Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03104


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno X.XVI
DIARIO
VKE90 M OBoairqlo.
PtamiRTO iDimnno,
IMr trimestre ,.........
Por semestre ..>....*
Por anuo..............
PiaoniNTito tiinim.
Pof quartel .............
OTIOI* S MlHFIRIO.
1'ar.... .1 dejlnvbr. Mina M drOnthi
Maranbai. (> de dito 'S.Paulo 2J drdlio.
Tear.... il de dito ft. de J.. J( drdiio
Parahlba !> edito Bahia... de Novbr
4/000
8/000
16/030
4/SO0
SIApBA ( AUIBTOIAh.
de Novembro de 1852.
N. 262.
FERMIBMO
O
.flSeg. Clemrnllno.
ItiToc Gon*..lo de
Uf-ul.
17 Quart. Gregorio.
18 l.liilnl S Ollom.
Juliod. Orphat
J, eft. j lOhorai.
I. tarad"civil.
3. e 6. ao meio-dia.
Forana...
|9 Seit. S I..1I1H n-i-],r6. 10 hor.ii.
nlia v. 111. 2. vara do eittl.
20Sab. S Kelli. ti sabadosao melod
2 1 Dom 2.r>. c ultimo Milfao.
.Icpois do K. Sanio.|Trr*as r sib.dos.
V incoante ib, a i hora e 18 minutos da m.
* ni i 11 ii i borai e al minutos da (arde.
CreaoenteA t8 aos o minuto datarde.
Chela a 26, ai i horas2! minutos da tarde.
rauaiaiit Ol
Prlmelrasi 10 horas e M minuto! da manhi
Segunda ai ii lloras r 18 minutos da tarda.
PAUTE omCIAL.
COVEHNO l)\ PROVINCIA..
EXPEDIENTE DO DA 12 DE MJVEMKItO.
(inicioA'lhesouraria de fazenda, dizen-
dii quo nSo oceorre li.c inveniente algum
oin ilar-se a Marcellino da Costa o titulo do
tnrr.no de marinha n. 115 na ra de Apol-
lo, do qual Sata o snpi'lionte de no:>se,
menos cum o foro eorri'spondonte ao pr*QO
de 30/000 ris por Draga, ero que loi avalla-
Ionio Joaquim de Mello.Part cipou-se ao
Exm. presnlencia d'aquella provincia.
Dito Ao inspector do arsenal de man-
tilla, p rovando o cont-ato que Sme. cele-
lirou com o mestre do h'alo Anglica, Jos
Josquioi Alvs da Silva, para condiicco dos
quatro voluntes de fardamenlo deslioadM *
provincia do Caar, e enviando o oflicio quej 8 Caplto Francisco Berenguer Cesar
devo acompanhar os referidos volumen. de Andrade
Parliripou-se ao Eira, presidente d'aquellsl 9 Manoel Cesar de Andrade
provincia. I10 Flix (avalcante de Albtiqiierque
Dito -Ao di'lega.lodo termo ile Nazareth.l II Thomaz de Araujoe Albuquorqiie
dizendo flcar sriente do so ter loilo em paz.f 12 Thomaz Alves Maciol Jnior
3 Padre Francisco Rochad Pereira de
Unto 532
4 Major Caetano de O'iveira Mello SM
5 Manool Claudio Hezerra da Menezes 525
6 Toiienti Francisco Uerenguer Cesar
Jnior 52*
7 JoOoMarinho Falco
MBTiaai soa ooaxiios.
laana a rarahiba, sseguidas seitaa-
elras.
o-Grande-do-Horte a Vieloriaai qulata
lelraa
nito.Caru.rn.e Garanhnms no le la decada
msi.
ores.Ourlcurj.E.u e Boa-Vista l 3 a 21
Inda, todoaoa diae.
dos os Cnrreios partemao meio-dia.
wotious rsTEiaoriBA..
Portugal 13 de Outbr. Austria .. > deOutbr
Hespanha Ddedilo Suisaa... 'de dito,
l''i'.ini-a .. 8 de dllo
Blgica.;. 1 de dito
Italia..:. ; dedlto
Alemania, 'ide dito
Pruasia ..;3dedito
Snecla... 28deSetbr.
Inglaterra 8 de Outbr,
P..-Unidoj Mde.Srlbr
IMexico... ('i de dito
Callforala 6 de dito
Dinamarca,! deSlbi Chill. 10de dito
Rnssla... :9 de dllo l'uenos-A. >8deSeibr
Turqua. 26 de dito (Montevideo 5 de dito
ombios is d> Niunnno
ISobre Londres.a 28 ',, por i/Ooo d.
i Pars, 30
i Lisboa, OS por rento,
BTAB8.
[Ouro.Oncaa hespanholas.......'...* ?i/lii"
afoedas de 6/400 veihaa '...... 16*10
le 8/400 notas.......16/000
* de 4/000............... tt/WW'
'Prata.PataeSeabrasilelroa.......... flMJ
Pesoscolumnarins........... I/1,!'"
Ditos meitcanos.............. 1/80 0
mw ~n
esmo resultado; pelo quo licito nos ser I dessa moenda recoTimi'nda la por S. S. En- tuicHcque tanto reprovastes neaaasdeicoe*1
ointerosse de qiialquer discussllo que a tendemos que olTerecendo a os partidistas da d pocas remotas, desses lempos de tristes
ase respeitn possa haver, que Dio aceite- i moenda dos Srs. Momay* una necasiilo dn i recir lacOes, que para a felicidade do paiz ja
ios os dados que nos eflorece o artigo n discusslo, fsremos un servico o nilo um mal vo lonRe.
n,- nos referimos ;sendo simia nnra notar- a csses senliorps. < Sim, I
..-..- .... ,. ____ i1i7i'n,lii I car scii'iue 'lo su lor le i'i ern paz, i inunia ai*csnim:iti xuuiwi
do, ..gundo^0tUroo q "meUe,^^^lX^l\%r^t^Sm aquello ter- 13 Jorge d, Silva CoutinhO
pareen lesiva a fazenda publica semelbantei avaliao, allanta a importancia di, refer -la <>. ''es pntnrif. |5 jenujno Cor^o|l||0 Ac(.ioli
ra; e por convirque a mcsnia tnosoura-t _-------------------___ suma
r.a, depois de ouvir opinio de pessoaal na I 171 AMlr -'1B Tenonle Joo do liego alacie!
Habilitadas sobre o preco por qu so tem | [ RIRUN \L l) \ HELA(j\0 ),7 Jos|i d, Sl|v %mirt|
vendido o dominio pleno de cada braca de SKSSA1" DE 16 DEKOVKMBRO DK 1852. i 18 A|feres Krlcj.c0 d(l Cbagai Poroira *N
lerre.no n'aquclle lugar, arbitre o loro lo^ residencia do f:xm .S'r. consellulro Mecedo. | B Msnoel Pereira de Araujo
dn que trata o supplicsnte : devolve-lhe paral A, 10 ||(lras,la manliila,estando prsenlos j20 psftrjy|Io B|,, prancisro Bastos
esae lim os papis que acoinpaiiharn-n osenJos Srj_ desembargadores Villaros Ledo,
ollicio de 26 de agoslo ultimo, devendo a
moncionaila Ihesiut.ina ter em vista, p'i-
metro, que as marmitas de ordinario se ava-
hampordous, c no da s-guinte os possei-
ros as t'asferem a outros por viole ; -oguu-
ilo, que ella cumpre arbitrar o foro, que
julgar mais razoavel, e nunca sujeitar-se a
valoras dados sem conhecimeiito de causa,
ou por favor feto.s parles.
Hito -A' mesma, Iransmitlindo por copia
n aviso do ministerio da in.iriiiln, do 2 de
outubro ultimo, eommonieanda ter de vir
pira esta provincia a curvla tintn, arma-
da om |ianS)iorle, alim deselhe fajer no
rcspecltvu arsenal de nisrinba o fabrico do
que precisa, e consta do parecer que lam-
ben! remello por copia, da mestranca do
arsenal da ro te.-Iguala copias furam re-
mellida.i ao conla ior de marinlia.
DitoA' mesma, ilevolvondo os r4i|iic-i-
mcnlos de Antonio Hunif Tavares o do ca-
Souza, lleliello, Luna Freir, Pereira Mon-
letro, Valle, n SanlllgO, fallando com causa
os Srs. desembargadores Bastos, Tollc, e
Flguelra da Mello, o Sr. presidente declara
berta a scssSo.
JULGAMr.KTOS.
Aggravantrt, JoiTo (rogarlo dos Santos ; ng-
gravadn, ilermr 10 Duarlo Brando.Ne-
garam provioantn.
Appellante, o juiz i ; nppellado, Seraphm
Francisco dos Sanios Mundaram subir o
trnsl.i lo.
Embargante. Jos Antonio da Costa ; em-
bargado. Amonio J >-c dn Medciros It i tan
courl. Fumn despresalos os einbargus.
naaiONtfOcs.
Appellante, o juizo; a .pella.lo, Paulo Soa-
res da F.ioseca.
Appellanje, Joaquim Ferrcira da Cunta Sou-
lo Haior ; appullado, Joilo Raplisla de
l'iva
21 Francisco Jos Nanas da Silva
22 Antonio FranctS'o Machado
23 i.huilln.i Ferreira Valdevino
2i Sebastlo Jos do Araujo l.ios
25 Aiieie-, Juo UaptiiUa llego Mariel
Suplientes.
1 lleverendo Jos TheoJoru Cordeiro
2 Dr. lienin JosdeSouza
3 Jos Francisco Martina
4 Major Francisco Cordeiro l.ima Fal-
C0O
ue est demonstrado no haver vantagem
m exceder-se os limites actualmente ob-|
idos comas boas moandsde trezcylindros
520 orisonlaes; porque llcando o bagacoasss
519 ilui lo, nilo s perde por exlraviar-se na
516 omlucco e nflo ser todo aproveitado. as
514 irnilhas, por cojos crivos calle urna parte,
5l2flBomo tambem perde em sus capactJade, ca
SOSBonfica, tornanlo-seum combustivel infe-
507|ior ao que conten partculas sacarinas, as
Monte- Iwuaes cnucnrrem grandemonte para aug-
50i .orlar o valor combustivel da materia, cu-
500 j nio milito bem o observa M. Payerr
4951 lato posto, e no sendo o nosso intento es-
crever urna contestadlo escolar.dnixamos de
oceuparnos de oulroa pontos do documento
do Sr. Cowper, para apresentarmns a duvi-
da em que nos echamos de que possi S. s.
asegurar que a moond* dos Srs. Mornavs
nSo oxige inaior forja do quo as ordinarias,
smente, pelo fado de ser ella movida por
urna machina de vapor, que servia anterior-
mente no ongenho Carana, n.lo us ha-
ven lo elle dilo sedeu-seao t'abalho de apre-
ciar a forja absorvida pela moenda ntiga
491
485
480
478
475
472
471
180
179
1(4
101
Recifa 16 de novembro de 1852.
II. B.
Levau-nns a curiosidade matriz da Roa*
Vista na tar-'o do II do corrcnle, nflm do as-
sistirmos ao Te-lteum que nossa tardo devia
ah celobrr-se, em secan de gragas pelo mo-
do como terminara a eleif'o, que so encela-
ra quatro dias antes.
Infurmaram-nos quo pregara o religioso
benedictino Francisco de Santa Martanna
Pitarte que apenas cnnhecia*nns do vista, o
do qual j urna vez ouviranios dizer hnm
quanto aos aaus conhecimentos, quanto
a sua independencia do carcter, que alias
nSo he colisa muilo vulgar nesss poca de
condescendencias e transaecnes, as vezes
bem torpes < unmoraes
Se, antes de have'mns S"mclliant noticia,
eslavainos des-josos de ssistir a ceremonia
religiosa a que mais rima nos referimos,
nosso desejoquadruplicou logo qu seno-
la deu ; n. anciosoS aguardainosu momento
com o competente instrumento (o ,/ynamo-1 nm a""devi* s"hlr tribuna da verdade o
ude outro quslquermeio m'V" hlho d^ San Rento, do qual j furma-
metro), ou se serviu de outro qualqi
u-a lo em taes casos para vahar com
pre-
5 Manuel do. Boncvi les e Albuqucrquo 102 Cilio a forca molriz.'iln qualqucr nuchinis-
pit'o Jos Uuniz Tavares, bem como a '"-JAppcIlant,-, Manoel Pereira Pinto; appcl-
fiirrnajio e parecer a que se refere o ollicio |,.(H( j0<..,,|,, Leonor de Araujo.
d'aquelln Ihcsouratia, do 18 de outiibio ul- Hecurrenle, Joaquim Pereira Mirinho ; ro-
linio, alim de que fija proceder as diligen- j corr.|f j0a0 pnneiRCO Cuelho.'
cas do alivio, e pssr os ttulos dos Ierro- alTISOES.
us de mai inlia que os snpplirsiiles pedem pjssaram do Sr. desemb irgador Sooza ao
por aforamento, marcando a mesma Ih -s-iu-, Sr desembargado!- Rebollo as segutntes ii
raiia um prasu para se elleciuareni taes di-p,,!),.^ em ,)Ue sSo .
Iigcncias, a os suppiicanles oblereo 'lo|Appellaiite, llcmardino de Souza Pinto
titules sob pena de fiear sem elTuilo con-', aj,ne|la cess3o, pena psla que deve d'ora em diante. |-(jj,0
o- conimiriad igualmento anide mais con-i Ap|iellnle. Jos Joaquim Perei'a de Mon-
ccssioiiariusdn terrenos, senilo aiilicitamm doea appellado. Ilavmundo Carlos
os titulus no p-az i que para csse Ora Ibes
deve ser designado.
HiloAo jul deilireilo da comarca de
Santo Anl3o, inteirando-o de haver, avista
ile sua inforricao, despachado faoravol-j ,,upe]|id0l j0, Antonio de LeUo
mente o reqiiorimenlo em quo O esenvao ; A,,,,K||lll,.8t ,\nlniiio l.uiz C mcalv.-s Ferrci-
piivalivn do jiny d'aquella comarca, lgn- r, a niullier; appellado, Francisco
efo da Silva couiiulio, pedia oprniod 3 do llegn Darroa de Laoerdi.
mezes para solicitar do gcvernn ini^eriil; Appollintc, Jos (oncalves Torree appel-
a sua conlirmactto e expedicSo do respecti -' udos> \|jna ja Aniiunciae.io da Silva Mot-
vo titulo. ... la eoulros.
DitoA thcsouraria da fazenda provincial, Passou do Sr. dcsembargidor llobnllo ao
transmiltiu lo n cunta da deapen Mis con jgr_ ,,, s..mlirgado- l.una Freir a seguinle
o sustento dos presos pobres decdele (,n|aniellai;0oeai quosio-':
(oiinna desde o I." do setembro al o 'i1" j App..||i,iile, o julio da fazenda ; apreilado.
Cite
Appcllamc, Joseflia Mura 'a P'ixflo ; ap-
pellado, Antonio Candido do Miranda.
' Appplliuitp, Antonio Lopes Poreira de Mello;
i que, estn-
W'P*'
Maniel
millo Piros
dn oulubro desta anno, alim
do ella nos termos legaes, aja paga a sua A'' Vante, I). Juaquina Benedicta Vioira da
Importancia, l85/600tis. Conforme requi-l silva ; appollados, Pedro Cavalcante de
sttl ochefe de polica interino. Commu-i AlbuqueTquo l.ins c Outra
nirou-se a este. | passou do Sr. desembarga Ior Valle ao
Dito-A' mesma, inteirando-a de haver ;Sr disenibaigador Villares a seguinle
indefdildo o requerimentoem que l.uiz de^pp^n^a^a, ,,UOsSo:
Franca da Cruz Ferreira peda ser deson'- Aupeilanle, Joaquim Lobato Ferreira; ap-
rsdo d lisnea quo prestou por Joilo LeiteJ re|ia..0, Manuel do Almeida Lopes.
Torres Galludo. I passaram do Sr desembirgadur Santiago
Dilo-Ao inapector interdo do arsenal de'n0 Sr desimbargadur Villares as soguntes
marinha, apprnvaudo a relacHo que Btne. |appe||atj0ea biii qui silo
enviou, e de quo remello copi, dos ene-
ros precisos no correnlo mez para fofneci-
menlo dos iiavoj da armada, barca deis-
cavacSo n enfermara de marinha, e reinct-
6 Jos Ferreira de Mello 95
7 Autflo do Sacratnenlo llosas 93
8 Jos do Reg Cuuto Macicl 91
9 Anlonio do llego Coulo Maciel 90
10 Manoel Antonio do Reg 8S
11 Joilo Jaimes Martins 85
12 Joilo Marques Pereira M
13 Manool Manriques Pereira 83
11 Iheoloro Martins Cluves 81
15 Francisco de Salles Tenorio Jnior 80
16 Jos Tlieo lo o Pereira 78
17'Francisco das (nagas Poreira dettrito ti
18 Esorirlo M.thias Soares do Almeida 75
19 Julio Cordeiro de llenovides Micelio 7J
20 Joilo Baplisla luniz Falco 71
21 CollectorJo9ijJo.se Voltio 70
22 Jos Ignacio da Silva Carneiro 68
23 Antonio Jos da Fniiseea 66
24 Cpililo lenlo llodrigues ila Costa 65
25 Ahtunio Joaquim da Costa 63
tm>mtmmM,m\,m:o^nr^t:a ^ J inasainnaq
CxiCDr^unicados.
di: MIIITO INTERKSSR AO- se.miores de
EiNCE.MIOS
Snh ola epigrapha foi publicado peste
Diario, mil dias da semana pastada; um ar-
tigo do Sr. A. E. Momay. annuncianlo as
vautageiH resultantes do emprego da emen-
da patente de sua inveue, o qual 10001-
(lanliaraiu dos dono nonios d^ p asnas res-
peitaveis'; um do Sr Dr. Dimingos de Sou
za Leilo, senhor docugenlio Camina, e ou-
tro do Sr. Cnwper, cnsul mglez, qui em
um longo cerlilicado itis mente ecerca da nrefernocia, em seo con
Beito indispuUvel, da dita moenda Sobre ti
al hule empregadas no nosso fabrico de s-
sucar
Se*i quo nos entro no animo o desejo do
depreciar b invenco dos Srs. A. e E. Mor-
os y, un de contestar as asseveracoes do Sr.
Cowper, somos com lu lo ler.adoi a apresen-
lar nlgumas objecjes a osle Senhor, no in-
lirto de sermos esclarecidos s ihro algumas
duvidasqun temos a respailo dessa preconi-
sa la vanligem ; por quanto inlercssando-
nos pila prosperi la le de nossi inlustiia
agrcola, e apreciando qual |iior reforma o til
mo : porquanto toda vez que se emprega um
molor qnalquer para mover um pparelho,
ello h seinprg calculado para produzir um
elT'iito mm'or do qoe o necessario, e por con-
seguinto piulo sor apphcido a mover con-
sc itivamenle dilferentes ap,iarel;ios qurt
exi|am forcasde diversas intensidades, co:n
tanto que nenlium delles exceda o mximo
liante. Ora queni nos diz que a moenda mi-
tiga no eslivesso Bbaixo ilosse limite, e que
a dos Srs. Moruays no oattinja?
O une n i ii >s formula- .rsticas ilndijia-
mica, con n at a laso nos dizetn, ho que
um machinismo cujas pecas sil-i muilo mais
pesadas, n no qual conseguintementn o at-
tntooin lodos os pontos do i-pnio e rolacj
he maior, exija maior forca para manterseu
vamos idea mu fivuravi-l
Punco sh fez elle esnernr, o, com voz tilo
firme como a d-iquelle quo lalli a linguagem
do corago, cmn um acciona lo que so | ii le
inspirara eonvicco do que s.* diz, imoniin-
eioi!, ilteiilamento ouvido por *nuinerosos
espectadores,seguinle altor uyfio :
Stnhnres eleilare '.
' Ella finalisaila n noliro mlsso do pove ;
miss'io sublimo e soberana de fizor-voselei-
to'es
O ..ovo, lenhores, no hesitou um mo-
in-lito vnlar livrninente nm vos, co n tanto
qu" laniheni lvrenieniu votis e.'i tre'ze ci-
dsdfios, i|uelenhani derepresu.ilsresta pro-
vincia na fulura legislatura em a cmara
qualriennal.
senhnres. enmo ministro de um
Dos, Smbolo da Lindado, vos conjuro qin
apartis de vossos pensamentos toda o qual-
lu" idea de desunio : della leem prnvindu
mulos inralculaveis s sociedades msis bem
constituidas.
a Cerrai-vos n'uma s columna para
cnntinuardes a debellar a anarchia,esse dra-
gue sanguisodentu, que de hora i hora mis
amosca decorar.
. Sonhoros I Os eleitores so outros tan-
tos guardas do llirouo ; delies dimana a fe-
licidade do paiz ; porque elles leem n de-
ver sagrado do votar nsquellos representan-
tes, que sinceramente devem prestar sen
opoic as insliluicfles juradas
Ah .' .Nao llevis marear o brlho do nn-
hre inoro dm. ha pouco, ohtiJo pela razo
contra o orgulhn, pela liberdade contra a h-
cenca, pela suprema loi contra a anarehie.
Sois b'asiloiros, o brasileiros quo professais
ideas de ordem.
Esta, pois. deve sompre ser como al
agora teni si lo,a liussola que vos deve guiar
na eleicilo daquelies cdados, que tiverem
de representar nossa pruviuca no parlamen-
to hrasiluiro.
Um deputado, sonhoros, ho um sacerdo-
te do povo :sou templo be a naco ; seu al-
iar a pidia; sua victima a propria vida quo
elle deve sacrificar, quandu o exigirem a pa-
tria, o povo n a naco
Assiin como houvo sacerdotes do lieos
vivo, i .up h.-ni os uouve de Raal ; desprosai
estes, escolhei aquellas, e tnreis fielmenlu
cumprido roses misso sublime.
remos visto, por experiencia, que un
candi talo (salvo as honrosas oxceptoes; he
um sincero patriota ; exlremament" lelOtO
pelos negocios pblicos ; eminentomenlo
ordeiro ; de um Oaricter independente to-
da prova : romo elle, ningurm tein presta-
do ao paiz to relevantes servics : comoel-
I-, ninguem promette faier a bem da pro-
vincia pela qual preten-lo as honras de re*
o povo.rnpctimos, qu.-dosgr crismen-1presBnta'cSo naoionsirrssJogo'qu'eTpor fa-
lo tem sido to ir.ismonlHlud.Priado pelos I uh.lad,.) asse.Ha-se em ornadas ca letras
movimento regular a despeito das resisten-J "i"?',iS.g-!!!!'. !..!?i."J.' fJ%l C*' "1" "'"*' '" P"-"'"'1'''. i-lo rindo-se da boa f dos
tolos do seu, inleriississordi los o moaqui- qUB otnoutirsej.... el lo.senhorea.esqueci
-nolri- ,tee ,ewnr, ,,. inuai "M*,,ruo. I" ai "'u;" "do a esignacSo f. podoremo, dlcla um ill
mtmZ ,tS*l0}^V'??mV^lxtmo*' V01" "osl" "-Wi de homens .Ilustrad.
^t>^Ub^Z^::T'' JUStll,C,r-'0 "WiDl8 ,)'0S0 c.s, soessannofr ... do
... ...o____ ___ u nii-iiens muiiji.!.,!,, .,,,,,.
cas i-assivas, as quaes, como saher o Sr
o miiu no slo tanto para 'esprezr que nos
trabotios ue toda m-iciiui se no tonha em
vifta, que a for^a motriz leve semprr. Mr igual
ao trabalho til ni
qual ueste caso v
passivas. Mas co
erro ( e muilo ,ouco confiamos em DOMO
fracosconhi'cimenlos) quisera-mos que si
nos mostrasse a Torda le quo ignoramos.
Tambem no tememos di/.er, mesmo por-
que queremos ser esclarec los, que o em-
pego mmediato do bagaen as fornalhas
nilo n is parece nina vanlaga n que dnva ser
encarecida. Todo o hamaco saludo dssinjenti
inoeiidas Cluaes do tres rylindros hnnsin- | Mn
leresses sordi los u
h -,,' i.,,.-.., 0\.,.\n, vi.... oriu, dniiiii>i-.-t, c^u- -
nnos: o povo, que foin a menor p|o,..,de t. m ;,|oaledo nome da provincia pela qual loi c-
sido saoriuouo aos caprichos de hominsj]e|io depotaln
desvairados, que no leem tido a esignaco | K podero nos, di/ii um HuslraJo ora-
da ter urna as-
ios e patriuti-
quo um con-
gresso de especuladores emproados, queso
E essa j'istifioaco, senlinr.'S, que cha- curven, cegamente sos seus interesses indi-
msremos santa, fula acertada cscnlhi, que viduaes o aos de sua familia ? Ouporo.ilro
do vos fez para eleitores dusla firgoetis. lado, una reunio de visionarios nolilcos,
Fui, anida mais a piova que d'u a pa- accoiumelliilns pela sede insaciavel dashot
in.n.d i mi iro de que I res e eondeeorscOe. lento nos labios pi
i Iri.i, so iin.'O'io o
elle Ih
| C8S11
|irof.ind..montn nm idor das institu-
rdizini-nl-' iris reg-mi, sumina-
lo Inono, i: no iltar.
nivjdeis nm momento dil que vos
lento tambem por ruina a inf.irmaeo unej
enda I
Api
O:
01
uollaulos, eappellados, os conlralajores .....*.....-" i.....' ';......
,.s carnes verdes, o Francisco Femandes q"" sc Possa r"'<" e,n bnnelieio della, que-
.,. re.n.qs que o emprego d aquell moenda nao
lllnte, o procura Jor fiscal appellaJos sej rampanlndo de recios que o cerl.fi-
s brdenos do padre Ant uno Tberesio de c?'1 ']" 8r cnsul no disoipa. Antes po-
lliveira Aiitunes. r,,|n' de p,ss.rmos .d.anle. permitla.n-nos
a tal lespeilo dea s tbesouraiia do faze
acompaiihada do parecer da respectiva con-l mSTBiaueES. "" 'J H-" .....""""
laduna. Communicou se mencionada; Ao sr. desetnbargador Souza o seguinto que o lerino medio do resultado colindo pe
'.ggravo en. quo so lo ,nire'> da moen,,'a honsonUe. do tre
lliesouraria.
Dilo-Ao conta Ior de maiinha, declaran- AtTraWOla., NiooUO OU Bleber & Compa- cyliti Iros, assenlados sol. boas eon.licoes,
i que al o present no fors.n ontisd.s *,, B|g'laVM|o. o lulso. seJ" ''" ",,r r,'n,0 ,"0.'", I"" ""'""
crel.ria da presidencia as |. is n. 616 de .. L,lvaI luu.s0 KSUo 0 m.cio dia. "* 'I11,0 su,s *" Jf"- OOMUlUdO,
dejulho. en. etWdelldeselcmi.ro, tu- .___________,____________!________a sejam diversos dos quo temos Ii lo, os quaes
do
secreta
31
dudcsteanno, s quaes Sn.c. reqoisila para
o i ni 11 ni i ni" do d.sposlo no aviso da repar-
licoda inariuha, d 19 de oulubro Ultimo.
PERNAMBUCO.
DEM DO III A i3.
OllicioA' lli.souraria de fazenda, Irnns-
miltindo o aviso de tuna leltra tu impor-
tancia dc653#51 ris, saccada pela thesou-
rsria de fazenda da .rovincta do Rio (rau-
do do Norte sobro ? dista, o a favor de An-
FOLHETLH.
ELEITOREs' DA FREGUBZIA DE S. JOS'DO
IIIIKJO DA MADRE DK DOS.
Os senhnres. Votos.
1 i: miman bulle superior Francisco
Alves C ve lanle Camboim 531
2 V.gario Pedro Mar.olio Falco 533
HHT~
0 PALACIO P10DAN. (*)
fx. ISogcno licaunoir.
______a
'rrai.qiilll.sa-te.
Pompeo ueiueo ouvlndo oslas palavias, sua
coragein quasi que o abandoua.
Tari o oardeal tambem ncineado os peri-
cos, e a sspionagen. en. ionio della disseco.n
sigo Pompeo,ou entro maltas vezes ueste quar-
lo, c ouiro sabe de lodos os srgrodos della .'
asseguram, por experiencias feilas em di-
versus palzes.que essn termo medio varia
entra 65 o 70 por oento. segundo a quafida-
do da canna e a poca oosua c.lh.'it.: sss.rn
O dizetn M. M I "i" o : i" .', iloussingand o
Knapp. c. Eain la quiinto nflo livessemos
o t-slomunlio de lo rcspeil.veis autorida-
des poderiamos eilar o exemplo de experi-
encias feitas nesta proviocia que atieslam o
l' _____ i-' -UI
, I ~ i'.i' .(ii in.171.1 i. im ilul||iTl>I'l lili IIU'T l 13
lies, om boas rondicoos arde com faotlldade |0n|luetp ..te a r.s,.e.to do povo, lenhores,
posto nasfornainas, urna vez que estas este p0rqa.,seassl n nRo fusse, esa. nomeaca
lata quec.diis; mas tsso no prova que d ah, osp,..,i,oa que sobro vs lao Juslam .ni re-
A |n ni amas aluda, a quem amarai aem-
|'lf, lill.'l I (IMIJM'II Mil il Mili' Ii!'' O IIUSll flilr i.
In -- it*.iin, 'Mu Ignoras cjiic o amor de una mu*
Ihcr he (io Tan la* (ico, quanto rpido, e ;ilriii do (uinulu nao ha esperanca!
Tara que i til n de tmulo ? Dclia-ine,
csion comente, t lao contente, no i vis" que
pon
PAUTE SEGUNDA.
X
A bohin/ia.
O muro ilij.ir'.iMi era inulto l.aixo ; Pompeo,
r o inascarado o racalaram srui tusto A tra-
vesando i'-"' pequeo recinto onde muilas
ve/.es occuli.irasca Insteza aos ullios de lodos,
o Italiano eusugoil urna ligrima urliva.
I., mili vi- < ni, iimi.li de que all, nesse
mgro terreno plantado .le beiulis, i. la. las,
d( !) u\n dcsie caroinaucliel .Marietta ouvirai
mus de urna vez as votes dulorusas de seu co-
rceo.
Marietta murmurla elle, alariclta oh .'
como nao te .......i cu advlnhado pelas tuas
boss e consoladoras palavias, quem seno
minha lha teria podido acalmar-me e cu-
rar-mc?
Todava utn temor repentino se apoderou de
Pompeo examinando de novo seu gula... Kra
algum la^o que l'ie ia armar, era esse um mel
de impedir seu braco c prender sua vinganca ?
Sugcilo a esta duvida puiigeulc o Italiano se-
guio o hornein al a porlmba de urna c^ada
qm- dava para o quarlo de tuestre Kelippe ;
chegando a esse lugar o inascarado recommen-
don-lhc que tolhesse a respiracao, c amoiteces-
se o ruido de seus paMOt. Pompe- cuiihecia ca-
sa esca.la Unto quaato a si nnsino, mas pare-
CCU-lbe i'Btranho t|"e o mancarado a conhecea-
sr esia eacada conduia ao quarlo de Marirtl.
Enl.io sabias mide mora aquella que pro-
curamos ? pergunlou elle com una aaciedade
secreta aoscu guia.
JSegredns encantadores e embalsamados, asylo! diante deste Iclto que parece para iiilmutn
' casto e il.icc, no qual eu mesmo nao entro sem J berco, esqueco quasi a minha vinganca Mi-
descobrr-mc como no lumiar de un templo, i.ln lilhn, f#jn ininha lilii.t l... I n que m'a en-
uinhu de pumlii que cu julgaya al agora ao; tregas-te, di/.e-me pelo meuos como sc cha
abrigo de ludo o abulre. Nio importa, seja> ella aqu i* Sers acaso tu que a leras coberlu
qual for a sorie que aqu me espera, sim. devo com o leu amor,que aleras salvado da mortc
entrar resolulamenie !,.. Maneta tt3uquillisa- c do opprobrio f Seja qual for o teu nmue. rc-
(J Vide Di&rio D. 2i.
te, hunlem eu nao era mal do que teu amigo,
agura nm laco tudiskoluvel nos une.
I tu i viv. 1-1/ sahia cmao da porta entre-
aberla de Marietta ; atiave/. do reparlimento
que sepaiava a escada do quarlo, ouvia-
i r-| 11 i., i-i pura c igual do seu soiunn o silen-
cio de fora era pruiuudo.
O guia de Pompeo licuu no lumiar apontan-
d i cuui o deilu para a moca adormecida... l'.nn-
pco ajoelou-sc rpidamente diaue do lelto,
lagriuiatt abundantei coniam-lbe pelas faces.
O luslincto paternal apartava uelle a suspeita :
elle examinte Manelta em um extase reco-
Ihido.
A bell menina dorma com um de eus alvos
bracos pascado por baixo do pescoco ; oa ca-
bellos desalado? cahiam-llie em cachos espessos
pelas espadoas faa-endo urna especie de traves-
ciro soure o qual devisava-se seu rosto palu-
do como o marinore. A sombra de suas so-
brancelhas relleclida t\-< face por una alampa-
da suspensa do p da cabeceirs era de um con*
torno, a de urna linha seiaphic^,
A lu luuundava-lhc aliernadamentc a i ruti-
le hgeiramcute abobadada. o peilo delicado e
o atevichc luzidio d sem cabellos ; um sor riso
iuelUvel de languidez vagava eiu seus labios.
Sua cabrea sc imlinava euio como a de um
lirio carregado d'agoa, seu doce hlito tiuha o
aroma das llores. Una bulsinha eitava presa
por um lio ligciro a seu pescoco. O haliano
estremeceu vcudo-a,
Kutao eu menia i* pcrguutoii o masea-
rado.
ISAo, respondeu Pompeo, porque cala bol-
iuha fui frita por minba propria irma no con-
venio das amas ile la LtUstia em Veuea
Esia bolsiuha.eu a Uuia dado a urna pesiua... CarloiL.
pito, se liteste hso, s abencoado l mcu Dos
para que sou cu pobre P Mas se exiges ouro,
date, tu ii .ili.illi.n i !, empenharei minha vida
para pagar minha divida ftespmide-me, s tu
meu beinfeiior, lu que ests occlto, ou nao
s mais do que um accaso Icli/. na minha eits-
tcncia?
Nada fie tudo isso. Pompeo abe somon-
te que durante toda a minha vida lem-me sido
iiupossivel sorprendrr um pallldo raiu de feli-
cidade ; calcula pois quanto me cu esta. Sim cada minlo de la felicidade pre-
sente he um fugo que me abrata. nao vs? sc
eu licasse aqu mais lempo, a contmnplaco
de la lelicidade me lomara talves culpado .
Que queres duer ?
Que nesle mesmo momento tenho medu
de mim... Tu choras, nao he? mas tu choras
de ternura ; eu cbnro de raiva ; abri-lc o co,
inss calo 110 inferno [
Dito fslo, o mascarado retlrou-se. F.sgoUdo Ir le?, a que elle vU o dix vir clareando as pa
c anmquillado. Pompeo nao podia compre- redes do quarlo.
hender o sentido dcslas lgubres patarras. Seu j Um pedaco de espelho, um pote de flores,
olhariagav*. altrrnadamentc'sobre o leilo da, miseravel vaso radiado, urna violiuha c duas
moca, c sobre o lugar que o inascarado luyate laboas carregadaa de livros formavdiii os uui-
rloso havla delxadu. Marietta adormecida pa- eos ornamentos do aposento de Marietta.
recia estar sujeita a um sonboque a absorvia, J llavia no leitu urna imagem da scohora do
quor do eoipregu d'aquKlla ruater!', romu
combustivel, he aprovaitar lo lo o calor quo
illa he ca-*az do fles^nvolvnr. para augmen-
tar o qiin j exislo as fornalhss. Ora con-
tyndo seni'-ro o bagnQo que !snhnda moon-
-1a tima p -rta humidade res.iltanle das pr-
les aqunsas quo licam interpostaa as libras,
i ooo embsrflcam a romhtMJ.,i om quanlu
nSo dosapparoco, ho claro qtie o t'.-ja-
i; > so nilo inflama em quanto cssas p*r-
ti*s ao nSo evai-oram, o entilo tenoa que
urna parto do calo'* das f<>rn litas, qun devit
sn'iie tte ser afrovotts-lo pelas tx*s, he
roab<-di> para p*0 U bagaoo verde, por tanto ha cauta p r*
que soja per !di utua ro'cSo do calor que
seria apruvei'.fdosn h eva|lorsr partas aquusas fosse produ; id polo, solar, ou por mitro qualqucr moio, quo n.'i.i
soja a custa do calor las o"n.:lh'S
Salta os ollios os inconvenienlos que te
dovom seguir esse resfi unenio ra^Mo
sim, mas coriliiiiiadauente repetido, causa-
da polo baguio verde ; e he por essa ratfio
quo o seu emprego n3o lie r.icom ;ienda io
pelos homonq (raucos na malo-i,
tN"iii entraremos mais en outros pontos
alias cont'stavea do certificado do Sr. cn-
sul, |orquo no ho nosss internlo, como j
dhf 'Uios, dep'ecmro mrito da invengo dos
Srs. A. e K Mornay : nosso nico flin ne vor-
mos bem esclarecidas as duvidas quo como
i ios nulre muita gnte acerca das vautigens
E ella pareca apenar, chamar a~sTaalguni
fantasma invsivel.
Pouco a pouco sua voz se foi exlinguindo,
pouco a pouco o snmno reassuimo seus direilo*
sobre ella. Pompeo escutava ainda com avidei
o ruido de sua respiracao ; elle eslava loclina-
do sobre a fronte da rapariga, qua-ndo parecen-
!': que o chamavaiii na ra. O Italiano ao
principio julgou ter-sc engauadn, a voz pro-
nunclou de novo o seu nome elle entreabri a
janella
a Pompeo, diise-lhe a voi, esqueci-me de
dar-te um conselho. Tu amaste Terezina PiLt
da qual o du'iue de Fornaro fez sua mulher
deicona agora da condessa de San-i'iclro !
O Italiano rccoubeccu essa voz que a mas-
cara lomava surda ; elle ia correr em procura
da tenebrosa persouagem quando a vio perder-
se n'uma das tavessas da ra das Nonain-
dleres.
A lu do dia comecava a esclarecer as vidra-
cas do quarlo de Marietta, alampada sc linhn
apagado.
He lempo de retirar-nic, inurmurou Pom-
peo, he trmpo de arrancar-inc deste lugar, on-
de dorme meu bem mais charo, Adeus, Ma-
ii' u i. os aujos do co velcm sobte ti, clles me
conserven, minha lilha. Ku porm Oeto cui-
dar em engaar a per lidia e o odio que hic per*
segitem Uli a vida me he preciosa agora que
amo urna inenioa,- deixa-la aqui, nao he j
morrer ?
Lagrimas abundantes curriaui dos olhos de
Pompeo, elle coutcmplou Marietta n*un silen-
cio chelo de ,i .' iii i e de terror, era com mortal
por lem uuvida recamna son e aq
les qu" calcndonos pes' a banda.ra nacio-
nal, n3o trepidara n fazer rodar em nossa
bella provincia esse cirro do fogo qu, pu-
xado por furias do averno, nssolou nossos
(ampo .-' -i m3o poderosa da pruvidencif.
o p ivo pernsmbuosno, senho-es, como
o das its mais provincias, he lifre, ii" or i"i-
rn, jamis prestara a atienen aos cantor
densas serei-is, que canlam para rnatir.
O quo vos rosta, pois, snnhores t (l que
vos .di ii vussasconsoioncias i' NSo desmen
hvras o.(Uilndas d ilberti.de, ordem p(-
vi-i! ioonarcfliaf o passo quedormem em
tose 'iit,*oelorn.i os ucgncios mais transeen-
dantas do paiz?
n o hierra I, Sonhoros, obsarvai com pro-
fundo cuidado essa grande Corpor<*Ofl0 scieu
tilica da Sabailorfa collociiva do Itrusii : os-
lo tai-s, a refleotl smodrafnentejiesses gfan-
des poli na los queso diom cotu todas as
habllltacOea para um digno representando
da nacfiocoitados? para rlguns, a idea
mais- simples, a argumentacAu mais come-
sinha ; o ponto mais fcil, a quostSo mais
n'duzda... he um cabos! Ah! Sfluhores,
vs nflo v les quo rndles s avultam U^l
or*ulno desmesurado, urna ignorancia bru-
tal, nina ingratid&u monstruosa?
NSo ten les obsrvalo, Senhoros, que
prjooiplam lindam-se legislaturas Sem
que : .." .1 dessas entidades prodra urna
tir a espoctitiva deiSO ^'ovo que em vos vo- palafrs sequr a respeito dos negocios pu-
lo i, e un ora Vtis ro (tjla iriu estera anciosnqu i votis ll i livremenLco- lia anima a alear a voz he para dar Copia
i.o mi vos votou. I do su i ignorancia .' i, boinous assim de -
Treze sao os cldadSo que tendea daelo- *0,n cooscienelosamaptasar volados para
gor representantes desta Perntmbuco. "ep"1*"101*^
Devela, por tanto, altan Ui-me I, deveis I Ouviuios, Sonhoros, ainla um tustro
fnui c inscienci isaonente volar nsquellos '(,r" lor de qoe cima vos falle, i Dizia ello
a fronte sc Ihc eurugava por instsiiles como
agoa de um lago durante a tempestade, nutras
vt/es ella tornava a lomar urna serenldade ri-
snnli.i Punco depois n peilo Ihc baleu com
forca, ella eslendeu as maos, e dtpms del-
aou-oscahir murmurando uuias palavraacuu-
fu zas.
Carlas 1 eiclainou ella emliin com um
Rosario, esta imagein eslava timbeui bordada
sobre a bolsinha que a moca tralla ao pescoco.
Pompeo no inomi'uiu de sabir tomn urna te-
-un-,i que achot sobre a mesa de Marieita e
cortn o lio que relinda a bulsinha guando
Maiietu acordou, Pompeo eitava bem louge. ..
A 11109a pareca ainda lular sob a imprefSo
de um souho estranho, trema < -eslava paluda:
esforco singular, ('.arlos dame de inim... elle Sprlmeiro que ludo ella corieu a mirai-sc no seu
espelhinlio..., A desorden, de acu semblante a
que, sem interesses mesij i ihos, possam na
cmara temporaria propugnar pelos direi-
tos da ii'C.Vi, BUStaUte^iu tti 111 mi.11 r-.n,! ro-
present-lva,e molhoramontos di DOSSa du-
ra patria, ponnmhuc 1 !
a para levara elTeito,sealiores, penssmon-
to llo m ig'iaii'ino, ho do mistar que arre-
quo em uooie lo -voto ligam-se os oncar-
nigados imiuigos, uivorciam-so amigos os
mais luaes.. Pura verdade
Voto! voto! EatOU none. prometi-
se, i.ii.i-s ulogia-se, bajula-se, satyrisu-
se, persegua-sa.
K veris, t|ue se n3o oxagorou ; se lan-
lois DS'8 liuin lo'igo d vos o espirito vert- Qirlcs urna vista d'ulhos para o passado ; 0
passado, Soniiores, do qual j sen<1olcm-
hrant os qoe auciosos o-p-ra-i. o futuro.
1 Em cauliditos, pois, como os qua aca-
lla nos do leacrewr-vos, nao votis! Car-
ies
glnoso 'lascbalas, e intrigas eleitoraes.
So'S eleitores, o alia he a c thngoria lo
um eleitu d povo pa'ra nilo pratleardas al-
guns desses actos llegaos f-*c* li c insti-
'- l 1 --- n-m
lorprCndeu, poreiu o que mais a admirou f-u
K
' w M
Marietta licuu couve
_____-t
idda de que i.,nl .
SObar a janella aherla.... a janella que Pompeo eslava de VolU, queellc tentara trnala a ver ;
seesquecera uin movimento mnchinil
pescoco, seu rspinto a.igmeulou nao adiando
mais ah 111 bollafaa,
Ksiarei anda souhando? ilissc ell-i com-
BlgOj seria entao elle;' meu sonho nao seria
um -iMiiin Yi-i, fof elle masiiiOt prosigui ella.
en o vi, eu o chamei : essa bolsiuh 1 que trago
d sde o meu nasclinento, elle a llrou de mei|
pescoco, esluu bem certa disto, > n eslava elle
1II1 iiikI.i agora, limido e OunluSO junto da mi-
nln cama ; nao se aecusava de sita fglda rc-
pent-na, de meu deeseero e de minhai I -gri-
mas.' Vejo-o ainda laucur-se nos meuina io
loeando, pedanme que ihe perdoaiae, di/.ia-me
que eu era sua vida! Carlosdiantc de mnn. : ir-
loi meus pes, elle Carlos! elle era sincero e
cloquale como ouu'ora. Quandu Ihc falle! da-
quella a quem amava, c pela qual me deixuu,
sacudi a cabeca dando um suipiro, mosirou-
ine ella lvida c muda, cstva mortal Foi por
SSta iaoaile que elle entrn, foi por ella que
sahlo. Slio rxclainou elli debrucando-scso-
bre o caes, sahlo, elle que cu queria rctc< !
Ueu Dos! a cabeca me arde, elle me abando-
uoii, estou louca/
L Marietta torcendp os bracs de desespero
pareca seguir ainda com o olhos aquellc que
seu sonho Ihe mostrara, cll 1 tomava a ver *., 1 r-
los moco, irisic e bollo, c fall iva-lbe. como sc
elle a podesse odvir.
1. -. ni ni veucida por esta alucinaco de
lOU souho, ella desceu .il.nu. degros, (odot
repousavim ainda, nada indicava, ou trabit a
passagem de um malfeitur, todos os movis es-'
1 tv un em seu lugar, a porta da taverna fecha-
da com cuidado.'cumo de costmne. ..
He elle, he elle mesmo, repello a linda
moca, qual outiu, seno Carlos, se teru podido
intiodtuir nesta casa ? Sem duvida elle teme a
furia de mestre Filippe, c nao s >be que os bra-
cos paielics nunca licam fechados. Como elle
era i'iiiMiii til-ir c simples au mesmo tempo ;
mas taubcm <|ue reinorsos minhas palavras li-
/cram naieer uelle, que dor o accouimetleii
quando me pergunlou a ra/.fi sal Ksn.i inulher he morta, eu a vi mora, logo
elle est livre! Tiroii-ine mluba bolsinha, mas
logo m'a restituir, agora he a mun que elle
ama.
1 mesmo lempo por '"ai .
ella levou a inSoso ilrc Filippe, seu pal. A crallaco que Ihc causa-
a este souho sc uistevc, a moca desceu ao jai -
di ni furtiva mete* Todas as arvores Ihe fall 1-
v.itn de Carlos, sobre a Hordas inultas <|ue bor-
tl iv un o recinto, o cabeca vermclha modulav.<
sua .11 i 1 matinal, 01 boles se abriam ao tepitln
sopro da primavera, o ar c a felicidade cstavam
cui toda a parte.
[> um busquinho vitinhn voou um bando
de passariuhos, c Marella invejou-lhcs as azas.
Captiva aqui! murmurou ella, voltando
coih tristcia para seu quarlo, captiva quaudu
Carloschega! Km que lugar poderei de hoje.
em diaute enconira-lo? A quem dirigir-mc pa-
ra lorna-lo h ver:' A moca levantuu depois per-
lo de sua alcov.i urna ligcira cortiata ; um trage
completo de oavallciro eslava suspenso a pa-
rede.
a, voidemesire Filippe forcou-a a abandonar
logo o exainc qu* Marietta Casia desse irag.
Kasa vo* laxia a pobre moca voltar realidade.
Quandu ella se achou em frente de meslrc Fi-
lippe, licou admirada de seu ar de abatimeuto,
c perguulou-lhe com temor.
"ue te 111 Vine, meu pal ?
Nada, rckpondeu elle, smente um sonho
extravagante. Parcceu-me ver dianle de minh.i
casa obreiros ooclurnos levantando um au
daime.
Aquel!-', sem duvida, disse Marietta, m >,
Iraudo ao tavemeiro um poste, 3d> qual ainda
lallava a lanerna.
Aquelle mesmo, respondeu mestre Filippe
observando no caes dos Olmos o poste posto
diantc de suacaai. lie siugular/....
K o que he que o csoirisla tanto, meu
bom pai ?
Nada, lornou mestre Filippe com ar triste,
somenie em vez do reverbero, all havia outra
cousa.
Oque eutiio ?
Da hoineui pendurado, ... e esse lu......m
eu o embreo.
Mestre Filippe persignou-se tiistrmeule e
foicomo de coitume, para o seu ImIc.o.
S
( <^Hi'Mair--/ia. j
MUTILADO



ivossos ouvldos aosseus'tumbidos; ri- recenm logo vultids boioIis : lodo o po-
yase m distlnccdo carregou podrs o ir *
pira o matunal do edificio que u acha om
andamento.
Retira se emflm, deixando-nos Impresno-
nados da sania doulrloa que pregou, o ge-
ramente saudoaos de sua amavcl pessoe.
Uigneiu-se, Srs Redactores, dar ao pelo
estas linhss, com o qno muilo obrigiro
ao seu constante assignanle o vigario do
Urejo da Madre do Dos.
I'edro 'lurinho Falcto.
Publicares a pedido.
de-vos de su loucura ; porque, do contra-
lio, sancionarois urna injuria feila a patria
o vos meamos Anda mais r nflo promel-
tiif; porque, sa prometterdea devela cum-
|irir a promAwa, embora nussa occasiSo del-
xris de ser eleltorei.
< Recalim, porm, vosios votos em ci-
ddSns que saibam ngradecer-vos, desom-
ppnbando fielmente a miasSo que Ihe hou-
verdos de confhr.
Vuui poca como a actual, e quo o
governo tem lutado cmn uma opposirjilo ae-
quiosi de mando, que nflo pnrdo occiaSo
para injustamente deprimi-lo, ho mistcr
quo na cmara lomporana representan! o |||m. Sr,Em cumprimento a portara re-
paiz brasileros quo nSo saibam hypothecar ; MDd,, ,| |||m. sr. inspector da thesourarii
seus foros de Itrasilcirns, <> que sustenlcm Aa fa2pnila, Jalada do 15 do corrento, em a
com lealda le aquello governo de S. M. o Im- qUg| reoomn,en la a esta recehedoria, que
perador que nflo queira ibysmar aterrada promovll portlos os meios ao seu alcance,
Santa Cruz em um pelago de d.sgrcasr de- 0 rocolliimento dos livros, e papis dis-
putados, S'nho'es, quo sincera memo pres- crplrga0 dos bens dus defunctos, e au-
tem seu poio a goernos tflo bonomenlos o sent09 a c,rg0 jog diversos curadores, par
Ilustrados quaes os que, para a boa sorle Q nm (|(, serem a e9les tomadas asrcspecti-
do Brasil, temos tido desde 29 do selembro .Tasconl rogo v. S. quo bom dos in-
de 1848 at a poca presente. Basta | iorcsses da fazenda publica, d suas O'dons
c S vos recotnmendamos annal, que vo-; MJ i(j[(iS curBjoroSi ,, qUcui mais de dire-
teis em eidadan que nao amem llngidamen ; lo perlencori que se,n menor demora ha-
le o povo: vos os conheceis, be quanto ,i(n ^ reco||ler esta recebedoria os ros-
basta; pectivos livros relativos aos referidos bens,
Senhores, sois Pernambucnos: ""-' arreca.lados no exercicio de 1851 a 1852, e
oos tranquillos: o Espirito Divino ?<> "- anteriores, aiioi de serem remeltuios por n-
lumine na futura eleic.Ho do deputados ge- )termo,|0 esta rCcebeduria, a ihesouran
res. de fazenda, na forma do disposto no art. 10
Adeos.
I da Ici n. 106 do 9 de maio de 1812.
Sigam os dignos eleilores da^iarochia da ^os gUar()e a y. s. ItecebeJoria de Per-
B6a-Vsts os prudentes conselbos do minis-, namuuC(, ,7 de novembro de 1852Mico
trodoSenhor no poqueno discurso que ah jSf |)r AngC|0 llennques da Silva, juiz de
deixamos Inserid, e conlribuirSo grando- orf,i1(ll)< 0 ,,0 ausCntos -No impedimento do
mente pira que, na viudoura legislatura, adniinilra aeja Pernambuco repreaenlado dignamente __________
**Um hVwVpTde cerrar os ouvidos a j lio reipeluvela cipacldadeiie lem apreaen-
advogar osverdadeiro inleresses nicionaes '5-0 0s podemos decidir peloa senhores cujos
aos uue por actos successiv.is, loom pro-1nomu aballo menolonantoi, 8*0 taea aa quall-
Vado que nSo s.bem sacrilica-lus s COIIVC- dades quo rccommcndaiu esst senhores que
i ___ > iuUranios Uier alguui servlco, publicando de
moneas .nd.v.d.iaes. Harta** anwmto a nossa lisia, e p.dindo Lo, no.soa dlg-
O llvin. rr. hranesco de ionio Martanna 1 nojco|| sc dl 'c nrCiUr ,enta i cl-
Duarle ainda lio muilo moco para que lenna i g dc noj aeolllpilllhareiI1 D0a voiato.
a alma estragada pelo egosmo; o lie por, Umeleilor.
isso que, exptirre-se com a hbcrdale Q.uo> General Amonio Correa Sera.
para issim dizermos, dislilli de cada uma Ursembargador Jeronymo Itlariiaiano Kigucira
de suas phrases. de Mello.
As palavras do orador sagrado sao lano IConseWupSchasliflo do Reg Barros,
mais insusiieitas, quanto. pela SU posicSo ; r. Francisco de Paula Hapima.
S,;:/ es., ene iJUrtor gmg ^P-, cm^MgmffggMM as-
pirar terreno pira si ; visto como, em sua < Dr {' Joj ^^ ie Agular
qualidade de religioso, nada podo lucrar uo (l)r ]os |.cuio da CunhaKigueiredo.
banquete eleilonl
O HxpecUtdor.,
Correspondencia?.
Dr. Iloiungoa dc outa Leao.
. I ir. Amonio Coelbo ' l)r, Jos Iboniaz Nalinco de Aranjn.
Dr. Francisco Xavier Paes larrelo.
i ur. Augusto Frcderlco de Uliveira.
Srs Redactores.- Tamben lentio o meu
cindidato, o he o F.xm. Sr. general Jos
Ignacio de Abreu e l.ima, pornambucano
nimio distincto por sua lluslracflo e raro la-
iento, cujo mrito s a postoidade sabora
apreciar Jcvldamonte. Elva elle beui Ion-
COMMERCIO
PIIAC.A 1)0 RECIPE 18 DE .NOVEMBRO, AS
3 HORAS IM TARDE.
COTAQBSOrrlCIAES
ge de pensar em uns eler,ao, quando seus |(;om|0 snbre o Rio do Janeiro 1 por cento
amigos diqui e da corle inslavam pura qu"
M lancasse nnsse mar tcmocsluoso do tan
ampara que | de descont.
Frete para Liverpool 5|8 por libra do al-
tos Inleresses deseocontrados ; resisliu por goiao.
muito tempo, mais alinal codeu as instan- Compras dc Mancar.
cas de seus amigos, e apresoulou-so cari II- Mascav,do escolhido l,UO a 1,500 rs. por
dalo, confiando na consciencla dos elei-J arroba.
toros. Dito regular 1,380 a 1,400 rs. por arroba.
Como homem doMras, ninguom Jhopo-j nLFANDECA
de disputar un mrito transcedonte ; nin-1 |(nni, mprito do dia2a17.
guem maneja a peona com Uo rara liabili- (|jem dia 18..
lade.iiingiii'Oi poisue, como ello, o segredo
U essa energa ds palavras, suav lado c ca- j 290:636,963
.263:681,289
. 26:955.074
.lencia das phrases, dess linguageui pura c
clara ao mcsnio lempo
fe'-nrrcqnm hnjr 19 de novembro.
OSr. Abreue l.ima lio anida o reslojglo- Rar(.a -,t,\f?lt ..cari jfOirk -mercadorias.
riOlOdedl goracao.que ja la val d 1817 P- ,,,, brasiloiro Utindn i lem.
raca! O Sr. Abren o l.ima lio a gloria dos CONSULADOGKRA1-
PernambucandS. Uuffl sci u Pcrnainhuca- Krndment.iilodii 2 a 17 .
no, em cujas v.'ias gira ene sanguo ardonte
la nossa teTra que Iho ri-guo um voto?
Jual ser o liomom dedicado as letras, quo
nflosomostic MilapIXonado? A quesillo
he, se convem reliabilitur-nos na Corle por
iimaescolhaconscioi cios.ido homens vorda
doiranii'Hleilloslrados.s'Convem.nSr.Abrou
o Lim he um dos prnnoiros de que deve-
mos.lancar iii3o ; esnnBo, vamos cuidar em
oulr, deixan lo a nierc dos acontociroen-
tos a nossa sorte futura.
Homem do vida ecmplrissimn o Sr.
Abren e 1.1 ir a olIVrecnen sua conduela um
typoorininalde rigidez nos principios o de
austeridado nosco-tumes. Eis o meu can-
didato, o pornambucano IM8 illust-ado
quedevesero priinoiro candidato da pro-
vincia, pan quesopossa ainda dizer, que
temos corarjlo e singue pernambucano, e a-
preciimos o verdadeiro mrito, elegendo
para represonlsnto desta provincia o Exm.
Sr. general Jos Ignacio de Abren o l.ima.
O verdadeiro pernambucano
Srs Redactores.Conslando-me, quo al-
gumas pessoas desaffectas ao mi u particu-
lar amigoo Sr. Dr. Antonio Coellio iteSa c
Albuquerque--procurim arreda-lo das ur-
nas, esnalliaii lo que ella he candidato pela
provincia da Parahiba, h que 15o dignamen-
te presido, apresso-me em ileclarar, que
elle nflo he candidato por aquella provincia,
e que antes preferira nflo ler um assento
na cimira quatriennal, do que prevalecer-
so do ilto cirgo, que all oceupa, para alean-
ca-lo. A bonra a que aspira e queconsidera
como a mais subidi, he a dc representar a
sua trra natal, con a qual estilo identili
r.adoi os seus interesse os mais legtimos,
o as suas a!Teic,es as mais puras o cItis.
Nao sirva pois esse invento calumuioso,
esta artimanha mosquinos, para que deixe
de ser lembrado, no dia 7 dede/embro, o
nomo do distincto pernambucano, o Sr. Dr.
Antonio Coelho de Sa o Albuquorquc, um
il is mais brilhantes ornamentos da moclda-
de esperanzosa desta provincia.
EITITAES.
Senbor.Redactor.Ha poco evaogelisou
uesla frogueza o virtuoso prefeito da l'enha
o reverendo senhor pidro-mcstre Fr. Cscta-
no de Mi.-sma, encarregado por 8. Exc. Rvm
da visita da diocese. Portou-sa de um modo
mais que louvavcl, apresenlando nacadeira
da verdade a rigidez de S. Paulo na repres-
a9o do vicio, e em particular a affatsilidade
om que soube ansinuir-se em todos os co-
racOe. Grandes foram os fructos, que a
santa palavra exprimida oum uncao produ-
zio ootre minhas ovelbas, que em numero
de sete a olto mil peisoas ounram com re-
ligioso respeito ao enviido do Seolior. Ape-
/ar de ha cinco annos j ter Uinbem aqu
missionado o reverendo padre-mesire rr.
Henrique, que fez relevantes serricos a igre-
ja de Dos, houveram agora cincoenta e um
easamentos. sendo vinte e seis de concubi-
na tos, setenta e Hs biptisados; paramis
de duas mil pessoas confessaram-se, o oon-
lnuam aconfessar-se Chrismaram-se duas
mil e noventa e uma pessoas. Multas recou-
ciliacOes ii.iti .enini, etc.
Conhecen"
era a igreja ..._
livdades o grinde numero de n_ ... .
luejia, convncou ao mesmi para lilier-1nes Crrela l.ins Wanderley rontra Antonio
so um novo templo sobro a equena eartu-1 Alvos Keneri.
nada capella da Immacuiada Conceicm. I Todi a pesjoa que em ditos bens quizer
Sua voz foi unnimemente acolhida. Appa-1 lancar o poder fazer no dia da praija cima
dem dn dia 18
25:139,581
. 3235,538
28:375,119
DIVERSAS PROVINCIAS.
Rondimenl" do din 2 a 17 .1:652,8(1*
ldemdodia18.........321,622
1:977.186
RECF.RF.DORIA DE RENDAS INTERNAStE-
RAES DJiPKIlNAMBUCO.
Rendimnnto do dia 18 .... 581,797
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimenlo do dia 18 2:119.493
indicado ; e este ser* publicado e afilx
nolugir do costure, oque ser tiinbem
publicado pela imprensa, na (rma da le.
Cidade do Recifo de Perneo buco 18 de
novembro de 1852.-Pedro Tertuliano d*
Cuuha, eicrlvo, o subscrevi. Custodio
Minoel da Silva Cuimarles.
O Dr. Francisco Rodrigues Selle, juiz mu-
nicipal da segundi vira d civel e do
commerco deslacllulo do Recife e seu
termo, por S.M.I.eC &c.
Pelo presente edilal chimo aos credoras
dos fallidos Moraes & Soiros, commerenf,
tos desti prac, para que no dia 18 desle
correle mez, pelas II horas da manhai,
coaiparecam em casa de minha residencia,
na ra das Flores n." 21, do biirro de Sinto
Antonio uo Recife, para se reuolrem com
os mais credores adm do se verficirom os
croiitos e se deliberar sorra concordata
quando os fallidos a proponbam, ou se for-
mar o contracto do uniilo e so pruoedor a
nomeafo do administradores dos bens da
casa fallida; e advirlo os mesinos credo-
res que nenlium ser admittido por procu-
rador se oslo nSo livor poderes especiaos
pan o acto, e que a procuracRo nSo pode
ser dada i posso que sej devedori ao fal-
l lo, e nenhum mesmo procurador p le
representar por dous diversos credores, 10b
peni de rovelia
E para que chegue a nolici de todos nan-
dei pissir o presento edi.lil, e oulro do
mesmo theor que sero alixados na prar; do
commerco e publicado pelo jornal.
Dado e pissa lo nest cidade do Recife aos
15 denovembro de 1858. Eu Manuel Jol
da .Mol i, osciivgo o subscrpvi.--Frincis.
Rodrigues Selle.
O lllm. Sr. inspector da thesourari
provincial em cumprimento da ordom do
Exm. Sr. presidente da provincia de 8 do
correnle, manda firer publico, que nos dias
23, 24, e 25 do mesmo ira a prar; pira ser
arrematado perante a junta da fazenda da
mesnia Uiesouraria a quem niaior prreo of-
ferecer as proprielales abiixo deolaridis
quo foram adjudicidisa fazenda provincial
para pagamento do sello de hnranfa do fi-
nado Jos Ramos do Oliveira.
Um sitio denomnado--do Manoel--isto na
eslradi de ponto do Uclioa, com cisi do vi-
venda, coxeira, estribara, sonzila,e arvo-
redos de diflerentcs frutos, avallado em
6.000,000 rs.
Urna morada de casa terrea junio ao dito
sitio, com seu quintal o com alguns rvorv
dos, avahada om 2:000,000 rs.
Urna dita na ra da ponte Velhi do bairro
da Roa-Vista n. 16. com uma mria agoa nos
fundos, avahada em 2.000,000 rs.
IIjia dita em S. Amaro lo bairro da Boa-
Vista com seu competente terreno junlu, a-
valiada em 2:000,000 rs.
Os preteiidenles comparecam nos dias a-
i'ima indcalos no meio dii na salla das ses-
ses da mesma junta.
para constar se mandou aflxar o prosen-
te e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de
Pernambuco 9 dn novembro de 1852.- O se-
cretario, Antouio Ferreira d'Annuuciirjflo.
i
H________________
Deca ni cocs
JViovinieiii" (iOfiOit.
Navios entrados no din 18.
Parahiba -- 12 hora<, hiate hrasiolro Con-
ceicflo Flor das Vinudes. >lo 23 toneladas,
m">tro llernardino Jos Bandeira, oqui-
pagem 5, carga loros de mangue; a Pau-
lo Jos Baplisla.
Rio de Jmeiro -- 26 dias, brigue brasileiro
Santa Barbara Vencedora, de 232 tonela-
das, capilflo Joflo Vic orino doAvellar,
eqoipagom 12, om lastro ; a Amorim & I-
mSos. Vcio rocobor pralico e seguio pa-
ra o Asri.
dem 21 dias, brigue hespanhol Rircel ,
de 239 toneladas, capitflo Jos Fonlrodo-
na, equipagem 14, om lastro ; a Viuva de
Amorim & Filhos.
Navios sahiios no mesmo dia.
Rio Gran le doSul -- brigue brasileiro Pim-
peirc, capitflo Joflo Jos Fernandes, carga
saleassucar. Conduz 1 esenvacom pas-
aa porte.
Rio de Janeiro o prlos intermedios -- va; or
brasileiro S. Salvador commandanlo o
primeiru tenente Cnulinho. Conduz a seu
bordo, o bicliarel Ernesto Po dos Mares
Guii eescravo, Dr. Antonio Honorato Frei-
tis R e 1 esrravo, Dr. Manoel Jos dos
Res Jnior, Joflo Ribeiro Borg^s, Miuoel
Gircia Gil Pinienlel el escravo, Estevflo
Vaz Ferreira, Francisco Caelano Almeida
Galeflo elnsiravo, D Virginia Falque e
5 escravos, o preto lire Manoel Thoodo-
ro, 5 soldados do segundo de arlilharia a
p, 1 ex-dilo c 2 escravos a entregar.
O Dr. Gusto lio Manoel da Silva Guimarfles,
juiz dedireilo da primeira vara do com-
merco nesti Cidado do Recifo de Pernam-
buco, por S M I. e (',., de.
Fafjo saber aos que o presente odital vi-
rem em como por esle meu juizn, no dia 19
de novembro, om a sila das audiencias, se
ha de arrematar em praca publica, a quem
mais der, o segunte :No logar da Ibura
o sitio denominado Allemflo, com cas de
taipa, e diversas outns casas de laipa ren-
deiras ao mesmo sitio, com'alguns rvore-
dos ; divi le com Ierras do engenho de Dioiz
Antonio de Moraes e Silva, logo perlo da
casa do mesmo engenho, e attendendo a
eXtnsflo do dito sitio, irvoredos renda
uvaliada em 3:500*000 ris, assim como uma
le maltas nos outeiros do Zumhy,
poreflo
do o prefeito quejpui pequea i pouco distante do mesmo sitio, avahadas
matriz para icoimhJStrnisfei- om 200|000 ris, cojo sitio e maltas vil *
a Ira-j piar; por esecueflo do hacliarol Joflo Antu-
0 arsenal do mirinha precisa com.rar pa
ra fornecimciito dos navios d'armida, barca
de escavaeflo c enfermara do marinha cm
o mez de dcz'mbro vindouro os gneros se-
guimos, snndoelloi da melhor qualida lo
arroz, azcilu doce dc Lisboa, dito do Medi-
terrneo, vinagre, issucar, bacalhu, caf,
om giflo, carne verde, farinha, feijflo, lenhn,
pflo, bolaxartoucinho, vellas de carnauba,
espermaoi te, e azeite decarratalo. As pea-
s ios que si propnzorem a forneecr seine-
Ibantes gneros comparecam naala secreta-
ria dia 20 do corroule ao nvio din com as
suas propostas cm crias focbadas, o os
coercientes amostras. Sccretaa da ins-
pectora don's-nal de msrinba de Pernam-
buco 18 de novembro de 1852.O secreta-
rio, Thom Fernandes
n ni.'o dc Perriamhuro.
Por nrdem do conselho de dlreccflo do
bsneo de Pernambuco.se faz publico, que os
desconlos de letras com n veticimrnto at o
lim de Janeiro vindouro so fazem a 9 por
cento, e aquellas al 6 mezes de prazo a 10
por centoaoanno. Compra letras dequal-
querquantia sobre o Rio de Janeiro, a pra-
zns rasonveis, pelo pro nio que se eonven-
cionnr, e,veiide-is lambem para all a di-
nheiro avista, sem preniio oigum. -Banco
do Pernambuco 18 denovembro de 1852
O secretario do consellio da direofto, M.
lo Oliteira.
I! .iii-ii re Pernambuco.
Por nrdem do conselho da dircetjto do
baneo do Pernambuco, se avisa aos Srs. ic-
ciomstis que a terceira n ullioa prestacilo
de suas acr-Oes lem de entrar para a caixa do
mesmo banco, desde odia 2 a 15 de Janeiro
prximo futuro, em cujo acto Ihej serflo en-
tregues as inesmas necees. Banco de Per-
n.ini .. i 18 de novembro de 1852.--0 se-
cretario do consolho de diroccilo, M. J. do
Ohveira.
-- cidadfio Francisco Biotista de Al-
meida,annuncia a quom ennvierque seaclia
em-exercicio da vara de juiz do paz da fro-
gueza do S Jos do Recife, o d audiencia
as segundas o quiulas-feias s 4 horas dn
tarde, em casa de sua residencia, ra do
llortas n. 140.
-- Cela subdelegaci.) de polici da freguo-
zin diia. Jos do Recife, so communica a
apprchencao do 18 covados incompilos dn
panno da Costa, que um preto escravo au-
dava offerecendo para ven ler, pe ra das
Cinco Porfas quem fr seu dono compa-
rece, quo provando Ihe sera oiit'Cgue. Sub-
delegada do S. Jos do Recifo 17 de novem-
bro de 1852. O subdelegado, Francisco
lia. I-si i de Almeida.
Pela subdelegada da frogueza dos nf-
foga.los so faz publico, que so ichi recolhi-
da a cadei desta cidade a preta de nome
Mari, de nacflo rebollo, que representa ter
40 anuos de idide, a qual diz ser escrav de
Francisco Borgcs .Machado, viuvo, senhor
dos engenhos Parazinho, Mono, e Bello-
prazo, u cidade da* Alagoas, e quo diz a
dita preta fazorem 3 semanas, que so acha
for 'da caa do sen sensor, em rasflo de
ter arotnpanhadoo preto Luiz, marido dol-
a, o qual linlia no engenho o nome de Fran-
cisco, por diz ir olio que uns homens, o ti-
nham furia loe ven H.lo a uns siginos, es-
tes o venderam ao dito.Borges, sendo pois
dito preto Luiz, escravo da .Sr. D Josefa
Barbosa do Albuquerque monden ni lloa-
Vingem, assim como dedarou o dito preto
quo a oito mezes pouco mais ou menos foi
que deixou a casa de sua senhor, pan on-
de hojevrio : porlantoa pessoa.que so ju|-
gar com direito referida escnvi comp-
rela nesla subdelegaci munido do seus
documentos justificativos, quo Ihe ser en-
tregue
-- O irsenal de guerra compra bactilha,
papel almarjo e de peso, pennas o tinta preta
de escrevor, ohreiiS, lapes.-taboas do cs-oa-
Iho do imirello, arima de forro, zinco em
turras, estanto em v -rgiiinliis, cobro v,i-
Ibo, chumbo em barras, litflo em lencol.tin-
cal, oleo de linhacii, sola curtida, azoita de
carra pato e de cOco, velas de carnauba, fio
de algodflo o pavios: as pessoas que laes ge
eros qui/.creni fornecer,coaipareijain no da
20 do correte mez munidas do sua prop
ti, e com
- Pela enntadoria da cmara municipal,
se avisa a todas as peisoa quo possuom cir-
ros, cirrocis, o vehculos docouduccao.que
no lim do currante mez, se acaba o prazo
marcado para pigamento do mencionado
Imposto, deven.io os meamos contribuirftcs
viiiini quanto antes rcalisar dito pagamen-
to, do contrario ficam sojeitos a multa do
cincoenta por cento do valor do imposto.
O arsenal de marinha contrata por es-
pado de tres mezes para as obras do melbo-
rameoto do porto, o foroecimenlo de pedra
do cantara bruta de nove a doze pollegadss
degrossura, e de doze a desesete ditas ; as
Siessoaa a quem fr conveniente semelhante
orneciinento, compareci tiesta secretaria
no din 19 do corrento mez ao meio di com
as suas propostas em cartas fechadas para o
lim icima indicado.
Os credores do laili lo Leopoldo Jos da
Costa Araujo, residentes nesta cidade, Viu-
va \ mu i o & Filho, Oliveira Irmilos V Cotn-
|.ai,na, Antonio Ignacio de Medeiros, Joflo
Tavares Cordeiro, Amorim & IrmSos, Joflo
Leite Pita Ortigueira, Manoel Concalves da
Silva, Russell Mollors & Companhia,Jns Ro-
driguos Pereira, Desne Youle& Companliis,
Antonio Francisco da Silva Carrito, Anto-
nio Joaquim de Souza Ribeiro, Novaes &
Compiuhia, Manoel Joaquim llamse Sil-
va, Manoel Jos Ribeiro, lus Cypriino de
Moraes Lima, Jaeinlho Elesbflo, Caelano
da Costa Moreira, Jos Joaquim Fernindes
o Antonio Comes ; Marcelino de Souza
Pereira do Brilo, em Lisboa ; 'Antonio Fer-
reira da Silva Santos, no MarannSo Novios
& Passos, no Rio de Janeiro; Araujo & Car-
valho, na Baha; Manoel Ferreira dos San-
tos Magano, em Santa Citharina; Antonio
Ferreira da Silva, em Sanios; Manoel de
Souza Gomes, Manoel Jos Rodriguea Valla
llares e Francisco Jos da Costa Araujo, no
Rio Grande do Sul, compirecam por si ou
por seus procuradores Instantes no dia 22
do crreme mtz ao meiodi, em casa da
residencia do Dr. Fnucisco Rodrigues Sel
te juiz municipal da segunda vara e do
comniercio na ra da Concordia n. 2
para assislrern a prestseflo e oxa-fle das
conlas do administrador que fni dsepnsado
da administricflo da casa fallida. Recifo 15
de novembroile 1852.O escrivflo intorno,
Manoel Joaquim Baptista.
Gompanhia de Beliiribe.
directo! dacompanhiade fie-
hirilie convoca a aasembla geral
dos .senhorci accionistas, para o
dia >..) do correntc, as io horas da
manhSa, fim de se dar cumpri-
mento ao disposto no artigo 17
dos estatuios, e de se tratar acer-
ca do nono dividendo. Escripto-
rio da companhia de Bebiribe 45
de novembro de i85a. O direc-
tor, Joao Pinto de Lemos.
real companhia de paquetes inglezes
a Vapor.
a*Xfa\"jk No dia 20 desto moz, espe-
rn-so do Sul o vapor Toviot ,
r 1 11111.11 lant'1 0ni>low,o qual
depois da demora do costu-
mnseguir paraos pollos da Europa : par
pessageiros. t'nts-sc nm casa da agencia,
na ra do Trapicho Novo n. 42.
THMTliO
Aviso diverio8.
Importante para o pu-
M co.
Pelo vapor S. Salvador, entrado no da l7 do
corrate doi porloi do Norte, reciberaiu 01 -
geolei do xarnpr do bosque neila cidade e
provincia, asegulntc carta viada do l'ar la-
bre urna maravllhota cura da terrlvcl moles-
tia da Asinina cujo remedio vende-ie uol-
caineula neita cidade na botica de Bartholoincu
Francisco dc Souza, oa ra larga do Rolarlo
n. 36, ai garrafal a 5/500 e nielan girrafaa a
3/00O.
Illms. Senkori.
Sabbado 10 de novembro de
1851.
Priinoiro beneficio de Jo3o Antonio da
Cosa
Oepois da execurjflo de uma escolhida ou-
vortura, subir scena pela primeira vez o
drama portuguez. composir;So do joven lt-
terato o Sr. Ernesto Bicslor, cm 5 ocios o 7
quadros,
O Linipa Candieiros.
Esto drama, monos noUvel pelo ltalo, do
que polo seu inlcressante enredo esituaciles
dramticas, revela um distincto talento no
seu autor. Foi representado cm Lisboa com
miiilos applausos e geral acoilncflo.
S'guir-se-ha uma Josoia farca.
Finalisar o espectculo com o bello
duetto,
0 Mestre dc Mtica.
Cantado pelo Jicneflcia lo e a senlio^a I).
Mana Amalia Monteiro.
Principiar as 8 horas.
Os bilhetes acham-so disposi(So do res-
peilavel publico, em casa do beneficiado ,
n ra da Cadeia de S. Antonio n. 7 e no
oscriptono do theatro.
Avisos martimos.
Para o Rio de Janeiro segu impreteri-
velmonle no dia 20 do corrente, o brigue
Paquete de Pernambuco; par o reslo da
carga e escravos a frete, trata-se com o pro-
prielirio Minoel Concalves da Silva.
l'.-iii o tiio de Janeiro.
O brigue esciini nocional Olin
da, segu con muita brevidadepor
ter a maior pirte de seu carregi-
mento tratado : para o resto da
carga e escravos a frete, trata-se
com o cuntan Manoel Marcnno
I-'errcira, ou com os consignatarios
Mu-linio ck l'iiilirirn, ni ruado
Vigario n. 19, segundo an.lar.
Para o >io de Janeiuo.
Segu viagom o brigue brazileiro Marian-
na, capiUo Joso da Cunta Jnior, quem no
mesmo quizer arrogar cirga, escravos, ou
ir de pissagem filie com o oito catilflo, 011
com Manoel Ignacio de Oliveira na praca do
commerco n. S.
Tendo eu do eitadodc celibato paisido ao
conjugal, cm 26 de junho de l50, com Fio-
riada dos .sanios \ o i'i .1 de Leinoa, cnlao joven
que apen as coutava 16 a 17 aonoa ; mal
noa primeirna inetea de incu cousorcio miuha
chara esposa passoubem, com quinto e aou-
briie que ella desden oaaciinento padeca Aa-
throa.
1 en.1 1, porein, eu de leguir para as libas
dodisiriclo delta villa, ao fabrico de gomma
claalica, crjlo que por terrecebidoo ebeiroda
fuinaca do Ourucury (caroena com que edfu-
niao lehe J na opcracSo dcste fabrico iflcclou-
Ibe o pelto dc tal gulaa que em poucos dial teve o
terrlvcl elle 10 do m -1 E qual uo serla a mi-
aba lorpreza ao vc-la um calado deploravel!
n'uiua conalernacao agUida ? Sentarla n'iiina
rede ora subindo, opa descendo, os olhos Btoa
excluslvaineale no r, apenas coin algn
movlinenloa de oaos, ou acenos iudicava o que
.Iiici i.i pois a falla lite I dlava. Era uma
scena laaliuioia .' 1 Drbaldc ac Ihe applica-
vaai ramedioa indlgenii, e di botica, niaa
que Imporuva csacs esforcoa ae o mal nao mi-
norava.
Dmava a acelo cm toda a sin energa um
periodo dc Irej aquatro dias, c com o ioterval-
lo dc quaado, muito, outroi tantos dias de me-
lliora, descamando das palpiucdes que pela
turca do mal padeca. Euto durante o mal na-
da coima, nada beba, ae 11.10 gotla a gotta de
agoa para Ihe nao lollicr a icspirco, c quan-
do lic.iva boa, se queiiava de loduJ os orgaos
puluiouarca. N -le calado dc couaas, era-nie
loi. ...o dar ordein a vida, mas anlevendo catea
ataques quasi momentneos estnorecia1
Huma .unle.o 1 1.1 aura acmn menor ali-
vio na aua aeco, era um viver acerbo! mas li-
nha o pMier de eaiar na companhia de meu lo-
gro o capiUo Ma noel Pereira Lima, e ininba
sogra I). Anna de Lyra Pereia Linn, que, cun
incancavel disvelo c amor patcrnal.derraiuavain
lagrimas sobre sua lillia iu vc-la n'uin estado
quaai a auccumblr. Mullas vetes vlrava 01 olboa
cabla da rede, e lacs oomtorsiJes larda que inaia
pareca gotta que, muro nial.
.. En me vi quasi desesperado, mal diienrlo
0 meu fado que me aguardava. ie oolte nao
era possivel Uciiar oa circunstamea dormir ;
n'uma csteira me deilava por baixo da rede,
paia que, quando dc mim preclsaiie, me acor-
dis l-o nesla criseque elle leaenllo uoestado
de gravidet, e quanto mais ic aproiimava ao
parlo mais conlinuav o mal : ouvia dicr-que
niioiias peasdaa depois do parlo, licavam res-
1 ii.-ieci las. c eis onde Armara mluhaa espe-
rancaa,
Tema, que durante a acco do parto nio
fosse acmiiiiieiiida, mas a Providencia veluu
sobre esta int.li/ at que chegou a hora, a 7 de
setembro do imn passado, que mlulia esposa
deu lo/ um Innocente, c com um parto lau
feliz como sc nada pa lecesse ; durou apenas
oa syntomas do parlo meia hora. Daqul em
dame esperava o mal extirpado, porein dali
a 6 ou 8 illas d-lhc com mais violencia do que
cutan, eeis as roinhasesperancas mallogvadas !
Miiilii esposa vio-se na urgencia dc nao ali-
mentar no.-o charo lilliiubo, c quando via a
este Innocente, ou que o ouvia chorar, agita-
da pelo o al, alUicla, era um espelaeulo (Mo-
roso !.. ominas vetes Ihe ouvi dl/.crahl se-
ra possivel, meu charo filhinho que a Provlr
deucia dando-mc prdigamente tanto lello le
veja mendigar de porta em porta! I Ser pos-
aivel que eu auceumba, e Ce deixe orpho, de
um iiict! ah be o que mais uic alllige. F. as
lagrimas em 11 un -Ib. pelo rosto. Nao era s
ella que se magova, era cu tomo pal, c espo-
so. Delibere! liiulinento manda-la tratar na
oapltal, e l'jl na companhia de seu pai c su.
mai, c ali ful tratada ptimamente pelos m-
dicos; mas inladumentc nao cessou, durante
2 meses que teve dc tralaincnlo, vollando ape-
nas cun alguuias uiellioras; disse-mc entilo co-
mo quaai um idiota completamente !! llum
dia que, leudo soccgadamcntc o Trcze de
Alaiu depare! com o afamado Xarope do
bosque- e II a cura do mesmo mal na fre-
gucsia do Iriri --a thoiuazia Mariana Con-
celcio!... posso dlzer que cobre animo, live
nova vida, deparei cum o meu Anjo -- Tule-
lar Procure urna occasio pa,ra mandar vir
uma garrafa, aqu.l clicgando-mc a 28 dc julho,
appliquel urna dse, c gracas Providencia
Divina al huje ao appareceu esse ma
Miaba esposa cobrou furcas, tomuu alent,
c posso com o favor de Ueos dircr, que est
rcstabelccida com urna s gnala I Tal he a
aua eilicarl 1. Meu lillio que tema appareccase
com esle mal, al boje o nao leut.
Queiraui, por lauto, aceitar 01 cordiaca vo-
toa e benvola consldcracao, e eslima em
tributo de gralidao. e eoa loitifique o grande
inventor de lau cllicat iiiedicina a legar pos-
tendade um compendio do nico reme-
dio da Astheuia para salvar a grande al-
luviio de crealuras que padcela este mal
Pela minlia parle recomend a todos que
oU'rcreiu esle mal recorram ao Xarope do
Bosque o nico remedio, e suive de se lomar
SOU de V. SS. alent venerador e crudo
obrigado = Villa dos llrcves. > de oulubro de
18M Jos Uoiicalvet de Ltmvs.. Eslava rc-
conhecida.
Deseja-se saber cm que ra da vasia
cidade de Londres mora a directora da via
frrea desta provincia. Assim como se fara
o favor do vender vinte mil acQos a dinhe-
ro : quoii soubcr annuncie.
-- Preciss se do urna ama, pnrn lavar e
engommar, vin lo pelas 6 horas da manila'
,. .oanlo s 6 di (arde; a quem convier
oslo negocio dirija se ao atierro da Ila-Vis-
ta, luja de calcado n. 58.
-- Pedc-so aos Srs. -recebedores de mer-
caduras, pelo patacho sardo Alige. vindo
de Londres, com o conhecimenlo a ordem,
hajam de comparecer noescri.itiro do Jos
Saporiti, la da Cruz 11. 18, consignatario
.10 dito navio, alm de BllisfazereDVO fete
que devom, visto nilo so ter podido sabor
quem sojam.
Atteticao .
No dia 12 do corrente ausoptou-se da casi
do seu senhor, n 1 paloo do Car Jio n. 18, se-
gn lo andar, uma mulata que representa
ter 35 a 40 anuos de idade, do nome Bernar-
dina, com os signacs seguintes :-cr lva,
roslo comprido, nariz grande,olhos um tan-
to pequeos, o n inz e corpo avermolliado,
cabellos crespos, tim bastantes manchas dc
-- Antonio Joaquim de Alm quer fazer
Ver ao publico quo o annuocio quo sabio
contra elle nio he valido, e quer siber por-
que motivo o querem prender, o pede res-
posta.
Precisa-sede uma asa deleite que nSo
tetina fllho: na roa do Sevo, casa terrea o
solBo, dcfront'i do theatro publico.
-- Precisa-se de um' bom forneiro: nis
Cinco Pontts n. 38.
.huilln das Damas.
Sahio luz o n. 12 desto peridico, o ulti-
mo da segunda serio, cobtendo, como to-
dos os outros, ni tenas de ostruccllo o de
recreio. I va una tnodiriha brasileira com
acompaohamento de piaoao, msica do Sr.
Pedro Nolasco Uaplisla. Os 12 nmeros do
Jardim das |iam>s li boje publicados con-
t.'in 208 paginas de texto com duas colum-
nas cada uma. A parte instructiva compOe-
se de la dilogos sobre a creacio do mondo,
sobro a existencia o attributoa de Ueos.e so-
bro nossos deveres.tanto pira com elte ento
como para comnosco ; do 7 licOes de aiilh-
nielica, de 8 cartas sobro a pbysica, de 3 0u-
tras sobre a psychologia, de II artigos sobro
moral,e de diversas variedades instructivas.
A parte recreativa conlcm 25 compnsitjOes
poticas, 12 romances, ISoontoi, 1 drama,
varias anecilas e diversas receilas utois o
curiosas. Estes 12 nmeros sSo acompa-
nhados de 4 estimpas conlendo 87 riscos do
bordados, de 3 outras conlendo 21 moldes
de labyrinto, de 3 ligurinos, d 2 modinhis
brasileiras com icompanhamento de pianno
edo uma shotsh. Assigna-se para o Jar-
dim das Damas na na i-slroita do llosario
n, 2, primeiro andar, razRo de 2,000 rs.
pagos adiautados c por serie de 6 nmeros,
as series ivulsis veodem-so a 3,00o rs. cala
uma. Os moldes de bordados e dc labynn-
los Jados pelo 1 u- lim das Damas sao todos
vindos de Franca. Para a semana .salina o
n 13,0 primeiro da terceira serie.
Umbolino Moreira de Oliveira Lim*,
embarca uo segunte vapor para o Cear, o
leva c imsgo o sen escravo Manoel.
Precisa-se do um criado ; na ra rjo
Hospicio n. 9.
A 1.......1 quo annunciou querer com-
prar urna luja do facundas, dirija-so a ra da
Cadeia do Recife n. 10.
- Oabaixoassignado faz publico.que Jo-
s Rodriguea do Souza Rocha, deixou de ser
administrador da su loja de ferragensda
rus Nova n. G, sob a razo de Valentim da
Silva & Companhia ; a qual contina sob a
admiaistra^iio do Joaquim da Cruz Lima.
A. V. da Silva Barroca.
O abaixo assignado faz publico, quo
deiiou do ser administrador o iuteressado
na loja de ferragens da ra Nova n. 6, quo
girava.sob a firma de Valootioi da Silva #1
Companhia desde o dia 8 do corronto, lilcz.
Jos Rodrigues da Silva Rocha.
Deseja-se fallar com o Sr. Jos Joiquloi
Pereira de Campos quo veio de Timbaba
para esta cidado ; roga-se-lho por tanto
o favor de aparecer em casa de Manoel Igna-
cio de Oliveira, na prnca do commerco n.
6, ou annunciar sua morada para ser procu-
rado.
Alugtm-so 2 sitios, muito porto desta
ri ac, um com g'n le cas, com cornmo-
dos para grande familia, com hanho muito
porto, boa agua do beber, jardim e planta
de capim pira dous eavallos, trras para to-
da livoum, lugar muito fresco pelas gran-
los mangUOlria que lem junto da casa ; o
segundo lem boa casa com um sold, baoho
muilo perto da casn, ba agua de bebor, e
Ierras muilo boas, os pertendentcs drijam-
sc a ra da Cruz sobrado 11. 5.
--Quem precisar alugar um preto idoso
para amarrar lenha em urna propriedade
distinto desta p'ica logon e meta : procuro
ra DlreitS segundo andar do sobrado
n. 120. quo actiaia com quem traclar.
Desapparcceu 110 du 16 do corrento s
9 horas d 1 iioilo urna escrava de nomo Vi-
cencia, crioula, do idade 24 annos pone 1
mais ou nio nos, b.ux 1, muito rcgrista,com
falta do um denle na fronte, inculca-so do
forra : levou vestid 1 de chita com li.str.is cor
de rosa, e nutras romas : que n a apprehen-
der podo leva- a cisa do seu senhor ra da
Cruz do Recife n. 53, que ser recompen-
sado.
"Aluga-ao uma preta moc, cosinha o
diario, ensalma, e compra, he liol, engom-
mi com pouca perfeic,.1o : na ra Direita n.
24, segundo andar.
Precisa-se de urna ama do Icite, o a pes-
-u que quizordirija-se a ra Nova n 14, ou
na iloa-Visia no becco das barrei'as n. 3.
-- Precisa-se alugar uma casa terrea ou so-
brado, qu lenha boa sala cm uma das prin-
cipies ras da Boa-Vista : a tratar na ra ila
ni .ti 1/ da Boa-Vista 11. 22
/ Precisa so alugar urna, preta, forra, 011
oaktlra. paia casa de homem solteiro, sendo
jdemea idade, quo cosinhe, engoma e
compre: na ruada Cruz o. 37, primeiro
andar.
M S< M aV*aS#
9 U'ii |ireceptor estrangeiro, oceupa- w
9| do em rnaillir as lingoas francez e sjpj
a) alloma, gcomelria,arithmetica, gen- aBJ
a) graphia, algebra, e physca malhe- #
matica deseja preencher algumas %)
^ huras vagas com o cusirlo destes prc-.s>;
a) paratorios : quem quizer ulilisar-ae aV
i dc seu prcsiimo, o achira a qual- 4 quer hora do da na ra da Cruz do ft)
a) Recifo n.l. #
*??<' :?*-^>R*"V!
Desapparcceu no dia 6 de
novembro corrente o preto Babi-
no, denacSo Congo, idade pouco
miis 011 menos 28 annos, magro ,
al'o, e tem um lalho no rosto se-
mellmnte a tima meia la ; Jevott
camisa de algodSo da Babia, e cai-
ga de riscado azul de listra larga :
quem o pegar, leve-o a ra da Sen-
zallti Velba, armazem n. i/j, ou
na l'assigcm no sitio de Delftno
Concalves Pereira 'sima, quesera
recompensado dosen trabalho.
,liia-se annualmente ou
Para O UO de Janeiro sabe j forra" ein qualquer parto por 8erdisf no dia ,6 de novembro o brigue ] ^^^^^ tZZ
nacional bagitano: para o reato da !n0, do carmon. 38, primeiro andar, que te-
carea, oassageiros, <>u escravos a U* muito boa graiincaco.
'o I"" rs > I .. yfierece.je um moco brasileiro de boa
frete, trata-se na ra do Oollegioconilucl, ,,rt ,7 ais annos do idade, pin
n. n secundo andar, nu com O ca- caixoiro de engenho ou nutro qualquer ne-
ij j i ._; 1 roco fra desta praca, o qual lem pratica
pitao Joao de Dos Pereira. do commerco quomooretenlrr. dirija se
Para O Cear ja ra do Torros, esquina do Corpo Santo.lo-
Salie com multa brovldadeo hiate Augeli-'ja de sapalciro.
iinnos pelo co-po, bracos n costas, altura pelo lempo da iesta [ com prelc-
V^!l^iL^SS,JS!lSZ2Sul rencia ao primeiro] urna excellen-
te casa de enmpo, na estrada do
l'ogo, com todas as commodidade
para familia, quartos para negros,
muas uan lo pega o 11 qualquer cousa \ le
vou vestido brinco, chale da quadros en-
carnados o rouxos, rpalos de cuuro, e uma
Irouxa com alguns veslilos, um panno do
lili eucarnado e hranco; 1 de uassar por
ca.queja tem parte di carga, e para o resto,
trata-se oa ra da Cadeia do Recife n. 49,
__i_)ne n quizer comprar ou arrondirum
sitio na Estrada Nova, o qual tem prupor-
possiveis dse trazerem.
rimeiro andar, ou no trapiche do algodo, edes para va ceas de Icite e plantacac- de ver-
un o mestro dura, dinja-soao nieajio lugar, a fallar com
Para o Aracaly jo Sr. major Villaseeea.
Saho com minia brevidade o hiate Flor do -- Precisa-se de 11111 homem de meia Idl-
Z".\ Cururiie por ja lor parto-da carga ; para o de forro ou captivo, para trabilhar em litio
musirs daquelles objeclus resto e p.ssageros, trata-se na ra da Ca-! na passagem de Magdalena, dir.ja-se no af
rosto e passanenua, ina-> "- .-- r------p--------.- = ----; ---
deia do Recife n. 49, primeiro andar. imazem da ra da cadeia do Recife 11. 2.
cosinha fon, estribara c cocheira,
sitio com bastantes fructeiras, llo-
res e bortalica: a fallar na ra da
Cruz n. 10.
Precisa-se ile urna crr da para casado
ponca familia : na ra Direita n. 100.
Ausentou-se no dia 8 desle corrente
mez de tiovomm-o, Jo sitio do aluno assig-
nado, na eslra la do J080 de Barros, o es-
cravo Pedro, de nir;3o Angola, idade para
mais de quarenla annos. estatura regular,
com bastantes mircas de bexgas no rosto,
mai foilo de ps por Ur oa dedos muito aber-
los : quem o conduzr a entregar a seu se-
nhor no meso,o sitio, ou na ra Direita 11.
21 ser bom pago do sen trabalho. Joaquim
Bernardo do Kigueiredo.
Precsa-se do um refinador, na ra do
Vigario 11. 8.
?
J MUTILADO


- H bastantes mu.1.1 Manoel. sepaleiro rscravo do Sr.
major Felippe, e com esia prisflo (em-so
conservado o bairro da Boa-Vista, miia
santo deroubos : louvores aejam dados ao
lllustroSr. Rufino, digno sub-delegadodeste
bsirro. Estatal Slanool porseruseiroevlsei-
ro om rounos, lioha passado a exercila-Los
il'iim molo caro, fazendo bilhetes falsos a
cortil pessoas om nomo dooutrera, pedindo
- Francisco Antonio da Cunta Matlos,
fObdlto portuguez, rotira-se para porlugal
( tratar do sus saude.
-- Precisa-ae de urna ama para o servido
interno e externo de urna casa de pouca fa-
milia ; a tratar na ra Relia o. 33.
Precisase de officiaes de charuteiro ;
no aterro da Roa Vista n. 77.
Aabaixo asslgnada rosa ao Sr. L....
C... B.... o favor de mandar pagar o d-
joias, as quaes revaitia om pioveito seu, nheiroque tomn emprestado a um rapaz
como succedeu com Leocadia, quom por
esta estrategia po le saccar em nomo de
Thcraza Cbristina, I par da brincos dear-
ma?3o mi valor de 30,000 rs. e nflo Fomen-
to este, coreo tois outros roubos do igual
Iheor,segundse provam com os billietes
do igual letra (porque o dito Mannel sabe
Ii.t o oscreverjque so acharo em poder do
Sr. aub-delegado que cooferindo acliou-os
exactos, o mesmo o Sr. suh-dehsgado j bas-
tante est informado do dito Manoel, em
quinto suas boas rapias; porm nlto obs-
tante a perspicacia do Sr. sub-delegado, tem
que estava desarrumado, e juntamente en-
tregar oslamos quo Ihe tomou quandn mo-
rav* no solSo.A preguica da ra das Trin-
cheiras.
l>rccisa-se de um homem quo sslbe
traballinr enm carroca.e que tcnba boa con-
ducta na ra do Santo Amaro n. 8.
-- Precisa-se do um padre para dizer as
niissas da Testa de natal, o mesmo para con-
tinuar de capellSo; sendo que queira, pode
dirigir-se ao largo do Livramenlo n. 20,que
achar com quem tratar.
Quem prociaar do um sacerdote para
scmpre oroubador escapado por'tor bom- dizer as niissas da festa, ou mesmo ate Jo-
protector j porm desta vez julgo que a lor- vereiro, na ra do Collegio n. 19, tercolro
ca do dito protector estar sem cITeito, por anJar, achara com quem tratar,
jserem muitaa, e creio quo ja se achn o Traspassa-se o estabelecimenlo do bi-
proceeeo mandamento.o sej ultimado no Ihar o botequim da ra .Nova, porque a pes-
os t, he por causa do protector que anda em. soa encarrogada desua adminislracilo reli-
vollas com es tcslemunhas. Julgo ser bal-, ra so para Macelo ; quem o pretender diri-
dadoeatetrabalho, porque o Sr. Rufino hada ja-se ao mesmo, ou junto so lheat.ro de >.
oslar lembrado quo o Sr. Caj, alfaiate, foi Francisco, a enlender-e com J J. de I aiya.
queixar-se-lhe doroubo que esta Manoel, Roga-so a seohora I). Mana Torquata,
lez a urna moca fregueza de costuras do Sr. baja quinto antes fazer inventario, e por
Caj, do um tranceln!, o um par debrincos, rneio la iuiprensa chamar pora p mesmo nm
uchando-se j empenhadas 2 pecas, e o pro- os credores de seu linado marido JoSo Anas-
lector empenhou-se, otirigando-se a passar lacio da Cunta, bom como so Ihe pedei pin
um papel, al o presente nSo pagou. Ro- que nao disponna das tros escravas Tlieo
bou Manoel escravo do Sr. major Felippe 'lora, lunez o Bu, visto nslarem sujeitas aos
.1. urna parda uui cordilo d'ouru com bas- dbitos de seu finado mando.-Uui credor.
tinte pojo, apresenla-so o prolector acom- -- OfTirecc-se um rapaz portuguez para
mudando o caso, de sorte que o resultado caixeiro de qualquer oslabolecimenlo, rno-
loi a pobre mulher ficar sem seu cordSo ; ro- nos venda; tem alguma pratica da lingoa
bou Mauuelna rus'dallla, de Jo.nni Bap- rrancoza.oda fiadores a sua conducta :qucm
lista 3 aoneloes, os quaes acharam-so em- do sen presumo so quizer utilisar.annuncie
penhados em nao de Bernardino sigar. oiro, par sr-r procurado.
por 11,000 rs.. o protector acommodou se -- Alua-se urna casa para dous a tres ra-
coma dona do roubodando-lho f.,000 rs., pazes solteiros, em qualquer ra do bairro
passaudo-lhe um papel por 3 mezrs, eatc o de Santo Antonio, c mesmo de S. Jos, da-
presento acha-sc a pobi o sem seu ouroos sefi.nca, e quem tiver um mao inquilino
paga com 6,000 rs. Manoel deflorou urna dospeca-, o appareca na ra Nova n, 26, loja
moca menor, que cnorava DI ra do No- de alfaiate. que achaia quem aluguo.
guoira, poreste rrimo estee oceulto em IjOlCI'iiUlc ,\ OSSil Cllllora
casa de Manoel Comes, o Jos Kloy, na ra .j
do Santo Amaro, o ao depois na do protoc- (JO itOSU'lO.
tor, filando impune desto altentado, pora n ll.ncniu-piro lpsta Iniprin (
nfendida ser desvalida. Foi Manoel socio U lliesoiireiro aesia lotera an
de um presepio na la do Nogueira, aondo ntincin, que as rotlas andam no da
gnslou oemo forro mala de lOO.ooo rs. Ma- 5 corrcnte, no consisti da
noel na mesma ra niubou do urna cnoula ..
do nomeSoda, t par d brincos, 2 aimoloes, igreja de Wossa Senhora ilo bi-
1 traiici-liin, o t par de solitarios. Itobou vramento, ainda que fiqtiem por
mais Manoel na o esma ra t rclogio, o des- ,.,?
tes facius o Sr. sub-JeKga lo est bem in- vender alguna bilhetes, o resto
formado que existe ceta a ven Ja nos luga-
--0 abaixo assignado roga ao Sr. .Marco- ... _____ ,1- 0,1.
lino Xavier Maia, morador na seninha junto res segllintes .-atierro da Bd-
de Pelra de Fogo, queira lera boudade do Vista, loia do Sr: Antonio da hll-
vir pagarasua letra da quantia de 515*120 C|m-tal loia do Sr. Viria-
u os juros vencidos d sdo 26 de nuvembro va laUmaraeS, lOja ao C5r. vi ra
det8t9, Picando certo, que lirado ver o sou to j ra (lo (jiil)llg, botica UO >r.
nonic por muitaa
de sor chamado a
amigavelaieiile pag
prouede t5o boa voiiiadese lli'asiou. Mo a,g0 ,)0 Lj'vramento, botica do
lie rouito dcsaiioso, Sr. Morcoliuo, um ho- B *> ,. .
mem, como s. s quesediz propii-urioe Sr. Chagni; ra Uireita, na casa
abastado de bens, pialicar desta forma, ca- Jjj fortuna n. T.
loteando aos rubros negoeiaoles da l'raca. .. A|us,.ge casil n. 86 da ra Imperial,
Francisco Cavalcai.to d Albuquorque. cnm Ues ,.uarlos cosnha fra o cacimba :
-llesapnarrceu a 17 uo err.-nto Manoel, tro[,r r|), ,rcju 32_ primeiro andar.
O corretor geral e agente de
leudes, Gregorio Antunes de Oli-
veira; acha-seestabelecido deho-
je em diante, com um grande ar-
mazem, narui da Cruz do Becifc
o. a5, o qual offerece toda a se-
guranc e commodos para se fazer
leilOes, vender em particular ere-
ceber em deposito, todos e quaes-
quer effeitos, sejam gneros, fa-
zendas, ou mobilias, e assini pre->
parado se offerece ao respeitavel
publico, e particularmente ao dig-
no corpo do commercio desla pra-
ca, para exercer as attribuic5es le-
gaes inherentes aos dous referidos
cargos, prometiendo empregar to-
dos os esforos para bem desem-
penbar as cotnmisses de que llie
lizercm a honra de o cncarregar ;
e pJe ser procurado em dito ar-
mozetn todos os dias uteis, das 8
horas da inanhaa al as 5 da tarde,
pois que ah tem coMocado igual-
mente o seu escriptoVio. Rccife 10
de novembro de i85a. corre-
tor ge rale agente de leiloes, Gre-
gorio Antunes de Oliveira.
mmtmmmmmmmm ttamm-^mmA
I CONSULTORIO g
J HOIYJEOPATHICO ^
EM
T-rtTTnj-i-^rrvr^rtrara--, JJ
%

ario, i|ue era un ver o sou 10, ra (10 vjiiniigii, uuuia uu 01.
yezesnisufoiha, oler 3lorera Marques; praca da Inde-
ijuizo, visto nao quorer '""" M I v
gar as fazondas que com- pendecn, Iojh 00 hr. fortnalo;
crioulo, repre>enla ter 26 aunos, alto, cheio
do corpo, sem barba, felfOCS iegUlarS, com
falla do denles queixaes, toado todos do
frente, fallando un um um taco: tem os pos
tollos para dentro, quo quando anda mus-
ir ser cambidu ; lm bem fallante e loni
alegre: levou roma branca osuda o suja, o
mais roiip1, cimisa do madapolSo, caira do
tilinetl blanca outra de lislrns nzues o ja-
quelado brioi dn quadro; ludoengomniulo.
sta piolo era oceupadn no seivico de cozi-
lili, lio do sup.or que esleja em alguma
casa seivindo como forro, sondo qu i al-
guem se esteja servindo uello, queira de*
nunciar-se, do contraria se usara dos ineios
1 1 rnutelist 1 Finia Barbozi
tem aind t um resto de billietcs da
Todos os domingos depois
da missa,
* ...
g O prolcssor homeopatha
Gosset Bimont, dar no con-
| sislorio da capclla filial, urna |
j rmi.-iilt 1 e remedios gratis a |
I todos os pobrcii que ali se i
(| apresentarem.
Precisa-so do urna ama para servicn in-
terno e externo do casa do horneo solteiro :
no alterro da lloa'-Vista n. 22.
Aluga-so um primeiro >n.!ar no bairro
de Santo Antonio, ra do Collegio,ou da Ca-
dcia ; a tratar na ra do Crespo, loja de fa-
zendas n. 2.
-- A pessoa que comprar ou adiar um ra-
xiiitii com os seguint?s signaes, tamanlr)
regulr,to lo branco com urna malhas gran-
des o rjadas por todo corpo, rac.a de (illa,
orelhas intuirs, pesunho das mSos, caula
muito curta, dirija-so ao atlorro da Boa-Vis-
ta 11. 61, que sera bem recompnsalo.
i'101-isa-so do um cralo : na ra do
Hospicio 11. 9.
Precisa>M alugar urna casa de dous an-
dares c Mitn, ou mesmo de dous andares
que tenha rommodos para duas familias.'nas
leguiotei mas: - tonio, Collogio, Cruzes, Paleo do Carmo, ou
em qualquer ra do Sanio Antonio, que soja
!c\:ira loteria do Hospicio Pedro;decente: n* ra doQueioidoa. *6, piimei-
II o8 quaes co,,ti.H.aavend,r;-;';;-8 canna ,em yWh.
pelos seguintea precos : na ra do A fundiao-d, Auror em s,nl0 Am,r0j
Quelmado, lojr. de (Jotiveia 8 Le- tem constantemente um siipprimonlo des-
te ; ra
miudezas
e e
de
ama ,1,1',,. ; l.ii-ii!p tas n.ocnlas. enlrooulrss multas, o sua uii-
arga do lf osario, loja de. |(Ji(|a |em sj0 ,., pf0Mdi po, ma ,
de Jo3o l'ranciSCO .Uaia, experiencia do 1S anuos; a primeira ten lo
tn (Vento do LivramcntO, loa'^o'-lti por um modelo aprsenla lo pelo
... ., ,. J senhor coronel Joaqunn Cavalcante do AIImi-
Alves l'inllO. 110 da 20 Cve uuerque pareo seu engenho Jardim depe-
e faculta a le ; ropa-so as autoridad, s chegar O Vnpor do Slll, e O Caute-: dras de Fogo, como .so ve do livro do en
,,i,i-\na n.nil,. ,u.,mnn mi niialnuer i- j j I llien las a lullilis 1t I, auno do IH3*.; c-
puiiaiacs, capuat.s uecimpo r ||i(a nc|ma niCllCIOlldi declara
ncooi-
lesde
pessoa, o' prendan, ou facam prender, o le- "n,a "'""" -- ---- 0[llo para ca mais do vmie moendas des-
va-lo ao seu senhor Antonio Itodrigues di que OS seilS lilllietcs premiados SC- tas tem sido leilas nesta rabnca como se
lera venero- ________. ,1........-i.. nn l. A ploverda lista que na mesilla fabrica ex-
e est.lo todas t hus da provincia, dando completa -a-
;ruz, na ra do Cabng, que sera genero- r2o pacos SBn descont, na loia de P" l
menle recompensado. ,, 1 j ;
--No dia 14 d coirenlodesappareceu da (Olvela i\ I.eite, e sem deinora. ongenl
Torre, sitio do Tuque, o escravo Antonio
com os signaesseguintes: cor prcls, repre-
senta lor u a 50 anuos pouco mais 011 mo-
nos, rusto descarnado, tem junio uo 0II10,
procurando a fonte urna cicatriz que parece
ler sido um talho ; he muito espalo lanto
no trabalho como 110 andar, o coslnma
afumas vejes embriagar-sc ; levou cal-
ca de algodSo azul, jaqueta prela, cha-
pp de ouuio. Ha descoulianr,as quo esteja
mesoio pela Torre oceulto e Iraballiando em
ceita casa, que dizem, costuma a comprar-
llielurlos: roga-se os rapitfles de campo,
auloridades 1 oiiciaes, prendam e o levm a
sbu senhor Francisco Cavalcante deAlbu-
Billietes
iMeios
Quartos
Oitavos
ViResimos
aa,ooo
11,000
5,5oo
2,800
1,100
A associafSo commercial dosta pra^a
acaba de receoer segunda por^.ln ilo arcano
do lir. I. lo:1 I Stolle, roinelti 10 pelo I lu.
Sr. J. D. Sturz, cnsul geral do brasil na
lisfacilo ausseus propriotaiiiis Este objoe-
lo se ennsegue, simplesmentc collocan lo os
dous tambores do balso, um em contacto
com o outro ; o oara islo poder ler lunar,
poem-sc duas cairelas no aguilhSo superior,
o urna om cada um dos infeiiores; as biidas,
ou brizos naturalmente estando 110 tambor
do cima.
.- Oabaixo assignado aluga a sua casa na
ra da Uoilo, ondo morou oSr. Bernardo do
(I Mello; a entender.se no pateo do Collegio
O I Ifi u 1 1 1 1 1 1 r a I ,, 11 1 >'u n.-j.i > -
l'russia; por js>o a mesma gratuitamente 11. 35..-(.. Xavier topes.
acuita a qualquiT sculior do engenhn desta
praija, esperando que qualquer melhora-
ineuto pelos mesmos encontrado o scienli-
querque, na ra do l.ivrameuto, 11. U que liquooi a dita assoeiacao commercial. Per-
lera recompensado. nambuco 16 de novembro de 1852.- Bernar-
Oabaixo assignado declara quo se Ihe do de Oliveira Mello, director e secretario.
deseiicaoiinhou da algibeira una letra da ___a nll,s rciicdora da i
quantia de 77!i|l500 a vencer no l. deja-.
neiro do auno prximo vindouro, cuja letra
he sacada pelos Sis. Franca & Irniflo, acei- !f.r.cJ
la pelo Sr. Claudio Dubcu endossada pelos ?tilitares, scienl.l
Sr. Antonio Jos de Castro e Tiburcio An- I ,n"ioi,,1u? ^ '",
- Alugam-se os tereniro n quarlo andares
com a cosinlia da casa n. 42 da ra do Tra-
picho Novo do Recife : quem os pretender,
dirlja-se o primeiro andar da dita casa.
-- i'ri-cisa-se de urna pessoa foria para o
serviQO inlemo de urna casi de pouca fami-
lia, de vendo esta sor de 30 a 40 a 11 nos de ida-
A mesa regedora da irmau- do': auem,,8,iver esiascircunstancias,di-
dado do Divino Espirilo-Sinto, erecta na r aja -so o ra de S. Francisco, sobrado n. 8,
jado Nossa Senhora da ConceicSo dos quo uando provas de sua conducta tralar-so-
scienlilica a todos os seus amados |ia ,|0 ajuste.
ngo, 21 do corrento mez, .. Acha-.-o na cochoira de Manoel Antonio
Lotera de S. Pedro Mirlyr de
Olinda.
0' tbesoureiro das loterias das matrizea
da Ba-Vista e S. Pedro Martyr de Olinda,
tem a honra de apremmlar ao respoilavel
publico o plano das loterias de S. Pedro
Martyr ltimamente approvido pelo Exm.
Sr. presidente da provincia. As.vantagens
que esto plano oflarcce aos amadores desto
licito jugo sSo muito superiores s que olte-
recem os planos das lolcrias do Rio de Janei-
ro, e por Isso o mesmo Ihesoureiro espera
que ser muito acnlhido pelo publico o su-
iiradito plano. Como infallivelinente tem
dejiorrer no da 35 do corrate a lotera do
Hozarlo da Ba-Vista, os bilhelos de S. Po-
dro Martyr estarlo a veoda no dia 26 nos
lugares que so annunciar. Recife 13 de
novembro de 1852.Jo$ Ttixeira Batios.
O abaiio assignado, previne a quem
interessar, para que nBo facam negocio al-
gum com a fabrica de charutos do largo do
Terco n. 20, peitencente a Thomaz de Aqui-
no Lope, sem se entenderem com JoSo Tei-
xeira de Souza Lima.
-- Aluga-so uma caaa Junto a Igreja, na
povoacaode beben be, da parte da sombra,
0 com 11 11 quintal soffrivel, com algumas
fruteiras o com 11 hanho no fundo: na ru
larga do Bosario tiberna n. 33.
--Urna pessoa comnetenteaienle habilita
da,se eocarrega de promover oandamenlo de
quaesquerquestOesjudiciaes civeis, ou Cri-
mea fazendo o adisnlamenlo preciso das
despezas, isto mediante uma pequea In-
domoisaco. Tambero se eocarrega gra-
1 111 iiiiic 11 -1; da defesa dos presos pobres:
quem precisar para qualquer dos duus flns
procuro na ra do llangel n. 59, segundo
andar, de manliSa ateas 9 horas, de tarde
das 3 as 5. Na mesma casa so diz quem da
dioheiro a premio em pequea quantia so-
bre objoetos do valur, desconta letras, sol-
dle ordenados de ambas as thesourarias.
99999 *****? 1> '9 ft# B
9 co.vsuromo homeopatiiico. 9-
? Ruado Trapichen. 9. *
9 O Dr. Casanova, estando de volta da 9
t Franca, tem aherlo o seu consultorio
9 na ra do Trapiche n. 9,no Hotel Fran- >
9 cisco, non,i d coasultas gratis aos (0
9 pobres tudos os dias.
-Tendo a meza regedora da irmandade
do apostlo S. Pedro desla cidade de tratar
dn negocios, cuja resolucSo depende de
una mesa geral, convida a lodos os seus ir-
aiSns para que so dignnm comparecer no
dia 18 do crrenle no coosiltoilo da mesma
irmandade pelas 4 horas da tarde. Consis-
torio de Irman lado do apostlo S. Pedro,
16 de novembro da 1852.--0 cscrivo Fran-
cisco Xavior dos Santos.
--Quem precisar de um preto moco, bom
bollen o e copeiro, quo sabo fazer espana lo
res com porfeicSo, vende se por necessida
de : dirija-sa ao Atierro da Bou Visla n. 84.
IWl'AL DI) INI. JAIIII,
TRAUUZIIH) EM PORTUt.UKZ.
16,000 rs. de ussignatura.
Saino a luz o primeira volume desta obra,
a melhor de todas em seu genero : o nico
vordadeiro livro, por onde se podo estudar e
pralicar a homeopathia. Est mlid.uii uto
imprrsso em excellente papel, com todos os
signaes que conlm o original para denotar
a ill-i i'iii.n do valor dos symplonas.
I.un ii,na a assignatura no consulto io lio-
meopalhico do Dr. Moscnso, ondo os sonho-
res assignantes pdem mandar receber o.a
seus cxempbres
No mesmo consultorio lia todos os medica-
mentos bo neopatbiCOI VEIIDADtlROS ; as-
snn como ricas eirtelraa, o reformam-so
quaesquor boticas, cujos medicamentos se-
rum falsos, un liclniiorados.
Av^o ao comiuercio.
J Vi.sto a (lelibernco da di-
ai reccao da associacao dos lo-
^ gistas desta praca recom-
i men lando aos seus mem-
bros, de nao comprarem, se-
ii'ni em 8 casas entre 17 im-
' portadores de fazendas e
p, como os abaixo assiguados
J sao uns dos interdictos ; fa
'. zem publico aossenliores de 4
> cngenlio, lavradores, fazen- f*
5 deiros e comnicrciante* .
9 tanlo desta cidade, como do f
DAVID YV1I.I.IAM BOWMAN, engenhoi
ro, machinisla e fundidor de ferro, mu
respeilosamente annuncia aos genitores
proprietarios deengenhos, fa,zendeiros, e
ao respeitavel publico, que o seu estabele-
cimeato de ferro movido por machina de
vapor, na ra do Brum, passaado o chafa-
rlz, contina em effeclivo exercicio, eso
acba completamente montado com appa-
relhos da primoira qualidade para a per-
feita confeccSodas maiores pecas de ma-
chinismo.
Habilitado para emprehender quaes-
quer obras da sua arle, David William
Bowman, desoja mais particularmente
chamar-a alinelo publica para as se-
guintes por ler dellas grande sorli-
mento ja promptas, em deposito na mesma
1 un in;'10, as quaes coostruidas cui sua fa-
brica pdem compolir com as fabricadas
em paiz estraogeiro tanto em_preco
como om qualidad.: de materias primas e
111.10 li'olna, a sabor :
Machinas do vapor da melhor cons-
trucelo.
Moendas de canoa para engenhos de
todos os lmannos, movidas a vapor por
agoa, ou animaes.
Rodas d'agoa moinbos de vento e
serras.
Manejosindepondentes para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilbflcs, bronzesechumaceiras.
CavilbOcs oparafusos de todos os ta-
maitos.
Taixas, paros, crivos e boceas de for-
nalha.
Moinhos de mandioca, movidos a mSo
ou por animaes, c prensas para a dita.
Chapas de fog.loo frnos defarinha.
Canos do ferro torneiras de ferro e
de broozo.
Bombas para cacimba e de repucho,
movidas a mSo, por animaes 011 vento.
' Guindastes, guinchos e macacos-
Prensas hydrpulicas o do parafuso.
Ferragons para navios, carros eobras
publicas.
Columnas, varandas, grades e portos
Prensas do copiar carias e sellar.
Camas, carros do mle e arados de fer-
ros, ele ele.
\ un da superioridade das suas obras, j
geralmente recouhecida David William
Bowman garante a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos remettidos
pelos senhores que se dignarem de fazer-
llie encommendas aproveilaudo a occa-
lio para agradecer aos seus numero-
sos amigos o Ireguezos a preferencia com
que lem sido por elles honrado, e asse-
gura-lhes que nilo poupara esforcosedi-
ligcucias para continuar a merecer a sua
conlianca.
Compra-se urca porta de amarellocom
onze palmos, o uma jmila com sol : quem
tive nmullirle.
-- Conprani-segarrafes que estejim em
bom estado : na ra l]ireita n. 17.
VeiiJtis.
Lotera do Bio de Janeiro.
aos 20:000,000 c 10:000,000 ders.
Na loja de miudezas da praca da
Independencia n. 4 vendem-sc
bilbetes inteiros, meios quartos,
oitavos e vigsimos, abeneficioda
3. lotera do hospicio de Pedro II;
vem a lista no primeiro vapor quo
chegar do Bio de Janeiro.
Bilhetes inteiros 31,000
Meios biilietes 11,000
Quartos 5,5oo
Uitavos 3,800
Vigsimos i,3oo
Lindos nneis de coralina,
vendem-se a 610 rs. esda um; na roa do
Queimado, nova loja de miudezas n. 47.
Ricos pentos de tartaruga para prender
cabello.
Vendem-se muito delicados pentes de tar-
taruga para prender cabello, pelo diminu-
to proco de5,500 rs. cada um ; na ra do
iiiiii nado, nova loja de miudezas a. 47.
Tonca dores para cima de mesa a 400 rs.
48o, 560 o 610 rs. cada um
na ra do Queimado, nova loja de niudo-
zas n. 47, de Antonio Jos deAznvedo.
Vende-se um moleque de 18 a 20 an-
uos de ida le, robusto e bom servente de ca-
sa, e tamhem com muito gcito para Iraba-
Ibar no campo : no pateo do Carmo n. II.
Vente-so a taberna da ra do Rosario
da Roa-Vista, em frente da ra do Araglo:
a tratar na mesma.
-- Ven'em-se uvas brancas muscateis:
na ra da ConceicSo da Boa-Vista n. 58.
Vende-so I escravo peca bom serrador e
eo-inh i'o : na ra da praia do Santa Rita,
n. 25.
Altcncao nechincha.
i H
iruMD)jC

DAURORA
Ionio do Oliveira ; e nais outra letra dme- Pp|"s 2 i horas or quantia e 5/000 ra. em urna sc.lula : a "lta 'n'ja afini de, nncorporadaa, acompa- c||0 alaso, grande, bastante gordo, bem
pessoa que a liver adiado e a quizer entro- nharem a procissao de Corpus l.hristi, para fajl0 0 scm 8ch,quos, carregador baixo, e
gar, alcm dos 5,oOOquecom ellas so desen- "."lual 'OUTe conv,l ,Jo Exm- R*"- br- muito proprio para cerro,
caminb.r.m, rAbma mais urna gratifica- bl'' '">""" otro s.m, aquelesir- Ai'ericao.
C30, quo pa'r.Tm a acbou du.5..U ser- < g"*^ "poder ha?.' .0 as re Sendo raro o nuaicrode possoas que teem
vem, por os ditos Srs. cima ja esta.em ^ .."leu.ciro cDmparecido para afer.r as medidas e pesos
- Piecisa-so de um pequeo de des a d" s"" estabelecimentos commerciaes, o
doze anuos, nacional ou eJtrangciro, pre- arren.atanle conv
ferindo-so destes que chegar3o ha pouco ;
na mesma loja vendo-sc um moleque do dez
anuos; na ra do Cabug, loja do ourives
n. 7, do Scraphim.
A O?) D JOTES
J. Jam, dintista, noticia ao publico que dar vencimento ao Irabalho quo ella de-
no Alexanlre Villarnn o favor de ter dolido'contina lrdent ailifieiaes de porcelana manda, se houver maior demora. O ane-
em seupoder oescravo Joaquim,que do n:es-1 incorregivcis; o annunciante incherta um matante para facilitar aos conlribuintes o
1110 eugenho Se auzentara na ultima se- ou lodos se fr preciso, asseverando a lodss cu primenlo du seu dever, ira aos cstabe-
mana de oulubro prximo passado, junta- as pessoas que se quizer utilisar do seu pres- lecimenlos daquelles que d chamarem, fra
mente com outro chamado Luiz tambem limo,que nao exige paga alguma no lican- dos dias e horas do expediente, som prejui-
do os denles 13o bem collocados.que n,1o So zo das partes.que procuraren! a casa da afe-
poS9B dilTerenr;r dos proprios naturaes.po- rico, e a quem, segundo as posturas muni-
dendo-se masligar qutlquer comida scm cipaes, deveservir promptamente.
I reveni :os ; o quo se laz novamento por
mcio deslo para ninguom fazer negocio co-
mo pira .- m:i < sis as diUs o I as aoan-
nunciante. Antonio Moreira Res, as Cinco
Puntas 11. 13.
JoSo da Rocha llollanda Cavalcanlo, se-
nhor do engenho ConceicSo Nova da l'reguc-
ziada Escada muitoagradeceao III o. Sr. pro-
l'essor publico da villa do Limoeiro Severi-

Sr
9
1
(.y

quem a lei incumbo ossa obrigacSo, con-
correrem casa de afericSo, na ra da Flo-
rentina n.7, dis8 horas da mantiSa as 4 da
larde, vislo que tendo do lindar no ultimo
ile dezemhro prximo futuro o tem; o mar-
cado para a mesma afericSo, nSo lio lossivel
Angola, idade 40 anuos, a mulher dcstede
nome Maris, Angols idade 35 annos, e
como nSo possa j enlcnder-se cnm o mes-
mo Sr. apressa-se em assegurar-Ihe,que nSo
tera ouvi la de o vendor ; assiin como pede-
Ihe o obsequio do indagar do dito escravo o
rumo quo podenani ter lomado us que com
ellesahiram, ali ir. de seguir melhor direc-
CSo, o portador que ler-se-ha de diiigir para
abi, ou entSo, se vendo, que alguma provi-
dencia da sua parte podora aproveilar.o 11S0
Ihe for ininto encommodo, espera merecer-
Ilie mais esse favor, llcando corlo de que se-
1 fio alien lulas todas as despozas, nmbura
i.So resulte d'ahi bom eiroito. Os signaes
sSo : o negro baixo, secco, phisionomia fia,
ps maisou menos apapegaiudns ; a negra,
estatura regular, secca, pnisionomia agra-
dan-I, bem pela. Tamben) n.o se pina
duvida em vendel-os, caso tenham j pro-
curado alguem para os comprar.
I'recisa-se d um bom padeiro para f-
ra da citado cuica legoas ; quem quizer
controlar, dirija sea ra Augusta n. 49, das
6as 7 horas da manliSa, e das 3 as 6 da
tarde.
sentir a menor dr nen receio de os que- Precisa-se do uma ama para o servico
brar; tarr.bem calca os^lentes naturaes fu- de casa, e compras : na ra do padre Flo-
rados da carie, cum ouro 011 prata, prevo- liano sobrado da quina n. 5.
nindo assim a cunlioiacSo da carie e dores, Precisa-se de um portuguez que enten-
e mesmo evitando por essa forma do passar da do planlacO'S desitio : quem esliver nes-
a carie dos denles furadospara os oulros tas circumstincias, eiilenda-se com o por-
sSos, como beai, limpa os denles em geral, teiro da alfandega desla cidado.
tirando as caries ou pedraS quo tanto os Na ra do Vigario n. 19, primeiro an-
damnilica e coopera para o mao alilo da hoc- dar, deseja-se saber do Sr. Domingos Anto-
ca oQo sendo lirado ; ha dez annos que o nio Pcreir, quo em 1824 exista nos seus
annuocianlo exerce su* prollssSo necia ci- engenhos em Porto Calvo, ou de seus filhos,
dado, e os muilos exmalos que lom nesse longo lempo ser quanto basta para -- Precisa-se de um pequeo do" 12 annos,
o garantir : sua residencia, irua Nova n. 19, pouco mais ou menos, para caixeiro de ven-
urimeiro andar. da : a tratar ua praQa da Boa-Vista n. 5.
~ Na ra do l.ivramento, sobrado o 10 Dosappareceu no dia 10 do corrente
se dir quom vende varias obras do ouro e mez, de caga da piaca do Corpo Sanio, qui-
prala. na da ra do Trapiche n. 48, um cSo ne-
~ Precisa-so de uma ama de cesa que sai- quenode raca ingleza cor piola, pese mSos
ba comprar o necessano diario, jcosiubar e calcado de amarello, e sobre os olhos taro-. lar na ra da Cuia n. C4, segundo
interior e ao povo em geral
desta praca, que franqueara
seus sortimentos de fazendas
por baixos precos nao me-
t nos de 1 peca,ou uma duzia,
a dinheiro, ou a praso, con- !j
forme se ajustar : no .seu ar- ,
mazent da praca do Corpo i
Santo, esquina da ruado 1
Trapiche n. 48. (9
Hostron Rookcr & C,
Negociantes inglezcs. 9
*## vi *.*>
Daguerreolypo .
No aterro da Boa-Vista, sobrado, n. 10, ti-
ram-se retratos a daguerreolypo ," das 9 lio-
ras da manliSa as 3 da Urdo ; tambero vatn-
so tirar em casas particulares. Copiamse
retratos do daguerreolypo para miniatura
com exactidSo ; existindo para o mesmos
retratos caixas e* quadros de gusto particu-
lar.
wwwvtwwmmm v.wmtw ^mmm
<& Cosset Bimont, professnr de ho- %
S 11 11: i.'.ii In 1 pela escola do Rio do Ja- }
t& neiro, continua a dar consultas gralis |f
S aos pobres todos os das uteis, das 8 j|
^ horas da manhSaatao moio da, no ^
W seu consultorio, iua das Cruzes n. 28 $
Na ra do >'adre Flunano casa do 1 an-
dar n. 48, recehe-se qualquer encommenda
de bolos pa'a cha : na mesma casi vestem-
se anjos para procissOes, levantamento de
baodeira com asseio, preco comn,odo.
Arrenda-se uma propriedade, sita na
ra da Florentina,contigua a do Sr. Bern
ger, com ptimas propones para india so
fundar qualquer rstabelccirhenlo em ponto
grande, por ter bstanle extensSo, a porto
de embarque pelos fundos 1 quem a preten-
der, podo ir vo-la,enteiidendo-socom o mo-
rador d c-sa 11. 16 da dita propriedade. o
qual dii com quem se dove tratar de qual-
quer ajuste.
-- No aterro da Boa vista n. 49, ainda se-
precisa de uma ama forra ou captiva, que
saiba fazer com porfeicSo o servico de uma
casa ; nSo su ola a preco.
Jos Mal tins Teixeira, medica homceo-
alineo, chegado prximamente do Rio do
Janeiro, da consullas aos pobics gratuitas,
das 8 horas do da as 5 da larde : no hotel
na ra do Torres, primeiro andar.
-- Aluga-so um sitio na lae, runa: a tra-
andar,
G. Starr i\- Companhia.
Respeilosamente annuuciam, quo no seu
extenso o-l ib 'declnenlo em Santo Amaro,
conlinuama fabricir,coii a maiorperfeico
e p.omphdiio, lo la quili lado de macbinis-
1111) para o uso da agricultura, uavogacS
manufactura, c quo para iniior coinniodn de
seus numerosos freguezeg o do publico em
geral, lem aborto em um dos grandes ar-
mazens do Sr. Mosquita, na ra do Brum ,
airas do arsenal de marinha, um
Deposito de machinas,
construidas no dito seu eslabelecimento.
Alli adiaran os compradores um comple-
to sortimento de .....-nli- do canna, com
todos os melhoramenlos ( alguna delles no-
vse originaos ) de que a oxporioncia de
muilos annos lem mostrado a necessidade.
Machinas de vapor de baixa e alta pressSo ,
taclias de todo tamaito, tanto batidas.cnmo
fundidas, carros do mSo, c ditos para cou-
duzir formas do sanear rose linas para
moer mandioca, prensas para dito, fornos
de ferro batido para farinha, arados de farro
da mais approvada conslruccSo, fundos pa-
ra alambiques, crivos c portas para foriia-
Ibas, e um 1 infinida le de obras do forro ,
que ser enfaddnio enumerar. No mesmo
doposilo existe nina pessoa intelligente o ha-
bilitada para recober todas as encommen-
das, etc. ele que os aiinunciantesconlan-
10 com a capaci lado de suas nllicinas e 111.1-
chiuismo, o pericia de seus ofiiciaes, so cora-
promelten a fazer executar, com a maior
presteza e pnrlcicAo, o exacla conformidad*
com os modelos, 011 dusenlios, o instruc-
Ces que I tic foiom fornecidns.
-- Arronda-se c aimazem da casa da ra
do Vigaiio n. II, o parte ilo primeiro andar:
trata-se na mesma noiescriptorin de F. A.
da 1 mili.) & Companhia.
(Jiicm tiver uma escrava, mesmo de
ida le, e queira alugar para o ordinario
do uma casa, dirija-so a ra do Muudego
n. 29.
! I u m.......11 ii 1 -i .. I
i. Compra-se um pparclho do ouro para
cinteiro : na ra da Cula 11. 64, segundo
andar.
Compra-so urna loja de fazendas, dan-
do-se em pagamento propriedade* ocsla pra-
Ca : a quem convier, annuiicie.
Na ra larga do Rosario, veuda n. 46,
compram-so botijas vasias.
Compram-se escravas e vendem-se re-
cebem-se de commlssSo, tanto para a pro-
vincia, como para fra della: na ruados
Quarleis n. 24, segundo andar.
Compra-se papel de diarios, a 3,840 rs.
a arroba ; na tua larga do Rosario n. 21,casa
de cigarros.
Compram-se Diarios e toda a quilida-
de d papel que sirva para cmbrullio; na
ra du Vigaiio, venda n. 8,
Compram-se costados de ma-
deira de luuro, amarello, e sedro
emporco; na ra da Cadea do
Uecife n. a3, se dir quem quer.
Compra-so um lorflo do pesos de uma
arroba al meia quarta, uma balance com-
pleta, 30 garrafes usados de duas cacadas
para cima, garrafas prclas a 6,000 rs. o cen-
to, e brancas a 400 ou 500 rs., e meias boti-
jas a 160 cada urna : ua praca da Boa-Vista,
loja de cera 11 7.
1.um. ia -so garrafas brancas, ainda
mesmo, de azeue, o paga-se bem : na fabrica
du ospirilos da ra Dueila n. 17..
-- Compra-se meia caada de vinbo de
caj que s, ja velho, de um auno pouco mais
ou monos: ua ra da Cruz n. 347 primeiro
andar.
Compran,-se escravos, o vendem-se
reculieo-sede commisso lauto para a pro-
Na praca da Independencia n. 34,'pe-
gado a loja do Sr Venssimorelojoeiro, ven-
dem-se chapeos do chile beira pequea a
2,500 rs., assim como os m,.is bem feitos bo-
netes de oleado que lem apparecido neste
mercados 1,280 rs, e outras inultas fazen-
das pertencentesachtpeleiroquo se vendem
por muitu menos preco, do que em outra
qualquer paite.
(Jalms de linlio, a -jH,000 rs. o
quintal.
Na ra da Cruz armazem n. 13, vendem-
se cabos do Imito nnv grandes 011 pequeas
porcOes a 28,000 ra. o quintal, sendo de 1
at 6 polegadas de grossura.
Luvas de pellica para senhora a
1 filio o par.
Vendem-se muito boas e novas luvas de
pellica para senhora a 1500 o par; riquissi-
mos leques cum espelhos e plumas a 4#0O0;
ligas do borracha a 120o par ; meias para
monillos a 240o par ; ditas para meninas a
320 o par : na 1 un do Queimado n. 16 loja
de miudezas.
Lotera de Nossa Seuhora do
B03)10.
.'..! ) da fortuna, ra ireita n. 7.
O rautelista da rasa cima annuncia ao
publico, quo as rolas da loleri de Nossa
Senbora do Rosario, anlain no dia 25 do
corrente, ainda que liqucui alguna "bilhet"
por venier ; existe 1101 lugares ilo cisluige
um completo sorlinionto debilh'tos acau-
telas.
Bilhetes 8,000
Meios 4,000
tillarlos 2,200 '
nacimos 1,000
Vicsimos 500
U bni. ~ O seu engenho Santa Mara, J?
f ha pouco levantado, na co- 0
O marca do Cabo, o qual di- O
X vide coi
< r de Sa
5 Qucluz,e Gaipi, he de boas >
9 mafias, tetras de muiti pro- g
q (lucia 1 e j demarcado ; q
O igualmente vende, se assim O
^ convier ao comptador, toda 9
a lavoiii,1; esta venda se ef-
O fectiiit para pagamento do Q
1 no uauo, o ijuai ui- vr
om os engenhos ibt- ^
Santa Cruz,(iHchoeira, j^
<3 pretender, dirija-se ao dito O
^ engenho, ou ao refer lo ere- q
dor. Engenho de Santa Ma- O
O ria 15 de novembro de i85. O
g Thomaz Marques da Cos- g
k ta Soares. O
__Vende-se urna negra de meia Idade,
que cosioha o diario de uma casa, lavada
sabno, e vende na ra: no bco da Lenha
Vende-se um preto crioulo, de 20 an-
nos de idade, perito ofllcial de sapateiro, e
com principio de bolieiro, bem possanto e
sem achaques, o motivo se dir ao compra-
dor 1 na Soledado no sitio dos quatro ledos
a qualquer hura do dia.
Vende-ce uma casa de tai
pa na Soledade, em trras pro-
prias, com 3 janellas de vidracas,
sendo urna no oilao, propria para
se passar a festa por ser acabada
de njvo : na ra das Agoas Ver-
des n. 10.
Vende-se um escravo de nacSo Mossun-
bique, moco, e de bonita figura, sem acha-
que: no bilhar da ra Nov. No mesmo pre-
cisa-se do uma pessoa diligente e fiel, para
empregar-se no botequim de Sanla-lzabel-
Ufl Irascos de vdros redon-
dos com bocea larga qu se ven-
diatn no armazem ou na ra da
Cruz n. 48, passam de ora em
diante a venderem-se como d'an-
tes, em grandes e pequeas por-
c5es na mesma rus armazem
n. 63.
Navalhas para barba.
Vendem-se tiavalhas para barba, as mais
superiores que tem apparecido no mercado,
pelo diminuto preco de 2,000 rs. cada uma
em estOjo : na ra estrella do Rosaiio, Ira-
J
engommar ; no atorro da Boa-Visla 11. II. bem amaiello : quem liver adiado queira. Aluga-se urna casa na povoacSo de Be- ..
Precisa-se duu.11 criado-ua rundo I'a- levar a dita casa que ser bem recompon-, biribe : a tratar na ra d.i Cuia u. 64, se- vincia como para fra della : oa ra estrella I vessa para o Queimado, loja de miudezas n.
dre Flunano o. 5. cado. gundo andar. | do Rosario segundo andar 11. 28. 12 A., junto ao deposito deipao.



Mtanos de vento'
rom bombaaderepuxo para regrtr bortas
ebiixisdeciplm ni fuodtqSode D. W. Bow-
ron:na ra doBrumni.6,8e!0.
if.iHisiio dn fnlfrloa de Todos os
Santos na Itahla.
Vende-se,em casa, de N. O.Beber& C,
na ra da Crui'n. *,algod9o transado a-
quellarabrica.muitopropriopirisaccosde
ssnear eroupa deescrivos.porprecocom-
iiiii 11
Cal virgem de Lisboa.
Vende-se superior cal virgem,
chegada ltimamente de Lisboa, e
por preso muito em conta: no ai-
mazem do Caes da Alfandega n.
7, ou a trntar no escriptorio de
Novaes & Companhia, na ra do
Trapiche n. 34-
I'otassa americana.
Cal virgem.
Vende-se cal de Lisboa a mai nova do
mercado: na roa do Vigario n. 19, primei-
andar, escriptorio de T. de Aqulno Fonseca
& Fllbo, onna roa do Trapiche, amaiem de
Antonio Augusto da Fouaeoi.
Vende-se um preta crioula de idade,
3ue coainha e eniaboo, na praca da Indepon-
encia n. 17. -. -.
Vendem-se sacras com tarinha de rpan-
dioca, por preco commodo: ni ra do A-
mu mi n. 36.
Toda attcncSo ao novo sortimento
chegado da cidade da Bahii !
na ra do Crespo n. 14 loja de
Jos Francisco Das.
As muito acreditadas chilas caboclasde
novos gostos a 200 rs. o covado ; chitas fi-
nas com novos desenhos e cores filas a 240
rs. o covado; chitas francejas da primrira
280 rs. o covado; rispados fran
, cado e de novos padres a, 280 rs. b covado ;
No anttgp deposito da mW*"%" superiores cortes de casss chita muito finas
19 exlsteuma pequea porcllo de J a 000 corte, diversos padrees de riscados
americana,chegada recentemente quo por d (ngindoseda do quadros a 220 o co-
superiorrlTalisacom adaKussia: venue- doY. B|pBi,,, decores f.zenda do ultimo
se por proco raioavel. gostn'a 040 o covado; ditas com flos dose-
DcOOSitO de Ca e pOtaSSU.'dt fozendo muitonna a 800; .litis pretoi
M .m A -,.a rf linde ia lavradas imitando seda a 880 ; brim tranca-
No arroazem da ra da uaaea |jnno cor d(, ,, de Pansa
qualiilade a 2ors. o covauo; naciuua <- c-| ,- ,,, i,
eses os mais finos que ten. vindoao mar- noel da Silva bantos no caes da
fe
;-------- '4
Cobertores a 800 rs.
Vendem-se superiores cobertores de alffo
dSo brsnco muito rncorpados a 800 a 1,000
rs. cada uir>, he urna ppehincha que se esta
acabando : na ma do Queimado loja da es-
trella 11. t, confronto o betodo PeileFrilo.
Cortes de brim trancado escuro de
puro lindo, o 1,44o, i)000 ra, e
2,400.
Chegou loja da ra do Crespo n. um
grande sortimento de brim trancado de pu-
ro linho, pelos preqos cima ; estes lirins
silo de bons gostos.tanto para os gamonitos,
como par os serios.
FAlUNll. SSSF,
de muito superior qualidade e l-
timamente edegada a este merca-
do : vende-se na rua do Ainorim
n. 56 e 58, ou a tratar com Max
Hoaveis.
00181 Companhia, acba-ae conalanlemenle
orlimenlos de talla de ferro coado e
batido.taulo raaa como fuudaa,mocadas i n-
d.;::^^ venTem-7ec.Vimira-s de gostos modernos,
maullse madellos o mais moderno, machina i.nnors. o covnJO.
horiaonial para vapor,com torca de 4 <>*?*}- Veflde-sugello, o qualquer hora do da,
is.coucoa", paaaadeiraade ferro estauhado
pira casa de pulgar,por menos preto que oa
decobre, cscovens para navios,ferro ingiez
Uotnem barraacomo em ircoslolas.etuuo
por barato nrec<>.
ai dos de ferro.
Na (undicSo da Aurora, oni s. Amaro,
fondero-so arados do forro do diversos
DIO le
--. i;.. : nenie u. jw.Tiiiuiiii ~~ --
-- Vemlom-se os yerdadoiros so nsin- uri) n0V() ,egad. de Lisboa pelo
gl.izes, patente, de mollao sen. ella: na ,)avjo> () r,gO FJor do Mar; a-.si<
rua doSrnzalla Nova n.*2.
Vrndeni-se relogios de 011-
ro epr&ta,patente ingle: na rua
da jcnzalln Novan. 4^-
AliliNCIA
da fundico Low-Moor.
ItUA DASKNZALI.ANOVA N. *9.
Ueste estabelceimento conti-
De castor a 6,000 rs.
Superiores chapeos de castor branco, in-
gleies a 6,000 rs ditos de dito preto, de
bonitas formas, a 4,500 rs.
Vende-se -feriaba SSSF: na
rua da Cruz do Kecife n. 27, ar-
mazem de Crocco & Companiia.
Oculos.
Chegou na praca da Independencia, loja
ns. 18 o 20, mu rico sin lmenlo de oculos
para todas ai vistas, srja com vi,iros crn-
eos o azu.'s, com grao ou sem grao, e com
armacoes deouro, prata, tartaruga, bileia,e
de ac,o, a vontade do comprador.
- 1 ii-1 io.it e Berlrand, relojoeiros, m
piscada Independencia ns. 18 e 20, recebe
rain do Paris ricos relogios do bancas e de
parede, com corda para 19 dias,liicam as ho-
ras o meias horas, sS'o afioncadosa regular
perfeitamente, o os precossSo muito mode-
rados comparativamenle a qualidade que he
muito superior.
Novas tazando* do ultimo gosto
Ao armaren, de fazendns de.Couvea&
Lrile na rua do Queimado n. 27, he chegado
um novo o completo sorlimnnlo de hiendas
finas a saber: capolinhns do cures horda-
dos a matiz, ditos de fil de linho bordados,
dilos de cambiis bordados, branens e de
cores; manteletes retos muito ricos ; cor-
tes de cambiis bordados agulha os uni-
ros qu 1 t 111 aparecido desla qualidade, e
outros de 4,500, 5,500 o 8000 rs ; cortes de
cassa de cores 'muito lindas com babado
de cores proprios para a fesla a 6000, dilos
de rain I o n ni blanco com seis onlens de ha-
bido ; palitos de panno fino preto e do co-
res a 18,000; chapeos de castor brancos
iiiuio linos a 10,000; panno de linho do
Porto da melhor qualidade, e nutras mui-
las l'ozotidos, tudo por precoi baratos.
Vendcm-se melas para meninas de to-
das as idades, sopatoes de couro de lustre
paro hornero, a 9 patacas, cartas linas para
voltarete, a 720, ditas portuguezas, oculos
para (odas as idades, e de tudos os presos,
conlorme a arniic.3o, boles para camisa, a
20 rs. a duzia ; e outras miudezas muito em
i'.mi.i para fazer dinheiro para a fesla : na
rua laiga do Rosario n. 35.
Calcados.
Vondem-se sapatos fronrezes do-lustre
pora scnliora muito bons, a 1,600, assim co-
mo borzeguins gaspiados pata senhora, a
3,500, lindos lencos de se.im de coies para
grvalas, uro completo sortimento de rr-
fumanas, e calcado para honiem, senhora e
meninos: no aterro da Roa-Vista, luis de
i i i ."* i n i i -wa |
barril com superior polsssa nova, por prc- ; ,,,; j|lulo> pr0Cos,quede lutosoxlar amos-, c,1do n 58, junio aoseleiro.
Irasdeixandopenhor. Bengalus C Chapeos
Lolcria do Uio de Janeiro. Acaba dechegardo Havre, nobriguePor
Alfandega.
Cbegram para os diverlimentos
dasleslas, e para as familias de
bom tom.
RuscapAs grandos e pequeos.
Candeias romanos ou pistolas.
Flammas de cor verde.encarna.la e branca-
no anunmiu = "---------------,, ,i puro linno cor aa isura i '" --------------------
doHccife n. la.ha muito supe- leooocorte: dito amarello com um. lina NrKimtl.ifiri^||rindepi
"M ,* i.slra r.,en.la de muita duracSo a 1600 0 Rodas de sala, glandes e pequeas.
r.orcal de Lisboa, em pedra ^ wm'c00 onlrMmulMfllndi8 w.tesdo fogo d.gu..
assim como potassa chegada ul- por muit0 pequeo preco, como seja.n Fogucles do ar.
i '"'-"" I o mod.nolrtes iKodOes e zuarques e mais Bombos grandes e pequeas.
timamente a precos muito ra- mAjm^uimm -- Arados americanos, cl.egodos dos Es- (Jira-soes.
Agencia de Edwin Maw. ***^*E^&fn 0 "TXT^^o m,ao bara.o, quem
,r..?oe Apollon.6,armatem de*ic.cai- Casimiras modernas, a i ,00o rs. o ^.^ proflor-r<| ITvtta, smostrasem ca-
Covado. Isa do Sr. Autopio Jos de Castro, na rua do
Na loja defazendos da rua do Crespn. Vigario,
5, auo fozesquina para a rua do Colhgio, ^os genitores de engeuho lavra-
~, _. -.._:... A* nnBl.*a ......1.'* ... .. 1 .O
dores c mais pe-soas qne tem
no deposito da rua ra Sertzolla Velha n.
118, ou na rua do Trapiche n. 8
Relogios americanos, pora cima de
mesa, com corda paro oito dias e para
t-cravatur, a 800 rcis e 1000
cada um .'! !
Na rua do Crespo n. 14, loja d 1 Jos Pran-
ciseo Dios, t'.m para venderos muilos afa-
no rua doTreuicho n. 8. ,, ,'00O os g,nPs, o a 800 rs. os mais
Deposito de Cal e potassa. !poquenos, assim como as mais delicadas
Cunha fi Amorim, na ron do Cadria do c|,jlas frnci'zs ile lioissimos pannos e no-
Recife n. 50, venden, barris com col em pe- yos dr./enhos, sendo fazenda do ultimo gos-
r u,lim0 ;to o co'is nuito linas, a320 rs. Cida civa-
a. como l()0 nssm rumomuilas nutras fazendas por
eos razoaveis.
Vendem-sramsrrssdefrrro: na n da
Senzallo ^ova n.42
.- Vende-se fardo de muito superior qua-
lidade, a 4,000 rs. a scca : no armazeni de
i.ouvi'ioe. Idas, no caes da Alfandega.
Capachos com abe. tura.
Vendem-se capachos com abeilura no
licarem em redor de mesas do
A os 20,000,000 ders
.,11.0 feliz
do econdo de todos
ido;:, para dito.
ioeada superiores.
Na ;fui.ilc3o il C. Storral Coiiipanlila, Ihoi' que existe,
em S. Amaro, acham-sc o viuda niooinlas |>e.le_se as -.Kiihoras que decm lo-
muito nova c superior potas-a ;
ssim tomo cal de Lisboa da me
naiuhuco, para a loja de rile;..." < Roa-Vista n. 50,d Tibuicio Cuimarles,cha-
peos prctos de superior i,u ilidade a muito
Dos f/uatro Cantos dV roa 'do Queimado n.: 'ves, assim como bengalas de muito hum
20, venuom-se os multo Mixei biilieles, l'. que se vende por preco commodo.
meios, quarios, oitavos e vigsimos da lerr Com toque de avaria.
ceira Interia do Hospicio dn Pedro II, cuja Vende-so modapolSo.a 3 e 3,500 rs, a peco,
11 algoiiaoMi.ho liso, a 2,240e 2,560, dito tran-
cado americano com 25 varas, a 3, 4 e 5,000
rs.: no rua do Crespo, ioja-da esquina que
vi.Ii : para a Cadria.
Veinte so alpaka lavrada de'sedo para
vesliJos de senhora,a 610 rs. o covado dia-
les le loa, fazendo modvrn*, a 1 600; irim
de linho,a 320 rs. o covado : na ru do Cres-
po 11 23.
A oa senhores de engenho.
ris Sa,
A Iu7'-m1 ''/.. 1.::, numero dequadri-
Ihaa t'v
VioIBo.
Valsa com introdcelo 400 rs., modinl.a
colhereinos jordins da existencia 500 rs. ,
qger o fado, qoer a sorle 500 rs.,modiirha a-
bahianada -o encontr 500 rs.,gato por le-
bre 1,000 rs.
Piano.
O salto e a madrugada 320 rs., roodinha -
o mcu primeiro beijo 1,000 rs. polka bella
flor 500 rs., modinha alta noileoh que
silencio.com urna valsa e urna polka 1,000
rs., mooinha abol.ianada --o encontr 640
rs., modinha quer o fado quer a sorte, com
um numero da quadrilhaa por I.OOOra. ,
modinha junto ao Indo 00 Lilia, com urna
polka e urna valsa 1,000 rs., valsa dos bem
casados 500 rs., modinha -- mol desponta
nosmeus labios, com urna polka 1,000 rs. ,
modinhao gato por lebre 1,000 rs. : to-
das estas msicas vendem-se na rua da Ca-
lea Velha do lenle, loja n. 22.
Casa Feliz.
Na prora da Independencia n 3(.
Na casa cima existem a venda um sor-
timento compleft de cautellas da lotera do
Rosorio da Roa-Visto, que deve correr as ro-
das no dia 25 do corronte; assim como ven-
dem-se as mesmas cautellas, na rua Nova,
loja de chapos n. 4 ; no aterro da Roa Vis-
ta, loja do miudozas n. 48, c no Recife, loja
de cambio do Sr. Vieira da Silva.
- Vendem-se doze cadeiras de Jacaranda,
novas ,- na rua da Codoia de Santo Antonio,
lujo de marcineiro n 21.
Vende-se um negro de 30 onnos de ida-
de, figura regular, proprio para lo lo o ser-
vico, sem vicio nem achaque, e por preco
commodo: na rua da Cruz n. 54, segundo
andar.
Aos bilhetes Badianos.
Vendem-se relogios- de ou-
ro, patente ingiez, deumdosme-
Ihores fabricantes : no escriptorio
de Rusiell Mellors & Compaphia,
na rua da Cadria do Recife n. 36.
No armazem de I. H. Ca-
J ensly, na ruada Cruz do He- jj
' cife n. 1 vendem-se caiaa
por caixa de excedentes cha- !
rutos da Ihvana, rhegados '
l ltimamente e por precos j
]; commodos. p
- Vende-se a casa torrea n. 11, em chlos
proprios, sita na cidade de (Huida, na rua
dos Quatro Cantos: na rua Direils, venia
n. 16. se dir quem vende.
.- Vendem-se casimiras de bellos gostos
e de quadros largos, a 6,000 rs., o corte; se-
das furtsriVes muito largas) o padrr.es no-
vos ; montelrtes e capotinlios comcollete,
ltimamente chegadns de Paris: na nova
Ioja-da rua do Queimado n. 46, de Rezerra
& Morera,
Vendem-se saceos com fa-
rello, barricas com cimento, gigos
com edampagne d* bem acredita-
da marra estrella, tudo chrgodo
ltimamente pelo navio l'ernam-
buco : na rua do Trapiche n. 11.
Vendetn-se vinho de Bor-
deaux em barricas, frascos com su-
perior manteiga, latas com s.inu-
ndas, gigos com serveja de supc-
tior qualidade, tudo edegado ulti-
manuntc pelo navio Fernambuco :
na rua do Trapicdc n. 11.
Vendem-se latas com ervi-
llias, caixas com velas stearinas c
cabos de manillta : na rua do Tra-
che n. 11.
Vendo-se urna cando de omarello.mui-
Condessas grande:).
Vcndem-sc na rus da Codeio do liecifo n.
4s primeiro andar.
Cambruiosdo sOpieo.
de raiinn, todas de Ierro, e um uiodoloo
coustr o ce n muito superior.
Alerta Tregeles
Que sito cnegados,
Cohertores de algoJSo
Muito eucorpados.
N< rua do Crespo.loja da esquina que vol-
la para a Cadeta. o 1.600 rs. cada um.
Vendem-se lonas, brinzSo, bros, e
meias lonas ln Russio ; no armazem do N.
O. lliitber & Companhia, no rua da Cruz
n.4.
ds a attencao |iara as seguintcs
luzendas :
Corles de raml.raia do (lpicos broncos e
de cor con. 5 eineii varas, tendo nina de
largura, o muito lino a 4,000 rs ; cortea do
vestidos de horro tonto broncos romo de co-
res, do ultimo gosto, a 5,200 rs ; ditos bran-
cos com dousolres babodos, coro seus en-
feilesdos melhori'squnl.a, a 6,000 rs.; eos-
si chita francezo a 200 rs. 0 covado ; corte
de eassa chito a 2,000 o 2,400 r. ; e multas
Veodem-se cimbraiasde salpico nr.nroej __0 a|,cno j;l lnvellCart do I)r
le cor, muito finos.coni i 1|2 varas,.i 4,500, >
huard Molle em ikilim, em
Na nova e feliz loja Je llhetes
de todas as loteras, sita na praca
da Independencia n. 4o, apenas I'
, || I i- i. i. --i uuiai ttiaioa uo biiibiviiv|UIUI-
existe um pequeo resto de bilne- i0 bom eonstruiJa, do condozir familia ot
tes da 11. loteria da Baitia e da
qual n5o ha a venda em otitra par-
le ; por 8S0, quem quizer dabili-
tar-se deve faze-lo at o dia 20 ,
dia este em que se espera o v .por,
o qual conduz, nSo s a lista dcsta
lolcri t, como tambem da do Rio de
Janeiro.
Azeite de peixe.
Vcnde-se azeite de peixe, che-
gado recentemente, e por preco
commodo : na travessa do Queima-
do taberna n. 3., outrora becco
do I
etxc
Frito.
FAUISTOCK'SVERIIIFUGE.
colonias inglezas e
com grande vantn-
Elll Casa de J. Keller S outras fazcmtas de gosto por procos commo-
Compaudia na rua da Cruz n.
55, lia pira vender dous exccl-
Icntes pi nos fortes, e de urna das
meldores fabricas, chegados lti-
mamente da Europa.
Lotera de Nossa Senhora do
Rosario.
Vondem-se meios bilhetes dasla lotera,
no Arco da ConceipSo, loja n. 4, o 4,300, ru-
jas rodas andn, no da 25 do rom-til-.
Vende-se muito em cont urna casa si-
tuada na Cosa Porte, lendo d frente duas
jonellos e una porta, bom quintal com arvo-
res de Truel, e exrellenle cacimba : as nes-
gos a quem semeluante negocio tonviar,
qticiram dirigir-se a rua Imperial n. 79.
Taixas para engenos
Na fundico de ferro de D.
VV. liowman na rua do Brum.
paseando o chafariz contina a
liaver um completo sortimento
de taixas de ferro fundido e ba-
tido, de 3 a 8 palmos de bocea,
as quaes acham-se a venda, |>or
preco commodo e com prompti-
dao, embarcam-se, ou curregam-
se em carros, sem despezas ao
* comprador. .
Feijao novo a 6,000 rs.
No arnazem de Gouvcia & Dias, confron-
te a esoadinna da Alfandega.
Botica domeopatbica.
28 rua das Cruzes 38

.,# Ha para se vender olgumas caixos a>
A ricas com medicamentos em tintura. t>
Ca) Cada urna sera acompanhada do um (j
f frasco com glbulos inertes .' o >
me'o de os preparar. fj,
Vendem-se asseguintes setnenles:
nabos,rbanos,rabanetesencarnadose bran-
cos, sebola.couve triuxuda olface ala-
nio, repull.uda,chicoria, senoulas, feijao
carrapato do tres qualidadea,ervilha tona e
direita, fava, coentro de touceira, salea, to-
mates grandes, repolho, couve lombarda,
saboia, e musanlo : na rua da Cruz n, 46,
ilefronio do Sr. doulnr Cosme.
Farinha de .mandioca a i,oo rs. a
socca
No armazem de J. J.Tasso Jnior : na rua
o d A mor un. n. 35.
Deposito de psnno de algodSo da
fabrica de Todos os bantos da
Baha.
Yende-se o bem condecido pan-
no de ajgodno da Baha, proprio
para saceos e rupa de escravos,
a vontade do comprador assim
como fio de algodo da mes i.a fa-
brica no escriptorio de Novaes
do : na rua doCrcspo luja n 6. |ce,g m()ito e|as(icn( 8 9i0on rs aMim
e\,o bom chavalo, freguezes como de coros, dos mais modernos goslos.
Na rua do Crespo.loli nova n. 9,vendem- ror preep commodo.
se pelos borai.ssimos precos as segoinlesfa-| Avisa-se ao respetlavcl pu-
zendas: diieo, que o nova loia da praca di
Itiscndos do linho muilo largos, o co- > .
vail0 320 indepen Icncia n 4o, acaba de re-
ChiUs f.'anc-'zas, largas e muito boas, 'ceber pelo va por Todos os Santos,
16o os felizes bilhetes, meio", quarios,
2u oitavos e vigsimos da tercena lo-
360 teri.do dio de Janeiro, a benefi-
5.000 ci do lio .icio de 'edro II, bem
dita) li'anras, con. 6 l|2 vorns, a 3,000 rs.,
r tes de casia c'iila, muilo linos, c cor fi-
xa, c un 7 varal, 2,500 ; ns rus do Crespo,
!' j.i do esquino que volta paro a Codeio.
Cronde soilmenlo de pannos finos o
casomina
No ru do Crespo, loja da esquina que
volta pata a Codeio, vendse panno preto | de to libros, junio COin O metho-
teJfflW^VfWrrtft aodeetnpreg-.lo i.oidiomi por-
vado, dilo o/ul, o 4,000 rs., dito viuile mui-
to superior, o 4,000 rs., cortes de caseinira
[prela onfeslado, a 5 e 6.000 rs., dita fron-
pregado as
; lioliandezas ,
.gem para cimclhoraineriio do as-
[sucar, acli-su a vendd tin latas
o eovado
Riscadinhos froncezes do cores lisos
lutos dilos muito linos
CsmbraUs froncozos de lindos padrOes
e muito finas
Corlo de combroias, ultimo goslo
Dilos.brancasdesalptcns.inuiloboas 3,0u0 Q os a|ortnl,dos C mili proCU-
l'annos froncezes mesetados para pa- r
2,ono rados bilhetes, meios, equartos ta
2,000 |0|Prja da Rabil a favor da vene-
mos, o covado
Ditos escucezes para ditos
Cortes de case-miras modernas,de qua-
dros e linas *.50ft
Hitos de ditas muito linas 5,000
Ditos de brim de linho finin'1o casc-
miras V""
Adamascados poro toillios e guordono, os,
de|450 o 1,500 rs. a vsra, conforme a largu-
ra, e muilos uniros faz-rolas finas por pre-
sos os mais comino los pnssiveis.
- Na rua das Cruzes n. 22, venJc-se um
ptimo cscravo mestro de mace ira o fornei-
ro, para qualquer pldaria,
U cautedsla Antonio Jos
Rodrigues de Souza Jnior faz
sciente ao res|>eitavel publico, que
acabado receber do Rio de Janei-
ro, O' seus afortunados bilhetes,
meios bilhetes quartos oitavos
e vigsimos da loteria do Rio de
Janeiro, a beneficio do hospicio de
Pedro II., e estoexpostos a ven-
da em sua loja de ferragens na
rua do Queimado, junto ao becco
da Congregacin.3-; A, na mesma
ua loja n. ia de Joo laptista
Rodrigues de .Souza, c no aterro da
Boa Vista, loja de miudezas n. 48,
de Antonio di Silva Guimaries ;
osqunes sao pagos logo que che-
guem as listas no dia jo,.ou 21 do
corrente, sem descont algum.
Bilhetes inteiros 22,000
Meios bilhetes 11,000
Quartos 5,5oo
O.tavos 2,800
Vigsimos I,3oo
A 1,280 c 1,600.
Superiores cobertores de algo ion itnita-
$So de tapetes de cor, muilo propiios para
crios arranjos de casa de familia, equasi
um genero de pruneira necesai lade para o
Sr. de engenho. pelo diminuto pfeco de
1,280 o 1,600 rs. : na ruado Crespo n. 6. .
'-- Vende-se urna prela, crioula, que co-
ze, marca, faz renda, e engomma, tudo isto
com muita perfeico e lneiresa, lie perfeita
eosinlieira o doceira, e fazo mais arranjo de
ravelordem terceira de Fran-
cisco, cuja loteria deve correr
no dia 12 do corrente, e squeldi
corra no dia 3 do mesmo os
qu es bilhetes e cautelas se ven-
tuguez
1.10 i.
em casa de N. O. Hiebcr
ck t ompanhia, na rua da Cruz
n.4.
Salsa parrilha.
A mis novo e mais superior que lem vin-
do 1 elte mercado, virola pelo vapor Para-
ens : vende-se na travessa da Madre de
lieos, armazem n. 12.
Chapeos para senhora.
VenJe-se na loja nova do rua do llanpcl
n. 8, chapeos pira senhora chegados lti-
mamenle no navio tinnte-Roger, pelo bara-
to preco de 10,000 a 12,000 rs. cala um.
-- Veniie-se urna bonita escrava, mulata,
e muilo moca, com todas as habilida les a
ra mucama : em Olinda.no pat-0 do Carmo,
sobrado quo fol do l)r. Ilernardo.
-- Ni rua da Codeio dollecifn, l"ja n 64,
vende-se olem de un. rompido lortimento
de obras de folha ec.br,',caixos do folia de
flan Iros, ditas com vilros,assim cor o appo-
rolhos do metal, pelo dimimiti preco e 20.
18 e 16,000 rs tenas do vi l'O muito gros-
sas, e por proco muito em cont
No rua dos Crozal n. 40, tiborna de I).
S. Campos, vendem-se e aliigmn-so bichas
liBmburguezas dos moll.orcsquo ha 1.0 mer-
dcn em dito eslabelecimento aos cado.
1 1 i-. Vendem-se dous cabriolets
commodos precos abaixo, e logo!,
que chegu-.m as listas no da ,oou''"g'f. umfc1om **"**. e.oair.
21 do corrente, sao pagos sen des- .e* Ha 1 fallar na cochera da
cont os seusTespectivos premios.
Do Rio de Janeiro.
Bilhetes 22,000
Meios II,O00
Quaitos 5,5oo
t)ilavo9 2,Hoo
Vigsimos Da i.3oo
Baha
Bilhetes 4/100
Meios 2,3oo
Qnnttoa i,2oo
7,-- Na proco do In erende neta ns. 18 e
ella
rua deS. Francisco n 3
Km casa de Rolde ck Bidou-
l.c, na rua do Trapiche n. 12, ven-
dc-sc o sguintc:
Perro o unitacia da Succia.
' Ac de milao.
. Zinco em folha.
Ch nulos de llavana.
' Smenlo da marca Z ( com tra-
veseo. )
i.olas da Itussia.
Itntis da Itussia.
vendem-se relogios imericanot de superior ; Coilas inglezas.
qualidade,o lem oindi oln'iius com corda pa-' .. r
ra 8 das, e lodos loom enmpassado. I L,OI)ie para ion
rro e
- Vende-se una negra, cuoula, que Uva ] Arados de ferro.
preg
os.
1 ( nmomina na rua rio Trani- caa um preto cosinheiro e barbeiro, de
u O0mPan",a' DarUa lraP' n.cflo, muito fiel o debo, conducto: na rua
ciien. i!\. I larga do lio-ario n. 35
desabao, harrella, e engomma pouco : na
rua do Hospicio ti. 42.
O cantelisti S.tltisli -no de
\quino Perreira fazscenle aoics-
peilavcl publico, que e-lo ven-
da nas lejas i'o costme, os seus
inui afortunados in leles e caute-
las da terceira loteria lo Hospicio
de Pedro II., a qual corivu no dia
3 de novcinbro do correte mei .
e c-ju'i a -. i: lista da mesma no
lia 19, pele' vapor Oa companhia
brasileira, ou no dia 10 icio vapor
ingiez Teviot.
Bilhetes 22,000
Meios
Uparlos
Oitavos
Vigsimos
11,000
5 f.oo
2,,8oo
i,3oo
Moendas de assucar.
Tres ptimos lories pianos.
Vndese um cavallu de meio,
cor cardao, anda baixo, h novo e
muito encliut 1, por pr?go comino-
do; na rui do Queimado n. 1.
Vende-se urna cama de armaeo com
os competentes coliOes, o em perfeilo es-
tarlo, ossim como um tronco do boa midei-
ra, com fechadura o do muita segranos.: na
rua da C'dcia do hairro de S. Antonio n. 25,
segundo nud ir.
V.endem-se reios de fiia
oleo de linhafa em botijas barri
cascum cimento cas tinas, a von-
i
1 NICO, E MAIS EFFICAZ REME-
i DIO PARA LOmBnlGAS.
I Vcnde-ae nicamente na botica e roaiem : '
de drogaif ru da Madre de Deo n. 1.

Q, De todas as pmparoi;rios, que a me- irt !
.< diciuo lem descolierto paro motor e p
j| expedir as lombrigas em quolquer if
j| idade da nossi vida, nenhuma tem ^
: ohlidoo poder ap-nximor so na mais ^
y insignilicante semclhanco com o pro- :)f
je digiuso e bem reconhicidn medica- -.i
j| minio denominado F>rsestock's y
't veohif.uge. Ul mdicos, o em ge- p
ral tolas s pessoas scientillcas dos m
1 principos cnlades dos Kslados-Uni- 'g
2 dos, Ierra rlossica da civilisaijao ame- y
J ricana, dirigen, conlinuamenle a seu jj
autor, pelo org3o do imprensa os m,
3 mo:--
16 pessoas, pintada de novo, com banco do
ene.oslo, por pre^o commodo; a fallar no
porto da ma Nova com o capataz do mesmo,
ou na alfandega com Josquim Franciico
Franco.
Vende-se om jogo do diccionarios do
Moraes do quinta edicto : na praca da In-
dependencia ns. 6 e8.
~ Vende-se urna rarrora o um boi manso
para a mesma : na rua da Cadea do Itecife
n. 16.
Pechincl.a
Na rua do Paceio Publico, loja n. 9, ven-
dem-so ricasgravalas de casso, para pifiar
a festa, a 1,500 rs. a duiia ; a ellas antes
quo so acabem.
Vendem-so formas d> ferro para is-
sucar, quo levam 3 i arrobas, cada urna ,
pelo prego de 2.000 rs. cada frrra, e quem
comprar do 60 para cima sera a razio do
1,800 rs i-i la urna: no ermazem de C J.
Asile; o> Compinhia, rua do Trapiche n, 3.
-- Vende-so urna duna de cadeiras, umi
cideira do bolanco, um sof, e duas bancas,
ludo de Jacaranda quasi novo,por preco mui-
to commo lo : na ru-i das Cruzes n. 33
Na rua das Cruzes o. 22, vende-so uina
crioula que engomma, collona, cose cl.a
e lava ; com um lil 10 molequn do 15 mozos,
muito lindo e urna dita, que engomma, 00-
sinba e lave, e nutra dita do 20 anuos pro-
pria para todo o servico.
l Lili ..._____llll'WII ....."PWJ1J1.
Escravos futidos.
Iiesappareceram do engenho S. Paulo,
os escravos Agoslinho o Vicente, ambos cri-
oulos, com os signaes seguintes :o primei-
ro he do estatura regular, doules limados,
corpo bstanlo clicio, nariz calo e cara be-
xigosa, quasi sem barba, e represento ler
25 annos. U segundo tem boa estatura, na-
riz bastante choto, pos mal conformados, o
com marcas de pequeas feridas nas pernas.
, cor prota, reprsenla ter 30 a 40 annos, o
lores elogios, como prova do sus j, prncipia pjnt,r lPrn 0 roslo feio, o os
Rratido e do seu reconhecimento. 0|hoi undoi oaperli-los: quem os aaren-
Jamais a parca inexoravel levara a se- y |d dlrlj,.S6 a0 referido engenho, que ser
pultura dilaceradas por vermes, o a Kl__--------
-X ser piitn de outros vermes centeno-
j res de victimas, que roub'das ni pri- "*.
il mavera da vida, o ao despoutar do j
^1 primeiro sol de seus dias, deixavam J
.$ couslernadas e allliclas m3es sitbmer- j
gulas naquella pungente dr.esauda- *
dp, que necessariaineiite grava no en- j||
j racilo materno o imur,u u.ia us ncia ii
|| eterna. I
WiatirSrflS *
l'risseio l'ublicon. 17, junto a
Imprensa, vendem-se as seguintes
duendas por pre9os commo los :
Chales de ISo eseda, ba fozenia 3,000
Hilos de 13a 1,280
Ditos de tarlalono 1,011o
Hitos de cambraia brancos 1,280
Lencos de 13a c seda com franja em
volta 1,000
Ditos de dita dita 800
Cortes para rollete de lo e serla, bo-
nitos padrOes 610
Ditos de fustSo, fazenda muilo supe-
rior 1,28C
Lencos de seda com loque do ovarla 610
Itrio, branco de linho muilo supe-
rior, a vara 1,280
Dito 1,100
lliscailinhos de linho proprios para
calilos, o covado 320
Alpaka preta nuil > boa fazenda, o
covado 800
Dilo mili inferior 610
Crovatoa para poscoco do excedentes
padres 1,120
Pecas do modapolSo, boa fazenda 3,500
luto mais inferior 3,200
Dito 3,000
Chitas pora coberlai de bonitos pa-
drOes 240
Ditas para vestido, a 160,180, 200 e2IO rs.,
c iiillr-s muilos do cujas qualulodes e pre-
rrcompensodo.
Actia-so fgida desde odio 15 do cor-
rente a escrava crioula de nomo Lourenco,
de idade de 30 annos, pouco mais 011 me-
nos, a qual eio da villa do Bonito sondo
foi oscrova do colleclor Jos Victorino do
Vascnncellos, e ventila nesto praca pelos
Srs. Mallos & MagalhSe.sao abaixo assigna-
do, do poder le quem fugira, sendo os .ig-
naes da mesma escrava bom ..arente-, por
ter no brac,o dtreito, lodo inferior, algumas
costuras, no roslo tem urna fstula, a qual
diz ella ser provoniente de dr de denles,
tem os lu no/ellos Incitados, as nios o os
ps mal fritos, estatura regular, alguma
cous mal parecid; por isso roga-se a to-
das as autoridades, tanto policiaca como
npites decampo, hajim dea caplunr o
levi-la i loja da rua do Queimado n. 9, a
entregar o seu senhor, quo serSo bem re-
compensados. Antonio Lutz de Almeida
Azevodo.
-- Fugio no dia 16 do corrente mez dn
novembro urna preta dn nome Joaquina, de
naco llebollo, de idade do 40 annos, pou-
co mais 011 menos ; levou vestido do algo-
dAozinho trancado azul, panno da Coala de
listras azues e brancas, de boa altura e re-
hresela, tem urna cii>tufjj| grande de fugo
debaixo do queixo esquerdu, um buraco
grande no orelha por trazer brinco pesado,
e lem varios pannos brancos pela cara e hel-
eos, foi vender verduras e dos goiolas com
passarinhos, quando fng he seu.prc polos
i-a 1. Millos do sellan, por tor si lo criada no
do Ico: roga-se a todas as autoridades po-
hciaes e capil3es de campo que a encontra-
ren, a prendan, e conduzam ab largo da
Trempe, sohiado o. I, que lem venda por
balso, que so Ibes satisfar seu trabadlo
com generosidade.
No da 6 do corrente otisentou-se da
casa do ab'ixo assignado, a'sua escrava do
iiou.0 Certlia, de nac,o Angola, de idade do
eos os prelendenles se axridarao, o lempo | 35 a 40 annos, de estatura regultr, com om
e proprio, a ellos antes qu se ocabem. I b,s as peinas muilo toitos para don'ro, o
Vende-se cxcnlleute panno do algo IfloJ P"r |NS0 quando anda he coxeando; lev.ui
da malla, proprio poro rouoa de escravos, 1 panno fino preto e vestido de Cimbris bran
em porcSo o a rclall.o, por peco commodo: co com flores ancarnadas talvez queira in-
11.1 rua da Cadeia do Recife 11. 40
Cbapeos brancos
Vende-se na loja nova da ru do Rangel
n. S, chapeos fraucezes delmilM broncos,
pora homem pelo barotissimo precede 4,500
culcar-se forn, por ser muito astuciosa :
roga-se lo las as autoridades policiaes e
capitSea de campo, quoiram empregar toda
a diligencia sobre a apprehaocAo dola, ou
i pessoas particulars que della livorem
noticia, dirigir-se 00 atierro dk HAi-Vi-ti
rs. cada om, gorgurHo de coros proprio pa- n. 14, queserSo bem recompensadas, -'jot-
ra pililos pelo Mralo preco do 800 rato co-quim Jos Dias Perqira.
vado, bnns de linho rom cores de marmoro --Auzei.laram-so os prelos Pedro; e A11-
tambem fazenda qua esta mullo em moda touio ambos no da 14 do corrente, o pri-
para palitos pelo baVilo preco do 320 rs., meiro he de nac3o Congo, estatura regular
t.mbem lia um completo sortunetitu de gra-cl.eio do corpo, be.cos grossos e grandes
vatasdeseda de tolos as cores. j rusto Cdrrancudo, esta preto boa primeiro
- Vende-se urna armaciio, na rua Direita voz que fogo o por isso nfio dove ondor por
n. 54. prtipria para quolquer negocie. |o.igB ; o sogMldo he de mello llenguell..
Vool.i-so iima annaco, con. porten- idade 30 aunoi mais ou menos, alio, ma-
res do vendo, sendo tudo novo: 111 ru Di-, gro, pertencenle aos orlos lo Jos llana do
lade dos compradores : no arma-
zem com taboaa de pinho, atrs do'mi. n. "53. jelul j|unlZi eanoalro e coatnift embria-
tliealro velbo, OU a tratar com Ji.a-J GeS80, gar-so: roga-se a qualquor pessoa que dul-
miim 1 nnr-s de Almeida Cdixaira Veodo-se gesso embarricos, cbegido ui-'iesder nolictaou os possaigarrar.deleval os
quimones de imeaa, c",Xe,ro timamente :em casa de I. Keller & Compa.: ru d" Brum fahf' a.
do Sr, JoaO Matlieus. ;nhia, uaruada (iruz n. 55. ,'Vas. : Iyp. di U. K. ni F*au. ISi-^."


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4UV1JRZX_6X8CYK INGEST_TIME 2013-03-29T17:29:34Z PACKAGE AA00011611_03104
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES