Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03098


This item is only available as the following downloads:


Full Text
;-
Anuo XXVIIJ
Sexta feira 12
DIARIO UK
de Novembro de 1852.
N. 256.
mr(?o ba DiOEipplo.
Paotuariro oiuTino.
Pil trimestre ............
Poraemestr. ........
Pos loto ...o..*..
PaOBIHTIO DOraiMXtTKB.
Por quartel.............
otici do mrmio.
Par.;.. 2 |t Oulbr. Minai... i1 de Oulbr
aUtenbao. 5 de dilo S.Paulo 23 dedllo.
Cear.... 9 de dilo R.deJ.. J6 dedilo
Parahlb* 5 Je Novbr. Baha... ide No vbr
i/O 00
8/000
1S/O80
4/..00
U'DJ a IMAM*. DHOlAs.
8Seg. Mcoilralo.
9 Tere. Dedlcaco da
baslica do Salvador
JainJ Orr<*c3#
J,e5. a lOhoraa.
MradoiM/.
loQuart. Andr Avel-3. e 6. ao meio-dia.
lino. Watsnda.
II QuInl.S Marlinho. |, ed. ia 10 horas.
I' Sen. S. Levino. j. ara lio eitet.
iSSab. S. Zahina. 4, esabadosao melod.
14 Dom. 24. O Pairo-1 Kilfi.
ciniodaSS. Virgen.jTercas e sibadoa.
stingoante 5, II liora e 18 mlnutoada m.
1">n,i!i boraa e ti mlnutoa da larde.
'"cciui 18, aos o mlaulo da tarde.
Chelas 2li, aa 4 horas 21 miautoi da Urde.
filma ion
Primeira s 5 horas e 18 mlnutoa da maaha.
Segunda s 5 horaa e 4) mlnutoa da tarde.
arOTioiaa iiTBuiorun. CAMBIOS BB 11 di mctembbo
ISobre Londrra.a 28 Vapor i/lioo d.
O un e rarahlba, sseeuada r sextas- Portugal i.i de Oulbr. auslria 3 deOulbr. Parla, 30
ira. ."_ [Hea-inha ule dito Sulaaa.... 'dedllo. Lisboa, SS por canto.
ulata [Franca .. Kilo dilo Suecla... 28deSetbr. | StBTABB.
EXTERIOR.
LONDRES 15 DE SETEMURO DE i852.
Diz,-se que segundo o curso ordinario das re-
IrlbuicAej oeste iniindo os horneas #io sempre
man beveramente punidos pela* suas fallas Ic-
vet, do que pelos seus delicios graves, e nos
algumaa rezei nos inclinamos a crcr que esta
mesma regra seguem as obllquldades das na-
cea. A aneaco da Corsega en. j768 fui por
sem duvlda una da menores offensas d'entre
as multas que a Franca lem feito s diversas
nacionalidades independemes, e com eitello a
injustica originaria desse faci lem sido inais
que inulto compensada pelas vaolagena que a
11 lia tem colhido de sua unio ; coraquanlo pa-
reca um simples delegado coostituido para vin-
ganca da Helgica, da Hespanba, da Pr sala e do
I'ieinoiilr contra a sita i**oirfl rir-mhi
A Cursega governa boje a Franca, m corso]
lanca-lbe ao pescoco urna canga mais veatorla I
do que os mais pesados grilbes bourbonlcos, e
urna oligarchia tambein coisa reparte entre si
os ricos despojos de seu patrimonio, ou ajuda a
comprimir o sen espirito, e a perpetuar a sua
eacraridao. Durante a ultima guerra os prioci
paes bolea arremedados a INapoleao pelos libel-
listas, bram pelo lado de sua origein corsa ;
mas a sua tempera era demasUdameute desco-
munal para ser clasificada sob quslquer lypo
de carcter nacional, e o scu espirito e dos seus
concldadoi adoptivos forinara-sc e depurara-
seno crisol incandescente da primeira revolu-
co. A quesUo do lugar de seu nascimento leve
topouca importancia, como a recntenteme
ventilada sobre o da exacto ein que elle nas-
ceu. Nao he porin assim quanto a Luis, Hona-
parte, lilho de um Italiano e de um aborlgene,
que nunca pz p ein Franca, salvo para passar
alternadamente da estrada a cadeia, e do circu-
lo acanhudo de sua infancia ao posto era que os
meios de usurpacao) Ibe foraiu postos mo. O
actual autcrata da Franca nao tem urna so das
boasqualidades, nem mesmo dos deleitos.do
carcter francs; e ter muito poucos de suas
feicdes conbecidas. He taciturno, refolhado e
moroso ; suas habilidades, se as tem, no so
bresabem superlicie, jazem as suas profun-
dezas. Destro e perito com a penna be no en
tretanto esseocialmente insocial Ambicioso af-
fecta menospreir os atavos do poder, Sua
dulgencia pessoal comquauto sem limites he
mais arslematica do que extravagante. Inexo-
ravel no castigo sabe com tudo des(arcar o re-
sentimento da aflronta e diferir a vinganca con-
centrada. Nao obstante os grandes soUrimen-
tos que ba tempos Inflingi, he no entre lauto
mais cruel na crise da opportunidade do que no
climax da palxo. Taes peculiaridades nao sao
porcerto do carcter rauces; e ellas reprodu-
icm-se aindaa seus pos na cohorte dos favori-
tos Gorsos coi* que elle reparte os pedacos du
dominio que tem accumulado. O empreo que
mal se aproxima ao de prlmeiro mioisito foi
oceupado at ha poucos das pelo alcaide corso
da familia booaparle ; c todo o posl j ou distinc-
co que sem risco publico pela impropriedade
do escolhido, pode ser conferida a algum pa-
reute ou conterrneo seu, lie infallivelmeute re-
servada para um Abbatuccl, Gavini, .Arrigbi,
Oroano ou Casabianca.
Csiuo be que essa pequea ilba, cujos habi-
tantes sao conhecidos apenas pela sua |>ouqui-
dade, e lnaptido lodividual, forma ciclusiva-
mente a bierarebia administrativa da Franca?
Sabemos todos que ella be um departamento
francesa Tem um prefelto e um sub-prefeitu,
um tribunal de appellaces, outro de primeira
instancia, outro de Assisis, e um bom numero
de juixes de paz. Pois anda assim, com todo
este oiirlcameulo exterior do mecbanisino go-
veroamental da Fraoca. a Corsega nao he Fran-
cesa. He italiana, mais ainda, he mais italiaua
do que a propria Italia. Ella he infinitamen-
te mais intractavel, selvagcm e primitiva do
que aa partes mais atrasadas da pennsula a
que pertence pela contigudade geographic-., e
peU affinldade de raca. Todas as singularida-
des que en. todas as pochas tem determinado
o nosso modo de apreciar a sociedade italiana .
lodos os desarranjos sociaes, que em todo o
tem alicatado, como uina cbaga
talhas sem reservas. Ate" a implacavel le coraal qu'llilaiile. E pelo lado poltico nao ha-M
sobre a honra dispde que loda a ferida recebida
mesmo faeces organisadas, quedisputas-
sem fdireegSo dos negocios pblicos, dSo s
correntcmenie como epochas legitimas de ba-i Sua a IminislragSo correu na maior tran- | a qual fnl ft)ita com a maior liberdade
qu'llitade. E pelo lado poltico nao ha- i governo nSo tomoo a menor providencia
vendo partidos polticos na provincia, nem ( e i ordem a intimidar ou corromper liher-
de do voto; nSo perseguio ou..*-nittiu
uem, por ter volado como Ibe a.yiuve.
; mais Absteve-ae de exerepf nfesmo
oella inlluencia licita, que como opiuiSo
concede ao governo. INo tocante a im-
flaa ella viveu com a mais ampia liber-
de, senfio licenQa. Nflo sofTreu o menor
Carne da parte dn governo, ou por insi-
aqOei suas de alguma mitra nutoridade.
> a adminiatraQo do Sr. I)r. Fausto p^lo
o politico he digna de oIoiios c da gra-
em qualquer especie de recontro, pode ser re-
tribuida ao adversario com urna i{*ual ou com
qualquer oulra ate quarta geracao. Tendes
na Corsega a vtndetit, e lerris algum dia as ves-
peras Sicilianas, se a ilha delxar de exercer
urna lucrosa aupremacia sobre os seus senho-
res externos. O romance, o melodrama e a hls-
prarciirotico.
BABI-IBAI BOA OOBHIIM,
a -Grande-do-norte a Vleloriaai quinta
i... {Blgica.. 4 de dito
U r 'alia... > de dito
81 lto,taru.ro,eOarahul no 1'elS decada Alemanb. 3de dito iMealco... IS de dito
, Pruaala ..l3dedlto c.ilifnrala 6dedito
rei.ouricui i/.m c Boa-Vlata l3 a 18 Dinamarcai deSelb'Chill. lOdedlto
O da, lodosoa dlai. |Rnasia... :0dedito Ruenoa-A. >8deKelbr
T osos Correioa partera aomelo-dla. Turqua. 26 de dito (Montevideo S dedilo
Inglaterra 8 de Outbr.lOuro.(kicaa hrspanhoias. i....... : 25/Of"
E-Unidos 2.'idrK.-ibr.| Hoedaa de 6/400 relbaa..:..... 16/100
a .Ir 61400 oras........ 16/000
a de 4/000........'*..... K/000
Prata.Palaedesbrasilelro........... 1/9W
Pesoacolumnarloa............ 1/930
Dlteameiicanoa.............. 1/800
Jii___"?
leva S. i.\c que lutar com suas oxiguncist,
e desregramento*. que tanto empecem e ro-' a
tardam muilos melhorarnentos. SenSotova'
em seu apoio as Torcas vivss de um partido,
loria amiga, tudo realisa-se nessa provincia do n0o teve iauiIiimii de vencer ss pretencOes de
Imperio mais desabridamente governado de, a||,a,tos muitas vezas quasi tSo embaraejo-
toda a Europa. as, como as contra'edades dos advnrsa-
No que dclxamos dilo nao nageramos aa no- ,..,. ,__________...______
ticias uliimameole recebidas da Coraega. Aa; '">* lllustradu, e de nm carcter modera-
pe. turbaedes polillcas dos ultirooa quatroan- do, esnnto recto, e pralico, conheceu para
nosderain tal carcter de ferocldade as scises logo o Sr. Dr. Fausto, que em vez do provo- tldflo dos Paraenses, nflo he Jmenos espe-
chronlcas da liba que o Eaccutlvo Francez vio- car lulas esteris, e preposteras improvisan- dllenla oa parto relativa aos melhora-
se obrigado a institu, um Inquirito a respeito, dunarli i.i.s.linlia raininhii mais larirn uro- m -tn. materia o ralalnrin .InS Fxc.
......,-i ., ...,..... .ui>re.3oes. ror- velloso a seguir. ; ,',,,.lieado nos ultimo^ niimrrns do r- ,
P'* A principal trela do governo estava nos iVaio, altstta os minio servicos do ex-presi-
niao tobre alguna do. lacios que ae .. M|B0..OMn,oi maleriaes. que reclamivs a dente, e o xehj, oom que curou de todos os
la aciniinistraQAi) a seu cargo F, por
que niin caib etiumera-los to los nos I mu -
seguido"daeuVrespecvos"lenles,"na o"cca-j loas pessas bastavajustiga a todos, e na- tes, qua nos hornos tracado, fallaremos da
lio das eleledes para a asseinbl.a nacional. i da de persaguices. lie feito oSr Dr. Kaus- instruefao, financas, e obras publicas to-
referein.
^^SSJM^SSSl^SSSSS^^ proV.nc.are noVmer,,s"de po-los por obra ramos'^d"."aJio..Tr".c"o"\ ^l^of^l}
conlraraiu-ae poucas milha. de Baslia, cada um com diminuta renda.e mil arrccadada-Quan
i par
Travaram" logo um combate formal, ein que
morreram dousbomens.eforam mullos feridos.
O despique das injurias enlo recebidas p.odu-
zio, no iotervallo de 1848 al boje, alguos dez as-
sassinalos. fin driles foi pratlcadonapessoa do
sacerdote Chiaveldini, partidario dos Fillppe,
mnrto com um tiro, na occaslao em que descia
os degros do aliar. He de nolar-sc quecm ge-
ral as partea contendoras rcaidem peno umaa
de oulras na mesma povoacao ou dislric-
to ; por ezemplo, aa casas de morada dos Fi-
lippc e dos Partrignagni, regulaineule forliti-
cadas c com seniinellas, eslao situadas urna
fronl.ira oulra em urna ra de Venzalasco.
Ha urna escepcao a fazer-se a respeito de Pyla
e Caoale perlo de Ajaccio, cada urna dasqoacs
he urna praca forle de urna facfio particular.
Ua habitantes rieslas duas aldeias evilam-se, e
s se enconlram as igrejas, onde escrupulosa-
meote separam para cada lado melade do edl-
licio mas se um habitante de Pela tem de
atravessar por Canale, o desta considera logo
essa usurpacao como objeclo de eorreria, laz-
Ihrponta.ia dasjancllas de cada casa por onde
passa, atira-lhc ae Ibe percebe qualquer movi-
menlo, que provavelinente, dcscobrem sem-
pre que o cavalleiro vai bem ataviado.
nas os leudos que passam pelos de mais Ion*
ga dacta, c que iazem uina guerra que mala ae
aproxima as reglate*, sao oa dos Cuisliniaoi
damisadas em quasi toda a sua extenco e
replantadas de arvnres ; as quatro novas es-
tra.las para o lado do Nazareth, e a conser-
varlo das qua abriu o Sr. Coelho ; as bellas
travessas do largo de palacio orladas, como
as estradas, de arvores ; as vallas, que cir-
cundan) a n Ind.'.il.....bsi i nula-, e suas mar-
gens emsua maior extensSo guarnreidas de
estacas ; o nivelamento do largo da polvura,
os reparos das malrizes, e a edificacao de
outras em principio ; a Ilumina;So da cilia-
do melhursds ; o liualmcnlc u banco, que
hoje somonte aguarda a apruvacSu dos seus
estatutos oelo governo imperial para func-
cionar ; s3o f cios ao alrance da lodos, e que
ll.'-li i nzelue aulivnlade, cm que n Sr.
Dr. Fausto curou dos m Ihoramenlos da
Provincia, Clli adminisir.t.S. Ilw. fn. .nn_
fiada.
Alem das nhras, que perpassando mencio-
namos, a das geraes, cumpre lembrar, que
nutras man lou o Sr. (Ir. I u-ln examinar, e
orear; como o canal delgarapc-qitrim.o fu-
ros por onde se pode fazor sem parigo a na-
vegacSo entra esta capital e as villas de Bra-
.'.'i;., eTuriass, dessecamcnlo do panta-
e quanto ^ ronstitucionali lade nem uina se
I he avanlajou. Y.
(T7e de Mato.)
CORRESPONDENCIAS DO DIARIO DEPfcrt-
NAMBDCO.
Para 21 de oulubro de 1852.
Esta barca nos Irouxe, como sabis, o
Sr. Tenreiio Aranha,*presdonte do Amazo-
nas, masque nnsdizcm no pretendo se-
guir, de sorle que corre por c ter S. Exc.
vindn a Ierra palria esperar pelo seu suecos-
sor, qun ao nosso governo lem custado a
adiar. J se fallou em o actual romman-
rlante das armas, o Sr. Bezerra, no Dr. I.oi-
MP SJiVJ' suaufle-se q'ia eslesuccca^-:
VIIB OB LU'10. r
Aquella provinria precisa de homem acos-
tumado ao nosso clima, aa uossas priva-
!,'.'.-, mesmo nssa ndole. A torra he
pequea, nova para nos filhos do Para,quan-
to mais para quem deixa os saloes da cor-
te. O genio bondadoso e creador, a auiori-
dade, o espirito conciliador, sao aa quali-
dades que o governo precisa procurar no
hometn a quem tem de entregar os Ama/.n-
nienses. Depois das ultimas noticias que
,1Mb
cspalhar o contrario, e al que o Sr. Dr. vius. OSr. Dr. Fausto obteve algumas pro- lnSo' ',.s"uecou civ'lisBcTi"il^s iifelizes"^- l? Prov'nc'". "So-sr t aberlur* da assem-
Kauslo prut'gia o piulido/.uja.que, seexis- videncias da sssembli provincial na iei n. dioanas ranr nnsaa Inenrla ilHanrnveiladns provincial em 5 de setembro prximo
tira, corto Suri. mar.silbado de eat.r no 203 de 27 de outubro do anno p.ss.do. e | oSSlSSuS P'Zlm an. n g.iso da znmanAo/.vorsoinhave-loac n.anos pelos regulamentos de 8 de novembro de co mi>S0l.s dando todas as providencias ao l)IZBm 1ue ecrctano do governo sera o
suspeitsdo. Alguna incautos,epor ventura 1851, e de 5 de fovereiro do correle anoo'geu ,|cancr pra que fossein proveitosas a J*P"',4*0' assim ficam esquecidoso bispo
menos reflecti.los, acreditaram na existencia deixou organisado esse impurlantissimo ra-' provincia 'e reergueu do abatimanto cmi1'0''"' o o mesmo Sr. Aranha.
desses/ormidape/s paitidos, quo da longe sa moda publica a laiioistracSo. RSujulgamos,' que |,avl cabido colonia militar do Pe-' Entre.n'ein havnlo suas novidades de-
poilem ver ; mas aqu ninguem os v, e nem que nada mais resle a fazor; nem o pansa c jro u pois da sah la da ultiia barca; poia que
se quer sonto sua aceflo iilustre auclor desses regulamentos; no .. foram annulladas as elaicOes para vereado-
N3o entra no nosso proposito, e nem he concordemos mesmo com algumas de suas t"1, Prel",|nie, quo em urna provincia ue r(,s das freguezias de Barcarena, Bemfica,
necessano, que aasignalemus as causas da disposices, maiormenlo no que roncme Jrie1que."" m" pouc'' nonu"ao' J*sse" Inhangapy, Acara, S Domingos e Moj, o
faltados partidos, estado que alias temoa o tempu necessaiio paia o professor se '"". em "erisissiina arca, e anda a- quu t,z com uue B n3o possa saber senSo
por anormal. Sobaja, que em abono da us- conside ar vitalicio, aos casos em que pode ,, wvilisacno, a industria, prati- que o Sr. commendalor Vicente de Miranda
sa assercao aqu deixemos resumidamente perder o lugar e sua amovibilidado i toda- fSL ',* e!','ie,' 8Cl0?' que referimos ; que sera o presidente da cmara municipal desta
algumas pi ovas. via forcosu hocunfe.ssar, que os regulamen- *lon listo nao invadi alheias allnliuicOes; capital, a cujo termo pertencem estas ira-
los memoraran, consideraveluiente a ins- ?uf,."? 8buf.'de >? "londade para es- guozi,s.
tn n3o praticou um s acto, que se possa la- ando em outras perfunrturiamenle.
chr de violencia, ou da perseguirlo. | A instruccSo publica definnava pessima-
Por mais singular,que paraca a assercao, mente organisada, ou anlos em deploravel s eic B pari raalisa-lassollicitou do go-
da que nSo existem partidos nosta provio- desorgaois.cuo. E'a alem disto um status 'verno imperial auxilios pelo cofregeral, vis-
ca. ninguem aqui no la contestara sincera- in stalu, no qual o governo nilo tinlia a in-'toa deOcteticia do provincial,
mente. Mas sabemos, que fra se procuro gerencia necessaria para impedir os des-1 No meio desses trabalhos o Sr Dr Fausto "l9 Je' na A imprensa perio lica.aseloices, e o par- ,
lamento sao os estadios, em que os pailt- '""cao da proviucia
dos, nos gnvernoslirres, pfovam a sua exis- c*"os' em 1ue jana.
arrancaram-na do
damo-nos a crer,
bulhar oscidados de seus direilos ou lo-
Iher-lhes o ax.-rcicii) ; o qun a ludo isto
O Dr. Paes da Sou/a interessou-se para
qua a assamblca provincial autorizasse o
toncia e-forc.s. exibem suas aspirajoos^ qemelhoros serian', esses regul.menlus; ^h^'^io^m^ "too'e IT'"" '"""'"f" '!SS'i P"r cont,hd'
). L se algumas disposicfles defeituosas da le ',,... .i"'. "P..70.,^. ."....' ., provincia emeoenta accOes da compaohia
ostentan, os seus ttulos ao governo da so-
nao encadeassem a vonlade e inlelligenc
d,^rcioT,i.emCirb,.r..V.cMTdc1he-edi-: ? principalmente na imprensa. ^SSZSSSi l-T""" "^'"W' t*M 3m!*1 "'"""^ aen- l^^TZ foi nccoSd.^s'um" d!-
u. ouiciro; a base de... n ...en- \ lrib.N universal, e accessive. a todos, quo d VsS/d org.nis.cao do thesou-o pu- oma.cfl.a omci.l.da.e da gu.r- T'Z^^Tm^T^Sm^m-
lerta. mas iorain prevenidos pela polica. M.
llalasperia mo^o loi preso, interrogado e con-
demnado a seis onnoi de prisa. Mas posterior-
mente |. o inlluencia dos bonaparies o lempo
desla senlenca l'oi reducido a tres annos, acto
de perdaoque os seus tontririo peosaram, e
abTwa organis.c5oenrer.na da, communhoes '">- que alierar.a inaierialinenie
da llalla, ealalem de par.em par nesta Ilha luz. dc u.a ">nil "*nle con. os Malaspen...
perial. Precisis anda te m.iores inlormacOe. D'<1 b.lanco. asaentarain que era e absolu-
acerca deasc. bandltll, que aos olbos de nosso. la neces.idade aIgum acto de aggressao, ... .s
i,c.0mu..m o nico producto mercantil qual sena ? O oen.or real l.nh. anda uina
do aolo Italiano:' e a principal celeb.idade das Par,c da sua senlenca a cuiaprlr, e por lodo es-
vi.gens pala llalla? A supercie da Corsega es- ae lempo lava a salvo de lea dentro da, pare-
la dividida entre uos du.ntoa desses cheles d. d" d P"11"- PareceiBCrlfel, mas resolver...
salle.dores.cada qual pondo i coulhbuico o al.ual assass.nar o ,.a Preparara... una em-
seu dislricli, e llranda delle urna grossa rend boscada e o vclho Maliaperia foi com elleilo as-
de iraposiedes arbllrarias, e do permanente asioa.lo en. uu.adcligencia do governo.
Uaeknul. A's vezes fazem al. como alguna po- e dc d""rar qu. a macl.ina adminlsiraliva
lemadoa da Irlanda, suas desodas seosla, vi- mais completa que lem inventado o engenhu
ztohas da Sardenha, e exigen, en. pessoa ou por humano para uniformizar os hbitos ezlcrnoa
incio de debutados, a laxa do patrimonio de dos povos, nao leuha podido derrocar esta uni-
auas nllhagens. Carecis ainda de formar vos- ca excrescencia do nivelaii.eulo coinmuin. K
sas cencas ei|> Udollo, e nos Crimea terriveis mala para admirar he anda que esla provincia
de que essa rortaleza foi iheairo.' Ha naCorsc-
imra
un. lacio histrico counexo com os feudos em os meios de satisfaze-las
queslao, que de tremendas escaladaa enire as, todas as questes
duas familias, ha pouco ganl.aram os Guiali- i sociaes, e adnnnis
man a supenoridade, porque sua, grandes ri- m pr0,jnciaes
quezas os lubiliiaram a lazer tratados lormaea
de .llin., ..i,, mi. ou d.u. faino... .... j. i i... ,
de bauduli da visinhau^a.
Mas o ii.ciilenle, ou a serie de incidente, que
inelhor moslrain en scu lodo os r tuu.ea da
Corsega, he-nos furnecido pelo ca o do Signor
Malaspcria de Lunlo,COtn que reixat. nal a nos-
sa colleccao dcexeinplos. U lilho de M. Malas-
per.a pedir em casamento a tilha.de un. velbo
cavalleiro perlencenle raeco contraria do lu-
gar e sendo regeitado in tintine, viogou-se im-
incdlatan.ente uo insulto desfeizando un. tiro
aobre o pai da moja com quem pretender ca-
sar-se. Os prenles do in.iio pozeram-selogo- ainda quizerem urna prova irrefragavel da
vei.tilain ciiiliin oilluatradoSr.conselhciroJernimoFran
,r-., .em,.... emiim u inuraa0 or. coose.uuiro.e.o.uu.^. nlilr,cao.-nomeac;0es de patronato, regu- tSo, Dr. Fra
dod.a.quer pul.tic.s.quer cisco Coelho .econheceu os inconve .ionios mon\09 ,rUltr.r,oS, ou mal pensados, mal- IhSes ; nSo s
trativas,. -ssidi geraes co- deslo estado do cousas, e tantou algumas b,rto dos dinhairos pblicos, recrulamen- os nuim.ro.
Os candidatos mais provaveissSo D'. Lei-
Frauco, llr. Angelo a Dr. Maga-
sei se errarei na ordem em qua
.... mas o lempo nos dir. Dr.
Ora,, imprena. do Par, providencias, que dependen 'ode..ulrs.qua t() ,, compressSo da liberda- Fausto lia candi lato, mas rece.a-so que ae-
alguma cousa. que> sei.uareca infelizincate se oSo realisaram.roram parte, i( npr..., damissOea- per-ja-tnrr.id.. no ponto m-.s forte p.r. ello, h-
d qu.dro, que esbocamos l.ge.ra para que a reforma nflo fossa levada a o cabo Vln)(,nc, du B,e.sldeta. ou ,!. seus amigos, 'balda valh que Inda estemos por ver la-
ou alguma outra perHgui<;3o, Talla do o- litar pela pii/rc-ira vez em Camet.
o(Tfirere-nos iieunm cous. a'ie se psreca Inf'eliincstes. 0S0 realisaram.roram parle,
i ligeira- para que a retarais nfio Tos levada ao cano
mente, e oue se pncunira na imprensa das por essa esclancida adnnnisirai;1o. Coubo
pelo vapor s3u publicadas com urna irregu- Janeiro a jonhodeflle auno ) com a dos iom. tracaUe*, eHa pelo mmios eivada de batalhao.
laidade.e deficiencia notavea. Emlim,ae anteriores, n5o obstante a baixa excessiva ^ ^
no proco, que teve naqnelles a gouima e-
nossa assercao, relucase, que esse estado lasdca, genero que he a fonle ae mais de
de que
ga cincoenta Udulphus, ca ia uina cum seus
mysterios.e to negruse inirincadoscomo jamis
cjncebeu o cerebro de Mrs. HaddcliU'e fuereis
que vosponba ao fado dessa triste miscelnea
de lua* de familias e cheles de faec-es, que
insta o escudo de uina melhor politica Italiana?
Cada aldela da Corsega, como as cldades Italia-
nas da media idade, acba-se dividida por mu
seysmadedata i inmemorial, entre os ineinbroa
e apaniguados de auas duaapriocipaes familias;
eaa modernas dislincces polillcas sao assim
absorvidas pelo feudalismo primitivo. As guer-
ras privadas, que, segundo a lettra da lex talio-
nii, disimarain > Europa nos srculos undcimo
e duodcimo, com as suas vlngancas alterna-
das e eternas, acham ahi alimento em um jogo
perpetuo de ulliages sanguinolentos. Na Cor-
aega passelam todos armados de dia pelas ras;
e cada individuo he cliente de alguma grande
casa; e appelhdj-se Capulet ou Montague ; lo-
dos esUopromptos para, emqualqoer occasio
desfeiaar a pistola em um contrario por menos
d<- um beliacao ; e ss eleicdrs poltica* passam
excepcional estela fornecendo ao imperio uina
nova aristocracia. Alguem ba que pensa que o
eclipse das lellras, o apoucamento da educa-
cao, a superslii/o do clero, e a prepotencia do
fexccuiivo, nao sao cousas que necesariamente
euibrutecain o espirito da Franca. Que especie
de inlVuencia supporao elles que possa resultar
de um syslcma que vai gradualmente collocan-
do as altas posicoes do Kstado os miseraveis
emigrados de um uiubo de barbaros ?
( Do Mnriany Chronicic. )
JNTERIORa
FOLHETIi.
0 PALACIO PIMODAN. (*)
pon f&x- iBogcrto "Bcaubotr.
PARTE bEGL'NDA.
fc'ra testtmunho.
A palInlez de Teresina era mortal. quando
sua ala ce..den as buglas do aposento, o sem-
blante da duquezaassustou a Carlos---- K au-
dacia de Lao aalviali a gelra, ella conhecia de
mullo lempo a m.lvadeza deasc hoii.em, sua
preaeoca neasa lesu nao pudia preaagiar.lhe
..eno uina desgraca. ...
Aquello insulto publico altrabira logo sobre
ella todos oa olbos, tluham-na valo nemer e
.inpallidecer ; depois, quando aa forjas Ibe fal-
lara.n, ella obsesvou, ao passar, risadas insul-
lanua e deadeiiboaas. Vendo Carlos a seus ps,
consternado e IMUMilo, ella Julgou sabir d'um
soabo.
(*) ida DUH n. 2S.
I'M'.A II DESETKMUIIODF.1852.
A ailministruedo do Exm. Sr. Dr. Fausto Au-
gusto de Aguiar.
i) Sr. Dr. Fausto presidio a esta bella pro
vincia por rspaco da 3i mezes ; o buje, que
ja osla substituido, he lempo de apreciar-so
o seu eov. rno.
Voss-aqui! perguntou ella, enlo elle
nao o matou, leve inedo I
I', como elle guardasse silencio, ella contl-
nuou :
ni.' j sel, vos-,'-, le balerao pela ma-
nhaa! O conde Leo Salviali nao be linu.ein que
ei.ipalltdeca dianle da espada de um jnenino, e
o que he vosse, Carlos, seno un. novico cora-
joso, mais acostumado aos jogos da forca, do
que aos da destreza, mais desejoso de comba-
ler chin um llgre que quebra a corrile do
que de lutar cun um duelista encarnlcado ?
Pronunciando estas pslavras, aduquezaolha-
va para Carlos com urna dolorosa coiupaizo.
To moco / u.urmurou ella, lo moco, e
j morrer slin, sua coragem nao o pode aal-
var, rase hou.eu. esl ceno de si, elle sabe on>
de pora a pona de aua capada! Louca que aou
de ler ido eu mesma alem das suaa ideias de
amblco, louca que aou de ter tornado a por
p nesse muodo, de que a dor me bavia al
enlo aeparado como urna barreira .' Ao menos
se elle vivesse anda, elle cuja coragem e cujo
braco erain Iho seguios, elle o protegerla,
coberto rom o seu corpo, elle leria inurto o
conde, accresceotou a duqueza no desvario de
aeus pensainentos e de seu estupor.
De quem esl a senbora Tallando, per-
guntou Carlos, de seu marido, talvez 1 .
De niel, marido..... poraegrriu' ella tor-
nando a si de un. Itotuem que voss nao pdc
l.imIi.i .., poru. que foi leal e bom..... Eale
Salviali uu he n.als que un. covarde! Ousar
suspciiar-me, a mi... a duqueza de Fornaro,
ser aua amante, ab he una Injuria que quer
sanguc alas ae o seu saogue se derramar,
da ordinaria eslerilidade, e atona da iui- um terreo dss rendas proviuciaes, e nflo
prensa do Para em malcra poltica, o3o do- obstante a diminuic,So do renda resultsule
sappareca nem ainda durante assessOesda da separa(3o do territorio, que lorina buje
assemhlce provincial, l-, todava no nessa a nova pruvincia do Amazonas ; essa coru-
quadia, que a impransa pnr toda a tarto, para^o, dizemos. nilo s aboua o regula-
ondo lia ideas em lula, o paitidof, queasre- meato do Sr. Dr. Fausto, e aos novos chefes
proseutain.il/oHiasegunila um publicista da reparlicSo, como aecusa a pcssima lisca-
francez, u"i por um lodos es projectos de ei, IlaacSo anterior. O relalono do S. tx. do-
elabora-os para fazer sentir sua importancia, e monatrou de modo inconteslavel, o que a-
preparar o trabalho do parlamento deixtin'lo- vonturamos; e porque deva estar na me-
//.- ptmeas novida.de a di-.er ; segu assidua- mona de todos, que o Icram, ha pouco, for-
mentc as,sessOes, e depois de urna ei/iocSo mu- ramo-nos ao trabalho de reproduzir as ct-
las vezes pungente, ou de um mortal enojo, tira fias e consideraedas, ero que se rundou seu
a limpo os argumentos, para combtelos, ou Ilustre autor turefeiida comparacao.
forli/tcalos. Ora reiurra-se aos (ornaos do Os melhora montos maliciaos, quo ha-
leoipo.e digam-nus, so por elles algu m sa- viam recobldo um vigoroso impulso .luan-
be ao menos das quesles piincipaes, que le a sabia administradlo do Sr. cunsellieiro
oceuparam a assimhlca provinciana nao ser Coelho, foram tratados por seu digno suc-
pelo Ireze de ilaio, que publicou as actas ; cessorcom o mesmo talo e tino.
a que ao demais nilo lie jornal poltico, uem NSo teve o Sr. Dr. Fausto a mesquinhez
como tal se inculcs, e apregoa. d'cspirito de alguns, qua pur cega purciali-
MSo ha muito loi reformada a iiiKtruccSo dado poltica ou vaidade, abaudonatn as
e o Ihcsouro provincial, e nem as leis, nom obras enceladas por seus antecessores, jul-
os regulamentos respectivos foram anslyss- gando n8o poderem alcancar prarja de ha-
dos pelos jomaos, e deram lugar a dbale beis, senao deprimindo o quelizersmuu
slgtun. Assumptos to Iranace lentes nflo comecarain oulros, o empralionuendo al-
pudersm galvanisar o nosso jornalisoio. guma obra, cuja iniciativa seja sua, embo-
lia) nico de tantos jornaes desta cilado fez ra nao tenha a provincia os meios para cou-
poucas e bravas considerarles sobre o re- cluir os trabalhos antes comeca.los, e os
gulamenlo da itisIruccSo .' que de novamente cominellom fazer. O Sr-
No parlamento, e lias eleicOes encontra- Dr. Fauslo nao abaiidonuu, o que oulros
remos os mesmos fados, qun alleslam a nSo com acorto haviain comecadu.
existencia dejparlidos polticos. O caes da mannha, lia muito abandona-
Voltemos a administracSo do Sr. Dr. do, o tirado desse abandono por um distinc-
Fausto.' i to paracnse, oSr. Conselhetro Souza Fran-
A eleiciio ea iraprensa, quo s3o potras de eo ; a doca dover o peso-; o bollo quar-
loque, por onde se lude aquilat.r o proce- tel militar, e o caes em frentj do mesmo ; o
dar de um presidente, .13o t.'st-oiunho fa- pharol das Salinas, osle pioni. to, e funcciq-
voravel ao Sr. Dr. Fauslo. Urna nica elei- nando, e aquelle quasi proiupto, obras co-
(3o leve lugar durante o lempo da sua ad- i mecadas no lompo do Sr. Coelho ; as eslia-
ii.iiiistrac.io, a ile deputados tTovinciaes, I das de S. Jos, Mongubntras e Arsenal, mac-
eaBBBBBBBBBBBBBBBBMBBlsBBBBriHaajsBsBasa | >... IU I -I '.!-. '
charo meniuo, ae para vigar-.ne voss lem de quem a rainua inclino ali! m*o pode salvar .'
succu.nbir nesse encontr, ai) .' desde j o sin- fi.lou conde...nada a viver aeiupre na Italia,
lo pelaa pulsafoes deale coraco, o reuiorso s tninha priso! Priso cruel, e odiosa onde lu-
stra o co.npanbelro e o tyranuo de ininha ezls-
tencla!
A linal n-o tenbo eu paiemes em Ferrara c
be preciso que aeja voss quem?....
Serei eu n.es.uo, seobora, interrompeu
Carlos com rmeza, eu que o conde Leo Salvia-
li quli acellar, eu he que o luatarel, aim. se-
nhora, eu o matare!.
do s me eulreteu. de dores e calamidades pas-
sadas Encadeiada pelas iniohas leiuhraucas,
onde achare! jmala o repouso ? que enle que-
rido me dever jamis o aeu
tem o siolo, cooliouou a duqueza, Deoa
marrn fatalmente a minba ealsteucia, ellepu-
oio-ine betn severamente de uina primeira ral-
la. Esse autor minou minba vida e minhas for-
prupusla dos olllctaea para
Elle nan ho o nico que tal sof-
espellos passoies; se a virulencia da lili- freu.
gnagem ja a n!io denunoiara do susaotla. Foi nomea.lo vigarin para a freguazia do
NSo podemos assaverar sa S. Exc. foi fe- Ac,r um- moco, bem peco, com prejuizo
li/. milas as nomeaces, que fez p*raa do um outro padre que exercia a vigararu
guarda nacional. Acreditamos mesmo, que ta Principio da molestia do enligo vi-
se engansso o mais da urna ; qua houvesse B"r"> Manoel 'Iheodoro, e que tinha em sou
deixadode contemplar alguns individuos, abono os votos de todos os saos fragales,
qnemeracitm e deviam sel o. Porem nSo 'como l"S|>o havia de v-lo!, S. Exc.
rereamos allrmr, que aa nomeacOes para Hv,r". '*t a proposta, antepoz aquelle qua
as patentes superiores foram em geral boas; nao linha servicos, o o Exm. ministro foi
pois sos nomeadoa no fallece aptidSu, nem "3Sim leado um erro. 0 pnvo o sent, a
donsi leracSo pessoal e social. Quanto as Sr- "''P0 responder,
dos subalternos S Exc. nflo poden lo conhe- O negocian'.o Jos Nunes Loiigra seguo
cer a tolos, nem anua a maior parle linha nes'e vapor cora babeas Corpus para respon-
do recorrer alhejas mformacrs, o fcil- u,,r pirante a relacJo do MaranhSo; esla
monto poda enganar-se. hnJe proso a ordem do chefe de polica Ma-
., galhSes a um mez o lom por hora contra
AccrrscMilHin, que o Sr. Dr. Fauslo uno S1 depoimnto do cinco ou seis presos
qutz altander os setvicns dos olliciaes da con.lemnados a gales, leg'odo o mesmo a pe-
anliga guarda policial. !\So andam avtsa-n, u|limai um uresu eni processo por ter
dos nesia censura, os que a fas-m. Primal- furtado aslir.nas do Dr. Fauslo o do enge-
ramonte, porque o simples relo de ser o- nholro JuVencio, nafinal o depoimento de
final da guara policial nilo da diretto a se- uin so|d,do do corpo pulicial que enlio
lo da guarda nacional inlepondonto do con- n, PS, sujeiln ao chafo do polica,
curso do oulros predicados, sam os quaes veromos o quo decide a relacSo, em cu-
aqoelle por li s he insullicinule. Se assim j,s dectses teora sempro adiado justica os
na.i Tora a le torta garantido as patentes da perseguidos.
guarda policial, o qu- nSo fez ; e nem ao | 0 commercio vai um tanto mais aoiiru-
menosas eqmparou ( dado que sem rasgo) do, as nossas rendas bom llscalisadas, e
as dos olliciaes da guarda nacional de ou- sup^o-se quo o ver3o nos dar lugar a quo
tras p-oviocias, dando di.eito a seren nel- tennamos toa safra,
las reformados, os que o merecessem hm
segundo lugar o ar. Dr. Fausto tanto procil-
rou altander a esses servicos da guara po-
licial, quo mais de dous tercos da ofilciali-
dada por elle nomeada erain ofliciaes da
guarda policial, e dos coiposde trabaja-
dores, outra especio de guarda policial.
Da qualquer modo, a quando o Sr. Dr.
Fausto, desacertasse em parte das nomoa-
c-s da guarda nacional, snhram-lho anda
muttos e valiosos ttulos, para qun sua ad-
ministracS seja contada ctilre as mais (Ilus-
tra las, a uleis qun l"m tido esta provincia ;
m
semblante de Carlos, chelo de uina nobre yas, nem mesmo sou mais refrigerada e conso-
allivez, bem cxpre.nla a aua resoluco a du-! lada pela oraco. Oh 1 mairadada, inalfadada
queza contemplando-o enlo parecia tornar a i mulber que eu sou i Este rapaz vai morrer
achar outras leinbrancas, sua alma ae despe- nao posso apartar delle o perigo ; cu. hita da
dacava com a ideia de uina desgraca de que el-i espada do conde elle achara o puobal de un.
la .a ainda ser cauaa. Nao baslava que o un-i de seus esbirros 1
co borne.n que ella havla amado tivesse pere-, Slm, proaeguio ella laocaodo sobre Car-
cido as inasuiorraa de Floreuca, devla ella sin- loa un. olhar desesperado, uao ha oulro recur-
da depois de qulnze annos de fgida e de cai- ao para elle seno a rugida Esta noite, eaia
liaach.tr um outro luuiulo eulreaberto no .cu mesma nofie he preciso que elle parla, elle
olo natal? Esse rapaz a bavia salvado, e era partir sem niin. porm mlnha lem branca,
por ell. que elle I. arriscar aeus das, por rila meus beneficios e os meus peosainenloa o se-
que nao podia recompensar seu amor senao guiraoa toda parte!
cotn a mala casta e a mala dedicada das sv.npa- Carlos, couliouou ella lomando a mo do
tbias Teres.oa deixou cabir aeu olhar triste rapas, ou<;a-ine, ha una irina, uina amiga que
obre Carlos Gruyn.
Uineapiol um espio nao temerain el-
les escrever-ine I al.! o co poz neslc calmo c
doce semblante < slnceridade. Nao, elle nao
deve allruninr a espada do coude, eu saberei
Ibe falla, tenbo meios de assegurar sua reti-
rada mas he urgente que voss parta Esla
madrugada he preciso que leona ileixaJo Flo-
reuca, sua segurauca e a miuha assim o exi-
gen!, i.nic me Importa o odio do conde LeoSal-
rruslraraeu uupiu plano. iin, anda que eu v.li ? o que eu devo garantir prlmeiro que lu-
deva escrever au archiduque, ainda que me de- do be a sua vida, a voss que salvou a minba 1
va desterrar de uovo con. aquelle que me sal- O ineu escudeiro, bu.nem seguro, o pora n'uma
vou I Mas colon pensar mais en. Franca, eu a hora ua calrada de lloloi.ua, cu. uina hora ros-
quen! o odio de Richelieu l perseguc, eu a s estar proiupio, deiza-me dispor tudo. S
(un esta condico, cous.oto ein lorna-lo a ver,
Irei mesmo ler con. voss no prlmeiro lugar
que me Indicar, ...as parla, fuja, resliiua-ine o
socego c a vida! J nao Ihe disse que o seu
destino lendia sempre a Hesunir-sc do meu, j
nao Ihe disse que o co me linha amaldicoado ?
Nao recele que me esqueca nunca do coraco
generoso que me comprebendeu, eu sou, e
quero inoslrar-u.e sempre digna de voss. Mas
aeu. duvida voss tem ainda ueste mundo p-
renles ou amigos que o est.ina.n, torne a voar
para elles, ralle-lhea de ii.iin, dlga-lhcs que eu
o amo. O marquez de Hovedere me entregar
amanha. ou esta noite mesmo, lodo o ouro
que vosse pode ganhar nesse jogo ; se elle uo
ior bstanle, esgote, oh esgoie todos os meus
corres..... Vulte para Franca reliz e brilhaule,
passe urna vida dourada. Eu ein todo esse lem-
po me occupare de voss, terel sempre os
olhos sobre aquelle que vai lalvez esquecer-se
da mim. Mas voss nao ae esquecer oh! nao,
bem o vejo pelas suas lagrimas, pela aua pal-
lidez c pelaa auas saudades. Siuente dir cont-
igo : li/. duqueza de Fornaro o mais bullan-
le dos sacrificios, o da ininha honra, a qual im-
u.olei aos cuidados de seus diag e de seu re-
pouso I Eu de tumba parle dlrei averdade;
que o vilenle!, que denunciei a voss e o con-
de ao archiduque 1 Ouvio, voss me obedece,
no he?
A duqueza empregou nesta solllcltaco loda
a eloquencla de urna luulherdetermin.da. ven-
cer a mala rebelde das resistencias. Ella o aca-
riciava, iustava e supplicava. O rapas pareceu
ceder. Einquanlo Teresina d.va as auas ordena,
tennamos boa safra.
Estamos na l'-sla da Senhora de Nazareth,
i'/.-- o cyrin com a pompa do costume, e
o i.'ni,ni lom sido mui favoravel para dos-
Irm 1 ir-s.i 13o bella festa.
O nosso nuvo presidente ainda se conser-
va indilTorento as elelces: e assim con-
vert.
Maranho 30 de outubro de 1852.
A nossa iinpagavel assambla provincial,
dopois de urna prorogacSo de 8 das, encer-
rou as suas secces no dia 6 do prximo
_ i i____ --
'Carlos passou par. o seu aposento, cuja jaoel-
la se acliava enlo aberta.
A calma encantadora da noile, o murmurio
da brisa e das fonlea renlgeravam pouco a pou-
co sua fronte rdeme, elle relleclia nos acon-
leclmenloa dessa noile, e tudo Ihe pareca um
sonho.
Duas pancadas levea retinlrarn na pona da
palacio da duquesa, Carlos reconheccu dous
iacalos porladores de iinmensos cofres.
Debrucando-se sobre a varanda do aposento,
elle pergunlou-lhea o que queriain.
Vimos, diaserain elles, da parte do mar-
quez de Rove.lere. nosso amo, entregar ao se-
mine eate ouro, e jumamente uu.a carta .'
Por um inslinclo inacbinal Carlos deaceu, e
claridade de una lanterna pode ler as Ilobaa
segulnles:
O conde Leo Salviali lie um helio jogador,
como v o seohor. ni s he lamben, um lortnl-
davel adversario. Faca por este ouro em lugar
seguro, e alga oa portadores al a sala d'armas
debelpbegor a quem jacordei. Ahi o espero.
* Seu amigo O marques de RovetUre,
No mesmo bilhete vlnha o aviso seguinte :
Como o conde Pepe eo aenbor Rodolpho
vu ser padrinhos do conde, he de toda a im-
portancia que o seubor procure depressa um
amigo que o acoinpanbe.
Ao receber esta noticia os olhos do rapaz
procuraran) inacbinalmente em toda dea!.....
Um nico vulto andava pela praca, era o mes-



-1
asssdo mez. Su perguntarmos quaes fo-
rain os beneficios que provincia lucrou
rom essa triMiio. que Ihe consummo un bo
par de eolitos de ris, veremos que omen-
to souberam forj >r *kuiiis ieia pessoaes,
mais ou menos odiosas, segundo se referii
a mu amigo ou a um iuimlgu. N8o era sem
fon lamento que a populacho oschsmsa-
cxi'o-k'ilo maranheuse--Jem iluvida pola ir.a-
tirialidade dos sena membros, que smente
attrahiatn a nossa llenero pela deveJura
sede cun qoe chuchavam por tntos fu-
ros as magras tulas da burra da provincia.
A nosss assembla, que nicamente soube
fazer Ieia ad hoc, e que, om sau p'iranasi
patritico, soube pugor pelos interesses dos
malvados da catheguria dos Coques, Silvei-
ra e Dungas, tem um flm bem digno da ai.
Eui menos de 24 horas, por suas proprias
maos, engolio olla a sua monstruosa lei do
m\-nii nio, cuja digestio snhiamonto diri-
gida pelo Jos Paco, tornou Itie bem dolo-
rosos os seus ltimos instantes: morreu
como iinh vivido, no oprobrio*
Actualmente presenciamos um phenome-
no poltico, que bastante admirarlo levo
causar aaquolles que souberem o que he
entre nos um periodo eleitoral. Em outros
lempos 3 o al mezes ants do grande da
da suberania popular o excita.nenio era lm-
inenso por toJa a parte ouviam-se nos
mcelings as vozes alroadoras dos comaos,
quo exaltavam o povo a sustentar os inte-
resses de suas facetes, para depois irem ato*
lar-se em completa orgia ni oppara cela,
que se segua ; por toda a parte essa lingua-
gem deciJida do povo, que se chimao c-
cetetornava-so cala voz mais elojuenle,
no pass que a imprensa, vomitando por lo-
nfiS a^uz'do'dTa''Vida" trpe'de cada um,
nssinli.ui ln semp'e a popolacSo para esse
carnaval monstruoso do indignidades etor-
pezas. Actualmente, porcm, as vesperas
de urna eleicSo.tu 'o se conserva em perfeito
socego. As gazetss da opposic.<0, ptopria-
mente rallando, depois do em vSo convoca-
rem os satis adeptos a um mecting, recolha-
ram-se ao silencio, feriJos sem duvnta por
esse desanimo gcral que lem contaminado
os partidos da actual oppoi(9o om quasi lo
das as provincias. A imprensa estrellad,
at hoje.desdo n chegada do l)r. O. Machado
tornou-sn totalmente silenciosa, qu al
causa .-andadas aos devotos, como eu, da
leilura das carias do amigo Jepy. Odesi-
pontamento dessa gente nilo p la ser maior
em presenca do I)r. O. Macnadu, que veio
desmentir essa phantastica mlluencia que
elles gahavain-se de ter peranlo o gov^riio,
e at peanle o P'op'io imporador, de qnom
diaseram h i pouco alguns delles que n M i-
riani recabra urna carta dando-lha satisfa-
C escolba para senador!. ..
A chapa dos candi latos do governo ha
couiposta dos seguinles nomes:Dr. Jos
Thomaz dos Santos o Almeida, llr. Candido
Mendes deAlmeida, Antonio R.ymundo F
Vielra Rerford, Joo Duarte Lisbfli Serra,
Dr. Jos Asceucio da Costa Fereira, e Jos
Ja usen do Pago. Tlvez Ihe cause alguma
admiraco ver o nome de Joszinho matulo
nesse numero : vem como Pilatos no credo
Ku vou nxplicar-lhe esse phenomeno, que
demonstrar clarimento at onde pode che-
gar o egosmo dessa ave infplume, que na
pbrage de Plalo se chama o homnm. Quan-
ilo na ciarte o Joszinho presenciou a consi-
deraco o boin acolhiinentii que leve o llr.
O. Machado, nSo s do ministerio, como do
proprio imperador, pira logo liguruu-se-
Ihe perdida a melgueira representativa, e
em seu desapuntlenlo, saben lo da infal-
livel volla de S. Exc, passou a empregar to-
da a soi to lo bajulac.es para ser, co no es
mollaanda que com isso fossem sacrifica-
dos os interesses dos seus part larioa con-
templado nos numero dos candidatos, pro-
lopi i. pelo governo. o hotaieai dos boial-
nlios, c.i|iaz liada da mais, nlo tropidou
ineilor-se debaiKo dos ps i.-- qu Milus ami-i
gos tinha o governo o o Exm presidenta:
nSo houve eiupeiihos quo !u3o e.nptegasse,
o iiem compromelti lientos do obediencia
quo nflo fizesse. Em lulo, s-guindo o seu
.systama. pode com o cantar de MUS Mulli-
ras e pela com,iix;!lo a quo foram levados
aquellos a qu.-.m elle imido-ava, ser Contem-
plado na lisia: como v fui um favur que
se Iba fez, urna esmolla quirecbeu He,
na verdade, admiravol o Joszinh i'. nelle u
instincto di raposa matroira altamente se
ilemouslra no semblante impussivel ao ru-
bor, e n ssas Iriis o delgadis ventis, que
const-.iilemnte so movam con a partcula-
rilada propiii dus animaes de (luo instinc-
to. Com o sicrillcio para a provincia, da
entrada do Joazinho, tamos, porm, em
cnmoansacAo urna elnlcSo que cin sua tota-
lidade he operada inleirsmpnle pelos ami-
gos leaes do governo, e que om ultimo re-
sultado dar-nos-ha a maiuria do colleglo
eleitoral do toda a provincia. Essa he ac
tualmente urna das grandes vistas do paiti-
do verda tetramente saquarema. Achando-
se, como ja Ihe ulsse, a opposisjfjo ligueira
fra decomhate, por assim o haver resol-
vi lo, e leudo por oulro lado a sucia estrel
ladu grando einpcnhu ni candi latuia da sua
pre lilecta esperauca encarnada no Josezi-
nno, j v Vmc. que c un lo la a paz se do-
ve fazer as prximas eleicOas, o o motivo
porque ninguem procura excitar essa povo
que por outru lato de corar3o preza o Exm
presidente da provincia. P<>si.o que as cour
sasmarchem comu vo, o governo tem lo-
mado, segundo me consta, todas as neces-
sarias medidas .litn da evitar alguma cilia-
da da pandilha estrellada Sun, para com
essa gente toda- a centella he pouc ; pois
segundo ouco dizer urdem as trevas ; Ion
to que o Progresso n. 80 acaba de denunciar
que elles prrtendcm urar a chapa do gover-
no, apresenlando como a que llevo vingir
a seguinte, a qual he digm de atteucAo por
ser, al'U do mnis, loda composta decasu-
zas, ci-M: Jos Maiiani, Jos l'a(o, Jos
Mailins Ferrcirs, os Thomaz dos S. eAI-
meida, los KrasSo Varclla, Jos Assonso da
Costa Fnrrcir.i. Acreditaramos fcilmente
no rosultalo dessa espertes, so, tlm da
contarmos com as enrgicas medidas do gu-
varno, n.'x) tivessemos roulra aquellc lio-
aaMHiMaaaaj^N*
ni.i que Carlos avistara da< Jauelias Uu ralacio-
No da tS do crrante, petas 2 horas da
madrugada, morreu envenenado em casa do
Sr. Sevarlano de Barros, o portuguez Fran-
cisco Jos de Paiva. Essa moco da excellsn -
tes qualidadas.conviva do Sr. Santinhos.ue-
pols descachar alguma couia doenlu, rece-
ban a linspedagem, quo oSr. Sovoriano llie
oirareceu, visto quo aquella sen amigo, nio
tendo familia, e achando-se bastante oceu-
pado no poda offertir-lhe as mesmas eom-
rudidadej.que este, coro cuja familia,o fal-
lecido bstanle se dava. epoisdo algunas
melii ir.is.de cujo encomojodo os sigues
do t.ivon iiainent i sempre se manifestaran!,
sem que todava podesseesle ser descoberlo
pelo facultativo, que o Iractava,o infeliz Pai
inens a indignacSo geral, que desde multo
lempo os persegue ; todava sempre sera
bom quo S Exc. nSo se desouide ds dupl-
calas o aclis falsas com as quaes as inuti-
lisaram as oluices no lempo do Sr. Uima.
Fram nomeados promotores pblicos i
do Caxias, o Dr. Hugolino Ayres de Frailas
e Albuquerque; do Brejo, olli, JoSo Cli-
maco Lobato da nova comarca do Allo-
Mesrim, o Dr. Jos de Almeida Marlios Cos-
a. O padre Jos Diogo Comes foi tamboin
despachado diractor e missionario da colo-
nia de S. Pedro do Pindar. No dia '3 do
convino parlio para Cisiis o Dr. Jufio de
Carvaino, seu digno juiz municipal que da
coi le liavia chegado em companhia de S. r
Exc. O Dr. llugdlioo lambem parti a to- va, comoque de repente, succumbio. Foi a
mar coula do seu novo emprego. Face vo- segunda dose. que Ihe deram, e dos-a vez,
tos para qu essss duas autoridades intelll- sem esperances para a victima de urna cobar-
gentesoouergiciscomosSosaibammaiiter.diae malva leza sem igual nos annaes do
aquella cidadi no feliz astado deseguranca crime Tendo-se enterrado o cadver as 9
individual, a que desde certo tempo para horas do mesmo da do seu fallecimento,
ei olla goza. Consta-me que para o Itapi- boatos imme liatamente correram de um en-
curt, Caxias, llrejo e outros lugires, par- venenatnento, at que, em raaao de urna de-
lira m suas demissOes polici.es. Inuncia anonyma deng.da ao presidente da
- No dia 11 do crreme chegou da Alean- provincia, maodou este proceder exim-
ia ra nobrigue escuna Andorlnha, que o foi macSo do cadver e exames necess.nos^
buscar, o Exm. bispo diocesano, que como tis oque alai respeitodiz o Projriao n. 83
na minha ultima Ihe communiquei, fui alai- de 27 do crranle : No da 18 ueste mez. a
lar aquella parle do seu hspalo. Durante pulicia da capital fezexu nar, depois de 5
ospoucos das, quoS. Exc. Rvro. por I* se dus de sepultado, o cadver de Francisco
coiiservou, chrisinou para mais de 1,800 Jos de Paiva, natural do remo de portugal
pessoas, e baptisou para mais de 900. S. Ex. por denuncia, que recobera de ter sido en-
foi o.timameule Iratadu por todos os alean- ; venenido. As dilTerentes comb.nacOes da
larenses, o pavos da visiohanci. que anu- analyse chimica om que foram operadores
ram ao lugar, e dala parti trazendo e dei- os Srs. Drs. Antonio llego, Joso Sergio Fer-
reira, e Jos llicardo JaufJVete, a preparado-
res os Srs. Manoel Mara da Silva, e outros,
deram em resultado da substancia do e in.i_". > ilijuiuu inllv wuilra, a siimm ii.,.. -
toxica consistente em acido arsnico {oxydo
tranco de arunico.) Os meios para isso ein-
taiido saudades.
No dia 15 do corrento comec'ram as nove-
nas da grande fasta dos Remedios, queteve
!..... ..- Jl. C. O lw. ..m.n,nll.li>f Do-
mingos da S'lva Porlo foi o juiz dessa fes-
ta, que passa por urna das mais pomposis i progajos*, foram"os' reagonls seguintes :
deque temus momuna. Fa lar-mo-hia tem-j Acil0 u /,ydrico,com adlicSo de algumas
po ecapacidate se pretendesao minuciosa- |bl>s e acj0 ckloridrico. DissolucSo de
aiotatodeprat-i cun a I lic.io do algumas go-
mante 111T91-II1 as nove noiles de novenas
seguidas conslautem'iite de una esplendi-
da partida, aun le ludo o quo lia de mais
precioso na nossa sociedade, ah sa leunia.
O illuslre com oendador foi sempre incansa-
vel em obsequiar os devotos da protectora
santa,todas as nuiles a!m do cha, fazia ser-
vir urna oxrellente ceia, aonde a variadado
das iguarias, lar du gusto, rivali.-ava com
0 asseio, qua por tola a pirle se notiva.
Cooslantemente, tris musical maiciaes, a
dos educandos, do primeirO halalhlo da
guarda nacional o a do vapor Affonso, pos-
tadas em rsleOSO cor.-lo pm lienta da igreja,
nlo cessavam do dorra -nar haroioniosos
suns, qua eram avi lainoute devorados p'la
immensa inultid.lu dos circunstantes api-
nhados na estansa campia dos Remedios. A
casa do digno juiz, immetiata igrej i, ti-
nha na fronte dous am,dos lar. neos de ma-
deira para aquellas quo embriagados por
essa all m. li i i de flores c ossencias, que
desiexalam as bellas as aperladas salas
da um bailefossem resairar a s ilutar bri-
sa do urna noilo, cuja la do prata avultava
no estonsu vu de um eco Ja estrellas.
Na vesiora da fesla, a influencia r. I i -
brou, todos os devotos e devotas dest nos-
sa trra ah comparecerarn. Como fosse o
penltimo dia da folginca, elles reanima-
rain se.como se ivai.i < ,i n ultimo nlarJu de
urna alampada prestas a apagar-se.A Concur-
ronaiii ao fogo de artilicio.que liouvo nessa
noite foi imm"iisa,calcula-sa em 16 mil pes-
suasicomo v.ho maisde um ler(o da popual
Coda cidade.Ologo esteve magnilico; ene-
nhum desaslie aopareceu, a menos que eu
au quoira fallar em um pequeo cstaleiru
du pallia, que exista por detrs da casado
Sr. Jooqiinn Duarte, o qual incendiou so o
tas de ummoniaco sulplialo de cobre neutro,
com adJiCfSo de algumas golas de iii/imo
maco agu de cal.
O precipitados formados por estes reagen.
les, foram em ludo semrlhanles aos que co;n
mi 11 i i diaaolu(b de acido arsenioso se cos-
tuuia obier. Alm desies uieioi, einpregou-i
tambemo apparelhodc Marsh, daudo o liqu
do do estomago nelle iutrodustdo, inancbas [ar-
senicaes be*n caraclerisadas, soluveis no acido
asotlco e cliloreneio de sodio, c apreseatando
com o nitrato de prala urna sdr averincthada
multo seinclhanie a do lijloCumpre notar,
que anles de si- introdujir o liquido do esto-
mago uo .ipp.n.-llin, veilrleou-se, que lamo o
aparelbo, como o acido aulphurico, o zjnco e
agua nelle comidos, nao davain indicio alguin
de arsnico. Nao se procedeu a ezaiue e ana-
lyse dos Intestinosdelgado e grossopor se
cncontrarein provas irrefragivcia da existencia
de acido arsenioso no estomago
o relatorio dos mdicos, que hoje sabio iin-
presao no G/060, l-sc as seguales concl-
sdes tiradas pelos meamos facultativos: l.a Que
pelos meios empregadoa. cothemos provas
irrefragaveis da existencia do estomago de
substancia toxica ; 2." Que esta substancia, era
o acido arsenioso ; i.' Que era em quantidade
sulliaeme para matar o individuo.
Valle a pena, que V. me. transcrcra em seu
jornal todo esse relatorio. t autores desia
mu ii- sao hoje conhecldos pelo publico, que
osapouiacom o dedo. poreon, como elles se-
jam alias personagem, e cumpre dizer-loe que
sao tslretladosdi gema, lodas as autoridades a-
chain-se possuidas de um pnico teriivei I S-
mente, depois de multas dilbculdadcs, o dosso
bom velho o delegado Claro, encarregou-sc da
tarefa de proceder as necessaiias deligencias.
Dos queira, que elle se sabia bem. Lausa oa
verdade borror, a apparii-.-io desses Porgial e
UcnCs, que dcuir em pouco, sabero dar cabo
dequautos desaleifoados livcreiu. O hornero
Velho quando ia lomar a entrar no jogo.....
__ A personagem desla noite, phanlasma
que vi l murmurouCarlos, bem, elle aera uicu
padrlnho 1
O cavallelro em questo traxia um capote e
urna espada que parecern! mu conveuienles a
Carlos.....Este aproxiinou-se delle faieudo sig-
nal aos portadores dos cofres que esperas-
sein.....
Uellerose .' exclamou elle.
Com effeito era llellerosr, Uetlcrose que urna
felicidade inesperada oQerecla aos olhos eatu-
perictos de >:arlusGruf n. Ao v-lo. o rapax nao
poda reprimir um impulso de alegra ede sor-
presa.
Delicise, murmurou elle, meu charo liel-
lerose huan eras tu que anda nao ba urna
hora, paaseavas por esta praca ? Mas porque
milagre te achasem Floreupa, e que vens fa-
zer na Italia t
Vrulio, respondeu llellei ose, dlstrahii o
ineu lmfortiinio. Carlos, td vas aqu um inise-
ravcl exilado !
Exilado : porque crime ?
Com descanso te contarel lsio, l*roou lel-
lerose ; mas que paiifes sao aqnelies que te
esperara coin cofres ? Donde desees tu, para
onde vit? Meu aposento, on antea minha mo-
rada be daqui a dous panos, eslou alojado
em casa do Klorenliuo lletpln-gor.....
__ Belpbcgor/ um mestre d/armas perguu-
lou Carlos cuidando uo bilcie de Kovedere.
Eiactainente. lie uina morada maldita
para aquella! que querein dormir ; ah faiem
niesino de nuile uina aa*gaxarra do dlabo, tanto
contado da lagrima inilaintnanta da um ru- sobre queni cahe a inaior e.tecracao publica,
como o aulor dose alternado, a ser verdica a
lal supposl{ao, poderse ha dlzcr, que collieu
o nico llitr.-iii. .|ii.- ro i v i para im ...i. i.
Obela de criuies e lorpeas. t) infeliz Faira.dlas
antes de catiir doeute, I i accoinineltido com
una faca, ) IU horas da nolle, quando vollava
para casa, por un escravo de um dos cuinpli-
oei do seu ciiv-eneiiaiiienlo... Loui a narra(o
desse laclo horroroso, oque fallar mais para
caracterisar a grey eitretlada t ?
Km Callas, acaba de ser seguro pela autorl.
dade competente, o celebre preso Bernardo An-
tonio da Sllveira, que se evadir ha aunos do
lugar do seu castigo, digoo irmao do Silveira,
que se acha na cadela de.ua cldade, c anda
mais digno partidario da Estrella.
No da Id do crrente s 2 horas da tarde,
por causa que se ignora, ardeu o liuinenso li-
xo, que exisie por detrs da cadela, o qual fui
iiniiicdiataincnle exiincto pela pericia de toda
a marinhagem dos navios de guerra, que incon-
linentc. apresemaram duas bombas que traba-
inavam ptimamente. Os desgracados presos
i un sotlrcndo alguna encoinuiodus causados pe-
lo fumo.
Esqueceu-iue dizer-|be,que pelo vapor passa-
do, cnegou de liorna, proveniente do Itio, os
ossos de Santa Severa, os quaes primorosamen-
te cobertos de cera, apresenlam aos devoios a
iuiagein a mais bella que se pode Imaginar.
Ella f-ii remeltida pelo papa para o novo hospi-
cio dos barbadinhos em Sao Thiago.
No dia 7, estreou nos oui Renegados, o Golm-
bra, que d'abi velo : como me baviam dito, he
coma que nada valle Lrinlla-se elle a imitar
o Germano ae quem se diz discpulo ; porera
com essaiinilaco bruta, que nao passa de um
uiacaqueaineiito. A aua hgura, he ridicula, o
sen accionado delesiavel, e a suavoa em flce-
te, prolonga-se algamas vezes de um modo
lal, que me faz recordar essa monstruosa lln-
gui;ade 1,005 varas, fabricada em lotM pelos
carniceiros de llaoigaberg, que a devoraram
em companhia dos seus confrades, os pa-
deiros.
O Germano parte neste vapor para essa ci-
dade, aliui de Iraser-nos alguns cmicos para
o nosso Un- iirn, de quem he elle o empresario
segundo o jll'irinou no Vrogresso de hoje. Dos
queira que elle nao nos traga,algumoutro Coln-
bra, porque enlo maii valcra traier lambem o
Casaca, Cabral, Seri-gordo, etc., ele., etc.
Como esta j val bastante extensa, para o se-
guinte vapor, darci resposta a urna correspon-
dencia, que aqui no Ololio, o Germano fet pu-
blicar, na qual se elogia a si proprio de um
modo altamente pedaulesco, c maltrata bas-
tante ao t>r. Lobato, como sendo o autor desias
liuhas I Tcnba esse senhor paciencia ; antes
soll'ra elle do qlle cu. Pelo menos, console-ie
com a louitii aiif. .1.- que lambem o Sr. Collin,
o Dr. Dias Vieira, o Dr. braga e at o proprio
presidente da provincia j cUuaharam sua tosa
por igual supposico... ienliam pois resigna-
jilo A mlU* das 6 horas du .lia da fnsta,
esteva bastante coocorrlda bom como de-
lardea. gompsa-daamMltimm9 visita da Balita,
e o fugo com quo arrnmatoa-se essa resta de
atona reoordafSO para os nossos pago lis
11>, a de gran le despefto para as avo* agou-
r-iras, Sarja cousa para inim inipossivel,
so pelen lessa (iclmaiite ilascrever-lno a va-
rio lado .los trajos dos concorronles, sonda o
arrogante cap.ii-ile das mualas contraslava
do um tno ln oslanho, com o ligairo chipoo
-las delicadas damas aonde as paiitslouas
o estoque, o cisneas a espicha rivalisavam
coin as Tofas ecasadles dos lampos ffdtisi-
iius. Todo aquella enctiamede genio, as-
semelbava-se a uina cstrauha serpeale, cu-
ja cabeua posta-la na praca los Ra nadios,
on-leava o cor^o pela rus do menino nome,
indo laucar divorsas cau las, queso adilga-
Civam, pelas ras do Sol e Qrdndt, formando
luda ella um magnifico matiz,digno da pan
na descriptiva, de um Humas, ou de un Ispis
minucioso, como o de Cavarni... Alm da
cisa do juiz, houve tamben) adoSr. Tibi-
rio la Molla, sonda o< pagodistas durante
algumas noitos, tivoraro occasiSu do amola-
rem as canallas Na caa-do Sr. F. Sou/.a,
principal poisu das aros agouieiras, tam-
bo u buuveram suas reunios ; porm ah,
ludo era triste o sombro : dirse-nia, que a
alml do nfelii Paiva de quem logo Ihe lal-
larai, sahiodo da mansilo eterna, como sou
corpo acabava de sabir da sepultura, vinlia
pulir eslrail'S contas aos seus assasslnos,
quo como os Uorgias, afogavam os seus re-
mreos nos trangeres estrondosus de um
sarao.....
As barracas, que circulavam o lado direi-
to e pirle dj fundo da igreja ofTereciam s
possoas do caita classa o repouso e a mesa.
Entre tu las ellas, Uo digna, de espocial nn-n
i,'.lo a do iucomparavel Vallenca, que he pao
fiara toda a obra. Essa especulador, poz a
li-, u-ii,."i> .los inolequos, o brinquadj dos
cavaliuhos ; aos jogadores, o quino; e aos
lemais frr..-ii /.--., os pctisaos adubidos por
qui-IUs mesmas milos, com as quaes, na
nossa orchesla, elle chamfra o sau rsbecSo,
procu-aii-lo, porm debalde, domesticar em
o nosso clima, como elle mesmo o diz, as
maravilhosas notas de llellini Para Ihe dar
umi Idea da fosta dos Remedios, esso lindo
arrehalde, que talvaz apenas disti da cidado,
obra do um quarlo da legua,basto dizer-lhe,
quo ella he o ISasarelh do Para.o.Sanio Ama-
ro lessa provincia, u Uomfim da Baha, a Pe-
nhu, naaVjpirilg Santo du Rio.
sVBtBSaVi
cao meus senhores, que j bouve lempo que
eu tamben! padec pelos outros: leinbrem-se
do caso do dente turado de que Ihe falles oa
minha ultima.
O vapor li. Affonso aqui chegou desse por-
to, no da 18, algumas horas depois do Pa-
ramas. Como deve ssber veio para ser con-
certado. No da 26, depois de ter descarre-
gsdo todo o trame artilharii, achando-se
convenientemente esbirrado, encalhou na
praia do Desterro, alim de fazer o concert
deque necossitava. O traballio, cumecou e
sempre durou com toda act'ivi lade. No flm
de S mares, no dia 28, concluio-se toda a
obra, a qual consisti em substituir no fun-
do 120 Tullas Jo cobre, que se aerravam ar-
ruinadas, algumas taboas do forro, e folhas
de cobre, na quiln. A obra foi dirigida pulo
incinsavel capilSo de fragata, commaodin-
te da divislo naval do norte, fllivoira Figuei-
iv lo, a tanto elle como o commandanle e
olUciaesdo vapor, desemvolversm urna ac-
tividade e zelo, digna de mil elogios. Era
preciso ver, como eu vi, a msneira horrivel
com que oa operarios trabalhavam, algumas
vezes inleramcnle dallados dentro do tiju-
co para poderem melhormente examjnir o
estado da quiln e sobressano desse enorme
barco, que como um gigante, pareca na
praia, descancar das suas recentes faemhas
do Prata. Era espotaculo na verdade, curio-
so ver-se o miseravel estado em qua fleavam
reduzidos os pobres olliciaes com lal servijo,
queda cabeca aos ps, os anchis de rea e
lijuco, que do modo algum pareciam serem
os mesmos, que d'ahi a pouco, ataviados
com oscustosos fardOes, iriim ren ler liorna-
nagens aos seductores encantos dss uossas
deidades. A obra do vapor incluindo m3o
H nlira mlrio. anda or IrfiOO.OOft rs I
Em outra qualquer parte, que nSo no Mara-
nli.lo no costana ella, menos de 16 a 20
conts. Dalii j v Vmc. a utilidade, que de-
vemos tirar da coustnircio de um dique
n'um porto em cujas praias as aguas sobem a
maisde 20 ps para ao depois dcixa-las in-
leirameote scccis.
O segundo numero do 'limn ja se acha
publicado. Em meu humilde pensar, esse
numero licou muilo a qmm da publica es-
pectativa. Opri.Ticiro que dava tantas espe-
raneas do alto assumpto, que em cuntinua-
CSo seria Iratido, foi inulilisado e n a sui
bella impressSo, por esso xodo, que forma
o segundo, aonde Timn aprsenla em to-
ques excessivamente carregados todas as
nossas misaras essa roupa suja de nossa
rasa, que devera para sempre estar occul-
ta, e muilo manos sinda ter um registro no
futuro.' Elle nlo poupa allusOes'bem larri-
vois a multas personsgins da poca. Quem
nSo conhace por exomplo o seu Dr. Afranio,
Dr. Barlholi; Qulnliliano, e esse Dr. Bavio,
contra quem mostra elle seu ressantimenlo
a favor daquellas quealm do talento, hon-
ra e bro, eram bem nascidos e favorecidos
do co, naturezas de ordinario suscepliveis,
inquietas e febris, o cuja emoc3o nervoza,
he um delicioso osp'Ctaculo parao miseravel,
qua a provoca.... ele. -- Parece, que Timn,
nesse seu trecuo', foi alguma cousa pouco
modesto, lie f minha, que esse mailigo-
phuro sityricu do nosso Timn n.io linslisa-
i.i sem, enlre nos, acender odios antigua,
que pareciam acharem-se quasi, qua exme-
los.... Ja ouvi (aliar, que est para sabir
luz, U n tmonzmlio.
O E. l'r.-it is, que ara nesta provincia, o
correspondente do lornal Uo Couimercto; (oi
dispensado dessa tarefa : ser provavel, que
dentro em pouco, o Estrella lenba di diva-
gar sobre quem daver catiir a patornidale
das nuvas currespondanciss, que vilo apare-
cer naquelle jornal. Ha do erar, que m opi-
niflo dalla, saj algum membro do elub-pa-
iioic.
------------------I_.I.IJ1UKi
Propietario Jos Theodoro da Morsas
Lias
ELEITORES DA V1CT0BI.V.
Coronel Jos Cavalcanle Ferraz de Axevedo.
Cipilfio Jos Sercrino Cavalcanle de Albu-
querque.
Subdelegado o major Jos Jaronymo Fer-
nandes Coelho.
Subdelegado Ignacio Joaquim (tabello.
Dr. Gaspar de Menezes Vasconcellos de Dru-
mond.
Dr. Anselmo Francisco Pirelti.
Dr Joaquim Jorge dos Santos.
Manoel Cavalciote do Albuquerque Si.
Airares Antonio de Holanda Cavalcanle d
Andnde.
Manual Cavalcanle de Albuquerque Lias.
Manoel de Brito Salgueiro.
Alexaodre ds Motti Cinto.
Manoel Francisco da Cunta.
Tenante Cuilhermino Paz Brrelo.
a Joaquim Mauricio Wanderley.
Jos Francisco de Albuquerque Cavalcanle
Lina.
Ca pitan Francisco Paulino Gomes de Mello.
Francisco Antonio de Subral.
Paulino Teixeira de Carvalho.
Antonio i.oiirani;o de Albuquerque Coelho.
Alfares Jos Francisco Coelho de Coas.
Escrivao Alexaudre bizarra de Albuquerque
Barros.
Cipitflo Joiquim Pedro do Rogo Brrelo.
Manuel Joaquim Moreira.
Tenente Ignacio da Silva Cnutinho.
Alexandre Jos de Holanda Cavalcanto.
Amaro do llego Barros.
Major JoSo Francisco de Araujo.
DIARIO DI! P1RNUBDC0.
>er-se o sau autor pars ser desprosido tal
351 artigo, cujo jornal deixo de remelter- e por-
quevsrloa amigos Vo remettem por este mes-
mo vapor ele. a
Por til favor multo obrigrSo ao de Vs. Ss.
altelo criado. ,_
Joto Climaco Lobato.
MiranhSo, 28 de outubro de 1852.
imim
PERNAMBUCO.
BLEITORES DA FltEGUEZI.V DA SE'
DE (H.I.Mi\.
Os Seubores :
Dr. Manoel Joaquim da Miranda Lobo- 208
Dr. Jos Lourenco Meira da Vasconcellos 207
Major J i.lu Baplista da Silva Manguinno 207
Collactor Francisco das Chagss Sal-
gueiro
Escnvlo JoSo Goncalves Rodrigues
Franca
Francisco das Cliagas do Rosario
Padre Joaquim Graciano de Araujo
Vicente Ferrar da Silva Braga
Alfares Francisco Pedro Celestino
EscrivSo Francisco das Chagas Caval-
canli Pessoa
Majo Miguel Jos Teixeia
EscrivSo Evaristo Vieira Civalcsnti Jo
Albuquerquo Luis
EscrivSo Jos Antonio Serps
CirurgiSo-mr Francisco Jos do Ama-
ral
EscrivSo Silvano dos Sanios Lopes Cx-
tello Branco
O Sr. bicbarel JoSo Climico Lobato, no
he autor da correspondencia que menciona.
. Os Redactores.
COMMERCIO
IW.i.l i 1. II DE NOVEUIIRO DE is.,-.'..
Pelo Parains, entrado hoje dol portos do
norte, recebemoi jornaes do Para coiu data
al 23 do passa.lo.doUaranbao at ti, e do Cca-
r at 5 du corrente.
As cartai dos nossos correspondentes as du-
as primeiras provincias, c que deliamos trans-
oiiptai eut outro lugar, inleiraro os leltores do
que nellai liaviaoccorrido de mais importancia.
A alfandega e a nu-i. do consulado da cidade
de Uelein arrecadarain em todo o mea de seiem-
bro p. p. 62,076/lai rs.
o Cear encerrou se a aiicmbla legislati-
va provincial, no ultimo do mes passado. Se-
gundo relace o Cearanie- de i5do dito mes, de*
ram-ie no seio daquella leapeilavcl corpora(o
alguns acloi de tumulto e escndalo, passaudo
mesmo doutdos leus membros as vas defac-
to, no dia 11 na lecretaiia, o ao deixareiu o
recinto dai sesses.
Le-ic no referido jornal, de IU :
Assasiioatos. Corre na cidade que ltima-
mente duaa familias, por motivos particulares,
brigaramemLavras, e queja tluba bavido de
parte parle 5 ou inortei.
E. pe amos infor-iiaccs para publicar-mol ai
circunstancias de mal este desgra(ado facto...
O peridico Saqutkenia, depois de louga in-
termiliencla, llnha reappareddo, faiendo op-
posieo ao governo provincial.
t. orrespoinieiicia.
206
206
203
199
199
197
ln.
195
191
193
193
193
jue nao pude repousar. Eis porque passeava a
horas lo improprias diantc do palacio da du-
quena de Floreuf a. Tudo o que te posso olle-
reecr ciu iiiinha casa he una malla para te as-
entares, e uina garrafa de Marasquino. Mas tu
mancharlas leu bello trage, accresceutou o
comediante; vejo-te vestido como um hroe!
Meu cliiro Uellerose, reipondeu Carloi,
permute que esses portadores me sigaut la
caza. Vo teubo lempo a perder, esta mes-
ma madrugada tenbo de baier-mc, e tu vens
luuilo a proposito, porgue sers meu padrl-
nho.
Teu padrioho e coutra quem ? Essa
he boa, eu nao tenho voutade nenhuina de
morrer no territorio toscaiio, eu que s cos-
lumo deixar-iue Iraspassar em secna para res-
suscitar roaia galbardo do que de antes/ Um
duelo 1 apre / estaremos entilo aqu no Pre-
aux-Clerca, ou na porta de San-Ueruardo ? Car-
los, meu amigo, acho-te com ares .le valentao.
Ter-le-bas por acato feito Italiano?
Quando soubere o objecto da minha dis-
puta, uie dars raiaio, tornou-lbe Carlos, mas
vamos caa de llelphegor I
A caxa de llelphegor pois bem. Iiite
hospede virtuoso me fas leinbrar do bravo ca-
pito l.i Itipaillc. A proposito, conlinuou llel-
leroie tiraudo o chapeu com um ar trgico, ei-
se digno cjpilo ella bem perlo da Parca. Qui
ipier.-s,-elle i-ru/.oii .. leno para defender um
veno de Mrame. Mo villa uina pemo, c
nao foi nada, o cardeal de Blclielieu be um In-
grato I
Conversando aislin, ellei cuegaram ambos
diaute do alpendre do meitre de armas Uelpbe-'
gur. O mai'i|uei de itovedere ja abi se achava.
e claridade de una lampada enfuinafada en-
saiava-sc nao mal no mais feroz dos asialtoa.
llelphegor incllnou-se vendo Carlos em coiu-
p iiiIiij de Bellerose o qual elle tomara por um
ridalgo, gracas ao seu pruatho e ao porte
Sentido disse o comediaute a seu amigo,
aqui me chamam o baro de Luneville i
E a Bisa o conde de San-Pielro '.
Uarquet de itovedere. diaie Culos, ve-
nho armar-mc. Sob a conducta de meitre Bel-
phegor. Mal prevluo-o de que nunca peguel
em eipada. u o meu padrlnho, proseguio
elle iuilicando Uclleroze ao marquez, experl-
meote-o.
Uellerose nenhuma vuntade tlnba de puxar
da espado ; mas como o uegocio Ibe parecene
lerlo, tlrou o caaaco e poz-ie a paisear.
Ello que se chama eagrimir franeexa,
disae victoriosamente Uelphe^or ; mas aqui eis
como nol haveiuo9coui isio. Marquea de llo-
v l-iv mostr um pouco a estes lidalgos quin-
to aei irabalhar.
O inarqucz alacou mestre llelphegor a pe fir-
me... bra um esgrimidor cxcelleute, e afa-
mado ; logo ao v-Jo Uellerose se aplaudi de
Carlos t-lo antes tomado para padrlnho do
que para rival.
ELEiTORES DA FRECUEZIA DE S. PEDRO
MARTYIl DE OL1.NDA.
Os Senhores:
Taante curunal Manoel Antonio dos
PassosoSilva 415
Dr. Nuuo Ayque de Avellos de Brito In-
glez 423
Dr. Jos Cerdoso de Queiroz Fonseca 412
* Francisco Juaquim das Chagas 410
Tenente Jos Eustaquio Maciel Monteiro 409
Bernaidino de Sena Das 407
Cip-lo Boavenlura de Mello Castalio
Branco 405
Professor Salvador llonrique da Albu-
querque 404
CapitSo Manoel Estoves de Abreo 403
i Francisco Luiz VirSes 402
s Antonio .Joaqnim de Almeida
Guedes Alcanforado 401
Tenente Francisco Martins dos Anjos
Paula 400
Tente Manoel da Porciuncula Ferreira 395
a Chrisjjovlo Pereira Pinto 390
Alfares Antonio Lobo de Albertim de
Miranda llenriquas 386
l.-n.'.nn Eduardo Daniel Cavalcauti
Valles 382
Proprietario Jos de Mello Cem de An-
drado 376
THEATRO DE SANTA IZABEL.
Muilo'nos enlreleve eenlevou urna cor-
respondencia ,que debaixo desta nossa mes-
is epigraphc appareceu transcripta no dia-
rio de quarta faira assignada pelo -tbeologo.
Fn na verJado um vumilo espantoso; e
lomos obrigados a crer, qua seu auctor ten-
do para islo i'svaziadoos*sous oiresde v-
nho, estava no caso de poder da-los cheios
do orgulho a alguns actores do Santa Iza-
bel. Nislo achamos-lherazSo O que porm
nos sorprendeu e bsstanle admirou fui o
simn com que esse alguem alirou-se abo-
.-...ti ni ni a inoit i..-.". 11 .lo um artista, com
quem o rabiscalor nSo simpalhss, dando
Ibe o mal cabido titulo de aventureiro, sem
se lembrar que ha muitos horues, e que
Smc. lalvez anda venha um da a coiitsras
suas aventuras. Ora dizei-mo que mal vos
fez Germano f S sois cmico, nenhuma at-
tencSo merece o q.ie escreveis, poisque
u.io passa de intrguinhas de bastidores, so
sois liouiein do posicS, para que vos pro-
pondes a oceupar o papel mais vil e degr-
denlo, qual o de calumniador? Selinalmcn-
te he falta de merecimento arlistico,que en-
contraste em Germano, e dah nasceu a vos-
sa anii,i iliiia o aversSo para com elle, enlSo
podis gloiiar-vbs de que sois o ; mor aliar-
latSo do secuto dezaoove. E prestes a reti-
rar-vos o feno, convom quo vos diga, que
nem s a Capunga esta apta para ser o Dies-
tro do crpulas e devassules ; e que pira
scloios dessas scenas nenhuiis uielhores
que esses, que se oslentam inimigos do Ger-
mano.
O Maraa.
PRACA DORECIFE 11 DE NOVEMBRO, AS
3 HORAS DA TARDE.
coTAC,ssorricia.ES.
Cambio sobre Londres: a 28 3|8d. 0d|v
dinneirode contado.
ALFANDEGA.
Rendimenlo do dia2a 10. .'W-?,0?
dem do dia 11.......85:474,484
. au: i I i i
Ella allusao reitllulo a Larloi a coragem.
*rinodo da espada que Belphegor, Ihe apre-
8eiilou, elle deu lo rudes golpes no mestre de
armai que elle correu.
Multo bem, meu ridalgo, se a coragem
upre a dcstresa, o conde Leo est vencido !
Ol combatentes estavam fatigados, o dia co-
nefava adespontar... O marques laopou-se ao-
bre uina eileira da lala de armas, e Beileroie
levou Carloa para o leu quarto.
Cbegando a eale lugar, o priiueiro cuidado do
comediante foi contar la odyisea de deigra-
cal, ao passo que ia destainpaudo o frasco de
Marasquioo. Pateado uo Palacio-Cardeal, u'u-
ma papa de Uoii-Kobcrt, um dos autores de
Hiclielieu, elle puxou da eipada cootra a pla-
tea, e ella rebellio o obligara a fugir. Um
inesquiuho socorro obtido muilo cusi do
cardeal o qual achara mais justo pencionar
Chapelaim, deu-lbe meioi de ganhar a IVoii-
teira de Milo, nena cidade elle le vira furca-
do a abandonar ale suas aifaiai.
Uellerose einpregou depois lodo o leu em-
pbaae para dele, minar Carloa a abandonar a
partida ; Carloi eitava rico, e devia por-aea
aalvo com aeu tneiouro.
Nio pono comprehender, dliia Uellerose,
que a genle le bala por urna princesa, aeuo
nal prcas de ihealro. Alem de se estar certo
Publicagau a pedido.
Illms. Srs. redactores do Diario de l'crnam-
'" -- II iv.-mo ah nessa capital algumas
pessoas, cujo genio miseravel e vil, s se
mantem derramando a sua ftida peconli
sobre o crdito de pessoas honradas, procu-
rando dessa maneira dar pasto sua villeza,
e ao mesmo passu nodoar o era lito daqucl-
lesque dolas seuilo lembram ; e como um
desses entes, e n um cumpl.-xo de insultos e
mentiras, que rhimou carta, dirigida des-
ss ao cmico Germano, asseera ser -eu o
correspondente desse Diario tiesta provincia
e ma sendo mistar mostrar a impudente men-
tira desse miseravel, rogo a Vs Ss. o espe-
cial obsequio de declararen! em as colum-
nas do sou jo nal e ao p desta ; sa om tum-
po algum escrevi, ou escrevo correspon-
dencias d'aqui, ou so sou o autor da que me
impulam ua caria a que me redro, e cujo tre-
cho peco quo Iranicrevam.
O correspondonto do Diario de Vernam-
tiuco, dessa provincia quiz cnxovalliar-te ;
porm como por c dizem que bu o !>r. Lo-
bato, quo aqui estove om cisa do Coima-
rSes, a conere beber, da cujas orgias, se
acha o Francisco do hotel no desembolco
de 600 a 700 mil reis. b.tou smente sa-

Knlao temos de haver-noi coin gente for-.
le ? perguntou elle ao inarqucz de itovedere. I do resultado, bate-se eul versos de Mr. Itolrou
Tanto Valeria combatir um gigante, res-I que he sempre urna bella enmpensacio.
pondeu o roarquex. Mas contaram-uie do ae- f
nhor, conlinuou o marquez dirigludo-se a Car- Aleindislo, conlinuou o amigo de Carlos,
lus, um rasgo de valor lio audaciuio !... iij tu partiste, como nina bomba do mel de nos
conde Salviali, accresceutou elle nudo-sr, nao) Mcalrc FelippeGruyu, teu reapellavel paleii
be um tigre ... atildo, eaua taverua sofre com iilo. (Juantu a
Marietta, faz-nie vergonua lllir-te dalia ; tua
Ingralidu val conduzi-la ao tmulo. Emlim
ellas rico, e deixarcs-te matar assim lie uma
fantazia, como qualquer outra. Assim o qure
vollarei para Franca com crep ao brajo, ma-
goado de ter servido de padrlnho a um impru-
dente; a um louco! por queja me vbne enfari-
nhar o ros'to, por que nao sou para ll mais do
que um miseravel hislrio, nao me julgas capas
de dar-te ao menos um bom consclho ? Meu
conselho he ene eu irei ter com os magistrados
e Ihes direl o lugar do desafio; accrescentarei
tomando a'cousa sobre miin, que tu me encar-
regaste de explicar la conducta a esse conde
Salviali; que nao he decente que elle te mate
depois de te haver entregue o aeu dioheiro.
He liso uma especie de recibo que no ad-
miti. Tu, durante rite lempo, gauhari a
Franca tornars a ver tea pai e Manelta.
Nao vejo o que me ponas dizer a Uso, salvo
se querea acabar j coin a vida. Mas a vida le
sorri, mas, repito, tai rico, e se o conde te
malar I...
Se elle me matar, tornou Carlos assentan-
do-ie a meza do comedanle, onde tracou r-
pidamente algumas linh -s, eis aqui um escripto
que conten ininbas ultimas vouiades. Prometi-
me, uellerose, execulalo ponto por ponto, pola
he um legado ugrado, jura-uie que nao o abri-
rs ii-ii m ni. Pars mesmo, e sem dar parte a
ninguem da minha morir, pois uo me anigno
acate acto.
Assiui tejuro, .lisie soleuiueuieule Uelle-
rose.
Agora, conlinuou Carloi entregando ao
172:407,573
Dn/hrregam hoje 12 ds not>*i&ro.
Barca ingleza- CoJumow- roercadorias.
Barca ingleza -- franeii dem.
Barca americana Hineiott, firinha do
Barc porlugueza -- N. S. da Boa Viagem -
f.tos de passageiros.
Patacho belga -Rosala -- fsrinhi de trigo.
Brigue ingle* -- Flent -- carvOo.
Escuna dinamarqueza Trion -- meica-
doriss.
lm|oriac.
Liverpool salera ingle,* (.'iiinnitiui, consig-
nada a Me. lalmontk G.: maulleaiou o ic-
gulole :
Incalas tecldoi de algodio, 2ditas dltai de
linho, 100 barril minlclga, I eaixa cha aJo-
hnitoo Paler h C.
2caixas tecldoi de algoddo, I dita dltai de di-
to, canal e lenfos de Moho | a Bruno Praeger
rlC
e fardoi tecldoi de linho, 91 calxai eS2 far-
dos tecidoa de algodio, 2 caixai e 3 picotes dl-
toi da la.-i. i20gigoi e i barrica louca, SO bar-
ril mantriga ; a Ruisell Merlors it C.
iO tanto, e canas tecldoi de algodio, 4 pi-
cotes dlloi de linho e I dltoi de laa ; a James
Crabtree i C.
I caia tecldos de lia, 100 dilai folhas de Hiu-
dres ; a ordem.
24 fardo e 23 callas teeldoi de algodo, I
fardo ditos de linho ; a Fox Brotben.
a calxai chapas de cobre ; a A. V. da Silva
Barroca.
15 calzas tecldos de linho e Jardos ditos de
algodio ; a Jones Patn St C.
i barrica ferrageus, 3 calas chapeos, 100
barra ma melga, 50 fardos e 3s caixai lecidoi
de algodio, 1 dita coin doui poi de canleiro
para garrafal, I dita faienda de moda, I dita
nimi. / is I dita tecidos de lioho; a Ht-ana
Y.Olla Si C.
50 barril mantelga; a Teixeira bastos.
II .-lisas bataneas, i ditas qurijns, I barrica
presunto, I dita sal, I calxa conservas, 5* ditas
e 17 fardos tecldos de algodo, I dita ditos de
lia. > dilai mludezas, I embrulho relogio de
ouro ; a Adamson llrele Si C,
18 caixn e 10 lardos tecidos de algodio, 1
barrica com 1 pedra |de sepultura ; a Rolln
Rooker & C.
35barrilferragem ; a brandar a BrandlskC.
61 fardoa e 45 caixas leoidos de algodio, 50
barril mantelga, 3 calzas lencos de leda, 5 far-
dos e 5 calas tecldos de linho, (i ditas Ao, 100
dltaa qucljos, I calxa malas, 50 laccoi pimenta,
J pacotci e 1 cala tecldoi de lia; a Me. Cal-
mo! & C.
I barrica louca, I cesto conservas, 1 cala
fatos; aC. C. Johuiton.
36 fardos e 25 calas lecidoi de algodio a
barroca <\ Castro.
20 caiaa e 3i fardos tecidoi de algodio; a
Manoel Joaquim Ramos Suva.
24 calas tecidos de algodio ; a II. Olbsou.
I cala tecldos de laa e algodio, 2 fardos di-
tos i\r a- -..I i... 0 oai.ai dito, do lloho, I oaixa
sel i-, e alibles; a A. C. de Abran.
i tardos c 21 calas tecidos de algodio, 13
ditos dito de linha 1 fardo esleirs, I caia a-
lelas, i dita conservas i a R. Roylc t< C.
4 barricas cuiellerias, I caia aelllns, i dila
um refe, 4 ditas couros lavrados, I dila ferra-
geus,- a E. 11. Wyalt.
3b' calas e t(i fardos tecldos de algodio ; a J.
Ryder &C.
i barrica cutelleria, 3 caitas balancas, I bar-
ril e 1 cala ferragem; a S. P. Johnston i C,
9 callas tecidos de lia ; a J. Keller 6t <'.
l fardo tecidos de algodio, 4 calzas dltoi de
dito e linha ; a Rusai Braga & C.
I ceato frutas; a F. W. Nosh.
' saceos eucoinmenda e amostras. a di-
versos.
i sacco toucinbo, 1 Oandre queljo, 60 quei-
joa, 30 presuntos, lo barril serreja, 4 dltoi con-
servas, 6 polcs uvas, 1 cesto farinha de arela, 1
dito plpino, I embruliSD palitos de fogo, I gigo
e I cala louca, 2 flandret cha, i caias moitar-
da, l embrulho medicamento!, 1 calxa cloc
machinas para fazer agoa de loda, 15 garrafal
carbonato de iodo, e lo libras de trtaro, acci-
do, 1 caixa ferramenla, I machado, 1 embrulho
eicopro, i dito Instrumentos de agricultura, 3
caixas blscoitc, I dita com machinas para lii-
par facas, 1 sacco pregos de composloio, I pa-
cote esleirs, i ceno frutas, 1 parole almaradas,
3 Inrrilinh.n carne e llngoa, 1 caUlnha com
urna boneca, 1 caia livros; ao capltio Goble.
Hlenos Ayres patacho heipanhol Procer, cuu-
siguado a vuva Auiorlin tt Filboi, manlfestou
o seguinte:
3,780 quintad hespanhes de carne aecca ;
ao. inesmos consignatarios.
Portoi do norte vapor nacional Paraenic, ma-
nlfestou o seguate:
23 rolos salsa ; a M. C. fereira dos Santos,
30 ditos dita ; a Urandio St Duguea.
1 baba e I pacote pellas ; a Benedicto.
I caixa fuandas: a Nicolao Bruno.
Trieste imnaca belga iroi*lie, consignada a
N. O' uieber St C, manlfestou o seguinte:
150 cunhetei cornado; a G. I. Aslley a.C.
2:050 barricas farinha ; aoi mesmos consig-
nalrros.
CONSULADO CEIIAL.
Rendimenlo do dia 2 a 10 .9:065,850
dem do dia 11........1.482,740
11:448,590
DIVMISA8 PROVINCIAS.
Rendimenlo do dia 2 a 10
Idemdo dia II. ....... .
270,134
101,496
371,630
"------------------afcgSjSi5Mai'l'J ._ -
amigo o papel depois de lacrado. Bellerose vez
este ouro, este ouro he pief o de jogo, este ou-
ro me peza ; quero que elle sirva ao meaos de
consagrar por urna eterna lamb.un a o a. om- -
cimento mais importante da minha vida. Tu
leo ai iiiinhai lnilruc(dei, e ai leras. Se eu
sobrevlver, le fugir, ininbaa Inlencei ticio
sendo ai meninas. Depois do resultado deste
combate dereri partir com este ouro- che-
gando a Pris riberas em que o deve empre-
gar. Confio ein la palavra. Ignoro qual o
desfecbo do meu encontr coin o conde Leo
dalviali, mas amo aqui uma pessoa que espe-
ra esse resultado com agona se eu morrer tu
Ihe dars parte do que elle escripia conlem.'
Descobrindo aiam la inaia aecreta ferida a
Uellerose, (.arlos ealava commovido elle cborou'
Engaar a' confianca da duqueza, trabir aua
palavra, e correr a ene desali fatal Ihe parc-
ela quasi um crime.
Uellerose nao ouxava prrguntar-llic nada, c
por que ai hora] lnslavao. A voido inarqucz
de itovedere aoou logo atrave do delgado re-
partimento que leparava o quarlo do comedi-
ante da talla de .mus. O dia vioba naiceodo,
a aurora alumiava o campanario da grande pra-
ca. O.cano do marquet de Itovedere eslava
prompto, elle levou logo a Carlus e Bellerose
para a porta de Sao-Callo o lugar do desali.
( t'oiil.Hunr-sc-/.n. )
i
I
r


-I.
i:<|)Oi(ur:i<>.
Liverpool por Macei gileja iogleza Boni-
ti, da 389 tonelada! conduzio o a-guinte i-
1560 volumes cun 8,383 arroba) o 18 libraa
Oeaasucar, 499 suecas cum 12,8*8 arroDis
e 14 libras de algo 13o.
Rio de Janeiro, brigue nacional Recife, da
226 toneladas conduzio o seguinte :--6,ouo
coos com cisca, 983 molhos courinhos, 960
nu'i.is soll.1, 1 CaixSo espan idores, 30 pipas
agurdenlo, 436 duziasCOCOS do babor agua,
1,900 saceos assuoar.
Pareh jln, blale ConceicSo Flor das Virtu-
des de 26 toneladas conduzio oseguinte :--
21 voluntes fazendas, 38 ditas ferragens, 40
barricas farinha de trigo, S barris uianlei-
ga, 9 calzas espingardis, 18 volumos miude-
zas, 4 saccas c.f, 25 pedras de amolar, i pi
pa vinagr.
ItKCKBr.lllllllA DE RENDAS 1NTERNASCE-
HAES DEPERNAMBUCO.
Rendimentododiall.....499,745
CONSULADO PROVINCIAL.
B.ndimentu dn dia II. 1:474,305
Movimiento do puno
Continuafio das miradas do da 10
Rio de Janeiro--S8 dias, tingue brasileiro
Sagitario, de 266 toneladas, capillo Jlo
de Dos Pereira, cquipasem 13, em lastro;
a Viuva de Carneo & Filho.
Navios entrados no da 11.
Para e porlos intermedios 17 dias e 9 llo-
ras, e do ultimo porto 15 1|3 horas, vapor
brasileiro Paraense, de 200 toneladas ,
commandante o capilSo de fragata Costa
Pereira, equipagem 30. Traz a seo bor-
do, para esta provincia, Nicolao B uno ,
Mauoel Comes Castro Paiva Joaquim
Lopes Raymuudu, alteres JoSo Paulo do
Miranda, com sua senhora, sua cunhada e
2criados, Joaquim Ignacio Pereira Joa-
quim Ignacio Pereira Jnior e 1 escrava ,
segundo cadete Jos dos Santos Corris
Jnior, Miguel Beaevides Seabra de Mel-
lo, Fernando Cerqueira Carvalho, Mano'l
Pereira de Araojo, e Jos Antonio Pereira
Cuimarfles : para O Macei 1 desertor
du 13.0 batalhSo : para a Baha, Joaquim
Jos Fulgencio Carlos de Castro, com toa
sonhora e 3 escravos : para o Itio de Ja-
neiro, o coronel Antonio Jos de Carva-
lho, alteres Luiz Edurdoda Carvalho, ca-
dete Jos Anastacio de Carvalho, Isolda-
do do 5.' balalbo de infantera, I). Maria
Luiza da Concejero, cOm suaillha, Ange-
lo Fraso da Costa Manoel Alezandre
Garca, Joaquim Aniones de Oliveira, 1
recruta para o oxerciloe88 escravos a eo-
tregar.
Navio tahido no mismo da.
Lisboa galera portugueza Margtrida, ca-
rua dos Peleadores n. 11; rus a Calcada na.
90, 36 e 38 [ ra das Cinco Pontis ns. 70 e
H8; ruada Viraeo ns, 7 o 9 ; travessa de
S. Pedron. 9; ra de Hortas n. 83 ; ra de
Santa Therexa ns 4e? ; ra da Roda ns. 3,
5 e 7; ra do Cilabouco n. 2; rna do Senhor
Rom Jess das Crloolaa ns. 8et7; ra da
Clorlan. 85: os pretendenles comparcoam
na sala das aessOas desta a JminislracSo nos
disa aprazados, companhados de seus fia-
dores, ou de cartas destes.O escrituraria,
F. A. Cavaloanli Coutieiro.
REAL COMPANHIA DE PAQUETES INCLEZES
A VAPOR.
No dia 20 desta moz espa-
ra-se doSul o vapor Teviot .
commandante Onalow.o qual
depois da demora do cosi-
me seguir paraos pollos da Europa : para
passageiros, t'ala-so em casa da agencia,
na ra do Trapiche Novo n. 42.
-
ii.n.o
mesas redonda para sala, cadeiraa, ditas de
halanco, banquinhas, marquezas, comino-
las, calza de xirflo com lizas para voltire-
te, sultn, quadros, jarros, cortinados e
langas para jauellasde s.la, banquinba de
cmara, guarda-livros livros impressos,
msicas dos inelhores autores, oncaderna-
das, aparador moderno, louca de porcelana
completa para mesa, spparelho de metal pa-
ra cha e caf, oculoi de thoatro, toilet, se-
cretaria, um jago completo de pistolas em
caixa, baca g-ande de rame, escrivaninhas
de viagem, urna cabelleira pira seobori, e
urna pedra de liltrar, etc. t^s^swsm
Aviso diversos.
pililo Silveriu ManoH dos liis, carga is-
sucar e mais gneros Passageiro brazi-
leiro, los Cuedes de Alhuqneniup.
PITAES.
O Dr. Custodio Manuel da Silva GuimarSes,
juiz dodireito da priJieira vara do cive
e do commercio nesta eidade do Recife de
Pernainbuco, por S. M I. e C. o Sr. D. Pe
di o II., que Dcos o guarde etc.
Fago aaber aos que o presento edital vi-
rom, que no dia 23 do crente mez, se hade
arrematar por venda em praca publica, que
ter lugar na osa das audiencias desto jui-
zo, a 1 Hora da tarde os esclavosseguintes :
Mathias deni(3o rabolo, que represents 35
annos, do servio de ganhar na ra, avahado
por 500,000 rs ; e Pedro cibr, que represen-
ta 35 annos.do servido ile gannar na rna ava-
llado por 350,000 rs. por estar doente, pe-
nhora los a Umbelina CauJi la de Mello, por
execu;8o de Isabel Joaquina .Moreira du Car-
valho. E para que ebegue a noticia de to-
dos, um iid. i passar editses que serio alixi-
dosna praca do commercio, e na casa das
audiencias, o impressos no jornal.
Dadoe passado nesta cidado do llecife do
Pernambuco, os 8 di novembro do 1852.
Eu Manoel Joaquim Baptista, escnv3o interi-
no o escrivl.
Custodio Manoel da Silva Gulmai&es.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria
p'ovincial em cumprimento da ordem do
Ezm. Sr. presidente da provincia de 8 do
correle, manda fazer publico, que nos dias
23, 34, e 25 do mesmo ira a praca para ser
arrematado parante a juula da fazenda da
17 RECITA DA ASSIGNATURA.
SABBADP 13 DE NOVEMBRO DE 1852.
Depois da ezecuc,!o pola orchestra, de
urna linda ouvertu'a do Ligo das radas, de
Auber, subir 4 sceua a inloressanlissiina
comedia em 4 actos,
DUQUE DE R0UEL\UltE,
ou
O homcm mais feio da Franca.
Personagens e actores.
O duque de Roquelaure J. A. da Costa.
Helena, baroneza deSolanges-- D. L. Orsat
Mendes.
O cavalleiro Narciso Vert Pignon L. A.
Monteiro.
Madamesello do Navaillcs, vico-regente das
damas de honor da rainha D. M. Amalia
Monteiro. ,
Madamesello deCsvIus -- D. Carmela Lucci.
Candal, eapil3o de dragOes-- M, J. Mendes.
Guebriand -- A, Jorge.
Olivler, pagern do rei '- J. J. Poreira.
Damas de honor, pagens, etc.
Esta comedia be muito notavnl pelo seu
engenhoso onredo e extraordiuarii grac ,
sobretudo dos tres papis, que sero repre-
sentados pelos actores Costa, Monteiro, e D.
M. Amalia. S o distinclo merecimento des-
ta comedia explica a grande despeza que te-
ve a empre/a para faze-la subir scena.
Em seguida as senhoras D. Manuelita, e
D. Carmela Lucci, cantarSo a muito applau-
di l modinha
Tenhoainda umcor?$ao.
Terminar o espectculo com a comedia
em 1 acto,
U duello no terceiro andar.
Personagens e adore?.
Mr. MoufteC-- F. do S. CuimarJes.
JuliSo Amodo
Madame Mouflet D. M. Amalia.
Carolina -- II. F. Knoth.
Mr. Philomela Raymundo Jos de Araujo.
Coco Rozendo.
Principala as 8 horas.
Os billietos acham-se venda no escrito-
rio do theatro.
Os bilnetes do terceira ordem om Iquonto
son3o : un iniciar o contrario -erSo vonJidos
a 6,000 rs.
ajj.L. J___tm
Avisos- martimos.
Para o Uio de Janeiro.
Segu viagem o brigue urazileiroMarian-
nu, capitSo Jos da Cunha Jnior, quem no
mesmo quizer carregar carga, escravos', ou
ir de passagem falle com o dito ca. ilSo, ou
com Manoel Ignacio de Oliveira na praca do
commercio n. 6. _
___ Para o RO de Janeiro sane
com muila brevidade o brigue na-
mesma tliesouraria aquem maior precoo-lcional Sagitario, O qnal j tem
ferecer as propriedados baixo declaraWs |naj8 e ainetade da C irga nrompta,
que furam adjudicadas fazeoda provincial ,., -srra_
para pagamento do sello da heranc do para o reato, passageiros, ct.su
nado Jos Ramos de Oliveira. vos a frete, Irata-se na ra do Uol-
Um sillo denominadb--doManoel-isto na ,_ ,lreJn iidnr mi COtn
estrada de lome de llclioa, com casa de vi- legin. 17 segundo andar,,nu com
venda, coxeira, estribara, senzsla,e arvo- 0 capit5o ,J0ao de Dos rereira
redos de dierentes frutos, avallado em ^^ Q ^ df janer0
6 .Kno'rada de caaa terrea junto ao dito Segu impreteriveluieinte no.dia 14 do
sitio, com seu quintal e com alguus arvore- correte, o tingue brasileiro FIOT 0 aiOf
dos.av.li.da em 2000,000 rs. para passageiros e *JX2
Urna dita na ra da ponte Velli. do b.irro que tem **g2*"3ft!^tt
da Boa-Visla n. 16, com urna meia agoa nos com seucousignat.no Jos Candido de uar
fundos, avahada em 3.000,000 rs. ros, na ra da Cruz D, 66.
i; m dita em S. Amaro do hairroda Boa- Para o lito de Janeiro
Vista com seu competeute terreno junto, a- segu viagem por estes dias o muito ve-
valiada em 2:000,000 rs. leiro palhabote ous Amigos : quom no
Os pretendenles compare? nos dias a- megm0 quizer carregar, podo onten ler-se
cima indicados o meio dia na salla das ses- COm seu consignatario, Francisco Josc de
sdesda niesma juntl. MagaltiSc.s Bastos, na ra Nova n. 37.
I", para constar so man Ion afUsr o presen- ..|>art Ro de Janeirosahir com a maior
te e publicar pelo Diarlo. brevidade.o bem cbnceiluado brigue Paque-
Secretana da thesouraria provincial de i0 de Pernambuco; recebe carga e eacravos
Pernambuco 9 de uovembro de 1852.- O se- frete, e tem acaia los commodos para pas-
cretario, Antouio Fernir d'Annunciacao. sageiros: quem preten ler qualquer das cou-
sas se poder diiigir a seu propriotano
Manoel Concalvas da Silva.
* Para a Babia aahe impreterivelmanle,
sabbado, 13 do co'renle, por j ler a maior
O cscrivSo actual da irmandadedo Sr.
Bom Jesua das Dores em 8. Concalo, faz
sciente a lodos os irmaoa da mesina que ten-
do dse proceder eleicBo para nova meza
no dia 14 do correte pelo prezente os con-
vida para compareccrem em o referido di
s 9 horas da manha o.n nosso consistorio.
Altenco.
TendooSr. Hinoel Luiz de Abreu, feito
publico pelo n. 951 desle jornl de 6 do cor-
rente, queeu Ihe hvi lirado no da 4, de
sua carteira um recibo de saldo de conlas
entre mime elle, e novsmenle declarado
em o n. 252 de 8 do crrante que dito recibo
havia appaiecido entre seus papis, emen-
dando assim restituir-me qualquer descr-
dito que por ventura me tlvesse accarrta lo
aquello aeu pnmeiro annunno, cumpre-me
declarar por minha voz que tal recibo nflo
existia ao lempo daquelle pnmeiro annun-
co do Sr. Abreu pelo que tl faci, quo fol
todo calumnioso nunc se deu, como se po-
der ver do recibo gora existente em podor
do mesmo Sr. Abreu que he de dad de 7
do crrenle, quando a instancia d esta e de
minha familia e mais pessoas Ihe del quila-
cSo de pago com a unic obrigasSo de o
Sr. Abreu pagar no Rio de Janeiro ao Sr.
Balthararde Andrada Monteiro, a quanlia
de 50,000 rs., que Ihe eslava cu a dever, o
que igualmente declaro par todo o lampo
ao publico constar.
OSr. L- Bruguiere, temi a fazer urna
viagem n.ia a Europ, deix procurado pa-
ra reger os negocios do sua cs .seu cunba-
do o Sr. A Begord.
Apessoaque pretende comprar urna
loia do miudez.s, sondo .inda 11S0 tenha
comprado.falle na ra da Penlia taberna da-
quina por dcbaixo do obrado nue Ihe dirflo
quej vende urna loja muito afreguezada, e
o motivo davenda so dir ao comprador.
Lotera de Aossa senhora
do Rosario.
Jardim das Damis.
Sabio luz o numero 11 deste peridico
contendo como todos os outros, materias de
instrucfo o de recreio, Acompanha-o um
lindo figurino mostrando as ultimas modas
de l'aris. Para a semana sabir sem filta o
numero 12.
- Precisa-sede 200,000 ris a premio pe-
lo lempo de tres 111er.es dando-so firma
contento : na iua,da Senzalla Nova 11. 39.
Os senliores acadmicos do quinto li-
no silo convidados i comprar.aa litis daa
suas cartas de doutor, no aterro da BSj-Vis-
ta n. I; cerlu de que charSo nessa loj mo-
dicidad de prego c qualidade superior.
Bazar, ra do Vigario 11. 4.
Neste esta beleci ment se acha presente-
mente um sortimento de fazendas francozas
a mglvzas todas as quaes se vendem a reta-
Iho ou em porfOes ao gosto dos comprado-
res, pelo preco de atacado, tambem se acha
mantas de linho muito lindas, para monta-
ra, palitos linios, urna machina galvnica,
muito lindos quadros, un pintados a oleo
e outros de estampas, um cabriolet em es-
tado perfuito, e muilos mais objectos que
por faltada espidonSo se pode particula-
rizar.
aguerreolypo .
No atorro da Boa-Vista, sobrado 11. 10, ti-
ra ui-se retratos a daguerreotypo, das 9 ho-
ras da manhSa as 3 da tarde ; tambem vam- t
se tirar em casia pirliculires. Copiam-se
retratos de daguerreotyuo para miniatura
com exaclidBo ; existindo para os meamos
retratos calzas e quadros de gosto particu-
lar.
Oanaixo assgnado, residente na Ba-
liin, avisa ao Sr. Daniel, na libado Fernan-
do, quo nesta ci lade declare q m 11 suas ve-
zes laca, para receber a importancia que o
111011 o ,.si 1 lhe|deve.--Jos Pedrer do Canto.
*>
aV- mstem mr-m-" m m rms%. V
>
--O grande Hospital de Caridade tem
preoisSo de umt enfermeira para o mesmo
hospital: quem quizer occupr este empre-
go,dirija-so ao mesmo no lugir dos Coelhos.
--Precisa sa do um ruoleque com prin-
cipios de cosioha, para um casa francesa :
no Atierro da Boa-Vista n. 1.
g
9 Urna pirda moca de bons costures O
9 sa offerece para ser empregada em 0
9 costuras, em alguma cas particular, 9
tj ou loja de alguma senbora modista ; 0
*v uiii'iii percisar dirijasa ao becco da
9 .iratBo, olido de S. Pedro confron 0
a) le ao lampiBo n. I.
-- Aluga-80 a salada frente duprimeiro
andar da ra do Collegion. 9: a fallar na lo-
ja de fazendas da mesma.
Ni ra Nuva n. 26, precisa-se de oll-
ciaesde alfsiite, tanto para obras grandes,
como para minias
Precisa-se alugar urna cosinheira : na
ra do Livr monto 11, 38.
rjjuer-se alugar um bom escravo que
saib cosiohar, para servir em cas de ho-
1110111 solteiro : na ru Nov, loj de ftzen-
disn. 42, drfroute d Coocelcilo dos mili-
#
^ O consultorio homoipalbico da rui B
etj
S CO.NSUTORIO HUMEOPATHICO. 0
0 Ra do Trapiche o. 9. >
O Dr. Casanova, estando de volta da a>
Franja, tem aborto o seu consultorio 0
na ra do Trapiche n. 9,no Hotel Frn- fc
ciaco, aonde d consultas gratis aos i
0 pobres todos os dias. (
0*0S00|i0S Precisa-so ilugar um pret 1 para servi-
(0 de portas dentro desta typographia;
quoni o livor para ilugar pode dirigir-so a
livriria n. 6 e 8 da praca da Independencia.
!
Compran.
Compra-so una venda ms fregueziasde
S. Antonio ou S. Jos que tenha poueot fun-
dos : quem quizer fizer este negocio anoun-
cie sua morada o dlrija-se ao Forte do Nat-
os rui do Burgos n. 31, que abi ae dir
quem compra.
-Compra m-se escravas e vendem-se re-
cebem-so de commlssSo, tanto para a pro-
vincia, como para fra della: na ruado)
Quarteis n. 24, segundo andar.
Compram-se eseravos de ambos os la-
xos, erecebem-sepan venderem-sedecom-
mistSo : na ra Direita n. 3.
Na ra larga do Rosario, toja de louca
n. 28, se compram dus venesianas em bom
do Trapiche Nov numoro 15, dirigido (t estado.
Com rain se Diarios a 3,200a arrobi :
na ra larga do Rosario n. 9.
(Jotnpram-se costados de ma-
deira de louro, amarello, e sedro
da Cadeia do
pelo Dr.Pires Ramos Jnior, foi trans-
9 terido pira 1 ra da Cadeia do Recife
0 n. 41, no segundo andar, por cima da
4 loja do lllm. Sr. JuSo Cirdozo Ayres,
a] onde ja fui o consultorio do Sr. Dr.
a) Sabino, ah so encontrar carteiras
0 com medicamentos homcaepalhicos,
4 tubos avulcos, tinturas de qualquer
dinaiiiisic.io, e tambem se refazem
aquellos queesliverem deteriorados.
Propagaudas hooiceopattiicas do lllm.
irui |ii)ii;,iii.- na ra
itecife n. a3, se dir quem quer.
Compram-se escravos de 10
a 2 5 minos de i da Je : na 1 na do
Sr.brrsabino, pelo p'reto de 1,000 rs. 0 Vigarion. 19, segundo an lar a
cada exemplar. Estes medicamentos 0 traUr cam Machado ck l'inheiro.
m s3o preparados com todo o cuidado, 0
a) ej experimentados pelo Sr. Dr. Sabi- 0
<1 # u "" sua long clnica, sendo os re- 0
* tlOMEOPATHIGA. 0 sullados os mais felizes; todas as car-
01 9 teiras que sahirem deste consultorio
28 RA DAS CltUZES 28, f Iovr3o a firma do Sr. Dr. Sabino. As
Dirigida por umpharmaceulico 2 i | consullas s3o das 8 lloras do da at
approvado. ] I trJe; dePls deslaa n?r" s0
Esteestabelecimento posaue todos o pdenlo procurar na ruii da_ Cruz
- Compram-se escravos de ambos os se-
os, para dentro e fra da provincia; agra-
ando paga-se bem : na ra eslreiti do Ho-
ario n 28, segundo andar.
Vendas.
os medicamentos at agora experi-
mentados, tanto na Europa como do
Brasil, e preparados pelas machinas 0
da inven;3o do Dr. Mure.
0 do Itecire n. 50, segundo andar,
0 0sfl**?P*J> ?*S#*f9f98S
__u,n-ni tiver urna escrava, mesmo de
idaJe, e queira alugar para o ordinario
t
Carteiras de 12 tubos at 160, por 2
precos viniveis, contormo a quali- 2
dadedas c.uxas, a quintidade dos re- <$
medios e 8Uisdynamisa(0es. 0
Urna carteira com os 24 principaes 0
bras 0
os y\
i\ .l ;.o l,.i i lnii'i-ii sn- '0 remedios homopathicos e 3 o
thesoureiro desta lotera an ,w uiffer8nl0Si nll,;pei,fei piia
milicia, que as rodas andam no uia > principiantes que snquizerem con- ^
no consistirio da? "
a5 do corrente,
igreja de Nossa
Senhora do Li-
vramento, ainda que fiquem por
Declaroyoes
Crrelo. parte de seu carregamento promplo, o ni
O vapor Paraense paito par os portos do ,e nac01| i.jgeiro, forrado e pregado d
sul, boje es 4 horss da tarde, as correspon- co|pr( pari0 ret0 0 passageiros, trala-se
dencias deveai ser eutregues ao meio da, e M pug do Vjg,r0 n, 5.
depoisdess hora serao lemettidas com o ('ear Maranllio.
porte duplo, os jornaes deverSo ser entre-
gues 3 horas antes.
Segu em poucos dias, o bom conhocido
'"- Porania o Sr. Dr. juiz do civel da 1 va- brigue escuna Laura ; para carga e psssagti-
r. desta cid. la, se h.de arrem.tar boje 12 ros, trl-.e con. o consnala o Jos BiP-
docorrente. uu. cas. t'roa mei. agoa si- tisisi da Fonsec. Janior, ia rus do Vigar.o
t. no tr.vess. d Senzalla No.a n. 14, per- n. 23, ou com o_cspiUo ns prici.
guesdeAlmeida. aqual fura avahada por Curun.e t or ja ler ps rte ds c,irt |J o
4U0.000 rs.: quem pretender dirija-se a sal- resto e psssa Bei r o, tr ta-ae n .ra ua La
J. das su lieocl.l nos di.s referidos. deis do Recite n. 49, fr me.ro andar.
Pe i sub-delegcia de S. Antonio foram rara O Ceara
adiados sem guia 2 cavallos, um russo pe- Sane com muita brevidade 0 hiala Augeli-
drez e oulrocastanho :quem se julgar com c( qUej iem pirtedi carga, e rara o reste,
direitoa ellescompireci. tri'ti-se ni ra da Cadeia do Recife n. 49,
Banco de Pernambuco. Primeiroandir,ouuo trapiche do algodo,
Osdescontos conllnuam a 8 por cento como mestro .unir no
aoanno, pprlelrasit 6 mezes. Compra e --l'ra o Rio Crile dobul "gui" no
vende. le tris sobre o Rio de Janeiro, de di. 15 do correla o nrigue icionid Pm-
qu.luuer qu.ntia ea prazos rasoaveis. T.m- peiro, de bo. ma.cb.; recebe slgoms wig.
bem recebe dlnheirSs apremio de 5 por a frete e ""/" ^'^l
cento lo mno, a nJo menos de 6 mezes de excellentes commodos: lnct.-se no esertp-
prazo. Banco de Pernambuco 6 de novembro torio do Ballh.r & Oliveira, na rui a .
de 1852 O secretario, M. I. de Oli- dei do Recife n 12. ^
Leiloes.
veirs.
A ad mentos de caridade, manda fazer publico,
qu nos dias 15, 18 e 22 do corrente, pelas
4 1|2 horas da larde, serSo arrematadas, a
O agent i Olivein nSo lenio podido por
falta de lempo, e pela mulliplicidade de ob-
)uem mais der, as rendas das casas ibiixo jectos, concluir o lelSo de mobilia, na casa
celeradas, pelotempo quo decorrerdo pri- onde morou o Sr. Gustavo Jos do Reg,por
meiro de*janeiro prximo futuro a 30 dejn- detraz do palacete do Ezm. BirfiO da Boi-
Dho de 1854 :Roa da Moeda n. 31 ; ra da vista, ra da UnISo, continuar o mesmo.u
Lapa ii. 8: rpa do Pilar ns. 73e74 ; ru No- indieda cas, sabbido 13 do correle, s 10
va ns. 43 e 45; rus do Padre Floriano ns. horas da manhlaem ponto, e vender sem
17 43, 45, 47, 49 e 63; ra do Faguode a, limites em pracfls o seguinte: um magni-
32 e 34; trivessa de S Jos ns. 5, 7e11> llco pianno com mocho do mais lindo gosto,
vender alguns bilhetcd, e o resto
que existe eet a venJa nos luga-
res do coslume.
-- Aluga-so umi boi Cisi na povoa3ode
Apipucos, para so passar a (esta, com osse-
guinl s commodos, 3 quartus. 9 salas e co-
sinba (ora : a tratar na travessa da ra es-
trella do Rosario para o Queunado n. 39 A.
Joaquim Ribeiro, subdito portuguoz ,
retira so para tora do i.nperio.
-- Precisa-se da un caixeiro, de 10 a w
aonos de idade, para venda na ra do Kor-
Jos Francisco Lopes da Costa retira-
so para o Rio de Janeiro, levando em sua
companliia os seus escravos Ciudcncio,par-
do, Albina o cnsme, crloulos.
.- I uiz Comes Pereira retira-so para o llio
do Janeiro, o lava em sua coiupantiia o seu
escravo Luiz, pardo, menor.
Precisa-se alugar um moleque, propno
i ara o servico da casa do um hornero soltei-
ro : na ra da Cruz n. 21, primeiro andar.
Traspassi-se urna hypoteca de una ca-
sa nova, na ra da Gloria ; a possoa que pro-
tender, dirija-so a ra estreita do Rosario
Ollerece-so una ama preta, forra, de
urna conducta oxomplir, pin o servico in-
terno o externo de una casa, a qual cosinha
softnvelmeiit, liva de sabSo o birrel, e
ongomma : quem de sou prestimo so quizor
ulilisar, dirija-so a ra do Vigano n. 20, se-
gundo andar. .
No lia 17 do corrente moz se ha de ar-
rematar, depois da audiencia do Sr. Dr. juiz
municipal da segunda vara, urna pequea
cas. terrea de pedra e cal, sita ua puvuscSo
do Monteiro, freguezia do Puco da l'anella, a
qual tem um telneiro no quintal onde tom
cacimba, tendo pequeo quintal murado
com co, redor que da salud para o rio, pe.-
uhor.d. i Jo3o Francisao dos Santos Siquet-
ra, por execu3o de Manoel Custodio Peizo-
loSoares, e he ultima praca.
-- No dia 17 do corrento mez se ha do r-
remilar, dapois di ludieucia dp Sr. Dr. juiz
municipal d segunda vara, a renda annual
de un sitio, n freguezia do Poco da Panol-
la, a margem do rio Capibaribe, que oi de
Francisco de Paula Lopes Res, ebojeper-
lencea Jos Fraucisco Belcm o D. Manauna
Ferrcir Duirte Res, cuj renda annual se
acha avallada em 150,000 rs., (icaado oliri-
gado o airematanlo a tazar todas^i obras.e
oncertos a sua cusa, lio a ullima praca, e
a requerimentodo dito Belein.
-- Arrenda-se c armazem da casa da ra
do Vigano n 11, e parte do primeiro andir:
tuta-se na mesma no escrlplono de F. A.
da Cunha & Companhia.
-- No escriptorio da r. A. da Cunha &
Companhia, na ra do Vigario u. II, existe
urna crl para O Sr. Jos Antonit
veira.
-- Virginia Falque relira-se para o rio
de Jaoeiro, levando om sua companiiia ss
suas escravas .Luiza e Mari com urna cria,
mulatas, Catbarna, Do olha o Alcxandie,
cabras.
precisa-so alugar urna prela captiva ou
forra, para o servico de una casa : na prar;a
da Independencia n. 34, so dir quem a pra
tende.
Ao anoitecer dodialO do correte do-
ga puarecera m ou lu La ram dous q uarLtos cas-
trados, sendo um caslauho e outro pedrez ;
ambos pequeos com oferrolCRn p di-
reita ; quem dellcs der noticia ser recom-
pensado : na travessa do Queimado, laberna
n. 3.
Bernardino da Silva Campos retira se
par fra do Imperio.
___ (Js credores de Marcolino
Jos Ribeiro, pdem receber um
dividendo: na ra da Gru n 49-
u abaixu assgnado, rogo ao Sr. Dr.
Antouio Joaquim Figuriredo Seabn, dme
vir fallar sobre o negocio que esta encarre-
gado, de cobrar os u,eus ordenados de cai-
xeiro dos credores do fallido Marcelino Jos
Ribeiro, e se nSo viar no prazo de 21 horas
OoarfiO som trTuito tolo e qualquer papel
passado por n.im ao Sr. Dr. Seabn, para re
novar o papel que eu pssei, visto n3o lar
recebido a importancia de 50,000 rs. que o
\dito senhor licou de trzer no da 9 de no-
vombro ; e roga-sa quem competir que nao
pague sem queeuestej preseote.-Msnoel
Cabral de Modeiros.
Antonio Moitinho da Silva relira-se
para Portogal.
vencer da verdade da nova medici- S
na ; contend) alm de mullos con- 2
seibos dioicos, a pathogenesia de ^g
48 medicamentos por 25/Ou, sg
Tubos avulsos (cada um) l/ooo 0
Tinturas de todos os medicamen- 0
tos em frascos de l|9onQa 31000 0
AVIAM-SE GRATUITAMENTE ,
W pira ospobres,todas asreceitasgue 2 n>Sul*tamenl.e
* paraali mandar qualquer professor. ^ 'mios as loias j annunciadas,
J Na mesma botica encontrar-se-lia M Dllieic 083, a;ooo,000 TS.
S sempreum grande sortimento de Ii- 0 u,,,,cl^ t" *! '
^ vroseinporluguez c francez, o om- 0 llhete inteiro 5lJ1 200,000 rs.
> lim tudo quinto he neressario para 0
*>oestudo a pratica da hoinopalhia.
Lotera do Jlio de Janeiro.
aos ao:ooo,ooo e 10:000,000 ders.
Naloiademiudezasda praca da
11.11'-. O ,|iii,i,i plus"' ,"- w. .-..-, I
de um casa, dirija-se a ra do Moodego independencia n. 4 venaem-se
n. 29. billietes inteiros, meios quartos,
Precisa-se de um ama com bastinte .. "c.:. j
leite, e que leja isenta de fllbos. quem qui- pitavos e vigsimos, a beneficio da
zer annuncie, ou dirija-se a ra da Concor- 3. lotera do hospicio de Pedro 11)
dia. sobrado de vergas redondas ainda aem vem ,. fQ rmero vapor qUB
numero. n. \ *
Ocautelista Salustiano de k- chegar do B10.de Janeiro.
Bilhetcs inteiros 31,000
\>
quino Ferreira, avisa ao respeita-
vel publico^ que vendeu as lojas
do costume, os seguintes premios
da decima quinta lotera do thea-
tro de Nictheroy, e s3o pagos irn-
os rele idos

Quartos 2914/ 1:000,000 ders
i836, 4 0,000 rs.
4749 400>00 r8,
m i8a6, 100,000 rs.
i 2854, 100,000 rs.
a sSfir), 100,000 rs.
h 54oi, 100,000 rs.
5a2, 100,000 rs.
556G, 100,000 rs
N. B. Reformam-sc gratuitamente
a^ tolas as carteiras vendidas no esta-
W belecimento de cujos remedios, pe- ^|'
* la humidade ou por qualquer ou- ^ j
2 Ira causa tiverem sido deteriorados- <} |
->AA4A4**:AA*AAA*A**J!Ji 1
-~ Oabniau a.saigiindu jlur., m nua easa na
111,1 da UniSo, ondo morou oSr. Beruardu do I
O Mello; a entender se no patoo do Collegio !
n. 35. -C. Xavior Lopes.
-- Prccisa-se da um molcquo do 14 a 16 '
annos, para o servico de una casi d
ca familia : quom o tiver o quizer a
falle na ra Nova n. 36, loja de utileiro.
Aluga-se animalmente, ou'
pelo tempo da festa ( com prefe-
rencia ao primeiro ) uuia excellen-]
te casa decampo, na estrada dojdelro. i margom do capibaribe,cum boa ca-
Poco, com tod-as 98 commodidades ''. strioaria para i.es eavaUos, ?
v ... I pretos e foilor, pomar e jardim, assim como
par familia, quartos para negros, oaixiscom capimo muita hortilice: uama
cosinha fra. estribara ecocheira,; doueimadon.30, segundo andar, ou ns
. n (roa da Madro d Uoos, trmazim de.Baroca
sitio com bastantes Irucleiras, >-& Castro
de pou- gm oitUVOS e Vigsimos 3o4o, IOOS existem a ven
1005
Para se passar a testa.
AlOgise um bom sitio no lugar do Cor-
Meios biihetes 11,000
Quarlos 5,5oo
Uitavos 3,800
Vigsimos i,3oo
.._ Vondam-se os seguintes lirros ja usa-
dos: 1 obra do Viajanto Universal, 1 dito do
Novo Confessor; 1 iogo de breviarios, 1
prompluario, 1 director fnebre, estollas
rouxas e Ira ncas,e ouiras obras de Moral por
preco muilo em conta : na ru das Cruzes
numero 29.
Vendo-so urna canoa grande bem fa-
bricada para deposito d'aoa, ou para qual-
quer trilicaiicia, a canda tom de compri-
mento 7 palmos a do noca 8 palmos : quem
pretender dirija-se ao lugar da Cabanga a
casa de Patricio de Albuquerque l vende-sa
por preco muito coa)modo.
.Vi casi Flix.
Na pra?a da Independencia n 36.
Na casa cima acha se a'venda um com-
pleto sortimento do biihetes, e cautellas da
lotera do Rozario d Boa-Vista, assim co-
venda cautellas da mesma lu-
sa do Sr. Vieira da Silva ;
e loja de chapos na ra Nova n. 4 : a ellas,
jjoj, jos que corren) as rodas no da 25 do corrente.
49l0>
res e hortalica : a fallar na ruada
Gru n. 10.
No botequim cova da Oncs, procisa-so
de um cosinheiro forro, ou captivo, o um I
prcto para o servico do mesmo.
l.'m ra.az porluguez de 20 a 22 annos, 1
que sabe lr, escrever o d fiador a sua con-1
duela, se offerece para caixeiro de ra, ou!
de qualquereslibelecimento: quem preci-j* bros, de nao comprarem, se-
sar, annuncie.
- Aluga-se urna casa
Curdeiru, a margem do
commodos para grande familia, e com es-
tribara para 6 cavallos ; urna outra mais
pequea no (undo do mesmo sitio, lambam
com commodos para familia : a tratar com
Gabriel Antonio, no pateo do Carino n. 17.
No di 13 do corrente mez, vSo a pra-
ca do senhor Dr. juiz municipal na villa do
Cabo, para seroin arrematados, os escravos
ponderados a viuva e herdeiros do Flix Au-'
gusto Sool, por execucSo de Me. Calmont
tu Companhia.
-. O Sr. Jos Cuedes de Albuquerque an-
tes de retii',ir--e para Portugal, tenha a bon
dade de dirigir-se a ru Nova n. 27, a en-
lendor-so com Joaquim Antonio dos Santos
quautia de
Andrade, alim de, Ihe pagar a
547,873 rs como consta do documento que 0 a dillheiro, OU a praso
assiguou a Andrade & Leal, osquaps me pas- -
saram o pcrlence no dilu documento.
- Precisa-se de um bom ofticial de cbn-
rutoiro paga-so bem na ra da Soledado
confronte a venia n. 11.
OSr. Jos Cuedes do Albuquerque m ',.
tes de retlrar-se para Portugal, queira din- ,
gir-se a ra Nuva 11. 29, a loja de Santos Au- igf
drade & Companhia, para satisfazer seu de-'
bito de 12,000 rs., que : lie flcou derendo.
mwmmmmmmm 000^0 mmnuam
0 Goaset itiniont, professor de lio- Cf3*
mu! 1,1.1 Un 1 pela escola do Rio de Ja- 0
Como Um deassistira um enfermo, o
Dr. Carolino Francisco da Cunha Santos, se-
gu viagem para fra da provincia, e com
urgencia, polo que nSo podando se despedir
de lodosos seus amigos, o faz mediante es-
t annuncio ;. ssavorando, porm, a inten-
C3o do que, depoh de festa voltando, aqui de
novo continuara no exercicio de sua prolis-
sSo de medico, e a residir n meama cas em
que man, n ra Nov n. 21.
Friucisco Augusto Riboiro, rotira-se
para o Rio de Janeiro.
No aterro da BoVista n. 49, ainda se-
precis de um ama forra ou cpliv, que
saiba fazer com perfeicSo o servico de urna
casa ; nSo se olha preco..
--Precisa-se de urna ama que saiba co-
siohar o diario de urna casa, o engnminor,
para casa de pouca familii. : na ra da Cruz
n. 68.
(te Aviso ao commercio. *
Visto a deliheracao da di- ^ Biihetes da provincia.
I reccao da associaco dos lo- Ni ra da Cadeia do Recife, loj de cim-
t reccao ua assonav-o i bjo n Je Vjeiri di silv>i e8l. eIpMl0
J gtstas desta praca recom- <)aVPnia>um completo sortimento das muito
I) mendanilo aos SCUS mem- # afortunadas cautelas di lotera do Rosario
* da Boa Vista, cujas rodas dovem andar no
dia 25 do corrente.
Vende-se um mnlitinho muito lindo ,
de 9 annos de idade i ni ra do Rosario n.
28, segundo andar.
-- Vende-se um carro de trabalhir com
pretos na alfandega, novo, bem construido,
de boas erngens, o sem uso algum : para
ver e tratar, na rui do Vgirio n. 20. segun-
do indar.
Lotera do Ro de Janeiro.
Aos 20,000,000 de rs.
Na casa feliz
Dos i.iii iim Cantos da ra do Queimado u.
20, vendem-so os muito felizes biihetes,
meios, >| o,ir os, oitivos e vigsimos da ter-
ceira lotoria do Hospicio do Pedro II, cuja
Iistacliegaatodia20; a riles, se querem
tirar bons premios.
A 5,000 rs. pequeos, o 5,500 rs. grandes.
Vendem-se chapeos de sol de seda ingle-
zes de superior qualidade, pelos precos ci-
ma : na ra do Collogiu n. 4.
culos.
Chegou na praca da Independencia, loja
ns. 18 o 20, um rico sortimento de oculos
para todas as vistas, seja com vidroa bran-
cos ou azue, com grao ou sem grao, e com
armares deouro, prala, Urtaruge, bileia.e
do ico, a vonlade do comprador.
Chaproot e Berlrand, relojoeiros, na
prac di Independencia ns. 18 e 20, receba-
ra ni de Pars ricos relogios de bancas e do
parede, com corda para 19 dis,tocam aa ho-
ras e iiii-ias horas, s3o afjancadosa regular
perfeiUmenle, e os precos s3o muito mode-
rados completivamente a qualidade que lio
muito superior.
Na praca da Ir lependencia ns. 18 e 80,
vendem-se relogios americano de superior
quilidade.e tem ind algn com Cord pa-
ra 8 dias, e todos tocam com passado.
Cheguemao bom e barato.
Vendem-se leques de muito bonitas pin-
turas, a 2,500 rs ; ixinbis de vidro muilo
propriispara aa senhoras guardirem joias,
a720rs.; meias preias de algodSo muilo
linas, para as rLeninal, a 480 rs.; ditas pa-
ra meninas de todos os tamanhos. Unto
brancas comoprelis a 320rs.; ditas para me-
nino, 240 rs. ; lilas de velludo para volta
800 r.; frocos, requintes. Utas, fraojas
par cortinados e nutras muitas miudezas,
que se venderSo mais bsratas do queem ou-
tra qualquer parta : n ra ealreila do Ro-
zarlo, lravaaa do Queimado, loja da miude-
zas n. 2 A, junto aodepoaito de p8o.
torrea, no sitio do f nao'em 8 casas entre 17 im- 0
rio Cipibaribe, com 0 portadores de .lazendas e
' % como os abaixo assignados
* sao unsdos interdictos \ fa-
zemspublico dos senhores de 4
0 engenho, lavradores, fazen-
deiros e commerciante.- 9
tanto desta eidade, como do 0
interior e ao povo em geral ^
desta prica, que franqueam ,
W seus sortunentos de fazendas i
1 por baixos prefos nao me- ^
nos de 1 peca,ou urna duzia, i
con- J
I forme se ajustar : noseuar- ^
' mazem da praca do Corpo 4
2 Santo esquina da ra d
Trapiche n. 48.
liostron Rooker & C,
Negociantes inglezes.
Loteria de Nossa Senhora do '
B os rio.
?
*
ro, andain no dia 25
mente; acham-se nos lugares do costume
um completo sortimeuto de cautelas e bi-
ihetes.
Biihetes 8,000
Moios 4,000
Quartos 2,200
Decimos 1,000
Vigsimo* 500
' A' Colombiez com loja n.2 na ra No-
va, recabeu um grando sortimento de cha-
peos de sol de seda do bonitas core par se-
nhoras, e ditos par homem ; tem bonito
sortimento de palitos de csemira de cores,
dito de alpaka de core, dito de pannos pre-
tos cale de cisemir de bonitos gostos,
cortes de collete degurgurSo d Chin. Sem-
pra tem sortimento de roupa fet, chapeos
francezes pira homem, sortimento de cita-
do, a muitis outras fizendas de bons gos-
toi.


*~
Sands

SALSA PARRILHA.
Vicente Jos* de Brito, nico a-
genteem Pernambuco defi. J. D.
Sands, chimico americano, fai pu-
blico, que tem chegado a esta jtra-
en urna grande porcSo de frascos
de salsa parrilha de Sands, que s2o
verdaderamente falsificados e
preparados no l\io de Janeiro, pe-
lo que se deven acautelar os con-
sumidores de to precioso Talis-
mn, de cabir neste engao, to-
mando as funestas consequencias ,
que sempre costumam trazer os
medicamentos falsificados, e ela-
borados pela mao daquelles.que
antep5em seus inleresscs aos ma-|
les da bumanidade. Portante, pe-
... V t> meio ai' n.s ini-.ni: ;i i v
de para que o publico se possa n- ,,t<.,tTr/ntf
vrar desta fraude e distingue a -- Vendem-e asseguintes sementes:-
... ii. jm S,j nabos.rabanos.rabanetesencarnadosehran-
verdadeira salsa parrilha de Oands eog> 8eboia,couve trinxuda, alface ala-
da falsificada, e recentemente a- moa, repulhuda,chicoria, senoulas, feijSo I
i___ Q.anff Sat carrapatodetresqualidades.ervilha torta e ,
qui ebegada 5 o annunciantc taz direilpafftTif coerodelooMir,,M|a,to- 1
ver, que a verdadeira se vende mates grandes, repolho, couve lombarda,!
nicamente em sua botica na ra g&ggEtf* ** '' "' I
da Conceicao do Hecile n. O ; e parni,a c mandioca a 1,600 rs. a |
alm do receituario que acompa- sacca
nba cada frasco, tem embaixo da pj0 armazom de J. j.Tasso Jnior: na pa
primeira pagina seu nome impres- o dAmorim n. 35.
o, e se achara ua firma em ma- Deposite de panno de algodao da
nuscripto sobre o involtorio im- fabrica de Todos os Santos da
presso do mesmo frasco. Baha.
Moitihos de vento Vende-se o bem conhecido pan-
com bombas de repuxo para regrar bortia no de algodao da Baha, propno
ebaixasdecaplm nafundi^Sodel). W. Ilow- para 8accos e roupa de CSCravoS,
man:DI ra do Brum ns.6,8 e 10. 11 j ___:__
Deposito da rubrica te Todos os a vontade do comprador assim
como fio de algodao da mes i a fa-
Taixas para engenho*.
Na fundicSo de ferro de D.
W. Bowman na ra do Brum
passando o chafariz continua a
haver um completo sortimento
de taixas de ferro fundido e ba-
tido, de 3 a 8 palmos de bocea,
as quaes acham-sc a venda, por
preco commodo e com protnnti-
dao, embarcam-se, ou carrtriim-
se em carros, sem despezas ao
comprador.
FeijSo novo a 6,000 rs.
No armazem de Couveia & Dias, confron-
te a escadinba da Alfandega.
< <'^###^#^a^a}i^^ Botica bomeopathica.
*J 28 ra das Cruie< a8
f Ha para ge vender algumas caixas
A) ricas com medicamentos em tintura.
4 Cada urna ser* acompanhada de um
,4 frasco com glbulos inertes e o
meio de os pre>>

Sanios na Hall i a.
Vende-se,em casa doN. O.Rieber&C, -Nr,.,ntorio de Novaes
iruadaCruz n.,algodaotransado rica no escuptorio ue Ujovaes
lellarabrica.muitopropnoparasaccosde & Companhia, na ra do lrapi-
na
quell
Lencos de seda para gravatas.
Vendtm-se lencos de seda para grvalas ,
de muito bonitos pudro, a 1,000 rs. : na
ra ealreta do Rosario, travessa para o Quei-
mado, loja de miu lezas o. 9 A, junto ao de-
posito de nSn
Na na da Cadeia do Recife n. 49, pri-
meiro andar,vendem-se pellesd" cabra cor-
tidas ; esleirs de pslna de carnauba de
mala de 9 varas de comprimento ; sapatos
para o vento e invern, e cera de carnauba
muito boa,' tudn chegado agora do Araca-
ty, por precos mu commodos.
PuAca da Independencia n. 17.
Venden) si" chapeos envernisidos dosmais
modernos, galSo de ouro de varias larguras,
hotfles dourados lisos do Pedro II o de an-
cora, tudo por preco commodo.
Vendem-se, por preco com-
modo, saceos com farelos gigos
com muito boa cerveja, champag-
ne em garrafas e meias ditas, fras-
cos com manteiga, vinho de Mor-
dcaux cm barricas, e velas steari-
nas tudo ebegado pelo Cont
Roger : naruadoTrapicben.il.
Capachos com abe, tura.
Vendem-se capachos com abertura no
meio para iicarem om redor de mesas de
meio de salla, na ra da Cadeia do Recife n.
48 primeire andar.
~ Vende-se por 5,500 o 6,500, urna fita de
qualidade superior para caria de bacharel:
110 aterro da Boa-Visla, luja ni.
Vestidos de seda.
Na loja do sobrado atnarello da ra do
Oiii'imnilo n. 89, tem para vender cortes de
vestidos de seda escocez de quadros pa-
droes muito modernos, assim como vnde-
se da mesma fazenda a covados.
Barege p ira vestido a 600 rs. o
covado.
Esta fazenda feita de la e seda,
offerece ao comprador, nao s a
commodidade do preco, como por
ser um vestido de lindo padrao e
que nao preci.-a hvar-se: na rua do
Queimado, loja u. 10, acharan os
compradores "no s as amostras
como as pecas.
' mSodorerOUp,deeSCr,,T08'POr,,re0 " Cal virgem de Lisboa. ^^StvwS^tSffUm] rua de Apollo, armazem n
Vende-se superior cal virgem, janellaseumaporta,bomquintal comarvo-13 B, vende-se por preco rasoavtl,
chegada ltimamente de Lisboa, e -def^cto,-.'^|-SV^; muito nova c superior potas-a }
por preco muito em conta: no ai- queiram dirigir-ae a rua imperial n. 79. 'ussim como cal de Lisboa da me
,n 17...i, An <'< Ha Mlnnilei'a 11 Vende-se no aterro da Boa-Visla n. 88,
mazem do Caes da ^Va".*5a segundo andar, un.a mulata .le 22 a 24 an-
7," OU a tratar no escriptono de nosdeidade, sadia, sem vicio algum, sa-
fa O vaes & Companhia, na ruado bendo com perfeicSo lavar, engommar, o
Trapiche n. 34
tratar de urna sala
motivo.
ao comprador se dir o
Adaniscaado
nios
monstro com
de largura.
" l'otassa americana-
No antigo deposito da cadeia velha, o.
12 existe urna pequea porcSo de potasa vende-se 1
americana,chegadarecentemente quopor'
superior rivalisacom adaRussia: vnde-
se por preco razoavel.
Deposito de cal e potassa.
No armazem da rua da Cadeia
8 pal-
5, na lo-
ja que faz esquina para a rua do Collegioo
novo adamascado branco para toninas com 8
palmos de largura pe
1,600 rs. a vara, na mesma
sortimento de manguitos-1!
vestido de seohora o mais moderno que tem
doUecife n. ia,ha multo supe- apparecido pelo preco da 1,000 rs. cada
rior cal de Lisboa, em pedra "
.I....J. l Toda attenc5o ao novo sortimento
assim como potassa chegada l-
timamente a precos muito ra-
soaveis.
Agencia de Kdwin Maw.
Cortes de vestidos a a,000.
Na loja do sobrado amarello nos Quitro
Cantosas ruado Queimado n. 89, tem para
veuder um novo sortimento de cortes de
vestidos de riacado francez, novos padrOes
e cores filas.
Vendem-se lona*a imitacSo da Russia,
maito em conta : no armazem de Fox Bro-
thers, na rua da Cadeia do Recife n. 69.
Oleo especifico para curarla raspa,con-
tina a vender-se na rua do Rangel, a 640
ra.caJa frasco.
Chegram para os divcrlimentos
daslestas, e para as familias de
bom tom.
Buscaps grandes e pequeos.
Candeiss romanas ou pistolas.
Flammas de cor verd",encarna Ja e branca.
Rodetea, ou chafarises, grandes e pequeos.
Bodas de sala, grandes pequeas.
Potes de fogo d'agua.
Foguetes do ar.
Bombas grandes e pequeas.
imiei rutes rodaa de vistas.
Gira-ses.
Ilastiio, 011 a/as.
Vende so por preco milito barato, quero
quizer procure para ver as amostras em ca-
sa do Sr. Antonio Jos de Castro, na rua do
Vinario,
Aos saibores de engenho lavra-
dores e mais pessoas que tem
escravatura, a 800 ris e 1.000
cada um / I
Na roa do Crespo n. 14, foja de Jos Fran-
cisco Dias, tem para venderos minios afa-
mados cobertores de algodo branco muito
encorpados, fazenda de muita duracSo sen-
do a 1,000 rs. 09 gramles, o a 800 ra. os mais
pequeos, assim como as mais delicadas
chilaa francezas de flnissimos pannos e no-
vos dezenbos, sendo fazenda do ultimo gos-
lo e cores muito fixas, a 320 rs. cada ova-
do; assim comomuitas outras fazendas por
diminutos precos,que de tudo se dar amos-
tras deixando penhor. .
Vendem-se bilhetes da ler-
ceira lotera do Hospicio de Pedro
11, cuj lista vem no primeiro va-
por pelos seguintes presos : na rna
larga do Bosario, loja de miu de-
zas n. a6, de Jo3o francisco Maia.
liillieles > ',oon
Me ios 11.001
Qtiartos 5,5oo
Oitavos 3,800
Vigsimos i,aoo
Cambraiasde salpico.
Bilhetes do Bio de Janeiro.
Aos 20:000,000 10:000,000, 4:000,000,
9:000,000 e 1.000,000 de rs.
Na rua da Cadeia do Recife n. 94, loja de
cambio de Vieira da Silva, estilo expnstos
a veoda um completo sortimento doa mui-
to afortunados bilhetes, meios, quarlos,
oitavos e vigsimos da terceira lote ia a be-
neficio do hospicio de Pedro H., cuja lista
deve vir pelo primeiro vapor, que deve che-
gar at o dia 20 do correte; e pelo vapor
Mucury recebeuse alista da 15 lotera a
beneficio do tliealro da imperial cidade de
Nlctheroy.
S> Fitaa para cartas de hachareis, ven- _
dem-se a 5,500 e 6,500 rs. : no atierro
fg da Boa-Vista n. I. a)
Na loja das 6 portas cm frente do
Livramento.
Vende-se panno fino de todas-as cores a 2#
rs-, proprio para pautse vestidos do mon-
tara para senhoras por ser muito leve cha-
peos de massa francezes a 5,000 rs bonetes
de velludilho a 320 ra proprios para estar
a fresca e nSo constipar a cabera.
Vendem-se bilbetes da ter-
ceira lotera do Hospicio de Pedro
II cuja lista vem no primeiro va-
por : na frente do Livramento
loja de miudezis do Pinho, pelos
seguintes piecos:
Bilbetes inteiros
Meios
Quartos
Oitavos
Vigsimos
( ale ido bom.
Na loja n. 9 da rua Nova, vendem-se ba-
rato a dioheiro a. viata, botins do bezerro
francez, ditos de couro de lustro com ca-
nhOes de marroquim, sapatOes de lustro
Ibor que existe. ae
U cautelista Antonio Jos ditas brancas, com' 6 lavaras, a a'.oobra.j
Ko.lrigues de Souza Jnior faz
sciente ao respeitavcl publico, que
acaba de receber do Bio de Janei-
io, o- seus afortunados bilhetes
meida bilhetes quartos
e vigsimos
j
o barato preco de Janeiro, a beneficio do hospicio de:vJo, dilo azul, a 4,000 rs,
na loia lia um rico ii to superior, a 4,000 rs., cor
rdecl.rnr.i.nara|,ed, ll'> -'.cstao expostos a ven- rcUPenfos;,0.; 5> M,
s moderno aue lem |da cm SUa loia defeiragens, na ceza muito elstica, a 8, eS
. _: __j_ J ........ i.......... .i........... ...
chegado da cidade da lnbii !
na roa do (respon. i/| loja de
Jos Francisco Das.
As muito acreditadas chitas oboclas de
armaVm'mad7ira'dVtodn8oa la- eses os mais lios que lem vindoao mer-
manhosemadetlo o maia moderno,machina cado e de novos padres a280 rs. o covado;
horisontal para vapor.com forja de 4 caval- superiores cortes de cassa chita multo finas
los.coucos, passadtiraa de ferro eatanhado g 000 o corle, diversos padroes de riscados
para casa de pulgar,por menos preso que oa ,|ecaCr, lingindoseda de quadros a 220 oco-
decobre, escovcnaparanavios.ferro '"^'"jvado ; alpakas de cores fazenda do uftimo
gosto a 640 o covado ; ditas com fios dese-
da fazenda muito Tina a 800 ; ditas pretas
lavradas imitando seda a 880 ; brim tranca-
do de puro linho cor do lama de Pars a
1600 o corle: dito amarello com urna lina
hstra fazenda de muila d&racSo a 1600 o
corte: assim cono oulras mullas fazendas
e por muito pequeo proco, como sejain
madapoldes, algodes e zuarques e mais
fazendas baratas.
~ Arados americanos, ehegados dos Es-
tados-Unidos ; na rua do Trapiche n. 8.
Casimiras modernas, a i ,ooo rs. o
covado.
Na loja de fazendas da rua do Crespn.
5, que faz esquina para a rua do Colleglo,
vendem-se casimiras de gostos modornus ,
a 1,000 rs. o covado.
Vende-su gcllo,-B qualqucr hora do dia,
no deposito, da rua da Senzalla Velha n.
118, ou na rua do Trapiche n. 8.
A i,'.>.So ris !
Vendem-so cortes do lilas para' caiga, a
1,280 rs.; na rua >do Crespo, loja n. 5.
Relogios americanos, para cima de
mesa, com corda para oito dase para 30
horas, e o mais harato que em oulra parle ;
ua rua do Trapicho n. 8.
Potassa boa e barata.
V ende-se, no armazem do Cam-
pello, na travessa da Madre de
Dos ii. 7.
iu-elo a 4,000 rs a sueca.
Vende-se no armaiom do Mour.lo, no caes
da alfandega, ao pe do Boceo da ConceicSo.
Vende-sc farinha de milho americano,
muito nova, em barricas: na rua do Trapi-
che n. 8, e no armazdm, no caes do llamos.
Vinho de Lisboa,
de superior qualidade, em barris de 5 em
pipa; em casa de Augusto C. de Abrcu, na
rua da Cac'eia do Itecife n. 48.
Cal virgem de Lisboa.
Vendem-se barris com cal de Lisboa, pro-
pria para o fabrico do assucar, por prego
mu commodo: na rua do A,olio n. 10, ar-
mazem de assucar.
Deposito de cal e potassa.
Cunha & Amorim, na rua da Cadeia do
Recife n. 50, vendem barris com cal om pe-
dra, nova, ebegada de Lisboa pelo ultimo
navio, o brigue Flor do Mar; assim como
barris com superior potassa nova, por pro-
cos razoaves.
Vinho de Colares,
em barris de 7 em pipa ; em casa do Augus-
to C. de Abrou, na rua da Cadeia do llecife
n. 48:
Vendem-searaarrasdeferro: na 'ua da
Senzalla Nova n.49
- Vende-se farelo de muito superior qua-
lidade, a 4,000 rs. a sicca : no armazem de
Couveia& Dias, no caes da Alfandega.
Veodem-se chapeos de se la para sol,
selins dos mais modernos e de superior qua-
lidade, chicotes linos : todos estes objectos
aSo inglezes.e ebegados por um dos ltimos
navios ; na rua do Trapiche Novo n. 18, es-
critorio da Bdwarda Wyatt.
xa, com 7 varas, a 2,500 ; na rua do Crespo,
loja da esquina quo volta para a Cadeia.
Grande sortimento de pannos finse
casemiras
Na rua do Crespo, loja da esquina que
tavos v""'' |;':;l C-ftdnia, vende-se panno preto
... fino, a 2,800, 3,200, 3,500 4,000, o 5,000 rs.,
da lotera do KIO de e francez muito superior, a 6,000 rs. o co-
dito verde mui-
tes de casemira
.000 rs., dita i im o -
da cm sua loia deferragens, na ceza muito elstica, a 8, e 9,000 rs ; assim
rua do Queimado, junto ao becco:^;^oTm,nIod9m"'8 m"^^^
da (ongccgacon.37 A, na mesma: Condessas grandes,
la loj 1 11 11, de Jo3o Haptista) Vendem-se na ruada Cadeia do Recife n.
Kodrieues de Souza, e no aterro da ,*s *"3? '0ff:. -hJ
n p V, ,0 I --Vende-tp urna padarla, aita no lugar do
Boa Vista, loja demiudezas n. 4 Santo Amaro, muito cm conta: a tratar na
de Antonio da .Silva GuimarSes ; ru do Mondego n. 29, ou na rua de llortas
faVio osqua!V5 Pog9 logo que che-r 1 Avisa.se ao reSpeitavel pu-
guem as listas no da ao, ou ai dojbhco ( n)m ,- da da
corrente, sem descont algum
Bilbetes
francezes feitos por machinisroo, ditos de
1 bezerro, sapatos de lustro presos com salto,
\endem-se cambraias de salpico brincos botlns de duraqilfl de co,e p,ra ,enhoras,
icflr muito nnas.com 7 l|9varas. a 4500, botins do dUossp,r, menin.s.botins de mar-
late liriiiiioii: Altan 1. IiO anraia a> 1 MI 111 ru
roquim de coros para meninos, ditos de lus-
tro, sapatos de lustro paraasenhoras, ditos de
marroquim
U cautelista Salustiano de
Aquino Ferreira ftzsciente aores-
peilavel publico, que c-to ven-
da as lojas c'o costme, os seus
mui afortunados bilhetes e caute-
las da terceira lotera do Hospicio
de Pedro II., a qual correu no dia
3 de novembro do corrente mez .
e espera-ae a lista da mesma no
dia 19, pelo vapor da companhia
brasileira, ou no dia 20 pelo vapor
inglez Teviot.
lilliete.s 32,000
taaloembarrascoiiio cm trcosfolhas,el"ao
por barato preco.
Arados de ferro.
Na (uiiilieiin da Aurora, em S. Amaro,
veodem-se arados de ferro do diversos
momios.
Vendem-se os verdaderos selins in-
glezes, patente, de mol la o sem ella: na
rua da Senzalla Nova n.42.
Vendem-se relogios de ou-
ro eprata, patente inglez: na rua
da benznlla Nova n. 4>.
AGENCIA
da fundicSo Low-Jloor.
RUA DA SENZALLA.NOVA N. 49.
Reste estabelccimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas o meias mo-
enas para engcubo machinas
de vapor, c taixas de ferro bati-
do ecoado de todos os tama-
:ibos, para dito.
Moendassuperiores.
Na fuinl:i,:io de C. Sttrre Companhia,
emS. Amaro, a cha m-se A venda moendas
de cinna, todas dererro, o ummodeloe
culis trueca o mu i tos u pe rio 1.
Cal virgem.
Vende-se cal de Lisboa a mais nova do
mercado: na rui do Vigario n. 19, primei-
andar, escriptorio de T. de Aquino l<'onseca
& I'ilho, ouna rua do Trapiche, amazem de
Antonio Augusto da Konseca.
Alerta freguezos
Une s8o ehegados,
Cobertores de algodSo
Muito encorpados.
Na rua do Crespo,luja da esquina que vol-
ta para a Cadeia, a 1,600 rs. cada um
A 5,ooo rs.
Superiores chapeos do sol do seda inglo-
zes ehegados pelos ltimos navios, pelo di-
minuto preco de 5,000 rs. cada urna : na
rua do Collegio n, 4.
Vendem-se loma, brinzSo, brins, e
meias lonas da Russii; no armazem de N.
O. Rieber & Companhia, na rua da Cruz
n.4.
Em casa de J. Kellcr &
Companhia na rua da Cruz n.
55, ha para vender dous excel-
lentes pianos fortes, e de urna das
niel lio res fabricas, ehegados lti-
mamente da Europa.
Luvas de pellica.
Vendem-se luvasdeflllica, ponto inglez,
muito novas, tanto para homem, como para
sen dora, a 1,700 rs. ; ditas com enfeites, a
2,000 e 2,500 rl.J ditas lisas com um toque
de mofo,a 390 rs.; ditas pretas de lorcal, a
720 rs.; ditas de seda de multo bonitaa co-
res, a 1,800 rs.; ditas de algodSo pan mon-
tana, a 320 rs.: ni rua eslreilt do Rosario
travessa do Queimado, loja demiudezas n.
9 A, junto ao deposito de pSo.
Mili li OS
Meios bilbetes
Quartos
Oitavos
23,000
11,000
5,5oo
a,800
Vigsimos i,3oo
- Vendem-scsaccisciim milho muitu no-
por preco commodo : na rua da Praia,
Meios 11,00o
Quartos 5 5oo
Oitavos a,800
Vigsimos 1, loo
Vende-se na Soledade, tima
casa terrea Je taipa, com terre-
nos proprios, 3 janellas de vidra-
cas feitas com toda perfeicao, para
mdepen Icncia n. 4o, acaba de re-
ceber pelo vapor Todos os Santos,
os felizes bilbetes, meios, quartos,
oitavos e vigsimos da terceira lo-
tera do hio de Janeiro, a benefi-
cio do ilo picio de ledro 11, bem'se pssar a festa, porser em muito
como os afortunados c mui procu-1 bom lugar: quem a pretender
becco do Carioca, armazem de Joaquim Jos grados bilbetes, meios, equartosdaj dirija se a rua de Agoas Verdes
loteria da Babia a favor da vene-] n. 10.
ravel ordem terceira de S. Fran-| Vende-se farinha SSSP: na
cisco, cuja loteria de ver correr rua da Cruz do Kecife n. 17, or-
no dia ia do corrente, e nquelUmazem de Crocco & Companliia.
corra no dia 3 do mesmo os'
quies bilhetes e cautelas se ven-
m em dito cstabelecimento aos
commodos precos abaixo, e lozo
A 1,280e 1,600
Superiores cobertores de algodSo a imita-
C.1o de tapetes de cor, muito (iroprios para
c ros arranjos do casa de familia, o quasi
un genero de primeira necessiilade para o
Sr. de engenho. pelo diminuto preco do
1,280 o 1,600 rs. : na rua do Crespo n. 6.
Pede-se assenboras quedecem to- i T"
da a attenco para as seguintes'
fazendas :
No aterro da Boa Vista, loja
o. 46, de J. S de Menezes, s o
chegadas luvas de seda ponto in
glez, para homem e senhora, pa-
dres inteira mente novos e moder-
nos, por preco commodo.
- Vendem-se 3 vaccas, sem bizarro que
davam 4 garrafas de leite cada urna; por nSo
se ter novilho, nem parte para onde ae man-
dar vendo-so por proco muito commodo : no
atierro da Roa-Vista loja da seleiro de Ma-
nuel Coelho da Silva.
Na loja das 6 portas em trente do
Livramento.
Continua a trocar fazenda por sedlas,
chitas escuras a 120.140, e 160 rs.,e muito fi-
nas a 900 rs cssaa preta a ISO rs. o co-
vado, camisinhaspara senhora a 1,000 ra.,
leocos de mSo para senhora 900 rs., lencos
para menino a 80 rs., e muias outras fa-
zendas em conta por querer acabar.
Vende-se um negro para todo sarvico :
na rua larga do Rosario, loja n. 9t.
Lotera da Baha.
Na praca da Independencia n 13 0 15, lo-
ja de calcado do Arantes; n. 37 e 39, de
Porto ct C.; e na rua da Cadeia do Recita
n. 45, loja de miudezas, de Jos Fortunato
dos Santos Porto, vendem-se bilhetes meios
e quartoa da 10.' loteria da V. O. Terceira
de S. Francisco, a qual correo no dia 4 do
corrente mez, n espers-se a lista da mesma
no dia 90 pelo vapor da companhia brasi-
leira.
Bilbetes 4,400
Meios 0,200
Quartos 1,200
Novas fazendas do ultimo goato.
Ao armazem de fazendas de Couveia &
Leitejia roa do Queimado n. 27, be chegado
um novo e completo sortimento de fazendas
linas 1 saber: capotinhos de cores borda-
dos a matiz, ditos de fil de linho bordados,
ditos de cambraia bordados, brancoe e de
cores ; manteletes pretos muito ricos ; cor-
les de cambraia bordados agulha os ni-
cos que tem apparecido desta qualidade,
outrosl de 4,500, 5,500 e 8000 rs ; cortes de
cassa^ de cores muito linda* com babado
de cores proprios para a festa a 6000, ditos
de cambraia branco com seis ordens de ba-
bado ; palitos de panno Tino preto e de co-
res a 18,000; chapeos de castor brancos
muito linos a 10,000; panno de linho do
Porto da melbor qualidade, e outras mul-
las fazendas, tudo por precos baratos.
-- Vende-se urna preta, criouli, que coze,
marca, faz labyrintho e renda, e engomma,
tudo istocom muita perfeicSo. he cosinlmi-
ra, faz o mais arranjo de casa com ligei-
rezi: na rua larga do Rosario, loja n. 35.
Vende-se cuim, ou poroutra farelos de
arroz, a 9,400 rs. a sacca, ehegados recente-
mente: a tratar nt travesa doQoeimado,
com Gabriel Antonio de Castro Quintaes.
Na loja n. 9 da rua Nova, veode-sa ba-
rato, calcado bom para homem, botins de
couro de lustre com canhOes de marroquim,
ditos de bezerro franc >z e com canos dos di-
tos, sapatos de lustre com orelhas, ditos
com litis abertos na frente,* presos com sal-
lo, sapatos de bezerro, todo este calcado he
feito por maehiiiismo.e de muita duracSo.
Vende-se urna escrava de idade de 30
annos, que cosinha, e be boa lavadeira, sem
vicio algum : na rua de S. Coocallo, junto a
igreja n. 35.
Vendem-se 9 carros muito maneiros,
proprios para conduccSo de fardos, ou sac-
eos 1 para ver tratar no trapichada Com-
panhia.
Vendem-se saccas com superior fare-
lo, chegado ltimamente de Hambargo : 00
armazem de Jos Joaquim Pereiri de Helio,
no caes da Alfandega, defronte do guiu-
daste.
WWffWWrffffffWff
jDe psito de tecidos da labri-*
ca de Todos os Santos,
na Bahia. ^j
r Vende-se em casa de Domingos Al-a
ves Matheus, na rua da Cruz do Re-<
Bj cifen.52, primeiro andar, algodao*
S transadodaquellafabrica, muilopro-2
r,. prio para saceos o roupa de esera-s
A vos, assim como fio proprio para re-2
j^. desdepescar e parios pan relias,^
ga. por preco muito commodo. -g
Verniz de gomma copal contina 1
vender-se na botica da rua do Rangel, a
1,280 rs, a garrafa.
ai
21,000
II,00O
5,5oo
a,800
1,200
Bilhetes
Meiq|
Quartos
Oitavos
Vigsimos
L)a Babia.
. que cliciriie.m as listas no dia 20 ou
Cortes de cambraia de salpicos brancos e 1
de cor com 5 e meia varas, tendo urna de ai do corrente, sao pagos sem des
largura, o muito lina a 4,000 rs ; corles do conto os geus respectivos premios,
vestidos de barra tanto brancos como de co- un 11
res, doulli.no gosto, a 5,200 rs ; ditos bran-' '10 de Janeiro.
eos com douse tres babados, com seus en-|
feites dos melhoresquo ba, a 6,000 rs. ; cis-i
sa chita franneza a 200 rs. o cavado ; corle
de cassa chita a 2,000 o 2,400 rs. ; e muitas
oulras fazendas de gosto por precos commo-
do : na rua do Crespo loja n 6.
Com toque de avaria, grande sor- (
tmenlo de algodaosinho liso e
transado, e madapol5es.
Na rua do Crespo loja da esquina que volta
para a cadeia, vendem-se pocas do madapo-
19o lu" a 2,500, e 3,500 rs ; ditas do algo-
dSo liso com 17 varas, a 2,210 rs ; ditas Na loja de Gouveii "V Leite,
americano oncorpado o largo, a 2,560 rs: .. Jll.,:_.j. r i-j
dito trancado muito largo,. 160 o 200 rs. .' na rua d" Q^imado, foi vendido o
vara. n. 101 que tirou i:ooo;ooo rs. e
Cortes de brim trancado escuro de mais nmeros de outros premios
puro linho, a l,44o, a,000 rs, e'para baixo, os quaes se esl5o pa-
3,4oo. gando sem descont. Na mesma
chegou loja da rua do Crespo n. 6, um casa se vendem bilhetes da terceira
grande sortimento de brim trancado do pu- 1 ,, uici,a.uu
ro linho, pelos precos cima ; estes brins ,olerla 00 Hospicio de l'edro II,
sSo de bous goslos.lanto para osgamonhos, pelos seguintes precos I
como par. os serios. ,, I T
teles 22,000
Bilhetes
Meios
(nartos
23,000
11,000
5,5oo
2,800
i.3oo
4,4oo
3,3oo
i,2oo
i, v
" 41 o
o
1
O js. a <.o v
^ f o t
OOJ5 as
-
O l
<0 "O 4-
s es
n S
o *5
c
I a
V
a o o
- a.S
. > -o
X QJ -
Ifi
2^ S
N g o
n ^
-- c
= <0
1 = I "v2
U o -n
"O 5 v
c o te
w2 S i
ai .-
^2
>5 *
t-S *
fi v
n -1 a
eg o a
=0 o j
s;
cr Z
o .
5-a =
-a
23 o o "

Escravos futidos.
como par: os senos
FARMHV SSSF,
de muito superior qualidade e l-
timamente chegada a este merca-
do : vende-se na rua do Amorim
ni 56 e 58, ou a tratar com Ma-
noelda Silva Santos no caes da
Alfandega.
-- Vende-so calcado para moninos, botins
de lustre, ditos de marroquim,ditos do gan-
ga com pona de lustre, ditos de pellica pre-
ta.sapalinhos de ganga com ponta de lustre
ditos de brim decores com pona de histre
I 1,000
5,5oo
2,800
1,200
idade 15 a
botins de duraque de cores, sapatinhos de
duraque para meninas, por 500rs. cada par:!dVo frVnri6iido"Vp\lmo"babo'iVr'flcar
na rua Nova n. 9. i muito perlo do rio : trala-se no Atierro da
No aterro da Boa-Vista, loja amarella Boi-Vista 2.' andar n. 44.
doquatro portas r.. 60, yendem-su cortes de Vende-se em casa de Me Calmont &
brim de linbo pardo multo encorpado e Irn-1 Companhia. ni prica do Corpo Santo n II
Cado, a 1.200, ditos de casemira de algodSo, oleo de luihaca em latas de seis galOes.
a 1,600, di toa de castor, a 1,000 rs corlea -- Contioua-se a ven ler superior mantei-
de cassa, a 2,000 rs.; e oulras multas fazen- ga ingleza, a 480 e 560 rs.: 00 pateo do Car-
das por precos commodos. j m0, yenda nova n. 9.
Meios
Quartos
Uitavos
Vigsimos
Vendem-se2 molecotesde
16 annos crioulos, 3 escravos mnQos de ser-
vico de campo, 1 dito de bonita figura pti-
mo para palanquim, 2escravas sendo urna
boa1 engorr.madeira ecosinheira, 1 mulato
de idade de 30 annos cosinha bem o diario I qualidade chapelinas de seda eofeitadas
de urna casa com perfeicSo, 2 quitandeiras: para meninas, ditas para creancas se bapl:
na rua Direita n. 3.
Vende-se uui sitio no lugar de Birba-
Iho com duas casas, varios arroredos que
-- Vende-se um sobrado de 3 andares,
novo e bem construido,*que rende 1:200,000
rs., na melhor rua do Recife : a tratar na
rua do Collegio n. 13, segundo andar.
-- Vende-se um preto de nacSo Mocam-
hique, de bonita ligura, moco e sem acha-
ques : no bilhar da rua Nova.
-- Vende-se urna casa terrea, sita na Praia
de Santa Rita, defronte da casa do Sr. Fran-
ca : na loja das seis portas se achara com
quem tratar.
No escriptorio terreo, da
rua da Cruz 11. a3, vende-se cal
virgem de Lisboa ltimamente
chegada.
De castor a C,ooo rs.
Superiores chapeos dn castor branco, in-
gtozes a 6,000 rs ditos do dito preto, de
bonitas formas, a 4,500 rs.
-- Vende-se urna escrava preta para todo
servico de rua e de casa de familia : na roa
do Padre Floriano sobrado de 1 andar 11. 48.
Vende-se bom milho na venda do Becco
Largo do Recife que volta para a Senzalla
Nova, pelo preco de 4,000 rs.
Chapeos.
Vendem-se, muito lindas e de superior
sarem, chapeos enfe.lados para meninos, e
meninas, de diferentes cores ditos de palha
italiana, para senhoras, meninos e meninas,
tudo por preco commodo : na praca da Inde-
pendencia n. 24. 26, 28, e 30.
Vende-se azeite doce a 480 rs. a gar-
rafa ; na travessa do Serigado o. 1.
Venle-seumsitio na Capunga a mar-
gem do rio Capibar.be comboa casa para
vitenda e viveiro por preco do urna casa terrea na rua da Cabanga n. '
6 : a tritir no Atierro di Boa-Vista n. 27. ,P\as. : Ttp. di M. P. de
100,000 rs. de gratificado
Desappareceo no dia 7 de mulo prximo
pa-s ido, o pardo Leonardo, de idade 18 an-
nos pbuco mais ou menos, e tem os signaes
seguintes: -baixo, o pello um tanto metti-
do pin dentro, cabello caraplnhado alt ao.
meio da testa, e falla descancado. Esta es-
cravovinba todos os dias vender leite no Re-
cife, de um sitio na Boa-viagem, perlencen-
te a Joanna Mara dos Passos, do quem fui
escravo: quem o apprehnnder e trouxer ni
rua da Senzalla Velha n. 60, segundo andar,
recebera a gratificacSo cima.
Fuglo na noite do dia 8 do corrente,
da casa do abaixo assignado, a sua escrava
de nome Juliana, nac.lo Costa, com urna
cria de nove mezns. estatura e corpo regu-
lar, com um signal preto no rosto, da sua
nne.lo, filia moderada e macia ; levou ca-
misa de algodSozinho e vestido de nscado
azul ferrete, sendo saia de um padr.lo e
o roupinho de outro, porm da mesma fa-
zenda ; quem dola tiver nolicii ou 1 ap-
prehender, leve-a ao atierro da BOi-Vis-
ta n. 39 ou na rua de Apollo, armazem n.
2 II, quo ser devidamente recompensado.
Emdnsdomez de abril do corrente
anno, desappareceu um escravo por nome
Flix, de nacSo Mossambique, perteocente
Manoet Francisco Huirte, morador no lugar
de Santo Amaro desta cidade, com os sig-
naes seguintes :altura regular, espadado,
cor azevlchada, denles limados, gengivs
vcmcllus, pouca barba; tem na trente da
testa um pequeo signal de um lobinho,
pos malfeitos, pernas finas, representa ter
de idade 30 ann is, pouco mais ou monos :
roga-sea todas as autoridades polica es e
cpitaes de campo, hijam de e'mpregar to-
das as diligencias sobre 1 apprehensSo do
dito eacravo que serSo gratificados com
30,000 rs., alm da despesa que com elle se
fizer.
Desappareceu no dia 26 de novembro
prximo passado, um escravo de Angola, de
idade 40 annos, mais ou menos, de nome
Antonio Velloao,cujos signaes sSo os seguin-
tes :altura regular, cor nSo muito preta,
barbado, com falta de cabellos no meio di
cabeca,alguna cabellos brancos,beicos gros-
sos, bocea regular, mSos e pes grossos : foi
escravo de um senhor cnamado Antonio Vel-
losa: este escravo he casado com urna negra
de nome Rosa, baixa, mais velha que o ma-
rido, e servia de parteira no mato, a qual
acha-se tambam fgida desdo novembro de
1850. Depois do posiuidor Antonio Velloso, .
paasaram a ser escravos de Carlos Pereira da
Silva, hoje fallecido, e presentemente per*
tencem a Antonio Caldas da Silva : quem os
pegar, ou delles der noticia certa, aeri ge-
nerosamente, recompensado : no Recife, rua
Faaia. 1852.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOUGCEL7U_OUUG7W INGEST_TIME 2013-03-29T17:28:43Z PACKAGE AA00011611_03098
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES