Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:02099


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^**
11 DEJULHO.
.....-........j .
. ANNO DE 1833. QUINTA FEIRA 11 DEJUUIO. NUMERO 148-
I

na
Subsarcre-sc racnalinente a (5-lf res, adiuntados. naTPogr-fia
\ Difiri, pateo da Matrix de S. Antonio sobrado tndc se r*cc!>em correspondencias, e anuncio: estes Ofirem-se
gratis -'-.d) do* pro,>rio asdsrnaii ea comiV4t<; u \ '.lo osKigaadot.
BBSSBmmBSSBSB
Tudo agora depende de nos rnesmos, d;i nossa priMlencin. mt-
deracSo, e energa: continenlo como principia** e scrcmws
aponfadoB com adrairaeo entre ;is Xac.de* mais cuita*.
PtoclamacTio it* j4semllen Geral do Brtizil.
Smpired&i cm percamburo pr %zk actorw ae a&rcu.
BSDii3!?5s^51^( ;>CE
DAS da SEMANA.
5.a- .S'. Sabino- Aud. do Ouv. doC. de no., do Ch.,
o do Onv. d'> CT. do t. Pr. aos G mili, da t.
."-<. Nabor- Jl.' da F., A. do. da C. do J.de F.
do m., e do T do F. dct. Pr. aos 54 m. da t.
Sabbado-5. Jnccleto' Rei.km de m. e aud. do Vig.
G do t. Prenmnr a 1 b, 42 m. da t.
Dnm.- 5. Boavpntut'd. Pr. a< 2 h. 30 m. dat.
it^ItMI^flilVItiUVXIK
Wiv%\i^%v*nii'**viwmmmiinn
CIRCULAR.
Z>o Ministro do Imperio aos Presidentas das Pro-
vincias.
I
f.r h. o F.vtn. Sur.A Rotonda em Nome do Im-
perador n Sor. D. Pedro II tendo noticias offici-
aes, por diflecentes vias na Europa, pelas quaes so
colhgo que o Duque de Braganca. Iludido som duvi-
da polos Conselheiros, que aqu o perderlo, o que. o
eer-io ainda, c bem assim animado por hum narlido,
quo sempre se distingui por sua desafeicSo slnstitut-
c5ea livres, projecta rollar ao Brasil rom o rosto das
Torcas que Ihc ficarem, se por ventura nao triumphar
na hita em que ora se acha empenhadn ; bom que de-
va suppor hum tal prqjecto asss temerario, pois que
a Xaco, quando a principio sucumbisse (brea rea-
gina depois com maior violencia, sondo que em todo
o caso a Guerra Civil, e o scu anniquilamento seria
inevitavel; com tudo considerando que em todos os
tompos a ambico de reinar, e o desejo de vingar-se
tem foito a muitos Principes abbidieados tentarem a
Restauradlo, embora ella accarrete sobre os Povos as
maiores desgracas. Desojando affastar males to con-
sidera teis, e consolidar no Brasil a Monrchia Repre-
sentativa, que sem duvida seria posta cm grande peri-
co, se to louco plano ehegasse a ser tentado : Manda
provenir a V. F.\c, deslas noticias, que parecen) ter
algum fundamento, combinadas com os cscriplos, e
mais passos daquelle partido, a fim do que V. Fxc,
dentro do circulo das Leis tome desdo ja todas as me-
didas, que a sua sabedoria, e prudencia lhc dictaren!,
orfjanisando sobre tudo, e pondo em bom p os Guar-
das Nacionaes, na certeza de que o Govcrno Imperial
as tom tomado, e continuar a tomal-as, para oppor
a mais firme resistencia aqttal quer tentativa naquelle
sentido, e salvar como Ibccumprra Honra Nacional,
o com o Trono do Senhor D. Pedro II. asLiberdades
e Independencia da Naco BrasileiraDos Guarde
a V. Exc. Palacio do Rio de Janeiro, em 8 de Ju-
nhodel833Aurcliano de Souza e Olivera Couli-
nhoSnr. Joze Joaquim Machado de Oliveira.
Na mesma conformidade a todos os Presantes ,das
Provincias do imperio.
(Do Supplemehto a Gazeta Conunercial.)
4-
*S3>>C^-
CMARA MUNICIPAL.
13.a S es san ordinaria do 1. de Junhq de 1833.
Pr.KZF.KCiA o Snr. Liokro.
COupATtFcvro os Snrs. Estoves, Oliveira, Mello
Cavalcanti, Doutor Mavignier, Silva, Pau-
la, e Doutor Monteiro, fallando eom cauza o Snr.
Carnoiro Ros.
Aborta a Sffiffo e lida a acta da antecedente fot san-
cionada por estar conforme. O Secretario fez a leilu-
ra do expediente: hum officio doExm. Presidente exi-
ft'mdo huma inforraico do numero de alumnos de
hum, eoutrosexo, que frequenlo as escolas de pri-
marias letra-, tanto publicas como particulares, com-
prebendendo tndem os alumnos que frequento as au-
las d lat ni : posta a materia a votaco depois de dis-
cutida, resol veo a Cmara que seexrms.se dos respecti-
vos Fiseaos huma conla circunstanciada do numero de
escolas publicase particulares da sua Parochia. os no-
mos de seus meslres, ou Pedagogos, e numero de a-
lumnos, e ludo o mais quanto for concemcnle a to
importante negocio.
Oulro do mesmo dizendo, que nao tinha prbo pa-
ra ondemandasse passor os presos: posta a materia a
votaco depois de discutida ; resol veo a Cmara, que
se Ihe fizesse ver o incoveniente porigo que ha na con-
tinuarn de rcsideffff(rrdfls presos om lium local to ar-
ruinado, e que nesse cazo ella est fora de toda a res-
ponsabelidade, que resulte de huma terrivel e prom-
ta evadico.
Outro do mesmo remetiendo por copia o parecer de
commissao de Impostos da Cmara dos Dcputados, e
por ella npprovado, sobre o requerimento dos Nego-
ciantes moradores no Municipio da Villa de Rezende :
a Cmara ficou inteirada.
Ontroem resposta ao em que se lhe pedio mandas-
s dispensar doservico das Guardas Nacionaes os Em-
preados da Cmara : a mesma ficou inteirada.
Outro do Dezembargador Ouvidor Geral do Crime
enviando a relaco dos presos pobres que existem na
Cadeia pelo seu Juizo, os qoaes deycm ser socorridos
por a Cmara : a mesma ficou inteirada, e a relaco
entresou-se ao Administrador do sustcnlo dos mea-
mos.
Oulro do Fiscal do Bairro de Santo Antonio pedin
do que se liouvesse de marcar os lugares, que devem
servir de praca, de fructa, orlalice &C. : addiado.
Outro do Escrivo Rabello, da Ouvidoria do Crime,
unto com o processo, quo mandara fazer contra a C-
mara o Kxm. Presidente em Concelho, para que ella
respondesse : a mesma ficou inteirada.
Outro do Fiscal desfo Bairro dsendo que tinha foi-
to constar aos proprietarioa das cazas que se esto la-
zendo no atterro dos Aflogados, que por ora uo de-
vio continua!-, com ellas ; e que ao p da Ponte nao
lii algum edifuio que se esteja construindo: a Cmia-
ra ficou inteirada. jl ^
Por etl occasior e a in'aucia do Snx. Paula^^rrae-
JA

**"----

X


un

^r
(') .
H
s os offieios eom dalas de 7, e 30 de Maio, do Enge-
uheiro Fermino Hcrculano de Moraes expondo as me-
didas que se deviao tomar assim para evitarle hum
irromlio no Alerro dos Afogados, como o que se de-
* ia lser para que nao fique defeituosa huma ra, que
pode ser taWez a mais linda desta Cidade : posta a ma-
teria a volaco depois de discutida resolveo a Cmara
que ficasse addiada at que o Engenheiro appresentas-
se a planta do aterro que est alevantando como diz
cm seu officio de 30.
0 Sur. Doutor Perigrino Maciel fez aseguinte pro-
postaPropon/io que a Cmara faca trasladar a sua
presenca torios os ttulos dos edificadores do Alerro
dos Aflojados, chamanJo-os a este fim ; fasendo ao
mesmo lempo substar as obras principiadas al que so
conclua a planta da mesma localidadePerigrino Ma-
ciela qnal sendo posta a votaro depois de discutida
resolveo a Camare depois de a ter approvado, que se
publicaste pela imprensa edilal concebido nos termos
da mesma.
A Commis;,o encarregada de dar seu parecer relati-
vo as medidas que sao necessarias para obstar a int.ro-
duccSo da epenemia de que faHaoofficiodoExm. Pre-
sidente dirigido ao Provedor da Saude, apprescntou-
o, e tendo sobre elle bavido nao pequeo debate, mas
so na parle em que recomendara a nomear'So de !ium
Frofesaor intelligente a quem finio Incumbido Indo
quanto for concernen le a Saude Publica, o Snr. Silva
apprescntou huma emenda para que nao se luicas-e
fora os Professores quej estSo encarregados d Saude
agos pela Cmara, porem que se nomeasse mais hum
ledco; sobre esta emenda, a que se Opposero al-
guns Snrs. Venadores, houve hum grande debate,
para terminaco do qual requeren o Snr. Mello Caval-
canli, que a Canina votasse primeiramente sobre a
sua proposta de 22 do passado eom a qua\ eslava em
armona a ultima parte do parecer. O Snr. Silva op-
""poz-sc eom o fundamento de pie a sua emenda hera
que devia entrar primeiramente cm votacao, porem
resolveo a Cmara, que se po>es*(Vfl. votacao a pro pos-
ta do Snr. Mello Cavalcanti por ter superori?ade, as-
sim se fez, e foi aprovada a segunda parle da pro pos
ta concebida nos seguinte- termosOne baja hum s
Professor de Saude de trra, e que e-!e seia o Doutor
Mavignier por ser Medico, eom suffieente ordenado
para se poder emprear eom todo o esmero neste ohice-
loCom esta approvaco contra a qual volou o Snr.
Silva, e em (pie nao pode ter voto o Snr. Doutor Ma-
vignier eahioa emenda do Snr. Silva, ficando no to-
do approvado o parecer da Commisso.
O Arrematante da Ponte da Magdalena chamado pi-
ra dar as rasoes por que a mesma nao fieou pronta no
ultimo de Abril na forma da tracto, deelarou a Crni-
ca as raides .- c disse que julgando se em consequencia
desoner ido daquella obvigaco agora ? se encarrem-
ria da construceo da dila ponte debai\o dascondicOcs
seguintes :
1.a Dar a Ponte pronta fora do assoalho hum anno
depois do acto da arremataco, senao houverem des-
ordena ou perluibacoes na Capital, e suas immediaeo-
e em cu jo cazo se descontar desle prazo o dobio do
tempo, que ellas deixarem.
2." Dar pronto o assoalho em seis mezes alcm do
prazo mareado no art. 1., se continuar a guerra civil
as Oonti iras da Provincia com a das Alagoas.
3.' Completar a Cmara o 1 pagamento a que se
I -on pdo !.n contracto dous meces depois de se ce-
lebrar h dual.
4fcf- Sugetn-me a todas as mais eondi oes do 1. con-
tracto, que nao e-tiverem em eonlradicao rom as trez
a las codicoes, e o exposlo por o dito arrematante, em
consequencia da seguinte propostaProponho, que se *
nomee huma Commisso para examinar a proposta do
arrematante, e dar seu parecer a respeitoPeregrino
Macielresolveu na forma da mesma, nomeando o
Snr. Presidente para a Commisso os Senhores Mello
Cavalcanti, Oveira, e Engenheiro Fermino He*.al-
lano.
O Snr. Venador Silva em consequencia do parentes-
co, e intima amisade, que derlarou ter com o arrema-
tante da referida ponte da Magdalena, nao tomou pai-
te na discussao, nem na votacao, que houvero a esse
respeito dando-se por suspito em todos os negocios
coneernenles ao arrematante de dita ponte pelas rasoes
(ue ficao ex postas.
Declaro, que o Snr. Presidente langero, no nego-
cio relativo a proposta do Snr. Mello Cavalcanti, pa-
recer da Commisso sobre as medidas propostas para
evitar a uilroducco da cholera moibus, e emenda do
Snr. Silva, foi do mesmo voto desle Snr.
Despacharo-se alguna requermentos e por ser da-
da a liora alevatou o Sr. Presidente a sessao. Joze Ta-
vares Comes da Foneoca Secretario o esereviLudg-
ro, P.Peregrino Maciel, Silva, Paula, Mello, O-
liveira, Esleves, Doutor Mavignier.
Das mudancas de posices.
IlOnM as posicScs da vida tem seus cnconvenientes;
. nos sentimos osdaquella, em que nos axamos, mas
nao sentimos, nem vemos, osde urna siluacao diferen-
te. Que resulta daqui ? que nos atormentamos por
mudancas continuas seo nada ganhar, e multas vezes
para poiorarmos. Fu en em um dia de minha moei-
dade passageiro bordo de urna pequea chalupa, que
descia o Dehware. Como faltasso vento, lomos obri-
gados na v.izanle da mar laucar ancora, e esperar a
mnr seguinte. O calorlo sol era excessivo na em-
barcacao : os passageiros me crflo deseonheeidos, o
nao me agradavasua soeicdade. .Tulguei ver perto da
borda urna bella campia verde, em eujo centro havia
urna arvore ramalhuda, que fazia urna grande sombra,
e dei-me a crer, que poderia bir abrigar-me debaixo
delta, eque ah assentado endo gozara, alguna mo-
mentos agradareis atea volta da mar. Obtive logo do
Capito, qu me 'eonduzisse a Ierra. Assim que des-
embarque! rocnnhcei, que a maior parte da campia
nao era realmente se nao um pantano: atravessando-a
para ebegar a minha desejada arvore enterrei as botas
at os joelhos ; e nao haviao ." minutos, que estar
debaixo de sua sombra, mil importunos insectos
derramavao-se sobre mim, alacarao-me as pernas. as
mos, e a cara a um ponto, (ue me foi mpossivel 1er,
e conservarme em um lugar. Tornei a buscara bor-
da, e xamei a lana, para que me eonduzisse a chalu-
pa, onde tive de sofrer o calor, que proeurei evitar,
e anda mais os rizos zumbadores da sociedade. De-
pois disto, en tenho podido nos negocios da vida, ob-
servar muitas vezes cazos semelhantes.
( Benjamim FranchUn.)
ANICIOS.
HOre. sabio a Palmatoria contendo urna exortacSo
ao-Capatciro, um artigo sobre o Curso Jurdico,
nina correspondencia, e sua competente reosla, do
Snr Joze liento &c. fice Vende-se na praca da Un-
ao loja de livros. e na I ipografia da ra das Cruzes
n.
- Saldr boje a \ oz do Povo. Vende-senos
logares do costme.
1I>U i
i k


1 (595;
w
&mt ao Con cto. l
ORrigue Escuna Conceicao Fiordo Aracaty re-
cebe a mulla para o Aracaty no dia 12 do correle,
as 9 horas da mant.
^- O Correio Terrestre de Paja de Flores ehe-
gou hontcm, e parte amanh (12) docorrente ao meio
dia.
\T3^ O Correio Terrestre da Parahiba do Norte
deve chegar hoje e parte-ama nho (12) docorrente
ao meio dia.
(Eenm*.
WtIniio P R R, dito tinto, dito do Porto engarrafa-
W do, dito madeira dito, dito muscalel dito, dito
hampavgne. paios, prezuntos, queijos, muito fres-
caes, manteiga muito nova, passas, macarro, lala-
rim, aletria, cha hisson muito bom, farinha do Ma-
ranlio, genebrn de Olanda, e indo mais por preco
commodo : cni Oilda venda de fronte da Cadeia.
^T^* 32 oifavas de ouro de Lei a l-$920 reis a o-
tava : na Pracinlin do Livramento loja de Fraicisco
Ignacio Ferreira Das.
\Trta' Selins adamascados de todas as cores por
I$760 o covado, selins lizos de todas as cores a 800,
vehidoroxo a 2>j240, ludo da miihor qualidade pos-
si re; cliineilas dos mesraos selins, e de vetado pelo
gosto Francez, e a Pernambucana, botins, meios bo-
tins, sa patos, ditos de marroquim para p mais peque-
no, at o maior que ouver, nelles de carmnca a 300,
c a 240 a pello-, marroquins de lodas as cores, e fitas
das mesinascores : na loja de couros no largo do Li-
vramento P, 7, da parte do poente.
&^ 6 bois mancos, e dois quarlos : no silio Ca-
valeiro, Engenho Santa Auna, Freguezia de Sanio
A mam de Jabonlo.
c^=" Um prelo proprio para lodo o servico, e com
principio de pintor : na ra da Cruz nr 10.
C^ Urna casa terria de taipa no pateo da Igreja
de N. S. da Boa-Viagem : na ra d'Agoas verdes na
loja do sobrado D. 5.
^F^" Urna negra de 1 San nos : na ra do Collegio
D. 2, lado do poente.
$r^fc Um carrinho de 4 rodas em bom uzo : na ra
das Trincheiras D. 24, se dir quem vende.
v""^ A obra de Virgilio, Selecta latina, Novo me-
thod'K e una Prozodia, tudo cm bom uzo: na ra Di-
reilj D. 3o.
$^ Una venda com poneos fundos, na ra da
Conceicao da Boa-vsta junio ao Rozario D. 31 : na
mesma.
K^* Urna caza de pedra e eal, e outra de runcho
ao p muito grande, que acomoda 50 animis, com
un cerca de de capim de planta muito grande, na es-
trada do Gqui : a ra Direita 11. 54.
- 400 pellos de cabra, c 12 meios de sola : no
alerro da Boa-vista venda D. 10.
W* Urna venda com os fundos 100$ re, rom-
modos para grande Ibma cita nos quatro cantos da
Boa-visla no beco do Marisco na caza junto a venda
^p* VinboClaret de superior qualidade, cm cai-
xas de 12 garralas ; na ra Nova D. 21.
r Urna caza terrea nos AfTogados qtie seja de pe,
dra e cal, no lugar do Motocolomb, S. Miguel, e pa-
teo da Paz : anupcie.
MMiMVMMM'
ailugueiis.
ALt.ioA-se um sitio com casa ds vivenda, mu i los
bons commodos para urna grande familia, com um
grande viveiro, e bastante terreno para pantaco 5
coqueiros, larangeiras, e outras arvores. de fruclo;
e muito perto da Praca : em Fora de Portas pegado
a Igreja do Pillar n. 146.
*>^> Urna casa terria com trez portas paraqualquer
negocio, na ra larga das cinco Pontes, aonde leve
botica.: na ra do Queimado loja de erragem n. 30.
&*? Um segundo andar de um sobrado na ra do
Rangel : na ra do Rozario botica de Joao Pereira da
Silveira, se dir quem ajluga.
*&3* O 1.? andar dos sobrados do princicio da ru
Nova D. 3 defronlc da torre da Matriz : no mesmo, 2.
andar.
^* Um sobrado, comcosinba em cima para pou
ca familia na mu da Lappa D. 172: por cima da boti-
ca mar- prxima a torre do Livramento.
perDas
PFni>F.o-se urna espora de prata e de correte, de-,
ae a Igreja dos Aflictos at o Mondego, casa eje
Luis Gomes : quem a achar, pode-la-h entregar na
ra do Queimado D. 16, de/ronte do beco da Con-
gregaco, que pagar o adiado.
"i^O dia 7 do corrente achou-se um ca vallo rus$p na
l^irua Nova : quem for scu dono procure no esla-
leiro de Joao Thomaz ao p do armazem de sal de
Bento Joze da Costa.
^^s No dia 6 do corrente foi achado na campia
de Santo Amaro um cava lio castanbo com selim sem
freio : quem for seo dono diria-se ao p do Pombal
na caza terria que lem lampiao, que dando os signaes
cerlos Ibe ser entregue, pois protesta o anunciante
nao fiear responsavel por quilquer risco que possa lia-
ver em dito ca vallo.
*
Compras
.M sobrado pojucuo de um ander, n sendo
em beco exqwizito, as>im como urna casi terna cm
bou ra nos Bairros de Santo Antonio; 011 Boa-vista :
anuncie.
%^* Urna pronsa para sello de carta, sendo uzada:
anuncie.
fuxm
M O amanhecer no dia 28 de Junho furto rao quatro
m 4 cavallos, no lugar do Giqui, 1 ruco capado, 1
astanho dilo, e 2 lazoes : quem dos ditos ti ver noti-
cia dirija-se ao mesmo lugar em caza de Joaquim Joze
de Santa Anna Frazao, ou na ra do Livramento bo-
tica de Loureneo Manoel de Carvalbo, que ter de
cada um 4)000 reis.
fttoi?og particulares.
PEacizA-SC de um cont de reis a premio de 2 por
eento, com hipoteca em um sobrado del andar no
Recife : anuncie.
^3 Quem tiver urna casa de sobrado no atturro
da Boa-vista, ou um silio perto da Praca para allugar
1 urna familia nglcza 3 dirija-se a ra da Cruz D. 27,
1." andar. v-y
'' Ouom anunciou querer comprar urna venda*.
rom pomos fundos sendo nos Jairros de Santo Auto/^
uio, Boa-vis,fa, ailerro. c co^tp nao Uiudara auc a^
% V s
-*--> 11 .II* 1 1 .1 _MI


H"> -
-
"^1
V
(596)
*L
trro 5 dirija-se ao atierro dos Afogados defronte do
viveiro do Muniz.
^l^ I);-se 400#> res sobre hipoteca em um pe-
queo sobrado de um andar, oh mesmo casa terna
boa, com a condico de semorar as ditas ; anuncie.
^^a* Alluga-se um pequeo sobrado de um andar
*m boa ra dando-si* al;;uns mezes adiatados: anuncie.
$5?* Perciza-sc de 300 reis a premio de 2 por cen-
to por lempo de um auno, d se boa flanea, ou hi-
poteca era urna casa terria no Bairro de Santo Anto-
nio : anuncie. t .
^^ Quem quizer dilugar um negro diariamenle
a 3-20 reis; dirija-se a Boa-vista ra Volha D. 14.
^cy Tendo-se inventariarlo os bens que fiearo
por oblo do Snr., Domingos Goncalves que era natural
da Povoaco do de Ipojuca, eu que era sua escrava
requer para ser forra na confu midade da Ici com
consentimento da viuva e com dispacho do Ouvidor
que ento era Tliomaz Xavier, depozitui a quantia
porque fui avahada e mais a quinta parte sendo cita-
dos os interessados que nada opozero como ludo cons-
ta ('os autos que se acbo no Cartorio do Sr. Nicolao
!.-idilio em Marco de 27, e em quunto durou c-sta
iictii firrdou-se o Inventario tocando cu a viya nici-
ra que npprovou e levantou o dinheiro em juizo como
boa Girist por Ibe ter nascido em casa. Mas limo
Europeo Miguelisla que he cazado na casa nao pode
ver com olhos enxutos este acto de liberdade. E como
ten ha sido o berdeiro em tolum nao obstante liavercm
herdeiros l^rasileiros, prqjeeta por conccllios do r-
bula bem conjiocido nesta- Freguezia Joo Cinelu 5
' hum trama, e foi pagar a ciza no Cabo dixndo que
tcm hum papel da mieira ; que j be falescida, para
seu certo tempo em que eu devo ser sua escrava. Dis-
tando daquella forria 7 annos. Esperara este liornem
aWm futuro desastroso ao Braz? E como eu moro
perto delle c depois da minha forria tenba parido trez
lindos mulatinhos, e s ament delle be recolonisar.
Para prova de quem be este Portuguez de dois no-
mes, e que cura de Cirurgio sem o ser se verifica da
confissao do mesmissimo punbo delle como ahaixo se
ver que na sua Patria era Theotonio Joze Rodrigues
e no Brasil Joo Al ves da Silva, nome aqu.elle que
fz em hum seu filho mais amado. Mas istose nao
i por ter ebegado de moxila e p no 'bao, inculca
erime, ou couza que o vallia. Tinba-me esquecido
dizer que depois da carta judicial fiz ckair a esse mo
e todos os mais herdeiros, a ver se tinbo que opr, e
endo actuado em audiencia nenbum se opoz de que
se julgou por Sentenra e tirei documento, sendo Pro-
curador de ludo isso o Cidadao o Snr. Felippe Lopes
Neto. Milito ttnha a dizer sobre o carcter deste
Portuguez mais o silencio por hora me convm : e so-
nenie faco este para que o publico fique entendido das
r&tencocs do meu antagonista.
A parda que nao pode ser mais captiva.
uittna Mara.
Snr. Antonio Paulo V'ianna.
Meu amigo a quem muito estimo em companhia
de tudo quanto be diz e respeila para que me deter-
mine como seu criado. Eu de saude fice para em lu-
do mostrar que sou o que cima confeeci &c. Amigo
recebiacarta de Ym. no da 30 do mez de Marco a
3ual muito eslimei por ser serta a sua estada as trras
e Pernambuco, e t:omo de faci contente fico por me
ver aneixo a hum patricio natural da patria de donde
Uve o primeiro ser. Nao dei logo resposla a dila car-
Nft'por falta de portador, e ainda esta escrevo em du-
/rioa. ,ii-
^ Meu amigo eu ainda que tenho sumo dezejo de lur
jpessa. praca para flmt&r hus das de sua rompanhia o
nao pesso fazer, pelo embarace que tenho dos meos*
doentes, que nao sao muilo poucos; por cujo motivo
rogo a Vm., que quando puder, e nao lhe sendo pe-
noso d por c huma chegada afim de serla impreza,
tratando-me Vm. sempre por Joao A Ivs da Silva.
Amigo tsnho escrevido | duas vezes para a Cidado
de Lisboa afim de seren remetidas as carias ao lugar
do Arelho, para serem entregues a minha May, o nci-
las pesso os meus papis para apresentar Cmara K-
cle/.iastica ; porem tenho sido lao infeliz, que em am-
bos os navios em que as lilis cartas litao lorio loma-
dos : como foi o navio Rapa Sola, c a (ialna nova
que fez D. Tliomaz \ por cujo motivo pesso a \ m. que
quando mandar carias suas ou piando for algum na-
vio me mande avi/.o, porque faco gesto que \ m. mas
remeta junio com as suas, ou em algn us ditos na-
vios que forem. Outio favor peso a Vm. pula li-
berdade que tenho de patricio, que he procurar-me
pelos Livreiros quando puder, buns Iivkm de Cirur-n
gia de Antonio Gomes Lourenco ; que he o autor, ou
finalmente ouiro qualquer Livro, que soja de Cirur-
."ia, e comprando-moa \ m. me mandara avi/.o, para
eu os mandar buscar, e juntamente o dinheiro;
Maude-me dizer por (le portador as novidaes que
exislem nessa praca.
Eu como sincero amigo me recomend a Ym. mul-
las saudades, e lhe desejo mil felicidades em compa-
nhia de sua familia a quem muito amo por l' &c.
Advirto-lhe que quando me csrrover me trate na so-
bro escripia por Joao Al ves da Silva.
Muilo seu criado.
Theetonio Joze l'udrigues.
Povoac.ao de N. S. Uo O de
Ipujuca 2 de Maio de 17.99.
^T^* Quem anuneiou querer vender trez mangas
de vidro lizas ; dirija-se a ra do Ara gao 11. 205.
^r^ Quem anuneiou querer vender trez mangas
de vidro lizas ; dirija-se a ra do Rangel D. 3.
it!
fgcafoss fugi&o*.
EtraARRO, 20 annos, alio, magro, cara comprida.
Latera um dos dedos da mo aleijado que nao abre,
nem fe'ixa, e ajunta o joelho quando anda ; fgido no
da 4 do corrente, com calca de estopa, carniza de al-
godozinho j uzada, chapeo de jialha branca e preta,
1 e tem sido encontrado no Rccife, e em Fora de Por-
tas: ra do Crespo sobrado I). G.
^3- Benedito, cabra, 22 anuos, estatura propor-
cionada, rosto seco, sem barba, gago 110 fallar 5 lugi-
do no dia5 do corrente, col carniza, e si rola de a;-
"odo, e chapeo de palha eoberlo de jiano alcalroaiU :
a ruado Fagundes 1). 11.
NOTICIAS MA1UJ1MAS.
' Navios saludos no (lia 10.
^^ARCELONA, pela PARAHIBA-, V>. amb. X.
15S. das Pores, Cap. Joo Duminiel : algodao.
HAMHURC,0; B. Denaroarq. Eleonor bophta,
Cap. J. H. Ginge : assuear, algodao, e xircs. Pas-
saffeiro Joao Frederico Schmidt.
llOFORMOZOt-S. Tetes, M. Joze Joaquini
Baptiata: lastro. Pas>ageiros Antonio V clono, com
sua familia, e Francisca Mara de Jczus, com trez ti-
Ihea de menor idade.
'PJg."":""^F
Psitjr. 3^J T f do D/.jii/o. ly.'j.'i-
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E46OI0NQH_2HMYCD INGEST_TIME 2013-03-27T14:58:47Z PACKAGE AA00011611_02099
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES