Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02451


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ftMMHBMflH
1 >
ANNO DE lS^i.
OUARTA FEIRA 23 DE MARC 4^UMMO.-351
1L1X1_____.__________________----------------*~~*----------------H~ ^
Sub*(.reve-se mensalniente a 640 r;is. adiaiitados. na Tipo^r-fia
do Diario, paleo da Matriz de S. Amonio sobrado da pona larga
onde se rccebeni correspondencias, e anuncios; estes nsirem-se
gratis sendo dos propnos assi;naiiies tmente e rindo aiMgnadotf.
Tudo a-ora depende de nos mesmps. da n*ssa prudencia, m
deracao eenergia; continuemos como prineipiaiiu* c remo
pontados eom admirado entre as Na*oefc mais cultas.
PHctfUHdfMo-dn Antm tea Geral o ffrmtt.
ampjccwo cm ^cniamraco por 3o?e aictotmo tu Slbteu
DAS da semana.
M******* **** %%/%* MV%% ***
4.* S. Ludgero Sos. da Thewurana Publica. Pr. M
5 h. 18 m. da t.
5.'-S. Roberto -Rel.*""^ ii.', Aud. dos J.* .do Civ.
de m. e de t., e Ch. Pr. as G h. 6 m. da m.
.:S..'llexand,e-Sr*. daTkex. P. dem. e Aud. do
J. de Orlaos de l. P. as 6 b. 54 m. da m.
Sabbado-S. Emidio Rl de m. t aud. do Vig.
G. de t. Preamar as 7 h. 42 m. da m.
Dom.- S. Joo Preamar P. as 8 h. 30 minutos
m.
W% *V -X% ** **%*%'*%
V* *%>%/%***%'**%***%
V V* **%% ****** *
POLICA.
OMcios.
MLlm. SenhorRem longe eslava eu de pensar, que
as EstacSes Publicas, se nocumpria risca o Edital,
do Governo sobre a rege i cao indiscreta da moeda de
cobre com o pozo marcado ni Lei : porem be o qae
desgraciadamente est succedendo; e o que trasem por
Aresto o> refractarios, quando os Juizes de Paz, e se-
us Inspectores se empenhao, em reprimir a culposali-
cenca do Povo na regecio di moeda'. Da copia in-
clusa ver V. S. o Officio, que me enyiou o Juiz de
Paz do 1. Destricto do Collegio, queixandb-se, que
nao podia por em pratica restrictamente as providen-
cias, que Ihe baviao sido commuoicadas ; por quanto
na Thezouraria, e utras EstacSes publicas tb seu
Districto se regeitava a moeda boa ; do que elle foi les-
temenha ocular. Por oalra parle os Colleetores to
bem sao nimiamente escrupulosos ; e assira parece que
a tolerancia franca, e o giro de toda a moeda de cobre
substituindo aquella salutar medida do Govcjno, e da
Lei, serio menos prejidrinra. Toda-via V. S., em
qur.m superabundo os conhecimentos financeiros, e
de Economa Politica melbor, do que eu, conbecer
os innuincraveis males, cauzn dos pela dosconfi inca, de-
preciamente, e falsificaran da moeda ; p como Em pre-
gado Publico, ex icio observador da Lei, verdau'eira-
menle Amigo do Brasil, nosaa Patria, jamis dever
consentir, que na Thezouraria, c Estacdes subalternas
os Em prega dos recebedojres continen, com a regei-
co indislincla, a dar mq exemplo ao Povo muilo des
confiado com as repetidas transgressSes das Ordens do
Governo a tal respeilo, e Lei de 3 de Outubro do au-
no pnssado.
Dee Guarde a V. S. Boa.vista 24 de Marco de
1834.Illm. Senhor Joo Goncalves- da Silva, Ins-
pector Ge ral da Thezouraria da Provincia de Perri-
})UC0Francisco Maria de Freilas e Albuquerque,
Juiz de Direilo Chele de Polica.
Partcipo a V. S., que em virtude dos O (Be ios-
que recebi em data de 20 do correte, passei a dar
aquellas providencias, que me forao communieadas 5
mmdando pregar Editaes em os lugares mais pblicos
do meu Destricto, e ras folbas publicas ; com tudo
tenho o dissabor-de levar no conhecinaento de V. S ,
que na Thezouraria, o mais Repartieres publicas do
meu Districto nao osto pelo Edital do Exm. Presi-
dente de Ode Janeiro deste anno. e Carta de Lei de
3 de Outubro passado Art. 7. Em tara Repartioes
regeita-se a moeda, que deve correr segundo as ordens
Superiores, e na conformidade do Art. 7 da citada
Lei, como boje fui testemunba ocular de lemelhante
abuso : assim COmmUnlco a V. S. para que providen-
cie a este respeito.
Dos Guarde a V. S. 1. Destricto do Colegio 22
de Marco de 1834Illm. Senhor D nitor Francisco
Maria de Froihs Albuquerque, Juiz de Direito Chefe
de PolicaDoutor Joze Bernardo de Figueiredo.
PROMOTOR PUBLICO.
I
Li.m. SenhorPartcipo a V. S., que me acho
nesta Cidade prompto a exercer o cargo de Promotor
do Municipio o qual V. S. interinamente est com dig
nidade ocupando.
Dos Guarde a V. S. Recre 24 de Marco de 1834
Illm. Senhor Jacinto Moreira Severiano da Cunha,
Promotor interino do TermoJoze Tavarcs Gomes
da Fonceca, Promotor Publico.
Illm. SenhorPara poder degempenhar asobri-
gacoes do cargo de Promotor deste Municipio preciso
qae V. S. a bem da Caza Publica mande com a mai-
br brevidade passar ppr certidSo ao p desta odia
mez e anno em que denanciei dos Franceses Dadier
Colombier & C.1 por os crimes de peila, e contraban-
do f'eito abordo da Galera FrancesaCa'mSes; se os
mesmos, e o Guarda Antonio de Paula Mello j o-
ro pronunciados, o theor da Pronuncia, e tamben! o
do auto de exame, que se acha jtnto a mesmi. Re-
cife 24 de Marco de 1834 Promotor Publico
Joze Tavarcs Gomes di Fonceca.
Na mesma conformidade se ofli-iu nos Juizes de
Paz do 2. DitfclO do Corpo Smlo s d)re as deoun-
<-i is dos Francezes L. A. Bandanx, Victor Edou, eo
Guarda Manoel Theo loro, e ao do 5." Districto deste
Bairro sobre a denuncia contra Geraldo Antonio da
Casta.
---------^^s----------
NOTICIAS NACIO.VAES.
a Elo Paquete chegido dos Portes do Norte soube-
mos, qu a. Provincia do Para ckyi em pleno soce-
go, contentes os Paraenses cornaadministraclu do Se-
ihor Loubo de Sou/,i, e com actividade, e dis-
ciplina em que conserva a tropa d Seuho Srtfra -
;;. A [ai de o de Oiiubro de 1833 tinhi sido posta
em ex' oneo fl ale o dia 28 de Jiikmio li i\ i 1 entrado
pira o Tbe/ouro a quantia de 306:o7 1-^030 reis em.
;1 -. '< 1
-"r


"X

ooeda de cobre. A Provincia do Maranho tambera
fcar era socego, bem como a do Cear, e nesta ha-
viao trabajado os Jurados da Capital, e do centro.
Os da Capital julgaro innocentes, e livres aos Milita-
res comprehendidos na revolta que na mesma teve lu-
glir y e os do centro do Cariri condemnaro diversos
Pintistas degredo temporario, e perpetuo para Fer-
nando, e outros amorte. Consta, que Pinto Ma-
deira fora mandado buscar para assistir ao seu julga-
menlo, e esperava-se, que elle tivesse desta vez o pago
de seuscrimes atroces.
Recebemos noticias do Acampamento de Agoa-
Preta, as quaes avanco at o da 19. A conferencia
dos Commandantes das Forcas de Pernambuoo, e A-
lagoas, e dos Exms. Carvdho, e Camargo eflectuou-
*e no dia 13 no lugar de Abren, e nella se resolveo,
hum ataque geral no Arraial de Jaeuipe, onde se a-
chavo concentrabi-, lodos os ca baos. No dia 16 pe-
las 2 boras da-rtTTn lia, po/.seem marcha como se ha-
via resolvido, a nossa tropa por diflVrentes eaminhos
para Jaeuipe, onde chegou por as 8 horas; lempoem
que tambora chegou a Forca das Alagoas. Enrgica-
mente acometidos por diversos lados os Calanos susten-
taran hura vivissimo fogo por espaco de 2 boras, po-
reni por fim abandonarn o arraial, fugindo era huma
vergonhosa debondada pela estrada do Barro Branco,
que por imprudencia do Capilo que com manda va os
Indios de Rarreiros, nao ha va sido previamente to-
mada, con Corma ea ordenado Coronel Joaquim Jos
Luiz. O nosso prejuiso neste violento ataque b qna-
si nem hum, entretanto que o inimigo deixon nocam
po 13 morios, alem dos fondos, que conduelo.
Poucas horas de pois de tomado pela nossa 'valento
Tropa o ponto de. Jaeoipe, os Exms. Monoel de Car-
valho, e Camargo, como toda a Forca. que ali se a-
chava, retira rao se, deixando o arraial nleiramente
abandonado, a fim de que os Cabanos o tornassem n
oceupar, e fossem ento melhormente balidos, por q'
sendo Jaeuipe a antiga habitaco da maior parto da-
quella infame gente, ella por certo nodeixaria de tor-
nar, visto o aferr que tem a aquelle lugar, e a per-
sunco em que est de que ali he invensivVl. O effei-
to corresponden a expectativa dos chefes da nossa Tro-
pa, porque poueos instantes depois da evaruaco, os
Cubanos oceupiro Jaeuipe.
As 8 horas da no i te do dia 18 tornou a marchar o
Exm. Manoel de Carvalho para Jaeuipe, e ao amanhe-
ccr do da 19 principiou hum dicisivo ataque, cojos
porminores ainda ignoramos, mas cuo resultado foi a
retomada daquelle arraial. Asseguro-nos pesanas fi-
dedignas, qudela acabo de chegar, que os Cabanos
tivero hum prejuizo oonsidrravel.
A morte do facanttoso Vicente Ferreir de Paula nao
se verificou, apezar delle haver cahido na prosenca do
valenle Capitn Ribas, quindo Ihe dero urna descar-
ga de seceuta e tantos tiros, e de haver pedido aos sous
que o nao deixassera em poder dos hVraes ; porem a
queda foi cauzada pela cobarda daquelle infame restau-
rador, que se supoz ferido apenas principiou o fo-
6
Os Cabanos achu-se reduzidos a nnior miseria, a
p>nto de se acharem na ocoasio da entrada em Jieui-
pe algumas panellinhas no fog.i enm podacos de oou-
ro de boi seco, era que elles se sustenlo, o valor do
nosso Exercito, que se compoem de perto de 5000 ho-
mens, dos quaes 1094 sao das Alagoas, o sistema que
se tem ltimamente adoptado de perseguil-os constan-
temente era quelquer parte, em que elles cheguem,
semosdeixar descancar, nem receber socorros' faz-
nos persuadir, que dentro em muito poueos das ver-
luzidos a imm c*i
eu respeito. JJ
> tal
mos aquelies Canihacs redi
nada nos deixe receiar a seu
A carta e proposta, que abaixo fielmente copia-
mos foi achada em Jaeuipe no dia 16.
Illuslrissimo Sur.-VoCura esta dar os miraozos
louores A V. Ex. do grande iMilager que fes N. S. de
ser lomado este ponto que con a tuMada dele nos uen-
semos ja a metade da gera da aorta que Rearare os
Maluados logo ismurisido pois ja nao linha dado A V.
Ex.* os louores por nao puder escreuer con hum dei-
do.
Neste Mesmo Momento Pralieipo-lhe que nao se a- f
cha inbara grande um sopedipesoa alguma ludo fugio
para proto dipedras tanto tropa como patanos aqueles
que erara do 00909 pralido fugiram paraCa eos oulros
foram-seconelesquemaram todas asCaz^s earancaram
tanto os zarozes Como as rosas plantadas diminuta e
soube neste momento tambem fiCa a sahir todos Con
grandes xoros os Curis desde rio de persinunga albo
bara grande todos ficaram de sorte ludo distruiram di-
zendoque uan si fazer frote in tamandaie e in proto
di pedias o prizidente de alagoas nbraeose in har
grande junto con o outro que voyo do Recife e se fo-
ram para o Recife e o que tenho a pratisipa A V. Ex.*
de Mimosa serteza V. Ex.' turnara suas Mididas pois
que nao he lempo de estramos todos no mato hum no
Mato goardando as Costas e os zotros Batendo os pon-
tos deiles Mais fraros pira pudermos nos hir istenden-
do Mais adente pois os Maleditos agora uam de earei-
ra e na sabida deles dise hum aos outros sahimmos de
persa que estamos isperando do mar para tera ruina
contra nose se loi o filho de Manoel da roxa que dse
sendo (fue V. Ex. tenha por l algum ispadagam que
nao persize deile eu quero compra o Snr. Proensa
la le remeite oque el he me mandn pedri por ceo por-
tador isto ludo foi acontecido do dia 11 para o dia 14.
Castilhano 15 de Marso 1834. Illuslrissimo Snr.
Vicente FeRreira de Paula General InxefTer da (Iro-
sas R. R.IgnaCio Fellisde Oliveira Capilo defen-
sor da Santa R.
O Cornmandunte Geral da Forca de Jaeuipe Anto-
nio Joze Martins de Azevedo a quetn Dos Gu -
arde &c.
Por este meo AI vara de nomeaso este por min asi-
gnado reprezento ao 111.a*4 Exl.mo Sr. General que pe-
lo pezo do Comando d'Forca faseme percizo hum A-
judante de Campo o coal nomcio o Cappito Louren-
coGonsalves por comfiar no dilo todos os requizitos
nesesarios de constansia e fedelida em defeza da Santa
Rwlegio Callolica Romana e de sua Magestade o noso
Imperador o Sur. D. Pedio 1. e sua Augusta denas-
tiu devendo em tudocumprir as ordens que por mira
Ihe forera derigidas do que guardara todoeizilio.
Acampamento de Jaeuipe 14 de Marso 1834.
Antonio Joze Martins de -zeve.do.
Commandante Geral da Forca R. R.
EDITAL.
Rodolfo Joo Barata de Ahneida Fiscal da Fre-
uezia de Santo Ant nio do Recife &c.
S'
F
Az saber todos os locistas, vendelhes, e mais a
quem pertencer, que se devem abster de conservar as
ras do mesmo Burro, caixSes, pipas, gigos de lou-
ca, e mais todo c qualquer objeeto que encommode o
Iransito publico, e desfeie as'mesmas ras, sob pena
desorerem as que se acho marcadas as Posturas
Municipaes contra os que cometem taes inraccoes. E
para que se nochamem a ignorancia, o mesmo Fiscal
*
l


/fr
O 403)
\
Ulan da afi;^ o presntenos lugares do costume, e
publical-o pBk imprensa. Bairro de Sanio Antonio
21 de Marcle 1834. Francisco Amancio Marlins
Ajudanle dp Portciro da Cmara Municipal o es
crevi. ;.
Rodolfo Joo Barata de Almeida.
% V /
CORRESPONDENCIAS.
c
Snr. Redactor.
I Orno em qualidade de Escriptor Publico nao se
poupou de enserir a acuzaeo que de mim le o Snr.
Promotor Tavares, respectivo a eu continuar a fa-
bricar plvora } rogo-lhe sirva-se enserir tambern a
busca, que o compleme Juiz de Paz deu em minha
casa para dest'arte o Publico restituir o meu crdito,
abocunhado por aquelle Promotor e pira que tambem
o mesmo Promotor se desengae que nem sempre a-
cerla, que he soccplivel de eraar, como nos todos, e
que pela prezente nao o deprimo; antes louvo sua
roragem, e bom desempenho, e s sim ratifico minha
rrpularo atrozmente aniquilada. Com islo obriga-
ri mu i tu a o
Seu constante leitor, e assignaute.
Munoel Thomaz dos Santos.
.....Foi pelo dito Juiz dado busca em rasa de
M.mcel Thomax dos Santos afim de ser examinada a
dita casa para ver p nella exilia trabalhando a fabri-
ca de plvora que d'zio exislir, e procedendo a bus-
la do estilo em dita casa se achou um pilo de pedra,
e mais 5 de pau. Irez selindres, oito libras de enxofar,
qualro gamellas, e qualro taboleiros, cujos objeelos
erao embregados em fabrico de plvora porem perle-
tamente se coubeceo que a muito que a dita fabrica
nao trabalhava por isso que eslava ludo em desarran-
3......
O
^*\t\tui
AVIZO.
Paquete Conslanca a pouoo chegado do Para con-
firma a noticia de nao ser possivel asistir aos trabalhos
da prezenle Legislatura o Snr. Loubo de Souza De pil-
lado pela Provincia da Parahiba ; e dizem Pessoas do
Paquete que o Povo do Para reprezentara para que
nao deixasse a Presidencia. E' muito de sentir a (al-
ta do Snr. Loubo de Souza na Cmara em hum atino
de reforma, mais estamos certa) de que nao escapara a
Cmara da Cidade da Parahiba de chamar em lempo
o Supplenle, aQm de (|ue os bancos reformilas conlem
com o numero completo dos Deputados Parabibanos.
Hum. Parahibano.
O
%v *% v >%*% %**
ANUNCIO.
Procurador da Cmara Municipal da Cidade do
Recife avisa a lodas as pesso.is. que deverem foros de
terrenos pertencenles a mesma Cmara, o satislaco a
elle Procurador alhe o (lia 1 5 do prximo fucluro mez,
cujo praso findo, elle passara a demandal-as.
Prxedes dit Fonceca Coutinho.
^^ Os Senhores Subscriptores deste Diario do
Destricto das Puntas, hajo de desculpar a involun-
taria falla que bouve da deslribuico do mesmo no dia
24 ilo crrenle, a qual fui occasionada por aunpedimen-
to do destribuidor,
LOTERA.
\_P Padre Joo Rodrigues d'Araujo, Reitor do Se-
minarlo d'Olinda, renova o Anuncio do anda meya*
das rodas da Lotera na piimeia semana mdej/6isd*
Pascoa, realizndose as suas bem fundadas esperan-
cas (Testaren! para esse tempo os bitlieles concluidos.
Sbisos do Corvcto.
\J Correio Terrestre d'Agoa Preta parle boje 26 ao
meio dia.
O Correio Terrestre; de Santo Antio deve chegar
boje 26, e parte amanh ao meio dia.
%%V *%%--
T.
5afctc0 a caraa-
Para Hambutgo.
Em a maior parle de sua carga prompla, e sahir
o mais breve possivel o Brigue Dinamarquez Adler,
Capilo H. J. Frees : quem nelle quiser carregar ou
hir de passagem dirija-se aos seus consignatario N. O.
Bieber & C." ra da Cruz n. 63.
Para Buenos yres, com escalla pelo Rio de Ja-
neiro.
<&&' O lindo, e superior de marcha, Brigue Argen-
tino General Rondeau recebe carga, e passagriros pa-
ra qualquer dos portos sahir impreterivelmenle no
dia 5 do mez de Abril vindouro : a traelarem sobre
um, ou outro objecto, com Nuno Maria de Seixas,
ra do Trapixe. 3 : ou com seu Capilo proprieta-
rio Don1 Campbell abordo, ancorado no Forte do Ma-
tos.
Para o Porto.
^?- Sahir cem a brevidade possivel a Escuna
Portugueza Harmania Capilo Antonio Pinto Macha-
do ; quem na mesma quizar carregar pode entender-
se com o mesmo Capilo, ou com Antonio Joze de A-
morim.
Para Ifamburgo.
fcj Sai com toda brevidade o bem conhecide Bfi-
gue Dinamarquez Aeolos ; as pessoas que nelle quize-
rem carregar, ou ir de passagem ; dirijo-se ao seo
consignatario Adolfo Schramm, ra da Crnz n. 27.
V\ -.>.\%v
F
JIJabio a ftttz
Reta-se para qualquer porto da Europa, e por
preco muito commodo a Galiota Hamburgueza Cari
Heinricb, Capillo Enne Jurgens, inteiramente novo
e forrado de cobre ; quem perlender dirija-se aos se-
us consignatarios N. O. Bieber & C* ra da Cruz n.
63.
/**'%%%%*'%,%%'i%*
^J Ma morada de casa terria grande, tanto de fundos,
como de largura cita na ra de Santa Rita nova : na
ra Direita sobrado de um andar D. 14.
^t^- 18 barris de mel : na ra do Livramento es-
quina do beco do Padre D. I.
Cotpprajj.
J Ma morada de casa terria, chaos proprios, no
Bairro de Santo Antonio, ou Boa-vista, sendo em bo-
as ras; na ra do Livramento esquina do beco do
Padre.


r
(1401)
7
' SEtalcg'Vfttticutrttf.
Abaixo assignadoem resposta ao anuncio tuer-
to no Diario de Ptrnamdux'o He 18 do corrente fir-
mado por o Snr. Christovo Pe reir de Miranda Va-
rejo tema dizer a este Snr. que seja ibais circunspec-
to, e verdadeiro ; e ao respeitavel publico o (le rece a
conta abaixo, e d'ella ver essa nao pequea quantia a
que a minha casa est sugeita, com diz o Snr. Varejao
em seu anuncio !
Avaliaco da casa emques-
to como consta dosaut-
tos citadas por o Snr.
Varejao 3:600.^000
Deduzido o abatimento da
5.a parte na forma da
Lei, e Senlenca de adju-
dicaco 720$000
dem o importe da Ciza
que paguei 288$000
dem dito da Decima que
a casa esta va devendo a-
l 10 de Oulubro 1831
76$ 150 1:084$150
Liquido em cobre Rs.
2:515#850
Est claro que em virtude da Senlenca que o Snr.
Varejo alcancou preferir no valor lquido da casa que
o amiunciante recebeo, eujo predio o executado Ma-
noel Joze Ribeiro bavia hipotecado ao Snr. Varejao,
montando dito liquidoa Rs. 2:515$850 em moeda de
cobre, pois que nesla mceda, he que se fez a avalia-
co da dita casa, e que se pagou a Ciza e decima, e que
finalmente todo o importe das arremataeoes se pago
em cobre, nao havendo declaracao em contrario.
Acha-se no Depozito Geral, o ssguinte J
Em dois recibos em forma
d'obrigaco firmados por
o Sur. Varejao em Ja-
neiro e Abril de 1833
em moeda de prata
Premio de 60 por cento pa-
ra reduzir a cobre
Em obre
Igual ao valor por quanto
o anunciante recebeo a
casa em moeda de cobre
1:500&000
900#000 2:40O$O0O
115#850
2:5l5$850
Alistado que o anunciante leva expendido faca o
respeitavel publico ideia da falta de verdade com
que o Snr. Varejao veio ao prelo.
Manoel Joze. Goncalvcs Braga.
#&" Quem precisar de lira pardo idozo par feitor,
de et.genboou sitio, dirija-se ao aterro dos AIWlos
deronte do Inspector de Quarteiro, ou a fallar com
o mesmo Inspector.
&* O abaixo assiguado morador em Pedias de
i'ogo, avisa ao publico que se acha em seu poder um
escrsTO que julga estar fgido a 2 asnos pouco mais ou
menos, e diz que sua Senhora mora no Remedio : o
seu dono pode procurar no lugar cima que justifican-
do Ihe ser entregue.
^,^ Antonio da Silva Ferias.
i &3 Quem anunciou querer comprar a obra Smith
^riqueza das Nacoes, querendo urna uzada, dirija.se
Unnda, ruado Amparo sobrado n. 21.
^3* Antonio de Queirz Monteirc Regadas, pede
ao Snr. Antonio Nuno de Mello, que faca o favor de.
mandar entregar o bilhete de cobre que para em sua I
mao segundo o trato que fez, c com e5le trato o mes-
.
er dentro
moSnr. Nuno o nao Gniffrio, haja de
de 24 hora*.
#&* Quem tiver, e q'iizer a I lugar urna preta que
suba cosinhar, lavar, e engomar ; anuncie.
^3" Oualquer navio da cprreira de JSisboa, que
percisir de um Cirorgib, ou mesmo alguma pesaos
doentr, f i,- .. para Europa, oqueira levar algum em
sua companhia : anuncie.
&5* Quem quiser urna crila forra para ama de
leite ; dirija-se ao paleo da Matriz de Santo Antonio,
no 3. andar do sobrado D. 60.
v %\*.v
tP Oanna Maria, crila, estatura ordinaria, um pou-
co fulla; fgida a 12 do corrente: Joze Maria da
Costa Carvalho, na ra da Aurora, e r;n Olinda a
Clemente Joze Ferreira, na ra do Vai aouro.
fc?* No dia 23 do corrente fuffio um uc.ro de no-
rancisco de na cao eassange, com cilicio de canoei-
ro, estatura ordinaria, ] acoslumado a fugir, e anda
a botar canoa j em Olinda,j na passagem da magda-
lena, j nos martirios, ej em um tanque d'goa no
atierro dos Afogodos, levando vestido airla de.algo-
do, camisa do mesmo, e una baela encarnada, este
tem na perna direita um i ferida de pouco lempo :
Juo Francisco dos Santos de Siqueira no lugar do
Monteiro, no atierro da Boa vista ao p do Ju do
Paz daquelle DeMrito, ou na praca da Unan u. 37 e
38, que ser generosamente recompencado.
*% .,..*% %%^w,,,,^,w^%,%Mwt%w%%%%v,
NOTICIAS MARTIMAS.
M
j.
Navios entrados no dia 23.
EW-YORKj 45dias; B. Amr. Rebeca, Cap.
Wuiiefe Ustonhosse : varios gneros : John 01-
dham & Como.
RIO DEJANEIRO; 28 das 5 B. Escuna Hespa-
nliol Egeria, Cap. -Boaventura Dementes,: lastro.
Passageiro o Doutor Jo.iquim Avres de Almeida Fre-
las.
DITO DITO; 21 dias; S. aurora, M. Joo Ro-
drigues Amaro : farinba, e ca : Guadino Agosti-
nho ele Barros. Passageiros Manoel Martius de Oli-
veira, e Francisco Joze de Souza.
Dia 24.
RIOFORMOZO; 10 horas; S. Santo Antonio
Ligei/v, AI. Joze de Dos Monteiro : assucar.
C
Sahidos no mesmo diw.
AMPOS, pela BAHA; Lm Conceicao Li-
beral, M. Manoel Maria: sai. Passageiro* Carlos
Antonio Tahuas, Joaquim Gil, Joze Pedro, Joze Joa-
(jllim (le Freilas.
TAMANDARF: ; Fscuna B.azilia, Com. o 1." Te-
nente Francisco Germano da Silva : conduz mullic-
os <1' guerra, e dinheiro. Passageiros dois Guardas
Nacionaes, dois soldados, e A presos.
Amanh sera destribuido da niesina njaneira o
restante da Lista dosJues de Facto deste Municipio,
a qual nao sabio boje toda, por enconvenientes da Ti-
pografa.
ERRATA.
Na Lftta dos Juizes de Fado, 1.a pag. linhas 3
Antonio Joze da Ressurreico e Silvaleia-seAn-
tonio Joao da Ressurreico e Silva.
Pxiur. jtj Trp. no Dr^nro l~34.
* y


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUOPMBVG9_I8DJM3 INGEST_TIME 2013-03-27T15:33:56Z PACKAGE AA00011611_02451
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES