Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01687


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*<***
mgm -*.
1
ANNWJ*E183
cwjc-^sr^ me***9 -rfAaymaBpqo.rgraazn1
V
i .....h niiMn i ,iii i .......|n
SEXJTA FEIHA 8 DK JNIJ?

NUMERO
i'
S ii;cf^rn'i Inwntea 641 ri., adiantad-*, na Tipografa Hn Diario. ruad Sol D. I: onde se recebem colresponderniiafc, e
.i-irc .i-.e fcratis -vndo do*jtroprin a aiu dai deint- niiiHirlfnii prirjnr elid linha \mgittn yt n .
es de ve <
V
Sexta S. Salustlancf Audiencia d Ouvidor da-Com-d;- manha c
dd Ouv. do Civel e Ch le t> rr amar aos 30 m- da t.
l>uado S. Primo Re<;. (Jt ral de tarde preawar a 1 hora c 11 minutos da t
Tndo apora depende de tis thesmos, da nos*a prudencia, trio
deracao. t- energa; continuemos cerno principiamos e seremos te
pontados cOm admiraran entre as Nae,5e wais. cultas.
Pr*r.lmmaf*o da Asitnzhlta Otral do Bratil.
#B*
3mpre$o em j&ritambuco por flutomno 3o?e De fl&ttanDa
.-----------*o#e o &*'

o,
ARTIGOS DE OFFICIO.


t"
I
RresKke da. Provincia, oavkfo o
Conselho, reconhecendo a urgentissima ne-
cessidade fie remover de prompto quanto
Hit lie possivcl, attenlos os kimus de sua
Authoridade administrativa, o desregrado
arbitrio eom que se rejeita, ou aceita amo-
da de cobre, seiu dotinguir entre a verda*
de ira, e a falsa, bem susceptiveis lodavia
de se confundirem ; o que tem produzido
raves niales, .mxime cutre as clases in-
igentcs, e laboriozas, e talvez com oulros
niaiorcs amcaca a trantjuilidade publica,
alem da paralizaeoo do Ccmmercio; a de-
ficiencia das Rendas Nacionaes: Resclveo
declarar, etn quanto a Assemblea Geral,
e o Governo Supremo nao dao adequadas
providencias, que decipem o cancorozo mal,
que as moedus de cobre de 80 res de 7 oi-
tavas para 8, as de 40 reis de 3, e meia
oilavas para qualro, e as de 20 rs%de 1 e|
para 2, e que tem regularmente a for-
ma,da verdadeira nao sendo vasadas, sao
nesta Provincia reputadas moedas legitimas,
tendo o distiuctivo de cunhadas no Rio, e
Babia, c que por conseguirle devem ser
acceitas. E para que chegue a noticia de
todos fiz lavrar o prsenle Edital, que ser
publicado, e afixada nos lugares mais p-
blicos. Palacio do Governo de Pernambu-
co 6 de Junlio de 18.32. s Francisco de
Carvallio Paes de Andra le.
Marco do corrente anno; a fim de que ftic
faca dar execncao na parle que i be toca,
\ eom toda a cireunspeceao e actividades**
Dos Guarde a V. Kxc. Palacio do Gfr-
verno de Pernambuco 15 de Maio de 1832
Francisco de Carvalbo Paes de Andra-
de film, e Exin. Senhor Fraeisco Jone
de Fre tas, Chanceller da Relajo desta
Provincia.
R
-**-

>Emetto a V. Exc. o Avizo da copia
inclua expedido pela Secretaria d'Estndo
dos Negocios da Juhca em data de 9 de
it
xm. e Exm. Senhor Qnando a Cap*
tal tranquilla oftereeia aos seos habitantes
a segu ranea neceasaria para que o Cidad&
podesse livremente entregar-ge s suas oc-
cupacoes, e gozar dos beneficios da Socie*
dade, he quanda de hun lado, o partid
exaltado que des*jando por eai pratica tu*
do quanto Ihe sugere sua imaginacao es*
quentada, e no inesino momento croque
tacs d< lirios Ule sao lembrados, tem excita-
do justas desconfianzas de geral conspira
(;Tio estando de accordo os acontecimentos
de S. Felis na Provincia a. Babia, posto
que inencazes,e | interamente destruidos
Ckgp as doutrinas dos seos escriptores; e de
outro lado o partido dos compronieUido
por suas arbitrariedades, e servil obediencia
a ao anligo Governo, e que consckncioso
de sua conducta reprpvada pelo Brasil in-
teiro nao ouzava apparecier: de repente a-
nimado pelos desacatos de Joaquim Pinto
Madeira no Cear que a esta hora estar
completamente derrotado pela energa do
Presidente daqueila Provincia e coopera-
cao de seus habitantes, e das circiuisvisi-
nhas; ou por noticias da Europa, ou pr-
fidas sugestes dos intigos amigos do eofc-
Imperador atreve*si' nesta Capital a perten*^
der restaurar o antigo e detestado GovendL^
i :- -
.- ',' ."


V
'
S .(1568) (,
-
T

<\seo Senlior, sem lembrar se, que se o
Brasil encerra em seo seio filhos degenera-
dos, e ingraj^extrangeiros, possue ainda
humakmassa enbrnae deCidadaos prolxw a-
migos do,seo Paiz que opporodecedida, e
obstinada resistencia a qualquer tacco que
Aisad>e persuada dicfar*a Loi ao Impe-
li ou por-lhe condiccoes: Manda por tan-
to a Regencia em Nome do Imperador que
V. Exc. com a possivel deligeucia, faca
que as Authoridades Judiciaes pesquisern os
authores e cumplices de semilhantes con9-
piracoes, para que sejao.punidos com todo
o rigor das Leis, e de huma vez se descn-
ganem que nem'o Governo protege parti-
dos netn o Brasil consentir ja maisqueal-
guem seja qual for o pretexto dirija os-se-
os destinos a nao seren aquejes que cha
xnarem as Leis, quemo a expressaodasua
vontade. E se algum Magistrado, por des-
leixado ou coni vente tolerar que a Socie-
dade eja infestada desemelhantes abutres,
tem V. Exc. na Le o recurso contra taes
prevaricares. Outro sim determina a
Mesma Regencia que V. Exc. nao so pe-
los Paquetes, mas todas as vezes que for
possivel desparte por esta Secretaria do es-
tado de tranquillidade da Provincia, e de
tudo quanto possa afectar a sua seguranza,
visto que por ella se devem dirigir as or-
dens, e providencias tendentes a mantel-a.
Dos Guarde a V. Exc. Palacio do Rio
de Janeiro em 9 de Maio de 18.32 Diogo
Antonio Feij Snr. Presidente da Provin-
cia de Pernambuco.
Cumpra-se, e registe-se. Palacio do Go
verno de Pernambuco 14 de Maio de 1832
Paes de Andrade.
.

8,
eorregpoiDetreta.
Na. Editor. Ser possivel, que ten-
do tao prvidamente Nosea Constituicao
nos f. .32, e 33, artigo 1T9, titulo 8 ga-
rantido a juventude Brasileira a instrucao
primaria gratuitamente o que aqu leve in-
mediatamente lugar pela creacao de hum
Liceo, eeteja a mais de dois mezes ali sem
exercicio a Aula deprimeiras Letras? Que
fatalidade! Essa he que he a moderacao.
Por ventura acaba rao-se as travs, que por
ter cabido huma daquella Aula, nao baja
outra para ihesuprir? O Tren* Nacional
nao ter obreiros para esses conserto ? Nao
Jhaver outra sala\ onde por em -quanto se
1 Aula ,? Ou ser, couza de pouca mon-
^
f\k a i nst ruceoslos riossos jovens,em qum
. somonte ten/a Patria dopositado suas es-
peranzas tJS estas refljxoes Snr. Editor,
merecerem aeu apoio, ^Tgiie-se nseril-as; $
porque dispertando assiiia..pes9^aa queiir'
tal encumbe, brigar muito cofliftilfl,-
Seo assignante'
O Pai consternado.
abto$&oon*eio.

o
O Brigue Portuguez Luiza sai para
Lisboa no dia 12 do corrente.
**
ANNUNCIO.
Ajanha saldr o 7. c N. do Carapu-
ceiro, tractando dos pescadores, nao de
p.ixes, mas de empregos, ofticios &c. Es-
tarao ven la nos lugares anunciados. Ad-
v( rte-se qne os Sur. que quizerem subs-
crever para o'inesmo, ha,o.de o fazer, de
clarando suas moradas com individuacao
das ras, e Numaros das cazas, fim de
nao ha ver falta na dis'ribuicao.
a Carga
Para a Baha
Al
ansa N. S. da Penha, segu via-
gem at 20 do corrente ; quero na mesma
quizer carregar, ou ir de passagem (para
o que tem excel lentes cmodos) dirija-se a
bordo da mesma, ou ra da Cadeia N.
57.
a frete.
Para qual quer porto do SL
3* A Lanxa S. Joze Voador; quera
a quizer frotar, ou ir de passagem, dirija-
se a praia do Colegio a bordo da Lanxa da
3 paos.
CieiiDag.
T

M negro de 25 annos: na ra do Ran
gel D. 18.
3* 2 negros, um cozinhciro, a excep.
.cao de macas, e outro trabalhador de en-
xada, eganhador: na ra do Queimado
loje 2.
(hj" Urna prrta fi 25 annos, c un? mo-
leque de 16 capinheiro, e ambos coziuliao
o diario du urna caza : as Cinco Puntes
D. 14.
3" 1 rede grande bordada de azul do
millior gasto, I carteira qnaie nova para


M
r*"- '.
f^mmmmmmm^mi


I
XT


*
L
\1 pessoa, 1 talim ferragm amar/l quze
novo de como de lustro, l s*ltnl| usacl e
seus pertenccs, obrajdc Q xo^e impres-
so franeeza, Diccionario Grego, Trata-
do Theologjf. pcwHLarraga reformado, e
conJfcjj*fa*^na ra da Cadeia vclha N. 51,
Luanda!
3- Panos azuis finos: na ra da Ca-
deJveTna N. 5.3.
fcdh 30 Tonelladas de carvao de pedra :
na ra da Cadeia do Recife N. 18.
3* Urna propriedade denominada o si-"
lio dos Prazeres, que confronta com o at-
trro dos Afbgados, boje danominado ra
Imperial, a qual propriedade lie desalaga-
da das mares por m methodo aluda deseo-
nhecido, o que toma este terreno coxuto
no invern, e fresco no verao, e por neo
mui fecundo em todas as estacoes do amo,
o que apezar de nao estar anda de ledo
abillitado para a cultura, ja se Oteara uas
pantacoes que tero de capim, roca, e ar-
roz &c. Este terreno tem capacidade para
se edificaren! na frente daquella ra pelo
menos 150 cazas; ten} no centro, feito na
mellior ordem, e semetria um profundo, es-
pacose e extencissimo logo d'agoa doc<, he
cirquitado d'um vellado, que cria abun-
dante peixe d'agoa salgada este vellado
ja veda completamente a entrada aos ani-
maos cja tem a par principiada urna pa-
tacao de espinho ( que est o'mais lindo
possivel ) e esta-se criando n'um viveiro
qUanto he suficiente para feixar tudo, de
forma que dentro d'um auno, fica a pro
priedade igualmente vedada de devacidao
da ra. Os fundos desta propriedade com-
prehendem todas as lillas que ha entre elle,
c a denominada do Nogueira, e tem do
privativos canaes dependentes de navega
cao, que alte raudo-se as extremidades (o
que he facillimo, como o anunciante mos-
trar) fica cada um delles sendo um viveiro
mui superior ao mellior de Pernambuco.
Alein destas tao vantajozas particularida-
des, tem outras umitas queja mais se acha-
ran em outra parte aonde se possa criar
lima igual propriedade, tanto no que res-
peita ao til, como ao agradavel. Se pa-
recer algiim ros pertendentes, que este
anuncio con tem termos exagerativos, oan-
nuncante I be roga baja de suspender oseo
. juizo ate que a par delle entre na mesma
' do junio Ponte don Affogados, defronter
do otn que mora o Juiz de Paz.
u,
ecmipra&^
'
Ma cmoda estando em bom uzo: a
nuncie. ^
C^ Urna tipia em bom uzo ; anuncie.
H
A para a lugar raer vos de ambos os
S( exos para qualquer servico nesta Praca ;
na ra de Ortas D. 61, das 6 horas da
manha ate as 9, e das 3 da tarde a' as 6.
#er&a&
X EitDEU-se no dia 5 do oorrente da ra
do Uangel at a Rebeira urna argola d
grisolitas cora aro e forra de ouro polido,
quem a axar e quizer entregar dirija-se a
ra do 9ueirr.ado D. 10 que ser gratifi-
cado.
3* Perdeu-se na manha do da 7 do
corrente, das 6 horas e meia at as 7 e
meia, desde o Recife ate S. Amaro urna
espora de prata, quem a ti ver axado e qui-
zer restituir a G. Boilleau, na ra da Ouz
N. c 60, receber o valor da mesma.


A,
acfca&og.




_Chou se urna escuza, e vanos papis
dentro de urna caixinha de flande ; quem
for seu dono dirija-se a ma por detras do
Peixoto D. 3.
3* Achou-se um cvalo; quem for seu
dono dirija-se ao sitio por detras de S.Gon-
eallo da Boa-vista, que dando os signaes
certos lhe ser entregue.
SUrtlo* particulares
I Aba obter o seu passaporte, Anto
nio Joze de Miranda Falcao anuncia,
que tem de fazer urna viagem Europa.
3=- Francisco da Roxa Wanderleis par-
tecipa a todos os credores do seo talescido
Pai Manoel de Barros Wanderleis, que se
acha authorizado por sua mai D. Maria
Lins Wanderleis para com elle ajustar su-
as contas, e por isso convido aos mesmos
credores hajam de comparecer na caza de
f
iwppriedade, Quem a pertender comprar
pode dirigir-se Antonio Silva dos Praze- sua residencia, na ra Nova D. 32, ate o v,
res Periroza, morador no primeiro sobra- dia 14. S
>


tJs herdeJros da (decida Mafia % |< .Martirios sobrado Joanna Xavier-^
neeicao iazeHl cente ao publico que pes- da Peoha^ qtjal tem* um'sitio comas
s 'exigidas* no referido anun-
soa alguma faCa trato, e nem compre ao
crilo mestfe'pedncira Joze de Mattos Sil-
va, fe|3jmorautt**de cazas terreas na fu
to Padre italiano N. 4go\ D. 10, visto
AOtle secadia em litigio f anulaeSo com o
"^inesmo predio.
3" Joze Jaquim Pefeira Braga, Joa-
quim Martiiis Ramos, Justino Antonio Ba-
ptist, Joze Manoel Lins com sua familia*
Joaqun* Pereir#Leca, Bento Correia de
Mello, e Antonio Pinto Das retiro-se des-
?a Provincia.
.{3* Quem percaar de um caxero Bra-
zileiro que sabe 1er, escrevr, e contar, e
de bons costumes; dirija-se as 5 Pon tas
D. 7.
3" 0$ Snrs. Joze Gregorio rde Mofa,
C Joaquim de Santar que anunciaran re-
t rar se desta Provincia, queiro quonto
4ntes ifcm pagar o que devem na loje de
ferrag defronte da Igmja da Madre de D-
os N\ 201.
$3* Joze Lopes de Oliveira pertende re-
tirar-se desta Provincia com sua familia, e
por isso roga a todos osseus credores Iiajao
de comparecer na Caza de sua residencia
ra' 4os Tanoeiros, de 1 ato as 3 horas da
tarde.
3* Quem tiver para alugar um preto
que entenda bemjo servido de urna pada-
ria dirija-se a ra Nova ). 20 ou anuo-
ce.
03* A pessoa que anunciou no Diario
5 do correte querer 5000$ rs. a juros
dando hipotofeca de cazas; dirija se a ra
das Trincharas N. 10.
fc3* Quem petcizar de um caxero Bra-
zileiro para venda Ou armazem; dirija-se
ra do Cotovello caza N". 373.
C=3* A vi uva do falcscido Manoel Joze
Nunes, a\ iza por este Diario, que a caza
de sua rezldericia he na ra de Ortas N. Q
13, indo do Carmo para os Martirios.
$3* Quem tiver para alugar um preto,
que entenda bem do servico de urna nada-
rla; anuncie.
3* A pessoa que anunciou o Diario
de quarta teira 3 de Junho precizar de um
sitio perto da Prac,a com caza para peque-
a familia, e que nao excederse o arrenda-
mentoannual de 140#000; dirija-se a ra

Circunstancias exigidas
Ci. 4 Jt
C^ O abaixo assigoa^o vendo o anun-'k
ci no Diario deterja feira 3 do>gKirjnIf n.
.397 feito pelo Senhor Francisco'
de Oliveira em o qual precipitadamente diz
que pessoa alguma contrate negocios com
o abaixo assignado sobre seos bens, pondo
com sto o. p ublico em decizo sobre a sua C-*
ducta ath" agora illeza he por isso niesmo
que o abaixo assignado se ve na preciza
obrigacao de declarar que se posto esteja
prximo a fajecr vagem para Portugal a
tratar de seus negocios nem s deixa a sua
caza no mesmo giro o que fez publico no
niesmo Diario N. 396 acrescendo tero a-
baixo assigna de seos credores oflferecendo llus oseo paga-
mento em fasendas sem que para saldar to-
das as suas con las fbsse precizo outros bens
ou predio que o abaixo assignado possue,
posto que o abaixo assignado em qualidade
de iudocantc das letras que o Senlior Oli-
veira trata em seo anuncio, si ja seo deve-
dor e este o aceitante que he o honradissai-
mo Senhor Francisco Paz Brrelo beni co-
nhecido em possibilidndes e probidade de
quem hora o abaixo assignado recebeu ^ar-
ta em que hes affirma vem tiesta Prac;a al
o dia 12 do corren te para desoierar o a-
baixo assignado das referida* h tras, e qua-
do isto assin nao acn teca pode o Senhor
Olivjira ticar cerlo que todos os b^us doa-
bavto asignado e*tuo, e tico livres e des-
ea oaracados em poder de seus procurado-
ras para sapti*i.<;ao dv seus credores, entra-
do no numero d'estes o Senhor Oliveira a
quem nao pode dtixar de estranhr ^ pa*
so que com o seo anuncio dco em meo des-
abono azendo de mim um conceitoque ja
mus merec.
Joo Antonio de Castro,
j
e^crabo fugDo^
Oaquim congo, bastante fula, bem la-
dino, baixo e cheio do corpo : tem princi-
pios de pedreiro, capateiro, e tocava cai-
xas de assncar ; fgido em 5 de Junho :
Prac.ii do Commercio a Joze Francisco
Rebero de Souza.
v4
Pkbxambcq #j TjFOfMjtrupo D/4B10, ItiffA do Sol D. 1. 1832.
..... -
y;




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAYQNIWSR_4MYAZF INGEST_TIME 2013-03-27T15:29:41Z PACKAGE AA00011611_01687
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES