Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02953


This item is only available as the following downloads:


Full Text

B* -"
--
ANNO"DE 18.35. QUINTA FBIRA

JO E SETEMB1M* N. 6P.
DIARIO DE PERNAMBC.
Prwambuco, wa Typ. oe M. F. deFAB- 18S5-
i"qBBMBB
das da semana.
, Secundo ieium 8. P.nfilo B- Ajejv. da Ind. do Brea*. Grana.
S No* ha de,P. L. ch. ao. SO m. do m.
8 Terca > Natividade de N. Snra.
9 Quarta S. Sergio P. late da T-Pub.
,0 Qoiola S. Nicolao de T. Re d. m., .ud. do Jia d. C. da
"'x^-Theodora. .e*' da T. P. da ., .au4.de!.
&WoV.'AuttV.M. Relacod...rad.doV. G. d.t.
\ em Oliuda. *
! U Domingo O SS. Nomo de Mana.
Tudo agora depende de nos raesmo. da no*sa prudencia, mode-
rado, e energa: continuemos como principiamo. e eramoi a-
poutado cbui adntiraCao entre ai Nacoe mais cultaa.
Proclamaeo da Astemblf Ooral do Brattl.
SuhicreTe.se a 1000 n. mensae* pago adiantado acata Tipogra-
fa, e na Praca da Independencia N. 37 e 88 ; onde le recel>em
correspondencias legalisaaa, e annuncios-, nsenndo-se ettas gra>
lis sendo do proprioiaasignaute, o indo awiguados.
PARTIDAS DOS CORUEIOS.
OlindaTodos o diasao nieio dia.
Goiana, Alhandra, Paraiba, Villa do Conde. Mumanguape, Pi-
lar, Real de S. Joao, Brejo d'Areia, Hainha, Pombal. Nora a-
Souzn, Cidadedo Natal, Villas de Goinnninha, e Nora da Pnaee.
ca; Cidade da Fortaleza, Villas do A.juirv, Monte mor noo-
Aracaty. Coscavel, Canind, Granja, Imperatri/.,!> B*rnar S. Joo do Principe. Solirar. Novad' El Rey, Ico, S. M athet, >
achodo sanjrue, Santo Antonio do Jardim. Qnexeramobim, rar.
naiba- Segunda e Sextas feiras ao meio dia.
Santo Antao- Todas as quartas feiras ao meio da.
Garanhuns, e Bonito-nos diat 9 e 23 do mea ao meio da.
Flores- no dia 13 de cada mea ao meio dia.
Serinbaeiri, Rio Formozo, e Limeiras-Segunda, Quarta.
extas feiras ao meio dia.
RIO DE JANEIRO.
Ministerio da Justica.
A Regencia, em Nome do Impera* r o Senhor
Dom Pedro II, a Quera foi presente o Oficio de Vm.
datado de 27 do mee antecedente, semudo deralor-
mitci> ao reqoerimento em que Saturnino da Souza e
Oliveira sequeixoo da falla de regularidade com que
foracomprido por Vm. o Decreto expedido a favor
de Joa6 Silveira do Pillar, na5 pode deixar de reco-
iihecar que Vm. mandando por hum s despacho au-
toar o Decreto de perda5, julgando a graca por con-
forme, e mandando pa.ssar contra mandado em virlu-
de delle para no ser mais preso o graciado, nao o-
brou com a legalidade devida, e Manda por sso ad-
Tertir aVm. que'oa Deoretoa de perda en minora-
os de pene, ae na5 devem cumpriiy san que sobre
elle, se pronuncie julgamento de conformes nos ter-
mos da OrdenacaS Liv. 5. tit. Ia2 S 5 e 6' P01 f
soque a antiga Legislac*6 subsiste a respeito daquel-
les actos do Proceso criminal que n5 forao regula-
dos pelas disposicSes do Cdigo do Processo Criminal,
que se limitou a pi imeira instancia, e nem pelas de
outras algutnas Leis.
Dos Guarde a Vm. Paco era a de Julho de 1835.
Maooel Alvos Branco. Senbor Jui Municipal
desta Cidade.
Ministerio da Fazenda.
OErgipe.A'Thesouraria, declarando qne as At-
istaos dadas aos Empregados pelos Chefes das Re-
particSes em cumprimenlo do Art. 103 da Le de 4 de
Outubro de i83i, f deverio ser reronhecidasquan-
do o exigirem os Theseoreiros por Ibes ser desconhe-
cida a signatura dealguma dellas; mas reconheci-
da huma, na5 he preciso repetir-se o reconheci ment
de outras do mesmo Cbefe, pois.que elle se nao exige
por formalidade legal.
Maranhio.Declarando ao Inspector da Thesou-
raria, em reaposla aoseu Officio de il de Marco N.
Si, que a disposica do artigo i74 doRegulamento
das Alfandegas, entendida lateralmente, e de acord
com o artigo 97 a.que 6e refere, s sugeita ao paga-
mento de mais cinco por cento aleen dos direitos esta-
blecidos, aquellas mercadorias que se de?pacho para
consumo, sondo desearregadas de huma embaFcaca
actual e effectivamenle em franqua, sem presentar
o manifeslo de sua c*rga ; e oulrosira que a qualquer
embarcdca be permittido traser destino e carga para
differentes Porlos, sem que por iso 6eja sugeita ao -
L nu, oa impositaS especia!, e qie pela entrada
em franqua tambem nenhum imposto privativo se
exige.
Rio de JaneiroAo Inspector da Alfandega, para
permittir o despacho livre dos objectos de prata usa-
da do ser vico do Coronel Manoel da Silva Freir,
ebegado ltimamente do Rio Grande do Sul ; deren-
do assim praticar todas as Teses que taes objeclos de
n^o venho de qualquer Provincia do Imperio fasen-
do parte da bagagem do passageiro.
Bahia- A'Thesonraria, para informar a rasaS por
que da&de a exlinccaS da vara de Ouvidor do Civel
pelo Cdigo do Procedo, te ato tem cobrado a Di-
zima da Chancellara, que alias anda na6 fui aboli-
da.
Matto Grosso--Ciroular, ordenando que asreex-
portscSes de que trata o Artigo i70 do Reglamento
de 20 de Setembro do anno passado, seja setnpre
feitas como determina o Artigo 167 do mesmo Regu-
lamento, e qe d'ora em dianla se exija huma fian-
ca. ou deposito- dos direitos de consumo, marcando
o Inspector da respectiva Alfandega hum prazo ra-
zoavel parte para apresentar certida de entrada
das mercadorias reexportadas na Alfandega importa-
dora, sob pena de pagar os direitos, ou de se dar en-
trada da importancia dos ditos direitos depositados,
se assim o na6 fiaer dentro do referido praxo.
EDITORIAL.
Continuado do N. 168.
Origem 0 nalureza do governo monarohieo. (\)
pAra e^abelecer o que devemos diser sobre a es-
sencia do governo monrquico, no lasemos tencao
de entrar era huma subtil indagado a cerca da ori-
e,m da outoridade dos Reys. Oque sobre o parti-
cular pode saber-se, aparecer bastante dar. aquel-
lo, que tem h-bilidade e lempo para indagal-o, as
tradicSes de alguna Povos, que ten chegado mal .se-
guidas at nos. Porem os que nao poderem, 011 nlo
qoiserem consultal-as, podem achar cousa melh..r,
ou mais digna de saber-se, consultando a sua propna
rasa; iatohe, oque levia ler.ido esta >~^
onde qer que comecasse, segundo as regras da boa
rasSo fundadas no direiio publico universal, e nos n-
lereue. do linhagem humano A'cerca d..lo he ab-
solutamente neceasen faier algumas rtfleccoes, que
aereo o cimento, sobre que havemos de apoiar o pt-
qoeno edificio, que nos propomos levantar.
Jamis se haveria tornado to intrincado, nem se-
ria mistar tratar-se cem tente estensio hum assutnto
lio claro, na5 ser pela criminosa an.bicao pela vai-
dede desmedida, e pelo detestavel espirito de inania,
incitada por interesses privados de homens a.Hhcio-
sos, ou pela adulaa6 e supersticaS, vicios estes a que
hesummamente propeii>a huma criatura tao gros-
seita e tmida, como he o hornera ; nem ta5 ponco
teriamoa caido nos lacos ordinarios do sofisma^ si nao
tivesseraosdado ouvidos quelles.que hlasonao desa-
bios ; a*sim he que ueste caso, como em todos os ue
grande nteresse, o mais acertado meio para cnegar ao
conhecimento da verdade, be esquecer.uos ludo qua-
to se nos tem dito, e remontar por nos mesmos aos
prime-ros principio.} e na5 dar crdito ninguera
ob sua palavra em materia, em qne sem tem empre-
ndo at boje todas as falladas e embustes, que soem
usar aquellos, cujo fl,n he engaar. Aque le, que o
fiser desta modo, pronto descubrir, que es nocOes
concernentes instituoe6 divina, e ao direito^do;
(1) O que vamos dizer he quase tudo extractado
de buma memoria, que escrevemos ba alguns annos,
era idnticas circunstancias, porem que motivos im-
periosos impedirn e sue pubcacefi j talves agora no
demos ao tiabalho de a faier imprimir.
Reys, assim como ao poder absoluto, qne e tem atri-
buido dignidade real, na6 se lundafi em nenhum
facto ou rasao ; mas trasera a sua origem da antiga ali-
enes entre o governo civil e o eclesistico.
Os ceracteres de Reys e de Sacerdote lease echado
unidos mais de huma ver; e drpois de se terem sepa-
rado, ainda assim ambos conspiran exercer hum im-
perio absoluto sobre a consciencia dos homens ; hune
e outros tem pretendido cora huma falacia coramum
arabos, que o mundo necio consenta era suas usur-
paefles ; e no Estado, assim como na Igreja, aqallra9
que tem querido soster com mais afinco o direito di-
vino,s5 geralmente os que menos direito tem tido aos
favores do Co-He digno de notar-se o modo porque
algons homern fora6 elevados hum grao de poder su-
perior aos uutros na infancia das NacSes, que agora
sa5 poucoconhecidas-Na5 falamos d'aqaelles homens,
que se elevaraS por meio das conquistas, se nao d a-
quellea quera se conferio o mando por consenti-
menlo commum, nos quaes se acha huma umform:-
dade absoluta de principios. Como estes horneo
procurassero geralmente o bera estar de seus seme-
lhantes, na5 somente era5 respeitud. a e obedecidos
durante vida, sena6 adorados depois de morios, e
considerados como Deoses de primera ordem-Du
majorum gentium--. Os fundadores das Repblicas os
legisladores e osherce> de cada Estado particular for. 6
considerados como Deoses de segunda classeCii mi-
norum gentiam-A' medida dos beneficios, que estes
seres privil giados fasia sos homens, recebio delles
as honras edistincSes, na5 s em vida, eomo depois
de morios ; a magestade foi o primeiro pi emio, e a
divindade o segundo ; ambos se adquina por meio
de servicos relevantes feitos aos homens, a quem tr
fcil naquelles diasde simpUidade e de superstcao
faser passar da admira?a5 e gratidaS adora?a5 e a
crenca .
Logo que alguns homens particulares se aproveila-
rao desta disposicaS da commnnidade em geral, e que
a religia e o governo chegara . commercio e de misterios, se nvenlarao novos mei-
os para alcansar esta preeminencia, produsindo o
me O mrecimento tinha obtido a pnmaea, porem a
primasia pronto se conservou, e o que he anda ras
eatrenho, se obteve sem o mrecimento; entao fo-
ra alguns eleitosR-vs por humas rai5-s ta5 pouco
apronesitauas para o* bom governo, como oa rinclins
do Cavallo do filho de HUaspes. Cora ludo o moti-
vo maii poderos e mais geral para estas .eicoes fot
sempre a proximidade de parentesco cora o u t.mo,
e naS com o melhor dos R>jrs. A nobresa na Cbma
remonta, e aquelle, que a obtera, rnobrece os seua
antepagados, porem nao a sua postendade } mst.tui-
cao sabia, pa.ticiilarmente era hum povo, que sem-
pre leve o meior cuidado deoonservar em seu cora-
cao hura grande respeito pelos seus progenitores- Sem
embargo, tanto na China como na ma.or parte do.*
outros paises o direito de succeder a Coroa se tem
transmitido aos dependentes, e as Nacoes se cons.de-
raraS por muito tempo, como patrimonio de lamillas
particulares ,
1 Continuar-i*-*-


II F5IVFI U


i
DIARIO DE IHRNAMBLCe.

AHAKA DOS SFKADOKM.
Sesia do dia 15 do Junhe de 1855.
. El 10 horas 3 quartos n8 se chande prsen-
les os Presdeme Vice-Presidenle, o prim-iro Se-
ret i. passou a oceupar a radeira da presidencia, e
declarou aberlaa .-essaS, achando-se prsenles 86 Se-
nadores : Jeu-se e approvou-se a acia da anterior.
O TVrceiroSerrelerio serrindo d primii o, deu
een'a do expediont".
ORPEM t>0 PA.
Entrn effi .egunda discuss 8 e fui ml!a approYa-
m* a e-o!uc5 qie autonsa o Director do Cotpo Jur-
dico de Olinda, a admitlir a Felippe Lopes Netlo Ju-
nior ,a segundo exame das materias propas do qliar-
lo anno, e sendo approvadaa admitti le mal cu-
U do quinto auno.
Seguio se a segunda disoussa6 da re rindo que a dpojieaS do Decreto de 13 de Setembro
de 1831, que mandn confirmar as propostas legal-
mente fe'tas pelos Goernos Provncaes, he applica-
*i\ a Francisco Joaquina Pe eir de Carvalho Jnior,
Sargento Mor do Corpo de Ca vallan* da Provincia
de Penambuco, que em consequencia lem dirciloa
este posto.
OSr. Oliveira offereceu aseguinte emenda :
S 8 le gaea todas a< propostas le tas pelos Gove nos
Proviuciaes, por s-ivicos prestados Independen
<* cia do I ni p. rio na fin do decreto de i3 deSe-
tcabro de 1831.
Foi apoiado, e entrando em discussaS, o Sr. Bor-
jei offereceu o .eguinte reqneraento : Que a ie-
olujaS voltea CommiasaS de Marinba e Guerra,
para offerocer outra em termos gerses interpretan
do o decreto de 13 de Setembro de i83i, coma
- dfiuca8 expressa das palavras legalmcntefeilas.
Foi apoiado, bem como a seguate emenda offere-
i ida pelo Marques de Cararellaa: Sao considera-
daa legaea na forma da disposica de decreto de 13
. de Setembro de i83i, aa propostas feitas pelos Go-
ramea Provineiaes, que pelas Comroissoes cread.s
as Provincias, para as qualificar, na8 fora8 ap
<> provadas.
Dando-se a final a materia por discutida, poto
eotacao requerimenlo do Sr. Borgea, foi approva
do, ficando suspensa a discussa da rrsoluci8, e sen
do i mesaos CommissaS affeefasas emendas ofllreci-
dat.
Fora8 approvadas em o 1 lima discu^saS para se re-
uelteiein outra Cainura as seguintes Reaoluces :
piitneiraapprovando a tenca de 8e# ra. aunuies
concedida ao Sargento Mor do Corpo de Engenheiros
Jos Victorino dos Santos Sena, pura tvr verificada
mena li ha.
Sgundaapprovandoal.ncade ao#000 rs. an-
nnaes concedida ao Brigadeiro Manoel Antonio Le-
I..6 Bsndeira.
Tim caira approvandoa lenca de iQ0#C00 rs. son-
re Jida ao Ten en le Corouel Joaqun Borgea de iguei-
roa Na buco Ara u jo.
Qiiarta approvaudo a tenca de la0#000 rs., eon
edjda a D. -Luiza Caetana de Almeida Bessa.
Quinta auloiisando o Director do Curso Jurdico
da S. Paulo a admiltir matricula do quarto anno
Jo.' de Si queira Queiror.
F-iapprovadoem primeira e segunda discussa a
resoluc.' vn Ja da outra Cmara, que autoras oan-
te e.-CuIa de Medicina da Babia a admiltir j a ex-
ame do primeiro anno a Miguel rerreira Tavarea, e
Jos da Gama Malcher, e quando pprovados, admit-
li los inmediatamente matricula do segundo.
ro approvadaem primeira discussa c passou para
a segunda a resolucaS que faz extensiva irmauda-
de de S. J.s deata Corte a resoluc 8 que applica
Santa Ca* da Misericordia os remaoeceutea dos pre-
mios de suas Lo teas.
Sendo a ultima parle da orelcm. do dia trabalhos de
commias&es o Vicc-Presidenle, era hora e oiea
convidou os seus membrt s a enlrarem nesse exeretcio
lutei rom pendo pai a esse fim a seasae.
A's duas horas rontinuou a sessa8, e o Vice Presi-
dente deu para ordem do dia a dLrussao de diversos
pareceres de uommissSes e Kesoluces, a levantou a
sao.
antecedente, foi approvada.
O primeiro Secretario den centa do expedante.
ORDEM DO DIA.
Continuou a 3 dicussio daa emendas do Proje-
cto do Senado sobre o modo de serem jugadas as pea-
soas que tem o privilegio de ali se ju'garem, e maia
emendas do* Srs. Carneiro Lelo, Henriqura de Re-
eende, e Al ves Machado.
O. Sis. Henriqucs de Rezende e Carneiro Lelo
retirn 8 as suas emendas com consen lmenlo da C-
mara.
Foi apelado a seguinte eme i'a O privilegio
<< do Deputdo, on Senador, principiara ler h-gar
logo desde o da em que elle foi votado par* tal lu -
gar. Cornelio Franca.
Poi apoiada o seguinte artigo para secollocar depois
do artigo 8.
Oecidinde seque naS deve continuar o processo,
* se participar e^ta dei-is,<8 aoGoverno para mandar
dar ha-xa na culpa. Araujo Vianna.
Foi poiada o sefuint- :
No fim do artigo em rea de a produti elle o-
mente o seguinte effeilo, diga -se produzir elle
r oselTiitos mencionados aoa J i e Araujo
Vianna.
Intoirompeu-sea discuasaS, e foi ititroduaido na
Sala com as formalidades do estilo, o Sr. Manoel do
NascircentoCastro e Silva, actual Ministro da F.zen-
d., como Depulado pela Provincia doCear, e depois
de prestar o devido juramento, tomen acento.
Continuou a discussa.
Fui apoiado huma emenda do Sr. Luia Covahante,
para ser col locada onde convier, que declara a O
privilegio do foro do Deputado acaba quando elle
deixa de ser Deputado, etc.
Foi apoiada huma emenda d Sr. Visconde de
Goianna, que declara que o privilegio cenaeca desde
a a pura cao dos votos, etc.
Julgando-se sufficienlementc diseutid es'i materia,
poz sa) a votos as emendas da CemmisaaS, de Con>-
lituc8, e approvruB-se.
Foi approvada emendado Sr. Luia Ca*>lcant,
bem como a do Sr. Araujo Vianna. As outias aman*
das fvjrao regeitadas.
Dando-se por finda fe terrera discuasaS das emen-
das, o projrcto fbi adoptado coa ai emendas appro-
vada.
Continuou a segunda dscuss..8 do arl'go 5. do
projeeto sobre o ra io circnlante, e emendas apoia-
daa na sessad anterio".
O Sr. Maciel M sustentado a douti na do aitigb da Comroisst, re-
melteu -mes. huma emenda em que se declara que
desde oi. de Julho de 1836 era diante t< ra lugar
iHposica8 marcado no referido artigo, que he re-
lativa moeda de cobre, etc. A emenda fi*i apoiada.
Depois de terem fallado sobre a materia es Sis. Ra
fael de Carvalhe, Duarte e Silva e Souza Martius,
Gcou a discussa adiada pela hora.
O Presidente deu para ordem de dia 16, a contnu-
acsS do projeito sebre o meio circulante, discus.a
dp pareoer da Cemmssa de commercio cerca do
Cdigo Comaneicial e emendas aopojecto do Sena-
da Sobra trafico doa Africanos, e Uvaotou a sassa6 ds
pois daa daas horas da tarde.
I
e dirrcca8 de toda a Forca.
As 9 /. horas a Columna ae mover para a Roa
Nova tocando a aua direita na rna daa Trinxeiras
fim deque ah postada solemnite o* Acto Religioro
queein acgaSde Gracasse partende faser na Igrei
MatriadoS. S. do p..irro de S. Antonio. Ultima-
do o Acto a Columna marchar a tomar posic6 na ra
do Collegi lendo sua direita no largo de Palacio con
forme se platicado em outias occa88es.
Os Sis. Officiaes de primeira e >egunda Linhs qua
na6 mai cba5 compai ei er8 m Palacio.
A al votada desne Dia aera tnnunciada pela muzira
do Batalh.8 7. de Cacador.s, e Itruo de Corntlaa
do 4. o Corpo, que para este im ae arbaraS com au.
tecedencia defronte to Quarttl da 1 esidencia do Com-
mante das Arma.
Jwze da Coata Ri bello Reg Monteiro.
Quartel do Commando das jrmas de Pernambueo
ft de Setembro de 1835.
s*\ ORDEM ADDICIONAL.
\W Conunandante daa Armas tendo com praaer ob-
aerrado o asstio, e garbo Militar, que desenvolverlo
o 4.#0 Corpo d'Artilhei ia, t. 3. e 4.
Batalhlo de Guardaa Ncionaes, e 7. de Cacadorea
de primeira Linha, que formarlo em grande Parada
parasolemnisaremo Aniversario da nossa'Emancipa-
ci Politice nlo pode deixar de dirigir ao Snr. Com-
mandante Superior, Commandanta deBtigadas, e
dos meamos Corpoe o elrogips, e agradecimeotoa que
P'rtalmoMvolhecompetem. O Excel. Snr. Presi-
dente da Provincia test- mutilia occular doenthuaias-
mo vei dadeiramente Nacional de todaa as pracas que
aimmarfn naqwelle mesjioiavel Dia, quer que o mea-
mo Sur. Cemmandante Superior faca cousiar aoa aeua
subordinados que lio leuvavel coroportamento mere-
ceu sua plena approvaeo A>agnado Jote da
Costa Ra bello Reg Monteiro, Commandante das Ar-
mas.
BIYERC \& REPARTICOENS,
at t-
AMkRk MMICIPAL D'OLINDA.
3. SetsaS 01 diara de al de klrU de 1135.
Preadenaia do Sr. Barroa Falcad.
coautaajDODAs i ama.
Quaiteldq Commaudo das Arma* de Pernmmlueo
5 de Setembro de i835.
ORDEM ADDCIONAL.
O

AMARA OOS OXTTADOa.
Extrato daSess&o em 1% de iunho
Presidencia do Snr. Araujo Linaa.
JT ^ila a ehama da pelas dez horas da man ha, a-
4 hando-se pre>enls cincoenta e tres Depuladoa, o
Preeid-nie eWlaroi aheita a es, e iida a acta da
' Commandante daa Armas despendo a>lemiisar
o Dia Sete de Setembro Faastiasimo Anniversario da
Independencia do Imperio, e quertndo toi na-lo taS
brilbante quanto ser possa, lem resolvido em Confor
midadedasordensquertcebdo de Exm. Sr. Pre-
sidenteda Provincia, que Tropa de Guardas NacU
onaes com a de primeira linha ae formero nesse Me.
morare! Da ero Grande Parada pela maneira seguin.
te, As nore hora* da manha, e na Pi ac da 60a.
vista se acharao poalados em grande nniforme, e n0
milhorasseiooi Corpo d'Aiibri de Posica de
primeira Linha como 6 Bocas de foeo deC. 6. 0 1.
il Wol r4- BiU,h d G. K. o Bata-
IbaS 7. de Cacadores divididos esa duas Brs das.
A primeira que ser Commandada p,b Sr. Chefe
de Leg.a6 Francisco Joze da Cota M compo. do 4
Corpo d Artilfiaria e l. e a. Bat.llioena de G.
N e a segunda sob o M.,ndo do Sr. CuroneJ Cbefe
de Legu Manoel Thomai Rodrjgnea Cmpello a-
volve.a o 3. e 4. BaUlhoens de G. N e o Ba-
lahafi 7. de Cacadoies,: o Sr. ConHtKindante Se
per.or Frajw-ro Jacinta P.,^ tomri Cmn odo
Birla a ies.saO compareeraC ea Sn. Ase vede,
Fariaa, Cfc>ta, Ferreira, Oliveira, e Serpa, faltando
com eauza os Si a. Passoa, Peiioto.
O Secretario dando eonta do expediente mencio-
nou hum olfico da Cmara do Rcife participando
ter tomado posse da Presidencia dm Provincia o Eun.
Sr. Vicente Thomas Pirca de Figueiredo camargo :
iuteirada, eque se afixassem Edilaei.
Outro officio do Juiz de Paz do 4. Dcstriclo par-
t, ipandoque as 5 Companhiaa de Guardas Nach-
naes d'aquelle Dslrictoeudo criadas pelo Munhipio
de Jguarass, quando ponencia a seu Teimo a dita
cmara marrou as ansa paradas sendo a primeira o lu-
gar de N. S. da Couceica dos Milagres j para a #-
gunda o lugar de N. S. do O*, e a terceira e higar
da ConceicaS lo Jang. A cmara resolreo que an-
nnia, e aprovava ditos lugares a ixcepca do lugar do
Jang por uso quesi marcada pata huma das com-
panhias do.3. Distrito ; por tanto que ae ofluia.-so
ao dito Juiz de Pax para que indicare outro lagar pa-
ia a cmara marcar que fosse aais cornudo aquella
compinhia.
Outro officio do Juit de Paz Suplente elhilo para
o t. c Diarito, participando, que nao podia sertir
dito cargo, primeiro j or ser Acadmico, segundo per
ter de aer deste Municipio apenas se formasse. A
cmara rezolveo qu nenhum doa motivos alegadoa
n 6 cra8 suficientes para ser excuzo, e que se Ihe a-
prazasse a aessa de a do coi rente para tomar posse
e juramento, eque so lhe deca rasse que devara atr
maia civil na maneira dos seus oificios para com asta
Cmara po que at asignou por cima do seu titule.
RezolveraS que risto o impedimento izii o do Vena-
dor elhilo Joze Vellez de Goivara se chamarse ao -
iuediio que esa o Cidaua Antonio J.-ze de Espirito
Santo Barata, e por impedimento de Venador Fran-
cisco Joze Peixolo, ao CapituS Caetano Duaile P-
1 eir, apraaaodo-lhe a aesst de a5 do corren te.
Outreaificio do Juiz doa. Distriete proponde
para Inspectores de Quarteiioes a Manoel Ferreira
Mendos Guianaries, Conrado Joze de Lorrna Fi-
gueiredo, remetido a CommissaS para examinarem a
opacidade doa pi opostos.
Houvera varios rvquerimenlos de parles; e por
dar a ora o Sr. Presidente houve a aesaao poi* feixa-
d, e i?, esla Acta em qna asaignaiai. En Manat
- MELHOR EXEMPL/!


Y
DURl DB PER* AMBL'CO
1
r
da Multa 9ilv/ir, Secretario da Cmara o eacrevi. -*
Bu rus Falc, Pie.; F*ri ; Ferreira.; Oliveira-,
Coiu; Atevedo.
4.* Settad ordinaria de 15 4e i/ da itt5.
Presidencia iuS. Barro* takaft
M.- ra a sessaS rom parecer os Srs. Azevedo, Fa-
i as Fe reir, e Oliveira, faltando cora catiza os Si i.
Costa, Ftaos, Serpa, e Pexolo.
N*-sta jessaS com pareceu oSr. Venador elleilo An-
tonio Joze do Espii ilo Sanio Barata, que Ibe foi apio-
xada aaessa de boje, o que jurou na forma do e-til
lo oo competente I.ivro deismelhantes. Foi piezente
humoffiio do Doutor Filtpe Jansen de Castro e Al-
buqjerqneexcuzando de Juii de Paz Suplente do >.
Disln'io, vistos r Lente de Curso Jmidico, a subear-
iceado de rege* 3 Cadeiras, Meni de se achar doente :
pelir que a Cmara o houve por excuzo, e que se cha-
mpase o m-sla ess-& compareci o Cida-
d*5 Jwa5 Maria de Mora*a requerendo n5 poder ser
Juiz de Haz para o que foi convocado na p**z* nle sis
safipiia prestar ju amento, por Um> que m qualida-
de de Exudante do 5. anuo du Curso Jurdico, su-
bcarreg.ido em duaa aulas ; n Cmara rezolvtu pela
negativa: pelo que prestou o juramenlo do estilo;
sendo de votos contrati a Sr.a. Oliveira, Aievdo.
O Sr. Oliveira requereu 4 mrzes de liernca para se
mediar," fui difirido, e que se chamarse o imediato
em votos. O Sr. Oliveira. retiroo-e por incomoda-
do. HouveraS varios requerimeotos de partes, e
ior dar a ora o Sr. Presidente houve a sess por
eixada. Eu Al-noel da Motta Sveira, Secreta*io
da Cmara o esrrevy. Barros Falcad, Pr. a.; A-
tseedo : Ferreira ; Furia ; o Batata.
I
D.
Projiotorijl.
'Eiiuinia. Pirante V. S. Sr. Juiz de Paz
Suplente do i. Olstiicto da Vaizea denuncia o Pro-
motor Public DjuIoi Elias Coelho Cintra do Jais de
Pal actual Angelo Custodio da Silva FragoZo, o
motivo da denuncia he o seguinte :
Que n;- compelindo pelos ai ligos 18, 20, e a8 da
Le de ib" de Agosto de l83i explicados terminante-
meuto pelos Avisos de 9 e ti de Setembro de-1833 aos
Jiiiz'es de Paz, mas sim o Consellio de Qu.ilificacao
dar baixa aos Guardas N.icionaes o Acusado a den a
ti es Guardas N-trioiiaes d:i Freguesia da Varzea, co-
mo provo os documentos junios. A alegacsd que
mseus , he contra produecnte, pois que d'elle ve secarsmen
te que o Juiz de Paz pude notar margera do Li-
vro da Matricula geral as alferaces que hoirrrem,
e nao dar a b *ixa<. Esta pi>is o Acusado encur.10 no
artg. K>0 lo cdigo criminal ; e V. S. autoada t.-tj e
prestado o juramento, proceder ta turma da Lei.
Recif* x de ^f tembro de 1835.
Dr. EKas Coelho Cintra,
Coiu 6 Documentos. p< omotor Publicd.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
A pmuta he amtsma do N. 1 t
-.

0
CORRBIO.
Paqufite Nacional Leopoldina de que Cem-
mandante o Tnsale FrancUco Candido de Castro
Mtnezes sai deste Porto para o do Rio de Janeiro, lo-
oando nos da Babia, e Macei no di* 13 do correal*;
quem no raesmo quiaer carregar, ou ir de passagcni
iirija-se a asta Adminislracjlo, re.ebetldo-se carga ate
o dia 13 em razio da conlVrnria, de que de proce-
der a Mesa de Diversas Rendas : as mallas dascrtis
feoho se na v.syera I. go depois das nove horas d
uoite.
. W* A Sumaca Felcidade, Meslre Josjuira Ba-
tista dos Santos sai para o Araca'v no dia 16 do cor-
rente. '
*y Eiisteas nesta AdministracSo diversas f!h
exiramslhadas, viodas do R,0 de Janeiro : ss pessoae
a quem Ihe faltarem ditas folhas diriiio-sa mesnu
AdminiHraySo.
As pessOosenteressadasnos AactOs abaixo declarador,
vindos do Ru de Janeiro, queiiio dirigir-se > A1-
rautracio do Co.jeio para depois de pagareru os. res-
petiVos portes >erem rem.tidos a R Licio dsta Pro-
vincia.
Aoctos entre parles Clsra Maris de Jezus Qieiroz e
outros, e Chi istovio da Mercer.
6*n*t*i P.rira.
Ditos
X
v
c
a
c

a

t
A tono Pedro de- M*.ndonca
Coi te Reat, e Joaquia d> Basto?.
Manoella Bernarda de Mello, e
oulrs, e Maort Joze Pires Vi-
anna.
Gregorio Piiroib ua jhTS,
Francisco Xavier Cameiro da
Cunha
Antonio da Silva dos Prar.eres
Pedresa* e Joze Claudino Leite.
Thereza de J* zus Bandeira e Mel-
I', e Francisco d'OLnda Chacen.
Estetio Rodrigue Duro, e Anua
Ferreira 'de Mello.
A Fasenda Publica, e o Padie
Manoel Joze.
Man*el Antonio Pereira d'^b 00,
a ana mo'her, cotn Joio Carlos
da Silva Guimaraco*.
r^,
A NARRAQAO'
Das cauzas e ffeitos dos successos do Par nos meses
de Abril e Maio deste anuo de 1835 relativos e Ex-
pedicio martima rinda do Maianhfo, oerecida a
todos os Brasil* ros por Francisco Pedro Vinagre,
Presidente de facto e enea regado do Couiiuando
das Armas da nusma Piovincta do Para.
"^IDADA'OS Parsenses! Respcitaveis Compatrio-
tas Brasileiros! O Governo do Pai dezejozo de sal-
vsr ilesa a liem fundada cpino de Justipa era que se
firmio os principios de sua administrado Poltica, e
desvahecer aos olhos das mais Pi oviueias do Imperio
qualquer suspeka, ou jniso temerario, a que possa
dar lugar o rnorno silencio sobre os mais recentes a-
contecimentoa de Para; juica deseo dever e*pr leal
e francamente qiial ten lia sido b seo proced ment a
respeito do.-* seos actos puulicos na qnalid^de de Pre-
zideute de farlo nestes dias de Abril, e Maio relativos
a Expedica Naval, viuda de Maranbio, afino de que
aos Nacionais, Estaangeiros de ambos os liemiferios,
e mu particularmente no Governo de S. M. o Im-
perador seja nianifosta a rasS da causa, em que se a-
gurda e deffesa da mais primorosa Provincia do seu
Imperio o poderia mpenbar. He bem notoria e ferri-
vel tormenta de desgrcas e prsarea que desde o anno
de i83t ha snhmergido o helio Pis do Amasen: des-
graCas, pesaras, quetdalao, e'tem sua origem no
ui gull'o; iracundi, ecapricho de certoa ulicos,
3ueoi por desventura ha locado.O. prirneiros lugares
e auihori.fade dssla desditosa Proviuea.
Continuar-te d.
EXTERIOR.
4
_ Barca Francesa Genie, pouco adenla a repeitO
da Hespanha as notirias vindaa pela Galera Inglese.
Damos entretanto em resumo o que encentremos as
folhas, que nos parecen miis inters a nle. D. Car-
los e o en Exercilo, tinhio deixado a Biscaya, e a 13
de Jn'ho se apprcsentario diante de Pueble de m Reg-
na, em Navarra e fixerfontrincheiramenloa. Em >4
a goarn-clo fez huma aortida, tomou hura norteiro,
que se linha eolocado em bataria na vespora, e matn
o* rlslheiros, e o Coronel d'Allliaiia do exercito
Carlista. Oaoeeantes retirarlo- e. O General Cr-
doba rhcgou a Lasaga no eesmn dia, fiado de Viana.
Elle devia occapar no drl seguinte Tafalla e Puente
de la Regna. As nolila* tjue Circulario h dias a res-
peito de huma grande batalha junto a Victoria no dia
8 docarrente, ufo ae confirmio, e parece terhavido
m \icamente algumas escaramucas de portos avance-
dos.
As carias de ftaiona de 11, dizem que Vil'dei mor-
rera de doenca, depois de ha ver sdasangrado 5 eezes;
esta noticia requi- confirmacio. O General La Hera
ne linha ai ida sahid^ para, as Ilha* Baleares : dizem
que elle quando msrchou para >ecorrer Bilbao fez tan-
tos rodeios, e gastou hora lempo immenso, ede mais
dizem que perder a methur oaeaeiio de tomar a ar-
tilharia a" Carlistas ; aos quaes nio perseguio na aua
retirada.
As noticias de Madrid chego a ro de Julho : Ali
se tratava de absurda, e propria de cabreas oess, a
noticia que se tinha espalbado do perten lido casamen-
to do filho primognito de D. Carlos com Izabel II,
e que obom senao publico, ha va feito a devida justi-
ca slloexlravgante iT alo.
A segunda devizf o das tropas auxiliare* Iuglzis
havia crigado, e dezembarcado ef*rS. Sebastidlde
Biseaya em 11 de Julho. A S os Urbanos tinhfo pren-
dida 7 eftadna superiores Holndeiss, qae linhlo en-
AR ENCONTRADO
=5
lesembarrar, e qiie vinhfo raunir-se. D
0 Marqee de La Torre, que D. Carlos h-
aeguido desembarra
Carla*.
em todas as drfco<'S j ?8 fugitivos e entre eHej M-
ctas forlo ltimamente prezos em huma emboscada
na poht'e d 'ft.tfnt. Em Pa prepaiativos pa*a as restas de Julho, que parece este
anno dfcvifo ekcedar era brilhntismo aos precedenfet.
Os conspiradores contra > ida de Luis Felippe linba-
ae vri ificado serem algnns dos miziraveia sectarios a
Carlos X. Huma paite dos prizioneiios de Santo Pe-
leio, tinha conseguido evadirse por meio denuda
raroinlio Subterrneo ; quefizeiio, at hum jardira
prximo, de donde pod*.{iaosar com o auxilio de a-
guns amigos seus.
A cholera continua va em i o de Julho os cene ee-
tragos em Toulon, onde depois da sua in vatio linhle
liavido 575 morles, sobre 757 doentes. \aifps ofi-
ciaes da marinha, e da tropa tem sido victimaa desfe
agello : a maior parl dos habitantes da Cida'de se
relirfo d'ella para lora, de mantira que bem pretsa
ficar quaze dezerta. Este flagelo tem entretanto di-
minuido cousideravelmente no Egypto, e as ultimas
carias de Alexandria dizem, que as mor tea se fortae
cada vez oVais rsrss. u a k^
As dezavencas qae se tinhfio suscitado entre a Aus-
tria e a Suisaa, tinho-se termado amigavelmente.
Parece que o Gram Senhor tinha ltimamente IWaa-
do a entrada do mar negro a todas as NatSVs ^Ji
geiras, excepcio da Russia : fie natural qqe Ingla-
terra reclame contra esta prohibicao, que vai de en-
contr ao seu Commercio, o mes mo de ver fazer e
Franca. .
Em Portugal continuava ahaver poca latisfcfe
pelos actos do novo Ministerio, especialmente a rea-
peitodo Ministro Campos; e parece que sendo ai*
cional o nico peridico que tinha Ipod k sua afo-
ffcsa, j o havia dexampai ado. Dizem que lose 1
va Ca valho seria bsm dpressa reintegrado no
te rio da Fazfinda.,
A situacao da Hollenda torna-se mu ciiticaV Jli
perlurbatoes d Ameslerdam tem hum caiactedj ir-
ritoqo a que ogoveirio oto eata\a preparado. (%
Holandeses Uo pacifico, liem piovado ac^ra^di
SuahUoiia, que Euma longa opp. eslo c!f7^fl
pre recordand-lhes hum seoiimento de fberdade
que toca o herosmo, Pade er que tenha fcheaado o
lempo de tuilberroe^iperimiitar, com prjoiTo ae
esta dispozicio tiadoional de bum dVq ^ue elle ofrr
pi me te blizo do prelezto de vingalq.
(.*#
mm
THEATsto DO ROm
IlOjs 10 dtt corfeot Bniflcl e fle* l^aeje
de Careatho, se representa a pecaO Conde de Pi-
tiers, o Lpottbr de Luzigrtati ; no fim da p^evat Jo-
ven Carolina danzar o aerong, sVgnr-se-h* MiV-
gracado Duero Vfenh ;c meu d'sc ehttd, i id o e
qual se cantar o Duelo
Quem quizer vlVet eterno
Terihaser americano,
bando fim 0 Ezpectauld com 0 griiotu Tiatf
A par le ira anatmica.


A NN UNCIOS.
OAhio hontem Escudo: venda-so os Praee
Independencia toja de Encadaruador 96.
yy A Cava da Onca n. 5, que dea bojea las,
inlereesente em toda eltehco Ua paiaera tras o-
ma grande proposts publicada em o die^, e bjs-
sim alguns outros rtigbs, qs vate* mi dkMrJafj
vende-iefadillugresdo ebstuni pelo preciaM jl sa-
bido.
AVIZOS PAftftCULARU.
F,
Az se sciente aos llluslres Snrs. Accionistas da
nufaclura Pernambacane de Carlas Braalieneet,q,
no dia deste mt, a vista, d* primer jfi&fi
otrtaa, prontas, (joe j na dia7 se po fleoiudd pt.
haver a nruuinta de tamtiho ou potito das mesas A
para muito maior afim de tarea exlrocfieVae ti
convocara Illustie Cmbsl para ver xsaSaV a
despeca deinstalaef o daqella faarica j ornear o "
lo*r< s aurfcorisa-lo pira reteeba^ *-
legsloiente pfodacloa, ladiinaitir a?
ir
f


m****~-
,
dor, do saldo a favor d6te tasto aeu como de abonos,
quedeve anda levando em eonla as quoUi qae ha re-
cibido de pat te dos Snra. Accionistas que avista da ur-
gencia, quizirio adiantar, sem ais garanta do que
a boa f, conhccendo que o Inventor se comprometeo
tio fcilmente a appreSenlar huma f.brica, e roanu-
fac taras prontas para depois se cobra rem asquantias
que devilo servir de fundo a tal negecio. Muita dif-
BCuldade tem havido no desempenho disto, nio tanto
pela mi d'obra mas principalmente por o piojecto
da menor deapeza possivel as materias do consumo,
a avista do que se ad:>ptr, rncomendar-ae enlfo da
luropa as grande* porc&aa succe.-sivas das mesmaj.
Nao podemos principiar por onde os oulros aobio
(quanlo peifeico) e se o receio d'imprudencias nos
acauha, muito nos anima a ideia do publico sensato,
que no da 19 tem de deflender-nos.
s/^ Quena precisar de urna ama seca para todo
*ervco de urna casa; dirija se a ra da Florentina
lo lado direito em un sobrado que l achai com
quem tractar o ajuste.
%^ Na loja da Praca da Independencia N. a, ex-
iste trz cartas para o Snr. Joze da Costa'Guimaraens
Antonio da Costa Guimaraena, vindaa agora do
porto no TBrigue Impertador.
ff]a* Quem annumiou o rompen Jio de Geografa,
ehronologia, e Historia de Cazado Giraldes, declare a
ana morada, ou procure em S. vi ancuco em Olinda
ao Padre Lima a qaalquer hor%
jflp Piecisa-se de una ama forra, on cativa, que
aaba bein cosinhar, e eugomar, e que ten lia bons
otomes, no 2.* andar do sobrado D. 11 da ra da
cadeia em Santo Antonio das 6 as 9 horas da manhl,
de urna da tardis 6, quem estiver n'estas circuns-
tancias pode contar com bom ordenado.
JC*T" Perguula-se ao Snr. Inspector da Alfandega
das Fazendas, ae o novo Regalamento da mesma mar-
ta ejn alga os dos seos Arts. Ajudaote doPorleiro; se
ha por prolecio hum Guarda avulso que se acba
dispenso do ser vico, ou se he pelo grande exime que
o mesmo fes que em premio delie tirn pela ponta da
pida este novo logar j pois mutto deseja saber
.-^ |0 Rollete sem trbalho.
/^Qiiera precisar de un bomem forneiro para
nadara, dirija se a ra do crespo loja do senhor Xa-
vier, qae dir qurm pei'tende.
%r Quem quizer rebater, ama letra, sedules;
de boas firmas, qaeira annunciar por este Diario para I
se procurar.
jrjp Piecisa-se alugar orna preta cativa, on mes-
mo sendo forra, para servi'co de-urna casa : quem li-
?ar, oufquizer anuncie por esta folha parajser procu-
rado, traclar-se do seo ajuste.
jty Quem ti ver e quizar alagar nm pianno forte
que teja de b as votes, declare a sua morada para
ar procuiado.
Xjr Quem tiver, e qnizer alugar urna rscrava,
semana), ou mensa I mente j dirija-ae a esta Tipogra-
fia, que se dir quem a periende.
j^ Quem percizar da um caxeiro de roa: anau-
eie.
JT P rgunla-seao Porluguez da barriga grande,
a aoestrangeiro da cara larga o primeiro que inaflj,
a o segundo que se prpoem a comprar ceito predio a
um Brazileiro, t porque assenlam que os Brazileiros
nio devem possuir nada bom, si qnerer dar, nio
0 mil cruzado?, mas irn 60 r. por bellos quiriz,
?|ue ae Ihe offei ece de bom gesto... Arre como deja -
ere estrangeiro.
lati desposto para os obzequiaresn... aeconti-
maraa os filaos do ^,
Forte do Mallos.
B11RI6 Bi: PfiifVAVlBUC.
que
Escravos de ambos os sesos : no sobrado
ful do defunto Luiz de Mello na ra da praia.
Jrja 1:300$000 rcis em moeda de cobre Imp-rial
que tenba o pezo, e paga le em prata e sedulas :
na loja de ferragem aopdo Corpo Santo n. 69.
*_
VENDAS.
&
Ma preta de naci de 26 a aS annos, com um fi-
mo de um anno, sabe fazer toda a qualidade de ven-
da e vende-la na na, aabe tambera tender fazendas
e miudezas, e cosinha o diario de urna casa: narra-
cada Independencia loja'n. 39.
'%& Francklin o covado a 1$440; panos finos a
6#400, 4^500, 4#000, 3#20O, e 2880, pessas
de paninhoa 2880,3$200, 4$000, 5#000, pessas de
raadai-oles a 5^)200, 4#,5#120, e 6#, eajard.s
a 360, e ouiras multas fazendas por preco cemmodo :
e recebe-se toda e qualquer moeda de cobre tendo o
pezo : na esquina da Pracinba do Livramento loja D.
1, do Burgos ponre de Len.
Um alambique de folha dobrada, que leva 3
I 4 caadas de liquido, ainda novo sem ter sido ser-
| \ ido : rj
na ridade de Olinda, Iadeira da Biquinlia, la-
do direito a sabida, n. 30.
WP" Um escravo cabra, de todo servico : na ra
da Conceirio da Boa-vista D. 30, casa de ranxo.
IV Potassa Americaua chegada agora : em casa
de Heariqne Forster'dc Comp., ra da Sanzalla velba
n. 1.
VJT 'Urna venda com poucos fundos na Sanzalla
noTawi. 26: na mesma.
*/9" Continna-se a vender fazendas por. toda a
mooda Imperial, que tenha o pezo legal, como t-ra-
bem por moeda de XX eX L e carimbada chamada
Bardana : na roa do Queimado D. 11, por precosso-
friveis.
JTJP" Um moleco de 18 annos, de boa figura e
sem vicio algara, e um moleque de io a 12 annos: na
ra do Vigario, armazem a. 10.
*9" Urna oscrava com cria e muito bom leite sa-
bendo engomar, cosinhar, lavar, eoutras habilidades,
sem vicio algum : nesta Typografia se dir quem
vetade.
%9 Vestidos de fi! de linho, xarutos da Haba-
na, carias de costuras de senhora, cortinas para meza
de sla, nm bule de prata moderno, brincos de fila-
era', hons transcelins finos para enhora, argolas de
filag' i : na ra da cadeia velha D. 50.
%9 Biscoito de casta em arrobase i#600, e em
librase 60 res : na ra Direitapadaria D. 6.
. ESCRAVOS FGIDOS.
TT Lorinda crila, alta, refei a, beicos e faU g(0c^
e gaga ; tem osdedos das mos um pouco tolhidos que
Os nio abre bem, ievou duas aaias de xita roza e I s
ca desboladas ; fogio no da 24 de Agosto, h not;c"
de andar acoitada por Santa Anna, e na Boa*vsta 1
bre isto se fazem indagac6es para se proceder na'for
ma da Lei : osaprehendedores a levero a ra d'A
goas verdes sobrado D. 3 de um andar, e serio beta
recom pencado.
*" tjr^ Benedicto, de 40 annos, barbado, com 'sai..,
as, naci da costa, bem preto, de boa cs'atura ani*
bas as pernas muito pouco arquiadas, camisa dejma-Q.
gas curtas, e sirola de estopa, com caneca encado no
braco, com urna baete encarnada dentro, com offi-
ro decanoeiro ; fogio era i5 d-i Julho do presente
anno. Joze, por alcunho Joze Mello, de 3o annos
pouco mais ou menrs, barbado, com suicas, nacao
mocambique, bem perto, boa estatura, com carniza
de estopa, calst, do mesmo, e outra tobem vesti-
do de pao azul, j andou embercado com Cora paca
na rabeca ; fugio em 20 de Agosto do corrate anno:
quem delles souber os nao acoite em sua casa, e pode
r mandar entiesara scu sfnhor que mora por de
traz da Oidem Terceira do Carino casa da esquina de
3 portas.
jr^r* Paulo, estatura regular, ebeio docerpo, ros-
to redondo; levou vestido camisa de batta azul fer-
rete, esirou'a de hamburgo de linho. Joze Luanda
estatura alta, magro, rosto comprido, levou vestido*
camisa de baeta azul ferrete ; fgidos a 3i de Agoeto
p. p. : os aprehendedores levem-os a casa de Manoel
Caidozo da Fonceca, na ra da S. Francisco junto a
cadeia que serio recompenpados.
y(W Fiigio de bordo do Palazo Heroina no Do-
mingo 6 do crtente um escravo de nome Antonio
rom os signaes seguintes : moleque de 2b a aa annos
baixo, retinto ua cor, com um pequeo signal na tes-
la, dedo polgar da mi direita aleijodo e pez grandn:
quem o agarrar, e levar a bordo do mermo Palazo, oa
em casa do Snr. Manoel Joaquim Ramos e Silva se
r bem recompensado de sen trbalho.
9 Joio, crilo, idade 40 ennos, com atguns ca-
bellos braacos na barba, estatura regular, e tem fal-
ta de dente* na frente; fgido no dia 25 de Agosto p.
p. ; esuspeita'se quefosse para o matto, por levar
comsigo algumas facas : os aprehendedores la vem-o a
ra da cruz n. 4, que serio gratificados com 50$.
PERDA9.
IIM
NAVIOS A CARGA.
Para Hamburgo.
^Arregara, osatura at 6 deOntbro prximo o
BrigaeH-mburguez Polydora, forrado de cobre, po-
dendo-se completara carga : qnem qnizer carregar
dirija-se aoa consignatarios do dito Brgue Luttkenj
A Comp
COMPRA*.
\JMa negra, que teja boa eoainheira, engoma-
deira, nio senijo viciada paga se bem : na ra lar-
ga jo Rozai io Botica D. 10, onde ae dir qnem com-
pra._
fgBP Urna redominba de caixa do tempo antico
lj4Jla4e^uTherezaD.9. V *
Erdeo-se do Butequim do patricio ate1 a ra da
Moeda um sinete de molde cera o caxoriinho em si-
ma, sem firma : quem o achar querendo-o restituir a
aeu dono le*e na mesma ra D. 142 no primeiro an-
dar qae ser bem recompencado, e o dono dir o pe-
zo do sinete.
*^ No dia S6 de Ago to desaparecen urna canoa
de carreira com ossinae*segaintes : 2 forros de ama-
relio pregados por dentro de urna banda, e um dito
de amarelo no fundo e tambem fui concertada na
popa, a pro 1 de louro : quem dalla souber on a tiver
participe no atierro da Boa-vata D. 60 00 segando an-
dar, qae ser generosamente recompencado.
NOTICIAS MARTIMAS.
Taboas das mares cheias no Ptfto d* Fernmmbuf
m
a
9
o
R>
15Segunda S 4 h. 30
,6-T: S 5-42
17Q:----- _6__3o
18-Q:----- 7-18 ^Tarde.
19-S:----- 8- 6
20S:----- 8 54
Ji_D:~ 9 -4a
Navios saludos no dia 8.
ACHADOS.
lll O dia 7 de Setembro achario-se 5 chaves peque-
as, amarradas com urna argolinha ; quem Jfor eo
dona dinja-se a ra da cadeia velha n. 5.
ALUGUEIS.
.LLUA-iB?ara o tempo da fasta una eaza em O-
Itnda 5 qnem a pertender, arrancie.
a Mpfai 1< ja* boaa caaoeiros a poaaan-
taa; na Pracinba do Livramento loja da t*tandas da
ymare Genfairn das Santas D. i9.
Ima, a
AMAS DE LEITE.
Uem percizar da urna ama
nuucje.
com maito, e bom
.10 DE JANEIRO; B. Escuna Adelaida, Cap.
Joze da Silveira Jnior : sal, e mais gneros. Passa-
geirosTheotonio Vicente Machado, Joze deSouza,
e Manoel Valeriano de Salutar.
FALMOUTH j paquete Ing. Opsum, Com. Robert
paler.
ObservacaS.
Fundiou no Lnmeirio um Galera Americana, e sa-
bio para acabar de carregar no mesmo lugar o Brigus
Americano Independencia.
Hontem nio entrou, nem sabio EmbaroacSo algu-
ma.
P. S.
la O relatori que hontem demos dos festejos do
Dia 7, honre equivoco as seguintes pass^gens.Os
Corposse forma rao na praca da Boa-vista em ordem
de Paradao 4.# Corpo de Artilharia de posicioduas
BrigadasOs vivas dados pelo Ezm. Commandante
das Armas, e nio pelo Sr. P.O jan lar foi dado no
sobrado onde j morou olllustrissimo Snr. Camargo,
a o Snr. Commandante das armas nio assestio a elle
8cc.
Ptem. na Typ. de Diario 18357


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EATGVRB81_HPFFY4 INGEST_TIME 2013-03-27T15:32:26Z PACKAGE AA00011611_02953
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES