Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01610


This item is only available as the following downloads:


Full Text
<
-i- V i -ii
,ANNO DE
*& dUtWWAn^
20 DE PEVEREIRO NUMERO
31
*ni fw b
*^RNAMBUCa
rjninda .*. ElffWrtoJunta da Fax. <* aud. do Out. do Cr de m.
do Out. *o Ct. e Clianc det-, *> as7 h. e 42 m-da t
TerfaS. Mixbr.Mim and. do Ouv. da Com. dcm do Jnizdc
F. de t-, e Relapso. F as 8 h c 30 m. da t.
S#!
-J?-'' .1 92
Tudo a^>re dependo de nos meemos, da aowa prudencia, mo-
derafao, e ter^a; continuemos cmno principiamos e seremos a-
pk>utadt'co'ni admiracao enfrenas Nacoes mais cultas. *
Pra$lamat;ap da Ane.mblta Gt.ul do Brasil.
imprec em ^ernambuco por Sfotmim %o$t De tirana tfalcao*
f.TH
H>.$#fc*$#0*X
A.
CMARA MUNICIPAL
Se#*/o de 10 de Feveiro d l$3.
[j*
uBr;o-se a sessao extraordinaria sob a
presidencia do Senhor Estevas, se&tfo pre-
sentes os Senhores Pire9, Brillo, Bastos,
Oliveira, Miando com cansa cri ma^
Appreseutou se o Senhor Jfcgto Joaquim*
de Miranda Henrique, que prestou jura-
mentOjj e toinou assento, cmo Vereadr.v
O Secretario fez a leitura do expediente:
hum Officio do.Exni. Presidente da Pro-
vincia, remetiendo por copia -entr do
Chanceller da Rellacao, no qual declara,
qu nenhqnj inconveniente ada, em que
se transfira para as lojas da caza da Relia-
cao as audiencias do Juizo de Fora, e Ou-
vidoria da Comarca, e sessSes da Cmara;
por tanto que poda a Cmara expedir as
ordens a fim de se effectuar a referida mu-
danza: a mesma ficou inteiraefa.
Outro, remetiendo para inteligencia da
Cmara, e execu^ao, o requerimento por
copia de hum dos Conselheiros Geraes, no
qual exige, que a Cmara faca abrir, e a*
impar a travesea, que vae da ra do Ara-;
gao da Conceicao, mandando sustar
qualquer obra naquelle lugar: a mesma fi-
cou inteirada, determinando que selhe res
pondesse dizendo, que sobre tal objecto
dera alguma providencia na sessao passada
do primeiro do corrente mezf e qije agora
acaba va (a vista do officio) de dar ordem
ao Fiscal redjactivo, pira que fazendo o
devido termo de achada o enlregasse ao
Procurador para que este requeresse ao
Juiz de Paz respectivo, a demolicjio da cer-
ca, qui imoadj o tranzito por aqueilebeco.
O.itro pjJinb, que a Cmara lbe infor-
ma*ise, se Cens^lheir Manoel Correia de
A mujo tem algum* impedimento, que o
privo ete^vir asistir ? sessoes do Conseibo,
i /i__,_ i. n 'i
ou se vz op^ao de Conselheiro Geral:
tt-rmihou, ^ie. se stisfizesse ao
Exm. "crnSsafe.
Oii^ro partecipando, qu o Conselho Ge-
ral de jP^moejay; nao- havia ap'provado o
aforamanf, -que a Cmara havia feito a
Jozefa joaquirra?do Jiycament do beco
na ra da Gloria no Birro da Boa,-vista :
enreonsequencia, a Cmara deierminou,
'ffie ficfyynx} efMtodit> Aframealo pon-
do-s as verbas necessarjatf apnde compe-
tisse, e que isto rriesmo sejizesse constar
dita. Jozefa Joaquina
Hum officio do Juiz de Paz da Bovis-
ta no qual dizi, que a raza o, que havia
para j nao estarem organizados os Guar-
das Nacionaes na sua-Jfreguezia, era o
muito. fazer do seo hiinisterio: a Cmara
ficou inteirada.
Hum do Cidadao Joze Joaquim de O-
liveira partecipando, que aceitava a.nome-
a<;ao de Inspector das escollas do Bairro do
Recite.
Outro do Cjdadp Jauario Alexandri-
no da Silva Rabello Caneca, com niunican-
do, qu havia preferido o ser Cirurgiao da
vacina a dos Guardas Municipaes pagos
para que ,fora nonieado por o Presidente
em C'onselh; e tanto deste, como daquel-
le officio ficou a Cmara inteirada.
Hum officio do Doutor Francisco Xavi-
er Pereira de Brito, partecipando, que a-
ceitava a nomeacao de Examin^pr. dos
que-pertendessem entrar no exeSRn da
Chimica Medica, e C'irur^ffca: a Caxnara
ficou inteirada.
%- ^
NUMERApO INCORRETA


-r-
rff
~r
(1293)

r _
Outro do Procurador da Carnal de O-
linda, exigindo a quantia de 400$l65 reis
que pertence ao patrimonio da dita Cama-
ra, provenientes das rendas de assugue da
Boa-vista desde Janeiro de 1818 at 16 de
Maio de 1824, quando se desmembrou a-
quelle Bairro para o'termo db Rcife : ad-
diado.
Outro do Fiscal doy Bairros* do" Recife,
eBojjvitai acortipanhad de huma rela-
cao das pessoas por elle multadas desd 20
ele Outnbro de'1831 ate 3 de Fevereiro do
correte anno: a Cmara ficou inteirada.
-Mandou a Cmara pasear rrindhdos pa-
ra o Procurador dar ao Fiscal Rodolfo Jo -
ao Barata, do Bairro de S. Antonio '200$
para 'azer as obras, concertos, e reparos,
que estao a seo cargo; ao da Boa-vista
i Francisco de Barros Falcao 100$ rs. para
o concert das cazinhas'1 da 'JPraca do mes-
m Bairro, e a Manoel- Luiz de Mello
. 228$640 rs. de madeiras que vendeo para
obras da Cmara.
Determinou a mesmaque sefficiasse ao
Chanceller, pedindo, que mandasse a lista
de todos os coridemndos por as Justinas
de que elle h Governador, hi penas pecu-
niarias com aplicacao para obras publicas,
ov\ para os presos pobres da cadeia, a fim
de serem cobradas por dProcurador as que
ainda nao estivessem reclhidas aos cofres
da Relacao.
A Commissao examinadora das contas
appresentou examinadas as do Procurador.
/ 'Marcou se o dia'14 do correte parases-
sao extraordinaria. 'Despacharao se al-
guns requerimentos e por ser dada a hora
alevantou-se a sessao. Joze Tavares Go-
mes da'Fonceca Secretado a escrevi. Este-
ves Pro Presidente, Miranda Henrique,
-Pires, Oliveira, Britto, Bastos.
m*
Corregpon&ettcta.
_OT. Editor. Desde jprincipios de
Novembro, que tenho os precisos aponta-
mentos para esta correspondencia, come-
cei a redigi-la; motivos porem rae obriga-
rao a parar com este trabalho, -e at tinha
sentado de jamis a publicar, mais como
a calumnia, a intriga, e a inveja anida
continuera a ferrar seos carnvoros denles
no Sr Paula Vasooncelos, porque car-
tas ultimamente viudas do Rio em o Pa-
quete Niger, disem, que daqui ainda vao
para l um chuveiro deilas atrosmente atri-
buindo-Ihe a rebelda da Tropa, e at (
infamia ) a Novembrizada, cujas cartas
poem nos chifres da La ao Sr. Francisco
Jacinto, nao me pude forrar ao trabalho
de a concluir, e publicar, e por isso
ci-la. # ,_, ".'..
Dsse-se que o proced ment do Gover-
no em demitir o Sr. Paula do Commando
"Has Armas desta Provi.nciivtiqve.por moti-
vo o levante da tropa destagaiarni^ao,, e o
h|>rcotmehto do'Sr. Paula nessa occaziao
comparado com o do Sr. Francisco Jacin*
to, que por ordem do niesmo Governo as-
umi aquele Conmndo : ora isto jquiva-
le ao mesmo que diser-se, que o Sr. Paula
fo directa,""bu Indirectamente a cauza da-
quelle levante, ao menos em boa lgica as-
sim se deve entender,', disdo-se taobem,
que o Sr. Francisco Jacinto foi um dos
princi paes resta uradres da ordem naquelles
dias, o que a meo ver valia mais dizer-se,
. que o Commando Ihe foi dado em recom-
pensa, e ao Sr. Paula tirado por castigo,
o que urna arbitrariedade, pois que nin-
guem pode ser punido se nao por sentenja,
salvo se a ConstituicSo qu lauto se invoca
letra morta. Passemos em resenha os
factos do Sr. Paula logo que aqui chegou,
e assumio o Commando das A rmas, e ve-
remos qual a caza motril da insubordina-
cao da Tropa.,
A tropa de Pernambuco ja se achava
suficientemente' insubordinada, nao so pelo
estando de relaxado em que avia posto o
Sr. Lemenha, o que era necessario para
os fins do Governo transacto, como pela
rusga de Ol'.nda na qual, disiao os solda-
dos do Batalham 19, se lhes prometer
mundos, e fundos, e tao verdade que el-
la ja estaVa insubordinada, que o Sr. Fran-
cisco Jacinto nos 2 rezes quecommandou
as armas teve occaziao de mandar castigar
cotn 300 ehibatadas alguns soldados, cu-
ja ordem com tudo iiao foi fielmente eje-
cutada por um dos Srs. Commandantes de
Ratalhoens, nao por conicente, sim por
urna natural bouhomia, 'e porque tal vez
contava Com os soldados para seus hns, is-
to para ser conservado no Commando,
que so a 'falta de hmens tiiiha ; mas ape-
zar de tudo o Sr. Paula conseguio chma-
los um potreo mais a disciplina, e obdien-
cia, nao so polque foi diminuindo o seu
n. ? dando baxa mais de 160 (isto at o
dia 14) ja por filhs nicos, ja por caza-
dora por molestias, e j em fim poralgum
f
*
A
\



W
P

1
<*

./-.
MM
*
***-
(1295)





\
alguns que foi dormir em sua caza no Cal-
dereiro, e so tornou a appareccr to da
IB, jalto da, e anda urna segunda vez
lhe eiitrgao o Commando da mesma gen-
te, Com a qual entra quando ja o restodos
amotinados se havia reconcentrado em Pa-
lacio velho, e a nica vantagem que fez
foi ir ata callos socorrido pelo vivojogo "da
Jfcrtaleza do Brum, conseguindo que por
nao terera ja munices, fossem presos, e u-
gissem, tempo esse em queja o Sur. Pau-
la vinha pelo aterro dos Afbgadados com
toda a-gente que pode reunir em um da.
Istoe o que fez o Senhor Francisco Jacin-
to, sainamos agora se o que lhe cumpria
como Militar, e j no posto de Coronel,
Commandando um Regiment! u bem
dezejara, torno a dizer, nao fallar nisto,
iftas taramos .a vontade a quem assim o
fjuer. Porqueirazo nao se reuna &m\
Coronel Francisco Jacinto Pereira com
seo Regiment, com as praeas que podes-
, se reunir, ou em tim so com a sua pessoa,.
como lhe cumpria ao Commandante dan
Armas ? Nao sabe que esse o rigoroso
dever de um Militar ? ~*
Nen se'diga que nao saban-aonde esta-
va aquelle 'Commandante das Armas.(por-
i .

que umita gente, e entre: ella o Sr. Cap;-
-tao Mello, Caj&peba, grande parte dos
Ohciaes do Batalham 11, ealguns dosou-M
tros corpos se lhe ceupirao, e o Cidadao
Joao de CarvalhodeOlinda "sonbe, que foi a
Boaviagem, bem comoEstudantedo Cur-
so, Goes)poisqe depois q' foi repelidor.com
descargas cerradas na noite de 14, foi ao
Presidente communicar-lhe o^jue havia, e
nao lhe restando mais do que a posicodas
5 Pontos, porque as mais avenidas ja estavp
tomadas pelos rebeldes, e guarnecidas'com
pecas dirigio-se para aquelle lugar donde,
reunido alguns soldados de Policia, e Ci-
dadaos, e aproximando se para ali os mal-
vados, foi naca os AfFogados," officihndo
logp de l todos os Commandantes de
Milicias, eujos oflicios creio foro entre-
gues, e ao Presidente, a quem veio traser o
Major Mello: pela manh de 15 apparece-
o cin pleno dia as 5 Pontas,, d'onde sen-
do atraicoado pelos soldados que t razia,
vollou para os AfTogados, e dali por se nao
poder conservar, para a Boa viagem, man-
dando pelo Cidadao Joze Felis de Souza,
mesmo das 5 Pontas informar ao Presiden-
te do Succedido; e da Boa-viagem tornou
nos ament a otticiar aos Commandantes
de Milicias, e ao Presidente, respondendo
o mesmo Sen6or.pt) proprio oflirio do Se-
nhor Paula, c pelos mearnos portadores o
Sonhor Tenente Vctor, e Cadete Alhu-
querque, cujo olicio se algucn o quizer
ver euddu-me ao trabalio de o pedir, e
mandar publicar. O Commandante do
Batalho 55 imediatamente que recebeo o
officio reuni a gente que pode, e marchou
pelo interior para os Aibgados, onde j
nao encontrn "Crm imandante das Armas,
os dos irais Batalliues do Matto, onde
milito difcil JBfitar-se gente derao provi-
dencias, efiserao'marchar, ajada que che-
gou ao depois ..a gente que foi possivel, so*
aquelle Senhor que te\ e impedimentos.
Dir-me-hab que era corpo do Rccife; res-
pondo >(]ua o Regiment 27 tcm grande
numero ora dn Prac,a." Mas que quer,
Senhor Editor,' se este Regiment aquel-
Te"*He*Smo, que sendo avisado dias antes pa-
ra apresen; arum csquadraojno ibsso'dia 7,
apern aprsento meia duzia de homens, e
o mesmo que depqis da Setembrfosad ten-
do ordetn para conservar destacadas tiesta
Chlade 40 praeas para o servieo das pa*
trulhas, nunoa foi pssixel ter neto 20, a-
fJenas uingi dzia erao prontos < ni rondar.
. ao mesur tcinpo que o .Rgimen le 2 nao
s<> conse'rvou sempreagenle <{ite lhe foi or-
denada; como a l'azia render em tempo
compr' 'lite, prestando -assim r< levantes
*ervic vida dos CommandanttN : louvore.-* pois se-
jato dados ao Senhor Tolentino. Uo que
lica expendido^fe conclue que por este la-
do loi re de merecer elogios o SeoJjor Co-
roue^ rtancisco Jacinto, dignode sensura.
Resta-me agora perguntar, quaes os da-
dos que tem estes Senbores para diserem,
([lie o Senhor Paula, foi auctor, ou colo-
borador da Novembrisda? Ah! malvados!
E' esta a recompensa, que dais a virtude!
a jueui estando doente sahio portrez vezes
de sua caza, j chamado do Governo,
j de alguns Cidados, e j como Mmbro
da SociedadeFt^derar, para ir as 5 Pontas
, ver se pela opiniao que goza poda dessu-
dir aqnelta. gente, o, que se nao poude con-
- seguir, fesa^lhe a gloria de inuito ter tra-
ba! hado para issb ? A quem tanto prega
a ioderacao, bem entendida, respeito, e
obediencia as Auctoridades. Monstros! I-
de para o Averno unir-vos as vossas com-
panheiras Furias, Eumenides, Inveja, dis-
cordia, e modera^ao fingida.
?


(1296)
TW-
->*-
Senhor Editor, se esta nao couber nos
limites da sua olha queira publical-a em
um suplemento, com a maior brevidade,
Seo Patricio .
Calan gra.
H
ANUNCIOS.
_ Oje segunda feira sahir a lus o n.c
11 do Consiliador, contendo um artigo
sobre a prosperidade dos Mineiros contrata-
da com o nosso estado; outro sobre o res-
sentimento dos Srs. Officiaes de Pernam-
buco pela nomeacao dos Commandantes
das Guardas Municipaes permanentes; ti-
ma correspondencia sobre as Guardas Na-
cionaes, a necrologa do Padre Manoel
Pegado, e finalmente noticias Estrangei-
ras.
6^* Moje 20 de Fevereiro sahir a lus o
5. N. da Bandeira de Retalhos, con-
tendo dous artigos trauscripts do Observa-
dor Constitucional de S. Paulo, outro do
Filho da Terra ; e vender-se- as casas ja
anunciadas, exceto a Botica do Sr. Aleixo
por ter passado a outra pessoa, substituin-
do a Botica do Sr, Braulio na Boa-vista.
Ui
2&m>a&
Ma porcao de 30 ou 40 carros de le-
nha propria para olaria: procure a M. de
C. P. d'Andrade no sitio do campo verde
corredor do Bispo.
3* Urna cadeirinha de bom gosto, com
todos os seos pertences : na Soleda-
de n'um sitio que tem um sobrado de um
andar com mirante em cima.
3* Urna preta, Angola, 25 annos, com
principios de cozinheira: na praca do Co-
mercio N. 28.
3* Meia arroba de prata fina em obras
do Porto por preco cmodo: na ra Nova
D. 15.
63* Urna crila, costureira, rendeira, e
cozinheira, para fora da Provincia: anun-
cie.
3* Vende-se, ou troca-se por um mole-
que urna escrava do gento d'Angola: nos
Quatro canto* da Boa-vista venda D. 47.
C3" Duas propriedades urna denominada
Bom successo, e outra Monte alegre, con-
tiguas urna e outra ao Engenho Sibiro do
Cavalcante> sitos no termo de Serinhem:
as mesmas a fallar com Felis Joze Ca
valcante.
3* 4 escravosc 2 moieques: na ra do
Rozario n. HT^que vai para os quarteis;
sendo se queirao comprar juntos vendem-se
a prazo com boas firmas.
$3=* Urna escrava de todo o servico: na
na ra da Gloria lado esquerdo 9.
63" Bi'xas de muito boa qualidade pre-
co commodo; tobm se vendem os centos:
defronte da Madre de Dos n. 200.
3* Urna armacao de venda na ra das
5 Pontas 25: na mesma.
3* Um fardamento completo com tollos
os apretrexos, pertencentes a um miliciano
do Batalhao 53 : na loja de louea e vidros,
ruado Colegio.
63=* Veos pretos e brancos, chapeos de
seda finos de maca, cambraias, e cacas lar-
gas pintadas, lencos de seda para Senhora,
e da India para homem trido de superior
qualidade: na loja n. 16 da ra da Codea
velha.
G3* Urna caza de trez andares sita
na ra da Cruz n. 46: na uiesnia.
3* Chapeos de maca com pello de seda
de armacao moderna, e de qualidade supe-
rior : na ra do Crespo D. 8.
3* Um terreno no aterro dos Affoga-
dos e com trinta e dols palmos de/rente o
fundo, at a mar : na rui Direita D. 12.
C3*Um moleque de 14 annos: na ra do
Crespo D. 12.
63* A venda do aterro da Boa-vista D.
I,adinheiro, e tem ramo das garapas e
sendo nao queirao com dito ramo se ven-
der sem elle: na mesma.
63* Sevadinha franceza muito boa, cra-
vo da India em barriquinhas de 8 libras:
na ra do Rangel venda D. 26 na esquina
do beco do Carsareiro.


c
Compras.
Avalos grandes, novos, e gordos, pa-
ra o Corpo de Guardas Municipaes Per-
manente : na ra do Colegio 2. andar do
sobrado D. 9. a falar com o Comandante
Geral.
63* Tres varas e meia de bico largo de
mais de palmo, feito na trra, e que seja*
de bom gosto, e fino: na caza de Miguel
Bernardo Quinteiro, ra Nova N. 32.
63*Compro-se effecti va mente quartaos
capazes de trabalharem: na ra da Penha
D. 24.
? >
>



(1207)
dr A Biblia sagrada novamente impres-
*a uelo Padre Antonio Pereira de Figuei
redo com o texto latino da Vulgata ao la-
do ein qurtrto grande T voiuures: anuncie.
::? ina porctu de papel sujo para em
bruliio: na rita do Livramentu 1), 2 ven-
da de 3 portas.
N,

O dia quarta feira 15 do corrente,
perdeo-se ou furtou-se um reloj o pequeo,
do tamanho de una moeda de prata, caixa
de prata asp rejada, mostrador da tnesina, e
empurprelo muito razinho ; e por isso
roga a quein o achar ou lhe for of}ercJdo
a compra, e queira ter a generozidade de ruados dentro, do sitio, as qoaes fizero
o restituir, o fesa na. cua Nova N.'32,'a/' b-sta ufe: estrago, em roca, e eapimde pa n-
a juros com o premio de 2 por ccn'to ao
mez, segura ndo*se-l he o debito com hipo-
teca em um sitio de trra, ou ern seis es-
cravos: anuncie.
G^- Da-se um cont de rcis a premio,
com hipoteca ern um bom sitio.muito por-
t da pmea, se for a margein de Capiba
ribe melhor; adverte-se que com acn*
dicao de morar no sitio durante o tempoda
hipoteca: dirjase a-Soledade como quem
vai para Belem ao sitio que .tem portam
com a marca de 1808, ou anuncie.
(^ Apareceo no dia 16 do corrente mez
de Fevereiro de 1832 na Soledade n'urn si-
tio, que tem um sobrado de um andar, com
mirante em cimaj'duas vacas c um bezerro


Miguel Bernardo Quinteiro que generozo
se mostrar a quem uzar semilhante gene-
rozidade.
o
1
I
I
, 1
S"Srs. berdeiros do finado Joo deOf
llvcira Govim,- que lio Diario de Pernam-
buc de sexta cira i 7 do corrente mez u. e
34'anunciarao ao Publico, que pesSoa.aU.
guma compre, ou arrend -o engenho \J-
xua. a Francisco* Nicolao dePontes.queirao
declarar, tem escrrptura de hypotheca
especial daquelle predio, ou se disputan a*
-iiullida.de, pela qual foi aquelle predio
transferido a FiauciscoNi(* pois o demandal o por divida nao pode im-
pedir a venda, ou renda do predio, e nem
este por essa demanda Jiea letigiozo. :
{3=* Quem tiver,"^e^quizer alugar duas
pretas, que saibo vender na ra, ou para
"isso tenbo geito: dirija-se a ra do Hesp
co logo ao entrat Jtarceira .caza, ou -
nuncie:-"
3* A pessoa que anunciou.no Diario de
15 do corrente querer comprar uro escravo
oanoeiro: dirija-se a Pracinha do Livra- *
ment sobrado 1). 21, 2. andar.
G=^ No dia 1. do cocrcnle foi fgido
um escravo em umxomboio que ia para
sima, sem saber dizer quem seo Sr. por
ser bastante bruto; por tanto quem for seo
Sr. queira procralo no EngendipS. Fran-
cisco no sitio M rxado que dando oa signa-
es certos lhe ser entregue, e adverte que
nao se responsabehza por qualquer coiza
que acoiiteca em dito escravo.
N. 308 querer darcem mil res com hypo-
'L quem for seo dono queira bir conduzil*
las, cue. de hoje\em diante nao lhe corro
rais risco, ao descaininho que ellas leva
$3* V pessoa que aunciou no Diario""^
teca em um-toleque procure no jMondego
D. 84t S^,
G^fO Senhor ?bastiao Joze de Ohveira
Macedo queira afiHCtitr a sua morada pa-
ra se lhe enrega^ma carta viuda da ci-
dade das lagqat ou procure no Cartorio
4o Escrivo Magalhaes.
3"* Da-se at ,6:000#000 rs. em moeda
de cobr jurase receberem, em Lisboa, na
forma da t9<_ com o prazo- de dous an-
nos; os pertenrIBiitaj procurem no beco
Largo n. c 26. **S V
M
Aria na^o Conga, boa estatura, ps
apalhetados, com um dedo de urna mao
torto, oh'os grandes, e o circulo rocho; f-
gida a 4 de Fevereiro com vestido de chita
de assentobranco e o ropinho de outra,e pa-
o da costa: ao pateo da Santa Cruz caza
da. esquina da ra Vellia D. 1.
NOTICIAS MA RITIMAS.
" Navios entrados no dia 16.
u,
NA; 24 horas; & IV. S. do Hozarlo,
M^ Antonio Joze dos Santos: caixa?: de
Antonio Joze Falcao. Passageiros .)oze
Bernardo da Costa, Joo Correia A i ves,
e Luiz Gon^alves.
fi-3h A pessoa que quizer dar 1:000^ rs. SERENHEM ; 24 horas; S. S. Jo
mmmmmmHmmm
mm+
mmm
m
mmm


(1298)
T
^t^-ift
^ *
-p *'i""*
s Vencedor, M. Pedro Pereira Lobo: cai-
xas: de A. M. da Costa Soares. Passa-
geiro Henrqe Joze Ribeiro.
-PORTO DE GALINHAS; 2Mo
ras; S. Rainh dos Anjos, M. Joaquim
Baptista dos Santos: caixas: de Manoel
Domingos Gomes. Passageiro Joze da
Silva Soares.
- UNA; 24 horas; S. Beija Flor, M.
Joao Agostinho do Nascimento : caixas, e
pranxoes: de Francisco Antonio. Passa-
geiros Vigaro Joaquim Joze de Azeve-
tlu, Alexandra S. Tavares de Gusmao, P.
Joze ovares Lira.
- PORTO DE GALINHAS; 24 ho-
ras; S. Conceiqao Felicidade do Brazal,
M. e dono Manoel D. Gomes: caixas.
- UNA ; 24 horas; S. N. S. do Mon-
te Pernambucana, M. J. R. Freir: cai-
Vjic ;
' -PORTO DE GALINHAS; 24 ho-
ras: S. Conceico da Ponte, M. Ignacio
arques: caixas: de Joze Rodrigues da
Silva Barroca. Passageiros Joze Fran-
cisco Soares, Joaquim do Sacramento, Mi-
guel Barreto da Silva, e Joze Jorge da Sil-
va.
* UNA ; 24 horas; S. Restaurando,
M. e dono Francisco Gabriel Domingos :
aixas, e taboas.
-RIO FORMOZO; 12 horas; S. U-
niao Brazileira, M. Joao Francisco dos
Anjos: caixas: de Miguel Ferreira de
Mello. PassageirosJoze da Cruz, e An-
tonio Rodrigues Vieira.
Dia 17.
-BAHA; 7 das; B. de Guerra
Franc. Alerta, Com. Salvey. Passagei-
ros Dr. Manoel Mara do Amarar, De-
butado e lente do 5. c auno.
- PORTO; 30 dias; G. Bella
Pernambucana, Cap. E. Joze de Olivei-
ra: fazendas : Joze Joaquim Carneiro.
Leal. PassageirosJoao de Souza Nu-
iles Cirurgiao sua mulher e dois filhos.
- RIO DE S. FRANCISCO; 7 dias;
S. S. Antonio e Almas, M. e dono Ga
briel Pereira da Cunha: arros e,m saca,
niilho, feijao, sola, e pedras de amolar.
Passageiros Joaquim Joze Nogueira, Jo-
ao de Souza Botelho, Antonio Jacinto da
Silva Ferreira, Manoel Joze de Souza Pi-
uheiro, Francisco Joaquim Gomes Rebello.
- RIO FORMOZO; 24 horas; S Gwft-
dlupe, M. Antonio Carneiro: caixas: de
Joaquim de Souza Cirnes. Passageiro -
Joze Moreira dos Santos. .
- GOIANA ; 3 dias ; S. 8. Joao Bap;
tista, M. Joze Rodrigues de Brito : cai-
xas : Manoel Joze.
- RIO DE JANEIRO; 27 dias; B.
Argentina General Bandean, Cap. D.
Compbell: carne seca: Nuno Mara efe
-LIVERPOOL; 46 dias; B. Ing.
Baronet, Cap. Joze Rankin: fazendas; ,
Lassere eCompanhia.
- UNA; 24 horas; S. Dezengano Fe-
liz, M. Felis da Costa: caixas: de Joao
Alves de Carvalho Porto. Passageiro -
Antonio Joze Ribero.
- BARRA GRANDE; 24 horas Hia-
te 8. Antonio Orador, M. J. Pires Sil-
veira: caixas de Lourenco Joze das Ne-
ves. Passageiros Manoel de Freitas Gui-
maracs, Joao Antonio da Silva, Joze An-
tonio de Figueredo, e Antonio Jacinto de
Medeiros.
Dia 18.
*m PORTO; 33 dias; B. Espirito San-
to, Cap. Antonio Joaquim Ramos; fei-
jao, vinho, sal, e outros gneros, Mano-
el Joaquim Ramos e Silva.
Saludos no dia 16.
J>J_ARANHAO'; S. iparo Brazilei-
ra, M. Joao de Souza Salazar: assucar.
- TRIESTE ; B. Ing. Ranger, M.
A. Donaldson: assucar.. T. ~
- BREMEN; G. Am. S. Nie, Cap.
J. Burgess: assucar.
COWES; B. Ing. Demerara, Cap. t.
I. Fox: assucar.
- MACEIO. B. Ing.Ewen.
Dia 17.
-CEARA' E MARANHAO'; B. de
Guerra N. I. Cabocolo.
- RIO FORMOZO; S. Laurentma
Brazileira, M. Joze Marques: lastro.
Passageiro Joze Alves Pereira.
-SANTOS; S. Ventura Felk, M.
Manoel Pereira de S: Sal.
- PHILADELPHIA ; B. Am. Globe,
Cap. J. Devereaux: couros, e assucar.
- HAMBURGO; B. Dem. Adlcr,
Cap. E. Eschelson: assucar.


.-
i
Vi
Perjvambco jca Tipografa do Diario, Ruada Soledade N. 498.
1832.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3B3VDNRT_BHGU2M INGEST_TIME 2013-03-27T16:04:59Z PACKAGE AA00011611_01610
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES