Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:01572


This item is only available as the following downloads:


Full Text
1
l".-
DIARIO DE PERNAMBUCO. *
*-^
\
Va
I
//
r
ti1>tcrere-se msnsahtiente a 640 rs. adiantados, na Tipografa do Diario, ra da Soltale N. 498; na lqja de Hrros do Snr. Figue-
ra, Podada UniSo N. 80; na na do Lirramento lado do Xwcente D. 13; onde se recehem correspondencias, e anuncios; estes ii>i-
m-se prsus de-mals r.oiidlc5es, pagar por cada Hhaiinpressa 40 rs., e ser eatregues na loja de Livreiro da ma do Livramento D. 16, ou na Ti
oraJia do Diario.
I
K
Quarta feira S. Tilo Feriado. Prcamar as 5 horas
minutos da manlia.
S
Quinta feira S- Simeao.Ferido
minutos da manila-
Preantar s 6 horas; /$
\
Tndo agora depende de nos mesmos, da nossa prudencia, ma
deracao, e energa; continuemos csmo principiamos e seremos ir
pontados com admiracao entre as Na^oes mais cultas.
Proclamado da Astemblea Geral do Braxil.
1
Impreco em ^emambuco por antomrto 3o$e u flptranDa falcao.
3"

Cottesiponutttca
Nr. Editor Como j i me ache nesta
jide, he do meu dever satisfaser ao pu-
ijpc^L&perante elle ? justificar-me da ca-
lmnailo seo correspondente da Itha de
kamarac, imputndome olivadamente,
sem temor da Ley; arbitrariedades por mim
ali platicadas; queixando-se como ^coli-
ge to seo Diario de 12 do passado,
263, que alem de en faser chegar a falla
as canoas de pescara,, insultava grosseira-
mente quem nellas epconlrava, e que a-
iem disto, fazia vender-me o peixe pejo"
preco que queria, e que para este fim ame-
ac va com tiros de granadciras aos que nao
me quizesscm obedecer, finalisando com a '*
nimba remocj&o daquelle lugar a fim de que
seus moradores se v CHA', que ianto gosta de peixe degraca:
Ora, Senlior Editor, como se erige a
fece da trra huma tal figura! O' tmpo-
ra o' mores!!! onde est a sa moral dos
homens!? Que tempos tao desgranados,
que anda conservo na sua atmosfera hum
tal fosforo da calumnia! Agora pergunt^
eu ao Senlior Editor chamar huma da-,
noa pela sua distancia (quahdoassimacon-*
tecesse,^ corariium tiro de granadeira, e dev
ras? He chamar a obediencia homens li-N ... i
vres, eem tempos livres, e homens que nao /
sao da minhajurisdigab? Apareja assigiL** ^^^
do o individuo insultado por mim, e a
quem tomel peixe de grac,a, ou por preqo
por mim arbitrado, que para desengao do
respeitavel Publico tenho a merecer deViu.
Senhor Editor, o favor de apressar-se em
inserir no seo jornal os documentos abaixoj
transcriptos, ficando certo o meo ealumi
ador,'* que o Sabio Tribunal do Jury>
far a devida Justina.
Sou Senhor Editor, seu attento venera-
dor e obrigado
lXOw
irfr r

polvos seca, aonde a voz, "j>&/ buzma,"
nao ereJfos ouvidos do pescOT^ft comvxr
simples Xetexto de comprar^Dpeixe fresco
pelo seo Justo valor, a finqgyjleviar o sal*
^gado que pela necessidade #Tocal da For-
Vicente Ferreim de Lorena.
2. Tenente.
XtXAvoel Francisco de Souza Maga-
lhaes, FVesbitero Secular, e Vigario Colla-
do na Pti-oquial Igreja de Nossa Senliora
da Conceicao da Ilha de Itamarac por S.
M. I., que Dos Guarde &c Attesto que
o Senhor Vicente Ferrera de Lorena, Co-
mandante da Fortaleza desta Illia vive com
muito bom procedimento; e nao ha hum
so* Paroquiano capaz, que llie ponha nota
alguina; pois estando eu de Parodio nesta
freguezia, trra estreita, onde se conheeem
os mais pequeos defeitos dos habitantes,
vindo aos meos ouvidos. verdades, e talsida-
des, sobre os seos comportamentoj^ ainda# .
nao me constou que o dito Comnandante
tenha obrada accjfo alguma indecortSg^T
ser BACHA, he querer peixe de grac,a
ou pelo precio arbitrado por mim ? He in-
> sultar ao pescador, eaos moradores do con-*
torno daquella Ilha com tiros de granadei^
taleaa, he do que quasi shpre uzava, he antee sim tem-seportado com muita.man-.^^^
i
i
1
sidao, honra, e probidade, fazendo-se a-
- migo da paz, e de toaos os moradores,^
do com kto prunas da* sua Christand
he o que possoattar comverdade, e.q
*
mmm

1


r-
1
T
I

(riqp?
f\
1
****
>
flor preciso, jurarei todo o expendido. Ita~
V marac 2.3 de Dezembro de 1831.
O Vigario Manoel Francesco de Souza
)

Magalhaes.
Estava reconhecido.
v
^ Joao Baptista de Araujo Presbtero
.rSecui

sular assistente na Freguezia de Nossa
Serihora da C*>nceieo eje Ijamarac. Aties-
to, que o-2. Tenente Vicente Ferreira de
Lorena ex Commandante da Fortaleza da
mesma Ilha muito bem se compertou, du-
rante o tempo do seo interno Commando
tratando os povos com mftita mansidao, e
nao me consta, que o dito ex Commandan-
te tenha obrado accao alguma indecorosa
^^ta sua pessoa, antes 'pelo contrario muito
Mjem se tem portado com muita honra, e
% ^probidad, o referido be verdade, he oque
ijposso attestar in verbo sacerdotis, e se for
preciso jurar, jurarei todo o expendido. I-
tamarac 24 de Dezembro de 1831.
O Padre Joao Baptista de Araujo.
Estava reconhecido.
Attestaces em virtud* de despacho do
Exm. Snr. Presidente.
41
v. *>'
-o
Tenente Coronel Francisco Honorio
zerra de Menezes Juiz de Paz da Capel-
la Filial Curada da Povoaco do Pillar de
'1 tmarac por S. M. I. e C. que Dos
Guarde &c. &c. Atiesto, que o 2. Te-
nenie-do Corpo de Veteranos, e Comman-
dante interino da Fortaleza de S. Cruz
desta Ilha de Itamarac, em cumprimento
de suas obrigacocs Militares, tem. sempre
satisfeito com promptidao as reauisicos,
que a beneficio do Servido llie tenlio feito,
he tudo quauto posso attestar debaixo de
palavra deshonra. Itamarac 22 de De-
zembro de- J 831.
Francisca Honorio Bezerra de Menezes.
O Capito Francisco Joze Correia de
Castro Juiz de Paz da Matriz de N. S. da
Couceicao de Itamarac, por S. M. I. e C.
que De-j Guarde &c. Attesto que o 2.
Tenente do Corpo de Veteranos, e Com-
. ^iandapte Interino da Fortaleza deltama-
w jaca en cumprimento de suas brigacoes
MlGlares tem sido sempe muito exacto e
^^ tem comprimentado e satisfeito asrequisi-
coes oe lhe tenho feilp bem do serrino
*^^tequlidade publica e ueste migado de-
TPafi au
palavra de honra. Villa de Itamarac 22
de Dezembro de 1831.
Francisco^ Joze Correia de Castro. ^*
O Alferes Joze Francisco do Desterro
Fiscal do Termo da Matriz de Nos$a S*
nhora da Conceico de Itamarac Attes- y
to o que tem aostado os ditos cima qufe^
tudo he muita verdade e nao hade ha*vr
quem o contrario diga, e maia assim que no m
Aqo termo onde corrijo nao ha pescadores
que se queixe^n do dito a respeilo de a'a-
car algum por nao lhe quererem vender
peixe assim como ttobem de ser muito re-
to em pagar o que toma, pois compra; he
o que sei para attestar. Villa de Itamara-
c 22 de Dezembro de 1831.
Joze Francisco do Desterro.
o
SUotfo do Correa*
Corrcio Terrestre da Parahi
chegar hoje (4) do correntc, e prfr
manha ao meio dia.
4'*" fSano a Carga
Paa Acaracu', com escala pelo Ce ara
S ahira' com tola a brevidade a mui-
to velleira Escuna Mocuripe, que se acha
* Ajudiada junto a lingoeta; quemnella qui-
zer carrregar ou hir de passagem, pode-se
ilirigir ao mestre, ou na ra do Vigario
'N. 8.


u>
aenaag.


M mulato escuro, de 25 a 28 anuos,
bom vaqueiro e tratador de vaccas, carpi-
na, e entende de fazer assucar: na Praca
da Boa-vista sobrado N. 115.
(3" Apogees da Companhia Geral ex-
tincta: na loje de livros da praca da Unio
,*. 37 e 38.
., 0=1* Urna negra de naco Benguela, 27
[ "nnos, ensaboa, e lava de libela: na ra
\Jas/Tri^li^ras D. 21.
'"^r* 12r$feTeiras de Jacaranda jl cana-
p, 2 banqTnh^s, 2 cmodas ddacaran-
4^
i
d, e 10
dourados
mdaj
is dcK
: na


ra
do
queixa algum tem
be tudo quanto posso at"
julgado
parecido delle
r debaixo de
Crespo N. 3^Bf 6.
, &3* Urna ngkp, ea^ange, de 22 a 26* c
annos, cozinha, e sabe vender na ra ; e
urna gamellapgrande de tomar banho, ole-
ada, e de boa madeira: na ra Direitajrf
/venda D. 35. f^j

t
*


-
M
i
*~T
U
*V
(-
1
3' 2 eseravos ladinos para todo o ser-
vico: na Cacfeia, na sala livre.
C^ Bixas de boa qualidade, em porcao
^^e a retal! 10, de 2JO a 80 rs.: na Boa-vista
^ ruado \ragao, venda *de garapa D. 4.
/i ^ Cr^- Plvora fina, porpreeo cmodo: na
ra do Vigario N. 8.
%'m3* Urna preta mossa, da costa: na ra
? do Queimado loje D. 2.
3" Urna venda com armacao, e per-
tences so, cita no patio daSL Cruz da Boa-
vista : ao pe* da Ribeira fallar com Igna-
cio Nunes de Oliveira, ou no beco daLin-
g-oeta N. 3.
(3" Bixas vindas ltimamente do Porto:
no patio do Hospital do Parauso, venda de
garapa D. 1.
Compras.
O^-J M\ Ianxa nova, ou com pouco uzo,
i\m >jk> tenha mais de 94 palmos de com-
p ido, e a sua boca em proporcao: na Es-
cuna Mucuripe Aindiada junto da Lingoe-
C-3" Uta escravo bom official de pedrei-
ro, oiitro bom official de carpira, asssim
Como um cazal de molatog, que nao exce-
di do 12 a 11 anuos, advertindo que sao
para (ora da Provincia : em caza de Ma;
noel Jozc Machado Malheiro, Forte do
Muttos N. 12.
(3* Una escrava que saiba engomar, e
vender na ra : na ra Direita D. 59.
\ i'}
*
ro a Francisco de Paula Freir, ouaomes
mo Sete, que ser recompensado.


.
ailnguel
.Lluga-se nm sitio em S. Amaro, com
caza bastante grande, baixa de capim, e
terreno para ter 6 vaccas de leite: na ra
do Rozario confronte a Prassa da Uniao
D. 4, 3. andar.
p,
$etta*.
Eroeu*4e desde a ra 4o Cotuvellcfa-
t o stio do Coelho, um bpg^e pupilo

de ouroi quem o achou e qtyizer restituir,
dirija-swa ra do CotuveJ em caza de Jo-
aqnin ae Paula Lopes, ^w
G3* No da 2 do crreme demanha do
sitio de Luiz Rodrigues Sette fugio um'
cava lio russo cardo, capado, com falta de
cabellos no rabo, e cortado as ancas do
rabixo da cangalha, de que existe g mar-
ca ; quem o tiver achado leve-o a S. Ama-


N
furto,
O dia 27 de Dezembro p. p. pelas 3 hof
ras da tarde desaparece^ urna cabra bixo,
cr pedrez, i&m J cabritinhos da mesma *^R
cor; quem della soubcr, ou Ibe for ofereci-
da a puder tomar, e dirigir-se a Camboa
do Charuto vciula da eso nina que volta pa-
ra a ra tas Flores, que ser recompen-
sado.

atotfosi particulares
"y
^q^EM tiver para alugar urna negra pq^
ra todo b servico d urna caza de pouca fa-'-
milia; anuncie. *
(3* Antonio de Almeida Lumiar retira-
se desta Provincia para cumprir com as
ordens do Governo faz o prezente annun-
cio.
G35" Quem annunciou no Diario n. 276
querer comprar urna cama de angico diri-
ja-se a ra da Cadeia velha n. 8 primejj^
andar. w
{3= Domingos Martins de B.rito precisa,
faser huma viagem a Portugal, e faz o
presente annuncio para cumprir as .ordena
do Governo.
0=3* Aviza-se ao rspeitavel Publico para
que ninguem fa^a negocio, ou compre a
Senhora Maria da Trindade huma caza
terrea na ra do amparo n. 61 da Cidade
de Olinda pois que ella ainda tem de pagar m
huma divida contratada pelo seo antigo pos-. .
suidor.
{3*|Quem precisar de htim feitor para .
sitio que entende de plantacok, dirija-se ..
a ra de S. Goncalo, em casa do sapateiro
Joao de Dos.
O^r- Tendo-se entregado na Ponte de U-
xa a urna preta huma porca, esta vindo
em companhia do mesme dono desapareceo
nao por malicia mas sim por motivo de um
agoaceiro, o mesmo dono entregou a dita
preta um lenco, duas calcas, urna camisa
e urna jaqueta, &c: quem for geo senhoi* .
e querendo entregar declare a sua jnojja^
da. \
3- Precisa-se entregar huma cafrta vip-.
da do Porto parado Snr. ManoeV Joe
Barboza e como se ignora sua resii^^y'''
pode o mesmo b|i qem suas veses fizer oT-
^igir-se a ra das Cruzes D. 3.
<
*-?
1
-_i
y

- -i. fi


s

I
l
jet* Queni percizar de um caixeiro pa-
ra escrita, ou ra; anuncie.
' (r*-0 abaixo assignado previne ao res-
. peitavcl publico, para que nirtguem nego-
cie un escravo Flis (mulato) anunciado
Yugido no Diario N. 277 o qual o abaixo
assignado supocm estar oculto em caza de
Anna Joaquina d GmCeicao, moradora
no patio* da Ri boira D. ), Suido oferecido
por esta, ou por oulra quilquer pessoa a
sen rogo; protestando o abaixo qssignado
dfesde j contra o infractor-t que o contfario
obrar.
Francisco das Chagas Ferreira Forte.
**



M
&&tatoo& FugDOj.

*.
'
'i
Anoel Ribeiro, crilo, officialdeca-
pateiro, anda calcado, baixo eseco do cor-
do, aem barba, piza couxo por caliza de
DTxos que tem nos calcanhares, e alguns
bravos na sola dos pes, representa ter 30
a unos; fgido no da 20 de Dezembro de
18.31 : ra do Amorm no Armazein de
assucar de Miguel Arcnjo de Barros Cor-
reia.
0^ Manoel, nac/io Benguela, estatura
regular, eheio do corpo, oioesquerdocar*
^ regado, um tallio de espada na nuca; f-
gido a 3 mezes, e se intitula por Joze:
x ra Nova em'caza de Manoel Joaquim
' Carnciro Lial, D. 15; ou a Antonio Fran-
cisco da Costa Braga no beco do Lobato
N.366. a-
0=3" Francisco, nacjo mocambique, bai-
xo, ja velho, coni falta de alguns dentos;
levou vestido carniza de estopa, calca pre
ta e outra branca por baixo, e colete pre-
to: Cidade de Olinda, ra da Boa ora
N. 22.
C^ Dous moleques, um de nome Luiz,
naco da costa, beni preto, barrigudo, e pe-
. flueno; e outro de nome Felipe, naco An-
gola, maor do que o primeiro, reforjado
oo*drpo, e cor fula : a fu da Cruz ven-
^ m da de Francisco Xavier da Silva Mendon-
'^ J
-Pk-------------^_-------------.
y i
l !
t*.
r.
>'
Noticias e El martimas.
Navio* entrados no da 1. c de Janeiro.
T,
71
I
;
ERRA NOVA; 29 .dias; B. Ing.
L%, Cap. Jos. Rodgerson : bacalho:
Johnston Pater & Comp.
- UNNA :' dia: S. N. S. do Roza*
rio, M. Antorio Joze dos Santos; caixas;
de Joze Antonio Falco. *
Dia 2.
~ HAVANNAH; 51 dias; B. Hesp.
N. S. das Dores, Cap. Francisco Dome-
nech : lastro: Nuno Mara de Seixas.
\ ASSU'; 26 dias; S. Boni Succes&of
S. Miguel e Almas, M. Joao Dutra C&f^
cia: algorlao, couros, esal: de JuXc'Ma
noel Fiuza.
Bi
"Sakido-8 a 31 do passado.
NNA; S. Desengao Feliz, M. Fe-
lis da Costa: lastro.
- PORT de GALINHAS; S, Rai-
flha dos Anjos, M. Joaquim Baptista dos
Santos: lastro.
- RIO FORMOZO; S. Guadelupe,
M."Joze de Dos Monteiro : lastro.
- RO (l ANDE' do SUL por SAN-
TOS; Pat. S. Antonio Voador, M. The-
otonio Ferreira: sal e cocos. Passageiros
Manoel Ferreira a Suva Bertoldo, Jo
ase da Costa Faria, e Theodoro Pereira
Maia.
- RIO FORMOZO; L. Calvario da
8. Cruz, M. Joaquim Monteiro Pereira:
lastro.
f Safados no 1. do cor rente.
4
*- PARA' por CEARAV i MAR
NHA; Paa-N. Paiagonia, Com. o 1.
Teen te Lni^Sabino. Passageiros Jo-
ao Carlos Mditeiro, Arcenio JulifOoines
Belfort, 15 s^oldahs para Maranhio, e 5
para o Para. **
. f RIEST^ ft Ing. Atlantie, Cap.
Isac Barbei: assucar.


I
"
" Pjsajrj.vBuco jsa Tipografa do DiARie, Ra da Soledadb N. c 498. 1832. \> '
^ 41
'
V
t... *


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAEQUU7AJ_Y89Y2D INGEST_TIME 2013-03-27T14:43:47Z PACKAGE AA00011611_01572
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES