Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01745


This item is only available as the following downloads:


Full Text
yv.
T
___ '! n.i ,-% M I
' i m
ANNO DE 1832. TERA FEIRA 2 DE OUTUBR NUMERO 487.
*
^^^SS^^^'a^^ **?*"** diario, ra o Sol D. 1; onde se receben, correspondeos,
nucios, estes insirem-se grati sendo dos propnos assigaantes smente e vindo assignados.

i

>\ ;
**V 8*?<- Rellacao e aud. do O da C d* e do J
Wjde.p do t P as fi*n da t *
auarta-S Januaro-A do J dos F de me do#T G detarde P aos
54 mi autos da tade
*
Tudo agora depende de nos, mesmos, da nossa prudencia, no*
deracao, e energa; continuemos como principiamos e serenss
pontadoscoraadmiracao entre as Nacoestaiais Cuitas
'roclamaro da Asiemblea Cer/tl do lirauil.
mpre&o em pztmtnbmo por % o$e Victorino De abreu.
-*o&ee*~
CMARA MUNICIPAL.
Si?wo Extraord. de 22 Je J^osfo de 1832.
c
Presidencia do Snr. Esteves.
Omparecerau os Senhores Costa J-
nior, Ludgero, Aibuqnerque, e Monteiro,
^faltando corr cauza os Senhores Britto,
Bastos, Miranda Henrique, e Oliveira.
f O Secretario fez a leitura do expediente:
huoi officio do Exm. Presidente disendo,
que sendo presente em Conselho o officio
da Cmara reclamando a approvacao de
algumas posturas, que o Censelho nao ti-
ha approvado sendo ellas no Tit. 3. os
L, 2., e 5., nos Tit. 5., e 8., o 2., no
lt. 11., o 2., t no Tit. 4.v$. 14., re
solverao mesmo, que qugjito ao Tit. 3. as
dos l.,e 2. ha.i approvava por naoserem
^gentes, e a do 5. por conter a obriza-
das; a vista do Til. 5., o 2. por se nao
conformar com a disposicao daua primei-
ra parte; a do Tit. 8. 2. por conter as
in.posicGcs de J#600 rs. por licenca, e 600
rs. ao Armador; a do Tit. 1 2. por
conUr a sua primeira parte disposicao cri-
minal, legislada no Cdigo, e Ley sobre
a* ojonas, e a do Tit. 4. 14. por nao
gr urgente: a Cmara mandou, quese|)u-
blicasse por a impi&nsa as Posturas suspen-
sa* por o Exm. Conselho do Governo, at
que o de Provincia confirmasse ou revo5gas-
e a sspensao dasmesmas.
. Outro di Juiz de Paz Supplent do Re-
cre Jiize Ignacio da Cmara partecipanda
que e$tao tVitas as Aribes dos Officies daV
trz Com^uhias das Guardas Naciones
de sua Freguezia cujas actas ainda nao. es-
ta vao prontas: a Cmara ficbu inteirada.
Outro do Engenheiro F. H. de M. An-
cora pedindo que se lhe madasse entregar
as 30 brabas de amarra de; ferr, o ganxo,
e a3 duas talhas dobradas guarnecidas, que
vem indicado no ornamento para arrancar
os esteios velhos da ponte, to Recife que a-
inda tem de ser substituidos por novs; a
Cmara mandou, que ficass addiado para
a seg u i n te sessao.
Outro do masm exigihdo a quantia de
6$500 rs. em que'impftou a despeza fei-
ta com as al motadas do macaco que serve
a ponte do Recite para o que fnha sido
uthorisado: a Cmara mandou passar
mandado para s lhe pagar dita quantia.
Outro do mesttto dando os esclrecimen-
tos que bteve sobre o terreno indicado pa-
ra o semiterio publico: a Cmara mondoy
que ficasse addiado para ^ segu rife sessao.
Outro do Cirurgiao Vieente Ferreirados
Guinuiraes Pt ixoto dizhdo que commis*
s5es como a de que mi ecarregado, de ex-
aminar o sitio do Pina lhe nao compete: a
(Jamara mandou, que ficasse addiado para
a segunte sessao, assim como, o do Medi-
co Fehppe Neri Rodrigues de Carvaho
sobre o mesmo assmpfo.
O Advogado Joaquim Francisco do Re-
g nao aceitou a nomeacode Ajudante do
Promotor para as Gruardas Naciones
do Municipio, e em seo lugar a.CamarL
lomeou oCidadao Manoel Marques Gran
geiro a qrii rijancoi que se partecipss^^
O Carceriro requisitos fium iVvro para
fazer os asientos ('as prizoes' jas. Guarda?
Naciones: a Cmara Wolveo
nao desse.
Naciones: a Cmara re^veb qu s lri
aodpW
~J
.*rv '"-'
a
TT



flftW)

Nao ha vendo quem lancasse has obras,
que se pertende azer na estrada do Man-
guind, e na Povoacao da Muribeca, ma-
dou a Cmara, que as mesmas tornassem
a ser apregoados na seguinte sessao para
ver se apareciao lanzadores.
Mandou-se officiar a Francisco Luiz
Maciel Vianna para que viesse tomar pos-
se de Vereador da Cmara.
Despacharao-se alguns requerimentos e
por ser dada a hora alevantou-se a Sessao.
Joze Tavares Gomes da Fonceca Secreta-
rio da Cmara Municipal a escreveo. Este-
ves Pro Presidente Costa Jnior Ludge-
ko Albuquerque Monteiro.
COMMUNICADO.
Mi seria questao se aprezenta agora
ao pblido, e ela e digna de ser meditada
por todo o (iriem patriota, e qe interesa no
bem ser do se paiz.
Devem os ministros de Estado Olanda
Cavalcarite e Araujo Lima ser reeleitos f
Eis a questao qeconvem rezolver; mas re
zolVer seni pixao, e pondo se de parte o
spirito de partido qe tao venenozo enlre
nos tem sido.
Tenho deante dos ohos o Diario n.
485, e o quinoxtal n. 14; inda nao li
o Graco, e portanto me limitarei a refle-
tir sobre as idias dos dois prjmeiros. O
Diario mais fortemente se proiiunsia con-
'tra.o Snr. Araujo Lima, o descreve,, por
um modo feio e torpe, porem em justisa
tiem tanto llie devldo. Coiiliesi de perto
este Snr., seu .prgullio nao tao cistraor-
*duiro: sa cnquta poltica no depois da ''
deso uso da Constitu oie sofreu qebra;
ma nunca s viu perverso. Como De-
notado Assembleia Geral tem parlado
pouco, sirviso porm tem prestado ja apre-
zfiiWo projetos ja utilizando em as co-
iiiios.. e co'no Ministro^ .si seu ministe-
rio nac tez |iens o.Brazil, males nao fez.
Adjidis d T de AbriT ele opoz se a ad-
ministrasao (je cai'ti, sem nunca se aver a-
taci' no mundo xa reo dos taqes pesoaes.
to Snr. Otnda Cavalcante pode se di
zer qc; notempo, do tirano foi bom Depu-
tado, e born Ministro, tendo apenas a no-
tar-se qe apartado depois do dia 7 de Abril
da dninistrasao fez-llie na Cmara urna
greV*menos rfletida, ao'qe o levou segu-
ramente sen jerio forte altivo
midos, e aristcratas tem algnm fundamen-
to, porqe o omem qe se condese, e qe sa-
be avaliar seu mrito e importansia sosial
ao serto procura murto difeiensar-se d'ese
vulgar obscuro sem mrito e sem virtud?.
O dizer-se qe o Snr. Olanda dizia qe o
deputa,do qe aseita o ministerio deixa defen-
der as liberdades publicas, nao sem funda-
mento o fez. Elefalava em o tempo do
tirano, e guando ese perverso so buscava
para 03 alfs encargos da nasaoaos malva-
dos, e asim o qe da cmara saia ja se $u-
punha segado; mas oje um Ministro de
um Poder Nasional, pode ser um procura-
dor do Povo.
As reflexoes do Equinoxial sao ao rneu
ver pouco pensadas; por quantobem se ve
qe para terem partido na Cmara os Mi-
nistros de Estado nao ao mister forsozo, de
pretenserem a reprezentasao nasional, quan-
do inuito pode-se dizer, qe com a saidados
Ministros ficam aqeles votos de menos.
Si olhamos porem para as regras roais
. seguras de direito publico Constifusional,
acreditaremos qe muito nesesario q?o
Poder quando Nasional cont com a mata-
ra do Poder Legislativo, e nem isto pode
prejudrear a os intereses nasionaes quando
. entre o Poder e o Povo, um sc sentimen-
to o vigonzamento das Leis e a manu-
tnsao da ordem publica ; e por istO qe,
si bem me lembra, na Herma do Publicis-
ta. Mr. Fritot faz sentir a necessidade de
os Ministros terem-asento as Cmaras l*e-
jislativas, e tanto mais conveniente qnari-
to se deve observar qe sendo as Asernbleias
publicas,^ e acuzando-se o Governo peran-
te a Nasao, mister a Ver qem logo de a
razao do seu obrar, e isto com tanta maior
conveniensia no Brazil, quanta stando em
alarma o spirito publico, mister ir tiran-
do-lhe os motivos do seu incitamento.
A de mais ajus.tisa pede qa reconhesa-
mos os conliesimentos financ iros do Snr.
Olanda, e que eles so fazcm nesesarios na
Cmara Electiva, e do mesmomodo os vas-
tos canhesimentos do Snr. Araujo Lima.
Por convicsao votado desididamente a
administrasao a qe sustdeu a dos dois Srs.
em questao, e crendo qe esta nao podera
como aqela fazer a t'eUf d;de do Brazil, eu
devo dizer a verdale qia ido o spirito de
partido owea a razao. O-qre me admi-
rT qe sendo o Snr. Brlactor da Busso*
la um desedtdo scravodos Xefes da oposi-
AJidta q se faz a un e outro de prezu-1 sao atual, steja cafado n*esta tao grande


I--*.
T
f
(1927)
questao, o qe mais me confirma qe o Snr.
P. Jlo Carhoza um aventurciro, e qer
ver si os ministros sao na Cmara substi-
tuidos por ele e outro*to TOLO e pedan-
te como ele.
Qeira o Snr. Redator do Diario de
Pernambuco dar publisidade ao qe vm
de dizer.
O Redator do Repuhlico.
s.
ANUNCIO.


'Aino boje o Gracho, contendo materia
inters&nte. Em primeiro lugar destroe
os argumentos apresentados pela Toleran-
cia a respeito da relecao dos Snrs. Hol-
landa Cavalcante, e Ara u jo Lima. im
2. aprsenla reflexoes sobre as noticias
de Portugal en relaeao ao Brazil. Em
3. mostra qual o liosso estado deploravel
pelo lado de finanzas, fasendo sensivel ao
inesfh lempo a contradicho do actual Mi-
nistro da Fazenda. Em 4. lugar apre-
zenta um artigo a respeito do descobrimen-
to do Novo Mundo. Vende se nos luga-
res ctumados.
SbtoDo Correto

i-
A Sumaca Bom'Conselho recebe a
malla para a Babia no dia 3 do corren te
pelas 9 horas da manh.^
.


p
Ara fora da Provincia* um prcto pos-
sanl? para todo o servico: na ra da Ca-
rlea velna do Recife loja n. c 3, ou amin-
Cl"'
tS* Urna venda cem poneos fundos: na
a Gloria ]7.
G3* Cpim de planta bom a 320 rs. o
fexe deduas-arroubas: na Coxeira do so-
brado onde morou o Maza na ra Nova.
(^ Pentes grandes de tartaruga da ul-
tima moda, ebegados de Lisboa^* traves-
eas grandes e pequeas, papel almasso- a-
zul ebranco, um selim poueo uzado: na
ra do Queimado loja de ferrares N. 30 e
71 -
L^ rr ti* ^
3* Urna Sintaxe Dantas: na ra do
Livramerito, venda de 5 portas, que volta
para o beco do Padre.
C^- Um par de adragonas para Official
subalterno de primeira linba, e urna barre-
tina de seda de fundo de sola, tudo em
bom nzo, urna novilha, e um garrote, to-
dos iihos do pasto e muito gordos, e por
prec,o cmodo: no Forte do Matto na pren-
da do Tavares.
0=^ Dinheiro chanchan, algum com o
pezo, chapeos de seda de Lisboa de supe-
rior qualidade, rap Princeza : na ra do
Crespo loja D. 5.
3* Urna venda com poucos fundos, as
5 pontas em bom lugar: na mesma D. 36
$3* Urna negra da Costa, que sabe ven-
der fasendas na ra, e boa lavadeira de
varrelia: defronte do Carino ao p do so-
brad do Snr. Prezidente.
tC^ Rap Princeza cliegado ltimamen-
te de Lisboa, edito rea prieta da Babia,
sabao americano bem fresco em caixas
grandes e pequeas, ardinhos de cravo da
India: na ra da Cruz D. 53.
t3* Vende-seon troca se urna molata,
sem vicio algum, engoma lizo, coze sofri-
velmente, lava de sabio, e varrella, e co-
zinlia o diario de urna caza, por urna ne-
gra capaz para vender,na ra, e que tam*
bem sirva para trabalho.de campo: na ra
Direita i). 55 u mo
C^ Caf de superior qualidade a 120 rs.
a libra: na ra do Collegio armazem D.
14-' !i 'I
3* Capim a 160 res a arroba posto a
porta do comprador, aun ta luiente: na ra
do Colegio D. 9& andar.
3* Um* reft tima barretina de fundo
de sol la,.,, urna banda" de sarge'
to: as 5 Pdts D SO.;; -
(f3" Pentes de tartaruga-de muito bom
gosto, de todos osuzos e modernas, tanto
graudes como pequeos, ditos traveseos de
todos os tama irnos ti no pateo da Carmo so*
brado da esquina, r .. .. luiq
(53*- tJioa porcao de-lijlos para alicer-
ce de cazas, um selim Inglez a inda em
bom uzo. na ra i Nova D. 3*1.
- &3* Uma preta de naco Angola, de 16
aoaos,i;Srtbe cozer fazer lavarinto, e todo
o arranjdde:urna caza, tem urna cria de
3 mezes, e muito bom leite: na ruada
Cru ri* 58.
,<:h-; I PJ#T*
ailuguet0.
Lluga se um pretodo geno de An-^
gola, bom carniceiro, e muito fiel: na ra
do na rige! D. 39.
ft^ A loja do sobrado D. 15, na ra do
Livramento lado do nascente: no menino
PT


"V
-' ; --,-'1 ^
(1=3" O primeiro andor do, sobrado na
ra das- Cruzes D.Ufcnna'Jskfledfttfe sobrado'
n, 498. '.....i.Vftfj rh ? tU| enh i
f^J-n
A,
"
I
'
RRENDA-se um sitio muito grande, tiin
"una olaria no lugar da Piranga: nos Ao-
gados ra que vai para d S, Miguel la-
do esquerdo n. 130.
aa1500 particularc.
''''
I Abaixo assignado, anunciou no D-
ario de 18 de Agost, que pessoa algutna
, negociasse urna obrigaco de 50$ rs. fas
sada por Antonio Mauricio de Barros Pi-
menteJi, e abonada, por Joze Thomaz da
Sjlya, proprietario do Engenho mscate,
cito em Unua, e:tendo o abaixo assignado
partecipado aos ditos Snrs. nao teve res-
posta, e> ora sabe que elles negao pagar,
las publico que quem a ti ver, leve-a na
.ua do Rangel N. 18.
Joo Hiplito de Metra Lima
18=^; Quem anunciou querer 500$ rs. a
juros com hipotbeca em um sobrado: diri-
ja-se a Comboa do Carmo, sobrado D. 11.
(ffe Quem anunciou no Diario de Ter-
ca feira, querer receber aqu 400$ rs. em
[($?#, para dar, eni prata no Rio grande
dp ujy dirjanse a ra daCadeia, 1. an-
dar por sima da guarda.
i fi^lQuem precisar de urna ama de ca-
za para cosinhar, engomar, e asseiar urna
as: dirija-se a ra de S. Thereza N. 3,
Lajragte-dPtbl.*
. (r^* A pessoa que anunciou no Diario
$e quarta eira 19 de Setembro, querer dar
QOftQQSft* juros de 2 por cento ao mez
sobre pinhores de ouro e prata, querendo
dallos sobre- hipothcca em urna caza de 2
andares, anuncie.
3* Querir aiiuncioit no Diario de 26 de
(Setcmbro querer comprar um cavalloman-
go. para Sehora, dirjale ao pateo da S.
qruzy; na venda que faz esquina para a ra
(3" O abaixo assignado tendo de hir a
Corte do ro de Janeiro na mais prxima
embarcacao, quelpana all seguir viageni
aonde tem de se demorar por algum tera'po
QJFereCe-se para ar Procurador de qalquer
jij- 00 :
Senhor que all tenha pfcrtencao, e o per-
'terid exercer com ctividade, empregando
todos os esfpreos que estiverem a seo alcan-
ce: o anunciante mora as lojas onde mo-
rn o relojoeiro Saboia, no pateo da Ma-
triz de Santo Antonio, aonde qualquer Sr.
o pode procurar.
Joo Mor eir Margues.
3" O Procurador da Irmandade do.A-
postolo S. Pedro desta C^dade faz sciente
aos propietarios das cazas que pagao foro
dos terrenos das mesmas a dita Irmandade
para que no termo de 15 dias lhe vo asua
caza pagar os foros dos annos que sao de-
vedores, na caza de sua residencia ra do
Fernandes por detraz da Ordem 3. do Car-
ino; e nao comparecendo no dito prazo
uzar dosmeios que a Lei lhe permitte:
assim como roga por obsequio aos Sen o-
res donos de trras em que a mesina Irma-
dade tem cazas que paga foros queiro di-
rigir-se a o lugar indicado receber os foros
que se achar a mesma Irmandade a dever.
C3* Mara noza da Cunceicao e Silva,
moradora em Apepucos, faz certoque des-
de o mez do Agosto do presente anno, que
ella deixou de ter naquelle lugar huma pe-
quena venda, vista a grande impostan que
na mesma lhe impos o respectivo Colector;
e como a anunciante ignora a morada do
mesmo, e ser tudo isto conforme com o ar-
tigo 10 do itegulamento de 28 de Janeiro
de 1832 faz publico pelo presente para que
aquelle Colector se nao chame a ignoran-
cia.
(y* Quem qoiser Jar 600$ rs. a 2 por
cento ao mez pur tempo de 4 mezes sobre
hipoteca de um sitio u escravos, anuncie.
(3* Quem precisar de urna pessoa omi-
to capaz para servir de administrador de
engenho oupara outra qualquer administra-
cao dirija-se a praca da Uniao n. 4.
NOTICIAS MAITIMAS.

Navios sahidos no da li
10 de JANEIRO com ESCALLA
pelos PORTOS de MACEIO' e BAHA;
Paq. Nacional Paquete da Baha, Com.
O 1. Q Tenente Antonio Conrado Sabino.
Passageiros, 6 ea escravos.
> ,( i1

( PjBRjfjMBuco : frkTrp. do Diario, Ruj hq So, Caza D. 1.
Hir&tu on ffi r ii ob ohal ota >-- /: l '
1832
^^
*-r
**r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ED2V8TTY5_NQKNZE INGEST_TIME 2013-03-27T15:41:42Z PACKAGE AA00011611_01745
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES