Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01989


This item is only available as the following downloads:


Full Text
MH
" ANNODE18.3
twm>
M
EOUNDA FEIRA20 DE MAIO.
7MER0 J
HUlMO OS tWMMJiaOtMk


!*<
I......
...,-ma.W. na Tipo^r I Judo apor.i depende < no ^ os J* P^
Diario, uatoo da Katria de S. AnUmio obrado da porta lar ^ e enerva: confian, nos romo pr..r ,.. e %am
leterH, corre......encas, e anuncios; estes Insirett-se l apealados com admira^, entre as y^."*?^ Bra%a
t te rfo ->o< proPrios ampiantes -rnente e vinrfo Maifnadoc I P,ocl.,ma^o da ^semblen QWdl *o Bratu.
Smpjreft em j&entautfcuco por 3c?e ctoruo ne flbreu.
>^^ggei^'ig^>-^>Cggr3Z5g tai
DAS da SEMANA.
2.'-.S.#flrwi#/t/w-Aud.doO. doCr dem doCh.,do
0.doCi^aoVig.Gldet.P.as5h.el8ni/dam.
3.*-S. Macos-- Bel."", e And. do Ouv. da Com. de%
m., edo Juiz de F. de t. Pr. as 6 h. e 6 min. da m.
4.-S. Sitas-Junta da Faz., e aud. do Juiz dos
I Vitos de ni. Pr. as 6 h. e 54 m. da m.
5/-S. BazUtr*-kw&. do Ouv. do C. de m., do Ch.,
e do ( >:iv. do Civ. de t. Pr. as 7 h. e 42 min. da m.
G.'-S.ylfra- .Ti.* da F., A. do O. da C. do.T. dosF.
d( m., edoJ.de F. det. Pr.asBh. e30m. dam.
-Sah.,J-S. Gmg rto-Rl.'-dem., e Aud. do V. G.d
del. Pr. as 9 h. e 18 min. da m.
Dom -Paschoa do Espirito Santo-Vr. as 10 h. e 6
min. da m.
MINAS GEBAES.
Manifest aos Mineiros.
OS funestos cont montos, que tivero lugar no
Ouro Preto, in noitc de 22 pura 23 do mez de
Vi rreo prximo pastado e aue desbotario em parte a
da hum i Provincia ; distincta entre as mais por
tn tlteravel afierro Constituidlo, e as leis vio ser
fulmente expostos consideracao dos Minearos, e jus-
t fi aro as medidas legaes, que se adoptarem em con-
uieneia dos meamos accontecimentos.
O d 22 do referido mez hara sido de-tinado para,
at tue tinha de eneber o lugar deixado vago na
Gi ara dos Dcputados pelo actual Ex."0 Ministro da
17 inda, e poniendo Presidente doCollegio Eletoral
d > Ouro Preto oelleesteveoecupadooVice-Presidenio
da Provincia at a n >ute. O Presidente tinha do vo-
tar no CoU rte Vlarianna, donde nao pode regres-
sar ao mes qo ti como pretender, nao ten do por
aso pa .'' o Governo. Seriao 8 horas da noute
quan !<> era oenequencia de hum aviso dado por pes-
soa fide liga a conheceo o Vice-Presidente, que se dis-
puni.i a tropa para Imm molim, e entendendo que
era de se i dever reassumir a V ice Presidencia man-
dou im :i diatamente chamar ao Commandanle do Cor-
pa de pr imeira Liuha, c o da Companhia da Guarda
\I tnieipaJ perm.imenle, aos quaes deo as ordena que
lhe pneceo mais acertadas para prevenirqualquer mo-
vi:n;:nto o den si vo a tranquilli lade publica. aPoueos
matulos depois da sabida do Conmandante df Guar-
da Municipal, rom peo a mais furiosa sedico Militar :
pscjBOi Militare.- de que a maior parte se achavo con-
demnados, e alguns por crimes gravissimos (bro sol-
, e e.npenln.los na sedieo com aesperanca no per-
illo das penas ; alguns on aes, que se ac.htvao pre-
sos ejn .-ii t' ca as, e no Quartel sollaro-se a si pro-
paos, e juntos com os oulros officiaes avulsOs, e des-
cont nt< s > a praea-, en que est o Palacio
do G)verii ido anl tocar rebate, alli < vr-
cavo os S( lados* quo acinliao elle, con>trang;ndo
oa meac '- morle, aa 4UC s recusavo reauir-
.. i ^jji 11 11 1 1
se-lhes expulsavo alguns officiaes, que Ihes pareiio
leaes a seus deveres, e no meio de tantas desorden-, e
crimes davo vivas a Constiluico, ao Sur. D. Pedro
2., o que fez avultar o numero dos sediciosos sendo
muitos militares attrahidos por nomes lo respeitado*
pelos Brasileiros.
Todos estes accontecimentos se passaro em pouco
mais de hum quarlo de hora, ten do sido o primeiro,
e principal cuidado dos dcordeiros impedir a entra*
da do Palacio, onde eom tudo nao pudero penetrar,
posto que alli s estiresse postada huma pequea guar-
da, e esta sem muni o. Logo que se sentirn com
bastante torca para conter, e suffocar os Cidados,
que aceudio ao rebate, pa sarao os sediciosos a cla-
mar pela deposio do Ex.m" Presidente da Provincia,
do Vice Presidente, e Consellieiros proprietarios sen
jamis quererem ouvir, e atlender as legitimas Auto-
ridades. Malofraro-se todas as disposicoes emana-
das da Viee-Presidencia, e dando por dimittidos o
Presidente, e Viee-Presidente legilimos acclamaro os
sediciosos em seu lugar Manoel Soares de Couio,
Conselhciro Supplente, com preterico de outros mui
tos mais volados, moradores na Cidade, e suas im-
mediaedes : gritos de morro, prisoes, deporlacoi-s,
dimisses de empregos retumbaro por toda aquella
noute atterrando-i>e com estes horrores da anarchia a
mais desenfreada aos pacficos habitantes da Capital.
No dia seguate fizero saber ao \ice-Presidente,
que nao largavo as armas sem que elle se retirasse pa-
ra (ora da Cidade, ao que o mesmo se vio toreado pit-
ra poupar males maiores, que por ventura se segui-
riao de sua recusa. Sahio por tanto o Viee-Presideti-
le no dia 24 do Ouro Preto eom o Deputado, e Con1
sclhetro Jos Renlo Leite Ferreira de Mello, sendo
accompanhados al Queluz por huma guarda, cuja -
guranca aconselhou, que llalli regressasse. Tal en
a desapprovacao, e horror, com que naquclle Muni-
cipio havia sido recebida a noticia dos accontecimento*
occorridos na Capital.
Dirigase o \ ice-Presidente para o Rio de Janeir *
a tomar parle como Deputado nos trabalhos Legislati-
vos da presente Sesso \ porm achando-se em Barba-
cena, onde se dispunba a continuar na viagem, foi a-
hi conjurado pela Cantara Municipal desta, e outras
\ Has de acord com as Authoridades locaes para as-
stun'rr as redeas do Governo, visto constar por hum
olifcio do Ex.m* Presidente da Provincia, e por infor-
macoes exactas, que o mesmo se declarara coacto,
impedido, tornando-se por eonsequencia acfala, t
sem ebefe logal a mesma Provincia. Nao hesitou O
\ ice-Presideule hum momento em aceder semqihan-
te requisicao para pro ver de pronto remedio as neees-
-dades da Paia. iltanaN |>ar" e- .1 \ illa al
tem iuvestido m exewieio Ja *v iae-Presideneis d<
honlem noute, dando lo', > as < ..nveniento provi-
dencias para abrganisarao interina do lioverno Pro-
vincial. \
j
s
H




c
am
dade d^lfl W(K3.1 era geralmente wntda:
u por la upirteobi e i tealdade
_i ., : laten -
a a scciicao militar do Ouro Prelo, e se baja
prono.-, ia lo da inaneira menos equvoca o patriotismo
em'del la ordem cstabelecida, faltava com tudo o
eenti 1 para onde convergissem as forcas, e don-
de partiste direceo do movimenlo. Este estado de
i Ansas nao poda deixar de prnduzir grandes desor-
den*, enfraquecendo milito, se nao inutilisando os
meios solados da opposico. (h sediciosos posto que
poucos ei i numero nao deixaro de tirar alguma van-
lageifl di il circunstancia, que llies era favoravel. Fe-
liimenl exforcos dos Amigos da Lei,' reunidos em
Ifciv: o agora oppor a mais invrncivel barreira
K09 io li iros ; as forcas unidas sendo sempre mais
fort< ao lambem maiores sacrificios, posto que
o I rio* Mineiros nenhum se poupem para defen-
i ia.
Ten 1 por tanto, honrados Mineiros, o centro
que vos da i Le de 20 de Outubro de 1823 no im-
Jiedimenl iciou pai i.se dirigir a esta \ illa, havende-sc j sub-
nettdo i lo isto a consideraco da "Regencia em No-
!e S. AL I. o Snr. D. Pedro II. para aqu po-
dr- coueorter com a vos^a coadjuvaco fim de man-
ter-se a legalidade, nica taboa de salvaco para nos.
Cumpre que nao prestis ouvidos intrigas bem co-
nlieeidas. com que as grandes crses principalmente
costumo os perversos dividir os espirites para melhor
i w mu seos fins criminosos- Firme em seos ina-
bilavcis [u ncipios o Governo jamis se desusar da
se da, que 'be marco a ConstituioSo, c as Leis, ni-
co garante das Liberdades publicas. A Religio do
Kstado, e inipertubavc adhesffo ao Tbrono Constitu-
cional Snr. D. Pedro II. sero tambem o constante
objeclo do respeito do (ioverno os direitos indivi-
d-iaes nio a flrero a menor mingoa -, a propriedade,
i a vida dos Cidados sero religiosamente resucita-
das. Rriih -vos pois, Mineiros, em torno do vos-
so Leoail \ ice-Presidente elle vai tomar em Conselho
tedas as medidas de seguranca publica, que n estado da
Provincia reclama', cortil ai nelle, e a Patria sera salva.
S. Joo d I'l-Rei 6 de Abril de 1833.Bernardo
Pe eir. le ^ asconcellos.
PROCLAMAf.FS.
Habitantes do Ouro Preto.
Inda he lempo de lavar a nodoa, que em vossa fama
imprimi a sedico de 22 de Marco, inda lie tem-
po de vos mostrar dignos de fazer parte da grande
Familia Mu-ira, que ao ver ultrajada a legalidade,
toda correo s armas para vinga-la. Reatahelecei o le-
gitimo Govci ;io do nosso Presidente o Ex.mo Snr. Ma-
noel Igna: de Mello c Souza, esse Culado probo,
constante d< nsor da Constituiro, e do Tbrono do
Scnlicr D dro Segundo : certo de que o erro be
tri .le partilha da Inunanidade, elle se desvedar em
obter do >\ ru Imperial o perdo daquelle atienta-
do ; asMn ^-lo promette o vosso legitimo Vice-Pre-
sidei u i msyho, eslabelecido na Silla deSo Jro
VE!- Re, in quanto se nao restabelece o socego pu-
blico por vossa inteira submisso s Leis, e as Autbo-
ridad*- legiiimamente constituidas.
Nao sejaet roa a Causa de se derramar o sangue M-
liro i oppresso vos nao permute tomar hum
'; ( vos, nltand i tffc < ni-
|ue toilos voo; coadjuvar nesta Villa
roverno jara fazer tnumpiai a legalidade.
Ouro Freanos dignos qVsfe nomo, se-
templo da naioria dos Lasaos Compro*
08 d<;ve ter convencido; que nenbutna
nei
F
VUUUfc.
\7 U,
erehf se.nao a Sflpa Rehg
outra cousa qiiereW se nao a SRjna Keligiao de nosso
Pais, a Constiluico do Imperio, o Tbrono do Snr.
]) Pedro Segundo, e as Authoridades legalmente
Constituidas : sua conducta heroica, tem demonstrado
que ja se nao deixlo Iludir da vil intriga forjada nos
autos da perversidade, de que se pretender alterar a
forma do Governo : essa pecha de Republicanismo ta-
tas vezes repetida para destruir o conceilo dos mais.
denodados deffensores da nossa Constiluico, ja nao
Eode passar se nao como hum astucioso e ridiculo ra-
oste de meia duzia de sediciosos inimigos das nossas
Liberdades, que sobre as ruinas da Patria lento le-
vantar seo eolio fratrecida : mas a causa desta abraca-
da por todos os Comprovincianos ja nao be duvidosa :
a Patria vai salva, e a Libcrdade della que maos sa-
crilegas procuro fe ir de morte inevitavel, ja hwn
perecer tendo seu lado uto corajosos deflenspres
medilai Ouro Prctanos, e escolhei, ou emendar o er-
ro em que Iludidos haveis cabido, ou atlrabir pira
sempre sobre vos indelevel manclia moslrando-vos obs-
tinados no crime.
Viva a nossa Santa ReligAo. Viva a Consti-
tuiro do Imperio. / 'iva <> Sr. D. Pedio 2. Im-
perador Constitucional. f iva a 1 ssembha doral
Legislativa. Viva a Regencia Permanente.
Viva o legitimo Presidente o xm. Sr. Mello e Sz.*
Viva"o os briosos Mineiios. Vwao os honrados
Ouro Prtanos, que abracaiem a Cauza da Patria.'
Bernardo Pereira de \ asconcellos
Aos Canipanhcnscs
Habitantes (leste Municipio. A feliz Provincia
do Minas at agora a morada da Lei, e da Or-
dem acaba de ser manchada por hum attentado horro-
rozo ; huma filial da Sociedade Conservadora se acba
pouco instalada em sua Capital, he a ella, que pa-
reee-uos dever o acontccimcnlo imprevisto, que v.n
ferir o coraco dos Mineiros. Em a noute do dia 22
de Mareo do crrente anno hum punbado de faccio-
sos conseguio perturbar a Ordem Publica, e a marcha
legal d'Adminislraco da Provincia. O nosso honra-
do Presidente se vio obrigado a retirar-se Cidade de
Marianna, onde tem eslabele i he mesnio de ordem sua, (rae nos tem sido eommuni-
cados estes tristes acontecimentos, elle eonta com a
coadjuvaco dos Patriotas Mineiros, e esta de certo o
nao deM mpar. Campanhenses, crios em vossos sen-
limentos nos lli'os patentcamos, protestando, se pre-
ciso fr, morrer antes, que obedecer a hum governo
intruzo. Concidados, nossa dignidade se acba offeii-
dida : boniens livres nao obedecem se nao Lei, essr|
ensaio dos prfidos caro Ibes cuslar, esse partido iir-
fame suecumbir por huma vez, e nos compraremos
eusta de gloriosas ldigas a paz, a seguranca, e a ver-
dadeira Libcrdade, que consiste em obedecer ')
Lei, e s Authoridades legitimas, e sem a qual nao
podemos nunca ser felizes. Coniai pois as Autho-
ridades legaes, coadjuvai-as, a tranquillidade nao se-
r perturbada, e ainda quando entre n(')s houvessem
faciosos^o que nao acreditamos) *umir-se-hio, redu-
zir-se-hno ao nada, vendo vssa unio, e firmeza.
Viva a nossa Santa Religio. Viva a Constiluico.
Viva o Imperador o Sr. D. Pedro II. Viva a As-
I sembla Geral Legislativa. \ iva a Regencia Perma-
nente.Viva o nosso Presidente o Snr. JYL'1 Ign.co de
Mello e Souza. Viva o brioso Povo Campanhens;.
I Ignacio (tomes MidoesManoel Luis de Souza--
Joaffuim Ignacio Villas-Roas da OanuSalvador
Machado d'O ivirBernardo Jacintho da \ei-
\gaIon \ cente \ a liad So D&&gO Ferrea
Lopes. (Diario de Anuncios dogo de Abril.)
V

Lk
!
1
fs.




" V
tsdqb nferessarfe.
(443)
intnrssai
diciozos do Ouro Prcto atroavao o
i com as violencias, e arbitrarieda-
des, com q '^uravo apadrinhar sea crime, ti-
lado de apontar como' o mais nota-
) iributo posto na cachaca, o que fez
tiucT a Mcaiviva tudo isto, que he a mes-
nu cachacaas que accrescentou hum malo do lado
Fora bebados !
32>^(iSi*-
(Do
mesmo
>)
NOTICIAS DO INTERIOR.
vrtigo de urna caita de pessoa fidedigna, escrita
d'Alagan dos Gatos em 12 de Maio.
PAmiuss nossas, tem balido pequeos grupos de
calwmos, e empre morrem d'elles dois, e trez,
nlo se allrevendo ao menos darem um tiro sobre os
nossix. e (feix indo-nos sempre o Irem que tem com si-
g. c--
Ffi exptoraces d estes dias tem morrido d'olles aos
doi Esli jiiuzi debandadns.
Outra esa ipta a 13 de Panellas diz oseguintc
Q caballos se (em aprezentado em numero de 40, e
estio na Sen de S. Joo. Os que ultimrmenle se
tem viudo apreaentar dizem que lora prezo Manocl
Coleile, que o Juiz de Paz de Ouipap futir, e que
se nao sibe do Barrinhos. Na descoberla que se fez
morrerb3eah ios ; elles j i nao resistem, assim que
reem algtima partida nossa poem-se em fuga.
%%v^%%*%*%
ANUNCIO.
o
_L
Juiz de Paz Supplento da Freguc/ia de S. Fr.
Iro (roncalves do Recife faz sciente aos mora-
dores das ras da Senzalla vclha, e Nova, e ra da
Guia, que nao tendo no da Sexta feira 17 do corren-
mi nido o Gonselho de qualificaco por ter a do-
e< ido dois de aeus memhros, fu transferido dita reu-
lao wra o da :'.l as oras anunciadas pelo Diario.
Ignacio da Costa Monteiro.
S\i. do Ass prximamente dictado, e por prec<>
oniiiiodo ; .bordo do Brigue Escuna Conceico
Flor do \ i.i. al/, ou na ra da Cadeia do Recife loia
n.M7.
Continua a vender-se o Folheto intitulo D.
Miti! FX Ia EM BRACA a 120 reis na lujado
ira ra do Cabuga, no Botequim do'Snr.
lo Rozurio e no do Sur. Albupuerque,
ra do Collegio.
I x eos muito cantadores com stias ga ollas :
da S. Crin Botica de Joze Mara Freir Ga-
l m negro de Angola, de 32 annos, que en-
teode ao sci vico de enxada e proprio para outro qual-
qner: em Fora de Portas n. 94, que lase dir quem
?ende.
,>s- 3 pretos, um da costa, 34 annos, corj officio
le carniceiro, e bom cosinheiro, outro enlo, da
incsma idade. mestre de jangada de pescara do alto,
e outro de Angola, 22 annos, canoeiro, pescador do
lio iro : na ra de S. Rita nova D. 22.
\T*" Um negro crilo de 22 annos, cozinha, e
.ompra : a ra das Flores D. 8. '
100 macos de liuhas de Uoris surtidas: na ruado
Cabuft J). 5.
%3r" Urna venda cita na Riheir do peixe, com
pouros gemios na ra dRozario em asa de A nlo- :j
nio Joze Mcnde>i
^ry- Muito boa lwiha lascada da Apipucos a qkiem
no pateo
nicirn.
fi
se queira ajustar por Freguezia:. na ra do Cabug
D. 6.
t^* Urna venda as 5 Pontas com poucos fundos:
no pateo de N. S. do Terco D. 5.
%^" Um canap, 6 cadeiras, e 1 banca ludo de
Jacaranda ; 1 commoda, e 6 quadros, por preco c-
modo : na ra Direita n. 34, 2." andar.
^?" Um negro de Angola, muito possante, e pro-
prio para qualquer servico de pezo: na ra do Ro-
zario larga D. 4.
Cctopraa
UM Diccionario Latim de Magnum Lexicn, um
Cornelio Nepote, um Phedro : na ra do Roza-
rio estreita D. 32, ou anuncie.
fc^" Um pianito bom e por preco cmodo, a praza
de oilo mezes : anuncie.
$3* Urna concille de S. Benlo : anuncie.
^Tv?* O Trem Militar compra sola ; quem a tiver
e quizer vender, dirija-se a Salla da Inspeco para
tratar de seo ajuste, e se comprar a quem por mem
vender.
^3* Urna cscrava de 15 a 16 annos, nao sendo
ladra nem bebada, e que saiba vender; pelo preco de
220$ reis em boa moeda: anuncie.
^^" Um burro dos maiores que liouver, send
novo : na ra da Conceico no Recife loja n. 19.
f%*V%l%V
ALi.uc.A-se um sobrado de um andar, soto lavado,
quintal, e cacimba, no principio da ra do Pa-
dre I' loriano : na ilharga da Igreja do Livramenlo,
por cima da Botica D. 21.
^C^=" Urna canoa de carreira nova capaz para fazc r
viagem em toda mar, acha-se preza no moiro do
porto das canoas c tem urna pequea moeda de cobre
pregada na proa : na ra do Cabug D. 6, ou ne
fim da ra da Cadeia D. 63.
*%*
/I
flnrenftamettto*.
RnKNnA-se um sitio na estrada de S. Joze do Mai
guinho defronte do beco da Capunga com boa ca-
za, e arvores de frutas: fallar com D. Marianr
Thereza de Jczus Siqueira.
^3 Um slio com casa de vivenda, e arvores c!<*
frutas, na estrada de Belem : na ra do Rozario e
treita D. 32.
>"t .. .^~. ""
yerbas.
PEnnEu-se no dia 15 do correntc um caxorro c
cassa, grande, orelbas compridas, cor castanl
com mallias brancas, e pretos, levou urna colleir a c ta
couro com urna fivella, e argolla de metal branco, i
tarde do mesmo dia foi visto na Boa-vista ; quem o >
char o levar a ra da Cadeia n. 57 onde mora se i
dono, que ser recompencado.
^J6* Perdeo-se urna carta com o nome de Antn \
Mara da Conceico Ramos, da porta do Juiz de Ph
do Bairro de S. Antonio at a esquina da ra do C
Ibug, e da Botica da ra Nova al o arco de S^Ant
nio; quem a tiver achado pode entregar na ra c
Livramento venda da esquina do beso do Padre.
QUfm perdi una culher de prata ; procure t-
atierro da Boa-'-isl- defronte do beco do Martii
loja de funileiroi que d^ndo os signaes certos lbe ser*,
entregue. f
A V. ________


m


r
.
(4*4)
Qhf&p&ttkxilm*.
Otbabto signado Cirurgio pal da Cidade do Recife confirmad Prtvi-
mentS Regio e Imperial: acaba de ser :>ado de
seo di'o e: ipJKgo, por determinaflo da C........ em
cooseci 'enca de haver o Exm. Prezidente em Conse-
Iho mni determinado arbitrariamente como se v dos
Diarios do Govcrno n. 8 e n. 13 instigando com a
Cantara para assim obrar, esta fez dirigir ao anunci-
ante o officio seguinte.
o De ordem da Cmara Municipal desta Cidade co-
muni o a V. queja nao lie mais Cirurgio do seu
, o, para curar os pobres necessitados da Ca-
,(, c Municipio ; visto ^ue estes devem agora ser
i >s no hospital de Caridade criado pelo Dccre-
13 de Outubro de 1831. A Cmara manda
i a V. o zcllo com que sempre se prestou no
penho de seus deveres, e afirmar-lhe que 5
orespeito a Lei a Caria tomar semilhante rezoluco
(l .s Guarde a V. Recife 14 de Maio de 1833.
a Illu^' issimo Snr. Vicente Ferrcira dos (uimarai s
PeixotoJoze Tavares Gomes da Foneeca Secreta-
< fio. N. B. este officio foi recebido na larde do
da 15 oulro igual se dirigi ao Medico do mesmo
Partid-
O a orno o anunciante seja confirmado no seu dilo
em prego criado este por ordem Regia de 28 de Outu-
bro de )803 e nao houvesso lei ou outra ordem Im-
perial vamente recommendado no art. 19 da lei do l.de
Outubro de 1828 que nem o art. /O da mesma le o
destrae, e nem obsta o anunciante a continuaco do
sea encargo estando no gozo dos seus dreitos polticos
em toda sua plenitude, mxime nao tendo o anuncian-
te (Lulo motivos no longo exercicio de 10 annos romo
se ve do supracitado Officio-, Jnlga o anunciante ter
,-iido iliegal esse esbulho e nada menos que huma ar-
bitrar dade e excessos de poderes, condenado nos ar-
ligos 142 c 143 do Cdigo Criminal do Imperio, e
em quanto huma Lei nao legalizar (se he possivel) laes
procedi lentos atacantes ao dreito de propriedade do
anuiK i ate, este se considera Cirurgio ds Municipio
da Cid ledo Recife porque a Le e S. M. I. assim o
eham e como tal o anunciante convida as pessoas ou
iimi1 pobres emfermas, que nao tverem meios de
pagar a quem Ihes curem, ou receilem, e quizorem-
te dii-igir a casa do anunciante para se receitarem, ou
assi-i .as suas doencas, conforme a urgencia dellas,
podem procurar ao anunciante desde as fi horas
ateas 9 da manh diariamente qne serio prvidos co-
mo sempre.
/'icmtr Ferreia dos Guimamers Veixot,
Cii" :,i -o da Cmara Municipal da Cidade do Recife.
9 Carlos \ an Nes, tendo chegado ao eonheci-
Birnto de que h multas pessoas, que se nao applieo
ao- < >!u los das lingoas, Irunceza e Ingleza, por na
j>od"V"-.i pagar o preeo mencal, que o dito ha va es-
tipui. i, las sciente, que tendo o numero dr vinte
de trez m res mencaes (adiantados) igualmente o
ipesmo para a lingoa Ingleza : os Son. que se quise-
MVD explicar, podem dirigir-se a casa da sua rezidcn-
v ;unda propriedade passando a Cadeia, no pri-
mert ndar.
Alluga-se urna pasta cativa, pie tenha hom
leile ira criar urna crianza; quem a ti ver <1-
* i ra dos Quarteip atraz daJatriz varado
If I, ormeiro andar.
O Snr. que no ani #. p. irquento.i a awla
de < leometria no Seminario d'Oindal e que pedio a
m dttseus companheirojura livro denaivlca cmpiv-
Jf l
io-uslbej
/
tado, e tendo-se-Ih j porimiidpvezr* pedir!
le o nao tem queran entregar, qurin
. j lh< pede por obzequio) guando nao declar
o sea nomc
, y Quem anunciou querer arrendar um i (o,
o qual tobem se vende, e perto da Praca com !> a
casa de vvenda, e rio dentro do mesmo sitio; diri
se ao muro da ra da Penha D. 6, das 6 toras da
manha at as 8, e das 3 da tarde as 4.
$r^* Antonio Joaquim Venancio, relira-se desta
Provincia.
^^ Quem anunciou querer 100$ a premio de
2 por cento ao mez, por tempo de S mezes, dam
penhores de ourodeki; dirija-se a ra da Cad<
velha n. 8, 1. andar.
$-^* A pessoa que lver comprado urna atofca
quena de pedras brancas enfiada em 5 rota a-
zcs encarnados ; roga-se queira trazel-a na ra
la sobrado I). 9, que se pagara o que por i r
dado, poisadita ataca foi perdida, e jsean
neste mesmo Diario.
^y j\ i nguem receba urna ordem, da i i
4$010, passada por Joo Joze de Carralho
contra o Snr. Domingos Joze P. reir Bastos, p<
se ter perdido no da 15 de Maio, e o me-r
Bastos, j esta prevalido, para nao pagar an
/%%%%%**
lixo,
>, p
p do
PA.i.0, nacSo Angola, baixo, pernas alguis tantt
arquiadas, rosto
magro.
pQuca barba,
nba en um dos dedos grande do p*, fgido da N ila
de S. Anto em das de Abril prximo passado, e le-
vou carniza de xila azul : mesma \ da, ou i 'a
Direita D. 48, (pie ser recompensado.:'> n do
nacao Mocambique, baxo, egrosso, beicos gras>os,
urna orclha furada, varias marcas de logo no 11 10,
hem disposto, ha noticia de que anda de ganbo :
ra do Cnhug D. 6, onde sera hem gratificado.
NOTICIAS MARTIMAS.
N'ivios entrarlos nodia 18.
MMUNHO; 59 das B.Fenis, Cap. Mai
Luis da Costa : larinha, e arroz : a Theotoniu
Joze Rotelho.
RIO ok JANEIRO i 27 dias ; E. Bella Jmaad*,
Ckp. Joze Soarcs de Pava : farnha : Joaquim lap-
liria Moreira;
Pa 19.
LISBOA ; 42 das ; B. Boa Furtuna Cap, fc a
thias le Almcida : sal, e mais gneros. Passageiro
Joze Baptista Gomes.
UNA; 24 horas; S. Santo Antonio Triunfa
M. Joo A o
geiros 6.
Sahidos no da 18.
CAPITANA no ESPIRITO SANTO pki.os POR-
TOS no SUL; S. S. Anua, M. Francisco de
Souza llangel : carne. Pa.vsageiro Luis Joze de S
na. 1
BARCELONA ; B. Hcspanhol Frasquito, Cap.
Antonio Parts: algodo e assucar.
NEW-YORK; R. Americano Athalia, Cap, Ri-
chard Weld : assucar, e couros.
MONTFMDEO; E. Ilespanhol Cern, <^>.
Cbrtovio Cornelio : assucar, e agurdenle.
Dia 19.
MO mi JANEIRO; B. Sardo Constante, Cap.
AntoiiK pello: varios genero*.
ll/M". #4 Ti P )
Jl-L L I I ML-LJ a
i Mi io. Y.y
i.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMKFLVZ1J_J1FZHU INGEST_TIME 2013-03-27T17:13:26Z PACKAGE AA00011611_01989
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES