Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03101


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AdiioXXVIJ
Terga ieira 16
DIARIO 1)1]
raiifo u ssaonirglo.
PlSlMIIlTO AlilinT.IU,.
I >i trimestre .....
Por semestre *........
Por nao ........ o.....
PiaODlIfTRO DoruMHSTR.
Pot quartel.............
votioiau do Imperio.
I'jr.... 23 ileOutbr. Mina... 14 deCulbi
Mar.nbSo. 31 de djlo S Paulo 2? dedilo.
Cear.... 5 de >ovbr. JA. de J.. !(i dedito
l'.iiahlba 5 ^e dilo Babia.. 'J de NovbV
4/0 00
8/000
15/000
4/SO0
DU'Dt IIH1M1, ADDIKBOIAh.
l5Scg. Clemcntino
iGTcrc. Goncalo de
Lago..
1/ Quart.Gregorio.
18 i.i.in.i S. Uiloin.
Jmioile Qrpkii
i,e&. as lOhorai.
I. taraetoeivtl.
3. e 6, ao meio-dii.
Flienda .
lO Sen. S. I..Un i ni- j eS. ai ]o boraa.
"lia Ti ni. 2. ora do ele/.
20Sab. S. Fclli. 4< ebadoao melod
21 Doro- 25. c ultimo) Tel.riio.
depo9 do E. Santo.|Tercaa e as.bdo..
!.
Mlngoante i 5, a I bora e 18 minutos da m.
Hora 11, aa 2 boraa e 32 minuto da tarde
descate 18, ao 0 minuto da larde.
Chela 26, a 1 hora,.!.' mi auto da tarde.
muAiti ao>
Primeira as 8 horas e no minuto da manijas.
Segunda 8 horas e 51 minutos da tarde.
PARTE OFFICIAL.
TK1BUNAL DA KELACA'.
SESS.lO.' DE 0 DE ISOVEMllllO 1>K I8.r..
['residencia do Exm. Sr. conselheiro Azcvedo.
As 10 horas ila man hila, estando presenta
os Srs. desombargadores Villeros Bastos,
Leo, Souza, Tilles, Figuoira de Mello, Pe-
relrt tlonteiro, Valle, Sanli.go, e Gomes
Kiheiro, i.i;i in.l.i com causa os Srs. desem-
liargailor.-s Itrliollo, e Luna Freir, o Sr.
presidente declara abena o sesso.
JULGAMPISTOS.
Agsjravanto, Manuel de.lirondo Reg Bar-
ros ; aggravado, o juizo.Negur.in pro-
vi monto ao aggravo.
8 Antonio Januario Paes Barrito
9 i.i m| ni ni Marques da COitl S.i.res
de outros pontos menos importantes, o governo I
se declaiava prompto rm acceder o voto umita]
veics manifestado do gabinete de Paria, rea-: |0 |gn!cio Francisco Vioira de LCerda 1586
tivamente ao reconhccimeiilo internacional da ,,, francisco Jos da Costa 1578
liropritil.de luterana e arilslica, c se alein dls- ,.,,_,..:_, ,irp|i iMieira do Or-
lo, o ajUitcprojecta.lo ilcve.se aflrreccr Bel- U J<.Uim Aurelio 1 dreira UO t, r
gica un lodo de condieet aceilavei. *'" ,, ,. .
As conferencias principiadas em 1851, tinliam 13 bstovao JoaO Velho Brrelo
sido cm principio reitas por tscriplo; mas desde I i Francisco Antonio de S Brrelo
o mei de i'evcreiro de issjcllai foramcontinua- 15 Antonio de Paula Souza Leo
Jas vcrbalmciitc. A negoeiaco continuava cui n, Antonio de Siquer. Cavalcuiitc
enndcocs as quaes as cmaras aero, penaa- t7 Antonio dos Santos de Siqujir Ca-
mos ni, iniciadas ininucii.samente, logo que a valcaole
9 do iiiriiim mei, os mcinbros do gabinete jul- ,g Jo3o p>eg Btrrelo (,e ,,,cerdt
1578
garcmquedevemolle.ecer.u.de.nis.aoao-rel. '> "" D'"^""^'T'^,r.Aa !!
Esta .cha foi .mediatamente levada ao co- 9 Or. JoSo Paulo Montero de Anirade 568
uhccimejiio do governo francen.ao qual e pro- 20 Manoel Jos de Slqueira Cavalcanle lo68
iioi ao inriiiiu iciiino a prorogaeo da conven- 21 Antonio de Siqueira C.valcault) Ju-
cJo de 1845, at o din do anco; a flin da qnc a ninr
de Novembro de 1852.
N. 259.
uiTiiai oa oosaiioi.
a e Parahlba, tegumda c leitai-
I.
rande-do-Rorte Victoria ai quista

o,Caruarn,e Garaahuaa no l'e ISdccad*
|tea,Ourlcurj,r".Ju e Boa-Vita i3 28
oda, todnsos dial.
los o Crreloparteroaomeio-dla.
OTiom iiTnaxoiiBii,
Portugal 13 deOutbr
Hespanha 0 de dito
Franca.. 8 de dito
Blgica.V. 4 de dilo
Italia..:'. ; dedilo
Alcin.nli. ;! ili- dito
Pruasia ..".3 de dito
Di n a mar c a SO de Selb
Rnasla... ''' dr dilo
Turqua. 26 de dito
Austria ;
|Suia....
Sui-i i.i.. .
Inglaterra
E.-Unido
i'Mi-ll
CalilorMia
Chlll.
I'uenoa-A.
Montevideo
> deOutbr
' 'Ir dltO.
28deSetbr.
8 deOutbr
25deSetbr
5 de dito
6de dito
lOdc dito
58 de Setbr
5 dedilo
CAMBIO* BB 15 DI N< VIMBHO
pobre Lonilrei.a 2s /, por i/Ooo d.
I Paria, 30
I Lisboa, 95por canto,
iiaa,
[Ouro. OnOta bespanholaa.v....'.'"' 2'i/m (i
Hoedaa de 6/400 velhas........ 16/10
. de 6/400novas........ 16/000
de 4/000............... 9/000
.Prata.Patacdesbraaileiros.......... ^Si0
i'i-sos cu 1 umuarios............ ifiru
Ditos mevicauua.............. 1/800
157S
1578
1578
1578
1578
siiuacopassasse intacta smaoside um novo 22 Ignacio Ferreira Coimbra
Appciianto, Atilomu litniar.io uos santos fjaDlliel. c ue cste ..odesse deliberar com toda
a,>pt'llada, a justifa. Coiilirmarain asen-1 ,.>..-
lenj.
BIMOBUOUl
Appollantc, o juizo ; empellado, Carlos An-
tonio Suarcs. Mainlaram rom visla ao
promotor de ous lilis e aoSr. dosombar-
;: ninr procuiador ila coroa.
DMI0"A(An.
Apprllante, Jos lle/erri Cavalcanle; appol-
lado, lo.- Faustino dos Sanios.
App.illauliM, Amonio Fabiilo do Mondones e
.-ia BiulQer ; appellinlos, l.slevao Jos
l'ars Brrelo e sua mulliei.
bivisAes.
Pastaram do Sr. desemliargador Villares
ao Sr. doJetnliargador Bastos as seguintes
appelln;i"i-s cm que sflo :
Appellante, o curador gcral ; sppellaJo, Jo-
so lloberlo de .MorieseSilva.
Appellante, Bernardo Ferreira Loureiro ;
uppellada, a fatemla provincial.
Appellanlcs, Jo-c Rodrigues de tlliveira Li-
ma e oulros ; nppellado, Joo Hermene-
gildo Borges Dinit.
I'assou do Sr. desembargador Tclles ao
Sr. drsembaigailor Figuria lo .Mello a se-
guinto aiipcilsQuo em que bIo
Appellante, Jos Das da Sil-a; appellado,
Antunio Val ntim da Silva Barroca.
I'assou do Sr. desetnbargador Figueir
de Mello ao Sr. desemliargador Pereira Mon-
teiro a seguintc appellacSoem que silo:
Appellante, o juizo ; appellado, Paulo Soa-
res da Fonseca.
a liberdade.
O gabinete de Pars rejeilou eta proposta ;
declarou que nJo quera admillir a prorogacao,
anda ineamo de um s dia, se o giverno belga
niio couseutisse em assignar iiiiincdiataueiilca
convenco lltlcraria e urna
fandega.
O governo francodcslstiudepois de umadas
duas .i. Ii i a asiignalura iuiiucdiala foi
exigida soiuentc. *lim de obler a prorogajo
da convenco de 1815.por alguna mete ; o go-
verno btlga nio poda farer uina conccmiio des-
la i. un i iv. i. e islo scui coinpensacao especial, c
principalmente sem garanta quauto ao resul-
tado diliiiinvo das nrgo. jares
23 Joaquim Albino de GusmSo
2' Umbelinode Souza l.eilo
25 fliomaz Josc da Silva GustnSo
26 Joaquim Francisco de Souza LeSo
27 J.'n |>aes Barrlo
couvencao de al-; 2H JoSoTrancisco l'aes Barrlo
29 Francisco Paes Brrelo Guerra
30 Josc Antonio da Rocha
31 M mu-i da Roclia Giicdcs
32 Antonio Francisco de Paula
33 Luil Gomes de Moura
3\ Jos Francisco da Rocha t'.uodes
35 slevSo Jos I'.es Brrelo
36 Dr. Manoel Firmiuo do Moli
a existencia I3n aoabrunhsda e cheia deixpressvo e gestos adequados em occasulo nto na seubora Orsat Mendes, e conliuue na
udoso sentir, privarOi-s n miserias; e slopportu-na.o velho criado mostrou-se cuida- carrelra que encetou.
poderi explicar o motivo por que no doso da raissao quo desempenh,va ,. Sr- p",l.'.,1,, luf"* "ao, ["llou fo1 m,n1|-
de vinte ,nno um aojo que" nao lie Ms- Seguio-se ao Um,i. Cornelia em tres se- -,/-' 2 "par".'!:."!.'; ."Vvloa,
, asensivel amante do amata, mas altos R-uUbrd, ni Hespanha traduzda visia. acc.escondo a Isto o bem que eslava
de ambos que vem procurar o pal, o| -lo idioma francez para a lingua verncula, a ( vestido a carcter, julgamo-nos porumpoucona
qual foi escolnida peluSr. Mendes para a sua Serra Morena.
estra no Diestro do Sania Isabel. Mo he' A pequea opera cmica o Helio tenninou o
grando o oierecimento potico desta como- .' expectaculo.desta ooite. U nr.aionleiro e osnr.
dia ; e muito menos elle o seria so Pllala Blterra houveram-e bem nos seus papis c
fosse a sstyra que a mesm abrange no sen- 'fj"" e!'c ul",no nH can,a '"'
tido que nos h.viam inculcado Re u na ,ac^'- V--^ **? ^Z
critica leita aos hespanlioes a se nos dizia, e j, e Rubial.
nos o que encontramos foi um salyra, quo j Concluindo dlrcmos.o espectculo desta noi-
o autor da comedia faz a um bom nuoieroj te deverla comentar a umita gente; para o
de escriploro de viagent, osquaes coro sentimental e enlhusiaita o drama ; para oho-
tanto cabodalaW UUrt^i crM.ino, como. JUiein aborrecido do lidar do dia e grava* ne-
disto nos manifesta Reniard, vilo viajar, o [goclos, e que procurou dsirahir-e a come-
na volta da sua carreira, para que nao haja | d.la }. P,r* os admiradores de buglgangas -
As. mili-i eiii-m -i prolongarain anda paral- 37 Josc Paulo do llego Brrelo
guio lempo no terreno da prorogacao, quando
ein consequencia de lacios que aero sem du-
vida levailos ao conliecim ulo da legislatura, o
gabinete se acliou autorisailu a tratar mesiuo
de um ajuste dliuilivo. (juatro combluaedea
lili 11-ni. f-ram eolio apiesculAtasao gover-
no fraucez dua. ilelias unliam por base o res-
tabi'lecimeulo em vigor da convenco de 13 de
dezeinbrode 18-15 al o prlineiro de Janeiro de
IS53 ; as duas utas eslabelcciam soluedes di-
liniiva. Una reprodusia os elementos da con-
venco de l8i!>, escepiuandn-sc que a Blgica,
para compensar aicducJaconsidcravel de suas
eiportacAes de nroductos de liulios, rcaisuinia i
a conceaso relativa ao productos de l.as of- 8 Andr Bozerra do Mello
fereela alcm disto ue um lado o abandono 49 Alnxandre de Barios Albuquerque
da Industria da reimpresso, pedindo ao mesiuo 50 Jos lempo una garautia paia o carvo de pedia
A ouiracoiubinaco se limilava .- pula-
ce relativas queato Iliteraria unas
mar
das
go-
ii le
na
iideinnisacdcs para a Blgica,
expressameule o penhor da conti.
38 Ju;ii Garlos Cavalcanle do nlbu-
querquo
39 Jolo Jlhor do Rogo Barros
40 l.-ii-v.iu Jn.-r da Silva
? I Agosliuho Bozerra d"o Mello
42 Julilo l'e re ira Maltozo
43 Vicente Francisco Mondes das Cha-
gas
44 JoSo Eloy Cavalcanle
45 Manoel Bruno Alvos do Couto
46 Antonio Pedro do llego Barreto
47 Antonio Jos Campello
51 Jus Joaquioi dos Santos
l'assaram do Sr. desemliargador Pcrcira Uoas rclacdcs dos dous palies cutre
Monleiro ao Sr. ilcscmbargador Valle as se-j verno fui chamado para rscolhcr li
giliulos appella(0i'S cm que silo : .entre estas qualro coiul>lnaiue>. d m qn i
Appcllautc, Jos Amonio da Costa ; appel-'exclua uuira.
ledo, Antonio Jos do Medciros Bitan-I, Elle se pronuociou pelaquarla.cujo ca
cour( [he -i.lli lent.uiiriiie dctcrnunido por
Appellante, o procuia lor fiscal ; appcllados,
os lierdeiros do padro Amonio I lieresio de I }^a~ ;,)"rm cnlre iom paise,..
Oliveira AtltUtK'S. Conlorme a nianeira porque esta negociacao
l'assaram do Sr. desemliargador Vallo ao- tiuha sido fcita, a Blgica licav. coiuplciamen-
hc M.lli lent.uieiiii- dclerminido
picambulo, que a negociacao lem por objecto
uasscgttrar e eoiuo/iiir a comcrvaco daslioai re- j
ELEITOBF.S l).\ FBEGUEZIA DE CARUARU'.
1 I) degado JoSo Vieira de Mello eSilva.
2 SilTattre Antonio do Uliveira.
3 JoSo Salvador da Cruz.
4 Proprietario Caelano Alves da Fonseca.
5 Subdelegado Antonio Leile doAzevedo.
6 Miintiel Jos da Silva.
7 l'roprielario Duitiingos Ferreira da Costa
humea.
8 Ju.- Podro da Silva
9 Agostinho Jos de Olivera.
contra anda. Mstians morreu, mas Ame
a encantadora, a ingenua, a meiga he
recompensa do amor enlistante, como
' em dos laboriosos trsbtlhos do genio,
pequeo drama O pobre Jaquesse en-
ntra a historia do Tasso, autor la Jerusa-
. n desgracailii amor desse poeta, o seu
Intliusiasmo pela gloria ; tarabea) se depa-
ra com i4i saudades de Bernardin Ribtiro o o
olivo do prante'ar to melanclico, singe-
1568 10 0 melgo de9te poet..
1568 Como sehouve o Sr. Cosa no desempe-
1568 mi" da paite de Jaques? como?... muito
1568 bem, de urna maneirs quo completsmonle
1568 nos sallsfez, al boje nada Ihe tinhamos
1568 visto lazercom oais perrejfBn, nem tanta.
1568 Censuras lera esle artista, e J aos nossos
1568 "iividns chegaram algtimas, e o que he
1555 mais galante he versarem sobro cousas que
1555 oattista com mais natural laJe exprimiu.
1555 A alienaco quasi constante em que existe
1K55 Jaques foi mu bem traduzida pelo Sr. Cus-
1555 ta, della Careceu o poeta para ser conse-
1555 quento, e urna tal aliena(So oQerecer devia
1555 variadas phases, e nunca a lucidez d urna
1555 ra/.'ii que recobra todo o seu vigor; no
1555 amor e as esperanzas de Jaques existo lu-
cidez e desvanu, u Sr. Costa copiou bells-
1555 mente esto pensamento ; no enlhuslasmo
1555 do artista,,mais lucidez menos desvario,
1555 mua o Sr. Costa comprehendeu o|oeta;
iH no auge da felicidade e ventora quem con-
1541 servara solido juizo? om occasioos seme-
Ihanles o homein de seguro pensar l'az dis-
1544 parales; oque deveria, r'ois, manifestar o
1544 atenuado Jaques?... produzir como foz o
1544 Sr. Costa, alegra infantil, apresenlar a pita
1544 so do idiotismo, o finalmente oossuir-se de
1544 umregosju frivolo. Tudo isto execulou o
1544 arlista muito bem, o por islo mesmo h
1544 um tinto censurado, nao e Ihe d dsso;
1544 pobres artistas quo taesjuzes toem ; dcs-
1544 g'afadss artes que etigem quasi tanto ta-
lento nos que os hSo do apreciar, como so
exige d'aquelles que exnibem os fructos
das suas vigilias, assiduo estudo, obser-
vaco o trabalho.
II i bastante lempo que nenhum artista
dramtico nos deixa urna nica rooiessSo
quem ignore os motivos da falta quo flzeram
Dos bolequins, pracas u passeios do seu paz;
publicam as suas viagens, escribios osles
em quo extraindo-se lo lo o sueco aparecem
observa^s maisou menos chistosas, quan-
do por ve/es nflo silo inspidas, sendo o ha-
gaco que resta, fofice c ignorancia. En ver-
il.i le, jim nacSo existe no globo que uu ti-
ulia seus rjdiculus, abusos, legendas eslra-
vagant'S, ocoslumcs despar liados f quando
ellas nao Mu senilo Islo ja iiu he mau ; or
quantu he a expressSo do viver do orbe, no
quai constantemente se encontra o ridiculo
acotovellando o sublime.
lima visgem na pennsula hospanhola ,
nesse potico, grande o nobre paz deve-
ria colebrar mais alguwa colisa do quo
aquillo que um moJiocre lasl_.-a-.-t- so pro-
pozefsea descrever : nAo desojamos a pecha
le ; i- i mi i -, o por isso pondo de parte as
seiencias, o a maneira ,>orquo ellas sempro
fuiam cultivadas nessi psiz, apoutarouios
alguns mi ii- historeos, diremos alguiiia
cousa sobre as artes,htierstura ainoii-.e poo-
sia que nessa pouinsula liespanhola aiuia
as pocas monos illusUalas da Europa ali
liohSo vida. O paz, aos destinos do qual
prosidiram os cavalleirosos Res cnsonos
Isabel o Fernando, como ikiiIumi um Car-
los V. que tiveram por defnnsores estas por-
souageus o Ci-lo o I) JoSo d'Austrirf, que
no cantinho de l'oitugal vstonlava I). Jo.0
II.. e o infante D llonrique, Vasco da Gama,
cliolicea no a Heijo
n un -,111-1.1111.

o Sr. Raimundo os deve-
Pigtlanle Junioi e ic O.
CoiTespoudencias.
Srs. Hedclores.-Como enteja prxima aelei-
sendo acceitos os ciiadidatos menclnnados na
rebelo abaixo Iraoscripla, ticar a provincia
bem represen-oda, rogo-Ihes o obsequio de a
publicaren, com que i-.i. i especial favor a um
eleitor que dezeja sioceramenle o beai de seu
paii. Seu constante lelor.
Os Srs.:
GonselUeiro Antunio Peregrino Maclel Mon-
te i ro.
Conselheiro Sebastiao do llego Itarros.
Geueral Antonio Correa Sera.
Dcicmbargador Jernimo Martiniano Figueira
de Mellj.
Tenente coronel Antonio Gomes Leal.
(Jr. Francisco .Xavier Paesarreto.
Di Francisco Carlos Hrandao.
Antouio Josc de Ollveira.
Tencnlc coronel Antonio Carneiro Machado
llios.
lr. Josc Mrrii'i da Cunha Figuircido.
Dr. Joaquim Villrla de (.'astro Tavares.
Dr. Antonio Fraucisco Pereira de Carvalho.
Dr. AnstlinoFraiKi.co Piretti.
Sr. desen.barg.idor Villares as scguinlesap-! te livre de continuar ou nio a negociacao del v^uunu *>fov ww.in,
pelUettemquesfio: n -juste ulterior em lodo o caso, depoi-dajO Collector Jeronjmo frpr.eira da Silva
AppHlale, Jusu Pinto Ferreira: appellado. 'asjn,i>atura da couvencao de le agosto, o
hm .te R*lMrde H lU.rosi. ; pensamento de renovara convence de I Jjl
..,,,.. .. i u...MM t Oeacmbr'i dr lOldD modo pornuo uatt. ido
Appe lano, francisco (.avalcanto do \ascon- couc,,llda n.,u .,uid ,,.,. c,llr.r a5 prcrisoc.
cellos e Mello ; appellado, Manoel Cue-,d0 Kve,110 Dt|(.a
uesGondim. | unime dia. apenas llnbam decorndo depois
Appellante, JoSo Goncalves ila Silva liis ;' da conclusao da couvencao de vi de agoo,
appcllads, Mara Venaucia do Abreo Lima : quando uuv convite dirigido para faier revivir
llaslos. I iiiiiiiediatanienlee aeiu uciiliuina. uiudilcajo
nambuco. Ksta vantagem a leve o Sr. Gus-
ta pola maneir. porque esto artista so liou -
contando as magoas de Jaques, e ss saudosas
lemhrancas do Mariana : nlo pela perfeicilo
do seu cantar ;se bem que hirmonioso el-
lo fosse, e o meihor que cantou, doiou-nos
perceber sor a msica do ouzetti noro-
Uarrnlo. I mauc-ida Opera O'f'ttjae mtrMD pela
''I Aaigaciatilo V.ano.'l Cactsnu l.uullio. da ex.iressao.do sent incnln q06"soobe dar-llm,
Silva. |frW melancola placid: e- suave das oJS'-1-
1-2 Negociante Jo.to Caelano CoolhodaSilv.. qtfins : obngado muilo obrigado Sr.
profunda eduradour.,e isto mo nos adm- Lisboa ; esse paz que no seu JI0 c-.ntevo
ra, ha dez aiinos quo nao sahmos de l'er- Hurillo, Espanliolelo, Grain-Vasco, e Este-
ves, que quando alnglate ra,a l'i m;.i -|:i i-
Como a Vniio de 13 do correle bouvesse
publicado una lima de 10 cidado, cujos co-
uhcciiucntoa, qualidades, enmiela de carcter,
o i w i un rccomineodaveia aquelles que c
achao encarreg.do" da alta inissao de eicolher
A.'buquerque, o D. JoSo de Castro ; o paz ""f"T"^ .f'..^ wm' f """""""j11
^ ^ ,.,,,,, ... nTZ*. leral, c nella nao se acnc incluido o noine do
quopossueacathedralde hdvilh*, o B*0Q-1C|,uUadoJlide direito Alejandre lernardi-
Mil, a Kalrllu, e OS arcos de a(;uas hvres de I n dus Res e Silva, nos apressamos em oere-
cer aos nossos coucidadaos cleitores este dis-
pellads, a justiga.
DisTauoisgOw.
Ao Sr. desembargador Villares o seguin-
tc aggravo etn que silo :
Aggravsnle, uo Moreira Marques; aggra-
vado, o juizo.
Levantou-ae a sess5o depois do meio ni. \[.\{,1
F.llc ollereccu
pedra c sobre o Ierro seria elevada.
A proposta do governu iram /. alacava
.iossi) pacto liiniliiiHMi.il, que nao da ao go-
verno o direliode por ol 11.10 em vigor os tra-
tados de coinmicio sem u concurso d Icgis-
Ut'ira. O gabinete rrjtitou coiiscguiilcmcutc
por todos estes motivos a piopost que Ihc era
EXTERIOR.
T
signar em 2i horas urna con.
reD(o sobre as bases da tercetra combinacut
de qnc cima Callamos. Mas o governo fran.
ce/, sustentando sua proposta, recuiou discu-
tir tudo o que della se aparlassc : smenle uSo
pediu mais que o gnveruo belM obrasse sem o
concluso dai cmaras, mas exigi que cstai los-
l.-sr. na tutlcptitencc belge :
A conven9o de 13 de iiezembro de 1845 li-
nha, como se sabe, seu termo lixo cm l" de
agosto de i85j. Desde o principio do anuo de sem convocadas logo, c touiasscm cm demora
1861, o governo belga al.rio conlerencias com o un. partido. goveruo bdga de seu lado s
guveruo franccipaia a conclusao de um novo pode relnr-se s mas rcsolucocs anteriores,
ajuste coinmercial elle csiabclccia como pon- Ue uestas circumstanchJ que inrvelo o dc-
to de partida que, seas bases da convenco de crcio publicado pelo Monitiur l'niversal de al
1845 tivcsiem de ser adoptadas outra vez, se da-' de seteinbro.
ra urna coinprnsacio a lielgica cm razan da d-
iniuuico notavcl que sobievlera as luipor-
tandea de fazendas de algodao e de tccjdo) de
liulto belgas cm Fiaoca.dimMiuiraoque contras-
tava com o augmento cooslderavel que apre- .
sentava a importacao na Itelgica dos productos
franceies, aos quaes a convenco asse^urava di-
reitos de protei-cao ; o governo pedia que esta
compenBco fosse concedida de preferencia
industiiade laulicios, por meio, entre outros,
de mu.1 nova redueco de direitos elle espri-
uia o desejo formal de que a convetifo que iu-
tervesse, garantase de urna maneira expres a ns. 1 v.i., 1 da paula franceza pira o carvo
de pedra e ferro belgas ; liualmentek5cm fallar
FOLHEflil.
(Prate.)
i>ERNAMBUC9.
ELEITOni.S DA FRKGUK/.IA DO CABO
Ot Su. Volos
1 llariln da Roa Vista 1586
2 l'Yiiicisco Paes llarreto 1586
3 Joaquim olanool do llego Brrelo 1586
4 r.,.r.i'i dulpojuca 1586
5 Josc Joaquim do Hopo Barros 1586
6 Manoel do llego Barros 1586
7 Vizario Josn l.uiz\l'erera doQueiroz iONti
stwixii- -I ''rrawieaww
pc.lreiru com i lie 1 Meu palacio, oh 1 era com
cll'eito un palacio / Ku o luilia povoado de nin-
plias e de frescoa allegoricoa a um algoal
mei: os amores se tinliam vml > suapender
Cosa.
A' senhora O sal M mi-I -, tomos a dizor
que jS contavamos com uina excellenlo pri-
Anlonio Vctor da iilva Vi nioira dama para a comedia, o quo boje a
consideramos lambem como urna boa l'ri-
me.ira Ingenua carador este in lispensa-
vel no theatro moderno, mu prncipalmenl-
qusnlo os reportnos do theatro Frtacez
s3o aquellos quo inaior conligenti ollerecm
ao theatro do Brasil : oi a senhora Osat
Mendes admiravol na eiecutao da parto que
Ihe coubo no drama O ['obre Jaques i. in-
dura, ingenuidade, S'inlimonto, amor llisl,
dedicacao tudo foi marsvilhosainenle inter-
pretado.
13 Miguel Ferreira Velloso.
II l'roprielario Manoel I cite de Azovedo.
15 Negociante Manuel Jos da Silva Vicira.
16 a
eir.
17 liscrivilo (.rcgoiio Francisco Torres V.s-
concellot.
18 .Negociante Manoel Ferreira do Espirito
Santo.
19 .Vgocisnlo Angelo de Souza Silvaira.
20 Agricultor J-iiii dellollinda Cavalcanle
o Silva.
21 Agricultor Francisco Jos Gontalvcs Flo-
rencio.
22 Agricultor Klias do Vallo Pereira.
-23 Negociante Joaquim Manoel de Sotlza.
2t a Jos Alves daCiuz.
25 Agricultor Antonio da Amonio Ramos.
26 Artista Manoel Ignaro da Mlva.
27 Agricultor Francisco Cecilio Coniciro
Manso.
t^iUHii Hincado.
THEATRO UE SANTA ISABEL.
lixpcclaculo da noite da (i de novembro
de 1852.
Nos curtos limites 'um drama de um s
acto O pobre Jaques ixcellenlo poeta
reno expressSo mais melanclica, suave
o lerna de sentimento, a poesa o enthusias-
n"i de um attisU sublime, observando-so
ueste tolas as phases que ull'en rcr pode
urna imaginacSo perturbada, que so roaut-
l'esla inloivallos lucidos quando o amante
pian1 a um amor desgracado, o sublime
msico so i ni, ue a croar um monumento
do gloria. He o amor da arle idea pode
losa quo prolonga a existencia de Jaques,
si toda a Euiopa exislium mais ou menos
submersas nis trovas da ignorancia, dando
umeamento verla I mis signaos de vi la a
Italia; quando o genero de literatura hojelilo
cultiva lo o romanceo esq<>ecido a achava,o
l.ongus com o seu Daphim s e Chloa unlerra-
dosoas bibliotacas, ali esqueo los se achi-
na ; Bernardin Biheiro ain la no cantinho
de Portitg%l i' .lili, iv.i a m-'nin i: moca,
quando a degradara da arte dramtica a t il
ponto inilia chegaio, que s conservada
ca na Italia, mas cm outros pontos da Ku-
iop.,o o que mais he na Europa GbrlsUS;
biilhavam em labiados a Santa Virgom, o
dial'O e as virtudes theologacs, Gil Vicente
anda no pequonino Portugal lazia renascer
a comedia o o drama ; ein ultimo, os altos
feitos dos portuguezos sSii cunados por Ca-
mcs, o antccipa.n a Jurusilo n libcrtda.
Sera pois a ueninsula hespaulioU pira sor
descripta o pinud i por um lloniflirj? nial
logo ii ---.n carcter esltirdiosupe licial, c do
lumom de letlras gurdas recalio toda a sa-
lyra, assiiti o i- li,:.-;-.- i o autor da oomcdia
o muito bem, maravilhosainento o co,iiou
lindo l'eriiamiiucano, para precneber o nume-
ro dos 13 deputados, que leein de ser elello
no dia 7 do uiex prximo futuro ; na pesaoa do
Dr. Alexaudre berpardlno, eoconlraroot pre-
dicados necessario a mu bom lepreseutanleda
nai-.i, c a uieaiius qualidades pelas quaes se
lazcui rccomtncndavcis aquelles cujea doiucd
foram publicados.
&'in eleilor.
de Florenca, meu bello palacio, era una ca9a
dourada junto do Amo, escravos trigueiros nel*
le me seiviain, dcosa. loura abi beblam o vi-
nho de Chypre. O bano, o marital, a laca, c os
Ijasprs-m-llc recreavam a vista, a rosas o em-
balsamavam, oa galgos, os phaiaes enchiam
aeuajioicos c ariis jardn. Eu linlia enlao mu
braso, e este bi a/.;to lina i por toda a parle
aobre o granito, sobre o camalte, e sobie a te-
la, trauma habilacao de principe on de rei,
seu brilho desluinbrava A mao do geuio (c
dellc um mundo uoico,umaaaleria que o impe-
r idur me iciiaenviado. II -j-a jiiriu euuiiciaise
smenieo meu nome, um criaalo novo darla em
- n- |hisi.i um riso de escarneo, elle mostrarla
| m.iiiIi i tirina e meu lu i/a apagados, dina que
ba muito lempo sou inorlo! lempo feliz, foi
Toda a inhiba ambicfio, ludo o niriisonbo, [esse em que eu i deade a maiih.ia esamiiiar
dizia enlo com nigo o laverneiro, teria sido la-' de perlo o trabadla do ciuzel ou du pincel sc-
zcr edificar una ca&lulia rodeada de vfnba nea-' guindo seinpre o ideal, em vci da /ida, e levan-
6c lugar, i'.ui.i" ii i'i i.i cedido meus rundos, i lando com perlurbaeo o par.no dos mcus pin-
e me teila eslabeicciilo abi com Callos c Ma- 'torea como se bouvesse tirado o vu que cubr
0 PALACIO PI110AN: (*)
p> jHr. IScgcno -5cauiioir.
PAUTE SEGUNDA.

i'utiipco,
(Cunluiuaco. J
r a iiiucidae e a blica, se est gelado pela
idade, ver seus impulses esteris terinlnarcm
as saudades, esc dccIUlo do tmulo... A vos,
seus servos, seus escravos be que eu iuvejo Os
en forro luminoso. Meo palacio, meu palacio canguOes de mestre Kelippe valeiu bem os co-
d'ouiu, poique o f'cl lie banido delles .'
rtefta.
U bom liomcm enxugtiU uina lagrima furti-
va, c voltou-se ; o osugiro matinal fazia o giro
das mezas, os orelros davam sua franca ju-
\nlidadc uina livre expanso. Repentinamente
n mriu deasis caras lujas de gesio c de p,
semblante de Pompeo appaieceu, urna estra-
i.i i eialtacfio pareca agita-lo. Kllcendirel-
tou-sc como um espcctio diaute dessa tropa
alegre.
Um palacio perguntou elle batendo com
o |>uulio ua mesa, quem lie que faz edificar um
piliclo disseram os senbores ? Eu que Ibes
estou fallando tambetnlive um palacio, um |a-
lacio resplandecente de ouro e de pinturas, mas
tambem cu uo delaava a um vido archuecto
o cuidado de decora-lo ; eu eslava l... Sim eu
me levantava logo ao romper d'alva, molbava
meus labloi no copo de ineus nedreiros, era
' (*J f ide Divio n. 267.
pos
ai-me vossa irolia ou vosso* martello, iecc-
bei-me entre \i, partilbai comigo os duros
trabalhos, empregi*me cm Uvrar volutas, ou
columuas 1 Ue um fidalgo Italiano que chega-
dissestes vos, be elle o voiso amo, pois bem,
elle ver um llaliaiio Um Italiano, aceresceu.
l<: ii Pompeo dando una risada terrivel, ali (al
vez que elle o (ivesse saudddo cun respeito ba
dczaeis annos ; mas boje & resta a este Ita-
liano um capoicvelho.
Pompeo pronuneiou estas palavras com urna
amarga volubilidade os cabellos se Ihe errlpa-
ram ua cabeca, c os deotes Ihe raogcrani. Os
homeiis que o ouviam tumaram-no por louco,
c todava nao houvc um s que nao se scotisse
inclinado a lastma-lo, tanta altivez e grandeza
h. via aiuda cm todos os seus geslos.tauo o sof-
frlmcuto marcava esse liomcm cstrauho com o
seu sello. ,\ te in disto elle acaba de ezaltar cssa
gente no seu modo de pensar, pois Ibes fallara
menos como lidalgo do que como arlista. INes-
aa poca de produccoes e de trabalhos utaravi-
lhosos na arte, o ohreiro eslava longe de en-
cerrar-sc n'uiu circulo estrello de ideas ; mullas
veies o pedreiru e o escultor confuodiam-se na
iiieima pesioa, as nios mu rudes desliav^m a
meada da setnela. Quando Pompeo ap
(ou-se a-esses operarios que se (embrava
ler trabalhado ua vespera uo Hotel de Ville
esse verme a quem est proinettldo o curpo do com meslres famosos, houvc entre elles um
dono esplendido Tudo isso he derinao e val- [ impulso de alegra sympatbica ; esse admiois**
dade [ Quera barraca seja de pedra, ou de pan- irador estravaganle e vaidoso querendo metter-
no, querdemanuore ou de taboas devenios do-' se primeiru a arebitecto. e descendo depois
i.i.i ii e delxa-la/... Acabis de edilicar um I para com elles ao ponto de roga-los, os diverta,
palacio ao orgulho, o cuidado be seu Irmo.' Alai*ctla, sohrevindo no liin desta scena, seguio
meu mais charo dolo! Pr/senlemeute este poe-
ma j passou a oulras mos mal medariam boje
esmola na porta do meu palacio O' mrus in-
genuos blenos, julgo icr-vos ouvdo ba pou-
co .invejar a sorle.desse liuuiem feliz que fas
construir para si esta opulenta morada, onde
at aqu s o p dos tomos voltea. Caval nes-
se terreno, que acharis o verme do sepulcbro,
NoSr. Sena na Ja encontramos de noU- 0 Sr. Mundes: olle foi mu clico enitmal,
re no desempenho da .sua parto; satisfaz :(o o absurdo vi-sj^nte nflo poJiaser molhor
podara o sizuJo porto deste artista, sua boa riJicularisado.
elucacSo. e o seu proceder honrado, serom | A ienho riai Mendes em nada desmere-
ludo obstculos que o pnvom de distinguir- CCUOju(to que 8ubre a mcSiiia j (loba-moa
se no desempenho do papel de egosta e tra- avancado.o descinpeuho da sua parte nacolne-
I-nt--.'ii'lu o acreditamos : mas o corto ho[ dia foi cabal, e com tal arte ful desempeubado
quo homein eiiStem do tal rigidez do prin- o seu papel, que a nao ser Rcmllard um cstou-
cipiosqui) nem por gracase contrafazem. vado nao careccia que chegasse a comedia ao
A fragancia do bello ramalhuto -O Po- seu termo, para dcscobnr na travcssi hespa-
bro Jaques -obrou maravilha, : o Si,An,oU. ^^^^ZV^^^^^Z
dodesampenboucoaim.H liabil.dade. que da ,cn"hcora orsatMeodes.
aquella que leui manifestado em oulros pa- o senhorMonleiro oi um ridiculo fidalgo
l"'i-, a parle que Iho coube oo drama om heapanhol, "' millur fanfarro foi liualmea-
questSo; o embarafo que mostroj na pre- te gucrrilheiro i nuanto Ihe preacreveu o poe-
ta ua comedia com ii extrema o copiou.
Aienhora flor nula Knoth, fui a primeira ve
que se apreseotou em publico, o seu embara-
o foi graode ; lem boa figura e belleza, o seu
papel era mu piuco importante, c nellc nao
se bouve counr devia nem ei-a possivel; trate
esta senhora ^e adquenr conveniente desem-
bosco, acedes oaturaes e .demanea gracioso ;
ma evite o estouvameulo e desenvoltura que
alguem oo theatro de Santa Isabel, loma pelas
picudas de una actrii. Linda menina, olhos
senga de Amelia, a timidez, e maneira llu-
viosa e torna com que se exprimi ; como
tambora o tom cordeal.amigavel e compas-
ivo com que se houvo com Jaques: ludo
nos parecen natural e muiln cunsequenle.
As nicas obrigaces do Sr. Pinto na par
que Ihe coube oo drama em questSo, eram
bem caraclersar-se, e mostrar-so desvelado
doa pasaos daquelle, que procurava cortejai
a sua bella ama e innocente menina ; carac
terisou-so bem o artista,o com um olh.r bem
Kreve veris esse propriclarlo romanesco pas-
sar abi urna vida livre, isenia de cuidados, mas
logo que bu em conquialada sua fanlaaia e sua
chlmera, que ser detae rei eolasliado de ua
creacu? Coaieguido o eu sonlio, elle adiar
uo fundo do coraco o mais triste c o oais ar-
den le dos lochos. Se elle be moco e bello, ama-
lodos os mu iintiiius de Pompeo com una sin-
gular compaixo.
A. ..-minada a peusar as feridas deise nobre
coraco, a emender-ie coin seu pal para ajudar
esta miseria oigulliosa alada sob seu andra-
jo, Mariella trcuieo ao ver a iiupeluoiidade
desta ddr, ella implorara para ote bomeui
algum milagre do co... O nico conlidenle que
ella achara em sua tristeza, era Pompeo ; a bel-
la e triste menina sen ti. cm aiua-lo, e ein lam-
nalo um goao imiiiieiivii.
i-.i i elle quem regava durante o esli o jar-
diozinbo cootiguo laverna, era elle tambem
quem a linha defendido al enlo contra a in-
solencia dos janota que iam do Louvrc aos
Celemno, ou aoarsenal, os quae nunca dei-
xavam de parar com suas cavalgaduras na fa-
mosa taverna de Pooi/ne-de-Pin.
Feli coin semelbaule apoio Mariella nao
i. ii. i a in ns -1 bu a espada de Pompeo pareca
a ineslre Fclippe uina garanta bastante segu-
ra. !.un|ii iniii Pompeo fallava assim com o
obreiro do caes dos Olmos, hcllerosc cnlrou
doccmenle sem que elle visse, e conversn
em vii/. baixa com Mariella. Era a primeira vci
que Pompeo se inostrava verdadeirameulc a
Uellerose ; o comediante, que o ouvia parte
licou cnlhusiasinado. Carlos (Jruyu Ihe linha
dado suas iuslruccdes, um llahaoo, como Pom-
peo podia servir-lhe.
Aproxlmando-se c'elle com um gesto heroico
digno ein tudo de um comediante do Hotel de
llorgonha, Uellerose, saudou-o profuodaueu-
le, e disse aos obreiros :
De boje cu. diaulc V. mes. devein obedien-
cia a este scnliur. Elle he o arcbileclo do nobre
conde de Sau-i'lelro 1 .
Vil.
O retrato.
Commovido c admirado, Pompeo seguio a
Dellcruse, duendo comsigo:
Arcbiteclol eu arcbileclo! eu que nem >o
menos lenbo sabido ale boje construir o triste
andaime da intnha vida I Esle Uellerose estara
louco, ou esse fidalgo csirangeiro me conhece-
r.' '.bianiu a jiiiin. nada em miubas leinbrau-
ca me record, o uoiue desse hoinem, nada,
sllll, nadal....
Uellerose e adlanlra a Pompeo alguns pas-
sos, ambos se acliaram logo ao p das construc-
cin i depois de passar o miniar do palacio
na de inarmorc que presentemente ah se ve,
Pompeo achou-se introduiidu por Reiterse ein
um paleo espacoso flanqueado de bancos pre-
so na parede, o* quaes descreviam milita ar-
cadas parallelas. O quarlos ainda despidos,
que o Italiano percurreu depois, eram vasto e
arejado, e todo davam para o Sena. Os forro
do celo disposios em imburio esperavaiu um
pintor; inultas peca de osteutacao deviam ser
comeltello ubicliidas a arle do decorador;
movis de velludo bordados de ouro, de prata
e de perol. deviam cneber um dia esla rica
morada; baslava urna ordein de Pompeo para
que o cedro, o bano, os soallios de marchata-
rla, os espellios de Veneaa c as lapecarias co-
brissein esse espaco da pedra. Eslrauho ao sol
parisiense por sua fachada, esposto ao uorlc pe-
la simples cscolha de terreno o palacio da li.i,
como os do caes ourbon c do caes Voltaire, li-
nha uina tiuiuidade de tmulo ...
O iena, com suas oudas espelhanles, banba-
va-lbc os ps, c ni cu fogoso transbrda-
menos podia algum dia inundar sua profun-
da adega. Uma/iori/i d'agot igual a de Vne-
ta se ahria .obre o rio, a barca empavesada do
dono do palacio poda descer brandaincnle dabi
at o Louvrc... Uiante destes l.rgos aspeelos,
Pompeo perguntou ao seu coinpanbeiro quem
lora o archlleclo deaia bella inorada.
Pari, repondeu sentenciosamente Uelle-
rose, oo deve tudo a vi oulros Italianos, uo.
5cin fallar de Dominaos Cortone empregado uo
lintel ile Vilir por Heurique II, de lie. mu c di-
luimos oulros atlrahidos aqui pelo Valois, ou
por Calbarina, quantos obreiro uossos nao se
it-iii Inspirado as feotes de Atbenas ou de lio-
rna? Como querque ua elasse de seus diasipu-
los mdilasseiu j nomes gloriosos, dirigi-me a
um desses homens. Elle j acabou sua tarefa,
esta o seulior satisfeito della .' Agora aoceobor,
um dos lilho desa Ierra luxurioia c louca, per-
lem e-lbe etp.lhar cm abundancia sua laui.i-.ii
por ess.is paredes; aiuda ha pouco cu o ouvi
aliar um palacio que o scubor ponuia, esle
Ihcest aberto. Pintor ou mgico lome o seu
pincel ou a sua variutia, poriu crie I Aprsen-
le oe.le lugar aiallegori.a eapUudldaa, a ma-
cuca; ucpuisuc passar u miiimi uu i.i.ciu, ou- imni. "*- V iV j ----Ti ----
brt cuja porta nao brllbava aiuda ento a lam- ravllnai do cloiel, da palbeM da arte. guea
'fin retpmiSMwcli ompmtttftjiAvt j* toan apresen-
lado drsi.i ves como caudnlaios asseuiblca
gcr.l Irgislaiiva, que por mullo lempo no
adiamos perpiexos na e.colba dos l3ciddos
que ib-v.-ii un ... preferir para desempenbar a
nobre e melindrosa iniss de lepreseular est
provincia ; e smente depois de inuila medila-
co nos podemos decidir pelos seubores diijos
nomos .iluii" ineiiciouainos. Uo tdet as quali-
dades que recoiiiinciidaui esse senhorea que
julgainos la/ri- algum -u vi-.u, publicando de
anicui.io a nossa lista, c pedindo aos nossos dig-
nos collegas se digucui de prctar nttenco el-
la, c de nos acompanhar cm nossa volaco.
Um cltilor.
General Antonio Correa Scra.
I). .. mil ii ; idoi Jcronyino Martiuiaoo Figucira
de Mello.
Gonselbciro s5cbasliJo do Reg Barro.
Or. Francisco der-aula Uaptista.
t.'ouselliciro Aulonlo Peregriou Xaciel Mooleiio.
Di. Gervasio Goncalves da Silva.
Dr. Joo Jos Ferreira de Aguiar.
Dr. Jos nenio da Cunha Figueiredo.
Dr. Domingos deSouta Leao.
Dr. Antonio Coelbo de S e Albuquerquc.
Dr, Jos 1 linii a/. Nabuco de Araujo.
Dr. Fraucisco Xavier Paes barreta.
Dr. Augusto Frcdcrico de Oliveira.
- ----- ["" iim
Publicagao a pedido.
Em i-'iinpriment do despacho supra, cer-
tifico ser a informaco que o supplicaate
pode por certidao do theor seguinle :
lllin. Sr.Cumprindo o disposto em ofli-
ciu, quo V. S. me dirigiu em data do primei-
ro do ron rute, r rocebido no dia cinco, o
qual acompanhava a represenlacSo de Fran-
cisco Jorge de Souza ao Exm. presidente di-
rigida, teu!i.) a dizer o seguinle. Quenesla
sublelegacia nada consta coutra Fr.nciscj
Jorge do Sousa : quauto porm a Ignacio
Jos da Silva Santos, he verd.de ler sido elle
feitor do portuguez Joao alachado, e tam-
il. i .o
era eu bontcm, cu que Ihe estou tallando ? Um
coine.liante mosqueado, de quemjodos escar-
ii re un. como iln -iciili-'i a;; ira lea bou si p i
ra mi ni a vergonha e a miseria, sou mordomo
de um nobre, represento aqu, como o senhor,
o conde de Sao Pielrol
Quem he cste lidalgo ? perguntou o Italia-
no. Ue moco ou velho, solteiro ou casado/ He
algum desgosto, algum lulo rcenle que elle
vem euceriar aqu oeile luinulo dourado ou
cuida no praaar, nos da. embalsamados,
as ooiles loucas?
No me perleoce penetrar seus segredos,
tudo o que Ihe posso dixer he que elle be moco,
amoroso e chelo decoragein. -11111 cflelto pen-
an que o senhor uuuca o vio, mas elle Ihe agra-
dara, o senhor o achara digno deauafortuna.
Elle ama uina mulber que aiuda nao vi, mas
seiqueheto oobre quauto bella. Vun eucon
tro lunesto, elle leve a infelicidade de malar,
ba oito metes um boinein de alto oasciinento,
que a insultara ao meio de uina testa em Flo-
renca. Ea'.a mulber lem boje o seu nome, e de-
ve acomp 'iilia o. Dentro de pouco dia espe-
ro que eslaro aqui, eie palacio os recebera.
O Italiano acabava de tomar a cahlr em sin
li Isli /. 1.... rllri use o dellnil |.r.....1 Ueiiilu-lh ,
voltar no da acgulutc. O comediante foi fiel
com 1 lieiio a esta piomessa ; os operarlo, de
Pompeo ir.b.lhavarajdebaixo de aua direceo
e enire eases horneas, acb.v.m-se ornamenus-
las ebrio de fogo c godo, cuja paciencia e ba-
bilidade lemfjravain o de Heovenuto Celtlni.
Uina noite que Pompeo ae achava s, e que
os pasio de eu trabalbadore nio abalavain
mau os vado aoalho do palacio, o Italiano dl-
n -iu-se para una galeii realcada de estuque c
ouro ; ue.se lugar eslavam j mullas telas i es-
pera de retrato.... Pompeo tirou doaeioum.
medallia a qual cooaid.iou multo tempo lu
paluda da lu..... Aproximando-sc depois com
precauco de um quadro j collocado nessa
sala, levantou delicadamente a cortina que o
cobria ... Um rumor ligeiroo fa voliar-se, elle
e.l.va diantede Mariella....
Quequer comigo? perguntou o Italiano
rapariga com oi perturbada....
( Continuar-ie-ha,)
\ MUTILADO"[


bem tralmlMa.lor do haohar^l ThomedeCsl- Boleo tem o habito de rmrar nal cidade. ln-
tro Madeira, e Lino C.v.lcanle d'Albuquer- cognlloede,dar aconhccfr a aua cargada por
que Mdlo, O quaea abonan SUS bol Con- algum bole Ipe.perado. blle..l,a;u.''''.. **
duela e U*,2 borne,,, que vivi. de seu ^^^^S^TtBSt&
trablho, genio Umbem verd.de ter elle m -riaie per,n,gem, e cooreraaado obre
Ierra arrendada em o lugar do Arrala! a l)a- dinerenie. objectos; aem locar no.eu|lnterlo-
iiii.in GoncaIvs Rodrigues Franca : consta- Cuior, aem ineamo aproiimar-ae delle, fa>
Ole que a origen) da priaSo fra por termo.'- paiaar da alglbelra do visitado para a aua, e
lo alguna pintos, que pertenciam ao apee"- reciprocamente, ludo oque amboi conten em
torde quarteirao. Oue o inspector de quar- jolaa, dinhelro, lenco., orielr... etc. Urna
leirSo fui rebelde, foi preso, o fui remetliJo nota de banco, que tendea noi vo..o boleo de
.I,; a a i ..; UO, l)t' II i i US 1' I u .1 ti \ U SV O V G l l<>. (Icb.ll.V) le
pal a c Rio da Janeiro,he jerd.de i assim, co- Tom c,clJn(.rmelic..enic' .bateada, ae mu-
mo lamben he verdade ler sido voluntario ua a IU1 onlell)i ein ,cu ,a|or em prala quail
Francisco Jorge do Souza, tendo-se batido a em cntimo, e o bilhete ae acha na alglbelra
favor do governo. Tatntiem passa por exsc- do dito Mosco, o mala omcioio e o mala prorop-
to ter o dito inspector dado com os pus em a to doi cambalas. Utna oulra ve/, elle val pal-
parla liare 'lina, tendo-se cssa mudado do ear uo mercado encontrando urna pobreteo
mu ...... iiiiii mu id 'ii VUIUi I"1' B i,
aoas do lugar co-n altanero. Pareco-moler m U1 tlHlbeitt e continua gravemente o acu
cumprido as ordensdeV. S. pasado Nao prccUamoa dlaer que o leile da
lieos guarde a V. S. Subdelegacia do l'o- mcrcadora, a pouco aem compradora., nao he
(O da Panella 7 do maio de 1852. Illm. Sr. .uilielente para oa que quereui e elle le aciba
Dr. Antonio Rngel do Torres Bandeira. De- uuin volver de oluoi; mas o encantameuto
legado ilo primeiro liislriclo-O subdelega-
do Jus Theodoro de Sena. Nada uiais cutis
ta da-releda n'urmacao. Secretaria Uo M
governo da provincia dol'ernambuco, 23 de ce.)a co'nl
Jullio de IS52.-- ollieial archivista Joao Va- e,epcrt\
lenlini Villela.
Eslava recutili'Cido.
VAHIEAliKS.
Aa my.tlficace. c aa pelotlcas de Hosco sao
numctavcl. neslc genero ; seinpre chelo de
elle nao perde ti .i occasiau de eaer-
ri<|ueza e como amador, per it pii-
per 'onore como dizcm aeus compatrio-
tas. Chegando uina uiaoh.1 em Brdeos, elle
se aclia .lomeando, na sala de seu hotel, junto
de utn luglea de pbysionomia elevada, idoso
melanclico e muito rico, de uina das primei-
ras lamillas dos tres reinos. Hosco esperando
i'^im,,...,....,. bstame lempo celo bifteek, e estando com
UA liihiiuibllAyAU. graudefome, se impacienta, ralha, chama pe-
A prclidigiUca. lie a arte de fascinar, des- ,u lnn;o d, hosped.gein, ludo Uto de modo
tumbear e eugaiiu os olhos do espectador por asMe sol)re e|(e a a||nco d0 nobre ln.
mel de uina serie de operacea quasi aeinprc Ju,ar ,,or eo5 d|MC c vendo c na0
"IU" cu.....Iiead.a, consislindo o principal vuhacouaa adunia, na guerra como na guer-
motor, como o principal mrito dellas na des- rJ Cln iaelll0ca,la ,, l,, 0 que p0derl -
treta do dedos. E eoguleum gario, A vi.la oiilo, o nobre lord,
E.ic omciofoi muito teinpo arri.cado : con- cre^J0 ,, dc.lu.ubrainenlo, treme
du.ia directamente a foguera ea_fcrca. Hoje (|nlt, f o|nus e ,,,, uln
que niuguem o exercila para engaar, mas aoh a,g,imcallv,0. Paf.ado um minuto, llos-
slm para divert, 01 homen., elle c.ta sujeito dfllado de bater muito com o pu-
a inenoi perigos. Ha un, passa-leiupo henea- e prlllclpalin(!Dle coln 0 u, ,,, SUa
toe rendoso para o hoineiii hbil que a elle se c0|her e lua0'da rcuoir.,c ,nui de.llnciaiiienle
da. Pouco ha que ... mgicos, o quacs eram au 0 que faI a Cllberu C0I1 llllc. Ue,w
julgadua dignos da loguera, por uiaia queju- JJ," o iuglea vi. bem, c tan. bem que entroua
ra.sem poi seus Ueute que nao eram de ue- jar grito, de alllico Eslae. admirado, .e-
Dhuu. ...odo relUoelros, a crenca do contralto ,,,_ dl Uo,co cm y01 ,,,, doce ,|0 limu.
o. fa.ia queimar- Seu. siiccessores hoje e de- do 0(l Jslo hc l|ada B,g de,s allI,nf o
lendem como elle, do no .eren. eiiicciro, Ten|lo VJaJado baslaDt ,tnho vlido dc toda
na. eu discurso, e.ttio Ce tal .orle em des- llianeiiaJ leilb ,' c,ll)lliag0 cellente...
harmona com seu acto, que apena, poden, ada eIlcoinmoda. Me.lre Bo.co, a ellas
conseguir, que se Ibes de mu pequeo crdito. palavras apodera.,c d, faCj, e fa-la pas.ar ga-
bela arte remoni. a lints alta ant.guidadc : n.arUa.nente, as.im como a eolher e o garfo.
'- serve de explicar mullos ..iv.lerios, eso- e,op|,ago. O ioglen nao i
(Ido multo, prodigios, que nos trao.mit- grandes ritos, chaina n mocod
n, como artigo, de le, o, chroni.ta. do. dclia que |cv suame. paraou
ella serve de
brel
tiram
nao pode inais, sola
a eatalagein, or-
paraotilra estreiuldade
Elle perturbar, ao vos.o pedido, as lels da
nature.a inleira, quebrar voa.os relogloa,
queimar vo.sos len;o. de seda, rasgar em
cein pedacoi vostos len;ot de blcos, arreuies-
sar a distancia de cen paa.o. vossos aunis, e
vos os ouvlreis cahir, uin lustante depois elle
vo. entregar i.lo lio perfellamente Intacto co-
mo to.IhTo de.le..Elle vo. pedir que tenbaei
na ino vlnte inoeda. de ouio, vt as tomareis
e bem entendido, nao abriris a inao. Queris
mais ou menos inoeda..' .' vos resta fallar;
Iminedlalamente o peso e o numero das moedat
de ouro augmentar, ou dlmluuir na vosas
nao fechada, conforme llverdea pedido.
Hosco nao conhccc obstculo, pode tudo,sabe
ludo, eaconde tudo, cd ludo. Artista conscien-
coso dedicado ao seu publico escravo apaiso-
nado, de aun proliisao que tem levado ate os
ltimos limites do pos.lvel, quero diser do liu-
posslvel. apenas sel verdaderamente de urna
cousa que, nao lemj unis falhado be o succes-
so.
F. al.
/lairation.
UM CATO PHYLARMONICO.
ra jornal de Paristraz a seguinte noti-
cia, que por estranha nos merece altenc,So.
O i-.lo Munito, que jogavs as carias o o
domino, com assombro do publico parizien-
se, ecaba do ser oscurecido por oulro qus-
drupede, que possuequali Jadea surprenheu-
deutes. Rsle novo animal nSo be mats que
um gato negro, perlencente a um msico
distioclo do theatroda opora. Ha um anuo
quo este msico encont'ou o gato en au
habitadlo, na qual se entroJuzira pela ja
Dalla,
Era'vez de cnxola-lo deshumanamente, o
mnsicoo afsgou.o lbe submnistrou al-.."
m.js golosices, procurando consnrva-ln, n'l.i
s por ler sympathisado com a galbsriia do
animal, como por sua formosa pello ; e por
ultimo pelos sigues que dava de urna in-
telligencia rara.
O msico estudava diariamente no seu
quaito, e notourquo o galo, a que posera o
ikiiim: i" i. ilmiln'i| segua algumas vezes o
canto do Instrumento proiuzindosons me-
loncolicos.Pensando na intelhgoncia do
i'iii lluuilo, disse o msico, porque no ha-
de o galo poder cantar quando um cSo n-
prondeu a jugar o domin ?
Animado por esta i lea, chegou. ao c de 6 metes de trabalho a conseguir que o
gato aprendesse duas ou tres escalas, que
o bichinlio etilo iva posto de p 1 Maravilha-
do desde primeiro resultado o msico lbe
etisiuou a cancSo de Ahivouidai je ma-
man, o a do Au clair de la lunt, Galoubet,
que estu lava duas horas diarias, conseguio
Bahia hiale brasileiro Ligeiro Dicstre
Joaquim Jos Alvea das Neves, carga va-
rios gneros.____________________________
lempos pagados Oj mgico de I'iara eram (|a casa |o b desle louco desle miar perfeiUmanle *0 cabo da alguns me-
evideaieniaule nlgromaues, c duvido que, ae lliauuc de\te_ Tno *e eapllca logo: Boa- s eslaa duas CtncOaa. PorlU estes resul
tm*m comparado co.a o, uoo. Oder-jco. luon.eado de 8cu Iriamoho. faz su, Con- | gJw t^S^JSSHn!^
diiuoguido DC.U genero dearuflelo 3J^|S"T5^ Bor-
Uau- frica peloti|ueiroi juc engolecii aer- |dcoJ sc|en(c dcta sabida em campanlia, con-
curre um mez luteiro aos toires egypciacos
ilc-if incrivel Hosco,
|)e outra vez, Hosco chei*ava a Palcrino : era
peule* culi-., escorples, vidro e tambeiu um
erro vermellio na preaeica e cun grau-lrs ap-
plausos do povo. Nal 00 lemoa nada i|ueen-
vij.tr, bem longe estamos dit<>, a estes artil-
las exticos, e i|uaadu se ve Hosco, o vetera-
io, o rei da prestidigilacao.com as mioi, bracos
dus locoiovHlo.vu.alisar.luuuir.evapurinr,
como em um cadiubo de cliiiuico, ludo o que
pansa por seus dedos, nao & os maiores objec-
tos como os inais peuueaot, urna na(S raiueta,
uina laianj i, como urna DOX, c lito scui ser
em dliiaucia, neiu debaixo de um engana-vis-
la Uo esplendor c da rampa, mas em pleno
da, diaute dus vossos olhos, do vosso nari,
do yossu binculo, he permitlidu crer que
nem Ihaunidlutgos, nem magos nao tem jamis
em despeo dc toda a sua magia, excedido
nein niesino igualado osla imagiuavcl feilice-
ria dos dnnos e da palma da inao.
Ksie >r-,ioi ..i arte, cjue depois de de/uito
uiiiu. dc ausencia empregadus ciu pcrcuirer
todos os grandes estado da buropa e unta par-
te do Orienlc, acaha dc lazar cin Paria urna
entrada truimptiaulL', nasceu, diz elle, uu
Piemoule em I7'JJ, o que parece mostrar a
piimeir.i vi1*'* n* seus caliell*' ikii pouco en-
cduecido que se dMio bem Informada! pretenden, que
elle lenha vivido debaixo de dillereulc uoiues
celebres, e mudado ameuli: de forma pira
variar seus prestigios e seus piaseres, todos
us dez ou qutuze aunos. Seja como for, u Bos*
co actual, vio aluzda lia cui iurui, e desde os
seus uiais leuios anuos inanifeslou o geuio
innato, ouiros dlzem preexistente, que elle tem
tamben, desenvolvido em sua maravilbosa ej
larga carrelra. Moyo Tdiiialo, ludo u que elle
locara com a pon.* do dedo se evaporava sbi-
tamente. Aua familia, .i vista dcslas espanto-
sas dispoHicdes, o destinava para seguir a car-
reir das armas na quali lade de mestre de es-
grima,- ecom effeito, uaquelle tempo elle feria,
como u Ln ii anda hoje aptsar dc seus ciucoeu-
11 e oito aunos contados, seu adversario, com
os olbos fechados, justamente no lugar do co-
racao uu em oulro qualquer punto marcado
de aule mSo. Sua estrella tinha decidido de
outro modo. Elle que se teria dado a conhe-
cera Mercurio, foi ruubado por llellona, e niu-
guem saber sem luuresse que este exceden
le e digno artista servio com coragein o uosso
paiz uo tempo das .iguias impeiues. lucapai
dc applicar seus talentos sobre-naturaes na
ttua cuuseivacao pestoal, receheu, coinhalen-
do, inultas feriUas.uiua das (|uacs fcita pur um
cstilhuco de metralha, lbe corluu lodos o de-
dos do p eiquerdo. Kstcve na campanha da
laUSlia, e la he que acaba de se maufenUr de
um modo cmico o lucante au mtimu tempo, a
Irresislivel v.-ci...-. que u ciianiAva para vil
a ser o rei de aua ai te e o primeiro nigromante
de acu lempo.
Em um cmbale contra uina partida dc Cos-
aacos, Bohco, fuzileito do li de liuha, recebeu
una noc-sda uo lado, c lingio-se morlo. O li-
lbo de ou que acabava ue p-lo deste mu-
do, laoca-se sobre elle e o despoja dc seu di-
uhelroede seu retogio. Itosco uau deia de
arquejur; mas pensando que vai se aefiar sem
dinheiro, pusicao pouco agiadavel cm todos
os palies, explora delicadamente, em quanlu
seu Cossaco o rouba, as algti>--:ras dc seu inl-
migu e Itra-lhc com que reatabclccer o equi-
librio.
Adiado enirc os inortos, e oo poder dos rus*
sos. fui levado p*ra a Siberia onde peruiauc-
ceu dezuilo mezes internado, elle e quiuhen-
t iii.ii-, em urna pequea cidade situada a
pouca duiancia de loolak. Passa-sc revista
aos prlsioneiros; perguuta-se-lhes, da parte de
aua Excelleueia, indivldualinenie donde sao
n*turaes, e se possueiu talentos. Uuia dusi
delles aahem das fileiras: um capitao se au-
nuucia como piauista, uin oflicial inferior dix
que he reirallsta. Busco declara gravemente
que be nigromante, e que se Ihe qulzcrem dar
com que mudar seus farrapos por vestidos de-
centes, touiaria sobre si divertir o governador
e toda a alta sociedade da cidade. A proposta
foi aceita,anda que a cousa no fusse conaecida
nem de oome, nem de faci, e lalvez que por
causa disto. Aqui temos Bosco volido, bauha-
do, de barba feita, aquecldo, hospedado grau-
demaaie custa de sua Bxcelleucia. Elle pe-
de dlaheiro para comprar alguns apparelbos
uecessarios ao exercicio de aua arte ; conia-
ram-lbe dusentos robles. Mo da marcado,
(tosco cumpre a palavra; d a sua grande re-
presentacu peranle o governador e obtein um
successo estroudoso. hile he afsgado, aco-
lhido e pago. fJoui seus honorarios sustenta
seus cantaradas, e acba-se possuldor de ama
suintua de dez ou doze mil robles no moineu'
lo de delxar a Siberia, no lempo da troca dot
prlsioneiros francezes e russos em abril de
1.19.
Desde entao seu destino est decidido. Vol-
ta Jo vida civil e privada, entra a correr, ar-
mado de sua vanuii.i mgica, todas as capi-
taes da Europa, e em todas ellas recebe as
provas e os tribuios nao equvocos da syiupa-
Uiica curiosidade dos povos c doiproprios reis
que u aplaudem c o comprimeuUiu, enchen-
do-o de presentes, e se deixam divertir por
ella como os in-is simples mort.es. Por toda
a p-rie o seu uome lornou-sc par- os prluiei-
ros luealros o syuoaiino de rereila ; nao $6
elle nao engaa jamis, mas excede conslante-
uiente a eiperanca de seus espectadores, reco-
llie'ndo grandes cneliclos, dispendendo Ue-
ramente urna boa parte da seifs reudlmeutos
c nao eiqueccndo jamis os pobres.
larde, a cidade eslava cheia de cstrangeiros. e'
as estalagcns todas tambem. Disscrain-lhe que
na estalagem piiucipal havia un aposento com
dous kilos, o qual eslava em poder de um frade
capuchliiho,' mas que o reverendo pagando-o
por coniegulnte, pretende orcupa-lo s. ltt>sco
nao se d por vencido, manda dizer ao reveren
do padre que, se elle tivesse a bondade de Ihe
ceder um dos seus doui kilos, elle em recom-
pensa, se cncarregaria de pagar loda a depe-
*a. O fraile aceita a profiosta,ja por ecconomia, j
pelos remorsos de dcixar sem abrigo uin onte
feilo imagem de Dos, liosco que gosta de
bem vivar, se installa redondamente uo apo-
sento do Irade. faz vir um frango gelado, cela
com iiiugrandissimo appctllc, bebeuma garra-
fi de vlnho Je Borgotiha, depois outra de Cbani-
panhe.a rjual ollerece ao frade, que recusa com
um tom de aborrecimeuto c parece solirer com
inulta impaciencia a presenca deste intruso.
Delta do em um dos leilus o fraile segua com
muta aliento cada um dos inovuncoln* de
(oseo, o qual pelo contrario, a lie clava que o nao
va, e pareca julgat-sc s. De repente elle, de-
pois de cartas carantonhas e mili tai contortes,
as quaes liihaui chamado a alten^o c mesmo
visi vel me nte exced do asi aquictaces do bom pa-
ire, loma mu laca da mesa e corta -i cabeca com
o mais helio sangue fro do muudo. A faca ca-
be para um lado e a cabeca para oulro ; Bosco
se abaixa e, novo San-DiuiL, apanha a sua ca-
beca e passcia gravemente com elU na mo.
U capucbiulio, como se tivesse vecebido cein
plllias elcclricas, se precipita do seu leito sbai-
so, e corre a porta que elle abre, dahl ao cor-
redor, depois a cscada a qual desee de quatro
em quatro degros, gritando com uina voz tro-
vejante : a acudam! acudain christos / por
caridade .' um desgranado, um desesperado aca-
ba de degolar-se 1 Todos correm. precipi-
taiu-sc no apuscuto fatal, e eneonlram Bosco,
pacificamente sentado, leudo a sua verdadeira
cabeca e acabando de esvaslar seu ultimo copo
de champauhe. Perguntam-lhc, o que significa
asta alarma; rcspuude, que o reverendo leve
sem duvida um accessu de febre rdeme; que,
qiiauo a elle, sent -se ioteirainente s mil mara-
Ihasejimaisuopassoutobeiu. lie justo, dis-
o preciso admirara!. iNo psaso sentimenUl
o gato pe os olhos em posicSo amorosa,
ocolloca sua m3o direita sobre o coralito
Ha (Mneos das que o msico, quo bavli
occulto seu thesouroal eot3o, reuni em
sua cas. alguns dos sous colMga da orches-
! i i, debaixo do protesto de tomaren, cha.
Tundes um lido galo, luo di>su um
delles.
Pois ho t3o int^lligcnte como formoso,
toruou o dono da casa.
A posto quo nos queres (Mpacilsr que
ao Ihe falta fallar.
E porque n5o?
E duendo isto. o tomando o seu inslru-
mento, se p a preludiarentrada do quar-
lo : o gato, como so houvesse contado os
cumpassos, comeijou a cantar com grande
assombru dos msicos que tinham aquilo
por milagro.
ih* mis do ler feilo g-ilia do lodos os seus
la Ion loa musios, o gato fez duas ou tres
caricias a seu amo, e foi letlar-se aos ps da
car*.
O msico parece quo vai tirar partido dos
laleiitus do seu discpulo, primniro mos-
trsnJo-o cm Paris, depois correndo toda a
Euiopa.
{Heraldo)
(Do Broa Tisana )
COMMERCIO
O Dr. Fr.ncifco Rodrigue! Setlr, juix mu-
nicipal da segunda ar. d civel e do
commerciodestaciil.de do Recife e seu
termo, por S. H. I/e C. &c.
Pelo presente edilal chamo aos credores
dos fallidos Marques & Soares, comtnercian-
ti' di'sta pra;., para que no dia 18 deste
correnle mez, pelaa II bor.s Ja nunii.ii,
comparefam em casa de minha residencia,
na ra das Florea n.' 21, do bairro de Santo
Antonio no Recife, para se reunirem com
os mais credorea aflu de se va ilicarem os
crditos e se deliberar mu ni a concordata
quando os fallidos a proponham, ou se for-
mar o contracto de uniilu e se proceder a
nome.cao de administradores dos bens da
casa fallida; e advitto aos mesnos credo-
res que nenltum ser admittido por procu-
ra.lor se esle no tiver poderes espociaes
par. o acto, e que a procuradlo niin poda,
ser dada pes.oa que seja deiredora ao fal-
liJo, e in'iihmu mesmo procurador poie
representar por dous diversos credo'es, sob
pena do revelia
i; par. que cheg'ie a notici. de todos man-
dei passar o presente e nial, e outro do
mesmo their quesoro.lixados na prac. do
commercio o publicado pelo jornal.
Dado e passa lo nesta cidade do Recife aos
15 denovembro rivrj Eu Manoel Jos
da Molla, esetivao o subscrevi.Francisco
Rodrigues Sette.
-- O Illm. Sr. inspector da thesourarla
provincial em cumpriincnlo da urJem do
Exm. Sr. presidente da provincia de 8 do
correnle, ".1111,1.1 fizer publico, que nos das
23, 2!, e 25 do mesmo ira a praca para ser
arrou alado parante a junta da fazenJa da
mesma thpsouraria a quetn maior prego of-
ferecer as propriedades abaixo declaradas
que foram adjudicadas fazenda provincial
para pagamento do sello de hnranfa do li
nado Jos Ramos de liveira. \
Um sitio denominadodo Manoelisto na
eslrada de 1101110 do Uchoa, com casa de vi-
venda, coxeira, estribara, senzala, e arvo-
redos de diOerentes frutos, avaliado em
6.000,000 rs.
Urna morada de casa torrea junto ao dito
sitio, com seu quintal e com alguns arvore-
dos, avahada em 2:000,000 rs.
Dma dita na ra da ponte Vclha do bairro
da Koa-V'ista n. 16, com urna meia agoa nos
fundos, avaiiada em-2:000,000 rs.
Una dita em S. Amaro .lo bairro da Boa-
Visla com seu competente terreno junto, a-
valiada em 2:000,000 rs.
Os pretendemos comparecam nos di.s a-
cima indicados ao moto dia na salla das sos-
ses da mesma junta.
I! para constar so mandou afuar o presen-
te e publicar pelo Diario.
Secretaria da tliesouraria provincial de
Pernamliucu 9 do novembro do 1852.- O se-
cretario, Antonio Ferreira d'Aunuiiciar;Jo.
m
cional Sagitario, o qual j te
mais de ametade da carga prompa,
para o resto, passageiros, e escra-
vos a frele, trala-se na ra do Col-
legio n. 17 segundo andar, nu com
o cap'itSo Jo de Oeos Pereira
Para o Ce ara
Saln com multa brevidade o liiate Augeli-
ca,que ja tem parte da carga, e rara o resto,
trata-se oa ra da Cadeia do Recife n. 49,
primeiro andar, ou nu trapiche do algodao,
com o meatro
Para o Aracaly
Sabe com muita brevidade o hilte Flor do
Oururipe por j ler parto da carga ; para o
resto e passaReiros, trata-se na rus da Ca-
deia do Recife n. 49, primeiro andar. ,
JLeiloes.
Quinta feira 18 do corrente haver
grande leilAo no arma/em de Miguel Cr-
neiro, na ra do Trapichen. 38 principian-
do as II horas da nanhtl. em ponto por in-
lervenco do agente Roberto de mobilias
novas e usadas, pianos, camas de ferro, lus-
tre, candieiros, vidros de diveras qualida-
.les, appa'elhos de metal para almoco, ri-
cos quadros com eslampas, espedios, livros
histricos, oculos doslcance, relngios, es-
pingardas para Cica, o outros tnuitus ohjec-
los que no se duvil.r doserem arrema-
tados.
Brunn Praeger & Companhia, faro lei-
13o por iuterveneflo do agente liveira, de
um perfeitosortiinenlo .'o iniulezas, efer-
ragens linaje grossas, chegadas pelos ulli-
mos navios j terca feira 16 do correute, as
10 horas da manli3a em ponto no sou arma -
zetn da ra da Cruz.
Lotera de S. Pedro Martyr de
Olinda.
O Ibesotireiro das lolerias das matrizes
da Ko-Viala e S. Pedro Maii; r de Olin la,
tom a honra do apresen!.r ao respeitavcl
publico o plano das 'lolerias de S. Pedro
M.rtyr ltimamente approvado pelo Exm.
Sr. presidente da provincia. As vant.gens
que esto plano oflerece aus amadores deslo
licito jogo silo muito superiores s que offe-
recem os planos das lolerias do Rio de Janei-
ro, e por isio o mesmo Ihesourelro espera
que sera muito acolhido pelo publico o su-
pradito plano. Como infalltvelaipnte tem
de correr no dia 25 do corrente lotera do
Rozarlo d.i lla-Vista, os bilnetos de S. Pe-
dro Martyr est.ro i venda nndia 26 nos
lugares que se annunciara. Recife 13 de
novembro de 1852 -Jote Ttixeira Uaitos.
PLANO APPROVADO
para extracto das loteras conced las a fa-
vor das obras da igreja matriz de S. Pedro
Martyr de Olinda, cooiprebendendo a pri-
meira a extrahir-ae, as du.a ultimas partes
da lerceira lotera, o a primeira quarta par-
te da quarta.
4,000 bilhetes 12.000 48:000,000
Beneficio 5:760,000
Sello 600,000 6:360,000
Liquido 41:640,000
1 Premio de 12:000 000
1 Dito de 6:000,000
1 Dito do 3:000,000
1 Dito do 1:50O,0OO
2 Ditos de 500,000 1:00O,OOO
4 Ditos do 200,000 Hini.ii 11
6 Ditos da 100,000 600,000
10 Ditos do 50,000 500,000
16 Ditos de 30,000 480,000
20 Ditos de 20,000 400,000
1,270 ditos 12,000 15:240,000
2 Dilosde(le2' b )60,000 120,000
1,334 liilhrtes premiados
2,666 ditos brancos
rs. 41:640,000
Declarar, oes
4,000 total.
N. II. us premios grandes de um cont
de ris para cima sSo sujeitos ao descont
de 8 por cunto, imposto por loi paraolho-
souro publico. Ilecife 15 de outnbro do
iH'y. Josr Ttixeira Bastos, thesoureiro.
-- No da 6 do corrente ausentou-se da
casa do ab ixo assignado, a sua escrava de
nomo Cecilia, de. nac3o Angola, deidadede
HACA DO RECIFE 15 DE NOVEMBRO. AS
3 MOKAS DA TARDE.
COTAC.BSOFrlC!AES.
Cambio sobre Londres : a 28 3|8 d.
Dito dito dito: a 28 114 d. 60 d|V.
Dito dito dito : a 28 d. 90 d[v.
ALKAMILUa.
iIi-imI i ment do da 2a 13. .206:040,517
dem do dia 15.......14:225,371
220:265,888
Desearregam hoje 16 de novembro.
Barca inglesa -- Columbas mercadorias.
Barca ingleza t'runcis idem.
Barc. portugueza --N. S. da Boa Viagem
idom.
Patacho belga Rosalie farinha di trigo.
liiilMiriacnO.
Londres patacho .ardo Adige, consignado a
Sapoilly, uianifestou o seguinte :
B barrica, tinta de c.crever; a G, Kenwortby
C.
5d barricas graia, 10 ditas salitre, 1 dita pe-
dra hume, 1 dita sal, 8 caica, sag, I sacco pi-
nienla, 2 barricas pus dc sapatua, t dita azar-
ean, I dita alvalade a Jamea Crabtrec & V
10 cala, c i barricas tinta de eacrever, 3 la-
elle, nao pus.ao haver muito. Buscos no muu- || 3 dius rhuibarbo, 2 barrica. e2
Companhia de tfebiribe.
O directoi da companliia de Be-
liiribe convoca a assembla geral
dos senhorci accionistas, para o
dia .< i do corrente, as 10 luirs da
niatilija, ;ili">. ^e SC '\iX CUfPfiri-
incnto no disposto no artigo i-j
Jos estatu'os, e de se tratar acer-
ca do nono Uividendo. Esc/ipto-
riada companhia de ebiribe 1^
de novemliro dc i85a. O direc-
tor, Joao Pinto de Lcmos.
Banco de Pemambuco.
Os descontos continuam a 8 por cento
110 anuo, por letras al 6 mezes. Compra e
vende letras sobre o Rio de Janeiro de
qualjuer quantia ea prazosrasoaveis. Tam-
bem recebe dlnheiros apremio do 5 por. san ser onfeitados; rtqiiissiinos capolinhos
Avihoi li'vemos.
lettilo a meza regadora da irmandade
do apostlo S. Pedro desta cidade de tratar
de negocios, cuja resuluc3o depende de
una mesa geral, convida a todos os seus ir-
m.o s para que so dignem comparecer no
dia 18 do crrenlo no consistorio da mesma
irmandado pelas 4 horas da tarde. Consis-
torio da Iraian Lulo do apostlo S. Pedro,
16 de novemiro do l852.-Oescriv3o Fran-
cisco Xavior Jos Santos.
K. LallVuv, subdito inglez vai para fra
da provincia.
--Quera -precisar de um preto meco, bom;
bolieiro e copeiro, que sabe f.zer espanado- 35 a 40 anuos, de estatura regular, com am
res com parleicSn, vende se por necessida-i >>as as pomas muitu tortas para den'ro, e
de : dirija-se ao Atierro da Roa Vista n. 84.1 por isso quando anda he coxeando; levou
Pracisa-.se de una criada para casa del panno fino pretu e vestido de cimbraia bran
ponca familia : na ra Direita n. 100 I Co com flores encarnadas ; lalvez queira en-
Desappareceti, domingo 14 do correnle' culcar-se forra, por ser muito astuciosa:
um preto fullo. criotilo, do 28a 32 anuos, roga-so lulas as autoridades policiaes o
por iioiiii. Joaquim, com ctcalrizes as ea-, capil3cs de campo, queiram empregar toda
nellsdas pern-s o feridas. o corpo cheioj diligencia sobre a appreheoc3o della, ou
de pintas ou pannos miudos, pernis um pessoas particulares que della liverem
lano arqueadas ; levou um surrSo do pelle noticia, dirigir-se ao atterro da Ba-Vista
de ca
Illa <
a,
do
qu'
bi
le>
'1
oealgumu roupa, chapeo de pa-! 1*. 0,110 serSo bem recompensadas.
o; foi da freguezia de Papaca-| Desppareceram a 27 do passa 10 duas
.e Je r.aranhuus dez legoas foi orcinas brancas o prenhes ; urna dellas tem
o Manoel Canteante d'Albuquer- piulas prctas, e brincos decarne penlurados
., lillto da Sr. I). Josefa deCalum- au p du pescoco : a 5 do mesmo mez fur-
jem delle liver noticia ou o peg.r, laram urna cabra com dous lilhos, macbo o
i ra da Praia de Santa Hita, n. 43 femea, e poderam ter dous mrzes, o ma-
er generosamente recompensado. | c'>o he lodo cinzenlo, ea femea, de um la-
Aladama llosa Uardy modista bra- foe" b""K* llB fre'a. e a cabra he mui-
1 1, i a, to mansa: quem d-r noticia dos ditos ani-
Slleira Kua ov.i n. 4. tnaes. no ostabelecimento da roda, aera
Tem n honra do participar ao publico, e gratificado.
particularmente a seus freguezes c aos fre- D...:.. l..___________
guezes da fallec la madama Porla, quo ella re""- '"gar lima es-
tcm comprado o despchalo o soriimento crava, que saiba cosinbar o diar.o
inteiro das fizemlas quo vioram pa.a esta de uin,, cisa para ,)0uca fdrrt,|ja: a
enhora no navio l'ernambuco, o ulltmo !. ..
ch6,taio do n.vru. I.-.I.- soitiioi-iito no eiMii- queii miercssar, tini] i c a ra do
posto de fazendas muito linas, e superiores Cabula
aquellas uni vem para esle mercado ; ricos
coit-s dejsoda lavrados de cores do ultimo
gusto, coiles de seda escoceza, ricos cortes
de baregjtlo so Ja, ditos de baregedeseJa
de 3 b a bajos, riquissimos cbapeus de seda
para senllora, chapos de paina itaca a-
bertos e/fecliados para senhora e meninas
maraes.
u. 1 U. loja do Gui-
cento ao anuo, a n.lo menos do 6 mezes de
prazo. Banco de Pernambuco 6 de novembro
de 1852. O secretario, M. I. de Oli-
ve! ram
REAL COMPANHIA DE PAQUETES INGLEZES
A VAPOR.
No dia 20 deste mez, espe-
ra-se do Bul o vapor Toviot ,
comm.ndante Onalow.o qual
depois da demora do coslu-
meseguir paraos pollos da Europa : para
passageiros, bala-so em esa da agencia,
na ra do Trapiche Novo n. 42.
ic o capuchlnbo, tn.i noquero dormir juuto des-
te deiii.uno Irei dormir cin baixo na coebei-
ra. K assiin o le. Busco lie. pacifico pusaui-
dor do apuscolo du capncliiiilio c cis aqu cuino
procura, em vlageni na. hospedarlas um
aposento a cusa du. reverendos padres. Se
pcilirdes a recelta disto a Hosco, alie vos res
pondera rludo-sc com um ar astucioso ; a lio
uto pre.tigio 1
Se tivessemo. tudas as columnas deste nume-
ro mi '.vi disposictio, loiiiariainus nnssa cun-
ta enelicla. de historiaa c dc boas pelticas do
uusso mgico, tau assombrusa. como esta. Mas
como elle guirda seu segredo, para que, di/.
do, apenas temos adiado u nielo dc fazer dse-
.el. paginas a. quae. conten trila e Inas
manobras, o que 6 uina bagatclla pura um ar-
tista dc ana furca, e somos obrigado. re-
sumir. Se algum dia o eticonlrardc. ( e
eu vo. desejo o conlieclineiilu desle tiomeiii
jovial e ainavel ) ped que elle vos cun-
te a anccdula do io/i'i" du marte, edesna en-
trevista com o imperador da llu.sia, e a dc sua
mgica do. doua pombo9 dcgoladoi perante sua
Allcz. Abdul-Me.lgyd ; do embaraco em que o
puz o pedido do sultiio de repetir a magrea em
dous e.cravo. vivos, c do uielu ndu inenus
proinplo que engeubuao, com que elle ae sahiu
desta diouidade.
Bo.co he, com efleito um hoinein chelo de
espirito, de feliae. sahldas c recurso.. Pertcn-
ce, pur n itiin/. 1, esta graude escola de bu-
fus italiano, o. inai. grotesco, do mundo, a qual
tem prnduiido os Pantaln, o. Searauooclic,
os Meazliin c outro. e aluda ae enche de orgu lio
entre outro., artista por seu Rouconi I,ablacbc.
Bu.co he seiupre aleg: c e variado pode-.e di -
zer que hc actor ale a extrcinidade daa uiihaa.
tiio crelo i|ue neuhuin nigromante o possa ei-
ceJer cm destreza ; podem ebegar a ser igual,
ae bem que seja dencil mas no que rl!e nu
lein rival aem duvida, he na repreaentaedo .la-
cera, na iuvencu fecunda no e.golavel fiomour
com que ellcaconipanha as .uas mgicas. Pro-
curar contar fra inleirameute chnnerico, por
que elle he boiuem ipie pode dar-vu. lautas
reprc.entacTSe., quaoto. diaa tem o anuo, aem
te reproducir nem te repilar jainait.
Por este molivo daremos, de.cripcao, nao a
explicaco de uina proe.a a..nibradora. Bu.co
apre.enta urna pl.tula a um c.v.llelro da I1011-
tada a..embica, peie que tenha a bondade de
. c.rregar, e para bala Ihe d uin caado vivo.
O cavalleiro ju.taineute .orprendido da ea-
colln doprojectil, hciita cm introduar a iu-
lere..aole ave no tubo boinicida Nao teinae 1
diz Roteo ; carregal. E juutando a dcinoa-
Iracao .0 preceitu, impelle bruialiu.ate va-
reta no cano da anua aobre a cabeca do pobre
animal, o qual d pequeo, giltoa de dor. De-
pois do que, Bo.co toma aua. di.lelas, com
.ua e.pada em punbo, diz ao cavalleiro. Tende
a bondade de atirar-ine, fasel bem a potitaria,
com a pona de minha e.pada aparare! o pro-
jeel. As uiullierea lapain o. ouvidoa, o. me-
nino, gtitim, a pi.lol. faz logo, e o que >e ve i
O pa.saro-balla sacodiudo alegremente as
./... ua poula da comprlda espada qu. .mien-
ta mealre Bo.co!
barra diver.aa Ilota. aordein.
1 qu irlol.i vlnho, 3 cana, queijos. b* caiaa. e
21 meia. dila. cha a Deaue Youle te t.
1 barrica fulha. de zlnco.l dilapregos de dito;
a A. V. da Silva Barroca.
1 mu charutos ao capilo.
Si toneladas carvo de pedra.
CUNSULADUCERAL.
.ii'itdi nii'iilii do dia 2 a 13 ,
Idom do di. 15......
15:363,634
3 065.124
18:428,758
DIVERSAS PROVINCIAS.
Rendimenlo do dia 2 a 13.
Idemdo dia 15
, 1:037,697
, 220,442
1:258,139
Exportacao.
Babia blalc Ligeiro de 78 toneladas, condua
o seguinte:
1.V1 barricas bac.lho, 90barr, tnanteiga, 60
incio. dita, 37 calas fazendas.2 barrica, ochre,
5 pipas vinagre, 6 pipa., 11 quartolas e li bar-
r, azeite, 1 caixa louca, I dila queijos, 30 t Ji-
la, velas.
ItECEBEDORIA DE RENDAS 1NTERNASGE-
RAES DEPERNAMBUCO.
r.iin.liiiienlo du dia 15 .... 440,094
Movimeiitu do porr-j
Navios entrados no dia 15.
Rio de Janeiro 17 das, galera ingleza E-
clipse, de 393 toneladas, capitSo Hurn
L.ing, equipsgem 17, om lastro ; a James
Crablroo & Companliia.
dem 27 mas. brigue bfemense iUnrietle,
capitSo M. Piening, em lastro ; a .\.|(i.
Bieber Compaulua. Veio recaber or.leus
o seguio para Liverpool pela Parahiba.
Navios saAidos no mesmo dia.
Rio de Janeiro brigue brasileiro Flor do
Rio, capillo Jol Francisco Lopes da Cos-
ta, carga varios gneros. Passageiros ,
Ricardo Amavel Rolrigues, sua mana e
3 escravos, Luiz Jean Tempethe, sua fa-
milia, 2 escravos e mus 5 escravos do
mesmo capitSo do brigue.
THMTIIO
18.' RECITA DA ASSIG.NATURA.
Quarta feira 17 de novembro de
i85a.
Depois de urna brilbanleauvertura repre-
sent.r-se-lia o drama em 1 acto,
U pobre Jaques.
Enseguida subir scena a muito ap-
plaudlda comedia em 3 actos,
Uiuill.ml em ilespanba.
Terminar o espectculo com a comedia
em 1 acto,
U ducllo no terceiro andar.
principiar as 8 horas,
s bilhetes acham-so venda no oscripto-
ro do theatro.
Oespectaoulo annuncialo para o dia 18 ,
em benelicio do actor Costa, tica transferido
para sabbado 20, a ped lo do multas pes-
soas, bom como para que o drama va intei-
ramente bem ensaiado.
Avisos martimos.
para o Uto de Janeiro segu impreteri-
volmenle no dia 20 do correnle, o brigue
Paquele de Pernambuco; para o resto d
carga e oscravos a frele, trata-se com o pro-
pietario Maooel Concalves da Silva.
Para o K10 de Janeiro ,
o muito veleiro palhabute Dous Amigos,sahe
imyrfterivelnieuiu no dia 18 do crrente ;
s Jwl>a escravus a frote, para oque leni
bons commodos: a tratar com sou consigna -
tario, Francisco Jos de MagaluSes Bastos,
na ra Nova n. 37.
Para o lli do Janeiro.
Segu viagem o brigue brazileiroMarian-
na, capitSo Jos da Cunta Jnior, quem no
mesmo quizer carregar carga, escravos, ou
ir de passagem falle com o dito capitSo, ou
com Manoel Ignacio do liveira ua praca do
commercio n. 6.
Para o Kio de Janeiro salte
com muita brevidade o brigue na-
de Grosnaple*. fulla cures bordados; rlcoa
capollas para ni,iva e madrinha de casamen-
to; guarnices para vestido de noiva ; ra-
mos de flires pretas para luto; um rico
sortimcnlo de lilas, escuc za; cluneza para
ciuta de meninos e sonhoras, para enrollar
chapeos de senhora o meninas, de babadi-
nhos e de franjas ; chamalole branco para
cohetes de senhora ; bulos par. coiietes
de senhora ; ticos cortos de collete borda-
dos para senhora, lafuta branco; solim
branco; gros do oaples arnarelloe branco
fuita cores ; roquifes para os ditos ves-
tidos.
Na ra das Cruzes n. 22, vende-se urna
croula que cngomma, cosinha, cnse ch3a
e lava ; com um III 10 muleque do 15 mezes,
muito lindo e urna dita, quu engomma, co-
sinha e la'a, e outra dita de 20 anuos pro-
pria para lodo o servirjo.
-- Declaro que tundo chamado ao Sr. Dr.
Seabra, para refo'mar o puel da tracto quo
Ihe passei, por sunpor papel de venda, e co-
mo tal no ha, e dito papel esteja ja om meu
poder, por isso faco a presonle declarado,
levendo o mesmo Sr. continuar naquello,
ten Jo a metade.
- Bernardo Francisco da Silva, relira-se
p>ra Portugal a Ir.lar da sua saulo.
V1 Precisase de um moco que enlcnla 9
S) franez para ijular as representarais
? de ma :i 1 do HC, I, o- i/e : quem esti- f
?, vornnsss circuni-lcocias dirjase a ?
*ij tratar com o mesin0,11a ra da Cadeia
0 de Santo Antonio, na casa em que oi *
9 ila socieda lo Appuliiuea. aj
I."ornado Jos Velloso Draga, agradece
todos os favores que tem recebido do Sr.
Jallo Correa de Carvalho, e ao mesmo lempo
roga ao mesmo Sr. Correa, que deixe de an-
dar fazendo censuras por lujas da chapeo*,e
quedealguma maneira faga roprlmir o seu
desenvolvimotilo ede sua familia.
11 r 1:mo do quarto balalliSo de a-li-
Ihsraai,Jos Lzaro.leCarvalho.tondo urna
heranca em LishOa, o orno n'in a pode ir
receber, faz loda e qualquer transado nes-
ta provincia, com a dita heranfa : a quem
convier pode procurar noquanel do hatalhlo
cima mencionado, nis Cincu Ponas das 9
horas em dlanle,
- Anua J equina do Nascimento, viuva
de Jos do Motile Lima, f,ii scicnte au res-
peitavel publico, que sendo do sua proprie-
dade ns trras ond o Sr. Jus Rolrigues de
liveira Lima, edilicou um etigeiibo como de
seus ttulos consta, 'pretende reivimlici-lag
logo que se dosombarassn de ouiras ques-
tOes que tem : porlanto, reubvan lo seu an-
iiuiici 1 publicado pelo Diaiio Novo de 15de
setembro do I845,pruviue,pira que ninguem
contrate com 11 dito Lima sobre a compra
do mosmo engenho, quo olla deuominuu A-
goas-Bellas, contra a qual proleste.
-- Na ra do Vigario 11. 19, primeiro an-
dar, deseja-sa saber do Sr. Domingos Anto-
nio Pereira, que em 1821 exista nos seus
engenhos em Porto Calvo, ou de seus fillios,
a negocio que Ihe di?, respcilo.
Joflo de Arruda Cibral, retira-so desta
praca, e como su persu ida no dever a nin-
guem to lo aquelle quo sa reconhecer por
seu cre.lor, .paraca no prazo de 3 dias ua
ra Nova taberna n.7l, junto a poni ah
ser embolsado.
na ra do
l'recisa-so de um criado
Hospicio n. 9.
Quersealugar urna ama, que saina co-
sinh.r, para servir na casa de nomem sol-
teiro : na ra do Queimado n. 13. loja do
ferrageos.
Aluga-se o segundo andar, na ra Vc-
ha n. 34 : a tratar na rn.-i do Queimado ,
loja da esquina do becco d. Congregarlo
Aluga-se um escravo par. qualquer
sorvico 1 na ra de S. Gonrjalo n. 34.
-- Roga-ae aoSr. Manoel Francisco Car-
dozo, o favor do dirigir-se a ra da Cadeia
do Recife n. 14, a negocio que vocalmente
se Ihe cumnunicar.
Aluga se um sitio na Taoaruna: a tra-
tar na ra da Guia n. 64, segundo andar.
-- Aluga-se urna casa na povoacSo de Be-
biribe : a tratar na ra da Guia n. 64, se-
gundo andar.
J0S0 da Rocha llollanda Cavalcanle, se-
nhordo engenho Conceico Nova da Tregue-
Xladj Escada muito agradece ao III n. Sr. pio-
fossor publico da villa do Limoeiro Sevena-
no Aleaa.idre Villarim o favor deler delido
em seu podor o escravo Joaquim,que do mes-
mo engenho se auzeutara ua ultima semana
de outubro p. p. juntamente com outro cha-
mado Luiz tambem angola idade 35 annos.
e como nSo possa j enlender-se com o mes-
mo Sr. apressa-se em asseg.irar Ihe,que n.lo
ter Uuvi la do o vender ; assim cono pede-
nte o obsequio de indagar do dito escravo o
rumo que poderiam ter toma lo us que com
ellesaliiram, alim de seguir melhor direc-
?3o, o portador que ler-se-ha de dirigir para
ahi, ou 1 ttl.lo, se vendo, que alguma pruvi-
dencia da sua liarle podera aproveitar.e nSo
Ihe for multo encommodo, espera merecer-
Iho mais esse favor, Meando certo de quo se-
rflo alien lidas todas as despezas, embora
nSo resulte d'ahi bom elTolto. Os signaes
sSo : o negro baixo, secco, phisionomia lia,
ps iiiMiu menos apapagaiados ; a urgra,
estatura regular, secca, phisionomia agra-
davel, betu prat. Tambem n3o se pora
duvida em vendel-os, caso tenhain j pro-
cralo alguem para os comprar.
A abaixo ssiignsda, roga ao Sr. L...
O R. o fivor de mandar pagar
os cobres que lomou para um rapaz que es-
lava desar umado.n juntamente mandar-lho
entejar os lencos que Ihe lomou emoresta-
do. A preguica.da ra das Trnchoiras
Contina aeslar fgida a escrava, ca-
bra, Je Dome Florencia, de idade 30 annos,
pouco maisTju menos, estatura regalar, com
Taita .le denles na frente do lado de cima,
cabello cortado de pouco cosluma andar
calcada, e tambem usa do timSo, suppe-so
que esteja por porto desta cidade, e talvez
em companhia de urna prela relha.cga de
um ulho, de nome P.ula, ru.lt da dita escra-
va ; a dita preta he forra e consta ter anda-
do a narrando canoa por alguns engenhos
P'irlo desta cidado; a preta cima mencio-
nada foi escrava do Sr. Joao Manoel de Bar-
ros Watiderloy, em Serinbaem, e tambenado
Sr. JoSo rjrpoliUj de Metra Lima, em Santo
Amaro de JaboatSo, e de outros: porlanto
rogi-sea tolas as autoridades, tanto desta
cidade como de fra, capttSes de campo o
pessoas do povo, a apprehen^So da dita es-
crava, e retnette-la a ra da Cadeia do Re-
cife n. 29, que se gratificar com generosi-
dade.
-- Na ra da Aurora, esa junto a casa dos
exposlos, prccisa-se de um bom cosinluto
forro.
Aluga-su urna casa no C.cliang a
margen do rio, com bons commodos. para
passar a festa : oa rus do Cano n. 42.
J MUTILADO
1
t
r



-~*m,
'
V
Afericao.
Sendo raro o numero de-pessoas qul teem
comparecido pin aferir as medidas e pesos
de seus estabelecimentoi commerciaes, o
arrematante convida de novo todos a
quem lei incumbe cssa obrigagBu, a con-
cerrerem casa de aferigSo, na ra da Flo-
rentina n. 7, des s horas da mantilla as da
tarde, visto qu tendo de lindar no ultimo
de dezembro prximo futuro o lempo mar-
cado para a mesma iferigl0, nilo ha i nssivol
dar venc ment ao trabalho que ella de-
manda, se houver maior demora. O arre-
matante para facilitar aos contribuintes o
cumprimento do seu dever, ir aoseslabe-
lecimentos daqaelles que o chamarem, fra
dos das a horas do expediente, sem prejui-
-- O Sr. Americo Perera de Brito tenha a
bondade de dirigir se a ra da Aurora n. 53,
segundo andar, aflm de tratar-sede um ne-
gocio, que o mesma senhor nSo ignora.
Jos Martina Teixeira, medico homcco-
plhico, chegado prximamente do Itio de
Janeiro, d consultas aot pobres gratuitas,
das 8 horas do dia as S da tarde i no hotel
na ra do Torres, primeiro andar.
O Sr. Manuel Freir, D. M. Helio, e a
Sra. D. Barbara Maris da ConeeigSo, mora
dora nos Afogados tem carias na ra da (la-
deis do Reciie n. 49, primeiro andar.
-- Arrenda-se urna propriedade, sita o
ra da Huientina,contigua a do Sr. Beran-
er, com ptimas proporgOes para nella se
mular qusiquer estabeleciment em ponto
3
nSZn!SSS^M^WSL Bnde, portar bstanle exlenso, a porto
de embarque pelos fundos : quem a preten-
der, pder ve-la,entendendo-secom o mo-
rador da cesa n. 16 da dita propriedade. o
qual dir com quem se deve tratar de qusi-
quer ajuste.
Deseja-se saber deis genito-
res Jo5o Uutra Wanderley e
Joaquim Dutra Wanderley, am-
rigSo, e a quem, segundo as posturas muni-
cipaes, deve servir promptamente.
*t9lf999999999m
SCO.NSULTOrtlOIIOMuEOPATIIICO.. 4
Gratuito para os pobres tests ci lado #
*M Hotel do Rccife, na ra do Trapiche B)
n. 5, piimeiroamlar, dirigido por Jo-
s Marlins Teixeira, medico liomooo- ,sl
% patha, formado no Itio de Janeiro, 4
9 uliiniami'iiti! chegado a esta capitel, 4
(*. d consultas o remedios de graca aos 0
9) pobres todos os das uteis, desdeas #
? 8 I] ras da manhlta at a urna, hora 4
9) da tarde, o dessa hora em disnte se- l
9) r3o visitados os doentes em seus do- *?
A micilios. 4
0H***SS*<*#-*S99*9m
-- Joo Martina de Rirrosjembrs aos ere-
dores de Manoel Jus da Costa Oliveira, que
tom em seu poder as contas dos abaixo men-
cionados, e se mais alguom se jolgar seu
credor, queira apresenlar sua conta no pra-
so do tres das, para poder ser attendido no
rateioque tom de se fazer, lindo que soja o
lempo marcado; fazeodo-lho ver que he es-
ta a segunda e ultima vez que tses cuntas
IhessSn pedidas.Os senhores Jos Vicente
de Lima, Jos Rodrigues Perera, francisco
Jos da Cusa Campello, Benlo Alves da
Cruz, Jtaquim Filippeda Costa, Francisco
Jos Duerle, Machado & l'inheiro, Jus An-
tonio Ribeiro, Mcuron &, Companhia, Ma-
noel da Silva Santos, Antonio Jos da Costa
Arauj i.i.iii/ Jos da Costa Amonm,Joaqutm
l'inheiro Jacome, Manoel dos Santos Pinto,
J. Jacome Tasso Jnior, llernardino da Silva
Lopes, JoSo Tavares Cordeiro, Candido Al-
berto So lie da Motta, Fernsndes Silva A
Companliia.
Actia-se no armszem do sol para se ven-
der,umcavallocistanboamrello,muito bo-
nito, est hem gordo, e anda de tudo l para
ver e trstar no mesmo armazom.
Pede-se s senhora I). Joanna Francisca
que morou as casas do Sr Fructuoso em
Santo Amaro, haja de ir buscar o seu pe-
nhor nopraso de 8 dias, do cont'ario ser
vendido para pagamento.
A pessoa a que'ii Ihe faltar um escravo
que diz tersido 00engrano CabegadePor-
co, na fieguezia de Una, dirija-se a ra No-
va n. 65, que se Ihe dar noticias.
Precisa-so de urna ama para casa de
poucs familia : na ra da Aurora n. 3o.
Oabaixo assignadn provino ao respei-
tavel publico, para que nioguem compre a
Mana Francisca, mullier de Jos Itezerra da
Silva, urna esclava de nomo Mana.du genlio
de Angola, por have-la o ahaixo assignado,
comprado ao dito Jos Bezerra da Silva que
era seu legitimo dono.Antonio de S o Al-
buquerque.
~ Precisa-se de um ama de leito quo nilo
leoha illho .- na ra do Sove, casa terrea e
soioo, defronte Jo thealro publico.
Um huinem de 0 annos, viuvo, se pro-
I Ce ensillar primeiras li tras em slgum en-
genlio,ou em qualquer lugar fra desla pra-
ga, por ja ter bastante pralica : quem do seu
prestido quizer utilisar-so, dirija-se a ra
do Padro t'Ion mo n. 26, ou a ra da Praia,
lypogra, hia da Viuva Roma, que achara cu n
quem tiatar.
Aluga-se para se psssar a Tests, urna
casa em Sanl'Anna do dentro, defronte da
venda do Sr. Nicolao, com comniodoa para
numerosa familia, com quintal, caeiuilia,co-
piar, estribaria, e serventa para o rio para
tomar baubo : a fallar no mesmo lugar com
JoSo Venancio.
Os abaixo sssignados participim
ao respeitavel commercio desta praga, prin-
cipalmente aos senhor's trapichemos que
i) is-ol vern) a uiigavelmi lite a sociedade que
tinham na taberna sita na luadu Rosario da
Boa-Vista n. 58, ficando o socio Francisco
Gomes Fonseca obrigado a pagar a praca po-
lo activo e pastivo da mesma, e.para assim
constar assignamos. Manuel Joaquim Pe-
reira, Francisco Gomes Fonseca.
Precisa-se de ofDciaes de charuteiro no
aterro da Boa-Vistan. 77.
-- Desoja-so fallar ao Sr. Antonio do Oli-
veira Mello, a negUCio '..' -Ull nteres.e ; na
ra da Guia n. 42, segundo andar, ou an-
nunciea sua morada para ser procurado.
-- Alugam-se os terceiro o quarto andares
coma cosinha da casa o. 42da ra do Tra-
picho Novo do Recife : quem os pretender,
dirija-se ao primeiro andar da dita casa.
Aluga-se um sitio com bastsntos com-
modus para grande familia,a maigem do rio
Capibaribe, com bastantes pe ue larangei-
ra.ec| un 'luo sustenta um a dous caval-
lus em verSo : quem prelenJer, dirija-so a
ra do Burgos n. 31, no Forto du Mattos.
Precisa -se alugar urna casa de doos an-
dares e sutSo, ou mesmo de dous andares
que tenha commodos para duas familias;nas
seguiutes ras:-Nova, Csdcia de Santo An-
tonio, Collegio, Cruzes, Pateo do Carmo, ou
em qualquer ra de Santo Antonio, que seji
decente: na rus doQueitnadun. 46, primei-
ro andar.
.Hormlas para caima sem virla.
bos portuguezes, vindos de Lis-
boa para esta provincia: quem des-
tes senhores souber, e quizer dar
noticia, (aqual se pede do Hiode
Janeiro), o poder lazer no escrip
torio de Manoel A Ivs Guerra J-
nior, na ra do Trapiche ... i4 >
por cujo favor se Ihe licar agra-
decido.
s 9 a 9 > ^ r 9 ? 4 $ 9) 9 9 4
<4 O consultorio humcopalhico da ra A
) do Trapiche Nov numoro 15, dirigido 9
tt pelo l)r.Pires Ramos Jnior, foi traits- ajjj
* lerido para a ra da Cadeia do Recife t>
n. 41, no segundo andar, por cima da a]}
luja do lllni. Sr. Jlo Cardo/o Ayres,
onde ja fot o consultorio do Sr. Dr. t]|
9) Sabino, ahi se eucontrar cartei.'as f|
com medicamentos homceepalhicos, (
tubos avulcos, tinturas de qualquer t>>
1 i 111 a 1111 s a i,' o 1., e lambem se refazem t>)
aquellos que estiverem deteriorados. a>
Propagandas homesopathicas do lllm. >
Sr. Dr. Sabino, pelo prego de t,000 rs. 4
4 cada exemplar, Estes medicamentos a>,
4 sSo preparados com lodo o cuidado, #
4 ej experimentados pelo Sr. Dr. Sabi- 0
4 no na sua lunga clnica, sendo os re- )
4 sultadosos maisfehzes; todas asear- ,-
>4 teir-s ques'ahirem deste consultorio 4>
4 levai.lu a lirma do Sr. Dr. Sabino. As t>.
9 consultas s3o das 8 horas do dia at >
4 as 3 da tarde; depois dostas horas so "95
4 o poderSo procurar na ra da Cruz >:
4 do Recife n. 50, segundo andar. 4
(juem tiver urna escrava, mesmo de
idado, e queira alugar para o ordinario
de 11 mu casa, dirija-se a rus do Mundego
II. 29.
Para so passar a fesla.
Aluga-se um bom sitio no lugar do Cor-
deiro, margem do Capilianbe,com boa ca-
sa, estribara para tres cavallos, casas 1 a .1
prelus e feilor, pomar o jardim, assim como
baixas com capim e muita hortalico 1 na ra
do Uueimado 11. 30, segundo andar, ou na
ra da Madre do t)eus, trmazam de Baroca
& Castro.
-. O Sr. Jos Guedes do Albuquerquo an-
tes de, rotirar-separa Portugal, tenha a liou-
dade de dirigir-sa a ra Nova n. 27, a en-
teuder-se com Joaquim Antonio dos Santos
Andrade, aliin de. Ihe pagar a quantia de
547,873 rs como consta no documento quo
assignou a Andrade & Leal, os quaes 1110 pas-
riai-an u perlence no dilu mmmmt- -:-' j:-r^rr*-"^'~
Gnsset Uimont, professnr de ho-.
H mcoopatliia pela osela du Itio de Ja- O
* neiro, continua a dar consultas gratis j)
S aos pobres lodos os dias uteis, das 8 jjj
a horas da manh3a at ao meio da, no U
iM seu consultorio, i ua das Cruzes n m
wmvmmmmmtmm Com o fim deassistir a um enfermo, o
Dr. Carolino Francisco da Cunta Santos, se-
gu vagem para fra da provincia, o com
urgencia, pelo que n3o podendo se despedir
de lodosos seus amigos, o faz mediante es-
te anuuncio ; asseveranlo, porcm, a inten-
(3o de quo, depois de festa voltan Jo, aqu do
novo continuar no exercicio de aua prolis-
s3o de medico, e a residir na mesma casa om
que moia, na ra Nova n. 21.
.- No aterro da BoaVisla n. 49, ainda se-
precisa de urna ama forra ou captiva, que
saina la/cr'coui perfeifSo o s -rv.c.i de u,na
casa nSo so olha a pre?o.
yuer-se alugar um bom esersvo que
siiba cusinhar, para servir em casa de ho-
meni solteiro : na ra Nova, loja de fazen-
d.s n. 42, di ftoiile da Concelf3o dos mili-
tares.
WvWW#VVV:Wii||i VW^WICV
w
!*
ti)-
>
>
<
HOMEOPATHICA. ^
A fundi;3o da Aurora em Sanio Amaro,
tem constantemente um supprimento des-
tas moendas entre oulras muitas, e sua uti-
lidade tem sido bem provada por urna loriga
experiencia de 18 annos ; a prime ira tendo
sido I ita por um modelo apreseutado pelo
senhor coronel Joaquim Cavalcante de Albu-
querquo para o seu engenbo Jardim de Po-
dras de Fono, como se v do li vio de encom-
mendas a folhss 1M, anoode 1834; e desde
entilo para c mais de vi ule moendas des-
tas tem sido taitas nesta fabrica como se
pode ver da lista que na mesma fabrica ex-
iste e estilo todas trabalhando em diversos
oogenhos da provincia, dando completa sa-
tisfago aos seus pruprietarios liste objeo-
to seconsegue, simplesmenle collocando os
dous tambores do baixo, um em contacto
comooutro; e para islo poder ter lugar,
poeta-se duas carretas no aguilho superior,
e urna em cada um dos inferiores; as bridas,
ou bcifjus naturalmente estando no tambor
de cima.
No dia 12 do corrate ausentou-se da
cisadeseu Sr.,no Pateo do Carmo n. 17,urna
mulata que representa ter 40 annos de ida-
de ; tem cara comprida, he cheia do corpo, e
tem taita de denles; tem psnnos pelos bra-
cos e coalas, e tremem-lhe multo as mos:
lovou vestido branco, chales de quadros en-
carnados e rouxo, sapatos de couro e urna
trm.xa com alguna vestidos, e um panno de
18a encarnada e branca : quem a pegar ou
delta souber, faca o favor de participar que
se pagar o seu trabalho
-- Precisa-se ruteiro ; paga-so bem : na ra da Soledade.
confronte a venia n. 11.
-- l.ava-se u elignmnia-se, com muit |W-
feic3o e asseio : no pateo da Ribetra deS.
Jo se 11 15.
a*
>
w
w
>
i*
.>
*
28 RA DAS CRUZF.S 28,
Dirigidapor um pharmaceutieo
approvado.
Esteestabelecimcnto possue todos ^~
os medicamentos at agora experi- #
mentados, lauto na Europa como no 4&
Brasil, e preparados polas machinas *'
da invencau do Dr. Mure.
Carleiras de 12 tubos at 160, por
precos variaveis, conforme a qusli-
dadedas caixas, a quantidade dos re-
medios e slias dyiiaiiiisaeoes.
Urna carteira com os 24 principaes
& remedios homopalhicos e 3 obras
- tullronles indispeiisaveis para os
la> principiantes que se.quizerom con
*" vencer da verdade da nova medici-
na ; contando alm de muitos con-
selhos clinicos, a pathogenesia de
48 medicamentos por 25/000
Tubos avulsbs (cada um) 1/000
Tinturas de lodos os medicamon- 41
tos em frascos de l|2on{a 21000
-5
<1
m
<$
9
<;



i
J-
*
>
i
=*
;>
AVIAM-SE GRATUITAMENTE
para os pobres,todas asreceitasque ^
para ali mandar qualquer professor.
Na mesma botica enconlrar-se-ha
sempre um grande sortimento do li-
vroseni portuguez e francez e em-
lini tudo quauto he necessario pera
o estudo e pralica da homopalhia.
N. B. Ilefurmam-se gratuitamente
todas as carteiras vendidas no esta-
nelecimento de cujos remedio, pe-
la h imilla.le OU por l|liali|iler 0U-
tra causa tiverem sido deteiorados-
- Traspasarse urna hypotecado urna ca-
sa nova, na ra da Gloria ; a pessoa que pre-
tender, dirija-so a ra estreita do Rosario
n. 16.
- Aloga-se urna casa torrea, no sitio do
Cordeiro, a margem do rio Capibaribe, com
commodos para grande familia, e com es-
tribara para 6 cavallus ; urna outra mais
pequea 110 fondo do mesmo sitio, tambem
com ro.mundos para familia : a tratar com
Gabriel Antonio, no paleo do Carmo n. 17.
Arrenda-se o armszem da casa da roa
-- 0 abaixo assignado, residente na Ba-
ha, avisa ao Sr. Daniel, na ilbade Fernn-,
do, que nesta cidade declare quem suas ve-
zea faga, para recebera importancia que o
meu casal Iheideve.-Jos Pedreira do Canto.
-- Os senhores acadmicos do quinto an-
uo s3o convidados compraras fitas das
suas cartas de doutor, no aterro da Boa-Vis-
ta n. 1; certo de que acharSo nessa loja mo-
dicidade de pregoequalidade superior.
Bazar, ra do Vigario n. 4.
Neste estabelecimento se acha presente-
mente um sortimento de fazendas Irancezas
e inglazas todas as quaes se vendem a rels-
Iho ou em porches ao gosto dos comprado-
res, pelo prego de atacado, lambem se acha
mantas de linho muilo lindas, para monta-
ra, palitos felos, urna machina galvnica,
muito lindos quadros, uns pintados a oleo
eoutros de estampas, um cabriolel em es-
tado perfoito, e muitos mais objectos que
por faltado espigo nSo se pode particula-
rizar.
Daguerreotypo .
No aterro da Boa-Vista, sobrado n. 10, ti-
rana-se retrato.* a daguerreotypo, das 9 ho-
ras da manh3a as 3 da trde ; tambem vam-
se tirar em casas particulares. Copiam-se
retratos de daguerreotypo para miniatura
cum exaclidSo ; existindo para os meamos
retratos caixas e quadros de gosto particu-
lar.
Maiiame Thcard, modista france-
za, na ra Novan, .'i >,
Novamente avisa ao respeitavel publico,
o as senhoras de bom gosto, e juntamente
aos seus freguezes.que acaba de receber pe-,
los dous navius ltimamente chegados de
1 anea, um lindo e grande sin tmenlo de
modas do sua particular encommenda para
uo se encontrar em outra parto igual fa-
zenda ; chapeos de seda enfeitados Je boas
Utas largase bicos de blondo, flores e peo-
nas os mais ricos quo tem vindo neste mer-
cado, e feitos pelas melhores modistas de
Pars, que Ihe foramencomnendattas, para
nao haver o desgosto do se encontraren)
iguaes; um liqdo sortimento de capolinhos,
visitas coji seus competentes coleles do cha-
malolo tolos muilo bom urnados do fran-
jas e trangas do bom gosto,vestidos do bluu-
de com sous competentes veos igiises aos
vestidos, para noivas ; rico setim brancu
muito encorpado para os ditos vestidos ; um
grande sortimento do chapeos do seda e de
palha para meninos e meninas, veludo azul
e verde do pura soda muilo proprio para
vestidos e capolinhos; um grande sortimen-
to de sedas furia-cores para vestidos eca-
potinhos com franjas e trangas iguses, ca-
mi-inii is de lit para vestidos abcrlos, ditas
para montara, chapos do palha para mon-
tara, e veos de garga bordados de todas as
cores para os ditos chapeos ; um grande sor
tmenlo do litas escocesas de- tudas as lar-
guras; um grande soitimento du bicus pie
los da largura de un dodo al um palmo e
un c ; esparlilhos do linho de molas e sem
ellas,1 > mais largos quo so | odem encontrar
no mercado, ditos do se la o de linho para
senhoras secas, dos quaos tem paia mais do
Tinte dunas para esculher a voulade ; tarla-
tana branca o de cores para vestidos de bai-
les; r.uncirs do cambraia e bico borladas
para senhora ; chapeos de clino puro para
senbora ; hicos brancos de blondo da largu-
ra de meio dodo al um palmo ; e muitas mi-
li as fazendas de modas.
~ O Sr Melquades Joaquim Marques Vi-
anua anuuncio a sua residencia para sor pro-
curado.
PrccUa-so de um ama do leiln sem Il-
lho, forra ou captiva : na ra Docta 11. 36,
segundo andar.
.Na iTia do Quoiniado 11. 18, ha um I es-
soa que desoja fallar com o Sr. Pedro Anto-
nio do Siqueir, B como ignora o lugar de
sua n.m mi. 1, pe le ao mesmo senhur que ap-
pareoa na luja mencionada, ou que anuun-
cio sua mora la.
Precisa-se do um homorn pira andar
com urna carmga : na ra do Passoio, casa
n. 21.
A pessoa quo annunciou querer com-
prar un a loja do miudozas, seudo ii3u tenha
aluda comurado queromlo a du aterro da
Boa-Vista n. 72, dirija-so a mesma.
~ Aluga-so para so passar a festa, urna
casa nos Apipucos, arrodada da povoagSo,
com commodos para familia ; estribara pa-
ra tros cavallos, e capim para o sustento dos
mesmos : quem a pretender dirija-se ao di-
to lugar, a tralar com o major Cezario.
Precisa-se de um pequeo para caixei-
ro do veoda, que soja chegado ltimamente:
no aterro da Bua-Visla 11. 24
Attenco.
He chegado a esta p-ovincia um subdi-
to britannico que filia perfectamente a lin-
gos portugueza e hespanhola, e hbil e co-
nhecedor do laneficios de toda a espocie.o
qual deseja arrumar-so em qualquer casa es
Irangoira : quem de son preslimo so quizer
utilisar, haja do annunciar para ser procu-
rado.
Carros novos com criadosfardados.
lloje abre-se a cocheira do ater-
ro da Boa Vistan. 37, e alagan) se
ricos carros forrados de seda e ve-
llido, com criados fardados.'
l'recisa-se de tima ama de
leite, captiva, ou forra ; paga-se
bem ; na ra do Amorim n. i5 ,
no Forte do Mallos
para meninos do um a seis annos, ricas es-
polias do flores, para noivas e madnnlias;
luvaa.de pellica, blco de blondo de largura
de um dedo a um palmo ; espartilbos da
primera quahdade para senhoras o meni-
nas, ricos chapeos do montana, pulseiras
muito ricas, manguitos, pentes de tartaru-
ga, litas largas de todas as cores, lindos
veos para .noivas, franjas e trangas de seda
picas o de cures, mantas prolas do lii. Na
mesma loja se fazom vestidos do casamonto
e baplisado, toucas para senhoras o meni-
nas, capolinhos do todas as qualidades Cum
pereig3o & prego commodo.
*a*fct!l^W9tJa)99J',
# Alugam-se e vendem-se bixss na 0}
0 praca da Independencia n. 10, con- 9
9 fronte a ra das Cruzes %
Precisa-se alugar um prto para servi-
go do portas dentro desta typographia;
quem oh ver para alugar podo dirigir-so a
livrana n. 6 08 da praga da Independencia.
*enbora
Aviso importante para os donos,
consignatarios e capitSes de na-
vio.
Os senhores Richard,Payon.Bahinet o Mo-
rin, niembros da academia das sciencias em
Paris.e sorteados pelo ministro da marinba,
do commercio,e iudustria.para oexamedos
productos da fabrica dos senhores Chllela
Companhia, deram a sua approvagflo, e os
maiores elogios pela limpesa efperfeita con
servagio dos meamos productos. Os soiihu.
res Chullet&Companbia ceitos do bom ac.
Ihimeoto que devem encontrar nesta pro-
vincia,lodos os vegetaes da sua fabrica,quer
soja pela sua boa qualidade, quer do aeu di-
minuto prego, offerecem a venda osseguin-
tes:- Batatas a 40 rs. porcada porgSo, re-
polttos a 60 rs. dito, julienne a 72 rs. dito,
es,.i .Hilies a 78 rs. dlto.aip a 78 rs.di tu,ma -
gas a 78 rs. dito, salsifes a 78 ra. dito, va-
rias qualidades de verduras a 90 rs. dito, fe-
joes cscoilodos a 190 rs. dito, repolhos de
bruxellas a 168 rs. dilo,!2 pratos de bruxel-
las a 120 rs. dito.-NotaO modo de prepa-
rar aquellas ver turas he mu simples, deita-
se dentro de agoa quente mea hora, e ellas
ve. m se ao s o estado natural, e exhtlam o
chairo cuino se fossem tiradas do jardim e
tempera-seda mesma maneira que frescos,
e -:"io mu gostosos: procure-se em casa do
seohor l'mn s, na ra da Cadeia do Becife
n. 2. Fsta nova invengan sendo muito
superior as conservas em geral, ja nlnguem
mais deixara de oomprar os excellenles ve-
getaes que sao de summo proveito para
saudo.
-- Os abaixo assignados, avisara ao cor-
po do commercio senhores de engeuho o
mais agricultores, e a todas as pessoascom
quem tem lulo e possam tor trinsacgOos
commerciaes, que tendo feito sociedade com
seu mano llernardino Corroa de Itezende
liego em 30 de abril do correte anuo, por
isso so responsaveis por qualquer debito
1.....irain.lo ate c.ssa data, e todo equalqner
debito que seja ou tenha sido contrahido
dessa data em (liante sera rosponsivol a fir-
ma de Corris & IrmSoS.Joaquim Corroa
de Rezonde Reg, Dumingos Corroa de Ite-
zende II no.
M^^jMUMttafliKypfi)|fil(Ual| WQtfVMM(JVI|v
<> l'anlo Gaignoux, dentista,
j? Pude ser procurado n queil*
g^ qnc' hora cni una ajami na
f. na larg:t\ do Hozarlo 11. :i(>,
> scgumlo aullar.
AAajTliAAAABtiAt AfcAilliiA j3)A A
mu un ni. .111111.
TRADUZIDO EM PORTUGUEZ.
16,000 rs. de assignatura.
Sabio aluzo primeiro volume desta obra,
1 melhprde todas em seu genero : o nico
verdadiro livro, por onde se podo estudar e
pratiear a homopalhia. Fsta ntidamente
imprcssoem excelleuto papel, com lodos os
signaos que contm o original para denotar
a differenga do valor dos symptomas.
Continua a assignatura no consultorio lio-
moopalhico do tic. Muscoso, onde os senho-
res assignanlcs pdom mandar recober os
seus exemplares
No mesmo consultorio ha todos os medica-
mentos ho-neopathicos VERDADEIROS ; as-
sim como ricas carteiras, o reformam-se
quaostiuor boticas, cujos modicameulus se-
ra m falsos, ou deteriorados.
-- Precisase de um bom forneirn para
nina pad na, qUO ei.len a bem da Ollicilla ;
diiija-so a ra estreila do Rosario 11. 39 A,
Iravessa para a rus do Oueimado.
-- Jos MkuoI dos Santos faz sciento a
quem intressar,que se acha do posso de um
adereco, um par do brincos, urna live'l ,1011
ramo do cahega com as suas coinpotenles
grampas, tu lo de lilagrana.enipeiibados pe-
lu linado Joaquim Leocadio do Freitas In
mais de deus anuos, no valor do 90,000 rs. :
quem so julgar com direitoa taes ponhores
venha os resgatar al o lm do correnta moz
de :i i.eml'M na rus da I in..ieta n. 4, du
contrario ser vendido para pagamento do
principal e juros.
- Luiz Marques da Silva Mello, para tra-
tar de sua saude, precisa fazer urna viagem a
Portugal no principio do auno futuro, po-
ico deseja antes de o fazor saldar suas con
tas aos credores, o para o poder conseguir
Ihe he indispensavel que seus devedures Ihe
salden) sUas dividas, elle espera dos mes-
mos aenhores que attondendo a promptidSo
e agrado com qne sempre os tomserido,
ue nosta occasiilo alten.leudo as razes ex-
pendidas sejain promplos om Iho salisfnzor
as suas contas al o fim do crranle auno,
na certeza do quo a sua casa cara giran 1.0
na mesma forma,e sempro sei a mesma pa-
r com aquellos que forem dignos da sua
franqueza.
4
9
4
J
*
4
* bros, de nao comprorem, se-
at nao em 8 casas entre 17 im-
portadores de fazendas e
Lotera de Aossa
do K osa rio.
O thesbureiro desta lotera an-
nuncia, que as rodas andam no dia
.1.5 do corrente, no consistorio da
igreja de INossa Senhora do Li-
vramento, ainda que quem por
vender alguos bilhete.i, e o resto
que existe ctt-a venda nos luga-
res do costutne.
Offoreco-so urna ama preta, forra, de
urna conducta exemplar, para o servigo in-
terno-e externo de urna casa, a qual cosinha
suUYivelmenle, lava de aabSo e brrela, e
1I0 \ gano 11 11, e parlp do primeo o andar:! engomma : quem de seu preslimo sequizer
trata-se na mesma 110 oscriplorio de F. A. I utilisar, dirija-so a ra do Vigario n. 20, se-
da Cuuha & Companhia. Jgundo andar.
Aviso ao commercio.
Visto a deliberaco da di-
i reccao da associacSo dos lo-
S g9tas desta pra?a recom-
an menJando aos seus mem- 9
i

i. como os abaixo assignados 4
sao uns dos interdictos fa- -j
^ zem publico aos senhores de 4
fe* engenbo, lavradores, t'uzen- *
deiros e commerciante.* ^
*, tanto desta cidade, como do 91
interior e ao povo em geral 9
m desta praca, que ranqueam >*
V seus sortimentos de fazendas
por baixos pre90s nao me- ~
t, nos de 1 peca,ou urna duzia, 4
a dinbeiro, ou a praso, con-
5 forme se ajustar : no seu ar-
V mazem da praca do (Jorpo
J: Santo, esquina da ra do
v. Trapiche n. l\8.
i 1 i Negociantes inglezes.
****!>.************
Lotera de Nossa Senhora do
Hosa rio.
tlasa da Fortuna; ra Direita n. -t.
O cautelista annuucia ao publico, que as
rudas da lotera de Nossa Senhora do Rosa-
rio, andam no dia 25 do corrente infalivel-
mente: achara se nos lugares do cuslume
um completo sortimento de cautelas e bi-
Ihetes.
Bilbetes 8,000
Meius 4,000
Quailos 2,200
Decimos 1,000
Vigsimos 500
' Jos Francisco da Silva, muda o seu
nome para Jos Francisco da Silva Oliveira.
Precisa-se alugar um tnoleque, proprio
para o servigo da casa de um iiomem soltei-
ro : na ra da Cruz n. 21, primeiro andar.
- -- A pessoa que annunciou querer com-
prar urna loja de miudezas : dirija-se a ra
AS DEA TES.
J. Jam, dentista, noticia ao publico, que
contina por denles artificiaos de porcelana
incorregiveis; o annunciante tacharla um
ou todos so fr preciso, asseverando a todas
as pesaoas que se quizer utilisar do seu pres-
limo,que nao exige paga alguna 080 fican-
do os denles 18o bem collocados.que nSo se
possa difterenpar dos proprioa naturaes.po-
dendo-se mastigar qualquer comida sem
sentir menor dr nem receiodeos que-
brar; tambem calca os dentes naturaes ta-
rados da carie, oom ouro ou prata, prev
nindo assim a coiitinuagSu da cario e dores,
e mesmo evitando por essa forma de passar
a carie dos dentes Turados para os outros
sSos, como bem, limpa os dentes em geral,
tirando as carlea ou pedras quo tanto os
damnifica e coopera para o mo alito da boc-
ea n3o sendo tirado ; ha dez annos que o
annunciante exrrce sua proflssSo neata ci-
dade, e os muitos exemplos que tem Jado
nesse longo tempo ser quanto basta para
o garantir: sua residencia, (ra Nova n. 19,
primeiro andar.
Oabaixo assignado como testaoientei-
ro do filiado Jacintho Antunes Braga,, faz
scienleao publico, que tem de fazer entre-
ga das fazendas por rateio aos credores, vis-
to i|ou as fazendas e dividas u8o cheg8o pa-
ra pagar, por isso toJo aquelle que se jul-
gar credor da dita casa, aprsente suas con-
tas at o dia 15 do crrenlo.Joso de Souza
Htrreiros.
O abaixo assignado aluga a sua casa na
ra da UniSo, onde morou o Sr. Bernardo de
O. Mello; a entenderse no pateo do Collegio
n. 35. G. Xavier Lopes.
-- Precisa-so alugar urna prela captiva ou
forra, para o servigo do urna casa : na praga
da Independencia n. 31, se dir quem a pre-
tendo.
- Precisa-se de urna ama para cusinhar ,
desde as 6 horas da manhila as 3 da tarde ,
para pouca familia : na ra da Trompe da
Boa Vista n. 5.
Precisa-se de urna ama para oservigo
interno e exlerno do urna casa de familia :
em Fora do lorias, na ra dos Guararapes
n. 14, ao p da relinagao.
-- Aluga-se para se passar a festa, urna
casa em Santa Auna de dentro, com com-
modos para numerosa familia, com quintal,
cacimba o copiar, a qual adiase caiada e
pintada de novo : a fallar no mesmo lugar
com Joo Venancio Machado da Paz.
Precisa-so de um amassador, porm
quo entenda bom de massas: as Cinco Pon-
tas n. 38.
-- Precisa-se de um senhor sacerdote,
que queira dizor missa at fevereiro, para
um rngenho, distante desla praga 7 leguas :
quem estiver tiestas circunstancias, dirja-
se a ra da Cruz n. 7, primeiro andar.
Precisa-se de um homem de meia ida-
de forro ou cativo, para trabalhar em sitio
11a passaaom de Magdalena, dirija-so no ar-
loa/riii da ra da Cadeia do Recita n 62.
Na ra do i'aJre Floriauo casa de 1 an-
dar n. 48, recebe-se qualquer encommenda
de bolos pn ,1 cha : na mosma casa vesteni-
se aojos para procissOes, levanlamenlo de
lian leo-1 com assiio, e prego commodo.
-- Aluga-so o primeiro andar ua casa da
ra do Trapiche u. 40, propiio para escrip-
lorio ; a tratar no mesmo.
-- Procisa-se de uina ama de leitc, captiva
ou forra,e que nSo tenha lilbo, paga se bem:
na ra do Amorim n. -'<.
Na ra do Livramenlo, sobrado n. 10 ,
so dir quom vende varias obras de ouru e
prata.
Precsa-se do uina ama para 0 servigo
do casa, a compras : na ra do padre Flo-
riauo sobrado da quina n. 5.
Na ra do Livramento, sobrado n. 10,
se dir quem d Jiuheiro a pramio.
Ainda so pncisa por alugud to urna
preta escrava, para o servigo de urna casa de
pouca familia, que saiha fazer as compras,
eque seja liol : na ra do S. Francisco, so-
brado II. 8.
Aluga-so urna boa casa na pnvoag.tude
Apipucos, para se passar a fesla, cim os so-
gtiinti s commodos, 3 quartos, 2 salas o co-
sitilia fra : a tratar na travossa da ra es-
treila do Rosario para o (jueiinado a. 39 A.
Pusseio Publico n. 17, junto a
Imprensa, vendem-se asseguinles
fazendas por precos commodos :
Chales de 18a eseda, boa fazenda 3,000
Ditos do 15o 1,280
Ditos de tarlatana 1,000
Ditos de cambraia brincos 1,280
Lengos de 18a e seda com franja em
volta 1,000
Ditos de dita dita 800
Cuites para collele de 19a e seda, bo-
nitos padrOes 610
Ditos de fustSo, fazenda muita supe-
rior 1,280
Lengos de soda com toque de avarla 640
Bnm branco de linbo muito supe-
rior, a vara 1,280
Dito 1,100
Riscadinhos de linho proprioa para
palitos, ocovado 320
Alpaka preta muito boa fazenda, o
covado 800
Dita mais inferior 640
Gravataa para pescogo de excellenles
padreis 1,120
Pegas de madapolSo, boa fazenda 3,500
Dito mais inferior 3,300
Dito 3,000
Chitas para coberlss de bonitos pa.
drOes 240
Ditas para vestidos, a 160,180, 200 e 240 ra.,
e oulras muitas de cujas qualidades e pre-
gos OS pretende ules se agradaran, o tempo
he proprio, a ellas antes quo se acabem.
- Vende-se eicellouto panno de algodflo
da malta, proprio para roupa de escravos,
en porcSo e a relalho, por prego commodo;
na ra da Cadeia do Recife n. 40.
Vende-se a posso do sitio da estrada de
J080 de Barros, quasi defronte do becco do
Kspioheiro, com casa de vivenda de taipa,
cacimba com agoa de beber, bastantes pea
de larangeiras, e todas as mais arvures de
Inicios ; tolo cercado do lim.io : os preten-
leuies diaijain-se ao mesmo sitio, trstar
com o proprio dono, que o dar em conta.
-- Vende-se urna casa do taipa na Sole-
dad?, com terrenos pruprios, 3 janellas de
vidragas, sendo uina no oitSo, propria para
se passar a fesla por ser acabada de novo, e
ser em muilo bom lugar : o pretendenta di-
rija-sea ra de Aguas Verdes n. 10.
Loja nova ra do Crespo n. 9.
Vestidos de selim e grodenaples ornados
de blondo para casa mani,os mais ricos pos-
siveis ; chitas francezas liuissimas, padrOes
miudinhos os mais modernos, a 320 rs. o co-
vado.
Vende-se por prego commodo, I reale-
jo de rica conslrucgSo, tenJo 5 cylindros,
com zabumba, campa e I terno de Ironbo-
nes ; coutem 20 quadrilbas escolto.las, a ar-
ranjadas dos nielhores autores; 10 bonitas
valsas e 2 bellas ouverturas, sondo 1 da nor-
ma por Deliuni, eoutra, o Cava 1 lo de llron-
ze por Auber: para ver e tratar |n* 'ua da
Cruz n 34.
-- Vende-se de 1 at 5 lengos de labyrin-
tho, em camhrai 1 de linho muito fina, pro-
unos oara mSo de senioras ; na ra da Guia
n. 5, tercoiro andar, das 6 s 9 horas da ma-
nila.1, o do meio dia as 3 da tarto.-
Pechincna
Na ra do Pacoio Publico, loja 11. 9, vn-
dem-so ricas grvalas de cassa, para posar
afesis, a 1,500 rs. a duzia; a ellas anles
que so acabem.
.- Formas di ferro para assucar, que le-
vam 3 5- arrobas cada uina, veudoui-sea
2.000 rs. cada fr a ; no arma/om de C. J.
Aslley ts C ra do Trapicho n. 3.
Vondo-se, em cas do Me Calmont &
C, praga doCnrpo-Sanlo n. II, oleo do li-
nbaga om lata deaeia galXs, b. en em bar-
ricas, ac de Milito, voiho do Marselha om
.usa. ile 3 06 Oo/ias, saceos Vasios para
assucar. Imitas d "ovello o enrielis.
iJoiipra.
?
Compra-se urna bar ieira nacional de
tres pannos, e urna flmula para a escuna
Lindoia : quem as quizer (ornecer, appare-
ga na guarda-mona desta alfandega das 9
at as 3 horas da tarde.
Compra-se um apparolho de ouro para
cinteiro : na ra da Gula 11. 64, seguudo
andar.
Compra-se orna taja de fazendas, dan-
do-seem pagamentopropriedades nesta pra-
ga : a quom convier, anuuncio.
Compra-se para urna encommenda, es-
cravos de ambos os sexos, de 10 a 40 annos;
na ra da Praia n. 43, primeiro andar.
Compra-se um calix rico, e um trance-
lim de ouro de lei com seis palmos, e que
tanda seis oitavas de poso : quem tiver an-
111.nem, ou dirija-se a ra do Queimado
II. 21
-- Na ra larga do Rosario, venda n.46,
compram-se botijas vastas.
-tai m,. rain-se escravas e vendem-se re-
cebem-se do coinmUsSo, tanto para a pro-
vincia, como para fra della: na ruados
Quarteis n. 24, segundo andar.
Compram-se costados de ma-
deira de louro, amarello, e sedro
emporco; na ra da Cadeia do
tlecife n. a3, se dir quem quer.
Compram-se escravos de 10
a >' annos de ida.le na ra do
Vigario n. 19, segundo andar, a
tr.it r com Machado & l'inheiro.
Compram-se escravos de ambos os se-
os, para dentro e fra da provincia; ag raj-
ando paga-se bem : na ruaestreiti do Ro-
rio n 28, segundo andar.
Vendas.
Lotera do itio de Janeiro.
aos 10:000,000 e 10:000,000 ders.
Na loja de miudezas da praga da
Independencia n. 4 vendem-se
bilbetes inteiros, meios quartos,
oitavos e vigsimos, a beneficio da
3. lotera do hospicio de Pedro II,
vem a lista no primeiro vapor que
chegar do Rio de Janeiro.
Bilbetes inteiros 21,000
Meios bhctes 11,000
Quartos 5,5oo
Oitavos 3,800
Vigsimos i,3oo
- Vende-ae urna negra de meia idade,
que costaba o diario de urna casa, lavada
sabSo, e vende na ra : no becco da Lenba
n.4.
Vende-so um jogo de diccionarios de
dMe^denc,.qnDl6a.e8:a0 """ "' ,0- Pa** PuMCO n. ,7
Vende-se urna carroga e um boi manso] Vende-se rape Pauio Cordeiro, chegado
larga do Rosario, tajan.26, que'se Ibe dir] para a mesma : na ra da Cadeia do Recifejuilimamente do Rio do Janeiro a 1,350 rs. a
quem vende. In. 16. 3libra.
I-lauta.
A luziad. 320 rs., um numero dequadri-
Ihas 500 rs.
Vigilo.
Valsa com IntroducgSo 400 rs., modinha
colherei nos jardins da existencia 500 rs. ,
quer o fado, quer a sorte 500 rs.,modinha a-
baianada o encontr 500 ra., gato por la-
bro 1,000 rs.
Piano.
O salto e a madrugada 320 rs., modinha -
o mcu primeiro beito 1,000 ra., polka bella
flor 500 rs., modinha alta noite oh que
silencio, cum urna valsa e urna polka 1,000
rs., modinha abatanada o encontr 640
rs., modinha quor o fado quer a sorte, com
um riumero do quadrilhas por 1,000 rs.,
modinha junto ao lado e Lilia, com urna
polka o urna valsa 1,000 ra, valsa dos bem
casados 500 rs., modinha -- mal desponta
nos meus labios, com urna polka 1,000 rs. ,
modinhao gato por lebre 1,000rs. : to-
das oslas msicas vendema.se na ra da Ca-
deia Velha do llecife, taja n. 92.
Casi feliz.
Na praga Ha Independencia n 36.
Na casa cima existem a venda um sor-
timento completo de cautellas da lotera do
Rosarlo da Boa-Vista, que deve correr as ro-
das no da 25 do corronte; assim como ven-
dem-se as mesmas cautellas, ua ra Nova,
loja do chapeos n. 4 ; no aterro da Boa Vis-
ta, loja do miudozas n. 48, e no Recife, loja
de cambio do Sr. Vieira da Silva.
Aos bilhetes Bahianos.
Na nova e feliz loja de bilhetes
de todas as loteras, sita na pra?a
da Independencia n. 4o, apenas
existe um pequeo resto de bilhe-
tes da 11. lotera da Babia, e da
qual n5o ha a venda em outra par-
te ; por isso, quem quizer habili-
tarse deve faze-lo at o dia 10 ,
dia este em que se espera o vapor,
o qual conduz, nSo s alista desta
lotera, como tambem da do Ro de
Janeiro.
Vende-se urna escrava de nago, de 30
annos de Idade, que lava bem e cosmba :
no pateo do Paraizo o. 13.
Vende-se urna rica cadeira de arruar,
com pouco uao : na ra do Crespo, loja n.
3, ao lado do arco de Sanio Antonio.
Vende-ae na ra do jugo da bola em
Olinda urna casa de pedra e cal com commo-
do sufflciento para familia por prega commo-
do : quem quizer fazer uegocio dirija-se a
ra do Amparo em casa de J0B0 Pacheco
Vieira.
Azette de peixe.
Vende-se azeite de pexe, che-
gado recentemente, e por preco
commodo : na Iravessa do Queima-
do taberna n. 3., outrora becco
do Pexe Frito.


M
4
Saiids
Taixas para ciu/enhos.
Na fundicSo de ferro de D.
W. Bowman na ra do Brum
p&ssando o chafafiz contina) a
haver um completo sortimenlo
Je taixas de ferro fundido e ba-
tido, de 3 a 8 palmos de bocea,
as quaes acham-sc a venda, por
preco commodo e com prompti-
d5o, embarcam-se, ou carregam-
se em carros, sem despezas ao
comprador.
Feijo novo a 6,ooo rs.
No araiazem do (ouveia & Bies, confron-
to a escidinha da Alfaodega.
tV ?*******#*?*'* ******
SALSA PAIIRILHA.
Vicente Jos de Brito, nico a-
genteem Fernambuco deB. J. D.
Sands, chimico americano, f pu-
blico, que tem chegado a esta pra-
5a urna grande porcSo de frascos
de salsa perrilha de Sands, que sao
verdaderamente falsificados e
preparados no Rio de Janeiro, pe-
lo que se devem acautelar os con-
sumidores de tSo precioso Talis-
mn, de cahir neste engao, to-
mando as funestas consequencias ,1
que seropre coslumam traier os*
medicamentos falsificados, e ela- 4
horados pela mo daquelles quej
antepSem *eua interesses aosma-
les da humanidade. l'ortanto, nc-'g
de para que o publico se possa Ii- 99e9P>99#
vrar desU fraude e distingue a --Vendem-se as seguntes sement* :-
vrar unw b niUos,rabanos,raBanete8encarnadosobran-
verdadeira salsa parrilna e sanas C0Sj seb0ia,couve trinxuda, alface ala-
da falsificada, e recentemente a- moa, repulhuda.cbicorii, senoulas, fei|o asjjim caj dc Lisboa d me.
. 1 <_ carrapato de tres quilidades.orvitna tona e
qui chegada ; o annunciante taz dreiitfaTi)Coentro de touceira, salea, to- Ihor que existe,
ver, que a verdadeira se vende mates grandes, repolbo, couve lombarda, | y cautelista Antonio Jos
nicamente em sua botica,na ra bola.,%VnXlU?C^, '" B R da ConceicSo do Becife n. 61 ; e parnha de mandioca a 1,600 rs, a ocente ao respeitavel publico, que
alm do receituario que acompa-| secca acaba de receber do Bio de Janei-
nha cada frasco, tem embaxo da n0 armazem de J. J.TassoJnior: narua jroi os seus afortunados bilhetes ,
' 1.. __ latinea rte nili
Botica homeopalbica.
28 ra das Crines a8
Ha para se vender algumas caixas
ricas com medicamentos em tintura.
Cada urna sera acompsnhada de um
frasco com glbulos inertes, e o
meio de os preparar.
Capachos com abeitura.
Vemlom-se capartios com abertura no
meio para llcarem oro redor de mesas d
meio de salla, na ra da Cadeia do Recite 11.
18 prlmeire indar.
A 24,000 rs.
Na ra Novj luja de ferngens n. 85, ven-
de-so couro de lustre pelo mdico precao
de 24,000 rs. a duzia.
Vtndem se charutos de su-
perior qualidade, chegados lti-
mamente da Babia, por preco com-
modo : na ra da Cruz anuazem
de Crocco & Companhias
Vende-se umi bacia de prata de lei
sem feilio: quem a pretender, dirija-se ao
aterro da Boa-Vista n. 65, que se dir quem
a tem.
Vendem-sn dez escravos, sendo qua-
tro molecote., crloulos, de idade 14 a 20 n-
Bilhetes do Bio de Janeiro
Aos 20:000,000 10:000,000, 4:000,000,
2:000,000 e 1.000,000 de rs.
Na ra da Cadeia do Recite n. 21, toja de
cambio de Vieira da Sil, estilo expustos
a venda um completo sortimenlo dos mul-
to nfoitunailos bilhetes meios, quarlos,
nos : tres mulatos de bonitas URuras.de ida-i u"v.os ? vigsimos da terceira lote ia li be-
do 18 a S3 anuos ; doua escravos de lodo ser* ne,," Jo hospicio de Pedro II., cuja lista
vico: cuma escr.va boa rosinheir. c en- c,BV!r I0 prinio.ro vapor.qua d -ve Cite-
gomma bom : na ra Direit. n. 3. J" o da 20 do corrente; e pelo por
-- Vcndo-se a luj% do miudezas n. 72 do1 MuCrrS. ffwheo-so a lisia da 5. lotera a ,
aterro da lloa-Visla a tratar na mosma beneficio do Ibealro da im; erial cidade -ie eos quo tem apparecido desla qualidade,
l> t t rol virrvpm Nictheroy. I oulros do 4,500, 5,500 e 8000 rs coitos de
1 ota.ssa e ca virgem. Cimh'reiasdo salpico. cassa do cores muilo lindas com babado
Na ra de Apollo, armazem n. Vendem-sc cambraias do salpico hrsnco o i do cores proprios para a fesla a 6000, ditos
o li ,,,!,. -,. iu- mvi i, r osniv I de cor, muilo finas.com 7 1|2 varas, a 4,500, de cao.braia blanco com seis ordens de ba-
a J, vcne-se por preco rasoave, dJUs bancal> con| 6 ||2 varaS;, 3000 I bl(lo paiiu>s o panm) Uno preto o de eo-
muito nova e superior potas."a jlcrtes do cassa cttita, muilo finos, ecr (1-ires a 18,000; chapos de castor brancos
xa, com 7 varas, a 2,500 ; na ra do Crespo, | muilo linos a 10,000; panno do linhodo
lija da esquina que volta para a Cadeia. Porto da melhur qualidade, o nutras mui-
Grsnde sorlimento do pannos finos e I tas fazendas, ludo por precos baratos.
cacmiras. -- Vrnde-secuim, ou poroutra tarlos do
Na ra do Crespo, loj da esquina que arroz, a 2,100 is. a sacca, chegados rcccnlo-
Oculos.
Chegou na praca da Independencia, loja
ns. 18 e 20. um rico'sortimenlo de oculos
para t idas as vistas, eja com vidro bran-
cos ou zues, com grao ou sem grao, e com
armaefles Je onro, prata, tartaruga, bil'eia.o
de seo, a vonlide do compra tor.
-- Chapront e Berlrand, relojoeiros, na
piscada Independencia ns. 18 o 20, recebo-
'ii.-n do l'aris .icns rologros do brincas e de
parede, com corda para 19 dias.tocain s ho-
ras e mi i: s horas, sSo afianzados a regular
perfeitamente, e os precos silo muiti mode-
rados comparativamente a qualidade que he
muilo superior.
-.Vende-* Hoin milho na venda do Recco
Largo do Itecifo que volta para a Senzslla
Nova, pelo preco do 4,000 rs.
Novas fazendas do ultimo gosto.
Ao ani.a/.cm do fazendas de'Couveia &
Lelle ni ra do Queimadn n. 27, he chogado
um novo o co.npleto soiliiueiilo do fazendas
linas sabor: canotinhos de eore borda-
dos a mtiz, ditos de fil de llnho horda los,
ditos do camhiaia bordados, branejs e de
coros manteletes protos muilo ricot cor-
' les do cambial] bordados agulha os uui-
nuscripto sobre
presso do mesmo frasco.
Jttoinhos de vento
com bombas de repuxo para re
e
a v. ,,i,w Aa e vicsimos da lotera do Bio de
fabrica de Todos os Santos da Lg^ & ^^ ^ g^ ^
Vende-seo bemeonhecidopan- J** H-, e estaoexpostos a ven-
grar bort.s no de algodao da Bahia, proprio m sua loja de fc-.ragens na
ra do Quciinado, junto ao becco
.J7 A, na mesma
baixasdccaplmnfuudiSaodel).W. Bow- para saccos e roUpa de escravos, ra ao yucimnao,
V^SSSSSS&V^tmm i vontade do comprador assio, ^J*J
P suntos na Huilla. como fio de algodao da mesxa fa- ,ua loja n. ia ae
volta para a Cadeia, vende-se panno proto
lino, a 2,800, 3,200, 3,500. 4,000,0 5,000 rs.,
e francez multo superior, a 6,000 rs. o ro-
vado, dito azul, a 4,000 rs., dito vordo mui-
lo superior, a 4,000 rs., corles de cascoiira
prcta entestada, a 5 o 6.000rs., dita fran-
coza nimio elaillo, a 8, e 9,000 rs ; assim
como descores, dos mus modernos goslos,
I or preco comniodc.
(.'ondessas grande.".
Vendem-sena ra da Cadeia do Rocifo n.
48 primeiro andar.
^- Avisa-se ao lespeitavcl pu-
blico, que a nova loj i da praca di
ment: a tratar na travossa doQuoimado,
comCabri'l Antonio de Castro Quintaes.
Vondcm-se 2 cirros muilo maneiros,
proprios pira condnccJo do fardos, ou sac-
eos : para vero tratar no trapicou da Com-
piobia.
le Joao Baptitta independencia n. 4o, acaba de re-:
caes Bodrigues de .Souza, e no aterro da ceber pelo vapor Todos os Santos,
jp_ Boa Vista, loja demiudezas n. 48'os felizes bilhetes, meios quartos,
jde Antonio da Silva Guimar2e.s ; oilavos c vigsimos da terceira l-
Vende-se.omcasa M.O>BieberftC, b esc"riptoro de JNov
naruadaCruz n.4,algodaotransado a- .,JTra
quellarabrica.muitopropnoparasaccosde & Companlua, n
assucareroupadeescravos.porprecocom- cne n> z
modu. .. vende-semuitoemeonta urna casa si- losqunes sao pagos logo que che- ten. do Bio de Janeiro, a bencli-
Cal virgem de Lisboa. luau8
'rafitn. janelL.
ros de fructo, e excellente cacimba : as pes
soasa quem somclbanle negocio wnvier,
por preco milito em conta: no ai- queiram dirigir-sea ra Imperiil n.79.
* i '.- J Mf.JM n Vende-so no aterro da Boa-Vista n. 88,
mazem do Caes da Altanega n. segundo andar> uma mulala do 22 a 24 an-
OU a tratar no ^SCriptOriO de nos de idade, sidia, sem vicio algum, sa-
rua do bendo com perfeicao lavar, engommar, o
tratar de uma sala ; ao comprador so dir o
na Casa lorie, tendo de frente duas Igaeo) as listas no dia ao, ou ai do cio do lio picio de i'edro 11, bcni ,f
Vende-se superior cal virgem, jfMUM^miwta^ jeorrente, sem descont algum. 'como os afortunados e mu proeu-,.for
chegada ltimamente de Lisboa, 1
na
Novaes & Gompanhia,
Trapiche n. 34* motivo.
'PotelM americana. Toda attencSo ao novo sortimenlo
No anUgo deposito da cadeia velha, n. cheu;ado da cidade da Baln '
12 xiste uma pequea portS de potassa
americana, chegada recentemente que por
superiorrivalisacom adatlussia: vende-
na ra do Crespo n. 14 loja de
Jos Francisco Dias.
Billictcsinteitos 33,000
Meios bilhetes 11,000
Quartos 5,5oo
Oitavos 3,800
Vigsimos i,3oo
A 1,380e 1,600.
Bilhetes da provincia.
Na ra da Cidell do Rocifi', -loja do cam-
bio n. 24, do Vieira da Silva, osla oxposto
ven la, um completo sortimenlo das muilo
proCll-, afortunadas cautelas da lotera do Rosario
|rado.s bilhetes, meios, e quartos da. dM^owrrem" rdaS *'"'*'" a,"Ur n
lotera da Bahil a favor da vene-! Calcados,
i ravel ordem terceira de 8, Fran-j Vendem-so sipatos francezes do lustre
!CSCO, cuia lotera devela correr rara onhora muilo bons, a 1,600, assim co-
i ,.' i I rao borzeguins gaspiados para senhor, a
!no da ia do corrente, c :queln 3,500, lindos loncos de seiim do coies pra
corra no dia 3 do mesmo os Kr*vtis, um completo sortimentodoper-
S
. m ,--- vui ti 11/ 1 : i i sJ UV i n 1 .- ni i j \J.i ""-----.' -- r" "------ -- -
Superiores cobertores do algodo a imita- hilhetes p ranlelns sp 1 lomaras, o calcado para l.omom sonhorae
o de tapetes de cor, muilo proprios para V1^ Dl.Ueies e cautelas SO \en meninos: noaterro da Itoa-VisU, lojt da
c'erlos arnnjos do cssa do familia, oquasi dem em dito cstalielecimento aoS| calcado 11. 58, junio aostleiro.
um genoro do pnmeira necessiiade para o comniodos precos abaixo, elogoj Bengalas e chapeos
Sr. do engonho. pelo diminuto preco do .. .. Acaba do cliegar do Havre, no bricue Por
na ra do Crespo u .6. .que clicguem as listas no (lia 30 ou'
cado e de novos pidrOes a 280 rs. o covado ;
superiores corles de cassa chita muilo linas
a 2000 o corle, diversos padrOcs do riscados
de caca Ilngindoseda doquadros a 220 o co-
vido ; ilpakas do cores fazenda do ultimo
goslo a 640 O covado; dilas com los dese-
da fazenda muilo lina a 800; itilas pretas
lavrades imitando seda a 880 ; brim tranca-
do de puro Hubo cor do lama de Pars a
1600 o corle: dito amarcllo com uma lina
americanos, chegados dos Es-
ua ra do Trapicho n. 8.
000 rs. o
or cal de Lisboa, em pedra ,
assim como potassa chegada l-
timamente a precos muito ra-
aoaveis.
Agencia de Edwin Maw.
Harua de Apollo n.6, armazem de Mc.Cal-
niunlkCompanbia.acha-ieconiianlemeuic
boni lortimenlos dc(aia de ferrocoadoe
batido,tanto rasa como fundas.moendasin-
t. i ras toda de ferro para aniuiaei, agoa.aic,
ditas Dar armar em uiadeira dc todos oj ta-
u,uhaeindellosoinaiainoderno,machina e por mullo pequeo proco, como sejiiu
hurlsonlalparavapor.coiuforfadc 4 caval- madapolOcs, algodes o zuarques o mais
los.coucoi.paiiadeiraadc ferro etinba10 fuendis baratas.
para caa de pulgar,por menos prejoque o arados
decobre, eicoveosparanavioi.fcrro ing' tjdog.ijrinios; na ra do Trapicb
UoV bamo mVco0"10 em "c09folha5'el Casimiras modernas, a 1,
Atudos dc ferro."
N* [undicfio da Aurora, om S. Amaro,
vondom-so arados de forro do diversos
Biololos.
Vendem-se os verdideiros selins in-
glezes, patente, de mollae sem olla
ra daSouzalla Nova n.42.
Vendem-se relogios de ou-
ro epr&la, patente inglcz: na ra
da benxalla Novan. t\i.
AGENCIA,
da fundicao Low-Moor.
KUA DASENZALLANOVA Jl. 42.
Neste estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias nio-
endas para engenho machinas
de vapor, e taixas de ferro bati-
do ecoado de todos os lma-
nnos, para dito.
Moendas superiores.
Na fundicao de C. Starr& Companhia,
em S. Amaro, acbam-seavenda moendas
de canna, todas de ferro, o um modelo e
oonstruceSo muito superior.
Cal virgem.
Vende-se cal de Lisboa a raais nova do
mercado: na ra do Vigario n. 19, primei-
andar, escriptorio de T. de Aquino Konseca
& :; Iho, ouna ra do Trapiche, amazem de
Antooio Augusto da Fonseca.
Alerta freguezes
Que s3o chegidos,
Cobertores de algodSo
Muilo eucorpados.
Na ra do Crespo,loja da esquina que vol-
ta para a Cadeia, a 1,600 rs. cada um.
Veodem-se lunas, brinzo, brins, e
mcias lonas da Russia ; no armazem de N.
O. Bleber & Compaobia, na ra da Cruz
11.4.
- Em casa de J. Keller &
Gompanhia na ra da Gru n.
55, ha para vender dous encl-
lenles pianos fortes, e de uma das
melhores fabricas, chegados lti-
mamente da Europa.
Lotera de Nossa Senhora do
Bosario.
Vendem-se moios bilhetes desta lotera,
no Arco di Concoicilo, loja o. 4, a 4,300, cu-
jas rodas aodam no da 25 do corrente.
Na iojt de ferrigens di ra Nova o. 35,
vendem-se os seguintesobjectos por precos
os mais mdicos que be possivel, iflm de li-
quidar: cera de carniuba em po, diti de
abelba, couros de cabra o pelea de marro-
quim a 10,000 e 12,00o rs. a duzla de diver-
sas cores.
Vende seum mulilinhode idade de II
anoos, muito lindo ; uma crioula de 17 an-
uos, e um moleque, crioulo; na ra estrel-
la do Rosario u. 28, segundo andar.
da cor com 5 e meii varas, tendo uma de
largura, o muito lina a 4,000 rs ; cortos do
vestidos do barra tanto hrnnens coma de co- |
res, do uliimo goslo, a 5,200 rs ; Jilos bran- '.
eos com dous o Ires habidos, com seus on-
fcilesdos molliorts quo lia, a 6,000 rs.; cas-
sa chita franceza u 200 rs. 0 covdo ; corlo
do cassa chila a 2,000 c 2,400 1*. ; e muitas
mitras fazendas de goslo por precos commo- (
do : ni ra do Crespo loja n. 6.
lisira facnia do muia duncSo a icoo o iCries de bi im trncado escuro (le
corle: assim coojo oulras mullas fazendas
Meios 11,000
Quartos 5,5oo
Oilavos 2,800
Vigsimos i.3oo
Ua Bal Bilhetes 4.4oo
Meios 2,3oo
Onartos 1,200
O cautelisti Sal istmio
de nieia C3semra,dc boa qualidade
e goslo moderno, pelo barato pre-
co de nove patacas: 11a ra do
Crespo, loja 11. 3, ao iado do arco
dc >unto Antonio.
Ven lem-se dous sobrados de um .ni i r
b solo, sendo um na praga da Boa-Visti,
junio da botica do Sr. Moura, o outrona ra
do Hospicio : a fallar 11a Trempe n. 50.
Veode-se um niolecoto de nacSo, quo
representa tor de idade 23 a 25 aunos, pos-
puro linlio, a i,44> '>ooo rs, e
2,-t' ; Aquino Frrreira fizstientc a es-.sanie,dc bonita figura, sem mol slinalgu-
Chegou aloja da ra do Crospo n. 6, um 1 ... .... ma ; o qual oivo para o servieo interno ou
grandosorlimentodobtiintrancadodopu- peiUvcl publico, que C-tao d \ en- cx(c'rnM,,0 um, Cisa, ou mesmo parapa-
ro linho, pelos precos cima; estes brins ja nas|0ias ('0 costnme, OS seus gem ; ao comprador so dia o motivo da
..ir., .u l.<...o ..ncli.^ (uta iinr. iw r.il.r.nUS. ... '
covado.
Na loja defazendss da ra do Crespn.
5, que faz esquina para a la do Colleglo,
vendem-se casimiras do goslos modernos,
a 1,000 rs. o covado. .
Vende-se gello, a qualquer hora do da,
no doposilo da ra da Seuzalla Velha 11.
118, ouna ra do Trapiefc n. 8.
A 1,280 res !
Vendom-so ciles de ISas para calca, a Aliailega.
1,230 rs.; na rui do Crospo, loja 11. 5. Vonde-se um sitio no lugar de Birba-
Relogios americanos, para cima de I|b0 com duas casis, varios arvoredos quo
mesa, com corda para oito dias o para 30 jg0 fruto, tendo ptimo banho por tlcar
horas, e o mais barato que em ouln parlo ; muilo perlo do rio : trata-so no Atierro da
na ra do Trapiche n. 8. Boa-Vista 2."andar 11.44.
Potassa boa e barata. Ghcgram para os divertimentos
\ende-se, no armazem do Cam- daslestas, c para as familias de
so de bous goslos.lanto para os ganionlios,
como par' os senos. .
iFAlUNHV SSSF, las da terceira loteria do Hospicio
de muilo superior qualidade c ul- de I'edro 11., a qual corr u no dia
tintamente chegada a este merca- 3 de novembro do corrente mez .
do : vende-se na ra do Ainorim e espera-se a lista da mesma no
11. 5G e 58, 011 a tratar com Ma- dia 19, pele vapor da companhia
pello, na travessa da Madre dc
Dos n. 7.
('arelo a 4,000 rs. a sacca.
Vende-se no armaiom do Uouro, no ces
da alfandeg, ao p do Uecco da ConceicSo,
~ Vende-se fiiinha de milho americano,
muito nova, em barricas : di rui do Trapi-
che n. 8, e no armazdm, no caes do Hamos.
Vinho de Lisboa,
de suparior qualidade, em birris de 5 em
pipa; em cisa de Augusto C. deAbreu, 01
ra da Cai'eii do Kecife n. 48.
Deposito de cal e potassa.
Cunha & Amorim, ni ra da Cadeia do
Itecifo n. 50, vendem barris com cal em pe-
dra, nova, chegadi de Lisboa pelo ultimo
navio, o brigue Flor do Mar; assim como
barris com superior potassa nova, por pre-
cos nzoaveis.
Vinho de Colares,
em barris de 7 em pipa ; em casa de Augus-
to C. de Abrou, ni ra da Cadoia do llecifo
n. 48:
Vendem-seamarrasdcferro: na "ia da
Senzalla Nova n.42.
'.- Vende-se farelo de muito superior qua-
lidade, 4,000 rs. a gicca : no armazem de
Couveia& Dias, no caes da Alfindega.
-. Na ra da Cadoia do llecife n. 49, pri-
moiro andir,vendem-sa pcllesda cabra Cur-
tidas ; esleirs do pilha de carniuba de
mais do 2 varis de comprimonto ; sapalos
pira o verSo e invorno, e cera de carnauba
muito boa, ludo chegado agora do Anca-
ty, por presos mui commodos.
Praca da Independencia n. 17.
Vendom se chapeos envernisados dos mais
modernos, galSo de ouro do virias larguras,
botos dourados lisos de Pedro II e de an-
cora, tudo por preco comino lo.
Cobertores a 800 rs.
Vendem-se superiores cobertores de algo-
dio brinco muito cncorpados a 800 e 1,000
rs. cidi um, be urna pechinchi que se esta
ac bando : narua do Queimado loja da es-
trella u. 7, confronte ao beco do Peixe Frito.
Gesso.
Vonde-se gesso embarrices, ebegado l-
timamente : em casa de I. Keller & Compa-
nbia, narua da Cruz n. 55.
inglez Teviot.
Ihlhetcs 22,000
Meios 11,000
Quartos 5 5oo
Oitavos a,too
Vigsimos i,3oo
11 afoHnidos bihclCS C Catite- venda : quem o pretender, dirija-sn ao ir-
Dizem do sdtira 10 n. 39, na ra na l'rai.
Vende-se um moleque do 18 .1 20 an-
uos do i la le, robust'. p bom srvenle de
casa, o lanibcm com muito geilo para Ira-
Lalhar no campo : no Pat'o lo Carino n. 17.
Vonde-se uma linda motees, de idade
do 12 annos, propria para qu ni quizer cJu-
, car a seu.geilo, porque cnegou ha poucos
noel da Silva S intos no caes da brasilcira, ou no dia ao pelo vapor dias do maito, e tom principios do costura:
" na ra do'Uociuia lo, loja 11. 10.
~ Vendom-so coi les do cambrsia de cr,a
I 1,600 rs : na ra do Cabug 11. 11.
Com toque dc avaria.
Vomlc-sc unida. ni j.1,11 3 c 3,500 rs. a pees,
algodSosinho liso, a 2,240 o 2,560, dito trin-
cado americano con 25 varas, a 3, 4 0 5,000
rs. : na ra do Crespo, loja di esquina que
volts p ira a Cadeia.
-- Vendc-se um excellento cavado bas-
tante grande o muito bom andador, que
servo tanto para sella,como para carro,ami-
to em cotila : na ra da Alegra da Boa-Vis
(a o 42.
Vende-so olpaka lavrada de^seda pan
vestidos de sonliora.a 610 rs. o covado; cha-
les de 13a, fazenda modern, a I 600 brim
de Iinh0,i 320 rs. O covado : na ra do Cres-
po n. 23.
Na ra do Coliegiu n. 17,vondo-sc orna
taberna com armaeflo o poucos gneros : a
tratar ni oiesma.
Aos scnliores dc cii.
O areno duinvenrao do Dr.
Eduardo Stolie em Bcilun, em-
bregado as colonias inglozas e
liollaudezas com grande vanta-
gem para o uiclhorameiiro do as-
sticar, acha-sc a venda em lats
de lo libras, junto com omet'uo-
,'do dc empicgi lo no idiomi poi-
tuguez : em casa de N. <. lieber
&: Gompanhia, n 1 ra da Cruz
n. 4.
-- Vendom-so mciis pira meninas do to-
das as idades, sapates do couro do lustre
para homoin, a 9 patacas, callas linas para
voltele, a 720, ditas porlu^uezas, oculus
para lodas as idades,-e .le lodos os precos.
conforme a annacSo, bolOos pira camisa, a
20 rs. a duzia ; c oulras umi le/as muito em
conta para lazer dinh im para a fosla : na
ra larga do Itosario n. 35.
Vende-se uma fabrica dc f,.zer velas de
no dia 20 pelo vapor da companhia brasi- 'cmiauba com 500 fnnas, do6e 9 cm libra,
lolra. o qualro arrohss de pisos, ouas balmcas, e
na ra
Bicas luvas de pellica com en-
* feites.
Vendom-soinuitoricas luvas de pellicaen-
feitadas para senhoras o mais delicado pos-
sivel, muit.r novas chegadas ltimamente
pelo diiiiiiii.to pr.'co do2lfrs. o par,ditas ma
ahaixo a 1,(0 o rs tan.bam com enfoilos
holnlas, dilas sem enfoilescom bololas mui-
to elsaiicia a 1,200 rs., ditas de torgil para
senhora o para meninas a800 rs., luvas para
o .ni .i ia lio da escocia a 320 rs o par, as-
sim como muito finas agolnas fraocezas de
caixinha a 300 rs. cada uma, ditas para at-
raate ns. 7 e 8a 80 rs. o papel : na ra do'
Queimado nova loja do miudezis n. 47, de
Antonio Jos de Azevcdo.
Bicas carteiras com cbaruteiras.
Vendem-se as mais ricas carteiras com
chiruti'irisqqelem viudo a este morcado,
com uma estampa do melal, representando
arvoredos com figuras debaixo, melhor e
mais* seguro quo he possivel: ui ra do
Queimado nova loja de miudezas n 47.
Kico sortimenlo de fitas de seda
para cinleiro.
Vcndem-se ni ra do Quciimdo nova loj
do miu lozas 11. 47, muito ricas fitasie se la
para cintciru.sirjidas e do chamalote cor do
canna, os mal bonitos padi*sque he possi-
vel e mais birito do que cm oulra qualquer
parte.
Lindas cbaruteiras dourads.
\'ndem-so na ra do QaeimaJo nova loja
do miudezas 11. 47, charuteiras douradas a
2,000 rs. cada uma, dilas do marroquini de
cores muilu boas a 320 rs., preco porque so-
iian aelia cm nii.i parte.
franjas brancas para cortinados a
160 rs. a vara.
Von lem-s" muito boas franjas para corti-
nados pelo baratissimo prefo de 160 rs. a
vara: na ra do Queimado nova loja do miu-
dezas n. 47.
Lindas e delicadascarteiras para se-
nhora.
Ven lem-sc na ra do Queimado novo loju
do.miudezas n 47> muito delicadas cartel-
ras paia senhora pelo diminuto preco de 800,
1,400, c 2,000 rs cada uma, a ellas antes quo
so acabem.
ir A tteucao senhores caixeiros
de ra.
Ven lem-so na ra do Queimado nova loja
do miudezas n. 47, tinteiros proprios para
andar no bolso c men lo dontro lacre, vela
para acender, 1 caeta, pililos do fugo, e t
1 mi om, tudo islo 11.I0 faz volume quizi ue-
nhum e por iss'iso tornam muito recom-
mendaveis para pessoisque andim em rn-
branca, cheguern a ellos untos quo so aca-
.?fWNlit9imfl!l
iGanto.rs l'aillict t>c Companhiaii
! Continua-so a vender no deposito!.-
:tV gcral da ra da Cruz n. 52, o excel-B
lintee bem concoituado rape areiai
. Compauhifl da Bahia, em grandes ep
S poquelasporcOes pelo pre(oostabe-@
.. lecido. ||
:"/v v a,m vinal
Muito finos leqnes de madre-
perola.
Vendem-so muito linos lequ pcrola, o mais delicados possiveis: na ra
do Queimado nova loja dc miudezrs n. 47,
de Antonio Jos do Azevedo.
Vondom-se lonisa inulacSo da rtussia,
muito cm corita : no armaze n de Fox Bro-
thers, narua da Cadeia do llecifo n. 62.
Charutos de Ilavana.
Os molliorts quo trem vindn a osto mor-
cadii : vendem-se continuadamente, cm ca-
sa de 1:1 1:111 l'raeger & 'Jompanbia, na ra
da Cruz 11. 10.
Salsa parrilha.
A mais nova o mais superior quo tom vin-
do a esto mercado, vin la pelo vipor Pm-
inse : vende-se na travessa da Madre do
Dos, armazem n. 12.
ajpWI
rfmnam-jKfpmmuu
Escravos futidos.
bom tom.
Iluscaps grandes e pequeos.
Candeiis romanas ou pistolas.
Flammasdecrvcrde.cncarni.la e branci.
Rodetes, ou chafarises, grandes o pequeo.
Rodas de sala, grandes e pequeas.
Potes do fogo d'agua.
Fogueles do ar.
Bombas grandes e pequeas. #
Differenles rodas de v*tas.
Cira-ses.
liasto, 1111 a/as.
Vende-se por proco muilo baralo, quem
quizer proeuro para ver as amostras em ca-
sa do Sr. Antonio Jos de Castro, na ra do
Vigario,
De castor a 6,000 rs.
Superiores chapeos de castor branco, m.-
glezes a 6,000 rs ditos do.dito prelo, de
bonitas formas, a 4,500 rs.
Chapeos.
Vendcm-so, muito lindas e drj superior
qualidade chapelinas de seda enfeitidas
pin menims, ditas para creancas se hapl:-
s mol, chapeos enfeitados para meninos, e
meninas, do differenles cores ditos de palha
italiana, pira senhoras, meninos c meninas,
tudo por preco commodo : na praca da Inde-
pendencia n. 24, 26, 28, e 30.
4f Filas para crlasde bseliareis, ven-
dem-so a 5,500 c 6,500 rs. : no atierro f?
^ da Boa-Vista n. t.
- 11 52. i.UH-, 1.11a II. 'K:
Aos senhores de engenho lavra- &ee$^ Vende-se fcirinha SSS1': na
ra da Cruz do Kecife n. 7, ar-
mazem de Grocco & Companhia.
Noaterro da Boa Vista, loj 1
n. 46) de J. S. de Menezcs, sao
dores e mais pessoas que tem
t-cr.-.vatiiiv., a 800 res e 1.000
c .da um .'! !
Na ra do Crespo n. 14, loja do Jos Fran-
cisco Dias, tem para vonderos minios afa-
mados cobertores de algodiio bronco muito
encorpidcrs, fizenda do muita duracSosen- clieira jos luvas de seda ponto iu-
1I0 a 1.000 rs. os grandes, oa 800 rs. os mais 1 __ 1 .1
oenuoiios. assim como as mais delic.d.s filez. parajiomem e senhora, pa-
pequonos, assim como
chitas francozns do linissimos pannos o no
droes iuteiramente novc9 e moder-
vosdozenhos, sendo fazondi do -ultimo gos- ns n nvren rnmmnrln
lo eco-es muito xas, a 320 rs. c.da cova- nos' P01 <^". m.,
do ; assim como muias oulras fazondas por
diminutos precos.que.do ludo so dar amos-
tras deixando ponhor.
Coleria da Bahia.
Na praca da lndo,cndencia n 13 c 15, lo-
ja de calcado do Arantes;. n. 37 o 39, do
iV"~ i. "j. _i..,i> i,,.!,... Porto & C ; c na roa da Cadeia do Itecifo
Bonetes da oleado, ingleses. 45_ loj, :le miil07,9i d0 ,og Forluliato
Vondem-sa bonoles do oleado, inglezos.do ,j0g Santos Porlo, vendo.n-se bilhetes, meios
muito boa qualidade e por muito barato
proco : na praca da indopehdonca '21, 26,
28, e 30.
Cotena do Bio de Janeiro.
Aus 30,000,000 de rs
Ma casa feliz
Dos Quatro Cantos da ra do Queimado n.
20, vendom-so os multo felizes bilhetes,
meios, quartos, oitavos e vigsimos da ler-
ceiri tolo
lista chega
tirar bons premios
Na pnca da Inlependencii ns. 18 o 20,
o quartos da 10.a loteria da V. O. Terceira
do S. Francisco, a qual coreo no dia 4 do
corrente mez, o espera-se a lista da mesma
Bilhetes 4,400
Meios i 2,200
Quartos 1,200
A 5,000 rs. pequeos, o 5,500 rs. gran les.
Vendem-se chapeos de sol de soda Inglo- por preco commodo : no caos da alfandega
ria do Hospicio del'edro II, .cuja zes do suporior qualidade, pelos precos aci-. n. 63, drfroolo da Concoicftov
1 al o dia 20; a viles, se-querem ma : ni rui do Collegio n. 4. Oleo especifico para curar
Vendem-se sjccis com superior- fire- i tina a ven ler-se na ru
lo, chogado ltimamente de llamburgo : 00ri. cada frasco.
dous lachos para de riler ciriisub
da Cia n. 5, lerreiro andar.
Farellos.
Vondom-se saceas grandes com farello
a caspa.con-
do Itaiigel, a 640
veudem-se relogios ameriemos de superior armizem de Jos Joiquim Pereira de Mello, j Verniz de gommi copal contina a
qualidade,e tem ainda algn* cun corda pa- no caes da Alfindega, defronte do guin-lvender-se na botica di ra do Itingel, a
ra 8 das, e todos tocim oompassado. diste. 11,280 rs a garrafa. .Pkns.
Desapparecou fio da 26 de outubro
prximo passado, um escravo de Angola, do
idade 40 minos, mais ou menos, de nome
Antonio Velloso.cojossigiiaesslo os soguill-
as :altura regular, cOr nflo milito prola,
barbado, cqm falta do cabellos no meio da
cahcca.alKiins cabellos brancos,beicos grns-
sos, bocea regular, mSos e psgrossos : fui.
escrivo do um senhor chamado Antonio Vel-
loso: esto escravo iio casa lo com uma ncijia
da nonieRosa, haixa, mais velha que o ma-
rido, o servia do 1 u i-o 1 no malo, a qual
acha-se tambom fugi-Ja desdo novombro do
1850. Dopois do possuidor Antonio Velloso,
passaram a -ser eseravos do Cirios Pereira da
Silva, Hoja fallecido, o presontemenlo per-
iRnccma Antonio Caldas da Silva : quem os
pegar, ou delles der noticia cota, ser gn-
nerosamento recompensado : no Kecife, ra
da Praia, armaren) n 18.
-- No dia 22 de outubro prximo passado,
lesappareceu do ongenho Caiap, freguezia
de l-'iiai- is*u'. sito na rlbeira de Araripe.um
negro por nome Antonio por velazo Baiano,
Com 50 anuos do iJade.eslatura rogular,com
uma cicatriz em urna poma, j velha, mela-
do s3, o parto aborta, um tanto ciuatudo ou
calvo, tem nos pollos uus lalhos, de um e
nutro lado, a cumpri lo, para bailo, cabel-
lo.'nos peos,barbado o ja pintado de brin-
co, anda com ceroula de panno de algodao,
camisa de algodnotinho chapeo de pel-
lo preto; ello fui vislo procurando o engo-
lillo Inhaman 1 pnlc-se as autoridades poli-
ciacs o cap'itles do campo o prendam e lo-
vom ao mesmu eiigenlio cima, a Luiz An-
tonio da Silva seu p-oprietario ou nesla
praca ai. IIIm.Sr. Jos compensar com 20,000 rs Este esciavo fui
comprado nesta pr$ a senhora viuva Pe-
reira Cunha, c lio do suppor quo v para ehi.
Acha-se fgido desde o dulldeou-
lubro prximo passado o prelo Honorato de
nac.lo Angola, idade 50 anuos pouco mais
ou menos, com os sigoacs seguinles; esli-
lura baixa, corpo regular, pomas curias,
pes torios e apalbolados, o uma cicatriz .>o-
hre o nariz, deum lalno ; levou vestido cal-
ca o carniza de ..IgndJo grosso americano,
r.ste preto o Sr. Joao Jacintho deOliveir,
morador na ra do Collegio o houvo por
compra ao Sr. Luiz Justinicno de Souzi llor-
ba, que o Irouxo das bandis de Serinhaeai
ou Ipojuca, o por iss suppO-se ler-se en-
caminhado para esses lugares.porem consla
quo fra visto no engenho Itarbjlho e sus
arredoros : ossim roga-se a quem o pegar
do I.va -lo alna da malriz da Boa Vista, so-
brado n 18, 011 na run do Trapiche uo lle-
cifo n. 36 qu !se gratificar o seu tribalho
No dia 9 do corrento disappireceu do
sitio do Co, doengnho Caulista, termo de
Oiin la, um negro de nomo Antonio, iiaco
Congo, idade de 40, anuos, baixo, magro,
Cor prets, mas.eta um pouco amarello por
oslar (lente, sem denles na frenl-, barba-
do, e falla muito atrapalnado quo pouco so
enfende; levou camisa e calca de algodao-
si olio, chapeo depillia ordinaria, o um pan-
no da Costi : quem o pegar'love-oao mes-
mo sitio, ou insta praca, na ra da Cruz,
: ven la n. 31, que ser generosameule recom-
pensado.
Tvp. DI M. F. dk Fiau. |832.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6MSZ4VV6_QE22YB INGEST_TIME 2013-03-29T18:08:49Z PACKAGE AA00011611_03101
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES