Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01947


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMSO f mi. SABBADO 3* UE MA0 .VUMERO t.

iS9fer,
Su^crr-e^p enslmente a 'ilO rs., adiantados, na Tipografa do Diario, pateo da Matriz de jS A atavio sobrada da porta larga
onde se rene.ie.iij c jfriipa:id.iiia. muncios; estes insirem-se gratis, sendo ios proprioaassi^aantessoaiente e vindc assifcnada
;i.-r-;'.
Safchrfo-S PsUc.vpTlfMjXo de m c and do Vig Ge-ral de t
reamar as 7 horas e. 42 m da ra
Domingo S Fabio- rreamar as 3 h 18 m dat
Tudo arora dependa de nos meamos, a nosss prudencia, mo
deracao, c energa; continuemos carao principiamos e sereuoe s-
pontados comadmiracao entre as Nacoes mais cultas.
Proclamaqo da tiemble* Ge ti do Brtiti
Impreco em ^etraitrinico por 3o^e -*&&&&#&*-
EDITA L.
Mantel Zeferino dos Santos, CavaHeiro
da Ordem de Chrrsto, e Pr< stdente da
Provincia de Pernambuco peh Regen-
cia, em Nome do Invertidor o Senhor
Dom Pedro 2. que Dos Guarde 8fc.
c
Onstando me, que os Guardas Naci-
onaes Empreados das diversas Estac,oes,
que a requer ment dos Che fes dellas tem
sido dispensados do servio ordinario da
guarnicao, se reputao dispensos de todo o
outro servido. Faco saber, que taes dis-
pensas nem os eximem de tardar se, nem
de comparecer ao* toques de chamada, nem
das revistas geraes; e para que nao tenhao
de cahir em falta por motivo dessa m in-
telligeticia o mando fazer publico pelo pre-
sente, que ser publicado pela Imprensa, e
affixado nos lugares do estilo. Palacio do
Governo de Pernambuco 18 de Marco de
1833.
Manoel Zefermo dos Santos.
CMARA MUNICIPAL.
Acta da 1. Sessao de 7 de Janeiro de
1833.
Presidencia do Snr. Mello
c
'Omparecerao os Senhoses Ludgro,
Oliveira, Esteves, Catao, Carneiro, Nunes
de Oliveira, e Mello.
O Secretario fez a Ieitura do expediente:
hum officio do Juiz de Paz da Freguezia
ila Boa-vista Manoel de Carvalho Paes de
Andrade disendo que por motivo (le moles-
tia nao podia j entrar no exercicio do dito
Cargo, o que faria noespaco de dous me
zes: a Cmara resol veo, que se officiasse
dizendo lhe, que nao podia ser admetida a
escuda, e que comparecesse na primeira
reunio de 10 do corrente para o juramen-
to e posse do dito cargo.
Outro do Juiz de Paz Supplenteda mes-
ma Freguezia Manoel do Nascimento da
Costa Monteiro, pedindo escusa do dito
etnprego por motivo de molestia como fa-
zia ver pelo atestado do facultativo: a C-
mara resolveo que se lhe officiasse dizendo-
lhe que no eslava em termos de ser escu-
so e que comparecesse na primeira reunio
de 10 do corrente para o juramento e pos*
se do dito Cargo
Outro do Juiz de Paz Supplente desta
Freguezia Francisco Antonio Pereira dos
Santos partecipando, que a prxima mu-
danza de residencia para o termo de Goia-
na o inhabilitava ocupar o dito emprego:
a Cmara resolveo, que se respofidesse di-
zendc-lhe que nao hera atendivel por nao
vir legalisado o motivo da sua escusa.
Outro do Juiz de Paz Supplente da Fre-
guezia de Jaboato Ignacio de Barros Bar-
reto partecipando, que nao podia compa-
recer por cauza de molestia como fazia ver
pelo atestado do Doutor em Medicina Be
nit: a Cmara resolveo que se lhe omcias-
se dizendo-lhe, que apresentasse o docu-
mento legalisado.
Outro do Veriador Bento Joze da Costa
Jnior pedindo escusa do dito Cargo por
cauza de molestia, e que a Lei o dispensa*
va pois que tinha servido quasi toda a Le-
gislatura passada : a Cmara resolveo; que
se lhe respondesse, que nao eslava no caso
da Li para ser encino, e que na primeira
reunio comparecesse para o juramento e
posse do dito Cargo no dia 10 do corrente.



(270)
\
Comparecer os Juzes de Paz, e Sup-
plentes, da Freguezia de Santo Antonio
Juao Arcenio Bar boza, e Joze Ignacio da
amara da Freguezia de S. Fr. Pedro
iiracal ves e o Supplente da mesma Igna-
cio da Costa Monteiro, Roque Antones
i orreia da Freguezia da Varzea, e Joa-
n Canuto de Figueredo Supplente da
na, Joze Lourenco Xavier Quinteiro
Capella filial do Lonreto, e o Heveren-
Joze das Candelas e Mello Supplente
mesma, Joo Coelho da Silva da Fre-
guezia de Jaboato, Joze Rodrigues deO-
ra Lima da Capella filial da Boa-via
i, e Antonio Ta vares de Mello Supplen-
te da mesma, Agostinho Bezerra da Silva
da Freguezia de Muribeca, Luiz Antonio
Alves Mascarenhas da Freguezia do Po-
la Panella, Francisco Uarle Coelho
pente da mesma, Joaquim Florencio
Fonceca e Silva Supplente da Capella
1 dos Affogados os qoaes prestaran o ju-
ra; lento e posse do estillo.
Foi eni{ossado na Vara de Juiz de Fo-
oela Le o Venador Antonio Joaquim
e Mello o (pial presto o juramento do es-
la.
<\>i reeleito na Provedoria da Saude pe-
la maioria de 5 votos o Vereador Francis-
i Ludgro da Paz.
O Presidente fez a segunte proposta
Pi >ponho, que se nomeie huma Commisso
a no termo de 3 dias approntar as con
I da Cmara, que deveni hir ao Conse-
Iho de Provincia. Recife sete de Ja-
e:ro de 1833 Mello e poudo-se a
acao Ibi approvada menos quanto ao
prn zo.
Foro nomeados para Membros da dita
Commisso os Senhores Oliveira, Nuues d'
Oliveira, e Esleves.
Declaro que precedeo reeleico do Sur.
Ludgro em Provedor da Saude, huma
Proposta d Senhor Oliveira se havia inc-
patibilidade em acumular-se no mesmo Ve-
nador os Cargos de Juiz de Fora, e Pro-
vedor da Saude: e foi revolvido nao haver
incompatibilidade. E por ser dada a hora
levantou o Senhor Presidente a Sessao, e
para constar mandaro faser esta acta em
que assignrao. Eu Francisco Antonio de
Carvalho Secretario Interino a escrevi.
Mello P., Ludgro, Mello, Nunes de Oli-
veira, Clao,. Estevcs, Oliveira, Carneiro.
>t
A
_Ttacado justa, ou justamente ( nao
nos compete julgal-o) o Redactor do Ca-
ra puceiro, em correspondencias insertas em
suplementos nossa folha, e em avuisas,
volve contra nos sen odio, e nos chama "
vehculo de ideas colunaticas,, e para ridi-
cularisar-nos Diario d'alhos, e cebollas,
de manteiga, Diario de secos, e molhados,,
como si ridiculo fosse, e vergonhoso diri-
gir urna folha em parte didicada avizos
uteis ao commercio, e populaco em geral.
E pode o Redactor doCarapuceiro mostrar
em nossojornal artigo nosso, que livre nao
seja, e tenha otro tim, que nao seja a li-
brdade, e bem estar de nossa Patria, ou
defeza nossa? E tem elle razan para nos
laucar baldoes, para nos tentar ridiculari-
sar? Queixa-se de que em resposta s su-
as opinioes e critica desfnreada o insultem,
e tal para cora i*Q8CQ se, porta ; por que
entregamos ao prelo correspondencias, que
o nao abonao. Nao queremos attribuir es-
tes apodos ao motivo de semina moderado,
contra os quacs lo despiedoso se declara,
diferente nisto de no*, que com.baten.do i-
deas exaltarlas respei tamos seus sectarios.
O que de nos exige o Redactor do Cara-
puceiro? Diga-o, que justo, e honesto sen-
do, de jfoai grado O fa remos. Temos em
algum artigo atacado su pessoa ? Temos
por ventura nos negado insecap de al-
gum artigo seu ? Nada disto. JFazemos a-
inda mais; recusar nos-hemos publicado
de correspondencias, que cstomagul-o pos-
sao, si nos promette livrar da censura,
em q' por tal parcialidade incnrreremos, s-
seffurar o crdito de nossa folha, e Tipo-
grafa, indemnisar das pcrdas, que sofrea
nossa oficina, si finalmente nos indicar o
censor, que jutgue das correspondencias a
seu respeito/quaes devem, quaes nao de-
vem ser impressas. Mas si o nao pode fa-
ser, deixe, que imprimamos os artigos, que
nos remeterem, guardado, como temos, -o
decoro de nossa folha, que nunca he_man-
chada, com pessoalidades odiosas, e nao nos
obrigue a tomar desformo dos ataques, que
nos faz. Somos-llie obrigados, respeta-
mos sua pessoa ; mas nao nos jolgamos
com dever de suportar seus ppodos, e bal-
does. Defenda-se dos que o atacfio, e dei-
xe-nos.........
r9C .
m+*


II II
727TT
I
s.
THEATRO.
Domingo 24 do correte.
reprezentar a Peca Moyzes no
Egipto pu a Passagem do Mar Verme!lio.
lia vendo passadoda Mezopqtamiaao Egip-
to os 12 filhos de Jacob, durante a Inten-
dencia de seu filho Joze foro estes muito
estimados de luun Phara que entao reina-
va : elles se estabelecerao com suas Mulhe-
res, filhos, e rebanhos: com o andar dos
lempos foro multiplicando de talsorte que
os descendentes de Phara os julgarao per-
niciozos ao Egipto. Para evitar huma tal
inultiplicidade, o Rei mandou que as Par-
teiras do Egipto afogacem nascenca os
meninos Israelitas: huma destas Parteiras
salvou a vida a Moyzes contra as orderis
de Phara: pois captiva da formozura do
menino o encerrou era hiun cesto de jun-
cos e o laneou a borda do Nilo, mandan-
do irma de Mozzes que observasse o
destino da infeliz cranla. A flha de Pha-
rao indo ao ba.nho vio aquelle cest'mho, e
entrando na curiozidade propria de todas
as do seu sexo descobrio o menino, e en-
cantada da sua gentileza o pedio a Phara,
o fez criar, e Ihe pos o# nome de Moy-
zes Liyre dasagoas este grande hornera
educado no Palacio de Phara toi o instru-
mento de (jue Dos se servio para tirar o
seu povo do Egipto, para o elevar trra
de prora cao. Os Egipcios haviao opri-
mido os Israelitas a ponto de terem s duas
horas de descaneo entre (fia e noile, as
granates fabricas de ladrilho para a con!-
trumao das grandes Pira raides que assom-
bravo o Mundo: os Israelitas oppressos
com tal cruetdade clama rao ao Senhor, eo
Similor envin a Moyzes prezenca de
Phara, (jue pertinaz e teimozo nao con-
(gento a saludado Egipto ao Povo de Israel:
ento Moyzes o ferio com as doze praga-,
e rezoluto mandou ao seu povo que sele-
brasse a Paseoa, e saissem prorapta mente,
levando com sigo os vazos preciosos dos
Egipcios como ein paga de suas fadigas:
iiavio chegado s margeos do Mar Ver-
meli no lugar chamado PittaHirot. from
teiro a Baal Zefont, quando os Egipcios
derao pela falta das suas preciozidades; a
jiuilao se, e hiuclo frente o proprio
Phara jumo despedazar os Israelitas e se-
pulla-Ios as ondas: vendo Moyzes o pe-
rigo do seu povo levanta os olhos ao Ceo,
e tocando com a sua Vara as agoas do
Mar, este se dividi em duas grandes Mon-
tanhas, dando franca passagem aos filhos
de Israel; Phara chega, ve aquelle pro-
digio, e julgando ser cormum a arafepgjos
exercitos afoito se mete ao Mar com todos
os seus, de repente Moyzes levanta a Va-
ra, o Mar se une ficando submercos todos
os Egipcios.
No dia Segunda feira por ser de grande
gala, estar o Theatro todo armado,, M.u-
zica na porta, Illuminacao; llavera Him-
no, e Drama Constitucional para o qual
o Emprezario convida a S. Exea., o Snr.
Prezidente, Commaodante da Praca, to-
das as Authoridades, Orficialidade, e Aca-
demia de Olinda: sendo o comeco do Ex-
pectculo anunciado por fogo do ar.
ANUNCIOS.
H,
Oje sahiu o N. 45 do Carapuceiro
combatendo o vicio da murmurac,ao.
Vce Consulado de Portugal
JL jLOje Sabbado 23 do correte conti-
nua a arrematacao dos trastes da loja da,
ra do Rozario, as 10 horas da manhao.
flbttftf do correto.
O Brigue Escuna Vmgador de qur
apitao Manoel Ferreira Nunes parte
deste Porto para o da Baha no dia 26 do
crtente.
labios a carga.
Para Angola com, escalla pelo Rio de Ja-
neiro.
ffijP O Brigue Portuguez Oriente Afn*
cah cornos raelhores com modos possivel
e muito velleiro, segu viagem at o dia
10 de Abril: e se o offereceaos Illustrissi-
mos Srrs. Deputados para hirem de passa-
gem asseveraudo-lhe que alem dos bons
ebramods serao bem tratados; os perten-
dntes dirijao-se a ra de N. S. do Terco
na casa D. 6,ou 8, queacharo com quera
tratar.
E.
eefflrag.
IM partida maior, oti menor, muito
hora railho, em sacas de 2\ alqueires da
Babia : no armazez de Gonc,allo Joze da


(27)
Ci* a e S, ou na ra do Trapee n. 3.
5* O Iliate Conceicjo 'Brazileira, no-
vo da primeira viagem; fallar com o
Metre a seo bordo, est ancorado defron-
& (io portao do Trem.
&3- Um sortimento de livros Francezes
de Medicina Cirurgia e Anatoma: na ra
Diivita 49 primeiro andar.
3" 2 colxas de damasco encarnado,
fO\ pouco uzo: na ra da Cadeia vellia
n. 6.
3* As encarciaa, estis e mais cabos
para o apa reino de Brigue, ou Galera ten-
do le tizo so meia viagem de Liverpool ao
A n. cal aonde o Brigue a que dito apare-
Mo pertencia se perdeo: na ra da Cruz
n. >8.
3" Clief-d'ocuvre Dramatique de Vol-
taire em nove volumes, por preco commo-
ein Oiinda ra do Cxo n. 8.
IT
J M Diccionario de Italiano para o
Po tugoez ou do Italiano para o Latim, e
avdadeFr. Bartholomeo dos Martvres;
am ncie.
t3* Pezos Hespauhoe?; anuncie.
3b?o0 particulares
O Oao Ferreira da Fonceca aviza aores-
tpi avel publico que no dia 20 de Marco
do torrente anuo vindo em urna canoa em-
barcado da caza Forte para o Recife tra-
zia urna carteira dentro da algibeira a qual
llie cabira dentro d'agoa, cuja carteira ti-
lilin dentro duas letras, urna passada por
0*0 dias a vencer-se no ultimo do prezente
mez de Joze Francisco Ferreira Feio da
quantia de Rs. 53$ 160, e outra dita pas-
sada por 6 mezes avencer-se no ultimo de
Jullio prximo futuro do corrente anuo
por Felippe Joze Santiago da quantia de
Rs. 68#240 de cujas os passadores j es-
toscientes nao pagarem seno a elle Fon-
ceca, e toda e qualquer pessoa que adiar a
poder entregar ao dito Fonceca que re-
compensar generozamente, na ra Nova
D. 36.
(f3* Henry Cbristopliers, relira-se desta
Provincia.
3* Domingo 24 do corrente lia sesso '
extraordinaria da Soeciedadc, Defensora
do Trono, e do Altar, e dos inauferiveis
Direitos do Rey ebegou, no Trapiche da
Companliia as oras do costme. Boga se
a todos os Socios compareci sem falta pa-
ra se tratar dos meios que devem ser em-
pregados para acudir aos apertos em que
se ve El-Rey nosso Senbor, por alta de
dinheiro, e de fardamento para a i ropa, pe-
lo geral descontenta ment que se observa
no povo, a quem j van illudem as patra-
nhas da gazeta de Lisboa, e finalmente
pela pertinacia do exercito mal hado, que
em ez de se sugtitar ao Paternal govertid
do melbor dos Soberanos, ameaca aniqui-
lar e lancar por trra tste inesmo governo
que muito nos couveiu sustentar .
Hum dos Slcos.
3" Preciza-se allugar um amhr de um
sobrado no Bairro de S. Antonio, ou Boa-
vista para un liomem solteiro, e que seo
preco nao exceda de 8$ reis por mez, pa-
ga-se todos os mezes : no botequim da
Boa-vista se dir quem quer.
F,
Crabos fugro^
Ranisco, nacao Mozambique alto,
grosso do corpo, alejado da mao direita,
falla um tanto gago; fgido a 5 do corren-
te: ra Direita sobrado D. 21.
noticias martimas.
Navios entrados no dia 22.
CEARA'; 20 dias; B. Irmao segn*
do, Cap. Lbano Joaquim Pereira da
Silva: conduz o General Labatut com 18
Officiaes e 114 pracas.
SANTOS; 25 dias; B. Dots migo*.
Cap. Leandro Joze de Souza : varios g-
neros: Silva & Comp. Passageiros 7.
RIO FORMOZO; 18 horas; S. 8.
entorno Ltgeiro, M. Antonio Ferreira:
assucar. Passageiro I.
Sabidos ns> mesmo da.
TRIESTRE:G.Denamr. Freija, Cap.
C. Bartelson: assucar.
LONDRES; B. Ing. Favorita, Cap.
John Cbristie: assucar.
UNA: S. Restauragao, M. Antonio
Joze: lastro. Pas&ageiro I.
7
PfRNAMfiU09 j HA Ttff. PoDlAftlO PATEO DA &ATAII B S. AlfTOfllO CAZA OA l'OftT A LAR<3 A 18J&
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EY2WOK9UN_CTXOV1 INGEST_TIME 2013-03-27T15:04:44Z PACKAGE AA00011611_01947
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES