Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02479


This item is only available as the following downloads:


Full Text
F
ANNO L)E 1834,
SEGUDA FEIRA 7 UE ABRIL NUMERO 358.
ihmiq aa tnitMi^o,
*""1. -
Milistreve-se mensaiinente a tt-t re i 8, adiantados, la Tiporr^a
do Diario, pateo da Matriz de S. Antonio sobrado da porta larga
onde se rccfiiem corresponden. i;i-. e aonaos; estes iiisirem-ae
gratis sendo dos propnos assi;jii.iiuc^ -rnente e viudo assitruados.
Tudo a^ora depende de nos mesmns. da nnssa prudencia, m
tlcracaii, e enerjria: continuemos como principiamos e seremoa
apon lados cotn admiracao entre as Naces ui.iis cultas.
1'ioclamai.do da Asstmblta Geral do irattl
3mpjre00o em pcniambuco par a % De fttranDa falca'?.
p kj. iiman>* '
g
:
DAS da SEMANA.
5.a S. Epiphanio-A. dos J.'do C. de m., e de t., Ses.
daThez. P., eCh. det.-P. as 2 h. 54 m. da t.
3.*- S. jamancio- Re.""1 de m., e aud. do J. do
Orfos de t. P. as 3 h. 42 m. da t.
4.a S. Demetrio-Ses. da Thezouraria Publica. Pr. as
4 h. 30 m. dat.
5.a-S. Ezaquiel -Re.""de m., Aud. dos J." do Civ
de m. e de t., e Ch. Pr. as 5 h. 18 m. da t.
6.a -S. Ledo -Ses. da Thez. P. de m. e Aud. do
J. de Orfos de t. P. as 6 h. e 6 m. da m.
Sabbado-5. Ifermogenes-T{\.tm de m. eaud. doVig.
G. de t. Preamar a 6 h. 54 m. da m.
Dom.- S. Sulpicio Preamar as 7 h. 42 minutos
da manh
FEspohtou hoje o Magestozo dia Sele de Abril, e
trez annos faz, que sucumbindo ao pezo da opinio
publica que o detestava desmoronou-se o Throuo do
ex Imperador Pedro 1., que desamparado alhe de se-
us proprios amigos, abdicou a Coroa em Seu Augus-
to Pilho, e se parti para a Europa, sua trra, sua
Patria, e suas saudades. Festejemos Pernambueanos
to fausto, e alegre dia, e enlocmos cantigos de louvor
ao Todo Poderoso, que no lo outorgou, e no lo con-
servar. Festejemos este Mases toso dia, igual em
gloria ao memoravtl Dia Selle de Setembro. Este nos
trouxe a Independencia ; mus aquelle no-la tornou
certa, e segura, e dando-nos um precioso penhor em
o uoss charo Imperador, o nosso Jovem Patricio o
Senlior D. Pedro 2., assellou nossa Independencia,
e Liberdade, e cora ellas fundadas esperancas de um
venturoso porvir. Festejemo-lo com cantigos, e so-
lemnidades ; e unamos-llie to bem, que he agradavel
a Dos, um coraco recto, esincero, verdadeiro amor
da Patria, exforeo, e constancia em a servir, e a mais
fraternal, e impertubavel unio. S assim conserva-
remos a liberdade, que a tanto COStO ganbamos, e te-
remos o jubilo de solemnizar continuados, e infinitos
aniversarios desle Grande, e Venturoso Dia. A Dos
grade, esejo cumpridos nossos votos.
CMARA MUNICIPAL.
67.a Sesso Ordinaria de 20 de Feve.reito de 1834.
C
Presidencia uo Sa. Dr. Mavignifr.
_jOmparecerao os Snrs. Camello, Silva, Ferr ira,
Doutor Peregrino Maciel, e Gosmo, faltando com
causa osSenbores Esleves, Costa, e Ovcira.
A berta a sesso e lida a acta da antecedente fui san-
cionada por estar conforme. O Secretario fez a lei-
tura do expediente : hum officio do Juiz de Paz do 3.*1
Districto da Estancia sobre as rformaQoes pedidas a
cerca das escolas de prime i ras letras : ao Snr. Gusmo.
Outro do Juiz de Paz do 3. Districto da Madre de
Dos sobre o mesmo objecto : so dito Senhor.
Outro do Juiz de Paz do 5. Districto de Bemfica
sobre objectos tendentes as Guardas Nacionaes, e com
asinformacoes pedidas a cerca das escollas de primei-
ras letras, ao Snr. Camelo para dar o seu parecer pe-
lo que diz respeito as Guardas Nacionaes, enviando-
se drpois ao Snr. Gosmo.
Outro do Juiz de Paz da Boaviagem sobre os terre-
nos de volutos : ao Snr. Camelo.
Outro do Juiz de Paz das cinco Ponas sobre as es-
collas : ao Snr. Gosmo.
Ouiro do Fiscal deste Bairro pedindo que se Ihe
dicesse quaes as Posturas approvadas relativas a algu-
mas medidas preventivas contra os restauradores : in-
teirada.
Outro do Cidado Jernimo Vi Hela Tavares parti-
cipando sua rezidencia temporaria em Olinda : intei-
rana.
Outro do Fiscal da Boa-vista sobie o embargo das
obras no lugar do Coelho : inteirada.
Outro do Juiz de Paz do 1. Districto da Varzea so-
bre os terrenos de voluto : ao Sr. Camelo.
Resolveo a Cmara que o Procurador continuasse
rom o embargo feito ns casas no lugar do Coelho a
fim de t|ue ellas se nao acabassem de fazer.
Rezolveo u Cmara, que se officiasse ao Enginheiro
Ancora, pedindo hum novo plano de Cidade, arma-
mento e cordiaco para ser observado por aquelles
que nos lugares do Coelho e defronte do Hospicio com
direco a Olinda quizessem edificar, nao se consenlin-
do mais que antes da apprezentaco desle plano ahi se
levanlasse algum edificio.
Por dimisso dada de Provedor o'a Saude por o Sr.
Doutor Peregrino Maciel que se despedio por estar
como Depulado a partir para o Rio de Janeiro, foi
nomiado para o dito cargo o Snr. Veriador Joze Ma-
xado Freir Pereira da Silva, o qual recebeo logo ju-
ramento e tomou posse.
Anteo Juiz de Paz e Vigario da Luz leve lugar a
apuraco dos Jurados e foro a pro vados os Cidados
Cae tao Ferreira Chaves, Joze de Araujo Pinheiro,
Joaquim de Araujo Pinheiro, Joze Pinto da Motta
Nones, Joaquim de Barros Vanderley, Joo de Arau-
jo Pinheiro, Joze Germano de Lira, Joze de Souza
Pon tes, e Manoel da Immurulada Conceico.
Nao tendo filiado o Snr. Veriador Cosa como se a-
cha declarado requereo o mesmo Snr. Veriador vinte
das de licenca os quaes Ihe foro concedidos.
Quanto ao Officio do Juiz de Paz do 5. Destricto
de Bemfica resolveo a Cmara que ficasse adiado pelo
que respeilaas Guardas Nacionaes voitundo depois ao
Snr. Gosmo como Membro da Commisso sobre as*
escolas Publicas,
I
' / / TT


(1430)

-i
Pelo que respeita a despedida do Snr. Vereador
Peregrino Maciel, foi ella somcnte do cargo de Pro-
redor, e nao do de Venador.
Foi tobem mencionado hum officio do Exm. Vice
Presidente, da Provincia para informar a Cmara a
cjuem pertencia o fornecimt nto d'agoa dos prezos da
Cadeia antes da Lei doorcamenlo cu jo officio remme-
tido ao Snr. Veriador Camelo como Membro que foi
nomeado para a Commisso que devem formar sobre
este objecto. Por'ser dada a hora levantou o Snr.
Prezidenle a sesso e manda-ro fazer esta acta em que
assignaro. Francisco Antonio Rabello de Carvalho
Secretario Interino a subscrevi. Doutor Mavignier
Pro P., Oliveira, Costa, Silva, Ferreira, Camello.
*%%*-%v%%
RIO DE JANEIRO.
Ministerio dos Estrangeiros.
Regencia, em Nome do Imperador, acab de
Fazer as seguidles Nomeaces :
Por Decreto de 27 do corrente mez,, para Encarre-
gad de Negocios na Corte de S. M. El-Rei dos Bel-
gas, o Commendador Joze Marques Lisboa.
Por Decreto di mesma data, para Addido da 2.'
classe a Legaco Imperial ero Stockolmo, Joze Sebas-
tio Aflonso de Carvalho.
Por Decreto de 28, para Enviado Extranrdiario e
Ministro Plenipotenciario junto n S. M. El-Rei dos
Francezes, o Conselheiro Luiz Moutinho de Lima
Alves e Silva, em lugar do Dignatario Joze Joaquim
da Rocha, removido com o mesmo carcter para a
Corte de Roma.
Do Correio Official.
PROGRAMA.
Sociedade Defensora da Liberdade e Indepen-
dencia Nacional no Rio de Janeiro, offerece o premio
de 400$ reis pessoa que a presentar a melhor Me-
moria analytica a cerca do trafico de escravos Africa-
nos sobre as seguidles bases :
1." Mostrar a odiosidade toda de semelhanle rommer
ci refutando os sophUmas com que usfit defender
seus apologistas,
".* Expender os meios porosquaes a inlruduccao
de escravos Africanos pode ser supprida, quer
mandando vir Colonos por conla de particulares,
quer admitlindo machinas que simplifiquen! e faci-
liten os processos da agricultura e tr.ineraco, quer
melhorando a condico dos escravos existente^ e pro-
curando indirectamente removel-os dasCidades pa-
ra os campos.
3.* Notar delalhadamenle as vantagcns que tem o ser-
vico de homens livres sobre o que podem prestar
bracos captivos forcados ao trabalho.
4.* Finalmente fazer ver a nociva influencia que a in-
trodcelo de escravos Africanos exerce em os uossos
oOstumes, civilisacao, e Liberdade.
Salla das Sessoes doConselho l de Fevereiro de
18340 1. Secretario, E. F. daVeiga.
Do Juinal do Commercio.
*%V %%% %%%t*V
Rio Grande do Sul.
u
JoGrande, 5 de evereiro de 1834As onze
horas e meia da noule do primeiro do correle, no
porto desta Villa pegou fogo, ou por casualidade, ou
por descuido, no Bergantina Activo, pertencenle
Praca de Pernambuco, e de propriedade do Senhor
Antonio Francisco dos Santos Braga que nelle nha
vindo como agente da negociaco e carregamento, e ao
qual linda se nao linha dado principio.
Todos os esforcos e providencias que se dero na
poderlo salvar o navio das abrasadoras chammas da
que fra violentamente presa, cujo incendio duro
at alto dia, e do qual s escapou aquella parte do na-
vio qu6 o trabalho das pessoas, que n todo o risco aca-
diro, e o circulo das agoas impediro o consummo.
Do mesmo.
NOTICIAS ESTRANGEIRAS.
Carta de huma Pessoa Fidedigna esaipta de Pa-
rs.
JLfAs i.vividades de c julgo que os papis publieo
vos ter inteirado ; contento-me pois com remeter
certos Nmeros mais interessanles, com os arligos dig-
nos de alinelo, marcados lapis. As noticias da Eu-
ropa, a directo dos negocios geraes, e a grande sciso,
que cada vez mais se delinea entre o Oriente despti-
co, e o Occidente Constitucional, de que mui veros-
milmente deve resultar hum tremendo cndilo, nao
toco o Brasil se nao pelo lado da curiosidade ; dis-
tancia, em que rsl, o abalo da guerra nao I he chega-
r, nem mesmo incommodar sen commercio, pois
que os constitucionaes sao e fiearo Senhores do mar.
As gratules pancadas se darlo em trra firme. Como
preludio, a vinginca do Autcrata persegue os infe-
lizes e heroicos Polacos, em lodos os recantos dos Es-
lados, sobre que elle influe, com os maiores rigores,
e hum ostracismo inflexivel. Os Inglezes, da sua
parle, os protegem, e acolhem com ostentaco ; e es-
ta affeetada protecco nao he o menor symploma de
prximo rompimenlo. O Governo Francez, apezar
de nao ter com a Russia todas as contemplaces das
Potencias A Hernias, as*im mesmo romo eonsequencu
do seu systema d'eviter la guerre a tout prix, tem
se havido com os refugiados de hum modo, que pou-
co o acredita com a su.i Naci, enlhusiasla de hospi-
lalidade, e de polacamnnia. A mor parte deslas vic-
timas do amor Liberdade e Independencia emi-
grao para a America do Norte. Bem quizera eu que
o Brasil aproreilasse a occasiao, e que de c se dirigis-
sem huns poucos para l ; mas nao tendes nada prepa-
rado para a colonisaco ; e o dinheiro, gasto em pas gens earranjos, seria de todo improductivo, e a final
servira somenle de ampliar o numero dos vagabun-
dos, e mendigantes, que incomodo vossas cidades
maritimas. Em quanto a industria e as emprezas par-
ticulares nao tomarem corita da emigraco Europea,
como acontece no Nort'America, nada de efficaz, e
importante se poder fazer ueste sentido.
Eu chego agora hum ponto delicado ; e se o amor
do Brasil nao me imposesse, como dever imprelerivel.
cuja oroisso seria criine, o nao cali ir aquillo que pode
ser nocivo mlnha Patria, de certo eu o passaria em
hianco. O jS'osso Ministro c he hum varo de tino,
luzes, patriotismo, e probidade, e nao seria possivel
achar nutro Representante Oais digno, se huma infaus-
ta ainizadeo no tornasse menos apto para manejar os
negocios do Brasil, neste centro de todas as intrigas
do universo; neste Par2, quartel general da Diplo-
macia, rendez vous de todos os Cavalheiros de indus-
tria, quer ambieionem Thronos, e governo. alheios,
quer relogios, ou jamares do prximo. O Nosso Mi-
nistro, por huma deploravel cegueira, nao quiz por
largo tempo ouvir fallar na podridlo dos seus trez ido-
l
.1

7T
T


(H30
e
los ] e agora que os faetos clamo, eu o acho nimia-
mente inclinado prestar altenco desculpas, e ex-
piicacos frivolas, insensatas, ou per irosas. Singular
allucinaco os admiradores dos A adradas nao po-
dem consentir, que seus gigantes sejo reduzdos ao
lamanho ordinario da humaiudade. Elles antes con-
fessario que estas inteligencias, tao vastas como o
universo, se torna rao em espiritos de tretas;
mas em homens, e homens de merecimenlo vul-
gar, eraneoso, isso nunca, e nem tratos: tenho
a pro va tafo. O malfadado Embaixador dos Ca-
ramuris metamorphoseado agora em Republicano, nao
w se devoras, ou por disfarce, acha nimia facilidade
m se insinuar na Legaco. Por muitos motivos hu-
ma mudanca ser proficua. Emqual qurr outra Cor-
te, recuada do foco das intrigas, o mesmo homem
prestar relevantes servicos.
Eu dou tanta maior importancia esta participado,
que a necessidade me arranca, que o estado de Por-
tugal est prximo de huma crise ; o nosso Ex Impe-
rador taire* nao tarde por to hem o ex seu titu-
lo de Regente, por hum 7 de Abril Porluguez, at
mesmo antes da final derrota dos Migoelistas. Taes
tem sido os disparates, mexrrieos, e extravagancia da-
quella Corte, que toda a illusao ja se dissipou. De
hum da bar a oulro pode acontecer se refugie em Lon-
dres ou Paria \ e a nica consolacio, que Iheficar,
sera a lembmnca de huma restauraco no Brasil. A
Camaiilha, que perdeu D. Pedro," e o vai perdendo
fm Lisboa, nao lera oulra couza em quesonhar. Fu
Hem vejo que faltarn euto todos os recursos, em di-
ifheiro, homens, esquadra, crdito, coragem, e bom
senso; masoorgulho e a loucura, nguilhoados pela
adulaco, pobreza, e avidez, lanco mo de tudo, e
por tanto he indispensnvel, que vos conservis alerta,
e nao vos fiis noadmiravel espirito Nacional desen-
volvido por todas as Provincias, para vos descuidar
de tomar todas as cetelas em caso de i uva sao i e de
aniquiUar lodos os recursos dos Partidistas da restau
tacao.
Apoz tanta poltica, seja-me licito passar negocio
privado......
Do Correio Ojfcial.
*B%V *%*%% %%v
A
&M3o$ Do Correto.
Escnna Mara da Gloria recebe a malla p.ra a
Rio de Janeiro no dia 8 do corrente as 10 horas do
manda.
^^" A Sumaca Aurora de que he Meslre Joo Ro-
drigues da Malta parte para o Rio de Janeiro no dia
15 do corrente.
> V
fatuos a Carga.
Para Acarac com escalla pelo Ceard.
Ahir al 20 do correte mez de Abril a bem co-
nhecida Escuna Mucuripe, forrada de cobre e muilo
velheira, aqual recebe carga c passageiros. para am-
bos os porlos : queni quizer car regar ou hir de pasta-
gem pode dirigir-se a seu bordo junto da Lingoela ou
a ra do Vigario n. 8.
Letlao'.
J Ordes Frres & Adour fazem leilio de fazendas a-
variadas, por conta de qaem pertencer, Quinta feira
10 ilo corrente as 10 horas da manhi no lugar de sua
rezidencia ra da Cadtia do Recife.
*% %*%% *%%
(HeiiDas.
%J M eseravo crilo, mosso, de bonita figura, c hora
offi al de alfaide : na ra dos Quarteis venda da es-
quina que rolla para detrae da praca.
^ty* Fazendas chegadas da Franca : mangas de
vidro de superior qualidade, vestidos de filo de linhaj
muito finos, veos bran-os e pretos de linho, pescoci-l
nhos de Senhoris, s lins, lencos de fil de linho de 3 u
fiontas, chales de fil de linho, calicas de cristal e ou- ^
tros objeclos, sarja muito boa, sapatos de duraque de
todas as cores, ditos de seda ditos, ditos de marroquim
ditos, metas de seda, luvas de dita, ditas de linho
brancas, pentes de lartaruga aberlos de leque, d itos de
telha, e tafel pelo de boa qualidade, tudo por pre-
co commodo : na ra Nova loj do sobrado n. 9 de-
fronle da Igreja da Gonceigo dos soldados.
^T3* Oleo de linhaca em botijas de superior quali-
dade : na ra da Cruz n. 4.
^l^ Um moleque de 12 a 13 anuos, muito esper-
to, e bom para pagem, o sabe fazer todo servico de
um casa : na ra Direita D. 54.
^T^ Umsilio no Barbalho, com casa de vivenda,
estribara e duas otarias com dois Cornos e casa para
feitor, e urna pequea baixa para capiffl : anuncie.
^T^* Urna poreo de barris d< m<-l cada um por
9$ : na ruado Livramento esquina do beco do Padre
D. i
^T^ A pos>e de um terreno proprio para se fazer
um bom sitio, com pouco trabalho, por serem trras
Bitas aforadas ao Sr. VeigA : in(ormar-se do terreno
com o mesmo que dir com quem devem tratar do ne-
gocio.
f3 Vnhode Lisboa P R R caada nova 600 rs.
e g.irrafa 160: no armazem da ra do Encantamento
aonde lem um letreiro.
^^ Urna preta de 16 annos, bonita figura, sem
vicio algum, co/e sofrivelmente e cosinba o diario de
urna casa : na ra di Santa Cruz delronle da ra da
Alegra D. 16.
^g$- Graxa para lustrar sapatos em potes, e em
porcoe pequeas: na ra da Cruz D. 11.
$T^" Um moleque naco da Costa, 14 a 15 annos:
urna poreo de madeira de louro, panellas de ferro,
serrles, feixaduras, hacas de rame, moinhos de
moer Irigo, penetras de rame, e um' selim inglez
em bom uzo : na ra Direita venda D. J, que volta
para S. Pedro.
^* Um eseravo carreiro de bonita figura, bom
trabalhador de enxada, fouce e maxado, e hbil para
o servico de urna casa : na ra do Rangel D. 7.
$l^ Urna casa terrea, com eominodosno Posso ta
Panella, a margem do rio Capi/aribe, que devide pe-
lo nascente com o sobrado de Joaquira Lemos, e pelo
poentecom a casa de Andr de tal : na ra do Pala-
cete, no ultimo sobrado da parle direita qnem vai dos
Martirios para o alieno.
^C^ Um prclo sem vicio algum, canoeiro, rema-
dor de escaller, e carniceiro, asslm como urna canoa
aberta em muito bom estado : na mesma caza cima.
^^ Milho de superior qualidade, chegado lti-
mamente do Maranho: nos armazens du caes da Al-
fa ndega.
VT^* 1500 alqueires de cal groca, sendo posta em
qualquer porto dcsta Praca desde ;a ate Maio do anuo
vindouro ; e dando se logo a v"lS 0 seu impor'.e se
/


(1432)
dar por preco muito commodo, dando se-lhe toda a
seguranza : anuncie.
^cy Um negro de nacao, 18 annos, boa estatura,
remador, e mergulhador : em Fora de Portas N.
308.
G
Cotopra*
A r rafas vazias nao sendo das largas, e bem limpas
cada duzia por 600, ditas <]ue tenho servido de mos-
catel : na ra do Livramento, esquina do beco do Pa-
dre venda D. 1.
^cy Urna funda de ferro para as duas vrilhas, que
seja nova ou de pouco uzo ; na ra do Queimado lo-
ja -de ferragem n. 30.
^3" Plantas de jamineiros enraizados, e pegados
em cacos : no aterro da Boa-vista n. 13.
^C^" Um Magno Lexicn, ou urna Prozodia Lati-
Ba : na ra da Cruz n. 23.
3m?oj3 particulares.
^FUem anunciou querer dar dinheiro na Ci-
dade de Lisboa recebendo-o aqui com o cambio com-
petente, dirjase a loja de ferragem defronte do beco
da Congregaco.
^3* Quem precisar de urna ama forra para servi-
co de urna caza, procure no sobrado por cima de Jo-
o Leile.
^f^ Alluga-se urna ama de leite que seja captiva,
* que esteja parida de pouco lempo : na ra da Cruz
D. 11.
\^ Troca-se a posse de dois terrenos, sendo um
no fundo do Convento do Carino com 20 palmos de
frente e 70 de fundo, e outro com 109 de frente e 5G0
de fundo na estrada que vai para Santo Amaro, sendo
os foros dos ditos muito levianos, por um esclavo que
entenda do servico de campo : na ra do Rozario es-
treita indo para o Carmo lado esquerdo D. 30.
^3* Manoel Novaes da Costa faz sciente ao publi-
co, que se relira desla Provincia, fijando a sua caza no
mesmo giro, deixiudo por seo Procurador bastante o
Snr. Manoel Rodrigues Costa.
t?3* Perciza-se de um caixeiro para tomar conta
de urna venda por balanco ; quem estiver nestas cir-
cunstancias dando fiador a sua conducta, dirija-se as
5 Ponas venda de Joze Joaquim da Fonceca Capiba-
ribe D. 36.
^3" Joaquim Joze Ferreira, retira se desla Pro-
vincia.
&3F Quem quizer receber dinheiro em Lisboa na
forma da Lei, pagando aqui em moeda to cobre com
o cambio competente queira aparecer na ra da Ca-
deiano Recife n. 44.
^^* Perciza-se de um caixeiro para venda que te-
nha de 12 a 14 tinos pouco mais ou menos ; na ra
do Queimado D. 4.
$C3* Quera quizer 250$reisa premio de dois por
tent dando penhor de ouro, ou prata : anuncie.
^PP* Qualquer Senhor estrangeiro solteiro que
percizar de urna mulher idoza que sabe cozer, coziv
nhar e tratar bem de urna casa, para ama ; dirija-se
o paleo do Hospital do Paraizo D 16.
^3* Qualquer mosso solteiro anda mesmo adop-
tivo quesaiba para ensinar dois meninos as primejras
letras fora da Praca, que se queira justar procure ao
Escrivo Pinto na ra do Rozario.
$"^* Qem anunciou querer aprender o idioma I-
taliano 5 dirija-se a loja do Bandeira na ra do Caba-
g que dir quem se propoem a ensinar.
^3* Urna Senbora hbil de encarregar-se de a-
prontar roupa lavada, e engomada, e mesmo costuras,
e isto por preco commodo : na ra do Rozario estreita
D. 3, primero andar.
^5* Quem quizr dar 300$ reis a juros de um a
meio por cento, dando se boas firmas, ou hipoteca :
anuncie.
^3* Joo Joze de Carvalho Moraes faz sciente que
Antonio Joaquim Vidal deixou de ser seu caixeiro des-
de o da 4 do corrente.
$3* Perciza-se de um preto para o servico de u-
ma fabrica de refinarassucar : quem o tirer dirija-se
as cinco potas D. 11.
\p^ Antonio Jernimo Lopes Vianna declara a
quem no Diario de 3 de Abril, indagou a sua morada,
que he morador no sitio Caite, Povoaco de Beberibe,
onde pode procura-lo todos os Domingos, e dias Santos.
%&' Quem percizar de urna ama para urna casa
capaz ; dirija-se ao lado direito da Matriz de Santo
Antonio D. 5.
^3* Percisa-se de um menino para caixeiro que
ten ha 12 para 13 annos tendo j alguns principios de
fazenda, e dando fiador a sua conducta ; na ra do
Queimado D. 2.
. M*Mft *%*
^POze nacao rebolo, estatura regular, de meia idade,
bastante preto, marcas de bexiga na cara, naris bas-
tante grosso, denles muito alvos, he mui servical, e
deligenleAndr cassange, estatura ordinaria, fula,
cara bastante redonda, induzido pelo dilo Joze ; am-
bos fgidos a qusi dois annos.Francisco mualo, al-
to, e muito esqui do corpo, bom cosinheiro ; fgido
a 31 de Marco do corrente : ra nova do Fernande*
n. 13.
fc^* Alexandre de Nacao Gabo, de idade 45 annos
pouco mais ou menos, de mui baixa estatura, cara
descarnada, cheio do corpo, pouca barba, e testa
grande; fgido a 18 de Marco p. passado : Boa-vis-
ta, ra Vtflha D. 41, que ser alem de pago, gratifi-
cado.
$C^* Vicente crilo* 16 a 18 annos, baixo, grosso,
os dentes limados, carniza de madapolo fino j suja,
e calca de um melim riscado de hranco, chapeo de pa-
lha afunillado ; fgido no dia 3 do corrente : ra
do Queimado loja D. 17, que ser bem recompenca-
do.
NOTICIAS MARTIMAS.
Navios entrados no dia 6.
lt
LIO GRANDE DQSUL, pelo RIO DE JANEI-
RO ; 20 dias; Palaxo Jffons, Cap. Joo Lopes da
Costa Moreira : carne : a Guadino Agostinho de Bar-
ros.
DITO DITO ; 20 dias 5 B. Cicilia Constante, Cap.
Serufim .Marques: carne seca : o mesmo consignata-
rio.
RIO FORMOZP 24 horas 5 S. S. Joze Finjan-
te, M. Henrique Carnciro de Almeida : assucar :
Manoel Joaquim da Costa.
mysM*nruvr>m*,*.,iw*mmv*fimM
Ijbrj\\ jtj '/' p ao Diento 183-1
/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKB4SCQA7_11ZCXW INGEST_TIME 2013-03-27T16:07:48Z PACKAGE AA00011611_02479
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES