Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01680


This item is only available as the following downloads:


Full Text
iMmr ---.....:- ----'-'----------^-^-p-^-^i
^# ANNO DE 1832.
f;
QlTARTA FERIA 29 DE MA1

(HtrS9KT!RiSti3BRUirfla
y*1
i
Si!jscrve*e mirisaTmnte a tU) r. adiantados, na Tipografa do Diario, ruadoisol D. li onde sa rcceliem. cotrespondcmnas, e
J^oio<: fistes iasircrn-si; gratis crido do proprios asisrnarfles comatee virido asignados. Os anuncies, que nao forem dos assig-
Untos deverao atenidas de mais coudifjoes, pagar par cada linha impressa 40 Tf.
V
*

Quarla- ft Fernnndo Aud. do J. dos F> de m. c do V G. de t. P-
. as 4 h. 54 nv dat.
Quinta j4sccn>n do Sru.'/erG.iarda preamar as Choras eC
mieulos dainanha.
Tudo agora depende de nos mesmos, da IfMsa prudencia, bio
deracao, e enerara; continuemos cenio principiamos e seremos a-
pontadus coin admiraeo entre as Naeoes mais cultas.
Pruclamaco da jnsmblea Gemido Brasil.
%xnpttMotm pemambuco por antomno 3io?e oc transa jfaicao
*&&o&*-
A
"
Pesar de sor a estaban propria de
el Mi vas, cowi hido como ja tenhao passado
. excesso, causando nao pequeos pre-
juizos esta Provincia, principalmente f
ra da Praca, onde as continuas enchentes
de rios tein destruido pontos, derrabado ca-
sas, arruinado lavojras, e, o que he mais,
occazionado mortes, e sendo do de ver de
todo o christao pedir, e rogar Deus, piin-
cipaluiente as calamidades publicas, por
isso os Reverendos Parochos em suas lia*
trises, e os Reverendos Prelados nos seos
Conventos faro preces por trez dias suc-
cessivos, para obtermos do Senlior Deus das
Misericordias a moderacao deste mal; e to-
dos os Reverendos Sacerdotes di rao as
Missas, que nao forem de rito classico, a
Qrncao ad postnlandam srenLatera
que principia ad te nos, Domine, claman-
tes fim de que o mesmo Senlior se mos-
tr propricio s ripeis suplicas.
0 Padre Domingos Germano Affonso
Re g ueira.
Fre Carlos de Sao Joze.
(invernadores do Bispado.
Vede-senos a publicando do segumte Do-
cumento.
L
D^renco Joze ribeiro Bcharel For-
mado em Leis pela Universidade deCoim-
bra e Secretario do Supremo Tribunal de
Justica &c. Certifico que nos autos deque
faz menso o requerimento retro se acha
proferirla a sentenca, cujo teor lie o seguin-
te 'Quoixa-.se Joze Mara da Cunha Gui-
mara.'s dos Desembarga dores da Rella<,*ao
ta Peni ambuco Antonio de Azevedo e
/

Mello, e Gregorio da Costa Lima ftelmon-
te, por terem proferido varios Aecordaos,
(fue Ihe foriin. contrarios em Aggravo de
petico, un execucao, que corra entre
partes, afirmando, que aquellos Accor-
daos oro obtidos com arbitrariedade, vio-
lencia, infracto de Lei, e erro de ouicio
dos ditos Dezembargadores, denuncindo-
os por isso de peculato, e concusso, e de
ler recebido o Dezembargador Mello bum
barril de paius, bum de presuntos, e outro
de vinho, reconliecendo porem o mesmo
queixoso, que o Dezembargador Malbei-
ros, que fora tobem bum dos Juizes da-
quelles Accordaos nao tivera parte nessas
prevaricaeoes. Fundamenta a sua queixa,,
e denuncia na copia, que aprsenla dos
autos em huns impressos publicados na
Cidade do Recife, que desabonao aos re-
feridos Dosembargadores e em os juramen-
tos de testemunbas, que a,i prese ntou, so-
bre o que sondo estes ouvidos, c tendo-se
procedido ex officio as deligencias man-
dadas faser por despacho do Juizdo Feito,
e Portara folhas quatro, \e se desmentido
pelas proprias, de quem as testemunlias do
denunciante dissero ter ouvido o que de-
poserao, e tudo quanto aflirinarao, depon-
do em abono dos denunciados as testemu-
nlias de reconliecido crdito em vi rinde do
despacho lbllias Lrez. Quando nao exislis-
sefli este9 fundamentos era sobeja a encom-
petencia, e falta efe jurisdicao do Juiz, que
recebeo a denuncia, e formou este proees-
so, porque nao sendo elle Venador Propri-
etario, o que mostra a Ccrtidao folhas (|ua-
renta e qnalro verso, nem estando por isso
exercendo jurisdicao alguma ordinaria,^ c
territorial, no podia ser considerado Juiz
\
y.
^w
nz
-.
DATA INCORRETA NUMERAQAO INCORRETA
p^1


Competente, pois que lhe faltava a quali-
- dade de \Tuiz territorial, o qjal com todo
oxistia no Ouvidor da Commarca,na hipo-
tjiese mesmo de se ter declarado suspeito o
Juiz de Fora pela Lei, e nunca crear-se,
ou chamar-s hum Juiz adhoc que he
/huma verdadeira Commi^sao prohibida pe-
la Lci. Nao se provando pois o inculcado
pcculatu, e concusso, nem competindo
das decises outro algum recurso, fora do
que est marcado na Lei, julgo impro-
cedente adenuncia. Rio virite tres de
Marco de inil oito centos trinta e dais.
Douto'r Figueiredo Machado de Miranda
- Albuquerque-do que para constar pas-
sei a presente certidao em virtude do des-
pacho retro, aos vinte nove de Marco de
wiiMto centos trinta e dois. Q Secretario
Louren(;o Jone Hibeiro.
,
L. 1
Corregiwn&ctrcag
3iV. Editor Ninguem duvida quanto
interessante ao publico a bondade das es-
tradas; mas, assim como outras imitas
ouzas, nos estamos muifco longe de as ter
mes, j nao digo boas, ao menos sofriveis.
E nao ele admirar, que as desses matos e
certoes sejao intransitaveis, quando o sao
exuberantemente as que ficao s ]>ortas da
Gidade. Luiz do ttego foiaprimeira Au-
etoridade tiesta Provincia, que se lembrou
de reformar ai estradas dos nossos suburbi-
os, e-opoz em pratica faaendo derrubar
cercas e muros que as aftiavo ou as tor-
navao incommodas. Mas Luiz do Reg
teve attencues proprias do tempo eda natu-
reza do seo go verti: em muitos logares as
estradas ficarao como d'antes para nao in-
commodar o Senhor Fuao ou o Senhor
Beltrao. Agora que nao tem lugar essas
etteiicoes; agora que pelo que me parece
as Cmaras Municipaes devrm remover os
inconvenientes das estradas sem attender
gbstos particulares, de esperar que ella
atienda ao que lhe vou ex por. A estrada
que p issi pelo Manguind tal que com
esta invernada nao os cavallos dos nossos pobres almocreves a-
ti se estropean, e assim todos os mais, e 6
precizo dar urna volt a longa para nao ca-
lar no atoleiro que ali se tem formado, e
tudo sto se remedeavH largando a estrada
com terreno do sitio do Dezembargador
I^acid Monteiro, pois que ali a estrada
teiri menos largura do que a marcada as

i

f
posturas, e do outro lado ha edificios mais
dignos de attencao do que um muro. Eu
nao digo que se faca com o Dezembarga^
dor o que Luiz do Reg fez com esses pro-
pietarios de sitios por ah IJgjas compnse-
se lbe o que se lhe tirar, cue-ae aopubfqg
a commoclidade que reclama, e se lhe de ve.
A nossa Cmara pois a quera nao falta
zelo pelo bem Publico-tome isto em consi-
deracao, e aplique o remedio que julgar
mais conveniente, satisfazendo assim aes-
pectativa dos seos concidados, e a deste
Seo venerador
Que mora nos suburbios.
KjNit. Editor As pessoas que mais f-
cilmente se propoem a menoscabar o cr-
dito de outrem; sao aquellas que nao acho
obstculos, em commetur indignidades,
quando com razao deviao ser argidas, an-
ticipadamente se fazem arguentes, mas
grac,as a Providencia que nos acharaos em
Paiz que a Liberdade de imprensa permite
se patenteie a verdade. O abaixo assigna-
do comprou ao Senhor Nuno Mara de
Seixas porfo de urna fazewda, e qiando
este Senhor apvcsentou sua conta, e to-
mando quintaes Inglezei como Portugue-
ses o que redunda differen^a coutra o a-
nunciante em mais de dois contos de reis
Ora pelo N. 391 de 28 do correle de sua
folha o mesmo Senhor Nuno dr-elama, e
protesta, contra qualquer transaccjio qi'O
se possa fazer com o anunciante, era con-
sequencia de me achar constituido aceitan-
te de urna letra de avirltadaquaulia, rsta-
me agora responder a isto oque ta^odisen-
do, que nao pertendo f tirar -me desta Pro-
vincia devendo coiza alguma, e que quan-
do a respeito do Senhor Nuno rizesse, a
mesma letra se acha indocada por pessea
proba nacional, estabelecida tiesta Provin-
cia de maneira que na minha falta tem com
que embolce o tal Senhor Nuno, nao obs-
tante achar-se parte da dita tazenda na
Alfandega ej despachada. O maisumil-
de de seus assign-intes lhe pede aja de inse-
rir estas linlias para esclarecimento da ver-
dade.
Mamel Joaquim Carnetro LcJ.
*3Nn. Editor Faz me a fnvor de lem^
brar Illustrissima Cmara Mumoipal a
nccessiilade de cdloear quatro lampiaes-
i
r
i
i


V
(um om cada ngulo) na Praea da Uni-
| -lo, para cohibir ou mwiorar a* mal vade-
ras que ali se praticao noite? Si m'o faz,
merecer agranda, do wo venerador.
O inimige de pal ifarias.
"^ -**-
ANNNCIOS.
^o
L (
Prezideftte da Sociedade Patritica
Harmonizado convoca SessTio-para Quin-
ta ieir ultimo do"mcz as 9 horas da ma-
nila para discusso dos Estatutos da caixa
econmica, roga aos Uluslres Socios com-
pareci.
3* Moje sahio a luz o N. 12 do Fede-
ralista; vende-se no lugar do costmuc.i
at>to0 &o Corma.
O Paquete Nacional Nrger, recebe
as mallas para o Sul amauha. (31) pelas 9
horas da noite.
$3* OCorreio Terrestre de S. Antao de-
v. ci'^ar hoje (.30), parte amanb pe-
lo moio din.
THEATRO DE TARDE.
Dia 31 di- Maio.
Beneficio de Pedro Nolasco BajHista.
A,
.S.-rM que brem 4 floras da tarde, se
exeeutai a oveitura o Engao Fnrtutiato,
segu r-se4iao as milito aplaiididas e engra-
nadas sortee em volteio Hespanhol, em que
se formaro as dificultozas aparencias de
diverjas animakjos, como sejao o da Cubra,
Sapo, e Curan guejo, dt pois dos quaes can
lar se-h o Duto do Jogador, no fim do
mismo executar^sc hn a evertura o Seg
de Toledo. Reprczentar-se h. aParca de-
nominada Re.)(edto P-.ma Dezejos, fin-
liando o Expcctaculo com o Pantomimo a
fe Ha Jardn eJra. Pr< Ci jcral 180 rs.
THE ATRO DE NOITE.
A
_Ssim que forem 8 horas se executara
overtura Senrames, .seguir-se- a repre-
zentaoao de urna nova Comedia denomina-
da ./ VIRTVDE TRIUNFANTE, e o
TIRANO PUNIDO, -ov o ROUBO de
A SPA CA. Interlocutores.
Abdiquir Imperador de Ormuz, ElainirC'i-
tiadao LHiferai, Aspada F^spoza do dito,
Friene Sacerdote Impostor, Corillo Filho
do dto, Arlenor Coucen iro honrado,
Urzane ta pitia Despota, Bit-armo Crea-
i
do graciozo honrado, Estrella Brilhanie
Escrava Indiana, Faon Menino Innocente. ,
A Scena se figura em Ormuz. N'esta in-
signe Pecu, se musir o quanto lie damno
zo a um estado, mn Monarclm e^oU--
que a seo arbitrio desu/>em da'vida, e d
azenda los, aque-in manila incendiar a propria ca- ^
za, para no'meio de um to hqfrivel con-
Hito ronbar n espoza aquelie mesmo que
tantas vezes tinba exposlo a propria vida
para manter o Throno do tyrano, que era
recomponen e seos brillantes natos o re-
duzio aomais deploravel estado. Porem oh
Povos candados (letana opresso, saeoteni
o Jugo, e mostro (fue s pode ser feliz O
Moiarcha que i'azendo cauza nmftnim
com o o Po\o, Ihe mantem intacta a sua
liberdude. No fim da Peca se daneav o
Fandango Hespanhol, lindando o Espec-
tculo com o Entremez Astucias de Zan-
gvkarra. F' este o ExpJNctfto que o
Beneficiado offerece seos benemritos Pa-
tricios, a quero pela primeira vez vai sup-
plicar hajo de concorrer a um Expecta-
Culo que deve gravar niais, e. mais o amor
leiros.
c

ettraa.


. Hapas de ferro de toda a grossnra,
caixas de folhas de flandes, ditas devidros
' de todos os tamanhos, chapas de ditos de
38 polegadas sobre.*!0, diamantes para cor-
tar vidros, telhas de vidro para clara-boia,
chombo em barra, dito em lancol, e lam-
biques de cobre ja prontos: na ra da Cruz
do Recie D. 28. _
G^- Os Administradores da Caza de Jo-
ao Rufino & lru:ao, pertendem vender o
sirio da Ponte de Uxoa, e urna caza tenia
com quintal cita no Poco da Panella, per-
tencentes a mesma caza ; quem pertender
comprar ditas Propriedades compareca m
Escriplorio da Adininistra<;ao roa das Cru-
zes D. I, todos os dias uteis pelas 4 horas
da tarde. *



A.Luga-se mn sobrado de 2 andares e I
sotao no Port das Canoas, aVitando os
fundos para a marc peipiena: na ra da
Cruz do Recie D. 28.
i

\
) :


(1542>
- N,
$tttB4
I



4
O da 26 do corrente perdeu-se tim
diamante de cortar Vidros, quem o ti ver
adiado e o quizer restituir a seu dono diri-.
ja se a ra da Cruz do Recife caza >. 2&.
SUjc* #arfteutere$,
*3 Oze Goncalves de Oliveira, Antonio
Botelho Pinto de Mcsquifa, Bento Correia
de Melldf*Francisco Joze Goncalres Gui-
maraens, Luiz Joze Txeira com sita fa-
milia, Januario Joze da Silva Crespiano,
Antonio da Silva Braga, e Antonio Joze
Marroquim com sua familia retirao-se dsta
Provincia, deixando o ultimo por seu Pro-
curador a Antonio da Silva & Corop.
, fc* Rogase acs Srs. Socios, ou Socias,
do Emprzario do nosso Theatro^ na espe-
culado ele destribuir billietes do iiesmo
Theatro a titulo de Serem de beneficio seu,
queirao; ter o cuidado em os nao destribuir
se nao por pessas' bem educadas, e nao
por aquellas que o \\k6 sao; porque nao
podendo estas mostrar no ^publico urna edu-
cado qu honre as seus progenitores, nao
* razaoque sejao instadas para que ali con-
cordo cotn risco de sofrerem daquele Em-
przario a bestial,- e insultante censura que
sofrerao os meninos de que elle raton em
urna satisaca' que enteitdeo dever dar ao
respeitavel Publico, constante do Diario
t.9 340.
G-f* O abafxo assignado declara ao resr
peitavel Publico, que elle, e mais Credores
de Joze Rodrigues do Paco, litigao-sobre
cessao d bens, que este intentara fazer
plo Juiz de Fora desta Ctdade, Escrivo
Coellio; e porque os bens cedidos nao bas-
tao para nem metade do pagamento dos
credores aos quaes ficara restando o deve-
dor para mais de 20:000^000 rs; e estao
os bens da heranca de seu Pai obrigados a
afisfacSo dosd'bitos: ninguem contrete
cbrt o devedor sobre os referidos bens, pois
protesta o anunciante por si, e mais credo
res, demandallos do poder de quem os com-
prar.
Antonio Martins Ribeiro.
fcp Troca-se urna caza de trez andares
na ra da Cruz do Recife lado direiton.
15 defronte da cacimba, com pouco fun-
do ; porero de muito merecimiento pela lo-*
calidade, por cazas terreas, ou um sobra- j
do nos barros de S. Antonio, eBoa-vistas
no principio do Atterro dos Afogados lado
esquerdo segunda caza de um andar a qua~
quer ora do da. *^
t^ Manoer Pereira Lmos retira-se defc
ta Provincia, e por isso roga a qualquer
Snr. que Se julgue seu crecor compareca
no prazo de lias.
(Jet* Francisco de Freitas Gamboa Em-
przario do Theatro do Recife previne ao
Respeitavel Publico que elle achou namao
da Senhora D. Joaquina Pereira Vianna*
um papel falco de fianza de urna caza.da
dita; Senhora, sendo furtada a firma do a-
nunciante por Caetano Fernandes anca-
rino do Theatro Espanhol de Nacao; faz
o prezente anuncio para prevenir a qual-
quer pessoa que lhe fa9a a honra de acei-
tar sua firnia.
^j* Joo Mauricio Wanderley proprie-
tario dos Engenhos Gindalii, e Sacco, na
freguezia de Serinliaem; faz publico, que
por haver oiitro do mrsrno nome, d'oje em
diante s'assignarJoao Mauricio de Bar-
ros Wanderley. Recife 28 de Maio de
1832.
3* Preeisa-se ahigar huma pre'a para
o servico diario de urna caza, dando se-lhe
240 reis por dia e comida : anuncie.
C^* Precisa-se de huma lavadeira, boa,
e que se nao demore no rio mais de 15 di-
as com a roupa que se lhe der: anuncie-
AVIZO.
c
Om o prezente N. finda a subscripcao
do corrente mez de Maio: os Snrs. subs-
criptores que nao quizerem continuar te-
rao a bondade de advertir o.i destribuidores
no 1. do mez seguinte: Os de mais fi-
quem na inteligencia de que nao pagaro
mais as subscripcoes aos destribuidores, e
sim um portador particular dos recibos do
costume, sem o qual nao devem entregar
as assignaturas, como algns Snrs. fazem.
O destribuidor de Olinda porem continua-
r a receber as subscripcoes, como d'antes.
Recomendamos em geral a observancia das
condicoes ja sabidas, moeda corrente no
PRINCIPIO DO MEZ.
O Editor.
"Pmrjvjmbucq # Tipqqrjfij do Dijrio, Rvd do Sol D. 1. 1832.


1
r
i
#'M
'.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMUND7ELX_QE6FIV INGEST_TIME 2013-03-27T16:36:21Z PACKAGE AA00011611_01680
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES