Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02486


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANN L)E 1834. TERCA FEIRA 15 DE ABRIL
**......-----------------__________i___________________?________.__ .
>I%W%WI|
W\WHV<
NUMERO 365
m%%*%%M
mmm as tstMtiavGO
r
*
B*!*
>!itis<:n-vr-v,. mritMtimenie filo r.-i. adiantadis. mh Tiporr f.o Diario, pateA tfA Main/ rir S. Antonio Mtlirmki da porta lartra
wqde se rrct-ncn corresuoniliMicias. e alumnos. e*le insirein-sc;
rali sendo ilo-s uroprios ass-i^iiantes oiiiiu- < viudo assipaados.
Tudo apora depende de nos meamos, da nomia prudencia, m
deraeo, e energa: continuemos como principalo e xerenHM
a puntados con adimraciio entre a Naqoes inai* cultas.
Plociamui^ao iln AsttmbU.: Gernl do Hiax\l
3mpj:e3o em ^crnammic por & 3!- fll i&iranfta falc^o
das a semana.
3."- S. Basilissa- Rel.,m de m., e auil. do J. do
-Orfos de t. P. as 9 h. 18 m. da m.
4." S. Engracia- Sos. da Thezouraria Publica. Pr. as
10 h. 6m. da m.
5.*-S. Aniceto -ftel.Mde m., Aud. dos J.'do CIv.
de ni. e de t., e Ch. Pr. as 10 h. 54 m. da ra.
6.* S. Cardeal- Ses. da Thez. P. de m. e Aud. do
J. de Orlaos de l. P. as 11 h. e 42 m. da m.
SahiKido-.?. /lerntogenes-lW."" de m. eaud. doVig.
G. de t. Preandar aos 30 m. da t.
)om.- S. Sulpicio Pleamar as 1 h. 18 minutos
da tarde.
RTICOS D'OFFICIO.
-'DECRETO.
I%l Regencia Permanente, em Nome do Imperador
o Senhor D. Pedro II. Tentlo presente a informa-
o dada pelo Presidente da Relaco desta Cidade. re-
lativa ao leto de Jiaverem os Dezembargadores della
Manoel Pinto Pinto RiBeiro Pereira de Sampaio, Ni-
colao da Silva Lisboa, Manoel Antonio Galvfo, Cae-
tano Mara Lope Gama, e Lucio Soares Teixeira de
Gouva, em Acoordo dequtro do mez passado,
mandado prestar flanea ao Reo Bento Antonio Vaina,
pronunciado peJo crime de tentativa qualifieado no ar-
tigo afrenta e nove do Cdigo do Processo Criminal, e
tendo em vista as respostas dos ditos Dezembargado-
res, e ouvindo o Conselho de Estado : Ha por bem,
usando da atlrihuico que Iheconcede o artigo cento
e bum, paragralo stimo da Constituico do Imperio,
suspender os mencionados Dczerabargadores do exer-
eicio de suas 'uneoes, para seiem responsabelisados em
Tribunal competente pelo abuso da sua Jursdico.
Aureliano deSouza e Oliveira Coutinho, Ministro e
Secretario de Estado dos Negocios da Juslica. o tenha
assim entendido, e faca execular com os Despachos
necessario.
Palacio do Rio de Janeiro, em dez de Marco de mil
oito ceios e Irinta e qualro, dcimo terceiro da In-
dependencia e do Imperio, j
Francisco de Lima e Silva.
Joo Braulio Muniz.
Aureliano de Souza e Oliveira Coutinho.
CMARA MUNICIPAL.
71.* Sessxut i dinana de 1,8 de Marco de 1834.
Pkesidencia uo Su. Oliveika.
c
Ompareccro. os Senbores GusmQ, Souza, Ca-
melo, e Ferreira, faltando com cauza os Senbores
Doutor Peregrino Maciel, Mavignier, Esteves, e Sil-
va.
Aberta a sessao e lidia acia da antecedente forsan-
cionada por estar eonforme.
O Secretario dando conla do expediente mencionou
hnm officio do Juiz de Dreitu e Chele de Polica desla
Cidade Francisco Maria de Freitas e Albuquerque par-
tecipando, que se acha restabelecitlo, e que est exer-
cendo o referido cargo : queso llie cfieiasse dizendo,
que fieava de inteligencia.
Outro do Juiz de Paz do 1. Destricto da Luz par-
tecipando ter passado a vara ao Juiz do 2." auno : in-
teirada.
Outro do Cidado Theodoro Maxado Freir parte-
cipando, que sendo em pregado a Col lectora da De-
cima dos Predios urbanos deste Bairro, nao podia to-
mar posse do Cargo de Juiz de Paz do !. Deitricto do
Collgio em lugar de Francisco Xavier Pereira de O-
liv*ira pedindo escusa : que se Ihe desse a escusa, e
fosse chamado o immediato.
Outro do Juiz de Paz do 1." Destricto do Pilar,
partecipindo ter tomado conta da vari, e suspendo*
o Escrivo do Juizo, por este nao se ter apprezeolado
desde o dia da sua posse at a dada deste, causando
transtorno, ao Servido, tendo nomeado interinameifcr
te a Manoel Pegado de Albuquerque : que se llipf-
ficasse dizendo-lhe que quanto o exercicio da Tara
inteirada, e acerca do Escrivo que proseguase como
fosse de Juslica.
Outro do Juiz de Paz do 1. Destricto da Boa vista
propondo para Inspector do 4. Quarleir a Joo Va-
le ntim Falro : ao Senhor Silva.
Outro do Tenente Coronel Fermino Herculanp de
Moraes Ancora pedindo o plano de armamento op lu-
gar denominado Coelho : que se Ihe respondiese que
procedesse o alinhamento como for de direilo, e que
a Cmara na boa fe asseverou, que havia plano, mas
indagando sobre o que o Sargentomor Engenheiro Jo-
o Bloem carregou dizendo que hera seo por ter sido
organizado por elle.
Outro do mesmo partecipando que nao pode deter-
minar a despeza que se de ve fazer com os humen.-, que
trabalbarem no ievantaraento das Plantas, e outras
couzas : que se Ihe respondesse dizendo que fieava au-
thorisado para fazer toda a despeza da obra de que es-
t encarregado, dando ao depois a sua conta para ser
pago.
Outro do mesmo dizendo que expedio ordem ao Al-
moxarjle das obras Publicas para receber do Procura-
dor desta Cmara os utencilios e mais objectos perten-
centes as ditas obras : inteirada.
, Outro do Juiz de Paz do 3. Destricto da Estancia
propondo para Inspectores a Eugenio da Assuropeao
Cavalcanli, e Francisco Antunes de Oliveira : ao Snr.
Sitv.i,.
Qutro do rn.cs.mo fa.zejn.4o ver % necewdade tjue h
^
M
sz


(1460)
de se collocarem mais lampioes peta* rua> do seu Des-
triclo, e representando contra o ai rematante da illu-
minaco da Cidade por esle SO mandar acender as lu-
yes das 8 horas da noite em diante : ao Soiilior Gus-
Wo, e que se officiasse dizendo-lhe que quanlo a ne-
eessdade de serem collocados mais lampioes a Cmara
vai tomar em considerado 5 o a respeito das hito que
e mesmo Juiz reciamasse ao arrematante.
Outro do Fiscal desla Fregueza partecipando que
se acha o Municipio sem Medico de saude de trra
pedindo a nomenco de outro para rom elle fazer as
corridas : a Cmara procedeo a nomeaco sahindo no-
meado o Doulor Pedro Francisco Dornelles a quem se
mandou, omciar para servir no impedimento do Dou-
tor Simplicio Antonio Mavignier, com o vencimenlo
d ^ei. -i 1 1. 4
/ Oulro do mesmo partecipando que se acha alterado
todo o arruamento planejado, no tugar por fraj de
Santa Thereza em diante : que se officiasse ao Teen-
te Coronel Engenheiro podindo-lhe para hir aquel-
le lugar, e marcar as ras, e travessas.
Oulro do Fiscal do Recite fazendo ver a necessida-
de que ha de hum assougue publico, e huma caza on-
de nella se possa cstubelecer um mercado para fari-
nha, e outros gneros, pedindo juntamente xtinc
cao de hum lelheiro que existe no cais da Linffocta por
se fazer esle prejudicial a bem publico : ao Snr. Fer-
reira. c .-,
Foi a provado o parecer da Commissan do finr. fer-
reira sobre a requisico 'eita pelo Fiscal do Bairro do
Recife de 14 lampioes para as ras do dito Bairro, e
que se officiasse ao Exm. Vice Presidente pedindo-lhe
para mandar collocar os ditos lampioes no lugar indi-
cado pelo dito Fiscal. ,,_
Compareceo ante a Cmara o Hachare! Joao Paulo
de Carvalho o qual prestou juramento, e tomou posse
'de Juiz Municipal interino desla Cidade.
Despacharo-se alguns requerimentns e por ser da-
da a hora alevanlou-se a sesso. Eu Francisco Anto-
nio Rabello de Carvalho Secretario interino a escrevi.
Oliveira Pro P.FerreiraGusmoSouzaCa-
n,e'- OFFICIO.
MLluslrissimo Senhor.Apresentei Cmara Muni-
cipal o Oficio, que Ihe dirigi V. S. em 5 do corren-
te Abril com o Edital, que em resoluco la Junta Po-
licial se deliberou de mandar publicar relativamente
a moeda de cobre ; e sobre a requisico que V. S. faz
de se redusir a materia, ou dnutrina do referido E-
dital a Postura com a maior urgencia, mpondo pe-
has aos transgressores, depois da devida littenrio que
semelhanle objecto exige, resolveo a mesma Cmara,
que se rcspodesse V. S., quoao Ihe cabe tomar
ingerencia nesse negocio, nao s por que a Lei de 3
tle Outtibro de 1833 no Art. 7. com bstanle claresa
indicou qual a moeda de cobre, que era falsa, e por
issono se pode era deve mandar reeeber em paga-
mento a que nessa comprehenco estiver, como por q'
s a Junta Policial, por o Decreto de 9 de Julho fe
1831- se julgou aulhorisadi pira declarar, o que na
citada Lei de 3 de Outubro foi omisso, ou mesmo nao
se comprehendeo, nao se julga esta Camila nulhorisa-
la a adoptar semelhanto deliberarn da Junta Policial;
e ainda mais por que j em Janeiro do correte anno
a semelhante respeito procurou da Authoridade com-
petente as providencias, que esta vio a> alcance dessa
Aulhoridade, tas conseguio, para fazer-se manler a
execuco da dita Lei o que se fez publico por Editaes,
que at'he correro impressos, e nesse sentido esta C-
mara est prornptaa cooperar em quanlo couber em
suas atribuios pura que nem sofro as Rendas Pa-
blicas, nem os particulares o prejuizo que necesaria-
mente se Ihe seguira se por ventura se podesse per-
mitir a introdueo na circulaco da moeda visivelmen-
te imperfeita em seo cunho, ou que tiver de menos a
oitava parte do peso, com que legalmente foi emitida.
Dos Guarde a V. S. Paco da Cmara Municipal d
Cidade do Recife em Sesso de 12 de Abril de 1S3.
Illustrissimo Senhor Doutor Francisco Mara de Fre-
tas e Albuquerque, Juiz de Drelio, e Chefe de Po-
lica.Joaquim de Oliveira e Souza, Pro P.-Fran-
cisco Antonio Rebello de Carvalho, Secretario iiden-
no.

G
REPBLICA ARGEiNTIiNA.
Buenos-dyres, 25 de Janeiro de 1834.
_ Raude temsido a curiosdade que aqui tem liavi-
do em consequenca da Sesso Secreta em que se eon-
servou a Cmara dos Reprezcntantes, na segunda fei-
ra passada, a requerimento do Ministro dos Negocii*
Estrangciro*. Diz-se que nes'.a Sesso, se. apresen-
tara o delalhe rebebido pelo ultimo Paquete de Fal-
moulh, de hum plano que se est tratando para a no-
ineaco de Monarchas para as Repblicas da America
do Sul; e que pira este fim houvera ltimamente hu-
ma conferencia em Pariz, a que assistiro os Ministros
dos Soberanos absolutos, e varios Agentes America-
nos do Sul, em rujo numero entrou o Snr. Bernardi-
no Rivadavia. Esta ultima asserco nos parece de lu-
do improvavel. O Senhor Rivadavia deve estar mui-
to ao fado dos sentimentos de seus compatriotas, para
que por hum so momento possa prestar o seu apoio a
to absurdo procedimento.
A Gazeta Mercantil diz, que, supposto o projec-
to em questo pareca lo ridiculo, como he, nao he
com ludo improvavel, e que firmemente acredita na sua
existencia.
( Do Jornal do Commerciq.) .
*v %%%%**v
Pede-se-n :s a publicaco das se quintes pecas.
JL Endo-se feito sentir com inreparavel damno, c de-
trimento do servico dcsta Estaco publica, a incomp::-
tibilidade, que occorre na execueo deordens dos Cor-
pos Nacionaes, concernentes ao servico dos Guanlas
de Embarque desta Reparlicao, ja fiz reqoizitar a V.
S., e foro dispensos do servico dos referidos Corpos :
por issoque tendoclles aqui hum servico activsimo,
e permanente, qual o que tem os Guardas, que sao
postos abordo dos Navios, que diariamente entro u'
este Porto, onde nao podem sabir sem que se ultimem
as descargas : e aeontecendo como lera sucedido, qu
nesta alernaliva de servico, sejao chamados para o de
Guardas Nacionaes novamente, do que resulta nao so
o padec ment do servico desla Alfandegd, como hu-
ma iujustca, e opresso ao paciente, que por certo so
nao pode devidir sem misterio em duas pessoas dis-
tinclas, para cada huma del las a cada chele : resolv
novamente requintar a V. S. esse conflicto de servico,
e xoque de jurisdico, sempre resultante em damno
dos subditos, para que V. S. levando-o ao eonhei i-
menlo do Jllm. e Exm. Snr. Prezidenle do Governo
da Provincia, Ihe depreque as providencias, que jul-
gar em sua sabedoria, que oulra nao pode ser a meu
ver, do que huma escuza absoluta pira os meamos
Guardas do servico militar : visto que o que aqui deu
a Lei, para os aligar na reserva, lhes nao val agora,
F


(N6H
em razie 'de es'U esta mesma faz en do o servico acti-
vo.
Dos Guardo a V. S. como Ihe apraz. Alfandega
.de Pernambuco 3 de Abril de 1834Illm. Senhor
Luiz Toze deSampaio, Juiz Interino d'AlfandegaO
Guarda mor d'Alfandega, Jacinto Joze Thomaz da
Silva.
Levo no conhecimento de V. S.; que o Esealer
da Alfandega quando anda as rondas noturnas, e
chamndose como tem acontecido alguns Botes ou Es-
e.ilercs que vem de bordo das Embarcacoes, nao que-
ivm rir a falla do referido Escaler d'Alfandega, antes
pelo contrario remo para (liante dando trabalho de se
ir em seguimento dos mencionados Botes e Escaleres :
quando sao pegados a verse levoalgum contrabando
insultan de palavrasa todos quantos vao de ronda, sem
excepcao de pessoa, e como seja oflensivo to escanda-
lozo procedimento, sem terem respeilo as Aulhorida-
des, tratando de resto a, Nacao Bra/.ileira, por cujo
motivo o que levo dito a V. S. a fim do dar as provi-
dencias que julgar adquadns a semelhahte re*peito :
Oficiando V. S. ao Illm. Snr. Inspector da Thesou-
raiia da Provincia para as dar. Dos Guarde a V.
8. como Ihe f'or mister. Rerife 4 de Abril de 1834.
Illm. Snr. Luiz Joze de Sampaio, Juiz Interino da
Alfandega das Fazendas.O Guarda Mor d'Alfande-
ga, Jacintho Joze Thomaz da Silva.
Sendo este Governo informado de que anda vo-
ga o ten ivel abuzo, de se estalarem de noite os sellos
lias Embarcacoes, q' se achao descarga, com o veo da
necessidade de car regar as alvarengas para poderrm
thegar cedo Alfandega, o que nao s he contrario
o estabelecjmento do sello, porem huma larga estra-
da, para os'extravos : ordeno ao Senhor Juiz Interi-
no da mesma Alfandega, que de huma vez faca pau-
* zar semelhnnte abuzo, determinando a todos os Guar-
das e Patres de escaleres, que aprehendi como ex-
traviados, todos os gneros, que de noite se tverem
desembarcado, para as alvarengas e lanxa?, fazend-
os recolher a Alfandega, para serem considerados co-
mo Curiados aos Direitos. Dos Guarde a V. S. Pa-
lacio do Governo de Pernambuco 8 de Outubro de
1832Bernardo Luiz Ferreira, Vice Presidente.
. Tendo-me sido remetido pelo Exm. Sfir. Viee
Presidente da Provincia a Portara da copia inclusa,
datada de 8 do correte, em a qual ordena mu posi-
tivamente que se nao faco descargas de noile por os
inconvenientes, que resultan a Fazenda Nacional, or-
deno ao Senhor Escrivo da Descarga d'esta Alfande-
g, que de hora em van te fi.jue nessa inteligencia, e
laca de urna vez cessar lies abuzos : o mesmo Senhor
Escrivo da Descarga fica responsavel por a falta de
seo devido cumprimento. Cumpra-se. Alfandega
12 de Outubro de 1832. Sampayo.
>ll>lt^Vl\V
LOTERA.
O
Padre Joio Rodrigues d'Araujo, Reitor do Se-
minario d'Olinda, depois d'agradecer mu sincera o
alecluozamente ao Respeitavel Publico a exlraco, que
tem dado aos bilhetes da Loteria, marca o dia impre-
tel ivel do andamento das rodas dentro deste mez, c
anunciar qual seja esse da, logo que estrerem con-
cluidos (por nao arriscar a sorte doSt-minario) os bem
poucos meios bilhetes, que resto nicamente.
hoje (15) as 5 horas da tarde.
^y O Brigue Porluguez Ligeiro de que Capi-
to Joze Candido de Souza sai para Lisboa no dia 2t
do cor rente.
abiete a Carga.
Paia Macci-
_^ai com a maior brevidade athe odia 18 do eorrente
o HiateS. Goncallo Boa-sorte, Meslrc Costodio da Sil-
va Souto ; quem quiser carrejar ou hir de passagem
din'ja-se a bordo do mesmo delrontedocas da Alfan-
dega.
V,
acuna*.
^Ma escrava crila de 18 aiinos, sem vicio algum,
e lava de varrella \ na ra dos Bairros baixos, casa do
Padre Manoel do muro.
^^- Urna venda com poucos fundos sita em bom
lugar na Boa Vista; assim como tambem urna escrava
propria para embarque : na ra da,Gloria D. 24.
cotupt as-
UlVIa escrava que saiba cosinhar, e fazer o mais ser-
vico de urna casa, ou alluga-se alguma que entenda
do mesmo servico : na ra Direita D. 1.
*C3- Um moleque, ou mulato com 14 a 18 anuos
de idade : na mesma casa a cima.
Ai
MfcV**
ailugucia.
j^Lluga-se urna casa terria com trez portas, com ara
maco separada em duas portas, e a outra com rotula
propria para familia, sita no pateo de N. S. do Terco
D. 30 : na ra do Queimado loja de ferragem N. 30.
aronamentb.
A
%% *.*% %%v v**
SLbt0O$ Do Correto.
i^. Sumaca Temeridade recebe a mala para o Cear
.Rrenda-se um sitio pouco adiante da Igreja dos
Afflictos, com decente casa de vi venda, boa senzala
de pretos, casa para feilor, e estribara para trez ca-
vallos, ludo de pedra e cal, e com bastantes arvore-
dos de fruto ; assim como vende-se um carrinho com
todos os aparelhos ainda novos com seo competente ca-
vallo moilo manso, e manteudo : no atierro dos Ao-
gados lado esquerdoalem doviveiro do Muniz no pri-
meiro sobrado de 2 andares, das 3 horas da larde em
diante.
^ertjaj*.
. 'Erdeu-se no dia 11 do cor rente um bilhete de co-
bre da quantia de Irinla e um mil reis passado por Jo-
o" Chrsostomo GuimaresdeGusmo e Mello a favor
de Joze Rbeiro, e dado em pagamento a Caetano de
Souza Pereira de Brillo : roga-se a quem o achar en-
Iregue-o ao dito Caetano na sua pideri da ra Direi-
ta, pois ja esto dadas as providencias de se nao pagar
a outra pessoa.
s=e"



(1468)
acja&o.
./^.Chou-se um bilhete de cobre da quantia de cem
mil reis : quem for seo dono drija-se a ru da Cadeia
loja N. 54.
abi?oj3 particulares.
m
^^Uem anunciou querer vender urna negrinha de
6 a 7 anuos dirija-se a ra da Cadeia doRecife n. 3,
1. andar.
^f Rogase ao Snr. Joze Tiburcio Valeriano d
Noronha, Escrivo que oi das Varas do Civel "no se
retire para Serinhaem sem restituir ao Cartoriodo
Snr. Escrivo Araujo os autos, e mais papis que tem
em seu poder, principalmente a apudacta, e inquiri-
co de Rozas & Braga, pois que nao ba remedio a-
cbar-se em caza por maisdeligencias que se tem feito,
e Dos o conserve para onde l'or de Escrivo.
tyC^* Quem precisar de um caixeiro Brasileiro ha-
bil para quelquer occupaco, e que ja tem pratica de
venda, anuncie.
^&* Toma-se 200$ a juros de 2 por cento ao
mez i)ipotecando-se urna canoa de carreira armada
que remle por mez 8$ reis ; anuncie. .
^C^ Quem anunciou percizar de urna pessoa que
cosiube com aceio dirija-se-se ao lado direito da
Matriz de Santo Antonio D. 5.
$C^ Percisa-se de 600 a 800$ reis, a premio,
por esnaco de um auno, com seguranza : anuncie.
^^ Precis&-se de um feilor que saiba t r ba I h;r
em hortaiiees, e rvores de espinlio : nO aterro da
Boa Vista, casa do Medico 15 ti lo.
^Cg* Quem anunejou precisar da quantia de um
cont e duzentos mil reis sobre hipoteca, ou boas fir-
mas; anuncie a sua morada.
ty^y Nenhuma pessoa negocie com Marcelina Ma-
rta da Conceico a preta Anglica por estar vendida
por seo marido Antonio Ferreira do Espirito Santo, e
como tal nao poder contratar de manera alguma sem
conse^limento deseo marido ; pelo que toda a pessoa
que quizer contractar com a dita mulher a vista do
expolo nao o pode fazer se nao de m f, e por isso
incurso as peasqueas Leis determino em taes ca-
zos.
^y* A pessoa que anunciou querer vender urna
negrinha de 6 a 7 annos ; dirija-se a ra da Cadeia
do Recife n. 7.
^y Precisa se de um caxeiro Porluguez, ou Bra-
xileiro que seja capaz de dar conta de urna venda, da-
do fiador a sua conducta ; na padaria de Luiz de Cas-
tro e Oliveira, no beco das Larangeiras.
^3^ A pessoa que anunciou querer vender urna
negrinha de 6 para 7 annos; dirija-se a ra do Cres-
po D. 7.
%3F Quem precisar de um feitor que entende de
tudo que pertencea sitio ou engenho, ou outra qual
quer occupaco de campo ; dirija-se a ra do Quei-
roadoD. 11.
^^, Quem anunciou querer vender urna negri-
nha de 6 a 7 annos; dirija se a ra de N. S. do Ter-
co, sobrado de um andar t). 8.
&3F Jorge Joze de Mallos, arrematante do Con-
tracto daafferico dos pezos e medidas da Cidade de
Olinda,^ e seo Termo; faz cente'a todas as pessoas
que falto afferir os pezos e medidas, que o vo fazer
3uanto antes, do contrario ficaro sugei tos as posturas
a Cmara, e para isto deverio comparecer no prazo
<$e 15 dias depois da publicaco do prezente auuncio.
O abaixo signado torna a aviza os seos ere-
dores, que elle se acha procedendo o Inventario dos
bens que ficaro por falecimento de sua mulher Maria
Roza Alejandrina, a firt de qqe os mesmos vo quanto.
antes justificar as stas divida, pois que ja fazem dias
bastantes que fizfcra o primeiro anuncio, e athe o pre-
tentesapareceo justifican^* a sua divida umeredor,
do contrario nao sero attendidas na partilhu que se
fizer.
Luiz Francisco Baibalh.
^" Prec1sa-se de oito rentos mil reis a premio,
dando-se a segurancia necessaria : anuncie.
^f^ Os dois Snhores, que em Olinda na ra de
S. Bento junto de urna botica, njustaro um.i preta,
se anda a quizerem pelo preco que ficou justa, podem
ir buscal-a ; por que a venda feita outro nao se rea -
Hscu por motivos, e prompte-se nao se vender a outro
sem a ultima deciso dos ditos Snhores.
^C^ Reilhac, Pintor, e Vidraceiro Francez lti-
mamente chegado a esta Provincia propoem-se a forrar
sallas d papel, e a dourar, assim como ajusta por
empreitada toda e qualquer obra que precisar urna
casa pertencente sua arle : quem se qui doseo prestimo dirija-se a Praca da Unio loja N. 35
$C^ Quem anunciou querer vender urna negri-
nha de 6 para 7 annos de idade, e um molequecom
20 e tantos annos; dirija-se a venda defronle do
Quartel do Paraizo.
^5 Quem precisar d'um Sacerdote para dizer
Missa ; dirija-se a ra do Vigario D. 13, segundo an-
dar, que se dir quem .
ff3F Quem anunciou querer comprar uro trance-
ln! de Uro, um relogio, e um cordao mui grosso ;
difcija-se a casa de pasto deronte do Quartel do Pra>
ao<
/*V%V% %%%%% V
<<3cra?of fugiDcs.
j Ugiroa duas semanas do lugar de Maria farinha,
r consta andarem nesla Praca, dois escravos crilos,
um por nomc Guillierme, e outro |Pedio : este um
moleque que reprozenta ter 14 a 16 anuos, seco do,
corpo, pernas finas, olhos grandes, muito vivo, e a-
quelle olleiro, reprezenta ter 40 anuos, alio, corpo
regular, e consta andar trabalhando pelas ollarias, e
tem sido visto no corredor do Bispo, ra dos Quar-
teis, e 5 Pontas : o pateo da S. Cruz, sobrado do 2
andares que fica confronte ao oito da Ijjreja.
NOTICIAS MARTIMAS.
Navios entrados no da 12.
lEARA' pelo ASSU'; 26 dias; L.S.Antonio
Fiordo I5raz.il, M. Antonio Francisco Nunes : sal, o'
pal has. Passa^eiros 3.
RIOue JANEIRO; 16 dias; S. Dois Amigos
M. Francisco da Roxa Cruz : farinha, e carne : a Ro-
zas & Braga.
Saludos no mesmo dia.
F,
ALMOUTHI; B. Infl. Crele, Cap. Wiilium
Smons : assucar. Passageira Maria Pelle.
5
ERRATAS.
IlrO Diario N. 364, pagina 1.*, col. 2.a, lin. 48-
qutendo leia-se pelo que tendo : lili 49 At
tig 143 leia-se Artigo 142.
" 'JP .I.IJ.LJ LJ________I_____L-.J____L........ awiLli.....imi '
Pbiijv. jtj'Yrr. tw Uiahio 1831."
"***m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIHN88G91_T4EF7N INGEST_TIME 2013-03-27T14:47:14Z PACKAGE AA00011611_02486
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES