Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02795


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"i\
I-
s
'NNQE1834 SEXTA FMRA U DE FBVERDRO NUMERO 320
>tv*vttvixvnv v* *v*v^.**,*
>%%w%>vvV%%>%vt%v<
*%* mmwm
mtaio ns t111**1*00%
rfb D^rfo Da,lTeMa'men,Je *c*40 rc'8' **. Tipografa
nVe se r^A ^ Matr,a de S- Aulonio so,'ra'' ^ Porra larga
Jfatu8enH(?Hn corre^'ndei"- e nuncios; estes insirem-se
rt.s sendo dos propnos ass.^aantes somente e vindo agnados.
Tudo agora depende de nos mesmos, da n<*ssa prudencia, mo
dcracao, e energa: continuemos como principiamos e seremos
apomados com aamira^o entre a Naces niais cultas.
l'toctumiiio da AuembleH Geral do Brasil.
l*tp;eQ em pematmiuco por 3o?e Victorino ftcflbtetf.
DAS di semana.
%%%*%%%*
-. Cirp-Ses. da Tliez. P. de m. e Aud. do
J. de Craos de t. Pr, as 8 h. 30 m. da m.
5nbbado-\ Moyss- Rl- de m. f aud. do Vig.
G. de t. Preamar as 9 b. 18 m. da m.
Dom8. S. Appo/o/ita-Preamar as 10 h. 6 minutos
da m.
\ COMMANDO DAS ARMAS.
Artigos d' Officio.
ILlm. e Exm. SenhorTenho honra de apresen-
tur a V. Exc. a Proclamacio inclu, que dirig as
Tropas reunidas neste Acampamento no dia em que
tome; o Commando em Chefe das mesmas Tropas; e
depo de ser por V. Exc. corrigida, muito estima-
ra se ella tivesse publcidade pela rmprensa, porque
se nella nao se encontra a elo cas se deve empregar, acho-se expressSes, que ma-
nilesto osdesejos, que tenho de empregar-me no ser-
vio da Patria contra os infames salliadores, e de con-
servar noseu estado de pureza a disciplina Militar.
Dos Guarde a V. ExcQuarlel do Commando
em Chefe das Forcas em operaces na Povoaco de
Agoa-Preta 6 de Fevereiro de 1834Illm. e Exm.
5>enhor Jote Joaquim Coelho, Comman.lante das Ar-
mas da I rovinciaJoaquim Joze Luiz deSouza, Co-
mandante em Chefe das Tropas em operaces.
PROCLAMADO.
ST MOLDADOS Hum bando de sevandiiis, a es-
coria do Povo Pernamb cano, abuzando da docura
das nossas Instituirles pertende dinigrir o Govemo
Constitucional do Senhor D. Pedro 2., e vestir de
luto a Patria que os alimenta Todas as medidas
de brandura se tem empregado para sugeitar a obedi-
encia da Le a essa borda de barbaros salteadores, e
ellas so tem servido de aumentir a sua ouzadia, e de
ammal-os a procegirem seos desatinos. Em taes cir-
cunstancias, cumpre ao Governo empregar medidas
lories, e meios eficazes para domar a esses selvagens,
e estas medidas, e meios vo a ser postos em inteira
execuco. A providencia,, que proteje nossa cauza
lez que huma negra conspiraco fosse deseuberta : se-
us authores, e todos os implicados as revoltas da Ca-
pital em Abril, de Panellas, e Jacuipe foro degrada-
dados para Fernando. D'aquelle prezidio se manda-
rao vir 200 Soldados de 1 Linba. Contingentes de
Guardas Nacionaes de todos os Deslriclos da Provincia
se preparo para ingrossar nossas fileiras. Do Rio, e
da Buhia se espero asLegies, que o Governo Supre-
mo tem ordenado expedir ; e em quanto el|as nao che-
gio, fui eu norneado para comroandar-vos, com or-|
dem de empregar vossas armas em defeza do Altar,
do Throno, e da Liherdade, a qu-m esse bando de
indignos Brasileires ameaco destruir.
Esta empreza he grande; mas ella nao ser difcil
de executar-se se cada lum de nos cumprir-mos com
nossos devtres. Quanto a mim, ssu franco em dizer-
vos, que me acharis sempre constante companheiro
nos traba I h os, fiel amigo na estima, e justceiro su-
perior em premiar vossos servicos, e castigar vossos
erros. Da vossa parte huma s obrigaco, hum s
dever vos cumpre religiosamente observar, e he cega-
mente obedecer aos vossos rigitimos superiores. A o-
bedienria lie a baze fundamental da disciplina Militar,
e hum exercito disciplinado he invecivel. Se esta u-
nica obrig,icao, que a lei vos impe nao souberes cum-
prir, Tremei dos horrendos ferros, das ediondas mas-
morras, edos afrontozos patibufos,. que vos ispiro; e
no contraro os Cos benignos abensoaro vossas armas;
o Grande Dos dos Exercifos contente de vossa obedi-
encia compencar vossos servicos ; e a Patria agradeci-
da tecer verdejantes fouros para coroar-vos. Viva
a Religio Santa de nossos Pas, Viva o Senhor D.
Pedro 2. Imperador Constitucional do Brasil, Vivo
os valerosos, e obedientes SOLDADOS Pernambuca-
nos.
Acampamento na Povoaco de Agoa Preta 3 de Fe-
vereiro de 1834Joaquim Joze Luiz de Souza, Com-
mandante em Chefe das Tropas em operaces.
MOHMHW
PROMOTOR PUBLICO.
DENUNCIAS.
PErante V. S., Senhor Juiz de Paz do 2. Destle-
lo do Corpo Santo, denuncia Joze Tavares Gomes
da Fonceca, Promotor Publico neste Municipio, do
Francez Vctor Edou, Capilo da Galera Franceza
Cames, actualmente em custodia na cadeia desta
Cidade, sendo a razo de sua denuncia a segunte.
Que tendo a referida Galera chegado do Havre de
Graca a esta Cidade em Dcaembro do anno p ssado,
o Denunciado no dia 10 do mesmo mez e armo deo
della entrada n'Alfandega aonde n'essa occasio en-
tregou o manifest, com a declaraco das fazendas,
que trazia abordo da mesma Galera, embarcadas de-
pois de fcito o dito manifest, declaraco que firmou
com seu juramento, e que o gerente de Franca nesta
Cidade, Flix Naudin certifcou ser verdadeira, po-
rem que boje se conhece, que foi falsa, por quanto ;
na noute do dia 16 do referido mez deDezembro, fo-
ro aprehendidas nolugar da Ibura, por Joze Higi-
no ue Miranda, seis volumes de ftzendas contraban-
deados de bordo da mencionada GaleraCamoes,
constantes do auto deexame n. 1 feto na presenca de
L. A. Duboutcq Consignatario da dita Galera, do
qual acto v-se claramente, que cinco dos volumes.
V n. -
T


0'
(1278 i

contrabandeados, e aprehendidos nao forao, como-de,-
"?ra, declarudos pelo Denunciado Capilo, no refe-
rido manifest, sen duvida para poderem ser, comd
:foro contrabandeados, prejudicando derl'arte a Fa-
enda Nacional, na quanlia de 769$190, em que mo-
tarlo os din itos, que, sobre a quantia de4:807$444
-reis valor dos 6 voluntes contrabandeados, pagaro os
A prehensores dos mesmos quando os despacharlo e
recebero n'AIfandega. E como com tal proredimen-
to o Denunciado se tem feito criminoso, e esteja in-
curso as penas do Art. 169 do Cdigo Penal, e as
doDecreto.de 4 de Dezembro de 1832, requer o
Suplicante a V. S., que o admita a jurar sua de-
nuncia, e |ulgando-a suficientemente provada com o
documento junto e teslemunhas a margen), seja o De-
nunciado obligado a pi4>5o e livramt'nlo, seu nomo
laucado no rol dos culpados, pasando-se as ordena
'para a brizSo.
P. a V. S. seja servido the diferir.E. R. M.
Recife 8 de Fevereiro d 18340 Promotor Publi-
co, Joze Tavares Gomes da Fonceca.
Perante V. S. Sur. Juiz de Paz do 2. Distri-
trieto doCnrpo Santo, denuncia Joze Tavares Gomes
da Fonceca Promotor Publico neste Municipio, de
Manoel Theodoro, branco, casado, morador em dilo
Districlo, e a razio de sua denuncia consiste noque
passa a ex por. Que na'noute do dia 16 de Dezembro
do anuo p;ssado, o Citadlo Joze Higinio de Miranda,
nppreheudeo no lugar da lbura6 volumes de duendas
contrabandeadas de bordo da Galera Franceza Ca
moenspor os Franceses Dadier Colombier & Comp.,
eL. A. BandaUX, aqual no dia JO do dilo mes havia
ebegado du Havre de Grapa a esta Cidade, contraban-
do, que elles nao podioter feito se peitado nao tives-
se sido, como Coi para nelle convir, o Denunciado
Manoel Theodoro, Guarda, que a seu cargo linha o
sello para a lacraco da dita Galera, cujo contrabando
montou na quantia de 4:807$444 res, e reeebero os
Apprehensores, (jue pagaro de direilos 769,,190 rs.,
" dando o Denunciado com Ito criminoso procedimento
occasio a que o Juiz d'Alfandega o suspendesse do
exercieiode suas fuucocius, e o Suppilcante o denuncie,
como de facto o denuncia, por ter iucorrido as penas
do Art. 130 do Cdigo Criminal ; < requer a \ S.,
que mande tomar por termo sua denuncia, e que jul-
gando-a provada com os documentos untos, e testemu-
nhas a margem, seja'o Supplicado obrigado a prizo
e livramento, seu o me laucado no rol dos culpados,
passando-se depois as ordens neressarias p* ser prezo
P. a V. S. seja servido Iho deferirE. R- M O Pro-
motor Publico, Joze Tavares Gomes da Fonceca.Re-
cife 12 de Fevereiro 1834.
t\ %%.-% v**%v\%%
Outro do Juiz de Paz do 3 Deslricto da Madre
Dos dizendo, que devendo ter passado a vara nao o
linha feito porque o Juiz de Paz do 2. anno que a-
gora devia entrar ainda nao linha posse e juramento,
como Ihe afirmara quando Ihe officiara para que to-
masseconta da vara ; que o do 3. armo eslava fora
do Municipio, como se ihe linha informado, e que
o do 4. por se ter mudado de Destneto tinha deixado
de ser Juiz, pedindo a Cmara que se Ihe dicesse o
como se havia de haver : que conlinuasse a servir em
quanlo ella officiava chamando para vir tomar posse a
Francisco Feliciano Rodrigues Sdtc nomcado para o
presente anno e outro Cidado em lugar do Juiz do
4. anno que por se ter mudado de Deslricto havia
deixado vago o cargo.
Procedendo-se a eleicao de Juiz Municipal Interi-
no para servir em quanlo durasse o impedimento do
actual plt>prietario Fermino Pereira Monteiro, sa-
bio elcito com quatro votos, sendo a Cmara com-
pon-i de cinco Venadores, o Bacharel Joao Paulo de
Carvalho a quem se mandou pasuir diploma, e con-
vidar para vir'.ornar posse do referido cargo.
Sendo presente o Reverendo Parodio Ignacio Fr-
ciseo Jos Santos, e o Juiz de Paz (lo 3. Deslricto da
Madre de Dos, Joze Antonio da Silva Grilo proce-
deo-se a apuraro'para os Jurados e forao approvados
os Cidados Doutor Antonio Joaquim Ferreira de
Sampaio, Antonio Aues. Jacome ftres, Antonio Joze
Pereira de S i, Francisco Joze Btflem, Gaspar de Me-
nezes Vasconccllos de Drumonil, Jo/e Pedro de Al-
carttara, Jote Antoeio de Azevcdo Santos, Jo/c An-
tonio Lourenco, Joo Aonso Higoeira, Luiz Kodri-
gucs Sette, Manoel da. Fonceca Silva, Manoel Joa-
quim Runos e Silva, em cuja approvaeo liverao vo-
tos o Vigario, e Juiz de Paz.
P.ISS0U-S6 mandado para pagar-se a folba dos orde-
nados dos Empregados montando na quantia de reis
862-3)500.
Mandou-sc parteeipar aoExm- Presidente que Joo
Miliario de Rorros da por o contracto das afericoes dos
pezos e medidas do Municipio a qu.ntia de 2:000$
reis o qinl no anno findo fui arrematado por mais
800v5 reis, v por08 das cazas da praca da Ifoa-visU
400$ reis oqual o anno passado tinha sido arremala-
du pr mais 22^4-20 reis, para ver se mandava ao
mesmo entregar o ramo.
Despaxaro-se alguna requerimenlos e por ser dada
a hora alevantou-fe a sessao. Joze Tavares Gomes (la
Fonceca Secretario a escreveo. Esteves Pro Presi-
dente CamelloCostaSouzuSilvaDoutor Ma-
vignier.
CMARA MUNICIPAL.
2." Sessao Ordinaria de 9 de Janeiro de 1834.
PnrsiORNCU no Swi, Emkvf.s.
COmpareuao os Senbores Camello, Souza, Silva,
Costa, e Doutor Mavignier, fallando com caliza
os Senbores Doutor Peregrino Maciei, Oliveira, e
Gusmo.
A berta a sessao e lidaa ada da antecedente foi san-
cionada por estar conforme.
0 Secretario d nido parte do expediente mencionou
hum ofticio do Juiz de Paz do 1." Desrielo do Colle-
fio n (uisitando huma la boleta com as armas Macio-
riaes p"a a porta da caza de sua residencia : que ax-
igisse a que tinha seu antecessor que a devia ter 1 le
euviado quando Ihe passou a vara.
* \'*'
A Patria uzahdu do verboPoseo.
fjlXlOE do Sur. Guarda Na^ortal de Olinda, da cor-
JJiespondencia invita no Diario de Peruambuco
i\. 315 de S..bbado, 8 do correnle Feve.reiro exige ou
pede, como dizia (Poscil) (jue baja de acalmar a gran-
de intrigo, que deve efguer alta cbamma, turbando
assim o espirito do bom Patriota, (|ue iieslfl crize se
Ira- la, pensa, e promove, o qUc tender a seguianca
da Paria, cni quanlo se completa a victoria (U nossa
l.iberdadequ83 indubio stDesgracada tendencia a
desunio E porque ? Fort*! lastima Ha-
d'a Patria se perturbar. Ha do (ioerno ser laixado
to impolitica, e impunemente, de impoltico : d bo-
ma s peonada faser-se que perca a l, que merece,
e Ihe deve ser inherente mxime lia presenie poca. .
Ho d'enxolar-se das filleiras da Liberdadw bravos Ci-
dados, j a ella consagrados com as ultimas provas-
TTT
.....i .....
7
T
W


"ir ii N i A
HHIH^PHI^^BMHbmm
^HBBiHaaBBBmaHaBpvV
MBHHMH



(379
mas;
o obligando liuns a .serem caramuns forca
(que agora hade ser custozissimo haver quem queira)
h l.i/.i ndo que oulros peno a boa f, que lano nos
milita pira l'elicidade e discanco de noss:i doce Mi
Patria Comino por tanto, mea amigo que se Vm.
.he palt iota vcrdudeirc, deixe se desses planos de desu-
iiio, e intriga, que lie as armas dos nossos iniroigos.
Vaino nos unir para salvara Patria desse mesmo novo
sistema de guerra civil, (que incivil Ihe chamo cu) o
qual tanto nos tem aeabrunhado por hum lado, em
quauto, por ontro, os Cabanos por nossas indulgenci-
as, tem-nos hito guerra cruel. E se por a caso Vm.
nn he patriota, ento nada mais dlg : xiton : porque
com gente dessa lata sacca-se-me a ptoza : pois sou
Hum filho do Dim.il xue s desfija a felicidade
da Patria.
HM<
^ Criarte novos mimgos, ou descontentes, que nunca
oserio... E porque ? Porque valeiite razo levan-
tar se-h tanta desordm, ameacindo at a seguranca 4
e tranquilidade interna ? Qaal ffc pois esta ORAN-
DE CAUZA, e que da ideia de que ir tobem, pelo
seu tumo, eneher com discripsoes horrivis, as pagi-
nas da historia Pernambueana de 1834 ?.??.'.. La
vai ella, meus leitores. .'. He o lugarinho de instruc-
tor dos G. Naeionaes d'Olincia De veras? Pois e
ra isso ? Sim, Snr-----por minha vida Ihojuro!
Ora^Snr. G. Nacional d'Ohnda Ora, ora, ora, e
ora Nao faca barulhos lo grandes em lao pequeni-
no b'eco. Vossas mercas todos sao culpados.
Oicca o meu parecer, que nao he eslrondozo. Se
eu lora o Snr. Monterroios, logo que va o lugar d'Ins-
truetor do Bilalho dOlinda oceupado, fosse por quem
fosse, huma vez que nao era d'exeicio interno, nao o
resuena. (He precizo saber, que elletom razo o
requerco, pois lema Lei a seu favor) Eu se fora o Sr.
Poretncula, logo que via nomeado pelo Governo ou-
troInstructor, e firmado na Lei; dizia comigo nies-
mo^-Amice Percincula, tole, tole gravatum tuum, et
ambula ad loeum vulgoRecife(He necessario sa-
ber que elle em verdade nao duvidou obedecer, ne'm
-:pedio assignados ESTRONDOZOS a seu favor : mas
simos Snrs. Offieiaes do Batalho d'Onda, por sua
- mnsma rezoluco o fizero) Se eu fora os meamos Srs.
Offieraes, nao-fazia tal assignado, i teh smpfes ra
lo de que Uto nao era servico para seguranea da Pa-
tria, oeste lempo, em que s devenios cuidar della.
(He preciso saber que islo nclles nao Coi mais do que
.huma prova publica de gralido, e magnanmidade,
que em lodo o tempo he licita, e al edificante : e do
hora comportamento que com olios leve aquell Ins-
tructor.) '
A,,! s..eH ^ora Governo mesmo, vendo que aquel-
lai Ofiiciealidade tanto mnstrava desejar a coutina-
Vo de Instructor velbp, talvcz o deixasse continuar,
nao por derer, mas por hum rasgo de condeseenden-
CM licita (He preciso saber porem. que hum Governo
estando, como ueste caso, firmado na Lei, deve ter
firmeza, energa, e resoluco em ludo quanto obra,
porque ao mirtino, e agora mais que. nunca, se tor-
nara zro, e em grande .relimo da Patria.) Veja po-
is, Snr.Guarda Nacional d'Onda, qusnl .s culpas no
Caiiorio Mas por oulro lado, quautas disculpas ad-
-mtssivflit, e decentes para cada hum. Tanto nao acon-
tece eom Vm. que no4em disculpa, em dar occazia'o
com a sua correspondencia a grandes inlrigas de cali-
brenovo ; e que por o insigninVantssissississimo fado
de dar a Pedro, ou a Paulo, a Sanxo ou Martinho, o
lugarinho de instructor, nao duvida (e sem disculpa ao
.menos de ler nisso utilidade propria) envolver em hu-
ma s balella Aulhoridades, Prezidencial, e das Ar-
CORRESPONDENCIA.
Snr. Redactor.
|
COmo se ache anunciado no seo Diario de 3.* feira
4 do correle raez de Fevereiro, que a Escuna
Bom fim segu para o Rio de Janeiro, e lio bem con-
vida a quem quiser hir de passagem, tenho a avisar
que ninguem caia na corrila em hir na mesma de
passagem, por que ccrtamenjte se no'tnudar de Ca-
pitao os passageiro bao de ser victimas de fome, e se-
de, o mais miseravel e mesquinho possivel, Ihe dan-
do a comer mantimentos podres.por muilas vezes ; ten-
do prometido no Rio de Janeiro a todos os passageiros
que na m-" vierao (elhe dero o dinheiro que se Ibes
pedio que nao foi lo pouco) que em tratamento no
geral nao defiriria do qnecosluma praticar a Escuna
Mara da Gloria, e dos Paquetes, o que fudo foi pe-
lo contrario, e para se conhecer a verdade destape-
quena parte, indaguem os motivos d'arribada que se
fez a Macei.
Sou Senhor Redoctor.
Seo assignanle
Hum dos escaldados.
^**v%%v
ANUNCIO.
AManh sahir o N. 3 do Carapuceiro contendo
um Dialogo enlre dous restauradores, D. Impofia,
e D. Cogumelo, e urnas reflexoesziuhas sobre o cn-
trudo.
v-,v,i
ra *
2i'dZo$ i?o Corrno.
O Correio Terrestre d'Agoa Preta parle hoje (14)
ao meio dia.
ft-^* O Correio Terrestre da Parahiba parte hoje
(14) ao meio dia.
E^- O Paquete Januaria recebis mallas para o
Sul hoje (14) as 9 horas da manhS.
rTM,v fardrta propria para algum Guarda Nacional
eheio docorpo, por preco commodo : na ra Di-
reita D. 30.
^*^* Um bicudo muilo bom : na ra da Biquinha
rm Olinda n. 30.
^^ 3 pennas brancas para cabeca, no\'as, que s
serviro urna vpZ, p0r menos do valor, que ellas cus-
taro : na ra Direta D. 30.
V^ Uma commoda de angico guarnecida, urna ca-
ma de condur embutida, um sof de Jacaranda, e
um guarda roupa de condur foliado: o 3. andar
do sobrado D. 3 da ra Nova.
^Z^ Para fora da Provincia urna escrava do gento
boa engomadeira, e eosinheira, ainda mossa : th ra
Nova I). 21.
^3 Uma Barcaca nova, bem construida, prompla
de um ludo, que pega dez a doze caixas de assucar,
por um cont de rcis em moeda de prata com o cam-
bio, ou por boa moedu de cobre : na ra do Queria-
do D. 2.
$^y Sebolas novas em molhos, e aos centos, por
preco commodo : na ra do Vigirio n. 16, no beeo
largo vollano para a Sensata nova, e no armazem de
Goncalo Jozc da Costa e Sa.
i
/

T


"E"

(1280)
si':
&& Urna venda, com poucos fundos, no firfi da
ra Velha, na esejuina da Santa Cruz debaixo do sobra-
do n. 104, ou somente os seus utencilios : no mesm
obrado, de manh al as 9 horas, e de larde das 4 em
uianle.
$3 Metade de um sobrado de dois andares, chaos
proprios, quintal, e cacimba, na ra Direila D. 20 :
no mesmo.
Vfy 7 milheiros de cocos com casca, e sem ella :
na ra que fica defronte da que foi Hospital na ra
| Nova indo para o Mundo novo defronte do torneiro
Alemo.
$cy Urna espada prapria para Militar, com bai-
nha e guarnicSes, tudo de ptima prata, por preco de
35#reis: fallar com Manoel Cordeiro Cavalcanti,
ou com seo Tio no forte do Mattos prenca do Tavares.
Cotopra*.
MOeda de prata, por bom cobre, pelo preco que
correr : na ra do Cabug D. 5.
^3* Um jogo de gamo : anuncie.
%C^- Urna Arilhmetica de Lacrois : na ra da La-
rangeira D. 6.
ailuguet*.
ALluga-se o terceiro andar do sobrado da ra Nova
D. 3 : no mesmo.
^3* Alluga-se um negro para todo o ser vico de
ra : na ra Direila D. 22.
P>er&aj3.
DEsencaminhouse no dia 9 do correnle d'um dos
assentos do coro de S. Bento, perante trez pessoas
conhecidas, indo o anunciante ouvi'r Missa, urna cai-
xa de prata com o pezo de urna quarta, com urna f-
bula, e dourada por dentro : a pessoa que a achou,
querendo faser a honra restilui la, diriji-se a ra do
Nogueira, lado do Sul D. 19, onde se dar ossignaes
da tabula, e boa recompensa, ou anuncie.
fmto,
l^fA noite do dia 12 do correnle desapareceo um pre-
lm lo com urna bandeja de roupa, do bcco da Lingoe-
ta com as pessas seguintes : 4 pares de calcas de brim
trancado sendo urna parda, 6 camisas de madapolo,
4 lencos de pescoco, pintados, 2 sirlas de bretanha
tina, 4 pares de meias, 1 dila e 3 brancas de linho,
sendo toda roupa nova, e engomada; quem deltas
tiver noticia ou Ihe for offerecida dirija-se a ra do
Collegio armazem D. 13, que ser generozamente re-
compencado.
&bt?o0 parnculan.
OAbaixo assignado roga a todos os Credores de
Bento Goncalves que para liqnidaco decontas Ihe
apresenlem as suas contas correnles, dentro do prazo
de quatro dias, findos os quaes nao tora mais vi^or
qualquer conta que apareca do mesmo Goncalves.
Luiz Joze Marques.
Alluga-se urna negra para o servico de caza :
juerna ti ver dirija-se a ra Nova D. 17. '
^3" D-se 100,$ rs. em prata a juros de dous por
rento ao mez con hipotheea em urna negra, que saiba
engomar : na ra Direitn D. 32.
fc^* Quem precisar de urna ama de leite crila,
forra de bons costumes, a qual d fiador de sua con-
ducta, dirija-se a ra da Conceico da Boa-vista D.
49.
^^ Quemanunciou querer comprar um berco
em bom uzo, dirija-se as Cinco ponas caza de vidra-
casD. 15.
^^" Roga-se aoSenhor Antonio Pereira de tal,
morador na ra Nova haja de pagar dous bilnetes que
passou de 19#500 cada m, pois j tem se passado 6
a 7 mezes, quando ditos bilhetes ioro um a 30 dias,
e outro a 50, e ninguem os quer receber em pagamen-
l0, o
y^F Pertende se filiar com o Cobrador dos foros
da trra do falecido Manoel Correia de Araujo, e
como se ignora a sua morada, queira anunciar por es-
ta lolha para se tractar negocio de interesse, ou di-
rjase a rUa do Rozaro estreila no 1. andar do sobra-
do D. 20.
VK^ Alluga se urna ama de leite que seja preta
cativa, para acabar de criar um menino de 6 meses,
e que faca juntamente o pequeo servico que ha na
mesma caza, pois que he de 2 pessoas : na praca da
Independencia n. 32.
^* O abaixo assignado faz sciente ao respeituvel
Publico, o/seo sogro Adrio Joze de Medeiros, mora-
dor na Villa de Pao do Albo, se acha com urna de-
nuncia dada, e julgada pjr sentenca; e por isso se
tornar millos, e de nenhum eeito todos os negocios
que d'ora em diante se zerem com o dito seo sogro,
tjntode compra, como de venda ; e para que o Pu-
blico em tempo algum ignore o que fica expendido faz
o presente anuncio.
Manoel de Souza Chacn.
^* Joze Lucio Correia tem de hir a Europa a tra-
tar do restabelecimento de sua saude.
tS^" Quem anunciou querer trocar urna negra
mossa, que lava, engoma, e cosinha o diario, por
um moleque, ou negro, que nao tenha vicios : dirija-
se ao principio do atierro dos Afogados na segunda ca-
za de sobrado do lado esquerdo.
^3" O abtixo assignado Professor do Ensino mu-
tuo doLycoavizaa todos os pas, que para ali quize-
rem mandar seus filhos, que elle, apezar de anda se
achaar bastante atacado de sua enfermidadej i abri
aula desde o dia 13 do correnle.
Manoel Carneiro de Soma La cerda.
&&- Percisa-se de um menino de 12 ppra 13 annos
que tenha pratica de loja de fazendas, dando fiador a
sua conducta ; na ruajdo QueimadoD. 2.
ANlonio, naco Congo, corpo regular, estatura o
mesmo, 25 a 30 annos, rosto redondo e largo, le-
vemente fulo, nariz xoto, com pequeos signaesde fer-
ro as fontes ; vestido com calca e camisa de hambur-
go, e colrte de riscado : ra do Rozario Botica D. 7,
quesera recompensado.
NOTICIAS MARTIMAS.
Navio entrado no dia 12.
ISfiOA ; 45 dias ; B. Porluguez Ligeiro, Cap.
I Joze Candido de Souza : sal, vinho, e maU gene-
ros : Joo Pinto de Lemos.
Pshjs-. j\\f TrP. do Diju/o 1834.
i-*
i
m .'-.^jlj


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EB3R3GC1V_H5M2K9 INGEST_TIME 2013-03-27T14:48:30Z PACKAGE AA00011611_02795
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES