Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02360


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO DK 1836. QUARTA FEIRA
30 DE MAUCO N. 71
DIARIO DE PERNAMBUCO.
Pa a a moco, w Tv r. o M. F de Faria. 1836.
Mat.
DIASsvOMANA.
4h *)
28 Segunda S. Alexandre M. Proc. aos enf. na
do Corpo Sanio. Nao ha desp. at 5 de Abril.
29 Terca S. Bertoldo C-Proc. aos enf. na Mat. de
S. Antonio.
30 Quarta de Trovas ?. Joao Climaco- Proc. aos enf.
na Matriz da Boa-visia.
31 Quinta de Kndoencas (piarda-se do meio dia ate
ao meio dia seguate) 5. Balbiua V. L. cli as 10 h.
c 7 m. da larde. 1*^3
1 SextaKB erdx! I. de Abril- S. Macario. Proc. do
Knt cm varias Igrs. Anniv. da ln-t da As. Piov.
2 Sbado de Adelina- S. Francisco de Paula.
3 Domingo de Pascboa S. Ricardo B. Proc. da Res.
etn varias Igrs.
DIVERSAS BEPARTICOfcNS.
CAMAFU MUNICIPAL DO RECIPE.
Sessa odinaria do dia 17 de\Margot
de 1836.
Presidencia do Snr. Gusmo.
Comparecers os Snr. Pessoa, Mena,
Miranda, e Silva} faltando cuu, caua os
Surs. Matnede, e Branco.
Ahei ta a seesa e lida a acia da anlece-
dente foi approvada por estar conforme.
O Secretario dando cunta do expediente
inencionou os segrales ofncios:
Um du Cidadio Francisco Ignacio de
Albaide com dacta de hoje psrlec.pando
lia ver tomado cuota da vara de Junde Faz
do i "Distrioto da Boa-vista por estar li-
vrstda culpa que llie h-via formado Joao
Uomiiigue-da Silva: inteirada.
Oulro do Vicario da Luz com a infor-
macio pedida acerca dase-collas de primei-
rasleldsdaquella parte da Freguma que
perlence .este Municipio : inlehada.
Avista do pareoer da Co.mm>asao tul *p
provado para Esa.vio do 4 Districlo da
R,b.i.a oCidadio proposto Joie Albino
oe Hollanda Chacn.
Para o Libello de Lu.z Ferretea Campos
contra Antonio Pe.eir (meleno Ja* da
O.f.osadbocoDr. Luii Angelo VwtoMO
doN-sciroeuto Crespo com tr.t votos a
quera se mandou ionTidar par- o dw i
ir tomar J uramento e pesse.
Vlo as faltas mulliplicadasj;que no de-
eropenho dos deve.es de AjudaoU do Por-
teiro lem tHo Joo deDeos Sob'ei.-, q .e
,e.via tambem de Porteiro dos Jurados, e
8ua mobelidada que.- para hum, quer pa-
,a cutro luga. : a Cmara reto veo que o
mesmofosse dero-lido a despedido por>U
r,,oens .cima ditas, fieaodo o **"
comp^nheiro Jote deS.nta Auna oh jado
a hii daquella receher por huma rel-acao
por elle signad, todo quanto o mesrao
!tha deb-ixn desla gualda eem seu po-
der E por be. dada a hora alevantou-se a
Ses ,0. Jote Tavares Gomes da Fonceca
Secretario a esoim. Guainao, P. i .,
l'essoa, Mrauda, S.lva, Mena.
JUIZO MUNICIPAL D'OLINDA.
T.ndo.btidolicenca do Exm.. Piwi-
dente d. P.ovincia o P.omuur Fubl.co
deste Municipio, segundo a parlic.p-cao
.ffieial, queeslemehtemt *
tr, accrescenlando que a ess 111. ^"'-
ra iaapresentara dicla hcet.ca, contan-
do me no dia 8 que elle se tinha com if
eiijo ausentado, officiei newe mismo du
Tudo ae-ordepende da n* mesmon. da nossa pro
denc.m. moderacao, e energa: continuemos con...
principiamos, e eremo. ...ontado. com admira-
cao entre a Nacoe maigculta.
Proclamado da JutmtU* Qtral do Bratil
8ubi.creTe.se a 1000 rs.mei.sHes pago* adrsntados
nesi. Typografia, e na Praca da Independencia N.
37 e 3 : onde e receben, correspondencia legali-
sadas. ean.iu.icio; inserindo'se et *rci sendo
do propriosassignantei, e viudo ass.guado.
ao Bacharel Formado Francisco de Pau-
la Vellez de Guivaia, convidar.do-o er>-
carregar-se interinamente do exercicio
das funeces da dicta Promotoria, e de
poisdete, por allegar elle impedimento,
que me psrece justo, e altendivel, ao Ba-
charel Formado Candido Autran da M.itia
e Albuquerque, o qual acceitou ; pelo
queconvem que es-a Illm. Cmara Ihe de-
lira o juramento do estillo na forma da
Li.
Deas Guarde a Vr. S. mu'toj annos.
Olinda 10 de Dezemhro de i835. lllms
Srs. Pretidente e Veriado. es da Cmara
Municipal. -- Doutor Loureoco Trigo
de Loureiro Juiz Municipal.
_ Illm. Sr. Com o Recruta, que
ora remello a V. S., de mue Ignacio da
Fonceca, natural da Paraib, homem
vagabundo, e sera deslino certo, c plutao Juitde Paz do 1. Deslriclo deste
Tei-mo o numero de seis, restando-lhe
ainda dar mais dois para perfater o nu-
mero de oito, que em ia de Setembro
prximo passadn requisitei ell-, e a cada
um dos demais luisM de Paz de>te mesmo
Termo por orden, do Anlecessor de V. S.
Tambem ainda na6 completaras o raesmo
numero os Juizes de PaZdo4% 6., e 8."
Di-trido.
Deus Cua.de a V. S. mu.tos armos.
Olinda 28 deDeiembrode i835. Illm.
Sr. Doutor Bento Joaqnim de Miranda
Henriques Ju z de Direilo Ch-Te de Polica
Intirit.o. Doutor Loureuco Trigo de Lou-
reiro Juit Municipal.
MEZA DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta he a mesma do N' 68.
OBRAS PUBLICAS.
Os Carpinteiros, Carpitus, Canteiros,
Pedreiros, e Serventes, que quiterem tr-
balhar as Obras Publicas, ficando izen-
los do recrula.nento par* Ti opa de i."
Linha, do sei vico activo das Guardas Na
cionae-, egM.hando, os Carpiotei.o. tan-
to quanto >e pga no Arsenal de M-rinn-.,
e lodos os m o roesmo que se paga ns
i.braa parli. ulares dirija-s-e ca da
Rep,irlQ-d..sme8ms Obras ..a ra do
Collegio d. 9 horas, t as duas data.de
una later os ajustei.
Inspecca Ge.al das Obras Publica*
26 de Marco de 1836.
Antonio Carneiro Leo,
Inspector Geral interino.
INTERIOR.
SANTA CATHARINA.
Ouartel do segundo Curpo de Artilhe a
CAMBIO.
Mar-;o 29.
XjOndrce. 39 Ds- St. por I Ctd. ou prata a[50
por cento de premio.
Lisboa 50 por o[o premio, por metal, Noin.
Franca 245 -240 Rs. por fr.inco
Rio de Jan. 6 a 7 por cento de premio
Moedas de 6400 I2600 a ^,,800
4000 7.,000 a 700
Peoa I ,,440
Premio da prata 50 p. c
da lettras, por mes 1 2poro|0
Cobre 25 por cenlo de aesconto
de Posiga, em a Cilade do Desterro,
37 de Janeiro de 1856.
OR DEM DO DIA.
Tildo passado revista ao Corpo do meu
ominando, eu etou plenamente salisei-
lo quanto ao arranjo e limpeta de seu ar-
mamento e faumento ; estou igualmen-
te contente por notar a boa vontade com
que todas as pracas em geral se tem d.s-
posto eapromptado para segu- a marcha
que Ibes foi ordenada, mas nao basta s is-
to ; eu espero e cunto certo que lodos
sollicilosem cumprir as suas ohrigaces,
e sugeitos disciplina e ordem. nao me
darao ooo^u de jm pplicar as pe-
llas que as leis fulminaS contra os delin-
quentes ; espero que principalmenle se
mo-trar zelosos do crdito do seu Cor-
no, do seu proprio, e do seu commando,
porlando-se para com os habitantes da
Villa para onde marchamos, como s* le-
ve portar hum rroa para com hum 11-
ma, hum defensor da patria para coro
aquellesquelem 10 lo ojos a terein defen-
didos, e todo o direilo para na5 seremop-
primidos. Devo ser franco com os meus
camaradas, e por i-so Ibes declaro, que
asam como hei de idolatrar aos que ^e por-
taren com a honra e bro que caracterisa
hum b-.m soldado, atitm tambera astiga-
reioomtodo o rigor da le qal(|uer pra-
ca que se desuse de seus deve.es, ou que
cometa qualquer vesame 011 violencia con-
tra olgum cidadaSou contra qualquer pea-
s0a de ambos 01 sexos. O meo de.-ejo, to-
da a mhha ambicio he qoe vohemoa da
Laguna, mererendo saudades de setis h -
hilante, e qoe j.m.u-se dig< <|ue de m-
neira Iguma fomos ser pesados aquella po-
vo-ohre cuja seg.iranca nosciimpre velar.
Amanhl commecar o emba.q'.e do nosso
irein, eda no.-sa bagagem, e faremo* todo
o t-rl"..rco para qoe no dia a9 es'eja tudo
a b>rdo. lleruique Msrqnes de Ohvei-
ra Lisboa, Teoento Coronel Comman-
Jaue.
DIVERSAS KOrIClAS.
\ Gv/eta de Aug.burgo chama a atlen-
ca5 dos seos leiloies sobre s aronteci-
menios que v.-5ter lugar i.aTu.quia. O
SulU, que depois da sua exaliac5 ao
ihro...., leo sido incaiisavel en rep-imir
a rebelli-5 por locloa os mios possiveis,
,,en>a seriamente en. recuperar a. po es-
sa5 daSy-is, eem reduz.r sua.mroedi-
ata oioridade o Egypto. q-.e p.irere to-
talmente perdido p-ra elle. Hannos
que se observa nos arsenaes huma aclivida-
de extraordinaria; e asexpedicSesde tro-
pas, munices, etc. para a Asia, a 6m
denforgar oexerciio do Taurus, cooti-
Dua stm intcrri'pc^6.
PARTIDA DOS COHKKIO.
Olinda _Todos ou diasan meio dia.
(oiana, Albandra, Paraiba, Villa do Conde, Mi-
in,inii,ip<-. filar, Keal de S. Jnao. Brejo d'Areia.
Kaiiiba, Pnmlial, No*a de Souxa. l'idade do Natal.
ViMasde (oiamiinha. e Novada Prineexa, Cidado
da Fortaleza, Villas do Aquirs, Monte mor novo,
Ar.icu, Cascavel. Cauiud, Granja, Imperalris.
S- Bernardo, S. Joao do Principe, Sobrar, Novad*
Kl Id'. Ico, S. Matheus, Rcichodo san;ue. S.
Antonio do Jardim, Quexeramnbim. e Pamahiha
Segundas c Sextas fciras ao meio dia por via da
Paraiba. Santo A ntao Todas as quin'-to leirax ao
meio da. Garaiibuiis, e Bonito nos .lias 10 e 24
de cada u.ez ao meio dia- Cabo, Serinhaem. Rio For>
mono. Afroa Prcta e Porto Calvo not diai I, |l
e 21 a> cada raez. Serinhaem, Rio Formlo, e A
goa Preta-Seeriindas. Quarias. e Sexta leirat.
0 Devon Standart dizque a proclama-
ca de Mina produtira grande desgasto em
Madrid, e que a siluaca dessa parte da.
Hespanha que reconheceu a usurpaca de
Izrthel II he lastimosa, e apreseuta hum
contraste ext.aordina.io com aquellas
provincias que esta sob a proleoca d
Re. Em Madrid, os assassinios sa5 mu
frequentes, e poderia julgarse diz hum
Jornal da manhi, que Madrid he hoje o>
iheatro da guerra civil.
O mesmo Jornal pensa que a expedica5
francesa contra Mascara deve encontrar
grandes difficuldades, visto que corpoa
disciplinados nunca podem combater com
vantagem as focas ligeirns du Deserto, so-
bre tudo naquellas localidades. O exer-*
cito francet marcha contra hum inimigo
que sempie evita o sen encontr. A in-
cancavel cavallaria dos rabes corta todo*
os recursos dos invasores, isola-os no des-
erto, e deixa-os perecer sob os ataques da
lome, do cuma e do cansado.
ll"uve huma grande tempestade sobre
seoslas de Inglaterra ; a lista de LloyJ d
a narraca de 13 embarcacea arremeda-
das sobre a praia.
0 Paquete Inglez R-dipse chegou a Fa>
mouih noilia 18 deDetembro.
0 Paquete Inglez do met de Janeiro,
que agora se espera aqoi, he oSp.derque
vem tomar o lugar do Hornel ou do Ca-
ckotrice.
Londres, 2t de DetembroConsolida-
dos, 91 Ira 5,8 ; Brasileos, 83 1| ; Por-
tuguezes, novos, 84 3|4 i|4 5,8; dito,
1 res por cento, 55 7(8; Hespaiihoes, 4S
71 5.8'
Anda nao recebemos as nossas giz-t-.s
dos Estados Unidos, mas segundo nos in-
forma oCap.lad dn Briguc Americano Na-
polen, entrado houtein de Boston, pa-
rece que naAmenca se prepaiava tam-
bem para a guerra, e que a opiniad geral
e.a que ella ttiia lugar.

Pelo offico quetranscrevemos do Pre-
sidenie do Maranha ao Exm. Minialro
do Imperio, ?era6 os nosso leitores que
a expedica sabida de Pernambuco cm
soccorro dos inl'elites Paraenses, se acba-
\u ja no dia .1 de Dezembro na alturaVe
Salinas, portu mui prximo da entrada do
Amazonas. ^^.
(Jornal do Commercio de 25 de FeveflBI^
reiro.)
4


~
w
"Si
DIARIO DE P ERNA M BUCO.
f
ti
d
Hespanha.
Madrid, 3 de Fevereiro.
O Ministerio nao tinha pensado era dar
pnbriilude as circulares que dirigiu s
provincias pelas dfieiente.s secretarias
com rnolivo da dissoluca das Curies, com
tiderando as cerno acto* de mera forma li-
dade. Porem attendendo a que ja se pu-
blicara alguma* n'outros perie.dicos, e ao
excedente resultado que produzrau nos
povi'S donde o Governo ja tem podido
receber respostas, julgou que, n-5 era
intil insirir no peridico oftcial a do
ministerio da Fazenda que servio de nor-
iii' para as de oais. Seu ibeor he o se
guinie:
OGoVi-rno de S. M. julgou conveni-
ente ao besa publico dissolver hoje as ac-
luaes Cortes, orando da prerogatva que
concede a S. M. o artigo a4 do Estatuto
Real, e convocar nutras para o da al de
Marco pioximo por decreto des!a data,
cofimiunicado a todas as authoridades a
quem pertence a sua execucaS. Ao an-
nunciar aV. S. esta imprtente resolu-
ca de S. M., os Ministios achaS se no
caso de recordar a todos os funecionarios
pblicos dos diversos ramos da admins-
traos, as bases inalteraveis que constito-
em osystema tranco e honrado do mi-
nisterio. Energa e decisa para defender
e consolidar o tbrono da nossa legitima Ra-
inba, e para (jttirpar pela rais a guerra
civil: progresso constante da reforma dos
antigos abasos, e em quanlos melhora-
mentos sociaes reclama a opinia Ilustra-
da do paz ; e para conseguir la nebes
ohjectoj, ordem e soreg publico em to-
da a par**, resp-Mto e sub-missa s le-is.
Os Ministros de 8. M. jamis aban-
donaras estes nobres principios, em que
Hespanhot ; e as resol ncoes ja indicadas,
sao urna nova confirmacaS do seu progra-
ma de 14 de Setenio ; no qual se cha
tracada a nica senda segua e sem pen-
gos de melhorar as leis pelos meros lega-
es. A impaciencia indi-creta, ai:ida que
Ion va el da alguna, tal voz se mostrar
descontente; eahypocrita e insioiosa tc-
tica de no-sos inimigns disfarcados, tn.6
perder a opportiMdade desemear a des-
confianza e a inquietaca. Aos patriotas
illostrados toca, aos verdadeira-s amigo-
. di lberdade e do tbrono, dirigir a opon
niaS publica, epre-erval-a de todo o ex-
travio-funesto as presentes circunstanci-
as, cm que o governo se v privado, em
q*.tanto se verifica as novas elleices dos
p roe madores do reino, do poderoso e so-
IkI > apio das cortes.
Porem tal a confianca do governo
de S. VI. na magnnima prudencia da
nacrt Hespanliola, na cooperacaS efficaz
de todos o bous, enozelo infaliga'-el de
todas as authoiiades, que est cada da
mai- segu o d-- levar ao devido termo a
parifVacaS completa do psi/., e todos os
melhoi amento- legislativos, e de adminis-
tracaS que haS de fecundar a felicidade e
a gloria desta nacaS grande generosa. Bcm
penetrado V. S. da marcha do governo,
doobjecto desta circular, naS pode dei-
3tar de prometter-me os melliores resulta-
dos doseu activo patriotismo, e de que
quando o xito cote os nos>os e-frcos
prdea V. S. dizer no fundo do seu cu*
laca: tambem eu contribu tfiicazmente
para tst belecer a liberdade legal da mi-
ub
>.. .....
consolidar o throno delzahel,
pr-encber as \i>tas benficas e generosas
daMi querida do povo.
Esta circular ser por V. communi-
rada aos subdelegados dos partidos para
o fira a que se dirige.
Deo guarde a V. S. muitos anno*. Ma-
drid, 36 de Janeiro de 1856.Mendiza-
(Gazeta dtMadiid)
*
oo de vefifictr-ae as eleiioes na Ir-
landa
ta de pesquisa eletoral de Irlanda. Sa6
curiosissimas as disposc&es que se leem
nella sobre o t-yslema de violencias, e int-
midaca postas em pratica pelos torys e
oulros grandes propietarios, pois certa*
mente os corruptores em Franca sS em
comparacaS uns verdadeiros santos. Entre
nos piomettem-se, e da-se logares, va
e buscar os eteitores em coche, esco-
lhem-se, e presenteaS-se; ludo islo naS
maia que a infancia da arte tleiloral. Os
Lord Irlandezes procedem com menos
cortesa. Lord Daroley cscreve ao ma-
gistrado para que lhe mande uto piquete
desoldados de polica, faz uro emba go de
can iragens, eleva meia mte os eteito-
res, com os quaes nao podeiia contar sem
estas uteis precaucSes.
Enfeixar*S-se estes lavradores nos carros
como se faria com os animaes; chegam
cidade, e os meltem em numero de sessen-
ta, cem ou duzentos n'uma sala, onde es-
pera a hora para ir votar pelo Seuhor.
Como a fome um meio poderoso para a-
mancar as ferts, Lond Darnley nao se es
quece de recommendar que jejuem os seus
eleitores, e o mordomo do Lord os leva pe-
la manhi meios morios de fome, de fri,
e de medo a barraca em que se vota, ten-
do bastante cuidado de estar ali para ins-
peccionar a votapa. Eis aqu o que tem
feito patente o testemunho de centenares
depessoas; eapezar disto, a este estado
moral de fados chamad os torys, ordem
normal. Anda te quexa de que al-
guna sacerdotes catholicos, por meio de
Mas exhottaces, cheguera s inspirar a
aversa alguna homens isolados para que
resistam a esta infame tvrarnia : os torys
stigmatizaS de traicaS ta benficas vis-
tas.
(Diario do Governo de Lisboa.)
das Paulas, e pediu-ilie quizesse dizer-lhe
se ellas ja comecavam a vigorar ? S. Ex.
fallando largamente sobre este objeclolem-
brou ao Sr. Mrquez de Loul, a conve-
niencia de estabelecer urna justa recipro-
cidadecom o Brasil, notando que na Pau-
ta, os gneros colonias, (disse S. Ex.) o
as-ucar porexemplo, sendo producto Bi"a-
sileiro tem urna avaliacaS menor de 40 por
cento, do que o das nutras Naces ; pelo
ouecspeiava que a isso milito atlendes-e o
Sr. Ministro dos Negocios lslrangeiros,
quando tractasse de levar a effeito o Til-
dado Ccmmercial com o Brasil. O Sr.
Ministro dos Negocios Entrangero?, in-
terpellaCdS do Digno Par, respondeu com
metera de facto por todos sabida, isto ,
que o projecto da nova p^uta naS eslava
anda discutido na Cmara Electiva. E
como pe!o I. do artigo 31 da Carla, a
ella compele a iniciativa dos impostos,
de esperar que a Commssa nomeada ad
hoc, (porque ninguem presume que ver-
bas de urna nova cauta sao materia deds-
ussa em um C<>rpo Legislativo) aprove
tara as ideas expedidas pelo Digno Par.
Quanto reciprocidade defacto, (porque
essa Hfi possivel e vanta>oso.estabelecer-
se com o Brasil) estamos persuadidos que
o Governo, ii.-ando dos Poderes Conslitu-
ionaesque pela Carla lhe rompetem, ra
ceKbracaSde Traclados de Commerco,
naS e.-quecer estahelece-la como convem
aos interesses Portuguezes.
LISBOA, 15 DE FEVEREIRO.
A ultima SessaS da Cmara Electiva of-
ferece pequeo interesse, como ,de seu ex-
tracto poderaS ver nossos leitores. O Re-
querment dos Oiciaes da Armada e Bri-
gada da Marillha aprutnlodii pelo Sr.
Souza Caslello Branco, eemque se quei-
xam da falta de pagamento uestes ltimos
sete mez-s, e da desigualdad'* com que tem
'ido tivctado*, merece consideraras, e o
Governo nao deixar porcerlo de IhedaV,
na parle que cabe em sua suttrihucSes.
Noeutanio |ara rectificar fados, importa
observar, que o atrazo quo esta ciarse be-
inineiita soll're, de epncht anteriora
entrada da actual Admini-tracaS, que
nein por isso deixar de remediar urna in-
justa desigualdade, e procurar que todas
as clas-es que recebero do These-uro, se
jam quan'o antes igualadas n seus recebimentos.
A redaccaS da Le para se fazerem es-
tiadas no Reino, ezgiu anda urna ultima
redacc.a6 quanlo ao prmeiro'artKO, redac-
caS que se estendeu depois a todos os ou-
tros * da a materia, e adoptadas as emendas, a
redaccaSera consa pouco diCicil, coma
qual a Cmara naS devia p rder tempo,
sobre tudo segundo-se tres das feriados
em que nao ha SessaS, e havendo tantos
objectos de urgeoeia para tractar. NaS
pon'inassim, porque com e-la Le aca-
ba de se estabelecer o precedente de pri-
meira, segunda, e terceira redacca, que
nos 1 e-la ver sesera a ultima Posto cui
davamos esgolados os meios de morosi-
dade para a dec.-aS de qualquer materia
suhmettida decisaS dos Sis. Deputados,
accrescentaiemt)s roais este novo artigo das
redaccSes graduaes, ao cepitulo das expli-
caces pessoas, da ordem, da materia, e
das inundas dnvidas.
Na Cmara Hereditaria foi a ordem do
da da ultima SessaS (cuja integra daremos
por sua ordem cronolgica) a dii-cussaS
sobre a Lei da Cmara Electiva para pro-
ve- falta de Conselbeiros em effeclivo
servico no Supremo Tribunal de Justica.
Esta Lei depois de alguma di-cussaS, que
indica sofFrer alteracSe?, foi remettida
respectiva CommissaS, para ser dt-pois
discutida.
Dotante s Se.'saS o nebre Par o Sr.
Duque de Palmella interpellon o Sr. Mi-
^"aw*ii%%awS
HESPANHA.
Madrid, 9 de Feverei
o.
Em data de 6 do crrenle diz D. Ma-
noel Herrero, Commandante da partida
auxiliar da correspondencia do Govemo
na estrada de ArngaS, do campo de Tril-
lo ao Presidente interino do Conselho de
Ministros, o seguintc :
Exm. Sr. Sao 3 horas da tarde, e
acabo de che gara este povo. A columna
da Piainha nossa Sen hora encontrn-se com
a farra snmo esperar, pois a jnlg.ivatB
oito on dez legoas distante deste. V-los
e attraca-Ios urna companhia de cacadores
de infantera e couraceiros que iam na van-
guaida, tudo foi obra de um momento.
O campo e.-t cheo d cadavt r^s e fe id' s,
f|iie se esleS recolhendo ; e pela escabro-
sidade d.-stas sei ras conlinuam as nos-as
valentes tropas na derrota deste* mi-era-
veis. O que levo ao conbecimento de V.
E. anda que prec potadamente, para se-
guir as pisadas dos soldados mais enthu.--
asroados pnla causa da Bainha nossa Se-
nhnra. Campo de Ti lio,* 8 de Feverei.
rod 1836. Exm. Sr. Manoel Her-
rero. Exm. Sr. Presidente do Conse-
lho dos Srs. Ministros.
(G. extr. de Madrid.)
Vimos folhas de Pariz e do Havre vindos
pela Galera Geni, Nada tinha occoprido
de extraordinsiio no Continente Europeo.
No dia 5 do mez passado o Ministerio
JL/iiejue ue i aimeim inii-rpenou u o. ith- l'rancez, saindo da Cmara dos Deputa-
nistro dos Negocios Estrangeiros acerca j dos, se ditigio ao Palacio das Tu llenas e
Li.-boa, 16de Fevereiro.
R'cebemos peridicos de Madn'd st iO
do correte, e por elle-e vemos confirma-
da oficialmente a de-truicaS total da ra-
buda do faccioso Batanero, de quefizemos
mencaS na nossi Folha de hontem. A
lccaS tem continuado igualmente a so-
frer derrotas na Catalunha, cajo CapitaS
general se moslra ncancavel em promover
o promplo triumfo da causa da Kainb,
anniquillandoa rebelliaS naquelle princi-
pado.
Conta-nosque chegou hontem o Paque-
te com a mala de Inglaterra, e logo que
obtivermos as Folhas, daremos os extra-
ctos mais importantes, especialmente o
discurso de S. M. B. na abertura do Par-
lamento, que por ellas esperamos receber.
(Do Diario do Governo de Lixboa.)
depoz a sua demissaS as maSs de S. i\j.
Tratava-se em consequencia de organizar
hum novo Ministerio.
Fieschi, Borreau, Pipin, e Mory, to-
dos 4 convencidos de tehlarem contra a
vid do Re n da a8 de Juiho do anno
passado, foraS finalmente sentenciados
morte pela Cmara dos Pares, cuja sen-
tenca t ni ha sido executada.
O Tempo de 6 do mez passado transcie-
ve o discurso do Rei de Inglaterra tedia-
do por S. M. na abertura do Parlamento
no dia 4 do mesmo mez, do qual copia,
mos os seguintes tpicos :
Milordes, e S nbores.
ee He rom a maior satisfacbS que eu me
torno a achar noseio do grande Conselho
da nacaS reunida em parlamento. Eu
approveito sempre com geito os vossos
conselhos, e me congratulo com vosco,
que o estado actual dos negocios pblicos,
tanto no interior, como no exterior, seja
tal, que vos permiltir de proceder sem
demora e sem inlerrupra no exame das
medidas que \os sera submettidas.
c Eu continuo a receber dos mtus silbi-
dos e em geral de todas as potencias estran-
geiras as segorancas do seu dezejo constan-
te de conseivar commigo estas amiga veis
re-llacSes, que fazem laShem o objecto dos
meus dezejns. A intima unia qne reina
ta& feli-.mente entre este paiz e a Franca,
he para a Europa opinhor da manutengas
da paz geral.
Eu tenho ainda a deplorar a contiriu-
acaS da guerra civil as provincias do nor-
te da He-panha. As medidas que tenho
lomado e as obrigacSesque tenho contra-
tado, prova sufiicienteroenle a minlia
profunda solicitude para por-lhe hum ter-
mo ; ea conducta prudente e vigorosa do
governo actual de Hespanha, me inspira
a esperanradeque a antoiidade da Bainha
*ei bem depressa estabelecida em toda a
extencaS dos seus dominios, e que a NacaS
He-panbola ligada com a Gram-Bretanha
por huma ta longa amizade, gozava no-
vamente da felicidade, da tranquilidade, e
da unia.
Sempre dezejozo de empregar a minha
ntervenea ingavel e desviar as cauzas
de desente)ligencia entte as ou I ras poten-
cies, eu tenho olereciJo a minha uiedia-
caS com o fira d'apasiguar a dif*renca que
se tem su-citado entre a Franca e osEsta-
dos-UniJos. Este ofieiecimenlo foi acei-
tado pulo Rei dos Frnceles. A resposta
do Prezidente da Unia ainda nos nao che-
gou ; porm eu tenho a maior cotifinca.
que a desinlelligencia que devido estas.du-
as naces, taS Iluminadas, e taS genero-
sas, *e esclarecer da maneira a mais satis-
fatoria para os seus senlimentos, e o mais
conipalivel com a sua respectiva honra.
Eu tenho dado as miuhas ordens para
que o tratado concluido por mipi com a
Raiuha de Hespanha relativamente ao
Commercio da e^cravatura, seja posto de-
baixo deis vossos olhos.....O mais que
contem o Discurso, lio relativo a negocios
peculiares da Gram-Bretanha.
HESPANHA.
Barcelona, a8 de Janeiro.
O General em chefe e capitSo general do
Principado. Cantales : O forte de San-
la Mora do Hort, inex pugnavcl por nata-
rez*, e muito mais pe!., arte, abrigo da
rebelde junta Ctala, donde fazia partir as
suas ordens aos assassinos que sustentavam
o seu poder, e o de seu pretendido Bei,
caba as mos das tropas leaesdeS. M. a
Rainha D. Isabel II, que'com urna eODs
tancia, e decisio admira veis sustentaiam a
honra das armas no meio dos trabalbos,
soffrimentos, epi vacies que to coose-
qcencias do estado de acampamento na es-
lacio mais 1 igida do anno, e 110 mais spe-
ro das mentanhas da Catalunha.
Os inimigos que o defendan] pagaram
com a vida a lemeridade da sua empieza ;
ea alma dovosso capillo general se enter-
neceu ao contemplar a scena intere.-sante
de ter encontrado no foi te, cento e tantos
prisioneiros leses, que ainda onossoexer-
cito libertou das garjis daquellas feras,



DIARIO DEPERNAMBUCO.
*
exhaustos os desgranados por fonie, sude,
a miseria.
Participemos, Catalies, da satisfaco
que nossos valentes experimentaran neste
feliz encontr.
Os chelea, que penetraran demasiado a
importancia deste successo, fizeram um i
naudito asforco para soceorrerem o forte:
reunindos era numero de mais de 4,000
homeus atacaram um ponto da nossa li-
nhd ,- poi m nosaos hroes os rechazaran,
perseguirn), e dispersaran! inleiramente;
e conseguida esta victoria tornaran aos se-
na acampamentos a tempo que os do forte,
apruveilando a occasiio, intentaran! fu-
air, e foram acabar nos ferros dos nossos
valentes; honra a elles, Cataliesl
Vede os admira veis fructos que produ-
zemaordem, a subordinacio, eahoadis
cplna. Barcelcna, 27 de Janeiro de i836.
Fruncisco E-poz y Mina.
(D. de B.)
GRAN-BRETANHA.
Londres, ai de laneiro.
A elevacio de Sir, C. Pepys chancella-
ra, e a de Mr. Bickerstelh a secretaria do
legisto causar sem duvida urna satiifa^o
geral, r.io s nos tribunaesdejustica, mas
tambem em todo o reino. Os ministros
nao podiam le feilo roelhor eleico, eo-
braram neste negocio cono o maior desinte-
rese, sacrificando com maguanimidade
suas preoecupaces pesseaes, e resistindo
s justas leclamaces de pessoas cheiaa de
nnrito ede talento, que seguindo ocurso
ordinario dasprefeiencias deviam ser cha-
madas a destinos, em que teriara pieenchi-
do seus deveres para com o paiz. S aquel-
es que conhecem as difliculdades que se
ertcontiam na marcha que ae sigue, sabe-
rao agradecer a Lord Melbourne eseus col-
legas, firmeza que nestas circunstancias
tem desenvolvido; porm os que coropre-
hendem a va-.ta iaipoi tmeia depreencher
os altos destinos da judicatura com homens
de urna integridade, ede um saber geral
reconhecido, celebrai io as.eleites que a-
cabara d fuerce.
Sir C Pepvi tem um condecimenlo
completo e familiar das les e dos princi
pos de iquidade, uniudo n'um alto grao
todas as quatidades necesaarias n'um ma-
zittraco. Tomando assenso no tribunal,
nao se oceupar em redigir arligos de peri-
dicos, nem notas para os seus partidistas
polticos. Este novo magistrado nao ce-
der suu vaidade, e a sua turbulencia in-
terrompendo o conseibo, nem tractar de
oceultar urna ignorancia real, e palpavel,
anticipando com ostentaco alguns argu-
mentos quedeveroapresentar-se bem de-
pressa ni ** Sir C. Pepys, conhece as
eis, e o deveres de um juiz, eapplican-
doseropre, e oppoi tunan ite as disposi-
3e* lgaes, saberconduzn- eem todas as
occasies com imparcialidade, paciencia,
e perseveranca, sem pee desejoso de pene-
trar-sa bem dosfactos da causa, edefazer
justica as paites. Mr. BUkesteth nao a-
inda conhecido como juiz; porm estamos
ceitos de que nao deixar frustradas as es-
perancen de seus anligos polticos. E' ho-
rnero cujos principios sao os mais elevados ;
hornero de honra, e que por largo tempo
exerceuempregos uo tribunal a que agora
deve presidir.
(Courer.)
Acabamos de receber peridicos de
Malta at 17 de Dezembro. Achava-se
naquella data no porto, aesquadra Egyp-
ca, que se compSe de 9 naos, e differen-
tes navios de mais pequea dimensio. O
arsenal apresentavaj um aspecta muito a-
nimado, e faziam-se armamentos em pou-
8 (Freeman's Journal.)
FRANCA.
Parii %S de Janeiro.
Pi incipirram a publicar-se dous peri-
dicos novos nos departamentos do meio
dia, o Mecenas cjd l'oloia, eo Runenos
em Rbodez.
A Gazeta da India tem, segundo o Mai-
re Head, 568 subscriptores, e o Bengal
Huikaru 954. Exstem 47 peridicos rea.
lativos a India oriental, aO a occidental, e
17 a australia.
H|A china nio tem senfo um peridico, 0
Canto Begister.
Atm do Monitor Ottomano publica-se
actualmente em Constantinopla urna Ga-
zeta oflicial em lingua turca, com o titulo
de Takomi Wechau, isto Quadro dos
acontecimentos. Esta gazeta, mais ex-
tensa, que o Mo-itor Oltomano, e dirigida
por Euad-ETend, biatoriagrafo do impe-
rio, e anthor de urna relacio mu app'au-
dda da dea tru icio dos janizar.ts, que pu-
blicoii ha alguna annoa em Constantino-
pla.
E^te estahelecimento de um peridico
em Constantinopla orna anomalia verda-
deramente extraordinaria, se se attender
aos coatumes turcos. Devemos sem embar-
go disso observar que a redaeco depende
immediatamente dogoverno, sendo os re-
dactores escolhidos e assalariadoa pelo Di-
vn. O primeiro numero da Gazeta Tur-
ca publicou-se em 183a.
Acaba deestabelecer-seem Canea, na i-
Iha de Gandia, um nove periodiso escripto
em lingua tuica, e em grego moderno,
com o titulo de Ephemerides cretenses,
contando-se j na Grecia 5 peridicos, a
saber : a Epoch, o Soter, o Diario de
Smyrna, e as Ephemerides cretenses.
(Temp*.)
Nio j duvidoso que a qne.stio do
reembolso e da redcelo das rendas, que
se apresentvv ainda lia poucos das com
grandes riscos sohre a sua adopcio, nio te-
nha recebido, com a retirada deM. Hu-
manu um revez de consideracSo. A tili-
dade e a justica desta notavel medida, sao
sem embargo disso, tio evidentes, que o
ministerio que as combate nao a impugna
seniocomo inopportuna ; porm ha ou-
tros que vio mais adiante, que proscrevem
para sempre a redueco da renda, e que a-
lm disso estabelecem o direito dos portado*
res dos 5 por cento como urna baso nova, e
inalteravel da ordem poltica e social.
Se rbegdssera a prevalecer si mil ha tes
iloutrinas, e a considerar-se como passa-
dasem authoridade de cousa julgada, eia
aqu as singulares consequencias que re-*
sullaiia deltas; o importo da renda aos
5 por 100 sobe actualmente a peito de
iSOmilhSes: a le e a si rata naS per-
uiittem que se applique a amortizaca a es-
ta parte da renda ; ese por outro lado
esta prohibido tomar medida alguma para
reduzir o ai aniel dos juro, que meios
possue a Franca para se alliviar deste pe-
noso onus? Nem a abundancia dos ca-
pitaes, nem a baixa universal do jurose-
riam, na supposica que se quer estibe-
lecer, sufficientes razes para que os sen-
sualistas podessem jaroaia ver-se ameac-
dos na segurauca de suas rendas, e a Fri
ca teria alienado para sempre urna por-
c5 consideravel da sua riqueza, com o
objecto de assegurar massa de pequeos
sensualistas de Pars urna especie de lista
civil, votada provavelmente. como a de
S. M. Luiz Filippe, por toda a duraca
doseu 1 cinado.
(National.)
vestidos estava ensopados com a agua da
chura, e das torrentes que tiveraS de a-
traveesar.
(Corrier.)
(Diario do Governe de Lisboa.)
O Bei acceitou a demissaS de Mr. Hu-
mann, e nomtou para o seu logar Mr. D'
Argout.
Acaba de ensaar-se em algumas ras
desta capital um novo metbodo decalcar,
deque se espera os melhores resultados.
Este roethodo consiste em formar um do-
brado pavimento, que deve evitar em gran*
de parte a formaca de carris ecovas. que
embaraca a circulai;a das ras. No ca-
so que o ensaio produza um resultado sa-
tisfactorio, se applicar immediatamente
o mesmo systema a todas as demais ras.
O Diario de la Meuse publica variaa car-
tas que mencionas a morte de cinco pesc-
as, que se encontraras geladas em diffe-
rentes caminhos daquelle departamento
uas noites de 15 a 16 de Janeiro. Depois
deumachuva mui forte cabiu urna ge-
da fortissima, e fcil conceber o effei-
to do tio dos desgricadoj viajinlea, cujor
AVIZOS PARTICULARES.
ManoelCetano da Silva, Thezoureiro
actual da Lotera faz sciente ao respcitavel
publico, que no da 6 de Abril pelas 9 ho-
ras da hhIiS at 2 da tarde d principio
a pagaros premios da a.* parte da i2.* Lo-
tera em casa da sua res'dencia em a ra
das CruZes.
tJ^P Precisa-se d'urai ama de leite;
na ruadoCollegio, sobrado D. 5 em o 2.
?ndar, saliendo bemenfaixar, e tratar li-
ma crianca, ainda queseja ecrava.
|f Tendo-se obtido por especial fa-
vor do Snr. Cnsul Portugnez o Retracto
da Senhora D. Maria a.1, s falta o Retrac-
to de S. M. Britnica Guilherme 4.* a
pessoa que o ti ver, queira annunciar por
esta folha que se far todo o ajuste para o
festejo do da 4 de Abril no Theatro desta
Cidade.
*jry Precisa-se de urna ama que tenha
multo e bom leite ; na ra do Livlamen-
to sobrado de um andar D. 4.
*/y Precisio-se algumas escravas e
moleques, para venderem na ra azeite de
carrapato, e ornis que se offerecer, pa-
gando-se 520 res por dia : na ra de Hur-
tas D. 63, pi imeiro andar.
\^ O abaixo assgnado avisa ao Snr.
Coronel Francixco Antonio deSouza Leio,
Prop ietario do Engenbo Timb, que ten-
do despejado das tunas do Catuc perten-
centes ao Morgado de Paralibe de cima de
que o annunciante Administrador os Ale-
mies, restante de urna denominada Colo-
nia de Santa Amelia, apparecerio logo de-
pois alguns delles nesta Pi ac com cargas
de carvio, e um papel de renda passado
por S. S. em que Ibes dava faculdade para
o poderem faser em trras, que segundo o
mesmo papel, diz, S. S. serem suas; mas
que vista a distancia, elocalidade onde se
achio situados os individuos, que se dsem
novosrendeiros de S. S., nome dos luga-
res, as indagacSes que tem feito o annunci-
ante de pessoas desenteiessadas e antigs, e
mesmo em presenca d'alguns documentos
existentes em seu poder : est convencido
de que a trra que S. S. a ren don em boa
f aos Alemies perteuce ao annunciante,
que espera da probidade e honradez de S.
S., que tnilhor informado annulai esse
arrendamiento mandando que saiio para
outra parte os ditos rendeiros: e desta
maneira protesta desde j de nio assinlir,
nem tacilameuteconvir nessesacto-posses-
sorios, que com quanto sejio feitos em
boa f, mesmo assim podem ser muito
prejiilciaes ao annunciante.
Silvador Coelho de Drumond e Albu
querque.
tfy Quem quiser tomar a premio so-
bre peiiliures de prata, o ouro, ou boas
finnasendossantes, a quaiaia de 800,,000
eis, dirija-se a ra da Cruz n. 7, 2. an-
dar, que fe Ibe dir quem faz o negocio.
fc3- A* mais de um mez estando carie-
gando urna canoa de gneros na praia do
beco deNoranha ao p do ferreiro Sabino
no Becife, aconteceo por estarem arruman-
do a dita canoa botarem um barril na pou-
pa de outra que eslava junto a ella, e depois
de arrumada retirou-se esquecendo-se de
dito barril: quem se julgar prejudicado
ou for seo legitimo dono procure na ra
do Vigario casa n. 15 que se Ibe dii aonde
existe para ser entregue verificando-se os
sigi.aes do mesmo barr!.
XaT* O abozo assignado previne quan-
to ser possa todo o abuso que para o futu-
ro se teuba de repetir com pedidos em seu
nome como ] aconteceo -, avis* a todas
as pessoas de sua amisade, que nio rece-
lando pedido seu por escripto, bajio de
uio estar por algum que'por ventura appa-
reca vocalmente, seja este para dinheiro,
ou qualquer outra cousa; por quanto nio
quer que de tal repetco resulte qut-hra no
seu pequeo crdito, que alias muito pie-
za
* Joze Joaquina Umbelino de Mirandel
3
O Snr. de Engenho que percicar
d'um homem solteiro para caxeijb de en-
caixamento e alguma escripturaciomaia;
dirija-se a ra do Potaiio aatreiu, sobrado
O. 53.
NAVIOS A CARGA.
Para a Babia.
_ Sahira impreterivelmente no dia
31 doconenteoPdlaxo Brasileiro Grati-
dio : quem no mesmo quiser ir de passa-
gem, ou ca regar dirija-se ao Esc iptorio
de Manoel Juaquim Bamoa e Silva.
Para Luanda com escalla por Bengajella
O Patacho Brazileiro N. S. da Boa
Vagem, sahir com brevidade ; quem no
mesmo quizer carregar, dirija-se a praca
do comercio a tratar coto w Mestre do mea-
mo.
COMPRAS.
Um folheto da Doncella Theodora, o
um livro da Architelura : quem tiver am-
nuucie.
LEILAO.
Moje i dez horas da man no Consula-
do de Portugal hade ler lugar o leilio j an-
nunciado does|:!io do f. Nunes da Serra, piloto do Bergantina Por-
tuguez Vinte e quatro de Julho, qua con-
siste em roupa do uso, um Oitante, Li-
vros de Nutica, Mappas, e diverjas outra*
miudesas como milhor se ver do inventa-
rio que estar patente.
t/r* O Leilio das 400 saccas de caf,
fica transferido para hojeQuarta feira 30
do crtente pelas 10 horas da manbi (em
consequencia da falta do porteiro).
VENDAS.
Almocreves de Petas, Artes de Fortar,
Artes poticas de Horatius Apendix s
Primciras Liiibas, Barco da C^rreira dos
Tollos, Biblia Sagrada, Cartas de Huma
Peruviana Cathecismo de Montepeher ,
Choupana India, Comboy de Mentiras,
Carlos Magno, Cornelius Neps, Epistolade
Cicero, Cicero de Officii, Cicero Oratio-
nes, Despedidas do uarechal. Diccionario
Classico, Dito Francs por Costa e S, Di-
to da Fbula, Elementos de cvilidade, Es-
cola de Poltica, Escola de Bous costumes,.
I.i-mentis de Puetiea Ezpreitador do
mundo novo, Ivcola nova, l'nsaio deRhe-
torica, Dito de Sinnimos, Eutropias, F-
lix Independenle, los S>run.Gra-
mtica Portugueza d< L<>bilo, Glossaro da
Gallecismos, Gramtica Francesa de Lbo
mond, Geometra de Euclides, Guarda li-
vros moderno, Herniada de Voltaire m
Francez, e Portuguez, liba incgnita, Ma-
rilia de Dirco, Mestre Francez Clamo-
pim, Missal Romano, Noites Romanas,
Ditas de Young, Obras de Bucage, Orlan-
do Amoroso, Ouvids Menelis, Paraizo "
perdido, por Milln, Quinliliano por Fon-
ceca, Regularaento do Conde deLipe, Sa
gredos necessarios para aa Artes, Salustiut
Latinos, Ditos em portugus. Ditos do Pa-
dre Theodoro de Almeida; Ditos do Padre
Viera, Ditos de Fr. Bento, Santo Clair das
IlhaSjTbesouro de Meninos, Ditos de Me-
ninas, Dito de Adultos, Viola de Lereno,
pereira e Souza, Priraeiras Linhas, Lihas
Oi'fanoltgicas por Carvalho, Manual pa-
tico por Gomes, Doutrina das Acc,oes, Tra-
tado de Testamentos, Memorias sobre Li-
citaoSes, Manual de AppelacSes e Aggravos,
Reportorlo Cronolgico das Leys, Sinopaj
Cronolgica, Manual de Tabelio, Cami-
lia Libellos, Ordenando insti uidu nos seu
deveieS, Caa ni nga Th-olrg!a, HiKioaia^
Sagrada poi Bnti, S lr*m I euloeu
Coucios Tridentin. e Theologu Luoug-,
nensi: ni riac da Idepeodeocit n. 37
38,

a.
( (


DIARIO DE P'E.Rtf AMBTTCO.
_, Urna negra moca de bonita figura,
ngomabcra, cose xi, lar renda, cosinha
> oiarto, e lva de sabio, outra dita coS-
liha bem o diario, lava de varrella e sabio,
i boa vendeira de i u*; outra dita bem moca,
rosinha o diaiio, lava de sabio, e coro
H'inrp<8 de costura; outra dila de be a
ligara, sera hxbilidbd^, propiia para todo
servido : na ruada Alegra na quarta ca-
quemsaido beco que voltu da ra Ve-
Iha.
"^ Urna canoa de pao amarello que
[rarrega'5 caixas de assucar : no Engenho j
JGitituba, porto Santo Antonio Grande, ou,
lid na da cadeia do Recife n. 54.
IYI gnum Lexicn, da"Iropre>a"o
de Lisboa : na ra do Queimado l o ja de-
Iferragem n. a.
Os livros seguntes : i.'s.* to-
mo de Quintiliano escrj.pto pelas boira.", e
coro oseo competente quaderno em porin-
igoez, um'Saliiolio, um'Cornelio, umaTa-
| bulv*, e um Virgilio tudo ein "bom DM :
quem os pertender annumie.
160.,000 res testa lisa: na ra
Nova D. ai dtlronte pa Conceico dos Mi-
litares.
gyUma pdpilera de Jacaranda por
rom modo preco, urna cabra bixo acostu-
mada-a dar "leite a criancas, e tira-se da
u.esmaganafa e roeia de leite : naTua fs-
'trel-t d> Rosario sobrado D. 33.
fj" Um pardo b o 11 i i o ptimo, e de
\ mimo boa figura: na rua do Vigario D.
L12; e superior 'carne de Montevideo, e
lingots secas, abordo do Brigue Escuna
B-Ii. L'niioein -partida r>i.iioi ou inen'u- ;
I ou na sobradita casa para Iractar, cora Nu-
I no Mara de Seixas.
fcy Superior potassa Russiana : a f*l-
I -Jar cono Christovio Guilherme Brakenfeid,
rua do Vigario D. 12.
jfl^ Uui bonito sortimento de raleado
1 de superior qualidade, -llegado prxima
mente da Cidade de Lisboa, luilo para ho-
rneas, como pai a senhoras, nienuvos, e
meninas, saber : --bolina de hiaterro, aa-
ipatos de dito, ditos de dito .grogns aboti-
nados para tropa, ditos de coidavo tinos
-de urna tolla, ditos de dito grocos de duas
irolbrt, ditos de dito finos americano-, di-
tos de dito groos d tos, dito de bizerro
'f%eos americanos, ditos de-setim de to-
llas as Corea com fitas para senhoras, ditos
de iuraque de todas as corta com filas para
euhoras, ditos ditos para menina-, ditos
'de marroqu ni com fitas ,pra {-enduras, i i
, los ditos para meninas, ditos de veludo de
todas as cores para senhoras ditos de vel-
botina para as mesmas, chiquitos de mor-
Voquiru de todas as cores e taroanlios, tan -
4o para nren'inos como para meninas, bo-
tina *le tnarroquim de tod>.s as cores, e
-tamaitos.para meninos e meninas, sapa-
L'4m iw uiarioo/uim pa hornero, ditos de
.->-liiii com algum mofo pumii inauo ba-
ratn, sapalos de ahorra para rapa/...,
bahoa de Lisboa de 5 6e 7 palmos, Indo
vendedor preco coiniiiodo : na leja do
$?aiiao na esquina dobecoUrgo da i ua da
cadea do Recn>.
1$fp. Urna escraVa crila de r?6 annos
engoma, roshiha pe fritainente, e cose li-
00 : na rua do muro da ivnha I). 1 j,
3r* Um niole<|ue cabra de id armo1,
tnui lo esperto para payem, mi aprender if-
*fnio, por preco rasoavel. tamben, vende-
be qu . le soptrior em gnalas giandes a O 000 a
t^* CJma escrava de natao de iSau>
los, ptima engoioadeira, e boa osiulit-i-
Ta de vaijasquaiidades, bonita figura, cose
< ha !ecidi> Jote da Pi-iiba.
jy Um catallo o<> bem deslio em
tariiohu; na rua .das Trui*eir*s em casa
*Je Muli'Hrl Perieira.
if^ Urna venda com poneos fundos na
1 ua d<-Rosario esln na I). o, ., dinlieiro
vu a praso cotn b-as firmas : ra mesma.
fc'JT" Urna sarca de t a de carnauba :
na rua da eadeia do Recite Botica I) -i.
fy Urna negrinha de t anuo-, s.-iu
molestia a'guma : na rua do Aragiu |J. i S.
Uaia dusia de cideira>, e um ca-
it|a|), tudo de augico, anda novo, de
gsio moderno : na rua do Aragio I), i -.
l^r^ Uma cruz de b> ilhante.s, bra boa,
4Pbsjogo de mesas de salla com sua-t coui-
peteulen mangas de vidro, uma m-sa de a-
rada, utlM baJauca grande lie coi rentes
k ^*'Pano fi
Ibraia l's-i e borc
ldeseda por pie
la pessa : na ro
de ferro, propria para pesar de 3 a 4 quin-
taespor'banda, 46 taboas de pinho, grogu-
ra de costado de a5 a 30 ps de cumplido,
e um p de largura, tudo por preco cora-
modo ; na rua Nova do porto das canoas
no tegundo and-r das casas de Domingos
Jo/.e Mariins Viera.
%W Um excedente sobrado na Cidade
de Olinda em urna das principaes ras, e
mais contigua a Academia por preco asss
commodo: na ra da jfeda armasem de
assucar por bjixo do sorado onde mora
a Borbo.
|cy Pao fino Inglez asul e preto, cam
dada, lensos de cambrain, e
eco commodo, xilasa440O
pessa : na rua do Livramento D. 7, e
carvio por metade do preco geral: na rua
da Penha ultimo sobrado a esquerda.
IQp Urna canoa de carreira bem cons-
truida, e pintada do mi'bor gusto possi-
vel : na piaca da Unio n. 2, se dir quera
vende.
^9' Um sitio no lugar denominado Me-
I6es, em os suburbios de Olinda, freguesia
de Maranguape, com grande terreno ,
com bastantes frucleirasa saber mangabei-
ras, e cajociros, tero grande vanea para
capim, i.ia'em urna situacio mu agrada-
vel, e mais se faz por um hragod'agoa cris-
talina, que mana do rio Paratibe : a fallar
com oseo proprietario TVncisco da Costa
H-rlius.
^r^P Encerados para cobrir caixas de
superior qualidade e manufactura ingle-
za : na mi da Cruz, N. 7.
|t3^ Urna negra de 18 anuos, sabe co-
rinliar, engomar, e cozer : na rua do Fo
go, 0. 11.
try Para fora da Provincia 2 negras
crilas, urna de 1 i eoutra de i5 annds,
com as prini'ipaes habilidades, e por pre-
co bastante cmodo : nesta Tipografa, ou
annuncie.
9* Bi xas novamentechegadas do Por-
to por preco commodo : na rua do Livra-
mento defronte da porta travessa da mes-
ma Igreja D. a3.
(5~ Fulinlias de porta, de Al-
ribeira, e de Padre, para o pre-
sen-te atino de 1836, por preco
commodo, na Praqa da Indepen-
dencia, loja de Livros N. 37 e
.38, e na rna ta Madre de Dos
venaa (fue foi do Rezende.
PKKDAS.
No dia a4dn corrente m'7. de Mtrcoper-
deiio-se, viudo da rua de Orlas, al uW
ro s pecados mortats, una follia d'om
le-tainento assignada por Francisca Moni-
c* do Sacramento Tavares, e umabtra da
i| 1,.ni] 1 de i'0ooo espassacla por Anto-
nio Teixeira, Procurador de causas, e acei-
ta p 1-5 do corrente, e paga, como consta do
rerib", que est passado no verso da mes-
roa letra: toda e qualqner pessoa, que li-
ver achado, os mencionados ppea, qnei-
ialeval-os a UM direita D. 30, que s-ei
gratificada. A Ive le-,e ao pablco, que
e-sa Seuhora nao lem assitado lelra al-
go ma de outra qualqu-r qianlia, >e uao
esta, que foi perdida, e <]ue (como se diss< )
ja >e acli.i paga.
*tjf* (x)uem tirer achado hum livropor
1 titulo insirucoens de Lgica : dirij-i-sea
rua do Ngu'ira D. 1 i, q ie sera bem
(recompensado.
HT3^ Snmio-se unn cabra (bi\o_) no
lia ili do cociente pelas 8 oras da me
ubi coro >s seguales signaes I .lia lo la
prela, r<>m nmi niaiiclia em cada quaito
debraiio, m xa de n.ilurzi e granda
basiaiite no lamanho, com una fi h. ta
bem pela com al>>umts minchas bancas
mtiores do |ueas da \l>v, e ansien sabesse
que ell 1 exi>te em umi caza e roga-8-i a
i.-e-s >a q 1 a ten qneica vic entregar no
Icco deir.i/; da utlrie de S. AiHoni, ca-
m U. 2, e do contrario pasar o seo 110-
it a ser publicado.
1^ Perdeu se urna fivela de oiro pre-
gada em um cinto cor de ro/.a na noite de
Sibbidu 16 do corrente na Igreja da Sau-
liCrui ; |ii.'m a liver achado querendo
restituir leve a cae da R-A\:im;< de a.su-
car no Atierro da Boa-vista, que ser gra-
tificado, e na mesma se preciza de um
Padeiro.
ESCRAVOS FGIDOS.
Ignez, naci "Angola, idade 30 a 35 an-
nos, com os signaes seguintes: tem urna
queimadura no hraco, e os dedos dos pez
ruidos, signal de bixos, foi escrava do Bri-
diocom Botica a ilharga do Livramento;
fgida o mez passado: os aprehendedores
levem-na ao atierro da Boa-vista cesa de
refinaciodeassucar, que serio recompen-
sados.
%T^ No dia 28 do corrent9 ugio um
e.'cravo por nome Luis, criollo, idade
18 a 2o annos, estatura baxa, com um
talbo na barba e uns panos pelo pescoco
e vestido com urnas raleas de biim novas,
e urna carniza de usiadinho encarnado,
e chapeo de palha grossa : a pesssoa que
o pegar bvem-o as 5 ponas, que ser
generosamente 1 ecompensado.
%y Joze, Loanda, bax<, grossp, ca-
ra chata, olhos pequeos, ps largos, ca-
rniza e talcas d'estopa ; quando fallo, pa-
rece eslar chorando: he escravo do Se-
minario d'Oliuda, est fgido ao das,
e foi vate para as bandas de Nazareth.
Roga se aos Srs. Jui/e* de Paz, Copilies
de Cmpo, e quaesquer outras pessoas
desleofficio, que o peguem, levem-no.
ou mandem- no levar ao Beverendo Beitor
do mesmo Seminario, e sera6 os portado-
res generosamente recompensados.
IfJF Em iodo mez de Fevereiro pr-
ximo passado, fugio um negro, por no-
me Francisco, naca5 cabund, rom os
signaes seguintes : alio, corpolento, re-
presenta U'r mais de 45 anuos, barbado
t pelo queixo e buco, um tanto des-
carnado da cara, alei jado de um dos pez,
tendo este cortado pelo peilo, por nao que
nao tem dedos, e no roulo leste p tem
urna ferida quase leixada, eoutra no meio
da peina, sendo --sa roaior e mais antiga
ea perna esl mais grossa que a outra!
este negro levou calsa e camisa d'eslpa, e
chapeo de palha ; da-se urna suficiente
grdtilica,- correspondente ao lugdr em
pie ftr encontrado, a quem o pegar, e
entregar na rua dos Quai teis D. 4, e 5 ;
assim roaiose protesta proceder na for-
ma da Lei, contra quem o tver em seo
poder.
%^ Anloni", naci sumbe, ai a 5
anuos anuos, bero feilo, estatura regular,
llios alguma cusa veimelbo, acoro of-
fijio de anot-ro fgido no dia a5 do cur-
eme, com calca e ramiza d'algodio, e li-
ma canoa de onduzir agoa : ao armazem
detidros, ao l. Taboas das mares rhnias no Pono de
i 'ernambuco.
LOTERA.
11Segunda th. 18 m
12T:. 0 x 2-6
J 13 Q: C 0. - a- 5i a
-^-Q ti 3-42
; ,5-S: 4 30
!6S:----- - 5 4a H
17-wD:. ' 6- 30 a
Tarde
NOTCIASMA RITlKA.
Navio entrado no dia a8.
LISBOA ; 37 dias ; B. l'ortueuez Lt-o,
C p. R ardo Xavier da Cuuht; vario
geueror : Antonio Joze de Amonra. T.
a 1 a. Pa.'sageiro Lu/. Antonio Cardoso.
Navios sahidos no dia 29.
DITA ; G. S Gomen : va-ios eneio*.
TRIESTE) B. Ing. Edgemte,Cap. Je-
orge Dug*Ul: vaiio" gneros.
F4LMUUTH; Pataxo Ing. Maiepi,
M. Eliis : vanos gcnc o. ^
Lista da segunda Paite da xa.' Lotera.
Premios de mais de 8,000 r.
N.
Premios. N." Premoj.-
35 iooj
45 50$
i09 25$
na 40
sai a0$
aO(j 255
ai9 20
a68 20
a7a 20
3a5 20
4i4 a5
436 25
445 100
462 500
490 40
52a 200
554 200
577 50
589 20
594 25
630 500
6-")5 20
64 100
6j 40
667 a5
7ii 2:000
7a6 25
736 a5
738 20
770 50
867 20
8o9 a5
o' 20
941 a5
965 40
1061 r< B. 80
1071 a0
,i38 a 5
1205 a 5
iaa* loo
,ab) 40
ia8a a5
|495 20
iu00 a5
,53a 2 5
,5b4 a-"1
,565 20
,58a 20
,600 40
,6o" k 20
i6^7 40
l709 a5
,74'* 25
I746 20
,8Jt4 2 5
,83l a5
,859 40
l9oo 200
,yu 25
,939 50
Ijftf* 50
207 40
ai'7 20
a,a6 100
a >77 aft
2I y 20
2202 50
aa34 40
2-2^7 a5
22^6 20
a348 a 5
a350 20
a4>3 20
245t 20
a56a 20
a4 50
25a8 40
257i 40
2605 40
ao" 20
269 20
a693
a748
3767
a79a
a794
3833
2843
3882
a9i2
3ga5
29S6
2950
4964
296;
2 980
3068
3,a,
3i45
323 %
326a
3a65
3a88
3a97
3377
3381
339a '
34a8
*437
3i73
3486
3494
3574 2.
Ka
3645
?647
^40
38?5
3827
3892
3900
Jtel
3986
3988
4024
40-25
4039
4070
^105
427
430
4153
4l48
4i7i
4260
4267
270
43(>9
45a4
4.149
43(jo
4465
408
45,4
^539
4569
4j73
^625
47,4
4739
4749
476i
4767
4780
4797
^82a
446
/l8t9
490*i '
4910
B.
25
40
200
1:000
20
20
40
20
25
25
50
20
20
40>
50&
25
20
25
50
25
50
40
40
loo
20
1:000
250
50
25
50
20
80
20
40
25
20
50
20
20
25
40
250
25
49
20
loo
40
25
40
50
20
20
20
25
100
20
20
100
250
25
40
20
100
25
25
50
25
20
50
20
200
50
20
50
25
40
4:000
20
250
20
20
ERRATAS.
No Diario d'ontedi, na quarta pagina,
em lugar do titulo de Pti'das leu-.-e
Vendas.
PE.M. fATir. DO MARIO. j856.
u.
M


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBK0UCRET_WN4IDX INGEST_TIME 2013-03-27T16:34:55Z PACKAGE AA00011611_02360
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES