Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02128


This item is only available as the following downloads:


Full Text
f i \\
ANNO DE 1833. SABBtDQ IT DE AGOSTO/
w|*HMVMM*Ml">%WHlnlM*'01""""'>"''w*",m,,""VM'
NUMERO 177.
All>IMWWW>'V*IWI*WWW>WMI iitiio m
Minare ve-*e incnsalmeiite a 40 rei*. RiManlaik, h Tftffrafla
do Diario, paleo da Matriz dt- >. Antoni 'r:t.lo 'da- porLi larga
me si- recebe! corfeupoBdeneias eananaot.; .-u-> iWeia-'e
grati* ftend dos proprios asignante* ornela e. viudo axsiaaTadaa.
Tndo afora depende de ni* limaos, da nossa prndencla, m
deriKi"n>. e energa t conliouenio* coio principiantas c remos
apuntado* eom admiraran entre as Nacoes mais cultas.
Pioilnmaifia da jlstembiea (ieral du Bratil.
gmpre^o em j&ernamnuco por3o?e (Htctorino De abreu.
i* DAS da SEMANA.
Sabbado->\ Vame de-R\."" de m. f aud. do Vig. G.
de t. Preamar as 5 h. 42 m. da t.
DouT.-'. Joaquim Paide Nossa Senhora. Pr. H 6
h. 54 m. da ra.
NOTICIAS E5TRANGEIRAS.
Portugal.
OS negocios do D. Podro em Portugal, que havio
V fado a tim paulo nao mu favoraveis, ficarao a
7 d- Junho muito melhorados. Continuava rom lu-
do o fogo das halarlas d D. Miguel em Villa Nova, e
Outeiro da Gaia sobre a Cidade; do que tirilla resulta-
do ligninas morios, dcstruieo do mullas cazas, e qua-
si ruina total da aldeia de S. Joo da Fox. S no da
16 de M.iio adrarlo ellas 3 mil tiros sobre n Cidade. e
4 mil nosdias segointes. Havio recebido porem igual
resposta das balaras do Porto, que Ihe bavio morto
muitos soldados, c se fazio preparativos para asira-
tacar. Em Inglaterra tinha o Duque de Wellington
proposto na Cmara dos Lords no dia 3 de Junho, que
se enderes^asse a S. Magostado urna petico, pedindo
que houvesse por befti tomar as neeessarias disposi-
c5es a fim de obrigar seus subditos a observarem neu-
tralidade, que a Inglaterra tinha declarado conservar
na guerra de Portugalmocao, queacompanhou d'u-
ma longa falla favor del). Miguel, econtra o Minis-
terio Grey. Ella Ib i aprovada por 80 votos contra 68
maioria 12o enviada ao Rei leve no dia 6 a res-
posta segunteEu tenho lomado todas as medidas,
3ue me parocem neeessarias para conservar a neulrali-
ade, que hei declarado querer conservar na guera
de PortugalE ueste mesmo dia (6 de Junlio) passou
na Cmara dos Comunscom 361 contra08 votosmai-
oria 263 votosa mocao a presentada pelo Coronel
Davies, se enviasse um endoresso ao Rei azendo-lhc
vero pezar, que tinha esta Cmara com a continuacao
das hostilidades em Portugal, e ao mesmo lempo a-
gradecendoa S. Magcstade a judeiosa pliza com q'
se tem dirigido nos negocios daquelle Reino. Esta mo-
cita vencida por to grande maioria, sobre fjvoravel
a cauza Constitucional, animou aquelles, que havio
concebido receios da queda do .Ministerio Grey, em
COUfeqtiencia da maioria contraria, que tinha na C-
mara dos Lords, como he costme cm Inglaterra. A-
juntamos para mais esclarecimento sobre o estado de
Portugal, alguus extractos de correspondencias de Pa-
i iz, e do Porto.
Pariz 15 de Junho-Corre enlre os amigos do Ge-
neral Solignac a noticia que elle vem de volta para a
. Franca. O General Tronent, que sahiu do Porto ha
i5 dias, esta agora aqui aprestando a jurtida doCor-
po do quatro mil homens, que vai reorcar o t ..reilo
de IX Pedso. Ha nesfo Corpo cerca de 450 Polacos
que se diz sero commandados pelo General Romari-
no.
Porro 7 de JunhoPreparava-se urna ponte de
barcos para por ella passarem as tropas para Villa No-
va. O Mrquez de Palmella nao tinha ainda recebi-
do nomeacao alguma do Govorno, por cauza da forte
opposicao, que contra elle, dizem haver no Gabinete.
O Capito Napier nao tinha ainda tomado o comman-
do da Esquadra, e duvidava-se que Sartorio o deixas-
so antes de ser a tripulado toda paga de seus atrazados;
apenas 0 mil libras esterlinas (90 mi' cruzados) Ihe
tinhao sido pagas desde a sabida do Domo. O bom-
bnrdiamento da Cidade continuiva constante, o que
ti'iba pausado grande perda de prnpriedado \ mas a
perda de vidas tem sido menor do que se tem calcula-
do. Em um s dia 3 mil bl'as, e bombas bro lau-
cadas dentro. A citolera morbos continuava cau-
sar grande mortandade em Lisboa, e a em augmento
no Porto.
Times de*l7 c 18 de Junho.
Hespanha.Fernando continua em sua duvidosa,
e irresoluta poltica, e cada vez mais musir, que
nao he dura Rei envelhecido no Despotismo, que de-
vcn os Povos esperar reformas Constilucionaes. Elle
flucta entre o partido liberal, e absolutista sem-se
entregar a um nem ao outro. Ao absolutista nao; por
que seria contrario seus projectos de se fazer suceder
por sua filha, a quem estes sao oppostos por cauza de
D Carlos ; nao ao Constitucional porque aborrece as
insttuicoes livres, e se convocou as Cortes foi para o
nico fim de reeonhecer por herdeira do ihr'ouo a
Princeza das Asturias, sua filha. Eis a nica, razo
porque auistiou elle, e chamou a seus lugares algons
Conslitucionaes ; porque precisa do seu apoio a favor
desta. Esta sua irresoluco lem de entregar por sua
morle, que nao pode estar remota, a Hespanha a urna
guerra civil entre os partidos da Princeza das Asturias,
e de D. Carlos, ou entre os absolutistas, e eonstitucio-
naes.
Em Inglaterra continuao ainda as desordens de Ir-
landa, e a Franca goza socego tendo sido sufFocada u-
ma revolta dos trabalhadores das Minas de Aziu. A
Duqueza de Berri tinha ja partido para a Sicilia, e di-
zia-se que o Conde Actor nao estava satisfeito dos a-
jtistes porque o fasio representar o carcter de marido
de Madama a Duqueza. Na Aiemanha continua a
fermentaco popular, e a Soldadesca do Impci hava
Jeito grande carnificina nos pacficos habitantes de Ne-
wstacl. Dizem tambem as gazetas estar feita a paz en-
tre o Sulto de Constantinopla, e o Pacha to Egipto,
que ficou com parte das Provincias conquistadas. Su-
as tropas comeoavo a relirar-se Haviao perem re-
celos, e suspeita sbrelas lotencoes da Russia, que
tendo prometido retirar le Constantinopla suas tropas, ^
e >|uadra anda o nao tinha comeeado a fa/er, e pa-
reca querer dexar guaroLao em Constantinopla^
lomar grande influencia os deslinos do Oriente.
s


MI
.....
u
(710),
T
^ f
Sobre o Brasil nada dizem os I mes de, 22 do Maio.
a 18 de Junho i excepcSo de auas despejad* falsida-
des, que sobre o Para, e Pernambuio vem no Times
de 31 de Maio. Do Para diz, que tendo-se urna par-
tida de Portuguezos intrineheirado em um largo edi-
ficio para obligar dahi o Povo a dar posse s autori-
dades viudas do Rio, fizera fogo sobre tropa, que Coi
contra elles enviada da qnal malura 2 homens, que
viudo mus tropa, e arlilharia se rendera, masque
rio todos cid n." de 30 assaci nados no lugar. Desta
la Provincia dizEntre os habitantes do Interior teni
por algum lempo existido um espirilode nsubordilia-
io, e contra c\\c> se teto enviado tropas. ltimamen-
te porem bou ve um combate em que foro derrotadas
as tropas,da Cidade, e morto o Commandanle d'Ar-
mas.Taes lalsidades nao mereeem aqui refutacSo ; e
s sentimos, que su nao de:n nos Paizes Estrangeiros
ao traba!no de omprogar alguma cirrunspeeco, e cri-
tica sobre noticias de proposito assoalhads a fim de
nos fitzur perder o crdito.
CMARA MUNICIPAL.
Sess&O extraordinaria do din 6 do Julho de 1833.
PirsiDF.NciA no Sivn. LuDABRO.
CO\tp\r.txii'..vo os Senhores Estoves, Gusmo, O-
liveira, Mello Cavalcanli, Doutor Peregrino Ma-
ciel, Doutor Mavignier, e Camello, faltando coni
cauza o Sur. Silva.
Aberta a sessao c lida a acta da antecedente foi san-
cionada por etar conforme.
O Secretario fez a leitura do expediente : bum offi-
cio do Fiscal deste Bairro pedindoeselarecimentos s-
breos 1." e 40" do '.Wt. 4." das Posturas Munici-
paes, para poder acertada mente pol-os em execueo :
posta a materia a votaco depois de discutida a mali-
cia do mesmo, resolveo a Cmara, que quantu n pala-
vra assougue, do 1, se ja substituida peia de
matadouro ; visto que, visivelmenle ubi houve erro
de mprensa, e q Manto ao 4., que os Fiscaes aiiun-
ciem por Editaos, que he livre a toda a pessoa vender
carnes frescas ao Publicoapprcscnlando-lhes documen-
tos de terem parlecipado a esta Cmara.
pulro do Fiscal do Recife era que declara va as ra-
zoes porque nao pode lii/.er oxecul.ir rigorozamenle
as Posturas : integrada, e que ficasse addiado.
Outro do Carcereiro da Cadeia, requisilando, e
lembrando varias cotizas de que (i inesma precisa : ad-
diado.
Outro do Fiscal dos Al'ogados dando a razio por
que nao tem no lodo cumprido as Posturas : resolveo
i Cmara, que se Ihe dicesse, (jue as vesperas dos
dias em que pertender fazer as corridas peca ao Snr.
Presidente bum dos A luanles do Porteiro, o que
por vezes em oficios anteriores se Ihe tem dito.
Outro do Fiscal da Boa-vista dando os motivos poi-
que nao tem cumprido as Posturas em todas as Bas
partes : addiado.
Outro da Cmara de Olinda pedindo faculdade p;i-
ra que seo Procurador possa tirar a hitla das medidas
pelas quae, na Corma do Decreto de 7 de Agosto d
1S32, devem ser medidos os liquid*, < seceos em to-
da a Provincia : que se llie respondesse di/.eudo, que
0 Procurador pode vir quando quiser tirar a hilla.
O Fiscal deste Bairro appresentou bum officio acora
pandado da contadas ultimas f>bras feitas na Cadeia
(Urtquaes se ^ Imve hun sen n t\
res >mpota po Snr. I Mavig-
nier paj '
A Coman anv das coalas do Pj
apprk;nlou o s< i p^re/e- a vi>i.i do qul rc.v
t" .
Cmara* que voltassem no Procurador para organiza!-
asonforme o exigi o Snr. Doutor Peregrino Ma-
cicl. j
A reoVerimenlo to Snr. Camello resolveo a (Jama-
ra, que se nomeasM huma Commiasao para (brmalisar
as pr^o>tas do Promotor, Juizes de Orlaos, e Muni-
cipal, -na forma do Cdigo para seren enviadas ao
Fxm.^Presidente, e o Snr. Presidente nomeou o Sur-
Doutor Peregrino Mneiel.
Despacharo-se aguns requerimentos, e por ser da-
da a hora o Snr. Presidente alevantou a Sessao. Jo-
ze Tavares Gomes1 da Fonceca Secrelaaio i escreveo
Ludgro, PCamelloDoutor Mavignier, Doutor
Peregrino MacielMello CavaleanliOliveiraGus-
moEsleves.
----------^.^-e---------
Pede-se nos a nublicac&Q do seguale
RTICO DE OFFICIO.
EX.0 Snr.Cumpre-me requisitar a V. Exe. bum
destacamento par., este l'azer a guarnico da Ca-
deia desla Cidade ; pois leudo a cerlcza pie para esta
Cadeia est para vir hum grande numero de prezos
criminosos, os quacs devem icr huma guarnico sufH-
cjente para m nter a boa ordem, e como a guarnico
pie d. o Ralalho para a mesma Guarda nunca regula
certo porque alem de si r de 3, 4, e 5 homens quasi
nunca esta mesmo tem ; por ue se dois ou trez dias
tem, trez e quatro, e mais ata nao tem; existe a guar-
da feixada como he notorio Menudo a disposico dos
prezos; por Uso levo ao conhecimento de V. Exe. pa-
ra que baja de dar as providencias necessarias a tal
respeilo. Dos Guarde a \ Exe. mullos anuos. O-
linda 12 de Agosto de 1833lm. e Estm. Snr. Ma-
noel Zeferino iios Santos, Presidente dla Provincia
de PernambucoLoureuco Antonio de Albuquerque
e Mello, Jui/. de Paz.
jEaocxiTA-se ao Jlluslrissimo Sur. Inspector da
9 Tbezoraria, .i cauza porque o Escrivo la Celco-
la da Villa de Goianna, nao v. cumplir cora os seos
deveres, lendq este o competente Provim uto, pois
(segundo dizem) est exercendo o lugar hura cumiado
do Collector: outro sim pergunfa-se mais ;'t S. S. o
motivo, porque nao Proveo o lugar d'Escrivao da Co-
lela da Decima do Bairro da Roa-vista, quevngou por
demisso, qued'elle pedir Francisco dos ReUINunes
Campillo Jnior, em algum dos Empreados d|s Ex-
melas Repirlieoes, que eslo sera perceberem Os seos
ordenados ; e para que o proveo em pessoa sem ter
-cvicos, prcferiiulo por isso aos ditos Era pregados ; c
seS. S. podia no dia 0 c'o mez de Marco prximo pas-
sado, sem ser dia d gar, e provel-o em outro, e este lomar posse no mes-
mo dia 9 ; em fim sendo ludo afranjado em bum so
dia : portanlo roga-se encarecidamente S. S., baja
de respmuler as uilas perguutas, e nao callar se, co-
mo izeraTom nsmais correspondencias, que contra S.
S. sahiro ; ou cnto pedese aos Snrs. 1., 2., e .'."
Pernambucanos, que hajo de responderem, por S.
S., visto j terem tomado sobre si ote Irabalho, e ja
csUrem coslumados defenderem a S. S.
lie o que pngunta bum
Gualda Xacional.
** *
TIIEATRO NACIONAL.
Domingo 18 to crrente.
r"iFa lu i a Thealr;
J| ta Cidad >user-
\ ir con) a .- si i j dia itoeiu
ilhimmaeo, LOO O. Os Pro'c-.cie.- daOj-
peni' -i;'.o Iiuii ujr.ui-ivti ^Sjmpho .ia


7
i
in
(ara logo comecar a represen lacao da insigne Come-
dia, composico do hbil escrplr.r Antonio Xavier
que se intitulaAmoi, e f n^anca.As divises
dos Actos ser o preenxidascom varias peras deMuzi-
ea, e dar fim ao Espectculo desta nite o gracioso
Entrems que se intitulaOs dois Libnos-O Bm-
prezario torna a advertir ios Senliores Assignantes, e
ni lis pessoas quese dignarem concorrer a este dive/ii-
meuto, que os Dramas serao variados todas as recitas,
prderindo-se semprea escolha dos melhorcs, e sole-
r lugar a repelico successira quando pelo respeitavel
Publico for pedida.
No intervalo do 2." para o 3. acto, o Profcssor da
Orrheslra Augusto Glasner desempenhar humas bel-
las va i iacoes de clarineta. Principiar as 8 horas.
ANUNCIOS.
4 M a mu depois de missa sahir impreterivelmente
o Capateiro desnecessario tecer-lhe elogios vis-
to que as producoes de sen auclor sao bem couheei-
das ; vende-se na Tipografa do Diario a 40 res
dinbeiro candeia, ou do Re vellio. Fregueses nao
desamparis o pobre 90pateiro, vede que este numero
hade render pata um pente de telha, que pertende elle
offertar a urna gamenha candna.
^C^* Sahiu boje o Carapuceiro n." G6 combalendo
o Veilio de 17, e analysando os erros de sua elocucaro.
Singos Do Corrno.
M Barca N. Bella Pernamhucana recebe amalla
i.para Gibraltar, e Porto boje (17) ao meloda:
^5* O Brigue Nacional Dois limaos de que
Capillo Joaquim Paulino Almeida sai para Lisboa no
dia (28) do correle.
$^ A saluda do Paquete Nacional Consternen fi-
ea transferida para o dia (2) do eorrente. Qucm
nelle quizer carrejar, ou hir de passagem dirija-se a
Administraco do Correto.
$3* O Brigue Escuna Nacional Conceicao de que
Capilo INIanoel Francisco da Silva Araujo sai para
Santos rom escalla pelo Rio Grande do Su! no dia (24)
do (o rente.
$3* O Petase jijj'onso l.de que Capito Joo
Upes da Costa Mara sai para o Rio Grande do Sul
no da (24) do correnle.
Qettfra*.
T-M crilo de 16 anuos, Com principio de alfaate :
Jna ra do Rosario estreita sobrado D. 20, segun-
do andar.
^y O novo Decreto relativo aos Mam fistos dos
navios do Comercio ; redimido em as lingoas Nacional,
e iM-anceza: pmo loo reis : na Praca da Uniao n.
37 e38.
V"^* Urna escravo de naco, proprio para um sitio,
e mesmo para oulroqualquer servico : na ruada Sen-
zalla velha n." 4).
<5^a* Um lorrador de caf, com seu compclenlc fu-
gao : no Botequim unto a pona da Boa-vi
fc^- 2 escrav.i- e um escravo, e<-!( pa-
daria, nmbas mossas e muito habis poi i l < .pial
c*jer servico : na Praca da Boa-vista Botica d '-us-
mo Juaior &c Comp.
*/,y l'ina negra crila de 24 annos, cosinba o dia-
rio de urna casa, cnsahoa, n-c, c faz lyvarinlo, e pro-
*v %
i"
ncfy e ta
pria para todiop servico1,, e tambem se troca por outra
de naco, q4e pntenda de vender na na : na loja de
chapeos na praca da Unio n. 31 e 32, q' se dir quem
vende.
^QT" Urna venda com poucos fundos, e commodo
suffir.i Uos Quarteis atrs da Matriz. : na mesma.
^3?" lima preta, engoma lizo, enoboa. cosinha o
diario de, urna isa, e co/e chao: no aterre eos A Ro-
gados armazem de couros.
^^ Para fora da Praca urna negra de naco de
18 a 20 annos : na ra do Caldtreiro otra* da Igreja
dos Marlios casa de trez porlas pintadas de verde.
Compro
["tMa preta velha que saiba cosinhar o diario, e se
^Jalguma forra ou mesmo parda sendo velha e qui-
zer se sugeilar s pelo sustento com a condico de fa-
zer de comer para um fe'tlor, edoisescravos : anuncie,
ou dirija-se a Santa Annna na estrada da Caza Forte
1." sitio ao p da venda grande.
l^J* Negros e moloques sendo vistosos at a idade
de 8 a 20 annos, e negras e negrinhas al as mesmas
idades, e sendo costureiras se pagar por bom prreo:
nr ra da Cadeia do Recite n. 3.
^3?" Chanchan de 3 oitavas nao sendo fundido,
nem voador, pela metade de seu valor : no atierro dos
Afogados armazm de couros.
ailugueta
ALi.i GA-se urna loja com commodos para grande fa-
milia bom quintal, e porlo, alluga-se a quem
comprar urna armaco de venda que na mesma existe ;
no bero do Marisco D. 9, se dir aonde .
^^ Alluga-se urna escrava, (rom muito e bom lei-
e : na Praca da Boa-visla Botica D. 16.
K3" Alluga-se urna dita com muito e bom leite ;
no alterro dos Afogados primeiro sabrado de dois an-
dares defronte do viveiro do Muniz.
$r^* Alluga-se o 2., e 3." andar do sobrado da r^ja
da Moeda n." 1 l : no mesmo.
& VrzA-sea qualquer pessoaque Ihc for apresenladu
/Lum liilbete daquantia de 100$ reis passado por
INIanoel (loncalves Pereira Lima, que haja de o nao
reeber, pois foi desencaminhado, e o passador j es-
t prevenido para nao pagar se nao ao anunciante : e
no caso de alguma pesaoa o achar poder levar na ra
das Trinclieiras ). 21, 2. andar, que ser recompon-
cado.
3t>t?o0 particulare.
Uai.qter Snr. Nacional, ou Fstrnn^iro que per-
'cisar de urna pessoa capaa, para iractar e zelar
sn,-7casa. i i lodos os quizitos necessarics
para bem d i tal comisso, cosinha per-
(eilaiiicnle, nao s orainario de imw casa como o cx-
dinarie -'ibe co/c* '"ipazmente grandes banque-
tes, todas e qunesquer q alidades de doees, massas pi-/^*
cados. pastis, reclieios. abados &e; eii{;oma nffos\
lizo como de pregas. A anunciante se compronicjc a
\
*


(7\*)>
ser expagimentada em qualquef5 dos, auizits imlicados
e mesmo sobre sua aptido para o broi\regimen de
urna grande casa sem receio de ser repudiada \ bem co-
nhecida ama do Sorianno : os pertendentes dino-se
a ra das TrincheirasD. 6, a tratar do ajuste.
5T^ Andr Tubino participa a todos os tetia ami-
bos que elle vai no seu aprazivel e novo Otel T leatri
dar pela primeira ve Domingo 18 de Agosto um ex-
cellenle comida Estrangeira mui substancial e deKfcio-
/a eonhecida na Italia, em Paris, e oulras grandes e
populozas Cidades pelo norac deRabilosesta cer-
to que todos os seos amigos tero sumo gosto com a
promptifieavo de um tal composto que sn* feto em
todos os Domingos, e como a primeira vez be n i dia
1S ser a madrugada deste dia anunciada por cartas de
traques da India.
$cy Perciza-se de 100$ res em cobre por tempo
de 6 mezes, com o premio de dois por cento, dndo-
se para hipoteca urna casa terria no Bairro de Santo
Antonio : anuncie.
te^J Quetn anunriou querer comprar um Sallustio,
um Ovidio, e um Horatio ; dirija-se a ra da Laran-
geira sobrado D. 11, defronle do Peixoto.
te^r Como consta que o Snr. F. .T. TI. Ferrara r -
l para seguir viagem para Sania Catharina, roga-se
por isso ao mesmo Snr., que quauto antes v pagar o
que tem pedido para sua subsistencia n'esU Provincia,
c se nao o fizer se publicar o :iome docredor.
te^- Percisa-se de um eaxeiro Portuguez, ou T>ra-
zileiro, sendo de bons costumes : na ra dos Quarleis
]). G.
teJF A Tipografa de Pinheiro 6c Faria, precisa
de um Ofli'ial Impressor, anda mesmo que nao seja
j)crito : quem quizer, dirija-se mesma ra das Cru-
zcs D. 5. -i?
te^ Perciza-se de um bomem Nacional ou Eslran-
firo, que saiba tratar de urna nadara : na ra do
ixo da Livramento D. 8.
CT- Oabaixo assignado faz sciente ao respeitavel
Publico, que ninguem compre a Rngenhoca de fazer
mel e rapadura anunciada a venda, em Beberibe sitio
do Campo Grande no Diario n. 173, de 12 de Agosto,
por isso que o Snr. da dita Engenboca Joaquim Sevi-
rinoCavalcantiainda nao pagou ao abaixo assignado
as moendas, laxas, e todos os pertencas da dita Enge-
nboca ; at que se dessida o Litigio que ja leve prin-
cipio do abaixo assignado contra o dito Snr. da Enge
nboca anunciada a venda, e para que ninguem se xa-
me a ignorancia, he do dever do abaixo assignado fa-
zer o prezente anuncio.
Joze Paulo Pinto.
fcy Henrique Pellatn Goodlad subdito Britnico,
ratira-se desta Provincia.
te^ O abaixo assignado faz sciente a pessoa, cujo
nome "ora, c s sabe por Ihe dizerem que he mo-
radora "no Aitinho, que venha, ou mande pernea que
de os signaesserlos, receber os 6$460 res dinheiro
de cobre cujo dinheiro o tal Snr. recebeo 200$ res
em cobre no 1. do corrente mez ; e no dia G vcio o
tal Snr. com o referido dinheiro 6$4GO, para trocar,
disendo que tinha sido de dinheiro que o anunciante
Ihe tinha pago ; c como nao o quiz trocar, por nao
ter lugar, o tal Sr. o deixou, disendo que nao o que-
na mais, e coma at'- o prezente nao tenlia aparecido,
abaixo assignado faz publico para o mesmo Snr. vir
procurar, ou mandar pesaos serta que se Iheresliti i
r o mesmo dinheiro, na na d bitg loja D. G.
J.uiz I guacia Pcssoa de Mello.
S ^3" Roga-s ao Snr. que fez o anuncio no Diario
. 170 de 7 do corrente. sobre um negro pescador,
ijitojifll Congo, a coitado no Engenho Malta V.-don-
da, Freguezia de Porlo de Pedras. queira mandar
commumeara sua morada em a Pracinha do Livra-
mento, obrado D. 22, para ser procurado porquera
tem inte esse de verificar a identidade doescravo com
outrofio mesmo nome, c offitio desaparecido ha tem-
*S- Qwu liver e nuizer arrenJar um sitio sendo
pertp'da praca e tendo bastantesarvoredos de Irutas :
anuncie. T
^y A pessoa que tiver urna ordem sacada por .10-
zeAnto-/.Lourenco contra Luiz Amavel Dubourcq
da qnatitia de !00$870 reis, queira aprsenla la ate o
dia 2<> orrente Agosto, que para os ditos salda-
contas; fiean do certa a dita pessoa, quedo
indicado dia em diante se nao responde mais pelo seu
pagamento. ,
W Q*cm percizar de urna ama com muito e bom
leite : dirija-se a ilharga do Livramento D. 20, pri-
meiro andar. -
te^- Quem anunciou querer ser caixeiro dando fi-
ador de sua conducta, dirija-se defronte da Ribeira
da Roa-vista D. 30.
SS3- Quem precisar de. um rapaz Br^sileiro de boa
condu.ta, para eaixeirode na, OH esenptorio, O qual
dar os seus beiis por fianca : anuncie.
K3- Uma Senhora solteira filha d.- urna molber vi-
va anuncia ao respeitavd Publico que ella se pronoe
a ensignar meninas a ler, rever, e contar, lavarinto
de toda a quslidade, bordar, e marcar : os pies de la-
milla que se qmscrem servir de seu presumo para < -
fim dirijo-se a ra dos Martirios D. 13.
*% *--A< *\
fcalo* fugiuog.
wOolim, crilo, cara bexigoza, e redonda, olho-
e| vermemos, sem barba, meio baixo, e groco du
corno, tornozellos, e juntas dos ps grossas, tem pe-
las peinasalgumas marcas de bobas queja teve ; rugi-
do no principio de Julho, e consta andar por esta pra-
ca : seu senbor Antonio da Silva Martina em Ma
propriedade Manopla junto do engenho Ginda acims
do Rio Formozo legoa e meia.
te3- Gregorio, crilo, 18 annos, baixo, e chcio
do corno, coxeia do quarto direito e tem hum care-
c nho na garganta, fgido a 13 do corrente, levo
vestido carniza de riscado encarnado, e calca de i laca-
do azul: a caza de Joaquim da S.lva Pereira, ou alo-
ge de Joao Ferreira dos Santos na ra do Quemado,
oue ser recompensado. .
1 ry. Manocl, nacao Angola, 1G annos, beicos
rrossos, rosto redondo fgido a 7 do corrente, com
cales azul de ganga trancada, coletc de sarja pret., e
chapeo de baeta j velbo ; ra do Crespo u. *
.. % *'
*******
T NOTICIAS MARTIMAS.
Navio entrado no da 16.
--jAHIA; 30dias-, B- Sardo Mrtir, Cap. **
B nardo Agostinho : carne.
Sonidos no mesmo din.
^EMOVA, roa LISBOA-, B. rentara Fete,
Gcap- Ricardo Xavier da Cunba : assucar. Pas-
saetiroJt 'oncal ves Ferreira da Silva.
JUta, sabio para acabar de carregai
- lamioh
%
Pbhj*'. J&TrP no Djjjiio. l&SS.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EM5VCJSR4_BIRWLK INGEST_TIME 2013-03-27T16:12:56Z PACKAGE AA00011611_02128
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES