Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02359


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANx\0 DK 1836. TERgA FK1RA
29 DE MAKgO' N. 70. 1
DIARIO DE PERNAMBCO.
Fbritambdoo, wTt.diM.F deFaaia. 1836;
DIASsvDMANA.
28 Segunda S. Alexandre M. Proc. aos enf. na Mat.
do Corpo Santo. Nao ha des|i. at 5 de Abril.
29 Ter$a 3. bertoldo C Pr.ic. aos euf. na Mat. de
S. Antonio-
30 Uuarta de Trevas 9. Joao^limaco- Proc. aos enf.
na Matriz ita Boa-vista.
31 Quinta de Endaencas (piarda-se do meio dia aie
ao meio dia seguinle) S. albina V. L. oh- as 10 h.
e 7 dl da tarde.
1 Scxt'iBB bjjxjo I. de Abril- S. Macario. Proc. do
Ent cm varias Igrs. Anniv. da ln-t. da As. Piov.
2 Sbado de &I6hUa< b. Francisco de Paula.
3 Domingo de Pascboa S. Ricardo B. Proc. la Res.
em varifp lgre-
PERNAMBUCO:
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
Acta da SessaS extraordinaria d'As-,
sembl* Provincial aos a-i de Marco de
1836.
Presidencia do Snr. Dezembargadot
Mac te l Aln le ir o.
Feita a chamada estava prezentes 23
Sttca. Deputados, faltando cum causae-
mullicada o Snr. Meira, e sem participa-
do os Surs. Di. Pedro Cavalcanii, Anto-
nio CBrneiro, Joaquina Francisco, Dr.
Gomes, Padre Fonceca e Silva, e.oSnr.
Presidente abri a ses^a.
O Snr. i. Secietario dando conta do
expediente, fez menead de hura ollito
do Secretario do Gove no jncluindo hu-
ma representaca do Exm. Bispo Dioce-
sano, em que pede Assemblea autbori-
ze aoGoverno parafuzer os dispendios ne.
cessarios Com as Matrizes, e outros obec-
tos a qual foi remet ida a commi.-sa Ec-
lesistica.
Outro contendo diversas representac-
es da* Cmaras M oniripaea; sendo huma
da de Goiaona cob'indo buin requeri-
menlo dos habanles daqn lie Tei mo pe-
dindo a mudanci* da fera tie gados ile
l'edras de Fogo para a mes.na Villa, foi
jemettida oiniiB8a5 de Cummeicio.
Oulra da Cmara do Limoeiro Sobre a
suprecaS dodestricio RibeiroGraod, e
a ultima da Cmara deSerinhaem sobr*
o limites do avu Termo, as qnaes fom
lemettidaa commissa de ReprezenUces
das Cmaras.
O Snr. Presidente nomeou aos Snrs.
Barata, Tiburtino, Padre Chiistova
para em Commis->a levar a Sane-cao do
Governo os dous ltimos Proj.-clos aprp-
vados por esta Asemb!ea.
Deo se piincipio a ordem do dia com
a primeira discussa do, Prnjeclos ns. 25
t fc8, que fli, r*8^ tados.
pssuu sea primeira d<> Projecto n. 3,
que foi adiada a requerimentu do Sur.
PjfWoio. .
Entrou em lerceira discussa a Projecto
n. 57, ao qual o Snr. Monteiro off-receo
olro como emenda substituiva, h cu'o
5. artigo o Snr. Vi- ira de Mello oftereceu
asegmnte emenda additiva depois das
palavras piini'ras letra-, acoierente<*e,
sem suspendo do seo honorario durante
o lempo da sua instrucca-e o resto como
do mesmo art.--, a qual emenda depois d'
alguma discssi foi retirado a pedido do
M'u autor.
O Snr. Selle tambem mandou a meza
huma emenda ao 1. ai tigodepoia das pa-
Tudo agora depende de nos meamos, da nossa pru-
dencia, moderacao, e energa: continuemos cotn.
principiamos, e eremos nontados com admira-
do entre as Nacoes mais cultas.
Proclamaco da Aiiemblta Otral da Bros
Subscrcve-sea 1000 rs. mensaes pagos adiantados
nesia Typograna, e na *raca da Independencia b.
37 e 33 : onde se recetiem correspoi.deicia legali-
saaas. eaiin.iuc.os; inser odo-s estes jrstls leudo
dosprupriusassignante, e viudoass.gnado.
CAMBIO.
Marco 17.
JLiOndrcs. 89 Ds. St. por 1 ctd. ou prataaW
por cont de premio.
Lisboa 50 por o|o premio, por metal, Nom.
FrancaMo-MO Ra. por tranco
Rio de Jan. 6a 7 por canto de prrraio
Moedas de 64O0 l'.'00 a M&00
4oo 7.,000 a 7:o
Pesca i440
Premio da prata 50 p. C.
dn lettras P'r mea 1 2 por oo J
Cobre '25 pur cont de cesconto
PARTIDA OUaCOKKKlUa.
l.ma _Todos os das a meio dia.
Goiana, Alhaadra, Paraiba, Villa do Conde, Ma-
maoguape, Pilar, Keal de S. Joiio. Brejo d'Areia,
Bainlia, Pombal, Nova tie Soasa, Cidade do Natal,
ViPas de (ioiuii.nnha, e Nova da Prinees, Cidado
da Fortaleza, Villas do Aquilas, Monte mor aovo,
Aracaiv, Cascavel, Canind, (rar.ja, l.nperalriz,
S- Bernardo, S. Joiodo Principe, Sobrar. Novad*
Elltt-v, Ico, S. Mathens, Eteschodo ssngae. S.
Antonio do Jardim, Qneseramobim. e l'arnahiba
Segundas e Sextas leiras a meio dia por via da
Paraiba. Santo AntoTodas as quintas ir i ras ao
meloda. GaranhuM, e Bonitonos uia 10 ;-t
de cada mea ao meio da- Cabo, Serinhaem, Kio For-
ino/o. Agoa-Preta ePorto Calvo~nosdiss I, \l
e '21 d-> cada mea Sertnhaem, Rio rormo^o, e A
pita Prea''efundas. Cl>iari> e Sextas feiras.
lavrasaPariz ou Londres, acrescente-sp,
ou quelquer Provincia do Imperioe o
Snr. Reg Barros remetteo sobre o mes-
mo objecto a seguinle emenda- O Gover-
no lica aulhorisado a contiactai* em qual
quer parte onde possa encontrar com
hum Frofessor do ensino mutuo-em con-
quencia do que o Sur. Sette pedio reti-
rar a sua emenda, efoi-ihe pcrmitlido, e
aprovada a do Snr. llego Barros.
O Snr. Vieira de Mello remetteo a me-
za a emenda aditiva ao 3. artigoDepois
das palavras primeiras 1> Iras accrescente
se, os quies por todo o tempo, que con-
sumirem n'-qui/iga da iiistrnci,\6 nor-
mal sera obngados deixar as Cadenas
sub-titiiidas por pessoas de capacidade, e
com dii rilo i metade de leus honorarios,
e sendo discutida foi regeitada.
O Sur. Padre Rafael ofei eceo o seguin-
te artigo additivoo Governo providen-
ciar para que a inslrucea6 primaria neo
fique em ab%ndono durante os dous an-
uos e depois de discutida fui approT.
da.
Tendo-se vencido, que a ma'tiii ^s'avii
atlffi intrnente discutida, o Snr. P.si-
dente poz a votos, he o projecto passava
em lerceira disCUswS, e ap.ovou-se o su-
bstitoitivo do Snr. Monteiro com .-s emen-
das recebidas.
Entroutni primeira discussa o projec-
to n. 7a, e depois d> alguma dicua6 0
Snr. Padie (ama pedio o adiameuto, e
assim se resol reo.
Ention-^e na segunda di-^ussaS o P.o-
jeV.to u. 55, ea requer nenio do Snr. R<-
tnos foi adiado, at que viente do Gover-
no a cpi>i do regulamento da exmela
ear. da IoapfOCaS do Assucar, que devora
ser requintada.
Passou se aconcluza da ordem do dia
rom a se*>utid -dlacusaao do Cap. 3. do
Regiment daGsza.
U Sur. Podie G*ina rmndon a meia a
segiiinte emenda ao ait. 29Onde di/.-se
voUr .salvo deixando &c, suprima-seo
volar, o votar, e no fim accre-cenle-se, E
no cazo de querer rotar, o far aimoltane -
ament com os de mais Deputados, nao
pudendo ter vo'o de desempate ; mas >e a -
inda rotando daqnelle modo o Presidente,
liouver empate, lioar a inot^ria adia-
da.
O Snr. Ancora offereceo as sguinte.s
. mendari-ao arl. -9 8oprimti5.se a pl-
v ;s olleiv cr projeclos, itidirjcfi e
lequeiMaentos, nem &; sobre o S
sccrescente-e pela orden?, em qoe fbr
ppdida-ao 30 n.i lu^ar das palavraa ler
exerejeio, dganse ser memhro, suprma-
se aapalsvrar, durante a .un Presidencia
--e ao artigo jlaupi ima woartigu 3t- ;
as euierrlasaoartig > 29 fenfi retiradas a
lenurrimenlo de setis aqloies ; e fin'a a
discuisa foi oC-ip. aprovado com as de
luais emendas rtuebidas.
Tcudo-K iuado a ordem do dia o r.
Presidente leo para a da futura ses-ao,
pareceres adiados, segunda discussa do
Projecto n. 1, e os ps. 4, 5, 6, e 7
do Regiment ; e por ter dado a hora le-
vantou a sessa.
Thomaz Antonio Maciel Mouteiro,
Presidente.
Dr. Francisco de Paula Baptista,
a." Secretario.
Luiz Rodrigues Sette.
Secr. Supl.
Requerimento, que os Parochos d'esta Pro-
vinuii, aoabtO assignados em numero
de 30, dirigirnQ a As-embla Provinci-
al ; quem 'oi prezente em Sessa de
26 do 1 or ente mez.
111."*" Snr.* Reprezentantes da Provincia.
O* Parochos desta Provincia, ab-xo
assignados, confiados na juslic.', e patno-
U.mo, que caraotarisa eata Augusta Ca*
mam, vem representar parante a mesma
acerca do pequeo ordenado, que actual-
mente perrebem, e que nao pie deixar
de her augmentado pelas concideraces j
que pas-a a expender.
S-m acairelar inmensas razes, que
poderia ser produzidal aqui em favor da
pertencaS don Supplirantes, e que lias
n.iO escapaS sabedoria drsta Augu.-ta Ca-
mara, o Sopplicantaa nao pdem deixar
de lemhrar, que a independem-ia dos
Paoccionarios pblicos, nos s^us empre-
gos, nina condioi ndapenatVel para
o b'oni desempenho dos mesmus, sendo
assim que a falta de meios para subsistir
com o pieciodcftjro reduzo serventuario
daNaca unta ie.vidaS vergonhosa, e
muitas vezp* Ettal as foneces, que ella
exeicit. Lio, Senhoras, que grl
para todos o. Emp.egados pblicos, com-
prfhenda UBtO mais aos da clas-e Eccle-
ziaslic, qoaii'o se e-t acostuinado a jul
arar da Re'igiaS pelos seos Ministros; si
Mlesest^Sna abjaceaS, infeie-.se, que a
Religia de.-ahe; e daqui, que conse-
qnenciss para a Moral Publica? A Naca
parece ter reconhecido o p.incipio em
quanto ao Empregadoa civi>, iedo-se
muiloorcopado de melhorar a sorle dos
Empregado* deasa ordem, neobum have -"
do, q "r5 80ie c'Den, de ,",l a"g*
metilo de Ordenado, sendo porem esque-
ridos t'nicameqte oaMiiiiitroa da Rchgi-
a. E' tempo, Senbores, de reparar es-
ta fnlta que algutnaa circunstancias tem
motivado, equic a difficuldade, que se
fd/idefitar um mesnm ordenado para
todos os Parochos deste Imperio, alenlas
s div-rjasiiicnnstancias de cada Provm-
a. E.ta causa felismPnle e-t removida
pelo Acto addiccional, que fez as l'arochi-
as empregos Prorinriaes.
O. b-nesses das PairucbM, que outr'ora
avnltrtV^ algQioa cousa, quinao os povos
se didinguu pela pied.ru, e socilidade
para com os seus Pastoies, e que juntos
congrua, que enta os Pastores lecebia
(e ainda boje recebem) do E=tado, ebega-
va para a sua decente sustentculo; pro-
senlemente, quando outia. aopiniados
tempos, diminuem de dia em da ; tor-
nando-se assim mu precaiia, e (pode-se
dizer) impossivel a subsistencia do Paro-
chos, quedevem contar uuicamente eom
os a00i000 rs. da congrua, que Ibes da
o Estado. A Nac parece tambem ter re-
conhecido esta verdade, ellevando lti-
mamente a Assemblea Geral, pela Caita
de Lei de 31 de Oulubro de 1835, acn- ,
orna dos Parochos da Corte, e Municipio
do Rio de Janeiro a 4000$ rs. Este exem-
plo de ju-tica, que os Poderes Nacionaes
acalia de dar, os Supplicantes dezeja,
pedem, e requerem a esta Augusta Cma-
ra se faca extensivo esla Provincia, onde
a cong ua de 400$000 rs. para os Paro-
chos parece mui rasoavelmente estable-
cida. Elles assim o espera desta Augusta
Cmara, que se esforeara constantemente
por fazer effeclivos os mellioramentos, q*
a Lei das Reformas outorgou s Provinci-
cias.
ERR. M."
Joa Mazado Freir, Curada Calliedral
de Oliuda.
Luis Joze de Albuquerque Gavslcanti Lins,
Conego Vigano de S. Antonio do Re-
cie.
Joa Antonio Torres, Vigario Collado da
Vartea,
Jo Evangelista Leal Periquito, Vigario
Collado em Pasmado.
Martina Caetano regado, Vigario collado
em Larangeiras.
Joa Jozc Pcreira, Vigario collado em S.
redro Martyr.
Jo/.e Joaquim Borges U. hoa, Vigario col-
lado do PokSO da Panella.
Antonio Baptisia Coelho, Vigario collado
em Marangoape.
Manoel Francisco de Souza Magalhaens,
Vigario rollado na Villa de Itamarar.
Antonio Julia Roger.o, Vigario collado
em Ti.ncupapo.
Anlomo Francisco Monteiro, Vigario col-
lado em Goiana.
Manoel TimOthe) de Are Vedo ''ampos,
V gaiio collado 110 Desierto de It .nib.
Ienario Jnaquim de r^anlAnna Csrdozo,
Vi'ai o oliado em Tracunlieui.
Manoe| da Molla Silveira Cavalcatile, V^
j>hi io collado em Bnn Jardim.
Feliciano Percira de Lira, Vigario collado
no Lint* eiro.
Joze Francisco de Moma Pacheco, Viga-
rio collado na villa do MU d'Alho.
Francisco Manuel de Barros, Vigario Col
ludo em S. Lourenco da malla.


2
DIARIO DE PERNAMBUCO,
Joa Cavalcanle de Albntierque, Vigario
ronfi: mado doCaho.
Manoel de Mello Falcad e wenezes, Viga-
rio em S. Joze dos Bezerros.
Patricio Jote de Souz*, Vigario collado de
S. Joze d'Agoa ii eta.
Antonio Francisco Bastos, Vigario confir-
mado emS. Amaro Jaboatad.
Manoel Joze de Oliveira Achiotes, Vigario
collado em Vloiibeca.
Joa Ztferino Pires, Vigaiio collado na
Freguesia da rascada.
Joa Rodrigues do Espirito Santo, V ga-
rio Encomendado de S. Miguel os
Barreos.
Manoel Antonio do Espirito Santo, Viga-
rio Interino da tula de Serinhem.
Joao Mam icio da Conceica, Vigario col-
lado em S. Miguel de Ipojuca.
Joze Joaquim Lobo de Albrtm, Viga/io
collado na Freguezit de I^uarass.
Joze Camello de S Cavalcanle, Vigario
collado ta viHa ele Santo Antad.
Bras Manoel Machado, Vigario collado na
Freg'iezia de Cimbres.
Joze Felis Peieira, Vigario collado na
Taguara.
Kj
PARA'.
ARTGO DOFFICIO.
Illustrissimo, e.Exra. Seakor. No
dii i5destemez chegou a Expedicio des-
sa Provincia ao Para, tetido antes navega-
do 8 dias na altura de Pe namhuco sem po-
der mentar os baixos de Olinda pela con-
trariedade dos ventos, ecorrenle das agoas.
No mesmo dia i5 mandei abordo da Fo-
gata Campista comunicar ao Eim. Snr.
Presidente a chegada da Expedico, e no
dia 16 fui pessoalmente aprtsenlar-me a
S. Exc, que me recebeo com agrado.
No dia 17 desembarcou o i. B. na Ilha de Cotejuba, huma legoa distante
da Esquadra, que se acha fundiada de fron-
te da Iiha Tatuca 4 legoas distante da
Cidade de Belem. Nessa Ilha de Tatuca
achio-se o 4-Batalho de Maranhio, eo
5. do Pai e ambos nao tem iooB ione-
tas, segundo me infoimo; e foi Bella que
t, refugiando-se as familias emigradas em A
mezes a pe.ste, causada pelos alimentos so-
lidos, e lquidos insalubres, corruco do
aratmosfrico, e pela continuada exala
ci putrida dos rorpos mal entenados Das
vi-inrnmcas do lugar habitado pelo povo,
e tropa, eata barravento delle, matou a
mais de 700 de-gracados; e isto fez me lo-
mar a cautella de proibirque pracas da Ex-
pedicio fossem aquella Ilha.
O 2. Balalhio, e Artilharia desembarca-
rio nos diasseguintes com alguma moro-
cidade a falta de emharcacdes pequeas, e
ainda boje desembarco genesos pai (encen-
tes Tropa.
Na Ilha aonde a tropa se acha aquarte
lada apenas acbei huma casa de telha, e tem
sido preciso faser abarracamento de palha
para a acomodar, sendo este trabalho as-
saz doloroso a falta de ferramenta, que a
Companhade Arlilhaiia dera traser, e
que aqui nao lia de sorte que apenas tenho
huma ensada velha, e duas foices quebra-
das, e outros. tantos maxados no mesmo
estado; mas deste genero acabo de melho-
rar, porque recebi 10 bons maxados dos
que viero de Maranho.
Com a brevidade possivel enviarei a V.
Exc. o mappa da Brigada, e a relacio no-
minal de todas as Pracas, que a compoem,
cqjdo V. Exc. de mim exigi.
Hoje recolneo-ae o Alferes Joaqun- Izi-
doro com o destacamento de 30 pracas,
o.ue linha embarcado a bordo do Brigue
Barca Piraj, que naufragou na costa de
Morojo, indo rom hum Brigue Inglezeon-
dusir gado da liba Mexiana ; ese nao tem
Jiido este B'igue todo destacamento, e tri-
pulado do Brigue naufragado perecera
sem remedio:He segunda embarcieio
que naufraga commandada pelo Capitio-
Tenente Mamede; e diz o Alferes Joa-
quim Izidoro, que o Pratro vendo-se en-
tre os baixose nao sabendo dirigir-se reti-
rou-fe em sua alvarenga, disendo ao Com-
mandaole que poda seguir que estava fura
do perigo. O Alferes Izidoro em ?eu re-
greiso abord do Brigue Inglnz aprezionou
huma gambarra, ou lanxa de 3 cabanos,
que rondusiio trez bois, o huma pnrcio
de carne seoca, sendo morios dois destes
rbanos, e hum baliado, que foi preso.
Sensivel be aqui a falta dt quenas em-
barcaces, e sem ellas dificiPhe faser se a
guerra; porque tudoquanto em Pemara-
buco se faz por trra em Cavallos, e a p,
aqui se faz em canoa*, que chamao mon-
tara, e em pequeas barracas a que di no-
minio goraps, e gambarras.
Os Revoltosos .sao aqui chamados cuba-
no?, e por toda a parte sao odiados, e per-
seguidos, e be de prezumir que sofio
muito cedo o justo castig de suas cruel-
dades, como sofre io os de Pernambuco,
logo que o Governo se desengaen de que
mi o rigor poda chamar a ordem a semi-
lhantes monstros. A gpnte melhor que
por dilirio prrtendeo iriluir^entre os ca-
banos de Para tem sido del les' victima, e
outros eslo fgidos reciosos de lerem o
menino declino ; e s existe entre el les o
facinoroso Fduardo, pouco obedecido, e
de (juem se diz, que fugir logo que a van-
car a f rea da Legal dade ; mas uio se
quando isto acontteer; porque he nego-
cio que ao Esm. Snr. Presidente per-
lence saber.
Sirva-se V. Exc. comunicar ao Exrn.
Snr. Presidente quanto venho de referir.
Dees (i j arde a V. Exc. muitos annos
Quai tel do Commando da Brigada de Per-
nnnhuco na Ilha de Cotejuba 28 de De-
zembro de 1835.-Illra. eBxjn.S'ir. Jo-
zeda Costa Rabello Mego Monteiro Com-
rnandaute das Armas de Pernambuco.
Joaqujm Joze Luis de Souza
Commandante da Brigada.
guc a demandar qualorze p Irnos d'agua,
a fim de conduzir 1 parque, muniedes e
destacamento de artilbera ; assim o par-
tecipo a Vm. para sua inteligencia e ex-
ecuca; prevenindo-o de que forad tiesta
data nomeados para Commandante? do
Brigue, o 1. Tenente Bemardiuo Joze
Coelho, e do Patacho o 2. Tenente Luiz
Alves dos Santos Marques.
Dos guarde a Vm. Paco em 29 de Fe-
vereiro de 1836. -Salvador Joze Maciel,
Sr. Joaqium Antonio Caminlia.
(Correio Oficial)
Rio Grande, 2 de Fevereiro.
KOf ICI.AS DO BIO GUVNUK.
As n< ticas que todos osdias nos che-
gao do Rio Grande continuad a a presen-
tar aquella desditosa provincia no estado
mais miseravel. As correspondencias par-
ticulares que temos visto pintad com as
mais negras cores os atttntados harrorosos
que ali desgracadamente se esta prati-
cando. O Coronel Vicente e seu fiilio, e
o Tenente Joze Mara Lobo, fora se-
pultados em Porto Alegre n<> dia a8 do
passado. Seuscorpos etavidpor tal ma-
neira mutilados que mpossivel era rtco
nhere-lo. Huma peispguica feroz *e ex-
tenda a todos os que tinha a desgraca de
se tornar su-peitos e ninguem se con^ide-
rava seguro. A Assemblea que se b/ivia
reunido em sessa secreta, partee ter de-
cidido que o Presidente Joze de Araujo
Ribeiro fosse de novo convidado a apre-
sentar-se em Porto Alegre no prazo de i3
das, para se Ihe dar pnsse, e que no raso
de recusar fosse obligado a sabir inmedia-
tamente da. Provincia. Para levar e.-ta
resoluca a eTeto, sah'o Bento Concalves
da Capital com diiecca5 ao Rio Grande,
mas suppunha-se geralmenle que aquelle
convite na5 tinha sido mais que hum pre-
texto para a marcha de B> nto Goncalves,
e que seu nico designio er^ a expulsad do
Presidente Ribeiro. Recebemos a proca-
maca que este fez aos Bio-Grandenses e
igualmente a da Assemblea Provincial em
data de 28 deJaneiio, mas o pouco lempo
que nos resta t nospermitte dar hoje a
proclamado do Presidente.
A emigracad de Porto Abgre continu.
ava de huma maneira espantosa, e seria
ainda maior se o receio das canhoneiras
postadas por Bento Goncalves em varios
pontos do Rio, nao tolhesse opasso a mui-
ta gente. Asearlas de Porto Alegre que
da algumas noticias v-.m todas sem a.sig
natura: tal he o medo que tem os cor-
respondentes de que ellas sejaS intercepta-
das e se comprometta.
(Jornal do Commercio de 25 de Feve-
reiro.)
Presidencia, masa Assemblea nio reco- *
liberen .. posse dada no Rio Grande ao A-
raujo Ribeiro, e ainda est abeita para elle
al ir tomar posse: tone de certo que
Bento Manoel lornou a trahir o pani,)0
da ordem. Aqui acabad de chegar fUoj.
dos, o Brigadeiro Gaspar, Tenente Silva
Coronel Pita Chichorro, ejaha|das q
aqui esli varios Officaes de cornos Hi.
versos, e muitos negociantes : estassees-
perando h lodo o momento nutro embar-
que! emb-rque como o que houve em
19 de Outuhro no Ro Grande. Deoj
queira queeu nao veja sso.
2 de Fevereiro.
Honlem escrevia Vm., e agora tcnbo
a augmentar que hontem mesmo chegrio
officios de'Bento Manoel, datados de Cas-
s-pava a 28 do p. p., em que dizia ,
Presidente que- a 27 izera marchar 500
honiens paran Rio Pardo, comandados
por B inifacio Caldern : a00 para pelotas
equeellesegua a 29 sobre Porto Alegr
com 1,000 homena : Dos queira que st<>
se realise. O Presidente de pedio hon-
tem o Cambum de Inspector da Alfande-
ga : mandou aqui crear hum corpo de
Polica, cc.mmandado por o Capitio Jos
Correa ; hontem chegrio do Sul 2OO
homens queengajouo Capitio Procopio;
ludo ueste momelo d boas esperances
(id.)
Ministerio da Marinha.
Convindo que se apromptem vinte dias
de mantimentos para seiscentas pracas,
que devem embarcar coma maor bievida-
de possivel ; que sepasse mostra de ar-
mamento ao Brigue Tres de Maio, como
Transporte, e ao Patacho Pojuca j e que
sefrete huma embatca9ad, que nid che-
A minhn ultima a Vm. foi no Patacho
Incancavel Carroll em que lhe mandava
dizer que, se quizesse, se podia retirar
sua casa, poisque as noticias m;i5 boas;
mas depois di'so as musas cada vez tem
tomado peiorfarca, porque os anarchistas
nad se cincad de procurar ludo o que he
conveniente em dar boas noticias para ca-
sa, a fim de o Governo so por em discuido;
e da mesma forma o tem feito com o Ge-
neral das armas Berilo Vanoel que se vi-
rou contra elles, e Dos queira nad nos
falte!... Os anarchistas tambero se nid
de.'cudarad em agenciar .seductores para
aluciar todos os homens que esla prom-
ptos a pegar em armas a favor do Gover-
no legal, e at tem ebegado a conseguir
tirar huma subscripacid na Capital, que,
segundo dizem, chegou a 2o:ooo^ Pare-
ce que conseguirn seduzir oa Allemios,
pagando-Ibes l556oo por da.' Estad se-
nbores dell- s, e depois disso tem com-
mellido os maiores horrores. Assassina-
rad o Coronel Vicente Freir, sen filho,
e outros mais ; e depois de morios corta-
rad-lhes as ort litas e as puzerad ern leilad:
dizem que as arrematara Marcos AI la a te.
Assegura-se que tem chegado a.cortar de-
dos a im ninas para Ibes tirar as memorias,
e o mesmo fazern s mus !...
Os homens depois que sonberad que as
esquadrilhas forad para o Para, e os bar-
cos que vem dessa nao dad noticias deque
o Governo providencias ajgumas d, nem
ao menos manda alguma cmb.arcacao de
guerra, p mesmo algum armamento como
pecas, poisque elles esia senho-es de til-
do, tem ganlio hum calor tal, e vad ad-
quirindo partido que apezar das grandes
providencias que tem dado o Presidente,
quem sabe o que sera, poia lhe falta 11
melhor, que he dinheiro, armamentos e
mesmo alguma gente de tropa regular pa
ra coadjuvar os Guardas Nacionaes, que ses, sem horrorisar-vos e sem iuflamroar-
he de que se compdea forga da Provincia; I vos dejusta colera, hum semel liante ata-
pus alguma tropa de linha que ha como qu<*fe vossa honra, ao vosso con.stitucio-
o 8." batalhad e aitilheiia, e mesmo o nalismo, e santidade de vossos juramen-
ma>s de cavallara lem elles a seu favor, tos? Nad, nad he possivel. Mas nad bas-
ta s bori isarmo-nos ; he preciso que dos
disponhamos a sustentar a integrdade do
Imperio, osdireitosda nacad, e a nossa
dignidade, repellindo qualquer insulto,
ou a menor tentativa que ousem fazer pa-
ra obiigar-nos a seguir seus desvarios.
Sim, Catbarinen>es, quem esl no gozo
do melhor systema de Governo conbeci-
do neo deve querer experimentar aquelle
deque nad conhecesead as bellas theo-
rias e para a qual a funesta e larga expe-
riencia dos nossos conterrneos e mesmo
a nossa nos tem mostrado que ainda nao
estaraos preparados. Se pos esses outros
povos da America, ci-sos, como nos, da
ua inde| end ncia e lber da de, luctando ha
tantos anuos ainda nad poderad consolidar
hum tal .-yslema, e tendem hoje alguns
delles para a lMonar'rhid Constitucional Re-
presentativa esperando adiar nella a an-
cora de sal vaci, quere iainos nos por
huma conlradicad iocoonceplivtl, imi-
tando o cao da fbula, deixar a realidade
pela sombra, e sombra tad sinislra ? / Nad,
certamenle : os que desejad, e s podem
aspirar a essa fatal mudanza, sad os que
nada recejad perder ludo tem a ganhar,
sao aqueles que arrogando-se injustamen-
te o titulo de patriotas, s ambicionio o
mando absoluto, e o gozo das riquezas que
po-sio aatisfaZer suas desvairadas e insa-
ciaves paixdes, muito embora o ppvo pa-
deca, o commercio entorpeca, a lavoura
definhe, e asarles paralysem. A maioria
mesmo dos habitantes daquella rica Pro-
vincia detesta e abomina os principiossob^
SANTA CATHABINA.
PKOCUMACA.
Habitantes da Provincia de Santa Ca-
thaiiua !
Huma faccad inimiga do feliz systema
de Goterno Monarchico Conslitucional
que nos rege, dominando desgi acadamen-
te sobre a Capital da Provincia do Rio
Grande do Sul, promove a desobediencia
ao Governo Central e concita incidosa-
mente o desmenbramerito das mitras Pro-
vincia do Imp. rio, convidando-as para
huma ficticia federacad, ou para huma
chimenea repblica : em seu delirio alre-
ve-sea mesma faccad a avancar, por boa-
tos uspalhados por a'guns sectaiios, por
peridicos redigidos por seus che fes, que
esta Provincia ha de adherir promptamen*
te aos seus tenebrosos planos ; a vanea ani-
da mais, diz que j contad com ella para,
unida com a do fiio Grande, formarem
huma apad if dependente Podereis ou-
vir 011 podereis 1er, honrados Catharinen-
es a seu favor,
e nj .' coulamos com a gente que he a
favor de Bento Manoel, e tamhem coma
do Silva, e a daqui do Campos Neutraes
que hoje s rene as Porteras, e agora
mesmo o Piesidente sabio a ir-Ihe passar
revi-ta, etc. Todos os necocantes se a-
chad por aqu rom os oficaes, o Gaspar
Mena Brrelo que fugio com a roupa do
corpo, o Chichorro, hura Tenente Silva,
o Coronel Pita, o Capitad Joze Corre*J1
de artilbera ; e todos os mais officaes que
sad do partido do Governo legal, menos
os que se achad presos na Capital, como o
BrigaderoCarneiro, e outros muitos mais,
que dizem, talvez hora desta os teohad
assa-sinado.....
Norte, i. de Fevereiro.
(id.)
Ainda aqui est o Presidente. Porto
Alegre existe despovoado completamente
da gente que nao parlilha sentimentos dos
anarchisadores: foi tnortopor huma par-
tida do Cabo Boxa, o Coronel Vicente, seu
filho Dogo, e Jozs Mari Lobo, irmio do
Lobo Secretario, no dia 27 do passado,
estando escondidos no mato da Estancia,
do primeiro, ao qual cortrio as oielbas,
e andavad na cidade em leiJ.id.
Hum ajuntamento de Allemies que exis-
tia em S. Leopoldo foi disperso por Bento
Goncalves ; diversos homens tem sido pre-
sos, e julgase que suas vidas nao slo se-
guras; sio o Brigadeiro Carneiro, Te-
nente Joad Jos", Capitio Cazemiro, Le-
to e outros ; Marciano largou a Vice-


DIARIO DE hRMAMBUCO.
ver*ivos, e squer a mio, integridade,
?, lei e a ordem ; hemtsmo de esperar que
os Ilustres guerreiros que dirigiro o pii-
nieiro mnvimento s tendente mudan-
za da Administraco do Dr. Braga, eon-
fiigSo por seus louvaveis esforcos livrar a
aua cara patria dos hu ro es eni que os A-
narchistas pretender abysma-la. Se po-
rm o espirito do mal fcar victorioso (o q'
Dos nao permit*) nos deberemos vuar em
ocorro da legalidade, e cobrir a nos-a
.extrema, dtfeiidendo a de qualquer ag-
gressio, e do menor contagio da anarchia.
rtnemo-no8 pois, bravos Catharinenses,
o vosso Presidente ser o primen o a col-
locar sea vo-sa fenle, elle conta como
vosso valor, com o voso patriotismo e cun
a vossa adhe-oe firmeza aos sagrados ju-
ramentos, e liberal Constituicio que
nos rege. Viva a naci Brasilea! Viva
t Constituicio e a integridade do Imperio .
Viva a Assemblea (JeraI Legislativa do Bra-
sil I Viva o Senhor D. Pedro II! Viva
o Regente em Nome do Imperador !
Jos Mariano de Albuquerque Cavalcanti.
(Avulso litographado.)
(Do Jornal do Commcicio de 23 dcFev.0)
OBRAS PUBLIC\S.
Os Carpnteiros, Carpiras, Canttiros,
Pedreiros, e Sei ven les, que quizerem tra-
balbar ras Obras Publicas, ficando izen-
ts do recrutamenlo para Tiopa de i.*-
Linha, doservico activo das Guardas Na-
cionaes, e ganhando, os Ca pinleiros ton-
to quauto se paga no Arsenal de Marinlia,
e lodos os rmis o mesmo que se paga as
obras particulares : dirija-se caza da
Repartiera das mesmas Obras na ra do
Collegio das 9 horas, t as duas da laide
para iazer os ajustes.
Inspecca Geral das Obras Publicas
26 de Marco de 1836.
Antonio Carneiro Le5,
Inspector Geral interino.
DIVERSAS REPARTICOKNS.
CAMARi MUNICIPAL DO RECIFE.
5 es sao odinaria do dia 10 de Marco,
de 1336.
Presidencia do Snr. Gusmo.
Comparecers os Snrs. Mamede, Pes-
soa, Silva, e,Bramo; faltando comcauza
os Snrs. Mena, e Miranda.
A berta a sessa e lela a acta da antece-
dente foi approvada por- estar conforme.
O Secretario dando conta do expediente
mencionou os seguintes officios :
Um de Excel. Presidente remetiendo e
abrindo a avaliaco por copia da Cadeya
desta Cidade: que se remetease ao Sur,
Mena.
Outro do Juiz de Paz do 4." Dislricto da
Ribeira sobre a obra que elle se acha que
se deve fazer na Praga do mercado deste
Bairro : que o Fiscal da mesma fizesse cai-
ar, rebocar, eladrilliar a mesma nos lu-
gares aonde disto precizasse fazendo igual-
mente, no lugar em que Helia se vende a
farinha por altascancellaa cujaschaves.de-
via depuis ter o arrematante das medidas
da mesma, e tapar at a altura de hura
h iiiiein, com pedra e cal, os arcos da mes-
ma afim de nioseacoitarem ahi negros f-
gidos e vedar a entrada de leprozos, que
vio nella passar as noites.
-Outro do mesmo Juiz sobre oCidadio
Antonio Pinto Lopes ser ou nao Cidado
Brazileiro : inteirada.
Outro do DepuUdo Antonio Joaquina de
Mello, dizendo, que nao pudendo compa-
recer este anno na Sessio da Assemblea Ge-
ral ; a Cmara obrasse o que entendesse
ser de direiso e estillo : que se convidasse
oSupplente a quem compelis-e por aor-
dem da votacio ao qual se remetesse copia
da acta da eleico para lhe servir de De plo-
ma.
Outro do Juiz de Paz do .' Destricto
da Ribeira propondo para seu Escrivio Jo-
26 Albino lie Hollanda Chacn : ao Snr.
Mirauda.
Tendo o Cordeadei appre/.entado a in-
formacio, e medicio sobre a edificac.au des
predios no Aterro dos Affogados, que fez
objecto de seu officio da a do corrente ad-
diado para boje da Sessio passada, rezol-
veo a Cmara no sentido do mesmo officio
e forma nelle indicada por o dito Cordea-
dor.
Rezolveo a Cmara, que se remettesse
no Snr. Mena as novas Posturas para que
fazendo-aspor em limpo estivessem prom-
ptas a lempo de eerero remeltidaa a appio-
vacio da Assemblea Legislativa Provincial.
E por ser dada a hora alevantou-se a Sessio.
Eu Joze Tavare Gomes da Fonceca a es-
cievi. Guarni, P. P. ; Pessoa, Silva,
Mamede, Branco.
ME7.A DAS DIVERSAS RENDAS.
A pauta he a mesma do N. 68.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
elles sera duvida o sabem, que na noite
d'esteda em a pra^a da Boa vista mais de
seis mil Pernambucanos de ambas os se-
xos apenas a vislaram dentro de um circulo
deestrellas de fugo artificial o Busto do
Nosso Augusto Imperador, romperam em
vivas com enlhusiasmo inexplicavel a Esse
Ente Adorado, A sua Imperial Familia,
A'Constituici. Vivas que pruvocam des-
peito nio bouveram, poique lili nao in-
fluiam Cbimangos Que desengao fatal,
ja excitam compaizio Mas dtixtmos por
um momento essr f icco, cujas maldades
omprimem nossa Al.na, e vamos dar-lhe
um frllaslerio, narrando, tomo nos lor
po'ssive, os fe;tejos do dia deque falla-
reo.
Ujaa soi iedade de Pernambucanos en-
thusiasmada pelo mais depurado amor aos
dois objectos, que o Brazil lem de mais
cb
O Dia 25 de Marco de 1836
Duodes-imo anniversai io do Juramento
da Constituicio do Imperio, foi em a Capi-
tal de Pernambuco um dia de prazer com-
pleto, um dia deenthusiasmo, um dia de
patriotismo, um dia fraternal, um dia em
fim, no qual os Pernambucanos d'uma
maneira nio equivoca pro-varan quantore-
conbecem as innmeras felicidades que Ibes
girante Esse Godigo Sagrado. Si os bravos
Pernambucanos d'esl'arte*confudiram os
trahidores que os tero embado de.-de d o 7
de Ab'il. di que tem debom, que ><>
tem de Augusto o Acto da Aclamaco do
Nosso mu Amado e Re.-peitaclo Imperador
o Snr. D. Pedro a. ; elles ainda tnais os
confundiram, lirndo-lbes a esperauca de
podtrera conspirar contra o dolo *os Bra-
zileiros. O Sistema MonarciucoCom-
TlTUCiONAL. Sim a grande maioriados
pernambucanos hoje|fraternalmenieJunida,
s reconhece no partido q' tem tyrauizado
o Brazil, qiie]"tem(locupletado-se de urna
maneira impudente, n'essa faegio conhe-
cida e denominada)'Chimanga-Marre-
ca a causa de todos os males da Pa-
tria desde o 7 de Abril de i83i, queella
mesma enlutou, queella mesma mais en-
negresseu : embora essa faccio agora nos
ltimos arrancos de sua existencia esbrave-
je, embora enrede, embora envenene ai
mais santas, asmis puras intencoen.s ; o
Brazil felismente j a conhrce, e com Elle
os Pernambucancs Patriotas, os bom-n.s
da Independencia, a detestara, e despre-
zam. Nao satisfeita ainda de estragos, a-
inda nao saciada desangue, do sangue Per-
nombucano, com que at j tingiu o The-
tro de Rio de Janeiio; es^a faccio no furor
de sen desespero ultraja os Brasileos,
pinta-oseomo urna borda indmita, (1)
descreve o Brazil sepultade na mais barba-
ra anarchia, incapas por tanto demanter-
se sob o doce imperio da Lei, d'Essa Cons-
tituirlo Monarchica, que Elle adora, e
com enlhusiasmo festeja I Qne ultrage !
Que aleivozia Mas em balde urna hor-
renda e detestada Dictadura se ensenua, os
Per lamburanos no glorioso dia 25 de Mar-
co enxeram de confuzo os traidores que os
tem illudido A Patria, a verdadera li-
berdade nao socumbirio !
Sino biilhante dia 11 \nu\versarlo Au-
gusto do Nascimenlo de S. A. I. a Se-
nhora D. Jaouaria, cuja idade a maioi ia de
Pernambuco ardentemente dezeja que a
Assemblea Geaal Supra, para que A mis-
roa Serenis-ima Smhora pos-a durante a
Menor-Idade de Seu Augnsto Irmio ser
Regente do Imperio segundo a Constitui-
cio, oChimangos-Manecosesbiavejaram,
mentiram, invectivaram, e ainda Ibes cu-
ta suportar os effeitos do triunfo alcansado
pelo Povo Monarchista; no dia ^5 o seu
desespero, a sua raiva tocou a meta. Sim,
(1) Lea-se o n. a de um Jornal chi-
mango, que se#inlitulou CoDSlitu(o e
Pedrea.*
charo e Augusto O Monai cha, ea Cons-
lituicio deliberou festejar oAnniver-
fario do Juramento, que nos garante a
posse de Amb..s j mas o curto espaco de
dez diasque medeavam dadeliberacoo ao
da, era em verdade mu pouco ; com lu-
do o enthuziasmo supriu o lempo. Em
quanlo urna commisso tirada do seio
da mesma Sociedade, c composta dos Sr..
Coronel Joaquim Bernardo de Figueredo,
Tenente Coronel Antonio Cirneiro Ma-
chado Rios, e Majur Manoel Joze da Costa
se encarregou da armaco do Templo em
que sedevia entoar o Te-Deu'm em accio
de gracas ao Todo Poderoso, e do-mais
que era prceizo para esse acto Religioso,
cutios socios fizeram preparar um grande,
0 brilhanlis-iino fogo ailefecial, que foi
collocado desde o Aterro da JBoa vis-
ta al o fina da Praca do mesmo Bairro.
Narremos porem piimeiro oqueouve de
dia, e depois fallemos do fogo que brilhou
de noite.
J no dia t..\ girndolas de fugo do ar,
repiques de sinos, illnminacio de muilas
cazas da Cidade, piincipalmenle do Bair-
ro da Boa-vista, baviam annunciado que o
dia seguinle seria de prazer e patriotismo !
Com effeito e.-sedia rai'.u brilhante, e bel-
lo, corno o de onze Si n'eate a Nature-
za pareca que p*rtecipava de nosso jubilo,
n'aqueKe ell< uiufoi menos benigna ; lu-
do 'estes dois dias foi praa -r, foi alegra,
: osCoracocns dos Cbimangos se enluta-
ran) As salvas das Fortalezas, o som das
Cornetas chamando os filhos de Marte
su.ia paradas deram ao dia ?.!) aquelle mes-
mo bi ilhantismo, excitaram aquelle mes-
mo enlhusiasmo, que tanto realsou odia
11. E como assim nio seria, como nao se-
riam ideutica asconsequencias, si as cau-
sas eram as mesmas ? Constituico, Me-
narchia, Familia Imperial auimaram os
patriticoscoiacoens dos authores das fes-
tas de 11! Constituico, Monarctia, Fa
milia, Imperial animaram os patriaticos
coracoens dos das festas de 25 !
Pelas dez horas do dia as duas L'gioens
da Guarda Nacional d'este Municipio, e os
dois Corpos de primeira Linha em requis-
6mo uniforme formaram em grande para-
da na Praca da Boa-vista s>b ocommando
do Commandante Superior o Snr. Coro-
nel Francisco Jacinto Pereira. Entretan-
to que a Tropa assim esperava por S. Ex. o
Snr. Prezidente, Igreja Malriz da Boa-
vista, que eslava rica e elegantemente ar-
mada, Coucorriam um numero conside-
ravel JeCidadios para darem giacas ao
Ser Supremo pelos beneficios que temos
recebido por aua Inlinita Miscicordia. O
Excel, e Rev. Snr Bispo, os Ex."0* Snrs.
Prezidente e Commandanle das Armas,
grande parte dos Sor. Cnsules Estrangei-
ros, o Excel. Snr. Visconde de Goiann.'J
quase todos os Surs. Dezembargadore,
muitos Empregados Publico, muitos Ne-
gociantes, um numero comideravel de
oflicialidade Militar, em fim mais de qua-
ti o rentos (a) Cidadios ricamente vesti-
dos entre oj quaes se viam oito Commeu
dado.ies, e muilas outras pessoas condeco-
redas encheram o Templo no qual at
custava respirar, ludo porem demons-
tra va Relig:io, honra, Consiilucionalida-
dc Amor ao Brazil. O Rev. Snr. Dr.
Francisco Joze de Almeida subiu a Ca-
deira da verdade, e proferindo um bem
deduzdo descurso, (quaze emprorian'c
porque to teve tres dias para o faier e
corar) anlogo ao objecto Conatituiclo^
e Monarchia deixou a todossatiafeito* '
penetrados da solides, e verdade dos prirjj
cipiosem que na oracio se fi.mou o hbil
Orador. Concluido o descurso osSacer-i
dotes, secundados por urna marica qu ar- '
rebatava, entoaram o ToDemn Lauda-
mus que S. Ex. Rev. se dignou comecar.
Depois r}ue se concluirera as ultimas serc-'1
mo'ias d'esle acto Religioso, S. Ex. Rer. ,;
0 Fxcel. Snr. Pi czidente, e oulros mu.toa
Snrs. dirigiram-separa Palacio, entietan-
lo qae Tropa, cuja Officialidade ats&tia
com minia satisfacio ao Te-Deum, pegou
era armas, emaichoupara a ra do Col-
legio, onde metendo em linha na forma do
costrale deu as trrs descargas do estylo
d'Arlilhera efuzelaiia, queforamcorrea-
pon didas pelas Fortalezas que as seis ho-
ras da tarde oi.lra vez salva am. Conclui-
das as descargas} o Excel. Snr. Comman-
dante das Aamas foi a frente da Divizio
deu vivas Constituicio, ao Imperador,
1 Familia Imperial, vivas estes que foram
correspondidos com enlhusiasmo, da mes-
ma sorte como foram os que depois deu o
Sar. Commandante Superior o Fxcel.
Regente, ao Excel. Presidente, e Guarda
Nacional, principalmente aos dois ltimos
que a Tropa, eo Povo queassenava com os
lencos, repetiu Viva, viva. Depois d'is-
to a Divizio marchou em continencia, a
recollipuse aQuaiteis pelas 3 horas da tar-
de. O Excel. Snr. Prezidente eslava con-
vidado para assistir aos mais festejos; po-
rem um convite mais sublime o devia ar- 1
redar por .diurnas horas das cour.as do
Mundo : acompanhar a Proci-sio do Snr.
dos Mutiiios. S. Ex. por lanto apesar,
do encomodo da manhi nio deiiou da-
companhar a l1rocissio do Sur. dos S< ribo-
res Que pensamentos, que concurso de
idea, que afectos diversos occupaiam n'a*
quelledia o Coracio do Povo Pcrnamha-
cano I h manb todo cheio de gloria, to-
do enthusiasmado pelas eouzas do Mundo,
elle coi re ao Templo Sagrado para dar gra-
cas a Deus pela posse feliz que gota *csaaa
mesmas eouzas -, de tarde lodo cheio de
urna Sama piedade, todo llevado noa Sa-
grados Misterios da Religiio, elle esquec
as eouzas do Mundo, lernbra-se s da leus
pecados, e n'este reconhecimeato de ai
mesmo, pede misericordia a Sumtna Mi-
sericordia. Nio sao os Padrat do Cnado
Cbimango (3) que sob-canegadas de mu-
Iberes com labios impuro* aotoam hyaoa
(a) A Matriz da Boa-vista he mais pe-
quena que a de S. Antonio.
(3) Credo Ghimango. Nio he tem fun-
damento que diferencamos o credo Chi-
rrango do dos maii Chrislias Braeiletiaa.
O actual Regente do Imperio o Epcel. Sr.
Feij he inculcado como Chefe do partido
Chimango, Aquelle atrahe todas asaimpa-
lyasd'este. Ora a pessoa doExeel. Snr.
Feij nio he por certo um objecto tioaim-
p.itico, que sopor Ella os Cbimangos fos-
sem alrahidos, logo tiles simpatizara com
as ideas da S. Ex., razio be por tanto que
demos a ler ao Povo Pernambucano quaes
sao ellas a respeito do Clero, e qual he o
credo Chimango.
Depois que em um VOTO SEPARADO
apresentado na Cmara dos Snra. Deputa-
dos, S. Ex. seexforcou para provar a jus-
te/. de suas ideas eonclue o meamo Excel.
Snr.
E' por tanto o meo Parecer.
I." Que sezulhorise ao Governo para
obtor de S. Santidade a revogario daa pa-
nas Espirituaes impostas ao Clrigo, que
se Casa fazendo saber ao mesmo SS. Padre
a necessidade de assim praticar, visto que
a Asem'il.. nio pode deisar d# revocar a
Lei do Celibato.
a." Que o mesmo Governo marqae ao
nosso Pleuipotenciario prazo certo, e m>
o suficionte, em que deve definitiaameaito
receber da Santa S o defirimantojdesta .a-
plica.
3.a Que no cazo da Santa Se*recucar-ie
ao requerido, n nosso Plenipotenciario dt-
claie a S. Snntidabe mui clara e positiva-
mente, que a Assemblea Geral nSoader-
rogar a Lei do Celibato, roas suspender
o beneplcito, a todas as Leis EccIasUati-
cas disciplinares, que esliverem em opoii-
90 aos seca Decreto*: a oxjy o
I
MUTILADO


fc._*-^*f-
DIARIO DE PEttNAMBiCo:
lehipooesia; sao os verdadeiros Minis-
Iros do Senhoi qne eroploram graca ao O-
K kri^em da Graca. Mas continuemos com
nanaclo Hf que ensensiveleaenle nosa-
hfasia.cos. T-ndo-se recolhido a Procissio,
|dirg-o-se S. Ex. Sn Presidente, eo
Bni. Cmmandaiit< das AtmasaoTheatri ,
que lnn.i |i ituos espectadores, porque o
i'.-go da B<*d-vista chamou a at'enco de
t d s; com ludo reriteu-se um Drama a-
T alego au uia, appaiecendo o Busto de S.
!\.. I. o Sur. 1). Podio 2.0, p.rnte o qual
todos wlevantaran! : entio o Excel. Sor.
Presidente den vivas uo Vl'.'smo Augusto
Snr., a Constituirlo, e a Familia Imperi-
al, vivas que foram coi respondidos com
muitoenlhusiasmo. Ainda ojeos repe-
ta quandoo Sr. Dr. Antonio AfTonco Fer-
PTeira Juiz Municipal soltou de um Cama-
rote vivas a Naco Brazileira, e ao Excel.
Sur. Presidenta q"e foram igualmente
|,co'!e-ip>ndidos-, as-im como mais oatro
'?'. .pie S. Ex.eutoou ao Povo Pernaro-
bocaiio 5 finalm-nte cantoO-se o Hynn>>
Nacoual, e coi riti o Batidor, reiiiou-se
S. Ex. e mais pessoas que o acomp inha-
j-am para a Boa-vista, a fim de asaestirem
*to gra-ode Fogo.
A petar do cuito empaco de oito dias,
nicos qie os authores la Festa tiveram
[para a nunofai tura do fogo, com que a-
Ibiilhantaram a note desde a- 9 horas al
Jes a la manhi ; elle Foi ro liieado, e o sen Artfice merece; avista da
I pequenez do t mp e las demintllas fal*
I ta qu- t neii e epparecei am etn a'g ins
e*tn>>m que se liga que elle he perito
etn U4 Arta.
:S v en" e scenla f'gnetes tiveram
quai- ov.i intrnenle a sumi lado dos ede-
p li iii I I-vi-* 1 s apreia>ntinda diversas vis
II etcitraia pp u -. A-fijuas de.
[ don hoiheiros din lano espidas, e mo-
I vendo i'S Rehol'OM ca o impulso dos fo-
Jf g'iet 5; ti itin vi-l'ia de Tina and indo a
I roda, e pin fin ai lili lo ; dois ravalleii o,
f um em 6ura quena, tf ou'ro emg hdeetu a. gao de ; icna, lansando com os
"'ca'vallo- fg> por diversas parles; d<-
I Relruseiros, um .t'elles niovendo a mar.i
J ve'i, e outro se;u ando o retro-, enge-
E iihosinie.nte representado em urna linha
l'.efoo; o ni figura de homem com as
f niils naca beca, assim como quem lamen-
f i.< unja persiosidaue que perdeu, ou v
I -piase perdida ; duas figuras de mu'her
'litando ; toda*1 es'as figuras moveu lo-se
* el egante pelo impulso de t'ogueie-, satis-
\ ficeram para mis de -eis mil expectado-
' ie, que com signaes de applauzo se mos-
I Iraram e louvaram a pericia do Artfice:
I fioalmene depois de e prrzentar um
I brilhinlunnio 1 nadies de fog >, ocupando
I o ap.'CO de dez bragas de terreno* e 5 d
* Itura, vi rara-e dua- culunn-s, que altar
I nailamentesalvavaoi, e depois apareceen
i tre um circulo de eatrelaa de fogo, e sobre
[i una pinha 6>-Relrato *. S. M. I. i> S'1.
\ l). Pedro a. tirciilf;,) de um resplandor
de viitozo fogo. F.i-i> esse inmenso l'o-
f> vo Pernambu miio rompeu em vivas ao
l mu Adoiado Soberano, c a (,'unstim jo
1 eom um euthusiasuio qoe he mu i dericil
I explicar.
D'eMaeorte fin lou-.-e nm da de jubo
tl stm que hoaves'e a menor que-lio, a me-
nor tesordem Mil Louvore- he deem aos
i Autores da Fe-t* ; mil Bencioa Lanceo
[ Ser Supremo sobre o Povo 'Pe numonca-
I no. Gm.
CORRESPOiNDEINCIA.

Snrs. liedactoies.
Pelo seu n* 6 >. Toi o re-p-tavel pob'iro
sciz-ute-oe que o Sur. lo/e B rnardu (. vio Alcanforado, l'iomolor publico nin ia,
f4clnjenteijredu|o, dennui-iara, que eu
liobi^laii de tabulajem, na ijual aliiiiios
fsruinVs jogavu ; agora que ; Calmoitia se
desrtJa-taiou, e q>e as me-m>s ti-t.mu-
H fu m.'ntT tranqmlidade e u ujelu,
t'-ntie nvirem aos^oalrance.
p....(, ', Camari do- 'l)"Odta ios tO H.
Dogo Antonio Feij.
nhas notificadas para jurarera contra raim;
jurando a verdade, nofdeio huma l-
elo ao Sor Promotor que talve o faga me-
nos cedol.; mala lamb-m desenganaro
aos doi.-. iraafos, que em 1. g.imeoto de eu
Ibes prestir o meo dmh im rae calumnia-
rao, e iiludiro o Sur. Promotor devo dar
urna satisfago ao respeitavel Publico, pe-
rante quera fui calumniado, entre tanto
que pelos meios legtimos persigo os calum-
niadores, ou quem quer que sem motivo
se determinou ofleoder-rae. Saiba pois o
respeitavel Publico, que as cinco testemu-
nhas indicadas pelo Snr. Promotor em
sua denuucia, foio inquiridas, e que seos
juramentos mui longe de me criminarem
mostrarlo, a faisidade da denuncia duendo
apenas urna lestemunha, o seguinte que he
b-m singular. Que sabia por oovirdiser
<|ue era rainha cjsa costumava h iver jogos,
porem que ella lestemunha nao sabia
qualidade delles e que igtio.ava ludo
mais. >i Eisa nica testemunhaque fallou
em jugo, e de urna maneira to vaga, e por
ouvir diser, esta desmacarada'a calumnia.
Quem quiser de*engar-.-e va ver o Proces-
an nn Cartorio do EserviO do Juiz de Paz
do 3 D< stricto, ou em roinha casa cer-
t'dio. Fallon-seem casi de logo, houve
huma denuncia : quem talvez me nao co-
nhecer fioar fazeudo m dea ; para con-
tinuar a falJar de mira ; cumpre-me pois
Snrs. Redactores, pedir-lhes mais huma
pouca d^ attencio. Nao .011 proletario,
a'guns bns da fortuna adquir', e de s-o
producto vivo com decenci dan lo a juros,
alguma- quantias com que tiago em coiiti
nuo giro o meu, se bem que peq.ieno, cora
ludo sumeiente cap tal. Quinde desem-
baraco-me do arranjo dos nteos negocios,
eticho a. horas vagas com algnns amibos
jognn lo o vjltarete, o g-miio, e oulros jo-
: s q'ie nao decidem da fortuna dos que
me visillo, nem ura dos quaes he filho fa-
milia, e ero eu com 53 annos, tenho a-
m'sade com meninos : vou um homem a-
(l-ientado, que astou a sua roocidade no
sei vico das armas, puncas vezes saio a
ra, lodo o meo divertimento, he por tan-
to entreler com algnns amigos, as horas
ragas.
Mais tanto me tem 'iluto a calumnia de
meo inimigos, que ainda m s urna alien-
c" P'-co, para narrar a hi-toria la niiulia
vida, que ellcs me indicio como um a-
vent!ireir,>, qne para viver tem casa de io-
uol Miliiei ne-ta Provincia, rainha Pa
tria onde lenho fntnilia, e amigos, marchei
em a de olubro de I8O9, C0,H ^00 l,ra"
cas, para a Conquista de aiaoa, S ro no
Para, onde fui Quartel mes tre do Es |na.
driiMle Ca valla ra de Linha, e onde tam
bem ped dimiasfo depoii de 23 annos e
um mez deservico mili'ar. Fintreguei-
m.eao Comercio.adquir fortuna, e ainda
bojealguiua lou-at.nho no inf.-liz Para.
D'.lli despticamente fui envijdocom o
C mego Brptisla Tenente Boa ven 111 m.
Tenenle F gueredu, Tenenle J.cinto, Al-
feresBrito, A'dan-a, Victoio, Theodoro,
a oulr,.s m is, presos para Coi te, onde
d- pois de 9 meses de pdenmenos, e mar-
tiios, na prezigaiigu, e f-riale^s, reco-
nhecio-se nossa innocencia, e Fomos sol
tos.
L>'-d!i viemos lodos para P nnnhd Patria, onde i-hegueoio* em hum
Paquete I.fgUr,, 6deJulhode l8a4. Eu
fui descdiiear para casa de meo Irmo. e os
outro companli.ii o- de tiabauis. fro
pelo Governo desta Provincia, mandados
hoepedarno C nveotu da Madre de Dos,
aquell s dep.ns de pa-sadus 15 dis, Corlo
em huma f-,cuua, Veros se.is lares, e eu
cuntinuava a de-cancar, quapdo ciiCun
laneras imp-evistan (deque nao me an e-
aendo,) porque entenda que vervia a mi-
n ha Pal ra, me obrigario acotlerar niiuha
partida para o Pn, mas infelizmente
naulragcei, em praias de Marauhio, cojo
Presiden^ o .. mano S ir. Ignaciu dos
b-nt 8 Freir t- B< uce, o[>limainenle rae
obzequiou. Sejui para o Pai passados
algnns das, lecoliii nj. a minlia ca-a, on-
de es mees amigos, muilo me. bzequi.ir ;
nas inleli/.u.ente com a-liegid. da noticia
da depreca de Pernamhuco, fui oulr.i vet
reinettido preso paia a Corte, com o mea*
moCi'ingo, e outro-; 11 ve por tanto, qu-
- 'i-- n 1 'I >sauooa 'le piiso, -ra que
iilda >- ii), mil lo lx estas
j'.spuds nao lu petado mogueui, (jas-
tei, soccorri alguem, e ainda me resta cora
que uiaiiter-me gracasas vigilias da minha
mocidade, gracas a fertilidade do Para,
onde nao adquire que-n nao trabalha.
Vivo finalmente desde i87 em Pernam-
huco, nosou pozado a pessoa algnma; e
nem estou em circunstancias de o ser, gra-
cas a Providencia; son bem conhecido.
Perdoe o respeitavel Publico, que para
desb.ifo, e no excesso de minba dor eu
fosse to prolixo.
Pela publicar o desta Snrs. Redactores
muito obrigard oseo assignante.
Anastacio Jos dos Passos.
CONSULAOO DE PORTUGAL.
O Leilio que foi annunciado para o dia
a6 do corrente do espolio do fallesrido Vi-
cente Nones da Sena, Piloto do Bergan-
tina Porlugucz Vinte e qtiatro de Julho ti-
ca (raosferido para qnafta feira 30 do cr-
lente as dez horas da manh. Consulado
de Portugal em Pernambuco aos 28 de
Marco de 1836.
COMPRAS.
A obra Diccionario Medico pratico, poc
Joo Lopes Cardoso Machado, e o ntre-
me/, de Man.el M ides: annuncie.
LEILAO.
O Leilio que devia ter lugar bontem de
400 saccas com caf, fie* transferido em
rasao do mo tempo para hoje/Ter5a.feira
s onze horas da manhi.
V7> O Le So do casco, e mais perten-
ces do Brigue Espirito Stuto Especulador
annunciado para o dia 28, fica transferido
para os dias 29, e seguinles.
Ir3^ Ha de se continuar a vender Re-
lojos e caiiquilarias Francesas na ra No-
va D. 11 boje Terca feira 39 do corrente
mez, as dez horas pela mauha.
Jdaquiaj BaplistaMoreira.
AVIZOS PARTICULARES.
Puget avisa ao publico que lendo de faser
urna viagpni a Europa deixa, durante a sua
auzencia, a sua ca^a LenoirBesucbet & Pu-
get no tnesmo giro, e a piocuracio bas-
tante a seus caixeiros Schalch e Lazary que
assignario juntos.
^rJB" Carlr.s Varo-Nez Professor interi-
no da lingoa Ingeza do Liceo desla Cidade;
tem a honra de n ticiar ao respeitavel pu-
blico, que pode admittir trez discpulos
para a lingoa Francesa, Ingleza, e Hespa-
nhola, que queiro ser leccionados em suas
propriascasas pela manhi. Os Snrs. que
se quisrremaproveitar deseu prestmo, po
dem avistr ao annunciante; como tambein
sSirs. Estrnogi-iros, queqoiseremapree I delicia, luja de LivTOS N 37 e
der a lingua Portugueza, em suas proprias
casas, ou de tarde depois das cinco hora,
1 m sua moradia, roa de S Francisco de-
froi.tedo beco do t.-nque d'a^ua.
WF* Nos tilhos do assoogue da Praga
do (Jurpo Santo da se carne fresca por roe-
nos una pataca depreco que correr, de
Sabbado d'Alelui>i em dianle, tanto a di-
"heiro, comoa bilhetes, sendo de pe-so a
c pazes, ese promete servir bem aos fn-
guezes.
fc3""' O abaxo assignado, Doutor em
Scienciaa Sociaes e Jurdicas pela Acade-
mia d Olincla, faz scente ao respeitavel
publie que na occa-iao de tirar a su car-
la de Doutor rfemou o apelido de Ven
C uz, por o d* Crneiro 'la Cunh.i ; e se
a-sna d'esde aquelle lempo com o nome
Manoel Joaquina Cameiro da Cunha.
abaxo a signado avisn ao pub'i-
co, que ninguem trete negooio algum
rom a Viuva e Erdeiros do falescido Jnze
Haibosa Diniz, com o sitio denominado S.
Joze do Bsquerdn, e os Esclavos que lera
em sen poder Francisco e Tbereza, Joa-
quim Mocambique, Joaqum Congo, JoZe
Cabinda, Loureuco Angola e Joaqum
Ecasama, porque tedos este^bens se achio
pnborados, e corre demanda que ainda
nao esta decedida, e para que se nao lor
nem a ignorancia faz o pre-ente aununrio
Joio Mara S -ve.
NAVIOS A CAUCA.
P ra a Ilha de S. Miguel.
Segu v.gpm com a maior brevi-
ussivel o BrigUit Br. sileiro L o 2.,
f'rr.ido, e ene vilhado de cobre, dpitso
Antonio Gomes de# ser ca regar, ou ir d- passagem, para o que
temexceenitseoinmudos. Calle com Jos
Antonio Gomes Jnior, na ra da Cruz n.
12, ou com o Capito a bordo.
PERDAS.
Um sitio no lugar do Jang com mais
de 800 pez de coqueiros, bastante trra de
plantario, e maltas de tirar lenha ; trez
quarlus do servicu quotidiano, nma vacca
prenhe: tendo um exceileote lugar para
curral de peixe, por preco commodo, e
mesmo troca-se por alguma propriedade
na naga de igual valor: ero Olinda ladeira
do varadouro n. 11.
&&* Carne de Montevideo : abordo da
Galera Aurora, fundiada na praia do Col-
legio, ouemeasade L. A. Dubourcq, ra
do Vigario.
WP" Para fora da Provincia 2 negras
crilas, urna de 14 eoutra dei5 annos,
com as prinripaes babelidades, e por pre-
co bastantecomoto : nesta Tipografa, ou
annuncie.
(3* Folinlias de porta, de AI-
gibeira, e de Padre, para o pre-
sente anuo de 183(5, por prer;o
commodo, na Pracu da Itidepen
38, e na ma da Madre de Dos
venaa que x'oi do Rezende.
ALGUEIS.
Ahiga-se urna casa com bastante comrro-
('0 ; em Olinda vua do Coixo n. 9 : quem
a pertender dii ijase|a ladeira do Varadou-
ro u. 11.
Tabn* da mor heas no Porto de
>Jcrnambuco.
11 Segn Ja fa ih. 18 rn
12 T:---- s flj 2- 6 .
j 13 Q:~^ c 0. - 2-5
4 14-Ql _^ 3-42 a
. i5S: 4 -30
- 16 S:-. 5-4a 11
17 0:---- 0 6- 30
[(Tarde)
0 un
NOTCIASWA KITIM\.
Navio entrado no dia a7.
HAVRE DcGR^CE;|34 dias; Barca
Frau.eziG-'ii, Cap. Beior>e : Varios ge-
mios : a me-mo Cap. Ton. a40. Pas-
sageiroi 2.
Da 28.
RlOFOBMOZOj 2 ds; S. S. Jos
Viajante, IY1. H-nnque Cirneiro de Al-
nieida : cai\as : M. G. da Silva. Tun.
2.j. Pa-siig' iro 1.
HA III A; B. Austraco Picola, Gap. An-
tonio BdMonch : lastro. Pon. 217.
MARANIIA'O; 41 dias; Paquete r..
(^ iiiit.iiua, C rn. o 2." Teneuie Jezuino
Luiiego Ooata. Passageiros 6 com suas
lamillas.
TEX. N4TIP, DODlARlto. rtiS.
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EW7LP26KG_BMW9TV INGEST_TIME 2013-03-27T13:52:42Z PACKAGE AA00011611_02359
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES