Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02967


This item is only available as the following downloads:


Full Text

DE li.13. SEOUNA FEIA
NmMMNMflK& > '
1* DE SETEMBRO M. ISS.
DIARIO DE PER1VAMBUCO.
ruomn, a Tir. DI M. I. da laaia- IMS-
DAS DASBMANA.
d.
er*"" WeBceilo Deque Aad. do Ji. do C. de m.
\~ da The. P. Chauc. de t.
Te S. Mees. Aio. Q..rt. ere*, a. 4 h. a 44 m...
QaMru S. Jernimo J*Rda Ir.ii.ao da T- P.b. Q. Cree
[, Q.ti? Ouukro S. Tinaji-o MAi-o Ral de -., aad.
do Jai 11 Seitk Ot Anjo. d. Gaarda. mimo 4a TT P. de si.
, U! i. t&Ml M. R.lacio-. -. ..-d. do T.
G. de t em Olinda. ,
I Dominto O S*. Rosario d. M Sara, i, Iraacuco < aiala.
Tdo ajoradepende de nimeimoi, da nom pradea a, moda-
racao, eeerfiat continuemoi enm prioeipiamoa. lerimoi a-
pontadoicon adniracio eatr ai Nacoc maii calta.
Ir.e lahwrevoM a 1000 n. meniaei paro adiantadoi neita Tvposra-
la, e na Praca da Independencia S. 37 38 : onde ic recen*
corretpondenci.lea-aliada. eannuncio.-. inerndo-e I''
til Mudo doi proprioiaii*;nant*i, vindo aaiguadoi.
WO DE JANEIRO.
AMARA DOS IFKABOEM.
txtrmt* da ScsstS *m % d* Julh*.
Presidencia do Sr. Bento Barrote Pereira.
A. Hora de costume sebarido se reunidos 47 Sena-
dores, o Presidente dederou absfU a k>m6, hdaa
acta da anterior foi approvada.
N-6 ha Ten do expediente o primairo Secretario lct
asgo i ni a parecer: m .
A mesa a ajuera fi remettida por detei imaacaa
4a Seaado a indioaf-5 do Snr. Conde de Valence pa-
ra aa propor b'im artigo addicioaat ao Regiment
interne, marcaado os tenaos da disrussaS, a modo
arstico d contar oa votos, quando ata Augusta Ca-
niara discutir aeiposc.a5 dasrss&es, qneteveaR-
ganria para suspender a Mncca6 de aljum De reto
aa Resola95, ios trroi<>s da Lei Orgnica de i4.de
Jaaho dell3i, tendomeditado sobra a materia a-
choa qua seado a regra geral do Regiment tratar-se
das materiaa sobre que delibera em duaa disca>a6e
distinctas, praticaado isto noaamo quando-trata daa
nda qaalquer projeito, e sendo o objecto de
que agora aa traa de muita ponderaee pela circuns-
taiicia de qua desprezadas as rases expostas pela Re-
gencia he o seu resultado ubriga -i a prestar a **-
a, oque importa a pastara medida Legi-lativa aem
o asMiitimento do Pada Moderador, nao Hera erra,
(antea tegondo algumas opinie* til ves mais **guro)
qua a respectiva dueu.-u, seguase os teimos.da e-
funda e tei ceira, porque pa*t>aS os Decretes a Re-
olucias : eom tudo al tendeado alem de 011 iras 1a-Sei
aa a queala versa, par as.ini dizer, sobre hum voto
aaiiippraM-5, a a le respectiva, aass piovidenciou,
ja na exigencia da numero da votos, que alias a mesma
Conutituica sao exige para actos de mxima ponde-
rac, ja roncedendo, que o mesmw projeejo de De-
creto ou Reauluci5, ( quando n- pase ) possa ser
notamente proposto am algumas daa seguintes aas-
aies.
He a CaasmisssS de parecer que te approve o se-
fuinte. Quaado o Senada deliberar sobre as rases
que tarea Regeacia, para entender qua algum Decre-
ta oa Resoluca drve ser regeitade ou emendado, e
par ieeo tenha suspendido asani-fa, ser a questao
veutilada em huma nica discussa, porememCom-
mm*Geral, qae aei aanumiada para ordem do
da coro mais anticipabas qua aa materias ordioa-
riu.
Quantoporem aa asodo pratico de contar oa To-
los, julga praencher-ee o projecto da Lei afguiado-se
aseguiiUiegra:
Quando depoU de verificados os votos o numero
dos qu ToUr.S no sentido da exposica da Regencia
tonudos duaa vexea, for menar que o numero doa
que votara pelo projecto, paisa o decreto ou resolu-
fS; aa for ruaior ou igual, he o proj.st regritado
ou eunedado, aecuado o que entender a Regea-
cia.
A Tabella junta moatra a exactidaS da referida
regra, aeja qual for a numero dos Senadores vetantea.
'te do Senado, eso. Aaaignadea aa alambre* da Me-
TaUllm.
Voroa presente*. Votos vencedores. Votos Tencica.
J5 17 J
%7 *9 *
S8 19
i9 0
JO 91 t
. ai .10
i
3
5 .
83 .
14
3S
56 .
V '
51 .
39 .
da
41
i .
43 .
\r
4
47
48 .
ai
13
13
4
a5
16
.7
8
30
Si
3a
33
34
35
56
57
. 10
. it
11
. lt
II
. 11
. Il
. la
. i3
. i3
. i5
. 14
. i4
v i4
. i5
. A
. i5
PARTIDAS DOS C0KKK10I.
Olinda Todoi 01 diaiao meto dia.
Goiana, Alhandra, Parail.a, Villa do Tonda, MaauafeSe, TU
lar, Keal de S. Joo, Brejo d'Areia, Rainha, Pnathal, Wava 4>
Soma, t'idade do Natal, Vil'a de (oianninha, e Nova da Priaae,
ai Cidad* da Portalea, Villa do Aqair. Monte ator wt9*
Aracatv, facvel. Canind. Granja. Imperatria, S- BaraaNee
S. Juiodo Principe, Sobrar, Novad'ClKav. Ico, S. m athcat, |
acho do ianfur. Santo Antonio do Jardim, QoeiiraaMaiaa, a Far.
nailia- SeRtindaii e Sexta felra ao meio dia.
Santo Antao Toda aa quarta Oir ao meio dia.
Garanhun, e Bonito no dia 9 H3 do mtl ao aaa.
Floreno dia 13 de cada mea ao meio dia.
Serinhaem, Kio Pornraao, 4.iairBa- Safudaa, Qaartaa,
exUi leiraa ao mtio dia.
petirem, huma gratifieaesS, iguala asetade do arda-
nado que vencer o Presidente da respectiva Provincia:
e aquel les qu esistirem lora na occaia5 de sosa ne-
meacoes, ser arbitrada pela governo huma ajada de
costo de transporte, calculada segundo aa diaUnciaa
adespesaa provaveis.a
O Snr, Borgea offeraceu a seguate emenda : Cen-
tinuarS a ter es mesaos vencimentceque actualmen-
Fo4 a iaiprimir. #
Centinuou a discuoae adiada do prejicto relativa
aosCommandantes das Armas, ne a.tigo stimo com
a emenda do Conde de L-gas apoiada na anterior aee-
w6.
O Marques de Caravellas apres-entou a seguinte e-
menda : Depois da palavraCommandodiga-se,
teii a tratamento a honras que ct.mpetem aoi Mei e-
ch.es de Campo, quando pelassu-s patentessuperio-
reslhesnsScompta.
Foi apoiada bem cerno esta eutra do !nr. Borge,
para ser incluida no artigo, ou aoude convier : O
Governo fica autorisado a matear "oa (^andan-
te Militarea bumdistinciivo em teus anil'o-mes, que
osdiffe.enceie dos de mais tficiae.
Dando s a final a materia por discutida loi pedida
a TotaeaS por partes, e o Presidente propox ao Sena-
do se approvava a mateiia do artigo at as pala-
brassuperior que tirar, aalvaa as ameadas? Foi
provado. #
Propax mais sa es Coatmandanle tenaO as honras,
e IraUmentos de Msrechaes de Campe ( materia
da emenda do Mrquez de Caravellas) ? Na6 paa-
sou.
pr0poi, e os Commaadaates teriao o tratamento
e honras dr Brigadeiro (materia da emenda do Conde
da Lsge>)? Foi appravado: cande prejudicada a
parte relativa do aitiga.
Propox ainda, e teriaS o tratamento a honras da
Brigadeiro, quando por auas patentes superiores Ibes
a,5compeliuS Cerneada do Marques de Caravellas)?
Foi spprovade.
E a final propesa ultima parte do artigo, a naO
paasou.
A emenda do Snr. Borges foi approvada; ensO
pa*oo a parte da emenda do Conde de Lsges relativa
snaS seren ea.Commandantee daa Ai mas tirados da
claase inferieres de Tenenle Carena!.
e Art. 8. Vencer, alm do anido aissples de
soa pataata, e ski eavalfadVM qpC talfceceaa-
te percehem ; a quanto ajuda de suata de transpor-
te, coiitar-se-lhe-haS ea veucimeatoa desde o da da
partida. -|
Foi apoiada bem como a qae o Conde de Una
mandn mesa, concebida nestes trrmoe : a Pon ba-
se no srtigo a referencia que fas lei j f ajada de
cuita a arbitrio do governo em altenfO aa diaUnciaa,
a despexai necesaacras. Dando-*e por iacauda a
materia, posto o artigo votecaS, aalvaa aa emendas,
foi approvado, e deitaa oi approvada a do Senher
Borge*. e a primeira parte da da Coada de Le-
gas.
Art. 9.* Ter para o expediente dous Ajudantse
deOrdens de soa escelha, que naS poderft ter snai-
ores patentes qae a deCapitiea) e bum Secretaria
Militar com patente, nao maior que a de Taante,
com as vantsgens pecuniarias, qae Ibes competirs*
pelss Lei existentes.
Depois de breves reBaxfies daada se por diacutida,
posto votacaS foi approvado.
Art- i0. N3 potlea Commaadaate daa Arsaaa.
aem arcordo do Presidmite da Piovincia J
1.* Mover fe rea armada para fora da Muaietpie
em que exiitirem seus quaiUis, salvos oa revase dea
de>t O Merques de Caravellas ..ffereceu a segaiaU a-
menda : Em lugar daem aecordo, diga-se sssi
ordem. Foi apoiida, e eatrou emdiscusaaS, a qual
ficou adiada por dar a hora.
O Presidente designoa para ordem do da da
se&aaS de 3 do corrente, a mesma saateria dada para a de
hoje, e levanto a sataai.
iMARA aos DxrcrAaoa.

Extraa da SessMo m o da Julka.
Prasideaeia do Ser. Araejo Lima.
FE:ts a chamada pelas dex horas da manlsf, *-
ebando-aa presentes oincoenU a seis Deputadea,
Presidente declarou aberta a aeaa6, elida a aaUsm
antecedente, foi appiovada. __
O primeiro SecreUrio dea eonU de expeeaenU.
, OSDKM DO DA. i
.Continen a quart. discu*5 adu.de eeerea .W
d.ce-5 da Lei para o reerutameate da Lxercita t
Marinha, a emendas apoiadas. Wa-'.. -
Foi lida e apoiada huma esaenda do Ir. iebaatue
do Reg. ,.
O Sr. Monra Magalhea, em hum longo discuraa,
disaeque raspeiu muita as deeiaea da caaa, a avia
sUaer que mella se regeitava a idea de caasciipeaS a de
reerutamento (breado, a par iaaa nao traUna afaaa
deeta eiteri*, perqM a elk te tratar, eje aa>av x>-
MI ITII ARO


DIARIO DI PERNAMBUO.
(aria pelo methodo da conscripct, por ser aquelle
metbqdo, que man se basa na igualdade, e pelo
qual todos os cidadafis aa5 chamados ao servido da
Naa5, e ninguem teria direito de se queixar; que
un fim por este nieth- do todos era soldados, sem
ser por feria ; em quanlo porm ao engajamento,
disse que elle se conlormava cora os principios de
ju.stica : e como os principios Con.stitucionaes ; e
ninguem devia ser obrigado a servir ; que finalmen-
te o engajamento tinha huma oulra vuntagem, qual
era a de se ohtcr por meio del, homens escolhidos
pua o servico da guerra. O IIlustre Deputado res-
tondendo aos argumentos de outros Deputados que
allarao na sessa anterior combaten o melbododo
recrumento, taxando-o de immoral e injusto, e que
s poderia volar porel'e no caso urgente necessidade
de proximidadede huma guerra, de que nao" bavia
receto ; e proft rindo o methodo de engajamento,
concluio declarando, que approvava a Lei con) a
suppressa do artigo 1. c a emenda do Sr. Luiz
Caralranti, e regeitva todas as mais emendas.
O Sr. H< 1:1 iqnes de Bezende respond u sis razes
expendidas pelo Deputado que acabara de fallar, sus-
tentn a enn-nda de suppi essa do 1. artigo^ e pro-
nunciou-.se contra toda a Lei de engajamento.
Tendo fallado mais sobre a materia os Sis. Mello,
Clmaco, o Sr. Vasconcellos discoi rendo largamente
obre object* em quesla pronunciou-se contra o
engajamento, declarando que elle nao dava soldados
para o exercito ; que muitos Corpos de Ptrmantntes
ainda na5 estava completos, e que o resultado do
engajamento sei i.i ua6 haver nem Permanentes, nem
exercito, e que alm disto iria entorpecer a marcha
dosGoremos Provinciaes; que finalmente o enga-
jamento ia roubar bracos agricultura, easaites, e
favorecer de corto modo a ociosdade. O Ilustre De-
putado prenunciou-se a favor do rec ulamento, e
deelarou que nao tinha occorrido razoes ponderosas
pelas quaes se abolissem aa nossas leis acerca de recru-
tamento, e que posto a unia nao eslivesse ameacada,
ella o poderia chegar a estar, e era necessario que hou.-
vessejexercito disposica do Governo Geral, con-
forme se havia decretado na lei de fixaca das forcas
de trra.
O Sr. Ma*iel Monteiro fallou a favor do engajamen-
to, e demonstrou que as sommas decretadas para os
Corpos Municipaesse tem consumido, o que prova
que tem havido no Imperio qnem se queira engajar j
que talvez que algims destes Corpos Municipaes nao
tenha ainda chegado a estar completos, mas queisto
tambem se observou em alguna Corpos de linha, que
nunca ae chegra a completar. O Ilustre orador
desenvolvendo a materia, e respondendo os argumen-
tos de algims Deputados, combaten a idea do recru-
tamento toreado, e demonstrou que desordens e ma-
lea tem viudo ao Brazil de bum exercito disciplina-
do ; e concluio vtilando pelo engajamento e pela sup-
pressa do artigo segundo da lei.
Largando o residente a radeira, foi cata oceupada
pelo Vice-Presidente.
Julgada a materia suficientemente discutida, foi
posta a votacao a emenda de suppressa do artigo, e
approvou-se por Aj votos contra 45.
rosta a votos a emenda de suppressa do segundo
artigo foi approvada por 46 votos.
Procedeu-se votaca sobre o seguinte projecto do
Sr. Vasconcellos, e foi approvado :
a Art. i.~ O recrutamento ter lugar s quando
nao houver voluntarios. Os voluntarios perctber
sold mais avantajado, e servil 5 a terca parle me-
nos que os obrigados.
Art. 2. O Governo be autorisado a irnpr pe-
nas al tres mezes de pri-a, emuleta at aOO^OOO
ris pelas inlracqes dos regulamentos que expedir
para o recrutamento.
Art. 3. Fica revogadas todas as leis e disposi-
5es em eoutrarid. B. r. de Vasconcellos.
Por votaca da Cmara julgou se prejudicada a e-
menda de Sr. Climaco.
Occorrende duvidas se o projecto devia ser propos-
te adopea, decidi* Cmara que fosae.
O Sr. Veiga Pessoa pedio votacao nominal, e con-
sn'tada a Cmara, na5 approveu tal exigencia.
O Projecto do Sr. Vauconcellos foi adoptado por
4j votos. *
Entrou em 3. discussa o Prejecto de meio cir-
culante, e emendas.
Foi apoida huma emenda do Sr. Heniiquesde
Revende, ForaS igualmente apoiados huns artjgos
additivos do Sr. Ibiapina.
Como tveste dado a hora, nao contrauou a discos-
sao, ao Presidente den para ordem do dia 3, a no-
tneaca da Commissa Especial para rever o Cedigo
doCommereio, a discussa da Proposta do Governo
sobre a susp n-a de garantas para o Para, a tercei-
ra discussa do meio cii ctante, na ultima hora a
letcad de mesa, e levantou a sesmo pelas % horas da
COMMANDODAS ARMAS.
I
Llm. Sr. Covindo acautelar de ora em dianle
o abuso que se tem filo na cobranca dos vencimentos
naudos ns guiaentregues diversas pracas que ser-
viraS, e ainda servrm na guerra de Panelles, e Jacui-
pe, proponho a V. S. como medida capaz de pre-
henxer o desejado fim, que nenhuma divida notada
as guias seja paga, sen que seje cobrada por um oF
ficial competentemente habilitado por mim, como
se pnlicado com s de primeira Linha de Fe nan-
de, que fon- ltimamente demitlidas por Portara
de 3 de Julho deste anuo.
Se V. S. concordar em semelhante medida ter a
bondade communiear-me.
Dos Guarde a V. S. Quartel do Commando das
Armas de Pernambuco i4de Selembro de i835.
Illm. Sr. Joa Goncalves da Silva, Inspector ^ do
Thesouro. Joze ala Costa Rebello Bego Monteiro,
Commandaale das Armas.
Illm. e Exm. Sr. Fica expedidas as or-
dens necearas para qe se observe no pagamento
dos vencimentos notadot nae guias entregues as pra-
cas que servirse, e servem na guerra de Panellaa, e
Jacoipe, o que V. Ex. exige em aeu ofiScio desta da-
ta, para acautelar o abuzo que se tem feito cm laes
pagamentos.
Ao mesmo lempo lembro a V. Ex. que para evi-
tar alguma falsificado m uito conveniente seria, que
todas as guias viessem acompanhadas de officio do Co-
mandante em Chife das Torcas em operacoens, o q' tal
Tez nao seja muite dificultosa executar se tendo dimi-
nuida os trabalhos do acampamento.
DeasGuaidea V. Ex. muitos annos. TlwOU-
raria de Pernambuco i4 de Selembro de i835.
Illm. Exm. Sr. Joze da Costa Rebello Reg Mon-
teiro, Commandaute das Armas desta Previncia.
Joa Gonoalves da Silva.
Illm. Sr. Tendo-se desencaminhado desta
Secretaiiais guias de Thom Jdle de'Santiago, e Ma-
noel Correia Lima, ambos soldados de primeira Li-
nha de Ptrnando, cumpre-me prevenir a V. S., pa-
ra que no caso, de serem ellas no Thesouro apresen-
tadas se na6 verifique o competente pagamento, sem
que seja pelos canaes apontados a V. S. em mea of-
icio de hoje .respeito.
Daos Guarde a V. S. Quartel do Commando das
Armas de Pernambuco 14 de Selembro de i835. --
Illm. Sr. Joa Gonsalves da Silva, Inspector do
Thisouro. Joze da Costa Rebello Bego Monteiro,
Commandaute das Armas.
Illm. Sr. Tendo-se dado s providencias
que se juIgaraS convenientes, para que .mel The-
aouro se nao paguem vencimentos duplicados pra-
cas que servirlo, e ainda servem na guerra de Panel-
las, esenio urna dellas afina de evictar falsficac5es,
que s guias venha acompanhadas d'oflicio de V. S.,
cumpre que V. S. faca efiectiva esta medida, de mi-
neira que o officio nao trete de ootro objecto mais,
qne o da remessa da guia.
Dos Cuarde a V. S. Quartel do Commando das
Armas de Pernambuco 16 de Setembro de i835. --
Joze da Costa Rebello Reg Monleiro, Commandan-
te das Armas. -- Illm. Sr. Joaquim Joze Luiz de
Souza, Commandaute em Chtfe das orcas em ope-
ra (, es.
DIVERJAS BEPABTIQOENS.
COMMANDO SUPERIOR DA LBGIi.
XLlm., e Exm. Sur. As duas Legioens deste Muni-
cipio s a segunda tem Cirorgilo-mor, eos 4 Bata-
Ihoens que as compoem s o 2.* tem eirurgiao ; estes
consta-me que nios compareceio no dia i5 a ins-
talarlo do Jury de Revista, como que scientificaro
ao Doutor Juiz de Direito, e rresidente, que sendo
elles os nicos que hamo nos Corpos ali estavao pron-
tos ; avista do que conhererV. Etc., que nem houve
omis.-fio de minha parte, nem falta de execucSo s
ordensquea respeito exped. quanto rae cumpre
dizer em presenca do Officio, que V. Etc. rae dirigi
em data V 16 do conente. Dos guarde a V. Exc.
Quartel do Commando Superior das G. N. 18 de Se-
lembro de i835. Illm. e Exm. Sr. Francisco de
Paula Cavalcante d'Albuquerque, Prezidente da Pro-
vinciaFrancisco Jacinto Pereira, Commandante Su-
perior.
Por participado que fez o Major da Lego do
Commando de V. S. ao Ajudante d'Ordens de semana
sou informado quedeixou de ser rendida, no dia 20
do correnie, a guarda da Galera S. Joo Baptista ; e
como a guarnico nesse dia fosse dada por essa La-
gio, V., S. farretolher presos, midiamente, todos
os individuos que faltarao, e providencia para que
laes faltas, que redundi era detrimento do servico
Publico, o acarrttio conuco a indisciplina, rlaxa-
eio dos corpos, ro tornem a aparecer-; communi-
cando-me de assim haver cumplido. Dos guardes
Y. S. Quartel do Commando Superior das G. N. M
de Selembro de i835 Francisco Jacinto Peicira
Commandante Superi< r Illm. Sr. Manoel Thonsa
Rodrigues Campeflo, Coronel chefe da segunda Le-
giio.
Conforme. Joze Joaquim da Fonceca Capibarib
Capitio Secretario Geral.
Quartel do Commando Superior dtn G.*N. do Mu*
nicipio do RedfefZ do S< tembro da i835.
OBOF.M DO DIA.
Tendo sido pedidas por duaa texes em ordem
do dia rellaces nominaes dos individuos, que esto
despensa'dos t areunio do Jury de Revista, e ifnda
apenas sido remetlida a p< rtencente ao 1." Batalhio-
manda o Illm. Sr. Commandante Superior louvar o
zello, e prontido do seu respectivo Commandante,
e estranhar aos de mais semelhaye falla ; e ordenan-
Jo, que ditas rellaces I he sejio^Wmetidas sem perda
de tempo, espera nao, tornar a**ter ocasiio de estra-
nhar-taej nmisjeps.Prax^edeeda Fonceca Goatiabo,
Capitio Ajudante d'Ordens interino.
IUIZO DE ORFA5 DE OL1NDA.
JLLlM. Sr. A's quatro horas e mcia da tai de di
hontcm 15 do correnie me fiz recolher Cadeia des-
ta Cidade Pedro Bom. 5, natural da Villa do Cabo,
e actualmente morador no Districto de V. S., oquil
fra tn Dirtricto, nao lora V. S. adiado fin casa por seui
conductores, qu forao os sous Disti danos Jote da
Costa Mtrelies, Francco Joze da Assumpca, e Ma-
noel de Jess, os quars dissers-me que o dicto re-
dro Roma5 tinha sido preso ordem deste Juizo por
um Sargento das Guardas Nacionacs, de nome Lou-
nnco Joze dos Santos, com quera aquelle tivrs urna
contestacaS depalajias injuriosas, accresrentandoq'
o dito Sargento tambem fora prezoa ordrm d V. S.
pelo seu Inspector Antonio Teixeira Ferinoj e qns
ortferidoPedro Roma era hornera desconhecido, e
uspeito nesse Distiitto ; o que em verdade inepa-
receu logo destituido de fundamento vista de dois
paasapoi tec, que elle me apresentou. Como porm
esteja eu boje bem informado que menos legal fra
a cua prisa, j por que ella nao seefitilura em fla-
grante delicio, j por que lem sido o dicto Pedre Ro-
ma, segundo me consta, um cidadao pacifico, t
diligente pai de familia, que ; ainda que pobre, ar-
ranjou poudt lodos os seus filhos, j em bm porque
4 levoltante que elle sofia cOnstrangimenlo em sui
liberdade, quando se Conserva solt o dicto Sargento,
o qual neste momento me veio fallar, e que estou in-
formado que sem raza alguma ameacra a aquelle
com urna lacea de ponta, que ainda ebegara a arran-
car ( crime este, para com- e qual nad deve V. S.
nem alguma oulra Authoridade ter a menor indul-
gencia, para que deas'ai te se desterre d'entre nio
brbaro costume de trazer-se tal arma ) ; acabo por
lado isso de restituir neste momento sua liberda-
de e dito Pedro Rema, o qie tia5 obstante pode V.
S. proceder i formaca de culpa contra elle, se por
ventura entender que ha materia para isso.
Dos Guarde a V. S. por muitos annos. Olindi
16 de Agosto de i835. Illm. Sr. Juiz de Paz a
3. Destiicto deste Municipio. Doutor Lomen-
co Trigo de Loureiro, Juiz Municipal.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta he amajma do iV.* 181.
CORRBI0.
A
Sumaca Conc;ic5o Fecidade do Brazil, reetba
a malla para o Cear hoje 28 ao meio dia.
Acta da 4.' Sessao da Junta de Paz da En-
vista em .7 de Agoito de i885.
Prezidncia do Snr. Mendes da Cunha.
JTELas 10 horas do dia sendo prezentes no Consis-
torio da Matriz da Boa-vista os Snrs. Gama, Bizerra
Cavalcante, Frazo, e Almeida, deelarou aberta a Ses-
sao, e lida a acta da antecedente foi aprovada. En-
trn em julgamento o processo de infrcelo de Post"'
ras contra Jernimo da Costa adiado na Sesslo-passadi-
O queixzo Procurador da Cmara ratificoua suaqu'1'
ta, e sendo discutido o jnfgamento pelos tresj or'


DIARIO DK PBtNAMBUC*
I mos Julzes, e nlo o pririfeiro por ter julgado a cau-
., detidio-se unnimemente confirmar Sentence
C|U que se^exara .condemnado pelo Snr. Gama, en
ui(o mil res para a Cmara, e as custas. Sendo
lido o Processo de infrcele-de Postura* contra Fran-
cisco Rodrigues de Yloura para entrar em julgamen-
I lu, e ser condemnado a reueiia por nao ter compa-
recido a xamada, o queixzo Procurador da Cmara
rtlificou a sua qutixa, e sendo di cutido o julgamento
efos tres ltimos Juises, e nao o primeiro" por ter
fuleado a cauza d a Seutenca effl q' se a axara condemnado pelo Sr. Ga-
ma em qatro mil rs. para a Cmara, e as custa. O
Prndente disse que visto se ter concluido os Pro-
ceros que haviio pura serem decididos por essa jun-
ta dava a Sessio do presente mes por concluida,
s levantou a Sesslo as duas horas da larde, eu Fran-
cisco Caetano rereira Guimaraeos Escrivio da Junta
a escrevi. .
Joio ManoelMendes da Cunba e Azevedo, Juiz Pie-
jtdenle. Jos Joaquina Bizerra Cavalcante. Jos Bcr-
aai'dwda Gama. Jos Joaqun de Santa Anna Fra-
ilo. Jos Paulino de Almeida.
CORRESPONDENCIAS..
Snrs. Redacrtaet.
R 0o-lhes o obsequio da insercio da ordem do
U 24 do corrente a fim de que fique certo o finir.
direetor do Arccnal de Guerra, ou de qu<-m o acon-
que nio pode S. S. despedir do Tr.m a Sol-
dado algum da Compunbia dos Artifeces, como tem
platicado : d cujo favor ficar agradecido.
Hum Soldado de Artjcce.
ORDEM ADCIONAL DO DA *4 DE SETEMBRO.
O Exm. Snr. Presidente por Officio de 13 do
oriente conforman o-se cora a proposia que Ibe di-
rigi o meo antecessor em 22 de Maio p. p. deter-
mina que os 2 Subalternos da Companhia de Arli-
feces faci aemana na Arceoal de Guerra sobre as
orden* do respectivo director, afim de vigiarem so-
bre es S ddades Artifeces aplicado ao trabalho, e ter
cuidado que guardem ordem, subordinaco e reapeato
devendo o subalterno de semana no raso de infraccao
do que levo, dito parlecipanm ao mesmo Snr. direc-
tor, este ao Cmmandante daCompanhia, e Eualmen-
te este pelos canaes competentes a mim para dar as
providencias comprindo-me declarar que nao po-
de, e nem deve,mSr. director despedir dos tributaos
do Arcenal os Artifecea que julgar incorregiveis,
como ilhe agora ha praticado Assigeado Jos da
Costa Rebello Reg Monteiro, Comandante das Ar-
mas.
Snrs. Redactret.
c
vjHEGMi.domeu sitio em Muribeca a esta CidaJe
fimdereceilar minhasogra e criada de Vms. por se
ichar muilo atacada das almorroidas de que he bas-
tante perseguida, e apenas me apiei, eisqueoucoum
barulho na minha porta que bem mecustoo aacom0'
dar. Foi o cazo seguinte : huma de miaas filhas
como carisesse de comprar huma parelha depentes
mandn dois sulumins de goma para vender, e co-
mo o portador trocease a vista, apareceo logo 3 com-
pradores hum TaUlio de Notas, hum Sapateiro, e
huma engomadeira querendo cada qual a preferencia
a toda goma o Tabelifo alegando que a elle competa
por Lei, pois era obi igado a grudar todas as Destnbui-
c5es as folhas dos protestos con a pena de peda do
officio ecrime, o Sapateiro que liuha loje publica, e
que faltando a goma parara seu giro, sendo obrigado
a pagar o direito de ia#8oo, a engomadeira que era
obrigada a dar pronta toda a roupa para a testa do
Carmo, e faltando bai u hara-se a fsla ; ora refiec-
tindo bem asaentei acomodar as partes deredindo em
tres partea a goma, aahiudo todos satisfeitos, e eu
com o cobro vea^lha funda, entretanto Foi Juis de Pal
a foi ca ,
Seu Criado
Ohumem de Muribeca.
J9*
Em Portugal continuara a harer perf. ito socego,
e continuara tobem a guerra periodiqueira, A Cr-
vete Isabel Mara' havia sabido para o Rio de Ja-
neiro em 15 do mes passado (erando a seu bordo o In-
riado extraordinario e Ministro Plenipotenciario da
Portugal, e o Cnsul Geiul da uiesme Naci junto a
Corte do Rio de Janeiro.
Em Hespanha nada tinha oceprrdo no theatro da
guerra depois da batalha de Mendigorria, junto
Puente'-la-Reina, e a pesar dos boatos que ae tem es-
palhado de urna ora accio depois daquella, em que
Crdoba, fina derrotado, e obligado e retirar-se a
huma distancia extraordinaria, boatos at transcritos
em peridicos da facco Carlista, sabe-se poseliva e
offecialmente, que depois da Balalha de Mendigorria
uio houre encontr nenhum entre os dois Exercitos.
O Exercilo Carlista tem feitorarios morimenlos a fim
de rer se atrahe Crdoba s montanhas e defiladei-
ros, para mais a seu salvo podtr tirar a desforra das
pedas quesofreu, eCrdoba da aua parle tem mano-
brado a fim de atrahir .'os Ca listas para a plantee;
porcm elles ficarSo lio escarmentados da ultima accio,
que oloouzo largaras suas pozicoes. O quaitel Ge-
neral de Crdoba estara ltimamente emLog.oeos.
Continua** a desembarcar tropas Inglesa na Bis-
caya, Em poucos dias dtrio entrar algnns batalhoes
de roluntarioa Francezes. Parte da Legto Estran-
geira que estara em Argel j tinha dezembarcado as
cosas de Hespanha, e em poucos diasdeviachegar o
resto. As grandes operaces das tropas combinadas
deriso comecar no principio deste Mez. O General
Ingle Evans Commandanle em Chele da Legio
Ineleza tinba embarcado em Inglaterra para aHespi-
nhe-para tomar o Commando da mesms Legiao. JNa
mesma oocazio havia embarcado para o mesmo des-
lino o General Al va ex Embaixador d'Hespanha em
Londres, e que ora nomeade Pela Rainba Ministro e
.Secretorio d'Estado dos Negocios da Mannha.
NoReno de Murcia, Barcelona, eoulras Cida-
desda Catalunha tinlio havido mu serias dezordens
contra os frades. Estes santos komens, inimigos na
toa das insltuices livres (com mui poucas, mas hon -
rozas excep;5e) forio#os prlmeiros que, em Bilbau,
no principio desta guerra f. atecida levantarlo o es-
tandarte da rebelliio, reunindo e pagando urna guer-
rilba de 700 homen, com a qual fizero as maiores
hStelidadesnaquelIaC.dade aludos os que nao se-
euiio o partido Carlista. Depois d.slo elles lem cou-
iinnado, como be notorio, .fomentar por todos os
meios a guerra civil auxiliando a cauza de D. Carlos
com dinheiro, e com gente engajada sua custa, ser-
vindo-se finalmente da poderosa arma da Religiao pa-
ra Iludir o povo incauto, tornando se deste modo os
mais poderosos sustentculos do Perlendente ; o que
lem indisposto contra elles lodos os amantes da li-
b rdade legal. Dois cazos recentes acabarlo de exas-
perar os nimos, edeinfuiecer opovo que rornpeu
nos maiores excessos. Em Legrooo huma das primei-
ras degnidade de hum Convento Franciscano tinha
arraniado huma conspirado para faser perecer parte
doExercito de Crdoba, hincando fogo ao Paiol da
plvora &c. felismente soube-se disto a lempo e o
fradefoi fuzilado. Nasimmediaces de Barcelona ap-
narecero duas grandes guerrilhas organizadas pelos
frades e commaudadas por dois d'elles. O poyo eo-
lio nao guardou mais lemites, alacou osconvenlos e
sacrificou os frades, que nio linhio podido escapar-
se e lancou fi'go aos conventos, de maneira que o
Goremador nio achou outro uieio de salvar-lbe as vi-
das se nio recolhelos felaleza, e Cidadella, aonde
j se contavo mais de oo. As folhas Hespanholas
disero que elles mesraos pedera serem dessolvidos, po
is conhecem que a opiniio publica he contra elles.
Em Berlin, Capital da Prussia, houve huma, so-
blevacio do povo, no dia dosannos doRei, que cus-
tou muo a accomod,ar%(e as grandes festas que esla-
vf o preparadas para aquelle dia, forio suspendidas.
As folhas d'Alemanha dizem que o Imperador
Fernando,, vai separar-se da SauU AHianca.
Lonis Philippe na6 paparon na rerdade a rerolueaft
que o pz sobre o throoo, ainda qua elle a vigiaste de
ierVo j mas ja se na6 pode duvidar, que aqnelles que
ancarem suas ri?las sobra elle, quando suspeitarsoa
a possibihdade de urna racancia no throno, assim o-
braraai r. in!enC', de nromorer indi vid ualmfmta
seos proprios inleresses. Se se dissei\ que a Franca
nada mais fez na sua ultima reroluca de qua tirar a
coroa Carlos para dal a a Lonis Philippe, seria is
to mais urna rasaS para os inimigos das convulics pe-
liticas adiassrm semelbanles experiencias. NaSpo-
dem"8 diser, que approvamos essa pu^illanisaidsde,
que no seo receio da mudanfa comprometiera a cau-
sa da libeadade, e que tendo muidesnecessariae per-
niciosanienle a fortificar demajs o Gorerno. era
remos porque a liberdade civil seria la incompati-
vei com a ordem publica como mutos o pensam em
Franca. Os amigos da ordem (ormam urna maiorie
bastante poderosa para que pessam com facilidad*
manter ambos esses beneficios nacionaea. Podem
dictar Ieisaos gorernantes, e ao mesmo lempo sub-
iugar a pequea sninoria dos anarquistas. Por mei
do gove no que est as su as mos, elles podein aug*
mentar os inleresses da liberdade, e por sua grande
superioridade numrica tornar inofensiro o descon-
tntamela0 ^os dissidentes.
Lastimam todos os amigos da ordem e da liberda-
de que oRt que por sua educacaS e talentoa ha
sincere am'g das nsliluic6.s conslitucionacs, e qua
temomsiordesejo de proraorar a felicidade do seo
poro, na5 POSM ganhar sua confian?a. Ninguem
durida do seo talento, do seo exactissimo conheci-
mento da Franca, das suas benvolas disposicSes, e
com ludo elle na6 adquiri nem o respeito nem o a-
mor dos Francezes, Na rerdade sua raidade neu-
traliza seos tlenlos e conbecimenlos, e o seo exceasi-
ro eosmo salla aos olhos de todos. Bonsparteer
egoista, mas ne momento da cr.se, profena os inte-
reses da Franca ao seo proprio poder}-era quente
os proprios amigos de Louis philippe migara que he
capaz de sacrificar os inleresses e a dignidade da Fran-
ca, para conservar a sua dynastia no throno. Se
accrescenUrmosaislo a nodoa de baixesa pessoa!,
na6 nos dereremo admirar-se urna nacao que, bem
quenaaeja, como Burk n. chama, urna nacao da
cavalleiros, sabe todava imitar o lom elevado e en-
tusiasmado dos cavalillos, c 4uc de f.cio forceja
por leresae carcter, ainda que o na5 consiga; naS
nos deveremos admirar, que esta nacao sympathise
ta pouco com um Soberano, que proraVelmente
nunca proferjo, nem ta pouco seul.o um senilmen-
te generoso na sua ^ida, e que he conbecido cerne
hornera toUlmenie incrdulo quanto a nrlude bu-
EXTERIOR.
Temos risto folhas Inglezas at i3 domes passado
rindas de Liverpool pelo Brigue Ingles, chegadoda-
quelle poKo os dias passados, e de Lisboa atei i5 do
mesmo mes, vindas pelo Brigue Ligeiro, furtdiedo ne8-
te poi to em 26 do corrente; d'ellas damos hoje era re-
tusno o qua eiicontrimos ruis notafel.'
aeve uwi vw..~-~------1-------------
linee nunca tere maior numero de 6Ustentaeores uo
queino momento actual. He isto der'to pouca
disposica para a mudanca, e a eslabilidade que ser-
n vai ganhsndo terreno. Vio o poro, que todss
. ____ ------ i>ni-nili annnR n
mana.
lia.
Apezur de ludo isto, julgamos que era quanle
grande cerpo do povo tiver os meios de exprimir
seo amor ordem e paz, por urna Cmara de Denu-
do Unes, o throno da familia deOrleans est salrt,
e a snarchiaimpossirel ; pois be urna grande rerda-
de, que urna Menarchia que, bem que propensa para
oob.-olulsmo, nunca he cruel, he preferir! aoscl-
vacem despolisroo de cem cabecas disfarcado sobe
manto da Repblica. p ^ ^ *!!V!& )
[ Do Diario da Baha.
I
"
^AVIZO.
VARIEDADES.
O Throno de Louis Philipp*-
a, Odo aquelle que aeguio altentaraente o qua se pea-
ou em Franca, nos tres ou quatre ltimos annos,
dere ficar convencido de que o throuo de Louis Phi-
sem-
as
nudancas, que occorreram nos cincoenta annoi pas-
sados, foram proaeitosas somente para o pequeo nu-
mero de pessoas, que mais ardenteruenle as prociira-
ram, custa daa liberdade publicas do pas, bem
que estas parecessem ser e fim a que se propunham.
Ranciscode Paula Brandao, dono que
foi do Botequim e Caza de Pasto da Ra
do Rozarlo, D. 6, fa sciente a todos o
seus freguezes que se acha hoje mudado na
nova caza que abrie na ra da Cadea do
Recite, D. 63 : as pessoas que quizerem
continuar com os jantares por asignatura*,
poderao mandar na dita caza, nao obstan-
te ainda nao estareai inteiramente acabadot
os arranjos da mesn a, oque far ver por
segundo avizo apenas csteja pronta.
AVIZOS PARTICULARES.
LBMBEBTB
O Sor. Manee! Zeferino dos Santos queira tar ais
melindre, e delicadeza cora as partes i e nlo jolgue,
que estas estarlo sempre para aturar aeai.fritos, e
inepcias, huraa vea qe coudas na orbiU de seus
8ar Adminulracle das Obras publicas tea da
compnr 450 eaoeas de areia daeealgada posta ne Tra-
%


r-
""i-1 m
4

UlABlU 14 PlftJIAJelBlJCO.
Sixe do Algodle ; e 39 cinnai d'areia Migada poeta
rontiaha da eamboa da Madalent : Todaa ai pe-
anea que quiterem vendar ceroparecera na cata da
dita. AdmiaUtracio no dia 30 do crvente roe da
ietenbro, das 9 horas da manhf at as 1 da Urda.
ej-nj- O Sor. Caetano Lui, quaira Tr batear uaaa
artauna Noraloja D. 9, qaa por engao to-
. ru do correio.
. jan- pn isa-aa de uro caixeiro rertognee **
asar coata de umi renda : ns roa do Rmgel D. 1a.
aj-n O Admiaistrador Fiscal das obras publica
anihoriado pelo lili. Snr. Presidente convida
todaa as penoii tanta eacraraa ronso libertas, que qui-
larem tiabelhar de terrete as ditis obraa palo jor-
nal da quatro cantes e oiteata re eos os das uteu
aa podam dirigir ao mesmo administrador, para es
mandar admitir. # .
ajrn- Que parrisar de um Brsiiltiro para cauti-
vo da ra diado iidar a sua conducta ; dirija-aa a
ras do Rangel D. 29, o* annoocie.
a/jp Di-te 100$ reisem diaheiro marcado por
ItOJI re im prsta, ou sedlas : na ra do Sebo D. 9.
aj-ja Prrcisa se de ana mulher de idade para eom-
prar na ra, e faser algum pequeo eervico em uaaa casa
da duas pesftoas; dando-se o sustento, a alguna rou-
pa : na ra d* eallabauco relho sabradinho de um
andar, dafrente da uta sobrado reino que se est con-
certando.
/-m Precita-se un creado para o ser ico da cata
eVum homen solteiro; na prica. da Independencia
laja da lirias N. 38.
t/n Pieciza-10 fallar con algum dos herdeiros,
eu p-reate d-- Henrique da Silva Loureiro fallen ido no
Kio Grande do Sul noturai deita Cidada, filho legi-
timo deSohiatifo da Silva Loureiro natural d* Ilha de
8. Miguel e Di Rita da Silva Jetos natural deta Cida-
da. na Pracinba da Corpo Santo D. 67 aelha dir a
que Im.
ajrjr O abaixo issignado declira quem convier,
que elle herdeiro de um legado, encrav-do no En-
arnho Boa-vta da Villa de Goianna, e qut
aingutn contrete renda, ou hipoteca do dito engr-
ane eom oaeu Proprietario, ea Proprietaiioa, sem
qeeelleherdairo tetiba aido antea emposaado no refe-
rido legado, pira o que tem j dado os primeiros
pitao* de calilo.
Joze da Barros Fildo de Lacerdi.
tjnj Rovimente ae avise aos Sen. Capitn Anto-
aio Jote de Soum Gomes, a Jos Marquea da Cre,
ee o motivo da ae lhes detejar fallar para ae Ihea en-
tregar hun paoel da bastante importaecia, e to da
nteres* dos ditoa Snra. queirio por tanto dirif i-
raaa-ie a ra do Collrgio D. 3.
yn Piecita-sc alugar urna prata de 14 a 16 ae-
aoa para andar com neainoa : na ra do Calabouce
aere por detrae di ra Non, caza de Joio da Alalo
Cimeiro.
tjrtp Quem inuncin ao Djario da Sbado ao do
cerrante, querer ioo# rt. a juro-s sobre hipoteca
ana a parta de urna cara ; dirija-se a ra Diaita, a.*
andar do obrado D. 13, por cima de uan padaria.
?j-jn Quem percisur de um bom leitor para um
litio perto da prace ; dirij--se ai 5 pona caza irn-
aatdiata a que tem o lelreiro Aterro do A [Tugado.
NAVIOS A CABOA.
Para a Baha
Citara?tagem ao dia a de Ootubre, a relleiro Pa-
tacho Nacional Pernambucauo; quem no mmo
qniavr cenagar ou hirde paa-agera dirija se a Maiio-
el Gaacalvet Pareira Lima, eu no aimazam N. a8,
rae da Crai.
Eteravea da anees 01 sexoa ladtnee, eende de muite bona oomodoa aa Cidade d'Onda, rea da I
angola, ou crilos, o meamo da auna qualqeer aaete : | Beato: qaetn a aertender, dirija aa 1 rae di Guia fl.
aa praea da Boa-rwta D. t. 15, 1. andar.
COMPRAS.
U Ma nulata, oa una crila nf o saado de roa, e
lando nossa, a de b<>a figura que fenbi todas as ha-
bilidades neceslaiiii paraarranj de urna casa, e nao
te p ra duvida ao prec.0 : na ra do Rangel D. 29,
Xa** Um terno(aifida sendo desenteirado) de rne-
desdvpu, do padreo elho : na rentfa da ra Nora
ao p 1I4 punte D. 36, e nx"fr* Uina tteraVa cotu roda tsCivco da ren'ro
decaa, udia e stm virio : aa praea da Indepanden-
eia n. m dii qu-m a rompa.
%T*T (Jma monda de caza terria pequea, em qual-
quer 1 ua, ou beco da Uairro de S. AotoiMO : tieU
Tipogiafi.
ajCar* Moeda deprita, eouro por teulas, ou co-
are marcado : aa iua do Nixe da Noia a5.
LEILAO.
ejoaei k Wynntfisem leilfo na dia quirta feira
30 do correte, pelea 10 borat da miah d fizanda
linpia a avariadaa na cata de ana eeaideacia, ma da
crui a. {S,
VENDAS.
Jl OS. todo dinheire de abre que naba a pata o nfe
seje fundido, efeitea de venda, por preeo aom-
modo : na ra do Livraneato renda de Cardial
esquina de beco do Padre D. 1.
tV I pipas de agoardente da Ierra nuito supe-
rior : na ra dos Darbeirat n. t.
jry toe garrafas nzias, orna quartolla que foi
de vinho, e outn de genebra, aasini como effeit venda por noeda te.ita lisa t na ra do Angio venda
debaixo do >enhar Gusmio.
/!?* Vende-ie, ou troca-se, por ama negra moca
de ii annot, um negro de ascio gabgo, idade pooco
maisou nenoade \n annas, de bonita figura: quem
aertender algum de.-.tes negocios, diriji-ae ra do
Vigirio n. 3i no a. sndar.
n.y Ums poicode chaptot de folha depalmei-
n, duas ciixas de lirroscm brsco, um Iwhu derou-
pi fett, e urna pouca de goma elaitica : em casa de
Hmrjque Forster A Comp., roa da Semilla velha,
%9 Manteiga em barris a i40, e aendo per di-
nheiro teita lisa a 16O : na eaquina da vracinha do
l.Ti amenfa loj do Rurgoa Penca de Len.
yrW Faceadas a praso a 6 e 11 metes, com firmas
a utufacao do vendedor: aa loja do mesmo Burgas
vosee de Leo*.
/JT" 3 caixat da Le Ray : em cate de Heariqua
Foriter dr Conp., roa da Saaealla velha n. 1.
\"9 O nuito rtlleiro Fataxo Americano Tborn,
forrado e c vi I liado de cobre, e prompto para qual-
qner viagem: em casa do acamo Henrique vor-ter
C. scus consignatarios..
%*?* a panellia de folha com fuaiz propriaa pan
tzeitede rarrapato : ea ra do Rangel D. 19.
yrw Urnas conxai de batanea de padaria: aa mea-
tna cita arima.
%^m* Um taboleiro de prata, adrenos de Ser/ de
flagi com lores de cabeca, brincoa de hrilhantet e
diimantaa, atacas de diamantas, aaeis deceba com
brilhinte, alfinetet de brillantes ludo abras demuito
bom gesto: no aterro da Bo**vi quira da Oliveira e Souzi das 3 horai da Urde em d-
nte.
TW Um turibulo e naveta de prata : na metma
caza cima.
arn Barricit da mel de furo de 19 rinadis, por
5j) ra, : ai raa do Livrimauto, na 1. andar do ao-
brado D. 10.
mja Vende-se, ou arrenda-te per preco comne-
do urna propriedade denominada Campes-Verdea,
sita na Freguetia de Una, comarca do Rie Formoao,
com meia iegoa de trras en quadro margem do
mesmo rio de Una, mui frtil para todo genero de
plantac.6es, e criacSes, tem casa da vivende, sua pe-
3nene senzalla, e estribara : na ra do Vigaria, caaa
e F.liat Coallio Cintra 1. andar filiar com Nono
Affonao de Mello, 00 na Villa de Pao do Alba com o
respectird Juis de 0 Xa** 3 portas de sidncaa? esuat biedeins, e e b-
har di roa Nova : ao iVatro.
tjrm Umi fardi nova de officiil de primeirt Linha,
um talin lirbo de xapi obra muito rica domado de
massi, urna medalha da ( ampanba da B.hn'i, orna
banda em raeio uzo, um seistinte chegado t pouco
lempo de Lisboa e nunc servido, obra requioiim
para oaSnra. ITiciaes de Marinha : na ra Vtlha ci-
ta D. */.
jrja- Una canoa de anirelo de 60 palmos boa para
se l.bi icar bsicaca : na ra do Colegio, D. 10, 1.
andar.
T Um leio: na ra do Hospicio, paasano a
cizi deJoza dePiobo B-.iges, pnmriro portao logo
1 inmediato,
V3" Um nolequt de 18 annoi : ea reado Cole-
gio, blica de Crpruno Luit da Pea.
ARHENDAMENTO.
djgLRrenda-ae um tilia na eitrada doa AflUctea, Y
fronte do norllo de Joaquim de .Oliveira, o qual da
Vinvi da Joaqun da Souza Cirae: quem e parten-
dtr proeare na Botica de Cy pruno Luis da ra, qu
dir eoade te acha a dita ten liara.

ESC al A VOS FGIDOS.
ImO dia ai pira aa da torrante nez, regia
um molato o qual foi comprado Resta praea em a
Forte do mal tos ao tenhor Francisco Herubeae xaii,
sendo os signaes segiiintet: 40 annot poure mtis te
renos, estatura mediana, meio acabocolado, oa ci-
bellos^iBLUaia esj^iilo,etco,do corpo, bai bada, tan
suicas, porefllgumi coisa rslts, dentea limadas,
bein parecido, com urna sicatriz no brico dabaixa
procedida de una pancada; ollci -1 desapatairo peuce
peritime; por nonia Vicente, lilho da Puvoacio a*
ocois loude tem piit, e prenles ; quem dalle son-
ber, oupreudello dirija-tea ra di noeda em cande
Jote Xavier Carneiro da Cu una que aera geatran-
reconi pensado.
tjqn* Maria, crionla, anda moca, cor prata, ci-
bello tosquiado, baixa, bairiga, e peitos grandea : i
nti egar a sua tenhora no litio 10 p da Igreja da Ki-
tancia, que gratifcala.
%Bar* Thom, afio mocanbiqoe, ae a a4 annn
de id-de, altura e corpo regular, cor fulla, nn den-
te da frente da parte de ciaaa de meaos, no principie
di peina diieita urna asa rea deferida; desipareeea
no dia 14 do correte con calca de pao nul, a ca-
nisa de algodio : oa apiebeiidedores ltrem-o a rus
do Queimade 3.* andar do labrado D. i4.
-------------- agjmmnaana
aoncLU alaiTiaii.
Taaaai dms mmris cheuu no i"ena dt Ftmmmku.
Ua.al
7Segando lOh. 6 m.
i -1 lT:---- 10-54
9-0: lo_<};--- t 1141
na 0-50 a
a 11S;_^. 4 1 j8 a
Q 1%-*:- B 1 6 a
13D:-- tS a-64 a
'Tarde.
Navios mtrmds ae dia %9.
(fOIANNA ; Hiata Bom Jetea, VI. Jote Fnneace:
varioa geiiaros.
LISBOA ; 37 das ; B. Port. Lgeiro, Cap. Loa-
renco Joze dos Santo : variot generes: i J. P. da
Lemas. Too. 390.
DITA ; 43 dias; PataxoBeUa Peresmbeeana, Csp.
Joio de Cervalbo Raposo : tal: M. G. da Silva.
Toa. 161.
Dia 17.
ILHA GRANDE do NORTE; a dias ; S. S. Jale
Biptista, M. Ignicio Mirques : sal, couroaaalgadot,
a *oUi. Paaaageiro, 1, c urna esc r a va.
avias sahidas ma dia 19.
R.IO FOR MOZO; lliate Federal, M. Antonio Jma
Feueira ; diferente! genera. Pinagaire 1.
Dial7.
LIVERPOOL; B.Ing. Bread Axa, Cap. Jebn
Gav-y : algodo, c ibiucar.
Ri
ALUGUE1S.
..L-'-ea-tn para pinar a fasta, un lobrie ce n
Oomoi ios Snri. Assigntntes desta folha, que qui-
zeiem mamlar-nos cerrepondencas ou leoneioseon
criminalidade, hajo de nirndalos sob mu assigusta*
n, vista que ignonmoa se alguns d'ell s tem dada
podares a seus caixeiros para ea poderem firmar ; '
tin cono os tem dada pira outroi objtctoe de Com*
marcie.
Os X
i'trm. a Tyr do DitwU lU
MET uor pyfmpi a


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQC84CBSO_J8HLSN INGEST_TIME 2013-03-27T16:41:59Z PACKAGE AA00011611_02967
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES