Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02588


This item is only available as the following downloads:


Full Text

I
ii i i mu ii i ii n i ..

ANNO K 1854.
SABBAD0 24 E MAIO
""wmnWMVW"
w*i %%%m ,
** NUMERO 395.
il%lillit>
01M10 M tSMtltlTCQ%
BRB
-M
m
Subscreve-iettiensalmente a640>ls. adiantado*. aa Tipojrrafia
Diario, pateo da Matriz de S. Amonio sobrado da pona larga
onde se rccebein correspondencias, e anuncios.- este* insirem-ae
f ralis sendo aos propriosasKig-uaiiies tmente e viudo asmraados.
Tudo agora depende de nos mesmos. da nossa prudencia,
deraqo, e enerva: continuemos como prineipianms e ser
apuntados con admiraco entre as Nacoes mais cultas.
Pioclamain da Jsicmblea (ieral An Bra%il
mpjcmo em ^ratamtwcopot X % be jHiran&a Jfalca'o.
m
m
DAS da SEMANA
a **% %%*
*A*Va %*%,+>%,>%% % %,ay%%,ay%%a*,*%'%ayya%y *%%%%<
5abbado-5. 'Afra M- R-el"" de e nud. do Vig-
G. de t. Preamar as 4 li. 30 m. da t.
Dom.' S. Giegorio VII P. Preamar as h 5 18
minutos ()a t.
ARTIGO D'OFFICIO.
DECIIETO.
M. Regencia Permanente, em Nome do Imperador o
Senhor D. Pedre II., Nomeia ao Bjcharel Bento Joa-
quim de Miranda Henriques, para o lugar de Juiz de
Direito da Comarea do Recifej que se acha vsgo pela
remoeo do Bacharcl Antonio de Araujo Ferreira Ja-
cobina, para a Comarca do Alto Amazonas; ficando
sf*m offeito o Decreto de G do corrente, que o havia
nomeado para esta ultima Comarca, ureliauo de Sou-
za e Oliveira Coutinho, Ministro e Secretario de Esta-
do dos Negocios da Juslica, o lenha assim entendido,
e faca executar.
Palacio do Rio de Janeiro em 17 de Marco de 1834,
dcimo' (lerceiro da Independencia, e do Imperio.
Francisco defLimae SilvaJlo Braulio Moniz.Au-
reliano de Souza e Oliveira Coutinho.
CMARA MUNICIPAL.
?9.' Sess&o ordinaria do dia 6 de Maio de 1834.
C
Presidencia do Sr. Oliveira.
lOmparecerlo os Senhores Oliveira, Ferreira,
Camelo, Silva, Gusmo, Souza, e Costa, fal-
tando com causa o Senhor Esteves.
Aberta a sessao e lida, a acta da antecedente foi san-
cionada por estar conforme.
O Secretario dando parle do rxpedienie mencionou
os seguiules oficios : hum do Venador Esleves reme-
tendo a chave do cofre da Cmara a qual recebeo o
Snr. Oliveira.
Outro do Juiz de Paz do 3." Destricto de S. Amaro
de Jaboalo dando parte ler passado por molestia a va-
ra ao immediato : inteirada.
Outro doCidado FelisCorreia da Silva junto rom
huma allestaco pela qual motrava a mpossibili'dade
phisica. para servir o cargo de Juiz de Paz do 5. Des-
tricto das 5 Ponas r aceitou-se-lhe a demisso, e que
se chamasse o immediato em votos para vir tomar pos-
se.
A requerimento do Senhor Ferreira 'resol veo a C-
mara qae se pedisse ao Doutor Dornellas encarregado
ititerinamente da Saude de Ierra a resposti do Oficio
que se lhe tinha dirigido.
Ao Senhor Silva para dar o seu parecer sobre o fe-
quericento de Januario Alexsndrino da Silva Rabell
Caneca para ser cordiador da Cmara : remeteu se-lha
o seo requerimento. E por ser dada a hora alevantou-
se asesslo. JozeTavaresGpmesda Fonceca S. a escre-
Oliveira Pro PrezidenteFerreiraGusmo
vj.
OliyeiraCostaSouzaCameloSilaa.
PROMOTORIA PUBLICA.
*Llm\ SenhorA bem da Cauza publica, queira Y.
S. declarar-me por escripto, em que estado se acha a
denuncia, que dei por crime de responsabilidade, no
dia' 13 do corrente, contra o actual Juiz de Paz (leste
Districto, Joze Bernardo de Figueredo.
Dos Guarde a V. S. Recife 21 de Maio de 1834
Illm. Senhor Antonio da Silva Gusmo, Juiz de Paai
Supplentedo 1. Destricto do CollegioJoze Tavares
Gomes da Fonceca,v Promotor Publico.
Illm. SenhorPeco a V. S., que, a bem da
Cauza Publica, baja de me declarar por escripto, se
ja fez no principio deste mez a visita das prizoes, e ca-
deias determinada no art. 4.' do Decreto de 29 m
Marco de 1833.
Dos Guarde* V. S. Recife 22 de Maio de 1834
Illm. Senhor Francisco Maria de Freilas e Albuquer-
que, Juiz de Direito Chefe de Polica da Comarca do
RecifeJoze Tavares Gomes da Fonceca, Promotor
Publico.
s.
COMMUNICADO.
Obre o teor porque procede o nosso Ju>z de Paz
o Snr. Figueiredo a respeito do Promotor Publico
d'este Municipio val a pena soltar algumas rabiscas,
nao desperdicarei a ocasio lo favoravd, que ora tenho.
Desculpavel que o homem mostr inimisade, odip,
rancor em objeclos particulares ; mas nunca pero-
pregado publico em seos actos deve de deixar resahio
d'essa fraqtieza humana, e no que toca objecto d
publico interesse deve de obrar com mnilo tent, ser
cuidadoso, deligenle, sollicilo, desveladoepresto. Nis-
to, quantoa nosso ver falha o Snr. Juiz de Paz Fi-
gueiredo, quando riega as providencias requeridas pa-
lo Promotor P ublico, recusa receber os seos oficios,
se da ntr suspeitoem quaesquer materias, em que ella
intervier com o parle acu/adora.
Dando tod.a a esfera de conhecimentos ueste Juiz
oio posso l'ugir de taxar de alvar esse proceder, que
em nutras palavras equival declara se i n inri godo bea
publico, edefensor dos abuzos, e dos crimes. Que le
d por suspeiln em todas ascauzas em que o Snr. Tt-
vares intervenha como particular c justo, e louvavel,
fois que mostra desejar obrar reclmenle, d'tsii' mo-
do afasia todo mo crdito, que lhe poderia d'hi vir,
-.'..
T
/


. .
.11. -.-
riJW)
tranquilina a sua consceneia ; mas de dar-se por
sus pe i to em toda a materia em que intervenha ramo
Promotor Publico s pode apladir-se um rstico,
que mal sabe assignar-se de cruz. Eu quero porem
suppor que isto provew do grande odio, que contra o
Promotor Publico guarda o Sur. Jaiz de Paz, e lasli-
rto-me bastante por ver como se sacrifica o bem pu-
blico odios particla-eo, com quinto dese|e todas
as venturas 80 Snr. Figaeiredo, e espere que elle re-
forme sua condccta, nao posso com tudo deixar de
gritar pela punico d'essas e outras faltas.
A.
-* . X J A segunda vez, que noss;. folha reco/re o Snr.
Federe i:t?.como lie t!e nos 'pedir'do fallemoJfcfnbre
h descuido qua iem havio de se, mandar rermir o
Con s I h o (io'lcr Revista dos G. Nacronaes, e
segunda vez que a j323soa queni e|!e pede para arran-
jr-fh'a sua correspondencia com,aquelle Bin.ostensi-
vo encobre mdm su, que cen>urar-nos pelo mpdo
com que dirigimos raaccao de nossa folha, e teeer
indirectos elogios ter'ceira rYS desinteressada perso-
nagem. Para fazermos a vonlade ao primeiro, de no-
vo pedimos ao'Sr. Jiz Criminal, quena forma do
rt. 21 da Lei de 18 de Agosto de 1831, exija dos S.nrfc
Juizes de Paz do Municipio a lista dos jncaes e OTi-
tfias Inferiores das G. N. domesroo, e ponha.em efle-
Atvidade esseConeeliio, que tanto deve influir na boa
disciplina oestes1 Corpos. Praza Dos tenho uossos
votos e Afeito ; mas nao seria mau, que para os reforcar
mTugar de correspondencias, fizesse o nosso corres-
pondente alg'uns requerimentos ao Sr., Juiz Criminal,
srvinrfo-Se para isso da mesma labioza penna, que
prompta a eensurar defeitos alheis, nunca de si se
d siembra', se ertcixai torta e direito has calum-
nias' e insultos, que contra pessoas' rrspeitaveis por su
$luzs, srvicosem pro! da liberdade assara, e pu-
WtcaV Tafvez sja mis efficaz este mel, e delle de-
va tancar mo o Snr. Federalista, ne com as suas
correspondencias d somente occasiao a se nos censu-
rar, Cm quahto qu o seu objecto jmenle de leve in-
dicado. E porque se nao dirige esse Snr. escriplor
os otro's hossos Collegas Redactores? E que tem
elle com o modo porque dirigimos nossa folfia, ou
opm a influencia (que ho existe) a que estamos sugei-
tos!* Equacs sao esses elogios, que tanta inveja Ihe
cauzo; ou insultos porque tanto se doe, que em nossa
folln tem aparecido ? Note-os elle, mostr Ihe a sem
rzao, e injstiea com que sao dictados, e si tiver ra-
' r'^'far-lhe-hemos justica, cohibndp nos delles. Fa-
&>-o; porque nos ho lembramos, de tr tecido des-
h'r'ecidos encomios; e menos ainda asssacado calnm-
i'ii'as, e laucado baldoes contra lguem. Si em algum
"C'mpo tem as folbas desla Provincia, pelo menos em
v a rfeos de seus Redactores, guardado o neersrario de-
Cor, e decencia, terh sido neste ultimo anuo, e bos
*'julgmos ler Concot rido muito para to dezejada, e
honrosa corieco. Menos importuno, mais imparci-
al, e mais sincero devia ser esse nosso censor, si qui-
zesse na rali Jade o bem publico.
t
EDITAL.
Manoel da Fonceca Silva Fiscal da f veguera de
\S. Fr. Pedro Croncalves do Babro do Hecife &re.
. .. -i. 1*1
!ff'As saber, que tendo a Cmara Municipal desta
Cidude prohibido pelas suas Posturas, que se estn
J fles'se pellas ras da Cidade couros salgados'ao sol,
com detrimento nao s do liyre traozito para que
se as ras fascm, romo tSmbem por ser reconhecida-
mente nocivo a saude publica, e sendo do raeu dever
evitar um semilbante abuzo, se faz sciente as pesso-
as que lrafico neste genero, que de hoje em dian-
te s se poder estender ditos couros, no lugaf da
Fortaleza do Brum, como expressamente detremina
ai mesmas Posturas, sob pena de seren multados na
comformidade dellas, e para quechegue a noticia de
todos, mandei publicar o prezente. lairro do Recife
22 Maio de 1834. Eu Joo de Dos da Costa,
Ajudante do Porleiro o escrevi.
Manoel da Fonceca Silva.
%%/*%v%%v **%* v
I!
Publicaco a pedido.
J|Llm. e Exm. Senhor PrezidenteA. Porlaria,,, que
V. Exc. se dignou dirigir datada de'3 docorrente, *&
ct-b'i as G horas da tarde- do dia 6 ; por ella me poeni
V. Ex?, na intelligcncia.de mandar eu, passar as com-
petentes guias aos Guardas do meu Commando que re-
querendo regressar a Capital ^ror infermo, o-Comman-
dante em Chefe os mandar demetlir do servico. Hon-
tem recebi dste a nota incerta, ordenando-me para
demetlir do servico, e passar guia as pracas nella rela-
cionadas, existentes nos Hospital do Engenho Limeira
em virtude de oulra Portaria de V. xc. a elle remet-
lida, au(horizando-o para mandar dar escusa do.fter-
vi^o as Pracas leste Corpo no cazo cima reloridp :
esta to justa como sabia deliberacao di* V. Exc. seja-
me licito dizer, como reprezentando V. Exc. que, a
^raca, o gosto do servico Militar, sao certas regalas,
uc tem os Commandantes dos Corpos, e perdidas el-
as, servir-se s pelo sold, como por um principio
de subsistencia. O Commandante em Chefe cujas
ordens gos'tozo mesubmeto, como encarregado d.tdi-
fecao da; openi^oes Militares, contra os lccjosos le
Jacuipe e Panellas, de suas attribuices delerm,1*
o servico, os pontos e lugires que devem os, Corpos
occiipar juntos, ou divididos, e oulias couzas, que
numeral-aseu seria faetnidade minha ; porem mandar-
me ordens pira dar eu baixa este, ou aquelle indi-
viduodo Corpo, assim como admitlil-os, s porque
o authorizou V.. Exc. neg esta parle dq suas attribui-
ces, porque anda mesmo dos Corpos de 1.a Linha,
aqui acampados, nao pode o Commandante em Chele
mandar demillr praca a'guma, sem urna ordem pre-
via do Commandante das.Armas da Provincia ao res-
pectivo Chefe ; entendo por conseguinte, e do spirito
do Decreto da organizaco dos Corpos Municipaes
Permanentes, que s poderei mandar dar haixa (\o
Corpo s pracas, que tiver ordrm expressa de V. Exc.
para ofazereu, ou authorizaco sua, como Comandan-
te Geral delle, avista das notta*; que me passar o Com-
mandante em Chefe. Julgo-me nao poder ser tai.\j\do
de Condecendenle com os Guardas de roen Comman-
do, por que na Capital, j Mili com dalla de I .">
do passado tenho requzitado a V. Exc. demisso, para
os que nao leudo acabado o prazo de >eus engajamen-
to, se aprezenlo impossibilitaips para o servico } ven-
do j)or tanto assim deminuida a minha j.urisdico, ro-
go a V. Exc. se digne miliior exclarecer est'a materia.
Aprovcito a oporlunidade para reiterar a V. Exc. o*
meus rrspeitos, e inteira considerado.
Dos Guarde a V. Exc. Acampamento em Jacuipe
7 de Maio dr 1834Illm. e Exm. Snr. Manoel Au
Ort-alho Paes d'Andrade Presidente da Provincia do
Pernambuco Francisco Antonio de S Barreto, Com-
niantlante Geral.
~
T


,.1- ...
(1573)
>r
CONSULADO DE FRANCA.
'Abaixo assrgnado tem a honra de fazer publico,
pa bemdos Navegantes, que o pequeo faror com
togo hxo de Biarntz, foi substituido por ham figo a
edlipses, collocado cima da torre ltimamente edifi-
cada sobre apona de Saint-Martn de Biairitz, a bu-
ma mjlba ao N. E. do Faro! antigo, e duas e meia ao
5. 33*-0. da foz do Adoar.
Os|claroes do novo farol succedem se de meio mi-
nuto emteio minuto durante toda a ndite. Estando
otemposerenoavistao.se na distancia de oito legoas
martimas, e os eclipses s apparecem totaer quem
sliver olem de 4 legoas.
Consulado de Franca em Pernmbco 22 de Maio
w 1834.
, O Gerente do Consulado
F. Naudin.

ANUNCIO.
''W Administradores do patrimonio dos Orfosfa-
zem saber que no dia 28 do torrente se hade proceder
ao arrendamento das casas do mesmo patrimonio, situ-
adas no'Bairro de Santo Antonio, e das da ra da
Cade do Mauro do Rccife por tempo.de 3 annos, que
tera., principio no primeiro deJulbo prximo vindou-
ro, com as condicSesseguintes.
I." A renda ser paga em trimestres, de que se
assignaro letras sacadas pelos fiadores, e aceitas pelos
rpndciros. r
2 a Os reparos, e roais beneficios *de que preeiza-
rem as casas, sero depois de avali.idos, feitos peos
rende.ros ateo fim ,1o nfez de Novempro prximo, sob
pena de se ha ver por nullo o arrendamento ; e sero
descontados nos alugueis, depos de feitos, e nenbum
beneficio sera levado em cotila ao rendeiro, sem que
telina s.dj fcfto por aulorisacao da Administraco or
cuento. r
3.' Nao be permittida a sublocaco da casa, ou de
parte della, sob pena de nulidade da arremataco, sal-
vo oconsentimenlo da Administraco porescripto.
Nao sero admittidos a prestar Banca, nem a laucar
"a renda todos aquelles que em qualidade de rendeiros,
ou fiadores, Uverem dado occasio a ser demandados
Judicialmente parasalisfaco das rendas.
Todas as pessoas, que intentaren! arrendar as sobre-
ditas casas, poderao dirigir-se no di, aprazado ao Es-
critorio da Administraco das 9 Loras da manila em
dunle.
Manocl Zefeiino dos Santos.
Jos Francisco Feneira Cato,
'airicio Joze jorges.
*'*'
1>
THEATRO DO RECIFE.
Omi..go 2.5 do crreme, beneficio de Joo Bap-
tiza Lopes Guimaiifcs, ha ver o seguinte expeclaculo.
lA-poisda simpbonia da apera Aureliano em Palmira,
represeutar-se ha a peca-Os Trez Cerneos:
WvlW so destingue extremamente o Actor Manoel
Joze da Silva, dezempenbando trez caracteres inleira-
nenteoppostoscomtal pcrl'e-ico que be onde se ve
oemqiiHiitpelle be me>lrv de sua arle.
No fim da peca seguir-se-ba o Dtielo intitulado-
As moedase o entrems Abelha mestrae o due-
lo intituladoo P*j carracolindando o expectaculo
com o pantomimoo Amante estatua, que terminar
oom o niiudinbo.
A
Stofeog- tro Cctreto.
Sumaca Dous Amigos rece?o a vafl* pera Rio
de Janeiro hoje a4 do corren*j as\'"4 horas da"tite.

MVWV
**M*Mj*M
ietlao'.
VrS Administradores da casa de Smith & L*A fazem leilo de chapeos de diversas quadaden odfJ
mais perlences para eWgenhs e Navios, e de urna ca-
noa grande, hoje 24 do torrente pelas 10 horas da
manh,.jjo armazem da ruada Cadeia n. 63.
n
(Henba*.
-" -~
Ap as libras e as oitavas, cha bisson da primeira
sorte a 1920 a libra, dito imperial ou perola a 2.400,
tinta de escrever a 260 a garrafa, graxa de dar Iqrtro
sem seova, e bixas grandes: na praca da Indepen-
dencia loja n. 20.
.^?* Urna preta lavadera, e boa cozihheira : na
ra do Trapixe n. 3.
^3* Urna porco de paos de Angicp : na ra da
Cadeia velba armazem n. 9.
fo?" Para fora da Provincia urna escrava de na-
eo, rjecosinha, engoma, coze, e lave, de 22 anno
sem molestia alguma ; e urna negrinha de 11 a 12 an-
uos, coze, e principia a fazer lavarintos : do'atierro
da boa vista lado esquerdo caza terrea n. 28. *
tC^ Vinho tinto de Lisboa, em pipas, e em Mat-
riz de 6 almudes, de superior qualidade, e cera fran-
ca em gamnllas : no escriptorio de lenlo Ioze Alvea
no Re( ife.
^f^* Um bom ebeegeo e um curi, e varios nassa-
ros cantadores, onde tem um canario prezo em urna
corrente pelas azas, tudo por preco commodo :'na rW
delraz dos Martirios D. 29. ,-
y3*" Moendas de ferro para engenho, taxas do fer-
,ro coado, e panellas deerro por pre^o comjnodo ; a
caza de Harrisson Latbam fc Hihberl ra da Alande^a
velha n. 9.
fc^ Um escravo'mosso de angola : na ra do-Cres-
po D. 5.
^y Um cvalo bom esquipador, e tem bonjucar-
regos, bonita figura, e multo novo: na ra deS. Gon-
calo sobrado D. 14. <.. .
^3" Um neg de naco angola para, todo o seriico
de urna caza, sem vicio algum : na ra do CoVte^io
loja de baus ao nc da de nano. '
^C3* ois barris e urna pipa de mel novo; por
preco commodo : na ra do Rozarlo botica de Joo
Pereira da Silveira.
Cotuprjj-
'*.>. ?)(*
Ez de coqueiros pequehos; e igualmente moeda
de prata e ouro : na esquina da Pracinba ,do< Ljra-
menlo loja do Burgos. c
^3"' Urna canoa d'agoa que carregue de cinco a se-
is mil reis, estando em boin uzo : no armazem de vi-
dros ao lado da Cadeia.
Um sitio sendo na estrada da Embrribeira
al a Boa-viagem : na ra do Q'cflifiado fo'j de-
, D. II. *
miudezas
T./
_.'.'
/


- A"1-
-rift.
*
li '')! !
f]578)
attenaamenta
U* .
M sitio no Remedio com casa de vivenda, enge-
nhoca, vi veiro de peixe, olasia, e trra suficiente para
plantar e criar, por prego muito commodo : os perlen-
dentes dirijo se ao mesmo sitio.
3lUuguei0.
, Lllupa-se duas moradas de cazas terrias com quin-
tal, cacimba, e bastantes commodos para urna familia,
sendo urna na Soledade e outra no Cotovello : na ra
do Crespo D. 7.
$3^ Urna canoa d'agoa que leva quatro mil res a
vintem a caneca, e tambem se vende : na ra do Col-
legio n. 7, terceiro andar.
JL Erdeo-se urna chave de relogio de ouro que se
quebrou junto a aste : quem a arhar e a quizrr resti-
tuir dirija-se a ra do Coliegio D. 13 2. andar, ser
recom pencado.
$3F* No dia tere feira 12 do correnle desapareceo
da praca da Boa-vista um quarto ruco pequeo, capa-
do, com marcas de cangalha, anda a passo ter pouco
maisoui menos 10 anuos cora urna marca A B, e foi
com duas canculhas ; quem delle tiver noticia dirja-
se rasa de Mano! Bernardino de Albuquerque na
ilbarga du Igreja de N. S. do Terco que ser recom -
pencado.
R.
3lt)i?o0 particulares.
Lga-se as Illustrissimas Authoridades Policiaes
desta Capital, que por compaixo dos inflamados, e
bagados, inspecionem (como j se tem praticado) a
venda doleite, e facao com que apareca no mercado
leit*, e nlo agoa de goma ; por tanto espera-se das di-
tas Authoridadesa providencia, alias daro motivos a
dzr-se que tambem ellas tem suas vaquiuhas : tris-
lea almas baixas sao dos propietarios deste genero.....
_* O achacado.
fcy O abrixo assignado roga aos seus crecfores ba-
jodeNieaprezentar as suas contas para serem pagos
no prazo de 8dias; e aos seus devedores queiropa-
gar-lhe no mesmo prazo.
Antonio Joze Comlho Braga.
|EpM Preciza-se de um feitor, que emenda de plan-
ta oes, e agricultura pira um Kngenho delante des
ta praca lOiegoas; timbeen se preciza de bois mancos
para carro; a fallar com Joze* Antonio AI ves da Silva,
nasBarreiras Bairro da Boa vista.
%cy* Preciza-se fallar com a Senbora D. Alaria A-
fra de Albuquerque para negocio de seo interesse; ro-
ga-se queira anunciar a sua morada para ser procura-
"a,_ __ i
tp^* Quem percizar de um caixeiro Brazileiro pa-
ra ra ou armazem ; auuucie.
fc3^ Quem no Diario anunciou querer compiar
urna Barcaca, dirija-se a rna estreita do Rozario D. 25.
&?" Percisa-se de m sobradinho para pequea
familia em boa ra, e nao em beeps, e que nao exce-
da de 60OOO res dando-se 3 mezes ou mais adianta-
dos; quem o tiver dirija se a ra do Queimadp loja
D. 7ou anuncie.
L
^y Querft anunciou querer comprar urna rea-
da com poucs fundos e era bom lugar : dirija se
a ra por detras da Igreja dos Martirios D. 29.
$G^" Quem Ihe convier dar nesta Cidade com pre-
mio quantia de 100$000 res e reetber no Rio Gra-
de do Norte anuncie.:
^P^* Da-se 500$ reis em prata e cobre, a juros,
dando boas firmas ou hipoteca :. no aterro da Boa-vista
D. 40.
ty^" Dezeja-se fallar ao Sur. Jernimo da Silva
Araujo negocio de seu interesse, o qual j morou em
Tamandar, e Sirinhaem ; por se ignorar a sua resi-
dencia se Ihe roga, que appareca no sobrado D. 3 na
ra do Colegio, caza do Major Costa.
^^ Quem anunciou querer comprar um choro
de Artilharia, em bom estado procure na ra dd Ro-
zario qu vai para o Carmo venda D. 11, que se dir
quem o tem.
&3P* Tpma-se 100$ reis a premio.: porem adver-
te-se, que nao se d nem pinhores, nem hipolheca-se,
cazas, ou escravo : quem Ihe cnvier dar a sobre-dita
quanlia anuncie com brevidade.
^3^* Obaixo assignado previne ao respeitavel pu-
blico para que nihguem negoecie com Antonio Jo-
ze de Freitas urnas letras passadas pelo mesmo Frei-
tas, por Joze Francisco de Te ves em 22 de Maio
corrente, pois que as mesma se acha sujeitas as di-
vidas dos gneros que o mesmo Freitas devedor,
Praca, comprados para a venda que vendeoao referi-
do aceitante, de que as mesmas letras sao procedi-
das.
Antonio Ferreira Alendes Gui/nraens.
1f Quem anunciou percizar d'uin Professor
de Gramtica Portugueza, para encinar particular :
declare o lugar de sua rezidencir.
^l^ Quem percisar de urna criada tanto para casa
como ra ; dirija se a ra do Caldeireiro por detraz
dos Martirios D. 16.
^3^* Preciza se de um caixeiro Europeo que enten-
da de venda para a lomar por balanco ; na ra dojRo-
zario D. 11 ao pedos 4 cantos.
>Mi%%SM
NOTICIAS MARTIMAS.
Navios entrados no dia 23.
rM.RACATr;27 dias; S. Conceico For do mai,
Cap. J<>ze Rodrigues Pinheiro : couros. Passageiros 4.
DITO, pelo ASS; 42 das; S. Santa Rita Car-
lota, M. Joze Joaquim Al ves : couros. Passageiros
14.
BAHA j 8d.is; S. Feliz Destino, M. Joze Ma-
ra Ribeiro : fuzendas, e quarlinhas. Passageiroso
Padre Fort nozo da Soledade, Joo da Silva Cardozo,
e Antonio Francisco.
Navio sahido no dia 22.
JLilSBOA ; G. Santa Hita, Cap. Alexandre Joze
Alves : assucar, algodo, e vaquetas. Passageiros 3.
Dia a3.
TAMANDAR-, Escuna Braziha, Com. o 1.' Te-
Tenente'Franeo Romano da Silva : conduz a Tropa
para o Acampamento.
ILHA DATRINDADE5 B. Ing. John, Cap. Ro-
berto Brimony: lastro.
_^_1LL JggB5lRe!""-|li----!.'----------L-----' .. II-
Pern. na Typ. do Diario. 1831.
7T

'-..


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYOBTTIED_0U9AUB INGEST_TIME 2013-03-27T17:08:09Z PACKAGE AA00011611_02588
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES