Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02118


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ASSO DE I8SS. SABB
\ O' i t>r Ad/\<
M
<\STO. NUMERO 1-7.
DI&&10 & *IMAtt
S-il>' *-vvc-s(< mcnsalmvnte a ft4rt rei<. adiantados. na Tiaoprana
do Diario, pateo da Matriz de S. Antonio sobrado da porta larpi
>iidc -c f.'ri'!ip>n corrw|W>ndencia>, e anuncio*: t*Utt intrwn*8e
gratw sondo n.i. |r ii>i ios aiwicnantei rnente viudo assijraados.
Tmlo apora depende de nos mesmos, da nossa prudencia. ir>"-
deraeo, f onergria: continuemos como principiamos eseremos
apuntados com admirar.iio entre as Nnroe mais cultas.
Piorlamii'tio da JsxrmUlta Gem rio ttrntil.
fmyreie cm ^cruamtoico por 3q?c cUctormo ue Sbreu.
--------------- P^#q>1__m i '-----------------
DAS pa SUMABA.
wtwtwmWMwwtmw.wiwimwwiiwwyw""'"'y
Sabbado-'. Ifenwllp~h\. de m. ( aud. do Vig. G.
de t. Preamar as 6 h. 6. m. da t.
])om.-iS. Domingos Pr. as 6 h. 54 m. HM\WItMi>lMVMWMl"rt"'
CMARA MUNICIPAL.
Sesso extraordinaria do dia 28 de Junho de 1833.
Presidencia no Sivn. Ludcero.
COmparecerIo os Sois. Estoves, Oliveira, Silva,
Doulor Mavignier, e Camello, fallando eom cau-
za os Snrs. Paula, Mello Cavaleanli, e Doulor Pere-
grino Maciel.
A berta a seeso e lida a arta da antecedente foi san-
cionada por estar conforme. O Secretario fez a leilu-
ra do expediente : hum offi'io do Exm. Presidente,
remetiendo 40 exmplares da divizo dos termos e Co-
marcas desta Provincia, eila pelo Once/lio no com dala de 25 do qprroiilo, porem aprezentado
hoje Cmara ; a vista do jual resolveo a inesma, que
no dia 1." do Jlho so romeeasse a por p Ihe toca o Cadillo do Pracease em exeeuoo chamndo-
se para este fim os Venadores, que boje fallaro, em
lugar do Senhor Mello Cavalcanti presentemente li-
cenciado, o immediato.
Outro do Fiscal do Bairro do Becife enviando a co-
ta que se Ihe havia pedido sobre as escolas publicas, e
particulares : inteirada.
Outro de Joaquim Arres de Almeida Freitaspedin-
do se Ihe designasse o dia para a posse do lugar de Ju-
iz Interino de Direito chefe de Polica da Comarca :
que se Ihe dissesse que no dia 1. de Julho podia por
as 11 horas da mauh vir tomar posse do referido lla-
gar.
Outro do mesmo pedindo a lista das Freguczias e
Gapellas Curadas do termo do Municipio desta Cida-
deque tem Juizesde Paz: poslii a malcra a volaco
depois de discutida resol reo a Cmara que se Ihe re-
meltesse a lista.
Oulro do Fiscal da Boa-vista sobre a plvora q' Gre-
gorio Soares Meirelles est fabricando em loor povo-
ado : posta a materia a volaco depois de disentida re-
/olveo a Cmara que o Fiscal posesse em execuco as
Posturas fazendo-o multar pela falla da licenea para fa-
, briear a plvora, e quanto ao mais que continua dito
othcio que ficasse addiado.
Outro do Fiscal desle Bairro pedindo so Ihe mandas-
se pagar a quantia de 3#200, que dispendera com o
enterramento de 4 Cadveres encontrados em diferen-
tes nas deste Bairro : posta a materia a volaco depois
ce discutida resolto a Cmara, que se passasso man-
dado parase Ihe pagar dilaquantii.
Outro do Fiscal de Muribeca remetendo a conti q'
se llic havia pedido das escollas do sen termo : inlei-
rada.
Outro do CirurgiiT(> Joo Baplista Ribero esruzan- I
' I i
M
do se da nomeaeo que a Cmara fizera delle ,para
membro do Jury-Medico-Cirurgieo em quanto duras-
so o impedimento do Cirurgio Manoel Pereira Te-
xeira.
Outro de Joaquim Caetano da Luz alegando vanas
razos polas quaes nao podia oxercer o Cargo de Juiz
de PazSupplervte dos Abogados para que tora chama-
do, e entre oulras a do padecer molestias cronioas cor
mo provava com atlestacoes que do Facultativo reme-
ta : posta n materia a votaco depois de discutida re-
solveo a Cmara que ficasse escuso, e que se chamasse
o immediato.
Outro do Tonente Coronel Ei g"uheiroacompanha-
do do orcamenlo da madeira que he precisa para aca-
barse o concert da ponte dos A (logados a que nao es-
t sugoito o arrematante : addiado.
Oulro do mesmo sobra a ponte do Recife: addiado.
Outro do mesmo enviando o orcamento do reparo
do atierro dos A (Togados : addiado.
O Snr. Doutor Mavignier ft'i aseguinte proposta
Proponho, que se nomeie huma Comraisso para tra-
tar com os Governadores do Bispado, a fim de que as
Igrejaa nao se abrao antes das 6 horas da manh, e q'
o ingrosso dos fiis nos Templos seja depois das sete
horas do dia, e eonrordarem nos meios precisos, que
se devem em prega* para consoguir-se o eAfeito doseja-
do. Salla da Cmara 28 do Junho do 833Doutor
Mavigniorcuja proposta foi aprovada, eoSnr. Pre-
sidente nomeou para a Commissao os Snrs. Silva, e
Camello. Desra haro-se alguns requerimentos e por
ser dada a hora alevantou-se a sessao. Joze Tavares
Gomos da Fonceca Secretario a escreveo.Ludgro,
P.CamelloDoutor MavignierSilvaOliveira.
EDITA L.
Joao Arcenio Bar boza, Juiz de Paz do Bairro deS.
Antonio do fiecife.
FAz saber a seus Comparoohianos em como se acha
outra voz com a vara de Juiz do Paz, e espora co-
tinuem a quadjuval-o para assim poder dar cumprime-
to aos deveres de tal lugar.
Oulro sim faz ver que continua a hzer audiencias
todos os dias uteis das 9 horas da manh a I da tarde
E para que chegue a noticia a todos faze ste que ser
publicado pelo Diario. Bairro de Sato Antonio |do Re-
cife 3 de Agosto de 1833.
Joo Arcenio Barbosa.
'** **%% **
COMMUMCADO.
DE quasi todos os jornaes viudos da Corte ultima-
mente se deprehende a breve, e irrovogavel au-
sencia com que nos vai honrar o Snr. Antonio Carlos
Riheiro de Andrada Machado e Silva (irrovogavel,
digo, por ser esta resolucao a immillave^ vontade de
hum Andrada, e acontado destes Snrs. he mais forte
que o Destino ) Se eu fora Poetaempreheuleria fazer
huma Ode, Elega, Snelo, ou o que quer que fosse


i<;rff)
_.
i esta dolorosa despedida, e dur-lhe-hia o principio
seguinte.
Bonancoso o mar estoja quando fu res,
Se intentares voltar. .tantos horrore
Tu vejas, furacBes.. .tormentas mil
Que nunca mais alies c'o Brasil.
Nao sel que denegaco tenho para a poesia nao ha
remedio conlinnarei em prosa a minha sentidissima o-
raco. Senhor Antonio (jarlos nao se v por quem he,
fique mesmo aqu rom a gente y Se Vossa Excellencia
se br quem nos ensillar as doutrinas dos filsofos gre-
gos, e nos dar lines de eloquencia thaumaturga? O-
ra olhe, o que sao mais quatro annos? E findos elles
Far-se-ho novas Eleicoes,
E o Poro j illustrado
Conhecendo o seu saber
O nomea Depulado.
Por mais que nao queira sempre eaio na inania de
trovista ; porem coto hia dizendo: o que ser do infe-
liz Brasil sem essa originalidade? O que ser feito de
tantos cor pos de que Vossa Excellencia he sublime al-
ma ? Esses corajosos Caramurs vendo-se sem hum
talchcfe desistem de seus heroicos [danos, e honrosas
tentativas, e entao fi a em lalta tanta gente boa....
seus illustres manos. .. tudo fiea mal, e Vossa Excel-
lencia nao hindo, bem pode acontecer
Que a Regencia governando
Sem de bravatas ter medo
Deixe orgulhsos gigantes
Chuchando todos no dedo.
A vista dislo diga seriamente, e com franqueza :
vai, ou fiea ? se for he mesmo para a Italha pan
beijar o pe ao Papa ? Ora bem, huma vez que fea
tenco vai seguramente, e logo que nao ha meios, e
modos que o convenci do contrario fazer, sempre loe
leinbro que seria melhor ser a sua viagem para n Tur-
qua : ah sera os seus talentos poiientosos muilo ma-
is apreciados, e bem podia ser (altos juicos) que apo-
sentando como sua a descoberta do laco de eouro, ti-
vesse hum premio relevante, e que ao menos em re-
muueraco de hum tal invento fosse eleito Vizir, j q'
os ingratos Brasileros
Nao querem premiar o Authoi*
De invenco to excellente
Com o mesquinho em prego
De ser a pe ras Regente.
Se eu fosse bom Poeta, faria multo por augmentar
esta quaJra pondo-lhe alguns pes de mais, que disses-
sem mais ou menos assim
. E consentem ser Tutor
Esse velho impertinente?
Quedo Povo Brasleir
Quer zombar impunemente
Para servir a sou Senhor !
E enlo Sur. Andrada, vai, ou fiea ? Vai. E lie
mesmo para a Turqu ? Sim. Pois bem, como tumi
O prudente conselbu de procurar hum Paiz com uzos,
leis, e coslumes, to anlogos ao se-u benigno natural,
v, c va de pressa antes (pie se arrependa, deixe em
misera orphandade esta canallia, vulpacho muelle
indignos de pogsu'irem hum ihesourocomooSur. An-
drada de eslima incaWulavel. Porem os illustres ma-
nos, collados como passarao c sed Vossa Excelleu-
cia?
Se elles se resol vessem
A fazer-lhecompauliia
Sofrenamos a perda
Com bem gosto, e aleara.
E en to caba bem a seguinte mal aliona vada oiliva:
ella he ruim, mas cada,ijual.ei:t< rra seu pai c>mo po-
t-
Em'*remotos climas aparrados
Da bordalenga canalha go venanle.
Os que dos Pigmeos *o desprezados
Vo noutro Imperio ser preponderante*.
Na Turqua ser; o aproveitad s
Seus.mritos, talento* relevantes;
E o Co para nos brindar com graca summa
Far que os acompanbe o Montezuma.
Que lindas Palestras nao farr.6 sobre as argentina*
ondas estas bus almas como livres do importuno gru-
nhido de tantas bostas, e ignorantes, nao desenvolve-
rs os arcanos dassciencias Ah fo'i/.es os peixinhos
que os ouvirem : aqu (a proposilt ) ,er prudente que
o Snr. Montezuma se obstenha de entrar em porfiadas
conteslacoes, a fin de nao seren renovadas pouco a-
gradaveis seenas, para quem nao deseja novamente
entrar em lide com descomedidas mSos alheias; po-
rem caso haja aniversario de hum tal feito, esle Snr.
ludo sabe perdoar____assim me perdoe o Publico o
lempo que lbe tomii com estes Senhores, dos quaes
Dos nos livre per omnia Bascula swculorumAmen.
(Da Opini&o CanipanKense.)
CORRESPON DENCIAS.
Snr. Redactor.
Fm a meu pozar sou impellido pelo dever o mais
sagrado a pegar na peona para di/.er alguma eou-
sa em resposta ao que emo 5. arligo do Veibo I ef-
nambucano N.u 2 e em a correspondencia do Sentinel-
la inserta no Diario de Pernambuco n." 150, se enun-
eiou a respeito de meus manos pois que a nalureza do
hornera nao consenta su nao amargamente o utarage do
individuo, sendo por Uso cima de suas torcas oau-
thomalisar-se em caso idntico.
Leio noVelho PerubucanoO General Ahreu
e Lmaf meu nk&no)escre\>eia urna caita a seus I maos
aconcelhndo'Os que se ntko prestassem d servido
contra os Cubanos, que era o a sua salva-guarda,
e Guarda a vaneada de suas tropas; e igualmente
conbeco quanto he capaz de a vanear a infernal intri-
ga, de mos fiadas coma maledicencia hoje nelistnen-
te o bom tom entre nos : todava eu pollera bem de-
pressa deitar por trra, se quisesse remontar a origem
de tal invento, to atroz calumnia; s; para defeza de
meus manos nesfa parte nao me fosse bastante o exigir,
que o Author do dito Ai ligo do Velho Pernambne.ino
dfelarasse qual a pessoa que vio tal caria, em que lu-
gar, e que finalmente appareca ella onde quer que es-
lver; por que mo aparecendo ella, ou quem a visse,
cu nao sei queconceito dever merecer tal denuncia,-
e menos que epilbeto levar., a sen author.
Quanto a correspondencia do Snr. SenlM*^* .j*
mencionada em que se diz que o dito meu mino Luiz
liorna unido com certa gente trata da estnuracao,
ella se z com efteito altendivel \-\ por haver oficapa-
do (piase todos os pontos de Admirai-> da Tipografa
em que loi impressa, e j pelas pravas ah apresen! i-
das em favor do dicto de seu inventor : nicas razoes
que a este obrigarao n chamar as armas aos meos Pa-
tricios Pernambucanos.
Si na verdade pois lem o dito meu mano feito reuni-
oes e estas lem sido descoherlas, como se deixa ver da
mesma correspondencia do Snr. Sentinella, porque
razio esse, ou esses, que avizao, que deltas soubero,
e sabem nao denuucio a Aulhoridade competente p,j-
seu eonbecimento e punilo de seos membros Se-
ro por ventura legaes tacs reunes, ou clubs, em q'
; pretenda socorrer a restauradlo? Nao dece/to. Lo-
, i -i se salx dellas, e nao se denuncia he por que con-
corda-se ou tem-sc parte aisso; ese se falla sem' que


II' III I
ellas existi he ser mentiroso, calumniador, e akutre
da honra alheia; e por conscrnen.ia merecedor do
joral opprobrio e diguos de hua despreso eterno.
Mas par;i que cansar-me com destruir castellos cujas
bases eslo assenladas sobre nada?
Sabida pois he a maldade desses mineantes que as-
sim jiierem deprimir a miaba honra, e de ineus ma-
nos, e bem conheeido he o author de tanto aleive, e
calumnia, por isso deixo de continuar a mostrar quo
iiiluiulamenlaes sao as suas arguicoes. Dire porem
que nos nao estamos incommuuieaveis, e que cultiva-
remos as mesmas relacoes d'umizade com os nossos a-
mi'os, e eom aquellas pessoas que nos visitaren!. Te-
mos Authoridades, ellas vigiem nossas conduelas, t
03clubs, que esses perversos para encobrir os que fa-
.'.em nos querem allribuir.
Desojo Sur. Redactor, nao ter occasiao de secunda
vea oceupar as paginas de sua ful ha, e por agora a in-
serco desdi bastar para satisfazer ao
Seu atiento venerador
F I. R. liorna.
Sodediule Federal.
D Chusco 4 do crlente Agosto Sesssao ordinaria,
em que se hade continuar a descutir o Parecer da
Comistto.
V%'-%%
p
AVIZO.
Enr.iz.v-se de um oflicial de compozitor, nesla Ti-
pografa do Diario.
* %*\- IV
J>
ANUNCIOS.
Iw bom din, din bom din, bom din, bom din,
'bom din, bjo. Amanb subir o Caputeiro a dar
0 teo pasMio do costme ; os Snrs. fregoezes queiro
dirigir-se u Tipografa do Diario onde o acharo com
oda a decencia* e enlo saberSo os motivos porque el-
le nao passeiou Domingo. Ello trneionava anunciar
a >ua apariio com girndolas de 'ogo do ar, o que
nao fez por considerar que com um tal anuncio alguem
se poderiu engaar, e........chiton.
8Ho o Correo.
A Sumaca Santa Luzia de que he Mestre Manoel
Jo/.e f Campos sae para Sania Calharina com es-
calla por Macer, e Rio de Janeiro no dia 10 do cor-
rtnte.
V5"^ O Brigue Matildes recebe a malla para o Rio
C/iande do Sul no dia (V) pelas 1) horas da manh.
/*% a ,v%
V
atn*a&
Mv canoa grande usada, cuma porco de enxa-
i. is, eulrc i ses algumas travs de quarenla pal-
mos, de multa boa quididad?, cuja maueira se acha
as 5 Puntas, no palto da casa do Padre Manoel do
Muro: na ra da Mocda, casa de trez aullares envi-
dracada de no\o.
V5Cy- Mawteign superior 320, xocolate i -280, as-
suca r Lia ac fino arroba 1&760, halaxinlia nova i
200, vmho du Porto engarrafado 3 ai.nnos 320 a
garrafa, dito de Lisboa em caada 1$440, e garrafa
200, dito moscatel em cariadas 1$760, e garrafa sem
casco 40, ditodo Porto em caada 17, e gna-
la 240, serveja 280, sem casco 220, paios novos em
duzias 2$S80, linguicas supereriores f 26*0, .vinho
hranco em caada 1&440, ditoem garrafa 200, azei-
te doce em caada 2$240, dito rm garrafa 280, pa-
pel almasso a resma 3#520, e dito branco a 2#G0 :
na rtiaPdo Livramenfo arinazem de trez portas D. 12.
CT* Marroquins de todas as qualidades, a preco J
de 1$120 at 1#440, e em duzias a 13$ reis e a
16$, assimeomo fitas de todas as qualidades, calcado
para Senhora, obra muito delicada, tanto de seda, co-
mo de marroquim : na loja.de couros du ra Direila
D. 18 ; e n.i mesnta tobcm se recebe encomendas de
calcado tanto para Senhora como para homem.
$r^ Urna negra crila de 23 annos, boa coslurci-
ra, cngomadclra, cosinheira, e cnsaboa, tudo perfeita-
mente, e hbil para todo o servieo de urna casa, por
300$ reis : no sitio de Silvestre Antonio de Lage, na
estrada de Belem sitio que faz esquina com o beco do
espinheiro.
^^ Espingardas eom canos troxados, e feixos de
espolelas, tudo eom o milhor asseio possivel, e tam-
bem se vende feixos da mesma qualidade separados :
na na Nova !oja D. 19.
j^- 4 vidraeas para janellas de sacadas : na ra da
Moeda casa en vid racada de novo.
%^> Um bote em bom uzo para qualqucr servieo
de navio : em lora de Portas, na primeira venda da
parle da Intendencia.
^^* Urna ferramenta da oficina de tanoeiro com-
pleta : no porto das canoas em urna venda nova.
^T^ Urna cu va I lo de estribarla, castanho, e muito
bom paceiro: no Forte do Mattos, ra da Moeda ven-
da da esquina.
^3 Um cont de reis em prata a 50 por ccnlo :
na ra Nova D. 21.
fc^ Taboas de Logarithimos para Malhematica,
compendio da Rethorica em Portuguez, os 3 livros
das obrigaeoens ciris de Marro Tullio Cicero, cartas
de Cicero, Fbula de Pbedro, Ovidio Nazon, urna
obra de Horacio, novo Methodo da Gramtica latina,
tudo em bom uzo, por preco commodo : na ra das
Larangeiras D. G.
^^ Urna escrava propria para o servieo de cam-
po : na ra Nova D. 21.
^^ Um meio faqueiro de prata boa, sem anda
ter servido, c nao tem caixa : defronte da Ribeira da
Boa-vistaD. 30.
ftj?* Vende-se, e tambem se alluga urna armaco
de lofa com bons commodos para urna familia, na ra
das 5 Ponas D. 5 : na mesma ra D. 14, 2. andar.
^T^* 2 partes na casa de trez andares com trinla
palmos de largura, e cento e cincoenla de fundos, caes
de cantara desembarque para o mar, chaos pruprtos,
e desembaracadas, anude foi hospedara ingleza, na
ra da Moeda n. 141 : na casa inmediata no primei-
ro andar.
r;^- Urna preta de nacao, co^.-, xo, cosinha, o dia-
rio de qnalqutr casa, lava de sabao, e compra : na
ra da Moeda n. 141.
^C-0' Urna negra da Costa da Mina, de 24 annos :
na ra do Rozario estrella n. 'J, 2," andar.
\* % x*%
TRfz canoas nuecarreguem barro, para 300, ou 40U
liiolloi de alvenaria para trafico de Otaria : no
atierro da Boa-vista em casa de Joze Francisco Santos
de Siqueira.
te^j Lima lipoia, preferindo-se das ferias no paiz :
anuncie-
. ^^ LTm escravo, que nao exceda em idade a mais
do 18 annos, crilo, ou de Angola, que seja cosinhei-
ro. e fil, nao sendo porem vicozo, ou achacado : no
principio dji ra Diretta defronte da torre do Livra-
mento Botica 1). 20.
tf3f Vjoia medalha de firfagran para Senhora e^oi-
to (mais ou menos) palmos de cordo fino do Portp :
anuncie.
*
^
m


W3J
-r--
p:raa.
PKnpjo-P no da .30 Jo me/ de Julho p. p. desde
a na d'Aurora, at a esquina da ra. do Rozario,
una pulceira de coral encarnado tendo o atacador de
ouro: quem a achar, querendo restituir dirija-se a
na da Aurora n. 7, que l se mostrara a irm e o
recompencara o sen adiado.
PEiiTEKDF-se abrir as levadas de um Engenho, dis-
tante desla Cidade 7 legoas"; qualquer Senhor que
liver escravos, e se queira eocar regar demandar fa-
zer diio servico; dirija-se a tasa D. 3, lado da Cadeia,
para tratar (!o ajuste.
^1" (^ucmanunciou querer comprar urna casa ci-
ta em OJinda ; dirija-se a ra da Pitia esquina do
Lessa.
'. .-? Pcmsa-sede 100,*") res em djobeiro de cobre
a premi de 2 por cento, com segurainca em dois es-
cravos, ou endoca-seoom boa firma : anuncie.
*T^* Percisa se de urna escrava que saiba cosinbar
o usual de urna casa- quem a ti ver anuncie.
kT^" Qualquer homem solteiro que rercisnr de u-
ma mulber livre para ama de casa, cuja sabe oozer. en-
gomar, e cosinbar, sendo a mesma desembaracada, e
hbil para reger qualquer casa : anuncie.
fc3f" Quem anunciou querer comprar a colecao do
Popular, querendo do n. 1 al n. 77 faltando o n "
26. e 46 : dirija-se a ra do Queimado Toja de ferra-
gem n. 30.
^^ Quem percisar de urna ama com bom leite,
crila forra : dirija-se a ra JVova n. 32, 1, andar.
y&? Allngase urna casaterra, ou um sobrado at
Sp reis, sendo nos Bairros de Santo Antonio, ou Boa-
Tista, servindo dar-se-h um quartel adantado : pro-
cure em Sanio Antonio no pateo do Carino casa pega-
ndo ao Juiz de Paz Joao Arcenio Barbaba, e na Boa-vis-
t no atterro a Juo Vieira de Araujo.
^C^ Quem tiver um eavallo, ou quarlo, que
queira allugar para montara de um Official at o A-
campameiito d'Agoa Preta ; dirija-se a roa da Coucei-
co da Boa-vista, junto a Jannuario muzico.
*r^ Alluga-se .negros para vende re ni azeite; quem
os tiver, e quizer allugar, dirija-se a ra do Rozario
e&lreital). 19, 2.a andar.
^T^* Faz-se sciente ao respeitavel publico que o
Brigue Escuna Concci o ancorado confronte ao
Forte do Mattos transiere a sua viagem de nao ser ma-
is para o Assrt reportando-se ao primeiro ai\uncio de
ser a sua vingera para Santos at o dia 12 do corrente I
m6z : quem no mesmo quiz< r carregar, ou bir de pas-
sagem dirija'sea fallar no armazem de lozc Lui/. (ion-
calves junto ao arco da Conceico do Recife, ou abor-
do do mesmo navio.
fc^* Constando ao abaixo assignado Arrematante
do Contracto das AfiricSes das medidas de continen-
cia e capacidadedo Termo desle Municipio, que o an-
digo Afiridor, continua ainda aferir medidadas e pe-
zos, afirmando os bilheles com datas atrazadas sem llie
competir mais taea aferiedes do que rezulta nao pe-
queo prejuizo ao Arrematante, faz este publico, que
o mencionado antigo Aferidor acabou o exercicio de
seuemprego no ultimo de Junbo prximo rindo, e
que por tanto nenhuma pessoa se (leve a elle denVir
para a'erices por serem da excluziva competencia do
anunciante como legitimo Arrematante fesse contrac-
to, o qual nr tem j prim piad iferfcSo e revis-
t por estar r;lnda o auto de arrematadlo do contracto
dependente de approvario do Exm. tonselbo Prezi-
^encial. .//>.- jorgC d0 Rozari*
Hospedara Feconmica.
^* Andr Tubino participa a todos os seus ami
gos que elle abre amanh Domingo 4 de Aposta -. ^
cusa denominadaHOTEL THETRE no sobrado
paredes meias com a casa da Opera, onde da bosjeda-
gem a pessoas capazes, lives desuspeita ; lendo me-
za redonda as ) horas da manhS, e as 3 da tarde ca-
za, e cama, pelo preeo cmodo de dez tostons ; e sen-
do sa dormida, pelo proco de una pataca j jogo de
Dilgar palaea cada hora ; e sendo partidas pelo proco
commum : ele noite segu o costume eslbelecido, sen-
do a Iluminarn a Francesa, rom muito asseio e ex-
cedentes bebidas, alem da meza redonda da almocos
de mo de vaccaao uzo do Porto, e longe do fadioso
reg tnem das casas de Pasto, tara sempre excelentes
petiscos Italiana e Brasileira : espera que os seus a-
migos Nacionaes e Estrangeiros ovio honrar romos
competentes cobres.
$3* A pessoa a quem for oferecido pur compra
um 'apote, 2 arrobas de salitre, e um laxo ; dirija se
a ra Direita D. 9, que sera recompensado.
FRamcisca, naco Cabio, beni ladina, 40 anuo*,
denles podres na fenle, alta, e seca do corpo ; le-
vou vestido de riscadinho encarnado, ou saia preta:
ra da Lapa sobrado de dois andares, qne tem ninxo.
*T^* Joaquim, crilo baixo, 40 a 50 anuos, cara
xupada, denles podres, bem barbado, tem o andar
cangaeM*o ; fgido no dia 13 de Julho p. p., < iu|{.a-
se ter bido para o Brejo da Madre de Dos : a ra das
Mores D. G, ou a Casa Forte, no sitio de Anastacio
rrancisco Cabra I.
Kg- Antonio naco Moeambiquc, cannico, cara
larga, e com suicas ; levou jalea larga de estopa, ja-
queta preta, e chapeo de palba : ra Jireita 9 '
*r&-Paulo, naco Benguella, poma barba, estatu-
ra med .ana, 25 anuos; fgido no dia 11 de Julho p.p..
efo. visto na C.dade de Olinda : Boa-vista caa de
Miguel Carneiro da Cuoba, ra da Santa Cruz.
iNOnClASMARITlAS.^.......*~~
Navios entrados no dia 2
PPRT0SDONORTE;70dias: Paq. Constan-
cia, Com. o 1. Tenente Bernardo Joze de Almei-
da. Passageiros o Doutor Manoel Joze Cardoso, o ex-
Ouvidor do Cear, com sua familia, o Capito do Es-
tado Maior Pabor D.lfim Pe re ira, com sua familia, o
Tenente da Armada Antonio Mara ni deCabedo, An-
tonio Xavier de Paiva, Joze Fon les, o Tenente Coro-
nel Graduado Domingos Simoens da Cunha, o Capi-
to de 2. Batalho Manoel Alvos Chaves, e A Pracas
do dilo Batalho com suas escuzas.
SETTE. ron GIBRALTAR 5 49 das \ Polaca Hes-
panhola Mc Doncll, Cap. Giobonni Pocon: vinlw :
ao mesmo Qip.
MARCEILMAS; 60dis; B. Sardo Tttuafi, Cap.
Tbomaz Dagnina: vinbo, c mais gneros: A,
Schramm.
.NEW-YORK; 50 das; B. Amr /.abaran. Cap.
Geupe H. Tubcr : varios gneros : a Malhews Se
Forsler.
Sa/iidos no mesmo dia.
C^l JBRALTRAR,felo PORTO; IJ. fomfim, Cap.
W Antonio \it-ira dos Santos: varios generas.
RIOFORMOZO; L s ./..- / ajante M. i.n-
i ique Carvalho de Alm< ida la t o.
rwn+r. jv** TVf do D^kio. \H$).
^
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYU3GKPAZ_S6VX91 INGEST_TIME 2013-03-27T14:01:41Z PACKAGE AA00011611_02118
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES