Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02752


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANO DE 1837. QUARTcV. PEIRA
m.

20 DE SETEItfBRO, N. 20.
PEIIN. aaTYP. dM. F. oe-FARIA. 1837.

DAS DA SKMANA.
18 s.-^nn.ii S. J K0 de Cupertiao. Aud. .1 > juz do
Cr. de I) Orea S Januario B.*'Rel- *le m. e aud. do
J. dus O .le i.
20 Unan* Ti'inuoras jcjut S. Eustaquio. Se, da T
Sil Quima f y Malinas f> p. (turtos ming. al
h. e 3i ruin, da tarde.
'22 Jirjua Temporal jejum, S. Mauricio m. c-ses.
da The. I'uli. aud. do J. de O de t
23 Sbado Tmporasjejum, S. Lino P. Re. dejm.
c. aud. .i.i V. (i. ,i,. i, cu Oluida.
24 Domingo N. S. djs Hercez.
' Mare' chcia para o ilia 20 de Fctembro.
8 9 lloras e 18 m- da t 9 h. e -12 ui. da m.
- Tt.il.) agoradepende de no meamos da non* pru-
dencia, nioderatjio, e ene cri icoaiiiiueino* com >
prjuc piamos, seremos apuntados com admira.
praucPiamos, e
9*0entre as Na
trtolannf 4n imatl Carel ala Iri.l
Snluorere-se lOOOrs.mensaea pitni adlantsilo.
uesta TrPojralia, ra das Cruzeg D. 3, e na Praf-
?a da Independencia N. 37 e SU onde se recebem
correspondencias Iegalisa4as, e annuncios; inaeriii-
do se entes gratis seudo dos proprios assicrnaiitea,
viudo (t.irnsdoi.
CAMBIQS-
Setembro 19.
JeLiOndres 30 l|2 a 3o Ds- St. pot I, ced.
Lisboa i>5 por <>|<> premio, por metal, Nom.
Franca 316 a 3i0 Rg. por trauco
Rio de Jan. 6 p. c- de preni.
Moedas de 6,400 15 000 as velhas, nova*
4.000 7.000 a 7.300
Pesos Colimares 1.58;
ditto Mexicanos 1,560 1,570
Patacoes Hrasileiros 1,580
Premio ,u* loUraa. por mea I i\t por oo
Cobre apar das Sedlas
13,000
PARTIDA DOS C0RRK1OS.
Olinda Todos os das >o meio da.
Go.iana, Alliandra. Paraiba; Villa do Conde. Ma-
maiKuape, Pilar, Real de S. Joao, Brejo d'.Area,
Hainha, Pombal, Noa de Souea. Cidade do Nati'I-
fl'as de Ooianiiinba. e Notada Priiieeta, Culada
da Portalexa, Villas do Aquiras. Monte mor no.
AracatT, Caacarel, Cauiud, (ranja, Impefatri'
S-Bernardo, S. Joan do Principe, Sobral, Nora do
BlRey. Ico, S.'. Matbe-os. Heanbo d.xaiigur, S.
Antonio do Jsrdiin, Quexeramobim, e Parnr.l. !;i
Segundas e Sextas feira ao meio da por *ia da
Paraiba. Santo AntSo Toda* aajioiin fcraaao
meio dis, Geranhons, e RoiiitofjBoi diat 10 e it
de cada mea ao meio dia- Cabo.Serinhaem. Rio For-
moio, e Porto Cairo uos das I, U_e 21 de cada
mea-
PARTE OFFICIAL.
RIO DE JANEIRO.
CMARA DOS SENADORES.
Scssao do dia i7 do Julho.
Presidencia do Sr. Mrquez de Baepeady
Aberta a Sessio, leu-se, e approvou-se
a acta da ante* Sor,
Nao havendo expediente, entron-se
na
Ordem do.dia.
Entra era terceira discurseo a ReiJu-
co numero 15, que approv* a Tenca do
8o$ rea concedida ao Tenente Coro-
nel reformado Joir> Benedicto Gaspar
Gilttiing, e sem debate be approvada,
para subir a Senecio.
Segue-se a terceira discussf o da Beso*
lugo numero 26 sobre os emolumen'es
cobrados tu Secretaria da Marinha, deca
rindo que a di-posicio da Jet de l de
Outubto de 183i,nao os coinpreendo,tm-
bera seapprova para subir a Si necio.
^ Entra em primeira e segunda discussio,
e he approvado para pasear a terceira a
KesolucsS nomero 3a que approva a
Pensij de i:aoo#rs. dada a Mirquesa de
S. Amaro.
Entra era primeira e segunda discossfo,
e seui debate passa para a terreira a Re-
aolticia, que augmenta as Congruai dos
Mooseohoies, Cunegoi Capelliee da
Capella Imperial..
Segu se a outra pirte d ordem do dia
que be a cofitinuaeio da gegonda discuseio
rio artigo i/ do Proje. lo sobre a im-
porta^io deejcraFos pretos lirref.e emen-
das a elle ofleiecidan addiada de borHem.
Julg.indj-ee a materia discutida he ap*
provado o artigo, i4 com a emende io
Senbor Ouveua para se collocar aonde
conier
Julgado-e prcjudicadas todas aa mais
emendas.
Pasta se a tratar dos arfgos tdditims,
offerecidos pelo> Senhor Lucio, e depon
de breves rtflexes feilas'por alguns no-
bres Senadores mostrando achu em-e
prejudiCados em virtude de ter-se ven-
cido o artigo 14, o Senhor Presidente
<: ninlla o Senado, e decide-se allirma*
tivamirnte, pa^saudo o Projeito com as
etnsndas approvadan para a terceira di*-
cussjlo.
O Senhor Paula eSoura requer que o
Projtcto v a Comtii!>ai'> de Redaccib, a-
no de o redigr no sentido das emendse
vencidas, pata que ae toi na fcil a lercei-
fa discuti.
0 Senhor PietideD'.e consulta o Seoa-
do a respeito, e asiim se decide.
Estando esttncta a ordem do dia, o
Senhor presiden le convida os No brea Sa-
nadores a recolheiem-se a seu gabine-
tes paraos Irabalhos de commis*6es.
As dues horas o Senhor Presidente du
para ordem do dia :
Primeria discucsioda ResalucioQ
sobre.o Cirurgio Antonio Jos ds Fon-
ceca Lessa.
'l'mceir.. discuafffoda Reeolucfo sobre a
Tenga doC?pitio de Mar e Guerra An-
tonio Joaqoim doCouto.
Terceira di-cussio da Resolucio sobre
a Tenca do Coron I Matutino Pitte.
Tetcrtira diteussio da Resolucio sobre
a Tenca do Vlarech..l Josa Ignacio da Sil-
va.
Terceira diseussio da Resolucio sobre a
Tenca do Capitio de Mar e Guerra JW
Toomaz Rodrigues.
Teraeira discussio d< Resolucio sobre.
a Tenca do Capitio de Mar e Guerra Ca-
bra] de Teive.
Teiceiradiscussio da Resolucio sobre
a Tenca do Majur Francisco Josa da Ro-
che. ^
Terceira discasso da Resolocio sobre
a Teoea do Major Francisco Rangel d\
Vasconcellos.
Primeira e segunda discosift da Resolu-
cio sobre o Cavaleiio Luiz del'Hoste.
Terceire di-cu-su da Resolucio sobie
a Pensio dn Capilla Noronha Fortes.
Terceira dis.-ussio da Resolucio sobre
a Pensio de D. Leonor do Santa Aona
Borja.
Segunda discusso da Resolacio sobre
a Peu.-io do Soldado de ArlijBana Joio
Gomes.
Terceira discussio da Resolucio que
eleva a io2J reis as mettj de 6 reis
roeneajs concedidas a Juio Chrisostomo
da^Chagas e outios.
Pri nutra e S'gunda disenssfo da Riso-
lucio n. ai, sobre a l'eusiu de D. Mara
Lu'si Fieire.
P.imeira segunda discos! sobre a
Tenca do Capilio de Mar e Guerra Jos
Pertira Pinto.
Segunda discu-sio do Projeclo M -
concedeudo Loteras p*rn a amorlisicio do
papel moeta : e sobrando lempo (raba-
Ihoa de Commisse. '
Levautou-ae a Sessio as duas* horas
se numero suficiente de Snrs. Deputados,
o Senhor Presidente declara aberta a Ses-
sio.
Lida a acta da antecedente foi appro-
vada.
O Senhor primeiro Secreterio fe o ex-
pediente.
Ordem do dia.
Aonunciada a chegada do Senhor Mi-
nistro da Marinha S. Ex, be intreJui-
do na Sala com as formalidades do Regi-
ment > e entra em dincussio o seguiute
Ui Ciniiito da Htpartiaao a seu cargo.
CAPITULO IV.
Artigo 5. O ninietro e Secretarle de
Eitado dos Negocios da Marinha he au-
torisado a despender em todo o Imperio
no auno insueeiro que hsde correr do
1. de Julhode 1838, a 3, de Juubo de
l839.
1. Com a secretaria de Estado e seu
expediente .... a5.8.o$ioo
a. Com o Corpo da
Armada e Classes aunexas,
Artiiberia da Marinha e
Reformados ....
3. Com Navios ar-
mados, desarmados e Pa-
quetea .....
4. Com os Aisenaes,
compra ce madeirai, e re-
paro de edificios, inclyzi-
ve f 0 cont'S de reis para
a cotilinuacio das obras
do Di(|ue ....
5. Com a Academia
Empiegsdos na arrecadt-
cio de Fsenda e expe-
dieule, Hospital, Audic-
loria e Kxtcutoria .
6. Com o coteio e
consiiucao de Pharoes,
Barcas de Soccorro e
roelhoimenlo de Portos.
Sendo appoiados, foi regeilados o ad-
diametito, e prejudicadoo aditamento.
. Dando a hora fie* a discasio addiada.
O Snr. Presidente deu para ordem
do dia o Orcamento da Guerra, e a mes-
me de boje.
L'-'vauuu-se a Sessio aa dt^as hoiaj
da tarde.
277:393^44:
985:15 ^S8o
56a:<95#o38
78:596^880
aoi:o942J|48
CMARA DOSDEPTADOSi
Sesso do dia ij do Julho do i837.
'Presidencia do Senhor Araujo Lima.
A's 10 horas l'eiu a cbiuiad chaado-
Total a,i3l:o3o$586
Depois de algum debate julgada bo-
da a discussio, o Seohoc Ministro ret ron
se rom es mismas fot nulidades, com que
lora recebida,
Pondo-re a rotos o Orcamento foiio
approrsdos o ai ligo 5. com na pargrafos
i.a. 3. e5. sendo regeitados os pargrafos
4. e6.
Contiauon discusio dos artigos add-
tivos do Piojec'o n. a4 desie amosobie
o Cursos Jurdicos.
O Senhor dmeiro Leio propoz o addi-
ametitu de todos os artigos para serena tra-
tados em huma Lci separada tomo ji ha-
via leinbrado.
O Senhor Climaco reqoereu o addia-
mento do Projecto para eec cgpjuncti.
menta adoptado,
PERNAMBCO.
GOVEllNO DA PROTINCIAI
Expediente do dia 18 de Setembro.
QHcio Ao Exai. Sr. Bispo Diocena-
no exigindo o .-eu p uecer acerca do que
no requerimanto qqe A Ihe enva preten-
de o Reverendo Vigario Joao Evangelista
Leal Periquito.
Dito Ao ln pctor da Theaouraiia ;
commuoieando-lhe que o Commindiute
das Armas foi am torisado para raaudar
lser o concei to que fosie necessario ne>
cano di L do Batlha6 7. e bem e^sira donrar ,
pi te do moro do flanco esquerdo na ex.
Unca da Obra do Hospital Recimental-
Dito Ao Inspector o o Arsenal de Ma-
rinha commutiicando-K-, que vai'sar
dispenso do servico ordinario da G. N. a
Capataz da ExtagaQ da Litigela Jo o E>
leves Lima a fim d>'iri'ldor poder deseiu-
peuhar es suas obrigHce'^. .
Dito A o Juiz. de Diieito do GrflUe da
Comarca deNasarelh communicanjo-llie
que para a Presi lencia responder, ao seu
ollicio do 1 a do oorrenle miater se fax,
que r- meta o Proiessodu Reo escratro An-
tonio niculo.
Ditoao Commandsnte Superior das
G. N. de Flores respondendo-lne une su
mandn passai Pataules a Manoel Pefeir
dsSilva ptra Major da 1. LegiaS a Jo.e
Caetano Caipii Jaguaribe pata\lajor -
ja liinta d'Ocdens do dito Corarnaodsuie
6upetior, Viclorio Lopes do B.irros pa-
ra Secretario Geral, e a Moo-I N-jnei de
Magelhaans para Capla il 7.' Compa-
tibia do Bttalhade Pajeo : q* poii: man-
dar publicar a Proposta de Otniacs para o
a. i;>quadra5 de Cavallaria, ordenndo
eos PropoSlos que soll.cilem suas Pattn-
'ea. '
Portara Ao a. Tenente as Ordens
doGovertK. Emdero Joo Vel|no ca S I-
Veira ordenan Jo-iiie q m se dirija ao si-
tio do Antier cojo snlliciente numtio.la
trabalh*doiea que reqmolar./ a Inspec-
tor Geral das Obi as Piib'icis c no lugac
onde su di/, existir carva de pedra faga
os necesarios exames fi-endo cavara Ier-
ra cm tlifl'eienies logara-,


DIA.EIODB PIMAMIUCO
BWM
amam
Dita -*- Ao Inspector Geral das Obras
Publicas ordenando que ponba a desposi-
Ca5 do a. Tenle F.mete>io Jse Vello-
s-o da Sveira os tiabilhadore* que llie fo-
rem misttr para a deligencia de que eu'
enea negado.
Dita Ao Comroandante da Escuna
'Victoria, pera faser dasembarcjr o Piloto
RomaS Miguis a fian de ser em-arrega-
do da pronlificacaS do Cter Esperanza
de 13. biribe cujo Commando llie vai ser
entregue
Offi io Ao Inspector do Arsenal de
Marmita, coinmuDieaado Ihe o contvu 'o
na precedente Poi taria e que o aei vico
do Registro do Porto dever' ser luto pe-
lo raniu ios'do Pillo durante a auzeucia
da Escuna Vu lorie. ~
Portara Ao Contra nd. da BHkna
Victoria para pa>sarpa.a Boido dvi'a-
quete Lebre queesquer recmUs o E-
bordo com destino para o Rio de Janeiro
enviando a Secretaba a retacad dos nus-
nii'- recrota*.
DitaAo Corr man dan te do Paquete
Lebre pafareceber e transportar paia a
Corte os remitas e Fd..c..ndos de que
trata a precedente Portara, entregndo-
os na mesma Cortea isposioaS do Exo.
Muii to da Mantilla.
Dita Ao mesmo communicando-lhe
que attendendoa Presidencia ao q' llie re-
presenten eui iic;o desla data tem rtsol-
vido ttaiibsA* a salda do inosmo Paquete
para o di3 a3 do torrente.
DIVERSAS REPARTlCpiNS.
COMMANDO DAS ARMAS,
Expediente do dia iG de Siembro.
Offic'o Ao Exm. Presidente infor-
DMiidoorequcYimenlo de Manoel Fran-
cisco de Soma, com informacaS que
respailo de su* prttenca deo o Capitad
C mmaud.nte inte ino do 4. Co- po de Ar-
lilheiia.
Dito Ao mesmo Exm. Sor., remet-
iendo o itq lariujenlo de Antonio Josa de
S.iusa Ttiaeia e siogiodo se qoanto a
sua pielenaao' aoque disia o Coturoandau-
te interino do 4- Corpo t'Ai tubera em
a ii.foiniac-a que enviava.
Dito Ao Prefeito da Coma roa di*
zendo-lhe que nq_coniudo a Decipbn do
4> Corpo de Aniluera aque em seoe-
caohado Quarlel permaneceisaem por maia
lempo es piraos de Justica com detrimen-
to do secvico, e nao menos grtame de
eos necessatiosCommodos haviaexpedi-
do oidera ao Commandanle do Corpo a
fim de oa fasor remover para as pnsoem
da Fottalesado Brum e rogando-lhe a
expedicao' das que julgasse pre isas, para
que esta roudanca se fistsse com atsisien-
ca de am dos Agentes d< Polica a quetn
se Ihe ministrara a oecessaria escolta para
tal remoca. .
Dito Ao Tnenle Coronel Comman-
te da 6. Clas-e communicando Ihe havr
nomeado o Teuente Antonio Marcelino
dojsEspiritc Santo para vogal do Conce-
llie^e Guerra de que era Presidenta, ei
que responda o Teuente F. V. dcM. e
AJbnqoerqne.
Dito Ao Tsente Coronel Presiden-
te do Conselho da Guerra a que respon-
de c Tenante F. V. deM. e Albuquerque
disendo-lhe que acliando-se impedido o
Dou'or Manoel Mendes da Cuaba e Azeve-
do de servir o- lugar de Auditor no rt;e>-
mo Conseibo, tinua em virtud? das dis-
posicoens doalvara'de 18 de Fevereiro
de 1764 normado ao Capillo Josa Joa-
qun] da Silva Santiago para o substituir,
ao Taoente Antonio Marcelino do Eepi-
iito S'nto para Vogal am lugar daquelle
Ci>i(a5.
PorUin Ao Capita Comandante
uterino d'artiltieria nfandando faser a
jem cao' dos presoa de Justica rechinidos
as 5 ponas para as prisaens da Fortale-
za do Brum.
Dita" Ao Captio' Comicandante da
Fortalesa do Brom mandando recebar is
presos mencionados na antecedente Porta-
fia.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta he a mesma do N. ia5.
CORRE10.
Fina transferida a Saide do Paquete Le-
bris para o dia 23 e recebe as malas para
oh Porto* do Rio oe Janeiro Maceio e
Babia no dia 1-2 do correule as nove ho-
ra da noile.
O Pataxo Saraiva recebe a mala para
o Cea 1 a' insnba 21 as'9 hora da nia-
uhaa.
O Pa'txo Feliz Aurora recebe a mala
para a Babia hoja 2o as 4 boras da tar-
de.
ARSENAL DE MARINHA.
Faz-e scients' aos Operarios do Afsen!
de Marinha qi.a hoja 2o do curente se
paga a feria venvida a i5 do memo.
Insi'ecio do Arsenal de waiinlu aO de
Selambro de 1837.
Antonio Pedro de Carvalho*.
Inspector do Arsenal.
CMARA MUNICIPAL DO RECITE.
1. Sesso Ordinaria de ib de Agosto da
i837.
Presidencia do Sur. Silva.
Comparecers os Snrs. Barros Doutor
Cintra, Douter, Neves, Doulor Peretti ,
e Souza ; faltando com causa os mais Sa-
nbor-s.
.Aberla a Se>-8ao' e lida acta'da ante-
cedente foi sanecionada por estar confor-
me. O Secretario dando cotila do ex-
pediente niencionou os seguintes t Hui-
os':
Um do Prafeito desta Comarca parte-
ciptndo bavar el. minado da Lista Garal
dos Jurados os CidadaS's Francisco O^o-
rio Biserra de Meneses Jnior, e J ao 15a-
ptistade Ara ujo coro o pede a C Itamarara' em cffi'-io qne asta Cmara
houve remttter-lhe por copia avista do
que cumpre a mesma Camarahaja.de fa-
ter tirar dii urna na seos norma : uiteirada
e resolveo qu no livro compttente se fi -
zessa s respectiva notas em quinto a seren
elemioadosos referidos Jurados.
Ootro do Fiscal do Bairro do Recife e-
xigindba quantia de 768o teis que de-
pendeo com o entarramento de 2 cada,
veies e coro una corrida que v' com o
Doutor Felippe Neri no dia 23 do corran
te : qua se p casse mandado.
Outro remcitendo um tetmo de adiada
feit'i as casas que se esta edeBcando no
Ing.r de Fura de Portas p*rleo>-n'esa
J. Donelhet, por es'anm fora do al.'nH
'mamo e co'diac o'dada como dtc iouo
Cordiador,m um exama que o mesmo
Fiscal p'r sko procedi .* que se iem< t-
(esse ao P>ocurador para rtqoerer a itti
posicao da multa.
Outro do Fiscal da Boa.vista exiginloa
quantia de 48oo rei que despended com
a limpesa da pdnta daquelle Bairro em 01
mezes de Julhoe Agosto : qua so pacasse
mandado.
Um requermento de Felippe Duarte
Pereira t em que pele o aloramento do
terreno sitio no arco da Santo Antonio,
com despacho do Eirn. Piesideote para
asta Cmara informar foi CommissHo'
ils Sin. Bai ros e Pessoa para dar sCo pa-
recer.
A Cmara deliberan que se Osease pu-
blico por E'Jitaes que no da 6 domes da
Selembro p. p. se havia de arrematar os
bens pertertrentea a seo pilrmonio.
Tendo comparecido o Afiridor, que
havia- sido chamado por manlad> da (Ja-
mara conveio em ir alFetir.nos diff^ientes
Tiapixes desta Cidade os seos pesos. Man-
dn se pasaar mandado da quantia de
6$8oo rs. a Anglica de Castro Fetraira
de ustas que ae Ihe eslava a dev. r.
O Sur. Venador Souza lasa segaiola
proposta.
Havendo se introdusido neita Cidade as
enlermidades hirisipslas, e bidrociles'rom
tal vxcesso qua pducas sa5*as familias,
que se n--5 qm-ixem des outr'ora psreriad privativos ao Rio de
Janeiro supp.m io uus ser a causa desses
males as aguss de depsitos ou saja por
vichi d -lias ou das torneiras de bronca
que di en em alguna exiitem, e mesmo
i\f> Monteiro d'onde a agoa condusida ;
aiiribuindo outrosao uso da Potaba nos
Ivigenbos de fabricar assuc^r ; e/outros as
fabricas de refmacens do mesmo assucar ,
feitas nesta CiJadeem vasos da cobra c
ir>m introduQoens damnosas a saude pu-
blica sobiequa asta Cmara de ve pro-
ver ero virtuded ait. 71 di Ledo I*
de Outubro de>8a8: requero que esta
Cama 1 a convide aos Facultativos desta Ci-
dade rn is bebis para que de commum ac-
cordo examinem a causal do semclhantes
molestias, propondo os matos de as preser-
var n fnn de podar esta mesma Cmara
tomar medidas a respailo ; cuja causa pro-
p -sta foi appravada, e delibetoa a Cma-
ra qua se dficiasse aos Senhoies Doulo-
res Jos Eustacbio Gomes, Francisco Xa-
vier Pereira de.Biilo FeppaNeri R)-
fiiguesde Carvaldo Joa Josa Pinto e
Pedro Doi nellas Pessoa : sendo vencidos
osSfihores Doutoi es Cintra e Peretti,
aa5 qoerendo que se declararse na pro-
posta a causa das iofermidades j a a lem
dissoo mesmo Sr, Doutor Peretti foi ven-
ci-lo, qoerendo q' os Mdicos se reunissam
para de commum arcordo, imittir seo
parecer.
E tendo dado a hora lrvmloti-se a Ses-
sao' e msndaraS faser a presente em q'
assigoaiW, Eu Fulgencio Infante d'AI-
buquerquee Mello, Secretario a escrtT.
Silva, Pro Presidente, Barros, Doulor
Cintra Pt.etii Pessoa Ntves, Soma.
EDITAL.
A Cmara Municipal desta Cidade do Re-
. rife fias.
Fai saber que no dia a8 do crrente
teta' principio a arremataos por ven-
da do edificio da actual C*deia e auas de-
pendencias as quaes sao comprehendi-
dos os t- rrenos dos 2 hecoj contiguos que
forman' a divisan do mesmo edificio ;
cuja Rnem-tacao he tff- lua-ia por dcii-
beuiQs do Govurno da Provincia seb re-
pre^aotaca da Cmara e de conformida-
He com o a 1;t. 43 da Le Provincial de g
a Juoho do correle anno: os pe tenden-
tes deveraS comparecer competentem^n-
i habilitados na casa de suas Sessoes ,
para que segundo as c< ndcoens, quefo-
rem ;uc.its, >.e pnssa realisar o contraclo
a viita ou a praso.
' E para que chages noticia dos mes-
mos si passou o presente, quesera pu
blicado.
Pagoda Cafmara Municipal da Cidade
do Recile 6 de Selembro de i837.
Joze Machado F>eire Pereira da Silva.
Pro Presidente.
Fulgencio Infante dAlbuquerque e ello.
Secretario.
------
O DESENGAO.
A mor parta dos b >mens acredita mais
nos (actos d que uas metapbysicas ; as
theorias pndi m ter rnuito preciosas; mas
elles esta caneados enaquerim theoii-
as, >-e as nao.* ero executad. s praticamen-
te e cora proreito ; palavraa ja os naS le*
vaS, j O. nao illudem e siles tem razi.
Qiiantas pessoas, quantas cousas tem tiles
vilo indicadas, como muito propiias e
adequadas para fazerem a publica piospe-
ridade, jf que na pratic se tem mostrado
nrapMea e intlfi azes !
a be com iud> nossa inloicaS negar,
qua theorias e hornens ha sublimes, m>s
que nao se podem presentar como taes,
por falta da ciicuostancias que Ibas deecn
desenvolvimetiio ; outras ibeorias ha que
na5 paiecem boas, s-ndo ellas rom pffeiio
laes, porque os hornens que as ezecutaS
para nada prestaS e por Uso as,detm p..
De todas alias em materia de potica po-
deriamos fazer bum rathah.go exteDsissi-
mo se tiserames vagar e vontade ; mas
huma e outr-- cousa nos falla. Vamos a
diante, e trteme, do asaumpto qua mais
inmediatamente nosi'nteressa a todos.
L4 o quasi concluidos trez meses da
sesssio da assambla legislativa : progunta-'
remos, o que se tem feito ? nada. Que
providencias sa tierno s necessidades ta'
urgentes das provincias de S. Pedro e Pa-
ra ? nenhumas. Foi o governo habilitado'
com tneios para salvar asas provincias s'
nao; ncm ha eeperangas disto: cabio a
proposla do Sr. ministio da guerra. -
Mas se a oppo.ico nao iratou do Rio'
Grande fez ao menos alguma coosa a bem
(ios inleresses mataras ou moraes do pa-
it ? taoabem nao. A administraos da
juatifia civil est no mesmo estado ; no mes-
mo estado es a criminal; o cdigo do'
commercio jaz no tsquecimaoto ; a edu-
carlo publica deGoba. Os meios de adi-
antar a industria e o commercio de ani-
mar a la veura ludo tudo vai de mal a
peior. No meio circulante n6 fallemos.
Os decretos de 18 de fevereiro e 18 de
marco, aselriaasda Parahyba e n es-
colla de Fellember0t nos lem levado todo
o tempo. Os Moravitas nos roubar, 5 a
sesso pss8da; Fellemberg nos roubou a
presente. Malditos eslrangeiros, que nos
tem falto lauto mal.' Oxal nem Mora-
vitas, nem Fellembergs tivsssem nunca
visto a luz do da I Muito caro custou ao
Bratil saber quaes eraS os principios, reli-
gioso) d'aquelles e os induatriaes d'estt ;
a de-peza sobe a alguna milhSes de cruza-
dos. Razio de sobra tem o nobre Viscon*
de deC estrangeiros I !
NaS se querem desengaar caitos ho-
rnens ; nos naS queremos palavras, que-
remos obras. Quando huma-naca paga
a hum empregaoo publico, deve exigir
ser servida, e muito bem servida.
A maoria da cmara dosSrs. deputades
he boa, bem intem ionada, e destja ar-
dentemente o bem do paiz ; -mas algum
eternos que nao e anda que cates stjaS
poneos em numero, eaSquBnlo basti pa-
ra eut huma emenda, huma sob-emenda, han
ma urgencia, hum aaiitamento, bum a-
diamenio cm 6m daS materia vasta pira
se fallar vinte rezas sobre a mesma rousa ,
anda que em todas eJIas naS sa diga mais
do que na piimeira, ou se repita o que oa
outros disseraO e a maior parta das vezas
muito peior do que j se tem dito.
Se alguna Si s. deputados enltndem que
conVem desacreditar o governo para suni-
quilla-lo, riavaib.m; he necessario fa-
zer alguma cousa e melhor do que o go-
verno fas ; porque entaS da corcparacaS
dorados, nasca naturalmente a idaa do
que, quam ospiatica he melhor e mais
til do que o governo; mas, quando quera
grita, nada Lz o publico, pelo menos
desconfa que, quem falla uaS be ratllioc
do qua aquelle contra quem se falla. *
llumdeputado dase, ha das, natri-
duna que n governo quera iitiigar a ca-
nsara desacredita-la. Ello naS attingo
a causa desse descrdito ; naS he o gover-
no quem podei desacreditar a cmara j
s< jalguns diputados, cujas opio.oes,
cojos trabalhos tem sido conlta os nteres-
.-es nacionaes. NaS he a decretacaS de
pi o videncias indispensa vais que a oppo-
siga bilula tem recusado ao governo para
a manutensa da ordem publica o <|ue
pdela ter ocoasionado esse descrdito;
mas tambara proposites nimiamente aoar
chicas, eminentemente subversivas da or-,
dem publica, e sltenlatoiias da integw-
dade do imperio, e do ..yeterna monarchi-
co -constitu ional representativo. Com ef-
faito, qual he o homem em cujas veis
corra sangue biazileiro ,- e cojo coracaS
bits pela patria que nao estimeca ou-
vindi a bum deputado da cpposicaS dizer
na tribuna : He necessario saber at que
ponto ha de durar a protecca que deve o
governo dar ao Rio-Grandu Isto por
outras palavras quer dwer : maique se
huma poca deotio da qual o Brazil devo-
pugnar pra que o Rio Grande se conserve
uuidoao imperio e se at esta poca a or-
dem naS estiver /estabelecida na provin-
cia abandonemo-la ao seo m.u fado;
daixemos tranquilla a repblica Pirati
nmi; l te arranjem os Ros Graodeosa


DIARIO DE PRRNAMBUCO,'
como poderera e para isto melhor eonse- blicou-seoffic
guir-se, cuicpre ir desde j recusando I eeguiole not
todos os recursos aoaoveroo, pretexto I fados-Unidos m Bergen, reino da or-
ele falta de coufianga II! wege___ Passou huma lei no ultimo con-
De.l arte segundo opioiaS de hum i greaso daquelle leino, sancciouada pelo
5
icialmente em "Washington I temaraente giato fazendo todo opossi
icia rece.bida do cnsul dos Es- vel por na6 arrar no sou conceito.
Sr. deputado de ve sacrifioar-se a provin
ciaa huma facca. O Rios-Grandenses
iglistdsao arbitrio de hum p trabado de
rasgualos; a-maioria da provincia a hu-
*.na minora aaarchica e desenfreada !
Quera dis'-e a este Sr; depulado, que a
provincia ioteira queria a teparagaS ? Qual
he a lealdade e a hoa f do governo o da
meto? He justo he decoroso tirar pro-
* veito de huma porgad do estado, quaado
ella pode presta-lo, e abandona-la depuis
ao ferro e ao fago quaado as circuratau-
cias se tornad nebulosas !!
Latretanto, grita a opposica que o
I governo he que protege e proraove a sepa-
raca da Provincia do Rie Grande e o
que trabilha pela desmembraras do impe-
li. Concedamos isWt E como prora a
opposigaS, que ella se desvela pelo resta -
balecimemo da o dem e pela uoia das
provincias? Ser, n5 fajeado eama al-
guraa que preste? Ser, vociferando e
luvectivando lodosos ministerios pausados,
presentes e futuros?. Sei negando toda
a especie de anxilio e recursos? Ser,
ser...; nas rellicta bera a opposica ,
que o lempo das illusSeaha de acabar mais
cedo ou mais tarde e trema de que brilhe
no meio da nagao o dia terrivel do desen-
gauo.
NOTICIAS DIVERSAS.
PORTUGAL.
Parece que o ministerio dejrez mem-
- brea, que a revolucaS mpusera rainba
fidelissima, havia j conhaiido a iirpossi-
hilidade em que se achava de marchar re-
aullante da falta da rneiot pecuniarios,
para organisar o exercito e.crear ou tros e-
lementos de ordera. Assim, haveudo o
Cougresso suppnmido os subsecretarios de
estado, a pesar de na discurso, ua to-
rera os ministros declarado ser aquella hu-
ma quesla de gabinete; antes tr dito o
da jusiic* qua, na alternativa de ha ver .^
fficiaes meiures ou sub secretarios de
estada, prefera a existencia dos primei-
ios, aproveitraS o ensejo para dar a sua
deraissa de huma maaaira que a rainba
Ti.i podase deixsr de acceita-le. Consta
que S. M. fidelissima aconsetbada pelo
bispo-coode e pelo conselhei.io Trigoso,
encarregara a %rgaui te ao presidente das cortes Das de Olivei-
ra, e ao diputado pela Madeira Joe5 de
Oiveira, que para esse fm hVa5 ohema-
dos sua presenca. Dias de Oliveira he
magistrado, e posto que fizesse no Porto
t-ervicos causa constitucional, sempie
proeurou conservar-e em posicaS de nao
rei,. era virtude da qual todos os cepitis
ou mestres de embareacSes estrangeiraa,
que entrarem nos Por tos da K01 wega as-
iim como os das embarcaces nacionaes ,
gosar da publicagaS daquella lei era di-
ante, do direito de fazerem por si mes-
aras os despachos, e de mais trausaredes-
nas alfaodegas ; cobraren os seas fieles
sem seren obligados a empregar para isso
correctores e despachantes oti pagarem a
estes alguna emolumentos, caso os na5
q.ueir5 empregar, como era at euta a
lei e estilo do paiz.
Niles' VVe.kly Regtster. i5 de abril
de 1337.
Na mesma Liba cima mencionada lu-
sa a seguale noticia offcial :
Meaico. Consulado dos Estado-Un-
dos, 4 de Marco de 1837. Sr.
Jncluso tenbo a honra de vos reraelter a
lista dos poitosda repblica mexicana pro-
hibidos ao commercio ealrangeiro, pro-
hibica5 estaque deve comecar a ler effeito
depois da publieacaS do decreto datado de
2 do corrate.
c Tenho a honra de ser com grande es-
tima tosso obediente servo. VV. D. Jo-
ras. .
No Golfo do Mxico. Bacalar,
Gualzuco-aloo, Alvarado Mjlagorda,
Galveston.
No M ar Pacifico. Huatulco, Man-
zanillo Natividade, Mazatlan La Paz,
LourHo, SaDiogo; Sa6 Franisco. a
(Do Parlamentar de 39 de Julho.)
por
Sou Si. Redactores, o seu Asignante
Ex Director do Theatro,
JARIEDADE.
Dialogo breve entre hum Doudinho e hum
Sabidinho.
i
CORRESPONDENCIA.
Srs. Redactores. Agora q' Mr. Val'y
est prestes a stirar-se, conceda-me que
em sua bem conceituada folha faga huma
breve nota dos grandes intere-s s que roe
vierao das 3 funeces de 6, 7 e 8 de Se-
lembro.
Pagaei a Mr. Vally por trabalhar no dia
8 a quantia da 27a,000 rs. O mais igoo -
rante era arithmetica conhecer que seria
preciso o duplo desta quantia para pron-
tifiear a Illuminacad txlerioi-, que Vms.
moncionanS no sea Diario; e os gastos
interiores de hum Theatro: ne-ta aoite
(que sabiaS todos qoe Mr. Vally trabalha-
1) concorreraS ao Theatro 14s
pessoas, a pataea.......... 226.48o
57 ditas de varanda a 480..... 27,36o
E os Camarotes todos pelo preco
de Mr. Vally.............. a33,5ao
.-----------r-
Seado o total 4#7-36o
Haveria quem fizesse (al despeza cura
comprometiente demasiadamente com par esta diminuta quantia ? Logo devia por os
tillo ajgura. Joio de Oliveira he hum ri- amantes dos Espectculos ginastiros em
co capitalista e proprietario, homem sien-
do e honrado, mas de raui pomos coohe
curenlo*. Dizia-se que ei'les tinlia apre-
sentadb para a pasta da guerra o coronel
Cegar de Vascoucellos mas que este a re-
cusara pertinazmente, e que o mesara t-
nha feito algumas outras pessoas, at de
mu pouca couaideracaS e sem uenhum
coaceito, como hura celebre Julio San-
ches e ouiros. Dizia-se mais que Jba.5 de
Oliveii a j tiaha 1 enunciaap o desejo de ser
ministro, em conaequeocia dse Ibe | a objecca de ter asignado o protesto dos
deputados contra a revoluca desetembro,
mas que a rainba na5 quizera acceitar a
reriuncia> e'qie fora chamado de Santa-
em Anselmo Branoamp ou para inrum-
hir se por si da organisaea ministerial,
ou para reunir se aos dous nao deixaudo
de ha ver, no meio de tudo isto, quem
euspeile que os.tres ministros da revolncao
iutrigsd cada hura pelo seo lado para tor-
nar'mpossivel huma orgaaisaca qualquer
e que a fial a uova orgauisaga ser con-
fiada aos Passos, que oeste caso exclui
o Visconde de S da Bandeira.
Hum parecer da commissio de diploma-
cia da corte, redira misso do Ro de
Janeiro de ministro residente que radicara
o jovenij t a eucarregndo de negocios.
WiSHlMGTON.
Em 31 de maroo do correte anuo pu-
do vida do dia certo, visto que a Compa-
nhia nao p> esta (cerno dizera) e s querera
ver Mr. Vally I Suu obligado anotar,
que no dia 6 cooorrerad 53 pessoas ao
Theatro ; no dia 7 179 ; e como j se
sbeo preco dos Camarotes he fcil dedu-
zir o total, pezar da nullidade de algu-
raas assigaaturas, que se iguora de.quem
sejaS. Eisa grande felicidade da Empie-
za nos traz dias redemptores de bum ao-
no de prejuizos, em que multas vez es se
faz Theatro para huma pesraa de plateia,
5, 8, e a guarda: e isto no espaco dos
priraeiros 3 metes, e dois ltimos do au-
no. Eu deixo ra silencio o vergonboso
attentado prulivado no exterior do Thea-
tro, para poupar e>sa nodoa a seus per-
petradores; attentado qoe seria rigorosa-
mente punido era outea qualquer parte do
mondo civilisado. Entrego ao despieza
os meas calumniadores, indicando-Ibes o
seu Diario da 4 de Setembio, no qual
mostr que dei mais do que prqjaetti nos
3 dias 6 7 e 8 ; e demito de mim a Di-
reccaddo'l'heatro na pessoa do 1. Autor
oSr. Antonio Lopss ibeiro por Ibe en-
contrar qualidade proprias e aura po- |.
pular para reger as representaedes, ficaa-
do eu e responsazel pelo qae for de paga-
mentos do Theatro e seus pe teuces.
Sabidinho. Amigo j sabes que o Pro-
motor vai remetido para o Recita amarra-
do de p* e ruaos por ordem do nosso Juiz
de Diioiio do Crime.
.Doudinho. Oh e como ? !
Sabidinho. Eu to digo : nV-ta segun-
da Sessad dos Jurados, que vai averno
principio de Satembro, quando o Promo-
tor comecar a faxer as accusagSes, como
be de seo de ver eonosso Juiz de Direio
Ihe mandar callar, e elle nao quizer ...
Doudinho. Sim que fax o seo Juiz
Sabidinko. Manda entrar para a Salla
quatro soldados do Prefeito, armados de
baionetas....
Doudinho. Ai... .ar... .ai.... e que
mais faz ?
Sabidinho. Eque mais? ordem ao<
soldados que o prendaS.
Doudinho. Ai. ...ii.... ai. ...e que
mais, meo hbiahu ?
Sabidinho. Dahi mesmo he remetido ao
RiCife comojdse, para hir pira o
Par,
Doudinho. C.. .c...c...ca. .. La
se vai o meo Promotor; Dei xa m os de gra-
tas. Tudo pode acontecer oeste Muado :
porem vera c meu bbinho quem f.i
que te raeteo isso nr cabega ?
Sabidinho. Foi o mesmo nosso Juiz de
Direito, que diz a quem Ibe queira ou
vir: porque, diz elle ha huma Lei que
manda o Promotor do Rio Formoso obe-
decer ao Juie de Direito do Crime; e 00
caso contrario, o Juis de Direito pode
mandado prender, remetello para o
Recite, ou paraTamandar.
Doudinho. Ora com effait*, que eu
dicesse i-so, que sou hum doudinho: po-
de-se soffrer, porem tu que passas por
sabidinho...". mas ah! perdoa-me: amo-
cha que me falJastes em Lei ? i
Sabidinho. Enta5: naS avistes?
Doudinho. Nao ouvi bem : mas torna
c, essa Lei.li. da Nossa Assembl* Pro-
vincial ou Geral ?
Sabidinho. Na5 be nam da Provincial
e nem da Geral; porem he dos Estados
O-omorf Oir, que me disse o mes-mo Ju-
is.
Doudinho. Pois entaS Sr. Sabidinho ,
nao creia om Brucbaj: eu sou quem Ihe
digo que na5 ha tai Lei. O seo Juiz se
Ihe disse isso estava mais doudinho do
queeu, com huma differenga; cuja s
ucr, adviube... a a Daos que nao estou
mais para o aturar. Se assim he qua Vra.
passa por Sabidinho, desde j Ihe digo
que he hum burriuho quadrado. Adeos
meu l)iii rindo.
Sabidinho. Tu o vers.
afila de denles, principalmente na fente,
no hombro direito ura laminarlo pendu-
ra do Os ps apabeitads4, ambos de 4-' a
5o anuos de idade, fugirao no dia i7 de
Sttembro do correte do sitio do irramf
doibaiso assignado, e gratifica a qoeni
der noticia delles ns quina'da praciuha do
Livramento, na loja dejlo Cailoa Per-
reira de Burgos Ponce de Loo.
\fW A pessoa que precisa de 15 000
a 20-0,000 sendo anda precise, dirja-
se a ra da sanzalla velba D. $9.
W Precisa-se de 100,< 00 a premio d*
dois per rento ao mez e com boa lii m*;
queraos quiter dar annnncie..
HQp* No da 18 do correte jterdeu-se
3 st-dulas de looo rs. eada orna a pessoa
queasachua qaereado estituir, uirqa-
sea ra da Madre do Do I ja o. a,3.
'.WP* Precisa-se de 3oo,000 premio,
para recehe-les em Maranbio ; quem .esta
negocio quizer fater annuocie.
roa nova urna canoa feixada com corrate
sendo esta pequea e a harta toda ao-
vo s a bugarda he de imb riba ja usada,
tem o paneiro grandeeoutro pequeo ni
proa o ferro voltaje para cima lera
dois bancos no meio; c no porto do pofo
da panella na ollaria de Th'omas Anto-
nio Nunes fuxtirio a 18 di. a aun oanoa
grande de carregar que pega em 4oo li-
jlos sendo esta velha, e f.i agoa est
demra embatumtdade barro, quemdel-
la souber e der noti iis deltas ao men-
cionados p >rtus aera' gratificados gene-
rosamente recompensados.
. Alnga-se a casa terrea era Oliorla
defronte' da Igreja daS. Sebastia5 D. i4
eom nraitos eommodos. tinto para a Festa
como taaibem anaual : quem a preten-
der dirija-se a Pora de Portas, casa terrea
d- fronte da casa terrea amarella que tem
o Nicbo de N. S. Mai dos homens. v
W* A luga-se ama casa terrea em u-
ma das principaes 1 uas do Bairro de San-
to Antonio, ou mesmo 00 andar de So-
brado: annuocie, o u ven ha aesla'f po-
gra, que se dir' quem o pretende.
^ M.anoel Antonio de Jess mestre
B.rbeiro com ten da na Rae da Cruz do
Recite na quina do beco da Lingueta tam
bem tire denles para o que tem bous tr-
ros: quera se quiser servir do sao prest-
ato o. podera chamar % ou dirija-se a dita
tanda.
WT Ni Padaria da ra ireita I). 34
precisase de um trabalhador de maaseira
forro oa cativo.
9a Eagem'e Amanso da Paix8Salee
tendo anninciadoqae coucertav* e com-
punha Pennos Real*jos, e O.grs foi
com effeito procurado para ditoa fias, o
corno se tenha mudado para a Boa vista ra
AVIZOS DIVERSOS
do artiga 4 do
ACommi-sio administrstiva da Socie-
dade H rmonica-Thealral convida aos
s icios bo da S.,ciedade no dia al do crrante pe-
las 10 botas do di a fin deproceder-se
a ele-i i a de nova admmistraco na forma
Estatutos.
Quem precisar de hum Capellio
resta piafa, dirija-se a esta Tipogiafi ,
que sabara' quem elle lie, a onde aasiste,
ouaoouncia.
*y Roga-se aos Srs.' Prefeitos, e Sub-
Prefeitos Commissarios e mis Autho-
11 da las Policiaes e pessoas particulares
o obszequio deapprehanderem dois pe-
los ; u-h de nome Luiz creoulo estatu-
ra mediana cor ratinta anda sempre
coa a cabega baixa e por essa tazio
de Joaqun*Jos de Yeras casa penltima
ao beco do Quilbo faz publico para quem
sequiser utmsar di sep prestiuio assim
como psra aquellesque tiveiem ditos ins-
trumentos era sua ina5 o que prometi
satsfasera todos com promptidad.
U lando
roo-
La-
a triiioar fora desta Praea nao' disli
mais de a o legoas ; a escrever, ler ,
tar e Gramtica materna e
meio carrancudo com um dedo da roio
direita cortado e os ps tomados de ca
lor de figado que parece formiguairo ,
hebiin conlieciio em S. Aatfo Muribe-
Muitome honro como sentiaieato que 1 ca e Villa do Cabo : ooutio Martinho ,
os verdadeiros homens de bem lera moi
liadj no facto acontecido ; e a estes serei
creoulo, de midiana e-titura cor fula,
naria chato e arregazado coiq mtt'lai
tina Gramtica Fraceaa ; prometa to-
do o desvello, a cuidado paia com q' seos
alumnos se mostrem bastantes cuidadosos
em seus estudos: a pessoa que do seo pres.
timo se quiser ut^isar e faser essa honra
annuncie sua morada para ser procura-
da.
= Precisa-se de 5oo$ feis a juros
dandoe da bypotvca curo ou prata a
mesmo boas lirma: annuuoie/
a/^ Quera precisar de urna mulher
de niela idade para ama de pequea fa-
milia ; annuocie sua morada para ser pro-
curado.
-----Quem precisar de um Por!, para
caixeiro de venda <>u masmo andar com
preto venlendo pa5 : aonuacie.
----- Qualquer Seabor soluiro, ou ae-
rado qu tenha poara familia, eque pie-
cizedebama araalivre, para Ihe faztr to-
do o ananjo de huma caza de portase den-
tro, derija-te roa da Floreotioa ut ca-
sa D. 10.
=-i- Engomarse por preco cmodo tan-
to para hornern eOtuo para Senhora pro-
metiendo se servir conteni: detrs de
S. Jos D. 14.




DIARIO DE PKRJIAMBUCO
RES
P.
$
PC
re
ce
V
II.
d.
d.
ei
H
l
k
d
V
q
b
I
o
\
I
I

I
pesseas
)tea da \
le, p
IT.
jeja O Secretario da Sociedad A poli-
na convide os Socios da mismi para se
reunir a menhai al do cerrante pelas
5 horas da tarde.
ff^ Um homem forro, ou escravo que
aiba bem mu-igir leite, tratar de vaccas
eflualqutr outro aervico que nocesuri*
&e fizer era um sitio mu pe to desta praca:
na ra da Florentina na peuultima casa da
da parla do norte.
K> A pessoa que faltar um rriuletinlio
da 10 a 12 annos, dirija a ra nova, ven-
da junto u leitio, sa dir' onda et'. o
dio mnlitiaho.
Jtp^ Quera precisar de uta aieiro de
ra ou ese i tu relo e que seja pascua
de bon$ cu.turnes anohnCia a sua mura-
dla para er procurado.'
3P* O Senhor Francisco Garvn no ala
Aguiar morador no engenbo Cuito da
rajzeequairaeDt do Hospital dacaiidade sobre unja sua es-
rva por nome Benedita mais manhose,
dequedouds, que ora exi-te na Cideie
desta Cida te.
t*5a** Quem prscisar de am cont de rs,
a juros da* lo por hypotbeca heos dti rua ,
ou firmas a conten, dira-se a ra da
S. Gonsalo D 5.
4^ A pessoa que aanurjcioi qeerer
saber a morada de Felipp.- J3au laura sen lo
queseja Fippe de B.nos Bandeira poda
apounciar sua morad 1 que sar procurado.
W* Ailoga-se um c.noa que servia i
$ara cirregat areia : na ra pov D. aa.
JUp* R ga-se aos Snrs. Prefeito*
Sub-Precitos Commissarios e rn i% Autho-
ijdades Policiaca ,/ pesaoaa pxtticularee
t> obsequio dea ppreendar uru preto de
norue Costra, alto, secco .bem conhe-
cido por ter o p dirtito miado, 0 no-
mesrao idto o dlo mnimo: gruifica s*
a quem der noticia delle na ra Direitt
D. ao.
IF A peisoa qaa quar comprar ota
salim i u/.ado dinja-sea lora de portas
venda a. 17-
. 9W Pnsiaria eu por indulgente, e o
mais mg ato dos homens, seoio agrade-
de-se por va do prelo a todas as peaioas
que do presente lance de inl'uri nnio ( qul
ls*e o ta'lecimento de meu querida gen
10, eniaior dos amigos, Antuvio Josquim
do Carino Nun s ) me liorna se com sena
sinceros, e temos seritimenlog bal las-
ca ios, dolorosos psames: palo .que
reitero os meus votos de granito 'tais
peesoas, aom expicialida.de aos habitan-
tes da Villa da Iguarat-i a eua a rabal-
de*, pgr ser aln ib ais couhecilo e resi-
stir.
Joaquina Francisco do Reg.
Joza Gonsalvts de Miran
ionio Fraociace dos Sautos Braga
o dia. 19 do crreme.
^ Pipci ase d>- umamulher da boa
conducta, que seiba prestar o servico or-
dinario deuma cn de pequea familia :
vicios ou em elle*: na cambas do Carmo
D. 11 no segunda andar nos dias 2.0, ai,
2a, ea3.
VENDAS.
O Numero 45 do C*affcPucF.iao ; na
praca da Ind"peud*ncia )o;a de liviosuu-
meros 37 o 58.
XaT* Listas dos nmeros premiados sa-
ludos hontem (a. dia) da Lotera do
Seminario de Olinda, a 4o rais nos luga-
res seguintes: Pra? da Independencia-
lja de livros nam ro 37 e 38, ra do Go-
l.-gio Botica' O. 5, no Rerifa ra da Crut
por del ras do Corpo Santo numero 3o,
Ata ra da Boa-vUe Botica numero 4o, O*
I ula na roa dos qnairo Cantos loja de Jo-
to Nicolao, oesta Xypografia, e pelos das-
li ibuido. es do Diario.
O preciosos poses posea purpat
a de-
clara que deixou de .-er caixeira de An-
desde

narua do Noguaira D. i9 lado direito.
fafaV* Preci-a-se de alugar urna p eta pa-
ra urna casa de pequea familia ; quem a
tiver anuancit.
NAVOS A CARGA.
Para Montevideo

Com escala para S. Catharina, sa-
hira t o G/n do corrent rnet o muito
vele:ro e bem construido Brigoe Sardo
Pillades. a Orettes ; qnem nelle quiser
carregar, ou hr da pass^gem diiij-ie a
sea consigaatirio A. Schramou, rut da
Coz o. a7.
Para o Ara^rai y
g^a> O Patacho Mara Luiza sahe no
dia a6 do currante sea falt levando os
fretes o neis e-Jiiimodo possivel., 6>uue
tem axcelientss commodos para piaeMti-
rafe
COMPRAS.
faTJJjP* Urna lipoi com o sea competente
pan: no atierro da Boa-vta veuda De-
Lima 19.
fjrj"* Urna quartau novo e qoe saja
pas-riio: na ra da florentina casa ulti-
tjma jao'o a inai;
*& Exrtrca rehuilos, iai'io$, com
?os e aute-bilSsoB, legtimos do Rio da
Janeiro : na ra do Crespo lja D. 6.
J|a* O muito ve-lriro Bngue Ingles
Carolio forrado e encavilbado do cobre ,
cbagado qltima vente de Triaste : em casa
dos ronsenaUrio M. Calraot e C.
J" Um oavalloUzio bastante gordo ,
com bona andares ba>xo : na ra do Cres-
po fJ.ja D. 9.
HE- Urna escrava d'aogola de 18 a
2o auno da idada cose, e engoma. e
boa counbeira ; urna riea mubilba de Ja-
caranda contenuo urna eouimoda com 6
segredoa um rico aa.flf, e 1a cadeiras
de gohto moderno, e tudo por pieco rom-
modo : na ra do cahug loja do B.indei-
ra do Rap.
ajojr* Um es'cravo. pardo qua repre-
xenti 4o aunos de idade proprio pa>a o
aereifo de campo: e urna ratea pacida:
na ra do Queimado luja de fatendaS D-
cima 8.
WJjr Uma pretaoom boas habilidades:
na ra Dueita D. 2o.
^ t> Uin portio de ferro, e um rico
violao n iaa vflba da Boa-vista sobrado
Decima 3^
WT No lugar de S. Amaro, contiguo
ao piojectado Recoda oveja i5o palmos
do trente e 64 de fundos Jk terreno ,
piopriopara e nfi ar um bom sitio: no
be. o do Vera na B -a-vista asa tarrea
*o pedo C.piao P.idilh.
tW C lindos padrSes : na ra nova loja de Fre-
derico Chaves, .5.
Wp> tima prelada Costa de meia ida-
de nazi nba o diario de uma casa e lar?
roupa : na ra da santala nova confronte
as casas do finado Antonio Marques.
Jai" Potassa de boa qualidade e por
preco cora modo : amada Gru D. 9,
em casa de Lus Pereade Faria.
Uas carrinho da doas rodas por
A Sumaca S. Antonio Vencedor
ancorada dafronta do armisera do sal,
com todos os euspeitances : a fallir com
Uanoel Gonsalvss Pereira Lima.
jrjj** Uma toafha de cacuuil asenta-
do am paoioho : nos 4 cantos da Boa vista
venda n. 2t4.
^rjp Outroea-se por uma eseravs, um
negro bom serradoj a que fas sai vipo da enchada : na roa dos barbeiros
terceiro andar das ca^as juutas au Sr. J. P<
de Lamos. *
joy* Pautas da alfandega, Regolamen-
tos da alfandega Potus do'Brazil, Collac-
s5es e Decretos das leis do Imperio do itra-
nl'de 183a a 1837 ItaNHio do Rio ao
Pare Maiaubio rom inappa, [listara do
Brasil Memorias da Campan lia de D' Pedro
de Alcntara historia da N*poliao a vos
do propheta as novellas bi-torios Jocosas
Talijinao, solitarias de Murcia' Leocadia,
as smigisrivaes ocasamaoto por vingto^a
Celestina, Iddalina ,.Mana" do jqgd ce-
rnir fice. Dictcinaiio Toprogapbico Si-
mio de nantus T.zouro* para os meni
nos* Orculo das S-nhora Constituigo
poltica *>lrar,l754 a-enaer e Lasgilacio-
do Imperio: na ruado Vigaiio n. 16.
Um carro de quatro rodas, rjueteiii3
orden de arreios para dona esvalips e para
um, com todos os mais perteuces : os per-
tendentes podem ir vsl-o em casa do Se-
geiro delronte da Matriz da Boa-vista ? e
para o aju.te diija-ae a ra Nova arma
zem de Ipoca Gna D. ia.
VV" Um Diccionario Frar ez para
Iuglae ^e Inglez para Francez sendo no-
vo ou azad : annu.ncia.
X#" -Tresenlas bar cas abatidas ; de
muito boa qualidade e mus uma canoa
berta ruuito boa propria para canta e
familias : dirijaS seo A tierra do afl ga-
dos sobrado ou armasera de Naaciataoto
e Comp. logo no principio do meamo at-
ierro.
ESCRAVOS FUTIDOS.
preco commodc: na rus nova, na coebeira
Fraajceaa.
9PP- Uma preta de a5 annos de idade ,
lava roupa cozinha engomma e faz
Hoces de todas as qualidadta : na ra de
S. Gonzalo D. 5.
*VW Una poiclo de chales de.m'rin,
da ultima moda : na ra do c-bu na
quiaa qua volta a das thuieiras loja Fran-
cesa.
/a*, Uaw mubilba de jicar-nd sendo
ronopusla de urna dur.ia da cadeiras, um
soff duis baucaa uma dita de ineio de
sala >a ra ora I). 54
WW Vellss de sebo 111 u i bem faitas a
duzia s 16o, e tomando porefo *e dar
mais ericouta : do beco das barreiras lado
esquerdo na prrneira casa.
et3^ Uma preta engomma bem cozi-
nha cose e lava : na 5 pontas penl-
timo obrado do Peixote.
?3P" Sentantes de orlalice, e de flore!,
indas iiltimamsiilo de .Franca ; na ra
d j Rosario botica de Joo Pereira da ilvei-
ra D. ta.
Tafe** Uma boa vacca prximo aparir :
na ra d CmzD (j.
WT Uma paeta moca ^ cozinlia o dia-
rio da uma casa engomma e lava rou-
pa : as 5 pontas D. 43.
WP*" Sement da ortaliee altimamente
ebegadas de Lisboa xarope de pontas de,
espergo por Cbevallicr : na prava da Boa
vista botica D. i(.
VaTa*" Urna clannvita nova : na ra do
Crespo loja do Sr. Mauoel Gomos di Csr-
vslbo.
ann
Eogono mezde Julboum ssora-
vo de nome Jo e da nago caoatiga com
os siguaes seguinle, baix > ebeio do cor-
po caa tedooda olhos oup.-dos e rosa um
dada mnimo do pe! da menos e com o tur-
nosello do mismo pe mais gi oco do que
do outro e com um talho oacabeca e outro
por cima do olh. esquerdoque dizque foi
uma q teda de cavallo ; aquella pessea que
o preuder lave ao sea Sr. na Boa-vista
ra da Cooceieio D. a4, que ter bem re-
compensado.
%Olr* Fugio para a manheoer no dia 16
do correte um prelo aacravu de nome
.Fihciaao, alto'j groe* ten? uma barruga
em um lado do rosto, e representador 35
nnoade idade, eleyou camisa e caica do
u lio e chapea fiuo de naci angola
lea) de padreiro tiabalhava as obras
pblicas, e consta ter si lo siduzido por
outroa com quem tf.nhem fugia juntos
para o mato com ferrami oto de pedreiro
e que seguir palo Ipgar do Affgado le-
vando uma caita fecnada fingindo masito ,
que vio a mandados de s^us Senhore^,
qovm o acbac pode levar a ra da Madre
de Doscaa u. i95.
nraaa* No dia i4 do corrente mez fugid
de Olio da e foi ristu if em companliia
de um malato de noma Jacinto escravo do
Senbor Tenenle Marcelliuo Lopes, uma
escrard da nome Libania, cal>w cor de
g rifa estatura ordiuaria olhos papu-
oossobrancelhas lechada cabello solio ,
vistota levou veotido braoeo de cambra-
ia comban-a salpicada da lloras serea,
p.nao fino preto cinco voltis de cora> de
ouro com uma cruz ao pt.acoco e arplas
lizas de ouio uas orelhas tmha sabido a
vender bauaaas em um taholeriuho recon-
tado quem a pegar pode liv-la no Recife
a seu Senhor Joapuin Jos Riballo uo
btco da Lin^ue 1 a ou a sau'tilho Antonio
Joaquim BVeilo Pe>la, em Olioda .obra-
da novo indo pira o bom suceco qoe scrao
reeon}prueado do sau trabalho.
%WT No da 11 do crrante as 7 horas
da oita dezapareceu da 1 ua do JAozario da
Boa-vista da caso, de Joio Rodiigoes da
Silva urna poeta ioda rapariga alia mui-
to preta, olboa grandet uma perna meia
torta com vistido e xilU couiprido sem
camisa, com urnascontas biancosnu pes
coco ; quem axar pode levara, ditu i#ji
de Joi Rodrigues qua ser bem recom-
pensado.
|^> a. dias desaparecen tim mulato por
nome Lino oficial de allayate alto, sec-
co com algum geiio nos olhos repre-
senta ter 2o anuos de idada e foi esora-
to de Joo Xiier Crneiro da Cuuha ;
quemo apprehander, pode leva-loa m.i
nova defronte da Conoeifp que sera'
gratn i-ado.
/<#?* No dia 6 do crrante fugio do po-
der de Joo Ignacio Rodrigues da Costa
un preta por iiome Agostiulu creoula .
cujos os sigues bao os seguintes : estatura
alta, tecca do corpo, beicos grandes,
o.h.-s um tanto grandes i 0111 folia d-j
todos os dantas da frente da parta dcima ,
a qua! se inculca forra; qnalqusr peiioa
queda masma souber dirija-so a Solidada
sobrado D. 11 'que era'' m recompen-
sado ; as>im contotajprutesa contra q tal-
quer pessoa quowtiver occlts nio so
pelos raeios cii'minaes como pelos das
desmeos, quaeacha fgida.
rjjja* No dia 15 do correte figio am
escravo de Luiz Pires Perrera, com os
Mgnaessegaiutes : alto, bastaute iheio do
corpo tem osdois daotes da frente lima-
dos, as per as tortas para dentro', le-
vou Clama de algodfasiuho, e calsa de
ganga ja di-bota Ja ; os Bpprebendedores
podara leva-lo na ra nova sobrado de 3
andaras, que faz quina para a rus do sol
que serio bem recompensados.
Antonio naci ces*aoge bastan-
te prrto,cara muito bixigosa p >uca
barbado altura regular saco com as
mas muito grossa por ser caranguigeiio ,
qu m o encontrar pode entrgalo em casa
do Fiacal oeS. AnlQno-Rodolfo Joso Bara-
ta de Aleaeida quesera geneibamnte
recompensado.
jCa^ No da 4 do oorrenta fogio am
preto por nome Matheas uago loanda ,
e com os signaes seguinles : altura pro-
porcional grosso do aorpo, pj grandes,
bem tallante, e barbado, Ictou vestido
camisa de brim e caLa de ganga azul ,
os appreheodedores que.o pegar quei'S
levar no atierro da Boa-vista, loj 1 de
Joaquim de Oiiveia e Soasa qoe grati-
ficara' generosamente.
W^ Eugio para a manhecer o di 6
docorrente hum pretu du nome Felicia-
no, alto e groseo, camisa de a'g-di, n
ch-peo fino deuacio aogola oDcial de
ped tiro, tr-bilhava ns obras publicas,
e consta ter sido teduzdo por outro com
qaera tambera fugira para* o mato, le*
vaudo algurna fejramenta depelieiro, e
que eeguira pelo atteiro dos Afogados :
qaem o pegar pode levar a ra da Madre
de. Daos n. if)5.
fflr* Fogio urna negra a cinco para teis
annps, rracio rebolo, eipigada do cOrpo,
pWttai finaa cor muito pret, cara bix-
a%osa, olhos pequeos, nariz afilado; .8.
leve muito lempo na liba da Tamtraca*,
noSmparo. e andou em companhia da
_ uta negro Joio Jos de naci ngico, cs-
cr.vo, que foi do Sor. Desembargidor
Maciel Monteiro, e lavava roupa noCar-
dereiro ; julga.se ester occnlt ern algum
cilio ou engenho: qualquer cepillo de
campo quesouber onde alia diste leve a
lUasenhoia a viura deL. de B.J, que ser
recompensado.
MOVIMENTO DO PORTO.
NavioSahido no dia 18.
ACARACU'; Patacho Nac.Jasnna Eliza ,
M. iVlanoel Joz, carga vatios geuaros.
Entrado no dia 18.
RIO DE JANEIRO; 18 das, Charra
3o de Agosto, Conjmanlanle o Capi-
tao Tenenle Menezas, e tra-z a seu bor-
do p lapitio Mar de Guerra Pran.:isco
deAssis Galual Teive.
Dia i9.
MABANHAO'j a9 dias, Escuna Kac.
Virginaco.ai IlqT. M. Jeaqoam Gon-
salvtsMsya, cargs vaiios genero : a
M. O. R.Uiigues.
HAVIBUKGO 1 66 dias, Bate Haobur-
goezaLathema urothea, M. G. Tuo-
maoo cligj vaiios geneuos: a Roreit.
PEftN^ MiTre J1 M, F, FARIA lWf\



CORRESPONDENCIA
Senhorm Redactores
#
O
tita inrerto era sea Diario n 188, por Msnoel
Antonio Coelho d'Oliveirn Jiioior Excri vo do Criine
detta Comarca do Rio Formoso ; no qnal diz que. nto
altrevi a aubornar ao seo esc revente Alejandrino Feli-
cianno de Santa Ann, com proroetimentn de d usen tos
patacocM hmn cvalo de estribara huma parte, no
Engenhn Paravira &. & para o fim de apanhar huna
autos qne ae acha em seo cartorio, ao teve por fim en-
porralliar a homa de qut-m lalvet aprese roais que eaae,
ajanaba de levar meo noiae aoa typoo. Todava o mal
est feito. Cunapre por tanto fazer ver ao Publico, que
fui alei visa o vilmente oalumiado por eaae EscrivAn.
Era verdade en nao me daria a este trabalho, ae por
yrotura aquello Diario s foase lido por aquelles que
me ronhecera de porto, petar de que ansian mesmo
quantns nao te rao lido aquello Aviso, e sem que ao seo
-conliaeiniento ebege a minha defeta, vantagem esta que
tein us celuniadores Mas em fin facaiuos o noeao de-
ver, rendamos ao Publico o que o Publico exige de to-
do o Cidado. Convera qne se saiba priroeirameote ,
que quando eaae Eserivfio veio para esta Comarca ; por
recomendocoena de aeu Pni, fui eu o maia presta ve) que
lie teve para tudo quaiitu precisava; e neste terapo
confessava se rile meo agradecido c obsequiado. Por
tanto se en quixesse apanhar eases Autores, falsos, co-
mo diselle em seo aviso, quanto nao me seria fcil a-
proveitar esaa o eeasiio P Alera disto, notempo em que
ae trata va de pro va r a falcidade desaea Autos pelo nteo
contendor, elle limito bem aoube que se me offerereo
e ettraviod'elleseo quai eu j mais aniii pela poucaou
neubuma influencia que poderia firter em rainba quea-
tfo. Ora se nnquelle lempo ea podia aver a quelles
Autos, j pela facilidade rom qne eu tinba o dito Ea-
crivo prompto a me servir, como agradecido, ji pelo
offereciment que se mu fes como elle particular-
mente sabe, eu 1180 s quic remo quereria boje enro o
pesado desembolso de datemos patacoena & & *
Acrresae que ease mesmo Eacritlo sendo capis de Ven*
der huna autos criroe por vinte cinco mil res como be
publico nesta Comarca ; e bem se prova oora a denun-
ia que deu o Promotor Publico, qne abano se trans-
creve ; seria omito capas de vender outrat por easa
fusnlia que dis elle, en offerecera a at escrevente,
ortanto arista do que levo dito astou que ninguem
daixarde ae fcser justica, e de se oonveooer quo
aquello caluniador nSo tere por flan sent velipendiar
minha honra, apexar de que esta me parecendo que
esse aviso nao fui nteiramente parto daquelle mitera-
vel; mas aim do meo Contendor, taires persuadido de
que cora iaso possa fazer prova 1 seo favor. Agora
nu posso deixar em silencio o crdito, e conducta dea*
ae Escrivao. Porventura j nao estar bamido com a
vonda dos Autos que acabo da falar ? Ja nao estar ba
nido por ser apaixonado deBaooo ? J nao estar* bani-
do pelo ponco, qne sabe cumprir com os seos deveres f
J nao estara banido finalmente por ser huai deudo f
E agora nao ficar mais banido com a caluma que me
levanta gratuitamedte ? Basta Senhoroa Redactores ,
que estou me tornando fastidioso cora huasa defeta ,
que nlo merece considerado por aer ella aquellas ,
que se pode lser em duas patarras. Rio Formoso 7 do
Setembro do 1837.
Sou seo constante Leitor
Jos Antonio Lopes
Illm. Senr. Doutsr Juit de Dimito du Criroe
J7 erante V. S denuneia o Promoelor desta Comarca
do Escrirao Antonio Coelho d Oliveira e o motivo do
aoa denuncia he tero denunciado rendido huus au-
tos criine, que tinha em seo Ca torio pela inorte ,
que fes hmn hscratode Jos J-aquiiu de Miranda, a
oulro de Antonio da Silva Martin. ; e coran sej pro-
hebido pelo artigo 130 do Cdigo Criminal; purisso
nutoada esta e tomado o juramento V. S. mande-o pro-
cessar da lorms da Le.
Rio Formoso 4 de Sotetubro de 1837
Eduardo Soares d'AlbetjpirifJ
Promotor Publico
Testemnnhas
Joaquim Aurelio Vanderler.
Jos Luis da Silva Guimaraeni.'
Ilarie Francisco de Salles
Jos de Araujo Fu i toza Caralcante.'
Antonio Francisco Dini.
awo
Pemarabuco a Typ. do M. M. Y auna. 1887 Ra do Lwamaato 0. #


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4TL77AHQ_8CFOTV INGEST_TIME 2013-03-27T16:56:36Z PACKAGE AA00011611_02752
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES