Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03107


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-
Anuo XXVlll
Tcrga eira 23
DIARIO UK
de Novembro de 1852.
N. 265.

PERMMBICO
a
wmrifo sDBOBifqio.
PlomiKio Aduktido.
I' x trimestre ..........
I'.ir semestre.............
I'or (nao ....... <;.....
PtaoDiniio DoriiHUTai.
Par t[urtel.............
aVOTloiAl SO im r eh io.
I'ari.... 3 dejiovbr. Minas.. M de
Maranbn. 6 de dito S Paulo >it de
reara___ Hdedlto ;R.deJ..Jude
/'arahiba 15 dedilo Babia... i de
IA-.DA IIMI1. AT/BIZMOlAs.
4/000 22Seg.S.CIcilla. i JuUlii Orpkf
8/000 23Tere.S. Clemente. J.e.s io huras.
1J/U00 24Quart. S, Joao da I. tarado civil.
Cruz. 3. e 6. ao melo-dia.
4/500 25 o ii i i, i S Catharioa faitnda.
xVSeil. S.Pedro Alc-j, e8. s 10 hor.n.
Cutbi andrino. 2, vara do eivel.
dito. 27Sab. S. Macand. ,. csabadosao
dito 28 Dora l.vl Adven
Novbr. to S. Jacob.
_ melod
Mtle*o.
JTercas e atoados.
rata
Minjoante i, H bora e 18 minutos da ra.
N ni 11, ai i huras e az minuto da tarda.
Creiceate 18, aos minuto datarde.
Chela a 26, aa 4 lio ras 2 i m lauto da larde.
raiiaiaai boj
Prlmelras 2 horas e f minutos da tarde.
lAtnMI aoa ooaanoi.
Oeiaaaa e Parablba, iseguada e aetaa-
lelraa.
at-Gtand-do-Horte a Victoria ai qulataa
lelraa
Bonito, Caruai n,e Garaahuai no l'e 15 decad
mu.
flores, Ouricurv.Exu e Boa-Villa l3 e II
Olioda, todoo diae.
Segunda as 2 horas e >0 mi nulos da manilla. ITodos os Correios parlemao melo-dla.
aTOTiciaa nimaonmi,
Portugal
Hespanha
i'ran,-a .
Blgica.:.
Italia..:.,
Alemanha"
Proa
Dinamarc
Rosita...
Turqu
13 de Oulbr. Austria v.
de dito Sulsia..;.
9 deOutbr,
Jde dito.
Suecla... 28deSetbr.
Inglaterra 8 de Outbr.
E.-Unido 25deSetbr,
Mxico.. California 6de dito
aodeSelb'Chlll. lOdedlio
:9 de dito Ruenoa-A. J8deSelbr.
21 i de dito iMontevideo 5 dedilo
8 de dito
4 de dito
3 dedilo,
lele dito
:1 ile dito
OAMBIOa DB 32 OX N(TIMI
Sobre Londres,a S8 '/, por i/UOO d.
> Parla, 30
i Liaboa, 95poi canto.
Ouro. ticas h capa nli o la.-.-....v.'.".
Hoedaa de 8/400 velhaa......
de 6/400 obras.......
de 4/000.............
Prata.I'a lacca brasi leiros.........
Pesoscoltiniuarlos.. ...,
Ditos meiica nos.............
MNOO
16/1.1 n
1B/IKMI
U/000
1//l)
1/0501'
1/800
PARTE OFFICIAL.
TRIBUNAL DA RELACA'.
SESSAO' DE 20 DEINOVEMBRO DE 1852.
'residencia do Exm. Sr. conselheiro isevedo.
Aa 10 horas da manhSa,estando presentes
os Srs. desembargadorea Bastos, LeSo, Re-
liollo, Luna Freir, Talles, Figueira de Mel-
lo, l'oreira Monteiro, Valle, e Santiago, fal-
tando com causa os Srs. desemhargadores
Villares, n Souza, o Sr. presidente declara
abena a sessSo.
JUIGAMEIUTOS.
1 mus europio
Appollaiito.ojuio; appollado, Paulo So.- ri?* em augrnentar-lhe a dignidad*, 0
res da Fonscca J Mandaram a doto jury. IWwro do apo.o das clases a que ello
EXTERIOR.
LONDRE 20 DE SETEMHRO DE 1852.
A ulcera Hispnica e o casamento aus-
traco disse NapoleSo em Santa Helena* fo
ram a minha ruina Desencantado das il-
lusnesdo poder absoluto, restaurado fa-
culdade que havia perdido deavaliar justa-
mente sua posieflo do governador da Franca
republicana o revolucionaria, Mapoleao vio,
j tarde, que a tentativa de prescindir do po-
ro de que ellesahira, e de introduzir sua
Tamilia pirtwiue n hierarchla dos monar-
chas europeos, tinha-lhe roubadoa popula
dignidade,
res da Fonscca -.Mandaran, a novo jury. Pyara-i) ,1o apo.o das classes aque
Appr'lanle, o juizo ; appellado, Francisco I Perlen?!.'sem locrar-lho a consIderacSo e
i >> Feriiandes.-Mindaraa. juntar copia ympthiaa que aspirava.
da acta. K Kckmdle\Vaggramtinham-noaulorisa-
Appellante, Joaquim Ferreira da Cunhi Sou-
to .Mami ; appellado, Jo3o Raptista ilc l'ai-
va.Foratn recebidos os embargos.
DlLIGESCUS.
Appellante, Manoel da Silva Lopes ; appel-
lado, o juizo da fazuoda.Mandarina rom
vista ao Sr. desemb.rg.dor procurador da ser "m "onarcha logiltmo, com quanlo o
coroi r que elle poude e escolheu fosso lo respei-
tavel como isso. A tnesma loucura que fax
do a pedir a Austria postrada a miln do urna
de suas princezas, mas esta aliancA, brilhan-
te como foi, no Iho poudo assegurar na ad-
versidade a lidelidade de seu sogro, oo ele-
va-lo a urna posicSo permin.'nte na aristo-
cracia real; nSo esteve no po ler de NapoleSo
DESICnfOBS.
Appellante, Raymundo de Vasconccllos ;
appollada, a Justina.
Appollantes, Manuel Thomaz l'ernira e on-
tro ; appellado, Albino Jos Pitoenlcl.
Appellante, I) Francisca Thomazia da Con-
ccicao Cunta ; appollados, Jones l'aton &
ApSZSrancisco Carlos Br.ndao; ap- ^^1^! U&tiSt
licado assumpto no discurso, que a pouco
Crmw.'ll cubicar a Jarrcteira, fez NapoleSo
procurar a aliaoea extrangeira. Sua lama,
seu genio, Mas grandes lacanhas, como que
nada soriam n,io sondo consagradas com o
sangue il' Itodolpho de llapsburg.
Precisamos por ventura de mais provas da
ostreitoza de ioteliigencia, o do modo vul-
gar de avaliar as cousas, que caractorisam o
; quinta Craqueza nos oradores pronmlnen-i Eis as noticias mais importantes que d.i-
tes, quanta loucuraT as emprezas bem suc- j quelle estado nos trouxe o paqueto. Rxtra-
) cedidas. J bimo-las do Commercio del Plata e da Coas-
Nada ha lio falliz como O louvor ; um j/iimcon :
auditorio oicioso est sempre prompto aj ..... Nodia28 i urna hora da tarle oSr.
applaudir o elogio anda o menos merecido, I presidente do senado D Rernardo P. Berro
quando proferido pelos labios do poder. Al substituio o Sr. presi lente da Repblica no
historia est desvergonhadamonte prevert.jexercicio das funcfOes annexas ao poder
da e os fados adulterados, sem correccSolexecutivo; e no da 30 s5 t|2 da lardo sa-
possivel, e o mais que podo ser dito pelo .Na-, dio o Sr. jiro da eidade orn viagem aos de-
polsao mais moco em favor do retrato deseuf parlamentos. Na sua marcha para a villa da
to, he que isso n8o he mais falso nern maii lioiilu, onde passou essa noite, foi aoTropa-
enganoso do que o que elle de si mesmd,nbado S. IX por grunde numero de cida-
diz. O imperador, diz o sobrinho. destruio dBos, senadores, representantes, cheos e!Ruenos-Avres querem ambos nacionalisar
ovclho regime, rostabelecendo todas asap- pessoas particulares. Esta demonstrarlo pu-jas suas respectivas preleo^Ces, procurando
tidiies, n o ispinlo rcvnlucionario, fazni..'..- ranonte eap"tiUuoa l'n a sigoilicacn maisjna na;au o apoio necessario. Emquanto
Irumphar por toda a parto os beos ta reru-j lisongeira psra o primeiro magistrado del no chega o caso em que esta se pronuncio
lucilo. NapoleSo manteve, ou antes restau- um paiz livre. Na villa despeliram-se deln'um ou n'outro sentido, o espectculo que
rou muitas das pompas o vaidades do velho S, Exc. as pessoas que at all o acompanhi-lanrescntam as entidades pnlilicas que se
rejfm, um registro infinito do lugares de j ram, agradecen Jo elle alTcctiosameote a ca-!acham nosta natural ob-igaco, e he certa-
estado, urna nobreza ploboia. um inilaclo da urna em particular a domonslracSo de ad-|mente digno de chamara atlencao Cada
a produzir as provincias do interior ata
conlianca que sirva de base i sua existencia
como director : e Buenos-Ayres por sua
parle, se empenha em inspirar confianza s
provincias, mostrando que o seu movimen-
to de II de setemhro nao {evo por Inri a al-
texaco da paz, o quo por Mi part quere-
lambem que a nacSo decrelasse e desse
o seu cdigo poltico, aceitando u rgimen
federal como base reconhecida por elle no
tratado de 1831, que est promptt a obser-
var.
O director provisorio e i provincia do
pellido, Joaquim tlarioho Cavalcanle de
Albnquerque.
Appellante, Manoel Jnstle Siqueira appel-
lado, Jo^ Francisco do Reg Barros.
Appollantes, Antonio Luiz Conexivos Ferrei-
ra esua roulber ; appellado, Francisco do
Reg Barros de Lacerda.
pronunciou por occasio da inauguracao da
estatua equestre rccenlemente erecta em
honra de MapoleSo, pela bem guarnecida ei-
dade do l.i.lo.
Todo aquello que, seja prente ou extra-
Appell.nte, Jos ConCalves Torres ; opcl- "ho- r,l,c"?" eVr"!!,'?;,p,etnen,-re,rn ('"
lados, M.tia da AnnunciaQfio da Silva Mol- fcr ,anP8y"~ ?*i.VP. L rrl. n^o'
la e mil ii- n njsum lo frtil na vrdade, inexgo-
lavel ; para tratar de um thenia como osle
ao modo do Luiz NapoleSo, salguma atu-
sa menos que um pagem da cmara. O pon-
to principal que este homem do etiqueta e
conveo^ao, acha para notar em urna tal oc-
Appcllaatcs, Manoel Joaquim da I'.nx.m .:
outro; appollado, Agostinho dos Sanios.
sivisOes.
pellacOes em que silo:
Appullante, Jos Pinto Ferreira ; appellado,
Manoel de Rezende Rogo Barros
Appellante, JoSo Concalves da Silva Kois ;
appellada, llana Venancia de Abren Lima
Bastos.
tiluas t'qu".stres s so levanlaram a sobera-
nos legtimos, o povo do I '.in legilimou por-
tanto o imperador, e fazondo-o lornou t mi-
li 'ii legitimo o dominio de seu sohrinho.
Desdo os lempos em que Caligula fez seu ca- dade di
vallo cnsul, ou antes, em que a sticcossSo is".81
vulgar do cerimonial da corte ; mas o m -
Ihordo velho regime. a lealdade, o devoti-
menln, a subordinaclo de classe, isso nSo
restaurou ello. NapoleSo sacrificou urna ga-
ra^So de seus concilladnos nSo para esteo-
der os beneficios, mas sim para apagar a
memoria da rcvolucSo, e para crguer a si a
seus n'is tirados da plebo a confraternidade
d zio a nada. Mas quando ello cabio o velho
regime rcvlveu, ocom ello o espirito revolu-
cionario ; e nesse momento lodos os ele-
mentos quo elle suppunha ter destruido di-
vidirn) asopinioes da sociedad Franceza.
A respeilo de si proprio Luiz NapoleSo,
diz, que s lem em vistas um objocto ; o da
reconstruir a paz da Franca, como servidor
leal do publico. Roputamo nos felizes ven-
do que ueste ponto as vislas do presidenta
di(Te/om das de seu to, o que ao passo qus
o piimeiiii iiis;ri!i;.ni Franca os beneficio
da primeir revolueSo por meio de urna se-
rie interminavel de guerras, e conscripcAes,
o segundo quer dar-lhe os beneficios do se-
gundo por meio de utia poltica contraria.
Um servidor leal do publico, bem vemos,
que nSo pode faxor meos disso; mas dis-
postos como estamos, a orer na protestacSo
de fideli lade do presidente, em baldo procu-
ramos para a nossa cieoca urna ouUa garan-
ta nlivn da sua propria allirmativa. Foi ello
fiel quando depuis da falla ventiiroti-se ao fado de Boulogne f Foi elle
fiol a coostiluir-.lo que jurou em 1818 ? e he
fiel, sua propria crearlo de 1851, OO.OMQr
lindo que publicamente so declare que ello
se acha agora duvidoso entre conservar o ti
liesSoe de respeilo que da va ni.
t Na manhSade3l continuou o Sr. pre-
sidente a s i,i viagem para Maldooado. pn-
meiro departamento que visitar. J no seu
transito leve occasiSo de fazer sentir os bons
resultados quo o paiz espera desta datermi
nacSo. Na pnmeira povoacSo em que S. Exc.
esteve proveu sobre o cstaholecimento de es-
colas de ambos os sexos de quo careca. A
po iula(3o o as autoridades no transito ron-
den ao Sr. presidente a homeuageo sincera
do respeito e da adhesSo que ibo profes-
sam.
a Acoropanha-o na viagom o Dr. D. Flo-
rencio Castellanos, ministro do governo e
relacOes exteriores, quo delxou temporaria-
mente o seu posto. Em seu Tugar ficou en-
carregadu dessis repartifoea r coronel l>.
Venancio Flores, ministro da guerra e njan-
nha. VSo tambero com S. Exc. os brigadei
ros D. JoSo Antonio l.avalleja e Anacieto
.i,'iliin.
Cr-se que S. Exc. estar de volta na ca-
pital para principios de Janeiro de 1853.
Assevera-se que S. Exc. chegar at
fronteira do Brasil para presenciar nm parte
a operacSo da demarcado de limites.
Consta em Moutevidco que o governo
qual se esfurca por mostrar o prestigio into-
rior o exterior em beneficio seu ; e se o ge-
neral Urquiza tinlia dictado medidas como
director que tendiam a conceder franquezas
ao commercio e a dar facilidades civilisa-
cSo, Unen is-a y res por sua paite, logo que
se n i i v em posico do legislar sobre a sua
suri.-, d lambem franquezas ao conimercio
noquelhe corresponde e concedo facilida-
des a civilisScSo, cstendendo to lavia mais o
alcance da soa liberdado.
Espectculo mui notavel, do cerlo, e
quo prova quanto lem ganho em influencia
as boas ideias que llosas guerreava. A ois-
sidencia em que hoje se acham Buenos-Ay-
re.s e o general Urquiza loria dado motivo
para urna conflagrarlo intestina, ss estas
ideias nSo tivessam predominado de ambas
as osrtes. S.lo, pois, exigencias sslutarcs
as destes terppo^, que nos apresonlam a rea-
lisac.l:i das tendencias que rstavam compri-'
midas por urna dictadura de 20 annos, en-
carnada em um caudilno que avassallou a
todos os caudilhos, porm que desappare-
e -o do Rio da Prata, nSo dcixando a no-
nhum em pe, nem com possihilidade de se
levantar sem mui grandes contratempos.
o NSo eremos que o general Urquiza, ain
imperial oxpedio ordena ao prosulenle'da'da quo amanhSn so visso abandona lo pelas
provinn-i do Rio Gran lo do Sn I para que fa- i provincias tojas, licanlo s'nenio gnvorna-
51 a S Exc. todas as honras devidas ao Sedldor de Entre-Ros ; nSo eremos,' dizemos,
cargo,e conforme os termos de amizado quo'quoum tiomem que leve a fortuna de achar-
ligam ambos os paizes. [se a frente de una crusada de cmlisicSo e
...............de humanidadn, ni qual duas nacOes allia-
Apresenlousa ao governo um requeri-ldas Ihcderam seu seu valioso contingente,
ment pc.liodo autorisseSo para o estshcle-Jqueem grandissima parle Ihe aplainou o ca-
cimento por accoes de uro banco oriental I minho onde tanta gloria encontrn oni ido
lulo de presidente, e appossarse da uigni-1 com os accessorios de urna caixa econonii-ffevcrciro ; nSo eren os, repetinoi, que o
o imperador e que anda nSo decidi ca, monto de soecorro, segu'os martimos [general, vendo-se reconhecido como obsta-
esso titulo, milito lu mil le uara ex-1 terrestres. Ocapitai do banco sera do dous culo organisacQo nacional, quei' impor-
primir a posse o a substancia do podor arbi- milhocs e meiode pesos, e em lodo o OafOiae a Repblica Argentina.
Appellantcs, os herdeiros de Elias Coelho .("o",^'^^,,^,*",, nunc-i mais Hooiiteci-tiane Itrario. po.lo azor haalantc servido a Franca, poilora augmentar-se cm mais milnSo o' Ja se v qtfla filiamos liypolhcticamcn-
(.intra; appellada. Auna Hita da locar- osU Ilouro quldrUp,.,|B tanto (reasoem fa-OU e ser maii acertado muda-lo por outro i meio. Far deseonlos a 6 ou 7
aC3o. vor d \ uynaslia como 8gora 0 d8'que Hxemelhor os destinos do paiz o mais o -
' habilite pan fazer-lhe grandes beneficios ?
i'.issitam do Sr. Uesembargador Rebollo
LiSo.
ao Sr. desembargudor Luna Freir as se-
gu.ules appell.cocs em que Boi relincho, porm o de EMpoleBo riscou o
Appellante, Joaiina Mana do Sacramento Al- .. ..
buquerque ; appellado, Manoel Joaquim
da Silva.
para lazer-lhe gra
OciviillodeDarioclevni-oaothronocomi1; inaugurar una indigna eservil paro-
dia do imperio, nada era mais proprio do
que a illocuco proferida em LiSo. Desvan-
Appellante, Bernardino de Souza Pinto ; ap-
pellado, Maoocl Joaquim de Miranda
Lobo.
Passarin do Sr. desembargado!- Luna
Freir ao Sr. desembargador Telles as se-
guinteg a noel lacees em que sSo :
Appellante, Ignacio Jos da Silva ; amella-
do, Ignacio Manoel Vicgas.
18 Brumairc eo 2 de dezomliro, c legilimou
urna dynastia inteira. Tacs cous-s pude bem
fazer um cavallo, e um cavallo mesino de
pedra. Mas o imperador leve oulros ttulos
a i i'.. in i i de ; ello foi tres vezes eloilo polo
povo, em que, todava o sobrinho paieco
nSo liar-se mullo ; foi consagrado pelo papa,
honra que poucas vezes foi recusada aquel- | pode lilazonar leriliam
o Supremo Pontifico sob o ios miseros passantes da
les que tiveram i
seu poder ; e relaciunou-se pelos lacos do
.-ao.:ue e da poltica cun todos us soberaoos
do NapoleSo o grande de sua rbita vasta e
eiceuluca para colloca-lo no systema dos
monarchas ordinarios, o presidente torna a
imuno.lo mais fcil, e o parallelo menos in-
vejoso; e com quanto nenhuns louros Ihe
adornein a fronte, o todas as victorias de que
sido ganhas contra
as ras publicas, pelo
sos seus compatriotas. O Sr. Alaina he em
verdade um digno successor do respeitavel
general Pinto, quedeixa o seu po&lo.levati-
dossaympathiis do paiz.
O novo governador rompoz o seu mi-
nisterio do modo seguinte:
Ministerio de governo e encirregado
do despacho das relacOes oxleriores, o co-
ronel I). Bartolom Mitro.
Ministro da fazenda, o cidadSo I). Juan
Bautista Pena.
Ministro da guerra, o general I). Jos
Maria Flores.
Tolos tres sSo dcputidos.
O ministerio de ins.ruccSo publica ja
tioha sido supprimido.
Em nossa opiniSoo desfecho da lula entro
o general Urquiza e o governador d? Bue-
nos-Ayres depende da musa o que esto uii*-..
viou as provincias do interior, eucarregala
ao general Paz, homem de prestigio n'a-
quelli parto da ConfederacSo.
Cartas particulares dizem quo o genoral
Paz officira cudala do 27 doiassado ao
governo do Buenos-Ayres, communicando-
Ihe que se achava no Arroio do Meio, divi-
sa d'aquella provincia eSanta-F, equopro-
corava vencer amigavelmente duvidas quo '
o governo sanlafecino puira sua pissa-
gem. Ugonoral poderia passir para o in-
terior a dospoilo da opposicSo do governo
de Sauta-F, mas desejava, dizom as car-
tas, f'/e-lo amigavelmenlo.
Do Arroio do Meio tinha entrado o gene-
ral Paz em communicacSo com o governo
de Corrientes, e diz-sc que a despeito dos
es/prcos empregados pelo general Urquiza
conseguir esubelecer boas relagOes com o
governo correnlino.
general Urquiza procurava a todo o Irn
ie reunir u congresso de Saota-F antes que
as provincias do interior so proiiuiiciaai su-
hro o movimenlo de Buenos-Ayres. Se o
congresso se reunir, o, como be desuppor,
nnmear ao general Urquiza presidente da
ConfederacSo,- hequasi ceito que a provin-
cia do Buenos-Ayres o nSo reconhecera c
resistir, se quizerem obi iga-la a accoita-lo.
Sera o principio do .urna guerra civil cujo
desfecho impossivel he vaticinar.
En Buenos-Ayres nSo cessao) asdomons-
lra(es deami/a le ao Imperio, que porsous
ltimos e i "Portantes aervicos grang>ou o
respeilo esfleicoes de um e nutro lado do
Prata, e que esmeramos em Dos nSo perde-
r, contribuin lo quanto em si e.steja para a
paz, 11111,1.1 o prusperidado de seus vizinbos.
I lem 23.
O paquete a vapor /rn/waioi,entradolion-
ti'in dos luirlos do Sulf Irai dalas de Porln-
Alegre, at 2 e do Rio Cumio at I do cor-
rente* Conliiiuava a reinar a mu; tiau-
|inli: l.i.io em luda a provincia do S. Pedio
por conloan lo, os para caracterisar a poca t.l qual he
anno; emittii bilhetrs, garantindo a sua Por sua parte Buenos-Ayres nSopolee
totalidade por igual somma existento sem-i nSo quer entregar sorte da guerra civil o I do Sul.
preemcaixa. Pede-se privilegio por 20an-[exito da orgaiiisaco nacional. Tamoeml Os partidos saquarema c
nos para emitir billietes, e que nesse lempo ella quer essa organisacSo, mis nSo como
nSo U permita a creacSo do outro banco na I urna imposicSo precaria, e sim por nelli se
repuhlio, ter consullaJo seus legtimos interosses, e
O governo remetleu o negocioso fiscal, o de suas irmSxs.
Entrelanto, mda pode dizer so ainda
A
Appellantes Ignacio Luiz de Bnto Taborda J.e ^^^ro'peo.'"
"" ""1." : ,",''e,UdM' Mc' ''a""0nt & Que miis pode exigir a legiti mi lade ? NSo
seria de admirar que houvessem Orleanistas
Compsnhia
Appellanle, Diniz Antonio do Moris o Sil-
va ; appellada, Anua Joaquina do Nasci-
mento.
Appellantcs, Cosme Jos Teixeira o sua mu -
Iher ; appellados, Ignacio de Barros e sua
roulber.
e Bourbonistas no paiz c na occasilo, em
que os ttulos eram tSo manifestos e as pro-
vas tilo irrocusaveis ? o n.ais para admirar
Mador Figueira u ....u .. c- dj n d sj b dominio em ISo
guiles appellaccs emquosSo: mj..i. .i.t. ..rei.xi...
Appellante, o juizo ; appellado, Mauricio
Bernardo.
apelille do um mero posto convencional,
polo desejo ar'dentede entrar psra a hierar-
chia dos soberanos, e pelo seu erro comple-
to sobre as causas de seu poder, o as coodic-
C3cs do sua duracSo, podo bem ser todavia,
que elle com aluma conlianca, se lisonjeiu
de ser inteiramente igual ao couquistador de
Merengo, o Austcrlitz.
(Do Tintes.)
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO 12 DE NOVEMBRO l)E 1852.
Ivil'Oii hoja do Rio da Prata o paquete io-
nio lie que o homem que dispOe do com
mando do um vasto oxercito, e tem o po-
der nSo contestado do governar um dos mais
Passaram do Sr. dcsemliargador Telles ao ,, J> e enlren.
Sr. desembargador F.gue.r. de Mello as se- lQ ^ de sj basear 0,aa*amiaio em ia
miscraveis o rasleiros pretextos .' S'jppor
o presidenlo que o u une do iNapoleSo, que,
sendo como he, o elevou sua actual posi- glez Vrince. Traz dras de Buenos-Ayres at
Montevideo at 5 do cirrrente.
blica ii lent i| conlinuava em pelel-
As melhorcs disposicoes animavam
mmado i I aos seus habitantes. Os nomens polticos
Acreditar ello realmonto que se trata a- do uru e outro lado apregam paz e gover-
inda de um engodo, de claco .. ion;.idus de no conslitucionol. A prova da segura tran-
,. cnsul eimierador, do urna consigracSo quillidade em que seguiam esses nossos vi-
Irma" J PP A,"or,m & pelas mSos do papa, de sua nlianca com a zinhos est em que o presidente da republi-
casa d'Austria, de sua intimidado co n os im- ca nSo receiou ausentar-sa da capital, quan-
pera lores Alexindre e Francisco, quo o no- do apenas tem decor.i lo um annodopoisdo
me do NapoleSo he ainda de um poder tal, feliz eii'.o da llianca do anno passido.quan-
que faca bator ainda de triumpho e exalta- do ainda existem germens o causas quo em
c.i'nis coracOes de todos ns francezes? Se- outro tempo daiiam materia para altentados
guramenla o autor das ideias Napotionieai contra a autondade e as leis.
reconhecera que tal homeuagom he paga So A nllmica do imperio, a garanta annexa
genio trauscendciite, s brilnautes fa, uilia.s a i ssa all un; i, n.Vi pdedeixarde ler con-
niililarcs, gloria, quo cativaas imigana- tribu lo para os beneficios da pat de que hoje
ci'ic-, se nem empru satisfaz a rtflexSo ; e gozam os nossos vizinhos. Ilmnens emuiui- I
, i, t ,. anuyo '"" "' u n ."u a ot*m it.iuai ,\i.-i km:a r"IK
Appell.iite, Jos Moreir. da S.lva ; appel- encanto que exerce sobre a al- odeMo
. ',. inlS i' n,h ." ctala, "> < r"slics francezes. a esse insignili- A reput
i- f.. r Sil i? 8 p. K \Z a c""p aoculento lio pomposamente comme- t. paz
do Mello ao Sr. desembargador Pereira Mon-
teiro asseguiutes appellacOes em quesSo:
Appellante, Jos Mamode Alves Ferreira ;
appellada, a fazenda.
ui/i-i, ou pelo
meims os seus cheles, ligaram-se para a elei-
gSo d deputados a prxima legislatura, n
urganisiram urna chapa, da qual excluiram
o vice-presidenlo da provoca. A chapada
liga compe-so dos Srs. desembargador Pe-
dro Chaves, r. Sayjo Lobato, Dr. Froitas
Travassos, Dr. Barcellos, Dr. Francisco
Brusco, o Dr. Mendooca, saodo os tres pri-
or iros apresenlados pelo partido Saquarn..
ma, e os tres ltimos pelo partido Santa
Lats.
Na sessSo de 18 do passado da assembla
provincial explicou o Sr. Pedro Chaves os
ramos desta liga. Por falta da espaco nSo
publica,nos hoja o discurso de S. Exc.
Dosjorn.es ue Porto-Alegre fizemososso-
guiles extractos:
Kallecou no da II de oulubro nosta ol-
ippellado, Antonio
IroiSos.
Appellanle, o juizo,;
Elias Pesaos.
Passou do Sr. desembargador Pereira
Monteiro ao Sr. desembargador Vallo a se-
guinte appcllaco em quesSo:
Appellante, i. justica ; appellado, Jos Se-
verino de Oliveira Calafange.
Passou do Sr. desenihaigador Valle ao Sr.
desembargador Sautiago a seguinte appella-
CSo em que sSo
Appellante, Manoel Elias de Moura ; appel-
lados, Filippe Duarte Pereira c outros.
DISTRI001COBS.
AoSr. desembargador Santiago a seguin-
te sppcIlacSo cm quo sSo :
Appellante, Lopu Cil Faguudes; appellado,
ojuizo.
Ao Sr. desembargador Bastos a seguin-
te appellacSo cm que sSo :
Appellante, a fazenda ; appollado, Jos \ia-
tomo Machado.
Levantou-sn a unto depoil ilp meio dia.
*
A siluacSo do paiz vizinho nSopio lo por21 votos o Dr. D. Valentn Alsina. O
|ue ella seria ainda mais sincera e unam- les no partido que outr'ora pleileou a legiti- considerar-seclaramedte definida depois da general Pinto, governador uterino como
para ouviro seu parecer, que ainda nflo foi
ddo. De lodos os modos este objecto n3o .da attitude quo estas tomarSo em go-al.
pftle ser resolvido SenSo pela assembla le- imprensa de Entre-Ros, que so tem limita-
gislativa, que no se reunir ames do 15 de do ltimamente a contender com a de Buc-
fovereiro. Alcm deste projecto trabaltia-sc nos -Ayres, allega que o general Urquiza tem
em outro para o eslabelecimenlo de um segsrancas da auhesSo das provincias con-
monto de soecorro, o diz-se qua ha algomas servacSo do ajustado em S. Nicolao no da
accOes tomadas. Nada sabemos a este res- 31 de maio, e publicou notes do govorno de
Pclt0' ,Santa F, Cordova, S. Luiz c Corrientes;
...............porm como ellas poderiam emanar da pri-
O vapor norte-americano MannelilaRo- ineira impressSo mal recebida da revolueSo
las vai sahir para a AssumpcSo frotado por de Buenos-Ayres, quo foi lalvez desligura-
agentes do governo paraguayo para condu- da as auas tendencias,visto quo a tacharam
zir4,000espingardas, 3 pecas da campanha de mutirn, nSo seria estrantio quecerlili-L
e 1,500 quintaesda plvora comprados por can lo-se depois do vrdadeiro carcter des-dade, dopoisdo urna longa e penosa enler-
aquelle governo ao da repblica. te successo nao se resolvessom a assumirlmidaJe, o Sr. Dr. Manoel Comes Coelho do
a No ruesmo vapor segu para a Assump- urna attitude hostil para com Buonos-Ayres, j Vallo, ha longos annos residen* nesta pro-
CSooSr. Leal, cncarregado do negocios do quando osla provincia nSo a provoca. I vinci, on lo era cnsul de S. M Fidelissi-
imperio oa repblica do Paraguay. OSr. Os ltimos diarios dessa eidade assegu-: ma. O seu cadver, acompsuhado por eres-
Leal j sabio de Montevideo no vapor da ram lerem-sa recebido all a 28 commuuica- cido numero docidadSos e por urna compa-
guerra Pedro II. rOes olliciaes de Comentos, levadas por um- nhia do balalhSo IV, foi transportado hon-
-.......' expresso enviado por aquella governo; ac- tem para a igreja do Senhor dos Paatoa, o
Estamos informidos de que so celebrou crescentam que essas communicacoos >So hoja as8 horas da manhSa sera sua alma en-
um tratado com S. M a rainha de Portugal, satisfactorias, poim que convm nSo dar- commeudada.
representajpa para esse flm pelo seu ministro Ihe por ora puhlicidade. Dis oito provin- Tomos de informar a nossos leitores de
nesti repblica o cavalheiro I). Leorn'ardo cias rstanles nada se sabe anda. um triste o lamenlavel acontecimonto :
de Souza Leile c Azevedo. Entretanto, querendo o gov rno do Bue- No dia 15 do correle, pelas 9 horas da
..........., nos-Ayres fazer compruhendor do interior
OssenhoresSt Georgee llolhan, rriiiis- a poltica quo o guia, onviuu o general n
tros do Franca e Inglaterri, conlintiam a re- Jos Maria Paz em missSo prra tal lim. O
sidir em Buenos-Ayres. Assegura-so que sou resultado ser de summa importancia
brevemonte virSo a esta eidade. para Bucnos-Ayros; e ja so diz quo algu-
,..........mas proviocias parlilham as ideias quo mo-
O Sr. Cerruti, encarregado de negocios livaram o acoutecimento de II deselembro.
de Sirdeuha, saino para Buenos A y rus para
dirigir-so ao Paraguay DO vapor Manoelilu No da 30, designado para a elegi do
"osas governador proprietario de Bueoos-Ayres,
Relativamente a Buenos-Ayres,diz o Com- proco leu a ella a sala de representantes.
mercindel Piala o segainle: Estavam presentes 41 doputados, o foi clei-
tuogi, do paiz vizinho nSopio topor2l votos o Dr. D. Valeotin Alsina.

FOLJIETIi.
0 PALACIO PWODAN. (*)
por -/Hr. fogmo l^eautooir.
l'ABTE 6EGNDA.
XI
.1 entrevista.
Eatrelaoto o hotel da ilha ial era o nouie
que Ihe davam) se elevava como um palacio eo-
canudo no lugar cacolbido por Bcllerosc, aua
lachada nova admlrava ao aiuiplrs burguei,
bem que no apresentaasc bojos ncui inoldu-
raa ; suas alus janellaa abiindo-se, sobre o Se-
na deiaavaiu ver-se uin mundo brilhanle de
domaduras, de cpulas e de cornijas. O cnivs-
ul doa lustres desluuituava, por toda a parte
remara um ar de granalla e de inageatade.
() fide DUnit n. 20i.
ni "nenio i ag se o carcter do grande lio- mida le de 1). Manoel Cribe nSo so reconhe-
iii-m nao fora manchado pelas fraquezas cero como confossam a verdaJo que acaba-
vulgarcs, que seu sobrioho 13o aociosamen- mos de enunciar. Passado o primeiro mo-
lo imita e osteola. I monto de despeito, despeito at certo ponto
O que he verdade beque nenliu n aconte- natural, as influencias que pertencram
culi o.l i poda sr tSo fatal a reputarlo do parcialidad poltica denomnala de Illancos
primeiro ,NapoleSo, nem concorrer tanto pa- vSo recoiheccndo que o imperio prestou ao
i.i.'hh -ou oslourosquo ello g.nhou, co- 'seu vizinho um suviei niesti navel ; vSo
moa subida, ao poder, de um homem que despindo-so do proveuci5es injustas e apre-
ciun o seu nomo e imitan lo seus actos, tem 'ciando-so sem paixSo e con ju-liei e ami-
conliibuiJo para mostrar no mundo quinta zade a allianca celebrada entre o imperio e a
pnqueniez ha nos grandes ac.iiiiccimentos 'repohlica.
mmamtHttBmsut^atSMtMmmma^BmmmiiBsmswm' a^jaaaaaaag aa=a
i.ia uoite.e largas sombra cobnain oSeoa...
N'um quarto retirado, cojos quadros represen-
tavam pasaaros d >- ilhas, fructos c stiros, jun-
to de n na chaminc revestida do mais bello
malmoie da Sccilia, um homem eatava aeniado
dianlc de urna mesa carregada de papis, mu
secretario escrevia cartas que elle dictava, em
mendando-lhe que safnsse a entrega-la no dia
seguinte logo pela iiianha.
O comediante e o poeta passaram depois Jun-
ios para mu vasto e suinpluoso quarto cujo
meio era occapado por um docel desethn. Em-
baiio desse docel, um lelto collocado sobre um
estrado ostentava seu frontao empeado. Elle
noile, fui accommettida por 7 Individuosdis-
farcados a casa do Sr. coronel Bibiano Jos
t.amono da Fonloura, na sua fazenda de
Santa Cruz, estando elle s a cear com sua
lamilla.
Cuardada a casa por cinco deseos malva-
dos, cotral mu os outros jous, o drigindo-
seao dito Sr. coronel a golpes de espada o
deixaram por morto. Si'guraram-sa das
possoss de seus lilhos, e lorca do mneai.is
obtiveram da senhora do mesmo Sr. coro-
nel tolo o dinheiro, quo Ibes fui entregue,
na importancia de mais do 20:000,000.
O Sr. coronel Bibiano era, como se sabe,
um homem de consideravel fortune, de ca-
rador brando o inteiramente consagrado
revolueSo que leve lugar cm Buenos-Ayres presidente da sala, obleve 18 votos : oga-
o dia II do selembro. Comtudo nSose p- neral lleras, 1 ; o o general Floros, I.
de dizer quo aprsenla tendencias a resol- J a A pessoa do Sr. Alsina leva cm si urna Mioja a cuidar do sua familia.e interosses.
ver-se por meio dos conflictos da guerra ci- garanta do ordem. Homem ilustrado, de assim o seu intentado assassinato nSo se ex-
vil que seria o grande mal a recejar. ; ideias elevadas, tem sabido giangear a es-I plica scuSo para o lim oxecutado de o rou-
Desde que o geoerai Urquiza so ralirou j lima do seus compatriotas, quo vendo-o no' oar.
20 de setemhro, e poder uSo recoiam quo a revolueSo do II de
)o livre exercicio setombro seja mallograda, nem lemem lam-
para Entre-Rios no dia
deixou Buenos-Ayres no
dos s -us direitos, ambos seguiam o seu ca- .bem que ella retarde a iirganisac.lu nacional
minho ateo conseguimento de saus lins res-jpor parte de Buenos-Ayres. A acrisolada
pect vos; o general, conservando o titulo da honradez que o distingue beoulra daa nSo
director provisorio da ConfederacSo. tendo menores quslidados que o recominenlam
quanlo que um corrrio comjaqucia de seda saoctuario forrado de magnificas t.pecariaa de
cor de laranja e vcrinelha esperava as inissiva perolaa com franjas de ouro, era digno de uina
de que oamo ia encarrega-lo. prlnceza; duas figuras era caritide! austenta-
Esae amo era Uelleroae.... Goma barba apoia- vam suas rspessat corlinas. eram o pastor Pa-
da na mo, com ar profundo e meditativo, o ris e Venus. Um genudeiorio c um locador es-
comediante dictava enlo convites a Saint lavam mcllldoa na balustrada cm cima da qual
Amanl, typo pensativo e preRUicoso dos poetas seis espelhos de Venesa com bracos carregados
de enlo (|ue tm un um pooco de ludo, e pro- de luces laucavain cnlao una clariade viva c
curavam o patioc.inio dos fidalgos para abrigar esplendida, O forro desse quarto represeotava
sua indolencia habitual. A cada phraae de bel- a noite com o aeu conejo de estrellas. Uui
lerose, Saint Amant abanava a cabrea, como amores esculpidos ausuoliam a moldura do es-
se scnsiirasse casa reducan, que com elimo pelho principal, medalhaa piuladas de cor ci-
era loitViveluienie empolaJa.... Uoui en,mies xenta, retracavam por toda aparte as sceoas
candelabros guarnecidos ambos de quairo bu- da fbula. O canlao de armas posto,em cima do
gias cada um. mi..... sobre a mesa Torrada leilo eslava vazto....
de tapete verde, um frasco de vinho de Malva- Batial perguntou ellerosc goiando da
sia servia para entreler a longaiilmidade do poe- admiraco do poeta, parece-lhe este apo9enlo
ta. Feilo aecretario, espera de cousa tnelhor, digno de aer cantado ? litio quarto tic dormir
Saint Auunt aaava cm sua secretarte, sesscou da condesil Desia varandaell.i pdc ver apa-
caitas ou bilhetes uuliau, sido expedidos por gar-se as luzei do Louvre, os ruidos da eidade
elle desde a inanhaa, cada-uin com urna formu- eipiraiu aqu,veja Mal se ve um aulquiubode
la variada argundoa claaae do convidado. Ter- barca sobre a agoa, mal se ouve uin tumor de
minado cale trabalbo, lu Iterse levaatou-se e pasaos, reina um silencio de aier iuveja ao dcs-
deu sua correspondencia ao crrelo, recom- erlo! O arsenal com luai estreitaijaoellai apr-
senla a (lireila sua inaasa denegrida, oa olmos Elle vollou para a mesa onde Saint Amant
do caes susurram com a brisa; ah! he tima botuu um copasso de Malvaste
bella ooitel Eu que J vi a llalla, posso fallar-! Aos leus desejos! disae Saint Amant el-
Ihe desse quadro, desse panorama corlado pela vasiaudo o copo, eu vou para o mcu quarto per-
rita ondeada dorio. A la ah banha em pas I lo da praca Uauphi/ie. Nao se esqueca pelo me-
seu disco praleado. Voase nao admira contigo' nos faltar-lhe de mim, Bellerose, quero ensl-
cssaa casas, esses pontos luminosos, c suas gran-, nar-lhc a rimar, isso he moda, hoje nao se falla
des sombras? O onde de Sau Pietro nao podia ,inais se nao em veno.
escolher inelhor lempo para ebegar ; uina ho-j O comediante apertou a mao do poeta ; acoin-
ra depois de meia-iioite espero sua exccllencte | pahhando-o at porta, elle achou utu proprio
nene lugar....
Bellerose fallando assim abri urna das jaiul-
laida raraoda. Saint Amant couieiiiQu-secom
fazer-lhe observar duaa nuveas negras, cujo
corpo alongado, como o de duas phocas, pare-
ca querer escurecer o esplendor do astro noc-
turno. Im vento llgeiro soprava c laocava so-
bre o caes uina nuvein de p.
Temo que o lempo lao gabado por voss
se corrompa, disse o poeta ; na verdade seria
pena que o tunde fosse recebido aqu pelo (ro-
vani.... ouvi a vclha marqueta de I. Fare dlier
que na uoile em que pox o pe no sen caslcllo de
borgonha pete primeira vez a saraiva Ihe que-
braraas vidracas das janellaa; ella mandou vir
ouira vet os cavallos e sahio no dia seguinte. O
conde de San-1'ietro ser menos supersticioso
do que a uiarqueza, meu charo, disse bellerose
disforcandoinal um vigoientiinento de inqule-
tacao.
com uina carta para elle. Apenas Bellerose
abri essa caria deixou escapar um esto de ad
nuraco, o bilhete em qucsio era de Pompeo,
c continua estas simples nalavras.
Meu charo Bellerose, ininh llberdadc se
acha aincacada nesle momento, nao espere pols
ver-me antes de um tempo. Urna vlngaoca
mysleriusa me persegue, rniulia cabera est
premio, occultel-me .em Paris mesmo. Se sof-
h o por vcr-uie assim sujeito s peraeguicoes
n,ais vivas, em desforra una voz lao pura e lao
profunda me consola lauto, que eu quu eacon-
de-la de todos oa olhoi como um thesouro. Mi-
nha vida ctl mudada agora, nao vivo mais pa-
ra mims. t nidia, talvr/ bem breve, nos tor-
naremos a ver, e lue coularei o mais. Entre-
unto receba dignamente seu nobre amo, c pen-
se algumas vezes no seu architcelo Pompeo.
Adcos.*
Percorrendo este bilhele a priiueira ideia de
bellerose folque o Italiano conquistara, os favo.
As autoridades superiores, quo j livorain
coiiliecimenlo do occarrilo, tomaram tolas
as providencias para apprchender o eatregar
uee.io severa da lei os perpetradores de to
brbaro allentido.
OSr. Dr. chefe de polica interino rn-
__
-----H-iXinm-a
res de alguma dama casada, c linha inieressc
em occuitar-lhe sua felicidade. O coinediautu
por uina reflexo natural lobrc si foi ver-ae a
espelbo, perguolando a si mesmo se Bellero,tc
uma ou fortuna mala do que Pompeo. Belle-
rose adinlraudo-seassim com um ar fatuo, pen-
sava na condesas de San-Pielro. Elle nao a li-
nha visto anda, mas fallavam lauto delta em
Florcnca que a curioaidade dessa maravillo, de
belleza o preoecupava. Qual podia ser a mulher
para a qual Carlos Gruyo fteera conslruir'lao
admiravel palacio? Deque natorea era o im-
perio que ellaereicte aobie o ambicioso rapa?
bellerose recostado n'uma poltrona peasava
oslo quando um vento fugoso, ameacou apa-
gar aa bugias postas sobre a mesa de trabalbo :
elle foi apresaadaiucnte fechar a janella deste
quarto.
tm alguna mininos o ceo ao principio l
limpo, se toldara, relmpagos deslumbrantes <>.
sulcavaai, uina chuva repentina que u venlni
acoulava ainda contra os vidracas inundava o
cliao.aolonge ouvia-sc o echo do taio.
Siin-Ainanis, u advlnho ? perguntoo>lel
Irrose a si mesmo ; nesse caao em ve7 de lve-
lo meu secretario devera ler-lhe posto na uiao
a luneta mgica de Noitradaraus, i%)ue oerra-
cao! li un neo., e poique cainnhos o carro d.i
condeasa val pallar 1
Mal lielleroie linha acabado este mouologo
quando o rodar de uina carruageni cnegou-
./


.
w
mt-tieu di vilU do Triuiopho pelo vapor Rio
Vu'deise o pardo Antonio Mirques ila Silva,
preio por desconfl >n$s de complicid.de no
ailentndo de que foi victima o Sr. coronel
Bibiano JosC.rneiro da Fontoura. Acha-ae
ncommunicivel na pristo do corpo poli-
cial, devando sor transfer lo do misino mo-
do para as da cadia civil.
Consta-nos a existencia do urna carta au-
nunciandoa captura de mais ouUo indigi-
lado pelo momo crime; porin segundo nos
informam he noticia que carece do conlir-
micSo.
Bugres..-nevemos ao Sr. Tristo Jos
Monteiro a boa noticia de t-r-se conseguido
doa selvigens conheci los por aquelle nome
a devolucflo das familias quo cunservavam
no sou captiveiro, e que haviam sido arre-
batadaa das coloniza do termo da S Leopol-
do, lima subseiipcflo eslava aberta entre
os moradores do Mundo Novo para pagar o
rosgate exigido palos Mugres, cliegaado ja
a quantia de 800,000, e suppunha-se que
limiten: seria o da da deliberado daquelles
infeliz*.
Consta-nos que grande parle doste resul-
tado devem-o os colonos aos osforcos do
mesmo Sr. Monteiro : e nos, agradecido a
sua philanlroi'ia, fizemos votos para que
encontr da parte da populacSo desla eids-
de e das autoridades provincues tolo o
apoio que morone a sua dedicando.
(Da Jornal do Commercio.)
DIARIO DE PRHNAIBIJCO.
RF.CIFK 22 DE NOVEMBRO OE 18&2.
!'sio Teviot, entrado huntem tarde do
sul, recebemos jornaes do Itio de Janeiro,
que.lcancam a U do corrente o da llahia a
19, aditnlandi tres dial sos que ltima-
mente locebemos pelo Imperalrt*.
Na cile haviam dalas do, lluenos-Ayros
at >, do Montevideo at 5, e do llio Gran-
de do Sul al 4. Km outn parte encontra
ro os leitores as noticias relativas a esses
differentes lugares.
Continuara a fater-ie em socego a apura-
i;3o da ek'ifSo do eleilores do municipio da
corle, sen Jo o tiiumplio do governo pelo
que se tem apurado.
to coiifiirmiiUio com a lei n. 622 do 18
doseUmbro do 1851 rol contratada como
Sr. Jos Ilud igues l'crrira a navoga;3o a
vapor ontro agella capital provincia de
Sauli llatninni, pol i subvencffo auuual d
18 eolitos, com pievilegio por 10 annos, e
havondo oscala p dos puitus do Panoagua e
S, Francisco. Foi m os contrariada com o
inesmo eiiiprezario a navrgaflo por 15 an-
uos, sen lo lOcoin rxclusno, entreo poito
ila mesnii capital o o d i Caravellas, tocando
nos dilferanbjs portos da provincia uo Es i-
lito-Santo, lamlicm pela s il v. 11 ;8o de 18
coolos; e iir.ii assim, a conducho de ma-
las para Santos, duas vezos por inez, me-
diante a quantia de 500^000 rs. mensaes,
licando livro esla navegacSo.
Acoa-se [mis, Comala la a navegaeo
costeira a vapor, independenlemente d na-
vegacSo actual dos vapores crrelos, em to-
da a exlenso de Macei a Smta CatbariOa,
sem iulerrupcSo; e segundo o Crrelo Mer-
cantil, consta que o guverno traa de con
traclar outra empreza desde Maciii at |i
Cea., restando nesse casos penas i nivo-
gHo doCcar aol'.ira, actualmente foila
pelus vapores da compauQia* brasileira.
Ao darmos estas noticias acompanhamos
aquelle jornal ou merecido elogio que tri-
buta ao Sr. ministro du imperio, pela soli-
citud-) com que piomovo a (acuitada das
communicaci3as entre as diversas provincias
do imperio, urna das inais palpitantes de
nossas necossi lados.
Era consequencia da nova invasSo do cho-
lera em ilgaus paites i i i le que elle se commuique a Inglaterra,
Com quem en'retemos frequintes cuiumu-
nicacO'S, prepara-se o guverno pra pre
servar-nos da invisti dessa pede, ouque-
liranlar-lhe a f C, caso tsnhimos a infe-
licidadc do receber a slia horrivel visita, o
que a 1'roviJoucia nSu permitir. Neste
intuito ja appresentou a junta central do
hygiene publica a approva^So do Sr. mi-
nistro do imperio o completo do medidas
.sanitarias, que cnteode deverem s>r obser-
vadas, lio nutro numero publicaremos es-
setrabalho da junta.
O Sr. commendador Leonardo de Souza
I-iite e AzeveJo, encairegado de negocios
le Portugal as repblicas Argentina o O-
iiental, ha pouco condecorado por S. ti. I
com o oiUciliatoda llosa, pelosservicos pres-
tados aos subditos do imperio durante o
ascenos para companhla devipores/diio-
Brtllera, declsraram reunidos em sessSo
que raliucavam as suas assignaturas, e que
estavam proinptos a psgrm as respectivas
eatradas logo que Ihe fossem exigidas.
OSr. Victorino Pinto do S Passos, sgen-
to da segun la companhia de vapores do
mesmo uome cima, conseguio pissar na
corle is 1,200 accoes que Ihe foram desti-
nadas.
As trmsicfles foitis na praca do Riopan
o piquete 7VvJof foram calculadas em 255000
lihr-s esterlinas sobre Lo id es, 850,000 fr.
sobro Franca, e 380,000 marcos banco so-
bre llamburgo.
L-ae no Crrelo Mecantil de 13 do cr-
reme '
.i Cahio sobreS. Cstharioa, durante os
das 27, 28 o parte do dia 29 un temporal
que djiem algumas pessoas ter si lo maia
violento que o de 1838. A enchente levou
sponles dd Imaruhy e de Biguass j esta
ultima fra acabada ha pouco, e custrs 6 a
8.00USO0O, Em liiihy foram 4hiatos praia;
um purtencia ao Sr. JoSo da Costa Mello, e
os o'it-ns dos Srs Desi lorio & Ramos : do
denominado Alvarenga que vinha de Santos
s escaqou urna pessoa, morreodo 9, inclu-
siva o meslro com sua familia. Nio se po-
de anda calcular a totali lade da mortinda-
de ; todos os dias appareciam amds cada ve-
res as praias; foram arrasados engenhos
de serrar, casas e levouras. Em Garopab
foi a praia o hiate perlencente ao Sr. Jos
Alexandre : alm das Torres perdeu-se tam-
in'iii urna escuna, N8o se sabia anda o qua
aconleiia pela Laguna, TaborSo o S. Fran-
cisco. >
Da Babia nada temos a mancionar. A al-
fandega da capital tiuha renlido do 1. a 18
do crrente 214:370.092 rs.
2
Communicado.
II; milita infamia, ha insolencia desmar-
ci la a desse miseavel que, i>rrvaleeendo-
se da.capa do anonymo procura tisnar re-
putscOes bem eslabelociilas, adulterndoos
faclus e inventando cilunmias de.um carc-
ter atroz o execrando He'omita protervia,
lie desafora Tiento nolavol o da io lacero des
se paaquim quo nosla ci lado so publict com
o noine de Liberal Pcrnambucano -o sc-
ceitar os vmitos negros da serpete que s
esconde e ao n osmo lempo derramar por
s>ia conta um jarro dedialrib'S soti'eho-
m'lis conspicuos o respeilaveis, quii com
sscrilicios pessoaes, com urna louvavel de-
licas.io v3o i i -i.....lo ao seu paizrelevan-
lissimos servidos! Deleslavel minia lie
dessa rafa de vboras!
Lendo diversos nmeros d'aquolle pas-
Iiini, tivemos iii-c isi.io de deparar com um
aggrugado de torpezas escripias conlra os
nossos dislinctos e estimaveis amigos major
JoSo Vieira do Mello, delegado do termo de
ilaroar, Silvestre Ant mo de Oliveira e
Mello, capitAo l'ooteado, e outros : e con-
fessamos que semelhanto leitura causou-
nos a inais viva indigna(3o, por vermos a
maneira insolente com que entre un. so
prostitue a imprensa, o deprime homens
ligues ni estima, e publica considerando.
Fui particularmente em o numero 45 do
afarldo pasquim que sol) a epigrapbe-ac-
lioidadc da polica de Caruar um sevaodi-
ja procurou 'erir proruiidamenle a repula-
(3o do nosso amigo major JoSo Vieira em
qualidado de delegado d'aquelle termo, as-
acan lo- he iiiiputafOes que s p lem con-
vir ao carcter negregaoo dos tranquiber-
uios que o detraliom. Miseravel I quanlo
lo engaas procuran lo marear urna conduc-
ta espeitavol por seus nobres precedentes,
um nome a que so associam as ideias de
honra o probidide!
O major Joflo Vieira he um desses homens
que iicrifloindo os seus lolorestes ao ser-
vido da patria, sSu merece lores do mais alto
roureit pela pureza do suas iuleiifOos, e
luabalavel dedcatSo. Peitiiicenlo a urna
lunilla lionesta e numerosa, olio foi inves-
tido da uelegacia, qu m lo o termo de Carua-
r, como que se revollava conlra a inepcia
o in lu. i,na da polica ; acnou ludo des-'
montado no sentido .lo urna bi adminis-
trar-So policial; encontruu a autoridade sem
prestigio; e tevo por consegninto do lo-
lar com embarazos iminensos para cum-
prir a nii.-sri do que se encarregira; fe-
lizmente vio a sou lade um militar chelo
de bro, do ardor e de eothusiasmo i^e-
la ni nuil'm; ni da ordem publica; est
militar distiuclo heocapit3o l'euteado.com-
inandanlo lo Jestacamcnto daqoella locali-
za le, e ajudado por seus estorbos e pelas
dispusieres de urna vontade pouco commum
pJe principiar a restabelecer o crelito da
seu nomo em publico,drscroveiulo as suas
gentilezas dar-lbe hiamos um escarment,
que Ihe llfitria da memoria. Vamos aos nos-
0S adiigs SvksIii-, C C!i!!lO IViiUsu.
siempre que eaOreve obra Caruar a redac-
(io do Literal Ptrnambucano oto ae eiquece de
aggredlr qaetlea doua reapeltaveii amigoa nos-
aoa: aailm o pralicouein o numeroa 27 e 3j, e
em inuitoa oulroa que se oceuparam de calum-
niar c mcnllr da maneira a uiaia cynica e im-
pudente sobre aa eleifSc de atteiubro; mas
perguoiaremoa que motivo ha_para tanta oge*
usa da parte da referida redacto conlra o di-
toa noaaoa amigoa ?
S deacobrlinos un), e vem a aer; pelo que
dlt reapeltu ao capillo Perneado, o haver elle
coucorrido com a energa e valor, de que be
dotado, com a bravura que o deatingue, para
comprimir aa leadenclaa deaaatroaaa doa cons-
liiuinics, e refrear a ouaadia doa criminosos,
que querlain fater daquelle termo o aeu domi-
nio e patrimonial oclusivo ; e einquanlo ao
noaao amigo Silvestre, eaaa ogeriaa que Ihe vota
a gente do Litoral nao lem outra cauaa maia do
que aer elle um boineui de Intelligencla culti-
vada, de rara aclividade, e de um mrito ver-
daderamente Ineonteslavel, a par de urna de-
dicarlo peloa prlncipioa de ordem, de que ae
nao pode duvidar.
. Eii a razio do rancor profundo, que a pha- ,
fange constituate coniagra aoa indicado nos- "r em c. brinco U quil. Arroba
aoa amigoa aJonliouem porm ellea atrilhara'
ineaina aeoda, que a estima e coniideraco dos
homens de bem os compenaaro daa calum-
nias, que contra auaa esliiuaveie peaaoaa vomi-
ta a rel da aociedade. Basta.
U inirntgodot calumniadores.
idomdo dia 22
Kxiiortiico
Liverpool, galera inglezt Columbus de
til l|4 toneladas oonduzio o seguinte :
1200 saceos con 6,000 arrobas de issucor,
1234 siccis com 6,636 arrobas e I librado
akolSo.
Mai-seliia, brlgue francs Paulina, de 200
lonuladas, conduzio o seguinte : 1040 t
ros pao de tatajuba, 2900 saceos com 14,500
airobssde sssucar.
KKCIIIILIIIIIIIA DE RENDAS NTEHNASCI''.-
RAES DEPERNAMBUCO.
Rendimentodo da 22 .... 535,271
CONSULADO PROVINCIAL
Rondimonto do dia 22 1:830,103
348,617 pililo Richard Gobble, carga itsucir e il-
-------- godlo.
3:412,872 Southsmptoo e portos intermedios vapor
inglez Teviot, comoisodintc C H. Ons-
low. Passsgiiros desla provincia, Fernan-
do Belanot, Filippe Stromi lorfon.
Pauta
Correspondencia?.
dot preros correnlet dotatsucar, alyodOo, e
mais gneros do paizqut te detpacham na
meta do consulado de Pernambuco, no se-
manade 22 a 27 de tiovtmbro de 1852.
2,000
i ,oo
miac.
har. e aac. braaco .....
o mase..... a
- renido..........
Algodio emplumado I" qual.
Dilo.........: J. ..
Dllo...........3.
Dito ra caroco
Espirito de agoa ai-denlc.
Canad
Senhores Redactores.Tenham bonda-,*Bu'"ruente zata
de de Iranscrever no seu Disrio a seguinte ."'*"""*......... "
11,1. par. deputado, ger.es : ]".. '.V .' '. V .' \ \ C.n.d.
Conselheiro Antonio Peregrino Msciel Mon- i>lt............Boiij
teiro Licor..............Canad
Doulor Domingos de Souzi LeSo. Dito......, ...... Garrafa
-Antonio Coelho de Si Alhuquerque. Arroa pilado2 aimba. um Alqueira
Desemhargador Jerouymo Marliuiano Fi-
gueira do Mello.
Doulor Jos Tiniina/. Nabuco de Araujo.
Ignacio Joaqui n de Souza LeSo.
Jos liento da Coiiha Figueiredo.
Francisco do Reg Barros Brrelo.
Francisco Xavier Paos llarreto.
Joa i ni ni Pires Machado Poitella.
Francisco de Paula Baptistf.
Podro de AtlhayJc Lobo Moscosrj.
Gcncbr.
Dila.....
Licor......
Dito.....
Arroa pilado2
Dilo em casca, .
I Ateile de mamoua. .
Dito de meiidobim
H.ia de pciic .
du .ni........
Arara. .......
Paiaiaio......
Bolacha,......
biscoiloa *.....
' al, 1)0111.....
Diloraistoll'O
Canad
Arroba
. Urna
. Um
i Arroba *
Tenento-coronel JoSo de Barros Fal- Dito com casca
cSo.
Um matulo.
Dito mido
Carne secca j.....
Cocos com casca.....
Cliaiulosliona ''.
Jilos ordinarios
Dito legalia e primor .
Cera de Carnauba .
lia ii ni velas......
i nlac novo iiiiiod'obra. .
Couros de noi salgados
ito espilados.....
Dito de onca
1,100
3,100
1,150
2,660
6,800
5.4n0
5,000
1,450
450
300
400
300
180
400
ISO
400
4,200
1,200
' 7?0
1,200
I ,80
5.000
10,000
3,000
3,200
6.400
3,8"0
2,100
l,2oo
0,400
^DIAES.
Cento
Srs. redactores. -- Desojando concorrer
com o miu voto para a oleoso dos represen-
lames da nossa ehara patria ; e como lem,o
plena convierto que os benemritos cids-
dSos abuixo mencionados teem a precisa
idonei lade para bem preencher I3q-augusta
mi- ,ia ; submctlo osacon8ideracflo demeus 15iiciledecaDra curtidos-
patricios eleilores da proviocla, pan que os q.cea ce calda
iiiMili benignamente,seassim Ihesaprouver. I ano de Guiaba
I G'noral Antonio Corroa Seira. JDitusecco. .
3 Desombirgidor Bernardo Rebello di Sil- latela.....
vi Pereira
3 Coronel Pacifico Lopes de Siquein.
4 Dr. Jos Nicolao Rigueira Costi.
5 Dr Jos li -uto da Cunha Figueiredo.
6 Floriano Correa de linio
7 Dr. Anselmo Francisco Pirelli.
8 Coronel los Pedro Vellozo da Silveira.
9 Honorio Pereira de A/ere lo Coulinlio.
10 General Jos Joaquim Coelho.
11 Tenenl -coronel Joflo do Reg Barros
Falco.
12 Desembargador Jeronymo M. Figueirade; cacn|,
Mcll- -, '.., Itoiuma .,...
13 Commendador Domingos Malaquias de Gemgibre ,. .
" Ferrera. i Lcnha '
Um Elnilor do Gsranliuns.
Arroba
H
. Libia
. I.i-.i .
. Um
Libra
-- O lllni. Sr. inspector da thesotiraris
provincial em cumprimento d. ordem do
Exm. Sr! presi lent' da provincia do 8 do
correte, manda f-zer publico, que nos das
23, 24, e 25 do mesmo ira a praca pira ser
arromando perante a junta da fazenda di
mesma thesouriria i quem maior prefo of-
ferecer as propriedsdes sbsixo doclaradss
que foram adjudicadas fazenda provincial
para pagamento do sello de liaran;, do ta-
ado Jos Ramos de Oliveira.
Um sitio deoomiotdodoMinoelsto ni
estrada de ponte de Uchoa, com casa de vi-
venda, coxeira, estribara, senzala, e arvo
redos de differentes frutos, avaliado em
6.000,000 rs.
Urna morada de casa terrea" junto io dito
sitio, com seu quintal e com ilguus trvore-
dos, a valala em 2:000,000 rs.
Urna dita nt rui da ponte Velhi do bairro
da Roa -Vista n. 16, com nina meia agoa nos
fundos, avaha la em 2:000,000 rs.
U o dita em S. Am.ru do bairro da Boi-
Vsti com seu competente terreno junto, a-
viliid. em 2:000,000 rs.
Os pretndanles compsreQ.m nos diis -
cima indicados >o meio di. na salla dasses-
sOes da mesma junta.
l pira constar ao mandou alisar o prosen-
tee publicar pelo Diario.
Secretaria d. thesourar. provincial de
Pernambuco 9 do novembro da 1852.- O se-
cretario, Antouio Ferraira d'AnAiuciarjflo
O Dr Gusto lio Maooel di Silv Cuimar3eg>
juiz de direilu da prilieira vara do cive
e do commercio nesta cidade do Recife de
Pernambuco, por S. M I. o C. o Sr. D. Pe-
dro II., quo Dos o guarde ote.
l-'.ii;ii saber aos que o presento edital v-
reo), que no di. 23 do corrente mez, se hade
arrematar por venda em praca publica, que
ters lugar na cisa das audiencias desto ^jui-
zo, a 1 bora di larde os esclavos segu lites :
Matbias de nac.lo rebolo, que representa 35
annos, do servico de ganharna ra, avaliido
por 500,000 rs ; o Pedro cibra, que represen-
l'tan l* 35 snnos.do servirjo de ganu.r na ra ava-
i"0 : liado iior 250,000 rs. por estar doento, pe-
',,,1,1 nhoralos a Umbelina Cauli la de Mello, por
._,,-,,. execui;3o de Isabel Joaquina Moreira de Car
li'aaii valho. E para que chegue a noticia de to
8,000 dos, maiiil -i passar > tilu-s que ser.io alixa-
H0 dos n. praca do commercio, e na casa ,i
115 audiencias, o impressos no jornal.
'60 |)ad0 |,assa,ln nesta cidade do Itccife de
2oo ''"nimbuco, kos 8 de novembro de 1852
JJJ Eu Manoel Joaquim Baptista, escrivSo interi-
no o escrivl.
Custodio Manoel da Silva GuimarSes.
Arroba
a
Um
Alqueira
galopa niclonal
Dita ejlraugcia mo de obra
Espaiiadoick- grandes.....
Dilos pequeos......
lamilla de niaudioca ....
Dita de mllho.........Arroba
Dita de aramia .
a-eijao.....
$ linio 11, IM I
Dito ordinario.'. .
Dito em tulla l "i i o
Dito ordinario. ,
iiiin iasiuil'0
200
400
480
1,000
1,000
i.mlii
I,0'|0
1,100
1,000
2,56o
Declara*; oes
De ordem do Dr. Francisco Rodrigues Selle
jai! do commercio da segunda vari ote.
Ka so scente aos credores do fallido Mo-
rios & Soares pa a que co nparesam em ca-
AlqueUc 4,000 ga j0 mesmo juiz na ra Nova das Flores n.
n 21, do bairro deSanto Anluuio do Recife no
da 25 de novembro do corrente, polas I
llora- la manila i a lini de se contiilUir n.
verilicasSo dos crditos ; formar-se o con-
trato de uniflo o se proceder a nomoacSp
de administradores da casa do mesmo fall
Arroba
A. P.
Alquelre
Arroba
' i ni"
5,000
3,1100
,0a0
4,000
3,000
a5,000
,0u0
2,000 do, Picando os c edoros advertidos que nSu
COMMERCIO
PRAGA DO RECIFE 22 DE NOVEMURO, AS
3 HORAS DA TARDE.
COTASESOrrlCIKS.
Compras de assucar.
Cambio sobre Londres : s 28 1)4 d. 60 d|Vi ,Cojtll(llu,,odei,110'......
dinheiro. So-lhodedito
ALFAMIEGA. |., ,u de achas
lillas de 1(1111)......... '
Prauvlias ue amar. de2 cuitado Lm
Ditas ,,e loui-o....... "
Gustado de amarello do 14 a 40
p. de c. 2 V, a 1 del.....
Dito dllo usuei. .......
Caladiiiho de dito .......
."ioalhodedilo ....... *
Forro de dilo..........
Collado de louro
lien,I inmuto do da 2a 20.
dem do da 22.....
lempo eniaue o Brasil esleve sem represen-! autoridade, e a coiiter as p.ixOes crimino
Lint" coi Buenos-Ayres.acabalambemde ser sas, quo se acia ya m desencandeadas : insto
agraciado por S. M F. com o titulo do seu devia elle ser coadjuvado pelas autoridades
cuqsclho, em remunerasflo de seus longos e superiores da comarca, mas assim nflo tem
valiosos ervisos. [acontecido, e desla circumsl.ncia por sem
Foi mimosea lo por S. M. el-rei de Portugal, duvi I. fatal a polica do le mo,resultou nio
com um i iqiiissimo habito de Quisto, o pin- poder at boje completar a grande obra que
lor retratista do llio de Janeiro, o Sr. Hruin- priucipiara. Aiuda se praticam alguns cri-
liolz, em sigrial do multo que licou salisfei- mes uo tormo de Caruar'; he verdade, e
to com o retrato que por sua ordem tirara desgrasadamenle ha mui pouco tempo o
de s. M. o Imperador | gosso querido amigo o major JoSo Guilher-
O poeta Sr. Jos Ignacio Ferreira Mar- nie ali foi victima do bacam.itedo C-
ndense foi condecorado porS/M. F. com o ruarenso. ou dos seus amigos constiluin-
habito de N. S. da Concejero da villa Vi- les; furtam-sc civallos, mais n3o acontece
Sota. outro tanto em todas a's comarcas da provin-
O Crrelo do Brasil de 25 do pasudo sn- cia, inclusiveu desla cidade, e mesmo as do
nuncia que fora revogada a orjem inteira- Rio'de Janeiro, onde a civilisac,3o se acha
da ao Sr. Antonio Pinto da Fonseca, "neg- mais adiantada.e a polica tem outros meios
ctaule da praca do Rio, par. sahir do nnpo- para prevenir e lepiiinir os crimes ? E por
lio. i ventura as autoridades dessas outras comar-
O vapor do guerra hrazileiro Amazonas, cas silo tachadas de conniventes pelo simples
emviagem da Babia para o Rio, aba roo u e ficto de nflo poderem aianbar, o recolher a
ir.etteu a pique o brigue hrazileiro Sara, sa- C'deia todos os criminosos, que pisam nos
hidodu Rio para a L'ahia, na noite de 6 do districtosdesuas jurisdic>;es?Certoque nflo.
curenle, latilude do 20 38' 46" o long. de Tambom o Sr. Catanho em qualidado do
118 31'. e 52" tIE de Greeuwich. Salvou-se juiz municipal da Caruar' pode mandar
apunas a l'ipolas^o constante de 15 pessoas prender e (.rocessar os delinquentes,e soex-
o 2 passageiros que foram recolhidos bor- i -le n sil tantos ladrO s de cavallos.e outros
do do Amalnos. criminosos, como alllrma o Garuarenso, por-
Ocapilio de mar e guerra Antonio Leoca- que motivo S. S. n3o exerce contra ellos as
dio do iloutotouioii posso no dia 9 do cor- atlribuic,0es, que a le Ihe tem cooliado ?
reol i do lugar de io ten-'ente do arsenal de Porque razflu o miseravel espoleta do Lbe-
niariuha da corto. ral Pernambucano 0 u3o aecusa do iirdolen-
O Sr. Dr. L.llemont fui nomeado pira le c relaxado ? Bem sabemos donde partem
neiubro da Ijuiili central de hygiene pu>- asdiatnbes; bem conhecemus o covarJo,
blica, em substituido do Sr Dr. Antonio que trair;oeirainente aggrede os nossos a-
i '- i: un-, que fo< exonerado. inigos delegado, e oulrus, e se livesseiiios s*
Os negociadles do Rio, qu suliscreveram fortuna, do qoo elje S i resolvesse a exhibir
~ -aanr
Ihe aos ouridos. (load uu menino instante um S.in-Pieiro apai tuu seus cabellos cun una nio
relampj o lvido clareou o parapeito do caes vagarosa, e litando os olhos uof esplendores do
n'Mij o um grito de terror labio do fundo da lugar em que ae achava, como airavez de um
earruagem ; o ralo tinba cabido deacrevendo veo perguntou locando em Sius vestidos bumi-
uma serpente de fogo sobre um doi cavallos, o doa da chuva :
qual canto asphysiado. Onde eitou eu ? quem he que est ah
Consultando sa aua intrepidez, um rapaz dlante de miiu ?... Sim, coutinuuu ella, lem-
abiio a portinhola t tomou nos bracos una mu- bio-me... j acorde! urna vez gelada pela agoa
iVi uiai. ni o 111 do que viva Uellcrose periur- que corra assim pelo meu corpo, um hoiiicm
liado ajudou-o logo :uma vaatasala os recebeu. eauva lambein a meus pea... iaao fazum an-
A coudeaa de San-Plrtro eslava to paluda que no.'.Uhl meu Dos, meu Dos, conlinuou ella
pareca um inarmore lavado pela ebuva. S o Cobrindo o rosto com as nios, >sso he hor-
itajelo do paleo para a sala fazla della um ver- rlvell...
dadeiro objecto depiedade ; o vellido o. cabel- Therealna, disseCarloa vendo-a assim des-
loa, v vii tudo e.tava em desordena, ella eslava vairada, tranijullle.e-se.
sem falla ferida'de umeatranbp e mudo ealu- Maa onde eatoueu entio f perguntou ella
por, como urna muliier, cujo corpo bouveaae de novo erguendo-ac n'uin sopb.
ido locado pelo ralo. Km aua casa, I hcrezlna, eale palacio Ibe
Cario, pegou-lbefoas mSos e procurava aque- perteuce. Wo lera elle o doin de agradar-lhe,
-la. ; mas oa olnoi da Tberezin. alud, ae nao acha-lo-h. Indigno de recebe-la ? ralle, aua
nbam aberto. voz eate palacio taciturno ae eiclaieeer; falle,
Inaenilvelmcnte eise terror horrivel ae foi e em tres das lodos os buinen. eapleudidoa e
acalmando ella recuperou .razio, e lancou em mulhere nobre. e bellas que Pari. poasue fi-
lme* de si um olhar peaado. rao rodeia-la.
Ilelleroae j um pouco tranquilizado a ad- K como ella eslava calada, c absorta na con-
mirava anda n'uina especie de ealaie, quando lemplafiio do que via enlao, Cario, conlinuou
i irlos l'.rajyii acenou-llie que n delaasse si. inoslraudo-lbe o. quadros de.ie lugar.
Aproilmandn-se entilo de l'hrrejina o rapaz Nao la))', senhora, a hislorla de Daoac
.ajoelhon Junto delta esperando que fallalie, que anin a Jpiter .' Ah voii he inais bella
Descarregatn hoje 23 de novembro.
Barca ingleza -- Wear ofOack lousa e
carvSo.
Barca americana Muran farinhi de
trigo.
Brigue inglez Euryiice b.c.lho.
iiilMirtiieao
Vapor hrazileiro Lnperalrlz, vindo doi
Portos do sul, manifeslou o seguinte:
1 pacoto; a Novaes & Companhia.
2culotes ; a Lemos & SimOes.
1 dilo ; a Christiani IrmSu.
1 dito; a Joaquim de Oliveira Man.
1 dito ; a J. Falque.
1 dito; a Keroando Jos Rocha Pinto.
1 dilo ;a L A. M. II nriques
1 dito encapado; Ricardo Freitls Rtbeiro.
1 caixi; a Demene Leclere.
1 dita ; a Keller & Companhia.
1 dita ; GuilherineSilve Cumenles.
1 pacnte; a JoSo Pinto de Lemos.
1 caixote : a L. A Duburque.
1 caixa charutos ; a Roberto Duton.
I dita encapada ; a Manoel Karros I! irreto.
I pacoto; a Jos Martjns Vieira.
i caixute; a E A. Burle
I amarrado charutos; a L. Lcconto Feror
& Companhia.
Unte nacional Novo Olinda, viudo do As-
s. manifestou o seguinte :
30 ssccas caf ; a Jos Baptista da Fonse-
ca Jouior.
82 ditas arroz ; a Manoel da Silva Santos
29 ditas dilo; a Jos Jacomo Tasso J-
nior.
58 ditas caf, 300alquciros sal, Io mullios
pailita; a ordem.
CONSULADOGERAL.
.334:635,953 Ditoa de cedro........
. 13:636,184 Toro, de tatajuba '
Vaia. de parreira.....,
348:272,137 oaa de aKuiiliada. .
Dual de quina........
Rodaa desi.uplra para carros
Elxos de ditas para ditos .
Metan............
Milho .........
Ped de molar......
IIII..S .le lltU "........
Ditas deTebolo........
Puntal de nol.......
Piassaua...... i
> a., ou vaqueta........
ScitoL'ii) lama......r ,
Pelles de carneho.......
,-arva pemil......
Tapioca...........
Lnii.is de boi........
iaua)..........? '
Quiufal
Duzia
ser3oadmittidos por procundorsi esle nSo
apresonlarprocuraslo cun poderes eape-
ciaes para o acto, e quo a procuraste nSo
p le ser dada a pessoa quo soja devedor ao
fallido nem mesmo um procurador repre-
sentar por dous diversos credores. Recife
20 de novembro de 1852. O escrivSo, Ma-
noel Jos da Motta.
- A repartisSodas obras publicas eom-
pn pira a obra da cusa de delensSo os so-
s.Ji'O guintes objeclos : 600 palmos correles de
J'"' cantara em bruto do quilidade denomina-
;'!ul do Molaliuhi de 15 pollegidas de largura
f',r em quadro, e de tamaito io 7i9plmosca-
.'.< da urna : 200 palmos crrente, da mosma
i,(no
'.i.'iiui
11,000
7,000
20,oOO
10,000
7,000
(i.ono
3 600
6,000
cionar, e vende-.s limbem pan all i di-
nheiro visla, sem premio algum. Banco
de Permmbuco 18 de novembro de 1858.
O secretario do consellio di direcc8o, M.
I. de Oliveira.
J3nco Por ordem do conselho da direcs>o do
hineo de Pernambuco, se ivisa ios Srs. sc-
ciontstts que i terceira e ulii na prestisfio
de sois accOcs tem de entrar pin a caixa do
mesmo banco, desde o di. 9 15 de Janeiro
prximo futuro, eui cujo icto Ihes serflo en-
tregues as iiu-smiis acgOos. Banco do Per-
nambuco 18 de novembro de 1852.O se-
cretarlo do conselho de direcgSo, M. J. de
Oliveira.
la'oin[iciiiliia de Behiribe.
O directoi da companhia de Be-
hiribe convoca a assembl'a geral
dos senhores accionistas, para o
dia ?4 do corrente, as io horas da
manilla, lim de se dar cumpri-
mento ao disposto no artigo 17
dos estatutos, e de se tralar acer-
ca do nono dividendo. Escripto-
rio da companhia de Bebiribe i5
de novembro de i85a. O direc-
tor, Joao Pinto de Lemos.
Publicacao litteraria.
Sahio luz a tercoira ediesSo do resumo
de irythmelic, pelo mtigo professor de
primeiras letras Uardim, quo tanta estima
tem merecido do publico ; vende-se a 640
rs.: ni livrana u. 6 e 8 da prifi di Indcpen-
depcii.
THMTllO
. Par
Canad
Alan 11 ,-
Uiu
Ceolo
.M llio
Meio
Arroba
Una
Arroba

Cento
Libra
1,1180
1,000
'.11,11
40 000
18 000
HO
3.500
iO
0,000
800
a.juo
3J0
3,400
4,000
aOo
l7,0i'0
3,200
3110
l'MI
da urna : 200 palmos c
qualidade cima delO a l5polleg. gura e grossura, o 9 Jajmos de comprimento
cada 11 ni 1 : 200 palmos crrenles da mesma
qualidade actm. de 8 a 10 pollegadas de
lirgnn egrossuri, e 6a 8 palmos de com-
primento cada una : 50 canoas de araia para
a ni ss id,ir, leodo cada um 1 10 menos de 9
a 10 toueladas. Tola acuitara ser posta"
ao p do guindtsto da obra para ser descar-
regada pelos operarios da mesma obn, po-
rin a areii s-ri descarregidi pelo fornece-
dor em cima do ces. As pessoas que taes
objectos quizerem vender, compirecam 110
-lia 27 do corrente nesta reparligSoao meio
dia, trazando as suas propostas em cartas
fechadas. Directora das obras publicas 22
do novembro de 1852 -O secretario, Joa-
quim Francisco de Mello Santos.
- O arsenal de marjal)! almille para is
suas obras ollciaes de carpinteiro livres :
..,.-j. o lia 22 as pessoas que quizerem sor admitlulas ,
Navios entrados na sM 22. ^p,,^ nJn secretaria para esso m.
Lisboi --38 din, barca porlugueza Ligeira, j ..-fondo o arsenal do nisrinlia annuncia lo
de 219 toneladis, capillo Antonio Cor- Q foriiacment0 pelo espaso de tres mezes de
mano Soares; equtpagem 19, carga vinho Jra Ue cinlarj, brula, de 9 a 12 polega-
e mais gneros ; a Oliveira Irmaos. Pas-1 di3 de g|.0,3Ura e do 12 a 17 ditas, para as
sageiro, Maooel Antonio de Cirvilho e 1 br (|0 me|horament do porto, e coropa-
crtado. recen Jomo individuo smente propondo-sa
Philadelphia -41 das, barca americam oon,r,ltr esse roriieotment, de novo, se
Marian, de 276 toneladas, captlSo II. Le- !Cljnvlja as pessoas que isso se quizerem
lan, equipagem 12, carga endis e fa-1 u0r, aqueco.ne.resam nesta secretaria
rinha de trigo; a Djane Youle & Com- no ^ u dl) correnle, 00 meio di. com as
suas propostas em carias fechadas.
O arsenal de maruiha compra ostopa d"
Movimento do porto.
Terr. Nova 35 din, escuna inglezi IJuk,
lo 145lonelilas, cspilSo Johm Prowse ',erra.Spessoasque 1 quirerem vender.com-
quipige.ii 8, cirga WMf'JOM *** | p.resam nest. secretar la no dia 24 do cor-
rente.ao meio dia cum as suis propostas em
cartas fechadas.
ii ni o de Pernambuco.
Rendimeuto do dia 2
dem do dia 22
20
. 33:800,287
. 2 181,228
.35:981,515
DIVERSA8 PROVINCIAS.
Rendimeuto do .lina .. 20 .2 181.255
Confeisoquc procurargradar-lbe he una em-
prez, ternera, ia, 111.a eu Iental e.sa empreza,
esta morada ha de ser agora a aua.
- Assim cuino um peregrino milagrosamente
salvo consagra cleroaiueme por um monumen-
to,ou um altar a memoria do perlgo.deque una
inii'i vencan celeste o s lU.-ira, eu quiz, ediear
no selo mes.no deita cidade um templo i m|.
nhai lembraocas, e a uiai.profuuda, e a mais
querida, c a mais Indestruclivel dessaa lem-
braocas nao era a de aeu liframento, Tbcre-
1 n 1 ? Al) 1 1] 11 ni 1,1 achei-ine, aem saber, felto
actor nesse drama alnilro, ein que ae tratara
de sua perda, e.n que ludo, ae ligava contra
vosi, meauo de noite, quando oa praia do
barqueiro cu me ajoelbei, ha um anno, nada
esperando senau do co, pode aoaao vosi pen-
aar que aaoa anjos um volos dellea ouvido?
No meio dos aeus gritos de espanto, diante dee-
sa muiii' que a disputara ao meu amor, ore!,
orefc mullo lempo.. Maa einm o cea foi pto-
pricio a meus desejoa, elle periniue que eu tor-
ne a ver eale paz, onde voaa digoou-ie de
abrigar-ie sob o meu nome para desconcertar
delta ve. icui lolmigoi.
Traaquitliie-se, aenbora. conlinuou Garlo.,
crdito de Rlchelieu est j gasto, Masarlo
coraeca, ecom elle um novo reinado. Abraaua
alma eipeanca, veja o luluro com um ar cal-
d
Ih.o; a Le llreton Schramann & Com-
panhia.
M.cdi 5 das, barca Oriental Petrus, de
823 toneladas, capitSo Wagtendaok, equi-
pagem 22, carga assuc.r e algodSo ; a
Ueane Youlle & Companbii. Veio rece-
bar ordeos e sogue pin Liverpool.
Navios sabidos no mesmo di.
Philadelphia -- biigue ameiicauo \V. Price,
capitSo Daniel Quig, carga assucar e cou-
ros.
Liverpool galera ingleza ('. ilumhus ca-
Por ordem do conselho de dlreeejto do
banco de Pernambuco.se faz publico, que os
descontos de le rus com o vencimento at o
flm de Janeiro vindouro se fazem a 9 por
cento, o aquellas at 6 mezes de prazo a 10
por cento ao anno. Compra letras de qual-
quer quantia sobre o Rio zos rasoaveis, pelo pro nio quo se conven.
vosi i se depois de ter vagado algum lempo, tivos graves
cicolhi a Kraoca para lugar de aeu retiro e do dade 1
meu, foi porqueo aeu lugar he na Franja. A
leiiipt-siade se diislpuu, rcconlHaJo aqu o rio
de iiiargena verdea, que banba mnilia cidade.
Cbegue a etla varanda, a uoile tornou-se oul.a
vez serena, o cea Ibe sorri, e eu estou aeus
iudicado o lado oppusto da ci-
de-
1 oinmovian c palpitante como aehouvene pas- do que .lame, do que Venus, do que Diana, mo e lirine. Depois desse duelo, em que meu
sado 1 distancia deum precipicio. .1 condeasade mais bella do que Areibuia, e do que Dapbnit / miinlgo cahio, a fgida foi-rae acooielbada por
ps.
A condena de Sant-Pietro appoiou a mao o-
bre o ferro da varanda, mas retlrou-a instinc-
livamenie, como ac sculisae o contacto de urna
cobra,
yue tem voss ? perguntou Cario..
Nada, re.pondeu ella, mas tudo me per-
turba, tudo me a.iusta. Eaaa. ouda do Sena
mesmo tem urna tintura de aaogue Vejo re-
lleclir oellis alternadamente a sombra verme-
Iba do Cardeal, e a dease bomeui que me rou-
bou o nielhor da inlnha vida, a de Samuel,m-u
perseguidor niuruiurou a coodeaa sem que
liarlo, podeste ouvi-la.
Carloa Gruyo eslava com effeito encantado
dessa deslumbrante morada, aduilrava-ac, e fe*
licita*a-se, porin por mais que zeaie, eslava
vivamente preoecupado. Einquanlo Thereatna
fechav. a janella, elle aproilinou-.e da urna
campainba, locou-a, e Ilelleroae appareceu.
__ Vosit" nao cumpli lielineule as minina
initruc(Oei, disse elle ao comediante, para que
eicolheu este lugar, quando eu liaba por mo-
Oellerose balbuciou algumas e.cusas
pol. conlinuou : ...
_ Fit lodos o. convites. fe.ta ter lugar
danui a Irea dial, e espero que o senhor conde
lie... s.itisfeu > .obreesse paulo.
_ Urna feata, um baile 1 perguntou a con-
dessa com agona.
Ao mesmo lempo ella silipiravae ioierrogava
com um olbar trmulo e absorto o semblante
de Cario..
__ Uellerose, toroou este, conduz. vosi mes-
mo aienbora para seu quarto de dormir, ella
carece de repouso.
Apenas enlrou neaic lugar radioso, Tbere-
sina deisou-.e cablr com oppresio n'niin ca-
deira de ln .icos sem ao menos lan;ar um olbar
para as 1 icas douraduras ; oa joelhoa e a voz Ihe
iremiain....
Velare! junto della eata noite, cliso- Cario
ao aeu confidente com ar assustadp, a fadiga da
viagein, a terupesiade lalvcz.... nao lena oada
que entregar-me t
Perdde, senhor, disse Bellerose iuclinan-
do-se com ar maligno ; apenas chegou, j cor-
remaposdo senhor. KU aqui mn bilbele, que
um joven pagem com o chapeo mjrsteriosamen-
te embicado aobre o rosto me trou.e. Cuidado
com iiso I as Italianas, quando clo.aa, lio mal.
Quinta feira q5 denivembro
de i85a.
Recita exlnordin.ria, livre daassignatun.
Depois da eaecucSo de urna escolhida 011-
verlun, subir 1 scens o drama em 3 actos,
dia brina
OU A
COMA DUCAL DE PUH.
PERSO.NACENS.
R.muzzio 3 Gran Duque di Pirm -- O Sr.
H. J. Mendos.
Francisco, condestavel O Sr. M. J. Pinto.
Conrado, soldado da guara de honra--U
Sr. J. J Bezerra.
Principe Eduardo -- O Sr. L. C. Amn lo.
Mrquez da Torre, camarista O Sr. L. A.
Monteiro.
Slenio, ollicial di guarda de honra --O Sr.
R. J. do Araujo.
Juiz supremo O Sr. J. J. Pereira.
Odlcial da rnnda O Sr. Rezende.
Medico da corlo--O Sr. Santa Rosa.
Helbilde regente de Parm A senhora Ii.
Amalia.
Gahnna A senhora D. Minoellt.
Iluzavo--N. N.
Um-lidalgo N. N.
Sol lados, officiaes, (Jalgos e povo.
Seguir-se-ha o lindo duelo do
iiloii inlio e a Pobre.
Finalisar o espectculo coma bella larga,
Os limaos das Almas.
0) hilhetes acham-se disposir;3o do res-
peilavel publico no escriptono do theatro.
Avisos martimos.
Para o Porto aahe em poneos das a
'barca portogueza Flor da Mais, capitSo Jo-
s dd Azevedo Canario pan carga ou pas-
sageiros, trata-se com Minoel Joaquim Ra-
mos e Silva, na na da Cadeia n. 38.
Para o l'.io de Janeiro.
O brigue esenm nacional Olin-
da, segu co.n muita brevidade por
ter a maior j> 11 te de seu carregi-
menlo tratado : para o resto da
carga e escravos n (rete, trata-se
com o cipito Manoel Marcisno
ferreira, ou com os consignatarios
Alai) ulii & Pinheiro, ni ra do
Yigario n. 19, segundo andar.
Para o Ufo de Janeiro salte
no dia 26 de novembro, o brigue
nacional Sagitario: para o resto da
carga, passageiros, ou escravosa
frete, trata-se na ra do Collegio
a. 1 segundo andar, nu com o ca-
pitSo Joao de Dos Pereira.
Para o Ararat;
Sahe com muita brevidade o hiate Flor do
Cururi. e por ja lor parto di carg; pan o
resto e passageiros, trata-se ni ra da Ca-
deia do Recife o. 49, primeiro andar.
Para 1 Uihit s.hc nostes das o hiate
Novo Olindi; pin o resto di carga e passi -
geiros, trata-se com o seu cinsigoatario J.
J. Tasso Jnior, na ra do Amorim 11. 35.
Para o Rio 1.raudo do Sul com escala
pelo Rio de Janeiro, segu viagom imprele.
r 1.'t 1111 111 *r csts ludias, o bem conbe-
: -i-!~j-n ut j 11 m
teinfveii do que a lempestade desta noite, mais
cruels, e mal. Impl.cavel. em su. vinganca do
qUC um un nislio
hasta de palavras, d-ine esse bilhete.
O comediante obedeceu e entregou a Carlos
o papel guardado cuidado.amenle na algibelr.
de seu gioao, dizendo :
At niaiiliaa, -:n estrella o proteja I Oc-
baizo deaae. tecloi de ouro o. .oohoi devem
ser de lirios e de rosas. Seu Intendente calar
s suas ordens.
Apcn.a Ilelleroae labio, Cario, abri o bi-
Ihelc ; ei. o que nclle conUnha :
,1 A'a oito bora. da noite, senhor conde, ache-
se no lugar da antlga moupana do barqueiro i
ahioeapero. Lembre-se do seu pacto.
A asalgnatura do'bilhete era : Ocavallciro
da Mascara aiul.
Que cousa eilranha disse Carlos com
ligo.
Elle poz-ie a usurar apresiadamente alguna
segundos, repanando na uemorla lembrancas
oppressoras aem duvlda, porque o auor come-
cava a molhar-lhe o rosto. Einnin endlreilan-
do-ie eiclamnu :
F.uirei.
fToii/iHiiiir-J-'ii. )


**
cido brigua l.eo ; recabe cirga e escravos a
felo pira ambos os portos.leodo lugar so-
mente para multo pouca carga por ter a
maiur paite; para tratar, com los Candido
e Barros, no sea eaciiptoio na ra da Cruz
n 66.
JLeilo'es
-- Manuel Joaquim Ramos e Silva far
leilflo, por otervencSo do agente Olivoira,
de grande sortimento de fizeudfls iiiglezas
todas de le, e rerontemente importadas :
quiola-roira, 25 do corronte, As 10 horas da
roanhSa en ponto, no seu annazem ; ra da
Cideia.
-- Vioente Ferreira da Costa, 'ara leilSo,
de 3S caias cada urna com ii queijos Oa-
mongos, denominados trabucos, e superio-
res a quintos sSo aqui importados, poia
so demasa'a oais apreciada na Europa:
quarta-feirs, ai do correte, as 10 horas di
manilla, no eeu armazem, ra da Madre de
lieos.
Quirti-fein ai docorrente, as II ho-
ras da manhSi, na ra do Trapiche n. 38, do
armazem de M Carneiro, llavera leilSo por
i ii t ervencSo do agente Robarts do seguiote:
mobilias tanto para sal como para quartos,
sala de juntar, cosinha, etc. etc.; assim co-
mo lamber ira a leilSo um excellente bilhar
com lodosos pertenci>s,i>annos, candieiros,
o vidros de diversas qualidades, apparelhos
lauto de metal rumo de porcelana para ella,
estojos tanto com facas e garfas como com
colhores de prala para ch.paliteiros de pra-
ta, relogiosdeouro patentes, o outros diver-
sos iihjrot->s que s>T.lo ontregnes por qual-
quor: i'.i.....II'.".-. i lo
Brander Brindis & C. farjlo leilSo,
por intervencSo do igcnte Oliyciia, de um
sortimento de ferragens grossas e linas, cu-
lili'rias, lintias,sabouetes de sini-nores qua-
lidides, e muitas uutras merca lorias que
Si! VOlldcrSo SiMII 11 miles pelo man,l p'ccn
i|iie se offerecer, vi-lo ser para si fecliarem
facturas com o llm do aono ; lerr;a-feira 23
docorrente', is 10 horas, no seu armazem,
ra do Tiapichc .Novo n. 16
Avisos diversos.
Lotera de Aossa *eiilioni
do osario.
O thesoureiro annuncia no res-
peitavel publico que, as rodas da
mencionara lotera andam quinta
fera 25 (lo correte, e no dia a6
aprsenla a lili nos lugares se-
quintes: loja do Sr. Fortunato,
liotica do Sr. Chaga-, e na casi da
Fortuna, ra Direitan. 7, e paga-
se os premios de 8 a 4o,000 rs., e
os outros depois que .-iliir a lista
gerel.
O cautelista Salustiano de
Aquino Ferreira avisa aorespeita-
vel publico que, paga as I'jas do
Costme OStlous meios blhetes da
10. lotera da V. O Terceira de
S. Francisco da cidade da Baha ,
nmeros 277^,em que sabio o pre-
mio de 4^000,000 de rs.
Na ra do Cabug, loja de
miudezas u. 1 C, deaeja-se (Miar
ao >r. Jos iierculanu Ue Garva-
JI10, a negocio que lite tlii respei-
lo, 011 anuuncic sua morada pata
ser procurado.
Precisa so de um bom padeiro para fu-
ra da cidado cinco leguas : quem quizer
contratar, uirija se a roa Augusta n 49, das
6 as 7 horas da manilla e das 3 as 6 da tarde.
-- Rog.-sa a pessoa que acliou urna carta
viada da Ualiia pelo vapor Imperatriz, para
Joi Luiz Pereira, o favor de entregar na rui
Nova n. 16, que se Ihoficiia agradecido.
Antonio Moulinho da Silva, relira-se
pan fra.
-- Uluga-se urna casa do i'oco di Pinelli,
com tres quartos e alguns trastes dentro, he
annexaacasi do senhor padre vigarlo: 1
tratar na ra estreila do Rosario, venia n. 1.
iui.-ier.--M' um moco brasileiro para
caixeiro da qualquer negocio, tanto napra
ca como fra delta, dando fiador a sua con-
ducta : quem de seu prestimo ae quizer uti-
lisar, diriji-se 1 ra Nova a. 1.
- Precisa-se alugar um escravo que seja
fiel e nao seja bebado,e lambem se compra,
sendo do seu agrado : na ra Ilireiti o. 86,
piiluna.
O dono da casa da ra estreila do. Rosario
o. 43, vem por InlervenQlodo presente cou-
vidar a bella ripasiada dcsta provincia pira
que vendaos todos odlas as II horaire-
frescir os intestinos com os billos aorvetei,
pelo diminuto preco de 160 rs. o calix.
Pergonta-se aos. encarregados da festi
do nicho do patrocinio da ra de Hurtas, so
ja concluiram o pigamento de 9,720, resto
do fugo do anno passado.
Aluga-soum segundo indar, caiado e
pinta lo,na rm da Senzalli Velba n 42,per-
le ii'i'iite ao orphSo Antonio Rodrigues ti-
ma, pelo aluguer de 15,000 rs. por mez :
quem o pretender, entonda-se com o tutor
do mesmo orphlo, na ra da Cruz do Reci
fe n. I a,
Alugase urna Imi casa terrea ni ra
Imperial n. 86, com tres quarlos, cosinha
fraecacimb ; a tratar 111 ra Diroita n
:>-', primeiro andar.
- Precisa-se de urna ama para casa de
pouca familia ; ne ra da Aurora o 30.
PORTO.
Na noile de 11 para 22 do cor-
Arreoda-se urna propriedade, lila di
ruada Florentina,contigua a do Sr. Berin-
?;er, com optimis proporcoes pin nella se
undar qualquer egtabeleci ment em ponto
grande, por ter bailante extenslo, e porto
de embarque pelos fundos 1 quem a preten-
der, pule ir vii-la.Ohtoiidrndo-sncoin 0 mo-
rdor da esa 11 16 da dita propriedade. o
qual dir com quem se deve Iratardequal-
quer ajuste.
-- uesrja-so saber se existe nesta cidade
a senhora I). Joaquina Emita Augusta iv-
roiri, natural do Haltoslnbos he cunbida
do Sr. Crespo, que foi squi ministro en
isas : ni iua Nova n 31, ou annuncie a sua
morada.
A pessoa a quem Ihe faltar um carnei-
ro, dando os signaes certos Ihe ser entre-
gue; na ra ireita. sobrido de um andar
o. 33, se dir quem o tem.
Aluga-se um moleque de 30 anuos pa-
ra o servico do casa, o qual sibe cosinhar o
diario : quem o pretender, dinja-su a praca
da Independencia, loja u 3.
-- Ni rui do Crespo n. 15, segundo andar,
ha urna mulhcr indgena quo se propon a
ser ama de casa para o servico interno, e
engommar
Aluga-se um sitio na Tacaruna: a tra-
tar na ra da Guii n. 64, segundo andar.
AttencSo
Aluga-se urna casa com cdfhmo los, mnito
suflicientii para urna familia quo quizer pas-!
sar os mezes da festa, por um pi ero muito I
3
cautelista Faria Barboza
continua a pagar os bilhetes pre-
miados que vendeu da terceira
lotera do Hospicio na ra do
Queimado, loja de Gouveia & Lei-
te. () mcsino cautelista expoz
venda nis seguintes casas bilhetes
e cautelas da 33. lotera do Monte
Fio, cuja lista vem no primeiro
vapor e pelos precos geralmente
sabidos, na ra do Queimado, lo-
ja de Gouveia & Leite; ra larga
do Rosario loja de J080 Francis-
co Maia, e em frente do Livramen-
to, loja do l'inlio.
Alugim-se os terceiro e quarlo indrres
com 1 cosinha da casa n. 4a da ra do Tra-
picha Novo do Recife : quem os preteoder,
dirlja-se ao primeiro andar da dita casa.
Precisa se de urna ama, para lavar e
eogommar, vindo pelas 6 horas da manilla
e voltan-io aseda larde; a quem convier
este negocio dinjs-se ao atierro da Boa-Vis-
ta, loja de calculo n. 58.
Madama Rosi llanly modista bra-
sileira ra Nova n. 3o
Acaba de receber pelo ultimo navio che-
Preclsa-se de urna cscrava, que saiba
cosinhar, er.gominar, cnsaboar, que seja liel
cnSo beb : quom a livor para alugar, di-
rija-se ao pateo do Carmo n. 18.
Precisi-se de um pequeo de 10 a 15
annos, para caixeiro de venda : a t.atar na
ra da Senzalla Velha n. 46.
Aluga-se o sobrado da ra do Sebo n.
35 : a tratar no mesmo.
Precisa-se de urna ama, que tenlia bs-
tanle leite e que seja bom. c que nlo lenlia
lilho : a tratar na ra Velha da Boa Vista
0.86.
Precisi-so alugar urna lileira, para ir
ao Limoeiro evoltar, mas que cst-ja em bom
rstado e 1 rompa deludo: a fallar com Cui-
Iherme Selle, na ra doRaugel n. 45.
Aluga-se um armazem pira carne sec-
cs, na ra da Praia, casa nmarella n. 27 : a
fallar com'Guilhermc Selle, na ra do n-
gel 11. 45.
Hrocisa-sc alugar 2 escravos, ou for-
ros, que saibam irabaltiar cm sitio : no ar-
mazem da ra Nova 11 67.
bacharel lliogo v- llm Cavalcanto do
Albuqueique, nlo leu o podido despedir-se
de lodosos seus amigos, fallo pelo presen-
te : e na provincia da Paratiyba, para onde
se relira, offerece-lhes a cxiguidde ao seu
prestimo.
' -- Acha-se justa e conlratada 3 parte da
casa lerrca n. 11 sita na Cidade de linda,
na ra dos (Juatro Cantos, pcitencenle a
lierdeira Anua Joaquina dos Prazeres ; a pes-
soa que se julgar com direito na dita parte
annuncie no praso de oito das da data des-
te, do contrario nlo so allender reclama-
rao alguina.
limiten: a2 do corronte, perdeu-sc urna
or.lem saccada pelo Sr. Francisco Jos da
Costa, 1.1 i|h -un 1 de 230,000is. em favor ii
Joilo Fortunato Saavedra : quem adiar e
quizer restituir, a levara a ra 16; na certeza de quej esta o lllm. Sr. Jlo
Pinto de Lomos Jnior (contra qnem vinhi
a dita ordeui) prevenido para nlo pagir su-
ngo ao niaixo assigua lo. -Antonio Brandlo
di Rocb.
Julo da Rocha Holanda Cavalcante, faz
publico que comprou ao lllm. Sr. Manoel
Antonio Vieira a escrava parda Florencia,
que ate o presente >a actia auzente, o por is-
so pole a escrava o procurar na ra da Praia
n. 55. segundo andar.
Precisa-se saber son le se vendem ci-
gsrros a 100 rs. o cauto para se tomar urna
pequea freguezia : gueui ti ver innuncie.
* Ciasa feliz.
Ni piara da Independencia n. 36
Na casa cima vende-se um cumpl tosor-
lmenlo das Clulellas ill lotera do lio-ano
da Boa-Visti; sim como 110 aterro da Boa-
Vista, loja ue miudeiis n. 48 ; na ra Nova,
loja de chapeos n. 4; e na ra da Cadeia,
loja de cambio n 24: has m>suias casas so
ii ora m ciutellis premiadas do Rio pelis di
provincia, cujas rodas andam impreleiivel-
mente no dia 35 do crrente.
Anda esta por alugar a casa de um an-
dar di rui do Stve, proprla para numerosa
familia : a tratar na ra da Cadeia do Recifa
11 51, segundo andar.
Peue-se ao senhor empresario do thea-
tru de Smila-lzbel, que antes dos.mezes
das ferias Dio deixe de levar a acea o bel-
lsimo vaiida villeO CauOes do Rucio,
quesera por coto um dos miis bellos es-
pccliculos da sui empresi.
Un dilcctanli!.
Retratos.
'Iirim-se retratos 1 oleo, e sobre marfim
mu ininialura : no piteo do Caruio o. 34.
para
ente, furtaram da estribara da
rua da Senzalla Velba n. 114, dous
cavallos, com os signaea seguin-
tes : um alto ruco, crinas e
rabo pret", com este ferro T, cor
tatlo de esporas de ambos os la-
dos, com urna roteira na barrig
do lado dirt-ito do tamaito de
um lmao, e tem de 6 ou 7 annos
de idade ; o outro rodado e cri-
nas compridas, em baixo das ulti-
mas umsignal, mal de besta, do
lado dircito, c tem 7 ou 8 annos de
dade: quemdelles souber, ou der
noticia, dirijase a casa cima, que
ser gratificado com 80,000 rs.,na
occasio da entrega dosmesmos.
No lia 25 do crrante as 4 horas da tarde
na rua de Hurlas na praca do l)r. juiz de
orphlns so ha lo arrematar a cis terrea n.
80, na rua do Cildeireiro ivaliadi om 1:000/
rs que foi de Jos l.ino di Castro, e vai
ser arremaiila para pagamento de legados e
divi las a requerimenlo doteetamenteiro do
mesmo.
Preclsa-se do um homom para andar
com orna carrosa : na rua do l'asseio lo)l
n 31.
O Sr. Honorato Joso 00 uiivoua riguel-
ro lo, tem umi carta n priea da Indepen-
lencia livrsria n. 6, e 8
Itoga-soa algum dos Srs. passag-irns,
vindos Jo Norte no vapor Parense, que por
engao, ou t'iica, tennain levado em sun ha-
gagem um baln amarello, pertenceute a
Joaquim AntunesdeOliveira, e que dentro
Comeo paris, quo s padem ser uleis a
seu dono.algumas encommendas psra o Rio,
dous relogios de ouro para concertar Ole.
etc., o obsequio de o mandr entregar An-
tonio de Moura llolim : na rua do Crespo n
ll, qui satisfar quBlquer despeza.
Precisa-so de urna ami smente pan
o servico interno de casa de pouca familia :
na rua do padro FloMano sobrado da qui-
na n. 5.
O cautelista Salustiano de
Aquino Ferreira f iz sciente ao res-
peitavel publico, que puga as lo-
jas do coa time os premios seguin-
tes, da terceira lotera do Hospicio
de Fedro II.
Uilbetesinteiros n. i3i4 aoo.fooj
m <5ao6, aoojooo
l) n II 5ll3, I00.S0OO
Meios bilhetes n. 3346, 4obsooo
a n >. a'to6, 400;f000
H a4<)0, ioos'000
II, IO0OOO
ii 45i8, 100,^000
)i '5a7D, 1008*000
loo^ooo
commodo, no lugar da Gapung estrada que I gado de Franca, um rico sortimento de fa-
sahe em S. Jos do Manguinho : a IraUr no I zendis, ricos chpeos de palha di Italia, fe-
aterro da Boa-Vi-la, loj de nlfaiat" 11. 64. 1 cha loa, abas grandes enfeitadas para 111 ni-
Precisa-sa alugar um sitio pequeo | nos de 3 annos a 10, (deas de lia para crian
suido no Mondego, Trompe, Soledade ou nos. ci, ricos chapeos dsela de todas as cores
seus arrebaldes : quem tiver, dirija-se a roa I para senhuri, lindos cliapeosuibos de grs
do Torres n. 38, primeiro andar, das 10 ho- naplcs redondos para baptisado da idade de
ras da manilla as 3 da tar.de. |4 mezrs a 6 annos, meias de seda branca
Iie-.ipp.ii eren no da lado correnlo, da i para senhoras, ditas para crianzas, l-nros de
i-ii.i do Aino-iin n. :t.i, um conclis, bastante rotroz e de rede para senhora, ricos vus| le
amarello, quem o tiver pega lo, e quizer en- i Casamento, ricos cabecOes de linbo branco ;
tregalo mediaote una graiicaclo, levn-o a e prelos de blondo, lindas capellas de casa-
casa cima, e se agradecoi bsstante lin da ment para noivas e madrinhas, ricas lunas
recompensa. | da pellica enfeitadas, do noiva.i icas luvas de
-- Ten lo-se contratado a compra do sitio | se la da tolas as cores para senhora, halias
de que lie proprietario, o onde mora o Sr. Jo- pira veslido, agullms francez -s flores, pe-
s Paulino da Silva foreiro do Sr. Jlo Deo- nachos brancos e iccor-s, ramos proles pa-
dito Komain, avisa se a quem so acnar cum j ra lulo e espartilhos para senhora, e meni-
direitos sohre dito sitio, npare?a|na rua das as, rico sortimento de chapeos de palha
Criizes n. 28, segundo an lar, no prazo de 8 : pira senhoras, meninas, e meninos, enfei-
dias cootados da data desle. lados e sein enfeiles, ricos sorlioicntos de
A viova do finado Jos Femandes Eiras, .caputinlios, e palitos, manteletes de corea e
avisa a tolas as pessoas que se julgarein prelos, com collete e sem elle, rooieiras de
credoreg do seu casal, hijam de a pr< sentar 1116 lioho, bico do blonde, de seda, edeli-
suas cuntas om titulo-, ali n de serem at- ribo largo e rslrelto, vestidiniio de seda n
tonjidas no inventario que se est proce- toucas deba|llisdo,ciiapeos pr-lospara luto,
leudo pelo cartorio dos orplilos; deveulo aiamo coberlode seda par fazer chaaoos e
apreseutarem-se no praso de 8 dias. copos, loques,chai eus de palha de montaria,
Precisa-sede um caixeiro para venda, Cimtsiiihas, manguitos, peililhos de cam-
n.i l av.---,i do Queimado n. 5, que nlo ex- briia ; ni mesma casa faz- se vestidos de ca-
ceda de 12 a 14 anuos. Smenlo e de baptisa lo, toucas e chapeos ue
Precisa-se de um caixoiro para venda soda, i me i de suda branca e de cores para
de 18 a 20 anuos que enlenda do mesmo enfeilar vestidos, sed' Inane, para uoiva,
negocio : na rua da Cruz n 28. penti s .1 tartaruga para alar cabellos.
- l)e-cja-se saber a murada dos Srs. Mi- 4!E^(Pji>9^^*J!5
noel dos Passos Peanlo, o Francisco l.uiz u hacharel Wiliuvio prope-se a
Fernandes da Costa, alio de so Ihns entre- ensillar o francez e mais algum nutro
gar umascarlis : procure na rua da Senzal- preparatorio, issim como off rece-se
la Nova n. 42, armazo de ferragons de S.
P. fohnstoii i Companbi*.
- Tcndo sido trocado abordo do vapor
Paraense, ltimamente chegado dos pintos
do Vn le um ba do passageiro Joaquim An-
tones de tiliveii a, roga-se i aquello senhor
que por engallo na confuslo do desembar-
que lizera essi troca involuntariamente, se
digne diiijir a rua das Cinco Ponas sobrado
dar I.',"'".-. por casas particulares
0 ou collegius a meninos do ambos os
9 sexos, em materias de inslrucflo tan-
Q tu primaria como secundaria: quom V>
do procura-lo na rua dasCruzes n. 23,
(9 I." andir. f9
--Ningue D fara ii '(lirio ruin una lieran-
Jefronto da matriz, ou enllo designar a sua ri em Portugal, provincia do Minho perten-
morada para ser procurada. cente o Sr. Jos Simplicio de AIDuquerqu*,
Precisa-se lugar um moler]uo para o moraJor e rolaoo*o> prorracji una Alo-
servico de una casa franceza : na rua Nova, gdit, sem que se entenda com Manoel Cir-
iH -i: muro Leal, i mcu-alor nesla ci lade do dito
No deposito de padaria na ruadetrezda Alnuqueique, vi.-.lo que achando-sc a mes
matriz da lloa-Vista n 26, precisa-se de um mu lici-nr; a litigiosa, lea o dito l.eal, fe i l o
menino porluguez parii caixeiro do mesmo; desiiezss que tein dn sahir da befante,odian-
e no mi-smo deposito se coinpram dous cal- ,|o-se tmlie n autorisado por caita do or-
xOes que lenham em cinia siibre-salentcs dens para della ( lieranra ) dispor como me-
coni divisan cnvi iiaradas, pata varias qua- ihor entender.
ida.I .-de h.iUirlii nli.is e tnsCOUDS
Gabinete portuguez de leitura.
A directora avisa aos senhores socios ac-
cionisins o subscriptores para realisaremo
pagamento de seus dbitos al o dia 7 de de-
zemliro prximo futuro.vislo que se faz no-
cessario para a prestai;So annual do cuntas.
Iloga-se a |i--.ii que annunciou para a
senhora I) Jo.nn Francisca que morou lias
casas do Sr. Fructuoso, em Santo Amaro, ir
tirar os penhores que Ii tem, de declarara
Madama loutier modista franceza
na rua Nova n. 58,
l'i'in a honra do > reunir ao respeltavel
publico, e com particularidad os seus fe
guozes, que o seu estabelicimento so ac'ia
provi lo de um novo e variado sortiineiilo de
ricasfa/endas francezas chegadaspelo navio
Cunto Roger. Lindos chapeos do se la para
senhuras e meninas, enfeitcs para cabera,
ricos cipotinhos e manteletes prelos de
cor com colletes, floros.poiiacnos, braucos -
Quartos n. toio,
b a46, 400?000
h 28'|0, oo.fooo
itavos n. 3433, ioosooo
11 11 3467, I00S00O
~ Precisa-se de urna ama forra, ou cap-
tiva que saiba cosinhar, o engommar : na
casa junto au theitro velho, cisa onde est
o holequim do Palta 2." andar.
Precisa-se de um pequmio de 10, a 13
annos para caixeiio, dos cnegados ultima-
mente do Pinto : na rua da Sololade cas
n. 42, confronto a venda n. 11.
Aluga-se urna sala com alcove na rua do
Rosario estrella primeiro indar n. 8 :1 tra-
tar no segundo do mesmo.
--O Hliaixo assignado rnga ao Sr. Marco-
lino Xavier Maia, morador na serriulla junto
de Pedras de Fogo, quiira lera bundade de
vir pagarasua letra da quantia de 5451120
eos juros vencidos desde 36 de noveuibro
de 181, licandu corto, que lora de ver o sou
nonic por muitas vezes nsla folha, e lera
de ser chimado ajuizo, visto nlo querer
amigavelmenle pagar as [azendas que com-
prou e de tao bo vonlade se Ih'ns lioo. Isto
he multo dosaiioso, Sr. Uircolino.um ho-
rnero, cumo S. S que sediz propri'lanoo
abastado de Ii ns, pralicar dosta forma, ca-
loteando aos pobres nogocianles da Pnce.
Francisco Cavalcante o'Alliuquerque.
Arrenda-seo irmazem da casa da rua
do Vigario D. 11, e parte do primeiro analir:
lriti-se na mesma no escriptorio de F. A.
da Cunta & Conipanhi.
wmmmmm** mmmmm mmmm
1 i.os-ei ll:inoiit, professor da lio- 9
( mceopalbii pela escola do Rio de Ja- H
aS neiro, continua a uar consullas gratis jf
,J aos pobres todoi 01 una uleis, das 8 y
tg horas da mauhla at au meto da, no n
sf aeu consultorio, rua dasCruzesn. 38 M
tttmmmmmrnmmmm ummmmmmm
Na fundiclo di Aurora em Santo Aibi-
io,loui-so precislo de una prelos, serventes;
paga-se bem, ou por semana a secci, ou
mensaluieiiU com sustento.
primeira qualula le para senhoras o meni-
nas, ricos chapeos do montaria, pulseiras
muito ricas, manguitos, penles de tai taru-
ga, litas largas do lodas as crrs, lindos
veos pra noivs, franjas o trancas de seda
prelas e de cores, mantas pretas do lil. Na
mesma loja se fazem vestidos de casamento
e baptisado, toucas para senhoras e meni-
nas, capoliohosde todas as quididades com
pel'eie.ui s preQo commodo.
Precisa-se de um criado na rua do Pa-
dre l-'lol I 1110 11. 5.
Deseja-se saber dos senbo-
. |j)( (TUMI til ui_'"i uuin|UuiiBfciiua. i'
sua casa para sor procurada, sobre esses ~ ^ c|| '(>g (le ^|||a |j|ia' redndoa
mesmos peunores. meninos de um a seis anuos, ricas ca-
-Ar.enda-se para paasir ,1 fesh urna ca- J, d noJV,s e madrln,las.;
sa em Sanl Auna de dentro, defronlo da ven- f b b, (| ,a ,
d. do Sr Nicolao, com cora modos par. nu- p espartilhos da
merosa familia, caiadi e pintada de novo,
com quintal, cacimba, copiare estribara, o
seiveutia para o rio para tomar banho; a
fallar no mesmo lugar coca Jlo Venancio,
ou na rua de Santo Amaron. 16.
--Anda est por alugar, o sitio da Ca-
pung 1 margeo do rio, com excellente ca-
sa e'sollo, grandes cocino los para familia,
tolo murado, senzalla para escravos, o es-
tribara para i-.iv.ili. 1- : trata-se na rua do
Queimado n. 40, segundo andar, ds 6 as 9
horas da manilla e das 3 as 4 da (arde ; o no
iiili-r-ulln il 'sus hura ,,n 1 traveseada Madre
do neo-, armazem n. 13.
No aterro di Boa-Vista n 12, loja i'o reg Jo3o Uutra YVanderlev e
madsme Miuvernay & Coropanhis, ha um |l|r VVanrlprl^v nm.
completo sortimento de ricos vestuarios pa-; Joaquim Uutra vvanaeriey, am-
ra meninos e meninas: na mesma leja pre-' bos porluguezes, vm los de LlS-
ctsa-se de costorcir.s captivas. niovincin- nupm dea.
--Nlo tendosido possivel munir-se a me- oa lla^a ebla PI0V"IC,U- 4uem aea~
sa gerai no da 18, por nlo tr compirecido les senhores souber, e quizer dar
numeio sulllciento segundo a letra do com- :nolc f a qual se pede do K10 de
promisso, de novo tem-se marcado o da 24 ,"*. _. *
do corrento as 4 horas da tardo .ara dita Janeiro;, o po iera lazer no escrip -
reonilo, e para o que convida-se a tu los o- t,, Jfi .Un nuil A Ivs Guerra J U-
irmlos, esperando-so o comparecimento dos ; i.t_._:-u. ./
mesmos "sio o objecio ser de utiii.iade a! mor, na rua do rrapicbe^ n. 14,
todos. Consistorio do Apostlo S. Pedro 22 p0r cilio fiVor Se llC licitr agra-
de novomhro de 1852. cscrivlo, padre ||,t
Francisco Xavier dos Sanios.
Cartas a entregar.
Os Srs. Antonio Ferreira da Silva Jnior,
Antonio dos Santos Vieira, Elias Vieira de
O corretor geral e agente de
leildes, Gregorio Antunes de Oli-
veira, acha-se estabelecido de bo-
je em diante, com um grande ar-
mazem, na rua da Cruz do Recife
n. a5, o qual offerece toda a se-
guranza e commodos para m fazer
leildes, vender em particular e re-
ceber em deposito, todos e quaes-
quer elfeitos, srjam gneros, fa-
zendas, ou mobilias, e assim pre-
parado se offerece ao respeitavel
publico, e particularmente ao dig-
no corpo do commercio desta pra-
ca, para exercer as attribuicdes le-
gaes inherentes aos dous referidos
cirgos, promettendo empregar to-
dos os eslori^os para bem desem-
psnliar as coinmisses de que Ihe
lizerem a honra de o encarregar ;
e p le ser procurado em dito ar-
mazem todos ds dias uteis, das 8
horas da inaudita al as 5 da tarde,
pois que ahi tem collocado igual-
mente o seu escriptorio. Recife 16
de novembro de i85a. O corre-
tor geral e 8gente de leiloes, Gre-
gorio Antunes de liveira.
Madama Rosa llanly modista bra-
sileira Rua Nova n. 3\.
Tem a honra de participar ao publico, e
parliculaimentoa seus freguezes e aos l're-
guezes da fallec la madama Porta, que ella
tem comprado e despacha lo o sorlimonlo
nil-ii'o das I i/en l;.- que vieram paa esta
senhora no navio Pernambuco, o ullinio
chegado do llivre. Este sortimento he com-
posto de fazendas muito linas, esuperiores
aquellas que vem para este morcado ; ricoa
ni I s de soda lavrados do cores do oltnno
K ..-o, cortes de seda escoceza, ricos corles
de barege de se Ja, ditos de barege dsela
di 3 babados, riquissimos chapeos de seda
para senhora, chapeos de palna itlica a-
barlos o fechados para senhora e meninas
en str enfeitado-; riquissimos capoliuhos
de Crosnaples fulla cores bordados ; ricos
capellas pira uoiv o madrinha de casamen-
to; guarnieres para vestido denoiva; ra-
mos de flores pretas para lulo; um rico
sortimenio de lilas, escoceza, cbineza para
cinta de meninos e senhoras, para oufeitar
chapeos de senhora q meninas, de babadi-
nlins e ii-' Ir. lija- ; i'lu 111 alle lira neo para
colletes de senhora ; bolOes pin colletes
de senhora; lieos cortes de collete borda-
dos para senhora, tafet branco; selim
branco ; gros do oaples amarello e branco
fu'ta cores ; requifes para os dilos ves-
tidos.
AOS DEi\TES.
J. Jam, dentista, noticia au publico que
contina ponientes artificiaes de porcelana
incorregiveis; o innunciinte incbert um
ou todos se inr preciso, asseverindo loda
as pessoas que se quizer utilisar do seu pres-
timo,que 11,10 exige paga algoona nlo fican-
do us denles to bem collocados,que nlo se
pOSSI illleienr.ar dOS piolo IOS nalill liis.po-
deiido-so iiia.-ii^-ar <| u a I juer comida sem
sentir menor drtr nam receiodeos que-
brar; tambern calca os dental naloraes fo-
rados da carie, cum ouro un prala, preve-
nitido asshu a conli.iuaro da carie e dores,
e mesmo evitan.lo por essa forma de pass*r
a cario dos denles furaduspara os outros
-los, cuino bem, limpa us denles em geral,
tiran Jo as caries ou podras qoe tanto os
la o ni lira e coopera para o mao alito da boc-
ea nlo sendo lirado ; ha do anuos quo o
atinunciaulD exerce sua prolisslo nenia ci-
dade, e os moitos e\ ni, los que tem lado
nesse longo lempo sea quanto basta-para
0 garantir: sua residencia, .rua Nova n. 19,
iimeiru andar.
Aviso importante aos moradores de
ilguarass
Pedro Paulo de Jloraes; com cisa de ne-
gocio na villa de Iguarass, ao p da ponte
11. 7 faz ver aos moradores desta comarca
queso acha com bastante sorllmeutode fa-
zendas, o mutilados |iara vender por menos
nrero possivel, e lambem tem cera para
alugar o vender, e mesmo faz todo o nego-
cio a troco de madeiras, assucar, e outros
quaesquer gneros que se Iba olTerefain :
lodos esles gneros vender por menos do
1 ue -n oulra qualquer parle.
Aluga-se urna casa terrea, .no sitio do
Cordoiro, a maigetri do rio Capibanbe, com
commodos p 1 a grando familia, o com es-
tribara para 6 cavallos ; urna outra mis
pequea 110 fundo do mesmo sitio, lambem
com commodos para familia .- a tratar com
Cabriol Antonio, 110 pleo do Carmo n. 17.
Lotera do Rio de Janeiro.
aos 20:000,' 00 e 10:000,000 deis.
Na loja de miadezasda praca da
Independencia n. 4 vendem-se
bilhetes inteiros, meios, quartos,
oitavos e vigsimos, a beneficio da
33. lotera do Monte Pi ; vem a
lista no primeiro vapor que che-
gar do Rio de Janeiro.
21,000
11,000
5,5oo
3,800
i,3oo
Bilhetes inteiros
Meios bhetes
Quarlos
Oitavos
Vigsimos
Vendem se bicudos, pstilivas, azuldes
o curi, muito bons cantador, s por scrom
de lugares proprios: quem pretender, diri-
ja-se casa de pasto de Jacinlho, no Recife.
- Vende-se por melado do seu valor urna
palle do engenho Caite da freguezia de
Iguanss, perlencente 1 Amaro do Reg
Barros : s entender-se com o Sr. Dr. Joa-
quim Jorge dos Santos, na cidade da Victo-
ria.
-- Vende-se om escravo de 22 annos de
idide, muito robusto, e bonita figura: no
becco d> Quiabo n. 12, bairro da Boa-Vista.
Vende-se urna negra por 300,000 rs.,
bol quitindeira: ni rua larga do Rosario n.
33, segundo andar.
-- Vende-so um bom pilnno inglez de ex-
celentes vozes; na rua di Cadeia do llecife
n. 53, segundo anlar.
Venle-se um esccavo de ni(9o, muito
bom padeiro e bem robusto para qualquer
se, viro, e nSo tem vicios, o motivse dir
ao comprador: na rua luirla n. 36, pada-
ria.
Vende-se um cavallo bom esquipador;
ni cochein do Sem, na travessa da rua do
Sol.
Veiid -m--e peles de cabra, snalos, bo-
te-, e esleirs de palha de carnauba de mais
deduas viras de comprimenlo, ludo chega-
do agora do Aracaty, pur 11,111 commodo
pirro : na rua da Cadeia do Recite a, 49,
primeiro andar.
-- Vendem-811 cinco forquilhas de ferro,
um bracu de balanca, um peso de arroba, e
um encerado grande : ni rui di Cloril
n. 18.
AttencSo.
Ka .ja di rua da Cideii Velha u 36, na
esquina do Becco Largo, vende-se orna por-
eo de chitas finas, sendo pelo prego de
5.000,5,500, e 6 000 rs cada peca,muito bo
fazeuda; assim cono so vendeln outns fl-
zendasuiujlo baratas
.. Ven.'e-se urna mesa de jintarde ama-
rello que acommoda 12 a 14 pessoas : DI
ruada Rola n. 52.
Compras.
decido.
Alogam-se e vendem-se bixasna
m praca da Independencia n 10, con-
m fronte a rua das Crnzes.
Mello, eAntonio Feneira l.eile cipitao di j *S!4\"#SJtX ***?
barca Nossa Senhora da Boi-Vigem, hijami Prroisn-so singar um pfeto para serv-
de lirigir-se a la Nova n. 27, para recebe-
jein ditas cartas.
Atiendo.
Fabrica de chapeos de sol no
aterro da Roa-Vista n. 33.
Ncste novo estabelecimento recebeu-se
um cande surt uo-nlii do chnpens do Seda e
de panni'ilio para hoinem, u reos cliapeo<
de senhora de toda a qualidade, e um gran-
de soi'li-i euto de peras de seda o de panni-
nlio para cubrir arnmeoes velhas; no mes-
mo estabeleci metilo se faz todo o concer-
tnos ditos cuaceos, e todo u objeclo que
cima se menciona, se vende por menos do
que em outra parle.
U bacharel Antonio Kangel de Torres
llandeira pro,0e-soi advogir, e temabeilo
o seu escriptorio em a casa de sua residen-
cia, na rua estrella do Kosariu n. 41,segun-
do andar : quem de seu presumo se quizer
utilisar, pode procura-lo em dila Casa,
qualquer hura do dia.
l'recisi-se de urna ama que se propo-
nhi 1 engommar pin umi cisa de familia :
ni rua estreiti do lln.-ai 10 n. 41,segundu an-
dar.
I .a va-so e engommn-se, com muili por-
feicSo e asseio : uo paleo da Ribeira de s.
Josn-15.
50 do perlas dentro desta typog'aehia
quem o tiver para alugar pode ilirigir-so a
livrana 11. 6 c8 da praca di Independencia.
VY,>^vV^VVv:vVyyfv
* l'aulo Gaignoux. dentista. ^
2 i'de ser procurado n qua!- X
2 quer una cm su cusa nu ,-;
,.> 1 un lnrgu do Uo/.iuio 11. :i(i. <^
> segundo aiidur. *
**-e*!A**A ft))*l***
Uesippireceu no dia 26 de oulubro
prximo pasudo, um escravo de Angola, de
iiaic 40 annos, m*i- ou menos, de nome
Antonio Velloso.cujos sigmes s3o os segoiu-
tes :altura regular, cr nSo multo preta,
barbado, com falta de cabellos nomeioda
cabeca,alguns bellos briuc is.beicos gros-
-os, bocea rogular, mSos e pesgrossos : foi
escravo de um senhor enn mido Antonio Vel-
losa: este escravo be csalo com urna negra
de no'j.e Rosi, baixa, mais velha que o ma-
rido, e servia de parleira no malo, a qual
achi-se lambem fgida desde novembro de
1850. Depois do possuidor Antonio Velloso,
passustt) a ser escravos de Carlos l'ereira da
Silva, boje fallecido, e presentemente per-
leocema Antonio Calilas da Silva : quem os
pegar, ou dalles der noticia coila, ser ge-
nerosamente recompensado : no Recife, rua
da Praia, armasen n. 18.
Compram-se escravos ovendem-so re-
cebem-se de commissao, tanto para a pro-
vincia, como para (ora della: na rua dos
Quarteis n. 24, segundo andar.
Compram-se20 escravos, sendo mula-
tos e crioulos, de 15 s 25 annos : no aterro
da Bo-Visla n. 80.
-- Compra se urna mesa do jantar, nova,
em meio uso : na rua Direila n 72.
Compram-se costados de ma
deira de louro, amarello, e sedro
em porco.- na 1 na da Cadeia do
llecife n. a3, se dir quem quer.
Compram-se escravos, e vendem-se
recebeui-sede commissao lano para a pro-
vincia como para fra della : i.a rua estreila
do Rosario segundo andar n.-28.
Vendas.
Lotera de Nosaa Senhora do
Rosario.
|]asa da Fortuna, rua Direita n. 7.
O cautelista da casa cima annuncia ao
publico, que as rolas da lotera de Nossi
Senhora do Rosario, andam no dia 35 do
crrente, anda que lquem ilguns bilhet'S
por ven icr ; existe nos lugares do Cnslume
um completo sortimento de bilhetes e cau-
telas.
Bilhetes 8,000
Meios 4,000
Ouait.iS 2,200
D'ClmoS 1,000
Vigsimos 500
Vende-se urna bonita negra
crioula, com as habilidades seguin-
tes : lava bem de lia 1 re 1, cose
chao, cosinha o diario de urna casa
e vende na rua ; a tratar na rua
da Cadeia n. 9, casa da Viuva Cu-
nta (.11 i maraes.
-- Vende-se um moleque de bonita figu-
ra, sem vicio netn achique, para o mallo ou
pira fra da provincia: na rua da Priia
n. 17.
LOTERA 1>\ rMlOVINClAT.
Na rua da Cdeia do Recife 11.
u4, loja de cambio de Vieira, es-
li vend um restante de bilhe-
tes, meios bilhetes, decimos c vi-
gsimos, da loieria do Rosario da
Boa Vista, cujas rodas andam m-
preterivelmente no dia a5 docor-
rente mez.
Vende-se qtiatro escravos a saber: urna
parda de conducta qoe cose, cosinha bem,
engoma liso, e faz tolo o servico de casa ;
adverte-se que nSo se vende pira o Rio, urna
preta muito prendada que al bordi, faz la-
by 1 mitin, ma'ca,engoma,cose,cozinha oer-
fi'itamenie, u naiiutia preta por estar gra-
vi Is de 5 mezos, que cosinha, engoma liso,
e he compradora; e um preto muito fiel,
que cosinha, sangra, faz barba, e amla : na
rua larga do Rosirio n. 25, loja onde ae re-
cebem escravos para vender porcommissBo.
Vende-sj um moleque crioulo Idade 34
innos, bonita figura sem vicios nem icha-
ques;i vista do compndor se dir o motivo
da venda : ni rui Velhi n. 61.
-- Vendem-se velas niysticiis proprias pa-
r Tolear fomiigas : no becco do Lobato ca-
aa do Garrafus n. 33.
- Vende-se umi saii ds bretanln com bo-
nito labyrntho de 11|2 palmo de largura, e
muito hem leito, por preco commodo na
rua 1I0 Quoimado luja de miudezas n. 16.
Vende-se urna casa terrea, em ch3o
proprio ni rua do Santa Rita n. 68 : a tra-
tir noilterro da Boa-Vista n. 14, loji.
AttencSo ao barato.
Na rua Nova n. 8 oja de Morena
& Companhia.
Vendem-se damasco verde de seda ja mo-
fado por 1,000 rs. o covado, um resto desi-
palos do mairoquini preto para senhora a
640 rs. o pir, luvas de fio di cscocii pira
liumem a 300 rs. o par, chapeos do Sol de se-
da para homcm a 4,000 rs., ditos de castor
branco sem pollo 4,500 rs., osnartillios de
linho bastante embaleados a 000 rs. com
seos atacadores, bonetes de palha da itaha
para homcm muilo proprios para o campo a
2,000 rs., meios chales de seda com algum
mofo a 4,000 rs., luvas le torc I 1 1,000 is.
0 par, efillavrado a 1600 rs vara, e cu-
tas fazendas que se venderSo muito em
onti.
*xwmwwwmwm m #***
T *y Aviso ao publico.
O administrador da loja
das seis portas em frente da
igrej da Livramenio, tendo
! a vender porcao de fazenda, J
bem sortida, tomoua delibe-
* racao de as dar |wr menos
do custo, mais barato a peca
do que se vende nos arma-
, zens inglezes, e a visla das
fazeodas e precos se coohe-
* cera a verdade. Esta 1 ja
& e.-t aberta das 6 horas da
1 manhaa as 9 da noite, para
assim facilitar aos chefes de
familias e donas de casas, a
W escolher a sua satislafao:
vende-se a dinbeiro a vista,
e nSo se far lancamento a
i pessoa alguma, por n5o ter !
lempo demandar receber. j



I
4
Moinhoa de vento
rom bomb. de repuso para "'"'"
ebaixasdeo.plm nsfundicodeD. W Bow
man:oi ru. doBrumns.6,8eto.
i>cpsito dn fabrica de lodo os
Santos na Bahia.
Vonde-se.emc.sa deN. O.Bieber&C,
nru.dCruzn.4,algodaotrns.do -
qacll.r.brica.muitoproprioparas.ccosde
ssucreroupadeescr.vos.porpresoeom-
modo.
Cal virgem de Lisboa.
Vende-se superior cal virgem,
chegada ltimamente de Lisboa, e
por preco muito em conta: no ai-
mazem do Caes da Alfandega n.
7, ou a tratar no escriptorio de
Novaes & Companhia, na ra do
Trapiche n. 34
l'otassa americana.
No antigo deposito da cado.a velh., n.
18 aisle una pequea porcSo de pottsai
americana, chegada recentemente que por
superior rlTaliaacom adaBussia: vende-
ae por preco raxoavel.
Deposito de cal e potasm. g^ -m em oulr. p.rte,
No armazem da ra da bNUL ru; doTrtjpche n. 8.
do Recife n. ia, ha milito supe-i Deposito de cal e potassa.
rtor cal de Lisboa, em pedra ,1 cunha & Amorim, na ru da Csdoia do
riur i,.!,ia ,,l_ Recie n. 50, vendem bsrris com cal em pe-
asjim camo potassa chegada ul- Jf""" chegidi de Lisboa pelo ultimo
roumenle a precos muito ra- nio 0 brigue Flor do Mar; assimcomo
' ] barris com superior potessa nova, por pre-
soaveis. eos razoaveis.
Agencia de hdwin Blaw. Potassa e cal virgem.
H.ru.ae Apollob.S. armase deUcJM- ^ ru(j je Apo0j armazemn.
Cal virgem
Vende-se cal de Lisboa a mais nota do
mercado: na ros do Vigirio n. 19, pnmei-
.nd.r.eriptoriodeT. dcAquino Fonseoa
& PJIbo, una ra do Trapiche, amaiem de
Antonio Augusto da Fonsecs.
Cebos de linho, a 28,000 rs. o
quintal.
Na Aia da Crui armaiem n. 13, vendem-
se cabos de linho em grandes ou pequeas
porcOes 28,000 rs. o quintal, sondo do 1
atapolegadasdrt grosurs.
Vende-se um moleque de 18s Osu-
nos do id.de, robusto e bom servente do ca-
sa, e tambem com muito geito pars trsba.
Ihsr no campo : no paleo do Carino n. 18.
Arados americanos, ehegados dos Es-
tados-Unidos j na rus do Trspiche n. 8.
Casimiras modernas, a 1,00o rs. o
covado.
Ni loj de fazendas da rus do Crespo n.
5, que fsf esquina psrs s ra do Collegio,
vendem-se cssimiras de gostos modernos ,
s 1,000 rs. ocovsdo.
-- Vende-se gello, a qualquer hora do da,
no deposito da ra da Senzalla Velha n.
118, ou na ra do Trapiche n. 8.
Relogios americanos, para cima de
com corda psrsaaoito dias e para 3i
mesa,
anas paraarniai "' "."." "..hia 8881E
inanhose madelloa o man moderno.oacnina
horiiontai para vapor.com forfa de 4 cajjM-ihor que existe. >em para o melhoramento
Pede-seassenhoras quedeem to- WT achMe a venda em
orisoniai para .a(iuf,miu ..y -~ -- ..
|U,couooa,paaaadiraade ferro eHanhaoo
para casa de pulgar,por menoi Pref 0>U*,"
de cobre, eacovenaparanavlos.fcrro "Ja1
Uatoembarrascomo em ircosfolba,luao
por barato preco.
Arados de ferro.
NsfundiaodaAurors.emS. Amaro, ^ ^.^VuioTiii'is 4,000rs .
vendem-se arados do forro do diversos ,egljljo(debarra i,nto brancos como deco
^ a 1 .lina in- ">, d ullim0 oslo> 5'90<' "; dt0S b"n'
os vordadeiros se os in rtnl, lres habsdos. com seus en-
De Castor a C,ooo rs.
Superiores chspeos de csstor brsnco, ia-
glezrs 1 6,000 rs ditos de dito preto, de
bonitss formas, a 1,500 rs.
Vende-se farinha SSSF: na
ra da Cruz do Recife n. 17, nr-
maiem de Crocco & Gompanbia.
Ocuios.
Chegoo na praca da Independencia, loj
us. 18 o 20, 11 m rico sorti ment de oculos
psra todas 88 vistas, seja com vldros biso-
cos ou azuos, com grao 011 sem grao, e com
rmacOe. de ouro, prata, tartaruga, baleis.e
de seo, a vontade do comprador.
-- chapront o Bertrsnd, relojoeiros, ns
piscada Independencia us. I8e20, recebe-
ram de Paris ricos relogios de bencis e de
parede, com corda para 19 dias,tocam as ho-
ras e meias horas, sao atlanc.dosa regular,
perfeitsmenle, e os precos sao muito mode-
rados comparativamente a qualidade que he
muito superior.
Na praca da Independencia ns. 18 e 20,
vendem-se relogios americanos de superior
qualidade.o tem ainda alguna com corda pa-
ra 8 das, o lodos tocam compaseado.
Veodem-sesmsrrssdeferroi na la da
Senzalla Nova n.42.
Com toque de avaria.
Vende-so madapolao.aj e 9,500 rs. a peca,
algodSosiuho liso, s 2,2*0 e 2,560, dilo tin-
cado americano com 25 vsras, a 3, 4 e 5,000
rs.: na rua do Crespo, loja da esquina que
volla para a Csdeia.
-- Vndese alpaka lavrada de.seda para
vestidos de sonhora.a 610 rs. o covado; cha-
les de 13a, fszenda moderna, a 1 600; brim
de linbo.a 320 rs. o covsdo : na ra do Cres-
I pon .23.
Aos genitores de engenho.
O arcano dainvencSo do Dr.
Eduardo Stolle em Berlim, em-
pregado as colonias inglesas e
holUndezas com grande yanta-
do 1S-
,. se a venaa em
da a attenco para as seguintesi^ (q Hbra8) junt0 com Ometbo-
fazendas : Ido de emnreea-lo no idioma por-
Corlesde remoris de salpico, brancose ae mprce llher
de cor com 5 emeia varas, tendo urna de tugue! : em casa de H. O. Uiebar
dy&c Companhia, na ra da Cruz
n. 4.
Chapeos para senhora.
Vende-se na loja nova da ra do Rmgel
n. 8, chapeos para senhora ehegados ulli-
1 mmente no navio Conle-Roger, pelo ban-
cos com dous e tres babados, com seus
motlos.
Vendem-se _
glezes, patento, de mollae semen*. fejtPSf|0S melhores que h, a6,000 rs.; cas-
ra da Senzalla Nova n.42. sa chita franceza a 200 rs. o covado; corte
Vandem-se relogios de ou- deCassachiiaa 2,000 e 2,*oo r..; e muitas
ro enrata. Dtente inelez: na ra outras fazendas de gosto por precos commo- .I10 ue 10,000 a 12,000 rs. cada um.
ro e prid, paicnie '"' do ns rua doCre,po loja n. 6 _P ^ rua A'ti Cruzos n. 40, taberna de 0.
da Senzalla Kovan. 43. A i,m barato, freeuezcs 'S. Campos, vendem-se e lugam-se bichas
AGENCIA H.Arui do Crasojoj.nula S 9,vondem- hamburguezas das .elh.re.qu. ha no m.r-
da fundi^So Low-Moor. 'spelos baralissimos presos as seguintosTa-
RUA DA SENZALLA NOVA N. 42 zendas: ,
Reste estabeleeimento conti- itiscados de linho muito largos, o co-
na a haver um completo sorti- Chj[BS fr,ncezas> largas e muito boas,
ment de moendas o meias
Loja nova rua do Crespo n. 9
Vestidos de selim e grosdenaples ornados
de bloode para casamentos mals ricos pns-
llvej* ; chitas frsncezas flnissimas, pndrfles
miuuiulios os mais modernos, a 330 rs. o co-
fFAHNESTOCK S VERMIFlGE S
1 NICO, E IMIS EFFICAZ RERE- |
DIO PARALOBIBRIGAS.
Tende-ie noioament. na boliea e irmiitoi
da drogafl| rua da Bfadra da Deoa a. 1.
De todas asproparaffies, que s me-
dicina tem descoberlo para matar o
czpellir aslombiigas om qualquer
idade da nossa vida, nenhuma tem gg
obtido o poder ap'oximar-so na mais H
insignificante semelhsnca com o pro- -j i
\ digioso o hem reconheculn medica- jj
ment denominado FaaiiBSTOcK's y
2 vKiiMn (,k. .Os mdicos, o em gi- .ji
ral lolas as pessoss scieutiflcas ds jp
S principies cidades dos KstaJos-liiii- .,,
a dos, torra classica da civilisssSo ame- S
!i ricans, dirigem continuamente a seu S
S autor, pelo orgo da imprensa os &
S maiores elogios, como prota da sua .
S gratdSo e"ilo sou reconhecimento. ^
:i. Jamis a parca inoxoravel levar s se-
' pultura dilaceradas por vormos, ei !
9 ser pisto do outros vermes centena- S
E>S res de victimas, que roubadas na pri- J
mavera da vida, o ao despontar do
ft primeiro sol de seus dias, deizavam
B consternadas ealllictas miles submer-
gidas naquella pungente dor e sauda-
fj de, quenecessariamente grava no co-
|$ ra;9o materna o amor,o utna ausencia
H eterna.
aa*c wm mw*w*>wwn
Chapeos brancos
Vende-se na loj nova da rua do Rangel
n. 8, chapeos francezes do massa brancos,
para bomem pelo baratissimo preto de 4,500
rs. esda um, gorgurflo decores proprio pa-
rs palitos pelo barato pre^o de 800 rs. o co-
vado, brins de linho rom cores de marmoro
tambem fazenda qua esta muito em moda
para palitos pelo barato pre<;i de 320 rs
I
fe
AttencSo a Iguarass
Na rua da Ponte desta villa, lu-
a n. 6, de Jos Doraingues de
Sotiza, o bemeonhecido barateiro,
tem um bom sortimento de fazen-
da?, que est torrando a troco de
aedulas, mesmo vellias, por pre-
?os muito commodos ; chlguem
freguezes.
Vendem-se, por muito ba-
rato pre?o, i bombas de repucho,
com pouco uso, que lancam agoa
do segundo andar de um casa: no
trapiche do Ramos.
Vende-se um cavallo roda-
do, muilo bom estr.deiro de baixo
a meio, com os competentes ar-
reios : a tratar com Jos Apolina-
rio da Cunha, das 6 as 9 horas da
manda 1, e das a as 5 horas da tar-
de, na rua da Roda, cisa terrea
n. 39.
Vende-se ou troca-se urna casa terrea
com 22 palmos de largura, e 9 dilos de ter-
reno annexo a ella, em chaos proprio', no
bairro da Boa Vista rua da Clona n. 26:
quem pretender, procure na rua da Roda n.
29, a Jos Apolinario da Cunha.
Vende-se, em cssa de Me. Calmont
C, praca do Corpo-Sanlo n. 11, oleo de li-
nhaca em lata de seis galOes, bren em bar-
ricas, ac de M1IS0, vmho de Marselha em
caixas de 3 e 6 duziss, saceos vssios para
assurar, linhas de novellos ecarreleis.
Vende-se um preto, cnoulo, de 30 an-
nosde idade, muito robusto, e proprio para
o campo por ter rouila pralica : na ruado
Collegio n. 4. ...
-- Venilem-so dous molecotos de idade de
14 a 18 annos, dous mulatos de bonitas figu-
ras, muito mocos, um dito bom cosinheiro,
tresescravas mocas, de bonitas figuras, que
engommam ecosinham o diario da urna ca>
sa, dous escravos de lodo o servico, e urna
escrava quitandeira : na rua Direila n. 3.
320
mO- o covado .
m_l,;_. Riscsdinhos francezes de cores fizas
endaspara engenho machinas ,,. dilos muito linos
de vapor, e taixas de ferro bat- Cambraiasfrancezas de lindos padrOes
240
160
240
IO. I 1
___ Vendem-se dous cabriolis
inglezes. um com coberta e outro
e muito finas
do cebad de todos os tama-,cerlmg7Boc,il,^rjliagiUllm0g0Slo 5.000
inh OS, para dito. Ditos.brancasdesalpicos.muitoboas 3,0o0
Moeudas superiores. Pannos francezes mesclados para pa-
NsIfundicSo de C. Starrfc Companhia, litOs, o covado
eraS. Amaro, acbam-sevenda moendas ^a*Ps^*fa/*l|*2|
de aUBDS, todas de ferro, o um modelo e
construcc.o muitosuperlor.
Alerta freguezes
Que silo ehegados,
Cobertores de algodSo
Muilo encorpados.
Cortes decasemiras modernas,dequa-
~aros o Hoas f-^"0
Ditos da ditas muito linas i.ouu
Uitos do brim de linho lingindo case-
miras 2,000
Adamascados para lOillms o guardanapos,
sem ella : a fallar na cocheira da
rua deb.' Fmncisco n. 3.
Em casa de Rothe & Bidou-
lac, na rua do Trapiche n. n, ven-
de-se o seguinlc:
Ferro a imitacao da Sucia.
Ac de milao.
S.'oo'Zinco em folha.
N. ru. do Cre io lo daeSQin. que vol- de 450 a 1,500 Vs. a vara, conforme a largu-
briozao, brins, e eos os mais comino los pOMlTail.
A 1,380 c 1,000
Superiores cobertores de algodSoa imila-
Vendem-se lonas,
meias lonas da Russia ; no armazem de N.
O. Rieber & Companhia, na rua da Cruz
n.4.
Em casa de J. Keller &
Companhia na rua da Cruz n.
55, lia para vender dous excel-i,280ei,600 rs.: na ruado Crespn. 6
lentes puno fortes, e de urna das1
melhores fabricas, ehegados lti-
mamente da Europa.
cSo de lapetesdocor, muilo proprios para
cerlos arranjos de casa de familia, e quasi
um genero de pnmeira necessidada para o
Sr. do engenho. pelo diminuto rroco de
! zo. marca, faz renda, e engomma, ludo isto
.1 .. .__ i:__la&aa I... .in.fail.
Vende-se muito em conta urna casa si-
tuada ns Casa Forte, tendo de frente duas
janellas e uina porta, bom quintal com arvo-
res de fruclo, e excellonle cacimba : as pes-
soss a quem semelbanto negocio :onvier,
queiram dirigir-sc a rua Imperial n. 79.
Taixas para en//entios.
Na fundico de ferro de D.
W. Rowman na rua do Brum,
passando o chafariz contina a
haver um completo sortimento
de taixas de ferro fundido e ba-
tido, de 3 a 8 palmos de bocea,
as quaes acham-se a venda, por
preco commodo e com prompti-
dao, embarcam-se, ou carregam-
ae em carros, sem despezas ao
comprador.
Feijo novo a 6,000 rs.
No armazem de Couveia & Dias, confron-
te a oscadinha da Alfandega.
I
Botica bomeopathica.
28 rua das Cruzes a8
Ha para se vender algumas caixas
ricas com medicamentos em tintura.
Cada urna sera acompanhada de um
frasco com glbulos inertes, e o
meio de os preparar,
Vendem-se asseguintes sementes:
nabos,rabanos,rao8netesencaroadose bran-
cos, sebola.couve trinxuda alface ala-
ma, repulbuda,chicoria, senoulas, feijSo
carrapato detresqualidades,ervilba torta e
direilat, lava, coentro de touceira, salea, to-
mates grandes, repolbo, couve lombarda,
saboia, e muslarda : na rus da Cruz o. 46,
defronte do Sr. doutor Cosme.
Farinha de mandioca a 1,600 rs. a
sacca
No armazem de i. J. Tasso Jnior : na rua
o dAmorim n. 35.
Deposito dept>nno de algodSo da
fabrica de Todos os Santos da
Babia.
Vende-se o bem conhecido pan-
no de algodo da Bahia, proprio
para saceos e roupa de escravos,
a vontade do comprador assim
como fio de algodao da mes na fa-
brica no escriptorio de Novaes
& Companhia, na rua do Trapi-
che n. 34-
Capachos com abeitura.
Vendem-se capachos com abertura no
meio para llcarem en redor de mesas de
meio de salla, na rua da Cadela do Recife n.
48 primeire andar.
Charutos de Havana.
Smenlo da mirca L ( com li a-
vwiiio. )
Lonas da Kussia.
Brins da Uussia.
Lonas inglezas.
Cobre para forro c pregos.
Arados de ferro.
Moendas de assucir.
Tres ptimos lurtes pianos.
Vendem-se remos de faia ,
oleo de linhaca em botijas barr-
cascum cimento eas tinas, a von-
no arma-
tambem ba um completo sortimento de gra-; Qq<3>0OQ> vQ^O OOOJOOeJ
'O abuizoassignado vende O
2 o se engenho Santa Maria, g
ha pouco levantado, na co- o
O marca do Cabo, o qual di- O
^ vide com os engenhos Sibi- ^
a r de Santa Cruz.Cechoeira, 0
Ib II I I 1 I > I A li.'l II >
co'm rullperfeico'e ligeiresi, lio perfeita 1 comDra(lores
cosinheira o docoira, e faz o mais arr.njo do laue UOS comprauore
casa;um preto cosinheiro e barbeiro, do '.icm CO111 taboas de pinlio, atrs uo
naao. muito flol o de boi conducta: na ru !theatro vellio, ou a tratar com Joa-
qun Lopes de Alarida, Cdixeiro
Cobertores a 800 rs.
Vendem-se superiores doberlores do algo-
dSo branco muito oncorpados a 800 e 1,000
rs. cada um, ho urna pechincha que se esl
acabando : na rua do Queimado loja da es-
trella 11.7, confronto ao beco do l'eixe l'"rito.
Corles le brim trancado escuro de ,0
rs, e
do Sr. Joao Matheus.
Azeitc de peixe.
Vende-se azeite de peize, che-
recentcmente, c por pceo
commodo : na travessa do Queim-
!do taberna n. 3., outrora- becco
do Peixe Frito..
Vendem-se saceos com fa-
ro linho, pelos precos cima; estes brins' ii_ barricas com cimento, gigos
sSo de bons goslos.tanto para os gamonhos. 1
como para os serios.
FAHINUA SSSF,
puro linho, a 1,44o
3,400.
Chegoualoja da rua do Crespn. 6, um
Brande sortimento de brim tramado de pu-
0 -. .___________r__ .alan tirina
de muito superior qualidade e l-
timamente chegada a este merca-
do : vende-se na rua do Amorim
n. 56 e 53, ou a tratar com Ma-
noel da Silva Santos no caes da
Allandega.
Aos senhores de engenho lavra-
dores e mais pessoas que tem
escravatura, a 800 ris e 1.000
cada um /! !
Na rua do Crespo n. 14, loja do Jos Fran-
cisco Dias, tem para venderos muitos afa-
mados cobertores do algodo branco muito
encorpados, (agenda de umita duracSo sen-
do a 1,000 rs. os grandes, o a 800.rs.os mais
pequeos, assim como as mais delicadas
chitas francezas de liiussimps pannos e no-
vos dezenhos, sendo fazenda do ultimo gos-
to e cores muito fizas, a 320 rs. cada cova-
do ; sssim como muitas outras azendasapor
diminutos precos.que do ludo se dar amos-
tras deixando penhor.
A 5,000 rs. pequeos, e 5,500 rs. grandes.
Vendem-se chapeos de sol de seda ingle-
zes de superior qualidade, pelos precos ci-
ma : na rua do Collegio n. 4.
Vende-se (arelo de muito superior qua-
lidade, a 4,000 rs. a s Couveia & Dias, no caes da Alandoga.
Cambraias de salpico.
Vendem-se cambraias de salpico brsnco e
de cor, muito flnas.com 7 1|2 varas, a 4,500,
ditas brsncas, com 6 lr2 varas, a 3,000 rs.,
coites de cassa cuita, muilo linos, e cOr li-
za, com 7 varas, a 2,500 ; na rua do Crespo,
loja da esquina que volla para a Cadeia.
(.rancie sortimento do pannos finos e
casemiras.
Na ru* do Crespo, loja da esquina que
volt* pasa Cadeia, vende-se panno preto
fino, a 2,800, 3,200, 3,500 4,000, e 5,000 rs.,
e (raucez multo superior, a 6,000 rs. o co-
vado, dito azul, a 4,000 rs., dito verde mul-
to superior, a 4,000 rs., cortes de casemira
preta entestada, a 5, e 6.000 rs., diU rao-
co muilo elstica, 8, e 9,000 rs ; assim
como de npres, dos mais moderaos gostos,
por pre?o eoaioiodB.
com champagne di bem acredita-
da marca estrella, tudo chegado
ultima me ni e pelo navio l'ernam-
buco ; na na do Trapiche n. II.
Vende-so I osersvo pega bom serrdor e
cosinheiro
n.25.
vtas de sed* do todas as cOres.
Vendem-se relogios de ou-
ro, patente ingiez, de um dos me-
lhores fabricantes : no escriptorio
de Russeil Mellors & Companhia,
na rua d 1 Cadeia do IJecife n. 36.
Vendom-so casimiras de bollos gostos
0 de quadros largos, a 6,000 rs., o corlo; se-
das (urtanVcs muito largas, e padrfles no-
vos ; manteletes o capotinhos con collote ,
ltimamente ehegados de Paris : na nova
loja da rua do Queimado n. 46, de Bezerra
& Moreira.
Vendem-se vioho de Bor-
deaux em barricas, frascos com su-
perior manteiga, latas com saraJt-
nhas, gigos com serveja de supc-
Liorqualidade, tudo chegado lti-
mamente pelo navio l'ernambuco :
na rua do Trapiche D. II.
Vendem-se latas com ervi-
Ihas, caixas com velas steuiinas c
cabos de manilha : na rua do Tra-
piche n. 11.
fuuutuum
Na rua do Pacaio Publico, loja n. 9, ven-
dom-so ricas grvalas do cassa, para passar
a festa, a 1,500 rs. a duzia ; a ellas antes
que se acabem.
-- Vende-se urna du?ia de cadeiras, urna
cadeira debalanco, um sof, eduas bancas,
tudo dejacarand quasi novo.por preco mui-
lo commodo : na rua das Cruzes 11. 33
N No armazem de I. II. C 1- 1
^ cnsly, m ruadi Cruzdo Be- !
1 cife n. 1 vendem-se caixa i
$ por caixa de excellcntes cha- *
fg utos da Havana, ehegados ^
g ltimamente c por precos |
4 commodos.
r.,.,..... -...- ;. :ai v-;-a
-- Vende-so um prolo crioulo, do 20 an-
nos do idade, porilo ofllcial de sapaleiro, e
com principio de bolieiro, bem possant? e
sem achaques, o motivo se dir a compra-
dor : na Soledede no sitio dos quatro lees
a qualquer hora do da.
Novidade para quem nao sabe.
Vendem-se 8S bom cunhecidas o acredita-
das esteiras do Angola, grandes e pequeas,
muito novas.cliogadas agora : na rua da Ca-
deia do Recile n 8.
Vende-Srf por preco commodo, 1 reale
jo de rica construceno, ten lo 5 cyllfldro,
com zabumba, campa e 1 terno de tronbo-
nos ; conlcm20quadrilhascscolhi'las, o ar-
ranadas dos melhores autores; 10 bonitas
valsas e 2 bellas ouverturas. sendo 1 da nor-
ma por lielinni, o outra, o Cavallo de Bron-
c tratar na rua da
ectua para pagamento uu iy
redor e hypothecario do g
lito engenho, Jos Marques
zo por Auber: para vor
na rua da praia de Sanl* Rila ,;, u/ n 34.
Vende-se um ptimo reloKio.uma obra
[de Cliirma, outra deGmenio, oulr* de Feli-
Coudessas grandes.
Vendem-se na ru. da Cadeia do Recife n. *. l-jh ZT^Z muUo
48 pr.mo.ro and.r 'commodo : ... pr.c. da Independencia n.33.
fasscio l'ubhco n. 17, junto a Us lrascog d( vdros redon_
Imprensa, vendem-se as seg s!doscom bocea larga que se ven-
no armazem ou na rua da
n. 48, passam de ora em
fazendas por precos commodos : ,.
____._ .1____'.. Y..f____1. toan diam
Chales de Ifia esoda, boa (azenda
Ditos de 13
Uilos de larlalana
Ditos do cambraia brancos
Lencos de 13a e seda com (ranja em
volt. 1,000
Ditos de dila dita 800
Cortes para rollete de ISt e seda, bo-
nitos padrOes 610
Ditos de (ustSo, (azenda muito supe-
rior 1,280
Lencos de seda com toque do avaria 610
Brim branco de linho muito supe-
rior, a vara 1,280
Dito ,100
lliscadinhos de linho propnos para
palitos, ocovsdo 320
Alpaka preta muito boa (azenda, o
covado 800
Dila mais inerior 610
Grvalas para poscor;o de excellontes
padrfles l><20
Pecas de madapolSo, boa (azenda 3,500
Dito mais inferior 3,200
Dito 3,000
Chitas para cobortas de bonitos pa-
drOes 240
Ditas para vestido, a 160,180, 200 e2l0 rs.,
e oulris muitas dercujas qualulades e pir-
cos os prelendentes se agradarlo, o tempe
he proprio, a ellas antes que se acabem.
Navalhas para barba.
Vendem-se navallias para barba, as mais
superiores que tem apparecido no mercado,
pelo diminuto preco de 2,000 rs. cada una
em estojo : na rua estrella do Rosario, tra-
vessa para oUueimado, loja de miudezas n.
2 A., junto 10 deposito de|pSo.
3,000,
1.28O Cruz
1,000
1.2S0
liante a venderem-se como d an-
tes, em grandes c pequeas por-
c5es na mema rua,armazem n. 63.
oasnanr*-J-- ""'"a-
I AttencSo.
I'essas do madapo3ocnm toque de 8
avaria,.sendo fino, enfostalo e com W
i 24 jardas. 3,500 rs oda prca, no ar- &
$ mazcm do fazendas de Couvoia & i;
sk Leite. rua do Queimado n. 27. %
Vendem-se boiftcs os mais
modernos e de melhor gosto, pro-
prios para palitos de cores: na rua
do Cabug, loja doGuimaraes nu-
mero 1 C.
Rap Paulo CorJeiro.
Vende-se superior rap PJulo Cordeiro.em r
libras e meias dilas, eoilavas, chegado pro- i por preco queaz admirar aos compradores;
ximamento : na praca da Indepen lencia.lo- a ellas meus amigos anles que se ac.bem.
ja de nliudezas n. i. I Pura devoco.
- N* loja da ponte di villa do Iguarass Wa mesma loja cima tem lindos cruzeL-
n. 7, vende-se por todo o preco, a d.nlieiio ros com a iatgem 0 Redemptor; de metal
a vista ou a praso, toda a qualidade de P*'.o ltnl0 dourado como praliado; tercos Je di-
seccoeccra de carnauba por atacado; assim ( ye fn
conu) na mesma so compra urna barcada do 1
15a 18 ca
rija-sea dita loj.
-- Vende se urna bonita escrava do idade
O igualmente vende, se assim
convier ao comp.ador, toda g
q a .atoara; esta venda se ef-
I> fectua para pagamento do O
O credo
Od
G> da Costa Soares : quem o
O pretender, dirija-se ao dito O
engenho, ou ao referito ere-
q dor. Engenho de Santa Ma- o
O ria i5denovembrode i852.
O 'fhomaz Marques da Cos- g
A la :-n.ii< : Q
I',II.1 111 litis.
Figuras de loma de differentes qualidades
o tamanbos, simbolisanJo a America, a fri-
ca, a Azia o. Europa, eas quatro estacOes
do anno ; jarros do bonitos moelns o gus-
tos, para delicadas flores, globos com pedes-
taes psraornamenlo de ras,sitise terra-
I eos-: na rua do trapicho n. 40 sagundo an-
dar se dir onde se vende para (. char con-
tas; assim como a estatus do imperador D.
Podro 1 e duas bonitas jarras pequeas com
torneiras do metal, e todas guarnecidas uo
azule branco parajardins
Ihnheiio vista.
Quem quizer poupar venha ver e comprar,
pois o gancho do quem vendo fica as mos
dos compradores, e sempre llcam logrados e
mal servidos seus amos ou senhores; no
aterro da Bo.-Visl. n. 49, taberna nova piu-
lada de azul, vondo-se o seg'iinle :
Manteig. ingleza superior
Hila franceza
Cha do melhor
Espermaceta
cnb preto
Carnauba em velas
Karinlrt de ararula
Dita doMaranho
Chocolate de Lisboa
Cal muito bom
Eslrellinha para sopa
Assucar refinado bom
Dito immediato
Krviihas
SevaJa
l'ainso, a cuia
Milho-alpista
Azeilo doce, a garrad
Vinagre de Lisboa
Dito
Azci tonas
Da tudo se d amostras, e
obrigaJo a quem vier comprar, trazando di-
nheiro para pagar a bocea do cofro.
Amantes do bom e barato, at-
tencao.
Na loja do miudezas da (rente do Livra-
mento vende-seos se^uintes objectos 1 ri-
cos adnrocos do fila-giana proto a 960 rs.
um, ricas abotoaduras para collete, tanto
reta, como de ditl'erenles cores a4uo e 800
rs. urna, ricos alfinetes de vidro, cmodo fi
la grana a 400 rs um, chapeos do chili, pe-
queos melhores que em parte alguma a
3,000, 4,000 e 5,000 rs. um, suspensorios pa-
ra meninos a 560 rs. o par, meias pintadas
(11 listrase brancas para dilos a 280 rs. o par,
ditas pretes para meninas a 320 e 400 rs. o
par, atacadores pretos, brancos e de cores
proprins para es.iartillios de senhora, a 120
rs. o par, ricas ligas de velulo, algoJUo e
seda com horraxa a 400 e 600 rs. o par, ri-
cos sortimentos de fitas de veludo e Ovelli.
nhas douradas e do madreperola, ricos pen-
les de tartaruga para atar cabello e mirratas,
aquelles a 5# rs e estes a 1,000 rs., ditos de
massa de 320, 180, e 1,000 rs lindos capa-
chos para aalasa 600 rs. cada um, superio-
res punas de ico e canelas a 2, 4, e 8 pata-
cas a gros, variado sortlmenlo de trancas
pretas e de cores, quasi todas estreilas e
Iiilleles do Rio de Janeiro.
Aos 20:000,000, 10:000,000, 4:000,000,
2:000,000 e 1.000,000 ders.
Kstilu expnstos venda, na rua da Cs-
deia do Recife n. 24, loja de cambio de Vi-
sir, da Silva, um completo sortimento de
bilhetes, meios, quartos, oitavos e vigsi-
mos da 33. lotera do Monte Pi, cujos bi-
lhetes vieram pelo vapor Iroperatriz, c a
lista deve chegir no da 5 de dezembro.
O h I que fazenda.
Na loj. de miudezas em (rentado livra-
meuto alem do variado sortimento do bicos
de se la, linho e algodSo tem bicos do 1.1a
de muilolndascrese preto^nuito proprins
para mantelates, he fazenda inteiraments
nova ; i elle,madamas.
Vende-se urna escrava, crioula, boa la-
vadeira de barrella ede ensaboado, o (az
renda : na rua das Trincheiras, sobrado de
dous andares n. 48.
Vende-si a cocheira sita na ladeira do
Var.douroem Olln la : quem pretender po-
de dirigir-se a reflnagSo de assucar que lica
confronte .9 n. 14.
Vendem-sequeijos do prato o londri-
nos muito (rescaes, seir.scom linos de I 2 e
8 arrobas muito novas, hcelas com 4 arro-
bas de timaras, chocolate canella muilo
bom, latas com orvilhas, ditas com sardi-
iihas, conservas, latas com ve:duras, e (avas
de Lisboa, tudo de superior qualidade na
ru. oa Cruz n. 46, defronte do seohor Dr.
Cosme.
Vende-se urna crioula com 20 annos de
idade o com todas as habilidades : no caes
do Ramos, ultimo sobrado, primeiro andar.
Vcnde-se om preto do gento de Ango-
la, de idade de 28 a 30 annos, pouco mais ou
menos, de bonita figura e mudo robusto,
proprio par. todo o servico : a tratar na rua
d. C.dei. do Reci(e n. 13.
u cautelista Faria Barboz".
tambem expoz bilhetes da 33 lo-
tera do Monte Pi, pelos precos
j sabidos, no aterro da Roa Vis-
ta, loja de miudezas n. 72, de Ma-
nuel D111.le Vieirs.
-- Vende-se urna rela que engomma bem
cosinha, e cose urna dita que cosinh. sofri-
vel, lava bem, e he muito robusta, e por is-
so boa para vender ns ru. ou para engenho
urna dia de l4.nno.sem hsbeliJades, um
molecole de 22 annos, 3 pretos mocos bons
para todo o servico : na rua dos Quirteis n.
24, segundo andar.
Escravos fgidos.
SIO
560
2,210
720
'.,920
280
160
140
320
160
210
100
80
120
100
560
100
600
120
80
210
inda se fica
formas e cruzes paqueuas tudo
nesiiia so cumpra urna uarcacauo' orfeilo u por commodos presos.
,,,,; quem l.ver para vender, d.- Charutos de Havana.
Os melhores que leem vindo estemor- 1
do : vendem-so continuadamente, em ca-j recompensaiw
18 annos, pouco maisou menos, sem vicio
nem achaque : uas Cinco Puntas, taberna
n.71.
No ilia Hdo corretedesspparcceu d.
Torre, .sitio do Toque, o escr.vo Antonio
rom os signaesseguintos: cor preta, repre-
senta ter 40 a 50 annos pouco mais ou me-
nos, rosto descarnado, tem junto ao olho,
procurando a fonte urna cicatriz que parece
ter sido um lalho ; he muito esperto tanto
no trabalho como 110 anda*, o costnma
Igumas vezes ombriagar-o ; le.vou cal-
ta de algodflo azul, jaquel, preti, cha-
peo de couro. Ha descoullancas que estej.
mesmo pela Torre oceulto e Irabalh.udo em
ceit. casa, quo dizem, costum. a comprar-
Ihn furtos: roga-se aos capitflesde campo,
autoridades policiaes, prendam e o levem .
sau senhor Francisco Cavalcnte deAlbu-
querque, n. rua do Livrameulo, n. 14 que
8e/ recompensado.
Desappareceu no dia 17 do corrento um
escravo de nome JoSo crioulo com idade do
30 e tantos annos, levou caoiisa branca e
caiga azul, estatura regular com falta de al-
guus denles, e muito regrista.cs cambados
de bichos, cujo escravo fvi comprado ao Sr.
Jos da Fonseca e Silva, e por este .0 Sr.
Francisco de Resende Reg e por este .0 fa-
leciJo AsconcoConcalves Ferreira, senhor do
engenho Cichocira: quem o pegar leve na
rua Direita loja de calC/idos,que ser recom-
pensado.
Desappareceu no dia 19 do crranla po-
las 7 horas da tarde a escrava crioula da no-
mo Victoria de idade de 18 a 20 annos pou-
co niiiis.ou menos,comoSsrguintes signaes;
crpreis, um tanto fulla, nariz afiliado, ca-
bellos carapinbos,bocaregular,beicos finos,
bem parecida, biixae rrlineada, est grvi-
da de 5 mezes pouco mais ou menos, peitos
em p, tem um signal do queim. Jura no
pulso da iiijn direita : levou vestido de chi-
ta todo desbotado que parece branco, cha-
las de chita com assento azul e barra ama-
relia j desbutado ; esta escr.va (oi vendida
pelo Sr. Antonio Jos da Silva Jnior JoSo
Correa Brazil, morador em G.ranhuns, o
este a in.ndou vonder nesla pr.c. por Jos
Mies Furtado tambem ahi morador; para
oodesesupfio ter (ugido; quem a pegar 011
della der noticia certa ser bam recom-
pensado: na rua da Cadeia de S. Antonio
junto .0 theatro velho: ou na ru. do Rosa-
rio larga n. 24, segundo andar; assim como
se protesta contra quema liver'occlta com
todo o rigor da lei.
Desappareceu a 17 do corrente Jl.nocl,
crioulo, representa ter 26 anuos, alto, cheio
do corpo, sem barba, (oic,Ocs regulares, com
falta de denles queixaes, tendo todos de
frente, (altando em um um taco: tem os ps
torios para dentro, que quando anda mus-
ir sor cambado ; lia bem fallante e lem ar
alegre: levou roupa branca usada esuja, o
mais roupa, camisa de madapolSo, calca de
setioeta branca outra do lislras szues e ja-
quelado brim de quadro; lu do engomma do.
Esta preto era oceupado no servico de ru/i-
nha, he de suppor que esteja em alguma
casa se'vindo como forro, sendo qua al-
guem ae esteja servindo delle, queir. de-
niinriar-se, do contrario se usar dos meios
que (acuita a lei : roga-se as autoridades
policiaes, capilSes do cimpo.ou qualquer
pessoa, o prendam ou (acam prender, le-
va-lo ao seu senhor Antonio Rodrigues da
Cruz, na rua do Cabug, que ser genero-
samente recompensado.
Desappareceu no dia 6 de
novembro corrente o prelo Sabi-
no, de nacao Congo, idade pouco
mais ou menos 38 annos, magro ,
alio, e tem um lalho no rosto se-
melhsnte a urna meia la ; levou
camisa de algodao da Bahi 1, c cal-
ca de riscado azul de listra larga :
quem o pegar, leve-o a rua da Sen-
zalla Velha, armazem n. 1/-4, ou
na Fassagem no sitio de elfino
Coicalves Fereira 'jima, quesera
do seu trabalho.
sa de Bruno Praeger & Companhia, ni rua
da Cruz n. 10. .PKRK.
Tvp. di II. F. di Fama. 1852.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJY894UKH_M0YXL5 INGEST_TIME 2013-03-29T18:44:32Z PACKAGE AA00011611_03107
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES