Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02817


This item is only available as the following downloads:


Full Text

i al 'HU III"'
JMM
JlNNO DE i83.
QUARTA FEIRa fSDE JNHO.

NUMERO i*6

MAM M PEIHMIBIC
Sunscreve-se inensalmente a 640 res, pago* adiantados, em caza do Editor, ra Direita N. 167 ; onde se receben correspondenci-
as, e anuncios ; este* nserem-se grntis *e:id<> dos proprio* asignantes somente, e viudo assigaados, e serio publicados no dia nnmedia
lo ao da entrega, sendo esta feita ate o meio dia e viudo rezumidos e beni escriptos.
J
_
.* Os anmtneioa, que nao f-trem dos ossignantes deverio, a
lem das de mais condices, pagar por cada linha tmpressa
4 re.


Tudo agora depende de nos mesmos, da nossa prndenca,
oderacao, e energa ; continuemos eom priciniamos,
eremos a pintados com admiracio entre as Nacoes mais cultas.
Proclamadla da Ji$embtea Geral do Bratil.
PERXAMBCO; SK TYPOORAFIA FIDEDIGNA, RA DAS FLORES, N. l8. 1831.
Tede-se-nos a publicaeao do seguinte Offi-
co.
Jl Ique V. S. na inteligencia que a Re-
gencia Provizoria em nome do imperador
ordenou por Provizo do Conseibo Supre-
mo Militar de 11 de iVfaio do correte an-
uo que fossein i m mediata mente soltos V.
S., o Capito Lua Antonio Vieirn ; e o Te-
nente Manoel Joaquim de Oliveira todos
do Batalho 53, prezos por nao julgarem
crerninoso o Alferes Jo/" Lucio Correia
mm Dos Guarde a V. S. Quartel do Com-
mando das4 Armas de Pernambuco 11 de
Juriho de i83i Illustrissimo Snr. Joz
Bento da Costa Capito Com mandan te in-
terino do Batalo 53 de a. Linha do Ex-
ercito. ,
Franeisvo Jacinto Pereira.
1
O seguinte projecto mais um prova de
que a nossa Cmara Kllectiva nao se des-
cuida do remedio necessario aos nossos
males.
RIO DE JANEIRO.

xjL Assembla Geral Legislativa Rezo!ve :
Art. i. Sero reformados em confor-
midade da lei aquel les ofticiaes, tapto de
mar como de trra, cuja existencia no ser-
vido possa ser prejudicial cauza publica.
Art. 2. Os magistrados, e empregados
pblicos, quer ciyis, quer eclesisticos,
que se acharem em idnticas circunstancias,
sera o tambem aposentados do modo seguin-
Com a 4a parte 0*0 ordenado os que ti-
yerem menos de dez annos de seryieo;
Com a 3 a parte os que tiverem mais
de dez e menos de vinte ;
Com meio ordenado os que tiverem ma-
is de ao e menos de trinta ; : ,
Com o ordenado por iuteiro os que ti-
verem mais de trinta.
Art. 3. O Governo na Capital dar
cumprimento ao disposto nesta/ resoluco
dentro de dous mezes depois de saneciona-
da ella ; e as Provincias os respectivos
Presidentes em Conselho dentro do mes-
mo prazo, depois^de a terem recebid i offi-
cialiiente ; dando tanto aquelle, cerno es-
tes, conta motivada Assembla Geral,
para a sua definitiva aprovacao.
Art. i\. Nao ficoteomprehendidos as
disposic&es desta resoluco os militares,
magistrados, e empregados pblicos, que
houverem comraettido crimes : estes s**ro
processados e punidos na conformidade da*
eis existentes. "
Art. 6. Fico revogadas todas as lea e
disposices em contrario.
Paco da Cmara dos Deputadps, Y] de
Mao de \ 83 u Francisco de Paula de
Aranjo e Almeida Evaristo Ferreira da
Veiga Francisco de Paula Soma Ma-
hoe Odorico Mendes.
Em 27 de Maio de 1831 julgou-se objec-
to 4e deliberacao, e mandou-se emprimir.

CORRESPONDENCIA.
^R. Editor Ponbo as suas-mos a ana-
tze do meu amigo sobie a justiPicacao do
nosso Chaby e confesso-lhe, que nao sa-
l o a meu gosto : o rapaz preguicoso e
reduzio Yeduzio poz o negocio era cada';
pois a pessa da va pannos para mangas
mas em fin va assim. Diz elle que o que
basta, e eu o creio; mas nao pude livrar-
me da te11ta9io.de por urnas notazinhas so-
bre o pouco bom que o Doutor extrahi
dos formidolozos iteus.
Meu caro amigo, estou com pressa ,
esta embarcado db Rio denme que fazer ,
e aquelle negocio sobre que conversamos
me tem roubado milito tewpo e rendido
pouco fructo; Paciencia af logo: vcu
a urna diligencia, cuja principal figura e
*"



I i


\\


* .-.';
(5**} '
,
um columna : wmoscom )eos ea Virgetn
elle ha de vomita*. Serv
O Sentir te I la Pernambucano.
Meu caro .Amigo Vi a justificacjo do
Chaby, e se Lem que elle consta de y itens
e 14 testemunhas como me dizes n toa,
nao la essa cousa intrincada como pen-
saste o essencial da peticao se reduz a uto:
que o Chabi assentou praca em tantos seguio
taes e taes postos ; que sempre se pOrtOu
cen honra e probidade sempie foi iui'
migo de sangue ( i ) e gozou da estima
puolica ; que tendo cazado e contando
ficar aqu para sempre se lhe aggravou a
sua hepatites, e para uzar de bannoa ther-
mais (a; <>i a, Portugal com liceti.ca; que em
quanto la esteve sempre se reputou Bra-
zileiro cohservou animo decidido de voltar
para c, nao aceitn em prego ou merce,
e nem jurou a constituidlo Portugueza (3)
logo que la houve Cnsul Brazileiro ,
se lhe aprsenlo para ser ceconhecido Cal(4)
querequerendo com a expozie;o destas cir-
cunstancias ao ento Imperador foi benig-
namente attendido e* admittido ao servico
por Decreto detantose empregado(6)emIns-
(i) Falca o Sr. Chaby do tenipo da nos-
sa questao' com Luiz do Reg ; mas um
meu amigo membro da Governativa que
havia votado contra o ataque e que falla
mais verdade do que a justifieacao' do Sr.
Chaby, me con ton que este lhe dissera sa-
Iiindo do Conselho e havendo-se tspalha-
do o voto do dito meu amigo as seguin-
tes memoraveis palavras meu l^outor dei-
ze-nos atacar aquelles bandalbos ora
dexe Doutor! ver como reduzimos tudo
aquillo a nada em um momento ora isto
inculca alguma l'eico chouricos !
(a) As taes hep;tites mais os bancos
thermais tem deitado a gaita muito plano
bem concertado, ao Sr. Ghaby fez perdet,
este bocadnho d'ouro, por qti chora ;
e agora ? Chora minha negra !
(3) Seria por naosimpathizar com ella?.
Em ? !-----
(4) Se rim de dez anuos- reconbee
Portugal a Independencia do Brasil, la
lita o Sf. Chaby cOm animo deliberado de
vojtara este appresentir-se para ser recc*-
lAecido Brazileiro! Pois isso ternduvidaPP
(5) Porque quiz : nailja que aigum o
chamasse ; nao Senhor.
(6) Pura que occltou o Sr. Chaby a cir-
cunstancia de ter sido admittido ao ser-
vico como estpangeiro ? Que moco t
sizudo E com a mesa sizude, tta
gue naquelle tetnpo o tanto^direiw ao3
pector do Hospital, onde pr'estou relevante*
srvietis ; e que fiunmente visto tudo isto ,
e mais a Ordenado do L. 2. T. 5'5.
. 3, e em virtude da (cenca (leve ser ju-
gado Como prezente a declaracao da Inde-
pendencia, e por tanto coico Brazileiro (7)
etc.
Ora isto tudo a inda se reduz a urna ex-
pressa mais simples t vem a ser duas pe-*
quenas questoes. i.a Onde nascu o Cha*
fay ? 2. Que lei regula os direitos de Gi-
dadad Brasileiro Respondidas por este mo-
do como todos devem responder^. Nas-
cu em Portugal o Chaby eaC.onstitu-
icao NICAMENTE quem rege estes nego-
cios temos somente a ventilar o artigo a-
plicavel ao cazo e ver je o Chaby esta' ou
nao nelle comprehendido : tudo o mais sao
rodeios, historias, subterfugios, e esca-
patorras de que m nao tem razad*, e quer
illudir, e os mesmes documentos e de-
poimentos das testemunhas, ou nao vc:n
ao cazo oti sao inverosimeis c entrao por
consegu ti t na mesma linha das razoes.
Diz pois a Constituica, tit. 2. Art. 6.
$ IV.
Todos os nascidos em Portugal e suas
ProssessOes., que sendo ja residentes n
Brasil na epocha em que se proclamou a
Independencia, tas Provincias, onde ha-
bitava y adherir5 a esta expressa oa
tcitamente peL Continuaran da sua resi*
dencia.
O Chaby confessa que ca naO estava
na occasia? neeessriria e exigida por este
artigo (Constitucional) da Constituica'* lo-
go e' l'ortuguez irremissixelinerite. Eu nao*
pens que finja juizo humano sem eiva que
aflirme, que un tal.artigo da Constituica*
pocJe admittir exceptes que nao' estao'
em lugar aigum del la ; mas se o lia', ap-
pareqa e eu aeeitarei a luva Com a meliior
voutide.
Descance meu, amigo, que o Chaby ha-
de voltar do Kio tao' Portuguez, como
foi ; porque a nossa AssemLriea nao' pode';
Anda quando quizesse (o qtie nao' tetn ca-
minho):a'berrar da letra da Constituido' :
ttn tal ;acto seria o mesmo que dizcr__,
verdade, que pela Constituica' a Chaby
o Portugus; mas como o homcm tinha
--------------------- -----------------------------------------------------------1------------------- 11 ........1
direitos de Brazileiro chuchou a declaracao
de estrangero agora nos encinpa, que at-
tendera benignamente a exposigao das
suas crcaristantias para ser Brazileiro!
Irra.
(7) Abrenuncio! Por santo Hilario,
aue aqui como Brazileiro nad piza digo*
ifa'o^ea, -e est dito.
-r?"
m*m


mmmm*m*m

4t|*do coa* ceneo poff laiotiyc* de moles-
tia e outras razoeus deve ser considerat-
ivo b>;uileii'o, nao' olwtatn-te o qae eU di/;
porque nao' podiao' ilembrar aqueJlas tao'
ponderosas circunstancias, os ledaetuocs
del la,- \ nossd Assenablea oW com pos r
la de loucos, O artigo em questau' masiadamente franco para os Horttiguezes ,
e beini njostra o dedo que o arratijoii; ppr
tanto nao' (leve fa&er se anda oais lato,
do que Soq Teu amigo
i l'Xj
0 Doutor ....
p
X Endo me sido ordemro por Paitara
do fcxeellentissimo S.ir, Presidente desta
Provincia acompanl)ad. dp Aviso da Secre-
taria 'instado dos Negocios da Marinha de.
iGde Malo p. p, que tod-is as tonta*d'esta.
Intendencia (se feixjem no fim do presente
mez no es* ido em que estiverem ; para en-
tao principiar nova escriturago em- o qo-
vo ajino inanceiro ; todas as psanos, que,
tiverem coutas com a Intendencia, hajo

quprito antes a presentaJ-as, nao gu,a,r do em si cpmo costuroao, IpiJhcte^ de pe-
cujenas compras, o fin de que se evijem
qtias qiier duvidas para o futuro. Inten-
dencia da Marinha de PeraambuCO n de
Juuho de 83.
s11 tomo Pylro de Carv/tlho< ,
Intendente da Marinha.
..........
Mtl
llesumo dos premios saludos no 5. da.
Premios grandes.
Nmeros Premio*
i
4898
256
2*3o6
i843
96*5

. 10J000
. i. i5$ooo
. ... ... ..lojooo
..... v >5a.QOQ
.........4'wooo
, ... f ;i \ 5o^ooo
.? *. t .-.>. IP^noo
2bgc .. ., t v lo^ooo
i4g8 > ioJpo
3209 ,.... Mtfooo
a97.9 ^ ioooo
2001 ...,.< QOj^OOO
E oais i3i premios de o^fooo r^.

ERRATA
IlO Suplemento ao Diario N. 124 arti-
go Lotera *Jfc a(>9 com 4<>0o lea -se
4oo$ooq N. 701 co-n aS^ooo lea-se
3ojJooo
1 !*
VENDAS.
TT
v>M neero, angola camaroeiro, eaprn*-
diz com j anuos d gapateiro.no venda do
garapa do Pateo dp Hospital do Parai-
zo.
Ratoe Prlnceta em caixas, prxima-
mente cnegado de Lisboa por preco como-
do, a diakeiroou com diminuto praso : no
Recife Escritorio de Joaquim Pereira da Ga-
nha e irtnlo.
- WCoooo em casca, ate io mil: noa.
andar da casa D. 2, ra Direita, quase de-
iirpnte d beco de S. Pedro.
Bixas chegadas prximo por pre^o
eoim4o : na venda defronte da Igreja da
Aiadre de Dees esquina do beco do azeite
de peiae;
/"
COMPRAS,
y*"~v >
V^|Jadros em hom aso : anuncie.
: y* Urna cobra hixo o vtha-com kitea
anunciersci
.

1*
1
: *< t mil i
>..'. PERDAS.
H.
O largo do Corpo Santo m ariiiel de
dioiantf de aro Jargo; na ra da Gdia ve>
Iha, N. 4 por cima da botica..!
\,-ri Qo,em oehar ura livro de coritas cor-
rentes que se perdeo desde o Manguinho,
atrevessaqdp a entrada do espinheiro te a
que ve para JteJem, dirija se a casa da qui-
na que faz- frente para a ra e largo do Co-
legio fcj artdaf que ser recompensado
gen mm* *ent
Joo Zorrique fax sciente ao Publica
que niiiguem podar negociar imi Bilhete
de doo de Santo Aajooio aW ao Reeife cara a
data de O de Junlio.

. mi
ij -r o]
JURTO,
j TJ l'
i.l>l
Jtl \ noita (h Tapara i do correte, foi
roubado do aroose# de Antonio Teixeira
Lopes na ra da Cruz, donde leva rao ose
gUMftte, que se roga a quem or offerecido,
pu souber queira avilar ao referido Teis
xeira Lopes, que recompensar ; 2 alfinei-


mt*4
*f*

"Mil,i'
*******
-"*

(5a41

tes de peito com cordo fino, sendo hum
de diamantes un anel de abraco com
tinas pdras de diamantes outro de oiro
lavrado urna espingarda ja experimenta-
ba, de meia coronha bem envernisada, e
de espoleta um birril de manteiga, e trez
caxinhas de cha'de 13 libra por cada urna
duas varas de corda de ouro com i4 oita-
vas um chapeo branco de castor Inglez
novo um par de argas pequeas de
pedras azues.



AVISOS PARTICULARES.

V cente Alves de Souza Cavalho, Subdi-
to Portugnez faz publico, que se retira pa-
ra Portugal.
Quem precizar de urna creada dirja-
se a caza junto a de Jos \1aria da Cunha
Guimaraes pateo do Carmo a falar com
Francisco Mara deje/.us.
O Proprieta rio da caza do Rofeqnim
sito na Ra nova declara, que a venda, que
foi anunciada no Diario h. ia4 -de dito
Botequim so* se enten le com os ufencilios
do mesmo, e nao com o traspasss da dita
casa; por isso que a vai reedificar.
Perciza-se falar ao Snr. Manoel Joa-
qun* Pascoal vindo do Rio grande o Nor-
te, onde era morador, para negocio de seo
inetresse ; na ra do Rangel n. a6.
Quem percizar de um eaxeiro para
venda, ou arniazem, ou ra dirija-se ao Pa-
teo de Terco D. i.
' 1> Manoel da Silva Pereira caxeiro nes-
ta Gidade faz publico, que se transporta,
par Portugal.
Os administradores da extincta casa de
Roberto Pelly e C. avizo aos cfedores da
mesrna, que ten do resolv do faserem um
dividendo ; devem comparecer na casa N.
4'3, ra da Cruz, para receberem as qan-
tias que proporcionalrnente Ihes' tcarem
depois do da 10 do correute.' Prnambu-
Cg'de Junhode i83i.
-^-Jbao Maria Seve Negociante nesta
Pra o'CapitSo Joze Bar boza Diniz, morador,
que foi no termo do ^moeiro escravo
algum e nem o sitio denominado S. Joze
do Esquerdo ; por tudo se achar pinhora-
do por duas execedes, que o anunciante
teo contra elle: as quaes montaoa seis con-
loa e tanto* mil tis: cujos beiis nao in-
demrwzao a divida ; e protesta em todo o
tempo haver do mesmo o que Ihe res-
tar.
Quem tiver um sobrado de um ou
dois andares com quintal, e cacimba as
principaes ras do bairro de S. Antonio,
e queira alugar dirija-se a botica D. 10
r-ua do Rozario e da-se 6 mezes a dianta-
dos.
, O Padre Joze' Joaquim d'Oliveira,
desta Provincia, nao tendo transaecfces com
pessoa alguma para obter o seu passapurte,
participa ao publico, que segu viagem oa-
ra a Bahia ou Mranhao, no pnmeiro
Navio que se oferecer.
Quem quizer dar quatro centos mil
reis por Hnta dias com o premio de dois
por cento reoebendo letra para esse tempo
anuncie por este Diario, e se possivel for
amannaa.
Quem achar um cavallo cardo, da
primeira muda, sellado, e enfrendo, procu-
re a Francisco Xavier Cavalcanti, mora-
dor ao p da casa do defunto Desembar-
gador Faria, quesera recompensado.
Quem anunciou querer a lugar um
sobrado de poneos commodos dirija-se a
rna da cadeia velha casa n. 8.
Manoel Jos Soares aviza aos seus
credors, tenhao abondade de compare-
cer no da t6 do cor rente pelas 4 horas
da tard na sua Padaria da ra direita D.
'4-
Quem precizar de urna crila para o
servido interior de urna casa, dirija-se a
ra da Gloria N- ai/.
.
<*OOOf

NOTICIAS MARITLWAS.

Navio entrado no dia i3.
Rio Formoso ; i a horas ; C. Concei-
ca Pdiir, M. Hcniiqe Luiz ; caixas ; de
Jos Antonio Falco.
.........
Entrado a i/j. ...
Londres ; 44 dias : B. Ing. Shubena-
cadei, Cap.- Reehard Bartlett ; lastr: a
Smith Lancaster: ...
' r ..........
i ''i-
r. r ..... T
a
Navio Saludo na dia'\3.
Rio Grande do Sul; B. E. "Silvano, M.
Vicente Lopes dos Santos r Sal. PasSageiros
a* D. Domingas Rosa de Vasconcelos, mu-
Iber de -rcenlo Pompeo Pompitio del Car-
po, 'duas criadas. (V
( ,< ., {
i mj '---------<''
PERNAM3CO NA TYPOGRAFIA FIDEDIGNA.



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESGCV3H1Z_BENB7F INGEST_TIME 2013-03-27T16:55:51Z PACKAGE AA00011611_02817
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES