Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03105


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ca
AmioXXVlII
EfW
gabbado 20
r
de Novembro de 1852.
N. 263.
;
DfimO BE m PERIUMBIICO.
riV2nCTf
s-HlllO A HUBOUir^lO.
Pia.HIDTO Aduhtido.
i,, trimestre .1.........4/000
porseineitre.............8/000
Pul anno ........ 1.....1S/U>10
FtaODINTKO OOrilMKSTUB.
1>ji quartel.............4/500
OTIOIAS do mniuo
Par--- .'I deNovbr. final. 14 deCulbi
tlaiiubo. (i de dito S.Paulo 23 dedllo.
("eir de dito It. ,1c J.. J6 de dito
ParaMba |5 dedllo Babia.... 1 de Novbr.
buha llKlil AubihoIah.
iSSeg. Clementiuo. 1 Immoi Orpka
>6Terc. Uoncalo de 5, e5. i I 0 horai.
Lagoa. |. warad'icivel.
17 Quart.Gregorio. I3. e 6. ao melo-dia.
1S Qululh Oilom. Pateada.
19 Seal. S. Isabel ril-'j ed. l 10 bor.11
"ha v. '" i. tara do civil.
20Sab. S. Felli.
4. e sbados ao melod,
'I I>om 26. c ultimo KeU(o.
depoil do K. Sanlo.|Tercai e sbados.
Mlngomte 5, a I hora e 18 minutos da m.
.Iti 11,111 horas e il minutos da tarde.
Cresceate 18. aoso minuto aturde
Chela a 26, ai i horas il minutos da tarde.
iiiiauM ion
Prlmelra as 11 horas t 42 minutos da maahaa.
Segunda o c 6 minutoa da tarde.
A*TIA a O OOBIlIOt.
OTiclaa IITBIHaillAi,
Qolanna e farahlba, isicguadii ieitaa-IPortugal II de Outbr.Autria .. i deOutbr
leiraa. iHespanha dedllo Suina.... adedlto,
RIo-Grande-do-Borte Victoria as qui.U IJr*Dr-- !e'0
leiras |?elgici..:. i de dito
.Italia..Si dedito
Bonito, Caruarn,e Oaranhuai do Me ISdecad* Alemanha. 3de dito
Plores,Ouricurr.Ex 11 e Boa-Vista AI 3 e 28
Olinda, todos os das.
Todos os Corrrios parteui ao meio-dia.
Prussia ...ddedlto
Dinimsrca > de Selb'
Rnssla... >9 de dito
Sueeia... 28de.Setbr.
Inglaterra 8 de Oulbr.
E.-Onldot 25deSelbr.
Mxico... >d de dito
California t de dito
Chlli. 10de dito
Renos-A. '8deSelbr
Turqua. 26dedilo Montevideo 5 dedllo
oaajBioa B 19 a Birtimbro
Sobre Londres.a 2h ', por 1/000 d,
> Pars, 3L0
Lisboa, 5 por canta,
itail,
Ouro. Oncas heipanhoiai........... 29/Wo
afoedas de 6/400 Tenas. '......16#u00
m de6/400novaa........ lB/tKio
> de 4/000.............. S/M"
Prata.FataeSesbrasileiro....... sfiLo
Pesoscolumnarios........ l/513"
Ditos mexicanos.............. 1/80"
EXTERIOR.
A mvtm 10 rfos direitoi da mulher, como se
chaina nos' Estados-Huidos, acaba de ter sua
Irrcrira sesso anoual em Syracusa, no Estado
de .New-York, debaixo da presidencia de Mis-
tress Davis. Encontramos nosjornaes america-
nos longos e numerosos pormenores sobre esla
reunio singular.
Lis-aqui a sua anaiyse to fiel e to sincera
ijuanto he possivel:
Este inoviineuto que na vclha Europa terts
desde o seu primeiro auno naufragado uo redi-
mi, parece pelo contrario fazer progresos no
oulro lado do Atlaulico. O numero dos assls-
lentes foi inais considrravcl este auoo do que
prc tomada emconsldcraco ; que suas forcas
natura aejam desonvolvida sein embaracos
nem limlies, sem recompensa nem penalidade
alm das lcis de sua proprla natureza e harmo-
na geral, afim de que, sustentada por una
coosciencia esclarecida e urna energa nao res-
tricta por barreiras facticias, ella possa. cuui-
prir sua misso e contribuir de sua parte para
os elementos portieulares da nova elvilisaco
que se abre ao mund > e na rjual o amor sunju-
gar a Torca a ignaldade, a liberdade c a jus-
in, 1 substituirlo degradacao das castas e a
oppressao dui individuas. .
O piojfcto apresealado por Miss Lydia Fow-
ler, a q'ualexerce mediclrra em New Yoik, nao
he concebida em um eslyio menos extraordi-
nario.
Visto que no corpn humano cada orgao lir
ouira lunccao excluslvameule particular mu-1 versa, timben faltaram umu quitorzo se-
. Miss alone linagiua la I vez que oalella-]dulii, que sem duvida pagaram seu liibuto
lio bemcoino as mulheres, ouque pelo menos _"
se poderla dar este cuidado a algum hrtVolr- *er*'" *A
laudes, recentemente desembarcado, como isto ; mas todas 101
euto nao he um derer das mulheres, que os de morUlidide
homeos oom o aieilador podem preeuche-lu D, -._._ '__ -,w .
Por ciusi dessis pequeas dilrerencas hou-
questos durante a apuracSo,
inim decididas a contento da
succede fiequeoteinentc. ("Novos gritos de fra! opposifSo pela infallivul meta, que nH ijul-
que vergonha! e signaes de reproracau un-' gi lies faltas judiclosat, o isseven cum to-
"eraal) do o lrio que as eleices OjtSu ptrtu como
Em dinnitlva crelo que as mulheres compro- aj antigs vestaes
inettein sua iulluencia formando conventaes Estamos ameicados de mullos protestos,
como esla. Murmurio.) Liuiua esphera, a mu- _..._,._____,.,. ____t% 1 '
Iher possue urna inttuenci. que ohomem nao m" mes PfoteJti no recebe-los, e o par-
tem. e he por seu bem. em seu interesse que l'dodom nantu protstaqua ha do faier, ao
ros fallo neste momento. A mulher pode faier contrario, respeilir essi liberdade po^ulir;
tuda do titilo, porque? Porque ella he forte por liberjade que aquella tinto defende, quan-
sua ternura e por seu amor. A mulher oeste do assim Ihe faz conla. Oesejo que u psr-
seoltdo be o sexo forte. O ouro na forte, o rl- lid,, dominante d ao outro urna tal I ic.l 1 de
nhobe forte, mas a mulher hemaia forte anda. |,berdade, com a qu.il muito Ki)liaromos
Naohaningue.il nesta assen.blca que nao te- oj populares, que vamos ter insis
nbaaentid'i a aua Torca; todo o bomein casado _urih, Hriiiia n#>l 11 *
dnto, paraaaslstir as suas scasfles. devia-sc pa-'ieni uuia iudlvidualldade proprla e dstiucta a lein sentido. Uuanio a iiiim, sou solteiro(ri- mpii espnera uo arenos pollinos.
(ii scus lugares na porta como nu thealro. Es- de todas as oulras ; por oonseguinle be afim de sadagcral); mas nao he esta a raiao que fat Anlo-liorjlem concluio Sfl a apuricao ven-
com que eu seja opposto a estas convences. cendo aiipposiQSO, e inlroluzndo o pirtldo
ltogomulher que conserve sua ternura e sua dominante dous no numero dos eleitores.
nos precedentes ; e a convenci se julgava lao do uicsino (frinriplo de vida o nutriaMato que
segura da potlco que adquiri na oplniao pu-ihe he neceisario assimilar para seu deseovol-
blica, que permuto que os liomens toinassein vimento, o que entretanto cada um delles, quer
l di>to, para aaaistir s suas scsses, tlevia-se pa-'te
medidas do congrcsio feminino foram qua- chegar i analoga da naturezs, resolvemos que
si juttilicadas pelo successo ; de um lado, mais no grande curpo poltico, como no grande cor-
de quinbenlosbllbcles de entrada foram com- p0 aocial, cada um, qualquer que seja acu sexo
piados pelo publico, o iiue lie um bello trium-jou scus talentos, deve preencher o grande
pho em urna cldadc como Syracusa, e"do outro Km de soa existencia. Ua quem diga que a rae a
lado, o numero dos homeos que pediram para humana esli boje perturbada no corpo e no es-
lomar parte us trabalhos da assemblda, fol prico pela loucura e imbecilidade das mulhe-
baslante grande para llsongeiar o amor pro- res, e que he sobreludo por ellas que a eape-
prio dettas damas. A lotalidade se compunha cl poder ser regenerada ; conseguinte-
quati de mnistios das inumeraveis scitas pro- mente:
leilantes que abundam nos Estados-Unidos .A eonvencao resolve, que herecoinmendado
viam-se entre elles inulas variedades to me- c com muila instancia a todas s mulheres para
modismo, dos qualters, dos discpulos do dou- que estudetn o organismobutiianodebaix.idcto-
lurChaiiiiing, de quem ltimamente ja falla- das as suas relares anatmicas c physlologicas,
mos. etc., etc.; notavam-sc lambe 111 alguna afim de que sjam capaxes de trabalkar para
Icigqs, orignaes quasi todos dos novos Estados dar-lhc mu Jcsenvolvimenlo mais harmnico,
do Oeste, e entre uutros, um ceno llr. Joues para afaslar da especie o fiagello da fraqueaa
doOhio, que veio ao congresso com sua mu- physica e da degenera9io ;
IhtT.so lado daqual, Taita umi figura baslau- Que ella nomcai umacoinmlsso geral en-
te singular, o que o nao impedlo de tomar carregada de procurar aquellas que quiierem
minias vezes a palavra, mas para pronunciar esludar estas prossoe<, de dar-lhes pelo me-
discursos iucompreheuslveis para nos, que nao no, algumas palavras de auinaciio c rccoiniiien-
devemos mesino analysar. Entretanto, como da-las proleccao .publica as cidadei e lias
era natural, as mulheres tinbaiu a matoria, e aldeias '
pela mam, parte eram raparigas de qulnse a .QUe'as mili serlo convidadas a preparar pa-
vinic anuos, as quaca o casainenlo e a mater- ra leus filliosuin alto enobre deslino.a estudar
nnade curarao sem duvida da inania das con- 8ua, idiosincrasias c suas disposlcoes para os
vencoei, assiiii como aunuuciam os peridicos, diversos cmpregoi da vida, a dar-lhes urna
eitando-lhei o exeinplo de urna seohora de edncaco tal que seus filhos, de ambos os sc-
Swishelnr, a qual, depols de ler tomado urna ,,, ...ja,,, igual.neule capases de ganhar a vl-
paile mulla aeliva neste movlmciito se con- jai nao se espondo mais a ultrajar a uatureza
verteuein ideas Inlelraineute oppostas desde debaiso da Iulluencia das cousideraces do di-
que se tornou mulher casada e mai, e hcou t.10 ,,,,;,,
iulciraincute couvertida, que acaba de publi- Que cada mulher aqu presente preste o ju-
carneste muuienlo um Jornal nicamente dea- rauenlo de, para o anuo viudouro, trabalhar
tinado a combater a douliina dos direilos da em qualquer obra grande e ulll, quer no lelo
mulher. "uanto aoi principad papis, elles de sua familia aperfeicoando individualidade
eram preeuchidos por pessuas mais idosas. que ella lem de lieos, conforme us seoiiineii-
iiiaiseiperinienUdasearespcilo das quaes os toi e suasaspiratfies, ou seguindo 01 Insilnctos
jornaes dos Lslados-Uuidos ae moitram pouco de seu genio como pota, artista, esculplora,
coetes mulhereidivorciidas, virgens aban- caillo,ai medica ouniinlslro do Evangelbo
donadas ou laucadas fora das vas ordinarias da para dar urna ideia das discutscs que oceu-
aocicdade, homena de leltras desacreditados, naram o congresso, e da maneira porque uram
sedarlos aluminados discpulos de Jlarganda dirigidas, citaremos o incidente que encerrou
Euller.ctc, etc., queeltea perseguemcom scus us t,abalhoi da letio. Tratava-se de dclibe-
sarcasmoi. ISao queremos fater-nos echo de rar sobre urna proposta apresentada pela re-
maledicenciasinuleis.c das quaes nao procura- verenda A. lirowue, a qual linha por liin esta-
leuiosJusliOc-i a vcracidade ; acrcsceulando beleccr que a II blia cu nciihuuia parte consa-
..nneiilc que nos f..-,,;ii-i.i.,s do dlacursol que ^j a llfei|ri>ladc da mullicr ou sen dtver de
nos sao trausmiltidos, se lie iinpoisivcl reco- obediencia a seu marido.
nhecer urdiuariamcute a ioipiraco do boui 0 m-ercnd<> C. L Malch, mclhodisla da con-
scdio, enconira-se mullas vetes os vestigios de gregacao do Massacbussetls, pede a palavra.
urna instrucc.io bislaiilc desenvolvida; senle-se Kj0 50u diz elle, memhro da convenfo, he s-
ao sopro da pailo. Entre as oradoras as quaes llieiue a CUnoi,lade que mi trourc aqu, a n.im
seappilca esla observacao, podenus citar a- como a tantos outros. Achando-mc por acaso
qucllas que os joruaes desigiiain como a rev- cala cidade. c tendo onvido fallar de doulrinas
rcuda Mus Aoloiuetlc Bruwne, a doulora Mus bastante ctraordiuaii,s, as quaos Hulla,11 sido
influencia. Tem-ie pretendido que ae Ihe des- O vencimenlo era por muito poucos voto",
sem cntiada no congresso de Washington, ella bem entendido conlando-se os cincoentl e
tanca,ia oleo obre o m.r tempestuoso e cil- ,,,, |ihinhos dis cujas; mis no figir
mana ai tormentas. Rao averia nada, fcm- d fa|t m,ntBiga, quero diter,
ciuauu aos bomeus, as mu lieres iimo esla,,a,11 ,, '
',1.... :.. 1....... lu.. .. h..i.. a,. .i.., ... no apurar do negocio filUvim uns linios
lili em seu lugar; elles as havia.u de achar ou- PUrir do negoct
sidas c m.scullnas, e ellas perderiam sua in- l< dos quaes ntnguem diva noticia
tlueucla e nao laziam nada de bom. (Vlurniu- l'iocuriram-se por toda a parle, e eu ite
nos Muuas seiibor.is toinam notas.) Vou el- roineclii nns llgibeiras, e nula de appire-
tar-vos urna prova, c nao irci procura-la muito cerem.
longe, porque aqu meaiuo he que o Tacto se Em yisti dd urna tal deserelO resolveram
passou. guando Mutreii Richols toinnuapa- razer apur,cSo e principiaran! Iion-
tt^^SSX^xttESli tom; mi. nao se, o como, pots um do,
a vclha IMcbol! fsYiMaai 1 rumor. Mistress membros da mesa ao passo que ia lenlo os
Nicholi be una seuhoi. de sesscnla e tres an-, nomes dos volidos, ni primetra apuracSo,
nos, redactora do Ocinoeraia, peridico dos Es- OS rtscava cum um grosso trico de lapes,
lados de Vermont) I de surte que l(pje s idviuhados. J me es-
APrctidtnlc: Espero que o orador nao se! quccn que a meta he omnisciente Uern,
Tara chamar a ordem, coutinuando a reTerir
uos ditos grosseiros que pode ouvir nos cor-
redores. (1'ieoi a/iiiautot.)
1,1 !(/i,.',, il. Ilalch, que conserva srmpre o
enlSo fcilmente far a apuia(3o.
Alguna RTit'ns produzto no partido do-
mimute a revolUQao da nova apurafSo iny-
uiaior sangue-frio. U elemento Uminlno he o croscopics, mis licou ludoem nadi, e s me-
que da a mulher sua Iulluencia e sua conside- em SUI omnpolencii.
raeao. A modestia de seu vestuario e de sua Eu tenho turnado lal zanga com as laes
existeuci..... (ner/u/icOes) Rao credes porven- elnlc.des, que, lias que team de haver d'a-
luraquc as mulheres perdem esle elemento fi- qUj 4 mezes, cono sssoveram os nsgados
minino f^tendo oque lasis aqu? (Ippuptulat.) pe|a mudanr;a dogsbtnele, t;So voto, linda
A presidente: Espero que, ie u orador Tal- m6 d(,em ,, CJS,ca a moda, ou um
tiraorMpelio iibJB, aji*eii*l*l** mt A MBhoM mea que fac a elei-
"szzrtittJSttSi+iim* a.t8 "r0" ,,i',sc1a"?"10 om,casn' fr,bis-
a iguaes argumentos; Jamis crusarel o Trro cando mullas epstolas, nico dcsabifo, que
com urna mulher. (Risada irnicas.) Que Ueos me resta.
aparte o dia em que o elemento Teminino te- Quero referir-lhe urna ancdota signiilca-
uba de acr perdido, em que uossas irmas se tiva do que he umt urna eluiloral. Na apu-
encontrem ua multidao com seus Irmaos c se rar;So ippireceu urna seduia em que vinlia o
confundan! em todas as agitacoes da vida. nolD, a0 r,r Jos Csrlos escripto Jos Ci-
(Murmurios.) Que nao ap.iarccajamai. odia em A resolvou que nSo era o mes-
Rao neruiilta Ucos que venha e.le dia em quea aquello Dr. empatado com o enn. presiden-
distin^co eutre os .mus sexos seja apena, os le, e mais dous individuos. A mesa, que
oreaos da.... (a voz do orador be dominada pelo teme muito a entrada le s EC. no nunie-
ruinorj.... eiu que os dous sexos srjam coulun- ro dos eleitorea, vendo quo liaviam lous
didos em u," her.i.aphrooitisuio tao completo |ulrares, n'um dus quaes a orto podia cu-
que, uo caso de um Incidente, o nico meio de |oc<.|0i resolveu que l)r. Jos Carios\ ora o
reconiieccrosexofosse re.orrer ai e mnsmo Jos Carlos, e conlou-lhe o Votte-
paradu. Eis-aqui o que si chama colie.ren-
a um esaine
anatmico,.. (Rumorespantoso, grilos, apupadas
A trittdcnte: O orador tem iusullado a
eonvencao, rcliro-lhe a palavra.
O /,,,,./ if. Hatea Teuho smenle duas
palivras mais que ducr. (Grilos 1 Hasta! basta!
inslenle I frat
Jfjx Sujon ^Inoiy : Se estou bem InTurma-
da c.te individuo perteuce a esta clisse de mi-
nistros que nio sabem edificar urna igreja, nem
conservar una congiegacoI he um daquellcs
que enganam as mulheres desla cidade e Ihes
cxlurquem subsenpedes ; um daquellcs lalvez
que queira lazer que Ihe pagueui sua passa-
gempira as ilhas tidgi.... Pelo que me dit mi-
nis Suntou, nao duvido que be delle que ella
me quer Tallar cm sua cria.
O reverendo M Ilalch: Uesejo coohecer as
provas sobre as quaes se pretende bascar esta
que tem Tello estas observaedes. mas se ellas convenfo occupou-ic de organisar sua mesa
tem sido recebidas aqui sem censura alguina, para o anuo viudouro, e de nomear diversas
se sao desle modo aprescnladas ao publico, po- cominls dein ser consideradas como lestemuiiho do sen- durante o intervallo. Mistrcss akes Smilh Toi
timeiilo das mulheres aqui reunidas. Um dos uomeada presidealc para o anuo prximo fulu-
oradures disse no selo desla conveucao que os ro, e be em Clevelaud 110 estado d'Oluoque te-
protestantes sao to bem dirigidos pelos scus r lugara quarta sessiu da couveufao dos dl-
miuistros, como os catbolicos por scus padres, rcilos da mulher
B llliiocna em i|uo t-
, a dlsrusso nao sa-
(dAvagase repisa-
iiogoageiii cheia de
Ote, se aqui se diz seiuelliaules cousas, nao ba
rasao para se admirar que o clero protestante
nao lusicnte este inoviineuto. Em urna com-
muiiie i.. ,0 fcita por Miss E. Slauton, se disse
ainda que, sobre cen membros de urna congre-
gaco protestante, nove pelo menos sao mulhe-
res, c cue, emquanlo os bomens nao tinham
para o clero senao mu fri indilleienlisino, as
mulheres, pelu conlrario, linhaui para elle um
respeito e um deferencia extremes. A conclu-
so que o autor lirava desla observacao, he que
as "mulheres sao escravas dirigidas pelos padres.
Ra mesma caria se dizia aluda que as moras
cram limadas para pagar a viagem e oestabe-
leclmculo dos missionarius nasilhas da Fidgi, e
(Journal des \'ebals.)
iHTEWOBa
COlUtESPO.NDEiNMA DO DIARIO DE PEK-
N AM BUCO.
I'arahylia 15 de novembro do 1852
Perd o correio de 12, porque eslava com
machioa corprea perfeilaiuenle macada
demora que tive na inalriz, a espera de
peL
qu eHaidcsperdlfam assiin um dinhciro~quc miiihn vez de entrar para a mesa eleiloral
lljrrifllluni'fsludu mediciuaj Mus Oakes suslenudas aqui. quii sciber por ...im meaiiiu,
Sinllbi auiura de um livro que lem fetu algum sc Moys* e .'auio c os cvan.jUsUs eram reco-
iiuliiii uus Estadu-Uoids : Wvman and her uhecidos por cata assembla; se a lblia, que
Wt (a mulher e suas oceupaves ), MUtrea hc a pa|aVra de Dos, he a auloridade que he
Krncsliuo Hosie, judia poloucta de uascioieii|3 aceiia por esta reunio, c com eilcito, esia he a
c i.iuilu parllcularmenle Misa Lucy Sioue, jo- quCsioque Ihe venhofaxcr.
ven bloomerista que se faz notar pela vche-: ^ j. MacCUnto^k: (mu quiker): Que en-
mcncia e ezcentricidide de suas opiuies radi- lenaei* pela palavra de Ocos?
caes em lodaa as malerus em ; u eauea na ar- j 0 retrado Hatcli: Emendo o que todos o
le oratoria, e sc fez de faci ajanla da con-' roieaiaiUes comprchendeiii por ella; mai o
ven^o, por isto foi oomeada presidente da uc emendis vos tamben, por esta palavra.'
COiuiUllslO cucarregada do rclaiono de acus, Muitas Yow : Compeie-vos explicar.
Irdbdlhos. I u reverendo llatch : Nao abrirei csti discus- aecusaco. Aiuda uo iaieiu seis mczca que
A WMlo durou Ires das e oceupou seis ses- sio, c passarei a outro objeelo ; procuvarci di- termiuei imcus cstudos. Tenho soin
ses. Sc o espirilu de melhodo uao se faz sem-'zer-vos porque os ministros do evangclho .lo palavras mais a diier. (Vaoinao.j
pie notar uos trabalhos do cougresso de \Vas-cm geral opposto* a esle uiovimenio. Membros A i'retidenU\~X>w, nem mai* una palavra.
Innyion, cou mais forte razo nao se deve es-,emlucnles desla assembla expenderam duutrl- { M. Ualch se retira cu tao com mua gravidac
perar que elle reine oas dcliberacea do cou-jnas|que ferem o carcter do miuisterio chrlslao, impcrturbavel. mas debaiio de uina teiupeala-
yresso de Syracusa. Por mais que quizessemos, cleudem a por em queslo a auloridade da Mi- de de giitos c de assobios.
lora-nos iwposMvel adiar um lio conductor bita l'de-se dizer que sao individuos isolados Este grutesco incidente terniliiouia *ao>
neste cahos de revoluedes propostaa queiiua
ronpasobre ludas as <|iiesloca imagloaveis da
moral, da poltica c da religio, impossivcl an-
da de seguir a sorle da maior parte das pro-
palas aduutlidas sem preparaco alguina, lu-
terrompidas muilas vetes na UeUberaciio por
qucalOes, por iucideules acccssorios, enviados,
as coiuu.issdcs do seio das quaes ellas nao sa-
bem mais, ou s.io approvadas no meto de uina
GOofllllo t de gritos que lirain a presidente to-
do o meio de se fazer reconbecer. As sestes
da eonvencao de Syracusa tem leiubrado |ium-
las vezes as sessoes de nossas asseuiblcas as mais
tumultuosas os applausos ou a voz dos ora-
duies lulaodo muilas vezes coutia as pateadas
c o arrastameutu dos ps, os gritos contra o
molim (|uc faziam as audiloras, ferindo con
seus uveutacs os bancus de madeira em que es-
tavam seutadas. Em geral, a
lito do circulo dcdcclamafi
ti i., cutremeadas de mua
auiiigouri, inspirada sobre ludo pela L'iIjI
pobtoquea biblia tenha sido muilo maltratada
na oooresicio, princlpaluieme por Ms Ernes-
Une Itose, a quifi nao foi contrariada por pes*
KM alguma. Apeiar dos (esteuiuuhos tirados do
Iivro sagrado, era evidente que a maior parte
dos oradores a albavam como uina auloridade
couliaria as suas doulrinas.
.Vkj exageramos nada, e vamos prova-lo tra-
duzudo duas rcsolu^es votadas sobre propos
la de duus iiieuibrus os uiai* importantes do
congresso, c que mostraran! cin que ordem de
idea, em que vaga elle se agitava.
Sobre proposla da presidente, Miss Panliua
Davi, lu .ipprovada a resoluf.io seguinte :
11 Seudo a l'iinilia a msirucC'io central e su-
prema as suciedades humanas, de suilc que
tudas as outras oigausaces, da igreja ou do
h ado -.n fundadas uela. seus males, >cudo
a rente de todoR os males, e seu bem a ongeui
de todos os bcus aos quaes pode chegar a raya
humana e sendo o casamento, o layo da prin-
cipal e primeira de todas as sociedades,, ten-
du&ido a u:iica uisliluico dada pelo Creador
na innocencia do Edcu, e seudo laiubeui > sj m-
bolo ctcolbldo da uuio da igreja com o seu
rcdeiuptor uo paraizo futuro, devemos mos-
ii i por isto qual hc a profndela de sua sig-
nilicaco c a exlcuso de sua iulluencia beoe-
l'ua da economa da exisiencia limnaiia.
onsegumleuicnte resolveu-se, que a emen-
da de todos os abusos do casamento he a base
pnucipal de todas as rclouuas que o inuudo
c^ige toin seus votos ; que a mulher, por sua
cuiistiimco natural e por todas as circuimtau-
cias de sua posicao actual, he o ministr de-
signado para esta redempeo, que responm'iidtj
ao deveres de sua grande mi>so e obraudo
ciu sua esphra ligitima, ella esta autorizada a
proseguir a cmar.cipayao de seu sexo de tudoi
os ferros da le e dos tostuiues que a tem al
im cutbaracado ua misso que Ihe fol dada
pelo eco. Kpaia quea muioer possa preencher
seus deveres e cumprir seu destluo, pedimos
para tila a liberdade moral, social, pccuniaiia
'' poltica. Pedimos que sua propria mdividua-
luade srja respeitada ; que ella receba urna
tducacu conforme as suas faculdades ; que a
saude de leu corpo e de aeu espirito seja :iu-
/
fariam muito iiiclhor em dcspinder pela edu-
cacao de suas Irmaas indigente de seu pala. A
geulc de manto prelo era ainda desiguada nes-
la carta como una rafa de pregulcosos. He ver-
dade que ha individuos desta classe que sao
pregulcosos mas a maioria nao o he certa-
uicuie. Grande movimeoto de pea no chao emj
signal ip reprovaco.)
I)c oulro lado, Miss Lucy Slonc vos dlssc Iion-
tem que ai mulheres nao podiam jamis dispor
do diubciru que ganbaiu, que os bebidos de
seus mai idus bebciu ludo o que ellas tem c as
diliam na miseria. Mas por veutura nao sc t
inuliieres que faicm a tucsuia cousa O ines-
ino orador disse aiuda que os maridos cncerram
suas uiulberes, mas uao tem as mulbcres o
mesiuo direito de fazer outro tanto, ae porven-
tura podessein P Couliecu urna mulher que
prende seu marido quaiido est ebrio, deila-o,
coie-o em seus vestidos e bite-o coin toda a
turca all que elle leuba vollado rasao. (flisa-
ias.) E ella faz bem, c espero que nJo dcixar
de repetir a correceo todas as vezes que fur
necessaria. (flfoeai riladas.) Alm disto, uo ve-
jo de que se queixeui as mulheres. Neste paiz,
uo ba siguaes de cnsiderafo que nao Ihe se-
jain dados pelo outro sexo. Fasem-uas sentar
uaudo se obnga.os humens a ttcarem p. Nos
caniinbos de ferro, d-se-ihes sempre os me-
lliorcs lugares. Nos meetings pblicos ellas tem
aluda privilegios, e os iudividuos cucarregados
de inaiiier a ordem nao pcrmiltein que os ho-
inelis lumein assenlo senao quando ellas esta
comuiodameule sentadas. Uesejar-se-hla antes
aue, leguudo as doulriuas deslaconveufao, se
Ueaawe lodo o inunda entrar em toda parle
caa^faadidameuie. Dizem que o houieiu neve-
ra laubem iiOt, sua paite amameutar os tilbos
Coiiheco una familia onde as.im lie.; oude o
marido maurji o instrumeiilu de alcilar, pusso
asscgurar-voi que islo uao val nada, e que ei-
lalimilia lie uitseravel. Miss Lucy hloue diz
aiuda,queaiiiul..er nao difere do liomem se-
uao pela uiaternldade e pelo que Ihe be neces-
ario para a procrcaso da especie, (rora 1 que
vergonha!) U aleilaueulo be certameute urna
deati.cidade, purquanto lautos dnvam par
te de doeute?, linios ae mudiram, queeu
sempre julguei pousar-tne it'aqnella lionro-
a tripode, quo ajudava a compor de cinco
pessuas dislinclis e um juiz de paz vertia-
deiro, omnipotente, suberano, omnisciente
e itifallivel! Uue lionri mo una cobriria se
eu chegu a toma, isseuto n'aquelie trir.uml
inquisitorial! Que gluria nao passaiia a
mcus vindouros! Mas o quo i1 Tamanha
fortuna n3o be para pndio JoSo. Vi enlra-
i'in uns e siireui outros ; vi o juiz de paz
Manoel Kraucisco adoecer, e lomar assentu
o I ir. Felizardo; vi o I lares adoecer e l'cli-
srdo cura-lo mincolosament!, mis nun-
i'.i me elia na i a ni, e nem eu pudo tomar as-
geulo e nem escrever-lhe.
Nao sel so Ihe disse na ultima que o auno
lie frtil, porque ipparcceritn ni urpa cin-
cuenta o Untas sedulas do partido domi-
nante risesdas, ocom uns fllhinhos uo ven-
tre, tao pequeuilos e tn rasgaiitot que cau-
sava lastima.
Ora como 11S0 ha deeslir o mundo cor-
rupto, quando vemos as tnSts baetas e os
lillios ratgad-js.
A mesa que he do progresso, osympathisa
i-uiii a brilhante mocidade, receoeu os li-
llius eengeilou as mSis, dizendo que estas
eram capas o que n3o he novidade}, e ape-
zar do protesto dos baelas decidi ex callie-
jra (quatldo digo mesa entuma sempie o
juiz de |,a/ que elles uo liulism razio,por-
que suasobservaces nao eratu judiciosas.
l'ainbeiu appareceratn duss se,lulas com
seus lilhtnhos, mas tanto as mais cuino is
ulna, um estado de perleigSu, e como erim
do niesmo lado duminaue, a meta inutilisou
ambas, e os lilaos, porque, cieio, ulu que-
rem sedulas com crias.
Como Quo biji ganlio sem parda, e vica-
ria, infalibili In le, oinniscieticia, eotniupu
leucta.
ouoin pode o mais poje o menos por
Unto quem podo dizer, que Pedro nflo lio
l'edro, e depon que he mesmo Pedro ; pode
lambetn escolher '21 mirrecos, e mands-los
votar em outros cinco,quo vno-se.e deisom-
nosem piz. i.u en pensassim.
Tive noticias de \ tul, i, loga, Aros, Inde-
pendencia, o laiiHtieirss. I.m todos esses
collegios i ,in o feitas ere piz aseleices, e
v.....'ai ii partilo dominante. .Nao consta
qu liouvessn um s supapo.
Muito admiroi a eainia de Natuba, desta
vez ella mostrou que lambem tom sous lu-
cidos II,tl'l Valla,.
Nada tem liavtdo contra a Iranquilidade,
esi>guranca individual.
Us liscaltsstmos seuhores importaram-so
com lu lo, monos com o quedavem, e, como
por mais de uina vez Ihe hei dito, os nossus
narises Ihes n3o uierecem menor consiJe-
racSo.
l) pluto ? Korle pena se isstm he, nois um
flscil deve ter mrizde corvo, que tem o ter-
ceiru sentido apuradtsstmo.
I.sta u na raes cauma, i qual destribuem
largamente a nuxrownca, masdeixam setn-
pultos os que Ihes lambem as iscas, de surte
qua temos a cada canto essencia de cao tnor-
lo para nosso regalo.
Sea illustrissima olbasse mais para isso,
cerlamante muilo nos merecerla.
Adeos. Estimo que gosa saude, e todas
as venturas, e que no encontr llscaes,
que uo enlerratn os outros.
f*. S. he por U ilguem quizer aprender
a f-zer eleiges cryslallinat, mande-o para
ca emquanlo esla reunida a mes i elei-
loral.
recordar ios eleitores da provincia iquillo
que temos por verdide, e quo faciltnento po-
der ser ,......avilen,lula pelo simples bom
senso de todos, sa os preconooltosde oda
um, e as prfidas suggestel dos que cipli-
m ni a sua conlianc", se nSo collocatem de
permeio.
A gran le vantagem do .ystem roprejonr
titivociinsista sem duvida na po9itbili,lade
de dar a to las as friccas.e a todos os 11110-
resses de urna naco o meio de exprimirem
11IIi -i 'linela as suas necessidades e os seus
votos nu recinto do conselho nacionnl; e
como feria frustrar esse bello resultado o in
colear e idmittlr as oleicsdo partidos, pa-
reen nos que iiingueai em 00a lgica, para
na,, dizer em coiisciencis, deixara de repel-
li-las.
O eleitor, por tanlo,i|ue liver o sincero de-
sejo do buscar 1 sua feltcidade na do seu
pitz, e uo de alguns espertus ambiciosos
deve desligar-so desses compromtssos de-
gradantes, exigidos c smectonados pola pal-
ito e pela intitulada honra dos partidos, o
dar iivremeute o s*u voto aquelles que por
sua ,'.,,'.,ri lade, talento e illuslraco ihe pa-
receretn em ronsetencia digno* du eleyado
cargo de representante. S com esta con-
JiccSo he possivel urna PletcSo sincera, elei-
ro ht lado re,1,iite 11 v 11 ; e amaldicuido
seja o que por pervorsidade ensinar o con-
trario, purquo, procurando nseravisar o seu
semolliante.civara ao mesrno lempo o abys-
mo que o deve tragar e a sua patria.
Sobos auspicios das verdades que acaba-
mos apenas do tsbocar, apresentatnos aos
eleitores da provincia os seguintes nomes
dos espfiUveiscidadilos, que, entre outros
reputamos dignos dos seus sulTragios. El-
les quo ine.iii-in sobre a combiuaco da nos-
sa lista, despatto da alluvi da nutras que
lio -1 lo publicadas, dispensando-nos nos
de entrar ni amlyse das qualidades quo re-
commendam os que a comp0em,uor couliar-
inos ni in-,1,'1 ,,,a,, de suas consciencias cuti-
tra quiesquer preveocOes individuaes que
por ventura possam ter.
Dr. Manoel Mendis da Cunta Azovedo.
1: ni.- lie 1 .i Antonio Peregrino Maciel Mon-
tero
Dr. Urbano Sibino l'essoa da Mello.
Vigario geral Leonardo Aniones de Mein
llenrtques.
Dr. francisco do Paula Bipliltl.
Dr. Jeronymo Vilella de Castro Tav res.
(innersl Jos Ignscio de Abran o Lima.
'. 11 1 -! Antonio Correa Sera.
Dr. Jos Tliumaz Nabuco de Araujo.
Dr. Anselmo Francisco Perelli.
Dr. Cssemiro Jos do Moraes Sarment.
Dr. Jeronymo alarlimano Kigueira da Moli.
Dr. Antonio Coelho de Sa e Albuquorque.
U Imparcial.
Espero, pois, que Dlnguem ouse levintir
a punta do veo, que encobro o met pss-ado
de 1848, e juro com as mSos levantadas para
n Co, que uo conservo em oieu corsclo o
mus pequeo odio, ou resentimeoto, qua
uo pretendo irguir a um s dos nieus pa-
tricios, que olho para todos como hnsilei-
ros, e como meus trmSos em Jess Christo.
Assim podessem encravar-se em todos
OS corleos brasil, iros iguaes seiitimcnlos
" pan que reunidos 0111 urna s vonlide cui-
dissem do progresso mural, e material do
paiz.que tem estado em total abandono.
Naturalmente se ha de entender que esta
exposie.lo ten por Um mitihi candidatura
para a proxim olricSo de d, pulidos genes.
\.io In- isto o que pretendo Sel queilgueni
ospalha a noticia que tenho ronunciido a
poltica do meo pait, esta falsa increpico
m tem ma^oado extremamente, porque re-
puto semelhante renuncia o abandono du
um dos sentimentos mais uobres do homeai,
que he o amor de sua patria, e por isto tor-
no a declarar aos mcus e,ncola,os. ijucflSn
renuncie!, e jamis renunciare! um s dos di-
reilos polticos, que me s&o outorgados peta
constituido du imperio.
Quinto a no,,lia candidatura reconheco,
quo seria urna 1 n, ru lenca apresentar-me
sbitamente aos meus couciddSos, iria
I ra 11-1.1111 or suas ciiinliinaco-s, seus compro-
inissos, suas prumessas, iria crear umadif-
lii'alda I" para os candidatos, e me-,no cha-
innr contra mim aultosodios.
Heconhcco qua estou inteiramenlo forado
terreno da grande lucti eleiloral, nao tenho
tima parcialtdade, que ao rerotnmende, nSo
sel onde estilo os meus amigos que outr'or*
tanto me ajudavatn, a guerra, ea peste de -
voruu grande p n te delles.e a minba ausen-
cia di 1,111.1 por espico do quatro innos le-
ra esfriado em alguns essps sentimentos do
an,izad,, com que muilo me honrsvam ; te-
na uois confiar da mais, siria mesmo muiU
presumpcSo de ininlii parle, conar s no
man nomo, e pretender com ellealcincar os
suffiagios dos meus concilladnos Entretan-
to so no meiu tlesse grande rehollen eleilo-
ral liouverein alguns amigos, que me quei-
ra ni significar a sua cuulisnca, sa houvereni
algumis consciencias, que resistam a todos
esses elementos, quo vSo formar a grande
tempestado, o quetrsm honrar-me curos
seus votos, eu os receberei de bom grado
para dizer que nSo fot o espuilo de pirltdo,
que nao fol ameaca do poder, e nem a rosul-
la'de urna tiansaCcSo; mis mu i pura con-
ciencia de que o votado saben correspon-
der a coiifianca nelle depusitida.
Itiodo Janeiro '21 do ootubrode 185.
'etix l'eixolo de tirito 1 Hallo.
correspondencias.
Sao passados quatro annos, quo nSo diri- Srs. Ilelactores. A declaraciio que oxhi-
jo a palavra aos roeus concidadAus, proeiso hio a Ilustrada redacco da fAiido em seu
pois fallar para ,izor-lhes, que restituido n. 507, foi ern verdade lin: cumprimento de
aoplonognsodelolososdireitos polticos, dover proprio que muilo desungue ua phi-
esendo um do* mais importantes o de nter- lantropta: fui igualmente um tributo que
vtr nos ,negocios do nosso paiz, que o nao so devn i liberdade do voto do conspicuo
tenho renunciado, e jamis o renunciirei, partido que ella representa: foi um desl-
a
Communicados.
Por urna dessas anomilias desgracida-
mente mu frequentes msconce.icas e nos
productos da razSo do homom, toin-se ad-
mitido o ensinado com all'iie.i quo os par-
tidos silo necessarios e essenciaes uos gover-
oos representativos, minando-se desl'arta o
o,lili -io, que ipparontemente se pretende
sustentar.
Esta theoria desoladora, quo s podo ser
filil di ignorancia ou da cnminosi ainbl-
t3o diquelles quu renutam o seu bem estar
e eugrandecimonto em sntigonisuio com o
bem estar e eiigrandccimenlo dos outros,
ronsigra implicilimeute a permanoncia da
guerra dos hoiuens entro si, e com o seu go-
verno, e jamis poder faier a feltcidade,
mis antes a desgraca do povo>em que ella
P'e 1,101 nuil .
Como nao ha ropresonlacalo som eleico,
deduz-sa como enrollarlo legitimo daquells
nion-ti mi-a aberricSo da ciencia social,que
a eleicSo deve ser nos partidos, e quo o elei-
lor nSo pode som desar dar o seu suflYagio i
quem nao fr di sua religio [oluici ; e til
toin sido a rapidez du contagio dessa aoutri-
na pestilencial entre ns,que.nenhuma par-
c 1 a 11 lulo decahida pode inais aspirar a ser
qualquer que seja a posieflo om quo mo veja
enllocado, o que hei de sempre conrorrer
com todas as rninhns faculdades para o pro-
gresso e cn.;i ni loii iii'ii: de nossa pa-
tria.
Smlo-me icanhado para dizer duas pala-
vras a meu respailo ; mas eu o faroj de nia-
neira que cunsiga somente recordar o m u
pasudo.
Nisei para a poltica quando esta na.-cau
pan o nosso psif com o acto de sua ,11,11-
cpaco, para essa grande elilicio con luc
iniulia pequea pe.ira currando o pango de
iniulia vida ; fui soldado da patria quando
a patria precsou do soldados sous para de
fon ler ,1.re I os seus.
Desde cs-a gloriosa oposita acotnpaulioi
seuipro a poltica do paiz em lo las as suas
pilases, om ludas as suis vicissitudes, em to-
dos os scus Iranias, em qualquer das par-
calida les em que ruuachei cullocadu, fui
sempre franco, e leal.
Tivo quasi sempro do lsongear-me von-
do-ine 10 ionio do po^ularj.lade, quando el-
la algumas vi/.. ,110 iilnin I011011, 10: 11 por
isto deixei de iflronU-li, porque s linha a
mira nu que uio dtclava a conscieiicia eui
proldo nosso paiz.
I o, levado palos mcus patricios os honra-
dos peninmbticauusdos bancos da academia
jurdica para os da assembla provincial por
multas legislaturas consecutivas, e para os
bancos da assembla geral pur quatro legis-
laturas seguidas consideroi sempro essi es-
culla, coiu que mo liunraram us mous com-
provincianos, um 1 inui.'iisn favor muilo su-
perior ao meu mrito, e 01, acidado.
Minlia cunducti durante esse periodo osla
rogislsd, nao tenho arropen lmenlos do
que liz, porque para ariepeiiJer-ii,esera
preciso a convicco de ter f,ilo o mal.
Finalmente lotnei urna parle uiuito activa
ns revolucSo de novembro de 1818 o fui por
islo obrigadb a eaiigrar para a Europa. Se-
rta urna falla indisculpavel, seuo uina in-
gratidflu da uiinlii parle, se omiltisse nesta
breve exposiclo a circumstancia do abrigo,
e couporaco, que recebi de alguns genero-
sos amigos da provincia das Alagoxs para
ellvcliiar all o meu embarque, pulo quo Ihes
sorel gralo por to la a un alia vida.
Durante o meu exilio cooservei-uie rosig-
nado.sem dirigir um s quetxume aos meus
amigos, o concidadSos; urna alma genoros*
iion,',, i-111 Lisboa, quo me adocou a'viJa, o
mu alimauC'ju quando fallaraui os poucus
recursos de que podia dispor. Kelizmenta
ni la existein no mundo un les, que sabem
acudir a seus innSos ua a tv 1 -i in 1 '.
Nasse triste decurso ,1o ii.nina vdi de-
monstrei por inais do umi vez, queoxis-
liam inleiros om inou corceo os sentimen-
tos do amor da patria, e em sua dofeza fo-
ram mi unas palavras publicadis nos jornaes
de Lisboa quin lo a vi dosarredilada, e ul-
trajada.
tjua rulo entend que o meu exilio devia ler
o seu turnio,(nao/i o primeiro nem o ultimo,)
dirig mintias sup.dica ao nosso imperador,
pediudo-llie amnista, e o nosso augusto
representada no parlamento com o syslemt
aciuilde elrices.
Ponsindo ue urna maneira ntoiramente monirclu.em cujo glorioso remido anda
diversi, pela fe quo temos na harinooia pro- n3o subi ao cadafalso, o nem mosmo existe
videncia! dos inleresses humanos em todas] uts prisos urna so victima para expiar cri-
as espheras Ue activividade possiveis, pela mes policos, dignou-se mandar quu fos-
couviccaoque nos insiste de quo o nivel do "sem sepultados em eterno csquecimento tu-
lieui oslar o prospendado das nicas se ele- dos os faclos por mim praticados. Pur osse
vara tinto mais.quanto mais estreita e miis I grande icto do magnnimo coracao do nos-
ampia fr a uniao de sentimentos, e de idis1 so imperador Ihe teuho beijado, e bei di
e de voulades que entre us seus membros continuar a beijar s augusta rallo em signal
existir, detximu-uosarrastrirpelo doejode de meu eterno recoubecimeuto.
gravo civallei'oso a tudas as aspuaces ho-
nestas d, -lo u,o- ,.11 partido, que sem duvi-
da so j 11 ijta 1,m menoscabadas em seus
titulo?, em sous servteos a causa geral
do paiz, a iilegrtda e e honra do puli-
do ordeiro, em seus sicrflcos mesmo
om proi desta bella causa. Sim : se o 01-
gdo do part lo iipresetilaudo una chipa pa-
ra cindidslos a ,ca o-ioii i,;",,, geral de Per-
nainbuco, como fez em o 11. 506, e 507, re-
0......neo laudo a sua reeleicao deixisse por
um estudido silencio untever projectos de
hostilidade contra quaesquer outras capa-
cidades da provincia, e do partido certamen-
te se irrogara illuslrula redaccSo o ans
hediondo e srdido libeu de iogratidao ; o
mais torpe exeinplo do egoisino e despeito,
como exprobrava Voltaire Kn- lenco II,
dizendo que osle tnoiiarcha philosopho Cpo-
rc'in mais 111,111.11 clin du que philosopho), de-
pois de chupir o sueco da laranja daitava fo-
ra n casca com de-de ,1. O poeta de t'arnei
ail 11 li 1 ao pi ocdi 'lo'oio do re para com el-
le, que alias leudu-o leccionado, ora expul-
so do seu romo.
11, i.ii.i 1-uidn cun eIV 11.1 possivel in-
cluir em 13 nmeros os nomes conhocidos
de todos os benemritos du nosso partido,
apresentar reluctancia ostensiva contrs al-
guns seria olTander a unii!o- : o quando a
par do mrito rorusado so observisse servi-
cos, o releva ntissituos servicoa de toda a es-
pecio, e sobre ludo na imi>rnsa, que he a
furc motriz da poltica, seria isso, como ja
dissemos, 1 f tolas as fulurss dedicaQos.
Bom. A UniBo recomineoda, mas nao im-
pOom, a r cinta 1 dus 10 candidatos : todos
ellos so dignos d'ossa honra. A Vniio lam-
bem na 1 refus, isto he, nao iiisiiuia Is-o no
nolir.- partido de que he org3o, a raspeito de
urna nova candidatura que se deve unir as
dez-adoSr. Fioriano Correa de Brito
ha pouco seu redactor, que por todo o pre-
sente auno susleolou a li Jo Iliteraria e poli-
tica contra a impreus opposicionisti; quo
esgrimi passo a passo, da por dia, contra
os desmandados e anarchicus escriptoresda
causa do 2 do foverelro, as armas do bom
-onso, o da illuslracSo. O Sr. Floiano Cor-
rea de linio, argumenlou, confuudio-os,
venceo-os, poz fora do combato o seu W,,in
lauro, lidou sem descanco, uo se rebaichou
eio sarcasmos, foi o orgo, 1 vid, o pon -
o.ni uto ,1 1 partido encamado na imprensa:
sorvio para isto, prestou-so sem reserva, foi
applaudido sem lisonja, e nSo ser elle um
candidato com juz ao sufragio espontaneo
do partido!-1...
Far-se-lhe-ha guerra nns urnas?... Pode
olle ser regeitido pelo partido que ulitis ,0
m 11110 o muito os seus servicos ? Nflo he
possivol cier ntsso; nSu lio civel setneihiu-
to i, iierraco sem presupporconflagrada todj
a moral,dado poltica em nossa Ierra !
OSr. Brilo advogou com muito discer-
nimiento, 111 mt.1 siso, multa fidelidade 01 iu-
teresses e murilidide du partido da ordem :
foi qussi s nesta misso tribilhosa e frtil
de amarguras, merece os suffragios da gra-
lidao, da estima ; e estes siiflrigiqs serio
um precedeutodejustica ede de civismo, de
animicaopara outrus, as-iio co no o con-
trario sera um golpe funesto sobre a hu fe
dos hoineus.
Um do povo.
Como cada um tem o direilo de lemhr, r
iquelles em quem reconheco cspicidade e
-----------> ....m.riiaiuLj
KiL-r-r
)
I
I
i
":


-*
1


li"

servic ul presta los o paix. apresenlamos os ''godOfi georgla de seda comprida, jumel.
nomos uuoabaixu se leeui.e "lamo per-'nankin e luiziana bisoco [cu cia-llmre
suaddusoue aefurem escolhidua pelos elel. brenco) eram os mais ventajosos nacultu-
tores mulbein reprcaentade ser, di cami- ra, destribuiram-se gratuitamente pelos co-
ra leo.por.ria.e.t. provincia
Un Venuimbuciino.
I)r. Antonio Peregrino Mieiel Munleiro.
l)r. Aneiiuo Francisco Piretti.
Dr. Antonio Coelho da S e Albuquerque
Dr. Joaqun) d'Aquino Fonseca.
1),-. Francisco Xavier Paca Brrelo.
Dr. Manoel tiendes da Cuolia Azevedo.
Dr. Francisco de Paula Baptista.
Dr. Urbano abino Peeso de Mallo.
Dr. Antonio Joaquim de Moraea Silva.
Dr. Jlo Jos Ferreira d'Aguiar.
Dr. Antonio Eparoinondag de HeMo.
Dr. Luiz de Carvalho Paca d'Andrade.
Mirechal Antonio Correa Sears.
Srs. Redactores. Tenhsm a bondsde de
transcraver no seu Diario a seguinle lista
para depulalos goraes :
Censelheiro Antonio Peregrino Msciel Mon-
lejro.
Doutor Domingos de Soma L".1o.
* Antonic> Coelho de Sa Albuquerque.
Desemb.irgsdor Jeronymo Martiniano Fi-
gueira de Mello.
Doutor Jos Thomaz Nabucode Araujo.
a Ignacio Joaquim de Souza LeSo.
los Benlo da Cunha Figueiredo.
i) Francisco do llego Barros Brrelo.
Frsncisco Xavior raes Barrito,
a Joaquim Pires Macha lo Portella.
a Franci-O do Paula Bipli-la."
Pedro do Alhayde l.obo Moscoso.
Tenente-coronel Jo3o do Barros Fal-
cSo.
Uto matuto.
iendo nos visto no Diario de hoje a lista
por que pretende votar um nosso collega :
e recouheceodo em lodus os Srs. de que cll
se coropOe a precisa mstruccSo, patriotis-
mo e honradez para b*m .lesempenhar a
importante missilo de deputados a -.en-
files goial legislativa ; desdo j declaramos
acompanha-lo em parlo em sua vnl <_.T.>,
pois que, desde que Tomos eleitos, a nossa
lista he a seguinle :
Conselheiro Antonio Poregiino Msciel Mon-
teiro.
Conselheiro Rebastio do liego Barros.
Dr. Gorvazio O i Calves da Silva.
Deseinbargailor JerooliDn Martiniano Fi-
gueira de Mello
General Antonio Corre* Sun.
Dr. Jos liento da Cunt a Kigueiredo.
Dr. JoSo Jos Ferreira iie Agoiar.
Floriano Correia de Brito.
Da. Francisco de. Paula Bautista.
Dr. Domingos de souza Ledo.
Dr. Francisco XivierPars Brrelo.
Dr. Antonio Coelho du Sa 0 Alliuqueiquo.
Dr. Jos Thomaz Nabuco de Araujo.
Muilo folgamos de que livesse o dito Bol-
legio o tu. -.ni i pensauenlo que nos; ero-
gamos aos Srs. eleitores desle collegio se
digne n do ajudar nos com sous sulfragios
em 13o patritico empenho,
ltnda 19] de uovembro de 1852.
Uuieleitor.
Publicag hs a pedido.
A DISTINCTA ACTRIZ SENIIOUA
KSAT MENES.
A luz que sobre a Ierra o sol derrama
Animando desl'arli i nalureza
Junto a ti, lu i.i (irsit, pudo a liell"za
Extingue o seu fulgor, stla auriflamma I
Quem no palco lo v, perrohe a Chamma
Uuo mis peitos aviva a gantiless,
Quersejas herona ni firmeza,
Quer sejas a muther que adora o ama !
E's lypo de potico ideal,
Quenas horas de ddr e desventura
.Nos brtlha radioso e angelical!
E's emlim do Sonhor prima feilura
E's a estrella formo-a e divinal
Que na scena brasilia mais fulgura !
Y.
Illm. Sr.--Em cumprimento portara re-
cebida do Illm. Sr. inspector da tliesouraria
de fazenda, datada do 15 do correnle, em a
qual recommen Ja a esta recebedona, que
promova portlos os meins ao seu alcance,
o recolliimento dos livios, o papis d'es-
uripturaefio doa 1,-us dos ilefunctos, o au-
sentes a oargo dos diversos curadores, para
oflmdeserem a estes lomadas as respecti-
vas coutas; rogo a V. S. que bem dos in
lores-es i)j fazenda publica, d suas o-ileni
aos ditos curadores, e a quem mais de direi-
to pertencer, que soin a menor demora lie
jam de recolher a esta rocobedoria os res-
pectivos livros relativos aos i -fe' i lo.- hens,
arrecada los no etercicio de 1851 n i 8,<, o
anteriores, fin da seren reitetlnlos por in-
termedio de.la reerbedoria, a tliesourana
de fazenda, na forma do disposto no arl 10
da lai o. 106 de 9 de maio tle 181-2.
Dos guarde a V. S. Ilecebedoria e Per-
nambuco 17 de-novembro de 185-2.Illm.
Sr. Dr. Angelo llennque da Silva, juiz de
or. hilo- e Ue ausentes -,>u impedimento do
administradorJoSo Rodrigues de Miranda.
VARIEUAOK. '~~
CULTURA DO ALCODAO NA ALGEIIIA.
OalgodSo he, ba muilo lempo, cultiva-
do as plaiitacOes do govorno na Alg. ria, e
os mappas da .-ituacilo publicados desde
18*1, tem mostrado a importancia dos re-
aullados ohlldos a pste respeito. Sem en-
trar as explicacocs j dadas, limiUremo-
nos em lembrar a o.iniSo tilo favoravel ex-
pressa pelas cmaras de romi.-iercio deRuSo
e de l.nle sobre as amostras submcltidas ao
a?u exame, e principalmente a declaracSo
da cmara o.insu.l-tiva das arles e manu-
facturas d Saint- Queiitm, da qual resulta
que os algudOes algeriuos siio de nalureza
que podem tomar um dos pnmeiros luga-
res na escalla dos productos de algodSo
Mas at hojeesta rica cultura nSo tem ,-
do feita seo,lo nas pUnl-ico'9 do catado ;
ella anda nSo entrou no dominio publico:
llequnant-s dcempenlur os agrie llo-
res nos uovoa procesaos, convm esclarecer-
Ihesbem ocaiuiubo alien do atenuar o pe i-
godaseslreas, e de revenir, lauto quanto
for possivel, as esperances frustradas funes-
tas aos productores, maia funestas anda ao
dosenvolvimento das culturas que se Irata
de nitro luzr e vulgarisar.
Hoje a experiencia hi completa, ea in-
dustria do algo 13o coi i-..;. nascer.
Exporemos auccinlameote as dispdsirOes
que foram loa alas a este respeito pela
aduiinisliacSo.
Os ensaios Icio- nas ; I ntace, d esta-
do eram spplicados s especies seguinles :
Georgia de soda comprida,
Jumel,
l.nmana branco,
vormellio,
Castollamare branco,
vermel'io,
Malla ou ii-'ihl.in,
Macedonta,
Tondo mostrado a experioncia que os al-
inos Mineles destas especies.
Urna noticia circnmstanciada sobre os pro-
cesaos da cultura fui posta ao mesmo lempo
sua disposico.
Mas estas facilidades nSo foram suffleieii-
tes pira levar a po, ul ic.'io a cultivar o al-
gol.1l).
O descarofamento foi um obstculo serio
para muitos dos.agricultores, e outros, em
maior numero, foram detidos' pelo receio
d" que os productos de urna indostria em
seu comeen nlo icliariam no comercio um
consummo immediato e aufflcientemenle
ventajoso.
A administracSo entendeu que era aeces-
sario a sua intervencSo para ass^gurar aos
productores urna justa e animadora remu-
nerarlo de seus esforcos; e assim como el-
la o tinlia feto r mi sin-e o a respeito da
seda, reaulveu comprar al segunda ordern
os algo loes provenientes das colheilas' dos
colonos, para tornar a vende-loa depois por
sus pro .na cunta, nos diversos morcados
da Franca.
O prego da compra combinado de modo
[que nao etceda sensivelmente o preso da
segunda venda, a prostar;!lo que operaco
necessita do orcamenlo local e municipal he
de alguma sorle ficticio.
Fica somonte ao cargo do buJget urna
despeza muilo diminuta, a qual desappare-
cera pouco a pouco; porque a proporfao
que a industria do algo 13o se for dos nvol-
vendo.a admini-traco se propoeaballargra
dualmenlesun tarifa, at que tenha ch<-ga-
do ao nivel dos precos dos coretes de Fran-
ca, e nessa poca entilo a tul intervencSo,
hoje imlispnsavel, estara bem perto de
terminar completamente.
Para este primeiro auno ella lixou com 9
francos e 50 cntimos por kilogramma o i re
Codos algodOes em rama de toda a especie,
e om I fianco o dos algodOes nSo descaro-
Cados.
N3o po lomos apresentar cifras sobre o
erolucto da venda, porque aiuda elle nSo
hg conhecido.
Sentimos igualmente nSo poJer laznr co-
nhecor a appreriaflo das cmaras do com-
mercio de l.ille, Bouhaix, iiuSo, Amiens,
Mulhouse Troyes, Saint-uentin Lyflo ,
Tarare e Moutpellier, sobre as amostras que
Ino foram enviadas, no lim de esclarecer a
industria nacional sobro o valor dos algo-
dOes algfl'iaos e de proparar desle molo
para estes producios cousun r.os naturaes,
vuUarlsaodO-OI nas prmcipaes r.iev. ma-
nufactureiras.
E-las particularidades intnrossantes terSo
lugar no prximo mappa do desenvolvimen-
lo, e os pannos fabricados enm as a noslras
le que so trata, hilo de figurar tanto nas
exposioOes agrcolas da Algeria, como na
eiposifto penilanenln dos productos algo-
rulos no ministerio da guerra.
Enviara m se tambero a mostrea a Liverpool,
onde ellas foram submcltidas ao examo de
corretores espociaes polo ag-nlo consular de
Kranca.
A romessa tinhs muito pouca i npoitan-
cia para que se podesse determinar, de una
inaiieia precisa, o valor CJmmeroial dos al-
godOes que a i-.nii !<">, mas os peritos nSo
h-siliram em declarar que um lugar ili-linc-
lo Itin devia sor assiguado. A a iminislra-
..:"' examinara, depois do lor recebiJo oa
outros documentos quo ella espida, se b
lugar de renovar a eiperiencia do una ma-
neirs mais decisiva fazendo veuder, o anno
vidouro, algumas saccas do algodio no
mercado de que se trata.
Seg indo assouvnas, despendidas na plan-
tacSo central de governn, das desiezas da
cultura do algodAu no ospaco de muitus
anuos, e principalmoule cm I80, a despeza
do um declaro perfeiamenta cultivado po-
do ser eslabelecido do molo quo se segu :
3 amanhos profundos de charra de
25 a 30 cenlimouos do profundi-
dades 14 Trancos cada um. 135 a
3 esterroamento a \2 francos cada
um. 36 00
Abertura de 1-2,000 fu-sos, 30 dias a
-2 francos e 25 cntimos. 67 50
Semoadura. 1.5 00
3 segundos amanhos a 20 francos. CO 00
Col licitas, a 105 di.s de meninos e
15 de humens. 82 50
2.' Que conven ao algodueiroo armai-
calido, um leireou clovadOa.de n.uHo boa
quahdade, n.uite rico em humus e conve-
nlontemente trabalhado.
3.' Que he preciso culturas subsequantes
muito bem fitas, as quaes se resumen) em
segundos amanhos.
4.a Que a poca s mais favoravel para a
somentoira he ordinariamente a segn la
quinzena do abril.
5.* Que, semeados em boas condicOes e
tendo estado de molho antecedentemente,
os grfios nascem de seis a oito dias.
6.* Que o estado de madreza comer na
segunda quinzena desetembro e se prolon-
ga at o principio de Janeiro ;
7.* Que a chuva n3o prejudica a colheita
em quanto as maclas nSo eslSo abertas e
quando se tem o cuidado de recolher o al-
godo a medi la qunelle for abrindo
8. Que, apezar da chuva e das intempe-
ries do lim do ontono, o algodo chega a
madure II, con tanto que as mafSes a le-
ii'iain adquir lo todo o seu deseavolvmen-
lo no lim de novembro, o que lem cons-
tantemente lugar se as semenleiraa foram
operadas nas condicOes caima indicadas
Nonileur.
2
COMMERCIO
l'HACA DORECIFE 19 DE NOVEMBRO, AS
3 HORAS DA TARDE.
coTACOasorricitES.
Compras de assucar.
Mascavado escolhido 1,450 ts. por arroba.
Dito regular 1,350 rs por arroba.
Frctepara o Havre 50 f.
Cambio sobre Londres : s28]l|ld.
aLKANDECA.
Rend ment do da 2 a 18.
dem do dia 19.....
O arsenal de mirinhe compra estopa da
tarraiaspessoasquea qulzereeo vender.coD-
pareraro nesta secretaria no dii 24 aV) cor-
ren t,ao meio da com as suas proposss em
cartas fechadas.
O arsenal de mirinha precisa coaprar pa
ra lorio cunen 1.1 dos navios d'armada, barca
de escavaefio e enfermarla de marnha em
o niez de dezsmbro vindouro os gneros se-
guinles, sendo ellei da melhor qualidade :
arroz, azeite iloc de Lisboa, dito do Medi-
terrneo, vinagre, assucar, bacalhau, caf,
em gro, carne verde, farinha, fejio, lenlia,
p9o, bolaxa, toucinho, vellss de carnauba,
espermacete, e azeite de carrapato. As pes-
soai que se propozerem a fornecer seme-
ntantes gneros coiopareeam nesta secreta-
no dia 20 do rorrente ao malo dia com as
suas prupostas em carias fechadas, e as
competentes amostras. Secretaria da ins-
pectora do arsenal de marnha de Pernam-
buco 48 de novembro de 1852 O secreta-
rio, Thom Fernandos Mideira do Castro.
Banco de Fernambuoo.
Por nrdem do conseibo de dlreccSo do
banco de Pernambuco.se faz publico, que os
desceios de letras com o vencimento at o
lim de Janeiro vindouro se fazem a 9 por
ceiitn, e aquellas al I mezes de prazo a 10
por ceoto aoanno. Compra letras de qual-
quer quantia sobre o Rio de Janeiro, a pra-
zus rasoaveis, pelo pronio quo se conven-
cionar, e,vende-as lambem para all a di
nheiro avista, sem premio algum. Banco
dePernambuco 18 de novembro de 1852
O secretario du cooselho da directo, M.
I. de Oliveira.
Banco tle Pernambuco.
Por ordem do conselho da direccBo do
lia in o de Pernambuco, se avisa aos Srs. ac-
cionistas que a terenira e ultina jiresUcSo
O Mestce de Msica.
Cantado pelo boneflciiV) e senbora D.
Mana Amalia Monteirp.
Principiis as 8 botas.
Os bilhetes acham-ie i disposc>o do res-
pcilavel publico, em casa do beneficiado ,
-oa ra da Cadela de S. Antonio n. 7 e no
escriplorio do thtetro.
^BaTaBaTajS*i**aX*fa?aa*^fle,e""^,5^i^*^??^*?*^^
Avisos martimos.
Deicarregam hofe-20 dt novembro.
Barca ingleza -llearl ofOack- roercadorias.
Barca americana Mintila farinln de
trigo.
.290:636,963
. 18:280,014 de suas aeces tem de entrar para a caixa do
------------| mesmo banco, desde o da 2 a 15 de Janeiro
308:916,977 prximo futuro, em cujo acto Ibes serSo en-
tregues as mesina nrodc-. Banco de Per-
nambuo 18 da novembro de 1852.O se-
cretario do conselho e direccSo, M. J- de
Oliveira.
Os ere lores ilo lili lo Leopoldo Jos d
e toucinho.
Escuna brasiloira O/nrfn o resto.
I lll|ll>l lOI'IM,
Polaca brasileira N. S. do Crmo fumo Costa Araujo, residentes nesta cidade, Viu-
va A mu i ni & l-'ilho, Oliveira Irmlos panhia, Antonio Ignacio de Melenos, Jo.io
Tavares Cordeiro, Amorim & IrmDos, JoSo
Salvador, vapor nacional, vindo dos Leite Pita Ortigueira, Manoel Goncalves da
Portos do Norte, manifeslou o seguinto : Silva, Russell Mellors l Companbia.Jos Ro-
50 rolos do salsa: a Manoel Joaquim lia- drigues Pereira, Dme Youlei Companhia,
mos c Silva Antonio Trancisco da Silva Carrico. Anlo-
1 racoto ;'a Jos Matheus Ferreira. nio Joaquim de Souza Ribeiro, Novees &
nal, Vinda deSantus, consignada a Manoel Antonio Gomes ; Marcelino de Souza
Jos de Souza Carnclro, manifestou o se- Pereira de Brilo.em Lisboa Antonio Fer-
sui'ito re'r4 a !"'va Santos, no Marannfio ; Novaes
148 icazs toucinho, 29 saccas caf, 75 & Passos, no Rio de Janeiro; Araujo Acar-
rlos fumo; a Manoel Jos de Souza Car- valno. na Baha; Manooi Ferreira dos San-
.> i ral Uoiiu mi .tul Cdnin / i l, .i ,, n 1 m 11 n I a
- ParaoRio de Janeiro sigue impreten- __ o Sr. Jo3o Ribeiro de Souza quoiranr
Imente no dia 20 do correnle, o bngue cur>r na ru, uoQueimado, luja n. 33, un
iquete de Pernambuco ; para o reslo da c|fU n(Ji dg |,orl,Jg,|
ve
Paq_
carga e oscravos a frete, trata-se com o pro-
prietarlo Manoel Goncalves da Silva.
Para o lio de Janeiro.
O brigue escunt nacional Olin
da, segu con milita brcvitlade por
ter a maior pirte de seu carreg*-
menlo tratado : para o resto da
carga e escravos a (rete, trata-se
com o cipitio Manoel Marciano
Ferreira, ou com os consignatarios
Machado & Finheiro, ni ra do
Vigario n. 19, segundo andar.
Fara o Itio de Janeiro.
Segueviagemo brigue brazileiroMsrian-
na, capillo Jos da Cunha Jnior, quem no
mesmo quizar carrVgar oarga, escravos, ou
ir de passagem falle com o dito capillo, 011
com Manoel Ignacio de Oliveira na praca do
c iiiim-i 00 n. 6.
Fara o Hio de Janeiro sabe
no dio 26 de novembro o brigue
nacional Sagitario: para o rento da
carga, passageiros, ou escravos a
frete, trata-se na ra do Collegio
n. 17 segundo andar, nu com o ca-
pito JoSo de Dos Fereira.
Para o Cear
Sahe com muita brevidade o hiato Angel-
ca.que ja tem parte da carga, e para o resto,
trata-se na ra da Cadeia do Rccife n. 49,
primen o andar, ou nu trapiche do algodo,
com o meatio
Para o Aracaly
Saho com muita brevidade o hiale Flor do
Cururce por ji tor parte da carga ; para o
resto e passaueiros, trata-se na ra da Ca-
deia do llerife n. 49, primeiro andar.
Atlencjio
Aluga-ie urna casa com comnio los, muito
sulilcieule para urna faailia quequizerpu.
sur os mezes da lala, por um preco muito
commodo, no lufar da Capunga estrada qua
sahe em 8. Joa doManguinho : a tratar no
aterro da Boa-Vista, loja do alfaiate n. 61
Preeaa-ea alugar um lilla pequeo
sendo no Mundego, Trompe, Soledade ou nu
seus arrebaldes : quem tiver, dir-ja-se a ra
do Torres n. 38, primeiro andar, das 10 ho-
ras da manhAa as 3 da tarde.
1111
caria viuda do Portugal.
Tendo 1 ir mandado do glorioso pitrj.
archa S. Jos da Agonia, erecta no convento
de Nossa Senhora do Carmo de acompanhar
a piocissSo de Corpus Chrlsli, auianhJa-ii
do coi rente, podo o i lie.o ni eno ao- seus di-
gnos iroiSos que tem capas em seu poder
quando n3o possam comparecer de as man!
darem : assim como igualmente pele qua
i-oinp 11 o 1111 no sobro uto c insistono pelas
2 horas ilu tai de,decentes como pede o acto.
-- Precisa-se de urna amado Ui te que te-
ja de bons costumes 1 a tratar na ra dg
Crespo n. II.
VfvfVfffvvwmmvfti
'^ .:/m

HOIHEOPATHICA.
Leilao
Tutal 396 0)
Estas despezas sSo as rnesmas para todas
as especies; mas as despezas de descaroca-
mento s3o muito variavris Assim,para fallar
siner.te das especies cuja cultura he prin-
cipalmente aconselhada na Algeria em
quanln quo com a mtchina lluller-Gin, o
kilogramma liquido de jumel cusa 0,50, o
luisiana, e o mankii 0,8>, e as vezes 0,90,
por causa do uouco cumprimento de sua
se a eda adherencia do caroco.
He verdade que 1 elo emprego da machina
Sha\v-Gin o descarncamento destas loa- es-
pecies poderla ciislar apenas 0,25 ou 0,30
por !.i nj.a o- i ; porrrhesla machina n-
eo I lio muito os filamentos, e (lea por saber
qup preQu o commermo ofierecera aos algo-
dOes nssiiii preparados. Para este lim man-
daramse amontaras para muitoscontnosma-
nufactureiros. Ilm oulro inconveniente da
machina Schaw-Gin. he quoexigindo urna
.. r.iii.le lim; i ri otriz, n.ii' pode descarocar
ei'iin. me loeuie -.-na i grande quanlidade,
o que a faiavr de um emprego dilllcil aos
particulares
Os estudos sobro os mclhores processos
de descarocamento continan), e al que el-
les tennam chegado a urna solucSo cumplo
lamento satisfactoria, o algoJ3n georgia de
seda coiiiprid, e principalmente o jumel o
qual exige menos cuidados, e menos conhe-
cimeutos, -ai as dusespecies de algoilo
que sodovem prcferir.ein primeiro lugar.pa-
ra se rultivar na Algeria
194 kllogammas e 725 gra in mas do se-
ment de algodflo furam pela primeira vez;
em 1850 dest ibuidos pela administracSo
aos colonos das trer. provincias.
A maior paito delles fiseram os seus rri-
men os ensaios em nina escalla trio limitada
que e oi.s-rva a >, a lotalidade do sua colhei-
ta ; alguna a vonderam em parle ao coro-
mercio local ; finalmente 17 entregaram-na
ail-niiii-tr.ic.oi.
as despezas da cultura, nas explora(Oes
particulares vaiiaram do 200 a-400 francos
por hectare, mas muilos cultivadores ape-
nas I i.im aos seus terrenos cuidados insu-
ficientes ou puuco esclarecidos, e a produc-
C3o soresenlio della. I'oresta rasSo o roi-
dimcnlo o mais consideravel nflo excedeu,
DO estadobrulo.de 800 kilogiarnin ia por hec
tare. He, como se v, em rendiuienlo infe-
rior oo das culturas da |lnitic:li) central.
Seja OOQQO fr, c esle resultailu la a bom d
se notar ninguam se desanima, e aopini3o
alt-iiiienle expressa pelos colonos us mais
experimentales lio pelo contralto, quo a
cultura de al-,o l.io ha de vir a ser muito
vimt'josi quando todas as particularidades
della fu re m id ais geralmente conhecidaa
Numerosos pedidos do semenle tem sido
fi-itos este anno a aJminislracao e n.io se
pode duvidar do que a pro lucc.lo progrida
de orna uniieii.i scnsivel.
ml'.-le primeiro anno do experiencia tem,
lm '
sobre a cultura do que trata.
lieiro 61 Companhia.
30 jacazes toucinho, o 4 caixas cha; a Ma-
nooi MaximianoCue les.
10 barris toucinho, e 17 rolos fumo ; ao
oipitfio.
CONSULADOGERAL.
Rendi meuto do dia 2 a 18 28:375,119
dem do dia 19........3 428,306
tos Magano, em Santa Calharina; Antonio
Ferreira da Silva, em Sanios; Manoel de
Souza Comes, Manoel Jos Rudrigues Valla-
dares e Francisco Jos da Costa Araujo, no
Brander Bandis & C. farito leilao,
por intervencSo do agente Oliveira, do um
sortimrnlo da ferragens grossas o linas, cu-
tilerias, linhas,sbonetes de superiores qua-
lidades, e muitas nutras mercadoiias que
se venderSo sem limites pelo maior proco
que s orferecir, visto ser para s; f'Chaiem
facturas com o Ilm do anno : lerca-feira 23
4
W 28 RA DAS CRUZES 28,
^ Dirigida por umpliarmactutieo *
;> approvado. ^
a> Esteestabelecimenlo possue todos D> os medicamentos at agora experi- *JJ
> mentados, tanto na Europa couio no *i
W Brasil, e preparados pelas machinas ^
T da iiivi'iicao do Dr. Mure.
Carteiras de l tubos al 160, pnr 2
i*
i*
m
>
->
=*
*
,.*
--- -- -------r -" -" .-,,f rncuraa uotii u iiiii uu miiiuj loiyu-iun .. -.
Rio Gran le do bul, eomparecam por ai ou ,io correnle, As 10 horas, rfo seu armazem,
por seus procuradores bastantes no dia 22
do correnle mez ao meio dia, em casa da
residencia do Dr. Francisco Rodrigues Set-
te juiz municipal da segunda vara e do
31:803 425 commercio, na ra da Concordia n. 21 ,
_________ para assistirem a prestacSo e oxatne das
DIVERSAS PROVINCIAS. contas do administrador que foi dispensado
lieiidi mi'nto do din 2 i
ldemdo dia 19 .
. 1:977,486 d* idminislracSo da casa fallida. Recife 15
187759 do novenlbro de 1852OescrivSo inlorino,
" '____L... Manoel Joaquim Baptista.
2:156,215 (jouipaiibia de Bebiribe.
O directoi da companhia de Be-
biribe convoca i assembla geral
dos M'nlioi'L's acciofiists, para o
dia 34 ''o corrente, as 10 buras da
nianbSa, im de se dar cumpri-
mento ao disposto no artigo in
ferro, lo'volumes mudezas,'8 sacas caf, 4 dos estatuios, e de se tratar cer-
SSZStiSS&S^ C,"S ca d,0 nono dividendo Escriplo-
HEGEBEDOUIA DE RENDAS INTERNASCE- no i i coiiipanliia de Bebiribe ID
de novembro de i85a. O direc-
tor, Joo Pinto de Letnos.
I i\ ;x)i lai.ai".
I'arahyba, iualn Flor do Brasil de 28 tone-
ladas, ounduzio o seguinle :7 gigos louca,
300 arrobas de carne secca, 225 barricas ba-
r.ilba. 1, 2 caixas diogas.
I'arahyba, hiale Tres IrmSos de 30 tone-
ladas, cunduzio o seguinle: 30volumes
fazendas, 85 ditos moldados, 81 barras de
RAES DEPERNAMBUCO.
Rendimentodo dia 19 .1:198,717
CONSULADO PROVINCIAL.
Rondimonto do dia 19 2:105.028
---------_-!_?JBBSHBti
aiovimeiuo du porto.
Navios entrados no dia 19.
Santos 2t dias polaca hrasileira Nossa
Senhora do Carmo, de 195 toneladas, ca-
pilSu Joiquim Jos Martins.equipagem 13, pwn7'*to-n'm MM"dV|eD0a>
carga alguna gneros o lastro ; a Manoel na ru, do Trapiche Novo n. 42.
REAL COMPANHIA DE PAQUETES INGLEZES
A VAPOR.
No dia 20 desle mez, espd-
ra-se do Sul o vapor Teviot ,
commandente OnMow,o qua
depois da demora do costu-
meseguir para os pollos da Europa : para
Jos de souza Carneiro.
Terra Nova -- 40 dias, bigue inglez Eury-
dice, de 211 toneladas, capitSo l> Me
Kinlay, equipagnm 13, carga bacalbo ; a
Juhnslon Pater Companhia.
Navios sah'dos no mesmo dia.
Parahiba hiato brasilciro Flor do Brasil ,
ineslro Joaquim Antonio de Figuoiredo,
carga b'Calhao e mais generes. Passagei-
ros, Jos de Souza Vieira, Francisco Tava-
res Ferreira, e Joaquim Jos de Freilas.
dem -- hiale bresileiro Tres IrmSos, me.tro
Jos Duarle do Souza, carga fazendas o
mais gneros. Ptssageiro, Manoe1 Perei-
ra do Araujo Vianna.
FublicacSo lilteraria.
Sabio luz a tercoira e.lieeSo do resumo
de um iiiin lu-i, polo enligo professor de
primeiras letras Cardim, quo tanta eslima
tem merecido do publico ; veude-se a 640
rs.: na liviana 11. 6 e 8 da praca da Indepen-
dencia.
THMTIiO
O Illm. Sr. inspector da Ihcsouraria
provincial em cumprimento da ordem do
Exm. Sr. presidente da provincia de 8 do
correnle, ".anda fazer publico, que nos dias
23, 24, e 25 du mesmu ir a praca para ser
arre 1 alado perante a junta da fazenda da
loosin 1 thesournria a quem maior preco of-
ferecer as proprieddes abaixo declaradas
que foram adjudicadas fazenda provincial
para pagamento do sello de herance do fi-
liado Jos Ramos de Oliveira.
Um sitio denominadodo Manoelisto na
estrada le 1 mili' de llcnoa, com casa de vi-
Venda, ooxeira, estribara, sa'ii/.ala, o arvo-
redos de iiill'ereiil frutos, avaliado em
6.000,000 is.
Una mor a la do casa torrea junto ao dito
sitio, com seu quintal o com alguna ai ver-
dos, avahada em 2000,000 rs.
Unta dita na ra da ponte Velha do bairro
da llon -\ isla n. 16, com urna mcia agoa nos
lundus, avaliada em 2.000,000 rs.
I ni dita em S. Amaro uo bairro da Boa-
Vistu com seu competente terreno junto, e-
valiada em 2:000,000 rs.
Os pretndanles eomparecam nos dias a-
cima indicados ao meio dia na salla das ses-
sOesda mesma junta.
C para constar se mandou afiar o prosen-
tee publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de
Pernambucu 9 de novembro de 1852.- O se-
cretario, Anliauio Ferreira d'Amiuociaclo.
ra do.Trapiche Novo n. 16
Avisos di versos.
Ao Sr. agente dos vapores
J urna vez pedimos ao Senhor agente,
que 11S0 lizcsse subir vapor algum em do-
mingo, o S. S nSo anuio; agura, porem,
Ihe diremos que, a nSo ser Judeo, olla o
nSo deve despachar n'aquelle da. puis aos
ch'islSos n3 ) he licito trabalhar n'elle, uem
salva a S. S. a evasiva de diter que o gover-
no da provinca o da por deseinbarecado nes-
sodis; porquantoS. Exc. con semelhatile
particip Co nada mais faz quo declarar que
o governu lerminou seul despachos iportan-
to o acto do sabida do pono em domingo,
lie todo 1I0 Senhor agente, de quem espera
mos n.io continuar.
-- Preclsa-se de urna ama de leite, prefe-
re-se que nSo tenha filho : na rus do Viga-
rio n. 14.
-- Diseja-se saher so existe nesta cidade
a senhura I). Joaquina Emilia Augusta Pe-
reira, natural do Matlosiinhos, lie cunhad
do Sr. Crespo, que foi aqui ministro em
1828 : na ra Nova n 31, ou annuncie a sua
morada.
-- A pessoa a quem Ilm faltar um carnei-
ro, liando os sih'iiaes certos Ihe ser entre-
gue ; na ra Direita. sobra lu do um andar
n. 33, ti dir quom o tem.
Fructuoso Dias Ribeiro, embarca par.
o Aracaly, levando em sua companhia 0
seu escravo Anselmo.
t.onij.anlii 1 liiMiani de paquttes
preces vanaveis, conforme a qiuli- 4
indo das caixas, aquantidade dos re- a
medios e suasdynamisacOes. ajj
Urna carteira com os 21 principaes remedios humopattiieos e 3 obras 4
difleronles, iiilispensaveis para os*
principiantes que se quizerom con- j
vencer da verdade da nova melici- ?
na; conlendo alm de muilos con- '-*
selhos clnicos, a palhogenesia de 2
48 mediciinentos por 25/000 2
Tubos evulsos (cade um) 1/000 2
Tinturas de lodos os medicameg- a|
tos em frascos de 112 once 2f000 M
AVIAM-SE GRATUITAMENTE s
para ospobros.todas as receitasque *
paraali mandar qualquer professor. J
Na ihosnia butica encontrar-se-hi 2
se-nprc um grande sorlimento do li- 2
vros em porlugur/z c francez e em- 2
lim ludo quanto be necessario para ag
y. o cstudo e pratica da homcopalliia. -ag
e N. B. Reformam-se gratuitamente <
** todas as carteiras vendidas 110 esla- ^
W belecimenlo do cujos remedio*, pe- 2
;T la humidade ou por qualquer ou- 2
JT Ira cau-a tivercm sido deteriuradoa. 2
*>A A A A tfi ** ***** tf
Aviso importante para os dono?,
consignatarios e capitet de na-
vios.
Os senhores Richard,Payen,Babinet o Me-
rin, 111-101.11- da academia das scionrias ers
Pars.e sorteados pelo ministro da marnha,
do ijoui mol to, e industria,para o eiame dos
productos da fabrica dos se.ihores Cholleli
Companhia, deram a sua approvacSo, a 01
01 iim elogios pela limpesa e peifeita con-
servicio dos mesmns productos. Os senho-
res Chollet & Cumpanhia ce tos do Dom ac-
Ihimunlo que devem onconirar nrsla pre>
vincia,lodos os vegelies da sua Mrica,quer
soja pola sua boa qualidade, quer do sou di-
minuto preco, olVeieeeii a venda osscxuin-
tes:-Btalas a 40 rs. porcada porcSo. rc-
pnl'ios a fio rs. dito, jiilioi.no a 72 TS. dito,
espinalres a 78 rs. dilo.sip a 78 rs.dito,ma-
CSs a 78 rs. dito, silsifes a 78 rs. dilo, va-
rios qualidades de verduras a 90 rs. dilo, le-
jOes sciiiliiilus a 190 rs. dito, reeolliosde
bruxellns a 168 rs. dilo,12 paos de bruxcl-
las a 120 rs. dilo. NotaO modo do prepa-
rar aquellas verduras he mu simples, deils-
se dentro de agoa quente meia hora, e ollas
vi'oin s ao seu estado natural, e exhalan) o
cheiro como se fossem tiradas do jardim e
lempera-se da mesma orinen 1 que frescos,
e sSo mui gostosos : procure-se em casa do
similor Fouts, na ra da Cadeia do lenla
n. 2. 1 sia nova invencSo sendo muilo
superior as conservas em geral, ja ninguem
mais deixara de comprar os escolenles ve-
gelaes quo sSo do .- .01010 proveito para
saude.
Desappareceu no dia 26 de outubro
prximo passado, um escravo de Angola, t
idade 40 anuos, mais ou menos, de nu'ne
Deca ratjoes
--Tondoo arsenal de marnha annuncia lo
o forneci ment pelo espaco de tres mezes da
pedra de cantara bruta, de. 9 a 12 polega-
das de grossura e de 12 a 17 ditas, para as
., obras do melhoramonto do porto, c compa-
di-to, miui.-trado notos mais cenas recen lo um individuo smenle propondo-sa
fa contratar osso foruecimento, de novo se
A generalidad!-dos ensaios fez vor ; 'convida as pessoas que a isso se quizerom
1.'Uue o algodoeiio crosce em todo o piopor, a que eomparecam nesta secretaria
1itor.1l nigerino, ot urna olov.ic.1o de 800' no dia 24 do correnle, ao meio dia com as
met'os cima do nivel do mar. suas propostas em cartas fechadas.
Sabbido to de novembro jj^
i85j.
Primeiro benelicio de JoSo Antonio da
Cusa
Depois da execucSu de urna escolhida ou-
vertura, subir scena pela primeira vez o
drama portuguez, conposicSo do joven lil-
lerato o Sr. Ernesto lliesler, em 5 actos e 7
quadros,
O Laitnpa Candieiros.
Este drama, menos notavcl pelo titulo, do
que pelo seu mteressante enredo e situacOes
dramticas, revela um distinelo talento no
seu autor. Foi repr. sentado em Lisboa com
muilos applausos e geral aceilacSo.
PEIISONAGENS.
Domingos, limpa Candieiros O beneficiado.
Joaquim O Sr. L. C. Amodo.
Antonio -- O Sr. M. J. Mendos.
D Goncalo OSr. II. de Sena.
D. JoSo OSr. J. J. Bezerra.
D. Antonio e I). Fernando, amigo de D. JoSo
Os inhores' Raymundo J. de Araujo, e
RoaenJe.
Carlus-OSr. J. J. Pereira.
Antonio crie lo -- N. N.
Ambrosio, taberneiro -- OSr. P. B. de Sania
Rosa.
Z, Fadista O Sr. L A. Monteiro.
Antonio, marujo -- O Sr. Ii.yin.ni lo.
Emilia, irmSa de I). JoSo D M. C. Luccl.
Joaquina, cega t. Carmnlla Lucci.
Maria, sua lilna L, O. M-inl--.
Gert'udes, criada I). Hita.
Soldados, amigos do I). JoSo, gallegos, ma-
nijo-, ele.
A scena passa-se om Lisboa na actua-
H Jalde.
Seguir-se-ha urna jocosa larca.
Finaliaar o espectculo com o bello,
duetto,
a vapor.
O abaixo assignado agr lece em none
da direccSu da companhia a prumpti 13o o Antonio Velloso.cujnssignaessSo os seguin-
boa vontade com que os Srs. accionistas ie- tes -altura regular, cOr nSo multo pela,
sileit-s nesla rila le so prestara n ao seu barbado, com falta de cabellos nomeoiii
convito, entrando una com a primeira quo- cabcca.alguns cabellos brancos.bcicos gros-
la de 20 por cenlo das quant'as assigna las sos, bucea regular, mSos e ps grossos : fu
para se levar a elTeilo esta emprez, e fa- escravo de um senhor cnamado Antonio le-
zendo oulros a declaracSo das pessuas que loso: este escravo lie casado com urna negra
oa cidade do Porta as toorr. do representar de nome Hosi, haixa.mais velha que o ma-
lierante a """"> a .li nlrarem com ido. o servia de parlen ilo, ai
quotas pr
ment de
pessoas q
e neesssana a
lie. exhibe
que ho o seguinle :
Accionistas destn cidade 81 com 600acc"Jes.
Ditos que so achain representados por seus
procuradores no Porto 42 com 316 aeces
Ditos queentrarnm nesla cidade cun a pri-
meira quota de 20 por cenlo 26/68 com
176/491 ditas.
Fallan) sement para preliencher o numero
assignado 13/81 com 109/609
A imporlancia, recebid* pelo abaixo as- codo portas dentro desla typngrai'nia,
ssignado da quinte parlo das 176 cedes, quem o livor para alugar po le dirigirse a
quesSors. 3:520/000, uioeda porlugueza ou livrana 11. 6 e8 da praca da Independencia.
7:040/000 rs. desle pail.j tem om seu po- lf f fff f V der una letra (11. 2 3771 da casa dos Srs. taf-
Dao Voule & Companhia desta praca so- bv
uro os meamos, Srs. de Liverpool que ai i> cm cllsll tt 4i
enviar promptamcnle a d.sposicSo da com- f Koz.rio 11. 36, <;
panhia, econta fazer por da segunda ro- J sc.Mlll,i0 n,mr *
mesa, do lotal da quota das poucas acC0e, Jj.? ^M4llM* **4**AAi*4*
Tiaspassa-se o estnbeleciment) de Di
Ihar e bolequim da ra Nova, porque a pe"
de sua administracSo icti-
issociaclo, o ahaixo assignado Silva, hojn fallecido, o presentemente per-
0 resultado oblido at hoje, lencero a Antonio Caldas da Silva : quem os
pegar, ou delles dor noticia cet. sera ge-
nerosamente reoompensado : 110 Recife, ru
da l'raia, araiaaWi 11 18.
'itMlfcfeft 9 '^
H Alugam-sc e vendem-se bixasna IB
*t*i praca da Independencia n 10, con- 0
? fronte a ra das Cruzes.v'
9:''* >ff'S>eSft[1,?>^sf'
-- Precisa-so alugar um prelo para servi-
l'aulo Gaiguoux. dentista.
i'ilc ser procurado a qim- *$
|ue restan) a realizar.
.Mu i-I Duarle Rudrigues.
-- .Na fon.lii-.io da Aurora em Santo Ama-
pag'^eTou^or"^;;.0 ,' 2?2 S^^BST
mensalmoi.te com sustento.
Aluga-se um moleque de 20 anno
ra o servico de casa, o qual sabe cosinhar o
diaiio : quem o pretender, dinja-se a praca -----'"-----
da independencia, loja n. 3. Ueseja-se saher d'W se.iim-
Narua do Crespn. 15, segundo andar,res J03o |jutri, WaildcHeV 1 e
ha urna mulher 111 ligena quo se propfle a t\ \ir 1 1, im.
ser ama de casa para o servico interno, e Joaquim Uutra VV andcriey, m
engommar
No dia do Rosaiio da Boa-Visla per-
ja-se ao mesmo, ou junio ao lliealro nos-
Francisco, a entender-se com J J. de ra".
-- l'recisa-se de um criado : na ra do I a-
dre I ..o 1 no1 o. 5.
boa portuguezes, vin los de Ma*
deu-seuma pulseira de ouro lavrada com a l>m para esta pi ovillen: quetn
firma em cima, da ra do AragSo at o Ro- tes .similores souber, e quicr
sano
da
g"
era..-- --,------..v_uu !>.> .no- ,
sa regedora, convi la aos lllrrls. irmSos da mor, IU rua do tr-'(HChe
mesniaacompanliareniaprocissilDdoCor- or ruin fivor se I e ficar agr
pus Clinsli no da 21 do correnle, compare- < 8
des-
liar
iara o serviC"
cendo pelas 3 lloras da tarde na sohrcdila
matriz.
Aluga-se um sitio na Tacaruna: a Ira-1 interno e externo de urna casa de pouca li-
tar na rua da Guia n. 64, segundo andar./ milia ; a listar na rua Bella n. 33.
decido.
-- Precisa-so de urna ama
7
___
~ -3^, *


Madama Houtier modista francesa
na ra Nova n. 58.
Tero a honr de previnir o respeitivel
publico, e com partlcularidide aos seus fre-
guezes, que o sru estabelrcimeiilo se ach
provi lo de um novo e variado sortimento de
ncasfazendas fnncezas chegadaspelo navio
Cunte ftogor. I.nidos chapeos de s la para
senhoras e meninas, enreiles pira caliera,
ricos capolinhos o manteletes prelos e de
n'ir com colleles, floros.penachos, l> uncus e
de coros, chapeos-de palha lina redondos
para meninos de um a seis annos, ricas ce-
pellis de llores, para noivas emidrinhas;
]iivis de pellica, blco de bloudo de largura
de un dedo a uro palmo ; espirtllhos da
ptimeira qualidade para senhoras e meni-
nas, ricus chapeos de montana, pulseiras
muito ricas, manguitos, pentcs de lailiru-
ga, litas largas do'todas as cores, lindos
veos pura noivas, franjas e trancas de seda
prelas e de corea, mantas pretas do tilo. Na
mesnia luja se fazem vestidos de cassmonto
e bapusado, loucas para senhoras o meni-
nas, cu uiinli'is itu todas as quididades com
perfeicSo e preco commodu.
#*ff#**#
O bacharel Witruvio propOe-se a %
onsinar o francez e mais algm outro 0
preparatorio, assim corno ofTerece-se
0 a dar lis0os por casas particulares g$
9 uu collegos a meninos do ambos os
0 sexos, em materias de instruccSo tan-
v to primaria como secundaria : quero rr
* quizerulilisar-se doseu preslimo, po- T
r de procura-lo na ra riasCruzes n. 22, ajf
aj) l," indar. Q)
Ningue fa(a negociu cora urna horan-
(a ero Portugal, provincia do Minho perten-
cente ao Sr. Jos Simplicio de Albuquerque,
-- Aluga-se urna csa na pnvoacSo de Be
iilribe : a tratar na ra da Guia n. 61, se-
gundo tildar.
?*#***-i** ****'
J* Aviso ao coniaiercio.
e Visto a cleliberacao da di- !
*- recco da asaociacao dos lo- j
^ gistas desta praca recom-
V (neniando aos seus mcm-
Jardim das Damas.
Sahio luz o naja des'c peridico, o ulti-
mo da segunda serie, contando, como to-
dos os outros, miteris de instrucf3o e de
recelo, Leva una inodnha brasileira com
acompanhamentu de pilono, msica do Sr.
Pedio Nolasco Baptiats. Os 19 nmeros do
iiii'ilnn das Damis at lio jo publcalos con-
tm 308 paginas de texto com duas colum-
nas cada uina. A par|o instructiva compOe-
se de 12 dilogos sobre a ceas So do mundo,
sobre a oxiatencia e altributos de Ueos.eso-
bre nossos devens,lano para com este ente
como para comnosco ; de 7 lifOes de arilh-
roetlc, de 8 cartas sobre a physica, de 3 ou-
tras sobre a psychologla, de 11 ardaos sobre
moral,e de diversas variedades instructivas.
A parte recreativa contin 25 compusieses
poticas, 12 romances, 13 conloa, 1 drama,
^varias anee Iotas e diversas receitas uteis e '
curiosas, lisies 12 nmeros s.1o acompa-, = -n-------y -------------j--------
nhados de* estampas contando 67 riscos de deiros e commerciante* j
bordados, de 3 oulras contendo 21 moldes JJ _,. i-.,. _:j.j. J i
dei.byrinto..,desflgurnoa,.iesmndinhi8, tanto desta cidade, como do I
brasileiras com acompanhimento do pianno *' interior e ao povo em geral '.
idcuma shotish. Assigni-se para o Jer-|J a. ..... _... frAnnllpam 2
limdas Damas na ra estrella do osario |*> aesla Praa> que Iianqueam 4
* seus sortimentos de lazendas 1
3
S bros, de nao comprarem, se- I
i nao em 8 casas entre 17 im- 4
C portadores de fazendas e I
s* como os abaixo assignados .j
I sao uns dos interdictos ; fa- J
y 7.1:111 publico aossenhores de 4
engenlio, lavradores, fazen-
e commerciante*
morador e residente na provinch das Ala
g.s.sem que se ci.tend. com Manuel Car- ra ,,, ,,,, c|IlC0 ,
Miro Leal, rucu-.dor nesl. el lade do d.tocimlr tsr> drij, s0 Augusta n. 9,
Albuquerque, visto que ach.ndo-se a mes-l ..,,.'... J. .H. ...... >
ma licranga litigiosa, I-mi o lito l.eal, Teilo
despezas que t-111 de sahir da heranc,a,achan-
do-se tamben aulurisado por carta de or-
dens pata della ( berenga ) dispor como me-
Ihor entender.
Madama llosi llardy modista bra
sileira ra Nova n. 3o
Acaba do receber pelo ultimo navio che-
gado de Franca, um rico sortimento de la-
zendas, ricos chapeos de palha da Italia, le-
chados, abas grandes onfeiladas para nvni-
nos de 3 anuos a O, locas de ISi para orlan-
e-i, ricos chapeos dese.la de todas as cures
para senhora, lindos clispeusinhos de grs
naplos redondos para baplisado da idade de
4 mezes a ti anuos, meias de leda branca
para senhoras, ditas para crianc/s, lencos de
ret'oz e de rede para senhora, iicosvus,de
casamento, ricos cabecOes de linbo branco ;
e pretos de blondo, lindas capellas de casa-
n. 28, primeiro andar, razlo de 2,000 rs., .._-......^...-. .--
pagos adientados e por serie de 6; nmeros, por blixos precos nao me- !
as series a vulsas vende i.-so a 3,00o rs. cada r 1 y *
una. Os moldes de bordados e de labyrin- nos de l peca, Ol tima duna, )
los Jados pelo Jardim das Damas sao lodos'O a dinbeiro, Ol a praso, COll- I
vio los de Kranca, Para a semana salina o fe .. ._
n 13,o primeiro da tercelra serie. aa lorme se OJUStar : noseuar- ^
' U-nbelino lloreira de Oliveira l.lm, [M mazcm da proel do Corpo i.4
embarc no seguinle vapor para o Ceara, e ay u .....;' Aa rlla An *
leva c.msigoosuescravoMinool. V %,ant0 > esqulna aa r,,a ao I
Precisase de um criado: na ra do v Irapicbe n. 48. -
Hospicio n. 9. > lostron Rookcr & C.
-- A pesso que aniunciou querer com- >> "0ron nooKir ot v .,
prar urna loja de fazendas, dirija-se a ra d* '. y SegOCiante.! inglezes. 9
Precisa-so de urna ama para i> servido
de casa, r compras : na ra do pairo Fio
riano sobrado da quina n. S.
Preci-a-se de um portuguez que enten
da do planlacO-s de sitio : u,uein esliver nes-
Cadeia do liedle n 10.
Precisa-so de um bom padeiro para f-
izer
das
6 as 7 lloras da manhSa, e das 3 as 6 da
tarde
--Oabaixo assignado faz publico, quo Jo- tas cirtunislaucias, entenda-se com o por
si Rodrigue! de Sotlie Itocha.deixoudespr leiro da alfandega desta cidade.
administrador da sua luja de ferr-gens da j Na ra do Vigailo n. 19, primeiro an-
rua Nova n. 6, sob a razSo do Valenltm da dar, deseja-se Saber do Sr. (Jomingos Anto-
Silva & Companhia ; a qual contina sob a nio Pereira, que em 1821 oxislia nos seus
mi mu -.i -. r i i de Joiquim da Cruz l.ima. engenhns em Porto Calvo, o i ese'i- liihus,
A. V. da Silva Barroca. a negocio que Iho dlx respailo.
O abaixo assignado faz publico, que <$&*>&-***..+miWi**QUs i
deixou de ser administrador e int"ressado jai CU.NSUroillO II UIKOPATIIICO. fe
na loja de ferragens da ra Nova n. 6, que 41 Uua do Tral iche n. 9. fr
girava sob a firma de Valenlim da Silva a>. O Dr. Casanova, estn lo do volla da (j>
Compauhia des le o da 8 do corrento mez. f Franca, teni abarlo o snu consultorio ?
Jos liodrigues da Silva Rucea. 9 na ra do Trapicho n. 9,no Hotel Fran- >
Deseja-se fallar com o Sr. Jos Juaquim 49 cisco, aonde da consultas gratis aos Pereira de Campos que veio de Timbaba
para esta cid lo ; roga-se-lhe por tanto
tf polnes luos os dias,
leudes, Gregorio A ntunes de Oli-
veira, acha-seestabelecido de bo-
je em diante, com um grande ar-
mazem, narui da Cruz do Recife
n. a5, o qal offerece toda a sc-
t;m anr 1 e commodos para se fazer
leilSes, vender em particular c re-
ceber em deposito, todos e quaes-
quer elTeitos, sejam gneros, fa-
zendas, ou mobilias, e assim pre-
parado se offerece ao respeitavel
publico, e particularmente ao dig-
no corpo do commercio desta pra-
?a, pira exercer as attribuicdes le-
gaes librenles aos dous referidos
cargos, prometiendo empregar to-
dos os es forros para bem desem-
penhar as conimisses de que 1 lie
(izerem a bonra de o encarregar ;
e pie ser procurado emditoar-
mazeiu tolos os dias uteis, das8
boras < 1 manhin at* as 5 da tarde,
pois que aln tem collocado igual-
mente oseu escriplorio. itecife 16
de novembro de i85a. O coire-
tor geral e agente de leiloes, (Ire-
goiio Antunes de Oliveira.
-- Alugam-sc os terceiro e quarlo andares
com a COIlDhl da e.jsn u. 42 da ra do Tra-
picho Novo do Kecife : quem os pretender,
dirija-se ao primeiro andar da dita casa.
-- A associsr;So commercial desla pras
acaba de receoer segn la porc3n do arcano
do Df. Kduardo Stfjlle, remeltido pelo lllm.
Sr. J. ii. sturz, cnsul geral do Brasil na
Prussia; por isso a mesma gratuitamente
(acuita a qualquer senhur de engenho dcsla
prace, esperando quo qualquer melhora-
menlo pelos mesmos encontrado o scicnti-
lii|u.u n a dita ns-ori i(j commnrcial. Per-
uambuco 16 de uotembro de 1852.--Bernar-
do de Oliveira Mello, director e secretario.
Madami liosa llardy modista bra-
seira Ra Novo, n. .Vi.
Tem a honra de participar ao publico, e
particularmente a seus freguezes o aos fre-
i-'ur.i da fallec ia malama Porta, que ella
lern comprado eilespachalo o sortimento
iuteiro das fazeudus que vieram paia esta
senhora no navio Pernambuco, o ultimo
-- Compra-se urna porta de amareljpcom
onze palmos, e urna jaoella com setej: quem
tlver annuocie. /
Vendas.
2}8oo
i,3oo
ina,
na ra
ment para noivas e madrinhas, ricas luvas
de pollica enfeitadas, de noiva,!cas luvas de
se la de tolas as cores para senhora, hlelas
para vestido, agullias francez>s lloros, pe-
nachos braucos e oeooris, ramos prelos pa-
ra lulo e csparlilhos para senhora, e meni-
nas, rico sortimento de.chapeos de palli
para senhoras, meninas, e meninos, endi-
tados e sero eufeiles, ricos sortimentos de
capolinhos, e palitos, manlrleles de edres e
prelos, com collete e sem elle, roneiras de
MI" lioho, blco do blondo, de S"da, e de. Ii-
nho largo e pslreilo, vest Junio de seda e
toucas deba plisado,chapeos i r lo- p mi luto,
rame cobeilo de seda para fazor cha .oos e
copos, loques,chapeos de palha de montara,
c.misinhas, manguitos, peililhos de cam-
braia ; na mesma casa faz-se vestidos de ca-
samento e de baptisa lo, toucas e chapeos oe
seda, tian^a de seda branca e de cotes para
enfeilar vestidos, sed branca para noiva,
pcnles delaitaruga para star cabellos.
-- lloga-se a senhora I). .Mara Torquata,
baja quaiilo antes fazer inventario, e por
meio da imprunsa chamar para o me>mo lini
os redores de seu tinado mar i lo JuSo Anas-
lacio da Colilla, I.oiii cq no se i lie pede p ra
quo au disponlia das tres csciavas Tlieo
llora, Ijiua e lilla, visto eslaiem sojeilas aos) *j
debitusdeseu linado marido.Uin credor.ij
Precisa-ae de um pequono do dea a
doze iiiin >, nacional ou eatrai g.i o, pre-
ferindo-se destes que cliegarlo lia pouco ;
na mesma loja vendo-sc um moleque de dez
anuos; na ra do Cibuga, loja do ourives
n. 7, de Ser>phim.
~ Precisa so de urna ama, para lavar e
engommar, vn lo pelas 6 horas da manhSa
cvoltando as 6 da tardo; a quem convier
este negocio dirija se ao atierro da Ba-Vis-
, chetia lo do llivre. Este sortimento he com-
o favor de aparecor em casa de Manoel Igna- U|Cria (|e -s oss, nilllul'a '0>t' de 'zondas minio finas, e superiores
co de Olivera, na pr.ee -lo CO'i.mercio n. ****! M UB x> OSS.l ClIUUIrl a(,tll.|las q u vem para o.sta ...a'rc^du ; .icos
6, ouannuncnr sua morada para sor procu- (|0 KSiiriO. cts de seda lavra.los de cores do ultimo
r* ".. .,, t\ .i __:__J_... i...,:.. ... g"Slo, cortes de seda escoceza, ricos corte
Alug>m-se2sitios, nnnio porto desta1 U thcsoureiro desla loteiia Bii-
praca, um com gante casa, com comino- nnca que as rodas andam no dia
dos para granue familia, cun banho muito ,
perlo, boa agu do bober, jadim e planta 23 (lo COrrente, 110 COUSIstillO (la
de capim para dous c.valios, terias para lo- j,e;a de No.ss I Senlioia (lo L-
da liwura. lugar inulto fresco peis gran- D J ,.
des maiiguoir-s que tem junto da casa; o vramento, anda que fiqnem po-
segundo tem boa casa coiu um sold, banho vender nlguns bilbetes, o reilo
muito perlo di casa, boa agua de beber, e ..I. PKia a ven-la nos lu/a-
terras muito boas, os pertcndcnles dinjaov que "'* e>ta a\enia nos iiiga-
sc a ra da Cruz sobrado n. 5. res Sfgllinte.S '.altcri'O da lio i-
..Quero precisar alugar um preto i-ioso vjla | (,() Sr Antonio da Sll-
ra amarrar lenha em urna piopriedadn '. J .,. .
distante desla praca legua e meia : procuro va Guirnaracs, loja do Sr. Virio-
na ra Direita segundo andar do sobrado l(1 rua do Calinga, botica do Sr.
n. 120, que acliaia com quem traclar. ai j i i.
--Precisa-sede urna ama de leite.e a pee- Alore ira Marques; prac'a da lude-
soa que quiiordinja-se a ra Nova n 1t,ou pendeci', loja do Sr. Fortunato
ni Itua-Visia no beci-o das liarrei as 11.3. !_,,. ,. I .uramniiln hnlipA il<.
-Prcoia.-ae .lugar umaoaaa terrea ou o- 'argo (lo L.lvramento, olica Uo
brado.qualentia boa sala emuma.dii prin- Sr. Cuaga; ra Direita, na cjsh
cipes rilas da lio.-Vista : a Halar na ra da ,
matriz da lloa-Visla u. 22 "'' lolu,nd n. 7
j#*j#^4>eS#*'i y Um pieceptor ostmngeiro, oceupa- v dado do invino Espirito-Santo, eiecta na
jj do em eotimr as lingnas frai-ceza e v wreja de Noss Senboia da CunceicSo dos
llemaa, geoinetria.arjtlimctica, geo- s
graphia, algebra, e physica maihe- S)
malica de-eja preenclior algumas y
horas vagas com o ensillo destes pre- >
piraloiius: quem quizer utillsar-se Q)
de son pre.-llmo, o achara a qual- ,,
quor hora do dia na ra da Cruz do fc
Reciten,I. fe
Precisa-se de umi criada para casa de metter ao lliesoureiro.
puncifaunlla :na ra Direila n. 10 j Ai*' IIKATRS
O abaixo assignado rnga ao Sr. Marco- /* 7 : ... ,,."
lino Xavier lala, morador na seriinba junto > Jam, danlltU, noticia ao publico, que
*
J
Militares, scienlilica a loJos os seus amados
irmaos quo doiiingo, 21 do correte me;,
pelas 2 J horas t'.H tardo, rompurccam na
iiila itfreja alim de, oncorporados, acoinoa-
nharem a procisso de Corpus Christi, para
a qual houve convite do Exm. e II. -n. Sr.
hispo diocesano. Outro sim, aquellos ir-
niSos que 11S0 poderom comparecer e te-
nliam capas em seu poder, hajaui de as re-
0. sentir menor dor nun receiodeos que-
que devein, visto nSo se ler podido sabor Pr
;,-,,,:' he mullo desanoso, Sr. Marrolino, um .
quem sejam. : fiomu s s 0 se d|, ,,t0p,i..ur.o e "r.r; tambero Cale os denles n.turaes fu-
AttCl^ao 'abstalo do beiis, p.at.car desta forma, ca- rados da carie, com ooro ou prata, preve-
No dia 12 do corrento ausentou-so da casi loicaudu aus pobres negociantes da P,ac. mudo assiro a conii-.uacao da canee dores,
do seu senhor, n > pateo ,1o Ceraio n. 18, aa-l |.-rancisco Cavafcaule d'Alliuquerquo. mosmo evitando por essa lorma do pass-r
gundo andar, urna mulata que representa -Oabaixo assignado declara que se Ihe a carie dos denles furadospara os oulros
ler 35 a 40 anuos de idade, donme Bcrnar-jese||CamjI1,l0ll ,lo |Bjbeira uroa letra da silos, como bem, limpa os dentes em geral,
dina, com nssignaes seguinles :-cr alve,Lu,nl l)e 772*500 a vencer no I.' deja- Urandoas caries ou podras que tanto os
rosto comprido, naiiz grande.olhus um tan- ^ejro a ,-, ,.rxmiu vindouro, cuja letra damnilica o coopera para o mo .lito da boc-
io pequeos, o nariz e corpo avermelliadr.,'ho HM ,,elos Srs. Kranca & Irmao, ace- ca uo sendo lirado ; ha doz anuos que o
cabellos crespos, tem bastantes minchas de! ,a pelu Sr ,'|,Udio Duheux eudossada pelos annunciante exerce sua prollstSu necia ci-
pani.os pelo corpo, brarjns e costas, altura \St Anlullu j()S de Cslro Tiburcio An- llau. e os mullos exemplos que tem-lado
regular, chela rio corpo, c tem as u us lre-!l01lj 0 01ier uis oulra lelra de me- nesse longo lempo sea quanlo basta para
muas luanio pega em qualquer cousa, le-1 norqu,nli, e 5000 rs- eru uina se lula : a o garantir: sua resi-lenoia, ,rua .tova n. I,
vou vestido brinco, chale de quadros on-j qu,, B ,IVer ichado e a qozer entre- "meir" andar
r .ir 11 a dos rouxos, mi palos de ruuro, o urna |,r -i n l)os 5 oiiOoiie com ellas se deseo- i-.^.m.w:*1!^*.-^**}.^; *mMmmm)lmm>~9
i
i
|i
de barege de sel., ditos de barege dsela
de 3 babados, riquissimos cnapeosde seda
para sonhora, chapeos de palna itlica a-
bnrlos e fechados para senhora e meninas
Sem ser enfeita; riquissimos capolinhos
de Grosnaplrs fulla cures buedadus ; lieos
ca ellas para noiva a niadrinha de casamen
to; guarnieses para vestido de noiva; ra-
mos de flores prelas para lulo; um rico
sortimento de filas, escuc-za, cluneza para
cinta de meninos e senhoras, para enfeitar
chapeos de senhora c meninas, do babadi-
olios e de franjas ; chamalole branco para
Golletes do senhura ; bolSes para colletes
lo ^enhora ; lieos cortos de collete burda-
dos para senhora, Ulela branco; selim
branco; .ros de naples amarelloe branco
fu-la Cores ; lequifes para os ditos ves-
tidos.
-- (>ffe|vce-so mil rapaz portuguez para
caixeiro de qualquer cstabolecimento, me-
nos venda; (- 11 alguma pralica da lingoa
francez.,e da fiadores a"sta conducta : quem
do S'-u preslimo se qui/er utilisar, aniiuiicie
para Ser procurado.
- Alu^a-se urna casa para dous a tres ra-
pazes sulteiros, em qualquer rua do balrro
de Santo Antonio, o mesmo de S. Jos, da-
sefl-iD.ee, o quem tiver um mso inquilino
despee, e appareca na rua Nuva n. 2t, loja
dealfaiale, que achata quemalugue.
-- Aluga-se um 1 reto ou preta para todo
o M'iuii de una casa de ponen familia
tratar 0111 casa do sachristo da ordeui ler-
ceira de S. francisco.
- Procisa-se de um pequeo para caixei-
ro, dos cliogados ltimamente do Porto : lia
rua da Seuzalla .Nova, venda n. 1.
Aviso importante oos moradores de
Iguarasa.
Pedro Paulo de Moraes; com casi de ne-
gocio na villa de Iguarnss, ao pe da ponte
Lotera do Rio de Janeiro.
aos 3o:ooo,*tjoo e 10:000,000 ders.
Naloja de miudezasda praca da
Independencia n. 4 vendem-se
bilbetes inteiros, meios quartos,
oitavose vigsimos, abeneficioda
3. lotera do hospicio de Pedro II;
vem a lista no primeiro vapor que
ebegar do Rio de Janeiro.
Bilbetes inteiros a 1,000
Meios biiheles 11,000
Quarlos 5,5oo
Oitavos
Vigsimos
Lindos anneis decora
ven lem-se a 610 rs. rada um; na rua do
i.im i na lo, nova loja de miudezas n. 47.
Vrnde-se um ptimo relonio.ums obra
de 1:Im 111111, outr. de Gmenio, oulra de Feli
ce, direlto natural, e oulra da Kranca Catfio-
lica ; tudu em bom uso e por preco muito
commodo : a* praca da Independencia n.33.
Ao bom gosto.
Na rua larga do Rosario, loja de miudezas
n. 40, vende n-se asseguintes merca lorian :
esporas de aro pratladas as mais finas que
tem vindo ao ni^rca lo, toiiradores da lolos
os tamwihos e os mais modernos que aqui
lem vinlo, apparelnos dechumbo, muit-i ri-
cos lenrjos de seda para peiooco do s-nhora,
muito lina pomada france/a, jarros de ba-
iii" muito ricos, agoa -lel.-vande com am-
bre, saboii"t'S inglezes, ditos de espuma.di-
tos espanhes, ditos france/es grandes e pe-
buenos, oleo para cabello, -pastiliias de al -
miscar,agoa de Culonia alniscarada e sim-
ples, ludo islo pelo menos preco possivel
Vendem-se bolScs os mais
modernos e de melbor gosto, pro-
prios pira palitos de cores: na rua
do Cabug, loja doGtiimaraes nu-
mero 1 t\
Vendem-se, por muito ba-
rato prego, 2 bombas de repucho,
com pouco uso, que laucain agoa
do segundo andar de urna casa: no
trapiche do Ramos.
Vendc-se um cavallo roda-
do, muito bom estradeiro de baixo
a meio, rom os xompetenles ar-
reios: a Iratir com Jos Apolina-
rio da Cimba, das 6 as 9 horas da
man ha ', e das 2 as 5 huras da lar-
de, na rua da Rola, casa terrea
n. 29.
Attencao o IguarAgs..
Na rua da Ponte dcsla villa, lo-
ja n. 6 de Jos Domingues de
Soma, o bem condecido barateiro,
tem um bom sortimento de lazen-
das, que esl torrando a troco de
sedulas, mesmo velhis, por pro-
cos milito commodos ;' cheguem
freguezes.
Cheguem freguezes ao beijuim.
Na rua larga do llosario I j.i rio iniuriezas
n.40, vendc-se frascos de beijuim parade'u-
mar, fazenda da melhur quuhdadeque tem
vindo, pelo diminuto preco de 500 rs cada
um, prini s de ii-.-'i muito linas a 2,500 rs. a
gruza ; ditas mais infriornsa 701) rs. ; colhe-
res de nn-l -I do principo das mais linas a
5,500 is. a duzia ; ditas para cha a 3,000 is ,
cartas finas para vollarele a 480 rs. o hara-
Ino, meias muilo linas para senhora a 4,700
rs. a duzia, e aupar a 400 rs., Ipesouras de
CuirnaraVs,prophaspara cortar costura asuu
rs. cada uina.
Para jai Jins.
I-'iguras de lou(a de difTerentes qualidades
Dinbeiro a vista.
Quem quizar poupar venha ver e comprar,
pois o gancho de quem venda lica as mfloa
dos compradores, e sempreflcim logrados e
mal servidos aeus amos ou senbores; no
aterro da lio.- Vista n. 49, taberna nota pin-
tada de azul, vende-se o seguinte :
Mar.teiga ingleza superior 640
Dila franceza 5(0
Cha do no-uno 9,240
Cs. ermacete 780
Cha preto 1,920
Carnauba oro velas 980
Kariuha d araruta 160
Dita rioMaranhao 1*0
i Inieoiaii- de Lisboa 390
Cal muilo bom 100
Gslrellinha para sopa 940
Assucar refinado bom 100
Dito imroedialo 10
Krvilllas tJO
Sevada loo
Painso, a cuia 560
Milho-alpista 100
Azeite doce, a garrafa 600
Vinagre de Lisboa 190
nido 80
Azeitonas 940
De tudo se d amostras, e anda se Sea
obrigado a quem vier comprar, trazando di-
nbeiro para pagar a bocea do cofre.
Ilap Paulo Cor.leiro.
Vende-se superior rap Paulo Cordeiro.em
libras e meias ditis, eoitavas.chegado pro-
miii iinei,lo : na prac,a da l.idupen.ioocia,lo-
ja de miudezas n. 3.
Vende-se de I at 5 lencos de lalivrin-
tno, em cambraia de linho muilo lina, pro*
prios para mSo de senhor.s; na rua da Goia
n. 5, lerceiro andar, das 6 s 9 horas da ma-
DbBa, e do meio da as 3 da tarto.
Na loja da ponte da villa de Iguarasa
n. 7, vende-se por lodo o preco, a dinheiro
a vista ou a praso, toda a qualidade de peixe
secco e cera de carnaubi por atacado; assim
como na mesma se rumora uroa barcaca da
15 a 18 cains; quem livor para vender, dl-
rija-sea dila luja.
Vendem-se uvas brancas muscatais :
oa la da Conceic3o da Boa-Vista n. 58.
Atlenc3o pechincha.
pra{a da Independencia n. 34, pe-
nado a loja do Sr. Verissimorelojoelro, ven-
dem-se chapeos do chile beira pequea a
2,500 rs., assim como os mais bem feitos bo-
netes de oleado que lem appirecido nesta
mercado a 1,280 rs., o outras tiuitas fazen-
das perlencentesa chipeleiro quo se venriem
por muito menos p-eco, do que etn oulra
qualquer paite.
Tuucadores pan cima de mesa a 400 rs.
48o, 560 i-i'-Iii rs. cada um
na rua do (Jueimadn, nova loja de miude-
zas n 47, de Antonio Jos de Azevedo.
Lotera de jNussa Senhora do
R ooe rio.
lasa da Fortuna, rua Direita n. 7.
O cautelista da casa cima anuncia .0
publico, que as rodas da lotera de Noisa
Senhora do llosario, andam no dia 95 do
Borrante, anda que liquom alguna bilbetes
por ven-ier; existe nos lugares do custume
um completo sorlimenlo Oebilhetes ren-
telas.
Uilhetes 8,000
Meios 4,000
Uua 1 tos 9,200
Decimos 1,000
Vigsimos 500
O abui yo assignado vende O
% o seu engenho Santa Mara, :
0. ha pouco levantado, naco- p>
O marca do Cabo, o qual di-
S vide com os engenhos Sibi-
la r de Santa Cruz,CHchueira,
O
&
O
trouxicom alguns vestidos, um panno de;cam|n||M.(inlf rcC8|>,.,a mais urna gratifica-! -8
laa encarnado e branco; A-'
forra em qualquer parle po
quem a pegar ou della sou
do paiticii ar na dita casa a
ria do Carino n. 38, primeiro andar, que te-
la muito boa gralificatSo
-- Olleroce-se um moQo brasilelro de boa
conducta de 17 a 18 annos re Idade, para
Caixeiro de ongenho ou outro qualquer ne-
gocio lora desta prar;., o qual tem pr-lira
do commercio : quem o prelen Ii-r, dirija so
a rua do Torres, esquina do '.urpo Sanlo.lo-
ja de sapaleiro.
Quem quizer comprar ou arrendar um
sitio na Estrada Nova, o qual tem propor-
1,0.-1 para vaccas de leite e plaiil-r.no de ver
dura, dinja-se ao mesmu lugar, a fallar com
oSr. rnajor Villaseeca.
-- Precisa-*e de urna ao a de Icilo que nSe
' 1-nlia filho: n. rua do Scve, casa terrea o
lotSo, di-lronl- do tneatro publicu,
Precisa-se de um bom forneiro : as
Cinco Pont>sn. 38.
-- l'recisa-se de ofticiaes de cliaruleiro ;
no aterro da lloa Vista u. 77.
"Precisa-Mi de um horoein que saibs
Ii- Ii Hu; com r rro'-a,e que tenha boa con-
duela na rua de Santo Amaro n. 8.
Precisa-sede uin padre para dlzer s
missas da fesla de natal, e mesmo para ron
linuarde capellSo; sendo que quelra, pode
dlrlgir-ie ao laigo do Livramenio n. 90,que
achara com quem tratar.
nueni precisar do um saerdote para
dizeras mis-as da fasta, ou mesmo al fe-
veiriro, n. rua do Collegio n. 19, lerceiro
andar, .chara com quem tratar.
-- Precisi-se lugar um. preta, forra, ou
I captiva, para casa de homem solteiro, rendo
jdemea idade, que cosinhe, engome e
compre: na ruada Cruz n. 37, primeiro
adir.
-- Precisa-so de Ulll u-linadjr, lia TUS do
Vigarlu n. 8.
CONSULTORIO
THICO
i
mo para s ser pagas as ditas letras ao an-' |
nuneisnte. Antonio Morena Keis, as Cinco, m
Puntas ii. 13. 1
Jos MaitinsTcixeira, mediej bomceo-i (|
palhico, chegado proximimenle do Itio doi ,-g
Jaueiro, da consultas aos pobies gratuitas,; g
das 8 lloras do da as 5 da tarde: no hotel
na rua do Torres, primeiro andar. '*
- Arrenda-se o armazem da casa da rua ; t
do Vigaiio n. II, o paite do primeiro andar:; y t.ossel lillliont, (Jara no COll- I
liata-se na mesma no escriplorio de V. A. i| 8s(or0 a capelli filial, una
da Cunha & Companhia.
vttmmmmmmm mm^sw -,
(I .- Cosset llimoiil, professor de ho-
BM
Todos os domingos depois
da missa.
prolessor homopatba
o. 7 faz ver aos moradores desta comarca
que se acha com bastiuile sortimento de fa-
zen Jas, o molhados para vender por menos
preco possivel, c tambe-n lem cera para
alugar o vender, o mesmo faz todo o nego-
cio a troco do madeiras, assucar, o outros
quaesquer gneros que so Ihe olTeregam :
lodos estes gneros vender por menos do
queeni oulra qualquer parle.
Aluga-se urna casa terrea, no sitio do
Curdeiro, margem do rio C.pilianbe, com
comino los pa-a grande familia, o cun n-
li i hara paia 6 cavallos ; uina outra mais
.-- quena no Ionio do mesmo sitio, lambein
com commodos para familia : a Iralar com
Gabriel Antonio, uo pateo do Carmo n. 17.
- l'recisa-se de uu> bum ufllcial de clia-
ruleiro; paga-se bem : na rua da Solo-lade
i'mli..... a venia n. 11.
-- Os senhores acadeiricos do quinto au-
no s3o convidados compraras fitas das
suas carias de rioulor, no aterro da oa-Vis-
la n. t ; certo de que acbar3o uessa loja mu-
uicidadu do procoequalidade superior.
m mil^awwii ni mmm**umm-iw
i Jumpraa.
e tamanhus, simbolisan lo a America, a Afri
ca.aAzia a Kuropa, o as quatro estaefles
do auno ; jarros de bonitos mdelos e gos
(ffi mceopalhia pela escola dollio de Ja- Ji
as neiro, continua a uar consultas gratis p
j aos pobres lodosos das uteis, das 8 y
W huras da iiniiili-i i at ao mmo da, no
m stu consultorio, iua dasCruzesn 28 H
,'-; ,-f --.: .' .' ." .-
Arrenda-se urna prop'iedade, sua na
rua da Florentina,contigua a do Sr. Iteran-
ger com ptimas proporcoes para nella se
fundar qualquer estabelecimenlo em ponto
,.'r,,n,le, por ter bstanle extensSo, e pono
le embarque pelos fundos quem a preten-
der i Jo-ir ve-la,entendendo-se com o mo-
rador da esa (i 16 da dita prupnedade. o
qual diicom quem se deve Iralar de qual-
quer njuste.
Daguerreolypo .
Po aterro da Boa-Vista, sobrado n. 10, ti-
ra m se retrato a daguerreotypo, das 9 ho-
ras da manhSa as 3 da trde ; lambem ram-
as tirar em casis particulares. Ropiam-se
retratos de daguerreotypo par. miniatura
com exaclldSo ; exislindo para OS mesmos
rebatos caixas e quadros de gosto particu-
lar.'.
consulta e remedios gratis a
| todos os pobres que ali se
I upresentarem.
.Y
mm tmwmmm zmmwmmmmmm
Preeisa-sode una ama para servido in-
terno o externo do casa' de homem solteiro :
no atierro da li.i i-Vi-i n. 22.
Aluga-se um primeiro andar no bairro
de Santo Antonio, rua do Collegiu>,ou da Ca
deia ; a tratar na rua do Crespu, loja de fa-
zendas n. 2.
-- A pessoa que comprar ou echar um*ca-
xorro com os seguidles signaos, lamanho
regular,todo branco com urna mullas gran-
des e rajadas por ludo corpo, raga de lilla,
urelhas i ote iras, pesunho das mSos, cauda
muito curta, dirija-se ao atierro da Boa-Vis-
ta n. 61, que sera bem recompensa lo.
Precisa-se de urna pessoa lona p.ra o
serviQO inlerno de urna casa de pouca fami-
lia, devendo esta ser de 30a40annosdo ida-
de : quem esliver nestas circunstancias, dl-
rija-se a rua de S. Francisco, sobrado n. 8,
que dando piovas de sua conducta tratar-se-
da do ajuste.
-- Compra-se umapparolho daouropara
cinteiro : na rua da Gula n. 64, segundo
an lar.
-- Compra-so urna loja de fazendas, dan-
do-se em pagamento propriedades nesta pra-
(a : a quem cunvicr,'annuncie.
Comprum-se esrav.s e vendem-se re
.---Ii Mii-.-e de commlasSo, lauto para a pro-
vincia, como para fura della: na ruados
Quarteis n. 24, segundo andar.
Compra-se papel do diarios, a 3,840 rj.
a arroba ; na ru. larga do llosario n. 21,Casi
de cigarros.
' Compram-se Diarios o toda a quilida-
de da papel que sirva para embrulho; na
rua do Vlgario, venda n. 8. n
-- Compram-se 25 grosas de botes ama-
n-Nos lisos ordinario : ni rua do Crespo,
loja ii. 3, ao ladu do aren do Santo Antonio
Compram-se costados de ma-
deira de louro, amarello, e sedro
em porcao; ua rua da Cadeia do
itecile n. a3, se dir quem quer.
Compram-se garrafas brancas, anda
mesmo, de azene, e paga-se bem : na fabrica
de espirites da (ua Dimita n. 17.
v- Compra-se meia caada de vinho de
caj que seja velbo, de um anoo pouco mais
ou meaos : oa rua da Cruz n. 34, primeiro
andar.
Compram-se escravos o vendem-se
recehnm-sede cummisso lano para a pro-
vincia como para fra della : na ruaustreila
do llosario segundo andar n. 28.
- Couapram-so garra loes que eslejaro uai
O -- ^.i/ui|ridiii-su^aii tf.wj *,uo c.
corretor geral e agente de | bom estado: na rua Direiti n. n.
tos, para delicadas flores, globos com prdes-
taes para ornamenlo de ras, sitise terra-
COS : na rua du trapiche n. 40 segundo an.
darse dir onde se vende para f,chir cen-
ias; assim como estatua do imperador O.
Pedro I e duas bouitas jarras pequeas com
torneir-is de metal, e todas guarnecidas de
azul e branco parajardins
-'- Vende-se um preto, crioulo, de 30 an-
nos do idade, muilo robusto, e proprio para
0 campo por ter muita pralica : na ruido
Collegio n. 4.
Ven .i-in-.ii; dous molecotes de idide do
14 a 18 a uno-, dous mualos de bonitas figu-
ras, milito inugus, um dito bom cosniheiro,
Iresescravas mofas, do bunitas figuias, que
engununam ocosinbam o diario de urna ca-
sa, dous escravos de lodo o servico, e uina
escrava quitandeira : na rua Dimita n. 3.
-- Vende-se una bonita escrava do ida lo
18 anuos, pouco mais ou menos, sem vicio
iiDin achaque : as Cinco Ponas, taberna
n. 71.
Vendse urna carroca o um bol gordo :
na roa da Punle Velha n. 1.
-- Vende-se ou troca-se urna cisa terrea
com 22 palmos de largura, o tres pegadas a
ella, em cnSos proprios, no bairio da Boa-
Vista rua da Gloria n. 26 : quem pretender,
procure na rua da lloda u. 23, a Jos Apoli-
naiio da Cunta
Na loja n. 2 da rua Nuva atraz da ma-
triz, vendem-se:
Palilds de i i-r ,il -- 3,000
Casacas do brim branco 3,000
Jaquel.s de, riscados 2,000
Calcas de brim branco 3,000
Colleles de foslSu de cures 2,000
Ii.tus de dito brancos 2,000
Chapeos de b.iet. branca 2,500
Corles de col I < le de gorgurSo com
barra de setim de cores 3,000
l! o-.is corles de i os.o -s para colleles 3,000
I [i lenco de sed. para grvala 500
Colleles de seda para meninos *2,000|
*AHn :> '.-* fe** -*. MMMn.e o
Ma lija n a da rua Nova |
| vendem-se litas para cartas
1 de hachareis, a 5,ooo rs.
\ i-ii.inn-.-e corles de colletes de gor-
gurSo com barra de setim de cores, a 3,000
rs,: na luja n 2 da rua Nova.
MS
(a Vendem-se lilas para carias de bacila- )
- res, a 5,000 rs. : na leja n, 2da rui )
+ Nova, atraz da matriz. ja
*#**#*##4l ### m & 041
\ n le .-'-, em cas. de Me. C.luiont &
C, pra?a do Corpo-Santo o. II, oleo de li-
nhaca em lata de seis galOes, breu em bar-
ricas, aro de UilSo, vmlio de Marselha em
canas do 3 e 6 djizias, saceos vasios para
assucar, litilus de novellos ecirreteis.
O Queluz, e Gaipi, hede boas O
mattas, trras de muita pro- ^
.rj duccao e j demarcado ; q
) igualmente vende, se assim O
eg convier ao comprador, toda {?
O i j r O
(^ a lavoura; esta venda se el- q
9 l'ecn i para pagamento do t>
O credor e hypothecario do
Vj dito engenho, Jos Marques ~
O da Costa Soares : quem o Q
O pretender, dirija-se ao dito O
^ engenho, ou ao refer lo ere- q
q dor. Engenho de Santa Ma- r>
Q ria i5 de novembro de i852. O
X Tliomaz Marques da Coa- ?
q ta Soares. q
Vende-ee urna casa de tai-
|i i na Moled kIo, em tenas pro-
prias, com 3 janellas de viilracas,
sendo una no oilao, propria para
se passar a Testa por ser acabada
de mvo : na rua das Agoas Ver-
des n. io,
Vende-se um escravo de nacSo Mossim-
bique, moco, e de bolilla lgur, sem achi-
que: no bilhar da rua Nova. No mesmo pre-
cisa-so de urna pessoa diligente e fiel, para
empregar-se no butequim de Sanla-lzabel-
Us Irascos de vidros redon-
dos com bocea larga que se ven-
dan no ,n ni i/.i'ia ou na rua da
Cruz n. 48, passam de ora em
liante a venderem-se como d'an-
tes, em grandes e pequeas por-
coes na mesma rua,armazem n. 63.
Vende-se uro escrao de 50 a 60 annos,
pouco maisou menos, anda muito robusto'
que pBga 400 rs. por dia, e he muilo fiel :
quem o pretender dirija-se a loja n. 92 da
roa do quartel da polica, que achar com
quem tratar.
Vende-se madeira lirada da ponte da Pas-
sagem da Magdalena,sendo alguma em esta-
do de servir para edificarlo por ser ds que-
lidade, e nutra nara quelmar as nadaras;
quem a pretender, dmj.-se a referida ponte
ao adroinisirador, ou na serrarla do Sr. Jos
' II- :inn de Miran la, n. rua da Praia.
Novidade para quem nao sabe.
Vemlem-se as bom conhecidas e acredita-
das esleirs de Angola, grandes e pequeas,
muito novas.CnOgadas agora : ni rua da Ca-
rina do Recife n. 8.
MUM JlBaw^4W-wawavawBWaa'aavii*awaaisw
AttencSo.
Pessas de madapolflo com loqoe de I
av*ria, sendo fino, entestado e com
|i 24 i.ir-las.i 3,500 rs cida peca, no ar- 9
* mazem de f.xendas de Gouveie &
,' Leile. na do Quemado n.27. J|
Smmm^mmmmm-.wwm'mtmmmm
Vende-se um. preta que eugomma bem
cosinha.cose, e lava ; urna dita de 35 annos.
que cnsinl
sofrivel. e lava bem, e boa ven-
dedora de rua ; urna negrota de 14 annos
sem habili lides,3 pelos bem robustos bons
para todo a servico : na rua dos Quarteis o.
21, segundo andar.
i
I
'
.I.
'innn
piUUkmmlm


-

i V
i
Moinboa de vento
com bombas de repuxo para regrar borlas
e baixasdecaplm na fundicSode D. W. Bow-
raan:n rua do Brum ns.6,8e 10.
l>eiioslto da fabrica de Todos os
Santos liu iiiiia.
Vende-se,ern casa deN. .i)ieber& C,
na ra da Cruz n. 4, algodSOtransado a-
qnellarabrica.muitoproprioparasaccosde
asacar oroupa deescravos.porprecoeom-
iuodo
Cal virgem de Lisboa.
Vende-se superior cal virgem,
ciiegada ltimamente de Lisboa, e
por preco muito em tonta: no ar-
mazem do Caes da Alfandega n.
7, ou a trntar.no escriptorio de
Novaes & Companhia, na ra do
Trapiche n. 34-
l'otassa americana-
No antigo deposito da cadeia velha, n.
12 existe uma pequea porcSo de POUlM c:bog de linho em grandes ou pequeas
americana, chegad.recentemente que por ;",0DO1S8\000 rs. o quintal, sendo del
superior rlf.il.; MI da Russ.a: vende- "", dj grJuri.
se por preo razoavel. __ $oaZe.se um m0|eque do I8i20an-
DeOOStO deca e pOtUSSa. nos de idade, robusto ebomservetit de ca-
S. ..nl>..m o armaiem da ra da ^aaea |n;rnocamp0. no pate0 d0 Carmo n. 18.
doltecife n. 13, ha inulto supe-, iticos penlos de tartaruga para prender
riorcal de Lisboa, em pedra, Vendem.5emuHS.-Jos pcntes de t.r-;Potes de fogo d-.gu.
asjim como potassa chegada ui- taru8, Mra preoder cabello, palo diminu- JvguMaa do ar.
tunamente ,' a preces muito ra- g*** g^SSX^. ttZZAW
doaveis. i Arados ameriemos, chegados dos Es-
Agencia de Ldwin Maw. tidos-Uindos; na ra do Trapichen. 8.
Haruade Apollo n.B, armatern dcMc.Cal- Casimiras modernas, a I ,O00 TS. O
montSCompanbla.acha-seconalanlemenle covado.
^do".rnrr.%tlo^d.,':o^0uCd.asin. loja def.zendas da ru. do Crespo o. Vig.no,
ciras toda de ferro para anlmaea, agoa,ele., 5, que faz esquina para a ra do Colleglo, l^OS senhores de ngenllO
4
-as
Cal virgem.
Vende-se cal de Lisboa a maii nova do
mercado: na roa do Vigario n. 19, primei-
andar, escriptorio de T. deAquioo Fonseca
& ''ilho, ouna ra do Trapiche, amazem de
Antonio Augusto da Fonseca.
Vende-so urna prela cnoula de idade,
quecoainha eensabos, na praca da Indepen-
dencia n. 17. .
Veudem-se saccas com farinna do man-
dioca, por prego commodo : na ra do A-
morim n. 36.
Luvas de pellica para senhora a
i5oo o par.
Vendom-se muito bos e novas luvas de
pellica para senhora a 1500 o par; riqusi-
mos lequcs coro esf elhos e plumas a V0O0 ;
ligas do borracha a 120 o par ; meias para
meninos a 210o par; ditas para meninas a
320oprr: na ra do Queimado n. 16 loja
de miudezas.
Cabos de linho, a 28,000 rs. o
quintal.
Na ra da Cruz armazem n. 13, vendem-
Cobrtores a 800 rs. De castor a 6,000 rs.
Vendem-se superiores cobertores de algo-1 Superiores chapeos de castor branco, in
dSo hrnnco moito encorpados a 800 e 1,000, glezes a 6,000 rs ditos de dito prolo, de
rs. cada ufo, |rtr urna pechincha que se est, bonitas formas, a 4,500 rs.
acabando : na ra do Queimado loja da es-I Yende-8e farinha 3SF: na
treil. ...7 consteacbecodo Peixe Frito. rua da Cruz do Kecife n.*V7, ar.-
Lories de brim trancado escuro de ., '?.
mazem de Lrocco & Companhia.
, Oculo.
Chegou na praca da Independencia, loja
iis. 18 c 20, um rico sortimento de oculos
puro linho, a t,44i a,000 rs, e
2,400.
Chegou a loja da rua do Crespo n. 6, um
grande sortimento de brim trancado do pu- pra"tod87s"viiUs7sej.''cmvhlros"br"an-
ro linho, pelos precos cima ; estes bnns cojou azueSi com grao ou sem gro e com
sSo de bons goslos.Unto para os gamenhos, armac0e, deouro, prata, tartaruga, baleia.e
como para os senos.
FAUIRUA SSSP,
de muito superior qualidade e l-
timamente chegada a este merca-
do : vende-se na rua do A morim
n. 56 e 58, ou a tratar com Ma-
nto! da Silva Santos no caes da
Alandega.
Chegram para os divertimentos
daslestas, e para as familias de
bom I o ni.
Buscaps grandes e pequeos.
Candeias romanas ou pistolas.
Flammasde cor verde.encaroaJa e branca.
Bodetes, ou chafarises, grandes e pequenos.
Bodas de sala, grandes e pequeas.
a para armar em madeira de todo o ti- vendem-se casimiras de gostus modornos ,
manboae madellos o mala moderno .machina ., 1.1 n.1 rs. o covado.
horiaontal para vapor.com forja de 4caval- __ Voude-segello, a qualquer hora dodM,
lo,coucoa,paaadeira de ferro eatanhado n0 deposilo da rua da Senzalla Velha 11.
ara caaa de pulgar,por menoa precoque os fl ou M rua j0 Trapiche g.
e cobre, eicorena para navio, ferro ingle
taatoem barrascomo em arcojfolbas.etudo
por barato preco.
Arados de ierro..
" Na fundicSo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados 1I0 forro do diversos
mtelos.
-- Belogios americanos, para cima de
mesa, com corda para oito das o para 30
horas, e o mais barato que em outra parlo ;
na rua do Trapiche n. 8.
Deposito deca e potassa.
Cunha & Amorim, na rua da Cadeia do
Gira-ses.
BaslSo, ouazas.
Vende se por proco milito barato, quom
quizer procure para veras amostras om ca-
sa do Sr. Antonio Jos de Castro, na rua do
lavra-
dores e mais pessoas que tem
es-cravatura, a 800 ris e 1.000
Coda um .' !
Na rua do Crespo n. 14, loja de Jos Fran-
cisco Uiis, tem para venderos muitos afa-
mados cobertores de algodo branco muito
encorpados, fizenda do muiti duracSo sen-
do a 1,000 rs. os grandes, o a 80O.rs. os mais
pequeos, assim como as mais delicadas
chitas francezis de flnissimos pannos o no-
de ac.o, a vontade do comprador.
- Clisproot e Bertrand, relojoeiros, na
piafada Independencia us. 18 e80, recebe-
ram do Paris ricos relogios de bancas e de
paredo, com corda para 19 dias.tocam as ho-
ras e meias horas, sSo aQancadosa regular
perfeitamenle, e os precos sSo muito mode-
rados comparativamente a qualidade que he
muito superior.
Novas fazendas do ultimo gosto.
Ao arrraiem de fazendas de Couveia &
Lcilo na rua do Queimado 11. 27, he chegado
um novo o completo sortimento de fazendas
linas a saber: capotinhos de cores' borda-
dos a mili/, ditos de fil de linhu bordados,
ditos 1I0 cambiis bordados, hrancos e de
cores; manteletes pretos muito ricos ; cor-
tes de cambraia bordados a agulha os ni-
cos qu tem apparecidn desta qualidade, e
oulros de 4,500, 5,500 e 8000 rs ; cortes d
cassa de cores muito lindas com babado
de cores proprios para a fesla a 6000, ditos
de cau.braia blanco com seis ordens de ba-
bado ; palitos de panno lino prelo o de co-
res a 18,000 ; chapos da castor brancos
muito linos a 10,000; panno de linho do
Porto da melhor qualidade, o outras mui-
tas fazendas, ludo por precos baratos.
Vendem-se meias pra meninas de to-
das as idades, sapalOes de couro de lustre
para homem, a 9 patacas, cartas linas para
voltaret, a 720, ditas porluguezas, oculos
para todas as idades, e de todus os precos.
conforme a armaclo, botOos para camisa, a
20 rs. a tluzia ; e outras miudezas muito em
cunta para,fazer dinheiro para a fosta : na
rua larga do Rosario n. 35.
Calcados.
Vendom-so sapatos francezes do lustre
para senliora muito bons, a 1,600, assim co-
mo borzeguins gaspiados para senhora, a
3,500, lindos lencos de setim do coics pura
Vendem-se os verdadeiros
slins in- -cire n. 50, venden, barris corji cal cm pe- derenhos, sendo fazend. do ultimo gos- Bravatas, um completo sortimento do per-
selinsm- ____ .,.i. .i 1 ;.i. n.,a. fumarias, ocalcsdo para liomom, sonhora e
dra, nova, chegada do Lisboa polo ultimo t0 0COres muito lixas, a 320 rs. Oda Cova-
, ------.__.. j" __,..- -._, ii. .,a ora, nova, Duvanva m un |i"" ''" in acores mullo xas, a as ra. iau w-
glezes, pate, e, de niollae tem ella na ^ 0 r, >|or do Mar; assim como ^0? assim rmomu,BS outras fazendas por
rua aahenzana nov 11.. barris com superior potassa nova, por pro- diminutos precos,que de ludo so dar amos-
Vendcm-se relogioh deou-
ro e prsta, patente mglcz: na rua
da Senzalla Vovan. 4!
A.GENGU
da fundio Low-Moo.
RUA A SENZALLA NOVA S. *S
Neste estabeleeimento conti-
cos razoaveis.
Vendem-searaarrasdeforro: na 'U da
Senzalla [Nova n.42.
Vende-se fardo de muito superior qua-
lidade, a 4,000 rs. a sicca : no armazem de
Couveia 6 Das, no caes da Alfandega.
Capachos com abe. tura.
Vendem-se capachos com abertura no
meio pura licarem em redor de mesas de
fumarias, o calcado para tiomcm, sonhora e
meninos: no aterro da lloa-Vista, loja do
calcado n. 58, junto ao seleirn.
Bengalas e chapeos
Acaba de chegar do Havre, no brigue Ter-
na inhuco, para a loja de calcado do aterro da
Boa-Vista n. 50,de Tiburcio CuimarSes.clia-
peos pretos de superior qualidade muito
. III. I'' I- .. .IbH.k... *.-.-----------------------------------------------------
ma a haver um completo sortl- meiodo salla, na rua da Cadeia do Recite 11.
ment de moendas o meias mo- 48 primeire andar. .
machinas M ?<*"** virgem.
LNn rua de Apollo, armazem n
endas para engcuho ,
de vapor, e taixas de ferro bati-
, j 1 2 B, vende-se por preco rusoavel,
do ecoado de-todos os tama- J ,a.., .
, inulto nova c superior potassa ;
unos, pata dito. 111 ;u j m
' SoendM superiores. >"> cal dc L,sboa da me
Na |fandicSo do C. Stamv Compauhia, Ihor que existe.
emS. Amaro,acham-soavenda moendas pet|fi.se assenhoroS que deem to-
do canna, todas do rerro, o um modelo e t .
consiruccaomuitosuoerior. da a attencao para as. segutnles
Alerta freguezus fazendas :
Que sSo cuegados, Cortes de cambraia do lpicos brancos e
Cobertores do algodao dfi cor com e meit var,s_ lendo uma d6
Multo eucorpados. largura, o muito lina a 4,000 rs ; cortes de
Na rua do Crespo.loja da esquina quo vol- ye*i[0 d Darra ,alll0 ,lrall(.os C0Olo de co-
la para a Cadeia, a 1.600 rs. cada um.
Vendem-se lonas, hriii/.m, brins, e
meias lonas da Russia ; no armaren) de N.
(i. Hieber o Conipanhia, na rua da Cruz
0.4.
Em casa de J. Keller si
Companhia na rua da Cruz n.
55, ha para vender dous excel-;
ros, do ultimo gosto, a 5,200 rs ; ditos bran-
cos com dous e tres babados, com seus en-
loites dos ipelboros que Ir, a 6,000 rs.; cas
sa chita franceza u 200 rs. o covado ; corte
de cassa chita a 2,000 o 2,400 rs. ; e muitas
outras fazendas do gosto por precos commo-
do ; na rua do Crespo loja n. 6.
Ao bom e barato, freguezes!
Na rua do Crespo,loja nova 11. 9,venderfl-
Iras deixando penhor.
Lotera do ttio dc Janeiro.
Aos 20,000,000 ders -
i>a casa feliz
l>os Quatro Cantos da rua do Queimado n. leves, assim como bengalas de muito bom
20, vendem-se os muito felizes bilhetes, gosto, e que se vende por preco commodo.
meios, quaros, oitavos o vigsimos da ler-| Com toque de avarid,
ceira lotera do Hospicio do Pedro II, cuja | Vende-so madapolao.a 3 e 3,500 rs. a peca,
lista ciiega at odia 20; a ellos, se querem algodSosinho liso, a 2,240e 2,560, dito Iran-
lirar bons premios. cado americano com 25 varas, a 3, 4 e 5,000
A 5,000 rs. pequenos, o 5,500 rs. grandes. | r8.. na rua do Crespo, loja da esquina que
Vendem-se chapeos de sol de soda ingle-' 0|ta para Codeia.
zes do superior qualidade, pelos precos aci- _. Vndese alpaka lavrada.de^seda para
ma : na rua do Collegio n. 4. j vestidos de senhora,a 640 rs. o'covado; clia-
Condcssas grandes. ; les de 13a, fazenda moderna, a 1 600; brim
Vendem-so na rua da Cadeia do Rocife n.;, de lioho.i 320 rs. o covado : ua rua do Cres-
as primeiro andar, pon. 23.
Cambraiasde sUpico. Ao. senliorcs de engenho.
Vendem-se cambraias de1 salpico brsntoe _q arC(in0 Ja invencao do r.
de cor, muito linas,com 7 1|2 varas, a 4,500,'
ditas brancas, com 6 1|2 varas, a 3,000 rs., Ldliardo OtOlle em Leiliin, em-
cotes de cassa cuita, muilo finos, o cflrri-!.)rea(|0 nas colonias nglezas c
xa, com 7 vares, a 2,500 ; na rua do Crespo, ., ,a
lujada esquina qu volt, para a Cadoia. holUndczas com grande vauta-
Crande sortimento d.i pannos finse 'n-empura o rnelhorumenlo do as-
CatCmiuiS I 1 j i..-.
Na rua do Crespo, loja da esquina que sucar, acha-se a venda em latas
volta para a Cadeia, vonde-se panno preto de lo libras, junto Com o nietho-
irtSa r^roe^^o de ,^.1. r^r,vr
jvado, dito azul, a 4,000 rs, dito vorde mu- tuguez : cin casa de.i\. '). Hieber
to superior, a 4,000 rs., cortes de c.semira!& Companhia, na rua da Cruz
" n.4.
ha pa ra
lentes pianos fortes, e de uma das
,,'.. '. ... se pelos baralissimos precos as seguiiitesfa-
melhores turicas, chegados ulti- ,lll|a,.
mmente da Europa. Riscados de linho muito largos, o co-
Lotcria de Nossa Senhora do.
Rosario.
Vendem-se meios bilhetcs desta lotera,
no Arco da ConcoicSo, loja n. 4, a 4,300, cu-
jas rudas andam no da 25 do correnta.
Vende-se muito em conta uma casa si-
tuada na Casa Forte, tendo do frente duas
janellas e uma purla, bom quintal com arvo-
res de fructo, e excedente cacimba : as pes-
soas a quem semelbante negocio convier,
queiram dirigir-se a rua Imperial n. 79:
Taixas para egmoi.
Na fundicao de ferro de L).
W. Bowman na rua do Brum,
passando o chafariz contina a
haver um completo sortimento
de taixas de ferro fundido e ba-
tido, de 3 a 8 palmos de bocea,
as quaes acham-se a venda, por
preco commodo e com prompti-
dao, embarcam-se, ou carregam-
sc em carros, sem despezas ao
comprador.
Feijao novo a G,ooo rs.
No armazem do Couveia & Uias, confron-
te a esoadinba da Alfandega.
i
Botica hotneopathica.
28 rua das Cruzes 28
4>
ajf Ha para se vender algunas caixas (j
9 ricas com medicamentos em tintura. *>
9 Cada uma sera acompanhata de um a,
i frasco com glbulos inertes ,i ofe
t mcio de os preparar. %)
69Sft0OI$(f C^9SC0'99it;
Vendem-se asseguiutes seuientes:
nabos,rbanos,ra belos encimados e bran-
cos, sobla, couve triuxuda alface ala-
mos, repulbuda,chicoria, senoulas, feijio
carrapato de tres qualidades,ervilha torta e
direila, fava, coentro de tuuceira, salea, to-
mates grandes, repolbo, couve lombarda,
1 sabina, e musanla : na rua da Cruz n. 46,
' defronte do Sr. doulor Cosme.
Farinha de mandioca a 1,600 rs. a
sacca
No armazem de J. J. Tssso Jnior; na rua
o dAmoriui n. 35.
Deposito de panno de algodao da
fabrica de Todos os Santos da
Baha.
Yende-se o bem conhecidp pan-
no de algodao da Bahia, proprio
para saceos e roupa de eacravos,
a vontade do comprador assim
cuino lio de algodao da mes ma fa-
brica : no escriptorio de Novaes
& Companhia, na rua do Trapi-
che n. 34.
preta enfestada, a 5, e 6,000 rs., dita fran
cera muito elstica, a 8, e 9,000 rs ; assim
como de cores, dos mais modernos gstos,
por preco commodo.
Avisa-se ao respeitavel pu-
ibuco, que a nova loj 1 da praca da
320 independencia n. 4o, ncaba dc re-
leeber pelo vapor Todos os Santos,
160 os felizes bilhetes, meios, quartos,
2* oitavos e vigsimos da tercena lo-
tera do hio de Janeiro, a henefi-
360
vado
Chitas francezas, largas e muito boas,
o covado
Riscadinhos francezes dc cores (xas
Hilos ditos muito lios
Cambraias fraueczas de lindos padrftcs
e muito finas
Corles de cambraias, ultimo gosto 3,1100 ci do lio picio de l'edro 11, bem
RSrt^'SasS^^como os af'tun*dos c mui p''-
lits, o covado 2,000 rados bilhetes, meios, e quartos da
pitos escocezos para ditos 2-000 lotera da Bahia a favor da venc-
Crtes decasomiras m dros e linas 4,500 ravel ordem terceira de S. r ran-
mtos de ditas muito finas 5,000 cisco, cuja lotera dever correr
Ditos de brim de linho lingindo case-
miras 2,000
Adamascados para toalhas e guardanapos,
de 450 a 1,500 rs. a vara, conforme a largu-
ra, e muitas outras f/. nas finas por pre-
cos os mais r.iiniiiii ios possiveis.
Na rua das Cruzes n. 22, vende-se um
ptimo escravo mcslro de maceira e fornei-
111, para qualquer padaria.
O cautelista Antonio Jos
Rodrigues de Souza Jnior faz
sciente ao respeitavel publico, que
acaba de receber do Rio de Janei-
ro, os seus afortunados bilhetes ,
meios bilhetes quartos oitavos
e vigsimos da lotera do Bio de
Janeiro, a beneficio do hospicio de
Pedro II., e cstao exposlos a ven-
da em sua roja dc fcrragens na
rua do Queimado, junto ao becco
da C'ongregacaon.37 A, na mesma
rua loja 11. 12 de Joao liaptista
Rodrigues de -Souzb, e no aterro da
Boa Vista, loja de miudezas n. 48,
de Antonio da Silva Guimares ;
os quaes sao pagos logo que clie-
guem as listas no dia 20, ou 21 do
crrente, sem descont algum,
Bilhetes inteiros 22,000
Meios bilhetes 11,000
Quartos 5,5oo
Oitavos 2,800
Vigsimos i,3oo
A 1,280 c 1,600.
Superiores cobertores de algodSoa unila-
Cflo de tapetes do cor, muito proprios para
e ros arranjos de casa de familia, e quasi
um genero do primeira necessidade para o
Sr. de engenho. pelo diminuto preco de
1,280-e 1,600 rs. : na rua do Crespo o. 6.
Vende-se uma prela, crioula, que co-
te, marca, faz lenda, e engomma, lulo lito
coro multa perfeicSo e ligeiresa, be perfeita
cosiotieira o doceira, e fz o mais arranjo de
casa ; um preto cosinheiro e barbeiro, de
nacSo, mullo li.l e de boionducta : na rua
I larga do Rosario o. 35.
Chapeos para senhora.
Vende-se na loja nova da rua do Rangol
n. 8, chapeos para senhora chegados lti-
mamente no navio Cuiitfi-Rojfer, pelo bara-
to preco 'lo 10,000 a 12,000 rs. cada um.
Na rua das CriiZal 11. 40, taberna .lo I).
S. Campos, vendem-so e alugamso hienas
hamburguezis das melhoresque ha no Hin-
cado.
Vendem-se dous cabriolis
inglezes, um com cubera e outro
sem ella ; a fallar na cocheira da
rua deS. Francisco n. 3.
Em casa de Rothe & lidou-
lic, na rua do Trapiche n. 12, ven-
de-se o seguinte:
l'erro a imitacao da Sucia.
A90 de millo.
Pa8seioPitblion. 17, junto a
Imprcnsa, vendem-se asseguintes
fazendas por prego commodos :
Chales de ]Sa e seda, boa (azonJa 3,000
Ditos ,lo 1.1a 1,280
Ditos de tarlalana 1,000
Ditos do cambraia brincos 1,280
Lencos do 13a o seda com franja em
volta 1,000
Ditos d dita dita 800
Cortes pin collcte de ISa e seda, bo-
nitos padrOes 640
Ditos de instilo, fazenda muito supe-
rior 1,280
Lencos de seda com toque de avirla 640
Brim branco de linbo mullo supe-
rior, 1 vara 1,280
Dito 1,100
Biscadinhos de linho proprios para
palitOs, o covado- 320
Alpaka prola muito boa fazenda, o
covado 800
Dita mais inferior 640
Cravataa para poscoco de excellentes
pa.lres 1,120
Pecas de madapolSo, boa fazenda 3,500
Dito mais inferior 3,200
Dito 3,000
Chitas para cobertas de bonitos pa-
drOes 240
Ditas para vestidos, a 160,180, 200 o 210 rs.,
e oulras muitas de cujas qualidades e pre-
Cos os pretendentes se agrdanlo, o lempo
he proprio, a ellas antes que se acabem.
FAi\ESIOk"SVEBJHFDGEs"
Navalhas para barba.
Vendem-y>avalrus pan barba, as Blii
superiores que tem appsreeido no merciin
pelo diminuto proco de 2,000 rs. cada um,'
em eslfljo : ni rua estrella do Rosario tri
vessa para o Queimado, loja de miudezas o"
i A., junto ao deposito dep3o.
Loja nova rua do Crespo n. n.
Vestidos de setim e grosdenaples ornado
do blonde para casamentos mais ricos pos-
siveis ; chitas francezas flnissimas, pidrM
miudinhos os mais modernos, 1 320 rs. o co
vi do.
Vendem-se 140 saccas de milho cheti
das hoje do Itio Grande do Norte, na barcaca
Santo Antonio, surta no Forte do Mallos
~ Vendem-se cortes de cambraia de cor 1
1,600 rs.: na rua do Cibug n. 14. '
Vendc-se I escrav.o peca bom serradora
cosinheiro : na rua di pnia de Santa Hi(i
n. 25.
Escravos fgidos.
i
NICO, E INalS EFFICAZ REBIE-
DIOPABALOIBBRIGAS.
Tende-ie nicamente na botica o irmnem
de drogai, rua da Madre do Baos o. I.
|j De todas as proparaces, que a me- 0
iJl dicinatem descoberto para matar o [}
,; expellir as lombrigas em qualquer H
1 s 1 la o da nossa ma, nenhuma tem y
._; obtidoo poder ap'oximar-so ni miis
jg insignificante semelhanca com o pro- ';
^| digioso o bem reconhecido medica- fe
U ment denominado F>hnistock's y
VKRxiruGB. Os mdicos, e em ge- jja
Desipparecenm do engenho S. Paulo
os oscrivos Agostinho e Vicente, ambos cn-
oulos, corn os slgnaes seguintes:o prime-
ro he de estatura regulir, dentes limados
corpo bastante cheio, nariz chito e cira ba-
xigosa, quasi sem barba, e representa |r
25 annos. O segundo tem boa estatura, na-
riz bastante chato, ps mal conformados, e
com marcas do pefluonas feridas ns pcrnis
cor preta, representa ter 30 a 40 annos,
principia a piular, tem o rosto feio, eos
olhos fundos espertados: quem os apren-
der, dirija-se ao referido cogenho, quesera
recompensado.
Acna-se fgida desdo odia 15 do cor-
rente a cscrava crioula de nome Lourenc,
de idado de 30 annos, pouco mus ou te-
nos, 1 qual ve.io di villa do Bonito aoola
oi escrav do colleclor Jos Victorino do
Viscoricellos, o ven lila nesta pnca pelos
Brs. Mallos & MagalbSes 10 ibaixo assigoi-
do, do poder .le quem fugiri, sendo os -i;-
naes da mesma escrava bem salientes, por
ler no braco direilo, lado inferior, algumis
costuras, 110 rosto tem uma fstula, a quil
diz ella ser provooiente de dr de dentus
tem os tornozellos luchados, as unios o os
ps mal fi-itos, estatura regular, algumi
cousa mal parecida ; por isso roga-se a to-
das as autoridades, tanto policiaes
api 1 waw wu mu.v. MW.'W, ,..,*v |>uilviaC9 COrQO
& ral todas as pessoas scieutificas das ^; capiUes decampo, halam dea Cjplurar
, principtes cidaiesdos Estados-um- j leva-la aloja dar
.* dos, Ierra classica da civilisacao auie- aj
J ricana, dirigem continuamente a seu S
autor, pelo orgSo da imprensa os g
S nfaiores elogios, orno prora da sua u
2 gratidlo o do seu reconhecimento. S
^ Jamis a parca -inexoravcl Invar a se- S
I pultura dilaceradas por vormes, e a g
K ser p-isto.iin oulros vermes centena- g
* res de victrmns, que roubadas na pri- S
ss mavera da vida, e ao despontar do g
i primeiro sol de seus das, deixavam *
t consternadas e alllictas mSes submer- ^
f gidas naquella pungente dOr e sauda- W
4 de, quenecessariamenle grava no en- ||
; rac.lo materno o amor.e ui a ausencia p
eterna.
wssa1 "- ----'- !->'4
Vendo-so excellente panno de algo iao
da malta, proprio para roupa de escravos,
em poiviii e retalho, por preco commodo:
na rua da Cadeia do Recite n. 40.
Chapeos breos
Vonde-se na loja nova da rua do Rangel
n. 8, chapeos francezes do massa brancos,
para homem pelo baratissimo preco de 4,500
rs. cada um, gorgoreo de cores proprio pa-
ra palitos pelo barato preco de 860 rs. o co-
vado, brins do linho com cores de marmore
1 .mili, ni f para palilda pelo barato o ., de 320 rs.,
tambem.ha um completo sortimento de gr-
valas de seda de lodas as cores.
loja da rua do Queimado n. 9, a
entregar a seu senbor, que serflo bem re-
compensados. Autonio Luiz do Almcida
Azevedo.
Fugio no dia 16 do correnlo mez da
novemhro uma preta de nome Joaquina, de
nacSo Rebollo, de idade de 40 inno, pou-
co miis ou menos; levou vestido do algo-
d.loziiiho trancado azul, panno da Costa de
listras azues e brancas, de brta allura e re-
forcada, tem uma costura graode de fugo
debaixo do queixo esquerdo, um buraco
grande na orelha por Inzer brinco pesado,
e tem varios pannos brancos pola cara e bei-
Cos, foi vender verduras e duas gaiolas com
passarinbos, quando foge lio semprc pelos
caminhos do sortSo, por ter sidocriidano
do Ico: rogi-so 1 todas as autoridades po-
liciaes e capitSes de campo que a enconlri-
ii'in a prendam e couduzam ao largo da
Trempe, sobrado n. 1, que tem venda por
b com generosidade.
-- No dia 6 do correle ausentou-so da
casi do abaixo assignado, a sua oscrava da
norce Cerilia, de h.m.-.o Apgola, de ida leda
35 a 40 annos, de estatura rotular, com aro
has as pernas muito tortas para dentro, e
por isso quando anda he coxoando; levou
panno fino preto e vestido de ombraia bran
co com llores ancarntilas ; la I vez guoira in-
culcar-se forra, por ser multo astuciosa:
roga-se tolas as autoridades policiaes o
icapitaes decampo, queiram empregar lo la
Vendem-se relOglOS de OU-j diligencia sobre a appreheucao dell, ou
ro, patente ingiez,
no dia 11 do trrenle, c aquella
corra no dia 3 do mesmo os inco Cm folha.
qu es bilhetes e cautelas se ven-'charutos de Uavana.
dem em dito estabeleeimento aos Simento da marca Z ( com tra-
commodos pretos abaixo, e logo i vessao. "1
que cheguem as listas no dia ao eu Lonas da Hussia.
ai docorrente, sao pagos sem des- jjrns ja Russia.
cont os seus respectivos premios. Lonas inclezas.
Do Rio de Janeiro. Cobie para forro c pregjs.
Arados de ferro.
Moendas de assucar.
Tres ptimos lories pianos.
Vende-se uma cama de arriacBo com
os competentes colxOes, e em perfoito es-
tado, assim como um tronco de boa madei-
ra, com fechadura e de nuita seguranca : na
rua da Cadeia do bairio de S. Antonio 11 25,
segundo andar.
I Vcndem-se remos de faia ,
, oleo de linhaca em botijas barr-
-- Na prac da In'cjcndencia ns. 18 e 20, T, .-
vendem-se relogios americanos dc superior cas Com cimento e as tinas, a von-
qualidade.q tem ainda alguna com corda pa- tade dos Compradores : 110 arma-
ra 8 das, ntodos tocain compassado. i 1 1
- cautelista Salusl.ano de ",n com t,all,oas dc P,nho' atrats do
Aquino Fc*reira fa^sciente ao res- thealr, velho, ou a tratar com Joa-
1 1 *cj: o n s a .,__ 'quim Lopes dc Almeida, caixeiro
peilavcl publico, que e-tao a ven-, 1 .', ., '
1 1- 1 do Sr. Joo Matheus.
da nas oa/, do costme, os seus, """" ~WJ* ..
. J ii-i Vende-so um negro de 30 annos do ida-
nnii afortunados In beles e catite-'de, figura regular, proprio para todo o ser-
asela terceira lotera do Hospicio vi"'sem vicio uom achaque, e por preco
...... ,. commodo: na rua da Cruz 11.
de redro II., a qual corn u no da (dar.
3 de novembro do correte mei ,1 Azeite de peixe.
e espera-se a lista da mesma no -Vende-se azeite de peixe, che-
di a 19, pele vapor da companhia gado recentemeate, e por preco
brasileira, ou no dia 10 pelo vapor commodo : na travessa do Queim-
Dilhetes 22,000
Meios 11,000
Quaitos 5,5oo
Oitavos 3,800
Vigsimos i.3oo
Ua Bahia.
liillitle., 4,400
Meios a,3oo
Quartos i,2oo
51, segundo
inglez Teviot.
Hilhetes
Meios
Quartos
Oitavos
Vigsimos

aa,ooo^.
11,000
5 5oo
a,rJoo
i,3oo
do taberna n. 3., outrora becco
'do Peixe Frito. "
Vendem-se suecas com fa-
, relio, barricas com cimento, gigos
com champ.igne di bem acredita-
:' da marca
de um dos inc-
Ihorcs fabricantes : no escriptorio
de lussell Mellors ck Companhia,
na rua da Cadeia do Hecife n. 36.
Vendo-se a casa terrea n. 11, cni chitos
proprios, sita na cidade de Olinda, na rua
dos Quatro Cantos : na rua Direita, venia
o. 16, so dir quem vende.
Vendem-se casimiras de bellos gostos
e de quadros largos, a 6,000 rs., o corlo; se-
dS furtac es muito largas) o padrdes no-
vos ; manteletes o capotinhos co-n rollete,
ltimamente chegados de Paris : na nova
loja da rua do Queimado 11. 46, de Bezerra
61 Morena.
Vendem-sc vicho de Bor
deaux em barricas, frascos com su-
perior manteiga, latas com sardi-
nhas, gigos com serveja de supe-
rior qualidade, tudo chegado ulti-
ni 1 in nii' pelo navio l'ernainbuco :
ua rua do Trapiche n. 11.
Vendem-se latas com ervi-
Ihas, caixas com velas stearinas e
cabos de manilha : na rua do Tra-
piche n. 11.
Vende-so urna canoa de amarollo,mui-
to bom construida, de couduzir familia at
16 pessoas, pintada de novo, com banco de
encost, por preco commodo; a fallar no
porto da 1 ua Nova com o capataz do mesmo,
ou na alfandega com Joaquim Francisco
franco.
Vende-se um jogo de diccioutrios de
Moraes da quinta ed>c3o : na praca da In-
dependencia ns. 6 e 8.
Vende-se uma carroca o um boi manso
pan 1 mesma : na rua da Cadeia do Recife
0.16.
I'ecbinclia
Ni rua do Paceio Publico, loja n. 9, ven-
dem-se ricas grvalas de cassa, para passar
a fesla, a 1,500 rs. aduzia; a ellas antes
que so acabem.
Vendem so formas d 1 ferro para s-
siic.ir, que levam 3 5 arrobas, cada uma ,
pelo preco do 2,000 rs. cada forma, o quom
comprar do 60 para cima sera a razo de
1,800 rs. cada uma: 110 armazem de C. J.
Aslloy & Companhia, rua do Trapiche n. 3.
- Veuda-so urna du;ia do cadeiras, uma
cadeira do balanco, um sof, eduas bancas,
ludo de Jacaranda quasi novo.por preco mui-
to commodo : na rua das Cruzes n. 33
mwmwmmwmmw aavmm^&ws
No armazem de I. H. G 1- 9
cn-ly, in ruada Cruz do He- *
cife n. 1 vendem-se caixa 4
por caixa de excellentes cha- *
rutos da llavana, chegados *$
ltimamente c por pretos '
D commodos.
wmimmmmvmmmm iw***
N rua das Cruzes n. 22, vende-se um*
crioula que engomma, cosiulia, cuse chSa
e lava ; com um III 10 moleque do 15 mezes,
muito lindo e uma dita, que engomma, 00-
sinha e lava, e outra dita de 80 anuos pro-
pria para todo o servico.
VenJe-seum preto crioulo, dn 20 an-
a pessoas particulares que Helia livereni
noticia, dirigir-so ao atierro da B i-Vista
n. 14, qticserSo beat recompensadas. -- J01-
quini Jos Uias Pereira.
Desappareceu 00 dia 16 do corrente as
9 horas da noile uma escrava de nomo Vi-
cencia, crioula, de idade 34 anuos pouco
mais ou no nos, liana, muito regristi,cora
falta do um dente na frente, inculca-sene
lorra : levou vestido de chita com listras cor
de rusa, e oulras rouxas : quo n a apprehen-
der pode levar a cisa de sou senhnr rua di
Cruz do Recife n. 53, quo sera recompen-
sado.
Aoseotou-se no dia 8 dcsle correla
mez de iiovombrn, do sitio do abaixo assig-
nado, na estrada lnlu.li do Barros, o es-
cravo Pedro, de nue.in Angola, idade para
mais de quarenta annos, estatura regular,
com bstanle mu reas do bexigas no rosto,
mal feilo de ps por ler os dedos muilo iber-
ios : quem o couduzir e entregar a seu se-
nbor no mesmo sitio, ou na rui Direita n,
21 ser bem pago do seu Irabalho. Joaquim
Bernardo de Kigueiredo.
Desappareceu a 17 do corrente Manocl,
crioulo, representa ter 26 annos, alto, clieio
do corpo, sem barba, fir;Oos legulans, com
falla do denles queixaes, tendo lodos de
frente, faltando em um um taco: lem os 1 e,
torios para dentro, que quando anda ne-s-
tra ser cambado ; he bem fallante e lem ar
legre: levou roupi branca usada e suja, a
mais roupa, camisa de madapolSo, calca da
elineta branca outra de listras azues e ja-
que ta de brim de quadro;ludoengommado.
i-.-ia preto era oceupadn no servico dc cozi-
iili', he de suppor que esteja emalguma
casa servindo como forro, sondo qui al-
guem se esteja servindo delle, queirade-
101 iii-iar-se, do contrario so usar dos meios
que faculta a lei: roga-se as autoridades
policiaes, capilSes de cimpo ou qualquer
pessoa, o prendam ou facam prender, e le-
va-lo ao seu senhor Antonio Rodrigues di
Cruz, na rua do Cabug, que ser genero-
samente rocompeosado.
No dia 14 do correte desappareceu da
Torre, silio do Toque, o escravo Antonio
com os sigoaes seguintes; cor preta, repre-
senta ter 40 a 50 annos pouco mais ou mo-
nos, rosto descarnado, tem junio ao 0II10,
procurando a finito urna cicatriz que parece
ler sido um talho ; lio muito usperto tanto
no Irabalho como 110 anda', 0 cuslnnia
algumas vezes embriagar-so; levou cal-
ca de algodao azul, jaqucla preta, cha-
peo de couro. Ha descouliuncas quoesleja
mesmo pela Torre occullo o traballiaudo em
Uerta casa, que dizem, costuma a comprar-'
llie furtos: roga-se aos capitSes de campo,
autoridades policiaes, prendam o o levem a
seu senhor Francisco Cavalcanle deAlbu-
querque, na rua do Livrameulo, 11.14 que
>e 1 recompensado.
Desappareceu no dia 6 de
novembro corrente opreloSjbi-
no, de naco Congo, idade pouco
mais ou menos 28 annos, magro ,
alio, e tem um talho no rosto se-
melbante a uma meia la ; levou
e cal-
camisa de algodao da I! 1 lu
ca de nscado azul de lis ira larga :
quem o pegar, leve-o a rua da Sen-
zalla Velha, armazem 11. 44 ""
nosdeidade, perito ufllcial de aapaieiro.'e[ "a l'assagem no sitio de Uelll
- vende-so a taberna da ruadoRusirio'nltimamente pd
ItiiM-V Ist B. RUI IrnillA lia roa itil AraaBn : _
da Boa-Vista, em frente da rua do AragSo :
estrella, ludo chegadojeom principio de bolieiro, bem possante'iGoacalves Pereira 'jima. que ser
te pelo navio lrnam- ""iu"! "i''/[">*"* "'IT- ,. '..i .. .. ili,
a tratar na mesma.
(buco: na ruado trapichen. 11 .. qualquer hora do d
ilnr 1 na Soledade no sitio dos quatro I
Jia,
0ej i recompensado do seu trabalho.
I'MS. : TAp. OH M. F. 11K f'aiU. 1852-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKLGPHWQI_6CRU0W INGEST_TIME 2013-03-29T17:31:46Z PACKAGE AA00011611_03105
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES