Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01686


This item is only available as the following downloads:


Full Text
VN DE 18.32/ QUINTA ^ rlA 7 !>/ JUNHO NUMERO 30$' */

i

N
n;*^a!ment?a;,)r. adiantados, na T'{-..-irafia do Diario, ra do Sol D.'lj onde e rec^ern cofresponden?
as, e
r-. est* n>iroin-sc ffrrv-rbdn dos |ropriosasM2rtHi(essome>te<' vinio assignados. Os anuncies, uc nao brem dos atssik.
devora alem das d uwis condicoes, pagar pur cada liriha iuipressa 40 j. *
,.L-'. .'..
Quinta S- Roberto .Audiencia do O. do Cr. de m do O. do Civ.
Ch- de t. P. as 11 42 minutos da rianha.
Sexta .S. Salustiano Audiencia do Ouvidor da Com. de manir e
do Ouv. do Civc! e Cli- de t-Preamar aos 30 m. da t
Tildo agora depende de non mesmos, da noswt prudencia, mo
deracao, e energa; continuemos como principiamos e seremos a
puntados com admirarlo entre as Nar,6es uiaii cuhas.
Proclamado da Astetnblea Qcrml do Bratil.
9W8reM0 em pernambuco por antomno %m De S&itanu falcao
-
-*&#&#&#&*-
D
ART1GOS DE OFFICIO,

IA-me V. Exc, que Dezemb&rga-
dor lie agora Relator da Junta de Justina
a fim de Ihe remetteros Prbcssos, que ex-
istan na Secretaria dest Governo. Dos
Guarde a V. Exc. Palacio do Governo de
Pernanibuco 8 de Maio'deT832 Francis-
co de Carvalho Paes de Androide Illm. e
Exm. Senhor Francisco Joze de Freitas,
Chanceller da Rellano.
Convindo reunir-se no da 10 do cor-
rente a Junta de Justica para o julgamen-
to de processos militares; haja Vj. Exc. de
nomear os trez Dezembargadores, que a
ella deven aswistir, prevenindo logo a subs-
tituicao daquelles, que sendo nomeados por
algum incidente nao possao comparecer,
para que desta forma nao deixe de ha ver a
referida reuniao. Dos Guarde a V. Exc.
Palacio do Governo de Pernambuco 9 de
Maio de 18.32Francisco de Carvalho
Paes de Andrade Illm. e Exm. Senhor
Francisco Joze de Freitas Chanceller da
Rellacao.
Expediose igual ao Commandante das
Armas para nomear os trez VogaesMilita-
res.
Nao tendo sido possivel reunir-se a
Junta de Justina apezar das reiteradas con-
vocaeues deste Governo, e acabando de
representar o Commandante das Armas
desta Provincia, os inconvenientes, e ma-
les que resultao de urna tal ommisso; cum-
pre-me fazer sciente a V. S, que no da
quarta feira 16 do corrente se deve effeitu-
or impreterivelmente a reuniao da uiesma
Junta para dar expediente aos seos traba-
Ihos, e com preferencia jirfgar os Procesaos
dos Officaes pronunciados, e ha mu toja-
sentenciados em Conselho de Guerra pelos
aconteciments deNovernbro do anuo pr-
ximo passado. Dos Guarde a V. S. Pa-
lacio do Governo de Pernambuco 14 de
Maio de 1832 Francisco de Carvalho
Paes de Andrade Senhor Dezemhr^- ,
dor Tiburcb Valeriano da Silva Tavares,
Vogal da Junta de Justina.
Expedio-se igual ao fea^mbargadGr Jo*-
ze Libanio de Souza.
&
Correj3poriDfncta

-:

--

>
Nh. Editor. A tberdade d imprerf-
sa he tao salutfera, que cura ath a inferV
nmlade crnica^ e eu quero ver se aplicV
cio por meio de seu Diario, cura a ardriv
te febre da arbitrariedad* do Senhor Com*
maridante Geral das guardas Munieipaes.
Poranto rogo aYm. que por obsequio
queira inserir na primeira occasiao que fot
possivel estes toscos pensamentos, porem
vertfadeiros. Nao haConsticao boa, nem
Leis saudaveis, que faca feliz urna Nacaa .
quando a.autoridade toe o primeiroem tras*
gredillas. Hetobetrt mnegavel obom re-
sultado que tem produzid a Criado das
guardas Munieipaes, e Nacionaes, 11 me
mio de segurar a tranquil lidqde publica, e
garantir os direitos individuaes, em come-
quencia desta verdade, muitos Cidados eo-
correrao voluntariamente a s alistarem ;
nao no interesse do sold, mas sim de coa-
djuvarem com seos servidos para a salva*
c,ao de su cara Patria : e persuadidos qe
seriao tratados na conformidade'dos artigas
estabelecide* por Lei para rgimen de^ai*^
uividuos qae sentassera pra$a; porerL^^X^


*f* '
---------



(1564)

prguttio do authoridade, o grande sold, e
mais pingos de cera, e costume de tratar e
gjovernar escravos de engenho, tem-se
constituido o Senhor Commandante Geral
hum quero por que quero: nao ha falta
que mereja se nao prizo de calabouco de-
wuaixo de chaves, e para mais castigo sem
agoa, nem luz; cstao assim os calabou^os
cheios daquelles incorregiveis, como elle os
davala; aconteceo que um soldado montan-
do guarda no dia 14 do corrente Maio na
Fortaleza das 5 Pontas, e sahindo de sen-
tinella as 10 horas da noite, e nao tendo
ondese deitar na guarda por ser a tarimba
mui pequea para os individuos, e ja ocu-
pada toda por outros que j dormiao, dis-
se o soldado ao Cabo da guarda que hia
deitar-se iio quartel do Sargento Braz, que
dista va do corpo da guarda 30 a 40 pas-
sos, e que quando osse as 4 horas que he
quando. jhe toca va a sentinella o acordasse
no dito quartel; o Cobo porem ouppr pre-
guissa, ou por maldade o nao oi acordar,
pu>an o nutro para a sentinella ; e acor-
dando, o referido soldado as 6~horas, fez a
sentinella por aqulle que tinha feito a sua;
.por esta falta sendo a primeira, e alias um
soldado bem nascido, e /educado por seos
paiz com estmulos de sentimentos e patri
etismo, foi;lqgo przo para um dos cala-
boucos daquella Fortaleza, debaizo d x -
.yes, sofrendo mais o castigo de se nao ad-
ministrar agoa nem luz, e nesta prizao foi
^conservado 8 dias, ath" que o Conselho de
investigacao o julgou sem culpa deproces-
so, sim de repreheneao particular; como
consta do documento junto, que Vm. o pu-
blicar, com esta para que o publico venha
no conhecitucnto do carcter e nstrurcao
;que tm aquelle Senhor Commandante Ge-
ral e que promove estas e outras arbitrarie-
dades? descontntame tos, desuniao, e se
.retiraren* do servido cidadaos dignos delle.
X Official honrado quando sofra pretiricoes;
vque dizia antes oom honra merecer, do
que sem mritos cocseguir. Basta por o
ra, torna re i se for precizo, e tetilla Vm.
paciencia, que sem ella nao se pode ser
escritor publico.
, Un seo Assignanlc.
._ .
.LfcM. Sur. Presidente do Conselho ~
JXz JoaquiVn Miguel Cavajeante Soldado
^da 6. Companbia do Corpo de Guardas
Jndupijraes permanente que a bom do seo
i i. i
i
direito se Ihe faz precizo que V.S. lhcma
de passar por Certidao a deliberaban doj
Conselho de investigacao que se procedeo l
ao Supplicante por.utanto Pede aV.i
seja servido mhdar paesar a cetdao reque-
rida E.R.M. -Desp.-O Conselho^>^da
parte dada pelo Official de Estado Maior,
contra o Supplicante julgou que a falla
mencionada na mesnia parte esta va com-
prehondida no Artigo stima do Decreto
Regulamentar de vinte e dois de Oulubro
de mil oito cefttos e trinta e dois, na parte
mnima que manda reprehender particular-
mente ; e que por tanto nao tenha lugar o
Processo contra o SupplicanteSalla das
Sespoes do Conselho em vinte e cinco de
Maio de mil oito centos c trinta e dous
Barros^ Presidente do Conselho.
&
>Nn. Edictor.-- Tenho a honra de ro-
ga-lhe o favor declarar na sua muito hon-
rosa folha que o motivo de nao acodir os
brados de nnha imito amada Patria, e
^presentarme- a S. Exc. como he do meu
dever, foi e be por molestia grave que me
asaste desde Janeiro, como tis ver ao Sr.
Tenente Coronel Afss, com attestaeo d>
Medico o Sr. Pinto, e como no mez de
Marqo conhecesse que hia a peor da infla-
macfi crnica que padeco no tigado; reti-
reime fiara Ipojuca onde me acho, pois
como son soldado Obediente pasto ja a en-
viar as atistales de niinha molestia, para
qvie S. Exc. nao estranhe minha pronqiti--
dao. Son Sr. Edictor de Vm. venerado &v.
Manocl Leocadio de Mira Wanderlet.
Apidante de Melicia.
Ipojuca 20 de Maio de 1832.
^3Nr. Editor. Tenho pasmado avisU
da noticia, que por aqui algumas pe*sos
milito acintemente teni espalhado a respeito
da Expedirn que marxou para S. Antao
em seguimento do nefando Torres Galindo,
isto \ que essa Expedieao tem cometido
toda a qualidade de excessos e barbarida-


*
ei
Declaro sob minha palavra de onra que
essa Expedico nao se tem portado como
se portaran desciplinados Soldados: porem,
nao ten platicado excessos, (ao menos no
meo Destrielo)-porque netividade, e hon-
ra do Commandante da mes-ma, o'.Capito
Joze Francisco, Vaz de Pinl\p Carapeba,


-*--
. -

)
-*-
r^T

-----TT!
ir i *"
f (1565)

'

i

,e dos offieiaes por elle empregados na9 de-
licencias mais melindrozas, tem obstado a
tudo e por sao as^essoas probas de meo
Referido Detricto esfio muito sastifeitas com
a conjuga da h miada Expedido, e mui-
Jpfrffflfjyalmente do Commandahte o refe-
rido Capitao Carapeba, cujo patriotismo,
bravura, e moderado o torno estimavel,
e diglib da amizade de todos os homens
honrados: Tta-ge taobem feito dignos de
particular estima, alem de outros Snrs. of-
fieiaes, oujos nomes ignoro, e por isso os
nao publico, o Capitao Fortes, Tenente
Pedro Alexandrino de Barros, Secretario
Fonceca Capibaribe, Ajudant? Vlela,?Al-
eres Pinto, c Axioles, e o Capitlo MaWl
Cava I cante.
_ Sur. Editor queira publicar esta declara-
do que ra abono da verdade Ihe dirige
Seo Venerador
Felis Justino Correia de Miranda.
Juiz de Paz de Cravat.
3r$c0&ocrreto,
O Briguez Porf. de que Capitao An-
tonio dos Santos Rocha, sai para Lisboa no
dia 14 do crrante.
THE A TRO doRECIFE.
Iloje 7 de Junho.
'Beneficio de Trajano Baptista, cIgnacio
Joa quim Profesores d Orquestra do
mismo Tkealro.
A:
CjLSsim qu torem 8 horas, se exccutar
a ove lima^Semirames em Babilonia, se-
guirse a Beprezentacao de urna grado-
za Peca denominada MAO GENIO, e
BOM CORA^AO. Esta insigne Peca
urna traducao ftalianna das do nieihor gos-
to moderno, tanto pela critica, e Moral
queemsi encerra ; como pelas jocezas Sce-
nas de que he entrexa^ada. No fin do 1.
acfo se exccutar a overlura Scijjiao em
Cartago, no hm do 2. c Italianna em Ar-
gel, no fin da Peca o Duto Quero ou-
rm sCoNniqonNS, depois a overtura o
Barheiro de Se vilha, rematando o di ver-
timen to como Entremez o Veliio Per-
seguido, no qul se cantar nma nova
Aria perlifcente ao mesmo EntremeZ, e
anda nao ouvida ncs'e Thealro. He este
o Espectculo que os Beneficiados esco-
iherao para nprzentarem a seos benignos
Patricios, esperancados em que sera o con*
templados no numero daquelles que tatas
vezes tem sido benignamente acolhido tao benemritos Concidadaos.
JSauotf-a Carga/ V.J*
PaAa X Baha
Segu viagem no dia 12 do corrente
a feumaca S. Miguel Cap. F. Caetano de
Almeida; quem nella quizer carregar ou
hir de passagem dirija-se a sen Consigna-
rio Manoel Joaquim Ramos e Silva.
T,
densas.
Ocinho em arroba?, eem riieias pi
pas, e feijao fradinho, tudo bom, e prxi-
mamente chegado: no Armazin da ra
da Madre de Dos N. 205.
(3* Uin moleqiie de 12 armqs muito h-
bil para servir; em Olinda ra do Coixo
N.8.
3* Robe Anticiflcto da primeira quali-
dade com os s^us folhetos como he de cos-
tume: na ra da Guia N.c 16.
(S" Duas negras de 14 annos, engomao
liso, lavao de sabao, cozinliaosofrivelmen-
te, urna taobem se troca por urna preta da
Costa, sendo boa, e nutra a dinheir cor-
rente : na ra do Muro da Penha D. 6,
das 6 da manha ate as 8, e as 3 da tarde.
G^3 Urna negra nova: no Quartel do>
Hospicio.
3* Muito bom fejao fradinho, e agu-
rdente d'aniz em garrafoens, no armazeui
de Joze Luiz, dinheir a vista: onde ha
urna porc.ao de feijao preto e olho de pom-
bo, mais ordinario, que se vender muito
em conta.
(3* Um escravo caiador e pintor, prec,o
commodo: na ra da Cadeia ao pe da ca-
za do defunto ezembargador Farias das
6 horas teas 9 da manha e das 2t as6da
tarde a fallar com Francisco Xavier Ca-
valcante.
03* Caf superior, feijao preto novo do
Porto alegre: no sobrado da ra do Trapi-
che n. 3.
Compra*.
U. ^.
Ma canoa de carreira em bom zo:
na Cidade d'Olinda ra do Varadouro sb-
brado N. 14. 1

N


*^^^
-

r
] <1566)
*
* 3* Urna porcSo tle tahuas velhas: a-
I
nuncie.
V.


V
.Aj^uga-se o primero, e segundo andar
e urna caza na ra da JHoeda, curt muito
bons cmodos, muito frescas, e porto de
embarque atrs; na ra do Livramento
Botica D, 11, ou na hospedara Inglesa,
na ruada Cruz a alar com Carlos Simitt.
63* Dois pretos de oficio remadores, e
canoeiros; e niesmo para outro qualquer
servico: em Fora de Portas da parte da
inar* pequea no ultimo sobrado..
3* Uina caza de pedra e cal com ou
tra casa de ranxo ao pe que acomoda sin
coenta cavalios, .no dito ranxo tobem tem
sercad de capim de planta, na estrada do
Gfqui; naj.ua Direita D. 54,
(^ mssitio: na Magdalena com urna?
boa casa de sobrado e muitos arvoredos de
espinlio e.Ierra suficiente para plantar: na
ra Velha casa que foi de Antonio da Cos-
ta Figueiroa.
33tfo0 &atftculate$.
j,
Oze Matilias da Costa, e Joze Carrei-
ro Estrela re,tirao-se desta Provincia.
3* O Cnsul de Franca nesta Provincia
ten a houra tle prevenir ao Comnierciodes-
tap*ca ;qe a Corveta Frauceza 1* Ory-
tie paie para a Baha no da 8 do corren -
te., Rara melhor commodidade dos Senho
res negociantes as caitas 6ro recebidas
no escritorio dos Senhores Eml. Ricou &
Bojleau onde a .malla se fechar no dia 7
as 5 horas da tarde.
(3* As cazas de Stuartes Brothers, e
Crablree Heyworth & C. avizao ao res-
peitavel Publico, que se nao compren? bens
nem de priineira, e nem de segunda espe-
cie, e nem mesmp Ihe paguem alguma
quantia, Bento Joze da Silva Magalhaes
por isso que contra elle tem encaminhado
urna accao pela quantia de rs. 3:764$492
(^ Os mesmos, e mais Ricou, e Boilleau
fezem o mesmo avizo,. contra Vicente Vaz
Ferrreira, e seo pertendido socio Hercula-
no Juze de Freitas, por ja terem encami-
nhado accao contra ambos pela quantia de
mais dt>4s. 7:000^000.
. 3* Stuart Brothers, eRicou e Boilleau,
avizao ao rcspeitavePubico, contra Joao
Joze Viejfa da Silva Braga por j terem
encaminhado ac^-ao p?r urna quantia que
excede a Rs. 5:000#000. ^
3" F. F. R. Sette faz piull^^uc
mudou o estabelecimento que tiima narwu
da Senzala para a do Vigario N. 32.
3- Troca-se por urna preta ou um mu-
leque, um preto bom serrador; na ra da
Madre Dos caza N. 195.
3* O Alemao, que anunciou querer ser
caxeiro, ou feitor dfrija-se a ra da Cruz
N. 9.
(^ Quem for Sr. de um escravo que se
acha prezo na Cadeia desta Cidade de ne-
me Joao o qual fui prezo no dia 2 de Ju-
nho do corrente com um furto ; declare a
sua morada ou dirija-se a ra do Rangel
venda D. 26 na esquina do beeodo Cara-
reiro.
3* Segunda e ultima vez se faz scknte
ao Sr.-Francisco de Paula Fernandez, ou
herdeiros de Joze Joao Fernandos, que o
armazem Ni c 6*6 na ra dosTanoeiros es-
t desoecupado desde o dia 18 de Maio
passado; e visto que nao ha quem receba
as chaves protestase nao se-lhe pagar o a-
lugnel aleni daquelle dia.
3* Quem anunciou no Diario de 5 do
corrente N. c 397 querer fallar com Do-
mingos Rodrigues do Passo, pode-o procu-
rar na- ra da Gura em sua casa N. 16,
athe as 9 horas da manh.
3* Qualquer pessoa que precizar de*
um Proffessor de Gramtica Latina para
ensinar em qualquer caza particular anun-
cie.
3* Quem quizer dar 1:000:000 de rs.
com premio de 2 por cento, com hipoteca
em urna parte do engenho Larangeiras a^
valuado em 5 contos de rs.; anuncie.
3* Quem tiver para alugar um primei-
ro andar de um sobrado tendo cuzinha e
que esteja em bom estado, sendo no bairro
de S. Antonio ou Recife nao excedendo de
dez mil rs. ; anuncie.
3* .Quem quizer um rapaz Brasileiro,
9 annos de idade muito esperto e hbil pa-
ra loja ou venda gratuito so com a peneao
de o vertir, e ensinar a 1er dirija-se a Ci-
dade de Olinda ra do Varadouro sobrado
N. 14.
.
*

PMBJJMBCO Jf TlPOQHAFld DO DjJRlO. RA D9 Sol D. 1. 1833.
............%:...........- --
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJP4ZTHG0_L58P18 INGEST_TIME 2013-03-27T14:48:21Z PACKAGE AA00011611_01686
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES