Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02493


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO O ti 1834,
QAUTA FERA 23 DE ABRIL NUMERO 372,
..vwm.
to m nismivoo,
vi.'
$wlcrevt<* meiiMlmcni a 440 r*i. aiauadns. a Tipojrrafia
tfn (Mario, pairo da Matriz de S. 1i:imi sobrado da pona larga
Mr se n-.-citcn corresixtiiriencia-. e iml:iGtc&; estes insirem-se
crau Renda ook propriot aarttjpaaiueif someme e viudo assiguadus.
Tildo agora depende de nos uiesinos, da wmm pnulencia, .10
dera apuntados com admira^Ao entre as S'a(j( i'> 1nlum111.au m
Hnipjrejfcrc em $trnamt>iico-por a. 91- De jftiranta jfalca'o.
.
DAS da SEMANA
4." -S. Jorge- Sos. da Thezouraria Publica. Pr. as
3 h. 42 m. da t.
5.-S. /Ve/ Rel.""de m., Aud. dos J.' do Civ.
de ni. e de t., e Ch. Pr. as 4 h. 30 m. da t.
6:" -S. Marcos Ses. da Thez. P. de m. e Aud. do
I. de Olaos do t. P. as 5 h. e 18 m. da t.
Sabbado-S. Pedro de ft.-RI.'* G. de t. Preamar as 6 li. 6 m. da m.
f))n.- .S'. Tertuliano Pleamar as 6 h. 54 minutos
da manh.
RTICOS D'OFFICIO.
MLlm., e Exm. SenhorLevei ao ronhecimento da
Regencia em Nome do Imperador o Officio, que V.
Este, me dirigi sob numero 2, e dita de 19 de Fc-
vereiro ultimo ; e sendo-Lhe mui agradavel a noticia
I i resoluco, que V. Exc. havia tomado de partir no
ilia 25 daqueile me/., com huma Torca de 600 homens,
fina o ponto d'Agoa Prela, na bem fundada esperan-
za di-contribuir com sua prezenca para o bom resulta-
do dcsta medida no total exterminio da faeco Salteado-
ra recebi Onlem da Mesma Regencia para assim o
Metrificar" V. Exc, louvandoo por mais esta prova
do /.rio Patritico, com que se empreg a no servico Na-
eionaf.
Dos Guarde a V. Ex-. Palacio do Rio de Janeiro
em 15 de Clareo de 1834Aureliano de Sou/.a e Oli-
ven-a Coulinlio.Snr. Presidente da Provincia de
Pernambuco.
resta
ad
r\\*-*%m t\M
ALAGOAS.
ILi.m. e Exm. Snr.Nao sendo possivel ej-
ecutar a ordem da Regencia em Nome do Imperador
o Senhor I). Pedro 2. que por Avizo de 10 de Janei-
ro prximo passado me fui por V. Exc. communicada,
ile reoeber com passagem para a Guarnicao desta Pro-
vincia o Mjor Cuetano Cardozo de Lemos, e o Ca-
pitn Antonio Joo Fernandes Pizarro Gabizo remelti-
Ins pelo Paquete Leopoldina ; cumpre-me dar a V.
Ex .. para levar ao conhecimento da Mesma Regencia
os motivos, que me obrigaro a tal procedimento, a
fin de se nao julgar extraordinario hum acto de pura
poltica (a meu ver) e, o que mais be, auctorisado por
/f\. Exm. Senhor, parece me queo Governode Sua
Mage.ilade nao deu todo o pezo, que merece o estado
dos negocios publico,' e circunstancias polticas dVsta
Provincia quando mandn para serememprega-dos em
Ma Guimico os referidos OlficiaesHoje Exm. Sr.,
que as Alagoas empenhada em huma porfosa, e san-
guinolenta lula acha-se eaa aranas contra l/um.partido
staurador, hoje que o Povo sobremanelra dscnfi'-
o com a continuaco dessa lula quer ver for'a' de"si
quantos jnlga favorecer a cauza da destruicao, do rou-
bo. e da sediccao que reea detudo por se' ach'a-
rem secretas eommunicaeoes do interior da Pjov'irteia,
e da mesma Capital com os Romas em Pernambuco,
que trama vao nova conspirarao em favor do D rj de
Brflanea, como fi* patente a V. Exc. em meu oflk'io
de 23 de Dezembro prximo na3do ;. boje digo, **flB-!
pregar na Provincia o Major Lomos, e oytpla G'v
bizo tornados suspeitos nessa Corle por sua conduca.
seria, quando menos, confirmar as suspeita's do';rd*ti
desconfiado, e ort de temer qu-, ou se opposessm u
mu recepcao, ou tivessem de resistir as ordena d>to
Governo no exterminio dos salteadores, que elle ju"U;-
ria animados com a proteccao se dizi'm de sua piniao, e credo polijic' : seria q"ai-
do menos, despojar o Govcrno Provincial do unic' re-
curso, que Ihe resta, a confanca, e que tinto lli'he
mister para sustentar a a\elindro9a pnsicao, em qu se
acha collocado. Embora tivesse cu auctorisaco" para
a meu arbitrio marcar-Ibes o lugar da residencia j is-
to nao tira va a estes officiaes. quando quisessem' de
que muito mal nos podessem fazer seduzindo os inbau-
tos. e indispondo outros, a tpiem ludo quadra (pian-
do he fugirao servico., nem em todo o ca/.o poHa i:-
rar ao Povo a suspeita depiles tramarem (pnndo'vissem
impostar sua athmosfera inimigos da classe, que cora-
bitemos.
A vista destas rajfies,. e considerando ms que o
Governo Central pode estar albeio de circo!i-,tadci;is
to particulares Provincia, fondado ha dispslcao do
3 do Art. 155 do Cdigo Crimind, e le'vadb pelo
zelo di Cauta publica, dezeo do r''>^fcele(*nent6 da
ordem, e tranquilidade do Ppvo, que tenlio a honra
de governar, orrfene que naodcseiobareasscm"os re-
feridos officiaes, a fim de regrssarera paia a 'Corte,
e o Governo Imperial Ibes dar o destino que nWs* con-
veniente adiar.
Dos Guarde a V. Ete. Pataco do Governo das Ala-
goas em Macei 21 de Fevciciro de 1S3iIllrp-
Exm. Senhor Aotero Joze Ferreira de Brito,Ministro
i-Secretario de Estado dos Negocios da GuerraVi-
cente Thomaz Pires de Figuepedo Camnrgo.
Illm. e Exm. SenhorTendo a Cmara dwta
Villa proeessado pe'o Juiz de Paz da mesma por actos
praticados no ejercicio de suas funcoes, e pronoocia-
dos seus Memhros, obrigados prizao e livramento
mas postos em liberdade por huma ordem de babeas
eorpus do Juiz Municipal, e Interino de Direto, oc-
correo ao Conse'iio a duvida, de que, se aquefles .i<-
sim pronunciados poderiao continuar no cxcrcicio suas ranecoes de Camaristas, y fundados na disjbo'slcao
do Art. 8 2!" ontiluco do Imperio, fi'd s*>
suspende o gozo dos Direilos poli ticos do Cidad Bra-
zileiro por senlenca coi* do em quanto dijrabero os s.e^s if&UQ) .res^lviu u^l
ILE6IVEL
T......T


H^B^H^H
-**.
s cchi uassn
i pbsiale' disps^Bo
do io Cdigo do Processo Criminal,
entendo.ii.io que ella se refere a Empregados Pblicos
tle huma Ca-se diferente da em que se suppoem a
Cmara, que como Corpo Administrativo do Munici-
pio, de elleicao popular, e formando o primiro gru
na escala do Governo, parece no acto de suas attribu-
coes exercer o goz de hum direito Politico garantido
pela Constituieo, e que nao pode ser destruido por
huma Lei particular. Mas como, Exm. Sehor, a
falta de serem bem definidos no nosso Cdigo Funda-
mental aquelles Direitos Polticos, nao conhecemos su-
asverdadeiras balizas,.ou para serem resucitados como
devem, ou para se noconfundrem, nao sendo neste
razo bastantemente claro o nosso Direito Poltico Cons-
titucional,' e discrepando de opinio todos aquelles
quem tenho consultado como entendidos na materia,
fcvo estas consideracSes V. Exc. para as f.izer che-
gar ao conhecimentoda Regencia em Nome do Impe-
rador o Senhor D. Pedro'2.0', a fm de dar-me os es-
clarec mentos precisos a este respeito, os quaes servi-
r de regra ao mesmo Conseibo deste Governo, que
l*m hum Conselheiro pronunciado, e que todava to-
ma asstnto no Conseibo, que a seu respeito houve de
resolver o mesmo que resolver a cerca do* Venado-
res.
Dos Guarde V. Exc. Pulacio do Governo das A-
lagoas cm Macei 22 de Fevereiro de 1834Illm. e
Exm. Senbor Aureliano de'Souza e Obveira Cout-
fibo,, Ministro e Secretario de Estado do Negocios da
RusticaVicente-Thonraz Pires de Figueredo Carnar-
io.
Conforme.
Antonio Ribeii o dMoura.
CMARA MUNICIPAL.
' *Ac Sesso Ordinaria de 9 de Abril de 1834.
c
Presidencia no Sr. Oliveira.
lOmparccerio osSenhoresGsmo, Souza. Suva,
e Ferreira, faltando com cauza os Senbores Esteves,
Costo, e Camelo
Aberta a^sesso e lda a acta da antecedente foi san-
cionada por estar con forme.
O Secretario dando conla do expediente mencionou
hum offieio do Exm. Vice PrezidJente da Provincia
Manoel de Carvalho Paes de Andrade, pnrtecipando
que aehando-se oceupado na perseguidlo dos salteado-
re* tomar-tusento na Assembla como Depulido por esta
Provincia : que s- offiriassr ao Supplente immediato,
o Padre Manoel do Monte Rodrigues de Araujo, re-
mettendo-s o Diploma.
Outro do Juiz d Direito Chefe de Polica Francis-
co Mara de Feitas e Albuquerque acompanbado de
hum fedlal da Junta de Paz sobre a moeda de cobre,
pedindo reducao do mesmo Postura, se elle mere-
cer provacSo : ao Snr. Gusmao.
Outro do Juiz de Paz d'o'l." Desledo do Pilar,
partea'pando ler tomado conta da Vara do mesmo : in-
tai rada.
Outro do' mesmo propondo para Inspectores de
Quarteites tario* CidacTos : ao Snr. Silva.
Quito dojz de Paz Supplente do mesmo Destric-
to pai*CTpadt> lrpssdo -Vora ao'Jbrz efectivo
per se acbar este relabelecido : nteirado.
Ootro do fu-.de Ptz da 2.\Bestfisto~do Corpo
Santo propondo a hum Cidado para Inspector ; io
Snr. Silva.
Outro do Veriadr Joze dos Sontos Nunes de Oh-
veira, partecipando que tendo de fazer huma viagem
Europn a fim do rstabelecimento de sua Saude, poi
issd pedia hum anno de I cenca : inteirada, e que tfr
respondesse concedendo se a licenca.
O Senbor Ferreira requereo que nao podendo os
trabalhos da Cmara ler o andamento necessario, por
cauza de falta decumparencia de alguns Senhores Ve-
nadores, por isso requera, que cm virtude di Lei do
1. de Outnbro de 1828, fossem multados todos a-
quelles Senhores Veriadores, que faltassem sem cauza,
e qe o Secretario carregasse logo as faltas de cada um
no competente livro de receita, e despeza : a Cmara
deliberou, que se convidasse ao Promotor Publico d'
esta Cidade para este assistir a verificaco das sedu-
las dos Jurados na seguinte sessao.
O Senhor Souza aprezenteu o scu parecer sobre os
requerimentos das Parteiras Antonia gnacia de Jezus,
e Mara do Monte, as quaes pedio licenca pira uzar
da sua arte : approvado.
Despacharo-se alguns requerimentos e por ser da-
da a hora alevantou-lB a sesso, e mandaro fazer esta
acta em que' assignaro. Eu Francisco Antonio Ra-
bello de Carvalho Secretario interino a escrevi.Ol
veira Pro PrezdcntcGusmfoSouza'errcira
Silva.
PROMOTORIA PUBLICA.
MLlm. SenhorPara poder reprezentar ao Poder
Legislativo contra o Inspector da Thezouraria da Pro-
vincia, Joao Goncalves da Silva, por ler mandado re-
ceber na mesma a moeda de cobre falsa denominada^
chancbancontra o db posto na Lei de 3 de Outubro
de 1833, e por nao querer consentir, que se faca o
exame que requer pira provar adenuncia, que con-
tra elle vou dar por o crime de responsabeldade que
commetteo: requeiro a V. S., que, a bem da Cauza
Publica, haja de mandar, quanto antes, passar em
pub'.ica forma, as pessas incluzas duplicadas.
Dos Guarde a V. S. Recife 21 de Abril de 1834
Illm. Senhor Marliniano da Rocha Bastos, Juiz de
Direito no CivolJoze Tavares Gomes da Fonceca,
Promotor Publico.
EDITAL.
Erante a Thezouraria da Fazenda desta Provincia
se h de por a lanco as Sessoes dos dias 21, 23, e 26
domez de Maio prximo vindouro, a quem maior pre-
co ofTerecer a renda animal dos dous armowns sitos
no Forte do Maltos, pertencentes a Fazenda Publica.
A pessoa a quem convier a dita renda poder compa-
recer na Salla das Sessoes da mesma Thezouraria nos
ditos dias. Secretaria da Thesourara de Peraamfou-
co 22 de Abril de 183 4.
O Official Maior interino.
Joaauim Francisco Bastos.
II
PERJNAMBUCCX
Avia lempos, que o camnho do Recife para Qlin-
da eslava desinfestado de la d roes, e pie se nao ouvia
dizer, que pessoa alguma fosse atacada em sua viagem
pelo ro, ou por trra. D'ba cerca drum mez .pqrem
os ladroes reaparecero, e continua- scus ataques, e
roubos. Huma partida de malulos fe atacada, e-roo -
bada d'algumws fazendas j e tendo velado armados, c


S, i
i^HMiV
)
(]4S
'om BWtilto do Juiz de Paz nao eneonlraro j os la-
.droes, que immedialamente se havio relirado. Di-
ferente* pessoas lem sido atacadas, ou estado ponto
de o ser, e ainda no dia 19 do corrente pelas 8 s9
horas da noile se ouvirao 3 tiros para o lado do forte
do Buraco ; e corre voz, que alguns matutos foro'a-
tacados pelos ladros, ou que fora um ataque entre pa-
trulhas, que giravo na vizinhanca do forte, e matu-
tos, que do Recife vinhao para o lado d'Glinda. O
que em verdade foi, e qual a cauza dos tiros ainda ig-
noramos ; mas sabemos de pessoa, que por ahi pas-
tara na occasio que os tiros partio recprocos das pa-
trulhas sobre os matutos, e desles sobre aquelles, e/jue
no momelo dois vultos corrio a occullar-se, sobre os
quaes poderos ossoldados atirarsi quizessem. He pe-
na, que nao podesse bcm ella examinar o caso para
nos informar. Ocerto he, que ladres infe caminbos, que tao prximos eslao as duas Cidades de
Olinda, e Recife, c as 2 Fortalezas do Brum, e Bura-
co, que he mu i perigoso tranzita-los de noite. Dar-
se-ha caso, que os Soldados postos para perseguir os
ladrues, fossem os propios a atacar os matulos ? Ou
sao estes, que incilo as desordens? Seria bom, que
o examinaste o Snr. Commandante da Fortaleza, e
que Ibes d s esta estrada. Era bem fcil faze-lo, impedir que se
travassem os matutos com os Soldados em patrulhas,
< tapar a boca a certos falladores, que de ludo suspei-
lo.
E.
LOTERA.
LiS^tnndo prompla para coraer a Lotera nao podem
todava andar as rodas ; porque tendo o Reverendo
Escrivo da mesma offiriado ao Exm. Prezidente pa-
ra nomear a Authoridade, que deve prezidir ao acto
do andamento das rodas, al o prezente ainda nao
houve resposla deste Offi':io, vindo a qual, infallivel-
mente se marcar o dia, que deve ser o immediato.
Padre Jo&o Rodrigues d? Araujo.
3abto0 a Carga.
Para o Rio de Janeiro.
'Egue viagem com brevidade a Sumara Olivera,
Capilo Antonio Joze de Lemos, forrada de cobre e
de superior marcha : quem na mesma quizer carre-
gar, ou ir de passagem di rija-se a Gaudino Agostinho
(ie Barros, na Pracinba do Corpo Santo D. 67.
Para Lisboa.
\?^T Segu viagem cora brevidade a Galera Brasi-
lera Nova Aurora: quem na mesma quizer rarregart
.ou hir de passagem dirija-se aosseus proprietarios Vi-
uva Costa & Filhos, ou ao Capilo Joze Joaquim Dias
dos Praaeres.
Com o mesmo destino.
|T^ O Brigue Escuna Brasileira Anna e Mara :
a os mesmns Viuva Costa & Filhos, ou aoCapito Do-
mingos Francisco da Silva.
*%%*%*%* <%%%
iLeilo'.
^Lr S administradores da casa de Smilh & Lancaster
fn/.em leilo de movis de casa, escravos, e carillos,
Quinta feita 24 do corren le-, pelus.9 horas da manha,
na.ra da Cadeia n. 63.
%** x %%%
dlen&as
.M moltinho de 8 a 9 annos : na ra do Rozar to
na venda da esquina D. 13.
^C^* Saccas de caf: na ra da Cruzarmazem n.
53.
$l^ 70 pares de ovas de camuripim por preco vb-
motlo : em fora de portas n. 22.
^3 Rap da Babia, a"1280 a libra, e de Lisboa'a
2200. e em oilavas a 20 res : na praea da Unio a.
21 e 22 defronte da ca*a de cambio.
C^" Um muinho para moer mlho ou caf, um jo-
go de pedras para outro, quartinbas, jarras, potes, e
outras qualidachjs de pessas de louca, tijollo para la-
drilho muito bem feito, ditos pira tapamento e para
fogoens, panecuns, estopa da trra, e penas para espa-
nadores : na ra Nova ao p da ponte da Boa-vista ar-
mazem que tem louca.
^3 Urna canoa de carreira meia aberta quaze no-
va : na ra da Senzala velha n. 49.
^y 2 canoas abertas, em bom estado: no alferrv*
da Boa-vista D. 60.
^3P Um cavado de bonita figura, e bastante gor- .
do, com seos carregos, e cor caxito, por preco como-
do : as 5 pontas sobrado D. 6, lado direito.
V9" ^ fiteiros grandes e em bom uzo : na ra do
Livramento n. 7.
^^ Saccas de superior farinha de mandioca, foita
naMuribeca : na ra da Cruz n. 12.
$^ Farinha de mandioca em saccas, fina, e regu-
lar : atraz do Corpo Santo D. 6-7, e na roa da Cadeia--
do Recife n. 4.
^3T Urna furda deG. N. de pao muito fino e com
pooco uzo por preco commodo : na ra do Ho/.ano
estreita defronle da Botica de Joo Perejra da Silvei-
ra na tenda de alaiate da casa da esquina.
^y 20 meios de sola, e mais algumas couzas per-
tencentes e urna loja de couros ; em N. S. do Terco
loja de ferragem da esquina do beco do Lobato.
C3 Bom rap Princeza em boles e em oitava : na
ra da Cadeia do Recife loja de 4 portas n. 4l.
. Compras
W Idros de loneta de graos, de 14 al 20 : anuncie.
$cy Urna morada de casa de pedra e cal com seU
quintal em Olinda sendo no Varadoro, Biquinhas de
S. Pedro, eS. Bento, as ras do'Coxo, Amparo, ou
4 cantos: anuncie.
ailugueis.
^LLluga-se nm torreiro andar com moitos bons com-
modos, e muito fresco, na ra da Moeda n. 141 :
no primeiro andar do mesmo.
^l&f* Alluga-se urna pretacom muito bom, e abun-
dante fete ; na ra do Vigafio li. 29, 1. andar.
N<
jfurto
O dia 6 do corrartte furlnro do Engenho Megua-
hipe de baixQ. Frejguezia da Woribec, dois escra'vo.
f
- r ).

rr


(14.90)
baixos, seco?, reprezentao ter de 25 a 30 annos, um
dogentio cara redonda bem ftrla, por norae Antonio
vermelho, o outra cara contprida bem preta, por no-
me Scverino, crilo : quem dos mesmos souber parti-
cipe no mesmo Eogenbo, ou no Recife ra da Cruz
" 12, e sera bem recompensado urna vez que se veri-
fique a aprchenco.
O
Sftfofe particulares.
Abaixo assignado, Estudante do Curso Jurdico
da.Cidade de Olinda, roga a qualquer Sr. que tenha
reeebido da Babia alguma ordem a favor do mesmo,
baja por obsequio do fazer Ihe avlzo pelo Correio, pe-
lo que Ihe ficar sumamente agradecido.
Antonio Joze de Souza Lobo Jnnior.
fc3- Altura-se urna ama de leile, cativa ou forra e
que esta laca algum servico pertencente a mesma en-
anca ; no beco da Bomba D. 5.
\^ A Senliora viuva que no Diario da semana
passaca anunciou para morar em urna casa gratuita;
dirija-se u ra do Rozario larga casa ,do oratorio 1.
andar.
,%$- Pcrcisa.-se.de urna ama de leite parida de pou-
co lempo, e que seja cativa : na ra da Cruz n. 41.
.fc3 Manor 1 Autunes Yillaca, aviza orespeitavel
Publico pjra que pessoa alguma nao negocie com Ig-
nara Marit do Nas i/deiros, moradores em fora de portas, em urna casa
terna, cita em o lugar da Boa-vista, confronte a Igre-
ja.dc S. Goncallo, por se ,char a mesma penhora'da,
por um Libello cirej que m0ve contra a mesma Se-
uhoia, pelo EscrivpRegis; e para que se nao cha-
mein a ignorancia, o anunciante desde ja protesta on-
l.ra quem o contrario praticar.
$^* Quem anunciou querer dar 250$ a 2 por
reuto ao mez ;.drija-se a ra do Padre Floriano D.
If3- O abauq assignado torna a avizar sos seus
ciedores, que elle se aelta proredendo a Inventar dos
l>_.Mis que facaro por falescimento de sua mulher Ma-
na Rosa Alexandrina, afim de que os mesmos vo
quanto antes justificar as suas dividas, pois que j fa-
zem das bastantes que fizera o segundo anuncio,' e fi-
le o preteiite bem poneos tem,aparecido justificando
as suas dividas, dpVonlrurio nao serlo attendidos na
purtillia que se fizeT.
^^ Luiz Francisco Baibalho.
3^ A abaixo assignada faz sciente ao pudtico que
tem constituido seo procurador ao Snr. Vicente F.lov
da rdtaceca Silva, para que elle possa agenciar, tratar,
arrecadar, |Up,dar e correr com todos os negocios de
sa casa: rCvogando pela procuraco queassignou pa-
ra este hu totlas as procuracoes anteriores declarando-
as de fieuhum efeito.
Izabel Fiancisca das Chagas Lieutiet.
X&~ Onofre Joze da Cosa faz sciente aos seus de-
vedores que de boje em diantc s passar recibos em
seo iiome, oseo filho Onofre Joze da Costa Jnior, e
de oii|ra qualquer pessoa elle nao levar em conta.
^^* Os Snrs. que tem procurado comprar o ter-
reno na planice de Santo Amaro com 300 palmos de
frente e G00 de fundos ; podem procurar na ra No-
va armazem de louca junto a ponte por toda esta sema-
na, e adverte-seaoSnr. que fleou com pequea difTe-
renca de ajuste querendo ultimar o negocio pode d-
rigir-seao mesmo com quem tratou, porque sedispoe
da venda do mesmo.
^F* Perciza-seallugar escravo^de aromos osse^os
para venderem azeite de carra pato diriariamente ; na
ra pa Gloria n. 43. "
^3* Quem precizar de urna molher capaz par* -
ma de urna caza d familia ou de homem solteiro q"e
sabe engomar, lavar, ecosinbar, e da fiador de sua
conducta : dirija se a ra Direila D. 20 primeiro an-
dar.
^^* Quem anunciou querer comprar um oratorio
em bom uzo, dirija-se a ra do Hospicio ao p de Jo-
ze de Pinito Borges, primeiro porlo que tem caa pa-
ra dentro. '
^y Quem tem anunciado pelos Di;trios querer di-
nheiros a premio de dois por cento ao mez, sobre hi-
potecas de propriedades, penhores, ou boas firmas,
dirija se a ra do Rozario estrella D. 29 2. andar.
/%**%*%. w^
Ai
G&tWr fimiOC*.
Nlonio naco Angola, estatura ordinaria, repre-
zenla 20 annos, seco do corpo, peritas e bracos finos,
pescompridos e fino*, cabeca pequea, parece mullo
humilde quando falla fgido no dia 20 do corrente,
com calca branca suja, urna carniza de cabecio de al-
godo rolo, e mais duas calcas novas de estopa : ra
da Cruz n. 54.
^r^* Bai tbolameo, naco Angola, seco do corpo,
estatura mediana, tem o defrilo. de gaguejar quando
lem ra va : fgido no principio do corrente, com cai-
ga e carniza : em Santo Amarinho em casa de Francis-
co de Paula Freir.
y.^G^" M.-moela molata, alta, grossi do corpo, nos
denles da frente tem um tirado, cabellos cortados e
anelado, beicos grossos sendo o de cima mais grosso
que .o debaixo, peitos cabidos, nariz grosso e xato,
e tem de idade 20 a 24 annos ; fgida no dia 19 do
corrente, com um vestido de riscado de quadros ama-
relio, e um por baixo azul, com uns brincos de pedra
ns orelhas : ao sitio do Arrai.il que tem um p de
jaqueira na estrada, que foi do falescido Manoel de O-
liveira Cruz D. 454.
^^ Joo crilo, canociro que trabilhava wo porto
danta Nova, de estatura alta, bastante espadundo,
bem fallante, de idade poneo mais ou menos 40 anuos,
pertencente ao cazal de Tliomiz Antonio Nunes*, f-
gido no dia 14 do corrente : ra das Cruzes D. 15,
no segundo andar.
>V^\ttVt\tttttIM\
NOTICIAS MARTIMAS.
Navios entrados no dia 21.
....
lIVERPOOL; 33dias; B. Ing. Niagro, Cap.
Jolin Rigb : varios gneros : Crablree &: Comp.
ASSU ; 23 das; S. Santo Antonio Alma!:, M.
Manoel Ferreira Pedroso : sal, Mestre.
Sabidos no mesmo dia.
_ ORTO ; Barca Bella Pernambucana, Cap. Imi -
dio Joze de Oveira : assucar, e algodo. Passagei-
ros--Antonio Pereira Paclieco, Serafim de Rnzcnde
Reg, Francisco Cavalcauli de Mello, liento Pereira
Marques, Joze Pereira da Cunlta, Antonio Joaquim
Ramos e Silva, e Joze Plida da Fonceca.
i-
1
Peijs-. jrjTyp do D/^ii/o \83l.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4X38EZ6X_FR8RUE INGEST_TIME 2013-03-27T16:59:17Z PACKAGE AA00011611_02493
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES