Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02784


This item is only available as the following downloads:


Full Text
mmt^nmamiim
I .mu ;:i*iiii" laagaatteaB
ANNO Dv: 183 i.
UNU \DO l. 3 DE FEVERERO
NUMRilO.m
%vv iMw%'wvnmvw*ww> |Wtwwl n,n%^MHV
MUllO US f&M&lIB VQO<
*-
>un-.reve-..e mensalmenie a H40 re, adiantadr.s. na Tipografa
o Diario, palco da Malnz de S. Amonio sobrado da pona lar\i
*jirt se rpcelicw correspondencias, e anuncios ; estes insirem-se
ratis sendo aos propriofi ftMgnfcatea rnente e viudo asm puados.
Tuda agora depende de nos niesmns, di Di>aM prudencia, ns
deracao, e t-nerpia: continuemos como principiamos c seremos
aponanos coi admiraCHo emre as .Saces mili cultas.
'torliimn^iko da Assamlle* G'-rttl d iratil.

Hwipjccwo em $ernamtwco por 3o?e Gtctonno De abreu.
DAS da semana.
** x%, ** %%% .* v*-.^ %*% *****-.* %/v%*V **' %*V %**.%> *+ %/**.% V
Sahhado-'. Ignacio- Rl.'* de m. f aud. do Vig.
G de f. Proa mar as 10 h. 6 m. da m.
Dom*. S. Llosculo Preamar as 10 h. 45 minutos
da m.
PROMOTOR PUBLICO.
Oficio.
ILi.m. e Exm. SenhorConstando com a maior e-
videncia, das curts, que a minha requisicap foro
onlem em prezenca do Juiz de Paz dpi.! Destrieto
do Colegio, tiradas da mala do Paquete Jnnuaria vin-
do do Rio de Janeiro, e aherhs Judicialmente, em
d, Jmzo escripias p o suposto General Co'obiano Jo-
fe Ignacio Ribeiro de Abreu Lima geu Irmio Luiz
Ignacio Ribero Roma, morador neta (lid foV, e hora
prezo p>r a denuncia, que elles dei por o criara de
conspiraren! contra o Tbrono Imperial do Seobor D
* Pedro 2.", e pro'movorem a restaurarlo do execrando
Governo do Duque do Braganca, nne aquelle degene-
rado Pernambuoano s espera no Rio deXinciro, aon-
de reside pre/entemente, que o dito Luiz Ignacio Ri-
beiro Roma I he indique o ponto, em que hade peeul-
tamente desembarcar nesta Provincia para com elle, e
o* outros seu< Irihios, Jlo Ignacio Ribeiro Roma, e
Francisco Ignacio Ribeiro Roma, rcunir-se aos
Insurgidos, que vjvem no quilombo das ma-
tas de Panellas, e Jacoipe : a brm da Inde-
pendencia e Liberdade do Brasil, e da estabe-
lidade do Tbrono Imperial do nosso Jovem Monarca,
peco a V. Exc, que baja de expedir, quanto antes,
as mais terminantes ordens a todas as Authoridades
Civis e Militares da Provincia, para que seja preso em
qualquer parte, que houver de desembarcar, eaonde
for encontrado o referido Joze Ignacio Ribeiro de A-
breuLima, e remmettido a esta Capital, o qual he
de estatura ordinaria, rosto redondo, e covinhado de
bexigas ; olhos azues, alvo, barbado, e com suissas,
ealgumacouza cheio docorpo; fasendo V. Exc. o
mesmo pedido e recommendacao aos Exms. Presiden-
tes das Provincias beira mar assim do Sul, como do
Norte deste Imperio.
eos Guarde a V. Exc. Recife 30 de Janeiro de
1834-Illm. e Exm. Senhor Manoel de Carvalbo
Paes de Andrade, Vice Presidente da ProvinciaJo-
ze Tavares Gomes da Fonceca, Promotor Publico.

>% IMM **+/
RIO DE JANEIRO.
Rclacao dos Individuos que estavo ocultos no Pa
co da Imperial Quinta da Boa-vista no dia 15 di
Dezembro de 1833, e que foro presos.
O Tenente. Coronel, Jx>ze Ricardo da Cosa, Brasi-
leo Adoptivo.
de
Sangento Mor Caetano Cardozo de Lomos, dito di"
to.
Tenente Ajudante Manoel Jonquim Pereira Braga
dito dito.
Tpnente Reformado Antonio de Araujo Silva, dito
dito.
Jos Pereira Ayres. Portugnez.
Francisco Joze Ribeiro Bastos, dito.
Francisco Joarfuim Pinto, dito.
Joze Dias de Faria, dito.
Antonio Manoel de Souxa, dito.
Francisco Joze de Souza, dito.
Antonio Pereira, dito.
Joze Marty Mamignard, Francez.
Miguel Joze Tavares. Brasileiro.
Innocenr-io Jos de Menezes, dito.
Rio de Janeiro 16 de Dezembro de 1833.O Juiz
de Paz do 3." Dostricto de S. Joze. Joo Silveira do
Pillar.
Proclamaeao annima que apaveceo no dia 5 do
crrente.
nos !. Hoje se rene o Conselho da Socie-
slauradora, que s' encubre com o nome
engaoso de Militar. Tb raba I bao contra a nos** li-
berdade. e para entregar-nos ao jugo do Principe
Porlugne/, que nos oprimi por drz anuos. At flui-
do Sonrremos que se agreguem, que delib^rem os
eonspirndorcs. que querem esrravisar-nos, e derri-
bir do Trono o Senhor D. Pedro 2o A'. quando,
II
Rrasileiros! A nossa paciencia ja toca o extremo do
nviltamento. Reunamo-nos exaltados, moderados em
fice dessa Associaro de malvados, de traidores nos-
sa querida Patria, e sem faltar ao respeilo, que se de-
ve as Leis, e s Authoridades, abi mesmo formemos
urt requerimento em que se peca ao Governo a dis-
soluco deste ajnntamenlo inimigo da nossa Patria.
Brazileiros qqando vemos o paiz ameacado por vis
restauradores a indifferenga um crime. Nao bezi-
temos um momento. Vamos.
Um Paviota.
>%%% V%'V \. +%%/
PErnambucanos O Governo acaba de nomear pa-
ra Liboiios da vossa Rclacao 3 caramun'is, cuja
honra nao he l essas coisas : Sao o Senhor Beiga de
mato grosso, inimigo do Brasil por ser Porlugucz de
coracao, o qu.il sendo Deputado, nao votou pelas re-
formas, nem pelo banimento de D. Pedro, duque de
Braganca : em fim seu voto foi sempre o mais hostil
ordem progressiva, sua vontade seria levar o Brasil
foz do Tejo. O bom Carneiro ex Juiz de Fora de
Cabo fri, e Ouvidor desta Cidade, conhecido por sua
estupidez, e por suas sn esses lugares. Este material, capaz de praticar todas
as baixezas, he Brasileiro ; mas protector dos sedicio-
sos do Ouro Preto. tm tal Lima que he em ludo
rompanh'ciro dos dois. X, va o Senhor Carm/j^
\
.' "1

TT


(123 i)
moco de talento capis de faz manta bondara ;
elle he irmo do Canario, ave de canto e tobem de
rapia. Pernambcanos, nos desta vez nao crimina-
mos o Governo de vos mandar tal presente, por que
alem de os nao haver se nao assim ainda nos fica boa
duza e meia de oulros que taes : e como vos os ha veis
de ensiiiar melhor ahi, bem he que vo estes para a
vossa escola, e que se reparti os malvados pelas Pro-
vincias ; sofframos todos at que possamos um dia re-
generar-nos. Sentido nelles que sao restauradores,
caramurs, idiotas, e &c.....vos sabis o que quer
dizer&cdepois de Dezembargador. Fazei-lhes
a hospedahem que fizesteis ao lar apio do Cad que a-
qui est lepido, e cada vez mais sem vergonha, como
Brasileiro que a perdeo, que he peior do que todos os
tos chumbos.
(Do Sete de Abril.)

S. Paulo.
A Le sobre o cobre tem encontrado n'aquella
Provincia grande opposico, e consta que o Excel. Pre-
z no caso de se nao tomar nova medida a respeito. A
Corveta D. Paula em Santos, achava-se quasi prom-
pta, e he dejinda aparencia, e forte construeco.
JgO assucur fino estava a 2$000 res a arroba, e o
redondo a I$600 sendo a/3 fino, e '/3 redondo. O
cambio, 1G por cenlo de descont.
( (iazeta Commercial.)
fc.vx %..
AO PUBLICO.
Sl'.ndo o Solo Brasileo um dos mais prdigamen-
te favoraveis prla natnreza, offerecendo por pre-
mio dos cuidados do Agricultor, diversos e valiosos
productos, ainda mesmo com o actual, quasi geral sys-
tema de agricultura em todo o Imperio, em que, nao
poucos torpecos seacho, nao s pela falta de capitaes
para a compra de numerosos escravos, como pelo mo-
roso trabalbo dos mesmos, mas tambem pela total e s-
bita cessacao do commercio da escravatura, que ne-
cessariamente deve formar um grande vazio, porem
que fcil e mi vantajosamente se preencher linean-
do mo de maquinas e instrumentos proprios para es-
te fim : e felizmente ha no Rio de Janeiro quem as
laca com muita vantagem para o Lavrador, das quaes
ha esta noticia, em consequencia de ja ter vendido
algumas, e serem agora muito procuradas para quasi
todas as Provincias do Imperio.
He necessario dar aqui urna exposico do methodo
de trabalhar com estas pecas, para servir de guia
aquellas pessoas que ainda as nao tem visto, a qual he
a seguinle:
JZsposicao exacta das Charras, que Anacleto
Fragozo de Iihodes morador na ra larga de S.
Joaquim n." 175, introduzio no Brasd, para a
Lavoura das trras, as quaes sho muito vantajo-
xas, por fazerem o servico de 60 escravos d en-
xada, por dia, e s ocupando dois individuos, e
duas juntas de Bois.
# Estas Charruis servem p.ira a lavoura da cana, ca-
pim, mandioca, milho, e mais legumes &e. Esta pe-
5 ou maquina, he composta de varias outras pecas,
tanto de madeira como de Ierro, e he necessario dar
s principaes os seus justos nomes. A rbica he aonde
o homem anda governando : este faz o servico seguin-
te : mudaaEvecaea Sega quando cheg no fim do
reg, estas duas pecas aodo sempre oppostas urna a
outra, porque urna vira a trra, e a outra certa a que
vira a trra : he a Evoca que tem um ganxo de ferro
que engata em outro que est por diante do Atciro, e
mete um talo redondo em um buraco que tem o den-
te ; a Sega ou faco de ferro tem urna cunha para a-
pertar, na qual se bate com um maco pequeo que
anda metido no turnio da Charra : este tumo deve .
meter-se em um argolo que est no jogo das rodas; o
dente desta peca he que anda metido no chao, e nasL
ce delle urna taboa estreita que vem sabir por um bu-
raco que tem o dito tumo ao p da Sega ; esta estrei-
ta taboa chama-se Ateiro, e outra do cu nprimento
de hum palmo que se chama Pescaz, sao as principaes
pecas da Charra, em consequencia de segurar o den-
te com tumo, e nellas he que est o tempero da Char-
ra para se lavrar oh mais fundo, ou menos fundo,
da maneira seguinte : quando se quer lavrar mais f-
do, desaparta-se o Fusca/, e levanta-se o tumo para
sima, assim como qnerendo-se mais flor da ierra,
carrega-se o tumo para baixo, e em todo o caso sem-
pre se aporta o Pescaz.
Sempre ser bom o primeiro reg ser direito para
os bois e a roda da Charra andarem com menos dilfi-
culdade por dentro do reg; he necessario advertir
que ora urna, ora outra roda ando sempre dentro do
reg, chega-se no fim destes, o homem que tange
os Bois deve vjral-os no mais pequeo circulo que po-
der em consequencia de ficar pouca trra por lavrar
as pontas do mesmo reg : he bastante esta pequea
declaraco visto a maquina ser muito simples.
Rio de Janeiro 6 de Dezembro de 1833.
(Custao 130$000 reis.)
/%*/%%*<**'%%%
M
CORRESPONDENCIA.
Snr. Redactor.
Ui inacreditavel se tem feito para com o Publico
urna noticia inserida em seu Diario N. 300 em
que trata de urna carta do muito bravo, e Benemrito
o Tenente Pedro Ivo Velozo da Silvcira ao Capito
Cezario, d'Artilheria, pessoa aquella de reconhecida
probidade, honra, e patriotismo, distinguida em sua
profisso militar, em outras muitas qualidades, que o
tornao credor da opinio publica, ecomo he, que um
calligula atrveu-se a calumnia'-o ? Senhor Redactor
nao ha seis dias, que apartei-me do Tenente Pedro
Ivo ; elle se acha prestando servicos a Patria no lugar
denominado Verde flor de Una, onde fui testraunha
ocular quatrb mezesdos seus trabalhos, com toda a sua
joventude nao se tem poupado pezada larefa, que
pela sua agilidade se lijes confii no campo ; a poneos
dias den prompto um intrinxeiramento completo, que
o Capitao Commandante d.vjuelle ponto Mi noel Joa-
quim Paes Sirment > o m-ndou construir a disposico
do mesmo Tenente Pedro Ivo, de ;u|o p ano lio acer-
tado fe/, a deleza, ni) s do n\'sm> ,icam:>im ;nt >, co-
m at da entrad i dos intmig >s p ira a Villa do B mito,
lugar este mui interessarite aosCibanos pela abundan-
cia de vveres, e outras commodidades; nao ha des-
coberta no centro diquellas mitas, ataques de fo*o,
deligencias extraordinarias, e outras nriitas op'ia oes
coutra os Cibmos, que o Tenente Pedro Ivo nao c5-
pareva a testa, sempre influente, e saplisfeito como
seria capaz, este digno efficial de projectar traicoes ;
o Publico suspenda seu juizo, que a innocencia vai a
triunfar.
Sou Senhor Redactor
O Testemunlio.
*
i /
7TT
^7


".
r
(1235;
PRfiCOS CORREINTKS.
VOS, GNEROS JDE EXrORTACA.0.
Pernambuco 25 de Janeiro de 1834.
. *V
GEMEROS
PRECOS
POR
proporco : clii ija-se ao seu proprietario Manoel Ja-
se no porto da? canoas.
Htwnuu
denang.

Agoardentc de cana.....
<( de cachaca. ..
Algodo de Pernambuco.
da Parahiba. ..
Assucar branco sob o fer.
Masca vado.....
Azeite do (arrpalo.....
Cotiros.............. ,.
[picacuanha ....,
Mel............'/''[
iVeios de sola.......'
Ponas de Boi..........
Peles de va (lo.........
de cabra.........
Vaquetas.........
60000 a 70o000
64oOO
7800 a S000
7O000 a 7&200
10.300
10200 a 13300
13920 a 20100
?30 a I3
10600
480 a- 520
20400
7500 a I20OO
200 a .. 320
240 a 320
2o000
Pifia
Arroba



Canad
Libra
<(
Canad
Hmh
Huma
Meio
CAMBIOS
60 dv. 32 nominal.
Londres
Pariz
Rio de Janeiro
Baha
Moedas de 12$800-29$000
Muedasde 6$4O0-16$20O
4$000- 8$200-
Pezos Hespanhoes., 1$700
Pr-mi sobre prata 85 a 90 pr. 100
Lelras 1 /, 2 pr. c.
FRETES.
Inglaterra-Algodo por ar. 320 5 pr. 100
Assucar f 2 a 10 s.
Fianca-AssiH-ar nominal
A Igodo ar. 400 rs. 11 10 pr. 100
Hamburgo-Assuear nom.
Hollanda-Assucar ton.
Triesle-Assucar ton. f 3
Portugal-Assucar ar 250
A Igodo ar. 600
PERGUNTA.
PERr.uTA-se ao Exm. Vire Prezidente, se exeeu-
taodo-se o sen edital de 27 do corrente, em que
prohibe a venda do salitre, e cnxofar, se noparoas
oficinas d ounves, e de qne se subsistir, estes.
J/urn Ourives.
$3" Pergunta seao Snr, Redactor da Pnlmotoria ;
que fim deu asua folha ; que promeleo em Julho do
passado dar muitos bolos, e de sair duas vezes na se-
mana (i>io foi s na primeira) que na segunda parece
me que a palmatoria se quebruu, quem pergunta mier
saber. J
Hum que gost de huios.
&&1me4 fr-tc-
|-|Uem quizer carregar para o Aracati na Sumaca
yAve Mar,a dt qu e Mestre Francisco Marlins de
Ufiveira : a rete de pipas a 4$ r^is, mais carga a
^kS arranjos de urna carruagem, e uns ditos para
\W um carrinho de un cava lio por preco commodo :
na veivda da esquina'do beco do Monteiro.
^^ Urna patativa, e um papa capim : na fabri-
ca do fundo.
, ^3* Quatro vacas paridas e os bizerros alguma
couza grandes, e urna prestes a parir, sendo todas de
muito boa qualdade : na ra do Rozario estreila D.
30 1 andar.
y* Milito bom taboado de pinho de diffentes gros-
suras e larguras por preco commodo : atraz da casa da
Opera armazem novo, ou na ra dos Quarteis D. 5.
?T^- Carteiras de algibeira muito candelas, e do
ultimo gouto por preco commodo : na ra do Craspo
loj* I). 6.
^^" Urna preta boa figura, sabe cosinhar, e lavar
de varrella : na ra do Arago D. 1.
Jffr Bicos pretos Inglezes, largos, e estreitos de
muito bom gosto : na ra do Crespo loja D. 8.
^^* Marroquins de muito bom gosto de varias co-
res, e bizerro Francez muito fresco, por preco com-
modo : na loja de couros da ra das Cruzes, no atier-
ro da Boa-vista lado esquerdo terceira casa, na loja
ds miudezasdo pateo da Matriz pegado ao Bandeira,
e na foja de ferragem da ra do Queimado pegado ao
Ourives Joze Pereira Lagos.
T^* Um escravoque reprezenta 25annos : na ra
da Guia n. 40.
K* Uma cscrava do gento de Angola, com 4 pa-
raoannosde trra, de servico de cas, e ganha na
ra com yendas: na ruado Rozario T). 11, ou na
Botica de Joao Pereira daSilveira na mesma ra.
Cotopras
M ou dois selins Inglezes, com lodos os pertence.s,
ou sem elles, sendo em bom uza, e por preco
commodo : anuncie.
$&- Cobre velho de toda aqualidade, ou ainda
mesmo moeda enanchan que nao corra : na ra do
Cabug junto a loja do Bandeira.
$ty m braco de batanea grande, e pezos de a
at 3 arrobas : anuncie.
1
ftllugiiew-
tLluha-se eseravos para qnalquer servico : na ra
do Aurora na ultima casa de sobrado.
^T3* Allnga-seimma casa terrircita na ra da Fio-
renlina, com muitos bats commodos : na ra da Ma-
dre de Dos n. 24, 1 .i andar.
furto.
MfiP <^* 28 do corrente dando-se a carregar por oV
tWapretos um bauzinho, e urna caixa da rUa do
Rozario para a ruado Queimado, desapareceo'n ca-
minho o preto que conduzia o bair/inho feixado, com
um pouco ue dinheiro dentro : a pessoa a quem Ihe for
offerecidoquerendo entregar, dirija-se a ra do Ro-
zsrio n. 5, que ser bem recompencado.
7TT
7T


IIHM.Ii
m
V
(J330)
i
ab:?oa particulares
PEloCapito de campo Luiz Barboza da Silva foi
aprezenlado ao Juiz le Paz do 5. Destriclo de,
Bemfien da Freguezia da Varzea, urna preta d nome
Mara de na gao Cassange, a qual o dilo Juiz mandn
reeolher a cadeij da Cidadc, por se diser and iva fr-
gida, e a mesma al confessar, assim como diz ser es-
crava de Cardial Siman Leile, morador no Brejo da
Madre de Dos, assim aviza-se a 'su senhor, ou a
(juem direito liver a venha receber.
^3* Qem percizar de um cax'eiro Portuguez
ra armazem de assuear, ou ra : anuncie.
Va'
&&* Querh percizar de urna arra para todo o ser-
vico interno de urna casa, a qu.nl sabe engomar, e cosi-
nhar ; dirija-se ra Direita n. 39.
$Q?"" Aulluga-se negros para trabalharem em urna
piulara, e mesmo alguma pessoa forra que entenoa
alguma couza de a macar : na padaria da ra da Sen-
zalla Velha n. 29.
S^s* Da-se dinlieiro a premio ; no Forte do Mal-
los na prenca do Tavares.
^r^*" O abaixo assignado, em reposla ao Anuncio
reifo por Antonio da Silva Coelho, impugnando a ven-
da do Hyate Prazeres Parahibano, cuja venda o mes-
mo abaixo assignado anunciara querer Cazer, declara
a qnem quizer comprar o mesmo rayale, que nelle na-
da tem o dito Antonio da Silva Coelho, embora' o Por-
luguez M.inoel Joze de Almeida Torres 1he passasso
algum Ululo de venda, ou cesso de metade do mesmo
Hyate : por quanlo prscendindo da Ercriptura pu-
blica, que Almeida Torres assignou, em qual foi de-
clarado ficar todo o Hyate pertencendo ao abixo assig-
nado, bastante era ser esse Homem eslrangeiro,' para
na"o poder ler parle era urna Embarcao, cuja navega-
do propriamenle a de cabotagem.
Amelio Chrspiano da Cunha.
$r3* Preciza-sc de 100$ res a juros de dois por
rento ao mez, com hipotera em urna boa escrava por
lempo de um anno : anuncie.
^5* Da se 200$ res a juros de 2 por rento ao
mez, sob boro firmas : na ruada Praia sobrado D. 15.
fc^ Quem quizer dar nesta Praca 200$ reis <*m
cobre para ser pago no Rio de Janeiro com a quanta
de 260$ reis em dinbeiro de papel, ou escravo pas-
sandu letra por lempo de dois mezes, queira anunci-
ar a sua inorada pira ser procurado, e efctuar-se o
negocio.
tt^ A Senhora D. Genoveva Francisca de Moura
queira mandar reerber urna carta qu do Rio de Ja-
neiro Ihe foi dirigida, na ra do Livramento, lado
direito, no primeiro andar do sobrado 1). 13, ou de-
clare o lugar de sua rezidencia para Ihe ser entregue,
visto que se ignora, depois que se mudou da ra do
Rozrrio.
^^ Quem precisar de 100$ reisa juros de 2 por
cento ap mez sobre penhores de ouro de lei, annun-
cio.
$3* Do-se 480 reis diarios a quera e quiser apli-
nr arte cmica, que terdo-ha4)ilidade sera admitido:
o Hotlel Theatro.
fc^" Pela 3.* e ultima vez se admoeMao as prssoas
que tem levado por allugues vestuarios do Hottel The-
atro, para que os yo entregar at a ^iata desle ultimo
aviso, do contrario pagaro taritos allugues quintos os
Domingos, eDias Santos que dcsta data forem deeor-
reudo at a da entrega ; por isso que esto perdendo
novosalugueis.
\it^* Constando ao njjaixo assignado que Thornaz
Francisco Pereira pretende, e tem procurado vender
urna escrava de nome Antonia, cuja propriedade dis-
puta o anun ante com o dito Thoma, previne ao res-
peitavel publico p^ra que ningum a compre por isso
que se acha letigrosa e ja obteve o anunciante sentenca
a seo favor, da qual apelou o seo contendor para a
Rellacffo, sob p>Vo de ficar sugeilo a entrtga ella ao
(* mesmo anuncame quem a comprar.
Lucio (Jnndido Pereira de Carvalho.
X&" Antonio Egdio da Silva, Profcssor de Caf-
culo do Liceo, faz publico que no dia 3 do correte
mez de Fevereiro (-gundo -O Art. 2o dos Estatutos
que regem interinamente o dilo Liceo) principiio as
matricula at oda'll. As pessoas. que tendo o pri-
meiro anno lectivo do Curso de Mathematicas puras,
quiserem-se applicar ao estndo- de calculo, podero se
dirigir ou a sua caza, r ua Dineiln I). 30, ou no Li-
ceo demanda, que seno admitidas matricula.
****
o 9
mjO dia 23 d Noverabro, ff.rt.' pHas 6 horas da
Um tarde, dcsipareceo um prelo por nome Manoel.
reprrzenla ter 20 e tantos anuos, pmiea baibj, rolo
um linio comprado, ar triste,- Beca do corpn, noriz
afilado,, pernas finas, levo:i canTHa e ralsas de estopa,
porenalra, eumajaqmta v chilla azul ja uzada,
venda po todos osdias para a bmda do Arraial : o
fim da ra V(ha da Bna-vi-ta esquina da Santa Cruz
sobrado n. 104, que recebrr 20$ r is.
^T^ PjiuIo, nado B-ngucla, e taima mediana, rr
fula, tem a cara e pescoeo com bailantes pinos bra-
cos, um ou dois denles falto^ na frente', gro.-so do c>c-
po, regrista, e levou vestido camisa e calca de estopa.
Lucrecia de naci Angico, estatura mediana, magra,
cor preta, falla atravesada, tem o ve.ulrr crescido;
ambos fgidos no 1. do p. p. Janeiro, e julga-sc an-
darem pelos arrehaldcs desla Cidade : ra da Au-
rora no ultimo sobrado.
$T3^ Joo, nica*o Congo, estatura ordinaria, com
trez signaes em cada fon le, cor fula, nariz grande, c,
chalo, reprezenta 40 anuos ; fgido em 6 de Dez< m-
bto do anno p. p. Antonio, naci Calmuda, esta-
tura ordinaria, cor fula, e com manchas na cara, bem
parecido, reprezenla 20 e tantos annos ; Cogido em
29 de Janeiro p. p. : a Boa-vista na ra de S. Gon-
calo I). 9, ou no largo da Praca do Comercio no pri-
meiro andar da caza junio a Igreja doCorpo Santo.
NOTICIAS MARTIMAS.
Navio entrado no dia 30.
RIO DE JANEIRO; 36 dias ; E. Bomfmi, Cap.
Izidorio Domingrs dos Passos : varios gneros.
Passageiros Joo Joze de Aranjo (iuimaraens, Fran-
cisco Ludgero da Paz, Manoel Joaquim Pedro da Cos-
ta, Joze Pacheco Hozorio, Antonio Joze Soares Car-
nero, Francisco Joze Duarle, e Francisco Jorge da
Silveira.
Sahidos no mesmo dia.
BARCELONA ; Polaca Hespanbola Constanca,
lap. Ventura Almeida : algodo, e ponas.
SERINHEM S. Felicidade, M. Manoel Pereira:
lastro.
SANTOS, pelo RIO GRANDE DO SUL 5 B. Es-
cuna lioaventiua, : sal. Passageiros 3.
ASSU'; S. Jiestauracao, M. Manoel Antonio :
lastro. Passageiros 5.
LIVERPOOL, peloCEARA; B. Ing. Aren, Cap.
John Toizll : lastro.
RIO GRANDE DO SUL, pelo RIO DE JANEI-
RO; B. Escuna Antizade, Cap. Manoel Mariano
Ferreira : sal, e pal has. Passageiros 8.
mm......1.1! m.

Pan*. Jtj 'vp. no DrjBro 1834.
TTT
77


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEGJDGZ1A_EODPAF INGEST_TIME 2013-03-27T16:19:07Z PACKAGE AA00011611_02784
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES