Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02108


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANNO DT. 1833. \j SF.GUND\ FEITU 52 DE JTLHO
mmmmmmmm
NlJMERG-.ftfi-
| **%%* WWM %* m<H II*-
"I_____I- 'I

w*
- al ii-in Mll <'!>. i'i'H i.!,l i-, mi 'r;.)(>'.T, fin
d* Diario, >.,. M Miir/ d' & lainio so.irado da porta tarpa
1U" '* r -c 11.-:; : riv-p'>ndt*npia". (tuluncos; ;-( niMn-ni-^c
rfiswid ) if()(rii -.-i .- .i^-is'" i :* -- -ornen;' < finilo attMjtaado*.
*
'I'uilo agora ilt-fciHr de lio- nip-i'. lia .iomi prudencia, m*-
dcracSi). e energa: continenlo* coim principiante ffcreoBo*
apuntado* Comlidmiracan entre as .\ar;ois mai* cultas.
PimIurna(3o rfi jlssenill i (ero! do Uratil.
mu
UMm
jmpjrew cmpcrnannwco por Jo?c Victorino ue 3tbrcu.
DAS n\ SEMANA.
..v'^^,v *"**
WIVI'HVW"M'WMWVIW
2."-S. Meuolleo-Aud. do Ui. do doC, edo\ U.
do t.-P. as8 b. 3o m. dam.
3."-5.^Wii/o-Rel.m, c au.ldoOuv. da C. do m.
doCh., edoO.doCiv.de t. P. as 9 h. 18 m. dam.
4.'- $. Christina-Junto da Faz., e aud. doJuizdos
Feitos do m. Pr. as lOli. 6 m. da m.
5.a# V. Tiago-Vr. os 10 h. e 54 m. da m.
6V-.V. Sinfmnio-Jf da F-, A. lo O. da C. do .1 de V.
dom., edoT.deF. del. Pr. ;is 11 h. 42 m. da m.
Sabhado-S. Pautoli&a -Ri.'" ele m. e aud. do Vig.
(V. de t. Proa mar aos 0 m. da nt.
I)om. S. Anna Alai da Mac da De&s. Pr. al b.
18 m. da t.
IMtWUA
CMARA MUNICIPAL.
21." Sens&o ordinaria do dia 17 de Junho d> 1833.
pRRsn>Eircf o Swa. Mello Cavaj.caht.
COupvnr.cKRAO os Snrs. Oliveira, ^"tf>r Pereffn-
noMrciel, Doutor Mavgnicr, e Silva, Miando
eom causa os Snrs. Paula, Estoves, eLudj?ero. Aber-
11 a Sesso, o liria a tota da antecedente fot aincciona-
da por estar conforme.
Cnmparecendo o Snr. Narciso Camello chaimdo pa-
ra servir ent lugar do Sur. Carneiro P,os.prestou ju-
ramento, e tomou asscntn. O Secretario fea a letlura
do expediente : hum oficio do Fiscal tiesto Bairre, pe-
d ndo 40$ res para fazer as ultimas dospezas rom a
obra das oseadas, e alcapo das diversas prispes da Ct*
deia: posta a materia a votado depois de discutida,
resolveo a Cmara que se lite desse dttn quantia.
Ofaro do Inspector das escolas da Fregneaia do Po-
co da Panolla dando a conta circunstanciada, que se
Ihe havia pedido : inteirada. %
Oatro do Engenhonheiro Fermino Herculano de
Vioraes em resposta ao Offi-io de 15 do eorrento em q'
so lite podio que examinando no aterro dos Aflojados
|s rasas que estao enllocadas no leito do mesmo mandad-
la diser a Cmara os nomos deseos propietarios: pos-
ta a materia a votacao depois de discutida, resol veo a
Cmara, que se Ihe dissesse, que nao podendo o Fis-
cal sabor quaessao os predios que eslo lora do alinha-
mento houVesie elle de Ihe mandar diser para chamar
seos donos a responsahelidade competentemente.
Ontro do Juiz de Paz da Boa viagem com a conta
me se Ihe havia pedido das escolas do termo do seu
.ru izado : inteirada.
O Engenheirn Fermino Herculano de Morara re-
mettoo hum o lucio com a tnformacSo em hum plano
detalliado. e circunstanciado do estado atual da obra
da Ponte do Rccife, mencionan Jo a obra (cita, pn'
t:iscr, se orcamento Ser. fct.: addiado.
A vista do parecer da Commisso encarresada n*o
Mame dascoirtasdo Fiscal do Duirre do Recite i'oro
as raesmas approvadas, resolvende a Cmara que te
'o mesmo tic saldo aquantia do I fO-^620 reis
:

dos dinlioiros perteneentes as obra? publica.-., e 3^)200
rew das que perteneem a seu rendimenlo.
Resolveo a Cmara a vista de hum requerimento q'
Ihe isfrao os presos da Cadeia, que o Procurador
Prxedes da Fonceea Coutinho ontregasse ao Testa-
menleiro do finado Jos Lourenco Carlaxo os270^rs
lefjados aos ditos proso3 para que elle por os mesmws
fisesse repartir como Ihe cumpria cobrando o recibo q'
Ihe passara na occasio do recebimento da dita quan-
tia.
Ao Snr. Mello Cavalcanti conceden a Cmara 20 di-
as de (cenca, a qual pricipiar a correr d'amanha por
diante.
'Pendo a Cmara respondido sobre o processo que
contra "lia mandara faser o F-xm. Presidente resolveo
que ao Ouvidor Coral do Crime so remettesse o me-
mo.
Dospacharao-se aljjuns requerimentos. e por ser da-
da i hora afevantot se a Sessao. Joze Tavares Gomes
da Fonceea Secretario a esereveoMello, Pro P.
Doutor \IavignierCamelloSilvaPeregrino Ma-
cielOliveira.
22." Scssao Ordinalia do dia 18 da Junho da 1833.
PaEZtDECIA DO Sa. DoiITOlt MwtGNIKU.
COui'aiuh.i: o os Snrs. Cunlo, Silva, Doutor Pe-
regrino Mteiel, e Oliveira, faltando cora cauza
os Srs. Paula (Mello Civalcanti, Ludgro, e Estoves.
Aberta a sessao e lida a acta da antecedente foi san-
cionada por estar conforme. OSoeielario fez a leitu-
ra do expediente: hum officio do Fiscal da Boa-vista
representando sobre varios objectps, e pedindo prov
denoias adqn das : addiado.
Entrando em discuco o ofTi -io do Fiscal deste Rair-
ro com data do 1. do correntc em q' expunha os obs-
tculos pelos quaesj nao limpa a praia do Colegio do
estreo abi lancadti, resolveo a Cmara depois de dis-
cutida a miteria, rpie o Fiscal onvesse de informar em
quanto poico mais ou menos montara a despe/.a da re-
muss.io do estoico.
Entrn em discussao o ofG-:'io do mesmo com data de
28 de Malo prximo (indo em (fue pedia se mareassem
as Pracas aonde se deve vender lenha, enpim, aves,
carne de porco, frutas, e ortalice, resolveo a Canta-
ra depois de discutida a mtteria, que huma Commis-
so da Caza indicasse quaes os lugares mais apropria-
dos nos trez Blrrro para o dito fin*, nomeando o Sur.
Presidente para membros da Commissao os Snr^. Sil-
va, e Oliveira.
Entrou em discussao o olFicio do Engen/ie/'ro Fer-
mino Aerculano com data de 7 de Maio, era que faziu
ver os coiicv'.os de que precisa va o atierro dos Afloja-
dos, principalmente na (wrtc em (pie est propincuo
a romper-s-, a ('amara depois de (feeutida a materia,
resolveo, que o F Nal deste Bairco examinando o mes-
mo principalmente no lugar cima dito, couvindoaos
que devio tralnlhar no reparo,, ou aterro.nec^'ssario-
\
\m
h*>

^^^^^^bhh
*


-L

V
Ihe inforiftafM a nalm a doli .1 despeza que prova-
vel mente com tal obra i.r.
O Sur. Doulor Per* rio Maciel fex a seguinto
prop'wfaQuea Camai preste toda aattenca*o a ma-
lcra do 5. -2.' do Artig da I y do 1 de Ouiu-
bro de I68 a qual tem poi objecto o estabe intento
que om algumas Cidades do Brasil romo por exemplo
1 Capilal da Provincia de .Maranhao, j se poz om
praiioa osla salutar e philosophica medida. Caza da
Cmara 13 de Junbo do 1833. O VenadorPere-
grino Macielproposta <|ie depois de discutida foi a-
pitxvada.
O mesmo Sor. Venador fez mais a segunte propos-
laQue a Cmara enearreguc ao Professor da Saude
o exame de iodos os assougues da Cidade, devendo o
mesmo Professojr informar a Cmara do seo estado, e
med.ioramontos de que sao suseeptiveisCaza da C-
mara I de Jnnlio de 4 833O VereadorPeregrino
Maciela qual posta a volacao depois de discutida foi
aprovada.
O Sur. Presidente tao bem fez a proposta que se se-
uiProponho (|ue a Cmara admita como (sendo
parte desuas Posturas a seguinteNao se poder de
hora cm dianle estabelcecr a venda de carnes salgadas,
ou peixes secosem outros lugares que nao sejao o da
Ribeira do Peixe e ra da Praia da misma para os que
j nao tiverem lugar na Ribeira : s vendedores de
semelhanles gneros, que os tem a venda nos armasens
da ra da Praia do Colegio, e nos outros lugares, no
espaco de 30 dias daquelle em que a presente Postura
se fizer pubiiea por editaos e por as gazetas passarao a
c fie pagaaem npca/o de contraveneno 30$) res para as
despecas do Municipio, de sofrerem oilo dias He pri-
zao, c na reincidencia o duplo dossa pona. As ven-
dedeiras do peixe, que hora existen? na Ribeira passa-
rao para ascasinhas da Praea nova no prazo de oito
dias sob pena do pagarem no cazo de eontravencSo
oito mil reis, e qualro dias de pri/.ao. Salla da C-
mara 18 de Junbo de 1833Doutor MavignierEn-
trando cm votdco depois de discutida dita proposta
Coi aprovada e o Snr. Presidente nomcou para mem-
oro da Commissao que deveYedigir a Postura os Sc-
nhores Uoutor Peregrino Maciel, e Camelo.
Resolveo a Cmara que se ativasse a Commissao en-
carregada de dar o seu parecer sobre o examo das emi-
tas do Procurador que so. lhe encumbio para que a ap-
presentasse com brevidade.
Despacharo-se alguna requorimentos: o por sor
dada a bora feiebou-se a Sesso Jo/.e Tarares (lomos
daFonceca Secretario aoscrever. Doutor Mavignier
Pro P.OliveiraSilvaPeregrino .MacielCamel-
lo.
ED1TAL.
klanotd da Fonceca Sih-a, Fiscal da Fie&uzia (h
S. Fr. Pedro Goncalvs do Bairro do Recife etc.
F\l saber a todos os Sangradores, Dentistas, ou
Parleiras, moradores nesta Freguez.ia que da data
doste em dianle, nao podev oxorecrem suas arles,
sem que tenho apresentado suas Cartas a 111."" Cma-
ra Municipal, a fim de screm registadas como deter-
mina o 9." do tit. 2." das Posturas Munioipaos, ob
na de serem multados na conformidade da momia.
I
ft
^^ CORRESPONDENCIAS.
Snr. Reductor
(Jando a cauza da f,ibcrd ido nos chama as renos:
11,nido se traa de egurar osnossos mais sagrado-
direitos. be do rigoroso d ver de todo o Cidndo pr'o-
1, de todo o hoineni honrado su (locar paixoes parti-
culares, que Tiutrir possa contra aquellos, que parfi-
Iho os mesrao's sentimcnlos Polticos, para reunidos
marebnom ao Campo da Balalh:. Assim pois tendo
acabado i\e lor ueste momento a correspondencia do
Snr. Feliciano Joaquina Aos Santos, cu venhoscm per-
da detempo sa vifiear no altar da minba Patria a pai-
xo, pie me fez enectar aque\\a polemiea ; nao porque
eu receie, que vindo a ser condecido do Snr. Santos,
elle me aprsente na minba coudavfta (;-,vl, ou Polttr-
e-j bum s faci, que me pos-a en^^onhar. mas poi-
que partilhando os mesmos sentimemos Polticos do
Snr. Feliciano cu nao posSO ser estranlta ao menor mo-
tivo, que desunir-nos po.ssa em huma epocha tao deli-
cada, om que o maior de todos os golpes se prepara
nossa Liberdade, nossa honra, e mesmo nossas
vidas, e em qne poristo be neoesaario. que unidos e
resolutos o rechacemos para pdennos dest'arte osma-
gar o monstro da Ttraina, (pie a foi lo pertend alear
seo idiondo eolio as feriis plagas de Cabra!. Na*b
pense por tanto o Scnhor Santos, que vencen a tata-
ib, que principiamos a dar : o amor da Patria ; des-
la* Patria, que ora be o unieo objecto das minba* rolle-
xoos, e a cuja prosperidade nao possoser indiflerente,
me faz. levantar o campo, e suspender as armas de que
eslava muido : nao porque receiasse a incerteza do re*
sultado ; mas para colher os louros que merecem a-
quelles, que vencendo as suas paixoes sabem popror
sous interesses privados, quando SO trata do bem ge-
ral
Aprovoilo osla OCCasio para agradcccr-lhe a inser-
so da* correspondencias do
Seo obrigado
O Inimieo dos ambiciosos.
<%%* ** \
pujiftcar o progenie, lwirro do T'.ecife -2o de Julbo de
le >3. Eu Joze de Santa Anua. Aldante do Porteiro
o oscrevi.
Mariocl da Fonceca Silva.
Snr. Redactor*
Enuo o Diario N.u 155 nelle encontrei urn officio
Jdo Commandante Geral doCorpo dos Munioipaos
Pinnanentes dirigido ao Capilo Feliciano, em o qual
llic diz, (pie pelo muito que este so tinteressa no ser-
vico Publico o convidava para que fosse assestir aos
("onsolbos dos Guardas .Munioipaos, que se aehavao
prezos, vista a difiouldade que ello Commandante en-
cootrava em reunir officiaes da Guarda Nacional, e
p*or estes se nao qiiercrom prostar, por mais que te-
nho sido requisilados ao rpotonte Chcfe. Bastante
injusto foi o Commandante Gcral em avansaruma pro-
posico tao genrica, pois quinto pela minba parte
me acbo acoberlo, tanto pelo que toca a subordinaco,
o servieo publico, como polo dever de umanidade. o
para que o Publico saiba que be infundada a quoixa
do Commandante Geral fallando geralmente como se
ve de seu ofncio; leobo a diser que sendo nomcado
por varias%ezes para assistir aos Coaselbos dos Guar-
dad Municipaes sempre cumpri a ordem uc me determinada, e nunca por mini seesperou para se dar
principio a nenhum Consellio; islo mesmo podem di-
ser os oflficiaes do mesmo Corpo. Ainda mais ullima-
monle fui umdosnomeados para hir assistir a uin t^o-
selbo", assim ociimpri liindo as ) horas, como dizia
para que chegue noticia de todos mandou a ordem, porem acbando a noria da Salla do Consc-
Iho felxada, vollei pelas 10 noraa e meia. a acboi a-
berta. e em lugar de aehar os Vogacs do ( n-L-lbo en-
contrei-me com Guardas Munioipes mui pouco de-
centes, c rcflet'rido que aquello lugar era destinado
para Coiim-Hio, e encontrava Guardas Muni<-ijiae.- ib

pW*"."*
.

\


fralda de carniza*, supuz estar milvja a Sal* das (.<>
wdhosepar isso dirigindo-me ao Commandante Ge-
ral que se achava na Secretoria lhe perguniei s nao
liaviaConselho; aO-que elle respondeo que sim /pc>-
rem que o Senhor Capilao Moraes (Presidente do LO-
selho) at o presente ainda nao era ehegado, assim co-
mo os officiaes das Guardas Nacionales, e leve em res-
posta que cu tra uin desies que aeabava de nomear, e
que ja era secunda ve/, que ali bta, e que tornara ler-
ecir* advirla Snr. Redactor que todas as 3 reres que
). iui de nenhuma eneontre official P. uemolfccial de
Guarda Naciond tercei* ve/ as 11 horas e meia vol-
lui ao Quartel e achei o mesmo que ja havia encontra-
do, isto be a Salla do Conseliio sem officiaes. Reti-
rando-me at boje anda se me nao avizou para tal ser-
vico, e por consecuencia nao tenho faltado a essa re-
quisieo que diz o Commandante Geral em seu officio,
lembrano por meio desta ao mesmo Commandante
G ral que desde 1817 atea data desta que presto ser-
vicos conforme posso a micha Patria, e umanidade
que sempre os prestarei, quautos coubcrem em m-
whas (breas. E para que o Publico nosupponha que
lodos os Senhores officiaes das Guardas Nacionaes ral-
to a lo justa requisico feita pelo Commandante Ge-
r.il dos Permanentes eis o motivo de o cncomodar um
Capilao das Guardas Naciooaes e
Seu Amigo
Jote Jernimo Rodrigues Chaves.
Mximas e, Pensamenlos.
A\ titladeira modestia consiste menos em despre-
zar os louvores merecidos, do que em parecer in-
sensiveJ s injusticas que se Ine fiutaw.
Circe.
Pela inesma r.izo que as sombras sao necessaria* aos
.i i neis, a modestia he essenclal ao mrito. Ella lUe
da mais forca e vullo.
I.a Rruyre.
As duas nicas verdadeirus desgracas, sao, a perda
do objecto, que mais se ama, e a lio repouso da cons-
cjencu. O Ceo tem ecerregedo o lempo de adocar
a primeira 5 e o arrependimcnlo de reparar a secunda.
Segur.
As maiores desoracas de quanlas lia, soas que a nos
mesmos nos causamos.
Bruun Pureaard.
Capitulamos quasi sempre eom os nossos males,
quando os nao pedemos evitar ao remover,
Nunca perdemos d vista o nosso interesse, ainda
mesmo (piando nos coniussamos desinteressados.
A mejor dor as dores, que sofremos, he eonbeeer
que as merecemos.
Quasi sempre atribuimos reveses brjuoa, e bem
raras ve/.esaos nos.-.os desacertse
Hum homem virtuoso e moral, ten principise sen-
lmenlos religiosos seria hum pueiuwneno singular.
L relendem algunsque os ha, como oulros <*uc existe
a Phenix.
Oshomens nos parecerio oais justos, ou menos
injustos, se nao exigissimos delles mais do quepodem, ,
"u devem dar-nos.
(Do Diario do G averno)-
ANUNCIOS.
^Abuvi.o do corrente sabio luz um novo Perio-
i9dico intitulado0 Velho de 1817: vndese e
subacreve-se na Praea da Uni n. 37 c 3s. < na le-
ja do Caloso Aira*, na ruada Cadeia do ftecife.
(M9) 37 I
Breve Rcsposta ao cavaco, que o interino redactor
do'Diario d Jtmnistiaco de Pernomhuco deu
em o seu n." 73 na pag. 1.a, Un. de 1 M>-
Meu earo redactor a muito, que eu vos linha de-
clarado, que o meu Arco j se achava quaze quebra-
do, e que por isso nao podia mais tocar na vossa
R.....! .Lede a carta, que cu vos mandei no da
17 do corrente (da anterior ao da impressb do ulti-
mo n. do Diario, que eu vos quiz imprim/) e por
ella vos convencereis, que eu fui quem me desped de
Vs por parte da Tipografa F. e nao vos de mini,
ou tt'etia.
M ilo teria, que dizer sobre a vossa saudosa des-
pedida ; mas o Publico sensato, que vos conhece....
e a mim, que faca a verdadeira justica como cosluma
de-o porque seria, e o porque foi que nos separe-
mos. O silencio me faz calar, e s sim diser que
muito, e a muito vos eonbece.
Joo Nepomuceno de Mello.
^* Sahio o 5. n.p do Capaleiro. Vende-se na
Tipografa deste Diario, e em Olindaem casa do des-
Iriouidor do mesmo Diario.
\ *X ^X*!
at)503 DO Coerci.
Correio Terrestre da Parahvba do Norte part
boje (22) ao meio dia.
^ O Correio Terrestre da Agoa Prela. parte
oje (22) ao meio dia conduzindo tobem as corres-
ondeneias para as Agencias de Serinhaem, e Rio IV
O
he
Pc
moso.

.. ',-'
Iaho velho de Lisboa 1^600 a caada, dito mais
tinto pelo mesmo preco, moscatel caada 1^600,
com garrafa 320, e sem ella 240, azeile doce, vinho
de caj, serveja superior, licores, queijos escolhidos
a 640, espermacele, caf da 1.a sorte, eh Imperial,
dithisson, prezuntos, papel almaco aparado a 3.^680,
e dito sem ser aparado 3^520 : na ra do Livramen-
to esquina de beco do Padre D. 1.
? Urna venda na ponte Velha D. 57 : na mes-
ma.
^?* A venda da esquina do beco do Carcereiro,
na ra do Rangel D. 26, pela metade de seu valor a
vista, e a oulra metade a pravos de lempo, sendo bo-
as fumas: na mesma fallar eom o administrador, ou
a Proprielario Joze Antonio da Silva, na Cidade de
Olinda. \a mesma tambemse vende os seguintes g-
neros : \ inlios bons, tanto de Lisboa como do Estrei-
to, Porto, e de Malaga branco, e dito branco de Lis-
boa, bom vinagre, azeite doe, genebra d'Olanda em
garra/oes, e dita em botijas, garraoes de agoardenle
de airiz, e ditos de agoardenle de Ollanda, vinho eu-
garrafado do Porto de superior qualidade, serveja boa,
espermaeele em caixas a 560 por libra, e as libras por
COO, cha hisson, e Imperial novo de superior quali-
dade, tanto em caixas como em libras, urna porco de
papel pardo por preco commodo, eludo ornis em
eont.i; fim de fieara venda eom menos fundos, para
quem a "iii/er comprar: assim como lambem se ven-
de nma earteira de (piatro palmos de comprido, e um
moleque de 12 a 14 anuos, proprio para aprender qual
pier offioo. ,
^7^-> Urna leuda de ferreiro eom todos os seos per-
tences na ra da-Conceico D.31.
^X- 2 pollros da primeira minia, e um quarti*
capado por fasera segunda muda : na ra do le izario
Botica de riarAiolomeo Francisco de Sonsa.
Una barretina, lima banda, e um penaxo,
ludo novo : na ra das Cru/as D. \$(
' W ...
^1 II II III IP^^1
^ ^-




i
(650) v33-
Vjp* Urna esertvd muito hab! para qualqucr tra-
balho de sitio : na ra da Sezaila Vclha n. 4*.
$^" Temos de medidas de foHia pelo novo podro
do Rio de Janeiro : no aberro da Boa-vist T). 13.
$3" A Geographia Universal em 8 vlumes rica-
mente encadernadoa, por IMilte-Bi un: na esquina da
ra do Cabug, que volla para a ra das Trincheiras.
fc^* Lm escravo ollieial de rapateiro, de 16 anuos:
anuncie.
$C^* L'm preto tarniceiro : na ra da Senzala ve-
Iba n. 4.
^^* Urna padaria cora todos os seus perlcnces na
ra das 6 Ponas : na mesma I"). 19.
^g Uma negra de naco de 2.5 a 30 annos: na
ra Nova D. 21.
^^ \ende-se a Mcscilanea Periodiqueira era O-
linda na easa do destribuidor do Diario.
t\IVU1tklk\tUltk
Cotopras
Ma venda com poucos. fundos : na ra do Hospt-
tal D. 23.
-*v< %%v
i&evDas.
PERUEO-se no dia 20 do corrente nesta Praca um
quarto com cangalha, e tem os signacs seguintes:
foveiro, cabeca pela frente toda brama, emuito manco:
a pessoa que o ti ver recocolbido faca o favor de parti-
cipar na ra da Cruz do Recife n. 42, que sera re-
compencado.
C?" Bartholomeo Francisco de Souza faz sciente
que perdeo um bilhee de cabr da quanii.i de GO$
reis datado de 8 do corrente a vencer-se a dois meses ;
passado por Manoel Antonio Viegas e no verso assig-
nado por Joze Bernardo Fernandes Gama ; para que
ninguem faca tranzaco com mesmo, pois que o mes-
mo pertende justificar e receber o de* do passador.
%%%*%%'%%*
furtos.
DEzapuieceo no dia 20 pelas .r> horas da tarde da
lo ja pequea do Bandeira urna caxinha de piala
pequea : a quem l'or olcrecida leve-a a mesma loja,
que ser recompeneado.
**x
ticos particulares.
OAbaixo assignado assegura ao Respeilavel Publi-
co, que d'hoje quinze dias corrern sein n me-
7iorfalta e impreterivelmente, como tem anunciado,
as rodas da Lotera do Seminario dOlinda no Consis-
torio da Conceico dos Milatares. Aproveilem-se po-
is desse pequeo espaco de tempo as Pessoas, que an-
da houverein de comprar bilhetes, na certeza, de que
embora fiquem alguna destes para o Seminario, o so-
bredito dia nao sera mudado.
Padre Juo Rodrigues djtraujo.
Reitor.
^C^" Quem anunciou querer urna ama de leite for-
ra, crila : dirija-se ao atierro dos A (Togados caza da
vi uva do falescido Capito Tbomaz.
#^ Quem anunciou querer dar 100$ reis com
seguranca de perrhores : dirija-se a Tipogrrtii Fide-
digna, que la se dir (juem pertende.
Quem percisar d* un caixeiro Braz'iro li-
^y Percisa-se de-3o0$ res com hipoteca em ti-
ma morada de casa torna, na ra Direita ; anuncie.
^3" Quem percizar de urna mulber livre para
totnVo ser vico de urna cas; sendo de Itaincm solteiro,
Nacional ou E&r&ngero, cuja da fiador de sua cap-
cidade ; dirija-se a ra d&Gtdeia n. >3.
73- Qualquer easa Estrangeira que lenta bastan-
te roupa, e que qu engomar bem, e com brevidade : anuncie.
$^ Pevcisa-se de un cont, e duzentos mil reis
como premio de dois por cerno ao me/., com hipoteca
eoi dez escravos ladinos de todo o servico, por lempo
de um auno-, que antes desle lempo sera indemniza-
do: anuncie.
^^* Porcisa se de una ama de leite, que soja es*
crava ; a pessoa que a livor dirijazSQ i rua do Palace-
te, casa de trez ja aellas e urna porta.
^3* Roga-se ao Sus. Joze Caelauode M esquila co-
mo berdeiro da futlescida sua Mi Clara lobera \i-
cencia Ferreira, venha pagar os allugueig quc rt>sta
das casas perlencentes a S de Onda.
^T5* Percisa-se de 300$ reis a juros, ranca em urna easa tenia : na rua Uireita loja do >o-
brado I). 25.
'.;$" Acho-sc recolhidos cadeia desta Cidade um
cabra negro de nome Joaquim, quo diz ser eacravo de
Manoel da Paixo Moraes, morador as Alagnas; a
preta de nome Calbarina de naco Benguella, que diz
ser escrava de Rila de tal moradora na Boa-vista, po
preto Marcelino rscravo, que diz ser de Joze Freir
morador em (raval ; e para que os seos rerdadeiros
Senhorea os venbo receber, faz o presente anuncio.
Joze Feliz de Souza.
Tuiz de Paz Supplente.
$^=" Quem anunciou querer dar 100$ a premio
de dois por cento rom segumnea cm obras de ouro:
anuncie.
r^* Pergunta-sc rpial a razo de nao ter o Sur.
Prezidente feito publicar acopia do Oficio do Major
Francisco a'Arruda Cmara, a que ge refiere o Snr.
Commandvnle das Armas sobre os acontec montos de
S. Francisco at Barra Crande ? Se ser tal vez divi-
do a reeomendacoes, que o mesmo Commandante das
Armrs tivesse feito afim de se nao dar a publicidade ;
ou porque nao sendo o Major Arruda, Cabano, he
contra os Cabanos;
Jum fjue detesta a intriga.
\\\ % %\r-\+*%\%
^0C3fOS uifUDO0.
Ai'lo ladino, naco Benguella, estatura mediana,
relorcado do corpo. cor fulla, tem bastantes pa-
nos pelo Descoco, c hombro, falta-lhe um dente na
frente da parte de cima ; fgido a 18 do corrente com
camisa, e sirdula de estopa, e bono de bata preta.
Andr crilo estatura mediana, bom corpo, cor* fulla,
de 24 annos, tm militas marcas de box gas pela cara,
ps pequctlos : fgido a 11 do corrente com catea de
pao azul, com listra de eazimira azul clara, jaquel,
e elvipeo de palba : rua Nova D. l, lado da Igreja.
NOTICIAS .MARTIMAS.
Navio saludo no dia 2\.
10 de JA\ EIRO, vor SANTA CATHABISA }
B. Triunfo Amemanos Cap. Manoel Simoens:
vre.de Praca para quahjuei (,ccuj>aco; dirija-:
Praeinha do Livrumento loja D. 28.
^cy> Quem percisar de uina ama de dUt preta for-
ra e de bous costumes, que sabe cosinhar, engomar, e
onsaboar j dirij -se ao, p;ito da Sania, Cnu D. t.
J
K
,al.
GABOVETiDE; B. liinamrn. Charloth, Cap. Pe-
dro Wippol : lastro.
jtonwi iiMjn>m
>ehv. .ya Typ no Ui.jit/o. }\::.

>
Si


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESZT50ZR6_RIDH9M INGEST_TIME 2013-03-27T15:51:10Z PACKAGE AA00011611_02108
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES