingincjas contri Torres Galindo.
considenvamus, pela mesma razSo, que era
multo perigosoe arriscado o cons'rvar-se
elle uessas posic-s ofliciaas, illotilas as
suas in ii-joi.i,,', profundas com us Pea-
querislas, de quem he sabido que se lornra
nii-aiigii gratuito
Cliegaudo a esla provincia o Exm. Sr. Ili
beiro, conheceu logo que as circumstincia.s
daquelle termo oram pordemais melindro
sas. Conheceu-as, no por auggeatuei cs-
trinliis, en mi ileivosimente insina Tur-
ros Galindo, mis sim pelas corn suunden-
cias olliciaes de amb-s as parcialidades, a
i"iij "o
ljal|l30
6:b3ij1d9
_ Ho, dli
late Cattos perturbado e arq uejan-
te. Quem he o senhor i
Ecellencla. tornou Pomoeo, meubilhete
deve tiT-lhe dito iniiilnqualidaii. Auigni'i el-
le bilhete : V homem da ponte Afane.... Veii?
E como Culos Gruyo persista n'um
silencio, Pompeo coutiuuou
Mil einllin nao be de admirar que o se-
nhor no me reconheca. Todava que bs *m
niin to mud.do. senhor conde f Ha maif. de
um anno tenhn ariatlrado em Pars d turnio
uotne e o mesmo trage. O aenbor foi mais
feliz, iniidou de trage e de nome !
__Pretende entio inaullar-me ? respondeu
Carloi. ,.
De nenhuma lorie, quera dlter somente
que tudo Ihe aproveltou f Quando na aapatol
enao velbot, be precito rauda-loa ; quando
a pipa etti em mo ettado, ctimpre pr-lhe
uin arco novo..... o aenhor deve saber ene
proverbio mala que qualquer outro !
Inslenle m.ni i,-ie laucar pela porta
fdra por mcus criados, he ino o que liuha que
dlzcr-mc ? repllcou Cirios com um inoviuieulo
de colera, e-de deidem.
Senhor conde, dltsc Pompeo comecando
por inslallar-se n'uma boa poltrona, conver-
semos I
Anda ?
Sim, conversemos, ja Ibe dille, para con-
versar com o tenhor he que vlm aqu.
Fallando assim Pompeo abanou-ie com ar
de principe com aplurnade ten chapeo.....Um
terror lecreto ligav.i a lingoa r o bracos de
Carloa por um inoviuieulo uiachlnal elle lam-
ben! icniou-se.
Senbor conde, continuou o Italiano, as
horas lo improprias, porm nao sou culpado.
Uina simples qucslo. O senhor he meimo o
coode de San-Pietro ?
- Semelhante ptrgunia.....
**'' --eessario, senhor, iiuando toubcr o
objecto que ..,._ c'nriecli hl inle
do.n.:,'ro.?en.^nho-r..::-|5a^^^enfo;ca-
do-lhe, poit, que o lenboneja o corteft ^~
Pie tro.
senhor!
__ Espere .... Tioba necessidada de saber ii-
io, e edilicar-me d'anteinao; porque a propo-
. ,, que lenlio a lazer-llie he dumat, icriai...
*_ Palle !
^. O sennor he catado r
Que Ihe importa ?
Importa-ine muito, pois tenho em villa
um calamento para o aenhor.
__ Tj- gracejando/ inierrompeuCarloa com
altive, a occasifio he mal escolhida para fallar-
me de cornos tolos.
Nao, seolior, pois protetlo-lbe que he mn
casamento mui conveniente..... sim..... Uina
moca de Uoa familia, pude crer-me, e seu ra-
zo menos fresco que o do sertlmr, he vci-
d*^'seri alguma apoita? Senhor, dlsse Car-
los levaoiandu-ae, nene cato previnoo....
Oue o senhor a nao supportarla / iinnn
bem, ino be de um bravo. Gotlodc v-lo nci-
percorienilo rom ellos as mSosJodas as
dalas que cotistiluem a aldeia, o nom sor-
praza sua reconhecnu que s reclamaces
dos Indios eram infundadas, visto que as
suss Ierras se achavam tmactas de quaes-
qin'i usir ai. iii'iiin os mesmos lu-
dios e fez-lhes sentir o resultado do seu exa-
iiih e observaeocs aconseltiando-lhes dtt
modo o mus b'ando qu>< cessassem de tola
o qualquer huslili lade contra os foreiros ila
cmara, cujo patrimonio Bfl nln acha pnr
cerlo dentro dos limil s das lcrrs da al-
deia; o de tudu isso iuformou com toda a
imparolafl jada ao Exm. Sr. presidente da
provincia prescindindo inteiramenlo da
questSo pessoal enlre Torres Galludo eos
Pesqueinslis, como se podo ver de Sdusol-
ficios.
Est visto, pois, quo e. si proceder recto
e jusliceiro do director geral nu poda
agradar Torres Galindo, que via dusse mu-
do aniquilado o reducto em que so ello
havia colloeado para acesUr suas bateriis
Contra os horneas de Pesqueira! Keliran-
do-se, enlrctaeto, o director geral, Torres
Galindo procurou destruir tudas as impros-
soes paeiBota que os sous discursos haviam
pro luzilo no animo dus Indius, e cunsegiiin
avivi-nlar o espirito do rivali lade e de dis-
cordia entre a aldeia e os foreiros da cma-
ra. Nesse intervalo chega o da das elei-
ees municipaes : Torres Galindo recoube-
cetido que por nietos ordinarios n3o puJe-
rta dispula-laa e conseguir o triumpho, piio
o termo em alarma com iiotilicacaes e reu-
nios de Indios ; o quando no no por nojo
aprusenta-se o homom ni villa de Pesquei-
ra, mi da .la eleic.ln, afrente de du/onltis
homens armados e amolela ios para garan-
tir a liberdale do voto, postando piquet\s
em tolas as entradas e saludes da villa,
para impedir que a populacho ineruie con-
corresse a lanzar seus votos ni urm 0 res-
pectivo juiz de paz vendo-se etn presenva
desse appirato blico, que em verdade nflo
podia deixar e tolher a liberdade das coas-
Cieucias e a boa ordem dos (rabalhos, sus-
pendeu o acto, em conformida I da lei !
ar-r. ._ -i-----------' in. i.~XK~
las disposices valerosas apezar doa edictos.....
Hoje ha inuita gente que nao ousa detembai-
ubar a rapada por temor do cardeal..... Tenlm
o senhor por um homem de honra. Se assim
nao fdra eu nao viria oOVrccer-lhe um partido,
que muitos lldalgos Ihe Invejariam.....
K.iniini, senhor ?....
Einlim, tenhor, essa moca o ama..... Amor
malfadadoe insensato, dlsse Pompeo n'um loui
mais trio, pois que nao he coiupartilhado, c
tudavia o senhor amou-a taiubem autet de par-
tir delta cldade, habitava entao o meimo tecto
,; nn.lM, anida linnleni a Mi na i li,Hipan i do
Marietta! mu.......
Sim, tambor, Marietta !! Parec.s
circumtlancia recente em que o tenhor nao
corra s um grande perigo, etsa moca ot aal-
vou ; em premio dette tacriliclo cuja estn.,o
o tenhor est longe de contestar, ella esperava
do tenhor outra couia que nao um trio eique-
Mas o tenhor cnlrou na ettrada da ambico,
e volta agora esperando.apagar al o inenore
signiet deiuaorigcm. He esta o teu calculo,
nao ? e com o toccorro dessa lidalga.....
Hasta, tenhor, nao reconheco ninguem
com direito de pedir-mc coma dn pretente.
nem do paitado. Se he atar lelta quem o enva
a in I m, nene calo eis a inlnha letpoila : l\ae
nosio ser delli, porque ja nao son uieu. Mtt'lia
escravldo voluniarta be o meu segredo e nio-
eueni ndesondar-lhe o motivo sein ollender-
me. Eu amva a Marietta, amoa anda, be ver-
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO


,

No numero seguinte continuaremos (
nosss nerracSo. ^^^^
,i gJ *' mmmtm-mt^r^
Correspondencias.
Sem querer elogiar cada urna das pessosj
queabaxo v5o indicadas, porquo s3o bem
conhaci ls, n fl.-ntcs eslo s-us Servicoi
an paiz, c sua illuslracpo, apaas direl que
csla provincia milito g-nharia se as levasse
como seus representantes acamara tempo-
raria.
Un l'ornambucano.
Os Senhores.
Uispo conde deiraj.
Marechal Antonio Correa Seara.
Doulor Manuel deudos da C.unha Azevedo.
Anselmo Francisco l'iretti.
i. Joaquim Vllela de Castro Tavares
a loa |ti'ni de Aquino Fonseci.
Antonio Peregrino Maciol Monteiro.
Urbano Sabino Pessoa de Mello.
Antonio Epaninondas de Mello.
n Angelo llenri nii'S da Silva.
Thom Fernandas M'deira do Castro.
I i|' i- Lopes N -II '
CotnnicndadorDomigos Malaquias de Aguiar
Pires Ferreira.
CONSULADO GERAL.
Rend ment dodia 2 a 85
dem do dia 26.....
41:319,439
. 3:207,33
44:526,775
.Vos eime quiquc yctis IHMNI
El este palriolni ilebcmus.
Al boje eotnprehendlna minha lista para
ileputados genos
OsSciihoros :
1 Marechal Amonio Correa Sera.
_> Conselhelro Antonio Peregrino Miciol
Monteiro.
3 Desemha'gadnr Jernimo Mirliniatio Fi-
uucira de Mullo.
4 O'. Jniiquim Villela de Castro Tavares.
5 n Jo.lo Jos Kerreira o Ago ar.
li a Francisco de Paulo Bautista.
7 > D mingos do Sonza Lefio,
Voto nos sos brasileiros de n. 2 7 por-
que i lies fin qualidado deeleitores volarfio
no seu companheiro o Exm, Marechal Sea-
ra,o farol transacco 's rom os outros seis vo-
tos por igual numero a prul do wei predi-
lectu poi tur nisoido am lina, parado on
iiicio de niiulta cusa.
o eloltor delicia.
DIVERSAS PROVINCIAS.
Rend Diento do (|l 21 85. .3:308,455
dem to dil 26 ..., .,. ..... 199,980
3:508,435
Kxpoi-tnco.
Liverpool, hrigue inglez Titania, de 314
toneladas, conduzio o seguinta: -- 1*00
sarcos com 7,000 arrobas de assucar, 973
saceos com 5,057 arrobas e 10 libras de al-
go 1.1o.
Canal pela Parahybi, brigue inglez Enry-
dico, de 299 toneladas conduzio o seguinte :
400 arrobas de bacalhao.
Parahyha, hiate Panhibano, de 37 tone-
ladas conduzio o seguinte : 42 volumes mo-
Ihados, 51 ditos lazendas, 25 pedras de amo-
lar, 70 barricas de baciluo 40 ditas larinha
de trigo, 4 ditas assucar.
Porto, hrigue portuguez S Manoel de
255 toneladas con luzo o seguinte: 2 cai-
xas, 3<6 barricas, 1573 saccas, 1 caixote, e I
pedr com 10243 arrobase 21 libras de as-
sucar, 50 saccas com 282 arrobas e 16 li-
lir-sde algodo em pluma,353 ceuros seceqs
1028 l iros de talajuha, 2 saceos com 7 arro
has e 4 libras do caf, 1 dito 4 arrobas e 12
libras de arroz, 1 barnl me!, 1 barrica tari -
nha de mandioca, I lata dita de araruta, 2
canas ourelos, I cauilu e 1 caixote doce.
R-CKRKDUItlA DE RENDAS IciTERNASCE-
RAES DEI'ERNA.MlilJCO.
Ron di manto do dia 26 .... 365,359
CONSULADO PROVINCIAL.
Rondirnento dodia 26 1:922,962
do, rriimando-ns em montes regulare, .lis-
posto de maneira a poder-se com facilida-
de cootar, sondo feita por conta do mesmo
arrematante a despeza necessaria.
3. O arrematante ser dispensado de pa-
gar i alfandega os direitos de importando
pertencentes a estes cubos, visto serem el-
los para obras publicas.
4. No prazo de quatro mezes o arrema-
taole dever ler entregue ao menos a quar-
ta parte do numero de cubos contratados,
devendo entregar o restante us seguintos
sois mezes, de maneira que no lim de d /
mezes contados da data do contrato deverSo
estar lodos os cubos ontregues a repartico
das obras publicas.
2
-""
Martha Ascnlinra I) Rita.
Criador, convidados, etc.
Segiiir-se-bo um dueto pelo Sr. Costa, o a
senhora D. Maria Amalia Monteiro.
Terminara o espectculo com a comedia,
O Judas,
na qual fara parte a senhora D. Leonor Or-
sat Mendes.
o. bilhetes estilo disposicSo do respei-
tavel publico no theatro.
Principiar* as 8 horas.
5. A importancia desta arrematado ser pnmeiras letras Card m, quo tanta es
ga em duas prestares iguaes : a primei- merecido do publico vende-so a
quando tiver o arrematante entregue "= na livrana n 6 e 8 da praca da Indo
metale dos cubos contratados,ea segundi
cj ii .-i nilu tiver entregue todos os cubos.
6. Na falta de cumprimento de qualquer
das roudicOes deste contrato, assim como
para tu in mais que nfio vai determinado
Publicarlo Iliteraria.
Sabio luz a terceira edicQHo do resumo
de arylhmctica, pelo antigo professor da
estima
640
pen-
dencia.
Manual homocopathico do Dr.
Jahr.
Na dia 87 do corrente sahir a luz imore-
nest.s clausulas segu.r-se-l.aoqucdele ler|velmpnle 0 8egl
mina 1i le provincial n^ 286 do17 da imaio tmuUmtm ohra,unica que p le servir de
de 1851, para todas as arrematarn,, glli, l pPMis que quizere* ler ideas ex-
8er1-________________________________ netas da sciencia de llahnemann, equadis-
Fl I iHA/tail Pn" '"d equilquer das out-as obras al
UeClSrayOe Ihojociinhocidas Os senhores que quizerem
-----------------------------------------------------_ acharflo n.los o primeiro orno o segundo
Pela contadoria da cmara municipal volme eucadernados com lodo o asseio, eos
do Itecifo, avi9a-sea todas as pessoas que senhores assignantos podem mandar recebar
possucm carros, carrosas, o vehculos do os sous exemplares no consultorio homoeo-
cimi luccSo, que lerca-feira 30 do cd>rcnle patbico na ra do Collegio n 25, primeiro
finda-so o prazo marcado para pagameutn andar
dos mencionados impostosj e todo aquella
Movimento do porto.
Navios tnlrailos no din 26.
Ce ir peloAss 28 dias, do ultimo porto
II dial, patacho luasileirii Sania Cruz, de
101 3|t tunela las, capito Manoel Jos
Prestrello, equipagum 10, carga sal e mais
g eros ; a Cietano Syriacnda Cosa Mo-
reira. Passageiros, fargino Jos Caval-
cante, Joso da Cu illa Pinto da Eouseca, e
1 eicrava entregar.
Senhores elaftorei. Ha multo que lonlio J m-s de Janeiro 17 das barca portuguez
calado na especlallva, a eiperaquc >r publicas-: j|arla j,,s, de 384 toneladas, capitilo lo-
e no seu acreditado na" algumaln s Forroira Laasa, eqolpagem 17, em las-
Lio ; a l'rauc so Suvemno Rsbello
mus me
nledc-
uandlilalos asseinbla geral, que
agradaase para pr rila volar, f id
pula de ler lid i urna ImCOSldade ilellas, fui que,
ii'uiii M. com presar li umi co npusia de pessoas
lao reapeiliveia que bem se poda diter a inc-
llior de lodaa ellas : e como eneja convencido
de ii. ciuir.ii mullos collegas dt: igual pemar.
por i.-sn peco-lhi-a digncui-se publicar a din
lista, a qual lie a seguinte :
Consrlhriro SebastliO do liego barros.
Conselhelro A. V. Maclel Moutelro.
Desenibargador J. M. t'iguclra de Mello.
IJr.J. T. Nabucode traujo.
Dr. K. X. P.ie Harrclo.
l)r J. J. Frrrclra de Aguiar.
Dr. O. de Souia Lcao.
General A. C, Seara.
Dr. A. c.i'.c si o Aionqnerque,
ni i ni- liento da i indi i Figuelrcdo.
Ilr. A. F. Perera df Carvallio.
Dr. Francisco de Paula llapuala.
Dr. ervazio (inncalvea da Silva.________^^
Publicagao u pedido.
1111.0.
iViju/o mhillo no mesmo da.
Liverpool hrigue inglez Titania, CapilSo
Richard Palfrcy, carga assucar o algodlo.
Obterva^ts,
A charra braslleira Pernambucana, com-
mandautn o primeiro lenlo Antonio Alves
dos Santos, larguudo lameirSo para a pro-
vincia das Alagoas.
Funde.iu no lamelrSo um vapor de guer-
ra americano.
UTA.ES.
Rei-eh cun multa satisfacao O ollicio da
Vuic.de 21 do 11 sstdo, coiiimunieaiido-nie
iu ululares eileitos dos trabalhos apoatoli-
coa do rovorendiasimn missionnrio frei Ca-
lao do Messma, o qual continua ns Santa
MisssSo faxondo mivir a linguageui do
ovangelnocim proveilo dos povos a iiuom
a dirige, c uartiiiian lo os tenliinentos, que
Vme. exprime no .-eu citado nllici i,
Ao n osmo lenipii 0 Imivii pelo hom ico
lhinioi.li quo l'.'Z ao digno | regidor da Di-
vina Palavra.
Oeos guarde a Vme. Palacio do goyerno
de l'ernanihuco 2 de novooibrode 1852.
Iranrisco Antonio liibeiro.
COMMERClu
PRACA DO RECIKE 26 DE NOVEMBRO, AS
3 HORAS DA TARDE.
cOT0asorFiciBS.
Frote de algo 180 para Livorpuol 9116 c 5 por
cento por libra.
ALFANDEGA.
Rendimento do da 2a 25. .421:848,675
dem do dia 26.......35:076,836
456:925,511
Desearregam hoje 27 dt novtmbro.
llarca portugupza igilru --mercaduras.
Rarca americana Uianlouomc-- dem.
larca ameiicana Uuriann fannha do
trigo.
Hrigue americano -Tupi) -- ilcm.
Hrigue americano Vctorine-- idem.
Polaca hcspanliula -- Doloics- mcrcadorias.
lirigue brasilciro --toia(i pipas vasias
Hiato brasileiro -- Caprichoso faiinha de
trigo.
luilini'fnvnA.
Perast, polaca austraca, viuda de Fiume,
consgnala a N. O. Ilieber l Companhia,
m iinl'esiou o seguinte :
2,082 barricas faiinha de trigo, 50 caixas
papel, 7 caixas.cnxofro ; aos uiosmos con-
signatarios.
Santa Cruz, patacho nacional, viudo do
Coari e As.-, consignado ao mostr, man-
feslou o seguinte: 7 saccas arroz pilado, 2(1
ditas Caf, 22 couros sslgailus,98 arrobas Ce-
ra do carnauba ; a ordem.
:18 alqueires sal, 262 molhosde pallia de
carnauba ; a Cactano Ciraco da Cuu la llo-
roira.
Victorine, briguo americano, vindo de
la II ic.ore, coiisij.'nado a RoitroO Rookcr &
Comoaobia, manifestou o seguinte:
1,886 barricas 0 150 n.eas ditas larinha ;
aos mesmos consignatarios.
CarolinaSchonk, hrigue inglez, vindo de
Terra Nova, consignado a N. ti Hi-ber &
Ciiniimnlii', oani'estou o seguintn :
2,409 barricas bacalhao ; aos uicsinos Con
signatarios.
miB
I) lllm Sr. director das obras publicas em
CUmprimeDtO da ordem do Esm Sr. proal"
dente da provincia de 23 lo correte, nuil-i
daa^er publico que contraa o fornecimen-j
tn de Mola nn| cubos de podra regulare* de'
um palmo cubico ea la um, o mais uitenta
bracas ciibicis de paira da alvenaria pro
pria para cilcmiento das ru>.sfccom ascon-
dicOes aballo transen idas.
As pessoas que praten leram contratar n
roriiocimculo cima, compareoain no dia 13
do dezembro vroximo fiiluro na csaa da di-
rectora das obras publicas ao rneio din,
l'a/ndi as suaa proposita mi caria fecha-
da, em ti. elaracoo de seus na lores.
Director i a das obras publicas 85 de 00.
venilno de 1852. O Secreta io Joaqu.iin
Franciseo de Mello Santos.
Claiisulsa para arrematarlo do l'ornceimcn.
lodo setenta bracas cubicas de podra de
alvenaria da granito, proprias para cal^a-
que donar de pagar Pica sujeito a mulla dp
50 por cento do valor do imposto. Contado-
ria municipal do llccifa 26 de novembro de
1852.O contador, Joaquim Tavares Rodo-
vallio.
A repartirlo das obras publicas com-
pra para a obra da casa de delencSo os so- '
guintes objeclos : 600 palmos crrenles de
cantara em bruto de qualidado denomina-
do Molalinha de 15 pollegadas de la-gura
em quadro. c le lamanho ie 7 e 9 Mimosea-
da urna : 200 palmos orientes da mesma
qualidado cima delO a 15 pollegadas de lar-
gura egrossura, o 9 ,ialmos de comprimento
cada urna : 200 palmus orrenles da mesma
qualidade cima de 8 a 10 pollegadas de
largura ngrossura, o 6a 8 palmos de com-
primento cada urna : 50 canoas de araia para
amsssador, leudo cala urna ao menos de 9
a 10 toneladas. Tola acintaria ser posta
ao pedoguin lasto da obra pira ser descar-
regada pelos operarios da mesma obra, po-
rrn a areia s -r descarregada pelo fornece-
dorem cima do caes. As pessnas que taes
objectos quizerem vender, compare^am no
dia 27 do corrente nesta reparlicSoao rneio
dia, trazen io as sitas propostas em cartas
fechadas. Directora das obras publicas 22
de novembro de 1852 -O secretario, Joa-
quim Francisco de Mello Santos.
REAL COMPANHIA HE PAQUETES INCLEZES
A VAPOR.
No da l.'de desembro, espe-
ra-se da Europa ovaporTay,
commandaule Moss o qual
depois da domura do coslu-
mo seguir para os poitos do Sul : para
passageiros, trata-so em casa da agencia,
"I na ra do Trapiche Novo n. 42.
iiint-o de PetMatnbiMO.
Por ordem do conselho de dlreccilo do
banco de Pernainbuco,se faz publico, que os
descoiitos de letras com o veiicimonlo al o
li-n de Janeiro vuidouro se fizem a 9 por
cont, e aquollas al 6 mezes do prazo a 10
por rento ao auno. Compra letras dcqual-
qiifr quanlia sobre o Rio ilejaneno. a (ira-
IOS rasoaveit, polo pronio quo so conven-
eionar, e vende-as lambem para all a .li-
lil, iro a vino, ooiu oiemio ois....i. naneo
di-pi rn.imlnico 18 de novembro do 1852.
O secretario do conselho da direcc.lo, M.
I. de Olivoira.
fimc ile Pernambuco.
Por ordem do conselho da direerjoo do
hamo de Pernambuco, se avisa aos Srs. ac-
cionistas que a terceira o ultina preslaclo
Avisos martimos.
ni ii a hlli i
idopliva ile ineslrc Fe-
dade,
lippe..
A lilba adoptiva de eu pai alm, coni|>re-
hendo. dase Pompeo com tuna amarga iro-
na... oh 1 o eenhor nao pode casar-se com el-
la, c preencher o voto ileSeu coracao. Mas se
ella nao fosse orpha, responda-me, te a hu-
milde mofa, que o senhor repelle.....?
Nao u' aenhor mn trabadlo intil,
apresaou-se a objectar Carlos o aenhor jjtf
ni duvida fontar-ine alguuiioinane-
do dia. Vai dliar-nuw. ulr-lhe-hcl lmenle :
Tir nunca aoi.ni, eiae coracao que Ira7
dfbaixo de suaa rendaa euipregtadas nao he
aenau um moroo, e triste coracao. Agora ac
ha de provar-me que he um tmulo ; tmulo
grosselro e fro, onde o senhor lem enterrado
acuso, ii. bellos anuos de amor, onde i da
asylo a amblflo, c a Inveja I Mas o aenhor uo
conhece a fchcade d'um aim.r puro ? eaque-
ccu-tedrssa uniao de'dous rmacea que nao
tem outras tesiemunhaa senio a aolidao, c o
silencio? Que delirio orimlmiao acia compira-
vel com eae eitaae casto, e tanto / que com-
inerclo valer o odor d'iuna prlmelra confia-
sao! Siin, aem duvida na Italia n'um desc
palacios encantadores, onde oa olhoa i encon-
hiin maravilhaa, o aenhor deve lar valo deisas
niulhcre com voaea de icreia, cuja falla ai-, nc
mu i iniisic /, i-iijii semblante inUama os pin-
tores, crealuras felizes, as quaes ludo impel
par o pra/.er. Sua espadoai rivaliio com 0
menlo das ras.
1 Todas as polras serilodc quali lado de-!je u^ 'tctfeS lem de entrar para a caixa do
nominada granito regulares, e do dimnnso ] mesmo banco, desde odia 2 a 15 de Janeiro
nunca o alores de dous palmos cbicos, nom prximo futuro, nm cujo acto Ihes sordo e-
inennres quo mcio palmo cubico oreadas treg,,os as mesmas acc,0cs. Raneo do Per-
em 40/000 rs. a brr;a cubica. nambuco 18 do novembro do 1852.--0 se-
2. O arrematante enllocar toda a pe Ira cr,.lari j0 conselho de direc^aq, M. J. do
nos porlos desla cida lo, que pela directora ol vena.
das obras publicas I lie 'or determinado, ar-,
ruin n I i as em montes regulares, dlapoi-l _____
tas de maneira a poder so com facililla le
avaliar-so o volumo, sendo feita por conta
do mesmo arretnalanto a despeza necessa-
ria para sua me iigSo.
3. O arrematante ser despeinado de pa-,
gar alfandega os direitos do mporlaeJo
pertencenles a estas podres, visto serem el-
las para obras publicas. i
4. >o prazo de quatro mezes o arrema-
tante devora ter entregue ao monos a quer-
a paite do voltimo da podra contratada, de-
vendo entrogar o restante nos seguintos
seis mc/.es, du maneira que no lim de dez
meces contados da dala do contrato dovo a
estar toda a pedra entregue reparlicao das itoc ta oxlraordinaiia, lvre de assignatura
THEATRO
obras publicas
5 A importancia desta arreoiatacSn ser
,-agaem em duas prestacOes igUBes ; a pri-
ineira quando nv-r o arrematantooni.regiie
metade da pedra contratada, e a segn.'
Sabbado i7 le novembro de
i85_.
Depois da competenlo ouvertura, subi-
r scena o magnifico e muito applaadiJo
Lisboa.
Sabe com hrevidale o bcrgantim nortu-
guezS Domingos, capilSo Manoel Goncal-
I ves Viauna ; para carga e passigeiros ln-
l ta-se COrD o referido capitSo, ou com o con-
signatario Joaquim Ferreira Mondes Cui-
marflos, na ra da Cruz n. 57, segundo an-
dar.
Para o Porto
sabe no dia 24 do prximo mez de dezembro
a bares portugueza Nussa Senhora da Itoa-
viagem, capitSo Antonio Ferreira Le te J-
nior ; tem ptrte do seu ca'regamento proin-
pto, o para o resto e passageiros,trala-se no
escriplono do Francisco Alves da Cu:-ha &
Coinuanhia, na ra do Vigario o. II, ou
com o capito na praca.
Para o Ancty sahe mpretcrivelmento
no dia primeiro de dezembro o hiate Flor do
Cururiiie por ja ler quasi completo seu car-
regamenlo ; para o resto da carga c passa-
geiros, trata-se na ra da Cadeia do Rocife
n. 49, primeiro andar.
Para Lisboa pretende sabir a II de de-
zembro vindouro a barca portugueza Ligai-
ra, capillo Antonio Germano Suarcs : quem
na mesma quizer carregar ou irdepassa-
gem, para o que lem excellootes commo-
dos, dirija-se aos consignatarios Oliveira Ir-
in.Vi- & Companhia, na ra de Apollo n. 14,
ou ao referidu capit.lo, na prar;a do com*
mercio.
-- Para a liba de S. Miguel e Terceira o
hrigue brasileiro Amizade, canito lodo Lo-
pes da Costa, deve ch-gar a este porto viudo
do Rio a qualquer.hora, recebe carga e pas-
sageiros para qualquer dos ditos portos;
quem pretender, dinjs-seaOlivoira IrmSos
i Companhia, na ra do Apollo n 14.
Para o pas-sode (Jamaragibe.
-- Sabe impretorivrlmento seguiida-feira
29 do corrente o hiato Caprichoso, recebe
carga atcsahbado 27,trala-se na ruada Cruz
n 34, ou com o mostr a bordo, d.front do
Caes do Ramos.
I'arn o l'i-s 'I" lo^--o
O brigue escum luiciona! 01 iu
da, segu no da do futuro mez de
desembro : liara o resto (U carga
e escravos a tete, aos quaes ote-
rece os melbores agasalbos, traa-
se com os consiguattrios Machlo
& Pinheiro, n i ra do Vigario n.
ig, segundo an lar, ou com o ct-
jiiiao Manoel Uarcimo l'erreira ,
na Pra9a.
Para o Ro Grande do Sul com escala
pelo Rio de Janeiro, seguo vagem imprelo-
ri.'cimente por estes ludias, o bem conho-
cido brigue Ledo ; recebo carga e escravos a
frote para ambos os portos.ten lo lugar so-
monte para muito pouca carga por ler a
tnaiur paito : para tratar, com Jos Candi lo
de Rarros, no seu esenptorio ni ra da Cruz
o. 66.
Para a Rabia saho nealM dias o hiate
Novo Olin la ; para o rosto di carga o passa-
geiros, trala-se com o seu cinsignataiio J.
J. Tasso Jnior, na ra do Amorim n. 35.
Para o Rio de Janeiro segu viacom o
brigue brasileiro Marianna, capitdo Jos da
Cu..ha Jnior : quem no mesmo quizer car
regar carga, escravos, ou ir de passagem,
fallo com o dito capldo, ou com Manoel Ig-
nacio de Olivaira, na pra^a do commcrr.io
n.6.
tas, papel de cores, papelao, mas
sas do Porto, ditas de padre, plu-
mas pretos, cascos e ca xas v.isits
para chapeos, fundos e lados, pelu-
ca de seda, tesouras, formas, i
(iteiro, e mais objectos proprios
para o dilo estabclccimento, que
se venderlo por qualquer preco .-
seguntla-feira .9 do corrente, as
10 horas da manha, na sua casa
ra do Collegio n. ai, segundo
andar.
Terca-feira 30 do correle, haver gran-
de leildoas II horas da manbda em ponto
noarmazem deaiiguel Carnciro, na ra do
Trapiche n 38, por intervenido do agente
Roberts principiando o leudo por 1 exced-
iente hilnar com todos os pnrlo.nces, guar-
das roupa, sofas, consollo, mesas redondis,
banquinhas, cadeiras,marquesas, tocadores,
bercos, camas, armarios; trica secretaria
com estante, diverses livros historeos, pian-
nos, caitoiras, prendas para copiar, lustres,
candelabros,canilieiros, relogios com o mos-
trador transparente para luz, ditos patentes
pura algibeira, garrafas, copos, cahx, e di-
versos vidros decores proprios para botar
llores, e outros mullos objectos etc. etc. ,
assim como timbem ir a latido urna poredo
do latas com ervilbas, outras com conservas,
ecaixas com charutos da Babia chegados
Diurnamente.
Aviso* diversos.
O POBRE IDIOTA
ou
litando tiver entregue tola a pedra res- drama,
laute.
6. Na falta de cumprimento do qualquer;
das condicOes deste contrato, assim como -. c
caa tudo mais que ndo vai determinado Os Subterrneos de Ilcilberg
nc.-tas clausulas soguir-se-ha o que doler-1 PF.RSO.NAGENS E ACTORES,
mina a loi provincial nunn ro 286 de 17 de Olliota OSr i,111 maraes
n.aio do 1851, para todas as arremalacOes l'roderico-- OSr. Amodu.
em geral. 'Alhanasio -- O Sr. Seni.
Clausulas para arrematando de trinta mil Tony OSr Bezerra.
cubos regulares do um palmo cubico do llonriquo -- OSr. Monteiro.
pedra para calamento ds ras. jOsear-- O Sr. Jorge.
1. Todos os cubos de pedra serdo do qua-Jltantzati -- 0 Sr. Itozendo.
lidide eonliecida pela denominando de, Um magi^lra.lo O Sr. Mondes,
gis bigarrobaslanle duros, bem regula- Um ollicial--N. N.
res.de faces planas, de um palmo quadrado Arnaldo O Sr. Ssnta Rosa,
cada urna Tace, oreada na rzdo de 100/000 Um criado OSr. Joaquim Pereira.
1 a xi__ -_ t t x I I x 1 & eotili le
Quem precisar de um bom cabriole!
usado com sous a^parelhos quasi novos, fil-
ie na luja 11 22 no aterro da Boa-Vista. Na
dita loja ha para se vender um bonito globo
pequeo moderno, trasto indispensavel em
sala de visitas, e um fagote para msica mi-
litar com sua compleme msica para o sa-
ber tocar.
GratificacSnde 100,000.
Contina a estar fugila a prela Felicida-
de ; lu vista na ra do Rnsario, dizendo que
eslava em um enganliu, e quo o senbor do
engenho lile prometteu que a cimprava.que
ella ndo tivosso cuidado que ella maodava
pessoa com odnbeiro para a comprar, e at
o presente c nfio atipaieceu niuguem, seu-
10 que o dito seulior queira comprar, diri
ja-se a ruada Cruz n. 35, a fallar com su
senhora ; a preta lem os signaos seguintos :
estatura regular,lnm falta de denles na fren-
te, marcas de panno no rosto, cor ndo mui-
to preta, muito prosista : rosa-s portanto
as autoridades pohciaes o cipildes de cam-
po a sua i- ..tuia, anda mesmo ella dizendo
que ndo est fgida, e a levem a sua senho-
ra na ra da Cruz n. 35, que serdo recom-
pensados com a quanlia cima prometlida
No dia 25 do corrente desappareceu um
cavallo caslanhn com cangalha com 12 sac-
ros vasos de carvdo, e oa siKuaes sdo estes:
urna estrella na lesla, um p ce lea lo, no la-
do direito um signal de urna estrepada no
lugar da silba, do lado direito a crina repar-
10 para o mesmo lado.direilo o faz facdo.com
o cabresto novo de corda de carrapicbo:
quem o pegar leve*, em Fora de Portas,ven-
ia n. 84, quo sera lecoinpensado.
Desappareceu no dia 17 de novembro,
o escravo, crioulo, de nomo Manoel, tem 26
annos, mas reoros ma tor mais de 30, alto,'
cheio do corpo, sem barba, feicoes regula-
res, com falta le dontes qucixaes, nos da
freiito falti-lho um taco pequeo em um
lidies, tem os pos loitos para dentro, quan-
do anda cmbatela o eorjO qoe paroeesj-
.nuda iu, lio liem f.tll.iiit.-, l'-m arai"gre,faz
qualquerservicode cusinhe, saho tratar de
Cavalins, tem por costume fazer tranca para
cha,'Ous,faz vass juras, o e t lim to lo o s 1 v i -
go lomestico d qualquer cas 1 ; levou a rou-
pa (quesi sabe,) seguiute: cilga de algo-
dan da torra o BaDUSa do algo Ido du lislras
"/.ues, eatao ja usadas, camisas de madapo-
do, duas calcns lando um 1 dosetinela bran-
rix achtalo, aspecto espantado, e franzino
dororpo, veslindo ceroula dealguddo bran-
co, ecamisa de 'nalapoldo i usada: quem
o pegar leve -o a ra da Cadoia do Recife n.
4o, loja de Guiarles & Rocha, ou no enge-
nho Diamante, na conarca de Goianna, quo
em qualquer das partos ser generosamente
recompensado,
Casa para alugir.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da
ra do Crespo n. 14, para escriptorio ou Iu-
nem solteiro : a tratar na loja do mesmo,
com Jos Francisco Dias.
A mesa regedora da irman-
dade do Divino Espirito Santo da
l'onceicSo dos militares, ractilica
o aviso fejto para o acom|>anhamen-
to da protisso de Corpus-Chris-
ti e rog a todos os seus rmios,
que n3o deixem de comparecer a-
manhSa, iH do corrente, pelas >.
e meia horas da tarde.
-- OSr. Alexaodre Ferreira Guimardcs ,
natural do Porto, dirija-so a ra Direita n.
113, queso I lio desoja fallar.
-- Tiram-se coplas de musi.-as com muila
perfeicdo o brevldade : na ra Velha na Boa-
Vista n. 119.
-- O amigo do Antonio Ribeiro do Meirol-
Ics dirijn-se a Fui a de Portas, ra do Guara-
rapes 11. 83
Roga-se a Sra. Bernardina que venba
ou mande atraz da matriz da Boa-Vistan.
01, i-.'-i'r. I 1 o 00 paidinf. icio no p'uao Ja
3 das do contrario depois da se declarar
seu nume inteiro por este Diirio, ser ven-
dido para pagaaicito do principal e juros.
No dia 25 deste mez, pelas 8 horas da
manhda desappareceu da sacrista do con-
vento dos Religiosos Franciscanos do Reci-
te um calixde .rata dourada : quem o descu-
brir ou dello tiver noticia, dirija-se ao rele-
lido convento quo sor recnnipensado.
-- OSr. Joaquim Ignacio Clemente de Al-
meida S.irinho, dirija-sa aonde ndo ignora
para resgatar os seus penhores ou ao me-
nos pagar os juros do 15 mezes ja vencidos,
islo no prazo de 8 das contados da publica-
do deste, do cot.traiio sordo os ditos penho-
res vend los para pagamento do principal
que he para o quanlo chegam, ficando S.
merce obrigado pelo restante que faltar
para o dito pagamento,qu se provara a vis-
ta do apurado em os ditos penhores, fien o
presento annuncio para que o Sr. Sannho
ndo alegue ignorancia visto tcr-lhe manda-
do varios avisse tcr-lhe cstriplo para es-
te fim,e sua merefi a nada so tem movido.
Aluga-se urna casa terrea ilharga
da capella de S. Pantaledo no Monteiro, com
duas salas, duas alcov! e dous quartos : a
tratar na ra da Cruz armazem 11. 19, 011 na
Capunga, casa defroiile da eslra la que vai
para S. Jos.
0 Sr. Custodio Jos Rodrigues do Oli-
veira, queira dirigir-se ra do Itangel 11.
42, a tratar negocio de seu interesse.
Aluga-se una boa casa terrea na ra
Imperial n. 86, com tres quartos, cosinha
fia o cacimba ; a tratar na ra Direita n.
32, primeiro andar.
Piecisa-se do um homom para andar
com urna can o; 1 : na ra do Passeio I j 1
n. 21.
O Sr. Honorato Jos de Oliveira Figuei-
redo, tem urna caria 111 prac,a da Indepen-
dencia livraria n. 6, e 8
Aluga-soum segundo andar, calado o
pinta lo,na ra da Senzalla Velha n 42,per-
tenceiile ao orphdo Antonio Rodrigues Li-
ma, pelo aluguer de 15,000 rs. pormrz:
quem o pretender, entonda-se com o tutor
ou mesmo orphflq, na roa da Cruz do Reci-
fe n. 12.
i__y Convite feito a rapasinda.
1) dono da casa da ra eslreita do Rosario
n. 4?, vam por ini-i vcneu in presente con-
vidar a bella repastada desla provincia para
quo venhain lodos os dias as II huras re-
frescar os intestinos com os bellos sorvetes,
pelo diminuto prreo do 160 rs. o calii*
ca o 1 utra de brim lino de lislras, ludo en -1 Precisa-se de urna pessoa forra ou cap-
gommado, bo da suppAr que reteja serrindo live, quecosmhe solTnvelmnte, para casa
Leilo'es
cada um.
2. O arrematante collocar todos os cu-
bos nos portos desta cida le, que pela direc-
tora das obras publicas lh- lor determina-
11 '
01.1.....iredas columnas, sua fronte se baulia
em Vneta na brlaaj do gollo do Adritico ;
o aot da Italia csparge-lhes acua raioi aobre os
peitos, oa sonhoa ciiibalaamadoa desce obr
os limoeiroade seus jardlns. ,...
tila, deven 'cMhe ag.a.ladg,--,^0^;
do Inerme ou da. cvf, ,edu,i.|, 8eus pa-
tanta. lada. iles^, receberain, o senlior as
'"-[", 1! dcpoii a. eaqueceu, nao he ? Compa-
re um inilantc case phreoeat de um da, esaa.
noltci Imicas, c aidentea com auas lenibrancaa
.I .n-iv. iv c 1 i.'.nh 1. d'oulrora : seu ceo era
de azul, elle .est perturbado agora. Os cui-
dados o coiaoiiieui, e estendein a. rugas em
la liiHii... Easa. niuiberes lo bellas, e to
divina, que nao llie partcem mala que prosti-
tutas deavanecblaa, di \ a lis cuniplacenies que
enl i;.i 1 o viajante, eatatajadeira* de um dia
que u tem agaaalhado como a muitos outros !
O aenhor se rnvergonha de al, e dolas, eslou
A duqutua de Hetlberg A senhora D. Ma-
na Amalia,
Guilhe.rmina a senhora D Manoela.
Amelia A senhora D h'i"th._______
lidalgt que
pode auia-lu, como a pobre
Uariatla. -.ordado desde a alva, pensando no
l,l'ul,.'."minha inocldadc, cu perpetuara aqui
.nesmo a leinbranca delta .. alm, continuoii
Pompeo, o culto de minhi vida, o ineu culto
maii charo est all... Levante tmenle eise
veu, e o aenhor ver; nao conhr(o ainda a
condessa de San-Pletro, mas ella nao pode
cerlamentc ser mais bella.
Antonio Jos liodiigues de
Soza Jnior fti' leilo, por in-
tervenfSo do egente Oliveira, de
todas as mercadorias e m tos pertencentes a loja t fabrica de
cliaiio--, da \>r r.i da Independen-
cia n. (o, consistindo nos seguin-
les ai tigos : chapeos de ppela" de
massa e du seda |>ara homem e pa-
ra senhoras e ditos francezes, fitas,
trancas para ditos, coutinhos com
setini e sem elles, e para bonetes,
bonetes sottidos, forros de pa. ul e
de seda para cb pos, linhas pre-
om alt;iima casa como forro, no caso do as-
sim ser, a pessoa que s: eslivor sorvindo
delle em boa f queira denuiicia-lo, do con-
trario iisarei dos meioi que a le faculta em
casos taos : roga-se as autoridades policiaes
a captura do dito, e ompecam a sabida da
provincia j o tambom aos capildes de cam-
po ou a qualquer pesso o far;am prender,
pelo quo recompensar n-rosamente seu
senlior, morador na ra du Cabug.
Antonio Itodrigues'da Cruz.
-- A mesa regedora da v.ueravel or lem
terceira de NOSti Senhora do Carmo, convi-
da a tolos os sous ir naos, para que cnnipa-
recam nu domingo 28 do co -rento, na igre-
ja da mesma ordem, lim d acumpaoharem
a procissSo de Corpus Ctinsli.
-- Precisa-sa de um caixeiro para urna
venda no mallo, distante dosis praija 9 la-
goas, do idde do 14 a 16 anuos: na ra da
Cruz do Recife n. 31, achara com quem tra-
tar.
Precisa-se de mn t'abalbador de mas-
seira : a tratar na ra larga du Rosario, pa-
llara n 48.
de pouca familia : no armazem da ra da
Cadeia do Recife n. 62.
Jos Julido Dias faz saber ao publico,
que no dia 23 de novembro de I852,as 8 ho-
ras do dia, Da igreja de Nussa S-nliura do
l.ivramento, desappareceu urna cortina de
damasco c un franjaamarella,e como o men-
cionado cima tivesso Ira bal nado ha muilo
lempo na dita iiireja, culpam-so com clle,s
para o verom mais atrsalo alm dos atrasos
quo ja existem nella ; assim pode por favor
o'u pelo amor de lieos, quo a pessoa que a
tirou toalla a bun lado da levar oa dita igre-
ja, n quan 10 nao queira sor conhecido polo
mandar por nm menino ou muloque, para o
dito stipplicanto licar com o seu coraedo
quieto, que Ido aliclo vive dosdo oslo dia
para c.
O Sr. Antonio Jos lluarto Rraga, na-
tural de (-ou 1 isa, I ..ruin de Coi-libra,telilla
a bundado de drgir-se a ra do Cabug, a
fallar com Jos Rranddo da Rocha.
-- Do urna das casas pintadas de branco
do Sr. (.ornes do Crrelo, em Santo Amaro,
voou um marrecau do P.rj, lenlo a caheca
Da-se 120,000 rs. a premio sobre pe- e papo alvadiu, o paito e coilas cor de cas-
nhores deouro uu prata que 1 o preton ler,; tanha, as azas e cauda pretas, o os pesen-
dirija-Se IO aterro da Ho 1-Vista n. I,na loja,'
queso dir quem da.
Muga-se um preto que soja fiel e de
boa conduela, para lodo o servido; na ra
.Novan 3, en casa do Antonio Ferreira Li-
ma & Compauhit.
Aluga-se urna casa na Passagem, entro
as duas puntes, muilo prourla paia so passar
a fasta : a tratar na ra da Caleta do Recite
0.14.
Enlulho de graca
Da-so una poredo deeumlho do calida e superior as porcenlagens, e por rujo motivo
1 iT, fin povoel-o de leinbranca. da minha 1110.
, el ..de .l.-l.l mull. 1 que 11 11 11 luir ve pintada
aqui em Diana, he aquella a quem ame i, eitou-
Irarm Daphnl. be ella tainbcin...
Maieatou diitrahido, pe'rdoe-me, nao he de
miin que se trata he de Marielta. Enlo accede
aos rogos deaaa inuca? responda,quer conce-
der .eu .-iin-peo lmenlo as lagrimas d.dli'
Conjuro-o por este retrato que nio faca dea-
Irritado prlucipio contra Pompeo, Carlos 'gracada; Marietta o ama, ee.aa 11109a me espera,
se sorpicnde-ra etcutindo o. Unto luaa pa- I Ja lhe-dlsse, aenhor, o que dcvii diter,
lavra. tlaham um carncler solemne de ardor, I pareCe-me que he bstanle, di.se Carlos anci-
e de patino ; elle levantou com a inao treinu*: oso por acabar com is.o, retlre-ae.
la a coi lina que occullava o quadro. Kntao aenhor, todas a leinbrancaa sao iinpo-
I ni grito sullocado aahio-lhe do pello, tinha leutes para com o senlior, mesmo a. minhai?...
reconhetido a Tereaina sua- palidez, e aua eujulgava todava...
pe IiiiImi a 1 c.caparaui a Pompeo, o qual, 10-i E que pode o scobor contra mim, Inter-
du oceupado com sua. Icinhraucas, comidera-' rompen Carlos, que fir o aenhor ?
va anda una vei com avista ei.e divino re-I .Nada, oh | nada, senhor, disse Pompeo
trato, como urna lut que vai extingulr-ie. 1 levantando ento a voz, aeuao dizer a todo.
De sua parte Carlos uo poda coinprehender que lia um anuo perlo daqul... na ponte Ma-
i-
cerlo. tiuque Ihe eslou aqui fallando, bebij como sciiielli.intc homem jamis tiyesae podi- re.
lambem 11.1 niesina taca, adormeca aomnra do aspirar a duquesa; elle o cointemplava I Silencio, infeliz \ podem ouvir-noa;
doa bosques de carvalhoi, e de robles; crea com una ralva misturada de pasmo. Um Ins. lencio | diga o que quer ?
que ellaa me embalaran! com sua. doce, pala-' tune elle qula laucar-ie sobre o Italiano, mas Que prometa aMarietu nao alUigi-la; que
vraa 1 Sonhoa vaos sao lodos cases 1 Voltei esta Imprudencia poderla perde-lo para aein- abandone eaie palacio esta noite inesmo, n'mna
liara o nico amor de minha vida, para o ineu pre, bem como a Tereslna. SulTocando eni palavra que volte para a companhia de leu
primeiro, e nico amor 1 la i, aenhor, urna seu coraefio a. vuzea de acu odio, elle conten-J pal...sem U.o. direl tudo.
noca lo pura, e lao adoravel como Marielta | tou-ie de abaixar vivamente o veuiobre o re-I Que | o senbor ouiari?...
Tinha a meama idade. Aasim eu juicio, ainel-a Iralo, como se tlvease ciumes dos olhares lan- [ inre que o srobor leve parle da crline
a ponto de enloquecer 1 Kinquanto o aenhor cados por oulreui que uitoelle sobre es.a pin- coinuifllidu, iu mu auno, que meajudou oel-
,. I percorra esa.i llalla, onde nasci, eruquaolo tura. Pompeo proiegulo: [le, n'mna palavra que fol ineu cmplice...
d 4 que o senlior neaie lugar era o eicravo de utnal Ful poli, senhor, o arcbiieclo deste pala-1 H aso he urna infamia, una mentira
lijlo, a quem o quizor ir buscar nos Afoga
dos, na ra de S. Miguel ao p da igreja : a
fallar no sitio de GulllientM Sello.
Desappareceu da casa de seu aenhor om
Olinda, um mulatinhode nomo Jlo,quo lo-
ra mais ou menos 13 aunos, o qual lem os
signaos seguidles :cor clara, cabellos pre-
tal, grossos e estirados, olhos regul u.\s,ua-
~> --ri :-i, -_i.-_ga._miiiiiiiiaa_H--.r.Taai--
ifvolllnte.interrompeu Carlos, o senhor sabe
que o culpado nn era cu. Ao o accreditar.-io 1
Todos me accredilaro, diga I u senbor
o que dliacr, fallarc diinlc de lodos lo alto
como cstou fallando aqui.
Silencio 1 repilo 1
Ma. iiingut-m nos ouve, que tem o acohor
ento Snn conlinuou Pompeo abaixando o
tom da voz como por piedade para com Carlos,
sel que iaso que vou f.azer be urna covardia,
por laso s farel seo seuhor for vil e covarde
para com essa moca .. Coosenle em seguir-tne
c re.litulr-lbe o repou.o, em voltar para e.se
lelo, que o icnhor nunca devera ler dcixado,
para o futuro serei seu 1
rauuca, tornou Garlos resolvldo a Iriuui-
phar de Pompeo por una intrpida obstinaco
111...... 1
Prefere ento que eu o deshonre, nao he .'
Um grito penetrante retena por iraz do rc-
pariiuirnlo da sala, oude' esta acea tinha Iu-
gar ; a duqueza ahi eslava gelada, c palpitante,
ella escutava 1 Pela pallldez mortal que colirio
o rosto de Carlos, Pompeo conipretiendeu don-
de parta ei.egrito, do qual elle laiiibeuisentio-
se abalado no tunda das eniranhas.
Tarcalna, eiclamou Carlos, Teresinai
camadus: quem o tiv r adiado, leve-o a
mesma casa, que sera recompensado.
Lotera de Nossa Senhora do
Bosarios
O Ibcsoureiro desta lotera annuncia so
respelavel publico, que lendo marrado o
da 25 do correte para o andamento das ro-
das, sujeilando-se ao risco de algunsbilhe-
tes que por acaso licassom porvenderjicoti-
lece poim lerlieado 5:200,1)00 rs., quanlia
mo polo ler andamonto as rudas, licando
marcado para o da 4 de dezembro futuro.
Espora, portanto, o mesmo thesoureiro quo
o respeitavel publico no tleixar de concu.--
rer para o an lamenlo das rodas naquelle'
dia. *-
-- Na ra da Camboa do Carmo n. 3, se
dir quem rebate sol los < ordnalos.___
plava com mu olhar disirabido emquanlo Car-
lea e inclinava para ella, quando lima mo c
poz lobre o hombro de Pompeo. Voltando-sc
elle v'o um houiem cujo roslo era eol.erto por
una mascara negra.
__ Rrcouhece. esta mulher, dls.e elle a
Pompeo inostrando-lha com o dcuo, he Tere-
slna Pitli, a duqueza de Foroaro, a quem a-
inastc.
Tereslna | exclamou Pompeo ajuntando
a> moa, e e.lremeccndo ao aoin da voz do
majearado.
Tu e eise rapaz sois cmplices amboa de
um crlme na pessoa della... Dir-le-hel mais
.lignina coliza arpla de amanha no baile do
conde de San Pielro, para o qual elle esque-
ceu-se de convidar-me...
ti quem he o aenhor? prrgunlou Carloa
preciplaiido-sc em aua pa.iagem, emquanlo
Pompeo te ajoelhava, paludo c consternado
diante da duquea.
O homem que caolava rila noile oa liba
das Vaccas. Adcus |
i'.lie lanfou a Carloa um olhar flaminejanle,
eorreu a porta por onde Cesara quiaera fazer
ahir Pompeo, c abisinou-ae na. trevaa, como
F. precipltou-.e no quarto visioho, cuja por-J um fanla.ina... Pompeo laucando ie em aeu
la quiz fechar sobre al, maa Pompeo o imped.lo. Iseguimento nao poude alcaoca-lo.....
Apenas entrada nesse quarto que formava o!
c.iiiiariin da condessa, o Italiano su achou aln ( -""aiuiMar-ie-/i.i. )
urna forma branca ealcndida no chao.
Tereiina tinha dcunaiado. Elle a coinlem-
1 ILEGVEL


-
Deseja-se fallar rom a senhnra D. Ann
Maris do llego, viuva do fallecido Jacinlho
llorgcs Ujin/, ou oom seus herleiros, a ne-
gocio de seu interessn : na ra da Cruz do
Recifon 5a, eacrlplorio de Domingos Alves
Malheos.
ConviJam-se os credores de Manoel
Raymun lo Penafnrte para apresentarem
suas puntas na luja da ra Francisco Alves de Pinbo, afim ilos'iem al-
ien li.iii- no rateio que s tem de fazer; fin-
dos os oito das depoisda publicaban deste.
~ltog-sea algum dos Srs. passageiros,
viodos do Norte no vapor f'araenso, que por
ongano, ou troca, tennam levado em sua ba-
gagem un bahu amarello, pertenccnlo a
Joaquim Antunes de Oliveira, e que dentro
conten papis, qun s podem ser utpis a
seu dono.algumas encommendas para o Rio,
dous relogios etc., o obspquio do o mudif entregar An-
tonio de Mnura Rolim : na ra do Crespo n
II, que satisfar qualquer despeza.
I'recisa-se de urna ama smente pira
o semen interno de casi de pouca familia :
na ra do padre Flo'iano sobrado da qui-
na n. 5.
O canlclisli Salustiano de
Aquino Ferreira *t scienle ao res-
peitavcl publico, que pnga as lo-
jas do co-Iiiiik: os premios seguin
tes, da terceira lotera do Hospicio
de Pedro II.
Hilbetes inteiros n. i3i4. aoosoo
ii .> jflOO. 900HOOO
u 5 I 12, 11 mi mo (i
Meios biHieles n. 3iq6, /iooooo
>i 0,^0(3, 4<>os'ooo
11 11 a4f)o, ion mi,.o
--Precisa-sede um caixoiro para ven'a
que tenha muita piaticn deste negocio o d
Dador a sua conducta : na ra larga do Rota-
rio n. 52, venda.
- Prec:sa-S8 de urna ama secci para|casa
de pouca familia : na ra do Livramento o.
36, primoiro andar.
FU UTO.
Na noite de 21 para 22 do cor-
rete, lu1.11,un da estribarla da
roa da Senzalh Vellia n.i M, dous
cavados, com os signaes seguin-
tcs : um alto ruco, crinas e
rabo preto, cortado de esporas de
ambos os lados, com una roptura
na barriga do lado direito, do ta-
tuando de um limo tem de 6
ou 7 anuos de idade, c levou se-
lim inglcz novo, com cocbin bran-
co ; o outro be rodado com crinas
compridas em baixo das ulti-
mas um signal, mal de besta, do
lado direito tem 7 ou 8annosde
idade, e levou um selim novo da
Ierra : quem dclles soubcr, ou der
noticia, dirija-sc a casa cima, que
ser gratificado com 80,000 rs.,na
occasiao da entrega dosmesmos.
A vtiTM avisa a tolas as possoas quo se julgarem
credores do seu casal. hajam do apresen!
Madama Rosa liardy modista bra-
sileira Ra Nov* n. 34-
Tem a honra de participar ao publico, e
particularmente a seos freguezes o aos fre-
guezes da falloci la madama Porta, que ella
tem comprado e despchalo o sorlimcnlo
int'iro das fazendas quo vi ora m p' a esta
-culi,na no navio Pernambuco, o ultimo
chegado do Havre. Este sortimenlo he com-
posto de fazendas muito finas, e superiores
aquellas quevem para este marcado ; ricos
cortes do seda lavralos de cores do ultimo
gosto, cortos de seda oscoceza, ricos cortes
de barpge dsela, ditos de harege deseda
de 3 balindos, riquissimos chapeos do se la
para sonhora, chapeos de palna itlica a-
bertos e techadus para sennora e meninas
sem ser enlejiados; riquissimos capotinhos
de Crosnaples fuita cores bordados ; ricos
capellas para noiva e madrioha de casamen-
to ; guarnieres para vestido do noiva ; ra-
mos de flores pretas para luto; um rico
sortimonto de litas, escoceza, chineza para
cinta de meninos e senhoras, para entallar
chapeos de senhora e meninas, de babadi-
nhos e de franjas ; chamalote branco para
3
AOS DE.NTES.
presentemente um mui eseolhido sortimen-
10 das ultima modas J.Jam, dentista, noticia ao publico, que lo navio Cont Roger; lindos chapeos de e-
continua por denles artiflclaes de porcelana da para senhora enhilados de blonda ver-
incorregiveis; o annunciante incherta um da leiro o plumas linas, ricos capotinhos e
ou todos se fr preciso, aseverando a todaa chales de reda, capotinhos de bico branco
as pessoas que so quizer uli .sardo seu ores- ultima moda do verao. chapeos da u'tima
limo.que nao exige paga alguma nSo (lean- mod, prfra monUlii tcos p,Kra os dltos ro.
do os denles tSo bem collocados.que no se m,ros e c,becoesde bico de qdalidade su-
possa difierencar dos proprtos naturaes.po- DIlrjor> rico, cn,paos ne palba lina da Italia,
dendo-se masligar qualquer comida sem ricas Otas de todas as larguras, chapeos de
sentir a menor dor *
brar; tambem ca
rados da carie, 1
nindo assim a continuaco da cariee dores, o]Ms7ver p.rVes uiTas!"ncos"endites pa-
e mesmo evitando por cssa forma de pass.r ra bailes. len?os de seda, camisinhas lingin-
a carie dos denles furadospara os outros do coletas de fil ec.mhrai*.lencos de c*m-
Sos, como bem, limpa os denles em geral, hr,a para mi0ii )img rjca3 c*ilas a c,.
tiramloas caries ou pedras que tanto os X09 de nres c,mhr,, d l,nho, litas
damnifica a coopera para o mo aillo da boc- de voludo, bicos e rendas do llnhn, fitas,
ca oSo sendo lirado ; ha dez anuos que o cambraias, tarlalana, cassas linas, etc etc ;
annuociante exerce sua prnlissao nela el- e8Sas fumU se venderSo por preces mui-
dade, e os mullos exemplos que tem ilado i0 e.n conta. Nessi casa bem conhecnla pe-
nesso longo lempo sera quanto hasta para lo bom gosto quo existe nos obje-los Miri-
0 garantir: sua residencia, ra i\ova n. 19, cados nella, e continua-se a faier ch.peos,
primeirn andar.
sugar quaiquer, coma* sem ricas filas de todas as larguras, chapeos da
r dor nem receodeos que- seda.ditos de palha,ditos de reda para meni
calca os denles naturaes fu- nos e meninas, mangas de bico, trancas de
e, com ouro 011 prati, prev- tod,s qu,lidades capellas o flores para
,- i.l 1 ii,i i- ,1 1 ("i> 11, i, ,1 ,,,: ^._ *... *.
toucadurese vestidos de baile 011 casamento
para senhoras vestuarios de baidisado, e
Desappareceu no dia 26 de oulubro
colleles de senhora; bolOes para colctesj prximo passado, um escravo de Angola, e m"afs o"nfeVles"pr()Drios par soiihrjraa"
de scohora ; lieos cortes de collete borda- I idade 40 anuos, mais ou menos, de nome o Sr. JoHo Ribeiro de Souzs quoia pro-
dos para senhora, tafela branco ; selim \ Antonio Vclloso.cujos signaes sao os seguin- curar na rua dll gueimado, loia n. 33, um
branco ; gros do naples amarello e branco tes :altura reblar, cor no muito prela, carta vinda do Portugal,
fu-ta cores ; requifes para os ditos ves-, barbado, com falla de cabellos nomeoda .. Lava-se eengomma-se.com muita per-
li los. cabeca.algnns cabellos hrancos.beicos gros- ,ei^0 seio no D,t0 da nibelr, de S.
-- Aindaesl por alugar, o siliodaCa- sos, hocea regular, mSos e pesgrossos : f.n Josc 15_
11 n 3133, OOOOO
11 n 4528, ioos'000
)i 11 5273, Ioon'ooo
(Juarlos n. ioio, loo'ouo
II II 2.4o6, '| 00 MIJO
n 2840, 100:f000
Uilavos n. 3433, ioos'000
II 34C7, 1(111 MIMO
O abaixo assignado roga ao Sr. Marco-
lino Xavier Mala, morador fia serriulu junto
de Pedras de Fogo, qinira lera bondadn do
vir pagara sua lelra da quantia delSjlid
e os joros vencidos desde 26 de nnvemhro
de 1819, licando cerlo, que lera de ver o seo
nonio por muilas vozes nesla folha, e ter
de ser chamado ajuizo, visto no querer
amigavolmenle pagar as fazendas que com-
prou ede to boa volitado se Ib'al liou. Islo
10 mullo desairoso, Sr. Mareolino, um ho-
mem, como S. S que se diz propietario o
abastado de b-ns, praticar desta forma, ca-
loteando aos pobres negociantes da haca.
Francisco Cavalcanti d'Albuquerque.
Tioca-se tambem por um pianito, o
roaleijo ultimimcnle aonunciado na rua da
Cruz n. 3*.
Arrenda-se c armazem da pasa da rua
do Vigano n. II, e parle do primoiro andar:
trata-sena niosma no escriptorin de F. A
da 1 .nina & Companhia.
Gabinete portuguez de leitura.
AdircctOfia avisa sos sonhores sorios ac-
cionistas e subscriptores para renlisaromo
pagamento de seus dbitos at o dia 7 de de-
zemliro prximo futuro,visto que 50 faz ne-
cessarlo para a prllac8u auno I le cuntas
Aluga-se urna casa no l'nco da Panilla,
com Iris quarlos o aiguns trastes dentro, he
nnexa a casa do senhor padro vigario:
tratar na rua estreitn do Resano, ven la n. 1.
-:-
tat -- Coaset Itimont, professnr de lio- S
'"' mcaopathia pola escola do Rio de Ja- i_
tb) nniro, continua a iiar consultas gratis ;| <
sos pobres lodos os das uteis, das 8 ^
hi as da manlia at ao mnio da, no
H seu consullnrio, ma dasCruzesn 28 tt
-- Na fuu licito 1, aii 1 1 a ni s 1 ii,i inia-
ro,tem-sc precisflo de uns pretos, servontes;
paga-se bem, ou por semana a lacea, ou
lueiisalmente com sustento.
-- Ar.-enda-se urna propriedade, sita na
rua da Florentina,contigua a do Sr. Boran--
ger, com ptimas proporr;oas para nella se
fundar qualquer estabeleciniento em ponto
grande, por ter bastante exlenslo, o porto
de embnrque pelos fundos 1 quom a preten-
der, 1 d ir ve-la.onleudendo-sii com o mo-
rador da csa n. 16 da dita propriedade. o
qua I dir com quom se deve I retarde qual-
quer ajaste.
..I:^.,,:,.,,,: ...--,,;>-.- jBBES
i Ten lo em i84o o abaixo S
I assignado l'ornecido dinbeiro |
i para compra das bemfeito- ^
I rias, moeiid, laxas, casa de ^
.: vivenda, esiribarii, c,isa de jj
B i'iumin inciiio, escravos, a-
I nimaes, utencis, etc. do |
t engenbo Trapich'i de Ipoju-
J ca, na comarca do (abo, e |
pelo que se Ibe passou letras ^
especificado e declarado tu- fe
9 do isso, tem hypotheca Ipgal |?
I as bemleitonas, e colisas su- |
j praditas ( alv. de 24 de ju-
,': I lio de 1793 1) ; e a quem jj
I quer que \> ss.ucn as cous-s |t
passam com ene onus bypo- |
tbecaiio; mas, para que nin-
guem possa 110 futuro alegar Sj
! qualquer cousa, faz o presen- |,
i le annuncio, visto constar jj
S que se pretende comprar, o
T que est bypotUecado aoa-
i baixo assignado, em despeito
*1 no sen necessaiio consenli-
\ ment j protesta desde j
W usar do direilo, que Ibe con- a
t ctdem asleis do paiz. Kccife '
ij 23 de novembro de i853. $
2 Jos Marques da l,osa So- *
! al
m ares. |
iii"eeei rsifst'r --->-;
Arreod-se por festa ou por anno um
silio no lugar do Monteiro, por omito com-
modo preQo, obrigando-se o rendcirb a uns
diminuios concuitos na casa ; i| 111 |,r
tenier, dirija-sea rua do Sebo n 12.
A t te nefl o.
Convida-so as pessoas apaixnnadas de da-
rem seus passeos a emo, que se dirijam a
cocbeira amarclla, na rua do Cano 11. A,
que la achaiSo carros muito bous, princi-
palmente um parro muito proprio para das
de cortejos, o em virtude ua grande ri-
quezajque contm o n esroo; as pessoas que
quizerem utilisar-se delle dinjam-se a
ineama cocbeira, a tratar com Morera cii
Izidoro. Na mesma cocho ira vende-so urna
i:
suas conlas uu lilulos, afim de sorem at-
1 ten, lilas no inventario que se est proce-
dendo pelo cartono dos orphaos; deven lo
apreseiitarcm-so no praso d 5 di**, no se-
gundo, ou lerceiro an lar do sobrado da rua
larga do Rosario, que faz esquina para a da
ostreita do Rosario.
Quem precisar do urna bna casa, para
passar a festa: dirija-se ao Reme lio, casa n.
15, par tratar.
Precisa-se de urna ama de leite, pura
ama casa eslrangeira, forra, ou escrav* : na
rua Nova n. 61.
-- Na Solodade ao pe da Trempe, casa n.
70, aluga-se um moloqueacoslumado n ser-
vir em casas estrangeiras; assim como urna
escrava, isla cosinba, engomla, sabe Iwm
tratar de una senhora e meninos, e aquclle
cosi ha n compra, ambos silo liois, o 1180
tt em vicios.
Precisa-se de urna criada para o servi-
co do iuterior.isto be decosinha c engola-
do smenle, mas que sejs de ho< co Mura ;
paga-se bem e se dar bom Iratamenlo :
quem estiver nestas circumstancias annun-
cie para se' procurado, uu dirjase a rua da
Cadeia do Recite 11. 1.
Desappareceu da rua do Palacio do Bis-
po, na noute do dia 23 para 21, um caval-
10, pequeo, rodado, calgado do preto,
cuida cerinas pretas, tendo o pesquerdo
pouco maisgros sadura de selim quem o pegar dirija-se ao
sitio pequeo, que foi do defunto mnjnr
May r.'onJe ser gratificado.
O Sr. Jos da Silva Santos n3o so pode
retirar para Europa, sem que primeiro pa-
gue o que deve coabaixo assignaloManoel
Antonio Souza llibiiro.
( (niinlu Luso-Hrasileira.
Os abaixo as-ignados novamente avistm
quo 110 seu escrii lorio, rua da CsJeia-Velha
11. 1 l'.cmiii nina al 1,1 a assignatuia il'.-iec s
para a conipaillii.i l.uso-Brazileira cstaliele-
cnla na ci lade do Porto, para a navegaco
1 vapor enire Poriogal e Oraiall, uuju |ii pe-
pelo o estatutos ja tora ni publicad >s no Dia-
rio ile Vcrnambuco. Dos Srs. Joaquim Pe-
reira Manulio > Companhia, e \ictoriuo
Pinto de Sa Pasaos, agentes da companhia
as pracasda Baha c Rio de Janeiro, rece-
beram OS abaiXO nssignados pelo vapor Te-
vi< t noticias satisfactorias acerca dasassig-
naturai hli oblidas declarando os primelroa
haverem |a passado a maiur paito das ac-
cO^s destinadas para aquella cnlale, e o se-
gundo ter disposto de 1,200, e pule"aluda
conseguir assignaturas pura as que le nSo
passa-em nesla praea. Em consequencia,
pois os abaixo assignados renovam os seus
convites a todos aquelles Srs. que quiserem
concorrer para a dita empresa, a dirig eru-
to so seu tscriptorio at o dia 15 de dezem-
bro prximo, no qual ficar definitivamente
encerrada a assignalura -Runfiare: Oliveira.
Arrenda-se urna refiiia;iIo, e ven lem-
se dous tachos grandes e lo los os mais per-
lences pira O mesmo lim ; e juntamente urna
1.....le lera c urna ha! mea grande : na rua
do Hospicio, casa n 15.
-- M. U. C. Ilrandio previne aos amantes
de seus charutos, quo d'ora em dianlc as
eliquolas de suas caixas sero em papel
branco, por n.ln Ibe tor sido possivel arran.
jar do mesmo cor de ganna, sendo as vinlia-
las e typos os mesmoscom o competente si-
nete' azul.
Hrecisa-se de um homem solteiro ou
casado, que saiba litar com vaccasde leite,
para um sitio na Torre: quem estiver nestas
circiimstancias, dirija-se ao *SS0Ugue gran-
de dol' cife, que achaia com quem tratar.
__No da 15 do cormnle mez do novem-
bro desappareceu um cavallo alazilo do lu-
gar da fe'Mi la do Candis S, O qual tem os
sigmes seguintcs : he capado, lem urna lis-
Ira tirana na testa, tem o feno a.....v m
na pa o ancas ,MS tem malsduss orutluhaa
nos quartos, CUj'l cavallo quem delle IIver
noticia dirija-sesoengenho novoConceicao
na fiegurza dn JaboalSo 011 ao Recife ao
Sr. Jos Pereira da Cunlia, ou a Jos Joa-
quim de Novaes que ser bom recompensado
do seu Irahalho.
Aladama Routier modista fraoceza
na rua Nova n. 58.
Tem honra do previnir ao respeitavol
publico, e com particularidad aos seus f'C
guezes, que o seu estabehciinento se acha
provi lo de um novo e variado sortimento de
ricasfa/endas francezas che({adaspelo navio
Cunie Roger. Lindos chapeos de se la para
si nlioras e meninas, enfeiles para cabeca,
ricos capotinhos o manteletes pretos e de
cor com collet s, floros.penaciios, b ancos s
de cores, clinpeoS de palha fina redondo*
para meninos de um a seis anuos, ricas ca-
pellas do flores, para noivas o nudrinhas ;
luvs de pellica, bico do blonda do largura
de um de lo a um palmo; espartilho^ da
primeira quali la le para senliorBS o meni-
nas, ricos chapeos de montana, pulseiras
muito ricas, manguitos, pentes de tartaru-
ga, litas largas de lodas as rdres, lindos
veos pura noivs, franjas e irangas do seda
pretas e i'e cores, manas pretas do fil. Na
mesma loja se fazem vestidos de casamento
e b'pnsado, toucaspsra senhoras o meni-
nas, capotinhos do todas as qualidades com
pcrfeic,3o e prego commodo.
* Paulo Gaignoux. dentista, j
'"* l'ile ser pi'ociirmlu a qiiui- 2
0. qnei- hora iiu ua casa un +':
f> nin lni'g<\ do i.'o/.iirin ii. 3(i, <;
.> segumlo uniliir. 40
AAAAAAAAAA aaaaaaaaaa
Aluga-se o sobrado da rua do Sebo n.
35 : a tratar no mesmo.
Aluga-se o segundo andar da rua du A-
raorim n. 19; a tratar na ru do Vigano n.
punga a margem do rio, com excellonlo ca-
sa e siito, grandes con,mo los para familia,
lodo murado, senzalla para escravos, e es-
tribara para cavalios : trata-sn na rua do
Oui'iiii.iiIm n. 40, aeguudo ;nl r, das 6 as 9
Attengao .
No dia 12 do corrcntii ausontou-so da esa
cscravo de um senhor chamado Antnn'o Vel-
los n esto escravo lie casado com urna negra
de no i,e Rosa, baixa, mais velha que o ma-
rido, o servia do parteira no malo, a qual Jo seu senhor, no paleo do Car oo n. 18, se-
acha-sn tambem 1'ugiJa desde novembro de gun lo andar, nina mulata que representa
horas da mantilla e"das 2 as da'tsrdVjen |*<. DupOlS do pOMuidor Antonio Velloso, ler 35 a 40 annos do idade, d nome Rornar-
inler>allo desias horas,na travesa da Madre passaiain a ser oseravns do Carlos Pereira da dina, com os signaes seguintcs :-cr elva,
de ueos, armazem n. 13. Silva, boje fallecido, e presentemente per- rosl comprido, nariz graude.olhos um tan*
Mlenin tencema Antonio Caldas da Silva : quem os to pequeuos, o nariz e corpo avermcllndo,
v "l,c"V,'u pegar, ou delles der noticia ce la, sera ge- cabellos crespos, tem bastantes monchas de
fabrica de Chapeos de sol no llorosamente recompensado: no Recife, rua pannos pelo copo, bracos e costas, altura
da i'raia. armaiem n 18. regular, cheia do curpo, e tem as mos tre-
-- l'recisa-sedeuma ama de leite quo se- muas quando pega en qualquer cousa ; le-
ja de bons coslumes : a tratar na rua do vo" vestido branco, chale de quadros en-
Crospo n. II. cantados e rouxos, rapatos de couro, o urna
aterro da Boa-Vista n. 32.
Ncstc novo cstahelecimento rceehcu-so
um giando sorlimitilo do chapeos de seda e
de pamiiuho para hoinem, c ricos chapeos
de scohora de lo la a qualidade, e um gran-
de sortimonto de pegas de seda e de panni-
nlio para cubrir ai'iiifges velhas; no mes-
mo cstahelecimento se faz tolo o concer-
t nos ditos chapeos, e todo o ohjectoque
cima se menciona, so vendo por menos do
que em outra parto.
O cauttlisti Faria Birboza
-- Precisa-se de urna ama, que tenha bas- Irouxa com alguna vest los, um panno de
tante loilee quo seja bom, c que nolenli la encarnado o branco; pode passar por
Hlho : a tratar na rua Velha da Boa Vista forra em quBlquer p.rte por ser disf.rcida:
Di gg quem a pegar ou della souber, fara o favor
-- l'recisa-se do urna aiia le leite que no ,,e participar na dita casa acima.ou na Cam-
t nha ilho: na rua do Sevo, casa terrea o bri, do Carino n. 38, primeiro andar, que le-
guranca e commodos para se fazer
leudes, vender em particular ere-
ceber em deposito, todos e quaes-
quer elTeitos, sejam gneros, fa-
zendas, ou mobihas, e assim pre-
parado se olTerecc ao respeitnvel
publico, e particularmente ao dig-
no corpo do commercio dcsia pra-
ea, par.', exercer as attribtnces l-
gaos inherentes aos dous referidos
cargos, prometiendo em pregar to-
dos os esforcos para bem desem-
penhar as commiss6es de que Ihe
fizerem a honra de o encarregar ;
e pJe ser procurado em dito ar-
mazem todos os dias uteis, das 8
horas da inanhii at as 5 da tarde,
pois que ahi tem coilocado igual-
mente o seu cscriptorio. liecife 16
de novembro de 1853. O conc-
tor geral e agente de leiloes, Gre-
gorio Antunes de Oliveira.
J0J0 da Rocha Holanda Cavaleante, faz
publico que comprou ao lllm. Sr. Manocl
Antonio Vieira a escrava parda Flo-encia,
que al o presenta e acna auzente, e por is-
sopo le a escrava o procurar na rua da Praia
o. 55, segundo andar.
-- Achi-s' justa e contrata la a parle da
casa torrea n. II sita na Cidade d : din la.
na rua dos Qualro Cantos, i orlonceute a
her leira Anua Joaquina los Prazeres a pes-
soa que se julgar con direito ua cilla paite
annuncie no praso deoito das da dala des-
te, do contrario mo so alien Ina reclama-
5Io .- Iguina.
Precisr-se lugar uiia litcira, para ir
j ao l.imoeiro c vollar, mas quei aleja em bom
estado e prometa deludo: a fallar com Cui-
SOtflo, defronte do tticatro publico.
Aviso aocommercio.
r iiiiiii 1 boa graiiflcag.1o
Anda esta por lugar a casa de um an-
dar da rua doSeve, pro,iria para numerosa
familia : a tratar DI la da Cadeia do Reclfa
u. 53, Si-guiidn nndar.
Faz-se publico por este jornal que fdra
apprehendido no lugar da Ibura, da fregue-
B gistas desta praeja recom- zia dos Afogados, um preto idoso por nome
Quemado, loja de bouvea & L.ei-j% men lando aos seus mem- ? Jacnuho.qu,. diz pertoncerao senhur do en-
|p O mesmo r nilclislii ev,)07 I gento Jaloli, e que ha diasan la ausente
aj^ bros.de nao COmprorem, se- Z de casa : quem se char com direito o mes
continua a pagar c-s hill.etes pre-i fe vs(o fi (|cll|)Crac5o da Al_
miados, que vendeu da terceira ^ rfecQ d, associac0 dos |0.
lotera do Hospicio na rua ria!V
. n ... isi
venrla nis seguintes casas bihetes
e cautelas da 33. lo eria do Monte
cuja
listi
vem no primen o
vapor e pelos precos geralmenle
sabidos, na rua do Queimado, lo-
no em 8 casas entre 17 im-
portadores de fazendas e
como os abaixo assignados
sao uns dos interdictos fa-
' /.ni publico aos senbores de
ja de (.ouveia ts i.eite; rua larga engenho |avradores, laxen- >
do Rosario loja de Joao l'raneis-,* ,|e,ros _________;.--.
i 1
co Uaia, e em (rente do Livramen-,^
lo, loja do l'inbo. t)
- Alugam-se os lerceiro n quarlo andares
coma cosinha da casa n. 42 da rua do Tra- %ji
picha Novo do Recife : quem os pretender, %>
dirlja-se ao primeiro |Odar da dita casa. iV
Precisa se de urna ma, para lavar e tu
engomma vindo i elas 6 horas da manhfla .,
evoltando s 6 da Urde; a quem conviar
este negocio dirija-se ao slt"no da Boa-Vis-
ta, toja ,ie calQado n. 58.
*# IMNNSM
< O liadiarel W'itruvio pro|,fle-s a A
fJJ cnsinaro franceze mais algum nutro 0
<% preparatorio, assim como olT-rece-se &l
m dar licles por casas pailiculares m
'* ou collegios a meninos do ambos os
to primaria como secundaria: quem 0
ss de procura-lo na rua dasCruzes n. 22, ($
* I." andar. S
Madama l\osi llaniy modisti bra-
sileira rua Nova n. 3o
Acaba do receber pelo ultimo navio che-
gado de I aie ion rico sorti ment de fa-
zendas, ricos chapeos do palha da Italia, fe-j
cha los, abas (randes eufeiladas para nv-ni-
e commerciante-
niii, comprela nesta sub lelegacia munido
dos seus documentos, que Ihe ser entre-
gue.
Aviso importante aos moradores de
[Iguarass.
Pedro Paulo de Moraes; coin casa do ne-
gocio na villa-de Iguarass, ao p da ponte
n. 7 faz ver aos moradores desta comarca
que se acha com bastante sorllmenlo de fa-
, zondas, e molhados para vender por menos
" tambem tem cera para
'4

tanto desta cidade, como do f i'rcc P"vei, e
, i alugar o vender, o mesmo faz lodo o nogo-
intenor e ao povo em geral -J
desta praca, que franqueam t>
seus sortimnntos de fazendas I?
por biixos pre90s nao me- ^
nos de i pi: .i, ou urna duzia, j
herme Sello, na rua
'.....
lo llangel n. 45.
Compras.
Comprase urna mesa de jantar, nova,
em meio uso : na rua Direila n. 72.
Compram-se costados de ma-
deiru de intiro, amarello, e sedro
smporfi; na rua da Cadeia do
liecife n 33, se dir quem quer.
Compram-se escravos, e venuem-se
recchem-sede commisso tanto para a pro-
vincia como para (ora della : na rua cstreita
do Rosario segundo andar n. 2S.
Compram-se escravas evendem-se re-
cebem-se de commissJo, ta'nto para a pro-
vincia, como para fxa della: na ruados
Quarleis n. 24, segundo andar.
Compra-so urna escrava pnrfeita en-
gommadeira e coslureira : no pateo do Or-
ino da nimia, casa qne foi do llr. bernardo.
Compra-so nina negra do 20 a 26 an-
nos de ulule, pouco mais ou menos, quo co-
sa bem e engomine : quem liver dirija-so a
na da Cadeia do Rectl* n. 64.
Vendas.
a itinbeiro, ou n praso, Con-
formo o i,j, i i ; no sen ar-
mazem da praca do Corpo
Santo, esquina da ruado
Trdpicbe n. /,8.
noslimi Rookcr i\ ('.,
Negociantes inglezes.
0>*i->A**i-*i<'
Uesappareceu no da 21 do
corrente o escravo Sevorino, acabralhado,
co a troco de madeiras, assucar, o outros
quaesquer generus quo se Ihe olTerecam :
lodos estes gneros vender por menos do
que em outra qualquer parte.
Aviso importante para os dono?,
consignatarios e ca
vi os.
Os aenhores Richard,Payen,Kahinct c Alo-
rin, membrusda academia das scieneias em Olla vos e Vigsimos, a licnelicio da
Piris.e sorteados pelo ministro da marlnha, 133, lolerii do Monte l'i
do commercio, e iudiistria,tiara o exame dos I,. *
productos da fabrica dosseuhores CholletM 'tsta no primeiro vapor
Corntiaubia, dcra'ii asna pprovap;(1o, e os!
maiores elugios pela limp-sa e perfeita con-
Lotera do Hio de Janeiro.
aos 30:000, 100 e 10:000,000 ders.
Na loja de miudcztis da praca da
;al1l,aesde na~; Independencia n. 4, vendem-sc
" etes inteiros, meios, (piarlos,
ificiod
*lo ; ve 111 a
que ebe-
II.
servaban dos fnesuins pro lucios. Os senho-
res Chollcl fie Companhia ce- los do bom aco-
Ihiinenlo que devem encontrar nesta pro-
vincia,lodos os vegetaes da sua fabrica,quer
. SOI* pela sua boa uualidade, iiucr do seu di-
alio de denles incisivos,Ja estatura regu- > olTerccem a venda os seKuin-
lar, representa ter 22 a 23 nnosde Idade, i^ ._|j
Jlalas a 40 rs. por cada porcSo, ro-
polhos a 60 rs. dito, julienne a 72 rs. dito,
t- ha Ihi de i I la ale, gosla de vestir uilo
aj istado, e qu.n lo falla costum. inclinar eS(,illarres n_ ,, 7g rSi,mo>ma.
um pouco a c-lice, cons
baixos : roga-s>', portanlo,
policiaas e cipitiles de campo a sua caplnr,
e da o levarein a rua Direila, sobrado n. 100,
nos de 3 annos a 10, tocas de 13a para crian-' segundo andar, qua o recompensar,
ca, ricos chapeos desoa do todas as cores #ay^a para senhora, lindos chapeosmhos de grsIS t;o.\SUTOR10 HOMKOPATIIICO. fti
naples redondos para haptisado da idale de !f Rua do Trapiche n. 9. l>
mezes a 6 anuos, meias de seda branca fe> O Dr. Casanova, estn lo de volts da *
ra senhoras, ditas para crianzas, lencos do
ret(0Z e de rede para senhora, ricos vcus de
casamento, ricos cabecOes de linbo branco ;
e prelos do blondo, lindas capellas de casa-
Franf*, tem aberto o seu consultorio
. na rua do Trapiche n. 9, no Hotel I r m-
cisco, aonde da consultas gratis aos #
4J5'. potires todos os dias.
nento para noivase madrinhas, ricas luvss < >.###**>.', *}*#**)**?'
de pellica enfeitadas, de noiva,ricas luvas de I 11,, un col \ no .
se la do todas as COna para senliora. baliias d, Roa-Vla, sobra lo n. 10. ti-
para vestido, agulhas f.ancez.s llores, pe- r se ri,lrl0. a d.guorreotypo das9ho-
nachos brancoseae cores, ramos pelos pa-l aa as 3 ,/, t,rdl, .'Umbem vam.
ra luto e esaarlilhos par senhora e ">oni-| p,rUcu,ire5l Copiam se
as, rico anmenlo de chapeos de palha (|fi ,)8guerreolyp par miniatura
pura senhoras, meninas, e meninos, enlet-l |daoB exJslnJo pllra us in,smus
lados esem enfeiles. rico ^t'mentos de, iMJ'0 quaJros de gosto particu-
capolinbos, c palitos, manteletes de cores o ""
pretos, com collete o sem elle, ro i.eirns de1
li.o lioh i, bico de hlnii le. de seda, o de li-
nho largo e eslreito, vestidinho de seda e
toucasdebaptisado.chapeostrelosparaluto, i TIIADUZIDO EM PORTCUEZ.
rame cohertode seda para fazer chaueos e!
copo, leques.chaioosilo palha de montana,
lll\i II, lili lili. JARII.
cimisinhas, manguitos, peitilhos do cam-
braia ; na mesma casa faz-se vesl'dos de Ca-
porcSo de selins inglezes, em meio uzo masi 19, escriplorio de T. de Aquino Fonseca &
ludo em muito bom estado. [Filho.
16,000 rs. de assignatura.
Sabio a luz o primeiro volume desta obra,
a niel or de todas em seu genero : o uoico
. verladeiro livro, por onde so pode estudare
smenlo e de baptisa lo, toucase chapeos 'io r,r homeopathia. KsU ntidamente
un.I* I ana. ili> ilUilu lironda a fin (.,,. i i, __ > ___ >
impresso em excedente papel, com lo los os
signaos (le contm o original para denotar
a .lili,-i enea do valor dos sympto as.
t.ni, l urna a assignatura no consultorio ho-
rneo, athirn do Dr. Moscoso, onde os senho-
res tssiguantes pdem mandar receber os
seus excmplares
No mesmo consultorio ha todos os medica-
mentos ho '.-i,panuco- VGKDADKIROS ; as-
sim como ricas cari-iins, e reformam-se
quaesquer boticas, cujos medicamentos se-
raui lalsos, 00 deteriorados
.-.No ,lia 27 do corrente, linda a tndiea-
cia do Sr Dr. juiz municipal da s-guiu.
vara do civcl, se bada arromalar por ser a
ultima prac* as rendas da casa de sobrado
de dous andares sita na travessa do Sarapa-
tel n. I por execuc,So do bacharel Antonio
da Assumpcflo Cabral como curador da
h ranea de Joaquim Jos da Costa Leit3o, e
,ua mulhor jo moa Paula do Rogo, contra a
viuva do JoUo Baplista dos Santos, por si e
como tutora de seu hlho menor, Luiz ; es-
crivSo Cunh
soda, tanca de sed branca e de cies para
enlejiar vestidos, seda branca para noiva,
pentes de taitaruga para atar cabellos.
-- l'rccisa-so alugar 2 escravos, ou for-
ros, que s.mIi mi trahalhar eui sitio : no ar-
mazem da rua iNova n 67.
Aluga-se para passar a Testa urna boni-
ta casa na Capunga Nova.defronte do poito
do Sr. cnsul Inglez, com duas salas, duas
alcovas, um quarto para despensa, copiar e
cosinha fra, com estribara para dous c
vallas, com excellonte agoa de beber, e sitio
careado: a t'alar na rua do Queimado, se-
gunda loja Deseja-se saber dos senho-
res Joio utra Wanderley e
Joaquim Dutra Wanderley, am-
itos portugueses, vinios de Lis-
boa para esta provincia: quem des-
tes senbores souber, e quizer dar
noticia, (aqual se pede do Kiode
Janeiro), o poJer lazer no escrip
torio de Manoel A Ivs Guerra J-
nior, na rua do Trapiche n. i4,
porcujo favor se lite licar agra-
decido.
A Alugam-se e vendem-se bixasna A
m prac* da Independencia n 10, con- a>
Z fronte a ruadas Cruzas. *v
*.*#! N
__|iiceisa-s do um menino par* caixeiro,
que seja portuguez, na Estrada Nova : quem
quizer, dirija-so rua Direila, padsria da
viuva do Machado, que achara com quem
tratar.
^ Um preceptor est'augeiro, oceupa- a>
9 do em ensillar as lingual franceza e v
~> allemSa, geometra, arlthmelica-, geo- &
4 grapliia, algebra, e phvsica mathe- (j
y manca deseja preenclier algunus (
^ huras vagas com o ensino destes pre- *;
a) paralnos: quem quizer utilisar-se a>
^) de seo prestimo, o achara a qual- u>
', quer hora do dia na rua da Cruz do 6
^ Reciten. 1. t
.??*^* ; T#*??? a
Modas irancezas.
Rua do aterro da Boa-Vista n. i.
Madame Millochau lliicssard, avisa ao pu-
blico e as suas freguezas, que tem a venda
rins qualidades de verduras a 90 rs. dito, fe-
jes escolhidos a 190 rs. dito, repolhos de
bruxelhs a 168 rs. dito,12 pratos dn bruxel-
las a 120 rs dito. NotaO modo de prea
rar aquellas verdnras ho mui simples, licita-
se dentro de agoa quelite meia hora, e ellas
veem sa ao su estado natural, e exh'lam o
cheiru como so fossem tiradas do jar lim e
tempera-seda mesm* manoira que frescos,
o s3o mui gostosos: procure-se em casa do
senhor Font s, na ru* da Caduia do Recife
n. 2. F.sts nova inven^lo sendo muito
superior as conservas em geral, ja nluguem
mais deixara de comprar os excellenles ve-
getaes quo so de summo proveito para
saude.
Madame Thcard, modista irance-
za, na rua Nova n. 32,
Novamente avisa ao respeitavel publico,
o as senhoras de bom gosto, e juntam-nte
aos seus freguezes.que acaba de receber le-
los dous navios ltimamente ctiog'dns <'e
Franca, um linio e gran le sortimonto de
modas de sua particular encommenda para
nSo se encontrar en outra parte igual fa-
zeiida ; chapeos do s-da enfeita los de boas
litas largas o bicos de blonde, flores e pen-
nas os mais ricos que tem vindo ueste mer-
cado, e feitns pelas melhores modistas de
Pars, que Iho foramonpom nendadas, para
no haver o dognst de se enconlrarem
iguaes ; um lindo sor ti ment de capotinhos,
visitas con seus competentes coleles de cha-
malote lolos muilo bem ornados do fran-
jas e trancas de born gosto,vestidos do blon-
do com seus competentes veos iguaes os
Vestidos, para noivas ; rico selim branco
muito encorpado para os ditos vestidos ; um
grande sorllmenlo do chapeos de seda e de
palha para meninos e meninas, veludo azul
e verde de pura -o la muito proprio para
vestidos e capotinhos; um grande torilmen-
te, de aedas furia coras pira vesli 4os cca-
votinnos com franjas o trancas iguaes, ea-
mi.^i,,s je fil para vestidos ahertos, dias
para moni.i, chapeos de palha para mon-
tana, e veos da g...,, bordado de lo las as
cores para os ditos cnP'-.,lm grande sor
escocesas de ... s. .
guras; um grande surtimento de bicos p._"
tos da largura do um dedo al um palmo e
meio ; espartilhos de linbo de molas e sem
as,os mais largos que se podem encontrar
no mercado, ditos de seda e de linho para
senhoras secas, dos quaes tem para mais de
vinte duzias para escolher a vontade ; tarla-
lana branca e de cores par* vestidos de bai-
les ; i uncirs de cmbrala o bico borla
para senhora ; chapeos de clino puro para
sennora ; bicos brancos de blonde da largu-
ra de meio dedo al um palmo; e muilas mi-
tras fazendas de modas.
U corretor geral e agente de
leiloes, Gregorio Antunes de Oli-
veira, acha-seestabelecido de bo-
je em diante, com um grande ar-
mazem, na rua da Cruz do Kecife
n. a5, o qual olterece toda a se-
2 1,000
11,000
5,5oo
2,800
i.3oo
22,000
11,000
5,5oo
2,800
i,3oo
r do Mo de Janeiro.
Bilbetes inteiros
Meios biihctes
Quarlos
Oitavos
Vigsimos
- O 03111611810' Salustiano de
Aquino Ferreira faz scicntc ao res-
peitavel publico, que estao expos-
los a venda, as lojas do costume
os seus mui afortunados bilbetes e
cautelas da 33. loteria do Monte
l'io. a qual corre hoje a3, e espe-
ra-sc a lista da mesma pelo vapor
da companbia brasiloira no da 5
de desembro.
liil heles inteiros
Meios
. Quartos
Oitavos
Vigsimos
Vende-so um sitio em Olinda, abaixo
lo convento da Conceicfio, chamado das
Hurtas: a fallar no mesmo com o seu pro-
prictirio.
Vende se um famoso nesro muilo ro-
busto, para todo o servico, o he muito fiel:
quem o preten 1er, dirijaise. rua larga do
Rosario, l"ja ,ie miudez.-s n. 26.
-- Vomle-se uina c si de n draecalno
Beeco du Ouiabo r.os Afogados, com dous
quartos, cosinha, bom quintal, em chaos
proprios, e COC terreno para se fazer outra,
por pceo commodo : quem a pretender,
dinja-se a rua Augusta n. 16, que so dir
quem vende.
SOLA BARATA.
Vende-sesola por prego muilo moderado:
na ru* Diroita N. 63.
O bom gosto aqui parou.
Vendem-se os apreciivcis fruclos choga-
dos de Lisboa na barca l.igeira, a saber : II-
gos de comadre, ameixas muilo graudas.pe-
ras, notes e uvas, queijog milito bous de
coallii, ditos las liliaa.biillandezes e france-
ze, e Utas com sardiuhas de conserva, e
frtelas do conserva,vinhos velhos pinga p-
tima para o campo; assiei como se vendem
espanadores a retallio e em porco, o oulros
muitos objeclo's por menos p'eco do que em
outra qualquer p*rlo: na rua estrella do
Rosario n. II, que faz quin* pira a rua do
Fogo.
vonde-se umplnquim em minio bom
uso, com .. .. q, frente : na rua da U-
ni3o, Junto a casali. -.
Vende-se um negro denau(.,._ .
na rua de S. Goncslo n 10.
Vndese um preto do gento de Ango-
la de 26 28 anuos de idade, de bonita Ii-
'?'" gura, sabe cosinntr o diario de urna casa, e
,." proprio par lodo o servico : na rua da Ca-
deia do Recife n. 13.
Vendem-se accoes da oxtincta compa-
nhia de Pernambuco e Parahiba : na rua da
Cadeia do llecif n. 48, primeiro andar.
Sal do Ass.
Vende-se a bordo do patacho Sania Cruz
ou o lado do Corpo Santo, loja de massa-
ii i es n. 25.
Palha de carnauba.
Vonde-sepor preso erthimodo, a bordo do
patacho Sania Cruz, ou ao lado do Corpo
Sanio, loja de massaines n. 25.
ILEGVEL




Moinhos de vento
cora bombas de repuxo par regrar hort
baixaadecaplm n fundicBode I). W. Bow-
man:na ra doBrumns.6,8e10.
Deposito Santos na Rahia.
Vendo-se,emcisa de N. O.Bieber&C,
na ra di Cruz n. *, algodo transado a-
quellnrahrica.wuiloproprioparasccosde
assncar croupa deescravos.porpregocom-
moo.
Cal virgem de l^isboa.
. Vende-se superior cal virgem,
chegada ltimamente de Lisboa, e
por pceo muito etn conta: no ar-
mazem do Caes da Alfandega n.
7, 011 a tratar no escriptorio de
Novaes & Companhia, na ruado
Trapiche n. 3 .
I'otassa americana
Casimiras modernas, a 1,000 rs. o
covado.
Na loja de fazenda dirua do Crespn.
5, que faz esquina para iua do Collegio,
vendem-se casimira de gosto modernos ,
a 1,000 rs. o covado.
Relogios americano, para, cima de
mesa, com corda para oito illas e para 30
horas, e 0 mais barato que em outra parte ;
na ra do Trapiche n. 8.
Deposito de cal e potassa.
Cunha & Amorim, na roa da Cadeia do
Recite n. 50, vendem barra com cal em pe-
dra, nova, chegada de Lisboa pelo ultimo
navio, o hrigue Flnr do Mar; assim como
barris com superior potassa nova, por pro-
cos razoaveis.
Potassa e cal virgem.
Na roa de Apollo, armazem n.
a B, vende-se por preco rasoavel,
muito nova e superior potassa ;
ossim como cal de Lisboa da me
Aoa senhores de engenho.
O arcano da invenco do Dr.
Eduardo Stolle em Berlim, era-
cautelista Faria Barbor
tambem expoz bilheles da ,33 lo-
tera do Monte Fio, pelos precos
pregado as colonias inglezas e j sabidos, no oterro da Boa Vis-
hollandezas com grande vantn-jta, loja de miudezas n. 72, de Ha-
gem para omelhoramento do as-jnoel Dtmte Vieire.
sucar, acha-se a venda em latas Vende-se qu.tro escravos saber 1 urna
i .i_ pama de conducta que cose, cosmha bem,
de lo libras, junto com o melho-jCI1(!oma liso, e faz todo oservigo de casa ;
do de emnrcei-lo no idioma por- i .dverle-serpOenSose vende para o llio.uma
1 e j M i a- 1 prela minio prendada quo ate borda, faz la-
tuguez : em casa tic a. w. uicuer hyrintho, ma-ca,engnm,cose,eozinha per-
No antigo deposito da cadeia velha, n
12 esisteuma pequea porgo de potassa |,0r que existe.
amoricana.chogadarecenlementequepor;jJe(ji!_gcagsenlior8S ae Jeenl i0_
suporiorrlvaliaacom a daltussia. venae j ^ ^ ____ 1^ .;,.
se por proco razoavcl.
Deposito de cal e potassa
& Gompanhia, na ra
n.4.
Chapeos para senliora.
da Cruz
felamente, urna outra prela por estar gr-
vida de 5 mezo, que cosinha, engoma liso,
o he compradora ; e um prelo muito liel,
I que cosinha, sangra, faz barba, e amla : na
Venle-se na loja" nova da ra do Rangel' !"("> do Rosario n. 35, loja onde ae re-
n. 8 chapeos para senhora chogados u|ii-' cebemescravo para vender por commissSo.
mmente no navio Cunte-Roger, pelo har-1 Vend-m-se peles de cabra, lipito, bo-
lo preco de 10,000 a 12,000 rs. cada um. | "> e esleirs de palha de carnauba ile mais
i' .i,lm ,., ipmns dr l,ri de duas varas de comprimenlo, tudo chega-
Vendem-se lemos Mli do i|0I1 ,, Ar,catyi por niui conirno.,0
oleo de linhaca cm botijas barr- preco 1 na ra da Cadeia do Recite n 49,
casccm cimento eastinas, a von-ji"'"^,"" ."dar- .
, -- Vende-se um cavallo bom esquipador ;
(ade dos compradores : no arma-jn* cochein doSerra, na travessa da ra do
zem com laboas de pinho, atrs do Sol
theatrovelbo.ou a tratar com J.w- ^hnesiock a Verm.fuge.
. ,i !.;;.! Vende sem New-York enmasado proprie
quim Lopes de Almeida, caixeiro Urj(, A KAHnksto kvsi c e cm Per-
do Sr. Joo MatheilS. [nambuco na botica, e armazem de drogas
de Vicente Jnsc cln lliilo na ra Cadeia n. 61.
i)e tolas as preparagrVs, que a medicina
tem deseobnrto para matar o expellir as lom
da a attencao para as seguintes
lazendas :
N. ^-.,,^, ,U ra "ra ('.ndeifJ Corles de cambraia de salpieos brancos e
o armazem da ra da uaaea rfp corcom5 en)pi, varSi lf)ndo uma de
doHecife n. n, ha muito supe- i,rgUr>0 muito lina a *,ooors ; corles do
r.nr pal da Lisboa, em nedra vestido de barra tanto brancos como de co-. Navalhas para barba,
or ca ue UISPO, am p .' res, do ultimo gosto, a 5,200 rs ; ditos bran- vendem-se navales para barba, a mais
assim como potassa Chegada Ul- coscom doiise tres babados, enm seus en- supfrinresque tem pparecido no mercado.
limnmentr a 11 re eos inuil o ra- teitesdos melhores que h, a 6,000 rs.; cas- pelo diminulo preco de 9,000 rs. cada um
tima mente a prvyvo ^ chjl< frMleza 2oors. o covado ; corle em psl0J0 nH e,trelU do Rnsario, tra-
.soa veis. de cassa chita a 2,000 e 2,400 rs. ; e muitas yessa par, yuf.jmdo, loja de miudczi n.
Agencia de Edvvin Mavv. outra fazendas de gosto por precos comino- 2 A., junto an deposito de|pSo.
1- do : na ra do Crespo loja n 6. Chapeca brancos
A 1,2X0 e l,O00 1 \'ende-se na loja nova da rus do Rangel
Superiores cobertores de algodSoa imita- n_ ^ chapeos frtneazet de mass brancos, 1 dos-Unidos, Ierra classica da civilisagSo a-
gao de tapetes do cor, muito proprios pri para'homem pelo baratissimo preco de 4,500' mcrii-ana.dirigem continuamente a seu au-
cirios arranjos de casa de familia, e qusi rs. c,d um, gorgurilo de cores proprio pa-1 to-, peloorgno da imprensa os maiores elo-
um genero de primeira necessi.lade par o ra p,|||rts pelo baralo preco de 800 rs. o co-| gios, como prova da suagratido e do seu
Sr. do engenho. pelo diminuto preco de vado, hnns de linhn rom co'es de mrmoro reconhecimento.
1,280 o 1,600 rs. : na ra do Crespo n. 6. tamh.-m lazenda qun esta muiloemmoda| Mercurio,
para casa de pulgar,Pormeno.prctoqueoa V.nde-seuma prela, "nula, dc cobre, cacovenspara navios.fcrro ingle ze, marca, az reniia, oeogoiiui.a, i"'"" tambem h um completo snrtimeiito de gra- de na rua da Cadeia do Recite 11. 48 ( pri-
UBloembarracomoein ireosfnihas.etudo com niuita perfeicflo e ligeircsa, lio perleiia Mi,g ,|e seda de todas s cores. imoiroanlar
por bar.10 nreCo. cotiobeira o dooein,1 fax o roai1^ ; r pjovjfjade para quena nao sabe. | vende-se
n.-irna di- Apollo n.6, armazem dcMc.Cal-
montiCoinpanhia,acha-5e conalantemcnle
bons aortimenlos dcuia de ferro coado e
batido,lano rasa como fundas,mocndasin-
ciras todas de ferro para animara, agoa,tc.,
ditas para armar em inadeira de todos oa ta-
manbose inadelloa o mais moderno,machina
borisontal para vapor,com forja de 4 caval-
lo, couco, paasadeiras de ferro estanhado
para casa de pulgar,por menos prejoqueo
hrigas em qualquer idade da noss vi la ne-
nhuma tem ohuJo o poder aprotimar-sc na
mais insignilicante semelhanca com o pro-
digioso o nem reconhecido meilicamenlo de-
nominado --KAIINKSTOCK'S VKRMIFUCE--
Os m-rticos, e em goral tolas a's pessoas
scieniilicas das principaes ciclados dos Esta-
iradofl t\e ferro.
casa;um prelo cosinheiro c barbeiro, d
Vcndem-se, no armazemde
Geo Kenworlby & Companhia ,
na ra da Cruz n. 2, o seguinte :
Relogios de ouro de sabo.iete, pa-
tente inglez.
Selins inglezes elsticos e cabeca-
das de couro branco.
Sillines para montara de senbora.
I Arreios de carro de 1 e 1 cavallos.
Couros para coherta de carros.
Sola de lustre.
Lonas imperiaes.
Vende-se um escravo de 92 anuos de
idade, muito robusto e de bonita ligura: no
becco do Quiabodo bairro Ja RoaVista nu-
mero 12.
-- Vende-se umaarmacffo de caxilhocoro
os seus competentes vidros : no aterro da
Roa-Vista n. 61.
Vendo-se uma escrava moca de bonita
(gura, de nacSo llenguella, cosinha o diario
de uma casa, lava e engomma, e he boa qui-
tandeira : 1 tratar na ru da Estancia n. 10.
CSST Alien rao fVeguezes ao bom e
barato
Na ra larga do Rosario, loja de miudezas
n. 40, vendem-se ricas abotoiduras de cor-
nalina, e de todas as qualidad>' para colle-
lo, luvasde pellica lisas o enfeitadasas mais
ricas possiveis, um completo sortimeotode
perfumara, mcias pretas para padre, ditas
muito linas para snhora, tudo por menos
ijii em outra qnalquer parle.
OOOOOOOOOOOOOOtSOQO
O U abaixoassignado vende O
q o seu engenho Santa Mara,
q ha pouco levantado, na co- q
l'urili.ao d'Aurora.
N rundirjBo da Aurora, acba-ie constan-
temente 11 m completo sortimenft de ma-
chinas de vapor, tanto de alta, como de bai-
xa presarlo, de modellos os mais ipprova-
dos. Tambem se apromptam de encommen-
da de qualquer forma, que se possam dese-
jar com a maior presteza : babel olUciaes
serSo mandados para as irassentir, eo fa-
bricantes, como leem de costurfle alllan-
C*moperfeito trabalhodellas, eserespon-
sabilisam por qualquer defeito, que nellas
possa apparecer durante a primeira safra.
Muitas machinas de vapor construida* neste
estabelecimento tem eitado em constante
servieo nesta provincia, 10, 12eatl6an-
nos, e apenas tem exigido mui insignilican-
te reparos, c Igumas al nenhun abaolu-
tamente, accre9cendo que o consumo do
combustiel be mui inconsideravol. Os e-
nhores de engenho, pois, ooutras quaes-
quer pessoas, que precisarem de machinis-
mo, so respeitosamentti convidados visi-
tar o estabelecimento em Santo Amaro.
~av-r--~r-r^*-^waai^t-;---- --
SGantois Pailhetck Companhiait
Continua-se vender no deposito^
I geral da ra da Cruz n. 52, o excel-
lintee bem conceituado rap areiaw
B preta da fabrica defantnis l'ailhot ki-
t Companhia da Babia, em grandes eO
fpequelasporcOes pelo preco estabe-y
locido. 8
SALSA P.IMIILH l
l'K
As nu ncrosas experiencias feita como
U90 da salsa parrilha em todasasenfermi-
dades,originadas pela impureza dosingue,
O Queliiz.e Gaipi, bede boas O
N fundico da Aurora, en. s. A h n.C3o. muito liel e de boa conducta : na ru.
ndem-s
mojlos.
. Amaro, ,.".--....... ,.
o diversos !/ ono n. 35.
Corles de hnm troncado cscuio de
puro linbo, a 1,44o 'io rs> e
2,4oo.
Chegou aloja da ra do Crespn. 6, um
Vendem-so os verdadeiros selins in-
glozes, patento, do mollae som ella: na
ru daSenzalla Nova n.42.
Vendcm-se relogios de ou-
ro e prta. patente inglez: na ra
da Scnzalln Novan. t\i.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor
R1IA DASBNZ
Neste esta
ma a ha ver
ment de mor,,,
endaspara engenho machinas JgJ*} bant9
de apor c ta.xas de ierro bat- ^J^^^m^ j |CruI 48 m
do ecoado de lodos os tama- 3, ftrmo,Pm ,1 I II. (,.,_ fj .. j
to armdzem tic 1. 11. \, libante a vend-rem-se
ensly, 111 ruad^ Cruz do le-
cife n. 1 vendem-se caixa
por caixa de excellentes cba-
rulos da llivana, chegados
ltimamente e por precos
commodo
um parda de 30 annos com
Vendem-se a's bem conhecidas e acre lita-' muilo bom leila para amamenlar urna can-1
das esleirs de Angola, grandes e pequeas,' ca, rom e faz o mais servieo de urna MM.jQ
'muito novas,erogadas agora : na ra da Ca- be urna boa mucamba por ser muito beleljj
dei do Recil'e n. 8
matlas, Ierras de muit pro- 9
ducca e j demarcado ; q
igualmente vende, se assim 0
O
I de bom genio ; na ra do Collcgio n. 21 ,pn-
&m-m l Alinelo. Bolina.
Pessas do madapolflo enm toque do Ven lem-Se bolins francezes do bezerroe
convier ao comprador, toda
a lavoura; esta venda se ef- q
O fectua para pagamento do O
credor e hypothecario do
% dito engenho, Jos Marques
sua afamada casa de saudc na Gamboa, pe-
lo lllm. Sr. Dr. Saturnino de Oliveira, me-
dicodo exercito e porvarios outros medi-
cos,pormilteinbojede proclamaraltarnenle
s virtudes cllicazesda
SALSA PARRILHA
DE
Nota. Cada garrafa contem duas libras
de liquido, e salsa parrilha do Brislol he
garantida, puramente vegetal em mercu-
rio, iodo, potassium.
Em consequencia de se |ter fechado a bo-
tica do Sr. Jos Mara, mudou-se odpn-
silo da salsa parrilha de Brigtol para a bo-
l ca ingleza ra da Madre Dos n. t, vende-
se a 5/000 rs. o vidro.
Instrumentos de msica.
110 caes da (ios com bocea larga que se ven-lz, dusfrasqueira proprias para ninbarca-
jdiam no armazem 011 na ruada dico.um oeulo muito bom de alcance, um
iilin.-, para tino.
oendaM superiores.
Na fundicSo do C. Starritt Companhia, $
em S. Amaro, acham-se s vonda moendaa j;-
de canna, todas de ferro, o um modelo e '^
ronstruccao muitosunerioi.
Alerla freguezes
Que s3o cliegado,
Cobertores do algodo
Muilo eucorpados.*
NHMM
:~-
Na ra do Crespo,loj
la para a Cadeia. a 1,600 rs. cada um
Vendem-se lonas, brinzSo, brins, e
moias lonas da Russia ; no armazem do N.
O. Rieber & Companhia, na ra da Cruz
n.4.
Em casa de J. Kcller &
Companhia oa 1 ta da Cruz n.
>5, lia p-ra vender dous excel-
lentes pi nos (orles, e de uma das
melhores fabricas, chegados lti-
mamente da Ltiropa.
Taxas pura ent/enltos
Na fundicao de ferro de D.
VV. iin wni.1 n na ra do Brum,
passando o cliafariz contina a
haver um completo sortimento
de taixas de Ierro fundido e ba-
lido, de 3 a-8 palmos de bocea,
as quaes acham-se a venda, por
preco commodo e com prompti-
dao, embarcam-se, 011 carregam-
e em carros, sem despezas ao
comprador.
Feijo novo a 6,000 rs.
No armazem de Couvcia & Diis, confron-
to a cscadinha da Alfandega.
J*^^B^iaYA ja da esquina que vol- AossenllOies de
engenho lavra-
m
Botica bomeopalhica.
28 ra das Cruze- 28
lia para so vender algumas caixas
rica com medicamentos em tintura.
Cada uma sera acompanhada de um
frasco com glbulos inerles, c o V
iiii-iii de os preparar. *r
9999*<*< v?**&'*'?'** t ?
Vendom-se as seguinte sement:
nabos,rbanos,raba nctes encarnados e bran-
cos, sebula, couve trinxuda alface ala-
ma, repulhuda,chicoria, senoulas, foijSo
ctrnpato de tres qualidades.ervilha torta e
direita, fava, coentro de touceira,salc,a, to-
mates grandes, ropolho, couve lombarda,
saboia, e moslarda : na ra da Cruz n. 46,
dnfronio do Sr. doulor Cosme.
Familia de mandioca a 1,600 rs. a
sacca
No armazem de J. J. Tasso Jnior: na ra
do Amoro n. 35.
Deposito dep.nno de algodo da
fabrica de Todos os han tos da
Baha.
Vende-se o bem conhecido pan-
no de algodo da Jiahia, proprio
para saceos e roupa de ejteravoa,
a vontade do comprador assim
como fio de algodSo da mesma fa-
brica no escriptorio de Novaes
& Companhia, oa ra do Trapi-
che n. 4-
Vende-jegcllo, a qualquer hora do dia,
nodeioailo da ra da Senzalla Velbn n.
118, ou na ra do Trapiche n. 8.
I'al virgem.
Vende-so cal de Lisboa a mais nova do
mercado: na ra do Vigario n. 19, prunei-
andar, escriptorio do T. de Aquiuo Kouseca
o l'iibo, mina ra do Trapiche, amazem de
Antonio Augusto di.Konsera.
Arados americanos, chegados dos Es-
tados-Unidos; na ra do Trapiche 11. 8.
dores e mais pessoas que tem
escravaltir, a 800 ris e 1000
C8da um .' !
I Na ra do Crespo n. 14, loj d-- Jos Fran-
cisco Dis, tem para venderos minios afa-
mados cobertores de algo 13o branco muito
eucorpados, fazenda d multa durarlo sen-
do a 1,000 rs. os grandes, o a 800 rs. os mais
pequeos, assim como as mais delicadas
chitas fraiicezas de liuissimos pannos e no-
vos djennos, sendo fazenda do ultimo gos-
to e cores muilo lixas, a 320 rs. cada cova-
do ; assim como muras nutras fazenda por
diminutos precos,que de ludo se dar amos-
tras deixaiido penhor,
A 5,000 rs. pequenos, e 5,500 rs gran les.
Vendem-se chapeos de sol de seda ingle-
zes de superior quahdade, pelos precos ci-
ma : na ra do Collegio n. 4.
Cambiaiasde salpico.
Vendem-se cambraia de salpico branro o
do cor, muilo linas.com 7 1|2 varas, a 4,500,
ditas brancas.com 6 1|2 varas, a 3,000 rs.,
CO'tei de cassa cnita, muo lino, e cor fi-
xa, com 7 varas, a 2,500 ; na ra do Crespo,
loja da esquina quo volta para a Cadeia.
Crande sortimento de pannos linos e
casemiras
Na ra do Crespo, loja da esquina que
volla para a Cadeia, vende-se panno preto
tino, a 2,800, 3,200, 3,500 4,000, e 5,000 rs.,
e francez multo superior, a 6,000 rs. o co-
vado-, dito azul, a 4,000 rs., dito verde mui-
lo superior, a 4,000 rs., corles de easemira
preta enfestada, a 5 o 6,000 rs., dita fran-
ceza muilo elstica, a 8, e 9,000 rs ; assim
como do cores, dos mais modernos goslos,
ror preQO commodu.
Com loque de avaria.
Venilc-so madapoISn.a 3 c 3,500 rs. a peca,
algodSosinho liso, a 2,240 e 2,560, dito tran-
cado americano com 25 varas, a 3, 4 e 5,000
r. : na ra do Crespo, loja da esquina quo
volta para a Cadeia.
Vende-se farfolla SSSF: na
ra da Cruz do Kecife n. 27, ar-
mazem de Crocco & Companhia.
culos.
Chegou na praca da Independencia, loja
us. 18 e 20, um rico sortimento de oculos
para todas ns vistas, seja com vidros bran-
cos ou azues, com grao ou sem grao, o com
arniscOes de ouro, pratn, tartaruga, balcia.c
de ac, a vontad do comprador.
- Chaproot o Berlrand, ro Injoeiros, na
piteada Independencia ns. 18 e 20, recebe-
ram do Paris ricos relogios de bancas "!
parede, com corda para 19 da,!'"""1 ,s nn"
ras e meias horas, sSo al.-iodos a regu ar
Darfellamente e c r->0ao mult" '"ude-
ZSeZT^"" qu.l.d.d que he
mn:iu superior.
- Na praca da Ir lependenci.- ns. 18 e 20,
vendem-se relogios americanos de superior
qualidade.e tem aluda alguna com curda pa-
ra 8 das, e todos locam compassado.
~ Vendem-seamarrasdeferro: na 'ua da
Senzalla Nota n.42
Para devoc5o.
Na mesma loja cima tem lindos cruzei-
ros com a imagem do Redemptor; de metal
tanto dourado con.o praliado ; tercos de di-
1111; is formas e cruzes pequeuas tudo
muito porfeito e por cominoos procos.
-- Na praca da Independencin 11. 12, ven-
dem-se os seguimos livro:Zlgalo.offero-
Sido ao novo ofliciaes dooxerclto, iuslruc
(Oes para os corpos de catadores, servidos
das pegas de campanha, o movimenlo dos
armes, ludo por piecti commodo.
-- Vende-se leite puro as 6 1|2 horas : na
ruado Trapiche 11. S.
. toucadornara cima de mesa com gavetas, .,
de Ora em Uma pore.lo do garrafas: na ra da Cadeia
Como ii',111 -, de Santo Antonio n. 25, segn lo an lar.
lites, em grande. c pequeas por-i A viiade.
1 lees na me-ma ru^armazem n 63.1 Vende-se alvaiade em birria de
Vendem-s" lonas n imtae8oda Russia, 4 arrobas, milito cm conta : na
mult') rm conta: no atmaxem de Fox Bro- rua ,i0 Trapiche n. 10.
tliers, na ra da Cadeia do Ri-ciTe n. 62. .
- Vende-so por melad' do sen valor uma Amarras.
pmio iln engenlio Ci da fri'Sio' < Vendi:in-9C ,1111.111,1.- ilc Iciiu :
Iguarassii, perteneente a Amaro do llego I t 1
B.rros: a entender-se com o Sr. Dr. Joa-j rila do trapiche n. IO.
quim Jorge dos Santos, na cidaJe da Victo-
ria.
5
s-m vicio nem achaque, proprio para pagem 1 C'ruz n. IO.
Ancoras.
Vcndem-se ancoras de ferro
muilo em conti.- na ra
piche n. 10.
ou parelha de palanqulm : na ra da praia
n. 26.
Vende se urna mesa de jantar de ama-
rallo que accommoda 12 a 14 pessoas : na
ra da Rola n. 52
Vendem-se sapitos de cou-
ro de lustre francez virados, para
bomem pelo diminuto preco de
i.ooors : no alterro da Moa-Vis-
ta loja n. n
Lotera de S. Pedro Martyr de
Olinda.
Aos 12:000,000 e 6:000,000 de rs.
H1II1 i ii-s do Mia de Janeiro
Ans 20:000,000 10:000.000, 4:000,000,
2:000,000 o 1 .-000,000 de rs.
rslilo expostus venda, na ra da Ca-
deia do Recite n. 24, Inja de cambin de VI-
eira da Silva, um completo sortimento de
bilheles, meios, quarlns, oilavo e vigsi-
mos da 33. lulcria do Monte l'io, ciijos bi-
lheles vicram pelo vapor Imperalriz, e a
lista ili-ve chngar no illa 5 de dezemhro.
Amantes do bom e barato, at-
tengao
Na loja de miudezas da frenle dn l.ivrn-
menlo vende-seos senuintes objeclos : ri-
co adereces de lila-g>ena prelo a 960 rs.
um, rica abotoaduras para collete, lano
prela, como de diirerenles cores a 4u0 e 800
rs. uma, ricos alfinete de viilro, comodr- l-1
la grana a 400 rs um, chanco do chili, pe-
queos melhores que em paite alguma a_
3,000, 4,000 e 5,000 is. um, suspensorios m ;
ra meninos a 560 rs, o par, meias pinladas '
d i Iislr^se branca para di lo a 280 rs. o par, '
ditas pretas para meninas a 320 e 400 rs. o 11
par, atacadores pretos, brancos o decores jto
propring para es.iarlilhos do senbora, a 120 j
rs. o par, ricas lisas de ve|u lo, algulfloejj
seda com horraxa a 400 e 600 ra, u par, ri- jg
coslume.
liilhetes inteiros. 13,000 12:000,000
Mcios. 6.500 | 6:000,000
Uiiartos. 3,300 | 3:000,000
Quintos. 2,700 I 2:100.000
Decimos. 1,500 1 1:200,000
Vigsimos. 700 600,000
eos surt iremos 110 Utas de vi-ludo e lii-clli- 1 ~ .. -, T
nhas dour.dase de madreperola, ricos peo-; Jf Dianhaa as 9 da noite, para t
tes de tartaruga para atar cabello c marrafas.jg asslll facilitar aos chel'i S de
aquelb-sa 5* r e estes a 1,000 rs., dnosde," familias e dnnas He ratas a
massa de 320, 480, e 1,000 is., lin.inscapa-j lamillas eaonas de casas, a j|
* vir escolher a sua satisfacao; I
doTra-l eautelisla Salustiano de Aqilino Kerrei-
r, avisa jao respeiiavel publico que temi
lomado nova resolucflo cm fazer subir o pre-
Vende-se uma escrava, crioula, boa la- codo seus bilhet-s e ciu'las, se ohriga a
vadeira de harrella e de ensaboado, e faz pagar sob sua reponabllidade os quatro
! renda: na ra das Tiincheiras, sobrado de! primeiros premios grandes da referida lote-
do'j. andares n. 42. 1 ria sem o< descont dos 8 por cento do im-
Vendem-se duas casas terreas ai'as na posto geral, o a uuicaduvida esla em que o
travessa da ra Augusla de ns I e 3. Iivres 1 referidos premios saiam no seus bilheles
c desemharaca-las ; a t'atar na ra da Solo-j que vilo rubrica los com S. A. Ferretea, na-
dade, casa n 42. ra que os possuidore.s delles ou dellas sejam
Vcnde-se uma negra de Angola que co-1 promptann-nto embolsados. O seusbilhe-
sinha e engomma : quem qmzer, procure | tes e cautellas so acham a venda as lojas do
em (Huida, na bolica de JoAoSoares Raposo,
na ra do Amparo.
.lii'inlu em barra.
Vcnde-se chumbo em barra :
na ra do Trapiche 11. 10.
Taxos de cobre.
Vendem-se tres laxos de cobre, inda nn-
V"S proprios para reDiCO : na rm ila S--n-
,-il,i Velha, defroule do beceo do Campello
n 126
" .-:. \---~- tmm m ntumm i
S wy Aviso ao publico.
0 administrador da loja 3
K dis seis portal em frente da ;j
ip igrrjida Livramento, lendo *|
a vender porcao de fazenda, ,
bem sortida, lomou a delihe- ti
relo de as dar por menos !
do costo, mais barato a peca y,
do que se vende nos arma- 3
zens inglezes, c a vista das j
faz'm'a^ c precos se coube- i
cera a verdade. Esla Lja S
<- i.i aberla das 6 horas da m
chos para salas a 600 rs. rada um, superio-
res peonas de ac e canelas a 2, 1, e 8 jala-
cas a grosa, vanado sortimento de trancas
prelas e de cores, quasi todas estrella e
por prego que faz ad a ellas meu am-cos antes que se acabem.
O li que fizenda.
m. loja de miudezas em frenle dn livra-
mento alem do variado so-timento do bicos
do se I, linbo e algodo tem bicoa dn lila
10 muilolindas crese preto,muilo proprios
para_ manleloles, he fazenda iuleirament<>
nova'; a elle.madamas.
Vondem-se pelo diminolo prego do 80jj
ris os utencilios de uma padaria sita no lu-
gar de Sanio Amaro, com bom Torno; ou
aluga-se a oiesma, f^zeodo-se lodo o nego-
cio : a fallar na ra do Mondego n. 29, ou 11
ra de Hurlas 11. 18,
Ven lem-se queijos de pralo o londri-
nos muito frescaes, seiras com ligos de 1 2 e
8 libras muito novas hcelas com 4 li-
bras de tmaras, chocolate canell muilo
bom, latas cun orvilhas, ditas com lardl-
nhas, conservas, latas com verduras, o fava.
de Lisboa, tudo de superior qualidade: na
ra ua Cruz 11. 46, dnfronto do sunhor Dr.
Coime.
-- Vendo-s\papel paula lo para msica de
todas ns qualidados, curdas e bordos para
r.al>.-<- i eviol.lo, prima de seda para os mes-
mos inlruriieiilus,ra(i do Lisboa a retalho,
dito 1I0 Paulo Corduiru em litiraa e a retalho,
ludo de superior qualidade: 119 praca da In-
dependencia, loja n. 3.
-- Vende-se uma escrava,crioul,de 25 an-
nos de elegante ligura, robusta e veio do
mallo para vender-so por preciso : na rus
da Cruz do Recif 1 n 30, primeiro an lar das
8 horas da rnnnhla t as 3 da lardo do todos
os dias uleis
Vende-se a obra do evangelho em
triumpho, nova em8 volumes por 12,000 rs
a Prosodia latina 6,000 rs Salustio, novo
a 1,500 rs ; Selecta lalina nova a 1,500 rs ;
Caitas de Echo a Narciso a 1,000 rs., Ora-
1,1'if de Cicero nova 4,000 rs.: no paleo do
terco n. 23.
Vcnddm-so duas duzias de cadeiras,
um sof ile Jacaranda, uma mesa redonda e
dous consolos com linas pedral, obra feila
no Porto, um guarda I mea, um finoapire-
Iho para cha no laigo do Collegio n.6.
Vende-se colar.- d'aljofuresde cores a
240 rs, e mais miudezas : a tratar oa rua do
Trapiche Novo n. 4, ou ni ru das Cruzo n.
19 armazem.
Remedio especial para boubas e cravos
secco contina a render-se na rua do Ran-
gel, bolica que fui do linado SebistiSoJusc
de Oliveira Macedo.
Vende-se uma linda mulatinha de 20
anuos, perfila cosinheira, engomma leira e
costureira, c que corta e faz vestidos e cami-
sas, e he de todo o arranjo do uma casa ;
dous pardos mogos bou para todo o servi-
c.i ; urna negrota de 15 annos.sem habilida-
des, muilo linda; uma preta de 20 anuos
quo cosinha, engomma, lava, e cose chSa ;
11 na dita que engomma.cose e cosinha tr-s
prelas mugas para lodo o servigo : na rua
do Uuarleis n. 24, segundo andar.
Vendem-se dous molccotes de idade de
qualnlad, em grandes e pequea porgeos :,,, ,8 ailI10S dous mualos de bonita ligu-
na rua ilrt I itllurriik lnliuenn n I .1 ,, 1 l_ 1
ra, minio mogo, um dito bom cusniheiM",
tres escrava de bonitas Dguras quo engom-
mim e cosiuham o diario de uma casa per-
felamenle, dous escravos de lodo o servigo,
nina escrava i|nit > 11 leu;i : na rua Direili
n. 3.
AttencSn ao barato.
Na rua Nova n. 8 loja de Alon-ira
& Companhia.
Vendem-se damaaco verde de seda j oo-
t
vcnde-se a dinheiro a vista,
f e nao se f ir laiicanicnlo a
I pessoa alguma, por n3o ter
g lempo de mandar receber.
sisse^^^^is.jaj o^a^nw!
Vendo-se cera de Carnauba de superior
na rua do Collegio, laberna n. 12.
Vende-se um (avallo muilo
bonito, e em boas carnes, anda de
baixo atmeio: no aterro da Boa-
Vista, loja n. -16.
Linhas de patento.
Nn atierro da Roa Vista n. 46 loja de I. S.
de Menezes, tom chegado as miis superiores
linhas de patente, que Im no mercado pro-
>nas para bordar, e fazer lahyrinlhos ern ,,.[.,
isguio e cambraia de linbo, por prego com-1 ,..,/
,m I,, paius
or 1,000 rs. o covado, um resto desa-
P
esg
mo lo.
M, 1640 rs. o par, luvas de lio da escocia para
oendas patente. I humem a 30O r. o par, chaceo deso dirre-
Acabam de chegar moenJas e meia moen-! da para homein a 4,000 rs., ditos de castor
das de varios tamunhos da palente de A e branco sem pello a 4,500 rs., e-parlilho* de
l-.dde Mnriiay em casa de Itoihe e Bidoulac, linno bastante eoibaleadn a 6.000 rs. com
rua do Trapiche n. 12, annde tambem se sou atacadores, bnneles de palha da Italia
achara ara.ios de ferro do mtelo mais ap- para hornero muito proprios para o campo a
arova.ii) para a planlagao da canna. Ktes, 2,000 rs., meios chales de seda com a!;iiui
arado sao construido na fabrica mal. ac- 111 ufo a 4,000 rs., luvas do lorgal a 1,000 r.
credilada em Inglaterra e con tem vantageu o par, e lil larra Jo a 1600 rs a vara, e ou-
sobre os uulros arados,tanlo 110 seu arranjo 'iras fazenda quo so vendera muilo em
I romo ua sua apurgSo. j conta.
Vendem-se espedios com mol-
duras douradas, os mais ricos que
teem apparecido no mercado : na
ruada Cruz do Recita n. 49? ar-
mazem de L. Schuler & t'om-
panbia.
Vende-se vinho de champa-
ndo legitimo e de superior quali-
dade : em casa de J. Keller &
Companl/'i na rua da Cruz n.
55.
Vinho do Porto superior feitoria.
Vende-se a 42,000 rs cada barril : no ar-
mazem de Barioca & Castro, na rua da Ma-
dre de Dos n 26.
Gesso.
Vende-se gesso embarricas, chegado l-
timamente : em casa de I. Keller & Compa-
nhia, na rua da Cruz n. 55.
Charutos de llavana.
O. melhores que teem vindo a este mer-
cado : vendem-se continuadamente, era ca-
sa do liman Praeger & Companhia, na rua
da Cruz n. 10.
Vinho de champagne.
Vende-se o verdadeiro vinho de cham-
pagne, de excellente qualidade, ao prego
de 25,000 rs.; assim como de qualidade in-
ferior, muilo em coota : no armazem de
Hrunn l'raeger & Compaohia, na rua da
Cruz n. 10.
Verniz de gomma copal contina 1
vender-se ru bolica da rua do Rangel, a
1,280 rs a garrafa.
Tachas de ferro.
Na fundigSo da Aurora em Santo Amaro,
e tambem no deposito na rua do Krum logo
na entrada, e defronte do arsenal de mari-
nha ha sempre um grande sortimento de
tachas (anto de fabrica nacional como es-
tringeira, batidas, fundidas, grandes, pe-
quea, razas e fuudas ; e em ambo os lu-
garesexislem guindastes,para carregarca-
s mi n, 1111-, i vil-- de despeza : os prego
s3o os mais e nimio lo.
iili-.J ..II .-.-U.il-----llj._LrHHT-SHSiMS
Escravos fgidos.
Fugio no dia 18 do corrente, do enge-
nho Massangana, de que he dono o Sr ron-
nendador Joaquim Au'elio Pcrei'a de Car-
valho, um negro de nome Scveii in-1, alio
bastante, gago quando falla. Roga-se as
autorida le policiaes e ao capit.lea de cam-
po, que quando o virem peguem-nn, e o en-
tregucm na rua estrella do Rozarlo, arma-
zem do trastes, de Jos Moreira di Silva, n.
31, tu ao Sr. major Padilha ; adverte-se que
este negro ja foi visto na lla-Vista : quem
o pegar sera bem recompensado.
Desappareceu do engenho S. J0S0, Dc-
guezia da Varzaa, o escravo Francisco, cri-
oulo, de idade 30 annos, baixo, groso, bas-
ii 111 fulo, rosto i-mu 1 1 i'.ln e liso, lendo ape-
nas uns cabellos no quelxo, coa uma pe-
quea ferida no hombro esquerdo; levou ca-
misa e ceroula de algodo azul, e deveter
mudado de trage, chapu de palha; e consta
andar nesta cidade, para onde ja fugio uma
vez ; quem o pegar leve-o ao mesmo enge-
nho S. Jn.lo, a entregar a Manoel Thomaz de
Barros Campello, que bem recompensar.
Desappareceu no dia 6 de
novembro corrente o prelo Sabi-
no, de liaran Congo, idade pouco
mais ou menos 28 annos, magro ,
alo, e tem um la I lio no rosto se-
melhante a uma meia la ; levou
camisa de algodo da I! iln 1, e cal-
ca de riscado azul de lislra larga :
quem o peg-ir, leve-0 a rua da Sen-
Zalla N cilia, urmazem 11. i'(, 011
na l'assugem no sido de iJellino
l.ii uilvi-s l'i reir 'iiins, quesera
recompensado do seu trabalho.
IPlM. : Tt. 08 M. F. ng FMA 1852.
- ILEGIVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJC7H3VD7_38B8SR INGEST_TIME 2013-03-29T17:43:29Z PACKAGE AA00011611_03111
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES