Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01595


This item is only available as the following downloads:


Full Text

u
#
i

%N0 DE 1832. QUARTA FEIRA 1.& DE FEVEREIRO NUMERO f.
DIARIO DE PERNAMBCO.
Subscreve-se mrmlmente a6W r*. adiautados, na Ti pografia do Diario, ruada Soledade X. 498; e na loja de lirros da Pra<;a da
Uniao V. 3T efa: o4e se rece'>i:m correspondencias, e anuncio*: estes ins do" assign;! dos. Os anuncios, que uo forem do* assignantes deverao altm das de inaia condijoes, pagar por cadatinua impressa 40 rs.
0,u.irta feira- S. Brgida- *ud. d Juiz dosF. de m do V\g- G. de
t. La V- 7 h. c 46 da t. V. as 4 h. 6. ni. da t.
Quint. Guarda- Purifuarao d N. S. P. a 5 h- e 18 ni.
da m
Tudo agora depende de nos mesmos, da nossa prudencia, mo-
derado, e energa; continuemos como principiamos e seremos a-
pontados com admirado entre as Na PtocUnafi* da\ JstttniUa Gem do Rrniil.
gimpre^o em ^eruambueo por antomuo glose De <3@rrnna f alcao*



**;

t

ART1G0S DE OFFICIO
F,
O prezente a este Governd a informa-
cao que em Offcio de H do corrente exi-
gi a V. S. cerca da quarentena, que
dentro do Porto fazia a Escuna = Despi-
que uuando o Brigue Inglez P^uvian a
eslava fazendo fora no. Lameirao, sobre o
que urbanamente, e com toda a civilidade
reprezentara o Cnsul Ingiez, redamando
que o privilegio concedido ao Despiqtie se*
fzesse extencivo aos Navios de sua Naoo;
e certo o Governo dos justos motivos, que
teve a Reparticao da Saude de assim ra-
ticar por ter vindo o dito Brigue Peruvian
de Raiiiburgo,.Porto onde existe a Cholera
Morb1 tazendo terriveis estragos, quando
a Escuna Despique vinda de Angoja, s
tinba de soffrer 'quarentena de observaco
pelo motivo de lhe faltar gente abordo,
sem que o Porto donde sahira fbssesuspeito
de nelle haver a referida molestia; nao
poude deixar de admirar que V. 8. na sua
mtormaeao fallasse em interrupcao da qwa-
rentena da dita Escuna por ordem do Go-
verno, que teve motivos para a ordenar,
porque o podia fazer ; sendo alheia da in-
brmacao exigida esta parte do seo Officio;
e nao menos deixou de estranhar que V.
S. achasse impoltico o Oficio do referido
Cnsul, e que afftrinasse que os Emprega-
dos da Saude do Porto, nao sao doceisnem
rogos, nem qualquer outra razao; por
quanto ainda nao sendo o Offcio do Con
sul urbano, e civil como lie, nao hera da
sua competencia o conhechnento da manei-
ra, porque elle se corresponde coui o Go-
verno, e muito menos insinuar a maneira
de responder lhe: serulo notavel e asss re*
prebensivel, que os Empregados dessa Re-
particao nao sejo doeeis raao, qualida*
de esencialmente indispensavel todo o
Cidadao, e principalmente ao Empregado
PttbHcojr: que sem eUa ja mais ser obedi-
ente as Lis, qme sao todas fundadas em
raaao. V. S. como Chee da Reparticao
deVer fazer erteetiva a espousabilidade de
taes Empegados, Jfcwa nao vir a ser V. S.
9 upico re.ponsavel. Dos Guarde a V. S.
Palacio do Governo de Pernanibuco 20 de
Janeiro de 1832. Francisco de Carvalho
J&eo'de Andrade. = Sr. Vereador, e Pro-
vedor da Saude, Antonio Elias ce Moraes.

T,
Ekdo este Governo,. em Conceibo, em
virtude da Carta de Lei, de 10 deOutubro
do auno prximo passado, e Decreto regu-
lanienUr de 22 do msmo mez, e auno,
credo nesta Cidade huov Corpo de Guar-
das Mnicipais voluntarias, e sold, com-
posto de seis companbias; quatro pe
trezentas e cincoenta pravas, e dua
vallo com setenta e cinco cada urna,'. cmi
os vencimentos marcados no Art. 5. do
citado Decreto; uomeou a V. S. para Com-
jnaruiante Geral do dito Corpo; para prn
meiros Commandanled de Companhias a
Francisco Joze da Costa, Feliciano Joa-
quina dos Santos, Herculano Pi Pedro,
Boaventura de Mello Varejo Jastelo Bran-
ca, Manoei Thomaz Rodrigues Campello,
e Maaoel Silvestre Macltado; e para se-
gundos Be uto Joze Fernandes Barros, -Lu-
iz da Costa Porto Carrciro, Joao Francis-
co Regis Quintella, Manoel Florencio Al-
ves de Moraes, Rufino Joze Correia de Al-
meida, e Antonio da Silva Gusmo, aos
quaes se fez a conveniente participacao, or-
&J2F
^f "



(1222)

denando-se-lhes, que se apprezentassem
V. S. que passar immediatamente a or-
ganizar o Corpo, do qual o Ajudante Se-
cretario, e Quartel Mestre deixou o Con-
celho a cscolha a V. S., que a submeter
sua approvacao. Para Cirurgiao Mor
foi nomeado o jjoutor Simplicio Antonio
JVJavigner, e para Cirurgiao Ajudante Ja-
nuario Alexandrino da Silva Caneca. Co-
mo ja existao algumas pravas alistadas pe-
^ Has Juizes de Paz dos trez Bairros desta
Cidade para este Corpo, tenho-lhes deter-
minado, que as mande apprezentar a V. S.
assim como officiei a todas as Cmaras da
Provincia para convidarem os Cidadaos do
seu Termo que tenhao as qualidades exigi-
das, e queirao servir neste Corpo, que ve-
nhao apprezentar-se a V. S. munidos de
Attestados dos Juizes de Paz respectivos,
que abonem as suas conductas. Este Go-
verno, certo das virtudes Cvicas, e Patrio-
ticas de V. S. espera, que se ha vera com
toda a efficacia, e energa na boa organi-
zacao deste Corpo, que dever ser exem-
piar em disciplina, subordinacao, e con-
ducta moral; porque o principal fim da sua
criacao, he para manter a tranquilidade
publica, e auxiliar a Justica; como V. S.
ver da Ley, cujo exemplar lhe remetto, e
outro do Decreto das Instruces respecti-
vas, Acceitando V. S. esta nomeacao, ap-
- prezentar-se- a este Governo, para rece-
ber o competente Titulo. Dos Guarde a
V. S. Palacio do Governo de Pernambuco
20 de Janeiro de 1832. st Francisco de
Carvalho Paes de Andrade. =s Sr. Tenen-
te Coronel Manoel Cavalcanti de Albu-
querque.
R
/ernelto V. S. para sua intelligencia
os Oicios inclusos do enearegado de Ne-
gocios do Brazil em Hamburgo cerca
da Cholera Morbus, e dos Navios, que vie-
rem daquelle Porto: convindo, que V. S. m
haja d'em pregar o mais escrupuloso, e vigi-
lante cuidado respeito de taes Embarca-
coes, suas Tripulacoes, e cargas. Dos
Guarde a V. S. Palacio do Governo de
Pernambuco 25 de Janeiro de 1832.=
Francisco de Carvalho Paes d'Andrade=:
Snr.'Provedor da Saude do Porto.
CMARA MUNICIPAL.
Sessao de 24 de Janeiro de 1832.
Biuo-se a- sessao ordinaria com a Pre-
sidencia do Snr. Este ves, sendo presentes
os Senhores Vereadores Brito, Paula, O-
liveira, Ferreira, e Pires.
O Secretario partecipou que os Senhores
Vereadores Bastos e Rocha por molestia
nao tinhao podido comparecer. .
Leo hum officio do Cidadao Antonio Jo-
aquim de Mello, partecipando que estava
bastante doente, como azia ver por attes-.
tacoes de facultativos, e que por isso nao
poda continuar a servir de Juiz de Piiz
desta Freguezia; em consequencia a C-
mara mandou, que se officiasse ao Propri-
etario Felis Joze Tavares de Lira, cha-
mando o para o dito cargo.
Leo mais dous officios do Exm. Presi-
dente da Provincia, n'um despertando o
zello, e patriotismo dos Venadores sobre o
mo estado em que estao as pon tes desta
Cidade, e mais immediajoes, e calcadas
das ras dos trez Bairros ; assim como, a
Cadeia publica, que vizivel mente patentea
o sofriment, privaces e vexames a que
estao condemnados as desgranadas victi-
mas do crirne, e noutro dizendo, que como
a carta de Le de dez de Outubro do anuo
passado mandou crear hum corpo de Guar-
nas Municipaes voluntarios a p, e ac val-
lo de quinhentas pravas, a fim de auxiliar
as Justinas, e manter a tranquilidade pu-
blica, a Cunara convidasse por editaes ,
aquelles Cidadaos deste termo, que tives-
sem reconhecida boa conducta moral, civil,
e politica, e quizessem servir a Nacao, que
viessem alistar-se appresentando-se ao Te-
en te Coronel Manoel Cavalcante de Al-
buquerque Commandante Geral, com o
vencimento cada pra^a de seis centos rs.:
quanto ao primeiro resolveoa Cmara, que
se respondesse ao Presidente, que nao era
por falla de zello, e patriotismo, mas sim
por falta de dinheiro, que ella nao tem cui-
dado nos reparos das calcadas a que se ha-
via dado principio; e pelo que diz respeito
aos melhoramentos da Cadeia, nenhum el-
la podia ter, em quanto se nao trans-
feriste para outra parte as audiencias dos
Juizes de Fora, e Ouvidoria da Comarca,
e as sessoes da Cmara para as quaes seria
bom, que S. Exc. lhe iiiandasse dar a lo-
ja da casa da Relacao; e quanto ao se-
gundo mandou, que se passasse edital pelo
qual se fizesse o convite, publicndose por
a imprensa.
O Secretario appresentou duas memori-
as impressas mandadas por o Prezidenteda
? ?
9>




(1223)
I

Provincia sobre o fabrico do assucar: a
Cmara icou inteirada.
Leo um oificio do Juiz de Paz dos Aflo-
jados requintando bum livro para i matri-
cula das Guardas Nacionaes, e seis ta bo-
letas Com as anuas do Imperio, fftra seis
Delegados seus: a Cmara mar.dou, que
se ihe remetesse o livro, e ao Procurador,
que mandasse fazer as seis taholetas; com
tanto porem que nao excedesse cada una
a quantia de dez mil reis depois de pron-
ta.
Leo hnm officio de Lourenco" Manoel de
Carvallio, participando, que aceitava a no-
meaoo, que delle havia < i lo a Cmara
para Examinador dos que \x teriderem en-
trar no exercicio da Pharmacia.
Leo bum oificio do. Fiscal de S. Anto-
nio acompanhado de hum quadro dos mul-
tados por elle (tesde tres de Oujubro de
1 831 ate 5 de Jaflt iro do correte aino: a
Cmara mandn, que se lancasse no livro
competente. J
L'o outro oicio do Juiz de Paz dos
Aflojados, dicen lo, que em sen poder pa-
ravo dezeseis mil reis de cnrid< ifecSes da-
das em oito Vendelluns d > sen districto, e
que a Cmara poda manilos receben
(piando quizesse: a mesma d tTmiuou ao
Procurador, que o fizesse receber, e que
se llic resprmde>*se dizen lo, qqo,io conti-
nuaste a rcofber taes dinluiros pois que
ao Piocurador he qn? comp -te fazer arre-
ca dar as multas por a reanlo, qne a elle
devia ser remettida.
Hum oificio do Fiscal de Jaboatao, a-
zeudo ver, (pie nad poma iazer as corridas
para levar a efictividade as Posturas por
nao ter luun Aju lante do Porteiro : a Ca-
mbra determinan, que se Ihe responderse
(.izendo, que enfeuden do-se com o Escri-
vo do Juiz de Paz da Freguesia visse se
eUt queria fgsf as corridas, e quando no,
que pio'.)osesse huma pessoa a quein se pas-
isse o competente r>rov ment.
Hum oflicio do Juiz de Paz Suplente da
Varzea, fajeado ver, que o Juiz de Paz
? da Freguezia de S.J^ourenco ainda est,
exercendo jurisdicao em terreno do muni-
cipio desta Culada, que ica ao Sul do Ca-
pibaribe at o Pao da Ceia onde se finalisa
o termo, e que este terreno deve pertencer
na forma da Lei, aoJuizo de Paz da Fre-
guezia de que elle he Juiz de Paz: a C-
mara resolveo, que se oficiasse a de Olin-
da, dizendo, que fizesse saber a aquelle
Juiz de Paz, que a s, .
somentc ao termo de seo
Leo o Secretario o officio do t-idaj-.o
Fel is J < >ze Ta va res de Li ra iiu quu I (le
dizia, que continuando suas me.;.-.-lias, e a-1
crescendo mais o estar a mudara .-ra o
Bairroda Boa-vista, nao poda tomar a
rxereu as fuueocs de Juiz de Paz deste_
Bairro, pelo que onciou-se ao immediato
Pedro Jte T ." aiis de Faria.
Appresentou-se Ignacio de Mello e SiN
va eleilc) Juiz de Paz Supplente da Fre-
gtiezia do Poco da Panella, o qual prestou
juramento, e lomou posse do dito cargo.
O Sur.' Presidente indieou a necessida-
de de nomear-se Imm Provedor da Saude
de Mar em lugar de Antonio Elias de Mo-
raes falescido nodia 21 do corren te mez,
cuja indicaco foi aprovada, e posta em
votacao, sabio cleito para dito cargo o Sur.
Vereador Bernardino P 4 votos. Despacharo-se alguna requer
oieutos, e por ser dada a hora alevantou se
* sessao. Eu Joz Tavares Cromes da
, Fonceca Secretario a eserevi. Estoves Pro,
Prezidente- Ferreira Brito- OHveira -
Pires.
ANUNCIO.
j Az-se saber aos Subditos Britnicos re-
si lentes om Parnambueo que nodia Quin-
ta felfa; 8 to crrenle fcfcr lugar, no Cn-
sul.do Britnico, ra', di Trapiche n. 1 o
ajuntarento. dos subs&iptores para os flus
designados no acto 6 Gen IV Cap 87.
Consulado Britnico em Ptrnambuco 1 de
Fevereiro de 1832.
Hy Cowper.
* Cnsul.

absos particulares
' Kj P. Joaquim Antonio Goncalves Les-
sa, Escrivo da actual Loteria do Semina-
rio de Olinda, faz sciente ao respeitavel
publico, que no dia 3 do corrente mez de
Fevereiro se comeeao a pagaf os bilhetes
premiados em caza de Manoel Caetano da
Silva, Thezoureiro da mesma Loteria na
ra das Cruzes das 9 lloras da manilla at
as 2 da tarde. Igualmente faz sciente ao
resueitavel publico, que jt se acho na Ti-
pografa os bilhetes da primeira parte da
.Lotera, cujo plano sahir impresso,
'



(1224)
quando 9ahir o anuncio da venda' dos refe-
ridos bilhetes.
3* Sabbado 4 do corrente sahe a luz o
N.. 16 do Ecco d'Olinda acompanhado de
um supplemento, conten alem de interes-
santes reflexoes sobre o nosso estado politi-
qo um Art. sobre a discussao que teve lu-
gar no Concelho da Provincia eni o da 30
^ ~ "-' ^ P P- m^z, una carta que o Redactor
dirije a S. Exa. o Exm. Sr. Prezidente
sobre as infracc.oes que elle he commettido
na Constituic.ao do Imperio, um sonho do
Ticutici e reflexoes sobre a Carta de D.
Migue] a seo irmao D.. Pedro. Adverte o
Redactor /jue esta folha tambem se acha
venda na caza do Sr. Quaresma no Reci-
fe, na Botica do r. Gonzaga era Oiin-
?

v,
:
Ictoria, criouia, idade 20 annos pou-
co mais ou menos, boa estatura, magra,
faltavlhe hum dente adiante, ps cambados
pernas algum tanto argidas, as costas
marcadas decicatrises dexicote, peitos cabi-
dos, mos grossOs, munto rcgrista, e nao
he bem preta, levou urna saia nova de xita
a sul da Fabrica com ramos brancos a ti-
rada pelo hombro, e nao' levou carniza
tao smente embrulhada em hum lencol de
brim gosso ja usado, ausentou-se de ca'za
de seo Snr. em 30 de Janeiro: os aprehen-
daref, dirigao-se a estrada da Tremp pa-
ira a soldade, casa que envidracada, que
fas frente paro o sitio, que foi do falecido
Pedro Jorge,: aeiui Como seprotesta desde
ja if comtdo o rigor da Lei, contra quem
a tiver acoitadda.
3* Sebasto, Angoia, 40 annos, esta-
tura media, grosso, rosto liso e abocetado,
barbado, com suissas, e gafurina, cabello
pouco carapitiftado, bem preto, falta de
dentes na frente, pernas grossSas, pV gros*
seiros e speros, e com um dedo de menos,
urna cicatriz grande no peito, una oudu*- '
as as cr'uzes; fgido da Cidade do Natal
no Rio Grande d>Norte a \7 de Janeiro
do corrente em companhia de um Joze Jo-
aquina que de Pernambuco ali aparecer,
enf> urna jangada, cujo mestre se chama
Manpel Joaquim de Araujo: aquelle Joze
Joaqulm pardo claro, cabello corrido, o-
Uk grandes, sobyolbos grossos, principio
w
de basba, e mostra ter 22 a 24 annos, es-
tatura de marca, corpo seco, pernas com-
pridas, finas, e cabelludas, e ps grandes
ebem trajado : o mestre da jangada tao
bem pardo claro, baixo, delgado, pouca
barba, cabello mais voltado, rosto com-
prido e chupado* olhde vivos, natural de
Estremoz, seguirao para o Recife em jan-
gada escoteira com urna ou dus malas: os
aprehendedores nesta Provincia dirijao-se a>
Antonio da Silva & Companhia.
Cd* Antonio, nacao congo, ladino, boa
estatura, falla grossa, naris grande, lulo
do rosto, em sima tem humas bolhas de
marcas de sua nac,ao, tem ofricio de carni-
ceiro, idade 40 annos; fgido a 24 de Ju-
iho e dizem que anda com urna carta faU
a disendo que forro: Francisco Joze
de Carvalho morador na ra Direita D.59.




NOTICIAS i-qEJugLg MARTIMAS.
Navios entrados no dia 30.
B

ANCO DO BRAZIL; 7 mezes ; G
Am. Electra, Cap. B. Chester: azeite:
Matheus e Forster.
- LIVERPOOL; 58 das; B. Ing.
John Izonghton, Cap. J. Fleming: Fa-
zendas; Lowes Riehardson e C.
-LONDRES; 50 das;'B. Ing. Cam*
bria, Cap. H. Hendmaresh: lastro: a An-
tonio M. da Costa Soares.
Dia 31.
~ GOIANA; 24 horas; S. S. Bene-
dicto, M. e dono Antonio Afondo de Mel-
lo: aixas- 2. Pa-ssageiros.
Navios saludos no dia 30.
- ANGOLA } B. Braz. Triunfo do
Brazily Cap. Francisco das Virgen: a-
goardente, vioho, fazendas, e mais gene-
ros. 3 Passageiros.
- RIO FORMOZO ; S. Ave Metria ;
M. Joaquim da Cosa: lastra.
- FALMOUTH; B. Ing. Lillij; Cap.
J. Rogerson: assucar. .
- RO FORMOSO ; S. Gmdelup, M.
Antonio Carneiro: lastro: 1 Passageiro*.
- GOIANNA ; C. ConceigSo do P-
lar, M. Henrique Luiz.: diferentes gene-
ros: 2 Passageiros.


V
Pmbjtambuc JtA TtroomAFiA do Diario, Ra da Sqledadm N. 498. 1832.
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EADY0HDGB_DSEVXM INGEST_TIME 2013-03-27T15:29:09Z PACKAGE AA00011611_01595
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES