Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01747


This item is only available as the following downloads:


Full Text
III I lili
***"
.....-- '
f
ANjo DE IS02. QUINTA FIRA 4- DE OTUBRO NUMERO tSd
frMPa^jwwyByww^wpBw^^g.
8ttb(BpreTese mnsiinente a .8*0 rs., ajUantados, na Tipografa do .Diario, jcua do Sol. D. 1; onde,se recebis orrcppoiwieiwias,
mcios; estes imrcm-se gratis seudo os propr ios assignabtcs smetce' ViaJ sigilados. ;i '- i ... "i" 3 '
______________________i. ....... ........ ____________- .____________!__________i__________________________________- -------------------------------
ST1I1COS
QiAita- S Ffnchco Aud. do O do Cr de t Pas'6h c 54mda t-
Sexta felra- S Mfcido-**ud dq 0tnr da Cop de: m- e. do Onr do
fl|Ci\' c ( i de t P. as 8 horas e 54 m da m "
r'Vr i !' i 'i Vii fl -i"- I ifn--

'
I
Jmpve^t em i^wtantbac por 3o$e wtonn }$fe
>...)
Todo; a ()ra depende de nos picamos, da npssa prudeHcia, mo
raijao,' iiergj eonti nuemos cmoio hrincipiamas te scrftfid*
pohtadoscomad^racjio entre, as Nac^o^s mais cultas. -
! Proclamado da AttmMta GerWf lo'BrtkiU t
li'iiiM i i i ir ii'i nin IIWW^HfeT'WWHHIf^
."!
r
'I



; i :
ARTIGOS DE OFICIO;

JL Ode V. S acceitar o ofFerecimento,
que fizerao'os Guardas Nacionas da Re-
zerva, para fi prestaren) ao Servaos das
Rondas nocturnas agradecendp-Nies em no-
ne dste GbvTn, tao patritico offereei-
muto. Nesta data tehho ordenado ao
Coniuindante Gra thterro do Corpo das
Guardas Municipes Permanentes, qu
femttaa V. S. hum ou ds Ordenanzas,
para as deligenbias do seu Emrego con-
forme requizita." Dos Guard1 a'V, S.
Palacio do Govrn d* Peruambuco 14 de
Setembro de 1832- Bernardo Lniz Fer*
reir Vice Presidente Snr. Joze Francis-
co Ferreira Caito, Juiz dePz da'Bd-
vista,
E

ISte Governo se acha* cabalmente ins-
truido do que o Carcereiro da Cadeia desta
Cidadc exige dos infelices, que para ella
sao mandados recother grandes quanlias,
para Ihe conceder lugares mais commodos
das prizoes, sejao elles, ou nao de critnes
ca pitaes, e pblicos, ou de pequeos cri-
mes particulares, o mesmo remettidos pa-
ra serem couservados em custodia, thegan-
do o despejo ao ponto de conservar na Sal-
la, livre ttos de grandes crimes, estbele-
cendoassim a trrivel rgra de serm os
mais commodos lugares das priz5es desti*
nadas para os grandes crimjnozos huma
vez, que tenhao dinheiro para os compra
rem, e as mais incotiimodas, para osju
lhe n5 podem dar grandes sommas: o que
comniunico a V.* Exc., para em sua sa*
bfdoria dar as providencias que cumpre, e
fzer esqoecer as escanda lozas extoreoes
do passado Abril.' Dos Guarde a V. S.
\ Palacio do (dverrjti'de!Pernambc 17 de
Stmbro de 1832; Bnbrd l^uiz Frrea
rfe^fee^P^?sl Francisco Joze d Fritas,' Chanceler da
Relcao desta Provincia &c.
Quartel do Commando das Arribas de-Per*
namhuco 1. c de Outubr<> de l%$2
Artigo da Ordemdo Da.
. .. ;
1
r
mesmo Exm Sur. Commanda,nte da
Armas manda publicar o Officio abaixo
transcripto de S. Exc. o Snr. Vice-. Presi-
dente, para conhecwneuto dos Srirsj Officia-
es Illm. Snr. Recebi o Officio > de V. S.
datado d 25 do eorrente, i e agradco mui-
to -a V. S. o meio d qu lan^ou aiao pa-
ra aprezentar urna For^acorapostade.Bra-
sileiros briosos, e acostumadas k exaccao da
disciplina militar. A promptida, eo pra-
^er, com que aquellos dignos Militares se
aprezentarao, e se prestrao enthuziasma*
dds pelo Servi^ da sua Patria, exigemdei-
t Gverno, nao s o devido louvor, porm
toda a gratklao. V. St pois, da parte do
mesmo os lirvara, e e agradecer. Nao
sendo j. possivel saptisfazer a requizieao
de V. S. pela falta dos gneros pedidos;
aquelle Gorpodever por ora fazer o Ser--
V90 de espada Dos Guarde >i.V. S. Pa-
lacio do orerno* de Pernambuco 2 de
Setembro de 1832.
Bernardd Luii Ferreira,' Vice-Preidente
sa Illm. Snr. Joaquiol Joze da Silva
Santiago, Commcndante das Armas.
(1
1. i* y*' "
~ir~


Il.llillll
fl934)
.

CMARA MUNICIPAL.
Sessao Extraord. de 29 de Agosto de 1832.
Presidencia do Snr. Esteves.

c
Omparecerao os Senhores Costa J-
nior, Ludgero, Oliveira, Albuquerque, e
Monteiro, faltando com cauza os Senho-
res Britto, Bastos, e Miranda Henrique.
O Secretario fez a leitura do expediente:
hum officio do Exm. Presidente, dizendo
que nao podia satisfazer a requesicao da
Cmara relativamente ao armazein para
nelle se guardarem as madciras das obras
publicas: a mesma ficou inteirada.
Oulro do mesmo Exm. Snr. exigindo
as plantas que a Cmara havia pedido per-
ten cen tes ao Conselho de Provincia, levan-
tadas por o Engenheiro Joo Bloem: a
mesma determinou, que se pedissem as
mesmas ao Engenheiro Fermino H. de M.
A., para remetterem-se ao Secretario da*
quelle Conselho.
Outro partecipando que o Conselho do
Governo quera ser informado do numero
de luzes que ha na illuminncao desta Ci-
dade; quanto importa cada huma segundo
r ultima arrematado; se esta pode ser ma-
is avoravel, e por menos preco, e final-
mente quantas luzes se devcm augmentar,
e em que lugares: a Cmara determinou,
que de tudo se informasse ao Exm. Presi-
dente.
Oulro disendoi que as pedrasaprehend -
.das aos caboqueiros ficavo destinadas pa-
ra as obras publicas geraes da Provincia,
que o Governo houver de mandar fazer: a
Cmara ficou inteirada.
Outro partecipando que havia expedido
as ordens necessarias para que pelo Brigue
Barca Piraj estacionado em Fernando vi-
esse alguma porcao de pedra de calcar: a
Cmara ficou inteirada.
Outro da Junta da Fazenda para que
se Ihe declarasse se nos 4345840 rs. em
que importou o ultimo concert da Cadeia
entraro algumas despezas feitas depois do
1. de Julho do corrente auno: a Cmara
mandn, que se lhe respondesse dizendo,
que nenhuma addicjo ha naquella quantia
despendido depois do 1. de Julho prxi-
mo passado.
Outro de Antonio de Souza Rangel,
participando que aceita va a nomeacao de
Ajudante do Secretario dos Conselhos de
Disciplina das Guardas Nacionaes do Mu-
nicipio : a Cmara ficou inteirada.
Outro do Advogado Joz Narcizo Ca-
mello, partecipando, que aceitava a nonie-
acao de Promotor dos Conselhos das Guar-
das Nacionaes desta Cidade e seo termo: a,
Cmara ficou inteiraSa.
Outro de Antonio Ayres Vellozo dizen-
do que nao podia aceitar o eargo de Juiz
de Paz Supplente da Freguezia do Poco:
a Cmara mandou, que se lhe dicesse, que
ella nao podia aceitar sua dimissao, e qde
quanto antes viesse, prestar juramento, e
tomar posse do referido cargo.
Outro da Cmara de Olinda, dizendo
que anua a pretendi de Joaquim de Oli-
veira e Souza: a Cmara ficou inteirada.
Sobre a ponte do Recite a Cmara resl-
veo o seguinte: que as linhas actualmente
lavradas, posto que inais finas, que as do
reamente sejao admettidas na ponte, com
tanto, que se ponhao sete em lugar de seis
sendo as mais que se houverem de tavrar
dagrossura, e qualidade determinada.
Que as estivas em vez de serem cavlha-
das as linhas, como indica o orcamento
leve entre si hum suprimento de taboa de
amarello a feicao das mesmas estivas sobre
cada huma das linhas, sendo so caviihadas
as que absolutamente precisaren), para des-
mancha rem alguma volta que tenhao, fa-
sendo-se para esta despeza novo orc.ameiv*
to com attencao ao que est feilo para o ca-
vilhame.
Que o arrematante seja authori*:ado a
mandar vir a madeira necessaria para o
concert da ponte do kecife, que exceder
a do ornamento, recebend do Engenheiro
encarregado da direccao da mesma huma
relat? ao, que marque a quantidade, quali-
dade, e demensoVs da mesma madeira.
E finalmente que o arrematante seria* o-
brigado a tirar as estivas, e linhas, que
nao ossem das qualidades marcadas no or-
camento, ou approvado* por o Tenente
Coronel de Engenheiro F. H. de M. A ;
assim como as que estivessem com princi-
pio de podridao, votando contra esta ree>
luco o Snr. Ludgero.
Resol veo mais a Cmara, que se aucto-
rizasse ao arrematante da ponte fazer
quanto antes na Praia do Collegio, sob a
direc.ao do Engenheiro F. H., hum telhei-
ro coberto com telhas, para nelle se guar-
dar as madeira*, e utencilhos do concert
da dita ponte9, cuja despeza se lhe manda*
r. pagar.
E sobre o Officio do dito Engenheiro


M

*P
addiado para esta Sessao a Cmara delibe-
ro o seguinte; que se pedisse ao Exm. Pre-
sidente, para que-do Arcenal da Marinha
mandaste dar, para a cabar-se o concert
da ponte do aecife, ao*Engenheiro F. H.
de M. 30 bra9a9 de ammarra de ferro, hum
gancho, duas talhas dobradas guarnecidas,
e dous tone9 grandes; que o pedazo da
madeira o Engenheiro pedisse ao arrema-
. taifte Manoel Cavalcante qne a ferragem
para o macaco oFiscal Manoel da Fonce-
ca e Silva madasse faser debaix da ins-
pecju), e dire9ao do Engenheiro, assim co-
mo os dous molhos; que. sobre os esteyos
fizesse o Engenheiro o que indicou no seu
officio, sendo a despeza por conta do arre-
matante, dedusindo-se dos 640#000 orea-
dos, oque competir aos esteyos nao arran-
cados, e finalmente sobre o estado de rui-
na do 3. arco da Ponte, que quando
osse occasio o Fiscal do Wecifo o fisesse
concertar debaixo da dire^ao, e inspeco
do dito Tenente Corouel Engenheiro.
Mandou-se officiar a Francisco Paes
Barre! to Tutor'do V\trao ilho do falecido
Joao do Reg Barros proprietariodo terre-
no indicado no lugar de S. Amaro para o
semiterio publico, pedindo-se-lhe, que vi
esse contractar com a Cmara oaoramen-
to.
Mandou-se dar a Prxedes da Foncec"
Coutnho 400#000 r para sustentacao
dos presos pobres da Cadea no mez de Se-
tembro prximo seguinte.
Nao appareceu quem lanc,asse na obra
da estrada do Mangrullo, no assougue, e
curral na Povoa9ao da tyuribeca, e as
duas infermarias que se pertende azer na
actual casa das audiencias; em consequen-
cia a Cmara mandou dar a Francisco
Antonio do Nascimento Fiscal aquella
Poyoacao a quantia de 53$680 rs. em que
ionio por elfe oreados aquellas obras para
as facer por sua conta ; que as iofermarias
fbssem fetas por sua confa por o Fiscal Ro-
dolfo Joao Barata, e que sobre a calcada
da estrada do Manguinho para diante de-
liberara. *
Mandou-se officiar ao Exm. Presidente
pedindo para que ordenasse, que as senti-
nellas dos Baluartes da Fortaleza das 5
Ponas nao consentissem alguem tirar ara
do aral da mesma Fortaleza, pedindo-se-
lhe licenca para que no lugar t)ue em Pa-
lacio Velho foi laboratorio, poder a Cma-
ra levantar hum telheiro aonde guarde ai
(1935)
madeiras e utencilios das obras publicas.
Em consequencia do querepresentou 9
Procurador da Saude do Porto sobre a in-
subordinacao do Secretario Guilherme Ste-
qle, e do Ajudante do froffessor da dita
reparr9ao; a Cmara o authorizou para,
suspender nao* s ditos Empregados, mais
outros quaesquer na mesma repartido, que
nao cuprirem exacta mentesuas ordens, dan-
do-lhe mediatamente parte para ella pro-
ceder como for de Justina.
A requerimento do Sr. Ludgero se many
dou officiar a Cmara da Villa de Goianv
lembrando-lhe varias medidas afirn. de evi-
tar alguma falta de gado na Provincia por
quererem os compradores deste genero pa-
ga f a for9a aos creadores, que o vem ven-
der na feira dos trez Rios, com dinhe#>
conhecidamente lso.
Mandu a Cmara que se offieiasse ao
Exsn. Prezidente dando parte que a pro*
prietaria do Sitio do Pina indicado como o-
melhor lugar para o lazareto, que se pre-
tende esfeabelecer so o quer vender, e que
pede 2:600^000, pedindo-se-lhe que haja
de o comprar do producto do tributo que
pagao J>or elfe as embarc^oes Estragirasl
Despacha rao-se alguns requer mentos e
por ser dada a hora alevantou-se a Sessao
marcando se para a seguinte o dia I. de
Selembro. Joze Ta vares Gomes da Fon-
ceca Secretario a escreyeo. Costa Jnior,
Ludgero, Oliveir, Albuquerque Monteiro.
eomfspQttoma.
*3Nr. Redactor Desde 18 de mez pas-
sado, que me consta se requerera a multo
alta e Poderoza Cmara da Ciddede.O-
linda certidao com o theor do auto de ves--
foria, ou araI9ao do muro, dos hemeons-
tdttidos e formosos pillares, e das parrei-
ras do sitio do Dezembargador F. A. M*
M., para a vista del la, poder se requerer
o que convier, e for de direito, pois nao
posso erer, que os Snrs. Joaquim Joze
Ferreira de Carvalho, Padre Antonio da
Trindade Antunes Meira, e Manoel Gre-
gorio da Silva, fossem os Louvados, ou A-
valiadores do dito Dezembargador, como
me afirmao, e at hoje aquella muo alta
e Poderoza Cmara nao tem mandado pas-
sar a certidao requerida; Dos me d pas-
eiencia para sofrer a Cmara de Olinda, e
livre a todo Fiel Christao de ter eom ella
negocio algum, porern que muito he, que


"*>..
'Sfc.


(1936)'

ittgl os mesaop.Freaifienjte, e ,Poi)selbp,4p
la.jd,at)e velha/deJPrezeMo deiuenipq Je*
z.ns!
:;,_>,
i
iQejra, Snr. Reactor iQsiriir tpstas qn-
Habitante dos Suhuibios.
at^o Do corteto. ,
p;..'
> i
A Escuna Mana da, Gloria recebe
a malla para o Ri de Janeiro, e Babia no
da 4 docorrhtenas cinco horas da tarde.
U9V ICttO.
Jl lilil) IXJOO 5 L)i ..' ti> li \ .... 'i' i
Orge Brocklehurs.;& Comp. fasem lei
lao. de &sfifadas: limpag, e avarias, sexta fei-
r^)5,(W O^tuljrQ enveasa de sau residencia
na nha? > kj.]
euij-j ,- .:V: tftfa
f<| Ciii'ii ,!) ;
M braca d balnea de pezar 'caixas
de assucar, com, con xas ; e 5 pezos de 2
arroubas, dirya-se a casa da gameleira de
fronte das 5 ponas.
MIHIN
9Di?o0 partteulare.
.-
o
-;.
Consul.de Franca nesta Provincia
tem a honra ct" prevenir s Snrs. Negoci-
antes .desta Pr^a que a Corveta franceza
^0ryfueparte deste porto para oda Babia
no da sexta feira 5 de utubro e para
majpr cpmpdidade dos ditos Snrs. ngoci-
antes a (nala se fechar em casa dos Snrs.
mI Ricou & Boilleau ao meio dia.
. 03* Antonio da Silva Pereira faz sciente ao'Pu-
blico que na noite da dia 29 de Setembro, passando
na ri do; Rozario, encontrouce com Antonio Joze
pendes, all morador, e este chamando ao Annun-
cante lhe disse, que dezejava muit fallar-lhe sobre
c^ocio d nteresse' ao Annunciante, ao que lhe res
pondeo que era occazio. I>irgimo-no8 para sua
Caza,* entrando na sua salla mandou-me sentar, c
depois me diese ; hornera yoss acha-se em ms cir-
ctfnstft'ncias, pode agora receber hum cobrezinho, ao
que lhe tomeiyqn nfio punha luvida, vindo este por
jHfap lcitos.:, me disse.elle,eu Inno tem sido mu-
" {rato para vosse, e be agora occazio de ypsae se
ir,,.dall', e arican jar se; e prguntando-lhe eu de
forma, me dase elle : vose sabe que elle anda
am,leiigio JeonS Furtuaata Joze Cardozo obre
ib aun i t\
aquella obngacao que, yosse {he fez .trepase, o
Fortunato, iem^se oppostb, pprc-m semp're per'de a
cauza : H melhor vosse receber u m cobre; par sie
airnjary e passar -oro | papel dizenu!o. q,ue aqjJol in; ,
obrigar;ip, fp passada.f*nta8ticamen)Lev A0/5 1
respondi que'ainda me dando todo o total da j'i-
g^cao nao coraetia urna arcao taopicor, emsoa
as minhaa circunstancia fo&Bem lamentaveis : prcm
se.pre quera cpnseryar o decoro de homeni. Aca-
badas, estas palarras ex que chegou o dito Fortunas
to, este depois de ou'vir o assumpio da conversa, en-'-
ta igualmente pedmo me que hotivsse de nmf a
propoz ic. o de ^nr> Mendes ; pof q,ue el le pagando
aquella obrigaco fic.tva de todo derrotado, e que
qi
por este aotivo lie que se vaha da chican da,,Ju9tla
pa^ ao menos demorar o pagamento. Tomeifh*'
afirmar que nao f'ana tul ; edfspco-|ue delles- para
me/ retirar. ( Yendo lies qne eu jio anuia ao seta
pleito, me pedio o Mendes que me d^mofasse mais
um pouco, no qne o sapti%fiz. Entra de novo For-
tunato a me instar, em quaoto o Mend n a brindo a
carteira passn a So em um uunhat, e fcixa a porta
da salla, e vita-se p ira mim, e (iizj.que o ni. uer
fazer por bem hade f-izello por nial, p"rue na la penna eescrev o que m lbe diss^r !. E 1 venda
tal dippozi^o e fefocidade daquelle viltre, temendoj
a morte. pego na penna^e nota-mc elle um papel de-
clarando que o Fortunato nanea medevee nula, e'
que aquella obrigaco, etrespasse don terrenos, t-
nha sido tudo paessdo.fantsticamente ; afin de eu
figurar como Credcr, edono dos terrenas para nao
serem pinhorados por Joze da Costa Pinto ; man-
d-;ndome ass'gnaUo com data de 1& de Outubro de
1829, acabando de passar o dito papel, me disse
que.se a cazo1 lhe constasse que eu ha via relatado o
cazo me mandara tirar a yid. Fugo publico este
atroz acontecimento afim denao ter valia em qual-
quer Juizo onde seja aprezentado visto ter sido pas-
sado constrangidamente ni forma cima declarada :
e a vista do mesmo papel se conhecera' a letra ser
feta a poneos dia, ouelles terem uzado de defumar
para fingir ser antigo, 0 sendo que elles mandem as-
signar algumas tentemunhas sendo estas chamadas
a juramento d'.-.lnn; com runsciencia dirad que nao
iresenciaro passar tal papel, e que a poneos diau,
he pedirad para assignar, n unci tanto para esclarec ment, como para con ti*
nu aga do direito que contra elles tiver.
noticias martimas.
i
Navios entrados no da 3.
turOIANA; 24 horas; S.S. Benedicto,
M. Antonio AfFonso de Mello: assucar,al-
godo, e farinha. Passageiros 4.
B
Sahidos no mesmo dia.
AIIIA; Bv Denmarquez Aeolus, M
C. J. Cock: lastro. Passageiros 43.
BARCELONA ; B. Ing. Aurora, M.
Beljamin Qulson: algodo.
in )-
t 1
flH!
^MUJfdMBUCO *;
m
ifd Tjtp. bb:.DiMt*t Rva do"Solx Qdstd D. 1. 1832
"TFT


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAYTAWCLO_D0JYYZ INGEST_TIME 2013-03-27T15:14:36Z PACKAGE AA00011611_01747
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES