Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02783


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I
V
SKXTV FEIilA 29ENOVKMBUO
NUftiSUO 263.
%%'*%'***%% v*
V\tMlbtVk%%%VtV UtUMlVUVUi^UWtMi!'. %v%v%**\%
%
%V %%*%' % %\%'
$ *
s -i.-.-r,., i..;j,. !invi^;ii:ii<'iir^^y^ reia. adiantados. Tipografa
Uiarn>. patcn i,-i Matriz d 5 Antonia srtbr.Klo da porta lar^a
fije < i ( (: -fin cr>rrcspofl<4hneB, e iiuiwim: estes iiwiremse
: 'al '< !)(!.) i jtoiki- c-u ranles i<;i,'ii*e f v ind> tsaijfuadoK.
T!i .i_T(r-i depende n*ssa prudencia, m<-
deraco. v. enerjfia: contiiiueinos enojo priiicipianiib aercino
aponiado com B l'tuflamacio dn AnenMe* Grrtil ip Brasil.
'Impreco em ^ernamauco pov gofe ffietortuo He atreu.
DAS ia semana.
ii gpegs!a^jg)-gP>Jgg5B~caa
0

.-'-". Gerirudes-Sos. da Thex. P. dera.eAud. do
.T. de Orlaos tlrt. Pr. a 1 Ii. e 18 m. da t.
Sabbido >X< 6'. Andi Apostlo Prearaar as 2 i>. 6
m. da t.
l)om. S. Joo da Cruz.
ni. da t.
Pr. as 2 horas 54
I
CEABA.
A uticos d'Officio.
Pendo chej
nhi noticia que huma porc'i fio
Li.m c E\m. SenliorTendochegado abordo mi-
ra > de Trc
tem fi-ito (licitas rcqutsuoe a V. Kxc. c

ropa Sediciosa
Toreado V.
Y.xv. a retirar-sede Palacio, cumpre-me levar ao co-
iihrciment deV. Exc. que esle Paquete he hum Bi i-
gue Escuna de Guerra Nacional, por tanto as for-
ras que lenho romo Gommandante a minha disposico
csto promplas a olrdeeer a V. Exc. como nica auto-
r i dude Constituida a que lenho obrigaeo de obedecer
nesta ProvinciaDos Guarde a V. Exc. Bordo do
Paquete Patagw a surto noCearem U de Novem-
bro de 1833 Idm. e Exm. Senlior Joze Mariano de
Albuqiierque Cavalcaoti, Presidente desta Provincia
Llliz Sabino Primeiro Tcnente Commandanle.
4
PROCLAMACAO.
C Amaradas Que delirio he o vosso ? Como he
possivel que queraes manchar a vossa honra com
hum arlo de insuhordinaco, desamparando vossos
honrados, e bravos Oioiaes, e arrojando-vos a exi-
gencias illcgaes, edeclamando-vos desobedientes as or-
ilena do (invern legitimo? Que pertendes, briosos
Defensores da Patria amada. Coaggir o Governo a
transigir om o crime, n que talvez vos levao prfidas
seductoes de voasos injmigos, dos inimigos da ondem,
e da legalidade, sobre quem ja Bastes sentir vosso i-
nimitavcl vaTor ["Desanaparai os traidores, sede fiis
oGoverno, nao escalis e nem prestis leveattencSo
s seductoras palavraa dos que, querendolancar sobre
ti A ignominia, ea deshonra, de que sao dignos, s
p roen rao elevar se a casta do opprobrio, que vos po-
de ficar \d insubordinacao. que pela vez primena
% entre vos apparerc. Por ventara nao Costis vos mea-
mos os que ac bastes de salvar a Patria? Queris ago-
*T**oj(Iuscar a vossa gloria, insargindo-vos sem causa,
(piando ja restituidos aos bracos das vossas caras fami-
lias, iee ^caeangar das fadigas de huma guer-
ra, que vos ioi 13o laboriosa, qu.indo vos cobrio de
honras de heneaos de vossos Convidadlos? Vnde sol-
dados da Patria, vinde a presentar-vos ao vosso Gover-
no : elle eonlieee que VOS Costis Iludidos, elle ibera
|Serdo.tr-vos. A illusao sempre que be conheida, c
dtfspresadu nao crivergonha o Iludido; se della vos
doiasks previnir, e rompestea no excesso, abando-
nando aos illusores, ttanqulisai-vos. Depois que de-
poserdes as armas, e ralificades o juramento da vossa
obediencia, sem pro manifestada em yossos acto, e na
vossa conducta toda louvavel, o Governo atlender
as vossas supplcas, e vos defferir com justica. Nao
maculis vossa honra, nao fissostes e consternai vossos
Concidadaos o naj violentis o Governo a lomar so-
bre vos qualquor medida de vigor para vos conter, e
f4ser entrar ena vossos deveres. Refleti soldados, re-
fleti, filhos da Patria, Esta, por quem j; sacrifieA(-ts
a vossa vida, vos conjura pelo seu socego. Si fiis ao
Governo, descansaremos na paz, e na friuccao deste
dom inapreciavel entoaremos nos doces transportes do
nosso jubilo.
Vira n Naco Brafileira
Viva oGoverno Legitimo
Viva os Defensores da lei e da ordem
Viva a briosa Tropa da Provincia.
Joze Maano do. /Hbuqaerque Cavalcanti.
%*% V**%V' *
CMARA MUNICIPAL.
Scsso Ordinaria de f8 de Outubro de 1833
Prezioencia do Snh. Dormn Mavickier.
COmpadecerao os Senbo res Camelo, Doulor Pe-
regrino Maciel, Silva, OHveira, c Gusmo, nl-
tando com cauza os Senhores" Esteves, e Mello Ca--
va lean ti.
Aberta a sessao e lida a acta da antecedente Coi san
ctonada por estar conforme. O Secretario dando par
le do expediente mencionou hum offieio do Douto-
Francisco Xaver Pereira de lirito disendo que no di -
22 do corrente vera tomar posse para servir interinar
mente o cargo de Jai* de Orlaos para que Cora eleilo
pora Cmara : indurada.
Outro do Cid idao Antonio Carneiro Machado Rios
declarando a Cmara que eslava mudado do 1 para o
2. Destricto de Paz da Santa Cruz da Boa-vista : que
Cosse a huma Commissao composta dos Senhores Carne
lo, e Peregrino Maciel pira, a vista deile e do mais,
que ha occorrido a respeito da eleico de Tenenle Co-
ronel Commandante das Guardas Naoionaes da Boa-
vista, em lagar do dito Cidado, redigirem huma re-
presentacao para o Governo Supremo, no qual tam-
bera se fizesse menco da repugnancia do Cidado
Francisco Carneiro Machado Ros para tomar posse do
carpo de Juiz dr Paz por ser llobem como aquello seu
irmao Commandante da Guarda Nacional desta Fre-
gueaia;
Outro doJui de Paz do 1. Deslricto da Boa-vista
pediodo a Cmara que houvesse de lhe declarar se a-
inda tinha hipar a eleico de Tenenle Coronel que se.
mandara proceder em lugar do dilo Antonio Carneiro
por haver deixadoo posto vagOCOtn a posse que tomou
de Juiz de Paz do 1. Destricto do dito Barro,vfto
4



+ %
/
O 032)
3
terse mudarlo para o 2. que se lhe dissesse*que pro-
cedesse a eleico, pois que u posto esta va 'vago desde
o di. da posse que tomn vde .fui/, emhora pura ser
iludida a Lei se verificaste onlem a noute a mudauca
do referido Cidado.
Resalveo a Cmara que se mandasse imprimir o offi-
co era que o Cidado Antonio Carnciro partecipaes-
tar mudado.
\ Cmara resolveo que a chave do cofre dos oros
issc om poder do Senhor Presidente Doutor Mavig-
nier pira eniegar ao interino Juiz dos Orlaos quando
iesse tomar posse.
Despacharo-se a'guns requerimentos e por ser da-
la a hora>aivantofl se afsso. Fu loze Tavarea Go-
mes .la Fottceca Secretario da Can na Munieipal a es-
revi. Doutor Mavignier Pro P.OliveiraGusmo
SilvaPeregrino Alacie'..
EDITA ES.
.1 Cmara Municipal da Ciliada do liecifeeseu
termo cm virtude da Lei.
FAz saber aos habitantes do Municipio, que no da
4 de e/ein >ro do (Torrente anuo, na casa de suus
sessoes se nade arrematar a quem mais der sobre a
quanlia de 2:800>>000 res o contracto das aericoeos
dos pe/os e medidas pelo lempo (pie lia de deeorrer do
1 de Janeiro de 1834 ao ultimo de S.slcmbro do mes
mo anuo, assim como o contracto da casis da Praca
da Boa visla sobre a quanlia de 422$420 res por o
mesmo tempo ; quem nelles quizer laucar deve com-
parecer coin fiadores chaos e abonados. E para que
cheguc a noticia a todos mandou publicar por a im-
prensa o prezente edita! por ella assignnlo. Dado
nesla Ctdade do Recie aos 27 de Novemhro de 1833.
.fo/.e Tavares Gomes da Fonceea Secretario o escreve ,
Jo/.e Antouio Esteres Pro F.Joaquim de Oliveira e
SouiaJo/.e Narcizo CamelloDoutor Antonio Pere-
f grino Maciel Muir."Jo/.e Masado Freiie Per" di S.
Tbomaz Joze da Silva GosmoAntonio Luiz de
Souza.
%VktVi%%/t%V
Joze Goncalues da Furia Juiz de Suplante do 5.
Deslricto das cinco Ponas Scc.
TlAz sabur aos habitantes dcste Deslricto que deze-
JT j indo entrar no conhec amerito de todos os movi-
Hientos que possa ter lugar neste Deslricto, para rom
tempo poder dar as providencias que estivem ao meu
uicanee. Determino que d'agora en diante todas as
uessoas que para esle Deslricto se mudarcm, ou de
huma para outra ra, fuo obrigados declararem
ao seus respectivos Inspectores, qual o scu nome, e
dos que consigo estiverem, o N., e Ra da casa, o
11 sen [enero de vida, de que Naco, idade, sexo, es-
v f tado, assim como de qnalquer alteraco, que na mes-
illa houver ; e fico igualmente obrigados os donos
de casas de rancho a parliciparem de todas as pessoas
que nellas existirem, d'onde sao, e a que vieio, e as
mais explicares que lhe forem exigidas, rom pena de
assim o nao lasendo seren punidos como desobedien-
tes. E para que chegue a noticia a todos passei o pre-
zente que vai por mim assignado neste ,f). Destricto
das Ponas aos 20 de JVovemhro de 1833.
Joze Goncalves de Faiia.
c
CORRESPONDENCIAS.
Sur. Redactor.
Omo Vmc. seja Jurisconsulto, e entend de Leis,
i Je-Jo me esereca o seguinte Se o Fiscal di
"\
e prender qnalquer pessoa qu\
Misturas da Cmara ; 'e se pode
/Cmara pode
gredido as Posturas ua mamara ; *e se f)
quer genero por perdido, ou condemnai ,
nao se lavre tormo de achada c s-ja remetido ao .fui/.
de Paz competente, e este na emormidade da lei mi-
gue o delinqnenle, e se toda* os actos pralicados seni
se preencher o disposto no artigo 205 at 210 do Co*>- J
digo do Proeesso Criminal se sao millos, c se auem os
lomV sem que
a
, o se quem os
I"
Jl\
'tica he criminoso* isto deseja saber
rum quopede a l^eos o Ii5is* de^ustica do /'.';
ca)
\\+-%\x%\%
?

S/u. Redactor.
TF.Nno eu desalagado um grande terreno meo, un-
to ao atierro dos Aflbgados, que faz um lado da
ra Imperial, e importando muito tapar um canal des-
necessario, que devide o terreno {pande, ja benefici-
ado, de outra illiota minha, c pol-o em continente ;
e nao so para isto, como para desviar a corrente das
agoas no tempo das grandes mares, e principalmente
as cheias do Invern, que destruindo os despend-
osos atierros ja fe i tos por mi.n, nao so me alaga o ter-
reno til, como passa a espraiar-sc pela ra Imprial,
e a vedar nella o transito publico : alem disto, coni es-
te traballi 1 empreendido por mim, eso minha cos-
a l'eit o, cu hi.i juntar as agoas no calina I principal pi-
ra o profundaren), e dar passage franca su canoas as
baixas mares, cuja passagem o canal nega, por isso
que suis agoas se espraio, inulillisando-se por tanto*
canoas escudados.
Itepresenteiesta mi da pretendo ao Rxm. Presi-
dente d* Provincia, que para delrir-ni" om conhe-
cimenlo de causa, mandou Cmara desta Cidadeque
informas**; 0 des le No embro de 1832 al o presea
fe, (pie, v,ii mais de um anuo, anda nao pode conse-
guir a r t'ida a informaeao da Cinmra, pozar de se ler em-
pregado o vallimento de alguns RUI i dignos e honra-
dos Senhores Venadores da mesma Cmara para se
desencantar a informaeao damesmi, que este ve lon-
go tempo sob a pedia do esquecimeuto ; e. apezar da
Cmara ver que os meos iuleresses estavio Lio identi-
ficados cornos ntoreases do publico, que se se demo-
ra sse a deeiso dos meos na deciso das minbas perten-
ces, se drmorava igualmente a decis > dtquelles, e
queja mais podio p.nigar os meos SJn que igual-
mente perigassem os da \icao, ea nada di>to se atten-
deo, Senhor Redactor Accresse a ludo isto diser,
que lobem represente a S. Exe. qu\ correndo-se as
linhas parallelas da roa Imperial do Atierro (Tos Alle-
gados, a nbi esquer la obliquoU por si na da tstala ^ ^
de minha propriedade, e lhe u/urpou umi poica o i-
f?Ual ao terreno do atierro que fenJoMeito pelo Povo,
fi-ou de valuto ; eu ped que se me desse este menino
terreno em compensa co do que se me lomouo para a^N
dita ra, em cu jo terreno ja se eslava;) e e-,lo erigin- "*#*
do obras, nao sel eom fju > ieeiiM ou ordem ; o corlo
que en ten lio requerido e tornado a requerer Ca7
mar que- mande embargar as obras novas que se eslq, *
erigindo uaquelle terreno de valuto, c quinto mais eu ^
reuueiro, mais obras se fasem, sem se ter anda du*;ir*" "^
dido pelo E\m. Presidente de quem tai lf/reno, se
da Cmara, sp da Fa/.enda Publica, ou meo,, n > cazo
dedarse-me em virtude das ra/o>s giipra ditas, que
de corto mais conven^ isso ao interesse publico, que
dinheiro. A vista do ex-
r
V
%
pagar-me o meo terreno a
posto, rogo ao Senhor Redactor queira inserir era suaJ
estimavel eacreditada folha esta exposico para constar*
ao Exm. Senhor Presidente o estad.) do meu negocio**
e o preiuizo que eu a par do publico tenho sof'ri
,


( 105.3)
^m t? sua dccisao por causa do retardamen*
to q^e'tem vido no expediente da, Camra, a funde
eu obter prompta deci.-ao, e tcr lempo de facer os at-
lerrbs*ii6ste ferio, (impedir que as eneia> I I no futuro nao .icil)cni^^(L-,>triiir os atierros \i leilos
cn^minha propricdade j^^lesalagada, a qual inunda-
da que seja, inundada igualmente a estrada ou ra
imperial, e interceptada consequcnlcmenle a passagem
no povo ; eque fiulmcn^' mundt embargar por sua
* uliaoridade as ol
neu^
4w\
i^fl'"" si^ estn ail
eriiindo
e fora de toda a linha ecordeaco; e isto. t S. Re.
resolver a quem perlence o terreno que ficou (ora das
liillas da nova ra Imperial, visto que a Cmara se tem
mostrado sun!.-. a os meos requerimentos, os quaes sao
lo justos, que iwlles se nao tem podido admillir outra
injustica otis que silencio e desprezo; modo novo
que se tem inventado parase deliberar negocios os oa-
is importantes : com este obsequio obrigar perpetua-
mente o Senhor Redactor ao
Seu afleicoado assignantc
jtntnhii Silva dos Praseres Pcdi'osa.
\ V IZO.
O Reino das duas Sicilios, que por lertilidade de
sea solo, pstelo topogrfica, pela anliga gloria e
genio de seus habitantes, linha direito a primazia no
Commcrcio; repouzava em bum vergonhoso felhargo:
IIum espirito ardil de Associaeo favorecido pelo p-
timo Soberano que g'iverna este Indio Reino, se apo-
deroil dos nimos dos habitantes desta parle da Euro-
la j (juasi por encanto se veem surgir Companhias gi-
gantescas, que se propoem a reeoperar o passado dis-
lei.xo, e recobrar os direito a que a uatureza o fazia es-
perar.
Huma detas Comaanhia a Enologica de Industria n
qual se propoem ao mellioramento, e exportado de
' ijosso-. Vinhos que formaro sempre as delicia dos ba-
' quetes de Lneulio, e de Cez i.
A Compauh:>7 lem apenas duis mate d-' instalada,
e sua primeira operario commercial a dirige a vos
BrasileirosJ ella vos olFerece seu primeiro Carrega-
nienlo, que pela variedape dos seus gneros encontra-
ra vosso diversos gostos. A Companni% nesta sua pri-
meira emnreza deseja assegurar-se da boa intelligen-
cia com inercia J ntreos dois Paizes procurando salis-
fascr a vossos dezejos, e cslnbelecer relaces ; funda-
do as bazes a hum commereio activo, que dever du-
f rarlium scalo, tempo da duraco do previlegio da
-Compaohia-. Abri por tanto os Bracos oh Brasilei-
ros, e acolbei, o estfeos constantes que far a Com-
panhia para merecer vossa estima, e confianca. Avi-
i a coi% franqueza, de vossos gostos, vossos uzos, e
!Tl riesmo de voseos caprichos, aos quaes fielmente el-
la satisfar ; dirigi-vos para qual quer ordem ao nos-
so. representa Ate D. Luiz Faria, que fielmente as ex-
tecutar. Brasileiros caleulai bem que os car recmen-
los d Compauhia sao muito inferiores aquelles que
Tuto deve exportar de vos, visto que os gneros que
de vosso Pajiz devenios exportar, ultrapasso de muito
ovalar d^juellcs que importamos,- he por tanto de
vossO interesse acofher benignamente a Companhia,
para que nao se desvie de vosso rieo mercado.
% Qttilqucr predillecco, que accordreis a nossos
wuhos, ser compensad, com uzura pela Companliia
ramal far todos os esforcos para procurar-roa lodos
os objectos de vosso gosto, e de que vos precisareis, li-
mitand >-se esta a hum ganbo razoavel, o que vos fa-
r ver, srguinles Carregamenlos, que em retorno
traro a itsso *s<
aples A^
O Director da Companhia
Ba.'iu Juze Cui vaya.
(uiiih-o um *.$,....n,..i.., viv-
ilo vossos leos productos.
lgosto01833 *
ANUNCIO.
SEguda feira 2 de Dezembro priximo vindouro An-
niversari) Nataeio do Nosso Joven Imperador o
Senhor D. Pedro 2., se i istallar a Socicdade Milita!
Pernambueana pelas 5 horas da tarde, no Consistorio
di Igreja da Conceico dos Militares. As Aessftes se
rao publicas.
>v>.ium
a&&s Do Corma
OBriguc Mrquez do Pomhal de que he i
mandante Manoel Pedro dos Reis parle deste pol-
lo [>ara o do Cear, Mar olido, e Para no dia 5 di
Dezembro.
%vv ** >...tv
GcnD-i*.
ItMa canoa de carga de amarello, que pega em ."?
Jcaixas ; na Placa da Unio n. 31 e 32.
^C^ Taboado de 25 palmos de diversas qualida
des, que serve para caixas de assucar, ou outra qual
quer obra, e dois caixoens grandes proprios pura de -
pozilo de assucar, ou outra qualquer couza : no ar-
mazem do porto das canoas da Boa-vista.
^y> Um negro da Costa bom trabalhador^de enc-
ebada, e cargueiro, e serve para vender de taboleiro :
ni ra Direita sobrado D*30.
^C^ Urna escrava crila de bonita figura, poucu
idade, e com todas as habelidades : na ra do Quei-^
mado loja D. 5.
^T^ As seguintes pessas de boa prata, nunca ser-
vidas, urna chaleira, um bule, urna calcteira, urna
leileira, um assucareiro, urna tijela de l^var, urna ba-
ca, e um arre, umgalheleiro para meza, um acafa-
te para friieta, um taboleiro, urna salva grande, ludo
uniforme, e acabo comsumma delicadeza, e bom go.-
to. Adverle-se, que tambem se vendem separada-
mente qualquer das cinco ultimas pessis : nesta Tipo-
grafa se dir aonde se podem ver, e ajustas.
5^ Compendies de potica para uzo das aulas,
obra muito bem rezumida, e preco commodo : na ra
da Praia sobrado de Veranda Verde defronte do ar-
mazem do sal.
^J 8 bois mansos, e um carro novo: no Engenho
liba de Flores, na ribeira de Serinhaem.
S3- Sovelas para sapateiro de parmiar, de ajunlar,
e pontiar, pelo grosso r miudo |>or preco commodo :
na ra Nova casa de Caldereiro D. 13 e 14.
vr^* Taxis amarellas de N. 1, 2, 3, e 4 : na mes-
an casa cima.
Compras
MOeda de prata por cobre bom a GO por cenlo, e
em porcao a 61 : na ra do Livrameuto esquina
do beco do Pudre venda I). 1.
^3P Pentes velhos : na ra do R ngel D. 7.
V)^" Urna morada de casa terria no Bairro de San-
to Antonio ou mesmo no da Boa-vista que nao exceda
I



; 1051)
a So-*~ ruis c que sejaem ra publica : as anco po-
tal
tas I). 54.
%^r* t,:ma escrava com liabeli<|ades de costura, e
outras, assim como cosinhar, lavar, engomar, e fif
7 -r renda : anuncio.
Sltluftuei
i
Lluga-se
por dia ou semana um negro canoeiro
bcomtua canoa de car.reira para levar c trazer al-
gunos, pessoa que esleja passandu a'festa : fallar com
o Escrivo Regis.
|C3h AIluga-s um sobrado no^Utcrro dos A (Toga-
dos por proco cmodo: na ra das Agoas verdes D. 2.
*%**-**
arrcnUatncutn.

A Rrcnda-se um sitio, ou vende-se na estrada do
miozarinJio, com oscommodos necessarios : fal-
lar na ra da Gloria com o Padre Jozeftazilio Morei-
ra, que se acha aulorisado para tildo.
&nt?o3 particular?
Ao Publico.
-
~
<
-:
y* Quom percisar de urna ana
'.o sciviv.1) da mesma ; dirjase a Boa-visiT.*.
JAssougue velbo n. 521.
.
b!
m
LFmbra-se a compra dos Bilbetes da 1.a Parte da
0.a Lotera favor do Seminario d'OKnda, como
meio d'abbreviar o andamento das roda*, qne depois
della se nao demorar bum momento. A demora do
^^andameuto ninguem approveita ; nao aos que tem
comprado Bilhetes, porque sao obrigados nesle caso
tor empatado o seu tal qual capital ; menos aos que
se propoem entrarem na sorte, porque quanto mais
empo demoro, mais se alongo do ganho, que talvez
os espere : a Fortuna tem seus momentos; anda me-
nos ao Estabclecimento, que sustentando hum numero
assaz ( resudo d'Esludantes pobres, s<\ est bem, quan-
db a Lotera anda em dia, o que talvez a inda nao a-
contecesse depaisda SUa concessao, pois a Lotera, que
torre ex. gr. este annu, he a que devera ter corrido
hum ou dous annos atraz. Por tanto se todos deve-
laos querer os nossos interesses, e a eonservacao e
prosperidade dos Estabelecimentosnteis do nosso Paiz,
a concurrencia compra dos Bilhetes nos pe ao alca-
ce destes dous fins. O sacrificio be pequeo ; a van-
tagem be sem comparacSo maior ; o fim o mais hones-
to.
t^f Quem quizer 100$ reis por un auno, dando
penhoresde prata, ou ouro, que se possao recolher ao
cofre de Orlaos ; procure a Ignacio Aires da Silva
' ''Santos na Boa-vista, ra da Gloria, porlo D. 25, pa-
ra se eonvencionarem sobre o premio.
3^ Quem anunciou querer comprar urna cmo-
da para aliar de selebrar missa ; dirjase ao atierro da
Boa-vista D. 14, 1. andar.
^3" Percisa-se fallar com Thcroza Maria de
Jezus Cavalcanti: natural da Provincia de Cear gr"-
de ; e como se ignora sua morada nesla Praca quena
anunciar por esta Follia a bem de seu interesse.
^^ Tlitta d'Almeida Costa, Va va do falescido Jo-
ze Francisco da Costa, roga aos Snrs seus credores,
Ihe faci a graca de comparecer quarta feira 4 de De-
zembro, na casa da sua residencia ra da Cruz n. 30,
afim de Ibes ser patente o estado de sua casa.
^3 Quem quizer urna ama para cosinhar, er- | WBV&JLBB
gomarle lavar j dirija-se ao Mundo novo D. 12. KtA
W3" O abaixb assignado a\i/.a no rcspeil^v.J Pu-
ico, que ninguem contracto iv./ocio algwm com Clc-
encia Maria dos Prazeres V ,kutoa urna Caza terrea,
sila no Bceo do Lobato ; por s.^o que o mesmo se actta <,'
em litigio com dita Clemencia, e por isso protesta eo-
lia ludo e qualquer negocio com tila frito, *
\ lJ&&>!&ta Leuquwr f
^5|p* Quem anunciou querer dar 400$ res a u- \
res de dois porcento ao mez ; dirija-se as 5 PontasD.
10, que se dir quem os quer.
^ Percisa-se de 300 a 400$ reis a 2 por con-
t ao mez sobre boas firmas; anuncie, ou diiija-se a
ra do Rozario loja de couros defronte da Igreja, que
se dir quem quer.
^^" Quem anunciou precizar de 150$ reis a ju-
ros com hipoteca em una casa dentro desta Cidade ;
falle ao Escrivo Regisque dir quem pertende dar.
^T^*" Quem anunciou precisar de 400."5 reis a ju-
ros por lempo de lrez mezes com boa firma sobro le-
tra 5 falle ao mesmo Regis.
K^* Pergunti-se ao Sr. Juiz de Paz de Itabaiana,
qual ser a Le que o autoriza pira mandar locar chu-
mada ile campo, quando lhe Poje algum esuravo, co-
mo praticou a poucos das tor lhe fug r tuna
escrava mandando postar peque tes, em todos p$ luga-
res por onde ella se podesse evadir, e passando u fa-
zer outras mais arbitrariedades, que *o de admi-
rar......Pcrgunla que faz um
Exportador.
^^" Precisa se de 180$ reis por dois mezes a 2
por cento sobre peuliorcs de ouro, e joias : anuncie.
^3" Precisaseallugar um sobrado de um and;*,
V
1
as ras seguntes j Rangel, Collegio, e Cruzes, nao
excedendo o seu alluguel de 8$ reis mensaes, e dar-
se-lio alguns mezes adiantados : ncsla Tipograia se
dir.i quem pertende, ou anuncie.
^3" Perciza-se de um caixeirT para urna venda.,
que lenha muita pralca, fiel, e de boa conducta, e
que disto tudn d bom fiador: na ra da Felina
sobrado a dirtita de dous andares va randas cor de.
chumbo.
** %V *%
jfdcravod ugttO0.
M A noel, naci Angola, costumado a vender p
nocaminhodo Arraial fgido no da 23 rente, om camisa, e calca de estopa, jaqut la de rjsea-
do rxo, sem chapeo*"Com um panacum em (\uc ven- *
dia pao, com urna toa Iba de al^odoziaiio*j urna bae-
ta verde : o fim da ra Velliaf na esquina da Sania
Cruz sobrado n. 104.
NOTICIAS MARTIMAS.
Navios entrados no dia '17.
J

BOSTON"; GOdias-, B.Amr. Andes, Cap. lums
Jordon : arinba, e.mais gneros.
ASSU'; 28 das; S. Concetct5o Felicidada dn
Bra-i!. .M. Joapiim I iplista dos Santos. Pas^ag
ros 2.
Saludos no mesmo dia.
gW-WRK DE GRACE; G. Franceza nOnstna,
MCap. Chambonrj: couros, loros deangico, e pon-
as. Passageiro 1.
LIVERPOOL; 1!. Ing. Vitoria, Cap. G,: FogjjJ
algodo, assucar, e couros. f
j\\{ Tr r no lU.ii'K- ls.'^?..
c(
i\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7REECVFW_I0HZY1 INGEST_TIME 2013-03-27T16:32:59Z PACKAGE AA00011611_02783
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES