Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02765


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^1*

ANNOUE 1833.
5KXTA FEIttA 8 UttiNUVi.Mlitro-
. *_/ i -
%\<. **?** %**%***vl%*V*il**'*'%'*.**V%V%%%^*%%%^**'V%*^1^V%*^**'*%*%'****'*^ .%*%**.>%%'***%**%'%%*'%%.%%%%%***%%***-*** *- %f%% *v
HUliO ni
"'' '..'

"
Nil> ..revo-se iiiiii-iliui-inc a t>40 re. >i|ftaityfttof. na VIMijtiS a
i Diario, i'.iieo la Mairip tie S'. nV'otiio -nlirado UMle se r<-i eiiein m's|iitii jral s sinti ios yroinos assijciiauu-s.-oiiieiiu- viudo assip-uados.
1'uilii aora depende de nus mesiio. da MMM prauencia. ni"
drraofn. < energa: continuemos com. prOCptff>><* ri'in**
auoiitnttoV Mili admiraban cutre as N.iroo i:is culta.
I'toclanuhao da Jtieuibleu Gerut rfw l.rot.
S*
3mpjre00o cm $ernammico par 3o?e aictonno De atoreu.
DI AS nx SEMANA.
/
7.
*
/
-** ttti>tt'*tt>M\>
ti.'-S. Se ve/iano-Ses. *\ The/.. P. de ni. e Au J. de Orlaos dct. Pr. as I li.-e 42 m. I.
SaKhadq-S. Victorino' VA.*" de,m. and. do Vig.
G. de t. Preannr as 2 h* 30 m. da t.
Dom. Patrocinio de .V. 6'. Pr. as 3 horas 18
m. da t.
k *% %+ %%* % *
CMARA MUNICIPAL.
19.* Scsso ordinal ia do dia 21 de jigosto de 1$33.
Pkesioekcia do'Snh.- Este ves.
COmpasecero os Senhores Doulor Mavignier,
Silva, Oliveira, Doulor Peregrino Madiel. Ca-
melo, e Gusmo faltando com cau/a o Senhor Mello
Cavulcanti.
Aberta a Sesso e lida a acta da antecedente lo i san-
cionada.
O Secretario fez a leitura do expediente. Hum of-
ficio do Exm. Presidente exigindo certas informacoes
acerca dos Corpos das Guardas Nacionaes: resolveo
a Cantara que se respondesse, que na Secretara de
va ha ver lint mappa semelhante ao que agora se
pede, enviado em 16 de Outubro de 1833.
O Senhor Oliveira fez a seguinte propostaPro-
pouho, que se meta o dinheiro que est em mo do
Procurador no cofre, como manda a Lei : participan-
do o Presidente huma guarda para a defeza do di-
nheiro. Caza da Cmara 21 de Agosto de 1833Jo-
aqun) de Oliveira SouzaEsta proposta entrando em
votaco depois de discutida cahio por as seguintes ra-
zoes alegadas por o Senhor Camelo, e as quaea anui-
ro os mais Senhores Venadores: 1. porque o co-
fre existe nesta Caza da Cmara, e esta mesma entre
as prisocs de criminosos de roubos, e com artificio
nenhuma seguranca tem. 2.* porque nao sendo a
('amara actual, a que ordenou- o grande recebimento
de dinheiros do Thezouro, que fez o Procurador,
nem a que authorisou o mesmo Procurador para em
suaguarda tr>r dito dinheiro, como este agora as tem
tido o sobredito Procurador, que por seus fiadores
tem dado a necessaria garanta, tem segurado a res-
ponsabelidade. sendo de voto o autor da proposta.
Os Senhores Doutor Mavignier, e Gusmo appre-
sentaro o seu parecer sobre o estado da caza que a-
Irae da Matriz da Boa-vista est consertando ou ree-
dificando o Major Joze Carlos Teixeira Jnior cujo
parecer tendo sido combatido por nao satiszer as vis-
tas da Cmara foi regeitada, fasendo o Senhor Doutor
Peregrino Maciel por esta occasio a seguinte propos-
taQue a Cmara se transporte o mais breve possivel,
ao lugar da obra, e examine por si mesma o estado
della para enlo tomar a respeilo huma deliberaco ac-
cordecoai ac PosturasEm Vcreadfci de 21 de Agos-
to de 1833O VenadorPeregrino Maciel Esta
prnposta entrando em votaco foi approvada.
Despacharose alguns reqtierimentos e por ser da-
da a hora alevantou-se a sesso. Jo e Tavares Go-
mes da Foneeca Secretario da Cmara a escreveo.
Estoves, Pro P.OliveiraGusmo-SilvaDoutor
MavignierCamelloDoutor Peregrino Maciel.
I CORRESPONDENCIA.
Senhor Redactor.
jT^Ual he ^yde Carvalho,'Director do Curso Jurdico nao c-
voca a Congrgaco para marcar-se o dia, em que os
diferentes candidatos ao grao de Doutor, devo res-
ponder as theses, que ja offerecero ? Com que di-
reilo os Srs. Moura, e Aortran se foro, vindo pela
sua ausencia a fiearem parados os actos de Academia?
E' assim que se come o dinheiro da Naco.
Atoutra vez, Sr. Redactor, que de novo o im-
portunar
o Caloiro. m
PERGUNTAS.

P Erg unta-se ao Exm. Conselho i\o Governo, a ra-
zo .porque os Em pregados da ex linda Repartito
das Obras Publicas, que esto sem perceherem os seos
ordenados, nao foro chamados para os seos lugares,
visto o mesmo Exm. Con*elho ter criado novamente a
Reparlico, eos mesmos lugares, que aquelles j occu-
paro : outro sim pergunta-se mais se estes, que esto
Empregados tem mais conhecimentos, serviros, con-
ducta, e Direito para preferir aos amigos ; ese assim
he, que o Exm. Conselho Administra a Justica, cha-
mado pessoas de foras, que nunca oceuparo Empre-
gos Pblicos, para serem Empregados, e deixando a-
quelles, que tanto Direito tem de serem reentegrado
nos seos lugares, os quaes esto criados, e Empregados
nelles, com o maior excanda lo possivel, pessoas que
nunca foro Empregados, principalmente o Escritu-
rario, que para entender de Escripturaco he sem se-
gundo, em fim he hum Escripturario Candeia, quei-
ra Dos elle nao tenha o dissabor de passar por hum
ex a me Publico.
He o que pergunta hum Empregado da extinta Ro
partico, das obras Publicas.
#toi0o* do Correto
Sumaca Ca Iota recebe a malla para o A rara ti
no dia 0 do corrente as 10 horas da manha.
^y O Correio Terrestre da Parahiba parte hoje
(8)ao meiodia.
^ry O Correio Terrestre d'Agoa Preta, e Rio
Formoso e Serinhaem parte hoje (8) ao itieio dia.
*v


abios a Carga.
Para o Aracati.
iEgck viageni boje 8 do corrente o Brigue Inglcz
yAdelaide do lote de 140 tonelladas de que Ca-
pito Roberto Domzell ; quem no raesmo quizer car-
regar ou hir de passagem dirija-se aos seus consigna-
tarios Johnston Pater & Comp., ra da Madre de D-
os..
CicnDaj?.
PAno de linlio nojoens, e chitas finas pretas para
luto, pao de linho de Hamburgo, e madapolo
patente finissimo : na ra do Quimado loja de fazen-
das D. 2.
ley Doce de tamarindo em frascos de 8 libras,
charope de dito, dito de cidro, dito gomoso, dito de
limo, e ditos de vinargre proprios para limonadas :
na ra do Rozario botica de Joo Pereira da Silvei-
ra.
fcy Rap Ppinceza novo, vindo pelo Brigue Tru-
cador a libra a 2720, e oitavas a 30 reis, dito da Ba-
hia as libras, e a retalho, cha hisson da primeira sor-
te a libra 1600, dito perola ou Imperial a 1920, tinta
de escrever a 160 agarrafa, bixas grandes, e meies
por preco commodo; na prata da Unlo lo|a n. 20.
S^ Urna caza terrea em Olinda com trez janelas,
e duas portas de frente, com duas salas, a qual se a-
cha edificada defronte da ribeira da dita Cidade, em
xaos proprios, a pagamentos: na ra de Ortas junto
aos Martirios D. 71.
fc^- Urna caza de taipa, muito bem construida,
com 40 palmos de frente, e 60 de fundo, tendo o sitio
bastante extenco de terreno para toda a qualidide
de planta, e at em grande parte rega de p, isto no
cilio d'Agoa fria, adiante de Olinda : na ra da Cruz
n/
36.
VC^^&m Urna cazaca preta nova por preco como-
do : na ra da Larangeira loja do nlfaiate Felis.
^py- Vinho do Porto caada 800, dito de Lisboa
PRR a 640, dito do estreno 480, dito branco 640,
azeite doce 1000 reis, vinagre 64o, spalmacete a li-
bra 640, xorohte superior a 320, manteiga superior
360, dita a 32f?, cha hisson 1600, dito Imperial a
1920, dito alofar caixinhas a 3840, prezunto superi-
or a 280, lito a 200, paios a dnzia 3200, sevadinha
a libra 200, serveja prea a 320, dita branca 280 :
na ra do Livramento D. 12.
$T^ Un < scravo, cozinha o diario de urna caza,
e muito robusto: na ra do Crespo loja D. 2.
$3F* Damasco de la de varias cores muito largo
proprio para cortinados, coberlas, e armarlo de Igre-
I ja a 500 reis o covado, duquezas a 600 reis o covado,
I meias compridas de algodo para homem finas a 320
I reis o par, ditas para Senhora, ditas de seda preta mui-
to encornadas, e varias outras fasendas por preco c-
modo : na ruj da Cadeia velha loja n. 5.
^C^ Uma casa terria no Bairro de Santo Antonio :
ua ra do Rozario estreita no 1. andar do sobrado
D, 20.
^" Uma venda nos qualro cantos da Cidade de
Olinda n. 9, com poucos fundos a metade a vista, e
oulra metade a prazo sendo com boa firma, com com
modos para familia, e quintal muito bom para criacio:
na mesma.
$3"* Polassa Russiana de primeira sorte, em bar-
ris de quatro arrobas, por preco commodo: na ra
do Azeile de |eixe armazem de couros n. 17.
Potassu de superior qualidade, ehegada pro-
ximamente, "em barrizinhos de 2 e meia a 3 arrobas,
por preco cmodo: na ra da Cadeia velha n. 19.
fcy* 2o correames de patronas e Boldris brancos,
para infantera proprios para Thealro, por preco
commodo no Hotel Thealro.
fc~J Muito bom vinho chegado de novo a 64o r.v
a caada velha e garrafa a 9o rs. dito de Lisboa
96o a caada, e a garrafa a 14o, azeile muito Supe-
rior a caada 2ooo, a garrafa 28o : pipas, e meias pi
pas vazias cascos muito bem construidos, por preco
commodo, groco solame de Bolonha a 64o rs. a ., es-
cencia de roza a 48o rs. a garrafa, massa Napolitana
de diferentes moldes e superior qualidade a 2oo a
f. tudo alamon : noarmri m defronte do Thealro.
^Cy" A Sumaca S. Antonio Valeroso com todos os
seus perleees, fdiada no forte do Mallos : na ra do
Vigario, no escritorio do Coronel Menezes n- 15 para
tratar do seo ajuste visto ter ordem|para vend-la.
$G>" Taxas de ferro de diversos tamanhos, crivos
de ferro para fornalhas, polassa Rucinna cm barris
grandes e pequeos de superior qualidade, ltimamen-
te ehegada : no escriptorio do Coronel Menezes, ra
do Vigario n. 15.
Compras
Ma caza terrea, ou sobrado nao sendo em beco,
ou ra esquesita, xos proprios, e nao exceden-
do de 2:200$) a 2:300$ reis, em qualquer dos Bair
ros desta Cidade : anuncie.
X&" Umj escrava capaz de todo servico, que sep
africana, emboa moeda avista, ainda mesmo nao sen-
do muito moca, sem vicio, nem molestia alguma : na
ra da Penha n. 8.
^3* Cobre e Salo velho, em pequeas e grande-
porcoens, assim como prata sem leitio : na ra do As
zeite de peixe, armazem de couros n. 17.
tsey Uma negra que siiba alguma coiza de engo-
mar, e vender na rna, e sem vicio algum : na traves-
sa, de S. Pedro D. 339. o
^y Tartaruga : na ra do Rangel D. 7.
tfy Urna morada de casa terria no lugar dos Abo-
gados sendo de pedra ecal, para uma p-quena familia:
no sobrado D. 25 na ra Velha 2.8 andir.
^3f Quem se quizer obrigur a por 10 milheiros
de tijollos de alvenaria, de boa marca, e bem cosinhi-
dos, no lugar doCaxang, ao p da Igre cisco de Paula, por cento, e vinle mil reis: anuncie.
fcy Ummolequede 14 a 18 annos, sem vicios
ncm achaque : na ra da Cadeia, loja na 19.
$^ Thrastede ouro, ou prata : ncsla Tipogra-
fa se dir quem compra.
^y Umo escrava que saibacozer ,e engomar, sem
vicio nem molesta alguma, at 20 anuo* : nos 4 cantos
da ra do Queimado loja deManoel Joaquim da Silva
A1
auuguns
LujGA-se um moleque de 18 a 20 annos pon o
.servigo de caza, he fiel, e capaz : na ra das A-
goas verdes D. 16.
n S^".Para u'mV *- fr^ta duas razas pequeas no
Caldere.ro, lugar da Pilombeira : a fallar com o K*-
envao Regis.
fc^* Um sitio no caminho da Caza forte, que foi
do defunto Padre Mauricio, pura se passar a festa : na
ra JVova sobrado junto a Conceico dos Soldados 1 .
andar.


^mrnrn
(979
v


,1
^T^ Um preio official de marcieiro : quem perci
zaf auuncie. r
fr3* Urna escrava crila com muito bom leitc e
bastantemente cuidadoza : na loja da ra do Quema-
do D. 5. v
^.OThealro de Olinda para represenlaces de
bondades particulares de curiosos, dando-se come-
das entremezes, scenario, rico vestuario, e todos
os ma.s pertences pago o aluguel depois do primei-
% ro ensaio adianlado na forma ja por vezes anunciado
^Mmente se alugo vestuarios riqusimos Turca-
r.oman,, Grega, Hebraica, Hungra, Egipica, Pa-
l'ca ePortuguvzantigo,, armas, correames e mais
armamentos para tropas de Theatro de todos os refe-
rido* caracteres que foro do Tbealro de Escola de
Milao igualmente se alugo 28o Pecas Cmicas e mui-
los entremeses, Muzicas Se. no Hotel Theatre de Mr
1 ubiuo.
atroja particulares.
O Abaixo assignado faz sciente aos Senbores, ou
administradores dos escravos que trabalho na
Upataz.a d'Aifandega que quando mandarem cobrar
o importe dos serricos menees dos mesmos, deverS
mandar billetes para inteligencia doabaixo assignado ;
porque deste moJo fica desonerado de engaos, e nao
Jia^ era demora no pagamento.
Raimundo Joze Pereira Bello.
%&* Precisa-se de um cont e duzenlos mil reis
a 2 por cento ao mes, com hipoteca em um bom sitio
com boa caza, urna legoa distante da praca, e darse-
ha o premio deste dinheiro todos os meses : annun-
eip.
&&" O abaixo assignado aviza pela segunda vez a
quem tenba um bilhete da quantia de setenta e qua-
tro mil reis que o venha receber no praso de oito di-
as, e declara que este bilhete ja he pasado desde o
(lia 16 de Agosto p. p., e que nao se responsabeli-
za pelo prejuizo do cobre pois nao he mais que um
depositario da dita quantia, desde a data em que nas-
sou dito bilhete. 1 '
Joo Chisoswmo Lima.
*- Rita de Almeida Costa, Viuva do falecido Jo-
ze Francisco da Costa, roga pela ferceira vez, e muito
encarecidamente aos Senbores seus credores, que an-
da nao apresentarao suas contas, tenho a bondade
de lazel-o no perfixo termo de 3 das, pois que ella
passa a demonstrar mmediatamente o estado de sua
raza, e deseja fazel-o com a maior exaeco possivel, a
h-n de no futuro nao ser taxada de ha ver procedido
cora m f.
3* O abaixo assignado lendo no Diario de Per-
nambuco n. 243 um anuncio que ninguem compre
o cravo Francisco por so achar sugeito as dividas de
Gabriel Joze dos Res, declara que dito eseravo Ihe
perlence por o ter comprado e pago a siza antes de se-
ren embargados as bens do dito Gabriel.
Joaquini da Silva Salles.
ry Wo Hotel Theatre se recebem Hospedes com
toda a decencia e commodidade a 1 :ooo rs. por dia :
Domingo tero os primorosos rabilos com Bandeira,
excediente* petiscos e o bello Salome corado de Bolo-
"jw. Caff.de ptente Bilhar particular, e camas a
>'2o rs. pira pernoitar en quarlos muitcs frescos.
AO PUBLICO.
^T Gracas sejo dadas a Sr. Jacinto Joz Tho
maz da Silva, Guarda-mor da Alfadega grande das.
Fazendas desta Cidade, pelo que agora acaba de fa-
zer na sua reparlico, que foi em deitar para fora de
ser seu ftjudanle o Guarda supra Joze Pereira Gui-
mares, por querer mandar mais na dita reparlico
de que o mesmo Sr. Guarda Mor embarcando a seu
bel pra zer os Guardas estraordinarios que nao Ihe
competa por baver outros mais antigos dezembarca-
dos eque a elles Ihe devio tocar, em virtudedas
Ordens do Sr. Inspector da Fazenda Publica, man-
dad-, ao Sr. Juiz Inlirino da Alfandega, para nume-
rar huma quuilidade de Guardas estraordinarios para
embarcaren! quando n haja Guarda da Caza desem-
barcado, a qual foi pelo Sr. Juiz executada, man-
dando lazer huma Pauta contendo os nomes dos mes-
mos Guardas participando ae Sr. Guarda Mor que a-
quelleserao os que deviaS embarrar, seguindo a mes-
ma escalla que os Guardas da Caza ? tero coraprido
exatamente o Sr. Guarda Mor quando se acha na
oceaziao de embarcar os Guardas para bordo, e tem
dado estas mesmas o-dens ao Sr. Joze Pereira Gui-
maraens o qual nao tem cumprido exatamente as or-
dens do Sr. Guarda Mor a ponto de agora ser despe-
dido pelo mesmo Sr. e nomeado em seu lugar o Sr.
Francisco de Sales e Albuquerque.
^_^ O Despachante.
^t^* Da-se l:2oo$obo dinheiro de cobre cobre
oorrentea premio de 2 por loo ao mez sobre hypote-
cas ou boas firmas : na Prenca de Francisco Manoel
da Silva Tavares se dir quem d.
fc^ Marcos Alves dos Prazeres morador no Enge-
nho Sagome faz publico a cabra Domingas escrava que
foi.de Joo Marinho I alco de Albuquerque, mora-
dor as Trairas que se aprsente ao dito Marcos pois
he o seo verdadeiro Snr. pela comprj e composico
que fez na prezenca do Juiz de Paz do Destrelo com
o dito Joo Marinho.
KT" D 400$ ris a juros: em Olinda ra do
Amparo n. 21.
Kf Caetano da Cosa Moreira, retra-se desta
Provincia, e roga a todas as pessoas a quem o mesmo
baja de dever que Ihe apresentem suas contas para se-
ren pagas, isto at o dia 9 do correnle.
fcS*' Quem anuneiou querer vender ti carneiro,
e trez ovelhas, com trez crias: dr$-se a ra do Pa-
dre FlorianoD. 4.
K?" Emmanuel Ricon pela tercera vez roga ao
possuidor ou possuidores de trez Bilhtes de cobre de
sua antiga firma Em1 Ricou & Boilleau que os queiro
mandar receber at 15 do corrente, ra da Cruz n
60, abas entrar com o seu valor no Depozito Geral.
KJ- A pessoa que percizar de um homem forro
crilo para criado hbil para todo o serviYo ; anuncie.
*?"! P<,r<",Zi* se de huma ama que lenUa muito e
bom leite, e prefere-se escrava : as 5 Pontas D. 18.
$^* Perciza-se de um feitor para tomar ron la de
um sitio no lugar da Magdalena que enlenqa de plan
tacoens : as 5 Pontas D. 18.
CT* Quem tiver em seu poder urna ordem da
quantia de sete ceios setenta mil res em cobre cor-
rente saccada sobre si mesmo do abaixo assignado, a
queiro hir raceber no prazo de rez dias na falta fica-
ro sugeitos ao prejuizo quando houver mudanca na
moeda, e tambem se nao corre risco a moeda.
h)e Fevnandes hitas,
CT Preciza-se de um preto, para trabalhar em
um sitio diariamente, pertoda praca, na ra das La-
rangeras D. 6.
%cy* Quem esliver as circunstancias de ser fe*or
de um sitio, e quei'ra o administrar ; dirjase a mes-
ma ra*a cima.
r^* O abaixo assigna vc-sc na rigoroza necessida-
i


;,' -
I 80.
de ik> apivzcnlai .10 rcspcitavel publico, atnalvadezas,
i traces de seos Irmos Caiirs Ignacio da Costa Mon-
tiiio, Manoel do Nascimento da Costa Monteiro, os
quaes a mais de dois annos Ihe lazara amis barbara
l^^ffiH'P*^ P1'-^ srdida ambicio que'os devora; es-
tea monstrcfj em ptembro de 1831 estando* meo Pai
a morrer. proelar,,o.assacjiror-me com urna pitada de
*${*' *nv'ellePMul'jfi rom oejlo mandarn por huma
mulata que foi captiva ,de casa,SBCUlar esta traico.
que leli/menle, eseapei, e me v.i obligado a largar a
asa, e hir refugiadme na Varzee em casa1 de hum pa-
ri'[ilv- o- dero Amigo, os meos opresores, fizerao altas deligen-
eras paru re,masscrarr,m porem nao pederfio conse-
>u'r; *\por isso^ recorrern a;x misera ve I pretexto de
esjrlt^rc'm q boato, que eu eslava doido, afim de me
privarera da minba legitima, cu o boato bi desmenti-
do por todos aquellos que me comonieavo, e para
prova da maldade que os domina baja vista a volun-
taria demora que tem havido no Inventario que at t>
prezente^inda se nao eoneluio, ea oculta caballa que
files lem tramado para o meo assaeino, ebegando al
a Urem assallurjado bomens malvados para execuco
de UlH to brbaro projectq, os quaes felizmente tenbo
a lelcidade de os conbecer,; porem irao tendo at bo-
je lido ofleilo pelas mi'nbas precaures, ecatltellasj
tramo agora com maior escndalo toda casta de vexa-
coea pondo-me em eollizo de nao poder transitar nem
mesmo de da por isso que me vejo cercado dos taes
assaonos, afim de verem se eu desesperado corro pa-
ra o mato para cllesa sen salvo consegu retar f> scu n-
ter lo. .A malvadeza desses bomens tem chegado a
la I ponto (O' maldade inaudita) dealugarem huma loja
que foi'de ferragem a titulo de se por venda,. levanta-
ro buma terpera para se me fazer espera a laia de via-
* do (piando eu ebegar a varanda de noite, cuja obra
esl feila de poucos dias, e como eu eonbeci a mano-
bra nao tenbo ebegado a va rancla se nao de dia, cuja
loja fica q'iaze confronte ao sobrado onde habito, e
junio ao sqbrado que se est desmanxando, e tem por-
to que bota para a ra do Hngel; avista pois de
iianto tenbo expendido protesto segunda vez por lu-
do quanto ha de mais sagrado por toda, e qualquer
calastrophe que rae sobrevenha, ser imputada- a estes
malvados que taato me tem perseguido continuamente,
pela sega ambicio, e vil interessesse que os domina.
Antonio Feliciano da Costa Monteiro,
fc^ Sur. Luiz Ignacio de Souza Mello, queira
anunciar a su a morada para se Ihe entregar urna carta.
TS&* Perciza-se arrendar um sitio na Passagem da
Madaglena que nao exceda de 150$ res annuaes, a
margem dorio: quem o tiver e quizer arrendar an-
nuncie : adverle-se que querendo alguns quarteis ad-
an lado lambem se da.
*C^ Perciza-se de um eaxeiro que seja desemba-
razado pai'a tomar con la de urna venda, de 16, eu 18
annos, dando fiador a sua conducta ; na ra da Santa
Cruz D. 30.
^C3f Por nao saber-se onde novamente mora o Sr.
Manoel Goncalves da Silva filho de outro Sr. Manoel
Goncalves morador em Goiana, queira o mesmo Sur.
vir com brevidade a loja de Joo Antonio de Souza
Sumatra na ra do Crespo D. 9 a negocio de seu par-
ticular ntresse.
SC* Faz-se sciente ao respeitavel Publico, que Ro-
za Nidria de Lima disputa no Juizodo Civel desta C-
lade Cauza de Libelio, contra Tbereza Perpetua de
Jezus, em qual Libelio pertende dita Roza habeli-
lar >c nica -Erdeira do finado Padre Cela no Joze de
Souza Antunes: exorno requerece Carla de Inquir-
-o para a Villa de Goianna aonde fo aquella Roza
nascida .1 lempo que aquelle falescido estaba naqm lia
Villa Advogando, e por consequencia aonde devem ha-
ver as milhores testemunbas, mais persuado-me que
nao gostaro muito que tal carta se requerrsse, porquo
direi sempre a razo? No dia 26 do p. p. mez de
Outubro perlo da noile (eu fui testemunha de vista)
dirigir-se a caza daquella Roza Mara de Lima um fi-
lho daquella Tbereza Perpetua de Jezus. de nome Jo-
So, e por signa! lem de menos um qIIiq E com
rITeitoa demirado fiqueLdc ver um semilhante proce--
dimento, prrcg^ J^ej-i^que o la I sugeilo lila cfm
intences snistras ahriikfo o postigo, da rotulla com
furia de quem bia assassinar alguma pessoa, mas feliz-
mente aeho logo encontr porque do contrario satis-
fara seus desejos assim mesmo fez muilo Lem o seo pa-
pel, que blazonou publicamente ; que sempre bavia
assassinar a dila Roza, seo Procurador &c. &c. final-
mente despejadamente eometeo o mais horroroso alen-
tado criminoso as palavras mais injuriozas, que por
meiodehnm ataque semilhante se podem dirigir
pessoas honestas, e de bom proced ment, ecomo um
tal atentado to criminoso dev 1 ser punido segundo as
nossas Leis por isso Inr-se publico por meio deste n.it-
nuncio para que ebegando ao conbecimenlo das com-
petentes authordndes tomem o devido conheciment,
procedo conforme a Le afim de prevenior que che-
gue o negocio mais adianle ("na ra da Roda defronte
da extinta casa da mesma roda)
As signado Um dos que vio.
... *
<<5cravQ3 fUGlDOS- .
ALberto, ja de idade, alguma couza ebeio do cor-
po, estatura mediana, tem um grande signal de
om talh em urna das pernas ; fgido a 3 do correte,
levou seroula de algodo, e carniza de brim escuro, e
11 m taixo com roupa constante de um jaque do pao
rxo, que fot de soldado, urna jaqitfta de ganga ver-
de Franceza, mais alguma roupa que se ignora, e
um xapeo de pello uzado : ao sitio ao p de S. da
Conceico na estrada do Joo de Barros, que se paga-
r toda a despeza.
y Luiz, naco mossambique, alto, e cheo do
corpo, tem cor preta, bem feito. olhos medianos, tem
18 annos; fgido no da 5 do correte, com camisa
de algodozinho, calca de brim ja velbo, e urna trou-
xa de roupa sua : ra do Queimado D. 11.
^Cy Joze, por alcunho (>ontra metade, canoeiro
e tem as pernas muito tortas para dentro ; fgido no
da 2 do corrente : ra do Trapixe venda defronte
do enes da Lingoeta.
.%*%^ %%*%*%%,
,%%%%*.% *- %*-% *^%
NOTICIAS MARTIMAS.
Navios entrados no dia 7. #
ALCBACA : 21 das; S. Bom Conselho, M.
Pomingos Azevedo Oliveira : farnha : a Manoel
Joaquim Ramos. Passageiro 1.
LIVERPOO; 46 das; B. Ing. Melgne, Cap. O-
vem Wiliau : fasendas : Russel Melors 6c Comp.
LIVERPOOL ; 58 das; B. Ing. Hotsper, Caj).
Reljib Hullt: fasendas : Crabtlre.
Sahido no mesmo dia.
RIO DE JANEIRO, pela BAHA \ E. Bom-jim,
Oip- Izidorio Domingos dosPassos; sal. Passa-
geiros 28.
PEnjr. j*j Trp. no Di.h/o. 18.H.S


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2P26J95S_OZGU5W INGEST_TIME 2013-03-27T15:36:07Z PACKAGE AA00011611_02765
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES